P. 1
Exercícios de briófitas e pteridófitas

Exercícios de briófitas e pteridófitas

|Views: 1.835|Likes:
Publicado porVitor Alexandrino

More info:

Published by: Vitor Alexandrino on May 09, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/26/2013

pdf

text

original

01.

(FUVEST) Com relação à conquista do meio terrestre, alguns autores dizem que as briófitas são os anfíbios do mundo vegetal. Justifique essa analogia.
Assim como os anfíbios, estas plantas dependem de água para fecundação. Vivem, na maioria das vezes, na água doce e ambiente terrestre úmido sombreado.Anfíbios, como os sapos, pererecas e rãs necessitam viver próximo da água devido a sua respiração cutânea. Assim como as briófitas também vivem em locais úmidos devido o fato de não possuírem vasos condutores de seiva.

02. (UNICAMP-SP) A Mata Atlântica é um ambiente bastante úmido. Nesse ambiente, é comum encontrar diversos tipos de plantas verdes, de pequeno porte (alguns centímetros), crescendo sobre troncos e ramos de árvores, bem como recobrindo certas áreas na superfície do solo. A reprodução destas plantas não ocorreu por meio de flores, mas no seu ciclo há gametas envolvidos. a) Que plantas são essas? b) Qual o fator que delimita o seu tamanho? c) Qual é a fase transitória do seu ciclo reprodutivo?
a) Essas plantas são as briófitas. b) O fator limitante do seu tamanho é a ausência de vasos condutores de seiva. c) A fase transitória do ciclo das briófitas é o esporófito.

03. (FUVEST) Num filme ficção científica havia musgos gigantes, do tamanho de coqueiros. Qual sistema, ausente nos musgos reais, deveria estar presente nos gigantes para que eles atingissem tam tamanho? Por que?
O sistema ausente nos musgos reais e presentes nos gigantes é o sistema condutor de seiva (xilema e floema). Sem o sistema de vasos condutores o transporte tem de ser feito por difusão de célula para célula, um processo lento e incapaz de levar os nutrientes com velocidade suficiente para atender às células distantes do solo.

04. (FUVEST) No que diferem briófitas e pteridófitas quanto ao deslocamento da água no interior da planta?
As briófitas são avasculares e a água se desloca no organismo por difusão de célula para célula. As pteridófitas são vasculares e a água se desloca através de um conjunto de vasos condutores de seiva.

05. (U.F.Lavras -MG) Responda a) No que se assemelham briófitas e pteridófitas quanto ao habitat e transporte de gametas? b) No que diferem quanto ao transporte de água e sais minerais? Sugestão de Resposta:

06. (VUNESP) Em um brejo, encontrou-se grande quantidade de musgos (briófitas) e samambaias (pteridófitas). Todos os musgos eram pequenos, com poucos centímetros de altura, ao passo que algumas samambaias alcançavam até 2 metros. Que diferenças na estrutura desses grupos justifica essa diferença de tamanho? Sugestão de Resposta:

07. (FUVEST) Existem semelhanças entre os ciclos de vida de muitos animais celenterados (águas-vivas, por exemplo) e os de plantas, como os musgos e as samambaias. a) Qual o tipo de ciclo de vida compartilhado por esses seres? b) O que caracteriza esse tipo de ciclo? Sugestão de Resposta:

a) Os celenterados ou cnidários, as briófitas (musgos) e pteridófitas (samambaias) reproduzem-se por metagênese. b) Alternância de gerações, ou seja, alterna reprodução sexuada com assexuada no ciclo de vida desses seres.

08. (FUVEST) As células do gametófito de uma briófita de ciclo normal têm trinta cromossomos. Quantos cromossomos serão encontrados no esporo, na haste, na cápsula e no anterozóide? Sugestão de Resposta:

09. (UMC-SP) Comparando os esporófitos de um musgo e de uma samambaia, quais as diferenças que você pode assinalar? Sugestão de Resposta:

10. (FUVEST) O esquema a seguir representa o ciclo de vida da samambaia. A letra [A] representa a célula haplóide que faz a transição da fase esporofítica para a fase gametofítica; a letra [B] representa a célula diplóide que faz a transição da fase gametofítica para a fase esporofítica.

a) Descreva resumidamente a aparência das plantas que representam a fase esporofítica e a fase gametofítica. b) Quais são os nomes das células representadas pelas letras A e B? Sugestão de Resposta:

11. (UFAL) Compare o esporófito de uma samambaia ao esporófito de um musgo. Sugestão de Resposta:

12. (UFSCAR) Muitas das características que surgiram ao longo da história evolutiva das plantas permitiram a

conquista do ambiente terrestre. Considere os musgos e as samambaias e a) cite uma característica compartilhada por esses dois grupos que torna essas plantas dependentes da água para a fertilização. b) compare os dois grupos com relação à presença de um sistema vascular para transporte de água e nutrientes. Sugestão de Resposta:

13. (UFG) As briófitas e as pteridófitas são vegetais característicos de ambientes úmidos. a) Explique como ocorre o transporte da água no interior desses organismos. b) Apresente uma razão para o fato de as briófitas serem considerados organismos importantes na dinâmica das comunidades. Sugestão de Resposta:

14. (UFMG) Observe as figuras A, B, e C, referentes a grupos vegetais nos quais algumas estruturas foram indicadas por números.

Com relação as figuras cite o que se pede. a) Cite as funções das estruturas um e dois. Cite a(s) figura(s) que correspondem à fase esporofítica b) Cite o(s) grupo(s) que apresenta(m), durante o seu desenvolvimento, a estrutura apontada pela seta 8 na figura D. Cite o número de cromossomos da estrutura indicada pela seta 8, considerando-se que a espécie apresenta 2n=60. O tipo de reprodução que origina a estrutura indicada pela seta 8. c) Cite a função das estruturas indicadas por três. Cite a principal condição ambiental que favorece a proliferação dos grupos A e B em um jardim. Sugestão de Resposta:

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->