Você está na página 1de 17

PROFISSÃO DO

ENGENHEIRO

José Augusto Coeve Florino


Phone: +55 14 3226-7136
Cel: +55 14 9735-2375
E-mail: augusto.florino@hotmail.com
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

Quem regulamenta e fiscaliza a profissão de engenheiro?

 O que é Engenharia segundo o CONFEA e o CREA?

 O que é Engenharia ?

 Tipos de Engenharia;

 De onde veio o Símbolo da Engenharia?

 Que Condições favorecem o Desenvolvimento Tecnológico?

 Conclusão.
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

Quem regulamenta e fiscaliza a profissão de engenheiro?

Lei nº 5194, de 24 de dezembro de 1966 Regula o exercício das profissões


de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo, e dá outras providências.
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

O que é Engenharia segundo o CONFEA e o CREA?

TITULO I
DO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO DA ENGENHARIA, DA ARQUITETURA E
DA AGRONOMIA
CAPITULO I
DAS ATIVIDADES PROFISSIONAIS

SEÇÃO I
Caracterização e exercícios das profissões
SEÇÃO II
Do uso do titulo profissional
SEÇÃO III
Do exercício ilegal da profissão
SEÇÃO IV
Atribuições profissionais e coordenação de suas atividades
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

TITULO II
DA FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES
CAPITULO I
DOS ÓRGÃOS FISCALIZADORES
CAPITULO II
DO CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA ARQUITETURA E
AGRONOMIA
SEÇÃO I
Da instituição do conselho e suas atribuições
SEÇÃO II
Da composição e organização
CAPITULO III
DO CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA
ARQUITETURA E AGRONOMIA
SEÇÃO I
Da instituição dos conselhos regionais e suas atribuições
SEÇÃO II
Da composição e organização
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

TITULO III
DO REGISTRO E FISCALIZAÇÃO
CAPITULO I
DO REGISTRO DOS PROFISSIONAIS

CAPITULO II
DO REGISTRO DE FIRMAS E ENTIDADES

CAPITULO II
DAS ANUIDADES, EMOLUMENTOS E TAXAS

TITULO IV
DAS PENALIDADES

TITULO V
DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

TITULO VI
DAS DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

 O que é Engenharia segundo o CONFEA ?

Leitura e interpretação da Lei nº 5194

http://www.sobes.org.br/lei5194.htm
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

TRANSFORMAÇ
TRANSFORMAÇÃO ORGANIZACIONAL
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

FRENTES DE TRABALHO DO ENGENHEIRO

Técnica

 Não técnica

Processo produtivo – tudo gera uma produção de algo

Qualificado, capacitado e habilitado

Define o entendimento quanto a “profissional qualificado e


habilitado”, “ pessoa capacitada” e “autorização”;
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

 O que é Engenharia ?

“é a arte, a ciência e a técnica de bem conjugar os conhecimentos


especializados (científicos) de uma dada área do saber com a sua viabilidade
técnico-econômica, para produzir novas utilidades e/ou transformar a natureza,
em conformidade com idéias bem planejadas...”

Obras de Engenharia;

Definição: Obras da engenharia são o conjunto das coisas visíveis menos o


conjunto das coisas da natureza. Usando notação de Teoria dos Conjuntos:
{OBRAS DA ENGENHARIA} = {COISAS VISÍVEIS} – {COISAS DA
NATUREZA}.
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

“O essencial é invisível aos olhos.”

Essencial, fundamental, afinal, é o amor, e a engenharia se torna uma atividade


árida, fria, desconexa de tudo que é importante nesta vida.

A dedicação de uma mãe, a abnegação de um pai, o companheirismo de um


colega de turma são exemplos de amor

Justamente neste ponto é que reencontramos a engenharia como a forma mais


efetiva dos homens mostrarem que amam.
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

 Tipos de Engenharia:
1. Engenharia Acústica; 31. Engenharia Eletromecânica; 61. Engenharia Metalomecânica;

2. Engenharia Aeroespacial; 32. Engenharia Eletrônica; 62. Engenharia Militar;

3. Engenharia Aeronáutica; 33. Engenharia de Energia; 63. Engenharia de Minas;

4. Engenharia Aeroviária; 34. Engenharia de Estradas; 64. Engenharia Multimídia;

5. Engenharia Agrícola; 35. Engenharia Estrutural; 65. Engenharia Naval e Oceânica;

6. Engenharia de Agrimensura; 36. Engenharia de Exportação; 66. Engenharia Nuclear;

7. Engenharia Agronômica; 37. Engenharia Ferroviária; 67. Engenharia Óptica;

8. Engenharia de Alimentos; 38. Engenharia Física; 68. Engenharia de Pesca;

9. Engenharia Ambiental; 39. Engenharia Florestal; 69. Engenharia de Petroquímica;

10. Engenharia de Aqüicultura; 40. Engenharia Genética 70. Engenharia de Plásticos;

11. Engenharia de Áudio; 41. Engenharia Geofísica 71. Engenharia de Produção;

12. Engenharia de Automóvel; 42. Engenharia Geográfica; 72. Engenharia de Produção Mecânica;

13. Engenharia de base; 43. Engenharia de Gestão; 73. Engenharia de Produção Química;

14. Bioengenharia; 44. Engenharia geológica; 74. Engenharia de Qualidade;

15. Engenharia Biofísica; 45. Engenharia de hardware; 75. Engenharia Química;

16. Engenharia Biológica; 46. Engenharia hidráulica; 76. Engenharia de Qualidade;

17. Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia; 47. Engenharia Humana; 77. Engenharia de Recursos Hídricos;

18. Engenharia Biomédica; 48. Engenharia de Informação; 78. Engenharia de Redes de comunicação;

19. Engenharia Biônica; 49. Engenharia Industrial; 79. Engenharia de Requisitos;

20. Engenharia Bioquímica; 50. Engenharia Industrial madeireira; 80. Engenharia robótica;

21. Engenharia Canônica; 51. Engenharia de Infra-estrutura; 81. Engenharia Rodoviária;

22. Engenharia Cartográfica; 52. Engenharia Informática; 82. Engenharia Sanitária;

23. Engenharia Civil; 53. Engenharia de Instrumentação; 83. Engenharia Sanitária e Ambiental;

24. Engenharia de computação 54. Engenharia de Manutenção; 84. Engenharia de Segurança;

25. Engenharia de Comunicações; 55. Engenharia de Materiais; 85. Engenharia de Segurança do Trabalho;

26. Engenharia de Controle e Automação; 56. Engenharia de Materiais e Metais; 86. Engenharia de Serviços;

27. Engenharia de Custos; 57. Engenharia Mecânica; 87. Engenharia de Software;

28. Engenharia Econômica; 58. Engenharia Mecatrônica; 88. Engenharia de Tecidos;

29. Engenharia Elétrica; 59. Engenharia Metalomecânica; 89. Engenharia de Telecomunicações;

30. Engenharia Elétrica e Eletrônica; 60. Engenharia Metalúrgica; 90. Engenharia de Teleinformática;
91. Engenharia de Transportes.
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

 De onde veio o Símbolo da Engenharia?

A Minerva tornou-se um símbolo que identifica os politécnicos, com suas


insígnias: a lança, o capacete e a égide. É protetora e companheira, deusa
guerreira, mas, ao mesmo tempo, deusa da sabedoria e da reflexão. Ela não
vence seus inimigos pela força bruta, mas pelos ardis que inventa, pela astúcia e
pela inteligência de seus estratagemas. Deusa guerreira, da sabedoria, das
atividades práticas, mas também do trabalho artesanal de fiação, do espírito
criativo e da vida especulativa, ela reúne aspectos fundamentais à formação do
politécnico. A Minerva sintetiza duas dimensões do trabalho do engenheiro: a
criação, por um lado, e a execução, por outro.
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

 Que Condições favorecem o Desenvolvimento Tecnológico?

Tecnologia é um processo cultural;

Estabeleceu-se uma cultura em cada região, fruto do viver, pensar e


transformar a realidade que cercava os diferentes povos;

Nossa grande chance como engenheiros está em reconhecer os problemas


próximos e procurar implementar soluções inovadoras para eles. Aí está o
nosso nicho.
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

 Conclusão:

Atualmente emprego para Engenheiro está cada vez mais difícil;

O fato é que se emprego está difícil, trabalho é o que não falta.

O que falta é criatividade para oferecer serviços de Engenharia no Brasil.

Agora, mais do que nunca, o estudante deve estar preocupado realmente em


aprender.

Para ter sucesso neste empreendimento, a motivação é fundamental.


José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

Dúvidas ????

Perguntas ????
José Augusto Coeve Florino – augusto.florino@hotmail.com

 Bibliografia:

[1] Antoine Saint Exupery, "O Pequeno Príncipe", Agir, 2000.


[2] Erick Fromm, “Revolução da Esperança”, Guanabara, 1991.
[3] José Caruso Madalena, "Eu e o Tempo", Imago Editora, 1983.
[4] Paulo Freire, “Pedagogia da Esperança ”, Paz e Terra, 1992.
[5] Rafael Cifuentes, “Alegria de Viver”, Quadrante 1997.
[6] Roberto Nicolsky, “O Novo Paradigma do Desenvolvimento”, Folha de
São Paulo, pg.3, 9/5/2000.