ADUBOS E ADUBAÇÕES em ORQUÍDEAS

Marcelo Vieira Nascimento

INTRODUÇÃO

Regra de Ouro na Adubação
A adubação começa com a análise do solo, Continua com a correção da acidez e Termina com a aplicação do adubo.

Quando entramos no campo dos adubos e adubações em orquídeas..... Muitas, mas muitas interrogações, dúvidas e incertezas nos cercam. Todas elas estão calcadas num simples fator....

Orquídeas são muito mais do que qualquer vegetal....

Adubos e Adubações é um tema complexo e normalmente para temas complexos temos a tendência de:

Encontrarmos soluções SIMPLES, CLARAS e ERRADAS..

O “simplismo e a clareza” sobrevivem até que a realidade se impõe.

E como qualquer tema dentro da Orquidofilia, sempre temos muitas perguntas....

Devo adubar as orquídeas com frequência? Existe um adubo específico para orquídeas? Como as orquídeas absorvem os nutrientes? Etc... Etc....

Porque Adubar?
Acreditou-se por muitas décadas que adubar orquídeas seria uma prática dispensável, porém com o as primeiras experiências (na grande maioria amadora), se percebeu que o processo de adubação e sua constância, produzia efeitos extremamente significativos no cultivo de orquídeas, produzindo assim, plantas com maior vigor, florescendo com menos tempo e em quantidade e qualidade superior, e sem sintomas de deficiência nutricional.

utilizando as fontes que tem: Material em decomposição.A natureza por via de regra aduba suas orquídeas. Poeiras. Então qual é a diferença entre a Natureza e o Homem no processo de adubação de orquídeas? . Algas e líquens. Água da chuva. Excrementos de animais. Bactérias.

. chegando em muitos casos a morte da planta.. ocasionando problemas de toda ordem. .. O que devemos fazer para tentarmos imitar a natureza. não considerando com o tempo desta resposta. A Natureza se importa apenas com a resposta.O Homem tem pressa. Desta maneira é muito comum a ocorrência de aplicação excessiva de adubos em nossas orquídeas. querendo respostas o mais breve e rápido possível..

vamos no mínimo tentar.. Não sei se conseguiremos. .. Mas juntos... entre outras perguntas....Essa.. é que vamos tentar encontrar respostas..

O QUE É ADUBO/FERTILIZANTE ? .

O que é adubar uma Planta ? Adubar não é simplesmente colocar adubo. e na hora necessária. . sem excessos ou falta. Adubar é nutrir a planta com os elementos de que ela precisa para a sua sobrevivência.

. natural ou sintética. fornecedora de um ou mais nutrientes vegetais. Substância mineral ou orgânica.Então o que é Adubo/Fertilizante ? Adubo ou Fertilizante é um composto químico que visa suprir as deficiências em substâncias vitais à sobrevivência dos vegetais.

é fornecer matérias primas (nutrientes) para que a mesma possa usar no processo da fotossíntese. como qualquer outro ser vivo. nada mais estamos fazendo que colocar um estoque de matérias primas (nutrientes) disponíveis no solo/substrato.Adubar uma planta. para que a mesma possa usar no processo da fotossíntese e consequentemente produzir o seu alimento. A planta. . Adubar rotineiramente uma planta. proporciona a mesma uma resistência às pragas e doenças e mantém a mesma vigorosa e saudável. Quando adubamos uma planta. têm de se alimentar e isto acontece a partir do processo de fotossíntese. e produzir o seu alimento.

O QUE É A FOTOSSÍNTESE ? .ENTÃO.

No processo da fotossíntese as plantas transformam aqueles minerais (nutrientes) disponíveis no solo/substrato em um tipo de açúcar que utilizam para se alimentar. Todo mundo sabe disso. mas nunca pararam para pensar porque as plantas produzem “mel” ou porque têm líquido doce nas mesmas.Fotossíntese é uma palavra comum e as pessoas acham que sabem o que é. talvez 90% delas. acham que as plantas fazem fotossíntese para produzir oxigênio. . Fotossíntese é um processo químico realizado pelas plantas. que é a base de sua alimentação. Agora até dá para entender porque as abelhas retiram o “mel” das plantas. para transformar matéria mineral em matéria orgânica. A grande maioria.

É uma função que apenas os vegetais são capazes de realizar. nas partes verdes dos vegetais. É através dela que as plantas produzem compostos orgânicos ricos em energia (glicose) e liberam oxigênio. na presença da luz. dão origem à glicose. A fotossíntese ocorre quando a água e o gás carbônico. .

. Em outras palavras: Processo pelo qual os vegetais são capazes de sintetizar glicose e liberar oxigênio utilizando-se de energia luminosa.O QUE É A FOTOSSÍNTESE ? Processo pelo qual os vegetais são capazes de transformar a energia luminosa em energia química.

.

AS NECESSIDADES VITAIS DAS PLANTAS .

para viver. Cloro. Cálcio. e mais o Carbono. Magnésio. Cobre. constituem os nutrientes essenciais aos vegetais. Molibdênio e Zinco. E dos seguintes elementos minerais: Nitrogênio. água e temperatura adequada. o Hidrogênio e o Oxigênio. Fósforo e Potássio. Enxofre. presentes no ar e na água. é interessante recordar que as plantas. Boro. . ar. Manganês. necessitam de luz.Embora bastante conhecido. Ferro. Esses elementos.

. misturados com corpos de insetos.. . musgos. etc.Há quem afirme que as orquídeas se alimentam exclusivamente de ar e de água. Tudo isso representa matéria orgânica. E também já sabemos que elas realizam a chamada fotossíntese através da clorofila de suas folhas e pseudobulbos verdes. etc. etc. Mas não é bem assim.. que as orquídeas assimilam pelas raízes e pelas folhas. Se observarmos um tronco de árvore veremos líquens. detritos entre os galhos e também folhas em vários estágios de decomposição.

...... E... ..Então. fica a grande dúvida. Como imitar a natureza e fornecer o que realmente a Orquídea precisa para viver e viver bem..... Minha Resposta ! Um pouco de conhecimento.. Muita Dedicação...

Um pouco de conhecimento é o que tentaremos... ..

Dedicação buscando: .

..Ótimo desenvolvimento vegetativo. . Melhora a sanidade da planta. Maior longevidade das flores e da planta em si. Etc. Avivamento na nitidez das flores. Rápido alastramento das raízes.. Ativação da floração precoce. Aumento na quantidade de botões florais.

FATORES QUE INFLUENCIAM O DESENVOLVIMENTO E O CRESCIMENTO DAS ORQUÍDEAS .

LUMINOSIDADE .

provoca o endurecimento dos brotos e a interrupção do crescimento. ainda podem ser o caminho para entrada de vírus. bactérias e fungos. A luminosidade em excesso prejudica a fotossíntese. desta maneira é uma tendência a procura de locais onde possam ter adequado suprimento de luz. Da mesma maneira deixa as folhas e os pseudobulbos amarelos e enrugados. provocando um processo gradativo de definhamento podendo chegar a morte. além de outras lesões.As orquídeas são plantas que dependem da luz em maior ou menor grau para a sua sobrevivência. As queimaduras nas folhas e brotos advindos do excesso de luz. .

A falta de luminosidade enfraquece o tecido das folhas e dos pseudobulbos. tornando-os com consistência entre coriácea e lenhosa. Num mesmo orquidário podemos ter plantas que gostam de muita luminosidade. outras de meia luminosidade e um terceiro grupo que prefere áreas com pouquíssima luminosidade. e a floração pode não acontecer. Para que possamos ter estes três ambientes distintos num mesmo orquidário. . temos então que criá-los através de colocação de coberturas de telas (sombrite) com diferentes graduações de luminosidade.

O ótimo tom das folhas. retardando com isto. a absorção nutricional e todo o seu potencial vegetativo. sinal de boa realização da fotossíntese. para a maioria das orquídeas. . A cor verde-garrafa das folhas significa. luz insuficiente (exceção para micro -orquídeas. nativas de matas umbrófilas e terrestres de sombra). é o verde-alface.Cor muito amarelada das folhas significa que a planta está sob forte estresse luminoso e com alteração no seu processo de fotossíntese.

jonesianum e flexuosum. isto é. . Cattleyas walkerianas. exemplos: Catasetuns e Cyrtopodiuns. sombrite com 20 a 30% de sombra. Bifrenarias. pumilum.Plantas cultivadas em local com bastante luminosidade. Oncidiuns como. as plantas recebem entre 70 a 80% de luminosidade. Epidendruns das espécies crassifolium ou mosenii. Dendrobiuns da espécie nobile e seus híbridos. Laelias rupicolas e Brassavolas. Vandas e Asconcendas. lodigesii e nobilior.

sarcodes e afins. Sophronitis cernua e coccinea. isto é. Dendrobium. Coelogynes. Laelias purpurata e tenebrosa. cruciatum. Oncidiuns como.Plantas cultivadas em local com meia luminosidade. das espécies desinflorum. farmeri e afins. exemplos: Cattleyas e híbridos afins. . as plantas recebem 50% de luminosidade. sombrite com 50% de sombra.

as plantas recebem 30% de luminosidade.Plantas cultivadas em local com pouca luminosidade. Pabstia e Zygopetaluns. sombrite com 70% de sombra. exemplos: Micro orquídeas. Paphilopedium. isto é. Orquídeas de folhas finas e espécies do interior de nossas florestas. Sophronitis mantigueirae. Stanhopeas e Miltonias. .

O comprimento do dia.Finalmente podemos afirmar que a luz influi de outras formas mais complexas. e por conseguinte da noite influi decisivamente no ciclo de vida das orquídeas. como por exemplo. é sabido que as plantas em alguns casos procuram os raios de sol da parte da manhã. . outras da parte da tarde e outras não são muito específicas neste caso.

TEMPERATURA .

A temperatura é o fator relacionado a orquídeas que mais sofre em relação a altitude. . Em larga escala a temperatura influi dando origem a uma estratificação de altitude. A vegetação e de forma direta a flora orquidológica varia a medida que subimos a encosta de uma montanha. principalmente no período noturno.Fator intimamente ligado à questão da luz e da luminosidade.

Em função disto é que se explica a grande dificuldade em ser realizar cultivo de espécies em locais montanhosos e ao nível do mar. pois torna-se quase impossível a substituição das condições naturais de frio noturno nas baixadas. Mesmo as espécies mais resistentes que consigam sobreviver. De modo geral a temperatura considerada ideal e adequada para o bom desenvolvimento das orquídeas é em torno de 25º C. . precisam necessariamente da alternância de temperatura. pois para tal. dificilmente florescerão.

As orquídeas originárias de Ásia (Vandas e Phalaenopsis) e as da Bacia Amazônica preferem temperaturas bastante elevadas. Miltonia. inclusive espécies e híbridos podem tolerar temperaturas que variam entre 10 a 40º C. Orquídeas originárias de lugares frios. preferem temperaturas mais baixas. Cymbidium e Paphiopedilum entre outros preferem temperaturas amenas. .Entretanto a grande maioria delas. Orquídeas dos gêneros Odontoglossum. como Masdevalias e Draculas (região andina) e um grande número de orquídeas terrestres dos EUA e Europa.

são: As que oscilam entre 20°C e 28°C durante o dia. podem ser consideradas de clima temperado. Espécies encontradas até 900 metros e intertropicais. podem ser consideradas de clima frio. .As temperaturas que podem resultar em excelente cultivo. Espécies encontradas acima de 900 metros de altitude. E durante a noite fiquem perto de 10°C. De forma didática podemos separar as orquídeas em relação a temperatura de acordo com: Espécies encontradas ao nível do mar e proximidades da linha equatorial podem ser consideradas de clima quente.

ÁGUA .

Normalmente pode-se evidenciar nas orquídeas uma fase de crescimento e uma fase de repouso. É nesta fase que a planta precisa ser aguada e adubada com maior frequência. fazer sua própria alimentação. o dióxido de carbono. A fase inicial de crescimento se caracteriza pela aparição do broto e das raízes. a partir daí. Logo após vem o período de maturação com a formação ou não da flor. A fase de crescimento ativo é o desenvolvimento deste broto em pseudobuldo (caule) e as folhas. . Quando o crescimento desacelera a planta entra na fase de repouso vegetativo e sua necessidade de rega diminui bastante. a clorofila e a energia do sol para fabricar açúcares e.As orquídeas usam a água.

pois o substrato fica saturado e sem a necessária aeração. Embora esta regra não seja válida para todas as orquídeas. Uma rega abundante pela manhã. mas nunca encharcado. do que pela falta. Estes fatores associados são a porta de entrada de diversas doenças fúngicas. a possibilidade de errar é menor. As chuvas prolongadas e regas excessivas são a principal causa do apodrecimento das raízes (quando cultivadas em vasos). rega-se abundantemente até a água escoar pelos furos do vaso e aguarda-se que o substrato seque.De maneira geral. . pois é mais fácil matá-las pelo excesso de água. O substrato deve estar sempre ligeiramente úmido. entra em decomposição devido à expansão de fungos e bactérias. é o bastante para manter o mesmo úmido por dias.

Plantas recém divididas ou replantadas. deve-se apenas borrifar a planta e o substrato durante três semanas e só quando começarem a surgir às primeiras raízes é que devese regar normalmente.No verão (seco) as regas deverão ser mais frequentes. dependendo da região e da umidade do ambiente. até que comece a nova brotação e assim recomeçar todo ciclo de regas. devem ser mais espaçadas. talvez uma vez por semana ou até menos. pois o substrato tende a secar com mais rapidez. Como as suas raízes não tem o mesmo poder de absorção. Já no inverno. As plantas em flor precisam de menos água e depois da floração. precisam de um regime de rega um pouco diferente. . é necessário reduzir mais ainda a rega.

cachepós. nó de pinho. pois não há um padrão pré-estabelecido.A água deve ser administrada com muita cautela. podendo por exemplo se chegar há um equilíbrio tendo em conta a tabela abaixo Mais Água Lugares muito iluminados Temperatura alta Umidade baixa Forte corrente de ar Vaso pequeno Vaso poroso (argila/barro) Orquídeas em ativo crescimento Orquídeas cultivadas em tocos de madeira. Menos Água Lugares pouco iluminados Temperatura baixa Umidade alta Baixa corrente de ar Vaso grande Vaso não poroso (plástico) Orquídeas em período de repouso Orquídeas cultivadas em vasos .

(sfagnun. etc.). (vasos de barro.. coberto/não cobertos. Tipo de substrato. Inverno. semi-estufas. etc.). brita.Quando Molhar/Irrigar/”Aguar” as Orquídeas Neste processo devemos levar em consideração os seguintes fatores: Tipo de recipiente onde as orquídeas estão plantadas. Tipo de Orquidário. xaxin. Condições meteorológicas locais.). (abertos/fechados. etc. vasos de plástico. Estações do ano (Verão. . cachepos.. estufas. Outono. Primavera).

quando da decisão de (molhar/irrigar/”aguar”) as orquídeas. .Em hipótese alguma devemos apenas considerar um dos fatores anteriomente citados.

pH .

.5 (um pouco ácido).2 a 6.A acidez e a alcalinidade têm ação preponderante sobre a absorção das substâncias nutritivas. A orquídea absorve total quantidade de adubo necessária para o seu sustento se o pH da água estiver entre 6. O Excesso de um ou de outro pode produzir alteração do sistema radicular e dos caules e folhas.

Adubos: Nitrogênio a base de nitrato de amônia baixa o pH.Fatores que podem afetar o pH: Substrato. Qualidade da água. . Nitrogênio a base de nitrato de cálcio eleva o pH.

UMIDADE RELATIVA .

do vapor de água contido no ar em relação ao máximo possível. sendo o ideal entre 80 e 90%. . assim como acontece conosco e sentimos muito mais sede e desconforto. em porcentagem. As orquídeas são plantas que em geral estão melhor adaptadas as condições de umidade relativa um tanto elevada.Umidade relativa do ar é a medida. Quando abaixo dos 25% as plantas se desidratam muito depressa.

UMIDADE DO SUBSTRATO .

de determinado tipo de substrato conjugado com recipiente de cultivo. impedindo absorção. Vasos maiores retém maior quantidade de água e demoram mais a secar o substrato do que os de menor tamanho. Umidade em excesso por longo tempo nas raízes cobertas por substrato também desidratam a planta. levando a planta a morte. por maior ou menor tempo. pois poderão sofrer com a falta de oxigenação e consequentemente irão apodrecer suas raízes. .Capacidade de retenção de água.

VENTILAÇÃO .

. Em nossos orquidários devemos criar as condições de ventilação e arejamento necessários para o bom desenvolvimento das mesmas. brisa esta que traz consigo nutrientes essenciais para a vida das mesmas.As orquídeas de maneira geral estão adaptadas a uma brisa suave e constante no seu habitat natural.

Fatores que influenciam o desenvolvimento/crescimento das Orquídeas
LUMINOSIDADE; TEMPERATURA; ÁGUA; pH; UMIDADE RELATIVA; • UMIDADE DO SUBSTRATO; VENTILAÇÃO; NUTRIENTES IN LOCO... ADUBOS...

ADUBOS E ADUBAÇÕES

Adubar uma planta, é fornecer matérias primas (nutrientes) para que a mesma possa usar no processo da fotossíntese, e produzir o seu alimento. A planta, como qualquer outro ser vivo, têm de se alimentar e isto acontece a partir do processo de fotossíntese. Quando adubamos uma planta, nada mais estamos fazendo que colocar um estoque de matérias primas (nutrientes) disponíveis no solo/substrato/folhas e raízes, para que a mesma possa usar no processo da fotossíntese e conseqüentemente produzir o seu alimento. Adubar rotineiramente uma planta, proporciona à mesma uma resistência às pragas e doenças e mantém uma aparência vigorosa e saudável.

Cada orquidófilo tem sua maneira e seus “segredos” na hora da adubação de suas orquídeas, em função da falta de pesquisa e conhecimento neste campo no Brasil; Para se adubar de forma mais próxima das necessidades de uma orquídea temos que ter conhecimento do seu ciclo anual de desenvolvimento;

Crescimento; Pré-floração; Repouso.

Caso nosso orquidário seja de espécies, deverá haver a preocupação de separar em grupos de espécies, pois cada espécie tem seu ciclo de vida próprio. Nunca esquecer ainda de separar as plantas adultas das novas. Estas são boas recomendações para se alcançar uma adubação equilibrada, correta na busca de termos:

Plantas sadias; Desenvolvimento das raízes; E floração de qualidade e quantidade.

A Orquídea é um vegetal superior, ou seja, possui:
Raiz; Caule (rizoma e bulbo/pseudobulbo); Folha; Flor; Fruto e Semente.

E como todo vegetal superior, precisa e necessita de 16 elementos para sua sobrevivência.

Esses 16 elementos são chamados essenciais, por que sem eles a planta não consegue completar seu ciclo de vida; Um elemento é essencial por ele entrar na formação de compostos importantes para a planta e sem os quais ela morreria, ou porque, mesmo não fazendo parte de nenhum composto, ele cataliza reações químicas vitais para a planta.

Fósforo. Enxofre. Oxigênio. . Potássio. Essa divisão é em função da QUANTIDADE que a planta requer e não em função da IMPORTÂNCIA para a planta. Cobre. Zinco. Cálcio.Os 16 elementos essenciais são: Carbono. Ferro. Esses elementos essenciais são divididos em dois grupos: Os MACRO E MICRONUTRIENTES. Nitrogênio. Molibdênio. Boro. Manganês. Cloro e Cobalto. Magnésio.

MACRONUTRIENTES .

Cálcio. Fósforo . primários/secundários requeridos pelas plantas (orquídeas) para o seu pleno desenvolvimento São eles: Carbono.Os macronutrientes são os nutrientes básicos. essenciais. . sob condições naturais. Potássio. retirados do solo. Nitrogênio. Magnésio e Enxofre. Oxigênio e Hidrogênio. retirados do ar e da água.

Carbono (C) O carbono é um elemento que é a estrutura básica de toda vida orgânica. É importante na cadeia de transporte de elétrons de reações vitais na planta. inorgânicos. . Sua principal fonte é o gás carbônico do ar. Hidrogênio (H) Este elemento entra na formação de compostos orgânicos. inorgânicos e da água. Sua fonte de sustentação para a planta vem da água absorvida. Ele está presente em todo composto orgânico formando cadeias. Oxigênio (O) O oxigênio entra na formação de compostos orgânicos.

Com estes três primeiros elementos não nos preocupamos porque a própria natureza já tem um reservatório natural que é o ar e água. .

MACRONUTRIENTES PRIMÁRIOS .

Nitrogênio (N) .

Ele é absorvido preferencialmente nas formas de amônia ou nitrato. que são sacrificadas com a retirada do nitrogênio para os brotos novos e subsequente floração. Por isso sua deficiência é verificada primeiro nas folhas mais velhas. ou seja. se a planta precisa de N e não tem o elemento ao seu dispor. O nitrogênio tem muitas funções na planta. ela o retira das partes mais velhas e o utiliza nas partes mais novas. como os aminoácidos. já que a intensão da planta é perpetuar a espécie lançando sementes.É um elemento muito móvel dentro da planta. . sendo que as plantas podem absorver algumas formas mais complexas.

produzindo um vegetal exuberante. sem resistência às pragas e doenças. especialmente quando o suprimento dos demais elementos não é adequado. principalmente na fase ativa de crescimento. .O nitrogênio é o macro elemento considerado alimento de massa. quantidades excessivas de nitrogênio podem prolongar o período de crescimento. Uma dose correta de nitrogênio aumenta o crescimento com a produção de muitas folhas grossas que apresentam cor verde escura pela abundância de clorofila. o elemento químico que as plantas geralmente necessitam em maior quantidade. retardando a maturidade. isto é. é um estimulante e fonte de vigor. Em certas circunstâncias. tornando os tecidos moles.

Provoca queda prematura das folhas mais velhas. As gemas laterais não se desenvolvem e o nível de proteínas nas sementes fica muito baixo. Planta com poucas folhas e folhas velhas amarelando muito rápido. O crescimento fica lento e as plantas tendem a ficar atarracadas.Os sintomas de deficiência de N são: Uma clorose (amarelecimento). inicialmente nas folhas mais velhas e depois nas folhas mais novas. .

Fósforo (P) .

a frutificação. o desenvolvimento das raízes e a maturação dos órgãos vegetativos. na divisão celular. O fósforo atua na respiração. As plantas bem nutridas de fósforo são altamente resistentes à doenças.O fósforo é um elemento absorvido em grandes quantidades pela planta. Resulta ainda num crescimento lento com sérios prejuízos para a floração. Sua atividade principal está relacionada com a floração. o que inibe o crescimento vegetal. pode ser expressa por uma cor avermelhada das folhas. . Sua falta ou deficiência. principalmente nas fases de crescimento vegetativo. no armazenamento e transferência de energia. no crescimento das células e em vários outros processos vitais na planta. a frutificação e a formação de raízes.

As folhas começam a ficar distorcidas e podem apresentar áreas mortas. . o que não é desejável para quem se dedica aos trabalhos de reprodução.A deficiência de fósforo provoca um crescimento anormal na planta. Seu desenvolvimento é todo afetado. As raízes passam a se desenvolver muito lentamente e podem apresentar morte das pontas. pois a planta passa a ter deficiência de energia. Deficiência de P pode provocar também sementes com baixo poder de germinação ou baixo vigor vegetativo. Não há formação de açúcares e nem de ATP (energia da planta).

Potássio (K) .

Assim. O seu comportamento ainda não é bem compreendido.O potássio. mas tudo indica que sua função principal está ligada com o metabolismo da planta. não entra na formação de nenhum composto orgânico na planta. . normalmente as plantas apresentam teores de N e K no mesmo nível e P em menor quantidade. ao contrário do N e P.

. É responsável pela manutenção do potencial osmótico das células. Aclandiae etc). aumenta a resistência da planta às pragas e doenças. aumenta a síntese de proteínas. reduz a velocidade de respiração. Schilleriana. Melhora a resistência a baixa temperatura (muito importante para quem cultiva plantas tropicais em clima frio – Walkeriana.Um bom teor de K na planta aumenta a taxa fotossintética da mesma. ativa as enzimas (são conhecidas mais de 40 enzimas ativadas pelo K) e controla suas velocidades de reação. Melhora a textura das flores. promove a turgidez dos tecidos (mecanismo de abertura e fechamento dos estômatos). favorece a translocação dos metais pesados dentro da planta. Nobilior.

evitando a desidratação dos mesmos e melhorando a transpiração. mantendo a turbidez dos tecidos. Proporciona vigor a orquídea e maior resistência as doenças. ajusta os movimentos estomáticos e relações hídricas. O amadurecimento dos frutos. Torna os tecidos vegetais mais rígidos e menos quebradiços. a seca e a geada.Favorece a formação das raízes. .

diminuindo a formação de raízes e paralizando a floração e frutificação. As plantas deficientes têm seu crescimento comprometido e apresentam poucas raízes. as folhas mais novas também manifestam os mesmos sintomas. Desidratam com muita facilidade (principalmente os seedlings após saída do frasco de cultivo). alta incidência de pragas e doenças. cápsulas enrugadas e pequenas. Continuando a deficiência. A deficiência do potássio diminui sensivelmente a fotossíntese e aumenta a respiração.Os sintomas de deficiência de K começam a aparecer nas folhas mais velhas e de várias formas. Primeiro os bordos das folhas mais velhas começam a murchar e ficam como se tivessem sido queimados. bulbos fracos. .

Em Resumo .

f O Potássio (K) relaciona-se com: Crescimento das raízes e resistência a pragas e doenças .O Nitrogênio (N) está relacionado com: O crescimento vegetativo da planta. O Fósforo (P) está relacionado com: A floração e frutificação da planta.

MACRONUTRIENTES SECUNDÁRIOS .

Cálcio (Ca) .

não se redistribui pelos tecidos vegetais. ajuda a reduzir os nitratos. pelo menos de forma satisfatória. também no reino vegetal. O Ca entra na formação de compostos que fazem parte da parede celular o que lhe garante. papel importante na estrutura de sustentação das plantas. O Ca estimula o crescimento de raízes e folhas. ou seja.O cálcio é absorvido pela planta na forma de cátion bivalente. . Ca 2+ e é considerado praticamente imóvel dentro da mesma. ativa várias enzimas (é constituinte da alfa-amilase) e neutraliza vários ácidos orgânicos produzidos durante o metabolismo celular.

Neutraliza venenos produzidos pela planta. . o tecido fica mole. partes de crescimento ativo: sistema radicular com crescimento deficiente. sendo indispensável na germinação dos grãos de pólen e no crescimento do tubo polínico. Os sintomas de deficiência de cálcio aparecem nas partes meristemáticas. gelatinoso. é essencial para o crescimento das raízes.Responsável pela formação da lamela média. raízes escuras e podres e ponto de crescimento com morte. Deficiência de Ca associada a deficiência de P aumenta substancialmente a morte das pontas de raízes. As pontas de folhas novas também apresentam sinais de deficiência.

Magnésio (Mg) .

. faz com que toda planta tenha que ser adubada com Mg para tentar corrigir a deficiência. Em orquídeas são sinais difíceis de serem notados. bronzeada ou avermelhada. É considerado um elemento móvel apenas no sentido raiz – folha. É também ativador das reações de fosforilação de uma maneira geral (transferência de energia) e de vários sistemas enzimáticos.O Mg é o elemento central da molécula de clorofila. logo. enquanto que as nervuras permanecem verdes. Os sintomas aparecem primeiro em folhas mais velhas onde é verificada uma coloração amarelada. sua principal função está relacionada com a fotossíntese. Esta mão única de redistribuição de energia.

Enxofre (S) .

cisteína) e promove a produção de enzimas e vitaminas. As folhas enrugam mas podem chegar a morte quando no estágio inicial pós transplante e os bulbos ficam finos e lenhosos. mas quando aplicado na forma de sulfato nas folhas. O enxofre é constituinte dos aminoácidos (metionina. apresenta grande mobilidade. podendo toda a planta adquirir esta aparência. Elas tomam uma coloração verde clara. apesar de não ser um dos constituintes dela. porque seus sintomas de deficiência aparecem nas folhas mais novas.É considerado um elemento pouco móvel na planta. Auxilia na formação de sementes e é necessário para a formação da clorofila. Os sintomas de deficiência aparecem nas folhas mais novas. cistina. .

MICRONUTRIENTES .

Cobre (Cu). Zinco (Zn). Ferro (Fe). Cloro (Cl).São elementos essenciais para as orquídeas. Cobalto (Co). Molibdênio (Mo). mas exigidos em proporções muito pequenas. Mangânes (Mn). São micronutrientes os seguintes elementos: Boro (B). sua falta produz carências graves. quando comparadas com os macronutrientes. . Estão para as plantas assim como as vitaminas estão para os animais.

Boro (B) .

. É essencial para a formação de sementes e das paredes celulares. sua deficiência se manifesta nas partes mais novas ou em crescimento ativo. portanto.Considerado um elemento imóvel na planta e. forma complexos açúcar-borato que favorece a translocação dos açúcares dentro da planta e também sua presença é importante no processo de produção de proteínas. É importante para a germinação dos grãos de pólen e crescimento do tubo polínico.

cápsulas sem sementes viáveis ou com baixo vigor vegetativo. encurvamento das folhas novas.Cápsulas caindo prematuramente ou dificuldade de fecundação. pode ser um alerta para a deficiência de boro. provoca morte das gemas terminais. Deve-se evitar o excesso do boro pois ele pode causar fitotoxidez. . morte das pontas de raízes. A deficiência de boro retarda o crescimento das plantas.

Cobre (Cu) .

mas podemos citar a mudança na coloração normal da folha. passando ela para uma cor verde-azulada. Os sintomas de deficiência são pouco conhecidos e não são muito bem caracterizados.Normalmente é utilizado pela planta como catalisador de várias reações vitais. além de ser importante no processo de formação da molécula de clorofila. . chegando a ficar clorótica (aspecto amarelado).

Ferro (Fe) .

razão pela qual os sintomas de deficiência aparecem primeiro nas folhas mais novas. Os sintomas de deficiência de Fe na planta se apresentam na forma de amarelamento das folhas mais novas e nervuras verdes. fazendo um contraste na folha e pode ocorrer morte das gemas. .O Fe é absorvido pela planta na forma de cátion bivalente e é um elemento muito pouco translocável dentro da planta. ficando estas meio esbranquiçadas.

Manganês (Mn) .

acelera a germinação e a maturidade dos tecidos vegetais e ativa várias reações metabólicas. Sua deficiência em plantas cultivadas em tocos ou palitos de xaxim é difícil de se apresentar mas pode ser observada em cultivo de vasos onde se coloca com frequência torta de mamona e farinha de osso. aumenta a disponibilidade de Ca e P.O Mn atua diretamente na fotossíntese ajudando na síntese de clorofila. Os sintomas de deficiência aparecem primeiro em folhas mais novas e observa-se um amarelamento entre nervuras. pois atua como parte do sistema enzimático. .

Molibdênio (Mo) .

. A deficiência de Mo causa um amarelamento geral na planta porque está ligado a falta de N nos tecidos vegetais. Com isto. tem-se o crescimento da planta comprometido.Sua deficiência é de difícil diagnóstico já que muitas vezes vem associada à deficiência de N.

Zinco (Zn) .

A deficiência de Zn pode acarretar bulbos pequenos e um grande brotamento de gemas mas com alto índice de morte dos brotos. O Zn é necessário para a produção de clorofila e está envolvido com a produção de enzimas.É um nutriente pouco móvel na planta. principalmente as desidrogenases. .

Cloro (Cl) .

.É absorvido na forma de cloreto e pouco se conhece de sua função na planta. É um elemento que não nos preocupamos. porque dificilmente as plantas apresentarão sintomas de deficiência. mas nada ainda está esclarecido. o cloreto de potássio. Suspeita-se que o Cl tenha um papel no fotossistema II da fotossíntese e também interfira no processo de absorção de P. Os adubos na forma de cloretos são fontes de Cl. como por exemplo.

Cloro (Cl) .

que atual na formação de parte da clorofila e de outros compostos. Faz parte da vitamina B12. que participa do processo de fixação do nitrogênio. O sintoma mais típico da falta de Co é o amarelamento das folhas.Ativador de enzimas. . essencial para a formação de leghemoglobina dos nódulos das leguminosas.

resistência a pragas e doenças. Crescimento das raízes e fecundação.Macronutrientes Macro nutrientes Principais Nitrogênio (N) Fósforo (P) Pótassio (K) Funções Crescimento da parte aérea Floração e Frutificação Crescimento das raízes e resistência a pragas e doenças Macro nutrientes secundários Magnésio (Mg) Sódio (N) Enxofre (S) Cálcio (Ca) Funções Composição da clorofila e ativador de enzimas Crescimento das raízes. Síntese da clorofila e absorção de CO2. .

Respiração e síntese da clorofila. Desenvolvimento de raízes. Absorção do Nitrogênio na fixação simbiótica e ativador de enzimas.Micronutrientes Micronutrientes Cloro (Cl) Cobre (Cu) Cobalto (Co) Boro (B) Manganês (Mn) Molibdênio (Mo) Zinco (Zn) Ferro (Fe) Funções Decomposição da água na fotossíntese. frutos e sementes. Produção e maturação de sementes Respiração. Absorção do CO2 na fotossíntese. síntese da clorofila e fixação do nitrogênio . Fixação do nitrogênio.

SINTOMAS VISUAIS DE DEFICIÊNCIAS NUTRICIONAIS EM ORQUÍDEAS .

A deficiência de qualquer um dos nutrientes irá limitar o crescimento e desenvolvimento da planta e. dependendo da intensidade com a qual essa deficiência esteja ocorrendo. sendo a redução no crescimento da planta o sintoma visual mais proeminente dessa deficiência. . será possível observar sintomas evidentes dessa deficiência. na qual a planta não manifesta claramente esses sintomas. Também pode ocorrer uma deficiência silenciosa.

são os chamados nutrientes imóveis e o sintoma de sua deficiência se dá em regiões novas como brotos e raízes em formação. aparecendo. Por outro lado existem elementos móveis que podem ser retirados de uma determinada parte da planta para satisfazer outra.Esses sintomas são divididos em dois grupos: sintomas de deficiência relativos aos nutrientes móveis e sintomas relativos aos nutrientes imóveis. os sintomas nas partes mais velhas. os quais. não poderão ser retirados de uma determinada parte da planta para satisfazer as necessidades de outra. a planta transfere o nutriente de um órgão mais velho e menos ativo. sob condições de deficiência desses nutrientes. então. para um órgão novo e mais ativo que necessita do nutriente. ou seja. Como já se sabe existem elementos estruturais. existe diferença no comportamento dos nutrientes dentro da planta. assim. .

com Fósforo (P) Crescimento reduzido. Folhas velhas com clorose internerval. Redução do crescimento. ou. Amarelamento e necrose (morte de tecido) de folhas mais velhas.Nutrientes Móveis Sintomas (ocorrem nas folhas mais velhas) posterior perda destas folhas. Plantas mais suscetíveis a pragas e doenças. Nitrogênio (N) Amarelamento uniforme de folhas mais velhas (traseiras). Pontas das folhas cloróticas esbranquiçadas. avermelhadas (manchas avermelhadas pelo acúmulo de Antocianina – pigmento avermelhado). permanecendo apenas o pseudobulbo no caso daqueles gêneros que o possuem. dobradas (enroladas) para dentro. plantas com folhas com um verde muito escuro e. Potássio (K) Magnésio (Mg) .

Amarelamento uniforme. a separação entre eles deve ser feita determinando-se suas concentrações foliares para verificar qual deles ou os dois é. a clorose tende a ser mais clara.Nutrientes Imóveis Sintomas (ocorrem nas folhas novas e brotações) Morte de brotações e raízes novas. pétalas. Cálcio (Ca) Enxôfre (S) Boro (B) Folhas novas com clorose e possível necrose internerval. esbranquiçada. limitante(s). Crescimento restrito de raízes. . sépalas e labelo não se Formam completamente. Engrossamento de folhas novas e de pontas de raízes. Nas flores. No caso Manganês (Mn) de deficiência de Fe. mais intenso nas folhas mais novas. deformando-se. ou são. dada a semelhança do sintoma desses dois e Ferro (Fe) nutrientes. Morte de brotações e de raízes.

Limitado crescimento de tecidos mais novos. Brotação intensa de gemas. retorcidas.Nutrientes Imóveis Sintomas (ocorrem nas folhas novas e brotações) Folhas novas deformadas. com morte subsequente das brotações. lançamentos ou entrenós curtos. Folhas novas anormalmente pequenas. Cobre (Cu) Zinco (Zn) .

PROPORÇÕES E FÓRMULAS DE MACRO E MICRONUTRIENTES EM ADUBOS .

. Essas formulações variam basicamente em função do objetivo a ser alcançado e pelo fabricante..Todo Adubo é formado pela associação de macro e micronutrientes através de fórmulas específicas. Floração. Etc. Entre os objetivos podemos citar: Manutenção. . Crescimento.

por exemplo.Adubos para ser utilizados em orquídeas obrigatoriamente devem ter em suas formulações N. P e K que podem ter proporções iguais ou diferentes (dependendo do objetivo) e acrescidos de micronutrientes. quando se adquire um determindo adubo contendo 100 gramas: . Essas proporções significam a porcentagem que cada nutriente possui no peso total do adubo.

08 – 45 – 14 (Enraizamento) 10-30-20 (Florescimento) 20-20-20 (uso Geral) 30-10-10 (Reativação do Crescimento) 30 gramas de Nitrogênio (N) (20-10-20) (Manutenção de plantas adultas) 20 gramas de Nitrogênio (N) 08 gramas de Nitrogênio (N) 10 gramas de Nitrogênio (N) 20 gramas de Nitrogênio (N) 45 gramas de Fó Fósforo (P) 30 gramas de Fó Fósforo (P) 20 gramas de Fó Fósforo (P) 10 gramas de Fó Fósforo (P) 10 gramas de Fó Fósforo (P) 14 gramas de Potá Potássio (K) 20 gramas de Potá Potássio (K) 20 gramas de Potá Potássio (K) 10 gramas de Potá Potássio (K) 20 gramas de Potá Potássio (K) .

vem descrito como (Excipientes QSP). cinzas inertes e outros elementos ou compostos como Edta (facilitadores da absorção de certos elementos químicos pela planta). o “Qsp”. Os elementos componentes complementares são medidos em Qsp (Quantidade Suficiente para) = Quantidade suficiente para completar o peso. tais como: micronutrientes (quando existentes). cujo significado é: “Quantidade (de excipientes) que se incorporam a certos compostos ou misturas. Na grande maioria das bulas de formulações de abudos. servido-lhes de base ou para alguma função”. vem dos demais componentes inseridos na formulação.A quantidade de gramas que faltam para completar 100 gramas para o peso total do adubo. .

56 % Mn (Total) 0.007 % Zn (Total) 0.09 % Cu (Total) 0.35 % .00 % P2O5 (H2O) 11.ORCHIDÉES B&G Macronutrientes Primários:Teor (%) N (Total) 8.25 % S (Total) 3.05 % Fe (Total) 0.00 % Macronutrientes Secundários:Teor (%) Ca (Total) 7.52 % Mg (Total) 1.00 % K2O (H2O) 7.76 % Micronutrientes: Teor (%) B (Total) 0.20 % Mo (Total) 0.

12 g/l) 0.(72 g/l) Magnésio (Mg) Enxofre (S) Boro (B) Cloro (Cl) Cobalto (Co) Cobre (Cu) Ferro (Fe) Manganês (Mn) Molibdênio (Mo) Zinco (Zn) 0.60 g/l) 0.1% .03% .2% .(0.PLUS UNIVERSAL Composição Nitrogênio (N) 8% .(20.(96 g/l) Fósforo (P2O5 solúvel em H2O) 6% .(0.40 g/l) .03% .BIOFERT .(0.40 g/l) 0.36g/l) 0.(8.67% .(0.0 g/l) 0.0 g/l) 1.05% .20 g/l) 0.(6.7% .05% .01% .(2.(72 g/l) Potássio (K2O) 6% .(1.(0.5% .36 g/l) 0.60 g/l) 0.

.

0. 0.05%.2%. 0. 0. Fósforo (P2O5) 7%. 0. 0.5%. 0.4%.5%. Potássio (K2O) 7%.FORTH ORQUÍDEAS Manutenção Nitrogênio(n) 6%. .1%.2%.08%. Cálcio (Ca) Magnésio (Mg) Boro (B) Molibdênio (Mo) Zinco (Zn) Cobre (Cu) Ferro (Fe) Manganês (Mn) 0.

NUTRIGARDEN – ORQUÍDEAS II Manutenção e Florescimento .

FORMAS DE ABSORÇÃO DE NUTRIENTES .

Através dos estômatos da superfície das folhas. . assimilando pelos poros/estômatos de sua superfície o gás carbônico (CO2) presente na atmosfera. E.A absorção de nutrientes pelas orquídeas dá-se por três meios distintos: Pelas raízes. que absorvem líquidos que podem conter elementos nutritivos. e. em especial da sua face inferior. compostos orgânicos resultantes da decomposição da matéria orgânica e dos macro e micronutrientes dissolvidos na água das chuvas. das regas ou do orvalho. absorvendo elementos químicos.

A absorção de nutrientes pelas Raízes .

A raiz é um orgão vegetativo que apresenta como característica fundamental, não ser segmentado em nós e entrenós, consequentemente não possui gemas, sendo, portanto, incapaz de formar folhas, ramos e flores. Tipicamente é encontrado abaixo da superfície do solo, com exceção de espécies aquáticas, epífitas e parasitas, geralmente são aclorofilados, excetuando-se algumas espécies com raízes aéreas quando se desenvolvem na presença da luz. Apresentam forma cilíndrica e tem crescimento subterminal ou subapical. Possui como principais funções: Servir como meio de fixação ao substrato; Absorção de água e mineirais; Condução da seiva bruta e elaborada; Em algumas espécies, como orgão de reserva.

O início do metabolismo da planta é pelas raízes, onde é o começo do processo de formação da seiva. A seiva é responsável pelo transporte das proteínas, aminoácidos, enzimas, nitratos, açucares etc., através do caule da planta, desde as raízes até as folhas e também todas as partes que as proteínas forem necessárias ao seu desenvolvimento. Além da sustentação da planta, a maior função de um sistema radicular vigoroso é funcionar como uma bomba enviando mais nutrientes através da seiva para a parte superior da planta, e consequentemente tornar a planta mais vigorosa e produtiva. Para uma planta estar com a parte superior vigorosa, as raízes deverão estar também na mesma proporção de desenvolvimento.

As orquídeas diferentemente da grande maioria das plantas, não possui uma única raiz. Há uma verdadeira “trama de raízes”, que na sua grande maioria conservam o mesmo diâmetro em toda sua extensão; Além das raízes em orquídeas servirem para sua própria fixação elas são consideradas a maior fonte de absorção dos alimentos, na verdade a uma grande simbiose. (FIXAÇÃO X ALIMENTAÇÃO)

Morfologia da Raiz.

Morfologia da Raiz.

Morfologia da Raiz

A EPIDERME - As raízes das epífitas possuem uma camada de células esponjosas na sua superfície externa, conhecida por VELAME, que tem como funções básicas: Revestimento e proteção do Endoderma; Absorção e condução de nutrientes; Armazenamento de água; Fixação da planta. O CORTEX - tecido fundamental das raízes e que ocupa sua maior área, possui a seguinte função: Armazenamento do amido e outras substâncias; OS TECIDOS VASCULARES (cilindro central) - Sistema de tecidos que formam o cilindro sólido na maioria das raízes.

. Sua ponta na grande maioria das vezes possui a cor verde e tem com função: Realizar a fotossíntese. FLOEMA. folhas). nas plantas vasculares. que formam a madeira e tem função de transporte de seiva bruta de baixo (das raízes) para cima (rizomas. conhecido por meristema apical.Na extremidade da raíz encontra-se uma massa de células diferenciadas e especializadas. caules. XILEMA. formado de células vivas. que o protege.Tecido vegetal. fibras e vasos.MERISTEMA APICAL . recoberto por uma coifa.Responsável pelo transporte de substâncias orgânicas sintetizadas (seiva elaborada) das partes aéreas e fotossintetizadas da planta para os tecidos de reserva da raiz (de cima para baixo).

A absorção de nutrientes pelos Estômatos .

As raízes geralmente não os possuem. São os responsáveis por permitir as trocas gasosas. . as quais controlam a abertura e o fechamento do poro (ostíolo). A planta troca gás carbônico e oxigênio com o ambiente através dos estômatos. também pelos estômatos. as células-guarda. Durante a fotossíntese.Os estômatos são aberturas na epiderme da planta (folhas). através da transpiração. Além dos gases. a planta permite a entrada de CO2 na folha e a liberação do O2 para o ambiente. a planta perde água. durante a respiração ela libera CO2 para o ambiente e permite a entrada do O2. Eles ocorrem em todas as partes aéreas das plantas. Por outro lado. limitados por duas células especializadas. mas são mais abundantes nas folhas.

As células-guarda enchem-se de água. dessa forma. O grau de abertura dos estômatos varia ao longo do dia. causam a abertura do poro estomático (ostíolo). elas murcham e tornam-se frouxas. Assim. controlam a perda de água através da transpiração e a entrada e saída de oxigênio e gás carbônico. . tornando-se duras (túrgidas) e. Quando essas células perdem água. em relação às demais células da folha.Os estômatos abrem e fecham em resposta a sinais ambientais e fisiológicos. A abertura dos estômatos ocorre devido à diferença de turgescência (rigidez) das células-guarda do aparelho estomático. fechando o poro estomático. A entrada e saída de água das células-guarda são reguladas por hormônios vegetais e íons.

.Através dos estômatos da superfície das folhas. e. que absorvem líquidos que podem conter elementos nutritivos. em especial da sua face inferior.

FATORES QUE INFLUENCIAM A ABSORÇÃO DE NUTRIENTES PELAS FOLHAS .

Umidade do substrato. Uso de espalhante adesivo. Temperatura. Solubilidade perfeita. Água. Umidade relativa. Ventos.Estrutura das folhas: Composição das Folhas: Idade das Folhas: Luminosidade. .

ADUBOS (CLASSIFICAÇÃO) .

Sob o ponto de vista químico. .Os Adubos podem ser classificados da seguinte maneira: 1.

.1. Isso fica facilitado utilizando-se o conceito de melhorador ou condicionador do solo: São produtos que promovem a melhoria das propriedades físicas (porosidade. aeração. É importante distinguir-se bem a capacitação dos adubos minerais e orgânicos. Adubos orgânicos: São os constituídos de compostos orgânicos de origem natural. capacidade de retenção de água) ou físico-quimicas (capacidade de retenção de cátions) do solo.1. vegetal ou animal.

2. . como a uréia – CO(NH2)2. São também considerados adubos minerais aqueles constituídos de compostos orgânicos (compostos que contêm carbono) sintéticos ou artificiais. Adubos minerais: são os adubos constituídos de compostos inorgânicos (compostos desprovidos de carbono). a alciocianamida e os quelatos.1.

São misturas produzidas com a participação de matérias primas (amônia – NH3. b) Adubos mistos ou misturas de fertilizantes: São os resultantes da mistura de dois ou mais adubos simples. quer sejam eles macro ou micronutrientes ou ambos. as quais dão origem a compostos químicos como sulfato de amônio – (NH4)2SO4. contendo um ou mais nutrientes vegetais. ácido fosfórico – H3PO4). ácido sulfúrico – H2SO4. . c) Adubos complexos: São misturas resultantes de processo tecnológico em que se formam dois ou mais compostos químicos. fosfato monoamônico (MAP) – NH4H2PO4.Os adubos minerais se subdividem em três classes: a) adubos simples: São os constituídos fundamentalmente de um composto químico. fosfato diamônico (DAP) – (NH4)2HPO4.

O objetivo dessas misturas é enriquecer os materiais orgânicos de nutrientes vegetais. Adubos organo-minerais: São os resultantes da mistura de adubos orgânicos e minerais. Porém.3.1. sua aplicabilidade tem sido restrita porque só se consegue produzir essas misturas com concentrações relativamente baixas tanto do componente orgânico como do mineral. .

2. 2. b) Granulado: Quando as partículas são de dimensões que permitem caracterizar um grânulo. . Sólidos: São os que se apresentam no estado sólido. Os adubos sólidos estão subdivididos em duas classes: a) Pó ou farelado: Quando as partículas são de pequenas dimensões.1.Sob o ponto de vista físico.

2. Fluidos: São os adubos que se apresentam no estado líquido. isto é. uma fase sólida dispersa num meio líquido. . nas condições normais de temperatura e pressão.2. b) Suspensões: São os adubos líquidos que se apresentam na forma de suspensões. isto é. O único adubo que se apresenta nesta forma é a amônia anidra. isentas de material sólido. Gasosos: São os adubos que se apresentam no estado gasoso.2. Estão subdivididos em duas classes: a) Soluções: São os adubos líquidos que se apresentam na forma de soluções verdadeiras.3.

A EFICIÊNCIA DAS ADUBAÇÕES .

Fatores diretos.2.1. qualitativa e quantitativa. Qualidade dos fertilizantes: 1. Época de aplicação: 1. direta e indiretamente ligados a essa prática. Recomendação equilibrada. Substrato e recipiente de cultivo. 1.6.O sucesso de uma adubação depende de uma série de fatores.4. 1. Uniformidade da distribuição.3. 1. 1. .5. Forma de aplicação ou localização: 1.

Planta.1. 2. . combate as ervas daninhas. Fatores indiretos. espaçamento. fatores esses que dificultam ou impedem a plenitude da ação dos adubos e.3.2. Outros: A eficiência dos fertilizantes está também sujeita a uma série de outros fatores indiretos. como preparo adequado do solo. pragas e moléstias. Umidade do Substrato: 2. 2.2. consequentemente. o seu aproveitamento pelas plantas.

ADUBAÇÃO ORGÂNICA .

O adubo orgânico pode ser formado por matéria animal ou vegetal decomposta. . São materiais de origem animal ou vegetal. assim. sendo de ação mais lenta que os minerais. Promove o desenvolvimento da flora microbiana e por consequência melhorar as condições físicas do solo. alguns considerados resíduos ou rejeitos. que têm grande utilização na agricultura orgânica ou ecológica. São resíduos animais ou vegetais. a presença de matéria orgânica melhora a atuação dos adubos químicos. visto que necessitam transformações maiores antes de serem separados os elementos.

ou como dizem: deve estar CURTIDO. torta de mamona. de galinha e de porco. além de favorecer a formação e estruturação da microflora normal do substrato. farinha de ossos.A adubação orgânica é aquela cujos elementos químicos são provenientes da decomposição de matéria de origem animal ou vegetal. A adubação orgânica diferencia-se da química por ser de liberação lenta. Os mais conhecidos são: farinha de sangue. . torta de girassol. de cavalo. tendo em contrapartida uma ação mais prolongada. esterco de gado. Esses resíduos contêm todos os macros e micronutrientes que as plantas precisam. porém só podem ser aplicados nas plantas após sua fermentação. farinha de peixe.

pois ativa a criação de vida no meio de cultivo. . principalmente de animais. Escolha preferencialmente compostos orgânicos de fabricantes regulamentados por entidades certificadoras de produtos orgânicos. eles podem conter microorganismos maléficos à sua saúde. Evite utilizar resíduos. que permanentemente irá liberar nutrientes para suas plantas.Os aditivos orgânicos não liberam todos os nutrientes de uma só vez como acontece com os químicos. sem a devida orientação. Contudo o resultado é muito mais duradouro.

. Outros contaminantes na torta de mamona são resíduos de solventes. usados cada vez mais para melhor rendimento industrial na extração do óleo. em especial os agentes causadores da canela seca (fusariose e rhizotoniose) e das podridões em orquídeas. que podem trazer esses contaminantes a partir do local de estocagem. principalmente do solo como fungos e bactérias nocivas. Outra desvantagem é a introdução de contaminantes através do adubo ou de seus componentes mal preparados ou mal conservados.A principal desvantagem da adubação orgânica: É a rápida decomposição do substrato e o acúmulo de matéria orgânica decomposta e formadora de ambiente propício a fungos e bactérias nocivas a orquídea.

ALGUNS ADUBOS ORGÂNICOS .

o esterco de aves. a farinha de ossos ou de ostras. a farinha de sangue. a cinza de madeiras.Os adubos orgânicos mais usados pelos orquidófilos são: Torta de mamona. Quando fermentados chamamos de Bokashi. . de bovinos e de cavalos.

ALGUNS ADUBOS ORGÂNICOS (FARELADO) .

ADUBO ORGÂNICO (VIAGRA) .

a cada 3 meses.Receita 70% de torta de mamona . 10% de farinha de osso . na parte traseira da planta. 10% de esterco de aves (bem curtido). . misture tudo e coloque a quantidade de uma colher de chá sobre o substrato. 10% de cinza vegetal .

BOKASHI .

Mg. pois tem como base farelos fermentados acrescidos com micro organismos benéficos de várias espécies. K. S e é rico em micronutrientes.Palavra japonesa que significa “matéria orgânica fermentada” Contém os nutrientes N. Ca. porém biológico. O Bokashi é um adubo orgânico. P. .

BOKASHI BIOMIX (HORTA & JARDIM) .

. torta de mamona. O BOKASHI da BIOMIX pode ser aplicado da mesma forma que os aditivos sintéticos. É um produto totalmente orgânico que irá manter suas plantas bem nutridas. resultam num excelente e completo adubo para todas as plantas. que.. não tem cheiro e libera os nutrientes imediatamente após a sua aplicação.O ADUBO ORGÂNICO BOKASHI da BIOMIX é uma mistura de diversos ingredientes orgânicos: Farinha de osso.. além de manter o meio de cultivo com vida. devidamente fermentados. farinha de peixe.

NUTRI BOKASHI® .

NUTRI BOKASHI® é um insumo de conceito moderno. para a produção de alimentos sem prejuízo ao meio ambiente. proporcionando rapidamente condições favoráveis à atuação de outros microorganismos benéficos ao solo e às plantas. o NUTRI BOKASHI® carreia ao solo microrganismos do tipo "regeneradores". Além do fornecimento de nutrientes. . Fertilizante orgânico composto a partir de uma mistura balanceada de matérias orgânicas de origem vegetal e animal. agrega segurança e economia ao consumidor e ao produtor. submetidos a um processo de fermentação controlada.

BIO BOKASHI. .

Os nutrientes do BIO BOKASHI são disponibilizados sob a forma de quelados orgânicos. com a vantagem de não serem facilmente volatilizados ou lixiviados após a aplicação. químicas e biológicas do solo. . submetidas a um processo de fermentação controlada. proporcionando às plantas as condições ideais para o pleno desenvolvimento.Trata-se de uma mistura balanceada de matérias orgânicas de origem vegetal e/ou animal. Fertilizante orgânico farelado utilizado para melhorar as condições físicas.

Favorece o ambiente para que as raízes e microrganismos se beneficiem mutuamente. onde os microrganismos atuam. proporcionando uma nutrição equilibrada e fortalecendo a planta contra o ataque de pragas e doenças. estes por sua vez. As raízes. . sendo que esta secreção ocorre na rizosfera. secretam substâncias nutritivas. absorvem substâncias de difícil assimilação e as transformam em substâncias assimiláveis pelas plantas. além de absorver nutrientes do solo.

ORGANIQUE .B&G .

Adubo orgânico composto balanceado contendo fontes de macro e micronutriente. A linha ORGANIQUE é indicada para a nutrição de flores em geral (orquídeas. . helicônias antúrios. rosas. crisântemos. violetas. dentre outras) e também para jardins ( implantação e manutenção).

50 123.22 36.28 0.50 89.18 0.MACRONUTRIENTES PRIMÁRIOS N (Total) P2O5 (H2O) K2O (H2O) MACRONUTRIENTES SECUNDÁRIOS Ca (Total) Mg (Total) S (Total) MICRONUTRIENTES Fe (Total) Zn (Total) B+Cu+Mn+Mo (Total) TEOR (g/kg) 101.13 7.17 .70 0.65 34.

BIOGOLD ORIGINAL .

No entanto. velhos e morrendo. Então começamos a produzir um estimulante de crescimento que não seria apenas estimulante ao bio-organismos no solo. Todos realmente achavam que era tarde e que os Pinheiros eram muito fracos e velhos para salvar. mas também desencadear um novo crescimento na raíz enfraquecida. que estavam enfraquecidos. as árvores enfraquecidas se recuperaram fortemente para grande surpresa do arboriculturistas que foram surpreendidos com os efeitos rejuvenescedores do estimulante líquido. Imediatamente. . pensou-se que o objetivo mais importante era salvar as raízes das árvores em primeiro lugar. para ajudar a salvar Pinheiros em um famoso parque no Japão.O que é BioGold? BioGold começou sua história através do desenvolvimento de estimulantes sólidos e líquidos.

.Encorajados por este sucesso. a gama de produtos BioGold foi estendida para atender as necessidades de nutrientes de uma série de grupos de plantas cuidadosamente escolhidas. Agora com a capacidade de utilizar o conhecimento acumulado em mais de 20 anos de experiência profissional em crescimento para lhe trazer uma grande variedade de mercadorias para atender uma variedade de situações.

um crescimento saudável. Não haverá necessidade de complementar com outros fertilizantes.Características do BioGold Original Adequado para todos os tipos de plantas. . Uma combinação equilibrada de nutrientes. Você vai notar uma melhoria significativa na taxa de crescimento e qualidade da flor. BioGold original é fabricado pelo nosso lento processo de fermentação patenteado e bacteriológicas. vitaminas e minerais em BioGold Original dará tudo necessidades de suas plantas vigorosas.

lesmas e caracóis. Qualquer ligeiro odor inicial logo desaparecerá após a primeira rega. . magnésio.Ele contém uma ampla gama de nutrientes e oligoelementos que incluem cálcio. vitaminas e minerais naturais de outros. Não atraem insetos. Não é tóxico e inofensivo aos animais de estimação. Seus 100% natural ingredientes orgânicos ajudam a tornar mais amiga do ambiente. que irão melhorar significativamente o crescimento.

5 .5 . que usa um método de fermentação bacterológica que combina nutrientes naturais e vitaminas as quais resultam uma melhoria de crescimento e qualidade da flor.5 . P-6. K-3.Adubo orgânico sólido. Formulação N-5. natural.

Fertilizante pode ser aplicado novamente. .Como Usar Como cobertura Basta colocar um pellets sobre a superfície do solo ao redor da área de raíz. quando o pellets desapareceram geralmente após aproximadamente dois meses. A aplicação deve coincidir com a época e a taxa de crescimento para resposta de floração.

Diluir uma parte de água (1 pellet/1litro). devido a folhagem das orquídeas absorverem os nutrientes. Este método irá proporcionar uma liberação mais efetiva dos nutrientes. deixe as bolinhas se dissolverem na água por aproximadamente uma semana. .Em pulverizações. Para obter os melhores resultados. Se estiver usando como um alimento líquido. é melhor usar o líquido dentro de um mês para tirar o máximo da solução rica em nutrientes. BioGold alimentação líquida é muito eficaz para o uso como foliar.

.SUPER BIOGOLD (Tablete) Aplicação Super BioGold é adequado para todos os tipos de orquídeas tanto as epífitas e terrestres.

A combinação destes ingredientes totalmente orgânicos. Super BioGold foi enriquecida com o ácido pirolenhoso de carvão. minerais e vitaminas naturais. . É um polissacarídeo linear. que é uma substância derivada da casca de crustáceos. *quitosana. * A quitosana é um importante ingrediente ativo incluído no Super BioGold. irá promover um sistema radicular mais saudável e também incentivar um crescimento mais vigoroso. É amplamente reconhecido como um potencializador de crescimento e também melhora a habilidade nas plantas para se defender contra infecções fúngicas.Características do Produto Aumento significativo na quantidade de gemas e qualidade da flor.

as plantas absorvem os nutrientes através de seu sistema radicular mais rapidamente e naturalmente. logo desaparecerá após a primeira irrigação.Totalmente fabricado a partir de materiais orgânicos. . Seus ingredientes 100% natural ajuda a torná-la mais compatível ao meio ambiente. Fácil de usar e limpar. Atóxico e inofensivo para você e para animais de estimação. lesmas e caracóis. não atrai insetos. O resultado será uma melhoria visível na cor da flor e folhagem. Ligeiro odor inicial.

Fertilizante pode ser aplicado novamente. geralmente após aproximadamente dois meses. .Como Usar Como cobertura 1º . A aplicação deve coincidir com a época e a taxa de crescimento para resposta de floração. quando o pellets desaparecer.Basta colocar um pellets sobre a superfície do solo ao redor da área de raíz. 2º .

Para obter os melhores resultados. devido a folhagem das orquídeas absorverem os nutrientes. . Este método irá proporcionar uma liberação mais efetiva dos nutrientes.Em pulverizações. é melhor usar o líquido dentro de um mês para tirar o máximo da solução rica em nutrientes. deixe as bolinhas se dissolverem na água por aproximadamente uma semana. Se estiver usando como um alimento líquido. BioGold alimentação líquida é muito eficaz para o uso como foliar.Diluir uma parte de água (1 pellet/1litro). 1º .

K-5 .Fertilizante orgânico sólido. Formulação: N-5 . P-8 . natural.

ALGUNS ADUBOS ORGÂNICOS (LÍQUIDO) .

BIO BOKASHI .

absorvem substâncias de difícil assimilação e as transformam em substâncias assimiláveis pelas plantas. estes por sua vez. além de absorver nutrientes do solo. As raízes. sendo que esta secreção ocorre na rizosfera. onde os microrganismos atuam.Favorece o ambiente para que as raízes e microrganismos se beneficiem mutuamente. proporcionando uma nutrição equilibrada e fortalecendo a planta contra o ataque de pragas e doenças. . secretam substâncias nutritivas.

Fertilizante orgânico farelado utilizado para melhorar as condições físicas. químicas e biológicas do solo.Trata-se de uma mistura balanceada de matérias orgânicas de origem vegetal e/ou animal. com a vantagem de não serem facilmente volatilizados ou lixiviados após a aplicação. . proporcionando às plantas as condições ideais para o pleno desenvolvimento. submetidas a um processo de fermentação controlada. Os nutrientes do BIO BOKASHI são disponibilizados sob a forma de quelados orgânicos.

Possui naturalmente uma grande diversidade de minerais. oriundo de uma hidrólise enzimática de pescado marinho fresco integral. aminoácidos biologicamente ativos e matéria orgânica. Melhora e estimula o desenvolvimento do sistema radicular proporcionando melhor absorção de nutrientes e consecutivamente um melhor desenvolvimento vegetativo .É um fertilizante. Pode ser aplicado diretamente no solo ou através dos vários processos de irrigação.

FERT-I-FISH .

balanceada e assimiláveis.Fertilizante Orgânico Completo COMPOSTO RICO EM AMINOÁCIDOS E MICRONUTRIENTES NATURAIS Fornece todos os nutrientes em forma natural. . Melhora a resistência a doença e pragas. Nossos antepassados observaram que as plantas se desenvolviam melhor onde os restos de peixe eram enterrados e fizeram do peixe o seu primeiro adubo. Os peixes e restos de peixes são talvez o fertilizante mais antigo na história da civilização humana. Melhora a qualidade dos produtos e sua produtividade.

produzido a base de pescado marinho fresco integral por processo de hidrólise enzimática. Ativa o metabolismo geral da planta melhorando a fotossíntese e outros processos fisiológicos importantes. ajuda a formação de quelatos com nutrientes. . melhora a germinação das flores e diminui o abortamento de frutos.É um fertilizante organo mineral. ajuda a planta resistir ao ataque de pragas e doenças. totalmente solúvel em água e facilmente absorvido pelo solo e plantas através das folhas. eliminando o stress. caules e raízes. melhorando sua absorção e proporcionando uma nutrição mais equilibrada à planta. aumenta a reserva de carboidratos. dando mais vigor as brotações e frutos elevando os teores de açúcares (BRIX).

desta forma para o aumento da sustentabilidade duradoura de qualquer sistema produtivo. Flores.Numa agricultura moderna e inteligente que vise produzir alimento e ao mesmo tempo preservar o meio ambiente e prover condições para que o solo fique cada vez melhor. exibem maior resistência a doenças e pragas e tem os seus teores nutricionais aumentados obtendo dessa forma melhores preços. a utilização de fertilizantes químicos deve ser usada sempre tendo em mente os danos potenciais ao meio ambiente que eles podem causar. . O Fert-I-Fish vem preencher esta grande lacuna que existia na Agricultura Brasileira. e que já são amplamente conhecidos de todos. hortaliças e frutas ganham mais cor. não contribuindo. adquirem maior shelf-life (vida de prateleira). Vale sempre lembrar que os fertilizantes químicos não melhoram em nada as características físicas e biológicas do solo.

Austrália. isto é. porém. O produto final guarda todos os nutrientes e minerais contidos no peixe e que são os mesmos minerais contidos na água do mar. Alemanha. cerca de 70 minerais. como enzimas e vitaminas. Espanha e Itália. Nova Zelândia. Holanda. África do Sul. é relativamente novo e alguns anos terão de transcorrer para que tenhamos um banco de dados sobre a sua utilização no nosso país.O Fert-I-Fish é elaborado por um processo único de fabricação onde todos os nutrientes presentes no peixe e que poderiam ser desnaturados pela temperatura elevada. se mantém preservados pelo processo de fermentação e hidrolise a baixas temperaturas. A utilização de fertilizantes líquidos à base de peixe já é prática bastante conhecida nos Estados Unidos. . Canadá. O seu uso no Brasil.

Melhoria do valor nutricional dos alimentos pelo fornecimento de micronutrientes raros essenciais a vida do homem e dos animais. com efeito fertilizante mais duradouro. Nutrientes na forma prolongada de liberação. balanceada e facilmente assimilável. contribuindo dessa forma para a melhoria da sua estrutura física com consequente melhoria do desenvolvimento radicular e infiltração da água. Melhoria da qualidade dos produtos e sua produtividade. Não queima as plantas mesmo em altas dosagens.Vantagens: Fornece todos os nutrientes (macros e micros) em forma natural. Alimento para a microvida do solo. .

O uso via solo promove a reativação da microvida provocada pelos nutrientes presentes no Fert-I-Fish e observa-se uma melhor penetração das raízes com conseqüente efeito benéfico para as plantas em termos de nutrição e absorção de água. São aqueles nutrientes que já se encontravam no solo. . A ativação da microvida do solo aumenta a reciclagem de nutrientes que por sua vez melhora o suprimento desses nutrientes as plantas. mas que não eram propriamente utilizados por falta de protagonistas microbiológicos eficientes. muito embora eles não estivessem presentes no fertilizante a base de peixe. sendo seu efeito mais duradouro.O Fert-I-Fish proporciona um crescimento aos vegetais que vai além daquele observado com os fertilizantes químicos.

Pode ser usado para reduzir o pH das caldas usadas em pulverizações com outros produtos. . Redução do ciclo e diminuição do período de maturação. Grande compatibilidade com outros produtos.Melhora a resistência a doenças e pragas sozinho ou em associação com micronutrientes-chave. Melhora a germinação e o desenvolvimento das raízes. maior fotossíntese e com maior conteúdo de açúcar (Brix). Estabiliza e aumenta a clorofila resultando em plantas mais verdes.

melhorando dessa forma. fertiirrigação como sob o sistema de rega do solo. Como em todo produto biológico o seu efeito nunca deve ser avaliado em função de seu teor puro e simples de alguns nutrientes como teores de N. P e K mas sim em função da ativação que proporcionará a todo o sistema. o controle de insetos pela melhoria nutricional das plantas. Outra forma de utilização do Fert-I-Fish é em associação com produtos controladores de insetos como o Óleo de Neem. . dependendo da finalidade que se quer atingir.Utilização: A utilização tanto poderá ser feita em pulverizações foliares. tanto na esfera foliar quanto na esfera radicular ou edáfica.

quitosana e peixes) .ALQUIFISH (Estrato de algas.

regulando o seu metabolismo e agindo também no desenvolvimento radicular. . corrigindo deficiências nutricionais. os quais disponibilizam nutrientes que estão retidos no solo e secretam substâncias que estimulam o desenvolvimento da planta. algas marinhas e carapaças de crustáceos. melhorando a absorção e transporte de nutrientes. Favorece o crescimento de microrganismos benéficos próximos às raízes. Bio Alquifish® resulta em significativa melhoria do vigor e da resistência da planta. oriundo de peixes marinhos. Contém 18 aminoácidos diferentes necessários ao desenvolvimento ideal das plantas.Fertilizante orgânico composto líquido.

FISH FÉRTIL (Fish Fértil Classic®) .

É um fertilizante orgânico de aplicação foliar oriundo de um processo natural de fermentação enzimática de pescados marinhos. . Atua como um regulador natural do equilíbrio nutricional das plantas. graças a presença de um complexo de aminoácidos biologicamente ativos. promovendo o aumento da fotossíntese e a máxima exploração do seu potencial biológico e fisiológico.

FISH FÉRTIL (Fish Fértil Indure®) .

A quitosana presente em Fish Fértil Indure® induz os genes de resistência às pragas e doenças em plantas. aumentando seu sistema natural de defesa. ativando a fotossíntese e promovendo a máxima exploração do seu potencial biológico e fisiológico. graças à presença de um complexo de aminoácidos biologicamente ativos. .É um fertilizante orgânico de aplicação foliar oriundo de um processo natural de fermentação enzimática de pescados marinhos enriquecido com quitosana proveniente das carapaças de crustáceos. Atua como um regulador natural do equilíbrio nutricional e metabólico das plantas.

AMINO PEIXE GARDEN .

Estes elementos são essenciais para o desenvolvimento das plantas. explorando ao máximo o poder paisagístico das plantas. . atuam como regulador natural do equilíbrio nutricional e metabólico ativando a fotossíntese e a exploração do potencial biológico e fisiológico.É um fertilizante foliar oriundo de uma hidrólise enzimática de pescados marinhos. aminoácidos e solução de matéria orgânica. contém naturalmente macro e micronutrientes.

AMINO PEIXE NATURAL .

AMINO PEIXE RAÍZES .

BIOPIROL .

o produto agrega múltiplas funções que reduzem os custos dos tratos culturais. garantindo qualidade e colheitas fartas. O extrato resultante da fragmentação de tecido lenhoso por calor possui estruturas moleculares bem próximas à de componentes dos tecidos vegetais das plantas. ideal para a recuperação e manutenção da qualidade de sua lavoura. Trata-se de uma solução aquosa de compostos orgânicos gerada em conjunto com a produção industrial de carvão vegetal.BIOPIROL é o fertilizante foliar líquido que utiliza o extrato pirolenhoso como veiculo para os macros secundários e micronutrientes. . onde a tecnologia da Biocarbo garante a alta qualidade e eficiência no uso agrícola. Um dos diferenciais do Biopirol está no uso do extrato pirolenhoso como veículo das suas formulações. Ao combinar nutrição+blocos cinstrutivos+ajuste de pH.

etc. roedores. mariposas. Efeito de repelência Oferece repelência por 2 a 3 dias à pragas e à animais como pulgões. . Reduz o uso de agrotóxicos Ácidos orgânicos do Biopirol ajustam e estabilizam o pH de caldas de herbicidas e defensivos. pássaros. garantindo a eficiência dos seus princípios ativos. mesmo sobe ataque de patógenos as plantas conseguem manter um bom nível de saúde e garantir uma boa produtividade. morcegos. moscas.Maior resistência a doenças A atuação conjunta na nutrição e no metabolismo resulta em aprimoramento das defesas naturais. trips.

ADUBAÇÃO MINERAL (QUÍMICA) .

A adubação química é aquela em que o adubo usado é formado por compostos químicos originados por mineração ou industrialmente. São diretamente assimilados pelas plantas ou sofrem apenas pequenas transformações no solo/substrato para serem absorvidos. Na adubação química. adicionam-se aos solos adubos sintéticos que contêm nitrogênio fixado por meios industriais e transformado em nitrato. .

.Os adubos minerais comerciais geralmente contêm uma mistura em partes variáveis dos três nutrientes fundamentais: Nitrogênio (N). e por incompletos quando contêm apenas um nutriente. ou um composto de dois nutrientes. Fósforo (P) e Potássio (K). Designam-se por completos quando contêm os três elementos. sendo por isso correntemente designados por NPK.

Outros nutrientes e micronutrientes podem fazer parte da sua composição. Assim. habitualmente colocados nos rótulos sob a forma N-P-K.O termo completo aqui não deve ser interpretado no sentido do adubo em questão fornecer todos os nutrientes que planta necessita. nem de que o adubo é constituído somente destes três elementos. mantendo-se no entanto como principal referência as proporções dos três elementos fundamentais. um fertilizante marcado como 10-15-30 é composto por 10 partes de nitrogênio para cada 15 partes de fósforo e cada 30 partes de potássio. . por exemplo.

. No entanto. uma das suas maiores desvantagens é o seu potencial para lixiviar e acidificar o solo/substrato e queimar as plantas. como os baseados em amônia. Uma vez que estes fertilizantes são sais. de rápida ação e baixo custo. podem acidificar o solo/substrato quando utilizados a longo prazo. caracteristicamente.Os adubos minerais são. se mal aplicados. alguns adubos.

A vantagem principal da adubação química é a de não sobrarem resíduos orgânicos no substrato. . A desvantagem é que poderão acumular sais não absorvidos no substrato. o que pode causar queima das raízes.

ALGUNS ADUBOS MINERAIS (SÓLIDOS) .

B&G ORCHIDÉES .

desde a produção de mudas.Adubo com multinutrientes para o cultivo de orquídeas. . bem como de híbridos comerciais cultivados no Brasil. Contém seis macronutrientes e sete micronutrientes. durante o seu cultivo e até a produção de flores dos principais gêneros de orquídeas.em concentrações equilibradas para o desenvolvimento e crescimento das orquídeas.

00 K2O (H2O) 7.56 Mn (Total) 0.05 Fe (Total) 0.20 Mo (Total) 0.00 Macronutrientes Secundários:Teor (%) Ca (Total) 7.007 Zn (Total) 0.76 Micronutrientes:Teor (%) B (Total) 0.52 Mg (Total) 1.09 Cu (Total) 0.35 .00 P2O5 (H2O) 11.B&G ORCHIDÉES Macronutrientes Primários: Teor (%) N (Total) 8.25 S (Total) 3.

B&G ORCHIDÉES (Micronutrientes) .

para uso em casos especiais de deficiência de alguns micronutrientes desde a produção de mudas. Contém micronutrientes em concentrações equilibradas para o desenvolvimento e crescimento de plantas de Orquídeas.Fertilizante Mineral com somente os Micronutrientes para o cultivo de ORQUÍDEAS. durante o seu cultivo e até a produção de flores dos principais gêneros de Orquídeas. . bem como de híbridos comerciais cultivados no Brasil.

14 .26 6.41 0.B&G ORCHIDÉES (Micronutrientes) Micronutrientes Teor (%) Boro (total) Calcio (Total) 1.11 Calcio (Total) Cobre (Total) Ferro (Total) Magnésio (Total) Mobdilenio (Total) Zinco (Total) 2.10 4.88 0.50 2.

PLANTAFOL 20-20-20 (Solúvel em água) .

00 %.COMPOSIÇÃO Nitrogênio (N) 20.00 %. EDTA para quelatar o Fe 0.05 %.20 %. . EDTA para quelatar o Cu 0. Óxido de Potássio (K2O) 20. Boro (B) 0. Ferro (Fe) 0.00 %. Pentóxido de Fósforo (P2O5) 20. Cobre (Cu) 0.50 %.10 %.02 %.

PLANTAFOL 10-54-10 (Solúvel em água) .

00 %.00 %.50 % .00 %. Boro (B) 0.10 %. Óxido de Potássio (K2O) 10. Pentóxido de Fósforo (P2O5) 54.02 % Cobre (Cu) 0. EDTA para quelatar o Fe 0.05 %.50 % EDTA para quelatar o Cu 0.COMPOSIÇÃO Nitrogênio (N) 10. Ferro (Fe) 0.

PLANTAFOL 30-10-10 (solúvel em água) .

Óxido de Potássio (K2O) 10.02 %.COMPOSIÇÃO Nitrogênio (N) 30. Boro (B) 0.05 %.00 %. .10 %. Ferro (Fe) 0. Pentóxido de Fósforo (P2O5) 10. Cobre (Cu) 0.00 %.00 %.

PLANTAFOL 5-15-45 (Solúvel em água) .

00 %. Ferro (Fe) 0.00 %.10 %.02 %. Óxido de Potássio (K2O) 45. Pentóxido de Fósforo (P2O5) 15.00 %.05 %. Cobre (Cu) 0. . Boro (B) 0.COMPOSIÇÃO Nitrogênio (N) 5.

PLANTPROD 10.10 (Solúvel em água) .52.

Deve ser usado antes e durante a fase de transplante e na época de pré-floração. Contém alto nível de P (fósforo) o qual é indispensável para o rápido crescimento das raízes. . especialmente em transplantes ou quando a cultura necessita de energia.Indicação: Enraizamento Características: Arranque. Auxilia as plantas em condições de baixa temperatura.

05% Ferro (Fe) quelatizado 0.0005% Zinco (Zn) quelatizado 0.05% EDTA (ácido etilenodiaminotetracético) (agente quelante) 1% Índice Salino: 25.1% Manganês (Mn) quelatizado 0.02% Cobre (Cu) quelatizado 0.Nitrogênio (N)Total 10% Fósforo (P2O5) 52% Potássio (K2O) 10% Boro (B) 0.4 .05% Molibdênio (Mo) 0.

20 (Solúvel em água) .PlantProd 20.20.

. Pode ser usado em pulverizadores via foliar. As taxas de N (Nitrogênio). P (Fósforo) e K (Potássio). Excelente para o uso geral em estufas e viveiros. são ideais para suplementação básica da planta.Indicação: Uso Geral Características: A alta relação de NO3 e NH4. possibilita o uso nas diversas estações do ano. com variações de temperatura.

Ferro (Fe) 0. Índice salino: 58.0005% Zinco (Zn) quelatizado 0. Boro (B) 0. Molibdênio (Mo) 0.02%. Cobre (Cu) quelatizado 0.05%. Potássio (K2O) 20%. EDTA (ácido etilenodiaminotetracético) (agente quelante) 1%.05%. Fósforo (P2O5) 20%.1 .10%.05%.Nitrogênio (N)Total 20%. Manganês (Mn) quelatizado 0.

0.Plant Prod 13.13 (Solúvel em água) .

. ou seja ideal na fase intermediária da planta.Indicação: Desenvolvimento e Fase Final Pré Floração Características: Acelera o processo de formação e o crescimento preparando para a fase de floração. em todas as plantas em cultivos internos (estufas) e externos (telados). Mais flores e mais cores.

05%. EDTA (ácido etilenodiaminotetracético) (agente quelante) 1% .9%. Cálcio(Ca) 5.Nitrogênio (N)Total 13%. Manganês (Mn) quelatizado 0. Molibdênio (Mo) 0.10%. Cobre (Cu) quelatizado 0. Zinco (Zn) quelatizado 0.02%.05%. Potássio (K2O) 13%. Boro (B) 0.05%. Ferro (Fe) quelatizado 0.0005%.

PETERS PROFESSIONAL .

PETERS PROFESSIONAL – 30 – 10 – 10 (Hi – Nitro) Indicação: Aceleração/Reativação do Crescimento. . .

entre outros. samambaias. surpreendente resultado em folhagens (palmeiras. deficiência de N (Nitrogênio). Aceleração/Reativação do crescimento. fícus.) resumidamente. . devido ao alto índice de uréia. usado como tratamento no auxílio à redução do pH no solo/substrato. Características: Pode ser usado via fertirrigação foliar para rápido “esverdeamento” das folhas. põe o estado vegetativo no “HI” (máximo).Indicação: Carência de Nitrogênio. excelente histórico com orquídeas. baixo custo como fonte de nitrogênio. principalmente seedlings.

PETERS PROFESSIONAL – 10 – 30 – 20 .

elemento secundário vital. • É a taxa N-P-K preferida dos profissionais que buscam RESULTADOS.Indicações: Florescimento Características: •Acelera o florescimento e o crescimento de botões florais. que mantém as folhas verdes. lindas e coloridas. •O alto nível de P na fórmula pode ser usado para o enraizamento das plantas. •A fórmula também contém alto nível de magnésio. que auxilia na transformação dos botões florais em flores vibrantes. •Mais flores e mais cores. em todas as plantas indoor e outdoor. melhorando a coloração e tamanho das pétalas. . •Fórmula desenvolvida há mais de 40 anos. •Balanceada com as quantidades ideais de NO3 e NH4. • A taxa de NPK permite o desenvolvimento de buds (botões) fortes.

PETERS PROFESSIONAL – 20 – 20 – 20 Indicação: Manutenção .

Excelente para paisagismo e outdoor (externo). As taxas de N. Características: Uso genérico para viveiros e alta relação de NO3 e NH4. . P e K são ideais para suplementação básica da planta. possibilitando o uso nas diversas estações do ano. com variações de temperatura. Esta fórmula clássica é um dos produtos mais versáteis de toda a linha Peters.Indicação – Uso Geral. Pode ser usada como spray foliar.

PETERS PROFESSIONAL – 09 – 45 – 15 Indicação: Enraizamento .

Auxilia as plantas em condições de baixa temperatura. Deve ser usado também na época de pré-floração.Indicação: Enraizamento Características: Arranque. Deve ser usado antes e durante a fase de transplante. Contém alto nível de P (fósforo) o qual é indispensável para o rápido crescimento das raízes. . especialmente em transplantes ou quando a cultura necessita de energia.

15-05-15 Excel Cal-Mag .

Esta fórmula ressalta o Cálcio e o Magnésio para plantas com deficiência destes nutrientes. .Indicação: Deficiência de Cálcio e Magnésio Características: Uso durante todo o ciclo vegetativo especialmente na Pré Florada onde há maior exigência de Cálcio para o processo reprodutivo.

.

OSMOCOTE .

Este revestimento (cápsula) é biodegradável. ele é recomendado para a fase de crescimento da planta e com isso temos uma grande redução das queimas de raízes. . Como a liberação é lenta e progressiva. fósforo e potássio. revestimento de resina que encapsula uma esfera quase perfeita de NPK nitrogênio.O adubo tipo osmocote consiste de um único. devido ao excesso de nitrogênio ou outros componentes encontrados em outros tipos de adubo.

. promoverá o crescimento acelerado da planta. porém poderá promover a queima de folhas e raízes. utilize valores balanceados como (10-10-10) e sempre em pequenas quantidades ou a necessária para cada recipiente ou local.É importante ressaltar que encontramos este tipo de adubo com diferentes formulações de NPK e é necessário possuir um conhecimento mais técnico sobre o tipo de NPK necessário para cada fase da planta. Um adubo com o N (nitrogênio) elevado. Na dúvida.

O adubo Salva Vida .

pois é um adubo de cobertura formado por compostos orgânicos e micros nutrientes.R. Nutrição Vegetal projetou. foi desenvolvido para o Orquidófilo(a) exigente. pois é sabido que somente plantas com sérias deficiências nutricionais. que estimula o crescimento e fortalecimento da planta de maneira natural “sem milagres”.A. balanceado com alto poder nutritivo. Foi através desta necessidade que a G. . estão propensas ao ataque de Fitomoléstias.O adubo Salva Vida. oferecendo para a planta um rico alimento. O adubo Salva Vida é excelente para aplicação em todas as etapas da vida de uma Orquídea. testou e comprovou o seu desempenho. que visa o melhor para sua coleção. criou.

O adubo Salva Vida também é ótimo para as divisões de plantas.No Seedling o Adubo Salva Vida. estimulando enraízamento. Em poucas semanas pode-se observar significativas mudanças. age de maneira rápida. . brotação. neste processo promove o estímulo das gemas. corrigindo suas deficiências nutricionais. Em plantas adultas. recuperando o brilho e a coloração verde saudável nas folhas. pois o adubo é parcialmente metabolizado e de assimilação imediata pelo tecido vegetal. o adubo Salva Vida. complementa com grande eficiência a sua nutrição. necessário para que haja absorção de todos os nutrientes contidos no adubo. estimulando o enraizamento. ativando o desenvolvimento vegetativo e fotossintético.

B (Boro). Cu (Cobre). Na (Sódio). Co (Cobalto). Fe (Ferro).Composição: N (Nitrogênio). Mo (Molibdênio). Mg (Magnésio). S (Enxofre). Ca (Cálcio). Mn (Manganês). K (Potássio). . P (Fósforo). Al (Alumínio). Zn (Zinco).

Kristalon .

o que permite a elaboração de um programa completo de nutrição de plantas. totalmente solúvel em água. conforme o estágio de desenvolvimento das culturas. fósforo e potássio. É um conjunto de diversas formulações e em diversas relações entre nitrogênio. Além disso. desenvolvido para suprir todas as espécies de plantas com nutrientes essenciais e no momento exato das necessidades nutricionais. floração e frutificação). enxofre e micronutrientes quelatizados. possibilitando o equilíbrio ideal nas diferentes fases do desenvolvimento das plantas (vegetativa.É um adubo composto. todas as fórmulas contêm quantidades equilibradas de magnésio. .

Kristalon 06-12-36 .

04% Manganês (Mn) 0.025% Zinco (Zn) .004% Molibdênio (Mo) 0.01% Cobre (Cu) 0.025% Boro (B) 0. .5% N-Amoniacal 12% Fósforo (P2O5) 36% Potássio (K2O) 1.6% Nitrogênio Total (N) – sendo 4.07% Ferro (Fe) 0.8% Magnésio (Mg) 8% Enxofre (S) 0.5% N-Nítrico e 1.

Kristalon 13-40-13

13% Nitrogênio Total (N) – sendo 4,4% N-Nítrico e 8,6% N-Amoniacal 40% Fósforo (P2O5) 13% Potássio (K2O) 0,07% Ferro (Fe) 0,025% Boro (B) 0,01% Cobre (Cu) 0,04% Manganês (Mn) 0,004% Molibdênio (Mo) 0,025% Zinco (Zn)

Kristalon 15-05-30

15% Nitrogênio Total (N) – sendo 11,3% N-Nítrico e 3,7% N-Amoniacal 5% Fósforo (P2O5) 30% Potássio (K2O) 1,8% Magnésio (Mg) 2% Enxofre (S) 0,07% Ferro (Fe) 0,025% Boro (B) 0,01% Cobre (Cu) 0,04% Manganês (Mn) 0,004% Molibdênio (Mo) 0,025% Zinco (Zn)

Kristalon 18-18-18

18% Nitrogênio Total (N) – sendo 9,8% N-Nítrico e 8,2% N-Amoniacal 18% Fósforo (P2O5) 18% Potássio (K2O) 0,14% Ferro (Fe) 0,05% Boro (B) 0,02% Cobre (Cu) 0,08% Manganês (Mn) 0,008% Molibdênio (Mo) 0,05% Zinco (Zn)

Kristalon 19-06-20

8% Magnésio (Mg) 3% Enxofre (S) 0.04% Manganês (Mn) 0.025% Zinco (Zn) .01% Cobre (Cu) 0.025% Boro (B) 0.9% N-Nítrico e 7. .004% Molibdênio (Mo) 0.1% N-Amoniacal 6% Fósforo (P2O5) 20% Potássio (K2O) 1.07% Ferro (Fe) 0.19% Nitrogênio Total (N) – sendo 11.

ALGUNS ADUBOS MINERAIS (LIQUÍDOS) .

Biofert Plus Universal (Concentrado) .

regula o metabolismo vegetal. folhagens. rapidamente absorvida por folhas e raízes. protege contra deficiências nutricionais. hortaliças. melhora o desenvolvimento. • 13 Nutrientes essenciais. flores. • Excelente para plantas ornamentais. canteiros. ervas de cozinha. Fórmula cientificamente desenvolvida. .• Alimento completo para todos os tipos de plantas. etc Características Biofert Plus Universal é o alimento completo para todos os tipos de plantas em suas diversas fases de desenvolvimento. • Atóxico. arbustos. floração e frutificação.

12 g/l) Cloro (Cl) 0.7% (8.40 g/l) .1% (1.40 g/l) Cobalto (Co) 0.0 g/l) Enxofre (S) 1.2% (2.36 g/l) Zinco (Zn) 0.05% (0.5% (6.Nitrogênio (N) 8% (96 g/l) Fósforo (P2O5 solúvel em H2O) 6% (72 g/l) Potássio (K2O) 6% (72 g/l) Magnésio (Mg) 0.0 g/l) Boro (B) 0.03% (0.60 g/l) Ferro (Fe) 0.20 g/l) Manganês (Mn) 0.05% (0.36g/l) Cobre (Cu) 0.01% (0.60 g/l) Molibdênio (Mo) 0.67% (20.03% (0.

FORTH ORQUÍDEAS (Manutenção e Floração) São dois fertilizantes foliares completos com macro e micronutrientes. .

FORTH ORQUÍDEAS Manutenção .

Cobre (Cu) 0.4%. Zinco (Zn) 0. Potássio (K2O) 7%. Boro (B) 0. Aumenta o desenvolvimento das raízes.Fornece uma nutrição balanceada especialmente para manutenção de orquídeas.5%. Cálcio (Ca) 0. Ferro (Fe) 0. . Molibdênio (Mo) 0.1%.2%. Fósforo (P2O5) Parte da forma de ácido fosforoso 7%.05%. quando ainda estão sem flores. Manganês (Mn) 0. Características: Fortalecimento da orquídea na pré-florada.08%.5%. Melhora o pegamento em transplantes.2%. Magnésio (Mg) 0. Cores mais vivas nas folhas. Composição Nitrogênio(n) 6%.

FORTH ORQUÍDEAS Floração .

1% Ferro (Fe)0. Composição: Nitrogênio(n)2% Fósforo (P2O5) Parte da forma de ácido fosforoso 14% Potássio (K2O)8% Cálcio (Ca)0.Fornece uma nutrição balanceada para estimular a floração das orquídeas.25% Molibdênio (Mo)0.5% Cobre (Cu)0.5% Boro (B)0.05% Zinco (Zn)0.25% .1% Manganês (Mn)0. quando começam a emitir os primeiros pêndulos de flores.5% Magnésio (Mg)0.

SOLAN PLUS .

É destinado a complementar a nutrição básica provida por fertilizantes NPK e melhorar a desenvolvimento e a conservação das plantas. isto é.É um adubo que contem substâncias orgânicas vivas. além de nutrientes minerais selecionados especialmente para o cultivo de orquídeas (Zn. substâncias bioativas e açúcares . S. . Mn.produzidas a partir da bio-fermentação da vinhaça de cana-deaçúcar. tais como aminoácidos. microorganismos benéficos e substânciadas em suas atividades. Co. Mo). B.

tornando-as fortes e mais bonitas. macronutriente secundário e micronutrientes.É um adubo organomineral foliar com nutrientes balanceados para as orquídeas. Nutrientes totalmente solúveis em água. Matéria Prima/Componentes: Vinhoto de cana –de-açúcar. .

14 g/L) Zinco .14 g/L) Enxofre .82 g/L) Molibdênio .14 g/cm³ .3% (14.GARANTIAS: Boro .1% (1.1.16 g/L) Densidade .5% (5.1.0.9% (33.0.20 g/L) Cobalto .4% (50.2.1% ( 1.0.0 % (91.06 g/L) Manganês .70 g/L) Carbono Orgânico – 8.4.

NIPHOKAM 108 .

Ca. MACROS SECUNDÁRIOS (S.. etc. . Possui um conjunto de MACROS PRIMÁRIOS (NPK).É um composto nutricional para aplicação foliar. proporcionando base para um florescimento e enchimento de grãos (frutificação) plenos. rico em nutrientes minerais essenciais para um bom desenvolvimento vegetativo e fundamentais para um maior equilíbrio enzimático (síntese de aminoácidos e proteínas). Favorece condições para uma rápida superação de estresses químicos climáticos. Mg) + MICROS e os 22 Aminoácidos protéicos.

. sendo que desta forma os aminoácidos são extraídos de forma inteira e na Hidrólise ácida os mesmos e desta forma o planta lê como N os aminoácidos quebrados.A vantagem do NIPHOKAM que com a formulação completa estimula a planta a produzir seus próprios aminoácidos e quanto aos aminoácidos terem a sua extração na proteína por processo de Hidrólise Enzimática (HE) e não ácida.

0.1 Cu .5 Mn .0.0.2 Mo .0.1.5 Fe .0.2.0 Mg .5 S .0.1 .COMPOSIÇÃO: MACRONUTRIENTES: N (10) P (8) K (8) MICRONUTRIENTES: Ca .1.0 Zn .0 B .

HB 101 Vitalizador/fortificante para o crescimento das plantas. .

um extrato manufaturado completo de recursos renováveis de plantas e sem uso de produtos químicos. serve como um nutriente e vitalizador para a planta.O HB-101 é formado por um extrato de plantas puramente natural composto de ingredientes que são eficazes para ativar e vitalizar plantas. O uso correto do HB-101 provou o estímulo de todas as fases do crescimento das plantas e repelir insetos. Os plátanos são conhecidos por suas propriedades medicinais e tem sido por muito tempo usados em diversos medicamentos humanos. O HB-101. . Age para aprimorar os processos de crescimento das plantas e proteger suas funções para ajudá-las a realizar suas melhores e legítimas capacidades.

Matéria-prima HB-101: Cedros. pinheiros e plátanos são as matérias-primas utilizadas na fabricação deste produto. Estratos destas plantas e árvores são refinados e misturados para produzir uma fórmula altamente concentrada e benéfica para realmente todas as fases de reprodução e cultivo da plantas. ciprestes e pinheiros são árvores de vida longa com fortes poderes desinfetantes e de supressão de bactérias. Os cedros. As seivas e os metabólitos secundários destas árvores são responsáveis por manterem a saúde e a longevidade das árvores. . repelindo os invasores nocivos e protegendo-as contra doenças. ciprestes.

. o HB-101 é considerado um vitalizador ou um fortificante para o crescimento das plantas.Classificação do HB-101: O HB-101 não é uma substância química agrícola nem um adubo. É uma solução totalmente natural que estimula o crescimento da plantas. Consequentemente.

Isto resulta em folhas mais verdes e plantas mais fortes e mais saudáveis.Os efeitos do HB-101 nas plantas: No desenvolvimento foliar: As plantas necessitam de luz solar. a planta absorve mais fósforo (P) e nitrogênio (N) da terra. Quando a solução de HB-101 é pulverizada sobre a folhagem e aplicada no substrato. fortalecendo assim as células e aumentando a eficiência fotossintética. o crescimento é retardado ou cessado. A luz solar e o gás carbônico são absorvidos pelo sistema da planta através de suas folhas e folhagem onde a fotossíntese produz glicose e outros nutrientes necessários para a sobrevivência. . Estes nutrientes são combinados com cálcio e sódio ionizados do HB-101 e são absorvidos pelas células das folhas. Se o equilíbrio delicado destes elementos não é mantido. ar (gás carbônico e microorganismos) para crescerem.

não podem ser absorvidos em sua forma sólida pelo sistema da planta. Água e nutrientes.No desenvolvimento dos caules e raízes. especialmente o cálcio. mas muitos minerais. inclusive o potássio. Folhas saudáveis dependem de raízes saudáveis. são necessários para o desenvolvimento das folhas e raízes. Estes minerais tem que ser convertidos para um estado iônico para serem facilmente absorvidos pelas raízes e isto é feito por microorganismos que vivem na terra. . A principal função das raízes e do caule de uma planta é a absorção e transporte de água e outros nutrientes.

O caule é a via pela qual os nutrientes são transportados para partes das folhas e raízes é também a espinha dorsal da planta.Ao aplicar o HB-101 que contém em si mesmo minerais ionizados a atividade destes microorganismos é fortificada. São necessárias membranas celulares sólidas para a função. um metabólito que repõe oxigênio para os microorganismos. contribuindo para o desenvolvimento saudável do caule. e assegura que o equilíbrio necessário de nutrientes seja mantido. Células saudáveis e nutrição suficiente resultam na distribuição suave de carboidratos que são necessários para fortalecer as membranas celulares. capaz de armazenar quantidades significativas de paponina. Com a introdução do HB-101. O resultado é um sistema de raízes mais forte. . o fluxo de nutrientes das folhas e raízes é maximizado.

seu sistema imunológico não será tão eficaz. As plantas também tem mecanismos de defesa naturais. e conseqüentemente estará vulnerável a ataques de insetos nocivos. não é um inseticida. se uma planta não está em ótimas condições. Entretanto. Portanto. Conforme declarado o HB-101 é um produto seguro para criaturas vivas. semelhantes ao sistema imunológico de humanos. o HB-101 ajudará a remediar isto. . No entanto contém uma substância chamada pireno que é conhecida por repelir insetos. para defender-se contra insetos. Melhorando o sistema imunológico da planta.Os efeitos do HB 101 nas criaturas nocivas.

HORMÔNIOS/VITAMINAS .

Hormônios e vitaminas são substâncias químicas que coordenam as atividades das plantas. . o florescimento. outras. algumas estimulam a regeneração das células. A ação que exercem depende da composição química e da concentração. o fortalecimento e o crescimento da planta. a frutificação. O hormônio vegetal que interfere no crescimento da planta é a AUXINA. inibem estas atividades. por sua vez.

Existem várias auxinas identificadas. da raíz e das folhas e deslocam-se em todas as direções na planta. . mas a mais amplamente distribuída na planta é o: ÁCIDO – 3 – INDOL – ACÉTICO (AIA). As auxinas são produzidas principalmente por células jovens dos meristemas apicais do caule.

Hoje já existem produtos compostos por substâncias que agem como as auxinas naturais. associadas a vitaminas e sais minerais. das podas de raíz. . Eles ajudam: A planta a se recuperar dos transplantes. Recuperam plantas com poucas raízes ou raízes fracas.

. folhas. flores e frutos. A brotação e crescimento de pseudobulbos. Servem também para: Recuperar o vigor de plantas debilitadas. A brotação de novas raízes.As substâncias contidas nestes compostos agem estimulando: A cicatrização. estimulando o fortalecimento e crescimento geral da planta.

ALGUNS HORMÔNIOS/VITAMINAS .

SUPERTHRIVE .

hormônios e minerais para plantas. Até os dias de hoje ninguém conseguiu faturar o prêmio de 1 milhão de dólares que o inventor oferece a quem conseguir inventar um composto mais eficiente. em uma composição estável e balanceada. floração e frutificação em plantas de todos os tipos. bonsaistas. . mas no conjunto total. viveiristas.O QUE É SUPERTHRIVE? É um composto não tóxico com mais de 50 vitaminas. Por ser balanceado o superthrive não atua em um local específico das plantas. É considerado por horticultores. A composição é secreta. enraizamento. agricultores e jardineiros de todo o mundo como o elixir número 1 para plantas. giberelinas e citocininas. Está disponível no mercado desde 1940 e no entanto jamais foi superado. que acelera o crescimento. mas supõe-se que seu principal ingrediente seja a vitamina B1. seguido do Ácido Naftaleno Acético e hormônios naturais como auxinas.

Estimular novas brotações. doenças e extremos climáticos Aumentar taxa de germinação. etc. visando: Melhorar o desenvolvimento geral das plantas. 5 gotas por litro de água para aplicação em frequência quinzenal / mensal para todos os usos. . Ativar desenvolvimento de plantas estagnadas. transplantes. Aumentar floração e frutificação. estaquia.DOSAGEM: 2 gotas para cada 5 litros de água se optar por utilizar o Superthrive nas regas habituais. alporquia. Aumentar resistência geral a pragas. Acelerar crescimento.

Excelente para bonsai. plantas carnívoras. o tamanho das folhas. flores perenes e anuais. cultivos indoor e cactus. possibilita tornar saudáveis plantas que normalmente não cresceriam em determinadas condições.40 gotas por litro de água para reviver plantas semi-mortas e para diminuir a chance de morte em transplantes delicados (como no caso de palmeiras e bonsai raros). flores e frutos. orquídeas. Em plantas já saudáveis ele aumenta a produtividade. mudas de árvores. O superthrive mostra grande poder quando em conjunto com uma fertilização adequada e bom aporte de água. Na aclimatação de espécies o superthrive tem papel essencial. palmeiras. . haja visto que plantas com crescimento ativado ao máximo demandam grande quantidade de nutrientes e água. plantas aquáticas.

FORTH ENRAIZADOR .

produção de mudas. transplantes. Ao contrário dos tratamentos convencionais para enraizamento dos vegetais. . Sua formulação balanceada com macro e micronutrientes contém além de nutrientes. estaquia.FORTH ENRAIZADOR é um fertilizante balanceado para estimular o desenvolvimento das raízes das plantas. alporquia. a mais nova tecnologia empregada na agricultura mundial. divisão de touceiras ou qualquer trato cultural que necessite estimular a formação de raízes. Um produto destinado a implantação de jardins. o EXTRATO DE ALGAS MARINHAS. FORTH ENRAIZADOR une em sua a formulação ferramentas que a própria natureza criou.

. para que fiquem sempre disponíveis para as plantas).As algas marinhas da espécie Ascophillum nodosum. Estas características conferem ao FORTH ENRAIZADOR a função de estimulante (estimula a formação de raízes fortes e sadias) e agente quelante (protege os nutrientes de reações químicas negativas. que estimulam a formação das raízes e protegem as plantas de situações com falta de água. são ricas em aminoácidos. fitohormônios e vitaminas.

Estimula a recuperação de situações de estresses hídricos ou causados por ação de defensivos (ação desintoxicante) . Melhora a qualidade e sanidade das plantas.Qualidades que fazem de FORTH Enraizador o fertilizante mais indicado pelos profissionais da área: Prático e fácil de aplicar. Proporciona melhor resistência às variações climáticas. Proporciona rápido enraizamento e pegamento de mudas. Alivia alguns sintomas causados pelo ataque de nematóides. Diminui a perda de mudas. por estimular o crescimento das radicélas que são responsáveis pela absorção dos nutrientes do solo. Estimula o enraizamento e nutri as plantas.

25 % Mo 3% Zn 3% S 3.42% Extrato de Algas Marinhas ( NA ) 15% .08% K2O 5% P2O5 5% B 0.43% Carbono orgânico ( C ) 6.Níveis de Garantia N 2.

BIOFERT RAIZ .

folhagens. . Biofert Raiz oferece importante suprimento nutricional por via radicular. melhorando o desenvolvimento. resultando em proteção contra inúmeras deficiências nutricionais. floração e frutificação. arbustos. Ótimo para qualquer tipo de planta: ornamentais. hortaliças.Características A fórmula do Biofert Raiz com 11 nutrientes é balanceada e permite absorção rápida pelas raízes das plantas. frutíferas e floríferas. Não tóxico e de fácil aplicação. canteiros.

01% (0. Ferro (Fe) 0.Composição Nitrogênio (N) 5% (61 g/l). Enxofre (S) 2. Molibdênio (Mo) 0.12 g/l).6 g/l).05% (0.3% (3.6 g/l).2 g/l).6 g/l).7 g/l).6 g/l). Zinco (Zn) 0. Cloro (Cl) 0. Fósforo (P2O5 solúvel em H2O) 8% (97. Boro (B) 0.8% (34. Potássio (K2O) 7% (85. Cobre (Cu) 0.46% (5. Manganês (Mn) 0.05% (0.6 g/l). .1% (1.2 g/l).4 g/l).05% (0.

VITA GOLD POTENCIADO .

B2. . VITAMINA D. B12. Princípio(s) Ativo(s): VITAMINA A. VITAMINA E. E e Nicotinamida. B1. potenciado com vitaminas A. VITAMINAS DO COMPLEXO B.VITAGOLD POTENCIADO é um polivitamínico de elevada concentração. D3. B6. sob forma líquida. NICOTINAMIDA (VITAMINA PP). VITAMINA B12 (CIANOCOBALAMINA).

. Ótimo regulador da digestão.Indicação do Produto: Recomendado para todas as espécies de animais. Estimula o apetite e o crescimento. de modo especial para os jovens e convalescentes de doenças infecto-contagiosas e parasitárias. promovendo maior desenvolvimento e aumento da produção.

Estimulante da ovulação e da espermatogênese. que acarretam transtornos no metabolismo animal (desmama. vacinações. aumenta as defesas orgânicas contra doenças. calor excessivo. transportes. ambiente desfavorável devido ao frio. Nos casos de debilidades. vento. Ameniza os efeitos provocados pelo "Stress".) . etc.Reconstituinte de ação rápida para as fêmeas gestantes ou em lactação. mudanças de alimentação e de alojamento.

........800 mcg Vitamina PP nicotinamida.................... 15......... 2....................... 4.............. 4.. 4......500 mg Vitamina B6...................................................000 UI Vitamina D3........... ... 1.............Composição: (por 1....... 1.............. 10........000.......000 mL) Vitamina A........................................... ...............000 mg Veículo q....000 UI Vitamina B1.................000 mL ...................p................................................................000 UI Vitamina E.................000 mg Vitamina B12.........s..........................................................000 mg Vitamina B2 Fosfatada...................000................................................ 1....

QUANTIDADES DE ADUBO QUE DEVO UTILIZAR EM ORQUÍDEAS .

Doses homeopáticas. Melhor Menos do que Mais. .Quantas gramas por litro? Quantos ml por litros? Quantos cm3 por vaso? Sempre consultar a bula e as medidas recomendadas pelos fabricantes.

0.5 cm3 1 grama 1 ml 30 gotas 1 cm3 2 gramas 2 ml 60 gotas 2 cm3 5 gramas 5 ml 150 gotas 5 cm3 .5 grama 0.5 ml 15 gotas 1 / 2 colher de café (rasa) 1 colher de café (rasa) 1 colher de chá (rasa) 1 colher de sobremesa (rasa) 0.

.

.

QUANDO ADUBAR. .

principalmente.As orquídeas possuem um metabolismo adaptado para funcionar a noite. . Este mecanismo que ocorre na maior parte de nossas orquídeas denomina-se ciclo CAM. por que o seu principal mecanismo de defesa contra perda de água funciona muito bem – os estômatos. Os estômatos são os poros das plantas e quando as condições são desfavoráveis eles permanecem fechados impedindo a troca de gases e reduz sensivelmente a perda de água. Por isso. esta é a hora de maior absorção de nutrientes e água via folha. a recomendação para se adubar e irrigar orquídeas é no final do período da tarde ou a noite. Como os estômatos estão abertos a noite.

. o carbono vem na forma gasosa. nas horas quentes do dia. pelos estômatos. Na prática. pois perdem água em forma de vapor. É o processo chamado de ciclo C3. pelo estômato. significa que não apresentam boa tolerância a condições de baixa umidade.As orquídeas de folhas finas utilizam este processo. o que vale dizer que geralmente estão com os estômatos abertos durante o dia.

Então. De dia. o ácido é descarboxilado. escassa nesta hora do dia. e para se defender das altas temperaturas. rico em carbono. a noite. fornecendo CO2 para o ciclo C3 normal. denominado CAM (Metabolismo do acido crassuláceo).formando oxaloacetato. ocorre a fixação de CO2 atmosférico. que é convertido em malato e finalmente ácido málico. para impedir perda de água. pela glicólise de amido ou outro açúcar existente na célula. com uso de ATP (energia). a planta não consegue buscar CO2 do ar durante o dia. .Orquídeas de folhas espessas usam outro processo. fica armazenado nos vacúolos durante a noite. Como os estômatos estão fechados durante o dia. Esse ácido.

portanto adequado a plantas que crescem pouco e lentamente. de modo a não depender do carbono atmosférico durante as horas inclementes do dia. mesmo com perda de energia. .É uma forma da planta buscar carbono a noite. É muito menos eficiente do que os demais. justamente o caso das orquídeas epífitas encontradas em clima de calor agressivo durante o período do dia.

.QUANDO NÃO ADUBAR.

. pode começar de novo com o processo de adubação. Logo após transplantar e cortar raízes. que dependerá de cada espécie e/ou híbrido. Pouco antes e depois da floração. Espere para adubar após 4 semanas. Uma vez que se tenha aparecido os frutos. pois se há um incremento do crescimento vegetativo a partir de adubações. é necessário que o sistema radicular se regenere.No período de descanso das plantas. a planta perderia os botões florais.

MAS QUANTO DE ADUBO EU COLOCO NA PLANTA? EM QUAL FREQUÊNCIA? .

saber quanto tem de percentagem de cada nutriente e se determinado adubo vai satisfazer suas necessidades. de que forma usar e em qual frequência. A partir da escolha do adubo você deverá ler as instruções de uso. onde estará citado qual a quantidade a ser usada. pois a adubação em excesso pode causar enormes prejuízos ou a morte da planta.Quando da compra de adubos: A primeira coisa que você deve fazer é analisar a sua fórmula ou o seu conteúdo. Obs. .: Você nunca deve alterar as quantidades (para mais) e nem a freqüência de uso dos adubos.

I – Fisch Quimico (granulado) Ex. Viagra. . Peters Quimico (líquido) Ex. Superthrive. Bokachi Orgânico (líquido) Ex.Adubo Orgânico (farelado) Ex.5 ml/litro 15 dias 0. Niphokan 108 Hormônio/vitamina Ex.5 gramas/litro 15 dias 0. Fert.0 ml/litro 15 dias Quando do replante * Dependerá do tamanho do vaso/planta.5 ml/litro 1. Vita Golg Dosagem 1 colher (rasa)* Frequência de aplicação 3 vezes ao ano 0.

FÓRMULAS MAIS USADAS NAS ADUBAÇÕES QUÍMICAS. .

Plantas Adultas .

isto é. Nesta fase as orquídeas requerem maiores quantidades de Nitrogênio. NPK 30–10–10 + micros NPK 30-15-15 + micros NPK 10-05-05 + micros Aplicação deverá ser de 15 em 15 dias. então o mesmo deverá ser fornecido em maior quantidade em relação ao Fósforo e o Nitrogênio. quando o broto novo para de crescer vegetativamente.Fase I – do início da brotação até o crescimento máximo do broto. .

Fase II – pré-floração, antes da emissão da inflorescência até a formação completa dos botões florais. Nesta fase para que se possa obter uma grande quantidade de flores, deve ser ministrado adubo com maiores quantidades de Fósforo e Potássio, entre 3 e 4 meses antes do aparecimento das flores. NPK 00–30–20 + micros. NPK 08-45-14 + micros. NPK 10-30-20 + micros. Aplicação deverá ser de 15 em 15 dias.

Fase III – Após o período de florescimento, há um período de dormência e inicia-se a fase de brotamento, em função disto, deve ser iniciada uma adubação balanceada, devendo ser aplicada até 3 meses antes do florescimento, quando começa a adubação de pré-florescimento.

NPK 20-20-20 + micros. NPK 18-18-18 + micros.

Aplicação deverá ser de 15 em 15 dias.

Plantas Novas

Plantas novas que ainda não floriram (seedllings), oriundas de semente ou meristema, encontradas em cultivo coletivo ou individual, necessitam receber adubação a cada 15 dias e (muito importante) em pequenas concentrações, pois as mesmas ainda tem reduzida área foliar e não tem as condições necessárias de suportar estresse por falta ou excesso de adubação. O adubo a ser utilizado neste momento de cultivo deve ser rico em Fósforo e Potássio, sendo que o Nitrogênio deve ser em baixa concentração, mas, sempre contendo micronutrientes. NPK 04-30-16 + micros NPK 07-12-10 + micros Aplicação deverá ser de 15 em 15 dias.

Coletivos

A adubação de seedlings que estão sendo cultivados em vasos coletivos deve ser criteriosa e requer bastante cuidado, visto que são plantas recém desenvasadas e que na sua grande maioria ainda não possuem os pseudobulbos formados ou em tamanho suficiente para reter e acumular nutrientes. Normalmente e nos primeiros 2/3 meses as plantas em coletivos apresentam apenas folhas. Em função disto os adubos que deveriam ser utilizados nesta fase de crescimento devem ter como base os elementos Cálcio e Magnésio, mais precisamente: Nitrato de Cálcio; Sulfato de Magnésio (Sais de epson). Por que?

O Cálcio.
Entra na formação de compostos que fazem parte da parede celular o que lhe garante, papel importante na estrutura de sustentação da orquídea; Estimula o crescimento das raízes e folhas; Ajuda a reduzir os nitratos e ativa várias enzimas; Neutraliza vários ácidos orgânicos produzidos durante o metabolismo celular.

É ativador das reações de fosforilação de uma maneira geral (transferência de energia) .Magnésio Elemento central da molécula de clorofila. sendo sua principal função relacionada com a Fotossíntese.

A planta de ser completamente molhada através da pulverização. isto é. a cada 10 dias um dos produtos. A planta de ser completamente molhada através da pulverização. . Obs: a adubação é alternada.Dosagem Nitrato de Cálcio: De 10 em 10 dias. Sulfato de Magnésio De 10 em 10 dias. 2 gramas por litro de água. 2 gramas por litro de água.

acontecerá pela custa da perda de energia. A absorção dos nutrientes só acontece com eficiência. ou seja. a Orquídea assimilará todos os nutrientes necessários e na quantidade que assim desejar. .Quando utilizamos adubos líquidos extremamente diluídos ( para as orquídeas costumamos dizer “DOSES HOMEOPÁTICAS”). a entrada dos nutrientes pelas paredes celulares. se houver o elemento químico CÁLCIO em quantidade adequada.

Em função destas duas peculiaridades. . é que devemos aplicar cálcio e magnésio de forma regular em orquídeas. Sendo que uma aplicação a cada 4 meses. proporcionando uma falta de controle na entrada dos nutrientes. pode atingir níveis tóxicos.Quando utilizamos adubos líquidos com uma solução muito concentrada. a Orquídea sofre uma desidratação e a concentração de sais. pode manter um bom equilíbrio na entrada de nutrientes.

LAVAGEM .

A quantidade de nutrientes e compostos orgânicos que sai das folhas por lavagem é realmente grande. ela pode ser um importante fator regulador da composição mineral e orgânica das partes áreas das orquídeas.Devemos entender Lavagem em orquídeas sobre dois prismas: O PRIMEIRO: Saída de nutrientes das folhas e outras partes aéreas das orquídeas. por efeito da lavagem por água de chuva. orvalho ou neblina. . em condições naturais.

. por efeito da lavagem por água de chuva. orvalho ou neblina. A quantidade de nutrientes e compostos orgânicos que sai das folhas por lavagem é realmente grande.Os materiais eliminados das folhas. ela pode ser um importante fator regulador da composição mineral e orgânica das partes áreas das orquídeas. incluem os macro e micronutrientes. por lavagem. A lavagem varia com a natureza do material lavado e com a espécie de orquídea. grandes quantidades de carbohidratos. Saída de nutrientes das folhas e outras partes aéreas das orquídeas. em condições naturais. aminoácidos e ácidos orgânicos.

Nutriente que está sendo lavado.Fatores que afetam a lavagem: Fatores internos: Tipo e natureza da orquídea. Estado nutricional da folha. Idade fisiológica das folha. Desordem nutricional. Características da folha. .

Temperatura. Intensidade e quantidade de chuva.Fatores externos: Solução lavadoura. Duração do período de lavagem. Orvalho. Injúrias diversas. Luz e escuridade. .

etc. tanto no emprego de adubos. fungicidas etc. não há uma ação natural de agentes externos (chuvas. semi-estufas.O SEGUNDO: A ação do homem. orvalho. Como cultivamos orquídeas (na grande maioria das vezes) em ambiente confinado (telados.. . como nas raízes e principalmente no substrato. significa também o depósito cumulativo de SAIS tanto das folhas.). estufas). O ato de adubar de forma sistemática (por exemplo a cada 15 dias).) na “limpeza” nas mesmas. como também de defensivos agrícolas (inseticidas.. no que diz respeito as práticas culturais.

Acidificação prematura do substrato. entre eles podemos destacar: “Intoxicação” das orquídeas por excesso desses produtos. ao longo do tempo pode provocar uma séries de problemas tanto para as orquídeas como para o substrato. Fitotoxidade. . Etc.Este acúmulo de SAIS. podendo em último estágio provocar sua morte.

Exemplo: O. quando o fabricante receita 1.Como Resolver este problema: Aplicação de adubo (principalmente o químico) em doses homeopáticas com intervalos maiores entre as aplicações.5 ml a cada 15 dias. principalmente se o substrato for orgânico (esfagno.0 ml a cada semana. carvão. . Não abusar (nem na quantidade e nem periodicidade) na aplicação de adubo orgânico. etc. casca de pinus. fibra de coco..).

. substituir as mesmas por: LAVAR generosamente suas orquídeas.. anteriores.. .Não abusar (nem na quantidade e nem periodicidade) na aplicação de defensivos agrícolas (inseticidas e fungicidas). procurando eliminar o acúmulo de sais deixado pelas aplicações de adubos. ou uma vez no seu calendário de adubações. Uma vez por mês. O vegetal como um todo e principalmente o recipiente de cultivo e o substrato. etc. só aplique em último caso “MESMO”..

CONCLUSÕES .

Aumento na quantidade de botões florais.Adubar orquídeas de forma sistemática e homogênea. Avivamento na nitidez das flores. Melhoria da sanidade da planta. Maior longevidade das flores e da planta em si. . Rápido alastramento das raízes. pode significar para o ORQUIDÓFILO : Ótimo desenvolvimento vegetativo. Ativação da floração precoce.

fazendo o caminho de volta... ..Já para a ORQUÍDEA. significa: A perpetuação da ESPÉCIE e a possibilidade VIVA de reintrodução das mesmas na natureza.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .

78 p. SP. J. A. DF. 1980. Programa Nacional de Fertilizantes e Calcário Agrícola. SP. CDE – CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. EMBRAPA – EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. EMBRACAL – Empresa Brasileira de Calcário Ltda. & LOPES. Nutrição Mineral das Plantas. Rio de Janeiro. EPSTEIN. Projeto “Racionalização do uso de insumos”. 341 p. 4p. 1974. São Paulo. Sub-projeto “Pesquisa em racionalização de fertilizantes e corretivos na agricultura”. J. In: Congresso Brasileiro de Ciência do Solo. 1987. Calagem e eficiência dos fertilizantes minerais. 1975. ALCARDE.S. Rio Claro. 1982. Campinas. 55 p. Desaproveitamento de fertilizantes pela agricultura brasileira. Brasília. 2006. Simpósio sobre “Sistema de Produção”. C. Orquídeas – Manual Prático de Nutrição. SP.. C. Brasília. Documenta Histórica Editora. . DARLY MACHADO de. DF. E.ALCARDE. Editora da Universidade de São Paulo. CAMPOS.

São Paulo SP. E. Van. Soil Fertility and Fertilizers. E. Inc.. B. conclusões e recomendações. L. S. RAIJ.9-28. Manual de Química Agrícola: Adubos e Adubações. & NELSON. São Paulo. O impacto de novas tecnologias no setor de fertilizantes. 694 p. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. P. In: Seminário sobre Fertilizantes – Situação Atual e Perspectivas. E. TISDALE. 1986. Editora Agronomia Ceres.46 p. ROSAND. 4a edição. MALAVOLTA. DF. ABC da Adubação. 3rd edition. SP. MALAVOLTA.MALAVOLTA. 1982. L. Adubação fosfatada no Brasil: apreciação geral. 1981. 255 p. 1975. MacMillan Publishing Co. & LOBATO. p. Associação Nacional para Difusão de Adubos e Corretivos Agrícolas. C. Editora Agronômica Ceres. . 3a edição. E. In: Adubação Fosfatada no Brasil.. New York. São Paulo SP. W. Brasília. 1979.

O QUE EU UTILIZO .

ADUBO ORGÂNICO LÍQUIDO Ferti-I – Fish De 15 em 15 dias – 0. .ADUBO ORGÂNICO FARELADO.5 ml/litro de água. Bokashi (Biomix) 30 dias após a floração e a limpeza da planta.

ADUBO MINERAL (granulado/dissolvido em água). Peters 20 – 20 – 20 + micros 15 em 15 dias. . * Florescimento e crescimento de botões florais. Peters 10 -30 – 20* + micros 90 dias antes do início da floração. melhorando o colorido e o tamanho das pétalas.

. * Somente quando do replante. Vita Golg 3 ml/litro de água.Hormônios/Vitaminas* Superthrive 1 ml/litro de água.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful