UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO: PEDAGOGIA DISCIPLINA: ALFABETIZAÇÃO PROFESSORA: CARMEN PÉREZ ALUNA: ALINE FERREIRA

RESENHA
Garcia, Regina Leite (Org). Novos olhares sobre a alfabetização: Cortez, 2008, 3° edição.

Niterói, 2012

Marisol Barenco. Sandra Baron. nos trazendo importantes reflexões em cada tema selecionado. mas articula a alfabetização com aspectos políticos econômicos e sociais na qual está envolvida. que trás aos leitores a idéia da linguagem como uma criação humana que foi sendo criada e recriada ao longo dos tempos históricos e culturais através da construção de significados compartilhados socialmente e dialogicamente pela interação e pela linguagem. (Re)criando e Alfabetizando: a partir de que modos e sentidos? Escrito por Edwiges Zaccur é o segundo texto do livro. O primeiro texto do livro da professora Regina Leite Garcia trás o título do livro e discute os problemas da alfabetização no Brasil e as conseqüências sociais que sofrem as pessoas que ainda não se alfabetizaram. subjetivo. A autora fala da alfabetização não só no seu sentido estritamente escolar. Carmem Perez. Tudo. Edwiges Zaccur. se referindo à criação como um movimento de mudança individual. sendo o professor um mediador importante neste processo. fascinadas com as novas explicações. criticando a exclusão do “não saber” e o sucateamento da escola e defendendo uma escola cidadã que garanta a alfabetização para todos. Maria Thereza Tavares e Maria Thereza Esteban. na busca de construção de um melhor conhecimento para si e para seus alunos. fascinadas com as novas explicações que encontrávamos. Acreditamos que a palavra “Alfabe-criando” trazida pela autora sintetiza a idéia de alfabetização que ela propõe. respondíamos nós. Mairce Araújo. ressaltando a importância do professor reflexivo que busque alternativas teóricas que possam lhe auxiliar na sua prática e a combater os desafios de seu cotidiano nas escolas. em que puderam observar e refletir sobre a realidade desses autores da vida real na busca de novos olhares sobre suas vivencias. Essa idéia de criação vai ser retomada por Sandra Baron no terceiro texto do livro. pois deve estimular seus alunos nesse ato de reflexão e criação de sua linguagem. em busca de novas explicações. Cristiane Reis. vendo no momento da alfabetização a oportunidade de recriar e resignificar o mundo em que vivemos pela linguagem.Este livro “Novos Olhares Sobre a Alfabetização” foi organizado por Regina Leite Garcia professora titular em Alfabetização da UFF e consta de nove textos escritos pela própria Regina Leite Garcia. . Os textos derivam de reflexões entre teoria-prática realizados pelas autoras nos seus estudos no Projeto de Alfabetização dos alunos de classe Populares.

a modernidade é a escritura. perdendo um pouco a sensibilidade de registrar o essencial. propondo ao leitor refletir sobra às diferentes formas culturais existentes levando diferentes maneiras de pensar o mundo.A autora nos trás noções importantes para que possamos compreender o ato criativo que ocorre no seio do individuo. Mapas sonoros é o sexto texto do livro escrito pela Mestre em Educação e Bacharel em Música Christiane Assano. construindo sua suas ações no sentido de instigar seus alunos a construírem suas autorias. Nessa perspectiva destaca a importância da educação comprometida com a liberdade e que estimule os alunos a compreender para o mundo em que vivemos. Outra idéia de grande relevância para os educadores é da professora como autora de seu conhecimento e criadora de suas ações cotidianas na escola. através das vivências de diversos sons pertinentes em nosso . em que a escrita é reguladora das relações sociais. discutindo o ensino da geografia nas séries iniciais tendo como fundamento a alfabetização da criança na leitura do mundo por meio da interpretação e compreensão do espaço e do mundo que vive. Hoje nos tempos modernos estamos em uma cultura letrada. Como professora de música a autora pôde realizar uma pesquisa com os seus alunos. O quarto texto desta série traz um olhar sobre a história trazido pela professora Marisol. vendo na alfabetização uma forma da leitura novas significações da leitura. O Quinto texto escrito por Carmen Perez professora-doutora trás ao leitor uma abordagem teórica atravessada pelo diálogo entre os pensamentos de dois celebres autores Paulo Freire e Milton Santos. sendo a sala de aula um espaço privilegiado para a construção da reflexão e criação tanto dos alunos como dos educadores. evento externo (social) que nos provoca a desestabilização interna. uma delas é a noção de caos criativo. que nos fala sobre a importância de analisar a escuta como um sentido importante para a sociedade contemporânea que vive as margens de muitos sons. e do mundo. a autora vai relacionando linguagem e realidade em um movimento dinâmico entre a palavra e o mundo. fazendo com que eles percebam como construímos e ampliamos a cada dia o nosso mapa sonoro. nessa perspectiva constrói o texto dialogando com as idéias e fragmentos de entrevistas de campo realizadas por Luria discípulo de Vygotsky que chama atenção para a linguagem como fenômeno culturalmente socialmente crido e modificado pelo homem de acordo com suas experiências de vida. de si mesmo. o que irá motivar-nos a criar algo novo.

. viabilizando a construção da linguagem escrita por parte dos alunos.dia-a-dia. no município de São Gonçalo. o novo ponto de escuta. É um excelente exemplar para a reflexão das práticas no cotidiano das escolas e principalmente para os professores alfabetizadores no dia-a-dia na suas salas de aula na construção interativa e continua com seus alunos no sentido de estimular seus alunos nesse ato de reflexão e criação de sua linguagem. proporcionando o contato com o mundo letrado de qualidade. escrito pela Pedagoga e doutoranda Maria Tereza Goudard. que rediscute o sentido de avaliação que nesse momento. Escrito pela Pedagoga Mairce da Silva Araújo o sétimo texto do livro tem como tema importância do ambiente alfabetizador: a sala de aula como entre-lugar de culturas. destaca a limitação da nossa escuta. Porém. A (in)visibilidade que a escola (ainda) não vê: “Tias negras” em sala de aula é o oitavo texto do livro. sendo necessário. pelo fato de não aceitarmos o novo. destacando o grande preconceito ou talvez a falta de percepção para esse panorama. O último texto do livro foi escrito pela Doutora Maria Teresa Esteban que trata sobre Avaliar: ato tecido pelas imprecisões do cotidiano. Nesse sentido a autora destaca a importância dos professores criarem um ambiente alfabetizador. sobre a exclusão e o individualismo traçado pela nossa sociedade. que este ambiente esteja vinculado com o cotidiano dos alunos. ela propõe ao leitor uma reflexão sobre o enegrecimento nas escolas. Nesse sentido destaca a importância de entender a ambivalência da avaliação com o objetivo de resgatar a ética. que segundo a autora está pautado e estruturado pelas idéias de hierarquizar e disciplinar os sujeitos. ou seja. vendo na aquisição da leitura e da escrita um ato de leitura do mundo. Estes são os textos componentes do livro que as autoras apresentam com expectativa de que ofereçam subsídios aos interessados em estudar o processo de alfabetização. durante o relato de sua experiência. A autora faz um relato da experiência vivida na sua pesquisa em uma escola pública no Estado do Rio de Janeiro. dando o devido sentido as diversas atividades pedagógicas.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful