Você está na página 1de 4

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

Disciplina de Automação e Computadores

Módulo 1

Sensores

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

Sensores Capacitivos

Vantagens

Não existe contacto físico com o objecto a ser detectado. Possibilidade de grandes ritmos de trabalho. Dispositivo electrónico, sem partes móveis (o funcionamento do serviço não está dependente do número máximo de ciclos de trabalho). A detecção de qualquer objecto não depende do material de que é constituído, podendo, por exemplo, ser metal, minerais, madeira, plástico, vidro, cartão, pele, cerâmica, fluidos, etc.

Princípio de funcionamento

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

Um sensor capacitivo de proximidade é constituído essencialmente por um oscilador cujo condensador é formado por dois eléctrodos colocados na frente do sensor. No ar ( r = 1), a capacidade do condensador é C0. r é a constante dieléctrica, que depende do material de que é feito o objecto. Todos os materiais com r > 2 são detectáveis. Quando um objecto de qualquer material ( r > 2) passa em frente da face do sensor, modifica a capacidade

(C1).

A variação da capacidade (C1>C0) activa o início do funcionamento do

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

oscilador. Isso, por sua vez, leva o driver da saída a ser activado e fornecer um sinal ao exterior.

Sensores instalados à face

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

detecção de vidro dentro de uma caixa).

Sensores em caixa de metal cilíndrica e sensores em caixa bloco de plástico. Para a detecção de materiais isolantes (madeira, plástico, cartão, vidro, etc.).

Estes sensores são recomendados para:

distâncias de detecção relativamente pequenas. aplicações que exigem instalação do sensor à face, detecção de um material não condutor através de uma divisória não condutora (por exemplo:

Sensores instalados sem ser à face

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

Sensores em caixa de plástico cilíndrica. Para detecção de materiais condutores (metal, água, líquidos, etc.). Estes sensores são recomendados para:

detecção de objectos de material condutor a distâncias consideráveis. detecção de um material condutor através de uma divisória isolante. detecção de um material não condutor colocado sobre ou em frente de uma divisória metálica aterrada.

Distâncias de funcionamento

A distância de funcionamento de um sensor está relacionada com a constante dieléctrica ( r ) do material do objecto a ser detectado. Quanto maior for o valor de r , mais fácil é a detecção do objecto.

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

A distância garantida de detecção depende do material do objecto:

Sa = Sn x Fc

Sa = distância garantida de detecção, Sn = distância nominal de detecção do sensor, Fc = coeficiente de correcção relacionado com o material do objecto.

Exemplo: o sensor XT1 M30PA372 (fabricante Telemecanique) usado para detectar um objecto de borracha. Sn = 10 mm, Fc = 0.3. Distância de detecção garantida Sa = 10 x 0.3 = 3 mm.

A lista abaixo indica os valores da constante dieléctrica dos materiais usados nos objectos mais correntes, juntamente com o seu factor de correcção (Fc) para a distância de detecção nominal do sensor.

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

Exemplo de aplicação:

“Bottle filling”

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

Chegada da garrafa As garrafas são colocadas numa passadeira rolante para serem cheias. Os sensores 1 (para objectos de materiais isolantes) e 2 (para objectos de materiais condutores) estão no estado inactivo (OFF).

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

Enchimento da garrafa Assim que a garrafa entra na zona de detecção do sensor 1, inicia-se a operação de enchimento. O sensor 2 mantém-se no estado inactivo.

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano

Enchimento terminado O sensor 2 detecta que o nível desejado foi atingido e pára o sistema de enchimento.

Esquemas de ligações

Apenas como exemplo apresentam-se os esquemas de ligações a dois e a três fios de alguns tipos de sensores. Repare-se ainda nas alimentações que podem ser em corrente contínua (normalmente a 24V) ou em corrente alternada (tensão da rede). As saídas para as cargas podem ser por transístor PNP ou NPN. Finalmente, repare-se no símbolo utilizado.

Escola Secundária Emídio Navarro – Almada Curso Profissional de Electrónica, Automação e Computadores – 2º ano