Gabarito Administrativo – VIII Exame OAB - José Aras – Curso CEJUS Peça – Agravo de Instrumento Competência – Exmo. Sr. Dr.

Desembargador Presidente do tribunal de justiça do Estado X. Peça única (sem folha de rosto) Noberto – qualificação completa, interpor agravo de instrumento contra decisão proferida nos autos do processo em que lítica com o Estado X (qualificação completa). Pelos fatos e fundamentos expostos abaixo. Cabimento – Art. 522 CPC. Fundamentação – Art. 37, II, CF, Principio da razoabilidade, legalidade, proporcionalidade. Cabe controle sobre a legalidade do ato. OBS - Possível o art. 7, XXX da CF, sumula 683. Antecipação da tutela recursal – Art. 273 – verossimilhança – fatos e fundamentos expostos. Fundado receio de dano – estar desempregado, passando dificuldades. Pedido para manter no certame, para evitar a consumação da lesão. Pedidos – a) conhecido e provido o recurso, modificando a decisão, reformando para anular o ato que eliminou e permanecer no concurso; b) confirmação da antecipação da tutela recursal nos termos que foi requerida; c) cópias da decisão agravada, da certidão da respectiva intimação e das procurações outorgadas aos advogados do agravante e do agravado; d) juntada do preparo; e) intimar o agravado, na mesma oportunidade, por ofício dirigido ao seu advogado, sob registro e com aviso de recebimento, para que responda no prazo de 10 (dez) dias; Finalmente, esclarece que são advogados das partes ..., com escritório na ..., na forma do art. 524, III, do CPC. Pede deferimento. Local..., Data... (quem colocou prazo – dia 01 – quarta-feira – não deve ser cobrado). Advogado... OAB... Questão 1 - Base Decreto-lei 3365/41. a) Não é correta a pretensão da empresa de se manter ate o final do contrato.. Principio da supremacia do interesse publico. Imissão na posse tem proteção no decreto no art. 15, §1, sumula 652 STF. b) Não pode requerer a indenização. Art. 31 e 38 do Decreto lei 3365/41. Fica sub-rogados no preço qualquer ônus ou direito que recaem no direito do expropriado. (art. 31). O réu responderá contra terceiro, não a administração. (art. 38). Questão 2 Resposta: Promoção pessoal (art. 37, caput e §1º) – BASE - violação ao principio da impessoalidade, a publicidade só pode ser de caráter informativo, não pode utilizar para promoção pessoal. De forma secundaria – moralidade.

e de cunho doutrinário.com/watch?v=umpR0jVo4vM&feature=youtu. b) Via de regra. No caso concreto inclusive existe a ANAC. 4. pois a administração direta. Sendo assim nesse contexto ela pode aplicar para qualquer esfera. ou vedação enriquecimento ilícito). pelos institutos de direito administrativo que ela prevê que não é apenas de cunho federal (exemplo – motivação. Não é correta a pretensão do Prefeito em anular o ato. autárquica e fundacional tem o mesmo regime jurídico. http://www. Principio da segurança jurídica (ou boa fé. A lei se aplica pelos institutos jurídicos que ela apresenta.youtube. III lei 11. não poderia aplicar a lei porque ela é de esfera federal e como era município não poderia aplicar. exercem poderes administrativos e poder de polícia. Questão 4 a) Não é possível a delegação nesse caso. proibição de Reformatio in pejus). decaiu a possibilidade de anular (passou 5 anos).079/04 – Lei PPP) aos particulares. b) Para uma autarquia pode.be . O Poder de policia é indelegável (art. As agencias reguladoras em geral. Boa fé. então era possível a aplicação de forma subsidiaria.Questão 3 a) Atos ampliativos. No entanto embora a lei seja federal. ela é extremamente principiológica.

além da sumula 683 do STF poder ser usada por analogia. Não esqueça de pedir a juntada de documentos e informações dos advogados art. III e 525. 39§3º. Causa de pedir: violação à impessoalidade. igualdade e razoabilidade. b) não pode pedir indenização porque quaisquer direitos ficam sub-rogados no valor da indenização. Questão 4 a) O poder de polícia é atividade típica de estado e não pode ser delegado a particulares. Art. art. a atuação do agente é imputada ao ente público. 37. art. 37 da CF. I do CPC como nós treinamos.Viola a impessoalidade. art. 273 do CPC (nos moldes que fazíamos todas as antecipações de tutela com 4 parágrafos) mas espero que não tenha porque a meu ver não precisaria. quando não houver lei municipal. Questão 1 a) Não pode pedir para manter a vigência do contrato porque a desapropriação é forma originária de aquisição de propriedade.portalexamedeordem. Questão 2 Resposta . I e art. art. b) a lei pode ser usada subsidiariamente. 54 da lei 9784.br/blog/2012/10/gabarito-extraoficialescrito-da-prova-de-direito-administrativo/ .com. 524.TJ – Peça única (sem folha de rosto) Pedido: reforma da decisão para que seja proferida nova decisão. 37§1º da CF.Gabarito Administrativo – VIII Exame OAB – Matheus Carvalho – Curso CERS Peça – Agravo de Instrumento RECORRENTE: Norberto Recorrido: Estado X Competência . b) Para autarquias pode porque é pessoa jurídica de direito público. É possível que a peça tenha antecipação de tutela nos moldes do art. 78 do CTN. Questão 3 a) Não pode pedir porque os atos que geram efeitos favoráveis aos particulares só podem ser anulados no prazo decadencial de 5 anos. http://www. 31 do DL 3365/41. art.

. muito menos quem não tem a propriedade.. CF. proporcionalidade (poderia ser utilizado junto com a razoabilidade). d) juntada do preparo.. Local.. 37. Cabe controle sobre a legalidade do ato. modificando a decisão. Antecipação da tutela recursal – Art. sob registro e com aviso de recebimento. reformando para anular o ato que eliminou e permanecer no concurso. 273 (ou efeito ativo) – verossimilhança – fatos e fundamentos expostos. todos tem o direito de ação. eficiência.Gabarito Administrativo – VIII Exame OAB – Alexandre Mazza e Licínia Rossi – Curso LFG Peça – Agravo de Instrumento Competência – Exmo. por ofício dirigido ao seu advogado. e) intimar o agravado. esclarece que são advogados das partes . Principio da isonomia (art. Fundamentação – Art. com escritório na . é de esfera federal). (quem colocou prazo – dia 01 – quarta-feira – não deve ser cobrado). Pedidos – a) conhecido e provido o recurso. II. Pedido para manter no certame. Desembargador Presidente do tribunal de justiça do Estado X (ou Estado . Função social da propriedade. impessoalidade. para que responda no prazo de 10 (dez) dias. do CPC. passando dificuldades. Pelos fatos e fundamentos expostos abaixo.. PU da lei 9784/99). da certidão da respectiva intimação e das procurações outorgadas aos advogados do agravante e do agravado.. para evitar a consumação da lesão e anulação do ato. art. OAB. legalidade (restrição baseada na lei).. III... c) cópias da decisão agravada. na forma do art.. Pede deferimento. razoabilidade (decisão sem bom senso). Fundado receio de dano – estar desempregado..) Peça única (sem folha de rosto) Noberto – qualificação completa. Dr. No entanto a pretensão dele é juridicamente possível... 2. Data.. b) confirmação da antecipação da tutela recursal nos termos que foi requerida. 5. discricionariedade não se confunde com arbitrariedade... Finalmente. 11 e 12 da Lei 8112 (por analogia. interpor agravo de instrumento contra decisão proferida nos autos do processo em que lítica com o Estado X (qualificação completa). Cabimento – Art. Ideia do domínio eminente que o Estado tem sobre os bens de seu território. 524. na mesma oportunidade. Não pode pedir para manter a vigência do contrato no interesse particular dele. Questão 1 a) Desapropriação se baseia no principio da supremacia do interesse público (art. Ele poderia propor uma . 522 CPC. Sr. caput). Nem o proprietário poderia. Advogado.. b) Em principio não pode pedir indenização.

Fere a indisponibilidade do interesse público. Fere também principio da moralidade. Os professores ficaram com a ideia de que não deveria indenizar baseado na supremacia do interesse público. sendo assim ela executa e tem a titularidade do serviço. (exemplo: radar de multa pode ser instalado por empresa particular). E na questão é um mero ato do poder de policia. no entanto o exercício do poder de polícia não. O ato concessivo é ilegal. Questão 2 Resposta . O que poderia delegar é o ato material de delegação. 5. não podendo ser delegado. Ou então falar dos dois entendimentos. III. Os professores não optaram por nenhum dos dois entendimentos.Viola a impessoalidade (é o principio principal). baseado no principio da segurança jurídica. (lei 9784). No entanto a um entendimento doutrinário. Configura ato de improbidade administrativa. art. baseada na lei que só vale no âmbito da União). I DL 200/67. §6 da CF.br/galeria.com. b) Questão contraditória. indelegabilidade do poder de policia. O STF diz que não pode delegar poder de policia para ente da iniciativa privada. diferente da relação Estado e particular. Art. 37. Exemplos: Agências Reguladoras . não podendo anular esse ato. já que esse não exerce poder de império sobre outros particulares. tem personalidade jurídica de direito publico. admitindo a aplicação subsidiaria (simetria. alegando que o examinador deveria entender pelos dois lados.ANVISA.ação autônoma pedindo a responsabilidade civil. 37.php . Lei 8429/99 Questão 3 a) prazo de 5 anos para anular atos administrativo. sendo afastado a pretensão da administração de anular. Boa administração Art. Exercendo atividade típica de estado pode exercer poder de policia. b) A autarquia é entidade da administração publica indireta. principio da boa fé. A lei vale só para a União. Pela visão da doutrina moderna prevalece o principio da segurança jurídica. esse é o entendimento da doutrina majoritária (baseado numa visão ultra legalista. 4.PPP. http://www. Questão 4 a) Não. Lei 11079/04 . analogia) da lei federal no âmbito municipal quando não houver lei especifica. 2 PU. no art. Promoção pessoal. relativizando o vicio da legalidade. ANAC. III da lei 9784. §1º da CF e Art.lfgcomenta. mas aconteceu a 10 anos atrás. com precedente do STJ. já que questão controvertida não poderia ser cobrada na prova. No entanto não há fundamento para a pretensão por prevalecer o interesse público sobre o privado.

da certidão da respectiva intimação e das procurações outorgadas aos advogados do agravante e do agravado. III. do CPC.. §1º da CF. por ofício dirigido ao seu advogado.. Pede deferimento.. Fundado receio de dano – estar desempregado. sob registro e com aviso de recebimento.Gabarito Administrativo – VIII Exame OAB – Celso Spitzcovsky e Caio Bartine – Curso Damásio Peça – Agravo de Instrumento Competência – Exmo. 2. II.. Desembargador Presidente do tribunal de justiça do Estado X. Advogado.. reformando para anular o ato que eliminou e permanecer no concurso. na desapropriação tem de um lado o poder publico e de outro o particular. na mesma oportunidade. Questão 2 Resposta – Baseado no interesse público. CF. Viola a publicidade impessoalidade (referencia aos dois estaria correta) Art. 522 CPC. Se houvesse indenização seria ao proprietário. d) juntada do preparo. para que responda no prazo de 10 (dez) dias. VI. Baseada no interesse público. para evitar a consumação da lesão e anulação do ato. Pelos fatos e fundamentos expostos abaixo. c) cópias da decisão agravada. com escritório na . 37. passando dificuldades. b) confirmação da antecipação da tutela recursal nos termos que foi requerida... 524. e) intimar o agravado. Fundamentação – Art. 31 – decreto-lei 3365/45 – o preço fica sub-rogado.. Local.. Questão 1 a) Baseado no decreto-lei 3365/45 – imissão na posse – art 15. Fere também principio da moralidade. Cabimento – Art. Dr.. Sr. Finalmente. Pedidos – a) conhecido e provido o recurso. Data... PU.. b) Não pode pedir a indenização ao poder publico. Art. não poderá o proprietário se insurgir contra a desapropriação e muito menos o locatário. 37. OAB. Peça única (sem folha de rosto) Noberto – qualificação completa. Antecipação da tutela recursal (ou efeito ativo) – verossimilhança – fatos e fundamentos expostos. Pedido para manter no certame. na forma do art. interpor agravo de instrumento contra decisão proferida nos autos do processo em que lítica com o Estado X (qualificação completa). esclarece que são advogados das partes . modificando a decisão. e .. Lei 9784/99 – art. Não tem discricionariedade. principio da razoabilidade e proporcionalidade..

Questão 3 a) Servidor de boa-fé. Não pode exercer poder de policia b) A autarquia é uma pessoa jurídica de direito publico. (art. pois ela tem normas gerais de direito administrativo.Fere a indisponibilidade do interesse público. pois o prazo já havia expirado o prazo. para elaboração de normas.com/watch?v=zwp-f3L-SQg&feature=g-all-u . aplicação subsidiaria se não existir lei especifica. b) Poderia aplicar a norma federal. Exercendo atividade típica de estado pode exercer poder de policia. 1 da lei 9784/99). Exemplos: Agências Reguladoras . http://www. (art. prazo de 10 anos.ANAC. Exemplo ANAC. Lei 9784/99 – art. aplicar sanções. 54 – prazo de 5 anos para anular os de boa fé.youtube. Não poderia anular. 69). Questão 4 a) Não existe a delegação para particulares.

QUESTAO 3: Trata-se de questão que envolve o tema servidores públicos municipais. em que expressamente vedados preconceitos de origem. a atuação do Prefeito dito no texto estará correta desde que haja observância dos princípios aqui citados. caso contrario estará errada sua atuação. vejamos as respostas: [i] Na inexistência de lei municipal que garanta o processo administrativo local. Assim. tendo como referencia legislativa os artigos 37 a 41 da CRFB/88 e Lei 9784/99. a petição deve seguir os requisitos do CPC. idade e ‘quaisquer outras formas de discriminação’ (art. estão presentes os requisitos do pedido liminar pela presença do periculum in mora e fumus boni iuris para a concessão da liminar indeferida sem motivação. 37. E finalmente.Gabarito Administrativo – VIII Exame OAB – Leandro Velloso – Curso Esfera QUESTAO 1: PECA PRATICA-PROFISSIONAL Trata-se de recurso de agravo de instrumento com pedido de liminar ( ou antecipação da tutela recursal contra o indeferimento do pedido liminar realizado pelo autor. [II] Além disso. com reflexos em todos os Princípios da Administração Publica. impressos em cláusula pétrea. paragrafo 1 da CRFB/88. Assim. 3º da CF). e seus atos devem igualmente corresponder aos objetivos da República Federativa. [ii] A Lei 9784/99 possui auto aplicabilidade para a União e aplicabilidade subsidiaria para os demais entes federativos. sexo. QUESTAO 2: Trata-se de questão que envolve violação do Principio da Publicidade nos termos do art. justa e solidária. de uma sociedade livre. O agravante deve formular seu recurso baseado no devido processo legal. cor. contraditório e ampla defesa sustentando sobre a ilegalidade da decisão interlocutória prolatada sob os seguintes argumentos: [I] A anulação da eliminação da fase do concurso tendo em vista que Administração Pública orienta-se nos princípios constitucionais da legalidade. raça. QUESTAO 4: Trata-se de questão que envolve o tema delegação de portos e aeroportos em . o Município devera utilizar a Lei 9784/99 em consonância com os Princípios Administrativos em especial contraditório e ampla defesa. impessoalidade e publicidade dentre outros.

http://www. além do Devido Processo Legal e Ampla Defesa. (iii) fiscalização e (iv) sanção. Vejamos as respostas: a) A delegação do Poder de Policia apenas será possível desde que haja respeito a todos os Princípios Administrativos. As atividades que envolvem a consecução do poder de polícia podem ser sumariamente divididas em quatro grupo. A controvérsia em debate é a possibilidade de exercício do poder de polícia por particulares. (ii) consentimento. Assim. REsp 817534 / MG). somente o atos relativos ao consentimento e à fiscalização são delegáveis.com. em sentido amplo. “.br/exibeexameoab.especial na delegação de atividades administrativas vinculadas ao Poder de Policia.aplicação de multas para aumentar a arrecadação. No que tange aos atos de sanção. b) A Delegação para autarquias terá juridicidade desde que haja lei especifica nos termos do art.leandrovelloso. a saber: (i) legislação. poder de polícia pode ser conceituado como o dever estatal de limitar-se o exercício da propriedade e da liberdade em favor do interesse público. 37. pois aqueles referentes à legislação e à sanção derivam do poder de coerção do Poder Público. (STJ. inclusive. o bom desenvolvimento por particulares estaria. Outrossim. convém assinalar que. comprometido pela busca do lucro .asp?varcodcon=157 . inciso XIX da CRFB/88 com os parâmetros do DL 200/67.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful