As Sete Emoções

By Alessandro in Acupuntura, Artigos

Texto enviado pelo leitor Hélio de Almeida Brum Junior. AS SETE EMOÇÕES Os sete elementos psíquicos são: Alegria Cólera Inquietude Reflexão Tristeza Medo Emoção

Estes elementos psíquicos se convertem em fatores de enfermidades quando estão em excesso. Atuam sobre a energia nutritiva e de defesa e sobre os órgãos. Influência sobre a energia. A cólera ou raiva faz subir a energia para o alto do corpo. A alegria a faz harmoniosa. A tristeza a dispersa. A reflexão ou obsessão a concentra. O medo a faz descer. A emoção a perturba.

Inversamente, as afecções dos órgãos e vísceras podem influir sobre o comportamento do indivíduo. A cólera em excesso prejudica o fígado, mas, porém as afecções hepáticas podem tornar o enfermo colérico. A alegria e o temor prejudicam o coração, mas, porém afecções ligadas ao pericárdio tornam o enfermo temeroso ou jovial.

. rins. pois o fogo do coração destrói o metal. Quando há cólera o fígado perde a sua harmonia e se congestiona causando enfermidade. vesícula biliar) podem por intermédio do fígado desencadear a cólera. Uma enfermidade do fígado pode prejudicar a vesícula e reciprocamente. Entendamos através da teoria dos cinco elementos. Quando o filho está em desequilíbrio ele pode influir sobre a mãe. A cólera é a manifestação da energia do coração em indivíduos descontentes ou contrariados. A tristeza e a angústia prejudicam os pulmões. mas. Uma alegria súbita pode influir sobre o coração e também sobre os pulmões. O fígado corresponde á madeira. Quando a mãe está doente ela não pode alimentar o filho. A água (rins) é a mãe da madeira. O medo prejudica os rins. A cólera. A alegria. a satisfação. causando vazio que se transforma em palpitações e insônia. O fígado e a vesícula influenciam se mutuamente. uma emoção frente a um acontecimento repentino pode trazer a tensão á energia mental. Um choque ou um ruído que se produz de repente podem gerar palpitações cardíacas. porém a insuficiência renal torna o enfermo medroso. mas. A madeira ama a liberdade. a temperança. o fígado madeira perde a sua vivacidade. O fogo (coração) é filho da madeira (fígado). O yin ao se debilitar libera o yang (fogo). Estudo das sete emoções. Pelo contrário. mas. A cólera prejudica o sangue e a energia yin do fígado.A reflexão prejudica o baço. A alegria é uma energia suave. porém as doenças dos pulmões tornam o enfermo triste e angustiado. O coração é a morada da alma ou energia mental. fresca e disposta do coração. A alegria em excesso pode se tornar um elemento perigoso para o coração desgastando a energia mental. porém as afecções do baço tornam o enfermo pensativo. Outros órgãos e vísceras (coração.

A reflexão pode influir sobre o coração porque este é a morada da energia mental. perda de apetite. Na loucura e no medo a energia mental se encontra tensa. os rins da vontade. tosse e dificuldade de respirar. A insuficiência da energia do coração também pode ocasionar o medo. Nos casos benignos encontramos a ansiedade. Abordando causas externas temos que viver em constante estado de ameaça é viver em estado de medo e angústia. O coração é a casa do espírito. suores abundantes. A terra (baço) é a mãe do metal (pulmões). sangue. Força de vontade e firmeza de espírito são sinais de equilíbrio no homem. Tristeza é uma energia mental impregnada pela pena. estressada. a energia desce o que pode ocasionar perda involuntária de urina e de fezes. Encontraremos estes dois sentimentos unidos com freqüência. A tristeza e inquietude são acompanhadas de sintomas de face esbranquiçada. . Esta mobilização da energia mental prejudica o baço porque o impede de realizar suas funções que é de umedecer e irrigar os outros órgãos havendo. Pelo contrário a insuficiência das energias do baço e do coração vem sempre acompanhada de falta de reflexão. Nos casos graves o enfermo se lamenta e se apieda de si mesmo. A água em vazio não pode irrigar a madeira havendo também sintomas de zumbidos. rins e coração. Quando o excesso de reflexão prejudica a energia do coração se apresentam aturdimentos. Enlouquecimento e medo. sem isto o medo se apodera dele. insônia e esquecimentos. A inquietude e a tristeza podem através dos pulmões prejudicarem o baço e a outros órgãos como o coração. os pulmões estão em ligação direta com o baço. Durante o medo. fígado e pericárdio. Podemos entender que tristeza não corresponde à inquietude. debilidade e frio nos membros e lombalgia. A inquietude o é pelo pessimismo. portanto. palpitações. A reflexão. A reflexão é a concentração do espírito frente a um problema. surdez. diarréia e astenia. Segundo a teoria dos cinco elementos.A matéria influi sobre o mental. Está aterrorizada. Mas a cólera pode prejudicar o fígado. em particular o coração e os rins. Estes casos prejudicam a energia do pulmão. Tristeza e inquietude. O medo se deve á insuficiência da energia renal. Estas prejudicam os cinco órgãos. de modo que a tristeza e inquietude vêm sempre acompanhadas de sintomas pulmonares e digestivos.

Isto quer dizer que o coração se torna o maestro absoluto do corpo. temos que cuidar não só do fígado e vesícula. o perturbando. a alegria triunfa sobre a inquietude. o medo triunfa sobre a alegria. As emoções desequilibradas influem sobre o coração. A inquietude prejudica os pulmões. Alegria. o que causa doença nos outros órgãos e vísceras. Analisando bem se contam sete emoções. Cólera. a tristeza triunfa sobre a cólera. mas também do baço. . Cada uma influi sobre um órgão e viceversa. mas na prática este número se reduz a cinco. reflexão acalmando a cólera. morada da energia mental. Terra ajudando a madeira. Na tristeza não temos que só tonificar o pulmão. A alegria em excesso prejudica o coração. O medo em excesso fere os rins.Conclusão e aplicação. Reflexão. Tristeza e Medo. ³A cólera fere o fígado. mas também fazer gritar de alegria o pericárdio. Aconselha-se sempre ao se tratar de afecções psíquicas se inicia sempre pelo coração. a reflexão triunfa sobre o medo´ (Nei Ching) Por exemplo: Na cólera. tendo relações fisiológicas diretamente com os outros órgãos.