P. 1
NBR 13816 - Placas Ceramicas Para Revestimento - Terminologia-1

NBR 13816 - Placas Ceramicas Para Revestimento - Terminologia-1

|Views: 4.077|Likes:
Publicado porkakaugulino

More info:

Published by: kakaugulino on Aug 31, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/09/2013

pdf

text

original

Cópia não autorizada

ABR 1997

NBR 13816

Placas cerâmicas para revestimento Terminologia
ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas
Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (21) 210-3122 Fax: (21) 220-1762/220-6436 Endereço Eletrônico: www.abnt.org.br

Copyright © 1992, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Origem: Projeto 02:002.10-001:1995 CB-02 - Comitê Brasileiro de Construção Civil CE-02:002.10 - Comissão de Estudo de Ladrilhos Cerâmicos NBR 13816 - Ceramic tiles - Terminology Descriptor: Ceramic tile Esta Norma foi baseada na ISO 13006:1995 Esta Norma cancela e substitui as NBR 6504:1986 e NBR 5644:1986 Válida a partir de 30.05.1997 Palavras-chave: Placa cerâmica. Revestimento 4 páginas

Prefácio
A ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas - é o Fórum Nacional de Normalização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (CB) e dos Organismos de Normalização Setorial (ONS), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros). Os Projetos de Norma Brasileira, elaborados no âmbito dos CB e ONS, circulam para Votação Nacional entre os associados da ABNT e demais interessados. As normas para revestimentos cerâmicos estão agrupadas em três conjuntos, conforme a seguir: a) NBR 13816 - Terminologia; b) NBR 13817 - Classificação; c) NBR 13818 - Especificação e métodos de ensaio.

2 Referências normativas
As normas relacionadas a seguir contêm disposições que, ao serem citadas neste texto, constituem prescrições para esta Norma. As edições indicadas estavam em vigor no momento desta publicação. Como toda norma está sujeita a revisão, recomenda-se àqueles que realizam acordos com base nesta que verifiquem a conveniência de se usarem as edições mais recentes das normas citadas a seguir. A ABNT possui a informação das normas em vigor em um dado momento. NBR 5706:1977 - Coordenação modular da construção - Procedimento NBR 13818:1997 - Placas cerâmicas para revestimento - Especificações e métodos de ensaio ISO 13006:1995 Ceramic tile - Definitions, classification, characteristics and marking

3 Definições
As Normas citadas foram baseadas nas normas ISO 10545-1 a 17 e ISO 13006, que contemplam os mesmos aspectos das Normas Brasileiras. 1 Objetivo Esta norma define os termos relativos às placas cerâmicas para revestimento, esmaltadas e não esmaltadas. 3.1 revestimento cerâmico: Conjunto formado pelas placas cerâmicas, pela argamassa de assentamento e pelo rejunte. Para os efeitos desta Norma , aplicam-se as seguinte definições.

6 módulo (M): Dimensão de fabricação (W).9. 3. Este afastamento se define partindo de N ä W-----Intervalo admissível para a dimensão de fabricação escolhida W N ä W------ Figura 1 . 3. a seguir. sendo conformadas por extrusão (representada pela letra A) ou por prensagem (representada pela letra B). 3.3 dimensão real média (R): Tamanho médio de 10 placas.(W): Dimensão especificada para fabricação. 3. geralmente utilizadas para revestir pisos e paredes.9. a saber: a) afastamento da dimensão de fabricação com relação à dimensão nominal (W com relação a N) 1). 3. 198 mm 199 mm. 20 x 20.9. 199 mm . de acordo com a NBR 13818. branca ou colorida. cujo corpo foi conformado no estado plástico em uma extrusora (maromba) para. crever o formato do produto.9. 3.6 extrudado ou marombado: Processo de fabricação de placas cerâmicas para revestimento. 3.9 termos dimensionais 3.3 esmalte: Cobertura vitrificada impermeável. As placas são incombustíveis e não são afetadas pela luz. Podem ser esmaltadas ou não esmaltadas.7.7 modulação no sistema métrico: Aquela em que o 3.198 mm. acrescida da largura da junta (J). não constituído por esmalte. b) desvio da dimensão real com relação à dimensão prevista para fabricação (r com relação a W)1). 3.9.2 placas cerâmicas para revestimento: Material composto de argila e outras matérias-primas inorgânicas. ou de dois lados correspondentes de uma placa retangular.9.Existem três tolerâncias dimensionais. conforme a figura 2. a partir de uma mistura finamente moída.9. com ou sem brilho. NOTA . excluindo-se aqueles baseados na modulação do sistema métrico. conforme a figura 4 (ver NBR 5706).9 tamanhos não modulados: Formatos comumente produzidos. que pode ser permeável ou impermeável. .6 e 3.2 dimensão real individual de cada placa (r): Dimensão média dos quatro lados de uma placa cerâmica quadrada. conforme a figura 3. resultando em uma superfície lisa. É a última fase do processo de fabricação de alguns produtos.Cópia não autorizada 2 NBR 13816:1997 3.5 polimento: Acabamento mecânico aplicado sobre a superfície de um revestimento não esmaltado.9. As placas são então secadas e queimadas à temperatura de sinterização.8 formato: Dimensão nominal da placa cerâmica em centímetros (por exemplo: 10 x 10. c) dispersão dimensional das placas individuais com relação à média do lote (r com relação a R)1).8 produtos feitos por outros processos: Qualquer processo que não se enquadre nas definições de 3.4 englobe de cobertura: Cobertura argilosa com um acabamento fosco. podendo também ser conformadas por outros processos (representados pela letra C).200 mm. 3. 30 x 30). Por exemplo: 197 mm .Alguns termos tradicionais utilizados para produtos extrudados são: placas gêmeas (split tiles ou spalt platten) e extrudados planos (quando não são placas gêmeas). em correspondência aos símbolos GL (glazed) ou UGL. 3. conforme ISO 13006. 3. NOTA . 3. ser cortado. 3. (unglazed).7 prensado: Processo de fabricação de placas cerâmicas para revestimento cujo corpo foi conformado em prensas.4 dimensão de fabricação .1 dimensão nominal (N): Dimensão utilizada para des- módulo (M) apresenta valores métricos exatos. conforme a figura 1.Afastamento de W com relação à dimensão nominal N ä 1) Ver os valores na NBR 13818.9. 3. seus múltiplos e submúltiplos.5 calibres: Lados das placas cerâmicas que são medidos e classificados em faixas de dimensão (size ranges).

referidos a uma mesma dimensão de fabricação W r-----Figura 2 .Cópia não autorizada NBR 13816:1997 3 Este afastamento se define com relação a W ä r------ W ä Intervalo admissível para todos os calibres de um fabricante..Este afastamento se define partindo de R ä ä Variação máxima de r dentro de um calibre.Dispersão dimensional dentro de um calibre Figura 4 .Módulo de coordenação ä .... referida a R R ä r-----Figura 3 .Afastamento de r com relação à dimensão de fabricação W r.

3.4 curvatura lateral: Flecha vertical de um lado. Cada faixa de tonalidade é identificada na embalagem com uma marcação de referência.2 ortogonalidade: Desvio no esquadro das placas. Os limites da faixa de tonalidade estão definidos pela componibilidade harmoniosa.10. medido conforme o anexo S da NBR 13818.12 englobe de proteção: Camada argilosa. 3.14 metamerismo de cor: Diferença de tonalidade percebida pelo olho humano ao variar a cor da fonte luminosa. 3.11 muratura: Relevo no lado do avesso da placa. medido conforme o anexo S da NBR 13818.10. com forma de “rabo de andorinha”. em relação ao plano definido por três dos quatro ângulos. . 3. específico para usos especiais. ligeiras variações de padrão de cor são inerentes ao processo.Cópia não autorizada 4 NBR 13816:1997 3. que corresponde aos padrões da seção de classificação de cor. Pode ser constituído por saliências (caso normal para pisos e paredes interiores) ou por reentrâncias.1 retitude lateral: Desvio medido no meio do lado no plano da placa conforme o anexo S da NBR 13818.13 faixas de tonalidades: Conjunto das nuanças localizadas entre dois padrões extremos. medido conforme o anexo S da NBR 13818.de uma placa para outra . medida conforme o anexo S da NBR 13818. no verso da placa cerâmica. placa em relação ao plano definido por três dos seus quatro vértices.10. destinado a melhorar a aderência. 3. o esquadro da placa.3 curvatura central: Flecha vertical no centro de uma 3.5 empeno: Desvio de um vértice com relação ao pla- no definido pelos outros três vértices. 3.10. Pode ser visualizado como o balanço da placa sobre uma diagonal. tais como fachadas. afetando a retangularidade dos ângulos.ou quando a própria placa possui variação intencional de tonalidade (por exemplo: placas cerâmicas com variação de cor produzida com pistola).10.10 Termos referentes à forma da placa 3. 2 Devido à queima. ou seja. NOTAS 1 Os extremos da faixa de tonalidade estão mais afastados no caso em que se deseja uma variação proposital de cor . 3. aplicada durante o processo de fabricação.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->