Você está na página 1de 22
ESCOLA ESTADUAL TÉCNICO INDUSTRIAL PROFESSOR FONTES RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURSO: TÉCNICO EM MECÂNICA INDUSTRIAL EUMAR VIEIRA

ESCOLA ESTADUAL TÉCNICO INDUSTRIAL PROFESSOR FONTES

ESCOLA ESTADUAL TÉCNICO INDUSTRIAL PROFESSOR FONTES RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURSO: TÉCNICO EM MECÂNICA INDUSTRIAL EUMAR VIEIRA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO

CURSO: TÉCNICO EM MECÂNICA INDUSTRIAL

EUMAR VIEIRA PRIMO PERÍODO: 2008/2009 (CONCLUÍDO)

BELO HORIZONTE

2010

DADOS DO ALUNO:

Eumar Vieira Primo Curso: Técnico em Mecânica Matrícula: 080064 Ano de conclusão: 2009 Endereço: Rua das Seringueiras, nº 48, Novo Retiro, Esmeraldas-MG CEP: 35740-000 Telefone: 97253937 RG: MG-10773996 CPF: 056.182.036-85

DADOS DA EMPRESA:

GE Transportes Ferroviários SA Avenida General David Sarnoff, nº 4.600, Cidade Industrial, Contagem MG CEP: 32.210-110 Telefone: (31)2103-5220 CNPJ: 02.167.325/0001-99 Ramo da empresa: Transporte ferroviário Porte: Grande porte Número de funcionários: 300 (trezentos funcionários) Número de funcionários em meu setor: 40 (quarenta funcionários) Equipamentos disponíveis em meu setor: furadeiras, lixadeiras. Demais aparatos tecnológicos: pontes rolantes, ferramentas pneumáticas, torquímetros, paquímetros, máquinas de solda.

SUMÁRIO

Introdução .............................................................................................................................

......................................................................................................

1

Apresentação da empresa

GE no Brasil .........................................................................................................................

2

3

Posicionamento competitivo ...............................................................................................

4

Organograma .......................................................................................................................

5

Fluxograma-GE .....................................................................................................................

6

Desmontagem motor diesel ..................................................................................................

7

Peritagem e preparação .......................................................................................................

8

Ensaios não destrutivos .......................................................................................................

9

Montagem do moto diesel ..................................................................................................

10

Conclusão ...........................................................................................................................

11

Referências bibliográficas ...................................................................................................

12

INTRODUÇÃO

1

Relatório de estágio realizado na GE Transportes Ferroviários SA, onde exerço a função de Mecânico Diesel jr., comprovando a parte pratica do curso de técnico em mecânica, tendo como professor orientador Antônio Carlos. O propósito deste relatório é apresentar as atividades que exerço no meu trabalho, onde estou há 5 meses, representando como relatório de estágio e comprovando o conhecimento e experiências nos temas abordados no Curso de Técnico Mecânico. Habilitado e empregado como Mecânico Diesel jr., onde dentre as especialidades que sou capacitado e exerço apresentarei 5 atribuições.

  • Desmontagem de Motores Diesel;

  • e

Peritagem

Preparações

mecânicas

(levantamento

das

condições

operacionais

mecânicas);

  • Ensaio não-destrutivo (levantamento de trincas em componentes mecânicos por líquido penetrante);

  • Montagem do Motor Diesel;

  • Referência Bibliográfica.

2- APRESENTAÇÕES DA EMPRESA

2.1 GE TRANSPORTES FERROVIÁRIOS

2

A GE é uma empresa de serviços e tecnologia que opera em mais de 100 países e emprega cerca de 315.000 pessoas em todo o mundo em negócios diversificados.

De manutenção para motores de aviões a geração de energia, passando por serviços financeiros, Ferroviários, eletrodomésticos, equipamentos de diagnóstico por imagem e plásticos de engenharia, a GE oferece ao mercado brasileiro o que há de mais sofisticado em tecnologia de produtos e serviços.

Devido à sua proporção e à diversidade de suas atividades, a GE é hoje o exemplo mais eloqüente dos desafios que uma empresa enfrenta ao colocar em prática uma estratégia

“verde”.

As vendas dos produtos verdes da GE já superam o faturamento de companhias

como Google e Avon nos Estados Unidos. As vendas desses produtos considerados "limpos” ,

como um náilon feito de milho, chegaram a 5 bilhões de dólares de um faturamento de 29

bilhões no ano passado.

  • 2004 6

  • 2005 10

  • 2006 12

  • 2007 14

2010(1)

25

(em bilhões de dólares) A GE está apostando no mercado Latino.

2.2 NO BRASIL

3

GE Healthcare vai construir no Brasil sua primeira fabrica de equipamentos hospitalares um investimento de 5 milhões de dólares ao longo de 5 a 7 anos.

No Brasil, a GE possui sete instalações industriais, distribuídas entre os Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, além de escritórios de vendas e marketing em outras localidades. Com cerca de 8.000 empregados no País, a empresa tem sua matriz instalada na cidade de São Paulo SP.

Em fabricação e manutenção de Locomotivas, as operações estão localizadas nas seguintes regiões: fábricas em Contagem e Campinas; Serviços Industriais em Campinas; Serviços de Engenharia em São Paulo; Operação de Gerenciamento de Energia no Rio de Janeiro; Joint-venture GEVISA em Campinas e Contagem; Escritórios de vendas em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. A GE Fanuc tem escritórios de vendas em São Paulo e distribuidoras em todo o país.

2.3 POSICIONAMENTOS COMPETITIVOS

  • Mercado aquecido.

  • Clientes: Vale, MRS, FCA ALL etc ...

4

  • Empresas anunciaram altos investimentos a curto e longo prazo. Exemplo Vale e MRS, compram locomotivas novas todos os anos, isto sem falar nos reparos que são feitos constantemente.

  • Risco baixíssimo de estas empresas deixarem de investir. Catástrofes / Crises financeiras.

  • Com nossos controles, estimamos que vai aumentar o número de manutenções com a compra de tantas locomotivas novas.

  • Forte política de segurança de trabalho.

  • Fornecedores qualificados e homologados.

  • Para nosso escopo existem muitos fornecedores. Tanto com mão-de-obra especializada ou peças.

  • Redes de fornecedores internacionais.

  • Há muitos concorrentes no mercado. Concorrentes do mesmo porte. Siemens e WEG.

  • Atuação em todo mercado nacional e internacional.

  • Mão de obra especializada e todos com certificação.

5 3- ORGANOGRAMA –GE TRANSPORTES FERROVIÁRIOS SA Lorenz Simonel Lorenz Simonel (Eri (Eri Guilherm Mell Guilherm
5
3- ORGANOGRAMA –GE TRANSPORTES FERROVIÁRIOS SA
Lorenz Simonel
Lorenz
Simonel
(Eri
(Eri
Guilherm Mell
Guilherm Mell
(Brazi
(Brazi
CF
CF
Service
Service
Supply
Supply
Engineering +
Engineerin
Quality + Proc. Eng
Proc. Eng
H
H
I I
Welder
Welder
BrunoSerapiã
Open
RomanFortoz
MarcFlammi
Final
Final
Carlo Jardi
Jorge
Jorge
Roman
Fortoz
Marc
Flammi
Carlos
EduardoMoreir
EduardoMoreir
Marketin
Marketin
Sourcin
Sourcin
Sale
Sale
Proposal + Ad
Proposal +
Ad
P&S
P&S
IC
IC
BrunoSerapiã
Open
Francisc Cortina
Rogério
Rogério
Márci Gome
BrunoSerapiã
Open
Enrique
Enrique
Francisc
Weinreic
Sup.
Produção
A. Oltremare
Líder de
Prod.
Mec. Diesel
Cristian

6

4- FLUXOGRAMAGE TRANSPORTES FERROVIÁRIOS SA

1 Recebimento do

bloco do MD

  • 7 Encaminhar bloco

para instalação na loco

ou para embarque

retífica se necessário

para serviço externo de

  • 5 Encaminhar bloco

retífica se necessário para serviço externo de 5 – Encaminhar bloco
retífica se necessário para serviço externo de 5 – Encaminhar bloco

6 - Instalação dos

componentes no bloco

1 – Recebimento do bloco do MD 7 – Encaminhar bloco para instalação na loco ou
1 – Recebimento do bloco do MD 7 – Encaminhar bloco para instalação na loco ou
1 – Recebimento do bloco do MD 7 – Encaminhar bloco para instalação na loco ou
1 – Recebimento do bloco do MD 7 – Encaminhar bloco para instalação na loco ou
1 – Recebimento do bloco do MD 7 – Encaminhar bloco para instalação na loco ou
1 – Recebimento do bloco do MD 7 – Encaminhar bloco para instalação na loco ou

4 Controle dimensional

do bloco

4 – Controle dimensional do bloco
4 – Controle dimensional do bloco

3 Limpeza e inspeção

visual do bloco

3 – Limpeza e inspeção visual do bloco
3 – Limpeza e inspeção visual do bloco
  • 2 Desmontagem do

motor diesel

2 – Desmontagem do motor diesel
2 – Desmontagem do motor diesel

1 a 7 Mecânico de Motores Diesel

Auxiliar de Mecânico

Descrição da Atividade

Documento Associado
Documento
Associado
Responsável
Responsável
1 a 7 – GEK-EP-29341F GEG-16205E PB-91120
1 a 7 –
GEK-EP-29341F
GEG-16205E
PB-91120

7

FLUXO COMPLETO DESMONTAGEM DO MOTOR DIESEL

– Retirar tubo de – Retirar tampa e 17 conforme PC -01-007 16 – Retirar aftercoolers
– Retirar tubo de
– Retirar tampa e
17
conforme PC -01-007
16 – Retirar aftercoolers
conf . PC-02-010
– Remover turbo
15
PC-02-012
de lubrif . Turbo conf .
suspiro do carter e tubo
filtro suspiro do carter
14
IP-MD-0004
aftercoolers conf .
ar conf . PC-02-012 e
13 – Retirar cotovelos de
jacaré) conf. PC-01-011
aftercoolers (porco e
na parte superior dos
12
– Retirar tubulações
20
RG:3F5300 /038
recebimento MD conf .
1 - Inspeção
PC-02-003
PC-01-016 ou
de fixação dos CF conf .
– Retirar parafusos
21
de combustível
– Retirar tubulação
aftercoolers
IP-MD-0007
inspeção do carter conf .
– Retirar tampas de
19
combustível
do alternador e filtro de
– Retirar proteções
18
conf . PC-02-012
alta pressão e bicos
PC-01-014, PC-01-015
conf. PC-01-013 ,
5
- Retirar governadores
e enviar para o cliente
injetoras conf . PC-02-03
– Remover bombas
4
PC-02-003
injetores conf .
6
de combustível , tubos de
– Retirar mangueiras
3
PC-02-003
banjos – conf.
tampas de balancins , T
- Retirar borboletas ,
2
A
B
inferior de água conf .
travessa dos
11 – Retirar chaminé e
PC-01-011
escapamento conf .
10 – Retirar
IP-MD-0015
aceleração conf .
– Retirar cavalete de
9
PC-01-016
A
– Retirar tubulação
8
PC-01-016
admissão de ar conf .
7
– Retirar tubulação de
PC01-016
superior de água conf .
– Retirar tubulação

componentes para

limpeza e peritagem

8

FLUXO COMPLETO PERITAGEM BLOCO MD

 

1 Enviar bloco para

limpeza conf . PC-01-001

 

no lavador

1 – Enviar bloco para limpeza conf . PC-01-001 no lavador 2 – Recebimento do bloco
 

2 Recebimento do

bloco e preparação de

superfícies (alojamentos ,

 

pedestais , etc)

 
1 – Enviar bloco para limpeza conf . PC-01-001 no lavador 2 – Recebimento do bloco
 

3 Montagem dos

mancais principais conf .

 

PC-01-001

 
1 – Enviar bloco para limpeza conf . PC-01-001 no lavador 2 – Recebimento do bloco
 

4 Realizar inspeção

visual no bloco conforme

 

PC-01-001

 
1 – Enviar bloco para limpeza conf . PC-01-001 no lavador 2 – Recebimento do bloco

5

Verificar alinhamento

dos mancais principais

 

conforme PC -01-001

 
1 – Enviar bloco para limpeza conf . PC-01-001 no lavador 2 – Recebimento do bloco

6

Controle estiramento

dos estojos dos mancais

principais conf . PC-01-

001, RG:3F5300 /009 e

 

RG:3F5300 /041

 
1 – Enviar bloco para limpeza conf . PC-01-001 no lavador 2 – Recebimento do bloco

7

Controle dimensional

dos mancais principais

 

conforme PC -01-001,

RG:3F5300/041 e

RG:3F5300 /008

 
1 – Enviar bloco para limpeza conf . PC-01-001 no lavador 2 – Recebimento do bloco

8

Preparação e cont .

dimens. alojamentos

mancais comando conf .

PC-01-001, RG:3F5300 /

041 e RG:3F5300 /006

 
1 – Enviar bloco para limpeza conf . PC-01-001 no lavador 2 – Recebimento do bloco

9

- Inspeção visual dos

pedestais quanto a

trincas e outras avarias

 
1 – Enviar bloco para limpeza conf . PC-01-001 no lavador 2 – Recebimento do bloco
 

10 Repasse das

roscas de fixação do

carter

 
1 – Enviar bloco para limpeza conf . PC-01-001 no lavador 2 – Recebimento do bloco

11 Virar bloco para a

 

posição de trabalho

 
A
A
Aprovada ? na peritagem ? Bloco aprovado RG:3F5300 /041 para a 18 – Encaminhar ficha planejamento
Aprovada ?
na peritagem ?
Bloco aprovado
RG:3F5300 /041 para a
18 – Encaminhar ficha
planejamento
engenharia
de peritagem
montagem ou estoque
usinadas do bloco e
17 – Proteger partes
conforme aprovado na
19 – Executar serviço
SIM
Peritagem
(RG:3F5100/041)
encaminhá-lo para
peritagem
NÃO
NÃO
SIM
alternador .
13
041
12
dimensional alojamentos
- Inspeção visual das
laterais do bloco
dianteira , traseira e
nas extremidades
– Repasse de roscas
CF conf. PC-01-001
inserts de fixação dos
- Inspeção visual dos
e RG:3F5300 /002
PC-01-001 , RG:3F5300 /
dos cilindros conf .
guias de montagem do
– Preparação e cont .
e RG:3F5300 /007
PC-01-001 , RG:3F5300 /
guias de cruzetas conf .
dimensional alojamentos
– Preparação e cont .
16
15
14
041
A

20 Aguardar definição

de peritagem

9

FLUXO COMPLETO MOTAGEM DO MOTOR DIESEL

  • 1 - Preparação do bloco

 

conf . PC-01-001 e

IP-MD-0007

1 - Preparação do bloco conf . PC-01-001 e IP-MD-0007 2 – Montagem do virabrequim conf
 

2 Montagem do

virabrequim conf .

PC-01-002 , PC-01-003

 

e PC-01-004

 
1 - Preparação do bloco conf . PC-01-001 e IP-MD-0007 2 – Montagem do virabrequim conf
  • 3 Instalar virabrequim

 

no bloco conf .

PC-01-003

 
1 - Preparação do bloco conf . PC-01-001 e IP-MD-0007 2 – Montagem do virabrequim conf

4

Instalar eixos de

comando no bloco

conforme PC -01-005

 
1 - Preparação do bloco conf . PC-01-001 e IP-MD-0007 2 – Montagem do virabrequim conf

5

Instalar carter no

bloco conf . PC-01-006 ,

 

IP-MD-0021 e

IP-MD-0013

 
1 - Preparação do bloco conf . PC-01-001 e IP-MD-0007 2 – Montagem do virabrequim conf

6

Virar bloco para

posição de trabalho

 
1 - Preparação do bloco conf . PC-01-001 e IP-MD-0007 2 – Montagem do virabrequim conf
 

7 Instalar tampa

dianteira conforme

IP-MD-0018 e

IP-MD-0013

 
1 - Preparação do bloco conf . PC-01-001 e IP-MD-0007 2 – Montagem do virabrequim conf
 

8 Instalar

componentes na tampa

 

dianteira conf .

PC-01-007 e IP -MD-

 

(aftercoolers )

0004

 
1 - Preparação do bloco conf . PC-01-001 e IP-MD-0007 2 – Montagem do virabrequim conf

9

Instalar cubo de

alumínio conf .

IP-MD-0016

 
1 - Preparação do bloco conf . PC-01-001 e IP-MD-0007 2 – Montagem do virabrequim conf

10 Instalar cruzetas e

guias no bloco conf .

 

PC-01-008 e

IP-MD-0008

 
A
A
 
A
A
 

11 Instalar tampa

traseira e retentor de

 

alumínio conforme

PC-01-006

 
A 11 – Instalar tampa traseira e retentor de alumínio conforme PC-01-006 12 – Instalar turbo

12 Instalar turbo conf .

 

PC-01-010

 
A 11 – Instalar tampa traseira e retentor de alumínio conforme PC-01-006 12 – Instalar turbo

13

Instalar conjuntos

de força conforme conf .

 

PC-01-016

 
A 11 – Instalar tampa traseira e retentor de alumínio conforme PC-01-006 12 – Instalar turbo
 

14 Instalar caixa

acionadora do

governador conf .

PC-01-017 (se houver )

 
A 11 – Instalar tampa traseira e retentor de alumínio conforme PC-01-006 12 – Instalar turbo

15

Instalar governador ,

sobre-velocidade e link

 

conf. PC-01-013,

PC-01-014 e PC-01-015

 

(se houver )

 
A 11 – Instalar tampa traseira e retentor de alumínio conforme PC-01-006 12 – Instalar turbo
 

16 Instalar

componentes do

cavalete de aceleração

 

conf. IP-MD-0015

(se houver )

 
A 11 – Instalar tampa traseira e retentor de alumínio conforme PC-01-006 12 – Instalar turbo

17 Instalar bicos e

bombas injetoras conf .

 

PC-01-016 e

IP-MD-0014

 
A 11 – Instalar tampa traseira e retentor de alumínio conforme PC-01-006 12 – Instalar turbo

18

Instalar tubulação

de combustível conf .

 

IP-MD-0014

 
A 11 – Instalar tampa traseira e retentor de alumínio conforme PC-01-006 12 – Instalar turbo

19

instalar tubulação

de admissão e de

exaustão conf

PC-01-011

   
 
B
B
B
B

20 Instalar tubulação

inferior de água conf .

PC-01-016 e tubulação

superior conf .

IP-MD-0005

B 20 – Instalar tubulação inferior de água conf . PC-01-016 e tubulação superior conf .

21 Ajustagem do ponto

de distribuição e

acionamento de bombas

conf. PC-01-009

B 20 – Instalar tubulação inferior de água conf . PC-01-016 e tubulação superior conf .

22 Regulagem da

abertura das

cremalheiras conf .

PC-01-012 (se houver )

B 20 – Instalar tubulação inferior de água conf . PC-01-016 e tubulação superior conf .

23 Encaminhar MD

para instalação na loco

ou embarque

10

6.1- ATIVIDADE I - DESMONTAGEM DO MOTOR DIESEL

Figura01 - MOTOR MONTADO

10 6.1- ATIVIDADE I - DESMONTAGEM DO MOTOR DIESEL Figura01 - MOTOR MONTADO OBJETIVO – A

OBJETIVO

A desmontagem do motor diesel é uma tarefa de grande importância para à peritagem,pois nela se observa possíveis faltantes e desgastes

PROCEDIMENTOS

  • 1 Separar as ferramentas adequadas e aplicáveis, e a planilha de desmontagem para a execução do serviço.

  • 2 Antes da desmontagem verificar as partes externas quanto a danos encontrados, (devemos fotografar e encaminhar as fotos ao cliente).

  • 3 Retirar bombas injetoras, tubos de alta preção,bicos injetores,admissões e escapamentos

11

4 Com auxílio da ponte rolante retiram-se os componentes superiores, que são:

resfriadores,cilindros e bombas.

5 Retirar todas as tampas de inspeção, bem como todas as proteções, identificando-as através de punções ou tipos (Numéricos ou alfabéticos ).

6 Preencher a planilha (relatório) de desmontagem pertinente.

MATERIAL UTILIZADO

1-Desingripante

2-Desingraxante

FERRAMENTAS UTILIZADAS

1-Chaves combinadas

2-Parafusadeira pneumática

3-Bombas hidráulicas com cilindros

4-Ponte rolante

5-Hytorc(Itálico) Torqueadeira hidráulica

6-Máquina de lavar (Industrial)

7-Prensa hidráulica

8-Soquetes de impacto

ANALISE E CONCLUSÃO DA ATIVIDADE

O equipamento esta desmontado para ir para a peritagem e preparação (controle dimensional).

12

7-ATIVIDADE ll - PERITAGEM E PREPARAÇÃO

OBJETIVO

O objetivo da peritagem é de avaliar possíveis desgastes e descontinuidades sofridas durante o funcionamento do motor, pois as mesmas terão que ser preparadas mecanicamente e quimicamente para a sua avaliação.

PROCEDIMENTO

1-Preparação e limpeza química.

2-Com auxílio de diversos instrumentos de medição e uma planilha fazemos o controle dimensional.

MATERIAIS UTILIZADOS

1-Lixa

2-Lixa e escova de aço rotativa

3-Líquido penetrante

4-Líquido desengraxante

5-Pano

INSTRUMENTOS UTILIZADOS

1-Micrometro interno

2-Micrômetro externo

3-Relógio comparador

4-Paquímetro

FERRAMENTAS UTILIZADAS

1-Chaves combinadas

2-Retífica pneumática

3-Hytorc(Italico) torqueadeira hidráulica

ANÁLISE E CONCLUSÃO DA ATIVIDADE

13

Conclui que as partes rotativas sofrem um desgaste considerável durante seu funcionamento, e que as partes que sofrem forças excessivas tendem a sofrer pequenas trincas.

14

8- ATIVIDADE III - ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS

Inspeção de Peças Através de Ensaio não Destrutivo por Líquido Penetrante

  • 1 - Posicionar a peça sobre uma bancada ou cavalete.

  • 2 - Limpar toda a peça com tecido umedecido em desengraxante ou solvente.

  • 3 - Passar pano seco na peça.

  • 4 - Enxaguar a peça com água para retirar o desengraxante.

  • 5 - Secar a peça.

Nota: o pano não pode soltar pêlos, pois estes podem mascarar o resultado final do ensaio.

  • 6 - Aplicar o líquido penetrante na peça.

  • 7 - Aguardar um período mínimo de 15 minutos para que o líquido penetrante possa penetrar no interior das trincas ou em outras descontinuidades que possam existir na peça.

  • 8 Enxágüe a peça para remover o excesso de líquido penetrante com água ou solvente especificado.

Nota: para enxaguar a peça, a água deve ser levemente borrifada e não jateada, pois o jato pode remover o líquido penetrante da peça.

  • 9 - Secar a peça com pano seco.

    • 10 - Aplicar o revelador na peça.

    • 11 - Fazer inspeção visual durante aplicação do revelador ou aguardar um período mínimo de

      • 8 minutos para que o revelador possa fazer efeito na peça.

        • 12 - Preencher relatório informando o laudo técnico do ensaio e registrar com fotos.

MATERIAIS UTILIZADOS

  • 1- Penetrante Magnaflux VAG 53

    • 2- Revelador não aquoso Magnaflux SKD 52

3-

Pano

  • 4- Desengraxante ou água

    • 5- Marcador industrial

15

MATERIAIS UTILIZADOS 1- Penetrante Magnaflux VAG 53 2- Revelador não aquoso Magnaflux SKD 52 3- Pano
MATERIAIS UTILIZADOS 1- Penetrante Magnaflux VAG 53 2- Revelador não aquoso Magnaflux SKD 52 3- Pano
MATERIAIS UTILIZADOS 1- Penetrante Magnaflux VAG 53 2- Revelador não aquoso Magnaflux SKD 52 3- Pano
MATERIAIS UTILIZADOS 1- Penetrante Magnaflux VAG 53 2- Revelador não aquoso Magnaflux SKD 52 3- Pano

Fotos da Atividade III

16

9- ATIVIDADE IV MONTAGEM DO MOTOR DIESEL

OBJETIVO

Montar o motor diesel seguindo os manual de instruções e planilhas, respeitando os limites de folgas especificados pelo fabricante.

PROCEDIMENTOS

1-Montagem do eixo virabrequim, eixo de comando e Carter

2-Montagem do dispositivo para girar o motor em 180

3-Montagem da engrenagem e tampas traseiras e dianteiras

4-Montagem do resfriadores turbo, bombas e cilindros

5-Montagem do escapamento, tubulação de água admissão

6-Montagem de bombas injetoras e regulagem do motor diesel

MATERIAIS

1-Azul da Prússia(gato preto)

2-Álcool

3-Pano

INSTRUMENTOS

1-Relógio comparador

2-Calibre de folga

3-Paquímetro

FERRAMENTAS UTILIZADAS

1-Chaves combinadas

2-Soquetes de impaquito

3-Parafusadeira pneumática

4-Bombas hidráulicas com cilindros

5-Ponte rolante

6-Hitorc(Italico) torqueadeira hidráulica

ANALISE E CONCLUSÃO DA ATIVIDADE

17

Equipamento concluído com êxito foi montado e mantendo todos os parâmetros e tolerâncias exigidas pelo manual do fabricante.

CONCLUSÃO

18

Concluí que após o curso técnico em mecânica, eu posso identificar com maior clareza as danificações dos equipamentos sofridos durante seu funcionamento, colocando com maior confiança os equipamentos em operação, com isso ajudo a empresa a atingir as metas de qualidade, por ela imposta. O curso técnico veio aprimorar as atividades que eu exerço há 5 meses, aliando a parte teórica e prática adquirida no curso; agregando valor a esses meses de empresa que possuo e tendo uma visão desde o recebimento de um equipamento até o seu teste final.

19

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

GE Transportation Systens. Treinamento Motor Diesel.(2003)

GE no Brasil. Disponivel em < WWW.ge.com.br > Acesso em 02 Março 2010.

Disponível em <WWW.getrans.com > .Acesso em 02 Março 2010.