Você está na página 1de 7

GRELHA DE OBSERVAÇÃO PARA CONTEXTOS

PROFISSIONAIS

Instituição: Pé de Xumbo

Morada e Contactos:

Morada: Apartado 2195


7001–901 Évora

Telefone: +351 266 73 25 04

E-mail: pedexumbo@pedexumbo.com

Orientador da Visita: Luísa Fonseca – responsável pelo sector


pedagógico

Espaços Físicos

Acesso Geral do Público

Descrição Física (balcões, espaço de circulação, cor, placares,


informação, etc.)

Não foram observados os locais dos festivais.

Tivemos acesso ao Espaço Celeiro, onde foi feita a entrevista. A sala


foi recuperada pela Pé de Xumbo a partir de um antigo celeiro. Tem
um palco, chão flutuante, instrumentos musicais, um pequeno bar,
desenhos na parede.

Objectivos do Espaço (para que se destina)

Destina-se a aulas de dança, oficinas, pequenos concertos, bailes e


encontros.

Acesso a Deficientes
Sim Comentários: Não tem dificuldades de acesso.

Reservados aos Serviços

1
Descrição Física (balcões, espaço de circulação, cor, placares,
informação, etc.)

O resto do celeiro corresponde a uma ala com dois pisos com poucas
divisões e de pequenas àreas. Duas secretárias por sala e sobra
muito pouco espaço para circulação. Existe uma zona sem
aproveitamento.

Objectivos do Espaço (para que se destina)

O espaço está dividido entre escritórios para a programação dos


eventos e salas de arrumos.

Acesso a Deficientes

Não Comentários: O acesso ao piso superior é feito através de umas


escadas bastante apertadas e ingremes.

Informações Internas

Público Alvo da Instituição

Depende do evento. Preocupações em relacionar público jovem com


público mais velho. Trabalha muito com populações locais.

Organograma/Organização: (devem indicar os seguintes itens por


elemento do organograma (ex: Director do Museu): nome do
trabalhador se possível, função, responsabilidade, habilitação
académica e profissional existente, habilitação académica e
profissional pretendida. Se possível representar graficamente o
organograma, por hierarquia.

Geral da Instituição

A Pé de Xumbo trabalha em cooperação. Os elementos da associação


apenas se responsabilizam por algumas das actividades.

EQUIPA (retirado do site)

2
Augusto Fernandes | Espaço Celeiros | augusto@pedexumbo.com

Cláudia Silvano | Contabilidade | claudia@pedexumbo.com

Diana Mira | Coordenação de Produção | diana@pedexumbo.com

Hugo Barros | Produção Andanças | hugo@pedexumbo.com

Luísa Fonseca | Sector Pedagógico | luisa@pedexumbo.com

Marta Guerreiro | Planície Mediterrânica e Entrudanças | marta@pedexumbo.com

Miguel Costa | Tocar de Ouvido | miguel@pedexumbo.com

Sophie Coquelin | Coordenação Andanças e Arraiais do Mundo | sophie@pedexumbo.com

Não dispõe de trabalhadores ligados à promoção artística e


património. São desde, assistente social, designer gráfico, animador
sociocultural, antropólogo a etnomusicólogo.

A direcção envolve várias pessoas que têm poder de decisão nos


projectos.

Por Sector/Departamento

Para qualquer festival têm de existir diferentes funções com mais ou


menos pessoas envolvidas:

Programação – O que vai acontecer: bailes, concertos, oficinas, onde


ficam os monitores, quem são, programaçao das aulas, procurar
repertório e formadores.

Coordenação – Tem de haver uma pessoal a par de tudo.

Produção – Tem de fazer com que tudo aconteça. Ter atenção o


espaço, condições, adequeação à actividade, material de chão, som,
luzes, segurança, softwares, entradas, estacionamento, cruz
vermelha, multibancos, etc. Podem ser voluntários.

Orçamento – Electricista, mecânico, canalizador, material alugado,


que parcerias se podem estabelecer, etc.

Nos eventos de menor dimensão é comum uma pessoa se


responsabilizar por desempenhar todas as funções.

3
Apoios recebidos e fornecidos (verbas monetárias ou outros)

Associação sem fins lucrativos mas que se autosustenta com as


verbas resultantes essencialmente do Festival Andanças.

O espaço é cedido pela Câmara Municipal de Évora.

Parcerias com as câmaras municiapis das localidades onde são


desenvolvidos os projectos. Alguns patrocínios.

Objectivos gerais da instituição

A Pé de Xumbo surgiu a partir do festival Andanças com a vontade de


promover a dança e a música tradicionais através de eventos que
apelem ao contacto directo entre diversos países e estilos, nestas
áreas.

Preocupação com a actualização da cultura também nas gerações


mais jovens de modo a estimular a produção artistica de base
tradicional e utilizar estas duas áreas como um meio de
aprendizagem.

Objectivos de cada sector/departamento

A Pé de Xumbo divide os seus departamentos pelos eventos de maior


dimensão sendo que o objectivo é tornar o projecto em questão
execuivel.

Comunicação Institucional

Escrita Sim Comentários:

Gráfica Sim Comentários: Cartazes

Audiovisual Não referida Comentários:

Multimédia Sim Comentários: Eventos publicitados no site oficial

Actividades Pontuais (Exposições, colóquios, visitas, concertos,


4
etc.) Devem referir Tema, Objectivos, Público-alvo, Como se realizam,
Quem realiza, Calendarização.

Projectos mais pequenos que pretendem abranger um público mais


local. Atenção especial à área de Évora.
Têm objectivos muito especificos ao encontro daquilo que a
associação acha que está em falta ou que se está a perder.
Cada projecto tem em conta o públcio local, o contexto em que se
insere e o resultado educacional que se pretende obter.

Festival Internacional de Música de Évora – Actuação de nomes


importantes na área da música. Oficinas de instrumentos muito
especificos. Estimular os mais novos a tocar repertórios antigos que
só os mais idosos conseguem transmitir.

Dança com Instrumentos – Emprestam os instrumentos


gratuitamente a músicos ou curiosos.

Co-produções que podem também surgir por inciativa de bailarinos,


músicos, actores etc. Exemplo: ensinar flauta de tamborileiro, um
instrumento de Trás-os-Montes e Alentejo, em vias de extinção.

Acções de formação, bailes e oficinas requisitadas que trabalham a


dança em contextos educativos (lar, escolas, instituições, etc.)

Edições - CD e livro sobre o Andanças. Documentário Arritemia(


relacionado com o Andanças e inclui uma parte pedagógica sobre
tipos de dança) e Manda Adiante (relacionada com o Aqui há Baile,
sobre a valsa mandada).

Arquivos e Recolhas – Projecto de registos de música e dança na


Europa e Mediterrâneo porque para evoluir culturalmente é
importante saber as raízes. Informação para ser acessivel a todos.

Actividades Regulares (Exposições, colóquios, visitas, concertos,


etc.) Devem referir Tema, Objectivos, Público-alvo, Como se realizam,
Quem realiza, Calendarização.

Projectos de maior dimensão que pretendem envolver toda a


comunidade. Vão ao encontro dos objectivos gerais da associação.
Formato festival: acontecem durante certo número de dias e as
actividades prolongam-se inclusive pela noite.

Andanças – Em Carvalhais. Anualmente, no final do Verão. Era

5
inicialmente um encontro entre tocadores e bailadores. É o que tem
maior projecção (12 mil pessoas por dia). Hoje consiste em oficinas
de danças do mundo e desenvolve actividades diversas como
passeios pela serra, tertulias, actividades para crianças, meditação e
relaxamento, artes circenses. Equipas de coordenadores e
trabalhadores voluntários em áreas específicas.

Entrudanças – Em Entradas. Anualmente, pela altura do Carnaval.


Pretende envolver a população dali. Desfile que trabalha a dança
tradicional das fitas, uma dança que se perdia. As crianças aprendem
a dança com os mais idosos.

Aqui há Baile e Tocar de Ouvido – Em Évora. Tocar de Ouvido é anual


(Junho) e Aqui há Baile é bianual. Ambos pretendem recuperar as
velhas tradições, chamando os mais velhos para transmitir os seus
saberes ao mais novos. Uma na área da dança, outro na área da
música. Pretende contextualizar na actualidade.

Arraiais do Mundo – Em Tavira. Cruza tocadores de vários pontos do


mundo que trocam os seus conhecimentos sobre as suas músicas
tradicionais.

Planície Mediterrânica – Surge no seguimento do festival Sete Sois,


Sete Luas que acontece em várias cidades por toda a Europa. A Pé de
Xumbo faz uma co-produção.

Necessidades Identificadas (identificar elementos que achem


estar em falta nos contextos visitados, bem como os que possam ser
identificados por quem guiou a visita)

A orientadora da visita refere a falta de um espaço certo e com


condições para a associação desenvolver os seus projectos.

Comentários Gerais (devem indicar tudo o que considerem


relevante e que não tenha sido possível elencar nos restantes
campos)

6
Aluno: Ana Miguel Marangas Stylita Machado 1º Ano
PAP

Interesses relacionados