P. 1
elasticidade

elasticidade

|Views: 1.523|Likes:
Publicado porAndrea Nana

More info:

Published by: Andrea Nana on Mar 23, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/18/2012

pdf

text

original

ECONOMIA MICRO E MACRO

3
ELASTICIDADES
QUESTÕES PROPOSTAS
1. Considerando-se os pontos A (p 1,q 1) = (12,8) e B(p 2,q 2) = (14,6), a elasticidade-preço da demanda no ponto médio é igual a: a) b) c) d) e) –7/13 +7/13 –13/7 +13/7 N.r.a. RESPOSTA: alternativa c . Solução: Após encontrarmos o ponto médio M(p0, q0) = (13,7), calculamos a elasticidade-preço da demanda:

Epp =

P0 . ∆q P0 . (q1 – q0) 13 . (8 – 7) 13 = = = – q0 ∆p q0 p1 – p0 7 7 (12 – 13)

33

– 2) 04 portanto. a quantidade equilibra-se em q = 39. e. Solução: Dada a fórmula da elasticidade-preço da demanda ao preço de equilíbrio (ou usual) p0. ∆q P0 . temos q0 = 40.2 q onde p representa o preço e q a quantidade. A elasticidade-preço da demanda ao preço inicial de mercado é: a) b) c) d) e) 0.25.2q podemos encontrar q0. com Epp = – 0. O mercado encontra-se em equilíbrio ao preço p = 2. na equação da elasticidade. ou Epp = | 0.02 0.ECONOMIA MICRO E MACRO 2.8. a demanda é inelástica no ponto p0 = 2.25 0. O preço varia para p = 2. Substituindo os valores obtidos.05 – 0. temos: Epp = P0 .04. tudo o mais mantido constante.25 RESPOSTA: alternativa d . (q1 – q0) = q 1 – p0) q0 ∆p q0 (p Pela equação de procura p = 10 – 0. Uma vez que p0 = 2. Uma curva de procura exprime-se por p = 10 – 0. temos: Epp = 2 . 25 25| 40 (2. – 40) 8 = – 0.(39.48 – 0. 34 .

prova-se matematicamente. Na intersecção com o eixo das quantidades. RESPOSTA: alternativa d .a. Solução: Uma curva de demanda retilínea possui elasticidade-preço da procura igual a 1 no ponto médio do segmento.ECONOMIA MICRO E MACRO 3.r. N. Na intersecção com o eixo dos preços. Uma curva de demanda retilínea possui elasticidade-preço da procura igual a 1: a) b) c) d) e) Em todos os pontos. que a elasticidade-preço da demanda é igual a: segmento AC segmento BA E pp = p B dem anda el tca ás i A . no apêndice a este capítulo. (ponto m édio) dem anda i ás i nel tca 0 C q segue-se que se: 35 . Dado o gráfico a seguir. No ponto médio do segmento.

q aumenta mais que proporcionalmente. e) Todas as alternativas anteriores são falsas. parece claro que: • Demanda elástica: se p aumenta. Demanda inelástica: • 36 . q cai mais que proporcionalmente. Aponte a alternativa correta: a) Quando o preço aumenta. c) Quedas de preço de um bem redundarão em quedas da receita dos produtores desse bem. Solução: As alternativas a. c e d são falsas. se a demanda for elástica. coeteris paribus. coeteris paribus. b. se a demanda for inelástica. RESPOSTA: alternativa e .ECONOMIA MICRO E MACRO AC = BA AC > BA AC < BA ⇒ |Epp| = 1 (demanda de elasticidade unitária) ⇒ |Epp| > 1 (demanda elástica) ⇒ |Epp| < 1 (demanda inelástica) 4. a receita total diminui. se a demanda for elástica. se p cai. se a demanda for inelástica. a receita total aumenta. RT aumenta. b) Quando o preço aumenta. q onde: RT = receita total p = preço unitário de venda q = quantidade vendida A partir dessa expressão. coeteris paribus. coeteris paribus d) Quedas de preço de um bem redundarão em aumentos de receita dos produtores desse bem. RT cai. A receita total de vendas das empresas (que equivale aos gastos ou dispêndios totais do consumidor) é dada por: RT = p .

a demanda para as empresas individuais é dada pelo preço de mercado. a função demanda será representada por uma reta paralela ao eixo dos preços. se p cai. se a demanda for elástica com relação a variações no preço desse bem. como é mostrado no Capítulo 2. o coeficiente de elasticidade-preço será constante ao longo de toda essa reta. b) Um aumento no preço do bem. RT cai. Indique a afirmação correta. q cai menos que proporcionalmente. a demanda é absolutamente inelástica). RESPOSTA: alternativa e . Observamos então que as alternativas a. implicará aumento no dispêndio do consumidor com o bem. tudo o mais constante. a menos que também seja aumentada a renda nominal do consumidor. qualquer que seja a variação de preços. 5. é correto afirmar: a) Um aumento no preço do bem deixará inalterada a quantidade demandada do bem. Quanto à função demanda. por definição. Significa que. Um exemplo é o mercado em concorrência perfeita. 6. RT aumenta.ECONOMIA MICRO E MACRO se p aumenta. b. a quantidade demandada não se altera. Quando a demanda é paralela ao eixo das quantidades. a elasticidade-preço da demanda será infinita. a elasticidade-preço da demanda é zero (e. q aumenta menos que proporcionalmente. • Demanda de elasticidade unitária: a variação de p é idêntica (com sinal trocado) à variação de q. o que mantém a RT inalterada. diz-se que ela é infinitamente elástica. c) Se essa equação for representada por uma linha reta negativamente inclinada. e) Se a demanda for absolutamente inelástica com relação a modificações no preço do bem. Solução: Quando a curva de demanda é paralela ao eixo dos preços. c e d são falsas e a alternativa e está correta. 37 . d) Se essa função for representada por uma linha reta paralela ao eixo dos preços.

A curva de procura por determinado bem é expressa pela função Q = 1. se a elasticidade-preço da demanda for igual a 1. os consumidores gastarão o mesmo volume de renda na aquisição do produto. RESPOSTA: alternativa b. Pode-se afirmar que: a) Se o preço de mercado aumentar. Solução: Uma queda no preço de x. deixará inalterado o gasto dos consumidores com o bem.000/P3. substituto. o gasto dos consumidores permanecerá constante. e) O dispêndio total dos consumidores na aquisição do produto aumenta na mesma proporção do aumento do preço de mercado. tudo o mais permanecendo constante. d) A elasticidade-preço da demanda pelo bem x independe da variedade de bens substitutos existentes no mercado. Dessa forma. os consumidores gastarão mais renda na aquisição desse produto. 7. os consumidores gastarão menos renda na aquisição desse produto. Solução: 38 . d) Se o preço de mercado diminuir. e) Um aumento no preço do bem y. deixará inalterado o gasto dos consumidores com o bem. se a elasticidade-preço da demanda for igual a 1. b) Uma queda no preço de x. deslocará a curva de demanda de x para a esquerda. RESPOSTA: alternativa a . c) O gasto total do consumidor atinge um máximo na faixa da curva de demanda pelo bem em que a elasticidade-preço é igual a zero. tudo o mais permanecendo constante. b) Se o preço de mercado diminuir. os consumidores gastarão menos renda na aquisição desse mercado. Isso acontece porque a queda de preço será proporcionalmente igual ao aumento da quantidade consumida.ECONOMIA MICRO E MACRO a) Um aumento na renda dos consumidores resultará em demanda mais alta de x. qualquer que seja o bem. c) Se o preço de mercado aumentar.

quando o preço cai.ECONOMIA MICRO E MACRO A função demanda Q = 1. os consumidores gastarão menos renda na compra do bem. d) A curva de procura não é uma reta e as despesas totais dos compradores aumentam quando o preço cai. digamos. b) A curva de procura não é uma reta. os gastos totais dos compradores aumentam primeiro e depois caem. Temos.8 R1. digamos. a elasticidade-renda da demanda é igual a 1. e a despesa total dos compradores diminui quando o preço cai. 10% na renda levaria a um aumento de 12% na quantidade demandada. e trata-se de uma função potência (do tipo y = ax–b). c) A curva de procura é uma reta e. que: a) A curva de procura é uma reta e que as despesas totais dos compradores são as mesmas em todos os níveis de preços.2 onde R é a renda dos consumidores. Se uma curva de procura é unitariamente elástica em todos os seus pontos. então.a. se o preço do bem aumentar. dado que a queda na quantidade comprada será proporcionalmente maior que o aumento do preço do bem. 8. Vale observar que a propriedade assinalada das funções potência aplica-se a quaisquer outras elasticidades. em funções potência.000P–3. o expoente b da variável x (no exercício. coeteris paribus). igual a –3) é a própria elasticidade-preço da demanda. tudo o mais constante). Dessa forma. com relação (a ) à aparência gráfica da curva de procura e (b) aos gastos totais dos compradores para aquisição da mercadoria. RESPOSTA: alternativa e .2 (bem superior ou de luxo: um aumento de.000/P3 pode ser reescrita como Q = 1. o expoente do preço.r. Por exemplo. não apenas à elasticidade preço da demanda. e) N. isso significa. a alternativa a é a correta. 10% leva a uma queda da quantidade demandada de 30%. uma demanda altamente elástica (um aumento no preço de. Prova-se matematicamente no apêndice a este capítulo no livro texto que. Com a demanda elástica. na função demanda: Q = 30p–0. 39 .

Solução: A elasticidade-preço cruzada entre os bens A e B é igual a: EppAB = variação percentual da quantidade procurada do bem A variação percentual do preço do bem B 10% 10% então: EppAB = =1 Os bens A e B são. portanto. substitutos (EppAB positiva). se seu preço permanece constante. b. O coeficiente será igual a: a) b) c) d) e) 10% 1 2 1/2 11% RESPOSTA: alternativa b. 40 . em certa localidade. concluímos que a demanda é elástica. e a quantidade demandada em 10 unidades. A curva de procura não poderia ser uma reta (na qual seria impossível ter sempre elasticidade unitária) e as despesas totais dos compradores seriam as mesmas em todos os níveis de preços. sua quantidade procurada diminui 8%.ECONOMIA MICRO E MACRO Solução: Nenhuma das respostas (a. b) A elasticidade-preço cruzada entre dois bens é sempre positiva. não afetando as despesas. Aponte a alternativa correta: a) Se o preço variar em $ 2. 10. pois um aumento percentual do preço seria respondido por uma queda percentual da quantidade de mesma magnitude. enquanto a quantidade procurada do outro. sabendo-se que toda vez que há um acréscimo de 10% no preço de um. 9. c ou d) é correta. aumenta 10%. Calcular o coeficiente de elasticidade cruzada entre a procura dos produtos A e B.

e) A elasticidade-renda da demanda de manufaturados é relativamente baixa. alternativa d : é incorreta. cujo consumo tem limite fisiológico). RESPOSTA: alternativa c . d) A elasticidade-preço da demanda de alimentos é. têm elasticidade-preço relativamente baixa. Infinitamente elástica. costuma ser baixa. 41 . Totalmente inelástica ou anelástica. pois a elasticidade-preço da demanda. Inelástica. bastante elevada. para bens essenciais. alternativa b: a elasticidade-preço cruzada entre dois bens somente será positiva se os bens forem substitutos. a procura em relação ao preço será: a) b) c) d) e) Elástica. alternativa e : é incorreta pois a elasticidade-renda de bens manufaturados é relativamente elevada (quanto mais elevada a renda. nessa região da curva. a tendência é aumentar mais o consumo de produtos manufaturados do que alimentos. alternativa c : é correta. Portanto. como o sal. pois cita somente um valor absoluto para preço e outro para quantidade. em geral. é conveniente analisarmos todas as alternativas: • • • • • alternativa a : é incorreta. a afirmação é inconclusiva no que diz respeito à elasticidadepreço da demanda. embora não perfeitamente. Solução: Neste caso. visto que bens essenciais. Se a curva de procura for de um tipo em que a redução de 10% no preço provoca um aumento de 5% na quantidade de mercadoria que o público adquire. como os alimentos.ECONOMIA MICRO E MACRO c) A elasticidade-preço da demanda de sal é relativamente baixa. QUESTÕES ADICIONAIS 1. Unitariamente elástica.

RESPOSTA: alternativa d . os bens são: a) b) c) d) e) De primeira necessidade. 3. coeteris paribus. Solução: 42 . Já que o aumento do preço de um bem em nada afeta o outro. Complementares. uma demanda pouco sensível (isto é. RESPOSTA: alternativa d . Independentes. A elasticidade-renda da demanda é o quociente das variações percentuais entre: a) b) c) d) e) Renda e preço. Quantidade e renda.ECONOMIA MICRO E MACRO RESPOSTA: alternativa d . 2.5. Substitutos. Renda e quantidade demandada. Quantidade e preço de um bem complementar. Se a elasticidade-preço cruzada entre dois bens é nula. Inferiores. Solução: pois: Trata-se de uma elasticidade-preço da procura igual a – 0. Solução: Se a elasticidade-preço cruzada entre dois bens é nula. + 5% – 10% Epp = = – 0. coeteris paribus. inelástica) quando o preço varia: a quantidade demandada varia menos que proporcionalmente à variação do preço.5 Ou seja. significa que o aumento no preço de um deles não consegue afetar a quantidade demandada do outro. Quantidade e preço. os dois são independentes.

o quociente das variações percentuais entre quantidade e renda. a elasticidade cruzada. Dessa forma. Maior que zero e menor que um. RESPOSTA: alternativa b. se o preço cair. A resposta a não é correta. pois esta influirá mais na mudança da receita quando houver mudança do preço. A elasticidade cruzada de bens complementares é: a) b) c) d) e) Igual a zero. Assim. Deixar o preço inalterado. Depende do preço do bem substituto. N. Portanto. a quantidade demandada aumentará (em percentual maior que o preço) e a receita total aumentará. a quantidade demandada tem variação percentual de magnitude maior que a variação percentual do preço. pois um aumento de preço levaria a uma queda da quantidade demandada e da receita total. Solução: Quando dois bens são complementares. Maior ou igual a um. definida como “variação percentual 43 .a. 5. Depende do preço do bem complementar. RESPOSTA: alternativa b. isto é. coeteris paribus”. Menor que zero. o aumento do preço de um causa queda na quantidade demandada de ambos os bens. Se uma empresa quer aumentar seu faturamento e a demanda do produto é elástica. ela deve: a) b) c) d) e) Aumentar o preço. a receita total seguirá o sentido da quantidade.r. 4.ECONOMIA MICRO E MACRO A resposta vem da definição formal de elasticidade-renda. Solução: Se a demanda do produto é elástica. que é “a variação percentual na quantidade demandada. dada uma variação percentual na renda. Diminuir o preço.

RESPOSTA: alternativa d . Solução: A resposta vem da definição de elasticidade cruzada. Um aumento no consumo do próprio bem. a quantidade consumida cairá (em percentual menor que o preço) e os gastos totais terão um acréscimo. Um decréscimo. os gastos totais do consumidor seguirão o sentido do preço. 6. Qualquer das respostas acima. Um aumento no consumo do outro. Nenhuma alteração. Assim. RESPOSTA: alternativa a .ECONOMIA MICRO E MACRO na quantidade demandada. N. coeteris pa ribus: a) b) c) d) e) Um aumento no preço do outro.r. Assim. Um acréscimo no preço de uma mercadoria quando a demanda é inelástica causa nos gastos totais do consumidor: a) b) c) d) e) Um acréscimo. Se o valor da elasticidade cruzada for negativo. será negativa (menor que zero). 44 . que é a “variação percentual na quantidade demandada. Solução: Se a demanda do produto é inelástica. Se a elasticidade-preço cruzada entre dois bens é negativa.a. coeteris paribus”. o aumento no preço de um deles provocará. Uma diminuição no preço do outro. pois este influirá mais na mudança dos gastos quando houver mudança do preço. dependendo do tipo de bem. 7. se o preço subir. Uma diminuição no consumo do outro. a quantidade demandada tem variação percentual de magnitude inferior à variação percentual do preço. dada uma variação percentual no preço de outro bem. dada uma variação percentual no preço de outro bem. coeteris paribus”. um aumento de preço de um bem terá como contrapartida uma diminuição no consumo do outro bem.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->