MANUAL

ACADÊMICO
(Manual do Aluno)
Instruções gerais para alunos da Graduação em 2013.1 Bacharel em Teologia e Licenciatura em Música

Mantida pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil Rua José Higino, 416 – Tijuca – Rio de Janeiro - RJ – CEP: 20510-412 Tel: (21) 2570-1833 – Site: www.seminariodosul.com.br | www.fabat.com.br

SUMÁRIO
1. CORPO EXECUTIVO INSTITUCIONAL 2. BREVE HISTÓRICO INSTITUCIONAL 2.1. Histórico da instituição mantenedora 2.2. Missão e visão 2.3. Estrutura institucional 3. CURSOS SUPERIORES OFERECIDOS NA FABAT 3.1. Cursos de Graduação 3.1.1. Bacharel em Teologia 3.1. 2. Licenciatura em Música 3.1.2.1. FAQs do curso de Licenciatura em Música 3.2. Cursos Especiais/Extensão 3.3. Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu 3.4. Atividades Complementares 3.4.1 FAQs sobre as Atividades Complementares 4. FORMAS DE INGRESSO PARA CURSOS DE GRADUAÇÃO (MEC) 5. NORMAS GERAIS DA FABAT 6. TERMINOLOGIAS ACADÊMICAS 7. CALENDÁRIO ACADÊMICO 2013.1 8. REGULAMENTOS IMPORTANTES 8.1. Atividades Complementares 8.2. Regulamento dos Cursos de Extensão 8.3. Regulamento do CCE – Centro de Cursos de Extensão 8.4. Diretrizes para Orientação de Monografia 8.5. Regulamento do Regime Especial de Aprendizagem (Tutoria) 09 09 09 09 13 13 13 14 15 21 33 35 36 36 44 47 55 59 04 06 06 03

2

1. CORPO EXECUTIVO INSTITUCIONAL
CONSELHO DIRETOR DA CBB
• Presidente: Luis Roberto Silvado; • 1º Vice-Presidente: Lyncoln Pereira Araújo; • 2º Vice-Presidente: Oliveira de Araújo; • 3º Vice-Presidente: Eber Silva; • 1ª Secretária: Alzira Bittencourt Araújo; • 2ª Secretária: Iracy Leite; • 3º Secretário: José Laurindo Filho; • 4ª Secretária: Tânia Maria Kammer.

DIRETORIA EXECUTIVA DA FABAT/STBSB
• Diretor – diretoria@seminariodosul.com.br Prof. Ms. Luiz Alberto Teixeira Sayão • Ass. da Diretoria Geral – diretoria@seminariodosul.com.br Func. Norma Cardoso • Coordenação Geral Acadêmica (CGA) – teresaakil@seminariodosul.com.br Profa. Dra. Teresa Akil • Ass. do curso de Licenciatura em Música – theogenes@seminariodosul.com.br Prof. Dr. Theógenes Eugênio Figueiredo
• Orientação Pedagógica – pedagogia@seminariodosul.com.br

Profa. Esp. Ana Laura Defáveri • Prof. Resp. Atividades Complementares (CCE)– delambre2@hotmail.com Prof. Dr. Delambre de Oliveira • Central de Atendimento ao Estudante (CAE) – rute@seminariodosul.com.br Func. Rute Felipe

3

a partir da publicação da Portaria MEC nº 1. é o mantenedor da Faculdade Batista do Rio de Janeiro (FABAT). em Música e em Educação Cristã.” O Seminário. uma vez que esta Casa já entregou à denominação batista. Deter.375. no dia 27 de junho de 1907 e o Seminário foi criado para ser um Departamento de Teologia do Colégio. O Dr. local onde compartilha com o Colégio Batista Sheppard uma excelente propriedade no coração da cidade do Rio de Janeiro. objetos e fotografias indispensáveis à produção de uma história do movimento batista neste país. protocolo nº 201008261412165 – RQC 70598.1. Assim. muitos dos quais se deslocam de suas cidades e estados para realizar sua formação nesta Instituição. à Rua José Higino. uma sociedade civil filantrópica de natureza religiosa educacional. Seu Estatuto encontra-se registrado no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas. Shepard. fundada por tempo indeterminado pela Convenção Batista Brasileira. 4 . em 09 Set/2010. com as Convenções Estaduais e Associações municipais.2. Boa parte dos ministros batistas foi formada em suas salas. presta serviços a todos os brasileiros. Instituição pertencente à Convenção Batista Brasileira. na cidade do Rio de Janeiro (RJ).000 diplomados em Teologia. Taylor e Cannada. reuniu-se. HISTÓRICO DA INSTITUIÇÃO SEMINÁRIO TEOLÓGICO BATISTA DO SUL DO BRASIL (STBSB). sem fins lucrativos. BREVE HISTÓRICO INSTITUCIONAL O Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil. 2. Hamilton. além de Pós-Graduação Lato Sensu e cursos de extensão (livres) na área eclesiástica. através do CEFOM . Nos seus arquivos estão manuscritos. Maddox. dos quais seguem alguns destaques: PRIMEIRO PERÍODO – Implantação (1907 – 1929): Já na primeira Assembléia da Convenção Batista Brasileira. visto que este poderia ajudar na sua manutenção. comarca da capital do Rio de Janeiro. cuja história remonta ao final do século 19.Centro de Formação Ministerial. no bairro Tijuca. Nas estantes de suas bibliotecas. nº 416. O Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil (STBSB) existe desde 15/03/1908. quando o protestantismo fincou raízes definitivas no solo brasileiro. pela primeira vez. encontra-se parte da bibliografia teológica contemporânea. e o Colégio existe para que o Seminário tenha meios e recursos para o seu trabalho de preparar obreiros e professores. publicada no DOU de 20 de maio de 2004. com sede na cidade do Rio de Janeiro – RJ. Shepard declararia em seu relatório. Este Grupo composto pelos missionários J. quando graduou seus primeiros cinco alunos. de 19 de maio de 2004. foi eleito um Grupo de Trabalho para abrir um colégio e um seminário no Rio de Janeiro. A entidade oferece cursos de graduação (Bacharel em Teologia e Licenciatura em Música). O Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil tem uma das páginas mais densas da história dos batistas brasileiros. relaciona-se com as igrejas batistas de todo Brasil. Localiza-se na colina da chácara do Barão de Itacuruçá. W. mais de 3. Bagby. documentos. com sede e foro na cidade do Rio de Janeiro (RJ). averbado e arquivado sob matrícula n º 4334. em 1927: “O Seminário é a coroa da instituição. Passou por períodos administrativos. desde 1916.

Fundou-se o Centro de História Viva dos Batistas Brasileiros e ampliou-se a capacidade dos dormitórios para solteiros e para casados. Nesse período formaram-se 800 alunos. nessa primeira fase. passou a ofertar cursos de nível superior com diplomas reconhecidos pelo MEC. Reativou-se a Revista Teológica e neste período. Em 1960 extinguiu-se o curso por extensão e em 1963 criou-se o curso de Música com dois alunos e dois professores. SEGUNDO PERÍODO – Transição (1930 – 1936): No curso de preparação de pastores.344 alunos. credenciada como Instituição de Ensino Superior pela Portaria MEC nº 1.instituição que em 15 de março de 1908 abria suas portas com 36 alunos. de 19 Mai 2004. A partir da publicação da Portaria MEC nº 1. que durou até 1966. O Colégio e o Seminário passaram a ter administrações próprias.). Em 1955. dormitórios etc. QUARTO PERÍODO – Consolidação (1945 – 1954): De 1945 a 1954. Neste período de implantação se formaram 39 alunos e se deu a aquisição das propriedades onde até hoje funcionam as duas instituições. biblioteca. H. SÉTIMO PERÍODO (1971 – 1984): Estruturou-se o curso de Mestrado em Teologia. construíram-se todos os prédios modernos da instituição (capela. praça. publicada no DOU de 20 Mai 2004. Watson. Neste período foi construído o grande prédio que foi destinado às aulas e à administração. Muirhead e S. houve a separação das instituições.375. B. TERCEIRO PERÍODO – Separação (1936 – 1945): Em 1936. L. previa-se o estudo nos vários setores que devem preocupar um pastor: da teologia sistemática à pastoral. o STBSB. atuaram mais três missionários: A. através da FABAT. OITAVO PERÍODO – (1985 – 1998): Foram criados os Cursos de Educação-Teologia Cristã. de 29 Dez 1999. FACE passou a denominar-se FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANEIRO (FABAT). o que demonstra uma preocupação constante com os destinos do ensino da teologia. Langston. começou a circular a Revista Teológica. iniciaram-se as aulas do Bacharel em Teologia do turno da noite e iniciou-se o Curso Teológico por Extensão (CETEX). da educação religiosa à música. QUINTO PERÍODO – Expansão (1955 – 1967): A partir de 28 de janeiro de 1955 consolidouse o patrimônio teológico e arquitetônico do Seminário. A partir deste momento. Ao final do período. formaram-se 1. Curso Técnico de Música e o Curso Noturno de Música Sacra. 14 dos quais no ano de 1942. Objetivando a preparação de professores. Nesse período. hoje completa o seu centenário. e formaram-se 29 alunos. 5 .907. foi criado o Curso de Mestrado em Teologia. SEXTO PERÍODO (1967 – 1971): Neste período o Seminário foi reconhecido pela Associação de Seminários Teológicos Evangélicos (ASTE) como instituição de nível superior. Ao final deste período o Seminário entregou mais 62 bacharéis ao ministério batista. H. a denominação havia recebido o total de 91 bacharéis. o prédio de numero 14. publicada no DOU de 30 Dez 1999. NONO PERÍODO – (1999 – 2004): Período no qual o Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil torna-se mantenedor da FACULDADE DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO (FACE).

Diário Oficial da União. entre outros fatores. 2. de Licenciatura em Pedagogia. DÉCIMO SEGUNDO PERÍODO (2009-2010): Dois foram os destaques deste período: 1. esta evidência se alcança. a qualidade e a quantidade de alunos indispensáveis à sua continuidade. que satisfaça às igrejas que desejarem capacitar seus líderes em consonância com nossa confissão de fé e princípios. Mestres e Especialistas reconhecidas pelo MEC – e de dedicação exclusiva (40h) e parcial (20h).07. 2. 3º A administração da Faculdade será exercida pela Direção e pelos órgãos colegiados. Aconselhamento Pastoral e Educação Cristão –. em atenção aos seguintes pressupostos: 1.2. atendidas as peculiaridades 6 . em 16. DÉCIMO PRIMEIRO PERÍODO (2006-2009): A FABAT teve seus dois cursos de graduação autorizados e em processo de reconhecimento: Bacharel em Teologia (cf. bem como com o apoio de alguns horistas. em 30. esta qualidade tem que ser evidente para o público externo. 2. um programa de pós-graduação precisa de qualidade. através do Centro de Cursos de Extensão. segundo o seu Regimento. MISSÃO E VISÃO A FABAT tem por missão é servir às igrejas batistas atuando na capacitação ministerial dos vocacionados e líderes por elas enviados. 4º Os Órgãos colegiados. Portaria 907) e Licenciatura em Música (cf. Art. O Programa foi formulado. 3. oportunizando aos seus docentes de 20h e 40h um avanço nas suas linhas de pesquisa.11.2009. DÉCIMO TERCEIRO PERÍODO (2011 – atual): A FABAT entendeu ser oportuno reabrir seu Programa de Pós-Graduação.3. ESTRUTURA INSTITUCIONAL A FABAT. na sua esteira. pela excelência do seu corpo de professores e pelo valor da produção acadêmica docente e discente.2006. a fim de viabilizar sua missão evangelizadora e transformadora do ser humano de forma integral. passando a contar com um corpo docente altamente qualificado – com professores com titulação de Doutores. com a excelência de um ensino cristão firme e apologético. Diário Oficial da União. Portaria 44.DÉCIMO PERÍODO (2004-2006): Período no qual a FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANEIRO (FABAT) teve seu primeiro curso superior reconhecido pelo MEC. a excelência e o credenciamento trarão a credibilidade e a relevância desejadas e. O corpo docente da FABAT teve seu regime de trabalho alterado. Portaria 992). com os princípios denominacionais.2006.05. a FABAT começou a ofertar cinco cursos de extensão (também chamados de especiais). esclarece que: “Art. comprometida com a Palavra de Deus. em 22. Por conta da alteração do regimento docente. a seguir enumerados. publicado no Diário Oficial da União. e 2. e a planejar e estruturar futuros cursos de Pós-Graduação Lato Sensu (Especialização). 4. que poderão ter regulamentos próprios. Já sua visão é ser uma instituição de educação ministerial batista. agora oferecendo três cursos de Especialização – Teologia Bíblica e Sistemática. Em 1 de novembro de 2012 mais uma vitória: o curso de Graduação em Teologia é reconhecido pelo MEC (Portaria 218 de 1/11/12). pela relevância da sua estrutura curricular.

com. são: Câmara Superior de Gestão (CSG). os quais terão normas próprias de funcionamento. para tratar de assuntos acadêmicos. Central de Atendimento ao Estudante (CAE). das 14h às 22h. O atendimento administrativo ao aluno é realizado presencialmente. Cada curso ou programa terá colegiado próprio. colocou à disposição do aluno a:  Coordenação Geral Acadêmica (CGA). onde o aluno pode fazer sua matrícula em todos os cursos oferecidos. de segunda a sexta. desde que não contrarie este Regimento. onde o aluno pode esclarecer suas dúvidas e obter qualquer informação sobre a área acadêmica dos cursos da IES.de cada um. e também pelo e-mail atendimento@seminariodosul.br.com.” CSG Câmara Superior de Gestão CEPE Câmara de Ensino e Pesquisa CAMCOM Câmara Comunitária COLEGIADOS Teologia Música Para tornar ágil o atendimento e suporte ao aluno. a Direção Geral. que age em sintonia com a Orientação Pedagógica e a Assessoria do Curso de Música. das 13h às 21h. mas pode ser agendado pelo e-mail teresaakil@seminariodosul. Pesquisa e Extensão (CEPE) e Câmara Comunitária (CAMCOM).  7 . Câmara de Ensino. de segunda a sexta.br. § Parágrafo Único. O atendimento ao aluno é realizado presencialmente. requerimentos de toda ordem e tratar de assuntos financeiros.

Atualmente. Para o MEC. Normalmente se refere a uma educação realizada em universidades. 3. toda segunda-feira. 3. Cursos de graduação: são cursos abertos a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente e tenham sido classificados em processo seletivo. 2. A pós-graduação lato sensu confere certificado e a pós-graduação stricto sensu confere diploma. 3. 2.   8 . e 4. Pós-Graduação em Aconselhamento Pastoral. Pós-Graduação em Educação Cristã e Teologia. através da FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANERO. 4. Podem ser de: formação específica e de complementação de estudos.3. licenciaturas e de tecnologia. Liderança de Pequenos Grupos e 5. Cursos de extensão: são cursos também chamados de especiais e abertos a candidatos que atendam aos requisitos estabelecidos em pelas instituições de ensino. Os cursos de graduação conferem diploma aos concluintes e podem ser: bacharelados. MBA em Teologia – Gestão de Pessoas em Espaços Eclesiásticos. abertos a candidatos que atendam aos requisitos estabelecidos pelas instituições de ensino. CURSOS SUPERIORES OFERECIDOS NA FABAT O ensino superior é também conhecido como educação superior ou ensino terciário. CINCO cursos ESPECIAIS (ministrados através do Centro de Formação Ministerial – CEFOM. oferece:  DOIS cursos de GRADUAÇÃO (com diploma reconhecido pelo MEC e aulas de segunda a sexta. Liderança de Crescimento Cristão (Capacitação para Professores de EBD). das 19h às 22h15) de Bacharel em Teologia (reconhecido pela portaria 218 de 1/11/2012) e de Licenciatura em Música (autorizado pela portaria 992 de 30/07/2009). Ambos são abertos a candidatos diplomados em cursos de graduação e que atendam às exigências das instituições de ensino. Cursos de pós-graduação: são cursos de especialização (pós-graduação lato sensu) e de mestrado e doutorado (pós-graduação stricto sensu). das 19h às 22h30): 1. desde que tenham concluído o ensino médio ou equivalente. faculdades. das 19h às 21h30): 1. a Educação Superior brasileira abrange quatro categorias de cursos: 1. Liderança para Ministério de Juventude. Música para a Igreja. Teologia Ministerial. Pós-Graduação em Teologia Bíblica e Sistemática-Pastoral. uma vez por semana. sendo o nível mais elevado dos sistemas educativos. 2. Cursos sequenciais: são cursos organizados por campo de saber. QUATRO cursos de PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (com diploma reconhecido pelo MEC e aulas toda terça-feira. Conferem certificado aos concluintes. institutos politécnicos. de diferentes níveis de abrangência. escolas superiores ou outras instituições que conferem graus acadêmicos ou diplomas profissionais. o STBSB. 4.

Por isto. Portaria 218). decidiu-se pela criação do Colégio Batista na cidade do Rio de Janeiro. Diário Oficial da União.07. comuns a todos os alunos. Portaria 907) e a portaria ministerial do reconhecimento do curso foi assinada em 1 de novembro de 2012 (cf.W. O Curso de Licenciatura em Música com Gestão da Música Eclesiástica oferece formação alinhada com o mercado de trabalho em suas perspectivas fundamentais – a) de um lado. Existe algum caso no qual o aluno pode pagar por créditos? Não. sendo ministrado como curso livre. o Seminário tornou-se independente do Colégio Batista.3. Seu único curso era o de teologia livre. a mantenedora protocolou no Ministério da Educação um pedido para ministrar o curso de Licenciatura em Música com Gestão da Música Eclesiástica.1. nos termos da legislação que passou a incluir a teologia no âmbito do ensino superior. cada uma das formações contemplando estágios específicos nas respectivas áreas de formação. em 7. Em 1936. que incluiria a formação teológica. O valor da mensalidade está diretamente vinculado ao custo total do Curso e não pelos créditos cursados pelo aluno a cada semestre. Portaria 992). Em 2008. a mantenedora protocolou no Ministério da Educação um pedido para ministrar o curso de bacharelato em teologia. que. já no ano seguinte (1908). b) de outro lado.11. ONG e empresas e escolas formais. receberia o nome de Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil.2012. CURSOS DE GRADUAÇÃO 3. Seu alvo era a criação de uma universidade batista. A portaria ministerial de autorização foi assinada em 13 de novembro de 2006 (cf. 3. FAQs do curso de Licenciatura em Música Posso pagar o Curso de Gestão da Música Eclesiástica com Licenciatura em Música por créditos? Não.2006. Diário Oficial da União. BACHAREL EM TEOLOGIA Em 1907.1. na cidade de Salvador. em 30.1.1. 9 . o Seminário abriu o curso de música sacra. 3.11. Diário Oficial da União. em 16.1. na estrutura inicial do Colégio existia um Departamento Teológico. nos termos da legislação que passou a incluir a música no âmbito do ensino superior.000 m2.1. J. Em 2004. A portaria ministerial de autorização foi assinada em 28 de julho de 2009 (cf. LICENCIATURA EM MÚSICA Em 1963.2. tendo como presidente o missionário Dr. formação sólida na gestão de música eclesiástica. numa sede própria com área total de cerca de 66. Shepard. licencia o profissional para o ensino da Música em contexto amplo (comunidades religiosas/eclesiásticas. preparando o músico licenciado para os desafios contemporâneos da gestão de música na igreja.2009.2. só por mensalidade. durante a primeira Assembléia da Convenção Batista Brasileira.

mas ao fazer isso o aluno deve estar ciente que em algum momento posterior do curso fará um número menor de disciplinas que o estipulado para aquele período e não terá direito a qualquer desconto na mensalidade. No decorrer do curso é possível a matrícula com um número maior de créditos do que o estipulado para o período. devido à maneira pela qual a quantidade de créditos/disciplinas é oferecida a cada semestre. 10 . E o aluno que ficar reprovado em uma ou mais disciplinas? Deve ficar esclarecido que no custo total do Curso de Gestão da Música Eclesiástica com Licenciatura em Música não foram incluídos valores além daqueles referentes às disciplinas/créditos constantes do currículo que é alvo da prestação de serviços educacionais contratada pelo aluno. conforme pode ser visto abaixo: Semestre 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º Créditos 21 24 22 24 23 21 13 05 Por que foram estabelecidas essas quantidades de créditos por período? A decisão de oferecer as disciplinas/créditos nessas quantidades a cada semestre foi propositadamente tomada com o objetivo de facilitar a vida do aluno no último ano do Curso. e não por créditos. pois: a) entendeu-se que o aluno necessita de uma quantidade maior de tempo fora de sala de aula para consumar as atividades acadêmicas de Estágio Supervisionado e de Monografia b) entendeu-se que essa forma de distribuição de disciplinas/créditos facilitará o reestudo da(s) disciplina(s) nas quais o aluno tenha sido reprovado no decorrer dos três primeiros anos do Curso. Por isso. sem aumento do valor da mensalidade? Sim. ao cursar pela segunda vez uma disciplina o aluno pagará a mensalidade normal do Curso mais o valor do(s) crédito(s) correspondente(s) à(s) disciplina(s) que indicar como reestudo em sua ficha de matrícula. pois terá disponibilidade de tempo no quarto ano para reestudá-la(s). Por que pago por mensalidade e não por créditos? Optou-se pela forma de cobrança de mensalidade.Como foi calculado o valor da mensalidade do Curso de Gestão da Música Eclesiástica com Licenciatura em Música? As mensalidades do Curso de Gestão da Música Eclesiástica com Licenciatura em Música foram calculadas levando-se em consideração o custo total do curso dividido em 48 mensalidades (quatro anos).

Posso substituir as aulas de piano por outro instrumento? Não pode. O aluno tem que cumprir o currículo que se encontra vigendo para que possa obter o grau e o respectivo diploma.E se o aluno ficar reprovado nas aulas individuais? A resposta apresentada à pergunta anterior é válida para este caso também. A conseqüência para o aluno será o prolongamento do término do Curso para 5 ou 6 anos. O que devo fazer? O Curso de Gestão da Música Eclesiástica com Licenciatura em Música é oferecido nos turnos da tarde e noite. Considerando que no custo total do Curso de Gestão da Música Eclesiástica com Licenciatura em Música foram incluídas somente 6 (seis) semestres de aulas individuais de piano e 4 (quatro) semestres de aulas individuais de canto. À medida do possível. não haverá desconto em semestres posteriores a um excepcional pagamento por créditos do valor da mensalidade em algum semestre. 11 . Portanto. serão revezadas as disciplinas nos dois turnos (tarde e noite). só as que são à noite. Se eu puxar disciplinas e pagar por créditos. os semestres de aulas individuais que o aluno cursar além da quantidade acima especificada terão seu valor acrescentado à mensalidade normal. o acréscimo será do valor correspondente a duas aulas individuais e assim sucessivamente. além do egresso se encontrar pronto para o exercício do Ministério da Música na Igreja. quando as mesmas forem oferecidas eu receberei desconto na mensalidade? Não terá desconto. O curso é direcionado para trabalho na igreja? Sim. Eu não posso cursar as disciplinas que são oferecidas no horário da tarde. que são as aulas obrigatórias constantes do currículo do Curso de Gestão da Música Eclesiástica com Licenciatura em Música. No valor das mensalidades estão incluídas somente as 6 (seis) aulas individuais de piano e 4 (quatro) de canto. Isto é. a reprovação em uma dessas disciplinas acarretará o acréscimo à mensalidade do valor correspondente a uma aula individual. também estará pronto para exercer a docência musical. não houve perda com a autorização do Curso advinda do MEC. A excepcionalidade não altera este princípio. No valor da mensalidade já estão incluídas as aulas individuais (canto e piano)? Sim. Só houve ganho. já que o valor do curso foi calculado pelo custo total dos 48 semestres? A excepcionalidade é uma concessão específica para um momento especial. não existe a modalidade de pagamento das mensalidades do Curso de Gestão da Música Eclesiástica com Licenciatura em Música por créditos. se a reprovação for em duas. Com a autorização do MEC foi acrescentado ao currículo as disciplinas que habilitam o exercício da Licenciatura em Música. O candidato/aluno que não tem disponibilidade no turno da tarde poderá cursar as disciplinas do turno da noite. Por princípio. excepcionalmente. Se. O Curso continua sendo o de Gestão da Música Eclesiástica. eu pagar por créditos em algum(ns) semestre(s) receberei desconto em semestre posterior do valor que paguei a maior. Por isso. No currículo consta 6 (seis) aulas de piano/harmonia funcional ao teclado.

Se o aluno não se matricula na disciplina piano ou canto em um semestre. serão acrescentados à mensalidade os valores dos respectivos créditos. houver a impossibilidade de cursar alguma das disciplinas indicadas. 12 . mas não cursei uma disciplina na qual me encontrava matriculado. O valor da mensalidade está vinculado ao custo total do curso dividido em 48 (quarenta e oito) mensalidades. Nestes dois casos (disciplinas além das propostas no currículo e disciplinas nas quais houve reprovação). pois já efetuou o pagamento do custo total do curso. cujo valor será estipulado pelo Setor próprio da Faculdade. o aluno pode cursar uma quantidade de disciplinas/créditos a maior ou a menor daquela oferecida a cada semestre. Porém. é aquela pessoa que não participa do processo seletivo (vestibular) e não preenchem as condições para obtenção de certificados de cursos ou programas especiais de extensão. eles terão direito a desconto? Não terão desconto. o aluno será considerado ausente às aulas da disciplina e ao final do semestre letivo ficará reprovado por ter faltado mais de 25% do total de aulas dadas. mas solicita matrícula em algumas disciplinas. o que configuraria o reestudo das disciplinas. dentro do prazo constante do calendário acadêmico. Confirmando-se o caso proposto na pergunta. E para os alunos que cursarem disciplinas em Teologia e quiserem pedir equivalência. será deferida a matrícula nas disciplinas restantes e será efetuada a cobrança mensal de uma taxa de administração. o valor dos créditos dessas disciplinas serão acrescentados à mensalidade. Será realizada uma análise em seu histórico escolar para confirmar se não há reprovações. Se. a exclusão da mesma da sua ficha de matrícula. Caso essa solicitação não seja realizada ou o prazo para esse procedimento tenha se esgotado. Paguei todo o curso (48 mensalidades). Ao realizar a matrícula o aluno indica no documento próprio as disciplinas que deseja cursar.Posso cursar disciplinas sem fazer a prova do vestibular? A modalidade de aluno não-regular. a mensalidade incluíra o valor dessa aula? Para o cálculo do valor da mensalidade não importa a quantidade de disciplinas/créditos nas quais o aluno esteja matriculado em cada semestre. Esta reprovação terá uma conseqüência financeira que é o acréscimo do valor dos créditos correspondentes quando do seu reestudo. inclusive as aulas individuais de canto e piano. se o aluno cursar disciplinas além daquelas constantes do currículo. Paguei a mensalidade normalmente. entre outros. o aluno precisa solicitar à CAE. Cada solicitação de matrícula como aluno não-regular será estudada particularmente. mas não conclui todas as disciplinas do currículo (não tive reprovações) e preciso estudar mais um ano para concluir as disciplinas do currículo. Os alunos que ingressarem por transferência terão algum desconto no valor da mensalidade referente às disciplinas que obtiverem equivalência? Não terão desconto. desde que não inclua disciplinas/créditos outras daquelas indicadas no currículo e não incluam disciplinas que sejam objeto de reestudo (isto é. disciplinas nas quais o aluno tenha sido reprovado). Portanto. no decorrer do semestre letivo. Qual o valor que tenho que pagar? Você tem o direito de cursar as disciplinas restantes para a conclusão do Curso. Posso me matricular novamente sem pagar pela mesma? Não existe a hipótese de não se cursar uma disciplina.

3. Atualmente. Música para a Igreja. CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu da FABAT oferece cursos de curta duração (mínimo de 360 horas) e flexibilidade curricular em termos de conteúdo. visando à demanda das igrejas em seus diversos ministérios e também das exigências profissionais. (4) MBA em Teologia – Gestão de Pessoas em Espaços Eclesiásticos. Teologia Ministerial.e. Primando pela excelência do programa. toda segunda-feira. sendo 100 horas de AACC (Atividades Acadêmicas Científicas Culturais. disponíveis nos site. Atualmente. para consulta pública. disciplinas e atividades acadêmicas. as Atividades Complementares constituem ações que devem ser desenvolvidas ao longo do curso.394/96. Todas as informações relativas à execução das Atividades Complementares estão no Regulamento das Atividades Complementares da FABAT. presenciais e/ou à distância. Abertos a todos os diplomados em cursos superiores reconhecidos pelo MEC têm por foco a atualização. das 19h às 21h30: 1. Liderança para Ministério de Juventude 4. religioso de responsabilidade social) e 100 horas de AE (Atividades de Extensão e Pesquisa). na área do aluno.2. 13 . e em seu artigo 3 ressalta a “valorização da experiência extra-classe”. Teologia Básica e 5. 3. 2.3.4. 3. (2) em Aconselhamento Pastoral e (3) Teologia e Educação Cristã. a FABAT oferece os seguintes cursos de PósGraduação: (1) em Teologia Bíblica e Sistemática-Pastoral. o corpo docente dos cursos é formado por profissionais com titulação de mestrado e/ou doutorado. aprovado pela CSG da IES e está disponível no site da Instituição. atividades de desenvolvimento pessoal. Conferem certificado aos concluintes. CURSOS ESPECIAIS/DE EXTENSÃO Os Cursos de extensão são também chamados de especiais e abertos à candidatos que atendam aos requisitos estabelecidos em pelas instituições de ensino. criando mecanismos de aproveitamento de conhecimentos adquiridos pelo graduando. Liderança de Crescimento Cristão (Capacitação para Professores de EBD). i. que estabelece as Diretrizes da Educação Nacional. nas áreas específicas de profissionalização. a ampliação da formação e o aprofundamento dos conhecimentos. As normas gerais do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu são regidas por Regulamento Próprio.3. por meio de estudos e práticas independentes. a FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANERO (Fabat). Assim. ATIVIDADES COMPLEMENTARES As Atividades Complementares têm a obrigatoriedade ditada pelas Diretrizes Curriculares dos Cursos de Graduação (Bacharel e Licenciatura) pela Lei 9. integralizando o currículo. oferece seguintes cursos especiais uma vez por semana. Todos os alunos da FABAT deverão cumprir 200 horas de Atividades Complementares. cultural.

caso necessário. Como posso realizar as Atividades Complementares? As Atividades Complementares poderão ser realizadas dentro da FABAT ou fora dela. Como posso comprovar uma Atividade realizada? Como saber se uma Atividade Complementar realizada foi considerada válida? As AC aceitas para integralização curricular são aas previstas no regulamento. porém. com assinatura do responsável e respectiva carga horária do evento.1. Os comprovantes das atividades deverão ser protocolados mediante preenchimento de requerimento na secretaria da instituição. IV – em todas as situações. junto aos Professores. III – apresentar os relatórios. 14 . devidamente matriculado. O não cumprimento total da carga horária durante o curso acarretará completá-la até 2 (dois) anos após a conclusão de todas as disciplinas curriculares. têm a obrigatoriedade da realização das Atividades Complementares disciplinadas nos termos legais. com a pesquisa na área e com as ações de extensão junto à comunidade. O acadêmico do Curso. de interdisciplinaridade. com o Regimento Interno e as previstas no projeto pedagógico do curso. que tratam das diretrizes específicas dos cursos de graduação. devendo obedecer a carga horária determinada pelo Regulamento das Atividades Complementares do Curso. transversais. deverá: I – cumprir a carga horária total do programa de Atividades Complementares. sempre sujeitas à comprovação. bem como as gestantes e os portadores de afecções indicadas na legislação especial. FAQs sobre as Atividades Complementares Eu estou obrigado a fazer atividades? As Atividades Complementares em todos os cursos de graduação têm a obrigatoriedade ditada pelas Diretrizes Curriculares Nacionais e estão em consonância com os Pareceres do Conselho Nacional de Educação – Câmara de Educação Superior. O não cumprimento desse prazo tornará incomputáveis as horas atividades cumpridas até a data da expiração. incluindo-se férias e recesso escolar. Os alunos amparados por leis específicas. O que pode acontecer se não realizar as Atividades Complementares? Se eu não completar a carga horária exigida de Atividades Complementares serei reprovado? As Atividades Complementares dos cursos de graduação constam de estudos e de atividades independentes. II – buscar as orientações. manter a postura ético-profissional. conforme o caso. As Atividades Complementares dos cursos de graduação devem ser realizadas de acordo com o regulamento das AC e respeitando-se a carga horária máxima determinada. após análise do Centro de Cursos de Extensão (CCE) e. não dando direito à colação de grau. O certificado de comprovação de participação em eventos deverá ser expedido em papel timbrado da Instituição ou órgão promotor. sendo condição para a conclusão do curso. durante o respectivo semestre. as declarações e/ou comprovações das Atividades Complementares realizadas juntamente com o requerimento devidamente preenchido.4. O aproveitamento de carga horária referente às AC será aferido mediante comprovação de participação e aprovação. da coordenação do respectivo curso.3. para a concretização do programa das Atividades Complementares. As Atividades Complementares são obrigatórias conforme ditam as Diretrizes Curriculares dos Cursos. especialmente nas relações com o mundo do trabalho.

DA REALIZAÇÃO 1.RJ – CEP 20510-412. O candidato que já tiver prestado o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e tiver obtido. vinculada à Diretoria da FABAT e localizada na Rua José Higino.3 O Processo Seletivo estará aberto somente aos candidatos que tenham concluído ou estejam cursando o último ano do ensino médio. 1. de acordo com os prazos estabelecidos no Calendário Acadêmico (ver no site da Faculdade). procedendo-se à conversão. coordenará e executará o Processo Seletivo. 2.1 A realização do Processo Seletivo ficará a cargo da Comissão de Vestibular. Obrigatoriamente as notas da prova objetiva e da redação deverão estar registradas no site: http://www. obtendo-se a Média Aritmética. divulgando todas as informações pertinentes ao vestibular. Para cálculo da Média Aritmética serão consideradas notas de zero a dez. No caso de Histórico Escolar que discrimine o aproveitamento por meio de conceitos.gov. Biologia.0 (cinco) 15 . 1. Para os Históricos Escolares que apresentem registros de notas diferentes da forma citada. Na análise observarse-á o conteúdo dos seguintes itens: 1. b) conceito “B” ou “bom” – 8. c) conceito “C” ou “Regular”.br. nota igual ou superior a 70 (setenta) pontos está isento da redação.0 (dez). Caso não esteja especificada no Histórico Escolar a equivalência entre conceitos e notas. Exige-se nota da prova objetiva igual ou superior a 50% e nota da redação igual ou superior a 30% do valor máximo a ela atribuído. 416 – Tijuca .1ª ETAPA Nesta fase o candidato poderá optar por uma das modalidades: a) ENEM – Essa modalidade constitui-se do aproveitamento dos resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). será feita uma conversão.0 (oito). telefones (21) 2570-1833. “ótimo” ou “aprovado” – 10. 2. 3. DO INGRESSO O ingresso nos cursos de graduação será realizado em duas etapas: 2.inep. 2. Somatório das médias obtidas nos três anos do Ensino Médio pelo candidato nas seguintes disciplinas: Língua Portuguesa/Literatura.1 . no conjunto de provas do exame. 1.2 A Comissão de Vestibular planejará. 5. será considerada a média do valor numérico constante no próprio documento.enem. será atribuída a seguinte tabela de conversão: a) conceito “A”.4. 4. FORMAS DE INGRESSO PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO (Bacharel em Teologia e Licenciatura em Música) 1. Matemática.4 O resultado do Processo Seletivo será válido por 1 ano. Será tirada a média aritmética do somatório das notas obtidas nas provas. Química. 1. constantes do seu Histórico Escolar. História e Geografia.5. O resultado obtido será dividido pelo número de disciplinas cursadas. b) AVALIAÇÃO DE RENDIMENTO NO ENSINO MÉDIO – A seleção far-se-á por meio de análise de histórico escolar dos três anos cursados no Ensino Médio. Física.

A conseqüência da não realização da avaliação ao piano será a necessidade de estudar mais semestres desse instrumento. 2. pontuação.1). organização das idéias. (3) Quitar o boleto da inscrição.Os alunos transferidos de outra IES estão isentos da redação. não será necessário realizar essa avaliação. em compassos simples. do que o exigido no currículo. Claves. a fim de que o aluno atinja o nível mínimo de conhecimento e possa cursar a disciplina 16 . de Bartók. Notas. Obs: Para obter equivalências deverá entregar o Histórico Escolar (original ou cópia autenticada) e Conteúdo Programático das disciplinas cursadas (cópia contendo carimbo e rubrica da Instituição de origem). abrangendo intervalos até 5a justa c) Leitura rítmica d) Cantar uma música.2 . Caso o candidato à transferência necessite fazer sua inscrição à distância. a critério do examinador. Entretanto. Na redação o candidato deverá demonstrar conhecimento em três áreas: (1) gramatical (acentuação gráfica. em tonalidades de Dó M. 1o volume. e (4) Encaminhar via correio.2ª ETAPA – PROVA ESPECÍFICA Esta fase consiste em uma prova de redação. uma cópia da quitação do boleto da inscrição e da declaração de matrícula no curso atual. a critério do examinador. devidamente registrados pelo MEC.Esta modalidade destina-se aos candidatos portadores de diploma de curso de nível superior. 1. Não devem ser arranjos facilitados. no nível de Mikrokosmos. (2) Preencher a ficha de inscrição no site da Faculdade. b) Execução de duas músicas do repertório erudito. o estudo do instrumento piano é obrigatório por seis semestres durante o Curso. Será atribuída a nota relativa ao vestibular do ingresso no curso concluído. concordância. a uma voz. Fá M. Fá M ou Sol M. PIANO: a) Execução de um hino à escolha do candidato (de acordo com a escrita a quatro vozes). desenvolvimento e alvo). item 2.: Se o candidato não executar o instrumento PIANO. ou Sol M. § 1 – Estão isentos da prova específica de redação os candidatos: (a) que obtiveram nota superior a 7. não modulante b) Solfejo de um exercício.c) APROVEITAMENTO DE ESTUDOS . à escolha do candidato (nível mínimo – veja exemplos disponíveis na secretaria do curso). devidamente registrados pelo MEC. (b) portadores de diploma de curso de nível superior. podendo fazer suas inscrição no processo seletivo presencialmente ou à distância. conforme o programa: TEORIA: a) Pauta. (2) ortográfica e (3) criatividade (clareza. O candidato terá as disciplinas já cursadas em outras instituições/cursos analisadas pela Coordenação. regência verbal etc). a partir da leitura de uma questão que aborde um tema comum a Teologia e Música (não será aplicada aos candidatos ao curso de Música que se enquadrem na letra “c”. § 2 – Para os candidatos ao curso de Música será aplicada prova de conhecimentos na área de música. 1. d) TRANSFERÊNCIA . c) Leitura à primeira vista de uma peça. à escolha do candidato. graus da escala e) Compassos simples e compostos (divisão. Obs. ele deve: (1) Ler o Edital no site da Faculdade. Figuras b) Alterações c) Intervalos (classificação) d) Escalas maiores e menores. nos tons de Dó M. unidade de tempo e de compasso) PERCEPÇÃO MUSICAL: a) Ditado rítmico-melódico.0 (sete) no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

não será aceita fotocópia deste documento. 3. principalmente no último dia de inscrição. 3.4 O preenchimento da Ficha de Inscrição será de inteira responsabilidade do candidato e.Harmonia Funcional ao Teclado I. 4. junho e julho (para ingresso no segundo semestre) em data especificada no edital.com.fabat. não cabendo ao candidato qualquer recurso quanto às normas contidas neste Edital. 17 . d) imprimir o boleto bancário para pagamento da taxa de inscrição no valor de R$35.1 Não haverá isenção do pagamento da taxa de inscrição.RJ.1 Para realizar sua inscrição online. a Ficha de Inscrição.br. das 14h às 21h.2 Não serão aceitos pagamentos efetuados por meio de transferência ou depósito bancários. 3.com.00. no dia da prova.8 O candidato portador de necessidades especiais (surdos) que precise de condições específicas para realizar a prova deverá informar na Ficha de Inscrição.10 A inscrição no Processo Seletivo implicará a aceitação irrestrita das condições estabelecidas pela Comissão de Vestibular. a cópia do comprovante de pagamento da taxa de inscrição.com.6 Somente serão efetivadas. Será permitido ao aluno trazer seu próprio interprete na realização das provas. deverá obedecer estritamente às normas deste Edital e às instruções que constam do endereço eletrônico www. 3. de acordo com as instruções específicas disponíveis. 3.br ou www. o candidato deverá.1 O Processo Seletivo será realizado. 5.br. após confirmação pela Comissão de Vestibular.br ou na Central de Atendimento ao Estudante (CAE). DA CONFIRMAÇÃO DE INSCRIÇÃO 4. será composto de duas etapas. DO PROCESSO SELETIVO 5. em um único dia. 3.seminariodosul. 3. 416 – Tijuca . 6.9 O não-cumprimento de qualquer procedimento de inscrição impedirá a sua efetivação.com. DA PROVA 6. situada à Rua José Higino.1. A quantidade de semestres necessários para alcançar esse nível dependerá do desenvolvimento de cada aluno. no endereço www. 3. 3.7 Em nenhuma hipótese haverá devolução da quantia paga.seminariodosul. 3. de segunda a sexta-feira. b) tomar ciência das normas do Edital.1 Para a realização da prova. o candidato deverá apresentar o boleto bancário quitado e o original da Identidade (RG). e) efetuar o pagamento da taxa de inscrição até a data estabelecida no boleto. DAS INSTRUÇÕES GERAIS PARA A INSCRIÇÃO As inscrições estarão abertas no período de dezembro a março / junho a julho de 2012.fabat. 3. junto à Comissão de Vestibular. para que possa produzir todos os efeitos a que se destina.1 Os processos seletivos serão realizados em dezembro. no período indicado no Calendário Acadêmico adotar os seguintes procedimentos: a) acessar o endereço eletrônico www. janeiro e fevereiro (para ingresso no primeiro semestre). c) preencher. as inscrições realizadas e pagas no período de inscrição estabelecido no Calendário Acadêmico.3 O candidato deverá manter sob sua posse. para eventuais comprovações.5 A Comissão de Vestibular não se responsabilizará pelas Fichas de Inscrição não processadas por motivos de ordem técnica que impossibilitem a transmissão dos dados. 3.

10 A Comissão de Vestibular não se responsabilizará por eventuais publicações de provas. sob nenhum pretexto.1 A cópia da documentação para análise e pontuação da etapa 1 deverá ser entregue ao fiscal da sala. certidão ou declaração equivalente.1 Os candidatos classificados deverão comparecer à Central de Atendimento ao Estudante (CAE). 7.6 A prova terá início às 9h.8 Em nenhuma hipótese haverá uma terceira chamada de prova de seleção. far-se-á o desempate levando-se em conta os seguintes critérios: 1º) maior nota na Prova Específica. 6. sob pena de eliminação do Processo Seletivo. poderão ausentar-se das salas onde estejam realizando as provas. DA CLASSIFICAÇÃO 8. na impossibilidade de apresentação desses documentos.com. 7. na Faculdade no período informado no Calendário Acadêmico. DA MATRÍCULA 9. sem autorização.2 Os procedimentos da matrícula são os seguintes: apresentação dos documentos necessários: a) diploma ou certificado de conclusão do ensino médio (cópia autenticada) ou. não sendo aceitas certidões ou declarações de conclusão de série. terá sua matrícula condicionada à assinatura de termo de compromisso de cumprimento de disciplinas de nivelamento oferecidas paralelamente ao curso. por quaisquer meios de divulgação.4 O resultado final de classificação será divulgado no site. O candidato que obtiver resultado final inferior a 6. 6. 6. 9. portando a Redação. 2º) idade maior. 9. no mesmo endereço eletrônico acima. em data especificada no edital. DO RESULTADO FINAL DO PROCESSO SELETIVO 7.2 O não cumprimento do item 6.9 Os candidatos.2 Serão eliminados os candidatos que obtiverem zero na prova específica. mas somente aquelas que atestem a conclusão do ensino médio pelo candidato.seminariodosul.7 Não será permitida a entrada de candidato após o horário estabelecido para o início da prova.br. o candidato poderá fazer reagendamento da prova para outro dia permitido no calendário. 8.1.5 Na ocorrência de candidatos com nota de igual valor. 6. 6.1 acarretará na eliminação do candidato.0. com duração de 1 hora e 30 minutos para os candidatos do curso de Teologia e de 3 horas para os candidatos ao curso de Música. neste caso. 6.1. ou deixar de assinar a lista de presença e os espaços próprios da folha de redação. para fins de classificação.3 O resultado do processo seletivo será divulgado dez dias após o exame no endereço eletrônico www. a fim de realizar os procedimentos da matrícula. 7.1 A classificação do candidato obedecerá à ordem decrescente do total de pontos.1 O resultado final do processo seletivo dar-se-á pela média aritmética da nota obtida nas duas etapas. b) carteira de identidade (cópia autenticada). 7.0. 18 . 7. que não sejam os previstos no presente Edital. resultados ou outros tipos de materiais. 6.3 As provas que constituem o Processo Seletivo serão avaliadas de 0 a 10.conforme descrita no item 2: 6.

locais e prazos 19 .2 Os turnos estabelecidos pela FABAT. sempre que necessário. h) 2 fotos 3 x 4 (recentes). instruções e informações contidas no endereço eletrônico www. conforme a data de ingresso do aluno. guarda ou tutela do candidato. portanto. para os candidatos do sexo masculino.1 O candidato que tiver realizado curso no exterior. portanto. j) Ficha cadastral. não apresentar diploma ou certificado de conclusão do ensino médio.1 As disposições.3 O candidato que.c) título de eleitor. obrigatório para os maiores de 18 (dezoito) anos (cópia autenticada).) 10.seminariodosul. g) histórico escolar do ensino médio (cópia). k) Contrato de prestação de serviços educacionais. eliminado do Processo Seletivo. 10. reserva-se o direito de utilizar diferentes instrumentos para aferir as informações prestadas pelo candidato.6 O candidato impedido de comparecer para realizar a matrícula poderá constituir um representante por meio de procuração específica por instrumento público ou particular. com o comprovante da última votação. 9. 10. e) CPF (cópia autenticada). f) certidão de nascimento ou de casamento (cópia autenticada).4 A Comissão de Vestibular divulgará. na Ficha de Inscrição e nas capas das provas constituem normas que complementarão o presente Edital.) b) Música – tarde e noite (de 14h às 22h15min.2. devidamente preenchido e assinado (formulário disponível no site da instituição durante o período da matrícula). o candidato perderá automaticamente o direito à vaga e será. devidamente preenchida e assinada (disponível na Central de Atendimento ao Estudante . editais. d) prova de quitação com o serviço militar (cópia autenticada). 10. neste último caso com firma reconhecida. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS 10. sendo menor. l) Apresentar duas cartas de autoridades eclesiásticas (para todos os cursos). 9. maternidade. no ato da matrícula.br. previstos neste Edital e o devido pagamento integral da 1ª parcela semestral contratada com vencimento em janeiro ou em julho. 9. certidão ou declaração equivalente perderá a vaga e.5 A matrícula somente será efetivada após serem obedecidos todos os procedimentos de apresentação de documentação. i) Cópia do comprovante de residência.4 Os candidatos que.3 A FABAT.com. a qualquer tempo. m) PROJETO – Exposição escrita de como o curso pretendido se insere no seu projeto de vida (exigido somente para candidatos aos cursos de Música e Teologia). após a análise da documentação. 10. 9. publicada no Diário Oficial. será eliminado do Processo Seletivo. 9. poderá ser representado por seu responsável. mediante documento que comprove paternidade. caso não os apresente. para os cursos são: a) Teologia – noite (de 19h às 22h15min. deverá apresentar original e cópia autenticada da certidão de equivalência de estudos. tiverem indeferido o seu requerimento de matrícula serão considerados eliminados do Processo Seletivo. equivalente ao ensino médio no Brasil. com carimbo de atualização da quitação.5 É obrigação do candidato se manter informado sobre datas. normas complementares e avisos oficiais sobre o Processo Seletivo.CAE). bem como da homologação dessa equivalência.

a entregar a prova.7 Será inviável a abertura de turma com número inferior a 35 alunos matriculados. no presente Processo Seletivo: a) a recusa. emprestando qualquer material. é competente o Foro da Cidade do Rio de Janeiro. c) a chegada com atraso à prova do Processo Seletivo. auxiliares ou autoridades.10 Para dirimir todas as questões oriundas do presente Edital. impressos. 10. durante a realização da prova. bem como a descortesia para com qualquer dos aplicadores. 10. em casos excepcionais e quando constatada a inviabilidade de algum dos cursos oferecidos terem início no semestre previsto no presente Edital. 20 . utilizando-se celulares.8 A legislação a ser aplicada ao Processo seletivo será aquela em vigor na data da publicação deste Edital. por parte do candidato.estabelecidos no Calendário Acadêmico referentes ao Processo Seletivo. ou anotações. após tempo destinado à sua realização. b) o não cumprimento integral dos procedimentos de inscrição. g) a utilização de livros. 10. e) o não cumprimento das instruções contidas na capa da prova.6 A critério da FABAT.9 Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão de Vestibular. ipads. pagers. anotações ou impressos a outro participante do certame ou de qualquer outra forma comunicando-se com ele. i) quando.1. 10. perturbando a ordem e a tranqüilidade necessária para a realização da prova. 10. livros. palmtop. j) o candidato que for surpreendido. netbook. 10. f) o não atendimento às determinações do presente Edital. notebook. for constatado ter o candidato se utilizado de processos ilícitos. Constituem ainda.5. normas complementares e avisos oficiais. admitirse-á seu oferecimento em outro semestre. após a realização da prova. além de editais. h) a comunicação externa. casos de eliminação. d) o comportamento indevido. aparelhos/relógios ou similares. k) na sala de prova não será permitido fumar e utilizar corretores ortográficos líquidos.

das 14 às 22 horas – e-mail: teresaakil@seminariodosul. (b) após o vencimento – somente nas agências do Banco Bradesco ou Banco Real. das 13 às 21 horas – e-mail: atendimento@seminariodosul. DAS MENSALIDADES . o aluno estará aceitando as condições oferecidas pela Instituição. NORMAS GERAIS DA FABAT 1.. 6. 6. estipulado pela Faculdade. Isso não implicará alteração da data de vencimento nem anistia de juros/multa. 5. divulgado no site da Faculdade e nos murais da IES.O atendimento ao aluno. 6. através de requerimento. conforme Contrato de Prestação de Serviços Educacionais assinado pelo aluno no ato da matrícula.O calendário acadêmico é o instrumento para conhecimento das informações referentes aos prazos para os procedimentos acadêmicos e administrativos a serem cumpridos durante cada semestre letivo. o aluno poderá para obter informações institucionais.2. para fins acadêmicos. acadêmicas.Através do endereço www. da seguinte forma: (a) Até o vencimento – em qualquer agência bancária. Nos meses de janeiro e julho o valor da mensalidade é cobrado integralmente. 4. Caso não receba o boleto bancário em tempo hábil para o pagamento o aluno deve solicitar a 2ª via. é realizado através da Central de Atendimento ao Estudante (CAE) – Telefones: (21) 2157-5585 (direto) ou 2570-1833 (Ramais 127 e 129). O vencimento das mensalidades é no quinto dia útil do mês corrente. Após o vencimento são aplicados juros/multa. sem ônus.6.O valor da mensalidade é estipulado semestralmente de acordo com a legislação vigente. pelo site da Faculdade ou excepcionalmente na CAE. A Faculdade disponibilizará as disciplinas constantes da 21 .5. sem descontos. para fins administrativos.seminariodosul. 6. DO CALENDÁRIO ACADÊMICO . 6.5.1. DA ACEITAÇÃO DAS NORMAS .Ao assinar os documentos de matrícula ou renovação de matrícula. e (c) após 60 dias do vencimento – somente na CAE. DO ATENDIMENTO ADMINISTRATIVO AO ALUNO .br 3. Não é cabível a ponderação de que foi cursado um menor número de disciplinas no semestre para pleitear o não pagamento dos créditos referentes ao acréscimo de disciplinas no semestre posterior. 6. Para o curso de Teologia.4. administrativas. por cada crédito excedente.3. O valor semestral será debitado de forma parcelada nos meses que compõem o semestre letivo.br. DO ATENDIMENTO ACADÊMICO AO ALUNO . não incidindo sobre este o desconto para pagamento até o último dia útil do mês anterior ao vencimento.com. requerimentos e outros assuntos.br 2. será cobrado um valor. caso o aluno esteja matriculado em disciplinas com número superior à grade do semestre letivo.com. As mensalidades deverão ser pagas até o 5º dia útil (vencimento). 6. A ausência ou abandono do aluno não dará direito à restituição de importâncias pagas nem o eximirá do pagamento das mensalidades vincendas. conforme divulgado na tabela de serviços.com. DO ACESSO À INTERNET .O atendimento ao aluno. conforme orientações no corpo do boleto. é realizado através da Coordenação Geral Acadêmica (CGA) – Telefone: (21) 2570-1833.

grade curricular a cada semestre, não tendo responsabilidade pela não matrícula do discente em qualquer uma delas seja qual for o motivo. 6.7. A Faculdade não faz cobrança em domicílio. 7. DA REPROVAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES - O aluno que ficar reprovado em uma ou mais disciplinas deverá cursar novamente a(s) mesma(s). E ao cursar pela segunda vez uma disciplina (reestudo) o aluno pagará a mensalidade normal do Curso mais o valor do(s) crédito(s) correspondente(s) à(s) disciplina(s) que indicar como reestudo em sua ficha de matrícula. 8. DOS TIPOS DE DESCONTOS - Não pode ser entendida tal generosidade como direito adquirido.  É facultado ao aluno escolher somente 1 tipo de desconto.  Os descontos não são cumulativos.  O pagamento realizado com cartão de crédito não tem descontos. O valor cobrado será normal.  O pagamento por crédito não dá direito a qualquer desconto.  O vencimento das mensalidades é no quinto dia útil do mês corrente. Após o vencimento são aplicados juros/multa, conforme Contrato de Prestação de Serviços Educacionais assinado pelo aluno no ato da matrícula.  O desconto de 5% sobre o ensino e moradia é oferecido a todos os alunos matriculados e que não possuem outro desconto. Ele é válido somente para pagamento efetuado até o último dia útil do mês anterior ao vencimento.  Portador do curso superior reconhecido pelo MEC - desconto de 10% sobre a taxa de ensino regular, para pagamento até o vencimento (5º dia útil do mês corrente). Este desconto não é aplicado sobre a taxa de ensino adicional.  Moradia: Não há concessão de desconto para a moradia. Mas se o aluno pagar até o último dia útil do mês anterior terá 5% de desconto.  A Instituição não oferece bolsa de ensino. 9. DA MATRÍCULA - A matrícula, ato que caracteriza o vínculo do aluno com a Instituição tornando-o regular será realizada em período estipulado no Edital e no Calendário Acadêmico, conforme documentações exigidas para a efetivação da mesma. 9.1. Nenhuma justificativa eximirá o candidato aprovado no processo seletivo da apresentação dos documentos exigidos. Considerando-se nulas as matrículas efetuadas sem a observância desse requisito (Art.35 do Regimento Geral da Faculdade). 9.2. Se o(a) aluno(a) cursar uma disciplina sem estar regularmente matriculado(a) nela (isto é, se ela não constar do Formulário de Matrícula ou se o nome não aparecer na Pauta de Freqüência (Chamada), o(a) aluno(a) não obterá os créditos devidos ou aprovação. As normas acadêmicas da FABAT, dispostas no Manual do Aluno, determinam que disciplinas cursadas de forma não oficial não sejam computadas para qualquer curso nem confiram créditos. O conhecimento e o consentimento do professor não é garantia alguma para o caso do(a) aluno(a) ter frequentado as aulas sem que tenha sido devidamente matriculado(a) aluno(a). 10. DA RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA - A renovação, ato do vínculo do aluno com a Instituição para o novo semestre letivo, dar-se-á após cumprimento das seguintes obrigações:

22

Nenhuma existência de débitos financeiro, documentário e bibliotecário. O pagamento referente à primeira mensalidade de cada semestre (janeiro ou julho) é integral e deve ser efetuado até o vencimento expresso no boleto ou no ato da renovação. Caso já esteja vencido haverá a cobrança dos juros/multa indicados no próprio boleto.  Preenchimento e entrega na CAE da ficha de atualização cadastral e do Requerimento de Renovação de Matrícula.  Para o aluno alojado no campus: deverá entregar, anualmente, original da carta de renovação da recomendação emitida pela igreja que o recomendou, devidamente preenchida e assinada. Semestralmente, deverá solicitar, via requerimento, renovação da moradia. 10.1. Os débitos existentes terão que ser pagos/negociados/resolvidos integralmente no ato da matrícula, devidamente corrigidos com os acréscimos legais. 10.2. Os débitos com a Biblioteca e de documentos deverão ser regularizados antes da renovação de matrícula. 10.3. Os valores pagos com cheque só terão validade após a compensação bancária. 11. DA SOLICITAÇÃO DA RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA - Dentro do prazo estipulado no calendário acadêmico, o aluno deverá comparecer à CAE para preenchimento do Requerimento de Renovação de Matrícula e da Ficha de atualização cadastral. 11.1. Nenhuma justificativa eximirá o aluno da apresentação dos documentos exigidos. Considerando-se nulas as renovações efetuadas sem a observância desse requisito (Art. 35 do Regimento Geral da Faculdade). 12. DO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS - O objeto do contrato é a prestação de serviços educacionais correspondentes ao semestre em que o aluno for matriculado, conforme currículo próprio como determinado na Lei 9394/96, cujas aulas serão ministradas em turnos e locais indicados pela Contratada. 12.1. O contrato é de natureza privada, resultante da opção do Contratante pelo ensino particular, regido pelos princípios e dispositivos constitucionais (artigos 206/209), pelo Código Civil, Leis 8.078/90 (CDC); 9.394/96 (LDB) e 9.870/99 e Medida Provisória 217324/01 e obriga as partes a cumpri-lo fielmente assim como os aditivos e anexos que lhe serão incorporados semestralmente por ocasião da renovação de matrícula. 12.2. Ao assinar o contrato o aluno submete-se às Normas da Faculdade, o compromisso financeiro, à grade curricular e aos conteúdos programáticos das disciplinas. 13. DO CANCELAMENTO DE MATRÍCULA - Significa desistência total do curso, cessando qualquer vínculo do aluno com o curso e com a Faculdade, sem prejuízo da aplicação das normas financeiras. 13.1 Encerrando definitivamente o vínculo com o curso e a Instituição, o aluno fica sem direito à Guia de Transferência, assegurando, contudo, a obtenção do Histórico Escolar. 13.2 O cancelamento poderá ser voluntário (solicitado pelo aluno) ou compulsório (determinado judicialmente ou por fatores que firam a legislação em vigor). 13.3 O retorno do aluno a Faculdade exigirá um novo processo seletivo para ingresso. 14. DA SOLICITAÇÃO DO CANCELAMENTO DE MATRÍCULA - Para solicitar o cancelamento da matrícula o aluno deverá acessar o site da Faculdade a Área do Aluno, item Requerimento, assunto Cancelamento de matrícula. O aluno deverá estar em dia com as

 

23

parcelas vencidas. 14.1 O cancelamento da matrícula poderá ser solicitado em qualquer período. 14.2 Quando for solicitado pelo aluno até o primeiro dia de aula, este terá direito à devolução de 70% dos valores pagos e a isenção das parcelas vincendas. No caso de trancamento/cancelamento de matrícula ou exclusão de disciplinas motivadas por extinção de turmas e/ou agrupamento de classes com mudança de turno o Contratante terá direito a restituição de 100% (cem por cento) do valor pago da matrícula devendo o Contratante protocolar sua solicitação até o primeiro dia de aula (inclusive) do período letivo. 14.3 Quando for solicitado pelo aluno após o primeiro dia de aula, este NÃO terá direito à devolução de quaisquer dos valores pagos. 14.4. O aluno fica ciente de que, ao cancelar a matrícula, todos os atos acadêmicos tornam-se nulos, encerrando definitivamente o vínculo com o Curso e com a Faculdade. 14.5. O aluno que teve sua matrícula cancelada só poderá retornar a IES através de um novo processo seletivo. 15. DO TRANCAMENTO DE MATRÍCULA - O trancamento de matrícula é o ato pelo qual a Faculdade aprova o pedido de suspensão temporária dos estudos do aluno, conforme o prazo estipulado na legislação, mantendo ao discente a sua vinculação com o curso, bem como o direito à reabertura de sua matrícula. 15.1. O trancamento de matrícula é concedido obedecendo aos seguintes critérios: (a) O aluno só adquire o direito ao trancamento de matrícula após cursar um semestre letivo; (b) o trancamento tem validade por dois semestres, podendo ser renovado, desde que a soma dos prazos não ultrapasse dois anos letivos; (c) o trancamento é o ato eficaz para suspender a cobrança das mensalidades vincendas, subsistindo a obrigação em relação às mensalidades vencidas e não pagas. 16. COMO SOLICITAR DO TRANCAMENTO DE MATRÍCULA - O aluno deverá acessar o site da Faculdade, clicar em Área do Aluno, selecionar o item Requerimento, depois a opção trancamento de matrícula e preencher o formulário específico. 16.1. Será indeferido o pedido de aluno que excedeu o limite de matrícula trancada ou o prazo máximo de integralização do curso. 16.2. Só será aceito trancamento do conjunto de disciplinas inscritas no semestre em questão. 16.3. Solicitação de trancamento de matrícula acarreta a rescisão de Contrato de Prestação de Serviços Educacionais, com a seguinte conseqüência: (a) Até o dia 15 do mês – não haverá débito referente ao mês de trancamento; não valendo para os meses de junho e dezembro; (b) A partir do dia 16 do mês – é devida a mensalidade do mês de trancamento; (c) Só serão válidos os pedidos feitos até o dia 15 do penúltimo mês do semestre. 17. DA REABERTURA DE MATRÍCULA - Ato que caracteriza o retorno do vínculo do aluno com a Instituição após período de trancamento. 18. COMO SOLICITAR REABERTURA DE MATRÍCULA - Dentro do prazo estabelecido pelo calendário acadêmico, o aluno deverá acessar o site da Faculdade, clicar em Área do Aluno, selecionar o item Requerimento, depois a opção Reabertura de Matrícula. 18.1. Serão indeferidos os pedidos de aluno que tiver excedido 08 (oito) semestres, consecutivos ou não, nos cursos da Graduação com matrícula trancada ou o prazo máximo

24

3. 18. não caracteriza a transferência (saída) se o aluno não trouxer a declaração de vaga da outra IES. a Biblioteca da Faculdade possui um acervo de mais de 54. As disciplinas aprovadas para o aproveitamento serão validadas somente no semestre posterior. após o envio do formulário. com a seguinte conseqüência: (a) Até o dia 15 do mês – não haverá débito referente ao mês de trancamento.Dentro do prazo estipulado no calendário acadêmico.Acesse o site da Faculdade e selecione. 25 . o aluno poderá solicitar. (b) A partir do dia 16 do mês – é devida a mensalidade do mês de trancamento. será automaticamente indeferido. 20.1. faculta aos interessados o direito de aproveitamento de estudos. O candidato deve se matricular em disciplinas que sabe não serão aproveitadas. DA CARTEIRA DE IDENTIDADE ESTUDANTIL . Quaisquer informações detalhadas deverão ser solicitadas na instituição de destino. COMO SOLICITAR A TRANSFERÊNCIA PARA OUTRA INSTITUIÇÃO . acréscimo/exclusão de disciplinas. a Declaração de vaga emitida pela instituição de destino. DA BIBLIOTECA . 24. dentro de no máximo 03 (três) dias úteis. A Biblioteca disponibiliza para os alunos e professores o sistema de empréstimo e reserva de livros. 23. periódicos e obras de referência. monografias. A solicitação da Guia de Transferência não exime o aluno da responsabilidade pelo pagamento das mensalidades vencidas até o dia em que solicitar sua transferência para outra Instituição de Ensino Superior. DO APROVEITAMENTO DE ESTUDOS – Conforme Regimento da Faculdade e atendendo ao disposto na Lei.2. 21. 20. programa. 20. O aluno da FABAT habilitar-se-á para o uso da Biblioteca. não valendo para os meses de junho e dezembro. 19. de modo a não precisar fazer a disciplina novamente. o item Requerimento.Documento de identificação do aluno. O aproveitamento é de até 50% de créditos do currículo do curso pretendido. não concorrendo a vaga. deverá comparar o currículo do curso pretendido com os seus estudos anteriores concluídos com aprovação e decidir pelo pedido das disciplinas que eventualmente possam ser aproveitadas.1. mediante confirmação de matrícula e preenchimento de cartão de inscrição no atendimento da Biblioteca. Para isto. 18.de integralização do curso. Para solicitar a Carteira de Identidade Estudantil o aluno deverá comparecer à CAE dentro de prazo estipulado no calendário para preencher formulário próprio e pagar a taxa de emissão. 20. entregue na CAE. declarações etc. Caso o pedido seja feito fora do prazo. na CAE.1.Constituindo-se em importante fonte de apoio técnico à formação acadêmica.3. na Área do Aluno. DA TRANSFERÊNCIA PARA OUTRA INSTITUIÇÃO . composto de livros. O retorno aos estudos obrigará o aluno a cumprir o currículo vigente. 22. o aluno deverá prestar novo processo seletivo a fim de convalidar os créditos cursados.2 No caso de indeferimento. DA ALTERAÇÃO DE DISCIPLINAS . 22. para dar continuidade aos seus estudos. O fato do aluno retirar histórico.Solicitação de transferência para outra Instituição acarreta a rescisão de Contrato de Prestação de Serviços Educacionais. para dar validade à sua solicitação. folhetos.000 títulos. 24.

eliminatórios por si mesmos. DO PERÍODO DE PROVAS/AVALIAÇÕES – Exclusivamente para o curso de Teologia. contendo questões objetivas e discursivas. O processo será encaminhado à Coordenação Geral Acadêmica (CGA) e.3. registrado no Histórico Escolar. 25. 25. respeitado o valor original. dentro de no máximo 03 dias úteis. estará automaticamente reprovado.2. A não-entrega desta documentação acarretará o cancelamento automático do seu requerimento. expresso numericamente numa escala de 0 (zero) a 10 (dez). O aluno só poderá solicitar aproveitamento de estudos dentro do prazo estipulado no calendário acadêmico. 26. 28. selecionando o assunto Isenção de disciplina cursada. As AV 1 e AV 2 são provas obrigatórias para todos os alunos. existem três períodos de provas oficiais (constantes do calendário acadêmico) denominadas AV 1. DA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA O APROVEITAMENTO DE ESTUDOS – Para solicitar o aproveitamento de estudos o aluno deve entregar na CAE: Histórico escolar original (com carga horária). Após envio do formulário o aluno deverá entregar na CAE. a exclusão será feita automaticamente pela CAE. em cada disciplina. mediante a exigência da assimilação progressiva dos conhecimentos ministrados. avaliados em provas e/ou outros mecanismos de avaliação ao longo do período letivo conforme plano de ensino da disciplina. conforme descrição abaixo. pelo menos 01 (uma) será elaborada conforme o modelo das provas do Enade. abrangendo os aspectos de freqüência e aproveitamento. semestralmente. 26 . AV 2 e AV 3.4. Cabe ressaltar que a assiduidade é obrigatória por força de lei. depois o item Requerimento e preencher o formulário. estipulado no calendário acadêmico. AV 2 e AV 3) a serem aplicadas. poderá montar a sua própria grade curricular efetiva. 25. com os aproveitamentos de estudos aprovados. Programas das disciplinas cursadas (ccópia contendo carimbo e rubrica da Instituição de origem) e Sistema de aprovação da Instituição de origem. A AV3 é uma prova extra aplicada a todos os alunos que faltaram a uma das AVs anteriores (funcionando como prova de segunda chamada) ou que não alcançaram média mínima para aprovação. 27. O aproveitamento é aferido. O aluno que obtiver isenção de disciplina na qual já tenha efetuado matrícula. Se o aluno obtiver isenção para disciplina em que esteja regularmente matriculado.3. selecionar o item Área do Aluno. 27. Se o deferimento ocorrer após o término do período de inclusão de disciplinas. 27. DA SOLICITAÇÃO DO APROVEITAMENTO DE ESTUDOS – Dentro do prazo estipulado no calendário acadêmico o aluno deverá acessar o site da Faculdade. 27. se solicitado no prazo estipulado no calendário acadêmico. 25. O aluno é responsável pela verificação do registro pelo professor de suas notas no fim do semestre.1. 24. Entende-se por aproveitamento acadêmico o resultado da avaliação do aluno.1.1.5. 25. Quem não atingir a freqüência mínima (75% de horas letivas). toda a documentação exigida. 27.2.No semestre seguinte. Das três provas oficiais (AV 1. o aluno não terá direito à inclusão de nova disciplina. relacionando no campo Esclarecimentos as disciplinas das quais solicita isenção. terá direito a crédito do valor pago.4. após parecer. nos termos da legislação pertinente.A apuração do rendimento escolar será feita por disciplina. DA AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR . 28.

detalhando as disciplinas que deseja.1. 33. A freqüência discente mínima obrigatória para a integralização de cada disciplina é de 75% de horas letivas. será enviado boleto por e-mail para ser pago no banco. 28.5. 29. nas páginas relativas aos cursos oferecidos. está automaticamente reprovado. E ao cursar pela segunda vez uma disciplina (reestudo) o aluno pagará a mensalidade normal do Curso mais o valor do(s) crédito(s) correspondente(s) à(s) disciplina(s) que indicar como reestudo em sua ficha de matrícula.A assiduidade será verificada pela freqüência às aulas e o cumprimento das atividades de cada disciplina. O aluno que ficar reprovado em uma ou mais disciplinas deverá cursar novamente a(s) mesma(s). DO CURRÍCULO . DAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS . DA ÊNFASE . Para retornar. selecionando o assunto Programa de Disciplina. sem justificativa. Não haverá abono de faltas.O PRAZO MÁXIMO para integralização dos cursos de graduação (bacharelado e licenciatura) corresponde a 12 semestres. 34. O aluno que não fez a AV 1 e AV 2. 28.2. Qualquer inobservância deve ser comunicada a Coordenação Geral Acadêmica para as devidas providências junto ao docente. conforme tabela de serviços disponibilizados no site. que está em vigor encontra-se disponível no site da Faculdade. Deve ser solicitado no site da Instituição.1. no item Requerimento.2. qualquer que tenha sido a razão do impedimento. A terceira avaliação (AV 3) pode ser feita pelos alunos que não alcançaram a Média Parcial sete (7.4. 33. 28. 33. Após o envio do formulário. DAS FREQÜÊNCIAS E FALTAS .3. segundo o Calendário Acadêmico. O aluno deve solicitar aos professores as suas notas das AV 1 e AV 2 bem como o cômputo das frequências e ausências antes da AV 3. Para todos os casos a média final do aluno deve ser igual ou superior a sete. O conteúdo programático só será liberado com a confirmação do pagamento.Uma subárea de concentração de estudos dentro das modalidades ou habilitações de um curso. deverá submeter-se a novo processo seletivo. 32. DA INTEGRALIZAÇÃO DO CURSO .Relacionadas às matérias fixadas pelo Conselho Nacional de Educação no currículo mínimo. JUBILAÇÃO: O aluno será jubilado quando ultrapassar o prazo máximo de integralização do curso (12 semestres).O currículo. O aluno deverá administrar suas prováveis faltas dentro do limite de 25% de horas letivas permitido na LDB 9394/96. 29. conjunto de disciplinas constantes de um curso. na Área do Aluno. ou aprovadas pelo Conselho de Ensino e Pesquisa e Extensão no currículo pleno.28. 31.0) feita a partir a equação (AV 1 + AV 2)/2. 35. 30. A média final dos alunos que fizeram terceira avaliação (AV 3) será feita a partir das equações: (Média Parcial + AV 3)/2 ou (AV 1 + AV 3)/2 ou (AV 2 + AV 3)/2. DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO – É o detalhamento de todos os assuntos desenvolvidos na disciplina. São imprescindíveis para a formação básica e profissional do aluno. 27 .

antes e depois do parto. O início do período permitido para o afastamento será determinado pelo laudo médico a ser apresentado na CAE. As rotinas de orientação são diferentes para o período do aluno orientado. poderá ser aumentado o período de repouso. a aluna gestante poderá ser assistida pelo Regime Especial de Aprendizagem Domiciliar. e assegura a possibilidade de o aluno prestar. no semestre em curso. mediante laudo médico. conforme Decreto lei nº 1. O laudo do médico assistente da aluna deverá conter o mês de gestação e a data provável do parto.044/69 e Lei nº 6. no mínimo. os exames que ocorrerem no período de afastamento. em outra época. na organização pedagógica e curricular de seus cursos superiores reconhecidos. para a continuidade do processo pedagógico.2. 38. 38. ORIENTAÇÃO DE MONOGRAFIA – Todos os alunos da FABAT têm direito a ter orientações docentes para a feitura do seu trabalho de conclusão de curso. 37. (2) que tiveram todas as orientações necessárias à feitura do trabalho. apenas para aluno portador de afecções (congênitas ou adquiridas. infecções. traumatismos ou outras condições mórbidas) e aluna gestante.202/75.5.6. Os alunos que não comparecerem às orientações. basta pegá-los na CGA. AFECÇÕES . a saber: Elaboração ou ajustes no Projeto de Pesquisa (5 período). Mensalmente estarão disponíveis novos formulários. a oferta de disciplinas integrantes do currículo que 28 . quando o requerimento do Regime Especial for solicitado pela aluna gestante ou por procurador. os encontros de orientação podem ser semanais (30 min) ou quinzenais (60 min). durante o período de convalescença. Este procedimento consistirá na aplicação de atividades/tarefas em substituição às aulas. 38.A partir do 8º (oitavo) mês de gestação e durante 3 (três) meses subseqüentes. reprovando-se na disciplina MPC III / Monografia. DO REGIME ESPECIAL DE APRENDIZAGEM DOMICILIAR .3.4. Informe e reforce isso aos seus orientandos.Legalmente. em cada caso. terão direito ao Regime Especial de Aprendizagem Domiciliar. incompatível com freqüência às aulas).Somente irão para a avaliação oral (defesa/banca na Capela) os trabalhos: (1) que atingirem a nota igual ou superior a sete inteiros na média aritmética das notas individuais atribuídas à forma e ao conteúdo. ficando uma via com o professor orientador e outra com o aluno orientando. que apresentem distúrbios agudos ou agudizados (caracterizados por incapacidade física relativa. No quinto período. 38. 38. GESTANTES .36. infecções. A partir do sexto período. Todos os encontros de orientação devem ser registrados em formulário próprio. o tempo sugerido de afastamento e a terapêutica instituída para o tratamento. não farão a defesa da monografia. desde que: a ocorrência seja isolada ou esporádica e o período de afastamento indicado pelo médico-assistente seja de. devidamente comprovados. Redação dos capítulos 1 e 2 (sexto período) e Redação final dos capítulos. que deverá conter diagnóstico. 5 dias úteis e que a duração não ultrapasse o máximo admissível. traumatismos ou outras condições mórbidas. Em casos excepcionais. A solicitação do Regime Especial deverá ser feita após a constatação da enfermidade que motivou o afastamento (pelo aluno ou procurador). DA DEFESA PÚBLICA DA MONOGRAFIA . A Instituição poderá introduzir.O aluno portador de afecções congênitas ou adquiridas. pode ser atribuído o Regime Especial de Aprendizagem Domiciliar. 38. quando verificada a conservação das condições intelectuais e emocionais necessárias para o prosseguimento da atividade escolar. os encontros mensais de orientação terão a duração máxima de 60 min.1. elementos pré e pós-textuais (sétimo período). 38.

utilizem modalidade semi-presencial. COMO SOLICITAR O REGIME ESPECIAL DE APRENDIZAGEM DOMICILIAR . 39. art.059 do Ministério da Educação. 5.1. vá em Área do Aluno. As aulas serão ministradas nas salas designadas ou nos locais em que a Faculdade indicar. Conforme a definição dada pela Portaria 4. tendo em vista a natureza do conteúdo e da técnica pedagógica que se fizerem necessários. A não entrega do Laudo Médico à CAE no prazo máximo de 3 dias úteis. a fim de que cada um seja expressamente cientificado da concessão do Regime Especial. 81 da Lei 9394. que autoriza o oferecimento desse tipo de disciplina em até 20% do currículo regular de cada curso. definindo no próprio requerimento as atividade/tarefas domiciliares a serem desenvolvidas pelo requerente. para que o aluno não seja prejudicado. efetuar a matrícula em um máximo de 04 (quatro) disciplinas em Regime Especial de Aprendizagem. DA REVISÃO DE NOTAS E FALTAS .Acompanhamento Individual.1.É a prerrogativa concedida ao aluno de solicitar. quando a disciplina for ofertada para até. DAS TUTORIAS – A tutoria da Faculdade é uma modalidade de estudo semipresencial é regida por regulamento próprio. fixação de carga horária. 5 (cinco) alunos.” 41. de 1996 e no disposto na Portaria 4. o Laudo Médico. art. com base no art.Acesse o site da Faculdade. dentro de no máximo 03 dias úteis. 39. para nivelamento do fluxo”. DA RESPONSABILIDADE PEDAGÓGICA .. 39.. assim como observar que os professores determinem os trabalhos em tempo hábil.2. o mesm o regulamento informa. 39. 29 . 41. sem ingerência ao aluno. que diz: “Ficam estabelecidas as seguintes modalidades de Regime Especial de Aprendizagem para cursos de graduação da Faculdade Batista do Rio De Janeiro (. depois a opção Regime Especial de Aprendizagem Domiciliar.4. currículo. designação de professores.3. Caberá a Coordenação Geral Acadêmica supervisionar a devida aplicação e execução do Regime Especial. 42. 5. capítulo 4. com base no atestado médico. o aluno deverá entregar na CAE. acarretará o cancelamento automático do seu requerimento.6. A análise do Regime Especial caberá ao coordenador do Curso que. e os trabalhos devem ser entregues na Coordenação do Curso. no máximo. “caracteriza -se a modalidade semipresencial como quaisquer atividades didáticas. o que só deve ocorrer no último período do curso e para alunos concluintes do último período do curso. orientação didático-pedagógica e educacional. módulos ou unidades de ensino aprendizagem centrados na autoaprendizagem e com a medição de recursos didáticos organizados em diferentes suportes de informação que utilizem tecnologias de comunicação remota”. que: “§ 3° Será permitida. ao discente.É de inteira responsabilidade da Faculdade o planejamento e a prestação dos serviços educacionais no que se refere ao Calendário Acadêmico.059. selecione o item Requerimento.) II . publicado no site da Faculdade. A Coordenação Geral Acadêmica encaminhará o requerimento já analisado para os professores. Segundo o Regulamento do Regime Especial de Aprendizag em (Tutoria) da Faculdade. 39. obedecendo ao seu exclusivo critério. 40. bem como os prazos. além de outras providências que as atividades exigirem. oficializará o início e término do período de Regime Especial. Ao término da solicitação. Com relação a quantidade de disciplinas que podem ser cursadas. Os prazos estabelecidos pelos professores devem ser rigorosamente cumpridos. 39. ainda no capítulo 4.

por intermédio da Coordenação Geral Acadêmica e. DAS DECLARAÇÕES . Outros casos devem ser levados a CEPE. clicar em Área do Aluno. constando o nome dos alunos formados no Rio de Janeiro. 46. conforme divulgado na tabela de serviços disponível no site da Faculdade. dados pessoais e referências ao Ensino Médio.Para solicitar o Histórico Escolar o aluno deverá acessar o site da Faculdade. assunto Declaração e especifique qual a declaração que deseja. Não haverá abono de faltas. COMO SOLICITAR HISTÓRICO ESCOLAR . a freqüência discente mínima obrigatória para a integralização de cada disciplina é de 75% de horas letivas. a revisão das notas e faltas ao professor.3. compromissos eclesiásticos etc). em grau de recurso. 30 . Descrever no campo esclarecimentos a disciplina e o nome do professor para a qual deseja revisão. 42. 42. clicar em Área do Aluno. O aluno deverá administrar suas prováveis faltas dentro do limite de 25% de horas letivas permitido na LDB 9394/96. Esta cerimônia acontecerá a partir de três meses depois do término do cumprimento de todas as exigências acadêmicas. A REVISÃO DE NOTAS E FALTAS COMO SOLICITAR . informações sobre o curso. de fato. selecionar o item Requerimento. preencher o formulário específico selecionando o assunto Revisão de notas e faltas. 47. preencher o formulário específico selecionando o assunto Histórico Escolar e efetuar o pagamento da taxa. ou do imediatamente anterior.2. às instâncias que lhe são superiores.1. 43. o aluno poderá se formar (e/ou colar grau) com a próxima turma ou solicitar Colação de Grau Especial. o aluno que ficar reprovado em uma ou mais disciplinas deverá cursar novamente a(s) mesma(s). viagem de trabalho. 45. selecionar o item Requerimento. 47. clicar em Espaço do Aluno.justificadamente. DO HISTÓRICO ESCOLAR . 44. O candidato deve apresentar uma cópia da publicação no Diário Oficial.Só é permitida a revisão do grau final do semestre letivo em curso. DA FORMATURA E COLAÇÃO DE GRAU . não será necessário). Contem notas e créditos obtidos. Apenas poderá participar da Cerimônia Pública de Colação de Grau o aluno que. 42. Após solucionar todas as pendências. sobre o vestibular. O aluno com pendência(s) só poderá participar da Cerimônia Pública de Colação de Grau após resolver sua situação institucional.Documento que reflete o desempenho acadêmico do aluno.1. E ao cursar pela segunda vez uma disciplina (reestudo) o aluno pagará a mensalidade normal do Curso mais o valor do(s) crédito(s) correspondente(s) à(s) disciplina(s) que indicar como reestudo em sua ficha de matrícula. selecionar o item Requerimento. qualquer que tenha sido a razão do impedimento (doença.Dentro do prazo estipulado no calendário acadêmico o aluno deverá acessar o site da Faculdade.Acesse o site da Faculdade. tiver concluído TODAS AS EXIGÊNCIAS do curso no qual está matriculado e não tiver nenhuma pendência (acadêmica ou financeira).É a Cerimônia Pública de Graduação ou de Licenciatura do aluno que completar satisfatoriamente TODAS as exigências acadêmicas do Curso. Como exposto no item “FREQÜÊNCIA E FALTAS”. Prazos para requerimentos para revisão de notas . Como exposto no item “DA REPROVAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES”. a partir de 1985 (se o registro constar no verso do Histórico Escolar.

O aluno deverá acessar o site da Faculdade. em seu Art. assunto Colação de Grau Especial e aguardar a resposta do agendamento. 49.48.O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE) integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) e tem por objetivo aferir o rendimento dos alunos dos cursos de graduação e licenciatura em relação aos conteúdos programáticos. Colação de Grau Especial: Acontece nos casos em que o formando não possa participar da Colação de Grau no dia previsto para sua turma e a mesma será realizada na sala da Diretoria Geral. item Requerimento. somente a sua situação regular com relação a essa obrigação. a IES cobrará. § 5.2. DOCUMENTOS Declaração de comparecimento ao vestibular Declaração de aprovação no vestibular Declaração de comparecimento às provas Declaração de conclusão do curso Declaração de conduta escolar Declaração de datas de provas Declaração de matrícula Declaração de matrícula constando as disciplinas incluídas Declaração de matrícula contendo o seu quadro de horário PRAZO DE ENTREGA 03 dias úteis 03 dias úteis 05 dias úteis 10 dias úteis 05 dias úteis 03 dias úteis 03 dias úteis 05 dias úteis 05 dias úteis 31 . assunto Diploma e faça sua solicitação. a taxa vigente referentes aos serviços prestados de segunda via. 50. O ENADE. 48. às suas habilidades e competências. 51. deverá entrar em contato com a Coordenação Geral Acadêmica para as providências necessárias à Colação de Grau. conforme exigência do MEC. ENADE . COMO SOLICITAR A FORMATURA E COLAÇÃO DE GRAU . Caso a aluno necessite solicitar uma segunda via do seu Diploma. A Comissão de Formatura. 50. o recebimento do diploma será mais rápido.861. O fluxo depende de você. clicar em Área do Aluno.Acesse o site Faculdade. é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação. atestada pela sua efetiva participação ou. Quando rigorosamente seguidos. Há uma série de procedimentos a cumprir. 52. 49. no histórico escolar do estudante.Documento expedido ao aluno após a sua colação de grau.1. na época do pedido.º 10.1. 5. na forma estabelecida em regulamento. dispensa oficial pelo Ministério da Educação. A IES não cobra quaisquer taxa para emissão do Diploma dos alunos formandos. sendo inscrita. selecionar o item Requerimento. 48.No início do 6º período do curso todos os alunos deverão fazer requerimento para análise de sua situação acadêmica e documental. Compete ao formando: Verificar junto a CAE se toda a documentação exigida para o processo de emissão do seu certificado está completa e após a colação de grau. de 14 de abril de 2004.º.2.º.1. opção área do Aluno. quando for o caso. O erro ou a falta de algum documento causará um retardo desnecessário. de acordo com a Lei n. DO DIPLOMA . solicitar a emissão do Diploma em formulário disponível no site da Faculdade. COMO SOLICITAR O DIPLOMA . SOLICITAÇÃO DE DOCUMENTOS E PRAZO DE ENTREGA . escolhida pela turma.O valor da taxa a ser paga está na tabela de serviços educacionais disponível no site da Faculdade. 50.

Declaração de pagamento para Imposto de Renda Declaração de que esteve matriculado Declaração de reconhecimento de curso 03 dias úteis 03 dias úteis 03 dias úteis 32 .

é apresentado na forma de unidades e subunidade. • Atividade Complementar: Compreende parte do Projeto Pedagógico de cada curso de Graduação (Bacharelado ou Licenciatura). com datas definidas no calendário acadêmico. • Disciplina: Representa o conteúdo a ser ministrado de forma lógica ao longo de um período letivo.6. • Cancelamento de matrícula: Significa desistência total do curso. • AV – Avaliação. cessando qualquer vínculo do aluno com o curso e com a Faculdade. sem prejuízo da aplicação das normas financeiras. Têm como objetivo ampliar a formação cultural do aluno. • Currículo: Conjunto de disciplinas constantes de um curso. de livre escolha do aluno. não poderá ultrapassar 10% da carga horária integral de seu curso • Disciplinas eletivas: Incluídas no elenco de disciplinas oferecidas pela Faculdade. desde que haja vaga no horário estabelecido para a disciplina e o prérequisito determinado para ela tenha sido cumprido. A primeira referese à 33 . O curso de Teologia da Fabat tem três períodos de avaliação: AV 1. podendo ser de caráter geral ou específico. paralelamente. • Estrutura curricular: Forma de organização do currículo de um curso. como nas demais disciplinas. • Disciplinas optativas: De livre escolha do aluno. TERMINOLOGIAS ACADÊMICAS • Abandono de curso: Situação do aluno que não renovou matrícula. no entanto. O acesso ao estágio curricular se faz por matrícula. devendo ser totalizado um número mínimo de créditos para integralização curricular. conferindolhe grau e título. excetuados os componentes do próprio curso. É estabelecido. O retorno exigirá um novo processo seletivo para ingresso. • Conteúdo programático: Detalhamento de todos os assuntos a serem desenvolvidos na disciplina. • Diploma de graduação: Documento expedido ao graduado. que poderá cursá-la até o limite de 1/3 daquelas em que se matricular por semestre. ou aprovadas pelo Conselho de Ensino e Pesquisa e Extensão no currículo pleno. podem pertencer ao currículo de qualquer curso. ou não solicitou trancamento. • Calendário Acadêmico: Determinação de datas e prazos para os procedimentos acadêmicoadministrativos a serem cumpridos durante cada semestre letivo. • Disciplinas do currículo mínimo: Representam as disciplinas oriundas do desdobramento das matérias fixadas pela legislação. • Equivalência de disciplinas: Disciplinas que se equivalem em termos de carga horária e conteúdo programático. • Disciplina extracurricular: Qualquer disciplina oferecida pelos cursos da Faculdade e que não esteja incluída no currículo pleno do aluno. também. AV 2 e AV3. • Disciplinas obrigatórias: Relacionadas às matérias fixadas pelo Conselho Nacional de Educação no currículo mínimo. São imprescindíveis para a formação básica e profissional dos alunos. objetivando complementar a formação do aluno em atividades diversificadas dentro ou fora da Universidade e/ou através da utilização de novas tecnologias. • Estágio Curricular: Disciplina ou atividade obrigatória que tem a função de garantir maior vinculação do Curso com o mercado de trabalho e com a comunidade. ao mesmo tempo em que assegura a viabilização da relação teoria/prática. O total. Em geral. Os cursos de graduação têm a sua estrutura curricular dividida em duas partes. um número máximo de créditos de disciplinas optativas que o aluno poderá cumprir durante seu curso.

possibilitando a complementação do curso em um período médio proposto para integralização curricular. 75% das aulas e/ou das atividades previstas. • Integralização Curricular:Obtenção do número total de créditos e cargas horárias nas disciplinas fixadas nos currículos plenos dos cursos de graduação. por matrícula sem vestibular ou por transferência externa. A segunda corresponde à formação profissional. Por força de lei. • Pré-requisito: Disciplina(s) cujo conteúdo programático seja indispensável ao entendimento e apreensão de outras(s) disciplinas(s). sob a forma de atividades. • Matéria: Campo de conhecimentos fixados nos currículos e representados nos currículos plenos.ENADE: Instituído pelo Ministério da Educação e do Desporto. • Freqüência: Presença às aulas e às atividades previstas para cada disciplina. o aluno deverá assistir a. pelo Ministério da Educação. • Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes . 34 . Se. A realização deste evento é atribuição da Secretaria. o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes tem por objetivo avaliar o desempenho acadêmico dos alunos dos cursos da graduação e é condição obrigatória para obtenção do diploma (Portaria Ministerial nº2. no mínimo. • Periodização recomendada: Distribuição das disciplinas em períodos letivos sucessivos. Inclui dados pessoais e referências ao ensino médio. Contém notas e créditos obtidos.07. áreas de estudo ou disciplinas.051.2004). de 09. a cada ano. • Histórico Escolar: Documento que reflete o desempenho acadêmico do aluno. • Matrícula: Ato que vincula oficialmente o estudante à universidade onde ingressou por vestibular. estabelecidos em técnicas e procedimentos especiais. adequados às peculiaridades dos casos e das disciplinas (excetuando-se os casos de Estágios e Disciplinas Práticas e de Campo). devendo ser renovado a cada semestre. • Modalidade: Conjunto de disciplinas de um curso que habilita o aluno para o exercício de profissões liberais (Bacharelado) ou magistério (Licenciatura). ele poderá atrasar a conclusão de seu curso. O cronograma do exame e o rol dos cursos a serem avaliados são determinados.formação básica em áreas fundamentais do conhecimento humano e tem a duração média de três a quatro períodos ou semestres. por qualquer razão – disciplina não cursada no período recomendado ou reprovação. dentro do prazo máximo estabelecido pelo Conselho Nacional de Educação. Isso significa que uma dada disciplina não poderá ser cursada antes de se obter aprovação naquela ou naquelas que são seus pré-requisitos. informações sobre o curso e sobre o vestibular. • Regime Especial de Aprendizagem Domiciliar: Programação determinada para atender aos alunos legalmente amparados a requerer este benefício pela legislação e visa possibilitar a apreensão e compreensão dos conteúdos. o aluno perder o período.

Divulgação dos alunos em AV 3.1 Divulgação de notas dos alunos pelo site (Boletim online) Início do 1º semestre letivo (2013.2): Aulas em classe Feriado ATIVIDADES Inscrição no processo seletivo (incluindo transferência externa) Renovação de matrícula com pagamento de multa por atraso Solicitação de reabertura de matrícula. Teologia e Música: AV 1 para disciplinas das 21:00 às 22:15 (aulas normais nos outros tempos) C.2 Feriado Corpus Christi Concedido Dia Concedido ATIVIDADES C.7. Teologia e Música: AV 1 para disciplinas das 19:00 às 20:40 (aulas normais nos outros tempos) C.2 ATIVIDADES C. Indicação do professor das aulas individuais do curso de Música Início do 2º semestre letivo (2013. Teologia e Música: AV 3 para disciplinas das 21:00 às 22:15 (aulas normais nos outros tempos) Prazo final p/ entrega das monografias dos alunos do 7º período (Teologia e Música) Último dia letivo de 2013.2 Último dia para solicitar trancamento de matrícula do semestre Primeira prova do Processo Seletivo de 2013. Solicitação de reabertura de matrícula.1) com Aulas em classe Abertura das inscrição nas disciplinas do primeiro período de Teologia por EAD Último dia para renovação de matrícula com pagamento de multa por atraso Alteração na grade de matrícula.2 Solicitação de professor para aulas individuais (apenas para curso de Música) Fim das inscrição nas disciplinas do primeiro período de Teologia por EAD 29 35 . Renovação de matrícula para todos os alunos C.2 Matrícula para novo aluno de 2013. Divulgação das notas e faltas dos alunos pelo site Renovação de matrícula com multa por atraso Solicitação de revisão de resultado final do 1º semestre.1 JANEIRO 02 a 28 02/01 a 28/02 02/01 a 28/02 02/01 a 11/02 10 FEVEREIRO 04 28 04 a 28 28 MARÇO 15 29 ABRIL 01 a 05 08 a 12 15 a 19 09 a 30 22 23 24 a 26 MAIO 01 02 a 24 14 27 30 31 JUNHO 03 a 07 10 a 14 03 a 21 04 07 a 12 17 a 21 21 24 a 28 28 JULHO 01 a 05 05 09 12 18 15/7 a 09/8 22/07 a 09/08 Aniversário do STBSB. Teologia e Música: Entrega das notas das AV 1 para as turmas Solicitação de recursos à CEPE (câmara de ensino pesquisa e extensão) Concedido Feriado S. Teologia e Música: AV 2 para disciplinas das 19:00 às 20:40 (aulas normais nos outros tempos) C. Teologia e Música: Entrega das notas das AV 2 para as turmas. Data de entrega das monografias dos alunos do 7º período (Teologia e Música) C.1 Resultado da segunda prova do Processo Seletivo de 2013. Solicitação de revisão de notas e frequência de 2013.2. Jorge I Simpósio de Teologia da FABAT/ STBSB ATIVIDADES Feriado Dia do Trabalho Inscrição para primeira prova do Processo Seletivo de 2013. CALENDÁRIO ACADÊMICO 2013. Solicitação de aproveitamento de estudos (equivalência) – todos os períodos. Teologia e Música: AV 3 para disciplinas das 19:00 às 20:40 (aulas normais nos outros tempos) Término do período de orientação das monografias para todos os cursos Segunda prova do Processo Seletivo de 2013. Teologia e Música: AV 2 para disciplinas das 19:00 às 20:40 (aulas normais nos outros tempos) Inscrição para segunda prova do Processo Seletivo de 2013.2 Último dia para registro de notas e faltas no sistema e entrega de diários pelos profs. Matrícula para os novos alunos Provas agendadas do Processo Seletivo de 2013. Alteração de disciplinas da grade de matrícula (exclusão ou inclusão de disciplinas).2 Resultado da primeira prova do Processo Seletivo de 2013. Último dia para solicitação de identidade estudantil Paixão de Cristo ATIVIDADES C.

bacharelados. constituído pelos membros do Conselho Geral da Convenção Batista Brasileira. 6º As Atividades Complementares dos cursos referidos no art. nos planos pedagógico. compondo a carga horária total do curso. III – favorecer o relacionamento entre grupos sociais e a consciência das diferenças. sociedade civil filantrópica de natureza religiosa e educacional com sede e foro na cidade do Rio de Janeiro (RJ). pelo Estatuto. 1º . pelo Regimento da FABAT e pelas normas baixadas pela Direção ou pela Câmara de Ensino. SEMINÁRIO.Este REGULAMENTO rege as normas e disciplina. didático. IV – favorecer a iniciativa e a autonomia dos discentes. nos termos do Estatuto. Pesquisa e Extensão . em 20/06/2005. Art. 3º . Regulamentos baixados pela Direção e do Regimento aprovado pelo Ministério da Educação. é regida nos termos do Estatuto. religioso e de responsabilidade social da instituição e/ou em grupos de interesse da instituição. estabelece um Referencial para as Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação. doravante. Art.A FABAT. Art. pesquisa. CAPÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS Art. publicado no DOU. das ATIVIDADES COMPLEMENTARES dos cursos de Graduação e Licenciatura da FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANEIRO. simplesmente. V – possibilitar o crescimento pessoal. doravante. 2º . REGULAMENTOS IMPORTANTES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. FABAT. que atenda aos seguintes objetivos: I – complementar a formação acadêmica com atividades pluridisciplinares a fim de formar o cidadão contemporâneo. mantenedor da FABAT é administrado por um Conselho Diretor. Art. cujo limite territorial é a cidade do Rio de Janeiro. conforme exposto no Anexo I deste regulamento. 5º As Atividades Complementares dos cursos de Graduação e Licenciatura da FABAT estão sugeridas no Projeto Político-Pedagógico. II – possibilitar a participação dos acadêmicos em projetos de pesquisa e extensão. relacional e espiritual do corpo discente. 36 .As atividades Complementares dos cursos de Graduação e Licenciatura da FABAT são regidas pelo Parecer nº 67 do CNE/CES. científico. Instituição mantida pelo SEMINÁRIO TEOLÓGICO BATISTA DO SUL DO BRASIL. por este Regulamento. pela Resolução CNE/CES nº 2/2007. cultura.O SEMINÁRIO. 4º . na modalidade presencial. 5º deste regulamento podem ser cumpridas em ambientes e contextos de extensão ou ensino. administrativo. simplesmente. disciplinar e comunitário.8. que dispõe sobre a carga horária mínima e os procedimentos relativos à integralização e duração dos cursos de graduação.CEPE.

8º . III . 11º Os alunos que ingressarem nos curso da Fabat por meio de transferência ficam também sujeitos ao cumprimento da carga horária de atividades complementares. declarações. Art. 7º . deverá o aluno reapresentá-los ao professor responsável pelo CCE. produção de material de ensino para o ensino à distância (EAD) ou outros cursos da própria IES ou participação em grupos de estudo. § 1º Não serão validadas AC no período de trancamento da matrícula.O Registro Geral das AC (conf. CAPÍTULO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS Art.Participação em grupo de Investigação em Estruturação Musical (produção de materiais de ensino segundo matrizes culturais brasileiras). Art. § 2º Os comprovantes apresentados pelo aluno serão devolvidos após análise do professor responsável pelo CCE e devem permanecer sob a responsabilidade direta de cada aluno. § 3º Quando ocorrer eventual solicitação de comprovantes já analisados.Ao realizar uma atividade complementar o aluno deverá estar ciente da relevância daquela atividade Professor Responsável pelo Centro de Cursos de Extensão (CCE). desenho. Art.Participação em projetos de iniciação científica de docentes da IES ou de grupos de interesse da instituição em laboratórios. § 3º As atividades complementares podem ser realizadas a qualquer momento. inclusive durante as férias escolares. certificação em exames de proficiência. de informática e de artes (música. 9º . 10º São consideradas válidas apenas as atividades desenvolvidas a partir do ingresso no curso e que sejam cumpridas no transcorrer do curso. § 2º O estudante deverá cumprir 200 horas de AC. pintura.. IV . obedecerá a escala estabelecida pelo Anexo I. podendo solicitar à CGA o cômputo da carga horária atribuída pela Instituição de origem. semestralmente. § 2º A carga horária de mesma AC (seja de extensão/pesquisa ou AACC) não poderá ultrapassar 20% da carga horária total pleiteada.Cursos de idiomas. 12º Configuram-se como AC de extensão e pesquisa: I – Co-participação docente em cursos de extensão ou cursos de curta duração. Art. de Criação Musical (música e texto. § 4º O Estágio Supervisionado não é considerado Atividade Complementar.Atuação docente em cursos de extensão ou cursos de curta duração.Ao professor responsável pelo Centro de Cursos de Extensão (CCE) cabe a avaliação da documentação apresentada para sua validação ou não. Art. relatórios etc) das AC realizadas (conf. etc). desde que respeitados os procedimentos estabelecidos neste regulamento. § 1º A carga horária atribuída pela Fabat a cada uma das atividades. Anexo II) e as cópias dos comprovantes (certificados.§ 1º Os alunos podem realizar atividades complementares desde o 1º semestre de matrícula nos cursos da Fabat. sendo 100 horas de AACC (Atividades Acadêmicas Científicas Culturais) e 100 horas de AE (Atividades de Extensão). para fins de aproveitamento de carga horária e é normatizado em regulamento próprio. desde que estejam comprovadas em histórico escolar e/ou em documento oficial. Anexo I e III) serão anexados a um requerimento dirigido ao professor responsável pelo Centro de Cursos de Extensão (CCE). II . produção de 37 . até trinta dias antes do encerramento do semestre letivo. V ..

cinemas. 15º .Participação em atividades musicais e culturais. exposições.Planejar o projeto curricular do coro eclesiástico (planos de ensaio. II . feiras. Art. mapeamento do trabalho do regente. com ISSN. VI . convivência. parcial ou total. 13º Configuram-se como AC de desenvolvimento pessoal. Esp. encontros. Davidson Pereira de Freitas Diretor da Faculdade Batista do Rio de Janeiro (Mantida) Diretor Geral do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil (Mantenedor) 38 . de Educação e Pedagogias Específicas (ensino coletivo de instrumento).Organização e/ou participação em congressos.Apresentação de trabalho (comunicação individual ou colegiada) em evento acadêmico e/ou de pesquisa. festivais. seleção de repertório.Este Regulamento entra em vigor na data da sua publicação. museus etc).).Publicação em periódico acadêmico. III . Parágrafo Único . Rio de Janeiro. IX . IV .Participação em recitais de grupos de prática de conjunto ou de instrumento (individual). cultural.arranjos e composições visando as situações de prática musical e ensino de música). de Estudo em Percepção e Treinamento Auditivo. X . coordenadas por integrante da FABAT/STBSB. 28 de fevereiro de 2012. IX . crescimento pessoal e espiritual.Ministração. projetos de preservação cultural. em recital coral I a VIII. VII . religioso e de responsabilidade social (AACC): I . XI .Participação em projetos musicais como: Coro na Bagagem. etc. Orquestra de Violões ou de Cordas Dedilhadas. escolares etc. simpósios. sob supervisão de docente da FABAT/STBSB. com ensaios e apresentações regulares em eventos e instituições religiosas.Defesas de dissertação de mestrado e tese de doutorado assistidas XII .. casa de cultura.Participação em projetos de ação comunitária. VI . gravações.Os cursos de extensão da FABAT são regidos também pelo Regulamento do Centro de Cursos de Extensão (CCE) da Instituição. dinâmica de ensaio. Prof.Participação como ouvinte em evento acadêmico e/ou de pesquisa. 14º Os casos omissos são resolvidos pelo colegiado de cada curso. concertos. de cursos de extensão ou mini-cursos na área de formação. com ISBN. condução do processo de ensino-aprendizagem / transmissão. CAPÍTULO IV DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS Art. Banda.Participação em grupos de apoio. análise das partituras e das gravações. VIII . Coro Masculino ou Oquyra. recitais. palestras.Atuação na gestão da música eclesiástica na igreja. prática de conjunto I a VIII. de Estudo em Língua Portuguesa. VII . Art. V .Participação em eventos culturais complementares à formação (teatros. virtual ou impresso. virtual ou impresso. peças teatrais. VIII . Orquestra de Câmara. composições. seminários.Publicação em livro.Participação em monitoria.

com ISBN Comprovação Apresentação ao CCE de declaração ou certificado de participação carimbado pela Instituição onde foi ministrado o curso. certificação em exames de Proficiência. Apresentação ao CCE de declaração ou certificado do curso. artigo 6º). virtual ou impresso. Participação em projetos de iniciação científica de docentes da IES ou de grupos de interesse da instituição em laboratórios. Capítulo 1. de 30 a 59h = 15h 60 h ou + = 20h Apresentação ao CCE de declaração ou certificado de participação carimbado pela Instituição responsável pelo evento. Apresentação ao CCE de declaração ou certificado de participação carimbado pela Instituição onde foi ministrado o curso. produção de arranjos e composições visando as situações de prática musical e ensino de música). pintura. de Estudo em Língua Portuguesa. 10h de 30 a 59h = 15h 60 h ou + = 20h Apresentação ao CCE de declaração ou certificado de participação carimbado pela Instituição responsável pelo Projeto. de Criação Musical (música e texto. Apresentação ao CCE de cópia do material publicado e copyright da publicação. etc) (conf. de Estudo em Percepção e Treinamento Auditivo Participação como ouvinte em evento acadêmico e/ou de pesquisa Apresentação de trabalho (comunicação individual ou colegiada) em evento acadêmico e/ou de pesquisa Publicação em livro. de Educação e Pedagogias Específicas (ensino coletivo de instrumento). Apresentação ao CCE de relatório do Anexo III e folder do evento ou cópia do material comunicado pelo aluno. 39 . desenho.ANEXO I TABELA DAS HORAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES AC DE EXTENSÃO E PESQUISA Horas de AC de 15h = 4h de 30 h = 6h de 45 h = 8h de 60 h/a ou + = 10h de 15h = 6h de 30 h = 8h de 45 h = 10h de 60 h/a ou + = 12h Atividade Co-participação docente em cursos de extensão ou cursos de curta duração Atuação docente em cursos de extensão ou cursos de curta duração Cursos de idiomas. 3h 10h 2h por página Apresentação ao CCE de relatório do Anexo III e folder do evento. de Informática e artísticos (música. produção de material de ensino para o ensino à distância (EAD) ou outros cursos da própria IES ou participação em grupos de estudo Participação em grupo de Investigação em Estruturação Musical (produção de materiais de ensino segundo matrizes culturais brasileiras).

60 h ou + = 20h congresso e de formulário do gravações. 40 . Instituição responsável pelo grupo. Anexo III. dinâmica de ensaio. de 30 a 59h = 15h carimbado de participação no peças teatrais. Organização e/ou participação em Apresentação ao CCE de congressos. composições. Apresentação ao CCE de Participação em projetos de ação declaração ou certificado 3h (cada atividade) comunitária carimbado de participação no projeto. coordenadas por integrante da declaração ou certificado de de 30 a 59h = 15h Fabat/Stbsb. atividades. em recital coral I a VIII. Participação em atividades musicais e Apresentação ao CCE de culturais. Planejar o projeto curricular do coro Apresentação ao CCE de eclesiástico (planos de ensaio. virtual ou impresso. seleção declaração ou certificado de repertório. festivais. Museus etc). simpósios. palestras. crescimento pessoal e 60 h ou + = 20h participação carimbado pela espiritual. concertos. CULTURAL. CCE de relatório do Anexo III e comprovação do evento carimbado pela Instituição. recitais. de 30 a 59h = 15h declaração ou certificado de convivência. seminários. projetos de preservação cultural Participação em eventos culturais Apresentação ao CCE de de 30 a 59h = 15h complementares à formação (Teatros. com ensaios e participação carimbado pela 60 h ou + = 20h apresentações regulares em eventos e Instituição responsável pelas instituições religiosas. com ISSN 2 h por página Participação em monitoria 4h Defesas de dissertação de mestrado e tese de doutorado assistidas 4h Apresentação ao CCE de cópia do material publicado e copyright da publicação Apresentação ao CCE de declaração ou certificado de participação carimbado pela Instituição responsável pelo evento. Apresentação ao CCE de Atuação na gestão da música eclesiástica 3h declaração ou certificado na igreja carimbado de participação. Participação em recitais de Grupos de Apresentação ao CCE de Prática de Conjunto ou de Instrumento declaração ou certificado 5h (individual). RELIGIOSO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL (AACC) Atividade Horas de AC Comprovação Apresentação ao CCE de Participação em grupos de apoio. aprendizagem / transmissão. formulário do Anexo III e folder 60 h ou + = 20h Cinemas. feiras. AC DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL. carimbado de participação no prática de conjunto I a VIII recital. Casa de Cultura. escolares etc. declaração ou certificado encontros.Publicação em periódico acadêmico. do evento. 5h carimbado de participação no condução do processo de ensinoprojeto. exposições.

Coro Masculino ou Oquyra. Banda. 41 . etc) Participação em projetos musicais como: Coro na Bagagem. Orquestra de Violões ou de Cordas Dedilhadas.mapeamento do trabalho do regente. Orquestra de Câmara. análise das partituras e das gravações. 20h (máximo de 3 semestres) Apresentação ao CCE de declaração ou certificado carimbado de participação no projeto.

o aluno deverá solicitar declaração de CH perante a comissão organizadora do evento. Para cada AC listada deve haver a comprovação. caso contrário. Todos os certificados deverão conter a carga horária.ANEXO II CENTRO DE CURSOS DE EXTENSÃO .RELATÓRIO DE AC REGISTRO GERAL DAS ATIVIDADES COMPEMENTARES Aluno: Curso: Ano / Semestre: Atividade Complementar | Matrícula: Data da realização Carga Horária* Comprovação CARGA HORÁRIA TOTAL PLEITEADA ASSINATURA DO ALUNO CARGA HORÁRIA TOTAL DEFERIDA ASSINATURA DO PROF. requerendo novamente a inclusão das horas correspondentes. 42 . AACC * Carga horária correspondente ao constante no anexo I. serão indeferidos. Neste caso. RESP.

abrangendo: a) Descrição (em resumo) do conteúdo abordado: _______________________________________________________________________ _______________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ b) Itens que merecem destaque (o que mais foi relevante nesta AC): _______________________________________________________________________ _____________________________________________________________________ c) Críticas ao conteúdo e à ideia central do tema da AC apresentado: _______________________________________________________________________ _______________________________________________________________________ ____________________________________________________________________ d) Disciplinas do curso relacionadas a esta AC: _______________________________________________________________________ _____________________________________________________________________ e) Aplicabilidade desta AC em seu curso e em sua formação profissional: _______________________________________________________________________ _____________________________________________________________________ 43 .ANEXO III CENTRO DE CURSOS DE EXTENSÃO RELATÓRIO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Aluno (a): Matrícula: Curso: Título da Atividade: Tipo de Atividade: Semestre: Período: Data: Curso ( ) Palestra ( ) Peça Teatral ( ) Cinema ( ) Show ( ) Relatório sobre a atividade desenvolvida.

1 . em 20/06/2005. constituído pelos membros do Conselho Geral da Convenção Batista Brasileira. 10. científico. 6. nas instalações da FABAT ou em localização proposta pela demandante. O curso de Extensão deve ser ministrado por profissionais com formação superior.CEPE.8 . SEMINÁRIO. os cursos ou programas do CENTRO DE CURSOS DE EXTENSÃO. 2 . II . São considerados cursos de Extensão abertos ou fechados os cursos de Iniciação. 3 . Art. nos termos do Estatuto. realizados por solicitação de instituições ou empresas. Art. é regida nos termos do Estatuto. administrativo. Aperfeiçoamento e Treinamento Profissional. de notório conhecimento comprovado por meio do curriculum vitae. 7. Art. mantenedor da FABAT é administrado por um Conselho Diretor. Art. Atualização. Art. pelo Estatuto. Instituição mantida pelo SEMINÁRIO TEOLÓGICO BATISTA DO SUL DO BRASIL. presencial ou à distância. simplesmente. com carga horária mínima de 8 (oito) horas e máxima de 359 (trezentos e cinqüenta e nove) horas e critérios de avaliação definidos. doravante. da FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANEIRO. sociedade civil filantrópica de natureza religiosa e educacional com sede e foro na cidade do Rio de Janeiro (RJ).O SEMINÁRIO. entende-se como: 44 . publicado no DOU. com clientela por ela definida. nos planos pedagógico.A FABAT. disciplinar e comunitário. ofertados por iniciativa dos servidores ou departamentos e destinados aos discentes e/ou à comunidade em geral. 9. atualização e aperfeiçoamento de conhecimento de jovens e adultos. O curso de Extensão é um conjunto articulado de ações pedagógicas de caráter teórico e/ou prático.Cursos Fechados: cursos de qualquer natureza e nível. cujo limite territorial é a cidade do Rio de Janeiro. Em casos especiais. Art. CAPÍTULO III DAS MODALIDADES DOS CURSOS Art. planejada e organizada de modo sistemático. didático. 4 . independentemente do nível de escolaridade e formação. FABAT. 5. Pesquisa e Extensão . Para os efeitos deste regulamento. os cursos poderão ser ministrados por profissionais não titulados.Este REGULAMENTO rege as normas e disciplina. Regulamentos baixados pela Direção e do Regimento aprovado pelo Ministério da Educação. pelo Regimento da FABAT e pelas normas baixadas pela Direção ou pela Câmara de Ensino. CAPÍTULO II DA NATUREZA Art.Cursos Abertos: cursos de qualquer natureza e nível. simplesmente.REGULAMENTO DOS CURSOS DE EXTENSÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.Os cursos de extensão serão organizados em duas modalidades: I . O curso de Extensão é planejado para atender demandas dos discentes da FABAT. da sociedade e necessidades de aquisição. doravante.Os cursos de extensão da FABAT são regidos por este Regulamento. Art.

Os cursos de Atualização. Os cursos de Extensão são abertos à matrícula de candidatos que satisfaçam os requisitos previstos na proposta aprovada pelo CCE. Art. Cada curso de Aperfeiçoamento terá uma Comissão Coordenadora que será indicada pelo CCE em conjunto com a Coordenação Geral Acadêmica (CGA). Art. § 1º. para avaliação nos termos deste Regulamento. A aprovação e autorização para funcionamento são dadas pelo prazo máximo de dois anos. É destinado à comunidade em geral. visa tornar acessível à sociedade o conhecimento que acumula. 11. As propostas de cursos de Extensão deverão observar o domínio das áreas de conhecimento de competência acadêmica dos cursos proponentes. atualização e aperfeiçoamento de conhecimentos. CAPÍTULO IV DA PROPOSIÇÃO DE CURSOS DE EXTENSÃO E DO PROCESSO DE ANÁLISE DOS PROJETOS Art. também. § 2º. III – CURSO DE APERFEIÇOAMENTO – objetiva principalmente aprimorar ou aprofundar habilidades técnicas em uma área do conhecimento e se destina a profissionais graduados e a alunos em final de curso. desde que atenda aos pré-requisitos de carga horária definidos no Art. 18. Para os cursos de Extensão poderão ser proponentes um ou mais docentes e técnicos administrativos da FABAT e de outras IES em parceria com o CCE da FABAT. § 1º. em sua política de extensão. Parágrafo único. § 2º. findos os quais será necessária a solicitação de reoferecimento do curso. Será conferido Certificado de Conclusão do Curso ao aluno que cumprir as exigências previstas no projeto do curso. O curso de Aperfeiçoamento pode ter caráter eventual ou permanente. O CCE da FABAT. habilidades ou técnicas em uma área do conhecimento. Art. CAPÍTULO III DOS OBJETIVOS Art.I – CURSO DE INICIAÇÃO – aquele que objetiva principalmente oferecer noções introdutórias em uma área especifica do conhecimento. explicitados na proposta de criação e oferecimento. suprindo as demandas culturais e sociais da comunidade. As propostas aprovadas no âmbito dos cursos serão encaminhadas à Coordenação de Extensão. e têm por objetivo transmitir conhecimentos sistematizados e divulgar técnicas. Os cursos de Extensão exigem apuração de freqüência e verificação formal de aprendizagem. 17. sistematicamente. IV – CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL – Destinado a profissionais graduados. Possui carga horária de 30 à 160 horas. 11. pela articulação entre ensino e pesquisa. Art. Iniciação e Treinamento Profissional têm caráter eventual. 16. através da Coordenação Geral Acadêmica. 45 . podem ser desenvolvidos. 13. Possui carga horária mínima de 16 à 32 horas. numa dimensão ética. sob a forma de tópicos ou ciclos de conferências. inclusive membros da comunidade acadêmica na respectiva área de conhecimento ou correlata. incluindo 75% de freqüência mínima obrigatória. solidária e transformadora. Possui carga horária entre 4 à 16 horas. II – CURSO DE ATUALIZAÇÃO – aquele que objetiva principalmente atualizar e ampliar conhecimentos. Art. A chamada tem por objetivo selecionar projetos de cursos de Extensão para ampliar as oportunidades educacionais de interessados na aquisição. 9º deste Regulamento e apresente um conjunto estruturado de disciplinas e atividades correlatas. Possui carga horária de 160 à 359 horas. 12.

Inscritos que comprovem freqüência mínima de 75% das atividades programadas e aproveitamento conforme avaliação estabelecida no plano de curso. Após o recebimento dos projetos. Os cursos de Aperfeiçoamento deverão apresentar. § 1º. Rio de Janeiro. procederá à análise dos mesmos. 23 . Art. 19. O CCE expedirá certificados aos ministrantes e aos participantes dos cursos de Extensão. Os cursos de Extensão serão oferecidos de acordo com a disponibilidade do proponente em comum acordo com o CCE. b. relação das disciplinas oferecidas. § 1º. 15. As datas para a realização dos cursos de Extensão. principalmente.Este Regulamento entra em vigor na data da sua publicação. § 2º. Cabe ao CCE apoiar e avaliar a execução das atividades de todos os Cursos. mas podem também ser estabelecidas durante a semana. com cópia para o Centro de Cursos Extensão (CCE). ainda. deverão ser anexados os currículos de todos os professores do curso. sua exeqüibilidade do projeto. devem estar concentradas em finais de semana. Prof. Todo curso de Extensão deverá indicar como responsável pelo curso um dos membros da equipe proponente. A certificação dos cursos de Extensão será expedida de acordo com os seguintes critérios: a. Art. 24 de fevereiro de 2012. No caso específico de cursos de Aperfeiçoamento. Art. pela relevância do projeto para o desenvolvimento profissional e/ou pessoal dos discentes e da comunidade. Davidson Pereira de Freitas Diretor da Faculdade Batista do Rio de Janeiro (Mantida) Diretor Geral do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil (Mantenedor) 46 .Os casos omissos neste Regulamento deverão ser dirimidos pela Direção. 17. Art.§ 3º. Parágrafo único. conteúdo programático. 21. No caso de aprovação do projeto. 18. Art. A análise do mérito será conduzida pela Coordenação Geral Acadêmica (CGA). 22 . preferencialmente. CAPÍTULO VI DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS Art. 16. com as respectivas ementas. a partir de pareceres da Coordenação Geral Acadêmica (CGA) e do professores responsável pelo Centro de Cursos Extensão (CCE). para análise e avaliação e registro. Art. designado pela Coordenação Geral Acadêmica (CGA). e a coerência do objetivo/conteúdo programático e a carga horária estabelecida. PERÍODO DE REALIZAÇÃO. 20. DA AVALIAÇÃO E DA CERTIFICAÇÃO Art. As inscrições e propostas de projetos de cursos de Extensão devem ser enviadas encaminha a Coordenação Geral Acadêmica (CGA). carga horária e número de créditos distribuídos. Ms. CAPÍTULO V DA CARGA HORÁRIA. Os cursos de Extensão estarão sob a responsabilidade de um docente em regime de 40h ou 20h. § 2º. Ministrante de disciplina que tiver seu relatório final aprovado pela Diretoria de Extensão. sua execução fica condicionada à apresentação de documentos de identificação do professor responsável e o currículo vitae. Art. DO ACOMPANHAMENTO.

SEMINÁRIO. atualização e aperfeiçoamento de conhecimento de jovens e adultos. Art. os cursos ou programas do CENTRO DE CURSOS DE EXTENSÃO. é regida nos termos do Estatuto. mantenedor da FABAT é administrado por um Conselho Diretor.REGULAMENTO DO CENTRO DE CURSOS DE EXTENSÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. Em casos especiais. O curso de Extensão é planejado para atender demandas dos discentes da FABAT. em 20/06/2005. entende-se como: 47 . Atualização. Pesquisa e Extensão . doravante. O curso de Extensão deve ser ministrado por profissionais com formação superior. Aperfeiçoamento e Treinamento Profissional. 1 . os cursos poderão ser ministrados por profissionais não titulados. planejada e organizada de modo sistemático. didático.Cursos Fechados: cursos de qualquer natureza e nível. Instituição mantida pelo SEMINÁRIO TEOLÓGICO BATISTA DO SUL DO BRASIL. da sociedade e necessidades de aquisição. CAPÍTULO III DAS MODALIDADES DOS CURSOS Art.CEPE.Os cursos de extensão da FABAT são regidos por este Regulamento. disciplinar e comunitário. II . simplesmente. 6. nos termos do Estatuto. da FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANEIRO. com carga horária mínima de 8 (oito) horas e máxima de 359 (trezentos e cinqüenta e nove) horas e critérios de avaliação definidos.Os cursos de extensão serão organizados em duas modalidades: I . Art. nos planos pedagógico. 9. Para os efeitos deste regulamento. ofertados por iniciativa dos servidores ou departamentos e destinados aos discentes e/ou à comunidade em geral. independentemente do nível de escolaridade e formação. Art. 4 . de notório conhecimento comprovado por meio do curriculum vitae.Este REGULAMENTO rege as normas e disciplina. com clientela por ela definida. Regulamentos baixados pela Direção e do Regimento aprovado pelo Ministério da Educação. constituído pelos membros do Conselho Geral da Convenção Batista Brasileira. 3 . publicado no DOU. São considerados cursos de Extensão abertos ou fechados os cursos de Iniciação.8 . científico. nas instalações da FABAT ou em localização proposta pela demandante.Cursos Abertos: cursos de qualquer natureza e nível. FABAT. 5. realizados por solicitação de instituições ou empresas.O SEMINÁRIO. 2 . Art. CAPÍTULO II DA NATUREZA Art. sociedade civil filantrópica de natureza religiosa e educacional com sede e foro na cidade do Rio de Janeiro (RJ). pelo Regimento da FABAT e pelas normas baixadas pela Direção ou pela Câmara de Ensino. presencial ou à distância. 7. Art. doravante. O curso de Extensão é um conjunto articulado de ações pedagógicas de caráter teórico e/ou prático. 10. cujo limite territorial é a cidade do Rio de Janeiro. Art. pelo Estatuto. simplesmente.A FABAT. administrativo. Art.

Cada curso de Aperfeiçoamento terá uma Comissão Coordenadora que será indicada pelo CCE em conjunto com a Coordenação Geral Acadêmica (CGA). CAPÍTULO IV DA PROPOSIÇÃO DE CURSOS DE EXTENSÃO E DO PROCESSO DE ANÁLISE DOS PROJETOS Art. Art. Os cursos de Extensão são abertos à matrícula de candidatos que satisfaçam os requisitos previstos na proposta aprovada pelo CCE. Possui carga horária de 30 à 160 horas. sob a forma de tópicos ou ciclos de conferências. III – CURSO DE APERFEIÇOAMENTO – objetiva principalmente aprimorar ou aprofundar habilidades técnicas em uma área do conhecimento e se destina a profissionais graduados e a alunos em final de curso. § 1º. 16. incluindo 75% de freqüência mínima obrigatória. em sua política de extensão.I – CURSO DE INICIAÇÃO – aquele que objetiva principalmente oferecer noções introdutórias em uma área especifica do conhecimento. As propostas aprovadas no âmbito dos cursos serão encaminhadas à Coordenação de Extensão. As propostas de cursos de Extensão deverão observar o domínio das áreas de conhecimento de competência acadêmica dos cursos proponentes. para avaliação nos termos deste Regulamento. É destinado à comunidade em geral. 18. IV – CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL – Destinado a profissionais graduados. Será conferido Certificado de Conclusão do Curso ao aluno que cumprir as exigências previstas no projeto do curso. 11. 12. através da Coordenação Geral Acadêmica. O CCE da FABAT. Possui carga horária mínima de 16 à 32 horas. 17. também. pela articulação entre ensino e pesquisa. desde que atenda aos pré-requisitos de carga horária definidos no Art. Art. inclusive membros da comunidade acadêmica na respectiva área de conhecimento ou correlata. § 2º. Os cursos de Extensão exigem apuração de freqüência e verificação formal de aprendizagem. Os cursos de Atualização. 48 . 9º deste Regulamento e apresente um conjunto estruturado de disciplinas e atividades correlatas. II – CURSO DE ATUALIZAÇÃO – aquele que objetiva principalmente atualizar e ampliar conhecimentos. O curso de Aperfeiçoamento pode ter caráter eventual ou permanente. e têm por objetivo transmitir conhecimentos sistematizados e divulgar técnicas. explicitados na proposta de criação e oferecimento. atualização e aperfeiçoamento de conhecimentos. Art. 13. findos os quais será necessária a solicitação de reoferecimento do curso. Possui carga horária de 160 à 359 horas. Art. podem ser desenvolvidos. habilidades ou técnicas em uma área do conhecimento. Parágrafo único. sistematicamente. suprindo as demandas culturais e sociais da comunidade. Art. CAPÍTULO III DOS OBJETIVOS Art. A aprovação e autorização para funcionamento são dadas pelo prazo máximo de dois anos. § 1º. 11. numa dimensão ética. § 2º. solidária e transformadora. Iniciação e Treinamento Profissional têm caráter eventual. Possui carga horária entre 4 à 16 horas. visa tornar acessível à sociedade o conhecimento que acumula. A chamada tem por objetivo selecionar projetos de cursos de Extensão para ampliar as oportunidades educacionais de interessados na aquisição. Para os cursos de Extensão poderão ser proponentes um ou mais docentes e técnicos administrativos da FABAT e de outras IES em parceria com o CCE da FABAT.

Os cursos de Extensão estarão sob a responsabilidade de um docente em regime de 40h ou 20h. Os cursos de Extensão serão oferecidos de acordo com a disponibilidade do proponente em comum acordo com o CCE. CAPÍTULO V DA CARGA HORÁRIA. Art. 18. relação das disciplinas oferecidas. 17. mas podem também ser estabelecidas durante a semana. A certificação dos cursos de Extensão será expedida de acordo com os seguintes critérios: a. ainda. O CCE expedirá certificados aos ministrantes e aos participantes dos cursos de Extensão.Este Regulamento entra em vigor na data da sua publicação. Os cursos de Aperfeiçoamento deverão apresentar. Inscritos que comprovem freqüência mínima de 75% das atividades programadas e aproveitamento conforme avaliação estabelecida no plano de curso. carga horária e número de créditos distribuídos. PERÍODO DE REALIZAÇÃO. DO ACOMPANHAMENTO. Rio de Janeiro. sua exeqüibilidade do projeto. 15. Art. § 1º. As inscrições e propostas de projetos de cursos de Extensão devem ser enviadas encaminha a Coordenação Geral Acadêmica (CGA). para análise e avaliação e registro. A análise do mérito será conduzida pela Coordenação Geral Acadêmica (CGA). deverão ser anexados os currículos de todos os professores do curso. No caso de aprovação do projeto. § 2º. Prof.§ 3º.Os casos omissos neste Regulamento deverão ser dirimidos pela Direção. Art. pela relevância do projeto para o desenvolvimento profissional e/ou pessoal dos discentes e da comunidade. 21. 23 . com as respectivas ementas. Após o recebimento dos projetos. a partir de pareceres da Coordenação Geral Acadêmica (CGA) e do professores responsável pelo Centro de Cursos Extensão (CCE). sua execução fica condicionada à apresentação de documentos de identificação do professor responsável e o currículo vitae. preferencialmente. conteúdo programático. 22 . Art. DA AVALIAÇÃO E DA CERTIFICAÇÃO Art. Esp. 19. No caso específico de cursos de Aperfeiçoamento. Art. 16. com cópia para o Centro de Cursos Extensão (CCE). Ministrante de disciplina que tiver seu relatório final aprovado pela Diretoria de Extensão. Art. devem estar concentradas em finais de semana. 24 de fevereiro de 2012. principalmente. designado pela Coordenação Geral Acadêmica (CGA). Todo curso de Extensão deverá indicar como responsável pelo curso um dos membros da equipe proponente. § 1º. e a coerência do objetivo/conteúdo programático e a carga horária estabelecida. b. Art. 20. CAPÍTULO VI DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS Art. Cabe ao CCE apoiar e avaliar a execução das atividades de todos os Cursos. procederá à análise dos mesmos. § 2º. Parágrafo único. As datas para a realização dos cursos de Extensão. Davidson Pereira de Freitas Diretor da Faculdade Batista do Rio de Janeiro (Mantida) Diretor Geral do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil (Mantenedor) 49 .

Somente iniciarão as atividades os alunos que tiverem sido aprovados nas disciplinas MPC 1 e MPC 2. Parágrafo único – Somente serão submetidas à Banca Examinadora as monografias dos alunos que tenham sido aprovados em 70% (setenta por cento) das disciplinas do currículo pleno. segundo a Lei 9. Parágrafo único – O não cumprimento ou a reprovação do aluno nesta atividade acadêmica implica na não integralização do curso e no conseqüente não recebimento do documento legal de conclusão de curso.FABAT. Objetiva também propiciar aos alunos do curso a ocasião de demonstrar um grau de: habilidade adquirida. pesquisa e/ou extensão.Cada curso prevê em seu currículo as disciplinas que viabilizam a elaboração do TCC modalidade monografia. e um grau de aprimoramento da capacidade de interpretação e de crítica científica.Para o Curso de Licenciatura em Música o TCC poderá ser na modalidade gravação de apresentação musical com monografia. Art. Art. estímulo à produção científica e à consulta de bibliografia especializada.A comprovação de plágio ou cópia.610 de 19 de fevereiro de 1998 (Lei de Direitos Autorais). desde que haja a devida aprovação 50 . § 1º .A monografia é um trabalho individual orientado por um professor designado pela Faculdade que deverá relatar uma pesquisa que configure um produto-síntese de um conjunto de aprendizagens realizadas ao longo do currículo pelo estudante. CAPÍTULO III DA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA Art. § 1º . aprofundamento temático. de trabalho científico pré-existente configura reprovação automática e sem recurso do aluno na monografia. 1º . 2º – O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) na modalidade monografia é um dos componentes curriculares constantes do Projeto Político Pedagógico de cada curso da FABAT e se apresenta como uma exigência do Ministério da Educação.Este regulamento estabelece regras gerais sobre as atividades relativas ao Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) que integra o currículo pleno dos Cursos de Graduação da FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANEIRO . 3º . 5º – A monografia é um trabalho científico escrito que aborda assuntos específicos de cada curso. e que contribui para o ensino e para o exercício profissional. sendo a sua elaboração obrigatória para integralização dos créditos e para a obtenção do título de graduação. constantes das Diretrizes Curriculares Nacionais. O TCC será desenvolvido na modalidade de monografia. seja resultado da prática de estágio. 4o . CAPÍTULO II DAS DISCIPLINAS QUE VIABILIZAM A CONSTRUÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO Art.DIRETRIZES DE ORIENTAÇÃO PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DAS EXIGÊNCIAS LEGAIS Art.

junto a CGA. buscando fazer cumprir estas diretrizes. II – Receber dos alunos as monografias nos prazos estabelecidos.do professor orientador e. Esta modalidade tem como objetivo mostrar exemplos práticos relacionados à pesquisa nas áreas de canto. nos prazos estabelecidos pelas Assessorias. em 03 (três) vias impressas. folha de aprovação.A monografia é desenvolvida sob a orientação de professores da área específica que tenham seus nomes aprovados e cadastrados na Coordenação Geral Acadêmica. estruturada com introdução.Cadastrar o quadro de professores orientadores de monografia. 7º – O Trabalho de Conclusão do Curso (TCC) desenvolvido na modalidade de monografia terá as rotinas discriminadas no Anexo I destas diretrizes. composição. em grau de recurso. piano. III – Entregar. Art 9o . V . folha de rosto. CAPÍTULO V DAS ATRIBUIÇÕES DOS ÓRGÃOS ENVOLVIDOS Art 8o .Divulgar datas e horários das apresentações orais. na sua estrutura formal. no que forem aplicadas.Para os três cursos a monografia deverá conter um mínimo 40 páginas e um máximo de 65 páginas.Analisar. às Normas Técnicas (ABNT) sobre documentação. CAPÍTULO VI DOS PROFESSORES ORIENTADORES Art. II – Divulgar no tempo próprio o quadro de professores orientadores cadastrados. as decisões e avaliações dos professores orientadores. III . CAPÍTULO IV DAS ROTINAS DE ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA Art. emitindo termo de entrega e recebimento.Compete à Coordenação Geral Acadêmica: I – Constituir e organizar no prazo estabelecido pelo colegiado o horário das bancas examinadoras. regência e órgão e sua ligação com o âmbito educacional-pedagógico em música. desenvolvimento (com partes ou capítulos) e conclusão. § 1º .000 palavras (aproximadamente 13 páginas) tendo os mesmos elementos pré e pós-textuais descritos no parágrafo primeiro deste artigo. reuniões com os orientadores. § 2º . limita-se ao período no qual o aluno esteja cursando a disciplina monografia I. se necessário.Compete às Assessorias dos Cursos: I – Fazer com que todos os procedimentos constantes destas diretrizes sejam executados dentro da esfera de sua competência. 51 . índice dos capítulos e referências bibliográficas. Como elementos pré e pós-textuais obrigatórios terão capa. IV . quanto ao tempo.A Coordenação Geral Acadêmica convocará. o limite mínimo é de 5. 11º .Para os alunos do Curso de Licenciatura em Música que optarem pela modalidade de TCC gravação de apresentação musical com monografia . Art.A monografia obedece. as monografias aos professores que constituirão as bancas. 6 o . VI – Registrar os resultados das avaliações feitas pelos professores constituintes das bancas. Art 10o .

hora e local determinados pela Coordenação Geral Acadêmica para apresentar a Monografia à Banca Examinadora. f) comparecer em dia. Art. § 2º .A escolha do professor orientador deve ser formalizada pelo aluno à Coordenador Geral Acadêmica mediante a entrega do Termo de Aceite para Orientação de Monografia (Anexo II) devidamente assinado pelo aluno e pelo professor orientador. h) entregar 03 (três) cópias – 02 (duas) cópias encadernadas. devendo o fato ser comunicado e justificado por escrito à Coordenação Geral Acadêmica. d) elaborar a monografia conforme as orientações destas diretrizes.O professor orientador é escolhido livremente pelo aluno dentre aqueles nomes divulgados pelos cursos da FABAT. sob pena de não cumprir o quesito Monografia. Art. sendo 01 (uma) opcional. c) manter contatos periódicos com o professor orientador. até o período de inicio da orientação. depois de terem sido realizados os ajustes/correções/adaptações decorrentes das avaliações dos professores componentes da banca examinadora que forem aceitas pelo professor orientador. b) escolher o professor orientador. 14º . § 1o – A troca de professor orientador só será permitida quando outro docente assumir formalmente a orientação.Compete aos orientados: a) cumprir estas diretrizes.Compete ao professor orientador proceder pedagogicamente no processo de orientação. O professor orientador desempenha as atribuições de orientação descritas no artigo 14º. Art.12º .Cada professor terá sob sua orientação.A entrega da versão definitiva da monografia é requisito para a colação de grau e deve ser efetuada até 15 (quinze) dias após a data da aprovação pela banca examinadora.A responsabilidade pela elaboração da monografia é integralmente do aluno. a indicação de um orientador será feita pela Coordenação Geral Acadêmica. preferencialmente.A escolha do professor orientador deve ser formalizada pelo aluno à Coordenador Geral Acadêmica quando este ingressar no quinto período. § 2º . CAPÍTULO VII DOS ORIENTANDOS Art. 15º . e 01 (uma) não encadernada – da versão definitiva da monografia. CAPÍTULO VIII DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA MONOGRAFIA PELOS PROFESSORES COMPONENTES DA BANCA EXAMINADORA 52 . § 1º .Parágrafo único – A atividade de orientação de monografia é de natureza acadêmica e pressupõe a alocação de parte do tempo do regime de dedicação dos professores de 40h e de 20h para essa tarefa. § 1º . 13º .Ocorrendo a hipótese do aluno não encontrar nenhum professor que se disponha a assumir a sua orientação. § 3º . auxiliando o aluno e indicando referências bibliográficas adequadas à elaboração de sua monografia. g) entregar 03 (três) cópias encadernadas da monografia ao final do 7º período letivo. dez alunos por período. e) entregar os documentos especificados nestas diretrizes nos padrões e prazos aqui definidos.

que reformule alguns aspectos de sua monografia. c) Os avaliadores da primeira etapa poderão sugerir ao aluno que não atingiu a média para aprovação. Após o período da Reconstrução a monografia não mais poderá ser entregue. devendo a mesma ser reavaliada pelo orientador. a avaliação oral. II – Na avaliação oral (2ª etapa). atribuirão um grau (de zero a dez). conforme critérios estabelecidos no Anexo III. Caso este prazo não seja obedecido. a) Na apresentação. antes da segunda etapa. A monografia que for entregue na segunda semana da Reconstrução ganhará nota máxima 9. a apresentação oral. b) Para ser aprovado na segunda etapa. e não receberem nota inferior a seis inteiros de qualquer um deles. os professores atribuirão notas (de zero a dez) ao trabalho escrito. será reprovado nessa disciplina e não poderá integralizar o curso. fato que implica em ter o aluno que estudar mais dois semestres das disciplinas que viabilizam a construção da monografia. feita em sessão pública. Art. podendo. que deverá ser aprovado pela Coordenação Geral Acadêmica. ou que não se apresentar para defesa oral. b) Somente irão para a segunda etapa. encaminhá-los para decisão pelo Colegiado dos cursos. bem como tiveram todas as orientações necessárias a feitura do trabalho. compete à CGA decidir se promove.5. o aluno terá o tempo máximo de vinte minutos para expor seu trabalho. contados a partir da data da aceitação da reformulação. ou seja. 16o – A avaliação da monografia é feita perante uma banca examinadora composta pelo orientador e por. a) A partir da data da efetiva entrega da monografia aos professores membros da banca examinadora. § 3º . apresentar um novo projeto. feita por dois professores da instituição. conforme critérios estabelecidos nestas diretrizes. os trabalhos dos alunos que atingirem a nota igual ou superior a sete inteiros na média aritmética das notas individuais atribuídas na primeira etapa. O aluno terá o prazo de. dispondo o discente.Se reprovado na disciplina monografia. e não receber nota inferior a seis inteiros de qualquer um dos membros da banca.Art. os professores da banca examinadora. ou não. I – Na avaliação escrita (1ª etapa). deve o aluno reiniciar todo processo para elaboração da monografia.0. e cada professor componente da Banca Examinadora efetuará sua rgüição. outros 02 (dois) membros. um dos quais poderá ser de outra Instituição ligada à área. fica a critério do aluno e da CGA continuar ou não com o mesmo tema e com o mesmo orientador. 17o – A avaliação é constituída de 02 (duas) etapas: a primeira é a avaliação escrita (de conteúdo e forma. alteração da composição da banca.Optando por mudança de tema. no máximo. 53 . sem motivo justificado. § 2º . contar-se-á o prazo de 15 (quinze) dias para que se proceda a avaliação.Com relação ao prazo da entrega da monografia. 18o – O aluno que não entregar a monografia no tempo aprazado. o aluno deve obter nota igual ou superior a sete inteiros na média aritmética das notas individuais atribuídas pelos membros da banca examinadora. § 1º . o trabalho que for entregue na primeira semana da Reconstrução ganhará nota máxima 9. Art. 15 dias. um tempo para responder a cada um dos examinadores. um dos quais o orientador) e a segunda é a avaliação oral. 19o – É da competência da Coordenação Geral Acadêmica a solução de casos especiais. se entender necessário. CAPÍTULO VIII DISPOSIÇÕES GERAIS Art. para apresentar as alterações sugeridas pelos avaliadores da primeira etapa. após a exposição oral da monografia pelo aluno e da rgüição feita pelos seus membros. no máximo.

20o – Estas diretrizes só podem ser alteradas pela maioria absoluta dos Membros do Colegiado dos Cursos de Teologia. bem como suprir as suas lacunas. competindo a esses Colegiados dirimir dúvidas referentes à interpretação desta diretriz. Art. 10 de junho de 2011 Prof.Art. Rio de Janeiro. Davidson Pereira de Freitas Diretor Geral Faculdade Batista do Rio de Janeiro / Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil 54 . Ms. expedindo os atos complementares que se fizerem necessários. 21o – Esta diretriz entra em vigor na data de sua aprovação. Música e Pedagogia.

ANEXO I ROTINAS DAS ORIENTAÇÕES DE MONOGRAFIAS POR PERÍODO Rotina de Orientação Escolha do professor orientador Teologia 5º P Música 5º P Pedagogia 5º P Elaboração ou ajustes no projeto de pesquisa 5º P 6º P 5º P Redação dos capítulos 1 6º P 6º P 6º P Redação do capítulo 2 6º P 7º p 6º P Redação dos demais capítulos e dos elementos pré e pós-textuais 7º P 7º P 7º P 55 .

prevista para ser apresentada até junho de________________. regularmente matriculado (a) no período ________ do Curso de _________________ da Faculdade Batista do Rio de Janeiro. ______ de ___________________ de 20_____ .(a)Orientador(a) IDENTIFICAÇÃO DO ALUNO: Nome: ______________________________________________matr. na elaboração da Monografia. _______________________________________________ Prof. Tema: _____________________________________________________________________ _____________________________________________________________________ _____________________________________________________________________ Rio de Janeiro (RJ). nº: __________ Telefones: ____________________________________________________________ Email: _______________________________________________________________ 56 .ANEXO II TERMO DE ACEITE PARA ORIENTAÇÃO DE MONOGRAFIA À Coordenação Geral Acadêmica Professor/a____________________________________________________________ vem respeitosamente informar a essa Coordenação que aceita e assume o encargo de ORIENTADOR (A) do (a) aluno(a) abaixo identificado.

0 2. Subdivisões somente com 2 ou mais partes e espaçamento correto das entrelinhas) CITAÇÕES (considere Diretas com três linhas ou menos: aspas utilizadas. internet. cada capítulo em uma nova página. Diretas com + de três linhas: espaçamento correto e citações indiretas devidamente documentadas) 2.ANEXO III AVALIAÇÃO DE FORMA DA MONOGRAFIA ALUNO (A): _________________________________________ MATRÍCULA Nº. ordem alfabética.0 10. depois da 1a. passim.0 2. deslocamento.0 2. ibid. sem enumerar.linha. sumário segundo a ABNT e resumo) SISTEMA DE NOTAÇÕES (considere a utilização correta de op.0 Data: _________/___________/__________ Nome do orientador (a) Assinatura do (a) Orientador (a) 57 . apostilas etc) Pontuação Máxima: 2.: ___________ Total do Tópico Pontuação PÁGINAS INTRODUTÓRIAS (Considere numeração em romanos. restante numerado. espaço simples dentro de cada obra e duplo entre as obras e referências corretas de revistas.0 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (considere: pelo menos 15 fontes utilizadas. sem linhas viúvas. Sistema Alfabético correto) DESENVOLVIMENTO (considere primeira página sem enumerar.cit.

se for conveniente) 2. justificativas. relevância. evitando referências pessoais e o uso do “eu”  Adequações das fontes utilizadas 1.AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DA MONOGRAFIA ALUNO (A): _________________________________________ MATRÍCULA Nº. evitando repetições.5 2.0 Data: _________/___________/__________ Nome do orientador (a) Assinatura do (a) Orientador (a) 58 . conceituação e definições adequadas e raciocínio: enunciado dos tópicos e metodologias esclarecidos) 2.0 1. objetivo e bem delimitado) 0. com comentários às citações elaboradas  Bom domínio da argumentação dissertativa. ESCOLHA DO ASSUNTO (considere a relevância contemporânea) 0.: ___________ Total do Tópico: Pontuação 1. TÍTULO (considere se é econômico.5 3.0  Boa análise do material pesquisado. problema central e hipóteses centrais enunciados. expressivo.0 4. alcance dos objetivos anunciados e suas conseqüências destacadas e sugestão para pesquisa posterior.0 Pontuação Máxima: 10. digressões.0 1. estilo formal. CONCLUSÃO (considere: cobertura adequada do conteúdo dos capítulos.0 5.0 1. INTRODUÇÃO (considere: objetivos. DESENVOLVIMENTO  Desenvolvimento equilibrado dos capítulos e em crescente complexidade  Equilíbrio entre o conteúdo dos capítulos e sua relevância quanto ao assunto 1.

CAPÍTULO IV DO DIREITO AO REGIME DE REGIME ESPECIAL DE APRENDIZAGEM Art. 4 . que conduzirá a sua execução por meio de suas assessorias. o que só deve ocorrer no último período do curso e para alunos concluintes do último período do curso. 5 . traumatismo ou outras condições mórbidas ou gestantes em Regime Especial de Aprendizagem Domiciliar.A oferta de disciplina(s) em Regime Especial de Aprendizagem dos cursos de graduação da FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANEIRO têm por finalidade propiciar a integralização do curso de graduação e licenciatura. 59 .Ficam estabelecidas as seguintes modalidades de Regime Especial de Aprendizagem para cursos de graduação da FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANEIRO: I – Portadores de afecções congênitas ou adquiridas. juntamente com a Coordenação Geral Acadêmica e suas assessorias. CAPÍTULO III DO DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL Art. 2 . infecções.Acompanhamento Individual. para nivelamento do fluxo. o que só deve ocorrer no último período do curso e para alunos concluintes do último período do curso. 5 (cinco) alunos. para nivelamento do seu fluxo.REGULAMENTO DO REGIME ESPECIAL DE APRENDIZAGEM (TUTORIA) CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. quando a disciplina for ofertada para até. com o objetivo de dar continuidade ao processo psicopedagógico da aprendizagem. III – Turma Especial.O Regime Especial de Aprendizagem se define pela dispensa da exigibilidade de presença física do acadêmico nas aulas regulares. nos termos do Decreto-Lei nº1044/69 e da Lei nº 6202/75. 1 . desde que não seja concomitante ao fluxo regular.A oferta e o acompanhamento de disciplinas em Regime Especial de Aprendizagem são de responsabilidade da Coordenação Geral Acadêmica. pelo Regimento Interno da FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANEIRO e pelas normas baixadas pela Coordenação Geral Acadêmica. substituída por programação especial definida pelo professor da disciplina. no máximo.A oferta de disciplina(s) em Regime Especial de Aprendizagem para os cursos de graduação da FACULDADE BATISTA DO RIO DE JANEIRO são regidos por este Regulamento. CAPÍTULO II DAS FINALIDADES Art. Art. em se tratando de oferta necessária para um número igual ou superior a 6 (seis) alunos. 3 . em consonância com o Projeto Pedagógico. II .

em último recurso. Art.As presenças e ausências computadas à(s) disciplina(s) oferecida(s) em Regime Especial de Aprendizagem serão lançadas uma pauta para registro dos encontros entre o tutor 60 .IV – Curso de Férias. conforme as normas vigentes. ofertado. conforme Calendário Acadêmico. 8 . à Câmara de Ensino. ao discente.Caso a oferta de disciplina em Regime Especial de Aprendizagem seja ministrada por docente em gozo de férias. IV – Concordância com o Projeto Pedagógico do curso.O conteúdo da(s) disciplina(s) oferecida(s) em Regime Especial de Aprendizagem será observando segundo o contemplado no Projeto Pedagógico do curso e respeitado suas peculiaridades. uma única matrícula em cada disciplina ofertada em caráter especial. 9 . o que deve ocorrer. para parecer às respectivas assessorias. em qualquer período do curso e para nivelamento do fluxo respectivo. CAPÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO GERAL DO REGIME ESPECIAL DE APRENDIZAGEM Art. sem prejuízo da oferta das disciplinas do fluxo regular.A computação da carga horária de que trata o artigo 5° desta norma obedecerá à seguinte distribuição: I – 40% da carga horária total da disciplina. quando do Acompanhamento Individual de que trata o inciso II do artigo 5° desta norma. a Coordenação Geral Acadêmica. VII – Apresentação do Plano de Acompanhamento Individual do Aluno. 10 . Art. licença ou recesso acadêmico. II – 50% da carga horária total da disciplina. cabendo ao aluno reclamação por escrito ou recurso à CGA e. II – Disponibilidade docente. independentemente do número de discentes. com as respectivas matrículas dos discentes. no máximo. VI – Apresentação do cronograma de execução das disciplinas. quando da oferta de Turma Especial e/ou Curso de Férias de que tratam os incisos III. § 1° A(s) disciplina(s) em caráter especial também poderá(ão) ser ofertada(s) para nivelamento ou conclusão de curso. III – Disponibilidade de espaço físico. § 2° Será permitida.A oferta da disciplina em Regime Especial de Aprendizagem obedecerá às seguintes exigências: I – Demanda comprovada através de requerimento do aluno. IV e V do artigo 5° desta norma. o trabalho poderá ser realizado por professor convidado pela CGA. quando da convocação para ingresso imediato no serviço público e/ou aprovação em curso de pós-graduação stricto sensu. § 2° Aprovado o processo de oferta de disciplina em Regime Especial de Aprendizagem. V – Apresentação do Conteúdo Programático das Disciplinas. Pesquisa e Extensão (CEPE). 7 . observados os incisos I. § 3° Será permitida. feito no CAE. ou proposta destas. V – Antecipação de Estudos. este deverá ser remetido a assessorias da Coordenação Geral Acadêmica. efetuar a matrícula em um máximo de 04 (quatro) disciplinas em Regime Especial de Aprendizagem. Art. em havendo necessidade de obtenção do diploma de conclusão de curso. II e III deste artigo. para alunos concluintes no último período do curso. quando do descumprimento destas normas. em 30 (trinta) dias após o início do semestre letivo. Art. 6 . para um número igual ou superior a dez (dez) alunos. quando a disciplina não mais for ofertada pela alteração curricular. § 1° Caberá a Coordenação Geral Acadêmica a aprovação do processo sobre a oferta de disciplinas em Regime Especial de Aprendizagem. ao discente. como documento necessário.

Parágrafo único: Cabe ao professor/tutor a avaliação do desempenho do aluno no cumprimento das mesmas.0 (sete). Parágrafo único – Após aprovado. 61 . as seguintes atribuições: I .É responsabilidade do professor. 14 . § 2º . Art. Art. disponibilizando meios para contato com o aluno. III – avaliar as atividades realizadas. para dar ciência da situação diferenciada do acadêmico. Art. 16 . Art.Requerimento à Coordenação Geral Acadêmica será encaminhado a Assessoria do Curso.Não será permitido o trancamento da disciplina feita por acompanhamento especial.O aproveitamento na disciplina será dado: (1) pelo cumprimento das atividades dispostas no plano de estudos e (2) pela obtenção de nota mínima 7. bem como das tarefas a serem desenvolvidas. além da elaboração do plano de estudos para o acadêmico. CAPÍTULO VI DA SOLICITAÇÃO DO PEDIDO E DA MATRÍCULA Art.acompanhar o processo de aprendizagem do aluno. atribuindo-lhes notas/médias consoantes com sistema de verificação da aprendizagem da instituição. Art. bem como bibliografia a ser consultada e cronograma de exercícios de verificação da aprendizagem.A matrícula na(s) disciplinas em Regime Especial de Aprendizagem será efetivada mediante cobrança dos créditos referentes à(s) disciplina(s) pleiteada(s) na Central de Atendimento ao Estudante.Para matrícula em disciplina(s) em Regime Especial de Aprendizagem.promover o acompanhamento do plano de estudos. IV – lançar no diário de classe a freqüência do acadêmico ao longo do período de regime de atividades domiciliares.e aluno. 15 . 13 . ressaltando no mesmo as datas inicial e final do regime.O plano de estudos deve ser compatível com as condições físicas do aluno. o aluno deverá fazer um Requerimento. que analisará a viabilidade do Regime Especial de Aprendizagem ao aluno. § 1º . 11 – A Coordenação Geral Acadêmica e/ou assessoria do curso solicitará ao professor responsável pela disciplina que será oferecida em regime especial a elaboração de um plano de estudos. 17 . Coordenação Geral Acadêmica e/ou assessoria do Curso encaminhará ao aluno. aprovando ou reprovando o aluno. onde o docente fará o lançamento do conteúdo da disciplina. II . solicitando uma análise acadêmica à CGA. CAPÍTULO V DO PLANO DE ESTUDOS Art. 12 – O Plano de Estudos proposto pelo professor responsável da disciplina deverá ser aprovado pela Coordenação Geral Acadêmica e/ou assessoria do Curso. via Central de Atendimento ao Estudante.O plano de estudos deverá conter os conteúdos e as atividades a serem desenvolvidas pelo aluno. § 1º .

Rio de Janeiro. Art. 10 de agosto de 2011 Prof. Ms.CAPÍTULO VII DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS Art. 19 – Este regulamento entra em vigor na data da sua publicação. 18 – Os casos omissos neste Regulamento deverão ser dirimidos pela Coordenação Geral Acadêmica e suas assessorias. Davidson Pereira de Freitas Diretor Geral Faculdade Batista do Rio de Janeiro / Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil 62 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful