Você está na página 1de 22

Sabão do Professor

oliveiraanna@itelefonica.com.br

IMPORTANTE:

As formulações apresentadas são orientativas e dependem de registro no


Ministério da Saúde por conta do produtor.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento”


Professor Luiz Paulo
Dedico este trabalho a todos aqueles que me ajudaram, apoiaram,
incentivaram e especialmente para aqueles que não me atrapalharam!
Perante Deus, ajoelho-me e agradeço.

“As informações contidas nesta apostila devem ser trabalhadas com


responsabilidade”

O autor permite reprodução total ou parcial de seu


conteúdo sem problemas.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 1


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

COLD PROCESS

COLD PROCESS nada mais é do que PROCESSO FRIO. Isto não é


novidade, pois este processo de fabricação de sabões é muito antigo, eu mesmo vi
em anotações numa caderneta de meu Pai datadas de 1930 uma receita de sabão
feito com óleos, soda, água e fubá através deste processo a frio, porém é muito mais
antiga que isso. Hoje ganhou status de COLD PROCESS. Nunca se fez tanto COLD
como se faz hoje em qualquer quintal, quando as donas de casa utilizam óleo de
cozinha usado (reciclado).
Este mesmo processo, agora mais elaborado, com controle de temperatura,
de pH, utilizando-se óleos e gorduras refinados de muito boa qualidade, com baixa
acidez, obtém-se excelentes sabonetes que ganham óleos essenciais e outros
aditivos que lhes conferem ótimas propriedades para a pele além de serem bonitos e
únicos, pois são feitos artesanalmente. Importante ressaltar que, durante a
saponificação, a temperatura da massa saponífera se eleva, ficando muito quente.

PREPARANDO A LIXÍVIA PARA COLD PROCESS

É um erro preparar pequena quantidade de massa saponífera. Muito pouco, a massa


foge do ponto, perde calorias e endurece muito rápido. É melhor preparar sempre de meio
quilo de gorduras ou mais.
Se tiver mais gorduras saturadas do que óleos, então aumentamos a quantidade de
água da lixívia, se tiver mais óleos diminuímos, variando assim:

1° CASO = 1 kg de soda 99% com dois litros de água = total 3kg de lixívia ou então
medimos pra ver quantos mililitros(ml) tem.(Complete com água até chegar aos 2450 ml).
Ou pesamos em gramas ou usamos em ml. Essa quantidade de água é para quando
usamos mais óleos na saponificação. (esta é PARA O COLD PROCESS)

2°. CASO = 1 kg de soda 99% com 3 litros de água ( quando diminuímos os óleos
insaturados e aumentamos as gorduras saturadas).

3° CASO = 1 kg de soda 99% com 4 litros de água (q uando tem mais sebo do que
óleo) O sebo é uma gordura saturada.
Detalhe: com esta quantidade de lixívia, para fazer SABÃO ALCALINO usamos 6 kg
e um pouquinho de gorduras, se quero mais alcalino coloco apenas 6 kg.
No caso de SABONETE, com essa quantidade toda de lixívia tem que se colocar 7 kg de
gorduras (óleos) para não ficar super alcalino. Isto é uma MÉDIA, já que cada gordura ou
óleo tem um ponto de saponificação próprio, ou seja, a relação de SODA e GORDURA.
Então, se vamos fazer uma quantidade menor, por exemplo: usando apenas 500 g
de gorduras (óleos), dividimos os três quilos de lixívia do 1° CASO por SETE, que são os
sete quilos de gorduras, o que vai dar = aproximadamente 430 g de lixívia para 1 kg de

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 2


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

gorduras(óleos), se vamos fazer com meio quilo de gorduras, então dividimos 430 g por 2, o
que nos dá = 215 g de lixívia que vamos usar. SE QUISER USAR EM mililitros (ml), basta
ver quantos ml deu na lixívia toda e repartir por sete e ir dividindo.

Eu preparei para esta experiência:

1 kg de soda e 2 litros de água. No outro dia eu medi em ml, faltou um pouquinho pra
chegar em 2450 ml, então eu completei.
POR QUÊ?
Pra ficar fácil a minha conta. Eu usei em ml e não em gramas:
então = 2450 ml : 7 = 350 ml, ou seja eu uso 350 ml para 1 kg de gorduras, se vou fazer
metade, então uso 350 : 2 = 175 ml dessa minha lixívia.
POR QUÊ? Caso você não tenha uma balança de precisão, um COPO daqueles de
medida que se usa na cozinha você tem NÃO É MESMO? Por isso que minha receita virou
um tijolo de duro, eu usei mais gordura do que óleo. Então, eu poderia até ter colocado um
pouco mais de água na lixívia que ainda ficaria duro. Agora, se vou fazer uma
receita com mais óleos então não posso abusar da água senão fica mole mesmo.
Na minha receita de SABÃO FRIO eu coloco 5 kg de SEBO e 1 kg de óleo de
soja, com lixívia do 3°. CASO. Se eu coloco 2 kg de sebo e 4 kg de óleo, então uso
o 2°. CASO, se faço uma receita só com óleo usado e u passo para a lixívia do 1°.
CASO, ou seja, quanto mais óleos na receita MENOS água na lixívia.

O pH gira em torno de 8,5 a 10!


RECEITA BÁSICA DE COLD PROCESS

Quantidade mínima

Se fizer menos que isso dá problemas já mencionados

500 g de gordura hidrogenada (dessas de fazer glacê de bolo)


É um pacotinho, você compra no supermercado!
215 g de lixívia do 1° CASO ou então 175 ml do 1° CASO (se você aumentou
para 2450 mililitros (ml) a lixívia)
Temperatura da gordura = 50° C
Temperatura da lixívia = 40 °C
Despejar vagarosamente a lixívia sobre a gordura derretida e vai mexendo até
começar a engrossar, daí entra com o corante (base de óleo) e a essência ou óleo
essencial e os óleos insaponificáveis com vitaminas e outros aditivos.
Usando essência à base de óleo, convém misturá-la (se quiser) com um pouco de
dipropilenoglicol ou propilenoglicol. Despeje na forma forrada com plástico e cubra,
embrulhe e espere 24h, abra, corte e guarde fechado num lugar arejado para
“CURAR” pelo menos uma semana. Se você achar que ficou duro demais, basta
colocar na lixívia que você vai usar na receita um pouquinho mais de água. Se
quiser mais espuma coloque uns 20 ml de lauril (nem precisa) Se quiser colocar
outros óleos (girassol, canola, soja, milho, azeite, coco, palma) na receita, basta ir
diminuindo na quantidade de gordura hidrogenada. Não coloque muita quantidade
de mamona, ela diminui a espuma. Ex: 450 de gordura + 50g de mamona. Se
colocar muito óleo, FICA MOLE!
Exemplos:
300 g de gordura de coco + 100 g de óleo de canola + 100 g de azeite
350 g de banha suína + 100 g de sebo bovino + 50 g de óleo de milho

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 3


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

300 g de sebo bovino + 100 g de coco + 100 g de óleo de soja


450 g de sebo bovino + 50 g de azeite
250 g de coco + 150 g de palma + 100 g de soja
FAÇA OUTRAS COMBINAÇÕES! Com ou sem mamona! Você
consegue!!!

Observe que o percentual de SATURADOS é sempre maior, isto é para se


conseguir um sabonete com maior grau de dureza. Se quiser fazer só com óleos
também dá, mas na hora de preparar a lixívia tem que colocar menos água, por ex:
1 kg de soda 99% com UM litro de água. A ESTEARINA ou ÁCIDO ESTEÁRICO é
muito utilizada para dar maior dureza aos sabonetes. Costuma-se usar de 10 g a 20
g dela na receita de 1 kg de óleos e gorduras. Ela entra na conta também. Tire 10 g
ou 20 g de algum óleo e substitua por ela.

ATENÇÃO: Não se esqueça de usar o EDTA na água


(seqüestrante de metais).

Quando a massa do sabonete atinge o tal do TRACE, (É QUANDO ELE


COMEÇA A ENGROSSAR) então nós começamos a acrescentar os aditivos
(corantes, essências ou óleos essenciais, ervas, argila, etc), que vão dar um toque
especial ao sabonete. VEJA os óleos que você pode colocar:
• Semente de uva – contém vitaminas revitalizadoras e regenerativas.
• Rosa mosqueta – ideal para peles secas.
• Macadâmia – é um excelente antioxidante.
• Linhaça – Poderoso hidratante.
• Jojoba – É antiinflamatório e antioxidante.
• Gemem de trigo – Hidratante especial.
• Cenoura – Emoliente.
• Camélia – Umectante.
• Amêndoas doces – Para peles ressecadas.
• Abacate - Oferece maciez e flexibilidade à pele e cabelos.
• Existem outros, pesquise.

Manteigas:

• Cacau – Amacia e lubrifica a pele.


• Abacate –Devolve a elasticidade à pele.
• Karitê – Protege e confere emoliência

• COSTUMA-SE usar cerca de uma colher de chá (tanto dos


óleos como das manteigas) para cada receitinha destas que
eu indiquei – com meio quilo de gorduras. Se fizer Um quilo
coloque uma colher de sopa.

OUTROS ADITIVOS:

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 4


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

• Pó de folhas de alecrim
• Gel de babosa (Aloe vera)
• Argila (branca, rosa, verde, vermelha)
• Arroz em pó (bata no liquidificador).
• Canela em pó
• Gengibre em pó
• Noz moscada em pó.
• Chocolate em pó
• Pó de café ( 2 colheres no trace) para tirar cheiros das mãos!
• Outros a seu critério!
Costuma-se colocar uma colher de sopa de qualquer um deles já
diluídos em uma parte de óleo (2 colheres de óleo) que vai usar na
receita. Alguns nem precisa. O chocolate precisa.

CORANTES E ESSÊNCIAS:

Como a qualidade desses produtos varia muito, costuma-se usar cerca


de 10 ml até 30 ml de essência ou óleo essencial por kg de gorduras
utilizadas na receita.
O CORANTE, QUE DEVE SER OLEOSO fica a seu critério a
quantidade.

ASH

“Ash” significa cinzas em inglês. Poderá ocorrer certo branqueamento na


superfície do sabonete. Estas pequenas formações esbranquiçadas ocorrem devido
à reação da soda com o gás carbônico contido no ar, normalmente surge onde o
sabonete ficou exposto ao ar durante o início da secagem. O “Ash” aparece só
superficialmente, podendo ser removido facilmente raspando-o com uma faca fina,
ou passando uma flanela.
Para evitar o Ash cubra a massa colocando um plástico encostado em toda a
superfície da massa de forma a evitar o contato com o ar. O uso de cera de abelha
na massa do sabonete pode evitar o aparecimento do Ash. Não é um problema
sério, mas pode irritar uma pele demasiadamente sensível.

“Superfatting”

O “superfatting” é uma quantidade extra de gordura em relação à soda para


garantir ao sabonete suavidade e emoliência. Ou seja, para se obter a
saponificação, misturamos certa quantidade de soda que irá neutralizar os óleos,
mas se queremos um sabonete mais suave, podemos descontar a quantidade de
soda, de modo que a quantidade de óleos fique em excesso (sem saponificar-se)
para emprestarem suas propriedades em benefícios à pele.

Existem duas formas de se fazer o “Superfatting”:

Na primeira forma acrescentam-se óleos/gorduras como aditivos após atingir


o “Trace”. O trace significa que a saponificação foi atingida em boa parte, portanto,
se o óleo ou aditivo for acrescido neste momento boa parte de suas propriedades se

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 5


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

manterá intacto no sabonete, ou seja, sem a interferência da saponificação e, suas


propriedades benéficas se mantêm em seu estado natural no sabonete e são
sentidos mais acentuadamente na pele. Você pode acrescentar em torno de 1 a 3%
do total de óleos para realizar este tipo de “superffating”, não exagere para não
correr o risco de obter um sabonete muito oleoso o que aumenta as chances de se
criar ranço.
A outra forma de se fazer “superfatting” é descontando uma pequena porcentagem
da quantidade da Soda, 5% é o ideal.

Tabela com Índices de Saponificação

1 kg de gordura ou óleo precisa Gramas de soda cáustica


para a saponificação: Soda 99%
Soda Líquida é o dobro
Sebo bovino 138 g até 143g

Manteiga de cacau 137 g

Banha de porco De 138 até 139,5g


Babaçu 176 g

Amendoim 133 g até 140 g

óleo de coco . 181g até 188 g


Estearina 141 g
óleo de palma 140 g até 146 g

Óleo de oliva 134 g até 140g


Gordura vegetal 136 g até 140 g

óleo de linhaça 134 g até 138 g


óleo de girassol 134 g até 137g
óleo de algodão 137 g até 140 g

Óleo mamona 128 g até 130 g

Óleo de milho 136 g ate 138 g


Óleo de soja 137 g até 139 g
dendê 248g

Os valores apresentados nesta tabela podem variar em função do


grau de acidez dos óleos ou gorduras, é só uma questão de adaptação.
Na receitinha que eu apresentei, fiz uma média entre os óleos e gorduras
o que deu um valor aproximado de 142 g de soda para cada quilo de gordura.
Você pode optar por fazer as contas nos mínimos detalhes!
Abraços, Prof. Luiz Paulo.
“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 6
Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

Os Aditivos
Uma vez feita a escolha dos óleos bases, passamos a escolher as
substâncias que irão incorporar outras propriedades enriquecedoras para os
sabonetes. Estes aditivos podem ser ervas, flores, vegetais como frutas, legumes
frescos ou desidratados, especiarias, sementinhas, manteigas e outros óleos mais
sofisticados, argilas, cereais, mel, enfim, uma infinidade de substâncias que a
natureza oferece para nos beneficiar em saúde e beleza.
No quadro abaixo você pode encontrar alguns dos aditivos mais utilizados,
sua finalidade e a quantidade a ser utilizada. Tenha esta tabela como uma
referência, servindo apenas de guia inicial. O uso das ervas para infusões e chás
está quantificado para uso em pó ou desidratadas. Caso queira utilizar as ervas
verdes e frescas, observe que a quantidade de ervas verde pesa quase o dobro da
erva seca. Portanto:
Se você desejar ferver 30 gramas de erva verde em 1 litro de água, por exemplo.
Para utilizar a mesma erva seca ou em pó, você deverá utilizar somente 10 gramas.
A planta seca precisa mais tempo de infusão do que a verde.

Atenção: para os sabonetes onde se acrescenta leite ou mel ou ambos, estes


aditivos tem a características de superaquecerem a massa, por isso, ao utilizar um
desses ingredientes apenas cubra a massa com filme plástico para evitar o “Ash” e
deixe-o descansar.

Existem algumas centenas de sites internacionais de onde retirei


algumas informações.

Tabela de aditivos

Quantidade para
Aditivo Qualidade que confere
cada Kg de óleo
base

Adicione 7g por
Ácido kg de óleos e
Esteárico Use para endurecer o sabonete. coloque para
derreter
juntamente com
os óleos base.

Use 2 colheres de
Açúcar Acrescenta espuma e dureza ao sabonete. chá por kg de
óleo, adicionado
na água da lixívia.
“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 7
Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

Utilize as folhas
ou em pó. Uma
Alecrim Tem leve propriedade adstringente, estimula a
colher de sopa ao
circulação.
“Trace”.

Raspe com uma


Aloe vera Cicatrizante e muito utilizado em escoriações e
colher o gel e
(babosa) queimaduras. Fortalece o couro cabeludo ,
coloque 60
prevenir rugas, combater peles flácidas ou secas,
gramas ao trace.
cabelos secos ou caspa e loções após a barba.

Se for extrato
seco use 2
colheres de chá
na lixívia morna,
Raiz Alteia, Conhecido no tratamento dos brônquios é um
se for raiz faça
ótimo amaciante para a pele.
uma decocção
em água e
substitua parte da
água.

Aproximadamente
Amêndoas
2 colheres de
Doces Moída, atua como desentupidor de poros e
sopa .
absorve o excesso de oleosidade da pele.
Deve ser crua e
desidratada.

Use
aproximadamente
2 colheres de
sopa por kg de
Tem propriedade secativa, absorve a oleosidade óleos. Misture-o
Argila
da pele, inclusive toxinas e impurezas fechando em uma parte da
também os poros. Também colabora na fixação base ao “Trace”
da essência. bem leve, misture
antes da
essência, pois
acelera o
endurecimento.

Utilize após
processar em pó.
Arroz Bom como esfoliante
1 ou 2 colheres
de sopa.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 8


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

Prefira os
integrais. Passe-
os pelo
Aveia Ótimo esfoliante natural, ajuda a desentupir os processador para
poros e auxilia na hidratação. Faz uma boa fazer farelo
combinação com leite ou mel. médio.
Aproximadamente
duas colheres de
sopa ao trace.

Em pó utilize 2
Benjoim
Atua como fixador da essência. colheres de sopa
,Resina
no “Trace”
Use em pó. 2
colheres de sopa
É utilizado para retirar odores desagradáveis da
ao “Trace”, ou
pele, ideal para uso em sabonetes na cozinha
Café café em lugar da
para retirar o cheiro de cebola e alho das mãos,
água para lixívia
por exemplo.
feito com água
destilada

Utilize em infusão
com o óleo base
(oliva) ou suas
pétalas após o
trace. 2 a 3
Contém carotenóide que nutre a pele, é colheres sopa. As
cicatrizante, antialérgica, refrescante, pétalas não
Calêndula
antiinflamatória, bactericida e antifúngica, age descolorem
contra acne, pele seca, feridas e queimaduras. mantendo sua cor
viva no sabonete,
conferindo um
aspecto muito
bonito.

Utilize as próprias
flores (2 colheres
de sopa) ao trace
Camomila Dá propriedade adstringente, mais ou em infusão
claridade e brilho aos cabelos claros. com o azeite de
oliva da base a
ser utilizado.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 9


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

Utilize a canela
em pó,de 1 a 2
colheres de chá ,
Tem leve propriedade anti-séptica e adicionam
Canela diluída com 1 ou
certa estabilidade à espuma, além de
2 colheres de
proporcionar um agradável aroma picante e cor
sopa de óleo da
caramelada ao sabonete
própria receita.
Utilize suas folhas
em infusão em
Cavalinha Tem propriedades antiacneicas. óleo base.

Rale um pouco e
acrescente ao
trace. Confere cor
Cenoura Rico em vitamina A e outras vitaminas,
alaranjada ao
sabonete. Use
meia xíc. de chá.

Aproximadamente
Cera de Tem propriedades protetoras para a pele e dá 30g derretida
Abelha consistência ao sabonete, além de prevenir o ash. juntamente com
as gorduras
sólidas.

Uma colher de sopa cheia,


Chocolate Confere propriedade protetora, pois
diluída em 2 ou 3 de azeite
em pó forma um filme sobre a pele, além de
ou outro óleo da receita.
conferir cor marrom ao sabonete.

Tem propriedades regenerativas das Utilize suas folhas em


Confrey
células, cicatrizante, antiinflamatório, infusão em óleo base.
para peles oleosas e com acne.

Tem propriedades anti-sépticas, mas


Cravo da 1 a 2 colheres de café
também pode irritar a pele, portanto
Índia diluído em óleos ao trace.
utilize com moderação.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 10


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

Utilize 1 a 2 colheres de
Maisena Absorve a oleosidade e é um leve
sopa ao trace.
esfoliante para a pele,

Fucus Rico em vitaminas e minerais. 1 a 2 colheres de chá de


algas em pó ao trace.
2 a 3 colheres de chá do
Funcho Limpador, estimulante e hidratante.

Faça um chá forte e deixe


descansar por um ou dois
Aquece o corpo e ativa a circulação dias, coe e substitua parte
Gengibre
sanguínea, da água da lixívia. Pode ser
utilizada também em
infusão de óleo base.

Bom esfoliante natural, rico em vitamina


Gérmen de Em farinha: 2 colheres de
E, retarda o envelhecimento da pele.
Trigo sopa ao trace.

Rica em tanino. Limpa e fecha os poros.


Possui propriedade cicatrizante, anti-
séptica, reduz a secreção sebácea, 1 a 2 colheres de sopa em
Hamamélis
aumenta a resistência dos capilares e infusão de óleos.
regula a micro circulação. Ótimo
adstringente, indicado para pele oleosa.

Utilize farelo de folhas


Refrescante, estimulante e pode
(aprox. 1 colher de sopa por
amaciar a pele do rosto, pode ser
Hortelã kg de óleos base)
utilizados para controlar a caspa,
desidratada após o trace ou
quando usada em xampu.
em chá forte na água da
lixívia.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 11


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

A lanolina lembra o "sebo humano"


age como protetor da pele contra
agentes físicos exteriores e contra
infecções, além de lubrificá-la
Lanolina impedindo a evaporação rápida da Utilize 3 colheres de sopa.
umidade e conservando sua normal
elasticidade. Promove a maciez do
tecido e promove a sua re-
hidratação.

Suas flores acentuam seu aroma no Acrescente as flores


sabonete. Tem propriedades desidratadas ao “Trace” 3
Lavanda
calmantes, adstringentes e colheres de sopa
cicatrizantes. aproximadamente.

O sabonete de leite de cabras é


muito apreciado desde a antiguidade.
O leite de cabra é rico em alpha-
Leite de 3 colheres de sopa
hidróxi, que dá propriedades
Cabra aproximadamente.
rejuvenescedoras e hidratantes à
pele. Confere cremosidade ao
sabonete.

Utilizado há séculos como um


limpador natural da pele. Dá mais Pode ser utilizado em pó ao
cremosidade ao sabonete. trace ou substituir parte da
Leite
água da lixívia se utilizado in
natura.

Seu suco pode substituir


O óleo contido na casca é um metade ou toda a água da
Limão
bactericida natural e contém também lixívia ou sua casca ralada
vitamina C. adicionada ao trace (1 colher
de Sopa). Equilibra o
pH aumentando a acidez.

Se utilizado em excesso
pode “diminuir a espuma”.

É umectante, anti-séptico e
Utilize aproximadamente 2
bactericida, acrescenta cremosidade
Mel colheres de chá por kg de
à espuma e mais consistência ao
óleos base, adicionada ao
sabonete.
trace levemente aquecido.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 12


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

Tem qualidade bactericida, muito


Mirra da índia utilizado na saboaria para auxiliar na 1 colher de sopa ao trace
fixação da essência.

Utilize a fruta fresca


Contém ácidos que atuam como
amassada, utilize a polpa
adstringente e fechador de poros.
Morango não o suco e acrescente
Contém altos índices de Vitamina C
aproximadamente 100 ml.
e é clareador da pele.
Ao trace

Dá agradável fragrância
Utilize em pó 2 a 3 colheres
Noz Moscada principalmente em conjunto com
de chá ao “Trace”.
aromas cítricos.

Utilize como esfoliante da pele, em Aproximadamente 3 colheres


Pedra Pomes
pó bem fininho. de sopa .

Passe o pepino fresco em


um processador ou ralador
Auxilia na limpeza da pele, é
Pepino bem fininho e acrescente ao
adstringente.
trace Utilize 100ml para cada
kg de óleo base e desconte
da água da lixívia.

Adicione 2 ou 3 colheres de
Rosas,
sopa de pétalas ao trace.
Pétalas Adstringente e tonificante
Escurece com a
desidratadas
saponificação.

Adicione 2 colheres de chá


Confere maior dureza ao sabonete.
em um pouco de água
Sal O sal pode também atrapalhar na
destilada fervida, acrescente
espuma.
o restante da água da lixívia.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 13


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

Utilizado em
infusão com
óleo base, 1,5
colher de
Forte propriedade bactericida, adstringente
Sálvia sopa de folhas
e limpadora, com característica desodorante.
desidratadas e
moídas ao
trace.

Adstringente bactericida e fungicida, amacia Utilize em infusão


Tanchagem e com
tonifica a pele. óleo base
juntamente com
outras ervas.

Perfeito para cuidados de pele, cabelos e corpo. 1 a 2 colheres de


Contém minerais, clorofila, propriedades fungicida, sopa em
Urtiga
estimulante, usado na fitocosmética, contra acne e infusão.
caspa, dá cor ao sabonete.

Argilas
Argila Branca
É a mais leve de todas, possui propriedades cicatrizantes, devido à elevada
porcentagem de alumínio presente em sua composição. Esta argila é a de menor
propriedade absorvente sendo indicada para produtos para peles sensíveis e
também usada em máscaras faciais, loções e xampus para cabelos secos.

Argila Rosa
Tem propriedades cicatrizante e suavizante. Por ser extremamente suave, pode
ser usada todos os dias sem ressecar a pele, é recomendada para peles
desidratadas e delicadas e em máscaras faciais, loções, cremes. Especialmente
indicada para produtos calmantes como pós-depilatórios, pós-barba, talcos, etc.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 14


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

Contém magnésio, cálcio, potássio, manganês, fósforo,


zinco, alumínio, silicone, cobre, selênio, cobalto e
Argila molibdênio. Possui ação absorvente. Utilizadas
Verde principalmente para produtos para pele acneica e oleosa
e em produtos para cabelos oleosos.
Menos absorvente que a argila verde. Rica em óxido de
ferro e cobre
Argila
Usada em máscaras faciais, cremes e shampoos para
Vermelha
cabelos normais. Indicada mais para uso em peles
oleosas.
A argila marinha é rica em minerais, tem uma cor verde
Argila bem escura e é obtida do fundo do mar. Ela tem uma
Marinha grande concentração de algas marinhas o que a faz
perfeita para purificar e tonificar o corpo.

As temperaturas

“A temperatura é muito importante no “Cold Process”, apesar do termo “ a frio”


devemos observar para que tanto os óleos como a lixívia, estejam com certo calor
ao se iniciar a mistura , uma temperatura muito baixa tende a acelerar o
endurecimento, assim como calor demasiado ou diferenças de temperaturas entre a
lixívia e os óleos podem provocar a separação da parte líquida da oleosa ou outros
problemas.(fugir do ponto).

Durante o processo de SAPONIFICAÇÃO observa-se o aumento de


temperatura. É um tipo de Reação Química EXOTÉRMICA, onde ocorre o
desprendimento de calor.

Manter certo calor é importante para que se tenha tempo ideal para se atingir
o “trace”.
Para estabelecer a temperatura para o início da mistura, você pode seguir dois
critérios: iniciar a mistura da lixívia aos óleos de 34º à 39ºC para quantidades acima
de 2 kg de massa, ou 38ºC à 50ºC para quantidades menores, pois, quantidades
maiores tendem a perder calor menos rápido que quantidades menores.
O outro critério são para o tipo de gorduras, óleos vegetais requerem uma
temperatura em torno de 35º a 45º C e Óleos animais entre 40º à 50ºC.
A temperatura ambiente também influencia no processo, fazer sabonetes no verão
ou no frio do inverno difere bastante nos tempos da massa.
Com a prática você mesmo vai estabelecer as temperaturas, pois, estas
podem variar conforme o ambiente e os ingredientes. De qualquer forma, evite uma
diferença brusca entre a temperatura dos óleos e da lixívia, o choque entre essas
temperaturas, não é favorável para o bom andamento do processo. A temperatura
da lixívia é melhor que esteja uns 10ºC abaixo da temperatura das gorduras.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 15


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

COLD MARMORIZADO
Com pedacinhos ralados de base glicerinada!

HOMENAGEM ESPECIAL “in memoriam”

Minha Mãe que sempre me incentivou e tinha orgulho em dizer: “MEU MENINO QUE
FAZ, É UMA BELEZA, ELE É PROFESSOR VIU!”
1989... como tudo começou.

Minha amada mãe e eu. O sabão é aquele com álcool.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 16


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

Esse modelo de cortador foi idealizado por uma amiga minha, a Graça e veja um dos
sabonetinhos que ela produz.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 17


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

Quem inventou o sabonete?

O sabão foi inventado pelos fenícios, seiscentos anos


antes de Cristo. Eles ferviam água com banha de cabra e cinzas
de madeira, obtendo um sabão pastoso.
O sabão sólido só apareceu no século VII, quando os
árabes descobriram o processo de saponificação – mistura de
óleos naturais, gordura animal e soda cáustica, que depois de
fervida endurece.
Os espanhóis, tendo aprendido a lição com os árabes,
acrescentaram-lhe óleo de oliva, para dar ao sabão um cheiro mais suave.
Nos séculos XV e XVI, enfim várias cidades européias tornaram-se centros
produtores de sabão – entre elas, Marselha, na França, e Savona, na Itália.
Foi da cidade de Savona que os franceses tiraram a palavra Savon, sabão,
e o diminutivo Savonnette, sabonete.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 18


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

FOTOS

Gorduras derretidas a 65°C Colocando a lixívia com álcool

Saponificação (banho Maria) Solução de açúcar

Colocando a glicerina Pronto

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 19


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

Gorduras a 50°C Lixívia a 50°C

Formação do gel e o corante Após o corante

Batendo com o mixer Massa pronta TRACE

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 20


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

ENFORMANDO E DESENFORMANDO

SUGESTÃO DE MESA PARA O CORTE

O anteparo indicado pela seta afasta ou adianta para regular o tamanho do corte do
sabonete

SUGESTÃO DE FORMA EM MDF COM FUNDO

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 21


Prof. Luiz Paulo
Sabão do Professor
oliveiraanna@itelefonica.com.br

REMOVÍVEL
NÃO PRECISA FORRAR

Colocar duas travas perfuradas


de madeira para firmar o fundo.

Comprimento = 25 cm
Altura = 8 cm
Largura = 8 cm
OBS. A formação de GEL na massa do sabonete só acontece quando
usamos gorduras vegetais de coco ou palma ou babaçu misturadas ou não
com azeite ou rícino.

“Ninguém pode ser dono absoluto do conhecimento” 22


Prof. Luiz Paulo