Você está na página 1de 184

DSc Cursos

Por que estudar no Curso DSc® ????

RESULTADOS

 1º, 7º, 9º e 10º Lugares na PETROBRAS/Produção - RJ (Último Concurso!).


 4º, 5º e 7º Lugares na PETROBRAS/Produção – Macaé (Último Concurso!).
 1º, 2º, 5º, 7º, 9º, 10º, 11º, 15º e 16º Lugares (45% dos aprovados) na EPE/2014 - Economia de
Energia.
 1º, 3º, 5º, 9º e 10º Lugares (1/3 dos aprovados) na EPE/2014 – Recursos Energéticos.
 2º, 4º, 5º, 8º, 9º e 10º Lugares (28 dos 50 primeiros! 54 dos 100 primeiros!) na FINEP/2013 - Área 1.
 1º, 2º, 4º, 5º, 6º, 7º, 8º, 9º e 11º Lugares (9 dos 13 convocados) na ANCINE/2013 - Esp. Reg.
Atividade Cinematográfica Audiovisual (Área II/Cargo 5).
 53% de aprovação no último concurso BNDES/2013 - Engenharia.
 1º Lugar de Economia Petrobras -TBG/2012 e BNDES/2013.
 1º Lugar ANP/2013 e 1º Lugar INPI/2013.

A relação completa dos nossos resultados encontra-se no endereço eletrônico


www.cursodsc.com.br, na aba “Aprovados”.

BNDES
Turma Básica

Microeconomia
Professor (DSc) Pablo Bielschowsky

Apostila de Exercícios

DSc Cursos Página 1


DSc Cursos

Teoria do consumidor.

Teoria da firma.

Estrutura de mercado e
formação de preço, análise de
concentração.

Teoria dos jogos.

Equilíbrio geral
Exercícios Produção
de Bem-estar
Microeconomia Falhas de mercado

Regulação

Questões de revisão Cespe

Questões adicionais Cesgranrio

DSc Cursos Página 2


DSc Cursos

1 – TEORIA DO EXEMPLOS DE PREFERÊNCIAS E CURVAS


DE INDIFERÊNÇA
CONSUMIDOR
PREFERENCIAS Acerca das curvas de indiferença, julgue os itens
subseqüentes.
1) Em relação à Teoria do Consumidor, “x>y” 4) Elas descrevem graficamente as preferências do
significa que a cesta de mercadorias x é consumidor.
estritamente preferível à cesta y pelo 5) Algumas cestas de consumo não podem ser
consumidor e que “x≥y” significa que a cesta x representadas por curvas de indiferença.
é fracamente preferível à cesta y. Tais relações 6) As curvas de indiferença não distinguem as
também podem valer no sentido contrário, ou cestas de consumo melhores das piores.
seja, “y>x” e “y≥x”. Além disso, “x~y” 7) Dois bens substitutos perfeitos têm curvas de
significa que a cesta x é indiferente à cesta y indiferença representadas por linhas retas com
pelo consumidor. Suponha que qualquer cesta inclinação constante.
de mercadorias pertença ao conjunto de 8) Dois bens complementares perfeitos têm curvas
possibilidades de consumo de dimensão 2. de indiferença em formato de L.
Posto isso, uma relação de preferências 9) As curvas de indiferença associadas a um
(A) é racional quando, para quaisquer cestas x, consumidor que gosta de um bem mas é neutro
y, valer “x ≥ y” ou “y ≥ x” ou ambas as em relação a outro apresentam linhas
relações. perpendiculares ao bem que ele é neutro.
(B) é convexa quando a cesta formada pelas 10) As curvas de indiferença associadas a um
quantidades médias de duas cestas x e y for consumidor que gosta de um bem mas não gosta
estritamente preferível a tais cestas. de outro são negativamente inclinadas.
(C) lexicográfica é racional, não estritamente Prefeitura de Vila Velha, Cespe, 2008.
monótona e estritamente convexa.
(D) racional é reflexiva, transitiva e simétrica
para quaisquer cestas x, y. 11) Uma pessoa tem curvas de indiferença entre
(E) entre um bem e um “mal” apresenta curvas dois bens, A e B, em ângulo reto, conforme se
de indiferença positivamente inclinadas. vê no gráfico abaixo.
Chesf, Cesgranrio, 2012.
B

2) É propriedade das curvas de indiferença:


(A) serem côncavas em relação à origem.
(B) as mais baixas representarem combinações
de bens preferíveis às mais altas.
(C) apresentarem taxa marginal de substituição
crescente entre os dois bens.
(D) possuírem declividade positiva.
(E) nunca se interceptarem.
ARCE, FCC, 2006. A

Os bens A e B são
3) As curvas de indiferença do consumidor, (A) substitutos.
consideradas bem comportadas, têm como (B) complementares.
propriedade (C) inferiores.
(A) inclinação positiva. (D) normais.
(B) concavidade voltada para baixo. (E) essenciais.
(C) quanto mais altas, menos preferíveis. Petrobrás, Cesgranrio, 2010.
(D) taxa marginal de substituição maior que
zero.
(E) nunca se interceptarem.
Prefeitura de Santos, FCC, 2005.

DSc Cursos Página 3


DSc Cursos

12) Suponha que a preferência do consumidor 15) É uma propriedade geral das curvas de
dependa apenas da razão entre o bem 1 e o bem indiferença do consumidor:
2 de modo que o consumidor vai sempre (A) concavidade voltada para baixo.
preferir (x1, x2) bens a (y1, y2) bens. No caso de (B) quanto mais altas, menos preferíveis.
suas preferências serem homotéticas, ele vai, (C) terem apenas um ponto de cruzamento entre
então, preferir: elas.
(A) (3x1, 3x2) a (2y1, 2y2). (D) apresentarem descontinuidades em alguns
(B) (2x1, 2x2) a (3y1, 3y2). de seus pontos.
(C) (2x1, 2x2) a (2y1, 2y2). (E) taxa marginal de substituição decrescente.
(D) (2x1, 2x2) a (y1, y2). Ceal, FCC, 2005.
(E) (x1, x2) a (2y1, 2y2).
Ministério Público/RO, Cesgranrio, 2005.
16) Assinale a opção correta acerca das curvas de
TAXA MARGINAL DE SUBSTITUIÇÃO indiferença.
(A) Curvas de indiferença que representam
13) A inclinação da curva de indiferença, níveis distintos de preferência podem se
considerando-se uma economia com dois bens cruzar.
representados no plano cartesiano, é (B) Curvas de indiferença de dois bens
(A) conhecida como a taxa de utilidade marginal substitutos têm inclinações iguais a -1.
dos bens, que é sempre igual aos preços (C) As curvas de indiferença entre bens
relativos. complementares demonstram que os
(B) necessariamente igual aos preços relativos. consumidores querem consumir os bens em
(C) a taxa marginal de substituição no consumo. proporções fixas, ou seja, uma unidade de
(D) a inclinação da restrição orçamentária. um bem com uma unidade de seu bem
(E) representada somente pela igualdade entre complementar.
as razões de utilidades marginais e preços (D) Se um indivíduo gosta de um bem e é neutro
relativos. em relação a outro, então a curva de
Gestor de Economia, FCC, 1999. indiferença será uma linha paralela ao eixo
do bem neutro.
(E) Por distinguir uma cesta de produtos melhor
14) Um conjunto de curvas de indiferença verticais de uma pior, a curva de indiferença é
no plano cartesiano para uma economia com recurso adequado para a descrição das
dois bens ilustra, para um consumidor, uma preferências dos consumidores.
situação em que TJ/AL, Cespe, 2012.
(A) um dos bens pode ser absolutamente
indesejado para o consumidor, como no
caso de cigarros para um não fumante. 17) Se “1” é um bem neutro, sua taxa marginal de
(B) não existem bens que causam dependência substituição pelo bem “2”, que é um bem não
no consumidor. neutro, é igual a:
(C) o consumidor é infinitamente indiferente (A) infinito
entre os bens ou entre as cestas dos dois (B) 3
bens. (C) 2
(D) a taxa marginal de substituição no consumo (D) 1
é igual a um (TMSc = 1). (E) 0
(E) a taxa marginal de substituição fora do Petrobrás, Cesgranrio, 2005.
módulo é, no limite, igual a +∞ para um dos
bens, no caso um bem que causa
dependência (heroína, por exemplo).
Gestor de Economia, FCC, 1999.

DSc Cursos Página 4


DSc Cursos

18) Suponha um consumidor de serviços políticos, UTILIDADE CARDINAL E ORDINAL


ou escolhas públicas, (o eleitor) que seja
indiferente entre votar em um político de 26) Uma curva de indiferença é o lugar geométrico
centro-direita ou dois políticos social dos pontos nos quais o consumidor:
democratas. Nesse caso, a taxa marginal de (A) vai sempre preferir as cestas de bens
substituição de políticos de centro esquerda por localizadas mais à direita na curva.
políticos social-democratas será (supondo que (B) vai sempre preferir as cestas de bens
os políticos social-democratas estejam localizadas mais à esquerda na curva.
representados no eixo horizontal do plano (C) é indiferente entre as cestas de bens.
cartesiano em que se localiza o mapa de (D) é incapaz de calcular sua utilidade total.
indiferença entre políticos com o qual se (E) é incapaz de calcular sua utilidade parcial.
defronta nosso eleitor): Ministério Público/RO, Cesgranrio, 2005.
(A) menos meio.
(B) meio.
(C) um. 27) A Teoria do Consumidor, ao explicar as razões
(D) menos um. porque demandamos quantidades de
(E) tangente de 45 graus. determinados bens e serviços, faz uso dos
Gestor de Economia, FCC, 1999. conceitos de “utilidade total” e “utilidade
marginal”. Sobre a Teoria da Utilidade,
UTILIDADE (A) a sensação de saciedade do consumidor faz
com que a utilidade marginal cresça a cada
19) Seja f(u) uma transformação monotônica nova unidade adquirida do produto.
qualquer de uma função de utilidade que (B) a utilidade total, percebida pelo consumidor,
representa algumas preferências particulares. A constitui- se em função decrescente da
função de utilidade que representa aquelas quantidade obtida de um dado produto.
preferências é: (C) a utilidade marginal pode ser definida como
(A) f(x2) sendo a utilidade que a última unidade
(B) f(x1, x2) consumida, de um dado produto, subtrai à
(C) f(x1) utilidade total.
(D) f(u) + k (D) o conceito de utilidade é uma tentativa de
(E) f(u) = 0 medida da satisfação, percebida pelos
Petrobrás, Cesgranrio, 2005. consumidores, com relação a um
determinado produto.
(E) a teoria econômica denomina a relação entre
Julgue os itens seguintes, acerca das preferências do utilidade total e utilidade marginal
consumidor. proporcionada por uma determinada
20) Uma preferência do consumidor é completa, mercadoria, por "lei da utilidade marginal
reflexiva e transitiva. crescente."
21) Uma relação de preferência, mesmo sendo Defensoria Pública/RS, FCC, 2013.
apenas racional, isto é, completa, pode ser
representada por uma função de utilidade.
22) Curvas de indiferença de bens complementares
perfeitos têm inclinação constante
23) Uma preferência monotônica indica que mais de
ambos os bens é melhor para o consumidor de
tal forma que menos de ambos os bens
representa uma cesta pior.
24) Preferências por dois bens que sejam substitutos
perfeitos são estritamente convexas.
25) No caso dos bens neutros, a taxa marginal de
substituição (TMS) é zero e, no caso dos bens
complementares perfeitos, a TMS é infinita.
Ministério da Saúde, Cespe, 2009.

DSc Cursos Página 5


DSc Cursos

Acerca da teoria do consumidor e da utilidade total 36) Sobre a teoria do consumidor, é correto afirmar
(UT) e da utilidade marginal (UMg) de um bem, que:
julgue os itens a seguir. a) as preferências são ditas completas se para
28) Preferências do consumidor representam duas cestas quaisquer for possível dizer que
utilidades individuais. uma é preferível à outra.
29) Via de regras, à medida que consumimos um b) se duas cestas de consumo estiverem na
bem, a UT aumenta e a UMg decresce. mesma curva de indiferença, a cesta com
30) UMg zero do consumo de um bem equivale a maior consumo do bem mais caro está
UT máxima desse bem. associada a um maior nível de utilidade.
31) A área sob a curva da função de UMg até uma c) quando todos os axiomas de preferências
determinada quantidade do bem corresponde à são observados, é possível afirmar que
UT do consumo dessa quantidade. curvas de indiferença não podem
32) A transformação monotônica de uma função de interceptar-se.
utilidade resulta em uma função de utilidade d) se duas cestas pertencem à mesma curva de
que representa as mesmas preferências da indiferença, é porque as duas cestas têm o
função de utilidade original. mesmo custo.
33) Quando uma cesta de bens é quatro vezes mais e) quanto mais cara a cesta, mais alta a curva
preferida que outra, tem-se um exemplo de de indiferença a que a cesta pertence.
utilidade ordinal. STN, 2012, Esaf
BASA, Cespe, 2006.
RESTRIÇÃO ORÇAMENTÁRIA
EXEMPLOS DE FUNÇÃO UTILIDADE
Acerca do conjunto orçamentário do consumidor,
34) Considere a forma geral de uma função julgue os itens subsequentes.
utilidade: U = U(X,Y) onde X representa a 37) O conjunto orçamentário do consumidor
quantidade demandada do bem X e Y a engloba todas as cestas de consumo possíveis,
quantidade demandada do bem Y, sendo X > 0 e excluindo-se apenas as cestas sobre a reta
Y > 0. A função utilidade que gera curvas de orçamentária.
indiferença que possuem convexidade voltada 38) A restrição orçamentária da forma p1x1+ x2
para a origem é dada por: ≤m, em que p1 é o preço do bem 1 e x1 e x2 são,
a) U = X – Y respectivamente, as quantidades dos bens 1 e 2,
b) U = X + Y indica que o preço do bem 2 é igual a zero.
c) U = X.Y 39) A reta orçamentária é o conjunto de cestas que
d) U = – X – Y custam a quantidade de dinheiro que o
e) U = X/Y consumidor possui ou menos que isso.
STN, ESAF, 2005. 40) A inclinação da reta orçamentária p1x1+ x2= m,
em que p1 é o preço do bem 1 e x1 e x2 são,
35) João adora beber Dry Martini, mas somente respectivamente, as quantidades dos bens 1 e 2,
quando é preparado segundo a receita clássica corresponde ao preço do bem 1 com sinal
de duas doses de gim e duas de vermute. Ele contrário.
recusa a bebida quando ela não é preparada 41) Os interceptos da reta orçamentária dependerão
segundo essa receita e não bebe gim ou vermute da renda que o consumidor possuir.
separadamente. Qual das seguintes equações 42) A inclinação de uma reta orçamentária qualquer
descreve as preferências de João, sendo XG e XV mede o custo de oportunidade de se consumir o
a quantidade consumida de doses de gim e bem 1.
vermute, respectivamente? Ministério da Saúde, Cespe, 2009.
(A) U (XG , XV) = ½ XG + ½ XV
(B) U (XG , XV) = ½ XG . ½ XV
(C) U (XG , XV) = Min { ½ XG ; ½ XV}
(D) U (XG , XV) = XG0,5∙XV0,5
(E) U (XG , XV) = Max {½ XG ; ½ XV}
Petrobrás, Cesgranrio, 2011.

DSc Cursos Página 6


DSc Cursos

43) A análise do comportamento dos consumidores 45) Com relação à teoria do consumidor, que
fundamenta a teoria da demanda. Com relação a constitui um dos pilares da análise
esse tópico, assinale a opção correta. microeconômica, assinale a opção correta.
(A) As curvas de indiferença entre dois bens (A) O conceito de curvas de indiferença é um
quaisquer fornecem uma classificação das conceito ordinal porque indica apenas que
possibilidades de consumo derivadas de uma determinada cesta de consumo é
funções de utilidades cardinais. preferível a uma outra, não informando,
(B) Quando um consumidor decide não comprar porém, a dimensão das cestas de consumo
determinado produto por achá-lo envolvidas nessa comparação.
excessivamente caro, isso indica que a taxa (B) Políticas de racionamento de energia elétrica
marginal de substituição entre esse produto deslocam, simultaneamente, a curva de
e os demais bens, para esse consumidor, é restrição orçamentária do consumidor, para
igual ao seu preço de mercado. baixo e para a esquerda.
(C) Os aumentos recentes do preço da energia (C) No equilíbrio, os consumidores alocarão sua
elétrica deslocam a restrição orçamentária renda entre os diferentes produtos, de modo
dos consumidores para baixo, porém, não a igualar a utilidade marginal entre esses
alteram a sua inclinação. bens.
(D) Se um consumidor gosta de refrigerante, (D) O aumento do preço dos serviços
mas não faz nenhuma distinção entre as domésticos nas grandes cidades brasileiras
diferentes marcas disponíveis no mercado, modifica o preço relativo entre esse item do
então, para esse consumidor, o mapa de orçamento e os demais itens, porém, não
indiferença entre duas marcas quaisquer é afeta o nível de utilidade dos consumidores
formado por linhas retas paralelas. desses serviços.
(E) A maximização da utilidade do consumidor UEPA, Cespe, 2008.
requer que o benefício marginal decorrente
do consumo de um determinado bem seja
igual ao seu preço.
Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2009
ESCOLHA

44) A respeito da teoria do consumidor, das


utilidades cardinal e ordinal e da restrição
orçamentária, assinale a opção correta. 46) No equilíbrio do consumidor, a
(A) Um aumento da renda do consumidor afeta (A) cesta de mercado preferida está situada à
a inclinação da reta orçamentária, pois os direita da reta de restrição orçamentária.
preços relativos são afetados. (B) curva de indiferença mais alta possível é
(B) A cobrança de um imposto levar à atingida, dada sua restrição orçamentária.
duplicação dos preços dos bens equivale à (C) taxa marginal de substituição entre os bens é
duplicação da renda do consumidor. maior, em valor absoluto, que a razão entre
(C) Uma transformação monotônica de uma seus preços.
função de utilidade gera uma nova função (D) taxa marginal de substituição entre os bens é
de utilidade que representa as mesmas menor, em valor absoluto, que a razão entre
preferências da função original. seus preços.
(D) Segundo as teorias da utilidade cardinal, a (E) curva de indiferença mais baixa possível é
ordem das curvas de preferência é o mais atingida, dada sua restrição orçamentária.
eficiente meio de comparar cestas de bens. ARCE, FCC, 2006.
(E) Independentemente de serem ou não
monotônicas, as preferências podem ser
representadas por uma função de utilidade.
TJ/AL, Cespe, 2012.

DSc Cursos Página 7


DSc Cursos

47) Em relação ao equilíbrio do consumidor e às (D) a declividade da restrição orçamentária do


funções demanda, assinale a opção correta. consumidor independe do relativo de preços
(A) Bens complementares, perfeitos ou não, são entre os bens vigentes na economia.
comprados pelo consumidor em quantidades (E) se os bens não fossem considerados
iguais. divisíveis, as curvas de indiferença do
(B) Uma escolha de fronteira é uma escolha consumidor seriam côncavas e seu ponto de
ótima para preferências convexas. equilíbrio só seria alcançado quando a curva
(C) Um consumidor com preferências Cobb- de indiferença cruzasse a restrição
Douglas gasta uma fração de sua renda em orçamentária
cada bem, fração esta que depende do preço ARCE, FCC, 2012.
do bem.
(D) O ponto de tangência entre a curva de ESCOLHA: EXEMPLOS
indiferença e a reta orçamentária do
consumidor corresponde, necessariamente, a 50) A função utilidade de um determinado
uma escolha ótima de consumo. consumidor é dada por U = X2/3 Y1/3. O preço
(E) Para o caso de bens substitutos perfeitos do bem X é 5 e o do bem Y é 8. Sabendo-se que
com preços iguais, todas as quantidades de a renda do consumidor é de 240 unidades
bens que satisfaçam a restrição orçamentária monetárias, a cesta de consumo que maximizará
serão escolhas ótimas. o bem estar do consumidor é
TJ/AL, Cespe, 2012. (A) X = 36, Y = 7,5
(B) X = 32, Y = 10
(C) X = 24, Y = 15
48) Considerando apenas dois bens de consumo e (D) X = 15, Y = 24
curvas de indiferença bem comportadas, no (E) X = 12, Y = 32
equilíbrio do consumidor, Prefeitura de Santos, FCC, 2005.
(A) a declividade da curva de indiferença é igual
à da reta de restrição orçamentária.
(B) este minimiza sua satisfação, dada a sua 51) Considere o seguinte problema de otimização
restrição orçamentária. condicionada em Teoria do Consumidor:
(C) a taxa marginal de substituição é maior que Maximizar U = X.Y
a razão dos preços relativos dos bens. Sujeito à restrição 2.X + 4.Y = 10
(D) a taxa marginal de substituição é menor que Onde
a razão dos preços relativos dos bens. U = função utilidade;
(E) a substituição entre os dois bens é X = quantidade consumida do bem X;
monotônica Y = quantidade consumida do bem Y.
TRT, FCC, 2006. Com base nessas informações, as quantidades do
bem X e Y que maximizam a utilidade do
consumidor são, respectivamente:
49) Na Teoria do Consumidor, a) 8 e 0,5
(A) as curvas de indiferença do consumidor b) 1 e 2
podem se cruzar, mostrando que há uma c) 2 e 1
infinidade de cestas de bens alternativas d) 1,25 e 2,0
entre si. e) 2,5 e 1,25
(B) a hipótese de não saciedade do consumidor STN, ESAF, 2005.
implica em curvas de indiferença situadas
mais a direita representarem níveis de
satisfação mais elevados para o consumidor.
(C) a taxa marginal de substituição entre dois
bens no consumo é estritamente crescente,
independentemente da relação de preços
vigente entre esses bens.

DSc Cursos Página 8


DSc Cursos

52) Com base na teoria clássica do consumidor e (C) os preços relativos dos bens são irrelevantes
considerando que x1 e x2 representam, para determinar a demanda do consumidor.
respectivamente, os bens 1 e 2, assinale a opção (D) os preços relativos têm papel limitado na
correta. determinação da demanda do consumidor,
(A) Se a função utilidade for U(x1, x2) = x1 + pois a variável relevante para a
4x2, então os bens serão complementares. determinação do ponto de tangência da
(B) Se a função utilidade for U(x1, x2) = x1 + restrição orçamentária com a curva de
0,25x2 e a renda do consumidor for igual a indiferença é a renda do consumidor.
w, com p1 = 1 e p2 = 2, em que pi é o preço (E) a função de demanda x(p,w) é homogênea
do bem i, então o consumidor irá utilizar de grau zero.
toda a sua renda na aquisição do bem com Estado do Espírito Santo, Cespe, 2013.
maior utilidade marginal, no caso, na
aquisição do bem 2.
(C) Se a função utilidade for U(x1, x2) = x1 + Acerca da teoria do consumidor, julgue os itens
0,25x2 e a renda do consumidor for igual a subsequentes.
w, com p1 = 1 e p2 = 2, em que pi é o preço 55) Considere que um empresário ao revelar sua
do bem i, então o consumidor irá utilizar preferência em construir uma fábrica em
toda a sua renda na aquisição do bem com Manaus em vez de construí-la em Belém e em
maior utilidade marginal, no caso, na Belém em vez de construí-la em Porto Velho
aquisição do bem 1. implique a sua preferência em construir tal
(D) Se a função utilidade for U(x1, x2) = x1 + fábrica em Manaus em vez de construí-la em
4x2, então a curva de indiferença do Porto Velho. Nesse caso, tem-se um exemplo da
consumidor assume um ângulo reto no plano preferência do empresário ser transitiva.
(x1, x2). 56) Preferir Boa Vista a Porto Velho seria um
(E) Se a função utilidade for U(x1, x2) = x1 + exemplo de utilidade ordinal. A grandeza dessa
4x2, então o consumidor substituirá uma preferência (utilidade cardinal) em nada afeta
unidade do bem 1 por 4 unidades do bem 2. essa escolha.
Estado do Espírito Santo, Cespe, 2013. 57) Considere que os bens substitutos perfeitos, x1
e x2, sejam representados pela função de
FUNÇÃO DE DEMANDA utilidade u(x1,x2) = x1+x2. Nesse caso a função
de utilidade v(x1,x2) = (x1+x2)2 não pode
53) A função de demanda do bem “1”, substituto representar a preferência pelos mesmos dois
perfeito do bem “2”, quando os preços de bens substitutos.
ambos os bens são iguais, será dada por (onde m 58) Considere que os bens substitutos perfeitos x1 e
representa a restrição orçamentária do x2 tenham preços iguais: p = p1= p2. Nesse caso,
consumidor): a função de demanda pelo bem x1 de um
(A) x1 = m/p1 consumidor de renda m será igual a m/p
(B) x1 = 0 BASA, Cespe, 2010.
(C) x1 = x2
(D) x1 = 1
(E) 0≤ x1≤m/p1 59) Supondo uma função da demanda marshalliana,
Petrobrás, Cesgranrio, 2005. um aumento da demanda por gasolina pode ser
causado por:
(A) queda ou aumento no preço da gasolina,
54) Com relação à função clássica de demanda mantidos os demais parâmetros constantes.
x(p,w), em que x é a cesta de consumo do (B) queda no preço do álcool combustível.
consumidor, p é o vetor de preços e w é a (C) aumento da renda disponível dos
riqueza, é correto afirmar que consumidores.
(A) a função de demanda x(p,w) é homogênea (D) aumento do preço dos carros movidos por
de grau um. gasolina.
(B) a função de demanda x(p,w) é homogênea (E) avanço tecnológico que reduza, ou ao menos
de grau dois. mantenha estável, o preço da gasolina.
Gestor de Economia, FCC, 1999.

DSc Cursos Página 9


DSc Cursos

60) A função de demanda de um consumidor por 64) Com relação ao equilíbrio do consumidor,
um determinado bem x é dada por qx = r0,3 px–1 assinale a opção correta.
py–0,6, sendo qx a quantidade demandada do (A) A introdução de um novo imposto sobre
bem x por parte desse consumidor, r a sua renda cigarros provoca um deslocamento paralelo
e px e py, respectivamente, os preços do bem x e da restrição orçamentária dos fumantes, para
de outro bem y. Para esse consumidor, baixo e para a esquerda, e, portanto, leva à
(A) os bens x e y são substitutos. diminuição do consumo de cigarros em
(B) os bens x e y são complementares. relação à quantidade consumida antes da
(C) o bem x é um bem de Giffen . tributação.
(D) a elasticidade preço da demanda do bem x, (B) O princípio da utilidade marginal
em módulo, é 0,6. decrescente estabelece que os ganhos de
(E) o bem x é um bem inferior. satisfação tornam-se cada vez menores à
Prefeitura de Santos, FCC, 2005. medida que unidades adicionais de
determinado bem são consumidas.
CURVA RENDA-CONSUMO E CURVA DE (C) A cobrança de um preço fixo pelo uso
ENGELS, BENS NORMAIS E INFERIORES ilimitado de determinado serviço expande o
seu uso porque o consumo ótimo desse
61) Na geração da Curva de Engel, mantém- serviço ocorrerá somente quando o custo
se(mantêm-se) constante(s): marginal for inferior ao benefício marginal
(A) a função utilidade. de consumi-lo, tornando, assim, o seu
(B) a restrição orçamentária. benefício marginal líquido positivo.
(C) a quantidade e os preços. (D) Um aumento na renda dos consumidores
(D) as curvas de indiferença. expandirá a demanda de um bem inferior.
(E) os preços do bem. (E) No mercado automobilístico, se os
Petrobrás, Cesgranrio, 2005. consumidores estiverem dispostos a aceitar
carros mais velozes porém que consomem
mais combustíveis, então as curvas de
indiferença que representam as preferências
62) No caso de um bem normal, uma elevação da entre esses atributos são negativamente
renda individual leva a um(a): inclinadas.
(A) Deslocamento da demanda para outro bem EGPA, Cespe, 2005
(B) Queda no preço do bem
(C) Queda na quantidade demandada
(D) Alta na quantidade demandada
(E) Alta no preço do bem
SEAD/AM, Cesgranrio, 2005.
A análise do comportamento do consumidor
constitui a fundamentação teórica para a análise da
63) Um produto é chamado de “inferior” quando, a demanda de mercado. A respeito desse assunto,
uma elevação do nível de renda, corresponde julgue os itens que se seguem.
uma 65) Quando as provedoras de Internet passaram a
(A) queda na quantidade demandada deste bem. cobrar um preço fixo pelo uso ilimitado do
(B) redução na quantidade ofertada deste bem. serviço, o consumo desse serviço aumentou em
(C) elevação na quantidade demandada deste relação àquele em que se pagava por impulso,
bem. porque o consumo é feito até o ponto em que o
(D) situação inalterada na demanda deste bem. benefício marginal do uso da Internet é
(E) elevação na quantidade ofertada deste bem. negativo.
Ceal, FCC, 2005. 66) Caso o consumidor goste de carros, porém tenha
horror à poluição associada ao tráfego desses
veículos, então, as curvas de indiferença entre
automóveis e poluição são positivamente
inclinadas.

DSc Cursos Página 10


DSc Cursos

67) A fixação de um imposto sobre o preço das


bebidas alcoólicas desloca a restrição Preço
orçamentária do consumidor, paralelamente, de
para baixo e para a esquerda, reduzindo, assim, X
o consumo desses bens em relação àquele
prevalecente antes da tributação.
68) No equilíbrio, os consumidores, em qualquer
situação, fazem suas escolhas ótimas de forma
D`
que a taxa marginal de substituição seja igual
aos preços relativos. D
69) Com base em pesquisas acadêmicas que Quantidade
mostraram que, no Brasil, o consumo de farinha
demandada de X
de mandioca se reduz à medida que a renda
familiar aumenta, pode-se concluir que esse O preço do bem y aumentou, e nenhuma outra
alimento constitui um exemplo de um bem variável determinante da demanda por x se alterou.
inferior. Em consequência, a curva de demanda por x se
UFT, Cespe, 2004. deslocou para D’, tracejada no gráfico. Supondo
que x seja um bem normal, pode-se afirmar,
CURVA PREÇO CONSUMO E CURVA DE corretamente, que
DEMANDA, BENS COMPLEMENTARES E (A) x e y são complementares.
BENS SUBTITUTOS, BENS COMUNS E BENS (B) x e y são substitutos.
DE GUIFFEN (C) x e y são bens inferiores.
(D) y é um bem inferior.
70) A demanda do consumidor por um determinado (E) a demanda por x não depende do preço de y.
bem SFE, Cesgranrio, 2009.
(A) pode ser positivamente inclinada, caso se
trate de um bem de Giffen.
(B) é derivada a partir de um mapa de
preferências do consumidor com curvas de 72) Tudo o mais mantido constante na economia,
indiferença côncavas. bens complementares são aqueles cuja(o):
(C) é obtida considerando-se que o consumidor (A) demanda aumenta quando a renda cai.
tem renda infinita. (B) demanda cai quando a renda cai.
(D) não é afetada pela demanda desse (C) queda no preço de um bem provoca a queda
consumidor por outros bens. da demanda pelo outro bem.
(E) pode ser representada por uma reta (D) queda no preço de um bem provoca o
horizontal, visto que esse consumidor é aumento da demanda pelo outro bem.
muito pequeno ante o tamanho do mercado. (E) aumento no preço de um bem provoca o
Copergás, FCC, 2011. aumento da demanda pelo outro bem.
Sensa Manaus, Cesgranrio, 2005.

71) O gráfico abaixo mostra a curva de demanda


inicial D dos consumidores do bem x.

DSc Cursos Página 11


DSc Cursos

73) Considere os conceitos abaixo. PREÇO RESERVA


I - Bens Normais;
II - Bens Inferiores; A concessão de novas linhas de transporte urbano
III - Bens Substitutos; está intimamente ligada ao comportamento de seus
IV - Bens Complementares. potenciais usuários, que é analisado tanto em
Associe os conceitos acima às suas respectivas relação ao bem em questão como aos demais bens
definições. relacionados. Acerca desse assunto e a respeito de
curvas de procura e curvas de indiferença, julgue os
(M) Dois bens para os quais, tudo o mais itens seguintes.
mantido constante, um aumento no preço de 76) Preço de reserva de uma tarifa de ônibus é a
um aumenta a demanda pelo outro. quantia máxima que uma pessoa está disposta a
(N) Bem para o qual, tudo o mais mantido pagar pelo transporte de ônibus.
constante, um aumento na renda provoca um 77) Se uma pessoa é indiferente no que se refere a
aumento na quantidade demandada. uma rodovia com ou sem pedágio, o preço do
(O) Bens para os quais o aumento no preço de pedágio dessa rodovia é denominado preço de
um leva à redução na demanda pelo outro. reserva dessa pessoa.
A relação correta é: 78) Curvas de indiferença mostram a combinação
(A) I - M; II - N; IV - O do consumo de dois bens. Por exemplo, a curva
(B) I - M; III - O; IV - N de indiferença relativa a transporte urbano ou
(C) I - N; II - M; IV - O veículo próprio mostra os diferentes níveis de
(D) I - N; III - M; IV - O utilidade desses bens para determinado
(E) I - O; II - N; IV - M indivíduo.
Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005. 79) Curvas de indiferença não mantêm relação com
restrições orçamentárias ou preços dos bens
envolvidos na análise.
74) Suponha que o preço do bem z diminua e 80) A inclinação de uma curva de indiferença é
diminuam as vendas do bem w. Isto significa denominada taxa marginal de substituição.
que z e w são bens DFTrans, Cespe, 2008.
(A) complementares.
(B) normais.
(C) inferiores.
(D) básicos. No que se refere à oferta e demanda em uma
(E) substitutos. economia, julgue os próximos itens.
Ceal, FCC, 2005. 81) À medida que aumenta o consumo de um
determinado bem, obtém-se diferentes
utilidades marginais para o consumo desse bem.
75) Com relação a um bem de Giffen, pode-se 82) À medida que aumenta o consumo de um
afirmar que a determinado bem, aumenta a utilidade total
(A) oferta será negativamente inclinada, desse bem.
supondo o preço do bem representado no 83) Uma função de demanda individual relaciona as
eixo vertical do plano cartesiano. quantidades de um bem desejadas por um
(B) oferta será positivamente inclinada, supondo indivíduo com as diferentes rendas desse
o preço do bem representado no eixo indivíduo.
vertical do plano cartesiano. 84) Preferências individuais distintas geram
(C) demanda será vertical, pois o consumidor diferentes funções de demanda.
não aumentará (ou diminuirá) o consumo do 85) O equilíbrio do consumidor é atingido quando a
bem em função de mudanças no preço do quantidade consumida do bem for aquela para a
mesmo. qual o preço marginal de reserva é igual ao
(D) demanda será horizontal e congruente com o preço mínimo do bem.
eixo horizontal do plano cartesiano. Codeba, Cespe, 2006.
(E) demanda será positivamente inclinada.
Gestor de Economia, FCC, 1999.

DSc Cursos Página 12


DSc Cursos

PREFERENCIA REVELADA (A) I e II.


(B) I e III.
(C) I, II e IV.
86) Acerca da teoria do consumidor, assinale a (D) I, III e IV.
opção correta. (E) II, III e V.
(A) Se o indivíduo possui preferências do tipo TCE/MG, FCC, 2007.
lexicográficas, então a sua função utilidade
será, necessariamente, contínua.
(B) A taxa marginal de substituição de 88) Em relação à teoria do consumidor, é correto
utilidades homotéticas depende apenas da afirmar que
razão entre os bens. Por essa razão, uma (A) a taxa marginal de substituição de dois bens
função utilidade do tipo Cobb-Douglas não X e Y é maior que a razão de seus preços no
é homotética. ponto de escolha ótima do consumidor.
(C) As inclinações de curvas de indiferenças (B) a curva de Engel tem sempre inclinação
nunca são positivas. positiva.
(D) Se os bens, x1 e x2, forem bens (C) o efeito total de uma variação de preços na
perfeitamente complementares, então, escolha ótima do consumidor pode ser
considerando x2 no eixo vertical e x1 no decomposto em dois efeitos: efeito-renda e
horizontal, é correto afirmar que as efeito-substituição.
inclinações das curvas de indiferença serão (D) a taxa marginal de substituição de dois bens
iguais a -1. X e Y na curva de indiferença do
(E) De acordo com o axioma fraco da consumidor, em valor absoluto, é crescente.
preferência revelada, se o consumidor (E) a inclinação da reta de restrição
prefere a cesta (x1, x1) à cesta (y1, y2), então orçamentária independe dos preços relativos
ele só irá escolher a cesta (y1, y2) se ele não dos bens X e Y.
mais puder comprar a cesta (x1, x1). Prefeitura de Santos, FCC, 2005.
TJ/RO, Cespe, 2012.

Um consumidor pode escolher gastar sua renda m


com o bem x1 ou com o bem x2 de tal forma que a
EFEITO SUBSTITUIÇÃO E EFEITO RENDA sua reta orçamentária seja descrita por p1x1+ p2x2=
m, em que P1 e P2 são os respectivos preços. Com
87) Considere as seguintes proposições em relação à relação a essa situação, julgue os itens que se
teoria do consumidor: seguem.
I. No ponto de escolha ótima do consumidor, a 89) A inclinação da reta orçamentária é expressa por
taxa marginal de substituição entre dois bens uma relação negativa entre os preços.
X e Y é igual à razão entre seus preços. 90) O conjunto orçamentário é formado
II. As curvas de indiferença são geralmente exclusivamente por todas as cestas que custam
côncavas em relação à origem dos eixos exatamente m.
porque a taxa marginal de substituição é 91) O custo de oportunidade de consumo de
crescente ao longo da curva. determinado bem é medido pela inclinação da
III. O efeito total de uma variação de preços na reta orçamentária.
escolha ótima do consumidor pode ser 92) Efeito substituição é a mudança que ocorreria se
decomposto em dois efeitos: efeito-renda e mudassem os preços relativos e,
efeito-substituição. conseqüentemente, o nível de utilidade.
IV. Os interceptos e a inclinação da curva de 93) Efeito renda refere-se à mudança na restrição
restrição orçamentária dependem apenas dos orçamentária decorrente da mudança da renda e
preços relativos dos bens X e Y. dos preços relativos.
V. Quando a taxa marginal de substituição 94) Se um imposto específico é lançado igualmente
entre dois bens X e Y é constante ao longo sobre dois bens, a reta orçamentária do
da curva de indiferença, os dois bens são consumidor desses bens não se desloca
complementares perfeitos. DFTrans, Cespe, 2008.
Está correto o que se afirma APENAS em

DSc Cursos Página 13


DSc Cursos

(A) 115,00
95) Um consumidor ganha R$ 100,00 por mês e (B) 110,00
gasta R$ 30,00 pagando seu aluguel mensal. (C) 105,00
Suponha que o aluguel aumente 20%, que (D) 100,00
nenhum outro preço dos bens e serviços que (E) 95,00
compra se altere e que sua renda monetária EPE, Cesgranrio, 2007.
aumente 5%. A mudança em sua renda real será,
aproximadamente, de
(A) menos 1% 99) Um consumidor tem uma renda monetária de
(B) mais 1% R$ 100,00/mês, gasta 30% da renda pagando
(C) mais 4% aluguel e 20% com alimentação. Se o aluguel
(D) menos 5% aumentar 10% e os alimentos diminuírem de
(E) mais 5% preço 15%, os demais preços não sofrendo
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2010. alteração, pode-se afirmar que o consumidor
(A) sofreu um aumento de renda real de 5%.
(B) precisa receber uma renda monetária
96) Um consumidor tem renda igual a R$ 1.000,00, adicional de R$ 5,00/mês para manter seu
gasta 20% da mesma com transporte e outros padrão de vida (sua renda real).
30% com o aluguel de sua casa. Se no (C) poderá alcançar um nível de bem estar
transporte houver uma redução de preço de 20% maior, isto é, uma curva de indiferença mais
e o aluguel aumentar 10%, não ocorrendo alta quando reotimizar suas escolhas.
nenhuma outra variação de preço, o poder de (D) vai, certamente, diminuir o consumo de
compra da renda do consumidor (sua renda real) alimentos para pagar o aluguel.
(A) aumentará, aproximadamente, R$ 100,00. (E) vai, certamente, tentar trabalhar mais para
(B) aumentará, aproximadamente, 15%. pagar o aluguel.
(C) aumentará, aproximadamente, 1%. Inea, Cesgranrio, 2008.
(D) diminuirá, aproximadamente, 1%.
(E) não sofrerá alteração.
ANP, Cesgranrio, 2008. 100) Se dois bens A e B, de preços diferentes,
forem substitutos para um determinado
consumidor, pode-se afirmar que
97) Um consumidor com renda de R$ 100,00/mês (A) se os preços de A e B aumentarem ambos de
gasta 30% do que ganha pagando aluguel cujo R$ 10,00 por unidade, o preço relativo entre
valor aumenta 20%, enquanto nenhum outro A e B não se altera.
preço do que ele compra se altera. A variação (B) se os preços de A e de B diminuírem do
compensatória de renda que deixaria o mesmo percentual, a quantidade demandada
consumidor com a mesma renda real seria de B somente aumenta se B for um bem
(A) menos R$ 3,00/mês inferior.
(B) mais R$ 3,00/mês (C) se o preço de A aumentar, e houver um
(C) mais R$ 6,00/mês aumento compensatório na renda do
(D) mais R$ 20,00/mês consumidor, mantendo-se a renda real, a
(E) mais R$ 30,00/mês quantidade demandada de B aumenta.
Casa da Moeda, Cesgranrio, 2009. (D) se o preço de B aumentar, a quantidade
demandada de A vai aumentar,
necessariamente.
(E) as curvas de indiferença do consumidor
98) Um consumidor tem renda de R$100,00 /mês e entre A e B são em ângulo reto.
gasta 50% da mesma comprando remédios. Se o Inea, Cesgranrio, 2008.
preço dos remédios aumentar 10% e os demais
preços permanecerem os mesmos, para comprar
a mesma cesta de bens, ou seja, manter sua
renda real, o consumidor teria que auferir a
renda monetária, em reais, de:

DSc Cursos Página 14


DSc Cursos

101) Com relação aos efeitos preço, renda e Está correto o que se afirma APENAS em
substituição, assinale a opção correta. (A) I e II.
(A) No caso de aumento de preço de um bem de (B) I e III.
Giffen, o efeito substituição negativo (C) II e III.
domina o efeito renda positivo. (D) II e IV.
(B) O efeito renda também é considerado como (E) I, III e IV.
efeito da variação na demanda compensada. TCE/PR, FCC, 2011.
(C) Se houver aumento na renda do consumidor,
o efeito renda levará ao aumento da
demanda de bens, independentemente de Julgue os itens que se seguem, acerca dos efeitos
serem bens normais ou inferiores. preço, renda e substituição.
(D) O efeito renda desloca-se em sentido 104) O giro da reta orçamentária, isto é, a
contrário ao movimento dos preços. mudança na sua inclinação, é proporcionado
(E) Um aumento de preço de um bem normal pelo efeito substituição e o deslocamento dessa
resulta em efeito substituição e efeito renda reta é proporcionado pelo efeito renda.
negativos. 105) Efeito substituição também é chamado de
TJ/AL, Cespe, 2012. variação na demanda compensada.
106) Diminuição na renda do consumidor faz que
o efeito renda diminua a demanda pelo bem em
102) A curva de demanda tem normalmente questão.
declividade negativa, porque, dada uma 107) Para um bem de Giffen, tem-se efeito renda
diminuição do preço do bem, negativo, que domina o efeito substituição
(A) o efeito-renda é positivo e o efeito- positivo.
substituição, negativo. Ministério da Saúde, Cespe, 2009.
(B) mesmo que o efeito-substituição seja
negativo, raramente seu valor absoluto é
menor que o do efeito-renda. 108) Quando o preço de um bem varia, se os
(C) ambos os efeitos, renda e substituição, são efeitos-renda e substituição variarem em
negativos. direções opostas, prevalecendo o efeito- renda,
(D) mesmo que o efeito-renda seja negativo, este bem é:
raramente seu valor absoluto é maior que o (A) normal.
do efeito-substituição. (B) inferior.
(E) o consumidor ficou mais pobre em termos (C) superior.
reais. (D) de Giffen.
ARCE, FCC, 2006. (E) de Slutsky.
Petrobrás, Cesgranrio, 2005.

103) Em relação à teoria do consumidor,


considere: 109) Um bem normal ou superior é aquele cujo
I. As curvas de indiferença mais baixas são efeito-renda é:
preferíveis às mais altas, assumindo-se a (A) indeterminado.
premissa da não saciedade e da (B) negativo.
transitividade na ordenação das preferências (C) inferior ao efeito-substituição.
do consumidor. (D) positivo.
II. No equilíbrio do consumidor com dois bens, (E) nulo.
a taxa de marginal de substituição entre eles Ministério Público/RO, Cesgranrio, 2005.
é igual à razão entre seus preços.
III. A inclinação das curvas de indiferença do
consumidor é função do preço relativo dos
bens de sua cesta de consumo.
IV. Bens inferiores são aqueles em que
geralmente o valor absoluto do efeito renda
é menor que o do efeito substituição.

DSc Cursos Página 15


DSc Cursos

110) Com relação aos bens inferiores, normais e 112) A respeito do estudo do comportamento do
de Giffen, pode-se afirmar que consumidor, que constitui fundamentação
(A) para todos os bens de Giffen, o efeito teórica para a análise da demanda de mercado,
substituição é maior que o efeito renda. assinale a opção correta.
(B) a diferença entre um bem normal e um bem (A) Supondo que biodísel e gasolina sejam bens
inferior está no fato de que, para o segundo, substitutos, então, em resposta a uma queda
quando há uma queda no preço do mesmo, o no preço do biodísel, tanto o efeito renda
efeito renda possui sentido oposto, se como o efeito substituição contribuirão para
comparado com um bem normal e a aumentar a demanda de biodísel, sem alterar
diferença, por outro lado, entre um bem de a procura de gasolina.
Giffen e um bem inferior reside no fato de (B) Se, para determinado consumidor, passagens
que o efeito substituição, em sentido oposto aéreas e diárias de hotel são bens
ao efeito renda, é maior no caso dos bens de complementares, então, para esse
Giffen. consumidor, as curvas de indiferença são
(C) para todos os bens inferiores, o efeito linhas retas.
substituição possui o mesmo sinal, o mesmo (C) Nos restaurantes que servem refeições por
sentido, que o efeito renda. quilo, no equilíbrio, os clientes consomem
(D) para todos os bens normais, uma queda no os alimentos disponíveis até o ponto em que
preço do bem implica um efeito substituição a utilidade marginal é zero, de forma a
e um efeito renda em sentidos opostos. maximizar sua utilidade total.
(E) para todos os bens de Giffen, o efeito renda (D) Para determinada restrição orçamentária,
é maior que o efeito substituição. quando a utilidade marginal por real gasto,
Gestor de Economia, FCC, 1999. no consumo de dois bens quaisquer, difere,
o consumidor poderia aumentar sua
satisfação, expandindo o consumo do bem
111) A análise do comportamento do consumidor que apresentasse maior utilidade por real
constitui a fundamentação teórica para a análise gasto e reduzindo o consumo daquele que
da demanda de mercado. Acerca desse assunto, tivesse menor utilidade marginal por real
assinale a opção correta. despendido.
(A) As curvas de indiferença entre carros Polícia Civil/PA, Cespe, 2007.
populares de diferentes marcas têm a forma
de ângulos retos em razão de esses veículos
funcionarem como bens complementares. 113) Com respeito à teoria do consumidor,
(B) A elevação dos preços dos terrenos urbanos, assinale a opção correta.
em grandes cidades, representa redução da (A) Quando dois bens são complementos
renda nominal dos consumidores e, perfeitos, o efeito-renda é nulo e o efeito-
portanto, conduz a um deslocamento substituição é infinito.
paralelo para baixo e para a esquerda da (B) Suponha que, para determinado consumidor,
restrição orçamentária do consumidor. a taxa marginal de substituição entre
(C) Passagens de ônibus podem ser gasolina e dísel seja constante. Nesse caso, a
considerados bens inferiores para os curva de indiferença entre esses bens é uma
consumidores de rendas mais elevadas. linha reta com inclinação ascendente.
(D) O aumento do poder de compra dos (C) O conceito de utilidade marginal refere-se
consumidores, em decorrência da redução ao montante que os agentes econômicos
do preço dos eletrodomésticos, que lhes estão dispostos a pagar por unidade
permite consumir mais esses bens e outros suplementar de determinado bem.
produtos, é compatível com a existência do (D) Considere que os gastos com aluguéis
efeito substituição. residenciais caiam à medida que a renda
FCPTN, Cespe, 2007. aumente, refletindo o fato de que indivíduos
com renda elevada possuam casa própria.
Nesse caso, é possível afirmar que, para as
famílias ricas, imóveis alugados são bens
inferiores.

DSc Cursos Página 16


DSc Cursos

(E) Programas do tipo vale-alimentação (B) Se o consumidor considerar que energia


deslocam paralelamente a restrição elétrica e alimentos são bens
orçamentária dos seus beneficiários e, complementares, então, para esse
portanto, têm exatamente o mesmo efeito de consumidor, a taxa marginal de substituição
uma expansão da renda desses entre esses dois produtos será decrescente.
consumidores. (C) No equilíbrio, o consumidor escolherá um
INPI, Cespe, 2006. nível de consumo de energia elétrica que
iguale as utilidades marginais para ambos os
bens.
A análise do comportamento dos agentes (D) Admitindo-se que energia elétrica seja um
econômicos no tocante às suas decisões de consumo bem normal, então a curva de Engel para
é crucial para se entender a demanda de mercado. esse produto será negativamente inclinada.
Nesse sentido, julgue os itens a seguir. (E) Considerando que, para esse consumidor,
alimentos sejam bens inferiores, na demanda
114) Para um consumidor racional, a taxa de alimentos, o efeito renda possuirá sinal
marginal de substituição entre cédulas de dez contrário ao efeito substituição.
reais e cédulas de cinco reais é decrescente e Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2008.
será tanto mais baixa quanto maior for seu nível
de renda. 120) Um consumidor com renda mensal inicial de
115) Se, para umdeterminado consumidor, as R$ 1.000,00 gasta em transporte R$ 200,00 por
curvas de indiferença entre dois bens são mês. Sua renda mensal aumenta para R$
representadas por linhas retas negativamente 1.100,00, e o preço do transporte aumenta 50%,
inclinadas, então, para esse consumidor, os bens não ocorrendo qualquer outra alteração de
examinados são perfeitamente complementares. preços. Em sua nova posição de equilíbrio, esse
116) O princípio da utilidade marginal consumidor gasta com transporte R$ 250,00 por
decrescente explica porque a restrição mês. Considerando as alterações descritas
orçamentária do consumidor é negativamente acima, para esse consumidor, o(a)
inclinada. (A) transporte é um bem ou serviço inferior.
117) A combinação de produtos que maximiza a (B) transporte não tem substitutos.
utilidade do consumidor estará sobre a curva de (C) nível de bem-estar diminuiu.
indiferença mais elevada que o consumidor (D) nível de bem-estar aumentou.
conseguir atingir dada a sua restrição (E) demanda por transporte é totalmente
orçamentária. elástica.
118) Para os bens normais, a curva de demanda é BNDES, Cesgranrio, 2013.
decrescente porque preços menores de um
produto geram efeitos renda e substituição que EXCEDENTE DO CONSUMIDOR
levam os consumidores a demandar maiores
quantidades do produto considerado. 121) Se o consumidor estiver disposto a pagar
Petrobrás, Cespe, 2001. R$ 20,00 por um bem, mas o preço de mercado
é de R$ 14,00, o excedente do consumidor será
de
(A) R$ 6,00.
(B) R$ 12,00.
(C) R$ 14,00.
119) Considere que determinado consumidor (D) R$ 20,00.
gaste sua renda com apenas dois bens — (E) R$ 34,00.
energia elétrica e alimentos. A propósito dessa Ceal, FCC, 2005.
situação hipotética, assinale a opção correta.
(A) Em presença de racionamento de energia
elétrica, o consumidor exaurirá a totalidade
de sua renda ao longo de sua restrição
orçamentária.

DSc Cursos Página 17


DSc Cursos

122) O gráfico mostra a estimativa da curva de $


demanda dos futuros usuários de uma estrada a 100 Disposição para pagar de Paulo
ser construída. O pedágio aprovado para a
90
concessionária cobrar é de R$ 2,00/veículo.
80 Disposição para pagar de Maurício
R$/veículo
70 Disposição para pagar de Marcus
A
60 Disposição para pagar de Luis

Demanda 50
Demanda
2,00 E B
Pedágio
1 2 3 4 5 Q

Onde: $ é o preço do bem, Q é a quantidade do


O D C Veículos/mês bem. A partir desses dados, para um preço fixado
Supondo a ausência de externalidades, o benefício em R$ 70,00, o montante do excedente dos
líquido mensal para os futuros usuários, devido à consumidores, em reais, é de:
construção da estrada, corresponde à área do (A) 50,00
(A) triângulo ABE (B) 40,00
(B) triângulo ACO (C) 30,00
(C) triângulo BCD (D) 20,00
(D) trapézio ABDO (E) 10,00
(E) trapézio BCOE Sensa Manaus, Cesgranrio, 2005.
Petrobrás, Cesgranrio, 2012.

124) Com relação ao conceito de excedente do


123) Considere a seguinte Tabela de Disposição consumidor, é correto afirmar que
para Pagar de quatro possíveis compradores: a) o excedente do consumidor não sofre
Comprador Disposição para pagar influência dos preços dos bens.
em R$ b) o excedente do consumidor pode ser
Paulo 100,00 utilizado como medida de ganho de bem
Maurício 80,00 estar econômico com base nas preferências
Marcus 70,00 dos consumidores.
Luis 60,00 c) quanto maior o excedente do consumidor,
menor será o bem-estar dos consumidores.
Analise o Esquema de Demanda desses d) o excedente do consumidor não pode ser
Compradores e a Curva de Demanda traçada a calculado a partir de uma curva de demanda
partir do esquema, a seguir. linear.
Preço Compradores Quantidade e) a elevação das tarifas de importação
em Demandada aumenta o excedente do consumidor.
Real STN, ESAF, 2005.
Mais Nenhum 0
de 100
De 80 Paulo 1 125) A mudança no excedente do consumidor
a 100 quando o preço de um bem x aumenta é dada
De 70 Paulo e 2 pela soma de dois efeitos: o da redução do
a 80 Maurício consumo deste bem e o da:
(A) redução do consumo do bem y.
De 60 Paulo, 3
(B) redução do preço do bem y.
a 70 Maurício e
(C) redução do preço do bem x.
Marcus
(D) elevação do preço do bem y.
60 ou Paulo, 4
(E) elevação do preço do bem x.
menos Maurício,
Petrobrás, Cesgranrio, 2005.
Marcus e Luis

DSc Cursos Página 18


DSc Cursos

DEMANDA DE MERCADO 129) Dada uma curva de demanda de um bem X,


tudo o mais constante, é correto afirmar que,
126) No mercado do bem X, existem 100 quando aumenta o(a):
consumidores cuja curva de demanda individual (A) preço do bem X, a curva de demanda do
é representada pela função a seguir: bem X desloca-se para a esquerda.
q = 200 – 4 P (B) preço de um bem complementar ao bem X,
onde: a curva de demanda do bem X desloca-se
q = quantidade do bem X para a esquerda.
P = preço do bem X (C) preço de um bem substituto do bem X, a
Definindo-se Q = quantidade do bem X demandada curva de demanda do bem X desloca-se para
no mercado, a curva de demanda de mercado do a esquerda.
bem X será representada por: (D) preço do bem X, a curva de demanda do
(A) Q = 20.000 − 4 P bem X desloca-se para a direita.
(B) Q = 200 − 400 P (E) renda do consumidor, a curva de demanda
(C) Q = 20.000 − 400 P do bem X desloca-se para a direita, se este
(D) Q = 200 − 0,4 P bem for inferior.
(E) Q = 2 – 0,04 P EPE, Cesgranrio, 2006.
Infraero, FCC, 2009.

130) O que acontece quando o preço da maçã


127) A curva de demanda aumenta?
(A) individual possui inclinação descendente, (A) Aumenta a quantidade demandada de
enquanto a curva de demanda de mercado maçãs.
dela derivada sempre apresenta inclinação (B) O preço da pêra também aumenta, devido à
ascendente. maior demanda por pêras.
(B) de mercado de um dado bem resulta da (C) O preço da pêra cai, pois a demanda por esta
agregação, para cada preço, das demandas fruta aumenta.
dos consumidores individuais. (D) Certamente a demanda por maçãs aumenta,
(C) individual está relacionada ao desejo dos provocando a alta de seu preço.
consumidores em adquirir determinado bem, (E) Certamente a oferta de maçãs aumenta,
ao passo que a demanda de mercado refere- provocando a alta de seu preço.
se à concretização da compra, o que se Refap, Cesgranrio, 2007.
denomina demanda efetiva.
(D) de mercado é resultado da soma vertical das 131)
diversas curvas de demanda individual. Preço A
(E) de mercado de um dado bem tem sua da Maçã
constituição influenciada pelo preço dos C
chamados bens concorrentes, mas não afeta
a inclinação da curva de demanda individual
dela derivada.
Defensoria Pública/RS, FCC, 2013. B
Demanda
D
128) Dos itens abaixo, a curva de demanda só Quantidade
NÃO afeta e desloca: de Maçãs
(A) a renda.
(B) os gostos.
(C) o preço dos insumos.
(D) o preço dos bens. No gráfico acima aparece em traço cheio a curva de
(E) o número de compradores. demanda por maçãs. Sendo as pêras um bem
Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005. substituto para as maçãs, um aumento de preço da
pêra:

DSc Cursos Página 19


DSc Cursos

(A) altera a curva de demanda por maçãs para (D) A redução de preços de bens substitutos leva
uma posição como A B. ao deslocamento da curva de demanda de
(B) altera a curva de demanda por maçãs para mercado para a direita.
uma posição como C D. (E) Se a curva de demanda individual de um
(C) altera a curva de demanda por maçãs para consumidor por um determinado bem tiver
uma posição como A D. inclinação positiva, então necessariamente a
(D) altera apenas a curva de oferta de maçãs. curva de demanda de mercado desse bem
(E) não altera a posição da curva de demanda também terá inclinação positiva.
por maçãs. Infraero, FCC, 2011.
TCE/RO Cesgranrio, 2007.

Acerca de preferências do consumidor, restrição


132) Na permanência de tudo o mais constante, orçamentária e funções de demanda, julgue os itens
há um deslocamento da curva de demanda de a seguir.
um bem para a direita quando 135) Conforme Varian, as preferências
(A) aumenta o preço de um bem complementar. representadas por funções de utilidade do tipo
(B) a renda dos consumidores se eleva e o bem é Cobb-Douglas são exemplos típicos de
inferior. preferências bem-comportadas.
(C) os consumidores passam a gostar menos 136) Em uma transformação monotônica de uma
daquele bem em relação aos outros. função de utilidade Cobb-Douglas, as
(D) aumenta o preço de um bem substituto. preferências são preservadas.
(E) diminui o preço do próprio bem. 137) As preferências por bens complementares
Prefeitura de Santos, FCC, 2005. perfeitos devem ter o formato da letra L.
138) Uma função de demanda é a função que
relaciona a escolha ótima, ou seja, as
133) A curva de demanda de mercado de um bem quantidades demandadas com os diferentes
normal se desloca para a esquerda de sua valores de preços e rendas.
posição original. Uma das causas possíveis é o 139) Quando a curva de indiferença não
aumento do tangencia a reta orçamentária, não haverá um
(A) preço do bem substituto. nível de consumo ótimo de dois bens.
(B) poder aquisitivo real dos consumidores. 140) Concavidade da curva de indiferença é uma
(C) número de consumidores. condição suficiente para a existência de
(D) preço do próprio bem. consumos ótimos de dois bens.
(E) preço de um bem complementar. 141) Supondo-se uma função de utilidade Cobb-
Resposta (E) Douglas, concluise corretamente que o
Metrô, FCC, 2008. consumidor gastará sempre uma fração variável
da sua renda em cada bem.
142) Uma curva de Engel mostra-nos as cestas de
134) A respeito da curva de demanda, é correto bens demandadas em diferentes níveis de renda.
afirmar: 143) Para se ter uma função de demanda de
(A) A inclinação da curva de demanda de mercado, basta somar todas as quantidades e
mercado é positiva porque, quanto maior o preços das demandas individuais.
número de consumidores, maior a BASA, Cespe, 2006.
quantidade demandada de determinado bem.
(B) A declividade negativa da curva de demanda
individual do consumidor pode ser
explicada pelos efeitos renda e substituição.
(C) Os aumentos de renda provocam
deslocamentos da curva de demanda
individual do consumidor para a esquerda,
no caso de bens normais.

DSc Cursos Página 20


DSc Cursos

A análise do comportamento do consumidor e a das para aumentar a procura por esse tipo de
forças que regem a oferta e demanda é fundamental software e deslocam a curva de demanda desses
para o estudo dos fenômenos econômicos. jogos para cima e para a direita.
Considerando essas análises, julgue os próximos BASA, Cespe, 2007.
itens. ELASTICIDADE PREÇO
144) A determinação da escolha ótima do
consumidor, cujas preferências são descritas 153) A elasticidade preço da demanda é definida
pelas curvas de indiferença, requer a adoção de como a razão entre a variação em:
uma medida cardinal de utilidade, capaz de (A) Unidades, da quantidade demandada e a
atribuir um número específico à utilidade total variação, em percentagem, do preço do bem,
gerada para cada bem consumido. (B) Unidades, da quantidade demandada e a
145) Considerando-se dois bens quaisquer, a variação, em unidades, do preço do bem
inclinação da restrição orçamentária, dada pelo (C) Unidades, da quantidade demandada,
preço relativo de cada mercadoria, corresponde mantendo o preço fixo.
ao custo de oportunidade de cada bem em (D) Percentagem, da quantidade demandada e a
relação a outro bem. variação, em unidades, do preço do bem
146) A substituição do financiamento da coleta de (E) Percentagem, da quantidade demandada e a
lixo domiciliar mediante o uso de uma taxa variação, em percentagem, do preço do bem
anual fixa por um sistema em que o pagamento SEAD/AM, Cesgranrio, 2005.
efetuado seja proporcional à quantidade de lixo
recolhido, modifica a inclinação da restrição
orçamentária e reduz o subsídio implícito 154) A elasticidade-preço da demanda é a relação
auferido pelas famílias que geram uma maior preço-quantidade multiplicada pela(o):
quantidade de lixo. (A) inclinação da curva de demanda.
147) Baixas taxas de juros reduzem o custo atual (B) inclinação da curva de oferta.
do consumo futuro, aumentam os níveis de (C) unidade.
investimento e, portanto, expandem as (D) quadrado da quantidade demandada.
perspectivas de crescimento econômico. (E) quadrado dos preços.
148) Considerando-se que computadores e Ministério Público/RO, Cesgranrio, 2005.
impressoras sejam utilizados na proporção de
um computador para uma impressora, então é
correto afirmar que a curva de Engel para
155) A elasticidade-preço da demanda mede
computadores é negativamente inclinada.
(A) o ângulo de inclinação da função de
149) Regulamentações que impedem a cobrança
demanda.
de tarifas para uso de vagas de estacionamentos
(B) o inverso do ângulo de inclinação da
públicos nas grandes cidades, transformando
demanda.
essas vagas em bens livres, são parcialmente
(C) a sensibilidade do preço diante de mudanças
responsáveis pela relativa escassez de vagas
da quantidade demandada.
disponíveis nessas cidades.
(D) a relação entre uma mudança percentual no
150) As recentes inovações tecnológicas que
preço e uma mudança percentual da
reduzem os custos de produção dos serviços
quantidade demandada.
telefônicos diminuem os preços no curto prazo,
(E) a sensibilidade da função de demanda
o que, por sua vez, aumenta a demanda por
relacionada a alterações na renda.
esses serviços e resulta em preços mais
Gestor de Economia, FCC, 1999.
elevados, no longo prazo.
151) Políticas de combate às drogas ilegais
focadas unicamente na repressão do tráfico
conduzem a aumentos dos preços, porém, não
alteram substancialmente o consumo desses
produtos.
152) Pesquisas que sugerem que as crianças têm
um melhor desempenho escolar ao jogarem
diferentes jogos nos computadores contribuem

DSc Cursos Página 21


DSc Cursos

156) Se a elasticidade preço da demanda por 159) Um aumento da tarifa de energia elétrica faz
cigarros for igual a menos 0.4, isto significa com que um consumidor diminua seu consumo
que: de eletricidade, mas o valor total que gasta com
(A) um aumento de preço dos cigarros reduz a energia elétrica continua o mesmo. A
receita total auferida pelos produtores de elasticidade preço da demanda por eletricidade,
cigarro. por parte deste consumidor, é
(B) os aumentos na renda do consumidor (A) nula.
aumentam em 0,4% a demanda por cigarros. (B) indeterminada.
(C) se o preço de cigarros aumentar 10%, a (C) maior que um.
quantidade demandada por cigarros vai (D) igual à elasticidade da oferta.
diminuir em 8%. (E) unitária.
(D) se o preço de cigarros aumentar 4%, a EPE, Cesgranrio, 2010.
quantidade demandada por cigarros vai
diminuir em 10%.
(E) se o preço de cigarros aumentar, a 160) Considere as três curvas de demanda
quantidade demandada por cigarros vai representadas graficamente a seguir
diminuir, embora percentualmente menos
que o aumento dos preços.
TCE/RO Cesgranrio, 2007. P P P

157) Uma curva de demanda tem elasticidade


constante e igual, em módulo, a 2. Um aumento
do preço de equilíbrio provocará, nesse
(a) (b) (c)
mercado,
(A) diminuição do gasto total dos consumidores
com o bem.
(B) redução da quantidade procurada menor, Com base nessas informações, é correto afirmar que
percentualmente, que o aumento do preço. a) a elasticidade-preço da demanda, no caso da
(C) aumento da receita total dos produtores. função de demanda representada pelo
(D) aumento da quantidade procurada em gráfico (a), é igual a um.
percentual maior que o aumento do preço. b) a elasticidade-preço da demanda, no caso da
(E) a maximização da receita dos produtores. função de demanda representada pelo
Metrô, FCC, 2010. gráfico (b), é igual a zero.
c) o gráfico (c) representa uma demanda por
bens de procura infinitamente elástica.
158) Se a quantidade oferecida de um bem reage d) o gráfico (a) representa uma demanda por
substancialmente a uma variação nos preços, bens de procura absolutamente inelástica.
temos um caso de: e) as elasticidades-preço da demanda
(A) oferta elástica com elasticidade menor do relacionadas às funções dos gráficos (a) e
que 1. (b) são idênticas em valores absolutos.
(B) elasticidade - preço da demanda. MPU, Esaf, 2004.
(C) oferta inelástica com elasticidade entre 0 e
1.
(D) oferta elástica com elasticidade maior do
que 1.
(E) oferta infinitamente elástica.
Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005.

DSc Cursos Página 22


DSc Cursos

161) 162)
$ Demanda
Preço do
Milho
5,00 100 A
I 4,00
97,5

Demanda
100 Q
$
100 101,2 Quantidade
Demanda
II 4,00 de Milho
No ponto A desse gráfico, a elasticidade da
demanda por milho em relação ao seu próprio
Q preço, expressa em valor absoluto, é
aproximadamente igual a:
$ (A) 1
(B) 0,5
III 5,00 (C) 2
4,00 Demanda (D) 0
(E) -1
Decea, Cesgranrio 2009.
80 100 Q
163) Uma curva de demanda retilínea possui
elasticidade-preço igual a 1
Onde: $ é o preço do bem, Q é a quantidade do bem (A) em todos os pontos.
Dadas as Curvas de Demanda I, II e III, acima, (B) para quantidades muito elevadas próximas
assinale a opção que as classifica corretamente ao eixo das quantidades.
(A) perfeitament perfeitament elasticidade (C) para preços muito elevados próximos ao
e inelástica e elástica unitária eixo dos preços.
(D) no ponto em que a receita marginal é igual à
(B) perfeitament perfeitament elasticidade média.
e elástica e inelástica unitária (E) no ponto médio do segmento da curva de
demanda.
(C) elasticidade perfeitament perfeitamente Ceal, FCC, 2005.
unitária e elástica inelástica

(D) elasticidade perfeitament perfeitamente


unitária e inelástica elástica

(E) perfeitament elasticidade perfeitamente


e inelástica unitária elástica

Sensa Manaus, Cesgranrio, 2005.

DSc Cursos Página 23


DSc Cursos

164) Considere um mercado cuja demanda 167) Um estudo determinou que a função de
mensal é representada pela equação linear demanda por um determinado bem é linear, com
abaixo: a seguinte especificação:
PX = 400 – 0,125 QDX Qd = a - bP
PX = preço do bem X Onde
QDX = quantidade demandada do bem X Qd é a quantidade demandada do bem;
Essa curva de demanda apresenta elasticidades– P é seu preço; e
preço, em módulo, inferiores a 1, caso as a e b são parâmetros positivos.
quantidades transacionadas no mercado A elasticidade-preço da demanda por esse bem, ao
(A) sejam superiores a 1 600 unidades mensais. longo da função de demanda, é
(B) sejam inferiores a 400 unidades mensais. (A) monotonamente crescente.
(C) sejam inferiores a 1 200 unidades mensais. (B) unitária.
(D) estejam no intervalo entre 0 e 800 unidades (C) constante, mas diferente de 1.
mensais. (D) monotonamente decrescente.
(E) estejam no intervalo entre 400 e 1 600 (E) variável, sem direção definida.
unidades mensais. FHEMIG, FCC, 2013
Ceal, FCC, 2005.
168) Elasticidades servem para medir quão
sensíveis são as demandas em relação às
165) Uma curva de demanda se exprime por P = variações de preço ou de renda. Com base nessa
10 – 0,2 Q, onde P representa o preço e Q, a informação, assinale a opção correta em relação
quantidade demandada. O preço de mercado se às elasticidadespreço de uma demanda linear.
encontra em equilíbrio ao preço P = 2. O preço (A) Um bem com muitos substitutos próximos
varia para P = 2,04 e, tudo mais constante, a apresenta curva de demanda menos sensível
quantidade se equilibra em Q = 39,8. A às variações de preços que um bem com
elasticidade-preço da demanda ao preço usual poucos substitutos próximos.
de mercado é: (B) Para um bem com elasticidade-preço da
(A) 0,25 – demanda elástica. demanda unitária, um aumento de preço de
(B) 0,25 – demanda inelástica. 1% diminui a receita total em 1%.
(C) 0,4 – demanda inelástica. (C) Empresários dos setores de produção de
(D) 1 – demanda unitária. bens inelásticos têm seus lucros aumentados
(E) 2,5 – demanda elástica. durante greves nos seus respectivos setores.
EPE, Cesgranrio, 2006. (D) Se um empresário quer determinar o preço
de um bem inelástico com o fim de
maximizar seu lucro, então ele deve fixar
166) Considere uma curva de demanda linear um preço no qual a demanda seja inelástica.
dada pela equação Q = a - bP, onde Q (E) Se, em uma demanda linear, o preço do bem
representa a quantidade demandada, P o preço for igual a zero, então a elasticidade-preço
do bem e a e b constantes positivas. da demanda será infinita.
Representado o valor absoluto da elasticidade TJ/AL, Cespe, 2012.
preço da demanda pelo símbolo ε, é correto
afirmar que ε será
(A) igual a 1 no ponto em que Q=a/2 e P=a/2b. 169) Considerando-se uma curva de demanda
(B) constante ao longo de toda a curva de linear, é correto afirmar que a elasticidade-preço
demanda. da demanda
(C) sempre menor que 1 e estritamente a) é constante ao longo da curva.
decrescente ao longo de toda a curva, exceto b) tem valor unitário para todos os pontos da
no ponto em que P=0. curva.
(D) igual a 1 no ponto em que Q=a/2 e P=a/2 e c) é igual a zero no ponto médio da curva.
maior do que 1 em todos os outros pontos. d) tenderá ao infinito se o preço for igual a
(E) igual a zero no ponto em que P é também zero.
igual a zero. e) será maior quanto maior for o preço do bem.
Prefeitura de Santos, FCC, 2005. MPU, Esaf, 2004.

DSc Cursos Página 24


DSc Cursos

170) Quanto à elasticidade-preço da função 177) Com relação à elasticidade preço da


demanda, é correto afirmar: demanda, é incorreto afirmar que
(A) Uma redução do preço do bem, tudo mais a) se a demanda é elástica, o aumento do preço
constante, implicará na redução do reduz a receita total.
dispêndio do consumidor com o bem, se a b) quanto maior for o número de bens
demanda tiver elasticidade constante e substitutos, maior tende a ser o seu valor
maior que um. absoluto.
(B) Se a função de demanda for representada c) para uma curva de demanda linear do tipo
por uma linha reta negativamente inclinada, Qd = a – b.P, onde Qd = quantidade
o coeficiente de elasticidade-preço será demanda, P = preço; a e b constantes
variável ao longo de toda essa reta. positivas, o valor absoluto da elasticidade
(C) Se a função de demanda for representada será igual a 1 em todos os preços relevantes.
por uma linha reta paralela ao eixo dos d) se a demanda é inelástica, uma redução de
preços, a elasticidade- preço da demanda preço reduz a receita total.
será infinita. e) quanto maior o preço do bem em relação à
(D) Se a função de demanda tiver elasticidade renda dos indivíduos, maior tende a ser o
constante e igual a um, uma redução do seu valor absoluto.
preço do bem deixará inalterada a Ministério do Planejamento, FCC, 2006.
quantidade demandada do bem.
(E) Se a função de demanda for linear e
absolutamente inelástica com relação a Julgue os itens a seguir que versam acerca das
modificações no preço do bem, a função de curvas de procura.
demanda será representada por uma reta 178) Funções de demanda do consumidor
paralela ao eixo das quantidades. representam as quantidades ótimas de cada um
Metrô, FCC, 2012. dos bens como função dos preços e da renda
deste mesmo consumidor.
179) Aumento da renda do consumidor desloca a
Acerca de demanda, oferta, equilíbrio de mercado e curva de procura para a direita.
elasticidades, julgue os itens subsequentes. 180) Quando a renda do consumidor aumenta, a
171) A receita com a venda de um bem com procura por um bem de Giffen cai. Já quando o
demanda preço-elástica diminui quando se preço do bem inferior cai, a sua procura
diminui o preço desse bem, mantidas as demais também cai.
variáveis constantes. 181) Curvas de procura verticais indicam que há
172) Em uma cesta de consumo com dois bens inelasticidade da procura. Já curvas de procura
normais, o caminho de expansão da renda terá horizontais indicam que há elasticidade infinita
inclinação negativa. da procura.
173) Todo bem de Giffen é um bem inferior, 182) Curva de demanda linear possui elasticidade
porém nem todo bem inferior é um bem de zero, no intercepto vertical da curva, e
Giffen. elasticidade infinita, no intercepto horizontal.
174) O aumento na renda do consumidor implica Prefeitura de Vila Velha, Cespe, 2008.
deslocamento da curva de demanda por um bem
para a direita.
175) Uma curva de demanda linear tem 183) Seja uma função de demanda dada por
elasticidade de demanda constante ao longo de Q(P) = 30 – 4.P – P2
toda a curva. Para P = 1 a elasticidade preço da demanda
176) Se a elasticidade de demanda linear é zero, o será de aproximadamente
preço do bem é zero. a) -0,24.
EBC, Cespe, 2011. b) -3,33.
c) -1,05.
d) -0,50.
e) -1,25.
Ministério do Planejamento, FCC, 2006.

DSc Cursos Página 25


DSc Cursos

187) A curva de demanda por determinado bem é


184) Seja uma função de demanda dada por: mais elástica (em relação a seu preço) se
Qa (Pa, Pb) = 95 – 5.Pa – 4.Pb houver:
Onde: (A) muitos bens complementares ao bem em
Qa = demanda pelo bem a; questão.
Pa = preço do bem a; e (B) maior prazo para o consumidor se adaptar
Pb = preço do bem b. ao novo preço.
No ponto (5, 5), a elasticidade parcial da demanda (C) custo fixo elevado na produção do bem.
pelo bem A relativamente a Pa será de (D) expansão da política monetária.
a) - 1,5. (E) poucos bens substitutos para o bem em
b) - 5,0. questão.
c) - 3,0. EPE, Cesgranrio, 2007.
d) - 0,1.
e) - 0,5.
Ministério do Planejamento, FCC, 2006. 188) Considere o valor absoluto das
elasticidades. Quanto maior for o número de
substitutos de um determinado bem,
185) Considere as seguintes funções: a) mais próximo de zero estará a elasticidade-
Qad = 100 – 10.Pa + 20.Pb preço da demanda.
Qas = 50 + 4.Pa b) menor tenderá ser a elasticidade-preço da
Onde: demanda.
Qad = quantidade demandada pelo bem a; c) menor tenderá ser a elasticidade-renda da
Qas = quantidade ofertada do bem a; demanda.
Pa = preço do bem a; d) maior tenderá ser a elasticidade-preço da
Pb = preço do bem b. demanda.
Supondo Pb = 1, o valor da elasticidade preço da e) mais próximo de um estará a elasticidade-
demanda no equilíbrio será de, aproximadamente, renda da demanda.
a) – 0,08. MPU, Esaf, 2004.
b) – 0,13.
c) – 0,71.
d) – 1,15. 189) A curva de demanda
e) – 1,33. (A) em hipótese alguma poderá ter inclinação
Ministério do Planejamento, FCC, 2006. positiva.
(B) tem sua elasticidade-preço determinada pelo
nível geral de preços da economia.
186) Um bem terá uma elasticidade-preço da (C) pode se deslocar em função de alterações na
demanda maior quando for renda do consumidor.
(A) menor a disponibilidade de produtos (D) não altera sua posição em função da
substitutos. modificação nos preços de bens substitutos e
(B) menor o preço deste bem. complementares.
(C) menor o período de tempo considerado. (E) tem elasticidade-preço constante, qualquer
(D) considerado um produto de primeira que seja o seu formato.
necessidade. ARCE, FCC, 2012.
(E) maior o peso no orçamento do consumidor.
Ceal, FCC, 2005.

DSc Cursos Página 26


DSc Cursos

190) No que diz respeito aos fatores que


determinam as curvas de procura, assinale a ELASTICIDADE RENDA
opção correta.
(A) A redução no preço de um bem 193) Um consumidor gasta sempre metade da sua
complementar desloca, para a esquerda, a renda com roupas. A elasticidade-renda da
curva de demanda por esse bem. demanda por roupas, por parte deste
(B) Um deslocamento da curva de demanda por consumidor, é igual a
um bem é deslocada para a direita pelo (A) 1
aumento no preço dos insumos. (B) 0.5
(C) A curva de demanda por um bem inferior é (C) zero
deslocada para a direita se houver aumento (D) - 0.5
na renda do consumidor típico desse bem. (E) -1
(D) A renda dos consumidores define o tipo de Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2008.
curva de demanda: preço-elástica ou preço-
inelástica.
(E) Um aumento no preço de certo bem 194) A função utilidade de uma pessoa, com
substituto desloca, para a direita, a curva de renda de 100 unidades monetárias mensais, é
demanda por esse bem. dada pela expressão U = XY, onde U é a sua
TJ/AL, Cespe, 2012. utilidade, X e Y são as quantidades dos dois
bens consumidos. Os preços por unidade de X e
de Y são iguais, e o consumidor maximiza sua
191) Com base na teoria microeconômica utilidade sujeito à restrição de renda. Nesse
clássica, assinale a opção correta. caso, para essa pessoa,
(A) Um bem é considerado inferior se a queda (A) X e Y são bens inferiores.
do preço do bem gera redução da quantidade (B) os gastos com X são o dobro dos gastos com
demandada. Y.
(B) Para os bens de Giffen, o efeito substituição (C) os gastos com X são de 60 unidades
é superior ao efeito renda. monetárias/mês.
(C) Em se tratando dos bens de Giffen, a curva (D) as curvas de indiferença entre X e Y são
de demanda do bem é positivamente retilíneas.
inclinada. (E) a elasticidade renda da demanda por X é
(D) Todo bem inferior é, por definição, um bem igual a 1.
de Giffen. Eletrobrás, Cesgranrio, 2010.
(E) A elasticidade-preço do bem de Giffen é
negativa.
Estado do Espírito Santo, Cespe, 2013. 195) A função utilidade U de uma pessoa que
consome apenas dois bens, X e Y, é dada pela
equação U = X0,5 Y0,5 , onde X e Y representam
192) A demanda total no mercado de maçãs é a as quantidades dos dois bens. A elasticidade
soma das demandas de dois grupos de renda da demanda por X, por parte desse
compradores, I e II. Metade das maçãs vendidas consumidor, é igual a
se destinam ao grupo I, e a outra metade ao (A) zero
grupo II. As elasticidades preço das demandas (B) 0,5
por maçãs dos grupos I e II são, (C) 1
respectivamente, −1,0 e −2,0. Diante dessas (D) 1,5
informações, conclui-se que a elasticidade preço (E) −1
da demanda total do mercado de maçãs é Transpetro, Cesgranrio, 2011.
(A) −1,0
(B) −1,5
(C) −2,0
(D) −2,5
(E) −3,0
Liquigás, Cesgranrio, 2012.

DSc Cursos Página 27


DSc Cursos

Preço
196) A elasticidade renda da demanda por certo
de X
bem é menor que 1. Isso significa, Oferta
necessariamente, que: em R$
(A) aumentos na renda diminuem a quantidade
demandada do bem. 10 E
(B) aumentos da renda aumentam a quantidade
demandada do bem. Demanda
(C) a variação percentual da quantidade
demandada do bem é menor que o aumento
percentual da renda.
(D) o bem é superior. 20
Quantidade
(E) o bem é inferior. de X
Refap, Cesgranrio, 2007.

A elasticidade renda da demanda por X é igual a


197) Se a renda mensal de um consumidor +1, e a renda dos compradores de X aumenta 10%.
aumentasse de R$ 1.000,00 para R$ 1.200,00, Diante desse fato e considerando a figura, conclui-
ele gastaria 10% mais em alimentos (cujos se que, no mercado, o(a) novo(a)
preços não se alteraram). Sua elasticidade- (A) preço de equilíbrio será de R$ 11,00.
renda da demanda por alimentos é de (B) preço de equilíbrio será superior a R$ 10,00
(A) 0.5 e inferior a R$ 11,00.
(B) 1 (C) preço de equilíbrio de X será inferior a R$
(C) 2 10,00.
(D) 10% (D) quantidade de equilíbrio será de 22
(E) 20% unidades.
Petrobrás Biocombustivel, Cesgranrio, 2010. (E) quantidade de equilíbrio será inferior a 22
unidades.
Liquigás, Cesgranrio, 2012.
198) Em estudos microeconômicos, a
elasticidade-renda da demanda de um bem
inferior é:
(A) positiva.
(B) negativa.
(C) maior que um.
(D) um.
(E) zero.
Transpetro, Cesgranrio, 2006.

199) A figura mostra as curvas de oferta e de


demanda do bem X, negociado em um mercado
competitivo. As duas curvas têm as inclinações
usuais, e o equilíbrio inicial é representado pelo
ponto E. Nesse ponto, a quantidade e o preço de
equilíbrio são, respectivamente, 20 unidades e
R$ 10,00 por unidade.

DSc Cursos Página 28


DSc Cursos

202) Em relação à teoria microeconômica,


200) Nos últimos anos, observou-se o assinale a opção correta.
crescimento substancial do mercado de produtos (A) Se a elasticidade-preço da demanda por um
agrícolas orgânicos, impulsionado pela bem for igual a -0,5, então esse bem será
disseminação de hábitos de vida mais saudáveis. elástico.
Quanto ao funcionamento desse mercado, (B) Se a elasticidade-renda da demanda de um
assinale a opção correta. bem é igual a 0,5, então esse bem será um
(A) Uma redução no preço dos fertilizantes bem inferior.
orgânicos conduz a um deslocamento ao (C) Se um aumento no preço de um bem gera
longo da curva de oferta desses produtos, como resultado o aumento da quantidade
expandindo a quantidade ofertada. demandada por outro bem, então esse outro
(B) A ocorrência de grandes inundações nas bem é denominado bem de Giffen.
áreas de plantio desses produtos desloca a (D) Se a elasticidade cruzada entre dois bens for
curva de oferta desses produtos para cima e positiva, então esses bens são bens
para a esquerda. complementares.
(C) Estudos científicos que mostram que os (E) Se um aumento de renda gera, como
benefícios de exercícios físicos são resultado, a redução da quantidade
potencializados pelo consumo de produtos demandada de um bem, então esse bem é
orgânicos aumentam a quantidade denominado bem de Giffen.
demandada, porém, não alteram a posição TJ/RD, Cespe, 2012.
da curva de demanda de mercado para esses
bens. DEMANDA, RECEITA E ELASTICIDADE
(D) Supondo-se que esses produtos sejam bens
normais, o aumento na renda dos 203) Considere a seguinte equação de demanda
consumidores reduzirá o consumo, para para uma determinada firma
qualquer nível de preço desses alimentos. Qd = (a/b) - (P/b)
(E) Os preços mais elevados cobrados por esses onde
produtos reduzem tanto a elasticidade preço Qd = quantidade demandada;
como a elasticidade renda da demanda por P = preço do bem;
esses produtos. a e b constantes positivas.
Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2009 Com base nessas informações, a receita total e
receita marginal serão, respectivamente,
(A) a.q + b.q2 e a + 2.b.q.
201) Z (x1, x2) = x1÷ x2 (B) a.q e a.
Fazendo x1 = renda; x2 = preço; e Z = (C) b.q 2
e 2.b.q.
quantidade demandada. É incorreto afirmar que: (D) -b.q2 e - 2.b.q.
a) Z(2.x1,2.x2) = 2.Z(x1, x2). (E) a.q - b.q2 e a - 2.b.q.
b) essa função pode ser considerada como MPU, Esaf, 2004.
representativa de uma função de demanda
que gera uma curva de demanda
negativamente inclinada. 204) A função demanda para um determinado
c) essa função é homogênea de grau zero. produto é dada por p = 27 − q , em que p é o
d) mantida a renda constante, quanto maior o preço unitário do produto, em unidades
preço menor será a quantidade demandada. monetárias, e q a respectiva quantidade
e) a soma das elasticidades preço e renda é demandada (0 ≤ q ≤ 27). Existe um valor para p
zero. e um valor para q que maximiza a receita total
Ministério do Planejamento, FCC, 2006. correspondente ao produto. O valor desta receita
total máxima é, em unidades monetárias, igual a
(A) 162
(B) 126
(C) 108
(D) 54
(E) 48

DSc Cursos Página 29


DSc Cursos

(D) se o preço de mercado aumentar, a receita


205) A função demanda de mercado do bem X é total dos produtores aumentará também.
expressa pela reta Qdx = 600 − 2P e a do bem Y (E) a receita total dos produtores somente
pela reta Qdy = 800 − 4P. Essas duas retas de aumentará, se a curva da demanda se
demanda se interceptam num ponto em que o deslocar para a direita.
preço de mercado dos dois bens e suas ARCE, FCC, 2006.
respectivas quantidades procuradas se
igualam. É correto afirmar que, nesse ponto,
(A) a elasticidade-preço da demanda do bem X é 208) Considerando-se a relação entre receita
maior, em valor absoluto, que a do bem Y. marginal e elasticidade-preço da demanda, é
(B) a receita total dos produtores do bem Y será correto afirmar que a receita marginal será
a máxima possível no mercado. a) maior do que dois quando a elasticidade
(C) caso o preço de mercado aumente, a receita preço da demanda for igual a um.
total dos produtores do bem X diminuirá. b) positiva quando a demanda for elástica.
(D) a elasticidade-preço da demanda do bem X é c) igual a 0 quando a elasticidade-preço da
igual à do bem Y. demanda for igual a zero.
(E) caso o preço de mercado aumente, a receita d) positiva quando a demanda for inelástica.
total dos produtores do bem Y permanecerá e) igual à elasticidade-preço da demanda
constante. quando essa for igual a 1.
Metrô, FCC, 2008. MPU, Esaf, 2004.

206) Suponha que a curva de demanda por Julgue os itens subsequentes, relativos à função de
determinado bem seja dada pela equação q = 5- demanda.
p, 0<p≤5, onde q é a quantidade demandada e p 209) Se a função de demanda por um bem for
é o preço do bem, medidos em unidades linear, então a elasticidade da procura por esse
adequadas. Pode-se afirmar que bem será igual a -1 no ponto onde o preço for
(A) a elasticidade da demanda em relação ao igual ao ponto médio da curva de demanda.
preço é -1, ao longo de toda a curva de 210) Quando a elasticidade da demanda é
demanda. constante ao longo de toda a curva de demanda,
(B) a receita marginal como função de q é dada diz-se que a curva é isoelástica. A função de
pela expressão RMg = 5 – 2q, 0≤q≤5. demanda linear é um exemplo de
(C) quando p = 2, a elasticidade da demanda isoelasticidade.
em relação ao preço é -1. 211) Curva de demanda de elasticidade unitária
(D) quando p = 2, a quantidade demandada significa que o gasto total do consumidor é
também é 2. constante ao longo da curva de demanda.
(E) sem saber quais são as unidades de medida Ministério da Saúde, Cespe, 2009.
de p e q, não é possível calcular a
elasticidade preço da demanda.
BNDES, Cesgranrio, 2008. 212) Considere uma curva de demanda com
elasticidade unitária em todo o domínio da
função que a representa. É correto afirmar que
a) a variação da receita total dividida pela
207) A curva de demanda de mercado de um bem variação do preço é maior do que 1.
é dada pela função Qd = 4.000 P−2, onde Qd é a b) uma queda nos preços provoca uma queda
quantidade demandada e P o preço do produto. na receita total.
É correto concluir que c) um aumento nos preços provoca uma queda
(A) se o preço de mercado diminuir, a receita na receita total.
total dos produtores aumentará. d) tanto um aumento quanto uma queda nos
(B) o bem tem demanda inelástica. preços não alteram a receita total.
(C) a receita total dos produtores é sempre a e) a variação da receita total dividida pela
mesma, qualquer que seja o preço de variação do preço é menor do que 1.
mercado. Ministério do Planejamento, FCC, 2006.

DSc Cursos Página 30


DSc Cursos

213) A curva de demanda de um determinado 215) O fato de que, nos últimos anos, os airbags
bem é dada pela função contínua: Q = 800P−1 . tenham se tornado presentes na maioria dos
Em consequência, carros norte-americanos é consistente com a
(A) se o preço de mercado diminuir, haverá um existência de curvas de indiferença verticais
aumento da quantidade procurada do bem, entre equipamento de segurança e os demais
mas o dispêndio total do consumidor com o bens, decorrente da maior disponibilidade dos
bem permanecerá inalterado. norte-americanos a pagar por airbags.
(B) se o preço de mercado aumentar, haverá 216) O aumento das matrículas na educação
uma diminuição da quantidade procurada do superior decorrente da concessão de bolsas
bem e do dispêndio total do consumidor parciais de estudos a estudantes de baixa renda,
com esse bem. em instituições privadas de educação superior
(C) se o preço de mercado diminuir, haverá um no âmbito do Programa Universidade para
aumento da quantidade procurada do bem e Todos (ProUni), está associado à existência de
do dispêndio total do consumidor com esse efeito substituição positivo no consumo de
bem. educação superior.
(D) a curva de demanda é inelástica qualquer 217) Para um dado consumidor, a taxa marginal
que seja o preço praticado no mercado. de substituição entre dois bens quaisquer, no
(E) a curva de demanda é elástica qualquer que equilíbrio, iguala-se à relação de preço entre
seja o preço praticado no mercado. essas mercadorias, indicando, assim, que a
TCE/PR, FCC, 2011. valoração do mercado referente a esses bens
coincide com aquela determinada pelas
preferências do consumidor.
214) Considere que o BB ofereça uma 218) A proibição da venda de bebidas alcoólicas
modalidade de seguro para veículos cuja nas rodovias federais, se efetivamente
elasticidade-preço da demanda seja igual a 1,2. implementada, deslocará a curva de demanda de
Assinale a opção que descreve corretamente as mercado dessas bebidas, para baixo e para a
características desse mercado. esquerda.
(A) Trata-se de um mercado impossível; a 219) Supondo-se que, no mercado de TV a cabo,
elasticidade-preço da demanda nunca pode a elasticidade preço da demanda para o plano
ser superior a 1. básico seja inferior à unidade, então, um
(B) O seguro descrito tem demanda inelástica. aumento do preço desse pacote aumentará o
(C) O oferecimento pelo BB de modalidade de gasto das famílias com esses serviços.
seguro com características semelhantes à FUB, Cespe, 2008.
considerada diminuirá a elasticidadepreço
do produto original.
(D) Não é possível determinar como a receita “Tarifa de ônibus pode ir para R$ 1,90 A proposta
total decorrente da venda desse produto de aumento das passagens de ônibus de Belém e
reagirá às variações de preços. Ananindeua sai segunda-feira, 1.º de fevereiro.
(E) Se o preço do seguro for reduzido, a receita Segundo o DIEESE, uma planilha de custos mostra
total aumentará. que há defasagem na atual tarifa, já que, segundo
Certificação BB, Cespe, 2009. justificativas das empresas, houve aumento do
salário mínimo, de peças e de combustível. No dia
seguinte, a companhia chegou a divulgar uma
planilha técnica com a proposta do aumento da
passagem de R$ 1,70 para R$ 1,90, com reajuste de
A teoria do comportamento do consumidor constitui 11,76%.” O Liberal, 29/1/2010 (com adaptações).
um dos Com referência ao assunto abordado no texto
pilares da análise microeconômica. Acerca desse acima, julgue os itens que se seguem.
tópico, julgue 220) Transporte público de ônibus tem
os itens a seguir. característica de serviço com demanda
inelástica. Portanto, com o reajuste anunciado
esperasse uma redução inferior a 11,76% na
quantidade de passageiros transportados.

DSc Cursos Página 31


DSc Cursos

221) Considere que uma greve dos motoristas e Casa da Moeda, Cesgranrio, 2012.
cobradores de ônibus por aumento de salários
acarrete um aumento no preço das passagens ELASTICIDADE E EFEITOS RENDA E
superior aos 11,76% anunciados. Nesse caso, se SUBSTITUIÇÃO
o transporte público de ônibus tiver
característica de serviço com demanda inelástica 225) Um consumidor gastava 10% de sua renda
e se as demais variáveis envolvidas no setor com carne, sendo que a elasticidade renda de
forem mantidas constantes, então esse aumento sua demanda por carne é +1. O preço deste
de preços ocasionará redução no lucro dos produto aumentou 20%, permanecendo
empresários. constantes as demais variáveis determinantes da
222) Caso o coeficiente de elasticidade da demanda. Ele comprou uma quantidade 5%
demanda por transporte público de ônibus em menor de carne; logo, em relação às suas
Belém e Ananindeua seja igual a 0,5, então compras de carne,
haverá uma redução, entre 8% e 10%, na (A) não houve efeito renda, pois as compras
quantidade demandada por transporte público. pouco diminuíram.
223) Com demanda inelástica, o aumento da (B) o efeito renda reduziu as compras em 2%,
oferta de transporte com a colocação de mais aproximadamente.
ônibus nas ruas aumenta a receita dos (C) o efeito substituição reduziu as compras em
empresários. 2%, aproximadamente.
BASA, Cespe, 2010. (D) o produto é um bem inferior para esse
consumidor.
(E) a elasticidade preço da demanda é -5.
224) As chuvas na região serrana do Rio de BNDES, Cesgranrio, 2009.
Janeiro, no verão de 2011, além dos graves
transtornos sociais que causaram, destruíram ELASTICIDADE PREÇO-CRUZADA
muitos hectares de plantio de 226)
hortifrutigranjeiros. Esses produtos possuem Mês 1 Pb = 50 Qa = 400
demanda negativamente inclinada e inelástica
Mês 2 Pb = 45 Qa = 420
(os produtores operam no trecho inelástico da
curva de demanda). Os agricultores cujas
Baseada nos dados acima, a elasticidade-preço
plantações foram destruídas pela chuva
cruzada da demanda dos bens a e b é:
sofreram perdas consideráveis, mas os que não
(A) 1,50
foram atingidos obtiveram ganhos
(B) 1,25
significativos. A esse respeito, analise as
(C) 1,00
afirmativas a seguir.
(D) 0,50
I. Em um contexto de demanda inelástica, a
(E) 0,00
redução da oferta devido às chuvas e o
EPE, Cesgranrio, 2006.
consequente aumento dos preços elevam a
receita do setor como um todo.
II. Apesar de a demanda ser inelástica, o setor INCERTEZA E RISCO
irá perder receita, pois, com a redução da
oferta, mesmo que o preço aumente, não irá 227) Um indivíduo possui função utilidade u(x) =
compensar essa perda. 2x, onde x representa sua riqueza. Suponha que
III. Independente da demanda, a redução da ele possua uma riqueza igual a R$ 10,00 e
oferta provocada pelas enchentes elevará o contempla um jogo onde possa ganhar R$ 5,00
preço, compensando a perda de receita do com probabilidade 0,5 e perder R$ 5 com
setor com essa redução. probabilidade 0,5. Sua utilidade esperada é igual
É correto APENAS o que se afirma em a:
(A) I (A) 5
(B) II (B) 10
(C) III (C) 15
(D) I e II (D) 20
(E) II e III (E) 25
Petrobrás, Cesgranrio, 2005.
DSc Cursos Página 32
DSc Cursos

228) Uma pessoa com riqueza inicial igual a R$ Utilidade


100,00 é avessa a risco. Sua função utilidade é de Renda
U = R2 , onde R ≥ 0 é a sua riqueza. Alguém lhe
propõe o jogo em que pode ganhar R$ X, com
probabilidade de 50%, ou pode perder R$ (A)
100,00, com probabilidade de 50%. Qual o
valor de R$X que tornaria indiferente jogar ou
120 Renda Anual
não?
(A) 80 (em mil reais)
(B) 100 Utilidade
(C) 100(√2 − 1) de Renda
(D) 100(√3 − 1)
(E) 127, aproximadamente (B)
Petrobrás, Cesgranrio, 2008.

120 Renda Anual


229) Uma pessoa é avessa a risco e sua função (em mil reais)
utilidade é dada pela expressão U = Ra, onde R
é a sua renda. Então,
(A) a < 1
(B) a = 1 Utilidade
(C) a < 2 de Renda
(D) 0 < a < 1
(E) 0 < a < 2 (C)
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2008.

120 Renda Anual


230) Seja a função utilidade de um agente dada (em mil reais)
por u(x)=2x. Essa função caracteriza o tipo de Utilidade
comportamento do agente face ao risco. Esse de Renda
comportamento é
(A) avesso ao risco, pois o seu coeficiente de (D)
aversão absoluta ao risco é negativa.
(B) mais avesso ao risco do que um agente que
tenha função utilidade u(x)= −2x. 120 Renda Anual
(C) neutro ao risco, pois o seu coeficiente de (em mil reais)
aversão relativa ao risco é não nulo.
(D) neutro ao risco, pois o seu coeficiente de
aversão absoluta ao risco é nulo. Utilidade
(E) propenso ao risco, pois o seu coeficiente de de Renda
aversão relativa ao risco é positivo.
Chesf, Cesgranrio, 2012.
(E)

231) Uma pessoa com renda anual de R$ 120 Renda Anual


120.000,00 é avessa ao risco nesse nível de (em mil reais)
renda. Para essa pessoa, um gráfico entre a
utilidade da renda e o nível de renda teria o Petrobrás, Cesgranrio, 2012.
formato.

DSc Cursos Página 33


DSc Cursos

232) Uma pessoa deve escolher entre receber R$ e) indivíduos com aversão ao risco não
100,00 com 100% de probabilidade, ou receber investem no mercado financeiro dado o alto
o resultado de um sorteio no qual pode ganhar risco das operações neste mercado.
R$ 150,00 com 30% de probabilidade, ou R$ STN, 2012, Esaf
80,00 com 70% de probabilidade. A pessoa
escolhe a alternativa de receber R$100,00 com
certeza. Nestas circunstâncias, constata-se que, Com relação às preferências do consumidor por
no seu nível de renda atual e para esses risco, julgue os itens que se seguem.
possíveis acréscimos de renda, em relação ao 235) O prêmio do risco corresponde ao valor que
risco, a pessoa é o consumidor necessita receber para aceitar
(A) neutra. assumir níveis de risco mais elevados.
(B) propensa. 236) A utilidade esperada de renda incerta de 15
(C) avessa. unidades monetárias, com utilidade de 7 e
(D) indiferente. probabilidade de 0,7, e de um emprego com
(E) racional. renda de 35 unidades monetárias, com utilidade
Petrobrás, Cesgranrio, 2010. de 12 e probabilidade de 0,3, equivale a 8,5.
237) A inclinação da linha do orçamento é
também denominada de preço de risco, pois
233) Uma pessoa maximiza a sua utilidade indica o quanto de risco extra um investidor
esperada da renda ao escolher entre duas deverá correr para desfrutar de um retorno
alternativas de rendimentos, quais sejam: esperado mais elevado.
 receber R$ 1.000,00 com certeza. 238) A utilidade marginal da renda de um
 participar de um sorteio, podendo ganhar consumidor avesso ao risco diminui à medida
R$ 1.200,00 com probabilidade de 50% ou que a renda aumenta.
R$ 900,00 com probabilidade de 50%. 239) Somente depois de alcançar um nível de
A pessoa escolhe o sorteio. Assim, verifica-se que, renda mínimo que lhe permita sobreviver, um
na faixa de renda de R$ 900,00 a R$ 1.200,00, essa consumidor é considerado neutro em face do
pessoa risco, ou seja, indiferente a acontecimentos
(A) é neutra ao risco. certos ou incertos com a mesma renda esperada.
(B) é avessa ao risco. TJ/ES, Cespe, 2011.
(C) é amante do risco.
(D) tem utilidade da renda descontínua.
(E) pode ser avessa ao risco. 240) Considere as afirmações sobre a escolha
BNDES, Cesgranrio, 2013. com incerteza, dentro do contexto da teoria da
utilidade esperada.
II. Se um indivíduo é avesso ao risco, o seu
234) Sobre escolha envolvendo risco, pode-se prêmio de risco é negativo.
afirmar: III. Se a função utilidade de Bernoulli de um
a) prêmio de risco pode ser entendido como a agente for côncava, esse agente será avesso
redução no valor esperado que o indivíduo ao risco.
aceita em troca de uma carteira com menor IV. A função utilidade esperada de Von-
variância. Neumann Morgestern é invariante a
b) um indivíduo com propensão ao risco tende transformações afins.
a escolher uma carteira com menor retorno É correto o que se afirma em
esperado desde que a variância do retorno (A) I, apenas.
da carteira seja pequena. (B) III, apenas.
c) a escolha da carteira ótima não depende da (C) I e II, apenas.
variância, independente da atitude em (D) II e III, apenas.
relação ao risco o indivíduo escolhe a (E) I, II e III.
carteira com o maior retorno esperado. Chesf, Cesgranrio, 2012.
d) quanto maior a aversão ao risco, menor a
tendência do indivíduo diversificar seus
investimentos.

DSc Cursos Página 34


DSc Cursos

ESCOLHA INTERTEMPORAL 2 - TEORIA DA FIRMA


241) Sobre a restrição orçamentária intertemporal
e a curva de indiferença que reflete as TECNOLOGIA
preferências dos consumidores entre o consumo
presente e o futuro, é que: 244) Considere a função de produção dada pela
(A) a existência de restrições de crédito ao equação Y = AKαLβ , onde Y é a produção, K e
consumidor no primeiro período afeta o L são os fatores de produção, e A, α e β são
formato da curva de indiferença. parâmetros. É correto afirmar que
(B) no ponto de ótimo do consumidor, o valor (A) se A > 1, há economias de escala.
absoluto da inclinação da reta da restrição (B) se α<β , as isoquantas são retilíneas.
orçamentária intertemporal é igual ao da (C) é uma função de proporções fixas no uso
inclinação da curva de indiferença. dos fatores de produção.
(C) a taxa de juros vigente no mercado (D) é necessário que α+ β< 1.
influencia o formato da curva de indiferença (E) K e L são fatores de produção substitutos
do consumidor. entre si.
(D) a taxa marginal de substituição do consumo Decea, Cesgranrio 2009.
futuro pelo consumo presente é sempre
crescente.
(E) mudanças na taxa de juros de mercado não
deslocam a reta da restrição orçamentária 245) Considere uma função de produção tipo
intertemporal. Cobb-Douglas definida por Pt = A.Kα.Lβ, onde
MP/AP, FCC, 2012. P é a quantidade de produto, K e L, as
quantidades dos fatores de produção capital e
trabalho, respectivamente, e A, α e β,
242) No modelo de consumo intertemporal, a parâmetros conhecidos. Caso aumente o nível
expressão Y1 (1 + r) + Y2 representa de utilização dos dois fatores de produção em
(A) o valor futuro da renda intertemporal. uma mesma proporção, e o produto obtido
(B) a inclinação da curva de indiferença do cresça numa proporção ainda maior,
consumidor. ocorrerá(ão) então,
(C) o consumo do agente econômico no (A) existência de lucros maiores com ganhos de
primeiro período, se ele for um poupador. escala na produção
(D) a poupança que o consumidor deverá efetuar (B) função de produção homogênea de primeiro
no segundo período se ele gastou mais que grau
sua renda no primeiro período. (C) produção com rendimentos constantes de
(E) o valor presente da renda intertemporal. escala
MP/AP, FCC, 2012. (D) pontos acima da curva de possibilidade de
produção
(E) rendimentos crescentes de escala
243) Sabendo-se que a restrição orçamentária Casa da Moeda, Cesgranrio, 2012.
intertemporal é representada pela equação
C2/1,10 + C1 = 121/1,10 + 100, se o
consumidor resolver poupar 20% de sua renda
no primeiro período, o seu consumo no segundo
período será
(A) 122.
(B) 143.
(C) 120.
(D) 132.
(E) 160.
MP/AP, FCC, 2012.

DSc Cursos Página 35


DSc Cursos

246) Considere a função de produção dada pela 249) Considere a seguinte função de produção
expressão a seguir Y =KαL(1-α),
Y = k.Kα.Lβ onde Y=produção; K=capital; e L=trabalho.
onde Considerando que 0<α<1, esta função:
Y = produção; (A) não é homogênea, uma vez que 0 <α< 1.
K = capital; (B) é homogênea de grau zero, logo a produção
L = trabalho; permanecerá inalterada mesmo que se
k e α e β constantes. aumente a quantidade dos fatores de
Essa função é homogênea de grau produção capital e trabalho.
(A) α. (C) esta função é homogênea de grau 1,
(B) α + β. significando que os acréscimos na produção
(C) β. serão estritamente proporcionais aos
(D) k + β. acréscimos nos fatores capital e trabalho.
(E) α + k. (D) é conhecida como função de produção de
MPU, Esaf, 2004. Cobb-Douglas e é homogênea de grau α.
(E) implica deseconomias de escala no longo
prazo.
247) Considere a seguinte função de produção: Prefeitura de Santos, FCC, 2005.
Y(K, L) = A.Kα.Lβ
Onde: Y = produto, K = capital, L = trabalho, e A 250) Considere a função de produção
uma constante maior do que zero. Com base nessa Y=AKαL1-α,
função, é incorreto afirmar que onde Y é a produção, K e L são os fatores de
a) se β = 1 – α, então a produtividade média do produção, A e α são parâmetros, sendo 0 <α < 1.
capital será de A.(L/K)1-α. Pode-se afirmar, corretamente, que
b) se α + β = 1, então essa função será (A) é uma função homogênea do grau zero.
homogênea de grau 1. (B) o uso ótimo de K e L se dá em proporção
c) se α + β = 1, então Y(2.K, 2.L) = 2.Y(K, L). fixa, quaisquer que sejam os preços dos
d) se β = 1 – α, então a produtividade média da fatores.
mão-de-obra será igual a A.(K/L)α. (C) o fator de produção L não é substituível pelo
e) independente dos valores de α e β, essa fator K.
função de produção será sempre homogênea (D) o valor de Y também dobra, dobrando-se os
de grau um. valores de K e L.
Ministério do Planejamento, FCC, 2006. (E) a função apresenta retornos crescentes de
escala, se A >1
SFE, Cesgranrio, 2009.
248) Considere a função de produção Q = AKaLb,
Q=produto, K=fator capital, L=fator trabalho e
que A, a e b são parâmetros, todos medidos em
unidades adequadas. Esta função de produção
apresenta
(A) fatores de produção perfeitamente
substitutos.
(B) inovação tecnológica se A > 1.
(C) retornos constantes de escala se a + b = 1.
(D) produto marginal de K constante.
(E) isoquantas em ângulo reto.
Inea, Cesgranrio, 2008.

DSc Cursos Página 36


DSc Cursos

251) Considere a seguinte função de produção: e) α.(Q/K) e A.(K/L)


Y = KaL1 − a STN, ESAF, 2005.
Onde
Y é o produto,
K é o fator de produção capital, e 254) A função de produção Y = K1/2N1/2, onde K
L é o fator de produção trabalho. representa o estoque de capital e N o estoque de
Sobre esta função de produção é correto afirmar trabalho, é uma função:
que, se (A) de rendimentos crescentes de escala.
(A) a > 1, Y é produzido sob a lei dos (B) de rendimentos constantes de escala.
rendimentos crescentes de escala. (C) homogênea de grau 2.
(B) 0 < a < 1, a função de produção tem retornos (D) homogênea de grau 0.
constantes de escala. (E) heterogênea de grau 1.
(C) a = 1, a produção de Y utiliza somente o Petrobrás, Cesgranrio, 2005.
insumo trabalho.
(D) a = 0, a produção de Y utiliza somente o
insumo capital.
(E) 0 < a < 1, os insumos capital e trabalho são 255) Considere a seguinte função de produção do
utilizados em proporções fixas. tipo Cobb−Douglas, a seguir:
Copergás, FCC, 2011. Y = K1/2 L1/2
onde:
Y = volume total de produção
252) Considere a função de produção dada pela K = quantidade do fator de produção
expressão a seguir: capital
Y = k.Kα.L1-α L = quantidade do fator de produção
onde trabalho
Y = produção; É correto concluir que a especificação dessa função
K = capital; de produção implica
L = trabalho; (A) economias crescentes de escala no longo
k e α constantes e prazo.
0 < α < 1. (B) produtividade marginal crescente dos fatores
A produtividade média do capital será dada por de produção no curto prazo.
a) k.(K/L)1-α (C) rendimentos constantes de escala no longo
b) k.(L/K) prazo.
c) k.(K/L) (D) custos de produção decrescentes no longo
d) k.(L/K)1-α prazo.
e) k.(L/K)α (E) produtividade marginal constante dos
MPU, Esaf, 2004. fatores de produção no curto prazo.
TCE/MG, FCC, 2007.

253) Seja a função de produção dada pela


seguinte expressão: 256) A função de produção de uma determinada
Q = A.Kα.L(1-α) empresa é Y = 4K0,5L0,5. Sabendo-se que o
Onde preço do fator de produção capital (K) é 25 e do
Q = produção; fator trabalho (L) é 10 e dado o orçamento de
A e α constantes positivas; 500 unidades monetárias da empresa, as
K = capital; L = trabalho. quantidades de K e L que devem ser
Considerando esta função de produção, os produtos empregadas para maximizar a produção, são,
marginal e médio em relação a K serão, respectivamente:
respectivamente: (A) 10 e 25
a) α.(Q/K) e A.(K/L)-(1- α) (B) 12 e 20
b) α .K.L e A. (K/L)-1 (C) 14 e 15
c) α.(Q/K) e A.(K/L)-α (D) 16 e 10
d) α.Q e A (E) 18 e 5

DSc Cursos Página 37


DSc Cursos

Prefeitura de Santos, FCC, 2005. 260) Considere os dados abaixo.


Y = produção da empresa
K = quantidade do fator capital
257) Uma função de produção do tipo Cobb- L = quantidade do fator trabalho
Douglas: Na função de produção Y = K0,6 L0,4 , há
Y = K0,5 L0,5 (A) economias de escala.
apresenta (B) deseconomias de escala.
(A) economias de escala no longo prazo. (C) produtividades marginais dos fatores
(B) produtividade marginal decrescente dos crescentes.
fatores de produção no curto prazo. (D) economias externas.
(C) deseconomias de escala no curto prazo. (E) produtividades marginais dos fatores
(D) produtividade marginal crescente dos fatores decrescentes
de produção no longo prazo. TRT, FCC, 2006.
(E) produtividade marginal constante dos
fatores de produção no curto prazo.
Ceal, FCC, 2005. 261) A função de produção de uma empresa é
dada pela expressão Y= aKL, sendo Y o nível
de produção, K e L, as quantidades dos fatores
258) Uma função de produção neoclássica do de produção, e a é um parâmetro, todos medidos
tipo Cobb-Douglas dada por: Y = K0,5L0,5 nas unidades adequadas. Conclui-se que a
apresenta função de produção
(A) produtividade marginal decrescente dos (A) é homogênea do grau 1.
fatores de produção no curto prazo. (B) é homogênea do grau 2.
(B) economias de escala no longo prazo. (C) implica que K e L sejam usados em
(C) produtividade marginal constante dos proporção fixa.
fatores de produção no curto prazo. (D) implica que K e L sejam substitutos
(D) deseconomias de escala no curto prazo. perfeitos.
(E) produtividade marginal crescente dos fatores (E) implica retornos decrescentes de escala.
de produção no longo prazo. Liquigás, Cesgranrio, 2012.
Sergipegás, FCC, 2010.

259) Em uma função de produção


microeconômica tipo Cobb-Douglas, a 262) Analise a função de produção neoclássica do
quantidade do produto Q é expressa pelos tipo Cobb– Douglas descrita abaixo.
seguintes parâmetros em relação às quantidades Y=KL
dos fatores de produção trabalho (L) e capital onde:
(K): Q =L0,5K0,5 . Essa função apresenta a Y = volume total de produção.
produtividade marginal decrescente K = quantidade do fator de produção capital.
(A) de ambos os fatores de produção e L = quantidade do fator de produção
economias crescentes de escala. trabalho.
(B) de ambos os fatores de produção e A especificação dessa função permite concluir que,
economias constantes de escala. caso a quantidade utilizada dos fatores de produção
(C) apenas do fator de produção capital e seja aumentada em 50%, a produção
economias constantes de escala. (A) ficará inalterada.
(D) de ambos os fatores de produção e (B) aumentará em mais de 100%.
economias decrescentes de escala. (C) aumentará em 50%.
(E) apenas do fator capital e economias (D) aumentará 100%.
decrescentes de escala. (E) inicialmente aumentará, mas depois
TCE/PR, FCC, 2011. diminuirá.
DNOCS, FCC, 2010.

DSc Cursos Página 38


DSc Cursos

263) A função de produção Y = AKLb, onde Y é (A) produtividade marginal crescente do fator
o produto, K e L são os fatores de produção, e A trabalho no curto prazo.
e b são parâmetros, (B) rendimentos constantes de escala no longo
(A) é uma função homogênea do grau 2, se b = prazo.
1. (C) economias de escala no longo prazo.
(B) não permite substituição entre os fatores de (D) produtividade marginal decrescente do fator
produção. trabalho no curto prazo.
(C) tem produto marginal de K igual a zero. (E) rendimentos decrescentes de escala no longo
(D) leva ao uso dos fatores de produção em prazo.
proporção fixa, independentemente de seus Metrô, FCC, 2012.
preços.
(E) apresenta rendimentos decrescentes de
escala, se A <1. 266) Considere que as firmas I e II apresentam as
Eletrobrás, Cesgranrio, 2010. seguintes funções de produção neoclássicas do
tipo Cobb-Douglas:
Firma I: Y = KaL1−a
264) Analise a função de produção do tipo Cobb- Firma II: Y = KaL1+a
Douglas de longo prazo descrita a seguir: Onde:
Y = K L1/2 Y é o produto
onde: K é o fator de produção capital
Y = volume total de produção; L é o fator de produção trabalho
K = quantidade do fator de produção capital; a é uma constante, tal que 0 < a < 1
L = quantidade do fator de produção É correto afirmar que
trabalho. (A) a firma I apresenta rendimentos crescentes
A especificação dessa função permite concluir que, de escala.
caso se dobre a quantidade utilizada dos fatores de (B) as firmas I e II apresentam rendimentos
produção, a produção decrescentes de escala.
(A) ficará inalterada. (C) a firma II apresenta rendimentos constantes
(B) aumentará em 50%. de escala.
(C) diminuirá em 50%. (D) as firmas I e II apresentam rendimentos
(D) inicialmente aumentará, mas depois constantes de escala.
diminuirá. (E) a firma II apresenta rendimentos crescentes
(E) aumentará em mais de 100%. de escala.
Infraero, FCC, 2011.

267) A função de produção dada pela expressão


Q = A Kα Lβ Tδ, na qual Q é o produto, K, L e T
são os fatores de produção e A, α, β e δ são
parâmetros, apresenta
(A) proporções fixas no uso dos fatores de
produção.
265) Analise a função de produção descrita (B) externalidades, se A > (α + β + δ).
abaixo: (C) rendimentos crescentes de escala, se A > 1.
Y = K2L (D) homogeneidade do grau 1, se α + β + δ = 1.
onde: (E) produto marginal de K decrescente, se α > 1.
Y = volume total de produção. Casa da Moeda, Cesgranrio, 2009.
K = quantidade do fator de produção capital.
L = quantidade do fator de produção
trabalho.
A especificação dessa função permite concluir que
ela apresenta

DSc Cursos Página 39


DSc Cursos

268) Uma função de produção é dada pela


expressão Y = A (aK + bL), onde Y é a Capital
quantidade do produto, K e L são as por mês
quantidades dos dois fatores de produção, e A, a
e b são parâmetros com as unidades
apropriadas. Essa função de produção
(A) é homogênea do grau 1, se a+b = 1.
(B) é conhecida como função Cobb-Douglas.
(C) apresenta isoquantas não retilíneas.
q1 q2 q3
(D) apresenta economias de escala, se A>1.
(E) não permite substituição entre os fatores de Trabalho por mês
produção.
Petrobrás Biocombustivel, Cesgranrio, 2010. Considerando o gráfico apresentado, pode-se
concluir que
(A) há rendimentos crescentes de escala.
(B) capital e trabalho são substitutos perfeitos
269) A função de produção Q = A (aK + bL)0,5,
nas faixas de quantidade mostradas no
onde Q é o produto, K e L são os fatores de
gráfico.
produção, e A, a e b são parâmetros com as
(C) a empresa é intensiva em capital.
unidades adequadas, apresenta
(D) a inclinação das isoquantas sugere que o
(A) fatores de produção substitutos perfeitos.
capital é mais produtivo.
(B) retornos crescentes de escala.
(E) a função de produção da empresa é de
(C) aumento de produtividade, se A for positivo.
proporções fixas.
(D) produtividade marginal crescente do fator K.
BNDES, Cesgranrio, 2009.
(E) homogeneidade de grau um.
ANP, Cesgranrio, 2008.
272) Considere a função de produção a seguir
Y = Y(K,L)
270) A função de produção Q = min (aK, bL),
onde
onde Q = produto, K = fator capital, L = fator
Y = produção;
trabalho e a e b são parâmetros, apresenta
K = capital;
(A) retornos crescentes de escala se a + b > 1.
L = mão-de-obra.
(B) retornos constantes de escala.
Supor que essa função seja homogênea de grau 1
(C) fatores de produção perfeitamente
implica supor que
substitutos.
a) Y(λ.K, λ.L) = λ.Y(K, L).
(D) inovação tecnológica se a > b.
b) Y(λ.K, λ.L) = Y(K, L).
(E) cada isoquanta como uma linha reta.
c) Y(λ.K, λ.L) = (1 + λ).Y(K, L).
BNDES, Cesgranrio, 2008.
d) Y(λ.K, λ.L) =Y(K, L)/λ.
e) Y(λ.K, λ.L) = λ0,1.Y(K, L).
MPU, Esaf, 2004.
271) O gráfico abaixo mostra as isoquantas entre
capital e trabalho para uma determinada
empresa, onde q1 , q2 e q3 são produções por
273) Seja a função de produção
mês.
Q = Q (K, L)
Onde Q = Produção e K e L dois insumos.
Considere ainda que PmgK = produtividade
marginal do insumo K e PmgL = produtividade
marginal do insumo L. Sabendo que essa função é
homogênea de grau 1, é incorreto afi rmar que
a) PmgK.K + PmgL.L = Q.
b) Q (2.K, 2.L) = 2.Q(K, L).
c) Q(K/K, L/K) = Q(1, L/K).
d) PmgK + PmgL = 1 se K = 1, L = 1, e Q > 1.
e) Q(λ.K, λ.L) = λ.Q(K, L) para λ = 2.
DSc Cursos Página 40
DSc Cursos

Ministério do Planejamento, FCC, 2006. ARCE, FCC, 2006.

274) Quando se tem uma função de produção 277) Suponha que estamos operando em algum
homogênea de grau um, a quantidade da ponto (x1, x2) e consideramos a possibilidade de
produção é igual à soma das quantidades de diminuir a quantidade do fator 1 e aumentar a
fatores de produção empregados, multiplicados quantidade do fator 2, mantendo inalterada a
pelas respectivas produtividades marginais. quantidade produzida y. A taxa de substituição
Este enunciado corresponde técnica entre 1 e 2 seria dada por:
(A) à Regra de Ouro do Modelo de Sollow. (A) −Pmg1(x1,x2) / Pmg2(x1,x2)
(B) ao Teorema de Leontief. (B) Pmg1(x1,x2) / Pmg2(x1,x2)
(C) ao Teorema de Coase. (C) Δx1 / Δx2
(D) ao Teorema de Euler. (D) Δx1 / Δx2 . Δy
(E) à Lei de Say. (E) −Δx1 / Δx2 . Δy
Copergás, FCC, 2011. Petrobrás, Cesgranrio, 2005.

275) Segundo o teorema de Euler, é correto


afirmar: 278) Assinale a opção correta acerca de
(A) A empresa maximizará lucros sempre que a produtividade média e marginal, lei dos
receita marginal do bem for superior ao seu rendimentos decrescentes e rendimentos de
custo marginal. escala.
(B) No longo prazo, se houver abundância do (A) A taxa técnica de substituição indica quanto
fator de produção de capital, ocorrerão de certa produção deve ser substituída por
rendimentos crescentes de escala em todos outra para que a empresa produtora
os mercados. mantenha constante o uso dos fatores de
(C) A remuneração dos fatores de produção produção.
independe da produtividade marginal de (B) Uma taxa técnica de substituição igual a -4
cada um, sendo determinada pelo poder de entre os fatores 2 e 1 significa que, para se
barganha de seus detentores. produzir a mesma quantidade de um bem,
(D) Quando a função de produção é homogênea com menos três unidades do uso do fator 1,
de grau um, a produção é igual à soma das deve-se reduzir em uma unidade o uso do
quantidades dos fatores multiplicadas pelas fator 2.
respectivas produtividades marginais. (C) A distinção econômica entre curto e longo
(E) A empresa minimizará seus custos de prazos está no fato de que, no curto prazo,
produção no longo prazo quando a os fatores de produção são fixos e, no longo
produtividade marginal dos fatores de prazo, os fatores são variáveis.
produção for igual. (D) Em um processo produtivo com
DNOCS, FCC, 2010. rendimentos constantes de escala, uma
duplicação dos fatores de produção implica
na duplicação da produção.
276) Isoquantas são combinações de quantidades (E) Uma característica da maioria dos processos
dos fatores de produção produtivos é a ocorrência de aumento de
(A) fixos que implicam mesmo custo de produtividade de um insumo enquanto a dos
produção. demais permanece constante.
(B) variáveis que implicam mesmo volume de TJ/AL, Cespe, 2012.
produção.
(C) fixos e variáveis que implicam rendimentos
crescentes de escala.
(D) variáveis que implicam rendimentos
constantes de escala.
(E) fixos que implicam rendimentos
decrescentes de escala.

DSc Cursos Página 41


DSc Cursos

279) Assumindo que a função de produção seja a) à existência de deseconomias de escala.


contínua e que existem apenas dois fatores de b) a uma função de produção homogênea de
produção, segundo a lei dos rendimentos primeiro grau.
decrescentes (ou lei das proporções variáveis), é c) à existência de rendimentos crescentes de
correto afirmar: escala.
(A) No longo prazo, se as quantidades dos d) a pontos acima da curva de possibilidade de
fatores de produção dobrarem, o aumento da produção.
produção será menor que 100%. e) a uma função de produção com rendimentos
(B) A produtividade média do fator de produção constantes de escala.
variável começa a diminuir quando sua MPU, Esaf, 2004.
produtividade marginal passa a ser
decrescente.
(C) A produção atinge um máximo quando a 282) No que se refere aos fatores de produção,
produtividade marginal do fator de produção assinale a opção correta.
variável for igual a zero. (A) Supor tecnologias convexas significa que as
(D) A produtividade marginal do fator de médias dos planos de produção possíveis
produção variável é continuamente também são possíveis.
decrescente. (B) Se a função de produção de um bem
(E) A produtividade média do fator de produção depende apenas da mão de obra, então,
variável é inicialmente decrescente, atinge nesse caso, não são considerados, no
um máximo e depois tende a aumentar. processo produtivo de curto prazo, os
Metrô, FCC, 2008. demais fatores de produção.
(C) As curvas isoquantas mostram as diferentes
quantidades que podem ser produzidas com
280) De acordo com as condições gerais da a mesma quantidade de dois insumos de
teoria da produção com um insumo variável, produção.
pode-se afirmar que: (D) Considere que, para se fazer buracos, sejam
a) a quantidade de insumo que maximiza o necessários apenas um homem e uma pá.
produto médio é a mesma que maximiza o Nesse caso, as curvas isoquantas são
produto marginal. semelhantes às do caso dos bens substitutos
b) se a quantidade de insumo escolhida perfeitos na teoria do consumidor.
maximiza o produto médio, então o produto (E) A suposição de monotonicidade das
marginal será superior ao produto médio. isoquantas significa que o aumento de pelo
c) quando o produto marginal é maior que o menos um dos insumos no processo
produto médio, um aumento na quantidade produtivo gera aumento da produção.
utilizada do insumo reduz o produto médio. TJ/AL, Cespe, 2012.
d) o produto médio será máximo quando a
quantidade de insumo utilizada é tal que o
produto médio seja igual ao produto
marginal.
e) quando o produto marginal é menor que o
produto médio, um aumento na quantidade Segundo Hal Varian, a natureza “impõe restrições
utilizada do insumo aumenta o produto tecnológicas às empresas: somente algumas
médio. combinações de insumos constituem formas viáveis
STN, 2012, Esaf de produzir certa quantidade de produto, e a
empresa tem de limitar-se a planos de produção
factíveis. A função de produção descreve a fronteira
do conjunto de produção que se possa obter com
281) Considere a situação em que quando determinada quantidade de insumos.” Acerca da
aumentamos o emprego de todos os fatores em teoria da produção e da firma, julgue os itens a
uma determinada proporção, o produto cresce seguir.
numa proporção ainda maior. Essa situação
refere-se

DSc Cursos Página 42


DSc Cursos

283) As isoquantas têm formato inverso ao (C) Em razão da existência de custos fixos
formato das curvas de indiferença do elevados, a função de produção dos serviços
consumidor. providos pelo metrô caracteriza-se pela
284) As isoquantas que representam insumos com existência de retornos decrescentes de
proporções fixas em um processo produtivo escala.
têm a forma da letra L. (D) Considere que, aumentando-se a quantidade
285) A tecnologia de uma empresa é convexa de determinado insumo e mantendo-se os
quando ela desenvolve duas formas de demais constantes, seja obtida, sempre, uma
produzir y unidades de produto e a média redução da produção. Essa situação serve
ponderada dessas duas formas produz pelo para ilustrar a lei dos rendimentos
menos y unidades do produto. decrescentes.
286) Uma função de produção com rendimentos FCPTN, Cespe, 2007.
constantes de escala caracteriza-se pela
constância da produção quando se dobra a
quantidade de cada um dos fatores de produção. 291) A teoria da produção e dos custos analisa as
BASA, Cespe, 2006. características básicas que descrevem as
operações das firmas e serve de base para
determinar as decisões de produção e emprego
A teoria da produção e dos custos analisa os das firmas, no curto e no longo prazo. Com base
fenômenos tecnológicos e econômicos subjacentes nessa teoria, assinale a opção correta.
à oferta dos bens e serviços. Acerca desse assunto, (A) Em resposta ao aumento do custo da mão-
julgue os seguintes itens. de-obra, o uso da automatização pelas
287) A representação gráfica da função de empresas que administram grandes
produção de determinada firma é dada pelo estacionamentos públicos — como aqueles
mapa de isoquantas, em que cada uma delas dos shopping centers e aeroportos — é
ilustra as combinações de insumos que irão consistente com a existência de uma
gerar um dado nível de produto. tecnologia caracterizada por isoquantas em
288) As firmas minimizam seus custos quando a formato de L.
linha de isocusto tangencia a isoquanta, (B) A função de produção dada pela expressão
implicando, assim, que elas utilizam os insumos Q = 10(K+L) apresenta rendimentos
de forma a igualar o produto marginal, por crescentes de escala.
unidade monetária, entre os diferentes insumos. (C) Supondo-se que determinada empresa utilize
289) Em determinada empresa, um aumento do os fatores de produção em proporções fixas,
estoque de capital provoca um deslocamento ao então, para essa empresa, a taxa marginal de
longo da curva de produto marginal do trabalho, substituição técnica entre esses insumos é
elevando a produtividade da mão-deobra. infinita.
BASA, Cespe, 2007. (D) A lei dos rendimentos decrescentes, aplicada
ao fator trabalho, implica que a
produtividade marginal do trabalhado se
reduz, caso o aumento do emprego se faça
mantendo-se os demais insumos inalterados.
UEPA, Cespe, 2008.

290) Com respeito à teoria da produção, assinale


a opção correta.
(A) Quando os fatores de produção capital e
trabalho são complementares, as isoquantas
são linhas retas paralelas.
(B) Se a produtividade marginal (PMG) de
determinado insumo é superior à sua
produtividade média (PME), então a PME,
deve estar crescendo.

DSc Cursos Página 43


DSc Cursos

292) Em relação à teoria da produção, assinale a 294) Funções de produção lineares apresentam
opção correta. rendimentos marginais decrescentes no insumo
(A) A função de produção mostra as variável.
combinações de insumos capazes de gerar a 295) Uma maior escala de operações contribui
mesma quantidade de produto. para a existência de retornos constantes de
(B) A inclinação ascendente da curva do escala, porque a produção em grandes
produto da receita marginal, em mercados quantidades viabiliza o uso de tecnologias mais
competitivos, decorre do fato de as avançadas e de equipamentos automatizados e
empresas que atuam nesse setor serem de alto desempenho.
obrigadas a vender seus produtos ao preço 296) Se, em determinada empresa, a
estabelecido pelo mercado. produtividade média do trabalhador está
(C) O custo de oportunidade da poluição do rio aumentando, então, a produtividade média do
Amazonas e seus afluentes é nulo porque é fator trabalho nessa empresa é superior ao seu
possível utilizá-los gratuitamente. produto marginal.
(D) Na indústria de computadores, a presença de 297) Despesas com prêmios de seguros e com
retornos crescentes de escala no processo provisão para depreciação são incluídas nos
produtivo é incompatível com a existência custos fixos totais, incorridos mesmo quando a
de produtividade marginal decrescente em produção é nula.
todos os insumos. 298) No curto prazo, as funções de custo total e
(E) A lei dos retornos decrescentes está na custo médio consideram que todos os insumos
origem da inclinação positiva da curva de variam para garantir que o nível de produção
custo marginal de curto prazo. corresponda àquele que minimiza os custos do
EGPA, Cespe, 2005 processo produtivo.
299) O fato de, no setor de transporte público de
massa — como o metrô —, a curva de custo
293) A respeito da teoria da produção, que é um médio de longo prazo ser decrescente no
tópico importante da microeconomia, assinale a intervalo relevante da demanda é consistente
opção correta. com a presença de deseconomias de escala na
(A) O fato de que, dobrando-se todos os fatores produção desses serviços.
de produção, a quantidade produzida é FUB, Cespe, 2008.
multiplicada por 2,5 é incompatível com a
existência da lei dos rendimentos marginais
decrescentes. 300) Acerca das funções de produção com o
(B) Em funções de produção caracterizadas pela insumo trabalho variável e suas propriedades,
existência de proporções fixas na utilização assinale a opção correta.
dos insumos, as isoquantas são (A) O produto marginal do trabalho será
representadas por linhas retas paralelas. máximo se a produção deixar de crescer a
(C) Caso a sindicalização dos trabalhadores de taxas decrescentes e passar a crescer a taxas
determinada indústria se traduza em salários crescentes.
mais elevados, isso modificará a inclinação (B) A aplicação da lei dos rendimentos
da linha de isocusto para as firmas que marginais decrescentes é limitada a casos de
compõem essa indústria. curto prazo onde pelo menos um dos
(D) Processos produtivos nos quais os fatores insumos permanece inalterado.
são substitutos imperfeitos caracterizam-se (C) A lei dos rendimentos marginais
por apresentar elasticidade de substituição decrescentes de uma função de produção
igual a zero. reflete o impacto do aumento das unidades
(E) A produtividade marginal atinge seu ponto do fator trabalho na qualidade da mão de
máximo quando o produto médio é obra.
crescente. (D) Se o produto marginal do trabalho for maior
Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2008. que o produto médio do trabalho, a
produção total crescerá a taxas decrescentes.
Em relação à teoria da produção e dos custos, (E) Se a produção total for máxima, então o
julgue os itens subseqüentes. produto marginal do trabalho será zero.

DSc Cursos Página 44


DSc Cursos

TJ/AL, Cespe, 2012. r = custo unitário do capital.


Suponha que a produção (Q) seja dada pela seguinte
função de produção:
Na função de produção, o fator trabalho é uma Q = 100.K0,5.L0,5
variável usualmente identificada com a letra L. Essa E que w = 30 e r = 40.
variável deve ser interpretada como o(a) A quantidade de trabalho e capital que a firma
301) massa salarial que a empresa paga. utilizaria para minimizar o custo de produzir 1.000
302) número de pessoas que uma empresa pode unidades do bem é, respectivamente e
contratar. aproximadamente de
303) número de trabalhadores ou horas-homem a) 8,20 e 9,56.
trabalhadas, em cada jornada média do trabalho. b) 11,55 e 8,66.
304) número de indivíduos com a qualificação c) 33,94 e 44,53.
requerida pela empresa a sua disposição no d) 55,33 e 44,12.
mercado de trabalho. e) 16,94 e 17,48.
305) custo do fator trabalho Ministério do Planejamento, FCC, 2006.
TJ/AC, Cespe, 2002.

MAXIMIZAÇÃO DE LUCROS E 308) Considere uma firma que produz de acordo


MINIMIZAÇÃO DE CUSTOS com a seguinte função de produção: q =
x10,5x20,5, onde q representa o total produzido
pela firma, x1 a quantidade utilizada do
306) Seja a função de produção insumo um e x2 a quantidade utilizada do
Q = Q(K, L) insumo dois. O insumo um custa R$ 4,00 por
E a função custo total unidade e o insumo dois custa R$ 16,00 por
C = r.K + w.L unidade. Suponha que a firma deseja escolher
Onde: as quantidades que vai usar de cada insumo
Q = produção; de modo a produzir 80 unidades do produto
K = capital; ao menor custo possível. Assinale a opção a
L = trabalho; seguir que indica quanto a firma deve
C = custo total; escolher de cada insumo.
r = custo unitário do capital; (A) x1 = 400 e x2 = 16
w = custo unitário do trabalho. (B) x1 = 256 e x2 = 25
Para maximizar a produção sujeita a um dado custo (C) x1 = 100 e x2 = 64
total e dados os preços dos insumos, o produtor (D) x1 = 16 e x2 = 400
deve comprar os insumos em quantidades tais que a (E) x1 = 160 e x2 = 40
razão produtividade marginal do trabalho ÷ STN, 2012, Esaf.
produtividade marginal do capital seja igual a
a) C/Q.
b) 1. Acerca de custos de produção, julgue os itens
c) zero. subsecutivos.
d) w.r. 309) O custo de depreciação anual do capital ou
e) w/r. custo de uso do capital corresponde a quanto
Ministério do Planejamento, FCC, 2006. o capital perde de seu valor anualmente em
razão de seu uso ou de sua obsolescência.
310) O caminho de expansão, curva que une os
pontos de tangência entre as linhas de isocusto e
307) Seja: as isoquantas, apresenta combinações de
C = w.L + r.K trabalho e capital pelas quais a empresa deve
Onde: optar para minimizar os custos em cada um dos
C = custo; níveis de produção.
L = trabalho; 311) Uma empresa pode amortizar seus custos
K = capital; irreversíveis tratando-os como se fossem custos
w = custo unitário do trabalho; fixos.

DSc Cursos Página 45


DSc Cursos

TJ/ES, Cespe, 2011. anual é de R$ 800.000,00. Se trabalhasse como


empregado de outra empresa, esse advogado
ganharia X reais anualmente. Nesse caso,
312) A função de custo indireta, muitas vezes observa-se que o custo econômico anual de sua
chamada simplesmente de função de custo, de firma, em reais, é igual a
uma empresa tomadora de preços é dada pela (A) 1.000.000,00 + X
expressão c(w,r, y) = (w+ r) y2 na qual c(w,r, y) (B) 1.000.000,00 – X
é a função de custo indireta, w e r são os preços (C) 800.000,00 + X
dos dois únicos insumos empregados no (D) 800.000,00 – X
processo produtivo e y é a quantidade (E) 200.000,00 – X
produzida. Nessas condições, podemos afirmar Liquigás, Cesgranrio, 2012.
que:
a) os dois insumos de produção são substitutos
perfeitos. 315) A diferença entre o custo econômico e o
b) a função de produção subjacente a essa custo contábil é o valor
função de custos é do tipo função de (A) do custo de oportunidade do capital.
produção com coeficientes fixos também (B) do ótimo de Pareto.
chamada função de produção de Leontief. (C) do salário de eficiência.
c) não é possível inferir características da (D) do prêmio pela informação assimétrica.
função de produção a partir dessa função de (E) da relação entre retorno e risco.
custo. Infraero, FCC, 2009.
d) a função de produção é homogênea de grau
1/2 .
e) a função de produção apresenta rendimentos 316) Selecione o único item que deve ser
crescentes de escala. considerado como componente do custo
STN, Esaf, 2008. econômico ou custo de oportunidade de uma
empresa associado à sua decisão de produzir q
unidades de seu produto.
313) A teoria marginalista é aplicada nas mais a) A recuperação de gastos com publicidade
diferentes esferas da economia. O mercado de realizados há um ano.
trabalho pode ter seu funcionamento b) O custo histórico de aquisição das matérias-
interpretado por essa teoria. Nesse sentido, a primas em estoque na empresa que foram
teoria marginalista de determinação do salário adquiridas há um ano, cujos preços de
implica o valor do salário pago a um trabalhador mercado não se mantiveram constantes e
ser que serão empregadas no processo
(A) igual ao produto marginal do trabalhador. produtivo.
(B) igual ao custo marginal da empresa c) O valor de mercado do aluguel do terreno no
empregadora. qual será realizado o processo produtivo,
(C) igual ao valor do produto marginal do terreno esse de propriedade da empresa.
trabalhador. d) Uma margem destinada à recuperação dos
(D) uma função crescente do lucro da empresa gastos com pesquisa e desenvolvimento
empregadora. incorridos no desenvolvimento, já
(E) uma função crescente da oferta de mão de concluído, do produto.
obra. e) Uma parcela dos salários da equipe
Liquigás, Cesgranrio, 2012. administrativa da empresa que seria mantida
contratada mesmo que as q unidades
CUSTO ECONOMICO E CUSTO CONTÁBIL referidas acima não fossem produzidas.
STN, Esaf, 2008.
314) Um advogado é dono de uma firma de
consultoria jurídica, que fatura anualmente R$
1.000.000,00. Além do custo de manter o CUSTO MARGINAL E CUSTO MÉDIO
escritório, ele contrata os serviços de outros
profissionais. Desse modo, seu desembolso

DSc Cursos Página 46


DSc Cursos

321) A lei dos rendimentos decrescentes refere-se


317) O custo total mínimo, CT, de uma firma que a
produz um único bem é dado pela expressão CT (A) rendimentos totais decrescentes.
= 10 + 2X + 0,1X2, onde X é a quantidade (B) rendimentos marginais decrescentes.
produzida do bem. (C) rendimentos modais decrescentes.
Se X = 10, o custo marginal de produção será (D) custos médios decrescentes.
(A) 2 (E) custos totais crescentes.
(B) 4 Gestor de Economia, FCC, 1999.
(C) 6
(D) 8
(E) 10 322) Se valer a Lei dos Rendimentos
Transpetro, Cesgranrio, 2011. Decrescentes,
(A) o produto médio será decrescente.
318) Dada a função de custos totais CT(q) = 50 + (B) a produtividade marginal do fator variável
3q2 – 10q, no qual q é a quantidade produzida, o será decrescente, se adicionarmos uma
custo médio da empresa é dado por: quantidade adicional deste fator de
(A) 6q – 10 produção.
(B) 500 (C) o produto marginal será maior que o médio.
(C) 100 (D) o custo marginal será decrescente.
(D) 50/q + 6q –10 (E) a produtividade marginal será negativa.
(E) 50/q + 3q – 10 Ceal, FCC, 2005.
EPE, Cesgranrio, 2006.
323) Supondo um fator fixo de produção, quando
o produto marginal é igual a zero pode-se
319) O valor monetário do custo total de afirmar que
produção (CT) de uma empresa, em (A) o produto total é máximo.
determinado período, é dado pela expressão CT (B) o produto marginal é mínimo e, por esta
= 10 + q + 0.1q2, onde q é a quantidade razão, igual a zero, o que é uma tautologia
produzida no período, e os parâmetros por definição.
numéricos estão expressos nas unidades (C) o produto médio é máximo.
adequadas. Se q = 10, o valor do custo (D) o custo marginal é mínimo.
(A) variável será 5. (E) os retornos marginais de ambos os fatores
(B) total de produção será 20. de produção são decrescentes.
(C) total médio será 3 por unidade produzida. Gestor de Economia, FCC, 1999.
(D) marginal será 7 por unidade produzida.
(E) fixo será 20.
BNDES, Cesgranrio, 2011. 324) Uma determinada empresa maximizadora de
lucros apresenta deseconomias de escala quando
produz mais que q0. Caso a empresa tenha
320) Uma empresa tem um custo total, expresso custos fixos positivos, qual dentre as figuras
em unidades monetárias, dado por CT = 10 + q abaixo, mostra como seu custo total médio
+ 0,1q2, onde CT é o custo total e q é o volume (CTM) varia com o volume de produção?
de produção. Logo, conclui-se que
(A) os preços dos insumos diminuem quando a
produção aumenta.
(B) não há custo fixo de produção.
(C) o custo total médio é 3 quando q = 10.
(D) o custo marginal é 2 quando q = 10.
(E) o custo total médio mínimo é 2.
Eletrobrás, Cesgranrio, 2010.

DSc Cursos Página 47


DSc Cursos

CTM CTM 326) Os custos de produção de uma empresa no


curto prazo variam de acordo com o volume de
sua produção. Considerando a quantidade
(A) (D) produzida pela empresa, o
(A) custo fixo médio é sempre crescente.
q0 Produção q0 Produção (B) custo variável médio é inicialmente
CTM CTM
crescente, atinge um ponto de máximo e
passa a ser decrescente.
(B) (E)
(C) custo total médio é decrescente porque o
custo fixo médio também é decrescente.
q0 Produção q0 Produção (D) custo marginal é sempre decrescente.
CTM
(E) valor do custo marginal de produção não é
influenciado pelo valor do custo fixo total.
ARCE, FCC, 2006.
(C)

q0 Produção 327) Assinale a opção correta a respeito das


curvas de custos de curto prazo referentes a
determinada área de produção.
Liquigás, Cesgranrio, 2012. (A) Na curva de custo médio, o trecho inicial
será decrescente se os custos fixos forem
crescentes.
325) O gráfico abaixo mostra a curva de custo (B) O custo variável médio e o custo marginal
total médio de longo prazo de uma certa da primeira unidade produzida são idênticos.
empresa, em função do volume de produção de (C) A curva de custo médio é decrescente no seu
seu único produto. trecho final em função do aumento dos
custos variáveis médios.
Custo (D) Se o custo marginal for crescente, serão
Total crescentes os custos médios e os custos
Médio variáveis médios.
(E) Independentemente da existência de custos
fixos que restrinjam a produção, a curva de
custo variável médio inclina-se, desde o
início, para baixo.
TJ/AL, Cespe, 2012.
q* Produção
328) Considere os gráficos das curvas de custo
Analisando o gráfico, conclui-se que, para um nível marginal e de custo médio em função da
de produção quantidade produzida, e marque a afirmativa
(A) abaixo de q*, o custo fixo é nulo. INCORRETA.
(B) acima de q*, há retornos constantes de (A) A curva de custo marginal passa pelo
escala. mínimo da curva de custo médio.
(C) igual a q*, o custo variável médio é mínimo. (B) O custo marginal mostra a variação do custo
(D) até q*, o custo marginal é igual ao custo total quando a produção aumenta.
variável. (C) O custo médio pode ser menor que o custo
(E) até q*, há economias de escala. marginal.
Transpetro, Cesgranrio, 2011. (D) O custo médio mostra a variação do custo
marginal quando a produção aumenta.
RELAÇÃO ENTRE CUSTO MÉDIO, CUSTO (E) Quando o custo médio é crescente, o custo
MARGINAL E CUSTO TOTAL marginal é maior que o custo médio.
EPE, Cesgranrio, 2007.

DSc Cursos Página 48


DSc Cursos

333) Marque a afirmação correta, a respeito do


329) Em qualquer nível de produção de custo médio e do custo marginal.
determinado bem, o custo (A) O custo médio é sempre maior que o custo
(A) marginal é maior que o custo médio. marginal.
(B) fixo é maior que o custo variável. (B) O custo médio e o custo marginal são
(C) médio é crescente com a produção. sempre iguais.
(D) total é maior ou igual ao custo fixo. (C) Se o custo médio decrescer com o aumento
(E) total é decrescente com a produção. da quantidade produzida, o custo marginal
Decea, Cesgranrio 2009. será inferior ao custo médio.
(D) Se o custo médio não se alterar com o
aumento da quantidade produzida, o custo
330) Uma empresa industrial está produzindo marginal será inferior ao custo médio.
uma certa quantidade de um bem e, se aumentar (E) Se os preços dos insumos aumentarem, o
a produção, o custo total médio diminuirá. custo médio não se alterará, mas o custo
Então, nesse volume de produção, o custo marginal aumentará.
(A) fixo é nulo ou insignificante. TCE/RO Cesgranrio, 2007.
(B) fixo é maior do que o custo total.
(C) variável diminuirá se a produção aumentar.
(D) variável médio diminuirá se a produção 334) Uma função custo de uma firma é composta
aumentar. por um custo fixo positivo e uma função custo
(E) marginal é menor do que o custo total variável estritamente crescente, estritamente
médio. convexa e nula quando a produção é nula.
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2010. Existe um intervalo entre zero e um valor da
produção (c), no qual o custo variável é inferior
ao custo fixo. Considerando tais curvas de
331) Em certo nível de produção de uma firma, o custo, tem-se que o(a)
custo marginal de produção será (A) custo total nunca pode ser igual a um
(A) menor que o custo total médio, se este múltiplo da soma do custo fixo médio e do
crescer com o aumento da produção. custo variável médio.
(B) maior que o custo total médio, se este (B) curva de custo total médio apresenta um
decrescer com o aumento da produção. trecho inicial decrescente, pois o custo fixo
(C) igual ao custo total médio, se este se médio marginal é maior do que o custo
mantiver constante com o aumento da variável médio marginal.
produção. (C) curva de custo marginal cruza as curvas de
(D) o custo adicional, se a produção dobrar. custo variável médio e de custo fixo médio
(E) o aumento do custo total médio, se a em seus pontos de mínimo.
produção aumentar em uma unidade. (D) curva de custo marginal sempre apresenta
Petrobrás, Cesgranrio, 2010. um trecho no qual ela é menor do que a
curva de custo variável médio e outro no
qual é superior.
332) Suponha que um aumento de 1% na (E) área abaixo da curva de custo marginal
produção de determinado bem acarrete um fornece o valor do custo total, delimitada
aumento de 0,5% no custo total de produção. pelo nível de produção desejado.
Logo, no caso de aumentos marginais de Chesf, Cesgranrio, 2012.
produção, o(as)
(A) custo marginal é igual a 0,5.
(B) custo marginal é negativo. 335) Em relação ao comportamento dos custos de
(C) custo total médio diminui. produção no curto prazo, supondo-se que opera
(D) deseconomias de escala surgem. a lei das proporções variáveis e que os preços
(E) economias de escopo surgem. dos fatores de produção são constantes, é
BNDES, Cesgranrio, 2011. correto afirmar que

DSc Cursos Página 49


DSc Cursos

(A) a curva de custo variável médio cruza a 338) Considere a teoria econômica neoclássica
curva do custo marginal no ponto de dos custos de produção. Supondo-se constantes
mínimo desta. os preços dos fatores de produção, é correto
(B) os custos marginais são inicialmente afirmar que
decrescentes, atingem um ponto de mínimo (A) a curva de custo marginal corta a de custo
e depois passam a ser crescentes. total médio no ponto de mínimo desta.
(C) os custos fixos médios são constantes. (B) a curva de custo variável médio intercepta a
(D) os custos totais médios de produção são de custo marginal no ponto de mínimo
inicialmente crescentes, atingem um ponto desta.
de máximo e depois passam a ser (C) o custo fixo médio é constante.
decrescentes. (D) os custos variáveis médios são sempre
(E) os custos variáveis médios são constantes. decrescentes.
Ceal, FCC, 2005. (E) o custo variável médio é constante.
DNOCS, FCC, 2010.

336) Na teoria neoclássica dos custos de


produção é correto afirmar que a curva do custo 339) O custo médio total de uma empresa cuja
(A) fixo médio é crescente. função de produção, no curto prazo, obedeça à
(B) variável médio intercepta a curva de custo lei dos rendimentos decrescentes, é mínimo
marginal no ponto de mínimo desta. quando
(C) marginal intercepta a curva de custo médio (A) o custo marginal for mínimo.
total no ponto de mínimo desta. (B) a curva de custo variável médio interceptar a
(D) médio total é estritamente crescente. curva de custo médio total.
(E) variável médio independe do formato da (C) o custo fixo médio for mínimo.
curva do custo marginal. (D) a curva de custo marginal interceptar a
Sergipegás, FCC, 2010. curva de custo médio total.
(E) a curva de custo marginal interceptar a
curva de custo variável médio.
337) Em relação às tradicionais curvas de custo Metrô, FCC, 2010.
contínuas de curto prazo de uma empresa, é
correto afirmar que a
(A) curva de custo fixo médio permanece 340) Supondo-se constantes os preços dos fatores
constante, qualquer que seja a quantidade de produção, de acordo com a teoria neoclássica
produzida. dos custos de produção,
(B) curva de custo variável médio tem a forma (A) a curva de custo médio é sempre superior à
da letra U, porque a produtividade marginal curva de custo marginal.
do fator de produção variável é estritamente (B) a curva de custo variável médio é
crescente. estritamente decrescente.
(C) curva de custo marginal é crescente, quando (C) a curva de custo marginal intercepta a curva
intercepta a curva de custo médio total. de custo total médio no ponto de mínimo
(D) partir do momento em que a curva de custo desta última.
marginal passa a ser crescente, idêntico (D) a curva de custo fixo médio tem inclinação
fenômeno ocorre com a curva de custo positiva e não intercepta a curva de custo
variável médio. marginal.
(E) partir do momento em que a produtividade (E) os pontos de mínimo das curvas de custo
marginal do fator de produção variável marginal, custo variável médio e custo total
passa a aumentar, a curva de custo marginal médio são coincidentes.
torna-se crescente. Infraero, FCC, 2011.
TCE/PR, FCC, 2011.

DSc Cursos Página 50


DSc Cursos

341) Os economistas definem curto prazo como 347) Na região da curva onde os custos variáveis
sendo o período de tempo em que pelo menos médios estão aumentando, os custos marginais
um dos fatores de produção é fixo. Na análise são superiores aos custos médios.
econômica dos custos de produção, no curto Prefeitura de Vila Velha, Cespe, 2008.
prazo,
(A) o valor do custo médio é mínimo quando for
igual ao valor do custo marginal. 348) Considere a função custo C = C0 + C(X)
(B) os custos fixos médios são constantes. onde C = custo total, X a produção e C0 o nível
(C) os custos variáveis médios são constantes. de custos quando a produção é nula. Considere
(D) o valor do custo marginal é mínimo quando ainda que essa função seja crescente em relação
for igual ao valor do custo médio. a X, crescendo a taxas decrescentes até um
(E) a diferença entre o valor do custo médio e determinado ponto a partir do qual passa a
do custo variável médio é sempre igual, crescer a taxas crescentes. Com base nessas
qualquer que seja o nível de produção. informações, é incorreto afirmar que
ARCE, FCC, 2006. a) para X = 0 o custo marginal será maior do
que o custo unitário variável.
b) o custo médio será crescente quando for
342) Se o custo marginal de um bem for inferior ao custo marginal.
crescente e superior ao custo médio de c) se que o custo médio passa por um mínimo
produção, segue-se que o custo médio será a um nível de produção X maior do que
(A) crescente. zero, nesse ponto deve-se ter o custo médio
(B) constante. igual ao marginal.
(C) mínimo. d) o custo unitário variável será crescente
(D) igual ao custo variável médio. quando for inferior ao custo marginal.
(E) decrescente. e) se o custo unitário variável passa por um
Ceal, FCC, 2005. mínimo a um nível de produção X maior do
que zero, nesse ponto deve-se ter o custo
unitário variável igual ao marginal.
343) A curva de custo médio total no curto prazo Ministério do Planejamento, FCC, 2006.
(A) é sempre decrescente, quando o custo
marginal é maior do que o custo médio total. ECONOMIA DE ESCOPO
(B) passa a ser crescente quando o custo
marginal começa a aumentar. 349) Há casos em que a produção conjunta de
(C) tem o formato de uma hipérbole equilátera. dois produtos pela mesma empresa apresenta
(D) corresponde à curva da derivada primeira do custo de produção mais baixo do que se fosse
custo total de produção. produzida por duas empresas independentes,
(E) é sempre crescente quando o custo marginal mesmo que o volume de alocação de recursos
é maior do que o custo médio total. seja o mesmo nos dois casos. Essa ocorrência é
Metrô, FCC, 2012. denominada economias
(A) externas.
(B) de aprendizagem.
Considere uma firma em que os seus custos (C) de escala.
dependam somente dos seus níveis de produção. (D) de escopo.
Acerca das curvas de custos de produção desta (E) de aglomeração.
firma no curto prazo, julgue os itens subseqüentes. ARCE, FCC, 2012.
344) A curva de custo médio começará por cair
devido aos custos fixos decrescentes.
345) O custo marginal e o custo variável são os
mesmos na primeira unidade de produção.
346) O custo fixo médio permanece constante
quando a produção aumenta.

DSc Cursos Página 51


DSc Cursos

350) Sejam C(a) e C(b) os custos de produção Defensoria Pública/RS, FCC, 2013.
individual dos bens a e b, respectivamente,
enquanto C(a,b) representa o custo da produção QUESTÕES DE REVISÃO
conjunta dos referidos bens. Ocorrerá economia
de escopo quando: 353) A teoria da produção e dos custos analisa os
(A) [C(a) + C(b)] > C(a,b) fenômenos tecnológicos e econômicos
(B) [C(a) + C(b)] = C(a,b) subjacentes à oferta dos bens e serviços. Acerca
(C) [C(a) + C(b)] < C(a,b) desse assunto, assinale a opção correta.
(D) C(a) > C(b) (A) Caso a fabricação de determinada
(E) C(a) < C(b) mercadoria exija que os insumos sejam
Petrobrás, Cesgranrio, 2005. combinados em proporções fixas, então, a
função de produção desse bem gera
isoquantas formadas por ângulos retos
351) Uma empresa produz dois bens, I e II. Seu paralelos.
custo total (CT), como função dos volumes de (B) O crescimento da produtividade média do
produção, é dado pela fórmula CT (qI , qII) = a + trabalho, mantendo-se constante os demais
bqI2 + cqII2, na qual qI e qII são as quantidades insumos, é incompatível com a existência de
produzidas dos dois bens; a, b e c são uma produtividade marginal superior ao
parâmetros positivos com as unidades produto médio.
adequadas. Pelo exame da fórmula, conclui-se (C) Aumentos salariais, decorrentes de
que, em todos os níveis de produção de I e II, há negociações sindicais bem-sucedidas,
(A) economias de escala na produção de I elevam os gastos das empresas com mão-de-
(B) economias de escala na produção de II obra, mas não modificam a inclinação da
(C) economias de escopo na produção de I e de linha de isocusto.
II (D) Em presença de economias de escala, a
(D) deseconomias de escala na produção de I curva de custo médio de longo prazo é
(E) deseconomias de escopo na produção de I e horizontal.
de II (E) A curva de oferta de curto prazo das firmas
BNDES, Cesgranrio, 2013. é construída supondo-se que o preço do
produto que ela comercializa é superior ao
custo marginal de fabricação desse produto.
352) A indústria Papelucho, conhecida fabricante Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2009
de brindes personalizados em papel, decidiu
alterar a produção de agendas e pequenos
blocos de notas, decorados manualmente. Ao Economia da produção pode ser entendida como o
reunir a produção dos dois tipos de brindes em estudo de tecnologias, produtividade, rendimentos
uma mesma planta, a indústria notou que produtivos e custos. Com relação a esse assunto,
incorre em custos menores do que quando os julgue os itens que se seguem.
produzia em unidades separadas. No entanto, 354) A propriedade tecnológica da disposição
percebeu que, no longo prazo, se aumentar a livre (free disposal) diz que, se a empresa tiver
produção dos brindes perderá eficiência, devido insumos excedentes sem custos, então a
ao alto custo da mão de obra voltada para a disposição prejudicará sua produção.
personalização. Neste caso, a Papelucho 355) O fato de que em todo processo produtivo há
apresenta custo (no free lunch) leva a uma função de
(A) economias de escopo e deseconomias de produção partindo da origem do gráfico. Isso
escala. não ocorre em um processo produtivo em que
(B) economias de escala e deseconomias de há custos irreversíveis (sunk costs).
escopo. 356) Mantidos constantes os preços dos fatores, a
(C) economias de escala e economias de escopo. curva de custo marginal passa sobre os pontos
(D) somente economias de escala, sem mínimos tanto da curva de custo variável quanto
implicações quanto às economias de escopo. da curva de custo médio.
(E) somente economias de escopo, sem 357) Em uma firma com rendimentos de escala
implicações quanto às economias de escala. crescentes, se as quantidades de todos os

DSc Cursos Página 52


DSc Cursos

insumos forem dobradas, então a produção mais


do que dobrará. Em uma firma com economia
de escala, para se dobrar a produção, não é 365) Se o custo marginal exceder a receita
preciso dobrar os custos. marginal, no intervalo em que o custo marginal
358) Há economia de escopo quando o custo de é crescente, a firma deverá
produção de dois bens de uma empresa é menor (A) expandir a produção até que o custo
do que os custos de produção conjuntos de duas marginal iguale a receita marginal.
empresas diferentes, cada uma produzindo um (B) reduzir a produção até que o custo marginal
único produto. iguale a receita marginal.
Ministério da Saúde, Cespe, 2009. (C) reduzir a produção até que a receita
marginal iguale o custo variável médio.
(D) reduzir a produção até que o custo marginal
O exame das condições de produção é crucial para o iguale o custo médio total.
entendimento do processo de tomada de decisão das (E) expandir a produção até o ponto onde o
firmas que atuam no mercado. Acerca desse custo médio for mínimo.
assunto, julgue os itens que se seguem. Ceal, FCC, 2005.
359) De acordo com a lei dos rendimentos
decrescentes, quando o emprego aumenta, a
produtividade marginal do trabalho diminui, não 366) Na teoria microeconômica convencional, o
porque os trabalhadores adicionais sejam mais equilíbrio de uma empresa em qualquer tipo de
ineficientes, mas porque mais trabalhadores mercado é alcançado quando
estão sendo usados em relação aos demais (A) o preço de mercado for igual ao custo médio
fatores produtivos. de produção.
360) A curva de produtividade média intercepta a (B) a receita marginal for igual ao custo
curva de produtividade marginal, quando a marginal.
produtividade marginal é maximizada. (C) o preço de mercado do produto for igual ao
361) As isoquantas, que mostram as diferentes custo marginal.
combinações fatoriais que asseguram um (D) a receita média das vendas for igual ao custo
determinado nível de produção, não se podem médio de produção.
cruzar. (E) o preço de mercado for superior ao custo
362) Quando a tecnologia apresenta retornos marginal.
decrescentes de escala, os custos médios ARCE, FCC, 2006.
declinam com o aumento da produção.
363) A isenção do imposto sobre operações
relativas à circulação de mercadorias e sobre 367) De acordo com a teoria microeconômica
prestações de serviços de transporte marginalista tradicional, as firmas que atuam
interestadual e intermunicipal e de comunicação em um mercado em Concorrência Perfeita
(ICMS), no âmbito da chamada “guerra fiscal” (A) fixam uma margem de lucros sobre o custo
entre os estados brasileiros, representa uma de produção para determinar o preço de seus
redução dos custos fixos para as empresas produtos.
beneficiadas. (B) submetem-se aos tabelamentos de preços
Petrobrás, Cespe, 2001. prescritos pelos Governos.
(C) valem-se de pesquisas sobre os preços
OFERTA DA FIRMA vigentes no mercado para bens substitutos
para estabelecerem seus próprios preços.
364) No equilíbrio da firma, qualquer que seja o (D) são tomadoras do preço de mercado,
regime de mercado, o custo marginal é fazendo valer a igualdade entre sua receita
(A) superior à receita média. marginal e seu custo marginal de produção.
(B) inferior ao preço de mercado. (E) determinam seus preços com base no custo
(C) igual à receita marginal. de reposição dos bens vendidos.
(D) inferior ao custo fixo. ARCE, FCC, 2012.
(E) igual ao preço de mercado.
TRT, FCC, 2006.

DSc Cursos Página 53


DSc Cursos

368) Os fatores fixos de produção referem-se a 371) Em uma empresa que faz parte de um
insumos que mercado em concorrência perfeita, o seu custo
(A) não podem ter seu estoque alterado, mesmo marginal de produção (CMg) é descrito pela
no longoprazo, sendo esta uma das razões função CMg = q2 − 15q + 39, onde q =
para o surgimento de deseconomias de quantidade produzida. Se o preço de mercado
escala ou custos médios crescentes no do produto for igual a 115, a quantidade
longo-prazo. produzida que maximiza o lucro da empresa é:
(B) devem ser utilizados em proporção fixa com (A) 11
outros fatores. (B) 14
(C) não podem ter seus estoques alterados no (C) 16
curto-prazo. (D) 19
(D) não podem variar no longo-prazo. (E) 21
(E) possuem relação técnica constante. ARCE, FCC, 2006.
Gestor de Economia, FCC, 1999.

372) Uma empresa que atua em mercado


369) Com relação à demanda para um produtor perfeitamente competitivo tem a função de
em um mercado em concorrência perfeita, é custos C(y) = 4y2 + 16 em que y é a quantidade
correto afirmar que produzida. Quando o preço de mercado é R$
(A) o preço irá se reduzir na medida dada pela 24,00, o número de unidades produzido pela
elasticidade- preço da demanda, se o empresa é
vendedor elevar a sua produção. (A) 2
(B) as decisões do produtor quanto ao seu nível (B) 3
de produção não afetam o preço de mercado. (C) 4
(C) o preço irá se reduzir na medida dada pela (D) 5
elasticidade- renda da demanda, se o (E) 6
vendedor elevar a sua produção. Petrobrás, Cesgranrio, 2011.
(D) essa demanda pode ser representada por
uma função linear do tipo Qd = a - b.P, onde
Qd = quantidade demanda, P = preço do 373) Uma firma, operando em um mercado de
bem, a e b = constantes positivas. concorrência perfeita, apresenta uma função de
(E) a receita marginal é nula, para todos os custo total (CT) igual a 5 + 12q + 2q2. Se o
níveis de preço. preço de mercado de seu produto for igual a 96,
MPU, Esaf, 2004. a quantidade, medida em número de unidades,
que ela deve produzir para maximizar seu lucro
é igual a
370) Considere a função de custos totais CT(q) = (A) 22.
100 + 5q2 – 2000q, no qual q é a quantidade (B) 26.
produzida pela empresa. Em concorrência (C) 24.
perfeita, sendo o preço de mercado de 100, a (D) 27.
quantidade produzida pela empresa é: (E) 21.
(A) 20 Sergipegás, FCC, 2010.
(B) 100
(C) 190
(D) 200
(E) 210
EPE, Cesgranrio, 2006. 374) Em um mercado de concorrência perfeita em
que o preço do bem X é 800, uma empresa tem
a função de custo total (CT): CT = 5Q2 + 300Q
+ 100, onde Q representa a quantidade
produzida. A quantidade a ser produzida que
torna máximo o lucro da empresa é, em
unidades, igual a

DSc Cursos Página 54


DSc Cursos

(A) 35.
(B) 40. 378) Considere:
(C) 50. CT = 1 + 2.q + 3.q2
(D) 55. P = 14
(E) 60. Onde:
Metrô, FCC, 2008. CT = custo total;
q = produção;
P = preço.
375) Considere que uma firma opere no mercado Para uma firma em concorrência perfeita, o lucro
concorrencial, de acordo com a função custo total será
total C(q) = 0,2q2 - 5q + 30, em que q é a (A) 8.
quantidade do bem produzida por essa firma, (B) 14.
com preço igual a 6 unidades monetárias. Nessa (C) 9.
situação, conclui-se que a quantidade de (D) 15.
unidades produzida pela firma é igual a (E) 11.
(A) A 20,5. Ministério do Planejamento, FCC, 2006.
(B) B 22,5.
(C) C 25,5.
(D) D 27,5. 379) Um dos desafios dos economistas é
(E) E 29,5. compreender as estruturas de mercado. Em uma
Estado do Espírito Santo, Cespe, 2013. estrutura de mercado competitiva, as empresas
(A) têm o custo médio sempre maior que o custo
marginal.
376) Uma firma, em concorrência perfeita, (B) produzem até equalizar o preço ao custo
apresenta um custo total (CT) igual a 2+4q+2q2, total.
sendo q a quantidade vendida do produto. O (C) produzem até equalizar seu custo marginal
preço de mercado de seu produto é igual a 24. O ao preço de mercado.
lucro máximo que essa empresa pode obter, (D) vendedoras devem ser em muito maior
nessas condições de mercado, é número do que as compradoras.
(A) 46 (E) novas são impedidas de se estabelecer no
(B) 48 mercado devido à concorrência acirrada.
(C) 50 SFE, Cesgranrio, 2009.
(D) 54
(E) 60
Prefeitura de Santos, FCC, 2005. 380) Em um mercado de concorrência perfeita, os
produtores maximizam seu lucro quando
(A) a receita marginal é inferior ao custo
377) Considere marginal.
CT = 1 + 2.q + 3.q2 (B) a produtividade do fator de produção
P = 14 variável é crescente.
onde (C) o preço de mercado do produto é igual ao
CT = custo total; custo marginal.
q = quantidade produzida do bem; (D) o custo de produção é mínimo.
P = preço do bem. (E) o excedente do produtor é superior ao
A quantidade que maximiza o lucro e o montante excedente do consumidor.
desse lucro são, respectivamente, DNOCS, FCC, 2010.
(A) 2 e 11.
(B) 3 e 13.
(C) 3 e 14.
(D) 4 e 14.
(E) 4 e 15.
MPU, Esaf, 2004.

DSc Cursos Página 55


DSc Cursos

381) Em um mercado em Concorrência Perfeita, 384) Assumindo-se uma função de produção


a oferta da firma individual é dada por uma neoclássica e excepcionando-se o mercado
(A) curva positivamente inclinada, definida pela monopolista, a curva de oferta de curto prazo
curva de custo marginal dessa firma, a partir tem inclinação ascendente em razão
do ponto de mínimo da curva de custo (A) dos rendimentos crescentes.
variável médio. (B) do aumento da produtividade do fator de
(B) curva negativamente inclinada, definida pela produção variável.
curva de custo fixo médio dessa firma. (C) das economias de escala.
(C) curva positivamente inclinada, definida pela (D) das deseconomias de escala.
curva de custo médio total dessa firma, a (E) da lei das proporções variáveis.
partir do ponto de mínimo da curva de custo Infraero, FCC, 2009.
variável médio.
(D) reta paralela ao eixo dos preços.
(E) reta paralela ao eixo das quantidades. 385) Uma empresa maximizadora de lucros
Copergás, FCC, 2011. vende seu produto no mercado em condições de
competição perfeita. Em equilíbrio, a empresa
produz e vende 100 unidades por período,
382) A curva de oferta a curto prazo de uma obtendo uma receita total de R$ 10.000,00 por
firma em concorrência perfeita é igual à curva período. Nesse nível de produção, o custo
de custo marginal para todos os níveis de marginal da empresa, em reais, é de
produção iguais ou maiores do que o nível de (A) 1,00
produção associado ao (B) 10,00
(A) custo marginal mínimo. (C) 100,00
(B) custo variável marginal mínimo. (D) 1.000,00
(C) custo variável total mínimo. (E) 10.0000,00
(D) custo variável médio mínimo. Liquigás, Cesgranrio, 2012.
(E) custo total médio mínimo.
MPU, Esaf, 2004.
386) Uma empresa maximizadora de lucros
produz, por período, 99 unidades de
383) Sobre a oferta de uma firma em determinado produto ao custo total médio de R$
concorrência perfeita no curto prazo, é correto 2,00 por unidade. Se essa empresa produzisse
afirmar que 100 unidades do produto no mesmo período, seu
(A) uma empresa com rendimentos constantes custo total médio seria de R$ 2,10 por unidade.
de escala necessariamente apresenta uma Para induzir a empresa a produzir a centésima
curva de oferta de curto prazo horizontal. unidade, seria necessário pagar lhe, por essa
(B) uma firma nunca deve operar caso o preço unidade, em reais, no mínimo, o valor de
de seu produto seja inferior ao seu custo (A) 2,00
médio de produção. (B) 2,10
(C) a curva de oferta da firma é dada pelo ramo (C) 4,00
ascendente da curva de custo variável médio (D) 8,00
acima do ponto de cruzamento dessa curva (E) 12,00.
com a curva de custo marginal. EPE, Cesgranrio, 2012.
(D) a curva de oferta não guarda nenhuma
relação com a curva de custo marginal.
(E) a curva de oferta da firma é dada pelo ramo
ascendente da curva de custo marginal
acima do ponto de cruzamento dessa curva
com a curva de custo variável médio.
Prefeitura de Santos, FCC, 2005.

DSc Cursos Página 56


DSc Cursos

387) O departamento econômico da Cia. Morro 389) Em um mercado de concorrência perfeita,


Alto estimou os custos abaixo demonstrados do no curto prazo, o preço de um produto
bem X no intervalo relevante de produção. homogêneo é maior que o custo variável médio.
Nestas condições, uma empresa individual
Quantidade Custo Médio Custo Marginal deverá, para maximizar lucros,
40 10,00 10,00 (A) não produzir nada.
41 10,04 12,00 (B) reduzir a produção até o ponto onde o preço
42 ? 15,00 for igual ao custo fixo médio.
42 10,39 20,00 (C) ampliar a produção até o ponto onde o preço
44 ? 28,00 for igual ao custo variável médio.
45 11,40 38,00 (D) continuar produzindo no ponto onde o preço
é igual ao custo marginal.
Sabendo-se que o mercado do bem X é de (E) reduzir a produção até o ponto onde o preço
concorrência perfeita e que o preço de mercado for igual ao custo médio total.
corresponde a R$ 20,00, é correto afirmar que os Ceal, FCC, 2005.
custos médios da 42a e da 44a unidades, em R$
(desprezando os algarismos a partir da terceira casa
decimal depois da vírgula), e a quantidade Constantemente empresários demandam créditos
produzida que maximiza o lucro da empresa (em subsidiados em instituições financeiras públicas,
unidades), são, respectivamente: alegando dificuldades nos negócios. Com relação à
(A) 10,21; 10,83 e 40. decisão de produzir e ofertar bens no mercado,
(B) 10,21; 10,79 e 40. julgue os itens que se seguem.
(C) 10,16; 10,83 e 41. 390) Uma condição para o encerramento de uma
(D) 10,16; 10,83 e 43. empresa é os custos marginais excederem os
(E) 10,16; 10,79 e 43. preços cobrados pela empresa.
Metrô, FCC, 2008. 391) Se os preços praticados por uma empresa
forem iguais aos seus custos médios, então o
seu lucro será zero e, portanto, será viável
388) Duas empresas atuam num mercado no qual encerrar sua produção e fechar a empresa.
há competição perfeita, e suas ofertas são dadas 392) Se os preços praticados por uma empresa
pelas expressões: forem inferiores aos seus custos médios, então
q1 = 10 + p para p ≥ 5, e q1 = 0 para p < 5 seu lucro será negativo e, portanto, será viável
q2 = 12 + p para p ≥ 3, e q2 = 0 para p < 3 encerrar sua produção e fechar a empresa.
onde q1 e q2 são as quantidades ofertadas pelas BASA, Cespe, 2010.
empresas 1 e 2, e p é o preço de mercado, todos
medidos em unidades adequadas. A esse respeito,
assinale a afirmativa que NÃO está correta. 393) Uma empresa maximizadora de lucro e em
(A) O custo fixo da empresa 1 é igual a 10. equilíbrio competitivo produz e vende 100
(B) Os custos médios mínimos das empresas são toneladas de certo produto por período. Seu
diferentes. custo marginal é superior ao custo total médio.
(C) Quando q2 = 20, o custo marginal da Logo, no nível de produção de 100 toneladas /
empresa 2 é igual a 8. período, há
(D) Quando p=10, as duas empresas oferecem (A) economias de escala
ao mercado, em conjunto, uma produção de (B) economias de escopo
42 unidades. (C) deseconomias de escopo
(E) Para produções maiores que 15 unidades, o (D) esgotamento do processo de aprendizado
custo marginal da empresa 1 é crescente (E) receita total maior que o custo total
com a produção. Petrobrás, Cesgranrio, 2012.
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2008.

DSc Cursos Página 57


DSc Cursos

394) Considere uma firma operando em (A) o custo total de produção é inicialmente
concorrência perfeita. No curto prazo, se o lucro decrescente por causa de deseconomias de
econômico do produtor é positivo, a produção escala.
se faz com o custo marginal, em relação ao (B) o preço tenderá a ser PB, no longo prazo,
custo médio: neste mercado.
(A) igual a este. (C) o preço neste mercado sempre será superior
(B) inferior a este. a PB no curto prazo.
(C) superior a este. (D) a empresa não produzirá nada se o preço for
(D) metade deste. igual a P, na figura, mesmo no curto prazo.
(E) o dobro deste. (E) a empresa produzirá uma quantidade que
Petrobrás, Cesgranrio, 2005. equaliza o preço e o custo médio no curto
prazo.
Inea, Cesgranrio, 2008.
395) Uma empresa, em um mercado
perfeitamente competitivo, apresenta lucro
econômico positivo no curto prazo. Logo, é 397) Uma empresa maximizadora de lucro,
correto afirmar que atuando num mercado em competição perfeita,
(A) o preço de mercado é superior ao custo fabrica e vende 100 unidades mensais de seu
marginal de produção. produto ao preço de R$ 10,00/unidade. Se os
(B) o custo marginal de produção é superior ao preços de todos os seus insumos aumentarem
custo médio total. 20% e o preço de seu produto no mercado
(C) o custo variável médio de produção é aumentar para R$ 12,00/unidade, o novo
superior ao custo total médio. número de unidades que produzirá mensalmente
(D) essa situação tenderá a prevalecer também será
no longo prazo. (A) 120
(E) a empresa tem poder monopsonista na (B) maior que 120
contratação de fatores de produção. (C) 100
Ceal, FCC, 2005. (D) menor que 100
(E) 110
LONGO PRAZO Eletrobrás, Cesgranrio, 2010.

396) Na figura abaixo, a curva ABC representa a


curva de custo médio total de longo prazo de 398) O gráfico abaixo mostra duas curvas de
uma empresa que produz o bem X para um oferta de maçãs, de curto e de longo prazos,
mercado em que há livre entrada de empresas traçadas a partir de preço e quantidade iniciais
competidoras, todas de posse da mesma p0 e q0.
tecnologia e de igual acesso aos mercados de Preço S1
fatores de produção. da
Maçã
A C S2
$/Unidade

p0

Pb q0 Quantidade
B de Maçãs
P

Quantidade de X
Analisando-se essas informações, conclui-se que

DSc Cursos Página 58


DSc Cursos

Examinando o gráfico, afirma-se que 405) A área abaixo da curva de custo variável do
(A) S1 é a curva de oferta de longo prazo. produto, que se estende até o eixo y, fornece o
(B) S2 é a curva de oferta de curto prazo. custo marginal de se produzir y unidades do
(C) maçãs não têm bens substitutos para os produto.
consumidores. 406) A curva de custo médio alcançará seu ponto
(D) S2 é mais elástica em relação a preço que de mínimo quando o custo médio se igualar ao
S1, no ponto (q0 ,p0). custo marginal.
(E) a elasticidade em relação a preço é constante 407) Em uma escolha de produção ótima, os
ao longo de S1. custos marginais de curto prazo se igualam aos
Eletrobrás, Cesgranrio, 2010. custos de produção de longo prazo.
BASA, Cespe, 2010.

399) Considere a situação de equilíbrio de longo


prazo para uma firma em concorrência perfeita. 408) No que diz respeito à teoria da firma,
É incorreto afirmar que assinale a opção correta.
a) esse equilíbrio ocorre quando o preço (A) A maximização dos lucros para uma dada
iguala-se ao mínimo custo médio a longo empresa requer que ela utilize os fatores de
prazo. produção até o ponto em que o valor do
b) dado que o lucro contábil é sempre positivo, produto marginal desses fatores seja
no longo prazo haverá a tendência de superior ao preço desses insumos.
entrada de novas empresas no setor. (B) Quando o preço de mercado de um bem é
c) nesse equilíbrio, os custos marginais a curto inferior ao seu custo variável médio, o nível
e longo prazos são iguais. de produção que minimiza as perdas é
d) nesse equilíbrio as firmas não possuem lucro positivo e, portanto, a empresa deve
puro nem prejuízo puro; somente lucro continuar a fabricar esse bem.
contábil igual à taxa de retorno obtido em (C) No mercado internacional de petróleo,
outros setores em concorrência. quanto menos inclinada for a curva de custo
e) nesse equilíbrio, o custo total médio mínimo marginal das empresas petrolíferas, maior
a curto prazo iguala-se ao custo total médio será a elasticidade preço da curva de oferta
mínimo a longo prazo. dessas empresas, e maior será o aumento da
Ministério do Planejamento, FCC, 2006. produção, decorrente do aumento
substancial do preço desse produto,
recentemente observada.
Julgue os próximos itens, a respeito de produção e (D) A minimização do custo de produção ocorre
custos. quando a taxa marginal de substituição
400) Havendo economias de escopo, o grau de técnica para os diferentes fatores for inferior
escopo dessas economias será negativo. ao preço relativo desses fatores.
401) Um conjunto de produção no curto prazo (E) Em presença de rendimentos crescentes de
corresponde a toda área sob uma função de escala, o custo unitário não se altera com o
produção, incluindo-se essa função. nível de produção.
402) Custos irreversíveis de uma empresa Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2008.
possuem custos de oportunidade zero.
403) Uma empresa competitiva com rendimentos
constantes de escala terá lucro máximo de longo 409) O estudo do comportamento dos produtores
prazo igual a zero. é fundamental à compreensão do mecanismo de
tomada de decisão pelas empresas. A esse
QUESTÕES DE REVISÃO respeito, assinale opção correta.
(A) O fato de o aumento da demanda por MBA
A respeito das curvas de custo, julgue os itens (Master Business Administration) ter
subsequentes. expandido a demanda por professores de
404) A curva de custo marginal passa pelos finanças, elevando o salário desses
pontos de mínimo das curvas de custo variável e profissionais, explica, em parte, a inclinação
de custo médio. positiva da curva de oferta de longo prazo

DSc Cursos Página 59


DSc Cursos

para as universidades que oferecem esses (B) A minimização dos custos requer que a
programas. inclinação da linha de isocusto seja igual à
(B) Empresas aéreas com baixa taxa de inclinação da isoquanta, garantindo, assim, a
ocupação de seus assentos não estão igualdade entre a taxa marginal de
maximizando seus lucros. substituição técnica entre os insumos e o
(C) Para firmas competitivas que atuam no ramo preço relativo desses insumos.
da indústria têxtil, aumentos no preço do (C) A incorporação de serviços adicionais
algodão elevam o custo marginal e o preço imposta recentemente às empresas que
do produto. comercializam planos de saúde, no Brasil,
(D) No curto prazo, se o preço de mercado do desloca as curvas de custos médios e
produto fabricado por determinada firma for marginais dessas empresas para baixo e para
inferior ao custo médio total, então essa a esquerda.
firma interromperá suas atividades e sairá do (D) A regra segundo a qual as empresas
mercado. maximizam seus lucros quando a receita
FCPTN, Cespe, 2007. marginal iguala-se ao custo marginal
aplicasse unicamente às empresas que atuam
em mercados competitivos.
410) Assinale a opção correta acerca do equilíbrio UEPA, Cespe, 2008.
da firma e de assuntos correlatos.
(A) A regra de minimização de custos requer
que a relação entre as produtividades A microeconomia, ciência que estuda o
marginais físicas e os preços dos insumos comportamento individual dos agentes econômicos,
seja idêntica para todos os fatores constitui sólido fundamento à análise dos agregados
produtivos. econômicos. A esse respeito, julgue os itens
(B) Para uma empresa que atua em um mercado seguintes.
perfeitamente competitivo, a maximização 412) A maior inserção das mulheres no mercado
de lucros requer que a firma aumente sua de trabalho, decorrente, em parte, do aumento
produção se o preço de mercado de seu da escolaridade, expandiu o custo de
produto for igual a sua receita marginal. oportunidade do trabalho doméstico para as
(C) A apuração dos lucros contábeis considera mulheres, conduzindo, assim, à expansão da
os custos de oportunidade tanto dos recursos fronteira de possibilidades de produção e,
utilizados como do capital imobilizado. portanto, do potencial de crescimento das
(D) No equilíbrio de curto prazo, a firma deve, modernas economias de mercado.
necessariamente, cobrir seus custos fixos e 413) Supondo-se que, para um determinado
variáveis, sob pena de ter de encerrar suas consumidor, o aumento de 20% do preço do gás
atividades. de cozinha não altere a despesa com esse
(E) No longo prazo, as firmas ofertam o nível de produto, pode-se concluir que a demanda de gás
produção cuja receita marginal é superior ao de cozinha desse consumidor é inelástica.
custo marginal de longo prazo. 414) Reduções no Imposto Predial e Territorial
EGPA, Cespe, 2005 Urbano (IPTU) deslocam a curva de oferta das
empresas do ramo da construção civil para
baixo e para a direita, representando, assim,
expansão da oferta dos produtos
comercializados por essas firmas.
415) A redução substancial das tarifas aéreas
411) Ainda com base na teoria da produção e dos promocionais, aplicadas aos vôos noturnos,
custos, assinale a opção correta. contribui para deslocar para cima e para a
(A) Aumentos nas taxas de juros, se repassados direita a demanda por transporte rodoviário.
ao custo de utilização do capital, deslocam, 416) De acordo com o efeito substituição, as
paralelamente, as linhas de isocustos das pessoas comprarão mais quando o preço
empresas e conduzem à redução no uso diminui porque o poder de compra aumenta.
desse insumo. 417) Se a demanda de insumos utilizados em um
processo produtivo for perfeitamente elástica, o

DSc Cursos Página 60


DSc Cursos

aumento do preço de um desses insumos (A) total médio diminuído.


acarretará aumentos substanciais no preço do (B) total médio aumentado.
produto final. (C) variável diminuído.
418) Custos de oportunidade são aqueles (D) marginal inalterado.
incorridos mesmo quando o nível de produção é (E) variável médio diminuído.
nulo e, portanto, não variam com a escala de Liquigás, Cesgranrio, 2012.
produção.
419) Uma firma competitiva, que maximiza
lucros, fatura diariamente R$ 5.000,00. 423) Se o custo fixo total de uma editora é de
Considerando que o custo total médio é R$ R$75.000,00 por mês, o custo variável unitário
8,00, o custo marginal é R $10,00 e o custo é de R$5,00 por livro e o preço de mercado é de
médio variável é igual a R$ 5,00, essa empresa R$20,00, a escala mínima de produção que faz
produz, diariamente, 200 unidades. com que a empresa não tenha prejuízo
420) Se uma distribuidora de gasolina e produtos operacional (break-even point) é:
derivados de petróleo está produzindo em um (A) 15.000
ponto em que as produtividades marginais dos (B) 10.000
insumos, ponderadas pelos seus respectivos (C) 5.000
preços, são iguais, é correto afirmar que essa (D) 2.000
empresa está minimizando seus custos. (E) 500
Petrobrás, Cespe, 2004. EPE, Cesgranrio, 2006.

421) Em relação à teoria da produção e dos 424) Considerando a Teoria Marginalista da


custos, assinale a opção correta. Firma, é correto afirmar:
(A) No Vale do Silício, na Califórnia, onde se (A) Se a firma possui uma função de produção
localiza a indústria de tecnologia da com produtividade marginal do trabalho
informação, o aumento dos salários dos crescente, então o custo marginal do
engenheiros e a alta do custo de moradia trabalho também será crescente.
fazem com que, nessa indústria, a curva de (B) Em todos os processos produtivos, a
oferta de longo prazo seja positivamente produtividade marginal do fator de produção
inclinada. fixo é crescente, o que assegura à curva de
(B) No curto prazo, enquanto a produção estiver custos desse mesmo fator de produção um
aumentando, o custo médio variável formato de parábola invertida.
decresce, de modo inequívoco. (C) A maximização do lucro da firma se dá
(C) Ao longo de uma isoquanta, as quando o preço de mercado se iguala ao
produtividades marginais dos fatores custo marginal da produção, mesmo que
produtivos são constantes, porém, a taxa este último seja inferior ao custo médio de
marginal de substituição técnica entre esses produção variável.
fatores é decrescente. (D) Em um processo produtivo, o custo
(D) A escala mínima eficiente de produção é marginal do fator de produção variável será
aquela em que prevalecem as deseconomias mínimo quando sua produtividade marginal
de escala. for máxima.
Polícia Civil/PA, Cespe, 2007. (E) A existência de fatores de produção fixos e
de um dado estado de evolução tecnológica
não influenciam na validade da lei dos
422) Uma empresa que maximiza lucros dobrou rendimentos decrescentes para o fator de
seu volume de produção, tendo, para isso, produção variável.
comprado e usado quantidades três vezes ARCE, FCC, 2012.
maiores dos fatores de produção, adquiridos no
mercado a preços constantes. Suponha a
inexistência de outros custos além do custo de
compra dos fatores de produção. Ao dobrar a
produção, a empresa terá seu custo

DSc Cursos Página 61


DSc Cursos

427) Podem ser considerados como pressupostos


3 - ESTRUTURA DE básicos de um modelo de mercado em
MERCADO E FORMAÇÃO concorrência perfeita, exceto
a) a empresa tomar como dados os preços dos
DE PREÇO, ANÁLISE DE fatores de produção.
CONCENTRAÇÃO. b) a empresa tomar como dados os preços de
seus produtos.
CONCORRÊNCIA PERFEITA c) a empresa não conhecer a sua função de
produção, o que reduz a possibilidade de
manipulação de preço de mercado.
425) O modelo de competição perfeita entre
d) a empresa ser suficientemente pequena no
produtores ofertando no mesmo mercado inclui
mercado, o que impede a manipulação de
a hipótese de completa homogeneidade dos
preços no mercado.
produtos vendidos. Tal homogeneidade
e) movimentos de entrada e saída de empresas
completa raramente ocorre na realidade, sendo
no mercado poderem explicar flutuações de
substituída, na definição empírica do que seja o
preços.
mercado de certo produto, pelo requisito de
MPU, Esaf, 2004.
(A) produtos que sejam substitutos próximos
para o comprador.
(B) preços por unidade de produto muito
próximos. 428) Define-se concorrência perfeita como sendo
(C) produtores com cadeias produtivas um modelo econômico com as seguintes
entrelaçadas. características, exceto o fato de que
(D) produtores localizados próximos a) há livre e fácil mobilidade de todos os
geograficamente. recursos produtivos.
(E) produção com tecnologia similar, intensiva b) cada agente econômico não consegue
em capital ou não. exercer influência perceptível sobre o preço.
BNDES, Cesgranrio, 2013. c) a inexistência de lucro econômico decorre,
entre outros fatores, do fato de os agentes
econômicos não gozarem de completo e
perfeito conhecimento das características de
426) Uma das características pertencente a uma
mercado, dado o tamanho que representa
estrutura de mercado de Concorrência Perfeita:
frente a um produtor individual.
(A) A curva de demanda da firma é a própria
d) há livre e fácil entrada e saída de empresas.
curva de demanda de mercado.
e) o produto é homogêneo.
(B) Para uma firma individual, os preços de seus
Ministério do Planejamento, FCC, 2006.
produtos são dados e constantes.
(C) Quando uma firma aumenta o preço, seus
clientes têm de pagar mais ou consumir CURVA DE OFERTA DA INDÚSTRIA
menos da mercadoria por ela ofertada, ou
comprar uma mercadoria similar de outra 429)
firma.
(D) As firmas fixam preços promovendo a Preço
manutenção de uma margem sobre os custos A
do
(mark up). Milho Oferta Inicial
(E) A firma estará em equilíbrio de produção de B
curto prazo quando seu custo variável médio C
for maior que seu preço.
FHEMIG, FCC, 2013.
D

Quantidade de milho

DSc Cursos Página 62


DSc Cursos

(C) diminua a quantidade que os compradores


A figura acima mostra a curva de oferta inicial de desejem comprar, desloca a curva da
milho, por parte do todos os produtores brasileiros. demanda para a esquerda.
Soja e milho são substitutos no lado da produção, e (D) diminua a quantidade que os vendedores
caso o preço da soja aumente 20%, os demais desejem produzir, desloca a curva da oferta
determinantes da oferta do milho permanecendo para a esquerda.
constantes, a curva de oferta de milho se deslocará (E) diminua a quantidade que os vendedores
para uma posição tal como desejem produzir, desloca a curva da
(A) AB demanda para a direita.
(B) AC Sensa Manaus, Cesgranrio, 2005.
(C) AD
(D) CB
(E) CD 432) Suponha que a curva de oferta de mercado
ANP, Cesgranrio, 2008. de determinado bem seja dada por
q = 0, quando 0 <p≤ 0,5
q = 2p–1, quando 0,5 p
430) No caso da produção de álcool e açúcar, a onde q é a quantidade ofertada e p é o preço do
partir da cana, um aumento do preço bem.
internacional do açúcar tende a A esse respeito, pode-se afirmar que o(a)
(A) diminuir a produção de açúcar. (A) preço de equilíbrio de mercado será p = 3 se
(B) diminuir a produção de álcool. a demanda de mercado for dada pela
(C) reduzir o lucro dos produtores de açúcar. equação q1 = 5 – p, onde q1é a quantidade
(D) reduzir as compras de cana por parte das demandada.
usinas. (B) quantidade ofertada também será 2 quando p
(E) aumentar os custos fixos dos produtores de = 2.
açúcar. (C) elasticidade da oferta em relação a preço
ANP, Cesgranrio, 2008. também será 2 quando p = 2.
(D) elasticidade da oferta em relação ao preço é
igual a 2, ao longo de toda a curva da oferta.
431) Analise as figuras I e II, abaixo. (E) elasticidade da oferta em relação ao preço
diminui se o preço aumentar.
I II Inea, Cesgranrio, 2008.
$ D D D2 $ S1 S S2
1

a b c d

Q Q EQUILIBRIO DO MERCADO
Onde: $ é o preço do bem, Q é a quantidade do
bem.
Considerando os Movimentos de Oferta e
Demanda, a um preço dado, o deslocamento c se
refere a:
(A) aumente a quantidade que os compradores
desejem comprar, desloca a curva da 433) Observe os Gráficos de Oferta e Demanda
demanda para a esquerda. de Casquinhas de Sorvete de Açaí, I, II e III,
(B) aumente a quantidade que os vendedores abaixo.
desejem produzir, desloca a curva da oferta
para a esquerda.

DSc Cursos Página 63


DSc Cursos

que se encontra na posição:


$ S (A) em equilíbrio.
a (B) com escassez de demanda.
I 2,00 (C) com excesso de oferta.
(D) com excesso de demanda.
(E) com escassez de demanda e oferta.
D Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005.

2 4 6 Q
$ 435) Em um mercado competitivo, surge a
escassez do bem, e os vendedores precisam
racionar o bem escasso entre o grande número
II 2,00 de compradores potenciais, quando o Governo
fixa um preço:
1,50 c
b (A) equilibrado e compulsório.
(B) máximo e compulsório.
2 4 6 Q (C) máximo e não compulsório.
(D) mínimo e compulsório.
(E) mínimo e não compulsório.
$ d e Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005.
2,50
III 2,00
436) Se o salário mínimo for fixado acima do
salário de equilíbrio,
(A) a quantidade demandada de mão-de-obra
2 4 6 Q será maior que a quantidade ofertada.
(B) a quantidade demandada de mão-de-obra
será igual à quantidade ofertada.
Representa(m) uma situação de equilíbrio entre (C) a quantidade demandada de mão-de-obra
oferta e demanda, o ponto: será menor que a quantidade ofertada.
(A) a, somente. (D) conseguirá emprego quem quiser trabalhar
(B) b, somente. ganhando um salário mínimo.
(C) c, somente. (E) só haverá a “taxa de desemprego natural”.
(D) d, somente. Ceal, FCC, 2005.
(E) e, somente.
Sensa Manaus, Cesgranrio, 2005. DESLOCAMENTO DA CURVA DE DEMANDA
E O EQUILÍBRIO

434) 437) A figura abaixo mostra a demanda (D) e a


$ oferta (S) de maçãs, bem como o preço e a
quantidade de equilíbrio do mercado (p* e q*,
respectivamente).

$ 1,5

4 6 8 10 12 Q

O gráfico acima representa uma curva de oferta e


demanda

DSc Cursos Página 64


DSc Cursos

Preço (A) a curva de demanda por maçãs se deslocará


das Maças A S para uma posição como AB.
(B) a curva de oferta de maçãs se deslocará para
uma posição como CD.
P* (C) as duas curvas, de demanda e de oferta de
maçãs, se deslocarão para posições como
AB e CD.
(D) o preço da maçã tenderá a diminuir.
D
B (E) não haverá alteração no mercado de maçãs.
q* Quantidade BNDES, Cesgranrio, 2008.
de Maças

439) O gráfico abaixo mostra as curvas de


demanda e de oferta pelo bem X, vendido em
Suponha que os consumidores considerem a pêra
um mercado competitivo. O ponto E representa
um bem substituto da maçã. Um aumento do preço
o equilíbrio inicial no mercado. Os
da pêra altera
consumidores consideram o bem X normal, e o
(A) o preço de equilíbrio no mercado de pêras,
bem Y como complementar a X.
apenas.
(B) o preço de equilíbrio no mercado de maçãs
para um valor maior que p*. Preço
de X Oferta
(C) a quantidade de equilíbrio no mercado de
maçãs, para um valor menor que q*. E
(D) a curva de oferta de maçãs, apenas. R$ 5,00
(E) a curva de demanda por maçãs para uma
posição como AB na figura.
Petrobrás, Cesgranrio, 2008. Demanda

50 unidades Quantidade
de X
438) O gráfico abaixo mostra, em linhas cheias,
as curvas da demanda e da oferta no mercado de
maçãs. Examinando o gráfico, se o preço de Y aumentar,
no novo equilíbrio de mercado de X, o (a)
(A) preço de X não se alterará.
Preço da (B) preço de X será maior que R$ 5,00.
maçã A Oferta
C (C) preço de X será menor que R$ 5,00.
(D) quantidade vendida de X será maior que 50
unidades.
(E) quantidade vendida de X não se alterará.
Petrobrás, Cesgranrio, 2012.

D Demanda B

Quantidade demanda DESLOCAMENTO DA CURVA DE OFERTA E


e ofertada de maçãs O EQUILÍBRIO

Considere que maçãs e pêras são bens substitutos


para os consumidores. Se o preço da pêra aumentar
e nenhum outro determinante da demanda e da
oferta de maçãs se alterar, pode-se afirmar que

DSc Cursos Página 65


DSc Cursos

440) 442) Em um determinado período, uma indústria


fabrica um produto e consegue vender todas as
Preço Oferta unidades produzidas. O custo total
da Soja correspondente (CT) é dado por CT = 10q
unidades monetárias, em que q é o número de
unidades produzidas e vendidas. A demanda
p0 para esse produto obedece a relação p =
−0,125q + 25, sendo p o preço unitário de venda
do produto em unidades monetárias. O valor do
lucro máximo total, nesse período, alcançado
pela indústria é, em unidades monetárias, igual
Demanda a
(A) 450.
q0 Quantidade (B) 650.
de Soja (C) 900.
(D) 1.050.
(E) 1.350.
O gráfico acima mostra as curvas de demanda e de DNOCS, FCC, 2010.
oferta no mercado competitivo de soja. Um
aumento do preço de fertilizantes agrícolas vai
provocar:
443) A respeito das equações de oferta Q = 100 +
(A) uma quantidade de equilíbrio final no
5P e de demanda Q = 500 - 15P, assinale a
mercado de soja superior à quantidade de
opção correta.
equilíbrio inicial q0 .
(A) O preço de equilíbrio é igual a 5 unidades
(B) um preço de equilíbrio final de soja inferior
monetárias.
ao preço de equilíbrio inicial p0.
(B) A quantidade de equilíbrio é igual a 100
(C) um deslocamento da curva de demanda por
unidades.
soja.
(C) No ponto de equilíbrio (P*, Q*), a demanda
(D) um deslocamento da curva de oferta de soja.
será elástica em relação ao preço.
(E) aumento na oferta de farelo de soja.
(D) A demanda será inelástica em relação ao
TCE/RO Cesgranrio, 2007.
preço no ponto de equilíbrio (P*, Q*).
(E) O preço de equilíbrio é igual a 15 unidades
EXEMPLOS monetárias.
TJ/RO, Cespe, 2012.
441) A demanda por um produto obedece a
relação p = −0,25q + 20, sendo p o preço
TRIBUTOS
unitário de venda do produto, em unidades
monetárias, e q o número de unidades
444) Em um mercado de concorrência perfeita, as
produzidas e vendidas. Considere que, em um
funções de demanda e oferta de um bem X são
determinado período, uma indústria fabrica este
respectivamente:
produto e consegue vender todas as unidades
Qdx = 1.600 − 40P
produzidas. O custo total (CT) correspondente,
Qox= −200 + 20P
em unidades monetárias, é dado por CT = 4q +
Estando o mercado em equilíbrio, se o governo
100. O lucro total máximo é atingido pela
impuser um imposto específico de R$ 3,00 por
indústria quando o número de unidades
unidade vendida, é correto afirmar que
produzidas e vendidas neste período for igual a
(A) o ônus do pagamento do imposto será
(A) 20.
repartido igualmente entre os produtores e
(B) 24.
os consumidores.
(C) 32.
(B) o preço de mercado, após a incidência do
(D) 48.
imposto, subirá 5%.
(E) 64.
(C) os produtores conseguirão repassar
Sergipegás, FCC, 2010.
integralmente o ônus do pagamento do
imposto aos consumidores.

DSc Cursos Página 66


DSc Cursos

(D) os produtores arcarão com a maior parcela QD = 1.200 − 5P


do ônus do pagamento do imposto. QO = − 240 + 3P
(E) o preço de mercado, após a incidência do onde:
imposto, deverá se elevar em menos de 2%. QD = quantidade demandada no mercado,
Metrô, FCC, 2008. em unidades do bem X.
QO = quantidade ofertada no mercado, em
unidades do bem X.
445) Em um mercado de concorrência perfeita, P = preço do bem X.
cujas funções demanda e oferta de um bem X 447) A quantidade transacionada nesse mercado
são dadas, respectivamente, por: no ponto de equilíbrio entre a oferta e a
QD = 700 − 4P demanda será, em unidades, igual a
QO = − 200 + 2P (A) 300.
A introdução de um imposto específico de 3 (B) 180.
unidades monetárias por unidade vendida (C) 250.
provocará, na nova posição de equilíbrio de (D) 350.
mercado, (E) 280.
(A) aumento do preço de equilíbrio em 3 Metrô, FCC, 2012.
unidades monetárias.
(B) arrecadação de 288 unidades monetárias. 448) A introdução, pelo Governo, de um imposto
(C) redução da produção de equilíbrio em 6 específico de oito unidades monetárias para
unidades. cada unidade vendida do bem X provocará, na
(D) ônus maior para os consumidores do que nova posição de equilíbrio de mercado,
para os produtores em relação ao pagamento (A) um aumento do preço de equilíbrio em três
do imposto. unidades monetárias.
(E) aumento tanto do preço de equilíbrio quanto (B) uma redução da produção de equilíbrio em
da quantidade de equilíbrio. dez unidades.
Metrô, FCC, 2010. (C) um ônus maior para os consumidores do que
para os produtores em relação ao pagamento
do imposto.
446) Se um imposto for colocado em um mercado (D) um aumento da quantidade de equilíbrio no
com demanda inelástica e oferta elástica com mercado e redução do preço do bem X.
relação aos preços, (E) uma arrecadação de 2.880 unidades
(A) a incidência do imposto será maior sobre os monetárias para o Governo.
vendedores. Metrô, FCC, 2012.
(B) a incidência do imposto será maior sobre os
consumidores.
(C) a incidência do imposto será dividida 449) O Gráfico abaixo representa o mercado do
identicamente entre os compradores e bem X no Brasil; (D) e (S) são,
vendedores. respectivamente, as curvas de demanda e de
(D) a incidência de impostos dependerá da oferta domésticas de X. O Brasil tem pequena
elasticidade renda. participação no mercado internacional desse
(E) haverá um aumento da quantidade bem, com influência desprezível no seu preço.
transacionada e aumento de preço do Esse preço se projeta no mercado brasileiro, e o
produto. segmento de reta 0A representa seu valor em
Ceal, FCC, 2005. reais. Ao preço 0A, o Brasil produz e exporta,
respectivamente, as quantidades AC e BC de X.

Instrução: Para responder às questões, considere as


informações abaixo.
As funções de demanda e oferta de um bem X, em
um mercado de concorrência perfeita, onde não há
tributação sobre as vendas, são dadas,
respectivamente, por:

DSc Cursos Página 67


DSc Cursos

Preço de X 451) Suponha um mercado de bens de luxo em


(S)
(Em R$) que a demanda é relativamente mais elástica
B C que a oferta. Caso o governo coloque um
A
imposto sobre o bem em questão, ocorrerá o
seguinte:
H
(A) a incidência jurídica do imposto determina
E
que o excedente do produtor diminuirá mais
F G
(D)
do que o excedente do consumidor e, por
esta razão, vale a pena tributar bens como
Quantidade de X bebidas alcoólicas de luxo.
(B) o peso-morto do imposto será mínimo.
(C) a incidência econômica do imposto será
igual para produtores e consumidores
Suponha que os produtores estrangeiros de X (D) a incidência econômica do imposto será
recebam um subsídio, e o preço internacional diferente entre produtores e consumidores e
diminua para OE. Examinando o gráfico, conclui-se o peso-morto do imposto será máximo.
que, devido ao subsídio, há um aumento do(a) (E) a incidência econômica do imposto será
(A) excedente dos consumidores brasileiros maior sobre os produtores.
correspondente à área de ABGE. Gestor de Economia, FCC, 1999.
(B) excedente total dos consumidores e
produtores brasileiros correspondente à área QUESTÕES DE REVISÃO
de FGH.
(C) excedente dos produtores brasileiros 452) Em um mercado de concorrência perfeita,
correspondente à área de FGH. (A) se a renda dos consumidores aumenta,
(D) exportação brasileira do bem X dependendo do tipo do bem, é possível que
correspondente ao segmento FG. a curva de demanda se desloque para a
(E) produção brasileira do bem X direita ou para a esquerda de sua posição
correspondente ao segmento BC. original.
BNDES, Cesgranrio, 2013. (B) a instituição de um imposto sobre vendas
implicará aumento do preço de mercado
exatamente igual ao valor do imposto,
450) Supondo um mercado perfeitamente qualquer que seja a elasticidade-preço da
competitivo, pode-se afirmar que uma política demanda.
de (C) há um grande número de pequenos
(A) preços máximos gera transferência de parte compradores e um pequeno número de
do excedente do produtor para o governo. grandes vendedores.
(B) tarifas protecionistas gera peso-morto e (D) a firma maximizará seus lucros quando seu
diminuição do excedente do produtor preço for igual ao seu custo médio de
associada ao aumento do excedente do produção.
consumidor. (E) os custos fixos da firma são uma variável
(C) quotas gera menos distorções e peso-morto fundamental para ela decidir qual será a
do que a simples transferência direta de quantidade ótima que deve produzir para
receita tributária para os produtores vender no mercado.
domésticos. TCE/PR, FCC, 2011.
(D) preço mínimo sustentado gera transferências
de parte do excedente dos consumidores
para os produtores.
(E) preços máximos ou mínimos gera peso-
morto que será, em parte, transferido para os
produtores.
Gestor de Economia, FCC, 1999.

DSc Cursos Página 68


DSc Cursos

Julgue os itens a seguir, referentes à demanda, (E) Se determinado mercado é formado por um
oferta e produção. grande número de compradores e
453) A relação indireta entre o preço de um bem vendedores que não podem influenciar
de consumo e o desejo de produzi-lo é individualmente os preços, esse mercado é
verificada na curva de oferta. Isso decorre do considerado perfeito.
fato de que, ceteris paribus, um aumento no Certificação BB, Cespe, 2009.
preço de mercado do referido bem tende a
aumentar a lucratividade das empresas,
estimulando-as a elevar a produção desse bem. O modelo básico da oferta e da demanda é utilizado
454) O conceito de estagflação combina produto para analisar os mais variados problemas
declinante e preços crescentes, podendo ela econômicos. Com base nesse modelo, julgue os
originar-se dos efeitos oriundos de um choque itens seguintes.
de oferta adverso com aumento dos custos e dos 459) No Brasil, a política de fixação de preços
preços, mas com a demanda agregada mínimos para determinados produtos agrícolas
mantendo-se constante. provoca excesso de demanda, permitindo,
455) O teorema de Euler afirma que, se a função assim, o escoamento da produção dessas
de produção possuir retornos constantes de mercadorias.
escala e se cada fator de produção receber o seu 460) Se a demanda por serviços bancários for
produto marginal, então, a soma dos inelástica, a informatização crescente desse
pagamentos dos fatores corresponderá ao setor conduzirá à redução do emprego dos
produto total. bancários.
456) A demanda do consumidor é definida como 461) A elasticidade-preço de longo prazo da
a quantidade de bens e serviços que o curva de oferta, para determinado bem, é
consumidor está disposto a adquirir em superior à elasticidade de curto prazo, porque,
determinado período de tempo. A demanda no longo prazo, os fatores de produção podem
representa o desejo de comprar um bem, e não a ser ajustados.
sua efetiva realização. 462) No Brasil, a redução do preço do petróleo e
457) A elasticidade-renda da demanda mede a a recente valorização do real frente ao dólar
variação percentual da renda em relação à deslocam a curva de oferta de gasolina para
variação percentual da quantidade demandada. cima e para a esquerda.
E, se os bens são normais, a demanda aumenta 463) O crescimento da indústria turística no
diante de um aumento na renda, mas, se os bens Nordeste brasileiro explica-se, em parte, pelas
são inferiores, é esperado que a demanda elevadas elasticidades-renda que caracterizam
diminua quando a renda aumenta. esses serviços.
Correios, Cespe, 2011. Senado, Cespe, 2002.

458) Com base nos conceitos de oferta, demanda A análise da oferta e da demanda é tópico relevante
e renda, assinale a opção correta. para o estudo dos fenômenos econômicos. A esse
(A) Saber a quantidade demandada de respeito, julgue os itens a seguir.
determinado bem é suficiente para se definir 464) A recente crise de energia na Argentina, por
a sua demanda. aumentar o preço de insumos básicos para a
(B) O fato de que os aumentos recentes no preço indústria, gera um deslocamento ao longo da
do álcool conduzam à elevação da demanda curva de oferta do setor manufatureiro,
de gasolina ilustra o efeito substituição na elevando, assim, o preço da produção industrial
demanda. naquele país.
(C) Para que o efeito renda ocorra, é 465) Supondo-se que a criação do crédito
indispensável que haja variações, positivas consignado — com desconto em folha — para a
ou negativas, na renda nominal dos habitação resulte em taxas de juros mais baixas,
consumidores. reduzindo, assim, o custo do financiamento dos
(D) O surgimento de nova tecnologia provoca o imóveis, essa medida deslocará para cima e para
deslocamento da curva de produção para a a direita a curva de demanda de moradias.
esquerda.

DSc Cursos Página 69


DSc Cursos

466) Se as recentes medidas tomadas para atenuar 469) Supondo-se as elasticidades da oferta e da
o chamado apagão aéreo restringirem a procura demanda finitas, quando o preço da gasolina
por esse tipo de transporte e aumentarem a cai, a demanda de óleo de motor aumenta e isso
quantidade demandada de viagens rodoviárias, provoca, ceteris paribus, uma alta no preço do
isso representará um deslocamento ao longo da óleo de motor, se esse produto for um bem
curva de demanda por transporte rodoviário, normal.
devido ao fato de esses meios de transporte 470) A preocupação recente com a boa forma
serem bens substitutos. física multiplica o número de academias de
467) Se a queda dos preços de TVs de plasma e ginástica, contribuindo, assim, para deslocar a
LCD aumentar o faturamento com as vendas demanda de equipamentos de musculação para
desses produtos, então é correto afirmar que a baixo e para a esquerda.
demanda é inelástica em relação ao preço. 471) Se a demanda de produtos agrícolas for
Prefeitura de Rio Branco, Cespe, 2007. perfeitamente inelástica em relação ao preço,
então, uma supersafra agrícola aumentará,
substancialmente, a renda dos agricultores.
468) A análise microeconômica estuda o 472) O desenvolvimento de inseticidas mais
comportamento individual dos agentes eficazes para combater gafanhotos que ataquem
econômicos e, por essa razão, constitui um as lavouras de milho desloca a curva de oferta
fundamento sólido à análise dos grandes desse produto, para baixo e para a direita,
agregados econômicos. A esse respeito, assinale aumentando, assim, a oferta desse produto.
a opção correta. 473) A implementação de uma política de
(A) A queda substancial do preço dos controle de aluguéis contribui para aumentar a
computadores, concomitantemente ao demanda e a quantidade disponível de imóveis
aumento da produção desses bens, é para alugar
compatível com a existência, nesse Petrobrás, Cespe, 2001.
mercado, de uma curva de oferta, de curto
prazo, positivamente inclinada.
(B) Nos casos em que a elasticidade-preço da 474) A análise das interações entre vendedores e
demanda de um bem for igual a -1, a compradores em uma economia de mercado é
duplicação do preço desse produto duplicará parte do cerne do estudo dos fenômenos
também o gasto total com esse produto. econômicos. A esse respeito, assinale a opção
(C) No equilíbrio do consumidor, o benefício correta.
marginal derivado do consumo de um (A) O aumento das restrições às importações de
determinado bem deve ser superior ao custo artigos de vestuário provenientes da China
marginal de aquisição dessa mercadoria. desloca a curva de demanda pelos similares
(D) Quando a taxa marginal de substituição nacionais para cima e para a direita.
entre dois bens quaisquer é decrescente, as (B) O aumento do preço do gás decorrente da
curvas de indiferença são côncavas em crise com a Bolívia contribui,
relação à origem. inequivocamente, para reduzir a
(E) O fato de os cientistas descobrirem que elasticidade-preço da demanda por esse
tomar um copo de vinho tinto, diariamente, produto no mercado brasileiro.
reduz a probabilidade de se contrair doenças (C) A redução substancial dos preços de TVs de
cardíacas desloca a curva de oferta de vinho plasma e LCD, observada recentemente,
tinto, para baixo e para a direita. concomitantemente com a expansão da
CHESF, Cespe, 2002. produção desses bens, conflita com a
existência de uma curva de oferta de curto
prazo positivamente inclinada.
A teoria da oferta e demanda, que estuda as (D) Considerando-se que o petróleo é um
interações entre vendedores e compradores em uma recurso não renovável, é razoável supor que
economia de mercado, constitui o cerne do estudo a elasticidade-preço da oferta desse mineral
dos fenômenos econômicos. Utilizando os conceitos é bastante elevada, tanto no longo como no
essenciais dessa teoria, julgue os itens abaixo. curto prazo.
UEPA, Cespe, 2008.

DSc Cursos Página 70


DSc Cursos

(C) A imposição de restrições às importações de


produtos chineses, no Brasil, aumenta a
Recentemente, o Banco da Amazônia S.A. oferta doméstica e, portanto, contribui para
disponibilizou, para atender produtores vítimas de reduzir o preço desses produtos.
enchentes e calamidades públicas na região Norte, (D) Quando uma firma aumenta o preço de seu
linhas de crédito especiais para investimento e(ou) produto e constata que a sua receita total
custeio no valor de R$ 350 milhões. A partir dessa aumentou, deve-se confrontar com uma
informação, curva de demanda inelástica.
julgue os itens que se seguem, à luz da FCPTN, Cespe, 2007.
microeconomia dos mercados.
475) Um dos efeitos das enchentes e consequente
queda da produção agrícola é a diminuição do 481) A análise da oferta e demanda, que estuda as
custo total e do custo marginal. interações entre vendedores e compradores em
476) Mantido o nível de capital, a produtividade uma economia de mercado, constitui o cerne do
marginal do trabalho será máxima quando a estudo dos fenômenos econômicos. A esse
produção agrícola, que sofreu redução com as respeito, assinale a opção correta.
enchentes, deixar de cair a taxas crescentes e (A) A queda recente do preço das ações, no
passar a cair a taxas decrescentes. mercado acionário brasileiro, constitui
477) Esse mecanismo de crédito fará a curva de redução da riqueza nacional e, portanto,
demanda por bens inferiores deslocar-se para provoca deslocamento ao longo da curva de
baixo e para a esquerda. demanda para as mercadorias transacionadas
478) É correto afirmar que as enchentes ocorridas no Brasil.
na cidade de Manaus provocaram, no início, (B) Aumentos do número de produtores que
redução das quantidades dos bens da economia atuam no mercado de carne de avestruz
da cidade e aumento dos seus preços de deslocam a curva de oferta desse produto
equilíbrio. para cima e para a esquerda e conduzem à
479) Considere que, na região, haja processos expansão da quantidade ofertada desse tipo
produtivos crescentes de escala e que os de carne.
créditos disponibilizados pelo Banco da (C) Considerando que as pessoas consomem
Amazônia tenham sido totalmente aplicados em cerveja com petiscos, um aumento no preço
capital e trabalho. Nessa situação, essa política da cerveja reduzirá o preço dos petiscos, se,
tenderá a separar as isoquantas, que se afastarão nesses mercados, tanto as curvas de oferta
cada vez mais umas das outras à medida que os como as curvas de demanda apresentarem
recursos forem aplicados nas atividades elasticidades finitas e não nulas.
econômicas. (D) Nas últimas décadas, o aumento
BASA, Cespe, 2012. significativo do consumo de aves,
decorrente da substituição de carne
vermelha por carne branca, em virtude da
480) A análise das interações entre vendedores e procura por alimentos mais saudáveis,
compradores em uma economia de mercado concomitantemente à redução do preço
constitui o cerne do estudo dos fenômenos desse tipo de carne, não é consistente com o
econômicos. A esse respeito, assinale a opção fato de a curva de demanda por esse produto
correta. ser negativamente inclinada.
(A) A expansão das viagens ecológicas contribui (E) A crise no Oriente Médio, ao provocar
para desenvolver o turismo na Amazônia e, aumentos significativos no preço do
portanto, desloca a curva de demanda por petróleo, elevará a receita total da indústria
esse serviço para baixo e para a esquerda. petrolífera se a demanda por esse bem for
(B) Em empresas que utilizam intensivamente a altamente elástica.
mão-de-obra, o aumento do salário mínimo EGPA, Cespe, 2005
eleva os custos marginais e, portanto,
provoca um deslocamento ao longo da curva
de oferta dessas empresas.

DSc Cursos Página 71


DSc Cursos

482) A análise da oferta e da demanda, que 485) Na ausência de regulamentação, o uso


estuda as interações entre vendedores e privado de águas subterrâneas, tais como poços
compradores em uma economia de mercado, artesianos, vertentes e fontes, sobreestima o
constitui o cerne do estudo dos fenômenos consumo socialmente ótimo e, portanto, não
econômicos. A esse respeito, assinale a opção conduz a uma solução eficiente no sentido de
correta. Pareto.
(A) O uso de técnicas de produção em massa, ao 486) A redução no número de fumantes, devido à
reduzir a quantidade de trabalho necessária à relação existente entre doenças pulmonares e o
produção de jogos de computador, provoca uso continuado de nicotina, para uma dada
aumento da quantidade produzida, que se curva de oferta de cigarros, é compatível com a
reflete em deslocamento ao longo da curva existência de preços substancialmente mais
de oferta desse tipo de software. elevados para esses produtos.
(B) Estudos e pesquisas que sugerem que o ANA, Cespe, 2006.
consumo de nozes reduz as taxas de
colesterol contribuem para aumentar a
demanda e reduzir o preço desse produto. A teoria do consumidor permite a análise do
(C) Se, em razão de aumento da renda dos comportamento individual desse agente econômico
consumidores, a demanda pelos produtos da e, por essa razão, constitui sólido fundamento à
cesta básica for reduzida, então a macroeconomia. A esse respeito, julgue os itens
elasticidade-renda desses produtos é seguintes.
negativa, caracterizando os como bens 487) Se determinado consumidor considera que
inferiores. dois refrigerantes de marcas diferentes têm
(D) A crise recente no controle do espaço aéreo exatamente o mesmo gosto, então, para esse
brasileiro — o chamado apagão aéreo —, ao consumidor, a taxa marginal de substituição
aumentar a procura por viagens rodoviárias entre esses dois refrigerantes é constante.
e reduzir a demanda por passagens aéreas, 488) Considere que um estudante disponha de R$
estabelece uma relação de 100,00 para gastar mensalmente com entradas
complementaridade entre esses dois tipos de de cinemas (C) e com a compra de CDs (CD).
transporte. Considere, ainda, que o ingresso de cinema
Polícia Civil/PA, Cespe, 2007. custe R$ 10,00 e o preço do CD seja de R$
30,00. Em relação a essa situação hipotética, se
a taxa marginal de substituição entre os
referidos bens for igual a , então a escolha ótima
desse consumidor requer que ele vá 3 vezes ao
cinema e compre 1 CD.
A análise da oferta e da demanda e as interações 489) Viagens de ônibus entre o Sudeste e o
entre o governo e os mercados privados são tópicos Nordeste do Brasil, que constituem um exemplo
relevantes para o estudo dos fenômenos típico de bem inferior, apresentam curva de
econômicos. A esse respeito, julgue os itens a Engel positivamente inclinada. Acerca do
seguir. comportamento das firmas que atuam em
483) A elevação dos custos dos tratamentos ambiente competitivo, julgue os itens
médicos, decorrente dos avanços tecnológicos subseqüentes.
nessa área, desloca a curva de oferta desses 490) No curto prazo, as firmas que atuam nesses
serviços para cima e para a esquerda e, por isso, mercados podem operar com perdas, desde que
explica, em parte, os aumentos substanciais dos a receita marginal seja suficiente para cobrir o
preços desses serviços nos últimos anos. custo variável médio.
484) O uso de hidrômetros eletrônicos, que 491) No equilíbrio de longo prazo, como as
aumenta a precisão da mensuração do consumo firmas auferem lucro zero, uma redução do
de água, por reduzir as perdas, provoca um preço de mercado, provocada por contração da
deslocamento ao longo da curva de demanda de demanda, levará todas as empresas a saírem do
água, expandindo, assim, a quantidade negócio.
demandada. 492) A sindicalização dos trabalhadores que
trabalham na produção de hortaliças faz que a

DSc Cursos Página 72


DSc Cursos

curva de oferta de longo prazo nesse setor seja e) independente dos valores do modelo, se o
positivamente inclinada. preço for maior do que o dado pelo
Prefeitura de Rio Branco, Cespe, 2007. equilíbrio, esse jamais retornará ao
equilíbrio.
MODELOS DINÂMICOS Ministério do Planejamento, FCC, 2006.

493) Considere o seguinte modelo 495) Considere as seguintes curvas de demanda e


Qd = a - b.P; a > 0 de oferta:
Qs = - c +d.P; c > 0 Qd = 10 – 5P
dp/dt = α.(Qd - Qs); α > 0 Qs = -5 + 8P
onde Onde:
Qd = quantidade demandada; Qd = quantidade demandada;
Qs = quantidade ofertada; Qs = quantidade ofertada; e
P = preço do bem; P = preço.
dp/dt = variação de P dada uma variação em Considere ainda que a dinâmica do preço é dada
te pela seguinte equação:
t = tempo. dP/dt = α.(Qd – Qs);
Pode ser considerado como condição para que o Onde:
preço tenda para o seu nível de equilíbrio na medida t = tempo; dP/dt como sendo a derivada do
em que o tempo passa preço em relação ao tempo (ou, em outras
a) b + d > 0. palavras, qual o padrão de variação dos
b) b < 0 e d < 0. preços ao longo do tempo) e α uma
c) b + d < 0. constante positiva.
d) b + d < -1. Com base nessas informações, é incorreto afirmar
e) b + d < 0. que
MPU, Esaf, 2004. a) a trajetória dos preços pode ser descrita a
partir da seguinte função: P(t) = [P(0) –
15/13].e-α.(13).t + 15/13, onde P(0) é o preço
494) Considere o seguinte modelo de demanda e inicial.
de oferta: b) se P = 15, em sua trajetória ao longo do
Qtd = a – b.Pt tempo o preço se afastará cada vez mais do
Qts = -c + d.Pt-1 equilíbrio.
Qtd = Qts c) o equilíbrio pode ser denominado como
Onde: dinamicamente estável.
Qtd = quantidade demandada; d) se P > 2, então ao longo do tempo o preço
Qts = quantidade ofertada; irá convergir para o equilíbrio.
Pt = preço no período t; e) o preço de equilíbrio será 15/13.
Pt-1 = preço no período t-1; Ministério do Planejamento, FCC, 2006.
a, b, c e d constantes maiores do que zero.
Com base nesse modelo, é correto afirmar que MONOPÓLIO
a) a trajetória do preço pode ser apresentada
pela expressão: Pt = (Po – Pe).(-d)t - Pe, 496) Podem ser considerados como pressupostos
onde Po = preço inicial; Pe = preço de básicos de um modelo de monopólio, exceto o
equilíbrio; A = constante que depende da fato de
inclinação das duas curvas. a) não ser possível o acesso de concorrentes no
b) o preço de equilíbrio será b/d. suprimento do produto.
c) a trajetória do preço dependerá dos valores b) o monopolista não maximizar o lucro tendo
de b e d. em vista o seu poder de manipulação de
d) dado que o valor dos parâmetros a, b, c e d preços no mercado.
são todos positivos, a trajetória de Pt será c) o monopolista possuir perfeito
sempre explosiva. conhecimento da curva de custos.

DSc Cursos Página 73


DSc Cursos

d) o monopolista possuir perfeito 500) A empresa monopolista, para maximizar seu


conhecimento da curva de procura do lucro, produz uma quantidade tal que
mercado. (A) maximiza a receita total.
e) o monopolista desejar maximizar lucro. (B) maximiza a diferença entre o preço e o custo
MPU, Esaf, 2004. médio de produção.
(C) maximiza o preço que cobra.
(D) minimiza o custo médio.
497) Assinale a opção a seguir que representa a (E) equaliza a receita marginal e o custo
relação entre custo marginal, receita marginal e marginal de produção.
preços de uma firma que opera como BNDES, Cesgranrio, 2008.
monopolista.
a) A firma obtém o máximo de lucro quando a
receita marginal é igual ao preço. 501) Um monopolista vende um produto visando
b) A firma obtém o máximo de lucro quando o a maximizar seu lucro. Com esse objetivo, ele
custo marginal é igual ao preço. deve produzir uma quantidade tal que o custo
c) A firma obtém o máximo de lucro quando o marginal seja igual à(ao)
custo marginal é igual à receita marginal. (A) receita total
d) A receita marginal é igual ao preço, pois a (B) receita marginal
firma toma preços como dados. (C) quantidade demandada
e) A receita marginal é igual ao custo (D) preço de venda
marginal, não importando a quantidade (E) custo médio mínimo
produzida. EPE, Cesgranrio, 2012.
STN, 2012, Esaf

502) Em relação a um mercado monopolista, é


498) Uma empresa monopolista escolhe uma correto afirmar que
produção tal que o(a): (A) o monopolista consegue vender quanto
(A) preço seja menor que o custo marginal. quiser de seu produto independentemente do
(B) preço seja o maior possível. preço que esteja praticando.
(C) preço seja igual ao custo marginal. (B) quanto mais elástica a curva de demanda
(D) preço seja igual à receita marginal. pelo produto de um monopolista, maior é o
(E) receita marginal seja igual ao custo seu poder de monopólio no mercado.
marginal. (C) o monopolista tenta produzir uma
Refap, Cesgranrio, 2007. quantidade maior do que a que seria
produzida em condições de concorrência
perfeita, em virtude de sua posição de único
499) Uma empresa atuando num certo mercado é vendedor.
monopolista. A esse respeito, marque a (D) o lucro máximo da empresa monopolista é
afirmação correta. alcançado quando o custo marginal da
(A) A empresa, ao maximizar seu lucro, última unidade produzida iguale a receita
equalizará a receita marginal com o custo marginal de sua venda.
marginal. (E) o monopolista obtém lucro máximo quando
(B) A empresa vai estabelecer um nível de preço iguala o seu custo marginal ao preço de
tal que o preço seja igual ao custo marginal. demanda pelo seu produto.
(C) A curva de oferta por parte da empresa é Sergipegás, FCC, 2010.
elástica.
(D) O preço praticado pela empresa será inferior
ao custo marginal. 503) Considere o caso de monopólio da Teoria de
(E) O preço cobrado pela empresa será o mais Mercados. Dentre as possibilidades descritas
alto possível. abaixo, qual reflete adequadamente o
TCE/RO Cesgranrio, 2007. comportamento da empresa monopolista?

DSc Cursos Página 74


DSc Cursos

(A) Fazer uma escolha de produção 507) No monopólio,


maximizadora de lucro na região onde a (A) o monopolista pode vender quanto quiser,
demanda é elástica. independentemente do preço de seu produto.
(B) Nunca escolher um nível de preço igual ao (B) a receita marginal do monopolista é sempre
seu custo marginal. superior ao preço do produto por ele
(C) Ter um markup maior quanto mais elástica vendido.
for a curva de demanda. (C) o monopolista pode auferir lucros
(D) Ter um custo marginal maior do que o extraordinários, mesmo no longo prazo.
markup multiplicado pelo custo marginal. (D) o preço de mercado é inferior ao que
(E) Escolher um nível de produção ótimo e, prevaleceria num mercado de concorrência
assim, nunca ter prejuízo. perfeita.
Chesf, Cesgranrio, 2012. (E) a instituição de um imposto sobre vendas
não diminui o lucro do monopolista.
Ministério da Saúde, FCC, 2007.
504) Em monopólio, a maximização de lucro
nunca será obtida quando a curva de demanda
for: 508) Sejam os conceitos de demanda, receita total
(A) elástica. e receita marginal, fundamentais para o
(B) inelástica. entendimento do equilíbrio de mercado em um
(C) normal. regime de monopólio. Considerando tais
(D) superelástica. conceitos, é incorreto afirmar que
(E) zero. a) quando a receita marginal é igual a zero, a
Ministério Público/RO, Cesgranrio, 2005. receita total é máxima.
b) se a curva de demanda é negativamente
inclinada, a curva e a receita marginal
505) Em um mercado monopolista, a diferença também será.
entre o preço de equilíbrio e o custo marginal do c) a diferença entre a receita marginal e o
único produtor aumenta quando o valor, em preço dependerá da elasticidade preço da
módulo, demanda.
(A) da elasticidade-cruzada da demanda d) se a curva de demanda é negativamente
aumentar. inclinada, a receita total atingirá um máximo
(B) da elasticidade-preço da demanda aumentar. quando a diferença entre as curvas de
(C) da elasticidade-cruzada da demanda demanda e de receita marginal for zero.
diminuir. e) se a curva de demanda é negativamente
(D) da elasticidade-preço da demanda diminuir. inclinada, a receita marginal será menor do
(E) do grau de monopólio diminuir. que o preço em todos os preços relevantes.
Infraero, FCC, 2009. Ministério do Planejamento, FCC, 2006.

506) Em monopólio, a curva da oferta 509) Quando uma empresa monopolista


(A) não existe. maximiza seu lucro,
(B) é dada pela curva do custo marginal, acima (A) o preço de mercado é inferior ao custo
do custo fixo médio. marginal de produção.
(C) é dada pela curva do custo marginal, acima (B) a receita média da empresa é inferior ao
do custo variável médio. custo marginal de produção.
(D) é dada pela curva do custo variável médio. (C) o preço de mercado é superior ao custo
(E) é dada pela curva da receita marginal. marginal de produção.
Prefeitura de Santos, FCC, 2005. (D) a receita média da empresa é igual à receita
marginal.
(E) o preço de mercado é igual ao custo
marginal de Produção
ARCE, FCC, 2006.

DSc Cursos Página 75


DSc Cursos

510) Algumas empresas conseguem formar um Preço A


cartel bem sucedido, aumentando de
X
substancialmente seus lucros. Neste caso, o(a)
(A) preço cobrado é igual ao custo médio M
mínimo. PM
(B) preço cobrado é o dobro do custo médio.
(C) preço cobrado é maior que o custo marginal.
(D) receita total é igual ao custo marginal. 45o
(E) quantidade produzida é maior do que no QM B
caso de haver competição. Quantidade
ANP, Cesgranrio, 2008. de X

Supondo que o monopolista maximize seu lucro,


511) O mercado no qual só há um pequeno pode-se concluir que
número de grandes compradores e grande (A) cobrará um preço menor que pM, se o custo
número de pequenos vendedores denomina-se marginal for positivo.
(A) monopólio. (B) cobrará o maior preço possível (OA, na
(B) monopsônio. figura).
(C) oligopólio. (C) a reta tracejada A QM é a curva da receita
(D) oligopsônio. marginal em função da quantidade vendida.
(E) concorrência perfeita. (D) a receita marginal é negativa na quantidade
Prefeitura de Santos, FCC, 2005. escolhida pelo monopolista.
(E) a produção do monopolista será OB na
figura, se o custo marginal for nulo.
512) O efeito marginal nas receitas (r) do Petrobrás, Cesgranrio, 2008.
monopolista de se alterar a produção em Δy,
sendo y a quantidade produzida, c, os custos de
produção e p, o preço do produto ofertado pelo 514) O gráfico abaixo mostra a curva de demanda
monopolista , será dado por: D pelo bem X e a curva de receita marginal
(A) Δr/Δy = p – (Δp/Δy).y RMg. O bem X é produzido por uma única
(B) Δr/Δy = p + (Δp/Δy).y empresa monopolista maximizadora de lucros.
(C) Δr/Δy = Δc/Δy
(D) Δr/Δy = Δp/Δy Preço
(E) 0 de X
Transpetro, Cesgranrio, 2006.

513) Só há uma empresa produzindo e vendendo


o produto X. É, portanto, um monopólio, e a D
curva de demanda por X é representada pela
reta AB na figura abaixo, onde M é o ponto q1 q2 Quantidade
médio do segmento AB. de X
RMg

Considerando o gráfico e supondo o custo marginal


positivo, a empresa produzirá
(A) menos que q1
(B) q1
(C) entre q1 e q2
(D) q2
(E) mais do que q2
Transpetro, Cesgranrio, 2011.

DSc Cursos Página 76


DSc Cursos

(A) Q > qA
(B) Q < qA
515) Na figura abaixo, AB é a curva de demanda (C) Q = q
de mercado por determinado bem X, o qual é (D) qA < Q < q
produzido por uma única empresa monopolista. (E) Q > q
As linhas AC e DE são, respectivamente, as Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2010.
curvas de receita marginal e de custo marginal
de produção.
517) A Figura abaixo mostra a curva de demanda
Preço pelo bem X (segmento de reta tracejado). Esse
de A bem é produzido e vendido monopolisticamente
X por certa empresa maximizadora de lucros, cujo
E custo marginal é constante e positivo.
P1
P2
Preço de X
P3 (em R$ por unidade)

D
6,00

C B Quantidade
de X
Demanda por X

Para maximizar seu lucro, o monopolista vai cobrar


o preço
(A) P1
6
(B) P2 Quantidade de X
(em unidades por mês)
(C) P3
(D) (P1 + P2) / 2
(E) (P1 + P3) / 2 Nessa situação, conclui-se que o(a)
Inea, Cesgranrio, 2008. (A) preço de X é menor que R$ 3,00 por
unidade.
(B) lucro do monopolista é R$ 9,00 por mês.
(C) lucro do monopolista é nulo.
516) O gráfico abaixo mostra uma curva de (D) receita total do monopolista é menor que R$
demanda linear (D), uma curva de oferta (S) 9,00 por mês.
num mercado competitivo e a quantidade de (E) quantidade produzida de X é maior que 3
equilíbrio q. No ponto A, a elasticidade-preço unidades por mês.
da demanda é igual a −1 e a quantidade BNDES, Cesgranrio, 2013.
demandada é qA.

Preço D 518) A demanda do bem X é dada pela reta QD =


do 1000 − 4P. É correto afirmar que
Produto (A) se o mercado for de concorrência perfeita e
A a curva de oferta, representada pela reta QO
S
= −200 + 6P, a instituição de um imposto
específico de R$ 2,00 por unidade vendida
fará com que o preço de mercado se eleve
em R$ 0,80.
(B) se o mercado for dominado por um
qA q monopolista cuja equação de custo total seja
Quantidade
do Produto dada por CT = 200 + 50Q + Q2, onde CT =
custo total e Q = quantidade, o preço que
Se os produtores formassem uma única empresa maximizará o lucro do monopolista é 125.
que se comportasse como um monopólio,
produzindo Q, ter-se-ia.
DSc Cursos Página 77
DSc Cursos

(C) se a oferta for totalmente inelástica no valor (A) 150,00


de 800 unidades, o preço de equilíbrio desse (B) 160,00
mercado será 5. (C) 170,00
(D) a elasticidade-preço da demanda é variável (D) 180,00
ao longo da reta. (E) 190,00
(E) X é um bem inferior. Prefeitura de Santos, FCC, 2005.
Sergipegás, FCC, 2010.

521) Uma empresa é capaz de produzir numa


519) Foram estimadas as seguintes funções para o quantidade mensal y de seu único produto a um
bem X: custo total mínimo dado pela expressão C( y) =
Demanda de Mercado: QD = 20.000 – 100 P y2 na qual C( y) é o custo de produção em R$/
Oferta de Mercado: QS = 5.000 + 50 P mês. Nessas condições, pode-se afirmar que:
Onde a) caso a empresa seja tomadora de preço e o
QD é a quantidade demandada do bem X, preço de seu produto seja de R$ 10,00 por
QS é a quantidade ofertada do bem X, e unidade, ela deverá produzir 5 unidades
P é o preço do bem X. mensais.
É correto afirmar que, se o b) caso a empresa seja tomadora de preço e o
(A) governo adotar um imposto de 10 unidades preço de seu produto seja de R$ 10,00 por
monetárias sobre cada unidade unidade, seu lucro será de R$ 20,00
comercializada do bem X e se este mercado mensais.
funcionar em Concorrência Perfeita, o preço c) caso se trate de uma empresa monopolista e
de equilíbrio de mercado será de 110 a função de demanda de seu produto seja
unidades monetárias. dada pela expressão q = 20 – p , na qual q é
(B) mercado do bem X funcionar em a quantidade demandada em unidades ao
Concorrência Perfeita, no equilíbrio, a mês e p o preço do produto em R$ por
elasticidade-preço da demanda será inferior unidades, então a empresa deverá produzir
à unidade. 2,5 unidades ao mês.
(C) mercado do bem X funcionar em d) caso se trate de uma empresa monopolista e
Concorrência Perfeita, no equilíbrio, a a função de demanda de seu produto seja
elasticidade-preço da oferta será superior à dada pela expressão q = 20 – p , na qual q é
unidade. a quantidade demandada em unidades ao
(D) mercado do bem X funcionar em mês e p é o preço do produto em R$ por
Monopólio, a quantidade de equilíbrio de unidades, então a empresa deverá obter um
mercado será de 10.000 unidades. lucro de R$ 20,00 mensais.
(E) mercado do bem X funcionar em e) a função de custo dessa empresa é tal que
Monopólio, o preço de equilíbrio de não há nível de produção que maximize seu
mercado será de 120 unidades monetárias. lucro caso ela seja uma empresa tomadora
Copergás, FCC, 2011. de preços.
STN, Esaf, 2008.

520) A função demanda inversa para um livro-


texto de Economia muito famoso é:
P = 200 - 0,02Q 522) A função custo total (CT) de uma empresa
onde: monopolista é dada pela função:
Q = quantidade demandada e CT = 4q2 − 3q + 100
P = preço do livro onde q = quantidade produzida.
A editora precisa pagar R$ 60,00 ao autor como A demanda pelo produto dessa empresa é dada pela
direitos autorais por cada unidade vendida e R$ função:
40,00 por livro como custos de impressão e p = 217 – q
distribuição. O preço pelo qual a editora deve onde p = preço de mercado do produto.
colocar o livro no mercado para que seu lucro seja A quantidade produzida que maximiza o lucro do
máximo será (em R$) monopolista é

DSc Cursos Página 78


DSc Cursos

(A) 20 (D) o referido monopolista produzirá 50


(B) 21 unidades.
(C) 22 (E) o preço cobrado pelo monopolista será igual
(D) 23 a 2.500 unidades monetárias.
(E) 24 Estado do Espírito Santo, Cespe, 2013.
TRT, FCC, 2006.

526) Seja uma firma com custos marginais


523) Uma empresa monopolista tem a seguinte constantes operando em monopólio. A
função de custos de produção (CT), onde q é a imposição de um imposto sobre a quantidade
quantidade produzida: vendida faz com que o preço de mercado desta
CT = 20.000 + 100 q + 10 q2 firma:
A função demanda do produto ofertado por esse (A) diminua.
monopolista é dada pela função: (B) se eleve em duas vezes o valor do imposto
P (preço) = 4.000 − 20 q cobrado.
A quantidade produzida que maximiza o lucro (C) se eleve na metade do valor do imposto
desse monopolista, em unidades, é igual a cobrado.
(A) 390. (D) se eleve na mesma magnitude do imposto
(B) 50. cobrado.
(C) 65. (E) não se modifique.
(D) 100. Petrobrás, Cesgranrio, 2005.
(E) 130
Metrô, FCC, 2010. ÍNDICES: PODER DE MONOPÓLIO E
CONCENTRAÇÃO

524) A demanda de mercado de um produto 527) Abba Lerner, famoso economista americano,
ofertado por um monopolista é dada pela criou em 1934 um índice para medir o poder de
função: P (preço) = 5.000 − 40 q (q = monopólio na fixação de preços. Segundo o
quantidade demandada). A função de custos de índice de Lerner, o poder do monopólio é tanto
produção (CT) desse monopolista, onde q maior quanto
representa a quantidade produzida, é: (A) maior for a elasticidade-preço da oferta.
CT = 60.000 + 230 q + 5q2 (B) menor for a diferença entre o preço
A quantidade produzida que maximiza o lucro praticado pelo monopólio e o seu custo
desse monopolista, em unidades, é marginal.
(A) 55. (C) maior for o gasto com propaganda do
(B) 53. monopólio.
(C) 62. (D) menor for a elasticidade-preço da demanda,
(D) 61. em módulo.
(E) 49. (E) menor for a elasticidade-preço da oferta.
TCE/PR, FCC, 2011. ARCE, FCC, 2006.

525) Considere, em relação a um monopolista, a 528) O poder de monopólio de uma empresa


função custo total representada por C(q) = 200 + (A) implica ao monopolista poder cobrar preços
10q2 e a curva de demanda de mercado cada vez mais altos para maximizar seus
representada por P = 300 - 5q. Nessa hipótese, lucros.
(A) o preço cobrado pelo monopolista será igual (B) é uma função direta da elasticidade da
a 5 unidades monetárias. demanda de seu produto.
(B) o lucro máximo do monopolista será de (C) é uma função crescente da diferença entre o
159.000 unidades monetárias. preço que pratica no mercado e seu custo
(C) a quantidade produzida pelo monopolista marginal.
será de 200 unidades. (D) é tanto maior quanto maior o número de
substitutos próximos de seus produtos.

DSc Cursos Página 79


DSc Cursos

(E) quando aumenta implica maior lucratividade


do monopolista, independentemente de seus 532) O gráfico abaixo mostra a curva de demanda
custos médios de produção. (D) pelo produto de uma empresa monopolista
ARCE, FCC, 2012. maximizadora de lucros. Mostra, também, as
curvas de custo marginal (CMg) e de receita
marginal (RMg) da empresa.
529) Considere um mercado no qual atuam dez
empresas com as mesmas vendas totais, cada Preço
uma com uma participação no mercado de 10%.
O índice de concentração de Hirschman-
Herfindahl, calculado usando as participações
F C
de mercado, medidas em relação a uma base
que considera o mercado todo como igual a 100,
B G
é E (CMg)
(A) 1
(B) 10
(C) 100 A Quantidade
(RMg) (D)
(D) 1.000
(E) 10.000
BNDES, Cesgranrio, 2011. Examinando o gráfico, conclui-se que, caso não
haja outras distorções alocativas na economia, a(o)
(A) quantidade produzida OA é socialmente
530) Em um determinado mercado, existem cinco ótima.
firmas (A, B, C, D e E) com igual participação (B) perda social, devido ao monopólio,
de 20%. Suponha que a firma D adquira a firma corresponde à área BCG.
E. Com base no índice de concentração (C) lucro do monopolista corresponde à área
Herfindahl-Hirschman ou IHH (em um OABE.
intervalo entre 0 e 1), tem-se que o IHH (D) preço OF é socialmente ótimo.
(A) cai 0,05 após a compra da firma E pela D. (E) monopólio não alterou o excedente do
(B) é impossível ser calculado com base nas consumidor, em relação ao equilíbrio
informações disponíveis. competitivo.
(C) é igual a 0,25, após a compra da firma E Eletrobrás, Cesgranrio, 2010.
pela D.
(D) passa a ser igual a 0,28, após a compra da
firma E pela D.
(E) seria zero, caso a concentração fosse 533) Em um mercado monopolista, a curva de
absoluta. demanda é dada por Qd = 800 − 4P, onde Qd =
BNDES, Cesgranrio, 2013. quantidade demandada e P = preço de mercado.
Caso o monopolista decida vender 300 unidades
INEFICIÊNCIA DO MONOPÓLIO de seu produto, o valor do excedente dos
consumidores corresponderá a
531) Uma empresa monopolista, maximizadora (A) 11.250
de lucro, cria uma distorção em termos de (B) 15.000
eficiência econômica, pois produz uma (C) 20.000
quantidade (D) 22.500
(A) na qual o custo médio não é mínimo. (E) 30.000
(B) na qual o custo marginal é menor que o TCE/MG, FCC, 2007.
preço.
(C) que maximiza a receita total. MONOPÓLIO NATURAL
(D) que é excessiva para a demanda existente.
(E) que gera excessos de demanda e de oferta 534) No caso de um produto único, a estrutura de
Decea, Cesgranrio 2009. mercado conhecida como monopólio natural
ocorrerá quando

DSc Cursos Página 80


DSc Cursos

A) a atuação de mais de uma empresa, neste


mercado, sofrer restrições legais.
B) a produção de uma única empresa, neste 538) Um monopólio natural ou técnico, à medida
mercado, gerar externalidades. que amplia a sua escala de operações no longo
C) a produção em mais de uma empresa levar a prazo, apresenta
uma soma de custos totais maior do que se (A) custos médios decrescentes.
só uma empresa produzisse tudo. (B) deseconomias de escala.
D) as inovações constantes no produto fizerem (C) custo marginal igual ao custo médio.
com que o produtor tenha poder de (D) retornos constantes de escala.
monopólio. (E) produtividade dos fatores de produção
E) o custo marginal do monopolista for sempre variáveis Decrescentes
crescente com o aumento da produção. Defensoria Pública/RS, FCC, 2013.
Petrobrás, Cesgranrio, 2010.

539) O gráfico abaixo mostra a situação de um


535) Em uma situação de mercado caracterizada monopolista natural, com sua curva de custo
como de monopólio natural, médio CM e a curva de demanda pelo produto
(A) o custo médio é maior que o custo total. D. O custo médio mínimo corresponde a OA no
(B) o custo fixo para o monopolista é gráfico, sendo obtido com a produção OB.
inexistente.
(C) a curva de demanda é elástica.
R$
(D) as empresas produtoras formam um cartel. CM D
(E) na produção do monopolista, há importantes
economias de escala.
EPE, Cesgranrio, 2010.

A
536) Uma característica importante dos
monopólios naturais é o(a)
B
(A) uso intensivo de tecnologia de ponta. Quantidade
(B) exploração de recursos naturais. do Produto
(C) presença de economias de escala na Por meio do exame do gráfico, conclui-se que, se o
produção. (A) nível de produção for menor que OB, o
(D) produção de bens públicos. monopolista terá prejuízo.
(E) prática de preços inferiores ao custo (B) preço for igual ao custo marginal, o
marginal de produção. monopolista terá prejuízo.
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2008. (C) preço for igual à receita marginal, a
produção será OB.
(D) preço for igual ao custo médio, o
537) É característica do monopólio natural monopolista terá lucros substanciais.
(A) o controle estratégico do recurso natural (E) custo marginal for igual à receita marginal,
necessário à fabricação do produto. o monopolista terá prejuízo.
(B) a autorização legal concedida pelo governo Petrobrás Biocombustivel, Cesgranrio, 2010.
para exploração de um recurso natural por
uma única empresa.
(C) a propriedade de uma patente que impeça as 540) No gráfico abaixo, D é a demanda pelo
outras empresas de fabricar o produto. produto de um monopolista natural cuja curva
(D) a existência de economias de escala de custo médio é CMe. O preço p1 é igual ao
significativas no longo prazo. custo médio mínimo.
(E) a existência de discriminação de preços de
terceiro grau.
ARCE, FCC, 2006.

DSc Cursos Página 81


DSc Cursos

Preço 542) Um certo bem é demandado por dois grupos


p3 de compradores que podem ser separados.
Desse modo, um monopolista discriminador e
maximizador de lucros pode cobrar preços
D diferentes de cada grupo. Diante desse fato,
conclui-se que o maior preço será cobrado do
CMe
grupo de compradores que apresentar
p2
(A) demanda mais elástica a preços
p1 (B) demanda mais elástica a renda
(C) demanda menos elástica a preços
Quantidade (D) demanda menos elástica a renda
(E) maior renda média
Examinando o gráfico, conclui-se que o preço Liquigás, Cesgranrio, 2012.
socialmente ótimo (igual ao custo marginal)
(A) minimizaria o custo fixo.
(B) maximizaria o lucro do monopolista. 543) Um monopolista, com custos marginais
(C) seria igual a p1 /2. iguais em todos os mercados e que discrimina
(D) estaria entre p2 e p3. preços entre mercados, maximizará seus lucros,
(E) causaria prejuízo ao monopolista. vendendo
BNDES, Cesgranrio, 2009. (A) a um preço maior, no mercado com
elasticidade preço da demanda maior.
(B) a uma receita marginal maior, no mercado
541) Considere: com menor elasticidade preço.
I. O monopólio legal é necessariamente (C) a preços iguais em todos os mercados.
compatível com a eficiência econômica, o (D) a uma receita marginal maior, no mercado
Ótimo de Pareto e a maximização do bem- com maior elasticidade.
estar social. (E) a um preço menor, no mercado com
II. Quando uma firma produz segundo uma elasticidade preço da demanda maior.
função de produção com rendimentos Ceal, FCC, 2005.
crescentes de escala, então, estão
determinadas as pré-condições necessárias e
suficientes para a instalação de um 544) Um monopolista discriminador diferencia os
monopólio legal. preços do mesmo produto entre dois mercados
III. O monopólio natural surge quando separados. Vai cobrar o maior preço no mercado
economias de escala tornam a produção de com
uma empresa de tão baixo custo que (A) demanda mais inelástica.
inviabiliza a entrada de outros competidores (B) oferta mais elástica.
no mercado. (C) maior custo marginal.
IV. Um monopólio pode ser simultaneamente (D) maior volume de vendas.
natural e legal, visto que o primeiro é (E) maior renda média dos compradores.
definido por condições técnicas e o segundo Petrobrás, Cesgranrio, 2010.
por condições de regulação dos mercados.
Está correto o que se afirma APENAS em
(A) I e II. 545) Os descontos de volume vendidos por um
(B) I e III. monopolista podem ser classificados como
(C) II e III. discriminação de preços:
(D) II e IV. (A) de primeiro grau.
(E) III e IV. (B) de segundo grau.
ARCE, FCC, 2012. (C) de terceiro grau.
(D) linear.
DISCRIMINAÇÃO DE PREÇOS (E) com demandas lineares.
Petrobrás, Cesgranrio, 2005.

DSc Cursos Página 82


DSc Cursos

(C) decrescente.
546) Uma empresa maximiza lucros e é (D) igual a zero.
monopolista na produção e venda de certo bem. (E) igual ao da firma líder.
Pode diferenciar seus preços entre dois Petrobrás, Cesgranrio, 2005.
mercados separados, I e II. As equações das
demandas, nesses mercados, são:
549) No modelo de oligopólio de liderança de
Mercado I → QI = 100PI-2 preços, a firma líder fixa seu preço e a outra
Mercado II → QII = 100 PII-4 firma:
(A) fixa um preço inferior ao preço da líder.
onde QI, QII, PI, e PII são as quantidades (B) segue a líder na quantidade produzida e fixa
demandadas e os respectivos preços em cada seu preço.
mercado. O custo marginal de produção é constante (C) segue a líder na quantidade produzida e no
e igual a R$ 1,00 por unidade. Nessas condições, preço.
em equilíbrio, o monopolista discriminador (D) fixa a quantidade produzida a este preço.
(A) cobrará um preço maior no mercado I. (E) fixa um preço superior ao preço da líder.
(B) venderá seu produto apenas no mercado Petrobrás, Cesgranrio, 2005.
mais inelástico.
(C) equalizará as receitas totais obtidas em
cada mercado. 550) No modelo clássico de oligopólio de
(D) equalizará as quantidades vendidas em Cournot, com n empresas participantes, todas
cada mercado. iguais e com custo marginal constante, se o
(E) obterá uma receita marginal maior no número de participantes n aumentar
mercado I. infinitamente, o preço de equilíbrio tenderá ao
Petrobrás, Cesgranrio, 2012. custo
(A) marginal das empresas.
(B) histórico de produção.
547) Em relação ao monopólio, é correto afirmar: (C) fixo de produção.
(A) O monopolista, por ter o poder absoluto de (D) variável das empresas.
produção no mercado, pode cobrar o preço (E) de oportunidade total.
que quiser para maximizar seus lucros. Eletrobrás, Cesgranrio, 2010.
(B) A receita marginal do monopolista é sempre
igual ao preço de mercado.
(C) O monopólio natural ou técnico é aquele 551) O modelo de Cournot pressupõe que
que resulta de direitos de patente, obtidos (A) no caso de um equilíbrio competitivo em
por uma empresa que descobriu uma duopólio, as firmas dividirão o mercado pela
inovação tecnológica. metade e o equilíbrio será de Nash-Cournot.
(D) Na situação de maximização de lucros do (B) o equilíbrio cooperativo é um equilíbrio de
monopolista, a sua receita marginal é estratégia dominante, mas não é um
inferior ao preço de mercado. equilíbrio de Nash.
(E) Os monopólios não são beneficiados se (C) o equilíbrio cooperativo sempre será estável
praticarem a discriminação de preços com o pois a estratégia dominante implica que a
objetivo de captar o excedente do cooperação é sempre a melhor opção.
consumidor. (D) as firmas repartirão o mercado, se
Metrô, FCC, 2012. competirem entre si, na razão de 2/3 para a
que “sai na frente” e 1/3 para a que “sai
OLIGOPÓLIO depois”.
(E) um cartel somente emerge dentro deste
548) No Oligopólio de Stackelberg, lucros mais mercado se considerarmos um modelo de
elevados para a firma líder estão associados a oligopólio do tipo Stackelberg, em que a
um nível de produto para a firma seguidora: estratégia dominante é sempre cooperativa
(A) crescente. Gestor de Economia, FCC, 1999.
(B) inalterado.

DSc Cursos Página 83


DSc Cursos

(A) preço no mercado será maior que o custo


552) Considere duas firmas que operam em um marginal de qualquer uma das empresas.
oligopólio de Cournot. As duas firmas (B) preço no mercado será a média aritmética
trabalham com custos marginais constantes e simples dos custos marginais das empresas.
iguais a c. Suponha que a demanda inversa (C) preço praticado pela empresa de maior custo
deste mercado é dada por: p(y) = a – by, onde será maior que o praticado pela outra
p(y) é o preço cobrado pelas firmas e y é a empresa.
quantidade ofertada no mercado (a soma da (D) quantidade produzida pela empresa líder
quantidade produzida por cada firma). Indique a será diretamente proporcional ao seu custo.
opção correta. (E) quantidade produzida será sempre maior que
a) Cada firma produzirá a mesma quantidade e o custo marginal.
a soma da produção das duas firmas será Liquigás, Cesgranrio, 2012.
𝑎−𝑐
dada por 2𝑏

b) Cada firma produzirá a mesma quantidade e 555) Duas empresas com custos marginais
a soma da produção das duas firmas será constantes, positivos mas diferentes, vendem
2(𝑎−𝑐) produtos iguais. Interagem no mercado de
dada por 3𝑏
produto, comportando-se como um duopólio de
Cournot em equilíbrio. A demanda total de
c) Cada firma produzirá a mesma quantidade e mercado é linear e, no equilíbrio final, ambas as
a soma da produção das duas firmas será empresas estão produzindo. Nessas condições,
𝑎−𝑐
dada por 𝑏 a(s)
d) Não é possível determinar a quantidade (A) empresa com menor custo marginal produz
produzida por cada firma. mais.
e) A quantidade produzida por cada firma não (B) empresa com menor custo marginal pratica
depende da estrutura de mercado. o menor preço.
STN, 2012, Esaf (C) duas empresas equalizam os custos
marginais aos preços que cobram.
(D) duas empresas equalizam seus custos totais.
553) Suponha que duas empresas, usando (E) duas empresas têm produções iguais.
diferentes tecnologias, atuem num determinado BNDES, Cesgranrio, 2011.
mercado e se comportem como um duopólio de
Cournot em equilíbrio. Nessas circunstâncias,
(A) a empresa que produz mais cobrará o menor 556) No modelo de duopólio de Cournot,
preço. supondo-se apenas a existência de custos fixos
(B) o preço será maior que os custos marginais de produção e demanda linear,
das empresas. (A) o preço de equilíbrio de mercado será
(C) o custo marginal da menor empresa será equivalente à metade do preço que
igual ao preço de mercado. prevaleceria se fosse uma única empresa
(D) os custos médios das duas empresas serão produzindo o bem.
iguais. (B) ambos os rivais reconhecem sua
(E) os custos marginais das duas empresas serão interdependência na fixação de preços e
iguais. quantidades produzidas.
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2010. (C) cada rival supõe que o outro não modificará
o preço praticado.
(D) a quantidade total produzida será menor do
554) A estrutura de mercado engloba desde o que se apenas uma única empresa fornecesse
caso de um único produtor até o da existência o bem.
de muitos produtores. Em uma situação de duas (E) o preço de equilíbrio de mercado
empresas interagindo segundo o modelo corresponderá a 2/3 do preço que seria
clássico de duopólio de Cournot para produtos cobrado se apenas uma única empresa
homogêneos, em equilíbrio elas produzem ofertasse o bem.
quantidades tais que o(a) ARCE, FCC, 2006.

DSc Cursos Página 84


DSc Cursos

(C) II e III.
557) Em relação à teoria econômica do (D) I e III.
oligopólio, analise: (E) II e IV.
I. No modelo de duopólio de Cournot, cada Metrô, FCC, 2012.
empresa toma sua decisão de produzir no
pressuposto de que o preço de sua
concorrente se mantenha constante. Com referência aos monopólios e oligopólios,
II. Na teoria dos jogos aplicada à análise do julgue os itens em seguida.
oligopólio, uma empresa tem uma estratégia 559) O modelo de Cournot proporciona uma
dominante quando os resultados obtidos forma adequada de caracterização do
com sua utilização são sempre os melhores, comportamento oligopolístico em uma indústria
independentemente da atuação dos outros composta de firmas relativamente similares.
oligopolistas. 560) O modelo de Stackelberg proporciona uma
III. No modelo de duopólio de Edgeworth, cada forma adequada de caracterização do
empresa toma sua decisão de produzir no comportamento oligopolístico em uma indústria
pressuposto de que a quantidade produzida em que há o domínio de uma firma.
por sua concorrente se mantenha constante. 561) O equilíbrio de Cournot pode ser
IV. A dificuldade de se compor um cartel bem considerado um equilíbrio de Nash, o que não
sucedido reside na possibilidade de um ocorre no caso do equilíbrio de Stackelberg.
produtor romper o acordo para melhorar sua 562) O controle dos monopólios naturais pode ser
situação em relação aos demais. feito, de forma simples, eficaz e eficiente: basta
Está correto o que consta APENAS em o governo determinar que os preços a serem
(A) I e II. cobrados devem ser iguais ao custo marginal do
(B) III e IV. monopolista.
(C) II e III. 563) Outra possibilidade para o controle dos
(D) I e III. monopólios é a fixação de uma taxa de retorno
(E) II e IV. desejada, que deve tomar por base a expectativa
Metrô, FCC, 2010. do que ocorreria caso esta operasse em um
ambiente competitivo.
Senado, Cespe, 2002.
558) Em relação à teoria econômica do
oligopólio, analise:
I. No modelo de duopólio de Stackelberg, a Em relação à estrutura de mercados monopolistas e
empresa que anunciar publicamente sua oligopolistas,
produção em primeiro lugar ficará em julgue os itens abaixo.
desvantagem no mercado. 564) Nos mercados monopolistas, a receita
II. No modelo de duopólio de Cournot, o marginal excede o preço do produto em virtude
equilíbrio conseguido pelos duopolistas não de a curva de demanda ser negativamente
é considerado como um exemplo do inclinada.
equilíbrio de Nash na teoria dos jogos. 565) No setor de transportes públicos de massa,
III. O conhecido modelo do “dilema dos como o metrô, a existência de custos fixos
prisioneiros”, utilizado na teoria dos jogos, elevados requer que esses custos sejam
ilustra a dificuldade de se conseguir um partilhados entre muitos produtores e, portanto,
comportamento cooperativo por parte das estimula a competição nesse setor.
empresas oligopolistas em virtude da 566) O fato de as companhias aéreas reduzirem o
desconfiança mútua. preço das passagens quando da compra
IV. Quanto maior o número de empresas que antecipada constitui exemplo de discriminação
compõem o oligopólio, o comportamento de preço, porque a demanda desses viajantes é
desse mercado tende a se aproximar de um mais inelástica em relação ao preço.
mercado de concorrência perfeita. 567) A fusão das empresas Brahma e Antárctica
Está correto o que consta APENAS em em uma única empresa, a AmBev, explica-se,
(A) I e II. em parte, pela existência de economias de
(B) III e IV. escala que permitem que o custo da produção

DSc Cursos Página 85


DSc Cursos

conjunta seja inferior à soma dos custos de (E) grande número de ofertantes de produtos
produção das empresas quando elas operam similares, mas diferenciados entre si.
independentemente. TCE/PR, FCC, 2011.
568) O enfraquecimento da Organização de
Países Exportadores de Petróleo (OPEP), na
década de 80 do século passado, deve-se ao fato 572) Analise:
de ela representar uma estrutura oligopolista I. A concorrência monopolística é uma
não-colusiva. estrutura de mercado que é caracterizada
Senado, Cespe, 2002. pela existência de um grande número de
pequenos produtores que vendem um
produto não-homogêneo para um grande
CONCORRENCIA MONOPOLÍSTICA E número de compradores.
DEMANDA QUEBRADA II. A empresa monopolista maximiza seu lucro
produzindo uma quantidade n, na qual o
569) É característica da concorrência custo marginal de produção dessa n-ésima
monopolística: unidade é igual ao preço de mercado do
(A) existência de um único produtor. bem.
(B) produto homogêneo. III. O oligopólio é uma estrutura de mercado
(C) existência de um único consumidor. caracterizada por um pequeno número de
(D) produto heterogêneo. grandes produtores e por um grande número
(E) concorrência baseada unicamente no preço de consumidores finais.
de mercado. IV. Em um mercado de concorrência perfeita,
Ceal, FCC, 2005. não há possibilidade de ocorrerem lucros
extraordinários.
É correto o que consta APENAS em
570) O mercado de concorrência monopolística (A) I e II.
de um bem ou serviço é caracterizado por (B) I e III.
apresentar (C) II e III.
(A) grande número de ofertantes de produtos (D) III e IV.
similares mas diferenciados entre si. (E) I, III e IV.
(B) grande número de compradores de produtos Metrô, FCC, 2008.
homogêneos.
(C) elevado grau de concentração da produção
entre poucos ofertantes. 573) Considere as afirmativas abaixo sobre os
(D) pequeno número de ofertantes de produtos diversos tipos de mercados.
homogêneos. I. Em situação de monopólio, no curto prazo,
(E) pequeno número de ofertantes de produtos o preço é maior que o custo marginal, e, no
similares, mas diferenciados entre si. longo prazo, eles são iguais.
ARCE, FCC, 2006. II. Em concorrência perfeita, o equilíbrio
ocorre quando o preço é igual ao custo
marginal.
571) O mercado de concorrência monopolística III. No modelo de duopólio de Cournot, cada
de um bem ou serviço é caracterizado por empresa admite que a quantidade produzida
apresentar pela outra não interfere na sua condição de
(A) grande número de compradores de produtos equilíbrio.
homogêneos. IV. A concorrência monopolística caracteriza-se
(B) elevado grau de concentração da produção pelo fato de as empresas produzirem
entre poucos ofertantes. produtos diferenciados, embora substitutos
(C) grande número de ofertantes de produtos próximos.
homogêneos. Está correto o que se afirma em
(D) pequeno número de ofertantes de produtos (A) I e III, apenas
similares, mas diferenciados entre si. (B) II e IV, apenas.
(C) I, II e III, apenas.

DSc Cursos Página 86


DSc Cursos

(D) II, III e IV, apenas. vendedores vendendo produtos


(E) I, II, III e IV. heterogêneos.
Casa da Moeda, Cesgranrio, 2012. II. Na teoria neoclássica do monopólio, a
receita marginal de cada unidade vendida é
igual ao preço pelo qual é colocada no
574) Considere as informações contidas na tabela mercado.
abaixo. III. O modelo da curva de demanda quebrada
baseia-se na hipótese de que, no mercado
ESTRUTURAS CARACTERÍSTICAS oligopolista, os preços das empresas
DE concorrentes são rígidos para cima.
MERCADO IV. Na teoria neoclássica do monopólio, a
I. Concorrência 1. ocorre a livre entrada e saída imposição de um tributo específico sobre as
Perfeita de empresas do mercado e estas vendas do monopolista não altera o preço e
competem entre si vendendo a quantidade de equilíbrio do mercado.
produtos diferenciados, Está correto o que se afirma APENAS em
fortemente substitutos, mas não (A) I e II.
substitutos perfeitos. (B) II e IV.
II. Oligopólio 2. as firmas, individualmente, (C) III e IV.
tomam o preço de mercado (D) I e III.
como referência a fim de (E) II e III.
decidir quanto produzirão e TCE/PR, FCC, 2011.
venderão, assim como os
consumidores baseiam-se em tal ECONOMIA INDUSTRIAL
preço para decidir a
quantidade que irão adquirir. 576) Barreiras à entrada de novos concorrentes
III. Monopólio 3. ocorrem barreiras, que em um dado ramo de atividade são bastante
podem ser naturais ou não, à comuns em mercados ditos concentrados. Um
entrada de novas empresas no tipo de barreira à entrada é a
mercado, sendo que os produtos (A) quebra de uma patente tecnológica.
não são necessariamente (B) deseconomia de escala.
diferenciados. (C) expiração de um direito autoral.
IV. Concorrência 4. não dispõe de uma curva de (D) extinção da necessidade de cessão de
Monopolista oferta, pois não há uma relação licenças de funcionamento.
biunívoca entre preço e (E) adoção de um regime de concessão estatal.
quantidade, fazendo com que o Defensoria Pública/RS, FCC, 2013.
nível de produção dependa do
custo marginal e do formato da
curva de demanda. 577) As quatro determinantes de barreiras à
entrada na indústria apontadas por Joe Bain
A correspondência correta entre as duas colunas da (1956) são
tabela acima está representada em (A) custos afundados, economias de escala,
(A) I-1, II-2, III-4, IV-3. economias de escopo e diferenciação de
(B) I-1, II-2, III-3, IV-4. produto
(C) I-4, II-3, III-2, IV-1. (B) custos afundados, economias de escala,
(D) I-2, II-3, III-4, IV-1. economias de escopo e barreiras normativas
(E) I-2, II-1, III-3, IV-4. (C) vantagens absolutas de custo, economias de
escala, barreiras normativas e alto
requerimento de capital inicial
575) Considere as seguintes afirmações sobre (D) vantagens absolutas de custo, economias de
mercados de concorrência imperfeita: escala, diferenciação de produto e alto
I. A concorrência monopolista é caracterizada requerimento de capital inicial
pela existência de um grande número de

DSc Cursos Página 87


DSc Cursos

(E) vantagens absolutas de custo, economias de (D) quando for um monopólio natural.
escala, economias de escopo e diferenciação (E) perfeito, quando ocorrerem entradas
de produto temporárias de empresas, se o preço superar
Petrobrás, Cesgranrio, 2011. o custo médio de produção de longo prazo,
até que se restabeleça o preço anterior.
ARCE, FCC, 2012.
578) Em alguns mercados há poucas empresas
competidoras na oferta de bens. Isso ocorre
porque existem barreiras à entrada de empresas 581) Henry Ford introduziu a linha de produção
no mercado, como, por exemplo, na sua empresa automobilística, substituindo a
(A) o perfeito conhecimento tecnológico por montagem artesanal em oficinas. Foi uma
parte de todos os agentes econômicos. substancial inovação no processo de produção
(B) a inexistência de custos irrecuperáveis para com consequências importantes sobre o modelo
empresas saírem do mercado. de negócio: a redução de custos permitiu preços
(C) o livre acesso a fontes de matérias-primas. menores e modificou o público-alvo, para um
(D) a existência de economias de escala na mercado de massa. Esse processo todo é
produção dos bens ofertados. considerado uma inovação
(E) a impossibilidade de retaliação de preços (A) na cadeia de suprimentos
por empresas já atuantes no mercado. (B) tecnológica
FHEMIG, FCC, 2013. (C) incremental
(D) sustentada
(E) radical
579) NÃO representa uma barreira à entrada de BNDES, Cesgranrio, 2011.
empresas no mercado:
(A) Impossibilidade de retaliação de preços por
parte das empresas estabelecidas no 582) O economista austríaco Joseph Schumpeter
mercado. descreveu a concorrência, entre as empresas
(B) existência de economias de escala na ofertantes em certo mercado, como um processo
produção dos bens oferecidos pelo mercado. que leva ao(à)
(C) posse de informações tecnológicas que não (A) equilíbrio de curto prazo, no qual as
estão disponíveis para as empresas que estão empresas, para maximizar seu lucro,
fora do mercado. equalizam o custo marginal ao preço.
(D) elevado montante de custos irrecuperáveis (B) equilíbrio entre os setores econômicos, pela
para saída do mercado. equalização das taxas de retorno (corrigidas
(E) acesso privilegiado a fontes de matéria- pelas diferenças de risco) dos capitais
prima por parte das empresas já investidos nos diferentes setores.
estabelecidas no mercado. (C) equilíbrio de longo prazo, no qual os lucros
ARCE, FCC, 2012. das empresas competitivas tendem a se
anular devido à entrada de concorrentes.
(D) diluição do poder de mercado das empresas,
580) Um mercado é classificado como um as quais tomam o preço como um dado (se
‘mercado contestável’ tornam price takers).
(A) quando há barreiras à entrada de novas (E) formação de posições monopolistas e
firmas, uma vez que somente as empresas oligopolistas, efêmeras ou não, com as
participantes do mercado têm acesso à empresas inovando para obtenção de
tecnologia de produção. vantagem competitiva.
(B) sempre que existirem incentivos BNDES, Cesgranrio, 2013.
ponderáveis à integração vertical para
reduzir os custos de transação.
(C) quando as empresas integrantes do mercado 583) Uma empresa pode obter vantagem
não podem sair dele a qualquer tempo, já competitiva se for a líder das transformações
que há sunk costs (custos irrecuperáveis) em tecnológicas no seu setor. No entanto, a
sua saída.

DSc Cursos Página 88


DSc Cursos

vantagem de liderar pode ser diminuída, ou BNDES, Cesgranrio, 2011.


mesmo revertida, se o(a)
(A) custo de imitação pelos concorrentes for
elevado. A nova economia institucional tem sido usada para
(B) custo, para os clientes, de mudar para uma analisar o sistema agroindustrial brasileiro e propor
eventual tecnologia concorrente for elevado. políticas públicas para a agricultura. Uma questão
(C) treinamento dos clientes compradores, no fundamental foi apresentada por ela: a existência de
uso do novo produto, for fácil, de baixo alguma vantagem em pagar aos outros para
custo. produzir aquilo que poderia ser produzido
(D) obtenção dos novos insumos necessários, internamente na empresa. Nesse contexto, julgue os
devido à transformação tecnológica, não itens subseqüentes.
apresentar dificuldades. 586) As instituições moldam as decisões das
(E) obtenção de aprovações regulatórias para empresas e das pessoas e não o mercado.
seus novos produtos e/ou processos for 587) O mercado é uma instituição particular que
difícil e demorada. determina todas as ações.
Eletrobrás, Cesgranrio, 2010. 588) A escolha entre produzir ou comprar é
influenciada pelos custos das transações.
589) As instituições são criadas e evoluem com o
584) A atividade de geração de inovações em passar do tempo e não podem ser consideradas
uma empresa pode ser organizada de várias como parâmetros imutáveis.
formas. Na concepção organizacional do 590) As instituições, com a burocracia, a
modelo linear, as inovações são geradas hierarquia e as regras do mercado, tentam
(A) na área de Pesquisa e Desenvolvimento e minimizar os custos das transações para reduzir
repassadas às demais áreas funcionais. os seus custos internos de produção
(B) na área de Marketing e repassadas à área de Senado, Cespe, 2002.
produção.
(C) na área de Vendas e repassadas às demais
áreas funcionais. 591) É uma medida que visa contornar os
(D) no processo interativo das reuniões problemas decorrentes da relação principal-
interdepartamentais regulares. agente:
(E) nos grupos de trabalho, envolvendo pessoas (A) concessão de período de garantia maior na
de várias áreas funcionais. venda de automóveis usados.
BNDES, Cesgranrio, 2013. (B) cobrança de franquia em casos de sinistro
nas operações de seguro de veículos.
(C) outorga gratuita de opções de compra das
585) A integração vertical de uma empresa, ações da companhia a seus executivos,
adquirindo o fornecedor de certo insumo, traz vinculado seu exercício ao cumprimento de
benefícios e custos a serem considerados pela metas.
empresa na análise da aquisição. Assim, após a (D) exigência de melhor nível de instrução para
integração, haverá o a contratação de funcionários.
(A) benefício de diminuição de risco, devido à (E) padronização do produto oferecido por
maior garantia de fornecimento do insumo cadeia de restaurantes.
(B) benefício de maior custo fixo da empresa Defensoria Pública/RS, FCC, 2013.
integrada pela junção com o fornecedor
(C) benefício de menor flexibilidade na escolha
do fornecedor, devido à aquisição feita 592) A respeito do estudo da economia industrial,
(D) custo de aumento de risco, decorrente da importante para se compreender o
junção de duas atividades empresariais em si funcionamento das empresas nos mercados em
arriscadas que elas atuam, assinale a opção correta.
(E) custo de aumento da dificuldade da (A) A escala mínima de eficiência relaciona-se
concorrência pelo fato de a empresa com o padrão das economias de escala que
integrada controlar um fornecedor de predominam no setor, porém, essa escala
insumos para o setor

DSc Cursos Página 89


DSc Cursos

não influencia a estrutura de mercado que


prevalece nessa indústria. 597) As políticas industriais costumam ser
(B) Em presença da lei de rendimentos classificadas em duas grandes categorias: as
decrescentes, a curva de produto total é uma horizontais e as verticais (também chamadas
linha reta, e o produto marginal é constante. seletivas). A política industrial horizontal visa a
(C) O aumento dos salários dos engenheiros no (A) privilegiar as indústrias com grande poder
vale do silício, na Califórnia (EUA), de encadeamento, como a automobilística.
decorrente da expansão da indústria de (B) estimular os setores com grande valor
tecnologia da informação, é consistente com agregado, resultando em aumento
a visão de que, nessa indústria, a curva de substancial da renda per capita.
oferta de longo prazo é horizontal. (C) melhorar o desempenho da economia como
(D) Quando o processo produtivo é um todo, sem privilegiar nenhuma indústria
caracterizado pela existência de proporção específica.
fixa entre os fatores de produção, a taxa (D) desenvolver os setores cujos produtos
marginal de substituição técnica entre esses tenham uma demanda com alta elasticidade
fatores é decrescente. de renda.
(E) Para as empresas competitivas, no longo (E) proteger as indústrias nascentes que, em seu
prazo, a igualdade entre preço e custo total início, apresentem custos elevados de
médio mínimo significa que elas utilizarão a produção.
tecnologia disponível mais eficiente e Petrobrás, Cesgranrio, 2010.
cobrarão o menor preço possível,
compatível com seus custos de produção.
INPI, Cespe, 2006. 598) Em um determinado país, foi adotada uma
política industrial seletiva ou vertical. Com esse
objetivo, o governo desse país
Com relação à economia industrial, julgue os itens (A) estabeleceu preferência para os produtores
subseqüentes. instalados no país nas compras
593) O padrão de concorrência predominante em governamentais.
indústrias inclui aspectos relacionados a preço, (B) concedeu incentivos fiscais às indústrias
qualidade, porém não leva em conta a farmacêuticas com grande valor agregado
habilidade de servir ao mercado, o esforço de no país.
venda e a diferenciação do produto. (C) aumentou seus gastos com fomento à
594) No novo paradigma de desenvolvimento, as difusão de informações tecnológicas.
vantagens competitivas não mais se baseiam na (D) aumentou o volume de recursos para o
abundância de recursos naturais, nos baixos crédito a longo prazo concedido pelos
salários e na ausência de exigências ambientais, bancos oficiais.
mas enfatizam a liderança e o domínio do (E) aumentou seus investimentos na
conhecimento e da informação bem como a infraestrutura de transportes do país.
qualidade e excelência dos produtos e serviços. BNDES, Cesgranrio, 2013.
595) O sistema produtivo aeronáutico de São José
dos Campos – SP, coordenado pela EMBRAER,
empresa de capital local, caracterizado pela 599) Em relação à política industrial, assinale a
produção voltada para o mercado internacional opção correta.
e pelo alto grau de territorialização as (A) De acordo com a abordagem neo-
atividades, constitui um exemplo típico de rede schumpeteriana, o desenvolvimento de
produtiva, já que sua governança é feita padrões de competitividade exige a seleção
mediante o uso de formas hierárquicas rígidas. das firmas mais eficientes e o
596) A concentração vertical, em que há fusão ou desenvolvimento de infra-estrutura
incorporação de empresas em diferentes adequada, porém, não considera os fatores
estágios da cadeia produtiva, embora facilite a político-institucionais, tais como as políticas
adoção de práticas anti-concorrenciais, não macroeconômicas e o contexto sociopolítico
viola, por si só, a lei da concorrência. no qual elas se inserem.
MDS, Cespe, 2006.

DSc Cursos Página 90


DSc Cursos

(B) A inovação incremental derivada de produzida será maior do que seria produzido
processos de aprendizagem — by doing ou sob monopólio.
by using —, além de promover mudanças e) Caso o mercado seja caracterizado por
estruturais, criam um novo regime concorrência perfeita, o lucro econômico
tecnológico. será igual a zero, mas a quantidade
(C) A política industrial, em sua vertente produzida será menor do que seria
neoclássica, tem como objetivo corrigir as produzido sob monopólio.
chamadas falhas de mercado, que englobam STN, 2012, Esaf
situações em que características dos
mercados não permitem que os preços
desempenhem adequadamente suas funções Julgue os itens seguintes acerca das estruturas de
de coordenação e transmissão de mercado.
informações de modo socialmente ótimo. 601) Um empresário tanto em um mercado
(D) Os padrões de concorrência internacional monopolista quanto em um mercado de
vigentes atualmente se caracterizam pelos concorrência perfeita maximizará seu lucro
novos padrões de especialização produtiva e onde seu custo marginal iguala sua receita
de gestão empresarial, marcados pelo marginal.
aumento do escopo de diversificação das 602) Em concorrência perfeita, o lucro do
firmas e pela redução das práticas de empresário será zero no curto prazo.
subcontratação. 603) A ineficiência paretiana de monopólio deve-
(E) Embora as políticas de defesa da se ao fato dos preços serem maiores do que em
concorrência coíbam o surgimento de poder concorrência perfeita.
de mercado e a prática de condutas abusivas 604) Em um monopólio natural, o regulador não
dele derivadas, elas não podem ser pode igualar o preço ao custo marginal sob pena
consideradas formas de política industrial, de levar o monopolista ao lucro negativo na
em virtude de seu foco se limitar às questões prática de tal preço regulado.
microeconômicas. 605) Oligopólios se comportam estrategicamente
INPI, Cespe, 2006. no mercado de maneira ilícita e devem ser
controlados por agentes reguladores de
COMPARAÇÃO ESTRUTURAS MERCADO mercado.
Prefeitura de Vila Velha, Cespe, 2008.
600) Considere um mercado e suponha diferentes
formas de organização deste mercado. Assinale
qual das opções a seguir está correta. Políticas públicas de transporte urbano, tais como
a) Caso o mercado seja dominado por um estatização, terceirização, concessões e
monopolista que não discrimina preços, o privatizações, dependem basicamente do tipo de
total produzido será maior do que no caso mercado envolvido. A respeito dos diferentes tipos
do mercado ser caracterizado como um de mercado, julgue os itens.
mercado de concorrência perfeita. 606) Em um mercado concorrente perfeito, os
b) Caso o mercado seja dominado por um empresários têm lucro zero no curto prazo e,
monopolista que não discrimina preços, o portanto, estão sempre insatisfeitos, o que força
lucro será máximo e a quantidade produzida o governo a subsidiar esses empresários.
será igual à que seria produzida em 607) Entre duas empresas de transporte urbano
concorrência perfeita. (líder e seguidora), o equilíbrio de Stackelberg
c) Caso o mercado seja caracterizado por um se dá onde a curva de reação da empresa líder
duopólio do tipo Cournot, o total produzido tangencia a sua curva de isolucro mais baixa.
pelas duas firmas será igual à quantidade 608) O monopolista será sempre ineficiente, já
que seria produzida sob monopólio, porém a que seus preços serão sempre superiores aos
soma do lucro das duas firmas seria menor praticados em um mercado de concorrência
do que o lucro do monopolista. perfeita.
d) Caso o mercado seja caracterizado por 609) A concessionária de uma rodovia que está
concorrência perfeita, o lucro econômico em um mercado do tipo monopólio natural, para
será igual a zero, mas a quantidade que não haja desestímulo ao empresário do

DSc Cursos Página 91


DSc Cursos

setor, não pode ter seus preços regulados por “Um monopolista maximizará o seu lucro por meio
meio da equiparação dos preços com seus da produção e comercialização daquele produto
custos marginais. para o qual ______________ iguala-se
610) A prática de discriminação de preços dentro ______________. Nesse caso, a existência de lucro
de um mesmo ônibus, como a prática de preços dependerá da relação entre ____________ e
diferenciados para idosos e estudantes em ______________.”
relação aos demais usuários, poderia minimizar Completam corretamente a frase:
as perdas de eficiência geradas por um f) o custo marginal / a receita marginal / preço
monopolista. / o custo médio
DFTrans, Cespe, 2008. g) o custo marginal / a receita marginal / preço
/ custo marginal
h) o custo marginal / ao preço / preço / custo
611) Considere o seguinte texto: médio
“Um monopolista maximizará o seu lucro por meio i) o custo total / a receita total / preço / custo
da produção e comercialização daquele produto marginal
para o qual ______________ iguala-se j) preço / a receita marginal / o custo total / a
______________. Nesse caso, a existência de lucro receita total
dependerá da relação entre ____________ e Ministério do Planejamento, FCC, 2006.
______________.”
Completam corretamente a frase:
a) o custo marginal / a receita marginal / preço Políticas públicas de transporte urbano, tais como
/ o custo médio estatização, terceirização, concessões e
b) o custo marginal / a receita marginal / preço privatizações, dependem basicamente do tipo de
/ custo marginal mercado envolvido. A respeito dos diferentes tipos
c) o custo marginal / ao preço / preço / custo de mercado, julgue os itens.
médio 614) Em um mercado concorrente perfeito, os
d) o custo total / a receita total / preço / custo empresários têm lucro zero no curto prazo e,
marginal portanto, estão sempre insatisfeitos, o que força
e) preço / a receita marginal / o custo total / a o governo a subsidiar esses empresários.
receita total 615) Entre duas empresas de transporte urbano
Ministério do Planejamento, FCC, 2006. (líder e seguidora), o equilíbrio de Stackelberg
se dá onde a curva de reação da empresa líder
tangencia a sua curva de isolucro mais baixa.
612) I são acordos ou práticas 616) O monopolista será sempre ineficiente, já
concertadas entre empresas II para III que seus preços serão sempre superiores aos
preços, IV mercados, V a produção praticados em um mercado de concorrência
e/ou adotar posturas VI em licitação perfeita.
pública. Preenchem correta e respectivamente as 617) A concessionária de uma rodovia que está
lacunas I a VI: em um mercado do tipo monopólio natural, para
(A) Oligopólios; concorrentes; aumentar; que não haja desestímulo ao empresário do
restringir; aumentar; transparentes. setor, não pode ter seus preços regulados por
(B) Cartéis; do mesmo grupo; nivelar; meio da equiparação dos preços com seus
multiplicar; aumentar; pré-combinadas. custos marginais.
(C) Oligopólios; do mesmo grupo; fixar; dividir; 618) A prática de discriminação de preços dentro
restringir; transparentes. de um mesmo ônibus, como a prática de preços
(D) Cartéis; concorrentes; fixar; dividir; diferenciados para idosos e estudantes em
restringir; précombinadas. relação aos demais usuários, poderia minimizar
(E) Oligopsônios; do mesmo grupo; fixar; as perdas de eficiência geradas por um
multiplicar; aumentar; pré-combinadas. monopolista.
Ministério da Saúde, FCC, 2007. DFTrans, Cespe, 2008.

613) Considere o seguinte texto:

DSc Cursos Página 92


DSc Cursos

619) Nas economias de mercado, a formação dos regulamentados aos níveis da concorrência
preços obedece às condições vigentes nas perfeita.
diferentes estruturas de mercado. A respeito (B) Em um mercado monopolista, se a
desse assunto, assinale a opção correta. elasticidade da demanda for igual a -4 e se o
(A) A curva de oferta de longo prazo das custo marginal for de R$ 9, então o preço
indústrias competitivas, caracterizadas por será de R$ 12 por unidade.
custos de produção crescentes, é (C) Com base na curva de oferta de um mercado
perfeitamente inelástica. competitivo, é possível determinar a curva
(B) Como as empresas monopolistas fixam seus de oferta em um mercado monopolista.
preços acima dos custos marginais, o nível (D) Considere que a elasticidade-preço da
de produção que maximiza os lucros situa-se demanda de um supermercado seja igual a -
na parte inelástica da curva de demanda com 5. Nesse caso, o supermercado deve fixar
a qual essas firmas se confrontam. seus preços em valor que seja 10% superior
(C) A imposição da regra competitiva de ao seu custo marginal.
formação de preços nos monopólios naturais (E) O poder de monopólio de uma empresa é
como os que prevalecem no setor de diretamente proporcional à elasticidade
utilidades públicas, além de melhorar o preço da demanda.
bem-estar dos consumidores, garante TJ/AL, Cespe, 2012.
também lucros puros para as empresas que
operam nesses mercados.
(D) A possibilidade de cartelização bem Acerca de microeconomia, julgue os itens a seguir.
sucedida será tanto maior quanto mais 624) A curva de oferta pode se deslocar para a
elástica for a curva de demanda de mercado direita ou para a esquerda, de acordo com a
para o produto transacionado pela indústria influência exercida por fatores como mudanças
em questão. no preço dos insumos, alterações tecnológicas e
(E) O excesso de vagas que atinge as mudanças nas expectativas. Em casos de
universidades privadas que atuam no aumento do preço de insumos, essa curva se
mercado de ensino superior é consistente deslocará para a direita.
com a organização desse mercado sob forma 625) Para que o mercado de determinado produto
de concorrência monopolística. seja competitivo, deverá existir um grande
Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2009 número de compradores e vendedores desse
produto e nenhum deles, individual ou
conjuntamente, poderá influenciar o preço.
Julgue os itens seguintes, referentes às estruturas de Outra característica desse tipo de mercado —
mercado. competitivo — é que o produto deve ser um
620) Diferentemente dos mercados competitivos, substituto perfeito do produto de outra firma.
monopólios maximizam seus lucros quando o 626) O oligopólio — estrutura de mercado
custo marginal se iguala à receita marginal. intermediária entre a concorrência perfeita e o
621) Um monopsônio opera em um ponto monopólio, formada por poucos vendedores que
ineficiente no sentido de Pareto, pois seu preço competem entre si — é a única estrutura de
será maior do que aquele preço que prevaleceria mercado em que as firmas consideram as ações
no equilíbrio competitivo. dos concorrentes na tomada de decisões.
622) Controle de preços máximos de bens com 627) O monopsônio caracteriza-se pela existência
demanda inelástica e negociados em mercados de grande número de compradores dos
competitivos implicam ganhos líquidos para os produtos, a exemplo do que ocorre com a
consumidores. indústria automobilística e as agroindústrias. O
EBC, Cespe, 2011. oligopsônio caracteriza-se pela existência de
poucas empresas compradoras e pela grande
dificuldade de entrada de novos compradores no
623) A respeito de mercados imperfeitos, assinale mercado.
a opção correta. 628) O monopólio ocorre no mercado vendedor
(A) Para que sejam evitadas perdas sociais, os quando existem elevadas barreiras à entrada de
preços de um monopólio natural devem ser

DSc Cursos Página 93


DSc Cursos

novas empresas, como é o caso do domínio viajam a Manaus a turismo ou a negócios, na


tecnológico. falta de informação, é um bom negócio.
629) No curto prazo, o limite de capacidade 639) Um equilíbrio de Cournot em um mercado
produtiva de um país, devido à escassez de oligopolista mostra que a produção de cada
fatores de produção e às dificuldades da empresa maximiza o seu respectivo lucro, sem
inovação tecnológica, é representado pela curva considerar a produção de outras empresas.
de possibilidades de produção. 640) O enigma de Bertrand é uma situação em
630) De acordo com o conceito de elasticidade- que empresas oligopolistas com conluio se
preço da demanda, se manteiga for facilmente comportam como se estivessem em um mercado
substituída por margarina e se carvão para competitivo.
churrasco não tiver substituto próximo, então a 641) Considere que para uma empresa
demanda por carvão será mais elástica que a monopolista o custo total de produção seja
demanda por manteiga. expresso por C(Q) = 50 + Q2. Nesse caso, em
631) Caso a receita total de uma empresa seja um mercado com demanda inversa expressa por
suficiente para cobrir o custo variável, mas não P(Q) = 40 - Q, a empresa terá um lucro máximo
para cobrir o custo fixo da produção, então, para L = 150 ao nível ótimo de produção Q = 10,
evitar prejuízos, a empresa deverá parar de correspondente ao preço P =30.
operar. 642) Em um mercado com características de
632) De acordo com a teoria do consumidor, competição monopolística, uma empresa
ceteris paribus, a curva de Engel relaciona a compete vendendo produtos diferenciados,
quantidade demandada de um bem com o nível porém altamente substituíveis uns pelos outros.
de renda. Nesse sentido, é correto afirmar que BASA, Cespe, 2010.
todas as curvas de Engel são lineares porque são
geradas por bens substitutos perfeitos e por bens
complementares perfeitos. Acerca dos modelos de estruturas de mercado,
Assembleia Legislativa/CE, Cespe, 2011. julgue os itens a seguir.
643) Na concorrência perfeita, a maximização do
lucro ocorre no ponto em que RMg = CMg.
Julgue os itens seguintes acerca das formas e de Nesse caso, o custo marginal é decrescente.
regulação de mercados. 644) No monopólio, a RMe representa a curva de
633) Empresas monopolistas e empresas em demanda do mercado e a receita total atinge o
mercados de concorrência perfeita maximizarão máximo no ponto em que a receita marginal é
seus lucros quando suas receitas marginais e zero.
seus custos marginais se igualarem. 645) Na concorrência perfeita, a curva de
634) Impostos que incidem apenas sobre o lucro demanda da firma é horizontal, pois o preço do
de um monopolista não têm efeito sobre a sua produto é uma variável exógena.
escolha de produção. 646) A estrutura de mercado caracterizada por
635) O monopsonista não adquire mercadorias oferecer produtos homogêneos, transparência de
por preço inferior ao seu valor marginal. mercado e livre mobilidade é denominada
636) Se o regulador exigir que um monopolista concorrência monopolista.
natural pratique preços aos níveis dos seus 647) No monopólio, considerando um período de
custos marginais, então, nesse caso, o curto prazo, a curva de RMe da firma
monopólio atingirá um nível de produção monopolista é decrescente da esquerda para a
eficiente com preços abaixo dos seus custos direita e está acima da curva de receita
médios. marginal.
637) Devido à heterogeneidade dos demandantes Ipojuca, Cespe, 2009.
de crédito bancário, é lucrativo para um banco
monopolista praticar discriminação perfeita de
preços com juros diferentes para cada tipo de Com relação a estruturas de mercado e a regimes de
cliente. concorrência, julgue os itens subseqüentes.
638) Praticar discriminação de preços de primeiro 648) A livre entrada e saída de firmas no mercado
grau sobre passagens de avião para pessoas que concorrente perfeito traz como conseqüência

DSc Cursos Página 94


DSc Cursos

uma função de demanda perfeitamente justificar a presença de monopólios naturais


inelástica. nesse mercado.
649) O ponto de lucro máximo de um 661) No longo prazo, empresas que apresentam
monopolista ocorre quando sua receita marginal lucros econômicos nulos e atuam em mercados
é igual a zero. competitivos serão obrigadas a encerrar suas
650) Quando o monopolista cobra preços muito atividades e sairão do mercado.
elevados, ocorre ineficiência do monopólio. 662) Se a sindicalização de determinado mercado
651) A probabilidade de monopólios e de trabalho resultar em um monopsônio, em
oligopólios se perpetuarem no longo prazo é virtude do aumento do poder de barganha dos
elevada, independentemente de leis que os trabalhadores, tanto o salário de equilíbrio como
garantam. o nível de emprego serão mais elevados do que
652) Curvas de demanda de produtos em aqueles que prevaleceriam em mercados
concorrência monopolística são bastante competitivos.
elásticas. 663) As firmas que atuam em concorrência
653) Independentemente do tipo de concorrência monopolista recorrem a práticas concorrenciais
existente no mercado, o empresário maximizará que incluem elementos extrapreço, tais como a
seu lucro quando seu custo marginal se igualar a diferenciação do produto e o uso de publicidade.
sua receita marginal. UFT, Cespe, 2004.
654) Uma intervenção do Estado em um mercado
monopolista leva esse mercado a fixar seus
preços como iguais aos de seus custos marginais Julgue os itens, a respeito da estrutura de mercado
de produção. em uma economia.
655) Em oligopólios, normalmente há uma 664) Um monopolista maximizará seu lucro no
interdependência muito forte entre os nível de produção onde a sua receita marginal se
produtores. iguala ao seu custo marginal. Seu lucro será
656) A concorrência monopolística leva à mensurado a partir do preço onde esta igualdade
existência de lucros normais no longo prazo, se verifica.
quando não existem barreiras à entrada de novas 665) Se um monopolista natural produzir de
empresas no setor. maneira eficiente, ele conseguirá cobrir seus
657) A existência de monopólio bilateral induz os custos e, consequentemente, obter lucros
empresários a promoverem uma negociação bastante elevados.
recíproca para a definição de preços. 666) A permissão para que o monopolista
658) De acordo com o modelo da demanda pratique discriminação de preços leva a perdas
quebrada, os preços praticados pelos na economia e, portanto, deve ser combatida
oligopolistas tendem a se tornar relativamente pelos órgãos do Estado.
estáveis, pois as curvas de demanda são 667) Em oligopólios, verificam-se curvas de
elásticas para preços acima do preço de demanda quebrada por ocorrer rigidez de
equilíbrio e inelásticas para preços abaixo do alterações de preços somente para cima. Daí, a
preço de equilíbrio. tendência de formação de cartel.
Codeba, Cespe, 2006. 668) Elasticidades-preço cruzadas em mercados
de bens com competição monopolística são
elevadas mas não são infinitas, pois tais bens
Nas economias de mercado, os preços se formam não são substitutos perfeitos.
diferentemente, segundo as estruturas de mercado Ministério da Saúde, Cespe, 2009.
vigentes. A esse respeito, julgue os itens a seguir.
659) Em presença de imperfeições de mercado,
quando o preço que uma firma obtém pelo seu Julgue os itens subseqüentes.
produto é superior ao custo marginal, a hipótese 669) A elasticidade preço da demanda é a relação
de maximização de lucros requer que a firma entre a variação percentual da quantidade
aumente sua produção. demandada e a variação percentual do preço.
660) A presença de economias de escala, 670) Em um mercado de concorrência perfeita, a
caracterizada pela existência de custos médios firma não tem capacidade de fixar o preço.
decrescentes, em uma dada indústria, pode

DSc Cursos Página 95


DSc Cursos

671) Um monopólio maximiza seu lucro quando 676) Nessas feiras e mercados, ao contrário do
o custo marginal é igual ao preço. que ocorre nos casos de concorrência perfeita,
672) Para que uma firma maximize seu lucro, os os monopolistas maximizam seus lucros na
salários que ela paga devem ser iguais à venda de produtos cujos custos marginais se
produtividade média, ou seja, à produtividade igualem às receitas marginais.
por unidade de trabalho. 677) Considerando-se que a comercialização de
673) Uma isoquanta pode ser definida como o açaí no mercado Municipal esteja em
conjunto de distintas combinações de insumos concorrência perfeita, se, após essa
que possibilitam obter a mesma quantidade de comercialização, ela for centralizada por um
produto. vendedor, conclui-se que haverá perdas sociais.
TJ/AC, Cespe, 2002. 678) Se houver oligopólio no comércio de ervas
do Ver-o-Peso, os preços dessas ervas serão
superiores aos custos marginais e aos custos
674) Temas relacionados à teoria da produção e à médios.
formação de preço nos diferentes ambientes de 679) A permissão para que vendedores
mercado são importantes para o entendimento monopolistas pratiquem discriminação de
dos fenômenos econômicos. Acerca do assunto, preços resulta em maior ineficiência nesses
assinale a opção correta. mercados
(A) Quando a tecnologia é caracterizada por BASA, Cespe, 2012.
coeficientes fixos entre os diferentes
insumos, nenhum fator pode apresentar
produtividade marginal nula. A análise das estruturas de mercado é crucial para
(B) Em mercados competitivos, a maximização se compreender a formação dos preços nos
dos lucros das empresas que atuam na diferentes setores da economia. A esse respeito,
indústria, no curto prazo, exige que a receita julgue os itens subseqüentes.
marginal seja superior ao custo marginal. 680) No mercado farmacêutico, a quebra do
(C) A cartelização bem-sucedida de uma monopólio de mercado de um medicamento,
determinada indústria, além de exigir que o causada pela expiração da patente, abre espaço
cartel controle uma parcela significativa da para a produção do genérico equivalente e
produção, requer, também, que a demanda conduz à redução do preço desse produto.
total de mercado pelo bem transacionado 681) No equilíbrio de curto prazo, firmas que
seja preço-elástica. atuam em mercados competitivos não podem
(D) De acordo com o índice de Lerner, o poder auferir lucros econômicos positivos em razão da
de monopólio de uma empresa é tanto maior forte pressão sobre os preços que caracteriza
quanto mais elevada for a diferença entre o esses mercados.
preço fixado pela empresa e o seu custo 682) O mercado automobilístico constitui um
marginal. exemplo típico de oligopólio porque, nesse
(E) No longo prazo, os lucros econômicos das mercado, a demanda é atendida por poucas
empresas que atuam em um mercado onde firmas, que transacionam um produto
prevalece a concorrência monopolística são homogêneo, atuam de forma independente e
nulos, o que faz que esse regime de confrontam-se com uma curva de demanda
concorrência, do ponto de vista da eficiência perfeitamente inelástica.
econômica, se equivalha aos mercados 683) Grandes lojas de departamento, como as
competitivos. encontradas em shopping centers espalhados
CHESF, Cespe, 2002. pelas grandes cidades e por todo Brasil, são
exemplos de diferenciação de produto,
resultante da concorrência monopolística.
Há, na região Norte, feiras tradicionais e mercados 684) Serviços públicos locais, tais como água e
populares como o Ver-o-Peso, em Belém, e o eletricidade, são exemplos de monopólios
Municipal, em Manaus. Com relação a esses tipos naturais, cujo fundamento encontra-se na
de mercado, julgue os próximos itens. barreira potencial à entrada, representada pelas
675) Vendedores de bens com demanda inelástica economias de escala, que caracterizam a
tendem a ter baixo poder de monopólio. produção desses serviços.

DSc Cursos Página 96


DSc Cursos

BASA, Cespe, 2007. EGPA, Cespe, 2005

685) A determinação dos preços de mercado 687) Nas economias de mercado, o estudo do
considera as interações entre a oferta e a ambiente de mercado é fundamental à
demanda bem como o regime de concorrência compreensão da determinação dos preços.
que prevalece no mercado analisado. A respeito Acerca desse assunto, assinale a opção correta.
desse assunto, assinale a opção correta. (A) Tanto as empresas competitivas, como as
(A) Hotéis e pousadas costumam ser mais caros firmas que atuam em mercados
na alta temporada pelo fato de a elasticidade monopolistas, apresentam lucros
preço da demanda por esses serviços de econômicos puros, no longo prazo, em
hotelaria ser mais elevada durante esses virtude de não haver substituto para os
períodos. produtos transacionados nesses mercados.
(B) Firmas que operam em mercado (B) A existência de economias crescentes de
caracterizado pela concorrência monopólica, escala explica porque os serviços de
confrontam-se com uma curva de demanda abastecimento de água e esgotamento
perfeita elástica. sanitário, no Pará, são providos pela
(C) Nos oligopólios, as poucas empresas que Companhia de Saneamento do Estado do
dominam o mercado, a exemplo das firmas Pará (COSANPA), que funciona como um
competitivas, fixam seus preços ao nível do monopólio natural.
custo marginal. (C) Embora os mercados oligopolistas sejam
(D) Leis antitruste e esquemas de regulação de produtivamente eficientes, já que neles as
preços são duas importantes políticas que firmas produzem no ponto mínimo de sua
podem reduzir as ineficiências causadas curva de custo médio, eles não apresentam
pelos monopólios. eficiência alocativa porque fixam os preços
FCPTN, Cespe, 2007. acima do custo marginal.
(D) A existência de acordo entre concorrentes,
seja para fixar margens de lucro, descontos
686) A análise da formação de preços no mercado ou aumentos simultâneos de preços, não
de bens e de fatores é importante para se define a cartelização do mercado e, portanto,
entender o funcionamento da economia, tal conduta não é passível de punição pelos
sobretudo no que tange às questões de organismos de defesa da concorrência.
competitividade e distribuição de renda. A esse Polícia Civil/PA, Cespe, 2007.
respeito, assinale a opção correta.
(A) A fixação de um salário em um mercado
perfeitamente competitivo pode gerar No que diz respeito à economia da concorrência,
desemprego e perda de bem-estar. julgue os itens a seguir.
(B) Em relação aos mercados competitivos, os 688) O mark-up e o poder de monopólio de uma
monopólios fixam preços mais elevados, empresa serão tanto maiores quanto menor for a
porém, ofertam níveis maiores de produto. elasticidade preço da demanda dos bens
(C) Nos setores oligopolizados, o fator trabalho produzidos por essa empresa.
é remunerado pelo valor de sua 689) O fato de muitos postos de gasolina, em
produtividade marginal. várias cidades brasileiras, praticarem
(D) De acordo com o índice de Lerner, o poder paralelismo de preços é suficiente para
de monopólio de uma empresa é tanto maior estabelecer que essas empresas constituem um
quanto menor for a diferença entre o preço cartel, caso em que são passíveis de punição no
fixado pela empresa e o seu custo marginal. âmbito da legislação antitruste.
(E) A regulação dos preços de um monopolista 690) No Brasil, a política de concorrência, além
discriminador de preços, por meio da de incluir a liberalização comercial, que expôs a
fixação de um único preço nos diferentes indústria brasileira à competição externa,
mercados, aumentará o bem-estar dos contém, também, esquemas regulatórios
consumidores, porém, não reduzirá os lucros destinados a impedir condutas que impliquem
monopolistas.

DSc Cursos Página 97


DSc Cursos

abusos de mercado, melhorando, assim, as complementares que não tenham ligação com o
condições de competição no mercado interno. objeto desses contratos (as chamadas cláusulas
691) A propriedade ou o controle de insumos de tie-in).
essenciais à produção constitui uma forma de 700) O suposto acordo entre empresas
barreira à entrada e, nesse sentido, podem farmacêuticas, no Brasil, para boicotar
explicar a existência de imperfeições de distribuidores que vendiam medicamentos
mercado, tais como os monopólios e os genéricos ilustra um tipo de conduta classificáv
oligopólios. el como um caso de cartel.
692) Restrições verticais correspondem a 701) No âmbito das políticas regulatórias no
quaisquer arranjos entre elos da cadeia do Brasil, a posição dominante, baseada no elevado
fabricante ao varejista que limitam a autonomia percentual do mercado (market share) é
desses agentes para definir suas próprias apenada, independentemente de haver ou não
políticas comerciais e escolher os seus parceiros prejuízo à livre concorrência.
nas transações. 702) Para promover a defesa da concorrência no
693) Os custos de eficiência das fusões e setor de telecomunicações no Brasil, além de os
aquisições são nulos porque a unificação de preços não serem regulados, as participações
plantas promove o melhor uso de recursos, acionárias cruzadas entre fornecedores de
reduz custos e permite operar em escala serviços fixos e móveis também são permitidas.
compatível com congêneres estrangeiras, Anatel, Cespe, 2004.
fortalecendo, assim, a posição competitiva da
empresa.
694) No caso das práticas verticais, o principal 703) Nas economias de mercado, os preços se
efeito anticoncorrencial é o de reduzir ou formam diferentemente segundo as estruturas de
eliminar a concorrência no mercado relevante, mercado vigentes. Portanto, o estudo dessas
por exemplo, por meio da formação de cartéis e estruturas é fundamental para o entendimento
outros acordos entre empresas ou mediante o do sistema de preços. A esse respeito, assinale a
uso de preços predatórios. opção correta.
695) Os fatores que definem o mercado relevante (A) Para as empresas que atuam em ambientes
incluem, entre outros, a identificação das competitivos, no equilíbrio de curto prazo, a
barreiras à entrada, assim como as condições de competição entre firmas obriga-as a fixar o
entrada, a descrição da estrutura do mercado, a preço ao nível do custo médio, anulando,
identificação do padrão de competição e os assim, os lucros econômicos dessas
competidores ou entrantes potenciais. empresas.
696) As inovações tecnológicas no setor de (B) Nos mercados organizados sob a forma de
telecomunicações, ao reduzirem os custos fixos, monopólio, o preço será tanto maior quanto
permitindo, assim, uma maior divisibilidade da mais inelástica for a curva de demanda com
produção, contribuem para estimular a a qual se confrontam as firmas que
competição nesse setor. compõem esses mercados.
697) Ocorre posição dominante quando uma (C) Na concorrência monopolista, no equilíbrio
empresa ou grupo de empresas controla uma de longo prazo, a diferenciação de produtos
parte significativa do mercado relevante, possibilita a existência de lucros
unicamente, como fornecedor dos produtos econômicos substanciais para as firmas que
comercializados nessa indústria. operam nesse tipo de mercado.
698) A regulação parcial sobre preços por meio (D) Os gastos substanciais com propaganda e
da fixação de limites superior e inferior de publicidade na indústria de cigarros, com as
preços pode evitar, após a entrada de diferentes marcas competindo para
concorrentes, a colusão e o conseqüente abuso conseguir expandir suas respectivas parcelas
de poder de mercado com preços muito altos, ou de mercado, fazem parte da estratégia
preços predatórios para eliminar competidores. padrão utilizada pelos oligopólios que
699) Um processo de cartelização bem-sucedido, transacionam produtos homogêneos.
além de exigir que a demanda de mercado seja UEPA, Cespe, 2008.
preço-elástica, subordina, também, a celebração
dos contratos à aceitação de obrigações

DSc Cursos Página 98


DSc Cursos

704) É correto afirmar: fatores sistêmicos que determinam a


(A) Na Concorrência Perfeita não há a competitividade das empresas.
possibilidade da entrada de outros agentes Inmetro, Cespe, 2007.
econômicos no mercado, sejam eles
ofertantes ou demandantes.
(B) No modelo da curva de demanda quebrada, análise das estruturas de mercado, tanto
é adotada a hipótese de que, no mercado competitivas quanto não-competitivas, é
oligopolista, os preços das empresas fundamental para o entendimento da formação do
concorrentes são flexíveis para cima e sistema de preços. Com relação a esse assunto,
rígidos para baixo. julgue os itens subseqüentes.
(C) Uma firma monopolista maximiza seu lucro 710) Em mercados competitivos, o fato de as
quando iguala a receita marginal a seu custo firmas individuais serem tomadoras de preço
marginal, embora estes valores sejam (price takers) faz que a curva de demanda com a
inferiores ao preço por ela praticado. qual essas firmas se confrontam seja
(D) Na Concorrência Monopolística, o perfeitamente elástica.
equilíbrio de mercado ocorre a um preço 711) Em uma indústria competitiva, caracterizada
superior àquele que se alcançaria na pela existência de custos decrescentes, a curva
Concorrência Perfeita devido à presença de de oferta de longo prazo é negativamente
poucos consumidores no mercado. inclinada.
(E) Na Concorrência Perfeita, cada firma se 712) Sairá do mercado a firma competitiva que
depara com uma curva de demanda com auferir lucros econômicos nulos no longo prazo.
elasticidade-preço positiva e finita. 713) Na concorrência monopolista, a
ARCE, FCC, 2012. maximização dos lucros requer que as empresas
fixem o preço do seu produto no nível do custo
marginal.
A análise das estruturas de mercado e dos padrões 714) Para permanecerem no mercado, as firmas
de competitividade são aspectos importantes para o que atuam em concorrência monopolista
estudo da economia industrial. Acerca desse utilizam práticas de concorrência extrapreço,
assunto, julgue os itens subseqüentes. tais como a diferenciação do produto e o uso de
705) A fixação de um mark up mais elevado, em publicidade.
produtos de marcas bem conhecidas, é Senado, Cespe, 2002.
consistente com a regra do inverso da
elasticidade-preço.
706) O mercado da aviação é contestável porque Nas economias de mercado, os preços se formam
a mera possibilidade de entrada nesse mercado é diferentemente segundo as estruturas de mercado
suficiente para disciplinar as ações das empresas vigentes. A esse respeito, julgue os itens que se
que nele atuam e, portanto, não requer a fixação seguem.
de um marco regulatório. 715) A elevada substituabilidade de produtos
707) As forças que definem as vantagens agrícolas, associada ao fato de que na
competitivas de uma indústria incluem a ameaça agricultura, em comparação com outras
de novos entrantes, a possibilidade de indústrias, existem poucas barreiras à entrada,
surgimento de bens substitutos para os produtos contribui para que as condições de concorrência
fabricados pela empresa e a existência de perfeita sejam atendidas nos mercados
rivalidade entre as firmas que compõem o setor. agrícolas.
708) Os diferentes elos que compõem a cadeia 716) O fato de que os monopólios podem
produtiva da construção civil incluem os deliberadamente restringir seus lucros para
fornecedores de insumos, tais como os de desencorajar o surgimento de competidores
madeira, aço e cimento, porém excluem os potenciais é incompatível com a política de
compradores dos imóveis, consumidores finais preço, conhecida como preço limite.
desse produto. 717) Considere o fato de que, recentemente, os
709) As características do mercado consumidor, a dois principais grupos produtores de aços
configuração da indústria e a disponibilidade de longos do país, Gerdau e Arcelor Mittal (ex-
infra-estrutura constituem exemplos típicos de Belgo Siderurgia), reajustaram os preços do

DSc Cursos Página 99


DSc Cursos

mesmo tipo de produto em 9,6% (Diário do 725) Contrariamente à Organização dos Países
Comércio, BH, 15/2/2008). Tal fato pode ser Produtores de Petróleo (OPEP), o cartel do
visto como prática colusiva, adotada pelas cobre, denominado Conselho
empresas no intuito de maximizar seus lucros. Intergovernamental dos Países Exportadores de
718) A busca de um nicho de mercado, por meio Cobre (CIPEC), não consegue elevar muito o
do atendimento de necessidades específicas do preço desse metal pelo fato de a demanda
consumidor, constitui uma estratégia mundial de cobre ser bem mais inelástica que a
competitiva típica de empresas que atuam em demanda de petróleo.
mercados organizados sob a forma de 726) Em mercados organizados sob a forma de
concorrência monopolística. concorrência monopolística, cada empresa
719) Em mercados organizados sob a forma de confronta-se com uma curva de demanda
concorrência monopolística, os preços são negativamente inclinada, porém bastante
fixados ao nível do custo marginal. elástica. Em relação à teoria da produção, julgue
FUB, Cespe, 2008. os itens que se seguem.
727) Supondo-se que a produção de serviços
administrativos, em determinado órgão público,
As empresas utilizam diferentes estratégias para exija um computador para cada dois
enfrentar a acirrada concorrência nos mercados em funcionários, então a taxa marginal de
que atuam. Com relação a esse assunto, julgue os substituição técnica (TMST) entre
itens seguintes. computadores e funcionários é decrescente.
720) A premiação com preços promocionais de 728) Em presença de rendimentos crescentes de
adesão, mais baixos que aqueles pagos por escala na fabricação de determinado bem, é
clientes mais antigos, exemplifica a estratégia economicamente mais vantajoso concentrar a
de discriminação de preços baseada no produto. produção em uma única empresa que dispersá-la
721) A diferenciação dos produtos, que define o entre muitas empresas pequenas.
padrão de concorrência da indústria de 729) Aumentos da produtividade média dos
refrigerantes, apóia-se sobretudo no fato de que trabalhadores, para dado estoque de capital,
a elasticidade preço da demanda de refrigerantes elevam o padrão de vida desses assalariados,
é muito elevada, aumentando assim a porém não alteram a função de produção, nem
sensibilidade do consumo dessas bebidas em tampouco o valor agregado da economia.
relação a alterações de preços dos seus Prefeitura de Rio Branco, Cespe, 2007.
concorrentes.
722) A rivalidade entre firmas tende a se acentuar
quando a demanda pelos produtos por elas Nas modernas economias, o estudo do ambiente de
comercializados se expande rapidamente e mercado é crucial para se entender a formação dos
quando os custos incorridos pelos consumidores preços. Com relação a esse tipo de estudo, julgue os
na troca de uma marca por outra são elevados. itens a seguir.
723) Estratégias de liderança de custos funcionam 730) Em mercados competitivos, um grande
bem quando o mercado é dominado pela número de firmas, protegidas por barreiras à
concorrência via preços. entrada de ordem tecnológica, vende produtos
FUB, Cespe, 2008. padronizados.
731) Em muitos cinemas, a cobrança de ingressos
mais baratos durante a semana justifica-se pelo
Nas economias de mercado, os preços se formam fato de as elasticidades preço da demanda por
diferentemente segundo as estruturas de mercado esse serviço serem mais elevadas nos períodos
vigentes. A esse respeito, julgue os itens a seguir. em que a tarifa é reduzida.
724) A monopolização do mercado de novos 732) Em mercados monopolistas, a curva de
medicamentos contra doenças cardíacas e oferta corresponde à curva de custo marginal,
depressão que fixe os preços desses produtos determinada pela tecnologia que prevalece
acima dos custos marginais de produção é nesses mercados.
consistente com o fato de que esses novos 733) No equilíbrio competitivo de longo prazo, os
remédios são bem mais caros que medicamentos lucros econômicos são nulos, implicando,
que já possuem versões genéricas no mercado. assim, que as receitas cobrem a totalidade dos

DSc Cursos Página 100


DSc Cursos

custos, incluindo-se aí os custos de marcas conhecidas, fabricados pelas


oportunidade de todos os fatores produtivos. empresas dominantes no mercado, não altera
734) A concorrência monopolista envolve um a elasticidade da demanda das firmas
número relativamente grande de firmas que dominantes, em razão de essas empresas
operam de forma não-colusiva e produzem um deterem elevadas participações nos
produto homogêneo mercados em que atuam.
Petrobrás, Cespe, 2001. (B) Quando um pequeno número de firmas
detém uma parcela substancial do mercado
relevante, em razão da disputa pela liderança
735) Nas economias de mercado, os preços se desse mercado, esse elevado grau de
formam diferentemente segundo as estruturas de concentração reduz a probabilidade de
mercado vigentes. Portanto, o estudo dessas sucesso de um conluio para fixação de
estruturas é fundamental para o entendimento preços nessa indústria.
do sistema de preços. A esse respeito, assinale a (C) A curva de oferta de curto prazo de uma
opção correta. firma competitiva corresponde à parte da
(a) Em um mercado oligopolista, quando sua curva de custo marginal em que o custo
apenas uma firma faz propaganda com o variável médio excede o custo marginal.
intuito de diferenciar seu produto, sua curva (D) Postos de gasolina, por usarem a locação
de demanda torna-se mais elástica, para diferenciarem seus produtos, fixarem
contribuindo, assim, para elevar o seu poder os preços acima do custo marginal e
de mercado. auferirem lucros econômicos positivos no
(b) Barreiras à entrada, que constituem curto prazo, constituem bons exemplos de
importante fonte de poder de mercado e de concorrência monopolística.
lucros, decorrem da existência de fatores (E) Em razão de, no equilíbrio de longo prazo, o
como economias de escala, patentes e preço cobrir apenas o custo médio de
licenças, porém, não podem ser erigidas produção, e supondo-se que o mercado de
pelas próprias empresas. segurança privada seja competitivo, a
(c) No longo prazo, os lucros econômicos das redução do preço desses serviços,
empresas que atuam em um mercado em provocada, por exemplo, pela melhoria das
que prevalece a concorrência monopolista condições de segurança pública, levará todas
são nulos, tornando, assim, esse regime de as firmas envolvidas nesse setor a encerrar
concorrência, do ponto de vista da eficiência suas atividades.
econômica, equivalente aos mercados INPI, Cespe, 2006.
competitivos.
(d) As barreiras à entrada assentadas na
diferenciação de produto, para as empresas As formas de mercado podem ser modeladas de
já existentes, se fazem presentes quando forma a captarem características inerentes à
estas têm acesso exclusivo a determinados organização desses mercados. Assim, algumas
ativos ou recursos, o que lhes permite hipóteses serão levantadas quanto à interação da
fabricar com a mesma escala de produção de oferta e da demanda, conforme as características
um entrante potencial. observadas nesses mercados. Com relação a esse
(e) A existência de economias de escopo na assunto, julgue os itens que se seguem.
produção de determinados bens é 737) A curva de receita marginal da firma
compatível com a utilização de processos monopolista corresponde à curva de demanda
produtivos que envolvam deseconomias de do mercado.
escala 738) O monopolista, por estar só no mercado,
INPI, Cespe, 2006. caracteriza-se por cobrar o preço máximo que
desejar, para maximizar o lucro.
739) O preço de um produto não é determinado
736) Ainda sobre as diferentes estruturas de por uma firma, caso haja concorrência perfeita.
mercados, assinale a opção correta. 740) O lucro de uma firma em concorrência
(A) No mercado farmacêutico, a introdução de perfeita tende para zero no longo prazo e, por
genéricos destinados a substituir produtos de

DSc Cursos Página 101


DSc Cursos

isso, as firmas tendem a encerrar suas mercado vigentes. A esse respeito, assinale a
atividades. opção correta.
741) Em mercados com concorrência (A) O fato de que, para as bibliotecas de
monopolística, há heterogeneidade entre as universidades, o preço da assinatura de
características físicas dos bens. periódicos científicos é mais elevado que
742) Em mercados oligopolistas, os produtos têm aquele cobrado aos particulares colide com a
alta elasticidade-preço cruzada. existência de discriminação de preços no
743) Conflitos entre monopolistas bilaterais mercado dessas publicações.
resultam, via de regra, em preços em níveis da (B) A produção de serviços de transporte de
concorrência perfeita. massa como o metrô caracteriza-se pelo fato
BASA, Cespe, 2006. de os custos marginais de produção desses
serviços serem superiores aos custos
médios.
744) Nas economias de mercado, o estudo dos (C) Em mercados organizados sob a forma de
regimes de competição é fundamental para o concorrência monopolista, a existência de
entendimento do sistema de preços. A esse barreiras à entrada, associada à
respeito, assinale a opção correta. diferenciação do produto, garante a
(A) A existência de custos fixos elevados, em existência de lucros econômicos
determinada indústria, requer que eles sejam substanciais para as empresas estabelecidas
partilhados entre muitos produtores e, nesse mercado, mesmo no longo prazo.
portanto, estimula a competição nessa (D) Quando as empresas anunciam que, para um
indústria. dado produto, cobrem qualquer preço da
(B) Em virtude de a produção de laranja se concorrência, esse tipo de comportamento é
caracterizar pela existência de custos consistente com a redução das instabilidades
constantes, a geada que atingiu a Flórida, associadas à cartelização.
em 1996, expandiu a demanda pela laranja (E) A alta dos custos de produção de todas as
brasileira, aumentou, no curto prazo, o preço empresas de uma indústria competitiva
desse produto, atraindo novos produtores, conduz à expansão da produção dessa
porém, no longo prazo, o aumento da oferta indústria, compensando, assim, a redução
pressionou os preços para baixo, fazendo-os dos lucros decorrente da alta dos preços.
voltar ao seu nível original. Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2008.
(C) As restrições impostas pelo governo
brasileiro à compra da empresa Garoto pela
Nestlé decorrem do fato de os produtos Ainda acerca dos aspectos apontados no texto,
fabricados por essas empresas serem bens julgue os seguintes itens, relativos a
complementares e, portanto, uma fusão microeconomia.
levaria à redução da concorrência e, 746) O paradoxo de Giffen, que constitui uma
conseqüentemente, à alta dos preços. exceção à regra geral da demanda, é consistente
(D) Firmas monopolistas não reguladas que com a existência de uma curva de demanda
maximizam seus lucros produzirão no ponto positivamente inclinada para determinados
em que o preço iguala-se ao custo marginal. bens.
(E) Uma rede de restaurantes italianos de uma 747) A essencialidade do produto é um fator
grande cidade, que possui cardápios e pratos determinante de sua elasticidade preço-
ligeiramente diferenciados, constitui um demanda, ou seja, quanto menos essencial é um
exemplo típico de concorrência bem, maior será sua elasticidade preço-
monopolística e, portanto, no equilíbrio de demanda.
longo prazo, fixa seus preços ao nível da 748) O modelo conhecido como mark-up, dentro
receita marginal. do estudo da estrutura de mercado monopolista,
EGPA, Cespe, 2005 é apontado como um exemplo de causa de
inflação de custos.
749) A estrutura de um mercado em concorrência
745) Nas economias de mercado, os preços se perfeita, no qual inexistiriam desvantagens,
formam diferentemente segundo as estruturas de seria o ideal para o consumidor; contudo, ele é

DSc Cursos Página 102


DSc Cursos

praticamente inexistente no contexto da A microeconomia estuda o comportamento


economia mundial. individual dos agentes econômicos e, por essa
750) Dentro da estrutura de mercado oligopolista, razão, constitui um sólido fundamento à análise dos
tem-se, como ponto desfavorável, a formação de agregados econômicos. Acerca desse assunto,
cartéis, o que contraria o regular funcionamento julgue os itens subseqüentes.
da ordem econômica. 752) Se a queda recente dos preços das passagens
Anatel, Cespe, 2009. aéreas, no Brasil, em determinados horários e
em disponibilidade limitada, conduzir à
expansão da receita das companhias aéreas,
751) O entendimento dos padrões de então, será correto concluir que a demanda de
concorrência, que determinam tanto a inserção bilhetes de avião é inelástica em relação aos
da firma na estrutura produtiva como as preços.
estratégias empresariais de concorrência, é 753) Os avanços tecnológicos que estão
fundamental para a compreensão do ocorrendo na telefonia celular, por aumentarem
funcionamento dos mercados. A respeito desse a produtividade desse setor, deslocam a curva
assunto, assinale a opção correta. de oferta para baixo e para a direita e, ceteris
(A) Em situações de negociação, uma das partes paribus, contribuem para expandir a oferta e
pode obter uma vantagem estratégica ao aumentar o preço desses serviços.
limitar sua própria flexibilidade. 754) No longo prazo, os níveis de utilidade
(B) A compra da empresa norte-americana aumentam porque as curvas de demanda tendem
Reebok International pela concorrente alemã a ser mais elásticas e reduzem, assim, o
Adidas Salomon, recentemente anunciada, excedente do consumidor.
irá gerar ganhos de escala que se traduzirão 755) A inclinação da restrição orçamentária,
em preços mais baixos e em maior determinada pelos preços relativos dos bens,
quantidade transacionada, elevando, assim, indica que o gasto total com os diferentes bens
os níveis de bem-estar dos consumidores de não pode exceder a renda real do consumidor.
artigos esportivos. 756) Se, para um consumidor, a apreciação
(C) Para estimular a competição nos mercados o recente do real frente ao dólar estadunidense,
governo deve regulamentar os mercados em com a conseqüente redução do preço dos
que o índice de Herfindahl- Hirschman seja produtos importados dos Estados Unidos da
igual ou próximo de zero porque, nesses América, não alterar o gasto com esses
casos, o grau de monopolização dessas produtos, então, a elasticidade preço da
indústrias tende a ser elevado. demanda por esses bens desse indivíduo é
(D) Na vertente desempenho, a competitividade unitária.
decorre da capacidade de uma 757) Suponha que o setor de distribuição de
firma/indústria produzir bens com maior derivados de petróleo funcione em regime de
eficácia que os concorrentes, no que se concorrência monopolista. Então, a
refere à relação preço-qualidade, à maximização dos lucros requer que o preço
tecnologia, aos salários e à produtividade, e, fixado pelas empresas desse setor seja igual ao
portanto, refere-se às condições específicas custo marginal.
em que se realiza a produção vis-à-vis à 758) O ponto de break even, para uma firma
concorrência. competitiva, ocorre no nível de produção para o
(E) Na estratégia de diferenciação, a capacitação qual o custo marginal é igual ao custo médio.
de montagem e de coordenação da cadeia de 759) Durante a época das festas de Natal e Ano-
fornecedores, a flexibilidade organizacional Novo, quando as empresas, para poderem
e a imagem de marca constituem fatores atender o aumento da demanda típico desse
estruturais que fundamentam as vantagens período, contratam mais trabalhadores, estão
competitivas da firma/indústria. realizando um ajustamento de longo prazo.
INPI, Cespe, 2006. 760) Nos cinemas de Brasília, a cobrança de
ingressos mais baratos nas quartas-feiras reflete
QUESTÕES DE REVISÃO o comportamento não competitivo das empresas
de cinema da capital e justifica-se pelo fato de
as elasticidades preço da demanda por esse

DSc Cursos Página 103


DSc Cursos

serviço serem mais elevadas nos períodos em constitui um exemplo de monopólio


que a tarifa é reduzida. discriminador de preços.
761) No modelo da curva de demanda quebrada, 769) O modelo de concorrência monopolística
as empresas oligopolistas se defrontam com serve para descrever o ambiente de mercado em
uma curva de demanda, que é mais elástica para que atua o sistema bancário no Brasil, já que ele
preços superiores àqueles que prevalecem no se caracteriza pela existência de concorrência
mercado e mais inelástica no caso contrário. acirrada entre bancos, manifestada por meio de
762) No monopólio, a discriminação de preço, ao publicidade agressiva e lançamento de novos
separar os consumidores de acordo com produtos e serviços, com o intuito de atrair
diferentes características, permite cobrar mais novos clientes.
caro nos mercados cujas elasticidades preços 770) Mantendo-se constantes todos os fatores
são mais baixas, ocorrendo o contrário nos produtivos exceto um, a lei dos retornos
mercados caracterizados por elasticidades decrescentes postula que, além de certo nível do
preços mais elevadas, o que permite expandir os insumo variável, adições subsequentes desse
lucros monopolistas. insumo variável reduzem o seu produto
ANS, Cespe, 2005. marginal.
Governo do Distrito Federal, Cespe, 2004.

A análise microeconômica compreende o estudo do


comportamento individual dos agentes econômicos A teoria microeconômica trata do processo de
e, por essa razão, constitui um sólido fundamento à decisão dos agentes econômicos, incluindo-se aí,
análise dos agregados econômicos. A esse respeito, consumidores e produtores. A esse respeito, julgue
julgue os itens seguintes. os itens a seguir.
763) Se carne bovina e pescado forem bens 771) A expansão da produção de biodísel,
substitutos, então um aumento no preço do fabricado a partir de oleaginosas, desloca a
pescado deslocará, simultaneamente, para baixo curva de oferta de combustível, no Brasil, para
e para a direita, as curvas de oferta e de baixo e para a direita.
demanda de lagostas. 772) No mercado de TV a cabo, se o aumento do
764) A redução das contribuições sociais que preço elevar a receita das empresas que
incidem sobre a folha de pagamentos de uma fornecem esses serviços, então a demanda por
empresa produtora de automóveis reduz os esses serviços é infinitamente preço-elástica.
custos da empresa e, ceteris paribus, desloca a 773) O fato de clientes de empresas de telefonia
curva de oferta para baixo e para a direita, móvel só assinarem pacotes que implicam maior
provocando, assim, um aumento da oferta uso dos celulares se as tarifas médias (por
desses produtos. minuto) forem mais baixas à medida que o uso
765) Considerando que a demanda de aumenta é consistente com a idéia de taxa
medicamentos é inelástica em relação ao preço, marginal de substituição decrescente entre
então um aumento no preço conduzirá a uma telefonia celular e os demais bens.
redução substancial nas vendas desses produtos. 774) O sistema de vale-alimentação, em que as
766) Para um consumidor racional, a taxa famílias de baixa renda recebem gratuitamente
marginal de substituição entre notas de cem tíquetes que somente podem ser usados para
reais e notas de cinquenta reais é decrescente e comprar alimentos, como não modifica o preço
será tanto mais baixa quanto maior for seu nível dos alimentos, não possui efeito substituição e,
de renda. portanto, equivale a uma transferência de renda.
767) A combinação de produtos que maximiza a 775) O custo marginal corresponde ao acréscimo
utilidade do consumidor estará sobre a curva de no custo total decorrente da variação de uma
indiferença mais elevada que o consumidor unidade na produção da empresa.
conseguir atingir observada a sua restrição 776) Em razão da lei de rendimentos
orçamentária. decrescentes, quando a produtividade média do
768) Em muitos países, a cobrança de passagens fator trabalho atinge seu ponto máximo, o
de trem e metrô mais caras nos horários de pico produto marginal é nulo e a produção total
do que durante o resto do dia quando viajam cresce a taxas crescentes.
passageiros cuja demanda é mais preçoelástica

DSc Cursos Página 104


DSc Cursos

777) No equilíbrio de curto prazo, as empresas 787) Postos de gasolina, por usarem a locação
competitivas fixam sua produção no nível em para diferenciar seus produtos, por fixarem os
que os lucros são nulos excluindo, assim, a preços acima do custo marginal e por auferirem
possibilidade de eventuais prejuízos. lucros econômicos positivos, no curto prazo,
778) Em muitos países, o mercado de distribuição constituem bons exemplos de concorrência
de energia elétrica funciona como um monopolística.
monopólio natural, porque os elevados custos 788) Devido à presença de barreiras à entrada no
fixos fazem com que uma única empresa possa setor, um monopolista pode escolher quaisquer
suprir esse mercado a custos mais baixos do que níveis de preço e produção, independentemente
se houvessem mais empresas no setor. da curva de demanda do mercado em que ele
779) Quando o preço com o qual se confronta atua.
uma empresa oligopolista supera o custo 789) Um caso típico de oligopólio colusivo
marginal, a maximização de lucros exige que ocorre quando várias empresas formam um
essa empresa aumente seus níveis de produção. cartel e atuam, no mercado, como um
780) Em mercados organizados sob a forma de monopólio puro.
concorrência monopolista, muitas empresas, que Prefeitura de Boa Vista, Cespe, 2004.
fabricam um produto homogêneo, fixam seus
preços acima do custo marginal e confrontam-se
com uma curva de demanda de mercado A teoria microeconômica estuda o processo de
perfeitamente inelástica. decisão dos agentes econômicos, incluindo-se, aí,
MDS, Cespe, 2006. consumidores e produtores. A esse respeito, julgue
os itens a seguir.
790) Considerando que, de acordo com o Estado
A microeconomia trata do estudo do de S. Paulo (31/8/2007), o Ministério da
comportamento individual dos agentes econômicos Fazenda está preparando a implantação de
e, por essa razão, constitui um sólido fundamento à desonerações fiscais para o setor hoteleiro, é
análise dos agregados econômicos. A esse respeito, correto afirmar que tais desonerações, quando
julgue os itens que se seguem. forem implementadas, deslocarão a curva de
781) Considerando que um aumento de 10% no oferta desse setor para baixo e para a direita.
preço das passagens aéreas reduza em 30% o 791) A redução da demanda por conversões de
número de passagens comercializadas, então a veículos para utilização de gás natural veicular
elasticidade-preço da demanda é igual a 0,33. (GNV) é compatível com a baixa recente do
782) O aumento do salário mínimo, anunciado preço do álcool, que, atualmente, em algumas
recentemente pelo governo, deslocará a curva de regiões, está praticamente igual ao preço do
oferta das empresas competitivas que atuam no GNV.
setor hoteleiro para cima e para a esquerda. 792) No equilíbrio do consumidor, a inclinação
783) A venda de ingressos por cambistas, em da restrição orçamentária, dada pelo preço
eventos musicais, por preços bem acima relativo dos bens, é superior àquela da curva de
daqueles fixados, representa uma transação indiferença.
econômica em que os ingressos são 793) A afirmação de que é inútil ter um
redistribuídos daqueles que os valorizam menos automóvel se não se dispõe de recursos para
para aqueles que os valorizam mais. comprar combustível é consistente com a
784) A existência de produtividade marginal existência de uma taxa marginal de substituição
decrescente só é compatível com funções de decrescente entre esses dois bens.
produção que apresentem rendimentos de escala 794) Pneus recauchutados constituem exemplos
também decrescentes. típicos de bens inferiores.
785) A inclinação da restrição orçamentária 795) Na agricultura, a presença de muitos
depende dos preços relativos dos bens e da estabelecimentos agrícolas, aliada a relativa
renda do consumidor. homogeneidade do produto e à inexistência de
786) Em mercados competitivos, a curva de barreiras à entrada, faz que esse mercado seja
oferta de longo prazo é perfeitamente elástica, uma boa ilustração da concorrência perfeita.
implicando, assim, que o preço do produto seja 796) Quando a fabricação de uma unidade
fixo. adicional de um determinado produto conduz a

DSc Cursos Página 105


DSc Cursos

um aumento no custo total superior ao aumento preço das passagens aéreas, aumentou
da receita total, a necessidade daí decorrente de substancialmente o número de passageiros que
se restringir a produção desse bem contradiz a utilizam esses serviços, é consistente com a
hipótese de maximização de lucros nesse existência de uma curva de demanda altamente
mercado. inelástica.
797) No equilíbrio de longo prazo, nos mercados 806) A disponibilidade de aparelhos de DVDs e a
competitivos, o custo médio de produção é o quantidade e variedade de filmes e
menor possível, para uma dada tecnologia. documentários nas locadoras de DVDs
798) Os lucros puros obtidos nos mercados deslocam, para baixo e para a esquerda, a curva
monopolistas fazem que haja uma redistribuição de demanda dos serviços pay-per-view, para
da renda e do poder de compra em favor da essas películas, oferecidos pelas empresas de
empresa que atua nesse mercado. TVs a cabo.
799) O mercado automobilístico ilustra bem o 807) A prática comum de oferecer ingressos de
caso de uma indústria oligopolista, na qual cinema mais caros após as 17 h é consistente
poucos produtores, além de transacionarem um com o comportamento de um monopolista que
produto homogêneo, fixam os preços ao nível pratica discriminação de preços de terceiro grau.
do custo marginal. 808) As firmas que atuam em concorrência
800) A existência de rendimentos crescentes de monopolista utilizam práticas competitivas
escala na produção de grandes empresas é extrapreço, manifestadas pela publicidade
compatível com o fato de que uma maior escala agressiva e pelo lançamento de novos produtos
de operações facilita o uso de tecnologias mais e serviços, com o intuito de atrair novos clientes
avançadas, que envolvem o uso de métodos de e permanecer no mercado.
produção em massa, altamente capital- 809) No equilíbrio competitivo de longo prazo, a
intensivos. expansão da demanda é compatível com a
801) Supondo-se que, na produção de serviços de redução do preço do produto, desde que, nessa
proteção ao meio ambiente, funcionários e indústria, prevaleça a lei dos rendimentos
material de escritório sejam fatores decrescentes.
complementares, então, as isoquantas entre 810) Em razão da existência de importantes
esses dois insumos são linhas retas paralelas. economias de escala, decorrente, em parte, da
802) Empresas que estejam operando ao longo da existência de elevados custos fixos, a
função de produção podem expandir a monopolização dos sistemas de abastecimento
produção, sem modificar o uso dos fatores de de água pode aumentar a eficiência e reduzir os
produção e a eficiência com a qual utilizam custos médios de produção e provisão da água
esses recursos produtivos. tratada, comercializada por esses sistemas.
IEMA/ES, Cespe, 2007. ANA, Cespe, 2006.

A microeconomia estuda o comportamento O estudo da teoria da produção e do comportamento


individual dos agentes econômicos e, por essa dos produtores é fundamental à compreensão do
razão, constitui um sólido fundamento à análise dos mecanismo de tomada de decisões pelas empresas.
agregados econômicos. A esse respeito, julgue os A esse respeito, julgue os itens a seguir.
itens subseqüentes. 811) Quando a tecnologia apresenta retornos
803) As altas recentes do preço do petróleo, no decrescentes de escala, para qualquer nível dos
mercado mundial, tendem a viabilizar o preços dos insumos, os custos médios
surgimento de bens substitutos, portanto decrescem quando se expande a produção.
contribuem para aumentar a elasticidade do 812) Durante o carnaval, para atender o aumento
preço da demanda desse produto. da demanda, os hotéis de Recife contratam
804) Comparando-se imóveis residenciais e trabalhadores adicionais. Conclui-se, pois, que
veículos, o efeito renda, decorrente de uma essas empresas estão realizando ajustamentos de
variação de preços, será mais elevado no caso longo prazo.
dos automóveis. 813) Quando o emprego aumenta, a lei dos
805) O fato de que a desregulamentação da rendimentos decrescentes leva à redução da
indústria do transporte aeroviário, por reduzir o

DSc Cursos Página 106


DSc Cursos

produtividade marginal do trabalho porque os desenvolveram esses programas e, portanto,


trabalhadores adicionais são mais ineficientes. geram economias externas de escala para as
814) Quando a produtividade média de um fator é empresas não-participantes.
máxima, as produtividades médias e marginais Ibram, Cespe, 2009.
se igualam.
815) A combinação ótima de insumos para uma
firma que minimiza custos é aquela em que a 822) Acerca do estudo da oferta e da demanda,
razão entre a produtividade marginal e o preço que constitui um importante tópico da ciência
do fator é igual para todos os insumos. econômica, assinale a opção correta.
816) Para um monopolista que se confronta com (A) A alta substancial do IBOVESPA,
uma curva de demanda negativamente recentemente, aumenta a riqueza do Brasil,
inclinada, a receita marginal é inferior ao preço provocando, assim, um deslocamento ao
desde que a quantidade transacionada seja longo da curva de demanda dos detentores
positiva. de ações.
UFT, Cespe, 2004. (B) Os recordes sucessivos atingidos pelo preço
do petróleo no mercado internacional
deslocam para baixo e para a direita a curva
A teoria microeconômica estuda o processo de de oferta de produtos industriais.
decisão dos agentes econômicos, incluindo (C) O excesso de demanda decorrente da
consumidores e produtores. A esse respeito, julgue imposição de uma política de controles de
os itens de 68 a 72. aluguel será tanto mais elevado quanto
817) A disseminação da medição individualizada menor for a elasticidade preço da demanda
de água em condomínios, por reduzir a de locação de imóveis.
quantidade de água utilizada, conduz a um (D) A afirmação segundo a qual a renda total
deslocamento ao longo da curva de demanda de dos agricultores se eleva nos anos em que a
água tratada. colheita é prejudicada por fatores climáticos
818) Se determinado consumidor aloca é consistente com a existência de uma
mensalmente parte de seu salário entre dois demanda inelástica pelos produtos agrícolas.
bens, x e y, e se a utilidade marginal do bem x (E) Aumentos salariais decorrentes da
for superior àquela referente ao bem y, então, sindicalização dos trabalhadores de
para elevar seu nível de utilidade, o consumidor determinada indústria reduzirão mais a
deve reduzir o consumo de x e elevar o produção se a oferta dessa indústria for
consumo de y. perfeitamente inelástica
819) Para as empresas competitivas que usam o Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2008.
óleo dísel como insumo, a redução de 15% do
preço desse combustível desloca as curvas de
custo marginal dessas empresas para baixo e A análise microeconômica estuda o comportamento
para a direita e conduz à expansão da produção individual dos agentes econômicos e, por essa
dessas empresas. razão, constitui um sólido fundamento à análise dos
820) As frequentes guerras de preço entre agregados econômicos. A esse respeito, julgue os
companhias aéreas se devem não somente ao itens subseqüentes.
fato de que grande parte dos passageiros faz 823) O reajuste salarial de 5% obtido pelo
suas escolhas com base em preços e horários, sindicato dos metalúrgicos do estado de São
mas também à utilização de complexos sistemas Paulo, após quase duas semanas da “Greve
de discriminação de preços que dificultam a Canguru”, desloca a curva de oferta relativa aos
colusão tácita entre empresas e, ainda, ao fato produtos fabricados pela metalurgia para cima e
de que as barreiras à entrada no setor não são para a esquerda. Portanto, para uma dada curva
muito elevadas. de demanda, caracterizada por elasticidade
821) Programas de pesquisa e desenvolvimento finita, esse reajuste salarial contribui para elevar
que elevam a capacitação da mão de obra e os preços desses produtos.
introduzem processos produtivos mais 824) Considere que a taxa marginal de
eficientes, empreendidos por empresas de uma substituição seja decrescente, para dois bens
indústria, beneficiam as empresas que não

DSc Cursos Página 107


DSc Cursos

quaisquer. Nesse caso, as curvas de indiferença deslocará a curva de demanda de mercado desse
entre esses dois bens são lineares. tipo de gás, para cima e para a direita.
825) O Programa Nacional de Produção e Uso de 833) A redução dos estoques mundiais de
Biodiesel (PNPB), voltado para a promoção da petróleo, que contribui para a alta recente do
produção e para o uso do biodísel, contribui preço desse produto, desloca a curva de oferta
para aumentar, a longo prazo, a elasticidade de gasolina, para cima e para a esquerda.
preço da demanda de combustível. 834) Se, para determinado bem, a curva de
826) Mercados perfeitamente competitivos demanda de mercado é linear, então, a
caracterizam-se pela existência de inúmeros elasticidade preço da demanda ao longo dessa
vendedores e compradores, pela mobilidade dos curva é constante e, portanto, independe do
recursos e pelo fato de, nesses mercados, preço.
somente se transacionarem produtos 835) Supondo-se que, para a população de baixa
diferenciados. renda, a demanda de transporte coletivo é
827) Na produção de serviços de utilidade relativamente inelástica em relação à tarifa
pública, como abastecimento de água e cobrada, então, é possível afirmar que um
saneamento, a presença de economias aumento dessa tarifa elevará a receita das
crescentes de escala, que conduz à empresas que atuam nesse setor.
monopolização desses serviços, explica-se pela 836) De acordo com a lei dos retornos marginais
existência de importantes custos fixos decrescentes, em uma determinada empresa, o
associados a essas atividades. aumento do emprego, para um dado estoque de
828) Firmas que atuam em concorrência capital e dos demais fatores de produção,
monopolística confrontam-se com uma curva de conduzirá à redução da produtividade marginal
demanda perfeitamente inelástica em razão de do trabalho.
não existirem substitutos para os produtos que 837) O fato de que, no hemisfério norte, um
elas comercializam. inverno excessivamente rigoroso aumenta a
Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2006. demanda de petróleo acima do patamar
considerado normal é compatível, no curto
prazo, com o deslocamento, para cima, das
A teoria microeconômica estuda o processo de curvas de custos médio total das empresas
decisão dos agentes econômicos, incluindo-se aí, aéreas, que utilizam derivados desse produto
consumidores e produtores. A esse respeito, julgue como combustível.
os itens a seguir. 838) A escala eficiente de produção corresponde
829) A curva de demanda individual, para um àquela que minimiza o custo marginal,
determinado bem, é construída pressupondo-se igualando-o ao custo médio.
que reduções no preço desse produto levam a 839) O aumento da capacidade de endividamento
aumentos de utilidade para o consumidor, já que e do potencial para levantar capital nas
ele faz sua escolha ótima em uma curva de empresas de maior porte reduz os custos de
indiferença mais distanciada em relação à produção dessas empresas, constituindo, assim,
origem. uma das razões para a obtenção de economias
830) O fato de a queda no preço das chamadas de de escala, no âmbito das firmas.
telefones celulares recentemente observada ter 840) A existência de economias externas de
sido concomitante com a redução das chamadas escala que contribuem para reduzir os custos
originadas de telefones fixos é consistente com das firmas é incompatível, no longo prazo, com
a idéia de que telefones fixos e celulares são a existência de concorrência perfeita.
bens substitutos. 841) A existência, na indústria farmacêutica, de
831) Para os bens inferiores, como, por exemplo, patentes para novos medicamentos confere
transporte público no Brasil, tanto o efeito renda poder de monopólio aos fabricantes desses
como o efeito substituição são negativos, remédios, que trabalham na parte inelástica da
reforçando-se mutuamente. curva de demanda desses produtos,
832) A alta do preço do gás veicular, decorrente garantindolhes, assim, a obtenção de lucros
do fim de incentivos para o uso desse produto, máximos.
anunciado recentemente pelo governo para 842) A empresa americana Procter & Gamble,
evitar o desabastecimento, se consumada, que comercializa, no Brasil, produtos como

DSc Cursos Página 108


DSc Cursos

pastilhas Vick, sabão em pó Ariel e os indiferença, em forma de linhas retas paralelas,


aperitivos Pringles, constitui um exemplo bem- entre passagens aéreas e diárias de hotel.
sucedido de firma dominante de um oligopólio 849) O comportamento de um consumidor que
baseado na liderança de preço e que utiliza, para escolhe um produto e, ao ser informado sobre o
reduzir o crescimento de suas rivais e preservar preço, desiste de comprá-lo indica que a taxa
a sua posição de dominância, a diversificação de marginal de substituição entre as demais
marcas similares, as quais, inclusive, competem mercadorias e esse produto é inferior ao preço
entre si. relativo entre esses bens.
843) Empresas que atuam em mercados 850) Aumentos substanciais do preço dos
organizados sob a forma de concorrência restaurantes elevam o gasto das famílias com
monopolística, protegidas por barreiras à esse item do orçamento.
entrada que lhes garantem auferir, no longo 851) A afirmação segundo a qual é muito elevado
prazo, lucros econômicos puros, transacionam o efeito substituição entre diferentes marcas de
produtos diferenciados. sal de cozinha, o que torna perfeitamente
844) No mercado de refrigerantes, a rivalidade elástica a demanda por determinada marca, é
entre a Coca-Cola e a Pepsi-Cola constitui um coerente com o fato de, nos textos básicos de
exemplo típico de força competitiva, que se economia, o sal ser considerado exemplo típico
origina na disputa entre formas concorrentes de bem inelástico.
para a obtenção de uma vantagem competitiva 852) Uma campanha publicitária destinada a
que lhes permita melhorar a posição no promover um novo produto desenvolvido por
mercado. uma empresa constitui um fator fixo para essa
845) Para uma determinada empresa, a redução empresa.
de custo obtida por meio do redesenho da cadeia 853) Em funções de produção caracterizadas pela
de custo-produção no sentido de se obter uma presença de rendimentos constantes de escala à
forma mais eficiente de integração vertical, produtividade marginal dos fatores de produção
tanto para frente como para trás, da cadeia é superior à produtividade média.
produtiva em relação aos demais competidores 854) À medida que o tamanho de uma empresa
ilustra bem o uso de estratégias de diferenciação aumenta, problemas de coordenação e de
por firmas, para ampliarem sua participação no comunicação dificultam e encarecem a
mercado. organização da produção, o que gera
846) As alianças estratégicas correspondem a deseconomias de escala, que induzem a empresa
acordos de cooperação entre firmas para a a limitar o seu tamanho.
obtenção de economias de escala na 855) Quando a função de produção exibe
produção/promoção de vendas, de forma a rendimentos decrescentes no insumo variável,
facilitar o acesso aos mercados e a as curvas de custo médio variáveis são
compartilharem a tecnologia. negativamente inclinadas, o que indica que a
Município de Vitória, Cespe, 2008. expansão da produção se realiza a custos
menores.
856) Em presença de economias externas de
A microeconomia estuda o comportamento escala, a curva de oferta de longo prazo de uma
individual dos agentes econômicos e, por isso, empresa competitiva é positivamente inclinada.
constitui um sólido fundamento à análise dos 857) Empresas monopolistas que maximizam
agregados econômicos. A esse respeito, julgue os lucros, além de fixarem o maior preço possível
itens a seguir. para seus produtos, fixam seu nível ótimo de
847) A preocupação crescente com o meio produção na parte inelástica da curva de
ambiente tem conduzido ao uso de energias demanda de mercado.
cada vez mais limpas e à redução da demanda 858) Uma das características do modelo de
de petróleo, o que provoca um deslocamento ao concorrência monopolista é o fato de as
longo da curva de demanda por esse empresas usarem a propaganda e a promoção de
combustível. vendas para diferenciarem seus produtos e
848) O fato de turistas, em viagens de longa aumentarem o poder de mercado de suas
distância, preferirem o transporte aéreo é marcas.
consistente com a existência de curvas de

DSc Cursos Página 109


DSc Cursos

859) O pressuposto do modelo E-C-D é o número de firmas que atuam nessa indústria,
considerar que, em um mercado em que as provocando, assim, aumento dos salários dos
empresas determinem o preço de seus produtos, trabalhadores.
as margens de lucro serão tanto maiores quanto 869) A monopolização do mercado de
mais independentes forem as condutas das distribuição de energia elétrica, em determinada
empresas estabelecidas, o que conflita com a região, justifica-se pela existência de economias
existência de cartelização nesse mercado. de escala, que geram custos médios
860) A obtenção de vantagens competitivas decrescentes sobre o intervalo relevante da
mediante a reorientação da cadeia de custo- demanda.
produção inclui a desverticalização das 870) No Brasil, as diversas universidades e
empresas, a especialização em nicho específico faculdades podem ser corretamente
do mercado e a ampliação da rede de consideradas firmas em uma indústria que opera
distribuidores indiretos. sob concorrência monopolística, já que elas
861) A especialização em um segmento que não oferecem um produto similar, a educação
se revele promissor ao longo do tempo constitui superior, porém diferenciado, sendo a qualidade
um dos riscos associados ao uso da estratégia de do ensino e o prestígio da instituição os
enfoque como fonte de vantagem competitiva. elementos de diferenciação do produto.
TJ/CE, Cespe, 2008. 871) Acordos de colusão em mercados
oligopolistas são mais fáceis de serem
implementados quando existem poucas firmas
A análise microeconômica é o estudo do na indústria, heterogeneidade de produtos e
comportamento individual dos agentes econômicos diferenças substanciais de custos entre as
e, por essa razão, constitui fundamento sólido para a firmas.
análise dos grandes agregados econômicos. A esse 872) De acordo com a lei dos rendimentos
respeito, julgue os seguintes itens. decrescentes, aumentando-se o número de
862) A desregulamentação da indústria de linhas trabalhadores em determinada indústria e
aéreas, que levou à redução do preço das mantendo-se os demais insumos constantes,
passagens, contribui para explicar o aumento aumentará a produtividade marginal do
significativo do número de passageiros que trabalho.
utilizam transporte aéreo. MPE/TC, Cespe, 2006.
863) Se a elasticidade da demanda de serviços
jurídicos for unitária, então, um aumento de
preços elevará a receita total com esses serviços. A microeconomia estuda o comportamento
864) Se a curva de demanda por determinado individual dos agentes econômicos e, por essa
bem é vertical, então, este deve ser um bem razão, constitui um sólido fundamento à análise dos
inferior e, portanto, sua elasticidade-renda deve agregados econômicos. A esse respeito, julgue os
ser negativa. itens a seguir.
865) Na curva de oferta, a relação positiva entre a 873) O agravamento recente da crise no Oriente
quantidade ofertada e o preço é consistente com Médio criou expectativas de redução da
a lei do custo de oportunidade crescente. produção mundial de petróleo, fato que desloca
866) Se, no equilíbrio, para determinado a curva de oferta de gasolina para baixo e para a
consumidor, dois produtos têm o mesmo preço, direita, contribuindo, assim, para aumentar o
então, a utilidade marginal derivada do preço de mercado desse produto.
consumo deve ser a mesma para esses bens. 874) A política recente das companhias aéreas de
867) Tarifas telefônicas mais baixas durante o fim conceder descontos substanciais nos vôos
de semana e o período noturno são compatíveis noturnos leva à redução da demanda de
com o fato de os consumidores domésticos passagens rodoviárias.
desses serviços possuírem menor elasticidade- 875) Ao longo de uma curva de indiferença, os
preço da demanda por esses serviços. consumidores confrontam-se com níveis
868) Supondo-se que a indústria têxtil seja distintos de utilidade e, por essa razão, não é
perfeitamente competitiva, o aumento do preço possível avaliar as diferentes combinações de
do algodão, por aumentar os custos marginais e bens que caracterizam essa curva.
médios, reduzirá, no equilíbrio de longo prazo,

DSc Cursos Página 110


DSc Cursos

876) Quando a receita total com a venda de forma não-colusiva e caracterizam-se por
determinado bem diminui em resposta ao adotarem estratégias de diferenciação do
aumento de preço, a demanda por esse bem é produto.
relativamente inelástica. 886) Uma das restrições associadas ao paradigma
877) Diferentemente do que ocorre com as E–C–D (estrutura–conduta–desempenho)
empresas monopolistas, no equilíbrio de decorre do fato de que esse paradigma não
mercado, as firmas que atuam em mercados considera a heterogeneidade existente entre
competitivos fixam seus preços ao nível da empresas em uma mesma indústria, no que
receita marginal. tange à lucratividade.
CNPQ, Cespe, 2004. 887) A vantagem competitiva pressupõe que as
dotações de recursos das firmas sejam
heterogêneas, visto que essa heterogeneidade
A teoria microeconômica estuda o processo de conduz a diferenças de desempenho econômico
decisão dos agentes econômicos, incluindo-se aí, entre as empresas: algumas apresentando baixa
consumidores e produtores. A esse respeito, julgue lucratividade e outras apresentando
os itens a seguir. lucratividade acima da média do mercado.
878) Considerando que aluguéis de DVDs e Estado do Espírito Santo, Cespe, 2008.
entradas de cinema são bens substitutos, as
curvas de indiferença entre esse dois serviços
podem ser representadas por retas verticais A microeconomia, que analisa o comportamento
paralelas. dos agentes econômicos individuais, constitui um
879) Para os bens inferiores, cujo consumo se instrumental importante na análise de questões
reduz à medida que a renda dos consumidores ligadas à economia da saúde. A respeito desse
aumenta, os efeitos renda e substituição assunto, julgue os itens.
decorrente de uma queda do preço desses bens 888) A descoberta de que ingerir peixes de água
têm o mesmo sinal e, portanto, reforçam-se fria, como truta, atum ou salmão, no mínimo
mutuamente para elevar a quantidade uma vez por semana, contribui para a prevenção
demandada desses produtos. de doenças coronárias e ataques cardíacos eleva
880) Os efeitos positivos sobre a saúde, derivados a demanda desse tipo de peixes, deslocando,
do consumo de produtos com alto teor de assim, a curva de demanda de mercado desses
Omega-3, estimulam a procura por esses pescados para cima e para a direita.
produtos contribuindo, assim, para deslocar a 889) A inclinação da curva de oferta de
curva de demanda desses bens, para cima e para determinado bem é positiva, em parte, pelo fato
a direita. de preços mais elevados permitirem expandir
881) Quando a curva de demanda de determinado produção por meio da incorporação de insumos
bem é linear, um aumento no preço desse bem menos produtivos.
contribui para tornar a sua demanda mais preço- 890) Aumentos nos preços das cirurgias plásticas
elástica. e técnicas de rejuvenescimento elevam os gastos
882) Na escolha entre dois bens quaisquer, o dos pacientes com esses serviços médicos.
nível ótimo de consumo corresponde àquele no 891) As flutuações de preço que caracterizam os
qual a taxa marginal de substituição entre esses mercados agrícolas serão tanto maiores quanto
bens é superior ao preço relativo. mais elástica for a curva de oferta dos produtos
883) A lei dos rendimentos decrescentes exclui a transacionados nesses mercados.
possibilidade de, no processo produtivo, a 892) Supondo-se que, no Brasil, os serviços
produtividade marginal de determinado insumo providos pelos hospitais públicos sejam usados
ser crescente. principalmente pela população de baixa renda,
884) A presença de economias crescentes de então é possível afirmar que esses serviços são
escala em determinada indústria indica a bens inferiores.
existência de fortes pressões competitivas nesse 893) Caso um consumidor se disponha a trocar a
mercado, excluindo, pois, a sua monopolização. reforma de sua casa pela compra de um novo
885) Mercados organizados sob a forma de automóvel, então, nesse caso, um aumento
concorrência monopolista envolvem um número eventual do preço dos veículos não provocará
relativamente grande de firmas que operam de efeito renda.

DSc Cursos Página 111


DSc Cursos

894) As economias de escala que caracterizam a A microeconomia é o ramo da ciência econômica


produção de serviços hospitalares fazem que, que estuda o comportamento das unidades de
nos grandes hospitais, os custos médios dos consumo, das empresas, dos fatores produtivos e
procedimentos sejam inferiores àqueles que dos produtores de bens e serviços. Julgue os itens
prevalecem nos pequenos hospitais. seguintes, que versam acerca da teoria do
895) Nos mercados competitivos, quando o preço consumidor, da teoria da produção e do
de mercado for superior ao custo unitário de funcionamento do mercado.
produção, então as firmas que atuam nesses 903) O equilíbrio do consumidor é atingido no
mercados elevarão seus níveis de produção, no ponto de tangência entre a linha de restrição
intuito de maximizarem seus lucros. orçamentária e a curva de indiferença.
896) O fato de as academias de ginástica 904) Na análise de longo prazo da função de
geralmente cobrarem preços mais baixos para os produção, as isoquantas são decrescentes porque
horários em que há baixa freqüência de usuários o sinal da taxa marginal de substituição técnica
explica-se porque a demanda, nesses horários, é entre os fatores é sempre negativo.
mais inelástica. 905) Considere dois bens X e Y sucedâneos entre
897) O fato de medicamentos de marcas si. Caso ocorra um aumento no preço do bem Y
registradas serem bem mais caros do que seus e admitindo-se condição coeteris paribus em
equivalentes genéricos decorre mais de aspectos relação ao bem X, a elasticidade-preço cruzada
ligados à propaganda e à promoção desses da demanda entre os bens será maior que zero.
remédios junto à classe médica do que de 906) Um aumento da renda agregada faz que a
características relacionadas à fabricação desses elasticidade-renda de um bem inferior se
produtos. desloque para a direita.
898) Como a curva de demanda com a qual se 907) Considerando o potencial turístico do
confrontam as firmas que atuam em uma município do Ipojuca, é correto afirmar que
indústria organizada sob a forma de investimentos neste setor fazem que a curva de
concorrência monopolística é negativamente oferta de serviços se desloque para cima e para a
inclinada, é possível, para essas firmas, esquerda.
expandir a produção a custos menores. Ipojuca, Cespe, 2009.
899) Acordos colusivos entre empresas
oligopolistas são dificultados em razão de as
empresas envolvidas apresentarem custos A análise microeconômica avalia as escolhas dos
distintos de produção e confrontarem-se com agentes econômicos na presença de restrições de
flutuações substanciais da demanda por seus preferência, tecnológicas e orçamentárias. Acerca
produtos. desse assunto, julgue os itens subsequentes.
900) Alocações produzidas pelos mercados 908) Considerando-se que as elasticidades preços
privados somente serão eficientes no sentido de da oferta e da procura são finitas, é correto
Pareto, se o custo marginal social dessas afirmar que a exploração dos poços de petróleo
alocações for igual ao seu benefício marginal, e descobertos na camada do pré sal, para
se elas gerarem uma distribuição eqüitativa dos determinada demanda desse produto, acarreta
recursos. redução do preço do petróleo.
901) O rodízio entre automóveis adotado na 909) Considerando-se que pneus usados são bens
cidade de São Paulo quando os níveis de inferiores, a recente proibição pelo Supremo
poluição estão elevados constitui um exemplo Tribunal Federal de importar esses bens causará
de controle de externalidades mediante a aumentos substanciais do preço desse produto,
utilização de impostos corretivos. visto que, nesse caso, o efeito renda reforça o
902) A legislação do salário mínimo eleva efeito substituição.
artificialmente os salários dos trabalhadores 910) A existência de pacotes turísticos que
menos produtivos e menos especializados em incluem passagens aéreas e diárias de hotel
relação àqueles que prevaleceriam na ausência sugere que, para os compradores desses pacotes,
desse tipo de legislação. as curvas de indiferença entre esses dois
Ministério da Saúde, Cespe, 2008. serviços são retas paralelas.
911) Se a função de custo total de curto prazo de
determinada firma for igual a C(y) = 4y2 + 36,

DSc Cursos Página 112


DSc Cursos

então o nível de produção (y) dessa empresa, altera as vendas de imóveis no campo, porque,
que iguala o custo marginal ao custo médio, é nesse caso, o efeito substituição é nulo.
igual a 3. 920) O efeito renda decorrente do aumento do
912) Tecnologias que apresentam rendimentos preço é mais elevado quando o bem em questão
crescentes de escala excluem a possibilidade de é uma garrafa de champanhe francês em vez de
a produtividade marginal de um insumo uma garrafa do espumante mais barato do
diminuir com o seu nível de utilização, mercado.
invalidando, assim, a lei dos rendimentos 921) A elasticidade preço da demanda de gasolina
decrescentes. tende a ser inferior àquela que prevalece para
913) A longo prazo, inovações tecnológicas, que uma marca particular desse tipo de combustível,
reduzem os custos de todas as firmas que como Esso ou Texaco.
operam em uma indústria competitiva, elevam 922) No curto prazo, o fato de o aumento do
tanto a quantidade produzida como o preço que emprego levar à redução da produtividade
prevalece nesse mercado, contribuindo, assim, marginal do trabalho viola a lei dos rendimentos
para aumentar os lucros econômicos auferidos decrescentes.
por essas empresas. 923) As horas extras necessárias para elevar a
914) Na visão de Porter, o quão acirrada será a produção durante o período que antecede ao
concorrência em determinada indústria Natal constituem um exemplo típico de fator
dependerá não somente da ameaça de novos variável e, portanto, as despesas com o
concorrentes, mas também da existência de pagamento dessas horas são computadas no
fortes barreiras à entrada, assim como da maior custo variável das empresas.
disponibilidade de bens substitutos. 924) Se a função de produção apresentar
915) Uma das vantagens do uso da estratégia de rendimentos crescentes de escala, então as
diferenciação bem-sucedida decorre do fato de produtividades marginais de todos os insumos
que essa estratégia permite que a firma que a utilizados, além de positivas, devem também ser
utiliza obtenha preço mais elevado pelo seu crescentes com o nível de utilização do insumo.
produto. 925) A existência de uma mão-de-obra educada e
FUB, Cespe, 2009. bem treinada em determinada região, por gerar
economias externas de escala, representa um
fator de atração para as empresas, porque lhes
A teoria microeconômica examina o permite reduzir seus custos médios.
comportamento das unidades econômicas 926) As características dos setores competitivos
específicas e analisa questões como a determinação incluem a ausência de barreiras à entrada de
dos preços e da produção das firmas bem como as novas firmas no mercado e o fato de as
escolhas dos consumidores. Acerca desse tópico, empresas que nele atuam serem tomadoras de
julgue os itens. preços.
916) A alta recente das taxas médias de juros e a 927) Em mercados organizados sob a forma de
redução dos prazos para financiamentos de concorrência monopolística, no curto prazo, as
carros novos deslocam a curva de demanda firmas se confrontam com uma curva de
desses veículos para baixo e para a esquerda. demanda negativamente inclinada.
917) Para os consumidores que acham que uma 928) Estratégias de diferenciação de produtos
refeição dever ser sempre acompanhada de uma bem como a adoção de preços fixados pela
taça de vinho, as curvas de indiferença entre firma dominante na indústria constituem
esses dois bens são lineares. exemplos de colusão tácita utilizados pelas
918) O fato de as pessoas maximizarem seus empresas oligopolistas.
níveis de utilidade e considerarem que a 929) As empresas monopolistas, por dominarem
utilidade marginal derivada do consumo de o mercado no qual atuam, fixam seus níveis de
determinado bem é decrescente conflita com a preço e produção na parte da curva de demanda
existência de uma curva de demanda que é inelástica.
negativamente inclinada para esse mesmo bem. 930) Vendas diretas ao consumidor final e uma
919) Supondo-se que casas de praia são maior integração vertical do processo produtivo
substitutos para casas de campo, então um constituem exemplos de obtenção de vantagens
aumento dos preços dos imóveis no litoral não

DSc Cursos Página 113


DSc Cursos

competitivas mediante o redesenho da cadeia de 939) Supondo-se que, em uma indústria


custo produção. competitiva, os preços dos insumos não se
931) A existência de bens substitutos, aliada a alterem quando essa indústria expande sua
custos de mudança relativamente baixos para os produção, é correto afirmar que a curva de
consumidores, eleva as pressões da oferta de longo prazo dessa indústria é
concorrência no mercado, porém não impede perfeitamente elástica.
que as empresas que atuam nesse mercado 940) O fato de as companhias aéreas cobrarem
possam fixar seus preços baseando-se apenas mais barato pelas passagens reservadas com
nos seus custos de produção. antecedência exemplifica a hipótese de
932) A exemplo da estratégia de enfoque, as discriminação de preço, já que é razoável supor
estratégias de diferenciação de produtos visam que, nesse mercado, a demanda é mais preço-
atingir um estreito nicho de mercado que será elástica, quando comparada com a daqueles que
atendido mediante políticas agressivas de precisam viajar em cima da hora.
redução de custos. 941) A adoção de estratégias de liderança de
Ministério dos Esportes, Cespe, 2008. custos como forma de obter vantagens
competitivas é particularmente apropriada nos
mercados em que os compradores possuem
A teoria microeconômica estuda o processo de poder de mercado e poucas possibilidades de
decisão dos agentes econômicos, incluindo-se, aí, diferenciação de produtos.
consumidores e produtores. A esse respeito, julgue 942) Em mercados nos quais as empresas têm
os itens a seguir. poder de mercado, os preços e os lucros serão
933) O fato de a redução substancial dos preços tanto maiores quanto maior for o grau de
dos computadores elevar a demanda por coordenação entre essas empresas, obtido
CDs/DVDs atesta que as curvas de indiferença mediante acordos tácitos, liderança de preços ou
entre esses bens caracterizam-se por apresentar cartelização do mercado.
taxas marginais de substituição decrescentes. Ministério do Trabalho e Emprego, Cespe, 2008.
934) A inclinação negativa da curva de demanda
requer que o efeito renda reforce o efeito
substituição e, portanto, ambos devem ser A análise microeconômica estuda o comportamento
negativos. individual dos agentes econômicos e, por isso,
935) Os efeitos negativos sobre a oferta de constitui fundamento sólido para análise dos
crédito, decorrente da imposição de limites grandes agregados econômicos. Com relação a esse
sobre as taxas de juros cobradas pelo cartão de assunto, julgue os itens a seguir.
crédito, serão tanto maiores quanto mais elástica 943) Campanhas publicitárias bem-sucedidas,
em relação à taxa de juros for a oferta de crédito como a das sandálias havaianas e a da melissa,
disponível no âmbito desses cartões. contribuem para aumentar a elasticidade preço
936) O crescimento simultâneo da automação, da demanda do produto divulgado.
dos salários e do emprego, em uma determinada 944) No Brasil, o crescimento da violência
indústria, colide com a existência de uma curva aumentou a procura por sistemas de vigilância
de demanda de trabalho negativamente eletrônica, o que provocou um deslocamento,
inclinada. para cima e para a direita, da curva de demanda
937) Na indústria automobilística, o fato de que por esses produtos.
somente as grandes empresas conseguem 945) Um aumento no preço do aço utilizado pela
utilizar de forma eficiente os robôs e indústria automobilística desloca a curva de
equipamentos exigidos para a produção de oferta de automóveis para cima e para a
veículos contribui para a oligopolização desse esquerda.
setor. 946) O fato de os cientistas descobrirem que
938) A lei dos rendimentos decrescentes é tomar um copo de vinho tinto diariamente reduz
incompatível com o fato de, agregando-se a probabilidade de se adquirir doenças cardíacas
trabalhadores adicionais ao processo produtivo, desloca a curva de oferta de vinho tinto para
a produtividade marginal da mão-de-obra baixo e para a direita.
crescer a taxas crescentes. 947) Considere que um consumidor entra em uma
loja de sapatos, gosta de um modelo e não o

DSc Cursos Página 114


DSc Cursos

compra em razão do preço, que considera levar à expansão do emprego de pessoal


elevado. Nesse caso, para esse consumidor, a qualificado (médicos e técnicos), então, na
taxa marginal de substituição entre sapatos e os função de produção desses serviços
demais bens é superior ao preço relativo desses hospitalares, o trabalho especializado e os
produtos. equipamentos são considerados bens
948) Sempre que a renda dos consumidores complementares.
aumenta, todos os produtores vendem mais, 958) A redução do ICMS sobre automóveis, que
aumentando, portanto, sua receita. ocorreu no âmbito da guerra fiscal travada entre
949) A maximização de lucros de determinada governos estaduais, expandiu a quantidade
empresa implica que o custo marginal iguala-se demandada, provocando, assim, um
à receita marginal. deslocamento para cima e para a esquerda da
950) O crescimento da dívida externa de alguns curva de oferta desse produto.
membros de um cartel pode ameaçar a 959) Os consumidores devem fazer escolhas em
existência desse cartel. razão da existência de mapas de preferências
951) A existência de mercados competitivos distintos entre os indivíduos de uma sociedade.
impede que as firmas repassem para os preços a 960) Durante as crises do petróleo na década de
totalidade dos aumentos de custo de qualquer 70 do século XX, a elevação dos preços,
origem. orquestrada pelo cartel da OPEP, estimulou a
952) O fato de haver relativamente poucas produção de substitutos para esse mineral,
promoções aéreas, a partir de Brasília, pode contribuindo, assim, para expandir a
indicar que para as companhias aéreas as elasticidade-preço da demanda desse produto.
demandas do setor público e de executivos de 961) Para um consumidor racional, a taxa
empresas, que são preço-inelásticas, marginal de substituição entre notas de dez reais
predominam sobre as viagens de turismo. e notas de cinco reais é decrescente e será tanto
953) Em mercados oligopolistas, no equilíbrio de mais baixa quanto maior for seu nível de renda.
Cournot, cada firma escolhe seu nível de 962) As isoquantas, que mostram as diferentes
produção supondo que as firmas rivais manterão combinações fatoriais que asseguram lucros
seus níveis de preços. idênticos, não podem se cruzar.
954) A produtividade marginal de um fator 963) Em virtude da existência de barreiras à
corresponde à variação na produção decorrente entrada no setor para escolher a combinação
da utilização de uma unidade suplementar desse preço/quantidade ótima, um monopolista pode
fator. escolher quaisquer níveis de preço e produção,
955) Se a função de produção de serviços independentemente da curva de demanda do
administrativos da Secretaria de Energia, Minas mercado no qual ele atua.
e Comunicação apresentar rendimentos 964) A cartelização em um determinado mercado
constantes de escala, então, mesmo dobrando-se ocorre porque tanto as condições de demanda
o número de servidores administrativos, de como aquelas referentes aos custos são
máquinas e de computadores, não será possível relativamente semelhantes para as empresas que
alterar a produção de tais serviços. atuam nesse mercado.
CEEE, Cespe, 2005. Funcap/PA, Cespe, 2004.

A microeconomia estuda o comportamento


individual dos agentes econômicos e, por essa A microeconomia estuda o comportamento
razão, constitui um sólido fundamento à análise dos individual dos agentes econômicos e, por essa
agregados econômicos. Acerca desse assunto, razão, constitui sólido fundamento à análise dos
julgue os itens seguintes. agregados econômicos. A esse respeito, julgue os
956) No equilíbrio, a firma que opera em um seguintes itens.
mercado competitivo maximiza seus lucros 965) Como a demanda de medicamentos é preço-
quando fixa o preço de seu produto em um valor elástica, aumentos substanciais dos preços
igual à receita marginal. desses produtos podem elevar o faturamento da
957) Se a necessidade de melhor equipar os indústria farmacêutica já que a redução
hospitais públicos, em termos tecnológicos,

DSc Cursos Página 115


DSc Cursos

proporcional da quantidade consumida é 975) Se a curva de demanda de cerveja for


inferior ao aumento equivalente dos preços. elástica em relação ao preço, então um imposto
966) Uma firma que maximiza lucros fixará a sobre o consumo de energia elétrica será
utilização de seus insumos no ponto em que a inteiramente repassado para os consumidores
produtividade marginal de todos os insumos for mediante a elevação do preço desse produto.
nula. 976) Programas de financiamento para estocagem
967) A redução dos preços dos DVDs, de produtos agrícolas, ao viabilizarem a
concomitantemente ao aumento da produção estocagem desses produtos, subtraem parte da
desses bens, é compatível com a existência, produção do mercado e, portanto, podem
nesse mercado, de uma curva de oferta de curto contribuir para reduzir a oferta e elevar os
prazo positivamente inclinada. preços de tais produtos.
968) Os consumidores maximizam sua utilidade 977) Em uma curva de demanda linear, a
ao alocar sua renda monetária de forma a elasticidade-preço da demanda independe do
igualar a utilidade marginal dos diferentes bens. preço do produto.
969) Esquemas de racionamento de energia 978) A lei dos rendimentos decrescentes
elétrica modificam a inclinação da restrição estabelece que a expansão da produção decorre
orçamentária do consumidor porque implicam de um aumento proporcional em todos os
modificação de preços relativos. insumos utilizados no processo produtivo.
970) Em mercados monopolistas, a existência de 979) Para um consumidor que maximiza sua
barreiras à entrada possibilita às empresas utilidade, no equilíbrio, a curva de indiferença
auferirem lucros econômicos puros a longo não poderá cruzar sua restrição orçamentária.
prazo. 980) Para um consumidor particular, tanto a
971) Quando o sindicato de trabalhadores da posição como a forma das curvas de indiferença
indústria automobilística consegue expressivos dependem unicamente dos seus gostos e não são
aumentos salariais para a categoria, esses custos afetadas pelo nível de renda que define a
adicionais são repassados para os consumidores restrição orçamentária nem pelos preços de
sob a forma de preços mais elevados para os mercado.
automóveis. 981) Se a produtividade marginal de um insumo é
972) Em mercados competitivos e em mercados positiva, porém decresce à medida que se utiliza
monopolistas, a produção de uma firma que uma maior quantidade desse insumo, então a
opera em um ponto em que o custo marginal é produção total já atingiu seu ponto máximo e
superior à receita marginal é inferior àquela está declinando.
exigida para a maximização dos lucros. 982) Um esquema regulatório que força um
973) O modelo de concorrência monopolística monopolista perfeitamente discriminador a
pode servir para descrever o ambiente de cobrar um único preço pelo seu produto levará a
mercado em que atua o sistema bancário no uma redução da quantidade transacionada e,
Brasil, já que este caracteriza-se pela existência portanto, provocará uma redução do nível de
de concorrência acirrada entre bancos, eficiência na economia.
manifestada por meio de publicidade agressiva e Prodepa, Cespe, 2004.
lançamento de novos produtos e serviços com o
intuito de atrair novos clientes.
FSCMP, Cespe, 2004. A microeconomia estuda o comportamento
individual dos agentes econômicos e, por essa
razão, constitui um sólido fundamento à análise dos
A microeconomia estuda o comportamento agregados econômicos. Acerca desse assunto,
individual dos agentes econômicos e, por essa julgue os itens seguintes.
razão, constitui um sólido fundamento à análise dos 983) No equilíbrio, a firma que opera em um
agregados econômicos. A esse respeito, julgue os mercado competitivo maximiza seus lucros
itens que se seguem. quando fixa o preço de seu produto em um valor
974) Uma alta do preço das ações no mercado igual à receita marginal.
acionário brasileiro contribui para estimular a 984) Se a necessidade de melhor equipar os
demanda dos diferentes bens e serviços hospitais públicos, em termos tecnológicos,
vendidos no Brasil. levar à expansão do emprego de pessoal

DSc Cursos Página 116


DSc Cursos

qualificado (médicos e técnicos), então, na que trabalham nessas películas, então, a curva
função de produção desses serviços de oferta de longo prazo para esse setor seria
hospitalares, o trabalho especializado e os positivamente inclinada.
equipamentos são considerados bens 994) O conceito de utilidade marginal refere-se
complementares. ao montante que os agentes econômicos estão
985) A redução do ICMS sobre automóveis, que dispostos a pagar por uma unidade suplementar
ocorreu no âmbito da guerra fiscal travada entre de um determinado bem.
governos estaduais, expandiu a quantidade 995) A inclinação da restrição orçamentária,
demandada, provocando, assim, um determinada pela renda real do consumidor,
deslocamento para cima e para a esquerda da indica que o gasto total com os diferentes bens
curva de oferta desse produto. não pode exceder essa mesma renda.
986) Os consumidores devem fazer escolhas em 996) Programas de treinamento da mão-de-obra
razão da existência de mapas de preferências aumentam o salário nominal, somente no caso
distintos entre os indivíduos de uma sociedade. em que o mercado do produto, onde atuam esses
987) Durante as crises do petróleo na década de trabalhadores, é perfeitamente competitivo.
70 do século XX, a elevação dos preços, 997) Quando a produtividade marginal de dois
orquestrada pelo cartel da OPEP, estimulou a insumos varia na mesma proporção, a taxa
produção de substitutos para esse mineral, marginal de substituição técnica entre esses
contribuindo, assim, para expandir a insumos não se altera.
elasticidade-preço da demanda desse produto. 998) A existência de economias de escopo na
988) Para um consumidor racional, a taxa produção de determinados bens é compatível
marginal de substituição entre notas de dez reais com a utilização de processos produtivos que
e notas de cinco reais é decrescente e será tanto envolvam deseconomias de escala.
mais baixa quanto maior for seu nível de renda. 999) Em esquemas tarifários do tipo price cap,
989) As isoquantas, que mostram as diferentes quanto maior for a exigência em termos de
combinações fatoriais que asseguram lucros produtividade, maiores serão as reduções de
idênticos, não podem se cruzar. preços para os consumidores e, menores serão
990) Em virtude da existência de barreiras à as taxas de retorno das empresas
entrada no setor para escolher a combinação concessionárias.
preço/quantidade ótima, um monopolista pode 1000) O equilíbrio de Nash, que corresponde ao
escolher quaisquer níveis de preço e produção, conjunto de estratégias para o qual cada jogador
independentemente da curva de demanda do faz o melhor que pode em função das ações de
mercado no qual ele atua. seus oponentes, constitui um exemplo típico de
991) A cartelização em um determinado mercado um equilíbrio de estratégia dominante.
ocorre porque tanto as condições de demanda 1001) O equilíbrio de Cournot, em mercados
como aquelas referentes aos custos são oligopolizados, presume que cada firma
relativamente semelhantes para as empresas que escolherá a quantidade a ser produzida supondo
atuam nesse mercado. que as firmas rivais manterão constantes seus
Sespa, Cespe, 2004. níveis de produção.
Petrobrás, Cespe, 2004.

A microeconomia estuda o comportamento


individual dos agentes econômicos e, por essa A análise das interações entre vendedores e
razão, constitui um sólido fundamento à análise dos compradores em uma economia de mercado
agregados econômicos. A esse respeito, julgue os constitui o cerne do estudo dos fenômenos
itens que se seguem. econômicos. A esse respeito, julgue os itens a
992) Se o aumento no preço da energia elétrica seguir.
conduzir à expansão da demanda de gás natural, 1002) A informatização do sistema bancário, ao
então, isto constitui um exemplo do efeito reduzir a necessidade de pessoal, ceteris
substituição na demanda. paribus, desloca para cima e para a direita a
993) Caso o crescimento da demanda de filmes curva de demanda com a qual se confrontam os
em DVD contribua para aumentar, trabalhadores desse setor.
substancialmente, os salários dos atores e atrizes

DSc Cursos Página 117


DSc Cursos

1003) Na alta estação, hotéis de praias famosas, afirmar que tal mercado não pode ser
como Porto de Galinhas e Búzios, aumentam considerado oligopolista.
consideravelmente seus preços. Assim, se, nesse 1012) Uma das características das isoquantas na
período, o aumento de 30% dos preços das teoria da produção é que elas devem ser curvas
diárias reduzir em 5% os gastos hoteleiros, côncavas em relação à origem dos eixos
pode-se afirmar que, nesse mercado, a curva de cartesianos.
demanda é elástica em relação ao preço. ANTAQ, Cespe, 2009.
1004) O aumento da produtividade agrícola, se
conjugado a uma demanda inelástica pelos
produtos desse setor, contribui para a redução A análise microeconômica analisa a questão da
dos preços e do faturamento dos produtores escolha em situação de escassez. A esse respeito,
agrícolas. julgue os seguintes itens.
1005) Locadoras de vídeo e DVD praticam preços 1013) A redução observada recentemente nas
diferentes para diversos tipos de películas, tarifas de telefonia celular, simultaneamente
levando em conta, unicamente, as diferenças com a expansão do uso desses serviços, é
nos custos desses produtos. compatível com a existência, nesse mercado, de
UFT, Cespe, 2004. uma curva de oferta de curto prazo
positivamente inclinada.
1014) O pagamento das restituições do Imposto de
Com relação à aplicação dos conceitos básicos de Renda da Pessoa Física de 2004 (ano-base
microeconomia, julgue os itens subsequentes. 2003) dos contribuintes que caíram na malha
1006) O gráfico que relaciona a demanda de fina eleva a renda disponível desses
determinado bem com o preço de outro bem, contribuintes, provoca um deslocamento ao
que seja substituto ou concorrente do primeiro, longo de suas curvas de demanda e contribui
apresenta uma inclinação crescente. para expandir a quantidade de bens e serviços
1007) Um servidor recém-nomeado da ANTAQ por eles consumidos.
foi testado pelo seu supervisor, que lhe pediu 1015) A elevação da base de cálculo da cobrança
que desenhasse um gráfico da curva de oferta de da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido
transportes aquaviários, demonstrando uma (CSLL) de 32% para 40%, instituída pela
elevação na quantidade ofertada decorrente do Medida Provisória n.º 232, para os prestadores
aumento de preço desse tipo de serviço. Nessa de serviço que declaram por meio do lucro
situação hipotética, para atender corretamente à presumido, não altera a produção desses agentes
solicitação recebida, o referido servidor deve em razão de se tratar de expansão de um custo
apresentar um gráfico com deslocamento da fixo.
curva de oferta para a direita. 1016) Considere a seguinte situação hipotética. O
1008) A maximização da satisfação do consumidor Ministério da Fazenda apontou restrições à
é atingida quando se desloca o espaço concorrência provocadas pelas três maiores
orçamentário para que tangencie a curva de distribuidoras de gasolina de determinado
indiferença da cesta de bens que proporcionem estado da Federação, sob a forma de indícios de
o maior nível de satisfação. formação de cartel. Nessa situação, se os
1009) Em concorrência perfeita, o equilíbrio da indícios forem comprovados nas instâncias
firma, definido no ponto em que a receita competentes, será exemplo típico de oligopólio
marginal se iguala ao custo marginal, só é não-colusivo.
válido como ponto de maximização de lucros se ANS, cespe, 2005.
o custo marginal for crescente.
1010) Encontrada a elasticidade-preço da demanda
de um produto em determinado nível de preço, é A microeconomia estuda o comportamento
possível afirmar que a elasticidade aplica-se individual dos agentes econômicos e, por essa
para todos os níveis de preço desse produto, razão, constitui um sólido fundamento à análise dos
uma vez que esse parâmetro é uma constante. agregados econômicos. A esse respeito, julgue os
1011) Sabendo-se que, atualmente, os transportes itens a seguir.
aquaviários no Brasil contam com cerca de 231 1017) O aumento recente da alíquota da COFINS,
empresas registradas na ANTAQ, é correto no âmbito da chamada mini-reforma tributária,

DSc Cursos Página 118


DSc Cursos

por aumentar os custos de produção, conduz a vigilância eletrônica. Esse fato provocou um
um deslocamento ao longo da curva de oferta deslocamento ao longo da curva de demanda
dos produtos sobre os quais essa contribuição por esses produtos.
social incide, reduzindo, assim, a oferta desses (D) Se a redução da alíquota do imposto sobre
produtos. produtos industrializados (IPI) sobre bens de
1018) Pesquisas recentes, que mostram os capital não alterar os gastos com esses
benefícios dos ácidos graxos poliinsaturados de produtos, então é possível afirmar que a
cadeia longa ômega 3, contidos em peixes como demanda de bens de capital é inelástica em
salmão, atum e sardinha, na prevenção de relação ao preço.
doenças cardiovasculares, concorrem para (E) A redução das contribuições sociais que
deslocar para cima e para a direita a curva de incidem sobre a folha de pagamentos de
demanda desses pescados. uma empresa produtora de automóveis
1019) No equilíbrio do consumidor, o benefício provoca uma contração da oferta desses
marginal derivado do consumo de determinado produtos.
bem deve ser igual ao custo marginal de INPI, Cespe, 2006.
aquisição dessa mercadoria.
1020) A lei dos rendimentos decrescentes aplica-se
quando o aumento da produção deve-se a um 1024) A teoria microeconômica estuda o processo
aumento proporcional em todos os insumos do de decisão dos agentes econômicos, incluindo-
processo produtivo. se, aí, consumidores e produtores. A esse
1021) Em mercados competitivos, devido à respeito, assinale a opção correta.
inexistência de barreiras à entrada, o preço de (A) Os riscos eventuais associados ao consumo
longo prazo é aquele que corresponde ao ponto dos produtos da avicultura em razão da
mínimo da curva de custo médio de longo ocorrência da gripe aviária, em alguns
prazo, em que os lucros econômicos são nulos. países, por desencorajar o consumo de aves,
1022) Empresas monopolistas, ao fixarem o preço deslocam, para cima e para a direita, a curva
acima do custo marginal, tendem a produzir de demanda por outras fontes de proteínas,
uma quantidade superior àquela que seria como carne bovina e pescados.
produzida na ausência de monopólio. (B) Lojas de conveniência que ficam abertas 24
horas cobram preços mais elevados por
CER/RR, Cespe, 2004. produtos que podem ser adquiridos por
preços inferiores nos supermercados, em
virtude de essas lojas se defrontarem com
1023) A análise microeconômica estuda o uma curva de demanda mais elástica em
comportamento individual dos agentes relação ao preço.
econômicos e, por essa razão, constitui um (C) No longo prazo, uma firma monopolista,
fundamento sólido à analise dos grandes que não produz no ponto onde seus custos
agregados econômicos. A esse respeito, assinale médios totais são mínimos, será obrigada a
a opção correta. encerrar suas atividades.
(A) A generalização do trabalho feminino, que (D) A imposição de um imposto sobre a
ocorreu nas últimas décadas, aumentou o quantidade consumida de gasolina desloca a
custo de oportunidade do tempo dos restrição orçamentária do consumidor,
consumidores e explica, em parte, o paralelamente, para baixo e para a esquerda,
desenvolvimento observado atualmente das fazendo que o consumo desse bem seja
compras por catálogos e online. inferior àquele prevalecente antes da
(B) Considere que, apesar de o preço dos livros tributação.
didáticos ter aumentado em 10%, o número Detran, Cespe, 2006.
vendido desses livros aumentou. Nesse caso,
é possível concluir que a lei da demanda não
se aplica para esse tipo de livro, visto como Com relação a custo, equilíbrio, preço e utilidade,
uma necessidade básica para os estudantes. julgue os itens que se seguem.
(C) No Brasil, o crescimento da violência 1025) O preço de equilíbrio de mercado representa
aumentou a procura por sistemas de a interação entre oferta e demanda. A ocorrência

DSc Cursos Página 119


DSc Cursos

do preço de equilíbrio pressupõe que os agentes


possuam perfeita informação sobre o mercado. B
1026) Entende-se por equilíbrio geral a situação de Confessa Não
equilíbrio em que os preços e as quantidades Confessa
estão em equilíbrio em todos os mercados. O A Confessa 5;5 8;2
equilíbrio parcial, por sua vez, é definido como Não 2;8 7;7
a situação em que as quantidades e os preços Confessa
permanecem fixos em todos os mercados,
inclusive no mercado que está sendo analisado.
1027) A presença de custos fixos muito altos pode
levar ao aparecimento de economias de escala, Esse jogo se caracteriza por
criando uma barreira à entrada de novas firmas (A) ter dois equilíbrios de Nash em estratégias
e sustentando o poder de monopólio. puras.
1028) A revolução marginalista, por meio da qual (B) ter duas estratégias dominantes para o
foi desenvolvido o conceito de utilidade jogador A.
marginal decrescente, representou a mudança da (C) ter um equilíbrio de Nash ineficiente no
ênfase econômica centrada nas condições de sentido de Pareto.
demanda e na satisfação individual das (D) não ter estratégia dominante para o jogador
necessidades para a ênfase nos custos de B.
produção e na análise do processo de produção. (E) ser de soma zero.
1029) Define-se custo marginal como o acréscimo Petrobrás, Cesgranrio, 2010.
no custo variável necessário para produzir uma
unidade a mais de produto.
Correios, Cespe, 2011. 1032) Considere um jogo no qual existem dois
jogadores, jogador A e jogador B. O jogador A
pode escolher entre duas estratégias, cooperar e
1030) Considere que a curva de demanda de não cooperar, o jogador B também pode
mercado do bem X seja dada pela seguinte escolher entre estas duas estratégias, “cooperar”
equação: e “não cooperar”. O jogo é descrito pela matriz
Qx = 2.600 − 10Px − Py abaixo (em cada célula da matriz, o primeiro
Onde número representa o resultado do jogador A e o
Qx é a quantidade demandada do bem X, segundo número representa o resultado do
Px é o preço do bem X, e jogador B):
Py é o preço do bem Y.
É correto afirmar que Jogador B
(A) os bens X e Y são superiores. Cooperar Não-
(B) o mercado do bem X opera em Cooperar
Concorrência Monopolística. Jogador A Cooperar -6, -6 0, -12
(C) os bens X e Y são complementares. Não- -12, 0 -2, -2
(D) o mercado do bem X opera em Cooperar
Concorrência Perfeita.
(E) os bens X e Y são substitutos. Indique qual das afirmativas a seguir é correta.
Copergás, FCC, 2011. (A) Este jogo não admite nenhum equilíbrio de
Nash em estratégias puras.
(B) Se o jogador A escolher “Não Cooperar” e o
4 - TEORIA DOS JOGOS jogador B escolher “Não Cooperar”, estará
caracterizado um equilíbrio de Nash, pois,
para melhorar um jogador, é preciso piorar o
1031) A matriz abaixo representa um jogo entre outro.
duas pessoas, A e B, e é típico do clássico (C) Se o jogador A escolher “Cooperar” e o
“dilema dos prisioneiros”. Em cada célula, os jogador B escolher não cooperar, estará
retornos de A, expressos na unidade monetária, caracterizado um equilíbrio de Nash, pois,
são registrados à esquerda e os de B, à direita.
DSc Cursos Página 120
DSc Cursos

dada a escolha do jogador B, o jogador A B


fez a melhor escolha. 30 35
(D) Se o jogador A escolher “Cooperar” e o A 30 (240,240) (210, 245)
jogador B escolher “Cooperar”, estará 35 (245, 210) (210,210)
caracterizado um equilíbrio de Nash, pois,
dada a escolha do jogador A, o jogador B É correto afirmar que
fez a melhor escolha e, dada a escolha do (A) a estratégia dominante para as duas
jogador B, o jogador A fez a melhor empresas é vender 35 unidades.
escolha. (B) a estratégia dominante para a empresa B é
(E) Neste jogo não existe nenhuma estratégia vender 30 unidades.
dominante para o jogador A. (C) não há equilíbrio de Nash para a situação em
STN, 2012, Esaf análise.
(D) apenas a empresa A tem uma estratégia
dominante, que é vender 30 unidades.
1033) Duas empresas têm de decidir, (E) não há estratégia dominante para nenhuma
simultaneamente, se aumentarão ou não o preço das duas empresas.
de seus produtos. Os efeitos dessas decisões TCE/PR, FCC, 2011.
sobre o lucro de cada uma estão sumarizados no
quadro a seguir pelos números entre parênteses,
sendo que o primeiro se refere à variação do 1035) A matriz abaixo mostra um jogo simultâneo
lucro da firma 1 e o segundo, da firma 2: entre duas pessoas, Maria (M) e Nair (N), com
suas respectivas estratégias 1, 2, I e II. Dentro
Firma 2 de cada célula da matriz, o número à esquerda
Aumenta Não da diagonal mostra o retorno de M, e o número
Aumenta à direita da diagonal mostra o retorno de N.
Aumenta (+20, +20) (+1, +16)
Firma
Não (+15, +5) (0,0)
1 N
Aumenta
A combinação de estratégias que representa um
equilíbrio de Nash, se existir, é dada pelas decisões, I II
respectivamente: 15 10
(A) aumenta, não aumenta. 1 40 7
(B) não aumenta, não aumenta.
M
(C) aumenta, aumenta. 8
(D) não aumenta, aumenta. 2 30
(E) não existe equilíbrio de Nash
Prefeitura de Santos, FCC, 2005.
Para que a estratégia 2 de M seja dominada, é
necessário e suficiente que na célula (2, II) o
1034) No mercado do bem X existem apenas duas retorno de M seja
companhias produtoras, a Cia. A e a Cia. B. Em (A) maior que 30.
ambas o custo marginal de produção é constante (B) maior que 10.
e igual a 40. A quantidade demandada pelos (C) maior que 8.
consumidores (QD) é representada pela função (D) menor que 7.
QD = 300-5P, onde P = preço do bem X. Os (E) menor que 15.
duopolistas têm duas estratégias alternativas: SFE, Cesgranrio, 2009.
vender 30 ou vender 35 unidades no mercado. A
matriz de payoffs (lucros) das duas empresas
para as quatro combinações de estratégias 1036) A matriz abaixo mostra um jogo com dois
possíveis está reproduzida abaixo: participantes, (I) e (II), e as suas respectivas
estratégias: E1 e E2 , e F1, F2 e F3. Os números
em cada célula da matriz mostram os ganhos
monetários em reais de (I) e de (II); o número à

DSc Cursos Página 121


DSc Cursos

esquerda representa o ganho de (I) e, o da o jogo é simultâneo e ambos os jogadores


direita o de (II). conhecem todas as estratégias e todos os ganhos
previamente.
II II
F1 F2 F3 S1 S2 S3
I E1 2;2 1;3 0;4 I E1 3;4 2;3 0;2
E2 3;1 2;2 1;3 E2 2;5 3;6 0;7
E3 1;0 2;1 1;0
Com base na matriz, é possível afirmar que
(A) o Equilíbrio de Nash deste jogo não é único. Com base na matriz, é correto afirmar que
(B) um Equilíbrio de Nash consiste no par de (A) o jogo é de soma zero.
estratégias E2 e F3. (B) E1 é uma estratégia dominada para (I).
(C) não é um jogo de soma zero. (C) há dois equilíbrios de Nash neste jogo.
(D) não há estratégias dominantes para qualquer (D) não há estratégias dominadas para nenhum
dos dois jogadores. jogador.
(E) não há Equilíbrio de Nash. (E) não há equilíbrio de NASH neste jogo.
Petrobrás, Cesgranrio, 2008. Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2008.

1037) A matriz abaixo mostra um jogo na sua 1039) Considere o jogo descrito pela matriz
forma estratégica. A e B são os jogadores abaixo, com decisões simultâneas de seus dois
participantes e suas estratégias são, participantes, A e B. As estratégias e as de B
respectivamente, 1 e 2 para A, e I, II e III para são 1, 2 e 3. Os retornos em R$ de A se situam à
B. Dentro de cada célula da matriz o número à direita de cada célula, e os de B à esquerda.
esquerda é o ganho de A, e o número à direita, o Suponha que ambos os jogadores conheçam
ganho de B. Os jogadores decidem suas todas as estratégias e todos os retornos em cada
estratégias simultaneamente, têm conhecimento célula da matriz.
das estratégias próprias e do adversário, e
também dos ganhos de ambos em cada célula. A
I II III
B 1 2;5 4;3 4;4
B 2 0;1 5;2 3;1
I II III 3 1;2 2;1 6;3
A 1 4;5 6;4 2;3
2 2;7 8;6 1;4
O número de equilíbrios de Nash, nesse jogo, é
Pode-se, então, afirmar que precisamente
(A) há apenas um equilíbrio de Nash. igual a
(B) a estratégia 1 é dominante para A. (A) 1
(C) a combinação de estratégias 1 e 2 é uma (B) 2
solução para o jogo. (C) 3
(D) o jogador B não tem estratégia dominante. (D) 4
(E) nenhum dos jogadores tem estratégias (E) 5
dominantes. Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2010.
BNDES, Cesgranrio, 2008.

1040) A matriz abaixo ilustra um jogo não


1038) A matriz abaixo mostra um jogo no qual cooperativo de decisões simultâneas entre Maria
interagem os indivíduos (I) e (II), e João, cada um com três estratégias possíveis
respectivamente, com as estratégias E1, E2 e (M1, M2 e M3, e J1, J2 e J3). Em cada célula da
E3, e S1 , S2 e S3 . Em cada célula da matriz matriz, há dois números, os quais são os
aparece, à esquerda, o ganho de (I); e à direita, o retornos em reais dos jogadores: o número a
ganho de (II). Os ganhos são expressos em R$, esquerda é o retorno de João e, à direita, o de
DSc Cursos Página 122
DSc Cursos

Maria. Todas as estratégias e retornos são de B. Há células não preenchidas ou com


conhecidos pelos dois jogadores. incógnitas X, Y, Z e W. Ambos os participantes
têm conhecimento de todos os valores nas
Maria células e de todas as estratégias possíveis: I a
M1 M2 M3 III, para A e 1 a 3, para B.
J1 1;1 4;3 3;9
Joao J2 2;2 3;2 4;8 B
J3 3;3 2;1 x;x 1 2 3
I 1;7 8;1
A incógnita x representa um valor em reais. A A II X;8 Y;9 10;Z
combinação de estratégias (J2, M3) é um equilíbrio III W;0
de Nash se o valor de x for
(A) 3 O exame da matriz leva à conclusão de que
(B) 5 (A) o par de estratégias (II, 3) é um Equilíbrio
(C) 7 de Nash se Z>9.
(D) 9 (B) para valores de X suficientemente elevados,
(E) 11 o par de estratégias (II, 1) é um Equilíbrio
Petrobrás, Cesgranrio, 2012. de Nash.
(C) se o par de estratégias (II, 3) for um
Equilíbrio de Nash, II será uma estratégia
1041) A matriz abaixo representa um jogo de dominante para A.
decisões simultâneas entre duas pessoas, I e II. (D) uma mudança de posição da célula (I, 2)
Em cada célula da matriz aparece, à esquerda, o para (I, 3) é uma Melhoria de Pareto.
retorno de I e, à direita, o de II. As estratégias (E) haverá um Equilíbrio de Nash se Z > 9 e W
de I e de II são, respectivamente, S1, S2 e S3, e < 10.
Q1, Q2 e Q3. BNDES, Cesgranrio, 2009.

II Q1 Q2 Q3
I 1043) Um servidor público decide se deve ou não
S1 7;8 2;2 3;4 mandar uma declaração de imposto de renda
para a malha fina. A decisão não é trivial,
S2 1;3 1;3 x;y mandar a declaração para malha fina tem um
custo e só trará ganhos para receita se o
S3 2;2 1;1 3;4 contribuinte tiver sonegado. Suponha que a
probabilidade do contribuinte ter sonegado é
0,5. A arrecadação líquida da receita com o
contribuinte será dada por:
Suponha que os dois jogadores conheçam,
antecipadamente, todas as estratégias e retornos Não Mandar Mandar para
envolvidos. Para que a combinação de estratégias para Malha fina Malha Fina
S2Q3 seja um equilíbrio de Nash, é suficiente que Não é Sonegador R$25,00 R$ 9,00
(A) x > 1 e y > 4 Sonegador R$25,00 R$ 81,00
(B) x > 1 e y > 3
(C) x > 1 ou y > 4
(D) x > 3 ou y > 1 Considere que a função de utilidade do servidor é
(E) x > 3 e y > 3 dada por 𝑢(𝑤) = √𝑤 , onde w é a arrecadação
Transpetro, Cesgranrio, 2011. líquida da receita. Assinale a opção correta.
a) O servidor vai mandar o contribuinte para a
malha fina, pois a utilidade esperada de
1042) A matriz abaixo representa um jogo com mandar para malha fina é maior do que a
decisões simultâneas de duas pessoas, A e B. utilidade esperada de não mandar para
Em cada célula da matriz, o valor à esquerda é o malha fina.
retorno monetário de A, e o valor à direita é o
DSc Cursos Página 123
DSc Cursos

b) O servidor não vai mandar o contribuinte (E) a2 e b4


para a malha fina, pois a utilidade esperada Petrobrás Biocombustivel, Cesgranrio, 2010.
de mandar para malha fina é menor do que a
utilidade esperada de não mandar para
malha fina. 1045) Considere o seguinte jogo na forma
c) Não é possível determinar se o servidor vai extensiva, no qual duas firmas disputam um
mandar o contribuinte para malha fi na, pois mercado:
a utilidade esperada de mandar para malha
fina é igual à utilidade esperada de não 1
mandar para malha fina.
d) A utilidade esperada de não mandar o A B
contribuinte para malha fina é igual a 25. 2 2
e) A utilidade esperada de mandar o
contribuinte para malha fina é igual a 40. A`
A` B` B`
STN, 2012, Esaf

5 1 2 -1
3 4 1 -1

1044) Considere o jogo sequencial entre duas


pessoas, A e B, representado pela árvore de A firma 1 opta entre escolher um preço alto (A) ou
decisão abaixo. baixo (B) e aí, dada sua escolha, a firma 2 escolhe
também entre um preço alto (A’) ou baixo (B’). Os
payoffs finais do jogo estão mostrados após o
A B término da ação da firma 2, onde o número superior
representa o ganho da firma 1, e o número inferior,
b1 (12; 4) o ganho da firma 2. O espaço de estratégias do
jogador 1 é {A,B}, mas o espaço de estratégias do
a1 jogador 2 é {(A’,A’), (A’,B’), (B’,A’), (B’,B’)},
b2 (14; 2) onde o primeiro termo de cada parêntese representa
a ação do nó à esquerda da figura (após o jogador 1
b3 (15; 1) escolher a ação A), e o segundo termo representa a
ação do nó à direita da figura (após o jogador 1
a2 escolher a ação B). A solução do jogo trata de
b4 (7; 9)
definir o(s) equilíbrio(s) Nash pertinentes ao caso
descrito. Assim, o(s) equilíbrio(s)
(A) de Nash perfeito em subjogos é {A; (B’,B’)}
A B (B) de Nash perfeito em subjogos é {B;
(A’,A’)}
No primeiro nó à esquerda, A decide entre as (C) de Nash são {A; (B’,B’)} e {B; (B’,A’)}
estratégias a1 e a2 . Nos dois nós alcançáveis a (D) de Nash são {A; (A’,B’)} e {B; (A’,A’)}
seguir, B decide entre as estratégias b1 e b2 ou entre (E) de Nash é {B;A’}
b3 e b4. Entre parênteses, ao final de cada Chesf, Cesgranrio, 2012.
combinação de estratégias, aparecem os retornos,
em reais, que as pessoas obtiveram. Dentro dos
parênteses, o retorno de A fica à esquerda e o de B 1046) Num jogo entre duas pessoas racionais, X e
à direita. Suponha que os jogadores tentem Y, o que ocorre quando X possui uma estratégia
maximizar seus ganhos e conheçam todos os dominante S?
retornos, as estratégias e a estrutura do jogo. A (A) X pode escolher ou não S, dependendo da
solução do jogo será a combinação de estratégias escolha estratégica de Y.
(A) a1 e b1 (B) Y vai escolher uma estratégia que maximize
(B) a1 e b2 seu ganho, supondo que X escolherá S.
(C) a1 e b3 (C) Y vai escolher necessariamente uma
(D) a2 e b3 estratégia mista.

DSc Cursos Página 124


DSc Cursos

(D) O jogo não vai ter solução em vista do (B) cada jogador toma a decisão que maximiza
domínio de X. seus payoffs, independentemente das
(E) Se houver um Equilíbrio de Nash, S não decisões que os outros jogadores estão
será a estratégia escolhida por X. tomando.
Refap, Cesgranrio, 2007. (C) cada jogador toma decisão que maximiza
seus pay-offs, levando em consideração as
decisões que os outros jogadores estão
1047) Em um jogo envolvendo duas pessoas − tomando e, por esta razão, todo equilíbrio de
jogador A e jogador B −, com número finito de Nash é equilíbrio de estratégia dominante,
estratégias de decisão, em que a escolha ótima como mostra o dilema do prisioneiro com
de um jogador depende do que ele pensa sobre o dois jogadores.
que o outro jogador fará. Atinge-se o chamado (D) a dependência entre agentes é condição
“Equilíbrio de Nash” se necessária e suficiente para que exista um
(A) a escolha de A for ótima dada a escolha de único equilíbrio possível.
B, e se a escolha de B for independente da (E) o equilíbrio de estratégia dominante é um
escolha de A. caso especial de equilíbrio de Nash.
(B) a escolha de A for independente da escolha Gestor de Economia, FCC, 1999.
de B, e se a escolha de B for ótima dada a
escolha de A.
(C) a escolha de A for independente da escolha 1050) Na teoria dos jogos, no modelo conhecido
de B, e se a escolha de B for independente como dilema do prisioneiro,
da escolha de A. (A) a melhor estratégia é confessar somente para
(D) tanto o jogador A quanto o jogador B o prisioneiro que for interrogado primeiro
fizerem uma escolha ótima, não-dada a pela polícia.
escolha do outro jogador. (B) a estratégia dominante para ambos os
(E) a escolha de A for ótima dada a escolha de prisioneiros é confessar.
B, e se a escolha de B for ótima dada a (C) não há estratégia dominante.
escolha de A. (D) a melhor estratégia para ambos os
Defensoria Pública/RS, FCC, 2013. prisioneiros é não confessar, por ser um jogo
não cooperativo.
(E) o resultado é aleatório, dependendo da
1048) Com relação aos conceitos de equilíbrio em disposição psicológica que cada um dos
Teoria dos Jogos, é correto afirmar que prisioneiros têm de confessar.
a) é impossível construir um jogo sem Prefeitura de Santos, FCC, 2005.
equilíbrio de nash.
b) no equilíbrio de nash, cada jogador não
necessariamente estará fazendo o melhor 1051) Sobre Teoria dos Jogos, afirma-se que
que pode em função das ações de seus (A) em equilíbrio de Nash não se pode melhorar
oponentes. a situação de um dos jogadores sem piorar a
c) qualquer que seja o jogo, somente existirá dos demais.
um equilíbrio de nash. (B) em jogo do tipo “dilema dos prisioneiros” o
d) todo equilíbrio de estratégias dominantes equilíbrio de Nash ocorre quando o
também é um equilíbrio de nash. benefício social é maximizado.
e) não existe equilíbrio de nash em jogos não (C) em jogo do tipo “batalha dos sexos” só há
cooperativos. equilíbrio de Nash com estratégias mistas.
STN, ESAF, 2005. (D) em jogo do tipo “dilema dos prisioneiros” o
resultado eficiente de Pareto só pode ser
alcançado quando o jogo é repetido por um
1049) Com relação ao conceito de equilíbrio de número definido de vezes.
Nash, pode-se afirmar que (E) cartéis tendem a não ser sustentáveis, pois o
(A) é um equilíbrio de estratégia dominante, ganho de não cooperar é superior ao de
sempre. cooperar.
Petrobrás, Cesgranrio, 2011.

DSc Cursos Página 125


DSc Cursos

c) Considere a situação na qual o amigo A vai


para o lado direito com probabilidade 2/3 e
1052) Considere: para o lado esquerdo com probabilidade 1/3,
I. Aplicando-se a Teoria dos Jogos à análise enquanto o amigo B vai para o lado direito
do oligopólio, pode-se dizer que uma com probabilidade 1/3 e para o lado
empresa tem uma estratégia dominante esquerdo com probabilidade 2/3. Esta
quando os resultados obtidos com sua situação corresponde a um equilíbrio de
utilização são sempre os melhores, Nash em estratégias mistas.
independentemente da atuação dos demais d) Considere a situação na qual cada amigo
oligopolistas. joga uma moeda não viciada, ou seja, a
II. Os oligopolistas têm dificuldades em adotar probabilidade de dar cara é igual à
comportamentos cooperativos, dado que uns probabilidade de dar coroa. O amigo A diz
desconfiam das ações dos outros. Esta que vai para o lado esquerdo se a moeda
situação pode ser bem compreendida a partir dele der cara, e o amigo B diz que vai para o
da análise do modelo do “dilema dos lado direito se a moeda dele der coroa. Esta
prisioneiros” utilizado na Teoria dos Jogos. situação caracteriza um equilíbrio de Nash
III. O Equilíbrio de Nash é um conjunto de em estratégias mistas.
estratégias no qual cada agente faz o melhor e) Considere o caso no qual o amigo A opta
que pode, independentemente das ações de sempre em ir para o lado direito, não
seus concorrentes. importando o que o amigo B faz. Esta
IV. Há um equilíbrio de estratégias dominantes estratégia é uma estratégia estritamente
quando cada agente faz o melhor que pode dominante para o amigo A.
em função das ações de seus concorrentes. STN, 2012, Esaf
Está correto o que se afirma APENAS em
(A) I e II.
(B) I e III. 1054) Maria e João devem escolher
(C) I e IV. simultaneamente um número real não negativo
(D) II e IV. qualquer. Se o número escolhido por Maria for
(E) III e IV. igual à raiz quadrada do número escolhido por
ARCE, FCC, 2012. João, então Maria ganhará um prêmio de 1.000x
xM reais, no qual xM é o número escolhido por
Maria. Caso contrário, Maria pagará uma multa
1053) Considere um jogo em que dois amigos vão de R$ 500,00. O mesmo vale para João:
ao estádio assistir a um jogo de futebol, os dois chamando de xj o número por ele escolhido,
gostam de ir ao estádio, mas não torcem pelo caso 𝑥𝐽 = √𝑥𝑀 , então João receberá um prêmio
mesmo time. A torcida do time do amigo A fica no valor de 1.000 x xj reais. Caso contrário, ele
do lado direito do estádio, e a torcida do time do terá de pagar uma multa de R$ 500,00. Acerca
amigo B fica do lado esquerdo do estádio. Se desse jogo, podemos afirmar:
ambos foram para o lado direito, o jogador A a) o jogo não possui equilíbrio de Nash.
recebe o equivalente em utilidade a dois reais e b) o jogo possui apenas um equilíbrio de Nash.
o jogador B recebe equivalente a um real. Se c) o jogo possui infi nitos equilíbrios de Nash.
ambos escolherem o lado esquerdo, então o d) se o jogo fosse jogado seqüencialmente,
jogador A recebe o equivalente a um real e o com Maria escolhendo primeiramente seu
jogador B recebe o equivalente a dois reais. Se número e João escolhendo o seu na
for cada um para um lado, eles recebem seqüência tendo conhecimento do número
utilidade equivalente a zero. Assinale a opção escolhido por Maria, haveria apenas um
correta. equilíbrio de Nash perfeito em subjogos.
a) A situação em que ambos vão para o lado e) o jogo possui um equilíbrio com estratégias
direito é um equilíbrio em estratégias dominantes.
dominantes. STN, Esaf, 2008.
b) A situação em que ambos vão para o lado
esquerdo não é um equilíbrio de Nash.

DSc Cursos Página 126


DSc Cursos

com as curvas de indiferença do indivíduo


5 - EQUILÍBRIO GERAL B. As alocações na curva de contrato são
ótimas no sentido de Pareto.
b) Em uma caixa de Edgeworth, o equilíbrio
1055) Considere o modelo simples da caixa de competitivo é caracterizado por um ponto
Edgeworth, para analisar a alocação de uma fora da curva de contrato onde a curva de
quantidade finita de dois bens entre duas indiferença do indivíduo A é tangente à reta
pessoas. Supondo que a alocação inicial esteja orçamentária do indivíduo B.
sobre a curva de contrato, qualquer mudança a c) Em uma caixa de Edgeworth, a curva de
partir desta alocação implica contrato representa os pontos de tangência
(A) aumento da utilidade de alguém. das curvas de indiferença do indivíduo A
(B) aumento da utilidade de todos. com as curvas de indiferença do indivíduo
(C) ganho de utilidade para alguém, se a outra B. As alocações na curva de contrato não
pessoa perder. são ótimas no sentido de Pareto.
(D) perda de utilidade para alguém, se a outra d) O equilíbrio competitivo é ponto fora da
pessoa ganhar. caixa de Edgeworth.
(E) perda de utilidade para todos. e) Em uma caixa de Edgeworth, o equilíbrio
Petrobrás, Cesgranrio, 2010. competitivo é caracterizado por um ponto na
curva de contrato onde as curvas de
indiferença são tangentes à reta
1056) Sobre a Caixa de Edgeworth, considere: orçamentária do indivíduo A e à reta
I) Constitui-se em um diagrama que orçamentária do indivíduo B.
mostra todas as possíveis alocações STN, 2012, Esaf
de quaisquer dois insumos entre dois
processos de produção.
II) Trata-se de um diagrama que mostra 1058) Em um modelo de equilíbrio geral, uma
todas as possíveis alocações de situação econômica é dita Pareto-eficiente
quaisquer duas mercadorias entre quando
dois consumidores. (A) não é possível aumentar a utilidade marginal
III) Define a chamada Curva de Contrato da renda sem aumentar o preço.
que contém todas as alocações de (B) não é possível melhorar o bem-estar de um
mercadorias em que as curvas de agente econômico sem piorar o de outro.
indiferença dos consumidores são (C) o excedente do consumidor é igual ao
tangentes. excedente do produtor.
IV) Estabelece a chamada Curva de (D) o nível de bem-estar é o mesmo para todos
Contrato que mostra todas as os indivíduos.
alocações eficientes entre duas (E) os rendimentos são distribuídos
funções de produção. igualitariamente.
Está correto o que consta em ARCE, FCC, 2006.
(A) I, II, III e IV.
(B) II e III, apenas.
(C) I, III e IV, apenas. 1059) O conceito de otimalidade de Pareto e seus
(D) II e IV, apenas. correlatos é fundamental para garantir a
(E) I, apenas. alocação eficiente dos recursos escassos nos
Defensoria Pública/RS, FCC, 2013. diferentes mercados. Acerca desse assunto,
assinale a opção correta.
(A) A imposição de tributos elevados sobre o
1057) Considere a teoria de equilíbrio geral em consumo de cigarros para financiar as
uma economia de trocas com dois produtos e pesquisas relativas ao câncer de pulmão
dois indivíduos (chame-os de indivíduo A e representa uma melhoria de Pareto porque
indivíduo B). Assinale a opção correta. eleva o nível de eficiência da economia.
a) Em uma caixa de Edgeworth, a curva de
contrato representa os pontos de interseção
das curvas de indiferença do indivíduo A
DSc Cursos Página 127
DSc Cursos

(B) A alocação de recursos, produzida pelos os bens produzidos nos demais setores é
mercados oligopolistas, encontra-se sob a positivo.
curva de contrato. (C) Se, nos mercados racionados em que a
(C) Políticas de controle de aluguéis são fixação de preço-teto provoque escassez, o
eficientes no sentido de Pareto porque preço pago pelos consumidores for igual ao
elevam o bem-estar dos locadores de custo marginal de produção do bem
imóveis, sem que haja redução do bem-estar /serviço, então, nesse mercado, o nível de
dos demais agentes econômicos. produção será eficiente.
(D) Ao longo da fronteira de possibilidades de (D) Ao longo da curva de contrato na produção,
utilidade, as taxas marginais de substituição as taxas marginais de substituição técnica
entre dois bens quaisquer são iguais para entre os diferentes insumos são iguais,
todos os consumidores. garantindo, assim, uma utilização eficiente
(E) O critério de otimalidade de Pareto leva em desses recursos.
conta a distribuição de recursos na economia (E) Na análise de equilíbrio geral, quando dois
sendo, pois, particularmente apropriado para bens são complementares, a imposição de
analisar questões de repartição de renda. um tributo sobre um deles conduz a um
Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2009 aumento do preço do bem tributado, bem
superior àquele previsto pela análise de
equilíbrio parcial.
1060) O conceito de eficiência no sentido de INPI, Cespe, 2006.
Pareto é um conceito central para a economia do
bem-estar. A esse respeito, assinale a opção
correta. 1062) Considere as afirmações abaixo sobre as
(A) Ao longo da fronteira de possibilidades de teorias do equilíbrio geral e do bem-estar social.
utilidade, é possível realizar melhorias de I. A Lei de Walras tem como um de seus
Pareto. corolários que uma condição sufi ciente para
(B) Para dois bens quaisquer, as alocações que todos os “n” mercados estejam em
situadas na curva de contrato implicam que equilibro é que “n−1” esteja em equilíbrio.
a taxa marginal de substituição entre os bens II. O 2o Teorema do Bem-Estar afi rma que
considerados é idêntica para todos os uma alocação ótima de Pareto é obtida a
consumidores. partir de um equilíbrio competitivo para um
(C) Somente as alocações de recursos eficientes dada dotação inicial.
podem ser eqüitativas. III. O 1o Teorema do Bem-Estar garante que
(D) Mercados oligopolistas produzem alocações sempre exista um equilíbrio competitivo, no
de recursos que são, necessariamente, caso de informação perfeita e ausência de
ótimas no sentido de Pareto. bens públicos e falhas de mercado.
UEPA, Cespe, 2008. É correto o que se afirma em
(A) I, apenas.
(B) II, apenas.
1061) Considerando que os mercados são (C) I e II, apenas.
interdependentes, o modelo de equilíbrio geral (D) II e III, apenas.
acrescenta informações relevantes para a análise (E) I, II e III.
econômica. Com relação a esse tópico, assinale Chesf, Cesgranrio, 2012.
a opção correta.
(A) Nos mercados competitivos, uma alocação
de recursos que promova a distribuição 1063) Considerando a teoria do equilíbrio geral
eqüitativa desses recursos é também competitivo em uma economia hipotética com
eficiente no sentido de Pareto. trocas puras, é correto afirmar:
(B) A lei de Walras implica que, se o valor total (A) o Segundo Teorema do Bem Estar
dos excessos de demanda para todos os bens estabelece que se um equilíbrio competitivo
produzidos pela indústria for zero, então o é eficiente de Pareto, então a alocação final
valor total dos excessos de demandas para será eqüitativa.

DSc Cursos Página 128


DSc Cursos

(B) a Lei de Walras só é válida para os preços Produção determina o tamanho da Caixa de
de equilíbrio. Edgeworth das Trocas.
(C) se houver dois consumidores e dois bens e (D) No equilíbrio geral, a Taxa Marginal de
um dos consumidores possuir dotação Transformação entre os bens se iguala à
inicial nula de ambos os bens, esta situação Taxa Marginal de Substituição desses
não é eficiente de Pareto. mesmos bens para cada um dos
(D) o Primeiro Teorema do Bem Estar consumidores.
estabelece que toda situação eficiente de (E) No equilíbrio geral, a Taxa Marginal de
Pareto também é um equilíbrio competitivo. Substituição entre dois bens deve ser igual
(E) (E)) pela Lei de Walras, não é possível que para os dois consumidores e igual à razão
haja um mercado com desequilíbrio entre entre os preços dos fatores de produção
oferta e demanda se todos os demais envolvidos no processo produtivo dos bens.
mercados estão equilibrados Infraero, FCC, 2011.
Estado do Maranhão, FCC, 2006.
6 - PRODUÇÃO
1064) É correto afirmar:
(A) Em qualquer ponto da Caixa de Edgeworth,
a economia se encontra em um ponto de 1066) Dada a Curva de Possibilidade de Produção:
Ótimo de Pareto.
(B) Sempre que há uma distribuição igualitária Bem X
dos bens entre os consumidores, a economia A B
se encontra em um ponto de Ótimo de
E
Pareto.
(C) Uma situação econômica é dita eficiente de D
Pareto quando o nível de bem-estar é o C
mesmo para todos os indivíduos.
(D) A existência de capacidade ociosa na
indústria é compatível com o conceito de
eficiência de Pareto. Bem Y
(E) Se a alocação A de bens e fatores de
produção é Pareto eficiente enquanto a É correto afirmar que
alocação B não o é, então a alocação A é (A) o custo de oportunidade de passar de C para
socialmente preferível à alocação B. D é elevado.
ARCE, FCC, 2012. (B) a economia pode atingir os pontos A e B.
(C) o custo de oportunidade de passar de A para
E é positivo e crescente.
1065) Considerando uma economia com dois (D) o ponto B é o ponto de consumo máximo
consumidores com preferências compatíveis para a sociedade.
com a Teoria do Consumidor, dois bens (E) no ponto D haverá pleno emprego dos
produzidos e dois fatores de produção aplicados fatores de produção.
em processos produtivos em que se respeite a lei Ceal, FCC, 2005.
dos rendimentos marginais decrescentes, é
correto afirmar:
(A) O equilíbrio geral é atingido sempre que a 1067) O gráfico abaixo mostra a fronteira de
economia se encontra sobre a curva de possibilidades de produção de uma sociedade
contrato da produção. que produz armas e/ou alimentos,
(B) Pontos no canto superior esquerdo da Caixa exclusivamente.
de Edgeworth da Produção representam
excesso de oferta de pelo menos um dos
fatores de produção.
(C) Na determinação do equilíbrio geral, o
tamanho da Caixa de Edgeworth da

DSc Cursos Página 129


DSc Cursos

1068) Pontos sobre a curva FPP devem ser


considerados pontos de pleno emprego dos
trabalhadores deste país.
Armas (I) 1069) Pontos sobre a curva FPP devem ser
considerados pontos de pleno emprego dos bens
de capital desse país.
1070) A promoção de comércio internacional pode
levar a registro de pontos à direita da FPP, no
curto prazo.
(II) 1071) Pontos entre os eixos e a FPP indicam que
nenhum dos dois bens pode ser produzidos no
Alimentos seu nível máximo.
1072) A teoria da fronteira de possibilidades de
Considerando que os pontos (I) e (II) representam produção implicitamente leva em consideração
combinações de produções de armas e de alimentos, o avanço tecnológico.
é correto afirmar que 1073) Uma FPP tem o formato gráfico
(A) (I) é uma combinação produtiva ineficiente apresentado, pois representa as diferentes
no sentido de Pareto. proporções necessárias dos fatores de produção
(B) (II) é ineficiente e nunca pode ser preferível para diferentes quantidades de produção de cada
a (I). bem envolvido, no caso, soja e televisão.
(C) em (II) a produção de alimentos é maior do 1074) Produzir sobre a FPP ou na área entre a
que em (I); logo, (II) é preferível a (I). curva FPP e os eixos bem como definir onde
(D) a fronteira é côncava para a origem, em localizar a produção são decisões econômicas.
virtude dos custos marginais crescentes de BASA, Cespe, 2006.
produzir mais de um bem, em termos do
outro bem.
(E) no caso de haver mudanças tecnológicas, a
1075) A Curva de Possibilidade de Produção
fronteira de possibilidades de produção se
a) demonstra os diferentes preços dos fatores
torna inteiramente retilínea.
de produção, dada a tecnologia utilizada e o
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2008.
mesmo nível de produção.
b) revela as opções de utilização dos fatores
terra e trabalho possíveis para um dado nível
de produção.
TV c) revela as opções de utilização de diferentes
tecnologias para um dado nível de produção.
d) revela as opções de consumo da sociedade,
dado o mesmo nível de utilidade.
FFP e) revela as opções de produção à sociedade,
dados os limites dos recursos terra, trabalho
e capital.
MPU, Esaf, 2004.

1076) O formato da curva de possibilidades de


SOJA produção de uma economia
(A) implica que os custos de transformação de
um produto em outro são decrescentes.
Considerando que o gráfico acima representa uma (B) expressa os desejos da sociedade em
fronteira de possibilidades de produção (FPP) de consumir dois bens alternativos.
um país entre soja e televisão (TV), julgue os itens (C) demonstra que todos os recursos produtivos
a seguir. da economia estão sendo empregados de
forma ineficiente.
(D) tem sua concavidade voltada para cima.

DSc Cursos Página 130


DSc Cursos

(E) baseia-se na hipótese de que a quantidade de (D) ilustra o problema econômico fundamental:
fatores de produção é constante no curto no curto prazo, o aumento da produção de
prazo. um bem só é possível às expensas da
TCE/MG, FCC, 2007. redução da produção de outro.
(E) representa as combinações de mínima
produção obtenível de dois bens, dada a
1077) Não desloca a Curva de Possibilidade de tecnologia e quantidade de fatores de
Produção o(a) produção.
a) realocação dos recursos disponíveis. DNOCS, FCC, 2010.
b) avanço tecnológico.
c) aumento na quantidade de capital.
d) aumento na força de trabalho. 1080) Em relação à curva de possibilidades de
e) aumento na produtividade do trabalho. produção (ou curva de transformação) da
MPU, Esaf, 2004. economia, é correto afirmar:
(A) Um ponto à esquerda da curva representa
uma combinação da produção de dois bens
1078) A Curva de Possibilidades de Produção é que não pode ser alcançada pela economia
utilizada nos manuais de economia como uma no curto prazo.
forma de ilustrar o problema econômico (B) A produtividade física marginal de cada
fundamental de que os fatores de produção são recurso produtivo decresce com a maior
escassos para atender as necessidades de utilização de cada um deles pela economia.
consumo de bens pela sociedade. Em relação à (C) É possível aumentar simultaneamente a
ela, quando construída para dois bens, é correto produção de dois bens mesmo que os
afirmar que recursos da economia estejam sendo
(A) uma das hipóteses utilizadas para construção utilizados com a máxima eficiência que a
da curva é que o progresso tecnológico é tecnologia disponível permite.
crescente no curto prazo. (D) O custo de oportunidade da produção de um
(B) expressa os desejos da sociedade em bem diminui à medida que mais recursos
consumir dois bens alternativos. produtivos da economia são utilizados na
(C) seu formato implica que os custos de produção do outro.
transformação de um produto em outro são (E) Ela expressa as combinações de produção de
crescentes. dois bens que correspondam à máxima
(D) representa as combinações de mínima utilidade possível para os consumidores.
produção obtenível de dois bens, dada a Metrô, FCC, 2008.
tecnologia e quantidade de fatores de
produção.
(E) se a produção da sociedade é representada 1081) A curva de transformação de uma economia,
por um ponto dentro da curva, isto significa construída para dois bens, parte das premissas
que os fatores de produção estão sendo que os fatores de produção são fixos e que o
utilizados da forma mais eficiente possível. conhecimento tecnológico é constante. Em
Sergipegás, FCC, 2010. relação a essa curva, é correto afirmar que
(A) a curva se desloca para a esquerda se as
premissas são relaxadas e ocorre o aumento
1079) O formato da curva de transformação, do volume dos fatores de produção e/ou
também conhecida como curva de inovações tecnológicas.
possibilidades de produção, de uma economia (B) o formato da curva depende do volume de
(A) baseia-se na hipótese de que a quantidade de demanda agregada da economia.
fatores de produção disponíveis em uma (C) um ponto à esquerda, dentro da curva,
economia é variável no curto prazo. indica que há plena utilização dos fatores de
(B) implica que os custos de transformação de produção e que a produção está sendo feita
um produto em outro são decrescentes. da forma mais eficiente possível, dada a
(C) expressa os desejos da sociedade em tecnologia.
consumir dois bens alternativos.

DSc Cursos Página 131


DSc Cursos

(D) o formato da curva indica que a taxa de outro lado, se forem dedicadas Lc horas na
transformação de um bem em outro é linear. produção de coco, o resultado será 20 Lc quilos
(E) a curva tem sua concavidade voltada para de coco. Considerando o exposto, assinale a
baixo, porque o custo de transformação de opção correta.
um produto em outro é crescente. (A) Um ponto na curva de possibilidade de
Metrô, FCC, 2012. produção (CPP) em que dois bens são
produzidos é mais eficiente que um ponto na
CPP em que um só bem esteja sendo
1082) A curva de transformação de uma economia produzido.
mostra que, se os fatores de produção forem (B) A produção máxima desse indivíduo é de
fixos e não houver inovações tecnológicas, 100 quilos de peixe ou 50 quilos de coco.
(A) o custo de oportunidade é crescente. (C) A inclinação da curva de possibilidade de
(B) o custo de aumentar a produção de um bem, produção (CPP) é igual a 2 em módulo —
em termos da redução da produção de outro considerando a produção de coco no eixo
bem, será decrescente. horizontal e de peixe, no eixo vertical.
(C) a taxa de transformação de um bem em (D) Se o indivíduo estiver produzindo 50
outro será constante. unidades de peixe e 25 unidades de coco,
(D) independentemente do comportamento da então a economia estará operando em uma
demanda agregada, a economia estará situação Pareto eficiente.
sempre produzindo o máximo possível. (E) O custo de oportunidade de coco em termos
(E) o custo de oportunidade será nulo de peixe é igual a 2, isto é, se o indivíduo
Metrô, FCC, 2010. aumentar a produção de coco em um quilo,
deverá reduzir a produção de peixe em 2
quilos.
1083) A respeito da curva de possibilidades de TJ/RO, Cespe, 2012.
produção (CPP), que ilustra o trade off existente
na produção dos diferentes bens, assinale a
opção correta. Considere que o estado do Pará pode produzir, em
(A) A existência de custos de oportunidade um ano, 200 milhões de sacas de castanha-do-pará
crescentes entre a produção de bens para ou 600 milhões de sacas de açaí, ou uma
consumo interno e bens exportáveis é combinação desses dois produtos. O estado do
compatível com uma curva de Maranhão pode produzir 200 milhões de sacas de
possibilidades de produção linear, entre castanha-do-pará ou 200 milhões de sacas de açaí,
esses dois tipos de bens. ou uma combinação desses dois produtos. A partir
(B) O processo sustentável de crescimento dessas informações, julgue os itens que se seguem.
econômico provoca um deslocamento ao 1085) Com relação aos produtos citados, a curva
longo dessa curva. de possibilidades de produção do estado do
(C) Combinações de produtos situadas no Maranhão ficará sempre à esquerda da curva de
interior da CPP são eficientes no sentido de possibilidades de produção do estado do Pará.
Pareto porque garantem que, nessas 1086) Os custos de oportunidade da produção de
combinações, os recursos da economia estão uma saca de castanha-do-pará para os estados
sendo plenamente utilizados. do Pará e Maranhão serão, respectivamente,
(D) Essa curva é construída supondo-se que os iguais a e 1 saca de açaí.
recursos disponíveis são fixos e que a 1087) Caso o estado do Maranhão se disponha a
tecnologia permanece constante trocar uma saca de castanha-do-pará por duas
UEPA, Cespe, 2008. sacas de açaí do estado do Pará, então essa
transação será igualmente vantajosa para os dois
estados.
1084) Um indivíduo trabalha 10 horas por dia na BASA, Cespe, 2010.
produção de peixe, de coco ou uma combinação
das duas atividades. Se Lp horas forem
dedicadas à produção de peixe, o resultado será
uma produção de 10 Lp quilos de peixe. Por

DSc Cursos Página 132


DSc Cursos

1088) instrumento utilizado pelos economistas (C) Todos os pontos situados na fronteira da
para demonstrar o problema econômico curva de possibilidade de produção são
fundamental de escassez e escolha é a Curva de igualmente eficientes, independentemente
(A) Philips. da quantidade de bens produzida na
(B) Possibilidades de Produção. economia.
(C) Lafer. (D) Um ponto interno à curva de possibilidades
(D) Eficiência Marginal do Capital. de produção será sempre eficiente.
(E) Isocustos. (E) Um ponto interno à curva de possibilidade
Copergás, FCC, 2011. de produção indica que a economia está
operando com plena capacidade produtiva.
Estado do Espírito Santo, Cespe, 2013.
1089) Um dos instrumentos utilizados pelos
economistas para expressar o problema da
escassez é a Curva de Possibilidades de 1091) A escassez dos fatores de produção leva a
Produção −CPP. Em relação à CPP, é correto dilemas sobre as possibilidades de produção e
afirmar: modificam suas fronteiras. Acerca desse
(A) Uma das hipóteses utilizadas na sua assunto, assinale a opção correta.
construção e que explica sua curvatura é que (A) Um deslocamento da fronteira para a
não há limitações tecnológicas para a esquerda pode ser causado pelo surgimento
produção no curto prazo. de avanços tecnológicos que aumentem a
(B) A quantidade de fatores de produção produção com o uso de menos fatores.
disponível na economia é suficiente para (B) Guerras e calamidades deslocam a fronteira
explicar o nível de consumo das famílias. de possibilidades para a direita.
(C) Desde que haja pleno emprego dos fatores (C) Pontos no interior da fronteira de
de produção e que estes estejam sendo possibilidades de produção indicam
utilizados da forma mais eficiente possível, situações de desemprego na economia a que
o aumento da produção de um bem somente se referem.
pode ocorrer em função da diminuição da (D) Pontos que ficam na fronteira de
produção de outro bem. possibilidades de produção indicam igual
(D) A definição da composição da cesta de bens distribuição de fatores entre os dois produtos
a serem produzidos na economia depende envolvidos na tomada de decisão.
exclusivamente da distribuição da renda (E) Quando há pontos no exterior da fronteira, a
entre salários, lucros e royalties. indicação é de produções possíveis somente
(E) O preço relativo dos bens produzidos na no curto prazo.
economia não tem qualquer impacto sobre a TJ/AL, Cespe, 2012.
alocação dos recursos na produção desses
bens.
ARCE, FCC, 2012. O problema econômico básico, cuja solução
depende da forma como as economias estão
organizadas, gira em torno do binômio escassez e
1090) Considerando uma economia na qual o escolha. A esse respeito, julgue os itens a seguir.
conceito de escassez seja válido, assinale a 1092) Em uma economia descentralizada, a
opção correta em relação à produção. preocupação maior dos diferentes agentes
(A) O deslocamento para a direita da curva de econômicos é gerenciar o funcionamento do
possibilidades de produção indica que sistema de preços para, assim, garantir o bom
ocorreram mudanças nos preços da desempenho das economias de mercado.
economia. 1093) O problema econômico de como produzir
(B) Em uma economia que produz dois bens, determinado bem, expresso por meio da função
um ponto da curva de possibilidades de de produção, ocorre somente quando o processo
produção em que os dois bens são produtivo exclui qualquer possibilidade de
produzidos é sempre mais eficiente do que substituição entre os fatores de produção.
um ponto em que a economia produz um
único bem.

DSc Cursos Página 133


DSc Cursos

1094) Se a curva de possibilidades de produção for os pontos de possibilidades de produção dessa


uma linha reta, o custo de oportunidade de se economia regional estarão sobre a sua curva de
produzir determinado bem será constante. possibilidades de produção.
1095) Na guerra contra o terrorismo liderada pelos 1099) O formato da curva de transformação
Estados Unidos da América (EUA), o custo de mostra o fenômeno dos custos crescentes ou dos
oportunidade da produção de material bélico rendimentos decrescentes.
equivale ao valor dos bens e serviços a que se 1100) O sistema de preços em uma economia de
deve renunciar para se produzir esse tipo de mercado tem papel fundamental na coordenação
material. das decisões dos agentes econômicos. Na
1096) Políticas discriminatórias, com base em economia centralizada, o sistema de preços não
raça, gênero ou idade, por exemplo, impedem o tem nenhuma importância.
uso eficiente dos recursos e fazem que a BASA, Cespe, 2010.
economia opere em um ponto interno da curva
de possibilidades de produção.
Senado, Cespe, 2002. Quando há escassez, a escolha e as diferentes
formas de organização das economias são questões
relevantes para a análise econômica. A esse
1097) A questão da escolha em situação de respeito, julgue os itens a seguir.
escassez, bem como as interações entre governo 1101) Ao provocarem mortes e desabamentos e
e mercados privados, são tópicos relevantes destruírem parte da infra-estrutura regional, os
para a análise dos fenômenos econômicos. A temporais que atingiram as regiões Sul e
respeito desse assunto, assinale a opção correta. Sudeste do Brasil no início de 2007 elevaram o
(A) Nas economias mistas, a descentralização custo de oportunidade dos recursos produtivos,
das ações dos agentes econômicos faz com o que aumentou a inclinação da curva de
que a coordenação das ações desses agentes possibilidades de produção das economias
seja feita unicamente por meio da utilização dessas regiões.
do sistema de preço. 1102) A política de quotas para as universidades
(B) O custo de oportunidade da decisão de tirar públicas, embasada em critérios raciais e
férias é mais elevado para funcionários econômicos, promove a eficiência econômica e
públicos do que para profissionais liberais desloca a expansão da fronteira de
bem sucedidos como alguns médicos e possibilidades de produção para cima e para a
advogados. direita.
(C) As vantagens das economias de livre 1103) O custo de oportunidade da decisão de
mercado incluem o fato de que a assumir um novo emprego, cujo salário é
concorrência incentiva os produtores a superior àquele que é pago na ocupação
serem eficientes (ou menos ineficientes). anterior, inclui tanto o valor da remuneração
(D) O aumento crescente do desemprego gerado atual como o aumento do tempo de transporte
pela atual crise econômica produz um necessário para se chegar ao novo local de
deslocamento para baixo e para a esquerda trabalho.
da curva de possibilidades de produção da 1104) Nas economias de mercado, em que a
economia mundial. propriedade dos bens e recursos é
(E) A presença de custos de oportunidade predominantemente privada, os preços
crescentes faz com que a curva de funcionam como um mecanismo de
possibilidade de produção seja convexa em racionamento que permite igualar, ex post, a
relação à origem. demanda e a oferta dos bens.
Tribunal de Contas/AC, Cespe, 2009 1105) A concavidade em relação à origem da
fronteira de possibilidades de produção explica-
se pelo fato de as alternativas de uso para os
Julgue os itens a seguir acerca dos conceitos fatores de produção serem limitadas.
fundamentais de BASA, Cespe, 2007.
economia.
1098) Se toda a população economicamente ativa
da região amazônica estiver empregada, então

DSc Cursos Página 134


DSc Cursos

Julgue os itens a seguir, a respeito das noções 1112) A função de bem-estar social pode ser
básicas e gerais de economia. expressa como dependendo das utilidades
1106) Se um avanço tecnológico no setor de individuais dos participantes da sociedade. Se
informática implicar deslocamento da fronteira uma alocação inicial de recursos for tal que,
de possibilidades de produção de automóveis e considerando todas as alterações possíveis, a
computadores de um país, mais computadores e utilidade de qualquer indivíduo não puder ser
automóveis serão produzidos nessa economia. aumentada sem que a de outro indivíduo
1107) Países que apresentam, em relação a outros, diminua, a alocação inicial é
menores custos de oportunidade de produção de (A) única e eficiente
um bem possuem vantagens comparativas e, por (B) equilibrada no sentido de Marshall
terem diferentes produtividades, todos os países (C) ineficiente e com externalidades
podem beneficiar-se com a promoção do (D) eficiente no sentido de Pareto
comércio internacional. (E) melhor para todos os indivíduos
1108) Na função de utilidade de Cobb-Douglas Liquigás, Cesgranrio, 2012.
𝑢(𝑥1 , 𝑥2 ) = 𝑥1𝑎 ∙ 𝑥21−𝑎 ), em que (x1, x2) são as
quantidades dos bens 1 e 2, respectivamente, e a
> 0, o parâmetro a representa a fração de Tendo em vista que a função de bem-estar social é
consumo do bem 1. um instrumental importante da economia
1109) Para uma escolha ótima de consumo de dois normativa, julgue os itens que se seguem.
bens, é suficiente que a curva de indiferença 1113) Supondo-se utilidade marginal da renda
entre esses dois bens tangencie a reta decrescente e preferências idênticas, a
orçamentária do consumidor. maximização das funções de bem-estar
1110) Uma análise econômica normativa leva em utilitaristas conduz a um viés igualitário.
conta juízo de valor; uma análise positiva está 1114) O fato de a sociedade atribuir um peso igual
relacionada a explicações e previsões. para todos os indivíduos é consistente com a
EBC, Cespe, 2011. existência de função de bem-estar rawlsiana.
Correios, Cespe, 2011.

1111) As aplicações matemáticas na ciência


econômica permeiam os diferentes tópicos da Em relação à teoria do bem-estar, julgue os itens
análise econômica. Assinale a opção correta que se seguem.
acerca desse assunto. 1115) Funções de bem-estar utilitaristas, que são
2 2
(A) A função de produção 𝑓(𝑥, 𝑦) = 4𝑥 3 𝑦 3 crescentes na renda de cada indivíduo, atribuem
apresenta retornos crescentes de escala. um peso mais elevado ao bem-estar das pessoas
1 menos favorecidas, contribuindo, assim, para
(B) Na função de demanda ,𝑄 = 3(𝑃)−2 em que melhorar a distribuição de renda.
Q e P representam, respectivamente, a 1116) Uma divisão igualitária dos recursos entre os
quantidade e o preço, a elasticidade preço diferentes agentes econômicos, além de ser uma
aumenta quando o nível de preços aumenta. alocação justa, é também eficiente no sentido de
(C) A exemplo do conceito de taxa marginal de Pareto.
substituição, o conceito de utilidade 1117) A fronteira de possibilidades de utilidade de
marginal é invariante a uma transformação determinada economia, constituída pelas
monotônica crescente da função de alocações ótimas no sentido de Pareto,
utilidade. corresponde à curva de contrato dessa
(D) Em presença de custos de oportunidade economia, desenhada no espaço das utilidades.
constantes para os recursos, a curva de BASA, Cespe, 2007.
possibilidades de produção é côncava em
relação à origem.
Detran, Cespe, 2006. 1118) A respeito dos mercados e do papel dos
preços, assinale a opção correta.
7 - BEM-ESTAR (A) O bem-estar de pessoas autossuficientes
permanece inalterado, pois atuar no mercado
é irrelevante para essas pessoas.

DSc Cursos Página 135


DSc Cursos

(B) Nos mercados oligopolistas, a identificação impostos, por exemplo) no sentido de coibir
de compradores e vendedores a serem essas ações.
incluídos é irrelevante do ponto de vista SAEB, FCC, 2004
econômico.
(C) Em uma situação de equilíbrio, preços de
mercado normalmente permanecem 1121) Um exemplo de bem ou serviço não rival é a
constantes ao longo do tempo. (A) comida em um restaurante público
(D) Os preços orientam os agentes do mercado subsidiado
acerca da escolha do público consumidor e (B) vaga de estacionamento na rua
dos produtos a serem comprados e vendidos. (C) sinalização de tráfego ao longo de uma
(E) Agentes do mercado que atuam de acordo rodovia
com seus próprios interesses podem (D) fralda para criança doada a um orfanato
promover o interesse coletivo. (E) aspirina distribuída gratuitamente às pessoas
TJ/AL, Cespe, 2012. pobres
Transpetro, Cesgranrio, 2011.
8 - FALHAS DE MERCADO
1122) Alguns bens possuem o que se pode definir
1119) Em situações de falha de mercado, a
como não rivalidade no consumo. Esse conceito
intervenção do Estado é justificada. Não
implica que
constitui uma falha de mercado a seguinte
a) o consumo do bem por parte de uma pessoa
situação:
não reduz a disponibilidade do mesmo para
(A) informação assimétrica
as outras.
(B) externalidades
b) o bem é inferior.
(C) monopólio natural
c) o bem é normal.
(D) bens públicos
d) o bem é não público.
(E) custos de transação
e) o consumo do bem somente ocorre se as
Petrobrás, Cesgranrio, 2011.
pessoas estiverem dispostas a pagar por um
preço que seja compatível com o lucro em
BENS PÚBLICOS um modelo de concorrência perfeita.
Ministério do Planejamento, FCC, 2006.
1120) A respeito dos bens públicos e
externalidades é INCORRETO afirmar:
(A) A oferta de bens públicos requerida pela 1123) A característica de NÃO rivalidade dos bens
sociedade pode ser determinada de forma públicos diz respeito
eficiente pelo sistema de mercado através do (A) ao custo marginal zero para a sua produção
mecanismo de oferta e demanda. para um consumidor adicional.
(B) Os bens públicos (segurança pública, justiça (B) à necessidade do monopólio para sua
e defesa nacional, por exemplo) são aqueles produção.
bens cujo consumo é indivisível ou “não- (C) à geração de externalidades negativas para
rival”. os consumidores.
(C) Justifica-se a oferta pública de saúde e (D) ao caráter de indivisibilidade dos bens.
educação pelo fato de gerarem (E) ao elevado tempo de maturação dos
externalidades positivas, apesar destes investimentos para sua produção.
serviços poderem ser submetidos ao ARCE, FCC, 2012.
princípio de exclusão e, desta forma, serem
passíveis de exploração pelo setor privado.
(D) A responsabilidade pela provisão de bens
1124) Uma característica importante dos bens
públicos recai sobre o governo, que financia
públicos é a de serem não exclusivos, o que é
a produção desses bens através da cobrança
definido como uma situação em que o(s)
compulsória de impostos.
(A) setor privado da economia não tem a
(E) A existência das chamadas externalidades
exclusividade de produção desses bens.
negativas (poluição, por exemplo) justifica a
intervenção do governo (através de multas e
DSc Cursos Página 136
DSc Cursos

(B) custo marginal de provê-los, para um (E) Quando todos os agentes tiverem
consumidor a mais, é nulo. preferências com máximo único, o
(C) custos de excluir uma pessoa do consumo mecanismo de votação gerará uma provisão
desses bens são muito altos, proibitivos. eficiente de bem público.
(D) custos fixos de produção são elevados. Chesf, Cesgranrio, 2012.
(E) bens públicos são produzidos por muitas
empresas competitivas.
BNDES, Cesgranrio, 2009. 1128) Sobre a teoria dos bens públicos, considere
as afirmativas abaixo.
I. O provimento privado de bens públicos
1125) Uma das diferenças dos bens privados, em resulta em um equilíbrio ineficiente, devido
relação aos bens públicos, é que são ao problema do carona, isto é, à tentação das
(A) produzidos por empresas privadas. pessoas em deixar de contribuir para o
(B) produzidos para um grupo privado e provimento do bem público, esperando que
específico de consumidores. os demais o façam.
(C) rivais, isto é, quando uma pessoa consome o II. A principal distinção entre bens privados e
bem impede que outra o faça. bens públicos é que os agentes sempre
(D) geradores de benefícios privados, apenas. derivam o mesmo grau de utilidade com
(E) superiores, isto é, o custo de excluir uma relação a este último.
pessoa de seu consumo é baixo. III. Bens públicos são considerados não rivais
Eletrobrás, Cesgranrio, 2010. pois o consumo por um agente não esgota o
bem, mantendo-o disponível para que outro
consumidor o consuma.
1126) Bens públicos diferenciam-se de bens IV. Por definição, bens públicos só podem ser
privados porque ofertados pelo governo, já que mecanismos
(A) são bens meritórios. privados de provimento são ineficientes.
(B) não se pode aplicar a eles o princípio da É correto o que se afirma APENAS em
não-exclusão. (A) I, III e IV.
(C) são financiados pela cobrança de taxas. (B) I, II e IV.
(D) dependem da existência de economias de (C) I, II e III.
escala. (D) I e III.
(E) são bens de consumo não rival. (E) II e IV.
ARCE, FCC, 2006. Estado do Maranhão, FCC, 2006.

1127) Dentre as afirmativas abaixo, qual é aquela 1129) Com base no conceito de bem público, é
compatível com as teorias de externalidade e de incorreto afirmar que
bens públicos? (A) bem público é aquele que não apresenta
(A) Para evitar o problema da “piscina comum”, rivalidade em seu consumo.
pode-se atribuir direitos de propriedade aos (B) a aquisição de um bem público implica
usuários do recurso comum. geração de externalidades positivas que não
(B) O Teorema de Coase afirma que, sempre são apropriadas pelo seu comprador.
que os agentes envolvidos puderem negociar (C) os bens públicos podem ser providos apenas
a produção da externalidade, eles chegarão a em mercados competitivos.
uma alocação eficiente, independemente dos (D) bem público é aquele para o qual o consumo
custos de transação. por parte de uma pessoa não reduz a
(C) A oferta eficiente de bens públicos pelo disponibilidade do mesmo para outra
mercado independe da presença de free pessoa.
riders. (E) segurança pública pode ser considerada
(D) O imposto de Groves-Clarke propõe um como conceito de bem público.
custo para o agente que gera externalidade MPU, Esaf, 2004.
negativa como forma de reduzir tal
produção para um nível eficiente.

DSc Cursos Página 137


DSc Cursos

1130) No modelo em que os agentes são racionais


e o mercado opera dentro de uma estrutura
perfeitamente competitiva, a quantidade ótima 1132) No que diz respeito aos bens públicos, semi-
que uma firma deve ofertar no mercado é aquela públicos e privados, indique a única opção
que iguala a sua receita marginal ao seu custo incorreta.
marginal. No caso de bens públicos, pode-se a) Bens públicos são os bens que o mecanismo
dizer que: de preços não consegue orientar os
a) essa mesma regra se aplica, pois a diferença investimentos a fim de efetuar sua produção.
entre bens privados e bens públicos está b) Bens públicos têm a característica de serem
somente no fato destes últimos serem não usados por todos, indistintamente, não
exclusivos e não rivais. importando o nível de renda ou condição
b) o custo marginal é zero e o preço, por social.
definição, também será zero, dado que em c) Bens semi-públicos satisfazem ao princípio
um mercado competitivo, no equilíbrio, o da exclusão, mas são produzidos pelo
preço será igual ao custo marginal Estado.
c) a sua produção afeta o equilíbrio no d) O serviço meteorológico é um exemplo de
mercado de bens privados, dado que a bem de consumo não rival.
produção desses bens está limitada pela e) Serviços de saúde e saneamento são bens
fronteira de possibilidades de produção, públicos, uma vez que seus custos podem
segundo o modelo de Samuelson. implicar preços muito altos para que as
d) o equilíbrio com preços personalizados de pessoas pobres possam ter acesso aos
Lindahl não é eficiente no sentido de Pareto. mesmos.
e) pela “regra de Samuelson”, no equilíbrio, STN, ESAF, 2005.
com múltiplos bens privados, a taxa
marginal de substituição equivale à derivada
do custo marginal. Em uma economia, podem-se classificar os bens em
STN, 2012, Esaf públicos, privados, comuns e monopólios naturais,
conforme os princípios da rivalidade e exclusão.
Acerca desse tema, julgue os itens que se seguem.
1131) Sobre os bens públicos, bens rivais e bens 1133) Os bens públicos são não-rivais e
excludentes, pode-se afirmar: exclusivos, pois só o Estado pode provê-los.
a) bens rivais são bens em que o consumo de 1134) Os bens comuns são não-excluíveis, porém
uma unidade por uma pessoa elimina a rivais.
possibilidade de que alguém desfrute do 1135) Uma rodovia congestionada e com pedágio é
bem, desta forma, ser um bem não rival é exemplo de bem privado rival e excluível.
uma condição sufi ciente para que um bem Prefeitura de Vila Velha, Cespe, 2008.
seja considerado um bem público puro.
b) bens não excludentes são bens que é
impossível ou muito difícil negar o acesso, 1136) Uma característica fundamental de um bem
desta forma se um bem é rival, ele também é público é a de que
excludente. (A) seu consumo por parte de alguém não
c) um bem público puro é um bem oferecido impossibilite que outro consuma o mesmo
pelo setor público. bem.
d) um mesmo bem não pode ser (B) seu custo de produção seja baixo, para
simultaneamente rival e excludente. entrar no mercado de massa.
e) um bem público puro é um bem em que o (C) seja sempre pago pelo governo.
consumo por uma pessoa não elimina a (D) seja produzido por uma empresa pública.
possibilidade que alguém desfrute do bem e (E) sua produção seja de interesse de todo o
que é impossível ou muito caro impedir público.
alguém de consumir. Desta forma um bem Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2010.
público puro é um bem que é não rival e não
excludente.
STN, 2012, Esaf

DSc Cursos Página 138


DSc Cursos

1137) Analise as possíveis características de um


certo bem. 1139) Devido a falhas de mercado e tendo em vista
II. O público em geral tem acesso a ele. a necessidade de aumentar o bem-estar da
III. O custo de excluir pessoas de usá-lo é muito sociedade, o setor público intervém na
elevado. economia. Identifique a opção correta inerente à
IV. Ele é produzido por uma empresa do setor função alocativa.
público. a) O setor público oferece bens e serviços
V. Uma pessoa pode consumi-lo sem que isto públicos, ou interfere na oferta do setor
impeça outra pessoa de fazê-lo também. privado, por meio da política fiscal.
VI. Traz benefícios para o público em geral. b) O setor público age na redistribuição da
renda e da riqueza entre as classes sociais.
Para ser considerado um bem público, deve atender c) Adotando políticas monetárias e fiscais, o
APENAS às características governo procura aumentar o nível de
(A) I e II. emprego e reduzir a taxa de inflação.
(B) I e V. d) Adotando políticas monetárias e fiscais, o
(C) II e III. governo procura manter a estabilidade da
(D) II e IV. moeda.
(E) III e V. e) O governo estabelece impostos
Petrobrás, Cesgranrio, 2010. progressivos, com o fim de gastar mais em
áreas mais pobres e investir em áreas que
beneficiem as pessoas carentes, como a
1138) No gráfico abaixo, AD e BD mostram, educação e saúde.
respectivamente, para duas pessoas diferentes, o STN, ESAF, 2005.
benefício marginal privado de consumir várias
quantidades do bem x. O gráfico mostra,
também, o custo marginal de produzir x. A linha Em relação à escolha pública, julgue os itens que se
tracejada CD é a soma vertical (ou seja, das seguem.
ordenadas) das linhas AD e BD. 1140) O teorema da impossibilidade de Arrow
estabelece que não existe mecanismo de escolha
coletiva que traduza preferências de indivíduos
Benefício C
Marginal
racionais em preferências da coletividade e que
(R$) mantenha, simultaneamente, as propriedades de
transitividade e independência das alternativas
B irrelevantes.
1141) A probabilidade de ocorrência de um ciclo
A
de Condorcet é inversamente proporcional ao
Custo número de alternativas sendo votadas.
Marginal 1142) Se todos os congressistas que votam o
orçamento possuem preferências de pico único
0
— single peakedness —, então há garantia de
I II III D que o paradoxo de Condorcet não ocorrerá.
Quantidade de x disponível 1143) Os modelos de equilíbrio induzidos pela
estrutura contrapõem-se aos modelos de
No caso de x ser um bem público, a quantidade de equilíbrio induzidos pelas preferências, pois
produção ótima de x (no sentido de Pareto) atribuem grande importância ao papel das
corresponderia, no gráfico, ao segmento de reta instituições legislativas na determinação do
(A) 0 A orçamento.
(B) 0 B 1144) Se as preferências dos congressistas estão
(C) 0 I distribuídas de forma radialmente simétrica,
(D) 0 II então pode-se afirmar que, na votação do
(E) 0 III orçamento, o conjunto vencedor — winset — é
BNDES, Cesgranrio, 2008. vazio.
Senado, Cespe, 2002.

DSc Cursos Página 139


DSc Cursos

Um mecanismo que pode ser utilizado para


eliminar tal falha é
1145) O paradoxo de Arrow tem como resultado (A) o fornecimento de certificados de qualidade
que e garantia para venda de bens usados.
A. nunca existirá escolha pública, dado que (B) a adoção do pagamento de franquias para o
podemos agregar preferências. acionamento de apólices de seguro.
B. as escolhas públicas não satisfazem (C) a imposição de regulamentos e taxas que
simultaneamente os pressupostos de visem a diminuição de poluentes a serem
racionalidade, eficiência, independência e lançados na rede de coleta de esgotos.
não-ditatorialismo. (D) a adoção de contratos de seguro-saúde com
C. toda escolha individual ou coletiva sempre cláusula de coparticipação no pagamento de
será completa, transitiva, eficiente, consultas e exames.
independente e não-ditatorial. (E) o pagamento de bônus para administradores
D. há escolhas coletivas por unanimidade e não de empresas caso se cumpram metas fixadas
pelo critério de maioria. pelos acionistas.
E. as escolhas coletivas ou públicas são Infraero, FCC, 2011.
necessariamente transitivas, completas,
eficientes, não ditatoriais e independentes
Gestor de Economia, FCC, 1999. 1149) Sinais de mercado como o oferecimento de
garantias contra defeitos de fabricação são
instrumentos utilizados pelos fabricantes para
1146) Bens semi-públicos são eliminar a falha de mercado denominada
(A) bens cujo consumo é não-rival e não- (A) seleção adversa.
excludente. (B) moral hazard.
(B) bens de consumo individual, porém são bens (C) externalidades de mercado.
divisíveis. (D) confiabilidade invertida.
(C) bens cujo consumo é não-rival, mas (E) ausência de incentivos.
excludente. ARCE, FCC, 2012.
(D) bens de consumo coletivo ou privado que
geram externalidades positivas.
(E) bens cujo consumo é rival, mas não- 1150) A adoção de cláusulas de co-participação
excludente. nos contratos de seguro saúde visa a evitar a
Gestor de Economia, FCC, 1999. manifestação da falha de mercado denominada
(A) seleção adversa.
INFORMAÇÃO ASSIMÉTRICA (B) externalidade negativa.
(C) risco moral.
1147) É um dos motivos para que ocorram as (D) problema da relação agente-principal.
chamadas falhas de mercado, ou seja, situações (E) paradoxo da informação.
em que os mercados não funcionam de forma a ARCE, FCC, 2012.
assegurar a eficiência econômica:
(A) grande número de compradores e
vendedores. 1151) Em 2008, o administrador de fundos
(B) economias de aglomeração. americano Bernard Madoff foi preso após se
(C) economias constantes de escala. constatar que havia enganado milhares de
(D) mercado pulverizado. investidores durante muitos anos. O que
(E) informações assimétricas. aconteceu pode ser visto como um caso de
ARCE, FCC, 2006. informação assimétrica, conhecido como
(A) seleção adversa por parte do agente.
(B) problema do principal e do agente.
1148) A existência de informações assimétricas (C) ignorância sobre a instabilidade dos
entre os agentes econômicos pode provocar uma mercados.
falha de mercado denominada seleção adversa. (D) insuficiência de informação sobre o
principal.

DSc Cursos Página 140


DSc Cursos

(E) comportamento especulativo. (D) não há moral hazard no mercado em


Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2010. questão, dado que sempre os compradores
poderão trocar o produto, caso não haja,
inclusive, garantia.
1152) Uma nova lei proíbe as empresas de seguro (E) não existirão problemas de Principal-Agente
de saúde de fazer exames médicos prévios em no mercado, caso a informação seja
seus potenciais segurados. Esta medida assimétrica e, portanto, não haja seleção
(A) diminui o risco moral para as empresas. adversa.
(B) piora o problema de seleção adversa Gestor de Economia, FCC, 1999.
enfrentado pelas seguradoras.
(C) protege todos os potenciais segurados dos
abusos praticados pelas empresas. 1155) Com relação às teorias tradicionais dos
(D) reduz o preço do seguro de saúde, ao mercados com informação assimétrica, pode-se
eliminar o custo do exame prévio. afirmar que
(E) torna mais competitivo o mercado de seguro (A) o problema Principal-Agente aplicado ao
de saúde. mercado político, encarando-se políticos
BNDES, Cesgranrio, 2009. como produtores de escolhas públicas e os
eleitores como demandantes de escolhas
públicas, representa um bom caso em que há
1153) Um empresário, quando toma um informação assimétrica e moral hazard.
empréstimo bancário, sabe mais sobre a (B) moral hazard diz respeito, por exemplo, no
verdadeira condição de sua empresa repagá-lo mercado político, encarando-se políticos
do que o funcionário do banco que analisa o como produtores de escolhas públicas, à
crédito. Essa situação gera um problema de possibilidade de se estabelecerem contratos
assimetria de informação denominado corruptos, ilegais e imorais (pork barrel
(A) contestabilidade politics).
(B) risco sistêmico (C) a existência de moral hazard no mercado
(C) inelasticidade político e na política significa que há um
(D) seleção adversa trade-off entre moral e loggroling
(E) mercado contingenciado (negociação).
BNDES, Cesgranrio, 2013. (D) contratos de seguro contra incêndios
comerciais e industriais não estão sujeitos à
seleção adversa pois as empresas privadas
1154) Suponha um mercado secundário de bens de nunca desejam ter prejuízo.
capital em que se deparam vendedores de (E) não se pode encontrar nenhum argumento
máquinas e equipamentos usados com técnico, calcado na teoria da informação,
compradores, nesta situação: para justificar a existência de empresas que
(A) se os vendedores possuem mais informação controlam informações sobre a vida
sobre os produtos do que os compradores, creditícia e bancária dos agentes
pode-se esperar que os vendedores que econômicos, já que esta questão envolve
oferecem produtos de pior qualidade somente problemas de escolha sob risco.
tenderão a ficar fora do mercado. Gestor de Economia, FCC, 1999.
(B) há um problema de informação e,
provavelmente, os melhores produtos
ficarão fora do mercado; por esta razão é 1156) Assinale a alternativa que apresenta um
razoável traduzir para o português a procedimento que pode ser entendido como um
expressão do inglês market for lemmons mecanismo para minimizar problemas de
como “mercado de abacaxis”. seleção adversa.
(C) caso os vendedores sejam avessos ao risco e (A) Renovação de seguro de automóveis com
os compradores, neutros, o first best sempre desconto para segurados que não sofreram
seria aquele que implicasse menor moral acidentes na vigência do contrato anterior.
hazard. (B) Participação dos executivos da empresa nos
lucros por ela auferidos.

DSc Cursos Página 141


DSc Cursos

(C) Oferecimento de garantia na revenda de II) um cliente que não fornece todas as
automóveis usados. informações acerca de sua saúde, ou
(D) Remuneração do trabalhador agrícola igual seja, não informa seu risco futuro para
a uma percentagem do produto da terra por que a operadora calcule adequadamente
ele trabalhada. o prêmio do plano de saúde, incorre em
(E) Estabelecimento de franquia em seguros de caso de seleção adversa.
automóveis. III) em uma transação, o risco moral ocorre
ARCE, FCC, 2006. quando a parte ofertante tem maiores
informações sobre os bens e serviços
ofertados que a parte contratante.
1157) Com respeito a mercados caracterizados por IV) em uma transação, como o
informação assimétrica, considere: estabelecimento de um contrato entre
I. Uma companhia seguradora deve preocupar- partes, a seleção adversa se caracteriza
se com a possibilidade de um comprador de como um problema ex ante (pré-evento),
uma apólice de seguro de vida ser portador enquanto o risco moral é considerado
de doença grave. Este é um exemplo um problema ex post (pós-evento).
clássico de risco moral (moral hazard). Está correto o que consta em
II. No mercado de automóveis usados, em que (A) I, II e III, apenas.
é nítida a assimetria de informação a (B) II, III e IV, apenas.
respeito da qualidade dos veículos à venda, (C) I, II e IV, apenas.
o problema da seleção adversa será (D) I, III e IV, apenas.
diminuído se o vendedor aceitar o carro de (E) I, II, III e IV.
volta caso o comprador não fique satisfeito Defensoria Pública/RS, FCC, 2013.
com o desempenho do mesmo em um prazo
de seis meses.
III. As exigências que uma empresa faz quanto 1159) Assinale a afirmação correta.
ao nível mínimo de educação profissional a) Uma situação de risco moral ocorre quando
dos candidatos a um emprego é uma forma um indivíduo toma uma decisão ilegal para
de sinalização que ajuda a contornar o ajudar outro indivíduo.
problema da informação assimétrica no b) Se um mercado está sujeito a risco moral
mercado de trabalho. então as firmas que operam neste mercado
IV. A presença de informações assimétricas nos vão maximizar lucro quando ofertarem zero
mercados impõe custos privados aos unidade do produto, nestes casos apenas o
agentes, porém não provoca desvios de governo pode fornecer uma oferta positiva
eficiência em relação aos mercados do bem.
competitivos. c) Considere o mercado de carros usados e
Está correto o que se afirma APENAS em suponha que, devido à incapacidade de os
(A) I e II. compradores distinguirem entre os carros
(B) I e IV. bons e os carros ruins, apenas os carros
(C) II e III. ruins são vendidos. Este é um exemplo de
(D) II e IV. modelo principal-agente.
(E) I, III e IV. d) Considere o mercado de carros usados e
TCE/PR, FCC, 2011. suponha que, devido à incapacidade de os
compradores distinguirem entre os carros
bons e os carros ruins, apenas os carros
1158) Na esfera da regulação são exemplos de ruins são vendidos. Este é um exemplo de
falhas regulatórias: a “seleção adversa” e o seleção adversa.
“risco moral”, onde e) Uma situação em que um gerente tenha de
I) ambos podem ser considerados efeitos escolher contratar um entre dois vendedores
do problema da assimetria de e não saiba qual escolher por não ter
informações entre os agentes em um informações sufi cientes para tomar sua
processo transacional. decisão é a típica situação em que se aplica
o problema do agente e do principal.

DSc Cursos Página 142


DSc Cursos

STN, 2012, Esaf (A) leva à concessão de crédito a prazos mais


longos.
(B) diminui a taxa de juros cobrada dos bons
1160) Para minimizar problemas de moral hazard devedores.
(risco moral), o mecanismo entendido como (C) diminui o volume de crédito concedido aos
adequado é bons devedores.
(A) a concessão de empréstimos a pessoas (D) aumenta o volume de crédito concedido no
físicas com consignação em folha de mercado.
pagamentos. (E) aumenta o valor médio de crédito concedido
(B) o pagamento de salários fixos para os por tomador.
principais executivos da empresa, BNDES, Cesgranrio, 2011.
independentemente do lucro que a empresa
auferir, de modo a lhes garantir
tranquilidade em seu trabalho. 1163) Considere as afirmações a seguir.
(C) a dispensa de franquia em seguros de I. Um dos exemplos típicos de mercados com
automóveis. informação assimétrica que levam a uma má
(D) o oferecimento de garantia na revenda de alocação de recursos é o mercado de carros
automóveis usados. usados.
(E) a renovação de seguro de automóveis com II. Uma das características dos bens públicos é
desconto para segurados que não sofreram serem bens de consumo não rival.
acidentes na vigência do contrato anterior. III. A poluição dos rios pelas indústrias que nele
TCE/PR, FCC, 2011. despejam seus efluentes é um exemplo de
externalidade negativa, ou seja, um custo
que não é detectado pelo mecanismo de
1161) Assinale a alternativa que apresenta uma preços do mercado.
situação em que ocorre o perigo moral (moral IV. Risco moral pode ocorrer em mercados em
hazard) na relação entre dois agentes que há transparência nas informações de
econômicos. todos os agentes econômicos.
(A) As instituições financeiras somente Está correto o que se afirma APENAS em
conseguem atrair clientes cujo risco de (A) II e III.
crédito é alto. (B) III e IV.
(B) Somente carros usados em mau estado de (C) I e II.
comservação são vendidos no mercado. (D) I e IV.
(C) Os salários dos funcionários são função de (E) I, II e III.
seus índices de produtividade e não do cargo Infraero, FCC, 2009.
que ocupam.
(D) Uma seguradora de veículos não tem
condições de saber a priori se o segurado Acerca do Estado como regulador e produtor das
respeitará as leis de trânsito após efetuar o funções econômicas governamentais e das
seguro. necessidades públicas, julgue os itens subsequentes.
(E) Uma empresa tem mecanismos de averiguar 1164) Em uma economia de mercado, os
se os seus executivos estão desempenhando consumidores decidem os bens e serviços que
seu papel satisfatoriamente. devem ser produzidos.
ARCE, FCC, 2006. 1165) Em uma economia de mercado, a promoção
de equidade pelos governos leva a perdas de
eficiência da economia.
1162) No mercado de crédito pessoal sem 1166) Mesmo na presença de externalidades, uma
garantias, em geral, o tomador do crédito economia em equilíbrio competitivo atingirá sua
conhece melhor sua condição de repagar a máxima eficiência.
dívida do que a entidade concedente do crédito. 1167) Segundo o teorema de Coase, é possível ter
Essa assimetria informacional, em relação à soluções privadas para as externalidades
situação de todos perfeitamente informados, geradas em uma economia.

DSc Cursos Página 143


DSc Cursos

1168) Por serem não excludentes e não rivais, os externalidades negativas e positivas. A esse
bens comuns em geral devem ser explorados e respeito, pode-se afirmar que
ofertados livremente pelo setor privado. (A) a poluição das águas pelas indústrias é uma
1169) Do ponto de vista econômico, governos externalidade negativa e deveria ser
cobram impostos para minimizarem as perdas totalmente proibida.
com os “caronas” — que usufruem sem pagar (B) a solução eficiente para resolver o problema
— nas ofertas de bens públicos. do ruído excessivo nos aeroportos é mudar a
1170) Em uma economia centralmente planejada, a localização dos mesmos para longe das
decisão sobre o que produzir depende da áreas residenciais.
distribuição da renda nessa economia. (C) as externalidades só ocorrem quando as
Assembleia Legislativa/CE, Cespe, 2011. pessoas produzem ou consomem bens
públicos.
EXTERNALIDADES (D) o consumidor de certo bem, cuja produção
implicou em poluição ambiental, não
1171) Os investimentos podem ter consequências deveria pagar pela poluição; o produtor é
sociais indesejáveis. Considere um investimento que deveria.
em um aeroporto, que, se fosse executado, (E) quando uma pessoa não se vacina contra
aumentaria em cem vezes o nível de ruído para uma doença infecciosa está impondo aos
a vizinhança. Tal investimento causaria demais uma externalidade negativa.
(A) benefícios privados inferiores ao custo BNDES, Cesgranrio, 2008.
social total
(B) benefícios privados inferiores ao custo
privado 1174) Um produto torna-se mais valioso para seus
(C) benefícios sociais totais superiores ao custo usuários se houver um aumento do número de
social total usuários. Assim, a demanda pelo produto, por
(D) externalidades positivas parte de qualquer pessoa, depende do número
(E) externalidades negativas total de usuários. Essa é uma situação que
Liquigás, Cesgranrio, 2012. acontece quando há
(A) venda conjunta
(B) deseconomias de escala
1172) Justificando a intervenção do Estado na (C) economias de escala
economia, uma das razões é a existência de (D) externalidades de rede
externalidades. A respeito de externalidades, (E) substituição entre os usuários
pode-se afirmar que Petrobrás, Cesgranrio, 2012.
(A) só ocorrem quando há bens públicos
envolvidos.
(B) uma pessoa com uma doença transmissível 1175) Quando os custos para a sociedade,
deve ser isolada, pois causa externalidades. consequentes de uma certa atividade, são
(C) a única maneira de resolver o problema da maiores que os custos privados para o
poluição atmosférica pela indústria é proprietário da atividade,
proibindo terminantemente a emissão de (A) uma situação de externalidade ocorre.
gases tóxicos. (B) a atividade deve ser suspensa para se obter o
(D) os ruídos dos bares à noite são uma ótimo social.
externalidade para os vizinhos, o que só (C) a atividade deve ser subsidiada para se obter
pode ser resolvido proibindo o ruído nos o ótimo social.
bares. (D) o benefício privado da atividade é maior que
(E) na vida real só há externalidades negativas. seu custo social.
Inea, Cesgranrio, 2008. (E) os custos médios de produção são
ascendentes.
EPE, Cesgranrio, 2010.
1173) Uma das razões importantes para a presença
do estado na economia é a existência de

DSc Cursos Página 144


DSc Cursos

1176) Uma das falhas de mercado é a ocorrência a) a empresa maximizará o seu lucro quando o
de externalidades negativas ou positivas na custo marginal que a empresa incorre para a
produção de bens e serviços. Ocorre uma redução dessa externalidade é igual ao custo
externalidade negativa quando o marginal social da externalidade.
(A) benefício social da produção é maior que o b) o nível eficiente de controle da
benefício privado. externalidade é aquele em que o custo
(B) benefício privado da produção é inferior ao marginal que a empresa incorre para a
custo marginal social. redução dessa externalidade é igual ao custo
(C) benefício privado da produção é menor que marginal social da externalidade.
o custo privado da produção. c) a empresa, em um mercado perfeitamente
(D) benefício privado da produção é igual ao competitivo, terá lucro econômico zero se o
custo privado da produção. custo marginal de produção somado ao
(E) custo social da produção é menor que o custo marginal da redução da externalidade
custo privado da produção. for igual à sua receita total.
DNOCS, FCC, 2010. d) o custo marginal da empresa para o controle
da externalidade cresce com o nível de
externalidade que ela gera.
1177) Na presença de externalidades negativas, a e) o custo marginal da empresa para o controle
alocação de equilíbrio gerada por mercados da externalidade é constante em relação ao
competitivos é ineficiente no sentido de Pareto. nível de externalidade.
Esta alocação é ineficiente por que o custo STN, 2012, Esaf
social da atividade geradora de externalidades
(A) é maior do que o custo privado com que a
firma se depara. 1180) Considere um mercado em que existem
(B) é menor do que o custo privado com que a externalidades. Indique qual das afirmativas
firma se depara. abaixo é correta.
(C) é igual ao custo privado com que a firma se a) Caso as externalidades sejam positivas, o
depara. benefício social do bem é maior do que o
(D) não tem correlação com o custo privado benefício privado, neste caso subsidiar a
com que a firma se depara. produção pode ser uma maneira de aumentar
(E) reduz o custo privado com que a firma se o bem-estar.
depara. b) Caso as externalidades sejam negativas, o
Estado do Maranhão, FCC, 2006. custo social do bem é maior do que o
benefício privado, neste caso subsidiar a
produção pode ser uma maneira de aumentar
1178) Uma empresa privada executa uma obra de o bem-estar.
construção civil em certa região, gerando c) Caso as externalidades sejam positivas, o
muitos empregos para a população e diminuindo benefício social do bem é maior do que o
a taxa de criminalidade nessa localidade. Como benefício privado, neste caso taxar a
a obra não gera outras externalidades, seus produção pode ser uma maneira de aumentar
benefícios sociais totais excedem os o bem-estar.
(A) custos sociais totais d) A presença de externalidade não pode
(B) custos variáveis justificar nem impostos nem subsídios à
(C) custos privados produção, pois o Primeiro Teorema
(D) benefícios variáveis Fundamental do Bem-Estar Social
(E) benefícios privados estabelece que o equilíbrio de mercado é
Petrobrás, Cesgranrio, 2011. ótimo no sentido de Pareto.
e) A presença de externalidades só afeta a
quantidade produzida, portanto não afeta o
1179) Quando uma empresa gera externalidade bem-estar.
negativa, pode-se STN, 2012, Esaf
dizer que:

DSc Cursos Página 145


DSc Cursos

1181) Considere uma atividade econômica na qual 1183) “Se os agentes econômicos puderem
existam externalidades positivas na produção e negociar sem custos de transação e com
assinale a opção correta. possibilidade de obter benefícios mútuos, o
a) Um planejador central benevolente resultado das transações eliminará as
escolheria produzir uma quantidade menor externalidades e alocará eficientemente os
do que a produzida pelo mercado. recursos, independente de como estejam
b) Um planejador central benevolente especificados inicialmente os direitos de
escolheria produzir uma quantidade maior propriedade”. Esta proposição, aplicável à
do que a produzida pelo mercado. Economia do meio ambiente, é conhecida como
c) Não é possível determinar se a quantidade (A) Teoria Marginalista.
produzida escolhida por um planejador (B) Princípio da Compensação da Propriedade.
central benevolente é maior ou menor do (C) Desenvolvimento Sustentável.
que a quantidade produzida escolhida pelo (D) Teorema de Coase.
mercado. (E) Princípio da Equidade.
d) Um planejador central benevolente Inea, Cesgranrio, 2008.
escolheria produzir a mesma quantidade
produzida pelo mercado.
e) A existência ou não de externalidades é
irrelevante para um planejador central. 1184) Considere o teorema abaixo.
STN, 2012, Esaf “Assuma um mundo em que alguns produtores e
alguns consumidores estão sujeitos a
externalidades geradas por outros produtores e
1182) Por definição, a presença de externalidades consumidores. Assuma também que:
significa que o nível de bem-estar de um  Todos os agentes têm informação perfeita;
consumidor ou as possibilidades de produção de  Agentes são tomadores de preço;
uma firma são afetados pelas ações de outros  Os contratos são garantidos pelo governo a
agentes econômicos. Assim, custo zero;
a) mesmo com a presença de externalidades,  Firmas maximizam lucros e consumidores
pelo modelo de Cournot, é possível maximizam utilidade;
demonstrar que o equilíbrio competitivo  Não existem efeitos de renda ou de riqueza;
também é um equilíbrio ótimo, no sentido  Não existem custos de transação.
de Pareto. Com as hipóteses acima, a distribuição inicial dos
b) as externalidades negativas geradas por uma direitos de propriedade com relação às
empresa são um incentivo para que ela saia externalidades não produz impactos sobre a
do mercado, pois seus custos privados são eficiência das alocações na economia”.
maiores que os custos sociais. Este é o Teorema
c) na existência de externalidades positivas na (A) de Pigou.
produção de um dado bem, o benefício (B) de Baumol.
marginal privado equivale ao benefício (C) da separação de Fisher.
marginal social. (D) de Modigliani-Miller.
d) pelo Teorema de Coase, na existência de (E) de Coase.
externalidades, a possibilidade de Estado do Maranhão, FCC, 2006.
negociação entre as partes que geram
benefícios mútuos e custo zero determina
um resultado eficiente e independe de quem
A respeito das externalidades, julgue os itens
detém o direito de propriedade.
subseqüentes.
e) a ineficiência gerada pela existência de
1185) O fenômeno da externalidade ocorre,
externalidades na produção de um dado bem
fundamentalmente, quando MC ≠ MSC, em que
não gera custos para a sociedade, somente
MC é o custo marginal de um bem e MSC é o
para a empresa que produz o bem.
custo marginal desse mesmo bem para a
STN, 2012, Esaf
sociedade.

DSc Cursos Página 146


DSc Cursos

1186) A geração de externalidades tem sido TCE/PR, FCC, 2011.


controlada, principalmente, por meio de
impostos e regulação. ECONOMIA DO MEIO AMBIENTE
1187) Em relação a essas duas formas de controle
das externalidades, impostos e regulação, pode- 1191) Ao produzir, uma fábrica de pneus não leva
se afirmar que a tributação é sempre superior, já em consideração a dificuldade de absorção, pela
que as alíquotas são facilmente definidas e o natureza, das carcaças de pneus usados. Logo,
instrumento tributário permite aos agentes (A) deve-se proibir a reutilização das carcaças,
econômicos decidirem a respeito do nível ótimo pois barateiam os pneus e aumentam suas
de imposto a ser pago como compensação para vendas.
a sociedade. (B) o custo social da produção de pneus é menor
1188) O chamado teorema de Coase assevera que que o custo privado.
os atores privados podem resolver, de forma (C) o preço de pneus para os consumidores
eficiente, o problema das externalidades entre deveria ser menor, para diminuir o lucro dos
si, dependendo apenas da distribuição inicial de produtores poluidores.
direitos entre esses atores. (D) os produtores e os consumidores de pneus
1189) A solução de Coase é afetada pela presença deveriam pagar pela externalidade imposta à
de custos transacionais, que obstaculariza a população em geral.
geração de acordos eficientes entre as partes. (E) é preciso subsidiar a produção de pneus,
Senado, Cespe, 2002. para que os produtores possam pagar pela
disposição adequada dos pneus
imprestáveis.
1190) Sobre externalidades, considere: Petrobrás, Cesgranrio, 2008.
I. As externalidades positivas e negativas
somente ocorrem quando se trata da
produção dos chamados bens públicos. 1192) O gráfico abaixo mostra as curvas de
II. Ocorre ineficiência na alocação de demanda (D) e de oferta (S) de um bem cuja
recursos para a produção de um bem que produção polui um lago. As empresas da
possui externalidades negativas quando indústria foram obrigadas a pagar um tributo
o custo marginal social de produção é com receita destinada a limpar o lago. Em
maior que o custo privado. consequência do tributo, a nova curva de oferta
III. Os investimentos que as empresas fazem passou a ser S’.
em pesquisa e desenvolvimento de
produtos é uma atividade que gera S`
externalidades positivas, fato que Preço
justifica que o governo conceda S
incentivos fiscais a essa atividade. A
IV. Para reduzir a emissão de poluentes, a
experiência internacional tem mostrado B
que, se a entidade reguladora consegue C
estimar com elevado grau de confiança D
os custos e benefícios da redução das
emissões, a melhor política é um padrão Quantidade do Bem
máximo sobre a emissão de poluentes,
mesmo quando as empresas tenham Na ausência de outras distorções na economia,
custos de redução de poluição bastante conclui-se que esse tributo levou a um(a)
diferentes. (A) maior lucro para as empresas no setor,
Está correto o que se afirma APENAS em devido ao preço mais elevado.
(A) I e II. (B) ganho social, devido à equalização dos
(B) I e III. custos privados e custos sociais.
(C) I e IV. (C) perda social, pois o preço do bem no
(D) II e III. mercado aumentou.
(E) II e IV. (D) perda social, pois a produção do bem
diminuiu.
DSc Cursos Página 147
DSc Cursos

(E) perda social, pois há o peso morto do produção provoca a poluição de um curso de
imposto correspondente à área do triângulo água.
ABC. Preço pago pelo S`
Petrobrás, Cesgranrio, 2010. consumidor
S
3
1193) Uma empresa competitiva, ao produzir, p4
causa dano ambiental (polui um curso de água).
Não é obrigada a pagar pelo dano, e a curva de imposto
1
oferta do que produz é S0 conforme apresentado
na figura abaixo. 2 D

Preço S2
S0 S1 Quantidade
S4

S3
Para equalizar o custo marginal privado de
produção ao custo social, o governo cobra um
imposto do produtor, e a nova curva de oferta passa
a ser S’. Examinando o gráfico, verifica-se que o(a)
(A) produtor é o poluidor e deveria internalizar
Quantidade todo o custo da poluição; o consumidor não
deveria pagar um preço maior p4, como
Se fosse obrigada a pagar, sua curva de oferta teria
mostra o gráfico.
uma posição como
(B) imposto corresponde à eliminação de um
(A) S1
subsídio, qual seja, o uso gratuito de um
(B) S2
recurso valioso como o curso de água.
(C) S3
(C) área do triângulo 123 é o peso morto do
(D) S4
imposto e, na ausência de outras distorções,
(E) S0 mesmo
corresponde a uma perda social.
Inea, Cesgranrio, 2008.
(D) produção continua e o dano ambiental
também, embora em menor escala; logo, não
houve internalização do dano para o
1194) Num certo mercado competitivo, os produtor.
produtores começam a pagar um tributo para (E) mudança de posição de S deveria ser no
compensar os danos ambientais que causam. sentido de aumento da oferta.
Então, BNDES, Cesgranrio, 2009.
(A) os consumidores vão pagar o tributo se a
demanda for muito mais elástica que a
oferta.
1196) O gráfico abaixo mostra a curva de oferta
(B) os consumidores não vão pagar nada do
(S) de uma indústria competitiva, considerando
tributo, como é justo que aconteça.
apenas seus custos privados.
(C) o preço neste mercado vai aumentar se a
demanda for totalmente elástica.
(D) o preço e a produção de equilíbrio, neste
mercado, tendem a aumentar.
(E) o tributo, em sua maior parte, vai incidir
sobre os consumidores se a demanda for
mais inelástica que a oferta.
Inea, Cesgranrio, 2008.

1195) O gráfico abaixo mostra as curvas de


demanda (D) e de oferta (S) de um bem cuja

DSc Cursos Página 148


DSc Cursos

(S`) uma empresa pague a outra para reduzir a


Preço do emissão em seu lugar, substituindo-a, total ou
produto D parcialmente, nessa redução. Tal possibilidade
(S)
E (A) prejudica as empresas menores.
(B) tende a equalizar os custos marginais de
redução da emissão.
C (C) tende a equalizar os custos médios de
F redução da emissão.
(D) beneficia apenas as grandes empresas.
(D) (E) prejudica as empresas que não emitem CO2.
BNDES, Cesgranrio, 2013.
A B Quantidade
do produto
1199) A figura abaixo mostra a curva de demanda
Como a produção da indústria causa danos
(D) pelo bem X, a qual é totalmente elástica, e a
ambientais, se eles fossem internalizados, ou seja,
posição inicial da curva de oferta (S) de X.
representassem efetivamente custos para a indústria,
Como a produção de X polui um lago, decidiu-
a curva de oferta seria (S’), tracejada no gráfico. Se
se internalizar esse custo social aplicando um
(D), no gráfico, for a curva de demanda pelo
imposto no montante adequado, deslocando, na
produto e se não houver outras distorções alocativas
figura, a curva S para a posição S’. O valor do
na economia, a perda social, devido aos custos
imposto está incluído no preço pago pelos
ambientais não internalizados, corresponderia à área
compradores aos produtores.
do
(A) trapézio ABDE. Preço
(B) trapézio ABCF. pago pelo S`
comprador S
(C) trapézio ABCE.
(D) triângulo CEF.
(E) triângulo CDE. B
D
Eletrobrás, Cesgranrio, 2010. A

C
1197) Uma empresa produz detergentes, poluindo
o rio de uma cidade. O preço de mercado do
O
barril de detergente é R$ 50,00. O custo Quantidade de X
marginal da produção de detergente é dado por
CMg = 20 + q, onde q é a quantidade produzida
Examinando-se a figura, conclui-se que esse
de detergente em barris. A poluição acarreta um
imposto
custo de tratamento da água para a prefeitura da
(A) gera uma distorção alocativa correspondente
cidade, dado por CMgE = q. As quantidades
à área do triângulo ABC.
produzidas de detergente na situação
(B) é pago integralmente pelos produtores de X.
competitiva (sem regulamentação) e na situação
(C) elimina completamente a poluição
socialmente eficiente são, respectivamente,
decorrente da produção de X.
(A) 15 e 30 barris
(D) aumenta o preço que o comprador paga por
(B) 15 e 50 barris
X.
(C) 30 e 15 barris
(E) arrecada para o governo mais que as
(D) 30 e 50 barris
empresas recebem dos compradores.
(E) 50 e 10 barris
EPE, Cesgranrio, 2012.
Petrobrás, Cesgranrio, 2011.

1200) Considere um modelo de extração de


1198) Suponha que, devido ao problema de
recursos não renováveis de apenas dois períodos
aquecimento global, o governo determine a
(t = 0 e t = 1) e a regra de Hotelling. Tudo o
todas as empresas do país uma redução de 10%
mais constante, diante de um aumento da taxa
em suas emissões de CO2. Porém, permite que
DSc Cursos Página 149
DSc Cursos

de juros hoje (t = 0), a decisão ótima do (D) Para Y > 200, quanto maior o estoque de
produtor será: peixes, maior tende a ser o crescimento da
(A) aumentar a taxa de extração em t = 1, quantidade de peixes no rio.
mantendo-a inalterada em t = 0. (E) Se Y = 400, a produção estará acima da
(B) reduzir a taxa de extração do recurso em t = quantidade pescada máxima sustentável.
0 e aumentá-la em t = 1. Estado do Maranhão, FCC, 2006.
(C) reduzir a taxa de extração do recurso em
ambos os períodos, deixando de extraí-lo
totalmente. 1203) Considerando o problema de rotação de
(D) aumentar a taxa de extração do recurso em t florestas de Faustmann, tudo o mais constante, é
= 0. correto afirmar que um aumento
(E) a variação da taxa de juros não acarreta (A) do preço da madeira irá reduzir a rotação
alterações na trajetória temporal de extração, ótima da floresta e aumentar a oferta de
já que esta depende apenas da variação do madeira no curto prazo.
preço do recurso. (B) da taxa de desconto aumenta a rotação ótima
Estado do Maranhão, FCC, 2006. da floresta e reduz a oferta de madeira no
curto prazo.
(C) no custo do replantio reduz a rotação ótima
1201) Com relação à exploração ótima de recursos, da floresta.
é correto afirmar: (D) da taxa de desconto aumenta o volume
(A) a extração ótima requer, como condição de médio da floresta.
contorno, que o valor sombra do recurso no (E) da taxa de desconto reduz a oferta de
instante final seja igual à taxa de juros. madeira tanto no curto, quanto no longo
(B) o custo de uso de um recurso natural não- prazo.
renovável refere-se ao Efeito Jevons, isto é, Estado do Maranhão, FCC, 2006.
ao fato de que o custo marginal de extração
é crescente no tempo.
(C) o custo de uso de um recurso natural não- 1204) Para tratar de problemas ambientais, é
renovável refere-se ao valor presente de uma possível utilizar modelos em que existem bens e
unidade do recurso no futuro. males na economia. Os males são utilizados
(D) em um problema típico de extração de para representar os impactos negativos sobre o
recursos nãorenováveis, a quantidade meio ambiente, decorrentes das atividades
extraída é uma variável de estado. econômicas. Os resultados das escolhas entre
(E) em um problema típico de extração de bens e males podem ser representados por
recursos renováveis, a função de curvas de indiferença (CI) construídas a partir
crescimento líquido do recurso não depende de funções utilidade. Uma economia com um
do seu estoque. bem e um mal é aquela cuja CI
Estado do Maranhão, FCC, 2006. (A) é positivamente inclinada e o preço do mal é
positivo.
(B) é negativamente inclinada e o preço do mal
1202) Seja X o estoque de peixes em um é negativo.
determinado rio. O crescimento do estoque de (C) é positivamente inclinada e o preço do mal é
peixes neste rio é dado pela função G(X) = negativo.
400X − X2. Seja Y o volume de pesca, em (D) tem inclinação zero e o preço do mal é
unidades de peixes. É correto afirmar: negativo.
(A) Se Y = 200, a produção estará aquém da (E) tem inclinação zero e o preço do mal é igual
quantidade pescada máxima sustentável. zero.
(B) Se Y = 400, a produção estará abaixo da Estado do Maranhão, FCC, 2006.
quantidade pescada máxima sustentável.
(C) Se Y = 400, a produção estará exatamente
da quantidade pescada máxima sustentável. 1205) Alguns cientistas argumentam que a pesca
oceânica ameaça extinguir algumas espécies de
baleias pela ausência de direitos de propriedade

DSc Cursos Página 150


DSc Cursos

bem definidos sobre os recursos pesqueiros. O 1209) O desenvolvimento ecologicamente


mesmo argumento está presente no trabalho de sustentável, além de considerar os custos
G. Hardin sobre o uso da terra na Inglaterra econômicos da degradação ambiental, supõe
anterior aos cercamentos. O problema que também que cada geração é responsável por
sustenta este argumento ficou conhecido como seus próprios níveis de bem-estar, cabendo às
(A) preferência dos consumidores. gerações futuras cuidar das questões ambientais
(B) tragédia dos incomuns. que lhes são contemporâneas
(C) tragédia dos comuns. Inmetro, Cespe, 2007.
(D) maximização das firmas.
(E) problema do custo ambiental
Estado do Maranhão, FCC, 2006. Julgue os próximos itens, relativos à economia do
meio ambiente.
1210) De acordo com o método de avaliação
1206) Uma fabrica de papel gera 2 toneladas de contingente, a determinação do valor monetário
poluição (E) por tonelada de papel produzida dos recursos ambientais é feita a partir das
(Q). O preço da tonelada de papel é R$ 10,00 e observações de mercado e não das preferências
o governo cobra R$ 2,00 por tonelada de dos consumidores.
poluição gerada. O custo de produção do papel 1211) Considere o caso de poluição oriunda do
é dado por C = Q2. Supondo que a firma agente econômico A que atinge o agente
maximiza lucros, o valor máximo que ela estaria econômico B. De acordo com o teorema de
disposta a pagar por um equipamento que Coase, se A possui os direitos de propriedade
reduza a poluição para uma tonelada, por sobre o ambiente, então B deve indenizar A
tonelada de papel produzida, é: para que este não prejudique B; e se é B, ao
(A) R$ 100,00 contrário, quem possui os direitos de
(B) R$ 15,00 propriedade, então A deve indenizar B pelos
(C) R$ 5,00 prejuízos sofridos por B.
(D) R$ 7,00 Embasa, Cespe, 2009.
(E) R$ 86,00
Estado do Maranhão, FCC, 2006.
1212) O ar que respiramos pode vir a ter um preço
na Lua, somente porque
1207) Em alguns projetos com impactos (A) haverá o exercício do direito de propriedade
ambientais, o valor das amenidades ambientais sobre o ar, além do fato de que gastar-se-ão
é estimado de forma indireta a partir da horas de trabalho para produzi-lo.
observação do comportamento dos indivíduos (B) haverá um estoque limitado do mesmo, além
com relação ao consumo de bens existentes no do fato de que haverá exercício do direito de
mercado. Esses métodos são conhecidos como propriedade sobre o mesmo.
(A) de Preferências Reveladas. (C) serão utilizados fatores de produção
(B) de Preferências Declaradas. escassos na sua produção.
(C) de Preferências Simultâneas. (D) o ar é sempre demandado e será produzido
(D) de Preferências Explícitas. por fatores de produção escassos, além do
(E) Estruturais de Preferências. fato de que alguém exercerá o direito de
Estado do Maranhão, FCC, 2006. propriedade sobre o mesmo.
(E) haverá uma procura por ar, além do fato de
que haverá a necessidade de produção de
Considerando os conceitos básicos da economia do água (a água é um insumo na produção de
meio ambiente, julgue os itens subseqüentes. ar).
1208) O método do valor contingente, com base na Gestor de Economia, FCC, 1999.
disposição a pagar das pessoas por ecossistemas
e serviços ambientais específicos, permite
estimar valores econômicos para esses serviços, 1213) A correção de falhas de mercado que
sob diferentes hipóteses. possam impedir a alocação eficiente de recursos
na economia é a principal função do governo na

DSc Cursos Página 151


DSc Cursos

esfera econômica. Acerca desse tema, assinale a (B) monotonicidade.


opção correta. (C) reflexividade.
(A) Ações governamentais que visam à melhoria (D) governo.
do nível de informações dos consumidores (E) externalidades.
sobre os bens de consumo relacionadas à Estado do Maranhão, FCC, 2006.
esfera legal, no que concerne aos direitos do
consumidor, não se qualificam como ações
no âmbito da correção de falhas de mercado. Com relação à economia ambiental, que trata de
(B) Um bem público deve ser gerido com base questões referentes à preservação do meio
no princípio da exclusão, ou seja, o ambiente, julgue os itens subsecutivos.
consumo do bem por um indivíduo impede 1216) Para as atividades que geram externalidades
o seu consumo por todos os demais. Por negativas, o ótimo social corresponde ao nível
essa razão, o provimento do bem público de produção dessas atividades para o qual o
deve ser garantido pelo governo, de forma custo marginal social iguala-se ao benefício
que toda a sociedade tenha acesso a serviços marginal social gerado por essas atividades.
fundamentais. 1217) O nível ótimo (minimização) de danos
(C) A instituição de leis de proibição do fumo ambientais, tais como ameaças à fauna e à flora
em locais públicos e em ambientes fechados do país, bem como os decorrentes de poluição
é um exemplo de atuação do Estado na sonora e atmosférica, pode ser determinado no
correção de falhas de mercado. âmbito do teorema de Coase.
(D) Diz-se que um mercado é incompleto EBC, Cespe, 2011.
quando um bem ou serviço deixa de ser
ofertado em razão de seu custo de produção
estar acima do valor que os consumidores Segundo o modelo básico de concorrência, os
estão dispostos a pagar por ele. custos e benefícios de produzir e vender um bem
(E) As externalidades positivas, ou seja, as recaem integralmente sobre o produtor/vendedor,
ações econômicas que produzem benefícios enquanto os custos e benefícios para obter o bem
para outros agentes que não aqueles correspondem todos ao comprador. Quando
diretamente envolvidos em sua produção ou ocorrem benefícios e(ou) custos adicionais, não
consumo, não se qualificam como falhas de capturados pelas transações de mercado, tem-se
mercado. uma externalidade. Com base nessas informações,
Estado do Espírito Santo, Cespe, 2013. julgue os itens seguintes.
1218) A poluição ambiental é entendida, por
alguns economistas, como uma externalidade
1214) O ruído dos aviões em um aeroporto reduz o negativa, na qual o custo social marginal iguala-
bem-estar das pessoas que moram nos se ao custo privado marginal do agente
arredores. Trata-se de um caso de poluidor.
(A) efeito substituição negativo. 1219) O imposto de Pigou apoia-se no modelo
(B) efeito Pigou. teórico das externalidades negativas e iguala o
(C) elasticidade-renda negativa. custo social e o custo privado da poluição
(D) bem público de Giffen. ambiental.
(E) externalidade negativa. Embasa, Cespe, 2009.
Petrobrás Biocombustivel, Cesgranrio, 2010.

1220) O avanço da industrialização trouxe para os


economistas situações relacionadas à economia
1215) Para que os Teoremas Fundamentais da ambiental. Quanto a um fabricante de aço que
Economia do Bem Estar sejam válidos, é polui a atmosfera, afirma-se que
necessário assumir um conjunto de hipóteses. A (A) a produção de aço excederá o ótimo social,
hipótese cuja violação torna o estudo da se o fabricante não for cobrado pelos danos
economia do meio ambiente um assunto de causados.
grande relevância é a ausência de (B) a produção de aço deveria ser proibida.
(A) retornos crescentes de escala.

DSc Cursos Página 152


DSc Cursos

(C) o fabricante deveria pagar pelo dano que Defensoria Pública/RS, FCC, 2013.
causa, mas os consumidores de aço não
deveriam pagar nada.
(D) o governo deveria arcar com os custos de 1223) As empresas de um setor regulado da
recuperar a atmosfera, que é um bem economia, muitas vezes, conhecem suas
público. próprias estruturas de custos, e seus mercados,
(E) os vizinhos do fabricante deveriam se mudar de modo mais preciso e completo do que a
para longe. agência reguladora. Tal situação é chamada de
SFE, Cesgranrio, 2009. (A) captura do regulador pelo regulado.
(B) poder de mercado das empresas.
(C) poder político das empresas.
1221) Ao produzir, uma empresa competitiva polui (D) eficiência regulatória.
um curso d’água sem pagar pelos prejuízos (E) assimetria de informação.
ambientais que causa à sociedade. Assim, Petrobrás, Cesgranrio, 2008.
(A) poderia ser corrigida a falha de mercado se o
curso d’água fosse desviado.
(B) deveria ser proibida de produzir. 1224) Um dos grandes desafios da estrutura
(C) deveria reduzir o preço que cobra dos institucional das agências reguladoras é
consumidores, para compensá-los. equalizar os interesses dos sujeitos envolvidos
(D) tem um nível de produção inferior ao ótimo na relação regulatória. Com esse intuito, os
social. órgãos reguladores precisam estar protegidos
(E) cobra um preço dos consumidores inferior por salvaguardas institucionais que lhes
ao custo marginal social. assegurem autonomia para agir em prol do bem
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2008. comum em detrimento de qualquer outro
interesse. Quando ocorre um desequilíbrio no
9 - REGULAÇÃO exercício da autonomia pelos entes reguladores,
implicando na prevalência dos interesses de um
dos polos em detrimento do interesse coletivo,
1222) A respeito da regulação econômica dos surge o
mercados, considere: (A) risco da captura.
I) Pode ser definida como um conjunto de (B) risco da outorga onerosa.
regras que se originam do governo (ou (C) problema do principal-agente.
das agências reguladoras) e afetam o (D) processo de screening (filtragem).
funcionamento dos mercados, (E) problema da assimetria de informação.
interferindo na eficiência alocativa das Defensoria Pública/RS, FCC, 2013.
empresas.
II) Ganha importância no contexto
brasileiro de privatizações, instaurado a
1225) No campo da regulação econômica de uma
partir dos anos 1990.
atividade pelo Estado, é consistente com a
III) Na definição dos chamados “marcos
denominada Teoria da Captura afirmar que
regulatórios” destacam-se três tipos de
(A) a captação de subsídios para determinados
regulação − de mercado, de preços e de
grupos consumidores de baixa renda a serem
qualidade.
financiados pelos grupos de rendas mais
IV) Pode ser utilizada para amenizar
altas é inevitável no processo regulatório.
diferentes tipos de falhas na operação
(B) a regulação é uma resposta ilegítima a uma
dos mercados como, por exemplo, as
falha de mercado na alocação eficiente dos
externalidades, o poder de mercado e a
recursos, mesmo que tenha como
informação assimétrica.
consequência uma melhoria do bem-estar
Está correto o que consta em
social.
(A) III, apenas.
(C) o mecanismo de regulação é antieconômico
(B) I, II e IV, apenas.
porque os custos de implantar e manter uma
(C) IV, apenas.
agência reguladora são maiores que os
(D) I, II e III, apenas.
(E) I, II, III e IV.
DSc Cursos Página 153
DSc Cursos

benefícios que elas podem oferecer para contratualmente pode levar a empresa
tentar corrigir as falhas de mercado. regulada a auferir elevadas margens de
(D) grupos de interesse podem influenciar o lucro.
resultado do processo regulatório, provendo (C) a gestão de contratos entre agência
apoio financeiro para políticos e reguladora e empresas reguladas é livre de
reguladores. conflitos, visto que requer apenas a
(E) a agência reguladora é normalmente aplicação de um indexador financeiro para a
administrada por políticos que estejam correção do contrato.
comprometidos a evitar a captura do (D) o contrato fixa o preço e uma fórmula para
excedente do consumidor pelos grupos reajustes, a qual incorpora a inflação, um
regulados por meio da diferenciação de termo que exprime metas de ganho de
preços. produtividade fixadas pelo regulador, além
ARCE, FCC, 2012. de um eventual termo que representa outros
choques.
(E) o agente regulador e a empresa regulada
1226) O problema da relação agente-principal repactuam periodicamente o contrato,
entre agente regulador e empresa regulada estabelecendo o preço vigente em função da
manifesta-se quando aplicação de uma margem de lucro sobre os
(A) o agente regulador tenta fazer a empresa custos de produção apurados.
cumprir objetivos sociais distintos dos ARCE, FCC, 2012.
objetivos privados desta última, sem ter
pleno controle e conhecimento de suas
atividades. 1228) Na Regulação por Comparação, o regulador
(B) as regras impostas pelo agente regulador tem acesso aos balanços anuais das diversas
promovem a concentração de mercado em empresas reguladas e fixa preços para o período
favor de empresas que oferecem bens e seguinte baseado nas empresas mais eficientes,
serviços a menor custo, independentemente considerando certo grau de tolerância de modo a
de sua qualidade. estimular o ganho de eficiência e não banir a
(C) os consumidores adotam procedimentos que competição. Um dos pressupostos necessários à
violam as condições de segurança dos bens adoção desse tipo de regulação é que
e serviços ofertados, levando as empresas (A) haja um conluio entre as empresas
reguladas a terem de arcar com custos reguladas.
desnecessários de manutenção e reposição. (B) as estruturas de custos das empresas
(D) as empresas reguladas promovem uma reguladas sejam comparáveis.
concorrência de preços que torna inviável o (C) as empresas reguladas produzam a partir de
desenvolvimento do mercado, mesmo com a plantas idênticas.
interveniência do agente regulador, visando (D) os bens e serviços oferecidos pelas empresas
à redução dos custos tributários. reguladas não possuam substitutos.
(E) o agente regulador atua de forma técnica e (E) as empresas reguladas adotem a mesma
autônoma, apenas administrando eventuais matriz tecnológica em sua produção.
conflitos entre empresas reguladas e ARCE, FCC, 2012.
consumidores relativamente à qualidade dos
bens ofertados ou dos serviços prestados.
ARCE, FCC, 2012. 1229) Na regulação econômica, uma modalidade
caracterizada corretamente é:
(A) Price Cap − estabelecimento de um patamar
1227) No modelo de regulação denominado Preço- mínimo de preço para o setor, ou empresa
Teto, regulada, garantindo- se a igualdade de
(A) o agente regulador define um congelamento acesso, a separação estrutural e a
de preços durante todo o período de regulamentação do preço de interconexão,
vigência do contrato. recorrendo-se ao poder de arbitragem do
(B) em momento algum ao longo da vigência do órgão regulador sempre que houver litígio
contrato, o preço estabelecido entre as partes interessadas.

DSc Cursos Página 154


DSc Cursos

(B) Regulação por Taxa de Retorno − permite às Em relação ao estado regulador e à defesa da livre
firmas escolheram os níveis de preço, de concorrência, julgue os itens seguintes.
produção e de utilização de insumos, 1233) O Conselho Administrativo de Defesa
visando a igualação entre custos e receitas, a Econômica (CADE) é importante autarquia
partir do estabelecimento, pelo regulador, de dentro da esfera administrativa, cujo papel
uma taxa de retorno adequada. corresponde, basicamente, à análise das
(C) Divisão dos Lucros (profit sharing) − operações de fusões, incorporações e
regulação baseada na distribuição de lucros associações de qualquer espécie entre os agentes
entre as empresas que operam econômicos. A função do CADE é
oligopolisticamente em um dado setor. eminentemente repressiva.
(D) Yardstick Regulation − regulação por metas 1234) O poder de mercado é prejudicial quando
de desempenho das empresas que operam no permite que as empresas estabeleçam preços
setor, permitindo- se o monitoramento dos abusivos e adotem práticas desleais com os
contratos de concessão. concorrentes e, também, por aumentar a
(E) Regulação por Incentivos − o regulador possibilidade da criação de cartéis de preços.
tenta sinalizar às empresas do setor quais 1235) Uma das razões da regulação é a
devem ser suas metas visando a concentração vertical do mercado, como foi o
maximização da utilidade social, em caso da fusão de cervejarias no Brasil, para que
detrimento da eficiência produtiva não haja abuso de poder por parte das empresas
Defensoria Pública/RS, FCC, 2013. dominantes.
Secont, Cespe, 2009.

Nas sociedades contemporâneas incluída a


brasileira, o papel do Estado vem passando por Julgue os próximos itens, considerando as teorias de
várias transformações. E o Brasil não fica fora regulação do mercado.
disso. Considerando esse contexto, julgue os itens a 1236) Não apenas os interesses das indústrias
seguir. reguladas são capazes de exercer influência e
1230) Os últimos acontecimentos relativos às pressão no processo regulatório, mas, também,
agências reguladoras no Brasil mostram que os consumidores organizados.
elas são dotadas de especialidade, 1237) Uma das críticas à visão benigna da
imparcialidade e autonomia nas decisões. regulação apoia-se no entendimento de que as
1231) Basicamente, o papel de uma agência agências regulatórias norte-americanas foram
reguladora do setor de transporte público é capturadas por interesses capitalistas das
proteger os consumidores da elevação de preços estradas de ferro.
das passagens pelos empresários do setor. 1238) As teorias da escolha pública e da regulação
1232) O transporte rodoviário público, uma entendem que o interesse público não pode ser
atividade que pode ser desenvolvida por meio representado de forma eficiente por meio do
de parceria público-privada, não exige um forte mecanismo do mercado; qualquer outra
marco regulatório à medida que aumenta a instituição — como o mercado político —
concorrência no setor. apenas contribui para confundir os sinais
DFTrans, Cespe, 2008. fornecidos pelo sistema de preços e
comprometer a eficiência do sistema.
Secont, Cespe, 2009.
“A regulação desempenha função primordial, ao
buscar reproduzir as condições de competição, para
que os consumidores tenham acesso a produtos e A respeito da função de regulação do Estado e da
serviços com a qualidade e os níveis de preços que atuação das agências reguladoras, julgue os itens a
obteriam em um ambiente competitivo”. seguir.
Lúcia Helena Salgado. IPEA — Texto para 1239) Com a introdução do conceito de Estado
discussão n.º 941: agências regulatórias na regulador, foi alterada a suposição de que os
experiência brasileira: um panorama do atual serviços públicos devem necessariamente ser
desenho institucional, 2003. prestados diretamente pelos agentes públicos ou
órgãos da administração direta.

DSc Cursos Página 155


DSc Cursos

1240) A CF veda que o Estado brasileiro atue envolve esquemas regulatórios que utilizam
diretamente no domínio econômico, explorando instrumentos tais como preços, impostos e
atividade econômica de natureza lucrativa, em subsídios e encoraja as firmas reguladas a
qualquer situação. controlar custos e a adotar tecnologias mais
1241) No atual ordenamento jurídico brasileiro, a eficientes.
função de regulação deve ser exercida 1250) Esquemas de regulação pelo desempenho
exclusivamente pelas agências reguladoras. (yardstick competition) — em que o
1242) As agências reguladoras, no Brasil, têm desempenho das firmas reguladas é aferido pela
natureza jurídica de autarquia especial, embora comparação com uma referência média
constituam pessoas jurídicas de direito privado. (benchmark) —, além de induzirem aumentos
1243) As agências reguladoras não dispõem do de produtividade e redução de custos praticados
poder regulamentar sobre as atividades por outras firmas do setor, excluem a
econômicas que controlam. possibilidade de colusão entre essas firmas para
Secont, Cespe, 2009. elevar seus lucros.
1251) Mecanismos de regulação da qualidade e
ajustes do price cap, que são exemplos de
esquemas de compensação a consumidores,
A respeito dos esquemas de regulação, incluindo-se embutem um incentivo automático porque, além
aqueles relacionados à regulação de incentivos, de o agente regulador não precisar conhecer os
julgue os itens a seguir. custos de ofertar um determinado nível de
1244) Em uma indústria caracterizada pela qualidade, esses mecanismos, uma vez
presença de economias crescentes de escala, estabelecidos, não mais exigem nenhum tipo de
esquemas regulatórios que fixam os preços ao intervenção desse agente regulador, reduzindo,
nível do custo marginal provocarão deficits para assim, os custos de transação.
a firma regulada. 1252) Na regulação de incentivos, que prevê
1245) Na regulação pela taxa de retorno, a fixação planos de repartição de lucros e receitas
de limites para os lucros da firma regulada (earnings sharing regulation), a firma regulada e
incentiva a empresa a baixá-los artificialmente, seus clientes partilham os ganhos obtidos que
desestimulando, assim, a adoção de estratégias excederem o objetivo fixado pelo regulador.
que reduzam custos e aumentem os níveis de Essa forma de incentivo difere, pois, da
eficiência. regulação pela taxa de retorno porque permite
1246) Na indústria de telefonia, ao somar-se a taxa que os lucros da empresa regulada divirjam,
de crescimento da produtividade na fixação da significativamente, daqueles fixados pela
tarifa price cap (preço-teto), embute-se um agência reguladora.
mecanismo de incentivo que exige que a firma 1253) A dissociação entre os preços autorizados e
regulada, no mínimo, acompanhe o ritmo de os custos operacionais efetivos que prevalece na
crescimento da produtividade do setor, sob pena regulação dos incentivos implica que, sob esse
de ver seus lucros declinarem. tipo de esquema regulatório, os custos são
1247) Nos sistemas regulatórios do tipo price cap, superiores àqueles associados à regulação
a empresa regulada deve fixar seus preços ao fundamentada na taxa de retorno.
nível daqueles fixados pela agência reguladora, Anatel, Cespe, 2004.
implicando, dessa forma, a nulidade de seus
lucros.
1248) Um dos problemas associados à regulação 1254) Os avanços da privatização, em setores antes
price cap é o fato de que, nesse tipo de dominados pelo Estado, levaram ao surgimento
regulação, os preços fixados podem tornar-se de esquemas regulatórios para garantir a
inadequados ao longo do tempo em razão de provisão adequada dos serviços de utilidade
variações inesperadas na demanda e(ou) nos pública e garantir os direitos dos consumidores.
custos, incentivando as firmas a reduzirem seus A respeito do processo regulatório, assinale a
custos em detrimento da qualidade do serviço opção correta.
prestado. (A) Aumentos de produtividade, quando
1249) A regulação de incentivos, forma vigoram esquemas tarifários do tipo price
modificada da regulação pela taxa de retorno, cap, se traduzem em redução dos preços

DSc Cursos Página 156


DSc Cursos

para os consumidores e em taxas de retorno (D) Quando existe um único concessionário, o


mais elevadas para as empresas estabelecimento de cláusulas impositivas
concessionárias. leva a abusos do poder de mercado e,
(B) Se um monopolista perfeitamente portanto, resulta na prática de preços
discriminador for obrigado por uma agência monopolistas.
reguladora a cobrar um único preço pelo seu (E) A fixação de esquemas regulatórios na
produto, essa imposição aumentará, indústria de telecomunicações deve-se,
inequivocamente, o nível de eficiência na unicamente, à existência de monopólio
economia. natural, visto que as inovações tecnológicas
(C) Uma das vantagens da regulação pelo que caracterizam esse setor ampliam o papel
desempenho, em que as empresas reguladas desempenhado pelas economias de escala,
são comparadas com um referencial na determinação do tamanho mínimo
(benchmark), advém do fato de essa forma eficiente, para as firmas que atuam nesse
de regulação estimular melhorias da setor.
produtividade no conjunto da indústria e não INPI, Cespe, 2006.
estar sujeita a colusão entre empresas, com o
intuito de elevar lucros.
(D) Na regulação dos incentivos, a distinção 1256) Uma agência de controle da concorrência,
entre preços autorizados e custos como o CADE por exemplo, funcionará a
operacionais efetivos faz que, nesse tipo de contento se, e somente se,
regulação, os custos sejam menores que (A) a informação for perfeita.
aqueles praticados por esquemas (B) supondo que a informação seja imperfeita,
regulatórios, baseados na taxa de retorno. existirem contratos que tornem compatíveis
(E) A desregulamentação dos serviços de incentivos entre o Principal (Sociedade,
utilidade pública, em que predominam as representada pelos agentes públicos, no caso
economias crescentes de escala, contribui os políticos e os burocratas) e o Agente (a
para aumentar o nível de eficiência na agência) e entre a agência (agora Principal)
produção e distribuição desses serviços. e os ministérios e órgãos do governo
INPI, Cespe, 2006. fiscalizados (Agentes).
(C) a eficácia do contrato não dependa da
estrutura de incentivos com a qual o Agente
1255) Ainda em relação à regulação dos mercados, (agência ou sociedade) se depara, mesmo
assinale a opção correta. considerando informação assimétrica.
(A) Um dos problemas da regulação advém da (D) houver algum controle da sociedade sobre a
existência de assimetria da informação: agência, estabelecido contratualmente, pois
como a firma conhece melhor que o sempre há o risco do fiscalizador cooperar
regulador tanto sua tecnologia como o seu com o fiscalizado (ser cooptado pelo
mercado, ela pode induzir opções que lhe mesmo) e houver algum controle contratual-
convenham — seleção adversa — ou falsear legal sobre os fiscalizados (as empresas do
informações sobre seus esforços — risco setor privado).
moral —, fazendo que uma empresa mais (E) havendo assimetria de informação a
eficiente possa extrair rendas adicionais. possibilidade de controle direto ou indireto
(B) A concentração vertical, em que há fusão ou será nula, por parte da agência, sobre as
incorporação de empresas em diferentes ações ocultas das empresas do setor privado.
estágios da cadeia produtiva, por estimular a Gestor de Economia, FCC, 1999.
adoção de práticas anticoncorrenciais,
constitui, per se, violação da lei da
concorrência. 1257) NÃO constitui infração da ordem econômica
(C) A decisão, vinda da autoridade competente, prevista na Lei no 8.884, de 11-06-1994,
relativa a ato de fusão de duas empresas, (A) conquistar mercado em razão de processo
com base na possibilidade de natural fundado em sua maior eficiência em
monopolização do setor, é um exemplo relação a seus competidores.
claro da teoria positiva da regulação.

DSc Cursos Página 157


DSc Cursos

(B) recusar a venda de bens ou a prestação de 1259) O dumping caracteriza-se pela venda de um
serviços, dentro das condições de produto importado por um preço mais baixo do
pagamento normais aos que no país de origem, sem que isso reflita
(C) usos e costumes comerciais. menores custos aos fabricantes.
(D) açambarcar ou impedir a exploração de 1260) Entre as medidas de defesa da concorrência
direitos de propriedade industrial ou tomadas pelos países exportadores, estão: a
intelectual ou de tecnologia. criação de barreiras tarifárias, o estabelecimento
(E) subordinar a venda de um bem à aquisição de valor máximo para a exportação e a
de outro ou à utilização de um serviço. negociação para estabelecimento de cotas.
(F) vender injustificadamente mercadoria Secont, Cespe, 2009.
abaixo do preço de custo
ARCE, FCC, 2006.
Julgue os itens a seguir, considerando a Lei n.º
8.884/1994, de Defesa da Concorrência.
1258) Analise as seguintes afirmações: 1261) A Secretaria do Direito Econômico do
I. O Conselho Administrativo de Defesa Ministério da Justiça deve acompanhar,
Econômica (CADE) é uma autarquia federal permanentemente, as atividades e práticas
vinculada ao Ministério da Justiça à qual comerciais de pessoas físicas ou jurídicas que
cabe, entre outras funções, decidir sobre a detêm posição dominante em mercado relevante
existência de infração à ordem econômica e de bens ou serviços, a fim de prevenir infrações
aplicar as penalidades previstas em lei. da ordem econômica.
II. À Secretaria de Direito Econômico (SDE) 1262) São consideradas infrações da ordem
cabe, entre outras atribuições, proceder a econômica os atos que tenham produzido algum
averiguações preliminares para instauração dos seguintes efeitos: limitar, falsear ou de
de processo administrativo, em face de qualquer forma prejudicar a livre concorrência
indícios de infração da ordem econômica. ou a livre iniciativa; dominar mercado relevante
III. Ocorre posição dominante presumida, como de bens ou serviços; aumentar arbitrariamente
fornecedor, intermediário, adquirente ou os lucros; e exercer de forma abusiva posição
financiador de um produto, serviço ou dominante.
tecnologia a ele relativa, quando a empresa Secont, Cespe, 2009.
ou grupo de empresas controla 10% de
mercado relevante.
Está correto o que se afirma APENAS em Com relação aos diversos aspectos da defesa da
(A) I. concorrência, julgue os itens subsequentes.
(B) II. 1263) O aumento sucessivo dos lucros de uma
(C) III. empresa não pode constituir infração da ordem
(D) I e II. econômica, porque depende da aceitação, pelo
(E) II e III. mercado, dos preços praticados pela referida
ARCE, FCC, 2006. empresa.
1264) Se determinado grupo de empresas for o
fornecedor exclusivo de 35% de um mercado
“A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, relevante, então esse grupo de empresas exerce
pediu ao Brasil que suspenda as restrições às uma posição dominante, nos termos definidos
importações de caminhões argentinos, durante uma na legislação vigente.
visita à fábrica da IVECO, filial de veículos 1265) Quando a legislação brasileira proíbe a
pesados da italiana FIAT, na província de utilização de subsídios para a redução artificial
Córdoba.” AFP, out./2009 (com adaptações). de preços, está coibindo uma prática restritiva
Os estados nacionais defendem seus interesses horizontal.
econômicos ao adotar, frequentemente, práticas 1266) As leis nacionais, em nenhuma hipótese,
restritivas à movimentação de bens e serviços entre podem ser aplicadas a infrações econômicas
os países. A respeito da defesa da concorrência, ocorridas no exterior.
julgue os itens a seguir. 1267) A venda injustificada, por determinada
empresa, de mercadoria com preço abaixo do

DSc Cursos Página 158


DSc Cursos

seu custo de produção constitui prática recente crise econômica mundial, por viabilizar
conceituada como preço predatório, ainda que a expansão da produção, desloca a curva de
não seja possível provar que houve efetivo possibilidade de produção para cima e para a
prejuízo para a concorrência. direita.
Secont, Cespe, 2009. 1275) Caso uma firma, em determinada indústria,
trabalhe com uma tecnologia do tipo F(K, L) =
K1/4 L5/4, em que K e L são os únicos insumos
10 - QUESTÕES DE REVISÃO utilizados no processo produtivo, então, no
CESPE longo prazo, essa indústria não será competitiva.
1276) De acordo com a teoria marginalista da
Julgue os itens seguintes, relativos a conceitos distribuição, a condição de exaustão do produto
correntes em microeconomia. equivale à condição de que, no longo prazo, o
1268) A quantidade de bens destinados ao lucro máximo seja zero, independentemente do
consumo e a alocação de recursos na economia preço de mercado do bem produzido.
tem como limitadores a tecnologia disponível e 1277) Os custos contábeis diferem dos custos
os fatores de produção, no curto prazo. econômicos porque, além de não incluírem os
1269) O efeito do avanço tecnológico sobre a custos de oportunidades dos fatores de produção
curva de possibilidade de produção (CPP) utilizados, eles não são avaliados aos preços de
implica um deslocamento da produção para mercado.
cima e para a direita. Entretanto, um efeito 1278) Considerando que os aumentos recentes do
inverso ocorreria sobre a CPP se os estoques preço da energia elétrica elevaram os gastos dos
dos fatores de produção fossem aumentados. consumidores com esse serviço, é correto
1270) O primeiro teorema do bem-estar social afirmar que a demanda de eletricidade é elástica
indica que todo equilíbrio competitivo é um em relação ao preço.
equilíbrio eficiente de Pareto. Por outro lado, o 1279) As desvantagens da concorrência perfeita
segundo teorema indica que, se todos os agentes incluem o fato de que esse ambiente de mercado
possuem preferências côncavas, então, há não incentiva as firmas a investirem em
sempre um conjunto de preços em que cada pesquisa e desenvolvimento e a diferenciarem
alocação eficiente no sentido de Pareto é um seus produtos.
equilíbrio de mercado. 1280) A diferenciação de produto, que caracteriza
1271) A economia é o estudo de como a sociedade os mercados organizados sob forma de
toma suas decisões em relação aos recursos concorrência monopolística, faz que a curva de
escassos, decidindo sobre a produção dos bens e demanda, para as firmas que atuam nessa
a forma de distribuí-los entre o consumo estrutura de mercado, seja inelástica em relação
presente ou futuro. ao preço.
1272) O conceito de escassez de recursos indica 1281) O fato de que o governo brasileiro, por meio
que a sociedade tem recursos que são limitados da Agência Nacional de Energia Elétrica
e não pode produzir todos os bens que as (ANEEL), regulamenta o mercado de
pessoas desejam, justificando a não utilização eletricidade decorre, em parte, da existência de
dos recursos do governo com eficiência. indivisibilidades, originando as economias de
Correios, Cespe, 2011. escala que caracterizam esse setor.
1282) Transferências de renda no âmbito de
programas como o Bolsa Família, que atendem
A análise microeconômica examina as escolhas dos à população mais desfavorecida, conflitam com
agentes econômicos na presença de restrições de os critérios de maximização do bem estar da
preferência, tecnológicas e orçamentárias. Acerca sociedade, estabelecidos pelas funções de bem-
desse assunto, julgue os itens subsequentes. estar rawlsianas, porque envolvem melhorias de
1273) Se uma empresa de logística, ao comprar um Pareto.
equipamento de última geração, amplia sua Embasa, Cespe, 2009.
capacidade de estocagem diária, isso constitui
um exemplo de análise marginal.
1274) A redução do desemprego, que começa a ser A microeconomia constitui uma importante
observada nas economias que emergem da ferramenta para analisar o comportamento dos

DSc Cursos Página 159


DSc Cursos

agentes econômicos individuais. Acerca desse 1293) O prêmio de risco corresponde ao valor que
assunto, julgue os itens de 71 a 100. o consumidor está disposto a pagar para evitar
assumir determinado risco.
1283) Se determinados consumidores estiverem 1294) Ao longo de determinada isoquanta, tanto o
dispostos a comprar produtos mais baratos, nível de produção como a proporção dos
mesmo que isso signifique o consumo de insumos se mantêm
produtos de pior qualidade, então, para esses 1295) Em funções de produção do tipo Leontief, a
consumidores, as curvas de indiferença entre os elasticidade de substituição entre os diferentes
atributos preço e qualidade estarão insumos é constante e igual à unidade,
negativamente inclinadas. indicando, assim, que os fatores são
1284) O fato de um consumidor considerar que complementares.
medicamentos de marcas específicas e 1296) As economias de escala auferidas por
medicamentos genéricos sejam equivalentes grandes empresas podem decorrer do fato de
implica que, para esse consumidor, a taxa que essas empresas obtêm descontos na compra
marginal de substituição entre esses remédios é em grandes quantidades de matériasprimas e
nula. outros insumos produtivos.
1285) A curva de demanda individual corresponde 1297) A função de lucros, que constitui uma forma
à curva de preço-consumo, transladada no de descrever a tecnologia de produção de
espaço preço-quantidade. determinado produto, identifica o lucro máximo
1286) Nos preços e na renda do consumidor, a como função do preço do produto e dos preços
função de utilidade indireta é linearmente dos insumos produtivos.
homogênea. 1298) O fato de as curvas de demanda de insumos
1287) Para um consumidor que minimiza seus de longo prazo serem mais elásticas em relação
gastos, as quantidades ótimas consumidas de aos preços fatoriais do que aquelas que
dois bens quaisquer ocorrem no ponto em que a prevalecem no curto prazo contradiz o princípio
taxa marginal de substituição entre esses bens é de Le Chatelier.
igual à razão entre os seus preços. 1299) Em determinado processo produtivo, a
1288) É razoável supor que o excedente do minimização dos custos requer que os preços
consumidor é maior para determinada marca de dos insumos sejam iguais aos seus respectivos
cerveja do que para o consumo de cervejas, em custos marginais.
geral. 1300) A curva de custo marginal intercepta as
1289) Para os bens inferiores, o efeito renda- curvas de custo médio total e de custo médio
negativa reforça o efeito substituição e faz com variável no ponto mínimo dessas curvas.
que os aumentos nos preços conduzam a 1301) Uma curva de oferta de longo prazo, de uma
aumentos na quantidade consumida desses bens. indústria competitiva, negativamente inclinada,
1290) As variações compensatórias, utilizadas para colide com a existência de economias de escala
se calcular o efeito de modificações nos preços e de escopo, nessa indústria.
sobre o bem-estar dos consumidores, refletem o 1302) Os descontos dados pelas empresas de
nível de utilidade prevalecente antes da turismo para pessoas de terceira idade que
mudança de preços, e os novos preços fixados viajam na baixa estação são consistentes com o
pelo mercado. comportamento de um monopolista
1291) Para coibir o estacionamento em lugares discriminador de preços.
proibidos, a fixação de multas relativamente 1303) Desde que se permita o uso de estratégias
baixas associadas a maior fiscalização é mistas, todo jogo apresenta pelo menos um
particularmente apropriada quando os equilíbrio de Nash.
motoristas são substancialmente avessos aos 1304) Nos jogos sequenciais, existe uma clara
riscos. vantagem em ser o primeiro a decidir, visto que
1292) Para determinada renda esperada, pessoas esse movimento restringe as ações do
que preferem um emprego público, mesmo que concorrente.
o salário seja menor, podem ser consideradas 1305) O fato de que aumentos na eficiência dos
pessoas neutras em relação aos riscos. gastos com educação contribuem para elevar os
resultados escolares, beneficiando, assim, as
famílias com filhos em idade escolar, sem

DSc Cursos Página 160


DSc Cursos

reduzir a quantidade disponível dos demais para reduzir a demanda dos veículos movidos à
serviços públicos, indica que a economia gasolina.
encontra-se, no que diz respeito à alocação de 1314) A curva de oferta é positivamente inclinada,
serviços públicos e para o conjunto da em parte, porque melhorias nos padrões
população, sob a curva de contrato. tecnológicos se traduzem em níveis mais
1306) No modelo de equilíbrio geral com dois elevados de produção e preços.
mercados, a lei de Walras assegura que se um 1315) Em uma economia com produção, o
mercado estiver em equilíbrio, então isso equilíbrio competitivo ocorre em um ponto em
somente ocorre às expensas do desequilíbrio no que as taxas marginais de substituição técnica,
outro mercado. entre dois insumos quaisquer, são iguais para
1307) O primeiro teorema fundamental da teoria todos os produtores que utilizam esses insumos.
do bem-estar afirma que, na ausência de falhas 1316) Considerando que, para determinado
de mercado, a alocação de recursos obtida pelos consumidor, a taxa marginal de substituição
mercados privados é eficiente no sentido de entre gasolina e dísel seja constante, então,
Pareto. nesse caso, a curva de Engel, para gasolina, é
1308) Os níveis de poluição sonora decorrentes de uma linha reta com inclinação ascendente.
som automotivo, muito comum nos centros 1317) Mercados, em que o índice de Herfindahl-
urbanos brasileiros, constitui um exemplo típico Hirschman se aproxima da unidade, tendem a
de externalidade negativa, cujo nível de ser monopolizados e, por essa razão, exigem
produção é superior àquele que seria alguma forma de regulação para aumentar os
socialmente eficiente. níveis de competição e eficiência nessas
1309) A diferenciação do preço das apólices de indústrias.
seguros de saúde por faixa etária, com as 1318) Na produção de serviços de defesa nacional,
pessoas mais velhas pagando mais pelas os custos médios e marginais aumentam com a
apólices, acentua os problemas associados à quantidade produzida porque a tecnologia
existência de seleção adversa nesse mercado. utilizada para produzir esses serviços apresenta
1310) Se determinadas pessoas, ao adquirirem rendimentos crescentes de escala.
seguros residenciais contra incêndios, tornam-se 1319) Quando repetido um número infinito de
menos vigilantes no que diz respeito à vezes, o resultado de um jogo do tipo do dilema
prevenção desse tipo de risco, tem-se, então, um do prisioneiro, além de representar uma
exemplo típico de risco moral (moral hazard). estratégia Nash dominante, é eficiente no
1311) As taxas elevadas de cesarianas no Brasil, sentido de Pareto.
que o tornam campeão mundial desse tipo de 1320) De acordo com a teoria do U invertido,
cirurgia, podem ser parcialmente explicadas empresas de indústrias caracterizadas por altas
pela assimetria de informações que caracteriza a taxas de concentração investem, relativamente,
relação médico-paciente. mais em pesquisa e desenvolvimento pelo fato
1312) Esquemas que envolvem participação nos de a inovação gerar lucros adicionais
lucros e comissões por vendas efetuadas para os expressivos.
empregados das empresas constituem formas 1321) Entre os fatores que dificultam a
dessas firmas corrigirem os problemas cartelização nos mercados oligopolistas,
levantados pela relação principal-agente. encontram-se as diferenças de custos entre
SEFAZ/ES, Cespe, 2008. empresas , a existência de leis antitruste, à
possibilidade de entradas de novas firmas bem
como à flexibilidade de preços que prevalece
A microeconomia estuda o comportamento nesses mercados.
individual dos agentes econômicos e, por essa 1322) As grandes empresas do setor de
razão, constitui um sólido fundamento à análise dos distribuição de alimentos, como os
agregados econômicos. A esse respeito, julgue os hipermercados, ao exercerem seu poder de
itens que se seguem. monopsônio em relação a seus fornecedores,
1313) novações tecnológicas que reduzem o podem reduzir os excedentes dos consumidores
consumo de combustível dos automóveis e produtores, acarretando, assim, perdas, em
movidos a álcool, ceteris paribus, contribuem termos de bem-estar, para o conjunto da
economia

DSc Cursos Página 161


DSc Cursos

Petrobrás, Cespe, 2004. impossível realocar os recursos de modo a


melhorar a situação de alguns indivíduos sem
piorar a situação dos demais.
A microeconomia estuda o comportamento 1332) Em indústrias que possuem as características
individual dos agentes econômicos e, por essa de monopólio natural, uma forma usual de
razão, constitui um sólido fundamento à análise dos regulação é aquela em que o preço máximo
agregados econômicos. A esse respeito, julgue os permitido pelo agente regulador baseia-se na
itens subseqüentes. taxa de retorno esperada que essa empresa
1323) Os avanços tecnológicos que culminaram na venha a obter.
expansão da comunicação em tempo real, por 1333) Na ausência de contestabilidade dos
via eletrônica (chats), deslocam a curva de mercados, as economias crescentes de escala,
demanda dos serviços de telefonia fixa e celular que definem o padrão tecnológico da produção
para baixo e para a esquerda, atestando, assim, dos serviços de telecomunicações, fazem que a
que esses serviços são bens complementares. desregulamentação desse mercado conduza a
1324) No mercado da telefonia celular, as despesas aumentos de eficiência.
com publicidade constituem um custo variável 1334) Nos mercados oligopolistas, de acordo com
para as firmas que atuam nesse setor. o modelo da empresa dominante, uma firma
1325) Se a curva de indiferença de um responsável por uma parcela substancial das
determinado consumidor cruzar sua restrição vendas totais da indústria fixa seus preços de
orçamentária, então, para esse nível de renda modo a maximizar seus lucros, considerando,
nominal, esse consumidor poderá aumentar sua porém, a reação da oferta das empresas menores
utilidade, movendo-se para uma curva de estabelecidas nesse mercado.
indiferença superior. 1335) Tendo em vista a assimetria de informação,
1326) No equilíbrio competitivo, em uma decorrente do fato de as empresas de
economia com produção, as taxas marginais de telecomunicações conhecerem mais suas
substituição técnica, entre dois insumos estruturas de custo que a respectiva agência
quaisquer, são iguais para todos os produtores reguladora, um problema crucial para essa
que atuam nesse mercado. agência, ao utilizar regras de fixação de preços
1327) A diferenciação de preços das chamadas baseadas nos custos, é encontrar incentivos
telefônicas, de acordo com a qual as tarifas são apropriados, que levem as firmas a declararem
mais elevadas no horário comercial, justifica-se corretamente seus custos.
pelo fato de a elasticidade preço da demanda 1336) Os custos de provedores de Internet que
por serviços de telefonia das empresas ser mais oferecem serviço ilimitado por uma taxa fixa
elevada do que aquela referente à demanda mensal são elevados, em parte, por causa de um
residencial. processo de seleção adversa, já que os primeiros
1328) Em determinado mercado, a existência de a adotar a modalidade são os usuários mais
custos fixos elevados, bem como a presença de pesados, o que pode gerar prejuízos para esses
externalidades e de assimetrias de informação, provedores.
impõe restrições à adoção do paradigma 1337) O fato de as apólices de seguros
competitivo, fazendo que a fixação de esquemas residenciais, para moradias que utilizam
regulatórios contribua para aumentar os níveis serviços de segurança eletrônica, serem, em
de eficiência nesses mercados. geral, mais baratas é uma forma de as
1329) No modelo da curva de demanda quebrada, seguradoras lidarem com os problemas de
as empresas oligopolistas defrontam-se com prejuízo moral (moral hazard), que ocorrem na
uma curva de demanda que é mais inelástica indústria de seguros.
para preços superiores àqueles que prevalecem Anatel, Cespe, 2004.
no mercado e mais elástica, no caso contrário.
1330) Independentemente das escolhas feitas por
suas concorrentes, no equilíbrio de Nash, cada
empresa procura maximizar seu payoff.
1331) Se uma alocação de recursos é eficiente no
sentido de Pareto, então a distribuição de renda
é considerada justa pela sociedade, sendo

DSc Cursos Página 162


DSc Cursos

1341) A Figura abaixo mostra, em linhas cheias,


três curvas representativas do mapa de
11 - QUESTÕES ADICIONAIS indiferença de certo consumidor para a escolha
CESGRANRIO entre os bens X e Y. Mostra, também, a posição
inicial de sua reta de restrição orçamentária GH.

TEORIA DO CONSUMIDOR

1338) A função utilidade de um consumidor de


dois bens é dada pela expressão U = 3 X Y,
onde U é a utilidade que obtém ao consumir as
quantidades X e Y dos dois bens, X > 0 e Y > 0.
Tal função
(A) é homogênea do grau três.
(B) gera curvas de indiferença retas. Suponha que não haja alteração na renda do
(C) é crescente em X e decrescente em Y. consumidor nem no preço de Y, mas que o preço de
(D) apresenta utilidade marginal de X crescente X dobre. Nessa situação, para maximizar sua
com Y. utilidade, o consumidor reduz a quantidade
(E) tem um máximo no ponto (X, Y) = (2, 3). comprada de X
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2010. (A) à metade.
(B) e não reduz a quantidade comprada de Y.
1339) Em um mundo de apenas dois bens, as (C) do mesmo percentual que reduz a
preferências de um consumidor são quantidade comprada de Y.
representadas pela função utilidade U(x,y) = (D) percentualmente mais que reduz a
x0,6y0,4 . Se o preço do bem x for 5, o do bem y quantidade comprada de Y.
for 10 e a renda do consumidor for 500, em (E) percentualmente menos que reduz a
equilíbrio, esse consumidor quantidade comprada de Y.
(A) gastará metade de sua renda com o bem x. Cesgranrio, IBGE, 2013.
(B) gastará 200 unidades de sua renda com o
bem x. 1342) Considere a relação de elasticidade-preço da
(C) gastará 100 unidades de sua renda com o demanda de um produto. A demanda desse
bem y. produto será
(D) comprará 60 unidades do bem x. (A) perfeitamente elástica se sua elasticidade-
(E) comprará 40 unidades do bem y. preço for igual a zero.
Cesgranrio, Bacen, 2009. (B) mais elástica se não houver produtos
substitutos no mercado.
1340) Três consumidores, I, II e III, demandam (C) mais elástica se o referido produto for
determinado bem, e suas curvas de demanda extremamente essencial ao consumidor.
são: (D) mais elástica a longo prazo.
I. QI = 10 – 2 p (E) mais inelástica se o produto for de luxo.
II. QII = 15 – p EPE, Cesgranrio, 2014.
III. QIII = 13 – 3 p
onde QI, QII e QIII são as respectivas quantidades 1343) Os estudantes de uma turma em uma escola
demandadas e p é o preço do bem. A quantidade pública gratuita incorrem em custos diferentes
demandada total por parte desses consumidores, ao para se educar. Nesse contexto, considere as
preço de R$ 3,00/unidade, é afirmações a seguir.
(A) 16 I. O custo do transporte até a escola é igual
(B) 18 para todos.
(C) 20 II. O custo do material de ensino varia entre
(D) 22 esses estudantes.
(E) 24 III. Há diversidade entre os estudantes no valor
Cesgranrio, Liquigás, 2013. do tempo de cada um.

DSc Cursos Página 163


DSc Cursos

Está correto o que se afirma em (D) esgotam o valor do produto da empresa.


(A) I, apenas (E) afastam a economia de seu ótimo social.
(B) III, apenas Cesgranrio, Liquigás, 2013.
(C) I e II, apenas
(D) I e III, apenas 1347) Considere, nas expressões matemáticas
(E) I, II e III abaixo, que Y representa a quantidade do
Cesgranrio, Liquigás, 2013. produto, e K e L representam as quantidades
dos fatores de produção, todas as quantidades
1344) Suponha que um indivíduo maximizador de definidas em unidades adequadas. Dentre as
utilidade disponha de 10 horas diárias para expressões matemáticas a seguir, aquela que
alocar entre trabalho e lazer. Sua função pode representar uma função de produção
utilidade é dada pela expressão U = CL, onde C homogênea do grau 1 em K e L conjuntamente
são seus gastos diários com consumo, e L é o é
número diário de horas de lazer. Se o salário (A) Y = 2 KL1/2
desse indivíduo for R$ 2,00/hora, e sua renda (B) Y = K2/L
não-trabalho for R$ 4,00 por dia, quantas horas (C) Y = K/L
ele trabalhará das 10 horas diárias que aloca (D) Y = min (K, L)
entre trabalho e lazer? (E) Y = K1/2 L1/3
(A) 2 Cesgranrio, IBGE, 2013.
(B) 3
(C) 4 1348) Admita que a função de produção de uma
(D) 5 empresa seja representada pela seguinte
(E) 6 expressão: 𝑋 = 𝑏0 𝐿𝑏1 𝐾 𝑏2 , na qual X é o
Cesgranrio, IBGE, 2013. produto; b0 é uma constante; L é o fator
trabalho; K é o fator capital; e b1 e b2 são os
TEORIA DA FIRMA E ESTRUTURAS DE retornos de escala. Se a soma de b1 e b2 for
MERCADO maior do que 1, a função de produção é
caracterizada por
1345) Uma característica da função de produção (A) retornos crescentes de escala
neoclássica é que permite a substituição (B) retornos constantes de escala
contínua entre os fatores de produção, isto é, (C) retornos decrescentes de escala
pode-se reduzir o uso de um fator e aumentar o (D) retornos infinitos de escala
de outro, mantendo o nível de produção. Sendo (E) rendimentos decrescentes
Y a quantidade de produto e K e L as EPE, Cesgranrio, 2014.
quantidades dos fatores de produção, qual a
fórmula matemática que representa uma função 1349)
de produção neoclássica?
(A) Y = 5 Max (K0,5, L)
(B) Y = 5 Min (2K, L)
(C) Y = 10 K0,6 L0,4
(D) Y = 10 k-0,5L1,5
(E) Y = K/L
Cesgranrio, Liquigás, 2013.

1346) No caso de funções de produção


homogêneas do grau 1 (um), os pagamentos aos
Quanto às curvas de custos no gráfico acima, é
fatores de produção pelos valores de seus
correto afirmar-se que o(a):
produtos marginais
(A) custo fixo médio sempre sobe com o
(A) tendem a concentrar a distribuição de renda.
aumento da quantidade produzida.
(B) tendem a desconcentrar a distribuição de
(B) custo variável médio, de forma geral, cai
renda.
com o acréscimo de produção.
(C) geram uma diferença entre os preços e os
custos marginais.

DSc Cursos Página 164


DSc Cursos

(C) custo marginal mostra a diminuição dos (B) o custo total médio de produção da empresa
custos totais decorrente da produção de uma é menor que R$ 3,00/unidade.
unidade adicional. (C) o custo marginal de produção é uma função
(D) curva do custo marginal cruza a curva do crescente da produção.
custo total médio no ponto em que o custo (D) o custo total de produção é igual à receita
total médio é máximo. total.
(E) curva de custo marginal corta a curva de (E) a receita marginal é igual ao preço.
custo total médio no ponto de escala Cesgranrio, IBGE, 2013.
eficiente.
Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005. 1352) Em certo mercado, no qual há concorrência
perfeita, do lado da oferta, há cem empresas,
1350) Uma empresa maximizadora de lucros é todas com o mesmo custo total (CT), dado pela
produtora monopolista de certo bem. A Figura expressão CT = 10 + 0,1 q2, onde q é o volume
abaixo mostra, em linha cheia, como sua receita de produção da empresa. Caso o preço seja
total varia com a quantidade produzida. A igual a 3, a elasticidade preço da curva de oferta
receita total máxima ocorre quando a produção de mercado é igual a
for de Q**. (A) zero
(B) 1
(C) 2
(D) 3
(E) 4
Cesgranrio, IBGE, 2013.

1353) Uma empresa tem duas fábricas, I e II, cujos


custos marginais de produção (CMI e CMII) são
dados pelas expressões CMI = 10 qI e CMII =
5qII, onde qI e qII são as produções de cada
fábrica. Inicialmente as fábricas I e II estão
produzindo, respectivamente, 40 e 80 unidades;
mas a empresa recebe uma encomenda de 30
unidades adicionais. Para minimizar o custo,
quantas das novas unidades devem ser alocadas
Suponha que o custo marginal de produção seja para fabricação em I, sendo o restante produzido
constante e igual a R$ 1,00/unidade de produto, e em II?
que o custo fixo seja desprezível. A produção (A) 5
maximizadora de lucro é (B) 10
(A) Q* (C) 15
(B) Q** (D) 20
(C) (Q* + Q**) / 2 (E) 25
(D) maior que Q** Cesgranrio, IBGE, 2013.
(E) menor que Q*
Cesgranrio, Liquigás, 2013. 1354) Uma empresa maximizadora de lucro,
atuando num mercado competitivo, tomando o
1351) Uma empresa decide entrar em um mercado preço como dado,
no qual há concorrência perfeita e cujo produto (A) produzirá no ponto em que o custo marginal
é negociado pelo preço de R$ 3,00 / unidade. O seja igual ao preço.
equilíbrio de curto prazo da empresa (B) produzirá até que o custo médio seja maior
competitiva se caracteriza por várias que o custo marginal.
propriedades descritas abaixo, EXCETO pela (C) produzirá de modo a maximizar a receita
seguinte propriedade: total.
(A) o custo de produção de uma unidade a mais (D) equalizará o preço ao custo total.
é igual ou maior que R$ 3,00/unidade. (E) terá necessariamente prejuízo.
Decea, Cesgranrio 2009.

DSc Cursos Página 165


DSc Cursos

1357) A “Lei da Oferta e da Demanda” afirma que:


1355) Suponha que os produtores agrícolas (A) o preço de qualquer bem se ajusta de forma
considerem milho e soja como culturas a equilibrar a oferta e a demanda desse bem.
substitutas. O gráfico abaixo mostra a curva de (B) tudo o mais mantido constante, a quantidade
oferta S de milho em linha cheia. oferecida do bem aumenta, quando seu
preço aumenta.
(C) tudo o mais mantido constante, a quantidade
oferecida do bem aumenta, quando o preço
do bem diminui.
(D) tudo o mais mantido constante, a quantidade
demandada de um bem aumenta, quando o
preço do bem diminui.
(E) tudo o mais mantido constante, a quantidade
demandada de um bem aumenta, quando o
preço do bem aumenta.
Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005.

Um aumento no preço da soja levaria a curva de 1358) Observe os gráficos X e Y abaixo, que
oferta de milho para uma posição como a de representam deslocamentos das curvas de oferta
(A) S1 e demanda.
(B) S2
(C) S3
(D) S4
(E) S, mesmo
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2008.

1356) Analise o gráfico.

Considere mamão e melão como bens substitutos


para os consumidores, e que o preço do mamão
Em relação ao novo ponto de equilíbrio, selecione a
aumentou 50%. Em consequência, a demanda
única afirmação correta.
inicial por melão, representada no gráfico, se
(A) No gráfico X, tem-se uma diminuição na
deslocou para uma posição como
demanda e um grande aumento na oferta,
(A) AB
ocasionando uma redução nas quantidades
(B) AD
ofertadas e demandadas, com aumento de
(C) CB
preços.
(D) CD
(B) No gráfico X, tem-se um grande aumento na
(E) EF
demanda e uma redução na oferta,
Decea, Cesgranrio 2009.
ocasionando um aumento nas quantidades

DSc Cursos Página 166


DSc Cursos

ofertadas e demandadas, com aumento de


preços.
(C) No gráfico Y, tem-se um grande aumento na
demanda e uma redução na oferta,
ocasionando um aumento nas quantidades
ofertadas e demandadas, com redução de
preços.
(D) No gráfico Y, tem-se um pequeno aumento
na demanda e uma grande redução na oferta,
ocasionando um aumento nas quantidades
ofertadas e demandadas, com aumento de
preços.
(A) Quando um mercado está em equilíbrio, o
(E) Nos gráficos X e Y, tem-se aumento da
preço determina os compradores e
demanda com redução na oferta,
vendedores que participam do mercado.
ocasionando novo equilíbrio de mercado
(B) Os compradores que atribuem ao bem um
com preços mais baixos.
valor superior ao do seu preço (segmento
Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005.
ae) optam por não comprar o bem.
(C) Os compradores que atribuem ao bem um
1359) A Figura abaixo mostra a posição inicial das valor inferior ao do seu preço (segmento eb)
curvas de demanda e de oferta de bananas. A optam por comprar o bem.
curva de oferta é totalmente elástica em relação (D) Os fabricantes de produtos cujos custos são
ao preço da banana. inferiores ao preço (segmento ce) optam por
não produzir e vender o bem.
(E) Os fabricantes de produtos cujos custos são
superiores ao preço (segmento ed) optam
por produzir o bem.
Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005.

1361) As elasticidades próprio preço da demanda e


da oferta de um bem X comercializado em um
mercado competitivo são iguais a -1 e 1,
respectivamente. Na comercialização de X não
havia tributação, e o preço de equilíbrio era de
R$ 100,00/unidade do bem. Se o governo
A elasticidade preço cruzado da demanda por estabelecer um imposto na venda de X, a ser
banana, em relação ao preço do mamão, é igual a + coletado pelos produtores, de R$ 6,00 por
0,3. No caso de o mamão aumentar de preço em unidade comercializada, então, no novo
10%, a nova quantidade de equilíbrio no mercado equilíbrio de mercado, o preço pago pelo
de bananas será comprador de X, em R$/unidade, será,
(A) 97 aproximadamente,
(B) 99 (A) 94,00
(C) 101 (B) 97,00
(D) 103 (C) 100,00
(E) 105 (D) 103,00
Cesgranrio, IBGE, 2013. (E) 106,00
Cesgranrio, Liquigás, 2013.
1360) Analise o gráfico que representa o
Excedente do Consumidor e do Produtor, em 1362) Em um contexto de curto prazo, com relação
um mercado equilibrado, e identifique a ao mercado de um recurso produtivo,
afirmativa verdadeira sobre esse assunto. (A) se o mercado do produto final for dominado
por um monopolista, o preço do recurso
produtivo será determinado pela oferta desse

DSc Cursos Página 167


DSc Cursos

recurso e, portanto, igual ao valor de sua


produtividade físico-marginal.
(B) se os mercados forem de concorrência
perfeita e o produto final for obtido a custos
crescentes, um aumento na demanda do
produto final provocará aumento no valor da
produtividade físico-marginal desse fator,
deslocando a curva de demanda por esse
fator para a direita.
(C) se o recurso produtivo for adquirido por um
monopsonista que opera em um mercado de Para maximizar seu lucro, o nível de produção do
concorrência perfeita, o valor da monopolista é de
produtividade físico-marginal desse recurso (A) 3
será irrelevante na determinação do preço (B) 4
desse recurso produtivo. (C) 5
(D) em um mercado em competição perfeita, a (D) 6
demanda por um recurso produtivo é (E) 7
negativamente inclinada, porque a demanda Cesgranrio, IBGE, 2013.
pelo bem final, cuja produção requer o uso
desse recurso, é negativamente inclinada. 1365) Uma empresa diferencia seu produto
(E) a elasticidade preço da demanda por um daquele de seus concorrentes e pode determinar
recurso produtivo é tão mais elevada, em o preço pelo qual vende seu produto. No caso de
valor absoluto, quanto menor a participação essa empresa adotar um modelo de precificação
dos custos com esse recurso nos custos baseado em mark-up,
totais de produção. (A) calculará seu preço adicionando ao custo
Cesgranrio, Bacen, 2009. total um certo percentual desse.
(B) calculará seu preço adicionando ao custo
1363) Duas empresas, com produtos iguais e fixo médio um certo percentual desse.
custos de produção também iguais, formam um (C) calculará seu preço adicionando ao custo
duopólio de Cournot, ou seja, a variável variável médio um certo percentual desse.
decisória estratégica de cada empresa é a (D) fixará um percentual de mark-up mais
quantidade que produz. Nesse caso, a situação elevado, se a demanda pelo produto for mais
de equilíbrio apresenta várias características, elástica a preços.
dentre as quais NÃO se encontra a igualdade (E) fixará um percentual de mark-up menos
do(s) elevado, se seus custos fixos forem vultosos.
(A) preço de mercado com os custos marginais Cesgranrio, IBGE, 2013.
de produção.
(B) custos marginais de produção das duas 1366) Com relação às estruturas de mercado nas
empresas. economias capitalistas, considere as afirmações
(C) lucros das duas empresas. a seguir.
(D) preços que cada empresa cobra. I. Na concorrência perfeita, a demanda da
(E) volumes de produção das duas empresas. empresa individual pode ser representada
Cesgranrio, Liquigás, 2013. por uma curva negativamente inclinada com
relação aos preços.
II. No oligopólio do tipo Bertrand, a empresa
1364) Suponha que um monopolista maximizador maximiza lucros supondo que as empresas
de lucro, com custo marginal constante e igual a rivais alteram os preços praticados no
R$ 5,00 / unidade, vende um produto cuja curva mercado.
de demanda é um segmento de reta AB, III. Na concorrência monopolística, o lucro
conforme a Figura abaixo. econômico é igual a zero a longo prazo.
Está correto o que se afirma em:
(A) II, apenas
(B) III, apenas
(C) I e II, apenas
DSc Cursos Página 168
DSc Cursos

(D) I e III, apenas 1369) Quando em certa economia não for possível
(E) I, II e III aumentar o bem-estar de uma pessoa, através de
EPE, Cesgranrio, 2014. mudanças alocativas e distributivas, sem reduzir
o bem-estar de outra pessoa, diz-se que a
1367) Considere o jogo descrito pela matriz de economia se encontra em uma posição de
possibilidades abaixo, na qual os valores entre (A) distribuição de renda justa
parênteses indicam, respectivamente, o ganho (B) equilíbrio a pleno emprego
do agente 1 e o ganho do agente 2. Ai e Bi (C) equilíbrio geral
indicam as estratégias possíveis para o agente 1, (D) ótimo de Pareto
se i = 1, e para o agente 2, se i = 2. (E) ótimo de Pigou
Cesgranrio, Liquigás, 2013.

Analise as seguintes proposições sobre esse jogo:


I. o par de estratégias (B1, B2) é um
Equilíbrio de Nash;
II. o par de estratégias (A1, B2) é eficiente no
sentido de Pareto;
III. todo Equilíbrio de Nash nesse jogo é
eficiente no sentido de Pareto.
Está(ão) correta(s) a(s) proposição(ões)
(A) I, apenas.
(B) I e II, apenas.
(C) I e III, apenas.
(D) II e III, apenas.
(E) I, II e III.
Cesgranrio, Bacen, 2009.

1368) Segundo a visão de Schumpeter sobre o


processo de desenvolvimento econômico, a
inovação desempenha um papel central nesse
processo. A teoria shumpeteriana, em especial,
(A) enfatiza o lado da demanda e o papel
inovador do consumidor.
(B) enfatiza a expansão da base de exportação e
a abertura de novos mercados externos.
(C) identifica o proprietário dos recursos
financeiros como o líder do processo de
inovação.
(D) considera a adaptação contínua, passo a
passo, dos processos produtivos de cada
empresa como básica para o
desenvolvimento.
(E) considera fundamental para o
desenvolvimento a facilidade de captação de
recursos financeiros pelo empresário
inovador.
Cesgranrio, Finep, 2013.

DSc Cursos Página 169


DSc Cursos

1370) Observe os gráficos abaixo, que representam Curvas de Elasticidade da Demanda e da Oferta.

Assinale a opção que descreve corretamente a elasticidade-preço das curvas.

Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005.

1371) A relação entre a curva de custo total médio (linha cheia) e de custo marginal (linha tracejada) de uma
empresa, em função da quantidade produzida, é mostrada pela seguinte Figura:

DSc Cursos Página 170


DSc Cursos

Cesgranrio, Liquigás, 2013.

DSc Cursos Página 171


DSc Cursos

1372) Observe as seguintes curvas de CTM - Custo Total Médio de Curto e Longo Prazos:

Analise as afirmativas abaixo, quanto às curvas.


I. No ponto 1: quando o custo total médio de longo prazo declina, enquanto a produção aumenta, diz-se
que existe Economia de Escala.
II. No ponto 2: quando o custo total médio de longo prazo não varia com o nível de produção, diz-se que
existem Retornos Constantes à Escala.
III. No ponto 3: quando o custo total médio de longo prazo aumenta, enquanto a produção total aumenta,
diz se que existe Deseconomia de Escala.
Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s):
(A) I, apenas.
(B) II, apenas.
(C) III, apenas.
(D) I e II, apenas.
(E) I, II e III.
Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005.
Resposta (E)

1373) Suponha que o milho seja uma cultura alternativa para o produtor de soja, mas não seja um bem
substituto de soja para o comprador dessa. Considerando que as linhas cheias mostram as curvas de
demanda e de oferta no mercado de soja, um aumento do preço do milho provocará uma mudança no
mercado de soja conforme mostrado pela(s) linha(s) tracejada(s) na Figura

DSc Cursos Página 172


DSc Cursos

Cesgranrio, Liquigás, 2013.

1374) Analise os gráficos abaixo.

DSc Cursos Página 173


DSc Cursos

A esse respeito, são feitas as afirmações a seguir.


I. O impacto do salário-mínimo compulsório fixado acima do salário de equilíbrio provoca um excedente
de mão-de-obra (desemprego), equivalente a 5 quantidades de mão-de-obra.
II. O impacto do salário mínimo compulsório provoca um excedente de mão-de-obra (desemprego),
equivalente a 10 quantidades de mão-de-obra.
III. Na ausência de intervenção governamental, os salários variam para equilibrar a oferta e demanda de
mão-de-obra.
Está(ão) correta(s) a(s) afirmação(ões):
(A) I, apenas.
(B) II, apenas.
(C) III, apenas.
(D) I e III, apenas.
(E) II e III, apenas.
Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005.

1375) Considerando que o peso morto do imposto é a redução do excedente total decorrente da sua aplicação e
que a receita tributária é igual ao montante do imposto multiplicado pela quantidade vendida do bem,
analise os gráficos abaixo.

A partir desses gráficos, pode-se afirmar corretamente que um imposto:


(A) pequeno tem um peso morto elevado e resulta em uma reduzida receita tributária.
(B) médio tem um peso morto pequeno e resulta em uma elevada receita tributária.
(C) muito elevado resulta em um peso morto também muito elevado com uma arrecadação pequena, pois o
imposto aumenta sensivelmente o tamanho do mercado.
(D) muito elevado resulta em um peso morto também muito elevado com uma arrecadação pequena, pois o
imposto reduz sensivelmente o tamanho do mercado.
(E) muito elevado resulta em um peso morto também muito elevado com uma arrecadação elevada.
Estado do Tocantins, Cesgranrio, 2005.

DSc Cursos Página 174


DSc Cursos

FALHAS DE MERCADO E POLÍTICA determinados inicialmente os direitos de


INDUSTRIAL propriedade.” Tal proposição
(A) sugere a pouca importância de se definir o
1376) A Política Industrial, sob a ótica de falhas de direito de propriedade na questão ambiental.
mercado, defende a intervenção do estado na (B) sugere que nunca é possível negociar com as
economia em certos casos, entre os quais NÃO empresas para que parem de poluir.
se inclui o(a) (C) sugere que o governo não tem papel a
(A) fornecimento de bens públicos. desempenhar na questão ambiental.
(B) necessidade de proteção à indústria (D) sugere condições para que haja soluções de
nascente. mercado, negociadas entre os agentes
(C) existência de bens de propriedade comum econômicos privados, para os problemas de
(difusa). poluição.
(D) existência de externalidades. (E) é conhecida como Teorema de Condorcet.
(E) existência de estruturas de mercado não Petrobrás, Cesgranrio, 2008.
competitivas.
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2008. 1380) Uma empresa, ao produzir, polui um rio
usado pela população e não paga pelo prejuízo
1377) Uma empresa, atuando num mercado causado. Logo, seu custo marginal privado
competitivo, poluindo a atmosfera ao produzir e (A) inclui deseconomias de escala.
nada pagando pelo dano ambiental causado, (B) cresce com a produção.
(A) deveria ser proibida de funcionar. (C) é menor que o custo marginal social.
(B) deixaria de produzir se fosse obrigada a (D) é menor que a receita marginal.
pagar pelo dano ambiental. (E) não é constante.
(C) tem um custo social de produção menor que Transpetro, Cesgranrio, 2011.
o custo privado de produção.
(D) não adiciona valor quando produz. 1381) O estado poderia cobrar um tributo de uma
(E) produz uma quantidade maior do que seria empresa poluidora, de modo a internalizar o
ótimo socialmente. prejuízo que ela causa. Um tributo com esse
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2010. objetivo é chamado de
(A) imposto de Pigou
1378) A poluição sonora decorrente da operação (B) imposto de Walras
de um aeroporto, prejudicando os moradores da (C) taxa mínima de atratividade
vizinhança, (D) senhoragem
(A) deveria ser compensada com pagamentos (E) contribuição social sobre o lucro
aos donos do aeroporto pelas companhias Transpetro, Cesgranrio, 2011.
aéreas.
(B) deveria ser compensada com pagamentos 1382) A imposição de regulamentação ambiental
aos moradores pelas companhias aéreas. pode induzir as empresas a responder com
(C) é uma externalidade negativa. inovações que melhorem sua competitividade.
(D) só pode ser resolvida com a mudança de Tal possibilidade é chamada de
local do aeroporto. (A) efeito Hicks
(E) não precisa ser considerada, se os moradores (B) efeito manada
ocuparam a região do aeroporto após a (C) efeito substituição
construção do mesmo. (D) hipótese nula
Petrobrás Distribuidora, Cesgranrio, 2008. (E) hipótese Porter
Transpetro, Cesgranrio, 2011.
1379) Considere o enunciado a seguir. “Se os
agentes econômicos pudessem negociar sem 1383) Para corrigir o problema de poluição
custos de transação e com a possibilidade de ambiental, o governo estabelece um imposto
obter benefícios mútuos, o resultado eliminaria sobre a produção de cimento, visando a
as externalidades e alocaria eficientemente os internalizar as externalidades ambientais ligadas
recursos, independente de como estejam à produção desse bem. Na ausência de outras

DSc Cursos Página 175


DSc Cursos

externalidades, esse tributo, aplicado


corretamente,
(A) terá receita zero.
(B) terá peso morto zero.
(C) reduzirá a poluição a zero.
(D) aumentará a produção de cimento.
(E) equalizará o custo total à receita total dos
fabricantes
Petrobrás, Cesgranrio, 2012.

1384) Quando um país importador de determinado


produto constata que o consumo desse produto
causa danos ambientais, poderá estabelecer Supondo que não haja outras distorções alocativas
restrições quantitativas à sua importação, na economia, o peso morto gerado pelo imposto é
chamadas de igual a(à)
(A) tarifas compensatórias (A) queda na quantidade produzida, FG
(B) impostos de Pigou (B) área de ACFG
(C) taxas sociais (C) área de ABFG
(D) ágios defensivos (D) área de ABC
(E) barreiras verdes (E) zero
Petrobrás, Cesgranrio, 2012. Cesgranrio, Liquigás, 2013.

1385) A regulamentação ambiental, mesmo 1387) Analise as proposições abaixo, considerando


implementada paulatinamente, aumenta os o conceito econômico de bem público.
custos de produção das empresas e I. Resolvido o problema de como financiar sua
(A) reduz suas competitividades frente à produção, se desejado, o bem público estará
concorrência, mesmo a longo prazo. à disposição da sociedade, mesmo que não
(B) gera desemprego permanentemente mais seja produzido pelo governo.
alto, pela desativação de atividades II. Bens públicos são bens de propriedade
produtivas. comum a todos os indivíduos de uma
(C) afasta a economia de seu máximo produtivo, sociedade e, portanto, todos têm direito a
gerando ineficiência. dele usufruir.
(D) induz à inovação redutora de dano III. Bens públicos são bens cujo consumo de
ambiental, como estratégia competitiva das uma unidade por um indivíduo não reduz a
empresas. quantidade disponível desse bem para
(E) aumenta o preço dos produtos afetados, qualquer outro indivíduo e ninguém pode
causando inflação ser excluído de seu uso ou consumo.
Petrobrás, Cesgranrio, 2012. É correto APENAS o que se afirma em
(A) II.
1386) Um grupo de empresas competitivas, (B) III.
fornecedoras do bem X, poluem um rio quando (C) I e II.
produzem. Tal situação leva à aplicação, sobre (D) I e III.
as empresas, de um imposto corretivo adequado. (E) II e III.
A Figura abaixo mostra a curva de demanda por Cesgranrio, Bacen, 2009.
X e as curvas de oferta de X, antes e depois
(linha tracejada) do imposto. 1388) A respeito de informação assimétrica e
seleção adversa, analise as afirmações abaixo.
I. O problema de seleção adversa reside no
fato de o mercado gerar apenas incentivos
para pessoas ou firmas de baixo risco
adquirirem apólices de seguro.
II. No mundo real, as escolhas de mercado,
como qualquer outra decisão, são feitas com

DSc Cursos Página 176


DSc Cursos

informação incompleta, de modo que a (D) vertical se criasse e difundisse


realidade do conhecimento imperfeito não é conhecimentos tecnológicos para todos os
uma falha de mercado. setores da economia.
III. O problema da assimetria de informação só (E) vertical se procurasse remover gargalos à
emerge quando o comprador potencial, ou o produção do setor siderúrgico.
vendedor potencial, tem uma informação BNDES, Cesgranrio, 2009.
importante para a transação que a outra
parte não tem. 1391) Qual das políticas industriais ocorreu em
É correto APENAS o que se afirma em alguma das economias denominadas “quatro
(A) I. Tigres Asiáticos” entre 1960 e 1990?
(B) II. (A) Taiwan incentivou a formação de grandes
(C) I e II. conglomerados industriais que foram
(D) I e III. cruciais para que o país atingisse altas taxas
(E) II e III. de crescimento.
Cesgranrio, Bacen, 2009. (B) A China incentivou fortemente o
crescimento do setor de eletrônicos através
1389) Uma consumidora costuma comprar peixes do uso de mão de obra muito barata.
no mercado local, mas não é capaz de identificar (C) A Coreia do Sul implementou uma política a
os de melhor qualidade. Ela está disposta a fim de promover a indústria química e a
pagar R$ 15,00 pelo kg do peixe de melhor automobilística que, por ter apresentado um
qualidade e R$ 5,00 pelo de pior qualidade. Os alto custo, não atingiu seu objetivo.
vendedores de peixe de melhor qualidade (D) Os países adotaram um modelo de
descartam a mercadoria restante no final do dia, industrialização voltado para a exportação,
o que implica um custo de R$ 10,00 por kg, que acabou fracassando.
enquanto que aqueles que não adotam essa (E) O crescimento econômico de todos os países
prática têm um custo de R$ 8,00 por kg. Das do grupo dos Tigres Asiáticos, que não
dez barracas que vendem peixes, metade tem os adotaram uma política industrial explícita,
de melhor qualidade. O preço que incialmente ficou estagnado.
essa consumidora estará disposta a pagar, em Petrobrás, Cesgranrio, 2011.
reais, pelo quilo do peixe, e a quantidade de
barracas que, no longo prazo, venderá peixes de 1392) Sobre o modelo de desenvolvimento
má qualidade serão, respectivamente, econômico adotado pela Coreia do Sul, nos
(A) 10 e nenhuma (o mercado de peixes deixa últimos 40 anos, considere as afirmativas
de funcionar) abaixo.
(B) 10 e todas as barracas I. A formação educacional e a qualifi cação da
(C) 8 e metade das barracas mão de obra são prioridades na Coreia do
(D) 8 e todas as barracas Sul.
(E) 5 e nenhuma (o mercado de peixes deixa de II. A Coreia do Sul exporta produtos agrícolas
funcionar) produzidos em grande escala.
Petrobrás, Cesgranrio, 2011. III. A Coreia do Sul investiu na exportação de
manufaturados de crescente sofi sticação
1390) As políticas industriais podem ser tecnológica.
classificadas, em geral, como horizontais ou IV. Na Coreia do Sul, há redução contínua da
verticais. Assim, uma política industrial seria relação: importações ÷ produto interno
(A) horizontal se fosse voltada para o bruto.
incremento das exportações dos setores de Está correto APENAS o que se afirma em
produtos de alta tecnologia. (A) I e III
(B) horizontal se visasse a incentivar (B) II e IV
investimentos em setores cuja elasticidade (C) I, II e III
renda da demanda é elevada. (D) I, III e IV
(C) horizontal se visasse a substituir as (E) II, III e IV
importações de navios. BNDES, Cesgranrio, 2013.

DSc Cursos Página 177


DSc Cursos

1393) As fábricas de duas empresas, I e II, lançam em um lago, respectivamente, 100 e 50 toneladas mensais
de um poluente X, sem nada pagar pela externalidade. Os gráficos mostram, em linhas cheias, como variam
os custos marginais de redução da emissão de X, para as fábricas I e II. Suponha que os custos fixos de
redução do lançamento de X sejam desprezíveis e que as empresas maximizem seus lucros.

Se o governo cobrasse R$ 20,00 por tonelada mensal de X lançada no lago, representada pela linha horizontal
tracejada nos gráficos,
(A) a fábrica I não reduziria o lançamento de X no lago.
(B) a fábrica II reduziria a zero o lançamento de X no lago.
(C) o lançamento total de X no lago seria de 75 ton/mês.
(D) os custos marginais de produção das duas fábricas não se alterariam.
(E) os custos totais médios de produção das duas fábricas não se alterariam.
Petrobrás, Cesgranrio, 2012.

DSc Cursos Página 178


DSc Cursos

1 E 51 E 101 E 151 C 201 A


2 E 52 C 102 D 152 C 202 C
3 E 53 E 103 D 153 E 203 E
4 C 54 E 104 C 154 A 204 D
5 E 55 C 105 C 155 D 205 B
6 C 56 E 106 E 156 E 206 B
7 C 57 C 107 E 157 A 207 A
8 C 58 C 108 B 158 D 208 B
9 E 59 C 109 B 159 E 209 C
10 E 60 B 110 E 160 D 210 E
11 B 61 E 111 C 161 A 211 C
12 C 62 D 112 D 162 B 212 D
13 C 63 A 113 D 163 E 213 A
14 A 64 B 114 E 164 A 214 E
15 E 65 E 115 E 165 B 215 E
16 D 66 C 116 E 166 A 216 E
17 E 67 E 117 C 167 D 217 C
18 A 68 E 118 C 168 C 218 C
19 B 69 C 119 E 169 E 219 C
20 C 70 A 120 D 170 B 220 E
21 E 71 B 121 A 171 E 221 C
22 E 72 D 122 A 172 E 222 E
23 C 73 D 123 B 173 C 223 C
24 E 74 E 124 B 174 E 224 A
25 E 75 E 125 E 175 E 225 B
26 C 76 C 126 C 176 C 226 D
27 D 77 C 127 B 177 C 227 D
28 E 78 E 128 C 178 C 228 C
29 C 79 C 129 B 179 E 229 D
30 C 80 C 130 B 180 E 230 D
31 C 81 C 131 A 181 C 231 C
32 C 82 C 132 D 182 E 232 C
33 E 83 C 133 E 183 A 233 E
34 C 84 C 134 B 184 E 234 A
35 C 85 E 135 C 185 C 235 E
36 C 86 E 136 C 186 E 236 C
37 E 87 B 137 C 187 B 237 C
38 E 88 C 138 C 188 D 238 C
39 E 89 C 139 E 189 C 239 E
40 C 90 E 140 E 190 E 240 D
41 C 91 C 141 E 191 C 241 B
42 C 92 E 142 E 192 B 242 A
43 D 93 E 143 E 193 A 243 B
44 C 94 E 144 E 194 E 244 E
45 A 95 A 145 C 195 C 245 E
46 B 96 C 146 C 196 C 246 B
47 E 97 C 147 E 197 A 247 E
48 A 98 C 148 E 198 C 248 C
49 B 99 C 149 C 199 E 249 C
50 B 100 C 150 E 200 B 250 D

DSc Cursos Página 179


DSc Cursos

251 B 301 E 351 C 401 C 451 E


252 D 302 E 352 A 402 C 452 A
253 A 303 C 353 A 403 C 453 E
254 B 304 E 354 E 404 E 454 C
255 C 305 E 355 C 405 E 455 C
256 A 306 E 356 C 406 C 456 C
257 B 307 B 357 C 407 C 457 E
258 A 308 E 358 C 408 C 458 B
259 B 309 E 359 C 409 A 459 E
260 E 310 C 360 E 410 A 460 C
261 B 311 C 361 C 411 B 461 C
262 B 312 D 362 E 412 C 462 E
263 A 313 C 363 E 413 E 463 C
264 E 314 C 364 C 414 E 464 E
265 C 315 A 365 B 415 E 465 C
266 E 316 C 366 B 416 E 466 E
267 D 317 B 367 D 417 E 467 E
268 A 318 E 368 C 418 E 468 A
269 A 319 C 369 B 419 E 469 C
270 B 320 C 370 E 420 C 470 E
271 B 321 B 371 D 421 A 471 E
272 A 322 B 372 B 422 B 472 C
273 D 323 A 373 E 423 C 473 E
274 D 324 D 374 C 424 D 474 A
275 D 325 E 375 D 425 A 475 E
276 B 326 E 376 B 426 B 476 C
277 A 327 B 377 A 427 C 477 E
278 D 328 D 378 E 428 C 478 C
279 C 329 D 379 C 429 A 479 E
280 D 330 E 380 C 430 B 480 D
281 C 331 C 381 A 431 D 481 C
282 A 332 C 382 D 432 E 482 C
283 E 333 C 383 E 433 A 483 C
284 C 334 B 384 E 434 D 484 E
285 C 335 B 385 C 435 B 485 C
286 E 336 C 386 E 436 C 486 E
287 C 337 C 387 E 437 B 487 C
288 C 338 A 388 A 438 A 488 E
289 E 339 D 389 D 439 C 489 E
290 B 340 C 390 E 440 D 490 C
291 D 341 A 391 E 441 C 491 E
292 E 342 A 392 E 442 A 492 C
293 C 343 E 393 E 443 C 493 A
294 E 344 C 394 C 444 D 494 C
295 C 345 C 395 B 445 B 495 B
296 E 346 E 396 B 446 B 496 B
297 C 347 E 397 C 447 A 497 C
298 E 348 A 398 D 448 A 498 E
299 E 349 D 399 B 449 A 499 A
300 E 350 A 400 E 450 D 500 E

DSc Cursos Página 180


DSc Cursos

501 B 551 A 601 C 651 E 701 E


502 D 552 B 602 E 652 C 702 E
503 A 553 B 603 E 653 C 703 B
504 A 554 A 604 C 654 E 704 C
505 D 555 A 605 E 655 C 705 C
506 A 556 E 606 E 656 C 706 E
507 C 557 E 607 E 657 C 707 C
508 D 558 B 608 E 658 C 708 E
509 C 559 C 609 C 659 E 709 E
510 560 C 610 C 660 C 710 C
511 D 561 E 611 A 661 E 711 C
512 B 562 E 612 D 662 E 712 E
513 C 563 C 613 A 663 C 713 E
514 A 564 E 614 E 664 E 714 C
515 A 565 E 615 E 665 E 715 C
516 B 566 E 616 E 666 E 716 E
517 D 567 C 617 C 667 E 717 C
518 D 568 E 618 C 668 C 718 C
519 E 569 D 619 E 669 C 719 E
520 A 570 A 620 E 670 C 720 E
521 A 571 E 621 E 671 E 721 E
522 C 572 E 622 E 672 E 722 E
523 C 573 D 623 B 673 C 723 C
524 B 574 D 624 E 674 D 724 C
525 E 575 D 625 C 675 E 725 E
526 C 576 E 626 C 676 E 726 C
527 D 577 D 627 E 677 C 727 E
528 C 578 D 628 C 678 C 728 C
529 D 579 A 629 C 679 E 729 E
530 D 580 E 630 E 680 C 730 E
531 B 581 E 631 E 681 E 731 C
532 B 582 E 632 E 682 E 732 E
533 A 583 E 633 C 683 C 733 C
534 C 584 A 634 C 684 C 734 E
535 E 585 A 635 E 685 D 735 E
536 C 586 C 636 E 686 A 736 D
537 D 587 E 637 C 687 B 737 E
538 A 588 C 638 E 688 C 738 E
539 B 589 C 639 C 689 E 739 C
540 E 590 E 640 E 690 C 740 E
541 E 591 C 641 C 691 C 741 C
542 C 592 E 642