Você está na página 1de 39

Agosto / 2005

SINTEGRA
Quem deve entregar o arquivo magnético?

O contribuinte que utilizar o sistema eletrônico de processamento de dados para: emitir pelo menos um dos
documentos fiscais previstos no artigo 124 do Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto 45.490, de 30
de novembro de 2000, ou escriturar pelo menos um dos livros fiscais, ainda que usando serviços de terceiro
para tal , ou ainda emitir documentos fiscais por equipamentos emissores de cupom fiscal (ECF, PDV ou
máquina registradora), nas condições previstas no item 2 do § 1° do artigo 1° desta portaria, deve manter o
registro fiscal com todas as suas operações, aquisições e prestações efetuadas a qualquer título, da seguinte
forma:

Contribuinte enquadrado como microempresa no cadastro de contribuintes do ICMS da SEFAZ / SP


está obrigado a entregar informações em meio digital ?

Não, conforme disposto pelo parágrafo 6º do artigo 4º da Portaria CAT 32/96.


As microempresas estão dispensadas de gerar arquivo magnético apenas quanto ao Estado de
São Paulo, pois a dispensa consta em uma portaria CAT. A obrigação persiste com relação as
outras unidades da federação.

Qual a diferença entre o Convênio ICMS 57/95 e a Portaria CAT 32/96 ?

A Portaria CAT 32/96 é a regulamentação do Convênio ICMS 57/95 no estado de São Paulo.
Os contribuintes paulistas do ICMS devem seguir as disposições contidas na Portaria CAT 32/96, de acordo
com o artigo 250 do RICMS aprovado pelo decreto 45.490/00. O arquivo deve ser entregue de acordo com o
leiaute estabelecido na versão mais atualizada da Portaria CAT 32/96 ou do Convênio ICMS 57/95.

As operações de entradas podem ser entregues em arquivo separado das operações de saídas?

Não. Entradas e saídas devem constar no mesmo arquivo, exceto se expressamente autorizado pelo Fisco a
entrega em forma diferenciada.

Os contribuintes paulistas notificados entregam arquivos com qual periodicidade ?

A entrega de arquivos é mensal, isto é, o contribuinte paulista notificado passa a ter a obrigação permanente
(todos os meses) de entregar o arquivo para a SEFAZ/SP. Exemplo: As notificações datadas de 23/10/2002
solicitaram arquivos das referências janeiro a outubro/2002
para entrega no prazo excepcional de 20 a 30 de novembro de 2002. Portanto, a partir da referência
novembro/2002, o arquivo deve ser entregue entre 20 e 25 dezembro/2002, a referência dezembro/2002 deve
ser entregue entre 20 e 25 de janeiro/2003, a referência janeiro/2003 deve ser entregue entre 20 e 25 de
fevereiro/2003, e assim por diante.

Os contribuintes paulistas notificados entregam arquivos com qual conteúdo ?

O arquivo deve conter a totalidade das operações realizadas a qualquer título com mercadorias e serviços;
isto significa que o contribuinte paulista notificado deve informar as operações realizadas sob quaisquer CFOP
sejam elas internas (dentro do estado de São Paulo), interestaduais, entradas, saídas, com exterior,
transferências, devoluções, compras, vendas, etc. Este arquivo deverá ser transmitido somente para a
Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo que ficará encarregada de repassar as informações das
operações interestaduais às demais Secretarias de Fazenda. Todos estes dados devem estar informados
num único arquivo, exceto se o volume de dados impedir a geração do mesmo, hipótese em que o Sintegra
SP deve ser contatado para fornecer orientação.

Os contribuintes paulistas notificados são dispensados de enviar arquivos para outras UF ?

A SEFAZ/SP dispensa, na notificação, o envio de arquivos para as demais UF, com as informações sobre as
operações interestaduais, nos termos dos §§ 5º e 6º da cláusula 8º do Conv. ICMS 57/95 na redação do
Conv.ICMS 69/02 . Veja ressalva para substituto tributário interestadual na questão seguinte.

Somente as operações fiscais de saída devem ser apresentadas no arquivo magnético?


Não. Devem ser apresentadas todas as operações fiscais interestaduais, tanto as de entrada como as de
saída, e em algumas unidades federadas devem apresentar também as operações internas, consulte a sua
Secretaria de Fazenda ou Finanças.

Como informar o valor do desconto discriminado no corpo da Nota Fiscal?

R - Deve ser informado no Registro 54. O valor do desconto deverá ser rateado proporcionalmente entre os
Registros 54. Se o valor do desconto for residual, por exemplo arredondamento, poderá ser escolhido um dos
Registros 54 para informar o desconto.

Como informar o Número da Nota Fiscal de Serviço de Telecomunicações/ Energia Elétrica, no


Arquivo Magnético?

Deve ser informado apenas os seis últimos dígitos à direita, no número seqüencial, desprezando os dígitos a
esquerda. Exemplo: 9124-0123456, informar apenas o número 123456.

Como informar o valor do Frete discriminado no corpo da Nota Fiscal?

No Registro 54, informando o campo 08 - Número do Item com o número 991 e o valor do Frete no campo 12
- Valor do Desconto / Despesa Acessória / Frete / Seguro. Devem ser informados também os campos 02 a 07.
Os demais campos devem ser preenchidos com zeros, pois têm o Formato Numérico.

REGISTROS

10 Dados do contribuinte
11 Complemento do cadastro
50 Nota Fiscal Entrada / Saída
51 Contribuinte do IPI
53 Substituição Tributária
54 Mercadoria / Produto
55 GNRE
60M Dados do ECF
60A Analítico do ECF
60I Mercadorias do ECF
61 Bilhetes e passagens
70 Conhecimento Transporte
71 Carga Transportada
74 Inventário
75 Descrição da mercadoria
76 Comunicação
90 Totalizadores

2
COMPOSIÇÃO

REGISTRO/CONTEUDO

Tipo 10 Registro mestre do estabelecimento, destinado à identificação do estabelecimento


informante;

REGISTRO TIPO 10

MESTRE DO ESTABELECIMENTO

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "10" 2 1 2 N
02 CNPJ/MF CNPJ do estabelecimento informante 14 3 16 N
Inscrição estadual do
03 Inscrição Estadual 14 17 30 X
estabelecimento informante
Nome comercial (razão social /
04 Nome do Contribuinte 35 31 65 X
denominação) do contribuinte
Município onde está domiciliado o
05 Município 30 66 95 X
estabelecimento informante
Unidade da Federação referente ao
06 Unidade da Federação 2 96 97 X
Município
Número do fax do estabelecimento
07 Fax 10 98 107 N
informante
A data do início do período referente
08 Data Inicial 8 108 115 N
às informações prestadas
A data do fim do período referente às
09 Data Final 8 116 123 N
informações prestadas
Código da identificação Código da identificação da estrutura
10 da estrutura do arquivo do arquivo magnético entregue, 1 124 124 X
magnético entregue conforme tabela abaixo
Código da identificação Código da identificação da natureza
11 da natureza das das operações informadas, conforme 1 125 125 X
operações informadas tabela abaixo
Código do finalidade utilizado no
Código da finalidade do
12 arquivo magnético, conforme tabela 1 126 126 X
arquivo magnético
abaixo

RETIFICAÇÃO DE ARQUIVO MAGNETICO


Atualmente o G5 Phoenix não possibilita a geração de arquivo magnético retificador, para isso é necessário
que editemos o arquivo e alteremos o “Campo 12 Código da finalidade utilizado no arquivo magnético”
conforme tabela abaixo:

Tabela de Finalidades da apresentação do Arquivo Magnético

Código Descrição da finalidade


1 Normal
Retificação total de arquivo: substituição total de informações prestadas pelo contribuinte
2
referentes a este período
3 Retificação aditiva de arquivo: acréscimo de informação não incluída em arquivos já apresentados
Desfazimento: arquivo de informação referente a operações/prestações não efetivadas. Neste
4 caso, o arquivo deverá conter, além dos registros tipo 10 e tipo 90, apenas os registros referentes
às operações/prestações não efetivadas

3
Tipo 11 Dados complementares do informante;

Registro Tipo 11

Dados Complementares do Informante

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "11" 2 1 2 N
02 Logradouro Logradouro 34 3 36 X
03 Número Número 5 37 41 N
04 Complemento Complemento 22 42 63 X
05 Bairro Bairro 15 64 78 X
Código de Endereçamento
06 CEP 8 79 86 N
Postal
Pessoa responsável para
07 Nome do Contato 28 87 114 X
contatos
Número dos telefones
08 Telefone 12 115 126 N
para contatos

Tipo 50 Registro de total de Nota Fiscal modelos 1 e 1 A, Nota Fiscal/Conta de Energia Elétrica,
modelo 6, Nota Fiscal de Serviço de Comunicação, modelo 21, e Nota Fiscal de Serviço de
Telecomunicações, modelo 22, destinado a especificar as informações de totalização do
documento fiscal, relativamente ao ICMS. No caso de documentos com mais de uma
alíquota de ICMS e/ou mais de um Código Fiscal de Operação ou Prestação - CFOP, deve
ser gerado para cada combinação de "alíquota" e "CFOP" um registro tipo 50, com valores
nos campos monetários (11, 12, 13, 14 e 15) correspondendo à soma dos itens que compõe
o mesmo, de tal forma que as somas dos valores dos campos monetários dos diversos
registros que representam uma mesma nota fiscal, corresponderão aos valores totais da
mesma;

REGISTRO TIPO 50

Quanto ao ICMS:

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "50" 2 1 2 N
CNPJ do remetente nas entradas e do
02 CNPJ 14 3 16 N
destinatário nas saídas
Inscrição Estadual do remetente nas
03 Inscrição Estadual 14 17 30 X
entradas e do destinatário nas saídas
Data de emissão na saída ou de
Data de emissão
recebimento
04 8 31 38 N
ou recebimento
na entrada
Unidade da
05 Sigla da unidade da Federação do 2 39 40 X

4
Federação remetente

nas entradas e do destinatário nas saídas


06 Modelo Código do modelo da nota fiscal 2 41 42 N
07 Série Série da nota fiscal 3 43 45 X
08 Número Número da nota fiscal 6 46 51 N
09 CFOP Código Fiscal de Operação e Prestação 4 52 55 N
Emitente da Nota Fiscal (P-
10 Emitente 1 56 56 X
próprio/T-terceiros)
11 Valor Total Valor total da nota fiscal (com 2 decimais) 13 57 69 N
Base de Cálculo Base de Cálculo do ICMS (com 2
12 13 70 82 N
Do ICMS decimais)
13 Valor do ICMS Montante do imposto (com 2 decimais) 13 83 95 N
Isenta ou Valor amparado por isenção ou não
14 13 96 108 N
não-tributada incidência (com 2 decimais)
Valor que não confira débito ou crédito
15 Outras 13 109 121 N
do ICMS (com 2 decimais)
16 Alíquota Alíquota do ICMS (com 2 decimais) 4 122 125 N
17 Situação Situação da nota fiscal 1 126 126 X

Como informar uma Nota Fiscal com mais de uma alíquota?


Deve ser informado um Registro 50 para cada alíquota.

Como informar uma Nota Fiscal cancelada?


Deve ser informado um Registro 50 com as informações do formulário. Ou seja, o campo 06(Modelo),
07(Série), 08 (Subsérie) e 09(Número da NF). O campo 17(Situação) deve ser preenchido com "S" e os
demais campos devem ser preenchidos com zeros(numéricos) ou brancos / espaços(alfanuméricos).

Como proceder quando o destinatário / remetente for de outro país?


Preencher com zeros o CGC / MF, colocar a palavra "ISENTO" no Campo Inscrição Estadual e colocar "EX"
no campo da Unidade da Federação.

Como proceder quando o destinatário / remetente não tem inscrição estadual?


No campo Inscrição Estadual deve-se colocar a palavra "ISENTO", e completar com espaços até completar as
14 posições. Independente de ser Pessoa Física ou Jurídica.

Tipo 51 Registro de total de Nota Fiscal, modelos 1 e 1-A, destinado a especificar as informações de
totalização do documento fiscal, relativamente ao IPI;

REGISTRO TIPO 51

TOTAL DE NOTA FISCAL QUANTO AO IPI

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "51" 2 1 2 N

5
CNPJ do remetente nas entradas e do
02 CNPJ 14 3 16 N
destinatário nas saídas
Inscrição Estadual do remetente nas
03 Inscrição Estadual 14 17 30 X
entradas e do destinatário nas saídas
Data de emissão / Data de emissão na saída ou
04 8 31 38 N
recebimento recebimento na entrada
Sigla da unidade da Federação do
05 Unidade da Federação remetente nas entradas e do 2 39 40 X
destinatário nas saídas
06 Série Série da nota fiscal 3 41 43 X
07 Número Número da nota fiscal 6 44 49 N
Código Fiscal de Operação e
08 CFOP 4 50 53 N
Prestação
Valor total da nota fiscal
09 Valor Total 13 54 66 N
(com 2 decimais)
10 Valor do IPI Montante do IPI (com 2 decimais) 13 67 79 N
Isenta ou não-tributada Valor amparado por isenção ou não
11 13 80 92 N
– IPI incidência do IPI (com 2 decimais)
Valor que não confira débito ou crédito
12 Outras – IPI 13 93 105 N
do IPI (com 2 decimais)
13 Brancos Brancos 20 106 125 X
14 Situação Situação da Nota Fiscal 1 126 126 X

Tipo 53 Registro de total de documento fiscal, quanto à substituição tributária;

REGISTRO TIPO 53

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "53" 2 1 2 N
02 CNPJ CNPJ do contribuinte Substituído 14 3 16 N
Inscrição Estadual do Contribuinte
03 Inscrição Estadual 14 17 30 X
substituído
Data de emissão/ Data de emissão na saída ou
04 8 31 38 N
recebimento recebimento na entrada
Sigla da unidade da Federação do
05 Unidade da Federação 2 39 40 X
contribuinte substituído
06 Modelo Código do modelo da nota fiscal 2 41 42 N
07 Série Série da nota fiscal 3 43 45 X
08 Número Número da nota fiscal 6 46 51 N
Código Fiscal de Operação e
09 CFOP 4 52 55 N
Prestação
Emitente da Nota Fiscal (P-próprio/T-
10 Emitente 1 56 56 X
terceiros)
Base Cálculo do ICMS Base de cálculo de retenção do
11 13 57 69 N
Substituição Tributária ICMS (com 2 decimais)
ICMS retido pelo substituto (com 2
12 ICMS retido 13 70 82 N
decimais)

6
Soma das despesas acessórias
13 Despesas Acessórias (frete, Seguro e outras - com 2 13 83 95 N
decimais)
14 Situação Situação da Nota Fiscal 1 96 96 X
15 Brancos 30 97 126 X

Quem deve gerar o Registro 53?


É obrigatório para o contribuinte Substituto Tributário, nas operações com mercadorias.

Tipo 54 Registro de Mercadoria / Produto (classificação fiscal);

REGISTRO TIPO 54

PRODUTO/MERCADORIA

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo

01 Tipo "54" 2 1 2 N

CNPJ do remetente nas entradas e do


02 CNPJ 14 3 16 N
destinatário nas saídas

03 Modelo Código do modelo da nota fiscal 2 17 18 N

04 Série Série da nota fiscal 3 19 21 X

05 Número Número da nota fiscal 6 22 27 N

Código Fiscal de Operação e


06 CFOP 4 28 31 N
Prestação

07 CST Código da Situação Tributária 3 32 34

Número de ordem do item na nota


08 Número do Item 3 35 37 N
fiscal

Código do Produto/
Código do produto/mercadoria ou
09 14 38 51 X
serviço do informante
Mercadoria ou Serviço

7
Quantidade do produto/mercadoria
10 Quantidade 11 52 62 N
(com 3 decimais)

Valor bruto do produto/mercadoria


Valor do
11 (valor unitário multiplicado por 12 63 74 N
Produto/Mercadoria
quantidade) com 2 decimais

Valor do Desconto / Valor do desconto concedido no item


12 12 75 86 N
Despesa Acessória (com 2 decimais).

Base de Cálculo do Base de cálculo do ICMS (com 2


13 12 87 98 N
ICMS decimais)

Base de Cálculo do Base de cálculo do ICMS de retenção


14 ICMS para Substituição na Substituição Tributária (com 2 12 99 110 N
Tributária decimais)

15 Valor do IPI Valor do IPI (com 2 decimais) 12 111 122 N

Alíquota Utilizada no Cálculo do ICMS


16 Alíquota do ICMS 4 123 126 N
(com 2 decimais)

Quem deve apresentar o registro 54?


Apenas os contribuintes que emitem documento fiscal por processamento de dados (Nota Fiscal Modelo 1 e
1A). Os contribuintes que apenas escrituram os livros fiscais por processamento estão dispensados de
apresentar o registro 54, ou a critério de sua Unidade Federada.

Por que o Validador informa que não existe um Registro Tipo 50 correspondente?
Pode estar acontecendo uma das situações abaixo:

a) - O registro tipo 50 existe, mas os campos comuns aos dois tipos de registros (CGC/MF, Modelo,
Série, Subsérie, Número da NF, CFOP e Aliq. De Icms), não foram informados exatamente da
mesma forma no registro tipo 50 e no registro tipo 54.
b) - O Registro tipo 50 realmente não existe. Neste caso deve ser informado o Registro 50
correspondente.

Como devo proceder ao digitar o Reg. 54 nos casos que existem valores de frete , despesas
acessórias , Pis/Cofins e descontos concedidos na Nota fiscal?
Devemos informar a tela de digitação do REg. 54 os campos mod, CST ,Item e Descto / Desp
Acess.Alertamos que o Campo “ITEM” devemos digitar conforme a portaria Cat 92/2002 .

8
Exemplos...
Nº Item
991 - identifica o registro do frete;
992 - identifica o registro do seguro;
993 - PIS/COFINS;
994 - apropriação de credito de ativo imobilizado;
995 - ressarcimento de Substituição Tributaria;
996 - transferência de credito;
997 - complemento de valor de Nota fiscal e/ou ICMS;
998 - serviços não tributados;
999 - identifica o registro de outras despesas acessórias;

Tenho que informar o registro 54 na aquisição de material para uso/consumo e ativo fixo?
Não, quando a nota fiscal for de aquisição de material para uso/consumo e ativo fixo, não precisa ser gerado o
registro 54 para esta nota.

Um registro para cada mercadoria/produto ou serviço constante na nota fiscal e/ou romaneio, exceto
para as mercadorias/produtos que ser refiram aos seguintes Códigos Fiscais de Operações ou
Prestações - CFOP:
* para fatos geradores que tiverem ocorrido até 31/12/02: 1.73, 2.73, 1.74, 2,74, 1.91, 2.91, 3.91, 1.92, 2.92,
1.97, 2.97, 3.97, 1.98, 2.98, 5.91, 6.91, 5.92, 6.92, 5.95 e 6.95;
* para fatos geradores que ocorrerem a partir de 01/01/03: 1.406, 2.406, 1.407, 2.407, 1.551, 2.551, 3.551,
1.552, 2.552, 1.553, 2.553, 3.553, 1.554, 2.554, 1.555, 2.555, 1.556, 2.556, 3.556, 1.557,2.557, 5.551, 6.551,
7.551, 5.552, 6.552, 5.553, 6.553, 7.553, 5.554, 6.554, 5.555, 6.555, 5.556, 6.556, 7.556, 5.557 e 6.557;

Tipo 55 Registro de Guia Nacional de Recolhimentos de Tributos Estaduais - GNRE;

REGISTRO TIPO 55

GUIA NACIONAL DE RECOLHIMENTO DE TRIBUTOS ESTADUAIS

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "55" 2 1 2 N
CNPJ do contribuinte substituto
02 CNPJ 14 3 16 N
tributário
Inscrição Estadual na unidade da
Federação destinatária do
03 Inscrição Estadual 14 17 30 X
contribuinte sujeito passivo por
substituição tributária
Data do pagamento do
04 Data da GNRE 8 31 38 N
documento de Arrecadação
Sigla da unidade da Federação do
Unidade da Federação
05 contribuinte sujeito passivo por 2 39 40 X
do Substituto
substituição tributária
Unidade da Federação Sigla da unidade da Federação de
06 2 41 42 X
Favorecida destino (favorecida)
Código do banco onde foi
07 Banco GNRE 3 43 45 N
efetuado o recolhimento
Agência onde foi efetuado o
08 Agência GNRE 4 46 49 N
recolhimento
Número de autenticação bancária
09 Número GNRE 20 50 69 N
do documento de arrecadação

9
Valor recolhido
10 Valor GNRE 13 70 82 N
(com 2 decimais)
Data do vencimento do ICMS
11 Data do Vencimento 8 83 90 N
substituído
Mês e ano referente à ocorrência
12 Mês e ano de referência do fato gerador, formato 6 91 96 N
MMAAAA
Número do Convênio ou Preencher com o conteúdo do
13 30 97 126 X
Protocolo /Mercadoria campo 15 da GNRE

Tipo 60 Registro destinado a informar as operações e prestações realizadas com os documentos


fiscais emitidos por equipamento emissor de cupom fiscal os quais são: Cupom Fiscal,
Cupom Fiscal - PDV , Bilhete de Passagem Rodoviário, modelo 13, Bilhete de Passagem
Aquaviário, modelo 14, Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem, modelo 15, Bilhete de
Passagem Ferroviário, modelo 16 e Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2;

Registro Tipo 60 - Mestre (60M): Identificador do equipamento.

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "60" 2 1 2 N
02 Subtipo "M" 1 3 3 X
Data de emissão dos documentos
03 Data de emissão 8 4 11 N
fiscais
Número de série de Número de série de fabricação do
04 20 12 31 X
fabricação equipamento
Número de ordem
Número atribuído pelo estabelecimento
05 seqüencial do 3 32 34 N
ao equipamento
equipamento
Modelo do documento
06 Código do modelo do documento fiscal 2 35 36 X
fiscal
Número do Contador de Número do primeiro documento fiscal
07 Ordem de Operação no emitido no dia (Número do Contador de 6 37 42 N
início do dia Ordem de Operação - COO)
Número do Contador de Número do último documento fiscal
08 Ordem de Operação no emitido no dia (Número do Contador de 6 43 48 N
final do dia Ordem de Operação - COO)
Número do Contador de Número do Contador de Redução Z
09 6 49 54 N
Redução Z (CRZ)
Contador de Reinício de Valor acumulado no Contador de
10 3 55 57 N
Operação Reinício de Operação (CRO)
Valor acumulado no totalizador de
11 Valor da Venda Bruta 16 58 73 N
Venda Bruta
Valor do Totalizador
12 Valor acumulado no Totalizador Geral 16 74 89 N
Geral do equipamento
13 Brancos 37 90 126 X

10
Registro Tipo 60 - Analítico (60A): Identificador de cada Situação Tributária no final do dia de cada
equipamento emissor de cupom fiscal

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "60" 2 1 2 N
02 Subtipo "A" 1 3 3 X
03 Data de emissão Data de emissão dos documentos fiscais 8 4 11 N
Número de série de
04 Número de série de fabricação do equipamento 20 12 31 X
fabricação
Situação Tributária/ Identificador da Situação Tributária / Alíquota
05 4 32 35 X
Alíquota do ICMS
Valor acumulado no final do dia no totalizador
Valor Acumulado no
06 parcial da situação tributária / alíquota indicada 12 36 47 N
totalizador parcial
no campo 05 (com 2 decimais)
07 Brancos 79 48 126 X

Registro Tipo 60 - Item (60I): Item do documento fiscal emitido por Terminal Ponto de Venda (PDV) ou
equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF)

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "60" 2 1 2 N

02 Subtipo "I" 1 3 3 X

03 Data de emissão Data de emissão do documento fiscal 8 4 11 N

Número de série Número de série de fabricação do


04 20 12 31 X
de fabricação equipamento

Modelo do
05 Código do modelo do documento fiscal 2 32 33 X
documento fiscal
Nº de ordem do Número do Contador de Ordem de
06 6 34 39 N
documento fiscal Operação (COO)

Número de Ordem do item no Documento


07 Número do item 3 40 42 N
Fiscal

Código da
Código da mercadoria/produto ou serviço
08 mercadoria/produto 14 43 56 X
do informante
ou serviço

Quantidade da mercadoria/produto (com 3


09 Quantidade 13 57 69 N
decimais)

Valor Unitário da Valor Unitário da mercadoria/produto (com


10 13 70 82 N
mercadoria/produto 3 decimais)

Base de Cálculo Base de Cálculo do ICMS do item (com 2


11 12 83 94 N
do ICMS decimais)

Situação Tributária/
Alíquota da Identificador da Situação Tributária /
12 4 95 98 X
mercadoria/produto Alíquota do ICMS (com 2 decimais)
ou serviço

11
13 Valor do ICMS Montante do imposto 12 99 110 N

14 Brancos 16 111 126 X

Os registros do tipo 60 devem ser gerados pelo software instalado no Equipamento Emissor de Cupom Fiscal,
e posteriormente importados para o G5 Phoenix.

Tipo 61 Para os documentos fiscais descritos a seguir, quando não emitidos por equipamento
emissor de cupom fiscal: Bilhete de Passagem Rodoviário, modelo 13, Bilhete de Passagem
Aquaviário, modelo 14, Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem, modelo 15, Bilhete de
Passagem Ferroviário, modelo 16, Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2, e Nota
Fiscal de Produtor, modelo 4;

REGISTRO TIPO 61:

Para os documentos fiscais descritos a seguir, quando não emitidos por equipamento emissor de
cupom fiscal : Bilhete de Passagem Aquaviário (modelo 14), Bilhete de Passagem e Nota de Bagagem
(modelo 15), Bilhete de Passagem Ferroviário (modelo 16), Bilhete de Passagem Rodoviário (modelo
13), Nota Fiscal de Venda a Consumidor (modelo 2) e Nota Fiscal de Produtor (modelo 4).

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "61" 2 1 2 N
02 Brancos 14 3 16 X
03 Brancos 14 17 30 X
Data de emissão do(s)
04 Data de Emissão 8 31 38 N
documento(s) fiscal(is)
Modelo do(s) documento(s)
05 Modelo 2 39 40 N
fiscal(is)
Série do(s) documento(s)
06 Série 3 41 43 X
fiscal(is)
Subsérie do(s)
07 Subsérie 2 44 45 X
documento(s) fiscal(is)
Número do primeiro
Número inicial de documento fiscal emitido no
08 6 46 51 N
ordem dia do mesmo modelo,
série e subsérie
Número do último
Número final de documento fiscal emitido no
09 6 52 57 N
ordem dia do mesmo modelo,
série e subsérie
Soma do Valor total do(s)
10 Valor Total documento(s) fiscal(is) 13 58 70 N
(com 2 decimais)
Soma da Base de cálculo
Base de Cálculo
11 do(s) documento(s) 13 71 83 N
ICMS
fiscal(is) (com 2 decimais)
Soma do Valor do
Montante do Imposto do(s)
12 Valor do ICMS 12 84 95 N
documento(s) fiscal(is)
(com 2 decimais)
Isenta ou Não- Soma do Valor amparado
13 13 96 108 N
Tributadas por isenção ou não-

12
incidência do(s)
documento(s) fiscal(is)
(com 2 decimais)
Soma do Valor que não
confira débito ou crédito de
14 Outras 13 109 121 N
ICMS/Total diário (com 2
decimais)
Alíquota do ICMS
15 Alíquota 4 122 125 N
( com 2 decimais)
16 Branco Branco 1 126 126 X

Tipo 70 Registro de total de Nota Fiscal de Serviço de Transporte, modelo 7, de Conhecimento de


Transporte Rodoviário de Cargas, modelo 8, de Conhecimento de Transporte Aquaviário de
Cargas, modelo 9, de Conhecimento Aéreo, modelo 10, e de Conhecimento de Transporte
Ferroviário de Cargas, modelo 11, destinado a especificar as informações de totalização do
documento fiscal, relativamente ao ICMS;

REGISTRO TIPO 70:

Nota Fiscal de Serviço de Transporte;


Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas;
Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas;
Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas;
Conhecimento Aéreo.

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "70" 2 1 2 N
CNPJ do emitente do documento, no caso
de aquisição de serviço; CNPJ do tomador
02 CNPJ 14 3 16 N
do serviço, no caso de emissão do
documento
Inscrição Estadual do emitente do
documento, no caso de aquisição de
03 Inscrição Estadual 14 17 30 X
serviço; Inscrição Estadual do tomador do
serviço, no caso de emissão do documento
Data de emissão / Data de emissão para o prestador, ou data
04 8 31 38 N
utilização de utilização do serviço para o tomador
Sigla da unidade da Federação do emitente
Unidade da do documento, no caso de aquisição de
05 2 39 40 X
Federação serviço, ou do tomador do serviço, no caso
de emissão do documento
06 Modelo Código do modelo do documento fiscal 2 41 42 N
07 Série Série do documento 1 43 43 X
08 Subsérie Subsérie do documento 2 44 45 X
09 Número Número do documento 6 46 51 N
Código Fiscal de Operação e Prestação –
10 CFOP um registro para cada CFOP do documento 4 52 55 N
fiscal
Valor total do Valor total do documento fiscal (com 2
11 13 56 68 N
documento fiscal decimais)
12 Base de Cálculo Base de cálculo do ICMS (com duas 14 69 82 N

13
do ICMS decimais)
13 Valor do ICMS Montante do imposto (com duas decimais) 14 83 96 N
Isenta ou não- Valor amparado por isenção ou não
14 14 97 110 N
tributada incidência (com duas decimais)
Valor que não confira débito ou crédito do
15 Outras 14 111 124 N
ICMS (com duas decimais)
Modalidade do frete –
16 CIF/FOB 1 125 125 N
"1" – CIF ou "2" – FOB
17 Situação Situação do documento fiscal 1 126 126 X

Quem deve gerar o Registro 70?


Os contribuintes de ICMS tomadores ou prestadores de serviços de transporte.

Tipo 71 Registro de Informações da carga transportada referente a Conhecimento de Transporte


Rodoviário de Cargas, modelo 8, Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas,
modelo 9, de Conhecimento Aéreo, modelo 10, e de Conhecimento de Transporte
Ferroviário de Cargas, modelo 11;

REGISTRO 71

Informações da Carga Transportada Referente a:


Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas, modelo 8;
Conhecimento de Transporte Aquaviário de Cargas, modelo 9;
Conhecimento Aéreo, modelo 10;
Conhecimento de Transporte Ferroviário de Cargas, modelo 11.

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "71" 2 1 2 N
02 CNPJ do tomador CNPJ do tomador do serviço 14 3 16 N
Inscrição Estadual do
Inscrição estadual do tomador do
03 14 17 30 X
serviço
tomador
04 Data de emissão Data de emissão do conhecimento 8 31 38 N
Unidade da
Federação Unidade da Federação do tomador
05 2 39 40 X
do serviço
do tomador
06 Modelo Modelo do conhecimento 2 41 42 X
07 Série Série do conhecimento 1 43 43 X
08 Subsérie Subsérie do conhecimento 2 44 45 X
09 Número Número do conhecimento 6 46 51 N
Unidade da
Federação do Unidade da Federação do remetente,
remetente/ se o destinatário for o tomador ou
10 destinatário da unidade da Federação do 2 52 53 X
destinatário, se o remetente for o
tomador
nota fiscal
CNPJ do remetente/ CNPJ do remetente, se o destinatário
11 14 54 67 N
for o tomador ou CNPJ do

14
destinatário da nota destinatário, se o remetente for o
fiscal tomador
Inscrição Estadual do
Inscrição Estadual do remetente, se o
remetente/ destinatário for o tomador ou
12 14 68 81 X
destinatário Inscrição Estadual do destinatário, se
o remetente for o tomador
da nota fiscal
Data de emissão da
Data de emissão da nota fiscal que
13 8 82 89 N
acoberta a carga transportada
Nota fiscal
Modelo da nota fiscal que acoberta a
14 Modelo da nota fiscal 2 90 91 X
carga transportada
Série da nota fiscal que acoberta a
15 Série da nota fiscal 3 92 94 X
carga transportada
Número da nota fiscal que acoberta a
16 Número da nota fiscal 6 95 100 N
carga transportada
Valor total da nota fiscal que acoberta
Valor total da nota
17 a carga transportada (com duas 14 101 114 N
fiscal
decimais)
18 Brancos 12 115 126 X

Quem deve gerar o Registro 71?


Apenas os prestadores de serviços de transporte.

Quantos Registros 71 devem ser gerados para cada Registro 70?


Deve ser gerado um Registro 71 para cada Nota Fiscal constante do conhecimento.

Tipo 74 Registro de Inventário;

REGISTRO TIPO 74

REGISTRO DE INVENTÁRIO

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo
01 Tipo "74" 2 1 2 N
Data do Inventário no formato
02 Data do Inventário 8 3 10 N
AAAAMMDD
03 Código do Produto Código do produto do informante 14 11 24 X
04 Quantidade Quantidade do produto (com 3 decimais) 13 25 37 N
Valor bruto do produto (valor unitário
05 Valor do Produto multiplicado por quantidade) com 2 13 38 50 N
decimais
Código de Posse
Código de Posse das Mercadorias
06 das Mercadorias 1 51 51 X
Inventariadas, conforme tabela abaixo
Inventariadas
CNPJ do Possuidor da mercadoria de
CNPJ do Possuidor propriedade do informante, ou do
07 14 52 65 N
/ Proprietário proprietário da mercadoria em poder do
informante
08 Inscrição Estadual Inscrição Estadual do Possuidor da 14 66 79 X

15
do Possuidor / mercadoria de propriedade do Informante,
Proprietário ou do proprietário da mercadoria em
poder do Informante
Unidade da Federação do possuidor da
UF do Possuidor/ Mercadoria de propriedade do informante,
09 2 80 81 X
Proprietário ou do proprietário da mercadoria em
poder do Informante
10 Brancos 45 82 126 X

O registro 74 deve ser gerado nomes do fechamento do balanço ou no


mês em que for solicitado pelo fiscal.

Tipo 75 Registro de Código de Produto e Serviço;

REGISTRO TIPO 75

CÓDIGO DE MERCADORIA / PRODUTO OU SERVIÇO

Nº Denominação do Conteúdo Tamanho Posição Formato


Campo
01 Tipo "75" 2 1 2 N
02 Data Inicial Data inicial do período de validade 8 3 10 N
das informações
03 Data Final Data final do período de validade das 8 11 18 N
informações
04 Código da Código da mercadoria/produto ou 14 19 32 X
Mercadoria/Produto serviço utilizado pelo contribuinte
ou Serviço
05 Código NCM Codificação da Nomenclatura 8 33 40 X
Comum do Mercosul
06 Descrição Descrição da mercadoria/produto ou 53 41 93 X
serviço
07 Unidade de Medida Unidade de medida de 6 94 99 X
de Comercialização comercialização da
mercadoria/produto ( un, kg, mt, m³,
sc, frd, kwh, etc.)
08 Alíquota do IPI Alíquota do IPI do produto (com 2 5 100 104 N
decimais)
09 Alíquota do ICMS Alíquota do ICMS aplicável a 4 105 108 N
mercadoria ou serviço nas operações
ou prestações internas ou naquelas
que se tiverem iniciado no exterior
(com 2 decimais)
10 Redução da Base de % de Redução na base de cálculo do 5 109 113 N
Cálculo do ICMS ICMS, nas operações internas
11 Base de Cálculo do Base de Cálculo do ICMS de 13 114 126 N
ICMS de Substituição substituição tributária (com 2
Tributária decimais

16
Quando gerar o Registro 75?

É obrigatório para informar as condições do produto/serviço, codificando de acordo com o sistema de controle
de estoque/emissão de nota fiscal utilizado pelo contribuinte

Deve ser gerado um Registro 75 para cada Registro 54?

É opcional. Pode ser gerado um Registro 75 para cada Código de Produto e Serviço mencionado no Registro
54 ou ser gerado apenas um Registro 75 para cada Código de Produto e Serviço mencionado em qualquer
Registro 54, não importando o número de vezes que é utilizado.

Porque o Validador Sintegra informa que não existe um Registro 54, correspondente?

Porque o Código de Produto ou Serviço do Registro 75 não é exatamente o mesmo do Registro 54. Ou o
Código de Produto ou Serviço do Registro 75 não foi citado em nenhum dos Registro 54 (está sobrando
Registro 75).

Quem deve apresentar o Código NCM no Registro 75?

O Código NCM é obrigatório para todos os contribuintes do IPI e opcional para os demais contribuintes.

Obs.: Ao digitar o Registro tipo 75 no G5 Phoenix os campos Data Inicial e Final não devem ser preenchidos,
nem mesmo na importação desses dados.

Tipo 76 Registro de total de Nota Fiscal de Serviço de Comunicação (modelo 21) e Nota Fiscal de
Telecomunicações (modelo 22) nas prestações de serviços.

REGISTRO TIPO 76

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO (MOD. 21) nas prestações de serviço


NOTA FISCAL DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES (MOD. 22) nas prestações de serviço.

Denominação do
N.º Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo

01 Tipo "76" 2 1 2 N
02 CNPJ/CPF CNPJ/CPF do tomador do serviço 14 3 16 N
Inscrição Estadual do do tomador do
03 Inscrição Estadual 14 17 30 X
serviço
04 Modelo Código do modelo da nota fiscal 2 31 32 N
05 Série Série da nota fiscal 2 33 34 X
06 Subsérie Subsérie da nota fiscal 2 35 36 X
07 Número Número da nota fiscal 10 37 46 N
08 CFOP Código Fiscal de Operação e Prestação 4 47 50 N
Código da identificação do tipo de
09 Tipo de Receita 1 51 51 N
receita, conforme tabela abaixo
Data de emissão na saída ou de
Data de
10 8 52 59 N
emissão/Recebimento
Recebimento na entrada

17
Sigla da Unidade da Federação do
11 Unidade da Federação 2 60 61 X
Remetente nas entradas e do
destinatário nas saídas

Valor total da nota fiscal


12 Valor Total 13 62 74 N
(com 2 decimais)
Base de Cálculo do ICMS
13 Base de Cálculo do ICMS 13 75 87 N
(com 2 decimais)
Montante do imposto
14 Valor do ICMS 12 88 99 N
(com 2 decimais)
Valor amparado por isenção ou não-
15 Isenta ou não tributada 12 100 111 N
Incidência (com 2 decimais)
Valor que não confira débito ou
16 Outras 12 112 123 N
Crédito do ICMS (com 2 decimais)

17 Alíquota Alíquota do ICMS (valor inteiro) 2 124 125 N

Situação da nota fiscal quanto ao


18 Situação 1 126 126 X
Cancelamento

REGISTRO TIPO 85

Informações de Exportações.

Denominação do
N.º Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo

01 Tipo 85 02 01 02 N
Declaração de
02 Nº da Declaração de Exportação 11 03 13 N
Exportação
Data a Declaração de Exportação
03 Data a Declaração 08 14 21 N
(AAAAMMDD)
Preencher com: “1” – Exportação Direta
04 Natureza da Exportação 01 22 22 X
“2” - Exportação Indireta
05 Registro de Exportação Nº do registro de Exportação 12 23 34 N
Data do registro de Exportação
06 Data do Registro 08 35 42 N
(AAAAMMDD)
Conhecimento de
07 Nº do conhecimento de embarque 16 43 58 X
embarque
Data do Conhecimento de embarque
08 Data do conhecimento 08 59 66 N
(AAAAMMDD)

18
Informação do tipo de conhecimento de
transporte (Preencher conforme a
09 Tipo do Conhecimento 02 67 68 N
tabela de tipo de documento de carga
do SISCOMEX – anexa)
Código do país de destino da
10 País mercadoria (Preencher conforme tabela 04 69 72 N
do SISCOMEX)

11 Reservado Preencher com zeros 08 73 80 N

Data da Averbação da
Data da averbação da Declaração de
12 Declaração de 08 81 88 N
exportação (AAAAMMDD)
Exportação

Nota Fiscal de Nº de nota Fiscal de Exportação emitida


13 06 89 94 N
Exportação pelo Exportador

Data da emissão da NF de exportação /


14 Data da emissão 08 95 102 N
revenda (AAAAMMDD)

15 Modelo Código do modelo da NF 02 103 104 N

16 Série Série da Nota Fiscal 03 105 107 X

17 Brancos Brancos 19 108 126 X

Este registro se destina a informar dados relativos à exportação, obrigatório para os exportadores,
inclusive Comerciais exportadores e “Trading Companies”;

Deverá ser gerado um registro 85 para cada Declaração de Exportação averbada e no arquivo do
período de referência em que ocorrer a averbação;

Caso haja mais de uma Nota Fiscal vinculada a uma mesma Declaração de Exportação, deverão
ser gerados tantos registros quantos documentos fiscais existirem;

Deverá ser gerado um registro 85 para cada Registro de Exportação vinculado a uma mesma
Declaração de Exportação;

A obrigatoriedade de informar esse registro não dispensa a obrigatoriedade de informar os


registros tipo 50, 54 e 75 relativos aos documentos fiscais de exportação;

Tabela de "Tipo de documento de carga" do SISCOMEX:

CÓDIGO DENOMINAÇÃO
01 AWB
02 MAWB
03 HAWB

19
04 COMAT
06 R. EXPRESSAS
07 ETIQ. REXPRESSAS
08 HR. EXPRESSAS
09 AV7
10 BL
11 MBL
12 HBL
13 CRT
14 DSIC
16 COMAT BL
17 RWB
18 HRWB
19 TIF/DTA
20 CP2
91 NÂO IATA
92 MNAO IATA
93 HNAO IATA
99 OUTROS

REGISTRO TIPO 86

Informações Complementares de Exportações.

Denominação do
N.º Conteúdo Tamanho Posição Formato
Campo

01 Tipo 86 02 01 02 N
02 Registro de Exportação Nº do registro de exportação 12 03 14 N
Data do Registro de Exportação
03 Data do Registro 08 15 22 N
(AAAAMMDD)
CNPJ do contribuinte Produtor /
04 CNPJ do Remetente Industrial / Fabricante que promoveu a 14 23 36 N
remessa com fim específico
Inscrição Estadual do contribuinte
Inscrição Estadual do Produtor / Industrial / Fabricante que
05 14 37 50 X
Remetente promoveu a remessa com fim
específico
Unidade da Federação do contribuinte
Produtor / Industrial / Fabricante que
06 Unidade da Federação 02 51 52 X
promoveu a remessa com fim
específico
Nº da Nota Fiscal de remessa com fim
07 Número de Nota Fiscal 06 53 58 N
específico de exportação recebida
Data de emissão da Nota Fiscal de
08 Data de emissão remessa com fim específico 08 59 66 N
(AAAAMMDD)

09 Modelo Código do modelo do documento fiscal 02 67 68 N

10 Série Série da Nota Fiscal 03 69 71 X

20
Código do produto adotado no registro
tipo 75 quando do registro de entrada
11 Código do Produto 14 72 85 X
da Nota Fiscal de remessa com fim
específico

Quantidade, efetivamente exportada, do


produto declarado na Nota Fiscal de
12 Quantidade 11 86 96 N
remessa com fim específico recebida
(com três decimais)

Valor Unitário do produto (com duas


13 Valor Unitário do produto 12 97 108 N
decimais)

Valor total do produto (valor unitário


14 Valor do Produto multiplicado pela quantidade) – com 2 12 109 120 N
decimais
Preencher conforme tabela de códigos
de relacionamento entre registro de
15 Relacionamento 01 121 121 N
exportação e nota fiscal de remessa
com fim específico – Tabela A

16 Brancos Brancos 05 122 126 X

Este registro se destina a informar dados relativos a remessa com fim específico de exportação
com declaração de exportação averbada, obrigatório para as Empresas Comerciais Exportadoras e
"Trading Companies";

Deverá ser gerado um registro 86 para cada Nota Fiscal de remessa com fim específico de
exportação relacionada com o Registro de Exportação em questão;

Deverá ser gerado um registro 86 para cada Registro de Exportação emitido, mesmo que isso
implique repetição de informações sobre a Nota Fiscal emitida com fim específico;

Código de Relacionamento entre Registro de Exportação e Nota Fiscal de remessa com fim
específico:

CÓDIGO DESCRIÇÃO

0 (zero) Código destinado a especificar a existência de relacionamento de um Registro de


Exportação com uma NF de remessa com fim específico (1:1).

1 Código destinado a especificar a existência de relacionamento de um Registro de


Exportação com mais de uma NF de remessa com fim específico (1:N).

2 Código destinado a especificar a existência de relacionamento de mais de um


Registro de Exportação com somente uma NF de remessa com fim específico
(N:1).

21
A obrigatoriedade de informar esse registro não dispensa a obrigatoriedade de informar os
registros tipo 50, 54 e 75 relativos aos documentos fiscais recebidos com o fim específico de
exportação." (NR).

Tipo 90 Registro de totalização do arquivo, destinado a fornecer dados indicando a quantidade de


registros.

REGISTRO TIPO 90

TOTALIZAÇÃO DO ARQUIVO

Denominação do
Nº Conteúdo Tamanho Posição Formato
campo
01 Tipo "90" 2 1 2 N
02 CNPJ CNPJ do informante 14 3 16 N
03 Inscrição Estadual Inscrição Estadual do informante 14 17 30 X
Tipo de registro que será totalizado
04 Tipo a ser totalizado 2 31 32 N
pelo próximo campo
Total de registros do tipo informado
05 Total de registros 8 33 40 N
no campo anterior
Número de registros
06 1 126 126 N
tipo 90

PROCEDIMENTOS PARA GERAÇÃO DO ARQUIVO MAGNETICO NO PROGRAMA G5 PHOENIX

Devemos ativar a empresa e seguir os seguintes passos:


a-) entrar no item <GUIAS>
b-) agora na opção <NOVO SINTEGRA MENSAL 2004/GRF-CBT>

Abaixo temos a tela com as opções necessárias para geração do arquivo magnético, a seguir detalharemos
os itens da mesma.

22
Esta opção define a “finalidade do arquivo”.

• Interestadual é utilizado para contribuintes que tiveram em um período mensal alguma operação
interestadual. Nesse caso o contribuinte esta dispensado dos Registros Especiais (54, 71, 74, 75 e
88).
• Totalidade esta opção será usada pelos contribuintes notificados pela Secretária da Fazenda de São
Paulo ou quando notificadas pelo fiscal para fiscalização dos dados. Nesses casos o contribuinte
quando solicitado deve entregar os registro especiais que veremos a seguir.

23
Está opção deve ser utilizada quando o contribuinte está gerando os arquivos por Totalidade, de acordo com
as características de sua empresa (ecf, emissão de notas por processamento de dados.. etc)

Está opção tem a finalidade de definir qual o período deve ser gerado.

Está opção o contribuinte define qual o tipo (espécie) de documento que foi digitado no G5 Phoenix, pois
como já sabemos, pode haver diferença de digitação entre contribuintes diferentes no que diz respeito a
Maquina Registrado, Emissor de Cupom Fiscal, etc...

Está opção o contribuinte define qual o tipo (espécie) de documento que foi digitado no G5 Phoenix, pois
como já sabemos, pode haver diferença de digitação entre contribuintes diferentes no que diz respeito a
Maquina Registrado, Emissor de Cupom Fiscal, etc...

Através desse campo podemos definir o local onde será gravado o arquivo magnético.

Está opção foi criada para atender os clientes que importam o registro 75 do layout da Port. Cat. 92/2002 e
Port. Cat. 104/2003.

24
Este campo é utilizado para definirmos os tipos de contribuinte para geração dos arquivos magnéticos para
importação do programa GRF-CBT.

VALIDADOR SINTEGRA

Atra
vés
desse programa é possível consistir as informações do arquivo magnético, seja o arquivo INTERESTADUAL
ou ainda o arquivo de TOTALIDADE das informações.
Para isso é necessário selecionar o arquivo magnético e em seguida VALIDA-LO através da opção abaixo:

Ainda nessa primeira tela é possível visualizar as informações constantes no arquivo magnético, utilizando
para isso a ferramenta abaixo:

em seguida teremos a seguinte tela:

25
Podemos também visualizar a Nota em seu formato original, utilizando para isso a seguinte opção:

e teremos então a seguinte tela:

26
Feito o processo de VALIDAÇÃO do arquivo magnético teremos a seguinte a:

Essa tela demonstra os registros aceitos com ou sem advertência e ainda os registros rejeitados (esses no
caso devem ser corrigidos).

27
Agora devemos proceder da seguinte forma:
1º ARQUIVOS INTERESTADUAIS e ARQUIVOS TOTALIZADORES NOTIFICADOS PELO SEFAZ devemos
fazer a geração de mídia utilizando a opção abaixo:

2º ARQUIVOS TOTALIZADORES NOTIFICADOS POR FISCAIS não devemos fazer a geração da mídia,
simplesmente fazemos a validação e em seguida entregamos o arquivo magnético.

Quando houver rejeição de registros os mesmos serão demonstrados da pasta CRITICAS conforme figura
abaixo:

TED – Transmissão Eletrônica de Documentos

28
Através desse programa utilizado para envio do arquivo magnético INTERESTADUAL ou ainda os arquivos
TOTALIZADORES NOTIFICADOS PELO SEFAZ. Através dele é possível determinar a Secretária da
Fazendo que deverá receber o arquivo.

Obs.: A Secretaria da Fazenda de Santa Catarina utiliza um transmissor próprio não devendo ser usado o
TED.

Apor a seleção do arquivo e da secretária de destino, devemos selecionar a opção abaixo.

GRF - CBT
Quem deve entregar o arquivo magnético?

Os fabricantes e os importadores de combustíveis derivados de petróleo, inclusive de solventes, as usinas


e destilarias de açúcar e álcool, as distribuidoras de combustíveis, inclusive de solventes, como tal definidas e
autorizadas por órgão federal competente, e os Transportadores Revendedores Retalhistas - TRR deverão
enviar à Secretaria da Fazenda, até o dia quinze (15) de cada mês, arquivo gerado, estruturado, formatado e
composto de acordo com as instruções contidas no Manual de Orientação, Anexo I da Portaria CAT 32/96, de
28-3-1996, e com o disposto da Portaria CAT 95/2003, contendo o registro fiscal de todas as suas operações
e prestações realizadas a qualquer título no mês anterior.

29
O revendedor varejista de combustíveis e os contribuintes do ICMS que adquirirem combustíveis para
consumo deverão enviar à Secretaria da Fazenda, até o dia 15 (quinze) de cada mês, arquivo gerado,
estruturado, formatado e composto de acordo com as instruções contidas no Manual de Orientação, Anexo I
da Portaria CAT 32/96, de 28-3-1996, e com o disposto da Portaria CAT 95/2003, contendo o registro fiscal de
todas as operações realizadas a qualquer título no mês anterior com combustíveis derivados de petróleo, gás
natural veicular e álcool etílico hidratado combustível.

Os registros gerados conforme disposição da Portaria CAT 95/2003 devem ser referentes as operações
acobertadas por Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A.

Conforme disposição da Portaria CAT 29/2004, os contribuintes de ICMS só devem gerar os registros por
Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A que superarem no período a quantidade de 10.000 (dez mil) litros em relação a
cada tipo de combustível.

Observação

O cumprimento da obrigação prevista neste artigo, não desobriga o contribuinte usuário de sistema eletrônico
de processamento de dados nos termos da Portaria CAT 32/96 da entrega de arquivo com o registro fiscal da
totalidade de suas operações e prestações efetuadas a qualquer título, quando exigido.

Sobre o GRF-CBT

O programa de computador denominado "Gerador de Registro Fiscal - Combustíveis - GRF-CBT" poderá ser
utilizado pelo contribuinte tanto para digitação dos documentos fiscais relativos às suas operações ou
prestações quanto para importação dos dados previamente gerados em sistema próprio, de acordo com o
leiaute descrito no Anexo Único desta e no Anexo I da Portaria CAT-32/96.

COMPOSIÇÃO

REGISTRO / CONTEÚDO

Tipo 88C - Registro concernente a operações envolvendo combustíveis / solventes e complementar ao


Registro 54 no que se refere a informações relativas à Substituição Tributária.

Registro tipo "88C" - Informações complementares sobre operações com combustíveis.

Nº Campo Conteúdo Tamanho Posição Formato

01 Tipo "88" 2 1 2 N

02 Subtipo "C" 1 3 3 X

CNPJ ou CPF do remetente


03 CNPJ / CPF nas entradas e do 14 4 17 N
destinatário nas saídas

Código do modelo do
04 Modelo 2 18 19 N
documento fiscal

05 Série Série do Documento Fiscal 3 20 22 X

Número do Documento
06 Número 6 23 28 N
Fiscal

Código Fiscal de Operação


07 CFOP 4 29 32 N
e Prestação

08 Número do Item Número de ordem do item 3 33 35 N

30
no documento fiscal

Código do Produto/ Código do Produto/


09 Mercadoria ou Mercadoria ou Serviço do 14 36 49 X
Serviço informante

Quantidade do Produto/
10 Quantidade Mercadoria (com 3 11 50 60 N
decimais)

Valor da BC ST na origem/
BC ST na origem/ destino em operações
11 12 61 72 N
destino interestaduais (com 2
decimais)

Valor do ICMS-ST a
ICMS-ST a repassar repassar / deduzir em
12 12 73 84 N
/ deduzir operações interestaduais
(com 2 decimais

Valor do ICMS-ST a
ICMS-ST a
13 complementar à UF de 12 85 96 N
complementar
destino (com 2 decimais)

Valor da BC da retenção
em remessa promovida por
14 BC da Retenção 12 97 108 N
substituído intermediário
(com 2 decimais)

Valor da parcela do imposto


retido em remessa
Parcela da Imposto
15 promovida por substituído 12 109 120 N
Retido
intermediário (com 2
decimais)

Complementação com
16 Brancos 6 121 126 X
espaços

Deverá ser gerado um registro do tipo "88C" correspondente a cada registro do tipo 54 da Portaria CAT 32/96
(envolvendo operações de combustíveis / solventes) informado, estabelecendo-se uma relação biunívoca.

Tipo 88D - Registro concernente a operações envolvendo combustíveis / solventes e complementar ao


Registro 50 no que se refere à movimentação física das mercadorias e respectivas datas.

Registro tipo "88D" - Informações sobre a data de emissão dos documentos fiscais e locais de
armazenagem.

Nº Campo Conteúdo Tamanho Posição Formato

01 Tipo "88" 2 1 2 01

02 Subtipo "D" 1 3 3 02

03 CNPJ / CPF CNPJ ou CPF do remetente nas 14 4 17 03


entradas e do destinatário nas
saídas

04 IE Inscrição Estadual do remetente 14 18 31 04


nas entradas e do destinatário

31
nas saídas

05 UF Unidade da federação do 2 32 33 05
remetente nas entradas e do
destinatário nas saídas

06 Modelo Código do modelo do documento 2 34 35 06


fiscal

07 Série Série do Documento Fiscal 3 36 38 07

08 Número Número do Documento Fiscal 6 39 44 08

09 Emitente Emitente da Nota Fiscal (P- 1 45 45 09


próprio/T-terceiros)

10 Data de Emissão Data de emissão do documento 8 46 53 10


fiscal

11 Data de Saída / Entrada Data de saída / entrada dos 8 54 61 11


produtos/mercadorias

12 CNPJ do local de saída CNPJ do local de saída dos 14 62 75 12


produtos/mercadorias

13 UF do local de saída Unidade da federação do local de 2 76 77 13


saída dos produtos/mercadorias

14 IE do local de saída Inscrição Estadual do local de 14 78 91 14


saída dos produtos/mercadorias

15 CNPJ do local de CNPJ do local de 14 92 105 15


recebimento/entrega recebimento/entrega dos
produtos/mercadorias

16 UF do local de Unidade da federação do local de 2 106 107 16


recebimento/entrega recebimento/entrega dos
produtos/mercadorias

17 IE do local de Inscrição Estadual do local de 14 108 121 17


recebimento/entrega recebimento/entrega dos
produtos/mercadorias

18 Brancos Complementação com espaços 5 122 126 18

Este registro complementa informações das NF de Entrada e de Saída de Combustíveis modelos 1 ou 1A;

Deverá ser gerado um registro do tipo "88D" correspondente a cada registro do tipo 50 da Portaria CAT 32/96
(envolvendo operações de combustíveis / solventes) informado, estabelecendo-se uma relação biunívoca.

Tipo 88E - Registro de relacionamento entre codificação própria do contribuinte relativa a mercadorias
referidas a combustíveis / solventes e a codificação SEFAZ SP.

Registro tipo "88E" - Equivalência de códigos de produtos / Mercadorias e serviços

Nº Campo Conteúdo Tamanho Posição Formato

01 Tipo "88" 2 1 2 N

32
02 Subtipo "E" 1 3 3 X

03 CNPJ / CPF CNPJ ou CPF do informante 14 4 17 N

04 IE Inscrição Estadual do informante 14 18 31 X

Código do
Produto / Código do Produto / Mercadoria
05 Mercadoria ou ou Serviço adotado pelo 14 32 45 X
Serviço do informante
informante

Código do
Produto / Código do Produto / Mercadoria
06 Mercadoria ou ou Serviço constante da tabela 14 46 59 X
Serviço da da SEFAZ
SEFAZ

07 Brancos Complementação com espaços 67 60 126 X

Este registro estabelece a correspondência entre os códigos definidos pela Secretaria da Fazenda de São
Paulo e a codificação utilizada pelo contribuinte informante, conforme registro do tipo 75 (Portaria CAT 32/96).

Deverá ser gerado um registro do tipo "88E" correspondente a cada registro do tipo 75 da Portaria CAT 32/96
(referentes a combustíveis / solventes) informado, estabelecendo-se uma relação biunívoca. A exceção se dá
para o caso de solventes, onde a relação será unívoca.

Tipo 88T - Registro concernente a operações envolvendo combustíveis / solventes e complementar ao


Registro 50 no que se refere a informações relativas a prestação de serviços de transporte.

Registro tipo "88T" - Informação sobre a prestação de serviço de transporte

Nº Campo Conteúdo Tamanho Posição Formato


01 Tipo "88" 2 1 2 N
02 Subtipo "T" 1 3 3 X
03 CNPJ / CPF CNPJ ou CPF do remetente nas 14 4 17 N
entradas e do destinatário nas
saídas
04 Data de Emissão / Data de Emissão na Saída ou 8 18 25 D
Recebimento Recebimento na Entrada
05 UF Unidade da Federação do 2 26 27 X
remetente nas entradas e do
destinatário nas saídas
06 Modelo Código do modelo do documento 2 28 29 N
fiscal
07 Série Série do Documento Fiscal 3 30 32 X
08 Número Número do Documento Fiscal 6 33 38 N
09 Emitente Emitente da Nota Fiscal (P- 1 39 39 X
próprio/T-terceiros)
10 CIF / FOB Modalidade do Frete – "1" – CIF / 1 40 40 N
Emitente ou "2" – FOB /
Destinatário
11 CNPJ/CPF Frete CNPJ ou CPF do Transportador 14 41 54 N
12 UF Frete Unidade da Federação de 2 55 56 X

33
localização do transportador
13 IE Frete Inscrição Estadual do transportador 14 57 70 X
14 Modal Modal de Transporte 1 71 71 N
15 Placa 1 Número da placa do veículo 7 72 78 X
16 UF 1 Unidade da Federação 2 79 80 X
correspondente a Placa 1
17 Placa 2 Número da placa do veículo 7 81 87 X
18 UF 2 Unidade da Federação 2 88 89 X
correspondente a Placa 2
19 Placa 3 Número da placa do veículo 7 90 96 X
20 UF 3 Unidade da Federação 2 97 98 X
correspondente a Placa 3
21 Brancos Complementação com espaços 29 99 126 X

Este registro complementa as informações referentes às Notas Fiscais modelos 1 ou 1A relativamente ao


transporte das mercadorias;

Deverá ser gerado um registro 88T correspondente a cada registro tipo 50 da Portaria CAT 32/96 (envolvendo
operações de combustíveis / solventes) informado, estabelecendo-se uma relação biunívoca;

34
PROCEDIMENTOS PARA GERAÇÃO DO ARQUIVO MAGNETICO REF. AO GRF- CBT NO PROGRAMA
G5 PHOENIX

Existem 3 tipos de empresas que devem gerar o arquivo magnético para o GRF combustíveis:

Abaixo devemos selecionar o tipo de empresa:

Este campo é utilizado para definirmos os tipos de contribuinte para geração dos arquivos magnéticos para
importação do programa GRF-CBT.

Apenas as notas fiscais modelo 1 deverão ser informadas no GRF/CBT

Aqueles que adquirirem combustível apenas para consumo terão que prestar informações apenas dessas
entradas.

Procedimentos:

1º) Ao escriturar as notas de compras ou vendas de combustíveis, utilizar os CFOPs próprios (1.651 a 1.653
ou 5.651 a 5.656) e na coluna de Observações, teclar CTRL+enter para que apareça a sigla "CBT". Essa sigla

35
também pode ser digitada e pode ser maiúscula ou minúscula. Se a nota não estiver gravada com "CBT" na
observação, não será levada para o GRF-CBT.

2º) Após escriturar as notas, ir até ao menu Escrituração/Sintegra Digitar ou Importar. É necessário escriturar
os registros 54/75.

3º) Ir ao menu Escrituração/ Sintegra Digitar ou importar / cadastrar código de produto GRF-CBT Reg 88E.
Nessa tela será feita a correlação do código atribuído ao produto pela empresa com o código atribuído ao
produto pela SEFAZ. Ex. se para a empresa a Gasolina C tem o código 587 para a Sefaz o código é 2203. Se
dermos CTRL+Enter no campo "Cod GRF-CBT" abrirá a lista dos códigos Sefaz.
Esse código Sefaz também pode ser cadastrado na tela onde cadastramos o registro 75 - produtos)

4º) Se o transportador do combustível não for próprio, o cliente poderá preencher a tela " "Cadastrar
Transportador GRF-CBT (Reg.88T)" que fica no menu Escrituração / Sintegra Digitar / Importar. Caso o

36
cliente não preencha essa tela, não tem problema, pois o sistema vai gerar automaticamente esse registro
considerando que o o transporte é próprio"

5º) Ativar a empresa no mês desejado

6º) Ir até a janela “Mensal/Novo Sintegra Mensal – GRF CBT” e assinalar:

o (x) Totalidade das Operações


o (x) Só dos combustíveis e (X) Tipo 88
o Selecionar o diretório onde deve ser gerado o arquivo (sugerimos que se crie uma pasta de nome
“Combustíveis”, e exporte para ela a fim de não misturar com os arquivos do Sintegra.
o Selecionar o tipo de empresa que está exportando as informações :
ƒ ( ) Fabricantes / Distribuidoras Combustíveis ou,
ƒ ( ) Revendedor Combustíveis ou,
ƒ ( ) Outros Contribuintes (só consumo)

o Clicar em “Executar”.

7º) Entrar no programa GRF-CBT , ir ao menu “Utilitários”, clicar em “Importar” e localizar o diretório onde o
arquivo foi gerado. Clicar no arquivo desejado (Apelido_ano_mês.txt) e depois em OK.

37
Fundamento:
Port. Cat. 32/96
Port. Cat. 92/2002
Port. Cat. 95/2003
Port. Cat. 104/2003
Port. Cat. 29/2004
Port. Cat. 62/2005

38