ESCOLA MUNICIPAL PROFESSOR AUGUSTO CHAMPLONI PROFESSORA: NIVIA TAQUIANA SANTOS POSENER CURSO: 2º ANO

Sínteses das Fábulas de Esopo
A Lebre e a Tartaruga
Um dia, uma Lebre ridicularizou as pernas curtas e o passo lento da Tartaruga. A Tartaruga disse rindo: "Pensa você ser rápido como o vento; Mas Eu venceria você numa corrida." A Lebre, considerou sua afirmação algo impossível, e aceitou o desafio. Eles então concordaram que a Raposa escolheria o trajeto e o ponto de chegada. E no dia marcado, do ponto inicial eles partiram juntos. A Tartaruga, em momento algum parou de caminhar; com seu passo lento, mas firme, em direção à chegada. A Lebre, confiante de sua velocidade, despreocupada com a corrida, deitou à margem da estrada para um rápido cochilo. Ao despertar, correu o mais rápido que podia, e viu que a Tartaruga já cruzara a linha de chegada, e agora descansava tranqüila depois do esforço. Moral da História: Ao trabalhador que realiza seu trabalho com zelo e persistência, sempre o êxito será o seu quinhão.

A Galinha e os Ovos de Ouro
Um camponês e sua esposa possuíam uma galinha que todo dia sem falta botava um ovo de ouro. Supondo que dentro dela devia haver uma grande quantidade de ouro, eles a mataram para que pudessem pegar tudo de uma só vez. Então, para sua surpresa, viram que a galinha em nada era diferente das outras galinhas. Assim, o casal de tolos, desejando enriquecer de uma só vez, acabam por perder o ganho diário que já tinham assegurado. Moral da História: Quem tudo quer acaba ficando sem nada.
01

Moral da História: As más tendências são mostradas já na primeira infância. no entanto eu te achei e de nada me serves. Então se lamenta o cavalo: Acho apenas que se o senhor de fato desejasse me ver em boas condições. e colocando-o em seu colo. Trouxeram-lhe então um filhote de Lobo. teu dono tivesse te encontrado. e observando-a exclama: Se ao invés de mim. pediram que o apalpasse e depois dissesse que animal era.O Galo e a Pedra Preciosa Um Galo. Entretanto. ele jamais seria bem vindo dentro de um curral de ovelhas. e é quase certo que iria te adorar. apenas tocando-os com suas mãos. mas de uma coisa eu tenho certeza. encontrou uma pedra preciosa de grande beleza e valor. e os vendia para obter lucro. Moral da História: Devemos desconfiar daqueles que vivem promovendo sua própria austeridade. que procurava no terreiro alimento para ele e suas galinhas. 02 . roubava os grãos de aveia destinados a alimentar o pobre animal. ao mesmo tempo. disse: Eu com certeza não sei se isto é o filhote de uma Raposa ou o filhote de um Lobo. Antes preferiria ter achado um simples grão de milho. que todas as jóias do MUNDO! Moral da História: A necessidade de cada um é o que determina o real valor das coisas. ele decerto festejaria de tamanha alegria. me acariciava menos e me alimentava mais. O Cego e o Filhote de Lobo Um Cego de nascença possuía a habilidade de distinguir diferentes animais. O Cavalo e o Seu Tratador Um zeloso Cavalariço (o empregado de uma cocheira) costumava passar dias inteiros limpando e escovando um cavalo que estava sob seus cuidados. Ele correu as mãos sobre o animal e estando em dúvida.

Ela então usou de todos os seus dotes e artifícios para alcançá-las. meio desapontada disse: Olhando com mais atenção. Moral da História: Para uma pessoa vaidosa é difícil reconhecer as próprias limitações. eles caíram no chão completamente exausto.A Raposa e as Uvas Uma Raposa. penduradas nas grades de uma viçosa videira. morta de fome. que estava nas redondezas. e o cervo abandonado entre eles. e outro levar todo o lucro. viu alguns cachos de Uvas negras e maduras. seu dono pendurou um sino em seu pescoço. e consolando a si mesma. a uma distância segura observando a tudo. onde quer que estivesse. percebo agora que as Uvas estão estragadas. mas incapazes de impedir. que nos ferimos um ao outro apenas para garantir o jantar da Raposa! Moral da História: Algumas vezes acontece de alguém fazer todo trabalho pesado. O Cão Raivoso Um cachorro costumava atacar de surpresa. vendo ambos caídos no chão. O Leão. pois assim podia alertar as pessoas de sua presença. disseram: Ai de nós. abrindo assim caminho para as desventuras. e não maduras como eu imaginei a princípio. Por fim deu meia volta e foi embora. e morder os calcanhares de quem encontrasse pela frente. correu entre os dois agarrou-o e desapareceu no meio do mato. o Urso e a Raposa Um Leão e um Urso capturaram um cervo. disputavam pelo direito de posse da presa. 03 . mas acabou se cansando em vão. Após terem lutado bastante. e em feroz luta. Então. Uma Raposa. cansados e feridos. O Leão e o Urso vendo aquilo. pois nada conseguiu.

não da doença da qual padecia. eu ficarei em condições de conseguir meu próprio alimento.se eu levar água para você. servia-se à vontade da escassa grama daquele reduzido pasto. O Cervo Doente Um Cervo doente e incapaz de andar. acredite. e vaidoso do seu sino. . ele chamou uma ovelha que ia passando por perto. um aviso público para que todas as pessoas o evitem por ser perigoso. mas antes disso. repousava quieto em um pequeno pedaço de pasto fresco. Claro. vieram então em grande número para saber de sua saúde. Moral da História: Engana-se quem pensa que ser notório é ser honrado. Assim. não é nenhuma honraria. caminhava tilintando-o pela rua. O Lobo e a Ovelha Um lobo. muito ferido por mordidas de cachorros. e pediu-lhe para trazer um pouco da água de um regato que corria ao lado dela. uma marca de desonra. repousava doente e muito machucado em sua toca.se você me trouxer água. . mas por falta de alimento. Moral da História: As más companhias sempre trazem mais infortúnios que alegrias. 04 O Corvo e o Jarro . Como estava com fome. Seus companheiros.O cachorro cresceu orgulhoso. sem dúvida eu serei parte desse alimento. Assim ele morreu. e cada um deles.falou o lobo . que lá estava para seu próprio sustento. Moral da História: As palavras de um hipócrita são fáceis de reconhecer. Um velho cão de caça então lhe disse: Por quê você se exibe tanto? Este sino que carrega.respondeu a ovelha .

mas como seu bico era curto demais.Um Corvo que estava sucumbindo de tanta sede encontrou um Jarro. Ele tentou de tudo para alcançar a água que estava dentro do Jarro. Fazendo isso. Ao ser permitido que sua cabeça saísse a salvo de dentro da boca de um Lobo. O Lobo e a Garça Um Lobo. Quando o alcançou. e de lá pudesse retirá-lo. e ainda agradeça caso vire as costas e vá embora sem lhe fazer mal algum. todo seu esforço foi em vão. e na esperança de achar água dentro. rosnando feroz. descobriu para sua tristeza. voou até lá com muita alegria. que era impossível tirá-la de dentro. para que esta colocasse a cabeça dentro da sua goela. ao se engasgar com um pedaço de osso. você foi muito bem paga. Quando a Garça retirou o osso e pediu o pagamento combinado. o Lobo. Moral da História: Ao servir a alguém de má índole. prometendo uma grande soma em dinheiro. contratou uma Garça. 05 . não espere recompensas. Por último ele pegou tantas pedras quanto podia carregar. e uma a uma colocouas dentro da Jarra. Moral da História: A necessidade é a mãe de todas as invenções. ora! Você já foi devidamente recompensada. e desse modo ele salvou sua vida. exclamou: ora. logo o nível da água ficou ao seu alcance do seu bico. que o Jarro continha tão pouca água em seu interior.

Com um bote ágil ele o capturou. ele tornou a fazer seu pedido. 06 . mas com medo do Leão. Preso ao chão. mesmo contrariado. Moral da História: Os pequenos amigos podem se revelar os melhores aliados. mandando-o de volta para a floresta. que dormia sossegado foi despertado por um Rato. se o senhor me poupasse. o Leão caiu numa armadilha colocada por caçadores. depois poderemos enfrentá-lo. quando o Rato suplicou: ora. Feito isso. viu que podia se aproveitar da ocasião para livrar-se desse problema. O Leão Apaixonado Um Leão pediu a filha de um lenhador em casamento. O Rato. Nunca esperava receber de mim qualquer favor em troca do seu. pois sua filha tinha muito medo de ambos. O Pai. mas com uma condição. que passou correndo sobre seu rosto. ele resolveu libertá-lo. pegou um cajado e expulsou-o de sua casa.O Leão e o Rato Um Leão. e estava pronto para matálo. reconhecendo seu rugido. pouco depois. Rindo por achar ridícula a idéia. Este deveria deixar-lhe arrancar suas unhas e dentes. roeu as cordas e libertou-o dizendo: o senhor riu da idéia de que eu jamais seria capaz de ajudá-lo. Feliz da vida o Leão concordou. Mas agora sabe que mesmo um pequeno Rato é capaz de retribuir um favor a um poderoso Leão. tenho certeza que poderia um dia retribuir sua bondade. mas o lenhador. amarrado por fortes cordas. devemos primeiro conhecê-lo bem. Ele disse que concordaria em tê-lo como genro. Moral da História: Para resolvermos um problema. Aconteceu que. que já não mais o temia. sequer podia mexer-se. se aproximou.

O Leão e os Três Touros Três touros. escondido no mato. Um Leão. Cachorro Assim que o ladrão jogou os pedaços de carne aos seus pés. espreitava-os na esperança de fazer deles seu jantar. para que seu desejo de devorá-lo fosse justificado. de modo que não chamasse a atenção do seu dono com latidos. já que cantava à noite e não os deixava dormir. e ficou imaginando como achar uma desculpa. Ele trouxe consigo vários pedaços de carne. mas receava atacá-los enquanto estivessem em grupo. A carne serviria para distraí-lo. atacou-os sem medo algum. Finalmente. qualquer que fosse. o disse: 07 . "Apesar de você ter uma boa desculpa eu não posso ficar sem jantar. O gato respondeu. Moral da História: Quem é mau caráter. tão logo eles pastavam sozinhos." E assim comeu o galo. por meio de ardilosas e traiçoeiras palavras. Acusou ele então de causar aborrecimentos aos homens. para que pudesse acalmar um feroz Cão de Guarda que vigiava a casa. O Gato e o Galo Um gato capturou um galo. Assim. sempre vai achar uma desculpa para legitimar suas ações. e assim eles podiam acordar cedo para irem ao trabalho. pastavam juntos e tranqüilos no campo. e um após outro. O Ladrão e o Cão de Guarda Um ladrão veio à noite para assaltar uma casa. ele conseguiu criar entre eles a discórdia e separá-los. O galo se defendeu dizendo que fazia isso em benefício dos homens. foram devorados sempre que sentia fome. amigos desde longa data. Moral da História: União é força.

Uma Águia que pairava ali perto lançou-se sobre ele e com um bote certeiro levou-o preso em suas poderosas garras. é também mais veloz e possui chifres poderosos para se defender. mesmo sabendo que são capazes de superá-los. O Galo de Briga e a Águia Dois galos estavam disputando em feroz luta.se você estava querendo calar minha boca. Moral da História: Para a maioria das pessoas é mais cômodo conviver com seus medos e fraquezas. Moral da História: O orgulho e a arrogância é o caminho mais curto para a ruína. 08 . bateu as asas e exultante cantou com toda sua força. Tão inesperada gentileza vinda de suas mãos. O Galo derrotado saiu do seu canto. O vencedor. Por fim um pôs o outro para correr. me sinto fraca e só penso em correr o mais que puder. voando até o alto de um muro. o direito de comandar o galinheiro de uma chácara. Moral da História: Gentilezas inesperadas é a principal característica de uma pessoa com más intenções. por que então você tem tanto medo deles? A Mãe amargamente sorriu e disse: tudo que você falou é verdade meu filho. e daí em diante reinou absoluto livre de concorrência. apenas serviu para me deixar ainda mais atento. você deve ter algum interesse oculto para beneficiar a si mesmo e prejudicar meu dono. O Galo derrotado afastou-se e foi se recolher num lugar sossegado. O Filhote de Cervo e sua Mãe Certa vez um jovem Cervo conversava com sua mãe: mãe você é maior que um Lobo. cometeu um grande erro. Sei que por trás dessa cortesia sem motivo. mesmo assim quando eu escuto um simples latido de Lobo.

Moral da História: Para vencer o mais forte. 09 . não são de modo algum afetados por estes fortes ventos. que de tão esguios e frágeis. Levado pelas águas. que ao cair no riacho foi arrastado pela correnteza. ao cruzar uma ponte sobre um riacho carregando um pedaço de carne na boca. Eles responderam: você lutou e competiu com o vento. Moral da História: Quem desiste do certo em troca de algo duvidoso é um tolo e duas vezes imprudente. O Asno em Pele de Leão Um Asno. nos curvamos diante do mais leve sopro de ar. Vendo isso. e por esta razão permanecemos inteiros e a salvo. ele pensa que se trata de outro cachorro carregando um pedaço de carne maior que o seu. viu sua própria imagem refletida na água. Aquele que tentou pegar na água já que era apenas um reflexo. e conseqüentemente foi destruído. foi arrastado rio abaixo pela correnteza.O Carvalho e os Juncos Um grande carvalho arrancado do chão pela força de forte ventania. Então ele larga seu pedaço. tendo colocado sobre seu corpo uma pele de Leão. e o seu próprio. O Cachorro e Sua Sombra Um cachorro. Nós ao contrário. vagou pela floresta. e divertia-se com o pavor que provocava nos animais que ia encontrando pelo seu caminho. Agindo assim ele perdeu ambos. e disposto a tomar-lhe a carne que julgava ser maior que a sua ferozmente se atira sobre o animal refletido na água. ele cruza com alguns Juncos. não devemos usar a força e sim a gentileza e a humildade. e em tom de lamento diz: gostaria de ser como vocês.

nos desviam a atenção do verdadeiro problema. O conselho das árvores concordou com o seu pedido e deu a ele uma jovem árvore para este fim. começou furiosamente a usá-lo e em pouco tempo havia derrubado com seus potentes golpes. e diz a um Cedro seu vizinho: o primeiro passo significou a perdição 10 .Ele foi morto mãe. Um velho Carvalho lamenta quando a destruição dos seus companheiros já está bem adiantada. dando pela falta de um dos seus filhos. A mãe das Rãs veio. e. eu lhe asseguro. ainda a pouco uma grande besta com quatro enormes pés veio à lagoa e pisou em cima dele com sua As Árvores e o Machado Um homem foi à floresta e pediu às árvores que estas lhe doassem um cabo para o seu machado.Disse o seu filho . mas suas palavras dirão a todos quem na verdade é. coisas insignificantes. pata que era rachada no meio. você explodiria antes que conseguisse imitar o tamanho daquele Monstro. Moral da História: Um tolo pode se esconder com belas roupas. exclama: eu provavelmente teria me assustado. se antes não tivesse escutado seu zurro. e tentou amedrontá-la também.A besta era maior do que estou agora? . A mãe se inflou toda e perguntou: . pare de se inflar . . Logo que o homem colocou o novo cabo no machado. as maiores e mais nobres árvores da floresta.e não fique aborrecida por tentar. Mas Raposa tão logo escuta o som de sua voz. Moral da História: Muitas vezes. perguntou aos seus irmãos o que havia acontecido com ele.Pare mãe.Por fim encontrou uma Raposa. O Boi e a Rã Um Boi indo beber água num charco pisou em uma ninhada de rãs e esmagou uma delas.

Tivéssemos respeitado os direitos daquela jovem árvore. e sendo arrastada pela forte correnteza. A Mula Uma mula. a salvo. Moral da História: Quem menospreza ou discrimina seu semelhante. Subindo na folha a Formiga flutuou em segurança até a margem. sem que a mesma perceba o perigo. Me sinto orgulhosa por herdar toda sua graciosidade. como simples burro de carga. estava prestes a se afogar. Pouco tempo depois. se portava como se fosse o mais importante animal do grupo. colocando visgo no galho onde ela repousa. ao sentir-se muito cansada. Moral da História: Quem é grato de coração. ao ser levada à uma longa jornada. percebendo sua intenção. oculto pelas folhas da árvore. A Formiga e a Pomba Uma Formiga foi à margem do rio para beber água. Era pura vaidade e arrogância. Meu pai pode Ter sido apenas um simples Asno. Uma Pomba. espírito e beleza. se prepara para capturar a Pomba. dá-lhe uma ferroada no pé. não deve se surpreender se um dia lhe fizerem a mesma coisa. exclama desconsolada: talvez tenha cometido um erro de avaliação. Moral da História: Ao desejar ser aquilo que não somos. A Formiga. Senhora de si.de todas nós. que estava numa árvore sobre a água observando a tudo. Do susto. estamos plantando em nós a semente da frustração. dizia a si mesmo: meu pai com certeza foi um valoroso e Belo Raça Pura. sempre encontrará uma oportunidade para demonstrar sua gratidão. resistência. 11 . era orgulho só dentro do curral. e isso dá chance para que a Pomba desperte e voe para longe. ainda teríamos os nossos próprios e o direito de ficarmos de pé por muitos anos. arranca uma folha e a deixou cair na correnteza perto da mesma. ele deixa cair sua armadilha de visgo. um caçador de pássaros. sempre folgada. Eis que pouco tempo depois. pelo fato de não trabalhar e mesmo assim receber uma generosa quantidade de milho como ração.

A Raposa. acaba por se tornar vítima de sua própria ganância. Diante do compromisso assumido do Leão. O Asno e o Velho Pastor Um Pastor observava tranqüilo seu Asno pastando em uma verde pradaria. Pouco importa os meios que use para consegui-lo. a Raposa. a Raposa atraiu o Asno a uma profunda gruta e o convenceu a entrar lá dentro. ele passará por cima de todos não respeitando sequer seus aliados. também atacou o Asno. decidiu alimentar a galinha com ração em dobro. A partir daquele dia. Moral da História: O Ganancioso. se este desse sua palavra de honra que ele próprio não seria molestado. Moral da História: Uma pessoa sem escrúpulos persegue apenas seus interesses.A Mulher e sua Galinha Uma mulher possuía uma galinha. nunca confie em seus inimigos. imediatamente agarrou a Raposa e quando achou mais conveniente. cedo ou tarde. a galinha tornou-se gorda e preguiçosa e nunca mais botou nenhum ovo. botava um ovo. ao invés de um. e esta todos os dias sem falta. De repente ouviu ao longe os gritos de uma tropa inimiga que se aproximava rapidamente. O Leão vendo que o Asno já estava assegurado. Assim. O Asno. Ele rogou ao animal para que este corresse levando-o na garupa. Por isso mesmo. e o Leão O Asno e a Raposa tendo feito um acordo de proteção mútua. Assim. o mais rápido 12 . para atingir seu objetivo. dois ovos por dia. aproximou-se do Leão e propôs um acordo onde iria ajudá-lo a capturar o Asno. como poderia obter. vendo o perigo iminente. Ela pensava consigo mesma. Não foram muito longe e encontraram um Leão. entraram na floresta em busca de alimento.

além dos dois cestos de carga que carrego. Ao ver o desespero das Rãs em fuga. para o pobre. Assim correram todas de uma só vez para a beira do penhasco. O Asno com calma. Sabemos agora que existem criaturas mais medrosas que nós. .Respondeu o Pastor. resolveram dar um fim às suas angústias. nada muda além do nome do seu novo senhor. ao escutarem o barulho das suas pisadas. Então. tomadas pelo susto.Então .contanto que eu carregue os dois cestos que já possuo que diferença faz a quem estou servindo? Moral da História: Ao mudar o governante. falou: Por que eu deveria temer o inimigo? Você acha provável que o conquistador coloque em mim. a fim de que não fossem ambos capturados. 13 . Combinaram que iriam pular do alto de um penhasco. para as águas profundas de um lago. julgarmos que apenas nós temos problemas e que estes são os maiores do mundo. uma das Lebres disse à suas companheiras: não façam isso que estão pretendendo amigos. Várias Rãs que repousavam à beira do penhasco. Moral da História: É uma ilusão e egoísmo.Não. . o tempo todo. se sentiam oprimidas com tamanha timidez. As Lebres e as Rãs As lebres.que pudesse. outros dois? . Como viviam a temer a tudo e a todos. de comum acordo resolveram por fim às suas vidas. animais discretos por natureza. fugiram pulando dentro dágua em busca de segurança. concluindo que com isso resolveriam todos os seus problemas.Disse o animal .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful