1

EXECUÇÃO DE UM PAINEL DE AZULEJOS
A execução de um painel de azulejos deve ser orientada pela finalidade concreta procurada para o painel. O painel quando concluído e aplicado tem um ambiente próprio, isto é, tem um enquadramento arquitectónico que deve ser tido em conta na sua elaboração. Para tal, antes de iniciares e execução de um painel, procura sempre responder aos seguintes requisitos: • aspectos); • • • Qual é a finalidade do painel (de decoração, de protecção, de ambos os Qual é o enquadramento local (espaços, tipos de iluminação, cor, etc.); Que dimensão deverá ter; Que motivos deverão constituir a base da composição.

Podes em seguida, iniciar a execução do painel;

1-Elaboração do desenho do painel:

-Realiza o desenho de acordo com uma função deste, sobretudo em harmonia com o meio-ambiente onde vai ser colocado. -Sempre que possível realiza o desenho nas medidas reais do painel. Caso o painel seja muito grande recorre a uma escala de redução. Neste caso, depois de elaborado o projecto, o desenho é ampliado para as medidas do painel. -Para realizar o desenho, podes utilizar papel cenário já quadriculado com as medidas dos azulejos. 2-Transporte do desenho para os azulejos: Painel realizado a partir de azulejos chacotados. -Transporta o desenho nas medidas originais para um vegetal. -Os contornos do desenho, são picados com uma agulha fina. -O desenho em papel vegetal, já picotado é sobreposto aos azulejos (já chacotados). -Em seguida passa pelo picotado um giz de cor. Desse modo o desenho fica marcado no azulejo por fina camada de pó deixada pelo giz.

3-Fixação do desenho:

-vidrados opacos brilhantes (coloridos e com brilho). Aplicam-se para isso as técnicas procuradas de vidragem que têm como objectivo: -permitir a contenção e transporte de líquidos. . assim como para orientar a colocação final do painel. -O enfornamento dos azulejos é feito nas colunas próprias. Os vidrados Os principais vidrados que vais utilizar classificam-se em: -vidrados mates (sem brilho). pressionando e contornando o barro no sentido do desenho. Segue as orientações das figuras. Aplicação dos vidrados Para a aplicação dos vidrados è necessário proceder previamente à limpeza e desengorduramento das superfícies a vidrar. -Tem especial atenção à protecção da pintura dos azulejos de uma secção de trabalho para outra. Azulejos modelados Se pretendes um painel de azulejos modelados. Podes seguidamente limpar com um pincel seco. VIDRAGEM As peças depois de chacotadas podem necessitar de um acabamento que lhes dê as características procuradas. Para maior segurança. -proteger as peças contra a deterioração. podes enfornar os azulejos desenhados. podendo ter várias cores. Para ficar gravado. utiliza um lápis. -facilitar a limpeza das peças. Deste modo o desenho está fixado. com o conjunto dos azulejos unidos. o pó de giz.2 -Para que o desenho não se apague é necessário fixá-lo. 5-Pintura e vidragem dos azulejos -Com as técnicas de pintura cerâmica e da vidragem completa o teu painel. -vidrados transparentes (brilhantes e sem cor). 6-Enfornamento dos azulejos -Antes do enfornamento retira o vidrado dos lados (espessura) dos azulejos. trabalha com o painel todo montado. 4-Numeração dos azulejos -Para que seja fácil trabalhar e guardar os azulejos. marca cada azulejo com um número. Coloca sempre uma folha vegetal sobre os azulejos. embebido numa cor de tinta cerâmica bem aguada. -Com um pincel fino. levando-os à temperatura de cerca de 200º C. Precaução: -Sempre que for possível. o transporte do desenho executa-se colocando o vegetal com o desenho sobre os azulejos. contorna todo o desenho. ou seja.

APLICAÇÃO A PINCEL É necessário utilizar pincéis de pêlo suave que sejam pontiagudos uns e espatulados outros. APLICAÇÃO POR VERTIMENTO/DERRAME Este processo consiste em derramar o vidrado sobre a peça já chacotada. vamos tratar apenas da aplicação dos vidrados sobre a chacota. este processo é aplicado em peças pequenas. Na vidragem dos objectos já chacotados tem que se proceder a uma 2ª cozedura para cozimento do vidrado.3 Os vidrados podem ser aplicados sobre a pasta crua (apenas seca mas não cozida) ou após a chacotagem. -Por pulverização. Neste caso. -Por imersão/mergulho. se possível protegido por uma caixa ou cabine. Processos de aplicação -A pincel. A cobertura inicial do vidrado facilita a aplicação dos motivos decorativos. na aplicação a pincel o vidrado deve ser bastante viscoso para facilitar o trabalho. A pulverização deve ser feita num local próprio. Os processos de aplicação dos vidrados são semelhantes aos dos engobes. pode ser feita após a vidragem de toda a peça. para retirar o vidrado em excesso. APLICAÇÃO POR PULVERIZAÇÃO Nesta técnica utiliza-se uma pistola própria ou um pulverizador. embora exijam cuidados especiais. . ou para fazer os motivos decorativos. APLICAÇÃO POR IMERSÃO (MERGULHO) Este processo consiste em mergulhar a peça no recipiente do vidrado e sacudi-la levemente. A aplicação do vidrado com preocupações decorativas. A aplicação consiste em pulverizar a peça. -Vertimento /derrame. mantendo o pulverizador perpendicular à superfície a vidrar e sempre à mesma distância.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful