Prontuário Terapêutico

Janeiro de 2000

1

Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento

Ministério da Saúde

O Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento (INFARMED), de acordo com as atribuições expressas na sua lei orgânica, tem entre outras incumbências a de assegurar o acesso dos técnicos de saúde e dos consumidores às informações indispensáveis à utilização racional dos medicamentos. A presente publicação integra-se na política que tem vindo a ser desenvolvida nos últimos anos pelo Ministério da Saúde, através do INFARMED, no sentido de melhorar quantitativamente e qualitativamente a informação técnica e científica sobre medicamentos destinada aos profissionais de saúde, nomeadamente aos médicos prescritores. A prescrição de medicamentos é o resultado de um processo de decisão complexo em que a decisão final é sempre influenciada pelo acesso à informação, que permite comparar os diversos medicamentos do arsenal terapêutico disponível, de modo a serem tomadas as opções mais adequadas. Este primeiro Prontuário Terapêutico representa, assim, uma mais-valia de grande utilidade para os médicos prescritores, na medida em que faz a compilação da informação já existente, inclusive da utilização do medicamento, ao mesmo tempo que procede à sua simplificação, de forma a facilitar a respectiva consulta.

Prontuário Terapêutico
Janeiro de 2000

1

Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento

Ministério da Saúde

Título: Prontuário Terapêutico - 1 © 1999, INFARMED - Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento/ Ministério da Saúde Editor: INFARMED - Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento/ Ministério da Saúde Concepção e Execução Gráfica: Rainho & Neves, Lda - Santa Maria da Feira ISBN: 972-8425-26-0 Depósito Legal: 145882/99 Novembro de 1999

Elementos do Grupo de Trabalho
Prof. Doutor Walter Osswald Dr. Afonso Pinheiro Esteves Prof. Doutor António Albino Teixeira Dr. António Rodrigues Drª Clara Carneiro Profª Doutora Cristina Sampaio Drª Dina Cordeiro Lopes Prof. Doutor Helder Filipe D. Isabel Borrego Drª Jacinta Lima Prof. Doutor Jorge Gonçalves Profª Doutora Margarida Caramona Drª Rosa Lina Pinheiro Profª Doutora Tice Macedo

Nota prévia
O Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento (INFARMED), de acordo com as atribuições expressas na sua lei orgânica, tem entre outras incumbências a de assegurar o acesso dos técnicos de saúde e dos consumidores às informações indispensáveis à utilização racional dos medicamentos. A presente publicação integra-se na política que tem vindo a ser desenvolvida nos últimos anos pelo Ministério da Saúde, através do INFARMED, no sentido de melhorar quantitativamente e qualitativamente a informação técnica e científica sobre medicamentos destinada aos profissionais de saúde, nomeadamente aos médicos prescritores. A prescrição de medicamentos é o resultado de um processo de decisão complexo em que a decisão final é sempre influenciada pelo acesso à informação, que permite comparar os diversos medicamentos do arsenal terapêutico disponível, de modo a serem tomadas as opções mais adequadas. Este primeiro Prontuário Terapêutico representa, assim, uma mais-valia de grande utilidade para os médicos prescritores, na medida em que faz a compilação da informação já existente, inclusive da utilização do medicamento, ao mesmo tempo que procede à sua simplificação, de forma a facilitar a respectiva consulta. Este tipo de tratamento da informação era, aliás, uma necessidade que já vinha sendo sentida e solicitada desde há alguns anos pelos médicos e farmacêuticos. Foi assim constituída uma equipa multidisciplinar, cuja liderança e coordenação foi atribuída ao Prof. Walter Osswald, individualidade de reconhecido e inegável mérito científico. Do trabalho desta equipa resultou esta primeira edição do Prontuário Terapêutico, cujo conteúdo será disponibilizado através da Rede de Informação de Saúde (RIS), procedendo-se à sua actualização periódica. Em nome do Conselho de Administração anterior e do actual agradecemos ao Prof. Walter Osswald, e a toda a equipa que coordenou, o trabalho desenvolvido, que terá com certeza continuidade em próximas edições.

Miguel Andrade Janeiro 2000

.

ponderada. mas apenas um prontuário comentado. O segundo aspecto a carecer de explicação diz respeito à filosofia que presidiu à apresentação introdutória de cada capítulo. o que justifica a exclusão destes medicamentos fantasmas. com as principais indicações. O primeiro diz respeito à resolução de apenas incluir nas listas de medicamentos os que são de prescrição médica obrigatória e se encontram disponíveis no mercado. nesta tão importante área da prescrição. mas julgamos que o esforço terá valido a pena e esperamos que este Prontuário tenha real utilidade para o médico. interacções clinicamente relevantes. eficaz e tendo em conta a relação benefício-risco-custo. forçosamente sumária. A finalidade deste Prontuáro é. nem linhas orientadoras (guidelines) hoje tão em voga. como hoje é usual dizer. Nos seus capítulos inclui-se a listagem dos medicamentos sujeitos a prescrição médica que se encontram disponíveis no mercado farmacêutico nacional. Por outro lado. sendo adquiridos directamente pelo utente/doente e destinando-se à automedicação. e que não é mais do que a melhor medicina possível – prática. não se incluem nas listas medicamentos de prescrição médica obrigatória mas que a consulta a distribuidores e a farmácias revelou não se encontrarem disponíveis. mas tanto quanto possível equilibrada e objectiva. Os autores esforçaram-se por não escrever resumos de capítulos de texto. tradições ou hábitos de prescrição. actualizada. O que se pretendeu foi fornecer informação correcta. posologia média e reacções adversas mais frequentes e/ou mais graves. no âmbito de uma medicina baseada na evidência. dosagens. da evidência dispo- . dificilmente conciliáveis com a complexidade e variabilidade das situações clínicas individuais. pressões e influências. As diversas apresentações. destinado a ajudar o médico em geral e muito especialmente o médico de família. conscienciosa e reflectida. constituir uma obra de referência para o médico.Prefácio A presente obra não é um manual terapêutico farmacológico. alguns dos quais são reconhecidamente activos e oferecem os seus riscos. regime de comparticipação e custos unitários acompanham as marcas comerciais. sobre o emprego de medicamentos. pois. como base sólida para uma terapêutica racional. Excluem-se pois os não sujeitos a receita médica ou de venda livre. oferecendo-lhe informação sobre medicamentos. tantas vezes alvo de solicitações. É provável que não tenha atingido cabalmente tão ambicioso objectivo. Parece importante mencionar dois aspectos que eventualmente provoquem estranheza. parece-nos que não haveria que os referir num texto desta natureza. não enviesada por interesses. Um texto introdutório propõe-se por cada capítulo fornecer uma visão de conjunto. nem um formulário orientador da prescrição dos médicos do Serviço Nacional de Saúde.

nesta orientação. se afigura como medicação obsoleta. Dr. Isto significa que não pudemos deixar de assinalar o que. desde já. a cuja competência. omissões e involuntárias faltas que.nível em cada momento. sugestões e correcções que nos sejam feitas. Aceitamos. condição óbvia para a elaboração de uma contribuição independente e que foi escrupulosa e totalmente respeitada. que também disponibilizou os meios materiais e logísticos para a sua elaboração e publicação. todas as críticas. mesmo quando se trata de grupos terapêuticos largamente prescritos ou que encontraram o favor do clínico. Mas temos certamente que exprimir a nossa contrição pelos erros. O coordenador Walter Osswald . são inevitáveis. que em terreno tão movediço como este não poderá estar muito distante. Tendo a iniciativa deste Prontuário partido do Infarmed. ineficaz ou não comprovada. Aranda da Silva. não queremos deixar de agradecer à instituição e ao seu presidente. ligando assim directamente o avanço do conhecimento médico ao tratamento do caso individual. sobretudo numa primeira tentativa deste tipo. a confiança em nós depositada e sobretudo. tais como por exemplo os chamados vasodilatadores cerebrais ou nootrópicos. a todas tomaremos em conta para a elaboração de uma nova edição. Destas atitudes não temos que nos desculpar. os eventuais erros e omissões reserva-os para si. Finalmente. trabalho dedicado e capacidade de colaboração se fica a dever a concretização desta obra. a total liberdade de acção com que trabalhámos. desejo expressar os mais vivos agradecimentos aos restantes membros desta verdadeira equipa.

.........................................4...........1..........................1............ Sulfonamidas e suas associações ..................................... Anticolinérgicos..................1............9....5..............1................. 1.. Cefalosporinas de 1ª geração ............................ 1. 1................. 22 22 23 24 26 27 28 29 31 32 34 34 34 35 36 38 40 41 43 45 48 50 50 53 59 59 61 62 Capítulo 2 Sistema Nervoso Central 2. 2......... 1.............................10...........4........... 1..........1..................... 1................................................... Penicilinas antiPseudomonas ......... Carbapenemes .... 1..................... Monobactâmicos . 1..............2.1.......2........................13........................................ Antifúngicos ......................4............................... Cefalosporinas de 3ª geração .. 2........1................... Cefalosporinas de 2ª geração .....1.. 1.....................................4.................Outros antiparasitários .. 1............... Antivíricos ...................................................2..................................1......1.............. Cefalosporinas:................ 1..................................... 65 65 68 68 68 69 72 78 .....1......................1................................ Aminoglicosideos.1............................... 2..........1.1... Antilepróticos ...............................4.......... Dopaminérgicos.............1.........1......................... Antiparkinsónicos... 2............................... Antibacterianos............. 1......1......2................... Penicilinas:... 1....................3.........6................ Benzilpenicilinas e sucedâneos .................2.................................... 1. Associações de penicilinas com inibidores das β lactamases.................1...........3................... 1. Cloranfenicol e tetraciclinas...... Anestésicos locais.1......Índice Capítulo 1 Medicamentos anti-infecciosos 1...................................2........................... Antiepiléticos e anticonvulsivantes..4.12...................................5........................................................................4.......................................................Antimaláricos ....................................4...................... 1........................... 1.. 1.....................2...... 1............................ 1............... 1................. Antiparasitários ............1....... 2....1.............................................1......... Outros antimicrobianos........3.... Aminopenicilinas ............................................................8.......................1...... 1...........2.. Cefalosporinas de 4ª geração .......3................... 1.......... Anti-helmínticos ...........................................................1...........................11.............. Antieméticos e antivertiginosos................................2...................4.........1........1................1..... Anestésicos gerais ............................................ Quinolonas 1........2.......... Isoxazolilpenicilinas................................... 2............... 1.2....1.....................1. Macrólidos ..............................1........... 2.............. Antituberculosos....................................... 1....................................3................................3...........1........... 1....6..............................7.4.............................. Relaxantes musculares de acção periférica ....

.2.....2..... Analgésicos estupefacientes ......... 4...........................4.....................12 Índice 2............. 3........................ 3...... Fármacos usados nas anemias megaloblásticas ...... 3.......11. Bloqueadores beta.................................... Anticoagulantes ...........5................. 3...4............6.................................... Diuréticos............... 2................................. 2... 3.............. 2................................1....................... Outros......................................... Vasodilatadores directos..1..........5......... 143 144 146 149 149 149 152 .........2........................................... 2...2.........11..7..............................1.4...........................2..9........ 3.................................................... Depressores da actividade adrenérgica .2... Analépticos...........................3.........11.......... Vasopressores ....................................................4.............. 2...2.......................... Selectivos dos receptores imidazolínicos. 3. 4...... Heparinas ........................ 4.....................................7............................ Antihipertensores .......................10.................4.................................. hemolíticas e de causa renal...................... 79 79 79 90 95 103 103 105 108 108 111 Capítulo 3 Medicamentos utilizados no tratamento das doenças do Aparelho Cardiovascular Cardiotónicos........................6........ 2................. 3......8....1........... Psicodepressores e antipsicóticos .............. Antidepressivos.. Antiarrítmicos .................. 4........................ Bloqueadores dos receptores da angiotensina II .4. 3.........................8...............3............. 3....... cetoprofeno..................................... 3................................... 2.................4............................ 3.. Compostos de ferro..........................4.1.............4................4....8...................... 4........ Outros fármacos usados nas anemias hipoplásticas............ 2............................................................3...............................1.................... 114 115 120 120 121 121 121 125 126 129 129 132 133 133 133 133 138 138 Capítulo 4 Sangue 4.......2...........4... Analgésicos e antipiréticos .......... sedativos....1......4............ hipnóticos .. 3........................ Venotrópicos ................. 2...................3...... Ansiolíticos...2................... propifenazona ..................2..... Antivitamínicos ou anticoagulantes orais ..... Outros medicamentos com acção no sistema nervoso central ..... Antihiperlipidémicos ... Inibidores da enzima de conversão da angiotensina ......... Agonistas alfa 2 centrais .........................1........................................ Psicofármacos.................................. 3... 2................................. 3................................. Medicamentos com acção na doença do neurónio motor .......2...............2.........1.....................4...........1........ 3... 3.......... Medicamentos com acção na demência...4........ Modificadores do eixo renina-angiotensina.1...............4............................................3.....................................4.......... Vasodilatadores .9................................. Ácido acetilsalicílico................... Antianémicos .......... 3.... 4...................................1.2..............................1.................... Bloqueadores da entrada do cálcio...............................................................................................................8.

2..................4................. 7............1......... Medicamentos anticolinérgicos ....................................................1..........1........ 6.. 6.. Antitússicos e expectorantes.. 6.............. Anti-histamínicos .... Outros medicamentos adrenérgicos............. 175 175 176 178 178 178 181 182 184 184 184 185 185 186 187 Capítulo 7 Aparelho Geniturinário 7......................1........................... 6...................3............ Corticosteróides .... 5..1...................... Modificadores da motilidade intestinal .......... Medicamentos agonistas adrenérgicos.................................. 5......1..... 6.... Expectorantes .......... 6.4... 6............................2......7. 6..................................... 5......... Laxantes e catárticos................. Antidiarreicos.................................... 6.........3............................. Fórmulas de aplicação tópica ............. Critérios de escolha dos antiulcerosos .................................. 4.............................. Xantinas ..2...................1. Antiagregantes plaquetares.........................2....... Estrogénios e progestagénios........5...3............................................3.. 5.....................................................7...... Derivados benzimidazólicos ................................6.. Hemostáticos ............... 6..2.....5.......2......... 5...........................................................2........... 157 157 158 160 161 161 165 166 167 168 171 171 172 Capítulo 6 Sistema Gastrintestinal 6...4...................2.......................................................... Broncodilatadores e antiasmáticos ......2..... 153 155 Capítulo 5 Aparelho Respiratório 5..2..2......................3......... Bloqueadores dos receptores H2 da histamina ................2..2........... Anticolinérgicos .. Anti-infecciosos.......... 6.. Antiasmáticos de acção profiláctica ........................................ Antiácidos e antiulcerosos .................................................................... Modificadores da motilidade gástrica......... 5..... 5......2............................ Modificadores da bile e da motilidade vesicular . 6.........1........3......... Prostaglandinas............................. Modificadores da motilidade gastrintestinal........................................................... Modificadores da secreção gástrica ................. 6...1....... 189 189 190 ......................... Antitússicos...Índice 13 4.......................5.................................................... 5..............1..................2.....................................3......................................................................... 5.....................1........... Antagonistas dos leucotrienos ......................1...... 5.......1............1............... Medicamentos agonistas adrenérgicos β 2 selectivos ............... 6...................... 5.1..... 5.1...................3...............................2.......................................5. 7......1.....8..............................1........1........................4........................................ Antiácidos ...........2......................................................... Coleréticos e colagogos ..................................................................4................

7..............................6.....1.............. Derivados do indol e do indeno ....5.............................................................................................................. 7......4....1... Outros medicamentos usados nas disfunções do aparelho genital ..3....2..................................... 8............................. Hormonas Hipotalâmicas e Hipofisárias .................................... 9................ Derivados do ácido propiónico .................. 7.... 7..... 8...................................................... 9................ 8.....................................2.....................1........................................ Derivados pirazolónicos ........... Diuréticos da ansa............................... Ocitócicos e prostaglandinas......6................................2........ 8........... Diuréticos.4...........1.........................1... 7.................. Glicagina... Derivados do ácido acético.................... Insulinas..... Acidificantes e alcalinizantes urinários ...2.................................... 7..... Diuréticos osmóticos...............................6....1. 7.. 8.... Hormonas sexuais .5...1.........................................1............3......6...... Derivados do ácido antranílico................3......................................5.....5..... Tiazidas e análogos ....4.............4...14 Índice 7.........................................5..... 9............ 7................................ Anti-infecciosos e anti-sépticos urinários.......2.......................... 192 193 193 194 194 195 197 198 198 199 199 199 200 200 201 202 Capítulo 8 Hormonas e medicamentos usados no tratamento das doenças endócrinas 8......1........5.......... 9.... Bifosfonatos .......................... Antidiabéticos orais......................5......... 7.............. 7...2........ 9. Simpaticomiméticos e outros tocolíticos....................................................... Anti-inflamatórios não esteróides .........1........................................................... Hormonas da Tiróide e medicamentos anti-tiroideus... 8....................... Oxicams.5............................2.. 9.......................... Outros medicamentos usados em disfunções do aparelho geniturinário ................... 7............. Medicamentos usados em perturbações da micção.............1. 7.......................4...2......... Insulina ....5........... 8...............4.....4................ Medicamentos que actuam no útero.... 7...............2......4........................... Calcitonina................... 7...1. Medicamentos usados na retenção urinária....................................................6......5..............4................................. Corticosteróides....... Androgéneos e anabolizantes ....................................... antidiabéticos orais e glicagina......1.......................... Anticoncepcionais ..2.............1........... 8..............2....4...................... 233 234 234 234 235 235 235 235 ..3............5...4.................................5...........3..................3....... Medicamentos que actuam no metabolismo do cálcio .. 8. 7........... 8...................................... 205 209 213 215 215 217 218 218 220 223 224 224 228 230 Capítulo 9 Sistema Músculo Esquelético 9......... 8....................................3. Poupadores de potássio............. 8......2....................................... 8..... Associações de poupadores de potássio com outros diuréticos........1 Estrogéneos e progestagéneos.....2....2.......1.................................................. Fármacos usados para a incontinência urinária............

......... Vitamina PP........................................................................1............. Vitamina E.......1..4......... 11...............2......... 12. 12........ 12.............. Sais Minerais ............................................... 9. 11........................... Terapêutica de fundo das doenças reumatismais ...... Compostos não acídicos ...1. 261 261 262 262 263 263 263 264 264 264 264 265 265 265 266 267 267 268 Capítulo 12 Medicamentos utilizados no tratamento das afecções cutâneas 12.............3... Anti-histamínicos H1 de primeira geração ou sedativos ..........1............2........................................................1... 12... 11..........................1............................2..1........2.. 10...........4........... Cálcio e Magnésio .........................................................................4..3..... 11.... 12............. Anti-histamínicos......... 12.. 11.........................3...................... Vitamina A . 11.................2... 10................................................................2..2........................... Vitamina B12 (Cianocobalamina) e Ácido Fólico ...........2.2.........................1........................................ 11....................................2..7... 10... 244 Capítulo 10 Antialérgicos 10............1............ Antissépticos e desinfectantes ....... Vitaminas .................2..... Suplementos de Magnésio...1........................ 11............................. Outros antifúngicos .........1.......... 11.............................................................1......1...... Anti-histamínicos H1 de segunda geração ou não sedativos ....................... Antiparasitários .....................1......2........................................................................................................... Antifúngicos ......................................1................ Vitamina D ..1.............2...................1........Índice 15 9... 11...... Vitamina K ...1.......... Fármacos usados nas urgências alérgicas .. Vitamina C (Ácido Ascórbico) ...1.6........................................3...............................................1.....1..... Fosfatos ....2. Vitamina B1 (Tiamina) ....5.....1.. Complexo B....1......................................................2..... 11.................. 10. Anti-inflamatórios ............. Antivíricos ..1....2...........................................1........ Derivados imidazólicos ...............................................................................1.....................1...............1..........5................. 11.........................................1......... 269 269 271 272 273 274 275 276 276 .... 11..........................................5............ 11..................3........2.... Outros Sais Minerais ............. Anti-infecciosos de aplicação tópica na pele...................................................................5........................................................ 11.........1..... Flúor......... 11......... Antibacterianos .............3.. Vitamina B6 (Piridoxina) .5................................. 11....................1.......2....... 12...... Suplementos de Cálcio e Hipercalcemia..... 247 248 252 255 256 Capítulo 11 Vitaminas e Sais Minerais 11.......

.... 14........... 12.............................2.........1.................................... verrugas e condilomas ............................................................... 12........... Produtos para aplicação nasal.5..............4...............1................... 12......................1............... 14... Terapêutica medicamentosa e utilização de lentes de contacto...............3...........3.................1....... Anti-inflamatórios não esteróides ............. 287 287 287 288 288 289 Capítulo 14 Medicamentos de aplicação tópica em oftalmologia 14................2............2..............1.... 291 291 292 292 292 293 293 293 297 297 298 298 298 299 ................. 14.......7............ Rosácea ..... Anti-histamínicos................................. Medicamentos usados no tratamento do acne ............3.............1..................... Anti-inflamatórios .............. 12.............1...... 13..........................7............................ 14.................... 12......... Preparações de acção enzimática e produtos aparentados..................................... Psoríase ................ Emolientes e protectores (redutores) . 12............................2.............. Antibacterianos .............. Emolientes .........1.2....5..........6............................................. Pós ...............7.. Formas farmacêuticas . Adjuvantes da cicatrização...................... 276 276 276 277 277 277 277 278 278 279 279 279 281 286 286 286 286 Capítulo 13 Medicamentos utilizados em ORL 13.......................... 14...........3........................... 14........ Corticosteróides.................. 12.......16 Índice 12...2...............................2.........4.......5........ 14..... 12.. Anti-inflamatórios esteróides de utilização tópica .................................. 12.. 13.........................................................2.............3.1........................................ Acne .................1... Anestésicos locais e antiprurugunosos ....... 12..............3. Controlo da contaminação ..1....... Descongestionantes............... 13..................................................................2........2.....4.......... 14................................................................... Medicamentos para aplicação tópica na orofaringe .........7... 12.............................4.............. Medicamentos queratolíticos e antipsoriásicos.........3.................2..1................ Dermatite seborreica...............3................. 12......1............................. 14..................... 14.........1..............................................1.................... Associação de antibacterianos com corticosteróides ............. Anti-infecciosos ............................... 14............... Produtos para utilização no ouvido ..1.....1.................................................2....................... 12... 13............................................ Eczema ................................................ 13......2....3...........1.......................................................... Corticosteróides............... 12.3.......... 14.1... 12.3............. Anti-fúngicos .....2.....2...1... Preparações-barreira ..3...................................... Aspectos gerais da administração tópica de medicamentos no globo ocular.............................. Outros anti-inflamatórios e descongestionantes.......................... Outros medicamentos utilizados em Dermatologia. 14................... 12..................2...........1...2........................... Preparações para os calos....................... Administração ..................................................... Antivíricos ........................2........................3..

.......5.. Simpaticomiméticos.. 14..........1............................. Corticosteróides e outros imunossupressores........... Hormonas ........................................................... Estrogénios ... Fármacos citotóxicos ......2................................... 15.................................................. 15...... 15....2.........................................1.. 15.......................5............4..... 14...............................2......2.. Anticolinérgicos. Análogos das prostaglandinas ..... Outros medicamentos de aplicação tópica em oftalmologia....... Mióticos ................1....... 301 301 301 302 302 303 304 305 305 306 306 307 307 307 307 307 Capítulo 15 Citostáticos e Imunossupressores 15...............6...... Diuréticos osmóticos .....................5..................... 14......... 15........... Antibióticos citotóxicos ... Inibidores da aromatase....................................................................2.............................2............ 15....1..............2.............................................................2.........2..................5...4..................... Anestésicos locais................. Outros medicamentos. 15.............3. Alquilantes ........................ 14.......................................3.1.......................................2...4... Adstringentes.. Inibidores da anidrase carbónica e outros medicamentos usados no glaucoma .... 15.........3... lubrificantes oculares e medicamentos usados em situações de insuficiência lacrimal .............4........ Alcalóides e outros produtos de origem vegetal .....................3........5... 14........ 15................................ 15......................................................3......................2............ 15.......................... 15........2...................1........... 15.5. Progestagénios ........... Análogos da hormona libertadora de gonadotropina................ Antimetabolitos ..........4...3.... Anti-androgénios ...........................................4................. Antagonistas beta .... 14..........3..........Índice 17 14.......1.................4............................................................................ 14.. Medicamentos usados em diagnóstico ... Proteínas imunomoduladoras ............2...3................................................. Anti-hormonas ......1......4.... Midriáticos e cicloplégicos ....2.....................2........................2........7. 14.4...1........ Anti-estrogénios.1..........................................2....2.............1. Medicamentos usados no tratamento do glaucoma ... Hormonas e anti-hormonas utilizadas no tratamento das doenças neoplásicas ........... 14.....1.1........................... 15...................................................1............................ 14......... Androgénios .............. 15..........................5........................... 15..................... Inibidores da anidrase carbónica ............ 309 311 312 314 315 315 316 316 316 317 317 317 318 318 319 319 320 320 321 322 ...1............. Outros fármacos citotóxicos.....................1........................ 15..3............. 14....7.... Eritropoietina . 15.....7..................1... 14...................1......................... 15....................7..... Imunomoduladores....................1................................ 14.............................................................4.5...2........................5.........2...................................2...... 14......................... 14....................................2.. Simpaticomiméticos.............

...................................................................... 17..............2. Protamina .............................................................................................. Folinato ...... 327 329 ......................................................................... Vacinas ...................................................................................................................................... Flumazenil ....... Naltrexona ..................................................................................................................................18 Índice Capítulo 16 Antídotos Acetilcisteína ......................................................................................... Deferroxamina............... 323 323 324 324 324 325 325 Capítulo 17 Vacinas e Imunoglobulinas 17............................................................................. Imunoglobulinas ..........................................................................1.................................................... Penicilamina ..........................................................

susp. oral pó solv. sol. bucal sol. IV pó solv. pó solv. pulv.Normas de inserção de informação 1 – Nomes e abreviaturas de formas farmacêuticas utilizadas comprimidos revestidos cápsulas de acção prolongada comprimidos de acção prolongada comprimidos dispersíveis comprimidos efervescentes comprimidos sublinguais concentrado para perfusão intravenosa pó e solvente para solução injectável pó e solvente para solução oral pó e solvente para suspensão injectável pó e solvente para suspensão oral sistema transdérmico solução ginecológica solução oral extemporânea solução pulverização bucal solução pulverização cutânea comp. oral sist. dispersíveis comp. farmacêutica dosagem t. sublinguais conc. inject. sol. oral extemp. comercial detentor AIM f. acção prolongada comp. susp. cutânea 2 – Sequência de indicação de informação n. perf. ginecológica sol. acção prolongada comp. pó solv. revestidos cáps. pulv. sol. embalagem preço (unitário) % compart . efervescentes comp. transdérmico sol. inject.

nebulização Ampolas bebíveis Colírios Injectáveis Pó (carteiras) Pomadas oftálmicas Soluções orais. tamanho de embalagem e preço F.)» gramas Preço por dose por ampola por mililitro por ampola por carteira por grama mg/ml (mililitro) ml por mililitro Nota: preços arredondados às décimas. Farmacêutica Aerossois/sol. por carteiras mg/g T. Embalagem nº de doses ampolas (mililitro) ml ampolas «pó (cart. . mg/ml mg/amp. xaropes Dosagem mg/dose mg/amp. suspensões orais.20 Normas de inserção de informação 3 – Forma de indicação para algumas formas farmacêuticas de dosagem.

Os fármacos anti-infecciosos em geral e os antimicrobianos em particular têm demonstrado uma eficácia inquestionável no tratamento das infeccões.1.1. como resultado da pressão selectiva.4. uma terapêutica de largo espectro justifica-se quando for necessário assegurar um controlo precoce da situação clínica do doente e evitar complicações.3. a maioria ocorrendo em meio hospitalar. sendo o exemplo dos estafilococos produtores de penicilinases o mais conhecido – em 1946.2. Ao avaliar a eficácia e segurança de um antimicrobiano é importante considerar os efeitos resultantes de uma terapêutica de largo espectro na ecologia bacteriana – aumento do risco de infecção devida a microorganismos resistentes para o próprio doente e emergência de estirpes bacterianas com novos padrões de resistência no próprio meio.1.1. Penicilinas antiPseudomonas 1.Antimaláricos 1.6. Carbapenemes 1. rapidamente se verificou que diferentes microorganismos eram susceptíveis de adquirir resistência a fármacos aos quais eram inicialmente sensíveis.1. Penicilinas: 1.1.4.2. Antivíricos 1.1.13. Antituberculosos 1. quer hospitalar quer na comunidade.2.3. Quinolonas 1. Antifúngicos 1.2. Outros antimicrobianos 1.7.8. o local da infecção e a etiologia da doença.1. O antimicrobiano eficaz de menor espectro de actividade deverá ser sempre o fármaco de primeira escolha.2. Sulfonamidas e suas associações 1.1.1. Contudo. e têm por objectivo o tratamento de infecções polimicrobianas em que um único fármaco não é susceptível de cobrir os microorganismos isolados. Antibacterianos 1 1.9. Aminopenicilinas 1.1. generalizada e precoce.4.1. Macrólidos 1. A emergência de estirpes resistentes.1.1. Benzilpenicilinas e sucedâneos 1.4. obter um efeito sinérgico – sem dúvida de grande relevância no tratamento de infecções devidas a determinadas estirpes bacterianas como é o caso da endocardite devida ao estreptococo ou das infecções por Pseudomonas – ou ainda minimizar o desenvolvimento de estirpes resistentes.1.3. assim.As associações de antimicrobianos justificam-se apenas em situações particulares. sendo a sua utilidade terapêutica indiscutível. devendo os clínicos adoptar uma atitude restritiva dentre os grupos de antimicrobianos eficazes (um ou dois fármacos de cada grupo). 90% dos estafilococos eram sensíveis à penicilina e apenas 6 anos depois 75% das estirpes isoladas já se tinham tornado resistentes.1. Cefalosporinas 1.1.1. Os novos antimicrobianos deverão ser sempre avaliados tendo como referência os já existentes e prescritos apenas quando claramente superiores. Monobactâmicos 1.1. de uma terapêutica antimicrobiana de largo espectro favorece o crescimento e selecção dos microorganismos resistentes ao eliminar as estirpes sensíveis.1. Cefalosporinas de de de de 1ª 2ª 3ª 4ª geração geração geração geração 1.1. Os princípios gerais da terapêutica antimicrobiana deverão. Cefalosporinas 1. Anti-helmínticos 1.4. Antilepróticos 1.4.Outros antiparasitários tica empírica deverá ser instituida com um antibiótico ou associação de antibióticos cujo espectro de actividade inclua apenas o ou os microorganismos que se suspeita serem causadores da infecção e não todos os possíveis.2.1.4. Uma terapêu- Anti-infecciosos Medicamentos anti-infecciosos 1. Associações de penicilinas com inibidores das β lactamases 1.3.1.5. Cefalosporinas: 1. Aminoglicosideos 1.11.1.1.1.1.1.12.2.2. A selecção do antimicrobiano deverá basear-se na sua eficácia e segurança e ainda num custo aceitável.10. O perfil do doente.1. O tratamento deverá ser individualizado tendo em consideração o perfil do doente. Cefalosporinas 1. a gravidade da situação e a Anti-infecciosos . A utilização.2.1. estar sempre presentes quando da instituição de uma antibioterapia.3. Isoxazolilpenicilinas 1. Antiparasitários 1. é hoje em dia uma realidade preocupante. Cloranfenicol e tetraciclinas 1. como é o caso do tratamento da tuberculose ou das infecções por Pseudomonas.

A toxicidade central observa-se apenas raramente e quando se utilizam doses elevadas por periodos prolongados. 1. poderá estar na origem de alguns desequilíbrios electrolíticos.1. para além de cocos gram positivos. e porque a maioria das penicilinas se apresenta sob a forma de sais sódicos ou potássicos. Medicamentos Antibacterianos 1. anafilaxia. estreptococo viridans e algumas estirpes de enterococos.1. As Enterobactereaceae e a Pseudomonas aeruginosa são sempre resistentes às penicilinas naturais. sendo mais frequente com as aminopenicilinas.1. as penicilinas são antibióticos bactericidas que actuam por inibição da síntese da parede bacteriana. é esta a razão pela qual é racional prescrever.1. . Salmonella e Shigella.22 Capítulo 1 | 1. A reacção adversa mais importante das penicilinas é a hipersensibilidade que determina toxidermias e.2) Cloxacilina Dicloxacilina Flucloxacilina Meticilina Nafcilina Oxacilina Temocilina São penicilinas semi-sintéticas que não são hidrolisadas pela maioria das penicilinases. Aminopenicilinas (1.1. Embora apresentem alguma actividade contra outros cocos gram positivos e gram negativos são.1.1. pneumococos de quase todos os grupos. Penicilinas antipseudomonas (1. A sua única indicação terapêutica é o tratamento das infecções devidas a estirpes susceptíveis de estafilococos. A terapêutica definitiva poderá diferir da terapêutica inicialmente instítuida e deverá ser iniciada logo que os resultados laboratoriais estejam disponíveis. estreptococos.1. Medicamentos antibacterianos Penicilina natural (1. São também activas contra alguns bacilos gram positivos como o Corynebacterium diphteriae. mais raramente. também susceptíveis de determinar colite pseudomembranosa. outras Enterobactereaceae. o treponema e alguns anaeróbios gram negativos são sensíveis a estas penicilinas. Pertencentes ao grande grupo dos β lactâmicos.1. A utilização de doses elevadas. O seu perfil de efeitos adversos é bastante favorável.) As penicilinas naturais (benzilpenicilina ou penicilina G e penicilina V) são activas contra muitos cocos gram positivos incluindo a maioria dos estafilococos aureus e epidermidis não produtores de penicilinases.São excretadas por via renal sendo recomendada uma redução da sua posologia em doentes com insuficiência renal moderada a grave (em geral para Clcr ≤ 50 ml/min). Muitos anaeróbios gram positivos. isoxazolilpenicilinas ou penicilinas resistentes às penicilinases. Habitualmente as penicilinas são divididas em 4 grandes grupos de acordo com o seu espectro de actividade: penicilinas naturais. em geral. São habitualmente resistentes a quase totalidade dos estafilococos produtores de lactamases beta.1. Os textos protocolares publicados relativamente ao tratamento de patologias específicas deverão ser consultados. Os diferentes grupos de fármacos anti-infecciosos serão abordados de acordo com a classificação fármacoterapêutica destes medicamentos. aminopenicilinas e penicilinas antiPseudomonas ou de largo espectro.1. Bacteróides fragillis e Pseudomonas. coli. nestas doses.1. a penicilina G sob a forma dos seus sais sódico e potássico. menos activas que as penicilinas naturais. Izoxazolilpenicilinas (1. A diarreia ocorre frequentemente com a utilização das penicilinas por via oral.1.3) Amoxicilina Ampicilina Bacampicilina Pivampicilina São penicilinas semi-sintéticas que apresentam um espectro de actividade que inclui. Proteus mirabillis. As reacções de hipersensibilidade induzidas pelas penicilinas são cruzadas pelo que um doente alérgico a uma penicilina apresentará igualmente hipersensibilidade a qualquer outro antibiótico deste grupo. bem como o local da infecção e o padrão de susceptibilidade.4) Azlocilina Carbenicilina Mezlocilina existência de co-morbilidade são factores importantes a considerar. Apresentam uma boa difusão em todos os tecidos do organismo com excepção do sistema nervoso central. a listeria e alguns cocos gram negativos como a Neisseria meningitidis e ainda alguns bacilos gram negativos como o Haemophilus influenzae. um número significativo de bactérias gram negativas como o Haemophilus influenzae e várias estirpes de E. Penicilinas As penicilinas foram os primeiros «verdadeiros antibióticos» a ser introduzidos na prática clínica.

contudo. Leucopenia e trombocitopenia. dores articulares. a administrar de 4/4 ou de 6/6 horas. Para a profilaxia de infecções pneumocócicas e febre reumática consultar recomendações específicas. penicilina G Posologia: [Adultos] – Via IM: 600 000 a 1 200 000 UI em dose única. otite média. Via IV (perfusão intermitente ou perfusão contínua): 10 000 000 a 24 000 000 UI/dia. assim. Benzilpenicilinas e sucedâneos A benzilpenicilina ou penicilina G é um antimicrobiano de eleição para muitas situações clínicas. angioedema. Medicamentos antibacterianos Piperacilina Ticarcilina Incluem as carboxipenicilinas (carbenicilina e ticarcilina) que são activas contra a P. • s FENOXIMETILPENICILINA (PENICILINA V) Indicações: Profilaxia e tratamento de amigdalites. contra-indicações. A penicilina G benzatínica. 23 ß 1. urticária. de 1 aos 5 anos: 125 mg de 6/6 horas.1. Algumas são destruídas pelas lactamases β. A administração de doses únicas de 600 000 a 2 400 000 UI de penicilina benzatínica é usada no tratamento de infecções devidas a Streptococcus pyogenes e sífilis e. Interacções: O probenecide inibe competitivamente a secreção tubular das penicilinas originando concentrações séricas mais elevadas e mantidas.1. possível a sua administração por via oral. uma vez que a sua actividade bactericida é bastante inferior à da penicilina G e a sua biodisponibilidade bastante variável. aeruginosa e algumas espécies de Proteus resistentes à ampicilina e são ineficazes contra o estafilococo aureus. a penicilina G procaínica e a penicilina G clemizol são sais pouco solúveis de penicilina G formulados exclusivamente para administração por via intramuscular. Posologia: [Adultos] – Via oral: 500 a 750 mg de 6/6 horas. [Crianças] – Via IV: Idade inferior a 12 anos: 25 000 a 400 000 UI/kg/dia. Via intratecal – não recomendada. Não é. s BENZILPENICILINA OU PENICILINA G Indicações: Infecções por agentes penicilino-sensíveis. amigdalite. deve ser administrada por via intravenosa ou intramuscular a intervalos muito curtos ou mesmo em perfusão contínua. sífilis e profilaxia da febre reumática. nomeadamente faringite. mezlocilina e piperacilina). 2 400 000 UI em dose única semanal. recomendada a sua utilização no tratamento de infecções graves. penicilina G. Contra-indicações e precauções: História de hipersensibilidade às penicilinas. aeruginosa e ainda em infecções por Klebsiella. Posologia: [Adultos] – Via IV (perfusão intermitente) ou IM: 300 000 a 1 200 000 UI/dia. meningite meningocócica e pneumocócica. A penicilina V ou fenoximetilpenicilina é um derivado da penicilina G resistente ao pH ácido do estômago sendo. • s PENICILINA BENZATÍNICA Indicações: Infecções devidas a estreptococos pyogenes. [Crianças] – Até 1 ano de idade: 62. otite média. endocardite estreptocócica. Reacções adversas.5 mg de 6/6 horas. também activas contra a P. Reacções adversas: Reacções de hipersensibilidade incluindo febre. Reacções adversas. dirigida para o tratamento de infecções graves devidas a microorganismos susceptíveis ou infecções mistas envolvendo aeróbios e anaeróbios em monoterapia. Deste modo é possível manter concentrações séricas de penicilina G por períodos prolongados (até 24 horas para a penicilina procaínica. pneumonia. Reduzir a Posologia no doente com insuficiência renal.1. precauções e interacções: V. erisipela. no tratamento de infecções graves. durante 3 semanas no tratamento da sífilis diagnosticada tardiamente. . a administrar a intervalos de 2/2 horas ou por perfusão contínua. Choque anafilático apenas em doentes com hipersensibilidade às penicilinas. precauções e interacções: V. em administrações mensais.1. por isso.1. dos 6 aos 12 anos: 250 mg de 6/6 horas. contra-indicações. 36 horas para a penicilina-clemizol e até 15 dias para a penicilina benzatínica). Reduzir a Posologia no doente com insuficiência renal (Clcr ≤ 50 ml/min). Com uma semivida plasmática de apenas 20 a 50 minutos. A sua utilização terapêutica está. as ureidopenicilinas (azlocilina. usualmente transitórias. febre reumática e infecções pneumocócicas. a administrar de 3/3 ou de 4/4 horas. na profilaxia da febre reumática.

1. precauções e interacções: V. Actualmente uma percentagem significativa de E. inj. LENTOCILIN S Lab. 3.6 MUI + 400 000 UI. [Crianças] – Via IM: 400 000 UI/dia. 2.4 MUI. • s PENICILINA BENZATINICA + PENICILINA PROCAÍNA + PENICILINA G POTÁSSICA PENADUR 6-3-3 Wyeth Lederle. inj. inj. o que permite a sua administração por via oral. 2 400 000 UI/dia. acção prolongada. s PENICILINA PROCAÍNA Indicações: Infecções devidas a Neisseria gonorrhoeae. Treponema pallidum e outros microorganismos sensíveis à penicilina. habitualmente devidas a estreptococos ou Haemophilus influenzae e ainda infecções urinárias e gonorreia. 491$00.1. (600 + 300 + 300) x 1000 UI. A penicilina procaína se inadvertidamente administrada intra. 70%. 70%.1. 437$00. • s AMOXICILINA Indicações: V. A amoxicilina difere da ampicilina apenas pela presença de um grupo hidroxilo na sua molécula. PENADUR LA Wyeth Lederle. 365$00. acção prolongada. É melhor absorvida do que a ampicilina quando administrada per os e a sua biodisponibilidade não é alterada pelos alimentos.1. PENADUR LA Wyeth Lederle. Atral.2 Aminopenicilinas As aminopenicilinas são penicilinas semi-sintéticas resistentes ao pH ácido do estômago. O seu espectro de actividade é idêntico ao da ampicilina. 70%. apresentando-se assim como tendo vantagens sobre a ampicilina. Grünenthal. São inactivadas pelas penicilinases produzidas pelos estafilococos aureus e epidermidis e por alguns gram negativos. LENTOCILIN S Lab. 2. Grünenthal. • [Crianças] – Via IM: Idade inferior a 12 anos: 300 000 a 600 000 UI em dose única. o conhecimento do padrão de sensibilidade aos antimicrobianos deverá ser considerado. s PENICILINA G CLEMIZOL Indicações. Reacções adversas. durante 10 a 14 dias no tratamento da neurosífilis como alternativa à penicilina G e em associação com probenecide. 1. [Crianças] – Via IM: Idade inferior a 12 anos: 25 000 a 50 000 UI/kg/dia.4 MUI. 1. precauções e interacções: V. Posologia: [Adultos] – Via IM: 4 000 000 UI/dia. contudo. inj. Possuem um espectro de actividade mais amplo.2 MUI. Penicilina procaína (com excepção das reacções devidas à procaína). incluindo alguns microorganismos gram negativos. • 1. 70%. eventualmente 2 milhões. descritas como resultado de uma verdadeira alergia às penicilinas. precauções e interacções: V. penicilina G. acção prolongada. 411$00 70%. inj. contra-indicações. acção prolongada. PREVECILINA MEGA Lab. 439$00. ampicilina.arterialmente pode causar lesões vasculares e neurológicas. A ampicilina e a amoxicilina induzem frequentemente erupções cutâneas que não são. 1. Posologia: [Adultos] – Via IM: 600 000 a 1 000 000 UI/dia. capítulo 6). (200 + 800) x 1 000 UI. Atral. 70%. 1.24 Capítulo 1 | 1. 437$00. quando da sua prescrição (terapêutica empírica) a doentes com infecção urinária. inj. Reacções psicóticas agudas devidas à procaina são transitórias. Reacções adversas. reacções adversas. A ampicilina foi o primeiro fármaco deste grupo a ser comercializado sendo as suas principais indicações terapêuticas o tratamento das exacerbações da bronquite crónica e otites. acção prolongada. Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 a 500 mg de 8/8 horas.2 MUI. 70%. Profilaxia da endocardite bacteriana. 1. coli são já resistentes à ampicilina e amoxicilina pelo que. 3 g de 12/12 horas nas infecções graves. Tratamento da úlcera péptica (erradicação do Helicobacter pylori) em associação com outros antimicrobianos e inibidores da secreção ácida gástrica (V. contra-indicações. inj. 765$00. acção prolongada. acção prolongada. contra-indicações. Medicamentos antibacterianos PREVECILINA FORTE Lab. A bacampicilina e a pivampicilina são ésteres da ampicilina que apresentam uma biodisponibilidade superior e induzem diarreia com menor frequência. ampicilina. .

70%. 100. 1 114$00 (11$10). 1 333$00.1. 2 555$00 (159$70). sol. 795$00 (8$00). 16. Infecções a salmonella. susp. CIPAMOX Lab. 16. pó e sol. oral. 500. 16. 1000. 100. 70%. comprimidos. comprimidos. Infecções urinárias. 1 034$00 (129$30) 70% PENAMOX Tecnimede. 70%. 1000.5 g de 12/12 horas nas infecções respiratórias graves. comp. AMPLAMOX Tecnifar. 3000. 1 086$00 (10$90). 70%. cápsulas. 1 854$00 (18$50). 16. dos 5 aos 10 anos: 1. 16. cápsulas. ORAMINAX Wyeth Lederle cápsulas. 16. Cipan. 70%. 70%. AMPLAMOX Tecnifar. PENAMOX Tecnimede. 70%. comp. comp. 16. 70%. comprimidos. 70%. 70%. 100. MOXIPEN Dakota Pharma comprimidos. susp. 1000. 50. Cipan. oral. injectável. 70%. 1 168$00 (73$00). oral. 500. 100. 1 784$00 (17$80). 16. 16. pó solv. 16. 1 972$00 (123$20). MOXIPEN Dakota Pharma. Via IM ou IV: 50 a 100 mg/kg/dia. 70%. 8. oral. sol. 2 443$00 (152$70). 2 114$00 (132$10) 70%. MOXADENT Lab.1. 1 460$00. 1 057$00 (10$60). oral. 100. FLEMOXIN SOLUTAB Yamanouchi Pharma. CLAMOXYL Beecham. 1000. 1 346$00 (84$10). 16. sol. susp. 100. CLAMOXYL Beecham. 100. revestidos. susp. Gonorreia. dos 2 aos 5 anos: 750 mg de 12/12 horas. ORAMINAX Wyeth Lederle. cápsulas. pó e sol. cápsulas. 100. 16. Reacções adversas: Náuseas e diarreia. 100. susp. 70%. 500. MOXIPEN Dakota Pharma cápsulas. 70%. efervescentes. a administrar de 8/8 ou de 6/6 horas. Erupções cutâneas. Medicamentos antibacterianos Via IM ou IV: 500 mg de 8/8 horas (via IM). 1 797$00 (18$00). 2 340$00 (146$20). Cipan. Vitória. 1 419$00 (88$70). oral. 70%. 16. 50. CIPAMOX Lab. 500 mg a 1g de 8/8 horas ou de 6/6 horas (via IV). oral. sol. susp. CLAMOXYL Beecham. 500. AMPLAMOX Tecnifar. oral. 50. 1000. 70%. 1 706$00 (17$10). 1000. 100. 1000. 500. 70%.). 70%. 500. Vitória pó solv. susp. 1 045$00 (10$50). comprimidos. comprimidos. 500. 500. oral. 70%. 16. OSPAMOX Novartis. injectável. 16. MOXADENT Lab. ORAMINAX Wyeth Lederle. oral. 70%. 1000. • s AMPICILINA Indicações: Bronquite crónica. 1 597$00 (99$80). 100. 992$00 (62$00). susp. 1 171$00 (585$50). OSPAMOX Novartis. pó (cart. 1 020$00 (10$20). 2 321$00 (145$10). 16. CLAMOXYL Beecham. 5. 1000. 70%. comprimidos. [Crianças] – Via oral: Até aos 10 anos: 125 a 250 mg de 8/8 horas. pó solv. pó solv. 70%. 1 742$00 (108$90). 500. 2. 100. 1 294$00 (80$90). 584$00 (36$50) 70% PENAMOX Tecnimede comprimidos. CIPAMOX 3000 Lab. CLAMOXYL Beecham. MOXIPEN Dakota Pharma. pó solv. 70%. 70%. 100. Sinusite. oral. ORAMINAX Wyeth Lederle pó solv. 70%. 50. 25 FLEMOXIN SOLUTAB Yamanouchi Pharma. pó solv. 70%. 1 356$00 (84$80). AMPLAMOX Tecnifar. 100. 70%. 1 728$00 (108$00). 100. susp. 1 345$00 (84$10). 16. 100. . Cipan. revestidos. 70%. 10. pó solv. 70%. 1000. CIPAMOX Lab. 1000. pó solv. AMOXICILINA SUSPENSÃO ORAL Home Products. 1 626$00 (16$30). comprimidos. CLAMOXYL Beecham. Otite média.

16. [Crianças] – Via oral: Idade inferior a 10 anos: metade da dose do adulto. 16. 500. 16. 747$00(7$50) 70% HIPERBIÓTICO Lab. a que apresenta maior biodisponibilidade quando administrada por via oral sendo considerada a isoxazolilpenicilina de eleição para administração per os. susp. 250. sol. 746$00 (7$50). ampicilina. 70%. 800. 250. Atral. Reacções adversas. oral. 70%. 70%. contra-indicações.5 g como dose única na gonorreia. Atral. contra-indicações. 100 ml. Atral. susp. cápsulas. 70%. injectável. . 500. Atral. 1 167$00 (11$70). cápsulas 500. 50. BRITACIL Wyeth Lederle. Atral. susp. precauções e interacções: V. 16. A flucloxacilina é. benzilpenicilina Posologia: [Adultos] – Via oral: 125 a 250 mg de 6/6 horas. oral. 2 a 3. cápsulas. 1 061$00 (66$30). DICLOCIL Bristol-Myers Squibb. precauções e interacções: V. AMPLIFAR Tecnifar. 16.3. incluindo otite externa. O tratamento de infecções devidas a estas estirpes bacterianas constitui a sua única indicação terapêutica. 279$00. 100. BACAMPICIN Pharmacia & UpJohn comprimidos. oral. 1000. HIPERBIÓTICO Lab. injectável. HIPERBIÓTICO Lab. a administrar 30 minutos antes das refeições. 100 ml. injectável.5 a 25 mg/kg/dia em crianças com peso inferior a 40 kg.26 Capítulo 1 | 1. 500. 50. 248$00. deste grupo farmacológico. comprimidos. 70%. AMPLIFAR Tecnifar. precauções e interacções: V. 500. sol. 100. HIPERBIÓTICO Lab. 1000. Posologia: [Adultos] – Via oral: 400 a 800 mg de 12/12 ou de 8/8 horas. 70%. celulite e endocardite estafilocócica. 500 mg de 8/8 horas nas infecções urinárias. 70%. 994$00 (62$10). Atral. AMPLIFAR Tecnifar. Atral. • Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade às penicilinas. 184$00. HIPERBIÓTICO RETARD IM Lab. Atral. Isoxazolilpenicilinas São as penicilinas resistentes às β lactamases – penicilinases – sintetizadas por grande número de estafilococos aureus e epidermidis. • s FLUCLOXACILINA Indicações: Infecções devidas a estirpes de estafilococos produtoras de penicilinases. 16. 676$00 (42$20). 70%. [Crianças] – Via oral: Recém-nascidos: 4 a 8 mg/kg de 6/6 horas. Medicamentos antibacterianos HIPERBIÓTICO RETARD IM Lab. 16. 2 571$00 (160$70) 70%. cápsulas. 1 047$00 (65$40). [Crianças] – Via oral: Idade superior a 5 anos: 200 mg de 8/8 horas. 1 588$00 (99$20). susp. 16. sol. benzilpenicilina. Atral. 70%. 70%. ampicilina Reacções adversas. • 1. Atral. 1000. 250. 70%. HIPERBIÓTICO RETARD IM Lab. 70%. 1 182$00. pneumonia.1.1. HIPERBIÓTICO Lab. 70%. comprimidos. s BACAMPICILINA Indicações: V. 70%. Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 mg a 1 g de 6/6 horas. 12. contra-indicações. Via IM ou IV: 500 mg a 1g de 6/6 ou de 4/4 horas. 1000. sol. 1 791$00 (111$90). 1 616$00 (101$00). flucloxacilina Reacções adversas. sol. 16. injectável. 0%. 1 057$00 (10$60). 924$00 (57$80). comprimidos. 70%. HIPERBIÓTICO Lab. impetigo. Via IM ou IV: Idade inferior a 10 anos: metade da dose do adulto. cápsulas. 100 ml. s DICLOXACILINA Indicações: V. 500. oral. HIPERBIÓTICO Lab. AMPLIFAR Tecnifar.1. BRITACIL Wyeth Lederle. 100 ml. 459$00. injectável.

Posologia: [Adultos] – Via IV: 200 a 300 mg/kg/ /dia. inject. [Crianças] – Via IM: 50 a 100 mg/kg/dia. As ureidopenicilinas são mais activas contra a Pseudomonas aeruginosa do que a ticarcilina. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina. no tratamento de infecções graves. No tratamento de infecções graves como a sepsis é recomendada a associação de um aminoglicosideo. 1 421$00 (14$20) 70% FLOXAPEN Beecham pó solv. Actualmente. contra-indicações.1. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina. contra-indicações. Há. 500. Via IV: 5 g de 4/4 ou de 6/6 horas.. reacções adversas. Penicilinas antipseudomonas Frequentemente designadas por penicilinas de largo espectro ou penicilinas anti-pseudomonas. por isso. Medicamentos antibacterianos Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 a 500 mg de 6/6 horas. A ticarcilina. a administrar de 4/4 ou de 6/6 horas. sol. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina. 70% FLOXAPEN Beecham pó solv. precisamente. reacções adversas. Via IV: 250 a 400 mg/kg/dia. Via IM: Idade inferior a 2 anos: um quarto da dose do adulto. Doses até 8 g/dia têm sido usadas no tratamento de infecções graves. [Crianças]: Via oral: Idade inferior a 2 anos: um quarto da dose do adulto.1. • 27 nosso país. a administrar de 4/4 ou de 6/6 horas.1. s PIPERACILINA Indicações: Infecções graves devidas a gram negativos multirresistentes incluindo a Pseudomonas aeruginosa. a administrar de 4/4 ou de 6/6 horas. 12 a 18 g/dia. 100 ml. dos 2 aos 10 anos: metade da dose do adulto. 16 1634$00 (102$10). s AZLOCILINA Indicações. dos 2 aos 10 anos: metade da dose do adulto. piperacilina Posologia: [Adultos] – Via IV: 225 a 350 mg/kg/ /dia. embora registada no s MEZLOCILINA Indicações.1. Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 200 a 350 mg/kg/dia. a administrar de 4/4 ou de 6/6 horas. mezlocilina e piperacilina. A azlocilina e a mezlocilina não se encontram licenciadas em Portugal. Estão também descritas hipocaliemia e alterações da função plaquetar. benzilpenicilina. 70%.4. 16. A carbenicilina foi o 1º antibiótico deste grupo a ser introduzido na prática clínica. benzilpenicilina Posologia: [Adultos] – Via IM: 2 g de 6/6 horas. a sua grande utilidade terapêutica é. Contra-indicações e precauções e interacções: V. susp. comercializado em vários países. [Crianças] – Via IV: 100 a 450 mg/kg/dia. oral. 1. s CARBENICILINA Indicações: Infecções devidas a Pseudomonas aeruginosa. não está disponível no mercado farmacêutico. 50. Reacções adversas: V. Via IV: 250 mg a 1 g de 6/6 horas. várias estirpes de Pseudomonas que se mantêm resistentes. dos 2 aos 10 anos: metade da dose do adulto. Via IV: Idade inferior a 2 anos: um quarto da dose do adulto. 500. 1 831$00 (114$40). Via IM: 250 a 500 mg de 6/6 horas. normalmente infecções nosocomiais devidas a gram negativos multirresistentes. 500. Nas infecções graves. este grupo de penicilinas inclui as carboximetilpenicilinas – carbenicilina e ticarcilina e as ureidopenicilinas – azlocinina. . [Crianças] – Via IM ou IV: 150 a 300 mg/kg/dia. FLOXAPEN Beecham cápsulas. a administrar de 4/4 ou de 6/6 horas. precauções e interacções: V. precauções e interacções: V. precauções e interacções: V. Activas contra numerosas estirpes de Enterobactereaceae resistentes às aminopenicilinas e contra algumas estirpes de Pseudomonas aeruginosa. piperacilina. a administrar de 4/4 ou de 6/6 horas. muitas estirpes de Pseudomonas aeruginosa já se tornaram resistentes a este antibacteriano que já não se encontra. a administrar 30 minutos antes das refeições. Reacções adversas. 298$00 70% FLOXIL Tecnimede cápsulas. benzilpenicilina. a administrar de 4/4 ou de 6/6 horas. contra-indicações. contudo.

Chama-se a atenção para o excesso de oferta terapêutica neste capítulo e insiste-se na necessidade de o médico limitar a sua prescrição apenas a alguns poucos membros desta família de medicamentos. à medida que se avança nas diferentes gerações. Não administrar doses únicas superiores a 2 g. Cefalosporinas de 1ª geração (1. Medicamentos antibacterianos dos do organismo e são eliminadas. tal como as penicilinas. • 1.) Cefadroxil Cefalexina Via IM: 100 a 150 mg/kg/dia. Gastroenterites bacterianas.5 Amidinopenicilinas O seu espectro de acção antibacteriana é restrito apenas a bactérias aérobias gram negativas não incluindo.1. na sua maioria. Antibióticos bactericidas. apresentam uma boa difusão nos diferentes teci- . contra-indicações. 3ª e 4ª gerações – de acordo com o seu espectro de actividade. As cefalosporinas actualmente disponíveis são usualmente classificadas em 4 classes – 1ª. em geral. contudo. estrutural e farmacologicamente relacionados com as penicilinas. s PIVMECILINAM Indicações: Infecções urinárias. precauções e interacções: V. cefmetazole. 2ª. As cefalosporinas de 1ª geração possuem um espectro de actividade essencialmente para gram positivos. a administrar de 4/4 ou de 6/6 horas. a administrar em doses divididas. 16. O seu perfil de efeitos adversos é também bastante favorável. [Crianças] – Via IM: 50 a 100mg/kg/dia. actuam inibindo a síntese da parede bacteriana. comprimidos. Em geral. a administrar em doses divididas. as cefalosporinas. 1498$00 (93$60). precauções e interacções: As das penicilinas. 70%. a administrar em doses divididas apenas no tratamento de infecções urinárias. urticária. Reacções adversas. Tal como as penicilinas. o espectro para gram negativos amplia-se – as cefalosporinas de 4ª geração são as mais activas – mas perde-se alguma actividade para os gram positivos. Reacções adversas. por via renal. Cefalosporinas As cefalosporinas são antibióticos β lactâmicos. existem diferenças substanciais entre as várias cefalosporinas no que respeita ao seu espectro e grau de actividade bactericida relativamente a micoorganismos susceptíveis.2. semelhantes e incluem: efeitos gastrintestinais – náuseas. a administrar em doses divididas apenas no tratamento de infecções urinárias. efeitos hematológicos – eosinofilia. prurido e artralgias e reacções anafilácticas. As cefalosporinas que contêm o grupo químico tetrazoltiometil – cefamandole.28 Capítulo 1 | 1. Contudo. 200. O pivmecilinam é o único antimicrobiano deste grupo que se encontra actualmente comercializado. 1. Os efeitos adversos descritos com as cefalosporinas são.1.1. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina.1. As cefamicinas e carbacefemes são habitualmente classificadas no grupo das cefalosporinas como resultado da sua grande semelhança farmacológica. as cefalosporinas são susceptíveis de induzir reacções de hipersensibilidade caracterizadas habitualmente por erupções cutâneas. cefonicide. alteração das enzimas hepáticas e icterícia colestática estão também descritas mas ocorrendo muito raramente. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina. SELECID Leo Farmaceuticals.1. as cefalosporinas são activas in vitro contra muitas bactérias aeróbias gram positivas e gram negativas e alguns anaeróbios. contra-indicações.2. aeruginosa. Via IV: 15 a 20 g/dia. sendo limitada a sua actividade para alguns gram negativos. vómitos e diarreia sobretudo com doses elevadas. Posologia: [Adultos] – Via oral: 400 mg a 800 mg/dia. piperacilina.1. embora muito raramente. Via IV: 200 a 300 mg/kg/dia. cefoperazona e cefotetam – estão associadas com um risco aumentado de desenvolvimento de efeitos hemorrágicos (hipoprotrombinemia) e reacções tipo dissulfiram. sendo recomendados ajustamentos posológicos em doentes com insuficiência renal moderada a grave (usualmente para Clcr ≤ 50 ml/min). benzilpenicilina Posologia: [Adultos] – Via IM: 3 a 4 g/dia. Sabe-se que cerca de 10% dos doentes que apresentam hipersensibilidade às penicilinas desenvolvem também reacções de hipersensibilidade às cefalosporinas. s TICARCILINA Indicações: V. Os antiácidos são susceptíveis de reduzir a absorção do pivmecilinam. a P. agranulocitose e trombocitopenia ocorrem raramente. a administrar em doses divididas.

Klebsiella pneumoniae. A cefoxitina. A cefixima. inactiva contra a maioria dos estafilococos. Algumas são activas contra a Pseudomonas aeruginosa.4. Nenhuma das cefalosporinas de 1ª geração é activa contra os enterococos. activas contra os gram negativos susceptíveis às cefalosporinas de 1ª e 2ª geração e cobrem ainda muitas estirpes de gram negativos considerados como multirresistentes – Citrobacter.1. A cefepima apresenta uma actividade semelhante à da ceftazidima contra a Pseudomonas aeruginosa mas é mais activa do que as cefalosporinas de 3ª geração contra as Enterobactereaceae produtoras de β lactamases indutíveis. aeruginosa. Proteus.1.1. Morganella. cefotetam. Contudo. coli.1. a ceftriaxona e a ceftizoxima têm espectros de actividade idênticos e boa difusão no SNC. são.5. Cefalosporinas de 2ª geração (1. A sua actividade contra gram negativos é limitada embora muitas estirpes de E. Cefalosporinas de 4ª geração (1. Enterobacter.1. in vitro. A cefixima é. faringites. incluindo as estirpes resistentes à ampicilina. contudo. As cefalosporinas de 3ª geração são usualmente utilizadas no tratamento de infecções graves nosocomiais. em geral. a cefepima não é activa contra os enterococos e estafilococos resistentes à meticilina.) Cefaclor Cefamandol Cefmetazole (cefamicina) Cefonicide Ceforanide Cefotetam (cefamicina) Cefoxitina (cefamicina) Cefprozil Cefuroxima Loracarbefe (carbacefeme) As cefalosporinas de 2ª geração são usualmente activas contra os microorganismos susceptíveis às cefalosporinas de 1ª geração. São geralmente mais activas do que as cefalosporinas de 1ª geração contra bactérias gram negativas (o cefaclor é uma excepção) e são activas contra a maioria das estirpes de Haemophilus influenzae. A ceftriaxona apresenta uma T1/2 plasmática mais longa podendo ser administrada uma vez por dia. E.3.2. Cefalosporinas de 3ª geração (1. São.1. nenhuma das cefalosporinas de 3ª geração é activa contra os enterococos e estafilococos resistentes à meticilina.1. É utilizada no tratamento de infecções nosocomiais graves. coli. a cefpodoxima e o ceftibuteno são cefalosporinas de 3ª geração que podem ser administradas por via oral. nenhuma das cefalosporinas de 2ª geração é activa contra o enterococos.1. têm um espectro de actividade alargado contra bactérias gram negativas comparativamente às cefalosporinas de 1ª e 2ª geração. Serratia e outros. Medicamentos antibacterianos Cefalotina Cefapirina Cefazolina Cefradina As cefalosporinas de 1ª geração são normalmente activas contra cocos gram positivos incluindo os estafilococos produtores de β lactamases. . e Proteus sp sejam susceptíveis. cefmetazole e cefamandole são activas contra os Bacteróides fragilis. Cefalosporinas de 1ª geração s CEFADROXIL Indicações: Infecções devidas a microorganismos gram positivos e gram negativos susceptíveis nomeadamente infecções urinárias. estafilococo resistente à meticilina e Pseudomonas aeruginosa. incluindo a Pseudomonas aeruginosa e algumas Enterobactereaceae que são geralmente resistentes às cefalosporinas de 3ª geração. as cefalosporinas de 4ª geração são activas in vitro contra algumas bactérias gram negativas. Tal como as cefalosporinas de 1ª e 2ª geração. A cefotaxima.) Cefixima Cefoperazona Cefotaxima Cefpodoxima Ceftazidima Ceftibuteno Ceftizoxima Ceftriaxona As cefalosporinas de 3ª geração são usualmente menos activas. inactivas contra a maioria das estirpes de Enterobacter e de Pseudomonas aeruginosa e têm uma actividade limitada contra anaeróbios.1. do que as cefalosporinas de 1ª geração em relação aos estafilococos susceptíveis mas apresentam um espectro de actividade muito mais alargado para bactérias 29 gram negativas quando comparado com as cefalosporinas de 1ª e 2ª geração. estafilococos resistente à meticilina e P. 1.1. tal como as cefalosporinas de 3ª geração. apresentando um espectro de actividade mais alargado para gram negativos.) Cefepima As cefalosporinas de 4ª geração. Klebsiella. ainda. Tal como todas as outras cefalosporinas. Tal como as cefalosporinas de 1ª geração. sendo a ceftazidima a que apresenta maior actividade intrínseca.

cefadroxil. 16. KEFLEX Lilly Farma.1. oral. MACROPEN Lab. 100. comprimidos. susp. urticária. contra-indicações. s CEFALEXINA Indicações: V. CEPOREX FORTE Glaxo Wellcome. cápsulas. prurido e artralgias. mais de 6 anos: 500 mg de 12/12 horas. 70%. 70%. Posologia: [Adultos] – Via oral: 1 a 2 g/dia.) 100. precauções e interacções: V. 100. 1 885$00 (117$80). Contra-indicações e precauções: História de hipersensibilidade às cefalosporinas e penicilinas. 2 859$00 (178$70). 1000. 16 2 097$00 (131$10). CEPOREX Glaxo Wellcome: cápsulas. CEFORAL Sanofi Winthrop. 100 ml. contra-indicações. cápsulas. CEFORAL Sanofi Winthrop. 50. 2 842$00 (177$60). Reacções adversas: Náuseas. 500. 70%. infecções respiratórias. 1 685$00 (28$10). 70%. 16. 80 ml. susp. 1 568$00 (98$00). vómitos e diarreia. CEFORAL Sanofi Winthrop. 16. comprimidos. CEFLAX Hikma. Reduzir a Posologia no doente com insuficiência renal. oral. 80 ml. infecções da pele e tecidos moles e amigdalites. 50. 16. 70%. 70%. BIOFAXIL Teramed (Bioty). 100. 70%. 3 400$00 (212$50). dos 1 aos 6 anos: 250 mg de 12/12 horas. 1000. cefadroxil Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 mg de 6/6 horas a 500 mg de 8/8 ou 12/12 horas. CEFADROXIL MERCK Merck Genéricos. 70%. 16. oral. 5 141$00 (321$30). 16. oral. cápsulas. 16. 70%. cápsulas. comprimidos. dos 6 aos 12 anos: 250mg de 8/8 horas. 70%. KEFLEX Lilly Farma. 2 700$00 (33$80). Reacções adversas. 500. cápsulas. 1000. 500. BIOFAXIL Teramed (Bioty). 70%. BIOFAXIL Teramed (Bioty). 70%. 16. 70%. 500. 70%. 2 573$00 (160$80). 100. 1000. a administrar de 12/12 horas ou em dose única (infecções urinárias) [Crianças] – Via oral: até 1 ano: 25 mg/kg/dia. pó (cart. Medicamentos antibacterianos CEFORAL Sanofi Winthrop. 1 471$00(14$70). CEFACILE Bristol-Myers Squibb. 500. 500. • sinusites. Sanitas. 70%. 16. 1 492$00 (14$90). 70%. 2 416$00 (151$00). oral. 2 555$00 (159$70). 70%. 16. cefadroxil Posologia: [Adultos] – Via oral: 750 a 1500 mg /dia. 80 ml. 2 706$00 (33$80). . dos 1 aos 5 anos: 125 mg de 8/8 horas. CEFACILE Bristol-Myers Squibb. CEFLAX Hikma. 5 018$00 (313$60). 16 ml. 500. 1 a 1. CEFADROXIL MERCK Merck Genéricos. comprimidos. cefadroxil Reacções adversas. CEFLAX Hikma. comprimidos. 5 544$00 (346$50). 1000. CEFACILE Bristol-Myers Squibb. 500. BIOFAXIL Teramed (Bioty). 80 ml. susp. oral. 70%. sol. cápsulas. a administrar de 8/8 ou de 12/12 horas.5 g de 6/6 ou de 8/8 horas nas infecções graves. 70%. 500. susp. 16. comprimidos. influenzae. O cefadroxil não é muito activo contra o H. [Crianças] – Via oral: até 1 ano: 125 mg de 12/12 horas. 70%. 70%. 70%. oral. precauções e interacções: V. 1 687$00 (105$40). 3 155$00(197$20). 70%. CEFADROXIL MERCK Merck Genéricos. 1 568$00 (19$60). sol. oral. • s CEFATRIZINA Indicações: V. 16 4 304$00 (269$00). 50. susp. cápsulas. Reacções alérgicas incluindo erupções cutâneas.30 Capítulo 1 | 1. susp. 16. 16. 2 288$00 (28$60). [Crianças] – Via oral: 20 a 40 mg/kg de 8/8 horas. 1 507$00 (94$20). 60 ml. Interacções: O probenecide inibe competitivamente a secreção tubular da maioria das cefalosporinas originando concentrações séricas mais elevadas e mantidas. 100 ml. 1000. CEFORAL Sanofi Winthrop.

oral. cápsulas. CEFRADUR Lab. idade superior a 5 anos: 250 mg de 8/8 horas. 100 ml. susp. comprimidos. 25. 1000. VELOSEF Bristol-Myers Squibb. oral. sol. oral. CECLOR Lilly Farma.1. 1000. 16. 1. Via IM ou IV: 50 a 100 mg/kg/dia. [Crianças] – Via IM ou IV: idade superior a 1 mês: 20 a 40 mg/kg de 6/6 a 8/8 horas. cefadroxil. • 1. O cefaclor apresenta uma boa actividade contra o H. 1 458$00 (14$60). inject. dos 1 aos 5 anos: 125 mg de 8/8 horas. MEFOXIN IV Roche Farmacêutica. 70%. 70%. MEFOXIN IM Roche Farmacêutica. 50. contra-indicações. contra-indicações. CECLOR Lilly Farma. inject. Atral. nomeadamente infecções urinárias. infecções respiratórias. [Crianças] – Via oral: 25 a 50 mg/kg/dia. susp. 70%. 2 368$00 (148$00). Estas doses podem duplicar no tratamento de infecções graves. Interacções: O probenecide inibe competitivamente a secreção tubular da maioria das cefalosporinas originando concentrações séricas mais elevadas e mantidas. 1 792$00. 70%. 70%. oral. Sanitas. a administrar de 6/6 horas. 500. CECLOR Lilly Farma. 70%. Até 4 g/dia nas infecções graves. Reduzir a Posologia no doente com insuficiência renal. 50. Atral.1. 100 ml.. cápsulas. Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 a 500 mg de 6/6 horas ou 500 mg a 1 g de 12/12 horas. susp.5 mg de 8/8 horas. cápsulas. 2 873$00 (28$70). 70%. 16. 70%. Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 a 500 mg de 8/8 horas. susp. Até 12 g/dia nas infecções graves. 70%. prurido e artralgias. vómitos e diarreia. 1 994$00 (124$60). 16. Cefaclor Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 1 a 2 g de 6/6 a 8/8 horas. 100 ml. Reacções adversas. Cefalosporinas de 2ª geração s CEFACLOR Indicações: Infecções devidas a microorganismos gram positivos e gram negativos susceptíveis. 100. 2 907$00 (29$10). CEFRADUR Lab. [Crianças] – Via oral: de 1 mês a 1 ano: 62. Até 8 g /dia nas infecções graves. 1. 1000. comprimidos. faringites.2. susp. 3 549$00 (221$80). Profilaxia cirúrgica (boa actividade contra estafilococos produtores de ß lactamases) Reacções adversas. Reacções adversas: Nauseas. 500. Atral. pó solv. CEFRADUR Lab. • 31 s CEFRADINA Indicações: V. VELOSEF Bristol-Myers Squibb. pó solv. Reacções alérgicas incluindo erupções cutâneas. 3 473$00 (217$10). Até 200 mg/kg/dia nas infecções graves (crianças de idade superior a 3 meses: dose máxima – 12 g/dia). urticária. 70%. 100 ml. 3 341$00 (33$40). s CEFOXITINA Indicações: Infecções abdominais e profilaxia em cirurgia colo-rectal (boa actividade contra gram negativos e anaeróbios da flora intestinal incluindo Bacteróides fragilis). oral. CECLOR Lilly Farma. . 75. CEFRADUR Lab. precauções e interacções: V. 100 ml. Via IM ou IV: 500 mg a 1 g de 6/6 horas. infecções da pele e tecidos moles e amigdalites. susp. oral. a administrar em doses divididas. 50. influenzae. 500. 70%. precauções e interacções: V. cefadroxil. 1 792$00.. 2 290$00 (22$90). 70%. 70%.1. • Contra-indicações e precauções: História de hipersensibilidade às cefalosporinas e penicilinas. 1000. 100 ml.2. 3 884$00 (242$80). 16. 16. Atral. Medicamentos antibacterianos MACROPEN Lab. 1 764$00 (17$60). sol. sinusites.

ZOREF GlaxoWellcome. Contra-indicações e precauções: História de hipersensibilidade às cefalosporinas e penicilinas. • s CEFIXIMA Indicações: Otite média. 500. 6 148$00 (439$10). Amigdalites. Reduzir a posologia no doente com insuficiência renal.. 14. . Sinusite. Normal. 1 196$00. 70%. 50. • s CEFPROZIL Indicações: V. oral. esta dose pode duplicar no tratamento de infecções graves (otite média) Via IM ou IV: 30 a 100 mg/kg/dia.1. 70%. oral. Reacções adversas. CEFEC Tecnifar.). durante 10 dias no tratamento de infecções graves do trato urinário. 70%. susp. Reacções alérgicas incluindo erupções cutâneas. Normal. Cefaclor. susp. V. 3 450$00(246$40). 14. 60 ml. Medicamentos antibacterianos ZOREF GlaxoWellcome. urticária. 1. ZOREF GlaxoWellcome. Posologia: [Adultos] – Via oral: 500 mg a 1 g de 12/12 horas no tratamento de infecções respiratórias. comprimidos. ZIPOS Lab. oral (cart. 6 025$00 (430$40). [Crianças] – Via oral: idade superior a 3 meses: 125 mg de 12/12 horas. sol. a administrar de 6/6 ou de 8/8 horas. comprimidos. ZOREF GlaxoWellcome. 50. 70%. 2 066$00 (147$60). 1. Infecções urinárias. 70%. • 1. precauções e interacções: V. 2 g de 24/24 horas. comprimidos.1. Outras infecções graves refractárias à terapêutica convencional. oral (cart. 70%. 14. comprimidos.3. 14. pó susp. 500. ZIPOS Lab. 125. 3 453$00 (57$60). V. 70%. 3 143$00 (52$40). 25. precauções e interacções: V. 100 ml. Infecções respiratórias. 4 134$00 (295$30). prurido e artralgias. 500. 2 065$00 (147$50). pó e solv. 70%. granulado. comprimidos.2. 2 950$00 (29$50).). Reacções adversas: Náuseas.5 g de 8/8 horas nas infecções graves. comprimidos. 3 983$00 (284$50). 70%. ZIPOS Lab. 25. comprimidos. cefixima. Em crianças de idade superior a 2 anos. 3 453$00 (57$60). 70%. cefaclor Reacções adversas. Infecções urinárias. PROCEF Bristol-Myers Squibb. CEFEC Tecnifar. 250.). pó susp. 60. inject. 3 521$00 (251$50). 5 421$00 (387$20). ZIPOS Lab. 250. susp. 500. Exacerbações agudas da bronquite crónica. introdução. 70%. 70%. 125. Reacções adversas. 14. pó. oral. 60 ml. Cefaclor Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 a 500 mg de 12/12 ou de 24/24 horas. 70%. 250. Doses únicas superiores a 1. (cart. Cefaclor. contra-indicações. 250. CUROXIME GlaxoWellcome. Via IM ou IV: 750 mg de 6/6 a 8/8 horas.). [Crianças] – Via oral: 15 a 30 mg/kg/dia. Indicações: Pneumonia. 14. 14. ZOREF GlaxoWellcome. Cefalosporinas de 3ª geração s CEFETAMET PIVOXIL s CEFUROXIMA Indicações: V. susp. Normal. Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 a 500 mg de 12/12 horas (cefuroxima axetil). 16. 14. A cefuroxima é mais activa contra o Haemophilus influenzae e Neisseria gonorrhoeae. Uretrites gonocócicas. GLOBOCEF Roche Farmacêutica. introdução. 70%.32 Capítulo 1 | 1. Normal. ZIPOS Lab. 70%. 2 949$00 (29$50). 5 421$00 (387$20).5 g apenas por via IV. granulado (cart. 750. 14. vómitos e diarreia. 70%. GLOBOCEF Roche Farmacêutica. PROCEF Bristol-Myers Squibb. precauções e interacções: V. contra-indicações. 70%. 2 g como dose única no tratamento de infecções urinárias. contra-indicações. A cefixima pode ser administrada por via oral. 14. 500. 6 809$00 (425$60). 100 ml. oral. oral. 50. Normal. susp.

Até 200 mg/kg/dia nas infecções graves. injectável. Posologia: [Adultos] – Via oral: 400 mg/dia.. inject. Cefixima. 5 538$00 (692$20).. [Crianças] – Via IM ou IV: idade superior a 3 meses: 30 a 60 mg/kg/dia de 6/6 ou de 12/12 horas. 1 761$00. 8 mg/kg/dia. contra-indicações. 1. Reacções adversas. oral. Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 1 a 4 g/dia. cefixima. em dose única ou de 12/12 horas. 70%. pó solv. MODIVID (c/lidocaína) Hoechst. 7. [Crianças] – Via oral. cápsulas. cefotaxima. a administrar de 6/6 a de 12/12 horas. Até 2 g de 4/4 horas nas infecções graves. RALOPAR 1G IM/IV Hoechst. TRICEF Bialfar. CAEDAX Schering-Plough. 70%. CEFORTAM GlaxoWellcome. V. sol. precauções e interacções: V. [Crianças] – Via IM ou IV: 100 a 150 mg/kg/dia. 8. Cefixima. contra-indicações. 70%. contra-indicações.. Doses únicas superiores a 1 g apenas por via IV.. 4 742$00 (677$40). Reacções adversas. injectável. sol. • s CEFTIZOXIMA Indicações: V. 1. em dose única ou de 12/12 horas. contra-indicações. [Crianças] – Via IV: idade inferior a 2 meses: 25 a 60 mg/kg/dia de 12/12 horas. sol. TRICEF Bialfar. sol. inject. 1000. CAEDAX Schering-Plough. cápsulas. em dose única ou de 12/12 horas. introdução.1. 2 424$00. inject. susp. Reacções adversas. 4 211$00. 60 ml. Medicamentos antibacterianos Interacções: O probenecide inibe competitivamente a secreção tubular da maioria das cefalosporinas originando concentrações séricas mais elevadas e mantidas. V. precauções e interacções: V. 100 a 150 mg/kg/dia nas infecções graves. RALOPAR 1G IM Hoechst. injectável. 500. em dose única diária. 70%. comprimidos. 20. 70%. oral. sol. susp. Reacções adversas. introdução.1. 1. 2000. [Crianças] – Via oral: idade superior a 6 meses: 9 mg/kg/dia. 400. 70%. sol. 70%. • s CEFODIZIMA Indicações: Infecções respiratórias e infecções urinárias graves refractárias à terapêutica convencional. sol. 4 378$00 (73$00). CEFORTAM GlaxoWellcome. 2 g de 8/8 ou de 12/12 horas nas infecções graves. MODIVID Hoechst. 1000.. CAEDAX Schering-Plough. 2 174$00. 1000. Cefixima. 70%. Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 1 g de 8/8 ou de 12/12 horas. 36. 1. 4 742$00 (338$70). Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 1 a 2 g de 8/8 horas. 100 ml. pó solv. precauções e interacções: V. inject. 4 279$00 (42$80). 2 439$00. 1000. CEFIZOX IV Hikma. 1000. • 33 s CEFTAZIDIMA Indicações: Infecções graves particularmante devidas a bactérias gram negativas multirresistentes e infecções devidas a Pseudomonas aeruginosa. • s CEFOTAXIMA Indicações: Infecções graves particularmante devidas a bactérias gram negativas multirresistentes. MODIVID Hoechst. 70%. 14. sol. precauções e interacções: V. 200. idade superior a 2 meses: 30 a 100 mg/kg/dia de 12/12 ou de 8/8 horas. 400. 3 155$00. Cefixima. 70%. contra-indicações. precauções e interacções: V. 70%. 2 424$00. 70%. . 1000. 1. 2 g de 8/8 horas nas infecções graves. Posologia: [Adultos] – Via oral: 200 a 400 mg/ /dia. Cefixima. em dose única diária. Reacções adversas. 2 439$00. inject. Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 1 g de 8/8 horas. 70%. • s CEFTIBUTENO Indicações: V.

500. inject. Doses superiores a 1 g apenas por via IV. sol. . 3 971$00. inject. vómitos. inject. • s CEFTRIAXONA Indicações: V. 1 193$00. 1. 2. 2 570$00. 70%. MESPORIN IM Mepha. Icterícia e hepatite. a administrar em dose única diária. diarreia e dores abdomonais. inject. até à data. sol. O seu espectro de actividade é restrito a bactérias aeróbias gram negativas sendo a sensibilidade da Pseudomonas aeruginosa variável. Doses superiores a 50 mg/kg apenas por via IV. 2000. 1. 2 182$00. 70%. 2000. 1. 70%. inject.. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade aos antibióticos ß lactâmicos. 3 857$00 (1928$50). ROCEPHIN IV Roche Farmacêutica.. Reduzir a posologia no doente com insuficiência renal. 70%. Cefixima. inject. MESPORIN IV Mepha. Insuficiência hepática. Neutropenia e trombocitopenia. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina. inject. 70%.1.. cefotaxima. Monobactâmicos São antibióticos β lactâmicos monocíclicos que actuam também por inibição da síntese da parede bacteriana. inject. 1000.4 Cefalosporinas de 4ª geração s CEFEPIMA Indicações: Infecções graves devidas a microorganismo resistentes às cefalosporinas de 3ª geração. 1.1. inject. [Crianças] – Via IM ou IV: idade superior a 2 anos: 50 mg/kg de 6/6 ou de 8/8 horas..34 Capítulo 1 | 1. precauções e interacções: V. Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV:1 g/dia. 1000. 80 mg/kg/dia em dose única nas infecções graves. 3 878$00 (1 939$00).. sol. • CEFIZOX IV Hikma. O aztreonam é. estando descrita hipersensibilidade cruzada parcial. O seu perfil de efeitos adversos é semelhante ao dos outros antibióticos β lactâmicos. inject. Medicamentos antibacterianos Reacções alérgicas incluindo erupções cutâneas. Reacções adversas: Náuseas. ROCEPHIN IM Roche Farmacêutica. 2 g de 6/6 ou de 8/8 horas nas infecções graves. sol. Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 1 g de 8/8 horas ou 2 g de 12/12 horas. Carbapenemes São também antibióticos β lactâmicos e apresentam um espectro de actividade muito amplo. 2 a 4 g/dia de 12/12 horas. 2000.. 250.Doses superiores a 1 g por via IM devem ser administradas separadamente. 1000. Interacções: O probenecide inibe competitivamente a secreção tubular da maioria das cefalosporinas originando concentrações séricas mais elevadas e mantidas. 70%. 1000. 5 780$00. ROCEPHIN IM Roche Farmacêutica. pó solv. sol. 2 659$00. • 1.. 1000. CEFIZOX IM Hikma. urticária. ROCEPHIN IM Roche Farmacêutica. 70%. pó solv. [Crianças] – Via IM ou IV: idade superior a 6 semanas: 20 a 50 mg/kg/dia em dose única. 70%. 70%. 7 502$00.1. 1000. 1. Reacções adversas: Náuseas..2. Erupções cutâneas e urticária. 2. pó solv. prurido e artralgias. sol.3. 3 971$00.. A ceftriaxona está indicada no tratamento da meningite por gram negativos. 2 182$00. 1. 1. s AZTREONAM Indicações: Infecções graves devidas a gram negativos. ROCEPHIN IV Roche Farmacêutica... Reacções adversas. vómitos e diarreia. AZACTAM Bristol-Myers Squibb. o único representante deste grupo.1. Contra-indicações e precauções: História de hipersensibilidade às cefalosporinas e penicilinas. sol. 1.4. sol. inject. sol. contra-indicações. sol. 70%. CEFIZOX IM Hikma. • 1. Posologia: [Adultos] – Via IV: 1 g de 12/12 horas. 70%. 2 g de 12/12 horas nas infecções muito graves. 1. sol.

susceptível de induzir toxicidade central. [Crianças] – Via IV: 20 mg/kg de 8/8 horas.5. 2 g de 6/6 ou de 8/8 horas nas infecções graves. Medicamentos antibacterianos Resistentes à maioria das β lactamases. ampicilina. Reacções adversas: Náuseas. não se encontra comercializada. O imipenem encontra-se comercializado em associação com a cilastatina. O imipenem é. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade aos β lactâmicos. • s IMIPENEM Indicações: Infecções nosocomiais graves devidas a microorganismos multirresistentes gram positivos. administração oral) contra a salmonella typhi (recomenda-se aguardar 24 horas ou mais entre a administração da última dose do imipenem e a vacinação). 35 s MEROPENEM Indicações: V. embora licenciada no nosso país. de um modo geral. Nota: os medicamentos deste grupo não se encontraram disponíveis em farmácia de oficina. Estas associações podem ser particularmente úteis no tratamento de infecções polimicrobianas que incluam aeróbios gram positivos. imipenem. o sulbactam e o tazobactam. aeruginosa aos antimicrobianos é. influenzae resistentes à ampicilina/amoxicilina. imipenem. Os três principais inibidores das lactamases β utilizados na clínica são o ácido clavulânico. Reduzir a Posologia no doente com insuficiência renal. Posologia: [Adultos] – Via IV: 500 mg a 1 g de 8/8 horas. Associações de penicilinas com inibidores das lactamases β A associação de penicilinas a compostos inibidores das lactamases ß permite o alargamento do espectro de actividade dos antimicrobianos já que as β lactamases produzidas por muitas estirpes de bactérias deixarão. permitindo uma administração a intervalos de 6 horas. de inactivar os antimicrobianos em causa. O imipenem pode reduzir a resposta imunológica à vacinação (vacina viva. porém. Interacções: V. particularmente em doentes com DPOC. cobrem gram positivos. a ser limitada. Doses superiores a 1 g apenas por via IV. Contudo. A probabilidade de induzir convulsões é menor do que a observada com o imipenem. Alterações hematológicas. gram negativos ou anaeróbios. particularmente quando da utilização de doses elevadas. A administração concomitante de teofilina e imipenem pode aumentar o risco de toxicidade central. imipenem.1. • 1. contudo. 2 g de 8/8 horas no tratamento de meningites bacterianas. vómitos e diarreia. Não estão descritas interacções entre o meropenem e a teofilina e ganciclovir. A associação da ampicilina com o sulbactam não se encontra disponível entre nós e a ticarcilina associada ao ácido clavulânico. Doenças do SNC. Pode ser útil no tratamento de infecções respiratórias por H. composto que inibe a metabolização do imipenem pelas dipeptidases renais e prolonga as suas concentrações séricas. A susceptibilidade da Pseudomonas aeruginosa continua. 40 mg/kg de 8/8 horas no tratamento de meningites bacterianas. particularmente convulsões. O imipenem é um pouco mais activo do que o meropenem contra os gram positivos acontecendo o inverso com o meropenem. Posologia: [Adultos] – Via IV ou IM: 1 g de 8/8 horas.1. Gravidez e amamentação. Reacções adversas: V. gram negativos e anaeróbios. Interacções: O probenecide reduz a depuração plasmática do imipenem. uma vez que a resistência da P. prurido. determinando um aumento significativo das suas concentrações séricas. deste modo. susceptíveis ao imipenem nem ao meropenem e a susceptibilidade da Pseudomonas aeruginosa é variável. A coadministração de imipenem e ganciclovir determina o aparecimento de convulsões generalizadas. terapêuticas prolongadas ou em doentes com insuficiência renal. nomeadamente epilepsia. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade aos β lactâmicos. . os estafilococos resistentes à meticilina não são. mediada por alterações da permeabilidade da membrana e não pela produção de β lactamases. Reduzir a Posologia no doente com insuficiência renal. Meningite bacteriana. [Crianças] – Via IV: idade superior a 2 anos: 50 mg/kg de 6/6 ou de 8/8 horas. Reacções alérgicas – erupções cutâneas. na maioria dos casos. urticária e reacções anafilácticas. Convulsões e confusão mental. Elevação das enzimas hepáticas. s AMOXICILINA E ÁCIDO CLAVULÂNICO Indicações: V. gram negativos e anaeróbios. O perfil de efeitos adversos dos carbapenemes é idêntico ao dos outros β lactâmicos. quando da utilização de doses elevadas.1.

revestidos. 100 ml. susp. susp.25. Cloranfenicol e Tetraciclinas O cloranfenicol é um antibiótico de largo espectro que apresenta uma toxicidade hematológica significativa. 70%. ser utilizado apenas no tratamento de infecções graves causadas por H influenzae e na febre tifóide quando as alternativas terapêuticas estão contraindicadas. 25 + 6. 16. 100 ml. [Crianças] – Via oral: Idade inferior a 6 anos:125 mg de 8/8 horas. 1 128$00 (11$30). pó solv. 2 351$00 (23$50). ampicilina. 875 + 125. 100 ml. revestidos. PENILAN FORTE Lab. Rickettsia (incluindo a febre Q). 1 802$00 (112$60). 70%. oral. Brucella e Borrelia burgdorferi (doença de Lyme). sol. 3 006$00 (187$90). Cipan. inject. 70%. susp. CLAVAMOX 125 Lab. Deve. 50 + 12. 50 + 12. ampicilina. 70%. 70%. Bial. 1 371$00 (13$70). AUGMENTIN Beecham. 984$00. 2 613$00 (26$10). como fármacos de 1ª escolha nas infecções causadas por Chlamydia. cápsulas. AMOCLAVAM FORTE Laborterapia. Vitória. 70%. oral. por isso. 70%. 70%. até 2 g de 6/6 horas nas infecções mais graves. BETAMOX Lab. comprimidos. Língua negra e disfunção hepática são efeitos que têm sido atribuídos ao ácido clavulânico. AUGMENTIN Beecham. Bial. 2000 + + 200. Cipan. oral. ampicilina. 3 006$00 (187$90).5. 70%. 3 009$00 (188$10). 875 + 125. 70%. oral. 50 + 12.5. susp. revestidos. contudo. oral. AMOCLAVAM Laborterapia. 100 ml. CLAVEPEN Clintex. oral. pó solv.5. sol. 70%. AUGMENTIN Beecham. sol. susp. susp. Bial.25. 1000 + 200. 500 + 125. 25 + 6. 100 ml. Insuficiência hepática. 70%. doenças periodontais. São também usadas no tratamento do acne. susp. • Reacções adversas: V. Vitória. 70%. Permanecem. 25 + 6. 70%. Vitória. 617$00 (6$20). 500 + 125. oral. 25 + 6. 1. 1 371$00 (13$70). Nota: as doses são expressas em mg ou g de amoxicilina. CLAVAMOX 500 Lab. inject. 500 + 125. perf.25. oral. 2 347$00 (23$50).5. 50 + 12. AMOCLAVAM Laborterapia. comp. susp.5. 16. 100 ml. sol. Contra-indicações e precauções: V. oral. 1 373$00 (13$70). Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 a 500 mg de 8/8 ou de 6/6 horas Via IV: 1 g de 8/8 horas. 70%. pó solv. oral.25. 16. 4 443$00 (277$70). inject. 2 347$00 (23$50). 100 ml. Medicamentos antibacterianos BETAMOX Lab. AUGMENTIN Beecham. 1067$00. 500 + 125.25. comp. 3 338$00 (208$60). 16. 4 367$00 (272$90). Cipan.1. 70%. 70%. Bial. 70%. 70%.. 1 371$00 (13$70).25. oral. 100 ml. 500 + 50. AUGMENTIN 875/125 Beecham. susp. AUGMENTIN Beecham. pó solv. 1. inject. 1 587$00. revestidos. susp. comp. 50 + 12. 3 006$00 (187$90). 70%.. 1000 + + 100. susp. susp. comprimidos. 100 ml. 1. exacerbações da bronquite crónica e leptospirose em doentes alér- .. comp. revestidos. 16. 25 mg/kg de 6/6 horas nas infecções mais graves. 16. 1. BETAMOX Lab.1. CLAVEPEN FORTE Clintex. dos 6 aos 12 anos: 250 mg de 8/8 horas. CLAVEPEN Clintex. AUGMENTIN Beecham. 16. 500 + 125. 518$00. oral. 70%. A incidência de diarreia é maior quando se utilizam doses mais elevadas de ácido clavulânico. comp.. 50 + 12. Interacções: V. 25 + 6. AUGMENTIN Beecham. 25 + 6. 16.6. 100 ml. PENILAN Lab. 100 ml. 1. As tetraciclinas são também antibióticos de largo espectro cuja utilidade terapêutica tem vindo a diminuir como consequência do desenvolvimento de resistências. 70%. 70%. CLAVAMOX 250 Lab. 2 347$00 (23$50). 100 ml. 70%. 500 + 125.5. CLAVAMOX DT Lab. Via IV: 25 mg/kg de 8/8 horas. perf.36 Capítulo 1 | 1. PENILAN Lab. 1 523$00 (15$20).

16. [Crianças] – Via oral ou IV: 50 a 100 mg/kg/dia. hipoplasia dental. assim. Atral. Reacções adversas: Anemia aplástica e outras alterações hematológicas irreversíveis. Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 a 500 mg de 6/6 ou de 8/8 horas. Via IV: 500 mg de 12/12 horas. 70%. Capítulos 14 e 12). 16. Nevrite periférica e óptica. • s CLORANFENICOL Indicações: Febre tifóide e infecções graves devidas a H. 250 + associação. 37 s CLORANFENICOL + FETALILSULFATIAZOL + PECTINA CLORANPECTINA Lab.3 + 40 + 15. Insuficiência renal. comp. NEOCICLINA Upsifarma cápsulas. Não devem. Crianças de idade inferior a 12 anos. O fenobarbital e a rifampicina reduzem as concentrações séricas do cloranfenicol. • s TETRACICLINA Indicações: Exacerbações da bronquite crónica. Esfar. revestidos. CLORANFENICOL MADE Lab. influenzae. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Mycoplasma. Monitorizar periodicamente os parâmetros hematológicos. a administrar de 6/6 horas. Porfíria. 16. laxantes com magnésio. a doxiciclina é geralmente considerada como a tetraciclina de eleição. 70%. Rickettsia.1. Nas infecções graves como sepsis ou meningite esta dose pode duplicar mas deverá ser reduzida logo que clinicamente possível. 70%. 250. Dores de cabeça e alterações visuais. sol. 500. Lupus eritematoso sistémico. 783$00 (48$90). As tetraciclinas depositam-se no tecido ósseo em crescimento e nos dentes onde se ligam aos iões cálcio causando manchas e. Tratamento da úlcera péptica (erradicação do Helicobacter pylori) em associação com outros antimicrobianos e inibidores da secreção ácida gástrica (V. A sua absorção é reduzida pelo leite (excepto doxiciclina e minociclina). 70%. cápsulas. 24 60 ml 422$00 (7$00). 320$00 (5$30). 500. KEMICETINE SUCCINATO Pharmacia & UpJohn. Dado o seu perfil de reacções adversas e características farmacocinéticas. Medicamentos antibacterianos gicos à penicilina. Basi. cápsulas. agravar uma insuficiência renal préexistente. Esfar susp. a administrar de 6/6 horas. Evitar administrações prolongadas e repetidas. Atral. cálcio. ferro e sais de magnésio. 305$00 (19$10). capítulo 14). com excepção da doxiciclina e da minociclina. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Ajustar a posologia na insuficiência renal ou hepática. Acne vulgaris. O cloranfenicol é também utilizado em oftalmologia (V. 250.. magnésio ou cálcio. pó solv. Pela mesma razão está contra-indicada a ingestão simultânea de leite As tetraciclinas potenciam o efeito dos anticoagulantes orais. ser administradas a crianças de idade inferior a 10-12 anos e a grávidas ou mulheres que amamentem. 70%. O caulino e o salicilato de bismuto reduzem a absorção das tetraciclinas.1. 1000. 16. 70%. Interacções: O cloranfenicol pode aumentar as concentrações séricas da varfarina e dicumarol. 620$00 (38$80). 55. Interacções: As tetraciclinas quelatam os catiões bi e trivalentes presentes nos antiácidos com alumínio. A tetraciclina é também utilizada em oftalmologia e dermatologia (V. CICLOBIÓTICO Lab. • s TETRACICLINA + VITAMINA B1 + VITAMINA B2 NEOCICLINA VITAMINADA Upsifarma cápsulas. Dose máxima – 2 g/dia. vómitos e diarreia. reduzindo a biodisponibilidade própria e a dos fármacos referidos. Podem. Brucella e doença de Lyme. 668$00 (41$80). oral. CLORANFENICOL MADE Lab. ocasionalmente. 70%. 500$00 (31$20). fenitoína e sulfonilureias (1ª geração) com risco de desenvolvimento de toxicidade. antiácidos. vómitos e diarreia. susp. Eritema. Náuseas. inject. 16. infecções devidas a Chlamydia. Reacções adversas: Náuseas. CICLOBIÓTICO Lab. 70%. • . 1 389$00. podendo comprometer a sua eficácia terapêutica. a administrar de 6/6 horas. Posologia: [Adultos] – Via oral: 50 mg/kg/dia. Capítulo 6). Via IV: 50 mg/kg/dia. oral. sais de ferro e sucralfato. 60 ml.

Pfizer comp. Reacções adversas: V. 16. J. 809$00 (13$50). a administrar de 12/12 horas ou em dose única diária (100 mg). 70%. Posologia: [Adultos] – Via oral: 100 a 200 mg/dia. Deve ser utilizada apenas nas infecções devidas a microorganismos resistentes à amicacina e foi já desenvolvida no contexto de administração em dose única diária. doxiciclina. 16. Interacções: V. ciclosporina e diuréticos da ansa – aumenta o risco de desenvolvimento de nefrotoxicidade e de oto- . Contra-indicações e precauções: Miastenia gravis. Desempenham um papel relevante no tratamento das infecções nosocomiais graves. 16. 100. VIBRAMICINA Lab. Os aminoglicosideos são eliminados por via renal sendo necessário um ajustamento posológico (aumento do intervalo de administração) nos doentes com insuficiência renal. 100. Contra-indicações e precauções: V. Não se encontra disponível nas farmácias comunitárias. cápsulas. tetraciclina. 70%. Gravidez. Bioty. cápsulas. 70%. cápsulas. Bloqueio neuromuscular. 70%. MINOCIN Wyeth Lederle. 50 mg/dia durante 6 a 12 semanas no tratamento do acne. tetraciclina. • 1. Aminoglicosídeos Os aminoglicosideos são antibióticos bactericidas activos contra a maioria das bactérias aeróbias gram negativas incluindo a Pseudomonas aeruginosa. dispersiveis. cápsulas. Reacções adversas: V. 60 ml. Ototoxicidade (geralmente irreversível). 100. PLURIDOXINA Asta Médica. tetraciclina. 1 684$00 (105$20). 10. induzir bloqueio neuromuscular. cápsulas. 100. 1 687$00 (105$40). tetraciclina. Interacções: V. 16. aeruginosa. Posologia: [Adultos] – Via oral. SIGADOXIN Lab. Neves. A gentamicina é também utilizada em oftalmologia e dermatologia (V. 70%. Não são absorvidos quando administrados por via oral. 70%. A estreptomocina é activa contra o Mycobacterium tuberculosis. Recomenda-se a monitorização das concentrações séricas uma vez que são fármacos com uma margem terapêutica estreita. Erupções cutâneas exfoliativas. 100. Disfunção hepática. Contra-indicações e precauções: V. tetraciclina. comp. capítulos 12 e 14). 1 610$00 (100$60). Pfizer sol. 2 254$00 (140$90).38 Capítulo 1 | 1. • Indicações: Infecções graves devidas a aeróbios gram negativos incluindo a P. por exemplo na preparação para intervenções cirúrgicas e na encefalopatia hepática. Interacções: A administração concomitante de outros fármacos nefro ou ototóxicos – cisplatina. 100. Pode ser utilizada no doente com insuficiência renal. 100. oral. revestidos. por vezes irreversível. A administração dos aminoglicosideos em dose única diária parece ser tão ou mais eficaz e tão ou menos tóxica que os regimes convencionais em doses múltiplas.1. Portadores de meningococos. Os barbitúricos. pigmentação da pele. s MINOCICLINA s GENTAMICINA Indicações: V. a fenitoína e a carbamazepina reduzem as concentrações séricas da doxiciclina. 1 808$00 (113$00). Pfizer. A neomicina é usada por via oral quando se pretende reduzir a flora microbiana intestinal. Reacções adversas: Nefrotoxicidade (geralmente reversível).1. 70%. VIBRAMICINA Lab. DOXYTREX Lab. introdução. 1 793$00 (112$10). 100 mg de 12/12 horas. V. sendo as vias IM ou IV utilizadas sempre que se pretende obter un efeito sistémico. 16. tetraciclina. VIBRAMICINA Lab. 1 901$00 (118$80). MINOTREX Hikma. Ajustar a Posologia e monitorizar as concentrações séricas nos doentes com insuficiência renal incluindo o doente idoso. anfotericina B. 16. a ototoxicidade pode manifestar-se tardiamente. tetraciclina. O leite não interfere com a absorção da doxiciclina. 70%. 50 mg de 12/12 horas durante pelo menos 6 semanas no tratamento do acne. Todos os aminoglicosideos são nefro e ototóxicos e podem. 16. Medicamentos antibacterianos s DOXICICLINA Indicações: V. embora raramente.7. A isepamicina é o aminoglicosideo mais recentemente introduzido na clínica. Tonturas e vertigens. vancomicina.

50. A neomicina é também utilizada em oftalmologia. gentamicina Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 3 a 5 mg/ /kg/dia. 10. 70%. Não se justifica a associação da bacitracina à neomicina pois o seu espectro de acção antibacteriana é restrito a bactérias gram positivas. gentamicina. aeruginosa. 1. contra-indicações. 5 ml. Reacções adversas. GARALONE URO Schering-Plough. capítulo 14). precauções e interacções: V. GARALONE Schering-Plough. a administrar de 8/8 ou de 12/12 horas.5 mg/kg de 8/8 horas. 1. contra-indicações. [Crianças] – Via IM ou IV: 2 a 2. otorinolaringologia. NETROMICINA Schering Plough. 80. • 39 s BACITRACINA + ESTREPTOMICINA + NEOMICINA TRI-SINERGE Atral. 15. resistentes à gentamicina. 70%. 20. • s BACITRACINA + NEOMICINA DIMICINA Codilab. 200. 1. 394$00. precauções e interacções: V. 13. sol. A tobramicina é ligeiramente mais activa do que a gentamicina contra a P. NETROMICINA Schering Plough. sol. A neomicina é demasiado tóxica para administração sistémica. 160. injectável. a administrar de 12/12 horas. 70%. 950$00. 150. capítulos 14. • s AMICACINA Indicações: Infecções graves devidas a aeróbios gram negativos. 380$00. [Crianças] – Via IM ou IV: De 2 semanas aos 12 anos: 2 mg/kg de 8/8 horas. sol. • s NEOMICINA Indicações: Redução da flora intestinal. 1 556$00. gentamicina. sol. 1. injectável.25. 2 227$00. 1. sol. A administração em dose única diária é preferível. 137$00. Medicamentos antibacterianos toxicidade. 1. Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 4 a 6 mg/kg/dia a administrar de 12/12 horas. GARALONE Schering-Plough. 40%.1. dermatologia e ginecologia (V. 606$00. gentamicina. 2500 UI + 250 + 25. injectável. gentamicina. injectável. 210$00 (21$00). 40. comprimidos. ENEVIS Cosmofarma. 70%.1. 10. aeruginosa. NETROMICINA Schering Plough sol. de 8/8 horas ou em dose única diária preferencialmente. 248$00 (49$60). . Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 2 a 5 mg/ /kg/dia. injectável. 0%. 70%. 500. 1 978$00. contra-indicações. A gentamicina pode potenciar o efeito dos bloqueadores neuromusculares. GARALONE Schering-Plough. 916$00. 5. • s NETILMICINA Indicações: V. 1. A administração em dose única diária é preferível. contra-indicações. sol. 40%. Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 15 mg/kg/ /dia. BICLIN Bristol-Myers Squibb. precauções e interacções: V. a administrar de 8/8 horas. sol. A tobramicina é também utilizada em oftalmologia (V. Reacções adversas. 2500 UI + 18. 12 e 7). 70%. 70%. • s TOBRAMICINA Indicações: V. Posologia: [Adultos] – Via oral: 1 g de 4/4 horas. [Crianças] – Via IM ou IV: 2 a 2. injectável. NETROMICINA Schering Plough. Reacções adversas. 70%. 2 397$00. 70%. colírio. injectável. incluindo a P. injectável. sol. A administração em dose única diária é preferível. NETROMICINA Schering Plough. precauções e interacções: V. 100. cápsulas. 5 mg/kg em dose única diária. 70%. Reacções adversas. injectável. Evitar a sua utilização no doente com insuficiência renal. sol.5 mg/kg de 8/8 horas. injectável. 677$00 (33$80). gentamicina.

comprimidos. ERITINA Lab. São activos contra numerosos cocos e bacilos gram positivos e contra alguns cocos e bacilos gram negativos. teofilina. 100. 16. Brucella. Legionella pneumophila. 70%. 1000. 70%. 12. • DISTOBRAM Lilly Farma. Posologia: [Adultos] – Via oral: 500 mg de 24/24 horas durante 3 dias. ciclosporina. 70%.. comprimidos. 1 073$00 (10$70). Legionella pneumophila (primeira escolha) e infecções devidas a espiroquetas. sol. DISTOBRAM Lilly Farma. mais frequentemente descritos com o estolato de eritromocina. 16. incluindo o Haemophilus influenzae. E. 1 424$00 (89$00). a administrar de 6/6 horas. Via IV: 50 mg/kg /dia. Os macrólidos apresentam algumas interacções medicamentosas clinicamente significativas. A claritromicina e azitromicina são ainda activas contra o Mycobacterium avium. Infecções genitais não complicadas devidas a Chlamydia spp. 50 mg/kg/dia nas infecções graves. 150. Doentes medicados com terfenadina ou astemizol (prolongamento do intervalo QT no ECG). grânulos sol. Disfunção hepática.E. injectável. Mycoplasma pneumoniae. Haemophilus influenzae. ERITROCINA Abbot Laborat. 500. E. 100. 1 591$00 (99$40). dos 2 aos 8 anos: 250 mg de 6/6 horas. A eritromicina (estolato de eritromicina) é o macrólido que apresenta efeitos gastrintestinais com maior incidência. [Crianças] – Via oral: idade inferior a 2 anos: 125 mg de 6/6 horas. granulado(cart. Uretrites não gonocócicas. Acne vulgaris. 10 mg/kg de 24/24 horas durante 3 dias. vómitos e diarreia. digoxina. Capítulo 12). urticária e outras reacções alérgicas ocorrem muito raramente.8. 1 g como dose única nas infecções genitais por Chlamydia spp.S. 2 106$00 (175$50). oral.40 Capítulo 1 | 1. ERITROCINA Abbot Laborat. A claritromicina é ligeiramente mais activa do que a eritromicina e atinge concentrações tecidulares mais elevadas. 70%.1.E. idade superior a 8 anos: Posologia do adulto. 16. s ERITROMICINA Indicações: Tratamento de infecções devidas a Streptococcus spp. Os efeitos adversos graves induzidos pelos macrólidos são raros. A eritromicina é também utilizada em dermatologia (V. As erupções cutâneas. injectável. 70%. A administração de doses múltiplas poderá aumentar o risco de aparecimento de toxicidade induzida pela teofilina ou varfarina. • 1.1. sol. [Crianças] – Via oral: idade superior a 6 meses. 70%. As Enterobactereaceas e a Pseudomonas aeruginosa são resistentes. Medicamentos antibacterianos hepática. 1 911$00 (19$10). 500. Reacções adversas: Náuseas. Mycoplasma pneumoniae. Mycoplasma pneumoniae e outros. A azitromicina não afecta as concentrações plasmáticas da teofilina e da varfarina após administração de uma única dose. 1 407$00. 1. A claritromicina e a azitromicina são usualmente melhor toleradas.)... grânulos sol. 70%. Via IV: 25 mg/kg/ dia. com potencial desenvolvimento de toxicidade. 1 102$00. oral. a administrar de 6/6 horas. astemizol e terfenadina. eritromicina. SACHETS Abbot Laborat. A azitromicina é ligeiramente menos activa do que a eritromicina contra gram positivos e ligeiramente mais activa contra alguns gram negativos. 100. Os macrólidos são úteis no tratamento de infecções devidas a estreptococos e enterococos constituindo uma alternativa às penicilinas bem como nas infecções respiratórias por Haemophilus influenzae. s AZITROMICINA Indicações: Infecções respiratórias.S. 500. 100. Macrólidos Os macrólidos são antibióticos que actuam por inibição da síntese proteica sendo bactericidas quando utilizados em doses altas.. 999$00 (62$40). Interacções: A eritromicina aumenta as concentrações séricas. Contra-indicações e precauções: Disfunção . Otites médias. Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 a 500 mg de 6/6 horas ou 500 mg a 1 g de 12/12 horas. da carbamazepina. Interacções: Os alimentos reduzem a biodisponibilidade da azitromicina. contra-indicações e precauções: V. cápsulas. 50. 70%. Abbot Laborat. 1. ERITROCINA FORTE Abbot Laborat. Reacções adversas. Legionella pneumophila. varfarina. Sanitas.

eritromicina. Pfizer. • 41 Reacções adversas. Via IV: 500 mg de 12/12 horas. Reduzir a Posologia no doente com insuficiência renal. 16. 100 ml. 3. comprimidos. 16. 100. dos 7 aos 9 anos (20 a 29 kg): 187.1. 2 6660$00 (26$60). 70%. 70%. Pfizer. [Crianças] – Via oral: 2. Interacções: V. susp. eritromicina. 3 230$00 (201$90).1. Tratamento da úlcera péptica (erradicação do Helicobacter pylori) em associação com outros antimicrobianos e inibidores da secreção ácida gástrica (V. 200. 1. Roussel. oral.. RULIDE Lab. comp. Reacções adversas. contra-indicações. 5 266$00 (329$10). MIOCACIN Lab. eritromicina. Os efeitos gastrintestinais induzidos pela espiramicina são menos frequentes. 70%. pó (cart. pó (cart.5 mg de 12/12 horas.9. 600. ZITHROMAX Lab. eritromicina. eritromicina.8 g de 12/12 ou de 8/8 horas. Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 mg de 12/12 horas. contra-indicações e precauções: V. 300. RULIDE PEDIÁTRICO Lab. ROVAMYCINE Rhône Poulenc. susp. 25. 250. ZITHROMAX Lab. KLACID Abbot Laborat.5 a 5 mg/kg de 12/12 horas durante 10 dias. 3. precauções e interacções: V. 400. [Crianças] – Via oral: 35 a 50 mg/kg/dia. Medicamentos antibacterianos ZITHROMAX Lab. Posologia: [Adultos] – Via oral: 900 mg a 1. oral. 250. Reacções adversas. Via IV: não recomendada. • s ROXITROMICINA Indicações: V. 3 014$00 (30$10). cápsulas. 3 233$00 (538$80). 70%. precauções e interacções: V. 500 mg de 12/12 horas nas infecções graves. Pfizer. • s CLARITROMICINA Indicações: Infecções respiratórias. ZITHROMAX Lab. Reduzir a Posologia em doentes com insuficiência renal ou insuficiência hepática graves.). sol. comprimidos. dos 3 aos 6 anos (12 a 19 kg): 125 mg de 12/12 horas. 100 ml. • s MIOCAMICINA Indicações: V. 3 129$00 (1 043$00). 70%. ZITHROMAX Lab. Reacções adversas. • s ESPIRAMICINA Indicações: V.1. MIOCACIN Lab. 1 620$00 (540$00). . 15 ml. 70%. Roussel. A espiramicina pode constituir uma alternativa à eritromicina em doentes com intolerância gastrointestinal ou doentes medicados com teofilina ou ciclosporina. 70%. Roussel. comprimidos.). 5 336$00 (333$10). Posologia: [Adultos] – Via oral: 1 g de 12/12 ou de 8/8 horas.).Gravidez e amamentação. Roussel. eritromicina. 70%. 3.. 2 355$00 (785$00). pó (cart. dos 10 aos 12 anos (30 a 40 kg): 250 mg de 12/12 horas. 6.5 mg de 12/12 horas. 5 102$00 (318$90). Capítulo 6). revestidos. [Crianças] – Via oral: idade inferior a 1 ano (peso < 8kg): 7. contra-indicações. 50. Pfizer. Sulfonamidas e suas associações As sulfonamidas foram os primeiros antimicrobianos a serem utilizados na prática clínica. 16. contra-indicações e precauções e interacções: V. eritromicina. Posologia: [Adultos] – Via oral: 150 mg de 12/12 horas ou 300 mg de 24/24 horas durante 10 dias. Tratamento prenatal da toxoplasmose congénita. oral.5 mg/kg de 12/12 horas. 70%. 500. 70%. 16. 70%. eritromicina. KLACID PEDIÁTRICO Abbot Laborat. 150. 1 244$00 (77$80). A espiramicina não interage com a teofilina nem com a ciclosporina. 40. Infecções da pele e tecidos moles. 70%. comprimidos. dos 1 aos 2 anos (8 a 11 kg): 62. a administrar de 12/12 ou de 8/8 horas. Pfizer. 16. 1 466$00 (97$70).

[Crianças] – Via oral: 17 mg/kg/dia. 960. 48. 486$00 (4$90). 70%. BACLISE 1000 Lab. 70%. a administrar de 6/6 ou de 8/8 horas nas infecções devidas a Pneumocystis carinii. Sanitas. SEPTRIN Lab. 424$00 (42$40). Sanitas. 480. Nota: 480 mg de cotrimoxazol correspondem a 400 mg de sulfametoxazol e 80 mg de trimetoprim. 514$00 (25$70). SEPTRIN Lab. comprimidos. contra-indicações e precauções e interacções: V. 20. 70%. As associações de outros antimicrobianos às sulfonamidas visa obter um efeito sinérgico minimizando o desenvolvimento de estirpes resistentes. 20. Discrasias sanguíneas. COTRIMOXAZOL COMP Farmatrading. cotrimoxazol. susp. cotrimoxazol. 636$00 (6$40). 600. Wellcome. COTRIM FORTE Ratiopharm. Infecções devidas a Pneumocystis carinii. 54 mg/kg/dia nas infecções graves. 582$00 (5$80). 70%. particularmente com as formulações menos solúveis. Posologia: [Adultos] – Via oral: 500 mg de 12/12 horas ou 1 g de 24/24 horas.1. 480.42 Capítulo 1 | 1. comprimidos. a administrar de 12/12 horas.44 g de 12/12 horas nas infecções graves. comprimidos. comprimidos. oral. 20. susp. 70%. BACLISE Lab. 1000. é a mais utilizada. 70%. 490$00 (4$90). Sanitas. nomeadamente agranulocitose e depressão medular. 20. 70%. oral. a administrar de 12/12 horas. sulfonilureias e metotrexato. Medicamentos antibacterianos BACTRIM FORTE Roche Farmacêutica. 20. oral.44 g de 12/12 horas nas infecções graves. 48. susp. 643$00 (32$20). 10. 10. Os principais efeitos adversos das sulfonamidas incluem erupções cutâneas frequentes. s COTRIMOXAZOL (Associação fixa de sulfametoxazol e trimetoprim) Indicações: Infecções urinárias. Insuficiência renal e insuficiência hepática. METOMIDE Farmalabor. 70%. BACTRIM FORTE Roche Farmacêutica. 785$00 (39$20). METOMIDE FORTE Farmalabor. 20. 873$00 (43$60). Reacções adversas: Erupções cutâneas (muito frequentes). COTRIMOXAZOL COMP Farmatrading. comprimidos. 70%. comprimidos. Contra-indicações e precauções: Gravidez e crianças de idade inferior a 6 semanas. comprimidos. 960. s COTRIMAZINA (Associação fixa de sulfadiazina e trimetoprim) Indicações: V. 70%. Via IV: 36 mg/kg/dia. associação do sulfametoxazol com o trimetoprim. 60. 667$00 (66$70). O cotrimoxazol. comprimidos. [Crianças] – Via oral: de 6 semanas aos 5 meses: 120 mg de 12/12 horas. BACTRIM Roche Farmacêutica. 960. 100 ml. Wellcome. dos 6 meses aos 5 anos: 240 mg de 12/12 horas. BACLISE Lab. 70%. fenitoína. oral. comprimidos. • O desenvolvimento de estirpes resistentes e o facto de apresentarem uma toxicidade significativa têm limitado a sua utilidade terapêutica. discrasias sanguíneas. susp. 70%. Wellcome. 10. • . 960. Posologia: [Adultos] – Via oral: 960 mg a 1. SEPTRIN DS Lab. História de hipersensibilidade às sulfonamidas. 263$00 (26$30). dos 6 aos 12 anos: 480 mg de 12/12 horas. Via IV: 960 mg a 1. 480. 20. 480. Insuficiência renal. nomeadamente agranulocitose e depressão medular. Porfíria. Reduzir a Posologia no doente com insuficiência renal grave. síndroma de Stevens-Johnson. Prostatites. 20. 1 075$00 (53$80). comprimidos. 70%. Reacções adversas. 960. 1 167$00 (58$40). 120 mg/ /kg/dia. 100 ml. e insuficiência renal. 691$00 (34$60). 984$00 (49$20). 70%. COTRIMOXAZOL COMP Farmatrading. Náuseas. 20. 70%. Nota: 500 mg de cotrimazina correspondem a 410 mg de sulfadiazina e 90 mg de trimetoprim. Doenças hematológicas. 100 ml. Infecções devidas a salmonellas spp. COTRIMOXAZOL COMP Farmatrading. Interacções: O cotrimoxazol pode potenciar o efeito dos anticoagulantes orais. 100 ml. 70%. comprimidos. Síndrome de Stevens-Johnson. vómitos e diarreia. 960. 960. 1 157$00 (57$90). comprimidos.

suplementos com ferro ou zinco e sucralfato. Eosinofilia. as novas quinolonas em investigação e em vias de comercialização apresentam uma actividade aumentada contra o Streptococcus pneumoniae e algumas são activas contra os anaeróbios. a administrar de 4/4 ou de 6/6 horas. 20. confusão mental. Embora algumas quinolonas apresentem in vitro alguma actividade contra o Streptococcus pneumoniae.10. cotrimoxazol. A utilização generalizada das quinolonas levou ao aparecimento de uma percentagem significativa de resistências. A norfloxacina é a que possui menor biodisponibilidade sendo. Posologia: [Adultos] – Via oral: 4 g/dia. podendo comprometer a sua eficácia terapêutica. nenhuma das quinolonas actualmente disponíveis deve ser usada no tratamento de infecções respiratórias devidas a pneumococos. Possuem uma boa difusão tecidular e o seu perfil de efeitos adversos é muito favorável. alucinações e depressão. A sulfadiazina é também utilizada em dermatologia (V. 70%. Reacções adversas: Náuseas. 500. s CIPROFLOXACINA Indicações: Infecções devidas a microorganismos gram positivos e gram negativos. Reduzir a posologia no doente com insuficiência renal grave. convulsões. Estão também descritos disfunção hepática e efeitos centrais – alterações do sono.1. magnésio ou cálcio. coli tinham adquirido resistência. aeruginosa. Interacções: Os fármacos com catiões bi e trivalentes como os antiácidos com alumínio. Manter hidratação adequada (risco de cristalúria) Interacções: A sulfadiazina inibe o metabolismo da fenitoína e reduz as concentrações sanguíneas da ciclosporina. Não é recomendada a sua utilização em crianças e adolescentes até aos 18 anos de idade. contra-indicações e precauções: V. Todas as quinolonas apresentam interacções medicamentosas clinicamente significativas: a sua absorção é significativamente reduzida pelos fármacos com catiões bi e trivalentes como os antiácidos com alumínio.1. suplementos com ferro ou zinco e o sucralfato reduzem a absorção da ciprofloxacina. uma vez que são susceptíveis de induzir erosão das cartilagens em crescimento. Podem ser administradas por via oral. Apresentam um espectro de actividade que abrange muitos microorganismos gram positivos e gram negativos incuindo os estafilococos resistentes à meticilina e a Pseudomonas aeruginosa. a administrar de 6/6 horas. seguida de 150 mg/kg/dia. todas as quinolonas necessitam de ajustamento da posologia nos doentes com insuficiência renal. por isso. sendo raros os efeitos adversos graves. 28% das E. virtualmente. Artralgias e mialgias. preferencialmente utilizada no tratamento de infecções urinárias. vómitos e diarreia. alguns estudos demonstraram que. o probenecide pode aumentar as concentrações plasmáticas das quinolonas. A ciprofloxacina é de todas as quinolonas a que apresenta maior actividade contra a P. Apesar da sua actividade contra as Enterobactereaceae ser ainda considerada muito boa. Reacções adversas. na profilaxia da febre reumática. após 5 anos de utilização. A possibilidade de algumas das novas quinolonas induzirem hepatotoxicidade significativa poderá. magnésio ou cálcio. hoje em dia. Doentes com epilepsia ou história de doença convulsiva. A literatura refere que. limitar a sua utilidade terapêutica bem como a fotossensibilidade que determinam num número importante de doentes. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Capítulo 12). Evitar no doente com insuficiência renal. 500 mg/dia em crianças com peso < 30 kg e 1 g/dia em crianças com peso > 30 kg. Crianças e adolescentes até aos 18 anos de idade.1. A resistência cruzada entre as diferentes quinolonas tem sido descrita. LABDIAZINA Lab. Nenhuma das quinolonas actualmente comercializadas é activa contra anaeróbios. . leucopenia e trombocitopenia. enzima essencial à replicação e transcrição do ADN. 425$00 (21$20). • 1. os estafilococos resistentes à meticilina são já resistentes às quinolonas bem como cerca de 20% das estirpes isoladas de Pseudomonas aeruginosa. Erupções cutâneas e prurido. Em geral. comprimidos. podem aumentar a T1/2 plasmática da teofilina (com excepção da lomefloxacina) e prolongar o tempo de protrombina nalguns doentes medicados com anticoagulantes orais. A sua actividade bacterícida resulta da inibição da girase do ADN. Medicamentos antibacterianos 43 s SULFADIAZINA Indicações: Meningite meningocócica. Quinolonas As quinolonas são antimicrobianos estruturalmente relacionados com o ácido nalidíxico. contudo. Hematúria. Profilaxia da febre reumática recorrente em doentes alérgicos às penicilinas. LAB. Com excepção da pefloxacina. [Crianças] – Via oral: dose inicial: 75 mg/kg.

250. comp. 70%. revestidos. 3 389$00 (211$80). revestidos. 1 4762$00 (922$60). 16. 8 044$00 (502$80). comprimidos. 5 832$00 (364$50). CARMICINA Synthelabo Medicor. cápsulas. Bioty. 70%. KEEFLOXIN Lab.44 Capítulo 1 | 1. A coadministração de ciprofloxacina e ciclosporina aumenta o risco de nefrotoxicidade. Via IV: 200 a 400 mg de 12/12 horas. 16. 500. 70%. CIPROFLOXACINA MERCK Merck Genéricos. FLOXACIPRON BA Farma comprimidos. 8. comp. 250. revestidos. 70%. comprimidos. comp. KEEFLOXIN Lab. comp. Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 a 750 mg de 12/12 horas. comp. comp. 750. 250. 16. 70%. 70%. 70%. 16. 3 989$00 (249$30). 16. 70%. XORPIC Laquifa Merck. comp. 4 524$00 (282$80). comp. comp. CIPROQUINOL Farmorcore. 8 785$00 (549$10). 70%. 1 871$00 (233$90). 7 175$00 (448$40). GIROFLOX Tecnimede comprimidos. 250. 16. 3 055$00 (190$90). cápsulas. 7 171$00 (448$20). 70%. KEEFLOXIN Lab. 6 988$00 (436$80). 70%. 16. 500. CIPROXINA Bayer Portugal. 500. CIPROXINA Bayer Portugal. XORPIC Laquifa Merck. revestidos. 7 900$00 (493$80). 70%. 2 749$00 (343$60). revestidos. 250. CIPROFLOXACINA MERCK Merck Genéricos. 750. comp. revestidos. 500. 7 273$00 (454$60). 70%. 9 928$00 (620$50). comprimidos. cápsulas. 750. NIXIN Mepha. 6 471$00 (404$40). 9 679$00 (604$90). 250. 3 233$00 (202$10). CIPROQUINOL Farmorcore. CIPLOX Cipan. 500. comprimidos. 4 841$00 (302$60). 70%. 70%. comp. comprimidos. revestidos. 70%. 70%. 9 923$00 (620$20). comprimidos. revestidos. 4 912$00 (307$00). 250. 10 3 140$00 (314$00). Medicamentos antibacterianos CIPROXINA Bayer Portugal. revestidos. 70%. CIFLAN 250 Quimedical. cápsulas. MEGAFLOX Medilusa. 16. 16. 500. comprimidos. 70%. 3 376$00 (211$00). 750. 16. 2 712$00 (271$20). 70%. comprimidos. 500. NIVOFLOX Farmalabor. 16. 500. 70%. 70%. A ciprofloxacina pode aumentar a T1/2 plasmática da teofilina e da cafeína e prolongar o tempo de protrombina nalguns doentes medicados com anticoagulantes orais. NIXIN Mepha. 3 372$00 (210$80). 16. Bioty. 500. 500. 70%. . 16. CIFLAN 500 Quimedical. comprimidos. 500. 70%. 250. 500.1. 16. 70%. CIPLOX Cipan. 16. comp. 70%. 70%. 8 214$00 (513$40). 16. 8 239$00 (514$90). cápsulas. 16. comprimidos. NIVOFLOX Farmalabor. revestidos. 10. Bioty. A ciprofloxacina reduz as concentrações séricas da fenitoína. 16. revestidos. 8. KEEFLOXIN Lab. 70%. 3 076$00 (384$50). NIVOFLOX Farmalabor. Bioty. 12 435$00 (777$20). 70%. 7 286$00 (455$40). 16. 16. 500. 16. 750. CIPROFLOXACINA MERCK Merck Genéricos. 250. 250. NIXIN Mepha. 250. 16. CIPLOX Cipan. 5 756$00 (575$60). comprimidos. 16. 16. 16. 70%. cápsulas. 8. 250. 16. cápsulas. 10. 70%. CIPROXINA Bayer Portugal. 70%. 6 477$00 (404$80). 70%. comprimidos. revestidos. 5 932$00 (370$80). 16. 16. 500. 750. CIFLAN Quimedical. 250. CARMICINA Synthelabo Medicor. GIROFLOX Tecnimede comprimidos. 500. 70%. GIROFLOX Tecnimede.

8. UNIQUIN Medinfar. 5 457$00 (341$10). MONOQUIN Zambon. 400. Interacções: V. 16. A norfloxacina e a nitrofurantoína são antagonistas. MONOQUIN Zambon. 5 284$00 (660$50). Reacções adversas.1. 70%. ciprofloxacina. TAFLOX Sanofi Winthrop. 16. 4 758$00 (594$80). 200. Searle. revestidos. ciprofloxacina. • s LOMEFLOXACINA Indicações: V. 4 029$00 (251$80). 20. 70%. 4 987$00 (249$40). cápsulas. comp. comprimidos. comprimidos. 70%. comprimidos. NOROXIN Merck Sharp & Dohme. 16. revestidos. 8. ciprofloxacina. Reacções adversas. comprimidos. ciprofloxacina. Atral. 400. comprimidos. 70%. 200. capítulo 14). 400. A ofloxacina é também utilizada em oftalmologia (v. comprimidos. 70%. cápsulas. A enoxacina pode aumentar as concentrações plasmáticas da digoxina e da cafeína. VINONE Hikma. 16. revestidos. 16. Medicamentos antibacterianos XORPIC Laquifa Merck. VINONE Hikma. 4 846$00 (302$90). UROFLOX Medibial. 2 567$00 (128$40). 2 972$00 (148$60). 200. TARIVID Hoechst. 5 400$00 (337$50). Via IV: 400 mg de 12/12 horas. • A norfloxacina é também utilizada em oftalmologia (V. ciprofloxacina.1.11. Posologia: [Adultos] – Via oral: 400 mg de 24/24 horas. Posologia: [Adultos] – Via oral: 200 a 400 mg de 12/12 horas. Searle. • 1. 200. 9 557$00 (597$30). A coadministração de norfloxacina e ciclosporina aumenta o risco de desenvolvimento de nefrotoxicidade. Outos Antibacterianos s NORFLOXACINA Indicações: Infecções urinárias e gonorreia. BACTOFLOX Probios. BIOQUIL Lab. 5 513$00 (344$60). 70%. 16. 5 024$00 (251$20). 70%. contra-indicações e precauções: V. 400. 10 039$00 (627$40). 70%. • 45 s ENOXACINA Indicações: V. 400. ciprofloxacina. ciprofloxacina. Os antimicrobianos incluidos neste grupo constituem um grupo heterogéneo de antibióti- . 8. ciprofloxacina. 70%. Posologia: [Adultos] – Via oral: 400 mg de12/12 horas. 200. 70%. MAXAQUIN Lab. 400. UNIQUIN Medinfar. 20. 70%. 16. 9 238$00 (577$40). 70%. 200. revestidos. 20. Interacções: V. ciprofloxacina. 400. 8 563$00 (535$20). comprimidos. cápsulas. A lomefloxacina induz fotossensibilidade com maior frequência. OFLOCET Lab. MAXAQUIN Lab. 5 032$00 (314$50). comprimidos. 400. Posologia: [Adultos] – Via oral: 200 a 400 mg de 12/12 horas. ciprofloxacina. comprimidos. contra-indicações e precauções: V. Interacções: V. contra-indicações e precauções: V. • s OFLOXACINA Indicações: V. 70%. QUINOFLEX Mepha. Reacções adversas. 70%. Capítulo 14). 2 372$00 (148$20). comp. 400. Reacções adversas. comprimidos. 750. comp. comp. 5 309$00 (663$60). 16. 70%. A lomefloxacina parece não afectar as concentrações plasmáticas da teofilina. 70%. 70%. ciprofloxacina. Roussel. Interacções: V. 400.1. 20. 16. contra-indicações e precauções: V. 16. APAZIX Pierre Fabre. 70%. 400. 16. comprimidos.

25. A clindamicina é também utilizada em dermatologia e ginecologia (V. confusão mental e psicoses. 16. Capítulos 12 e 14). cápsulas. a administrar de 6/6 ou de 8/8 horas. • . A colistina é também utilizada em oftalmologia e otorrinolaringologia (V. 40%. Reacções adversas: Náuseas e vómitos. Interacções: A administração concomitante de outros fármacos nefrotóxicos ou neurotóxicos potencia a probabilidade de desenvolvimento de nefrotoxicidade ou de bloqueio neuromuscular. Posologia: [Adultos] – Via oral: 150 a 300 mg de 6/6 horas. Miastenia gravis.6 mg/kg/dia a administrar de 8/8 horas. Insuficiência renal. usualmente reversível. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Capítulos 12 e 7). Diarreia. a vancomicina continua a ser o fármaco de referência e. Interromper a administração se ocorrer diarreia grave. comprimidos. A colistina não é absorvida após administração oral. • s BACITRACINA A bacitracina deve ser utilizada exclusivamente em aplicação tópica em oftalmologia. Capítulos 14 e 13). agranulocitose. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Via IM ou IV: 600 mg a 2. Neurotoxicidade. geralmente após administração oral. A associação da bacitracina à estreptomicina e/ou neomicina para administração por via oral. • s ÁCIDO FUSÍDICO Indicações: Infecções devidas a estafilococos resistentes às penicilinas. Capítulos 12. 2500 UI + 18. 150. [Crianças] – Via oral: 3 a 6 mg/kg de 6/6 horas.8 g /dia. 2500 UI + 250 + 25. Reduzir a Posologia no doente com insuficiência hepática. Reacções adversas: Nefrotoxicidade. Dose máxima – 4. Reduzir a Posologia no doente com insuficiência hepática. s CLINDAMICINA Indicações: Infecções ósseas e articulares devidas a estafilococos. é largamente utilizado em meio hospitalar (adquirido por importação). otorrinolaringologia e dermatologia (V. Disfunção hepática – elevação das enzimas hepáticas e icterícia. Disfunção hepática – icterícia. Via IM ou IV: 15 a 40 mg/kg/dia. 783$00 (48$90). a administrar de 6/6 ou de 12/12 horas. • s COLISTINA Indicações: Infecções devidas a Pseudomonas aeruginosa ou outros aeróbios gram negativos quando não existem outras alternativas terapêuticas. Apnea. Reacções adversas: Náuseas. Reduzir a posologia no doente com insuficiência renal. 210$00 (21$00).1. Interacções: A clindamicina potencia o efeito dos bloqueadores neuromusculares. s BACITRACINA + NEOMICINA DIMICINA Codilab. não tem interesse terapêutico. particularmente osteomielites (boa difusão no tecido ósseo) e infecções da pele e tecidos moles. eosinofilia e trombocitopenia. [Crianças] – Via IV: 16. uma vez que o seu espectro de acção antibacteriana é restrito a bactérias gram positivas. Medicamentos antibacterianos cos que apresentam mecanismos de acção distintos e têm indicações terapêuticas específicas. O ácido fusídico é também utilizado em oftalmologia e dermatologia (V. 13 e 14).46 Capítulo 1 | 1. Acne. vómitos e diarreia. Doses únicas superiores a 600 mg apenas por via IV. • s BACITRACINA + ESTREPTOMICINA + NEOMICINA TRI-SINERGE Atral. Colite pseudomembranosa. Via IV: 480 mg de 8/8 ou de 6/6 horas. 20. 10. cápsulas. embora não se encontre comercializado em Portugal. 70%. Contra-indicações e precauções: Monitorizar função hepática. Doença hepática. Neutropenia. 0%. 677$00 (33$80). Dos glicopeptídeos (vancomicina e teicoplanina). A associação de outro antimicrobiano é recomendada. Infecções abdominais (activa contra muitos anaeróbios). Posologia: [Adultos] – Via oral: 480 mg de 8/8 horas. respectivamente.7 g /dia. Vertigens. Erupções cutâneas. com o objectivo de reduzir a flora intestinal. DALACIN C Pharmacia & UpJohn.

LINCOCINA Pharmacia & UpJohn. sol. granulado (cart. 1 847$00 (923$50). Infecções devidas a protozoários (V. 2. cápsulas. 70%. vómitos e epigastralgias. 1. 600. comprimidos. MONURIL Zambon.1. Reacções adversas: Erupções cutâneas. Via IM ou IV: 2 milhões UI de 8/8 horas. 70%. injectável. Medicamentos antibacterianos Posologia: [Adultos] – Via oral: 1. Insuficiência renal grave. 70%. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. 70%. • positivos e anaeróbios. • 47 s ESPECTINOMICINA Indicações: Infecções gonocócicas não complicadas em doentes alérgicos às penicilinas ou que não toleram as tetraciclinas.1. Insuficiência hepática. 500. 1.5 MUI. [Crianças] – Via oral: 30 a 60 mg/kg/dia. Erupções cutâneas e urticária. TROBICIN Pharmacia & UpJohn. Neuropatia periférica e convulsões epileptiformes quando da utilização de doses altas ou terapêuticas prolongadas. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Diarreia. As cefaleias. Arritmias e paragem cardíaca. Reacções adversas: Náuseas. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Tratamento da colite pseudomembranosa. Reduzir a posologia na insuficiência renal grave. Tratamento da úlcera péptica (erradicação do Helicobacter pylori) em associação com outros antimicrobianos e inibidores da secreção ácida gástrica (V. Interromper a administração se ocorrer diarreia grave. vertigens e ataxia ocorrem raramente. Via IM ou IV: 10 a 20 mg/kg/dia. Insuficiência renal. Interacções: Os anti-ácidos. Via IM ou IV: 600 mg a 1 g de 12/12 ou de 24/24 horas (via IM) e de 8/8 ou de 12/12 horas (via IV).5 a 3 milhões UI de 8/8 horas (redução da flora intestinal). Hematúria. capítulo 6). 2000. Idoso. A lincomicina é menos activa do que a clindamicina. Urina escura. 1. 909$00.). COLIMICINA Biofranco. 1 096$00. Posologia: [Adultos] – Via IM: 2 a 4 g (dose única). Ajustar a posologia no doente com insuficiência renal. capítulo 7). Interacções: O caulino reduz a biodisponibilidade da lincomicina em cerca de 90%. granulado (cart. MONURIL Zambon. 3000. nomeadamente infecções abdominais e ginecológicas. agranulocitose e trombocitopenia. Interacções: A espectinomicina pode aumentar o risco de toxicidade induzida pelo lítio e potenciar o bloqueio neuromuscular induzido pela toxina botulínica. sais de cálcio e metoclopramida reduzem significativamente a biodisponibilidade da fosfomicina. Disfunção hepática (icterícia). [Crianças] – Via IM: 40 mg/kg (dose única).). Reacções adversas: Erupções cutâneas. pó susp. Alterações do paladar. LINCOCINA Pharmacia & UpJohn. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Interacções: O metronidazol inibe o metabo- s LINCOMICINA Indicações: Infecções devidas a aeróbios gram . O metronidazol é também utilizado em dermatologia (V. 1 002$00 (125$20). 70%. 8. 401$00. a administrar de 6/6 ou de 8/8 horas. Leucopenia. Profilaxia nas intervenções transuretrais. a administrar de 8/8 ou de 12/12 horas. injectável. 3000. Disfunção hepática (icterícia colestática). • s FOSFOMICINA Indicações: Infecções urinárias baixas. Monitorização da função hepática (terapêuticas superiores a 10 dias). 1. Erupções cutâneas. 16. capítulo 12). Posologia: [Adultos] – Via oral: 500 mg de 6/6 ou de 8/8 horas. 70%. Posologia: [Adultos] – Via oral: 3 g (dose única). • s METRONIDAZOL Indicações: Infecções devidas a anaeróbios. 1 114$00 (69$60). Reacções adversas: Náuseas e diarreia. Doença hepática. A lincomicina potencia o efeito dos bloqueadores neuromusculares. Colite pseudomembranosa.

O tinidazol possui um espectro de actividade e perfil de efeitos . Insuficiência renal e doença hepática. não implica interrupção da sua administração. ginecológica.48 Capítulo 1 | 1. • 1. Atravessa a barreira hematoencefálica e é essencial no tratamento da meningite tuberculosa. FASIGYN Lab. pirazinamida e estreptomicina são os fármacos mais frequentemente utilizados e vulgarmente designados por antibacilares primários. injectável. contra-indicações. 702$00 (175$50).1. 20. • s TINIDAZOL Indicações: V. Reacções alérgicas. Os regimes iniciais devem associar 3 ou 4 antituberculosos e a duração do tratamento é no mínimo de 6 meses. Disfunção hepática. vómitos e diarreia. metronidazol. revestidos. Broncospasmo. Nefrotoxicidade e ototoxicidade. Outros antibacilares como a capreomicina. seguidas de 6 mg/kg/dia.1. leucopenia e trombocitopenia. Nos doentes com VIH prèviamente infectados ou recentemente expostos ao BK. Durante os dois primeiros meses de terapêutica com estes fármacos é possível observar elevação das enzimas hepáticas que. usualmente. 200. O etambutol é incluido nos regimes antituberculosos sempre que se suspeita de estirpes resistentes. 400 mg de 12/12 horas durante 3 dias. Antituberculosos Os fármacos antituberculosos ou antibacilares são usados no tratamento da tuberculose e de algumas outras micobacterioses. Reduzir a posologia no doente com insuficiência renal. embora útil. 70%. 8 138$00.5 mg/kg de 8/8 horas. estirpes que são habitualmente resistentes à maioria dos antibacilares disponíveis. seguida de 1 g/dia ou 500 mg de 12/12 horas. [Crianças] – Via IV: 10 mg/kg de 12/12 horas (3 primeiras doses). A pirazinamida é activa apenas contra o Mycobacterium tuberculosis que se encontra em fase de divisão activa no interior da célula. Via IV: 500 mg de 8/8 horas (tratamento de infecções por anaeróbios). A coadministração de etanol e metronidazol acarreta o risco de aparecimento de reacções do tipo dissulfiram. Reacções adversas: Náuseas. aumentando as suas concentrações plasmáticas com potencial desenvolvimento de toxicidade. Monitorizar a função auditiva. Eosinofilia. Interacções: A coadministração de fármacos nefro e/ou ototóxicos poderá aumentar o risco de nefrotoxicidade e/ou de ototoxicidade. comp. comprimidos. metronidazol. Posologia: [Adultos] – Via IV: Dose inicial: 400 mg seguida de 200 mg/dia. a probabilidade de desenvolver tuberculose é muito maior e os regimes terapêuticos iniciais devem incluir 4 ou mesmo 6 fármacos. TARGOSID Marrion Merrel. O fenobarbital reduz as concentrações do metronidazol. seguidos de 400 mg/dia nas infecções graves. Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 a 500 mg de 8/8 horas. o cumprimento s TEICOPLANINA Indicações: Infecções graves devidas a cocos gram positivos. Nestes doentes é também frequente a infecção por Mycobacterium avium e Mycobacterium intracellulare (Mycobacterium avium complex). Medicamentos antibacterianos adversos idênticos ao metronidazol mas apresenta uma duração de acção mais longa. é cada vez menos utilizada devido à sua ototoxicidade e via de administração (intramuscular). 1 g antes da intervenção (na profilaxia de infecções por anaeróbios durante cirurgia abdominal. da anca). Pfizer. A estreptomicina. que podem ser graves. 500. sol. 545$00 (27$20). ácido aminossalicílico e cicloserina são considerados fármacos de 2ª linha a usar apenas quando se desenvolve resistência aos antituberculosos de 1ª escolha. Posologia: [Adultos] – Via oral: Dose inicial: 2 g/dia (dose única). Reacções adversas. Em todos os casos. precauções e interacções: V. [Crianças] – Via oral e IV: 7. 4. O mesmo acontece com a rifampicina. • lismo dos anticoagulantes orais e da fenitoína. rifampicina. nomeadamente estafilococos resistentes à meticilina. Erupções cutâneas e reacções anafiláticas. 1. etionamida. 70%. 250. A cimetidina inibe o metabolismo do metronidazol. A isoniazida. 70%. É bactericida e a sua utilização é particularmente importante nos primeiros 2-3 meses de terapêutica. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. podendo comprometer a sua eficácia terapêutica.12. Vitória. A isoniazida é muito eficaz e deve ser incluida em qualquer regime terapêutico da tuberculose a não ser que existam contra-indicações específicas. etambutol. FLAGYL Lab.

Zimaia. 60. comprimidos. [Crianças] – Via oral: 35 mg/kg/dia. Crianças de idade inferior a 12 anos. Insuficiência renal. 20.1. 401$00.5 g/dia em dose única. Os corticóides reduzem as concentrações plasmáticas da isoniazida. Os regimes posológicos podem ser variáveis ao longo do tempo e devem ser sempre instituídos por clínicos experientes. Nevrite óptica. Porfíria. 15 mg/kg. Nevrite periférica. • s ISONIAZIDA + PIRAZINAMIDA + RIFAMPICINA TUBEREN Upsifarma. 60. Aminoglicosideos. ESTREPTOMICINA AZEVEDOS Lab. 3 vezes por semana nos regimes intermitentes. Posologia: [Adultos] – Via oral: 25 mg/kg/dia na fase inicial. Interacções: O hidróxido de alumínio reduz a absorção da isoniazida. Agranulocitose e hepatite (raramente). TURRESIS Dakota Farma. 3 vezes por semana nos regimes intermitentes. Posologia: [Adultos] – Via oral: 300 mg/dia em dose única. . 237$00 (4$00). 40%. Anemia sideroblástica. 50 + 300 + 120. 2 g. 3 vezes por semana nos regimes intermitentes. 49 s ESTREPTOMICINA Indicações: Tratamento da tuberculose em associação com outros antibacilares. • s PIRAZINAMIDA Indicações: Tratamento da tuberculose em associação com outros antibacilares. 1 324$00 (22$10). 50. Azevedos. 500. hepatomegalia e icterícia). Interacções: A coadministração de pirazinamida e isoniazida aumenta o risco de desenvolvimento de hepatotoxicidade. HIDRAZIDA ZIMAIA Lab. 1. Porfíria. Reacções adversas: Nevrite óptica (visão desfocada. 30 mg/kg. 60. comprimidos. 95$00 (4$80). cápsulas. Doentes com visão deficiente. 60. Artralgias. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Medicamentos antibacterianos rigoroso da terapêutica é indispensável à cura da doença. Disfunção hepática (febre. comprimidos. s ISONIAZIDA Indicações: Profilaxia e tratamento da tuberculose em associação com outros antibacilares. com potencial desenvolvimento de toxicidade. PIRAZIDE Upsifarma. 15 a 20 mg/kg. alterações do campo visual. Monitorizar função hepática. vómitos e anorexia. 70%. Nevrite óptica. injectável. Insuficiência hepática. 500 a 750 mg/dia no idoso ou nos doentes com peso < 40 kg. A associação dos principais antibacilares na mesma formulação farmacêutica pode facilitar o cumprimento da terapêutica por parte do doente. A isoniazida inibe o metabolismo da carbamazepina e da fenitoína. precauções e interacções: V. 40%. 1 660$00 (27$70). 3 vezes por semana nos regimes intermitentes. Zimaia. 70%. Nevrite periférica. 1000. Reacções de hipersensibilidade. A pirazinamida antagoniza os efeitos do probenecide e da sulfimpirazona. alterações da visão cromática. Posologia: [Adultos] – Via IM: 1 g/dia. 0%. Posologia: [Adultos] – Via oral: 1. contra-indicações. Doença hepática. 50 mg/kg. HIDRAZIDA ZIMAIA Lab. sol. Contra-indicações e precauções: Doença hepática. 400. 50.1. [Crianças] – Via IM: 15 a 20 mg/kg/dia. Doença renal. Alcoolismo. Epilepsia. 2 vezes por semana nos regimes intermitentes. Reacções adversas: Náuseas e vómitos. 3 vezes por semana ou 45 mg/kg. Contra-indicações e precauções: Gravidez. comprimidos. seguidos de 15 mg/kg/dia. 2 523$00 (42$10). Reacções adversas. 3 vezes por semana nos regimes intermitentes. principalmente para o vermelho e verde). • As reacções adversas mais frequentes (nevrites) são evitadas pela administração de piridoxal (vitamina B6). 1 g. • s ETAMBUTOL Indicações: Tratamento da tuberculose em associação com outros antibacilares. História de doença psiquiátrica. 40%. Reacções adversas: Náuseas. Reduzir a posologia no doente com insuficiência renal. Convulsões e episódios psicóticos.

RIFEX Dakota Farma. Doença cardíaca ou pulmonar. s DAPSONA Indicações: Tratamento da lepra em associação com outros fármacos. Porfíria. Antilepróticos A dapsona é ainda considerada como um fármaco essencial ao tratamento da lepra. Zimaia.13. tratar com sucesso infecções fúngicas . 15 mg/kg. comprometendo a sua eficácia terapêutica. Não é absorvida após administração oral sendo administrada por via IM ou IV. 100. comprimidos. Posologia: [Adultos] – Via IM ou IV: 250 mg de 8/8 horas ou de 12/12 horas. 1 798$00 (112$40).1. 747$00 (12$40). Icterícia. Dermatites alérgicas. O desenvolvimento de resistências levou a OMS a publicar recomendações específicas no sentido de minimizar este problema. comercializado no início dos anos 80. sendo os fármacos antilepróticos a utilizar em associação a dapsona. Coloração avermelhada da urina. RIFOCINA Marion Merrel.50 Capítulo 1 | 1. Medicamentos antifúngicos RIFADIN Marion Merrel. A etionamida só deverá ser utilizada se não existir alternativa terapêutica (induz hepatotoxicidade significativa). SULFONA ZIMAIA Lab. 70%. Reacções adversas. Eosinofilia. 300. Neuropatia. 12. corticosteróides. • PRAMIDE Dakota Farma. Reacções adversas: Náuseas. Anemia. Os antiácidos reduzem a absorção da rifampicina. 250. Erupções cutâneas e urticária.2. • 1. 1. 70%. Anorexia. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Medicamentos Antifúngicos A anfotericina B é ainda o antifúngico de mais largo espectro de actividade desmpenhando um papel relevante no tratamento das infecções fúngicas sistémicas em meio hospitalar. O cetoconazol e o itraconazol. 1 563$00 (130$20). 16. estrogéneos (contraceptivos orais). O cetoconazol. s RIFAMPICINA Indicações: Tratamento da tuberculose em associação com outros antibacilares. fenitoína e sulfonilureias. leucopenia e púrpura trombocitopénica.2. Anemia. Hepatite. contra-indicações. Interacções: A rifampicina é um indutor do citocromo P450. • 1. • s RIFAMICINA Indicações: Tratamento da tuberculose em associação com outros antibacilares. 600 a 900 mg. RIFADIN Marion Merrel. a didanosina. 339$00. Síndromes de tipo gripal. [Crianças] – Via oral: 10 mg/kg/dia. Agranulocitose. vómitos e anorexia. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. precauções e interacções: V. • s RIFAMPICINA V. Disfunção hepática (icterícia e elevação das enzimas hepáticas). Taquicardia. susp. Os efeitos adversos são dependentes da dose e relativamente raros com as dose usadas para o tratamento da lepra. sol. 3 vezes por semana nos regimes intermitentes. 20. vómitos e diarreia. 500. 40%. 70%. cápsulas. cápsulas. Antituberculosos. 407$00 (6$80). foi o primeiro de um grande grupo de antifúngicos – os azóis – que permitiu. rifampicina. 60. 300. 60. outros antiretrovíricos e o fenobarbital são susceptíveis de reduzir as concentrações plasmáticas da rifampicina. saliva e de outras secreções do organismo. 3 vezes por semana nos regimes intermitentes. Posologia: [Adultos] – Via oral: 100 mg/dia. Reacções adversas: Náuseas. A rifamicina possui uma actividade antimicrobiana idêntica à da rifampicina. 0%. Monitorizar função hepática e parâmetros hematológicos. reduzindo as concentrações plasmáticas dos anticoagulantes orais. 70%. 1 4908$00 (24$80). oral. a rifampicina e a clofazimina. Posologia: [Adultos] – Via oral: 600 mg/dia em dose única. cápsulas. Porfíria. após administração por via oral. injectável. Reduzir a dose no doente com insuficiência hepática. 60 ml.

10. epigastralgias. 70%. seguida de 200 mg de 24/24 horas nas infecções sistémicas. Outros derivados do imidazol como o clotrimazol são demasiado tóxicos para uso sistémico. fenitoína. antagonistas H 2. incluinda a meningite. A carbamazepina. comprimidos. durante 5 dias na candidíase vaginal resistente. comprimidos. Posologia: [Adultos] – Via oral: 200 mg de 24/24 horas (tomar com as refeições) durante 14 dias. reduzindo as suas concentrações plasmáticas. Candidíases sistémicas. Micoses gastrointestinais resistentes. 200. O cetoconazol é também utilizado em dermatologia e ginecologia (V. capítulos 12 e 7). 70%. actualmente. 200. 200. relativamente ao fluconazol. para utilização tópica. com prolongamento do intervalo QT e risco de arritmias graves. Interacções: O fluconazol potencia o efeito anticoagulante da varfarina e de outros cumarínicos bem como os efeitos da fenitoína. Histoplasma e Sporotrychum schenckii mas o seu perfil de efeitos adversos e potencial de interacções medicamentosas são mais desfavoráveis. FRISOLAC Farma. 1 514$00 (151$40). inibidores da bomba de protões e sucralfato reduzem significativamente a absorção do cetoconazol. estando reservados. também por inibição do seu metabolismo. O cetoconazol aumenta significativamente as concentrações plasmáticas da terfenadina e do astemizol. 70%. Interacções: Os antiácidos. comprimidos. 70%. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. NIZORAL Janssen-Cilag. Profilaxia das infecções fúngicas nos doentes imunodeprimidos. 70%. Blastomyces. V. introdução. 30. comprimidos. O itraconazol possui. durante 2 a 4 semanas nas infecções da pele. exclusivamente. Disfunção hepática. 200. Candidíases mucocutâneas resistentes. 4 384$00 (146$10). RAPAMIC Cipan. 30. FRISOLAC Farma. Infecções criptocócicas. 200. como antifúngico de 2ª linha. Reduzir a posologia no doente com insuficiência renal. 70%. Medicamentos antifúngicos sistémicas. Podem ser administrados por via oral ou parentérica. a nistatina e a terbinafina pertencem a grupos químicos distintos e têm indicações terapêuticas específicas. 1 394$00 (139$40). relativamente ao cetoconazol. Candidíases mucocutâneas resistentes. 150 mg em dose única nas candidíases vaginais. Insuficiência hepática. [Crianças] – Via oral: 3 mg/kg/dia. 1 748$00 (174$80). maior actividade contra o Aspergillus. comprimidos. NIZORAL Janssen-Cilag. Disfunção hepática grave.2. 70%. flatulência e diarreia. Reacções adversas: Náuseas. 5 714$00 (190$50). Todos os azóis actuam por alteração da síntese e permeabilidade da membrana da célula fúngica.1. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. 200. vómitos e epigastralgias. com prolongamento do intervalo QT e risco de arritmias graves. comprimidos. O fluconazol aumenta significativamente as concentrações plasmáticas da terfenadina e do astemizol. O cetoconazol potencia o efeito anticoagulante da varfarina e de outros cumarínicos bem como os efeitos da fenitoína e da ciclosporina por inibição do seu metabolismo. um espectro de actividade mais amplo e um perfil de efeitos adversos mais favorável sendo o cetoconazol considerado. A griseofulvina. comprimidos. As erupções cutâneas e alteração das enzimas hepáticas são raras. 30. 50 mg/dia. 200. Monitorizar função hepática. prurido e urticária. 3 861$00 (128$70). Candidíases vaginais resistentes. Infecções da pele ou dos dedos das mãos devidas a Dermatophytes. Os triazóis – fluconazol e itraconazol – apresentam. RAPAMIC Cipan. Edol. Ginecomastia. 400 mg/dia. O clotrimazol é utilizado em aplicação tópica em dermatologia e ginecologia (V. 10. Posologia: [Adultos] – Via oral: Dose inicial: 400 mg. Crianças e adolescentes de idade inferior a 16 anos. • s FLUCONAZOL Indicações: Candidíases vaginais agudas ou recorrentes. fenobarbital e rifampicina induzem o metabolismo do cetoconazol. Erupções cutâneas. 10. Reacções adversas: Náuseas. • 51 s CETOCONAZOL s CLOTRIMAZOL Indicações: Micoses sistémicas. . 10. 2 282$00 (228$20). capítulos 12 e 7). TEDOL Lab.

indinavir ou ritonavir. 500. também por inibição do seu metabolismo. Medicamentos antifúngicos Via IV: Dose inicial: 400 mg. 70%. comprimidos. fotossensibilidade.2. cápsulas. GRISOMICON Lab. Interacções: Os antiácidos. comprimidos. com prolongamento do intervalo QT e risco de arritmias graves. 7. vómitos e diarreia. Pfizer. comprimidos. 150. e a rifampicina e isoniazida induzem o metabolismo do itraconazol podendo comprometer a sua eficácia terapêutica. 70%. com redução do seu efeito. 200 mg de 12/12 horas. cápsulas. GRISOVIN FP Glaxo Wellcome. 50. cápsulas. 6 601$00 (943$00). Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. 125. Pfizer. Insuficiência hepática. Interacções: A griseofulvina induz o metabolismo da varfarina e de outros cumarínicos bem como dos contraceptivos orais. seguida de 200 mg ou 400 mg de 24/24 horas. neste contexto. Lupus eritematoso sistémico. cápsulas. nas infecções sistémicas graves. A coadministração do itraconazol com os inibidores da protease. 100. A carbamazepina. 371$00 (18$60). 1 g/dia nas infecções graves. SPORANOX Janssen-Cilag. 70%. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. sulfonilureias. • s NISTATINA Indicações: Profilaxia e tratamento de candidía- . felodipina. 3 182$00. ciclosporina e tacrolimus. Insuficiência hepática. O itraconazol potencia o efeito anticoagulante da varfarina e de outros cumarínicos bem como os efeitos de muitos outros fármacos que são metabolizados pelo citocromo P450 (CYP3A4). fenitoína e fenobarbital. inibidores da bomba de protões e sucralfato bem como a didanosina reduzem significativamente a absorção do itraconazol. • s ITRACONAZOL Indicações: Candidíases da orofaringe e vulvovaginais.O fenobarbital reduz as concentrações plasmáticas da griseofulvina.52 Capítulo 1 | 1. Infecções devidas a Dermatophytes. estatinas. 20. 70%. SPORANOX Janssen-Cilag. 100. Cefaleias. 40. 4. comprimidos. antagonistas H2. digoxina. Porfíria. Posologia: [Adultos] – Via oral: 500 mg/dia em dose única ou repartida (de 8/8 ou de 12/12 horas). vómitos e diarreia. 60. O itraconazol. 70%. Insuficiência renal. oral. comprimidos. 60. 70%. Pfizer cápsulas. GRISOMICON Lab. Reacções adversas: Náuseas. 2. 20. 500. 2 827$00 (47$10). 60. 18 404$00 (525$80). 70%. DIFLUCAN 150 Lab. 15. com risco importante de ocorrência de hipoglicemia. Ginecomastia e impotência (possível). 3 141$00 (52$40). • s GRISEOFULVINA Indicações: Infecções da pele. 70%. Sanitas. 70%. 70%. 100. 5 689$00 (2844$50). 500. FULCIN Zeneca. 70%. SPORANOX Janssen-Cilag cápsulas. 35 ml. aumenta significativamente as concentrações plasmáticas da terfenadina e do astemizol. Erupções cutâneas. DIFLUCAN 150 Lab. São. DIFLUCAN Lab. Neuropatia periférica. 2 192$00 (548$00). DIFLUCAN Lab. 2 076$00 (34$60). com potencial desenvolvimento de toxicidade. Sanitas. pó susp. 6 661$00 (444$10). 70%. couro cabeludo e unhas devidas a Dermatophytes ou Sporotrychum schenckii que não responderam à terapêutica convencional. Elevação das enzimas hepáticas. midazolam e triazolam. afecta as concentrações plasmáticas de ambos os fármacos. 1. 1 097$00 (54$90). FULCIN Zeneca. 11 509$00 (411$00). clinicamente relevantes as interacções com: alprazolam. 500. Erupções cutâneas e prurido. 150. [Crianças] – Via oral: 10 mg/kg/dia em dose única ou repartida (de 8/8 ou de 12/12 horas). 28. durante 1 dia no tratamento da candidíase vulvovaginal. Posologia: [Adultos] – Via oral: 100 mg/dia. nomeadamente a lovastatina e simvastatina. Agranulocitose e leucopenia. Reacções adversas: Náuseas. Não é recomendada a sua administração a crianças e idosos. Pfizer.

Insuficiência hepática. 30 ml. Reduzir a posologia na insuficiência renal grave. actualmente disponíveis apenas através das farmácias hospitalares. Os antivíricos que se encontram disponíveis no mercado para utilização em regime ambulatório são apenas o aciclovir e a isoprinosina. penetração na célula hospedeira. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. LAMISIL Novartis Farma. Os antiretrovíricos com actividade específica contra o vírus da imunodeficiência humana (VIH). 250. comercializada entre nós ùnicamente na forma injectável. LAMISIL Novartis Farma. Síndrome de StevensJohnson.000 UI. Medicamentos antivíricos ses orais. Reacções adversas: Náuseas. capítulos 14 e 12). comprimidos.3. epigastralgias e diarreia. A síndrome da imunodeficiência humana adquirida é uma excepção. das enzimas hepáticas. maturação das partículas virais e libertação da célula hospedeira. O ganciclovir e o foscarnet têm indicação específica no tratamento das infecções por citomegalovírus. 2 a 4 semanas na tinea cruris. 40%. síntese de proteínas estruturais. em geral. • s ACICLOVIR Indicações: Profilaxia e tratamento das infecções devidas a herpes simplex. quando se justificar terapêutica oral. 387$00 (12$90). vómitos. bilirrubina. incluindo o herpes genital primário e recidivante. A nistatina é também utilizada em dermatologia e ginecologia (V. uma intervenção terapêutica em tempo útil. epigastralgias e diarreia. 28. esofágicas e intestinais (utilização exclusivamente tópica). Fotossensibilidade. Tratamento das infecções devidas ao vírus varicella-zoster. 500 000 U a 1 000 000 U de 6/6 horas no tratamento das candidíases esofágicas e intestinais. Hidratação adequada. A terbinafina é também utilizada em dermatologia (V. Interacções: O probenacide reduz a excreção renal do aciclovir. [Crianças] – Via oral: 100 000 U de 6/6 horas no tratamento das candidíases esofágicas e intestinais. capítulos 12 e 7). 6 semanas a 3 meses nas infecções das unhas. Elevação. Interacções: A cimetidina inibe o metabolismo da terbinafina. síntese de proteínas não estruturais como as polimerases dos ácidos nucleicos.Todos os antivíricos inibem a replicação viral actuando numa ou em várias fases do processo replicativo: adsorção. 100. descritas muito raramente. a replicação viral é usualmente máxima antes do aparecimento dos sintomas clínicos o que impossibilita. 4 semanas na tinea corporis. MYCOSTIN Bristol Myers-Squibb. Cefaleias. A rifampicina reduz as concentrações plasmáticas da terbinafina. epigastralgias e diarreia. vómitos.1. vómitos. grande parte das viroses são de curta duração e benignas para o doente. Redução dos índices hematológicos. s TERBINAFINA Indicações: Infecções das unhas devidas a Dermatophytes e onicomicoses. na maioria dos casos. aumentando as suas concentrações plasmáticas. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. tonturas e vertigens. susp. Medicamentos Antivíricos A terapêutica antivírica específica é. pelo que são também utilizados exclusivamente em meio hospitalar. Posologia: [Adultos] – Via oral: 250 mg/dia durante 2 a 6 semanas na tinea pedis. Erupções cutâneas. ocasionalmente com artralgias ou mialgias. . 70%. Reacções adversas: Náuseas. é utilizada em meio hospitalar no tratamento das encefalites a herpes simplex e nas infecções a herpes simplex ou herpes zoster do recém-nascido. serão abordados como grupo. colestase e hepatite. • 53 1. O aciclovir é também utilizado em oftalmologia e dermatologia (V. oral. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. ureia e creatinina. Posologia: [Adultos] – Via oral: 100 000 U. podendo comprometer a sua eficácia terapêutica. capítulo 12). 12 608$00 (450$30). Não é recomendada a sua administração a crianças. 6 657$00 (475$50). Reacções adversas: Náuseas. A vidarabina. Reacções inflamatórias após administração IV. Disfunção hepática – icterícia. Insuficiência renal. usualmente transitória. As erupções cutâneas e o prurido ocorrem muito raramente. 250.3. Astenia. comprimidos. Erupções cutâneas e urticária. síntese dos ácidos nucleicos. 70%. 14. 4 vezes por dia na profilaxia da candidíase oral. De facto. Contudo. pouco eficaz.

70%. dos 3 meses aos 12 anos: 250 mg/m2 de 8/8 horas. zalcitabina. Via IV: 5 mg/kg de 8/8 horas. a delavirdina e o efavirenz são dois novos não nucleosídeos que ainda não se encontram disponíveis entre nós. Medicamentos antivíricos Reacções adversas: Náuseas e vómitos. HERMIX-SOFEX Sofex. 70%. Os inibidores da transcriptase reversa. 5 776$00 (57$80). ZOVIRAX GlaxoWellcome. 50. Terapêutica adjuvante nas infecções por herpes genital. Medinfar. 200. comprimidos. A inosina-prabonex ou isoprinosina tem sido também utilizada como imunomodulador. 4 vezes por dia ou 400 mg. . 100 ml. 7 115$00 (284$60). Idade superior a 2 anos: dose do adulto. 70%. Os inibidores da protease incluem o indinavir. nomeadamente no tratamento da panencefalite esclerosante subaguda. CICLOVIRAL Lab. 70%. Posologia: [Adultos] – Via oral: 1 g. 1 925$00 (80$20). 10 mg/kg de 8/8 horas no doente imunodeprimido [Crianças] – Via oral: Idade inferior a 2 anos: metade da dose do adulto. 500 mg/m2 no doente imunocomprometido e na encefalite a herpes simplex. com interrupção após 6 a 12 meses de terapêutica. adefovir e amprenavir são antirretrivíricos que se encontram em fase final de investigação clínica A associação de inibidores da protease com inibidores da transcriptase reversa permite aumentar grandemente a eficácia terapêutica e retardar. 5 212$00 (208$50). 25. durante 7 dias no tratamento da varicela-zoster. Ao contrário dos análogos dos nucleosídeos. Insuficiência renal. sol. 5 vezes por dia. são a didanosina. 200. oral. O abacavir. 500. para esta indicação terapêutica – panencefalite esclerosante subaguda – a designação de fármaco orfão nos EUA). A terapêutica tripla – dois análogos dos nucleosidos mais um inibidor da protease ou dois nucleosídeos mais um inibidor da transcriptase reversa não nucleosídeo – é susceptível de determinar uma redução importante na morbilidade e mortalidade dos doentes mesmo quando em fase avançada da doença. oral. ritonavir e saquinavir. 5 620$00 (224$80). 2 vezes por dia na profilaxia das infecções por herpes simplex. comprimidos. 80. lamivudina. ZOVIRAX GlaxoWellcome. 1 4515$00 (725$80). 70%. 200. Via IV: Idade inferior a 3 meses: 10 mg/kg de 8/8 horas. susp.54 Capítulo 1 | 1. ACICLOSINA Cipan. durante 5 dias no tratamento das infecções por herpes simplex. 70%. 24. comprimidos. 100 ml. estavudina. 200. A nevirapina é activa apenas contra o VIH-1. 20. comprimidos. não necessitam de ser convertidos intracelularmente em metabolitos activos e são eficazes contra a infecção pelo VIH em estado latente. 800 mg. Em investigação encontram-se os regimes de associação incluindo 4 ou 5 fármacos. Elevação dos níveis sanguíneos de ácido úrico. ou mesmo prevenir. susp. ZOVIRAX GlaxoWellcome. oral. comprimidos. mas a sua eficácia terapêutica não se encontra ainda inequivocamente demonstrada (a isoprinosina detém. cápsulas. que podem ou não ser análogos dos nucleosídeos. 25. 70%. comprimidos. 70%. 10 397$00 (52$00). 1 309$00 (13$10). 70%. 25. 4 vezes por dia. a emergência de estirpes resistentes.3. 200 ml. 25. 4 794$00 (191$80). Edol. 7 977$00 (319$10). 800. 25. 80. zidovudina (análogos dos nucleosídeos) e nevirapina (não nucleosídeo). Os análogos dos nucleosídeos só exercem a sua acção antivírica depois de fosforilados a nível intracelular. 70%. 200 mg. • Posologia: [Adultos] – Via oral: 200 mg. Os antirretrovíricos com actividade específica contra o VIH possuem um perfil farmacológico muito complexo. durante 7 a 14 dias. nelfinavir. Todos são susceptíveis de induzir reacções adversas graves e todos apresentam interacçõs medicamentosas clinicamente signifi- s INOSINA-PRABONEX (ISOPRINOSINA) Indicações: Herpes simplex mucocutâneo. ZOV 800 GlaxoWellcome. 200. • Antirretrovíricos com actividade específica contra o VIH Os antirretrovíricos com actividade específica contra o VIH classificam-se actualmente em dois grandes grupos de acordo com o seu mecanismo de acção. 5 vezes por dia. ISOVIR Synthelabo Fidelis. actualmente. Contra-indicações e precauções: História de gota ou hiperuricemia. HERMOCIL Lab. ISOVIR Synthelabo Fidelis.

1.3. Medicamentos antivíricos cativas que são, na sua maioria, de carácter farmacocinético. O ritonavir, por exemplo, é um potente inibidor do CYP3A e indutor do CYP1A4 sendo, provavelmente, o fármaco que maior número de interacções medicamentosas determina. Algumas destas interacções são favoráveis numa perspectiva clínica permitindo a utilização de doses menores e/ou de intervalos de administração mais prolongados com a consequente redução dos custos.Os regimes posológicos podem, pois, ser bastante diferentes dos inicialmente recomendados em monoterapia. O cumprimento da terapêutica é indispensável para uma boa resposta e, procurando simplificar os regimes terapêuticos, encontram-se já comercializadas algumas associações fixas de antirretrovíricos.

55

sua utilização em crianças de idade inferior a 6 meses. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina. •

s ESTAVUDINA
Indicações: Tratamento de doentes com infecção pelo VIH em associação com outros fármacos antirretrovíricos. Reacções adversas: Náuseas, vómitos, diarreia ou obstipação. Dores abdomonais. Pancreatite. Disfunção hepática. Neuropatia periférica. Erupções cutâneas. Astenia. Cefaleias. Sintomas de tipo gripal – febre, tremores, sudação, dificuldade respiratória. Dores musculares e artralgias. Insónia. Irritabilidade. Alterações dos parâmetros hematológicos. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. História de pancreatite. Neuropatia periférica. Reduzir a Posologia na insuficiência renal. Interacções: A administração concomitante de fármacos susceptíveis de induzir neuropatia periférica aumenta o risco de neuropatia. Posologia: [Adultos] – Via oral: 30 a 40 mg de 12/12 horas. Administrar 1 hora antes das refeições. [Crianças] – Não é recomendada a sua utilização em crianças de idade inferior a 12 anos. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina.

s DIDANOSINA
Indicações: Tratamento de doentes com infecção sintomática pelo VIH que não tolerem ou que não responderam à terapêutica com zidovudina. Reacções adversas: Náuseas, vómitos e diarreia. Pancreatite. Neuropatia periférica. Hiperuricemia assintomática. Erupções cutâneas e prurido. Astenia. Febre e calafrios. Cefaleias, confusão mental e convulsões. Insónia. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. História de pancreatite, neuropatia periférica ou hiperuricemia. Insuficiência hepática. Reduzir a posologia no doente com insuficiência renal. Monitorizar função hepática. Interacções: A didanosina (a didanosina é formulada com um tampão que contém iões Al3+ e Mg2+) reduz a absorção do indinavir, itraconazol (cápsulas), cetoconazol, quinolonas e tetraciclinas, pelo que estes fármacos deverão ser administrados 2 horas antes ou depois da didanosina; as quinolonas, preferencialmente, 8 horas depois da didanosina. A coadministração de ganciclovir e didanosina determina um aumento nas concentrações plasmáticas da didanosina e uma redução nas concentrações do ganciclovir. A administração concomitante de fármacos susceptíveis de induzir pancreatite ou neuropatia periférica aumenta o risco destas patologias. Posologia: [Adultos] – Via oral: 125 mg de 12/12 horas para um peso corporal < 60 kg; 200 mg de 12/12 horas para um peso corporal ≥ 60 kg. Tomar com o estômago vazio. [Crianças] – Via oral: 200 mg/m2/dia a administrar de 12/12 horas. Não é recomendada a

s INDINAVIR
Indicações: Tratamento de doentes com infecção pelo VIH, em associação com outros fármacos antirretrovíricos. Reacções adversas: Náuseas, vómitos, epigastralgias, flatulência e diarreia. Disfunção hepática. Insuficiência hepática. Insuficiência renal. Hiperglicemia. Cefaleias, tonturas e insónia. Erupções cutâneas e reacções alérgicas graves. Alopécia. Pigmentação da pele. Lipodistrofia. Aumento da tendência para hemorragias nos doentes hemofílicos. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Doença hepática. Doença renal. História de alergias. Diabetes. Hemofilia. Hidratação adequada. Interacções: Os antiácidos podem reduzir a absorção do indinavir (administrar com 1 a 2 horas de intervalo). O indinavir aumenta as concentrações plasmáticas das benzodiazepinas – alprazolam, midazolam e triazolam – prolongando o seu efeito sedativo, bem como da terfenadina,

56

Capítulo 1 | 1.3. Medicamentos antivíricos Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina.

astemizol e cisapride com potencial desenvolvimento de toxicidade cardíaca – prolongamento do intervalo QT e arritmias graves. As concentrações plasmáticas do indinavir são reduzidas para níveis subterapêuticos pelos indutores enzimáticos – carbamazepina, fenitoína e fenobarbital, rifampicina e rifabutina (muito significativamente). Os inibidores enzimáticos – azóis (com excepção do fluconazol), claritromicina, cotrimoxazol, isoniazida e ritonavir – aumentam as concentrações plasmáticas do indinavir. A coadministração de indinavir e nelfinavir determina uma elevação significativa das concentrações plasmáticas dos 2 fármacos; a administração concomitante de ritonavir origina um aumento das concentrações do indinavir. O indinavir determina um aumento muito significativo nas concentrações do saquinavir. A didanosina reduz a absorção do indinavir (administrar os 2 fármacos a intervalos de 2 horas). A nevirapina reduz as concentrações plasmáticas do indinavir, comprometendo a sua eficácia terapêutica. Posologia: [Adultos] – Via oral: 800 mg de 8/8 horas. Administrar 1 hora antes ou 2 horas depois das refeições. [Crianças] – Não recomendada a sua utilização em crianças. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina.

s NELFINAVIR
Indicações: Tratamento de doentes com infecção pelo VIH, em associação com outros fármacos antirretrovíricos. Reacções adversas: Náuseas, vómitos, flatulência e diarreia. Erupções cutâneas. Leucopenia. Elevação das enzimas hepáticas, ureia e creatinina. Hiperglicemia. Hiperlipidemia. Ginecomastia. Lipodistrofia. Aumento da tendência para hemorragias nos doentes hemofílicos. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Insuficiência hepática. Insuficiência renal. Hemofilia. Interacções: O nelfinavir reduz as concentrações plasmáticas dos contraceptivos orais, devendo as doentes ser aconselhadas a usar métodos anticoncepcionais alternativos. O nelfinavir aumenta as concentrações plasmáticas da terfenadina e do astemizol e cisapride, com potencial desenvolvimento de toxicidade cardíaca – prolongamento do intervalo QT e arritmias graves. O nelfinavir pode também inibir o metabolismo da amiodarona, aumentando o risco de aparecimento de arritmias cardíacas. A rifampicina reduz muito significativamente as concentrações plasmáticas do nelfinavir. A coadministração de rifabutina e nelfinavir determina uma redução nas concentrações do nelfinavir e um aumento nas concentrações da rifabutina. A administração concomitante de ritonavir e nelfinavir determina um aumento superior a 100% nas concentrações plasmáticas do nelfinavir e um aumento pouco significativo das do ritonavir. A coadministração de nelfinavir e saquinavir origina uma elevação de quase 400% nas concentrações plasmáticas do saquinavir e um aumento pouco importante nas concentrações do nelfinavir. A administração simultânea do nelfinavir e indinavir determina uma elevação importante nas concentrações plasmáticas dos 2 fármacos. Posologia: [Adultos] – Via oral: 750 mg de 8/8 horas (3 vezes por dia). [Crianças] – Via oral: Idade superior a 2 anos: 25 a 30 mg/kg, 3 vezes por dia. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina.

s LAMIVUDINA
Indicações: Tratamento de doentes com infecção pelo VIH, em associação com outros fármacos antirretrovíricos. Reacções adversas: Náuseas, vómitos, epigastralgias. Pancreatite. Erupções cutâneas e urticária. Edema das pálpebras, lábios e face. Cefaleias. Tosse e dificuldade respiratória. Astenia. Dores musculares e artralgias. Elevação das enzimas hepáticas. Pancitopenia. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Doença hepática. Reduzir a posologia no doente com insuficiência renal. Interacções: O trimetoprim aumenta em cerca de 40% as concentrações plasmáticas da lamivudina. O ganciclovir e o foscarnet não deverão ser coadministrados sem que se consulte informação actualizada. Posologia: [Adultos] – Via oral: 150 mg de 12/12 horas. [Crianças] – Não recomendada a sua utilização em crianças de idade inferior a 12 anos. A posologia para crianças de idade superior a 12 anos é igual à do adulto.

s NEVIRAPINA
Indicações: Tratamento de doentes com infecção

1.3. Medicamentos antivíricos pelo VIH, em associação com outros fármacos antirretrovíricos. Reacções adversas: Náuseas. Febre. Cefaleias. Erupções cutâneas. Exantema, que pode ser grave. Disfunção hepática. Hepatite. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Doença hepática. Doença renal. Monitorizar função hepática. Interacções: A nevirapina reduz, com compromisso da sua eficácia clínica, as concentrações plasmáticas da fenitoína, glicocorticóides, cetoconazol e contraceptivos orais (as doentes devem ser aconselhadas a usar métodos anticoncepcionais alternativos). As concentrações plasmáticas do cloranfenicol, cimetidina, doxiciclina, eritromicina, pentamidina, vincristina e varfarina são também reduzidas pela nevirapina. As concentrações plasmáticas da nevirapina são significativamente reduzidas pela rifampicina e rifabutina. Os macrólidos e a cimetidina podem elevar as concentrações da nevirapina. A administração concomitante de trimetoprim e de antibióticos associados ao ácido clavulânico aumenta o risco de erupções cutâneas. A coadministração de nevirapina e saquinavir determina uma redução nas concentrações plasmáticas do saquinavir, não sendo alteradas as concentrações da nevirapina. A nevirapina pode reduzir os níveis sanguíneos do indinavir. Posologia: [Adultos] – Via oral: 200 mg/dia, durante os primeiros 14 dias, seguidos de 200 mg, 2 vezes por dia. [Crianças] – Não recomendada a sua utilização em crianças de idade inferior a 16 anos. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina.

57

s RITONAVIR
Indicações: Tratamento de doentes com infecção pelo VIH, em associação com outros fármacos antirretrovíricos. Reacções adversas: Náuseas, vómitos, epigastralgias e diarreia. Alterações do paladar. Astenia. Neuropatia periférica. Erupções cutâneas e urticária. Lipodistrofia. Aumento da tendência para hemorragias nos doentes hemofílicos. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Doença hepática grave. Interacções: O ritonavir determina um aumento das concentrações plasmáticas, com potencial aparecimento de toxicidade, de vários analgésicos – piroxicam, propoxifeno e meperidina, de antiarritmicos – amiodarona, disopiramida, propafenona e outros, de antidepressi-

vos, de antagonistas do cálcio, de neurolépticos – clozapina, da ergotamina e seus derivados e de várias benzodiazepinas – alprazolam, clorazepato, diazepam, flurazepam, midazolam, triazolam e outras. O ritonavir aumenta significativamente as concentrações plasmáticas da terfenadina, astemizol e cisapride, com potencial desenvolvimento de toxicidade cardíaca – prolongamento do intervalo QT e arritmias graves. A coadministração de claritromicina e ritonavir determina um aumento importante nas concentrações plasmáticas da claritromicina (± 75%) e uma ligeira elevação dos níveis sanguíneos do ritonavir. O fluconazol e a fluoxetina estão na origem de um aumento, que poderá ser importante, das concentrações plasmáticas do ritonavir. A administração concomitante de metronidazol e dissulfiram aumenta o risco de ocorrência de reacções do tipo dissulfiram. O ritonavir reduz as concentrações séricas, com compromisso da sua eficácia clínica, da teofilina, do sulfametoxazol e dos contraceptivos orais (as doentes deverão ser aconselhadas a usar métodos anticoncepcionais alternativos). A coadministração de ritonavir e rifabutina determina um aumento muito significativo das concentrações plasmáticas da rifabutina. A rifampicina reduz as concentrações do ritonavir. O ritonavir inibe o metabolismo dos outros inibidores da protease originando um aumento das suas concentrações plasmáticas com aparecimento de sinais de toxicidade. A administração simultânea de ritonavir e zidovudina determina uma redução nas concentrações da zidovudina, com provável compromisso da sua eficácia terapêutica. Posologia: [Adultos] – Via oral: 600 mg de 12/12 horas. [Crianças] – Não recomendada a sua utilização em crianças de idade inferior a 12 anos. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina.

s SAQUINAVIR
Indicações: Tratamento de doentes com infecção pelo VIH, em associação com outros fármacos antirretrovíricos. Reacções adversas: Náuseas, vómitos, epigastralgias e diarreia. Elevação das enzimas hepáticas. Pancreatite. Anorexia. Anemia. Neutropenia. Erupções cutâneas. Exantema. Astenia. Dores musculares. Tonturas, irritabilidade e depressão. Neuropatia periférica. Contra-indicações e precauções: Gravidez e

58

Capítulo 1 | 1.3. Medicamentos antivíricos Interacções: A coadministração de fármacos susceptíveis de induzir neuropatia – etionamida, isoniazida, dapsona, fenitoína, metronidazol, nitrofurantoína, cisplatina e vincristina – aumenta o risco de desenvolvimento de neuropatia. A administração concomitante de fármacos susceptíveis de induzir pancreatite – didanosina, etanol, pentamidina e ácido valpróico – aumenta a probabilidade de ocorrência desta patologia. O trimetoprim determina uma elevação das concentrações plasmáticas da zalcitabina. Posologia: [Adultos] – Via oral: 0.75 mg de 8/8 horas. [Crianças] – Não recomendada a sua utilização em crianças de idade inferior a 13 anos. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina.

amamentação. Doença hepática. Doença renal. Interacções: O saquinavir aumenta as concentrações plasmáticas dos antagonistas do cálcio, clindamicina, dapsona e triazolam; aumenta ainda as concentrações da terfenadina, astemizol e cisapride, com potencial desenvolvimento de toxicidade cardíaca – prolongamento do intervalo QT e arritmias graves. Os indutores enzimáticos como a carbamazepina, fenitoína, fenobarbital, rifampicina e rifabutina reduzem, por vezes muito sinificativamente, as concentrações do saquinavir podendo comprometer a sua eficácia terapêutica. Os inibidores enzimáticos como os azóis, eritromicina, claritromicina podem aumentar as concentrações plasmáticas do saquinavir. A coadministração de indinavir e saquinavir está na origem de um aumento importante das concentrações do saquinavir. A administração concomitante do nelfinavir determina uma elevação de quase 400% nas concentrações plasmáticas do saquinavir e um aumento pouco importante nas concentrações do nelfinavir. A administração simultânea do saquinavir e ritonavir está na origem de uma elevação significativa nos níveis séricos do saquinavir. Posologia: [Adultos] – Via oral: 600 mg, 3 vezes por dia. [Crianças] – Não recomendada a sua utilização em crianças e adolescentes de idade inferior a 16 anos. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina.

s ZIDOVUDINA
Indicações: Tratamento de doentes com infecção pelo VIH, em associação com outros fármacos antirretrovíricos. Reacções adversas: Anemia. Neutropenia, leucopenia e pancitopenia, que podem ser graves. Náuseas, vómitos, epigastralgias, flatulência e diarreia. Anorexia. Elevação das enzimas hepáticas e da bilirrubina. Hepatomegalia grave. Mialgias e miopatias. Acidose láctica. Cefaleias, tonturas, confusão mental. Ansiedade, depressão e insónia. Dispneia e tosse. Erupções cutâneas, prurido e urticária. Pigmentação da pele e unhas. Síndrome de tipo gripal. Contra-indicações e precauções: Gravidez (até às 14 semanas). Recém-nascidos com hiperbilirrubinemia ou transaminases com um valor 5 vezes superior ao limite máximo normal. Anemia ou leucopenia graves. Hepatomegalia grave com esteatose. Interacções: A rifampicina reduz significativamente as concentrações plasmáticas da zidovudina. A administração concomitante de anfotericina B, dapsona, flucitosina, pentamidina e ganciclovir aumenta o risco de mielossupressão. A coadministração de cotrimoxazol aumenta o risco de aparecimento de anemia e neutropenia. A administração simultânea de sulfadiazina/ /pirimetamina eleva as concentrações de zidovudina, aumentando o risco de ocorrência de toxicidade medular; o efeito da pirimetamina é reduzido pela zidovudina. Posologia: [Adultos] – Via oral: 500 a 600 mg/ /dia, a administrar de 8/8 ou de 12/12 horas. Via IV: 1 a 2 mg/kg, a administrar de 4/4 horas.

s ZALCITABINA
Indicações: Tratamento de doentes com infecção sintomática pelo VIH que não tolerem ou que não responderam à terapêutica com zidovudina. Reacções adversas: Neuropatia periférica e pancreatite, que podem ser graves. Náuseas, vómitos, epigastralgias, diarreia ou obstipação. Disfagia. Anorexia. Úlceras orais. Erupções cutâneas e prurido. Cefaleias e tonturas. Astenia. Dores musculares e artralgias. Anemia. Leucopenia, trombocitopenia e eosinofilia. Elevação das enzimas hepáticas. Hipertensão arterial. Dor torácica. Taquicardia e fibrilhação auricular. Cardiomiopatia. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Neuropatia periférica. Pancreatite. Cardiomiopatia e insuficiência cardíaca congestiva. Insuficiência hepática. Insuficiência renal.

1.4. Medicamentos antiparasitários [Crianças] – Via oral: Dos 3 meses aos 12 anos: 360 a 400 mg/m2/dia, a administrar de 6/6 ou de 8/8 horas. Via IV: 80 a 160 mg/m2 de 6/6 horas. Nota: este medicamento não se encontrou disponível em farmácia de oficina.

59

s ALBENDAZOL
Indicações: Tratamento das parasitoses causadas por: Ascaris lumbricóides, Trichuris trichiura, Enterobius vermicularis (oxiúros), Ancylostoma duodenale, Necator americanus, Hymenolepsis nana, Taenia spp, Strongyloides stercoralis, Opisthorchis viverrini e O. sinensis. V. introdução. Reacções adversas, contra-indicações e precauções: V. mebendazol Interacções: Os alimentos e o praziquantel aumentam significativamente, embora sem implicações clínicas, a biodisponibilidade do albendazol. A dexametazona aumenta as concentrações séricas do albendazol (albendazol sulfóxido) em cerca de 50%. A cimetidina e o ritonavir são susceptíveis de inibir o metabolismo do albendazol, aumentando o risco de efeitos adversos induzidos pelo albendazol. A coadministração de albendazol e teofilina pode determinar um aumento das concentrações séricas da teofilina (monitorizar as teofilinemias). Posologia: [Adultos] – Via oral: 400 mg – dose única; se ocorrer re-infestação deve ser administrada uma 2ª dose 2 a 3 semanas depois; 400 mg – dose única diária, a administrar durante 3 dias consecutivos no tratamento das parasitoses causadas por Taenia spp, Strongyloides ou H. nana; 10 a 15 mg/kg/dia, durante 1 mês no tratamento do quisto hidático (V. recomendações específicas). [Crianças] – Via oral: Idade superior a 2 anos: posologia igual à do adulto. Não recomendada a sua utilização em crianças de idade inferior 2 anos. ZENTEL SmithKline; comprimidos; 200; 2; 461$00 (230$50); 40%. ZENTEL SmithKline; susp. oral; 20; 20 ml; 573$00 (28$60); 40%. •

1.4. Medicamentos Antiparasitários
De acordo com a classificação oficial, este grupo inclui os fármacos anti-helmínticos, os fármacos antimaláricos e outros antiparasitários.

1.4.1. Anti-helmínticos
Os fármacos anti-helmínticos são altamente eficazes no tratamento das infecções causadas por céstodos, nemátodos e tremátodos sendo, contudo, obrigatória a associação de medidas de higiene individual, do agregado familiar e da própria comunidade, nas zonas endémicas, capazes de quebrar o ciclo de auto-infecção. Os antihelmínticos actualmente mais utilizados na clínica são os novos benzimidazóis – albendazol, mebendazol e flubendazol. São preferencialmente usados nas infecções por céstodos e nemátodos. A piperazina, susceptível de induzir neurotoxicidade e obrigando a uma terapêutica mais prolongada, não é considerada como fármaco de 1ª escolha. O pirantel é tão eficaz quanto o mebendazol no tratamento da ascaridíase, enterobíase e ancilostomíase mas, porque o seu perfil de efeitos adversos não é tão favorável, não é habitualmente considerado como fármaco de 1ª linha. O praziquantel, que não se encontra comercializado entre nós mas está disponível nas farmácias hospitalares, é usado em muitas infecções por céstodos e tremátodos, sendo considerado como fármaco de eleição na maioria das infestações causadas por tremátodos. O mebendazol, activo contra a maioria dos céstodos e de muitos nemátodos, apresenta uma biodisponibilidade muito baixa. Os seus efeitos adversos são essencialmente gastrintestinais e pouco frequentes. O albendazol possui uma actividade idêntica à do mebendazol e é considerado como o fármaco de eleição no tratamento das infecções sistémicas por nemátodos e, em altas doses, no tratamento do quisto hidático e neurocisticercose. Embora apresente, tal como o mebendazol, uma baixa biodisponibilidade, o seu metabolito é farmacologicamente activo e tem uma T1/2 plasmática longa. O seu perfil de efeitos adversos é semelhante ao do mebendazol. O flubendazol é também usado em medicina veterinária.

s MEBENDAZOL
Indicações: Tratamento das parasitoses causadas por: Ascaris lumbricóides, Trichuris trichiura, Enterobius vermicularis (oxiúros), Ancylostoma duodenale, Necator americanus, Echinococcus granulosus e Echinococcus multilocularis (hidatidose). V. introdução. Reacções adversas: Náuseas, vómitos e dores abdominais. Cefaleias. Elevação das enzimas hepáticas, depressão medular e reacções alérgicas graves (apenas quando da utilização de doses elevadas no tratamento da hidatidose).

60

Capítulo 1 | 1.4. Medicamentos antiparasitários Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Epilepsia. Doença neurológica. Doença hepática. Doença renal grave. Interacções: A piperazina pode potenciar os efeitos adversos das fenotiazinas. A piperazina e o pirantel são antagonistas. Posologia: [Adultos] – Via oral: 65 mg/kg/dia, a administrar em dose única durante 7 dias no tratamento da enterobíase; 3,5 g, a administrar em dose única diária durante 2 dias no tratamento da ascaridíase. [Crianças] – Via oral: Idade inferior a 12 anos: 65 mg/kg/dia, a administrar em dose única durante 7 dias no tratamento da enterobíase (dose do adulto); 75 mg/kg/dia durante 2 dias consecutivos no tratamento da ascaridíase. LOMBRIMADE Lab. Esfar; xarope; 150; 60 ml; 236$00 (3$90); 40% LOMBRIMADE Lab. Esfar; comprimidos; 300; 20; 212$00 (10$60); 40%. •

Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Monitorizar função hepática e parâmetros hematológicos no tratamento da hidatidose. Reduzir a posologia no doente com insuficiência hepática. Interacções: A coadministração de carbamazepina e fenitoína reduz as concentrações plasmáticas do mebendazol (indução enzimática). A cimetidina inibe o metabolismo do mebendazol potenciando os seus efeitos farmacológico (estas interacções só são clinicamente significativas quando de terapêuticas prolongadas). Posologia: [Adultos] – Via oral: 100 mg – dose única; se ocorrer re-infestação deve ser administrada uma 2ª dose 2 a 3 semanas depois; 100 mg, 2 vezes por dia durante 3 dias consecutivos ou 500 mg – dose única, no tratamento da ascaridíase e ancilostomíase; 40 mg/kg/dia,durante1 a 6 meses ou 1,2 g a 1,8 g/dia, durante 21 a 30 dias no tratamento do quisto hidático (V. recomendações específicas). [Crianças] – Via oral: Idade superior a 2 anos: posologia igual à do adulto. Não recomendada a sua utilização em crianças de idade inferior 2 anos. PANTELMIN SmithKline; comprimidos; 100; 6; 493$00 (82$20); 40%. PANTELMIN 500 SmithKline; comprimidos; 50; 20; 3 787$00 (189$40); 40%. PANTELMIN SmithKline; susp. oral; 20; 30 ml; 617$00 (20$60); 40%. TOLOXIM Laquifa; comprimidos; 10; 6; 505$00 (84$20); 40%. TOLOXIM Laquifa; comprimidos; 100; 18; 1 116$00 (62$00); 40%. TOLOXIM Laquifa; susp. oral; 20; 30 ml; 550$00 (18$30); 40%. •

s PIRANTEL
Indicações: Tratamento das parasitoses causadas por: Ascaris lumbricóides, Enterobius vermicularis (oxiúros), Ancylostoma duodenale, Necator americanus e Trichostrongylus colubriformis e orientalis. V. introdução. Reacções adversas: Náuseas, vómitos, diarreia e dores abdominais. Anorexia. Cefaleias, tonturas e insónia. Erupções cutâneas. Elevação das enzimas hepáticas. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Disfunção hepática. Anemia. Má nutrição. Interacções: O pirantel e a piperazina são antagonistas não sendo, por isso, recomendada a sua coadministração. Posologia: [Adultos] – Via oral: 5 mg/kg – dose única no tratamento da ascaridíase; 10 mg/kg – dose única no tratamento da enterobíase (dose máxima – 1 g; se necessário repetir 2 semanas depois; 10 mg/kg – dose única diária durante 3 dias consecutivos no tratamento da ancilostomíase. [Crianças] – Via oral: Idade superior a 6 meses: posologia igual à do adulto. COMBANTRIN Lab. Pfizer; comprimidos; 250; 3; 582$00 (194$00); 40%. COMBANTRIN Lab. Pfizer; susp. oral; 50; 15 ml; 620$00 (41$30); 40%. •

s PIPERAZINA
Indicações: Tratamento das parasitoses causadas por: Ascaris lumbricóides e Enterobius vermicularis (oxiúros). V. introdução. Reacções adversas: Náuseas, vómitos, diarreia e dores abdominais. Reacções alérgicas incluindo broncospasmo e urticária. Tonturas e confusão mental. Descoordenação motora. Angiedema e síndrome de Stevens-Johnsons (descritos raramente).

1.4. Medicamentos antiparasitários

61

1.4.2. Antimaláricos
Recomendações específicas, relativas à profilaxia e tratamento da malária nas várias regiões do globo, encontram-se publicadas na literatura médica (OMS, CDC, outras). Actualmente, o Plasmodium falciparum (malária maligna) é na sua grande maioria resistente à cloroquina. A mefloquina, é considerada neste contexto como o antimalárico de eleição. A cloroquina e a hidroxicloroquina são referidas como fármacos de primeira escolha no tratamento da malária benigna habitualmente causada pelo Plasmodium vivax e mais raramente pelo Plasmodium ovale (já foram isoladas algumas estirpes de P. vivax resistentes à cloroquina). A hidroxicloroquina é usada como alternativa à cloroquina; o seu perfil de efeitos adversos é semelhante (alguns estudos referem menor toxicidade ocular). A halofantrina é um dos fármacos recomendados para o tratamento da malária quando há resistência à cloroquina. A sua utilidade terapêutica é, contudo, limitada pelo facto de apresentar uma biodisponibilidade muito variável e cardiotoxicidade significativa. Nunca deve ser utilizada em profilaxia. A doxiciclina (V. secção 6 deste capítulo) é também útil para a profilaxia e terapêutica adjuvante da malária por P. falciparum. O cloroguanido (proguanil), a pirimetamina-sulfadoxina, a quinina e a quinidina são outros antimaláricos importantes para profilaxia e tratamento da malária por P. falciparum, sendo o seu uso no tratamento restrito ao meio hospitalar.

existentes. A administração concomitante de outros antimaláricos – mefloquina, quinina, amodiaquina ou fansidar – pode antagonizar o efeito da cloroquina contra o P. falciparum. A coadministração de cloroquina e mefloquina aumenta o risco de desenvolvimento de convulsões. Posologia: [Adultos] – Via oral: Profilaxia: 5 mg/kg de 7/7dias (dose única), durante 4 a 6 semanas; iniciar 1 a 2 semanas antes do início da deslocação. V. recomendações específicas. Tratamento: Dose inicial: 10 mg/kg seguida de 5 mg/kg 6 a 8 horas depois e 5 mg/kg/dia nos 2 dias seguintes. [Crianças] – Via oral: Profilaxia e tratamento: posologia igual à do adulto. ARALEN Sanofi Winthrop; comprimidos; 250; 10; 211$00 (21$10); 70%. RESOCHINA Bayer Portugal; comprimidos; 250; 20; 251$00 (12$60); 70%. •

s HALOFANTRINA
Indicações: Tratamento da malária causada por Plasmodium falciparum ou Plasmodium vivax resistente à cloroquina. V. introdução. Reacções adversas: Náuseas, vómitos, diarreia e dores abdominais. Elevação das enzimas hepáticas. Erupções cutâneas e prurido. Hemólise intravascular. Arritmias ventriculares graves. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. Doença cardíaca. História familiar de síndrome do QT longo e outras situações clínicas associadas com prolongamento do intervalo QT (hipocaliemia, hipomagnesiemia e outras alterações electrolíticas). Interacções: A coadministração de fármacos susceptíveis de prolongar o intervalo QT – cloroquina, mefloquina, antidepressivos tricíclicos, antipsicóticos, antiarritmicos, terfenadina e astemizol, ou de induzir outro tipo de arritmias, aumenta grandemente o risco de arritmias graves. Posologia: [Adultos] – Via oral: 1500 mg, a administrar a intervalos de 6 horas (3 doses de 500 mg); repetir após 1 semana de intervalo. [Crianças] – Via oral: 24 mg/kg, a administrar em 3 doses com intervalos de 6 horas. HALFAN Smithkline & French; comprimidos; 250; 6; 2 420$00 (403$30); 70%.

s CLOROQUINA
Indicações: Profilaxia e tratamento da malária. V. introdução. Reacções adversas: Náuseas, vómitos, diarreia e dores abdominais. Anorexia. Cefaleias. Alterações da visão cromática. Retinopatias. Erupções cutâneas e fotosensibilidade. Alterações do ECG. Agranulocitose, trombocitopenia e anemia aplástica (muito raramente). Contra-indicações e precauções: Gravidez. Insuficiência hepática e insuficiência renal (ajustar posologia). História de epilepsia, psoríase, miastenia gravis. Deficiência em desidrogenase da glicose-6-fosfato. Monitorização oftalmológica. Interacções: Os antiácidos reduzem a absorção da cloroquina. A cimetidina inibe o metabolismo da cloroquina aumentando as suas concentrações plasmáticas com potencial desenvolvimento de toxicidade. A coadministração de corticóides pode exacerbar miopatias pre-

Nota: 400 mg de hidroxicloroquina são equivalentes a 310 mg de hidroxicloroquina base. entre nós existe comercializada apenas a forma para administração oral.11. dos 9 aos 11 anos: três quartos da dose do adulto. Tratamento: 250 mg/10 kg de peso em dose única. Disfunção hepática. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. V. recomendações específicas. para além da sua eficácia no tratamento das infecções por anaeróbios. 6 horas depois. deste capítulo) . cloroquina. 6. Doença hepática grave. 20. Medicamentos antiparasitários Posologia: [Adultos] – Via oral. Dose máxima – 1. Ansieade. introdução. Os estudos comparativos entre os vários nitroimidazóis são ainda escassos. 0%.3. Os efeitos adversos que induz são essencialmente gastrintestinais e pouco frequentes. bloqueadores β adrenérgicos e outros. recomendações específicas. • 1. 70%. A mefloquina reduz as concentrções séricas dos anti-epilépticos. s METRONIDAZOL Indicações: Tratamento da amebíase intestinal invasiva e hepática. mialgias. recomendações específicas. tricomoníase urogenital e giardíase. a administrar 18 horas depois da 2ª dose. Vertigens e alterações do equilíbrio. PLAQUINOL Sanofi Winthrop. durante 4 a 6 semanas. História de epilepsia ou de doença psiquiátrica. a administrar 24 horas depois da 3ª dose. é considerado o fármaco de eleição no tratamento das amebíases agudas. oral. Tratamento: 20 mg/kg (mefloquina base) em dose única ou a administrar em 2 doses com intervalo de 6 ou 8 horas. O tinidazol possui uma maior duração de acção. Cefaleias.4. V. dos 6 aos 8 anos: metade da dose do adulto. 20. de uso exclusivo hospitalar. MEPHAQUIN LACTAB Mepha. Muitos outros fármacos são usados preferencialmente em medicina veterinária. Infecções por anaeróbios (V. por isso mesmo. Outros Antiparasitários Os fármacos incluidos neste grupo são apenas os antiprotozoários de largo espectro usados em medicina humana – os nitroimidazóis. Tratamento: Dose inicial: 800 mg. contra-indicações.62 Capítulo 1 | 1. [Crianças] – Via oral: Profilaxia: 5 mg/kg/ /semana (dose única). 30. A atovaquona e a pentamidina. 3 772$00 (628$70). s MEFLOQUINA Indicações: Profilaxia e tratamento da malária causada por Plasmodium falciparum ou Plasmodium vivax resistente à cloroquina. durante 4 a 6 semanas. V. bem tolerados pelo homem. seguida de 400 mg 6 a 8 horas depois e de 400 mg/dia nos 2 dias seguintes. [Crianças] – Profilaxia: Dos 2 aos 5 anos: um quarto da dose do adulto. • s HIDROXICLOROQUINA Indicações: Profilaxia e tratamento da malária. IV e tópica. diarreia e dores abdominais. Reacções adversas: Náuseas. O secnidazol é um nitroimidazol de longa duração de acção (T1/2 – 20 horas). secção 1. O ornidazol pode ser administrado por via oral. utilizadas no tratamento da pneumonia por Pneumocystis carinii são.1. 1 041$00 (52$00). pesadelos. Reacções adversas. vómitos. depressão. 4ª dose de 5 mg/kg. Erupções cutâneas e prurido. de um modo geral. Não exceder a dose do adulto. susp. • HALFAN Smithkline & French. psicoses e insónia. História de arritmias. comprimidos. iniciar 1 a 2 semanas antes do início da deslocação. Posologia: [Adultos] – Via oral: Profilaxia: 400 mg/semana (dose única). V. 250. iniciar 1 a 2 semanas antes da data de partida e continuar por 4 semanas após regresso da área endémica. Interacções: A coadministração de fármacos cardioactivos – quinina.5 g. Tratamento: Dose inicial: 10 mg/kg (dose máxima – 620 mg de hidroxicloroquina base). leucopenia e trombocitopenia. Os nitroimidazóis inibem selectivamente várias oxidases de muitos protozoários sendo. Alterações visuais. aumenta o risco de desenvolvimento de arritmias. Todos os nitroimidazóis disponíveis apresentam um espectro de actividade e um perfil de efeitos adversos idênticos aos do metronidazol. 400. comp. 3ª dose de 5 mg/kg. precauções e interacções: V. revestidos.4. giardíases e tricomoníases vaginais. seguida de 3 a 5mg/kg (dose máxima – 310 mg de hidroxicloroquina base). 1 133$00 (37$80). 70%. Não recomendada a sua administração a crianças com peso inferior a 15 kg. Profilaxia: 250 mg/semana (dose única). Muito raramente ocorrem: bradicardia. O metronidazol. iniciar 1 a 2 semanas antes do início da deslocação.

500. 1. O ornidazol parece não interagir com o etanol. 817$00 (204$20). 400 a 800 mg de 8/8 horas. Posologia: [Adultos] – Via oral: 2 g como dose única ou a administrar de 12/12 horas. durante 7 dias ou 2 g em dose única no tratamento da tricomoníase urogenital. metronidazol. que podem ser graves. 4.4. Pfizer. no tratamento da giardíase. durante 5 a 10 dias no tratamento da amebíase hepática. 2 g/dia. 200 mg de 8/8 horas ou 400 mg de 12/12 horas. revestidos.5 a 2 g/dia (dose única diária). giardíase e tricomoníase. 250. durante 3 dias ou 400 mg de 8/8 horas.5 g (dose única). durante 5 dias no tratamento da amebíase intestinal invasiva. 8. • 63 TIBAL Roche Farmacêutica. 40%. Monitorizar função hepática (terapêuticas superiores a 10 dias). durante 5 dias no tratamento da amebíase hepática. durante 5 dias no tratamento da giardíase. 500. Posologia: [Adultos] – Via oral: 1 g a 1. 702$00 (175$50). Urina escura. comprimidos. Pfizer. 40%. 955$00 (238$80). revestidos. FLAGENTYL Lab. aumentando as suas concentrações plasmáticas com potencial desenvolvimento de toxicidade. metronidazol. Reacções alérgicas. 3.5 g/dia ou a administrar de 12/12 horas durante 5 dias no tratamento da amebíase hepática. dos 7 aos 10 anos: 1 g/dia. durante 3 dias no tratamento da giardíase. O fenobarbital reduz as concentrações do metronidazol podendo comprometer a sua eficácia terapêutica. introdução. vertigens e ataxia (raramente). 20. 4. comprimidos. 1 732$00 (173$20). V. durante 2 a 3 dias no tratamento da amebíase intestinal. metronidazol. precauções e interacções: V. 50 a 60 mg/kg/dia durante 5 dias no tratamento da amebíase hepática. contra-indicações. • s ORNIDAZOL Indicações: V. V. Medicamentos antiparasitários Reacções adversas: Náuseas. Vitória. no tratamento da giardíase e tricomoníase. Posologia: [Adultos] – Via oral: 800 mg de 8/8 horas. Erupções cutâneas e urticária. 40%. 10. Posologia: [Adultos] – Via oral: 2 g/dia (dose única diária). 50 a 75 mg/kg como dose única no tratamento da giardíase e tricomoníase. 30 mg/kg/dia (dose única diária). 545$00 (27$20). . Alterações do paladar. 1. vómitos e epigastralgias. [Crianças] – Via oral: 40 mg/kg/dia (dose única). dos 1 aos 3 anos: 500 mg/dia. Contra-indicações e precauções: Gravidez e amamentação. FASIGYN Lab. 1000. introdução. Cefaleias. FLAGENTYL Lab. FLAGYL Lab. precauções e interacções: V. • s SECNIDAZOL Indicações: V. metronidazol. contra-indicações. A coadministração de etanol e metronidazol aumenta o risco de aparecimento de reacções do tipo dissulfiram. 500. TIBAL Roche Farmacêutica comp. Pfizer. comp. [Crianças] – Via oral: 40 a 50 mg/kg/dia. Insuficiência hepática (reduzir a Posologia). durante 3 dias no tratamento da amebíase intestinal. no tratamento da amebíase intestinal. 1. Neuropatia periférica e convulsões epileptiformes quando da utilização de doses altas ou terapêuticas prolongadas. Interacções: O metronidazol inibe o metabolismo dos anticoagulantes orais e da fenitoína. durante 3 a 5 dias no tratamento da amebíase hepática. 2 g como dose única no tratamento da giardíase.5 g/dia (dose única diária). 40%. dos 3 aos 7 anos: 600 a 800 mg/dia. 4. 500. FASIGYN Lab. comprimidos. 713$00 (237$70). [Crianças] – Via oral: 50 a 60 mg/kg/dia durante 3 dias no tratamento da amebíase intestinal. metronidazol. Reacções adversas. A cimetidina inibe o metabolismo do metronidazol. comprimidos. durante 3 dias no tratamento da amebíase intestinal. comprimidos. metronidazol. [Crianças] – Via oral: 30 mg/kg como dose única no tratamento da amebíase intestinal e giardíase. Vitória. V. introdução. Reacções adversas. 70%. precauções e interacções: V. durante 5 dias no tratamento da amebíase intestinal invasiva e durante 5 a 10 dias no tratamento da amebíase hepática.1. • s TINIDAZOL Indicações: V. 1 305$00 (163$10). 40 mg/kg/ /dia (dose única diária). 40%. 40%. 500. contra-indicações. Reacções adversas.

A dose total de adrenalina administrada não deve exceder 500 µg.2. Antiparkinsónicos 2. Os fármacos pertencentes a este grupo variam substancialmente no que se refere a potência. No caso dos tratamentos dentários pode usar-se uma concentração final de 1:80000 (12. estabilidade. hipnóticos 2. para diminuir o fluxo sanguíneo local. reduzir a taxa de absorção e prolongar o efeito local. o peso. As propriedades químicas e farmacológicas de cada fármaco determinam a sua utilização clínica. Analgésicos e antipiréticos 2.6. sedativos.2.2. A mesma decisão se aplica aos medicamentos curarizantes.1. solubilidade e capacidade de penetrar as mucosas. Dopaminérgicos 2. Anestésicos gerais 2.3.4. A idade. no subcapítulo 2. Anticolinérgicos 2.1.200000 (5 µg/ml). Existem por isso formulações que associam ao anestésico local um vasoconstritor. consideram-se dois grupos de aparecimento recente.5. Ácido acetilsalicílico. tópica. Antidepressivos 2. Nesta circunstâncias é necessário ter particular atenção à dose total de adrenalina administrada para evitar o risco de necrose isquémica. Ansiolíticos. por pessoal especializado.11.7. epidural ou bloqueio espinal. por exemplo adrenalina. A vasoconstrição prolonga.8. Analépticos 2. Antiepiléticos e anticonvulsivantes 2 2.8. a duração da acção de um anestésico local. os analgésicos que pertencem ao grupo dos anti-inflamatórios não esteróides (AINES) serão abordados no capítulo do sistema músculo-esquelético (Capítulo 9). infiltração. Quando se usa adrenalina a concentração final deve ser 1.9. não serão detalhados neste prontuário. Psicofármacos 2.3. Relaxantes musculares de acção periférica 2. Em relação a reacções adversas é importante reconhecer que os anestésicos locais além de bloquearem a condução nervosa no local da administração têm potencial para interferir em qual- Sistema Nervoso Central .1. Medicamentos utilizados no tratamento sintomático das alterações das funções cognitivas 2.9. todos os anestésicos locais com excepção da cocaína provocam vasodilatação.1.11 Outros medicamentos com acção no sistema nervoso central 2. obviamente. Sistema Nervoso Central Sistema Nervoso Central 2.11. Os anestésicos locais não dependem da circulação sanguínea para o início da sua acção mas aquela é importante para o fim da mesma. Analgésicos estupefacientes 2.10.2. Anestésicos locais 2.2.11.Esta classificação corresponde à classificação farmacoterapêutica dos medicamentos de acordo com o despacho nº 6914/98 (2ª série). os medicamentos com acção na demência e os medicamentos com acção na doença do neurónio motor.4. toxicidade. Medicamentos utilizados no tratamento sintomático da doença do neurónio motor deve ser utilizada nos dedos. que não foram discriminados na classificação mencionada acima. A adrenalina não 2. No entanto.1. propifenazona 2. Por razões pragmáticas. Antieméticos e antivertiginosos 2.5 µg/ml). cetoprofeno.8. Anestésicos locais Os anestésicos locais (AL) causam um bloqueio reversível da condução nervosa. duração de acção.8. Psicodepressores e antipsicóticos 2. A administração destes fármacos pressupõe o ajustamento da dose máxima segura tendo em conta a taxa de absorção e de excreção bem como a potência de cada fármaco. Atendendo a que os anestésicos gerais só podem ser utilizados em meio hospitalar. Estas variações determinam a aplicabilidade dos diferentes princípios activos às potenciais vias de administração.4. De um modo geral a sua acção restringe-se ao local de aplicação e termina quando o anestésico se difunde. Por outro lado. a patologia em causa e o grau de vascularização do local de administração são factores que devem ser considerados na determinação da dose.

No caso da . tiocolquicosido. Além destes.5. o que não é correcto na medida em que o mecanismo de acção de vários dos elementos deste grupo não depende de uma acção periférica. parte caudal de 0. 50.25% a 0. 30 ml). XYLOCAINA 2% Lab. Esfar. 20. MARCAÍNA 0. carisoprodol. Esfar. Esfar. sol. isto é. 10.25% (max. a anestesia atinge 5mm de profundidade. o dantroleno também actua a nível periférico. parte lombar 0. • 2. bloqueio de nervo periférico e bloqueio epidural. anestesia regional intravenosa (bloqueio de Bier). Não está indicada para anestesia regional intravenosa (Bloqueio de Bier). cocaína.50% (max. MARCAÍNA 0. seguida de sedação. Reacções adversas: As descritas na introdução. sol. Anestesia local nas seguintes modalidades: tópica. 12 ml). s BUPIVICAÍNA Indicações terapêuticas: Anestesia local nas seguintes modalidades: infiltração. As reacções de hipersensibilidade aos anestésicos locais são mais frequentes com as moléculas de tipo éster. bloqueio epidural: cirurgia lombar 0. A bupivicaína distingue-se dos outros AL porque tem a duração de acção mais longa. o sistema nervoso autónomo. 10 mg/dose.5%) + prilocaína (2. sol. Para infiltração a concentração não deve exceder 1%. XYLOCAINA 1% Lab.50% (max. XYLOCAINA Lab. 20 ml). infiltração. A longa duração de acção pode determinar depressão miocárdica ou arritmias ventriculares particularmente difíceis de corrigir. Posologia: Infiltração local: 0. Contra-indicações e precauções: Hipovolémia e bloqueio cardíaco completo.5% Lab. 5. cirurgia caudal 0. sol. na aplicação tópica as concentrações podem variar entre 2 e 4%. procaína em relação às moléculas de tipo amida (lignocaína. Os restantes elementos deste grupo (baclofeno.25% Lab. pomada. 0%. Os sintomas mais frequentes são sensação de embriaguez ou de cabeça oca. prilocaína e ropivacaína). 60 ml) a 0. 0%. Esfar.3. gele. Esfar.50% (max. 6 465$00 (215$50). 0%. aplicado na pele intacta.bloqueio epidural. os órgãos em maior risco são o sistema nervoso central. 30. 5 780$00 (1 156$00).3. • quer orgão onde ocorra transmissão ou condução de impulsos. 0%.66 Capítulo 2 | 2. estes actuam por bloquearem a transmissão a nível da junção neuromuscular. Posologia: Tratamento das arritmias (V. 80 doses. Nesta perspectiva. ciclobenzaprina. antiarrítmicos – Capítulo 3). o início de acção também é lento (30 min). parestesias perorais e contraturas musculares. injectável. 50. bloqueio de nervo periférico.25 a 0. Pancurónio e Vancurónio.75% (max. 20 ml). Esfar. clormezanona. aerossol. Bloqueio de nervo periférico: de 0. as junções neuromusculares e os diferentes tipos de músculo. Verdadeiramente relaxantes musculares de acção periférica são as substancias curarizantes (bloqueadores neuromusculares não despolarizantes) que incluem o Atracurium. XYLOCAINA GELE 2% Lab. 0%. creme EMLA. 4 310$00 (86$20).5%).5 a 0. 20.25% máximo de 60 ml. injectável. 5. 3 375$00 (67$50). 5 435$00 (1 087$00). 35. orfenadrina. bupivicaína. Em casos graves podem acontecer convulsões. neste caso directamente sobre o mecanismo de contracção muscular uma vez que interfere com a disponibilidade de cálcio no interior das miofibrilhas. 50. mas sim de um efeito no sistema nervoso central. Contra-indicações e precauções: Hipovolémia e bloqueio cardíaco completo.5% (max. 0%. Quando ocorrem reacções adversas estas são habitualmente consequência do atingimento de concentrações plasmáticas excessivas. tizanidina) constituem um grupo heterogéneo com mecanismos de acção complexos a nível do sistema nervoso central e que não estão totalmente elucida- s LIDOCAÍNA Indicações terapêuticas: Arritmias ventriculares. Reacções adversas: As descritas na introdução. injectável. 1250$00 (35$70). 2. XYLOCAINA Lab. 30 ml). Em relação a este grupo não serão dados mais pormenores porque a sua utilização carece de local e técnicos especializados. injectável. 2 883$00 (36$00). 5. Relaxantes musculares de acção periférica Na classificação farmacoterapêutica legalmente em vigor este grupo é designado por relaxantes musculares de acção periférica. Relaxantes musculares de acção periférica associação lidocaína (2. benzocaína. Esfar. 0%.

2. 585$00 (29$20). 620$00 (31$00). 20. • 67 s TIZANIDINA Indicações terapêuticas: Espasticidade associada à esclerose múltipla e a outras lesões do sistema nervoso central Reacções adversas: Sonolência e alterações gastrintestinais Contra-indicações e precauções: Devem excluir-se sistematicamente nos primeiros meses de tratamento alterações hepáticas. • s BACLOFENO Indicações terapêuticas: Espasticidade associada à esclerose múltipla e a outras lesões do sistema nervoso central Reacções adversas: Excesso de depressão do SNC. A capacidade para conduzir automóveis ou outras máquinas pode ser afectada. 25. LIORESAL Novartis Farma. a tizanidina e o já mencionado dantroleno têm eficácia estabelecida. 0%. a dose máxima diária é 100 mg. e tonturas. O medicamento não deve ser interrompido bruscamente porque pode desencadear-se disautonomia. A tizanidina é um agonista dos receptores a2 adrenérgicos que exerce a sua acção sobretudo a nível da espinal medula. DANTRIUM Lab. Contra-indicações e precauções: Cuidado com insuficiência renal. Reacções adversas: Lesão hepática. O início da acção terapêutica pode ter uma latência de algumas semanas. traumatismos cranianos e/ou medulares. O baclofeno é um agonista dos receptores GABA B e actua por deprimir a transmissão nervosa a nível da medula espinal e provavelmente também a nível de centros nervosos mais altos. 1 336$00 (26$70). • . Contra-indicações e precauções: Insuficiência hepática. no entanto. cáps. LIORESAL Novartis Farma. a dose pode ser aumentada lentamente até optimização. fadiga. nomeadamente esclerose múltipla. Posologia: Na administração oral a dose inicial é de 15 mg em 3 administrações diárias. na epilepsia ou em circunstância que reduzem o limiar epileptogénio. A orfenadrina é um anticolinérgico com utilidade semelhante à de outros anticolinérgicos no tratamento da doença de Parkinson e síndromas parkinsónicos e será analisada nesse capítulo. cápsulas. comprimidos. 25. Posologia: Dose inicial 25 mg/dia. A administração deste fármaco pode ser por via oral ou por via intratecal. SIRDALUD Novartis Farma. insónia e convulsões. 40%. 40%.3. a clormezanona e o tiocolquicosido são fármacos cuja utilidade clínica como relaxantes musculares nunca foi inequivocamente estabelecida. acção prolongada. LIORESAL Novartis Farma. tremor. alterações gastrintestinais e cardiovasculares. obstipação. 25. que pode ser aumentada semanalmente até à dose máxima de 100 mg. 20. 60. 50. Para administração intratecal consultar RCM. 4 137$00 (137$90). 60. O carisoprodol. hipersensibilidade ao fármaco. a função hepática deve ser monitorizada sistematicamente durante o tratamento. a ciclobenzaprina. 2. s DANTROLENO Indicações terapêuticas: Espasticidade grave da musculatura esquelética. 4 vezes/dia. SIRDALUD MR Novartis Farma. 30. 6. espasmos musculares agudos. em dose única que pode ser aumentada 2 mg de 3 em 3 dias até optimização ou dose máxima total de 24 mg/dia em 3 ou 4 tomas diárias. SIRDALUD Novartis Farma. 50. 40%. DANTRIUM Lab. 40%. 1 367$00 (22$80). diarreia. 40%. não está recomendado nas crianças. 10. Normal. comprimidos. comprimidos. 1 117$00 (22$30). Estes princípios activos existem comercialmente quer isoladamente quer em associação com outros. 2 795$00 (46$60). comprimidos. insuficiência hepática grave. 40%. outras alterações gastrintestinais. 40%. 10. nomeadamente sonolência. Sonolência. No entanto deve notar-se que nestas indicações apenas o baclofeno. comprimidos. 396$00 (39$60). acidentes vasculares cerebrais. Normal. a sua utilização não é recomendada. 2. 10. Posologia: Dose inicial diária 2 mg. cápsulas. Relaxantes musculares de acção periférica dos. Têm indicação no tratamento da espasticidade associada a diferentes lesões do sistema nervoso central.

4. a sua utilidade clínica é duvidosa. COLTRAMYL Lab. Contra-indicações e precauções: Ver antidepressivos triciclícos Posologia: 10 mg.4. • s TIOCOLQUICOSIDO Indicações terapêuticas: Relaxante muscular. reacções comportamentais paradoxais (excitação ou obnubilação) para a forma injectável. taquicárdia. nomeadamente o sistema glutamatérgico. alucinações. quer pela interferência a nível dos processos mnésicos. alterações da memória. Contra-indicações e precauções: Miastenia gravis. movimentos involuntários). COLTRAMYL Lab. A resposta dos sintomas de parkin- s ANTICOLINÉRGICOS Indicações terapêuticas: Parkinsonismo. comprimidos. comprimidos. Diamant. gastralgias. quando há predomínio de tremor). obstipação. FLEXIBAN Lab. retenção urinária. 40%. antidepressivos triciclícos). 10. Diamant. previsíveis pela interferência no sistema nervoso autónomo. 3 461$00 (57$70). 10. bradicinésia). COLTRAMYL Lab. dose máxima diária 60 mg. 50. comprimidos. As limitações resultam essencialmente do perfil de segurança destes medicamentos determinar uma má tolerabilidade. reacções cutâneas alérgicas. rigidez. confusão mental.4. s CICLOBENZAPRINA Indicações terapêuticas: Relaxante muscular. 3 007$00 (60$10). 872$00 (145$30). Tradicionalmente. b) controlo das complicações que surgem no contexto do tratamento com levodopa (flutuações da resposta motora. a sua utilidade clínica é duvidosa. 20. 3 vezes/dia. • 2. Diamant. injectável.1. Chibret. 40%. Posologia: Dose máxima diária 32 mg. Actualmente a sua utilização é limitada mas pertinente nalguns casos (por exemplo. Reacções adversas: A ciclobenzaprina tem uma estrutura próxima dos antidepressivos tricíclicos e partilha com estes o perfil de reacções adversas (V. reacções distónicas agudas. 1 394$00 (69$70). 4. 40%. embora este último grupo contenha vários subgrupos distintos. úlcera duodenal. Reacções adversas: Xerostomia. Reacções adversas: Diarreia. 1 410$00 (70$50). sol. O tratamento não deve exceder no máximo 3 semanas. mas é ainda útil utilizar a divisão em anticolinérgicos e dopaminomiméticos. quer por outros sintomas e sinais. sintomas psicóticos. hesitação urinária e disúria. Antiparkinsónicos sonismo à terapêutica dopaminomimética constitui mesmo uma prova diagnóstica. 40%. 4. palpitações e hipotensão. 40%. Anticolinérgicos Historicamente. Antiparkinsónicos O Parkinsonismo é a síndroma que pode ser determinado pela Doença de Parkinson (DP) idiopática ou por outros distúrbios cuja caracterização transcende o âmbito deste livro. desorientação.4. 6. 20. c) prevenção/retardamento do aparecimento das complicações referidas em b). comprimidos. 2. FLEXIBAN Lab. náuseas.68 Capítulo 2 | 2. 60. vómitos. É importante salientar que a grande diferença entre a doença de Parkinson e outros Parkinsonismos é a possibilidade de naquela os sintomas poderem ser razoavelmente controlados com medicamentos e no caso dos parkinsonismos os sintomas serem total ou parcialmente resistentes à medicação. estes foram os primeiros medicamentos a mostrar alguma utilidade no controlo dos sintomas de Parkinsonismo. O tratamento da doença de Parkinson é ainda exclusivamente sintomático e os objectivos desse tratamento podem ser classificados da seguinte forma: a) controlo dos sintomas característicos da síndroma parkinsónica (tremor. fraqueza . quer pela capacidade de induzir quadros confusionais. Chibret. dividiam-se os medicamentos utilizados no seu tratamento em anticolinérgicos e dopaminomiméticos. de acordo com uma visão simplista mas útil da fisiopatologia da doença de Parkinson. síndromas extrapiramidais iatrogénicos. Hoje sabemos que outros sistemas de neurotransmissão são relevantes.

idade superior a 60 anos. obstrução pilórica ou duodenal. ARTANE Wyeth Lederle. diminuição da sudação. 2. Posologia: 150 mg/dia (em várias administrações). por via intramuscular ou iv 1 a 2 mg/administração. Contra-indicações e precauções: Ver anticolinérgicos. sol. COGENTIN Merck Sharp & Dohme. 2. comprimidos. 100. comprimidos. 5. 2. 100%. 100%. 5. acção prolongada. 100%. Pode provocar insónia. comprimidos. ARTANE Wyeth Lederle. hipertrofia prostática ou outra situação que determine retenção urinária. • s ORFENADRINA Indicações terapêuticas: Ver anticolinérgicos. miastenia gravis. 979$00 (16$30). • 69 AKINETON RETARD Knoll Lusitana. 2. deve ser feita de forma lenta. 539$00 (27$00). pode ocorrer um efeito inibitório da lactação e ainda: aumento da temperatura. dose de manutenção 1 a 4 mg/dia. 60. 40%. dose máxima 400 mg/dia. AKINETON RETARD Knoll Lusitana. 5. Contra-indicações e precauções: Ver anticolinérgicos. Interacções medicamentosas: Ver anticolinérgicos. Dopaminomiméticos A revolução no tratamento da doença de Parkinson aconteceu com a introdução da levodopa. 40%. AKINETON Knoll Lusitana. levodopa. flushing. Contra-indicações e precauções: Ver anticolinérgicos. 657$00 (13$10). injectável. comprimidos. 2.5 a 1 mg/d. Contra-indicações e precauções: Ver anticolinérgicos. injectável. 252$00 (12$60). 20. 100%.4. cãibras. 100%. 757$00 (252$30).4. 20. comp. 60. por via intramuscular ou iv 2. acalásia. digoxina. Posologia: Por via oral: dose inicial 0. • s BIPERIDENO Indicações terapêuticas: Ver anticolinérgicos. 50. Posologia: Por via oral: dose inicial 1 a 2 mg/d (em 2 tomas). dose de manutenção 2 a 6 mg/dia (em 2 ou 3 tomas). ARTANE Wyeth Lederle. 6. 303$00 (15$10). 3. Posologia: Dose inicial 1 mg/dia. comprimidos revestidos. 278$00 (27$80).2. A administração iv pode causar hipotensão. 100%.2. fenotiazinas e haloperidol (redução do efeito terapêutico). 339$00 (6$80). 50. Reacções adversas: Ver anticolinérgicos.5 a 5 mg/administração (até 4 administrações/dia). sol. é mais euforizante que a benzotropina. glaucoma de angulo fechado. 534$00 (89$20). Interacções medicamentosas: Amantadina (potenciação dos efeitos anticolinérgicos). AKINETON Knoll Lusitana. Ocasionalmente estes medicamentos são utilizados por toxicodependentes para indução de euforia e experiências psicadélicas. AKINETON Knoll Lusitana. comprimidos revestidos. 401$00 (20$10). dificuldade em conseguir ou manter a erecção. ARTANE Wyeth Lederle. megacolón. 649$00 (10$80). 20. comprimidos. 100%. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade a qualquer componente. Interacções medicamentosas: Ver anticolinérgicos. 4. 30. . NORFLEX 3-M Riker. Interacções medicamentosas: Ver anticolinérgicos. 690$00 (23$00). Reacções adversas: Ver anticolinérgicos. NORFLEX 3-M Riker. Doses de manutenção de 2 a 15 mg/dia (várias administrações). • s TRI-HEXIFENIDILO Indicações terapêuticas: Ver anticolinérgicos. 60. 4. Antiparkinsónicos muscular. parestesias dos dedos. comprimidos. dose máxima 6 mg/d. 10. 100%. 20. 100%. • s BENZATROPINA Indicações terapêuticas: Ver anticolinérgicos. Reacções adversas: Ver anticolinérgicos. 100%. Reacções adversas: Ver anticolinérgicos. comprimidos. 2. Interacções medicamentosas: Ver anticolinérgicos.

Nomeadamente. dores abdominais. 100 + + 25. s LEVODOPA + CARBIDOPA SINEMET 25/100 Merck Sharp & Dohme. A proporção do inibidor da descarboxilase em relação à levodopa é variável com as formulações. a metildopa pode antagonizar o efeito terapêutico da levodopa. a utilização crónica da levodopa no contexto da doença de Parkinson está associada ao desenvolvimento de flutuações motoras e movimentos involuntários. a titulação destas formulações não é fácil e deve ser reservada a médicos com experiência no tratamento da doença de Parkinson. • que ainda hoje é o medicamento mais eficaz no controlo dos sintomas de Parkinsonismo. 100 + 25. enquanto mantém resposta sintomática. 100 + + 25. a utilização de agonistas da dopamina nas fases iniciais da doença e a utilização precoce de associações entre a levodopa e um agonista. 1 073$00 (53$60). a) Precursores da dopamina A levodopa só esta disponível comercialmente em associação com inibidores da descarboxilase dos aminoácidos. comprimidos. 200 + 50. MADOPAR HBS Roche Farmacêutica. Reacções adversas: Movimentos involuntários coreiformes ou distónicos. Nas terapêuticas iniciais deve-se utilizar a formulação com relação mais elevada (1:4). 20. incontinência urinária. salivação excessiva. midríase ou miose. alterações psiquiátricas. Existem formulações de libertação controlada de levodopa mais inibidor da descarboxilase dos aminoácidos que apresentam algumas vantagens em doentes que já têm flutuações motoras de fim de dose ou naqueles que têm problemas de mobilidade nocturna. comprimidos. de forma a possibilitar a redução das doses daquela. 60. 30. e devem ser utilizadas apenas por especialistas.4. enfarte miocárdico com arritmias associadas. asma brônquica. úlcera péptica. Posologia: Inicialmente a dose deve ser lentamente titulada até dose diária de levodopa de 300 mg. mas a associação da levodopa a um inibidor da descarboxilase dos aminoácidos (carbidopa ou benzerazida) praticamente abole esse tipo de reacções adversas. visão turva. A dose máxima é de 1500 mg. vómitos. náuseas. 1 344$00 (44$80). 200 + 50. comprimidos. agranulocitose. em doentes já previamente medicados. falência renal ou hepática graves. diarreia. até à data são meramente empíricas. anemia hemolítica. melanoma maligno. o que tem determinado a defesa de várias estratégias para minimizar a exposição dos doentes a estes inconvenientes. leucopenia. crises oculogiras. s LEVODOPA + BENSERAZIDA MADOPAR 250 Roche Farmacêutica. 100%. 1 095$00 (36$50). Antiparkinsónicos trombocitopénia. blefarospasmo. SINEMET 25/100 Merck Sharp & Dohme. doenças endócrinas. 20.70 Capítulo 2 | 2. depressão. hepatotoxicidade. 100%. Apesar de ser o medicamento mais eficaz no tratamento dos sintomas. Interacções medicamentosas: A associação com outros fármacos anti-parkinsónicos produz geralmente efeitos sinérgicos positivos. a associação com antihipertensores pode produzir um efeito hipotensor excessivo. cápsulas. enfisema. 2 487$00 (41$40). . 30. os anestésicos podem causar arritmias (a medicação deve ser suspensa 12h antes da cirurgia) . hipotensão ortostática. xerostomia. Actualmente a levodopa isolada já não está no mercado. patologia psiquiátrica. perda de peso. 100%. arritmias cardíacas. 1 042$00 (52$10). priapismo. • s LEVODOPA + INIBIDOR DA DESCARBOXILASE DOS AMINOÁCIDOS Indicações terapêuticas: Doença de Parkinson e outros Parkinsonismos. diplopia. Inicialmente a utilidade da levodopa estava limitada pelo espectro florido de reacções adversas periféricas que induzia. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade a qualquer dos componentes. sonhos perturbantes. frequência ou retenção urinária. No entanto. 100%. euforia. fadiga. glaucoma de angulo fechado. alteração do gosto. comprimidos. ansiedade. 100%. A associação com anti-epilépticos. flebites. benzodiazepinas ou antipsicóticos reduz o efeito terapêutico da levodopa. MADOPAR 250 Roche Farmacêutica. Nenhuma destas estratégias tem utilidade comprovada. As formulações de libertação controlada são de utilização difícil.

rash. 2 818$00 (47$00). • s AGONISTAS DA DOPAMINA Indicações terapêuticas: No tratamento sintomático da doença de Parkinson. pramipexole). 4 344$00 (72$40). 20. 2 046$00 (102$30). comprimidos. Interacções medicamentosas: Antagonistas da dopamina. Os agonistas da dopamina podem ainda ser classificados em ergolínicos e não ergolínicos (ropinirole. Pensou-se que esta diferença química fundamental tivesse uma tradução no perfil de segurança destas duas subclasses mas os dados obtidos em ensaios clínicos não confirmaram essa hipótese. PARLODEL Novartis Farma. Antiparkinsónicos SINEMET 25/250 Merck Sharp & Dohme. A dose máxima diária estudada em ensaios clínicos e toxicológicos é de 5 mg. 100%. 100%. comprimidos. Os agonistas da dopamina partilham um perfil de segurança que pode ser considerado típico da classe mas diferem. 3 517$00 (175$80). 705$00 (14$10). . 100%. quer em monoterapia. comprimidos. 100%. 2. PARLODEL Novartis Farma. confusão. D5 e a afinidade dos diferentes agonistas para os vários receptores da dopamina não é idêntica. 250 + + 25. 20. 60.2. todos estão indicados como terapêutica adjuvante da levodopa. diarreia. rinite. sonolência. 7 011$00 (233$70). Actualmente estão descritos 5 receptores diferentes da dopamina: D1. 100%.25. 100%. depressão. alterações da visão e edema periférico. 5 109$00 (85$20). comprimidos. 50. s PERGOLIDE Indicações terapêuticas: Terapêutica adjuvante da levodopa na doença de Parkinson. Contra-indicações e precauções: Ver agonistas da dopamina. comprimidos. PARLODEL Novartis Farma. Pensa-se que estes diferentes perfis de afinidades se possam traduzir por diferentes perfis de acção clínica. 1.05. 100%. alucinações. Reacções adversas: Ver agonistas da dopamina. D4. As doses máximas são muito variáveis (podem atingir 120 mg mas na maioria dos casos são de 30 mg). comprimidos. 20. cefaleias. pelo menos nos derivados ergolínicos. 720$00 (72$00). SINEMET CR Merck Sharp & Dohme. comprimidos. dor torácica. 100%. Posologia: A dose inicial deve ser baixa (por ex: 1. xerostomia. 100%. 0. Interacções medicamentosas: Ver agonistas da dopamina. entre si. 100%. comprimidos. 1 623$00 (54$10). D2. comprimidos. PERMAX Lilly Farma. A sua eficácia no controlo dos sintomas da doença de Parkinson e na melhoria das flutuações motoras associadas à levodopa está bem demonstrada. • b) Agonistas da dopamina Estes medicamentos actuam.15 mg/dia) e posteriormente titulada.5. Reacções adversas: Ver agonistas da dopamina. que ainda não foram consubstanciados em ensaios clínicos. Contra-indicações e precauções: Hipotensão sintomática. obstipação. síndroma gripal. 323$00 (16$20). 0. astenia. 200 + + 50.4.05. Contra-indicações e precauções: Ver agonistas da dopamina. 10. anorexia. 30. vómitos. na intensidade e na frequência com que determinadas reacções adversas se manifestam. Interacções medicamentosas: Ver agonistas da dopamina. PARLODEL Novartis Farma. Reacções adversas: Dor abdominal. 60. 5. comprimidos. D3. Posologia: A dose inicial deve ser baixa (por ex: 0. PERMAX Lilly Farma. comprimidos. 5. É necessário monitorizar o possível desenvolvimento de fibrose pulmonar. PARLODEL Novartis Farma. • 71 s BROMOCRIPTINA Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático da doença de Parkinson. 50.5. náuseas. 100%. discinésias. 30. 60. dispneia. 10. a nível dos receptores da dopamina. quer como adjuvante da levodopa. PERMAX Lilly Farma. Alguns estão indicados em monoterapia. 0. 2 827$00 (56$50).25 mg/dia) e posteriormente titulada. distonia. metoclopramida. 2. como o nome indica. PERMAX Lilly Farma.

Antiepiléticos e anticonvulsivantes aguardando-se a conclusão de estudos em curso sobre o mecanismo da hepatotoxicidade. perturbações gastrintestinais. hipertensão e excitabilidade do SNC com antidepressivos SSRI. Epilepsia. gravidez. gravidez (toxicidade demonstrada nos animais). Evitar a suspensão brusca da medicação. visão turva. xerostomia. vómitos. 20. Interacções medicamentosas: Anticolinérgicos. Contra-indicações e precauções: Úlcera gástrica e duodenal. 20. É um fármaco útil no tratamento da influenza tipo A. aleitamento. 406$00 (20$30). Dadas as deficiências metodológicas não é possível por agora saber se há um risco de morte aumentado nos doentes medicados com esta associação. insónia. psicose. alucinações. confusão. hipertensão não controlada. 100. Posologia: 10 mg/d. coma). 100%. Dose máxima cerca de 600 mg/dia. estomatite. náuseas. PARKADINA Lab. Antiepilépticos e anticonvulsivantes Medicamentos com acção anti-epiléptica/anticonvulsivante A epilepsia é uma doença polimórfica que se caracteriza pela recorrência periódica de crises epilépticas com ou sem convulsões. Interacções medicamentosas: Petidina (hiperpirexia. edema periférico. leucopénia. retenção urinária. Reacções adversas: Obstipação. Existem actualmente dois inibidores da COMT que mostraram ser úteis na redução das flutuações motoras dos doentes com doença de Parkinson. 988$00 (16$50). Posologia: 200 mg/dia (2 administrações). cãibras. 2. 2 203$00 (110$20). As crises epilépticas também são objecto de uma classificação que é particular- . aumento das transaminases. o que tem utilidade demonstrada em ensaios clínicos no controlo das flutuações motoras de fim de dose. A classificação das várias formas de epilepsia é complexa e a sua sistematização está fora do âmbito deste prontuário. Basi. hipotensão. • Indicações terapêuticas: Doença de Parkinson. agitação. • d) Inibidores da catecol-orto-metil-transferase (COMT) A inibição da COMT é outra forma de prolongar o tempo de permanência da dopamina na sinapse. tonturas. JUMEX Novartis Farma. s SELEGILINA s AMANTADINA Indicações terapêuticas: No tratamento sintomático da doença de Parkinson. diarreia. depressão. Em 1995 foram publicados os resultados de um ensaio sugerindo que associação da levodopa com a selegilina poderia aumentar o risco de morte. os efeitos próprios da levodopa podem ser exacerbados. quer em monoterapia. c) Inibidores selectivos da monoaminoxidase tipo B A inibição da MAO B permite prolongar a permanência da dopamina na sinapse. náuseas. Contra-indicações e precauções: Insuficiência renal ou hepática. 5 606$00 (93$40). convulsões. amamentação. quer como adjuvante da terapêutica com levodopa. JUMEX Novartis Farma. comprimidos. confusão. 100%.5.5. O tolcapone mostrou ser hepatotóxico e a sua comercialização encontra-se actualmente suspensa. reacções cutâneas. cápsulas. 60. 100%. 100. rash. 60. Influenza tipo A. ulcera gástrica. PARKADINA Lab. livedo reticular. comprimidos.72 Capítulo 2 | 2. Reacções adversas: Anorexia. cefaleias. a dose de levodopa pode ter que ser reduzida. Basi. recentemente descobriu-se que a amantadina é eficaz no controlo das discinésias na doença de Parkinson e que este efeito é provavelmente dependente da actividade antiglutamatérgica. angina de peito. dores articulares. 5. insuficiência cardíaca congestiva (pode exacerbar o edema). lombalgias. arritmias. 100%. irritabilidade. e) Outros A amantadina é um fármaco antigo cujo mecanismo de acção nunca foi bem esclarecido e cuja descoberta para a doença de Parkinson foi ocasional. psicose. cápsulas. o tolcapone e o entacapone. hidroclorotiazida + triamtereno (diminui a excreção urinária de amantadina). 5.

É abusivo reclamar acção anti- 73 epiléptica para uma determinada benzodiazepina que não demonstrou possuir especificamente esse efeito. Este excesso de excitabilidade propaga-se localmente originando crises parciais. No entanto sabe-se que a génese das crises epilépticas esta relacionada com a instabilidade eléctrica das membranas celulares de um ou mais neurónios. as parciais e as generalizadas tonico-clónicas. ou globalmente. O diazepam. oxicarbamazepina). Se não se conseguir o controlo da situação clínica com o fármaco escolhido deve ser considerado outro fármaco. primidona). O tratamento da epilepsia deve obedecer a princípios gerais que se sintetizam a seguir: 1. nomeadamente: alterações da condutância do potássio. O conjunto dos medicamentos anti-epilépticos divide-se nos seguintes grupos: fenitoínas. O fármaco com a melhor potencial relação risco-benefício deve ser escolhido em função das características das crises e do doente. de tipo T. 4. isto é. quer por potenciar a transmissão inibitória mediada pelo ácido gama-aminobutírico (GABA). as especialidades farmacêuticas cujo princípio activo é o ácido g- . oxazolidinedionas (trimetadiona). A dose do medicamento escolhido deve ser titulada até ao controlo das crises ou até surgirem sinais de intolerância. actuam quer por promover o estado inactivado dos canais de sódio. O doseamento dos níveis plasmáticos é um instrumento útil neste processo. succinimidas (etosuximida). Os medicamentos eficazes no controlo das crises mais comuns. iminostilbenos (carbamazepina. Os mecanismos de acção dos medicamentos anti-epilépticos podem ser sistematizados em 3 categorias principais. 3. lamotrigina. como é o caso das ausências. clorazepato de potássio) e outros (gabapentina. as crises epilépticas classificam-se em parciais (quando têm um início localizado/focal). clonazepam. não-classificadas e estado de mal (crises prolongadas parciais ou generalizadas sem recuperação entre as crises). As parciais ainda podem ser simples (sem perturbação da consciência). Assim. As associações medicamentosas só deverão ser consideradas quando a monoterapia insistentemente tentada não resultou. barbitúricos (fenobarbital. Os mecanismos fisiopatológicos das crises epilépticas ainda não foram completamente esclarecidos. acetazolamida e felbamato). Todas as benzodiazepinas serão apresentadas no capítulo dos ansiolíticos-hipnóticos. Antiepiléticos e anticonvulsivantes mente relevante para a escolha da terapêutica medicamentosa anti-epiléptica. Noutros países existem a mefenitoína e a fosfenitoína. vigabatrina. Deve notar-se. benzodiazepinas (diazepam. A causa do aumento da condutividade da membrana tem sido atribuída a diferentes mecanismos moleculares. Neste caso o novo fármaco deve ser titulado enquanto que o fármaco utilizado primariamente deve ser descontinuado de forma progressiva. ácido valproico/valproato de sódio. podendo mesmo agravá-los. Os medicamentos úteis no controlo das crises menos frequentes. A acetazolamida é um diurético do grupo dos inibidores da anidrase carbónica e será tratado no grupo respectivo. generalizadas. Alguns medicamentos estão indicados apenas num tipo de crise e não noutros.5. Existem vários grupos de medicamentos que demonstraram ser eficazes no controlo de diferentes formas de epilepsia. 2. a acetazolamida e o piracetam têm acção em tipos específicos de epilepsias. Assim. De uma forma geral o efeito ansiolítico das benzodiazepinas é útil no tratamento de doentes epilépticos mas esta circunstância não é suficiente para justificar a classificação das mesmas como medicamentos anti-epilépticos.2. originando crises generalizadas. A fenitoína ou hidantina é o fármaco protótipo do grupo das fenitoínas e em Portugal o seu único representante. isto é. as formulações medicamentosas com 2 ou mais princípios activos NUNCA devem ser utilizadas no tratamento da epilepsia. complexas (com perturbação da consciência) ou com generalização secundária. Por lapso. Sempre que possível deve persistir-se na monoterapia. o clonazepam e o clorazepato de potássio acima mencionados cumprem o requisito de terem uma acção anti-epiléptica específica. que é um pro-fármaco da fenitoína de administração parentérica. Além dos medicamentos acima mencionados. defeito nos canais de cálcio dependentes da voltagem ou uma deficiência nas ATPases membranares necessárias ao transporte iónico. interferem com os canais de cálcio dependentes da voltagem. houve especialidades farmacêuticas que foram classificadas como medicamentos anti-epilépticos e que surgem nesse capítulo em publicações várias. todos passíveis de modificação farmacológica. 5. O piracetam têm efeito terapêutico em doses elevadas (20 mg/dia) no tratamento das mioclonias de causa anóxica (ver em Outros). As associação fixas de medicamentos. que tal como nem todos os barbitúricos têm uma acção anti-epiléptica específica. A eficácia da terapêutica anti-epiléptica depende em parte do tipo de crises. a maioria das benzodiazepinas também a não tem.

comp. ausências ou crises de tipo misto. Antiepiléticos e anticonvulsivantes máxima de 2. 145 + 333. redução do efeito dos anticoagulantes. a pele e o sistema nervoso central. Tem também acção sobre o humor nas psicoses maníaco-depressivas e pode ser útil na profilaxia da enxaqueca. DEPAKINE CHRONO 300 Sanofi Winthrop. porfíria. 87 + 199. redução do efeito dos anticonceptivos orais. Em injecção endovenosa lenta ou em infusão as doses diárias são semelhantes às descritas para a via oral. preferencialmente após a ingestão de alimentos. comp. acção prolongada. Contra-indicações e precauções: Doença hepática ou disfunção hepática significativa.5 g/dia.74 Capítulo 2 | 2. Os diferentes medicamentos com acção antiepiléptica estão associados a reacções adversas. s ÁCIDO VALPROICO E VALPROATO DE SÓDIO Indicações terapêuticas na epilepsia: em monoterapia ou como terapêutica adjuvante no tratamento de crises parciais complexas. cada 3 dias até à dose s CARBAMAZEPINA Indicações terapêuticas na epilepsia: crises parciais e crises tónico-clónicas secundariamente generalizadas. Sob controlo dos níveis plasmáticos pode-se atingir a dose de 40 mg/kg/d. com o ácido acetilsalicílico. particularmente nas crianças com menos de 2 anos que tomam mais do que um anti-epiléptico. algumas específicas de molécula. pelo que não deve ser praticada. 3 448$00 (57$50). como estabilizador do humor nas psicoses maníaco-depressivas. podendo desencadear ou agravar situações de glaucoma. a dose pode ser aumentada ao ritmo de 200 mg/d.8. 1 352$00 (67$60). acção prolongada. que têm alterações metabólicas congénitas. Outras reacções adversas estão descritas. Reacções adversas: A reacção adversa potencialmente mais grave é a hepatotoxicidade. acção prolongada. 60. dipiridamol e varfina há risco de hemorragia. DEPAKINE CHRONO 300 Sanofi Winthrop. pelo menos nos primeiros seis meses. os salicilatos e a cimetidina podem aumentar os níveis de ácido valproico. hipersensibilidade ao ácido valproico. Aliás qualquer destas substâncias não têm utilidade terapêutica inequivocamente demonstrada. Nas crianças com mais de 20 Kg a dose inicial pode ser de 400 mg/dia podendo atingir os 35 mg/kg/d.8. Interacções medicamentosas: O álcool e outros depressores do SNC potenciam os efeitos depressores. A dose mediana é 1 a 2 g/d (20 a 30 mg/kg). o verapamil e a eritromicina podem aumentar os níveis de carbamazepina. outras específicas de classe. A mesma acção anticolinérgica pode desencadear síndromas confusionais em doentes idosos. comp. • -amino-butírico (GABA) ou o ácido g-hidroxi-amino-butírico (GABOB) ou que contenham estas substâncias NÃO devem ser utilizadas como anti-epilépticos porque não têm eficácia comprovada. Reacções adversas: Estão descritas numerosas reacções adversas relacionadas essencialmente com o tubo digestivo. Salienta-se pela sua gravidade o risco de anemia aplástica e agranulocitose que é cerca de 5 a 8 vezes superior ao da população não tratada. 60. 100%. 100%. as reacções cutâneas de base imunológica podem ser graves. a colestiramina reduz a absorção. Nas crianças com menos de 20 k g a dose pode atingir 20 mg/kg/d distribuída por várias administrações. com clonazepam podem precipitar-se crises de ausências. 20. história de depressão da medula óssea. É de salientar que para qualquer anti-epiléptico a interrupção brusca da administração pode desencadear crises ou mesmo estado de mal. nevralgia do trigémeo. Interacções medicamentosas: As concentrações séricas dos outros anticonvulsivantes podem ser reduzidas. Deve fazer-se controlos hematológicos antes e durante o tratamento. De salientar que a carbamazepina tem também acção anticolinérgica. que apresentam epilepsias graves ou que têm lesões cerebrais orgânicas. Posologia: Dose inicial: 600 mg/d em 2 administrações. 100%. DEPAKINE CHRONO 500 Sanofi Winthrop.5. 5 407$00 (90$10). de que se salienta as náuseas e vómitos pela sua frequência e a trombocitopénia pela potencial gravidade. A função hepática deve ser avaliada antes do início da medicação e posteriormente a intervalos curtos. Contra-indicações e precauções: Alterações da condução auriculo-ventricular não controladas por pacemaker. outros anticonvulsivantes e os barbitúricos sofrem aumento dos seus níveis plasmáticos com risco de toxicidade. 87 + 199. a .

100%. 50. 100. 100%. • s FENITOÍNA + FENOBARBITAL + METILFENOBARBITAL Indicações terapêuticas: Esta associação medicamentosa NÃO deve ser utilizada na clínica. de 1 a 5 anos 200-400 mg. disfunção hepática e porfíria. 400. comprimidos. Vitória. 200. 60. 20. 20. 100%. Vitória.2. 100%.6 a 1g. os tuberculostáticos reduzem os seus níveis. o omeprazol e a s FENITOÍNA + FENOBARBITAL + VITAMINA C Indicações terapêuticas: Esta associação medicamentosa NÃO deve ser utilizada na clínica. o cloranfenicol. 266$00 (13$30). TEGRETOL Novartis Farma. 60. TEGRETOL CR Novartis Farma. os outros anticonvulsivantes podem aumentar ou diminuir os seus níveis. 100%. 100%. TEGRETOL CR Novartis Farma. de 10 a 15 anos 0. Nas crianças dose inicial 5 mg/kg/d em 2 administrações até à dose máxima de 300 mg. o sistema endócrino e o sistema nervoso central. comprimidos. Dose inicial nos adultos 300 mg/d em 1 ou 2 administrações. comprimidos. associação. 181$00 (9$10). comprimidos. Contra-indicações e precauções: Gravidez (a teratogenicidade está demonstrada). 200. Deve salientar-se as seguintes reacções adversas: hirsutismo. 674$00 (11$20). dos anticonceptivos orais e da nisoldipina. Nevralgia do trigémeo. estado de mal-epiléptico. de 5 a 10 anos 400-600 mg. 100%. Nas crianças a dose máxima diária é: até 1 ano 100-200 mg. sol. Interacções medicamentosas: O álcool diminui os efeitos da fenitoína. • s FENITOÍNA Indicações terapêuticas na epilepsia: nas crises parciais e nas crises tónico-clónicas. 1 535$00 (25$60). 60. 2 456$00 (40$90). Na nevralgia do trigémeo: dose diária inicial de 200 mg até à dose máxima de 1 200 mg. 845$00 (4$20). 2 456$00 (40$90). Interacções medicamentosas: As dos componentes. HIDANTINA COMPOSTA Lab. TEGRETOL Novartis Farma. 585$00 (29$20). 200 ml. Posologia: Deve salientar-se que a fenitoína tem um cinética não linear o que torna a titulação da dose delicada (pequenos incrementos podem determinar grandes elevações dos níveis séricos). 674$00 (13$50). Vitória. 200. Interacções medicamentosas: As dos componentes. 1 535$00 (25$60). comprimidos. . comprimidos. Reacções adversas: Está descrita um elevado número de reacção adversas relacionadas essencialmente com o tubo digestivo. hiperplasia gengival. comp. associação. HIDANTINA Lab. disfunção hepática e síndroma semelhante ao lúpus eritematoso. a amiodarona. associação. TEGRETOL Novartis Farma. 252$00 (8$40). HIDANTINA COMPOSTA Lab. comprimidos. Contra-indicações e precauções: As dos componentes. 400. TEGRETOL Novartis Farma. Contra-indicações e precauções: As dos componentes. aumenta o metabolismo dos corticosteróides. 20. • s FENOBARBITAL Indicações terapêuticas: Todos os tipos de crises excepto ausências. Reacções adversas: A dos componentes. oral. excepcionalmente a dose de 1 600 mg/d pode ser usada em adultos.5. a fenitoína pode aumentar a absorção e o metabolismo dos anticoagulantes. Posologia: Na epilepsia: dose inicial de 400 mg/d distribuída por pelo menos 2 administrações e que pode ser aumentada em incrementos de 200 mg/d em cada semana até ao máximo de 1 200 mg/d. 100. 100%. comprimidos. 100%. revestidos. 20. dose máxima 600 mg. COMITAL L Bayer Portugal. comprimidos. 60. HIDANTINA Lab. associação. 20. 266$00 (13$30). 60. • 75 ticlopidina aumentam os níveis de fenitoína. Vitória. 100%. 100%. comp. 30. revestidos. COMITAL L Bayer Portugal. Antiepiléticos e anticonvulsivantes nefazodona aumenta os níveis de carbamazepina. Reacções adversas: A dos componentes. 100%.

1 750$00 (8$80). Salienta-se o desenvolvimento de tolerância e/ou dependência física ou psicológica. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade ao fármaco. a griseofulvina diminui a sua absorção. Alterações da capacidade de conduzir máquinas. ataxia. Bial. GABOMADE Lab. dose máxima diária 600 mg. 10. 100%. Não deve ser utilizado. 100%. 400. 250.76 Capítulo 2 | 2. 100. 100%. particularmente relativas ao sistema nervoso central. NEURONTIN Warner-Lambert. 190$00 (9$50). Antiepiléticos e anticonvulsivantes gabapentina interfere com os anticonceptivos orais. 100%. 300. GABOMADE Lab. Contra-indicações e precauções: Vidé indicações terapêuticas. a dose terapêutica deve ser titulada aproximadamente 300 mg por cada 24h. tonturas. 100%. 20. a dose diária total pode ser dividida em 2 ou 3 administrações. Bial. 100. cápsulas. 100. Contra-indicações e precauções: Vidé indicações terapêuticas. A dose máxima é de 2 400 mg/d. Posologia: A dose efectiva varia entre 900 e 1800 mg/d. 50. comprimidos. 432$00 (7$20). 1 517$00 (25$30). 250. 60. BIALMINAL Lab. diplopia. comprimidos. 100%. 526$00 (8$80). 83$00 (2$80). 60. LUMINALETAS Bayer Portugal.5. Reacções adversas: Vidé indicações terapêuticas. BIALMINAL FORTE Lab. Por via parentérica (im ou iv) até 320 mg cada 6h no estado de malepiléptico. 100. 83$00 (8$30). sol. 100%. Esfar. 50. o fenobarbital pode reduzir a absorção e os efeitos dos anticoagulantes. • como ansiolítico e hipnótico (actualmente são indicações com pouca utilidade). GABOMADE Lab. GAMIBETAL Seber Portuguesa. As doses iniciais devem ser administradas ao deitar para minimizar as reacções adversas. 200 ml. NEURONTIN Warner-Lambert. 100%. Bial. FENOBARBITAL UNITAS Lab. sol. por via oral. por via oral. 703$00 (7$0). oral. Interacções medicamentosas: Vidé indicações terapêuticas. comprimidos. Posologia: Vidé indicações terapêuticas. outros anticonvulsivantes e digitoxina. Reacções adversas: Vidé indicações terapêuticas. aumenta o metabolismo dos corticosteróides. nistagmo. 675$00 (33$80). 100%. • s GABAPENTINA Indicações terapêuticas: Como terapêutica adjuvante no tratamento das crises parciais com ou sem generalização em adultos. a s GABOB + EXTRACTOS VEGETAIS Indicações terapêuticas: Este medicamento NÃO é um anti-epiléptico. 100%. nas crianças 4 a 6 mg/kg/d. nem tem quaisquer indicações terapêuticas em que a eficácia clínica esteja demonstrada. comprimidos. ambliopia e tremor. Não deve ser utilizado. comprimidos. 60. 20. 8 313$00 (166$30). comprimidos. 100%. Reacções adversas: Grande número de manifestações. Esfar. fadiga. 6 351$00 (127$00). doença respiratória com dispneia ou obstrução evidente. comprimidos. cápsulas. oral. 30. Posologia: Adultos: até 200 mg/d. 60. disfunção hepática. Nas crianças 3 a 6 mg/kg/d. Esfar. • s GABOB Indicações terapêuticas: Este medicamento NÃO é um anti-epiléptico nem tem quaisquer indicações terapêuticas em que a eficácia clínica esteja demonstrada. anticonceptivos orais. 100 ml. 250. GAMIBETAL Seber Portuguesa. medicação pré-anestésica. Reacções adversas: Sonolência. 200. rinite. Interacções medicamentosas: Os antiácidos e a cimetidina interferem com a gabapentina. em 3 ou 4 administrações ou numa administração única nocturna. 50. Contra-indicações e precauções: Porfíria. Interacções medicamentosas: O álcool e outros depressores do SNC potenciam os efeitos depressores. LUMINAL Bayer Portugal. . os antidepressores podem agravar os efeitos adversos do fenobarbital. 15. 1 251$00 (20$80). 100%. comprimidos.

rash cutâneos . 1 g. 40%. xarope. náusea.5. nistagmo. 20 cart.2 g. sonolência. 800. 40%. 40%. NOOSTAN UCB Pharma. sol. sol. NOOSTAN UCB Pharma. 1. associação. 738$00 (123$00). 1. STIMUBRAL Instituto Luso-Fármaco.. 0%. 40%. NOOSTAN UCB Pharma. Incluem ataxia. Contra-indicações e precauções: Evitar a interrupção súbita do tratamento. 60. revestidos. 40%. NOOTROPIL Vedim Pharma. Tremor essencial. 671$00 (6$70). 40%. NOOSTAN UCB Pharma. 40%. injectável. 2 942$00 (49$00). fenobarbital e feniletilmalonamida). OXIBRAN Prospa. 60. NOOTROPIL Vedim Pharma. bebíveis. injectável. ACETAR Labesfal.2 g. 1 169$00.2 g. 20. 333.6 g. comprimidos. 60. hipercinésia. 40%. 6 g. 6. 60. irritabilidade. 60. GABISEDIL PEDIÁTRICO Seber Portuguesa. Posologia: Dose inicial 7 200 mg. 100%. comp.). injectável. OXIBRAN Prospa. 1. PIRACETAM COMP REV. Farmatrading.2. 10. fadiga. 6 g. impotência. 1.2 g. 40%. sonolência. 804$00 (40$20). STIMUBRAL Instituto Luso-Fármaco. insuficiência hepática ou renal grave. ACETAR Labesfal. geralmente como terapêutica adjuvante mas também em monoterapia. 1. 728$00. perturbações emocionais. 2 009$00 (83$50). injectável. 40%. nervosismo. 894$00 (44$70). alterações da personalidade e do humor. 1. NOOSTAN UCB Pharma. sol.2 g. NOOSTAN UCB Pharma. bebíveis. 1 548$00 (25$80). depressão. diplopia. 40%. trombocitopénia. 2 091$00 (33$50). 1. 1. 40%. aumento de peso. 125. comprimidos. • 77 s PIRACETAM Indicações terapêuticas: Adjuvante do tratamento das mioclonias corticais. comprimidos. pó (cart. PIRACETAM COMP REV. amp. 1 882$00 (94$10). 40%. 40%. vómito. anemia megaloblástica. bebíveis. 60. NOOTROPIL Vedim Pharma. 120 ml. Reacções adversas: As dos barbitúricos em geral (a primidona é transformada em 2 metabolitos principais. 783$00 (130$50). 1 863$00 (15$50). PIRACETAM COMP REV.2 g. 1 645$00 (27$40). NOOSTAN UCB Pharma. 20. comprimidos. 40%. 1 g. comprimidos. 697$00 (34$80). Incrementos de 4800 mg cada 3 dias até dose máxima aproximada de 20 g. vertigem. comprimidos. Antiepiléticos e anticonvulsivantes Interacções medicamentosas: Vidé indicações terapêuticas. 20. injectável. STIMUBRAL Instituto Luso-Fármaco. 1. comp. 2 094$00 (34$90). OXIBRAN Prospa. Interacções medicamentosas: Não relevantes. 800. 40%. 1 890$00 (31$50). 800. em 2 a 3 administrações. amp. 20. 12 g. 333. 40%. 1 271$00 (10$60). sol. Ratiopharma. oral. 519$00 (51$90). comprimidos. 1 g. comprimidos. 100 ml. anorexia. insónia. 60. 40%. 20. 40%. Posologia: Vidé indicações terapêuticas. 1 760$00 (88$00). 40%. 1. 1 402$00 (70$10). paranóia. NOOTROPIL Vedim Pharma. 1. oral.2 g. sol. sol. 20. revestidos. 6. STIMUBRAL Instituto Luso-Fármaco.2 g. • s PRIMIDONA Indicações terapêuticas: Todas as formas de epilepsia excepto ausências. 1 389$00 (69$40). 120 ml. Farmatrading. 1. 1 238$00 (20$60). Reacções adversas: Diarreia. 1. 125. 60. comp. 742$00. 40%. Ratiopharma. 800. 40%. 40%. rash. amp. 60. 3 173$00 (52$90). gravidez ou aleitamento.2 g. injectável. sol. PIRACETAM COMP REV. revestidos. comprimidos. sol.

evitar a interrupção súbita da medicação. Reacções adversas: Alteração dos campos visuais que pode determinar amaurose. 1 1442$00 (190$70). O controlo sintomático da vertigem é conseguido com medicamentos que bloqueiam os receptores da dopamina (neurolépticos) e/ou com antagonistas dos receptores H1 da histamina de 1ª geração. fadiga. aliás. externas ao SNC.6. Interacções medicamentosas: Os barbitúricos desenvolvem múltiplas interacções medicamentosas. 100%. 500. alterações do humor. no síndroma de West a dose inicial é de 60 a 100 mg/kg/dia podendo ser aumentada até 150 mg/kg/dia.5 a 125 mg/dia. Capítulos 6 e 15). alterações do comportamento. 60. a classificação fármaco-terapêutica que utilizamos não resolve todas as questões de ordenação como. que não existem actualmente medicamentos que tenham uma acção antivertiginosa específica. Por este motivo os tratamentos com medicamentos devem ser curtos. Antieméticos e antivertiginosos morbiliformes ou maculopapulares. descrevemos os antivertiginosos. 100%. a abordagem terapêutica da vertigem implica a correcta avaliação diagnóstica e a equação de uma abor- s VIGABATRINA Indicações terapêuticas: Como terapêutica adjuvante nas epilepsias de difícil controlo. Posologia: Em associação com outros anti-epilépticos iniciar com 1 g/dia em 1 ou 2 administrações e depois aumentar em incrementos de 500 mg. Antieméticos e antivertiginosos Como já referimos. 100%. nervosismo. Crianças: menos de 2 anos – dose máxima diária 500 mg. Conclui-se. 6-9 anos dose máxima diária 1000 mg. no entanto.8. Como é óbvio. Contra-indicações e precauções: Insuficiência renal. controlar os campos visuais. comprimidos. sonolência. a dose habitual situa-se entre 2 e 4 g/dia. Salienta-se que reduzem as concentrações de carbamazepina. que até à data não existem medicamentos com acção antivertiginosa específica. 60. ainda acrescentar que a utilização destes tratamentos sintomáticos retarda o desenvolvimento dos mecanismos fisiológicos de compensação que conduzem à resolução da vertigem. Pode ter várias causas que são pragmaticamente divididas nas que afectam o sistema nervoso central e nas periféricas. a dose máxima é 6 g/dia. A sua suspensão deve ser efectuado assim que a intensidade dos sintomas se tenha reduzido a um nível aceitável pelo doente. cristalúria. MYSOLINE Zeneca. A vertigem é uma alucinação de movimento. isto é. comprimidos. e também porque algumas acções farmacológicas. são necessárias quer para a acção antiemética quer para a acção antivertiginosa. Assim. tonturas. a utilização dos antieméticos transcende em muito o tratamento da vertigem. Interacções medicamentosas: Reduz as concentrações de fenitoína e por vezes também as de fenobarbital e as de primidona. 625$00 (10$40). particularmente o bloqueio dos receptores dopaminérgicos. Todos os medicamentos utilizados neste contexto são descritos noutros capítulos (V. clonazepam. No entanto. Nas crianças a dose inicial é de 40 mg/kg/dia que pode ser incrementada até 80 a 100 mg/kg/dia. Em monoterapia no tratamento da síndroma de West (espasmos infantis). • . 250. anti-histamínicos-Capítulo 10 e antipsicóticos – secção 2. Deve-se. isto é. de forma a ser possível iniciar um programa de reabilitação física (exercícios vestibulares) que é a terapêutica mais eficaz .2. idosos. 2-5 anos – dose máxima diária 750 mg. revestidos. Posologia: A dose máxima diária no adulto é de 1. Salientamos. Por isso. aqueles que penetram significativamente a barreira hemato-encefálica. irritabilidade. 250. 20. MYSOLINE Zeneca.78 Capítulo 2 | 2. agitação. O aparecimento recente de medicamentos com novos mecanismos de acção (bloqueadores dos receptores 5-HT3 da serotonina) leva a que seja considerado mais apropriado discutir os antieméticos também em outros capítulos (V. quadros confusionais.6. Importa ainda distinguir vertigem de tontura e/ou instabilidade da marcha. já que a vertigem se acompanha de náuseas e vómitos. • 2. hipersensibilidade ao fenobarbital. A dose de manutenção deve ser atingida através de uma titulação lenta com incrementos de 62. assim. comp. deste capítulo) com excepção da beta-histidina. nenhum sistema classificativo o faz. etosuximida e aumentam as concentrações de valproato .5 g. este grupo de medicamentos pretende incluir os antieméticos e os antivertiginosos porque na clínica estes 2 tipos de medicamentos são frequentemente utilizados simultaneamente. 246$00 (12$30). distribuída em 3 administrações. SABRIL Marion Merrel. Contra-indicações e precauções: Porfíria. depressão. lamotrigina. fenitoína.

uma vez que não existe evidência científica que demonstre qualquer utilidade. No entanto. nomeadamente ansiedade. Por outro lado. 79 s BETA-HISTIDINA Indicações terapêuticas: Vertigem de causa periférica. Abusivamente. quimicamente diferentes das benzodiazepinas (zopiclone e zolpidem). 16. 20. de algumas associações fixas dirigidas ao tratamento da dor ou da sintomatologia das síndromas gripais. BETASERC Solvay Farma. azopironas (buspirona). no entanto.2. 2. A cafeína é também um estimulante do SNC e não está licenciada como especialidade farmacêutica enquanto princípio isolado. Esta denominação refere-se aos estimulantes de acção não selectiva sobre o sistema nervoso central. mas que actualmente são considerados sem utilidade terapêutica. os medicamentos mencionadas como anti-vertiginosos pretendem minimizar os sintomas de vertigem mas não são um tratamento etiológico. dose de manutenção: 24 a 48 mg/dia em 3 administrações. muitos dos medicamentos habitualmente utilizados no tratamento das disfunções cognitivas inespecíficas do idoso são «arrumados» neste sub-grupo dos analépticos.8.8. o que aumenta significativamente o risco de iatrogenia. Analépticos A designação analéptico é mais um anacronismo da actual classificação fármaco-terapêutica. 40%. Faz parte. Acrescenta-se que neste contexto não há qualquer justificação para utilização de especialidades farmacêuticas constituídas por associações fixas de princípios activos. De facto a dose de cafeína necessária para potenciar o efeito analgésico nunca é atingida nessas associações. • pêuticas específicas (algumas formas de síndroma de hiperactividade nas crianças e narcolepsia no adulto) não estão licenciadas em Portugal. mas a presença da cafeína pode desencadear reacções adversas. alguns extractos de plantas cujo mecanismo de acção não está elucidado . usados com a intenção de estimular o impulso respiratório em doentes com depressão do SNC. também estes estão suspensos por razões de segurança. são derivados das anfetaminas e consequentemente estimulantes do SNC. incluindo síndroma de Meniére. Interacções medicamentosas: Os antagonistas dos receptores H1 da histamina interferem negativamente com a acção terapêutica. A sua utilização restringe-se a consultas de especialidade mediante importação directa pelas farmácias hospitalares. primários ou secundários e/ou a indução ou manutenção do sono. O protótipos dos estimulantes do SNC são as anfetaminas que apesar de terem indicações tera- 2. 833$00 (41$60). 1 969$00 (32$80). Contra-indicações e precauções: A beta-histidina é um análogo da histamina: a sua administração a doentes asmáticos ou com úlcera péptica ou antecedentes de doença péptica não é recomendada. novas substâncias. Psicofármacos 2. BETASERC Solvay Farma. comprimidos. Psicofármacos dagem etiológica. Costuma considerar-se. em especial na população idosa. Como já dissemos. Embora a utilização desses medicamentos nessa hipotética indicação seja desaconselhada. 16.8. as benzodiazepinas.7. detalhamos algumas das suas características no subcapítulo: outros. Este erro conduz à manutenção de tratamentos com medicamentos com acção anti-dopaminérgica e sedativos. cuja utilização é desaconselhada. hipnóticos Nesta secção descrevem-se os medicamentos que têm como principal indicação o tratamento dos síndromas de ansiedade. A avaliação da sua relação risco/benefício à luz de novos dados obtidos pelos sistemas de farmacovigilância europeus determinará se serão definitivamente retirados do mercado ou re-introduzidos. 40%. Ansiolíticos. Os medicamentos indicados como anoréxigenos. neste grupo os estimulantes respiratórios. a tontura e/ou instabilidade da marcha são semiologicamente diferentes da vertigem e os doentes que delas sofrem não devem ser medicadas como se de vertigens se tratasse.1. ainda. duvidando-se que tenham uma acção específica sobre a inibição do apetite. 60. cefaleias e rash cutâneos. palpitações e insónia. Diferentes grupos farmacológicos têm estas acções: os barbitúricos. se exceptuarmos a dextrofenfluramina (isomeride) que recentemente foi retirada do mercado pelos fabricantes com base na suspeita de a sua utilização poder estar associada ao desenvolvimento de valvulopatias cardíacas. Posologia: Dose inicial: 48 mg/dia distribuídas em 3 administrações. comprimidos. sedativos. Reacções adversas: Perturbações gastrintestinais.

Está contra- . associação. em cuja composição entram barbitúricos. Contra-indicações e precauções: A condução de máquinas pode ser perturbada. mas o riscos determinados pela possibilidade de depressão grave do SNC indo até coma e morte e a existência de alternativas mais seguras (benzodiazepinas) faz com que a sua utilização deva ser diminuta e reservada a casos especiais (insónia refractária) . anorexia. Reacções adversas: As dos barbitúricos e da hidroxizina. 121$00 (20$20). • s BROMO-GLUTARATO DE MAGNÉSIO b) Brometos. Além desta posição de caracter geral salienta-se ainda a existência de associações fixas de princípios activos cuja utilidade terapêutica não está demonstrada e que colocam particulares problemas de segurança. BROMIDIA Estab. xarope. 90$00 (1$50). Psicofármacos cos do SNC e existem alternativas com eficácia igual ou superior e melhor tolerabilidade. já a associação de dois barbitúricos com a hidroxizina carece de racionalidade terapêutica e de evidência científica. Há ainda o risco de intoxicação crónica por brometos. comprimidos. têm acção anti-epiléptica (V. sol. Em Portugal estão comercializadas duas especialidades farmacêuticas. injectável. 10. hidrato de cloral. Interacções medicamentosas: Potenciação de qualquer medicamento com efeito depressor do SNC. (valeriana). como os brometos e o hidrato de cloral. Interacções medicamentosas: A dos componentes da associação. anorexia. anti-epilépticos) e outros. confusão mental. Interacções medicamentosas: As dos barbitúricos e da hidroxizina. Barral. são utilizados em anestesia. 60 ml. com indicação no tratamento da ansiedade e insónia. Reacções adversas: Sonolência. com estruturas químicas diversas mas que provocam depressão do SNC dependente da dose. obstipação. Contra-indicações e precauções: As dos barbitúricos e da hidroxizina. pelo o que seu uso é desaconselhado. Reacções adversas: Sonolência. • s BROMO GLUCONATO DE CÁLCIO Indicações terapêuticas: Ver introdução. insuficiência renal. hoje obsoletos. e medicamentos. com acção ansiolítica e hipnótica. obstipação. Contra-indicações e precauções: A dos componentes da associação. VESPARAX UCB Pharma. BROMOCALCIUM Estab. 6. 40%. Reacções adversas: A dos componentes da associação. 309$00 (30$90). Ambas as especialidades farmacêuticas são associações fixas de princípios activos. confusão mental. Contra-indicações e precauções: A condução de máquinas pode ser perturbada. Alguns barbitúricos. Há ainda o risco de intoxicação crónica por brometos. os de longa duração de acção. 40%. reacções cutâneas. s BROMETO DE K + EXTRACTOS DE MEIMENDRO + HIDRATO DE CLORAL Indicações terapêuticas: A utilização desta associação é desaconselhada. Posologia: A dose diária de bromo não deve exceder 10 mg/kg/dia. os de acção curta. reacções cutâneas. Risco de interacção com os digitálicos. etomidato e meprobamato Nesta secção arrumam-se várias substâncias com estruturas químicas diferentes.8. a) Barbitúricos Os barbitúricos são medicamentos eficazes como ansiolíticos ou hipnóticos. cuja utilização não é aconselhada porque são depressores inespecífi- Indicações terapêuticas: Ver introdução. A associação amobarbital com secobarbital é uma associação justificável. • s BRALOBARBITAL + HIDROXIZINA + SECOBARBITAL Indicações terapêuticas: A utilização desta associação está desaconselhada. Está contraindicado na gravidez e aleitamento. 40%. 50 + 50 + 50. Vigiar o ritmo cardíaco. 1 g. Barral.80 Capítulo 2 | 2.

A tabela I sumaria as características das várias benzodiazepinas. adjuvante da anestesia. pelas suas propriedades farmacocinéticas. Os mecanismos e os locais de acção precisos não estão ainda totalmente esclarecidos. vómitos e alterações do apetite. 1 048$00 (7$00). É importante notar que todas as benzodiazepinas têm potencial para induzir tolerância. . depressão.8. Posologia: A dose diária de bromo não deve exceder 10 mg/kg/dia. está bem caracterizado e sabe-se que as benzodiazepinas modulam a acção do próprio GABA. promovendo a hiperpolarização das células onde actuam. diarreia. Esta distinção é de alguma forma artificial na medida em que todas são ansiolíticas e que todas podem modifiIndicações terapêuticas: Ansiedade. dependência física e psíquica e que este potencial tem sido menosprezado. Interacções medicamentosas: Potenciação de qualquer medicamento com efeito depressor do SNC. clorazepato e lorazepam parentérico). insónia. 150 ml. PSICO-SOMA Prospa. clorazepato e clorodiazepóxido) e anticonvulsivantes (apenas algumas – diazepam. essencialmente. por favorecer a abertura do canal de cloro. alteração da memória a curto prazo. insuficiência renal. incluindo o risco de dependência no caso da metaqualona. O uso prolongado pode causar dependência e síndroma de abstinência quando a medicação é interrompida. Contra-indicações e precauções: As doses nos indivíduos idosos devem ser em geral menores do que no adulto jovem. confusão. TABELA I s BENZODIAZEPINAS c) Benzodiazepinas As benzodiazepinas são um grupo de substâncias químicas relacionadas estruturalmente que actuam selectivamente em vias polissinápticas do SNC. 40%. • 81 s METAQUALONA + DIFENIDRAMINA Indicações terapêuticas: A utilização desta associação está desaconselhada. Por outro lado. As benzodiazepinas distinguem-se entre si. pelo que os tratamentos que têm como objectivo o tratamento da insónia devem ser de curta duração. Ver difenidramina. enquanto que as benzodiazepinas ditas ansiolíticas são menos potentes. Interacções medicamentosas: Ver difenidramina. o que permite a existência de uma «janela terapêutica» em que é possível obter uma acção ansiolítica sem interferir significativamente com o sono. PSICO-SOMA Prospa.2. obstipação. até porque durante largos anos foi desconhecido. 250. Reacções adversas: Sonolência e incoordenação motora. relaxação muscular (apenas algumas – diazepam. tal como no idoso. As benzodiazepinas de curta duração de acção são as que têm maior potencial de induzir dependência. cápsula. Do ponto de vista farmacodinâmico ainda não é possível fazer distinções sistemáticas. Interacções medicamentosas: Potenciação do álcool e outros depressores do SNC. oral. A existência deste potencial deve ser motivo para uma utilização cuidadosa destes medicamentos. Posologia: A dose máxima diária de metaqualona é 300 mg. clonazepam. Psicofármacos indicado na gravidez e aleitamento. Reacções adversas: Semelhantes às dos barbitúricos. Contra-indicações e precauções: Semelhantes às dos barbitúricos. car o sono desde que se atinjam doses eficazes. a tolerância para os efeitos hipnóticos das benzodiazepinas desenvolve-se rapidamente. Risco de interacção com os digitálicos. nas crianças. podem desencadear-se reacções paradoxais. incluindo o risco de dependência no caso da metaqualona. Do ponto de vista molecular o receptor das benzodiazepinas. contudo. alterações visuais e irregularidades cardiovasculares. alterações gastrintestinais. Deve-se notar no entanto que numa perspectiva pragmática as benzodiazepinas distinguem-se entre hipnóticas e ansiolíticas. O que as distingue. situado na estrutura de um dos receptores do GABA designado por GABA A. vertigem. Ter atenção na miastenia gravis. sol. é que as benzodiazepinas ditas hipnóticas são fármacos potentes que podem por isso modificar as condições do sono em doses relativamente baixas. 40%. 60. 60. Vigiar o ritmo cardíaco. Ver difenidramina. 1 562$00 (26$00).

40%.5. 264$00 (13$20). 524$00 (17$50). 1 695$00 (28$20). comprimidos. comprimidos. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. Psicofármacos XANAX Pharmacia & Upjohn. 40%. 20. comprimidos. 60. não se recomenda nas crianças. PAZOLAM Lab. 1. comprimidos. PRAZAM Euro-Labor. 40%. 1 182$00 (19$70). comprimidos. 40%.5. 20. ULTRAMIDOL Synthelabo Fidelis. 40%. 40%. Vitória. comprimidos. 6. Vitória. 0.5. comprimidos. 0. PRAZAM Euro-Labor. comprimidos. comprimidos. ataques de pânico. BROMALEX Lab. 60.25. 1. 60.25.5 Roche Farmacêutica. 40%.5. 12. 60.82 Capítulo 2 | 2. 40%. 459$00 (15$30). 308$00 (15$40). LEXOTAN 12 Roche Farmacêutica. ULTRAMIDOL Synthelabo Fidelis.5. 40%. comprimidos. ALPRONAX Merck Farma Química. comprimidos. nos idosos ou em indivíduos debilitados 0.5. 3. 60. 889$00 (14$80). 30. 40%. Posologia: 0. s BROMAZEPAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. 60. 469$00 (23$40).5. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. 40%. 756$00 (12$60). PAZOLAM Lab. 60. 40%. 40%. 30. 0. Atral. comprimidos. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. • s ALPRAZOLAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos.5. 20. 3. 60. UNILAN Laquifa-Merck. XANAX Pharmacia & Upjohn. 40%. 40%. Não se recomenda nas crianças. 534$00 (26$70). Atral. 0. 60. comprimidos. 60. 1 476$00 (24$60). PAZOLAM Lab.5. 3. 40%. 0. Atral. 665$00 (33$20). XANAX Pharmacia & Upjohn. 1 498$00 (25$00).25. comprimidos. 1.5 mg 3 vezes /dia. comprimidos. 1. comprimidos. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 20. 0. 0. • ALPRONAX Merck Farma Química. 60. ULTRAMIDOL Synthelabo Fidelis. 0. BROMALEX Lab. 0.25. 40%. Posologia: 3 a 18 mg/dia divididas por várias administrações. 40%. 60. comprimidos. 0. 60. 1 197$00 (20$00). 40%. 1 742$00 (29$00). 1 184$00 (39$50). 40%. 60. 762$00 (12$70).5. 1. 12. 60. 20. 40%. 674$00 (11$20).8. Vitória. 40%. 1 418$00 (23$60). comprimidos. 1 220$00 (20$30). comprimidos. 1. LEXOTAN 3 Roche Farmacêutica.25 mg 3 vezes/ /dia. comprimidos. 40%. comprimidos.25 a 0. XANAX Pharmacia & Upjohn. 846$00 (14$10). comprimidos. 1 182$00 (19$70). 40%. comprimidos. 1. 0. 40%. ULTRAMIDOL Synthelabo Fidelis. 60. 0. .25. PRAZAM Euro-Labor. 40%. UNILAN Laquifa-Merck. 2 657$00 (44$30). UNILAN Laquifa-Merck. 1. 60. ALPRONAX Merck Farma Química. 60. 1 706$00 (28$40). 60. 1 712$00 (28$50).25. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas.5. Vitória. 1 393$00 (23$20). 40%. BROMALEX Lab. Atral. BROMALEX Lab. comprimidos. 1. LEXOTAN 1. 40%. comprimidos. comprimidos. 30. 1. 2 975$00 (49$60). 1 721$00 (28$70). comprimidos. PAZOLAM Lab. comprimidos. 60.

2. comprimidos. • s CLOBAZEPAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. CASTILIUM Hoeport. 30. 1 226$00 (20$40). 748$00 (24$90). 40%. cápsulas. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 60. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 40%. 293$00 (14$60). 1 187$00 (19$80). 15. LENDORMIN Boehringer Ingelheim. 40%. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 40%. 40%. 15. . 15. 14. nos idosos 0. adjuvante na síndroma de abstinência alcoólica. 20. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. 60. 40%. cápsulas. pode-se atingir os 80 mg se necessário. 724$00 (12$10). cápsulas. 15. 716$00 (11$90). 40%. 10. 642$00 (45$90). TRANXÉNE Sanofi Winthrop. 30. 30. 958$00 (16$00). cápsulas. 40%. MEDIPAX Tecnifar.25 mg ao deitar. 60. 5. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. cápsulas. 5. Posologia: Dose média diária 30 mg em 2 administrações. MEDIPAX Tecnifar. UNAKALM Tecnifar. 291$00 (14$60). 20. 2 022$00 (33$70). 5. pode-se atingir os 80 mg se necessário. Posologia: 0. ao deitar. 20. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. comprimidos. 40%. 60. cápsulas. CASTILIUM Hoeport. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. Psicofármacos 83 s BROTIZOLAM Indicações terapêuticas: Hipnótico (indução do sono). MEDIPAX Tecnifar. • URBANIL Lab. TRANXÉNE Sanofi Winthrop. MEDIPAX Tecnifar. comprimidos. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas.25. 60. 2 050$00 (34$20). Diamant. URBANIL Lab.125 mg ao deitar. cápsulas. Diamant. 40%. 30. 40%. 1 177$00 (39$20). 20. TRANXÉNE Sanofi Winthrop. pode-se atingir os 60 mg se necessário. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. 40%. comprimidos. 5. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. 0. 888$00 (44$40). 1 913$00 (63$80). Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 975$00 (16$20).8. 60. TRANXÉNE Sanofi Winthrop. • s CLORAZEPATO DE POTÁSSIO Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. 10. 60. UNAKALM Tecnifar. 60. 40%. comprimidos. 20. 10. 40%. 40%. cápsulas. 1 214$00 (20$20). Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 10. 60. 40%. cápsulas. UNAKALM Tecnifar. Posologia: Dose média diária 15 mg em 3 administrações ou numa administração única. cápsulas. Posologia: Dose média diária 20 mg em 2 administrações. cápsulas. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. • s CETAZOLAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. s CLORODIAZEPÓXIDO Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos.

40%. 5. comprimidos. 15. • s DIAZEPAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. . comprimidos. 15. 60. BIALZEPAM RETARD Medibial. 187$00 (9$40). cápsulas. 40%. cápsulas. Posologia: Dose média diária 3 a 6 mg em 3 administrações. 60. LENTOTRAN Lab. anticonvulsivante. 30. 20. 20. 1. Psicofármacos Reacções adversas: As das benzodiazepinas.84 Capítulo 2 | 2. 100 ml. LENTOTRAN Lab. pode-se atingir os 30 mg se necessário. PAXIUM JABA Farmacêutica. 1 041$00 (17$40). cáps. OLCADIL Novartis Farma. METAMIDOL Synthelabo Fidelis. 0. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 40%. 5. 30. por via intramuscular ou endovenosa (injecção lenta < 5 mg/min) 10 mg (não repetir antes de 4 horas). 2. 40%. BIALZEPAM 3 Medibial. CLOXAM JABA Farmacêutica. 2. comp. 40%. 30. 1 729$00 (28$80). Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 40%. 6. 40%. 60. comp. 932$00 (15$50). revestidos.4. comprimidos. comprimidos. 40%. 1. DIAZEPAM COMP Ratiopharma. 263$00 (2$60). 10. 40%. 40%. 40%. 479$00 (8$00). 60. 40%. BIALZEPAM 6 Medibial. 60. 40%. 2. CIPAXIL Cipan. LENTOTRAN Lab. comp. METAMIDOL Synthelabo Fidelis. Pátria. oral. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. cápsulas. 40%. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. cápsulas. Posologia: Dose média diária. comprimidos. relaxante muscular. 269$00 (9$00). • Posologia: Dose média diária 30 mg em 3 administrações. pode-se atingir os 12 mg se necessário. 10. 677$00 (11$30). s CLOXAZOLAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. 212$00 (7$10). CIPAXIL Cipan. 1 173$00 (19$60). 60. 40%.8. revestidos. OLCADIL Novartis Farma. 2 011$00 (33$50). 10. comprimidos. 40%. Pátria. CLOXAM JABA Farmacêutica. 1. PAXIUM JABA Farmacêutica. comprimidos. 60. acção prolongada. 30. comprimidos. 678$00 (33$90). comprimidos. 60. 2 a 10 mg em 3 administrações. 40%. 40%. DIAZEPAM COMP Ratiopharma. comprimidos. 60. METAMIDOL Synthelabo Fidelis. 20. 60. PAXIUM JABA Farmacêutica. cápsulas. 612$00 (10$20).5 mg/kg. 5. por via rectal 0. 5. Pátria. 551$00 (9$20). 60. 5. comprimidos. pode-se atingir os 100 mg se necessário. revestidos. 10. 10. CLOXAM JABA Farmacêutica. 447$00 (14$90). 536$00 (17$90). 267$00 (13$40). Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. Nas crianças 1 a 5 mg. comprimidos. 2. 3. 40%. 30. 40%. susp. 40%. 676$00 (11$30). 619$00 (10$30). Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. METAMIDOL Synthelabo Fidelis. por via oral. 988$00 (16$50). Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 461$00 (46$10). 40%. • s DELORAZEPAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. 20. 60. 382$00 (19$10).

40%. 1. rectal. nos idosos 0. comprimidos. comprimidos. • s FLUNITRAZEPAM Indicações terapêuticas: Insónia (tratamento a curto prazo). se necessário 2 mg. sol. • s ESTAZOLAM Indicações terapêuticas: Insónia (tratamento a curto prazo). Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. 5. 651$00 (10$80). comprimidos. ROHYPNOL Roche Farmacêutica. nos idosos 15 mg. • 85 s FLURAZEPAM Indicações terapêuticas: Insónia (tratamento a curto prazo). injectável. 491$00 (17$50). 40%. 30. 40%. 30. se necessário 30 mg. rectal. 30. 20. 40%. PACINONE Scherin g Plough. 697$00 (23$20). 28. 2 169$00 (36$20). 40%. 10. comprimidos. VALIUM Roche Farmacêutica. DALMADORM Roche Farmacêutica.5 mg. 25. 696$00 (23$20). 1. 320$00 (12$80). Reacções adversas: As das benzodiazepinas. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. 10. 5 enemas 2 359$00 (471$80). sol. UNISEDIL Laquifa. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. sol. VALIUM 10 Roche Farmacêutica. 30. 40%. 40%. 20. 40%. Posologia: Dose média diária 60 a 120 mg em 3 administrações. SEDEX Janssen-Cilag. VALIUM 5 Roche Farmacêutica. 5. Posologia: 0. 5. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 510$00 (17$00). . 15.5 a 1 mg ao deitar. 5 enemas. comprimidos. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. pode-se atingir os 8 mg se necessário. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 5. 30. 439$00 (17$60). • s LOFLAZELATO DE ETILO Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. 60. 40%. 20. cápsulas.8. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 30. comprimidos. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. 949$00 (47$50).5 mg. 10. UNISEDIL Laquifa. 40%. . Posologia: Dose média diária 2 a 4 mg em 1 a 2 administrações. nos idosos 0. cápsulas. • s HALAZEPAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. PACINONE Scherin g Plough. comprimidos. PACINONE Scherin g Plough. 2. pode-se atingir os 160 mg se necessário. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. Posologia: 15 mg ao deitar. STESOLID Dumex. MORFEX Tecnifar. 120. 40%. 40%. 320$00 (16$00). 482$00 (16$10). 1 452$00 (290$40). Psicofármacos STESOLID Dumex. KAINEVER Seber Portuguesa. 60. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. ou numa dose única ao deitar. MORFEX Tecnifar. 442$00 (88$40). 40. 25. 40%. comprimidos. 40%. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. . 30. comprimidos. cápsulas. 40%. 5. Posologia: 1 mg ao deitar. 40%. 40. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. estão descritos casos de agranulocitose. comprimidos.2. 253$00 (12$60). se necessário 2 mg. 2 793$00 (93$10).

407$00 (13$60). pode-se atingir os 10 mg. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 60. 30. 60. 30. VICTAN Comp. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 2. na insónia: 2 a 4 mg ao deitar. comprimidos. se necessário 2 mg. LORSEDAL Prospa.86 Capítulo 2 | 2. comprimidos. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 318$00 (31$80). • s LORAZEPAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. comprimidos. 1. 1 597$00 (26$60). 2. comprimidos. NOCTAMID Schering Lusitana. comprimidos. terapêutica adjuvante da anestesia. Posologia: 1 mg ao deitar. 40%. estado de mal epiléptico. 40%. LORENIN Wyeth Lederle Portugal.5. Posologia: Na ansiedade: dose média diária 2 a 6 mg em 2 a 4 administrações. 40%. LORSEDAL Prospa. 60. ANSILOR Alfredo Cavalheiro. 1 417$00 (23$60). 2h antes da cirurgia ou 0. s MEDAZEPAM Indicações Terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. 30. 2. 1. 10. 436$00 (8$70). 60. LORSEDAL Prospa. ANSILOR Alfredo Cavalheiro. 15 a 20 minutos antes da cirurgia. 740$00 (12$30). • s LOPRAZOLAM Indicações terapêuticas: Insónia (tratamento a curto prazo). comprimidos. de 2 mg. • s LORMETAZEPAM Indicações terapêuticas: Insónia (tratamento a curto prazo). LORSEDAL Prospa. 40%. 50 ml. • VICTAN Comp.044 mg/kg até max. 40%. Posologia: Dose média diária 20 a 30 mg em 2 a 3 administrações. 2. DORMONOCT Lab. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 40%. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. oral. 5. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. . 40%. 40%. 643$00 (21$40). 30. Portuguesa de Higiene. no estado de mal 4 mg injectadas lentamente até 2 mg/min. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. 663$00 (11$10). 60. comprimidos. 40%. comprimidos. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. na anestesia: 0. 298$00 (14$90). 40%. comprimidos. 1 080$00 (18$00). 1. LORSEDAL Prospa. 40%. 2. 538$00 (17$90).5 a 1 mg. comprimidos. comprimidos.05 mg/kg im. se necessário 2 mg. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. Portuguesa de Higiene. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. insónia (tratamento a curto prazo). Roussel. sol.5. 1. 40%. s MEXAZOLAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos.5. 1. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. 40%. se necessário. Posologia: 1 mg ao deitar. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 1 103$00 (18$40). nos idosos 0. 60.8. Psicofármacos LORENIN Wyeth Lederle Portugal. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 1. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 20. se necessário pode-se repetir passados 10 min após a 1ª infusão. nos idosos 10 a 20 mg. 1. 897$00 (29$90).. comprimidos.

ou numa dose única ao deitar. 2 410$00 (40$20). 261$00 (13$10). Posologia: Dose média diária 5 a 10 mg em 3 administrações.. revestidos. 15. comp. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. SOPAX Lab. • s MIDAZOLAM Indicações terapêuticas: Preparação da cirurgia. 40%.5 mg. em doentes intubados: 0. 15. 665$00 (11$10). 40%. em doentes intubados 0. • 87 s OXAZEPAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. Zimaia. SOPAX Lab. 40%. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. comprimidos. 476$00 (23$80). . Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 60.08 mg/kg/dose im. 1. 823$00 (58$80). SERENAL Wyeth Lederle. 40%. comprimidos. • s QUAZEPAM Indicações terapêuticas: Insónia (tratamento a curto prazo).. Posologia: Dose média diária 10 a 20 mg em 2 administrações. 40%. 146$00 (7$30). 332$00 (11$10). comp.5 mg i. ou numa dose única ao deitar.08 mg/kg im. SOPAX Lab. em 1 a 3 administrações. podendo repetir-se após 2 minutos.5. Psicofármacos Posologia: Dose média diária 1 a 3 mg. preparação de meios de diagnóstico invasivos. 20. • s PRAZEPAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos.07-0. revestidos. pode-se atingir os 50 mg se necessário. 40%. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 30 a 60 minutos antes da intervenção ou 1 a 1. Zimaia. 40%.2 mg/kg/h por infusão contínua. indução da anestesia. SOPAX Lab. comprimidos. 2. PROSEDAR Scherin g Plough. Posologia: Sedação consciente: adulto 0. DEMETRIN Warner-Lambert. 2. • s NORDAZEPAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. nas crianças 0. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas.5. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. ou numa dose única ao deitar. 60. • .05 a 0. nos idosos a dose máxima diária é de 1. comprimidos. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. comprimidos. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. Posologia: Dose média diária 15 a 30 mg em 3 administrações. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas.8. DEMETRIN Warner-Lambert. 1 286$00 (42$90). Posologia: 15 a 30 mg ao deitar. 10. 40%. Zimaia. Zimaia.v. pode-se atingir os 40 mg se necessário. DORMICUM Roche Farmacêutica. 10. SEDOXIL Medibial. 14. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 671$00 (22$40).2. 30. nos idosos 15 mg. 40%. 30. 374$00 (6$20). 1 082$00 (18$00). 10. 10. revestidos. 50. 60. 40%. 15. comp. revestidos. SERENAL Wyeth Lederle. 30. 40%.002/kg/min em infusão contínua. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. comprimidos. comp. comprimidos. 60. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 20. 20.

20. 0. HALCION Pharmacia & Upjohn. sonolência. 6 157$00 (102$60). comprimidos. diminuição da concentração. s TRIAZOLAM Indicações terapêuticas: Insónia (tratamento a curto prazo). incrementos de 5 mg/dia cada 2 a 3 dias. Psicofármacos s TEMAZEPAM Indicações Terapêuticas: Insónia (tratamento a curto prazo). 2 881$00 (48$00). boca seca. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. 60. 50. Azevedos.125 a 0. 20. 40%. comprimidos. s TOFISIOPAM Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. mas o seu efeito clínico só se manifesta após um período de latência. hiperventilação. 40%. lactação. Posologia: Dose média diária 100 a 150 mg. comprimidos. 10. artralgias. 50. Reacções adversas: Parestesias. BUSANSIL L. ANSITEN 5 Lab. em terapêutica continuada de 3 a 4 semanas. 1 147$00 (57$40). fadiga e astenia. 840$00 (14$00). 20. 40%. Posologia: 0. com trazodone risco de aumento das transaminases. 14. duas outras (gepirona e isapirona) ainda estão em desenvolvimento. comprimidos. tonturas. dose máxima 60 mg/d. NORMISON Wyeth Lederle. nos idosos 0. Interacções medicamentosas: Inibidores da MAO. A buspirona é um ansiolítico eficaz. 10.25 mg ao deitar. cápsulas. GRANDAXIM Lab. queda do cabelo e pele seca. 40%. BUSANSIL L. 2 443$00 (122$20). Reacções adversas: As das benzodiazepinas. vómitos. comprimidos. rash.25. 10. Até a data não foi demonstrado potencial para induzir dependência nem se registaram casos de síndroma de abstinência. Lepori. Contra-indicações e precauções: Gravidez. A azopironas são agonistas dos receptores 5-HT1A e reduzem clinicamente os níveis de ansiedade sem provocar sedação. 40%. crianças. dose máxima 60 mg. obstipação.0625 a 0. No idoso 10 mg/dia em 2 administrações. • s BUSPIRONA Indicações terapêuticas: Perturbações da ansiedade e sintomas ansiosos. prurido. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. alterações do humor. dor abdominal/gástrica.125 mg. comprimidos. diarreia. precaução na insuficiência renal ou hepática. 384$00 (27$40). Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. cefaleias. Além disso. Lepori. ANSITEN 10 Lab. 5. nervosismo. Sanitas. palpitações. 5. visão turva. HALCION Pharmacia & Upjohn. Contra-indicações e precauções: As das benzodiazepinas. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas.125. 6 151$00 (1 02$50). Azevedos. comprimidos.5 a 15 mg/dia em 2 a 3 administrações. Sanitas. em 3 administrações.8. 14. GRANDAXIM Lab. 30. • . 20. 60.88 Capítulo 2 | 2. Azevedos. excitação. alteração dos sonhos. 728$00 (24$30). 0. Posologia: 7. aumento dos níveis séricos do haloperidol. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. afrontamentos. 60. 40%. 40%. 40%. 339$00 (17$00). frequência e hesitação urinária. 40%. cefaleias. náuseas. taquicárdia. comprimidos. 491$00 (35$10). máximo 0. edema. ANSITEN 5 Lab. 60. Interacções medicamentosas: As das benzodiazepinas. comprimidos. Reacções adversas: As das benzodiazepinas. 40%. Posologia: 10 a 20 mg ao deitar. a buspirona não tem propriedades anticonvulsivantes nem de relaxação muscular. • d) Azopironas A buspirona é uma azopirona.5/d. nos idosos 10 mg.

30. ITAGIL Dumex-Alpharma. confusão. 10. perturbações da memória. 4 355$00 (72$60). 40%. 20. particularmente os extractos. no entanto os produtos naturais. comprimidos. Psicofármacos BUSCALMA Euro-labor. comprimidos. • 89 mento. 40%. enquanto outros são comercializados sem qualquer licenciamento considerando-se produtos de consumo corrente. Reacções adversas: Diarreia. 5. tonturas. 60. 1 046$00 (34$90). 60. 4 807$00 (160$20). insuficiência hepática grave. O efeito de ressaca é discreto ou inexistente. CYMERION Lab. 5 292$00 (88$20). Nenhum deles é uma benzodiazepina mas ambos actuam no mesmo receptor ou sub-tipos de receptores que as benzodiazepinas. vertigem. 2 671$00 (44$50). não é possível conhecer em detalhe a composição qualitativa. de um modo geral. 40%. 40%. 10. comprimidos. irrequietude nocturna. No entanto. depressão. gravidez e aleita- . 5. 60. 20. algumas firmas têm conseguido obter para extractos de plantas um licenciamento como medicamentos. 5. 1 032$00 (51$60). 30. 5 291$00 (88$20). revestidos. Interacções medicamentosas: Semelhantes às das benzodiazepinas. 40%. 60. s ZOLPIDEM Indicações terapêuticas: Insónia (tratamento a curto-prazo). miastenia gravis. comprimidos. comprimidos. psicose. 10. 10. ataxia e quedas. insuficiência pulmonar. ESTABLIX BA Farma. comprimidos. BUSPAR Bristol-Myers Squibb. Por outro lado. Zoplicone não se encontrou disponível no mercado. BUSCALMA Euro-labor. 60. náuseas. sonolência. depressão respiratória. Os avanços da ciência e da tecnologia durante o século XX permitiram que muitos dos princípios activos das plantas medicinais tradicionalmente utilizadas fossem isolados e colocados à disposição na forma de medicamentos cuja composição quantitativa e qualitativa está bem determinada. revestidos. Estes movimentos tem sido suficientemente fortes para colocarem um dilema às entidades governamentais. 5. 40%. eficácia e segurança. comp. 20. 1 721$00 (86$10). • f) Extractos de plantas As plantas medicinais foram a base do desenvolvimento da actual farmacopeia e não é questionável que contêm na sua composição produtos farmacologicamente activos. astenia. 6 155$00 (102$60). 1 045$00 (34$80).8. 40%. 40%. alterações perceptuais ou diplopia. tem-se verificado uma preferência nalguns sectores das sociedades ocidentais pelo consumo de produtos ditos naturais. comprimidos. ITAGIL Dumex-Alpharma. não recomendado nas crianças. como já foi dito. idosos. 40%. comprimidos. a eficácia nunca foi demonstrada em estudos adequados e os elementos para avaliar a segurança são escassos. nomeadamente a composição quantitativa é sujeita a oscilações e. por razões sociológicas que não cabe aqui explorar. 1 149$00 (57$40). ITAGIL Dumex-Alpharma. têm uma qualidade variável de lote para lote. comprimidos. não reunam as condições para poderem ser licenciados como medicamentos. Precaução na depressão. 40%. comprimidos. 2 887$00 (48$10). alguns até letais. nos idosos 5 mg. 5. BUSCALMA Euro-labor. Ambos tem uma duração de acção curta. BUSPAR Bristol-Myers Squibb. 5.2. 10. comp. e) Zopiclone e zolpidem O zopiclone é uma ciclopirrolona e o zolpidem é uma imidazopiridina. Posologia: 10 mg ao deitar. tremor. Estas determinaram que para protecção da saúde pública os medicamentos devem demonstrar qualidade. Todos estes factores levam a que os extractos de plantas. quase sempre. insuficiência hepática ou renal. Contra-indicações e precauções: Apneia do sono obstrutiva. 10. Enquanto este não é efectivado. 40%. BUSPAR Bristol-Myers Squibb. Azevedos. Actualmente. 30. vómitos. 60. a pressão do público tem levado a que as entidades reguladoras procurem conferir a estes produtos um estatuto especial. pesadelos. STILNOX Synthelabo Farmacêutica. história de abuso de tóxicos. cefaleias. 40%.

legalmente. comprimidos. Neste sub-grupo incluem-se as seguintes moléculas: risperidona. anti-vertiginosos e ansiolíticos. 1 063$00 (17$70). A distonia aguda ocorre geralmente no início da terapêutica ou quando há subida da dose. sem qualquer licença. quer pelo seu perfil de afinidade para os diferentes receptores (por exemplo é o único antipsicótico que se liga com maior afinidade aos receptores D4 do que aos D2). que é uma alteração disautonómica idiossincrática cuja taxa de mortalidade é 30%. Reacções adversas: Sintomas e sinais extrapiramidais (movimentos distónicos. s EXTRACTOS DE VALERIANA Indicações terapêuticas: Ansiedade. dor neurogénica (em casos particulares a flufenazina é eficaz como tratamento adjuvante). Os antipsicóticos. é ainda um medicamento particular. e os antipsicóticos atípicos são os que têm menor afinidade para os receptores D2. o extracto de valeriana. serem mais bem tolerados e produzirem menos efeitos extrapiramidais. Interacções medicamentosas: Desconhecidas. Posologia: Varia consoante a origem do extracto. mas essencialmente tem em consideração a afinidade para os receptores D2 e consequente risco de indução de efeitos extrapiramidais. tétano (a cloropromazina é efectiva como tratamento adjuvante). A relação risco-benefício em cada uma das potenciais indicações terapêuticas terá que ser ponderada. VALDISPERT Solvay Farma. A clozapina. tendo menor probabilidade de determinar efeitos extrapiramidais. a partir da década de 50. Nenhum dos medicamentos disponíveis interactua selectivamente com um único receptor. apesar de tudo. comprimidos. 15.8. 45. Até há poucos anos atrás todos os antipsicóticos eram antagonistas dos receptores D2 da dopamina.8. insónia de curta-duração. Produzem.90 Capítulo 2 | 2. síndroma de ressaca matinal. 45. sertindole e clozapina. todos eles têm várias acções farmacológicas e por isso a maioria das reacções adversas associadas a estes medicamentos são previsíveis. Assim. Há também o risco de síndroma maligno dos neurolépticos. 332$00 (22$10). A este propósito devemos relembrar que os antipsicóticos se têm classificado em típicos e atípicos sendo que a distinção entre uns e outros nem sempre é clara. por exemplo são antieméticos. Reacções adversas: Cefaleias. alergia e prurido. possuem outros efeitos farmacológicos que podem ser utilizados com vantagens terapêuticas. crises oculogiras. síndromas parkinsónicos) desde acatísia no início da terapêutica até discinésias tardias após terapêutica prolongada. em Portugal. 60. VALDISPERT Solvay Farma. perturbações gastro-intestinais. além de serem eficazes no controlo dos sintomas das psicoses. o facto de serem mais eficazes no tratamento dos sintomas negativos. soluços intratáveis. 40%. porfíria (a cloropromazina é eficaz no tratamento da dor abdominal). havendo formulações licenciadas como medicamentos às quais corresponde uma autorização de introdução no mercado com número e outras comercializadas. • 2. De um modo geral o sub-grupo dos antagonistas da dopamina e da serotonina apresenta como principais vantagens. Psicofármacos que para ser minimizado obriga a controlos frequentes do hemograma. em relação aos antagonistas da dopamina. É óbvio que a relação risco-benefício da sua utilização com estas finalidades é muito diferente da relação risco-benefício no tratamento da psicose. Actualmente a designação correcta é a de antipsicóticos. É neste enquadramento que está comercializado. nas crianças e nos jovens. 40%. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade a qualquer dos componentes da preparação. quer pelo facto de ser o único antipsicótico com eficácia demonstrada no tratamento de doentes esquizofrénicos resistentes.2. os antipsicóticos típicos são as que têm elevada afinidade para os receptores D2 e produzem frequentemente efeitos extrapiramidais graves. O principal problema da clozapina é o risco de agranulocitose s ANTI-PSICÓTICOS Indicações Terapêuticas: Esquizofrenia e outras psicoses. Psicodepressores e antipsicóticos Neste grupo inclui-se o grupo de fármacos que revolucionou a prática da psiquiatria. particularmente quando considerada relativamente às outras afinidades. Recentemente desenvolveu-se um sub-grupo de antipsicóticos que se caracteriza por os seus elementos serem simultaneamente antagonistas dos receptores da dopamina e dos da serotonina. náuseas e vómitos (alguns). em graus . alterações do comportamento. ansiedade (casos particulares). olanzapina. e que na época se designavam por tranquilizantes major.

TERCIAN Lab. sonolência. 40%. TERCIAN Lab. insónia. porfíria aguda intermitente. Vitória. 50. alterações sexuais). amp. cloranfenicol. SOCIAN Synthelabo Delagrange. 60. TERCIAN Lab. Posologia: Psicose. alterações endócrinas. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. hipotensão ortostática e arritmias. comprimidos. Atenção particular a icterícia colestática. erupções cutâneas e alterações idiossincráticas das transaminases e por vezes icterícia colestática. até . doses até 300 mg podem ser administradas numa única administração.) que não devem ser utilizados em conjunto. 200.) que podem ser agravadas pelos efeitos anticolinérgicos. oral. 3 210$00 (53$50). comprimidos. síndromas de abstinência alcoólica. Dose máxima: 1000 mg/d. síndroma maligno dos neurolépticos e morte súbita. náuseas e vómitos graves. comprimidos. Interacções medicamentosas: Fenobarbital aumenta o metabolismo. 30 ml. gravidez. alterações gastrintestinais. O risco de toxicidade de mielosupressão da clozapina é potenciado por outros fármacos com o mesmo potencial (carbamazepina. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade a um principio activo ou classe de princípios activos.55 mg/kg. vómitos. ileo paralítico. ou i. 2 649$00 (132$40). ocasionalmente bradicárdia. gravidez e aleitamento. comprimidos. 200. 40%. Contra-indicações e precauções: Insuficiência renal. 50. AMITREX Synthelabo Delagrange. 20. sulfonamidas. 50. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. em 3 ou 4 administrações. bebíveis. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. Interacções medicamentosas: Alguns antipsicóticos são pro-arritmicos por aumentarem o intervalo QT (pimozide. AMITREX Synthelabo Delagrange. a terapêutica não deve ser interrompida subitamente. per os. sedação e efeitos anticolinérgicos. agitação: 100 a 400 mg/dia. precaução nos doentes com patologia cardíaca e em todas as situações (glaucoma. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. 40%. 20. sertindole e tioridazina): a utilização em conjunto com outros medicamentos com o mesmo efeito sobre o QT deve ser evitada ou proximamente vigiada. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. 5 879$00 (294$00). Reacções adversas: Ver antipsicóticos. etc. • s AMISULPIRIDE s CLOROPROMAZINA Indicações Terapêuticas: Esquizofrenia (sintomas positivos e negativos). crises convulsivas e prolongamento do intervalo QT. cotrimozaxol. agranulocitose. etc. ansiedade grave. feocromocitoma e tumores secretores de prolactina. soluços intratáveis e tratamento adjuvante do tétano. 40%. 91 SOCIAN Synthelabo Delagrange. Hipersensibilidade às fenotiazinas. comprimidos. alterações hematológicas. 40%. coma. idosos. irritação gástrica. 25 a 50 mg até 600 mg cada 4 ou 6h. SOCIAN Synthelabo Delagrange. 100. dores abdominais. 1 259$00 (63$00). 1 4819$00 (247$00). Psicofármacos variáveis. 20. Indicações terapêuticas: Esquizofrenia e outras psicoses. 928$00 (30$90). 2 649$00 (132$40). crises convulsivas. epilepsia. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. 40%. os anestésicos gerais aumentam a excitação e o risco de hipotensão.v. dose máxima 1 200 mg/d.2. por via im. citostáticos. Posologia: Na psicose aguda 400 a 800 mg/d em várias administrações. hiperprolactinémia (ginecomastia. registamse também náuseas. prostatismo. comprimidos. 20. 40. alterações do comportamento. Nas crianças maiores de 6 meses 0. ansiedade. sol. Vitória. a função hepática deve ser monitorizada. Posologia: Dose média diária 25 a 100 mg. 100.8. 60. 60. per os. 40%. agitação. aleitamento e crianças com menos de 6 meses. depressão da medula óssea. 40%. • s CIAMEMAZINA Indicações Terapêuticas: Tratamento sintomáticos das psicoses. Nos sintomas negativos 50 a 300 mg. Vitória. 6 654$00 (110$90). Precaução na agitação com depressão.

FLUANXOL RETARD Dumex. sol. comprimidos. 60. Nos doentes agitados. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. 3. sol. dose máxima 20 mg/dia. 20. ANATENSOL DECANOATO Bristol Myers Squibb. Vitória. dose máxima 18 mg/d. sol. Nas s FLUFENAZINA Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático das psicoses. comp.92 Capítulo 2 | 2.8. 374$00 (12$50). 6. injectável. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. 412$00 (6$90). 40. 60. 25. LARGACTIL IM Lab. 1. 1. Posologia: Psicose: per os. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. A dose no tratamento da depressão é significativamente mais baixa – 1 mg em dose única matinal até 2 mg se necessário (no idoso metade). FLUANXOL RETARD Dumex. injectável. comprimidos. com a metildopa pode provocar a precipitação de um quadro demencial. 30ml. LARGACTIL Lab. revestidos. Vitória. Posologia: Per os 0. 50. • 500 mg/d. dose máxima 3 mg/d. comprimidos. Psicofármacos 12. Tics e síndroma de Gilles de la Tourette. LARGACTIL Lab. injectável. LEPONEX Novartis Farma. 40%. 40%. 40%. 163$00 (8$20). LEPONEX Novartis Farma. 25. sol. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. 40%. 40%. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. sintomas extrapiramidais frequentes. sol. 40%. 6. 50. ANATENSOL DECANOATO Bristol Myers Squibb. 5. • s HALOPERIDOL Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático das psicoses. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. 671$00. 100. estados confusionais e na porfíria. 40%. 50. 0. 30. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. LARGACTIL IV Lab. 25. 1 054$00. im. Vitória. Destacar o risco de agranulocitose que obriga a monitorização frequente do hemograma. 20. 4 027$00 (80$50). 1 515$00. 11 996$00 (239$90). • s FLUPENTIXOL Indicações terapêuticas: Esquizofrenia e outras psicoses. 40%. revestidos. iniciar terapêutica com doses baixas – 25 a 50 mg/d. 100. Vitória. 25. sol. enantato 25 mg cada 2 semanas. CENILENE Schering Plough. 50. sol. 2 095$00 (349$20). FLUANXOL Dumex. 25. 20. 40%. 40%. 40%. comprimidos. nos idosos a dose pode ser 1/4 da dos adultos. comprimidos. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. 296$00 (59$20).5 mg/d podem ser suficientes. Posologia: Dose média diária 350 a 450 mg/d em 3 administrações. LARGACTIL Lab. injectável.0 a 2. injectável. 1.4 a 15 mg/d em 2 ou 3 administrações. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. Posologia: Dose média diária 6 a 12 mg/d em 2 administrações. 489$00 (16$30). Vitória. Nas formulações depot: decanoato . Vitória. nas outras indicações doses menores: 10 a 25 mg/por administração. 279$00 (14$00). Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. 40%. Contra-indicações e precauções: Precaução. comp. 296$00 (49$30). 1. 871$00 (14$50). dose máxima 900 mg/d. 100. Depressão.5 a 10 mg/d em 1 a 4 administrações. injectável. 40%.5 a 25 mg cada 1 a 4 semanas. 2 a 5 mg/4horas. decanoato 50 a 100 mg cada 4 semanas. Nos idosos doses de 1. LARGACTIL Lab. 40%. incidência elevada de efeitos extrapiramidais. oral. • s CLOZAPINA Indicações terapêuticas: Esquizofrenia resistente a outros antipsicóticos.

50. 60. ZYPREXA Eli Lilly Nederland. 40%. 1 315$00 (21$90). 1. 1 752$00 (35$00). o omeprazol e a rifampicina podem aumentar o metabolismo e a excreção da olanzapina.2. comprimidos. 20. 25. 40%. 47 928$00 (826$30). 40%. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. HALDOL Janssen-Cilag. 7. 5. comprimidos. comp. SERENELFI Inst. 40. Vitória. em 1 a 3 administrações. 10. Posologia: Dose média diária 25 a 100 mg. 25. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. revestidos. 25. NOZINAN 25 Lab. 797$00 (13$30). 0%. comprimidos. comp. 58.07 mg/kg/d. 315$00 (52$50). 60. BUNIL Dumex-Alpharma. sol. 0%. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. 1. 867$00 (14$40). oral. HALDOL DECANOATO Janssen-Cilag. Luso-Fármaco. 1 671$00 (27$80).0 mg/d até 4 mg/d e no Tourette 0. comprimidos. Vitória. 60. 2. 1 032$00 (20$60). Reacções adversas: Ver antipsicóticos. 30 ml. comprimidos. Nas outras indicações as doses são menores: na demência 0. BUNIL Dumex-Alpharma. dose máxima 20 mg/d. HALDOL Janssen-Cilag. sol. 40%. BUNIL Dumex-Alpharma. • NOZINAN 100 Lab. comprimidos. oral. 40%. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos.5 a 1. 352$00 (17$60). Psicofármacos crianças 0. 521$00 (104$20). 40%. 25. 40%. 50. 1 591$00. 40%. . 5. 5. 60.8. 2.5 a 5 mg por semana. 1 998$00 (399$60). 50. 40%. Posologia: Dose média diária 25 a 200 mg. • s OLANZAPINA Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático das psicoses. 15 ml.15 mg/kg/d. 467$00 (7$80). 1.5 mg/dia em 2 ou 3 administrações. 2. comprimidos. revestidos. o álcool. comprimidos. 25. 40%. 40%.5. SERENELFI Inst. 279$00 (18$60). 757$00 (12$60). Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. 40%. 985$00. comprimidos.05 a 0. 40%. SERENELFI Inst. s LEVOMEPROMAZINA Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático das psicoses. pode-se aumentar 2. sol. 40%. 5. Posologia: Dose inicial 5 a 10 mg/d numa administração única. 369$00 (73$80). NOZINAN Lab. comprimidos. SERENELFI Inst. 60. 2 210$00 (36$80). 5. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos.05 a 0. 60. • 93 s MELPERONA (METILPERONA) Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático das psicoses. 40%. dose máxima 0. os efeitos anticolinérgicos são importantes. ZYPREXA Eli Lilly Nederland. HALDOL DECANOATO Janssen-Cilag. Vitória. sol. HALDOL Janssen-Cilag. 100. sol. Vitória. NOZINAN 25 Lab. comprimidos. NOZINAN Lab. sol. a fluovoxamina pode diminuir o metabolismo e a excreção da olanzapina. 1. injectável. Vitória. injectável. sol. HALDOL Janssen-Cilag. 100. 1 719$00 (28$60). 5. sol. 28. 40%. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. injectável. Luso-Fármaco. nas crianças 0. 60. 5. Luso-Fármaco. Luso-Fármaco. 40%. potencia o efeito hipotensor dos antihipertensores. injectável IM. injectável. 6. 40%. 60.6 a 10 mg/d. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. injectável. 15 997$00 (571$30). 50. 645$00 (21$50). HALDOL Janssen-Cilag. a carbamazepina. 40%.

40%. 3.94 Capítulo 2 | 2. Psicofármacos Reacções adversas: Ver antipsicóticos. 6. cápsulas. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. 60. BARNETIL Synthelabo Delagrange. precaução na doença cardíaca devido ao risco de prolongamento do QT. BARNETIL Synthelabo Delagrange. 50. injectável. oral. 40%. insuficiência renal ou hepática. 60. comprimidos. iniciar com 2 mg/d e subir lentamente. em 2 administrações. 4 048$00 (81$00). 433$00 (72$20). injectável. cápsulas. 40%. • s SULPIRIDE Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático das psicoses. Nas crianças 0. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. 40%. 671$00 (33$60). revestidos. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. comprimidos. Nos idosos. 838$00 (139$70). 40%. 200. 60. 40%. 50. Posologia: Dose média diária 400 a 800 mg/dia. RISPERDAL Janssen Farmacêutica. revestidos. 3 177$00 (158$80). 400. 2. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. comprimidos. 29 825$00 (497$10). 31 593$00 (1 128$30). 40%. comprimidos. sol. a carbamazepina pode reduzir os níveis de risperidona e a clozapina pode aumentá-los. cápsulas. 20. 7 890$00 (131$50). Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. • ZYPREXA Eli Lilly Nederland. 4. 3 961$00 (66$00). LISOPIRIDE Synthelabo Fidelis. 40%. 6. Posologia: Dose inicial 1 a 2 mg/d. ORAP FORTE Janssen Farmacêutica. oral. 5.8. 20. 1 423$00 (23$70). DOGMATIL Synthelabo Delagrange. 240. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. LISOPIRIDE Synthelabo Fidelis. • s RISPERIDONA Indicações terapêuticas: Esquizofrenia e outras psicoses. em várias administrações. 60. 20. 1. No idoso iniciar com doses de 100 mg/d. 28. 60.2 mg/kg/d até máximo de 10 mg/d. comprimidos. 40%. ZYPREXA Eli Lilly Nederland. em 2 administrações. Dose máxima 2400 mg. 60. 60. 0%. . Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. 40%. 40%. dose máxima 7 a 16 mg/d. 100. 50 ml. 200 ml. 200. 1 917$00 (32$00). 40%. 50. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. comp. 400. sol. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. em 2 administrações. Dose máxima 1600 mg. sol. 40%. BARNETIL Synthelabo Delagrange. 60. 10. 0%. DOGMATIL Synthelabo Delagrange. 200. 4 161$00 (69$40). comp. insuficientes renais e doentes debilitados a dose é de 1 mg/d. 40%. 57 515$00 (1 027$10). comprimidos. comprimidos. 40%. • s PIMOZIDA Indicações terapêuticas: Síndroma de Gilles de la Tourette. 9 549$00 (159$20). 50. 1 505$00 (25$10). 40%. 60. Posologia: Dose média diária 2 a 12 mg/d. cápsulas. No idoso iniciar com doses de 100 mg/d. comprimidos. 56. subir até a um máximo de 6 mg/d. DOGMATIL FORTE Synthelabo Delagrange. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. DOGMATIL Synthelabo Delagrange. Posologia: Dose média diária 400 a 600 mg/dia. RISPERDAL Janssen Farmacêutica. BARNETIL Synthelabo Delagrange. 650$00 (32$50). 601$00 (3$00). 10. DOGMATIL Synthelabo Delagrange. 19 917$00 (332$00). sol. LISOPIRIDE Synthelabo Fidelis. RISPERDAL Janssen Farmacêutica. • s SULTOPRIDE Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático das psicoses.

raramente retinite pigmentar. 50. sulbutiamina. oral. na ansiedade grave 30 a 100 mg/d. 100. ciprodenato. • s TIORIDAZINA Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático das psicoses. 1 604$00 (32$10). 40%. 40%. Lundbeck. sol. 50. sol. injectável. injectável. MELLERIL Novartis Farma. NORMAGIT Synthelabo Fidelis. 0%. Posologia: Dose média diária 200 a 400 mg/dia. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. 1 647$00 (32$90). comprimidos. 20. Lundbeck. 60.8. CISORDINOL H. 6.8. os seguintes princípios activos: acamprosato. 100. 496$00 (9$90). TIAPRIDAL Synthelabo Delagrange. sol. 2 143$00 (35$70). em 2 a 3 administrações. Dose cumulativa máxima 400 mg e número máximo de injecções por tratamento 4. em várias administrações até dose máxima de 150 mg/d. ansiedade grave. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. 100. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. Reacções adversas: Ver antipsicóticos. comprimidos. Lundbeck. 40%. até máximo de 75 mg. comprimidos. Nas crianças até 5 anos 1 mg/kg/d. CISORDINOL H. citocolina. CISORDINOL H. 4 075$00 (67$90). 40%. oral. Posologia: Psicoses: 150 a 800 mg/d. 60. 50 ml. Posologia: Cloridrato: 20 a 30 mg/d. 25. 1. depois dos 5 anos 75 a 150 mg/d. Na realidade estes medicamentos nunca demonstraram em estudos experimentais adequadamente conduzidos essas propriedades. psicométricos ou de actividade neurológica cuja validade como indicadores de melhoria clínica não está demonstrada. • 2. 1 776$00 (29$60). 25. 1 594$00. atenção ao risco de hipotensão e prolongamento do intervalo QT. nos idosos 10 a 20 mg inicialmente. Antidepressivos (e psicotónicos) Mais uma vez a classificação oficial adoptada neste prontuário perpetua na designação deste capítulo um termo anacrónico – psicotónico – que implicitamente sugere a possibilidade de existirem medicamentos que activem selectivamente funções cerebrais (quer estas estejam ou não de facto diminuídas). MELLERIL Novartis Farma. No idoso iniciar com doses de 50 a 100 mg/d. Acetato: injecção intramuscular profunda 50 a 150 mg. MELLERIL Novartis Farma. sol. De um modo geral o racional para a . 40%. 2 200$00.2. 50 ml. injectável. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. 10. comprimidos. 125. 30. CISORDINOL H. 0%. Contra-indicações e precauções: Ver antipsicóticos. No idoso injecções de 50 a 100 mg. deanol. 50. provavelmente por razões administrativas. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. Dose máxima 1 200 mg. 40%. Lundbeck. comprimidos. 0%. se necessário repetir após 2 a 3 dias. Psicofármacos 95 s TIAPRIDE Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático das psicoses. 10. 492$00 (82$00). 1. 200. Interacções medicamentosas: Ver antipsicóticos. sol. 20. pirissudanol. 10. mas tão somente ficou provado que determinam modificações de alguns parâmetros bioquímicos. comprimidos. Resta portanto concluir que à luz dos conhecimentos actuais estes medicamentos não têm utilidade clínica demonstrada. 951$00 (47$60). Reacções adversas: Ver antipsicóticos. 571$00 (11$40). Estão incluídos neste grupo. comprimidos.3. MELLERIL Novartis Farma. 230$00 (11$50). 0%. TIAPRIDAL Synthelabo Delagrange. 966$00 (19$30). 50. TIAPRIDAL Synthelabo Delagrange. 40%. 100. em várias administrações. MELLERIL Novartis Farma. 40%. comprimidos. 40%. • s ZUCLOPENTIXOL Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático das psicoses na fase aguda (acetato de zuclopentixol) e esquizofrenia e outras psicoses (cloridrato de zuclopentixol). 60.

Este bloqueio. Os antidepressivos de um modo geral interferem com a recaptação sináptica de um ou mais neurotransmissores. A tentativa de criar moléculas que mantivessem as propriedades antidepressivas e determinassem menos ou diferentes reacções adversas em relação aos triciclícos e afins levou ao desenvolvimento dos inibidores selectivos da recaptação da serotonina (ISRS) – fluoxetina. A noradrenalina e a serotonina são os mais relevantes no processo. efeitos anticolinérgicos e hipotensão ortostática. é a dos inibidores selectivos da recaptação da serotonina e da noradrenalina (ISRSN) que também são desprovidos de afinidade para receptores. A maprotilina e a amoxapina são as que têm maior potencial proconvulsivante. de aparecimento mais recente. se aumenta a produção desse neurotransmissor e consequentemente as funções dele dependentes. mas geralmente ao fim de algumas semanas desenvolve-se tolerância para este efeito. Recentemente foram desenvolvidos outros inibidores da MAO que diferem dos primeiros por produzirem uma inibição reversível. inibem de forma não selectiva a recaptação da noradrenalina e da serotonina. Os medicamentos com este mecanismo de acção são designados por inibidores da MAO e têm eficácia. fluovoxamina. A desipramina tem. relativamente aos parceiros de grupo. alterando as condições de funcionamento neuroquímico do SNC. distinguem-se dos triciclícos e afins por não terem afinidade significativa para quaisquer receptores. os triciclícos e afins provocam sedação. A discriminação e caracterização dos critérios de selecção dos antidepressivos ficam fora do âmbito deste volume. quando irreversível. As etapas fundamentais do processo ainda não estão totalmente esclarecidas. Psicofármacos ciárias são as que possuem um efeito sedativo mais potente. no entanto a dificuldade da sua utilização clínica devido ao risco de crise hipertensivas quando a dieta adequada não é fielmente seguida levou a que a sua utilização fosse restrita. Passaremos a designar este grupo por antidepressivos triciclícos e afins. Estas moléculas inibem o metabolismo das catecolaminas por bloquearem uma enzima que lhe é essencial – a monoaminoxidase (MAO). Estas moléculas. no entanto pode-se adiantar que são as proposta da sua utilização clínica baseia-se no pressuposto de que se se aumentar os precursores de neurotransmissores ou de outros componentes essenciais ao funcionamento celular. Posteriormente desenvolveram-se outras moléculas com as mesmas características farmacológicas mas com diferentes estruturas químicas. e mesmo que não o fosse carecia de demonstração experimental. quer se trate de depressão major ou de alteração distímica.8. sertalina – cuja única acção farmacológica directa é a inibição desta recaptação. Em termos gerais podemos dizer que os diferentes antidepressivos se distinguem essencialmente pelo seu perfil de reacções adversas e por propriedades farmacocinéticas. As aminas ter- . um antipsicótico. além de interferirem com receptores para vários outros neurotransmissores. nunca tendo sido comercializados em Portugal.96 Capítulo 2 | 2. de um modo global. O representante deste grupo comercializado em Portugal é a meclobamida. particularmente a acetilcolina. o que contribui para a minimização de reacções adversas a nível do SNC e do aparelho cardiovascular. Ao contrário dos mencionados psicotónicos. Nesta circunstâncias os riscos de crise hipertensiva são muito reduzidos ou mesmo abolidos. Os primeiros antidepressivos que foram desenvolvidos foram sintetizados a partir da cloropromazina. Assim. afecta de forma não selectiva todos os mecanismos de neurotransmissão catecolaminérgica e tem importantes consequências nos mecanismos de controlo da tensão arterial. Na verdade o seu desenvolvimento a partir da década de 50 marcou uma das revoluções terapêuticas na área da saúde mental. apresentando em comum uma estrutura química com 3 anéis de onde deriva a designação de tricíclicos. bem demonstrada. Os triciclícos e afins partilham o potencial para determinar reacções adversas várias que diferem contudo na intensidade e na frequência de molécula para molécula. surgindo assim o grupo dos tetraciclícos e grupos com estruturas afins. reconhecidamente fundamental na mediação dos processos cognitivos. menos efeitos anticolinérgicos Também na década de 60 foram desenvolvidas moléculas que interferiam com a cinética sináptica dos neurotransmissores catecolaminérgicos. como antidepressores. por um mecanismo diferente do da inibição da recaptação. O conjunto destas moléculas representa actualmente um grupo heterogéneo com eficácia reconhecida e um amplo espectro de reacções adversas potenciais associadas. basta lembrarmo-nos que para melhorar a performance de uma orquestra sinfónica não basta melhorar as propriedades acústicas dos violinos ou dos baixos. Este raciocínio é falacioso. mais do que pelo padrão de eficácia terapêutica. para as quais se demonstrou inequivocamente eficácia no tratamento da várias perturbações depressivas do humor. os medicamentos antidepressivos têm demonstrado eficácia no controlo sintomático das perturbações depressivas do humor. Outra classe de antidepressivos. As modificações determinadas na cinética sináptica destes neurotransmissores são ampliadas em cascata.

revestidos. 529$00 (8$80). comp. 50. ZIMAIA Lab.T. 10. 75. TRYPTIZOL Merck Sharp & Dohme. dose diária máxima 25 a 75 mg. s AMITRIPTILINA Indicações terapêuticas: Depressão. Interacções medicamentosas: As dos tricíclicos. fase maníaca da doença bipolar. A. comprimidos. BELPAX RETARD Instituto Luso-Fármaco. Nos idosos a dose deve situar-se entre 30 a 75 mg. A. revestidos. Contra-indicações e precauções: As dos triciclícos. 20. revestidos. revestidos. cápsulas. Zimaia. 128$00 (6$40). Contra-indicações e precauções: Enfarte miocárdico recente. 25. ANAFRANIL Novartis Farma. arritmias. hipotensão ortostática. Por via endovenosa exige vigilância cuidadosa: dose inicial 25 mg. 60. 97 a) Antidepressores a1) Triciclícos e afins s TRICÍCLICOS E AFINS Indicações terapêuticas: Depressão major e perturbação dístimica. alterações do ritmo cardíaco. Zimaia. ZIMAIA Lab. 40%. 1 126$00 (18$80). revestidos. os doentes devem ser avisados dos sinais e sintomas que previsivelmente poderão apresentar e do seu significado. 40%. 60. A. 10. obstipação). comprimidos.8. 60.T. 60. 483$00 (8$10). 40%. ANAFRANIL Novartis Farma. revestidos. pimozide e anti-arritmicos há o risco de potenciação do efeito arritmogénico. Posologia: Titulação crescente. comp.D. 10. por via intramuscular: dose diária inicial 25 mg. 40%. Dose máxima diária 150 mg (em administrações fraccionadas ou em dose única ao deitar). ZIMAIA Lab.2. 10.T. 40%. revestidos. Zimaia. dose diária máxima 100-150 mg. 1 027$00 (17$10). 60.T. 60. 25. Zimaia. Interacções medicamentosas: Com os medicamentos simpaticomiméticos há o risco de hipertensão arterial. 60. 60. ANAFRANIL Novartis Farma.D. Reacções adversas: As dos tricíclicos.D. 25. 75.T. comp. Doses inicias de 10 a 20 mg/dia. 40%. revestidos. BELPAX RETARD Instituto Luso-Fármaco. 40%. comprimidos. tratamento da catalepsia associada à narcolepsia. 1 534$00 (25$60). A. Contra-indicações e precauções: A capacidade para conduzir pode ser afectada. tratamento da doença obsessiva-compulsiva. Reacções adversas: As dos tricíclicos. 1 894$00 (31$60). efeitos anticolinérgicos (retenção urinária. 40%. comp. quadros confusionais. 75. 40%. . dose máxima 30-150 mg dividida por várias administrações ou em dose única ao deitar. aumento da pressão intra-ocular. fenotiazinas entre outros. Há risco de se verificarem efeitos aditivos nas reacções adversas já descritas com medicamentos com efeitos semelhantes: anti-histamínicos. Reacções adversas: Sedação variável com o princípio activo. os idosos e as crianças podem manifestar reacções paradoxais e requerem reduções significativas da dose. 60. Alguns têm outras indicações adicionais. 20. agravamento de diabetes preexistente.D. Interacções medicamentosas: As dos triciclícos. comp. mucosas secas. 40%. síndromas de dor crónica. TRYPTIZOL Merck Sharp & Dohme. 404$00 (20$20). ZIMAIA Lab. 25. 1 096$00 (18$30). Zimaia. ZIMAIA Lab.D. 60.D. comp revestidos. • s CLOMIPRAMINA Indicações terapêuticas: Depressão. Não é recomendado em crianças. 207$00 (10$40). TRYPTIZOL Merck Sharp & Dohme. doença hepática grave. 40%. com as hormonais tiroideias. Zimaia. 10. titulação crescente. 40%. ZIMAIA Lab. 663$00 (11$10). comp. 20. Posologia: Por via oral: dose inicial 10 mg. 25.T. 326$00 (5$40). comp. comp. A. 20. A. Psicofármacos características clínicas e a tolerabilidade que presidem a essa selecção. cápsulas. anticolinérgicos. 40%. 770$00 (12$80). 441$00 (22$10). 40%.

titulação crescente. 60. comp. PROTIADENE Knoll Lusitana. 178$00 (8$90). Reacções adversas: As dos triciclícos. comp. 5. no entanto menos sedativo. artrite e artralgias. PROTIADENE Knoll Lusitana. • s MIANSERINA Indicações terapêuticas: Depressão. revestidos. dose máxima diária 150-200 mg. 40%. 573$00 (114$60). • s MAPROTILINA Indicações terapêuticas: Depressão. 60. sol. 60. 40%. Alterações graves da função hepática e renal e as dos triciclícos em geral. 321$00 (16$10). Contra-indicações e precauções: As dos triciclícos e história de epilepsia. mas há também o risco de leucopenia. 40%. 70. 10. revestidos. Possível dose única de 150 mg ao deitar. deve-se fazer controlo do hemo e leu- . • s IMIPRAMINA Indicações terapêuticas: Depressão. 20. LUDIOMIL Novartis Farma. LUDIOMIL Novartis Farma. TOFRANIL Novartis Farma. Posologia: Dose inicial 50 (idoso) a 75 mg em várias administrações ou numa dose única ao deitar. revestidos. Interacções medicamentosas: As dos triciclícos. Posologia: Dose diária de 140 a 210 mg (menores no idoso) repartida por várias administrações. 25. 70. 40%. 5 114$00 (85$20). comprimidos. ANAFRANIL Novartis Farma. comp. • s DOTIEPINA Indicações terapêuticas: Depressão.98 Capítulo 2 | 2. 75. Em internamento hospitalar a dose máxima diária pode atingir 225 mg. 75. comprimidos. 10. revestidos. 20. 4 341$00 (72$40). Enurese nocturna nas crianças. 1 235$00 (61$80). 10. revestidos. Contra-indicações e precauções: História de epilepsia. Reacções adversas: As dos triciclícos. e ainda icterícia. 3 162$00 (52$70). 20. Contra-indicações e precauções: Nas crianças não está recomendado. comp. 75. 60. Interacções medicamentosas: As dos triciclícos. mas os efeitos anticolinérgicos são menos expressivos. produz sedação marcada. injectável. Posologia: Doses iniciais 10 a 75 mg. comp. Dose máxima diária150 mg (no idoso geralmente 75 mg). DEPRIMIL Merck Portuguesa. 792$00 (13$20). 40%. acção prolongada. Contra-indicações e precauções: As dos triciclícos. Interacções medicamentosas: As dos triciclícos. TOFRANIL Novartis Farma. 60. 2 558$00 (42$60). DEPRIMIL Merck Portuguesa. TOFRANIL Novartis Farma. Nas crianças 7 anos: 25 mg ao deitar: 8 a 11 anos 25 a 50 mg ao deitar. 40%. Reacções adversas: As dos triciclícos. • s LOFEPRAMIDA Indicações terapêuticas: Depressão. 60. 40%. 40%. 40%. Interacções medicamentosas: As dos triciclícos. 40%. comp. Reacções adversas: As dos triciclícos. comp. LUDIOMIL Novartis Farma. 40%. revestidos. revestidos. Posologia: 25 a 75 mg/dia (nos idosos 30 mg) em 3 administrações diárias ou numa dose única ao deitar.8. 450$00 (7$50). comp. 1 044$00 (52$20). 40%. reduz o limiar convulsivante. A duração do tratamento não deve exceder 3 meses incluindo o período de titulação. revestidos. Psicofármacos ANAFRANIL Novartis Farma. Contra-indicações e precauções: As dos triciclícos. Os efeitos anticolinérgicos e cardiovasculares são menos relevantes do que nos triciclícos em geral. 75. 20. 25. Reacções adversas: As dos triciclícos. Dose máxima diária 150 mg. agranulocitose e anemia aplástica sobretudo no idoso. comp. 10. mais de 11 anos 50 a 75 mg ao deitar. 3 052$00 (50$90). 60.

NORTEROL Tecnifar. Interacções medicamentosas: As dos triciclícos e com os anti-epilépticos porque reduz o limiar convulsivante e porque acelera o metabolismo da carbamazepina. Psicofármacos cograma ao fim de 4 semanas nos primeiros 3 meses e depois regularmente. comp. Contra-indicações e precauções: As dos tricíclicos. comprimidos. 20. mais de 11 anos 25 a 35 mg à noite. raramente edema. 40%. antagoniza o efeito anticonvulsivante dos anti-epilépticos. 50. em meio hospitalar 600 mg/d. gravidez e aleitamento. Posologia: Dose inicial 150 mg (100 mg no idoso) em dose única ao deitar ou dividida em doses após as refeições. 40%. Reacções adversas: As dos tricíclicos. 40%. comprimidos. Contra-indicações e precauções: As dos triciclícos. Reacções adversas: Aumento do apetite e ganho de peso. Na enurese nocturna: 7 anos – 10 mg. Posologia: Dose inicial 30 a 40 mg. 60. psicose. 6 491$00 (324$60). Posologia: Titulação crescente até 75-100 mg/d em várias administrações. comprimidos. período máximo de tratamento continuado 3 meses. TOLVON Organon Portuguesa. 339$00 (17$00). 20. 40%. Priapismo (suspender tratamento). 20. 30. 1 675$00 (27$90). 50. revestidos. NORTEROL Tecnifar. KINUPRIL Comp. glaucoma de ângulo aberto. 8-11 anos 10 a 20 mg. 1 102$00 (22$00). 7. Interacções medicamentosas: As dos triciclícos. • 99 até 150 mg. revestidos. Posologia: 5 a 15 mg/d. Dose máxima 300 mg/d. 40%. comprimidos. 40%. é menos sedativa que os triciclícos em geral. 40%. NORTEROL Tecnifar. 30. 1 985$00 (99$20). 40%. 25. comprimidos.8. comprimidos. 50. TRAZONE Tecnifar. • s MIRTAZEPINA Indicações terapêuticas: Depressão. hipotensão postural. 30.2. 766$00 (38$30). 30. 20. 50. Portuguesa de Higiene. comprimidos. TRAZONE Tecnifar. icterícia (obriga à suspensão do tratamento). 40%. comp. alterações da função hepática e renal. dose máxima habitual 90 mg.5. 50. TOLVON Organon Portuguesa. 30. 40%. 2 847$00 (94$90). enurese nocturna nas crianças. Contra-indicações e precauções: As dos triciclícos. Interacções medicamentosas: As dos triciclícos. comprimidos. 20. s NORTRIPTILINA Indicações terapêuticas: Depressão. REMERON Organon Portuguesa. 50. aumento das enzimas hepáticas. exantema. agranulocitose reversível. comprimidos. potencia o efeito dos sedativos e hipnóticos. é muito sedativo mas a actividade anticolinérgica e cardiotóxica é menos significativa. 9 250$00 (308$30). Interacções medicamentosas: As dos triciclícos. A interrupção abrupta da medicação deve ser evitada. • s QUINUPRAMINA Indicações terapêuticas: Depressão. 534$00 (26$70). 30. REMERON Organon Portuguesa. Reacções adversas: As dos triciclícos. pode ser aumentada até 45 mg numa administração única ao deitar ou subdividida em 2 administrações. história de doença bipolar. em meio hospitalar . leucopenia e agranulocitose. história de retenção urinária. • s TRAZODONE Indicações terapêuticas: Depressão. NORTEROL Tecnifar. Posologia: Dose inicial 15 mg/d. 25. Nos adolescentes e idosos 30 a 50 mg/dia em doses divididas. 5 309$00 (88$50). Contra-indicações e precauções: Epilepsia. 719$00 (14$40). hidantina e fenobarbital. hipotensão. tremor. Interacções medicamentosas: As dos tricíclicos. mioclonos. 40%. Reacções adversas: As dos triciclícos. 60.

644$00 (12$90). AURORIX Roche Farmacêutica. antagonismo do efeito dos anti-epilépticos. anticoagulantes. • a2) Inibidores da Monoaminoxidase s MOCLOBAMIDA Indicações terapêuticas: Depressão. Dose máxima diária 300 mg. Vitória. doença cardíaca e epilepsia. 100. 696$00 (139$20). comprimidos. 25. 40%. 150. 40%. Nos idosos a dose deve ser cerca de metade da dos adultos jovens. TRAZONE Tecnifar. 40%. alterações do trânsito intestinal. Posologia: Na depressão 20 mg/d. 1 180$00 (59$00). 40%. agonistas 5-HT1 (a dose destes deve ser reduzida). TRITICUM L. comprimidos. xerostomia. 60. 1 195$00 (59$80). comprimidos. 40%. 50. antihipertensivos. os efeitos sedativos e anticolinérgicos são menos intensos. dose máxima diária 400 mg. Reacções adversas: Ver triciclícos. 100. Contra-indicações e precauções: Fase maníaca. bulimia nervosa. comp. • . anoréxigenos. cefaleias. 60. na bulimia: 60 mg. Vitória. 1 837$00 (36$70). 150.100 Capítulo 2 | 2. s VILOXAZINA Indicações terapêuticas: Depressão. 2 902$00 (48$40). 40%. AURORIX Roche Farmacêutica. Lepori. TRITICUM L. 20. Interacções medicamentosas: As dos tricíclicos. náuseas. comprimidos. comprimidos. Posologia: Dose inicial 50 a 75 mg 2 h antes de deitar ou em 2 doses diárias. 40%. Posologia: 300 mg/dia (200 mg de manhã e 100 mg ao almoço). doença obsessiva-compulsiva. ansiedade e irritabilidade. agitação. risco de crise hipertensiva com levodopa. Lepori. sol. 40%. 100. raramente aumento das transaminases. VIVALAN Zeneca. a toxicidade cardiovascular é também menos grave. 50. 5. 50. 1 956$00 (32$60). 5 787$00 (96$40). feocromocitoma. comprimidos. comprimidos. 20. Contra-indicações e precauções: As dos tricíclicos. revestidos. outros antidepressores. disfunção sexual. revestidos. estados confusionais. doenças do movimento e síndroma maligno dos neurolépticos. Interacções medicamentosas: Álcool. Reacções adversas: Alterações do sono. 60. Dose máxima 600 mg. TRITICUM L. Posologia: Dose inicial 300 mg/d em administrações várias após as refeições. Nos idosos as doses podem ser cerca de metade da do adulto. 100. variação entre 150 mg e 300 mg. Vitória. aumento da toxicidade do lítio. Reacções adversas: As dos tricíclicos. comp. 40%. reacções de hipersensibilidade de todos os tipos incluindo anafilaxia. Interacções medicamentosas: O efeito dos anticoagulantes é potenciado. 2 270$00 (113$50). aumento das concentrações plasmáticas de clozapina e sertindole. Interacções medicamentosas: Analgésicos opiáceos e também com o ibuprofeno. SURMONTIL Lab. tonturas. alterações hepáticas e renais. Contra-indicações e precauções: Estados confusionais agudos. Contra-indicações e precauções: As dos triciclícos. Lepori. anorexia e perda de peso). risco de toxicidade dos agonistas 5HT1. • s TRIMIPRAMINA Indicações terapêuticas: Depressão. • a3) Inibidores selectivos de recaptação da serotonina (ISRS) s FLUOXETINA Indicações terapêuticas: Depressão. pode ser titulada lentamente até 60 mg. 20. gravidez e aleitamento. com tramadol há aumento do risco de convulsões. 100. 40%. 295$00 (14$80). convulsões. 100. 25. 40%.8. vómitos. SURMONTIL Lab. Náuseas e cefaleias. 60. 20. dispepsia. comprimidos. na doença obsessiva-compulsiva inicialmente 20 mg. SURMONTIL Lab. 3 036$00 (50$60). Reacções adversas: Alterações gastrintestinais são muito comuns (náuseas. Psicofármacos TRAZONE Tecnifar. agonistas a 2. injectável.

s SERTALINA Indicações terapêuticas: Depressão. 60. doença obsessiva-compulsiva. A dose de manutenção habitual é 50 mg . evitar a interrupção brusca do tratamento. Na fase inicial do tratamento de perturbação do pânico pode haver um agravamento da sintomatologia. doses superiores a 150 mg não devem ser mantidas durante mais de 8 semanas. 14. comp. 50. PROZAC Lilly Farma. SEROXAT Beecham. 20. SEROXAT Beecham. Interacções medicamentosas: Com a teofilina e aminofilina. DUMYROX Solvay Farma. revestidos. Contra-indicações e precauções: Há risco de aumento das concentrações de teofilina e aminofilina. cápsulas. 40%. NODEPE Euro-labor. 40%. revestidos. 3 229$00 (161$40). 20. 70 ml. DIGASSIM Lab. Na doença obsessiva-compulsiva a dose inicial também é de 20 mg. 20. Os efeitos extrapiramidais.2. 40%. Posologia: Dose inicial de 50 mg que pode ser titulada em incrementos de 50 mg até dose máxima 200 mg. 40%. 40%. 20. 40%. PSIPAX Merck Farma e Química. pode atingir 60 mg. Posologia: Dose inicial 100 mg/d até dose máxima de 600 mg (doses superiores a 100 mg devem distribuídas em várias administrações). pelo que o uso concomitante deve ser evitado. comp. Contra-indicações e precauções: Semelhantes às da fluoxetina. 2 481$00 (248$10). TUNELUZ Farmoquímica Baldacci. antagoniza a acção dos anti-epilépticos. cápsulas. 2 918$00 (41$70). comp. 14. 28. 60. 20. • s FLUVOXAMINA Indicações terapêuticas: Depressão. revestidos. há casos descritos de galactorreia. 20. 6 691$00 (223$00). são mais frequentes com este ISRS do que com qualquer dos outros. Posologia: Na depressão a dose inicial é de 20 mg/dia mas pode ser aumentada lentamente até 50 mg. Vitória. Evitar a interrupção abrupta do tratamento. cápsulas. Interacções medicamentosas: Cimetidina. Reacções adversas: Semelhantes à da fluoxetina. ZOLOFT Lab. 11 226$00 (187$10). perturbações de pânico. PROZAC Lilly Farma. PSIPAX Merck Farma e Química. 20. 3 076$00 (153$80). doença obsessiva-compulsiva. 40%. 20. Não está recomendado nas crianças. 4. comp. TUNELUZ Farmoquímica Baldacci. a dose de teofilina deve ser reduzida a metade e deve-se utilizar a monitorização dos níveis séricos. cápsulas. revestidos. sol. 60. 100. revestidos. oral. • 101 s PAROXETINA Indicações terapêuticas: Depressão. digoxina (reduz os níveis plasmáticos). 40%. 7 824$00 (130$40). 3 229$00 (161$40). Interacções medicamentosas: Ver fluoxetina. 7 638$00 (127$30). quando não é possível. 40%.8. cápsulas. 40%. particularmente a discinésia oro-mandibular. cápsulas. DUMYROX Solvay Farma. 30. 40%. 3 472$00 (248$00). comp. 7 822$00 (130$40). 40%. 20. . revestidos. 40%. 60. no idoso a dose máxima é de 40 mg. cápsulas. 40%. cápsulas. Reacções adversas: Semelhantes às da fluoxetina. 50. 6 246$00 (223$10). Vitória. Contra-indicações e precauções: Evitar a interrupção abrupta do tratamento. 50. 20. 20. 20. NODEPE Euro-labor. 3 227$00 (230$50). 4 478$00 (149$30). 40%. 60. 20. 20. cápsulas. 30. Reacções adversas: Semelhantes às da fluoxetina. • DUMYROX Solvay Farma. 5 919$00 (98$60). 20. Na perturbação do pânico a dose inicial é de 10 mg podendo atingir os 50 mg. 4 524$00 (226$20). PROZAC Lilly Farma. Pfizer. risco de arritmias com a terfenadina. 40%. 20. comp. 10. 20. 40%. 2 721$00 (136$10). cápsulas. Psicofármacos DIGASSIM Lab.

20. 902$00 (9$00). os sinais de intoxicação incluem visão turva. taquicárdia. taquicárdia. Posologia: A dose deve ser ajustada para que a concentração sérica de lítio seja de 0. Pfizer. • b) Estabilizadores do humor b1) Lítio s LÍTIO Indicações terapêuticas: Tratamento e profilaxia da mania. tonturas e hipotensão. cefaleias. a função tiroideia deve ser monitorizada. alterações gastrintestinais incluindo náuseas e desconforto gástrico. Dose máxima diária 375 mg. Reacções adversas: Náuseas. hipertensão. STABLON Servier Portugal. rash. pré-cordialgia. 40%. revestidos. • a5) Outros s TIANEPTINA Indicações terapêuticas: Depressão. obstipação. anorexia. 3 351$00 (167$60). no comportamento agressivo ou automutilante.5 mg. domperidona. fraqueza muscular. disartria. Corresponde a aproximadamente 0. lipotímias. parassimpaticomiméticos. lombalgias. doença cardíaca e doenças endócrinas com alterações do equilíbrio do sódio. evitar a interrupção súbita do tratamento. aumento das transaminases e do colesterol. tremor fino. extra-sístoles. náuseas. b2) medicamentos com acção específica nas perturbações do ciclo sono-vigília s MODAFINIL Indicações terapêuticas: narcolepsia. diuréticos. metoclopramida. 60. convulsões. Reacções adversas: Alterações gastrintestinais. flatulência. 13. polidipsia. 1 109$00 (73$90). EFEXOR Wyeth Lederle. 28. Contra-indicações e precauções: História de enfarte do miocárdio ou doença cardíaca recente. aumento de peso e edema. outros medicamentos activos no SNC. Contra-indicações e precauções: As litémias devem ser medidas regularmente. irritabilidade. 400. epilepsia. comp. palpitações. ataxia). 38. idosos. astenia. 8 545$00 (142$40). 40%. miastenia. Posologia: Dose média diária 37. .4 a 1. 40%. 38. aumento das perturbações gastrintestinais. 15. Interacções medicamentosas: Com os inibidores não selectivos da MAO (não estão comercializados em Portugal). xerostomia. insuficiência renal e hepática. 3 549$00 (59$20). comprimidos. insuficiência renal. doença bipolar e depressão recorrente. Psicofármacos STABLON Servier Portugal. se necessário pode-se aumentar ao fim de algumas semanas para 150 mg. euforia. 40%. • ZOLOFT Lab. agonistas 5HT1. cefaleias. EFEXOR Wyeth Lederle. teofilina. Reacções adversas: Gastralgias. antihipertensores. cisapride. estimulação do SNC incluindo insónia. relaxantes musculares. dor abdominal. história de abuso de drogas.102 Capítulo 2 | 2. Posologia: Dose inicial 75 mg repartida por 2 administrações.2 g/dia numa dose única ou em 2 administrações diárias. irritabilidade. analgésicos. comp. comp. tremores. 60. revestidos. PRIADEL Antº Pacheco Agostinho. cefaleias. boca seca.8. a ingestão de líquidos e sódio deve ser adequada. aumento das alterações do SNC (sonolência. controlo da tensão arterial se a dose utilizada for superior a 200 mg. poliúria. mialgias. 5 495$00 (196$20). 40%. Interacções medicamentosas: IECAS. Reacções adversas: Anorexia. Interacções medicamentosas: Cimetidina. comprimidos. 40%. insuficiente renal. 50.4 a 1 mmol/l 12h após a administração entre o 4º e o 7º dia de tratamento. No idoso a dose média diária é 25 mg. anestesia. 13. dores abdominais. revestidos. tratamento com diuréticos. insónias. cirurgia. xerostomia. 100. sonolência. • a4) Inibidores selectivos da recaptação da serotonina e da novadrenalina (ISRSN) s VENLAFAXINA Indicações terapêuticas: Depressão. vertigem. alterações da personalidade. Contra-indicações e precauções: Idoso. tremor. comprimidos. vómitos. aleitamento.

Agrupamos os diferentes princípios activos que são analgésicos e antipiréticos em classes definidas pela proximidade das acções farmacológicas.9. Lafon. zolmitriptano). 40%. Nos idosos a dose inicial deve ser 100 mg. ou prolapso da válvula mitral associados ao uso de estimulantes do SNC. doença alérgica. arritmia. em geral. 30. Reacções adversas: Irritação gástrica. porque a dose de cafeína que contêm não é suficiente. Contra-indicações e precauções: Insuficiência renal e hepática. aumento do tempo de hemorragia. o terceiro à clonixina. dor torácica. As associações que contêm cafeína. broncospasmo. s ÁCIDO ACETILSALICÍLICO (AAS) Indicações terapêuticas: Dor ligeira a moderada. Deve-se notar ainda que muitos dos princípios activos não se encontram isolados nas formulações fixas mas sim em associações fixas. Dois fármacos que pertencem a este grupo. a sua utilização não é recomendada. é desenvolvido no capítulo do sistema músculo-esquelético (Capítulo 9). Assim. comprimidos. reduz a excreção de metotrexato. 22 556$00 (751$90). Analgésicos e antipiréticos prurido. • 103 gismo entre eles. possibilidade de dependência. MODIODAL Lab. A propifenazona não existe isolada. Ácido acetilsalicílico. gravidez. mas apenas como componente de associações fixas que já acima foram desaconselhadas. devido ao risco de síndroma de Reye. cetoprofeno. de um modo geral devemos considerar que as associações fixas de fármacos deste grupo dos analgésicos/antipiréticos não são de utilizar na clínica. anti-inflamatórias e antipiréticos.9. . cetoprofeno e a propifenazona. nomeadamente hipertensão. com corticosteróides aumenta o risco de hemorragia e ulceração GI. gravidez e aleitamento. ou as associações fixas de dois analgésicos quando não se demonstrou a existência de um sinerEstes três princípios activos têm propriedades analgésicas. insuficiência renal ou hepática. Além dos motivos expostos acresce que a propifenazona tem um perfil de reacções adversas que a tornam um medicamento a excluir. No entanto. Consideram-se neste Capítulo 4 subgrupos. Acresce que também é frequente existirem associações fixas de analgésicos/antipiréticos com anti-histamínicos e/ou vasoconstrictores. bem como as associações fixas de ácido acetilsalicílico e paracetamol. rashes. no entanto a sua utilização clínica explora fundamentalmente as propriedades analgésicas e antipiréticas. outra ao almoço) ou em dose única (de manhã). O grupo dos medicamentos anti-inflamatórios não esteróides (AINES). Posologia: 200 a 400 mg/dia em 2 doses (1 de manhã. a aminopirina e o metamizol ou dipirona são demasiado tóxicos para que a sua utilização clínica seja recomendada e não serão por isso descritos. os triptanos (naratriptano. história de hipertrofia ventricular esquerda ou alterações isquémicas no ECG.9. não representando a principal acção do medicamento. hemofilia. história de úlcera péptica. O primeiro refere-se ao ácido acetilsalicílico. muitas das quais carecem de justificação terapêutica. L. discinésia oromandibular. Nas crianças com menos de 12 anos e no aleitamento deve ser evitado. perda gastrintestinal de sangue assintomática. idosos. pirexia. 100. Interacções medicamentosas: Os antiácidos aumentam a excreção urinária do AAS.1. antagoniza o efeito de diuréticos. São particularmente de referir as erupções cutâneas e a nefrotoxicidade. aumento da fosfatase alcalina dependente da dose. aumenta o efeito da fenitoína e do valproato. flupirtino e nefopam e finalmente o quarto agrupa fármacos com características farmacológicas homogéneas e com uma indicação típica: o tratamento das crises de enxaqueca. com anticoagulantes aumenta o risco de hemorragia. 2. estão nestas circunstâncias. Estas formulações tem como alvo os diversos sintomas da síndroma gripal ou da constipação vulgar. Analgésicos e antipiréticos Neste grupo descrevem-se os medicamentos que têm acção analgésica e/ou antipirética mas que não interferem com os receptores dos opióides e cuja actividade anti-inflamatória quando existe é reduzida ou moderada. Contra-indicações e precauções: Asma. sumatriptano. Não está recomendado em crianças. desidratação. hipertensão (monitorizar TA e frequência cardíaca nos doentes hipertensos). o segundo refere-se ao paracetamol. propifenazona 2.2. particularmente quando contêm vasoconstrictores que podem determinar graves problemas de segurança.

cápsulas. Bial. 500. 3 257$00 (81$40). • s CETOPROFENO Ver no capítulo músculo-esquelético (9). 500. supositórios. 10. Posologia: 500 a 1 000 mg. sonolência. 164$00 (8$20). 40%. 500. 1 000. s PARACETAMOL Indicações terapêuticas: Dor ligeira a moderada. 300. 1000. 40%. 10. 40%. Estes três princípios activos estão mal estudados do ponto de vista de ensaios clínicos e a informação existente em relação a qualquer deles é escassa. 40%. comp. 864$00 (14$40). 171$00 (17$10). ASPIRINA Bayer Portugal. BEN-U-RON Neo-Farmacêutica. PANASORBE Sanofi Winthrop. 40%. BEN-U-RON Neo-Farmacêutica. 125. nefopam. supositórios. domperidona e metoclopramida aumentam a absorção do paracetamol. 236$00 (23$60). 100 ml. 10. 20. A clonixina e o clonixato de lisina têm acção analgésica. 20. Bial. 250$00 (25$00). 40%. 40%. Dose máxima diária 4000 mg. 40. sol. 650. supositórios. 120 ml. • s FLUPIRTINO Indicações terapêuticas: Dor ligeira a moderada. náuseas. sol. 30. 32. oral. 653$00 (6$50). 60. supositórios. 40. Na intoxicação o risco de insuficiência hepática é elevado. Não têm vantagens terapêuticas reconhecidas sobre outros analgésicos e/ou antiinflamatórios e por isso devem ser preteridos nas decisões terapêuticas. oral. supositórios. Reacções adversas: Não se encontraram referências. TOLDEX Lab. 452$00 (3$80). comprimidos. Reacções adversas: São raras. s CLONIXINA/CLONIXATO DE LISINA Indicações terapêuticas: Dor ligeira a moderada. 125. 10. BEN-U-RON Neo-Farmacêutica. BEN-U-RON Neo-Farmacêutica. Interacções medicamentosas: Não se encontram referenciadas. flupirtino. úlcera péptica activa. Dose máxima 1 800 mg/dia de clonixina e 750 mg/dia de clonixato de lisina. 264$00 (26$40). Posologia: Em cada administração oral 300 mg de clonixina ou 125 mg de clonixato de lisina. 420$00 (14$00). comprimidos. Contra-indicações e precauções: Insuficiência hepática ou renal. . rashes e pancreatite após utilização prolongada. supositórios. 250. PANASORBE Sanofi Winthrop. acção prolongada. anti-inflamatória e antipirética. 40%. supositórios. 356$00 (35$60). vómitos. comprimidos. PANASORBE Sanofi Winthrop. • Posologia: 500 a 1000 mg/administração.9. 264$00 (13$20). 40%. CLONIX Janssen-Cilag. 390$00 (39$00). 40%. Clonixina. 1 061$00 (106$10). TOLDEX Lab. pirose. 280$00 (14$00). 407$00 (40$70). 10. 500. comprimidos. Analgésicos e antipiréticos PANASORBE Sanofi Winthrop. 300. PANASORBE Sanofi Winthrop.104 Capítulo 2 | 2. 10. cápsulas. 304$00 (30$40). a insuficiência renal também é possível. 40%. Interacções medicamentosas: O uso prolongado de paracetamol aumenta o efeito dos anticoagulantes. supositórios. 500. 40%. 40%. 100. dependência do álcool. PANASORBE Sanofi Winthrop. 10. 10. Contra-indicações e precauções: Alterações da função renal. BEN-U-RON Neo-Farmacêutica. Dose diária máxima 4 000 mg. 40%. 40%. BEN-U-RON Neo-Farmacêutica. Reacções adversas: Enfartamento. 10. 20. pirexia. CLONIX Janssen-Cilag. 40%. Estão descritas doenças hematológicas. gravidez e aleitamento. 40%. 250.

sol. Por via subcutânea 6 mg o mais precocemente possível. Por via intranasal 20 mg (1 spray) o mais precocemente possível. Interacções medicamentosas: As dos triptanos. 11 125$00 (5 562$50). Analgésicos e estupefacientes Analgésicos opiáceos Os opiáceos podem ser classificados como agonistas. risco aumentado de toxicidade para o SNC. IMIGRAN Glaxo Wellcome. 3. cefaleia de cluster. 11 125$00 (5 562$50). Interacções medicamentosas: Risco de toxicidade para o SNC com os inibidores da MAO incluindo a moclobamida e com os inibidores selectivos da recaptação da serotonina. disfunção hepática. Doses máximas 600 mg/dia per os e 900 mg/ /dia em supositórios. injectável. IMIGRAN Glaxo Wellcome. Dose máxima 40 mg/24h. Interacções medicamentosas: As dos triptanos. 1 590$00 (79$50). Reacções adversas: Tratamento agudo das crises de enxaqueca. se a crise recorrer após alívio inicial a dose pode ser repetida ao fim de pelo menos 2h. 2. hipertensão não controlada. 0%. 2 708$00 (1 354$00).5. • s SUMATRIPTANO Indicações terapêuticas: Tratamento agudo das crises de enxaqueca. Reacções adversas: Sensação de formigueiros. Contra-indicações e precauções: Doença isquémica cardíaca. O doente que não responde inicialmente não deve repetir. convulsões raras mas possíveis. se a crise recorrer após alívio inicial a dose pode ser repetida ao fim de pelo menos 1h. Interacções medicamentosas: Não se encontraram referências. s ZOLMITRIPTANO Indicações terapêuticas: Tratamento agudo das crises de enxaqueca. Síndroma de Wolfe-Parkinson-White ou arritmias associadas a vias de condução acessórias. vasospamo coronário. bradicárdia ou taquicárdia. 2.10.5 mg o mais precocemente possível. O doente que não responde inicialmente não deve repetir. Posologia: Per os: 300 a 400 mg/dia (3 a 4 administrações de 100 mg). Analgésicos e estupefacientes Contra-indicações e precauções: Não se encontraram referências. Dose máxima 300 mg/24h. calor.10. peso ou pressão em qualquer parte do corpo incluindo o tórax e a região pré-cordial. 50. 6. Neste caso nas crises seguintes a dose inicial deve ser de 5 mg. 100. 40%. 2. Contra-indicações e precauções: As dos triptanos. • 105 Triptanos Esta classe de medicamentos caracteriza-se por serem agonistas dos receptores 5-HT1 da serotonina e terem eficácia específica no tratamento da fase aguda da enxaqueca. 20. injectável. Reacções adversas: As dos triptanos. Vitória. enfarte miocárdico anterior. se a crise recorrer após alívio inicial ou persistir a dose pode ser repetida ao fim de 2h. Posologia: 2. Dose máxima 15 mg/24h. com lítio. • s TRIPTANOS Indicações terapêuticas: Tratamento da fase aguda da enxaqueca. alteração das provas de função hepática. Dose máxima 12 mg/24h.2. Cefaleia de cluster (apenas a formulação subcutânea). cápsulas. 6. sol. náuseas e vómitos. com ergotamina risco acrescido de vasoconstrição. Comprimidos. 40%. comprimidos. 2. Posologia: Per os: 100 mg (por vezes 50 mg é suficiente) o mais precocemente possível. aumento transitório da pressão arterial. Contra-indicações e precauções: As dos triptanos. Os triptanos não devem ser utilizados em associação com outros medicamentos para a enxaqueca (particularmente ergotamínicos). afrontamentos. 2. 4 571$00 (1 523$70). tonturas. em supositórios 450 a 600 mg/dia (3 a 4 administrações de 150 mg). METANOR Asta Médica. se a crise recorrer após alívio inicial a dose pode ser repetida. gravidez e aleitamento. 40%. ZOMIG Zeneca. O doente que não responde inicialmente não deve repetir. 40%. fraqueza. agonistas-antagonistas mistos ou agonistas parciais de acordo com a sua actividade nos receptores opiáceos. DILETAN Lab. Estão descritas 5 categorias .

parestesias. Os agonistas incluem os alcalóides naturais do ópio (morfina e codeína). No aparelho genito-urinário: espasmos dos esfíncteres. os efeitos psicomiméticos (ex: alucinações) e a estimulação respiratória e vasomotora causada pelos medicamentos com actividade antagonista. vertigens. os receptores kappa medeiam a analgesia espinal tipo pentazocina. no entanto. euforia. com o diazepam pode causar colapso respiratório ou cardiovascular. por outro lado também existem os agonistas parciais (butorfanol. depressão respiratória. amnésia. buprenorfina). colapso da circulação periférica. hiperventilação. boca seca. calafrios. sedação pré-operatória e adjuvante da anestesia. 5. hipotiroidismo. metadona). alterações da visão. sonolência. 40%. tipo morfina. alteração do humor. Do aparelho cardiovascular: afrontamentos. diaforese. hipotensão. efeito antidiurético. insuficiência renal ou hepática grave. laringospasmo. reacção no local da injecção. 1 693$00 (84$60). alterações da regulação térmica. cólica renal. dor associada ao enfarte do miocárdio. Além destes podem acontecer: euforia. As acções dos analgésicos opiáceos actualmente disponíveis podem ser definidas em função da sua actividade sobre os receptores mu (µ). tonturas. comprimidos sublinguais. Reacções adversas: As dos opiáceos e ocasionalmente hepatoxicidade. cefaleias. oxicodona) e os compostos sintéticos (meperidina. Os receptores mu medeiam a analgesia supraespinal tipo morfina. sigma (Σ). os análogos semi-sintéticos (hidromorfona. • s MORFINA Indicações terapêuticas: Dor intensa. cefaleias. dor oncológica. Nas crianças até 1 mês 150 µg/kg. 0. anorexia e obstipação. alucinações. miose. prurido. Os receptores sigma medeiam a disforia. tremor. kappa (κ). em média. kappa (κ). miose. Há ainda a referir reacções de hipersensibilidade. hipotensão ortostática e síncope. Pode também mencionar-se a possibilidade de broncospasmo. diaforese. rigidez muscular. A nível do tubo digestivo referem-se dor abdominal. urticária. 20. impedir que os doentes com quadros dolorosos significativos sejam adequadamente tratados. epsilon (ε). 1 a 5 s BUPRENORFINA Indicações terapêuticas: Dor pós-operatória moderada a grave. Os opiáceos apresentam um perfil de reacções adversas característicos da classe e de que se salienta o potencial para indução de dependência física que não deve. retenção urinária. 40%. com função respiratória comprometida. náuseas. náuseas e vómitos e sudação. sedação. Os opiáceos agonistas. 1 a 12 meses 200 µg/kg. arritmias. convulsões. Analgésicos e estupefacientes Reacções adversas: Sedação.10. deve-se ter precaução em doentes com história de utilização de opiáceos. • principais de receptores de opiáceos: mu (µ). injectável. Reacções adversas: As dos opiáceos. sigma (Σ). hipertensão. ALGIFENE Ferraz Lynce. Interacções medicamentosas: As dos opiáceos. alterações do gosto. prurido.106 Capítulo 2 | 2. redução do reflexo da tosse. aumento da pressão intracraniana. doentes debilitados e doentes com lesões do SNC.3 mg de 6 em 6 horas. Contra-indicações e precauções: As dos opiáceos. insónia. redução da líbido.2. disforia. agitação. vómitos. Posologia: Na dor aguda: por injecção subcutânea ou por injecção intramuscular 10 mg cada 4h (se necessário 15 mg em doentes com grande massa muscular). pentazocina) tem actividade agonista nuns receptores e antagonista noutros. têm actividade nos receptores mu e kappa. Interacções medicamentosas: As dos opiáceos. As reacções adversas mais frequentes são as tonturas. 583$00 (116$60). doença de Addison. Os agonistas-antagonistas mistos (nalbufina. tratamento adjuvante do edema pulmonar agudo. euforia. incoordenação dos movimentos. e a depressão física e respiratória. Contra-indicações e precauções: As dos opiáceos. 75. levorfanol. sonolência. . Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade à buprenorfina. e possivelmente nos sigma. a sedação e a miose. oximorfona. nevralgia do trigémeo. dor traumática. Interacções medicamentosas: Álcool. Posologia: 0. sol. impotência. benzodiazepinas e outros depressores do SNC potenciam o efeito. mixedema. risco aumentado de intoxicação quando utilizado em associações medicamentosas. delta (δ). oligúria. s DEXTROPROPOXIFENO Indicações terapêuticas: Dor pouco intensa ou moderada. bradicárdia. estados confusionais. BUPREX Schering Plough. medo. taquicárdia. Posologia: Dose diária média 195 mg em 3 administrações.

100. 100. por via intravenosa lenta 50 mg (também possível a infusão intravenosa lenta de 100 mg em 2-3 horas). 40%. 3 593$00 (119$80). 40%. 2 634$00 (87$80). 6 814$00 (227$10). comp. comp. acção prolongada. 30. As preparações orais de acção retardada tem uma posologia muito variável que deve ser verificada antes da utilização de cada especialidade terapêutica em concreto. MST 6 Asta Médica. 20. 40%. SKENAN Bristol-Myers Squibb. 4 467$00 (148$90). SKENAN Bristol-Myers Squibb. Grünenthal. 100. TRAMAL Lab. 1 224$00 (122$40). intervalo de 25 mg a 100 mg. Analgésicos e estupefacientes anos 2. cáps. 30. cáps. Interacções medicamentosas: As dos opiáceos. Por injecção intravenosa lenta: de 1/4 a 1/2 da dose por via intramuscular. 7 475$00 (249$20). Na dor crónica. MST 3 Asta Médica.2. 1 144$00 (38$10). 40%. 50. 1 302$00 (260$40). acção prolongada. as doses devem ser adaptadas às necessidades. oral.10. 40%. 30. MST 10 Asta Médica. Contra-indicações e precauções: As dos opiáceos. • 107 privação em doentes que consomem outros opiáceos. Esta contraindicada no enfarte do miocárdio porque aumenta a pressão pulmonar e aórtica. cápsulas. No edema pulmonar agudo por injecção intravenosa lenta (2 mg/min): 5 a 10 mg. hipertensão pulmonar. 40%. • s PENTAZOCINA Indicações terapêuticas: Dor moderada a grave. 2 415$00 (120$80). 10. 5. comprimidos. sol. • s TRAMADOL Indicações terapêuticas: Dor moderada a grave. 6 a 12 anos 5 a 10 mg. cáps. 20. 30. anafilaxia. 100. 20. Como é um agonista-antagonista determina síndroma de . 10. Interacções medicamentosas: As dos opiáceos. injectável. 11 045$00 (368$20). Actualmente a sua utilização clinica não é recomendada. TRAMAL Lab. comprimidos. cáps. Reacções adversas: As dos opiáceos. Reacções adversas: As dos opiáceos. 30. 60. supositórios. 100. SKENAN Bristol-Myers Squibb. alucinações. Posologia: Per os: 50 mg cada 3-4h de preferência com alimentos. sol. 5. 30. 50. de notar que apesar de não ser um opiáceo pode ser utilizado por dependentes dos opiáceos. acção prolongada. 40%. 682$00 (136$40). Grünenthal. 1 224$00 (61$20). Grünenthal. TRAMAL Lab. SKENAN Bristol-Myers Squibb. Grünenthal. 40%. comp. SOSEGON Sanofi Winthrop. No enfarte do miocárdio por injecção intravenosa lenta (2 mg/min) 10 mg seguidos de mais 10 mg se necessário. 40%. 40%. acção prolongada. 1 535$00 (51$20). acção prolongada. 40%. 40%. 30.5 a 5 mg. não mais de 400 mg/dia. 632$00 (126$40). insuficiência cardíaca. acção prolongada. acção prolongada. 987$00 (49$40). SOSEGON Sanofi Winthrop. 30. 40%. Contra-indicações e precauções: As dos opiáceos. 30. sol. Maior susceptibilidade para provocar alucinações. Posologia: Per os ou via intramuscular 50 a 100 mg cada 4h. 40%. TRAMAL Lab. 40%. 30. 30. Além da hipotensão também acontece ocasionalmente hipertensão. confusão. 10 ml. MST 1 Asta Médica. 60. PAXILFAR Tecnifar. comp. per os ou por via subcutânea ou por via intramuscular: 5 a 20 mg cada 4h. acção prolongada. injectável. 100. 5.

. sonhos anormais. Três medicamentos pertencentes a estes grupo chegaram recentemente ao mercado após terem demonstrado em ensaios clínicos produzirem um efeito estatisticamente significativo na função cognitiva de doentes com doença de Alzheimer inicial ou moderada. comportamentais. Contra-indicações e precauções: Na anestesia há o risco de exagero da paralisia muscular do tipo da induzida pela succinilcolina. efeitos vagotónicos. náuseas. 5. cãibras. Reacções adversas: Cefaleias. É importante salientar que os inibidores da acetilcolinesterase nunca foram estudados noutras formas de demência que não a de Alzheimer. aumento de peso. ainda não identificadas. No entanto. sejam bons respondedores a estes medicamentos. fadiga. Medicamentos utilizados no tratamento sintomático da demência de Alzheimer A demência de Alzheimer determina uma síndroma constituído por sintomas e sinais que abrangem a totalidade das funções nervosas superiores e também muitas das restantes funções nervosas. apesar do efeito sobre a cognição observado ser consistente de ensaio para ensaio e de medicamento para medicamento. história de asma. pelo que não devem ser prescritos nessas situações. Interacções medicamentosas: Ver inibidores da acetilcolinesterase. depressão. colinomiméticos/inibidores da colinesterase. anti-depressivos. Posologia: Dose única de 5 ou 10 mg ao deitar. equimoses. etc. Pfizer. 6 354$00 (907$70). particularmente a perturbação dos processo mnésicos. aumento da secreção gástrica. Além do efeito específico sobre as funções cognitivas verifica-se também um efeito sobre funções não-cognitivas. ansiolíticos. O donezepil pode ser administrado com ou sem refeição. Estas alterações manifestam-se por alterações cognitivas. Estas manifestações não são específicas da demência de Alzheimer e para o seu controlo sintomático utilizam-se medicamentes não específicos: antipsicóticos. Reacções adversas: Ver inibidores da acetilcolinesterase. comprimidos. tonturas. A dose de 10 mg não produz efeitos estatisticamente diferentes da de 5 mg. quer s DONEZEPIL Indicações terapêuticas: Ver inibidores da acetilcolinesterase. Medicamentos utilizados no tratamento sintomático das alterações das funções cognitivas 1. Outros medicamentos com acção no sistema nervoso central 2. dores generalizadas. só deve ser utilizada quando não houve benefício com 5 mg ao fim de 6 semanas. Outros medicamentos com acção no sistema nervoso para avaliar da existência de efeito terapêutico. Interacções medicamentosas: Anticolinergicos. são o núcleo da síndroma demencial. ARICEPT Lab. por isso quando se decide utilizá-los o doente deve ser monitorizado regularmente. Entre os 3 inibidores da acetilcolinesterase que estão disponíveis a tacrina deve ser utilizada apenas em situações muito particulares e provavelmente virá a ser abandonada porque os riscos elevados de hepatoxicidade determinam que ocupe o ultimo lugar na estratégia de selecção. Admite-se que haja doentes que por possuírem características individuais. insónia.11. quer para minorar os problemas de segurança. Contra-indicações e precauções: Ver inibidores da acetilcolinesterase. vómitos. Se este não for detectável a terapêutica deve ser suspensa. do humor e também das funções motoras. No entanto os sintomas cognitivos. s INIBIDORES DA ACETILCOLINESTERASE Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático de formas iniciais ou moderadas da doença de Alzheimer. 7. deterioração da função cognitiva quando se faz uma suspensão brusca da terapêutica.11. 2.11. convulsões.108 Capítulo 2 | 2.1. anorexia. 0%. Os inibidores da acetilcolinesterase foram desenvolvidos no sentido de actuarem especificamente no núcleo dos sintomas cognitivos. Geralmente considera-se que um período de 12 semanas é adequado para avaliar da existência de benefício terapêutico. a sua dimensão é em média muito pequena pelo que a sua relevância clínica é de momento questionável. Inibidores da acetilcolinesterase Os inibidores da acetilcolinesterase com predomínio da acção no SNC foram desenvolvidos com base no conhecimento de que a integridade do sistema colinérgico era fundamental para o funcionamento dos processos mnésicos e que essa integridade estava gravemente perturbada nos doentes com doença de Alzheimer.

0%. cápsula dura. sol. 5. 50 ml. EXELON Europharm. EXELON Europharm. que o GABA não atravessa a barreira hemato-encefálica. A L-carnitina também está indicada nos défices secundários de carnitina. Por outro lado é importante referir que a L-carnitina. ARICEPT Lab. 0%. sol. Outros Tem-se pretendido que vários princípios activos de estruturas químicas muito diversas e acções farmacológicas também diversas tenham eficácia clínica no tratamento de alterações cognitivas associadas a patologias várias ou mesmo à simples senilidade. 20 151$00 (359$80).5 mg até à dose de manutenção de 6-12 mg (2 administrações). EXELON Europharm. Não deve. 28. comprimidos.5.2. Portuguesa de Higiene. 56. 0%. Pfizer. HIPERCOL Helfarma. 56. 4 405$00 (88$10). 28. EXELON Europharm. 20 151$00 (359$80). SOMAZINA Comp. 5. cápsula dura.11. EXELON Europharm. Contra-indicações e precauções: Gravidez e aleitamento. EXELON Europharm. 40%. 28. quer na forma generalizada quer na forma miasténica. 11 195$00 (399$80). oral. 50 ml. 4. 28. 2 816$00 (563$20). Concretamente não existe . cápsula dura.2. Reacções adversas: Ver inibidores da acetilcolinesterase. 6. 40%. A dose máxima diária é de 12 mg. 28. 6. A titulação deve ser feita cada 2 semanas com incrementos de 1. • demonstração válida da eficácia de qualquer destas substâncias em qualquer das hipotéticas indicações terapêuticas que são reclamadas. 1. cápsula dura. Deve-se notar que a informação disponível é escassa e necessariamente incompleta. perturbações digestivas. 0%. Interacções medicamentosas: Ver inibidores da acetilcolinesterase. 20 151$00 (359$80). 0%. 4. Posologia: Não aplicável face às indicações terapêuticas. 100. Posologia: Dose inicial 3 mg/dia (2 administrações). porque os estudos disponíveis tem falhas metodológicas importantes e geralmente não estão focados numa questão pertinente. 56. 0%. cápsula dura. SOMAZINA Comp. cápsula dura. s CITICOLINA Indicações terapêuticas: A sua utilização clínica não é recomendada. Portuguesa de Higiene. uma vez que eles se encontram comercializados em Portugal. 11 195$00 (399$80). insónia. o que impede a existência de qualquer acção ao nível do sistema nervoso central.5. ser esquecido que qualquer destas substâncias tem acções farmacológicas e pode determinar reacções adversas bem como incorrer em interacções medicamentosas. Estas doenças são raríssimas mas fatais caso a terapêutica com Lcarnitina não seja instituída. sol. cápsula dura. 10. 28. 20 330$00 (726$10). no entanto. por exemplo. 0%. Reacções adversas: Agitação psicomotora. Pfizer. 100. 3. É curioso salientar. 1. 1. EXELON Europharm. 4 167$00 (83$30). 0%. injectável. 40%. 3. 20 151$00 (359$80). é fundamental nos défices primários de carnitina. 11 195$00 (399$80). comprimidos. 11 195$00 (399$80). Discriminam-se abaixo os princípios activos que classificamos no grupo das substâncias para as quais é reclamada uma eficácia terapêutica que não está demonstrada. cápsula dura. 0%. Outros medicamentos com acção no sistema nervoso ARICEPT Lab. apesar de não ter qualquer eficácia no sentido de melhorar as funções cognitivas ou físicas (por exemplo no caso dos atletas). 23 557$00 (841$30). • 109 s RIVASTIGMINA Indicações terapêuticas: Ver inibidores da acetilcolinesterase. oral. 0%. Interacções medicamentosas: Potenciação dos efeitos da levodopa. meclofenoxato. Contra-indicações e precauções: Ver inibidores da acetilcolinesterase. EXELON Europharm. 56.5. apenas a titulo informativo. hipotensão. consequência das acidúrias orgânicas e nos défices da oxidação dos ácidos gordos. 500.5.

250. estados confusionais. DEBRUMYL Pierre Fabre. 771$00 (38$60). 5 577$00 (93$00). 40%. DINERFENE Lab. erupções cutâneas. • s DAENOL-HEPTAMINOL Indicações terapêuticas: A sua utilização clínica não é recomendada. Interacções medicamentosas: Inibidores da MAO. náuseas. Posologia: Não aplicável face às indicações terapêuticas. 40%. agitação psicomotora. insónia ou sonolência. fadiga. Interacções medicamentosas: Ver cada um dos elementos desta associação. 6. IDECORTEX Pentafarma. 40%. sol. 20. hipertensão. elevação das transaminases. comprimidos. 60. Reacções adversas: Náuseas. 50 ml. injectável. 500. BONIFEN Merck. revestidos. CERBON-6 Produfarma. Reacções adversas: Ver cada um dos elementos desta associação. TONIBRAL Antº Pacheco Agostinho. 20. comp. 4 048$00 (1 349$30). 20. epigastralgias. 1 561$00 (26$00). CERESTABON Seber Portuguesa. comprimidos. elevação do colesterol.110 Capítulo 2 | 2. 200. DINERFENE FORTE Lab. 100. 100. 200. 200 ml. Alterações do sono. diarreias. 3. 798$00 (39$90). 40%. amp. • s PIRITINOL Indicações terapêuticas: A sua utilização clínica não é recomendada. 40%. tremores. revestidos. injectável. amp. Contra-indicações e precauções: Artrite reumatóide e doenças auto-imunes. Redução das plaquetas. 974$00 (16$20). Azevedos. fraqueza muscular. comp. • STARTONYL Seber Portuguesa. 40%. excitabilidade. 40%. 695$00 (34$80). hipertiroidismo. 60. dos triglicéridos ou da ureia. 4 092$00 (81$80). 16. 50 ml. 60. Posologia: Não aplicável. 40%. BONIFEN FORTE Merck. sol. revestidos. 100. Azevedos. oral. vómitos. agranulocitose. 20. 40%. 40%. Azevedos. revestidos. Interacções medicamentosas: Potencia a toxicidade dos sais de ouro. DINERFENE Lab. revestidos. sol. STARTONYL Seber Portuguesa. sol. • s IDEBENONA Indicações terapêuticas: A sua utilização clínica não é recomendada. bebíveis. 1 015$00 (16$90). 100. eritrocitopénia e leucoci- . comp. 4 409$00 (88$20). BONIFEN FORTE Merck. vómitos. revestidos. xarope. proteinúria e síndroma nefrótico. STARTONYL Seber Portuguesa. 7 820$00 (130$30). 20.11. 40%. 100. 728$00 (3$60). 45. 200. Interacções medicamentosas:Não referenciadas. convulsões. cefaleias. comp. TRAUSAN Lab. prurido. oral. 30. levamos e tioprocilamina. anorexia. Vitória. Contra-indicações e precauções: Epilepsia. 1 554$00 (25$90). Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade a qualquer dos componentes. Reacções adversas: Agitação psicomotora. alucinações. alterações do paladar. bebíveis. comp. 4 068$00 (678$00). 40%. Outros medicamentos com acção no sistema nervoso topénia. Posologia: Não aplicável face às indicações terapêuticas. náuseas. 60. 60. Reacções adversas: Verificaram-se alguns casos de hepatoxicidade grave. diarreia. 402$00 (20$10). • s DAENOL Indicações terapêuticas: A sua utilização clínica não é recomendada. 40%. febre. vómitos. Posologia: Não aplicável. comp. 40%. Contra-indicações e precauções: Ver cada um dos elementos desta associação. 40%. Reacções imunológicas graves da pele. 1000. 60.

sol. 1 046$00 (52$30). Reacções adversas: Insónia. 200. revestidos. Até ao desenvolvimento do riluzole não existia qualquer opção terapêutica para esta doença. 56. Interacções medicamentosas: O riluzole é extensamente metabolizado pelo fígado. Náuseas. comp. revestidos. 0%. Posologia: Não aplicável face às indicações terapêuticas.11. 2 397$00 (40$00). 40%. Esfar. comp. PRIDANA FORTE Novartis Farma. oral. ARCALION Servier Portugal. • s SULBUTIAMINA Indicações terapêuticas: A sua utilização clínica não é recomendada. 600. 20. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade. Contra-indicações e precauções: Não referenciadas. A morte paulatina destes neurónios determina uma fraqueza muscular progressiva que vai afectando toda a massa muscular provocando incapacidade motora importante e finalmente a morte por atingimento dos músculos respiratórios. comp. tonturas. MIELOMADE Lab. 1 074$00 (5$40). 20. s GABA Indicações terapêuticas: A sua utilização clínica não é recomendada. MIELOMADE Lab. A sobrevida 5 anos após o diagnóstico é muito baixa.2. comp. comp. cefaleias. 250. 250$00 (12$50). 600. ARCALION Servier Portugal. vómitos. Interacções medicamentosas: Não referenciadas. Reacções adversas: Não referenciadas. taquicárdia. A sua eficácia terapêutica também é questionável. parestesias circumorais. comp. 100%. 84 356$00 (1 506$40). Posologia: Não aplicável face às indicações terapêuticas. Reacções adversas: Agitação psicomotora. 50. • s RILUZOLE Indicações terapêuticas: Prolongamento da sobrevida ou deferimento da necessidade de ventilação mecânica em doentes com doença do neurónio motor (a terapêutica só deve ser iniciada por especialistas). 60. revestidos. O riluzole determina um conjunto complexo de acções farmacológicas e por isso o mecanismo de acção relevante no contexto da doença do neurónio motor não está bem esclarecido. revestidos. 3 456$00 (57$60). PRIDANA FORTE Novartis Farma. • 2. 200. Interacções medicamentosas: Levodopa. Medicamentos utilizados no tratamento sintomático da doença do neurónio motor A doença do neurónio motor é uma doença degenerativa do sistema nervoso central que afecta fundamentalmente os neurónios motores do corno anterior da espinal medula. 250. Esfar. tonturas.11. revestidos. 20. Outros medicamentos com acção no sistema nervoso 111 s PIRISUDANOL Indicações terapêuticas: A sua utilização clínica não é recomendada. Contra-indicações e precauções: Alteração da função hepática. 100%. alteração das transaminases. comp. O riluzole deve ser descontinuado sempre que se detectar neutropenia. Reacções adversas: Neutropenia. Esfar. Posologia: Não aplicável face às indicações terapêuticas. 0%. sonolência. tendo por isso potencial para interferir com muitos medicamentos. revestidos. astenia. cefaleias. uma vez que aquilo que se demonstrou em ensaios clínicos foi que o riluzole era capaz de prolongar a vida do doente ou deferir a necessidade de ventilação mecânica em cerca de 3 meses relativamente ao placebo. 40%. 200 ml. revestidos. 642$00 (10$70). 0%.2. dores abdominais. 1 383$00 (69$20). Contra-indicações e precauções: Não referenciadas. náuseas. RILUTEK Rhône Poulenc. MIELOMADE Lab. pelo menos no que se refere à sua relevância clínica. 60. Os doentes devem ser ensinados a reconhecer sinais de neutropenia e sempre que houver febre deve-se monitorizar os leucócitos. 200. 100%. Interacções medicamentosas: Não referenciadas. 60. Posologia: 100 mg/dia (2 administrações). agitação. vertigens. • .

os inibidores da enzima de conversão da angiotensina (diminuem a morbilidade.4.4.2. Cardiotónicos 3.1. tem sido possível a utilização de fármacos que não apenas reduzem a sintomatologia mas também aumentam a sobrevida. hipercolesterolemia. e. Antihipertensores 3. em termos conceptuais. 2. Vasopressores 3.3. é cada vez mais difícil.2. Inibidores da enzima de conversão da angiotensina 3. Tomando como exemplo a doença coronária. À semelhança do que acontece com o tratamento de situações patológicas inerentes a outros aparelhos e sistemas.C. Modificadores do eixo renina-angiotensina 3. No que respeita à classificação dos fármacos. Aqui reside a importância dos inibidores da E. a segunda tem a haver com as dificuldades de classificação farmacológica. de acordo com a evidência dos factos. Antihiperlipidémicos damentais os diuréticos (melhoram os sintomas). tabagismo. a título de introdução. A primeira diz respeito à metodologia de uma abordagem terapêutica que se quer geral. obesidade. o tratamento da insuficiência cardíaca tem como pilares fun- Aparelho Cardiovascular Medicamentos utilizados no tratamento das doenças do Aparelho Cardiovascular 3.4. para além de repouso adequado. Bloqueadores beta 3. em sobreposição aos mecanismos vasodilatadores e natriuréticos (que também estão activados). mais importante ainda é a utilização de medicamentos que contrariem a excessiva adaptação dos mecanismos neuro-humorais vasocontritores e anti-natriuréticos.4. É que a excessiva activação dos mecanismos neuro-humorais vasoconstritores e anti-natriuréticos (sistemas adrenérgico e renina-angiotensina-aldosterona). Selectivos dos receptores imidazolínicos 3. remoção da causa precipitante. de uma dieta apropriada.4.2.2. É o caso da insuficiência cardíaca em que.2.4.4.4.Antes de passarmos em revista os fármacos com interesse no tratamento das doenças de foro cardiovascular.2.4. Antiarrítmicos 3. insuficiência cardíaca). 3. determinam de forma indelével o prognóstico da insuficiência cardíaca. a redução dos efeitos das concausas (ex: tratamento da insuficiência cardíaca que eventualmente exista.3. Vasodilatadores 3. a correcção de uma possível anemia) e o tratamento farmacológico dirigido à situação clínica. Bloqueadores dos receptores da angiotensina II 3. correcção dos mecanismos de adaptação subjacentes. Hoje.1.5. será conveniente.4.4.6. Vasodilatadores directos 3.4. de um estilo de vida saudável. controlo do estado clínico per se.5. diabetes mellitus.4. Admite-se hoje. holística e integrada.A.7. 4. É que um determinado fármaco pode ter várias indicações terapêuticas (ex: inibidores da enzima de conversão da angiotensina – indicados no tratamento da hipertensão arterial.1.4. também a terapêutica cardiovascular implica em termos genéricos quatro formas de abordagem: 1.6. Aparelho Cardiovasculasr .4. melhoram o prognóstico e aumentam a esperança de vida) e os digitálicos (especialmente se houver determinadas perturbações de ritmo. graças a uma melhor compreensão actual dos seus mecanismos fisiopatológicos. confiná-los a grupos estanques. que se é aceitável administrar medicamentos com inotropismo positivo. Outros 3. Bloqueadores da entrada do cálcio 3. tais como fibrilhação e flutter auriculares). prevenção da situação patológica.1. Venotrópicos 3.3. enfim. é pois crucial o controlo dos factores de risco (hipertensão arterial. stress). fazer algumas considerações.4. Diuréticos 3 3. também é verdade que uma determinada situação clínica pode ter uma abordagem multifarmacológica. Agonistas alfa 2 centrais 3. Depressores da actividade adrenérgica 3.

propafenona e amiodarona. escotomas. Via e. Aqueles fármacos. discromatopsia (sugestiva de intoxicação). cefaleias. Bradicardia sinusal. obrigam a uma redução cautelar de dose. implicando. a digitoxina sofre excreção fundamentalmente hepática. 0. o recurso à utilização de pacemaker provisório. nestas duas últimas situações. Este aspecto pode ter sérias implicações. A intoxicação digitálica é uma situação de risco. Nevralgias. na taquicardia ventricular. melhorando a capacidade dinâmica do coração. 3. 60. Apesar de produzir menos reacções adversas que a amrinona. corrigir a desidratação e a hipocaliemia que eventualmente ocorram. De facto. Pode haver necessidade de utilização de fenitoína ou de bloqueadores beta (no tratamento das extrassístoles e taquicardias). comprimidos. a dose deve ser ajustada em função da idade e da superfície corporal. São exemplos os antidepressores tricíclicos. As extrassístoles ventriculares multifocais são muitas vezes precursoras de formas mais graves de arritmias (ex: taquicardia ventricular). sonolência. na cardiomiopatia hipertrófica obstrutiva e ainda em situações de hipercalcemia e hipocaliemia significativas. tais como diltiazem e bloqueadores beta. dado o facto de a dopamina e a dobutamina apenas serem utilizadas por via intravenosa. desorientação e alucinações.25. anorexia e diarreia.5 mg As doses referidas aplicam-se a indivíduos adultos. Não há diferenças significativas entre digitoxina e digoxina. Pode ocorrer também um aumento de reacções adversas. extrassístoles supraventriculares e ventriculares (muitas vezes em bigeminismo). Na criança. Diplopia.: 0. Consideram-se três subgrupos: aminas simpaticomiméticas (dopamina. Merecem particular referência as interacções com o verapamil.25 mg. tanto maior quanto mais comprometido estiver o equilíbrio hidroelectrolítico. nos bloqueios auriculoventriculares de 2º e 3º grau. Posologia: [Dose de digitalização] – Via oral: 0. Cardiotónicos administração de cálcio em situações de intoxicação digitálica. bloqueios auriculoventriculares. em meio hospitalar e exigindo monitorização contínua. é de realçar que para além do seu efeito inotrópico positivo reduzem a taquiarritimia supraventricular associada à insufuciência cardíaca. a dose deve ser reduzida em função da clearance da creatinina. ainda assim estas reacções constituem um obstáculo à sua utilização.114 Capítulo 3 | 3.v. DIGOXINA Upsifarma. 440$00 (7$30). tonturas. Importa pois. da lidocaína (em situações de taquicardia ventricular). Deve evitar-se o recurso a aminas simpaticomiméticas e a . Esses dois últimos efeitos são sintomas precoces num contexto de intoxicação digitálica. Cardiotónicos Por cardiotónicos designam-se as substâncias com efeito inotrópico positivo. quando administradas concomitantemente. Outras substâncias podem agravar as perturbações de ritmo induzidas pelos digitálicos. Ginecomastia e diminuição da síntese de gonadotrofinas. diltiazem. s DIGOXINA Indicações: Insuficiência cardíaca. Dos simpaticomiméticos com utilização por via oral. na medida em que parecem superar a sua eventual eficácia. A digoxina e a metildigoxina são actualmente os digitálicos mais comummente utilizados.75-1. Dos inibidores da fosfodiesterase referidos. Interacções: Várias substâncias podem modificar as concentrações plasmáticas dos digitálicos. [Dose de manutenção] – Via oral: 0. Na insuficiência renal. É também de grande interesse o recurso aos Fab (fragmentos anti-binding). atendendo à pequena margem de segurança destes fármacos. O bloqueio auriculoventricular pode ser de 1º. por vezes. a excreção da digoxina é principalmente renal.5-1 mg. que podem provocar uma diminuição acentuada da excreção renal da digoxina.125-0. quinidina. à semelhança de outros com potencial bradicardizante. apenas a milrinona pode ser utilizada por via oral. diminuindo a sua absorção. vómitos. a não ser em termos farmacocinéticos. Reacções adversas: Náuseas. dobutamina e ibopamina). inibidores da fosfodiesterase (milrinona) e os digitálicos. Contra-indicações e precauções: A digoxina está contraindicada no síndroma de Wolff-Parkinson-White. as substâncias simpaticomiméticas e os antiarrítmicos. 2º e 3º grau. fibrilhação e flutter auriculares. quando em simultâneo são utilizados fármacos depletores de potássio e de magnésio (diuréticos). Fármacos como os antiácidos e a metoclopramida podem interactuar com a digoxina. 70%.1.1. da atropina (na ocorrência de bloqueios auriculoventriculares). referimos apenas a ibopamina. Quanto aos digitálicos.

3 a 0. 100. verapamil. durante três dias. A maior parte das classificações sobre antiarrítmicos incide em considerações com base electrofisiológica. sol. • 3. 0. especialmente com os da mesma classe. cloroprocainamida. O uso prolongado de ibopamina pode condicionar a ocorrência de arritmias graves. 3 499$00 (87$50). Posologia: Via oral: [Dose de digitalização] – 0. 155$00 (7$80).1.2. Palpitações. aumentam a morbilidade de situações patológicas subjacentes ou coexistentes e constituem uma das principais causas de morte súbita. LANOXIN GlaxoWellcome.1 a 0.3. • Outros fármacos tais como a ubidecarrenona são apontados como cardiotónicos. comprimidos. Grupo III: Fármacos que prolongam a repolarização – . • 115 LANITOP Roche Farmacêutica. comprimidos. náuseas. 70%. uma vez que alguns destes exibem outros efeitos farmacológicos. 5. 400$00 (6$70). 70%. e por isso mesmo. LANITOP Roche Farmacêutica. Não se dispõe porém de provas inequívocas da sua eficácia. 234$00 (11$70). LANOXIN MD GlaxoWellcome. 0. 20. galopamil. C. Convém salientar desde já duas importantes características comuns aos antiarrítmicos: – Efeito pró-arrítmico potencial.O. disopiramida.125. s IBOPAMINA Indicações: Insuficiência cardíaca. 0. 0. 10 ml. SCANDINE Zambon. antidepressores tricíclicos. noutras situações porém. propafenona. outras indicações terapêuticas.1. Podemos dividir os antiarrítmicos em quatro grandes grupos: Grupo I: Bloqueadores dos canais de sódio. Tal facto implica que este fármaco seja utilizado por períodos curtos e na ausência de outras substâncias que possam modificar significativamente o ritmo cardíaco. comprimidos. Posologia: Via oral: 100 mg. com diversas outros fármacos. comprimidos. A sua utilização deve ser feita com muita precaução em doentes com doença coronária e nos que tenham antecedentes de arritmias ventriculares. na maior parte dos casos. 0. A mais conhecida é a classificação de Vaughan-Williams. Tal facto pode acarretar aumento significativo dos efeitos laterais. A. por isso. – Possibilidade de interacção com outros fármacos. Grupo IV: Bloqueadores dos canais de cálcio – diltiazem. fenitoína. As arritmias podem ser devidas a modificações na frequência. podendo interactuar. 594$00 (9$90). especialmente quando se apresentam na forma de taquicardia e fibrilhação ventriculares. 0. três vezes por dia. provocam desconforto. 452$00 (45$20).2. Antiarrítmicos LANOXIN MD GlaxoWellcome. 60. Antiarrítmicos As perturbações do ritmo cardíaco ocorrem com uma frequência bastante elevada. Quinidina. 0.6. 306$00 (61$20). LANITOP Roche Farmacêutica. digoxina. comprimidos. Interacções: A ibopamina é uma substância simpaticomimética.amiodarona. . 60. s METILDIGOXINA V. 70%. tais como os bloqueadores beta. B. 70%. 20. É mais uma classificação de acções antiarrítmicas do que uma classificação de fármacos. fenotiazinas. 40. Lidocaína.2. injectável.25.125. E se. 70%. 70%. 60. oral. 448$00 (7$50). A absorção por via oral da metildigoxina é superior à da digoxina. 70%. Reacções adversas: Epigastralgias.2 mg/dia. LANITOP Roche Farmacêutica. são fenómenos inofensivos. na génese e na condução de impulso. comprimidos. Flecaínida. pirose. sol.A. Contra-indicações e precauções: A ibopamina está contraindicada em doentes com hipertensão arterial grave e feocromocintoma. simpaticomiméticos e inibidores da M.6 mg/dia. 70%. na ritmicidade. [Dose de manutenção] – 0. Grupo II: Bloqueadores beta.

comp. Ataxia. injectável. [dose de manutenção] – 200 mg 1 vez/dia. Posologia: Via oral: [dose inicial] – 200 mg. CORDARONE Sanofi Winthrop. Estas duas últimas indicações são as principais. c) Com aumento dos efeitos de fármacos usados concomitantemente: Ciclosporina. Depósitos na córnea. 70%. depois. Urticária. Reacções adversas: Infiltrados e fibrose pulmonares (por vezes de extrema gravidade). Hipertensão arterial. comprimidos. CORDARONE Sanofi Winthrop. síndroma do QT longo. 60. flutter auricular e taquicardia de reentrada num contexto de síndroma de Wolff-Parkinson-White. 2 mg/minuto durante 24 horas. após o que se segue uma infusão de 450 a 900 mg (média 600 mg) em 500 ml de soro glicosado durante 24 horas. Interacções: a) Com aumento dos efeitos da amiodarona: Cimetidina. Angina de peito. Em caso de injecção intravenosa directa (que deve ser lenta). teofilina. Hipotiroidismo. existe o risco de excessivas concentrações plasmáticas e tecidulares com o inerente potencial tóxico. Quadro clínico laboratorial semelhante ao lúpus eritematoso (especialmente nos acetiladores lentos). comprimidos. 60. Náuseas e vómitos. Agranulocitose. Insuficiência cardíaca grave.116 Capítulo 3 | 3. edemas maleolares. 340$00 (11$30). Antiarrítmicos CORDARONE Sanofi Winthrop. MIODRONE Alter. 10. 70%. 200. Via intravenosa: 300 mg em infusão. Bloqueios auriculoventriculares e intraventriculares. síndroma de Wolff-Parkinson-White. efeito inotrópico negativo. Posologia: Via oral: 120 a 360 mg/dia. Interacções: A ranitidina e a cimetidina reduzem a sua eliminação Posologia: Via oral: 250 a 500 mg de 4 em 4 horas. 1 018$00 (169$70). comprimidos. Insuficiência cardíaca descompensada. 70%. tremor. . fotofobia. obstipação. 3 vezes/dia (cerca de uma semana). que condiciona persistência no organismo de 9 a 44 dias com dose única e de 25 a 107 dias em tratamento crónico. Síndroma depressivo.2. prevenção da recorrência da taquicardia ventricular. Tal facto obriga a ajustamentos terapêuticos regulares. Perturbações digestivas. 150. s CLOROPROCAINAMIDA Indicações: Fibrilhação auricular. neuropatia periférica. Lúpus eritematoso. 2 668$00 (44$50). anorexia. claudicação inermitente. numa solução glicosada de 250 ml durante 20 minutos a 2 horas. • s DILTIAZEM Indicações: Taquiarritmia supraventricular. 200. Reacções adversas: Hipotensão arterial. sol. Reacções adversas: Bloqueios sinoauricular e auriculoventricular. Via intravenosa: 4 mg/minuto em infusão durante 2 horas. Contra-indicações e precauções: Bloqueios auriculoventriculares e intraventriculares. Náuseas. Hipocaliemia. digoxina. revestidos. Existem preparações de acção retardada. 200. alucinações. turvação da visão. Bradicardia sinusal. 150. Interacções: Bloqueadores beta e outros antiarrítmicos. taquicardia supraventricular. Basi. 2 614$00 (43$60). Contra-indicações e precauções: Bloqueios auriculoventricular e sinoauricular. outros antiarrítmicos. 672$00 (67$20). • s AMIODARONA Indicações: Fibrilhação e flutter auriculares. propafenona. a dose não deverá ultrapassar 5 mg/kg. varfarina. hipertiroidismo. 30. Contra-indicações e precauções: Bloqueios auriculoventricular e sinoauricular. 70%. 6. fenitoína. b) Com redução dos efeitos da amiodarona: Colestiramina. Com a via intravenosa pode ocorrer sudorese profusa. Cefaleias. ISORITMON Lab. mormente em doentes que concomitantemente tenham hipertensão pulmonar. vertigens. Hipotensão arterial marcada. 70%. síndroma de Raynaud. Dado o facto da amiodarona ter uma semivida plasmática longa.

acção prolongada. 10. comprimidos. DILTIEM DUO Synthelabo Medicor. 60. 2 465$00 (123$20). acção prolongada. 70%. 8 005$00 (133$40). 70%. 70%. 6 286$00 (104$80).2. acção prolongada. 10. 20. cáps. comp. 5 081$00 (84$70). 300. Delta. 70%. comprimidos. 1 814$00 (30$20). 70%. 3 219$00 (53$60). 70%. 60. ETIZEM Lab. 2 069$00 (34$50). acção prolongada. 60. 70%. 20. 20. DILFAR 180 Fournier. comprimidos. 70%. ETIZEM Lab. 20. cáps. cáps. Delta. ETIZEM Lab. 70%. DILTIEM Synthelabo Medicor. 1 813$00 (90$60). Antiarrítmicos BALCOR RETARD Farmoquímica Baldacci. cáps. 3 037$00 (50$60). 70%. 60. 770$00 (77$00). acção prolongada. 3 345$00 (55$80). 60. 60. 180. acção prolongada. DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. 2 835$00 (47$20). 120. 60. Ethypharm. 70%. comprimidos. 60. 90. 60. 60. 1 231$00 (61$60). 6 069$00 (101$10). Ethypharm. 70%. 60. 70%. 20. 70%. 180. 5 814$00 (96$90). DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. Ethypharm. acção prolongada. cáps. comp. 90. CAL-ANTAGON Lab. 3 249$00 (54$20). 180. cáps. DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. cápsulas. acção prolongada. ETIZEM Lab. 70%. acção prolongada. 60. 70%. 70%. 117 DILTIEM Synthelabo Medicor. BALCOR RETARD Farmoquímica Baldacci. 5 155$00 (85$90). 120. cáps. 180. cáps. 70%. 60. 180. Ethypharm. acção prolongada. 300. 60. 60. Ethypharm. 60. 90. cáps. 70%. comprimidos. HERBESSER Lab. 20. DILTIEM Synthelabo Medicor. acção prolongada. 5 068$00 (84$50). cáps. comprimidos. cáps. 60. acção prolongada. ETIZEM Lab. 120. ETIZEM Lab. ETIZEM Lab. 7 589$00 (135$50). 60. 3 209$00 (53$50). 60. 70%. 60. acção prolongada. 1 425$00 (71$20). 8 005$00 (133$40). 3 042$00 (50$70). 70%. 70%. 60. cáps. acção prolongada. ETIZEM Lab. comprimidos. acção prolongada 180. Farmacore. 4 625$00 (77$10). 240. • . DILFAR Fournier. 70%. acção prolongada.3. 70%. cápsulas. acção prolongada. Ethypharm. acção prolongada 180. DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. cáps. 240. 180. 70%. 60. 120 e 180. 410$00 (41$00). cáps. 2067$00 (34$40). acção prolongada. HERBESSER Lab. 70%. 70%. 60. 90. 70%. 60. 70%. comp. comprimidos. Ethypharm. HERBESSER Lab. cáps. 120. 60. ETIZEM Lab. DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. 120. Ethypharm. cáps. 2 021$00 (101$00). 1 384$00 (69$20). acção prolongada. Ethypharm. 30. comp. 1 043$00 (34$80). 70%. 8 694$00 (144$90). 60. 120. ETIZEM Lab. 60. DILTIANGINA Tecnimede. cáps. Delta. 70%. BALCOR RETARD Farmoquímica Baldacci. Ethypharm. 56. acção prolongada. 90. 20. DILFAR Fournier. 1 113$00 (55$60).

60. Interacções: As concentrações plasmáticas da flecaínida aumentam quando a amiodarona é usada concomitantemente. Glaucoma. 60. 70%. 70%.2. • s FLECAINIDA Indicações: Síndroma de Wolff-Parkinson-White. 70%. Choque cardiogénico. 2 345$00 (39$10). Azevedos. 70%. hiperplasia gengival. Vertigens. HERBESSER SR Lab. Fibrilhação e flutter auriculares. 70%. 0%. cáps. Aumento das transaminases. no máximo de 150 mg e num período de tempo mínimo de 10 minutos. 20. 3 833$00 (63$90). edemas maleolares. 2 vezes/dia. 8 005$00 (133$40). 240. 60. 70%. comp. 30. RITMODAN Lab. turvação da visão. RITMODAN Lab. 60. Agravamento de insuficiência cardíaca. Posologia: Via oral: 50 mg. Interacções: Outros antiarrítmicos. 1 120$00 (28$00). Basi. Roussel. Delta. vómitos. vómitos. Posologia: Via oral: 250 mg. 150 mg de flecaínida em soro à velocidade de 1. cáps. 180. APOCARD Antº Pacheco Agostinho. 1 475$00 (73$80). A flecaínida aumenta as concentrações plasmáticas da digoxina e do propranolol. perturbações da acomodação. Insuficiência cardíaca descompensada. Delta. cáps. 2 272$00 (113$60). 2 127$00 (70$90). 60.5 mg/Kg por hora na 1ª hora e 0. Arritmias ventriculares no período imediato pós. Delta. cáps. 20.enfarte. 240. 2 828$00 (47$10). acção prolongada. 2 845$00 (142$20). duas ou três vezes/ /dia. acção prolongada. acção prolongada. 60. comprimidos. Contra-indicações e precauções: Bloqueios auriculoventriculares e bloqueios de ramo. 70%. Contra-indicações e precauções: Enfarte agudo do miocárdio. torsade de pointe. tonturas. Delta. ginecomastia. 70%. Na infusão. Basi. artralgias. cáps. 100. Agravamento da insuficiência cardíaca. arritmias. 60. reacções alérgicas. 50. • . • s GALOPAMIL Indicações: Taquicardia paroxistica supraventricular. duas vezes/dia). RITMODAN Lab. taquicardia ventricular. 250. PENTILZENO Farmoz. obstipação. acção prolongada. acção prolongada. Disúria e retenção urinária. Contra-indicações e precauções: Bloqueios auriculoventriculares e bibloqueios. Posologia: Via oral: 100 mg. acção prolongada. 180. Angina de peito Hipertensão arterial. 1 023$00 (51$20).25 mg/Kg por hora nas horas subsequentes. duas vezes/dia (máximo 200 mg. Diplopia. 70%. TIADIL Lab. 659$00 (33$00). 100. cápsulas. CORAPAMIL Lab. 70%. • s DISOPIRAMIDA Indicações: Profilaxia das taquicardias paroxísticas supraventriculares e da recorrência da fibrilhação e flutter auriculares após cardioversão. 120. 20. 120. HERBESSER SR Lab. 60. Reacções adversas: Náuseas. 20. 6 254$00 (104$20). comp. HERBESSER SR Lab. ficam reduzidas com a cimetidina. Rubor facial. 100. Delta. comprimidos. 2 452$00 (122$60). obstipação. 20. Antiarrítmicos HERBESSER SR Lab. HERBESSER SR Lab. Interacções: Potenciação de efeitos quando utilizado concomitantemente com fármacos depressores da condução auriculoventricular. 70%. comp. secura de boca. Delta. acção prolongada. Via intravenosa: 2 mg/kg de peso. acção prolongada. Mialgias. Reacções adversas: Epigastralgias. 6 490$00 (108$20). Reacções adversas: Náuseas. Roussel. Hipertrofia prostática. comprimidos. obnubilação. TIADIL Lab.118 Capítulo 3 | 3. cápsulas. 70%. cáps. 70%. Diplopia. revestidos. cefaleias. HERBESSER SR Lab. 20. 40. 180. Roussel.

• s VERAPAMIL Indicações: Taquicardia paroxistica supraventricular. obstipação. 430$00 (21$50). insuficiência cardíaca descompensada. Reacções adversas: Náuseas. comprimidos. 70%.O prolongamento do tempo QT ou do espaço QRS obriga à suspensão do fármaco ou pelo menos a redução de dose. 70%. 70%. Síndroma de Wolff-Parkinson-White. actividade pró-arrítmica. Vertigens. 120. 30. comprimidos. Crianças com mais de 5 anos: 2. prurido. 386$00 (19$30). VERAPAMIL-RATIOPHARM Ratiopharma. comprimidos. 942$00 (15$70). 2 944$00 (49$10). • Os seus efeitos são reduzidos pelo fenobarbital. Crianças com menos de 5 anos: 40-60 mg/dia (em fracções). comprimidos. 1 386$00 (23$10). Interacções: Potencia os efeitos da carbamazepina. comp. Posologia: Via oral: 450 a 600 mg/dia. bloqueios auriculoventriculares de 2º e 3º graus e bloqueios intraventriculares. 20. Reacções adversas: Náuseas. ISOPTIN-40 Knoll Lusitana. 60. 20. 5 096$00 (84$90). lentamente (no mínimo 2 minutos) ou em infusão numa solução glicosada (ou em soro fisiológico). comprimidos. vómitos. Rubor facial.3. 1 166$00 (23$30). Rubor facial. 60. 1 844$00 (36$90). da digoxina e da varfarina. digoxina. 20. 70%. 50. VERAPAMIL-RATIOPHARM Ratiopharma. RYTMONORM Knoll Lusitana. Outros antiarritmicos. Contra-indicações e precauções: Síndroma de Q T longo. 604$00 (10$10). cefaleias. 40. acção prolongada. RYTMONORM Knoll Lusitana. 1 063$00 (17$70). 300. sol.75-1 mg (lentamente). 1 103$00 (36$80). fenitoína e rifampicina. revestidos. turvação visual. VERAPAMIL-RATIOPHARM Ratiopharma. 1 195$00 (59$80). 20. 60. 60. 70%. 240. Crianças com menos de 1 ano: 0. 5. 70%. ISOPTIN-80 Knoll Lusitana. comprimidos. 461$00 (76$80). 237$00 (11$80). 70%. hiperplasia gengival. tremor. Angina de peito Hipertensão arterial. comprimidos. 40. 120. VERAPAMIL-RATIOPHARM Ratiopharma. 40. comp. comprimidos. 20. teofilina. lítio.2. 150. 70%. 60. 70%. Via intravenosa: Adulto: 5 mg. comprimidos. Aumento das transaminases. 70%. Crianças de 1 a 5 anos: 2-3 mg (lentamente). Mialgias. Agravamento de insuficiência cardíaca . 50. revestidos. ISOPTIN RETARD Knoll Lusitana. comprimidos. 70%. 150. RYTMONORM Knoll Lusitana. ISOPTIN-40 Knoll Lusitana. 2 636$00 (87$90). à velocidade de 5 a 10 mg/hora num total médio de 100 mg/dia. ciclosporina. ISOPTIN HTA Knoll Lusitana. Posologia: Via oral: Adulto: 120-480 mg/dia (em fracções). 30. ginecomastia. injectável. . 120. 70%. 80. 70%. 120. alterações do paladar. 70%. 6. 605$00 (30$20). edemas maleolares. obnubilação. vómitos. VERAPAMIL-RATIOPHARM Ratiopharma. tonturas. comp. Antiarrítmicos 119 s PROPAFENONA Indicações: Taquicardia supraventricular. 80. Crianças com mais de 5 anos: 80-240 mg/dia (em fracções). A propafenona aumenta as concentrações séricas e os consequentes efeitos dos bloqueadores beta. Interacções: A cimetidina aumenta as concentrações e as respectivas acções farmacológicas da propafenona. 60. VERAPAMIL-RATIOPHARM Ratiopharma. 40. reacções alérgicas. 80. 70%.5-5 mg (lentamente). Contra-indicações e precauções: Enfarte agudo do miocárdio. artralgias. Fibrilhação e flutter auriculares. 70%. revestidos. comprimidos. comp. ISOPTIN-120 Knoll Lusitana. ISOPTIN Knoll Lusitana. Choque cardiogénico. O controlo electrocardiográfico pode ser importante.

hipertensão arterial. Reacções adversas: Taquicardia. estas atitudes nem sempre são suficientes. Considera-se que há hipertensão arterial quando os valores de tensão são superiores a 140 e/ou 90 mm Hg. GUTRON Lab. estenose aórtica. ansiedade. se a etilefrina for ministrada simultaneamente com outras substâncias simpaticomiméticas. LAB. As doses a prescrever devem ser as mais adequadas à situação. hipertiroidismo. Existem preparações de absorção lenta.5. tremores. Contra-indicações e precauções: Doença coronária. EFFORTIL PERLONGUETS Unilfarma. insónias. Nas situações graves em que é imprescindível o recurso a vasopressores. • 3. hipertrofia prostática com retenção urinária. que implicam monitorização dos parâmetros vitais e uma utilização de doses variáveis em função do quadro clínico. • É sabido que a hipertensão arterial constitui um dos principais factores de risco de doença coronária. cardiomiopatia obstrutiva hipertrófica. É evidente que o tratamento do choque e da hipotensão sintomática depende da situação subjacente: hemorragia e outros quadros hipovolémicos. 1 375$00 (22$90). 30 ml. de insuficiência cardíaca. 7. 40%. LAB. Posologia: Via oral: 15 a 30 mg/dia (ministração fraccionada). Alguns vasopressores são utilizados por via parentérica em infusão. precordialgia e subida da tensão arterial para valores indesejáveis. Antihipertensores s ETILEFRINA Indicações: Hipotensão arterial sintomática. Em casos de administração concomitante com digitálicos pode observar-se bradicardia. É bem sabido que nas situações de choque a restauração dos valores da pressão arterial é crucial para uma adequada perfusão sanguínea dos órgãos vitais. 557$00 (27$80). oral.5 mg/dia. particularmente do coração. mineralocorticódes. tamponamento cardíaco. grave . mineralocorticódes. 40%. cáps. insónias. 10 ml. Contra-indicações e precauções: Doença coronária. Porém. Daí que os antihipertensores representem um importante grupo de substâncias na prevenção da elevada morbilidade e mortalidade associadas a estas situações. se a midodrine for administrada simultaneamente com outras substâncias simpaticomiméticas. GUTRON Lab. tal opção deve ser firme. respectivamente para a tensão sistólica e diastólica. 20. 25. Antihipertensores 3. certas intoxicações agudas. precoce e selectiva nos objectivos. cardiomiopatia obstrutiva hipertrófica. taquiarritmias. o que implica monitorização e ajustamentos posológicos por vezes frequentes. ansiedade. 40%. tais como redução de peso. 40%. EFFORTIL Unilfarma. palpitações. hipertrofia prostática com retenção urinária. palpitações.3. oral. glaucoma. taquiarritmias. sol. 437$00 (14$60). precordialgia e subida da tensão arterial para valores indesejáveis. hiponatremia. infecções. 10. antidepressores tricíclicos. pelo que o recurso aos antihipertensores é frequentemente necessário. em certos casos de hipotensão sintomática. baixo consumo de cloreto de sódio e de álcool e exercício físico regular constituem importantes medidas na redução dos valores da tensão arterial. 40%. angústia. sudação. glaucoma. 60. sol.4. comprimidos. cérebro e rins. LAB. 2. 20. feocromocitoma. Interacções: Pode haver potenciação de efeito. acção prolongada. A adopção de estilos de vida saudáveis. GUTRON Lab.5. 2. comprimidos. insuficiência suprarrenal. podem ser utilizados por via oral. feocromocitoma. Sistólica 140-159 160-179 180-209 > 209 Diastólica 90-99 100-109 110-119 > 119 Hipertensão ligeira Hipertensão moderada Hipertensão grave Hipertensão m. como por exemplo a etilefrina. Reacções adversas: Taquicardia. hipertensão arterial. tremores. dos acidentes vasculares cerebrais e da nefroangiosclerose. enfarte do miocárdio.5.4. Posologia: Via oral: 2. São disto exemplo a dopamina e a dobutamina. Interacções: Pode haver potenciação de efeito. Outros. Vasopressores Os vasopressores são substâncias com interesse no tratamento do choque e da hipotensão arterial sintomática. 600$00 (60$00). angústia. 582$00 (29$10). sudação. hipertiroidismo. s MIDODRINE Indicações: Hipotensão arterial sintomática. antidepressores tricíclicos.120 Capítulo 3 | 3.

hidralazina ou outro de 2ª linha de eficácia comprovada. poupadores de potássio. palpitações. capazes de modificarem também favoravelmente certos parâmetros tais como resistência à insulina e hipertrofia ventricular esquerda. A opção pelo antihipertensor está dependente da situação concreta do doente. que apresentam uma eliminação trifásica) e ao preço.4. 121 É de realçar. de fácil manejo e bastante bem tolerados. os diuréticos. na este- 3. . a certos aspectos de farmacocinética (curta duração de acção para o captopril. c) selectivos dos receptores imidazolínicos. sempre que se pretende aumentar a dose de uma delas. Diuréticos Este grupo de medicamentos é abordado no Capítulo 7. mormente neutropenia. hipomagnesemia. intolerância à glicose e resistência à insulina.A. rilmenidina. depressores da actividade adrenérgica e vasodilatadores directos. O seu interesse não se esgota na hipertensão arterial. a hidralazina. 2. efeitos estes que têm contribuído para alguma perda de popularidade deste grupo de substâncias 3.1. Depressores da actividade adrenérgica: a) bloqueadores beta. se o doente tem concomitantemente insuficiência cardíaca. especialmente se houver hipoperfusão renal grave. Existem no mercado associações de antihipertensores na mesma preparação farmacêutica. a associação ainda deverá recair em dois de 1ª linha. como por exemplo. no qual a sua utilização pode ter também efeitos profiláticos da osteoporose. disponíveis.4.4. com o objectivo de uma maior adesão terapêutica por parte do doente. b) agonistas alfa 2 centrais. Um dos inconvenientes destas associações é o aumento das doses de ambas as substâncias. em cinco grandes grupos: diuréticos. diurético ou bloqueador beta.1. Diuréticos: tiazidas.E. 5. de baixo custo relativo (aspecto importante no tratamento de uma doença crónica). Podem provocar ainda aumento do colesterol e dos triglicerídeos. capazes de reduzir efectivamente a morbilidade e a mortalidade cardiovasculares. taquicardia. tais como as tiazidas. hipocaliemia e hiperuricemia. os bloqueadores da entrada do cálcio e os bloqueadores beta são considerados antihipertensores de 1ª linha. bloqueadores da entrada do cálcio. da disfunção ventricular pós-enfarte e na prevenção da nefropatia diabética. os inibidores de conversão da angiotensina. aumento dos valores da ureia e da creatinina. Em alguns doentes pode ocorrer proteinúria (por vezes com características nefróticas).4. porém. 6. hipercaliemia. Inibidores da enzima de conversão da angiotensina Os inibidores da enzima de conversão da angiotensina são antihipertensores de 1ª linha. derivados das difenilalquilaminas. muito longa duração de acção para o ramipril e o espirapril. mesmo no doente idoso. A escolha inicial de um antihipertensor deverá obviamente recair num de 1ª linha.2. Modificadores do eixo renina-angiotensina: a) inibidores da enzima de conversão da angiotensina (IECA): b) bloqueadores dos receptores da angiotensina II. Os efeitos laterais mais frequentemente observados prendem-se com alterações bioquímicas e metabólicas: hiponatremia.3. mantêm grande interesse no tratamento da hipertensão arterial. optar-se-á pela clonidina. Outros. Não há diferenças significativas entre os diferentes I. diuréticos de ansa. Se se trata de uma grávida. tosse e disgeusia (captopril). os bloqueadores beta e eventualmente os bloqueadores dos canais do cálcio são os antihipertensores mais aconselháveis. Antihipertensores Podemos considerar os antihipertensores face ao seu principal mecanismo de acção. Vasodilatadores directos. São geralmente eficazes. Destes grupos e subgrupos. modificadores do eixo renina-angiotensina (inibidores da enzima de conversão da angiotensina e antagonistas dos receptores da angiotensina II). anemia e trombocitopenia. a escolha deve recaír preferencialmente num diurético e/ou inibidor da enzima de conversão. Podem dar perturbações hematológicas. Alguns destes grupos podem ser subdivididos. 3. 4. uma vez que têm vindo a ser utilizados com sucesso no tratamento da insuficiência cardíaca. se tem angina de peito deve preferir-se um bloqueador beta ou bloqueador dos canais do cálcio. Modificadores do eixo reninaangiotensina 3. dihidropiridinas. Bloqueadores da entrada do cálcio: derivados das benzotiazepinas. que alguns diuréticos. Em caso de ser necessário juntar um terceiro antihipertensor. Quando utilizados com outros antihipertensores.C. exibem efeitos aditivos ou mesmo sinérgicos. Das reacções adversas com estes compostos são de referir: Hipotensão arterial (especialmente com a primeira dose). Assim por exemplo. Se houver necessidade de associar dois antihipertensores. exceptuando as referentes a alguns efeitos laterais específicos (disgeusia no caso do captopril). a metildopa. tal como pode acontecer na insuficiência cardíaca descompensada. 1.2.

25. HIPOTENSIL Lab. 70%. 25. 50. comprimidos. 10. nose da artéria renal (bilateral ou unilateral em doentes com rim único) e na hipotensão marcada. CAPOTEN Bristol-Myers Squibb. 25. 70%. s CAPTOPRIL V. eventualmente na forma de edema angioneurótico. 70%. 25. comprimidos. comp. 648$00 (64$80). 60. 5 396$00 (89$90). 1 091$00 (109$10). 60. 4 430$00 (73$80). 60. comprimidos. 70%. 70%. 70%. revestidos. 70%. comprimidos. 50. 50. 2 958$00 (49$30). comprimidos. CARENCIL JABA Farmacêutica. 3 854$00 (192$70). 50. 4 936$00 (82$30). 60. PRILOVASE Pentafarma. 50. 10. inibidores da enzima de conversão. em doses repartidas. 50.5 a 150 mg/dia. Normal. 70%. 20. comprimidos. 60. comprimidos. 60. 70%. 25. comp. CALPIX 25 Euro-Labor. Normal. 25. CONVERTAL Tecnimede. 4 936$00 (82$30). CALPIX 50 Euro-Labor. 3 545$00 (70$90). Medinfar. 25. A. 20.122 Capítulo 3 | 3. 4 428$00 (73$80). 60. 10. 25. insulina e antidiabéticos orais (possibilidade de diminuição dos valores de glicemia). comprimidos. 60. 25. comprimidos. 60. 70%. 100. TENSOPRIL Synthelabo Medicor. 10. 50. 70%. 60. 648$00 (64$80). HIPERTIL Lab. comprimidos. 70%. comprimidos. 70%. comprimidos. comprimidos. 25. 100. 70%. 1 091$00 (109$10). 20. . CONVERTAL Tecnimede. CARENCIL JABA Farmacêutica. Recomenda-se precaução quando estes fármacos são utilizados concomitantemente com anti-inflamatórios não esteróides e diuréticos poupadores de potássio (especialmente se houver algum grau de insuficiência renal). HIPERTIL Lab. 70%. HIPOTENSIL Lab. comp. 70%. 1 269$00 (63$40). 100. 60. 70%. 50. CONVERTAL Tecnimede. comprimidos. 25. comprimidos.4. 60. CAPOTEN Bristol-Myers Squibb. HIPERTIL Lab. Podem ocorrer ainda reacções alérgicas. 20. comprimidos. comprimidos. PRILOVASE Pentafarma. 5 343$00 (89$00). 10. MEREPRINE Inibsa Portuguesa. 9 559$00 (159$30). 1 726$00 (86$30). 70%. Medinfar. 70%. neurolépticos e antidepressores (risco acrescido de hipotensão ortostática). comp. 70%. 70%. 70%. 7 373$00 (122$90). 60. 7 942$00 (132$40). comprimidos. 9 559$00 (159$30). PRILOVASE Pentafarma. CONVERTAL Tecnimede. 7 788$00 (129$80). 4 112$00 (82$20). 25. 60. Interacções: V. CAPOTEN Bristol-Myers Squibb. 1 657$00 (82$80). 2 316$00 (46$30). 1 558$00 (77$90). 4 154$00 (69$20). 25. 25. 70%. Medinfar. inibidores da E. A estenose da artéria renal (bilateral ou unilateral em doentes com rim único) e a gravidez. revestidos. PRILOVASE Pentafarma. CARENCIL JABA Farmacêutica. 70%. PRILOVASE Pentafarma. comprimidos. 50. 1 732$00 (172$20). constituem contra-indicações ao uso dos inibidores da enzima de conversão da angiotensina. 2 784$00 (46$40). 70%. comprimidos. MEREPRINE Inibsa Portuguesa. 2 784$00 (46$40). Posologia: Via oral: 12. C. 100. Antihipertensores CONVERTAL Tecnimede. 50. 50. revestidos. comprimidos. 50. 50. 25. comprimidos. 70%. 70%. 60. Normal. comprimidos. 60. HIPOTENSIL Lab. 20. 25. 20. comprimidos. 70%. TENSOPRIL Synthelabo Medicor. CARENCIL JABA Farmacêutica. 70%. 1 725$00 (86$20). 70%. 3 041$00 (50$70). comprimidos. comprimidos. revestidos. PRILOVASE Pentafarma.

DENAPRIL Lab. 3 891$00 (139$00). 60. 20. BALPRIL Farmoquimica Baldacci. 4 331$00 (86$60). comp. 25. comprimidos. comprimidos. comprimidos. 28. VASCASE Pharmacia & UpJohn. . 56. comprimidos. RENITEC 5 Merck Sharp & Dohme. 60. Farmocore. 5. 5. inibidores da E. 70%. 70%. 5. 50. 5 + + 12. 50 + 25. 70%. revestidos. INIBACE Roche Farmacêutica. 1 958$00 (139$90). 56. 70%. 60. 6 273$00 (104$60). 2.5. ENALAPRIL MERCK Merck Genéricos. comprimidos. 60. 12 660$00 (211$00). 7 856$00 (140$30). C. 50. 4 394$00 (156$90). 5 + + 12. VIDAPRIL Helfarma. 70%. 70%. comprimidos. 70%. 70%.5. 60. Medinfar. 70%. 6 460$00 (107$70). 70%. 6 226$00 (111$20). comprimidos. 56. 28. 70%. comprimidos. 70%. CETAMPRIL Labesfal. HIPTEN Lab. 20. 70%.5. 70%. comp. comprimidos. 70%. ENALAPRIL MERCK Merck Genéricos. comprimidos. 7 004$00 (125$10). • INIBACE PLUS Roche Farmacêutica. INIBACE Roche Farmacêutica. comp. 70%. 7 474$00 (124$60). 2. 20. 20.5 a 5 mg/dia. 1 719$00 (86$00). 6 226$00 (111$20). VASCASE PLUS Pharmacia & UpJohn. 70%. DENAPRIL Lab. comprimidos. 20. Medinfar. INIBACE Roche Farmacêutica. VASCASE Pharmacia & UpJohn. 50. comprimidos. 60. 60. C. 12 027$00 (200$40). A. 56. s CILAZAPRIL V. comprimidos.5. 70%. 30. revestidos. comprimidos. 70%. comprimidos. 60. • s CILAZAPRIL + HIDROCLOROTIAZIDA INIBACE PLUS Roche Farmacêutica.5. INIBACE Roche Farmacêutica. comp. 1 828$00 (30$50). comprimidos. 70%. 70%. 1 669$00 (83$40). 56. 14. 20. 3 891$00 (139$00). 20. BALPRIL Farmoquimica Baldacci. comprimidos. comprimidos. 60. VASCASE Pharmacia & UpJohn. inibidores da E. 70%. 20. Posologia: Via oral: 10 a 40 mg/dia. revestidos. LOPIRETIC Bristol-Myers Squibb. VIDAPRIL Helfarma. • 123 s CAPTOPRIL + HIDROCLOROTIAZIDA LOPIRETIC Bristol-Myers Squibb. Posologia: Via oral: 2. 4 214$00 (70$20).4. 50. comprimidos. comprimidos. 7 896$00 (141$00). 4 405$00 (146$80). 70%.5. 5 369$00 (107$40). 60. 28. • s ENALAPRIL V. 70%. Antihipertensores TENSOPRIL Synthelabo Medicor.3. 1 817$00 (30$30). 1 958$00 (139$90). 2. 1 833$00 (30$60). inibidores da enzima de conversão. 5. comprimidos. comprimidos. 7 761$00 (129$40). 2 950$00 (147$50). 5. revestidos. CETAMPRIL Labesfal. inibidores da enzima de conversão. 5. 70%. 2. 5. 20. 4 394$00 (156$90). VASCASE PLUS Pharmacia & UpJohn. Medinfar. 70%. 2 395$00 (47$90). VASCASE Pharmacia & UpJohn.5. 50. 5 + + 12. DENAPRIL Lab. comprimidos.5. 5. comprimidos. 14. RENITEC Merck Sharp & Dohme. 28. 7 004$00 (125$10). 70%. 5 + 12. Interações: V. 56. 5. 50 + 25. 5. 70%. Interacções: V. 70%. comprimidos. A.

comprimidos. 20.124 Capítulo 3 | 3. 4 214$00 (70$20). 20. comprimidos. ZESTRIL Zeneca. 20. 60. 60. 70%. 20 + 12. comprimidos. 5. C. 70%. 5. 20.comprimidos. 70%. 2 945$00 (49$10). comprimidos. 60.comprimidos. LIPRIL 5 Merck Farma e Quimica. 70%. comprimidos. . 56. comprimidos. 12 027$00 (200$40). LIPRIL 20 Merck Farma e Quimica. 70%. 70%. 20. ENATIA Farmoz. • s LISINOPRIL V.5. 5. 20 + 12. 1 325$00 (132$50). 20 + 12. 60. 28. 8 596$00 (143$30). comprimidos. 20 + 12. 14. ZESTRIL Zeneca. Antihipertensores LIPRIL 20 Merck Farma e Quimica. 70%.5. comprimidos. Posologia: Via oral: 1 a 16 mg/dia. 10. inibidores da E. PRINIVIL 5 Merck Sharp & Dohme. 70%. 60. 70%.5. • s LISINOPRIL + HIDROCOROTIAZIDA PRINZIDE Merck Sharp & Dohme. 56. TENSAZOL Tecnifar. comprimidos. comprimidos. 70%. 2 217$00 (37$00). 70%. 70%. 20. 70%. 20. Posologia: Via oral: 10 a 60 mg/dia. LAPRILEN Tecnimede. A. 20. 3 489$00 (174$40). 2 682$00 (134$10). 5 962$00 (99$40). 56. LIPRIL 5 Merck Farma e Quimica. 6 217$00 (103$60).5. s PERINDOPRIL V. 70%. comprimidos. inibidores da enzima de conversão. 70%. comprimidos. 4 044$00 (134$80). 5 962$00 (99$40). 20. 20 + + 12. RENIDUR Merck Sharp & Dohme. A digoxina pode aumentar as concentrações plasmáticas do lisinopril. 70%. inibidores da E. inibidores da enzima de conversão da angiotensina. PRINIVIL 5 Merck Sharp & Dohme. PRINZIDE Merck Sharp & Dohme. 20. inibidores da enzima de conversão. 4 435$00 (73$90). Posologia: Via oral: 10 a 40 mg/dia. 70%. comprimidos. 60. comprimidos. • s ENALAPRIL + HIDROCLOROTIAZIDA ENATIA Farmoz. 20 + + 12. C. comprimidos. 20. 5. 20 + + 12. • RENITEC 5 Merck Sharp & Dohme. • s FOSINOPRIL V. 2 590$00 (129$50). 5. 2 754$00 (137$70). comprimidos. 70%. 70%. 6 520$00 (116$40). RENIDUR Merck Sharp & Dohme. ZESTORETIC Zeneca. Interacções: V. 20 + 12. 5. 60.5. 1 183$00 (59$20).5. Interacções: V. comprimidos. este por sua vez aumenta a semivida da glibenclamida. 928$00 (66$30). PRINIVIL Merck Sharp & Dohme. comprimidos. 60. comprimidos. comprimidos. 70%. 5. TENSAZOL Tecnifar. 20. 942$00 (47$10). ZESTORETIC Zeneca. comprimidos. 70%. 70%. ZESTRIL 5 Zeneca. 70%.5. 20 + + 12. Interacções: Fármacos poupadores de potássio. 4 509$00 (161$00). 60. 8 026$00 (143$30). FOSITEN Bristol-Myers Squibb. ZESTRIL 5 Zeneca. comprimidos. 20. 60. A indometacina pode reduzir o efeito antihipertensor do lisinopril. 1 971$00 (140$80). TENSAZOL Tecnifar.4. 20. FOSITEN Bristol-Myers Squibb. 70%. 8 767$00 (146$10). comprimidos. 70%. 14. 1 669$00 (83$40). 5. A. comprimidos. 60. 70%. 5. 20. 30.5.5. 6 987$00 (116$40). 2 801$00 (50$00).

comprimidos. 70%. O uso concomitante destes fármacos com suplementos de potássio ou com fármacos poupadores de potássio pode agravar o risco de hipercaliemia. 70%. 7 003$00 (125$10). 6 986$00 (124$80). 70%. ACUPRIL Warner-Lambert. 1 945$00 (138$90). 28. 0. Inibidores da enzima de conversão. Interacções: V. cápsulas. 4 071$00 (145$40).5 + 12. ACUPRIL Warner-Lambert. comprimidos.4. .5. 70%. s IRBESARTAN V. Roussel.25. inibidores da E. revestidos. Interacções: V. 14. 0. Posologia: Via oral: 1. com o seu uso. TRIATEC Hoeport. 2.4.5. Deve evitar-se o seu uso na gravidez e em doentes que apresentem deplecção de volume. Antihipertensores COVERSYL Servier Portugal. 2. Posologia: Via oral: 0. 5. cápsulas.2. 14. 1 930$00 (137$90). 70%.5. 70%. 14. Roussel. comprimidos. 28. • s TRANDOLAPRIL V. imunossupressores e alopurinol há risco aumentado na ocorrência de alterações hematológicas. 70%. C.3.25 a 10 mg/dia. 4. comprimidos. 70%. dores musculares e hipercaliemia. sofrendo extensa distribuição tecidular. cápsulas. 3 555$00 (127$00). 30. 70%. 1 751$00 (31$30). astenia. ODRIK Lab. s RAMIPRIL + HIDROCLOROTIAZIDA TRIATEC COMPOSTO Hoechst Portuguesa. A. • s RAMIPRIL V. cápsulas.5 a 4 mg/dia. reacções adversas tais como cefaleias. 1 785$00 (63$80). 28. 1. cápsulas. C. São fámacos geralmente bem tolerados. bloqueadores dos receptores da angiotensina II. cápsulas. inibidores da E. TRIATEC Hoeport. 3 257$00 (116$30). Podem ocorrer porém. 2.5. cápsulas. Roussel. 3 021$00 (107$90). ODRIK Lab. Bloqueadores dos receptores da angiotensia II Representam uma nova classe de antihipertensores e bloqueiam os receptores do tipo AT1 da angiotensina II. bloq. 70%. 2. Quando administrado concomitantemente com corticosteróides. 70%. 70%. comp. II Posologia: Via oral: 150 a 300 mg/dia. 28. 2. 2. tonturas. 4 826$00 (160$90). • s QUINAPRIL + HIDROCLOROTIAZIDA ACURETIC Warner-Lambert. 524$00 (37$40). 1 945$00 (138$90). 56.2. • 3. 70%. 20 + 12. 14. ODRIK Lab. Roussel. 56. Posologia: Via oral: 5 a 80 mg/dia. 70%. dos receptores da angiot. 1 751$00 (31$30). 28. 20. cápsulas. 28. 70%. inibidores da enzima de conversão. 7 003$00 (125$10). 0. GOPTEN Knoll Lusitana. inibidores de enzima de conversão. Interacções: V. Tem uma eliminação trifásica.5.5. cápsulas. GOPTEN Knoll Lusitana. ODRIK Lab. comprimidos. GOPTEN Knoll Lusitana. cápsulas. • s QUINAPRIL V. 56. TRIATEC Hoeport. 56. 20. A. 5 + 25. Lítio. • 125 TRIATEC COMPOSTO FORTE Hoechst Portuguesa. 70%. 56. 2 475$00 (88$40).

Posologia: Via oral: 80 a 320 mg/dia. Interacções: V. S. 1 262$00 (126$20). comprimidos. edemas. Bloqueadores da entrada do cálcio Os bloqueadores da entrada do cálcio continuam a ser considerados antihipertensores de primeira linha. 5 598$00 (199$90). bloq. tonturas. 70%. 50. • s DILTIAZEM 3. 150. 70%. que de acordo com alguns trabalhos clínicos efectuados parece ser extensivo ao ser humano. 10. II. 5 645$00 (201$60). NORVASC Lab. DIOVAN Novartis Farma. Parece estar actualmente bem definido que as vantagens inerentes ao uso das dihidropiridinas no tratamento crónico da hipertensão arterial são mais manifestas quando se recorre às de semivida longa (ex: amblodipina. NORVASC Lab. 70%. • s LOSARTAN + HIDROCLOROTIAZIDA COZAAR PLUS Merck Sharp & Dohme. 28. cápsulas. comp. 14. APROVEL Sanofi Pharma. revestidos. 28. revestidos. Interacções: Não são conhecidas. COZAAR PLUS Merck Sharp & Dohme. 2 872$00 (205$10).4. a nifedipina e outras dihidropiridinas podem provocar taquicardia. comp. 30. 50 + + 12. comp. comprimidos. Pfizer. bloqueadores dos receptores da angiotensina II. em dose única. comprimidos. 2 985$00 (213$20). revestidos. 80. Estas substâncias estão contraindicadas no choque. 70%. Estas duas últimas indicações são as principais. 5. 3 784$0 (126$10). astenia. 70%. 3 110$00 (222$10). 70%. I. Em modelos animais as dihidropiridinas exibem efeito antiaterogénico. Ao invés. 28. Medinfar.5. 5 489$00 (196$00). 10. 5. 70%. 50. dos receptores da angiot. revestidos. LORTAAN Lab. a ocorrência de bradicardia. COZAAR Merck Sharp & Dohme. 14. 14. 70%. Pfizer. felodipina). com o uso do verapamil e do galopamil. zumbidos e náuseas. que é a hipertensão arterial. Medinfar.4.3. 70%. NORVASC Lab. T. Para além da indicação principal. Angina de peito. Hipertensão arterial. 30. podem ocorrer outros efeitos laterais tais como cefaleias. 28. 50 + + 12. ou às que embora sendo de semivida curta são apresentadas em preparações de absorção retardada (nifedipina – G. revestidos. Não é de esperar com o seu uso efeitos metabólicos indesejáveis. dos receptores da angiot. cápsulas. rubor. • s AMBLODIPINA V. • s VALSARTAN V. especialmente Indicações: Taquiarritmia supraventricular. • s LOSARTAN V. 80. no enfarte agudo do miocárdio e na estenose aórtica grave. bloqueadores da entrada do cálcio. Pfizer. 5 149$00 (183$90). bloqueadores dos receptores da angiotensina II. comp. LORTAAN Lab. comprimidos. Como já foi dito. comp. bloq. Antihipertensores no tocante ao perfil lipídico. 70%.). 50. 28. Interacções: V. DIOVAN Novartis Farma.5. Com os bloquedores da entrada do cálcio. II Posologia: Via oral: 50 a 100 mg/dia. 6 979$00 (232$60). 5 169$00 (184$60). 70%. Posologia: Via oral: 2. mormente em doentes que concomitan- .126 Capítulo 3 | 3. especialmente com as dihidropiridinas. É de esperar.5 a 10 mg/dia. alguns bloqueadores da entrada do cálcio (verapamil e galopamil) podem ser utilizados em certas perturbações do ritmo. os bloqueadores da entrada do cálcio podem ser utilizados no tratamento da angina de peito (de esforço e espástica).

2 069$00 (34$50). 20. Ethypharm. acção prolongada. 60. acção prolongada.4. 120. 70%. acção prolongada. 60. 8005$00 (133$40). 3 037$00 (50$60). claudicação inermitente. . acção prolongada. 180. acção prolongada. cáps. acção prolongada. Contra-indicações e precauções: Bloqueios auriculoventricular e sinoauricular. 70%. 120. 300. ETIZEM Lab. edemas maleolares. 60. 300. 2 465$00 (123$20). DILTIEM Synthelabo Medicor. comprimidos. 70%. 120. 70%. Posologia: Via oral: 120 a 360 mg/dia. Reacções adversas: Bloqueios sinoauricular e auriculoventricular. 60. 10. Insuficiência cardíaca descompenssada. DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. ETIZEM Lab. acção prolongada. 60. 70%. 70%. Existem preparações de acção retardada. acção prolongada. 90. 5 814$00 (96$90). 60. 30. 10. 60. CAL-ANTAGON Lab. 70%. cáps. acção prolongada. cápsulas. cápsulas. Perturbações digestivas. ETIZEM Lab. Ethypharm. 120 e 180. Ethypharm. 70%. 90. cáps. 70%. cáps. 20. cáps. Farmorcore. DILTIANGINA Tecnimede. 60. 70%. DILFAR Fournier. 70%. comprimidos. cáps. 120. Ethypharm.3. acção prolongada. comprimidos. 180. DILTIEM DUO Synthelabo Medicor. 180. 1 813$00 (90$60). 2 021$00 (101$00). 70%. 120. 70%. 2 067$00 (34$40). 60. 56. acção prolongada. cáps. Urticária. comprimidos. cáps. 90. 70%. 60. 6 286$00 (104$80). 70%. comprimidos. ETIZEM Lab. Ethypharm. Ethypharm. vertigens. Cefaleias. 410$00 (41$00). 127 DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. 20. acção prolongada. 60. 70%. 70%. cáps. DILFAR 180 Fournier. 60. 770$00 (77$00). comp. cáps. 1 113$00 (55$60). 60. Ethypharm. 1 043$00 (34$80). acção prolongada. DILTIEM Synthelabo Medicor. 1 425$00 (71$20). ETIZEM Lab. acção prolongada. 240. 70%. BALCOR RETARD Farmoquímica Baldacci. ETIZEM Lab. cáps. 240. cáps. 70%. DILTIEM Synthelabo Medicor. ETIZEM Lab. comp. 5 068$00 (84$50). 3 219$00 (53$60). 180. 6 069$00 (101$10). 180. acção prolongada. 60. acção prolongada. Antihipertensores temente tenham hipertensão pulmonar. 70%. cáps. 180. 5 081$00 (84$70). 60. comp. cáps. acção prolongada. 70%. Ethypharm. DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. 60. 60. 60. cáps. 20. 180. 60. DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. 1 384$00 (69$20). BALCOR RETARD Farmoquímica Baldacci. 70%. DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. cáps. 3 249$00 (54$20). 4 625$00 (77$10). 20. 7589$00 (135$50). 70%. 60. 70%. ETIZEM Lab. 60. 8 005$00 (133$40). 1 814$00 (30$20). acção prolongada. 20. 70%. comprimidos. DILTIAZEM MERCK Merck Genéricos. 90. acção prolongada. 2 835$00 (47$20). acção prolongada. BALCOR RETARD Farmoquímica Baldacci. Interacções: Bloqueadores beta e outros antiarrítmicos. DILFAR Fournier. 70%. 5 155$00 (85$90). 70%. ETIZEM Lab. 70%. 60. 120. Ethypharm. síndroma de Raynaud. 8 694$00 (144$90). ETIZEM Lab. 180. 60. Ethypharm. 3 209$00 (53$50). cáps.

240. 60.5 a 10 mg/dia. a fenitoína e a carbamazepina diminuem-nas. acção prolongada. 70%. 60. 6 254$00 (104$20). 2. acção prolongada. cáps. cáps. TENS Unilfarma. comprimidos. 3 691$00 (65$90). 60. acção prolongada. 70%. Interacções: Pode aumentar as concentracções plasmáticas da digoxina. cápsulas. 60. 10. 1 282$00 (91$60). 70%. comprimidos. 180. 70%. 3 532$00 (126$10). cáps. acção prolongada. acção prolongada. Interacções: A rifampicina reduz as concentrações plasmáticas da isradipina. HERBESSER SR Lab. 3 345$00 (55$80). acção prolongada. 70%. 1 231$00 (61$60). 120. 28. Delta. • s ISRADIPINA V. 60. bloqueadores da entrada do cálcio. 60. Posologia: Via oral: 4 mg/dia. 70%. comp. acção prolongada. HERBESSER SR Lab. Posologia: Via oral: 2. Basi. HERBESSER Lab.5. 3 971$00 (132$40). LOMIR Novartis Farma. comprimidos. 60. 70%. comprimidos. 20. 240. 1 475$00 (73$80). acção prolongada. 2. 70%. 6 490$00 (108$20). 20. Delta. 5. Posologia: Via oral: 2. comp. comprimidos. PRESLOW Astra Portuguesa. 60. 70%. 60. 30. a cimetidina aumenta-as. acção prolongada. 70%. acção prolongada. comprimidos. A. 3 042$00 (50$70). 70%. 5. 2 845$00 (142$20). 1 004$00 (71$70). 20. 180. 70%. Delta. Delta. 70%. 4. 2 452$00 (122$60). 2 345$00 (39$10). HERBESSER SR Lab. comp. TIADIL Lab. 1 765$00 (126$10). s NIFEDIPINA V. bloqueadores da entrada do cálcio. A eritromicina e a cimetidina são capazes de aumentar as concentracções plasmáticas da felodipina. comprimidos. Farma. bloqueadores da entrada do cálcio. comp. bloqueadores da entrada do cálcio. 20. 20. cáps. cáps. Delta. .4. Posologia: Via oral: 30 a 120 mg/dia. Delta. 70%. comp. 8 005$00 (133$40). comprimidos. LACIPIL Glaxo Wellcome. Delta.5 a 10 mg/dia. 60. Delta. HERBESSER SR Lab. cáps. TENS Unilfarma. Basi. LOMIR SRO Novartis Farma. 14. • HERBESSER Lab. 28. 14. 3 833$00 (63$90). 3 930$00 (131$00). Interacções: A nifedipina pode aumentar as concentrações plasmáticas da digoxina. 70%. 70%. HERBESSER Lab. 28. HERBESSER SR Lab. DILATOL SRO JABA Farmacêutica. TIADIL Lab. cáps. Interacções: A cimetidina pode aumentar as concentracções plasmáticas da lacidipina. 56. 60. 14. • s LACIDIPINA V. • s FELODIPINA V. 14. LACIPIL Glaxo Wellcome. 1 023$00 (51$20). acção prolongada. 705 HERBESSER SR Lab. 4. 70%. comprimidos. Antihipertensores PRESLOW Astra Portuguesa. 28. PRESLOW Astra Portuguesa. 180. pelo contrário.5. LOMIR Novartis Farma. 70%. comprimidos. 70%. 1 763$00 (125$90). 5. 2 309$00 (82$50). 70%. A cimetidina e a ranitidina podem aumentar as concentrações plasmáticas da nifedipina. acção prolongada. PENTILZENO B. 90. 3 530$00 (126$10). Delta. 4. 30. 4.128 Capítulo 3 | 3. 3 531$00 (126$10). 5. 70%. 120. 70%.

20. ADALAT 5 Bayer Portugal. 28. 70%. FARNITRAN Faribérica. 70%. Com cardioselectividade e actividade simpaticomimética intrínseca: acebutolol. 5. 3 282$00 (65$60).1. 60. 70%. 2 686$00 (44$80). acção prolongada. 60. 70%. metoprolol. 10. comprimidos. FARNITRAN Faribérica. 70%. acção prolongada. NIFEDIPINA CAPS Farmatrading. 1 620$00 (54$00). 1 574$00 (78$70). 10.4. • 3. 1 515$00 (75$80). comprimidos. 20. NIFEDATE AP Euro-Labor.4. 3 489$00 (124$60). Depressores da actividade adrenérgica 3. exibem porém diferenças. 70%. 20. 468$00 (23$40). é preferí- . bloqueadores da entrada do cálcio. comprimidos. 70%. MEDIPINA RETARD Lab. 30. ADALAT Bayer Portugal. labetalol. 442$00 (22$10). 1 745$00 (124$60). NIFEDIPINA CAPS Farmatrading. 20. 70%. 30 ml. cápsulas. ADALAT AP Bayer Portugal. 28. comp. cápsulas. ADALAT CR Bayer Portugal. que são preferíveis quando a ministração é crónica. 20. comprimidos. 1 463$00 (29$30). cápsulas. 4 763$00 (79$40). comp. 70%. cápsulas. acção prolongada. às características lipofílicas de alguns bloqueadores beta(ao contrário do atenolol. 70%.4. 50. 70%. Antihipertensores Existem preparações de absorção lenta (GITS). 60. 1 754$00 (87$70).4. 30. NIFEDATE Euro-Labor. 2 262$00 (37$70). HIPERDIPINA Tecnimede. ADALAT CR Bayer Portugal. 70%. NIFEDATE Euro-Labor. 70%. 742$00 (37$10). comprimidos. acção prolongada. 50. HIPERTENOL Synthelabo Medicor. cápsulas. 5. 20. 4. 20. 1 603$00 (80$20). 20. ADALAT 5 Bayer Portugal. 20. 70%. 50. 6 397$00 (228$50). comprimidos. 20. ADALAT AP Bayer Portugal. 70%. 20. Bloqueadores beta Os bloqueadores beta são antihipertensores bastante eficazes mesmo quando usados em monoterapia. Embora possuam uma eficácia muito semelhante entre si (para doses equipotentes). 10. 20. facto este que pode ser devido à diferente selectividade para os receptores. nadolol. cápsulas. acção prolongada. Medinfar. 20. Sem cardioselectividade e sem actividade simpaticomimética intrínseca: propranolol. 4 725$00 (78$80). acção prolongada. 70%. 14. 20. cápsulas. 20. 10. timolol. Assim. 2. NIFEDATE Euro-Labor. 60. 5 248$00 (87$50). 70%. 60. 60. 70%. Como exemplos paradigmáticos destas características são de referir: 1. por exemplo. acção prolongada. 60. 1 451$00 (29$00). comp. 10. ZENUSIN 20 SR Mepha. Posologia: Via oral: 20 mg/dia. o propranolol é bastante lipofílico) e à actividade simpáticomimética intrínseca que vários deles possuem. 927$00 (18$50). 20. 30. 20. 70%. 3. comp.3. quer em algumas indicações terapêuticas específicas. HIPERDIPINA Tecnimede. • 129 s NITRENDIPINA V. HIPERTENOL Synthelabo Medicor. comp. 807$00 (13$40).4. acção prolongada. 5. 50. solução oral. 1 377$00 (23$00). bisopropol. NIFEDIPINA CAPS Farmatrading. 1 172$00 (39$10). comp. comp. ADALAT CR Bayer Portugal. quer nas reacções adversas. 70%. 20. Com cardioselectividade e sem actividade simpaticomimética intrínseca: atenolol. comp. betaxolol. cápsulas. Sem cardioselectividade e com actividade simpaticomimética intrínseca: pindolol. 20. 60. 70%. 70%. a um doente hipertenso no pós-enfarte ou com angina de peito. 70%.

56. Esfar. tonturas (eventualmente síncope). Esfar. bloqueadores beta. bloqueadores beta. De uma maneira geral os efeitos bradicardizantes dos bloqueadores beta são potenciados por outros antiarrímicos. 70%. PRENT Bayer Portugal. dores abdominais. 30. bloqueadores beta. comp. perturbações graves da circulação periférica. 1 090$00 (54$50). 20. 60. deve preferir-se um diurético ou um vasodilatador directo. comprimidos. 2 354$00 (39$20). 1 089$00 (54$40). • vel administrar um bloqueador beta sem actividade simpaticomimética intrínseca. Para além da hipertensão arterial. Os antiácidos e os anti-inflamatórios não esteróides reduzem as suas acções. 70%. no tratamento da insuficiência cardíaca. certas formas de trémulo. TENORMIN MITE Zeneca. Posologia: Via oral: 25 a 100 mg/dia. bloqueios auriculoventriculares. 1 712$00 (28$50). comprimidos. . 50. s ATENOLOL V. Alguns bloqueadores beta têm também acção vasodilatadora directa. comprimidos. comprimidos. 70%. 1 849$00 (61$60). TENORMIN Zeneca. 70%. É também sabido que os cardioselectivos são menos propensos a provocar ou a facilitar crises de broncoespasmo. comprimidos. 100. insónia. Sanitas. 1 952$00 (65$10). 100. choque.130 Capítulo 3 | 3. comp. particularmente a nível dos vasos renais (ex: tertalolol). São contra-indicações ao uso dos bloqueadores beta as seguintes situações:Bradicardia sinusal clinicamente relevante. PRENT Bayer Portugal. Alguns bloqueadores beta (ex: carvedilol) podem ser utilizados. alucinações. asma brônquica e doença pulmonar obstrutiva crónica. 3 340$00 (55$70). TESSIFOL Lab. 70%. 2 076$00 (37$10). s ACEBUTOLOL V. depressão. 70%. ANCOREN Lab. comprimidos. 70%. Podem potenciar os efeitos da insulina e dos antidiabéticos orais. os bloqueadores beta estão indicados no tratamento da angina de peito. 100. Por outro lado. 70%.4. vómitos. 60. • s ATENOLOL + CLOROTALIDONA BLOKIUM-DIU Probios. comprimidos. bloqueadores beta. 70%. 1 040$00 (52$00). 50. 70%. comprimidos. possível agravameno de insuficiência cardíaca. Podem mascarar crises hipoglicémicas Outros efeitos laterais a considerar são astenia. Em caso de ser necessária a associação de outro antihipertensor a um bloqueador beta. 2 573$00 (42$90). 2 190$00 (78$20). insuficiência cardíaca descompensada. 20. 746$00 (53$30). 30. 60. cardiomiopatia hipertrófica. 100. os bloqueadores beta com actividade simpaticomimética intrínseca produzem menos bradicardia e menos alterações lipídicas do que os outros. TENORMIN MITE Zeneca. revestidos. 100. bloqueios auriculoventriculares. ANCOREN Lab. Posologia: Via oral: 200 a 1200 mg. quando acompanhados por outras medidas terapêuticas (diuréticos). 200. doença do nódulo sinusal. 14. Quanto às reacções adversas que podem ocorrer com os bloqueadores beta são de referir as seguintes: Bradicardia sinusal. 70%. 70%. 70%. 50. 50. náuseas. 2 030$00 (33$80). 60. 50. comprimidos. TESSIFOL Lab. alterações do trânsito intestinal. BLOKIUM Probios. Sanitas. ATENOLOL COMP REV Ratiopharma. 20. especialmente em doentes com antecedentes de asma brônquica. 28. 20. comprimidos. certas perturbações do ritmo cardíaco. alterações visuais. 100 + 25. 60. Podem provocar broncospasmo (mesmo os cardioselectivos). comprimidos. 100. diminuição do colesterol HDL (excepto para os que têm actividade simpaticomimética intrínseca) e hiperglicemia. 200. ATENOLOL COMP REV Ratiopharma. agravamento do síndroma de Raynaud e das crises hipoglicémicas. Interacções: V. Os bloqueadores beta podem provocar também alterações metabólicas tais como hipertrigliceridemia. Antihipertensores Interacções: V. hipertiroidismo. 70%. revestidos. BLOKIUM Probios. 815$00 (40$80). comprimidos. parestesias.

enxaqueca (prevenção). revestidos. CONCOR Merck Portuguesa. Nos doentes com insuficiência hepática e/ou renal. comprimidos. Foi dos primeiros bloqueadores beta a dar provas da sua utilidade noutras situações tais como: tremor. Posologia: Via oral: 40 a 320 mg/dia. a dose não deve ser superior a 10 mg/dia. DILBLOC Roche Farmacêutica.5 a 50 mg/dia. comprimidos. 40. comprimidos. 2 188$00 (36$50). bloqueadores beta. • s PROPRANOLOL V. bloqueadores beta. 2 126$00 (75$90). 50. bloqueadores beta Posologia: Via oral: 60 a 240 mg/dia. CONCOR Merck Portuguesa. 28. Interacções: V. Interacções: V. 25. LOPRESOR Novartis Farma. 70%. comp. 70%. 20. 70%. bloqueadores beta. 2 516$00 (125$80). TRANDATE Glaxo Wellcome. 665$00 (47$50). revestidos. Interacções: V. ansiedade. acção prolongada. LOPRESOR RETARD Novartis Farma. 70%. 6 417$00 (107$00). 1 340$00 (67$00). digitálicos e alguns antiepilépticos. • s NADOLOL V. 200. 2 077$00 (74$20). hipertiroidismo e hipertensão portal. Posologia: Via oral: 200 a 1200 mg/dia. revestidos. 200. bloqueadores beta. 25. ANABET Bristol-Myers Squibb. 2 516$00 (125$80). 70%. comprimidos. 70%. anti-inflamatórios não esteróides. 100 + 25. Posologia: Via oral: 12. comprimidos. 70%. 50. 10. CONCOR Merck Portuguesa. bloqueadores beta. 70%. Posologia: Via oral: 5 a 20 mg/dia. 60. KREDEX Valfarma. 70%. 20. tais como: anticoagulantes orais. 25. 2 853$00 (57$10). 14. Posologia: Via oral: 50 a 200 mg/dia. Interacções: V. 60. 5. DILBLOC Roche Farmacêutica. pelo que pode interactuar com fármacos que apresentem também grande ligação às proteínas. bloqueadores beta. bloqueadores beta. 70%. 60. 70%.5. Antihipertensores TENORETIC Zeneca. 70%. 80. 529$00 (10$60). 687$00 (49$10). comprimidos. 100. 20. 50 + 12. comprimidos. TENORETIC MITE Zeneca.5. 1 144$00 (40$90). bloqueadores beta. Fenotiazinas. 2 062$00 (68$70). 70%. 70%. • s CARVEDILOL V. 25. comp. . 60. O carvedilol tem elevada afinidade para as proteínas plasmáticas. comprimidos. 28. 14. revestidos. 30. 971$00 (48$60).3. • 131 s BISOPROLOL V.4. 2 076$00 (37$10). comprimidos. 40. bloqueadores beta. 20. Interacções: V. Existem preparações de absorção lenta. bloqueadores beta. 5. • Interacções: V. comp. comp. 70%. s LABETALOL V. comp. ANABET Bristol-Myers Squibb. 50 + 12. 70%. revestidos. bloqueadores beta. • s METOPROLOL V. KREDEX Valfarma. 100. comprimidos. 28. CORPENDOL Sanofi Winthrop. comprimidos. 56. 2 703$00 (45$00). LOPRESOR Novartis Farma. comprimidos. 70%. 1 525$00 (25$40). TRANDATE Glaxo Wellcome. 6 417$00 (107$00). comp. 60. 70%. TENORETIC MITE Zeneca. 200.

Síndroma semelhante a lúpus eritematoso disseminado. 10. comprimidos.4. antidepressores tricíclicos. INDERAL Zeneca. 50. 70%. comprimidos. acção prolongada. 10. 70%. 60. bloqueadores beta Posologia: Via oral: 10 a 60 mg/dia. comprimidos. 121$00 (6$00). INDERAL LA 80 Zeneca. 20. se se tornar necessária a interrupção deste último. 390$00 (19$50). anemia hemolítica. 1 054$00 (17$60). 60. • INDERAL Zeneca. trémulo. 70%. INDERAL Zeneca. a utilização de um bloqueador beta. pode exigir. 70%. injectável. 70%.132 Capítulo 3 | 3. 50. Antihipertensores MODUCREN FORTE Merck Sharp & Dohme. 28. cáps. dores abdominais. tal deverá ser feito gradualmente. 60. comprimidos. Leucopenia.4. PROPRANOLOL RATIOPHARM Ratiopharma. s TIMOLOL + AMILORIDE + HIDROCLORO-TIAZIDA MODUCREN Merck Sharp & Dohme. 70%. 70%. BLOCADREN Merck Sharp & Dohme.15 a 0. 70%. 70%. hipersudorese. Interacções: V. Interacções: Bloqueadores beta. 50. CATAPRESAN Unilfarma. congestão nasal. .5 + 25. 70%. 805$00 (40$30).5 + 25. 451$00 (22$60). 0. 10 + + 2. • s TIMOLOL V. Hipotensão ortostática. PROPRANOLOL RATIOPHARM Ratiopharma. 70%. 70%.150. para além do recurso à clonidina. 1 456$00 (52$00). 10. comprimidos. 80. Em caso de administração concomitante com um bloqueador beta. PROPRANOLOL RATIOPHARM Ratiopharma. 40. sedação. trombocitopenia. cefaleias. 80. 264$00 (5$30). 50. BLOCADREN Merck Sharp & Dohme. bloqueadores beta. subida da tensão arterial). Retenção hidrossalina. • 3. comprimidos. 3 263$00 (54$40). Reacções adversas: Sonolência. 50. 70%. comprimidos. comprimidos. 240$00 (12$00). 40. depressão. 70%. CATAPRESAN Unilfarma. 70%. cápsulas. 830$00 (16$60). 528$00 (10$60). tranquilizantes. comprimidos. 10 + + 2. INDERAL Zeneca. 800$00 (28$60). 1 704$00 (28$40). comprimidos. 80. 763$00 (38$20). Agonistas alfa 2 centrais s CLONIDINA Indicações: Hipertensão arterial. Com a sua suspensão brusca pode ocorrer síndroma de abstinência com hiperreactividade simpática(taquicardia.150. 10. 20 + 5 + + 50. comprimidos. INDERAL LA Zeneca. depressão. 20. Disfunção hepática. MODUCREN Merck Sharp & Dohme. 1 075$00 (21$50). comprimidos. 70%. Posologia: Via oral: 0. • s METILDOPA Indicações: Hipertensão arterial. 28. comprimidos. 60. 1 841$00 (30$70). 660$00 (13$20). pesadelos. cefaleias. Este síndroma. Secura de boca. 10. fadiga. 20. Positividade do teste de Coombs. 160. 20. 1. 0. 20. 20. que aparece 18 a 36 horas após a suspensão.3 mg/dia (uma ou duas vezes/dia). digitálicos. Bradicardia. Contra-indicações e precauções: Doença do nódulo sinusal. comprimidos. 70%. 40.2. INDERAL Zeneca. afim de evitar possível ocorrência de crise hipertensiva. comprimidos. sol.4. PROPRANOLOL RATIOPHARM Ratiopharma. 80. Reacções adversas: Tonturas. bradicardia sinusal e bloqueio auriculoventricular. 70%. retenção hidrossalina. 200$00 (20$00).

Interacções: Aumenta as concentrações de propranolol. comprimidos. exantema. Trombocitopenia. edemas. LONITEN Pharmacia & UpJohn. comprimidos. leucopenia. hipotensão ortostática. Vasodilatadores directos s MINOXIDIL Indicações: Hipertensão arterial. Sanitas. HYPERIUM Servier Portugal. hipocaliemia. • 3. 3. 20. Outros s CETANSERINA É um bloqueador selectivo dos receptores 5-HT2. Reacções adversas: Hirsutismo. cefaleias. anorexias. 6 662$00 (111$00). Náuseas. edemas.4. 20. 60. 500. Interacções: Os antidepressores reduzem a actividade antihipertensora da rilmenidina.5. Contra-indicações: Insuficiência hepática. secura de boca. 60. comprimidos. 70%. comprimidos. facto que não explica o seu efeito antihipertensor. insónias. Contra-indicações: Angina de peito.4. • 3. 1 839$00 (61$30). 1 768$00 (88$40). ALDOMET Merck Sharp & Dohme. comprimidos. 70%. 655$00 (32$80). Há quem preconize a sua utilização em doentes hipertensos com doença coronária concomitante. vómitos. arritmias ventriculares (em tratamentos prolongados) Contra-indicações: Síndroma do QT longo. Astenia. PREDOPA Lab. 1. Posologia: Via oral: 250 mg. 60. Vasodilatadores A propósito dos antihipertensores foram referidos vários fármacos com efeitos vasodilatadores: inibidores da E. alguns destes fármacos têm dado provas de eficácia no tratamento da insuficiência cardíaca (inibidores da E. 70%. 70%. depressão. pancreatite.6. Ansiedade. duas ou três vezes vezes por dia. Reacções adversas: Fadiga.4. 70%. comprimidos. bloqueadores da entrada do cálcio. 40. 500. SUFREXAL Janssen-Cilag.. 1. Para além do seu interesse como antihipertensores. PREDOPA Lab.5 a 40 mg. Posologia: Via oral: 2. A. 10. 2 533$00 (42$20).4. 30. pericardite. Palpitações. ALDOMET Merck Sharp & Dohme.3.3. 30. 20. • 133 Retenção hidrossalina (necessidade de associar diurético). Selectivos dos receptores imidazolínicos s RILMENIDINA Indicações: Hipertensão arterial. ALDOMET FORTE Merck Sharp & Dohme. 70%. comprimidos. C. LONITEN Pharmacia & UpJohn. Vasodilatadores Raramente pode provocar miocardite. Pela sonolência que provoca deve ser evitada nos condutores de veículos. secura de boca. comprimidos. Posologia: Via oral: 1 mg/dia. sendo feito o aumento de dose com intervalos de 3 dias.5. 70%. Sanitas. 2 497$00 (83$20). 250. As doses podem ser aumentadas até 2 g por dia. 70%. Interacções: Favorece a toxicidade do lítio. 60. 70%. . pelo facto da cetanserina possuir algum efeito antiagregante plaquetário. 10. 60. Dado o seu perfil de toxicidade só raramente se justifica a sua utilização. nos primeiros dias. • 3. derrame pericárdico. 250. prurido. comprimidos. comprimidos. 1 309$00 (65$40). vasodilatadores de acção directa (ex: hidralazina). fibrose retroperitoneal. Taquicardia. O interesse da metildopa no tratamento da hipertensão tem vindo a decrescer nos últimos anos. Reacções adversas: Epigastralgias. uma ou duas vezes/dia.5. É considerado um antihipertensor de reduzido interesse. náuseas. Posologia: Via oral: 40 a 80 mg/dia. 1 463$00 (24$40). Contra-indicações: Depressão. 250. 70%. 1 450$00 (24$20). cefaleias. 2 551$00 (42$50). HYPERIUM Servier Portugal.

ISOPRONT Ferraz Lynce. 856$00 (14$30). Contra-indicações: Choque. São porém de realçar alguns aspectos a seu respeito: são fármacos de eleição no tratamento da angina variante ou espástica. ISOPRONT Ferraz Lynce. outros têm sido utilizados como antianginosos (bloqueadores da entrada do cálcio). cápsulas. 473$00 (7$90). do segundo grupo fazem parte os que dilatam os vasos coronários (ex: nitratos. bucal. 20. Neste subcapítulo. 5. 60. 881$00 (14$70). sublinguais. Via percutânea: 50 a 100 mg/dia. 70%. 60.25. 1 102$00 (18$40). 357$00 (17$80). cápsulas. O fenobarbital e a indometacina reduzem as suas acções.134 Capítulo 3 | 3. 418$00 (7$00). sendo a escolha feita em função das características do doente. 30. Antianginosos s DINITRATO DE ISOSSORBIDO Indicações: Angina de peito. • C. 40. para além de aspectos farmacocinéticos.. cápsulas. ao contrariarem aqueles eventos. cutânea. 25 ml. FLINDIX RETARD Lab. A administração crónica do dinitrato de isossorbido provoca tolerância de efeito. comprimidos. pulver. Vitoria. Os vasodilatadores arteriolares. comp. 70%. 70%. Vitoria. 70%. ISOKET Neo-Farmacêutica. A característica dominante da isquemia miocárdica é a dor. 5. 60. sol. Vasodilatadores Reacções adversas: Cefaleias. tonturas.5. 5. 70%. É sabido que os sintomas devido à insuficiência cardíaca não resultam apenas da diminuição do débito cardíaco. cápsulas. 70%. 40. Vitoria. são capazes de modificar a evolução natural da insuficiência cardíaca e aumentar a sobrevida. hipotensão postural. são geralmente bem tolerados e parece que favorecem a regressão (ou pelo menos dificultam a progressão) da placa aterosclerótica. exantema. FLINDIX Lab. comp. 691$00 (34$60). bloqueadores da entrada do cálcio) e os que aumentam a duração da diástole (ex: bloqueadores beta). quer através de um aumento do débito sanguíneo nas áreas isquemiadas. 1. 20. 60. As preparações transdérmicas podem provocar irritação local. 20. 70%. ISOKET RETARD Neo-Farmacêutica. acção prolongada. Frequentemente o tratamento sintomático da angina de peito faz-se recorrendo à associação de antianginosos. com repetição ao fim de alguns minutos se houver persistência de sintomas. sol. pulver. ISOKET Neo-Farmacêutica. A. Sobre os bloqueadores da entrada do cálcio foram feitas referências a propósito dos antihipertensores. sublinguais. 60. Os fármacos utilizados no tratamento sintomático da angina de peito (nas suas variadas formas: de esforço. ISOPRONT SPRAY TD Ferraz Lynce. ISOPRONT SPRAY Ferraz Lynce. hidralazina). cápsulas. variante ou espástica. Edema agudo do pulmão. os nitratos são vasodilatadores coronários e constituem um dos pilares da angina de peito. FLINDIX Lab. Interacções: O etanol aumenta o efeito do dinitrato de isossorbido. Posologia: Via oral: 20 a 120 mg/dia. Não há diferenças significativas entre eles. 20. tais como a hidralazina. 20 ml. Via sublingual: 5 a 10 mg. Insuficiência cardíaca. 60. 20. No primeiro grupo estão os que reduzem a actividade cardíaca ou a pressão arterial (ex: bloqueadores beta). ISOPRONT Ferraz Lynce. 70%. 185$00 (9$20). 1 959$00 (78$40). 70%. 20. 70%. 70%. comprimidos. comp. . FLINDIX RETARD Lab. instável) actuam quer através da redução da necessidade do oxigénio pelo miocárdio. 164$00 (8$20). 856$00 (14$30). 20. 1 089$00 (18$20). Como já foi dito. Vitoria. 60. 70%. 5. vamos considerar mais pormenorizadamente os antiginosos e os vasodilatadores com possível interesse no tratamento da insuficiência arterial periférica. mas também e fundamentalmente da activação exagerada dos mecanismos compensadores que conduzem a um aumento das resistências periféricas. Deve evitar-se a suspensão brusca aquando de tratamentos prolongados.

40. cáps. comprimidos. 993$00 (49$60). 70%. 70%. Contra-indicações: Choque. Deve evitar-se suspensão brusca aquando de tratamentos prolongados. cáps. acção prolongada. 40. 60. 2 908$00 (48$50). 20. cáps. MONOKET RETARD Neo-Farmacêutica. sol. MONOKET Neo-Farmacêutica. acção prolongada. 2 387$00 (39$80). 2 033$00 (67$80). 20. ISMO Roche Farmacêutica. 2 138$00 (35$60). acção prolongada. ORASORBIL Lab. AMPLEXOL Synthelabo Medicor. 70%. 70%. cáps. 2 041$00 (68$00). 1 053$00 (52$60). 20. 70%. 20. comprimidos. 20. 40. ISMO Roche Farmacêutica. 70%. acção prolongada. acção prolongada. 60. 2 605$00 (43$40). 50. 70%. 60. Indicações: Angina de peito. 1 223$00 (20$40). 60. 20. 70%.3.5. IMDUR Astra Portuguesa. acção prolongada. 70%. 1 795$00 (89$80). comp. 70%. A administração crónica de mononitrato de isossorbido provoca tolerância de efeito. ISMO Roche Farmacêutica. MONONITRILRETARD Farmoquimica Baldacci. 4 004$00 (66$70). 70%. • s NICORANDIL O nicorandil é um activador dos canais de potássio. 30. vómitos. 30. comprimidos. oral. 20. 1 307$00 (21$80). MONOPRONT Ferraz Lynce. 20. 60. cáps. 20. MONOPRONT RETARD 50 Ferraz Lynce. 60. comprimidos. acção prolongada. ISMO Roche Farmacêutica. 20. 70%. 70%. taquicardia. Náuseas. comp. acção prolongada. acção prolongada. 60. comp. MONONITRIL Farmoquimica Baldacci. tonturas. 70%. Insuficiência cardíaca. rubor facial. 20. ORASORBIL Lab. 1 152$00 (19$20). Vasodilatadores 135 s MONONITRATO DE ISOSSORBIDO Indicações: Angina de peito. 4 129$00 (68$80). Delta. Delta. 70%. tonturas. 60. 50. cáps. 60. 20. comprimidos. 545$00 (27$20). 70%. comprimidos. Interacções: Álcool (diminuição da capacidade vigil). ISMO Roche Farmacêutica. 2 317$00 (38$60). 60. 40. acção prolongada. 1 053$00 (52$60). 20. 20 ml. 3 573$00 (59$60). Delta. acção prolongada. comp. 50. MONOPRONT Ferraz Lynce. 1 025$00 (51$20). MONONITRIL Farmoquimica Baldacci. cáps. 2 380$00 (39$70). comprimidos. cáps. 70%. MONOKET Neo-Farmacêutica. 20. 70%. hipotensão postural. AMPLEXOL Synthelabo Medicor. exantema. 2 233$00 (74$40). . acção prolongada. AMPLEXOL Synthelabo Medicor. 40. MONOKET Neo-Farmacêutica. comprimidos. 60. 60. IMDUR Astra Portuguesa. 1 665$00 (83$20). 20. 60. 70%. Posologia: Via oral: 20 a 120 mg/dia. comprimidos. astenia. 70%. 20. MONOPRONT Ferraz Lynce. AMPLEXOL Synthelabo Medicor. 70%. 2 253$00 (37$60). 2 387$00 (39$80). 60. 70%. cáps. 70%. 40. 60. Reacções adversas: Cefaleias. 60. 60. comprimidos. Reacções adversas: Cefaleias. 70%. 4 175$00 (69$60). 70%. comprimidos. 40. 30. acção prolongada. 2 321$00 (38$70). Delta. ORASORBIL Lab. comprimidos. 60. comp. 20. 20. 70%. 20. acção prolongada. 70%. ORASORBIL Lab. MONOPRONT Ferraz Lynce. Hipotensão arterial. 20. 60. 488$00 (24$40). 60.

5. NIKORIL Lab. FLUXEMA Lab. comprimidos. 5 620$00 (93$70). 30.6 mg no início da crise. 300. comp. 100. DANCOR Merck Portuguesa. sis. tonturas. transdérmico. sist. 5 360$00 (178$70). Tremores. • s NITROGLICERINA Indicações: Angina de peito. 70%. comp. FLUDILAT RETARD Organon Portuguesa. comp. hipotensão postural. revestidos. Reacções adversas: Cefaleias. transdérmico. 60. transdérmico. 10. duas vezes/dia. 70%. 2 929$00 (48$80). Medinfar. Contra-indicações: Epilepsia. sist. DANCOR Merck Portuguesa. 200. NITROMINT Vitor H. 5 767$00 (192$20). NITRO-DUR Schering-Plough. exantema. Via transdérmica: 5 a 15 mg/dia. DANCOR Merck Portuguesa. A administação crónica de nitroglicerina provoca tolerância de efeito. 1 170$00 (58$50). 80. 4 910$00 (163$70). 70%. em doses repartidas. cefaleias. transdérmico. 40%. Contra-indicações: Choque. Deve evitar-se a suspensão brusca aquando de tratamentos prolongados. 60. 20. 70%. 40%. 50. revestidos. 4 179$00 (149$20). 28. Insuficiência cardíaca. revestidos.5. 30. As preparações de libertação transdérmica podem provocar irritação local. PLASTRANIT JABA Farmacêutica. NITRO-DUR Schering-Plough. sublinguais. 70%. cefaleias. 10. 5 360$00 (178$70). náuseas. s BUFLOMEDIL Indicações: Insuficiência arterial periférica. 70%. comp. 30. 1 976$00 (32$90). 40. NITRODERM TTS 10 Novartis Farma. especialmente se combinados com bebidas alcoólicas. transdérmico. 20. sist. 0. 100. • Contra-indicações: Choque. Cordeiro. 896$00 (22$40). 70%. 4 910$00 (163$70). 30. BUFLOMEDIL 300 RATIOPHARM Ratiopharma. Interacções: Indometacina. Reacções adversas: Náuseas. sist. rubor. 860$00 (14$30). comp. comprimidos. sist. 60. 40. 70%. 30. Medinfar. NITRADISC Monsanto Portugal. tonturas. 10. 5. Insuficiência cardíaca descompensada. revestidos. FLUDILAT Organon Portuguesa. tonturas. transdérmico. Insuficiência renal. 5 085$00 (169$50). 20. 70%. 60. comprimidos. Reacções adversas: Epigastralgias. Vasodilatadores NITRODERM TTS 5 Novartis Farma. 10. Interacções: Potenciação de efeito quando usado concomitantemente com bloqueadores alfa. insuficiência cardíaca. 40%. sist. comprimidos. sist.5. 70%. transdérmico. transdérmico. comprimidos. 25. Contra-indicações: Hemorragias graves. NITRADISC Monsanto Portugal. 70%. 30. vómitos. Interacções: Outros vasodilatadores podem potenciar o efeito hipotensor do nicorandil. 40%. • Outros Vasodilatadores s BENCICLANO Indicações: Insuficiência arterial periférica. 70%. 60. 1 148$00 (57$40).136 Capítulo 3 | 3. 20. 60. Zimaia. 28. 10. PLASTRANIT JABA Farmacêutica. Posologia: Via sublingual: 0. Posologia: Via oral: 400 a 600 mg/dia. 2 929$00 (48$80). Insuficiência hepática. S. NIKORIL Lab. 1 127$00 (18$80). Enfarte agudo do miocárdio. 3 904$00 (139$40). 70%. 5 620$00 (93$70). . 60. Posologia: Via oral: 600 mg/dia. 70%. Posologia: Via oral: 10 a 20 mg.

50. cápsulas. nervosismo. 10. náuseas. 60. 1 044$00 (52$20). dores abdominais. CINARIZINA 75 RATIOPHARM Ratiopharm. Contra-indicações: Doença de Parkinson. 40%. secura de boca. Reacções adversas: Náuseas.. Interacções: Álcool. Hipotensão arterial. Azevedos. Interacções: Álcool. palpitações. 5. Parkinson. 60. 60. 75. 1 328$00 (22$10). Reacções adversas: Cefaleias. Perturbações labirínticas (V. comprimidos. 20. 75. cápsulas. • STUGERON Janssen-Cilag. • 137 s CICLANDELATO Indicações: Insuficiência arterial periférica. 75. Fadiga. Capítulo 2). ZINASEN Lab. vómitos. LOFTYL 300 Abbot Laborat. palpitações. sol. CINON FORTE Lab. cápsulas. rubor facial. 1 848$00 (92$40). cápsulas. comp. 25. Astenia. 60. comprimidos. Contra-indicações: Depressão. cápsulas. CINON FORTE Lab. 40%. 4 208$00 (75$10). taquicardia. 56. comprimidos. cápsulas. 40%. 300. Posologia: Via oral: 50 a 150 mg/dia. Manifestações extrapiramidais. 5. 40%. LOFTYL Abbot Laborat. 412$00 (20$60). Reacções adversas: Epigastralgias. 5. Reacções adversas: Náuseas. 75. em fracções. 40%. comprimidos. pirose. 40%. 40%. injectável. 40%. Atral. . 20. benzodiazepinas. 40%. solução oral. eructações. 40%. cápsulas. VASILIUM Lab. CYCLOSPASMOL Yamanouchi Farma. comp. 4 275$00 (71$20). hipersudorese. Deve ser usado com precaução em pessoas idosas.. 40%. 60. 1 580$00 (26$30). 40%. revestidos. 10. 1 048$00 (17$50). comp. 30. Glaucoma. 300. 434$00 (86$80). antidepressores triciclícos. 2 973$00 (49$60). LOFTYL FORTE Abbot Laborat. 75. STUGERON FORTE Janssen-Cilag. Atral.3. CINARIZINA 75 RATIOPHARM Ratiopharm. 40%. 3 967$00 (79$30). Sintomas semelhantes aos do lúpus (raramente). 20.6 g/dia. 3 763$00 (125$40). 60. 60. 50 ml. • s CINARIZINA Indicações: Insuficiência arterial periférica. SIBELIUM Janssen-Cilag. em fracções. Azevedos. 2 206$00 (44$10). secura de boca. 1 361$00 (97$20). 10. comprimidos. 1 082$00 (21$60). 555$00 (27$80). Cefaleias. 605$00 (30$30). Posologia: Via oral: 1. 40%. 40%. revestidos. 600. STUGERON Janssen-Cilag.. 40%. 40%. cápsulas. 20. 10. Vasodilatadores BUFLOMEDIL 300 RATIOPHARM Ratiopharma. comprimidos. SIBELIUM Janssen-Cilag. STUGERON FORTE Janssen-Cilag. Manifestações extrapiramidais. 3 576$00 (59$60).2 a 1. 75. 50. 14. Capítulo 2). 60. D. SIBELIUM Janssen-Cilag. Perturbações labirínticas (V. 400. cápsulas. benzodiazepinas. 714$00 (11$90). Diátese hemorrágica. Contra-indicações: Doença coronária grave. ZINASEN Lab. 40%. 1 350$00 (22$50). SIBELIUM Janssen-Cilag. 40%. 75. sintomas depressivos. 40%. • s FLUNARIZINA Indicações: Insuficiência arterial periférica. Posologia: Via oral: 5 a 10 mg/dia. revestidos. Medinfar.5. 50. s ISOXSUPRINA Indicações: Insuficiência arterial periférica. 10. 20. sonolência.

300. 60. apontados como venotrópicos. cápsulas. revestidos. • Existem outros fármacos tais como ácido asiático. 2 vezes por dia. Contra-indicações: Não são conhecidas (para além de eventuais reacções de sensibilidade aos seus constituintes). 4. revestidos. 3. 40%. No pós-parto. VENEX FORTE Inst. 60. sol. comp. 300. 60. rubor facial. Reacções adversas: Perturbações digestivas. em fracções. 40%. 30. 300. sol. 4. sonolência. 40%. 524$00 (26$20). 0%.7. 3 898$00 (65$00). Luso-Fármaco. 4 467$00 (74$40). Interacções: Não são conhecidas. 10. ERG-XXI Tecnimede. 40%. Quimicamente são flavonóides ou substâncias aparentadas. porém. revestidos. 30. Health. DILUM RETARD Tecnifar. SERMION 30 Pharmacia & UpJohn. pó solv. 20. SERMION Pharmacia & UpJohn. 20. 2 214$00 (36$90). 1 162$00 (19$40). VENEX FORTE Inst. em doses repartidas. 2 887$00 (57$70). exantema. 30. 20. 40%.7. acção prolongada. 40%. 50. embora por um mecanismo ainda mal esclarecido. Antihiperlipidémicos O tratamento das dislipidemias e em particular da hipercolesterolemia. 60. oral.6. 30. 50. Posologia: Via oral: 60 mg/dia. 40%. Interacções: Potenciação dos efeitos dos fármacos antihipertensores. VENO V FORTE Inibsa. • s NICERGOLINA Indicações: Insuficiência arterial periférica. Luso-Fármaco. SERMION Pharmacia & UpJohn. inject. 4 628$00 (77$10). comprimidos. 1 076$00 (21$50). 450. 60. pó solv. acção prolongada. 40%. VENEX Inst. 2 444$00 (611$00). Não se dispõe. 4 734$00 (78$90). Antihiperlipidémicos Contra-indicações: Não são conhecidas (para além de eventuais reacções de sensibilidade aos seus constituintes). s DIOSMINA Indicações: Insuficiência venosa (edemas. cápsulas. 40%. cápsulas. VENO V Inibsa. Interacções: Não são conhecidas. cápsulas. comp. 60. Alguns venotrópicos (diosmina e troxerutina) parecem actuar na musculatura venosa de forma selectiva. 2 727$00 (60$6)0. VENEX Inst. Luso-Fármaco. Posologia: Via oral: 900 mg a 1200 mg/dia. 469$00 (4$70). gele. Posologia: Via oral: 900 mg/dia. VENO V Inibsa. cápsulas. Luso-Fármaco. Reacções adversas: Perturbações gastrintestinais. 20. SERMION Pharmacia & UpJohn. Posologia: Via oral: 30 mg. comp. 20. VENORUTON 300 Novartis C. 450. cápsulas. dobesilato de cálcio e heptaminol. Reacções adversas: Perturbações gastrintestinais. DILUM RETARD Tecnifar. Venotrópicos Os venotrópicos são substâncias utilizadas no tratamento do insuficiência venosa. 300.. VENORUTON GEL Novartis C. sensação de peso nas pernas). • s TROXERRUTINA Indicações: Insuficiência venosa (edemas. 40%. 40%. 60. 1 499$00 (75$00). cápsulas. 1 905$00 (95$20). 40%. em fracções. 10. exantema. 300. 450. 60. cápsulas. 100. 40%. 3 717$00 (62$00). ERG-XXI Tecnimede. comp. 1 357$00 (67$80).138 Capítulo 3 | 3. comp. assumiu nos últimos . 3. 45 ml. 40%. • Contra-indicações: Diátese hemorrágica. de provas inequívocas de sua eficácia. Health. 40%. 10. sensação de peso nas pernas). 3 708$00 (61$80). 40%.

a gravidez e a lactaçao constituem contra-indicações ao seu uso. 3 686$00 (184$30). 40. Umas são lipofílicas (ex: fluvastatina. a ranitidina e o omeprazol aumenta-as. anorexia. parestesias. comprimidos. 40%. estatinas. TECNOLIP Tecnifar. comprimidos. a elevação persistente das transamínases. 60. • . estatinas. 60. 20. cápsulas. 60. cápsulas. nem sempre se consegue uma redução significativa das concentrações do colesterol. comprimidos. astenia. estatinas. 40%. náuseas. 40. obstipação. s LOVASTATINA V. 10 490$00 (174$80). 139 s FLUVASTATINA V. Posologia: Via oral: 40 a 80 mg/dia. cápsulas. 20. Deverão ser feitos controlos laboratoriais mais apertados a doentes que tomem varfarina. 40%. A doença hepática. MEVLOR Monsanto Portugal. 40%. 14. CANEF Astra Portuguesa. Esta parece ocorrer com maior frequência quando há administração concomitante de inibidores do citocromo P450. 6 602$00 (235$80). ZARATOR Warner-Lambert. 20. aumento dos valores das transamínases. 40.3. não há diferenças significativas entre elas. frequentemente num contexto de interacção medicamentosa (provavelmente mais com as estatinas lipofílicas). interacções e preço. 9 876$00 (329$20). simvastatina) e outras hidrofílicas (pravastatina). 4 703$00 (168$00). MEVINACOR Merck Sharp & Dohme. em toma única. comprimidos. Deve começar-se com 10 mg/dia. 40%. flatulência. revestidos. 10 489$00 (174$80). são de referir especialmente as estatinas e os fibratos. Interacções: V. Das reacções adversas mais frequentes que podem provocar são de referir: dores abdominais. Destes. É bem sabido que a hipercolesterolemia (à custa das LDL) é um importante factor na patogénese das doenças cardiovasculares de natureza aterosclerótica. a cimetidina. Deve começar-se com 10 mg/dia. comprimidos. 30. dispepsia. 40%. Antihiperlipidémicos anos uma importância renovada pela introdução na prática clínica dos inibidores da HMG-COA redutase (estatinas). comprimidos. CARDIOL Medibial. TECNOLIP Tecnifar. Estão indicadas no tratamento da hipercolesterolemia e da dislipidemia mista. 28. 20. 40%. 28. 2 613$00 (186$60). e ocasionalmente na forma de miopatia com eventual significado clínico. tais como eritromicina e ciclosporina. Interacções: V. Para além disto e de outros aspectos de farmacocinética. pelo risco de aumento dos efeitos desta substância. cápsulas. 40%. comprimidos. 10. 9 334$00 (155$60). 20. 40%. • s ATORVASTATINA V. 40%. LESCOL Novartis Farma. 20. MEVINACOR Merck Sharp & Dohme. em toma única. 20. LESCOL Novartis Farma. Interacções: V. Posologia: Via oral: 20 a 80 mg/dia. 40. 4 262$00 (213$10). Apesar da dieta preconizada e do exercício físico aconselhado. Podem provocar eritema multiforme. • Estatinas As estatinas são um grupo de fármacos para os quais tem havido nos últimos anos aturada investigação devido às suas potencialidades no combate à hipercolesterolemia e suas consequências. estatinas. 4 703$00 (168$00). 4 703$00 (168$00). A rifampicina administrada concomitantemente reduz as concentrações plasmáticas de fluvastatina. 4 320$00 (216$00). lovastatina. 40%. perturbações psíquicas. Com o seu uso pode observar-se aumento dos valores de CK. 28. pelo que frequentemente é recomendável o recurso a fármacos. 28. 20.7. 20. Posologia: Via oral: 10 a 80 mg/dia. 40%. comp. estatinas. MEVINACOR Merck Sharp & Dohme. estatinas. MEVLOR Monsanto Portugal. 40.

614$00 (12$30). Interacções: Pode aumentar os efeitos dos anticoagulantes. • s SIMVASTATINA V. PRAVACOL Bristol-Myers Squibb. • s PRAVASTATINA V. comp. 200. 3 738$00 (62$30). três vezes/dia. vómitos. 30. fibratos. Pode potenciar os efeitos da varfarina.7. Deve começar-se com 10 mg/dia. náuseas. Podem provocar dores abdominais. fibratos. 40%. BEZALIP RETARD Roche Farmacêutica. 500. 20. Interacções: V. 50. ATROMID-S Zeneca. comprimidos. Com o seu uso pode ocorrer risco aumentado de litíase biliar. comprimidos. estatinas. 300.Com os comprimidos de acção prolongada a dose é de 400 mg/dia. • Fibratos Os fibratos constituem um grupo de substâncias com indicação terapêutica no tratamento da hipertrigliceridemia e da dislipidemia mista. LIPANOR Sanofi Winthrop. mialgias. 100. em toma única. 8 640$00 (288$00). exantema. 500. 2 938$00 (97$90). Estão contraindicados na litíase biliar. . 30. fenitoína e furosemida. 40%. ZOCOR Merck Sharp & Dohme. cápsulas. 40%. PRAVACOL Bristol-Myers Squibb. • s CIPROFIBRATO V. BEZALIP Roche Farmacêutica. 20. Posologia: Via oral: 100 mg/dia. Os que se lhes seguiram são geralmente considerados como menos litogénicos para um grau de eficácia semelhante. 289$00 (14$40). s ETOFIBRATO V. 60. 8 607$00 (286$90). comprimidos. Posologia: Via oral: 200 mg três vezes/dia. oral: 1. cápsulas. 40%. 30. fibratos. ATROMID-S Zeneca. Esta dose pode ser aumentada até ao dobro. Interacções: V. 20. Deve começar-se com 10 mg/dia. cápsulas. Posologia: Via oral: 10 a 40 mg/dia. cápsulas. 40%. 300. cápsulas. 20. 2 185$00 (36$40). comprimidos. 20. 20. LIPO-MERZ Medinfar. 20. 40%. 60. 60.140 Capítulo 3 | 3. LIPANOR Sanofi Winthrop. 40%. 100. estatinas. 20. 6 105$00 (305$20). Posologia: Via oral: 300 mg. 400. fibratos. alterações da função hepática e dos parâmetros hematológicos. O clofibrato foi o primeiro composto a ser utilizado. s BEZAFIBRATO V. 916$00 (45$80). Interacções: Potenciação do efeito dos anticoagulantes orais. 40%. em toma única. 6 083$00 (304$20). • s CLOFIBRATO V. 20. 968$00 (48$40). 1 433$00 (71$60). Interacções: Pode aumentar as acções dos anticoagulantes orais. Posologia: V. 2 063$00 (34$40). Entre estes as diferenças não são significativas. Posologia: Via oral: 10 a 40 mg/dia.5 a 2 g/dia. 40%. estatinas. cápsulas. antidiabéticos orais. ZOCOR Merck Sharp & Dohme. Antihiperlipidémicos BEZALIP Roche Farmacêutica. 200. estatinas. comprimidos. 40%. 20. 40%. 40%. acção prolongada. Interacções: Pode potenciar os efeitos dos anticoagulantes e dos antidiabéticos orais. dos antidiabéticos e da fenitoína. doença hepática grave e insuficiência renal. comprimidos. 40%. LIPO-MERZ Medinfar.

comprimidos. cáps. LISOSTEROL Sanigen. 2 523$00 (42$00). cápsulas. Urticária. 20. LIPOFEN Lab. 40%. tiazidas. duas vezes/dia. Posologia: Via oral: 5 a 30 g/dia (em doses repartidas). CATALIP Fournier. cápsulas. granulado (cart. de vitaminas lipossolúveis e de outros fármacos se administrados concomitantemente. LIPOFEN Lab. 2 700$00 (45$00). 4 498$00 (75$00). antidepressores tricíclicos. Posologia: Via oral: 500 mg. Estes fármacos sofrem redução de absorção. obstipação. D e K). 40%. 40%. CATALIP Fournier. cápsulas. 300. furosemida. flatulência. Vitória. 607$00 (30$40). 20. 20. 40%. Contra-indicações: Obstrução completa da via biliar. Posologia: Via oral: 1. litogenicidade. 40%. 200. deficiências vitamínicas (A. oral (cart. 20. 1 670$00 (83$50). pó p/sol. Outros s COLESTIRAMINA Indicações: Hipercolesterolemia. fibratos. 100. Interacções: Amiodarona. 2 673$00 (133$60). 600. comprimidos.). revestidos. 1 112$00 (55$60). 2 824$00 (47$10). 60. 40%. anorexia. comp. 250. 200. vómitos. LOPID Warner-Lambert. Discrasias sanguíneas.2 g/dia. Interacções: Dificulta a absorção de gorduras. comp. cápsulas. COLESTID Pharmacia & UpJonh. • s PROBUCOL Indicações: Hipercolesterolemia. LIPOITE FORTE Helfarma. zumbidos. 1 764$00 (88$20). revestidos. 600. • Alívio do prurido nas situações de obstrução parcial da via biliar. náuseas. 20.7. LIPANTHYL 250 RETARD Fournier. LISOSTEROL Sanigen. Em doses altas prolongadamente pode provocar acidose hiperclorémica. 30. 4000. dispepsia. 40%. • s COLESTIPOL Indicações: Dislipidemia.Vitória. 3 165$00 (105$50). 100. exantema. 40%. comp. 40%. 60. propranolol. 60. 30. 40%. • s GEMFIBROZIL V. 40%. Interacções: Gemfibrozil. 600. Interacções: Potenciação do efeito dos anticoagulantes orais e antidiabéticos orais. 1 746$00 (58$20). prolongamento do intervalo QT. Antihiperlipidémicos LIPO-MERZ RETARD Medinfar. flatulência.3. 30. 20. 40%. • 141 s FENOFIBRATO V. diarreia. vómitos. . propafenona. 500. 40%. 300. parestesias Taquicardia. 1 454$00 (72$70). 40%. disfunção hepática. 500. Contra-indicações e precauções: Cirrose biliar primária. 60. Reacções adversas: Sensação de desconforto abdominal. 2 379$00 (79$30). acção prolongada. LOPID 600 Warner-Lambert. QUANTALAN Bristol-Myers Squibb. Reacções adversas: Epigastralgias. LOPID 600 Warner-Lambert. acção prolongada. revestidos. fenotiazinas. 60. LOPID Warner-Lambert. Posologia: Via oral: 12 a 24 g/dia. 500.). cáps. cápsulas. náuseas. Interacções: Potenciação do efeito dos anticoagulantes orais. 40%. Reacções adversas: Cefaleias. 1 147$00 (57$40). fibratos. 20. cápsulas. 1 325$00 (22$10). 5000. prolongamento do intervalo QT. Posologia: Via oral: 250 mg/dia.

2.4. Pode ainda justificar-se em dadores crónicos de sangue e nos doentes submetidos a hemodiálise (nestes. transportam o ferro para locais distantes do intestino e originam uma absorção pobre. Nos doentes com défice de ferro são absorvidos até 60% de uma dose terapêutica. Sangue Sangue 4. o ferro dextrano. como as feridas da língua.3. que libertam de cada fracção unitária o ferro necessário para 24 h. administrados por via oral. embora pontualmente outros compostos sejam utilizados em anemias não deficitárias. Tendo ocorrido algumas reacções anafilácticas graves com as preparações parenterais de ferro. e as fissuras dos ângulos dos lábios. só devendo ser usadas se os benefícios potenciais ultrapassarem as desvantagens do custo adicional. Esta só ocasionalmente pode ser requerida em doentes com défice de ferro.1. os comprimidos de revestimento entérico e algumas preparações de libertação gradual. de forma rápida.2. sendo raras as situações em que se justifica uma terapêutica parenteral. recusa ou incapacidade de tomar medicação pela boca ou ainda quando é necessário repôr. de perdas anormais de sangue (incluindo a menstruação) ou de aumento das necessidades. Antianémicos As anemias que podem beneficiar da administração de fármacos são principalmente aquelas em que existe deficiência em ferro ou em factores necessários à síntese das nucleoproteínas que ocorre durante a divisão celular (vitamina B12 e ácido fólico). O ferro alivia também outros sintomas de défice. nos quais a via oral é impraticável ou ineficaz por intolerância. Antivitamínicos ou anticoagulantes orais 4. Os compostos de ferro usados no tratamento das anemias microcíticas e hipocrómicas ou ferripénicas são. A absorção ocorre ao longo de todo o tubo digestivo. mas é maior no duodeno e parte proximal do jejuno. Uma vez confirmado o diagnóstico de défice a causa deve ser identificada. a disfagia. na menorragia. a eritropoetina será mais adequada). nas crianças durante o surto de crescimento.1.4. situações em que originam sobrecarga e toxicidade. Antiagregantes plaquetares 4. Anticoagulantes 4. má absorção.3. só deve ser usado nos doentes onde exista uma indicação bem definida para terapêutica parentérica estabelecida por provas laboratoriais. A escolha do preparação terá como base. a forma parenteral de menor toxicidade.2. pelo que aqueles representam os compostos de escolha. Fármacos usados nas anemias megaloblásticas 4 4. após gastrectomia total ou subtotal. de redução da absorção ou utilização. como nos prematuros e nos recém-nascidos por cesariana.2. A rapidez de regeneração da hemoglobina é pouco afectada pelo tipo de sal utilizado desde que se administre uma quantidade de ferro suficiente. A administração de preparados de ferro é necessária na profilaxia e correcção das anomalias eritropoiéticas que são devidas ao défice de ferro. de um modo geral. Antianémicos 4. O uso profiláctico justifica-se durante a gravidez nas mulheres com alimentação deficitária. possibilitando uma toma única diária e baixa incidência de efeitos adversos. Outros fármacos usados nas anemias hipoplásticas.1. de um modo geral.1. Sangue . na puberdade e com o início da menstruação. Todavia. Os défices de ferro podem resultar da ingestão inadequada. Compostos de ferro 4.1. Hemostáticos a absorção pode ser reduzida em presença de alimentos ou de alguns fármacos e também diminui à medida que as reservas de ferro aumentam. doença gastrintestinal. hemolíticas e de causa renal.1.1. a incidência dos efeitos adversos e os custos. 4. nas crianças com baixo peso de nascimento. Heparinas 4.2. mas não estimula a eritropoese nem corrige as alterações da hemoglobina nas anemias de outra etiologia. as reservas de ferro. Os sais ferrosos são melhor absorvidos que os sais férricos. a distrofia das unhas e da pele.

1. podendo ocasionar náuseas. Assim: 200 mg de fumarato ferroso ou sulfato ferroso anidro correspondem a 65 mg de ferro elementar. Os preparados de ferro para uso oral têm propriedades adstringentes. Com o objectivo de melhorar a absorção. Deve acentuar-se. ao menor teor de ferro elementar do substituto. que a melhoria da situação se atribui. Compostos de ferro s SULFATO FERROSO Indicações: Anemias por défice de ferro. mas bastará 1 g de sulfato ferroso para causar a morte numa criança pequena. Em todos os casos a vantagem é mínima e o custo pode ser mais elevado. Não deve. é de 180-300 mg/Kg. Ver ainda Introdução. As preparações líquidas podem corar temporariamente o esmalte dentário. Quando administrados em doses elevadas. o uso do ferro é contraproducente. Capítulo 16). O ferro reduz a absorção de penicilinas. enquanto outros se apresentam sob a forma de quelatos.324 Capítulo 4 | 4. com excepção do ácido fólico na gravidez. Também os idosos. O aparecimento de efeitos adversos justificará muitas vezes a redução da dosagem ou a substituição de um sal de ferro por outro. ser usada em crianças com menos de 3 anos em que a mobilização do ferro pelo quelante é habitualmente pobre (V. Nos doentes com 4. a administração deverá continuar-se durante mais três meses na tentativa de suprir as reservas de ferro. Antianémicos sobrecarga crónica de ferro consecutiva a múltiplas transfusões usadas no tratamento da talassemia ou de outras anemias crónicas. que têm normalmente níveis séricos reduzidos de vitamina E. Em resposta à terapêutica a concentração de hemoglobina deve subir cerca de 100-200 mg por 100 ml por dia ou 2 g/100 ml em 3 a 4 semanas. A deferroxamina (mesilato) é um quelante de ferro que liga os iões férricos aos grupos 3-hidroxâmicos da molécula. que persistem durante alguns dias. os preparados de ferro podem causar hemólise e anemia hemolítica. A administração prolongada de grande quantidade de ferro pode causar hemossiderose. Deve evitar-se a medicação por períodos superiores a 6 meses. nos doentes que tomam o ferro por via oral e parentérica e naqueles que são portadores de hemoglobinopatias ou outras anemias refractárias. As preparações de libertação gradual agravam a diarreia nos pacientes com doença inflamatória crónica intestinal. A frequência e intensidade dos sintomas de intolerância gastrintestinal depende da quantidade de ferro elementar presente no preparado e ainda de factores psicológicos. os preparados de ferro podem exercer uma acção corrosiva na mucosa gastrintestinal. O conteúdo em ferro elementar dos diversos sais disponíveis em Portugal para a prevenção e tratamento do défice de ferro é variável. dor epigástrica. Na hemocromatose primária e nas anemias hemolíticas. diarreia e fezes escuras. pelo que a administrarem-se conjuntamente. a tetraciclina deverá ser tomada 3 h depois ou 2 h antes do preparado de ferro. calculada para o adulto.1. inclusivé com perfuração. Nos prematuros. no entanto.1. nas gravidezes repetidas ou nos doentes com hemorragias crónicas. Podem ser atenuados pela redução da dose de cada fracção e aumento do número de tomas durante alguns dias ou pela ingestão dos compostos após a refeição. A associação com vitaminas do complexo B não tem qualquer justificação. A sobredosagem aguda. pelo que se deve corrigir a deficiência vitamínica. em alguns destes casos. 300 mg de sulfato ferroso a 60 mg. A combinação dos efeitos corrosivos sobre a mucosa gastrintestinal com os efeitos metabólicos e hemodinâmicos causados pela presença excessiva de ferro é a responsável pela toxicidade. Numa anemia deficitária a dose diária de ferro elementar para um adulto deve ser de 100 a 200 mg (menor incidência de efeitos adversos pela menor quantidade de ferro libertado). excepto nas menorragias. obstipação. Uma vez atingido o valor normal da hemoglobina. sendo eficaz quando administrada precocemente no tratamento da intoxicação aguda. . a sua absorção é potenciada pelo ácido ascórbico na proporção de 200 mg deste para 30 mg de ferro elementar. utiliza-se para promover a excreção do ião. a menos que haja défice. Os compostos de ferro inibem a absorção oral das tetraciclinas e vice-versa. Diminuem também a absorção do ferro o cloranfenicol e os antiácidos. que é mais provável ocorrer quando se administram os preparados de ferro por via parenteral. os indivíduos com diverticulose ou com estenoses intestinais deverão ser objecto de uma vigilância cuidada pelo efeito obstipante dos compostos de ferro. alguns preparados de ferro para uso oral contêm ácido ascórbico e outros minerais. 300 mg de gluconato ferroso ou 100 mg de succinato ferroso comportam apenas 35 mg de ferro. contudo. a administração simultânea por via oral e parentérica não se recomenda. não deve administrar-se a doentes que recebem transfusões sanguíneas repetidas dada a quantidade de ferro contida na hemoglobina dos eritrócitos transfundidos.

60. 40%. Abbot. s FERRO + MUCOPROTEASE TARDYFERON Pierre Fabre. Abbot. • FERRO-FOLSAN Solvay Farma. 40%. amp. a trientina e o zinco. comp. reacções adversas. 40%. 971$00 (32$40). 30. 365$00 (7$30). ciprofloxacina. mastigáveis. 60. tetraciclinas. 40%.1. Abbot. FOLIFER Bialport. bebíveis. 20. 40%. 1 796$00 (29$90). • s FERRO + VITAMINAS PRAMET Lab. antes das refeições. acção prolongada. revestidos. FERRO FOL HAUSMANN Ferraz Lynce. 935$00 (15$60). comp. 40%. [Crianças] – 6 a 12 anos: 300-900 mg (35-105 mg de ferro por dia). 60. 300. 100 + associação. 20. 40%. comp. 40%. 30. 488$00 (16$30). 40%. comp. Posologia: [Profilaxia] – 200 mg (65 mg de ferro) 1 vez por dia [Terapêutica] – 200 mg (65 mg de ferro) 2-3 vezes por dia [Crianças] – (30 mg de ferro). contra-indicações. FERRO-GRADUMET Lab. acção prolongada. 525. 325 s FERRO + ÁCIDO FÓLICO Os preparados que contêm esta associação são usados para a prevenção dos défices em ferro e ácido fólico durante a gravidez e não devem usar-se para profilaxia das malformações do tubo neural em mulheres que planeiam uma gravidez. Basi. 1 056$00 (52$80). 60. sol. acção prolongada.35. 40%. nem para o tratamento das anemias megaloblásticas. • s FERRO + ÁCIDO FÓLICO + MUCOPROTEASE TARDYFERON-FOL Pierre Fabre. Abbot. 525 + + 0. • s GLUCONATO FERROSO Indicações. comp. amp. 90 + 1. acção prolongada.35.4. 80 + 0. 60. 40%. 738$00 (12$30). 841$00 (42$10). • s GLUCONATO FERROSO + VITAMINAS ANEMITAL Lab. 60. 100 + 0. revestidos. comp. 1 vez por dia. • s PREPARADOS DE LIBERTAÇÃO MODIFICADA FERRO-GRADUMET Lab. comp. bebíveis. comp. oral. HEMOTOTAL Euro-Labor. Posologia: [Profilaxia] – 600 mg (70 mg de ferro) em 2 fracções antes das refeições. 751$00 (12$50). revestidos. 90 + 1. precauções e interacções: Como para o sulfato ferroso. 100 + 0. 50 ml. 20.35. Posologia: Sulfato ferroso anidro: 500 mg (50 mg de ferro) + ácido fólico. Contra-indicações. 40%. levodopa e zinco. norfloxacina. ofloxacina. 1/2 comprimido por dia antes de uma refeição. 40%. FERRO FOL HAUSMANN Ferraz Lynce. comp. mastigáveis. (172 + 5) g. comp. 80 + 80. as tetraciclinas. 676$00 (37$60). FOLIFER Bialport. acção prolongada. O sais de ferro reduzem a absorção de bifosfonatos. comp. • s FERRO + VITAMINA PP FERROCUTID Labocor. [Terapêutica] – 1200 a 1800 mg (140-210 mg de ferro) em 3 fracções. 651$00 (32$60). Antianémicos Reacções adversas: As indicadas na Introdução. 40%. 298$00 (14$90).35 + + 80. 720$00 (12$00). 60 + + associação. 30 + 0. precauções e interacções: Reduzem a absorção do ferro administrado por via oral: o trissilicato de magnésio. FERROGRAD FÓLICO Lab. 20.85. 18. acção prolongada. 1 944$00 (32$40). • . 525.

2 634$00 (131$70). a sua captação hepática é maior e. injectável. são a cianocobalamina e a hidroxicobalamina. 100. 21 + associação. FERRUM HAUSMANN Ferraz Lynce. 1 973$00 (32$90). o défice em vitamina B12 origina lesões gastrintestinais e agressão neurológica que começa com a incapacidade de produzir mielina e é seguida pela degenerescência gradual do axónio e das células nervosas. A cianocobalamina e a hidroxicobalamina estão indicadas em doentes com malabsorção de vitamina B12. 5. ressecção ileal. anticonvulsivantes. 40. a intensidade de absorção da vitamina é inicialmente aumentada pela administração concorrente de factor intrínseco. A vitamina B12 ocorre no organismo sob as formas de metilcobalamina (mecobalamina). 100. FERRUM HAUSMANN Ferraz Lynce. 40%. Absorvida mais lentamente que a cianocobalamina a partir do local de injecção. comprimidos. em regra. nos défices hereditários de transcobalamina II. bem assim. Além da anemia. s FERRO + SAIS MINERAIS COBALTI Sterling. 20. Nas situações de urgência. 40%. Quando estão presentes anticorpos para o FI. por falta de factor intrínseco (FI) consecutiva a gastrite autoimune ou neoplasia invasiva das paredes do estômago. sendo fundamental estabelecer em cada caso qual a deficiência e a causa subjacente. neoplasias que envolvam o íleo. 40%. 40. bebíveis. 20. quando há malabsorção de vitamina B12 por competição por bactérias (sindroma de ansa cega). nos défices de ferro. e tornam-se refractários à terapêutica. a afinidade de ligação para as proteínas específicas no sangue e nos tecidos. a hidroxicobalamina oferece ainda a vantagem de. Fármacos usados nas anemias megaloblásticas A maior parte das anemias megaloblásticas são devidas a défice de vitamina B12 ou de folatos. 20. Além de condicionar um aumento mais duradoiro na concentração plasmática de vitamina B12. embora em condições normais se deva instituir o tratamento só quando estão disponíveis os resultados dos testes. na gastrectomia parcial ou total. 40. 100. 746$00 (24$90). 20. cada 3 meses. diminuição da secreção de FI por lesões que destroem a mucosa gástrica.1. • 4. 678$00 (135$60). considerada a preparação de escolha. em terapêutica de manutenção. As formas de síntese desta vitamina.326 Capítulo 4 | 4. 50. necessitar apenas de 1 injecção. 40%. embora a progressão das lesões seja imediatamente suspensa. amp. FERRUM HAUSMANN Ferraz Lynce. 0%.2. cápsulas. A hidroxicobalamina é. Antianémicos -15 µg). enteropatia induzida pelo gluten). amp. Todavia. Em doentes com anemia perniciosa. com actividade equivalente. 60. 3 436$00 (171$80). mecanismo que se torna importante apenas na presença de quantidades muito maiores de vitamina B12 (cerca de 1 mg) do que as presentes na dieta normal (5- . 20. amp. 867$00 (43$40). 1 298$00 (64$90). A absorção de vitamina B12 administrada por via oral está diminuída nas lesões estruturais ou funcionais do estômago ou íleo. 30. conduzindo a malabsorção de vitamina B12. por administração de fármacos (aminoglicosídeos. 40%. • s FERRO FÉRRICO (FE III) DODEPAR FERRO Pierre Fabre. sol. bebíveis. oral. FETRIVAL Probios. 2 935$00 (146$80). comprimidos. 40%. gastrenterostomia. enterite regional. entre outras. A causa mais comum de anemia megaloblástica é a anemia perniciosa. adenosilcobalamina (cobamamida) e hidroxicobalamina. o grau de melhoria dos sintomas neurológicos depende da duração e gravidade das lesões.1. O mecanismo de transporte do FI é saturável pelo que quantidades adicionais de vitamina B12 são absorvidas por difusão passiva através da parede intestinal. 40%. ácido aminossalicílico e seus sais) ou ingestão excessiva de álcool. com ele se obtendo níveis bastante mais prolongados de vitamina B12. cerca de 50% dos doentes tratados com esta associação desenvolvem anticorpos intestinais a alguma fracção do FI. FERRUM HAUSMANN Ferraz Lynce. O gel oleoso de cianocobalamina e monoestearato de alumínio representa uma forma de absorção retardada. sempre que a demora se torna perigosa. sol. A administração parentérica de vitamina B12 reverte completamente a anemia megaloblástica e os sintomas gastrintestinais. como o esprue tropical ou não tropical (esteatorreia idiopática. dever-se-ão administrar ambos os factores após o teste à medula óssea e enquanto se esperam os resultados do plasma. bebíveis. FERRITIN OTI Pierre Fabre.

a menos que seja administrado em associação à vitamina B12. Em doses elevadas pode. A dosagem inicial de hidroxicobalamina é de 1 mg i. cimetidina. 60. da ordem de 50-100 µg. poderá ocasionalmente ser causa de reacções alérgicas quando usado por via parentérica. Tem poucas indicações para uso a longo prazo. 40%. Na criança até um ano é de 500 µg/Kg/dia e. O ácido fólico é um precursor de uma coenzima. não se recomenda o seu uso. s COBALAMINA Indicações: Tratamento da anemia perniciosa e outros estados deficitários em vitamina B12. Administra-se por via oral 24 h após o metotrexato em dose dependente da deste.4. porém. terapêutica com metotrexato. Está indicado nas anemias macrocíticas nutricionais. sendo então desejável a terapêutica combinada. A remissão dos sintomas poderá ser proporcionada pela administração oral de 5 mg diários durante 4 meses. mas sem sintomas neurológicos.m. Interacções: A absorção da vitamina B12 no intestino pode ser reduzida por ácido aminossalicílico. nos sindromas de mal absorção. nos estados graves de malabsorção podem ser necessários até 15 mg diários. aminoglicosídeos. colestiramina. o ácido tetrahidrofólico. Os níveis séricos são diminuídos pelos contraceptivos hormonais. 1 056$00 (17$60). todavia. acima de um ano. na gravidez. COBAXID Tecnifar. cloranfenicol.1. Antianémicos a absorção de vitamina B12 está diminuída e é necessário administrar por via parentérica uma das duas formas sintéticas de vitamina. A cianocobalamina ou hidroxicobalamina são ainda úteis para prevenir as deficiências em vitamina B12 nos vegetarianos estritos e nos filhos destas mulheres amamentados ao seio. destinadas a administração oral. em conjunção com a cianocobalamina-C057 são também usadas no teste de Schilling para estudar a absorção da vitamina B12. Posologia: [Na ausência de lesões neurológicas]: 250 a 1000 µg IM em dias alternados durante 1 a 2 semanas. trimetoprim. O diagnóstico é. 327 A deficiência em folatos ocorre na sequência de uma alimentação pobre. As necessidades diárias. Reacções adversas: Podem ocorrer raramente reacções alérgicas. 1. estados hemolíticos crónicos. Quando usado em associação com o fluoruracilo no cancro do colon metastizado. . Uma anemia megaloblástica associada a sindromas de malabsorção resulta de deficiência em folatos. Contra-indicações e precauções: Não deve ser administrada a doentes antes da confirmação do diagnóstico e não deve ser usada para tratar a anemia megaloblástica da gravidez. em muitos casos. Não deve. em regra associado a vitaminas e/ou sais minerais e. ser usado de forma isolada numa anemia megaloblástica de causa não identificada.. sais de potássio e metildopa. o doente pode ser também deficitário em vitamina B12. uma vez por mês. alcoolismo. Instituir-se-á depois a terapêutica de manutenção: 1000 µg. mas não devem ser administradas antes de definido o diagnóstico. que intervém no primeiro estadio da síntese dos ácidos nucleicos e na maturação dos eritrócitos. em regra. O ácido folínico ou leucovorina é usado para contrariar a acção antagonista do ácido fólico exercida pelo metotrexato e possibilitar uma recuperação mais rápida da supressão medular e das lesões das mucosas. depois 0. observa-se uma resposta clínica mais favorável. a dose é idêntica à do adulto. colquicina. na gravidez (para prevenção dos defeitos do tubo neural). confirmado pela medida de folato no plasma. O défice pode conduzir a uma anemia megaloblástica. A sua acção está ligada à da vitamina C que estimula a formação de ácido folínico e à de vitamina B12. Existem ainda preparações várias contendo extracto hepático. cápsulas. [Manutenção]: 1000 µg cada mês. podem estar aumentadas nas grávidas e mulheres que amamentam. Bem tolerado por via oral. durante o resto da vida. terapêutica com antiepilépticos. com glossite e outros sinais análogos aos de falta de vitamina B12. repetida 5 vezes a intervalos de 2 a 3 dias para reabastecer os depósitos do organismo. contraceptivos hormonais ou uso crónico de antiepilépticos. A cianocobalamina e a hidroxicobalamina não são tóxicas mesmo em doses elevadas.250 mg por semana até normalização das células sanguíneas. reduzir a eficácia dos antiepilépticos por competição para o mesmo transportador durante a absorção. metotrexato e trimetoprim. anticonvulsivantes. todavia. indispensável ao metabolismo das purinas e pirimidinas. Se há lesões neurológicas: 1000 µg em dias alternados até melhoria. contraceptivos. porque pode precipitar a neuropatia. biguanidas. [Profilaxia] – 250 a 1000 µg IM cada mês. na ausência de qualquer evidência da sua utilidade terapêutica.

Antianémicos JABA B12 JABA Farmacêutica. 40%. Prevenção de deficiência em ácido fólico: [Adulto] – 0. 40%. OH B12 JABA Farmacêutica. Reduz ocasionalmente os níveis plasmáticos de fenitoína. precauções e interacções: Não administrar de forma isolada na anemia perniciosa e outras situações de défice de vitamina B12 porque pode desencadear a degenerescência da medula espinal. cápsulas. Esfar. 40%. 768$00 (38$40). JABA B12 JABA Farmacêutica. JABA B12 JABA Farmacêutica. 5. 10 000 µg.5 Kg ou < 36 semanas: 0. [Crianças] – A mesma dose que o adulto. 1 028$00 (171$30). 1 947$00 (324$50). 1 005$00 (167$50). sol. • s HIDROXICOBALAMINA Indicações: Ver cobalamina. 1. injectável. 15. • s HEMATOPORFIRINA + CIANOCOBALAMINA + GLICINA ACTIVAROL Lab. 6. 40%. Oral: [Criança] – até 1 ano 0.1 mg/dia. injectável. 40%. injectável. sol. em 1 só toma. 40%. manutenção 5 mg cada 1 a 7 dias. 1. injectável. COBAXID Tecnifar. 10. depois 1000 µg cada 3 meses. 5. a dose de manutenção é de 250 µg por semana até normalização das células sanguíneas. 30. 1. FOLICIL Bialport. 40%. Mais de 1 ano: 0. 710$00 (177$50). 4. 6. 2. Reacções adversas.8 mg para grávidas. injectável. comprimidos. • s CIANOCOBALAMINA BEDOZE 10. 489$00 (24$50). [Criança] – < 2. pó sol. Posologia: Oral: [Adulto] – Inicialmente 5 mg por dia durante 4 meses. OH B12 JABA Farmacêutica. injectável. sol. sol. comprimidos. contra-indicações. 40%. Não usar nas doenças malignas porque alguns tumores são dependentes de folatos. 40%. injectável. 20. 10. 416$00 (27$70). sol. 1 121$00 (56$10). sol. PERMADOZE Dumex-Alpharma. injectável.). 6. 1 048$00 (174$70). NOVOBEDOUZE 10000 Neo-Farmacêutica. 40%.000 Merck. 0. sol. 40%. 10.4 mg/dia. Reacções adversas. injectável. 4.006 + 10 µg + + 0. [Se há lesões neurológicas] – 1000 µg em dias alternados até ocorrer melhoria.1.328 Capítulo 4 | 4. contra-indicações e precauções e interacções: Ver cobalamina. sol. 6. 2 850$00 (475$00). 1 609$00 (26$80). pó (cart. 40%. Azevedos. sol. 40%. injectável. [Profilaxia após gastrectomia ou outra patologia de que resulte défice] – 250 a 1000 µg IM cada 3 meses. 1 320$00 (220$00).25 mg/dia. 25. 40%.25-1 mg/dia. • COBAXID Tecnifar. sol. 1. Posologia: [Se não há envolvimento neurológico] – de início: 250 µg -1000 µg IM repetido 5 vezes a intervalos de 2-3 dias. 20. 1 116$00. 60. 1 072$00 (178$70). ERITRO B12 Alter. Portuguesa de Higiene. 6. PERMADOZE Dumex-Alpharma. 20. 40%. 0. • s ÁCIDO FÓLICO Indicações: Ver introdução. comprimidos. PERMADOZE ORAL Dumex-Alpharma. 5. COBAXID Tecnifar. dependendo da doença subjacente. amp. 1 170$00 (39$00). 1 305$00 (217$50). . 10. 20. MADE B12 Lab. injectável. 6. 720$00 (180$00). 40%. 1. bebíveis. sol. s MECOBALAMINA ALGOBAZ Comp.50. injectável. 3 975$00 (795$00). 40%. 10.5. 40%. 6. 5. 6.

Contra-indicações. injectável. 1 049$00. 10. De notar que o baixo número de plaquetas existente na anemia aplástica contra-indica o uso do decanoato de nandrolona por via IM.5 e 2. • 329 subida da hemoglobina superior a 2 g/100 ml/mês até um valor estável de 10-12 g/100 ml no adulto e 9. cuja actividade é consecutiva à sua ligação à antitrombina III. os esteróides anabolizantes e a piridoxina ocupam um lugar de relevo.5 g/100 ml na criança. Em consequência da inibição da trombina. 1. 20. • s ÁCIDO FOLÍNICO Indicações: Ver nota anterior.1. Antianémicos FOLICIL Bialport. Outros fármacos usados nas anemias hemolíticas. em regra.1. hipercaliémia. O ritmo de administração IV. têm pesos moleculares entre 2000 e 5000 D e são heterogéneos em termos de actividade biológica. VIII. Posologia: Como antídoto do metotrexato: 120 mg em 4-6 fracções durante 12-24 h por via IM. hipoplásticas e de causa renal A informação seguinte deverá ser cruzada com a contida nos capítulos Hormonas e medicamentos usados no tratamento das doenças endócrinas (V. oral. Reacções adversas. sol. contra-indicações e precauções e interacções: Ver capítulo referente a hormonas. ainda Capítulo 8. sol. Algumas moléculas têm apenas actividade anti-Xa e outras possuem actividade anti-Xa e anti-IIa. Os corticosteróides são particularmente úteis nas anemias hemolíticas autoimunes e nas reacções transfusionais. Os derivados de heparina.5 vezes o valor dos controlos. 25. subida da ureia e dos fosfatos sanguíneos. Evitar a administração simultânea do metotrexato. Posologia: 50-100 mg IM cada 2-3 semanas. precauções e interacções: Não usar para o tratamento das anemias megaloblásticas. 40%. 0. Capítulo 11).4. em muitos casos. Dos esteróides anabolizantes é a nandrolona (decanoato) o fármaco mais utilizado no adulto e na criança. Apresenta duas formas. a epoietina alfa e beta que podem ser usadas indiferentemente. Induz uma subida de pressão arterial na dependência da dose.1. seguidos de 12-15 mg IV ou 15 mg oral cada 6 h nas 48-72 h seguintes. A epoetina (a eritropoietina humana recombinante) é usada na anemia da insuficiência renal crónica que está associada a um défice de eritropoietina.2. Hiperdosagem de metotrexato: administrar uma dose idêntica ou superior. 50. Anticoagulantes 4.51 + associação. V. Capítulo 8) e Vitaminas e Sais minerais (V. Esta forma de heparina é pouco eficaz na inibição de trombina 4. 1 713$00 (34$30). A heparina não fraccionada quando administrada por via IV tem uma semi-vida dependente da dose que não ultrapassa. sol. sendo o mais usado o tempo de tromboplastina parcial activada (APTT) que deve ser mantido entre 1. 40%. a terapêutica com heparina IV não satisfaz. 1 351$00 (67$60). 40%. Reacções adversas: Raramente febre após uso parenteral. 30 minutos. DECA-DURABOLIN Organon Portuguesa. designados por heparinas de baixo peso molecular e obtidos por vários métodos. O intervalo de tempo até se atingirem níveis terapêuticos estáveis pode ser considerável e. 50. a heparina inibe a activação dos factores V. • s FOLINATO DE CÁLCIO + VITAMINAS DODEPAR Pierre Fabre. e pode ser causa de reacções cutâneas. anafilaxia. O uso de doses terapêuticas obriga ao controlo dos parâmetros da coagulação. • s NANDROLONA Indicações: Anemia aplástica. comprimidos.3. IX e XI. 781$00. incluindo despolimerização química ou enzimática com ou sem purificação cromatográfica. o que potencia a inibição de vários factores activados de que o Xa e o IIa são os mais importantes. 1. DECA-DURABOLIN Organon Portuguesa. Prefere-se um anabolizante de administração oral. 40%. não deverá proporcionar uma . 4. injectável. Heparinas A heparina é um anticoagulante de acção imediata.2. IV ou infusão. edema palpebral e enfarte do miocárdio. Na terapêutica das anemias hemolíticas e hipoplásticas. sendo de menor valor nas anemias aplásticas. os corticosteróides. convulsões.

no embolismo pulmonar e como adjuvante da terapêutica fibrinolítica. Posologia: Doses de 5. O seu efeito só é parcialmente revertido pelo sulfato de protamina. enoxaparina.000 U durante 24 h após uma dose de carga de 5.000 a 40. • s HEPARINA CÁLCICA Indicações reacções adversas. contra-indicações e precauções e interacções: Ver introdução. Por via subcutânea. injectável. baseadas no peso. sem substituição por uma anticoagulação oral adequada. Usa-se ainda como um precursor da terapêutica anticoagulante oral e para prevenir a coagulação durante a hemodiálise e outros procedimentos da circulação extracorporal. por períodos longos. É também usada para prevenir a coagulação do sangue para transfusões ou de amostras de sangue para doseamentos diversos. sem controlo de APTT. pelo que têm sido usadas durante a gravidez. Nas hemorragias o efeito da heparina pode ser revertido rapidamente pela infusão IV lenta de sulfato de protamina. efeitos irritantes no local de injecção e osteoporose. As reacções adversas são idênticas às da heparina – hemorragia. A hemorragia constitui a principal reacção adversa da heparina.000 cada 2 h. a dose é de 20. uma proteina básica isolada do esperma de peixes. 480$00.2.000 U/dia em fracções. ou quando a terapêutica fibrinolítica liberta a trombina dos coágulos. s HEPARINA SÓDICA Indicações: Ver introdução. A heparina cálcica só se administra por via SC. Anticoagulantes Todas apresentam uma absorção mais uniforme e melhor biodisponibilidade que a heparina clássica. A protamina pode raramente ocasionar reacções anafilácticas em doentes com diabetes mellitus que receberam insulina protamina zinco. 70%. e o uso de doses fixas. Precauções. por isso. As heparinas de baixo peso molecular (dalteparina. contra-indicações e interacções: Ver introdução. Nas crianças usar-se-á uma dose inicial de 50 U/Kg de peso por via IV seguidas de 100 U/Kg cada 4 h. trombocitopenia e osteoporose – mas menos frequentes. Não atravessam a barreira placentar. ligada aos coágulos. injectável. sol. mas têm uma eficácia mais limitada na profilaxia da trombose proximal em cirurgia ortopédica.000 U. A heparina não atravessa a placenta e não é teratogénica. este último surgindo quando a heparina é usada em doses altas. 650$00 (325$00).330 Capítulo 4 | 4.000 a 10. o que pode conduzir à reactivação da trombose quando se interrompe a terapêutica. pode estar relacionada com a dose e ser mediada por efeito directo sobre as plaquetas. HEPARINA DAKOTA Sanofi Winthrop. nadroparina) são fragmentos de heparina que podem ser tão eficazes como a heparina não fraccionada na profilaxia do tromboembolismo pós-operatório ou nos doentes com acidente vascular cerebral. o que se traduz num tratamento bem sucedido da trombose venosa aguda com uma ou duas doses diárias subcutâneas. com vantagens económicas. Um efeito colateral importante da heparina é a trombocitopenia imune que pode complicar-se de trombose arterial. constituem um avanço na terapêutica anticoagulante aguda com um mesmo grau de eficácia que a heparina não fraccionada e uma administração mais simples e fácil. usar-se a heparina com extrema prudência nos doentes com riscos hemorrágicos. CALCIPARINA SUBCUTÂNEA Dakota Farma. A semi-vida muito mais longa ajuda a libertar desta monitorização constante. gangrena e perda de membros. Reacções adversas: Ver introdução. 5000 UI. 1. Pode ser administrada sob a forma de um sal sódico ou de cálcio. infusão contínua ou SC.000 unidades cada 4 h ou por infusão contínua de 20. A heparina administra-se por via parentérica para tratamento e profilaxia das afecções tromboembólicas. Deve. 2 seringas.000 a 40. As fracções de diferentes pesos moleculares têm propriedades funcionais distintas e não existe equivalência entre os vários preparados no que respeita a dosagem. As doses subcutâneas usadas na profilaxia são de 5. 70%. A heparina sódica é solúvel e pode ser administrada por via IV. As heparinas fraccionadas administram-se por via parentérica para tratamento e profilaxia das alterações tromboembólicas em cirurgia abdominal. sol. o que permite atingir facilmente níveis previsíveis de heparina com injecções subcutâneas de doses altas. reciparina. 25000 UI/ /5ml. . Outros efeitos colaterais incluem reacções de hipersensibilidade. A quantidade a usar deve ser de 1 mg de protamina por 100 UI de heparina (até 50 mg durante 10 min). cada 6 a 12 h. antes da cirurgia e depois cada 8 ou 12 h durante cerca de 10 dias.

contra-indicações e precauções e interacções: Ver Dalteparina. mas com prudência. sol. injectável. Interacções: Pode ser usada em associação com o ácido acetilsalicílico e outros anti-inflamatórios não esteróides. seguidos de 2500 UI/dia. FRAGMIN Pharmacia & Upjohn. injectável. 6 510 UI. FRAXIPARINA Sanofi Winthrop. injectável. em regra. 1 220$00 (610$00). 746$00 (373$00). Risco elevado de hemorragia: 100 UI/Kg. Posologia: [Terapêutica]: 200 UI/Kg de peso/dia SC. sol. sol. necrose cutânea e reacções alérgicas. injectável. 1 083$00 (541$50). FRAXIPARINA Sanofi Winthrop. Contra-indicações e precauções: Úlcera gastroduodenal. 7500 UI. prevenção das complicações tromboembólicas da cirurgia. sol. 6 seringas. [Insuficiência renal] – hemodiálise de 4 h – 5000 UI IV. sol. reacções adversas. Não usar durante a gravidez. 40%. 2 seringas. 10 seringas. 70%. 2500 UI. sol. sol. 70%. 3 075 UI. 2 439$00 (1219$50). 7-10 dias de acordo com o risco de tromboembolismo durante a cirurgia. injectável. 40. injectável. 2 vezes por dia. CALCIPARINA SUBCUTÂNEA Dakota Farma. hemodiálide de duração superior a 4 h – 30-40 UI/Kg IV seguida de 15 UI/Kg/hora. 7-10 dias. injectável. 70%. contra-indicações e precauções e interacções: Ver Dalteparina. contagem das plaquetas antes do tratamento e depois duas vezes por semana. 1 018$00 (509$00). reacções adversas. Não administrar por via IM.000 UI/dia. 3 191$00 (1 595$50). injectável. 2 seringas. Em caso de sobredosagem usar protamina: 1 mg de protamina inibe o efeito de 100 UI (anti-Xa) de dalteparina. injectável. SC. na insuficiência renal e hepática graves. 20. prevenção da coagulação durante a hemodiálise e hemofiltração. os antagonistas da vitamina K e dextrano. sol. injectável. sol. 7 500 UI. injectável.2. 10 dias. Reacções adversas: Hematomas nos locais de injecção. [Profilaxia] – 2500 UI SC. 10 seringas. trombocipenia. Pode iniciar-se de imediato a terapêutica anticoagulante ou combinada que deve durar. 865$00 (432$50). 70%. Contra-indicações e precauções: Ver Dalteparina. 10 213$00 (1 021$30). 2 seringas. 70%. 5 023$00 (837$20). 20. endocardite séptica. 5 dias. FRAGMIN Pharmacia & Upjohn. 5 209$00 (520$90). hemorragia cerebral. SC. 2 seringas. Não exceder 18. 1 vez/dia. sol. LOVENOX Rhone Poulenc. Posologia: 20-40 mg (2000 U). Interacções: O efeito é reforçado pelo uso concomitante de ácido acetilsalicílico ou outro anti-inflamatório não esteróide. 70%. 20 000 UI. Máx: 61. até completa mobilização do doente (5-7 dias). 2 seringas. Usar de cautela na trombocitopenia. 1-2 h antes da intervenção cirúrgica. 2 seringas. 70%. dextrano e antivitamínicos K. • s REVIPARINA Indicações. com antiagregantes plaquetares. sol. 70%. 2 556$00 (426$00). Posologia: 3075 UI anti-Xa/dia. 5000 UI. • s DALTEPARINA SÓDICA Indicações: Trombose venosa profunda em fase aguda.5 UI/Kg/dia ou 100 UI/Kg cada 12 h. pela potenciação de efeitos. CALCIPARINA SUBCUTÂNEA Dakota Farma. 6 seringas. LOVENOX Rhone Poulenc. diáteses hemorrágicas. FRAXIPARINA Sanofi Winthrop. • HEPARINA DE BAIXO PESO MOLECULAR: 331 s ENOXAPARINA Indicações. . • s NADROPARINA DE CÁLCIO Indicações e reacções adversas: Ver Dalteparina: profilaxia da doença tromboembólica venosa. injectável. Anticoagulantes CALCIPARINA SUBCUTÂNEA Dakota Farma. retinopatia diabética.4. 2 seringas. 70%. LOVENOX Rhone Poulenc. 2 seringas. 40%. 12 500 UI. 70%. 1 970$00 (985$00). sol. 40. LOVENOX Rhone Poulenc.

O fármaco de escolha é a varfarina. quer do prolongamento exagerado do tempo de protrombina ou da presença de lesões ocultas. a heparina é o anticoagulante de escolha quando se necessita um efeito imediato. por interferirem com a acção da vitamina K. Os derivados cumarínicos devem ser usados com prudência sempre que coexistem com a indicação terapêutica. 5 seringas. na fibrilhação auricular. alopécia. o acenocumarol. Em contraste com a heparina não possuem efeito anticoagulante in vitro. injectável. prótese valvular e no enfarte agudo do miocárdio. na diátese hemorrágica e nos casos de não adesão à terapêutica. vómitos. Os efeitos adversos mais comuns dos anticoagulantes são as hemorragias com tradução clínica diversificada. Outros efeitos adversos incluem a necrose e/ou gangrena de pele e outros tecidos que pode surgir 2-10 dias após o início da terapêutica. o que só acontece 2-7 dias após o início da terapêutica oral. 1 750 UI. bem como dermatite. mas pode prolongar a duração de acção após a interrupção dos fármacos. 70%. O aparecimento destes efeitos implica a suspensão do fármaco e a sua substituição por heparina. . infecções graves. o efeito antitrombogénico dos derivados da cumarina só ocorre quando as concentrações funcionais dos factores II. utilizam-se ainda no embolismo associado com doença da válvula mitral. Os outros anticoagulantes orais – o dicumarol. a terapêutica anticoagulante oral. urticária. oclusão arterial periférica e endocardite bacteriana. IX e X da coagulação. 2 700$00 (540$00). Como afectam a síntese de factores da coagulação que estão envolvidos na coagulação extrínseca e intrínseca. utilizando-se os derivados cumarínicos para manutenção do tratamento quando está indicada uma acção anticoagulante de longa duração. Anti-vitamínicos K ou anticoagulantes orais Os anticoagulantes orais derivados da 4-hidroxicumarina (dicumarol e varfarina sódica) e da indano-1. a vitamina K1 ou fitomenadiona reverte o efeito dos derivados da cumarina na síntese hepática daqueles factores da coagulação. biscumacetato de etilo e os derivados da indanodiona utilizam-se com menos frequência.332 Capítulo 4 | 4. Náuseas. continuando os dois fármacos a sobrepor-se durante um curto período de tempo. é inadequada para o controlo inicial. doença cerebrovascular. os que vão ser submetidos a cirurgia complicada ou os que requerem imobilização prolongada (ex: idoso após cirurgia ortopédica). Sol. [Cirurgia ortopédica] – 500 UI/Kg/dia. Os factores que afectam o controlo anticoagulante incluem o nível de vitamina C. mas não está correlacionado com o efeito antitrombogénico máximo. Deve recordarse que o prolongamento do tempo de protrombina reflecte a depressão das concentrações plasmáticas funcionais do factor VII. O recurso a doses de derivados cumarínicos superiores às necessárias para afectar a síntese dos factores IX e X não encurta o início do efeito. as dife- Posologia: 1750-3500 UI/dia. As hemorragias maciças resultam. Estes anticoagulantes não possuem efeito directo sobre os trombos já estabelecidos e não interferem na patogénese de um trombo arterial que resulte da interacção das plaquetas com um vaso anormal. prolongam o tempo de protrombina (TP). por si só. CLIVARIN Knoll Lusitana. Anticoagulantes Os derivados da cumarina usam-se no tratamento da trombose venosa profunda e embolismo pulmonar e na prevenção destas condições em doentes de alto risco. • 4. úlceras da boca e leucopenia. além de um risco acrescentado de hemorragia ou necrose. Como os efeitos destes fármacos são retardados. mesmo quando o tempo de protrombina está dentro do limiar terapêutico. aumentam ainda o tempo parcial de tromboplastina activada (ATPT) que mede a integridade do sistema intrínseco. Em dosagem adequada.2. tais como os doentes com uma história de tromboembolismo. a cor arroxeada das faces plantares e laterais dos dedos dos pés e reacções de hipersensibilidade. o estado de funcionamento da tiróide e do rim. (anti-Xa) SC 7-10 dias. Estão contra-indicados durante o primeiro trimestre e nas últimas semanas de gravidez (pelo risco de hemorragia fetal ou placentar). IX e X estão suficientemente diminuídas. Na maioria dos casos a heparina e os anticoagulantes orais devem iniciar-se simultaneamente. dependente da sua localização. anorexia e cãimbras abdominais têm sido referidas ocasionalmente.3-diona (anisindiona) são anticoagulantes de acção indirecta que alteram a síntese hepática dos factores II.2. que avalia a integridade do sistema extrínseco e é utilizado para o controlo do efeito anticoagulante. quer de dosagem excessiva. Em termos práticos. Os efeitos destes fármacos só se tornam aparentes após a deplecção plasmática dos factores da coagulação atrás indicados. e que vão desde uma equimose mínima a grandes episódios hemorrágicos que podem ser causa de morte. VII. Os anticoagulantes orais atravessam a placenta e são teratogénicos.2.

• 4. As interacções decorrem do aumento (ex: carbamazepina) ou diminuição (ex: cimetidina) do metabolismo do anticoagulante.3. 2º dia – 4 a 8 mg. mais recentemente avaliado em INR (Relação Internacional Normalizada – é a relação entre o TP do doente e um valor controlo que foi obtido de forma padronizada. estabilizado ao fim de 5 a 7 dias. na trombose venosa profunda. 511$00 (25$60). o nível útil. Podem ainda surgir ocasionalmente necrose cutânea. A medida do TP é utilizada para monitorizar o efeito da terapêutica com varfarina. por inibirem a agregação das plaquetas. antihormonas. A dose usual no adulto é de 5-10 mg nos primeiros 2-4 dias. Antiagregantes plaquetares renças de biodisponibilidade entre os vários preparados e as interacções medicamentosas. do aumento do risco da hemorragia por acção antiagregante plaquetar (ex: ácido acetilsalicílico). A dose de manutenção é variável e depende do tempo de protrombina. o TP é determinado diariamente até se atingir e manter. [Dose de manutenção] – 3 a 9 mg/dia. úlcera péptica. A hemorragia ligeira pode controlar-se com vitamina K por via oral na dose de 2 a 20 mg/dia. durante 1 a 2 semanas. O ácido acetilsalicílico é o fármaco de escolha para um tratamento de longa duração. próteses valvulares mecânicas e em doentes com anticorpos antifosfolipídicos. 4. precauções e interacções: A varfarina é um teratogéneo reconhecido. VARFINE Instituto Luso-Fármaco. [Dose de manutenção] – 1 a 8 mg dependendo da resposta. pelo menos em 2 dias consecutivos. devendo-se atingir um efeito anticoagulante. uma vez iniciada a terapêutica. comprimidos. por potenciação da acção anticoagulante (anti-inflamatórios não esteróides. à mesma hora. • s VARFARINA Indicações: Profilaxia e tratamento das afecções tromboembólicas venosas e pulmonares. alterações cerebrovasculares. recomenda-se que o valor do INR se situe entre 2.3. deverá ser efectuada antes do início da terapêutica para avaliar o risco hemorrágico de cada doente. anti-arrítmicos e outros). Reacções adversas: hemorragias de qualquer orgão com anemia consecutiva.4. SINTRON Novartis Farma. 60. Posologia: Administração oral. após o que a avaliação será de 1 ou 2 vezes por semana e a manter-se estável. 10 mg/dia. causando embriopatia característica. demora várias horas a actuar.5-3. depois a medida deve ser efectuada 2 a 3 vezes por semana. injectar-se-ao 0. que. 70%. As alterações da dosagem devem ser acompanhadas de um controlo regular da coagulação (TP ou INR) e do estado clínico. um limite de 2. 2 dias. Não deve ser administrada a doentes com diáteses hemorrágicas. As interacções são frequentes com este fármaco e ocorrem por mecanismos diversos. tabaco. cor arroxeada dos dedos dos pés.0 e 3. 333 [Dose inicial] – 1º dia – 8 a 12 mg. As hemorragias podem ocorrer não obstante os valores normais do INR. Deverão constituir objecto de vigilância particular os consumidores de álcool. Posologia: A administração deve ser feita sempre à mesma hora do dia. Se a hemorragia não é grave. Ao bloquear de forma duradoira a formação do trombo- s ACENOCUMAROL Indicações: Como para a varfarina sódica. Para a profilaxia da trombose venosa e cirurgia de alto risco. analgésicos e de anti-inflamatórios não esteróides. na sequência de uma disfunção do endotélio.5 é recomendado na profilaxia da cirurgia do colo do fémur. endocardite bacteriana. recorda-se. seguida de 4 a 5 mg por dia. insuficiência renal ou hepática ou hipertensão grave.0. Reacções adversas. a intervalos de 4 a 8 semanas. em dose única. O aparecimento de uma hemorragia grave deve levar à suspensão da varfarina durante 1 ou 2 dias e à administração de 5 mg de vitamina K1 por via venosa lenta e um concentrado de factores II. contra-indicações e precauções: Como para a varfarina sódica. . IX e X na base de 50 unidades de factor IX/Kg de peso ou de plasma fresco. além da suspensão. comprimidos. 20. náuseas e diarreia. aumento da frequência de abortos e nado-mortos e de hemorragias fetais. [Dose inicial] – oral. Antiagregantes plaquetares Os antagonistas das funções plaquetares têm sido largamente utilizados para prevenir oclusões trombo-embólicas arteriais agudas e doenças cardiovasculares. Contra-indicações. 729$00 (12$20). 70%.5 a 2 mg de vitamina K1. 5. alopécia. utilizando uma tromboplastina da OMS).

3. comprimidos. 60. 420$00 (14$00). IBUSTRIN Pharmacia & Upjohn. Posologia: 200 mg/dia. • s TICLOPIDINA (CLORIDRATO) Indicações: Profilaxia dos complicações tromboembólicas em indivíduos com doença aterosclerótica. 40%. incluindo claudicação intermitente. ASP 200 Laquifa. com os corticosteróides aumenta-se o risco de hemorragia gastrintestinal e ulceração. SULFINONA Lab. Posologia: Oral. acidente vascular cerebral. 100. precauções e interacções. 20. 3 201$00 (53$40). s DITAZOL Indicações. 400. 20. Tem indicação terapêutica semelhante à do ácido acetilsalicílico mas poderá ser superior na prevenção do acidente vascular cerebral isquémico e na oclusão arterial periférica. contra-indicações: Como para o ácido acetilsalicílico. 40%. ASP 100 Laquifa. 200. 1 704$00 (34$10). • xano A2. 215$00 (10$80). 70%. comprimidos. cápsulas. 100. pelo que não devem ser usados em simultâneo com qualquer fármaco deste grupo. acidentalmente neutropenia e trombocitopenia. hemorragias náuseas e diarreia. 200. 200. 291$00 (4$90). Basi. Posologia: 200 mg/dia. em doses mais elevadas inibiria também a formação de prostaciclina e aumentaria a toxicidade. FENDAZOL L. Antiagregantes plaquetares ASPEGIC Synthelabo Farmacêutica. 60. 20. 28. 70%. As reacções adversas destes fármacos incluem equimoses. 668$00 (11$10). • s INDOBUFENO s ÁCIDO ACETILSALICÍLICO Indicações: Profilaxia do tromboembolismo arterial (enfarte do miocárdio. . 268$00 (13$40). ASPIRINA Bayer Portugal. comprimidos. cápsulas. precauções e interacções. CARTIA Inst. Precauções: Asma. Posologia: 100 a 250 mg/dia. comprimidos. isquémia transitória) e angina instável. ASP 200 Laquifa. • s SULFIMPIRAZONA Indicações. reacções adversas. 70%. hipertensão não controlada. 100. comprimidos. Interacções: Evitar a associação com outros anti-inflamatórios não esteróides. reduz a excreção do metotrexato. Potencia o efeito da fenitoína e do valproato. comprimidos. É recomendada nos doentes que não toleram o ácido acetilsalicílico. 0%. São potenciados nos seus efeitos adversos pelos anticoagulantes. comprimidos. mostra uma eficácia máxima como agente antitrombótico em doses de 100 a 320 mg. pó (carteiras). 250. 50. 60. reacções adversas. 642$00 (22$90). 40%. 200. 6 883$00 (114$70). 70%. Outros anti-inflamatórios estão sendo usados sem vantagem real sobre a aspirina. Indicações. contra-indicações: Como para o ácido acetilsalicílico. Luso-Fármaco. conjuntival ou de outra localização. contra-indicações: Como para o ácido acetilsalicílico. precauções e interacções. 60. 40%. 100. espasmo brônquico. impede ainda a retracção do coágulo e o efeito persiste vários dias após interrupção da terapêutica. Lepori. corticosteróides e anti-inflamatórios não esteróides. 30. A ticlopidina inibe a agregação plaquetar por impedir a ligação do fibrinogénio às plaquetas activadas. 400 mg/dia. comprimidos. 401$00 (20$10). IBUSTRIN Pharmacia & Upjohn. oral. ASP 100 Laquifa. 0%. reacções adversas. 20. um indutor lábil da agregação plaquetar e vasoconstritor potente. Reacções adversas: Hemorragia gastrintestinal. reduz o efeito do probenecid. 200.334 Capítulo 4 | 4. gravidez. 2 740$00 (137$00). 40%.

4. 20. comp. [Dose inicial] – 4 a 5 g seguidos de 1. enzimas isoladas do veneno de serpentes que promovem a formação de fibrina a partir do fibrinogénio. vertigens. comp. 300. Posologia: 250 mg. que se usa na preparação de doentes para intervenções cirúrgicas em que possam ocorrer hemorragias em toalha. 250. aumento dos lípidos sanguíneos. 60. Se for necessário continuar para além das 8 h a dose total não deverá exceder 30 g. cefaleias. comp. 70%. efeitos adversos. 70%. 8 597$00 (143$30). PLAQUETAL Lab. 60. 250. laqueação de vasos ou electrocoagulação). discrasias sanguíneas e hemorragias. 70%. congestão nasal e conjuntival. ácido tranexâmico. sutura. Precauções e interacções. até 8 horas. revestidos. Se a causa não puder ser identificada. Posologia: [De início] – 300 mg/dia. 70%. 3 116$00 (155$80). 70%. 20. desmopressina e estrogéneos conjugados). Hemostáticos Reacções adversas: Distúrbios gastrintestinais. se a terapêutica for prolongada.4. TECNOSAL Tecnifar. Nas grandes hemorragias porém. TICLODIX Lab. a longo prazo. revestidos. 7 562$00 (126$00). Hemostáticos A correcção das hemorragias consecutivas a um defeito específico da hemostase. bradicardia e arritmias.4. s ÁCIDO AMINOCAPROICO Indicações: Agente antifibrinolítico que se usa no tratamento e profilaxia das hemorragias associadas a uma fibrinólise excessiva. obtém-se pela substituição dos factores em défice com vitamina K ou plaquetas. 250. em 1-3 fracções. Sanitas. contra-indicações e interacções: Como para o ácido acetilsalicílico. controlar os valores da creatinina-fosfocinase. Vitória. e o carbazacromo. de substitutos coloidais ou de soluções electrolíticas. Reduzir a dosagem na insuficiência renal. 3 014$00 (150$70). incluem os vasoconstritores. comprimidos. Recomenda-se controlo hematológico regular durante as primeiras 12 semanas de terapêutica. a celulose oxidada e o alginato de cálcio que se constituem em rede onde a coagulação pode ocorrer. 250. • 335 4. contra-indicações: A ticlopidina não deve ser administrada a indivíduos portadores de diátese hemorrágica associada a tempo de hemorragia prolongado. 300. revestidos. Outros agentes usados no controlo da hemorragia. 60. 3 588$00 (179$40). com eficácia variável. s TRIFLUSAL Indicações. PLAQUETAL Lab. [Manutenção] – 300 a 900 mg/dia. TIKLYD Sanofi Winthrop. Muitos fármacos têm sido avaliados mas poucos puderam provar a sua eficácia clínica de forma inequívoca (ácido aminocaproico. Sanitas. revestidos. • . erupções cutâneas. comp. trombocitopenia ou agranulocitose. aprotinina. em que é fundamental a manutenção da volémia recorre-se à administração de sangue. 250. contra-indicações: Nos doentes com afecções renais e cardíacas dever-se-á usar de cautela na administração do fármaco e. com úlcera gastroduodenal ou com hemorragia cerebral aguda. TICLODIX Lab. um produto de degradação da adrenalina. TECNOSAL Tecnifar. com as refeições. cápsulas. 20. cápsulas. como a adrenalina e a noradrenalina. precauções. de alguns dos seus componentes. com consumo prolongado. zumbidos. 70%. 70%. A administração IV rápida pode causar hipotensão. 2 vezes/dia. anticoagulantes ou corticosteróides. Reacções adversas: Distúrbios gastrintestinais. TIKLYD Sanofi Winthrop. 20.25 g cada hora. 9 060$00 (151$00). via oral. após diluição. 8 562$00 (142$70). Não administrar a indivíduos que estão a tomar ácido acetilsalicílico ou outro anti-inflamatório não esteróide. estão indicados fármacos não transfusionais para ajudar a suster a perda sanguínea. 60. 250. na impossibilidade de a controlar pela aplicação de medidas directas (aplicação de pressão. Vitória. 3 427$00 (171$40). neutropenia. 70%. com eficácia variável. erupção cutânea. comprimidos. Com doses elevadas e uso prolongado podem ocorrer lesões musculares e insuficiência renal. Posologia: Via oral ou infusão IV lenta. Precauções e interacções.

40%. • s CARBAZOCROMO ADRENOXIL Comp. 515$00 (25$80). sinjectável. Hemostáticos ADRENOXIL Comp. 1 093$00 (364$30). 5. • s HEMOCOAGULASE REPTILASE Sociedade J. 6. 40%. Bial. 40%. 40%. sol. comprimidos. 3. 3 000. 1. pó (em carteiras). 10. 935$00 (62$30). sol. • EPSICAPROM Lab. 1. injectável. 250 g. 491$00. • . 483$00 (161$00).336 Capítulo 4 | 4. 1. injectável. injectável. 20. 3. Portuguesa de Higiene. EPSICAPROM Lab. sol. 40%. Neves. Bial. 40%.4. 15. Portuguesa de Higiene. REPTILASE Sociedade J. Neves. 935$00 (155$80). sol.

2.1. por vezes. Antitússicos 5. clinicamente ponderadas. mas também porque há pouca evidência da sua eficácia.1. não só porque não se incluem nos medicamentos de prescrição médica obrigatória. Aparelho Respiratório . em particular nas situações de tosse nocturna. Se a causa é desconhecida ou se o tratamento específico resulta ineficaz no alívio da tosse (por ex.1.2.S. com consequente facilitação da sua remoção.5. existem em preparações simples ou combinadas.2. no pós-operatório cardiotorácico de aneurismas. em medicamentos que não se incluem na lista dos de prescrição médica obrigatória . deve procurar-se a causa e tentar eliminá-la. Estes supressores da tosse não são recomendados em crianças. Corticosteróides 5. Os antitússicos de acção central não estupefacientes aliam um efeito antitússico a uma menor possibilidade de provocarem reacções adversas. Xantinas 5. à excepção da codeína (fosfato) que é usada isoladamente num único medicamento.2. Antitússicos e expectorantes 5.1. A tosse não produtiva é considerada «inútil» para o doente e a abordagem inicial para a eliminação deste tipo de tosse é o tratamento da patologia subjacente. Medicamentos agonistas adrenérgicos 5. é de grande importância pela sua acção demulcente e expectorante.1. A terapêutica das patologias tussígenas depende da presença de uma tosse produtiva ou não produtiva.1. incluem princípios farmacológicos em concentrações inadequadas.1. Os antitússicos de acção periférica actuam nos receptores do tracto respiratório. Antagonistas dos leucotrienos Existem várias preparações combinadas de expectorantes com codeína. Broncodilatadores e antiasmáticos 5 5. com recurso a antitússicos. Quando estiver indicada..1. O uso de associações de antitússicos com expectorantes é um contrasenso..2.2. Outros medicamentos adrenérgicos 5.2. A tosse produtiva é caracterizada pela presença de esputo e pode ser «útil» como mecanismo fisiológico de protecção.3. a terapêutica com recurso a fármacos expectorantes e mucolíticos visa o aumento de volume das secreções e a diminuição da viscosidade do muco.2. Não deve ser tratada como sintoma. O dextrometorfano.2.N. por ingestão de água ou por inalação de vapor de água.4.5. broncodilatadores.2. Não lhes faremos referência. juntamente com a 5. etilmorfina e fenobarbital. Antitússicos Os antitússicos de acção central estupefacientes não estão disponíveis no ambulatório. de hérnias ou noutras situações onde a presença da tosse constitua grave incómodo para o doente. Medicamentos anticolinérgicos 5. Os demulcentes supõe-se que actuam por mecanismo puramente mecânico contribuindo. entre outros. Aparelho Respiratório Aparelho Respiratório 5. de doentes traumatizados. Antiasmáticos de acção profiláctica 5. Estão disponíveis numerosas preparações combinadas de antitússicos e expectorantes que incluem misturas de antihistamínicos.1. A adequada hidratação do doente.5.1.2. Expectorantes 5. O uso de antitússicos deve restringir-se a circunstâncias especiais. em doses subliminares. Antitússicos e expectorantes A tosse. Medicamentos agonistas adrenérgicos β2 selectivos 5. o butamirato (Sinecod). reflexo de defesa em consequência da irritação das vias aéreas. não sujeitos a receita médica especial (embora de prescrição) e não comparticipados pelo S.1. extractos e tinturas vegetais.1. pode ser desejável. em particular nas de idade inferior a um ano. o clobutinol (Silomat) e a pentoxiverina.2. Antihistamínicos 5. é um importante mecanismo fisiológico protector.2.5.2. caso de neoplasia ou de doença intersticial do pulmão) então o tratamento sintomático. Estas associações são «ilógicas» e.

de grande incómodo para o doente. comprimidos. Incluem-se neste grupo as pastilhas e os líquidos espessos licorosos que incorporam mel. 0%.1. 538$00 (26$90). gravidez e aleitamento. 0. sol. insuficiência hepática e renal graves. PARACODINA Knoll Lusitana. 1.73. associação. 1 064$00 (35$50). doença hepática. 20. oral. 0%. 125 + 0. 5. sol. 660$00 (33$00). TRANSBRONQUINA Lab. PARACODINA N Knoll Lusitana.158 Capítulo 5 | 5. cápsulas. xarope. persistente. 200 ml. 90 ml. s CODEÍNA CODEISAN Labocor. glicerol.5 + 0.22 + 0. gomas e mucilagens. 30 + 10. DPCO. Esfar. 150 ml. Basi. s CODEÍNA + AMINOPIRINA + BELADONA XAROPE ANTI-GRIPAL Lab. 340$00 (2$30).2. 5-15 mg. 0%. 10. s CODEÍNA + ETILMORFINA + EUCALIPTOL FLUIDIN NOCTURNO Laquifa. Posologia: Oral: [Crianças] – 5-12 anos. sol. Antitússicos e expectorantes saliva. Capítulo 2). sol. essências. 0%. 0%. LAB. pode provocar hipotensão e depressão respiratória. 0%. 0%. Interacções medicamentosas: Álcool. . 200 ml. 0%.1. s CODEÍNA Indicações: Tosse seca. oral. Expectorantes Os expectorantes são antitússicos de acção periférica. 172 ml. 0%. 10. s CODEÍNA + TRIETANOLAMINA s CODEÍNA + FENILTOLOXAMINA CODIPRONT Ferraz Lynce. em doentes de maior sensibilidade e se usada em doses altas.225 + 200 + 250. Precauções: Asma. vómitos.1. 10. 2. oral. (Não está recomendada a sua administração em crianças abaixo de 5 anos de idade). sol. Reacções adversas: Náuseas. comprimidos. 0%.5 + 25. 2. sol. 687$00 (68$70). 716$00 (4$80). obstipação. evitando o seu contacto com substâncias irritantes contidas no ar inspirado. oral. 150 ml. oral. 782$00 (5$20). s CODEÍNA + EFEDRINA + MEPIRAMINA + VITAMINA C EXPECTOFAR Lab. oral. Contra-indicações: Hipersensibilidade à codeína. 0%. 783$00 (3$90). 795$00 (4$00). oral. 150 ml. 670$00 (44$70). antidepressivos (V. antecedentes de abuso de drogas. associação. 613$00 (6$80). sol. três a quatro vezes ao dia. 450 + 225 + associação. para a formação de uma fina camada protectora ao nível dos receptores sensoriais da mucosa faríngea. depressão respiratória. 0%. sol. Capítulo 2). s CODEÍNA + MEPIRAMINA + SULFOGAIACOL HICODAN Lab. hipersensibilidade a outros derivados opiáceos (V. [Adultos] – 15-30 mg. oral. CODIPRONT Ferraz Lynce. 20. s CODEÍNA + EFEDRINA + EXTRACTOS VEGETAIS SEDOTUSSE Helfarma. s DIHIDROCODEÍNA PARACODINA Knoll Lusitana. sol. 15 ml. 976$00 (5$70). sonolencia. oral. três a quatro vezes ao dia. 30.5 + 0. 30 ml. Saúde-Canobbio.

40%. 200 ml. 200 ml. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade ao ambroxol. 40%. 20. actuam por estimulação directa das células secretoras ao nível do brônquio. FLUIMUCIL Zambon. FLUIMUCIL Zambon. Vários autores sugerem falta de evidência clínica quanto à eficácia dos expectorantes. suspensão oral). 20. BROMAX Pentafarma. urticária. 600. BROMAX Pentafarma. Atral. angiedema. divididos em duas fracções. acção prolongada. 1 312$00 (65$60). Em unidades de reanimação. embora lhes reconheçam alguma acção sobre a reologia do muco. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade à acetilcisteína. cefaleias. no entanto. xarope). • s AMBROXOL Reacções adversas: Fadiga. o ambroxol. BRONCHOPRONT Ferraz Lynce. em três classes: os de acção reflexa. 120. 40%. 444$00 (88$80). doentes com asma e história de úlcera péptica. 6. Posologia: [Adultos e crianças] – > 12 anos 200 mg. por mecanismo de acção. 1 079$00 (54$00). 1 103$00 (5$50). rinorreia. 40%. sol. por reflexo vagal. No grupo dos expectorantes de acção reflexa encontram-se os salinos (iodetos. 300. efervescentes. 30 ml. actuam sobre a viscosidade e a estrutura do muco rompendo as ligações sulfuradas das mucoproteínas sem. 2 156$00 (107$80). Atral. como o nome sugere. por provocarem o aumento da penetração do antibiótico na secreção brônquica. secura de boca. os mucolíticos são usados como adjuvantes do tratamento antibacteriano das infecções respiratórias. Os expectorantes agrupam-se. Pulmo-San. sol. Incluem-se neste grupo os óleos voláteis e as essências balsâmicas. 40%. Posologia: [Crianças] – 1. oral. Actuam por irritação da mucosa gástrica levando. quer pela actividade ciliar do epitélio quer pelo reflexo da tosse. 150 ml. Os mucolíticos são fluidificantes específicos. Os expectorantes de acção directa. oral. oral. susp. aumentar o volume das secreções. o ciclidrol (Mucodox. Raramente têm sido descritas reacções anafilácticas. a acetilcisteína. divididos em duas ou três fracções. a bromexina. diarreia. comprimidos. 200 ml. sol. 200. BENFLUX FORTE Lab. BENFLUX Lab. 40%. 1 129$00 (5$60). BROMAX Pentafarma. náuseas. 3. ao nível da função pulmonar. (metabolito da bromexina). [Adultos] – 30-120 mg/dia. sol.5-2 mg/kg/dia. oral. 6. 318$00 (10$60). Atral.5. suspensão oral. cáps. 200 ml. 1 925$00 (9$60). Mucolavi. comprimidos. s ACETILCISTEÍNA Reacções adversas: Broncoconstrição. os de acção directa e os mucolíticos. (Bronquimucil. 5. 40%. estomatite. 40%. o guaiacolato e a ipeca. três vezes ao dia ou 400-600 mg/dia de uma só vez. a um aumento da secreção da mucosa brônquica. 600. cloreto de amónio). 40%. 499$00 (25$00). disúria. comprimidos. 20. 20. 40%. 1 339$00 (8$90). . Antitússicos e expectorantes Só por coerência para com a codificação da classificação farmacoterapêutica nacional é que procedemos a esta artificialidade esquemática. entre outros. oral. 3. 159 Interacções medicamentosas: Nitroglicerina (hipotensão e cefaleias). granulado (cart). benzoato e citrato de sódio. 7. 40%. A diminuição da viscosidade do muco facilita a sua remoção. 100 ml. comprimidos. susp. BROMAX Pentafarma. 30. BRONCHOPRONT Ferraz Lynce. (derivado do aminoácido cisteína). Estão no grupo dos mucolíticos. oral. FLUIMUCIL Zambon. cápsulas e xarope) e o sobrerol (Broncopulmo. BRONCHOPRONT Ferraz Lynce. 3. comp. arrepios e febre. 991$00 (49$60). obstipação.1. 545$00 (5$40). 980$00 (4$90). pó. rinorreia. Interacções medicamentosas: Não descritas. injectável. BENFLUX Lab. 40%. sol. No ambulatório esta associação não tem relevância clínica. 3. xarope. 40%. oral. 20. zumbidos. o seu derivado brovanexina. vómitos.5. sol. a carbocisteína.

comprimidos. 30. Mesmo quando os doentes apresentam uma função pulmonar dentro dos parâmetros normais. 2 077$00 (103$80).Vitória. a sua árvore respiratória é hiperreactiva a uma variedade de estímulos inespecíficos como o ar frio. 30. [Adultos] – (dose inicial): 750 mg. fumos ou poeiras. BRONCOLIBER Tecnimede. MUCOSOLVAN PERLONGUETS Unilfarma.160 Capítulo 5 | 5. BRONQUIAL-OM OM Portuguesa. oral. 1 921$00 (9$60). DRENOXOL Lab. 40%. 20. 20. Broncodilatadores e antiasmáticos Interacções medicamentosas: Não descritas. Medinfar. três vezes ao dia. acção prolongada. 40%. cáps. [Adultos] – 8-16. 200 ml. 1 085$00 (5$40). • BRONCHOPRONT Ferraz Lynce. 1027$00 (51$40). doentes com história de úlcera péptica. 20. BRONCOLIBER ADULTO Tecnimede. 928$00 (46$40). oral. oral. sol. 50 + 8. sol. quatro vezes ao dia. Estão descritos alguns casos de hepatotoxicidade com elevação dos valores séricos da aminotransferase (GOT). duas vezes ao dia. 40%. Interacções medicamentosas: Não descritas. sol. (Após resposta ao tratamento): 1. • s BROMEXINA Reacções adversas: Náuseas. 75. comprimidos. injectável. sol. oral. gravidez e aleitamento. 40%. irritação ao nível gastro-intestinal. 648$00 (3$20). 925$00 (46$20).Vitória. 20. «rash» cutâneo. 200 ml. amp. oral. «rash» cutâneo. HIPOTOSSE Labesfal. 40%. oral. 50. 6.2. 40%. MUCOSOLVAN Unilfarma. 200 ml. 2 412$00 (120$60). em fracções divididas. MUCODRENOL Lab. Posologia: [Crianças] – 2-5 anos 62. 1 040$00 (52$00). três vezes ao dia. cápsulas.5-125 mg. sol. Posologia: [Crianças] – <5 anos 2 mg. cáps. 5. 200 ml. 15. 30. acção prolongada. 677$00 (3$40). 5-10 anos 2 mg. vómitos. 40%. 20. 2 144$00 (107$20). TOSSEQUE Lab. 40%. oral. cáps. 40%. doentes com história de úlcera péptica. NIFLUX Alter.5 g/dia. três vezes ao dia. MUCOSOLVAN Unilfarma. 200 ml. 6. LAB. 1 181$00 (5$90). 3. náuseas. 1 050$00 (52$50). 3. BRONCOLIBER Tecnimede. 40%. mg três vezes ao dia. sol. 981$00 (49$10). 40%. o exercício físico. cefaleias. NIFLUX Alter. 3. 40%. 40%. sol. 1 181$00 (59$00). 200 ml. 40%. sol. 5. sol. cefaleias. 6-12 anos 250 mg. acção prolongada. HIPOTOSSE Labesfal. 40%. dor epigástrica. 1 880$00 (9$40). 40%. . 20 ml. 1 078$00 (5$40). MUCOSOLVAN Unilfarma. comprimidos. 40%. 200 ml. 6. oral. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade à bromexina. oral. oral. 40%. 20. vertigem. 1 048$00 (5$20). 539$00 (107$80). 3. 20. 375 + 60. DRENOXOL Lab. 20.8. 40%. 200 ml. 40%. 375 + 60. 0. 40%. DRENOXOL Lab. 20. BRONCOLIBER PEDIÁTRICO Tecnimede. 50 + 8. 1 797$00 (9$00). 926$00 (46$30). Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade à carbocisteína. 20. MUCOLEX Warner-Lambert. sol. bebíveis. cápsulas. 120. diarreia. 75. Vitória. • s CARBOCISTEÍNA Reacções adversas: Diarreia. • s CARBOCISTEÍNA + SOBREROL BRONQUIAL-OM OM Portuguesa. 30.2. comprimidos. Broncodilatadores e antiasmáticos A asma é considerada actualmente como uma doença inflamatória crónica das vias aéreas a que se associa a hiperreactividade brônquica e o broncospasmo. sol. 200 ml.

infecções respiratórias. A asma do tipo intrínseco é mais frequente em adultos e tem menor variação sazonal. macrófagos e linfócitos. pelo que é particularmente relevante a instrução ao doente sobre as técnicas de uso dos vários tipos de inaladores. Os agonistas β2 de curta duração de acção não devem ser prescritos para uso regular nos períodos intermitentes em doentes com asma de grau ligeiro a moderado. Estes fármacos não têm efeitos anti-inflamatórios clinicamente relevantes nem modificam a hiperreactividade brônquica. Broncodilatadores e antiasmáticos inalação de gases irritantes. A asma pode ser classificada em extrínseca e intrínseca. O uso regular destes fármacos pode conduzir a taquifilaxia e a sua suspensão súbita a broncospasmo por efeito «rebound». por vezes muito espesso e de difícil expulsão. Reacções adversas: Taquicardia. em comparação com os agonistas β2 de curta duração de acção. pode variar com as estações do ano e está associada a um estímulo externo que pode ser um alergeno específico ou inespecífico. na forma farmacêutica de aerossole. A broncoconstrição pode manifestar-se por sensação de opressão torácica. Os ataques de asma de grau severo. A activação dos receptores adrenérgicos β2 inibe a contracção do músculo liso brônquico. Nestas situações mostram claro benefício terapêutico. 161 com forte obstrução brônquica. Estes fármacos de longa duração de acção não são aconselhados numa situação aguda de asma. É racional a associação de um agonista β2 de curta duração de acção a um de longa duração de acção. palpitações. Medicamentos agonistas adrenérgicos β2 selectivos Os ataques de asma de grau ligeiro a moderado respondem rapidamente à administração destes fármacos. o fenoterol. desgranulação dos mastócitos. não se evidenciando um agente etiológico externo. vacinação). A asma do tipo extrínseco é a mais frequente na criança e no adulto jovem. No processo inflamatório da asma. – terapêutica broncodilatadora. eosinófilos. A maioria destes doentes apresenta uma história de alergia e níveis aumentados de IgE para alergenos específicos.2. do enfisema pulmonar com obstrução reversível e na prevenção do broncospasmo. Há três abordagens essenciais no tratamento da asma: – supressão do factor causal.2. nessas circunstancias. poderão exigir recurso aos meios hospitalares. – terapêutica anti-inflamatória. em comparação com um placebo. A fisiopatologia da asma é complexa e vários mecanismos podem estar envolvidos: o estreitamento das vias aéreas surge em resultado da contracção do músculo liso.1. se possível (prevenção da exposição a desencadeantes. o formoterol e o procaterol são agonistas β2 selectivos de longa duração de acção (8 a 12 horas). fungos) ou ácaros. O salbutamol. quando existe aumento do tónus.1. A hiperreactividade brônquica está relacionada com a inflamação dos brônquios. pó da casa ou animais domésticos. etc.5. dispneia e tosse. 5.1.2. Nestas situações os doentes devem ser instruídos para não utilizarem os agonistas de longa duração de acção no tratamento de agudizações devendo utilizar. contracções ventriculares prematuras. mantendo o intervalo usual de administração para o fármaco de longa duração de acção. s SALBUTAMOL Indicações: Tratamento do broncospasmo na asma e na doença pulmonar obstrutiva crónica (DPCO). O salmeterol. apesar de serem situações caracterizadas por maior fixidez da obstrução das vias aéreas. mas sim em associação com a terapêutica corticosteróide ou como tratamento regular em doentes com asma de grau ligeiro a moderado e com sintomas nocturnos. o clembuterol e o tulobuterol são agonistas β2 selectivos mais eficazes que a isoprenalina ou o seu isómero orciprenalina. alterações do epitélio brônquico e infiltração de células inflamatórias. hipo- . da vasodilatação e do edema resultante da inflamação da mucosa e da hipersecreção de muco. a causa mais comum é a hipersensibilidade imediata aos alergenos sazonais (polens. Medicamentos agonistas adrenérgicos 5. pois vários estudos demonstram que este tipo de tratamento não conduz a benefícios clínicos. um agonista de curta duração de acção. a terbutalina. A bronquite crónica e o enfisema respondem parcialmente aos fármacos agonistas β2 ou aos fármacos anticolinérgicos. No tratamento da asma há que ter em conta que a via inalatória é muito importante e tem requisitos especiais. Também usado no tratamento da bronquite crónica.

doentes digitalizados. 1 390$00 (23$20). Os niveis séricos de potássio devem ser monitorizados. Posologia: Oral: [Crianças] – < 7 anos 75 µg/kg. hipertensão.05. 30. hipertiroidismo. VENTILAN RECARGA Glaxo Wellcome. VENTILAN RECARGA Glaxo Wellcome. 70%. 1 390$00 (7$00). 70%. Interacções medicamentosas: Ver salbutamol. 4. 4. 2000 + 10. agitação. VENTILAN Glaxo Wellcome. sol. cáps. três vezes ao dia até um máximo de 15 mg/dia. 5. 10. comprimidos. inalação. 30. Inalação de pó: [Crianças] – 200 µg. quatro vezes ao dia. até três a quatro vezes ao dia. tremor. 1330$00 (6$70).inalação. oral.5. Inalação de pó: [Crianças] e [Adultos] – 500 µg (1 inalação). Inalação de solução respiratória: [Crianças] – > 18 meses e adultos 2. até três a quatro vezes ao dia.5 a 5 mg. hipocaliemia. 2-6 anos 1 a 2 mg. 70%. 200 ml. 70%. Profilaxia do broncospasmo induzido pelo exercício físico: 400 µg. 0. VENTILAN ROTACAPS Glaxo Wellcome. nervosismo. se necessário. 60. 70%. náuseas e vómitos. 592$00 (118$40). 0. sol. na bronquite e na doença pulmonar obstrutiva crónica (DPCO). 633$00 (21$10). 6-12 anos 2 mg. aerossol. Contra-indicações e precauções: Ver salbutamol. [Adultos] – 2. Injectável: via sub-cutânea ou I. cáps. hipocaliemia. [Adultos] – 4 mg (idosos 2 mg).4. Profilaxia do broncospasmo induzido pelo exercício físico: 200 µg. Reacções adversas: Ver salbutamol. • s TERBUTALINA Indicações: Tratamento do broncospasmo na asma. 0. Profilaxia do broncospasmo induzido pelo exercício físico: 200 µg. 400 µg. 977$00 (4$90). Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade ao salbutamol. Interacções medicamentosas: Inibidores da MAO. hiperglicemia.2. cáps. 586$00 (2$90). • tensão. doença coronária. VENTILAN SOLUÇÃO Respiratória. inalação. s SALBUTAMOL + BECLOMETASONA VENTAIDE INALADOR Glaxo Wellcome. feocromocitoma.5 mg/dia. o doente estiver a ser tratado com derivados xantínicos. cefaleias. cada 4 horas. simultâneamente ao tratamento com agonistas β2. VENTILAN Glaxo Wellcome. três a quatro vezes ao dia. VENTILAN Glaxo Wellcome. arritmias. três a quatro vezes ao dia. 40%. cada 6 horas até um máximo de 8 inalações em 24 horas. VENTILAN Glaxo Wellcome. sol. 500 µg. até três a quatro vezes ao dia. insuficiência miocárdica. VENTILAN ROTACAPS Glaxo Wellcome. nebulização. Inalação de pó: [Adultos] – 200-400 µg. injectável. 0. 40%.4. hipersensibilidade à terbutalina. sol. outras doenças cardiovasculares. 200 µg. Aerossole: [Crianças] – 100 µg. tonturas. 634$00 (31$70). inalação. 70%. Aerossole: [Adultos] – 100-200 µg. diabetes mellitus. 7-15 anos 2. aerossol.5 mg. 814$00 (27$10). gravidez e aleitamento. 200 µg. Broncodilatadores e antiasmáticos VENTILAN INALADOR Glaxo Wellcome. 70%. . 20. Aerossole: [Crianças] e [Adultos] – 1 a 2 inalações (250 µg cada). urticária e angioedema. reacções de hipersensibilidade incluindo broncospasmo paradoxal. 5. 200 doses. 621$00 (62$10). 30. insónia. Profilaxia do broncospasmo induzido pelo exercício físico: 100 µg. 633$00 (21$10). cáps. até três a quatro vezes ao dia.5-5 mg. Glaxo Wellcome. 200 doses. duas a três vezes ao dia até um máximo de 7. oral.M. 70%. Posologia: Oral: [Crianças] – < 2 anos 100 µg/kg. 70%. três vezes ao dia. Na asma aguda grave recomenda-se precaução especial em doentes com hipocaliemia que pode ser potencialmente grave se. corticosteróides e diuréticos.162 Capítulo 5 | 5. 400 µg. 70%. comprimidos. 814$00 (27$10). 200. três a quatro vezes ao dia. quatro vezes ao dia. 30.1 + 0. • s SALBUTAMOL + GUAIAFENASINA PROPAVENTE EXPECTORANTE GlaxoWellcome. três a quatro vezes ao dia.

757$00 (3$80). o que se traduz numa maior duração de acção (7 a 10 horas). Aerossole: [Crianças] – 1 inalação (200 µg). 0. três vezes ao dia.5 + 0. MUCOSPAS ADULTO Unilfarma. 445$00 (2$20). Prevenção da asma induzida pelo esforço. três vezes ao dia. 1 895$00 (9$50).5. 30 + 0. de 6 em 6 horas. Posologia: Oral: [Crianças] – de 1. 3 + 0. 70%. oral. 6-14 anos 2. 30 + 0. BEROTEC Unilfarma.. três vezes ao dia. 1 232$00 (61$60).5. 70%.5. 0. 70%. Aerossole: [Adultos] – 1 a 2 inalações (200 µg cada). 50. oral. duas a quatro vezes ao dia (broncospasmo crónico). comprimidos. 70%. 60. 1 102$00 (22$00). de manhã e à noite (broncospasmo crónico).002. CLEMBROXOL ADULTO Pentafarma.02. 70%.002. BRONCOTEROL Quimedical. 200 ml.5-5 mg. 200 ml. BRICANYL Astra Portuguesa.25. aerossol. comprimidos.001. 1 inalação duas vezes ao dia. • 163 s CLEMBUTEROL Indicações: Quando indicada a administração oral no tratamento da asma e da doença pulmonar obstrutiva crónica (DPCO) tem vantagens farmacocinéticas sobre outros agonistas β2: absorção superior e maior semi-vida de eliminação. • s CLEMBUTEROL + AMBROXOL CLEMBROXOL Pentafarma. BRONCOTEROL Quimedical. comprimidos. sol. sol.02. Inibidores da MAO. 0. 2 729$00 (45$50).001. 60. Interacções medicamentosas: Ver salbutamol. 0. 532$00 (26$60). oral. 715$00 (14$30). 1. BRICANYL DURULES Astra Portuguesa. sol. 60. BEROTEC Unilfarma. sol.5.5 + 0. 1 181$00 (5$90). Reacções adversas: Ver salbutamol. Posologia: Oral: [Crianças] – entre 5-13 anos 1 µg/kg/dia. 20. Profilaxia do broncospasmo induzido pelo exercício físico: 20 µg. 40%. três vezes ao dia. 70%. comprimidos. Interacções medicamentosas: Desipramina. 40%.5. 320$00 (16$00). sol.5-6 anos 0. 70%. 50. 200.02. sol. se necessário repetir dentro de 5 minutos (broncospasmo agudo). 0.5 mg.001. como a bronquite obstrutiva crónica. comprimidos. • s FENOTEROL Indicações: Indicado no broncospasmo agudo. 2.5. MUCOSPAS Unilfarma. 70%. hipersensibilidade ao fenoterol ou outras aminas simpaticomiméticas. 70%.02. 676$00 (13$50). 200 ml. 30 + 0. 40%. se necessário repetir dentro de 5 minutos (broncospasmo agudo). CLEMBROXOL INFANTIL Pentafarma. 0.5. Broncodilatadores e antiasmáticos BRICANYL Astra Portuguesa. Asma brônquica e outras situações de obstrução reversível das vias respiratórias. 40%.1 mg/kg. [Adultos] – 2. 70%. Doença crónica obstrutiva: 30 µg. 40%. BRONCOTEROL Quimedical. cardiomiopatia obstrutiva hipertrófica. MUCOSPAS INFANTIL Unilfarma. associado com doença reactiva das vias aéreas. oral. 200 ml. 40%. Contra-indicações e precauções: Ver salbutamol. comprimidos. 7. 70%. 521$00 (4$20). 1 a 2 inalações. 200 ml. . 50. acção prolongada. comp. comprimidos.3. 40%. duas vezes ao dia. 200 doses. 1 068$00 (5$30). disfunção hepática e renal. 886$00 (4$40).02. BEROTEC Unilfarma. Contra-indicações e precauções: Ver salbutamol.2. 20. oral. Asma brônquica e profilaxia do broncospasmo induzido pelo exercício físico: Oral: [Adultos] Asma brônquica: 20 a 40 µg. 2. 1 861$00 (9$30). 20. 0. 3 + 0. 1. 2 153$00 (10$80). hipersensibilidade ao clembuterol ou a agonistas β2. 125 ml. BRICANYL Astra Portuguesa. Reacções adversas: Ver salbutamol. 2. 1 712$00 (28$50). oral.6 mg em 24 horas. MUCOSPAS Unilfarma. 3 068$00 (51$10). aerossol. sol. oral. 200 ml. BRICANYL TURBOHALER Astra Portuguesa. Nota: a dose (aerossole) não deve exceder 400 µg cada 6 horas ou 1. comprimidos.

25 µg.5 + 0. incluindo asma nocturna e profilaxia do broncospasmo induzido pelo exercício físico. 6994$00 (58$30). 30 + 0.164 Capítulo 5 | 5. 70%. Interacções medicamentosas: Ver salbutamol. comprimidos. 60. ATENOS UCB Pharma. BIALFAR Bialfar. 120 doses. 3. Vitória. 56 doses. Nota: alguns autores referem casos de paragem respiratória por broncospasmo. aerossol. aerossol. 0. 30 + 0. 60. comprimidos. 70%. 2. duas vezes ao dia (obstrução ligeira ou moderada e asma nocturna). 25 µg. Vitória. após administração de salmeterol (broncospasmo paradoxal). sol. ULTRABETA Lab. 20 doses. sol. 100 µg (4 inalações ou 2 cápsulas). 50 µg. 6 994$00 (58$30).5 a 1 mg. pó inalação. aerossol. 2 440$00 (122$00). 6 527$00 (116$60). 50 µg. hipersensibilidade ao salmeterol.02. 70%. 70%. 30-60 minutos antes do exercício. Glaxo Wellcome. 20 doses. 120 doses. 1 386$00 (6$90). 50 µg. 3 295$00 (54$90). 70%. 6 994$00 (58$30). DILAMAX DISKUS Bialfar. Broncospasmo induzido pelo exercício físico: 50 µg. 120 doses. 6 528$00 (116$60). particularmente no controlo dos sintomas da asma nocturna e na profilaxia do broncospasmo induzido pelo exercício físico.02. SEREVENT Glaxo Wellcome. 200 ml. > 10 anos 1 a 2 mg. 655$00 (65$50). Reacções adversas: Ver salbutamol. 70%. Vitória. pó inalação (recarga). Vitória. ULTRABETA DISKUS Lab. 70%. 40%. 6 832$00 (122$00). ULTRABETA Lab. 50 µg. duas ou três vezes ao dia . Contra-indicações e precauções: Ver salbutamol. insuficiência renal moderada ou grave. Posologia: (não se recomenda o tratamento de crianças abaixo dos 4 anos). 200 ml. 6 993$00 (58$30). pó inalação. 50 µg. s FORMOTEROL Indicações: Tratamento da asma e das doenças crónicas obstrutivas das vias aéreas. 7 220$00 (120$30). duas vezes ao dia (situações de obstrução grave). Não há estudos suficientes que lhe atribuam vantagens sobre o salbutamol ou outro agonista β2. ULTRABETA Lab. 25 µg. 50 µg. SEREVENT. comprimidos.2. pó inalação. • VENTOLIBER Tecnimede. DILAMAX Bialfar. 70%. Interacções medicamentosas: Inibidores da MAO. Vitória. hipersensibilidade ao tulobuterol. 70%. duas vezes ao dia. • s TULOBUTEROL Indicações: No tratamento da asma e da doença pulmonar obstrutiva crónica (DPCO). pó inalação. • s SALMETEROL Indicações: Tratamento da asma. VENTOLIBER INFANTIL Tecnimede. pó inalação.02. SEREVENT Glaxo Wellcome. oral. 2. 60 doses. ULTRABETA Lab. Asma: Inalação de pó e aerossole: [Crianças] ≥ 4 anos. oral. pó inalação. VENTOLIBER ADULTO Tecnimede. 200 ml. 70%. 50 µg. 56 doses. 1 867$00 (9$30). pó inalação. 7 220$00 (120$30). 6 831$00 (122$00). 70%. SEREVENT DISKUS Glaxo Wellcome. 70%. 60 doses. 70%. 56 doses. oral. Posologia: Oral: [Crianças] – entre 6-10 anos 0. Reacções adversas: Ver salbutamol. VENTOLIBER Tecnimede. . [Adultos] – 2 mg. 60 doses. 1 055$00 (5$30). Broncodilatadores e antiasmáticos [Adultos] – 50 µg (2 inalações ou 1 cápsula). 50 µg. 50 µg. 50 µg (2 inalações ou 1 cápsula). 40%. 1. pó inalação. ATENOS UCB Pharma. 50 µg. bronquite crónica e enfisema. 70%. SEREVENT Glaxo Wellcome. Contra-indicações e precauções: Ver salbutamol. pó inalação (recarga). duas vezes ao dia. 7 220$00 (120$30). 30 + 0. Asma atópica: 50 µg/dia. sol. 56 doses.2. 2 441$00 (122$00). 40%. 1. 56 doses. 40%.001. disfunção hepática. 70%. duas vezes ao dia. 10. 3 020$00 (50$30).

sub-aguda e crónica. 12 a 24 µg na profilaxia do broncospasmo induzido pelo exercício físico. ONSUDIL SOLUÇÃO RESPIRATÓRIA JABA Farmacêutica. ONSUDIL JABA Farmacêutica. No entanto. 70%. 6 989$00 (116$50). hipertiroidismo. Contra-indicações e precauções: Ver salbutamol. no tratamento da inflamação e na redução do risco de hiperreactividade brônquica. 2 313$00 (38$60). boca seca. sol. divididos em 2 ou 3 tomas (DPCO). Aerossole: [Adultos] – 0. inalação.02 mg.025 a 0. Contra-indicações e precauções: Ver salbutamol. 70%. três vezes ao dia. cáps. Deste grupo de fármacos só a efedrina se encontra disponível para ser prescrita em ambulatório. FORADIL Novartis Farma. Reacções adversas: Taquicardia. duas vezes ao dia. sensação de frio nas extremidades. Interacções medicamentosas: Ver salbutamol. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade à efedrina ou outras aminas simpaticomiméticas. comprimidos. 70%. 200 ml. 50 µg. 200 doses. hipertensão. 2 430$00 (121$50). 50 µg. usados como broncodilatadores no tratamento da asma antes do aparecimento dos fármacos selectivos β2. oral. sol. ansiedade. Oral: [Adultos] – 40 a 160 µg/dia.2. duas vezes ao dia. Posologia: (não se recomenda o tratamento em crianças). 10 µg. [Adultos] – 0. insuficiência renal. [Adultos] – 25-50 mg. 12 µg. duas vezes ao dia. 70%. hipersensibilidade ao procaterol e às aminas simpaticomiméticas. em comparação com cada um desses fármacos usados isoladamente. Asma e DPCO de grau mais severo: 24 µg. aerossol. .01 a 0. doença isquémica cardíaca. A associação de efedrina com teofilina está descrita como eficaz no restabelecimento da função respiratória. Broncodilatadores e antiasmáticos Recomenda-se o tratamento com formoterol associado aos corticoesteróides. devido ao risco de arritmias e outros marcados efeitos secundários. 20. por via inalatória. 5 µg. em situações alérgicas de emergência. s PROCATEROL Indicações: Ver formoterol . Posologia: Oral: [Crianças] – 0.2. Reacções adversas: Ver salbutamol. insónias.5. hipertrofia prostática Interacções medicamentosas: Inibidores da MAO. o seu uso como broncodilatadores é hoje considerado menos adequado e menos seguro do que o dos medicamentos adrenérgicos selectivos β2. Interacções medicamentosas: ver salbutamol. É um poderoso broncodilatador mas tem efeitos directos no coração e ao nível da circulação periférica. A sua acção vasoconstritora contribui para a redução do edema e da permeabilidade capilar da mucosa brônquica. diabetes mellitus. arritmias. 1 023$00 (51$20). A isoprenalina e a efedrina também são fármacos simpaticomiméticos. duas vezes ao dia. Inalação de pó e aerossole: [Adultos] Asma e DPCO de grau ligeiro a moderado: 12 µg. cada três a quatro horas (dose máxima 150 mg/dia). comprimidos. 12 µg. Posologia: Oral: [Crianças] – 3 mg/kg/dia. (aerossol). 70%. Outros medicamentos adrenérgicos A adrenalina é um agonista α e β usado no estado de mal asmático. • 165 5. 70%. 1 484$00 (7$40). Não deve ser usada em situações agudas. cáps.1 mg. • s EFEDRINA Indicações: Asma de grau moderado. 100 µg. 1 184$00 (5$90).05 mg. vários estudos apontam para que formulações combinadas com a efedrina (como existem em Portugal) resultam numa alta incidência de efeitos secundários.05 a 0. Reacções adversas: Ver salbutamol. FORADIL Novartis Farma. Pelo seu elevado grau de toxicidade. 20. (aerossol). 60. ONSUDIL JABA Farmacêutica. 70%.1. em quatro a seis fracções. tremor. 60. ONSUDIL AEROSSOL JABA Farmacêutica. em reacções anafilácticas e como estimulante do miocárdio em reanimação cardiopulmonar. Sempre que possível a sua prescrição deve ser evitada. divididos em 2 ou 3 tomas (asma): 120 a 240 µg/dia. 1 484$00 (98$90). hipersensibilidade ao formoterol. ONSUDIL JABA Farmacêutica. a nível gastrointestinal e do SNC.2. 15 ml.

na bronquite crónica.03% e 0. Basi. 50 + 100 + 200. obstrução do colo da bexiga. Basi. quatro vezes ao dia.02. 40%.8 + 0. • s EFEDRINA + MEPROBAMATO + TEOFILINATO DE COLINA VITASMA Lab. por inibição da contracção da musculatura lisa brônquica. três a quatro vezes ao dia. O brometo de ipratrópio não está indicado no tratamento do broncospasmo agudo porque tem um início de acção lento (1. 20 ml. O brometo de ipratrópio é um composto de amónio quaternário que. .5 a 2 horas). 20. gravidez. no caso do broncospasmo que pode acompanhar a bronquite crónica.6 + 13. 6. VITASMA FORTE Lab. no enfisema e no tratamento da asma (em doentes que não respondem adequadamente aos agonistas adrenérgicos). 70%. mas aparece como segunda linha terapêutica nos casos que não respondem adequadamente aos agonistas. 6. sabor amargo. três vezes ao dia. • s EFEDRINA + FENOBARBITAL + IODETO DE POTÁSSIO PRELUS Sanofi Winthrop. comprimidos. aerossol. sol. retenção urinária. o que o torna desprovido das reacções adversas comuns aos fármacos anticolinérgicos. comprimidos. 40%. O ipratrópio. ou em associação terapêutica com estes fármacos. 0. quer locais (não aumenta a viscosidade do muco. oral. supositórios. a sua acção broncodilatadora é igual ou superior à dos agonistas adrenérgicos.2. s EFEDRINA + FENOBARBITAL + TEOFILINA COSMAXIL Cosmofarma. 200 doses.6 + 13. tem uma fraca absorção sistémica. aerossol. ATROVENT UNIDOSE Unilfarma. atropina e seus derivados. 70%. 20. no máximo. 40%.06%. resulta do antagonismo competitivo a nível dos receptores muscarínicos do mediador colinérgico. Posologia: Aerossole: [Crianças] – Até 6 anos 1 inalação (20 µg). 1 874$00 (93$70). sol. 1470$00 (7$40). Broncodilatadores e antiasmáticos O efeito broncodilatador do brometo de ipratrópio é menor que o dos agonistas simpaticomiméticos.2. 995$00 (5$00). em situações de rinorreia associada à rinite e ao resfriado comum. 0.166 Capítulo 5 | 5. 200 doses. comprimidos. procainamida. No entanto. usado por via inalatória.3 + 66. 25 + 50 + 100. 70%.25. 40%. 420$00 (21$00). Spray a 0. Glaucoma de ângulo fechado. três vezes ao dia. ATROVENT Unilfarma. BERODUAL Unilfarma. três vezes ao dia. • s BROMETO DE IPRATRÓPIO Indicações: Na forma de aerossole é usado no tratamento prolongado da DPCO. inalação. 427$00 (42$70). no máximo. A atropina foi o fármaco representante deste grupo e está hoje abandonada devido aos inúmeros efeitos adversos. 289$00 (28$90). 40%.Tem uma duração de acção de 4 a 6 horas.4 + 10. em inalação nasal. [Adultos] – 100-500 µg.02. Esta inibição do tónus vagal provoca a dilatação das vias aéreas centrais de grande calibre e de pequeno calibre.3 + 66. hipertrofia prostática. 20 + 40 + 200. 381$00 (19$10). 10. • 5. Reacções adversas: Secura de boca. A sua acção broncodilatadora. 40%. quer sistémicas. 20. Medicamentos anticolinérgicos Estes fármacos antagonizam os efeitos broncoconstritores da estimulação colinérgica. supositórios. 257$00 (12$80). respectivamente (ver Capítulo 13). obstipação. Solução para inalação: [Crianças] – de 3-14 anos 100-500 µg. 10. nem afecta a sua «clearance»). Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade ao ipratrópio. 553$00 (2$80). COSMAXIL INFANTIL Cosmofarma. [Adultos] – 1-2 inalações (20-40 µg). é eficaz no alívio sintomático dos casos de rinorreia associada com resfriado comum e com rinite alérgica e não alérgica (ver Capítulo 13). 200 ml. Interacções medicamentosas: Cisapride. COSMAXIL ADULTO Cosmofarma. 0. 6-12 anos 1-2 inalações (20-40 µg). 0.2.

antidepressivos: fluvoxamina. DPCO) e por fármacos. A margem entre a dose terapêutica e a dose tóxica é muito estreita. 300. possibilitando uma melhor adesão do doente à terapêutica. Na terapêutica de manutenção e na profilaxia da asma nocturna têm-se utilizado as formas orais de libertação prolongada que produzem concentrações séricas mais estáveis e duradouras. diarreia. A nível gastrintestinal: náuseas. 1 220$00 (20$30). Reacções adversas: A nível cardiovascular: taquicardia. 7-12 anos 125-250 mg. três a quatro vezes ao dia (depois das refeições). antifúngicos: fluconazol. irritabilidade. insónia. doença aguda febril. Lepori. Xantinas Deste grupo terapêutico apenas a teofilina e seus derivados têm interesse clínico como broncodilatadores. 70%. obstrução reversível das vias aéreas. aumento das concentrações intracelulares do AMPc ? inibição competitiva dos receptores de adenosina ?). o seu uso não é recomendado no tratamento das crises agudas de broncospasmo e do mal asmático. 546$00 (27$30). s TEOFILINA Indicações: Ataque agudo de asma. enfarte agudo do miocárdio. A administração I. vómitos. sol. várias situações fisiológicas (idade) e patológicas (doenças hepáticas. A «clearance» da teofilina é influenciada por alimentos. 300. Lepori.5-125 mg. [Adultos] – 125-250 mg. verapamil. antiulcerosos: cimetidina. a toma de uma dose à noite pode ser útil no controlo da asma nocturna e da respiração sibilante matinal. epilepsia. Estes fármacos podem ser úteis na prevenção das crises e no tratamento do ataque agudo de asma.dispepsia. LEPOBRON RETARD L. 70%. DPCO). cada 12 horas. Posologia: Oral: [Crianças] – 7-12 anos 62. três a quatro vezes ao dia.2. 20. ASMACALMA Lab. Oral-fórmulas de libertação prolongada: [Crianças] – 2-6 anos 60-120 mg. [Adultos] – 175-500 mg. O seu mecanismo de acção ainda não está perfeitamente esclarecido (inibição das fosfodiesterases. dissulfiram. à melhoria da contractibilidade diafragmática. 80. úlcera péptica. contraceptivos orais. Pátria. pelo que. 70%. Interacções medicamentosas: Podem modificar a «clearance» da teofilina: antibióticos macrólidos e quinolonas. oral. cáps. à diminuição da fadiga dos músculos respiratórios e à estimulação do centro respiratório. A sua acção terapêutica na asma deve-se. álcoolismo crónico. também. pelo seu efeito relaxante sobre o músculo liso brônquico. Contra-indicações: Hipersensibilidade ás xantinas. A aminofilina é uma mistura estável de teofilina e etilenodiamina que lhe confere uma solubilidade em água muito superior à da teofilina isolada. As xantinas podem potenciar a hipocaliemia associada à administração de simpaticomiméticos β2. Com estas formulações conseguem-se concentrações plasmáticas eficazes acima das 12 horas.5.V. insuficiência hepática e renal. arritmia ventricular. doença cardíaca grave. doença cardiovascular. insuficiência cardíaca congestiva. 60. cefaleias. Contudo.2. 335$00 (1$70). antivíricos: ritonavir. corticosteróides e diuréticos. bloqueadores dos canais de cálcio: diltiazem.3. lenta de aminofilina é usada em situações agudas graves. cada 12 horas. hemorragia. A diprofilina apresenta a vantagem de ser melhor tolerada a nível gastrintestinal (provoca menos náuseas e menor irritação gástrica) que a aminofilina e outros compostos alcalinos da teofilina. idosos e recém-nascidos. 200 ml. LEPOBRON RETARD L. cor pulmonale. . A forma farmacêutica supositórios origina irregularidade de absorção e efeitos irritantes na mucosa rectal. hipertiroidismo. acção prolongada. A nível do SNC: tremor. pelo que a monitorização dos níveis séricos da teofilina é aconselhável (já sendo exequível à cabeceira do doente) e permite o estabelecimento da dose ajustada à obtenção dos níveis adequados do fármaco (entre 10 e 20 µg/ml). dado que a sua acção broncodilatadora é significativamente menor que a da teofilina. à inibição da libertação de mediadores pelos mastócitos. A teofilina e a bamifilina estão indicadas como coadjuvantes da terapêutica inalatória pelos simpaticomiméticos β2 e da terapêutica sistémica com corticosteróides. gravidez e aleitamento. cáps. acção prolongada. Broncodilatadores e antiasmáticos 167 5. cada 12 horas. hipocaliemia. palpitações. característica do asmático. Precauções: Hipertensão. hábitos tabágicos. no tratamento dos sintomas da asma crónica e do broncospasmo reversível associado com outras doenças pulmonares crónicas (ex.

três a quatro vezes ao dia (depois das refeições). 524$00 (43$70). 30. 70%. 70%. comprimidos. 20. A hipersensibilidade à etilenodiamina pode causar urticária. acção prolongada. 70%. comp. 12. 606$00 (20$20). 60. 6. supositórios. Interacções medicamentosas: Probenecid. AMINOFILINA AZEVEDOS Lab. 300. 70%. 70%. 609$00 (20$30). . NEUFIL Lab. 500. 400. sol. 70%.2. 200 ml. 400. EUFILINA BYK Portugal. 225. TEOVENT Schering-Plough. Bial. 2 284$00 (38$10). 30. em duas tomas. comp. NEUFIL INFANTIL Lab. 50. 250. 1 018$00 (17$00). 125. Oral: 100-300 mg. Contra-indicações e precauções: Ver teofilina.025 + 0.1 + 0. 350. 70%. cáps. UNICONTIN Asta Médica. 500.2. 371$00 (12$40).acção prolongada. Azevedos. facilita o rápido controlo dos sintomas e previne a deterioração da função pulmonar. Os corticosteróides são fármacos eficazes no tratamento da asma pela sua acção anti-inflamatória ao nível da mucosa brônquica (por inibição da formação. Nota: a diprofilina é excretada pela urina na sua forma inalterada. 1 248$00 (25$00). supositórios. acção prolongada. por contribuirem para a redução do edema e da secreção de muco nas vias aéreas e por serem broncodilatadores por via indirecta. duas vezes ao dia (inicialmente) 450 mg. FILOTEMPO Asta Médica. 1 009$00 (50$40). eritema e dermatite esfoliativa. Broncodilatadores e antiasmáticos TEONIBSA Inibsa. • s AMINOFILINA + EFEDRINA + FENOBARBITAL ANTI-ASMÁTICO Comp. Posologia: Injectável: via I. O recurso a fármacos corticosteróides como anti-inflamatórios é recomendado para todos os doentes. 1 098$00 (18$30). NEUFIL Lab. 20.67. 6.168 Capítulo 5 | 5. excepto em situações de asma com acessos intermitentes muito espaçados. 30. Oral-fórmulas de libertação prolongada: [Crianças] – > 3 anos 12 mg/kg/dia (inicialmente) 24 mg/kg/dia. cáps. supositórios. 70%. 450$00 (75$00). libertação e actividade dos mediadores da inflamação). 150. TEOVENT Schering-Plough. pode determinar alterações irreversíveis das funções das vias aéreas.revestidos. • s AMINOFILINA Indicações: Ver teofilina. 70%. 70%. acção prolongada. 12. oral. 70%. 226$00 (18$80). 455$00 (22$80). 60. Bial. 70%.02. cada 6 horas. 70%. 60. 1 432$00 (23$90). 500. UNICONTIN Asta Médica. Posologia: 15 mg/kg. acção prolongada. acção prolongada. [Adultos] – 225 mg. Reacções adversas: Ver teofilina. uma a três vezes ao dia. por via inalatória. 60. sol. NEUFIL Lab. Reacções adversas: Ver teofilina. 464$00 (2$30). Corticosteróides A asma é uma doença caracterizada por significante componente inflamatória que contribui para a persistencia de sintomas e. lenta (20 minutos) 250-500 mg (5 mg/kg). 240. comp. injectável. FILOTEMPO Asta Médica. 496$00 (41$30). Rectal: 300 mg. comp. Contra-indicações e precauções: Ver teofilina. 0. 12. O tratamento precoce com corticosteróides. comp. • s DIPROFILINA Indicações: Ver teofilina. Azevedos. o que requer especial atenção no ajuste das doses em doentes insuficientes renais.V. 225. Bial. AMINOFILINA AZEVEDOS Lab. 70%. Portuguesa de Higiene.4. duas vezes ao dia. acção prolongada. • 5. cáps. comprimidos. Bial. por aumento da sensibilidade dos receptores β2 aos simpaticomiméticos. 70%. se não for tratada.

em tratamentos prolongados. A suspensão destes fármacos não deve fazerse de forma abrupta. ao nível da circulação periférica. duas vezes ao dia. (Inalação de pó): [Crianças] – 100 µg. três a quatro vezes ao dia. 70%. Em situações de maior gravidade pode iniciarse com doses de 600-800 µg/dia. 100 µg. 30. 50 µg. duas vezes ao dia. 169 actividade endócrina das supra renais. se necessário (não recomendado a crianças). 70%. até três a quatro vezes ao dia. 250 µg. Posologia: (Na profilaxia e tratamento da rinite alérgica. 30. disfonia e irritação brônquica.2. aerossol. O benefício cumulativo no alívio dos sintomas surge. duas vezes ao dia ou 200 µg. duas a quatro vezes ao dia ou 200 µg. aerossol. 0. 6 341$00 (31$70). BECLOTAIDE RECARGA GlaxoWellcome. 50 µg. 200 µg. tuberculose ou outra patologia infecciosa. 70%. (Aerossole – alta dosagem): [Adultos] – 250 µg. mal asmático e outros episódios agudos de asma (se usados isoladamente). duas a quatro vezes ao dia ou 100-200 µg. aerossol. aerossol. (ex. após o início do tratamento. duas vezes ao dia. 100 µg.1 + 0. entre o 3º e o 7º dia. caps. 200 doses. ALDECINA Schering-Plough. o que pode contribuir para efeitos na função pulmonar e acção terapêutica dentro das 4 horas que se seguem ao uso do corticosteróide. Broncodilatadores e antiasmáticos Por via inalatória intranasal são usados como fármacos de primeira linha no tratamento da rinite alérgica sazonal ou permanente da criança e do adulto e na rinite não alérgica. Estes fármacos são também eficazes na agudização da DPCO. . BECLOTAIDE ROTACAPS GlaxoWellcome. três a quatro vezes ao dia. 30. (Inalação de pó – alta dosagem): [Adultos] – 400 µg. por via inalatória. mesmo que por via inalatória. 200 doses. a eosinopenia é significativa ao fim de 2 horas. 200 µg. sendo clinicamente pouco relevantes as diferenças de potência. quatro vezes ao dia ou 500 µg. 40%. duas vezes ao dia. se necessário (não recomendado a crianças). aerossol. 70%. normalmente. caps. [Adultos] – 200 µg. 70%. Capítulo 10). Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade ao fármaco. 70%. 1 055$00 (35$20). aerossol. Dado não existir um efeito broncodilatador directo. 70%. BECLOTAIDE RECARGA GlaxoWellcome. Interacções medicamentosas: Não descritas para os corticosteróides. BECLOTAIDE GlaxoWellcome. 30. • s BECLOMETASONA Reacções adversas: Por via inalatória intranasal (V. O propionato de beclometasona. a resposta à corticoterapia por via oral ou inalatória requer um mínimo de 6 horas até que se atinja o objectivo terapêutico. Por via sistémica utilizam-se em situações graves de asma crónica ou de exacerbação aguda de asma e sempre que o controlo destas situações não é obtido pela administração inalatória ou pelo uso de broncodilatadores. candidíase oral.05. duas vezes ao dia. caps. quando usados em altas doses e por período de tempo prolongado. Capítulo 10). 981$00 (32$70). vasomotora. o propionato de fluticasona e a flunisolida aparecem descritos como fármacos de igual eficácia. (Aerossole): [Crianças] – de 1-12 anos 50-100 µg. Por via inalatória são usados como terapêutica de manutenção em situações de asma de grau moderado e em terapêutica complementar com fármacos agonistas β2. Os corticosteróides usados por via inalatória têm muito menos efeitos sistémicos do que quando usados oralmente. congestão nasal. Contudo. 845$00 (28$20). aerossol.5. 200 doses. 964$00 (4$80). ligeiro aumento de risco de glaucoma e cataratas. embora os seus efeitos indutores da osteoporose e da supressão suprarrenal possam surgir após a inalação de doses altas. faringite. 1 330$00 (6$60). 200 doses. 754$00 (25$10). Os corticosteróides são indutores da osteoporose e podem ter acção supressora ao nível da s SALBUTAMOL + BECLOMETASONA VENTAIDE INALADOR GlaxoWellcome. por via inalatória: cefaleias. duas vezes ao dia ou 100 µg. beclometasona e budesonido) (V. 1 132$00 (5$70). caps. eosinofilia pulmonar (propionato de beclometasona). até 800 µg. BECLOTAIDE ROTACAPS GlaxoWellcome. aerossol. [Adultos] – 400 µg. o budesonido. BECLOTAIDE FORTE GlaxoWellcome. ver Capítulos 10 e 13).

60 doses. pó inalação. 60 doses 1689$00 (28$20). aerossol. ASMATIL INALADOR Alter. 400 µg. pó inalação. ASMATIL RECARGA Alter. uma a duas vezes ao dia até 1. pó inalação.Vitória. 70%. pó inalação. aerossol. 250 µg. 50 µg. 70%. 9 099$00 (45$50). 70%. 70%. 200 µg. aerossol. [Adultos] – 200-800 µg/dia até 1. aerossol. 7 693$00 (128$20). 7 511$00 (125$20). 250 µg.6 mg/dia. PULMICORT TURBOHALER Astra Portuguesa. 60 doses. Aerossole: [Crianças] – 50-400 µg. [Adultos] – 100-250 µg. 2 012$00 (33$50). 50 µg.Vitória. • s FLUTICASONA Reacções adversas: Ver beclometasona. Contra-indicações e precauções: Ver beclometasona. em várias fracções até 800 µg/dia. ASMO-LAVI INALADOR Lab. 60 doses. 7 511$00 (125$20). 60 doses. 1 689$00 (28$20). ASMO-LAVI RECARGA Lab. 2 012$00 (33$50). PAFTEC Unilfarma. 70%. 60 doses. 200 doses. 250 µg. pó inalação nasal. inalação oral. BRISOVENT INALADOR Bialfar. [Crianças] – 4-16 anos 50-100 µg. 60 doses.6 mg/dia. 70%. pó inalação. em várias fracções. susp. 60 doses. 1 689$00 (28$20). PULMICORT NASAL-AQUA Astra Portuguesa. . 70%. ver Capítulos 10 e 13). Vitória. Posologia: (Aerossole): [Crianças] – de 6-15 anos 500 µg. 70%. 70%. 6 143$00 (102$40). duas vezes ao dia até 1 mg/dia. 50 µg. 3 794$00 (31$60). 200 doses. 6 930$00 (69$30). aerossol. 60 doses. 70%. 5176$00 (25$90). 40%. 50 µg. sol. 100 µg. duas vezes ao dia até 800 µg/dia. 60 doses. ASMATIL ROTADISK Alter. 50 µg. 50 µg. ASMO-LAVI INALADOR Lab. 2 012$00 (33$50). ASMO-LAVI RECARGA Lab. 70%. ASMO-LAVI ROTADISK Lab. 70%. ASMATIL INALADOR Alter. 70%. 120 doses. 100 doses. [Adultos] – 200 µg.Vitória. PULMICORT TURBOHALER Astra Portuguesa. 250 µg. 7 693$00 (128$20). 60 doses. aerossol. Interacções medicamentosas: Ver beclometasona. pó inalação. 6 134$00 (102$20). 50 µg. • s FLUNISOLIDA Reacções adversas: Ver beclometasona. 70%. pó inalação oral. Contra-indicações e precauções: Ver beclometasona. PULMICORT Astra Portuguesa. ASMO-LAVI ROTADISK Lab. Contra-indicações e precauções: Ver beclometasona. 7 129$00 (35$60). pó inalação. ASMATIL RECARGA Alter. 60 doses. pó inalação oral. 250 µg. pó inalação. duas vezes ao dia até 1 mg. Interacções medicamentosas: Ver beclometasona Posologia: (Na profilaxia e tratamento da rinite alérgica. 50 µg. BRISOVENT ROTADISK Bialfar. 2 647$00 (13$20). pó inalação. 250 µg. Nota: os inaladores de 250 µg não se recomendam em crianças. 2 012$00 (33$50). 6 142$00 (102$30). 2 012$00 (33$50). 70%. 2 012$00 (33$50). 70%. Posologia: (Não se recomenda o tratamento de crianças abaixo dos 4 anos). duas vezes ao dia. 250 µg. 50 µg. 70%. 70%.170 Capítulo 5 | 5. 60 doses.2. Inalação de pó: [Crianças] – 200-800 µg/dia. 60 doses. s BUDESONIDO Reacções adversas: Ver beclometasona. BRISOVENT RECARGA Bialfar. 60 doses. pó inalação. 250 µg. sol. Broncodilatadores e antiasmáticos Interacções medicamentosas: Cetoconazol. 200 µg. 200 doses. 60 doses.Vitória. duas vezes ao dia. PULMICORT NASAL TURBOHALER Astra Portuguesa. 70%. 50 µg. 70%. 200 doses. Vitória. nebulização. BRISOVENT INALADOR Bialfar.nebulização. 70%. ASMATIL ROTADISK Alter.

Capítulo 10) mas que também evidencia uma acção de estabilização da célula mastocitária e de outras células inflamatórias e parece neutralizar a taquifilaxia adrenérgica. as crianças parecem responder melhor. 250 µg. As cromolinas (cromoglicato de sódio e nedocromil) e o cetotifeno são fármacos anti-inflamatórios que. 70%. da asma alérgica e da asma induzida pelo exercício. 60 doses. Situações de rinite sazonal e de rinite alérgica intermitente. vertigens e tonturas. FLIXOTAIDE ROTADISK GlaxoWellcome. Broncodilatadores e antiasmáticos BRISOVENT ROTADISK Bialfar. Nestas situações. pó inalação. sem metabolização. 60 doses. 60 doses. ocasionalmente. Após o tratamento de várias semanas ou meses podem ocorrer. A inalação regular de cromolinas pode reduzir a incidência de ataques de asma e permitir reduzir gradualmente as doses terapêuticas dos broncodilatadores e dos corticosteróides. pó inalação. 70%. Este fármaco . «rashes». 6 143$00 (102$40). irritação de garganta e gosto amargo-metálico (após a inalação oral). 70%. Reacções adversas: Broncospasmo passageiro. São rápidamente excretados pelas vias renal e biliar. 250 µg. causar broncospasmo deve aconselhar-se o doente a inalar. Antiasmáticos de acção profiláctica 5. – urticária. ao inibirem a desgranulação dos mastócitos e actuarem sobre outras células (eosinófilos. neutrófilos. 50 µg. cefaleias. comichão. sobretudo se apresentam asma do tipo extrínseco. 60 doses.5. O cetotifeno é um fármaco antihistamínico (V. FLIXOTAIDE RECARGA GlaxoWellcome.2.5.5. pelo que é considerado como anti-alérgico análogo dos cromoglicatos. Antihistamínicos Este grupo de fármacos actua. O cromoglicato de sódio e o nedocromil são usados na prevenção do ataque de asma induzido pelo exercício. pó inalação. Se a inalação do pó seco. a suspensão do tratamento com cromolinas deve fazer-se com precaução. principalmente. um agonista selectivo β2 de curta duração de acção. FLIXOTAIDE ROTADISK GlaxoWellcome. 60 doses. FLIXOTAIDE RECARGA GlaxoWellcome. mas parece eficaz nas situações de rinite sazonal e de rinite alérgica intermitente. A solução para inalação está indicada em crianças muito pequenas que ainda apresentam dificuldade em manusear quer o aerossole quer o inalador das cápsulas de pó seco. préviamente instituídas. aerossol. 70%. 250 µg. 7 600$00 (126$70). prevenindo a libertação celular de mediadores envolvidos nas respostas alérgicas ou inflamatórias. 60 doses 1 689$00 (28$20). 7 600$00 (126$70). pelo que os seus efeitos secundários se restringem a efeitos irritantes inerentes mais à inalação do pó seco do que ao fármaco em si. 250 µg.1. 60 doses. pó inalação. 70%. 7 600$00 (126$70). macrófagos) impedem a libertação dos mediadores da resposta inflamatória. 70%. 50 µg. mais raramente: – agravamento da asma existente. 50 µg. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade ao cromoglicato de sódio. aerossol. De um modo geral a profilaxia com as cromo- linas é menos eficaz no adulto do que a corticoterapia inalatória. espirro e. BRISOVENT RECARGA Bialfar. 2 012$00 (33$50).• 171 5. Náuseas. s CROMOGLICATO DE SÓDIO Indicações: Profilaxia da asma brônquica. 70%. uns minutos antes. particularmente em crianças. epistáxis (após inalação nasal). Não está indicado no tratamento do ataque de asma agudo. pó inalação. 2 012$00 (33$50). 60 doses. É absorvido por via oral e está demonstrada a sua eficácia no controlo profiláctico de situações de asma de grau ligeiro e moderado e na rinite alérgica sazonal. 70%. pó inalação. desde que feita uma inalação meia hora antes. 7 600$00 (126$70). 250 µg.2. a partir das cápsulas. A terapêutica com estes fármacos não está indicada no tratamento do ataque de asma agudo. – infiltrados pulmonares com eosinofilia (o que obriga a descontinuar o tratamento). O cromoglicato e o nedocromil só são activos por via tópica. FLIXOTAIDE INALADOR GlaxoWellcome. vómitos. FLIXOTAIDE INALADOR GlaxoWellcome. pelo que devem ser inalados. tosse.2. Congestão nasal com ardor.

Deve haver precaução ao descontinuar o tratamento com cromolinas.2. 0. No grupo dos fármacos antagonistas ou inibidores da síntese dos leucotrienos. aumento de peso por estimulação do apetite. vertigens. 1 868$00 (31$10). 1-2 mg. cápsulas. INTAL Fisons Farmacêutica cápsulas + turbohaler. 30. 200 ml.-A (slow reacting substance of anaphylaxis) com potente actividade broncoconstritora. 20. 70%. 1 808$00 (30$10).• s CROMOGLICATO DE SÓDIO. 1 407$00 (7$00). 1. O uso de cetotifeno com antidiabéticos orais (principalmente biguanidas) pode provocar uma baixa de plaquetas. 112 doses 1 949$00 (17$40). 70%. INTAL Fisons Farmacêutica cápsulas (aerossol). sol. 2 209$00 (36$80). quatro vezes ao dia. 1 mg. particularmente em doentes que reduziram gradualmente a terapêutica com corticoesteróides após o início do tratamento com o cromoglicato. 1.2. QUEFENO Helfarma. [Adultos] – 0. Posologia: [Crianças] – > 2 anos. oral. ZADITEN Norvartis Farma.S. cápsulas. gravidez e aleitamento.2. 0. oral. cápsulas. encontram-se. sol. sol. sol. até oito vezes ao dia. após o início do tratamento com o cetotifeno. 20 + + 25. RYNACROM Fisons Farmacêutica sol. CIPANFENO Cipan. Em doentes tratados com antiasmáticos as respectivas doses devem manter-se. 70%. 70%. 20. hipnóticos e álcool. 13 ml. 980$00 (49$00). Aerossole: [Crianças] e [Adultos] – 5-10 mg. 70%. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade ao cetotifeno. cápsulas.2. 840$00 (64$60). duas vezes ao dia. 1 444$00 (111$10).• 5. nebulização. 1. Interacções medicamentosas: Sendo um fármaco antihistamínico. CIPANFENO Cipan. desprovidos de actividade broncodilatadora e com interesse como profilácticos da asma. 70%. 70%. sedativos. ZADITEN Norvartis Farma. 0%. 852$00 (42$60). INTAL 5 Fisons Farmacêutica aerossol.2. QUEFENO Helfarma. Este fármaco está contra-indicado no tratamento do ataque de asma agudo. . 20. em situações graves ou durante períodos de risco. Interacções medicamentosas: Não descritas. duas vezes ao dia. 20. Posologia: (Inalação de pó): [Crianças] e [Adultos] – 20 mg. 60. nebulização. numa só fracção à noite. 70%. durante pelo menos duas semanas.172 Capítulo 5 | 5. ou serem Os leucotienos têm um importante papel nos processos inflamatórios e alérgicos. 1 309$00 (6$50). secura de boca. em situações graves ou durante períodos de risco. 1 544$00 (7$70). cápsulas. um dos componentes da S. São antagonistas competitivos e selectivos dos receptores do leucotrieno D4. com os alimentos.5. ZADITEN Norvartis Farma. 70%. 60. disponíveis o montelucaste e o zafirlucaste. Antagonistas dos leucotrienos s CETOTIFENO Indicações: Profilaxia da asma de grau ligeiro e moderado. 30. 70%. estando envolvidos na fisiopatologia da asma. 1 018$00 (33$90). Broncodilatadores e antiasmáticos gradualmente reduzidas. quatro vezes ao dia. requer precaução no uso concomitante com outros antihistamínicos. 1. 0. 200 ml. 1. 1 410$00 (47$00). 13 ml. 200 ml. XILOMETAZOLINA RYNACROM COMPOSTO Fisons Farmacêutica. CIPANFENO Cipan. 0%. entre nós.• está contra-indicado no tratamento do ataque de asma agudo.R. 60. Rinite alérgica sazonal. oral. com os alimentos.2. até seis-oito vezes ao dia. 70%. Reacções adversas: Sonolência marcada (à qual se manifesta tolerância com a continuação do tratamento). 20.5-1 mg. 5.

Interacções medicamentosa: Fenobarbital. mastigáveis. ACCOLATE Zeneca. 28. astenia. Aconselha-se a monitorização dos doentes a receber montelucaste e que reduziram as doses sistémicas de corticosteróides (têm sido notificados casos raros de Síndroma de Churg-Strauss). 70%. Contra-indicações e precauções: Ver montelucaste. 20. rifampicina. 7 290$00 (121$50). Posologia: [Crianças] – > 6 anos 5 mg. Interacções medicamentosa: Aspirina. 70%. numa só fracção à noite. 60. tonturas e secura de boca. fenitoína. Está contra-indicado no tratamento do ataque de asma agudo ou como monoterapia na asma induzida pelo exercício.5. SINGULAIR Merck Sharp & Dohme. teofilina. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade ao montelucaste. Broncodilatadores e antiasmáticos 173 s MONTELUCASTE Indicações: Profilaxia da asma crónica estável e asma induzida pelo exercício.2. Reacções adversas: Embora ainda seja escassa a experiência clínica existente. revestidos. Reacções adversas: Ver montelucaste. eritromicina. • . 9 230$00 (329$60). numa só fracção à noite. 5. comprimidos. comp. Posologia: [Adultos] e [Crianças] – > 12 anos: 20 mg. duas vezes ao dia (1 hora antes ou 2 horas após a refeição). 10. sonolência. perturbações gastrintestinais. doença hepática. cefaleias. SINGULAIR JÚNIOR Merck Sharp & Dohme. • s ZAFIRLUCASTE Indicações: Ver montelucaste. 70%. têm sido referidas infecções do trato respiratório superior. [Adultos] – 10 mg. 28. comp. terfenadina. varfarina. 9 230$00 (329$60).

pirenzepina. Critérios de escolha dos antiulcerosos 6.3. Cerca de 90% dos doentes com úlcera duodenal e cerca de 70% dos doentes com úlcera gástrica tem infecção pelo Helicobacter pylori. Modificadores da motilidade gastrintestinal 6.3. Sistema Gastrintestinal .2. Modificadores da bile e da motilidade vesicular 6.7. Antidiarreicos 6. nos últimos anos. As úlceras cicatrizam mais rapidamente quando se evita o contacto da mucosa com ácido e pepsina. Sistema Gastrintestinal Sistema Gastrintestinal 6.6. prostaglandinas). com os consequentes riscos iatrogénicos. As taxas de recidiva de úlcera reduzem-se muito significativamente quando se consegue erradicar o Helicobacter pylori. e de que ainda sobrevivem alguns resquícios. apenas se devendo valorizar as comparações directas. bem conhecidos.1.3. sucralfato. Protectores da mucosa 6. De igual modo.1. mas as comparações bibliográficas deste tipo não são válidas. Modificadores da secreção gástrica 6. são factores que explicam algumas das «modas terapêuticas». Sabe-se que os bloqueadores H2 e os inibidores da bomba de protões são eficazes na prevenção das recidivas desde que se mantenha a terapêutica indefinidamente. Antiácidos e antiulcerosos Neste capítulo agrupam-se fármacos muito heterogéneos que partilham utilização terapêutica comum (neutralização da acidez gástrica e/ou tratamento da úlcera péptica). revestindo a cratera ulcerosa e prevenindo a sua agressão (sucralfato) e aumentando a defesa da mucosa (carbenoxolona. Bloqueadores dos receptores H2 da histamina 6.3. Laxantes e catárticos 6. A fisiopatologia da úlcera péptica. os factores relevantes para a sua acção. Modificadores da motilidade intestinal 6. ranitidina. mas o tratamento é comum.2. pirenzepina.3.3. Prostaglandinas 6.6.7.1.3. Coleréticos e colagogos 6.1. pela sua neutralização (antiácidos).8. outros alterações nas defesas da mucosa. Antiácidos 6. Referir-se-ão apenas.1. a forte componente do efeito placebo na melhoria sintomática. a história natural de cicatrização espontânea e recorrências. e a propósito de cada grupo de fármacos.5. As causas podem ser diversas. Não cabe nos objectivos deste texto a descrição dos mecanismos conhecidos da fisiologia da secreção gástrica e da fisiopatologia da úlcera péptica. omeprazol. outras vezes existe predisposição genética).4. famotidina. ou terem preponderância diferente (alguns doentes têm aumento da secreção clorídrico-péptica. somouse. Antiácidos e antiulcerosos 6 6. dietéticos ou iatrogénicos. É usual considerar a úlcera péptica como a manifestação clínica comum de um grupo heterogéneo de doenças. embora os mecanismos patogénicos não estejam ainda totalmente esclarecidos. derivados benzimidazólicos.1. o reconhecimento de que a úlcera é frequentemente uma «doença infecciosa».4. multifactorial e ainda insuficientemente conhecida. Derivados benzimidazólicos 6. Anticolinérgicos 6. Modificadores da motilidade gástrica 6.5. que no passado eram frequentes.1.1.1. por vezes identificam-se factores exógenos. A estes factos.4. prostaglandinas). Na prevenção da recidiva da úlcera gástrica são eficazes os bloqueadores dos receptores H2. prostaglandinas) e as diferenças importantes residem nos efeitos indesejáveis e no custo. havendo poucos estudos para outros fármacos. Critérios de escolha dos antiulcerosos No tratamento da fase aguda da úlcera gástrica quase todos os fármacos disponíveis são efi- cazes (cimetidina. Este objectivo pode conseguir-se: inibindo a secreção ácida (bloqueadores dos receptores H2. no tratamento da úlcera duodenal é possível encontrar referências a eficácia semelhante dos fármacos disponíveis.

náuseas e vómitos. de ranitidina com amoxicilina e metronidazol ou ranitidina e claritromicina possibilitam erradicações percentualmente sobreponíveis. Melhora após suspensão da ingestão dos alcalinos absorvíveis e do cálcio. As alterações iónicas embora pouco frequentes têm grande relevo clínico. Os tratamentos associando sais de bismuto com metronidazol e tetraciclina. Há risco de oclusão intestinal se se verificar hemorragia digestiva. As modalidades terapêuticas clássicas têm vindo a ser reformuladas. de omeprazol e claritromicina. os de alumínio obstipação. Em doentes com úlcera duodenal pode verificar-se «ricochete» da acidez (aumento marcado da acidez no termo do efeito do antiácido). hipofosfatúria. cálcio como suplemento) pode manifestar-se a sindroma lácteo-alcalina. Antiácidos Quando é ingerido cálcio em simultâneo (leite. Antiácidos A base racional da sua prescrição era o clássico aforismo de Schwarz. a associação de omeprazol com amoxicilina e metronidazol. aumento da reabsorção de cálcio e fósforo dos ossos. O sódio presente nos antiácidos formulados sob a forma de gel é absorvível e em doentes com insuficiência renal ou insuficiência cardíaca congestiva pode agravar a situação clínica. pode ser curada. fosfatase alcalina normal. induzida pela elevação do pH do conteúdo gástrico. A alcalinização do conteúdo gástrico diminui a absorção dos ácidos fracos e aumenta a absorção dos compostos básicos. Esta síndroma é caracterizada por hipercalcemia sem hipercalciúria ou hipofosfatemia. O uso prolongado e não controlado de antiácidos pode determinar efeitos indesejáveis significativos. não há úlcera». dado que.176 Capítulo 6 | 6. no intestino. «sem ácido. a litíase fosfática é favorecida pela alcalinização persistente da urina e podem ocorrer cálculos de sílica em doentes tratados com silicato de magnésio. ao neutralizar a acidez gástrica. A ingestão crónica de cálcio pode aumentar a incidência de cálculos renais. Pode ocorrer osteomalacia. Os antiácidos podem ser absorvidos e o grau de absorção justifica a sua classificação em sistémicos e não sistémicos. Pylori. poliúria. O risco de hipermagnesemia com hipotensão. Assim. claritromicina ou amoxicilina permitem obter taxas de erradicação de 70 a 80%.2. A principal limitação destas associações reside na incidência de efeitos indesejáveis e na incomodidade resultante das tomas múltiplas. hipercalciúria. aumento da absorção intestinal de cálcio. o carbonato de cálcio uma ou outra. . Em condições homeostáticas o excesso de bicarbonato é excretado pelo rim. Com o carbonato de cálcio verifica-se hipercalcemia (e consequentemente aumento da gastrina e da secreção ácida). a compostos básicos insolúveis. poupa bicarbonato intestinal que pode ser absorvido. se a úlcera é uma «doença infecciosa». 6. Quando administrados em quantidade suficiente para elevar marcadamente o pH gástrico inibem a actividade péptica. As taxas de recidiva de úlcera péptica diminuem muito significativamente quando se consegue erradicar o H. A litíase renal pode ser agravada ou desencadeada pelo consumo de antiácidos. náuseas e vómitos e em casos mais graves diminuição de reflexos osteotendinosos.2. em consequência da identificação do papel da infecção pelo Helicobacter na patogenia da úlcera péptica. Os antiácidos não sistémicos dão origem. alcalose. As modificações de trânsito intestinal são frequentes: os sais de magnésio podem provocar diarreia. que se deve à secreção de gastrina. A erradicação não é exequível com monoterapia. dores abdominais. sede. Conseguem-se resultados idênticos associando inibidores da secreção ácida (bloqueadores H2 ou inibidores da bomba de protões) com antibióticos. Esta evolução modificou a atitude terapêutica. insuficiência renal. dado que a pepsina é inactivada entre pH 7 e 8. obstipação. só se verifica em insuficientes renais. astenia. alcalinizando a urina e mantendo o equilíbrio ácido-base. não absorvíveis. manifestada por cefaleias. Os antiácidos podem interferir com a acção de outros fármacos por vários mecanismos: – alteração do pH do conteúdo gástrico e intestinal. A depleção do fósforo caracteriza-se por: hipofosfatemia. O bicarbonato de sódio é exemplo típico de antiácido sistémico que. Os sistémicos podem produzir alterações do equilíbrio ácido-base (alcalose metabólica) por absorção de catiões. Estas interacções podem dificultar a obtenção de concentrações eficazes ou determinar toxicidade. Os antiácidos removem ou neutralizam ácido do conteúdo gástrico e assim aliviam a dor. depressão respiratória e coma. antiácido contendo cálcio. anorexia. – interferência com a excreção urinária – por modificação do pH urinário. O hidróxido de alumínio e o hidróxido de magnésio diminuem a absorção de fósforo.

800. ou em função das manifestações sintomáticas. 50. O seu uso deve restringir-se ao controlo sintomático (da dor). 0%. precauções: Ver introdução deste subgrupo. anticolinérgicos. pelo custo em efeitos indesejáveis e incomodidade. etc. sais de bismuto.). • s HIDRÓXIDO DE ALUMÍNIO + HIDRÓXIDO DE MAGNÉSIO Indicações. reacções adversas. pó para. As preparações liquidas ou em pó. Posologia: 1 colher de chá uma a três horas após as refeições e ao deitar. 76 + 76 + 6. Antiácidos – alteração do pH plasmático – a ligação às proteínas plasmáticas pode ser alterada na alcalose. Posologia: Mastigar 1 a 2 comprimidos ou ingerir 1 a 2 carteiras de suspensão oral. 1 a 3 horas após as refeições e ao deitar. Outras (trisilicato de magnésio. que implica. 250$00 (3$10). são mais eficazes do que os comprimidos. 60. comprimidos. carbonato de cálcio) têm as limitações já descritas. 80 g. etc. ou em função das manifestações sintomáticas. 0%. cloropromazina. suspensão oral. em doentes submetidos a polipragmasia por outras razões. oral. corticosteróides. ou em função das manifestações sintomáticas. NA) + SILICATO DE ALUMÍNIO Indicações. MAALOX PLUS Rhone Poulenc. • . 800. esse não é o objectivo da terapêutica. pó para susp. 815$00 (13$60). • Antiácidos s CARBONATO DE CÁLCIO + ÓXIDO DE MAGNÉSIO + BELADONA Indicações. ou em função das manifestações sintomáticas. 40%. 1 162$00 (58$10). CA. comprimidos. magnésio e alumínio podem adsorver fármacos como a tetraciclina. RIOPAN BYK Portugal. reacções adversas. GASTROPLEX PÓ Codilab.2. Os mais eficazes (bicarbonato de sódio. 20. Estas interacções podem ter significado clínico quando os antiácidos são prescritos para prevenir ou tratar efeitos dispépticos ou ulcerogénicos de outros fármacos (PAS. 200 + 200 + + 25. 645$00 (32$30). SERVETINAL PÓ Salusif. reacções adversas. Posologia: 1 colher de chá uma a três horas após as refeições e ao deitar. susp. 800. dificultando a sua absorção. comprimidos. precauções: Ver introdução deste subgrupo. 330$00 (16$50). 20. 0%. • s HIDRÓXIDO DE ALUMÍNIO + HIDRÓXIDO DE MAGNÉSIO + SIMETICONE Indicações.6. 0%. 200 + 200 + + 25. 1 220$00 (24$40). comprimidos. – adsorção – os antiácidos que contêm cálcio. ou em função das manifestações sintomáticas. Frequentemente estão comercializados em associação em dose fixa que poderão justificar-se quando uma componente tem efeitos laterais correctores dos de outra componente (por exemplo efeito laxante do sal de magnésio versus efeito obstipante do sal de alumínio). MAALOX PLUS Rhone Poulenc. 20 ml. RIOPAN BYK Portugal.) são menos eficazes. oral. precauções: Ver introdução deste subgrupo. 80 g. 249$00 (3$10). 790 + 160. 0%. antibióticos. É difícil indicar uma escolha racional entre tantos antiácidos. RIOPAN BYK Portugal. Embora seja possível promover a cicatrização de úlceras utilizando exclusivamente antiácidos (a neutralização contínua de acidez gástrica é então o alvo). MG. mas também originam menos efeitos indesejáveis. provavelmente por se dispersarem mais rapidamente. O óxido e o hidróxido de magnésio actuam rapidamente mas podem determinar diarreia (são úteis como laxantes). recomendando-se a sua prescrição 1 e 3 horas após as refeições e ao deitar. precauções: Ver introdução deste subgrupo. 177 s CARBONATO DE (BI. Posologia: 1 comprimido 1 a 3 horas após as refeições e ao deitar. reacções adversas.7. gel de hidróxido de alumínio. 0%.

20. GASTROZEPINA Unilfarma. GASTROZEPINA Unilfarma. A famotidina é um bloqueador dos receptores H2 mais potente que a ranitidina e com longa duração de acção. antes das refeições. Com a ranitidina não se têm observado estados de confusão. 6. Os anticolinérgicos clássicos não têm interesse no tratamento da úlcera péptica por serem pouco eficazes e determinarem uma incidência elevada de efeitos indesejáveis. agitação e delírio. confusão mental). Reacções adversas e contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo. A incidência de visão enevoada é dependente da dose (1% na posologia de 100 mg/dia. É excretada por via renal. a teofilina e o propranolol por inibição de enzimas oxidativas dos microssomas hepáticos. com o diazepam. obstipação. disfunção sexual. A cimetidina é um inibidor potente da secreção ácida basal e nocturna. Prevenção de recidiva: 400 mg/dia. a fenitoína. • s CIMETIDINA Indicações: Úlcera péptica. 50. 70%. determinando a inibição mais prolongada da secreção ácida.3. 2 vezes ao dia) Esofagite de refluxo: 400 mg. comprimidos. 2 vezes/dia. A pirenzepina e a telenzepina são fármacos deste grupo. há risco de agitação. Não se têm verificado efeitos antiandrogénicos nem antidopaminérgicos. Em doentes idosos com insuficiência renal e para doses elevadas. gastrite. É frequente a elevação da creatinina no soro. 60. gastrite.1. Modificadores da secreção gástrica 6. duodenite. s PIRENZEPINA Indicações: Úlcera péptica. Em insuficientes renais a semi-vida é prolongada. 5. ao pequeno almoço e ao deitar (se necessário 800 mg. ligando-se ao citocromo P450. Não está contraindicada em doentes com hipertrofia prostática ou glaucoma. 2 vezes/dia. duodenite. A pirenzepina passa mal a barreira hematoencefálica. A ranitidina. Modificadores da secreção gástrica A cimetidina e análogos antagonizam os três secretagogos endógenos. Após a identificação de subtipos de receptores muscarínicos no tubo digestivo (tipo M1) tentou dissociar-se os efeitos terapêuticos dos efeitos anticolinérgicos indesejáveis usando fármacos selectivos para esta subpopulação de receptores. peso por peso. esofagite de refluxo. diarreia. Aparentemente não interactua com fármacos metabolizados por enzimas oxidativas. síndroma de Zollinger Ellison.178 Capítulo 6 | 6. Interacções: Ver introdução deste subgrupo. Na posologia de 40 mg à noite a sua eficácia é semelhante. Inibe a secreção ácida com doses menores do que as necessárias para determinar efeitos anticolinérgicos sistémicos. gastrina e acetilcolina.3. por um período de 4 a 8 semanas. cerca de 50 a 70% não metabolizada. visão enevoada. do que a cimetidina. Anticolinérgicos A secreção gástrica é modulada por inervação colinérgica. ao deitar. a famotidina e a nizatidina não inibem o metabolismo oxidativo hepático P450. comprimidos. diminuindo a concentração hidrogeniónica e o volume de suco gástrico. não determinando ginecomastia. histamina. 4802$00 (80$00). A ranitidina tem maior actividade. A cimetidina interactua com anticoagulantes orais. confusão mental e coma. de anticolinérgico com ansiolítico ou sedativo. A nizatidina é semelhante à ranitidina. ao pequeno almoço e ao deitar (se necessário 800 mg. Posologia: 50 mg. cefaleias.3. descritos para a cimetidina em insuficientes renais e em doentes idosos. por não permitirem individualização da dose. 50. 2 vezes/dia. 1923$00 (96$20). Os efeitos adversos mais frequentes raramente impõem suspensão do tratamento (secura de boca. 70%. Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. Estão descritos casos de ginecomastia. sendo necessária a redução posológica.2. Bloqueadores dos receptores H2 da histamina O bloqueio dos receptores H2 da célula parietal do estômago inibe a secreção hidrogeniónica. nem aumento da prolactina. em 24 horas. Posologia: Cicatrização de úlcera péptica: 400 mg. 2 vezes ao dia). 6.6% na posologia de 150 mg/dia). Após ministração endovenosa pode ocorrer hiperprolactinemia. . É igualmente de evitar o uso de associações em dose fixa.3.

PEP-RANI Lab. comp. 150. Posologia: Úlcera péptica: A dose habitual é de 300 mg/dia (em duas tomas de 150 ou toma única de 300 mg à noite) 4 a 6 semanas. 7 002$00 (116$70). 60. Luso-Fármaco. 9 026$00 (300$90). Normal. PEP-RANI Medinfar. 400. 70%. 150. GASTROLAV 300 Lab. Luso-Fármaco. 12 227$00 (203$80). 70%. comprimidos. 70%. 70%. 3 738$00 (186$90). 800. 6 360$00 (106$00). a posologia pode ser aumentada até 1200 mg/dia. 60. 200. Luso-Fármaco. comprimidos. comprimidos. 70%. 200. 70%. 70%. cápsulas. 30. 20. 300. PEPTAB Biofarma. TAGAMET Smith Kline & French. 8 428$00 (301$00). 60. 200. 200. 20. 12 335$00 (205$60). síndroma de Zollinger Ellison. CIM Inst. 20. Luso-Fármaco. PEPTAB Biofarma. 12 481$00 (208$00). Normal. . 4 910$00 (245$50). PEPTIFAR Tecnimede. Vitória. comprimidos. comprimidos. 200. 150. s RANITIDINA Indicações: Úlcera péptica. comprimidos. 70%. TAGAMET Smith Kline & French.6. CIM Inst. comprimidos. Luso-Fármaco. Modificadores da secreção gástrica CIM Inst. oral (cart). 28. 28. 400. EVICER Sanofi Winthrop. 20. 70%. GASTROLAV Lab. comprimidos. 959$00 (159$80). 20. 964$00 (160$70). 60. 70%. comprimidos. 20. à noite. GASTRIDINA Medibial. 70%. 150. GASTRIDINA Medibial. Em casos excepcionais pode usar-se 600 mg/dia. 4 643$00 (77$40). 60. 12 398$00 (413$30). 150. 70%. ULCERIDINE Lab. GASTROLAV Lab. 200. 200. 60. comprimidos. CIM Inst. 70%. • 179 Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. 800. 60. Síndroma de Zollinger-Ellison: dose variável podendo ir até 6 gramas/dia. 70%. 1 836$00 (91$80). 12 227$00 (407$60). 5 546$00 (277$30). comprimidos. 1 861$00 (93$10). 200. 150. 60. 60. 60. Normal. 9035$00 (150$60). Medinfar.3. 70%. comprimidos. 300. PEPTAB Biofarma. 70%. 70%. 70%. 70%. cápsulas. 150. Interacções: Ver introdução deste subgrupo. Esofagite de refluxo: 150 mg/duas vezes ao dia. TAGAMET Smith Kline & French. cápsulas. ULCERIDINE Lab. 8 838$00 (147$30). 4 775$00 (238$80). 400. EVICER Sanofi Winthrop. 60. 8 847$00 (316$00). 20. Luso-Fármaco. 60. 300. 400. 30. 70%. comprimidos. comprimidos. comprimidos. 70%. 4 577$00 (76$30). comprimidos. Prevenção de recidiva de úlcera: 150 mg/dia. 300. 300. 70%. 70%. 8 688$00 (144$80). 10 14 12$00 (141$20). TAGAMET Smith Kline & French. 70%. 150. comprimidos. 30. 70%. 6. 400. 800. 70%. 70%. comprimidos. comprimidos. 70%. comprimidos. pó para susp. 70%. comprimidos. Vitória.Vitória. 60. comprimidos. sol. 1 865$00 (93$20). CIM Inst.injectável. 4 967$00 (248$40). 60 14 047$00 (234$10). 2 844$00 (142$20). comprimidos. comprimidos. PEPTIFAR Tecnimede. comprimidos. injectável. TAGAMET Smith Kline & French. TAGAMET Smith Kline & French. CIM Inst. 14 047$00 (234$10). 70%. 200. 8558$00 (142$70). sol. 6. PEPTAB Biofarma. 20. esofagite de refluxo. efervescentes. 150. ULCERIDINE Lab. 20. 150. PEP-RANI Medinfar. 4567$00 (76$10). em quatro tomas de 300 mg. 70%. 60. GASTRIDINA Medibial. 4652$00 (77$50). 70%.

60. comprimidos. 70%. STACER Lab. 30. DINUL Tecnifar. 2 421$00 (121$00). 20. revestidos. 300. 22 386$00 (373$10). comprimidos. P ortuguesa de Higiene. 60. comp. 70%. PEPTIFAR Tecnimede. revestidos. 70%. 60. 70%. ZANTAC GlaxoWellcome. comp. RAN Helsinn. STACER Lab. Esofagite de refluxo: 20 a 40 mg. 2 359$00 (118$00). 4 992$00 (166$40). 30. 300. 70%. 60. revestidos. revestidos. ZANTAC GlaxoWellcome. 150. 70%. comp. 5 483$00 (91$40). DIPSIN Comp. 70%. revestidos. 40. ZANTAC GlaxoWellcome. 40. Posologia: Úlcera péptica: 40 mg à noite. 70%. comprimidos. RANITINE Pentafarma. comp. 20. 10 406$00 (173$40). 70%. Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. 6 085$00 (101$40). 13 026$00 (217$10). comp. GASTOPRIDE Solvay Farma. 10 331$00 (172$20). 3 859$00 (193$00). Portuguesa de Higiene. QUARDIN Mepha. FAMOTIDINA MERCK Merck Genéricos. 8 104$00 (135$10). revestidos. 5. 5 169$00 (86$20). 20. DINUL Tecnifar. 70%. 10 406$00 (173$40). 20. comp. 5 821$00 (104$00). 6 131$00 (102$20). Atral. injectável. comprimidos. revestidos. revestidos. Interacções: Ver introdução deste subgrupo. Portuguesa de Higiene. 4 927$00 (246$40). 70%. revestidos. 10. 300. 60. comp. ZANTAC GlaxoWellcome. 10 331$00 (344$40). 20. 70%. revestidos. QUARDIN Mepha. 60. FATIDIN Cipan. 150. 150. 150. 70%. revestidos. 70%. 70%. 20. comp. 9 655$00 (160$90). revestidos. DIPSIN Comp. Atral. comp. RAN Helsinn. 150.3. 40. 60. 150. 20. 30. RANITINE Pentafarma. 150. revestidos. 70%. comp. RAN Helsinn. 70%. comp. 20. 12 474$00 (415$80). 30. • s FAMOTIDINA Indicações: Úlcera péptica. quatro a seis semanas. 30. 20. DIPSIN Comp. 300. 70%. 20. 150. 3 859$00 (193$00). 70%. revestidos. comp. FAMOTIDINA MERCK Merck Genéricos. 150. 70%. comprimidos. Atral. 20.180 Capítulo 6 | 6. Contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo. Prevenção de recidiva: 20 mg à noite. comprimidos. comp. 60. revestidos. 300. sol. . 20. 3 859$00 (193$00). 70%. 70%. comp. 56. 12 379$00 (206$30). revestidos. 70%. Síndroma de Zollinger-Ellison: posologia a ajustar individualmente podendo ir até 800 mg/dia. comprimidos. 150. 5 989$00 (231$90). síndroma de Zollinger Ellison. comp. 13 529$00 (225$50). 60. 20. 50. 1 363$00 (136$30). 70%. 70%. 60. 2 258$00 (112$90). revestidos. comprimidos. ULCECUR Ferring Portuguesa. Modificadores da secreção gástrica PEPTIFAR Tecnimede. 70%. comp. 20. 60. 150. FATIDIN Cipan. FAMOTIDINA MERCK Merck Genéricos. 70%. 70%. esofagite de refluxo. 28. comprimidos. 6 296$00 (209$90). comprimidos. 70%. STACER Lab. ULCECUR Ferring Portuguesa. 70%. 40. comprimidos. 10 27$00 (205$40). 8 298$00 (276$60). comp. 2 vezes ao dia. 60. 60. 20. 30. comprimidos. FATIDIN Cipan. 7 944$00 (264$80). 300.

do diazepam. comprimidos. cápsulas. 150. 20. Contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo. 40. Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. quatro a seis semanas. 20. 7 459$00 (266$40). omeprazol. 14. Não têm sido descritas interacções com o pantoprazol. da secreção ácida. 40. A dose usual de lansoprazol é de 300 mg uma vez por dia. comprimidos. MENSOMA Farmoquimica Baldacci. Posologia: Úlcera péptica: 300 mg/dia ao deitar. 40. 40. NIZAXID Lilly Farma. 70%. 70%. da fenitoína. aumenta as concentrações plasmáticas do tacrolimus e dos digitálicos. NIZAXID Lilly Farma. Derivados benzimidazólicos Os derivados benzimidazólicos lansoprazol. cápsulas. GASTRIFAM Helsinn. até 120 mg/dia. 40. 70%. 70%. 70%. comprimidos. 70%. 70%. 20. comprimidos. 6 748$00 (224$90). 70%.3. Por outro lado o risco de recidiva é idêntico após a terapêutica com qualquer dos fármacos. 70%. ao deitar. 30. na posologia de 20 a 40 mg/dias. • Indicações: Úlcera péptica. e timoprazol inibem a secreção ácida por inibirem a ATPase de H+ e K+ das células parietais do estômago (inibição da bomba de protões). comprimidos. cápsulas. 4 666$00 (333$30). Há assim diferenças significativas nas percentagens de cicatrização verificadas às duas semanas de tratamento mas que não se mantêm ao fim de 4 semanas. 70%. superior a 24 horas. síndroma de Zollinger Ellison. acumula-se nas células parietais determinando uma inibição prolongada. 70%.3. 30. Modificadores da secreção gástrica GASTOPRIDE Solvay Farma. O omeprazol. NULCERAN Euro-Labor. 5 956$00 (198$50). MENSOMA Farmoquimica Baldacci. pantoprazol. comprimidos.3. 20. Prevenção de recidivas: 150 mg/dia. A incidência de efeitos laterais é muito baixa. comprimidos. 28. síndroma de Zollinger Ellison. 28. 20. comprimidos. 56. 60. 28. É eficaz numa toma única diária. O omeprazol potencia os efeitos da varfarina. esofagite de refluxo. GASEC Mepha. o mais potente. O lanzoprazol pode acelerar a metabolização de contraceptivos orais. 9 613$00 (343$30). Posologia: Úlcera péptica: 20 mg/dia uma toma única 4 a 6 semanas. comprimidos. 300. picoprazol.6. 70%. 56. 3 750$00 (133$90). 60. reduz a absorção do cetoconazol e do itraconazol. 9 761$00 (162$70). s NIZATIDINA s OMEPRAZOL Indicações: Úlcera péptica. No tratamento da úlcera duodenal verifica-se uma cicatrização mais rápida com o omeprazol do que com os bloqueadores H2. Síndroma de Zollinger-Ellison: doses variáveis. Doses superiores a 60 mg/dia. esofagite de refluxo. 6 601$00 (110$00). Esofagite de refluxo: 150 a 300 mg. NULCERAN Euro-Labor. ou 150 mg duas vezes por dia. 2 vezes ao dia. devem ser fraccionadas em 2 tomas diárias. PEPCIDINA Merck Sharp & Dohme. Dado que não existe correlação entre o alívio sintomático da dor e a cicatrização esta diferença não parece ter grande relevo clínico. GASTRIFAM Helsinn. MENSOMA Farmoquimica Baldacci. comprimidos. . 30. 5483$00 (182$80). de manhã e à noite. 40. Contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo. A sua semivida é significativamente prolongada nos doentes com hepatite e cirrose hepática. 7 751$00 (276$80). 70%. • 181 6. Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. PEPCIDINA Merck Sharp & Dohme. 60. 7 569$00 (135$20). Esofagite de refluxo: 20 a 40 mg/uma vez por dia. 5 900$00 (98$30). 28. 9 613$00 (171$70).

Medinfar. estimulam a secreção do muco e bicarbonato). risco de provocarem abortamento). 5 355$00 (382$50).4. PROTON Lab. comp. 60. PROTON Lab. 70%. absorvíveis por via oral têm também efeito antisecretor e de prevenção de hemorragia gastroduodenal em doentes tratados com AINES e aceleram a cicatrização de úlcera gástrica e duodenal. 3 195$00 (319$50). 70%. 20. com gastrite de refluxo. 14. revestidos. 70%. 40. 10 021$00 (334$00). APTON BYK Portugal. cápsulas. MEPRAZ Farmoz. 28. 40. 14. revestidos. 8 568$00 (306$00). comp. Doses superioes a 60 mg/dia. 10 021$00 (334$00). OMEZOLAM Euro-Labor. Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. revestidos. 5 355$00 (382$50). PRAZENTOL Tecnimede. 20. cápsulas. Contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo. 28. 20. úlcera de stress). Medinfar. PROCLOR Pentafarma. 9 640$00 (344$30). comp. MEPRAZ Farmoz. 70%. 40. • 6. 70%. 70%. Esofagite de refluxo: 20 a 40 mg/uma vez por dia. Prostaglandinas As prostaglandinas E1 e E2 têm efeito antisecretor e exercem funções na prevenção de lesões erosivas de antiinflamatórios não esteróides (aumentam o fluxo sanguíneo da mucosa. cólicas uterinas. 40. 30. 70%. cápsulas. revestidos. 70%. 30. 7 560$00 (540$00). Posologia: Úlcera péptica: 200 µg/4 x dia. 20. 28. 28. 14. 10. 6 490$00 (463$60). cápsulas. 70%. 6 684$00 (477$40). OMEZOLAM Euro-Labor. 11 931$00 (426$10). Contra-indicações: Gravidez. 70%. 10 021$00 (334$00). cápsulas. 20. 20. 14 374$00 (239$60). cápsulas. • GASEC Mepha. 30.3. comp. 28. 28. PROCLOR Pentafarma. Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. prevenção de lesões gastroduodenais causadas pelos anti-inflamatórios não esteróides. Embora lógicas fisiopatologicamente. s MISOPROSTOL Indicações: Úlcera péptica. PANTOC BYK Portugal. Síndroma de Zollinger-Ellison: doses variáveis. A sua utilização poderia estar preferencialmente indicada em grupos particulares de doentes (com artrite reumatóide. 60. muitas destas indicações não estão comprovadas por ensaios clínicos controlados. meno e metrorragias. LOSEC Astra Portuguesa. 70%. até 120 mg/dia. comp. 40. Os seus análogos metilados. 14. Modificadores da secreção gástrica APTON BYK Portugal. 9 640$00 (344$30). 11 734$00 (419$10). 70%. 40. 70%. 20. cápsulas. ZURCAL Novartis Farma. 15 423$00 (257$00). Posologia: Úlcera péptica: 40 mg/dia uma toma única 4 a 6 semanas. ZURCAL Novartis Farma. com úlcera resistente ao tratamento com antagonistas H 2. cápsulas. . PANTOC BYK Portugal. 20. Entre nós apenas está disponível o misoprostol. 70%. A sua inegável utilidade e eficácia clínica é limitada pelos efeitos adversos (diarreia. cápsulas. comp. revestidos. 13 596$00 (485$60). cápsulas. 20. 9 640$00 (344$30).3. 14. 70%. 20. revestidos. 28. cápsulas. devem ser fraccionadas em 2 tomas diárias. cápsulas. 20. 70%. 20. cápsulas. 14. 5 355$00 (382$50). 4 a 6 semanas. 20. PROCLOR ER Pentafarma. s PANTOPRAZOL Indicações: Ver introdução deste subgrupo. 70%. 70%.182 Capítulo 6 | 6. LOSEC Astra Portuguesa. 70%.

comprimidos.2. oral. Contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo. 1000. 70%. 60. 1000. (cart). A absorção é variável com a preparação sendo menor para o carbonato de bismuto. 1 059$00 (53$00). comprimidos. 2 848$00 (47$50). oral. 70%. CYTOTEC Monsanto Portugal. ULCERMIN JABA Farmacêutica. susp. ORAL Merck Farma e Química. 1000. quatro e oito semanas. comprimidos. SUBCITRATO Indicações: Úlcera péptica. pylori deve ser associado a antimicrobianos pois a sua eficácia é muito reduzida. • 183 6. não se recomendando contudo a administração prolongada. oral. 3 183$00 (53$00). 70%. 60.3. 1 364$00 (68$20). (cart). 20. s SUCRALFATO Indicações: Úlcera péptica. 1 133$00 (56$60). DE-NOL Yamanouchi Pharma. meia hora antes das refeições. comprimidos. embora não estejam demonstradas diferenças significativas nas acções dos vários sais de bismuto. susp. comprimidos. SUCRALFATO SUSP.3. Contra-indicações: Insuficiência renal. Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. 70%. 70%. comprimidos. CALFATE Helfarma. difenilhidantoína. 20. ULCERMIN JABA Farmacêutica. comprimidos. 70%. 1000. comprimidos. 1000. 70%. A obstipação é o efeito adverso mais frequente (2 a 3%). A utilização terapêutica dos sais de bismuto é segura. quatro vezes ao dia (1 hora antes das refeições e ao deitar). 70%. SUCRALUM Inibsa Portuguesa. 4 a 6 semanas. 20. Quando o objectivo da terapêutica é a erradicação do H. 1000. ULCERMIN JABA Farmacêutica.2. (cart). ORAL Merck Farma e Química. O sucralfato não inibe a secreção ácida nem antagoniza o ácido segregado. 2 106$00 (105$30). comprimidos. 909$00 (45$40). A excreção de bismuto pode persistir elevada até três meses após o termo de um período de tratamento de seis semanas. Não se devem associar antiácidos na meia hora que antecede e na que sucede a sua toma pois é activado em meio ácido. 1000. 12 88$00 (64$40). SUCRALFATO MERCK Merck Genéricos. . 20. 0. 1000. 20. 1000. O bismuto é um metal pesado com potencial neurotóxico. 1000. SUCRALUM Inibsa Portuguesa. 1000. • Os sais de bismuto têm acção antiulcerosa e têm actividade supressora da proliferação do Helicobacter pylori. tetraciclinas). uma hora antes de cada refeição e ao deitar. comprimidos. ULCERMIN JABA Farmacêutica. Modificadores da secreção gástrica Prevenção de lesão de AINES: 200 µg 2 a 4 vezes ao dia. 1 514$00 (75$70).5. 60. 70%. 70%. 2 468$00 (41$10). 3 461$00 (57$70). Posologia: 120 mg quatro vezes ao dia ou em alternativa 240 mg duas vezes por dia. especialmente em doentes com insuficiência renal. susp. CYTOTEC Monsanto Portugal. SUCRALFATO SUSP. 5 267$00 (87$80). 70%. O subcitrato de bismuto coloidal é a preparação mais estudada. 70%. Posologia: 1 grama. 2 009$00 (33$50).6. 70%. É eficaz no tratamento da úlcera duodenal na posologia de 1 grama 4 vezes ao dia. 60. Em doentes com insuficiência renal pode determinar aumento marcado dos níveis circulantes de alumínio. SUCRALFATO MERCK Merck Genéricos. cimetidina. Reacções adversas: Escurecimento de língua e fezes pretas. 0. oral. (cart). 20. 60. susp. 120. s BISMUTO. 2 079$00 (34$70). gravidez. 20. 60. digoxina. 60. O sucralfato pode interferir com a absorção de outros fármacos (anticoagulantes orais. Protectores da mucosa O sucralfato é um sal de octasulfato de sacarose e alumínio que se dissocia em meio ácido formando uma «pasta viscosa» que adere à proteína da úlcera. 70%.

100. reacções adversas. A diminuição do pool de ácidos biliares pode ser modificada com terapêutica de substituição. • 6. HEPAQUIFA Laquifa .184 Capítulo 6 | 6. posologia: Ver introdução deste subgrupo.4. O ácido quenodesoxicólico (ácido quénico) aumenta a solubilidade do colesterol e permite dissolver cálculos já formados.1. VALBIL Comp. Modificadores da bile e da motilidade vesicular DE-NOL Yamanouchi Pharma. 140. cápsulas. precauções. precauções. • . 60. 0%. posologia: Ver introdução deste subgrupo. 50. 2 476$00 (41$30). 8 41$00 (42$10). 1 364$00 (22$70). Portuguesa de Higiene. não aumentando a excreção de bilirrubina preformada. 0%. Não está demonstrada a eficácia desta utilização. 328$00 (32$80). A bile de doentes com cálculos de colesterol é supersaturada. A terapêutica deve ser prolongada (um a dois anos). O ácido cólico aumenta o pool de ácidos biliares mas não diminui a litogenicidade da bile nem dissolve cálculos já formados. 60. cápsulas. Os medicamentos deste grupo são frequentemente prescritos com o objectivo de regularizarem o esvaziamento vesicular em situações diagnosticadas como de discinesia vesicular. sol. Sigma. 10. • s SILIBINA Indicações. São ineficazes e contra-indicados no tratamento da icterícia. VALBIL Comp. 3 506$00 (58$40). e em vesículas funcionantes (contraste vesicular em colecistografia). 1 898$00 (31$60). HEPADODDI Lab. não calcificados. reacções adversas. com a suspensão da terapêutica. A supersaturação de colesterol pode resultar do aumento da sua excreção biliar ou da diminuição dos ácidos biliares e da lecitina. precauções. HEPADODDI Lab. comprimidos. LEGALON Neo-Farmacêutica. posologia: Ver introdução deste subgrupo. 60.2. 10. Sigma. Se a elevação de transamínases for inferior a 2 vezes o valor normal. 1 028$00 (5$10). 0%. de diâmetro inferior a 2 cm. Coleréticos e colagogos Os sais e ácidos biliares aumentam o volume biliar na medida em que são absorvidos e excretados novamente. A florantirona e o tocanfil são fármacos sintéticos com acções similares ao ácido deidrocólico. 1 626$00 (32$50). 0%. 0%. O ácido quénico determina aumento da secreção intestinal de sais e água pela parede intestinal. reacções adversas. revestidos. 0%. A flora bacteriana intestinal converte o ácido quénico em ácido litocólico que é hepatotóxico. 60. reacções adversas. o que predispõe para a formação de cálculos.4. A eficácia é maior em doentes não obesos e quando os cálculos são múltiplos e de pequenas dimensões. precauções. comprimidos. Modificadores da bile e da motilidade vesicular 6. O ácido úrsico tem «menor afinidade de membrana»: não determina aumento das transa- s ÁCIDO DIMECRÓTICO (MG). 70%. cápsulas. 100. as alterações são usualmente transitórias e reversíveis. Não está provada a sua eficácia em terapêutica de substituição. 200 ml. 120. 100. CHOLIATROM Seber Portuguesa. 60. Terapêutica da litíase biliar O ácido quénico e o ácido úrsico são eficazes (50%) na dissolução de cálculos de colesterol radiotransparentes. comp. 0%. • 6. 0%. cápsulas. 3 758$00 (62$60). cápsulas. Os ácidos biliares podem causar cólica biliar se determinarem mobilização de cálculos. pelo que a diarreia é efeito lateral frequente. 100. Portuguesa de Higiene. sendo aconselhada terapêutica de manutenção para evitar recidivas. posologia: Ver introdução deste subgrupo. • s FEBUPROL Indicações. 40. 20. LEGALON Neo-Farmacêutica.4. Indicações. s TREPIBUTONA Indicações.4. 100. oral.

). Pode causar arritmias ventriculares associadas ao alargamento do intervalo QT. alterações de trânsito.5 mg/kg. A prescrição pediátrica impõe dosagem cuidadosa (0. Parece ser eficaz no controlo de náuseas determinadas pelo L-dopa. 20. normalmente transitórios e reversíveis com a suspensão da terapêutica. A identificação dos doentes em risco e a limitação do emprego de fármacos que aumentam a concentração de colesterol e a prevalência de calculose é provavelmente mais rentável em termos de risco/benefício (estrogeneo. 0%. 7 842$00 (130$70). para fins diagnósticos na preparação para exames digestivos. Excluem-se deste capítulo medicamentos que interferem com as funções gastrintestinais por mecanismo essencialmente localizado a nível dos centros (por ex: antieméticos) ou que exercem os seus efeitos por interferência com o sistema nervoso vegetativo (por ex: espasmolíticos com acção anticolinérgica). 185 s ÁCIDO ÚRSICO (ÁCIDO URSODESOXICÓLICO) Indicações: Litíase biliar. clofibrato. Tem indicações idênticas às da metoclopramida. gerontológica. Risco aumentado quando há patologia prévia ou interacções. Pode ocorrer galactorreia por aumento da libertação de prolactina. não induz secreção fluida pelo intestino e não causa diarreia. Pode ocorrer galactorreia. 150. 40. torcicolo.6. encefalite). Modificadores da motilidade gástrica A metoclopramida aumenta o tono de repouso do esfíncter esofágico inferior e a motilidade do tracto gastrintestinal. cápsulas. astenia. s METOCLOPRAMIDA 6. • 6. Sendo desprovida de efeitos centrais. de preferência fraccionada e evitando a via parentérica). A hipertonia muscular pode determinar erros de diagnóstico (tétano. mas de duvidoso interesse terapêutico. trismo. Posologia: 10 mg/kg/d. 0%. crises oculógiras) desaparecem usualmente 24 a 48 horas após suspensão da terapêutica. etc. 60. O aumento da motilidade deve-se ao bloqueio de receptores da dopamina de neurónios inibidores localizados nos plexos murais. 250. quando avaliada a pequena população susceptível de beneficiar. sonolência. Determina em cerca de 10% dos doentes tratados. Os efeitos laterais. 1 846$00 (46$20). URSOFALK Biofarma. sem risco de agravamento da sintomatologia extrapiramidal. Modificadores da motilidade gastrintestinal Neste capítulo incluem-se medicamentos de largo emprego. URSOFALK Biofarma. fora de indicações precisas (nomeadamente os laxantes e obstipantes). Exerce efeito antiemético central por acção em neurónios dopaminérgicos do centro desencadeador do vómito. a qual necessitará de terapêutica prolongada. Modificadores da motilidade gástrica mínases. 250. secura de boca. dose máxima diária. acelerando o esvaziamento gástrico e o trânsito duodenal e jejunal. nem alterações da prolactina. tonturas.6. meningite. Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. em associação com neurolépticos. O esvaziamento gástrico também contribui para o efeito antiemético. Também aumenta a motilidade do intestino delgado e do colon. Apesar da extensa informação sobre estes dois fármacos o seu verdadeiro interesse na terapêutica da litíase biliar é muito controverso. etc. Risco aumentado quando há patologia prévia ou resultado de interacções. cápsulas. Contra-indicações: Deve evitar-se o seu emprego em epilépticos e grávidas no primeiro trimes- . Não provoca efeitos extrapiramidais.5. 0%. com elevada incidência de recidivas 5 anos após a suspensão (50%). 3 136$00 (156$80). As manifestações extrapiramidais com agitação psicomotora e discinesias (espasmos faciais. Os efeitos do cisapride na motilidade gastrintestinal assemelham-se aos da metoclopramida e da domperidona. gastroparesia diabética. Pode determinar arritmias ventriculares associadas ao alargamento do intervalo QT. Indicações: Antiemético.6. DESTOLIT Marion Merrell. comprimidos. podendo determinar diarreia. será preferível em medicação pediátrica. são mais frequentes e intensos em crianças. A domperidona é um análogo da metoclopramida que não passa a barreira hematoencefálica sendo desprovida de acções de tipo extrapiramidal.

PRIMPÉRAN Synthelabo Delagrange. 258$00 (43$00). 523$00 (2$60). intramuscular ou intravenosa. com os anticolinérgicos (antagonizados os seus efeitos gastrintestinais). . 70%. 1. 200 ml. em função da idade e peso e não excedendo os 0. se necessário. PREPULSID Janssen Farmacêutica. 524$00 (2$60). comprimidos. PREPULSID Janssen Farmacêutica. sol. PRIMPÉRAN Synthelabo Delagrange. granulado (cart). 357$00 (35$70). Posologia: Deve ser ministrada antes das refeições ou 15 a 20 minutos antes do início dos sintomas: 5 a 10 mg por via oral. 407$00 (67$80). 1 a 5 mg. 0%. comprimidos. Interacções: Deve evitar-se a administração concomitante de claritromicina. oral. 0%. • tre da gestação. 15 a 30 minutos antes das refeições e. 10. PREPULSID Janssen Farmacêutica.6. oral. 10. 1. 1 089$00 (18$20). 398$00 (66$30). 6. comprimidos. oral. 60. sol. susp. MOTILIUM Janssen-Cilag. PRIMPÉRAN Synthelabo Delagrange. 0%. PRIMPÉRAN Synthelabo Delagrange. 10. 10. 10. 20. 6. 0%. 1 170$00 (195$00). 0%. 447$00 (22$40). 0%. 20. 2. 0%. fenotiazinas. sol. Posologia: 5 a 10 mg. 20. 0%. comprimidos. Interacções: Com os agonistas colinérgicos (potenciação dos efeitos gastrintestinais). 10. 1 095$00 (5$50). sol.5 mg/kg/dia. anti-depressores tricíclicos. 5. 20 minutos antes do exame. 20 mg por via oral. 1. Portuguesa de Higiene. • s CISAPRIDE Indicações e contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo. 20. 20. 823$00 (41$20). 452$00 (22$60). 5 136$00 (85$60). revestidos. 60. 0%. 60. até 3 vezes por dia. MOGASINTE Comp. 2 327$00 (38$80). 10. 0%. 50 ml. 0%. 0%. comprimidos. 894$00 (149$00). 10. 0%. 1 079$00 (18$00). oral. 60. 60. 70%. 0%. 10. REGLAN Synthelabo Fidelis. 1 683$00 (8$40). comprimidos. Não deve ser prescrita em associação com inibidores da monoaminoxídase. 6. Portuguesa de Higiene. 60. REGLAN Synthelabo Fidelis. comp. MOTILIUM Janssen-Cilag. supositórios. 0%. MOTILIUM Janssen-Cilag. 10. 200 ml. REGLAN Synthelabo Fidelis. 200 ml. MOTILIUM Janssen-Cilag.6. fluconazole. Nas crianças até aos 14 anos. 10. supositórios. comprimidos. comprimidos. MOTILIUM Janssen-Cilag. 2 a 3 vezes/dia. supositórios. Para fins diagnósticos. sol. 917$00 (45$80). injectável. Modificadores da motilidade gástrica Posologia: 10 a 20 mg. 200 ml. PRIMPÉRAN Synthelabo Delagrange. 10. 50 ml. 6. oral. comp. supositórios. MOTILIUM Janssen-Cilag. PRIMPÉRAN Synthelabo Delagrange. 1 594$00 (26$60). cetoconazol ou miconazol. PRIMPÉRAN Synthelabo Delagrange. ou 10 a 20 mg por via parentérica 5 minutos antes. butirofenonas e aminas simpaticomiméticas. 30. 2 094$00 (34$90). ao deitar. 60.6. 359$00 (7$20). 0%. 0%. • s DOMPERIDONA Indicações e contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo. 6. 0%. 0%. revestidos. 6. oral. 15 a 30 minutos antes das refeições. MOGASINTE Comp. supositórios. 211$00 (35$20). 10. 10. 2. MOTILIUM Janssen-Cilag. 1.186 Capítulo 6 | 6. eritromicina. 330$00 (6$60). itraconazol. susp. REGLAN Synthelabo Fidelis. 70%. 0%. por risco de aumento de incidência de arritmias.

8. Deve excluir-se a existência de causa iatrogénica e suspender-se. Por outro lado. em uso prolongada. Antes de prescrever um laxante. A lactulose é um dissacarídeo semi-sintético que é metabolizado pelas bactérias do tubo digestivo.8. Ao contrário do que se julgou muito tempo. carboximetilcelulose. muitas diarreias são autolimitadas. manitol. os antiácidos (hidróxido de alumínio. lactulose. derivados do difenilmetano (fenolftaleína. Modificadores da motilidade intestinal As alterações do trânsito intestinal (obstipação ou diarreia) constituem motivação frequente para procurar o médico e. Há risco de oclusão intestinal em doentes com doença inflamatória ou neoplásica digestiva. as resinas sequestradoras de iões. para evitar o esforço de defecação em circunstâncias excepcionais. com as restrições indicadas. gomas.6. Os medicamentos usados com o objectivo de acelerar ou retardar o trânsito intestinal são um grupo heterogéneo. analgésicos narcóticos). bisacodil) e antraquinonas (sene e cáscara-sagrada).7. Este grupo inclui substâncias só parcialmente digeríveis em que a porção não digerida é hidrofílica. por se ter verificado esvaziamento maciço do cólon. Favorecem a absorção digestiva e/ou captação hepática de outros fármacos (favorecem a toxicidade hepática da oxifenisatina). Pode ainda dar origem à formação de granulomas. mais ainda.7. 2. Antidiarreicos 187 6. Os seus efeitos parecem resultar de acção inespecífica («efeito detergente») sobre as membranas celulares.1. etc. hidratação e correcção de alterações electrolíticas forem insuficientes. afectam primariamente a secreção ou absorção de sais e água e só secundariamente a motilidade intestinal. Como a reactividade difere marcadamente de pessoa para pessoa. É difícil estabelecer o padrão de trânsito intestinal normal. É útil na profilaxia e terapêutica da encefalopatia hepática. neurolépticos e antiparkinsónicos com efeitos anticolinérgicos. O manitol e sorbitol não são metabolizados e exercem efeito osmótico. preparados do psílio. Laxantes e catárticos São medicamentos que promovem defecação e têm aplicação racional restrita. mas há grandes variações individuais sem significado patológico. deve confirmar-se que há obstipação real e que não é causada por doença orgânica susceptível de terapêutica electiva. o sulfato ferroso. com as reservas acima referidas quanto aos mecanismos de acção. pode justificar-se na preparação para exames endoscópicos ou radiológicos. mesmo que associados a antibióticos. parafina líquida. dado que após a dejecção determinada por laxante potente. Laxantes expansores do volume fecal: metilcelulose. . na preparação para cirurgia gastrintestinal. Laxantes amolecedores ou emolientes: docusatos (dioctilsulfossuccinatos de sódio e cálcio). Na maior parte das vezes não estará indicada qualquer medicação. e tentar solucioná-la por modificações dietéticas. Laxantes de contacto ou estimulantes: óleo de rícino. tratando-se de perturbações funcionais. bassorina. 3. A duração das diarreias infecciosas pode ser prolongada e a incidência de complicações aumentada. Não são usuais menos de 2 dejecções por semana. na diverticulose do cólon. 6. podem decorrer vários dias sem nova dejecção. 6. sorbitol. A parafina líquida pode interferir com vitaminas lipossolúveis e não deve ser prescrita a doentes com alterações do esvaziamento esofágico ou gástrico para evitar o risco de pneumonite de aspiração. o sulfato de bário. 4. pelo uso de antidiarreicos. Laxantes salinos e/ou osmóticos: sais de magnésio e outros sulfatos e fosfatos. nem mais de três por dia. os antidepressores tricíclicos. ou de falsas valorizações do que é variante do normal. o fármaco implicado. é útil o acerto posológico pelo próprio. O uso de laxantes. podem causar pigmentação do cólon. Por comodidade explanativa adopta-se a classificação clássica dos laxantes. As antraquinonas. 1. Na shigelose a utilização de antidiarreicos prolonga o período febril e atrasa a desaparição dos microrganismos das fezes. sempre que possível. Usualmente não é necessária terapêutica de manutenção e os doentes devem ser alertados para evitarem «a escalada posológica» que é frequente. farelo. São exemplo da causa iatrogénica de obstipação: os opiáceos (antitússicos. Antiadiarreicos A terapêutica obstipante só deve ser instituída após diagnóstico etiológico e se a dieta e medidas de suporte. carbonato de cálcio). para recorrer à automedicação. em doentes com perturbações dolorosas ano-rectais. Em face destas restrições desaconselha-se o seu emprego. Têm efeitos sobre a mucosa semelhantes aos dos laxantes de contacto.

mais potente. Efeitos adversos: Ver introdução ao subgrupo. com maior duração de acção e praticamente sem efeitos centrais. O difenoxi- s DIFENOXILATO E ATROPINA Indicações: Ver introdução ao subgrupo. A colestiramina é eficaz na terapêutica da diarreia determinada por ácidos biliares (doença ou ressecção cirúrgica do íleo) e na diarreia pós-vagotomia. Os opiáceos determinam decréscimo da motilidade gástrica. pectina.5 ml. por alterar a composição da bile. Posologia: A posologia usual é 4 mg inicialmente. vírus. 0%. Pode contestar-se esta formulação porque a eficácia antidiarreica não é aumentada. carvão activado. enterotoxinas. difenoxina. Posologia: 2. parece preferível em terapêutica de manutenção nas diarreias crónicas. codeína. 403$00 (20$20). a difenoxina. até 16 mg por dia. No intestino delgado aumentam as contracções rítmicas. IMODIUM Janssen Farmacêutica. • s LOPERAMIDA Indicações: Ver introdução ao subgrupo. (caulino. A difenoxina. que sequestram ácidos biliares no lúmen intestinal podem ser eficazes em circunstâncias particulares. acidose. varfarina). hidróxido de alumínio. nos doentes com colite ulcerosa ou amebiana. Quer o difenoxilato quer a loperamida podem causar cólicas abdominais. Os antidiarreicos podem precipitar um quadro de megacolon tóxico. Efeitos adversos: Ver introdução ao subgrupo. comprimidos. atribuindo-se à atropina boa parte da toxicidade em crianças. Já as resinas de troca aniónica. Não há demonstração inequívoca de eficácia de muitos dos antidiarreicos descritos como adsorventes hidrofílicos (também utilizados como laxantes formadores de volume) e adsorventes de factores etiológicos. Modificadores da motilidade: ópio e derivados. seu principal metabolito. que se acompanha de mortalidade elevada. A loperamida. osteomalácia. loperamida. etc. É potencialmente litogénica. a loperamida e a fluperamida. fluperamida. 0.188 Capítulo 6 | 6.025. aumento do tono no antro e duodeno. não propulsoras. Tem-se revelado útil nos doentes com débito excessivo por ileostomia. difenoxilato. Está comercializado em associação em dose fixa com sulfato de atropina. Em dosagem excessiva pode causar ou agravar esteatorreia. tal como no cólon. A dose de manutenção usual varia entre 4 e 8 mg/dia.5 a 5 mg. • . vitamina K. limitando assim a dose máxima tolerável e o risco de habituação. decréscimo da actividade de protrombina.5 a 1. Antidiarreicos lato é desprovido de acção analgésica e não produz em doses terapêuticas efeitos subjectivos idênticos aos da morfina. 3 a 4 vezes ao dia) ainda são prescritos como antidiarreicos. 2. LOMOTIL Monsanto Portugal. 870$00 (43$50). Procurando separar efeitos intestinais dos centrais foram sintetizados o difenoxilato. Nos doentes com insuficiência hepática podem desencadear encefalopatia. sais de bismuto). A lentidão do percurso favorece a absorção de água e electrólitos e a diminuição do volume de fezes. 20. A codeína e a tintura de ópio (láudano de Sydenham.8. teoricamente destinados a adsorverem bactérias. per os de 6 em 6 horas. A fluperamida parece ser equipotente à loperamida. cápsulas. mas as propulsoras são intensamente diminuídas. O uso prolongado pode determinar deficiência em ácido fólico. 2. por ser de ministração mais cómoda e haver menor risco de dependência.5 + 0. 0%. seguida de 2 mg após cada dejecção não moldada. A colestiramina pode diminuir a absorção intestinal de fármacos ministrados simultâneamente (digitálicos. 20. é 5 vezes mais potente.

Diuréticos da ansa 7.4. o estriol e o promestrieno. 567$00 (56$70). Posologia: Usado na forma de creme de 0. Simpaticomiméticos e outros tocolíticos 7.5.4. Tiazidas e análogos 7.2.2. também. alegadamente.5.1. 0.5.1 g.5. os estrogénios devem ser usados na menor dose possível. 0%. nomeadamente comprimidos vaginais e sistemas de cedência prolongada.2. • s ESTRIOL Indicações e contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo.1. Poupadores de potássio 7.2.2. Entre os estrogénios usados encontra-se o dienoestrol. Quando for necessária a administração prolongada é recomendável a administração concomitante de progestagénios por via oral. Estrogénios e progestagénios 7.2. Medicamentos que actuam no útero 7.01%.3. uma acção selectiva sobre o colo do útero.3. Fórmulas de aplicação tópica 7. Medicamentos usados para a incontinência urinária 7.01 a 0. Devem ser usados em períodos curtos (algumas semanas).2. creme vaginal. comecem.Os medicamentos usados na terapêutica hormonal de doenças ginecológicas e os contraceptivos hormonais serão discutidos no Capítulo 8. Estrogénios e progestagénios A utilização tópica de medicamentos contendo estrogénios é recomendável na menopausa com o objectivo de melhorar a qualidade do epitélio vaginal. Ocitócicos e prostaglandinas 7.5. Anti-infecciosos 7.5. Associações de poupadores de potássio com outros diuréticos 7.4. e realizar o tratamento em ciclos de 10 a 14 dias por mês. Acidificantes e alcalinizantes urinários 7.4. Diuréticos 7.1.2.4. 40%. 7. ORTHO-DIENOESTROL Janssen-Cilag. a estar disponíveis.1. Estes fármacos são geralmente usados na forma de creme embora outras formas farmacêuticas. 717$00 (9$20).1 % ou óvulos contendo 500 mg.1.3. Medicamentos usados na retenção urinária 7.1.5. As monografias dos anti-infecciosos usados por via sistémica e anti-sépticos urinários são apresentadas no Capítulo 1. 0. Fórmulas de aplicação tópica 7 7. óvulos. Posologia: Usado na forma de creme a 0.1.1. Anti-infecciosos e anti-sépticos urinários 7. Diuréticos osmóticos 7.1.2. 78. Outros medicamentos usados em disfunções do aparelho geniturinário 7.1. Aparelho Geniturinário Aparelho Geniturinário 7. Para minimizar as possibilidades de absorção. O estriol tem. Aparelho Geniturinário . para prevenir o aparecimento de hiperplasia e cancro do endométrio. vagina e vulva.2. Medicamentos usados em perturbações da micção 7. com poucos efeitos sobre o endométrio. 10.4. OVESTIN Organon Portuguesa.5.1.4. Outros medicamentos usados nas disfunções do aparelho genital s DIENOESTROL Indicações e contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo.

15 g. creme vaginal. deve ser administrado por via sistémica. terconazol. Lepori. de acordo com as recomendações da OMS.1. com acção antifúngica). Em mulheres sexualmente activas. econazol. 10. vaginais. e a aplicação de creme na vulva e em locais externos também atingidos. 10 + 200. Anti-infecciosos Os anti-infecciosos de aplicação tópica são utilizados no tratamento das infecções vaginais mais comuns causadas por bactérias. OVESTIN Organon Portuguesa. creme. 1 096$00 (73$10). As infecções bacterianas estão. Reacções adversas: Irritação local causando cervicites. Contra-indicações: Pode diminuir a resistência dos preservativos e diafragmas. 0. em geral. clotrimazol. o seu uso deve ser desaconselhado uma vez que os corticosteróides podem inibir os sintomas de resistência ao antibacteriano. A clindamicina é um antibiótico do grupo das lincosamidas activo principalmente sobre bactérias Gram-positivo. 0%. por exemplo. O metronidazol exerce um efeito bactericida sendo usado na prevenção ou tratamento s CLINDAMICINA Indicações: Vaginites de origem bacteriana. É também um antiinfeccioso activo sobre diversos protozoários. nomeadamente sobre Trichomonas vaginalis.5. vaginais. 1. Os antisépticos contendo iodopovidona são também usados e o seu espectro de acção estende-se também a fungos. 1158$00 (38$60). o seu parceiro deverá ser tratado. tioconazol) são dos mais vulgarmente utilizados Os períodos de tratamento variam entre 3 e 14 dias. 803$00 (26$80). As vulvites são quase sempre acompanhadas de vaginites pelo que o tratamento deve considerar um atingimento mais profundo. Apesar de existirem formulações com metronidazol para aplicação local. associadas a lesões ginecológicas. O consumo de alguns medicamentos (anticoncepcionais orais ou antibióticos) poderá favorecer o aparecimento de recidivas. . creme vaginal. omoconazol. 40%. 40%. 40%. PAUSIGIN L. fungos.1. embora pouco provável. comp. 40%. também. a abordagem das reacções adversas. COLPOTROPHINE Synthelabo Fidelis. • 7. tendo também acção contra protozoários. A possibilidade de recidivas é também maior durante a gravidez e em diabéticas. É usada em infecções por anaeróbios.190 Capítulo 7 | 7. Fórmulas de aplicação tópica de infecções por anaeróbios. virus e protozoários. não são conhecidos estudos que justifiquem o seu uso. As infecções de origem fúngica. 30 g. Os fármacos de estrutura imidazólica (cetoconozol. em particular se o tratamento não foi mantido durante o período adequado. 10. Pelo contrário. A mepartricina é um fármaco antifúngico. Porém. Há ainda que considerar a possibilidade das recidivas não se deverem a deficiências na terapêutica mas a exposições a fontes de contágio da própria (das vias urinárias ou recto-anal) ou do seu parceiro.2. são mais frequentes que as de causa bacteriana. 546$00 (54$60). isoconazol. em simultâneo. 12. vaginites ou irritação vulvovaginal. protozoários ou virus. A nistatina e a mepartricina são outras possibilidades. O tratamento local implica a introdução profunda de comprimidos vaginais ou de creme. COLPOTROPHINE Synthelabo Fidelis. Embora existam disponíveis associações de antibacterianos a corticosteróides (como por exemplo neomicina + hidrocortisona) para o tratamento de doenças inflamatórias vaginais. A nistatina é utilizada isoladamente ou associada a outros anti-infecciosos como. Posologia: Usado na forma de creme ou óvulos. fenticonazol. A possibilidade de recidivas é alta. 10. contra-indicações e posologia é feita no Capítulo 1. • s PROMESTRIENO + CLOROQUINALDOL TROPHOSEPTINE Synthelabo Fidelis. • s PROMESTRIENO Indicações e contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo. activo também sobre protozoários. 653$00 (54$40). o nifuratel (activo sobre Trichomonas vaginalis e. a aplicação tópica de clindamicina pode causar colite pseudomembranosa. É habitualmente usada em períodos de tratamento entre 14 e 28 dias. comp. mesmo durante o período menstrual. Os antibacterianos mais vulgarmente utilizados no tratamento de vaginites ou na sua profilaxia (pré-operatório) são a clindamicina e o metronidazol. suspender a aplicação caso surja diarreia ou colite. 30 g. causadas por Candida albicans.

vaginais. comp. • 191 em pomada a 1%. ou 500 mg em aplicação única. PAN-FUNGEX Synthelabo Fidelis. BETADINE Asta Médica. 40 g. 811$00. 40%. 12. comp. GYNO-PEVARYL Janssen-Cilag. 50. 100. PAN-FUNGEX Synthelabo Fidelis. 977$00 (19$50). creme vaginal. por aplicação vaginal. 200 ml. 100 mg/dia durante 6 dias consecutivos. com creme vaginal. DINASEPTE Cosmofarma. 20. comp. 1 063$00 (88$60). 844$00 (21$10). GINO-LOTREMINE Schering-Plough. óvulos. GYNO-PEVARYL COMBIPACK Janssen-Cilag. 12. 100. gele ginecológico. 1. 100. 1 256$00 (104$70). 100. 40%. Contra-indicações: Pode diminuir a resistência dos preservativos e diafragmas. 854$00 (17$10). 500. GINO-CANESTEN Bayer Portugal. 50 g. 2850$00 (71$30). 3 + 15 g. 150 + + 10. 442$00 (36$80). 20 ml. vaginais. GYNO-PEVARYL Janssen-Cilag. a aplicação de iodopovidona em áreas extensas e lesadas pode favorecer a absorção e o aparecimento de acidose metabólica. 10. 40%.7. sol. Posologia: Aplicar 150 mg/dia durante 3 dias consecutivos em comprimidos vaginais ou . • s CLOTRIMAZOL Indicações: Vulvovaginites de origem fúngica. ginecológica. 40%. 50 g. GINO-LOTREMINE Schering-Plough. 800$00 (133$30). ou 150 mg em aplicação única no caso de formulações de acção prolongada. 40%. comp. creme vaginal. 1 040$00 (20$80). 40 g. GINO-CANESTEN Bayer Portugal. óvulos. GYNO-PEVARYL Janssen-Cilag. 40%. na desinfecção das mucosas e pele. 3. ou 200 mg/dia durante 3 dias consecutivos. 50 g. • s ECONAZOL Indicações: Vulvovaginites de origem fúngica. • s HALAZONA A halazona é um antiséptico clorado utilizado em desinfecções de vários tipos. vaginais. • s IODOPOVIDONA Indicações: Desinfectante e anti-séptico usado no tratamento de feridas contaminadas e no pré-operatório. BETADINE Asta Médica. em regra. 276$00 (5$50). 10. Posologia: 200 mg. hipernatrémia e redução da função renal. 12. não se conhecem estudos que demonstrem a sua eficácia em afecções vaginais. Reacções adversas: Reacções de hipersensibilidade. vaginal. comp. 70%. 10. creme vaginal. 5 g/dia de creme vaginal a 2% durante 6 dias. Reacções adversas: Irritação local. 6. 447$00 (22$40). 1 309$00. 40%. 651$00 (3$30). GINO-CANESTEN Bayer Portugal. No entanto. 10. Fórmulas de aplicação tópica Posologia: Uma aplicação intravaginal diária (à noite) de creme vaginal a 2% (dose correspondente a 100 mg) durante 7 dias. 40%. vaginais. DALACIN TM CREME VAGINAL Pharmacia & Upjonh. 50 g.1. PAN-FUNGEX Synthelabo Fidelis. 40%. 6. 10. óvulos + creme vaginal. 150. Interacções: O efeito da iodopovidona é reduzido em meio alcalino e pela associação a medicamentos contendo proteinas. 40%. 40%. 376$00 (31$30). 50. 40%. óvulos. 40%. sol. Posologia: Com comprimidos vaginais. SPETON Alfredo Cavalheiro. 1 047$00 (349$00). 12. 40%. Contra-indicações: Não é conhecida a influência do clotrimazol sobre a resistência dos preservativos e diafragmas. vaginal. creme vaginal. Reacções adversas: Irritação local. 40%. 40%. ginecológica. 754$00 (125$70). 100. 10.

• Indicações: Prevenção e tratamento de vulvovaginites de causa bacteriana. Posologia: Aplicar 100 mg/dia durante 3 dias consecutivos ou uma aplicação única de 300 mg. comp. 712$00 (59$30). 100. pomada vaginal. Reacções adversas: Irritação local. 300. 40%. Pfizer. Posologia: Aplicação única de 600 mg (de preferência à noite) associada à aplicação tópica de um creme. Contra-indicações: Algumas formulações podem diminuir a resistência de preservativos e diafragmas. 500. 600. Posologia: Utilizado na fórmula de óvulos a 25000 unidades e na forma de creme vaginal. 40%.2. Contra-indicações: Pode diminuir a resistência dos preservativos e diafragmas. 28. 60. 1. 1 245$00. 1 x 4. Medicamentos que actuam no útero Os medicamentos usados em obstetrícia são usados geralmente em ambiente hospitalar sob a supervisão de especialistas. 40%. 560$00 (56$00). FLAGYL Lab. 315$00 (63$00). óvulo vaginal. • s METRONIDAZOL Ver introdução deste subgrupo. Medicamentos que actuam no útero Posologia: Aplicar 100 000 a 200 000 unidades/dia durante 14 dias. Contra-indicações: Não é conhecida a influência do isoconazol sobre a resistência dos preservativos e diafragmas. vaginais. 731$00 (24$40). 788$00 (65$70). 40 g. 1. 12. • s TIOCONAZOL Indicações: Vulvovaginites de origem fúngica. • s NISTATINA + NIFURATEL DAFNEGIL L. LEUCO-HUBBER Rhône-Poulenc. 1 352$00 (33$80). óvulos. vaginais. Lepori. GINO-TRAVOGEN Schering Lusitana. 6. 40%. GINO-TROSYD Lab. creme vaginal. 6 x 4. 25000 U. • s NEOMICINA + HIDROCORTISONA Não são conhecidas provas da eficácia da associação neomicina e hidrocortisona em afecções vulvovaginais. DAFNEGIL L.6 + 34. 2 443$00 (407$20). 40 000 UI + 100. óvulos. 40%. Lepori. Reacções adversas: Irritação local. 0%. e por Trichomonas. 10. s ISOCONAZOL Indicações: Vulvovaginites de origem fúngica. 40%. óvulo.2. 40%. • s NISTATINA Indicações: Profilaxia e tratamento de infecções por Candida albicans.2. 30 g. GINO-TROSYD Lab. creme vaginal. Por essa razão a maioria dos medicamentos sai do âmbito deste . GINO-TROSYD Lab. 40%.6 g. pomada vaginal. creme vaginal. 50 g. óvulos. 25 + 10. 7. GINO-TROSYD Lab.192 Capítulo 7 | 7. Pfizer. 12. Reacções adversas: Irritação local. 40%. 475$00 (9$50). TRICANDIL Prospa. 5. comp. sob a forma de comprimidos vaginais ou creme vaginal. Vitória. Pfizer. SULTRIN Janssen-Cilag. 10. 40%. 60. 100 000 UI + 250. Pfizer. 40%. 1 669$00 (278$20).6 g. 1 480$00. GINO-TRAVOGEN Schering Lusitana. 1 607$0. • s SULFACETAMIDA + SULFATIAZOL s MEPARTRICINA Indicações: Vulvovaginites causadas por Candida spp.

Os inibidores da síntese das prostaglandinas exercem o seu efeito tocolítico por prevenirem a formação de prostaglandinas. 0. está recomendada a via oral. só serão apresentadas informações de caracter geral.7. Quando se usam doses altas surge. Posologia: 0. . insuficiência respiratória e insuficiência renal aguda. devendo ser seguida a mesma estratégia de administração recomendada para os agonistas β2. Pode ser administrado por via endovenosa e por via oral. a ergometrina ou a metilergometrina são usadas para minimizar as perdas hemáticas após o parto. A via endovenosa está recomendada para o controlo da ameaça de parto e. hipocalémia que pode ser exacerbada pela administração concomitante de xantinas. METHERGIN Novartis Farma. se necessário de 2 em 2 ou de 4 em 4 horas. Assim. Os agonistas β2 devem ser usados com precaução em caso de haver suspeita de doença coronária. Os agonistas β2 causam relaxamento da musculatura lisa com consequente redução do tónus uterino. em caso de necessidade de infusão intravenosa. O objectivo principal é evitar ou atrasar o recurso a corticosteróides ou permitir o acesso a meios que aumentem as probabilidades de sobrevivência do prematuro. Ocitócicos e prostaglandinas Os fármacos referidos neste grupo são usados para induzir ou acelerar o trabalho de parto. infecção intra-uterina ou hemorragia durante o anteparto. a occitocina e as prostaglandinas. Ao manterem o tónus uterino aumentado. convulsões. hipertiroidismo. De um modo geral. Medicamentos que actuam no útero livro. hipocalémia e diabetes e ainda em caso de eclampsia. pelo que. prevenindo os seus efeitos sobre o tónus uterino e sobre o colo do útero. Porém. Reacções adversas: Náuseas. com frequência.2. Em caso de sobredosagem surge vasoconstrição periférica. durante o período de maior risco (máximo 7 dias após o parto) em doses de 0. Simpaticomiméticos e outros tocolíticos Os fármacos incluidos neste grupo são usados para inibir ameaças de ínicio de trabalho de parto.2. em particular se ocorrem antes das 28 a 32 semanas de gestação. causam compressão dos vasos com consequente redução do fluxo sanguíneo. corticosteróides e diuréticos e pode aumentar o risco do aparecimento de arritmias quanto há administração concomitante de digitálicos. ritodrina. Os bloqueadores dos canais de cálcio de tipo L (nifedipina) e os nitratos (nitroglicerina) poderão também apresentar um efeito tocolítico e com uma eficácia semelhante à dos agonistas β2. para minimizar a perda hemática pós-parto e para interromper a gravidez. A associação de occitocina a alcalóides da cravagem não parece apresentar vantagens sobre o tratamento com os fármacos isolados. os agonistas β2 estão contra-indicados em casos de eclampsia ou preeclampsia grave. No entanto é tão eficaz como os agonistas β2. salbutamol e terbutalina). Incluem-se neste grupo os agonistas selectivos dos receptores adrenérgicos β2 (hexoprenalina. 40%. os sais de magnésio (sulfato de magnésio) e os inibidores da síntese de prostanóides (indometacina e sulindac). São administrados por via endovenosa ou por via oral. revestidos. pela maior incidência de efeitos adversos que podem causar no feto que parece ser superior nos inibidores que atravessam (indometacina) do que nos que não atravessam a barreira placentária (sulindac). O tratamento pode prolongar-se por via oral. s METILERGOMETRINA Indicações: Prevenção de hemorragias pósparto. Incluem-se neste grupo os alcalóides da cravagem (ergometrina e metilergometrina). hipertensão. só após o controlo da situação. comp. Os efeitos metabólicos dos agonistas β2 podem ser aumentados pela administração de corticosteróides.1. esta deve ser feita usando glicose a 5% e deve vigiar-se a frequência cardíaca. acompanhada de monitorização dos níveis plasmáticos de magnésio.2. Os agonistas β2 podem desencadear quadros de edema pulmonar pelo que é importante evitar sobrecarga hídrica do doente. Distinguem-se. 20. vómitos e hipertensão. 3 a 4 vezes por dia.125. porém.2 mg. repetindo. 193 7.2. as vantagens desta abordagem farmacológica são muito discutíveis uma vez que ainda não foi demonstrado que o seu uso cause uma redução significativa da mortalidade perinatal. • 7. Para informações mais detalhadas deverá ser consultada bibliografia da especialidade. 423$00 (21$20).2 mg por via intramuscular após o terceiro período do parto. Parecem ser tão eficazes quanto os agonistas β2. O sulfato de magnésio exerce um efeito tocolítico por um mecanismo mal conhecido. A occitocina.

a amoxicilina. o cotrimoxazol. a ampicilina. As infecções por Trichomonas vaginalis são. sudação. 40. Interacções: Ver introdução deste subgrupo. infecções baixas das vias urinárias ou genitais. causadas por virus Herpes simplex. . Os esquemas de tratamento mais comuns compreendem tomas durante 5 a 7 dias. As infecções recidivantes obrigam a tratamentos mais prolongados complementados com um período de profilaxia com doses menores. embora existam protocolos de 3 dias ou de toma única. Contra-indicações: Ver introdução deste subgrupo. em geral. Posologia: Infusão intravenosa: 50 µg por ml. podem surgir recidivas com o risco de evolução para quadros clínicos mais complexos com risco de atingimento renal. Em caso de resistências a esses antibióticos. As prostatites são. São. A maioria das infecções urinárias são do tracto inferior (baixas) cujo tratamento não levanta grandes dificuldades. acção prolongada. As infecções víricas são. no tratamento de infecções urinárias. sol.4. cáps. Porém. Diuréticos Os diuréticos são fármacos que promovem a excreção renal de água e electrólitos com o objectivo de se obter um balanço negativo de sódio. nomeadamente os associados a insuficiência cardíaca ou a doença renal ou hepática. injectável. Anti-infecciosos e anti-sépticos urinários As infecções das vias urinárias são muito comuns na mulher. 7. a nitrofurantoina. vómitos. a nitroxolina ou o trimetoprim são opções no tratamento de infecções urinárias agudas não recidivantes. O tratamento deve ser mantido com a administração por via oral. com incrementos de 50 µg cada 10 minutos e de acordo com a resposta da doente (dose máxima recomendada 350 µg por minuto). em especial causadas por Escherichia coli. Obrigam a tratamento sistémico com metronidazol ou tinidazol. As infecções urinárias no homem são menos frequentes do que na mulher. diluida em glucose a 5%. com a administração de10 mg repetida com intervalos entre 3 a 8 horas. São frequentemente de causa bacteriana. rubefacção e risco de retinopatia em prematuros quando o fármaco foi usado pela mãe. cefalosporinas por via oral. Diuréticos O ácido nalidixíco (ou os análogos ácido oxilínico. sendo a principal causa de ulceração genital. PRE-PAR Solvay Farma. s RITODRINA Indicações: Ameaça de parto prematuro sem complicações aparentes (ver ainda introdução deste subgrupo). • 7. As monografias dos fármacos aqui referidos encontram-se no Capítulo 1 onde se referem os anti-infecciosos disponiveis para uso sistémico. as alternativas são a associação de amoxicilina + ácido clavulânico. 10. pode causar ainda náuseas. 2 274$00 (227$40). no caso do edema ortostático). A prostatite bacteriana crónica pode exigir várias semanas de tratamento com eritromicina. em geral. o uso de diuréticos deverá ser acompanhado de outras medidas que potenciem a eficácia do tratamento (restrição na ingestão de sódio) ou que facilitem a remoção do edema (movimento e uso de meias de descanso. uma acção antifúngica. Staphylococcus ou Pseudomonas. Porém. 3 812$00 (127$10). de 10 a 20 mg. dependendo o fármaco escolhido da sensibilidade da bactéria infectante. fluorquinolonas ou fosfomicina.194 Capítulo 7 | 7. 30. 0% PRE-PAR Solvay Farma. No tratamento deste tipo de infecções estão recomendados aciclovir ou seus análogos. A nitroxolina apresenta além de acção antibacteriana. ácido pipemídico ou rosoxacina).4. Os antibacterianos usados no tratamento de infecções das vias urinárias devem sofrer excreção renal e atingir altas concentrações na urina. mais difíceis de tratar pelas dificuldades de penetração do antibiótico. Quando não há condições para a administração intravenosa recorre-se à via intramuscular. causadas pelos mesmos agentes que causam cistite na mulher. e tem sido usada isoladamente ou associada a sulfametiazole. 50. As infecções altas podem resultar de um agravamento de uma cistite.3. trimetoprim ou com uma fluoroquinolona. cada 4 a 6 horas (dose máxima 120 mg/dia) devendo a primeira toma ser feita 30 minutos antes do fim da infusão intravenosa. em geral. 40%. no entanto. O tratamento deve prolongar-se durante 12 a 48 horas após o fim das contracções usando a mesma forma de administração. Reacções adversas: Ver na introdução deste subgrupo as referências às reacções adversas dos agonistas β2. São indicados no tratamento de edemas de várias etiologias.

ii) hiperuricémia. Tiazidas e análogos Neste subgrupo estão incluidos um conjunto de fármacos de estrutura tiazídica (altizida. Devem ainda ser usados com precaução em indivíduos com hipercalcemia. Os inibidores da anídrase carbónica (acetazolamida) são diuréticos fracos sendo usados principalmente com outras indicações: profilaxia da doença de altitude e. Por esta razão estes fármacos serão abordados no Capítulo 14. mantendo-se o efeito por 12 a 24 horas. hipocalémia. diversos tipos de reacções adversas gastrintestinais. s CLOROTALIDONA Indicações. Estes fármacos apresentam uma potência moderada. podendo ser administrados em dias alternados. desde que não acompanhada de edema pulmonar grave. politiazida) e outros fármacos (clorotalidona.1. algumas potencialmente graves. em diabéticos e com história de ataques de gota. Os efeitos diuréticos destes fármacos iniciamse 1 a 2 horas após a administração oral. impotência e alterações da visão. Paradoxalmente. Podem ocorrer interacções entre tiazidas e seus análogos com digitálicos (aumento da toxicidade dos digitálicos resultante da hipocalémia). no tratamento de glaucoma. indapamida. a hipocalémia pode ser potenciada pelos corticosteróides. estando indicados na remoção de edema causado por insuficiência cardíaca ligeira ou moderada. Não são conhecidas diferenças significativas quer na eficácia terapêutica quer na incidência de efeitos adversos entre os diversos fármacos deste subgrupo. A acção anti-hipertensora parece resultar não só da redução do volume extracelular (devido ao efeito diurético) como também. o uso destes diuréticos está contra-indicado. podem causar espoliação de outros iões (potássio. a incidência e gravidade parecem ser modestas. com insuficiência renal (risco de agravamento da função renal). As tiazidas e seus análogos podem causar alterações metabólicas. agonistas β2 e pela carbenoxolona. ciclopentiazida. Podem causar i) hiperglicemia e glicosúria em diabéticos e em indivíduos predispostos. tonturas. hiponatrémia. parestesias. Na prescrição de diuréticos é necessário ter presente que. iii) desequilibrios electrolíticos vários como alcalose hipoclorémica. reacções de fotossensibilidade. isoladamente ou em associação. hipomagnesémia e inibição da excreção de cálcio. A hipotensão postural causada pelas tiazidas pode ser potenciada pelo álcool. barbitúricos e opiáceos. obrigando ao ajuste de dosagem em caso de insuficiência renal (nomeadamente em idosos). reacções adversas e precauções: Ver introdução deste subgrupo. metolazona e xipamida) que partilham com as tiazidas o mesmo mecanismo de acção: inibição da reabsorção de sódio na porção inicial do túbulo contornado distal. clorotiazida. aumentando o risco de ataques de gota. Podem ainda causar alterações hematológicas. Se a função hepática ou renal estiver muito comprometida. para a diurese não interferir com o sono. inferiores às usadas para se conseguir o efeito diurético. em regra. isoladamente ou em associação com outros diuréticos ou anti-hipertensores. iv) alterações do perfil lipídico (aumento das LDL.4. além de promoverem a excreção hidrossalina. por isso. Muitas destas reacções adversas parecem ser dependentes da dose pelo que. apresentam um efeito antidiurético em doentes com diabetes insipidus. São também usados como anti-hipertensores. os diuréticos influenciam o grau de perfusão renal. bendrofluazida. hipotensão postural. As tiazidas e seus análogos devem ser usados com precaução em doentes com insuficiência hepática (risco aumentado de encefalopatia hepática). de um efeito vasodilatador directo. cefaleias. (ver Capítulo 3). São administrados de preferência de manhã. hidroflumetiazina. principalmente. A administração conjunta de suplementos de potássio para prevenir a hipocalémia raramente se justifica. Por uma questão de simplificação. colesterol e triglicerídeos). necessário recorrer frequentemente à administração de suplementos ou à sua associação com fármacos com efeitos antagónicos sobre a excreção desses iões. por exemplo) sendo. Alguns apresentam períodos de semi-vida superiores. bloqueadores neuromusculares não despolarizantes (aumento da actividade). As doses habituais para se conseguir o efeito anti-hipertensor são. A associação de tiazidas e seus análogos com sais de lítio é geralmente contra-indicada pelo aumento dos níveis plasmáticos de lítio e riscos de aparecimento de efeitos tóxicos. Diuréticos Alguns diuréticos (tiazidas e análogos) são usados como anti-hipertensores. VLDL. os medicamentos estão agrupados do seguinte modo: 195 7.7.4. com cirrose hepática (risco aumentado de hipocalémia). Interacções: Redução da actividade anticoagu- . corticotrofina. nas doses usadas como anti-hipertensores. anorexia. hidroclorotiazida. anti-hipertensores (somatório de efeitos).

revestidos. 70%. Hipertensão: 25 a 50 mg/dia. comp. DIULO Monsanto Portugal.5 mg/dia aumentando até 5 mg/dia após 1 semana de tratamento.5.5 a 5 mg/dia. 70%. Posologia: Edema: Tratamento inicial: 50 a 200 mg/dia conforme a gravidade. reacções adversas. Hipertensão: 10 a 20 mg/dia. . TANDIX Lab. comprimidos. 60.5 mg/dia. revestidos. 5. HYGROTON Novartis Farma. FLUDEX Servier Portugal. 2.5. 10 25$00 (68$30). comp. dores torácicas e calafrios.196 Capítulo 7 | 7. comprimidos. 1 178$00 (58$90). 60. comp. 15. comprimidos. pode ser administrada em dias alternados). 2. Azevedos. (*) A metolazona. 2. de acordo com a resposta do doente (em indivíduos resistentes pode ser necessário administrar 80 mg/dia). 20. TANDIX Lab. 70%.5. precauções e interacções: ver introdução deste subgrupo. HYGROTON Novartis Farma. FLUIDEMA Farmoquimica Baldacci. Precauções e interacções: Ver introdução deste subgrupo. FLUDEX Servier Portugal. cápsulas. Hipertensão: 2. 20. Precauções: Ver introdução deste subgrupo. revestidos. ciclosporina (aumento dos efeitos nefrotóxicos) e captopril (agravamento da função renal). 70%. 2. reacções adversas. 70%. Hipertensão: 2. ver ainda as interacções referidas na introdução deste subgrupo. por via oral. 330$00 (16$50). 70%. 2 277$00 (38$00). 70%. tratamento de manutenção: 20 mg/dia. Reacções adversas: Rash cutâneo. Hipertensão: 12. 1 006$00 (50$30). Em alguns países existem formulações especiais com biodisponibilidade melhorada. comprimidos. 70%. precauções e interacções: Ver introdução deste subgrupo. a mudança de uma formulação deste tipo para as disponíveis no mercado português obriga aos ajustes de dosagem adequados. tem sido também proposta uma dose inicial de 1. 20. • s HIDROCLOROTIAZIDA Indicações. apresenta uma biodisponibilidade entre 40 a 65%.5 a 50 mg/dia. 2 891$00 (48$20). 493$00 (24$60). 50. ver ainda introdução deste subgrupo. ver ainda introdução deste subgrupo embora a indapamida possa causar reacções adversas com uma frequência menor do que os outros fármacos deste subgrupo. 70%.5. • s INDAPAMIDA Indicações: Ver introdução deste subgrupo. • lante da varfarina. 50. s METOLAZONA Indicações: Ver introdução deste subgrupo. 746$00 (37$30). 70%.25 mg/dia e. 1 098$00 (18$30). 2. Não havendo bioequivalência. 2 898$00 (48$30).5. 20. como dose de manutenção 5 mg em dias alternados. 20. 80 mg/dia). DICHLOTRIDE Merck Sharp & Dohme. comp.4. 60. 5. tratamento de manutenção: 25 a 50 mg/dia. 70%. comprimidos. 60.5. Posologia: Edema: Tratamento inicial: 2. s XIPAMIDA Indicações. 50. 60. Interacções: Glibenclamida (potenciação do efeito hipoglicemiante). Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. 1 748$00 (29$10). DIULO Monsanto Portugal. pode também causar palpitações. Azevedos. 2. cápsulas. Diuréticos FLUIDEMA Farmoquimica Baldacci. tratamento de manutenção: 50 a 100 mg/3 vezes por semana (por apresentar um longo período de semivida.revestidos. Posologia: Edema: Tratamento inical: 40 mg/dia. Posologia (*): Edema: Tratamento inical: 5 a 10 mg/dia aumentando até 20 mg/dia após 1 semana de tratamento (max. Posologia: Edema: tratamento inicial: 25 a 200 mg/dia conforme a gravidade.

Os diuréticos da ansa causam hipotensão. Estão também indicados em outros tipos de edema. LASIX Hoeport. 1 024$00 (34$10). DIUREXAN Asta Médica. 20. LASIX Hoeport. hipertensão e oligúria. 70%. por via oral.4. e por doenças hepáticas ou renais. Estes fármacos estão indicados na remoção de edema causado por insuficiência cardíaca. o ácido etacrínico e a torasemida. 20. 70%. 1 405$00 (23$40). acção prolongada.5 e 1. nomeadamente edema pulmonar. AQUEDUX Sanofi Winthrop. aumento da excreção de cálcio e alcalose hipoclorémica).4. 5. icterícia colestática e surdez. anti-epilépticos (redução de efeito anti-epiléptico) e com anti-inflamatórios não esteróides (diminuição do efeito diurético). Podem causar hiperglicemia e glicosúria. embora pouco frequentes. A dose capaz de provocar um volume de urina satisfatório deve ser infundida de 24 em 24 horas. 70%.2. isoladamente ou associados a outros anti-hipertensores. comprimidos. Em crianças as doses recomendadas variam entre 1 e 3 mg/Kg peso até uma dose máxima diária de 40 mg (via oral) ou entre 0. Contra-indicações: Estados precomatosos associados a cirrose hepática e em caso de falência renal com anúria. comprimidos. durante a gravidez (pelo aumento da excreção de cálcio e riscos de descalcificação). 20. hiperuricemia (com risco de precipitar ataques de gota). 643$00 (32$20). podem ser bastante graves. • . 20. São diuréticos potentes. comprimidos. São usados em doses altas no controlo da oligúria. Para doses superiores é recomendável a infusão intravenosa.ver ainda introdução deste subgrupo. Com doses elevadas podem causar também pancreatites. diabéticos e com história de ataques de gota. LASIX Hoeport. de acordo com a resposta terapêutica (em situações mais graves a dose diária pode atingir os 600 mg). comprimidos. São também usados na hipertensão. em caso de insuficiência renal aguda ou crónica. Os riscos de ototoxicidade associados à administração endovenosa podem ser minorados com a redução na velocidade de infusão. 7. Os diuréticos da ansa devem ser usados com precaução em doentes com hiperplasia da próstata (por poderem precipitar retenção urinária aguda). 70%. Por via intramuscular ou intravenosa lenta (velocidade inferior a 4 mg/min) as doses variam entre 20 e 50 mg. Podem ocorrer interacções entre os diuréticos s FUROSEMIDA Indicações: Edema. 40. causando inibição da reabsorção de sódio no ramo ascendente da ansa de Henle. a bumetanida. Posologia: Edema: Por via oral as doses variam entre 20 e 80 mg/dia ou em dias alternados. Diuréticos DIUREXAN Asta Médica. Oliguria: recorre-se a infusão endovenosa num fluxo máximo de 4 mg/min e em doses crescentes de 250 mg a 1 g ajustadas de acordo com a resposta do doente. 70%. sol. • 197 da ansa e cefalosporinas (aumento da nefrotoxicidade). 40. 70%. 50. Devem ainda ser usados com precaução em indivíduos com hipercalcemia.5 mg/Kg peso. depleção de fluidos e desequilíbrios electrolíticos (hipocalémia. 405$00 (81$00). e no tratamento urgente de hipercalcemia. 60. 60. LASIX RETARD Hoeport. e aminoglicosídeos e outros fármacos ototóxicos (aumento da ototoxicidade). injectável. Podem causar ainda rash cutâneo e reacções de fotossensibilidade que. comprimidos. 30. 70%. 971$00 (19$4). Diuréticos da ansa Neste subgrupo estão incluídos a furosemida. até uma dose máxima diária de 20 mg (via intramuscular). refractários ao tratamento com tiazidas. Interacções: Ver introdução deste subgrupo. 60. cáps. 524$00 (26$20). 40. para precauções ver ainda introdução deste subgrupo. Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. 20. 1 158$00 (19$30).7. Hipertensão: 40 a 80 mg/dia. Estão contra-indicados em caso de anúria ou falência renal causada por fármacos nefrotóxicos ou hepatotóxicos e em casos de insuficiência renal associada a coma hepático. uma vez que promovem excreção urinária de cálcio. Os doentes que não respondam a infusão de furosemida até 1 g provavelmente necessitarão de recorrer a diálise. em prematuros (pelo atraso no encerramento do ductus arteriosus). especialmente em caso de administração prolongada ou em altas doses que se podem manifestar por cefaleias. hipertensão e cãibras.

É também usada em situações de hiperaldosteronismo primário. 70%. ALDONAR Upsifarma. NEFROLACTONA Vedim Pharma. diabéticos e em doentes com insuficiência hepática ou renal. hiponatrémia. Estão contra-indicados em situações de hipercalémia. Interacções: Com suplementos de potássio (risco de hipercalémia). 70%. A espironolactona é particularmente eficaz em caso de edemas refractários em doentes com insuficiência cardíaca. 100. digitálicos (aumento da toxicidade dos digitálicos) e inibidores da enzima de conversão da angiotensina (hipercalémia). 4 836$00 (80$60). pelo que essas especialidades serão apresentadas no subgrupo seguinte. Posologia: Edema: 100 mg/dia ajustando a dose conforme a gravidade (em alguns doentes pode ser necessário aumentar a dose até 400 mg/dia). levam. ALDACTONE Monsanto Portugal. podem ainda causar hiponatrémia. Deve ser administrado com precaução em doentes em risco de apresentarem acidose. 100. Em Portugal estes fármacos estão disponíveis quer isolados quer associados (espironolactona) a diuréticos do grupo das tiazidas e diuréticos da ansa. comprimidos. ALDACTONE Monsanto Portugal. • 7. 70%. 25. 25. 4 870$00 (81$20). 20. 60. Associações de poupadores de potássio com outros diuréticos O uso de associações de diuréticos poupadores de potássio com diuréticos espoliadores de potássio numa mesma formulação é uma prática que se vulgarizou mas que só encontra justificação na possibilidade de melhorar a adesão do doente à terapêutica. 60. Em crianças a dose diária recomendada é de 3 mg/Kg de peso. Poupadores de potássio Neste subgrupo estão incluidos os inibidores da excreção de potássio a nível terminal do túbulo contornado distal e do túbulo colector (amiloride e triantereno). perturbações gastrintestinais e neurológicas. 25. 2 872$00 (47$90).4. 70%. reacções gastrintestinais. São diuréticos fracos. 7. 100. ALDONAR 100 Upsifarma. além da falta de flexibilidade que estas preparações em dose fixa apresentam. ALDONAR Upsifarma. 60. Podem aumentar a toxicidade dos digitálicos e causarem hipercalémia quando associados a inibidores da enzima de conversão da angiotensina. Em Portugal estes fármacos estão disponíveis apenas associados a diuréticos do grupo das tiazidas e diuréticos da ansa. prurido e tonturas. parestesias.4. muito frequentemente. Porém. 1 711$00 (28$50).4. O canrenoato de potássio é usado quando há necessidade de administrar um antagonista da aldosterona por via injectável. hiperaldosteronismo: 100 a 400 mg/dia. cirrose hepática: 100 a 400 mg/dia conforme a razão sódio/potássio urinários. o leitor é convidado a consultar a s ESPIRONOLACTONA Indicações: Ver introdução deste subgrupo. à toma de diuréticos poupadores de potássio em situações em que tal não se justifica. 70%. As associações serão apresentadas no subgrupo seguinte. desidratação. 20. 766$00 (38$30). comprimidos. mais frequente em idosos. comprimidos. 60. 60. 25. Diuréticos Contra-indicações: Hipercalémia e insuficiência renal grave. Incluem-se também neste subgrupo os antagonistas da aldosterona (espironolactona e o canrenoato de potássio). comprimidos. comprimidos. rash cutâneo e alterações endócrinas. síndroma nefrótico ou cirrose hepática. . comprimidos. comprimidos. em diabéticos e em doentes com insuficiência hepática ou renal. rash cutâneo.198 Capítulo 7 | 7. Para consulta da informação de cada um dos diuréticos. justificando-se a sua utilização para prevenir a espoliação de potássio resultante da utilização prolongada de certos diuréticos (tiazidas e diuréticos da ansa) no tratamento de edema e hipertensão. Estes fármacos podem causar hipercalémia. 70%. Podem ser usados isoladamente em doses de 5 a 20 mg/dia (amiloride) ou 150 a 250 mg/dia (triantereno). 1 457$00 (24$30). diabéticos ou insuficientes renais.3. insuficiência renal grave e devem ser administrados com precaução em doentes em risco de apresentarem acidose. ALDACTONE Monsanto Portugal. 668$00 (33$40). Reacções adversas: Hipercalémia.4. em doses divididas. 70%. Neste subgrupo serão apresentadas as especialidades com os fármacos isolados.

1 196$00 (19$90). comprimidos. comprimidos. 70%. 70%.1. 1 472$00 (24$50). 70%. 1 649$00 (27$50). comprimidos. Quando administrado em altas doses pode causar diarreia e outros distúrbios gastrintestinais. 60. MODURETIC Merck Sharp & Dohme. 783$00 (13$10). 70%. Por uma questão de simplificação os medicamentos estão agrupados do seguinte modo: s ESPIRONOLACTONA + ALTIZIDA ALDACTAZINE Monsanto Portugal. 100 + 50. em caso de infecção urinária baixa. MODURETIC Merck Sharp & Dohme. 20. A alcalinização da urina pode ser realizada por sais de citrato (citrato de sódio ou citrato de potássio). 70%. Outros medicamentos usados nas disfunções do aparelho geniturinário Incluem-se neste subgrupo um conjunto de medicamentos utilizados em disfunções urinárias e do aparelho genital. AMILORIDE RATIOPHARMA Rathiopharma. 70%. 1 019$00 (51$00). 50 + 25. Fazem parte deste subgrupo o isossorbido. 5. • . 60. 60. 25 + 15. comprimidos. 5 + + 50.4. 541$00 (27$10). 804$00 (40$20).5. 7. 70%. 25 + 15. o manitol e a ureia. 70%. 50 + 25. TRIAM TIAZIDA R Lab. comprimidos. 70%. 1 872$00 (31$20). 20. 499$00 (25$00). 626$00 (31$30). O ácido ascórbico pode causar a formação de cálculos renais de oxalato de cálcio. 2. 199 s TRIANTERENO + HIDROCLOROTIAZIDA DYASIDE Smith Kline & French. 2. 70%.7. comprimidos. comprimidos. comprimidos. 70%. DYASIDE Smith Kline & French. comprimidos. comprimidos. 5. 20. 20. 1 470$00 (24$50). DIURENE 25 Neo-Farmofer. 50 + 50. 20. 1 143$00 (19$10). 60. «Diuréticos da ansa» e «Poupadores de potássio». 70%. comprimidos. 5 + + 50. 70%. 60. • 7. 5 + 50. comprimidos.68 + 50. 60. ALDACTAZINE Monsanto Portugal. comprimidos. 1 839$00 (30$60).5 + 25. 5. 836$00 (41$80). Os sais de hidroge- s ESPIRONOLACTONA + HIDROCLOROTIAZIDA ONDOLEN FORTE Lab. 70%. comprimidos. 5.Normal. AMILORIDE + HIDROCLOROTIAZIDA Rathiopharma.68 + 50. 60.5 + 25. Normal. comprimidos. 2 302$00 (38$40).68 + 50. comprimidos. Sanitas. 60. 5 + 50. Acidificantes e alcalinizantes urinários Acidificantes Urinários: A acidificação da urina pode ser conseguida com a administração de ácido ascórbico mas as vantagens e a sua eficácia é discutível.68 + 50. Alcalinizantes Urinários: Os alcalinizantes urinários são recomendados no alívio do desconforto causado por uma cistite. TRIAM TIAZIDA R Lab. na redução da pressão intra-ocular e em situações de insuficiência renal aguda. AMILORIDE + HIDROCLOROTIAZIDA Farmatrading.5. 70%. Porém este risco parece ocorrer apenas em doentes com hiperoxalúria. Outros medicamentos usados nas disfunções do aparelho geniturinário informação que consta nos subgrupos anteriores sobre «Tiazidas e análogos».5. 3 281$00 (54$70). comprimidos. 20. 60. DIURENE 25 Neo-Farmofer. 100 + 50. 70%. Diuréticos osmóticos Os diuréticos osmóticos aumentam a osmolaridade do plasma e do fluido tubular sendo indicados na redução ou prevenção de edema cerebral. 70%.5. • 7. DIURENE 50 Neo-Farmofer. CHIBRETICO Chibret. 20. 318$00 (15$90). 60. • s AMILORIDE + HIDROCLOROTIAZIDA AMILORIDE RATIOPHARMA Rathiopharma.

após a sua absorção. a sua associação com outros antihipertensores deve ser vigiada.2. de preferência. Medicamentos usados em perturbações da micção A micção normal é controlada pela acção coordenada do músculo detrusor da bexiga que é inervado pelo parassimpático. a doxazosina e a indoramina. A sintomatologia urinária que acompanha a hipertrofia benigna da próstata vai desde aumento da frequência/ /urgência de urinar e noctúria até à obstrução urinária. em especial quando a acidose é de causa metabólica ou de doença renal. o citrato é metabolizado em «bicarbonato». As alterações do tónus do músculo detrusor e do esfíncter são. Os riscos de alcalose podem também surgir com o citrato uma vez que. A retenção urinária crónica requer a identificação da causa. após as refeições. taquicardia e palpitações. Como reduzem a pressão arterial. secura de boca. aparentemente por uma acção sobre o músculo liso do esfíncter externo da bexiga e sobre o tecido hiperplásico da próstata. a estimulação parassimpática causa um aumento do tónus do músculo detrusor enquanto que a estimulação simpática é inibida. resultando um relaxamento do esfíncter externo. 7. As soluções orais devem ser diluidas em água e tomadas. em particular em doentes com insuficiência renal. a di-hidrotestosterona. se possível.5. Outros medicamentos usados nas disfunções do aparelho genitário ser necessário o recurso a cirurgia e/ou terapêutica medicamentosa. depressão. estes fármacos são administrados por via oral. cansaço.2. de causa iatrogénica. facilitando a eliminação de fármacos ácidos fracos (barbitúricos e salicilatos. Esta sintomatologia manifesta-se de forma instável e a intensidade dos sintomas não é correlacionável com o volume prostático.200 Capítulo 7 | 7. embora este efeito nem sempre seja acompanhado por melhorias sintomáticas no fluxo urinário. produzem um alívio sintomático (melhoram o fluxo urinário). análogos da gonadorelina e os inibidores da aromatase. embora o seu uso seja mais indicado para corrigir situações de acidose. quer de factores centrais que causem perturbações no controlo neuronial dos músculos detrusor ou do esfíncter. Causam um amplo leque de reacções adversas desde efeitos periféricos. Como alcalinizantes urinários. Assim.5. a uma inibição da velocidade da hipertrofia. Os antagonistas adrenérgicos α1 como. do esfíncter externo ou da uretra. Os inibidores da 5-reductase (finasteride) bloqueiam a conversão de testosterona no seu metabólito mais activo. as perturbações da micção podem ser divididas em perturbações da armazenagem de urina e perturbações do esvaziamento. A retenção urinária aguda requer cateterização. A inibição do metabolismo da testosterona leva a uma redução do tamanho da próstata. Durante a micção. por exemplo) em caso de intoxicação aguda.1. É um recurso justificado quando a sintomatologia é moderada e como forma de atrasar o recurso à cirurgia. A utilização prolongada ou em altas doses de «bicarbonato» pode causar alcalose metabólica. Medicamentos usados na retenção urinária A retenção urinária pode manifestar-se de forma aguda ou crónica. As perturbações do fluxo urinário a nível da uretra são muito frequentes no homem e são causadas por hipertrofia da próstata. . No arsenal terapêutico para o tratamento da hipertrofia benigna da próstata incluem-se os antagonistas adrenérgicos α1. até efeitos centrais como sonolência. as perturbações da micção podem resultar quer de factores locais que alterem a reactividade da bexiga ou da uretra. De uma forma simplista. como hipotensão ortostática. por exemplo.5. 7. os inibidores da 5-reductase. e pelo esfíncter externo da bexiga que é inervado pelo simpático. nocarbonato (em especial o «bicarbonato» de sódio) podem também ser usados. O tratamento farmacológico destina-se ao controlo da sintomatologia e. O «bicarbonato» de sódio pode também ser usado para causar uma diurese alcalina forçada. o que condiciona a adesão a esta terapêutica. com alguma frequência. A retenção urinária pode resultar de um bloqueio da uretra ou dever-se a qualquer factor que interfira com o tónus do músculo detrusor. os antagonistas adrenérgicos α1 podem diminuir a capacidade para condução de automóveis ou de outras máquinas. do que podem resultar retenção ou incontinência urinária. Pela sonolência que causam. em doses repartidas e até cerca de 10 g/dia. As consequências para o doente da administração dos sais sódicos ou potássicos têm que ser também ponderadas. incontinência urinária. podendo Medicamentos para hipertrofia prostática: A hipertrofia benigna da próstata é uma patologia comum cuja incidência aumenta com a idade: mais de 70% dos homens com mais de 75 apresentam sinais de hiperplasia.

Posologia: 5 mg/dia. s FLAVOXATO Indicações: Incontinência urinária. causa reacções adversas com maior frequência pelo que o flavoxato é considerado mais seguro. 200. causam as reacções adversas típicas dos fármacos com acção anticolinérgica (boca seca. glaucoma e miastenia gravis. 3 a 4 vezes por dia. 200. também. PROSCAR Merck Sharp & Dohme. No caso de incontinência resultante de retenção urinária. A incontinência devida a deficiências do esfincter é dificilmente tratada com fármacos. podendo justificar-se. • rior. 28.5. um análogo da hormona antidiurética e alguns antidepressivos tricíclicos. Os antagonistas muscarínicos mais usados são o flavoxato e a oxibutinina. comprimidos. por ser potencialmente teratogénico. Estes fármacos aumentam a capacidade de armazenamento de urina por inibição das contracções do músculo detrusor. 1 745$00 (29$10). o recurso a agonistas muscarínicos ou a análogos de prostaglandinas se a retenção for devida a hipotonicidade do músculo detrusor. A abordagem farmacológica da incontinência urinária tem um sucesso limitado. 40%. • 7. doença inflamatória intestinal. por via oral. doença inflamatória intestinal. Reacções adversas: Inibição da líbido. glaucoma e miastenia gravis. comprimidos. é recomendável o uso de preservativos durante o tratamento com finasteride. A obtenção de resultados da terapêutica pode ser lenta pelo que a avaliação da eficácia do tratamento deve fazer-se após um período de tratamento significativo (6 meses). Medicamentos usados para a incontinência urinária A incontinência urinária é definida como uma perda involuntária de urina. URISPAS Synthelabo Fidelis. é recomendável que o finasteride não seja manipulado por grávidas ou por mulheres com condições para engravidarem. 5. 5. Não é recomendado o seu uso em crianças com menos de 12 anos Posologia: 100 a 200 mg. 4 582$00 (327$30). aumento da pressão intra-ocular). Disto resulta um conjunto de sintomas como necessidade de urinar muito frequente. A oxibutinina parece ser mais eficaz.7. .5. 744$00 (37$20). obstrução ou atonia intestinal. ginecomastia. a uma instabilidade do tónus do músculo detrusor ou a um enchimento exagerado da bexiga. 40%. 14. indicado também no alivio sintomático da dor e frequência urinária causados por perturbações inflamatórias das vias urinárias e na prevenção de espasmos vesico-uretrais resultantes de cateterização.2. comp. 60.2. revestidos. obstrução ou atonia intestinal. Não deve ser usada durante a gravidez e a amamentação. cuja frequência e intensidade depende do tipo de incontinência. Porém. A inibição do tónus do músculo detrusor pode ser conseguida com antagonistas muscarínicos («fármacos anticolinérgicos»). Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. Como é excretado pelo sémem. noctúria. Outros medicamentos usados nas disfunções do aparelho genitário 201 s FINASTERIDE Indicações: Hiperplasia benigna da próstata. 20. Contra-indicações: Excluir a existência de uma patologia maligna uma vez que o finasteride pode reduzir os valores dos marcadores de cancro da próstata. 40%. Os antidepressivos triciclicos são por vezes usados. 40%. 8 067$00 (288$10). PROSCAR Merck Sharp & Dohme. revestidos. comp. No tratamento da enurese nocturna tem sido usado também a desmopressina. o tratamento recomendado é o descrito no subcapítulo ante- s OXIBUTININA Indicações: Incontinência urinária de causa neurogénica ou por instabilidade do músculo detrusor. visão turva. Reacções adversas: Ver introdução deste subgrupo. As causas podem ser várias (e mal conhecidas) e conduzem a uma perda de eficácia do esfincter. No entanto. URISPAS Synthelabo Fidelis. pequenas perdas de urina e disúria. Contra-indicações: Em caso de retenção urinária. Na selecção dos fármacos é necessário ter presente o tipo de incontinência urinária a tratar. Contra-indicações: Em caso de retenção urinária. sendo a sua eficácia atribuída à acção antagonista dos receptores muscarínicos. impotência e diminuição do volume do ejaculado.

CAVERJECT Pharmacia & Upjohn. Outros medicamentos usados nas disfunções do aparelho genitário Posologia: 5 mg. comprimidos. dispepsia e congestão nasal. Reacções adversas: Cefaleias. Deve ser tomado cerca . Não são conhecidos os efeitos de sildenafil em mulheres e em homens com menos de 18 anos. doenças degenerativas da retina e em indivíduos com deformidades do pénis ou com outras patologias que favoreçam erecções prolongadas. sol. sol. A papaverina é um alcalóide do ópio. dose máxima: 60 µg). Pode resultar de factores psicológicos. Como a libertação de NO está dependente de uma estimulação neuronial. facilitam a manutenção de uma erecção mais satisfatória. Posologia: Diagnóstico de disfunções da erecção: injecção intracavernosa de 5 a 20 µg. Pela limitada experiência com o uso deste medicamento e pelo risco de utilização indevida. Não deve ser administrada mais do que uma vez por dia nem mais de três vezes por semana. O sildenafil é um inibidor selectivo da fosfodiesterase de tipo 5. rubefacção. Posologia: 50 mg como dose inicial que pode ser aumentada até 100 mg ou reduzida até 25 mg de acordo com a resposta. actuando por via local ou sistémica. por administração intracavernosa ou intrauretral. orgânicos ou resultar do uso de fármacos. priapismo e reacções diversas no local de injecção. O mensageiro que tem atraído maior atenção é o monóxido de azoto (NO). activo por via oral. 0%. O conhecimento dos mensageiros envolvidos na comunicação autócrina a nível do pénis e dos respectivos mecanismos transdução têm estimulado o aparecimento de fármacos que.202 Capítulo 7 | 7. s SILDENAFIL Indicações: Tratamento da disfunção eréctil. este fármaco tem menores condições para causar erecção na ausência de estimulação sexual.5. • s ALPROSTADIL Indicações: Diagnóstico e tratamento da disfunção eréctil. 5. Interacções: Com nitratos orgânicos ou dadores de NO. Para doses altas podem surgir alterações da visão.5 ou 3 mg. por exemplo a cimetidina e a eritromicina). inj. Em indivíduos mais idosos ou com insuficiência hepática a dose inicial deve ser 25 mg.. Contra-indicações: Não deve ser administrado em indivíduos com deformidades do pénis ou com outras patologias que favoreçam erecções prolongadas. com fármacos que interferem com a isoforma CYP3A4 do citocromo P450 (como. no tratamento da impotência. 0%. hipotensão (valores da tensão arterial inferiores a 90/50 mmHg). 4 vezes por dia). pó solv. 2 043$00. por via oral.. 1.5 µg que pode ser aumentada até se conseguir a dose óptima (dose normal compreendida entre 10 e 20 µg. conforme a resposta e a tolerância. CAVERJECT Pharmacia & Upjohn. com uma acção relaxante muscular atribuída a inibição das fosfodiesterases e tem sido usado por via intracavernosa. com risco de causar hipotensão aguda. 2 a 3 vezes por dia (dose máxima 5 mg. 20 µg. inj. 10 µg. Reacções adversas: Dor durante a erecção. Da inibição deste subtipo de fosfodiesterase resulta um aumento do tempo de semi-vida do GMP cíclico (potenciando o efeito do NO).5. 1 267$00 (21$10). é recomendável que o seu uso se faça sob vigilância médica. • 7. 60. O efeito do NO é limitado principalmente pela fosfodiesterase de tipo 5 que. 1. Contra-indicações: Insuficiência hepática grave. Em idosos e em crianças com menos de 5 anos de idade: 2. história recente de acidente cardiovascular. O alprostadil (prostaglandina E1) é um fármaco com acção vasodilatadora e antiagregante plaquetar. O risco de causar priapismo parece ser muito baixo. impotência: dose inicial 2. 2 vezes por dia que pode ser aumentada até 5 mg. DITROPAN Synthelabo Delagrange. O NO actua principalmente por aumento dos níveis intracelulares de GMPcíclico. pó solv. 40%. maior relaxamento muscular e maior intumescência. pelo risco de aumento marcado dos níveis de sildenafil. 2 a 3 vezes por dia. interrompe a cascata de efeitos iniciada pelo NO. ao metabolizar o GMPcíclico em GMP. para o diagnóstico de disfunções da erecção e no tratamento de algumas formas de impotência. Tem sido utilizado também. 3 118$00.3. Outros medicamentos usados nas disfunções do aparelho genital Medicamentos para a impotência: A impotência ou disfunção eréctil é definida como incapacidade do homem manter uma erecção satisfatória. O NO causa relaxamento do músculo liso das arteríolas e do músculo liso trabecular do pénis do que resulta acumulação de sangue no pénis e intumescência. não opiáceo.

16 771$00 (2 096$40). comprimidos. Pfizer. comprimidos. 12. VIAGRA Lab. Pfizer. VIAGRA Lab. 0% •.5. 25. 0%. 8. 12. 0%. 0%. 203 . VIAGRA Lab. 100. 19 579$00 (1 631$60).7. VIAGRA Lab. Pfizer. Pfizer. 0%. VIAGRA Lab. 25. 0%. 7 678$00 (1 919$50). 13 820$00 (1 727$50). 4. 11 840$00 (1 480$00). 9 371$00 (2 342$80). comprimidos. comprimidos. 50. comprimidos. comprimidos. comprimidos. 0%. comprimidos. VIAGRA Lab. 8. Pfizer. 25. Pfizer. 100. VIAGRA Lab. 4. 23 758$00 (1 979$80). 4. VIAGRA Lab. VIAGRA Lab. 0%. 100. 50. 12. Pfizer. Pfizer. 0%. comprimidos. Outros medicamentos usados nas disfunções do aparelho genitário de 1 hora antes da altura prevista para o acto sexual e nunca mais de 1 toma diária. 16 774$00 (1 397$80). 50. 8. 6 578$00 (1 644$50). Pfizer.

4. Anticoncepcionais 8. Estão indicadas em casos de infertilidade por anovulação. nos dois sexos.3. As gonadotrofinas incluem a hormona foliculo estimulante (FSH) e a hormona luteinizante (LH).6.2. Bifosfonatos 8. O interesse farmacológico de todo este conjunto de hormonas é evidente. Insulinas . Hormonas da Tiróide e medicamentos anti-tiroideus 8. Hormonas sexuais 8. Hormonas Hipotalâmicas e Hipofisárias A libertação de hormonas e a interdependência do hipotálamo. e a prolactina. em terceiro. Nos adolescentes são usadas em situações de hipogonadismo. em que participam células-alvo existentes nesses orgãos. adeno-hipófise ou adenipófise) segrega.1. no homem. as células gonadotróficas para as gonadotrofinas.1. em segundo.1. igualmente de ori- Hormonas . Hormonas Hipotalâmicas e Hipofisárias 8. As células corticotróficas podem ainda sintetizar duas melanotropinas e duas lipotropinas cujas funções se encontram. de glândulas de secreção interna e dos tecidos periféricos que delas dependem são determinantes básicas para a manutenção da homeostase.1 Estrogéneos e progestagéneos 8. porque existem fármacos que interferem no controlo da regulação hipotalâmica-hipofisária aumentando ou diminuindo a secreção hormonal. Estas hormonas são sintetizadas em cinco tipo de células independentes.2. sejam eles os ovários. pelo aparecimento crescente de análogos de síntese. por influência hipotalâmica.2. tal é o caso das gonadotrofinas que contribuem para regular as hormonas gonadais. as hormonas segregadas em glândulas «periféricas específicas» têm a capacidade de controlar a secreção da sua correspondente hormonal adeno-hipofisária através de um sistema de retroalimentação.4. Hormonas Hormonas e medicamentos usados no tratamento das doenças endócrinas 8 8.4. a tirotrofina ou hormona estimulante da tiróide. actualmente. na mulher e em casos de oligospermia com origem em insuficiência hipotalâmico-hipofisária. semelhantes às próprias hormonas. da hipófise. da corticotrofina que regula a secreção de corticosteróides e da tirotrofina que estimula a secreção de tiroxina.8. pela possibilidade de substituição da hormona endógena quando esta se encontra deficitária. Androgéneos e anabolizantes Apresentam-se em seguida algumas referências sobre os medicamentos que incluem hormonas de origem natural ou de síntese que pelas suas características farmacológicas justificam uma utilização na terapêutica ambulatória.5. Antidiabéticos orais 8. Glicagina 8. a corticotrofina ou hormona adrenocorticotrófica (ACTH). Medicamentos que actuam no metabolismo do cálcio 8.6.5. Calcitonina 8. 8.6. pelo aparecimento de antagonistas que permitem bloquear e frenar uma produção hormonal exagerada e por último. por esclarecer. Em todos os casos. antidiabéticos orais e glicagina 8. corticotróficas e lactotróficas para as hormonas correspondentes.1. tirotróficas. pelo lóbulo anterior da hipofise. o cortex suprarrenal ou a tiróide. seis hormonas que regulam a função de orgãos muito diversos.2.1. a função principal destas hormonas é a de regular o crescimento e o trabalho de certos orgãos. os testículos. Em primeiro lugar. duas gonadotrofinas. Insulina 8.3. Corticosteróides 8. O lóbulo anterior da hipófise (hipófise anterior.6. duas glicoproteínas segregadas.5. a somatotropina ou hormona do crescimento (GH). as células somatotróficas. Como indica a sua designação. que por sua vez segregam outras hormonas.5.1. a gonadotrofina estimulante do folículo (FSH) e a hormona luteinizante (LH).3.

concretamente a folitropina alfa e beta recombinada. s GONADOTROFINA CORIÓNICA HUMANA Tem actividade biológica semelhante à hormona luteinizante. PROFASI HP Serono. no carcinoma do útero. na literatura médica. pó solv. regulando a maturação do folículo e a formação do corpo amarelo no ovário. carcinoma da próstata ou outra neoplasia dependente de androgéneos. sol. 2500 UI. 919$00 (306$30). 1 033$00 (344$30). u GONADOTROFINA HIPOFISÁRIA HUMEGON Organon Portuguesa. • s FOLITROPINA ALFA E FOLITROPINA BETA É a hormona estimulante do folículo ou FSH humana recombinante. Usam-se em situações de anovulação em mulheres que não responderam a outros medicamentos ou para estimulação do desenvolvimento multifolicular em doentes onde se pretende uma superovulação por estarem submetidas a técnicas de reprodução medicamente assistida. nos jovens. Contra-indicações e precauções: Na gravidez. Contra-indicações e precauções: Para além das indicadas no texto. deve ter-se cuidado em doentes com insuficiências cardíaca ou renal.. 1. 75UI... do ovário ou da mama. pó solv.. Actua no início e na regulação da gametogénese. 2 319$00 (773$00). sol. . u FOLITROPINA ALFA GONAL-F Serono. 40%. Indicações: Ver as notas anteriores apresentadas na introdução das gonadotrofinas. u GONADOTROFINA CORIÓNICA PREGNYL Organon Portuguesa. sol. é segregada pela placenta e pelos tumores trofoblásticos. inject. Reacções adversas: Iguais às das gonadotrofinas. Reacções adversas: Aparecimento de edemas (particularmente nos homens. variável entre 75 a 225 UI /dia e durante 5 a 20 dias de acordo com a situação clínica. tais como a fertilização in vitro. para estimular a produção da testosterona endógena. 8 327$00 (1 665$40). 40%.206 Capítulo 8 | 8. Está contra-indicada em doentes com puberdade precoce. desde as metodologias mais recentes por recombinação do ADN.. Posologia: Injecção por via intramuscular ou subcutânea de acordo com a situação clínica e a resposta do doente. 40%. 3. até à sua obtenção a partir da urina de mulheres pós-menopáusicas contendo principalmente FSH ou da urina de mulheres grávidas contendo essencialmente a hormona coriónica humana. 40%. pó solv.1. que em alguns casos se complicam com o aparecimento de quistos ováricos e ainda aumentam o risco de gravidez múltipla. pó solv. Nas suas proveniências encontram-se referenciadas fontes diversas. inject. inject. 8 421$00. 1500. Usa-se em ginecologia para reproduzir o pico pré-ovulatório da hormona luteinizante (LH) na indução da ovulação e no atraso da puberdade. inject. Indicações: As descritas acima. Podem provocar ovulações múltiplas. preparada por biotecnologia. epilépticos ou com enxaqueca. no sexo masculino. no aleitamento. a possibilidade de puberdade precoce. cefaleias e alteração do humor. reacções alérgicas nos adultos e ginecomastia reversível nos adolescentes. doentes asmáticos. ginecomastia. 40%. sol. na espermatogénese e no desenvolvimento do tecido interstícial do testículo. Com doses elevadas existe. aconselhando-se em tais situações redução da posologia). A dosagem e os regimes posológicos são muito variáveis e devem ser cuidadosamente individualizados em função da situação clínica. Como outros efeitos laterais descrevem-se. 3. Hormonas Hipotalâmicas e Hipofisárias gem hipotalâmico-hipofisária. 3. Posologia: Injecção sub-cutânea de acordo com a respostas dos doentes. PREGNYL Organon Portuguesa. Podem variar entre 500 a 10 000 UI/dia. reacções alérgicas. 75 UI. 5. inject. 5000. sol. da idade e das caracteristícas do doente. Enquanto as formulações farmacêuticas de preparação mais grosseira só podem administrar-se por via intramuscular. os medicamentos contendo FSH altamente purificada e FSH recombinada podem ser administrados por via subcutânea. Nas malformações dos orgãos sexuais incompatíveis com a gravidez e afecções ginecológicas.

50 UI. DANATROL Sanofi Winthrop. doentes com epilepsia. Reduzir gradualmente até ao nível suficiente para manter a amenorreia. MASTODANATROL Sanofi Winthrop. Os doentes devem ser vigiados. 12 092$00 (201$50). Precauções: Insuficiêncas cardíaca. Hormonas Hipotalâmicas e Hipofisárias GONAL-F Serono. sem LH ou do extracto da urina de mulheres pós-menopaúsicas. diabetes mellitus.8. 20. Usa-se no tratamento da infertilidade.1. 100. inject. 40%. inject. edema e hirsutismo. • s SOMATOTROPINA s DANAZOL (INIBIDOR DAS GONADOTROFINAS) Suprime o eixo hipotalâmico-hipofisário inibindo as gonadotrofinas hipofisárias. 200. Reacções adversas: Náuseas. 40%. 2 362$00 (118$10). 207 u FOLITROPINA BETA PUREGON Organon Portuguesa. pó solv. distúrbios menstruais e secura vaginal. • estrogénica e antiprogestagénica. 3. quistos ou aumento do volume do ovário. enxaqueca. 40%. MASTODANATROL Sanofi Winthrop. 4 794$00 (239$70). Se existir hiperprolactinemia pode verificar-se uma redução do efeito terapêutico. 3. na displasia mamária ou fibrose quística do seio e na ginecomastia. inject. 40%. sol. 4 711$00. u DANAZOL DANATROL Sanofi Winthrop. s UROFOLITROFINA OU UROFOLITROPINA É uma gonadotrofina obtida de FSH purificada a partir de urina de mulheres menopáusicas. se existirem lesões intracraneanas. 3. 1. 200. Nas situações de um balanço de azoto negativo a sua acção promove um aumento na síntese . hipertensão. • u UROFOLITROPINA METRODIN HP Serono. sol. 40%. alterações do humor. estimulando o anabolismo proteico e a lipólise. 75 UI. inject. Deve evitar-se.. 75 UI. Contra-indicações e precauções: Não deve ser administrada a mulheres grávidas.. Posologia: Injecção por via intramuscular ou subcutânea de acordo com a situação clínica e a resposta do doente e algumas vezes dependente de resposta anterior à gonadotrofina. É usado no tratamento da endometriose. 40%. perturbações da tiróide ou das suprarrenais. Na fibrose quística dos seios 100 a 400 mg/dia. Cuidados especiais em doente idosos. 60. até 6 meses se necessário. 100. reacções cutâneas (fotossensibilidade e dermatites esfoliativas). que contém derivados urinários da FSH. sol. METRODIN HP Serono. 60. 3. Reacções adversas: Ver notas referidas para as gonadotrofinas.. cápsulas. Foi usado na menorragia e noutros distúrbios menstruais mas devido aos efeitos laterais frequentes e variados devem preferir-se outros fármacos. 33 684$00 (11 228$00). 16 842$00 (5 614$00).. em 2 fracções. 5 916$00 (98$60). cápsulas. distúrbios lipoproteicos ou doença tromboembólica. pó solv. vertigens. cápsulas. cefaleias. 25 263$00 (8 421$00). por ser possível o aparecimento de sinais de virilização. 12 423$00 (4 141$00). em 2 fracções. efeitos androgénicos que incluem acne. pele oleosa. PUREGON Organon Portuguesa. 100 UI. sol. 40%. Contra-indicações: Em doentes com hemorragia genital anormal e em situação de gravidez. Indicações: As descritas atrás. cápsulas. em situações de comprovada falta de eficácia de outras terapêuticas. renal e hepática.. 20. aumento de peso. sol. ansiedade. Posologia: Em situações de endometriose 800 mg/dia. após reconstituição com solventes adequado. por via injectável. inject. 75 UI. combina a actividade androgénica com as actividades antiHormona do crescimento sintética que estimula o crescimento somático e actua sobre os mecanismos intermediários do metabolismo. Indicações: Ver notas referidas para as gonadotrofinas. 40%. 40%.

Por via intramuscular administram-se 2-3 fracções por semana.Uma quebra na concentração plasmática de cortisol obtida depois da administração. deixaram de ser aconselhadas. como para tratamento de situações onde sejam necessários níveis elevados de glucocorticóides e não se deseje induzir uma atrofia suprarrenal. Reacções adversas: Cefaleias. precauções e reacções adversas: Como as que se apresentam para a corticotrofina. usada no tratamento da diabetes insípida. pelo que as suas indicações antidiuréticas serão também abordadas no capítulo 7 referente ao Aparelho Genito-Urinário. Posologia: Dosagem ajustada a cada doente. e no aleitamento. e a rifampicina podem aumentar o metabolismo e reduzir o efeito da corticotrofina.2. Deve evitar-se na gravidez. estrutura constituída por tecido nervoso. susp.. A vasopressina libertada actua principalmente a nível renal. Posologia: 250 mg numa dose única por via intramuscular ou intravenosa.alguns casos de cirurgia cardíaca ou em trombopatias provocadas por fármacos (salicilados e ticlopidina). contudo. vómitos. Contra-indicações. s CORTICOTROFINA (CORTICOTROPINA OU HORMONA ADRENOCORTICOTRÓFICA OU ACTH) É a hormona responsável pela biossíntese e secreção dos glico e mineralocorticóides do cortex suprarrenal e dos androgéneos por esta produzidos. A administração simultânea de fármacos ulcerogénicos. A dosagem deve ser adaptada ao doente e deve ser a mais baixa possível. Contra-indicações: Em doentes com hemorragia genital anormal e em situação de gravidez. desapareceu da terapêutica e foi substituída pela desmopressina.208 Capítulo 8 | 8. s TETRACOSACTIDO OU TETRACOSATRINA É um análogo de síntese da corticotrofina (ACTH) que se utiliza para avaliar a função do . 40%. como os salicilatos ou a indometacina. Utiliza-se na terapêutica a somatotropina humana recombinante e nos seus efeitos laterais referem-se edemas. Contra-indicações e precauções: Na diabetes mellitus (pode ser necessário o ajuste da terapêutica antidiabética). A vasopressina. No adulto. Tem a sua principal indicação no tratamento da diabetes insípida. Retenção hídrica com edemas periféricos. • proteica e induz o balanço positivo de azoto. a fenitoína. escolhendo-se rotativamente locais diferentes para a administração. pode aumentar o risco de ulceração gástrica. Os seus níveis apresentam um ritmo circadiano bem evidente. 689$00. dada em 6-7 fracções semanais por via subcutânea.5 a 1 UI/Kg/semana. Deve ser reservada para o tratamento de atrasos do crescimento.1. É um fármaco com maior duração de acção do que a vasopressina.1. No lóbulo posterior da hipófise (hipófise posterior ou neuripófise). 1. 8. por se verificarem respostas terapêuticas imprevisíveis. tal como a vasopressina (hormona antidiurética. SYNACTHEN DEPOSITO Novartis Farma. tem acção lipolítica e modifica o metabolismo dos hidratos de carbono. ADH) e os seus análogos. Hormonas Hipotalâmicas e Hipofisárias cortex supra-renal. Os doentes sujeitos ao teste devem ser vigiados mais de 1 a 3 horas após a injecção pois podem surgir reacções de hipersensibilidade. artralgias e mialgias. as acções farmacológicas provocam aumento da massa muscular e diminuição do tecido adiposo. náuseas. com níveis mais elevados às primeiras horas da manhã e mínimos à noite. Usa-se na clínica tanto para diagnóstico de alterações das suprarrenais. Tanto a corticotrofina como o tetracosactido foram usados como alternativas aos corticosteróides em situações de doença de Crohn ou artrite reumatóide. 1. Administra-se por via intravenosa em situações de hemorragia por hepatopatias graves. dores articulares e após doses elevadas um aumento da glicémia Indicações: As referidas acima. a vasopressina (hormona antidiurética ou ADH) e a occitocina. problemas visuais. inj. Indicações: As atrás indicadas. do fármaco indica uma insuficiência adrenocortical. Os barbitúricos. de aplicação nasal. Indicações: Na diabetes insípida e em outras situações atrás descritas. por via intramuscular. entre 0. s DESMOPRESSINA (ACETATO DE) É um análogo da hormona antidiurética com menor capacidade pressora. ficam armazenadas e são libertadas à medida das exigências orgânicas duas hormonas.

e a nível gastrintestinal aumentam a produção de ácido clorídrico e pepsina. 934$00 (186$80). no sistema nervoso central provocam alterações no comportamento. Posologia: Por via oral. ou intramuscular são variáveis com as situações clínicas. veio limitar o uso da occitocina. é produzida em quantidades apreciáveis que vão provocar contracções que conduzem à expulsão do feto. É incompatível com as soluções injectáveis de fibrinolisina. Aumenta as contracções depois de iniciado o trabalho de parto e auxilia a expulsão da placenta. retenção hídrica e hiponatrémia. 100%. no cortex supra-renal. Para a administração com o fim de expulsar o leite segregado.5 ml. cefaleias. nasal. cuja produção se relaciona com distintas porções destas glândulas. As mineralocorticóides (aldosterona) produzidas na zona glomerular. Corticosteroides Reacções adversas: Vasodilatação periférica com aparecimento de rubor facial. Os glicocorticóides têm efeitos a quase todos os níveis. taquicardia. sol. envolvendo muitas reacções de oxidação. 2.5 ml. naúseas.8. 40 UI. A resposta do útero à contracção está dependente da presença de estrogéneos e de progestagéneos. É também a hormona imprescíndivel à lactação. por controlo da hormona adrenocorticotrófica (ACTH) através de uma longa série de mecanismos enzimáticos. • 209 nistração nasal está contra-indicada durante a gravidez. 3 235$00 (1 294$00). Contra-indicações e precauções: Não deve ser associada a hidrolisados de proteínas para perfusão. e as sexoesteróides (di-hidroepiandrosterona. 0. Também dores de estomago. aumentando a contracção com o aumento de estrogéneos e diminuindo com a administração de progestagéneos. As glândulas supra-renais são responsáveis pela síntese de várias hormonas de natureza esteróide. mas uma vez iniciado. a sua libertação ante situações de «stress» faz parte da resposta fisiológica compensatória e tem como finalidade evitar que os mecanismos orgânicos de defesa saiam fora do controlo endógeno. 40%.1. Usar com cuidado em doentes com mais de 65 anos e em casos de fibrose quística. produzidas na zona fascicular. nomeadamente da prostaglandina F2alfa. vómitos. A síntese de corticosteróides. DDAVP DESMOPRESSIN Ferring Portuguesa. A introdução das prostaglandinas na terapêutica. nasal. faz-se a partir do colesterol. androstenodiona e testosterona) produzidas na zona reticular. 3 196$00 (1 278$40).2. • 8. DESMOSPRAY Ferring Portuguesa. Corticosteróides (hormonas da supra-renal) A informação que se segue deve ser completada e cruzada com a apresentada nos capítulos 9 – Aparelho musculo-esquelético e 12 – Pele. Posologia: As doses por via intravenosa. Todavia. O doente deve ser cuidadosamente instruido no uso adequado da via intranasal por forma a obterem-se bons resultados terapêuticos. A admi- . São medicamentos que têm potentes efeitos anti-inflamatórios e imunossupressores. sol. 0.2. na altura das mamadas. 5 ml. produzem efeitos a nível metabólico com aumento da glicose e alterações a nível do metabolismo dos lípidos. SYNTOCINON Novartis Farma. Não desencadeia o trabalho de parto. De toda esta variedade de efeitos. a desmopressina não deve ser usada por via nasal se existirem ulcerações. intranasal ou injectável de acordo com a idade e a situação clínica do doente. também na epilepsia. corticosterona). Em aerossol: 1 inalação nas duas narinas 3 minutos antes do amamentar ou de retirar o leite com bomba. 2. 100%. como consequência das acções metabólicas podem condicionar a debilidade muscular e a osteoporose. resultam indicações terapêuticas diversas que tanto podem estar ligadas a doenças endócrinas como doenças não endócrinas que estejam dependentes da acção s OCCITOCINA A occitocina provoca a contracção das fibras musculares do útero e da glândula mamária. usa-se a forma de aerossol nasal. de bitartarato de noradrenalina e de varfarina sódica. Indicações: Ver texto apresentado atrás. Precauções e contra-indicações: Na insuficiência cardíaca e na hipertensão. as glicocorticóides (cortisol. inflamação ou outras condições que tornem irregulares a absorção do fármaco. Apresenta-se na forma injectável e também em aerossol nasal.1. enxaqueca ou condições de retenção hídrica. aerossol. Quando se administram corticosteróides exógenos estamos a aumentar os níveis de controlo hormonal de acordo com as possíveis exigências orgânicas.

Os corticosteróides de 2ª geração são derivados halogenados. Podem também provocar aumento da pressão intraocular e glaucoma. osteoporose (risco maior nas mulheres menopaúsicas).210 Capítulo 8 | 8. sintomatologia da síndroma de Cushing. alterações digestivas com aumento da incidência de hemorragias ou perfuração. a osteoporose. exemplo a referir. doenças de pele. em reacções de hipersensibilidade tais como choque anafilático e angiedema. Os glicocorticóides disponíveis diferem entre si pelas sua actividade e duração de acção. depende da sua actividade mineralocorticóide. que tem menor potência anti-inflamatória que a prednisona. agitação. cefaleias e reacções psicóticas. Os efeitos tóxicos surgem após suspensão terapêutica brusca ou na sequência do uso contínuo de doses elevadas. é indispensável reduzir progressivamente a posologia. que associam uma maior actividade anti-inflamatória com as hipó- s CORTISOL OU HIDROCORTISONA (ACETATO DE). os corticosteróide interactuam com vários medicamentos. organizados de forma a condicionar a sua relação estrutural com as actividades farmacológicas. suprime-se por completo a actividade mineralocorticóide (dexametasona. directa dos efeitos anti-inflamatórios e imunosupressores dos glicocorticóides. só devem usar-se em caso de absoluta necessidade. A introdução de fluor em posição C9 aumenta a actividade glico e mineralocorticóide (fluorcortisona). Os anti-hipertensores antagonizam os efeitos hipotensores destes medicamentos. com o que se reduz a actividade mineralocorticóide e aumenta a actividade glicocorticóide (prednisona. Nas crianças. Os corticosteróides de 1ª geração obtêm-se por introducção duma dupla ligação no C1 e C2. . As contra-indicações absolutas ou relativas dos corticosteróides são a hipertensão. barbitúricos e fenítoina). prednisolona e metil-prednisolona). Os analgésicos aumentam o risco de hemorragias e ulceração gástrica. Os diuréticos (acetazolamida. Nos diabéticos. Corticosteroides teses de menores efeitos laterais (por redução da actividade mineralocorticóide ou por supressão completa dessa actividade ou ainda por menor interferência no metabolismo do cálcio ou dos hidratos de carbono). por vezes responsável por edemas e hipertensão. tiazidas ou diuréticos da ansa) aumentam o risco de hipocaliémia. em tratamentos crónicos. Os antidiabéticos antagonizam os efeitos hipoglicemiantes. euforia. hipocaliémia e edemas. a tuberculose e as infecções virais ou micóticas. na selecção dos glicocorticóides deve atender-se à sua duracção de acção. a epilepsia mal controlada. não apresenta acção mineralocorticóide e modifica em menor grau o metabolismo do cálcio e dos hidratos de carbono. betametasona). assim como pelo grau de actividade mineralocorticóide coexistente. A rifampicina acelera o metabolismo dos corticosteróides com a consequente redução do efeito terapêutico. em casos de insuficiências endócrinas. por diminuírem a tolerância à glicose e a sensibilidade à insulina. Algumas das modificações introduzidas nas suas moléculas permitem a classificação em corticosteróides de primeira. Com excepção da aplicação tópica por períodos curtos de uso. a insuficiência cardíaca congestiva.2. diminuição da resistência a todos os agentes infecciosos. como a artrite reumatóide ou a colite ulcerosa. Os corticosteróides são esteróides com 21 atomos de carbono. Assim. Indicações: Na insuficiência adrenocortical. A retenção de sódio. a insuficiência renal. doença reumática. insónia. que serão especialmente graves em doentes com hipertensão e doenças vasculares. Os de acção prolongada. hidroxilos ou metilos. Nos efeitos laterais referem-se: fraqueza muscular e alterações do ritmo cardíaco. podem produzir atrasos de crescimento e perturbações oculares (como desenvolvimento de cataratas). o deflazacorte. miopatias. Após um tratamento prolongado ou após doses elevadas. doença inflamatória do intestino. São medicamentos responsáveis por numerosos efeitos secundários. mas se introduzidas substituições em C16. principalmente quando as doses fisiológicas são ultrapassadas e quando o tratamento é de longa duração. Os de acção curta ou intermédia são seleccionados para tratamentos de urgência em casos agudos ou em tratamentos de substituição. O uso de corticosteróides com actividade mineralocorticóide acompanha-se de retenção de sódio. o mesmo se verifica com antiepilépticos (carbamazepina. devido às suas acções metabólicas. segunda e terceira geração. a úlcera gastroduodenal. O mesmo deve ser de considerar durante a gravidez. Os corticosteróides de 3ª geração são corticosteróides onde se introduziu um anel de condensação em C16-C17. HIDROCORTISONA SÓDICA Serve como padrão para comparar outros esteróides. hiperglicémia. em tratamento crónico.

398$00 (15$90). s PREDNISOLONA (ESTEAGLATO DE). 40%. • s METILPREDNISOLONA. 40%. 1. 100 mg cada 8 horas na insuficiência suprarrenal aguda.5. injectável. injectável. associando um potência de actividade glucocorticóide 5 vezes superior à hidrocortisona e uma actividade mineralocorticóide considerada pouco relevante. 694$00 (27$80). 16. susp. 1. Contra-indicações. 211 MEDROL Pharmacia & Upjohn. 25. injectável. sol. susp. não sendo indicado quando se pretende um efeito imediato. 40 + + 10. 40. Indicações: Controlo de doenças inflamatórias e alérgicas. 60. 3. 40%. Reacções adversas: As indicadas no texto acima. u HIDROCORTISONA SÓDICA FLEBOCORTID Marion Merrel. precauções e interacções: Semelhantes aos medicamentos anteriores incluindo-se ainda o cuidado com as doenças hepáticas. 1. comprimidos. Posologia: Por via oral 10 a 80 mg. (SUCCINATO DE) E METILPREDNISOLONA + LIDOCAÍNA Os derivados da metilprednisolona são corticosteróides classificados de 1º geração. 4. • u METILPREDNISOLONA (ACETATO) DEPO-MEDROL Pharmacia & Upjohn. susp. 30. 2 042$00 (680$70). 781$00 (26$00). injectável. 1 vez/semana. 10. 688$00. comprimidos. precauções e interacções: Ver a descrição apresentada no texto acima. Por via intramuscular ou por via intravenosa com injecção lenta. 40. 1 vez/dia ou 7 vezes a dose diária. Contra-indicações. DEPO-MEDROL Pharmacia & Upjohn. Contra-indicações. MEDROL Pharmacia & Upjohn. injectável. O acetato de metilprednisolona é absorvido lentamente. Posologia: 5 a 60 mg/dia ajustadas à situação clínica e à resposta terapêutica do doente. edema cerebral. 1 082$00 (360$70). 2 042$00 (72$90).2. 0%. doença reumática. dose de 10 a 500 mg até 1 g diário. Posologia: 50 a 100 mg cada 6 a 8 horas na doença asmática. sol. sol. 40%. de acordo com a situação. 100. 40%. 5. 20. LEPICORTINOLO Marion Merrel. 563$00 (28$20). durante 3 dias. SOLU-MEDROL Pharmacia & Upjohn. Corticosteroides Reacções adversas: As indicadas no texto acima. comprimidos. 40%. 364$00. 28.8. comprimidos. injectável. 40%. 1. 40. precauções e interacções: Ver a descrição apresentada no texto acima. 847$00. Reacções adversas: Semelhantes aos medicamentos anteriores. MEDROL Pharmacia & Upjohn. 4. 40%. 40%. 20. (SUCCINATO DE) É um corticosteróide de síntese usado principalmente pelas suas propriedades anti-inflamatórias. comprimidos. 40%. A dosagem e frequência de administração dependem do grau e localização da inflamação. u ACETATO DE HIDROCORTISONA HYROCORTONE Merck Sharp & Dohme. 40%. Potência anti-inflamatória 4 vezes superior à da hidrocortisona e relativamente a esta baixa actividade mineralocorticóide. . comprimidos. 25. 62. 3. 671$00 (11$20). • u METILPREDNISOLONA + LIDOCAÍNA DEPO-MEDROL COM LIDOCAINA Pharmacia & Upjohn. METILPREDNISOLONA (ACETATO DE). 412$00. HYROCORTONE Merck Sharp & Dohme. u METILPREDNISOLONA (SUCCINATO) SOLU-MEDROL Pharmacia & Upjohn. Indicações: Ver as indicações apresentadas anteriormente para o cortisol.

Reacções adversas. SINTISONE Pharmacia & Upjohn. 40%. 298$00 (14$90). sol. comprimidos. 40%. 805$00 (40$20). de potência anti-inflamatória 4 vezes superior à da hidrocortisona e relativamente a esta. 6. Reacções adversas: As mesmas dos outros corticosteróides. 40%. Pátria. 1000. 296$00 (9$90). sol. como anti-inflamatório e como inumossupressor. precauções e interacções: Semelhantes às anteriores. 20. 6. comprimidos. injectável. 40%. comprimidos. edema cerebral. 10. 40%. 20. 40%. SOLU-DACORTINA Merck Portuguesa. 60. 10ml. comprimidos. Posologia: 60 a 120 mg/dia. 3 880$00 (1293$30). 30. comprimidos. comprimidos. 0. 40%. METICORTEN Schering-Plough. 5. 40%. 407$00 (20$40). comprimidos. 40%. sol. 60. Em terapêutica de urgência 4-20 mg em dose única. 423$00 (14$10). oral. injectável. susp. 0. CELESTONE Schering-Plough. 60. injectável. • u PREDNISOLONA (ESTEAGLATO) SINTISONE Pharmacia & Upjohn. 60. • s BETAMETASONA Corticocosteróide halogenado. sol. 6.5 a 9 mg/dia em 2-4 fracções. 40%. cápsulas. 20. 40%. sol. 7. CORTIOL Sanigen. 25. por via oral. 40%. comprimidos. injectável. 40%. 585$00 (9$80). 5. 616$00 (30$80). 60. CELESTONE RETARD Schering-Plough. • u PREDNISOLONA (SUCCINATO) SOLU-DACORTINA Merck Portuguesa. 1 812$00 (302$00). por via injectável. comprimidos. 20. 423$00 (14$10). 1 098$00 (18$30). Pátria.5. 40%. SOLU-DACORTINA Merck Portuguesa. 14. CELESDEPOT Schering-Plough.5. 54 530$00. 7. SOLU-DACORTINA Merck Portuguesa. 40%. 819$00 (273$00). revestidos.2. 1. 40%. comp.5. 30. 1. 40%. comprimidos. 40%. 1 119$00 (186$50). . DIPROFOS DEPOT Schering-Plough. 785$00 (26$20). Indicações: Controlo de doenças inflamatórias e alérgicas. NISCOLONE Lab. 401$00 (40$10). 0. 1. 40%. 204$00 (10$20). 988$00 (16$50). 1 800$00 (30$00). 5. BETNASOL Glaxo Wellcome. 20. comprimidos. injectável. susp. 206$00 (10$30). precauções e interacções: As mesmas dos corticosteróides. injectável. BETNASOL Glaxo Wellcome. 1 337$00. CELESTONE Schering-Plough. 50. 0. 40%. 7. 0. 3. NISCOLONE Lab. Posologia: 0. 950$00 (158$30). sol. ainda em processos inflamatórios no globo ocular e ouvidos. contra-indicações. METICORTEN Schering-Plough. Contra-indicações. 40%. • s PREDNISONA Corticosteróide de síntese de 1ª geração. hiperplasia adrenal. baixa actividade mineralocorticóide. oral. sol.212 Capítulo 8 | 8. 30ml. SINTISONE Pharmacia & Upjohn. 250. 20.5. 40%. CORTIOL Sanigen. 5. Indicações: Na síndroma nefrótico e na asma. 20. 5. 6. 40%. 5. SOLU-DACORTINA Merck Portuguesa. em 3-4 fracções. cápsulas. classificado de 2ª geração o que significa ausência de acção mineralocorticóide e com actividade glicocorticóide 20 a 25 vezes mais potente que a hidrocortisona. injectável. Corticosteroides cada 6-8 horas ou como dose única às 8 horas da manhã. 1 517$00 (25$30). CELESTONE Schering-Plough.5. 3. • LEPICORTINOLO Marion Merrel. 30.

Restantes indicações ver as apresentadas para o cortisol. Reacções adversas. Nas crianças a dose diária é de 5 µg/kg de peso até ao máximo de 100 µg por dia. por sobredosagem ou em doentes com patologia cardiovascular. 20. com uma semi-vida de 6 a 7 dias. 40%.25 –1. comprimidos. 20. Podem surgir palpitações. 0. Estas doses. A tiroxina sódica (levotiroxina sódica) é a hormona de escolha na terapêutica de manutenção. comprimidos. 5 277$00 (527$70). precauções e interacções: Como nos medicamentos anteriores e ainda o facto de os antiácidos reduzirem a absorção do fármaco. 40%. . de preferência antes do pequeno almoço. DECADRON Merck Sharp & Dohme. 40%. Posologia: Por via oral 0.3.3. 60.5 mg por dia ou em dias alternados. para manutenção. 40%. isto é. 0%. ROSILAN Marion Merrel. raquitismo e em certas formas de bócio. comprimidos. Prescrevem-se por vezes associados a fármacos anti-tiroideus no hipertiroidismo com o objectivo principal de auxiliar o reequilíbrio nos processos fisiológicos. No adulto com síndroma adrenogenital e em certos casos de hirsutismo na mulher. A dose única. 13ml. 10. 0. mesmo após a suspensão do tratamento. s DEFLAZACORTE Corticosteróide. 6. de tiroidite e no carcinoma da tiróide. susp. com ausência de acção mineralocorticóide e com actividade glicocorticóide 20 a 25 vezes maior que a hidrocortisona. A dose inicial não deve exceder 100 µg por dia e nos idosos ou doentes com problemas cardíacos não deve exceder 25 a 50 µg. induz menor reabsorção óssea e tem efeito diabetogénico reduzido.8. a tiroxina e a liotironina (ou tri-iodotironina) são aminoácidos iodados. intramuscular ou endovenosa adaptada à situação clínica do doente. 2 722$00 (136$10). no hipotiroidismo ou mixedema. 3 364$00 (258$80). Dose de manutenção 3 a 18 mg/ /dia. diária. no adulto. Hormonas da Tiróide e medicamentos anti-tiroideus As hormonas da tiróide. classificado de 3ª geração. • ROSILAN Marion Merrel. que mantém as propriedades anti-inflamatórias da prednisona mas apresenta a vantagem de poupar o metabolismo do osso e dos glúcidos. Nas crianças 0. mais potente que a prednisolona. precauções e interacções: Como os anteriores. em 1-2 fracções de acordo com a patologia. podem aumentar-se a intervalos de pelo menos 4 semanas até se atingirem as doses de manutenção. até aos 12 podem atingir-se os 200 µg por dia. o doente e a evolução clínica. ROSILAN Marion Merrel. A escolha entre as diversas preparações farmacêuticas deve ser feita em função da doença e do tipo de resposta a obter. Estes máximos estão contudo dependentes da resposta clínica e dos resultados do doseamento plasmático da tiroxina (TH) e da hormona estimulante da tiróide (TSH).5 a 10 mg/dia. oral. Por via injectável 0. comprimidos. a idade da criança pode interferir neste valor e se até aos 5 anos não se deve ultrapassar os 100 µg por dia.5 a 10 mg /dia. Indicações: É usada para inibir a secreção cortico-suprarrenal em testes funcionais. Como efeitos laterais indica-se uma estimulação metabólica ou cardíaca exagerada. facto que permite que a sua actividade possa persistir por semanas. 40%. 30. edema cerebral. contra-indicações. que regulam os processos oxidativos celulares e intervêm no crescimento. 433$00. 481$00 (24$00). doença reumática em doentes idosos. Reacções adversas. Indicações: No controlo de doenças inflamatórias e alérgicas. sol. arritmias ou crises anginosas. injectável.5. DECADRON Merck Sharp & Dohme. 1 093$00 (18$20). 8. Nas situações neonatais de hipotiroidismo é de toda a conveniência um tratamento rigoroso para que se consiga um desenvolvimento normal do recém-nascido. DECADRON Merck Sharp & Dohme. 23. Utilizam-se como terapêutica substitutiva em estados de hipofunção tiroideia. Hormonas da Tiroide e medicamentos anti-tiroideus 213 s DEXAMETASONA (FOSFATO) Corticosteróide de síntese.5. 1. é de 100 a 200 µg. Tem uma absorção rápida. para substituição hormonal no hipotiroidismo. • 8. Posologia: 6 a 90 mg/dia. contra-indicações.

cãibras musculares. comprimidos. Posologia: Hipotiroidismo ligeiro: 25-75 µg/dia . 0. comprimidos. Hipotiroidismo grave: 5 µg/dia em dose única.214 Capítulo 8 | 8. nadolol ou o sotalol. A gravidez é uma contraindicação absoluta a esta terapêutica.3. 0. entre outros. enxaqueca. taquicardia. 658$00 (11$00). comprimidos. Interacções e posologia: Ver texto acima. 20. A semi-vida é de menos de 2 dias mas a resposta biológica consegue-se poucas horas após absorção. reacções adversas.1. 20. LETEQUATRO Upsifarma. consequente a uma estimulação pela hormona estimulante da tiróide (TSH). comprimidos. Bócio simples: 5 µg/dia no início. THYRAX Organon Portuguesa. taquicardia. a hipervascularização e o volume do bócio na doença de Basedow. 70%. Contra-indicações e precauções: Tirotoxicose. contra-indicações e interacções: Em tudo semelhantes à tiroxina mas com efeito mais rápido. 5 µg. da situação clínica. nesse caso. diarreia.1. vómitos. fenitoína e primidona) e também os bloqueadores adrenérgicos beta. comprimidos. s TIROXINA SÓDICA (LEVOTIROXINA SÓDICA) Indicações: Hipotiroidismo. factos que exigem cuidado especial em doentes idosos e cardíacos. 70%. Como nota de alerta fundamental sobre o uso destes medicamentos. comprimidos. arritmias. LETTER Fisons Farmacêutica. excitabilidade. arritmias. aumentar 5-10 µg/dia com intervalos de 1-2 semanas até 75 µg/dia. barbitúricos. 60. LETEQUATRO Upsifarma. O doente deve ser avisado que deve contactar o médico sempre que A liotironina tem uma acção terapêutica semelhante à da tiroxina mas é mais rapidamente metabolizada. o que justifica a necessária vigilância hematológica. 500$00 (25$00). Hormonas da Tiroide e medicamentos anti-tiroideus em dose única. NEO-TIROIMADE Lab. O carbamizol (do grupo das tioamidas) e o propiltiouracilo (grupo das tioureias) inibem a síntese das hormonas tiroideas através da inibição do passo metabólico da transformação do iodeto em iodo e são os medicamentos indicados para o tratamento de doentes jovens. 258$00 (12$90). 268$00 (4$50). 70%.1. a longo prazo. Também como interacções há que ter em conta que alguns farmacos usados em associação podem ter uma acção indutora enzimática. 70%. pelo que é usada nas situações de hipotiroidismo grave quando se deseja uma resposta rápida. perda de peso e fraqueza muscular. pelo que se podem associar ao tratamento bloqueadores adrenérgicos beta como o propranolol. Esfar. Esfar.1. podem surgir com eles casos de agranulocitose. 70%. Em situações de tratamento prolongado é importante controlar os níveis hormonais porque pode surgir hipotiroidismo iatrogénico e. NEO-TIROIMADE Lab. THYRAX Organon Portuguesa. é conveniente associar hormonas da tiróide para a correcção dos níveis hormonais e evitar hipertofia da tiróide. Está contra-indicada quando se prevê. 25 µg. o que exigirá acertos de posologia.1. sendo o hipotiroidismo um efeito lateral dependente da dose utilizada. 60. um tratamento com iodo radioactivo. aumentar 5-10 µg cada 2 semanas até ao efeito desejado (pode ir até 100 µg/dia). 60. a curto prazo. A administração de iodo diminui temporariamente a secreção tiroideia. comprimidos. As hormonas da tiróide aumentam o consumo de oxigénio e aceleram o ritmo cardíaco. comprimidos. 60. 20 µg de liotironina são equivalentes a 100 µg de tiroxina. ansiedade ou debilidade muscular. 0. s LIOTIRONINA (TRI-IODOTIRONINA) Indicações. 706$00 (11$80). 0. Reacções Adversas: A sobredosagem pode provocar angor. LETTER Fisons Farmacêutica. tanto na preparação dos doentes para tiroidectomia. como para tratamento. 70%. tal é o caso dos antiepiléptico (carbamazepina. 276$00 (4$60). insónia. 1 015$00 (16$90). 25 µg. 60. 0. 60. 70%. Os medicamentos anti-tiroideus são usados nas situações de hipertiroidismo. Durante o tempo de latência entre o início do tratamento e os primeiros sinais de resposta clínica surgem sintomas de hipertiroidismo. palpitações. 70%. 437$00 (7$30). Os isótopos radioactivos de iodo usam-se em doses baixas como meio de diagnóstico e em doses elevadas no tratamento de certos hipertiroidismos ou em carcinomas da tiróide.

perturbações hepáticas. comprimidos. Precauções: As mesmas do carbamizol.25 a 2. Reacções adversas: Urticária. ao fim de 1 a 2 meses. PROPYCIL Solvay Farma. erupções cutâneas e prurido. 5-20 mg cada 8 horas. comprimidos. por via oral. 60.4.1. . 5. cuidado na escolha das doses a administrar. É eficaz ainda nas doenças em que se verifica um aumento da reabsorção e formação óssea. Depois reduzir. Calcitonina s PROPILTIOURACILO Indicações: Iguais às do carbamizol. Medicamentos que actuam no metabolismo do cálcio surja febre ou qualquer infecção faríngea. 490$00 (8$20). anemia aplástica. hipercalcemia idiopática na criança. 5. 60. Posologia: Hipertiroidismo: dose inicial. Reacções adversas.4. reduzir a dose de manutenção para 5-10 mg de 6 meses até 2 anos. 350$00 (5$80). no qual representa. nestas situações. de forma progressiva até uma dose de manutenção entre 5 a 15 mg por dia. Contudo. Precauções: Bócio. comprimidos. Embora possam produzir hipotiroidismo. Deverá suspender-se a medicação em caso de evidência analítica de neutropenia. gravidez e aleitamento. METIBASOL Sanóbia. 60. O cálcio é um elemento imprescíndivel ao organismo. • s CARBAMIZOL Indicações: Hipertiroidismo. desde que se administre a menor dose eficaz. 70%. 50. 70%. gravidez e aleitamento. contra-indicações e precauções: Como no carbamizol. e «Estrogéneos na osteoporose pós-menopaúsica» deste capítulo. • 8. Nas crianças: dose inicial de 15 mg por dia e com ajuste progressivo de acordo com a resposta terapêutica. fósforo e vitamina D do capítulo 11 – Vitaminas e Sais Minerais. Contra-indicações e precauções: para além das referidas atrás deve ter-se atenção ao seu uso no bócio. Deverá suspender-se a medicação em caso de evidência analítica de neutropenia. perturbações hepáticas. perturbações gastrintestinais ligeiras. Reacções adversas: Naúseas. Recomenda-se pois. no adulto. enxaqueca. É eficaz na redução da hipercalcemia e na concentração de fosfatos em doentes com hiperparatiroidismo. sintomas de apresentação da agranulocitose.75 mM ou 9-11 mg/100 mL) e tecidulares em especial com o tecido ósseo. Medicamentos que actuam no metabolismo do cálcio A informação que se segue deve ser cruzada com a apresentada nas secções sobre cálcio. 2% do peso corporal. 70%. É usada na terapêutica para baixar a concentração de cálcio em alguns doentes com hipercalcemia vulgarmente associada a doença maligna. intoxicação por vitamina D e em metastases ósseas. trombocitopenia.8. 8. Posologia: A terapêutica depois de iniciada prolonga-se normalmente até 18 meses: 20 a 60 mg por dia durante as primeiras 4 semanas. na manutenção do balanço de cálcio e na homeostase. Intervém em numerosos processos biológicos e mantém no organismo um estreito equilíbrio entre as concentrações plasmáticas (2. A calcitonina é uma hormona polipeptídica directamente envolvida com a paratiróide na regulação da absorção óssea. e ainda se recomenda a redução da dose em insuficientes renais. Na homeostasia do cálcio intervêm a paratormona e a vitamina D que actuam como hipercalcemiantes e a calcitonina ou hormona hipocalcemiante. rash cutâneo. atravessam a barreira placentar e em doses elevadas podem causar efeitos tóxicos no feto ou no recém-nascido. e raras mas graves situações de agranulocitose. 1 282$00 (21$40). artralgias. • 215 s TIAMAZOL Indicações: Agente antitiroideu com acções e precauções como para o carbimazol. alterações hepáticas. Posologia: Dose de 300 a 600 mg por dia em adultos até controlo clínico da situação e depois reduzir gradualmente até à dose de manutenção de 50 a 100 mg diários. em situações de imprescindibilidade terapêutica poderão ser usados durante a gravidez e o aleitamento.4. NEO-MERCAZOLE Ferraz Lynce.

CALSYN MONOSPRAY Rhône-Poulenc. 6 466$00 (1 077$70). 14 doses. aerossol.216 Capítulo 8 | 8. MIACALCIC 50 Novartis Farma. 6 141$00 (438$60). 14 doses. Posologia: Em hipercalcemia administrar por via subcutânea ou intramuscular 5 a 10 Unidades/Kg/dia até um máximo de 400 U. 50 UI. MIACALCIC 50 Novartis Farma. 70%. 14 doses. 70%. sol. 70%. 9 450$00 (675$00). sol. 50 UI. injectável. 5. 70%. 8 613$00 (4 306$50). 14 doses. aerossol. 70%. 5. por forma a conseguir a normocalcemia. 70%. injectável. 4 767$00. injectável. TONOCALTIN 100 Zambon. CALOGEN Probios. vómitos e por vezes reacções locais de hipersensibilidade. não há provas convincentes que justifiquem o seu uso a longo prazo nas formas correntes de osteoporose. 14 doses. nasal. 3 vezes por semana. 70%. 14 doses. 100 UI. embora exerça efeito anti-álgico e tenha eficácia nas fases de reabsorção óssea intensa. sol. 1ml. 100 UI. 50 UI. doença de Paget. s CALCITONINA HUMANA Com as indicações e reacções adversas semelhantes à calcitonina de salmão. 5. sol. 2 ml. sol. injectável. injectável. 8 523$00 (608$80). 5. corresponde à calcitonina humana ou de salmão. sol. aerossol. 2 876$00 (575$20). OSSEOCALCINA 100 Lab. 3 655$00 (731$00). parastesias. associada a valores elevados de fosfatases alcalinas no soro e complicações neurológicas. 100 UI. SALCAT Monsanto Portugal. SALCAT Monsanto Portugal. 2 513$00 (502$60). 50 UI. sol. 50 UI. 6. 8 721$00 (622$90). 70%. só tem actividade quando administrada por via parentérica ou nasal. BIONOCALCIN Lab. 11 923$00 (851$60). SALCAT Monsanto Portugal. aerossol. nasal. aerossol. Medicamentos que actuam no metabolismo do cálcio CALOGEN Probios. sol. 100 UI. 100 UI. 100 UI. OSTOSALM Pharmacia & Upjohn. aerossol. que podem corresponder a dores intensas. 100 UI.. 50 UI. OSSEOCALCINA 50 Lab. Reacções adversas: Congestão facial. 70%. 50 UI. 70%. BIONOCALCIN Lab. aerossol. Delta. • como na doença de Paget ou nas fases evolutivas desta doença. nasal. injectável. 70%. 50 UI. 14 doses. aerossol. de 12 em 12 horas. 70%. 4 402$00 (880$40). sol. sol. 14 doses. Na doença neoplásica com dores ósseas 200 U. 50 UI. A calcitonina é sobretudo utilizada no tratamento da osteoporose. 70%. 100 UI. 70%. sol. MIACALCIC Novartis Farma. s CALCITONINA DE SALMÃO Indicações: Hipercalcemia. 4 281$00 (305$80). 14 doses. 70%. 1 1862$00 (847$30). 70%. 5 991$00 (427$90). 14 doses. 6 347$00 (1 269$40). Normal. 100 UI. A calcitonina utilizada na terapêutica é de origem sintética. 100 UI. MIACALCIC 100 Novartis Farma. Delta. sol. 1 ml. Na doença de Paget administra-se por via subcutânea ou intramuscular doses de 50 U. 100 UI. não atribuíveis a uma doença osteoarticular. sol. de 6 em 6 horas ou 400 U. 3 568$00 (713$60). Delta. naúseas. As perturbações da paratiróide e do metabolismo do cálcio e que causam hipocalcemia são tratadas com gluconato de cálcio ou outro sal de cálcio por via endovenosa seguido da administração oral de calciferol. 70%. 100 UI.. injectável. 70%. OSTOSALM Pharmacia & Upjohn. 5 155$00 (859$20). 5 119$00 (365$60). OSTOSALM Pharmacia & Upjohn. 5 000$00 (1 000$00). 5 ml. 5 119$00. BIONOCALCIN Lab. O risco de hiper- . 50 UI. 70%. a intervalos de 6 a 8 horas. CALSYN Rhône-Poulenc. 70%. 70%. CALCIMON BYK Portugal. aerossol. 70%. CALOGEN Probios. 6. injectável.4. 5 ml. 5. nasal. injectável. com acerto posológico de acordo com os dados clínicos e os parâmetros bioquímicos. 4 026$00 (287$60). Normal.

a fosfatase alcalina e. com o estômago vazio. particularmente o leite. injectável. FOSAMAX Merck Sharp & Dohme. 5-10 mg/kg/dia. CIBACALCINA Novartis Farma. Recomenda-se neste caso pelo menos 2 horas antes e depois não ingerir qualquer produto que contenha cálcio. comprimidos. 217 Contra-indicações: Anormalidades funcionais a nível esofágico. pó solv. pelo menos 30 minutos antes do pequeno almoço e sem qualquer medicação concomitante. se possível. de entre elas as mais impor- s ALENDRONATO (SAL SÓDICO DO AC. O doente deve manter-se de pé (ou se sentado. 30 minutos antes do pequeno almoço e tendo em atenção as indicações referidas na introdução sobre os bifosfonatos. Posologia: Na doença de Paget 0. Deve também monitorizar-se os fosfatos séricos. 4 669$00 (333$50). Reacções adversas: Náuseas.5 mg. pelo que o doente deve estar em jejum nas duas horas anteriores e durante meia hora após a toma do medicamento. depositam-se sobre os cristais celulares de hidroxiapatite sendo inibidores potentes da reabsorção óssea osteoclástica. Têm uma absorção oral muito baixa. pó solv. 1 468$00 (36$70). diarreia ou obstipação. em dose única ou 3 fracções até 6 meses. sol. 6 447$00 (1289$40). sol. nas mesmas situações referidas para a calcitonina e ainda na osteoporose pós-menopausa sintomática. ter a preocupação de conservar uma postura com o tronco bem na vertical) pelo menos 30 minutos e só depois deste intervalo de tempo ingerir alimentos. 28.5. 0%. 4 570$00 (326$40). 5. ALENDRÓNICO) Indicações: Tratamento da osteoporose pós-menopausa e doença de Paget. Os cursos da doença devem ser separados por períodos livres de 3 meses. 70%. comprimidos. ADRONAT Tecnifar. 3 593$00 (718$60).4. 10. insuficiência renal. São compostos obtidos por síntese.8. Aconselha-se a ingestão dos comprimidos. ADRONAT Tecnifar.2. 5. Ter em atenção e recomendar que a medicação nunca deve ser feita com o doente deitado. 14. FOSAMAX Merck Sharp & Dohme. duodenite ou úlceras). Interaccções: Iguais às do alendronato. cefaleias. 28. . Bifosfonatos Os bifosfonatos são usados principalmente no tratamento da doença óssea de Paget. Precauções: À semelhança do que foi descrito para o alendronato deve evitar-se alimentação antes e depois da medicação. alterações sanguíneas. CIBACALCINA Novartis Farma. 14. avaliar a hidroxiprolina urinária antes de iniciar a tratamento e depois de 3 em 3 meses. s ETIDRONATO DISSÓDICO Indicações: Ver as apresentadas no alendronato. 10. 10. Interacções: Redução da absorção com antiácidos. comprimidos. Precauções: Podem surgir perturbações a nível do equilíbrio do cálcio e da vitamina D (hipocalcemia e deficiência vitamínica). Na osteoporose prefere-se geralmente o alendronato. Posologia: Por via oral. em jejum. comprimidos. 70%. Para além dos bifosfonatos podem ainda interferir no equilíbrio do cálcio as várias formas de vitamina D. 40. sais de calcio e ferro.Como efeitos laterais estão descritas perturbações gastrintestinais (sintomatologia de doença esofágica. 400. 70%. Possível aumento dos efeitos gastrintestinais com os AINEs. Medicamentos que actuam no metabolismo do cálcio sensibilidade é menor com a calcitonina humana do que com a de salmão. injectável. 8 404$00 (300$10). 10. 70%. por via oral. gravidez e aleitamento.25. Noutras situações as doses são iguais às da calcitonina de salmão. 70%. Contra-indicações: em doentes com insuficiência renal. 0. ETIFOS Euro-Labor. 3 vezes/ /semanas. 70%. diarreia e febre após administração endovenosa. dores abdominais. • 8. Posologia: 10 mg por dia. comprimidos. evitar também ferro.4. 0. dotado de menor risco de perturbações da mineralização. suplementos minerais e anti-ácidos. 8 404$00 (300$10). Aumento do risco de hipocalcemia com os aminoglicosídeos. hipocalcemia. sempre com água em abundância.

antidiabéticos orais e glicagina lina. A diabetes mellitus é devida a uma deficiência na síntese e secreção da insulina ou a uma resistência dos tecidos periféricos à acção da insu- . A insulina pode também ser administrada por via endovenosa ou por perfusão contínua. extraída principalmente do pâncreas de porco e purificada por cristalização. A maioria dos diabéticos não insulinodependentes e que são obesos podem ser tratados com a restrição de hidratos de carbono. esquecer-se as recomendações sobre os cuidados alimentares. e/ou com a administração de medicamentos hipoglicemiantes. com insulina solúvel. à junção de zinco ou à fixação sobre uma proteina.5. antidiabéticos orais e glicagina Cerca de 25% dos doentes diabéticos requerem tratamento com insulina (são insulinodependentes). Obtém-se também biossintéticamente por tecnologia do DNA recombinante a partir da Escherichia coli ou semi-sinteticamente por modificação enzimática. como a protamina. mas que permita um certo consumo de energia. salvo casos excepcionais. coxas. • 8. Pode aumentar-se a absorção nos membros (superiores ou inferiores) se estes forem préviamente sujeitos a um exercício enérgico. para além daqueles que apresentam acetoacidose. A insulina é uma hormona polipeptídica de estrutura complexa. as medidas dietéticas podem resolver as situações. usando-se uma bomba de perfusão. com actividade física satisfatória.Os doentes são geralmente designados por diabéticos insulinodependentes (Tipo I) ou não-insulinodependentes (Tipo II). a insulina é necessária em quase todos os doentes com uma manifestação súbita de sintomas tais como perda de peso. Insulinas. As preparações disponíveis diferem quanto à sua duração de acção. A insulina é inactivada pelas enzimas gastrintestinais e por isso só administrada por injecção. Todas as preparações são em maior ou menor extensão imunogénicas no Homem. Os efeitos laterais da insulina podem ser metabólicos. O calcitriol é considerada a forma mais activa da vitamina D e é usada por via oral ou endovenosa em doses que variam entre 0. 8. o calcitriol e o calcifediol. Injecta-se habitualmente na parte superior dos braços. É mais facilmente administrada através de aparelhos de injecção subcutânea (canetas) que contêm a insulina num reservatório (cartucho) e medem a dose necessária.5. intermédia. As injecções subcutâneas de insulina não causam problemas. embora em alguns doentes obesos possam ocorrer situações de lipodistrofia no local da injecção. A via subcutânea é a ideal por várias razões. Insulina A insulina desempenha no organismo um papel fundamental na regulação dos hidratos de carbono. A selecção dos medicamentos deve ser feita em função do tipo da diabetes e da situação clínica do doente não devendo contudo. podendo esta ser prolongada através do recurso a artificios de cristalização. Esta técnica tem sido pouco divulgada por exigir uma monitorização rigorosa da glicose no sangue e um aconselhamento médico muito frequente. As situações diabéticas diagnosticadas em crianças necessitam de tratamento com insulina desde o seu início. o exercício físico e os aspectos de higiene individual. fraqueza física e algumas vezes vómitos associados com acetonúria. Para obter um aumento na eficácia terapêutica da insulina e diminuir os risco da sua utilização devem os doentes ser devidamente informados dos cuidados e preocupações com a sua medicação e tornados colaboradores administrando a si pró- tantes são o calciferol. imediatamente antes da injecção.218 Capítulo 8 | 8. Nos doentes não obesos e sem carência de insulina. lípidos e metabolismo proteico. com o tratamento limitado a 7 dias. embora muitos dos últimos necessitem insulina para manter um controlo satisfatório da sua situação clínica.25 a 2 µg/dia.1. O calciferol é usado no tratamento da hipocalcemia associada a situações de raquitismo e osteomalácia. De um modo geral. mas a resistência imunológica ás acções da insulina são raras. lenta e ultra-lenta. por via oral. deve recomendar-se a rotação dos locais de injecção. Insulinas. até conseguir concentrações de calcemia normais e após tratamento endovenoso com sais de cálcio.5. o regime dietético é estabelecido de acordo com as necessidades e restrições calóricas do diabético e constitui também uma alternativa terapêutica. em doses que podem ir a 5 mg (2 000 000 Unidades) por dia. De acordo com as características cinéticas as insulinas são classificadas em insulinas de acção rápida. O calcifediol é um metabolito do colecalciferol usado nos défices de vitamina D. imunológicos e locais. Para evitar que tal aconteça. ancas ou abdomen. As seringas convencionais e as agulhas continuam contudo a ser preferidas por muitos doentes e por isso estão disponíveis insulinas para esta utilização.

u INSULINA HUMANA (ISOFANE) HUMULIN REGULAR Lilly Farma. é uma suspensão de insulina com protamina que tem sido usada em situações particulares no início de regimes terapêuticos de duas administrações por dia. 10 ml. sol. Posologia: De acordo com o tipo de insulina e com a situação clínica a tratar. injectável. de acção intermédia e de acção prolongada. 2 585$00 (517$00). injectável. 2 419$00 (241$90). que apresenta um início de acção mais rápido que as insulina solúveis e pode ser administrada imediatamente antes de uma refeição. consoante a preparação farmacêutica. 100 UI. 10 ml. 2 419$00 (241$90). Indicações. Também a nova tecnologia usada na sua preparação não permitiu mudar a estrutura dos residuos de aminoácidos que a compõem. o local de injecção e as características individuais do doente. A insulina com protamina é usualmente dada uma vez por dia em conjunto com insulina solúvel de curta duração de acção. 2 419$00 (241$90). sol. 100 UI. HUMULIN M1 Lilly Farma. reacções adversas. 1. Insulina Humana (isofane). 100%. 100 UI. 100 UI. Precauções: Vejam-se as referências do texto atrás apresentado. cetoacidose diabética. 100%. HUMULIN NPH Lilly Farma. classificando-os em insulina de acção rápida. injectável. Reduzir a dose em situações de insuficiência renal. s INSULINA HUMANA A introdução da insulina humana sintética na terapêutica não resolveu por completo o problema da imunogenicidade. injectável. 100 UI. a insulina lispro. injectável. injectável. 2 419$00 (241$90). 2 954$00 (295$40). injectável. esteróides anabolizantes observa-se potenciação dos efeitos hipoglicemiantes. injectável. 2 419$00 (241$90). 100 UI. 100 UI. Reacções adversas: Vejam-se as referências do texto atrás apresentado tendo em atenção as reacções locais provocadas pelas injecções. antidiabéticos orais e glicagina prios a insulina. HUMULIN M2 Lilly Farma. HUMULIN M4 Lilly Farma. Nas insulinas de acção rápida incluem-se as insulinas solúveis. 100 UI. Nas recomendações de utilização sobre o medicamento é importante informar sobre as condições de conservação e sobre as exigências de controlo da glicémia. Nas insulinas de acção intermédia e acção prolongada incluem-se as que têm um início de acção entre 1 a 2 horas. 10 ml. 100%. A incorporação de zinco à suspensão de insulina (insulina zinco) permite aumentar a duração de acção e obter uma insulina de acção mais prolongada. bloqueadores adrenérgicos beta. Interacções: Com os IECAs. Foi recentemente introduzida na terapêutica um análogo da insulina humana. a actividade máxima entre 3 a 5 horas. Dose elevadas podem provocar hipoglicemia. IMAOs. um efeito máximo de 4 a 12 horas e uma duração de acção que se prolonga de 16 a 35 horas. ACTRAPID HM PENFILL Novo Nordisk. 100%. intramuscular ou intravenosa de acordo com a situação clínica do doente. o que confere aos doentes maior flexibilidade e liberdade nas actividades diárias. Posologia: Por via subcutanea. sol. 2 419$00 (241$90). Nelas se incluem a insulina isofane. Insulinas. Têm o início de acção entre 15-30 minutos. Como consequência de um mau seguimento da terapêutica podem surgir situações de hiperinsulinemia.5. 100%. como já se referiu anteriormente. 10 ml. 10 ml. 100%. 10 ml. terminando o seu efeito 6 a 8 horas após a administração. ISUHUMAN RAPID Hoeport. . de modo a transformá-la numa insulina mais adequada à via subcutânea. sol. HUMULIN M3 Lilly Farma. testosterona. sol.8. injectável. 100%. sol. precauções e interacções: Iguais às da Insulina Humana apresentadas acima. a suspensão de insulina zinco e a insulina com protamina. sol. nos submetidos a terapêutica com bloqueadores adrenérgicos beta e nos indivíduos com doença coronária ou cerebrovascular assim como nos alcoólicos. hipoglicemia ou hiperglicemia. 100%. alcool. 5. 100%. Deve haver uma preocupação especial com a administração de insulina nos doentes predispostos a hipoglicemia. 219 ACTRAPID HM Novo Nordisk. 1 359$00. Indicações: Diabetes mellitus. 10 ml. 100 UI. Contudo deu lugar ao desenvolvimento de análogos da insulina que apresentam farmacocinética diferente da insulina humana regular. sol. sol.

100%. HUMULIN M2 Lilly Farma.5 ml. sol. 100%. 100 UI/ml. 100%. 100 UI/ml. 5 408$00 (1 081$60). 100%. MIXTARD 40 PENFILL Novo Nordisk. 100%. 2 419$00 (241$90). HUMULIN M3 Lilly Farma. sol. 100 UI/ml. 100 UI/ml. 5 x 3 ml. susp. 100%.5 ml. sol. 100 UI. 100 UI. ULTRATARD HM Hoeport. 100 UI/ml. 5 x 3 ml. 1 x 5 ml. 5 408$00 (1 081$60). sol. HUMULIN M4 Lilly Farma. injectável. 100 UI/ml. injectável.5 ml. 3 365$00 (673$00). 3 169$00 (633$80). 100 UI. cegueira. 100 UI/ml. 100 UI. 100 UI/ml. sol. 5 x 3 ml. injectável. 100%. 2 419$00 (241$90). antidiabéticos orais e glicagina MIXTARD 30 PENFILL Novo Nordisk. 3 388$00 (677$60). susp. HUMULIN M3 Lilly Farma. 100 UI/ml. 100%. 1 x 1. 100 UI/ml. susp. injectável. 5 x 1. 100 UI/ml. 5 x x 1. 100%.5 ml. 100 UI/ml. As sulfonilureias exercem a sua acção hipoglicemiante por estimulação da secreção da insulina residual endógena. 10 ml.2. sol.5 ml. pelo que são eficazes em doentes com um mínimo de função pancreática.5 ml. 5 x 1. HUMULIN M2 Lilly Farma. 2 960$00. insuficiência renal e amputação dos membros inferiores. 7 384$00 (1476$80). injectável. injectável. 10 ml. 100%. 100 UI. 5 x x 1. susp. 10 ml. injectável. 100 UI/ml. 10 ml. 3 221$00 (644$20). HUMULIN M1 Lilly Farma. 7 384$00 (1476$80). injectável. sol. 100 UI/ml. injectável. 3 169$00 (633$80). HUMULIN REGULAR Lilly Farma. 5 408$00 (1 081$60). 100%.5 ml. injectável. injectável. sol. injectável. • 8. 100%. 3 169$00 (633$80). HUMULIN LENTA Lilly Farma. . 2 846$00. 100%. 3 221$00 (644$20). sol. 100%. 100 UI/ml. u INSULINA PROTAMINA ISUHUMAN BASAL Hoeport. 100%. 5 x x 1. injectável. ISUHUMAN COMB25 (OPTIPEN) Hoeport. injectável. sol. 100%.5. 5 x 3 ml. 100 UI/ml. u INSULINA ZINCO MONOTARD HM Hoeport. nos diabéticos não insulinodependentes consegue-se um controlo satisfatório da glicémia com os antidiabéticos orais. HUMULIN ULTRALENTA Lilly Farma.5. sol. 100%. 100 UI/ml. injectável. 100%. HUMULIN NPH Lilly Farma. injectável.5 ml. 3 221$00 (644$20). 5 x 3 ml. 5 x 1. 5 x x 1. sol. 1 306$00. injectável. sol. injectável. 100 UI/ml.5 ml. injectável. MIXTARD 20 PENFILL Novo Nordisk. 3 250$00 (650$00). injectável. susp. 5 x 3 ml. 5 408$00 (1 081$60). susp. sol. sol. MIXTARD 50 PENFILL Novo Nordisk. Para além do controlo da glicose com a redução dos níveis de glicémia são também importantes na prevenção das complicações associadas a esta doença tais como: doença cardiovascular. 1 x 5 ml.5 ml. 100%. INSULATARD HM Novo Nordisk. sol. Insulinas. 100%. 1 361$00. 100%. ISUHUMAN COMB25 Hoeport. 100 UI/ml. sol. injectável. De um modo geral. 100%. injectável. INSULATARD NOVOLET Novo Nordisk. 5 x x 1.5 ml. 100%. sol. injectável. HUMULIN NPH Lilly Farma. 100%. 1 x 10 ml. MIXTARD 30 Novo Nordisk. 2 846$00 (284$60). 2 960$00 (296$00). 100%. 3 169$00 (633$80). 2 537$00. sem complicações por cetoacidose. ISUHUMAN BASAL (OPTIPEN) Hoeport. 5 x 1. injectável. Antidiabéticos orais Os antidiabéticos orais estão reservados para o tratamento da diabetes Tipo II estável do adulto. u RECARGAS (P/CANETAS) HUMULIN REGULAR Lilly Farma. injectável. 100 UI/ml. sol. 5 x 1. 1 x 10 ml.220 Capítulo 8 | 8.

a sua acção hipoglicemiante pode ser modificada quando há interacção a este nível com outros medicamentos. 100%. SEMI-EUGLUCON Roche Farmacêutica. 2.5.5. comprimidos. Recentemente. 894$00 (44$70). Reacções adversas. Com excepção da glipizida. Também os fármacos indutores enzimáticos como os barbitúricos ou a rifampicina ou a ingestão crónica de alcool reduzem a actividade das sulfonilureias. neste grupo etário. 100%. 5. 100%. As dose indicadas são de 4 a 8 mg/dia em monoterapia ou em associação. diuréticos (da ansa e tiazidas) há antagonismo do s GLIPIZIDA Indicações: Diabetes mellitus. A selecção cuidada da medicação é o único modo de assegurar a eficácia e diminuir a toxicidade. foi permitido. 916$00 (45$80). Se não for conseguido um controlo metabólico com a dose máxima da sulfonilureia escolhida. • s GLICLAZIDA Indicações: Diabetes mellitus. Todas as sulfonilureias se ligam às proteinas plasmáticas e. A rosiglitazona é um farmaco antidiabético oral. EUGLUCON Roche Farmacêutica. comprimidos. 40-80 mg por dia. DIAMICRON Servier Portugal. por excesso de dosagem ou por omissão de alimentação frequente. a terapêutica deve começar com a dose mais baixa disponível e aumentar progressivamente se necessário. 5. quer em associação com a metformina. tomada com o pequeno almoço. Os esteróide anabolizantes. SEMI-DAONIL Hoeport. A hipoglicemia é o acidente mais grave nos idosos que seguem esta terapêutica e está associada ao uso das sulfonilureias de longa duracção de acção pelo que devem preferir-se. como tal. 2. Interacções: Ver texto apresentado para a insulina. comprimidos.8. 100%. Na sequência de uma rigorosa análise de dados sobre a segurança e eficácia deste medicamento foi indicado o seu uso quer em monoterapia. Reacções adversas. precauções e interacções: Ver texto anterior apresentado para a glibenclamida. Após a sua escolha. 2. 100%. Os efeitos laterais mais frequentes são cefaleias. 2. fadiga muscular. contraceptivos orais (estrogéneos e progestagéneos). 60. ou em sua substituição. Com os corticosteróides. em doentes idosos. 20. São fármacos metabolizados pelo figado e eliminados por via renal. uma classe de fármacos que visam tratar a resistência à insulina – uma causa determinante na diabetes de tipo II – ou seja a incapacidade do organismo de responder adequadamente aos seus níveis de insulina. vertigens.5. os bloqueadores adrenérgicos beta e os anti-inflamatórios não esteróides potenciam o efeito das sulfonilureias. . • s GLIBENCLAMIDA Indicações: Diabetes mellitus. DAONIL Hoeport. 100%. em doentes com insuficiência renal. todas podem dar origem a metabolitos activos. pelo que esta deverá ser a sulfonilureia de eleição. 2. 60.5. comprimidos. 100%. SEMI-EUGLUCON Roche Farmacêutica.5. 857$00 (14$30). com o pequeno almoço. antes das refeições. 60. precauções: Ver texto anterior. fármacos de acção curta como a glicazida ou a tolbutamida em vez da cloropropamida ou a glibenclamida. pela Food and Drug Administration o uso da rosiglitazona. precauções e interacções: Ver texto apresentado no medicamento anterior. comprimidos. Insulinas. antidiabéticos orais e glicagina Está também associada a elas uma acção a longo prazo aumentando a resposta metabólica à insulina circulante. ajustada de acordo com a resposta. nauseas e vómitos. das denominadas glitazonas. pertencente a uma nova familia química. para o tratamento da diabetes tipo II. ajustada de acordo com a resposta até ao máximo de 15 mg/dia. Posologia: Início 5 mg/dia. 2 063$00 (34$40). esta deve ser substituida por uma mais potente ou por insulina em associação com os antidiabéticos orais. 1 309$00 (21$80). 349$00 (17$40). Ter ainda em consideração a possibilidade de risco de hipoglicemia.Doses até um máximo de 320 mg/dia divididas em 3 fracções. 20. comprimidos. 20. 60. Reacções adversas. comprimidos. 1 218$00 (20$30). Posologia: Inicialmente.5. até ao máximo de 160 mg em dose única. DIAMICRON Servier Portugal. 221 efeito hipoglicemiante.

gastrintestinais (vómitos. por possuirem um mecanismo de acção diferente delas. comprimidos. dividida por 2 a 3 doses. 2 vezes por dia. 50. 25. LENTOBETIC Lab. 100%. • Posologia: Inicialmente. 25. 50. 100%. conseguindo-se por vezes reduzir a dose de insulina e melhorar o controlo da glicémia. Se necessário aumentar de 45 a 60 mg/dia. 5. Reacções adversas.É parcialmente absorvida por via oral e eliminada por via renal sem ser metabolizada. 5. Máxima por dia é de 180 mg. Máximo de 3 g por dia. vómitos e diarreia. 100%. de acidose láctica. respiratória e cardíaca porque pode desencadear acidose láctica. 2. comprimidos. 1 936$00 (32$30). Reacções adversas: Anorexia. LENTOBETIC Lab Pátria. anorexia. 500. São fármacos úteis nos doentes obesos em que tenha havido falha terapêutica das sulfonilureias ou em complemento destas. cáps.222 Capítulo 8 | 8. comprimidos. vitamina B12 ou ácido fólico) e ainda reacções alérgicas. de má absorção (quer de aminoácidos. • s METFORMINA É o medicamento de escolha no diabético obeso. 20. 488$00 (24$40). ajustada de acordo com a resposta. 60. 1 392$00 (23$20). Não deve administrar-se na gravidez. Se a dose ultrapassar 15 a 20 mg/dia. Pátria. Em situações particulares. acção prolongada. náuseas. diarreia e flatulência). à semelhança das sulfonilureias. dividir em 2-3 fracções a administrar antes das refeições. MINIDIAB Pharmacia & Upjohn. podem também ser administradas concomitantemente com a insulina. 20. Sigma. Induz acidose láctica com frequência e há refe- . cáps. 100%. podendo ser associada uma sulfonilureia e/ou acarbose se o controlo metabólico não for satisfatório. 40. Posologia: Inicialmente. Nas reacções adversas indicam-se situações hematológicas (redução da agregação plaquetar). Sigma. comprimidos. 1 178$00 (19$60). Posologia: 100-200 mg. 30 minutos antes das principais refeições. ajustada de acordo com a resposta. precauções e interacções: Iguais aos anteriores. 5. 850. Precauções e contra-indicações: Na insuficiência renal. Não deve administrar-se na gravidez. em dose única antes do pequeno almoço. 100%. 595$00 (29$80). Indicações: Nos diabéticos obesos em que as sulfonilureias falharam terapêuticamente. 15 mg/dia. naúseas. Pátria. A dose máxima diária é de 50 mg. Insulinas. 60. contra-indicações e precauções: Ver o texto apresentado atrás. 435$00 (21$80). inibem a absorção gastrintestinal de glicose. Produz menor incidência de situações de acidose láctica que a fenformina e dificilmente provoca hipoglicemia. antidiabéticos orais e glicagina rências a pancreatites agudas. 60. ver textos apresentados para as sulfonilureias referidas anteriormente. LENTOBETIC Lab. a neoglicogénese hepática e aumentam a utilização periférica da glicose. As biguanidas não modificam a secreção de insulina. RISIDON Lab. 50. 20. comprimidos.5. Posologia: 500 mg todas as 8 horas ou 850 mg de 12 em 12 horas com ou depois das refeições. 100%. s FENFORMINA (CLORIDRATO) É uma biguanida usada como hipoglicemiante. em dose única antes do pequeno almoço. acção prolongada. 590$00 (14$80). 100%. Indicações: Na diabetes em doentes obesos em que tenha havido falência terapêutica das sulfonilureias. 100%. hepática. 60. 100%. s GLIQUIDONA Indicações: Diabetes mellitus Reacções adversas. Portuguesa de Higiene. GLUCOPHAGE Lab. pelo que. bem como aumento da mortalidade cardiovascular em doentes medicados com este hipoglicemiante. comprimidos. 564$00 (11$30). cáps. em doentes de difícil controlo hormonal. Actuam na presença de insulina endógena. como adjuvante do tratamento com sulfonilureias ou em associação com insulina. GLURENOR Unilfarma. acção prolongada.5-5 mg/dia. só são eficazes em diabéticos com pâncreas endócrino ainda funcionante. 1 202$00 (20$00). GLURENOR Unilfarma. DEBEÍNA Comp.

repetir depois de 10 a 20 minutos se o doente não recuperar. hepáticas (aumento das transaminases) e de hipocaliémia quando se associa às sulfonilureias. . Libertada para a corrente sanguínea. é uma hormna pancreática com acções várias. comprimidos. É usada terapêuticamente nessas situações. 60. Deve ser usado com prudência nos doentes com história de insulinoma. atraso e redução nos níveis de glicémia pós-prandial. 100%. 223 Os medicamentos hipoglicemiantes de qualquer tipo não devem ser administrados durante a gravidez ou aleitamento. 100%. GLUCOBAY Centrofarma. reduzindo a sua absorção e condicionam consequentemente. 60. comprimidos. subcutânea ou intramuscular é a alternativa em situações hipoglicémicas de emergência. Sigma. Diabéticos insulino-dependentes com hipoglicemia nocturna: administrar 100 mg em dose única antes do jantar. diarreia e distensão abdominal). comprimidos. tonturas. 700. Em doses elevadas pode potenciar o efeito anticoagulante da varfarina. hipocaliémia e nalguns casos reacções de hipersensibilidade. Interacções: Iguais às da insulina e ainda com a neomicina e colestiramina que potenciam o efeito hipoglicemiante da acarbose.3. Nas hipoglicemias graves é a produção desta hormona que leva ao pronto restabelecimento da glicemia. Contra-indicações e precauções: Está contra-indicada em situações de feocromocitoma. STAGID Merck Farma e Química. pelo que só é activa se administrada por via oral e ingerida antes das refeições. Posologia: 50-200 mg 3 vezes por dia. porque pode surgir hipoglicémia por efeito da libertação de insulina desencadeada pelo fármaco. sol. Insulinas. Actua ainda sobre a medula supra-renal provocando a libertação de adrenalina. podendo evitar as lesões cerebrais da hipoglicemia prolongada. 1 ml. Ainda que nas situações de hipoglicemia a administração de glicose seja frequentemente usada. GLUCOBAY Centrofarma. 700. 850. Os inibidores da glucosidase alfa intestinal. diarreia. 50. 1 595$00 (31$90). 50. cefaleias e redução da trigliceridemia.5-1 mg por via injectável. 100%. 100%. 788$00 (39$40). O seu efeito resulta da acção local da acarbose no intestino. aerofagia. comprimidos. GLUCAGEN Novo Nordisk. como vulgarmente é designada. Posologia: Em adultos 0. Nos efeitos laterais referem-se situações gastrintestinais (flatulência. s GLICAGINA (CLORIDRATO) Indicações: Ver notas acima descritas. 8. GLUCOBAY Centrofarma. antidiabéticos orais e glicagina RISIDON Lab. tem uma acção ao nível do figado. é uma substância alergizante. injectável. no início das refeições. 100%. 100%. retardam a digestão do amido e da sacarose de uma refeição que contenha hidratos de carbono. 50. STAGID Merck Farma e Química. 40%. Há ainda referências ocasionais a sonolência. Como todos os polipeptídeos. vómitos. 50. tal como a acarbose. precauções: Ver texto anterior. Reacções adversas. 1 050$00 (17$50). por conduzir à libertação de catecolaminas com a consequente subida da pressão arterial.5.5. 572$00 (28$60). Apesar de permitir a redução das doses de outros antidiabéticos quando se lhes associa. s ACARBOSE Indicações: Diabetes mellitus inadequadamente controlada pela dieta ou pela dieta e antidiabéticos orais. comprimidos. Reacções adversas: Náuseas. Glicagina A glicagina ou glucagon. Induz também uma estimulação e um aumento da calcitonina e do cálcio. A insulina é o único medicamento indicado. sendo as mais estudadas as da homeostase da glicose. sempre com cuidado e seguimento rigoroso.8. 20. nestas situações. não os substitui. 2 078$00 (41$60). 2 620$00. 20. 1 263$00 (21$00). comprimidos. Máximo de 600 mg/dia. 100. 1. em doentes diabéticos ou em coma por choque insulínico. elevando rapidamente a glicemia por mobilização do glicogénio hepático. pelo que se comporta como a hormona anti-stress. a glicagina por via endovenosa.

a falta de exercício.224 Capítulo 8 | 8. nos carcinomas dependentes dos estrogéneos. Muitos dos sintomas atrás referidos aliviam-se com doses baixas de estrogéneos e existe evidência clínica de que. e que uma glândula produtora de um tipo de esteróides possa dar origem a outro tipo de esteróides.1. na menopausa precoce ou cirúrgica. como o equilibrio no balanço de azoto. no controlo das perturbações vasomotoras da pós-menopausa. hipercalcemia.Estrogéneos e progestagéneos Os estrogéneos naturais. estradiol. Indicações: As descritas acima. um aumento no risco de cancro do endométrio. Não devem ser administrados durante a gravidez e aleitamento. nas afecções hepáticas ou hemorragias vaginais de causa desconhecida. na mulher. tensão mamária. as doenças de predisposição para a osteoporose. geralmente. Em terapias de longa duração é conveniente a associação de um progestagéneo para diminuir o risco de hiperplasia do endométrio e possível transformação em cancro. potássio e água. Como exemplo. a regulação de cálcio. Em todos os casos deve usar-se a dose mínima eficaz e recomendar-se o exame periódico do endométrio. condicionam. são medicamentos úteis na prevenção e diminuição da osteoporose. 8. Desde há muitos anos que a eficácia dos estrogéneos é reconhecida na prevenção dos sintomas de instabilidade vasomotora e atrofia vaginal da menopausa. porque a necessidade da administração de progestagéneos pode impedir o efeito protector das pequenas doses de estrogéneo contra o enfarte de miocárdio e ataque cardíaco.6. mas deverá ter-se cuidado com o cancro da mama. e a intervenção no metabolismo lipídico. Nos factores de risco incluem-se as terapias anteriores com corticosteróides. 8. São fármacos bem absorvidos através da pele e mucosas pelo que a sua aplicação local permite atingir concentrações plasmáticas elevadas. masculinas. A administração transdérmica está a ser muito utilizada na terapêutica de substituição e tem demonstrado ser uma via eficaz e segura. de ataque cardíaco ou enfarte de miocárdio. contudo. alterações na função . etinilestradiol. risco sistémico e pode corrigir eficazmente os sintomas de atrofia vaginal pós-menopausa. São pouco eficazes por via oral devido à sua rápida metabolização digestiva e hepática. nas tromboflebites ou desordens tromboembólicas. os hábitos tabágicos ou a fractura da anca antes dos 65 anos. os factores de risco da osteoporose devem ser tidos em consideração antes do início da terapêutica e da instituição do esquema posológico.6. A aplicação vaginal de estrogéneos não acarreta. alterações de peso. retenção de sódio. entre outras. assim como os corticosteróides. Reacções adversas: Naúseas e vómitos. Hormonas sexuais Os estrogénios são responsáveis pelo desenvolvimento e manutenção dos orgãos genitais femininos estando associadas acções metabólicas. As hormonas sexuais femininas. A terapêutica hormonal de substituição a longo prazo é aceite como mais favorável em termos de risco/benefício para as mulheres menopaúsicas sem útero porque não requer terapia concomitante com progestagéneos. no atraso da puberdade. Hormonas sexuais A informação que se segue deve ser cruzada com a apresentada no capítulo 7 e na secção sobre cálcio e fósforo do capítulo 11. apresentam uma via biossintética comum e uma semelhança molecular (são todos compostos esteróides) que permite compreender que na síntese de uma dessas hormonas se libertem compostos intermediários que constituem outras hormonas. Pode ser mantida por cerca de 10 anos. o alcoolismo. mestranol e dietilestibestrol que se assemelham aos naturais. hipotalâmicas e suprarrenais. deve atender-se não só ao seu efeito directo no organismo. Contudo. A terapêutica com estrogéneos faz-se de forma cíclica ou contínua num número variado de situações ginecológicas. s ESTRADIOL (BENZOATO) É um estrogénio que se usa em terapêutica de substituição e no tratamento da amenorreia primária. Os estrogéneos sintéticos. No campo da actividade das gónadas e das suas capacidades produtivas de hormonas sexuais específicas. A situação é menos clara para as mulheres menopaúsicas com útero.6. os antecedentes genéticos. estrona e estriol são hormonas que para além da sua actividade ao nível dos orgãos sexuais femininos têm também o perfil terapêutico adequado para o tratamento hormonal de substituição ou terapêutica hormonal de substituição. sódio. na osteoporose pós-menopausa. refira-se a produção pelos testículos de estrona e estradiol ou de esteróides androgénicos pelos ovários. mas também à interligação entre os mecanismos de produção das hormonas hipofisárias.

DERMESTRIL 50. usos e reacções adversas semelhantes ao estradiol. 8. 15 g. 2. transdérmico. precauções e interacções: Iguais às do estradiol. sist. ESTRADERM MX Novartis Farma. 6. 4. 20. 8. 8. enxaqueca. sist. transdérmico. 656$00 (5$50). 2. 334$00 (16$70). Com a rifampicina. • s ESTRIOL (SUCCINATO) Estrogéneo natural com acções. 40%. 40%. 8. 4. SYNAPAUSA Organon Portuguesa. DERMESTRIL 100 Lab. OVESTIN Organon Portuguesa. reacções cutâneas de hipersensibilidade nas formas farmacêuticas de aplicação transdérmica. transdérmico. sist. Posologia: 1 a 2 mg/dia em fracção única. sist. 1 096$00 (73$10). transdérmico. sist. 1 446$00 (180$80). nas doenças tromboembólicas e cardiovasculares. 2 097$00 (262$10). 4. 447$00 (22$40). 40%. 225 ESTROFEM Novo Nordisk. 0. 40%. 40%. Lab. DERMESTRIL 100 Lab.33. sist.25. 40%. 0. 6. transdérmico. transdérmico. 1 910$00 (477$50). 1 996$00 (71$30).6.25. ESTRADERM MX Novartis Farma. 1 626$00 (271$00). reacções adversas. 3. 4. Delta. doença cardíaca e renal. transdérmico. os barbitúricos e os antiepilépticos: por indução enzimática observa-se a redução da actividade dos estrogéneos. MENOREST 75 Rhône-Poulenc. em particular da estrona. 24. 8. 40%. transdérmico. transdérmico. sist. transdérmico. sist. 1 546$00 (193$20). transdérmico. 24. transdérmico. cefaleias. 1 759$00 (219$90). 40%. A dosagem deve ser individualizada de acordo com a doença a tratar e com a resposta da doente. 40%. 40%. creme vaginal. DERMESTRIL 25 Lab. endometriose ou herpes genital.5 Rhône-Poulenc. 0. ESTRADERM MX Novartis Farma.6. 40%. Sanitas. Indicações. sist. 40%. A progesterona e os progestagéneos exercem a sua acção sequencialmente à acção prévia dos estrogéneos e por isso se encontram muitas vezes associados a este grupo de compostos. Podem também causar alterações nos testes da função tiroideia e da função hepática. 24. comprimidos. Delta. 120g. 3 835$00 (159$80). Posologia: De 0. Delta. DERMESTRIL 50 Lab. Delta. sendo digna de registo a diversidade química dos compostos que se incorporam em cada medicamento. • Estrogéneos conjugados e estrogéneos esterificados Usam-se nas mesmas situações clínicas apresentadas para o estradiol. 8. 8. 6. 2. Para além . 40%. 4. 40%.9. 1. Está contra-indicado na gravidez. 1 446$00 (180$80). transdérmico. ESTRADERM MX Novartis Farma. gele. 4 558$00 (189$90). 2. transdérmico. Interacções: Os estrogéneos antagonizam os efeitos hipotensores dos IECA’s e outros anti-hipertensores. nos doentes com história familiar ou pessoal de neoplasia do seio ou do tracto genital. depressão e vertigens. Pode tratar-se de conjugações entre estrogéneos ou corresponderem a misturas de sais de sódio e esteres de sulfato das substâncias estrogénicas.na hemorragia vaginal. de 1 a 3 semanas de acordo com a situação clínica. 8. 1 182$00 (147$80). sist. 3. 40%. 0%. 1 944$00 (324$00).250 a 1 mg/dia de acordo com a situação clinica e a resposta do doente. MENOREST 50 Rhône-Poulenc. Delta. Delta. sist. comprimidos. OVESTIN Organon Portuguesa.29. a resposta terapêutica e a forma farmacêutica. DERMESTRIL 25 Lab. 20. 4. 6. Precauções e contra-indicações: Para além das indicadas nos textos anteriores deve ser usado com precaução nos doentes com epilesia. 0%. CLIMARA Schering Lusitana. 0%. 8.8. Hormonas sexuais hepática. 28. MENOREST 37. ESTRONAR GEL Lab. 2 935$00 (122$30). 8. sist.57. 1 837$00 (229$60). comprimidos. sist. sist. 1 463$00 (243$80). 40%.

Inibe o metabolismo da ciclosporina. naúseas. que provocam indução enzimática e mais intenso metabolismo.226 Capítulo 8 | 8. Na hemorragia uterina 5 a 10 mg/dia. 5. comprimidos. a iniciar antes do início previsto da menstruação. dismenorreias e metrorragias funcionais ou em situações de cancro. insónia e alopécia. gele. 10. 40. 6 a 8 dias. por 6 dias ou uma dose única de 50 a 100 mg de acordo com a situação clínica. 40%. enxaqueca. 100. injectável. PROGENAR Lab. pelo que deve considerar-se a redução do efeito terapêutico. 2 vezes por dia do 12º ao 26º do ciclo. Reacções adversas precauções e contra-indicações: Iguais às da progesterona. cápsulas. 2 vezes por dia do 11º ao 25º dia do ciclo menstrual após estrogenoterapia. 1. Aplica-se também localmente. Hormonas sexuais do seu uso como anticoncepcionais. • . 10. gele. 712$00 (17$80). 40. por via oral. 1. 20.6. susp. PROGESTOGEL Quimedical. s PROGESTERONA A progesterona é uma hormona natural sem efeitos androgénicos usada nas hemorragias uterinas disfuncionais e no aborto repetido. Posologia: Por via intramuscular na amenorreia dose de 5-10 mg/dia. 604$00 (7$60). em certas formas de mastopatia fibrocistica. na forma de gele. Indicações: Tratamento da amenorreia. 500. Indicações: As indicadas nos textos anteriores. por via oral. Está contra-indicada nas hemorragias vaginais não diagnosticadas e nas porfiria hepáticas. 10. Encontram-se referidas na literatura médica anomalias do tracto genito-urinário numa criança cuja mãe havia tomado didrogesterona durante a gravidez. comprimidos. UTROGESTAN JABA Farmacêutica. 40%. ainda se pode verificar acne. hipertensão e doença cardíaca. elevando os níveis plasmáticos desta. susp. 2 017$00. 1 829$00 (45$70). tais como pigmentação da pele e diminuição da líbido. cefaleias. 150. 40%. comprimidos. 1 573$00 (52$40). 674$00 (67$40). 40%. síndroma pré-menstrual. 679$00 (8$50). Posologia: Na amenorreia 10 mg. por via oral. 10. PROVERA Pharmacia & Upjohn. s DIDROGESTERONA É um progestagéneo com propriedades e efeitos adversos muito semelhantes à progesterona. • s MEDROXIPROGESTERONA É um composto que reproduz os efeitos farmacológicos e toxicológicos da progesterona pelo que todas as informações apresentadas para ela deverão ser tidas em consideração. depressão. Reacções adversas: Para além das descritas acima. Como efeitos indesejáveis citamos hepatotoxicidade. DUPHASTON Solvay Farma. Deve evitar-se nas alterações hepáticas renais e no aleitamento. 500. 40%. 40%. Sanitas. 40%. alterações da mucosa uterina e algumas acções androgénicas. comprimidos. 1 168$00. DEPOPROVERA 500 Pharmacia & Upjohn. injectável. 70%. injectável. 80g. 40%. Pode interferir com os testes da função tiroideia e com as provas da função hepática. 40%. 30. 407$00 (20$40). Em situação de ameaça de aborto 40 mg cada 8 horas até 1 semana depois do desaparecimento dos sintomas. urticária. Na síndroma pré-menstrual 10 mg. pode justificar-se o seu emprego em alterações menstruais como endometrioses. DEPOPROVERA 150 Pharmacia & Upjohn. epilepsia. endometriose e em hemorragias funcionais. 1. 2 a 3 vezes/dia do 5º ao 25º dia do ciclo. DUPHASTON Solvay Farma. vómitos. alterações do peso. Interacções: Com a rifampicina e barbitúricos. diabetes. Não tem actividade estrogénica ou androgénica. Precauções e contra-indicações: Nas situações de depressão grave. DEPOPROVERA 1000 Pharmacia & Upjohn. 514$00. PROVERA Pharmacia & Upjohn. susp. Na endometriose 10 mg. tromboembolismo. 5. 10. 80g. perturbações do equilíbrio.

a mulher deve efectuar um exame ginecológico e mamário minucioso e deve excluir-se a existência de gravidez. • s NOMEGESTROL (ACETATO) É um progestagéneo usado para corrigir as alterações menstruais. O seu uso durante o aleitamento e a existência de hemorragias uterinas obriga a uma vigilância mais atenta da doente. 5. 5. síndroma pré-menstrual e outras. 70%. 5. 534$00 (17$80). fenitoína. no tratamento da amenorreia. • s NORETISTERONA É um progestagéneo com fracas propriedades estrogénicas e androgénicas. 20. comprimidos. comprimidos. 29 828$00. por via oral na dose de 2. 6 a 12 semanas após a implantação. 20. Contra-indicado na gravidez. s LEVONORGESTREL É um progestagéneo usado em associação com estrogéneos como contraceptivo hormonal. comprimidos. comprimidos. na hipertensão ou em doentes com antecedentes de tromboflebites.5. mastodinia e na menopausa. 3 959$00 (99$00). PRIMOLUT-NOR Schering Lusitana. Hormonas sexuais 227 s GESTRINONA É um progestagéneo com acções e uso terapêuticos semelhantes aos outros progestagéneos. Por via oral administra-se 0. gravidez e antecedentes de tromboflebites. 2 vezes por semana. O carvão activado e alguns laxantes reduzem a biodisponibilidade e diminuem a eficácia. 40%. Pode reduzir a tolerância à glicose e aumentar as exigências de insulina ou de antidiabéticos orais nas doentes diabéticas. e posteriormente uma a duas vezes por ano. 52. s PROMEGESTONA É um progestagéneo usado nas perturbações menstruais.6. 505$00 (25$20). comprimidos. PRIMOLUT-NOR Schering Lusitana. 2. 40%. comprimidos. EXLUTON Organon Portuguesa. 19 732$00 (1 973$20). 10. MIRENA Leiras OY FIN.5 mg entre o 16º e o 25º dia do ciclo. 30. 70%. DIMETRIOSE Lab. comprimidos. hemorragia funcional uterina e na endometriose. 0. 40%. provávelmente devido à indução enzimática. dispositivo intra-uterino. • s LINESTRENOL É outro progestagéneo usado como contraceptivo hormonal de baixa dosagem.5. SURGESTONE Schering Lusitana. 0. as hemorragias uterinas . na diabetes. 40%. 442$00 (22$10). rifampicina e fenilbutazona pode reduzir. 10. 28. Podem ocorrer com ele hemorragias irregulares e redução da eficácia quando é usado em simultâneo com antiepilépticos e rifampicina.5 a 5 mg. Roussel. 832$00 (29$70). por indução enzimática. 0. • funcionais da pré-menopausa. SURGESTONE Schering Lusitana.8. com uma taxa de libertação inicial de levonorgestrel de cerca de 20µg/24 horas. usado como contraceptivo hormonal de longa duração de acção. 40%. na síndroma pré-menstrual.125 a 0. Está autorizado para implantação terapêutica um sistema intra-uterino de levonorgestrel.25. 40. 0%. 10. ORGAMETRIL Organon Portuguesa. Antes de se iniciar. mas usado mais frequentemente na endometriose. 20. LUTENYL Synthelabo Fidelis. 2 892$00 (144$60). Deve interromper-se o tratamento se surgirem cefaleias e/ou perturbações oculares. 1. A posologia pode variar de 5 a 25 mg/dia de acordo com a situação clínica ainda que como anticoncepcional possa estar compreendida entre 50 a 350 mg/dia. Contra-indicada na insuficiência hepática. 40%. a eficácia do fármaco.5. A administração simultânea e regular de barbitúricos. 987$00 (98$70). Considera-se o sistema efectivo por 5 anos e recomenda-se um exame rigoroso antes da aplicação. cápsulas.

Interacções: Com a rifampicina e barbitúricos.os tumores benignos do figado (hepatomas) são raros mas de consequências graves. depressão. Contêm doses muito baixas de estrogéneos (de 0. 15 mg) e de progesterona. hirsutismo. hemorragia vaginal. 2. fadiga. Indicações: No tratamento dos sintomas vasomotores da menopausa e com algumas hipóteses de uso na profilaxia da osteoporose. para além da diversidade na sua estrutura química. que se agravam com o uso do tabaco. 0%. naúseas e vómitos. b) Combinações multifásicas: nestas. encontram-se as alterações cardiovasculares. o seu metabolismo é mais intenso. mais eficazes e melhor toleradas. para uma toma diária independentemente do período menstrual. Os seguimentos terapêuticos são feitos por ciclos. congestão varicosa e ainda tensão mamária. dermatite seborreica. Existem diferentes combinações de estrogéneos e progestagéneos que passamos a descrever: a) Combinações monofásicas: são as mais utilizadas. comprimidos. retenção hídrica. Anticoncepcionais A contracepção é um tema no qual competirá ao médico prestar as informações adequadas à situação concreta de cada utente. 28. diminuição da líbido. igual variedade na dosagem dos componentes activos que os constituem. Entre os efeitos laterais. Nos medicamentos disponíveis identificados como anticoncepcionais encontram-se combinações de estrogéneos (etinilestradiol ou mestranol) com progestagéneos.6. Precauções e contra-indicações: Deve usar-se com cuidado na insuficiência renal. não provoca hemorragia periódica. Ainda que menos frequentes. nem que actue como contraceptivo. Contra-indicado na gravidez. aumento de peso e aparecimento de acne. mas com gravidade. Reacções adversas: Alterações no peso. que provocam indução enzimática. Não está demonstrado que tenha qualquer efeito benéfico sobre o risco de osteoporose. A administração seguinte começa 7 dias depois da última dose. edema dos tornozelos. atribuem-se aos estrogéneos: cefaleias. derivados da 17-alfa- . gestodeno. • 8. 4 116$00 (147$00).5. 0%.2. Existem disponíveis no mercado farmacêutico embalagens calendário e embalagens com comprimidos para um mês de tratamento ou seja três semanas com os anticoncepcionais e com uma semana de medicação com ferro ou com placebo. comprimidos. pelo deve considerar-se a redução do efeito terapêutico que poderá verificar-se. artralgias e perturbações visuais. Estes medicamentos apresentam. mas também pelas possíveis contra-indicações ou efeitos laterais do método escolhido.228 Capítulo 8 | 8. Posologia: 2. dores abdominais. A diversidade dos métodos anti-concepcionais existentes permitem uma selecção que pode ser influenciada não só pelas opções individuais.5. no aleitamento e nas doenças cardiovasculares ou cerebrovasculares e na doença hepática. podendo nalguns casos justificar-se uma pausa.6. Administra-se um comprimido durante 21 dias a partir do 5º dia do início da menstruação. 10 498$00 (125$00). Hormonas sexuais hidroxiprogesterona (di-hidroprogesterona ou medroxiprogesterona) ou da 19-nortestosterona (desogestrel. diabetes. LIVIAL Organon Portuguesa. irritabilidade. por não produzir nenhum estímulo endometrial. hipercolesterolemia e doença tromboembólica. Aos progestagéneos atribuem-se: tendências depressivas. mantém-se fixa a dose de estrogéneos que se acompanham de doses variáveis de progesterona ao longo do ciclo menstrual. como as tromboflebites e os riscos de enfarte do miocárdio. epilepsia.02 mg a 0. O teor de estrogéneos e progestagéneos das preparações provoca também modificações nos níveis plasmáticos de triglicerídeos e de lipoproteinas de alta densidade. LIVIAL Organon Portuguesa. Das associações várias de estrogéneos e progestagéneos como anticoncepcionais existem à disposição dos médicos vários compostos dos quais apresentamos: s TIBOLONA É um esteróide de síntese que combina propriedades progestagénicas e estrogénicas com uma actividade androgénica fraca utilizado no tratamento da sintomatologia vasomotora e atrófica da pós-menopausa que. perturbações gastrintestinais. iniciados de acordo com o ciclo menstrual. por forma a que desse conhecimento se possa optar pelo método mais indicado. que por vezes desaparecem ao fim de alguns ciclos. cólicas abdominais. levonorgestrel ou linestreno). 2.5 mg/dia por via oral. 84. Os estrogéneos podem aumentar o risco de litíase biliar.

490$00 (23$30).04 mg + idem 0. 0. • + + + s ETINILESTRADIOL + GESTODENO + Etinilestradiol 0. comp. 70%. revestidos. 21. Etinilestradiol 0.05 mg (6 drageias). 1 096$00 (52$20). 63. 21. ver em cima. Existem também métodos que se podem considerar unitários e que consistem na administração de estrogéneos ou progestagéneos isoladamente. revestidos. revestidos. Etinilestradiol 0. 21. 70%. revestidos. 0. 21. 21. MICROGINON Schering Lusitana. TRI-GYNERA Schering Lusitana. revestidos. 70%. 0. Etinilestradiol 0. 70%. 21. ver em cima. Os anti-estrogéneos.05 mg (6 drageias). MERCILON Organon Portuguesa. MINULET Wyeth Lederle. GYNERA Schering Lusitana. 70%. ver em cima. 70%.075. comp. revestidos. comp. Induzem a libertação de gonadotrofina que s ETINILESTRADIOL + DESOGESTREL MARVELON Organon Portuguesa. 0.075 mg (5 drageias). comp. 954$00 (45$40). comp. 0. 21. 63. 70%. s ETINILESTRADIOL + LEVONORGESTROL Etinilestradiol 0. 407$00 (19$40). revestidos. 859$00 (40$90).075. 2 627$00 (41$70).15. 0. 70%. 70%. comp. 70%.02 + + 0. 1 096$00 (52$20).02 + + 0. 0.15. revestidos. 21. comp.03 + 0. revestidos.075. 1 924$00 (30$50). 70%. 21. 0.15. 0. revestidos. 70%. comp. 2 517$00 (40$00). 488$00 (23$20). TRINORDIOL Wyeth Lederle. clomifeno e tamoxifeno são usados no tratamento da infertilidade feminina devido a oligomenorreia ou amenorreia.03 + 0.035 + 2.03 mg + Levonorgestrol 0. comp. 0. revestidos.6. comp. 70%.125 mg (10 drageias) TRIQUILAR Schering Lusitana.03 + 0.07 mg (5 drageias). Hormonas sexuais 229 s ETINILESTRADIOL + LEVONORGESTREL NEOMONOVAR Wyeth Lederle. 63. MINULET Wyeth Lederle. 0. revestidos.15. revestidos. 03 mg + idem 0. 2 517$00 (40$00). 21.15.03 + + 0. 70%. comp.03 + + 0. revestidos.15. • Como combinações trifásicas encontramos formas farmacêuticas em embalagens calendário para 21 dias de tratamento e com composição variável nesse intervalo de tempo. MARVELON Organon Portuguesa. 1 055$00 (50$20). 70%.03 + + 0.03 + 0.03 mg + Gestodeno 0.04 mg + idem 0. TRI-MINULET Wyeth Lederle. comp. ver em cima. Etinilestradiol 0. 954$00 (45$40). 407$00 (19$40).1 mg (10 drageias).8. revestidos. 03 mg + idem 0.075. comp. comp. comp. 21. • . • s ETINILESTRADIOL + GESTODENO GYNERA Schering Lusitana. Entre os progestagéneos são usados o norgestrel na dose de 1 mg/dia e o linestrenol na dose de 0. 63.5 mg/dia por via oral ou a medroxiprogesterona por via intramuscular na dose de 150 mg de 3 em 3 meses (uma das posibilidades terapêuticas de contracepção de longa duração de acção). MERCILON Organon Portuguesa. • s ETINILESTRADIOL + ACETATO DE CIPROTERONA DIANE-35 Schering Lusitana.03 + 0. 1 117$00 (53$20).

Contudo. na osteoporose e alguns carcinomas do seio após a menopausa. puberdade retardada nos rapazes. 2 a 3 vezes por semana por via intramuscular. hemorragias gastrintestinais. precocidade sexual nos jovens. Não deve usar-se na gravidez. Quando o hipogonadismo se deve a um deficite hipofisário prefere-se o tratamento com gonadotrofinas hipofisárias ou coriónicas. hipercalcemia e ainda na gravidez e aleitamento. Androgéneos e anabolizantes Os androgéneos realizam ao longo das várias etapas da vida funções distintas. cápsulas. Não deve ser usada durante a gravidez por provocar virilização fetal. São indicadas como terapêutica de substituição no hipogonadismo masculino. O tamoxifeno é um dos anti-estrogéneo que também inibe a síntese e libertação de factores de crescimento celular. 20. hipercalcemia. Na puberdade promovem as características sexuais masculinas. no entanto deve ser usado com prudência.6. ANDRIOL Organon Portuguesa. Os outros efeitos secundários descritos são: aumento da líbido. hiperestimulação ovárica. O seu uso principal está ligado. supressão da espermatogénese no homem e virilismo na mulher. Na fase intrauterina virilizam o tracto urogenital do embrião masculino. anormalidades prostáticas. Estão indicados no hipogonadismo primário quando existe uma produção testicular deficiente das hormonas androgénicas. ansiedade. endometriose. tumores do fígado. 40%. depressão. não aumentam a espermatogénese nem a potência sexual no homem normal. Indicações: No hipogonadismo como terapêutica de substituição. naúseas. O uso prolongado aumenta o risco de carcinoma hepático e prostático ou de hipertrofia benigna da próstata. cefaleias. metiltestosterona e fluoximesterona) são usados pela sua grande actividade androgénica. Mais recentemente foram apresentados para implantação subcutânea «pellets» de testosterona que podem ser aplicados com injector adequado ou com incisão cirúrgica na região infraescapular ou na linha axilar posterior. insónia. à reparação das deficiências androgénicas do desenvolvimento ou manutenção das caracteristiscas sexuais. aumento de peso e queda de cabelo. Posologia: No hipogonadismo masculino: 10-25 mg de propionato. 1 070$00 (53$50). ocupa os receptores de estrogéneos no hipotálamo. no sexo masculino. Na hipertensão e enxaqueca. 40. Nos efeitos laterais merecem particular atenção as alterações hepáticas. Os esteróides androgénicos (testosterona. ou 50 a 100 mg de enantato ou undecanato por cada 2 semanas de acordo com a situação e com a resposta terapêutica. Reacções adversas: Cefaleias. 8. a disso- s TESTOSTERONA (ENANTATO E UNDECANOATO) É a principal hormona androgénica usada no hipogonadismo. . nas doentes com leucopenia ou trombocitopenia (ver Capítulo 15). Hormonas sexuais ciação entre o efeito androgénico e anabolizante é sempre parcial e variável segundo as preparações farmacêuticas e as doses que se utilizam. dissociando-a da acção androgénica virilizante. Nos idosos devem fazer-se exames regulares à prostata. interferindo por um mecanismo de retroalimentação negativo. renal ou hepática. Contra-indicada no cancro da próstata. É também rapidamente metabolizada por via parentérica pelo que se procuraram compostos de síntese para prolongar a actividade. atrofia testicular. Usa-se na terapêutica adjuvante endócrina do cancro do seio. Também pode ser usado para estimular a ovulação na mulher com infertilidade por anovulação. após tratamento mesmo com doses baixas destes compostos. Interacções: Pode potenciar o efeito dos anticoagulantes. Na mulher e nos adolescentes pode surgir a acção virilizante. Com os antidiabéticos é possível o aumento dos efeitos hipoglicemiantes. principalmente. edemas e hipercalcemia. Precauções e contra-indicações: Na insuficiência cardíaca. perturbações hidro-electrolíticas com retenção de sódio. O fármaco mais representativo é a testosterona e ainda que seja bem absorvida por via oral é pouco eficaz por esta via devido ao facto de sofrer um efeito importante na primeira passagem pelo fígado e ser inactivada com grande rapidez. modificação dos lípidos sanguíneos e retenção hidrossalina.6. Na mulher menopaúsica como adjuvante da terapêutica estrogénica. São também usadas em certas anemias aplásticas. O clomifeno usado como citrato de clomifeno é o anti-estrogéneo mais usado na infertilidade feminina. Como reacções laterais descrevem-se: perturbações visuais. vómitos.230 Capítulo 8 | 8.3. melhorar a biodisponibilidade oral e seleccionar a actividade anabolizante. A dose indicada é de 50 mg/dia durante 5 dias a iniciar-se no 2º dia da menstruação. depressão.

a formebolona. obrigatoriamente. 25. Posologia: 10 a 50 mg/dia por via oral no hipogonadismo ou 10 mg/dia por 4 a 6 meses no atraso da puberdade masculina. precauções e contra-indicações: Iguais às apresentadas para a testosterona. com pouca actividade androgénica e usados pela sua actividade anabolizante. 781$00. Os estrogéneos ao terem acção oposta aos androgéneos podem antagonizar as suas acções. 40. 10. Posologia: 25 mg. referem-se ainda os fármacos que bloqueiam a acção dos androgéneos nos orgãos alvos. mas não é um contraceptivo masculino. PROVIRON Schering Lusitana. precauções e contra-indicações: Iguais às apresentadas para a testosterona. • Os esteróides anabolizantes são compostos sintéticos. a metelona. 1 049$00. TESTORMON Lab. a relação risco/benefício antes do início do tratamento. igualmente os derivados progestagénicos têm acção anti-androgénica ainda que de entre eles só a ciproterona. • 231 Todos os esteróides anabolizantes têm uma actividade androgénica mas causam na mulher menor acção virilizante que os androgéneos. 20. deve considerar-se. 20. uma vez por semana. Os de maior interesse terapêutico são: a nandrolona. 50.e a testolactona. Posologia: 25 a 50 mg. No tratamento da osteoporose como complemento de outras terapêuticas especificas. sol. . Não se recomenda na criança. 434$00. Ver ainda as apresentadas atrás. Pode ser um complemento terapêutico a usar no cancro da próstata e no tratamento do acne e do hirsutismo na mulher. 40%. 3 a 4 vezes por dia 1 a 3 meses com reduções de acordo com a resposta terapêutica até uma dose de manutenção de 25 mg/dia numa só vez. comprimidos. injectável. 40%. 250. sol. o etilestrenol. 25. o metandril. 2 425$00 (40$40).6. • Como complemento da informação anterior. 945$00 (47$20). Reacções adversas. Inibe a espermatogénese e produz infertilidade reversível. 1 ml. Reacções adversas. Unitas. 1 ml. O acetato de ciproterona é um anti-androgénico usado no tratamento da hipersexualidade e nos desvios sexuais masculinos. DECA-DURABOLIN Organon Portuguesa. São usados como «drogas ilícitas e dopantes» pelos atletas que pretendem aumentar as suas capacidades em resistência física e massa muscular. 40%. a oxandrolona. comprimidos.8. Reacções adversas. tenha utilidade clínica. Hormonas sexuais ANDRIOL Organon Portuguesa. identificados como anti-androgéneos. Aumentam o anabolismo e diminuiem o catabolismo proteico. Devido à frequência do aparecimento de tumores hepáticos nos estudos feitos com animais. DECA-DURABOLIN Organon Portuguesa. s MESTEROLONA Indicações: Iguais às da testosterona mas com menor efeito inibidor sobre a função testicular. que se comporta como antagonista competitivo da di-hidro-testosterona. sol. cápsulas. • s NANDROLONA (DECANOATO) Indicações: No tratamento de algumas anemias aplásticas (ver Capítulo 4-Sangue para completar a informação) e para reduzir os incómodos da obstrução biliar crónica. 1. 40%. precauções e contra-indicações: Ver as apresentadas para a testosterona. 60. injectável. s METILTESTOSTERONA Indicações: Terapêutica de manutenção após administração de testosterona intramuscular com fins androgénicos. injectável. 40%. 40%. TESTOVIRON DEPOT Schering Lusitana. A sua natureza é variável. 326$00 (16$30).

que contribuem seguramente para o efeito terapêutico e eventualmente para o seu perfil de efeitos indesejáveis. É sabido que a incidência de complicações (hemorragia/perfuração gástrica) não é igual para todos os anti-inflamatórios não esteróides já disponíveis. Derivados do ácido propiónico 9. para o meloxicam. Terapêutica de fundo das doenças reumatismais com base na «selectividade parcial» para a inibição da cicloxigénase tipo 2. induzível.2.6. a nabumetona e o nimesulide. Com este conhecimento cada médico deve constituir o seu «formulário».1. até encontrar o mais adequado.4. Não há nenhum anti-inflamatório não esteróide que permita evitar totalmente os riscos das complicações gástricas e duodenais. acções específicas (por exemplo «inibição da produção de radicais livres»). poupando a de tipo 1 (estão em fase avançada de estudo. Contudo. para além da inibição da síntese de prostaglandinas. a sensibilidade das cicloxigénases aos anti-inflamatórios não esteróides é bastante variável de tecido para tecido. «protecção» da cartilagem.5. Os anti-inflamatórios não esteróides têm múltiplos mecanismos de acção. a interferência com a activação dos neutrófilos.1. a prevenção da expressão da sintetase induzível do monóxido de azoto. Há no entanto outros anti-inflamatórios não esteróides que determinam baixa incidência de efeitos gastrintestinais e que não apresentam esta «selectividade relativa». quer em tolerabilidade.3.9. mas não estão ainda aprovados para uso terapêutico). Esta deve ter em conta a experiência prévia do doente com o uso de anti-inflamatórios. nomeadamente digestiva e renal. É previsível que no termo de 1 a 2 semanas de terapêutica. Derivados do ácido antranílico 9. se possa concluir da adequação da escolha. novas formula- Sistema Músculo Esquelético . tipo 2.3. sabendo que deve manusear 5 a 6 fármacos. constitutiva. dada a possibilidade de no futuro inibir selectivamente a cicloxigénase tipo 2. Estão contra-indicadas as associações de antiinflamatórios não esteróides. Anti-inflamatórios não esteróides Verifica-se grande variabilidade individual na resposta aos anti-inflamatórios não esteróides.1. interveniente nos processos inflamatórios) ressurgiu grande interesse científico por este campo. com doses correctas de um antiinflamatório.1. interveniente na regulação fisiológica. a facilitação da apoptose. De qualquer modo. Devem manter-se reservas sérias quanto a muitas dessas informações que se baseiam muitas vezes numa única determinação e em condições muito particulares de ensaio. a diminuição da expressão de moléculas sinalizadoras dos locais de migração leucocitária. sais sódicos/sais potássicos). Como é usual na utilização de medicamentos com características semelhantes são frequentemente invocados aspectos menores ou laterais como justificativos do estabelecimento de critérios de selecção.1. Recentemente.4. fundamentalmente gastrintestinais e renais. De entre estes os mais frequentemente invocados para os anti-inflamatórios: semi-vida.1. De qualquer modo. Esta inibição é também responsável por efeitos indesejáveis. hidrossolúvel/lipossolúvel. Oxicams 9. Derivados do ácido acético 9. Derivados pirazolónicos 9. Pode ser necessário o uso sequencial de vários anti-inflamatórios não esteróides.1. Compostos não acídicos 9 9. Nos doentes em risco pode ser justificado o recurso a fármacos para a prevenção (ver Capítulo 6). a sua acção principal é a que resulta da inibição da síntese das prostaglandinas. para cada doente num determinado momento. fase 3 do ensaio clínico. quer em eficácia terapêutica.1. de entre os antiinflamatórios disponíveis há evidência segura de inibição preferencial da cicloxigénase tipo 2. Anti-inflamatórios não esteróides 9. Tem-se procurado explicar essas diferenças Sistema Músculo Esquelético Sistema Músculo Esquelético 9. características físico-químicas (acídico/não acídico. com a identificação das isoenzimas da cicloxigénase (tipo 1. vários fármacos com estas características e que são muito promissores. Entre estas acções incluem-se a interferência com a adesão dos neutrófilos às células endoteliais. Derivados do indol e do indeno 9. Pode ser necessário ensaiar 3 a 4 fármacos até completar esta selecção.1.

Em conclusão. Há no entanto documentação.1. é no entanto considerável devido ao seu efeito antiagregante plaquetar. escolhendo os fármacos com o conhecimento da história pregressa da terapêutica e tendo em conta o custo/benefício. sempre que não haja contra indicações e não seja necessário o efeito anti-inflamatório. Derivados do ácido acético O diclofenac é o principal derivado do ácido acético. O etofenamato é um fármaco pertencente a este grupo. no uso racional dos anti-inflamatórios deve estar presente que não há diferenças importantes na eficácia terapêutica. O aceclofenac é semelhante ao diclofenac. Em relação a estes não devemos esquecer-nos de que com o recurso à via parentérica apenas se evitam os efeitos «irritantes» directos sobre a mucosa mas não os que resultam da inibição da síntese de prostaglandina na parede digestiva que são usualmente os mais importantes. correcções posturais. O uso de anti-inflamatórios não esteróides hidrossolúveis por via endovenosa ou intramuscular no tratamento da dor da cólica renal é racional. sem real relevo clínico. 9.1. O efeito placebo e mesmo o alívio antiálgico provocado pela massagem durante a aplicação não devem ser ignorados (efeito de «encerramento do portão da dor» por convergência de estímulos na região medular de processamento da dor). 9. Por outras palavras. Os efeitos indesejáveis são semelhantes aos dos outros anti-inflamatórios.248 Capítulo 9 | 9. Exemplo típico é o do recurso ao paracetamol como antipirético ou analgésico. Provocam com frequência perturbações digestivas. Anti-inflamatórios não esteroides ções. Derivados do ácido propiónico Estão comercializados entre nós o ibuprofeno. correspondem quase todos a diferenças promocionais. cujas características de lipofilia facilitam a absorção cutânea. por esta ordem. 9. a boa torerabilidade só é importante se se acompanhar de eficácia terapêutica. .2. A este propósito é norma elementar valorizar o custo/dia de tratamento e não simplesmente o «preço por embalagem». não tem suporte em ensaios clínicos controlados. Derivados do ácido antranílico Os principais compostos deste grupo são o ácido mefenâmico. Apesar da intensa ligação às proteínas plasmáticas não parece interferir com os antidiabéticos ou com os anticoagulantes orais. devendo o médico avaliar periodicamente a eficácia e a tolerabilidade. Uso tópico São escassos os ensaios clínicos controlados destinados a avaliar o uso tópico dos anti-inflamatórios não esteróides. o ácido niflúmico e a glafenina. da obtenção de concentrações eficazes nos tecidos inflamados subjacentes ao local da aplicação e mesmo na sinóvia e líquido sinovial de articulações (por exemplo no joelho).1. dado o risco de toxicidade renal e hematológica. não esquecendo medidas complementares («tratamento de fundo» nas doenças inflamatórias reumatismais. Por outro lado. para muitos dos anti-inflamatórios não esteróides comercializados. Teoricamente os lipossolúveis seriam preferíveis por permearem melhor a barreira cutânea (melhor biodisponibilidade transcutânea). O uso é empírico. intervenções ortopédicas.3. este deve ser ponderado na usual relação custo/benefício. Não deve ser esquecido que se o objectivo do uso tópico é o de evitar efeitos sistémicos do anti-inflamatório não esteróide. pelo que a instalação do efeito analgésico após a primeira injecção não satisfaz o objectivo enunciado da obtenção rápida de efeitos.1. etc). fisioterapia. No entanto. para se manifestarem. As acções antipirética. Uso parentérico A administração parentérica visa dois objectivos – obtenção mais rápida e de maior magnitude de efeitos terapêuticos com menor incidência de efeitos indesejáveis gastrintestinais. o ácido flufenâmico. A utilização empírica de miorrelaxantes injectáveis em associação com anti-inflamatórios não esteróides previamente misturados numa mesma seringa. Por essa razão é mais fácil utilizar variações posológicas adequadas a cada um destes usos com anti-inflamatórios não esteróides pouco potentes (peso por peso). O risco de hemorragia digestiva. terapêutica analgésica.1. os anti-inflamatórios não esteróides de semivida muito longa têm um início de acção lento. é preferível usar como antipiréticos e/ou analgésicos outros fármacos. em doentes hipocoagulados. analgésica e anti-inflamatória próprias destes fármacos requerem concentrações crescentes. não se justificando a escolha preferencial com base exclusiva nessas características. Deve ser evitado o uso sistémico prolongado da generalidade dos fármacos deste grupo. não sendo pois defensável.

1 536$00 (25$60). s ÁCIDO MEFENÂMICO Indicações.6 Oxicams O piroxicam e o tenoxicam têm semivida longa sendo de utilização cómoda em uma toma única diária. A fenilbutazona e a oxifenilbutazona são antiinflamatórios muito potentes mas cujo uso deve ser evitado dado o risco de determinarem. A toxicidade da azapropazona é muito inferior à da fenilbutazona. para além dos efeitos adversos comuns aos outros anti-inflamatórios.9. sendo no entanto frequentes as complicações gastrintestinais. posologia: Ver subgrupo.1.4. PONSTAN Warner-Lambert. creme. por via oral. Derivados pirazolónicos Entre os derivados pirazolónicos incluem-se a fenilbutazona. s ÁCIDO NIFLÚMICO Indicações. 40%. 415$00 (20$80). contra-indicações: Ver subgrupo. 60. 70%. reacções adversas. Derivados do indol e do indeno A indometacina tem acções farmacológicas idênticas às da fenilbutazona mas não possui acção uricosúrica e determina menor retenção de sódio e água. mas estão descritas outras manifestações neurológicas e psiquiátricas. A acemetacina é um éster da indometacina. MOBILISIN Sankyo Pharma. 12. 20. 40%. 70%. contra-indicações. 70%. A nabumetona é um pró-fármaco com selectividade parcial na inibição da COX2.2.5. contra-indicações. reacções adversas. Indicações. 100 g. • 9. Posologia: 250 a 500 mg. contra-indicações: Ver subgrupo. Não é recomendável o uso como analgésico ou antipirético de escolha de fármacos deste grupo. 100 g. o fenbufeno. • 9. Posologia: 250 mg. a azapropazona. 1 328$00 (13$30). 676$00 (33$80). 1 053$00 (10$50). O sulindac é um derivado do indeno que determina menor incidência de efeitos digestivos e cefaleias estando no entanto descritas hepatotoxicidade e depressão medular. o oxaprozim e o ácido tiaprofénico As principais diferenças residem na potência (peso por peso) e duração de efeito. o fenoprofeno. O meloxicam é um anti-inflamatório não esteróide que inibe preferencialmente a cicloxigenase de tipo 2. PONSTAN Warner-Lambert. cápsulas. 1 053$00 (10$50). . oferece grandes semelhanças com os derivados acídicos. 2 a 3 vezes/dia. 250.1. s ÁCIDO FLUFENAMICO + HEPARINÓIDE 9. NIFLURIL Bristol-Myers Squibb. pelo que não será tratada separadamente. 250. nomeadamente agranulocitose. 100. O nimesulide exerce efeitos inibitórios preferenciais sobre a Cox2 in vitro mas nas concentrações atingidas em terapêutica não se verifica selectividade. a dipirona. nomeadamente as cefaleias.2. que determina menor incidência de efeitos indesejáveis. supositórios. 249 9. LATESIL Solvay Farma. MOBILISIN Sankyo Pharma. creme. o flurbiprofeno. modificações hematopoiéticas muito mais frequentes. 3 vezes/dia. reacções adversas. 40%. 30 + 2. A tolmetina é outro derivado arilalcanoico semelhante ao ibuprofeno que em alguns estudos determina maior incidência de efeitos indesejáveis. cápsulas. 500. 30 + 10 + 10. 30 + 2. Compostos não acídicos A nabumetona é o exemplo de um composto deste grupo. posologia: Ver subgrupo. • s ÁCIDO FLUFENAMICO + MIRTECAÍNA + SALICILATO Indicações. mais potente. Os efeitos adversos são frequentes. Todavia. reacções adversas. cápsulas. PONSTAN Warner-Lambert. O etodolac também pertence a este grupo. o cetoprofeno. 20. 633$00 (52$80). 70%. gele.1. Compostos acídicos o naproxeno. Determinam incidência apreciável de complicações digestivas e dermatológicas. 250.

contra-indicações: Ver subgrupo. 20 + 2 + 0. reacções adversas. comprimidos. reacções adversas. 70%. 100 g. 70%. por via oral. por via oral. por via oral. SURGAM Lab. supositórios. comprimidos. supositórios. Bial. sol. MOBILAT Luitpold de Portugal. 70%. pomada. 1 881$00 (94$10). por via oral.2. AIRTAL Probios. acção prolongada. 2 a 3 vezes/dia. Posologia: 200 a 300 mg. 100. 30. 60. 1 a 2 vezes/dia. BENDALINA L. Posologia: 60 a 90 mg. 6. 70%. 20. gele. BIOFENAC U. contra-indicações: Ver subgrupo. PROLIXAN 600 Sociedade J. KETOFENE Alter. 300. inject. 70%. contra-indicações. 60. 1 015$00 (16$90). reacções adversas. Roussel. 835$00 (69$60). 1 078$00 (10$80). 40%. 809$00 (80$90). contra-indicações: Ver subgrupo. 600. 100 g. 60. AIRTAL Probios. Roussel. 70%. 30. 40%. 12. reacções adversas. SURGAM Lab. 10. 40%. 0%. RANTUDIL Lab. • s BENZADAC (SAL LISINA) Indicações. 60. 30. Posologia: 500 mg. posologia: Ver subgrupo. Pharma. 30. cápsulas. 600. 6. 4 086$00 (68$10). 700.C. • s ACECLOFENAC Indicações. 2 249$00 (75$00). 60. 391$00 (13$00). Neves. 1 255$00 (209$20). 70%. 658$00 (65$60). 4 755$00 (79$20). 888$00 (8$90). 100 g. 30. Neves. injectável. NIFLURIL Bristol-Myers Squibb. 2 606$00 (130$30). 100. MOBILAT Luitpold de Portugal. 70%. 4 748$00 (79$10). RANTUDIL Lab. comprimidos. NIFLURIL Bristol-Myers Squibb.2. Posologia: 600 a 1. RANTUDIL Lab. 70%. 500. por via oral. 20 + 2 + 0. .. 70%. 100. Posologia: 50 a 100 mg. por via oral. gele gengival. • s AZAPROPAZONA Indicações. 200.200 mg. comprimidos. • s ACEMETACINA Indicações. 100. 20. contra-indicações: Ver subgrupo.250 Capítulo 9 | 9. pó solv. 1 a 2 vezes/dia. Lepori. 70%.2. 4 101$00 (136$70). 70%. PROLIXAN 600 Sociedade J. contra-indicações: Ver subgrupo. 738$00 (61$50). Compostos acídicos NIFLURIL Bristol-Myers Squibb. cápsulas. cápsulas. creme. Bial. cáps. comprimidos. reacções adversas.B. Bial. contra-indicações: Ver subgrupo. reacções adversas. KETOFENE Alter. 250. sol. comprimidos. reacções adversas. Posologia: 100 mg. comprimidos. • s ÁCIDO TIAPROFÉNICO Indicações. 40%. • s ÁCIDO SALICÍLICO + HEPARINÓIDE + PREDNISOLONA Indicações. 60. 90. 70%. 30 g. 1 a 2 vezes/dia. 1 a 2 vezes/dia. NIFLURIL Bristol-Myers Squibb. 50. 1 a 2 vezes/dia. 822$00 (137$00). 70%. • s CETOPROFENO Indicações. 60. 2 114$00 (70$50). 12. 6 518$00 (108$60).

PROFENID ENTÉRICO Lab. 100. 100. 15. comprimidos. supositórios. V. 10. contra-indicações: Ver subgrupo. s CETOPROFENO (SAL LISINA) Indicações. 20. 2 175$00 (36$20). comprimidos. 1 094$00 (18$20). 40%. 2 239$00 (37$30). DICLOFENAC MERCK Merck Genéricos. 796$00 (39$80). Normal. comp. DICLOFENAC SUP. 70%. 70%. 50. comp. DISPERSÍVEL Lab. 70%. 70%. comprimidos. 992$00 (82$70). Posologia: 160 a 320 mg/dia. 1097$00 (182$80). 1 009$00 (50$40). reacções adversas. caps. sol. Vitória. contra-indicações: Ver subgrupo. DISPERSÍVEL Lab. 70%. 20. PROFENID Lab. 999$00 (50$00). FLAMERIL D Lab. Posologia: 50 a 150 mg/dia. pó solv. suspensão oral. 70%. FENIL. 50. PROFENID RETARD Lab. 60. 60. Vitória. KETOFENE Alter. Vitória. V. 100. • 251 s DICLOFENAC Indicações. 1 180$00 (19$70).Farma. acção prolongada. 2500. FENIL. 50. 70%.V. 40%. 70%. 10. GEL Lab. ARTROFENE Sankyo Pharma. Vitória. DEFLOGIX Vedim Pharma. 20. cápsulas. • . Lab. 100g. cáps. supositórios. 1 544$00 (15$40). injectável. 100. 50. 60. Vitória. comprimidos. ARTROFENE Sankyo Pharma. 70%. dispersiveis. 251$00 (41$80). 46. 46. 1 866$00 (31$10). 50. 100. 100. 160. 160. PROFENID Lab. PROFENID Lab. Compostos acídicos KETOFENE FORTE Alter. Vitória. 20. VOLTAREN RAPID Novartis Farma.2. 0%. 70%. cápsulas. 50. 60. 48. 50. 20. 2 114$00 (44$00). CATAFLAM Bykmed. 40%. comp. inject.50 RATIOPHARM Ratiopharm. 50. 6. 50. 70%. 1 061$00 (53$10). 70%. CATAFLAM Bykmed. 70%. revestidos. 60. 70%. 6. 12. 160. 70%. DIFNAN Hikma Farmacêutica. gele. cápsulas. 375$00 (3$80).. 100g. reacções adversas. comprimidos. cápsulas. 20. gele. 200.A. PROFENID ENTÉRICO Lab. Lab. 70%. injectável. revestidos. 50. Vitória. cápsulas. 70%. 1 068$00 (178$00). 100g.9. 10. 981$00 (49$10). 60. Vitória. 100.. comp. 70%. FENIL. 20. 70%. 1 370$00 (68$50). sol. VOLTAREN RAPID Novartis Farma. Vitória. VOLTAREN RAPID Novartis Farma. revestidos. 100. gele. FENIL. 0%. 75. 30. pó solv. 70%. 2 583$00 (86$10). comp. 2 633$00 (87$80). cápsulas. 2 506$00 (41$80). 100. 40%. inject. 939$00 (9$40). 70%. FENIL. 100. B. 100. 859$00 (71$60). comp. 1 464$00 (244$00). PROFENID Lab. 1 023$00 (102$30). revestidos. acção prolongada. 6. 70%. V. Vitória. 2 362$00 (39$40). gele. V. DEFLOGIX Vedim Pharma. 100. DORCALOR Lab. 1 592$00 (53$10). 30. 12. 70%. revestidos. 995$00 (10$00). comp. revestidos. comp. DICLOFENAC. 70%. 60. DICLOFENAC RETARD RATIOPHARM Ratiopharm. 20. Vitória. 1 588$00 (52$90). 30. 50. 320. 70%. Ratiopharm. 70%. 6. 60. sol. revestidos. 921$00 (46$10). 30. PROFENID Lab. 2 351$00 (39$20). ARTROFENE Sankyo Pharma. ARTROFENE Sankyo Pharma. 70%. Vitória. Vitória. sol. 1 481$00 (14$80). supositórios. 1 119$00 (56$00).

Normal. 889$00 (74$10). Normal. injectável. 12. 1 046$00 (52$30). 1 867$00 (93$40). 70%. 30. revestidos. 12. 2 368$00 (39$50). 1 180$00 (19$70). • FENIL. PAINEX Confar. 75. DOLOBID Merck Sharp & Dohme. sol. posologia: Ver diclofenac. Normal. comprimidos. 70%. 75. 12. 70%. Normal. Lepori. 1 270$00 (105$80). 100. 20. Vitória. revestidos. contra-indicações: Ver subgrupo. 70%. cápsulas. 110$00 (11$00). comp. supositórios. PAINEX Confar. 70%. comprimidos. comp. 70%. 100. 500. 50. 1 047$00 (52$40). 75. Posologia: 1 000 a 1 500 mg/dia. Normal. Normal. contra-indicações. 1 180$00 (19$70). 1 762$00 (58$70). 2 060$00 (20$60). sol. OLFEN Mepha. 20. 12. V. revestidos. comprimidos. 70%. comp. revestidos. OLFEN Mepha. OLFEN Mepha. 70%. V. 448$00 (37$30). 40%. 500. 70%. 25. • s DIFLUNISAL Indicações. 70%. 60. injectável. FLAMERIL Lab. comp. supositórios. ARTHROTEC Monsanto Portugal. reacções adversas. 40%. DICLOTEC L. DOLOBID Merck Sharp & Dohme. DICLOTEC L. 852$00 (170$40). OLFEN 100 SR Mepha. 2 831$00 (94$40). 70%. FLAMERIL Lab. FLAMERIL RETARD Lab. 70%. gele. 493$00 (8$20). 2 060$00 (20$60). 60. 2 372$00 (39$50). 2 381$00 (79$40). . 50 + 0. 40%. V. 2 094$00 (69$80). 20. supositórios. cáps. 100. 60. injectável. 5. 70%. 70%. RETARD Lab. 25. 50. sol. 100. 4 830$00 (80$50). 70%. 12. 50 + 0. 70%. VOLTAREN Novartis Farma. 70%. OLFEN Mepha. revestidos. 50. FLAMERIL Lab. comprimidos. 1 897$00 (94$80). 10. 10.2. FLAMERIL Lab. 30. 10. comprimidos. 70%. comp. 100g. 1 841$00 (61$40). revestidos. 50 + 0. 565$00 (47$10). comprimidos. 60. 12. supositórios. Lab. 4 762$00 (79$40). VOLTAREN RETARD Novartis Farma. revestidos. 30. revestidos. 1 089$00 (90$80). 50. VOLTAREN Novartis Farma. 500. 1 270$00 (105$80). VOLTAREN EMULGEL Novartis Farma. 30. sol. acção prolongada. supositórios. 12. s DICLOFENAC + MISOPROSTOL Indicações. injectável. 40%.2. revestidos. 100. Lepori. revestidos. comprimidos. FLUNIDOR Lab. 6. 70%. Normal. Chibret. Vitória. comp. 40%. Vitória. 60.2. 50. 40%. comp. FENIL. 70%. 75. 100g. 10. comp.252 Capítulo 9 | 9. FLAMERIL Lab. 12. supositórios. 20. 100. FLAMERIL EMULGEL Lab. Normal. 50. 70%. 5. 253$00 (42$20). 6. revestidos. VOLTAREN Novartis Farma. reacções adversas.2. 293$00 (29$30). 50 + 0.2. Lab. 852$00 (170$40). 70%. 25. 50. gele. 1 269$00 (63$40). 70%. 60. 70%. 70%. 100. FLAMERIL Lab. ARTHROTEC Monsanto Portugal. 264$00 (22$00). FENIL. 20. Compostos acídicos VOLTAREN Novartis Farma. 876$00 (146$00). 100. OLFEN Mepha. comp. 30. comp. 70%. comp. 60.

cápsulas. cápsulas. cápsulas. 4 745$00 (79$10). 1000. por via oral. cápsulas. ETOSSIN Vida-Produtos Farmacêuticos. 400. contra-indicações: Ver subgrupo. 4 218$00 (140$60). 200 ml. 100 g. 70%. 70%. 70%. METAZIN Labesfal. 2 904$00 (48$40). loção. 40. 100 g. 60. 300. FENOGEL Lab. 20. • 253 s ETODOLAC Indicações. Chibret. revestidos. ARTICULAN Pentafarma. 70%. 60. 400. 30. ETOSSIN Vida-Produtos Farmacêuticos. 70%. 60. 20. 50. Compostos acídicos FLUNIDOR Lab. REUMON GEL Lab. 70%. . • s FENILBUTAZONA Indicações. 2 160$00 (36$00). 60. BIFENE Lab. cápsulas. 300. comprimidos. 961$00 (48$10). cápsulas. ACUDOR Lab. 400. cápsulas. injectável. Bial. contra-indicações: Ver subgrupo. 2 186$00 (21$90). 3 896$00 (19$50). 50. Bial. 1 305$00 (65$20). cápsulas. 3 138$00 (52$30). Basi. • SODOLAC Sofex. 300. 40%. contra-indicações: Ver subgrupo. Farmorcore. 200. 60. 300. 600. Bial.2. reacções adversas. 2 104$00 (105$20). LODINE Wyeth Lederle. 20. 70%. LODINE Wyeth Lederle. 70%. reacções adversas. 20. 300. REUMON Lab. sol. 70%. contra-indicações: Ver subgrupo. 60. gele. 60. METAZIN Labesfal. 939$00 (9$40). 40%. DUALGAN Ferraz Lynce. METAZIN Labesfal. comp. 1 437$00 (14$40). REUGAST Lab. BIFENE Sanigen. Basi. 4 763$00 (79$40). 634$00 (63$40). 3 746$00 (62$40). Posologia: 300 mg. reacções adversas. cápsulas. 500. 2 365$00 (118$20). 100. 70%. 100 g. 300. 70%. METAZIN Labesfal. REUMON Lab. Gele. 6 775$00 (112$90). 5 349$00 (89$20). Basi. Posologia: Administração sistémica não recomendada. Posologia: Uma ampola intramuscular por dia. revestidos. 60. 60. cápsulas. 60. comp. comprimidos. s ETOFENAMATO Indicações. cápsulas. 3 423$00 (57$10). cápsulas. 40%. 2 277$00 (38$00). 70%. 20.. 1 509$00 (75$40). 200. Basi. Bial. 70%. 70%. 70%. 70%. 400. 70%. cápsulas. SODOLAC Sofex. creme. 569$00 (14$20). 200. DUALGAN Ferraz Lynce. ARTICULAN Pentafarma. 5 628$00 (93$80). 20. reacções adversas. 300. revestidos. loção e creme para uso tópico. 300. 400. 70%.9. 70%. cápsulas. 20. 60. 2 a 3 vezes ao dia. 5. 200. Posologia: 400 a 800 mg/dia. LODINE RETARD Wyeth Lederle. 70%. comp. 300. 10. 100. 2 119$00 (106$00). 2 097$00 (104$80). comp. 70%. REUMON CREME Lab. 200. gele. • s FENBUFENO Indicações. 40%. comprimidos. 1 211$00 (242$20). BASIREUMA Lab. 70%. acção prolongada.

REUPAX Comp. 200. 786$00 (39$30). 20. 1 538$00 (51$30). 1 062$00 (53$10). 60. creme. 200. 20. 696$00 (69$60). comp. 70%. emplastros. 20. 70%. 1 a 2 vezes ao dia. 852$00 (42$60). 1 a 2 vezes ao dia. 60. 70%. DONOREST Wyeth Lederle. 1 908$00 (31$80). 400. 70%. NORVEDAN E Helsinn. acção prolongada. TRANSACT LAT Knoll Lusitana. FROBEN SR Knoll Lusitana. supositórios. grânulos efervescentes (cart. 4267$00 (142$20). comp. supositórios. 100. revestidos. 1 098$00 (11$00). 1 713$00 (28$60). revestidos. Basi. • s FENTIAZAC Indicações. NORVEDAN Helsinn. • BASIREUMA Lab. 10. 70%. BRUFEN Knoll Lusitana. 12. Posologia: 100 a 200 mg. 200. 100 g. revestidos. 2 a 3 vezes ao dia. reacções adversas. revestidos. 10. 70%. comp. 70%. 319$00 (16$00). 492$00 (41$00). 100. Basi. 500. 10. 1 758$00 (29$30). comp. REUPAX Comp. 460$00 (28$80). 30 g. 70%. comp. 60. comp. revestidos. REUPAX Comp. 100g. IDR Asta Médica. 479$00 (28$80). 675$00 (56$20). Portuguesa de Higiene. 200. supositórios. FROBEN Knoll Lusitana. comp. FROBEN Knoll Lusitana. 40. 3184$00 (53$10). 50. 600. NORVEDAN Helsinn. 1 109$00 (18$50). revestidos. IDR Asta Médica. revestidos. revestidos. revestidos. 200. FENILBUTAZONA Lab. 894$00 (89$40). 70%. BASIREUMA Lab.). BRUFEN Knoll Lusitana. 738$00 (24$60). Basi. 50. DONOREST Wyeth Lederle. comp. 30. 16. 20. supositórios. por via oral. Compostos acídicos FROBEN Knoll Lusitana. 2295$00 (229$50). 400. revestidos. 70%. 70%. 200. 70%. reacções adversas. 60. 200. 100. 1043$00 (86$90). 60. 400. 100. comp. 600. 100. contra-indicações: Ver subgrupo. creme. por via oral. BRUFEN Knoll Lusitana. 100. 873$00 (72$80). 70%. 40%. 70%. 200. 250. revestidos. 70%. 70%. 20. 200 ml. 70%. 60. 10. 1 072$00 (10$70). 1 052$00 (52$60). Portuguesa de Higiene. comp. 1 890$00 (31$50). contra-indicações: Ver subgrupo. • s IBUPROFENO Indicações. 70%. comp.254 Capítulo 9 | 9. BRUFEN Knoll Lusitana. por via oral. 70%. IDR Asta Médica. IDR Asta Médica. 70%. revestidos. 100. reacções adversas. Posologia: 300 a 800 mg. 40%. 70%. 12. 70%. comp. BRUFEN Knoll Lusitana. 767$00 (38$40). 10. 20. Portuguesa de Higiene. revestidos. 70%. Posologia: 50 a 100 mg. 100. pomada. 30. comp. cáps. supositórios. comprimidos. s FLURBIPROFENO Indicações. IDR Asta Médica. BRUFEN Knoll Lusitana. 516$00 (2$60). 1 720$00 (28$70). 70%. BRUFEN Knoll Lusitana. comp. 70%.2. revestidos. comp. contra-indicações: Ver subgrupo. 12. 60. 12. . revestidos. 70%. 200. suspensão oral.

70%. 740$00 (61$70). 70%.5. 600. 70%. 60. 70%. supositórios. cápsulas. MOVALIS Boehringer Ingelheim. 500. 12. 3 620$00 (181$00). 7. comprimidos. REUMACIDE Lab. por via oral. 10. Compostos acídicos BRUFEN Knoll Lusitana. 9 047$00 (150$80). 486$00 (2$40). 50. 792$00 (66$00). MOTRIN Pharmacia & Upjonh. Lepori. 60. 0%. 12. 10. revestidos. comp. revestidos.9. 100 ml. spray. 2 020$00 (33$70). 100. reacções adversas. 25. revestidos. 70%. 2 060$00 (10$30). 60. 70%. 75. 40%. 673$00 (33$60). uma vez ao dia. 803$00 (66$90). comprimidos. 70%. 70%. ATRILON BYK Portugal. BELEP L. 12. 3 147$00 (62$90). 300. 800. 20. • s MELOXICAM Indicações. comprimidos. AUTRITIS Pentafarma. revestidos. contra-indicações: Ver subgrupo. 1 a 2 vezes ao dia. 70%. 15. Posologia: 500 a 1000 mg por dia. • 255 INDOCID Merck Sharp & Dohme. 2 a 3 vezes ao dia. INDOCID Merck Sharp & Dohme. comp. contra-indicações: Ver subgrupo. uma toma diária. 100. MOTRIN Pharmacia & Upjonh. 100 g. contra-indicações: Ver subgrupo. . 60. 3 991$00 (79$80). MOVALIS Boehringer Ingelheim. INDOCID Merck Sharp & Dohme. 60. comp. 852$00 (56$80). 20. 300. 60. comprimidos. 200. 70%. reacções adversas. 1 094$00 (10$90). 416$00 (20$80). suspensão oral. gele. Posologia: 7. MOVALIS Boehringer Ingelheim.5. reacções adversas. spray. 825$00 (82$50). reacções adversas. BALMOX Beecham Portuguesa. 70%. 600.2. DOLOVIN Lab. 15. 403$00 (20$20). 50. Atral. MOTRIN Pharmacia & Upjonh. • s LONAZOLAC (CA) Indicações. supositórios. contra-indicações: Ver subgrupo. 7. cápsulas. 1 607$00 (26$80). supositórios. INDOCID Merck Sharp & Dohme. Posologia: 25 a 50 mg. por via oral. comprimidos. MOVALIS Boehringer Ingelheim. 25. 70%. 1 825$00 (91$20).5 a 15 mg. 0%. reacções adversas. 200 ml. 2 985$00 (49$80). ELMETACIN Sankyo Pharma. 600. 20. 100. DOLOVIN Lab. 40%. 20. • s IBUPROFENO (ESTER GUAIACOL) Indicações. comprimidos. 70%. 20. 70%. comprimidos. 4 640$00 (77$30). ATRILON BYK Portugal. 70%. contra-indicações. 20. cápsulas. 15. • s INDOMETACINA Indicações. posologia: Ver subgrupo. Atral. 1 000$00 (16$70). 40%. BRUFEN SUSPENSÃO Knoll Lusitana. comprimidos. comp. por via oral. 60. s NABUMETONA Indicações. Vitória. 800$00 (8$00). 2 406$00 (40$10). 200 ml. 25. 70%. INDOCID RETARD Merck Sharp & Dohme. Posologia: 200 a 400 mg. 70%. 70%. 10. 10. comprimidos.

REUXEN Tecnifar. NAPROSYN Janssen Cilag. 2 551$00 (127$60). 3 666$00 (61$10). 70%. comprimidos. Posologia: 250 a 500 mg. 70%. comprimidos. 500. 20. 70%.2. AULIN Helsinn. 70%. comp. reacções adversas. 1 a 2 vezes ao dia. 60.256 Capítulo 9 | 9. 60. NAPROSYN Janssen Cilag. 866$00 (72$20). 4 646$00 (77$40). comprimidos. 1 313$00 (109$40). 70%. 866$00 (72$20). 1 837$00 (91$80). . 12. REUXEN Tecnifar. 12. em 2 tomas. 70%. REUXEN Tecnifar. 70%. 20. 70%. REUXEN Tecnifar. 70%. 250. Compostos acídicos NAPROXENO COMP Farmatrading. contra-indicações. reacções adversas. reacções adversas. linimento. BALMOX Beecham Portuguesa. em crianças com mais de 5 anos. 60. supositórios. comprimidos. 70%. comprimidos. 20. 1 109$00 (55$40). comp. NAPROXENO COMP Farmatrading. supositórios.). 250. DM-TERMO BYK Portugal. 20. BALMOX Beecham Portuguesa. 20. 100. NAPROSYN Janssen Cilag. 40%. 250. 250. 1 531$00 (15$30). REUXEN Tecnifar. AULIN Helsinn. 991$00 (9$90). comprimidos. 250. 60. comprimidos. 500. 500. Posologia: 100 a 200 mg. NAPROXENO COMP Farmatrading. revestidos. s NAPROXENO Indicações. 12. 500. NAPROSYN Janssen Cilag. 70%. 500. 40%. revestidos. 1 a 2 vezes ao dia. NAPROSYN EC Janssen Cilag. comprimidos. 500. [Crianças] – 10 mg por dia. 100. 4 608$00 (76$80). 100 g. 70%. 4 463$00 (74$40). 60. 40 + 40 + 30. 886$00 (44$30). NAPROXENO COMP Farmatrading. 500. 250. 250. AULIN Helsinn. 3 569$00 (17$80). 2 164$00 (108$20). REUXEN Tecnifar. 100. NAPROSYN EC Janssen Cilag. 2 517$00 (42$00). 250. 70%. 70%. 60. 70%. s NICOTINATO BENZILO + SALICILATO GLICOLILO Indicações. 200. comprimidos. posologia: Ver subgrupo. 20. 500. granulado (cart. 20. s NIMESULIDE Indicações. 70%. 200 ml. 20. 500. 4 541$00 (75$70). comprimidos. 60. 70%. 70%. 100. 70%. 70%. suspensão oral. 70%. 100. supositórios. 70%. 500. por via oral. 70%. 1 313$00 (109$40). 100. 6 403$00 (106$70). 1 646$00 (164$60). granulado (cart). 2 014$00 (33$60). contra-indicações: Ver subgrupo. 500. 20. comprimidos. NAPROSYN Janssen Cilag. comprimidos. comprimidos. REUXEN Tecnifar. por via oral. supositórios. 4 583$00 (76$40). gele. 2 545$00 (42$40). 70%. contra-indicações: Ver subgrupo. 1 837$00 (91$80). NAPROSYN Janssen Cilag. 60. 40%. 10. 100 g. gele. • BALMOX Beecham Portuguesa. 1 781$00 (89$10). 60. supositórios. 1 469$00 (73$40). AULIN Helsinn. comprimidos. 60. 12. 70%. 1 268$00 (12$70). NAPROSYN Janssen Cilag. 100. comprimidos. 500. 1 109$00 (55$40).

comprimidos. granulado (cart. 20. 20. 20. 70%. 100. 2 077$00 (103$80). Azevedos. 60. 70%. cápsulas. 70%. 1 069$00 (89$10). 5 891$00 (98$20). cápsulas. 70%. granulado(cart). 70%. 60. 20. sol. LAB. 2 270$00 (37$80). 70%. 70%. 951$00 (47$60). contra-indicações: Ver subgrupo. 1 444$00 (14$40). PICALM Euro-Labor. contra-indicações. 40%. 70%. 20. injectável. 100. 1 085$00 (54$20). contra-indicações. 70%. 60 g. 70%. BREXIN Euro-Labor. DONULIDE Wyeth Lederle. 2 351$00 (39$$20). sol. comprimidos. FLEXAR Lab. FELDENE Lab. DONULIDE Wyeth Lederle. 40%. PICALM Euro-Labor. injectável. cápsulas. 20. NIMED Rhone Poulenc. creme. 100. reacções adversas. Pfizer. posologia: Ver subgrupo. 60. 100. FLEXAR Lab. FELDENE Lab. 20. 20. ARTRIXEN Lab. NIMED Rhone Poulenc. 20. JABASULIDE JABA Farmacêutica. 70%. JABASULIDE JABA Farmacêutica. 5. ARTRIXEN Lab. 60. 70%. cápsulas. Pfizer. granulado (cart. 70%. 5 188$00 (86$50). 20. comprimidos. 1 482$00 (24$70). 1 552$00 (129$30). 8. uma toma única. 12. 300. 20.2. 3 068$00 (102$30). Sanitas. 100. SULIMED Inibsa Portuguesa. BREXIN Euro-Labor. 20. cápsulas. 5 047$00 (84$10). 20. 872$00 (14$50). FELDENE Lab. FLEXAR Lab. 2 325$00 (116$20).). 70%. 2 496$00 (41$60). 20. 60. 2 594$00 (129$70). cápsulas. 20. FLEXAR Lab. 6. 20. Pfizer. 20. comprimidos. comp. Pfizer. Posologia: 10 a 20 mg por dia. 1 839$00 (92$00). supositórios.9. 18. 70%. 785$00 (130$80). 70%. 20. comprimidos. 70%. 2 164$00 (108$20). NUMIDE Lab. Sanitas. cápsulas. FELDENE DM Lab. Pfizer. 300. 20. SULIMED Inibsa Portuguesa. Sanitas. 20. s PICETOPROFENO Indicações. 18. 20. 100. 20. 3 216$00 (107$20). 70%. 100. Azevedos. 100. 100 ml. creme. BREXIN Euro-Labor. Pfizer. . 20. 1 979$00 (99$00). 2 696$00 (44$90). 60. posologia: Ver subgrupo. 1 098$00 (137$20). gele. 300. FELDENE Lab. 70%. comprimidos. comprimidos. FELDENE Lab. 2 040$00 (102$00). NIMED Rhone Poulenc. NUMIDE Lab. 6 415$00 (106$90). 1 454$00 (14$50). nebulização. 100 g. 300. 100. 40%. 70%. • 257 s PIROXICAM Indicações. 923$00 (46$20). 70%. comprimidos. cápsulas. 60. comprimidos. PICALM Euro-Labor. 70%.). 60. 70%. 70%. Compostos acídicos DONULIDE Wyeth Lederle. por via oral. reacções adversas. 945$00 (189$00). 60 g. Sanitas. 30. revestidos. LAB. • s PIPROXENO Indicações. 12. reacções adversas. 20. 70%. comprimidos. 5. 70%. 30. 40%. 1 125$00 (56$20). 100. supositórios.

258

Capítulo 9 | 9.3. Terapêutica de fundo das doenças reumatismais

FLOGOCAN 20 Quimedical; cápsulas; 20; 20; 1 953$00 (97$60); 70%. FLOGOCAN 20 Quimedical; cápsulas; 20; 60; 4 881$00 (81$40); 70%. PIROXICAM RATIOPHARM Ratiopharma; cápsulas; 20; 24; 1 530$00 (63$80); 70%. PIROXICAM RATIOPHARM Ratiopharma; cápsulas; 10; 20; 821$00 (41$10); 70%. PIROXICAM RATIOPHARM Ratiopharma; cápsulas; 10; 48; 1 530$00 (31$90); 70%. PIROXICAM RATIOPHARM Ratiopharma; supositórios; 20; 12; 823$00 (68$60); 70%. REUMOXICAN Medinfar; comprimidos; 20; 30; 2 559$00 (85$30); 70%. REUMOXICAN Medinfar; cápsulas; 20; 10; 1 156$00 (115$60); 70%. REUMOXICAN Medinfar; cápsulas; 20; 60; 5 189$00 (86$50); 70%. REUMOXICAN Medinfar; supositórios; 20; 12; 1 480$00 (123$30); 70%. REUMOXICAN Medinfar; creme; 10; 100 g; 3 036$00 (30$40); 40%. ROXAZIN Lab. Basi; cápsulas; 20; 30; 2 213$00 (73$80); 70%. ROXAZIN Lab. Basi; supositórios; 20; 12; 1 360$00 (113$30); 70%.

s SULINDAC
Indicações, reacções adversas, contra-indicações: Ver subgrupo. Posologia: 200 mg, 1 a 2 vezes ao dia. ARTRIBID Merck Sharp & Dohme; comprimidos; 200; 20; 1 354$00 (67$70); 70%. ARTRIBID Merck Sharp & Dohme; comprimidos; 200; 60; 3 425$00 (57$10); 70%. •

s TENOXICAM
Indicações, reacções adversas, contra-indicações: Ver subgrupo. Posologia: 20 mg por dia, uma toma única. BIOREUCAM Helfarma; comprimidos; 20; 20; 1 847$00 (92$40); 70%. BIOREUCAM Helfarma; comprimidos; 20; 60; 4 713$00 (78$60); 70%. CALIBRAL Solvay Farma; comprimidos; 20; 50; 4 274$00 (85$50); 70%. CALIBRAL Solvay Farma; comprimidos; 20; 10; 1 305$00 (130$50); 70%. DOXICAN Lab. Azevedos; cápsulas; 20; 20; 2 180$00 (109$00); 70%. DOXICAN Lab. Azevedos; comprimidos; 20; 60; 5 107$00 (85$10); 70%. TILCOTIL Roche Farmacêutica; comprimidos; 20; 10; 1 189$00 (118$90); 70%. •

s PROGLUMETACINA (MALEATO)
Indicações, reacções adversas, contra-indicações: Ver subgrupo. Posologia: 200 a 400 mg por dia. PROTAXIL Lab. Delta; supositórios; 200; 10; 1 122$00 (112$20); 70%. • PROTAXIL Lab. Delta; comprimidos; 300; 20; 2 307$00 (115$40); 70%. PROTAXIL Lab. Delta; comprimidos; 300; 60; 5 809$00 (96$80); 70%. PROTAXIL Lab. Delta; pomada; 50; 30 g; 615$00 (20$50); 40%. •

9.3. Terapêutica de fundo das doenças reumatismais
Alguns fármacos, sais de ouro, penicilamina, hidroxicloroquina, sulfassalazina, imunossupressores (metotrexato, ciclofosfamida, azatioprina, ciclosporina), são úteis na terapêutica de doenças reumatismais inflamatórias crónicas, suprimindo a actividade da doença (terapêutica de fundo, terapêutica modificadora). A sua prescrição requer ponderação cuidada da relação risco-benefício, devendo ser reservada a quem

9.3. Terapêutica de fundo das doenças reumatismais tenha formação específica. À excepção dos sais de ouro, encontram-se descritos noutros capítulos (ver Capítulo 15). Os sais de ouro podem ser administrados por via intramuscular ou por via oral. A auranofina (sais de ouro orais) é moderadamente eficaz e

259

determina frequentemente efeitos indesejáveis gastrintestinais. A formulação parentérica é mais eficaz; o seu uso adequado requer a realização de controlo analítico periódico (função renal e hepática, vigilância hematológica).

10.1. Anti-histamínicos
Os anti-histamínicos são antagonistas competitivos dos receptores H1 da histamina e as suas acções são previsíveis com base nas acções da histamina mediadas por aqueles receptores. Todavia, mesmo em doses terapêuticas as acções noutros receptores podem contribuir para o uso limitado destes agentes no tratamento das doenças alérgicas e outras afecções. As diferenças na capacidade de penetração dos antagonistas dos receptores H1 no SNC constituem a base da sua classificação em compostos de primeira geração (sedativos) ou da segunda geração (não sedativos). A escolha de um anti-histamínico H1 com ou sem actividade sedativa depende de ser ou não vantajosa a sedação. De qualquer modo, desenvolve-se tolerância aos efeitos sedativos ao fim de alguns dias. Os anti-histamínicos são eficazes no alívio sintomático e na prevenção das reacções de hipersensibilidade causadas pela libertação de histamina. Não são curativos e constituem apenas uma terapêutica paliativa. As reacções alérgicas graves requerem o uso de adrenalina para reverter a hipotensão, o edema laríngeo e a broncoconstrição, representando os anti-histamínicos uma terapêutica adjuvante, uma vez conseguido o controlo das manifestações agudas. Além das propriedades antialérgicas, os antihistamínicos manifestam em grau variável actividade sedativa, anti-nauseosa, antiemética, antiparkinsónica, antitússica e anestésica local. Alguns destes fármacos são usados apenas por uma ou outra das propriedades referidas e não propriamente pela acção anti-alérgica no tratamento de reacções não complicadas. As reacções alérgicas que respondem melhor aos anti-histamínicos H1 são a rinite sasonal e a perene, a conjuntivite, a urticária e, ainda, as reacções de hipersensibilidade a medicamentos. O edema é mais resistente e a doença do soro não é beneficiada. Alguns anti-histamínicos aliviam ainda o prurido que acompanha a dermatite atópica e a dermite de contacto, o prurido anal ou vulvar e as picadas de insectos. Também se administram profilacticamente a doentes com uma história de reacção às transfusões, mas não devem ser dados de forma rotineira aos doentes que vão receber sangue. No resfriado banal não encurtam o curso da afecção, apenas proporcionam alívio sintomático da rinorreia e dos espirros, mas são ineficazes no lacrimejamento e no ardor ocular. Não está demonstrado que as associações de 2 ou

Antialérgicos
Antialérgicos 10.1. Anti-histamínicos

10

10.1.1. Anti-histamínicos H1 de primeira geração ou sedativos 10.1.2. Anti-histamínicos H1 de segunda geração ou não sedativos 10.2. Anti-inflamatórios 10.3. Fármacos usados nas urgências alérgicas

mais anti-histamínicos sejam mais eficazes do que as doses terapêuticas de um só. Os preparados de uso oral que contêm, além de um anti-histamínico, um analgésico antipirético e/ou um descongestionante nasal; um analgésico antipirético, um antitússico e um descongestionante nasal, podem ser úteis se cada um dos constituintes for eficaz e estiver presente na dose terapêutica. O uso destas associações pode condicionar o alívio dos sintomas concorrentes (rinorreia, congestão nasal, tosse) que estão muitas vezes presentes na rinite alérgica e no resfriado comum, permitindo ao doente o uso de um só medicamento, em vez de múltiplos preparados. Não se consideram, no entanto, apropriadas as combinações de um anti-histamínico com um expectorante e um agente anticolinérgico ou broncodilatador. Na asma alérgica não são de valor, mas podem ser úteis nos asmáticos com rinite, conjuntivite ou dermatoses alérgicas. Acredita-se que os efeitos anticolinérgicos destes fármacos, por conduzirem à redução da secreção nasal e ao espessamento das secreções brônquicas, agravam a obstrução brônquica. A clorfeniramina e prometazina sob forma injectável, são de algum valor na fase aguda da anafilaxia e angioedema em associação com a adrenalina; conjuntamente com os corticosteróides previnem a recaída destas situações. São ainda usados pelo seu efeito sedativo no controlo da insónia e na pré-medicação anestésica. Alguns anti-histamínicos, como a cetirizina,

Antialérgicos

264

Capítulo 10 | 10.1. Anti-histamínicos xais com insónia, tremores, euforia, delírio e, por vezes, convulsões. Os anti-histamínicos podem também precipitar convulsões em doentes com lesões focais no cortex cerebral. Reacções distónicas agudas com disartria e incoordenação motora têm sido referidas ocasionalmente. O risco de arritmias ventriculares poderá ocorrer para o astemizol, a terfenadina e a loratadina, se forem associados entre si ou com outros antiarrítmicos: amiodarona, disopiramido, procainamida e quinidina; antimaláricos (halofantrina e quinina); antivirais (ritonavir); antidepressivos tricíclicos (que acrescem os efeitos antimuscarínicos e sedativos), inibidores da MAO; outros anti-histamínicos; bloqueadores adrenérgicos beta (sotalol); diuréticos (por hipocaliemia); docetaxel. O efeito sedativo é potenciado pelo uso simultâneo de álcool, ansiolíticos e sedativos. A cimetidina pode aumentar os níveis plasmáticos de loratadina. As biguanidas e o cetotifeno em uso concomitante com anti-histamínicos podem originar trombopenia.

a difenidramina, o dimenidrato, a meclizina e a prometazina, com efeitos antinauseosos e antivomitivos, estão indicados no enjôo do movimento (cinetose), nos vómitos do pós-operatório ou da uremia e, associados a outros anti-eméticos, nos vómitos por quimioterapia ou por radioterapia, pelo efeito sedativo que aumenta a eficácia dos outros compostos. Os anti-histamínicos derivados das fenotiazinas são mais eficazes do que os outros compostos no alívio das náuseas e vómitos não relacionados com a estimulação vestibular. O dimenidrato e a meclizina têm sido usados no tratamento sintomático da vertigem associada a doenças que afectam o sistema vestibular (por exemplo, labirintite e doença de Ménière) e no controlo dos sintomas associados à enxaqueca. A ciproheptadina e a flunarizina têm-se mostrado úteis na profilaxia da enxaqueca, em particular na criança. A difenidramina em aplicação tópica alivia temporariamente o prurido e a dor associados a várias afecções cutâneas, incluindo as queimaduras ligeiras, queimaduras solares, golpes pequenos ou arranhadelas e picadas de insectos; a fraca actividade anestésica local contribui para o seu efeito. Deve acentuar-se que o uso tópico de anti-histamínicos não deve ser encorajado devido às reacções de sensibilização que podem originar. A serem usados localmente como antipruginosos a aplicação deverá ser de curta duração, não superior a 7 dias, pelo risco crescente de reações de sensibilidade em uso prolongado ou repetido. Os anti-histamínicos são mais eficazes se o prurido é generalizado e é menos previsível causarem reacções de sensibilidade se a administração é sistémica. Os efeitos adversos causados por todos os anti-histamínicos variam em incidência e gravidade para cada um dos compostos. Os indivíduos manifestam uma susceptibilidade variável aos efeitos adversos, os quais podem mesmo desaparecer, não obstante o uso continuado do fármaco, com a redução da dosagem. Os idosos podem ser particularmente sensíveis às tonturas, sedação e hipotensão. A sedação é comum mas pode ser útil no tratamento das alergias; tonturas, cansaço muscular e coordenação física alterada surgem de igual modo e podem perturbar o controlo de máquinas e a condução automóvel. Os doentes deverão ser avisados desta possibilidade e ainda de que não é recomendado o consumo de bebidas alcoólicas enquanto tomam os anti-histamínicos. O astemizol e a terfenadina parecem ser os menos responsáveis por efeitos adversos no SNC, incluindo as actividades psicomotoras e a reactividade. As crianças tratadas com anti-histamínicos podem manifestar reacções parado-

10.1.1. Anti-histamínicos H1 de primeira geração ou sedativos
Os fármacos que integram este grupo são a cinarizina, ciclizina, clorfeniramina, clorfenoxamina, desclorfeniramina, difenidramina, dimetindeno, feniramina, hidroxizina, mepiramina, mequitazina, oxatomida, prometazina, tripelenamina e triprolidina, entre outros. Os problemas comuns a todos os representantes da primeira geração são o efeito sedativo, que decorre do antagonismo de receptores histamínicos H1 centrais, pela capacidade de atravessarem a barreira hemato-encefálica, e alguns sintomas não específicos consecutivos ao bloqueio dos receptores muscarínicos M1, adrenérgicos α, serotoninérgicos e inibição do influxo de cálcio (cinarizina). Os efeitos adversos que originam em grau variável no sistema nervoso central são a sonolência, cefaleias, diminuição da agilidade e da capacidade de condução automóvel ou aumento do tempo de controlo de maquinaria, e ainda redução da função cognitiva. Os compostos com maior actividade sedativa são o dimenidrato, a prometazina e a trimeprazina. Aqueles que mostram menor actividade nesta área são a ciclizina, a clorfeniramina e a mequitazina. Os anti-histamínicos do tipo da prometazina podem bloquear ou inverter o efeito vasopressor da adrenalina. Se os doentes a tomar fenotiazinas necessitam de um agente vasopressor, usar então a noradrenalina ou a fenilefrina, mas não a adrenalina.

10.1. Anti-histamínicos Relativamente aos antagonistas H1 da primeira geração não existem provas de que um seja superior aos outros, apresentando os doentes respostas variáveis com os diversos compostos. Eles diferem na duração de acção e na frequência de efeitos adversos. A maior parte dos fármacos deste grupo tem duração de acção curta, mas alguns, como a prometazina, vêem o seu efeito prolongar-se até 12 horas. Estes compostos continuam ainda a ser utilizados porque são eficazes e pouco dispendiosos. Os doentes com disfunção hepática, alterações cardíacas, hipocaliemia ou hipomagnesemia são particularmente sensíveis aos efeitos adversos cardiovasculares dos anti-histamínicos H1. Os anti-histamínicos devem ainda ser usados com vigilância clínica redobrada na epilepsia, hipertrofia prostática, retenção urinária e glaucoma. Alguns estão contraindicados na porfiria (a clorfeniramina e a ciclizina seriam seguros nesta afecção). Os efeitos antimuscarínicos referidos com mais frequência são boca seca, visão turva, retenção urinária, impotência e ainda desconforto gastrintestinal, aumento da pressão do cárdia (ciclizina), ocasionalmente aumento de peso, podendo ainda surgir reacções de fotossensibilidade e, nas crianças, excitação paradoxal, em particular com doses elevadas. Os anti-histamínicos H1 não devem ser prescritos a crianças com asma, doença hepática, epilepsia ou glaucoma. Não existe informação suficiente quanto à utilização segura dos antagonistas H1 durante a gravidez e a lactação. O mais seguro parece ser a tripelenamina, que nunca foi tido como teratogénico quer em estudos animais ou humanos.

265

[Crianças] – 1 a 6 anos: 0,25 mg, 2 vezes/dia; 6 a 12 anos: 0,5 mg, 2 vezes/dia; mais de 12 anos: 1 mg, 2 vezes/dia.

s AZATADINA E PSEUDOEFEDRINA
CONGESTAN Schering-Plough; comp. revestidos; 1 + 120; 20; 844$00 (42$20); 40%. CONGESTAN Schering-Plough; sol. oral; 0,2 + 6; 200 ml; 1 074$00 (5$40); 40%. •

s CINARIZINA
É um anti-histamínico H1 e um bloqueador dos canais de cálcio. Indicações: Náuseas, vertigens da doença de Ménière e náuseas das alterações vestibulares; prevenção e tratamento do enjôo das viagens. Usa-se ainda nas perturbações vasculares periféricas e cerebrais. Reacções adversas: Sonolência, erupção, irritação gástrica, eventualmente icterícia colestática e sintoma extrapiramidais. Contra-indicações, precauções: Não administrar em casos de hipersensibilidade ao fármaco. Interacções: Os depressores do sistema nervoso central, incluindo o álcool e os antidepressivos tricíclicos, não devem ser associados porque em uso simultâneo podem ser potenciados os efeitos depressores sobre o SNC. Posologia: Vertigem e alterações vestibulares: Oral: [Adulto] – 30 mg, 3 vezes/dia. [Crianças] – 5-12 anos: 15 mg, 3 vezes/dia. Enjôo das viagens: [Adulto] – 30 mg, 2 h antes da viagem e 15 mg cada 8 h, durante o dia. [Crianças] – 5-12 anos: 15 mg, 3 vezes/dia. Perturbações vasculares cerebrais: [Adulto] – 75 mg, 1-3 vezes/dia. Perturbações vasculares periféricas: [Adulto] – 75 mg, 2-3 vezes/dia. CINARIZINA 75 RATIOPHARM Ratiopharma; cápsulas; 75; 20; 412$00 (20$60); 40%. CINARIZINA 75 RATIOPHARM Ratiopharma; cápsulas; 75; 60; 1 048$00 (17$50); 40%. CINON FORTE Lab. Azevedos; cápsulas; 75; 20; 555$00 (27$80); 40%.

s AZATADINA (MALEATO)
Anti-histamínico H1 de longa duração de acção com propriedades anti-serotoninérgicas. Indicações: Alívio sintomático de reacções de hipersensibilidade, incluindo rinite alérgica sasonal e perene, urticária crónica, prurido e picadas de insectos. Efeitos adversos: Reproduz os efeitos adversos dos outros anti-histamínicos H1. Precauções: Não há evidência de efeitos mutagénicos, carcinogénicos ou teratogénicos. Não existindo contudo estudos controlados na mulher grávida, não se recomenda o seu uso durante a gravidez a não ser em situações absolutamente necessárias. Posologia: Oral: [Adultos] – 1 mg, 2 vezes/dia. Se necessário usar 2 mg, 2 vezes/dia.

266

Capítulo 10 | 10.1. Anti-histamínicos dema e prurido. É um componente dos preparados para a tosse e constipação. Reacções adversas: Contra-indicações e precauções: têm sido descritas discinésias faciais. Produz tolerância.Ver introdução a este capítulo. Posologia: Oral: [Adulto] – 4 mg cada 4-6 horas até 24 mg/dia; preparações de libertação gradual: 8-12 mg, 2 vezes/dia. [Crianças] – 1 a 2 anos: 1 mg, 2 vezes/dia ou 0,35 mg/Kg/dia; 2 a 5 anos: 1 mg cada 4 a 6 h (máx: 6 mg/dia); 6 a 12 anos: 2 mg cada 4 a 6 h (máx: 12 mg/dia). Preparações de libertação gradual: 6-12 anos: 8 mg uma vez/dia. •

CINON FORTE Lab. Azevedos; cápsulas; 75; 60; 1 350$00 (22$50); 40%. STUGERON Janssen-Cilag; comprimidos; 25; 60; 714$00 (11$90); 40%. STUGERON Janssen-Cilag; sol. oral; 75; 50 ml; 1 082$00 (21$60); 40%. STUGERON FORTE Janssen-Cilag; cápsulas; 75; 20; 605$00 (30$20); 40%. STUGERON FORTE Janssen-Cilag; cápsulas; 75; 60; 1 328$00 (22$10); 40%. •

s CIPROHEPTADINA
É um anti-histamínico H1 e antagonista da serotonina. Indicações: Rinite alérgica e urticária provocada pelo frio; usa-se ainda na enxaqueca, anorexia e controlo da diarreia no sindroma carcinóide. Efeitos adversos: Comuns aos dos anti-histamínicos H1: sedação e efeitos antimuscarínicos. Pode causar aumento do apetite e do peso. Precauções: A segurança e eficácia não foi definida para crianças com menos de 2 anos e como os outros anti-histamínicos, não deve ser usada no recém-nascido e no prematuro. Posologia: Via oral: [Adulto] – 4 mg, 3-4 vezes/dia; a dose pode variar entre 4 e 20 mg/dia; máx. diário = 32 mg [Criança] – Não recomendado antes dos 2 anos; 2-6 anos: 2 mg, 2-3 vezes/dia; máx. diário = 12 mg; 7-14 anos: 4 mg, 2-3 vezes/dia; máx. diário = 16 mg. PERIACTIN Merck Sharp & Dohme; comprimidos; 4; 20; 423$00 (21$20); 0%. SUPERSAN Laquifa; comprimidos; 4; 20; 370$00 (18$50); 0%. SUPERSAN Laquifa; sol. oral; 0,4; 200 ml; 492$00 (2$50); 0%. TRIMETABOL Lab. Zimaia; sol. oral.; 0,525; 100 ml; 700$00 (7$00); 0%.

s CLORFENIRAMINA + FENILPROPANOLAMINA
RINOGAN Produfarma; cápsulas; 12 + 75; 12; 592$00 (49$30); 40%. •

s DEXCLORFENIRAMINA (MALEATO)
Indicações: Alívio sintomático da urticária, angioedema e prurido. É ainda um dos componentes dos preparados para tratamento da tosse e da constipação. Reacções adversas, contra-indicações e precauções: Ver introdução a este capítulo. Posologia: Oral: [Adultos] – 2 mg cada 4 – 6 horas. Preparações de libertação gradual: 4-6 mg à noite ou com 8-10 h de intervalo durante o dia. [Crianças] – 2 a 5 anos: 0,5 mg cada 4-6 h; 6-12 anos: 1 mg cada 4-6 h. Preparações de libertação gradual: 6-12 anos: 4 mg/dia, à noite. TRENELONE Schering-Plough; comp. revestidos; 6; 20; 365$00 (18$20); 40%. TRENELONE Schering-Plough; sol. oral; 0,4; 200 ml; 447$00 (2$20); 40%. •

s DIMETINDENO (MALEATO)
É um anti-histamínico H1, com propriedades estimulantes dos mastócitos. Indicações: Alívio sintomático das reacções de hipersensibilidade, tais como urticária e angioedema, rinite e afecções cutâneas pruri-

s CLORFENIRAMINA (MALEATO)
Indicações: Alívio sintomático das reacções de hipersensibilidade, incluindo urticária, angioe-

10.1. Anti-histamínicos ginosas; usa-se ainda para alívio da tosse e dos resfriados comuns. Reacções adversas, contra-indicações e precauções: Ver introdução a este capítulo. Posologia: Oral: [Adulto] – 1-2 mg, 3 vezes/dia ou 4 mg, 1 vez/dia para preparados de libertação gradual. Tópico: gel 0,1%, aplicação 3 vezes/dia. NEOSTIL Novartis C. Health; cápsulas; 4; 10; 720$00 (72$00); 0%. NEOSTIL Novartis C. Health; cápsulas; 4; 20; 1 280$00 (64$00); 0%. NEOSTIL Novartis C. Health; comp. revestidos; 1; 20; 326$00 (16$30); 40%. NEOSTIL Novartis C. Health; sol. oral; 1; 20 ml; 407$00 (20$40); 40%. •

267

s MEQUITAZINA
Indicações: Alívio sintomático da rinite e conjuntivite alérgicas, urticária e prurido. Contra-indicações e precauções: Como para os anti-histamínicos H1 com acção sedativa. Reacções adversas: Como para os antihistamínicos H1 com acção sedativa. Ocorre sedação com doses de 10 mg, 2 vezes/dia Posologia: Via oral: [Adulto] – 5-10 mg, 2 vezes/ /dia. [Criança] – mais de 12 anos: 5 mg, 2 vezes/ /dia. Não recomendado antes dos 12 anos. PRIMALAN Pierre Fabre; comprimidos; 5; 20; 902$00 (45$10); 40%. PRIMALAN Pierre Fabre; sol. oral; 0,5; 100 ml; 578$00 (5$80); 40%. •

s HIDROXIZINA (CLORIDRATO)
Indicações: Usa-se como ansiolítico, anti-emético e no controlo do prurido. Reacções adversas: Como para os anti-histamínicos em geral. A injecção intramuscular provoca dor no local de injecção. Contra-indicações e precauções: Como para os anti-histamínicos em geral. Não se deve usar por via venosa pela possibilidade de hemólise. Posologia: Oral: Prurido: [Adulto] – 25 mg à noite; aumentar, se necessário, para 25 mg, 3-4 vezes/dia. [Crianças] – até 6 anos: 5-15 mg, à noite; se necessário, aumentar até 50 mg/dia, em 3-4 fracções; mais de 6 anos: 15-25 à noite; se necessário, aumentar até 50-100 mg/dia, em 3-4 fracções. Ansiolítico: [Adulto] – 50-100 mg, 4 vezes/dia por períodos curtos. [Criança] (pré ou pós-operatório): 600 µg/Kg de peso. Intramuscular: Ansiolítico: [Adulto] – 50-100 mg, a repetir, se necessário cada 4 ou 6 h. Outras indicações: [Adulto] – 25-100 mg. [Crianças] – 1,1 mg/Kg de peso. ATARAX UCB Pharma; comprimidos; 25; 10; 265$00 (26$50); 40%. ATARAX UCB Pharma; sol. oral; 2; 200 ml; 557$00 (2$80); 40% ATARAX UCB Pharma; sol. injectável; 100; 6; 562$00 (93$70); 40%. •

s OXATOMIDA
É um anti-histamínico H1 com propriedades estabilizadoras dos mastócitos. Indicações: Alívio sintomático da rinite e conjuntivite alérgica e urticária. Reacções adversas: Ver introdução. Precauções: Deve ser administrada com prudência nos doentes com insuficiência hepática, situação em que se recomenda utilizar metade da dose. Posologia: Oral: [Adulto] – 30 a 60 mg, 2 vezes/ /dia. [Idosos] – 30 mg, 2 vezes/dia. [Crianças] – 6 a 14 anos: 15 a 30 mg, 2 vezes/ /dia. TINSET Janssen-Cilag; comprimidos; 30 mg; 20; 1 050$00 (52$50); 40%. TINSET Janssen-Cilag; susp. oral; 2,5; 200 ml; 628$00 (3$10); 40%. •

s PROMETAZINA (CLORIDRATO)
Indicações: Alívio sintomático das reacções de hipersensibilidade, incluindo angioedema e urticária; controlo das náuseas, vómitos e vertigens; como sedativo e hipnótico. É um componente comum de preparações para alívio sintomático da tosse e constipação banal. Efeitos adversos: Como para os anti-histamíni-

Em situações de hiperdosagem com astemizol ou terfenadina. oral. a maior parte dos compostos mais recentes não potenciam os efeitos do álcool e das benzodiazepinas. como a eritromicina e a claritromicina. menor actividade sedativa e psicomotora e menos efeitos não específicos. a levocabastina. a cetirizina. o astemizol.5 mg. Contra-indicações e precauções: Não usar em crianças antes de 1 ano. 40%. sol. oral. 100 ml.25 + 6. Anti-histamínicos H1 de segunda geração ou não sedativos Incluem. A maior parte dos antagonistas H1 da segunda geração não são dializáveis. antes da viagem. sol. injectável. Anti-histamínicos cos em geral. FENERGAN Rhône-Poulenc. Em dose elevada tem sido responsabilizada pela síndroma de morte súbita nas crianças. [Adulto] – 10 a 25 mg/dia. 40%. comprimidos. entre outros. antes da viagem. [Adulto] – 25 a 50 mg.5 + 60. O doente deve ser monitorizado com ECG contínuo ou até normalização do intervalo QT. 20.1. Raramente a terfenadina e o astemizol originam acidentes cardiovasculares graves ou mesmo fatais. 411$00 (20$60). 25. não exceder 100 mg/ /24 h. [Crianças] – 5 a 10 anos: 6. interacções. a ebastina. hipotensão ocasional. sol. Usa-se. 5. Intramuscular: Todas as indicações. 50. ocasionando insónias e outros sintomas de estimulação. Como sedativo.5 a 5 mg. A injecção IV deve ser lenta. icterícia e efeitos extrapiramidais. 40%. Todavia. 0. 40%. as funções do SNC podem ser alteradas. 3 vezes/ /dia.2. 305$00 (3$00). sol. em combinação com a pseudoefedrina para tratamento das rinites e em preparados compostos para alívio da tosse e constipação. oral. 40%. DINAXIL Tecnifar. contra-indicações. O astemizol e o cetotifeno podem estimular o apetite e levam a um aumento inadequado de peso. em doses superiores às recomendadas. 20. a acrivastina. 100 ml. 40%. 10. uma vez que a maior parte dos anti-arrítmicos estão contraindicados. A azelastina intranasal pode causar irritação da mucosa (mas não induz sensibilização em tratamentos de curta duração) e um sabor amargo ou metálico transitório. Posologia: Oral: [Adultos] – 2. [Adulto] – 25 mg à noite.5 + 60.1. não exceder 100 mg/24 h. urticária e prurido. comprimidos. 233$00 (11$60). evitando a extravasação e inadvertida injecção arterial. à noite. deve induzir-se o vómito e administrar-se carvão activado para se reduzir a absorção do fármaco. Em administração concomitante com macrólidos. s TRIPROLIDINA (CLORIDRATO) Indicações: Alívio sintomático da rinite e conjuntivite alérgicas. excepto náuseas e vómitos. FENERGAN Rhône-Poulenc. 5 a 10 anos: 10 mg.25 a 12. comp. Preparados da libertação gradual: 10-20 mg. Enjôo das viagens: [Crianças] – 2 a 5 anos: 5 mg. como o cetoconazol ou o itraconazol ou outros fármacos que inibam o sistema do citocromo P450 de oxidases hepáticas de função mista podem prolongar o intervalo QT ou originar taquicardia ventricular polimórfica («torsades de pointe») ou outra arritmia cardíaca.5 a 25 mg a intervalos superiores a 4 h. recorrendo-se eventualmente à cardioversão ou implantação de um pacemaker. • u TRIPROLIDINA + PSEUDOEFEDRINA ACTIFED Warner-Lambert. antifúngicos derivados do imidazol. 1 vez/dia.268 Capítulo 10 | 10. 292$00 (58$40). 2. 40%. de um modo geral. 0. ACTIFED Warner-Lambert. Pode produzir sensibilização cutânea em aplicação tópica. • 10. Posologia: Oral e rectal: Reacções de hipersensibilidade: [Crianças] – 2 a 5 anos: 5 a 15 mg/ /dia. . a injecção endovenosa pode causar trombose. 5 a 10 anos: 10 a 25 mg/dia. Tópico: creme a 2%. Efeitos adversos. Após injecção podem surgir efeitos cardiovasculares com taquicardia. 527$00 (5$30). 350$00 (2$80). FENERGAN Rhône-Poulenc. revestidos. Náuseas e vómitos: [Adulto] – 12. a azelastina.25 + 6. 125 ml. 265$00 (13$20). à noite: 25 a 75 mg/dia em 2-3 fracções. precauções: Ver introdução a este capítulo. DINAXIL Tecnifar. a loratadina e a terfenadina e têm. 2. por penetrarem mal na barreira hemato-encefálica. 20.

1 694$00 (169$40). uma vez/dia ou 0. cetoconazol) as concentrações plasmáticas de astemizol elevam-se e podem surgir arritmias ventriculares. tais como antiarrítmicos. Indicações: Rinite alérgica. 2 vezes/dia. hipocaliemia ou outro distúrbio electrolítico.1. dor epigástrica. uma vez/dia ou 5 mg. metabolito da hidroxizina. • 269 s AZELASTINA (CLORIDRATO) Anti-histamínico H1 e inibidor da libertação de mediadores inflamatórios dos mastócitos. antipsicóticos. claritromicina) e antifúngicos imidazólicos (itraconazol. aumento do apetite e do peso. Interacções: Em administração concomitante com fármacos que inibam o metabolismo hepático do astemizol como os antibióticos do grupo dos macrólidos (eritromicina. 40%. Nas mulheres em idade de procriar deve ser excluída a possibilidade de uma gravidez. Indicações: Rinite alérgica sasonal e perenial. menos frequentemente secura da boca e narinas. 10 ml. 2 vezes/dia. deve ser evitada. Deve evitar-se durante a gravidez (em doses elevadas é tóxico nos animais). Posologia: Oral: [Adultos] – 5-10 mg. 2 a 6 anos: 5 mg. 40%. Precauções e contra-indicações: Não deve ser usado em doentes em que exista prolongamento do intervalo QT. [Crianças] – mais de 6 anos: 5-10 mg. 10 ml.2 mg/Kg/dia. terfenadina ou diuréticos que produzem hipocaliémia. uma vez/dia ou 2. enquanto tomam os fármacos. sonolência e fadiga. spray nasal. Não é recomendado antes dos 6 anos. 1. Efeitos adversos: Irritação da mucosa nasal. alteração do gosto. . sotalol. epistáxis e erupção. enquanto tomam o astemizol e mesmo vários meses após suspensão.10. A administração concomitante de antibióticos macrólidos. Contra-indicações e precauções: Não foram referidas até ao presente em administração tópica. Efeitos adversos: Produz pouca sedação e não tem actividade antimuscarínica. Reduzir a dose a metade na insuficiência renal. Indicações: Rinite e conjuntivite alérgicas e prurido. 2 vezes/dia. 2 vezes/dia. Deve recomendar-se ao doente que o uso concorrente de álcool ou outros depressores do SNC deve ser evitado. Se surgir síncope suspender de imediato e avaliar o doente pela possibilidade de arritmia. [Crianças] – 6 a 12 anos: 5 mg. náuseas. Precauções e contra-indicações: Como os antihistamínicos H1.5 mg. que afecta a qualidade da condução e/ou o controlo de máquinas. outras reacções de hipersensibilidade e urticária crónica. uma vez/dia. comprimidos. antifúngicos imidazólicos. Oral: [Adulto] – profilaxia e terapêutica de manutenção: 2-4 mg. AZEP Probios. ALLERGODIL Asta-Médica. • s ASTEMIZOL Anti-histamínico H1 de duração de acção longa. [Crianças] – mais de 6 anos com asma brônquica: 1-2 mg. Posologia: Tópica: [Adulto e crianças] – mais de 6 anos: 140 µg (um «spray» nasal) em cada narina. 1 245$00 (62$20). vómitos. pode observar-se redução da vigília em alguns doentes. Anti-histamínicos Embora os antagonistas H1 não sedativos causem menos efeitos depressores no sistema nervoso central por dificuldade na travessia da barreira hemato-encefálica. 1 659$00 (165$90). s CETIRIZINA (CLORIDRATO) É um antagonista H1. Doentes com sintomas nocturnos e ao levantar: 8 mg em dose única ao deitar. uma vez/dia ou 5 mg. antidepressivos tricíclicos. Efeitos adversos: Arritmias ventriculares têm sido associadas com a elevação dos níveis plasmáticos de astemizol. 10. em geral. Nota: O medicamento de marca comercial HISMANAL foi recentemente retirado pela firma. 1. a sonolência e os efeitos antimuscarínicos têm uma incidência reduzida. fluvoxamina. Posologia: Via oral: [Adultos] – 10 mg. com longa duração de acção. halofantrine. 2 vezes/dia. 40%. agentes potencialmente arritmogénicos. PERIFER H1 Tecnimede. 2 vezes/dia. 20. Administrar 1 hora antes ou 2 horas após uma refeição. spray nasal.

40%. Existe referência a broncospasmo. comprimidos. 20. revestidos. irritação da orofaringe. Posologia: Via oral: [Adultos] – com insuficiência hepática: 10 mg/uma vez/dia em dias alternados. comp. Não administrar concomitantemente com antibióticos macrólidos e antifúngicos imidazólicos em uso sistémico. não sedativo. Efeitos adversos: Sonolência e astenia por vezes transitória. • s FENOXIFENADINA (CLORIDRATO) Anti-histamínico H1. uma vez/dia. 1 565$00 (78$20). 40%. dispepsia. 1. 10. . 10. mais de 30 Kg de peso: 10 mg. infecção viral. Indicações: Alívio sintomático da rinite crónica e urticária crónica. uma vez/dia. 1 655$00 (82$80). diagnóstico de prolongamento do segmento QT ou hipocaliemia. dismenorreia. CLARIDON Schering-Plough. fadiga. 20. Precauções: A posologia deve ser reduzida ou os intervalos entre as administrações aumentados na insuficiência hepática. rinoconjuntivite alérgica perene e urticária. 1 174$00 (58$70).1. 1 274$00 (12$70). • VIRLIX Vedim Pharma. Indicações: Rinite alérgica sasonal. Sedação nos idosos. 0%. revestidos. com bradicardia significativa. revestidos. diarreia ou cefaleias. Deve ser evitada durante a gravidez. Contra-indicações: Prevenção: hipersensibilidade ao fármaco. 1. 923$00 (65$90). [Crianças] – 2 a 12 anos: menos de 30 Kg de peso: 5 mg. 20. pode prolongar o intervalo QT. 20. Precauções. os antifúngicos imidazólicos e mesmo a cimetidina são capazes de inibir o metabolismo hepático da loratadina. Não se recomenda o uso em insuficientes hepáticos graves. comp. 150 ml. uma vez/dia. comprimidos. por prolon- s LORATADINA Anti-histamínico H1 de longa duração de acção. Não há problemas com a sedação ou os efeitos anti-muscarínicos. Interacções: Em administração concomitante com antibióticos macrólidos (eritromicina) e antifúngicos imidazólicos (cetoconazol) sistémicos. nos indivíduos com afecção cardíaca clinicamente significativa ou arritmias sintomáticas. metabolito activo da terfenadina. 5 + 120. sol. Os antiarrítmicos das classes I e III. 40%. 1 353$00 (67$60). 40%. mas não em doses terapêuticas. CLARITINE Schering-Plough. Urticária idiopática crónica: [Adulto] – 180 mg. contra-indicações. comp. interacções: Ver introdução a este capítulo. 5 + 120. Posologia: Via oral: Rinite alérgica: [Adulto] – 60 mg. 10. Xerostomia. Recomenda-se verificar a resposta individual antes de conduzir veículos ou desempenhar tarefas complicadas. 100 ml. tonturas. • s LORATIDINA + PSEUDOEFEDRINA CLARIDON Schering-Plough. dispepsia. comprimidos. Aumento do apetite e do peso. • s MIZOLASTINA Indicações: Alívio sintomático da rinoconjuntivite alérgica sazonal (febre dos fenos). ZYRTEC UCB Pharma.270 Capítulo 10 | 10. 20. 20. 10. Não associar a outros anti-histamínicos H1. urticária idiopática crónica. 40%. ZYRTEC UCB Pharma. TELFAST 120 Marion Merrel. em especial durante o primeiro trimestre e também durante a lactação. comprimidos. 14. uma vez/dia. 1 328$00 (8$80). por se excretar no leite. podem surgir arritmias com prolongamento do intervalo QT por aumento da concentração plasmática da mizolastina. 40%. náuseas. oral. CLARITINE Schering-Plough. 40%. oral. Contra-indicações: Não deve ser usada durante a gravidez (toxicidade animal em doses altas) e o aleitamento (excreta-se no leite). 1 587$00 (79$40). Interacções: Os antibióticos macrólidos. Efeitos Adversos: São os comuns aos anti-histamínicos H1. Os idosos são particularmente sensíveis. 1 621$00 (81$10). sol. 40%. Reacções adversas: Cefaleias. 120. 2 vezes/dia ou 120 mg. Anti-histamínicos ALERTRIN Plough Farma.

a fluticasona e a triancinolona (acetonido).10. mas são causa de menor número de efeitos adversos. Os corticosteróides de uso intranasal são a beclometasona. • 271 10. em vez de tentar suprimir todos os sinais da doença com o uso prolongado de esteróides (V. A fluoxetina em uso concomitante com a terfenedina também origina cardiotoxicidade. esta última representando uma alternativa eficaz. a migração dos leucócitos e a fagocitose e ainda os fenómenos mais tardios (a proliferação capilar e a deposição do colagéneo). Os antibióticos macrólidos. 40%. • TRILUDAN Marion Merrel. Capítulo 8). O uso concomitante de mizolastina com os outros inibidores potentes da oxidação hepática do fármaco pelo citocromo P450 3A4. Posologia: Via oral: [Adultos e idosos] – 10 mg. aumentam a possibilidade de arritmias se associados à mizolastina. Precauções e contra-indicações: Ver introdução. e na menor dose útil. É prudente limitar o uso de corticosteróides a um período curto e aceitar um grau ligeiro de inflamação ou de sintomatologia. Previnem ou suprimem o desenvolvimento da fase precoce da resposta inflamatória: inibem o edema. 30 mg 2 vezes/dia. reduzida incidência de efeitos anti-muscarínicos e sonolência. 1 vez/dia. MIZOLLEN Synthelabo Farmacêutica.2. 1 073$00 (53$60). itraconazol e cetoconazol levam à acumulação da terfenadina com prolongamento do intervalo QT e possibilidade de arritmias (torsades de pointe). inibindo o recrutamento dos leucócitos. tais como a ciclosporina. clobetasona e prednisona (associados com frequência a hipertensão ocular). 6. Anti-Inflamatórios O uso de anti-inflamatórios na rinite e conjuntivite alérgicas baseia-se na sua poderosa acção sobre as respostas inflamatória e imunológica que sempre acompanham a reacção alérgica. antifúngicos derivados do imidazol. cimetidina e nifedipina. devido aos efeitos locais bem conhecidos (catarata. 1 vez/ /dia. arritmias ventriculares. fluoxetina e fluvoxamina. 120 ml. s TERFENADINA Indicações: Alívio sintomático das manifestações de alergia na febre dos fenos. Todos demonstram uma actividade anti-inflamatória potente e reduzida actividade sistémica. Não se verificou potenciação do efeito sedativo e da inibição motora causada pelo álcool. São eficazes no tratamento da rinite alérgica sasonal e perenial quando administrados em dose única diária. a dilatação capilar. Se ocorrer síncope durante a medicação. a libertação de citocinas e a actividade fagocitária. bem tolerados na maioria dos doentes e com uma reduzida incidência de efeitos adversos (V. [Criança] – 3-6 anos. urticária. O alívio dos sintomas nasais é superior ao dos anti-histamínicos e cromoglicato. Não associar antibióticos macrólidos. 40%. 20. 7-12 anos. 60. 10. Suprimem ainda a resposta imunológica. A hidrocortisona. 20. os antifúngicos imidazólicos. 15 mg 2 vezes/dia. glaucoma e facilitação de infecção da córnea). sob forma oral ou de aplicação tópica. comprimidos. Interacções: A toxicidade da terfenadina aumenta quando se associa a fármacos ou alimentos (sumo de uva) que inibem o seu metabolismo hepático. deve fazer-se com precaução. 599$00 (5$00). [Crianças] – 12 ou mais anos: 10 mg. Capítulo 13). aos casos graves e durante um período de tratamento que não ultrapasse os 5 dias. em especial nos tratamentos prolongados. eritromicina e claritromicina. medrisona e desonido são menos eficazes. a sua proliferação e diferenciação. 40%. incluem solução de fosfato de dexametasona. betametasona. o budesonido. Anti-inflamatórios garem o intervalo QT. 1637$00 (81$80). interromper e avaliar o doente quanto a potenciais arritmias. a deposição da fibrina. Os corticosteróides têm um efeito benéfico no tratamento da conjuntivite alérgica. . Posologia: Via oral: [Adulto] – 60 mg/dia (aumentar se necessário até 120 mg) em dose única ou 2 fracções. Efeitos adversos: Ver introdução. Contra-indicada nos insuficientes hepáticos. afecções cardíacas associadas a um aumento do intervalo QT e desordens metabólicas. O uso de corticosteróides na alergia ocular deve restringir-se ao uso tópico. comprimidos. Os preparados para uso oftalmológico. oral. além de evitar os efeitos sistémicos consecutivos à administração oral. eritema multiforme e galactorreia. TRILUDAN Marion Merrel.2. Com esta finalidade utilizam-se os corticosteróides e os anti-inflamatórios não esteróides (AINE). susp. tais como hipocaliemia e hipomagnesemia. o flunisolido.

7 080$00 (70$80). 3794$00 (31$60). colírio. 10 ml. 40%. 445$00 (89$00). 100 µg. 40%. 1 + 14. colírio. 9 296$00 (46$50). nebulização. 70%. sol. pó inalação nasal. 200 doses. 7 129$00 (35$60). 5 ml. 50 µg.272 Capítulo 10 | 10. 5. • s PREDNISOLONA (ACETATO) s BUDESONIDO PULMICORT TURBOHALER Astra Portuguesa.3. 40%.3. 617$00 (61$70). • Os AINE parecem representar uma alternativa eficaz aos corticosteróides porque associam a uma poderosa actividade anti-inflamatória um reduzido número de efeitos adversos em aplicação tópica. Tem sido preconizado o ácido acetilsalicílico em solução a 1% (1 gota cada 4 h). 198$00 (39$60). etc. 5 ml. 200 doses. 70%. 965$00 (193$00). 70%. 10. colírio. s FLUNISOLIDA PAFTEC Unilfarma.5 g. 40%. Pode originar uma grande variedade de efeitos adversos. 40%.3. PULMICORT NASAL TURBOHALER Astra Portuguesa. PREDNIOCIL Oftalder. • s FLUOROMETOLONA E NEOMICINA NEO-PREOCIL Oftalder. PULMICORT TURBOHALER Astra Portuguesa. 1. • FRISOLONA FORTE Allergan. 5 ml. 40%. inalação oral. 120 doses. pó inalação oral. 50 µg. 10. • s MEDRISONA MEDRISOCIL Oftalder. sol. 40%. 808$00 (161$60). PULMICORT NASAL-AQUA Astra Portuguesa. 1 + 14. 400 µg. 354$00 (101$10).03%. s DICLOFENAC (SÓDICO) VOLTAREN Novartis Farma. susp. 40%. 40% • . 70%. pó inalação oral. 5 ml. o flurbiprofeno sódico em solução a 0. 200 doses. colírio. Chauvin. 1 044$00 (208$80). nebulização. pomada oftálmica. 0. • s INDOMETACINA INDOCOLLYRE Lab. 1. • s FLUOROMETOLONA FLUROP Davi Farmacêutica. Fármacos usados nas urgências alérgicas s BECLOMETASONA (PROPIONATO) BECONASE Glaxo-Wellcome.3. 1 103$00 (220$60). 3. 200 µg. 200 doses. 40%. 40%. 5 ml. 40%. colírio. 0. Tem efeitos mais acentuados sobre os receptores adrenérgicos beta do que nos receptores alfa. 250 µg. 200 doses. inalação. 718$00 (143$60). colírio. colírio. 100 doses. • s FLUORBIPROFENO (SÓDICO) EDOLFENE Ofaltder. 2 647$00 (13$20). suspensão. 1 097$00 (5$50). • 10. OCUFLUR Allergan. 676$00 (135$20). 200 µg. susp. 5 ml. 5 ml. a maior parte dos quais s FLUOROMETOLONA E ÁLCOOL POLIVINÍLICO FML-LIQUIFILM Allergan. colírio. Fármacos usados nas urgências alérgicas A adrenalina é a hormona da medula supra-renal que é usada como simpaticomimético de acção directa. 5 ml. 5 122$00 (25$60). 40%. PULMICORT Astra Portuguesa. 1. colírio.

permitindo uma resolução mais rápida. A oxigenoterapia luta contra a anoxia por hipoventilação. idade avançada. como o cortisol (100-500 mg). os corticosteróides e mesmo a adrenalina inalada quando não são associados à adrenalina injectável não são capazes de curar ou prevenir o choque anafiláctico. vómitos. As doses a utilizar na criança são: 100 a 500 µg. gravidez. em caso de persistência do colapso. cansaço e tonturas.5 mg ou 5-8 µg/Kg de peso corporal) pode ser usada por via intravenosa. de uma vigilância cardíaca contínua. Interacções: Os doentes submetidos a terapêutica com bloqueadores adrenérgicos beta podem não responder à injecção de adrenalina. após diluição a 1:10 da solução milesimal. podem ser aliviadas pela adrenalina.5 mg. a repetir. aneurismas ou hipertensão. ou seja.10. Sintomas como a urticária. mas causadas por libertação directa de histamina e em que o factor desencadeante é habitualmente um fármaco). A adrenalina é o fármaco de escolha no tratamento de urgência das reacções agudas de anafilaxia e das reacções anafilactóides (reacções com sintomas semelhantes aos do choque anafilático. picadas de insectos ou outros alergenos. tremor. ansiedade. se o choque progride. Precauções: Deve usar-se de cuidados redobrados no hipertiroidismo. dor anginosa. com menos de 1 ano de idade usar 50 µg. Os anti-histamínicos. insónia. taquicardia e arritmias cardíacas. hipertensão. as injecções devem ser repetidas a intervalos de 10 a 30 minutos. palpitações e até paragem cardíaca. se necessário. Recomendar que a injecção seja feita apenas na coxa. a via intramuscular é a via de escolha. soros. irritabilidade. náuseas e vómitos.3. hipertensão (risco de hemorragia cerebral) e edema pulmonar (com dosagem excessiva ou grande sensibilidade). angioedema e ressuscitação cardiopulmonar. Os efeitos cardiovasculares da adrenalina são principalmente observados quando a adrenalina é utilizada em doses elevadas e por via intravenosa. O tratamento preventivo da anafilaxia assenta na identificação do agente causal e das suas possibilidades de evicção. As vias de administração usadas são a subcutânea. pelo que se deve . s ADRENALINA (TARTARATO OU CLORIDRATO) Indicações: Tratamento de urgência do choque anafiláctico. Em situações de 273 extrema urgência a adrenalina (0. Os doentes hipertireoideus e os portadores de cardiopatia isquémica.3 a 0. em serviço de reanimação. Em caso de edema laríngeo persistente ou de espasmo brônquico recorrer-se-á a um simpaticomimético β2. dos lábios e da língua. Os doentes a tomar antidepressivos tricíclicos ou inibidores da monoaminoxidase são mais susceptíveis a arritmias. a traqueotomia. arritmias. como o dimetindeno (4 mg) ou a prometazina (25 mg). Os efeitos centrais incluem medo. náuseas. dependendo da idade. e ainda de um corticosteróide. Quando a reacção anafiláctica se manifesta. aos seus familiares e colegas de trabalho e recomendar-se-á transportar consigo adrenalina auto-injectável. se necessário. esta medida constitui uma atitude imediata. se há necessidade de aumentar a volemia. embora se recomende aos doentes que fazem reacções alérgicas graves a picadas de insectos que tragam sempre consigo seringas prontas para injecção por via subcutânea ou inaladores de adrenalina. arritmias. Efeitos adversos: Ansiedade. Os riscos de recaídas devem ser indicados ao doente. confusão. extremidades frias. o angioedema e o edema das pálpebras. O indivíduo deve ser mantido em decúbito e. Todavia. a via de administração pode ser subcutânea ou intramuscular (forma auto-injectável). a isoprenalina. tremor. que podem resultar de reacções a medicamentos. As doses do adulto são de 0. 0. Só em 10% dos doentes é necessária uma segunda injecção. suores frios. imediatamente após a adrenalina e repetidas passadas 24 a 48 h.3 a 0. a via intravenosa tornar-se-á necessária por impossibilidade de absorção por outra via. a fim de evitar a injecção intravascular que poderia originar hemorragia cerebral por elevação súbita de pressão arterial. Fármacos usados nas urgências alérgicas reproduzem a estimulação exagerada do sistema nervoso simpático. agitação. a intramuscular e a intravenosa. 250 mg. taquicardia. pode diminuir a duração e a gravidade dos sintomas e prevenir a recaída.v. recomendando-se então a injecção de salbutamol i. Nos indivíduos com isquemia do miocárdio pode produzir angina de peito. Quando o choque anafiláctico se manifesta. de acordo com a pressão sanguínea e o pulso e até que ocorra melhoria. A injecção de um anti-histamínico por via parentérica.5 ml de uma solução de adrenalina 1:1000. doença cardiovascular. são particularmente sensíveis à adrenalina. o que necessita. diabetes mellitus. o prurido.3 a 0. No sistema cardiovascular induz vasoconstrição e hipertensão que pode originar hemorragia cerebral e edema pulmonar. com respeito pelas condições de conservação e prazo de validade ou então um corticóide e um anti-histamínico. como o salbutamol ou a terbutalina (ver Capítulo 5) e até.

1 ml. Às crianças de qualquer idade com baixo peso dever-se-á administrar metade das doses indicadas. eosinófilos. mastócitos e plaquetas) e afecta o recrutamento das células inflamatórias secundárias no local da inflamação. O nedocromil. Impede a activação das diferentes células inflamatórias (neutrófilos. São muitas vezes combinados com agentes vasoconstritores (descongestionantes) e anti-histamínicos H1 por via oral. O cromoglicato de sódio é útil nos casos ligeiros. 3-4 anos: 0. dos corticosteróides. adoptar uma dose bastante menor de adrenalina. os efeitos adversos traduzidos por sedação. o cetotifeno. a imunoterapia constitui uma escolha adequada. 1 ano: 0. administrados durante a exposição aos alergenos. inibe ainda a secreção dos mediadores e antagoniza a sua acção. bem conhecidos. consequentemente. broncodilatador. 6-12 anos: 0. • Fármacos profilácticos Os compostos usados como profilácticos na conjuntivite e rinite alérgicas estabilizam as membranas dos mastócitos.3 ml a repetir cada 10 minutos até melhoria. nas situações mais graves associam-se ao cromoglicato os anti-histamínicos orais e os agentes vasoconstritores ou os antiinflamatórios não esteróides. O objectivo é aumentar a tolerância clínica do doente a um alergeno pela administração regular (mediante injecções subcutâneas. boca seca e náuseas surgem em 10 a 20% dos doentes. A polinose e alergia induzida por ácaros são as indicações específicas. Tendo presente que a dosagem mais baixa para auto-injecção disponível é de 0. é um agente profiláctico activo por via oral. Posologia: Via intramuscular ou subcutânea: Anafilaxia aguda: [Adulto] – 0. um anti-histamínico H1 de segunda geração com propriedades estabilizadoras dos mastócitos. Só é eficaz em administração tópica por ser insolúvel nos lípidos e demora s CROMOGLICATO DE SÓDIO Indicações: Profilaxia da asma.274 Capítulo 10 | 10. também os anti-inflamatórios não esteróides são adequados nestas condições e o uso como alternativa evita os efeitos adversos. A imunoterapia específica deve ser considerada quando a hipersensibilidade tem a maior relevância nos sintomas e na gravidade da doença alérgica. o nedocromil. 5 anos: 0. não possuindo efeito vasoconstritor. repetir-se-á. O cetotifeno. Um tratamento eficaz deve durar pelo menos 3 a 5 anos. se necessário.3 ml. 10 ml. 3 a 4 vezes ao dia. rinite e conjuntivite alérgicas. DYSPNÉ-INHAL Angelo HV Pinto. Produz uma melhoria acentuada dos sintomas oculares e nasais na maioria dos doentes com asma e conjuntivite sasonal e perene. em especial quando os sintomas são persistentes e só parcialmente controlados por medicamentos. anti-histamínico ou anti-inflamatório. Não têm sido referidas reacções sistémicas ou reacções adversas locais graves com o cromoglicato de sódio. mas reduzem-se ao fim de 1 a 2 semanas de uso continuado. a intervalos de 10 a 30 minutos até melhoria. É bem tolerado. muitos dos sinais e sintomas associados com aquelas afecções.2 ml. tonturas.15 ml.05 ml. sol. A sensação de queimadura e picadas locais descritas para este fármaco tem sido atribuída a um preservante. Quando a sintomatologia ocular é grave e combinada com rinite e/ou asma. a lodoxamida e levocabastina. é mais potente que o cromoglicato de sódio. A imunoterapia específica é principalmente vantajosa nas crianças e adultos jovens com rinoconjuntivite e asma.5 ml. Estes fármacos têm um mínimo de efeitos adversos oculares e demonstraram já o seu valor terapêutico quando se iniciam antes do aparecimento dos sintomas e se mantêm durante o período de polinização. 40 mg/g. nebulização. Como estabilizadores celulares. 1 682$00 (168$20). O cromoglicato de sódio é útil na prevenção da reacção alérgica. 2 anos: 0. mesmo após tratamentos prolongados. Todos os efeitos destes fármacos são estrictamente dependentes da dose. Fármacos usados nas urgências alérgicas entre 2 a 5 dias a produzir efeitos clínicos apreciáveis. . 40%. sendo a melhoria mais acentuada na criança com sintomas sasonais. durante 5 a 7 dias. os seus efeitos são devidos a modificações na permeabilidade ao ião cálcio ou a inibição da fosfodiesterase dependente do monofosfato cíclico de adenosina. Os fármacos incluídos nesta designação são o cromoglicato de sódio. os sintomas mais graves requerem corticosteróides tópicos.3. sal dissódico do ácido dicarboxílico piranoquinolino. macrófagos. previnem a libertação de histamina e de outros mediadores e.4 ml. [Crianças] – menos de 1 ano: 0. Alivia os sinais e sintomas de conjuntivite e reduz a necessidade de anti-histamínicos orais e de corticosteróides oculares. inalação ou solução oral) de doses crescentes do alergeno.

2%. bem tolerado. 1 040$00 (34$70). de um modo geral. a dose deve ser aumentada gradualmente durante uma semana. Reacções adversas: Sonolência. 0%. 5 ml. 13 ml. Contra-indicações. nebulização. 20. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade ao fármaco durante a gravidez e o aleitamento. 20. 1 380$00 (276$00). 4 vezes/dia. sol. hipnóticos e outros depressores do SNC. Erupção cutânea. Posologia: Via oral: [Adulto] – 1 mg. 1 217$00 (121$70). INTAL Fisons Farmacêutica. Potenciação do efeito sedativo quando associado a outros anti-histamínicos H1. Efeitos adversos: Cefaleias. 1 113$00 (111$30).5 a 5 mg sob a forma de sol. TILAVIST Rhône-Poulenc. 1 410$00 (47$00). em especial nos doentes previamente medicados com corticosteróides e que os suprimiram. Evitar a administração concomitante com os antidiabéticos orais. aumento do apetite. cápsulas + turbohaler. A interrupção do uso deve ser gradual. CUSICROM FORTE OFÁLMICO Alcon. 10 ml. CROGLINA F Oftalder. • s CETOTIFENO (FUMARATO) Indicações: Profilaxia da asma. 1 991$00 (17$80). 20. Interacções: Trombopenia reversível em associação com os antidiabéticos orais (biguanidas). 20 + + 0. 70%. 40%. 20. rinite e conjuntivite alérgica. CROGLINA Oftalder. Em doses elevadas pode originar impotência. em especial as biguanidas. Posologia: Rinite alérgica: [Adulto] – 10 mg em insuflação nasal em cada narina até 4 vezes/dia ou 2. tonturas e náuseas. 20. 10 ml.25. em 10 a 20% dos doentes. precauções e interacções: É. Lepori. urticária e infiltrados pulmonares podem ser observados nos tratamentos de longa duração. 20. 70%. Via conjuntival: [Adulto] – aplicar gotas de sol. 0%. cápsulas (aerossol). 40%. colírio. colírio. 671$00 (67$10). CUSICROM OFTÁLMICO Alcon. 13 ml. 0%. nebulização. tonturas. colírio. 20.3. não usar nas crises agudas de asma. aplicada 2-3 vezes/dia. 1 413$00 (108$70). Conjuntivite alérgica: [Adulto] – aplicar gotas de sol. 70%. 40%. 30. não são conhecidas interacções. espirros e epistaxis. 2 vezes/dia . ganho de peso. 840$00 (64$60). 937$00 (93$70). mesmo de forma gradual. 5. 112 doses. 20. Contra-indicações. 40%. • s CROMOGLICATO DE SÓDIO + XILOMETAZOLINA (CLORIDRATO) RYNACROM COMPOSTO Fisons Farmacêutica. INTAL 5 Fisons Farmacêutica. 2 vezes/dia. 10 ml. 10 ml. OPTICROM Fisons Farmacêutica. FENOLIP L. 10 ml. 40%. tosse. 40. sob a forma de gotas. foram referidos ardor e picadas. 1 039$00 (103$90). a 2 ou 4% em gotas ou spray nasal até 6 vezes/dia. sabor amargo-metálico. 2 a 4%. CROMEX Dávi Farmacêutica. • s NEDOCROMIL SÓDICO Indicações: Profilaxia da asma. 613$00 (61$30). congestão nasal e irritação da orofaringe por efeito directo do pó. sol. 275 RYNACROM Fisons Farmacêutica. Em uso intranasal pode surgir irritação da mucosa. 40%. 10 ml. precauções e interacções: Iniciar o tratamento uma semana antes de exposição ao alergeno. colírio. aerossol. colírio. álcool. colírio. INTAL Fisons Farmacêutica. 40. náuseas e gosto amargo-metálico. Fármacos usados nas urgências alérgicas Reacções adversas: Broncospasmo. boca seca. edema articular. colírio. 4-6 vezes/dia ou pomada a 4%. rinite e conjuntivite alérgicas. Com o uso ocular. 30. 10 ml. 20. Desaparecem ao fim de 1 a 2 semanas de uso continuado. 547$00 (54$70).10. Posologia: Aerossol doseado: [Adulto] – 4 mg intranasal. colírio. 40%.

20. ZADITEN Norvartis Farma. 2 vezes/ /dia.3. CIPANFENO Cipan. • com os alimentos. 0. 200 ml. cápsulas. 70%. 200 ml. 0. 70%. oral. pode aumentar-se até 2 mg. 980$00 (49$00). CIPANFENO Cipan. 1. 70%. 70%. 1 544$00 (7$70). cápsulas.2. 852$00 (42$60). iniciar com 0. Fármacos usados nas urgências alérgicas QUEFENO Helfarma. 60.2. [Crianças] – 6 meses a 2 anos: 0.276 Capítulo 10 | 10. mais de 2 anos: 1 mg. 70%. 20. sol. 70%. 2 vezes/dia. ZADITEN Norvartis Farma.5-1 mg nos primeiros 5 dias para evitar a sonolência. 1. cápsulas. oral. 2 209$00 (36$80). 1. ZADITEN Norvartis Farma. oral. 2 vezes/dia. . cápsulas. 1. QUEFENO Helfarma. 1 808$00 (30$10). 0. cápsulas. 1.2. 200 ml. 1 407$00 (7$00). 60. 1 337$00 (6$70).5 mg. 1 908$00 (31$80). sol. 60. 70%. 70%. sol. CIPANFENO Cipan.

1.1.4.1. a ingestão suplementar de vitaminas é provavelmente inútil em termos terapêuticos. na xeroftalmia.1. não necessitam de suplementos vitamínicos. irritabilidade. Suplementos de Magnésio 11. nas perturbações da pele como o acne e a psoríase e na retinite pigmentosa. eritema.6. anorexia e perda de peso. Vitamina B1 (Tiamina) 11.11. Vitamina B12 (Cianocobalamina) e Ácido Fólico 11. náuseas e vómitos.1. Vitamina K 11. de uma situação física que requer um aporte suplementar (gravidez e aleitamento. Vitaminas 1 1 11.4. vertigens.1. Complexo B 11.1.1. As deficiências em vitaminas resultam de uma dieta inadequada.2. Fosfatos 11.5. Vitamina A 11.3.2. Indicações: No tratamento e prevenção da deficiência em vitamina A. Vitamina C 11. Vitaminas As vitaminas são substâncias orgânicas de origem natural que intervêm em importantes processos metabólicos. A deficiência em vitamina A (retinol). temperatura corporal baixa. prurido e descamação. D. ao aumento da susceptibilidade às infecções e à alteração da pele e membranas mucosas. Os suplementos de vitamina A são usados em doentes com cirrose biliar primária ou doença colestática crónica.1.2. em medicamentos não sujeitos a prescrição médica obrigatória e.2.2. Vitamina D 11. como tal. A hipervitaminose A pode conduzir a fadiga.1.3.1 Vitamina A É uma vitamina lipossolúvel essencial ao crescimento. desenvolvimento e manutenção do tecido epitelial e mucosas e da visão. Vitamina E 11. A intoxicação aguda ocorre com altas doses e caracteriza-se por sedação. esforço físico excessivo. por acumulação no organismo. por dieta inadequada. Para além destas situações é regra geral que pessoas saudáveis. Vitamina PP 11.5.7.1.1. As deficiências em vitamina A são mais frequentes em crianças do que nos adultos.5.1. passíveis de publicidade.5. através da urina.2. (Os sintomas desaparecem descontinuando a ingestão de vitamina A).1.1.1. vómitos e outras perturbações gastrintestinais.2. Apesar disso.1. Faremos referência às vitaminas que são usadas clinicamente para prevenção ou tratamento de estados de deficiência vitamínica específica.1. está associada a defeitos oculares (xeroftalmia e cegueira).3.1. A toma de doses excessivas de vitaminas do grupo hidrossolúvel (complexo B e vitamina C) pode ser nociva e é desprovida de efeito terapêutico devido à rápida excreção. Flúor 11. E e K) é potencialmente perigosa. Vitamina B6 11.2. Outros Sais Minerais 11. Vitaminas e Sais Minerais Vitaminas e Sais Minerais 11. hepatosplenome- Vitaminas e Sais Minerais . É muito restrita a sua aplicação na terapêutica.2. Suplementos de Cálcio e Hipercalcemia 11. Sais Minerais 11. a toma de doses excessivas de vitaminas do grupo lipossolúvel (vitaminas A. Reacções adversas: As crianças e adultos com doença hepática são mais susceptíveis aos efeitos da vitamina A.2. mas são raras nos países desenvolvidos. com uma dieta equilibrada. Na ausência de qualquer deficiência vitamínica demonstrável. não são sintetizadas no organismo ou são-no em quantidade insuficiente. Cálcio e Magnésio 11. recém nascidos e idosos) ou de uma deficiência patológica ou induzida por fármacos. o seu uso está profundamente implantado na opinião pública que vê à sua disposição uma variedade imensa de associações de vitaminas e sais minerais.2.

por via oral (metade da dose em crianças abaixo de 1 ano de idade). doentes com síndroma de má absorção das gorduras.5 mg). perda de peso. As necessidades diárias em vitamina E estimam-se entre os 3-12 mg/dia. perturbações visuais e dor ao nível dos ossos longos. por via oral (metade da dose em crianças abaixo de 1 ano de idade). hepatite colestática. Contra-indicações: Hipersensibilidade às vitaminas do grupo D. • galia.1. 20. 1 226$00 (61$30). hipocalcemia/ /hipoparatiroidismo 100. J.000 UI cada 3 a 6 meses. Posologia: Carência ligeira 400 UI/dia (10 µg). suores.262 Capítulo 11 | 11. cápsulas. cápsulas. parafina líquida Posologia: Na terapêutica substitutiva 50. Indicações: Prevenção das deficiências em vitamina E. • 11. Interacções medicamentosas: Neomicina. A hipervitaminose pode surgir. 11. 50000 UI. o dihidrotaquisterol. cansaço. Neves. 0. 0. 40%.000-300. 20.25 g. D3). sujeitos a doses elevadas de vitamina D. incluindo as decorrentes do hipoparatiroidismo. sobretudo em crianças. são também manifestações de deficiência em vitamina D. os sintomas mais significativos de deficiência em vitamina E manifestam-se por perturbações miopáticas e neurológicas que respondem à sua administração.25 g. por via parentérica. sede. o colecalciferol (vit.3. na profilaxia vitamínica do recém-nascido. 1 718$00 (57$30). As deficiências em vitamina D são excepcionais no adulto e só se verificam quando não haja suficiente exposição da pele aos raios solares ou na presença de fenómenos de má absorção intestinal ou de doença hepática crónica. Os sintomas de intoxicação são inespecíficos (ver reacções adversas) e de diagnóstico difícil. 40%. Interacções medicamentosas: Anticonvulsivantes (fenobarbital e fenitoína). náuseas e vómitos. alterações da pele e dos tecidos sub-cutâneos.1. zumbidos. lábios secos e gretados. O quadro clínico clássico de carência de vitamina D. poliuria.2. Em crianças. sobretudo em crianças e grávidas. No adulto a deficiência em vitamina E é rara sendo pouco evidente qualquer indicação terapêutica válida. Vitaminas Reacções adversas (estão relacionadas com os sintomas de hipervitaminose): Anorexia. ROCALTROL Roche Farmacêutica. papiledema. ajuste correcto das doses.25 mg a 7. aumento das concentrações de cálcio e fosfatos no sangue e urina. hipercalcemia. no tratamento da xeroftalmia 200. diarreia. má absorção intestinal ou doença hepática crónica 40. Situações de hipocalcemia. manifesta-se pelo raquitismo.000 UI/dia (2. A-VITE Lab. deficiente transporte dos lipideos ou má absorção biliar dos mesmos. Reacções adversas: Doses acima de 1 g/dia . raquitismo 50. Sintomas de toxicidade crónica. cabelo seco. Indicações: Nas situações que se manifestem por carência de vitamina D. alopécia. Vitamina D O conjunto de compostos lipossolúveis incluídos nas vitaminas do grupo D são o ergocalciferol (vit.1. hipercalciuria e calcificação metastática. ROCALTROL Roche Farmacêutica.000 UI/dia (1. Contudo.000 UI/dia (1 mg). vertigens. aumento da sedimentação eritrocitária e aumento das concentrações séricas de cálcio e de fosfatase alcalina. dores nos ossos e articulações. por excesso de ingestão de vitamina D quer na dieta quer na terapêutica. naturais e sintéticos. Vitamina E Nas vitaminas do grupo E entram vários compostos lipossolúveis. prematuros de muito baixo peso ou com alterações patológicas congénitas como a fibrose quística. Estes limites aumentam se a dieta for rica em ácidos gordos não saturados. As doses elevadas de vitamina A são potencialmente teratogénicas. especialmente em doentes a tomar digitálicos ou insuficientes renais. 40%. mulheres em período de amamentação. colestiramina. incluem aumento da pressão intracraneana. os tocoferóis. podem surgir deficiências em vitamina E. cefaleias. anemia. D2). cápsulas. Precauções: Monitorização do cálcio sérico.5 mg). sendo o α-tocoferol o único usado em terapêutica. na prevenção da xeroftalmia 200.000 UI repetidas no dia seguinte e 4 semanas depois. 304$00 (15$20). cefaleias. sobretudo em lactentes e crianças. 30. gravidez. o alfacalcidol e o calcitriol. em crianças.000 UI. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade à vitamina A. hipercalcemia.

11. por obstrução biliar ou doença hepática. numa só toma ou em fracções. Posologia: Como antioxidante: 100-200 mg/dia.5. Actualmente o seu uso está restringido ao meio hospitalar. 40%. Na fibrose quística: [Crianças] – até 1 ano: 50 mg/dia. Na abetalipoproteinemia: [Crianças] e [Adultos] – 50-100 mg/kg/dia. Indicações: No tratamento e prevenção das deficiências em vitamina B1. 360$00 (18$00). TRIFOSFANEURINA L. 847$00 (14$10). particularmente nos alcoólicos e em situações prolongadas de fome ou de vómitos persistentes. 20. 20. 249$00 (24$90). Posologia: Na deficiência crónica ligeira até 30 mg/dia. [Adultos] – 100-200 mg/dia. Contra-indicações e precauções: hipersensibilidade à vitamina E. a cianocobalamina (vitamina B12) e outras substâncias como o ácido fólico. A fitomenadiona é usada para aumentar os valores de protrombina no sangue e inverter o efeito hemorrágico causado por dose excessiva de anticoagulantes cumarínicos. por baixa da protrombina e consequente aumento do tempo de coagulação do sangue. • 263 tiamina (vitamina B1). embora possa predominar a de uma hipovitaminose específica. As deficiências em vitamina K são raras no adulto mas podem surgir por fenómenos de má absorção dos lipideos. risco aumentado de enterocolite necrosante em crianças prematuras com peso inferior a 1. 20. ou em doentes tratados com anticoagulantes cumarínicos. na deficiência grave até 300 mg/dia. 40%. TRIFOSFANEURINA L. predisposição a tromboses. 0%. A acentuada deficiência em vitamina B1 resulta em graves síndromas neuromusculares como a encefalopatia de Wernicke-Korsakoff. o ácido pantoténico e a biotina.5. Vitamina K As vitaminas do grupo K incluem vários derivados naftoquinónicos lipossolúveis. Por via parentérica podem surgir reacções de hipersensibilidade de grau ligeiro a moderado e. 40%. o beribéri «húmido» é caracterizado pelo edema por cardiomiopatia. dor abdominal e outras perturbações gastrintestinais. 10. Reacções adversas: Raramente ocorrem após administração oral.1. sol.1. 20. as carências em vitaminas do complexo B são plurifactoriais e a sintomatologia diversa. Na colestase crónica: [Crianças] – 150-200 mg/kg/dia. em situações raras de doenças metabólicas congénitas. Vitamina B1 (Tiamina) É uma vitamina essencial no metabolismo dos hidratos de carbono.1. A deficiência em vitamina B1 desenvolve-se quando a dieta é inadequada e pode causar síndromas neuromusculares como o beribéri. 11. Após aplicação tópica podem surgir dermatites de contacto. > 1 ano: 100 mg/dia.5 kilos. Lepori. A avitaminose B1 que conduz ao beribéri «seco» caracteriza-se por neuropatia periférica. como a osteocalcina. Por via parentérica é recomendada em situações de coma de etiologia desconhecida. Complexo B As vitaminas do complexo B fazem parte do grupo de vitaminas hidrossolúveis e incluem a . A vitamina K é necessária à biossíntese de factores de coagulação do sangue e à função das proteinas. presente na normal calcificação dos ossos. perturbações psíquicas e bradicárdia (quadro clássico de patologia em países da Ásia). que interferem com o metabolismo desta vitamina.4.1. comprimidos. parestesias. fadiga e cansaço. a riboflavina (vitamina B2). 150. cápsulas. injectável. Lepori. Lepori. comprimidos. a piridoxina (vitamina B6). choque anafiláctico. • 11. 526$00 (26$30). ocasionalmente. TRIFOSFANEURINA L. De um modo geral. Vitaminas podem provocar diarreia. adinamia. Está indicada no tratamento e prevenção de hemorragias associadas à deficiência em vitamina K e na doença hemorrágica do recém nascido.2. Contra-indicações e precauções: História de alergia às preparações contendo tiamina. bem como na intoxicação alcoólica ou na síndroma de privação. paralisias. Interacções medicamentosas: Anticoagulantes.1.11. 60. 17. VE 150 Tecnifar. a nicotinamida. As deficiências em vitamina K manifestam-se por perturbações da hemostase e pela tendência para hemorragias. Interacções medicamentosas: não descritas.

40%. doença hepática. gota. especialmente nas áreas expostas. injectável. 6. • 11. Monitorização dos níveis plasmáticos de ácido úrico. Precauções: História de doença hepática ou de úlcera péptica. Vitamina B12 (Cianocobalamina) e Ácido Fólico A cianocobalamina e o ácido fólico são vitaminas do grupo B fundamentais para a síntese do ácido nucleico e para vários outros processos metabólicos. Reacções adversas: Sem significado.1. piridoxal e piridoxamina são compostos naturais. por deficiência secundária de vitamina PP.6. na cadeia respiratória. como antianémicos. em doses repartidas Nota: não existem no mercado português medicamentos sujeitos a receita médica contendo esta substância activa. 191$00 (31$80). O importante papel que desempenham na terapêutica. Reacções adversas: A administração prolongada de grandes doses (2 g/dia) de piridoxina está associada ao desenvolvimento de graves neuropatias periféricas. A utilização inadequada de piridoxina afecta o sistema nervoso central em certos erros genéticos do metabolismo. A deficiência em vitamina PP desenvolve-se quando a dieta é hipoproteica. como coenzima em reacções de oxidação e redução. 5. A sua presença é também necessária à formação da hemoglobina. 85$00 (17$00). Posologia: Nas situações de dificiência geral até 150 mg/dia. diabetes e doença vesicular.5. A deficiência em piridoxina afecta o sistema nervoso central na criança e. à base de cereais (sobretudo milho) e conduz a um quadro clássico de carência designado por pelagra. A deficiência nestas vitaminas conduz a situações de anemia megaloblástica. Indicações: No tratamento e prevenção da pelagra. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade à piridoxina. em termos de eficácia. úlcera péptica em actividade. Indicações: No tratamento e prevenção das deficiências em vitamina B6. Vitamina C (Ácido Ascórbico) É uma vitamina hidrossolúvel.1. dos hidratos de carbono e dos lípidos. Interacções medicamentosas: Levodopa (excepto na presença de um inibidor da dopa descarboxilase). Este quadro manifesta-se por lesões na pele (hiperpigmentação e hiperqueratinização). Contra-indicações: Hipersensibilidade ao fármaco ou a qualquer componente da preparação que contem a vitamina PP. nos alcoólicos crónicos ou na síndroma de mal absorção.1. Vitamina B6 (Piridoxina) Piridoxina. Na espécie humana a dieta alimentar é a fonte .264 Capítulo 11 | 11.2. durante a terapêutica com isoniazida. 50. remete as suas monografias para o Capítulo 4. 11. no adulto. A piridoxina é uma vitamina hidrossolúvel interveniente no metabolismo dos aminoácidos. Interacções medicamentosas: Carbamazepina.2.3. em doses repartidas. sol.6. As situações de hipovitaminose podem ser de causa iatrogénica como. nas síndromas piridoxina dependentes. 100. Azevedos. sob a forma de dinucleotídeos (NAD e NADP). injectável. questionado. na anemia sideroblástica idiopática até 400 mg/dia. VITAMINA PP AZEVEDOS Lab. nas doses abaixo indicadas. sol. Sais minerais A deficiência de vitamina B12 causa degenerescência combinada sub-aguda da medula e neuropatias. na anemia sideroblástica e como suplemento durante a gravidez e aleitamento. pobre em triptofano. Vitamina PP A nicotinamida ou vitamina PP intervem. 11. Situações clínicas semelhantes à pelagra podem desencadear-se.5 e 2 mg e tendem a aumentar quando a ingestão proteica aumenta. na glicólise e na síntese lipídica. designados por vitamina B6. 0%. Posologia: Como suplemento alimentar 10-20 mg/dia. essencial à síntese do colagénio e de material intercelular. por exemplo.5. conduz ao desenvolvimento de neurites periféricas. por diarreia e estado demencial. pelo que são raras as deficiências nesta vitamina. que se encontram presentes na dieta normal. Para o Homem adulto os requisitos diários de piridoxina situam-se entre 1. na pelagra 300-500 mg/dia. em doses repartidas. Barral. 11. MICRIL PP Estab.1. O uso da piridoxina no tratamento da depressão e de outros sintomas associados com a síndroma pré-menstrual e o uso de contraceptivos orais tem sido.

gravidez. 20. A administração parentérica pode causar desde irritação a necrose no local da injecção. Traduzem-se em fragilidade capilar. O cloreto de cálcio é considerado como o mais irritante dos sais de cálcio não sendo. obstipação. Posologia: Em situações de carência ligeira: [Crianças] – 30-60 mg/dia. pré-existência de cálculos renais e doentes com deficiência em desidrogenase do 6-fosfato de glicose. fracturas espontâneas e perda de dentes. alcoólicos. ácido acetilsalicílico em doses elevadas. são administrados por via parentérica (por via subcutânea. Se estas medidas se mostrarem ineficazes. fezes ou urina. Os diuréticos da família das tiazidas estão contra-indicados por causarem hipercalcemia. 40%. A administração por via oral pode causar perturbações gastrintestinais. em doses repartidas cada 4 horas. . As deficiências em vitamina C são raras no adulto. Em situações mais graves deve recorrer-se a uma «expansão» do fluido extracelular com administração endovenosa de cloreto de sódio a 0. Indicações: Na deficiências em vitamina C e como acidificante do tracto urinário. em situações mais graves. • 265 11. cálculos renais. É mais frequente com a administração parentérica mas não é de excluir a possibilidade de ocorrer por administração oral.9% combinada com diuréticos da ansa para se aumentar a excreção renal de cálcio. Na acidificação da urina: 3-12 g/dia. estrogéneos.1. 500. cáps. petéquias. três vezes ao dia durante 1 semana e 100 mg/dia até à eliminação dos sintomas. polidipsia. em situações mais graves podem surgir arritmias cardíacas e coma. Suplementos de cálcio e hipercalcemia Os suplementos de cálcio são usados em situações de hipocalcemia e na prevenção e trata- mento de patologias resultantes de uma carência em cálcio.11.2. Contra-indicações e precauções: Hipersensibilidade ao ácido ascórbico. poliúria. intramuscular ou intravenosa). fumadores e idosos. praticados no plasma. anemia sideroblástica. A hipercalcemia manifesta-se por anorexia. esofagite. normalmente utilizado por via oral. hemocromatose. que envolvam reacções de oxidação-redução. Sais minerais de ácido ascórbico. Como medida de recurso pode recorrer-se a hemodiálise. hiperoxalúria e insuficiência renal.2. por isso. deferroxamina. Sais Minerais 11. [Adultos] – 100-500 mg/dia. Reacções adversas: Em doses elevadas pode surgir diarreia. Nota: a presença de ácido ascórbico interfere com testes laboratoriais. obstrução gastrintestinal. A hidratação do doente deve ser assegurada de imediato por via oral ou por via intravenosa. O único quadro clínico bem definido de carência de vitamina C é o escorbuto. acção prolongada. VITAMINA C-R Alter.1.2. Cálcio e magnésio 11. pode ainda ocorrer calcificação de tecidos moles. dada a incapacidade de ele ser sintetisado pelo organismo. talassémia. hemorragias dos pequenos vasos. Após a estabilização deve identificar-se a causa da hipercalcemia e avaliar as possibilidades de a tornear ou minorar. nomeadamente irritação e obstipação. perturbações mentais. A hipercalcemia pode surgir por uma administração exagerada de sais de cálcio. A probabilidade de ocorrer está aumentada em indivíduos com insuficiência renal ou que tomem vitamina D. Os sais de cálcio são normalmente administrados por via oral mas. náuseas e vómitos. fraqueza muscular. A administração de suplementos de cálcio justifica-se. lactação). dor abdominal. 742$00 (37$00). aminoglicosideos e varfarina. Interacções medicamentosas: Antiácidos com alumínio. em situações em que há um aumento nas necessidades de cálcio (infância. Uma hipercalcemia grave pode ter várias causas mas é sempre uma situação de emergência médica. hemólise. pode recorrer-se à administração de bifosfonatos (que inibem a mobilização de cálcio do tecido ósseo). quando há deficiências na absorção de cálcio (idosos) ou como medida parcial de terapêutica na osteoporose.1. mantendo sempre sob vigilância o estado de hidratação do doente. em geral.2. mas podem surgir em crianças. de corticosteróides (especialmente se a hipercalcemia se deve a sarcoidose ou a a intoxicação por vitamina D). nefrocalcinose. Não está demonstrado que a ingestão de doses diárias de ácido ascórbico conduza à prevenção dos resfriados ou à redução da sua duração. Na terapêutica do escorbuto: 100 mg. gengivites.

500. por via oral. Zimaia. Contra-indicações: Insuficiência renal. 1 723$00 (28$70). comprimidos. Carências graves: administrar. razão que justifica o uso de sais de magnésio para acção local como laxantes. Suplementos de magnésio Os suplementos de magnésio são usados em situações de hipomagnesemia e na prevenção e tratamento de patologias resultantes de uma . Posologia: Carência ligeira: administrar. por via intravenosa ou intramuscular. CALCIUM WYETH Wyeth Lederle. 40%. A hipomagnesemia pode resultar de uma dieta pobre em magnésio ou ser o resultado de perturbações na sua absorção intestinal. 40%. 748$00 (37$40). no tratamento da eclampsia ou preeclampsia. 1 040$00 (86$70). a dose recomendada é de 50 mmol/dia. de quadros de alcoolismo ou resulta do uso de alguns fármacos (diuréticos da família das tiazidas e aminoglicosídeos). 12. Em carências agudas e sintomáticas. 100 UI + 500. sarcoidose. com tiazidas (inibição da excreção renal de cálcio com risco de hipercalcemia). parestesias. Em doentes que não tolerem os sais de magnésio ou com limitações na absorção. 35 a 75 mmol por infusão intravenosa lenta em glicose a 5%. hipervitaminose D. seguindo-se 25 mmol/dia nos dias seguintes. O magnésio é excretado pelos rins podendo também ocorrer uma considerável eliminação através das secreções gastrintestinais. 20. tetraciclinas (redução da absorção destes fármacos). Parece ser acompanhada de náuseas. Os sais de magnésio não são bem absorvidos por via oral. tremores e cãibras) e cardíacas (taquicardia e arritmias). Posologia: Carência ligeira: administrar. Sais minerais carencia em magnésio. deve recorrer-se à administração parentérica. • 11. É proposta também a sua utilização em situações de anestesia (para prevenir alterações hemodinâmicas associadas com a intubação). fluorquinolonas. 600. s SAIS DE MAGNÉSIO Indicações: Carência de magnésio (ver introdução deste subgrupo). 0%. em caso de diarreia crónica. Nestas situações. pode ser necessário o recurso imediato à administração intravenosa. Reacções adversas: Ver na introdução deste subgrupo. cápsulas. 600. Os sais de magnésio podem ser administrados por via oral para o tratamento de carência de magnésio crónica ou assintomática. 0%. uma quantidade de sal de magnésio correspondente a 50 mmol/dia. Interacções: Com os digitálicos (potenciação do efeito dos digitálicos com risco de intoxicação).25 a 4. Os sais de magnésio têm ainda outras possíveis indicações. comprimidos. 1 a 2 g (correspondente a 2. u GLUCONATO DE CÁLCIO CALCIO VITAMINA C ZIMAIA Lab. Reacções adversas e contra-indicações: Ver na introdução deste subgrupo. vómitos. associação.5 mmol de cálcio) repetindo-a se necessário.2. hiponatrémia e hipocalemia) pelo que é difícil descrever como se manifesta. com fluoreto. 159$00 (8$00). A hipomagnesemia geralmente ocorre associada a outras alterações electrolíticas (hipocalcemia. 1 004$00 (10$00).266 Capítulo 11 | 11. por via intravenosa lenta. ver Capítulo 8). osteoporose (como complemento de outras terapêuticas. 100. u CARBONATO DE CÁLCIO CARBONATO CALCIO SALUSIF Salusif. u FOSFATO DE CÁLCIO DAGRAVIT D CALCIUM Asta Médica. injectável. no tratamento ou prevenção de arritmias. uma quantidade de sal de cálcio correspondente a 50 mmol/dia. em doses divididas. na prevenção do parto prematuro e em doenças obstrutivas respiratórias.1. comprimidos. com monitorização da magnesemia. fraqueza muscular e disfunções neuromusculares (por exemplo. a dose recomendada é. CALCIUM WYETH Wyeth Lederle. 20.2. 40%. Em situações menos complexas. s SAIS DE CÁLCIO Indicações: Carência de cálcio. Pode também ser devida a uma perda exagerada pela urina ou pelas fezes.2. por via oral. evitar a extravasão durante a administração intravenosa. sol. 60. no primeiro dia.

2. 60. nomeadamente em casos de raquitismo. Os sais de alumínio são os recomendados em caso de insuficiência renal ou em caso de hipercalcemia ou hipercalciuria. . O fluoreto de sódio tem também sido usado para aumentar a densidade óssea em caso de osteoporose. 1 297$00 (7$20). também. comprimidos. 1 024$00 (17$10). em doses máximas na ordem das 9 mmol de 12 em 12 horas. amp. MAGNESIOCARD Tecnimede. Vitória. Este efeito sobre a motilidade intestinal constitui a base para a utilização de fosfatos como laxantes.3 ppm. são usados em situações de hipofosfatémia e em situações resultantes de uma carência em fosfatos. Fosfatos Os suplementos de fosfatos por via oral. Os fosfatos podem ser também usados por via intravenosa. Na administração de suplementos de flúor sob a forma de comprimidos ou solução. 40%. 20. granulado. 20.2 ppm de acordo com o consumo previsível (em períodos ou em regiões em que se prevê maior ingestão de água poder-se-á usar concentrações menores). u ASPARTATO DE MAGNÉSIO + ASPARTATO DE POTÁSSIO 11. 1 132$00 (56$60). 0%.55 mg de fluoreto de sódio por dia em crianças com idade compreendida entre os 6 meses e os 2 anos. 6. bebíveis. de alcoolismo. O flúor é habitualmente administrado sob a forma de fluoreto de sódio. comprimidos. elixires ou de vernizes são alternativas que só podem ser utilizadas após a erupção dos dentes e tendo sempre presentes os riscos que podem resultar de uma ingestão acidental. bebíveis. Na fluoretação do «sal de cozinha» a concentração recomendada é de 200 mg de fluoreto por Kg. São recomendadas doses até 100 mmol/ /dia.2 mg por dia. Para teores de flúor compreendidos entre o 0. as doses de suplemento que são recomendadas são metade das referidas para teores de 0. 1500. de acidose diabética ou de administração prolongada de compostos contendo alumínio. 1 mg por dia em crianças com idade entre os 2 e os 4 anos. a utilização de fosfatos em altas doses pode levar à formação de depósitos ectópicos de fosfato de cálcio. para a prevenção das cáries dentais.3. 122. promover a remineralização e/ou inibir a formação de ácidos de origem microbiana que são agressivos para o esmalte. 40%. destes produtos.2. Bial. 1 104$00 (184$00). 738.2.3 ppm. sendo controversa a sua utilidade clínica. É utilizado como complemento da higiene oral. 40%. O principal efeito adverso dos fosfatos é o aparecimento de diarreia. Na fluoretação das águas a concentração recomendada é entre 0. 180. sol. 40%. Medinfar. u LACTATO DE MAGNÉSIO MAGNESPASMIL Euro-Labor. 20.6 e 1. 1 193$00 (59$60). Devido à incompatibilidade entre fosfatos e cálcio. u CLORETO DE MAGNÉSIO + FLUORETO DE MAGNÉSIO MAGNORAL Lab. Sais minerais 267 u ASPARTATO DE MAGNÉSIO MAGNESIOCARD Tecnimede. Em caso de hiperfosfatémia pode recorrer-se à administração de anti-ácidos com sais de alumínio ou de cálcio. Flúor MIOSTENIL Lab.2. em crianças com mais de 4 anos. é necessário ponderar as contribuições das outras fontes de flúor. injectável. A administração de flúor sob a forma de dentífricos. Parece aumentar a resistência do esmalte aos ácidos e. por deglutição. amp. 500. Quando o teor em fluoretos for inferior a 0. • 11.7 ppm. u PIDOLATO DE MAGNÉSIO MAGNESONA Lab. é recomendável a administração de 0. 250 + 250.3 ppm e os 0.2. O fluoreto de sódio pode ser administrado através da fluoretação das águas de consumo ou do «sal de cozinha». 0%. Em geral não devem ser administrados quando o teor em fluoretos na água de consumo for superior a 0. 1 142$00 (57$10).11. ou através de suplementos administrados por via oral.7 ppm. 102 + 84.

o cobre. As formulações contendo ferro são apresentadas dentro do âmbito dos anti-anémicos (V. o ferro. 40%. 0%. 250. comp. 0%. comp. comp. 40. revestidos. comprimidos. Outros sais minerais Além dos sais minerais referidos nos pontos anteriores. Fórmula avançada Home Products. Capítulo 4). presentes em pequenas quantidades nos tecidos e que são necessárias em diversos processos metabólicos. associação. 30. Health.4. s FLUORETO DE SÓDIO MEDUSIT Euro-Labor. 1 073$00 (17$90). existe um conjunto de outras substâncias inorgânicas. 526$00 (2$10). Os outros micronutrientes encontram-se geralmente em associações contendo. 2 141$00 (71$40). PRENATAL Wyeth Lederle. 30. ZYMAFLUOR Novartis C. 0.2. vitaminas.2. comprimidos. 60. o manganésio e o selénio. PRENATAL Wyeth Lederle. 1 420$00 (47$30). revestidos. associação. 60. O ferro participa no transporte e acumulação muscular de oxigénio.25. Health. ZYMAFLUOR Novartis C.268 Capítulo 11 | 11. 2 560$00 (42$70). Sais minerais Embora estejam descritos síndromas resultantes da carência de alguns desses micronutrientes. 40%. só em casos de carências dietéticas graves ou de solicitações metabólicas muito aumentadas (como por exemplo na gravidez) é que se justifica o recurso a suplementos desses micronutrientes. comprimidos. Estas substâncias são por vezes designadas por micronutrientes e incluem. 40%. 250. entre outros. o cobalto. o iodo é necessário para a síntese das hormonas da tiróide e outros microelementos participam como cofactores enzimáticos. também.• . 330$00 (1$30). associação. 1. revestidos. • 11. s SAIS MINERAIS + VITAMINAS CENTRUM. o iodo. 0%.

Emolientes e protectores (redutores) 12. Convirá porém lembrar-se que potencialmente todas as substâncias aplicadas na pele ou mucosas podem provocar reacções alérgicas. já que a escolha adequada dessa forma determinará um maior benefício terapêutico. pasta.2.4. Antibacterianos Ainda que esteja disponível um grande grupo de antibacterianos apresentados sob a forma de 12. O veículo pode conferir ao fármaco a forma de pó.2. Afecções Cutâneas 12 Medicamentos utilizados no tratamento das afecções cutâneas 12. emulsão. Psoríase 12. Antivíricos 12. registando-se numerosos casos de sensibilidade cruzada entre substâncias quimicamente aparentadas.2.1. Antiparasitários 12. ao possuir um efeito moderadamente anti-inflamatório.2.5. Uma vez que a etiopatogenia de numerosas doenças cutâneas não está ainda bem delimitada.1.5. Medicamentos queratolíticos e antipsoriásicos 12. Anti-inflamatórios esteróides de utilização tópica 12.4.1. Outros medicamentos utilizados na pele 12.1. ficando o clínico remetido para a prescrição de um tratamento estritamente sintomático. Antibacterianos 12.1.1. Medicamentos usados no tratamento do acne 12. sulfamidas.7. registando-se. creme.2. Dermatite seborreica 12.3.3. um mínimo de efeitos sistémicos.2.5. Anestésicos locais e antiprurugunosos 12.1.1.A pele revela-se particularmente adequada para a aplicação tópica de fármacos uma vez que se estabelece um contacto íntimo entre estes e o tecido-alvo a tratar.2. neomicina. pomada.).3.2. ao modificar o grau de hidratação da pele. o tratamento causal é muitas das vezes impossível. solução.7. por via de regra. O clínico deverá estar devidamente familiarizado com as diversas formas que o mesmo princípio activo pode assumir.2. Preparações-barreira 12. Pós 12.1. óleo.5.1.4. suspensão. Anti-infecciosos de aplicação tópica na pele 12.1.4. é cada vez mais reconhecido que o veículo isolado pode possuir mais que um mero efeito placebo.1.6.2. mas também aos excipientes. anestésicos locais. Importa ainda referir-se que estas reacções não são exclusivamente devidas aos princípios activos (antihistamínicos. verrugas e condilomas Afecções Cutâneas .1. Rosácea 12. As associações de vários princípios activos não são por via de regra recomendadas.1. Antissépticos e desinfectantes 12.1.7.1. Veículos Tanto o veículo como a substância activa são importantes no tratamento das lesões dermatológicas. etc. Preparações para os calos. De facto. Preparações de acção enzimática e produtos aparentados 12.1. Daí que preparações com o mesmo princípio activo possam ser diferentemente toleradas.3. agentes conservantes ou substâncias aromáticas. Derivados imidazólicos 12. por força dos veículos utilizados na preparação do fármaco.1.4. Eczema 12. Adjuvantes da cicatrização 12. ou ao facilitar a penetração da substância activa. Antifúngicos 12.3. Outros antifúngicos 12.1. Emolientes 12. cola ou verniz. Acne 12. tornando-se até frequentemente supérfluas. Anti-infecciosos de aplicação tópica na pele 12.7.

20. caso estejam indicados. Capítulo 1).5 g. Capítulo 1). . mas é ineficaz na infecção por Pseudomonas. Infelizmente. 458$00 (30$50). Em muitas das infecções cutâneas. 295$00 (29$50). Posologia: Aplicar 3 a 4 vezes por dia. 40%. 1. é adequado que nos limitemos à prescrição dos fármacos que não têm utilização sistémica. (V. creme. 15 g. o tratamento da colonização bacteriana é geralmente inapropriado. 365$00 (12$20). O impétigo pode ser tratado com aplicações locais de ácido fusídico. não deve ser utilizada por mais que dez dias e o seu uso em ambiente hospitalar deve ser evitado. o tratamento antibiótico sistémico é o tratamento de escolha. Em geral. alguns destes (a neomicina. A mupirocina não está relacionada com qualquer outro antibiótico. FUCIDINE Leo Pharmaceuticals. 40%. tornando-se geralmente desnecessários se forem tomadas medidas higiénicas adequadas. a ototoxicidade é outro risco associado ao uso dos aminoglicosídeos (e também da polimixina). sendo frequente até o recurso ao internamento por risco de sépsis (V. 40%. ainda que na realidade da prática clínica portuguesa esteja generalizado o tratamento sistémico. 1. Anti-infecciosos de aplicação tópica na pele dessas resistências. Se vastas áreas da pele estão a ser tratadas. Acresce que nem todas as situações dermatológicas que se apresentem húmidas. evitar o contacto com os olhos. • s GENTAMICINA (SULFATO) Indicações: Infecções dérmicas. 15 g. nos velhos e nos insuficientes renais. preferencialmente com flucloxacilina ou eritromicina por via oral. A fim de se prevenir o desenvolvimento s ÁCIDO FUSÍDICO Indicações: Infecções dérmicas por estafilococo. por exemplo). Antissépticos como a iodopovidona usam-se para remover as crostas e para reduzir a produção de exsudado. 30 g. 15 g.270 Capítulo 12 | 12. pomada. a verdade é que os resultados da sua utilização são frequentemente aleatórios. encrostadas ou pustulosas estão efectivamente infectadas. e nomeadamente se se fizer recurso aos antissépticos. • Associações u BACITRACINA(ZN) + NEOMICINA (SULFATO) BACIDERMA Produfarma. FUCIDINE Leo Pharmaceuticals. 690$00 (46$00). não sendo possível uma penetração adequada das preparações tópicas. GENTOCIL Oftalder. Carece actualmente de qualquer fundamento a utilização de sulfamidas tópicas. GARALONE Schering-Plough. 20. Ainda assim. porém. entre si ou com corticosteróides. 644$00 (42$90). sendo particularmente efectiva nas lesões dérmicas devidas a agentes Gram positivos. não há indicação válida para este tipo de associação. devem ser utilizados separadamente. Reacções adversas: Hipersensibilidade local e ototoxicidade se aplicada repetidamente em áreas alargadas. Apesar de se terem vindo a declarar estirpes de Staphylococcus aureus com baixo nível de resistência à mupirocina. 2 5000 UI + 0. tais como a erisipela e as celulites. Não sendo este o caso. pomada. ela continua particularmente útil quando haja resistência às infecções. Os antibióticos tópicos não devem ser utilizados nas úlceras de perna a não ser quando sejamos confrontados com infecções bem definidas e a sua utilização seja limitada a um tempo escasso. podem causar sensibilização e possuem sensibilidade cruzada com outros aminoglicosídeos tais como a gentamicina. rara. já que a infecção é mais profunda. com excepção para a sulfadiazina-prata que se revela particularmente adequada no tratamento de queimaduras infectadas. Contra-indicações: Hipersensibilidade. 40%. Posologia: Aplicar 3 a 4 vezes por dia.1. o que permite flexibilidade posológica. e a fim de se minimizar o desenvolvimento de organismos resistentes. pomada. Reacções adversas: Hipersensibilidade local. Não se recomenda o uso de associações de antibacterianos. 0%. preparação tópica. 10 g. nos casos em que seja justificada a sua utilização. particularmente nas crianças. Os antibióticos utilizados no tratamento do acne serão objecto de abordagem no capítulo próprio. creme. Contra-indicações: Hipersensibilidade.

É comercializada sob a forma de verniz para utilização nas onicomicoses. O clotrimazol. 10 + 2. pomada. • u BETAMETASONA + GENTAMICINA + TOLNAFTATO QUADRIDERME Schering-Plough. 523$00 (17$40). 30 g. EPIONE Schering-Plough. 3500 g + 10 + + 10. .25. 40%. 3. existe também sob a forma de creme. 40%. 40%. 40%.2. 30 g. A terbinafina. u OXITETRACICLINA + HIDROCORTISONA CORTICIL T Oftalder. solução cutânea. pomada. A maioria das infecções.5 + 1. Anti-infecciosos de aplicação tópica na pele 271 u BACITRACINA + NEOMICINA DERMOBIÓTICO Davi Farmacêutica. 40%. 771$00 (25$70). 40%. com vista à subsequente confirmação diagnóstica. creme. 30 g. Outros Antifúngicos). pomada. 678$00 (22$60). 1 + 3. 40%. 1 289$00 (43$00). Antifúngicos Idealmente. 771$00 (25$70). salvo se o clínico é confrontado com infecção microbiana associada.1. 500 UI + 3500 UI.12. disponível por via sistémica (V. este tipo de situações aconselha a que seja realizada colheita de escamas da pele lesada para exame directo e cultura. 1 289$00 (43$00). 10 g. 523$00 (17$40). incluída a tinea pedis.5 + 1. 826$00 (16$50). u NEOMICINA + HIDROCORTISONA + NATAMICINA PIMAFUCORT Yamanouchi Farma. 30 g. 30 g. 3500 g + 10 + 10. 0. 12. o econazol e o miconazol são efectivos sendo os fármacos mais frequentemente utilizados. 15 g. ungueais ou refractárias à terapêutica tópica devem ser sujeitas a tratamento sistémico. EPIONE Schering-Plough. 0. antes que seja instituída qualquer terapêutica. 30 g. 595$00 (19$80). 40%.1. PIMAFUCORT Yamanouchi Farma. 1. 670$00 (22$30). 30 g. podem ser adequadamente tratadas com preparações tópicas de derivados do imidazol. creme. 40%. pomada oftálmica. BETNOVATE N GlaxoWellcome. 40%. creme. 10 g. 40%.22 + 1. 40%. EPIONE Schering-Plough. 5 + 1. A amorolfine (cloridrato) é um antifúngico de introdução mais recente. 401$00 (40$10). 668$00 (66$80). 369$00 (12$30). 40%.5. pomada. 30 g. 50 ml. 1. 1. DIPROGENTA Schering-Plough.22 + 1. u NEOMICINA + FLUOCINOLONA SYNALAR N Janssen-Cilag. 40%. 0. As dermatomicoses extensas. QUADRIDERME Schering-Plough. creme. pomada. PIMAFUCORT Yamanouchi Farma.3 + 0. 5 + 1. 30 g. pomada. creme. 40%. 30 g. 30 g. A pitiríase versicolor pode ser tratada com aplicação tópica de selénio ou de derivados do imida- u NEOMICINA + BETAMETASONA BETNOVATE N GlaxoWellcome. pomada. As associações de imidazóis e corticosteróides de baixa potência podem ser utilizadas no tratamento do intertrigo eczematoso. 678$00 (22$60). 40%. 500 µg + 1 + 10. As associações de antifúngicos com antibióticos não se justificam. 30 g. u TETRACICLINA + PREDNISONA CICLOBIÓTICO C/ PREDNISONA Atral. u GENTAMICINA + BETAMETASONA DIPROGENTA Schering-Plough. caso se suspeite de sobre-infecção fúngica e nos primeiros dias de tratamento de uma lesão fúngica severamente inflamada. que difere quimicamente dos outros antifúngicos. 595$00 (19$80).5 + 0. pomada. 500 µg + 1 + 10. creme. 123$00 (8$20). 3500 g + + 10 + 10.

827$00 (27$60). Contra-indicações: Hipersensibilidade e disfunção hepática. Posologia: Aplicar uma vez por dia. Não existe de momento qualquer preparação tópica disponível no mercado português. 100 ml.1. Derivados do Imidazol s BIFONAZOL Indicações: Dermatomicoses e onicomicoses. MYCOSPOR Bayer Portugal.1. devido às suas propriedades oclusivas. nomeadamente se extensas. Contra-indicações: Hipersensibilidade. nem na pitiríase versicolor. 10. Reacções adversas: Rubor local passageiro e irritação no rebordo ou leito ungueal. creme. Posologia: Aplicar 2 a 3 vezes por dia. creme. 20. creme. 0%. 40%. 10. Há quem utilize antifúngicos de largo espectro. 10. TEDOL Oftalder. Posologia: Aplicar 2 a 3 vezes por dia. 15 g. Pode utilizar-se igualmente a terbinafina tópica.1. 873$00 (29$10). Reacções adversas: Irritação dérmica ocasional ou sensibilidade. creme. nomeadamente clotrimazol. 40%. A recidiva é comum. 20. Em lesões mais extensas é adequado o recurso ao tratamento sistémico com o cetoconazol. 0%. 15 ml. 40%. Recorda-se que a nistatina não é efectiva nem sobre os dermatófitos. 15 g. Convirá porém lembrar os riscos de hepatotoxicidade amplamente demonstrados pelo cetoconazol. ainda que por vezes possa ter que se recorrer à terapêutica sistémica a fim de se eliminar a fonte de infecção de sede gastrintestinal. 720$00 (14$40). Os unguentos são preferíveis em superfícies húmidas. 120 ml. continuando mais 14 dias após cura clínica das lesões. 1 062$00 (70$80). itraconazol ou fluconazol. Contra-indicações: Hipersensibilidade. 50 g. 0%. FRISOLAC B. Os pós antifúngicos não têm lugar no tratamento das dermatomicoses porque são desprovidos de efeito terapêutico efectivo e podem causar irritação da pele.272 Capítulo 12 | 12. 2 044$00 (20$40). solução alcoólica. • s CLOTRIMAZOL Indicações: Dermatomicoses.A. MYCOSPOR Bayer Portugal. continuando mais 14 dias após cura clínica das lesões. Farma. creme. s CETOCONAZOL Indicações: Dermatomicoses. Contra-indicações: Hipersensibilidade. 1 085$00 (36$20). 1 092$00 (72$80).2. 50 ml. creme. 799$00 (53$30). 1 717$00 (14$30). 40%. 10. solução aquosa. Bial. TEDOL Oftalder. TOPICAL Tecnimede. 30g. 20. 1 978$00 (39$60). 40%. • 12. NIZORAL Janssen-Cilag. 40%. Posologia: Aplicar 2 a 3 vezes por dia. 10. s ECONAZOL (NITRATO) Indicações: Dermatomicoses. TEDOL Oftalder. e ao miconazol. resistentes ou perante situações de intolerância às preparações tópicas. 40%. 20. As loções de antifúngicos são as preparações habitualmente utilizadas em lesões em áreas pilosas. champô. CLOTRIMAZOL CR Lab. 30 g. As soluções ungueais podem ser efectivas nas distrofias fúngicas ungueais recentes e devem ser prescritas quando não mais que duas unhas estejam afectadas ou quando a terapêutica sistémica seja contra-indicada. As preparações orais de alguns antifúngicos estão disponíveis devendo porém ser reservadas ao tratamento de determinadas dermatomicoses. 30 g. 20. solução capilar. nomeadamente o cetoconazol. conti- . especialmente em indivíduos imunodeprimidos. Reacções adversas: Irritação dérmica ocasional ou sensibilidade. Anti-infecciosos de aplicação tópica na pele TOPICAL Tecnimede. Reacções adversas: Irritação cutânea ocasional ou sensibilidade. • zol. podendo recorrer-se também ao clotrimazol. As candidíases cutâneas são electivamente tratadas com preparações tópicas de nistatina. econazol e miconazol.

aplicar durante duas semanas na candidíase cutânea e na pityriasis versicolor. seis a nove meses. 15 ml. evitar o contacto com os olhos. 12 ml. pó. 6 939$00 (2313$00). Azevedos. champô. s TIOCONAZOL Indicações: Dermatomicoses. 30 ml. Azevedos. 10. 10. TROSYD Lab. 30 ml. pó (em frasco).2.1. 101$00 (3$40). 5 934$00 (494$50). • s SERTOCONAZOL (NITRATO) Indicações: Dermatomicoses. 50. Reacções adversas: Desconhecidas. Contra-indicações: Hipersensibilidade ao sertoconazol. continuando-se mais 3-5 dias após a remissão das lesões. 10. aplicar nas unhas e área circundante por seis a doze meses. 801$00 (26$70). creme. 20. creme. LOCETAR Lab. • s OMOCONAZOL (NITRATO) Indicações: Dermatomicoses. deixar secar aproximadamente durante três minutos. Outros Antifúngicos s AMOROLFINE (CLORIDRATO) Indicações: Micoses cutâneas e onicomicoses. aplicar nas unhas infectadas uma a duas vezes por semana. Pfizer. Reacções adversas: Desconhecidas. 30 g. reacções alérgicas raras que cedem descontinuando o tratamento. 10. Reacções adversas: Irritação local. 40%. Galderma. Posologia: Uma a duas vezes por dia durante sete dias na tinea pedis e de uma a duas semanas na tinea corporis e na tinea cruris. creme. TROSYD Lab. Contra-indicações: Hipersensibilidade e disfunção hepática. 818$00 (27$30). Nas unhas da mão aplicar durante seis meses e nas dos pés. descontinuar a terapêutica se surgir reacção de sensibilidade. Pfizer. 40%. 3 ml. 40%. hipersensibilidade à terbinafina. 10. 40%. Anti-infecciosos de aplicação tópica na pele nuando mais 14 dias após cura clínica das lesões. 1 264$00 (84$30). 30 ml. 30 g. 40%. 40%. 40%. solução aquosa. 977$00 (32$60). PEVARYL Janssen-Cilag.2. 10. champô. creme. 30 g. spray. 861$00 (287$00). 15 g. PEVARYL Janssen-Cilag. 10. 1 665$00 (55$50).12. DERMOFIXE Lab. spray. 280. • 12. 1 575$00 (22$50). TROSYD Lab. 40%. Pfizer. • s TERBINAFINA Indicações: Dermatomicoses. solução alcoólica. Galderma. revendo-se ao fim deste período. 10. Pfizer. nas infecções ungueais. 10. eritema e prurido. TROSYD Lab. Contra-indicações: Gravidez e aleitamento. 10. ouvidos e mucosas. 30 g. Contra-indicações: Gravidez e amamentação.1. não recomendável para crianças. loção. Reacções adversas: Sensação transitória de queimadura. 40%. 40%. AFONGAN Lab. Galderma. 30 g. 40%. 1 883$00 (62$80). PEVARYL Janssen-Cilag. Contra-indicações: Hipersensibilidade. AFONGAN Lab. 70 ml. 3 saquetas. verniz. PEVARYL Janssen-Cilag. 40%. evitar o contacto com os olhos. 1 598$00 (53$30). DERMOFIXE Lab. 0%. 20. PEVARYL Janssen-Cilag. 581$00 (38$70). . Posologia: Aplicar uma vez por dia por pelo menos 2-3 semanas (mais de 6 semanas para a micose dos pés). 1 505$00 (50$20). • 273 Posologia: Nas infecções ungueais. 40%. habitualmente na primeira semana de tratamento. Reacções adversas: Rubor e irritação cutânea.

50. 10 g. Contra-indicações: Gravidez (toxicidade em experiências com animais). ZOVIRAX Lab. loção.1. VIRUNGUENT FORTE Boots Healthcare. 10. devendo o tratamento ser iniciado muito precocemente. 40%. 2 g. s ACICLOVIR Indicações: Infecções herpéticas labiais e genitais em estadio prodrómico. 40%. 2 072$00 (207$20). Reacções adversas: Sensação de queimadura e picadas transitórios. 907$00 (30$20). 10. 40%. 40%. pomada. 30 g. 3 259$00 (325$90). 10. 5 ml. • Associações u BIFONAZOL + UREIA MYCOSPOR Bayer Portugal. ACICLOSINA Cipan. creme. 40%. TOLMICEN Pharmacia & UpJohn. pomada. 1 289$00 (43$00). creme. 1 938$00 (193$80). • s IDOXURIDINA Indicações: Sem eficácia comprovada no tratamento das infecções herpéticas. 50. Posologia: Aplicar de 4 em 4 horas (5 vezes por dia). 5 ml. Antivíricos Nas infecções iniciais e recorrentes de herpes simplex. ZOVIRAX Lab. creme. Contra-indicações: Desconhecidas. 150 ml. Wellcome. 10 + 400. 50. 40$ u BETAMETASONA + GENTAMICINA + TOLNAFTATO QUADRIDERME Schering-Plough. creme. ACICLOSINA Cipan. Reacções adversas: Evitar o contacto com os olhos. VIREXEN Ferraz Lynce. pó. 2 g. durante cinco dias. labiais ou genitais. Anti-infecciosos de aplicação tópica na pele A solução de idoxuridine (5% dimetil sulfóxido) não tem eficácia comprovada como terapêutica antiviral. creme. 10 g. 15 g. Posologia: 2 a 3 aplicações diárias. TOLMICEN Pharmacia & UpJohn. HERMIX-SOFEX Sofex. TOLMICEN Pharmacia & UpJohn. 50. 50. 40%. solução aquosa. 2 795$00 (18$60). 3 117$00 (207$80). o uso repetido pode provocar maceração dos tecidos. Reacções adversas: Desconhecidas. 1 289$00 (43$00). se possível na fase prodrómica. 40%. 40%. HERMOCIL Oftalder. 630$00 (315$00).274 Capítulo 12 | 12. 40%. mucosas. 991$00 (495$50). 1 657$00 (331$40). prurido na aplicação e alterações do sabor. associação. o aciclovir por via tópica é o fármaco recomendado. • s TOLCICLATO Indicações: Dermatomicoses. 15 g. creme. 40%. 50. 40%. QUADRIDERME Schering-Plough. 3 451$00 (345$10). 30 g. Nas infecções bucais e vaginais instaladas a terapêutica sistémica torna-se necessária. dá mau sabor ao leite materno. 1 102$00 (73$50). associação. 40%. • 12. Esta via terapêutica é também a adequada na infecção por herpes zoster. 40%. Wellcome. não usar na boca. . 40%. durante cinco dias. creme. 10 g. 1 832$00 (366$40). 500 g + 1 + 10. 50. 50. pomada. 40%. 906$00 (453$00). 480$00 (16$00). 500 g + 1 + 10. 30 g. solução aquosa. membranas e têxteis. creme.1. Contra-indicações: Posologia: Aplicar de 4 em 4 horas (5 vezes por dia). 2 g. LAMISIL Novartis Farma. 10 g. 50. 30 g. creme.3. HERMIX-SOFEX Sofex. 5.

não sendo recomendado o seu uso nas crianças. SARCODERMA Alfredo Cavalheiro. Anti-infecciosos de aplicação tópica na pele 275 12. a crotamitona e o permetrim. para evitar os vapores de álcool. 425$00 (4$20). líquido ou loção cremosa. As formulações aquosas são preferíveis nos asmáticos e nas crianças pequenas. 40%. especialmente em crianças. Reacções adversas: Neurotoxicidade. recorda-se novamente. face e orelhas. terão que proceder à reaplicação do produto nas mãos. por via oral. Os acaricidas mais utilizados são o benzoato de benzilo. As soluções aquosas são preferíveis às alcoólicas já que não possuem efeito irritativo na pele escoriada e nos orgãos genitais. sendo mais uma vez indicado nestas o recurso ao permetrin que. com as reservas já apontadas. não são recomendadas. 40%. 10.1. velhos e imunodeprimidos e nos doentes com tratamento prévio sem sucesso. O benzoato de benzilo e a crotamitona podem necessitar de mais que uma aplicação. • . Loções: 100 ml Corpo – pediculose: Cremes dérmicos: 30-60 g. Os champôs são muito menos efectivos devido ao seu elevado grau de diluição. Posologia: Aplicar em todo o corpo e repetir uma semana após. porque são irritativas. solução alcoólica. O benzoato de benzilo não deve ser já encarado como uma primeira escolha por manifestar frequentemente uma acção irritativa marcada. a aplicação do fármaco deve agora estender-se ao couro cabeludo.1. Uma aplicação durante doze horas ou durante uma noite é recomendada caso se utilizem loções ou líquidos. 212$00 (7$10). Pthirus Pubis Também aqui o lindano. pode revelar-se adequada no combate ao prurido. Deve ser feito um segundo tratamento no prazo de uma semana para prevenir recidiva decorrente de ovos que tenham entretanto sobrevivido. creme. Relativamente ao lindano está descrita a possibilidade de absorção sistémica e a decorrente intoxicação do sistema nervoso central. Pediculose (Pediculus Capitis – piolhos) O lindano e o malatião são igualmente efectivos no tratamento da pediculose sob a forma de loção. caso contrário. com particular atenção às pregas dos dedos dos pés e das mão e de se esfregar a loção nas extremidades sub-ungueais. são: Couro cabeludo – piolho: Loções: 50 ml. SARCODERMA Alfredo Cavalheiro. o lindano. A associação de piretrinas com o butóxido de piperonilo constitui por isso uma boa alternativa ao lindano. Antiparasitários As quantidades de antiparasitário a prescrever por cada aplicação num adulto. pescoço. não está disponível em Portugal. O tratamento de duas horas já não é hoje encarado como suficiente por não garantir a morte dos ovos (lêndeas). em função de cada uma das situações abaixo discriminadas. a fim de se prevenir a sobrevivência de alguns ovos após a primeira aplicação. de ser feito a todo o corpo. É importante instruir-se os doentes de que. muito especialmente nas crianças até aos dois anos. lamentando-se porém que este não esteja disponível no mercado português já que se revela bastante mais eficaz que a crotamitona. 100 ml. principalmente se aplicadas sobre pele escoriada ou nos órgãos genitais. Quando se opte pelo lindano o tratamento deverá consistir numa aplicação simples. s LINDANO Indicações: Acaricida. As soluções alcoólicas. pediculicida.12. O tratamento deve geralmente consistir em duas aplicações com um intervalo de sete dias. A solução aquosa deve ser aplicada a todas as partes do corpo (não exclusivamente à virilha e à axila) durante 12 horas ou durante uma noite. Loções: 100 ml Sarcoptose (Sarcoptes Scabiei – sarna) Actualmente é contrariada a recomendação clássica de se proceder à aplicação dos acaricidas após um banho quente. 30 g. Contra-indicações: Crianças até aos dois anos. após a aplicação. Prefere-se por isso a crotamitona e o permetrin. Loções cremosas 50-100 ml. Nas crianças. 5.4. A utilização nocturna de um anti-histamínico sedante. e o malatião se revelam efectivos. que ainda assim pode persistir após o tratamento adequado desta infestação. Mantêm-se porém as recomendações de o tratamento ser efectuado por todos os elementos do agregado familiar. Recorda-se uma vez mais o risco de neurotoxicidade do lindano. Corpo – sarna: Cremes dérmicos: 30-60 g. não devem lavar as mãos.

1. BETADINE Asta Médica. para as lesões descamativas é preferível a utilização de um unguento emulsificante ou outro que não irrite a pele. devendo porém ser usada com precaução em áreas fissuradas ou feridas. são úteis nas reacções com eczema exsudativo.1. 100 g. Preparações-barreira As preparações barreira contêm frequentemente substâncias repelentes da água. A maioria dos antissépticos influenciam exclusivamente a flora dita transitória. 40%. 12. pomada. É a severidade das situações.2. 40%. Emolientes Os emolientes acalmam. 276$00 (5$50). São úteis no tratamento das lesões descamativas e particularmente na ictiose. 100. tendo pouca actividade sobre a flora «residente». 12. Emolientes e protectores Este tipo de fármacos apresentam-se sob três formas distintas: – Emolientes e cremes-barreira. nomeadamente aos corticosteróides. Usa-se também com frequência associada a outros tópicos. Alguns ingredientes podem causar sensibilização e este facto deve ser suspeitado se ocorrer uma reacção eczematosa. Assim. É usada em situações escamosas e pode ser útil nos idosos. no eczema e na psoríase. Produtos iodados s IODOPOVIDONA BETADINE Asta Médica. Os antissépticos devem restringir-se a objectivos de profilaxia da infecção cutânea.2. O termo desinfectante aplica-se exclusivamente às substâncias antimicrobianas utilizadas nos materiais inertes (instrumentos cirúrgicos. 100. tais como o permanganato de potássio. a clorhexidina e a solução de permanganato de potássio a 1:10 000 são úteis na limpeza da pele. solução ginecológica. A fim de se evitarem queimaduras convém que sistematicamente se proceda a consulta a fim de se confirmar a diluição adequada. A loção de nitrato de prata já é raramente utilizada porque tinge a pele de negro e pode causar toxicidade se usada por longos períodos. A solução de cloreto de sódio a 9% é adequada para a limpeza geral da pele e das feridas. mesmo após a melhoria da condição clínica. 40%. alisam e hidratam a pele e estão indicados em todas as afecções descamativas. 100. pomada. 40%. 200 ml. a preferência do paciente e o local de aplicação que devem presidir à escolha do emoliente. – Aditivos emolientes para banho.2. uma vez que induz prurido intenso.276 Capítulo 12 | 12. 100.5. BETADINE Asta Médica.2. Para certas preparações impõe-se proceder-se à sua diluição prévia. 651$00 (3$30). O seu efeito é efémero e devem ser aplicados com frequência.2. Antissépticos e desinfectantes Os antissépticos impedem a multiplicação de germes patogénicos na pele e nas mucosas. já que podem provocar problemas graves. por exemplo). A separação entre estes dois termos nem sempre é linear e certas substâncias podem ser utilizadas tanto como antisséptico como desinfectante. Os principais efeitos indesejáveis dos antissépticos são a acção irritante sobre a pele e as mucosas e a hipersensibilidade que podem provocar. que por vezes conduzem a um desfecho fatal. para lhes aumentar a capacidade de penetração. BETADINE Asta Médica gele ginecológico. Como antisseptico a iodopovidona é preferida relativamente às soluções cloradas tais como o soluto de Dakin (solução de hipoclorito de sódio) já que estas são muito irritantes. Deve evitar-se o contacto com os olhos e a ingestão ou inalação acidental de certos antissépticos e desinfectantes. tais como . sendo preferidos aos antibióticos de aplicação local devido à resistência e às reacções alérgicas que do uso destes últimos pode advir. 50 ml. – Pós. que possui acção detergente. A cetrimida. Emolientes e protectores 12. sendo por isso menos recomendadas. 12. A ureia é empregue como agente hidratante e queratolítico. 30 g. As soluções adstringentes. 140$00 (4$70). 387$00 (3$90). A eleição do antisséptico a utilizar depende da situação a tratar.

2. o bálsamo do Peru e sais de mercúrio. 12. Eczema Uma perturbação eczematosa (dermatite) é uma reacção cutânea que se caracteriza por inflamação e prurido. 270$00 (27$00). 0%. pomada. São utilizadas em áreas circundantes da cavidade oral. Muitas destas preparações contêm vitamina A e/ou D. 40 g.4. Deve sempre recordar-se que o efeito oclusivo das fraldas e das cuecas de plástico pode aumentar a absorção sistémica dos corticosteróides. deve equacionar-se a prescrição de um anti-histamínico por via oral.3. MADÉCASSOL Confar. por exemplo) deve ser investigada. O eczema atópico severo nos membros requer a utilização de um corticosteróide moderado a potente. sobretudo na criança. óxido de zinco. a causa (detergente doméstico. 0%. seguido de uma preparação mais suave à medida que a situação vai melhorando. ADEMIDA Lab. Não devem ser utilizados em áreas que sejam muito húmidas porque podem induzir abrasão da pele. pelo que o seu uso não é recomendado. Adjuvantes da cicatrização Estes preparados são utilizados para proteger a pele contra a irritação e diversas agressões externas. se o problema maior for o prurido. ácido bórico. associação.4. 1.4. 1 040$00 (34$70). • s ÁCIDO ASIÁTICO MADÉCASSOL Confar. 10 g.1. se aplicado prolongadamente sobre uma superfície extensa e lesionada. 10 g. 12. • 12. 852$00 (85$20). cutânea. na maioria das vezes são suficientes para debelar a irritação e conduzir à regressão das lesões. 30 g. Pós Os pós são utilizados em pregas onde possa ocorrer fricção entre superfícies opostas da pele. pó em frasco.12.6). associação. Sempre que possível. deve igualmente usar-se um emoliente e. úlceras de decúbito. com a aplicação regular dum emoliente. O talco actua como um pó lubrificante mas não absorve a humidade enquanto que o amido. sais solúveis de bismuto. Um corticosteróide suave (hidrocortisona) pode justificar-se. 600$00 (15$00). fissuradas e escamosas devem tratar-se com emolientes suaves que. 0%. 277 s ASSOCIAÇÃO COM VITAMINAS ADEMIDA Lab. confirmada e eliminada. O eczema atópico é a causa mais frequente de eczema e requer habitualmente a utilização regular de um emoliente (secção 12. etc.2. a abolição das cuecas de plástico apertadas e uma boa exposição ao ar. 0%. A aplicação de uma preparação-barreira adequada pode revelar-se útil. A adição de um óleo de banho pode revelar-se vantajosa. estearato de zinco e de magnésio. Contém substâncias reduzidas a finíssimas partículas (talco. absorve a água. etc. Eritema nadegueiro – A primeira linha de tratamento é a substituição regular das fraldas. O ácido bórico em concentração elevada pode provocar uma intoxicação por vezes fatal. Medicamentos queratolíticos e antipsoriásicos o dimeticone ou outros silicones. Unitas. As que contêm essências vegetais podem ser alergizantes. Podem igualmente utilizar-se diversos óleos. Algumas destas preparações contêm substancias muito alergizantes tais com a benzocaína.) ou substâncias que recobrem a pele com um filme adesivo (dimeticone). Outros pós inertes tais como o caulino e o óxido de zinco podem também ser utilizados.2) com aplicações em curtos períodos de tempo dum corticosteróide tópico ligeiro a moderado (secção 12. O efeito cicatrizante destas preparações nem sempre é demonstrado. nas primeiras uma a duas semanas da crise. pó pulv. Não substituem os cuidados adequados de enfermagem e é duvidoso se possuem maior efectividade que os tradicionais unguentos de zinco compostos. pomada. No eczema atópico ligeiro a moderado o uso do corticosteróide deve ser restringido a períodos de uma a duas semanas. Unitas. algumas áreas no idoso. Um paciente com suspeita de dermatite de contacto deve ser sujeito a testes cutâneos para confirmação diagnostica. sendo menos lubrificante. . ainda que por não mais que uma semana. Medicamentos queratolícos e antipsoriásicos 12. As lesões secas.3. O corticosteróide escolhido deve ser sempre o menos potente que se revele efectivo.

278

Capítulo 12 | 12.4. Medicamentos queratolíticos e antipsoriásicos 2% e progressivamente avança-se para os 3 a 6%. Há poucos efeitos colaterais a registar mas pode desencadear irritação ou, se utilizado em áreas alargadas, salicilismo. O alcatrão é mais activo que o ácido salicílico e tem propriedades anti-inflamatórias e anti-descamativas. Usa-se por isso na psoríase e, por vezes, no eczema atópico crónico. O calciprotiol usa-se para aplicação directa sobre as placas de psoríase. O ditranol tópico é muito efectivo, devendo porém ser utilizado com bastante cautela, já que é muito irritativo para a pele sã, para além de tingir de castanho-escuro ou negro. A preparação é aplicada cuidadosamente sobre a lesão, é coberta com um penso e deixada em repouso durante uma hora. Ainda que no passado se tenha preconizado que a sua aplicação se fizesse ao deitar e a remoção ao levantar, a verdade é que está hoje provado que não é necessário mais que uma hora. As concentrações usuais são 0,1-2%. A utilização do ditranol deve ser feita com algumas precauções já que pode provocar irritações cutâneas severas. Esse é o motivo por que só é aplicado sobre as lesões e é boa prática iniciar-se com baixas concentrações e progressivamente ir aumentando até se conseguir uma solução que produza o efeito terapêutico sem desencadear irritação. As mãos devem ser bem lavadas após a aplicação. Alguns pacientes são intolerantes ao ditranol em baixas concentrações e é importante reconhecê-lo em fases precoces do tratamento. A pele clara é mais sensível que a escura. Nos casos mais resistentes pode recorrer-se à terapêutica sistémica com metotrexato, ciclosporina ou acitrecina ou ao tratamento com PUVA, devendo porém tal decisão ser colocada previamente à consideração do especialista.

Os eczemas exsudativos podem ser tratados com cremes de corticosteróides. Atenção, porém, porque frequentemente estão secundariamente infectados, devendo nesse caso colher-se amostras para cultura e realização de testes de sensibilidade. Neste caso, pode ter que recorrer-se à antibioterapia tópica ou mesmo oral ou à aplicação por não mais de 48 horas de pensos húmidos de permanganato de potássio diluído a 0,01%. A ciclosporina está agora disponível para as formas resistentes e severas de dermatite atópica; o seu uso deve porém ser reservado para o âmbito hospitalar.

12.4.2. Dermatite seborreica
A dermatite seborreica (eczema seborreico) está frequentemente associada com a infecção a Malassezia (Pytosporum). A dermatite seborreica pode responder bem quer a um corticosteróide suave tópico, quer à aplicação tópica de um antifúngico (creme de cetoconazol, por exemplo), ou à combinação de ambos. A aplicação tópica de succinato de lítio e de sulfato de zinco também se revela efectiva. O alcatrão, o ácido salicílico e as preparações sulfurosas são também utilizadas para a dermatite seborreica, nomeadamente do couro cabeludo. Quando as lesões forem extensas, os banhos de alcatrão (coal tar) podem ser vantajosos. Ainda e mais uma vez, as formulações que associam alcatrão com zinco e/ou ácido salicílico não apresentam qualquer vantagem sobre as preparações isoladas.

12.4.3. Psoríase
A psoríase é caracterizada por um espessamento epidérmico e por descamação. Nas situações mais moderadas, o tratamento pode limitar-se à tranquilização do doente e à prescrição de um emoliente. Nas situações mais complicadas, a aplicação local de ácido salicílico, alcatrão, calcipotriol ou do ditranol, com as precauções abaixo enunciadas, pode ter um efeito benéfico. Os corticosteróides tópicos ou sistémicos devem ser evitados e, quando ministrados, impõem a supervisão de um dermatologista porque, ainda que eficazes, tornam o tratamento subsequente mais difícil, já que pode desencadear-se taquifilaxia e podem induzir ou precipitar um caso grave de psoríase pustulosa. O ácido salicílico pode ser utilizado em todas as situações de hiperqueratose e descamação. Começa por se utilizar preparações doseadas a

Alcatrões (Coal tar)
s ALANTOÍNA + ALCATRÃO MINERAL + HIDROCORTISONA
ALPHOSYL HC Stafford-Miller; creme; 20 + 52 + 5,4; 30 g; 826$00 (27$50); 0%. •

Derivados Antracénicos
s DITRANOL
DESMOLINE Schering Plough; creme; 1; 30 g; 1 074$00 (35$80); 0%.

12.5. Medicamentos usados no tratamento do acne DESMOLINE Schering Plough; creme; 2,5; 30 g; 1 158$00 (38$60); 0%. DESMOLINE Schering Plough; creme; 5; 30 g; 1 233$00 (41$10); 0%. •

279

As resistências cruzadas, especialmente entre a eritromicina e a clindamicina são um problema em crescimento. A fim de contrariá-lo: – Sempre que possível use antimicrobianos não antibióticos (tais como o peróxido de benzoílo). – Evite o tratamento concomitante com diferentes antibióticos (orais ou tópicos) – Se determinado antibiótico é eficaz, use-o nas repetições terapêuticas. Os corticosteróides não devem ser utilizados no acne e o ácido salicílico é de duvidosa validade. As preparações contendo enxofre e abrasivos já não são consideradas como benéficas no acne. Uma preparação local de nicotinamida foi recentemente introduzida para o acne inflamatório. Nas formas mais graves ou resistentes pode recorrer-se ao tratamento oral com a minociclina ou como alternativa a doxiclina ou a isotretinoina e, na mulher, a associação do acetato de ciproterona com o etinilestradiol.

Outros Antipsoriásicos para uso tópico
s CALCIPOTRIOL
DAIVONEX Leo Farmaceuticals; creme; 0,05; 30 g; 2 703$00 (90$10); 40%. DAIVONEX Leo Farmaceuticals; pomada; 0,05; 30 g; 2 703$00 (90$10); 40%. •

12.5. Medicamentos antiacne e rosácea 12.5.1. Rosácea
A rosácea apresenta várias formas clínicas, desde o eritema e telangiectasias até pápulas inflamatórias e elementos pustulares que se distribuem sobretudo na área malar, frontal e perioral. O tratamento deve ser prolongado e consiste na aplicação tópica de metronidazol na forma de creme ou gele nas concentrações de 0,7% a 1%. É contra-indicada a aplicação de corticosteróides. Em função da gravidade, pode recorrerse ao tratamento sistémico com tetraciclina ou, em alternativa, com eritromicina.

s ÁCIDO AZELAICO
Indicações: Acne vulgar. Reacções adversas: Irritação local e fotossensibilização. Contra-indicações: Gravidez, amamentação e contacto com os olhos. Posologia: Aplicar 2 vezes por dia, não excedendo os 6 meses. SKINOREN Schering Lusitana; creme; 200; 30 g; 2 245$00 (74$80); 0%. •

12.5.2. Acne
O tratamento do acne depende se ele se apresenta como predominantemente inflamatório ou comedónico. Quando ele se apresente refractário ao tratamento tópico, há que equacionar a necessidade de um tratamento sistémico. O acne marcadamente comedónico responde bem à terapêutica com retinóides tópicos (tretinoína, isotretinoína ou adapaleno). Por seu turno, quer os comedões, quer as lesões inflamadas respondem bem ao peróxido de benzoílo. Os antibióticos são usados nas formas ligeiras a moderadamente graves. As aplicações tópicas de eritromicina e clindamicina parecem ser bastante úteis para muitos pacientes com formas moderadas de acne. Apesar de poderem produzir irritação da pele, raramente produzem sensibilização.

s ADAPALENE
Indicações: Acne ligeiro a moderado. Reacções adversas: Irritação, eritema, mudanças na pigmentação e fotossensibilidade; evitar o contacto com os olhos, narinas, boca e mucosas. Contra-indicações: Gravidez, aleitamento, pele fissurada ou eczematosa e acne severo e extenso. Posologia: Aplicar 1 a 2 vezes por dia. DIFFERIN GEL Lab. Galderma; gele; 1; 30 ml; 1 294$00 (43$10); 0%. •

280

Capítulo 12 | 12.5. Medicamentos usados no tratamento do acne Posologia: Aplicar 2 vezes por dia durante 9 semanas. DUMOZOL CREME Dumex-Alpharma; creme; 10; 25 g; 2 157$00 (86$30); 0%. METRODERME Lab. Galderma; gele; 75; 30 ml; 1 200$00 (40$00); 40%. •

s CLINDAMICINA (FOSFATO)
Indicações: Acne. Reacções adversas: Dermite de contacto alérgica ou irritativa e secura cutânea; pode provocar colite membranosa, ainda que raramente; desencadeamento de resistências. Contra-indicações: Gravidez. Posologia: Aplicar 1 a 2 vezes por dia durante 4 a 6 semanas. DALACIN T Pharmacia & UpJohn; solução alcoólica; 10; 30 ml; 1 094$00 (34$50); 40%. •

s PERÓXIDO DE BENZOÍLO
Indicações: Acne vulgar. Reacções adversas: Irritação cutânea; pode descorar os cabelos e a roupa; evitar o contacto com os olhos e mucosas. Contra-indicações: Hipersensibilidade. Posologia: Aplicar 1-2 vezes por dia. BENZAC 10 Lab. Galderma; loção; 100; 40 ml; 420$00 (10$50); 0%. BENZAC 5 Lab. Galderma; loção; 50; 40 ml; 415$00 (10$40); 0%. •

s ERITROMICINA
Indicações: Acne. Reacções adversas: Dermite de contacto alérgica ou irritativa e secura cutânea; desencadeamento de resistências. Contra-indicações: Hipersensibilidade. Posologia: Aplicar 1 a 2 vezes por dia durante 4 a 6 semanas. AKNE-MYCIN Boots Healthcare; creme; 20; 25g; 1 200$00 (48$00); 0%. CLINAC Oftalder; solução alcoólica; 20; 30 ml; 359$00 (12$00); 40%. ERYFLUID Pierre Fabre; solução alcoólica; 40; 100 ml; 1 022$00 (10$20); 40%. •

s TRETINOINA
Indicações: Acne vulgar. Reacções adversas: Evitar o contacto com os olhos, narinas, boca e mucosas; evitar radiação ultra-violeta; secura e irritação cutânea, eritema e alterações da pigmentação; fotossensibilidade. Contra-indicações: Gravidez e lactação, eczema, queimadura solar e história familiar de epitelioma cutâneo. Posologia: Aplicar 1-2 vezes por dia. LOCACID Pierre Fabre; creme; 50; 30 g; 926$00 (30$90); 0%. LOCACID Pierre Fabre; solução alcoólica; 1; 15 ml; 782$00 (52$10); 0%. •

s ISOTRETINOINA
Indicações: Acne. Reacções adversas: Secura e irritação cutânea e fotossensibilidade. Contra-indicações: Gravidez e lactação. Posologia: Aplicar 1-2 vezes por dia. ISOTREX Lab. Stiefel; gele; 5; 30 ml; 1 905$00 (63$50); 0%. •

s METRONIDAZOL
Indicações: Acne, rosácea. Reacções adversas: Evitar a exposição à luz solar ou a raios ultravioletas; irritação local; evitar contacto com os olhos. Contra-indicações: Hipersensibilidade.

Associações
u ERITROMICINA + ACETATO DE ZINCO
ZINERYT Yamanouchi Farma; loção; 40; 30 ml; 2 267$00 (75$60); 0%. •

12.6. Anti-inflamatórios esteróides de utilização tópica

281

12.6. Anti-inflamatórios esteróides de utilização tópica
Os corticosteróides tópicos são usados no tratamento de situações inflamatórias da pele (em particular no eczema), estando contra-indicados quando haja infecção. A utilização tópica de corticosteróides não é frequentemente suficiente, tendo que se associar a via sistémica para se obter o efeito terapêutico desejado. Os corticosteróides frenam vários componentes da reacção inflamatória; não são de todo em todo curativos e quando o tratamento é descontinuado pode ocorrer um fenómeno rebound do processo inflamatório. São adequados no alívio dos sintomas e na supressão dos sinais da inflamação quando outras medidas com menor risco associado não sejam efectivas. Os corticosteróides não têm indicação no tratamento da urticária e são contra-indicados no tratamento da rosácea e nas situações ulcerativas onde até agravam a situação. Não devem ser usados indiscriminadamente no prurido. Escolha da preparação: a preparação que inclua a droga menos potente na mais baixa concentração que seja efectiva é a que deve escolher-se, mas a diluição extemporânea deve ser evitada sempre que possível. A potência relativa dos corticosteróides é a apresentada no quadro seguinte:
Potência IV Ligeira III Moderada II Elevada I Exemplos Hidrocortisona a 1%, Metilprednisolona a 1%. Butirato de Clobetasona a 0,05%. Valerato de Betametasona a 1%.

Ao contrário dos grupos I e II, aos grupos III e IV raramente se associam efeitos colaterais. Quanto maior for a potência da preparação, maior cuidado é requerido, já que a absorção através da pele pode levar a uma supressão severa do eixo hipotálamo-hipofisário-corticosupra-renal com a instalação de hipocorticismo, estando ambos dependentes da superfície corporal tratada e da duração do tratamento. Deve ainda lembrar-se que a absorção é aumentada em zonas de pele fina, áreas erosionadas e zonas de oclusão como as pregas intertriginosas, e que é aumentada pela oclusão. As reacções adversas decorrentes do uso de corticoterapia tópica são: a) Extensão e agravamento de uma infecção não tratada; b) Adelgaçamento da pele, que pode regredir apesar de a estrutura original poder não ser restaurada; c) Estrias atróficas irreversíveis; d) Aumento do crescimento piloso; e) Dermatite perioral, um problema papular inflamatório da face da mulher jovem; f) Acne no local de aplicação, em alguns pacientes; g) Despigmentação ligeira e cabelo fraco. Escolha da formulação: Os cremes hidrossolúveis são particularmente úteis para aplicação em lesões húmidas ou exsudativas. As pomadas são reservadas para lesões secas, liquenificadas ou escamosas, ou quando é pretendido um efeito mais oclusivo. As loções podem ser úteis quando se pretende uma aplicação mínima numa área mais vasta. A associação de ureia e ácido salicílico aos corticosteróides aumenta a sua capacidade de penetração. Uso em crianças: As crianças, e em especial os lactentes, são particularmente sensíveis às reacções adversas. Os corticosteróides mais potentes devem ser evitados nos cuidados pediátricos; porém, quando imprescindíveis, devem ser empregues com grande cuidado e pelo período mínimo possível. Um corticosteróide suave tal como a hidrocortisona pode ser útil para tratar o eritema nadegueiro (se outros tratamentos se revelaram ineficazes) e os eczemas infantis. Há porém que ter-se em conta que as fraldas e as cuecas de plástico agem como pensos oclusivos, aumentando por isso a absorção do fármaco.

Muito Elevada Propionato de Clobetasol a 0,05%.

A maior parte dos corticosteróides disponíveis no mercado pertencem, nas concentrações mais difundidas, à classe III, como tais devendo ser considerados a aclometasona, o desonido, a dexametasona, a fluocinolona e a mometasona. O médico deve habituar-se a prescrever apenas um número reduzido de preperações tópicas de corticosteróides, seleccionando, por exemplo, um ou dois de potência baixa (ou ligeira), um de potência moderada e um de potência muito elevada. As injecções intradérmicas de corticosteróides são mais efectivas que as preparações tópicas potentes devendo ser reservadas para casos muito severos onde haja lesões localizadas e o tratamento tópico tenha falhado. O seu efeito persiste por bastantes semanas.

s ACLOMETASONA (PROPRIONATO)
MILODERME Schering-Plough; creme; 0,5; 30 g; 1 144$00 (38$10); 40%.

282

Capítulo 12 | 12.6. Anti-inflamatórios esteróides de utilização tópica CILESTODERME Schering-Plough; creme; 1; 30; 672$00 (22$40); 40%. CILESTODERME Schering-Plough; pomada; 1; 30 g; 672$00 (22$40); 40%. VABETA Oftalder; creme; 1; 20 g; 537$00 (26$80); 40%. VABETA Oftalder; solução aquosa; 1; 30 ml; 537$00 (17$90); 40%. •

MILODERME Schering-Plough; pomada; 0,5; 30 g; 1 163$00 (38$80); 40%. •

s BECLOMETASONA (PROPIONATO)
DIBETOP Davi Farmacêutica; pomada; 50; 30 g; 545$00 (18$20); 0%. DIBETOP Davi Farmacêutica; creme; 50; 30 g; 545$00 (18$20); 0%. DIPROSONE Schering-Plough; creme; 0,5; 30 g; 665$00 (22$20); 40%. DIPROSONE Schering-Plough; pomada; 0,5; 30 g; 665$00 (22$20); 40%. DIPROSONE NV Schering-Plough; creme; 0,5; 30 g; 665$00 (22$20); 40%. DIPROSONE NV Schering-Plough; pomada; 0,5; 30 g; 665$00 (22$20); 40%. DIPROSONE NV Schering-Plough; loção; 0,5; 100 ml; 1 569$00 (15$70); 40%. METANTINE Lab. Unitas; pomada; 0,25; 30 g; 524$00 (17$50); 40%. METANTINE Lab. Unitas; creme; 0,25; 30 g; 518$00 (17$30); 40%. METANTINE Lab. Unitas; solução capilar; 0,25; 30 ml; 1 303$00 (43$40); 40%. METANTINE Lab. Unitas; gele; 0,25; 30 ml; 521$00 (17$40); 40%. SOLUDERME Schering-Plough; solução capilar; 0,64; 100 ml; 1 508$00 (15$10); 40%. •

s CLOBETASOL (PROPIONATO)
DERMOVATE Glaxo Wellcome; creme; 0,5; 30 g; 952$00 (31$70); 40%. DERMOVATE GlaxoWellcome; pomada; 0,5; 30 g; 952$00 (31$70); 40%. DERMOVATE GlaxoWellcome; solução capilar; 0,5; 100 ml; 2 067$00 (20$70); 40%. •

s CLOBETASONA (BUTIRATO)
EMOVATE GlaxoWellcome; creme; 0,5; 30 g; 965$00 (32$20); 40%. EMOVATE GlaxoWellcome; pomada; 0,5; 30 g; 965$00 (32$20); 40%. •

s DESONIDO
LOCAPRED Pierre Fabre; creme; 1; 15 g; 255$00 (17$00); 40%. ZOTINAR Cipan; CREME; 1; 30 g; 683$00 (22$80); 40%. ZOTINAR CAPILAR Cipan; solução capilar; 1; 100 ml; 1 458$00 (14$60); 40%. •

s BETAMETASONA (VALERATO)
BETNOVATE GlaxoWellcome; creme; 1; 30 g; 678$00 (22$60); 40%. BETNOVATE GlaxoWellcome; pomada; 1; 30 g; 678$00 (22$60); 40%. BETNOVATE GlaxoWellcome; solução capilar; 1; 100 ml; 1 481$00 (14$80); 40%.

s DEXAMETASONA (VALERATO)
DEXAVAL Tecnifar; creme; 1; 30 g; 665$00 (22$20); 40%. DEXAVAL Tecnifar; solução capilar; 1; 50 ml; 2 206$00 (44$10); 40%. •

12.6. Anti-inflamatórios esteróides de utilização tópica

283

s DIFLUCORTOLONA (VALERATO)
NERISONA Schering Lusitana; creme; 1; 30 g; 1 005$00 (33$50); 40%. •

s HIDROCORTISONA (ACETATO)
DERMIMADE HIDROCORTISONA Lab. Esfar; pomada; 0,15; 15 g; 835$00 (55$70); 40%. •

s FLUOCINOLONA (ACETONIDO)
SYNALAR Janssen-Cilag; creme; 0,25; 30 g; 830$00 (27$70); 40%. •

s HIDROCORTISONA (BUTIRATO PROPIONATO)
PANDEL Lab. Medinfar; creme; 1; 30 g; 901$00 (30$00); 40%. PANDEL Lab. Medinfar; pomada; 1; 30 g; 901$00 (30$00); 40%. •

s FLUTICASONA (PROPIONATO)
CUTIVATE Glaxo Wellcome; creme; 0,015; 30 g; 1 370$00 (45$70); 40%. UBIZOL Alter; creme; 0,0015; 30 g; 1 370$00 (45$70); 40%. •

s HIDROCORTISONA (BUTIRATO)
LOCOID Yamanouchi Farma; creme; 1; 30 g; 640$00 (21$30); 40%. LOCOID Yamanouchi Farma; pomada; 1; 30 g; 607$00 (20$20); 40%. LOCOID Yamanouchi Farma; loção; 1; 100 ml; 1 468$00 (14$70); 40%. LOCOID Yamanouchi Farma; creme; 1; 30 g; 763$00 (25$40); 40%. •

s HALOMETASONA
SICORTEN Novartis C. Health; creme; 0,5; 30 g; 1 957$00 (65$20); 40%. SICORTEN Novartis C. Health; pomada; 0,5; 30 g; 1 957$00 (65$20); 40%. •

s METILPREDNISOLONA (ACEPONATO) s HIDROCORTISONA
HIDALONE Schering-Plough; pomada; 1; 30 g; 560$00 (18$70); 40%. HIDALONE Schering-Plough; creme; 1; 30 g; 560$00 (18$70); 40%. HIDALONE Schering-Plough; loção; 10; 100 ml; 1 121$00 (11$20); 40%. LACTISONA Lab. Stiefel; loção; 25; 60 ml; 1 921$00 (32$00); 0%. LACTISONA Lab. Stiefel; loção; 10; 60 ml; 1 345$00 (22$40); 40%. PANDERMIL Oftalder; creme; 10; 30 g; 534$00 (17$80); 40%. PANDERMIL Oftalder; loção; 10; 100 ml; 1 109$00 (11$10); 40%. • ADVANTAN Schering Lusitana; pomada; 100; 30 g; 1 442$00 (48$10); 40%. ADVANTAN Schering Lusitana; creme; 100; 30 g; 1 442$00 (48$10); 40%. •

s MOMETASONA (FUROATO)
ELOCOM Schering-Plough; creme; 1; 30 g; 1 720$00 (57$30); 40%. ELOCOM Schering-Plough; pomada; 1; 30 g; 1 720$00 (57$30); 40%. ELOCOM Schering-Plough; loção; 1; 100 ml; 5 886$00 (58$90); 40%. ELOCOM Schering-Plough; loção; 1; 50 ml; 3 237$00 (64$70); 40%. •

284

Capítulo 12 | 12.6. Anti-inflamatórios esteróides de utilização tópica DIPROGENTA Schering-Plough; pomada; 0,5 + 1; 30 g; 523$00 (17$40); 40%. EPIONE Schering-Plough; creme; 1,22 + 1; 30 g; 771$00 (25$70); 40%. EPIONE Schering-Plough; pomada; 1,22 + 1; 30 g; 771$00 (25$70); 40%. •

Associações terapêuticas:
Também aqui não existe qualquer evidência de que as associações terapêuticas tenham vantagens sobre o uso de formas não associadas ou mesmo que aquelas sejam adequadas.

s BETAMETASONA + ÁC. SALICILICO
DIBETOP Q Davi Farmacêutica; pomada; 0,5 + 30; 30 g; 633$00 (21$10); 0%. DIBETOP Q Davi Farmacêutica; loção; 0,5 + 30; 50 ml; 767$00 (15$30); 0%. DIPROSALIC Schering-Plough; pomada; 0,5 + 30; 30 g; 720$00 (24$00); 40%. DIPROSALIC Schering-Plough; solução alcoólica; 0,5 + 30; 100 ml; 1 495$00 (15$00); 40%. PSODERMIL Oftalder; pomada; 50 + 3000; 30 g; 586$00 (19$50); 40%. PSODERMIL Oftalder; loção; 50 + 3000; 100 ml; 1 342$00 (13$40); 40%. •

s BETAMETASONA + GENTAMICINA + TOLNAFTATO
QUADRIDERME Schering-Plough; creme; 500 g + 1 + 10; 30 g; 1 289$00 (43$00); 40%. QUADRIDERME Schering-Plough; pomada; 500 g + 1 + 10; 30 g; 1 289$00 (43$00); 40%. •

s NEOMICINA + BETAMETASONA
BETNOVATE N GlaxoWellcome; creme; 5 + 1; 30 g; 678$00 (22$60); 40%. BETNOVATE N GlaxoWellcome; pomada; 5 + 1; 30 g; 678$00 (22$60); 40%. •

s BETAMETASONA + CLIOQUINOL
BETNOVATE C Glaxo Wellcome; creme; 1 + 30; 30 g; 678$00 (22$60); 40%. BETNOVATE C Glaxo Wellcome; pomada; 1 + 30; 30 g; 678$00 (22$60); 40%. •

s CLOBETASOL + NEOMICINA + NISTATINA
DERMOVATE N Glaxo Wellcome; creme; associação; 30 g; 1 018$00 (33$90); 40%. DERMOVATE N Glaxo Wellcome; pomada; associação; 30 g; 1 018$00 (33$90); 40%. •

s BETAMETASONA + CLOTRIMAZOL
FLOTIRAN Schering-Plough; creme; 0,5 + 10; 30 g; 1 096$00 (36$50); 40%. FLOTIRAN Schering-Plough; pomada; 0,5 + 10; 30 g; 1 096$00 (36$50); 40%. •

s CLOROQUINALDOL + DIFLUCORTOLONA
NERISONA C Schering Lusitana; creme; 10 + 1; 30 g; 1 139$00 (38$00); 40%. •

s CLOROQUINALDOL + HIDROCORTISONA
LOCOID-C Yamanouchi Farma; creme; 30 + 1; 30 g; 800$00 (26$70); 40%. LOCOID-C Yamanouchi Farma; pomada; 30 + 1; 30 g; 816$00 (27$20); 40%. •

s GENTAMICINA + BETAMETASONA
DIPROGENTA Schering-Plough; creme; 0,5 + 1; 30 g; 523$00 (17$40); 40%.

40%. 40%. 40%. • s TRIANCINOLONA + ECONAZOL PEVISONE Janssen-Cilag. 10 g. • s PREDNISOLONA + NEOMICINA PREDNIDERMA Farmácia Brito. 519$00 (17$30). pomada. s DEXAMETASONA + CLOTRIMAZOL BAYCUTEN Bayer Portugal.4 + 10. 30 g. 10 + 2. 519$00 (17$30). 0. • .5. Anti-inflamatórios esteróides de utilização tópica 285 s DESONIDO + NEOMICINA ZOTINAR N Cipan. 123$00 (8$20). 30 g. creme. 10 + pantenol. creme. 40%. 219$00 (21$90). creme. 15 g. 1 113$00 (74$20). Creme. creme. 1 345$00 (44$80). 0. 678$00 (22$60). • s DEXAMETASONA + CLIOQUINOL DEXAVAL V Tecnifar.4 + 10. 40%. 30 g. 1 + 30. 40%.005 + 0. 40%. 0. 10 + 1. 670$00 (22$30).12. 10 g. creme. 0. 40%. 10 + 1. 30 g. 2 071$00 (69$00). 785$00 (26$20).9.1. 645$00 (21$50). 40%. creme.6. 30 g. pomada. pomada. 0. creme. associação. s PREDNISONA + TETRACICLINA CICLOBIÓTICO C/ PREDNISONA Atral. • s NEOMICINA + HIDROCORTISONA + NATAMICINA PIMAFUCORT Yamanouchi Farma. creme. • s DIFLUCORTOLONA + ISOCONAZOL TRAVOCORT Schering Lusitana. 3. creme. 30 g. 604$00 (40$30). associação. 40%. 40%. associação. LOCORTEN VIOFORMIO Novartis C.006 + 0. pomada. 30 g. 30 g. 10 g. 0. 3500 g + 10 + + 10. creme. s NEOMICINA + FLUOCINOLONA SYNALAR N Janssen-Cilag.25. • s DEXAMETASONA + CLOROFENAMINA DEXAVAL A Tecnifar. pomada. • s OXITETRACICLINA + HIDROCORTISONA CORTICIL T Oftalder. pomada. 397$00 (39$70). 15 g. creme.006 + 0.5 + 0. s FLUMETASONA + CLIOQUINOL LOCORTEN VIOFORMIO Novartis C. 40%. 0. pomada. • s DEXAMETASONA + NEOMICINA DEXAVAL N Tecnifar.5 + 10. 30 g.9. 3500 g + 10 + 10.3 + 0. 40%. 40%. 30 g. Health. 1 652$00 (55$10). 40%. BAYCUTEN Bayer Portugal. 40%. PIMAFUCORT Yamanouchi Farma. 401$00 (40$10). Health. 40%. • s HIDROCORTISONA + PANTENOL PANDERMIL Oftalder. 1 032$00 (34$40). • s FLUOCINONIDA + GRAMICIDINA + NEOMICINA MYCO-TOPSYM Janssen-Cilag. 40%. 15g. 595$00 (19$80). 1 + 5. 595$00 (19$80). 30 g. 30 g.005. 30 g. 40%. • s HALOMETASONA + TRICLOSAM SICORTEN PLUS Novartis. 678$00 (22$60).

alcoólica cutânea. 729$00 (36$50). 2 200$00 (110$00). Os anti-histamínicos e os anestésicos locais podem ocasionalmente provocar sensibilização. 40%.5 ml. aquosa cutânea. pomada. 5.7. • 12. 12. • 12.3. eczema. Nos calos e calosidades é adequada a prescrição de uma pomada com ureia ou ácido salicílico com concentrações superiores a 6%.2. no curto prazo. Outros medicamentos utilizados em Dermatologia 12. Preparações para os calos. e os emolientes podem revelar-se valiosos nos casos em que o prurido se associa a pele seca (o que é comum em idosos saudáveis). icterícia obstrutiva. 0%. Na verruga vulgaris a aplicação de ácido salicílico associado a 5-fluorouracilo denota efectividade. Preparações de acção enzimática e produtos aparentados Ainda que não haja confirmação da sua efectividade. (100000 + 25000) UI. sarna.). 1 213$00 (93$30). alcoólica cutânea. Sempre que possível a situação primária deve ser tratada. incluída a plantar. • s 5-FLUORURACILO + ÁCIDO SALICÍLICO VERRUMAL Boots Healthcare. etc. 5 + 100 + + 167. 20 ml. Nas lesões mais extensas ou que contra-indiquem a terapêutica farmacológica (gravidez a termo). Medinfar. s TRIANCINOLONA + NEOMICINA + NISTATINA KENACOMB Janssen-Cilag. Nos condilomas é adequado o tratamento com podofilino ou podofilotoxina. 3 dias consecutivos por semana. 3. 20 g. uma vez que não há preparados disponíveis no mercado português. pode recorrer-se à hidrocortisona ou a um anti-histamínico H1. verrugas e condilomas Para o tratamento destas lesões deve escolherse o método menos destrutivo possível. As preparações de ácido salicílico actuam como queratolíticos e são úteis. Enzimas Proteolíticos s ESTREPTOQUINASE + ESTREPTODORNASE VARIDASA TÓPICA Wyeth Lederle. As preparações à base de enzimas podem provocar reacções alérgicas.7. deve recorrer-se à electrocirurgia ou à laserterapia. KENACOMB Janssen-Cilag. 1000 g + 2500 g + + 10 0000 UI. eventualmente regridem espontaneamente. São igualmente propostas para facilitar a reabsorção do edema.1. 30 g. estas preparações são utilizadas na esperança de favorecer o desaparecimento de hematomas e exsudatos fibrinosos ou purulentos das feridas ou úlceras. • . 3 177$00 (907$70). urticária. Anestésicos locais e antipruriginosos O prurido pode ser provocado por uma doença sistémica (fotossensibilização. 13 ml. já que são auto-limitadas (em doentes não imunodeprimidos) e todas as verrugas virais. As mordeduras de insectos são igualmente s 5-FLUORURACILO + ÁCIDO SALICÍLICO + ÁCIDO LÁCTICO VERRUCARE Lab. Outros medicamentos utilizados em dermatologia tratadas com preparações contendo calamina mas. creme. ainda que possam provocar irritação na área tratada. 30 g. doença endócrina ou algumas doenças malignas) bem como por doenças da pele (psoríase.286 Capítulo 12 | 12. 0%. sol.7. sol. sol. pó cutâneo. As preparações com calamina são largamente utilizadas para o prurido. 1000 g + 2500 g + + 10 0000 UI. • s PODOFILOTOXINA CONDYLINE Yamanouchi Farma. mas são geralmente efectivos.7. 0%. 100 + + 5. 728$00 (24$30).7. 0%. 728$00 (24$30). 40%.

1. a sensação de picada e a irritação local.2.1. Deverão ser tratadas as infecções nasais e dos seios perinasais coexistentes. tais como desvio do septo. agentes infecciosos. prostaglandinas) que ao ligarem-se a estruturas tecidulares provocam os sintomas característicos. 13. Medicamentos utilizados em ORL 13. nasal.2. Medicamentos para aplicação tópica na orofaringe Posologia: Duas gotas em cada narina. Capítulo 1). A rinite infecciosa está geralmente associada a sinusite ou a nasofaringite. o tratamento passa pela remoção das causas e concausas e pelo tratamento sintomático. hipertrofia das adenóides.1. torna-se necessário o recurso a antibióticos por via sistémica (V. que têm a particularidade de proporcionar alívio rápido. 0%. perturbações endócrinas (ex: hipotiroidismo). Corticosteróides São de grande importância no tratamento da rinite alérgica. duas ou três vezes por dia. Estão indicados na rinite alérgica e na recorrência da polipose nasal. podem favorecer a ocorrência de rinite não alérgica. a flunisolida. catarrhalis e o H. ainda que geralmente de curta duração. Descongestionantes São vasoconstritores simpaticomiméticos agonistas α. Como noutras situações patológicas. Reacções adversas: Irritação local. o budesonide. inquietação. arritmias. certos medicamentos. u EFEDRINA + VITELINATO DE PRATA NASO-CALMA Salusif. Taquicardia.Anti-histamínicos. a M. a exposição a determinadas substâncias pode originar a formação e mobilização de anticorpos que dirigidos contra um alergeno provocam a libertação de determinados mediadores (ex: histamina.1. ORL 13. 20 ml.1. Produtos para aplicação nasal 13 . Produtos para aplicação nasal 13. com os antibióticos mais apropriados.1. pelo que não se aconselha o seu uso.ORL A situação clínica nasal que na maior parte dos casos necessita de tratamento é a rinite (alérgica ou não alérgica). Em crianças. São exemplos de corticosteróides usados em aplicação tópica nasal a beclometasona. s EFEDRINA Indicações: Congestão nasal. Na rinite alérgica moderada ou grave recorre-se aos corticosteróides. insónia. 13. 357$00 (17$90).3. O seu uso exagerado pode condicionar a ocorrência de efeitos sistémicos. Assim.1. Num indivíduo predisposto. quando utilizada exageradamente pode provocar depressão central. dos sintomas associados à congestão nasal. a fluticasona e a triancinolona.1. Das reacções adversas são de referir a secura das mucosas.1. Quando provocada por bactérias (as mais frequentes são o S. • 13. bem como a facilitação de processos infecciosos locais. pneumoniae. os simpaticomiméticos no tratamento da congestão nasal. Os medicamentos a utilizar dependem do tipo de sintomas. 10 + 10. sol. Uma das principais vantagens da aplicação tópica dos corticosteróides relativamente a outras formas de administração é a menor ocorrência de reacções adversas.Descongestionantes.3. os anti-histamínicos estão sobretudo indicados no tratamento da rinorreia. 13. Produtos para utilização no ouvido 13. influenzae). 13. Também a estimulação parassimpática causada pelo frio e certos irritantes originam vasodilatação e hipersecreção (a rinite vasomotora é entendida como hiperreactividade colinérgica). O seu uso repetido conduz a tolerância de efeito. Vários factores.2.Corticosteróides. dos espirros e do prurido.

4 mg/dia (duas aplicações em cada narina duas vezes/dia). 40%. sol. 1 097$00 (5$50). 200 doses. Embora seja corrente a instilação de gotas no canal auditivo externo. 200 doses. tal prática pode ser contraproducente.4 mg/dia. • u CLORFENIRAMINA + NAFAZOLINA + HIDROCORTISONA PRIVAMIDA-R Lab. u CLORFENIRAMINA + CROMOGLICATO RINOGLIN Seber Portuguesa. H. PULMICORT TURBOHALER Astra Portuguesa. A associação da amoxicilina com o ácido clavulânico ou uma cefalosporina poderão ser uma opção adequada face ao tipo de agentes bacterianos que nesta área mais frequentemente causam infecção.3. do carácter temporal da situação clínica. 200 µg. pó inalação oral. catarrhalis. 50 µg. Os agentes bacterianos que mais frequentemente causam otite média são: S. o mesmo não se passa quando se trata de uma situação bacteriana aguda. 1 141$00 (76$10). com o fim de aliviar a dor ou o prurido. 400 µg. PULMICORT Astra Portuguesa. 7 129$00 (35$60). sol. nebulização. 40%. s CLORFENIRAMINA s BECLOMETASONA V. inalação. Produtos para utilização no ouvido Por via tópica são geralmente bem tolerados. BECONASE Glaxo-Wellcome. influenzae e a M. Capítulo 10) Continuam a ser considerados de grande interesse no tratamento da rinite alérgica pois são capazes de reduzir o prurido. que é um estabilizador dos mastócitos (1 ou 2 nebulizações 3 ou 4 vezes por dia). PULMICORT NASAL TURBOHALER Astra Portuguesa. susp. intranasal: 0. s BUDESONIDE V. Produtos para utilização no ouvido Os tipos de medicamentos que podem ser utilizados no tratamento de afecções do ouvido médio ou do ouvido externo. 40%. 200 doses. Na otite média aguda a utilização de antibióticos por via sistémica é geralmente considerada como adequada. 100 µg. pneumoniae. para além de aspectos etiológicos. 15 ml. inalação oral. Enquanto no tratamento da otite média crónica pode ser aceitável o recurso a antibióticos por via tópica. estão dependentes. intranasal: 0. embora com o seu uso possa surgir irritação local. 200 doses. 2 647$00 (13$20). corticosteróides. Interacções: Cimetidina (de muito pequeno significado clínico). se não estiver assegurada a integridade 13. 2 + 40. em fracções (ex: 2 aplicações em cada narina de manhã e à noite). sol. Posologia: V. 9 099$00 (45$50). Posologia: V. Anti-histamínicos (V. PULMICORT TURBOHALER Astra Portuguesa. É pois de considerar que a utilização de uma associação da amoxicilina com o ácido clavulânico ou de uma cefalosporina constitui uma boa opção terapêutica. PULMICORT NASAL-AQUA Astra Portuguesa. 200 doses. 50 µg. 6 930$00 (69$30). 5 176$00 (25$90). 10 ml. nebulização. 70%. 200 µg. . 70%. nebulização. susp.288 Capítulo 13 | 13. 365$00 (36$50).2. isoladamente ou em associação à via sistémica. a rinorreia e os espirros que lhe estão associados. Azevedos. pó inalação nasal.1. pó inalação oral. 100 doses. 40%.2. 1 + 1. • A clorfeniramina está disponível para prescrição em associação ao cromoglicato. 0%. corticosteróides. 70%.• 13. e à nafazolina (descongestionante simpaticomimético semelhante à efedrina) e hidrocortisona (1 nebulização 3 ou 4 vezes por dia).

000 UI. Posologia: Para a preparação disponível recomenda-se 2 gotas 3 vezes por dia. tal como já foi referido. 20 + 8 + 680 UI + 2000 UI.13.3. Medicamentos para aplicação tópica na orofaringe A situação clínica que mais frequentemente causa sintomas a nível da faringe é a faringite aguda.5 mg + + 10. congestão da mucosa e hipertrofia do tecido linfóide. certas associações em doses fixas podem dificultar os ajustes posológicos mais convenientes. Recorde-se ainda que. existem preparados com anestésico local associado. levanta questões metodológicas. Ao exame objectivo observa-se eritema. 40%. 370$00 (35$20). gotas auriculares. 5 ml. 40%. 460$00 (46$00). 40%.3. . Dos medicamentos para utilização tópica é de referir a iodopovidona. Porém a sua eficácia não está devidamente comprovada. a opção recai na amoxicilina por via oral (isoladamente ou em associação ao ácido clavulânico). 10 ml. • s FLUOCINOLONA + NEOMICINA + POLIMIXINA B Trata-se de uma associação de um corticosteróide com antibióticos de aplicação tópica.5 ml. 289 Indicações: Eczema com infecção associada do canal auditivo externo.• 13. Eczema. Nos doentes alérgicos recomendase a eritromicina. Indicações: Eczema com infecção associada do canal auditivo externo. gotas auriculares. POLYDEXA Neo-Farmacêutica. É um exemplo de associação que coloca questões de metodologia terapêutica. com o objectivo de um rápido alívio da dor. Por outro lado. • s FLUOCINOLONA É um corticosteróide para aplicação tópica. 295$00 (59$00). Posologia: Para a preparação disponível recomenda-se 2 gotas 3 vezes por dia. 40%. Indicações: Reacções alérgicas. otologica. Alguns autores preconizam uma injecção única de penicilina G benzatínica na dose de 1200000 U no adulto e de 600000 U na criança. Posologia: Para a preparação disponível recomenda-se a instilação de 2 gotas 3 vezes por dia. É um exemplo de associação que coloca questões de metodologia terapêutica. como já foi referido.25 + 3. 10. Trata-se de uma associação de um corticosteróide com antibióticos de aplicação tópica. 5 ml. Na maior parte dos casos é de natureza infecciosa (frequentemente vírica ou bacteriana). Medicamentos para aplicação tópica na orofaringe timpânica. • s HIDROCORTISONA + LIDOCAÍNA + NEOMICINA + POLIMIXINA B Para além da associação de corticosteróide com um antibiótico que. quando se verifica. Porém tal efeito. OTO-SYNALAR N Jassen-Cilag. Neste último caso a penicilina G por via intramuscular constitui uma boa opção terapêutica. incluindo as amígdalas.000 UI. nestas circunstâncias. SYNALAR ÓTICO Jassen-Cilag.03 + 10 mg + 10. é discreto e fugaz. OTOLYS Produfarma. 0. sol. 0. gotas auriculares. Caso o doente recuse injectáveis. 830$00 (166$00). s DEXAMETASONA + NEOMICINA + POLIMIXINA B. além de que certos constituintes de preparados otológicos têm forte pendor para o desencadeamento de fenómenos alérgicos. é apenas discreta e fugaz a eficácia decorrente da utilização de anestésicos locais por via tópica. 250 µg.

Os fármacos são administrados principalmente sob a forma de colírios (preparações líquidas).3. Medicamentos de aplicação tópica em oftalmologia Neste capítulo serão abordados os aspectos relacionados com a medicação tópica em oftalmologia.2. Antivíricos 14.1. Anticolinérgicos 14. As pomadas garantem uma biodisponibilidade superior. Apesar de serem formas de administração local.3. bem como os seus efeitos adversos.2.1.4.5.2. de geles ou de pomadas oftálmicas que são aplicadas no fundo dos sacos conjuntivais. permitindo tempos de semivida de cerca de 140 minutos.5. Por via tópica. ocorrerá a absorção para os restantes tecidos oculares. Midriáticos e cicloplégicos 14. Antagonistas beta 14. serão abordados nos capítulos que considerem o seu uso sistémico.5.2.2. Formas farmacêuticas 14. Pode ocorrer absorção sistémica através dos vasos da conjuntiva ou através da mucosa nasal (de fármaco drenado para a cavidade nasal).1.7.1.1.5. Associação de antibacterianos com corticosteróides 14. espalhando os fármacos pela superfície da córnea.3.3. com menor incidência de efeitos sistémicos.4. Anestésicos locais 14. Outros anti-inflamatórios e descongestionantes 14.3.7. A permanência do fármaco na córnea é condicionada pela forma farmacêutica.1.1. Outros medicamentos de aplicação tópica em oftalmologia 14. Simpaticomiméticos 14.1.3. Aspectos gerais da administração tópica de medicamentos no globo ocular 14.5. Controlo da contaminação 14. onde.1. Por via sistémica o acesso dos fármacos ao olho está condicionado pela existência das barreiras hemato-aquosa e hemato-retiniana.1. Diuréticos osmóticos 14. OFTALMOLOGIA 14 Medicamentos de aplicação tópica em oftalmologia 14. Formas farmacêuticas Os medicamentos usados em oftalmologia podem ser usados por via sistémica ou por via tópica. Medicamentos usados em diagnóstico 14. Normalmente 80 a 90% do fármaco administrado sob a forma de colírio é eliminado pelas vias lacrimais nos primeiros 15 a 30 segundos.14.7.5. lubrificantes oculares e medicamentos usados em situações de insuficiência lacrimal 14.4. Anti-inflamatórios não esteróides 14.2.2.4.1. Anti-inflamatórios 14.4.2.2.1.3. A Oftalmologia .3. Medicamentos usados no tratamento do glaucoma 14.1. pela lavagem efectuada pelas próprias lágrimas e pela sua eventual drenagem para a cavidade nasal. decaindo depois a concentração com uma semivida de cerca de 5 minutos. a menos que sejam usados principalmente para afecções oculares.1.2. Simpaticomiméticos 14.3.2. Antibacterianos 14. Inibidores da anidrase carbónica 14. Anti-infecciosos 14. Outros medicamentos 14.5.7. Mióticos 14.5. Corticosteróides 14. Aspectos gerais da administração tópica de medicamentos no globo ocular 14. Análogos das prostaglandinas 14. Inibidores da anidrase carbónica e outros medicamentos usados por via sistémica 14. por um processo de difusão.2. Anti-fúngicos 14. Os efeitos sistémicos de fármacos aqui referidos. Adstringentes. Terapêutica medicamentosa e a utilização de lentes de contacto 14.1. Administração 14. não se pode excluir a ocorrência de efeitos sistémicos e com intensidades imprevisíveis.1. Os níveis intra-oculares de fármaco são.4. por isso.2.6. geralmente inferiores aos níveis plasmáticos e os efeitos oculares acompanhados por marcados efeitos sistémicos.3.2.1. as preparações oftálmicas misturam-se rapidamente com o líquido lacrimal.4. a permeabilidade da córnea possibilita uma boa penetração nos tecidos oculares e as barreiras permitem o uso local de maiores concentrações de fármaco. De um modo geral.

292 Capítulo 14 | 14. por isso. Pela especificidade deste forma de administração o risco de ocorrerem reacções adversas de natureza sistémica bem como de interacções com outros fármacos é. As soluções oculares são usadas como primeira medida para remover corpos estranhos do olho. A garantia de esterilidade pode ser facilmente conseguida durante a produção mas.2.1. Quando estas formas de administração se mostram insuficientes para garantir as concentrações intraoculares pretendidas. as queratites e as endoftalmites podem ser de causa bacteriana. A possibilidade de interacções com as lentes de contacto pode existir mesmo quando os fármacos são usados por via sistémica. geralmente.2. de fármacos que reduzem o pestanejar (como por exemplo os ansiolíticos. É o caso dos anticoncepcionais orais (especialmente com altos níveis de estrogénios). fúngica ou vírica. mas o tratamento de uma conjuntivite gonocócica obriga a uma combinação de tratamento tópico e sistémico. As conjuntivites agudas de causa infecciosa podem ser tratadas com antibacterianos em colírios ou pomadas oftálmicas. 14. Quando não é desejável que ocorra absorção ocular pode recorrer-se às designadas soluções oculares. antagonistas β.2. na sua maioria. Anti-infecciosos As infecções oculares podem ser causadas por bactérias. Em ambulatório. Em ambiente hospitalar. A probabilidade da drenagem pode ser reduzida aumentando a viscosidade dos colírios ou limitando o volume de colírio em cada instilação.3. evitar-se o contacto da embalagem com as pálpebras ou com a conjuntiva. à injecção retrobulbar ou recorrer a sistemas oculares de cedência prolongada. é possível recorrer à injecção subconjuntival. muito baixo. São na sua maioria superficiais e podem ser tratadas topicamente. da primidona (por poder causar edema ocular ou palpebral). Anti-infecciosos de tipo mole. As blefarites bacterianas podem ser tratadas com a aplicação de uma pomada oftálmica com um antibacteriano. Se a medicação tópica se mostrar ineficaz ou se a solubilidade do fármaco mais indicado não permitir o seu uso por via tópica. sob o risco de contaminar a embalagem. hipnóticos. Terapêutica medicamentosa e a utilização de lentes de contacto De um modo geral não é recomendável que se utilizem lentes de contacto. recomendável algum espaçamento (5 minutos) entre gotas quando se aplicam duas ou mais em cada instilação. causadas por estafilococos. particularmente as . após a abertura da embalagem. anticolinérgicos. fenotiazinas. fungos e vírus. embora nalguns casos seja necessário recorrer à via sistémica para administrar o antibiótico mais adequado. para limitar as consequências de uma eventual contaminação. da isotretinoína (por poder causar conjuntivites). do ácido acetilsalicílico (por poder surgir nas lágrimas.9%) ou.1. a probabilidade de contaminação durante o seu uso é elevada. As úlceras da córnea. Alguns fármacos e conservantes podem acumular-se nas lentes e causar reacções tóxicas e coloração das lentes. as queratites e as endoftalmites exigem que o tratamento seja acompanhado por um especialista e. Controlo da contaminação A garantia de esterilidade é uma das principais exigências a que tem que obedecer qualquer medicamento destinado a ser aplicado no olho. anti-histamínicos e relaxantes musculares). 14. numa situação de emergência. de fármacos que reduzem a produção de lágrimas (por exemplo os anti-histamínicos. de fármacos com acção lacrimogénea (por exemplo a efedrina e a hidralazina). obrigam à administração de antibacterianos por via subconjuntival ou por via sistémica. a embalagem deve ser rejeitada quatro semanas após a sua abertura. diuréticos e antidepressivos tricíclicos).por isso. A falta de uma resposta satisfatória à terapêutica poderá indicar uma causa não bacteriana. em particular quando se usam formas líquidas. É. As blefarites e as conjuntivites são. drenagem e absorção nasal é mais provável com colírios do que com pomadas oftálmicas. uma simples lavagem com água corrente são alternativas eficazes. ser adsorvido pelas lentes de contacto e causar irritação) e da rifampicina e sulfasalazina (por poderem corar as lentes). de um modo geral. Existem várias formulações indicadas especificamente para este efeito mas uma solução estéril de soro fisiológico (NaCl 0. pode recorrerse à utilização de anti-infecciosos por via sistémica. Deve. durante uma terapêutica ocular tópica. 14. deve ser usada uma embalagem por doente que será rejeitada após uma semana de utilização ou usadas embalagens com doses unitárias.

o uso desta associação raramente se justifica.1. é preferível às tetraciclinas. Posologia: Usado na concentração de 0. colírio.1. Associação de antibacterianos com corticosteróides Em algumas formulações os antibacterianos encontram-se associados a corticosteróides. 40%. a menos que a sua utilização esteja a ser feita sob vigilânicia de um especialista. FUCITHALMIC Leo Pharmaceuticals. 40%. justificam algum empirismo na selecção do antibacteriano. O cloranfenicol é um antibacteriano frequentemente usado no tratamento de infecções superficiais (blefarites e conjuntivites). O gel ou a pomada oftálmica deve ser aplicada à noite (quando associada a colírios instilados durante o dia) ou 3 a 4 vezes por dia (quando usados isoladamente).2. ver ainda introdução deste subgrupo e para informações mais específicas consulte a informação que acompanha as especialidades abaixo indicadas. Antibacterianos As infecções bacterianas superficiais são geralmente causadas por cocos Gram-positivo e pelo Haemophilus o que. KANACYL Oftalder. O tratamento deve ser prolongado 48 horas após desaparecimento da sintomatologia. 5 g. geles ou pomadas. norfloxacina e ofloxacina). Anti-infecciosos 293 14. 10. a possibilidade do uso de cloranfenicol (mesmo por via tópica) poder causar anemia aplástica grave leva alguns autores a desaconselhar o seu uso como fármaco de primeira escolha. • s BECANAMICINA Indicações: Ver introdução deste subgrupo. os colírios devem ser instilados uma gota de 1 em 1 hora ou . Porém. havendo também toda a justificação para se usarem aminoglicosídeos (isoladamente ou associados a outros anti-bacterianos) e quinolonas (ciprofloxacina. bacitracina e gramicidina. • 14.3%. Reacções adversas: reacções de hipersensibilidade. 5 g. 40%. Posologia: usado na concentração de 1%. De modo geral utilizam-se antibacterianos de largo espectro de acção. Porém.1. O recurso a antissépticos em patologia ocular está hoje em desuso. 14. pela sua boa penetração. O recurso simultâneo à terapêutica sistémica é frequente neste tipo de afecções. Precauções: A utilização tópica pode criar problemas de resistência ao antibacteriano. Em situações particulares (ver ponto anterior) deve recorrer-se a vias de administração não tópicas.2.14. Reacções adversas: Irritação ocular passageira e possibilidade de causar anemia aplástica. No tratamento das úlceras da córnea de origem bacteriana pelo maior espectro de bactérias envolvidas e pela gravidade da situação. 5. sulfonamidas e aminoglicosídeos são também usados frequentemente no tratamento de infecções superficiais. s ÁCIDO FUSÍDICO Indicações: Infecções superficiais causadas por Staphylococcus.2. Administração Salvo indicação em contrário.1. aplicados sob a forma de colírios. A ausência de eficácia clínica ou o resultado do antibiograma podem levar à utilização de associações com outros antibacterianos como. O cloranfenicol. justifica-se uma análise laboratorial para a selecção do antibacteriano mais indicado. s CLORANFENICOL Indicações: Ver introdução deste subgrupo. 191$00 (38$20). por exemplo. a polimixina. 5. ver ainda introdução deste subgrupo e para informações mais específicas consulte a informação que acompanha a especialidade abaixo indicada. associado à benignidade da infecção e às elevadas concentrações que se podem atingir com o tratamento tópico.2. 883$00 (176$60). As tetraciclinas. KANACYL Oftalder. reduzindo a frequência conforme evolução da infecção. Reacções adversas: Reacções de hipersensibilidade e queratite epitelial punctata. 10 ml. devendo ser evitado. 2 em 2 horas. 432$00 (43$20).2.1% a 0. gele oftálmico. evitar a associação com outros fármacos que causem depressão medular. pomada oftálmica. Precauções: a utilização tópica pode criar problemas de resistência ao antibacteriano. Interacções: Possível a ocorrência de interacção com a quimotripsina.

OPHTAGRAM Lab. 248$00 (49$60). 10. 10 ml. 9 g. 5 g. 40%. 1 + 3150 UI. Chauvin. 5 g. 40%. colírio. 263$00 (87$70). 3 g. Posologia: Usado na concentração de 1% sob a forma de colírio ou pomada oftálmica. pomada oftálmica.1% a 0. 10. colírio. pó e solv. 5 ml. FRAKIDEX Lab. Reacções adversas: Reacções de hipersensibilidade e queratite epitelial punctata. 2. 474$00 (94$80).2. Chauvin. Anti-infecciosos a propósito do uso de antisépiticos em patologia ocular. 1 + 6300 UI. 10. • s CLORTETRACICLINA Indicações: Ver introdução deste subgrupo. u CLORANFENICOL + HIDROCORTISONA CLORCORTICIL Oftalder.05. colírio. pomada oftálmica. 8. 25 mg + 5 ml. DIALENS Lab. AURECIL Oftalder. ver ainda introdução deste subgrupo e para informações mais específicas consulte a informação que acompanha as especialidades abaixo indicadas. colírio. 296$00 (59$20). ver ainda introdução deste subgrupo. COLIRCUSI AUREOMICINA Alcon. 5 g. Chauvin. 433$00 (86$60). 265$00 (53$00). Chauvin. u FRAMICETINA + DEXAMETASONA FRAKIDEX Lab. 5 ml. ver ainda introdução deste subgrupo e para informações mais específicas consulte a informação que acompanha as especialidades abaixo indicadas. • Posologia: Usado na concentração de 0. 10. 264$00 (52$80). 5 g. • s CLORANFENICOL + CORTICOSTERÓIDES Ver na introdução deste subgrupo o que é dito a propósito da «Associação de antibacterianos com corticosteróides». pomada oftálmica. 40%. MICETINOFTALMINA Dávi Farmacêutica. 263$00 (29$20). 5 ml. 5. 3. 20 + 150 + 4. pomada oftálmica. 0%. CLOROCIL Oftalder. 5 g. 0%. 5. pomada oftálmica. s FRAMICETINA + CORTICOSTERÓIDES Ver na introdução deste subgrupo o que é dito a propósito da «Associação de antibacterianos com corticosteróides». pomada oftálmica. s GENTAMICINA Indicações: Ver introdução deste subgrupo. 40%.sol. FENOPTIC Allergan. 9 g. • s CLOROHEXIDINA Ver na introdução deste subgrupo o que é dito . 0. 40%. u CLORANFENICOL + PREDNISOLONA PREDNIFTALMINA Dávi Farmacêutica. CLOROCIL Oftalder. 40%. 40%. 863$00 (86$30). 500$00 (55$60). 10 ml. • u CLORANFENICOL + ETACRIDINA + CORTISONA OFTALMOLOSA CUSI BLEFADID Alcon. MICETINOFTALMINA Dávi Farmacêutica.3%. 504$00 (100$80). 291$00 (58$20). 40%.5% ou 1% sob a forma de colírio ou pomada. 10 + 10. 173$00 (34$60). 342$00 (68$40). pomada oftálmica. 576$00 (57$60).5 + + 10. 40%.. respectivamente. 40%. Recomendada também no tratamento do tracoma e outras infecções por Chlamydia . 0%. Posologia: Usado na concentração de 0. 40%. 5 ml. 0%.294 Capítulo 14 | 14. KEMICETINE Pharmacia & Upjohn. pomada oftálmica. colírio.oftal. colírio. 5.

5 + 0. 40%. GENTOCIL Oftalder. 371$00 (37$10). • u NEOMICINA + DEXAMETASONA DECADRON Merck Sharp & Dohme. a utilização prolongada pode causar o aparecimento de reacções de hipersensibilidade cruzada com outros aminoglicosídeos. 5 ml. s NEOMICINA Indicações: Ver introdução deste subgrupo. 5 ml. colírio. DEXAMYTREX L. 10 ml. Para informações sobre a posologia consulte a informação que acompanha as especialidades abaixo indicadas. 5 + 1. 5 ml. Anti-infecciosos OPHTAGRAM Lab. 40%. 493$00 (98$60). Em Portugal estão disponíveis as seguintes associações de neomicina (só ou com outros antibacterianos) com corticosteróides: s GENTAMICINA E CORTICOSTERÓIDES Ver na introdução deste subgrupo o que é dito a propósito da «Associação de antibacterianos com corticosteróides». colírio. pomada oftálmica. u NEOMICINA + POLIMIXINA B + PREDNISOLONA CONJUNCTILONE-S Allergan. 676$00 (135$20). u GENTAMICINA + DEXAMETASONA DEXAMYTREX OPHTIOLE L. 248$00 (49$60). 500 + + 50000 UI + 1000. pomada oftálmica. pomada oftálmica. colírio. 281$00 (56$20). 411$00 (82$20). colírio. 5. 10 g. pomada oftálmica. 40%. Lepori. 6. 5 g. Chauvin. Reacções adversas: Reacções de hipersensibilidade e queratite epitelial punctata. 3. . 40%. colírio. 5 g. colírio. 40%. colírio. 40%. • s NEOMICINA + CORTICOSTERÓIDES Ver na introdução deste subgrupo o que é dito a propósito da «Associação de antibacterianos com corticosteróides». COLIRCUSI GENTAMICINA Alcon.2. 5 g. 40%. 339$00 (96$90). 459$00 (45$90). 319$00 (63$80).5 g. 493$00 (98$60). u NEOMICINA + BACITRACINA + HIDROCORTISONA DAVIMICINA Dávi Farmacêutica. 3. u NEOMICINA + PREDNISOLONA NEO-DAVISOLONA Dávi Farmacêutica. 5 + 2. 247$00 (24$70). 5 + 1. u NEOMICINA + FLUOROMETALONA NEO-PREOCIL Oftalder. 40%. 5 + 10000 UI + 5. colírio. 40%. u GENTAMICINA + TETRIZOLINA + DEXAMETASONA COLIRCUSI GENTADEXA Alcon. 10 ml.5 + 1. 40%. 5 ml.14. ENEVIS Cosmofarma. 10 ml. GARALONE Schering-Plough. 40%. pomada oftálmica. colírio. 5 ml. 3 g. 305$00 (101$70). GENTOCIL Oftalder. 40%. 387$00 (38$80). 5 + 1.3. 0%. 3 + 0. 5 + 1. pomada oftálmica. 40%. 3.5. recomendada também no tratamento de queratites causadas por Acanthamoeba. 695$00 (139$00). 5 ml. DEXAVAL O Tecnifar. • 295 Posologia: 1 a 2 gotas (ou pomada) 2 a 4 vezes por dia durante 7 a 10 dias. Lepori. 359$00 (71$80). 40%. Precauções: A utilização tópica pode criar problemas de resistência ao antibacteriano. 3. 3.

585$00 (117$00). 40%. s TETRACICLINA + CORTICOSTERÓIDES Ver na introdução deste subgrupo o que é dito . Contra-indicações: Durante a gravidez e lactação não deve ser usado mais de 10 dias. 0%. Chibret. EXOCIN Allergan. 5 ml. EXOCIN Allergan. Cusí. 3. 0%. Posologia: 1 a 2 gotas (colírio a 0. queratite. 537$00 (107$40). para informações mais específicas consulte a informação que acompanha as especialidades abaixo indicadas. queratite. 5 + 5000 UI. 10 ml. 3 g. colírio. 123$00 (41$00). 551$00 (55$10). 0%. irritação local incluindo fotofobia.5 + 5. 3. hiperemia conjuntival. s NORFLOXACINA Indicações: Ver introdução deste subgrupo. 40%. 5 + 1 + 14. 10 ml. FLOXEDOL Oftalder. 5 ml. Posologia: Ver introdução deste subgrupo e para informações mais específicas consulte a informação que acompanha as especialidades abaixo indicadas. s OXITETRACICLINA Indicações: Ver introdução deste subgrupo. 564$00 (112$80). 5 ml. 1 014$00 (101$40). está também recomendada no tratamento do tracoma e de conjuntivites causada por Chlamydia. quemose e sabor amargo. Reacções adversas: Reacções de hipersensibilidade. para informações mais específicas consulte a informação que acompanha a especialidade abaixo indicada. colírio. colírio. irritação local incluindo fotofobia. Reacções adversas: Reacções de hipersensibilidade e queratite epitelial punctata. colistina. TERRICIL Oftalder.3%) de 4 em 4 ou de 6 em 6 horas. 1 056$00 (105$60). 1700 UI + 0. edema palpebral. 3. ver ainda introdução deste subgrupo e para informações mais específicas consulte a informação que acompanha a especialidade abaixo indicada. • s NEOMICINA E OUTROS ANTIBACTERIANOS Indicações: A associação de neomicina com outros antibacterianos cono a bacitracina. conforme a gravidade da infecção. 5 g. u NEOMICINA + GRAMICIDINA + POLIMIXINA B POLYSPORINA Lab. pomada oftálmica. hiperemia conjuntival. Reacções adversas: Reacções de hipersensibilidade. 100. 832$00 (166$40). pode formar precipitados e crostas nas margens das pálpebras. quemose e sabor amargo. conforme a gravidade da infecção. 209$00 (41$80). 40%. gramicidina ou polimixina está recomendada no tratamento de queratites causadas por Acanthamoeba. ver ainda introdução deste subgrupo nomeadamente sobre a associação de antibacterianos. CHIBROXOL Lab. u NEOMICINA + PREDNISONA OFTALMOLOSA CUSI PRED NEO Lab.3%) de 4 em 4 ou de 6 em 6 horas. 5 ml. edema palpebral. lacrimejo. colírio. 0%. Wellcome. pode formar precipitados e crostas nas margens das pálpebras. • s OFLOXACINA Indicações: Ver introdução deste subgrupo. Anti-infecciosos Posologia: 1 a 2 gotas (colírio a 0. 0%. lacrimejo. Posologia: Usado na concentração de 1% sob a forma de colírio ou pomada oftálmica. pomada oftálmica. 10 ml. • u NEOMICINA + FLUOROMETALONA + ÁLCOOL POLIVINÍLICO FML NEO Allergan. u NEOMICINA + POLIMIXINA B CONJUNCTILONE Allergan. colírio. 0%. 3.025 + + 5000 UI.296 Capítulo 14 | 14. 3. colírio.2. colírio.

1 171$00 (334$60). Antivíricos u TETRACICLINA + PREDNISONA CICLOBIÓTICO C/ PREDNISONA Lab. 0%. O uso prolongado pode causar lesões da córnea. • 14. as mais comuns. colírio. 1 912$00 (424$90). 1 200$00 (120$00). ver ainda introdução deste subgrupo e para informações mais específicas consulte a informação que acompanha as especialidades abaixo indicadas. 15 g.2.2.14. Posologia: Ver introdução deste subgrupo e para informações mais específicas consulte a informação que acompanha a especialidade abaixo indicada. 40%.2. 5 g.5 g. Posologia: Usado sob a forma de pomada oftálmica a 3% aplicada 5 vezes por dia ou de 4 em 4 horas. 40%. dor. 490$00 (98$00). TOBRIDAVI Dávi Farmacêutica. fotofobia. inflamação local e queratite epitelial punctata. 123$00 (8$20).5. conjuntivite. O aciclovir. 40%. 4. ZOVIRAX Lab Wellcome. • s ACICLOVIR Indicações: Queratite herpética. ACICLOSINA Cipan. e durante 3 a 7 dias após a cicatrização. TOBREX Alcon. pomada oftálmica. 489$00 (97$80). 3. O tratamento da queratite herpética consiste na aplicação tópica 5 vezes por dia durante a primeira semana ou até ter ocorrido reparação do epitélio. colírio. Reacções adversas: Reacções de hipersensibilidade e queratite epitelial punctata.3. Anti-infecciosos a propósito da «Associação de antibacterianos com corticosteróides». Reacções adversas: Irritação local. 5 ml. • As infecções córneo-conjuntivais víricas são relativamente frequentes sendo as queratites herpéticas. Anti-fúngicos As infecções oculares por fungos são pouco comuns e ocorrem em situações muito especiais (por exemplo em doentes imunodeprimidos) devendo o tratamento ser acompanhado por especialistas. TOBREX Alcon. 0%. nistatina ou clotrimazol. 0%.2.5 g. s TRIFLURIDINA Indicações: Queratite herpética. ver ainda introdução deste subgrupo e para informações mais específicas consulte a informação que acompanha as especialidades abaixo indicadas. 1 789$00 (357$80).3%. s TOBRAMICINA Indicações: Ver introdução deste subgrupo. 5 ml. colírio. Pode recorrer-se a colírios de anfotericina B. Reacções adversas: Ligeira irritação local passageira. 30. 3. 30. prurido. edema e inflamação ocular e das pálpebras. . Atral. 5 g. 3. pomada oftálmica. pomada oftálmica. 416$00 (83$20). 10 ml. 10. 0%. 3. pomada oftálmica. Precauções: A utilização tópica pode criar problemas de resistência ao antibacteriano. 297 14. 30. pomada oftálmica. As infecções podem ser causadas por diversos fungos pelo que é recomendável a identificação do agente causal para uma melhor selecção do tratamento. menos frequentemente pode surgir oclusão do canal lacrimal e reacções de hipersensibilidade.1% a 0. HERMOCI Oftalder. a trifluridina e a vidarabina estão recomendados para o tratamento da queratite herpética embora o aciclovir pareça ser o melhor tolerado de entre os antivíricos disponíveis. causadas pelo vírus do herpes simplex. Posologia: Usado sob a forma de colírio a 1% de 2 em 2 horas. 10 +