Você está na página 1de 7

ARTIGO ORIGINAL

Estudo do desenvolvimento motor primário de crianças em idade escolar submetidas à avaliação psicomotora

Study of motor primary development of children in school age submitted for psychomotor evaluation

Neide Maria G. de Lucena 1 ; Paulo O.R. de Aragão 2 ; Suellen Mary M.S. Andrade 3 ; Larissa C. Lucena 4 ; Luana G.B. de Melo 4 ; Thiago do Valle Rocha 4

1 Professora Adjunta, PÛs-Doutorado pela Universidade de Granada*;

3 Fisioterapeuta, Graduada pela Universidade Federal da ParaÌba*; 4 Alunos de GraduaÁ„o em Fisioterapia* *Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal da ParaÌba ñ UFPB **Departamento de Economia e FinanÁas, Universidade Federal de CampinaGrande ñ UFCG.

2 Professor Titular, PÛs-Doutorado pela University of Manchester**;

Resumo

Durante o curso do desenvolvimento infantil, as crianÁas s„o influenciadas de forma direta e/ou indireta por diversos fatores, sejam eles de ordem pessoal e social. Nos ˙ltimos anos, pesquisas apontam as caracterÌsticas biolÛgicas da populaÁ„o infantil como uma das principais causas de atrasos neuropsicomotores nas crianÁas. Neste contexto, foi desenvolvido um estudo descritivo, utilizando abordagem quanti-qualitativa, com o objetivo de analisar o desenvolvimento motor prim·rio de crianÁas, com e sem alteraÁıes psicomotoras, matriculadas em redes p˙blicas e privadas de ensino de Jo„o Pessoa, ParaÌba. A amostra analisada foi constituÌda por 22 pais/respons·veis, sendo 11 de crianÁas com alteraÁıes psicomotoras e 11 de crianÁas sem alteraÁıes. Os dados obtidos apontam que a presenÁa de alteraÁ„o psicomotora est· atrelada a atrasos nas fases de desenvolvimento. Foi encontrada correlaÁ„o positiva relacionada ‡ presenÁa de alteraÁıes psicomotoras e impactos negativos no desenvolvimento motor pÛs-parto. Nas crianÁas com alteraÁıes, os atrasos apresentados nos est·gios de desenvolvimento correlacionaram-se a aspectos negativos do comportamento e da personalidade. Quanto ao predomÌnio de crianÁas com e sem alteraÁıes psicomotoras, em relaÁ„o ‡ rede p˙blica e privada, foi encontrada distribuiÁ„o uniforme, apontando que a rede de ensino n„o seria fator determinante para atraso no desenvolvimento. Ressalta-se a import‚ncia da investigaÁ„o do processo evolutivo e da identificaÁ„o dos fatores relacionados ao desenvolvimento infantil, possibilitando a intervenÁ„o precoce e implementaÁ„o de programas de estimulaÁ„o para crianÁas com alteraÁıes psicomotoras.

Palavras-chave

Atividade Motora; Desempenho Psicomotor; Desenvolvimento Infantil; CrianÁa.

Abstract

During the child development course, children are influenced directly and / or indirectly by several factors, either from personal or social order. In the last years, research suggests that the biological characteristics of children are the major cause of neuropsychomotor delays. In this context, a descriptive study was developed, using a quantitative-qualitative approach, aiming to analyze the primary motor development of children with and without psychomotor changes, enrolled in public and private schools of Jo„o Pessoa, ParaÌba. The sample comprised 22 parents/guardians; 11 children with psychomotor changes and 11 with no one. Data pointed out that the presence of psychomotor change is linked to delays in the stages of development. We found a positive correlation related to the presence of psychomotor changes and negative impacts on the postpartum development. In children with alterations, those produced in the late stages of development correlated to the negative aspects of behavior and personality. As for the predominance of children with and without psychomotor changes, regarding public and private schools, it was found a uniform distribution, indicating that the school system is not a determining factor for delays on their development. Finally, it is emphasized the importance of further research in the evolutionary process and the identification of factors related to childrenís development, enabling early intervention and implementation of programs of stimulation for children with psychomotor changes.

Keywords

Motor Activity; Psychomotor Performance; Child Development; Child.

16.03.2009127.10.2008

Aceito em 03.08.2009

N„o h· conflito de interesse

Apoio financeiro: Conselho Nacional de Desenvolvimento CientÌfico e TecnolÛgico ñ CNPq

120

Arq Ciênc Saúde 2009 jul-set; 16(3):120-6

Introdução As crianÁas tÍm diferentes oportunidades no seu desenvolvimento, dadas por seus atributos pessoais (fÌsico e mental) e pelo meio social em que vivem. Contudo, podem ocorrer ameaÁas diretas ao desenvolvimento geradas por

problemas genÈticos e biolÛgicos adquiridos, embora isso possa ocorrer tambÈm pela ausÍncia de oportunidades esperadas. Em sÌntese, as formas pelas quais se manifesta o risco de dificuldades quanto ao desenvolvimento infantil podem estar relacionadas ao substrato biolÛgico, ‡ continuidade direta ou indireta de entraves ambientais e a processos cognitivos 1 . Historicamente, os estudos sobre desenvolvimento tÍm colocado as caracterÌsticas biolÛgicas da populaÁ„o infantil como determinante principal dos atrasos neuropsicomotores

da crianÁa. CrianÁas nascidas prÈ-termo (idade gestacional

inferior a 37 semanas) s„o um exemplo, onde tanto o suporte

sÛcio-emocional familiar quanto a estimulaÁ„o cognitiva dentro

do ambiente familiar s„o essenciais para a obtenÁ„o de bons

resultados em seu crescimento e desenvolvimento 2 .

A investigaÁ„o do processo evolutivo da crianÁa e a

identificaÁ„o de problemas relacionados ao seu desenvolvimento psicomotor possibilitam a intervenÁ„o precoce em atrasos evolutivos e a implementaÁ„o de programas de estimulaÁ„o para crianÁas com dist˙rbios de desenvolvimento, em risco, ou somente com a intenÁ„o de enriquecimento do

ambiente estimulador. O objetivo formal da intervenÁ„o precoce

È reduzir os efeitos negativos de uma histÛria de alto risco, que normalmente caracteriza a evoluÁ„o de crianÁas deficientes ou

de risco; pois muitas crianÁas sofreram a influÍncia de vivÍncias

empobrecidas, no meio familiar e em ambientes como creches e escolas 3 . Barros et al. estudaram os fatores de riscos para alteraÁıes de desenvolvimento motor em crianÁas prÈ-escolares, onde se

sugeriu que a falta de orientaÁ„o, tanto para os familiares quanto para os educadores, È uma das influÍncias negativas no processo de aquisiÁ„o de habilidades motoras 4 . Nos ˙ltimos anos tem crescido o interesse de profissionais e pesquisadores que atuam na ·rea da sa˙de em favorecer as condiÁıes de vida da crianÁa, procurando garantir boa adaptaÁ„o no decorrer de seu desenvolvimento. Paralelamente,

o aumento do n˙mero de escolares com alteraÁıes provocou o

interesse dos pesquisadores em investigar o desenvolvimento

motor dessas crianÁas, a integraÁ„o com o ambiente ao longo

de sua trajetÛria de desenvolvimento, a relaÁ„o paisñfilhos no

processo de aprendizagem e a adaptaÁ„o psicossocial 5 . Existem diferentes fatores de risco para atraso no desenvolvimento da populaÁ„o infantil. CrianÁas que se encontram em risco para atraso no desenvolvimento s„o aquelas expostas a fatores de risco biolÛgico e/ou ambiental. EvidÍncias apontam que, dentre os fatores de risco biolÛgico, a idade gestacional e o peso ao nascimento representam fatores preditivos importantes no prognÛstico do desenvolvimento infantil 6 . Nessa perspectiva, este estudo foi realizado para analisar o desenvolvimento motor prim·rio de crianÁas, com e sem alteraÁıes psicomotoras, matriculadas em escolas p˙blicas e

privadas, de Jo„o Pessoa, ParaÌba, investigando aspectos

relacionados ao perÌodo gestacional, prÈ e pÛs-parto, bem como

a histÛria do desenvolvimento neuropsicomotor desta populaÁ„o.

Casuística e Método

Trata-se de um estudo descritivo, com delineamento conduzido atravÈs de levantamento, utilizando abordagem do tipo quali- quantitativa.

A amostra foi constituÌda por pais ou respons·veis de crianÁas

de 6 a 12 anos, de escolas p˙blicas e privadas da cidade de Jo„o Pessoa, ParaÌba, avaliadas quanto ‡ presenÁa ou ausÍncia de alteraÁ„o psicomotora atravÈs da Ficha de AvaliaÁ„o Psicomotora de Picq e Vayer 7 , sendo esta dividida de acordo com a idade motora da crianÁa, constando de: Exame Psicomotor da 1™ Inf‚ncia, dos 2 aos 6 anos, sendo observados os critÈrios de coordenaÁ„o din‚mica das m„os, coordenaÁ„o din‚mica

geral, controle postural - equilÌbrio, controle do prÛprio corpo; Exame Psicomotor da 2™ Inf‚ncia, dos 6 aos 12 anos, observando-se os critÈrios de coordenaÁ„o din‚mica das m„os, coordenaÁ„o din‚mica geral, equilÌbrio, estruturaÁ„o espaÁo- temporal e organizaÁ„o do espaÁo. A partir desta avaliaÁ„o, as crianÁas inseridas no estudo foram divididas em 2 grupos: Grupo

1, cujas crianÁas n„o apresentavam alteraÁıes psicomotoras e

Grupo 2, cujas crianÁas apresentavam alteraÁıes. Foram visitadas ao total 8 escolas (4 privadas e 4 p˙blicas) sendo entrevistados 22 pais/respons·veis, sendo 11 de crianÁas com alteraÁıes psicomotoras e 11 de crianÁas sem alteraÁıes psicomotoras. Foram excluÌdos os pais/respons·veis das crianÁas que n„o atendessem aos critÈrios de inclus„o, como: pais que n„o

consentissem em deixar a crianÁa participar da pesquisa e impossibilidade de contactar o respons·vel durante o perÌodo da coleta de dados.

Os dados foram obtidos entre agosto de 2007 e julho de 2008 e

o procedimento metodolÛgico utilizado consistiu: na

investigaÁ„o de na realizaÁ„o de entrevistas, com os pais/ respons·veis das crianÁas inseridas no estudo, realizadas por meio da aplicaÁ„o de um formul·rio estruturado, elaborado pelos

pesquisadores, contendo perguntas relacionadas a histÛria da gestaÁ„o (realizaÁ„o de prÈ-natal; intercorrÍncias e uso de cigarro e/ou ·lcool durante a gravidez), condiÁıes da crianÁa ao parto/nascimento (tempo de gestaÁ„o; tipo de parto; anormalidades ao nascimento; permanÍncia na incubadora; presenÁa de icterÌcia e se a crianÁa chorou ao nascer), bem como a histÛria do desenvolvimento neuropsicomotor da crianÁa (realizaÁ„o de amamentaÁ„o; utilizaÁ„o de remÈdios/Ûculos e presenÁa de problemas de coluna por parte da crianÁa; idade em que a crianÁa realizou as fases do desenvolvimento motor prim·rio; opini„o dos pais sobre a personalidade/ comportamento das crianÁas). As questıes abordadas neste instrumento encontram-se descritas no Quadro 1. AlÈm destes aspectos, foram investigadas tambÈm questıes referentes a dados sÛcio-demogr·ficos, tanto dos pais quanto das crianÁas, como sexo, idade, com quem residia a crianÁa e se os pais eram ou n„o separados.

Quadro 1 – Formul·rio para AvaliaÁ„o do Desenvolvimento Motor

Prim·rio de Escolares

1.

Dados da Gestação

 

Respostas (Parte 1)

 

Fez pré-natal nesta gestação? Houve alguma intercorrência com a mãe durante a gravidez? Fumou na gestação? Usou bebida alcoólica durante a gestação?

sim (

)

n„o (

)

fez, mas n„o completo ( )

 

sim (

)

n„o (

)

sim (

)

n„o (

)

sim (

)

n„o (

)

2.

Parto – Nascimento

Nascimento Tipo de parto A criança nasceu com alguma anormalidade? Se sim, especifique A criança permaneceu na incubadora?

Respostas (Parte 2) a termo (9 meses de gestaÁ„o) ( )prÈ-termo ( )pÛs-termo ( ) normal ( ) cesariana ( )fÛrceps ( )

 

sim (

)

n„o (

)

sim (

)

n„o (

)

Se sim, por quanto tempo? A criança chorou logo? Teve icterícia?

sim (

)

n„o (

)

sim (

)

n„o (

)

3. História do Desenvolvimento Neuropsicomotor Seu filho foi amamentado no seio? Se sim, por quanto tempo? A criança usa (ou) algum remédio? Se sim, especifique A criança usa óculos? A criança tem algum problema de coluna? Se sim, especifique Idade em que a criança primeiro:

 

Respostas (Parte 3)

 

sim (

)

n„o (

)

sim (

)

n„o (

)

sim (

)

n„o (

)

sim (

)

n„o (

)

 

a)

a) Equilibrou a cabeÁa b) Segurou a mamadeira

b)

 

c)

Segurou objetos

c)

 

d)

Rolou

d)

 

e)

Sentou sozinha

e)

 

f)

Engatinhou

f)

g) Ficou em pÈ com ajuda h) Ficou em pÈ sem ajuda Descreva a personalidade da criança:

g)

h)

 

a) feliz

 

a)

(

)

 

b)

distraÌda

b)

(

)

c)

hiperativa

c)

(

)

d)

sonolenta

d)

(

)

e) curiosa

e) (

)

f)

agressiva

f) (

)

g)

desastrada

g)

(

)

 

h) quieta

h)

(

)

i) tÌmida

i)

(

)

 

j)

simp·tica

j)

(

)

l)

caprichosa

l)

(

)

Há alguma informação que não foi pedida que gostaria de

 

sim (

)

n„o (

)

 

relatar? Se sim, qual?

 

Os participantes foram informados sobre o protocolo de estudo e esclarecidos sobre o objeto do trabalho. Este estudo foi aprovado pelo ComitÍ de …tica e Pesquisa da Universidade Federal da ParaÌba (Parecer n . 685/06).

Resultados Os resultados obtidos foram analisados atravÈs de estatÌstica descritiva, na an·lise qualitativa, e atravÈs do teste Qui- Quadrado, na abordagem quantitativa, utilizando o software SPSS (Statistical Package for Social Sciences), vers„o 11.2. Adotou-se nÌvel de signific‚ncia p<0,05. Das 22 crianÁas, cujos pais foram entrevistados, 13 estudavam em escolas particulares e 9 em escolas p˙blicas. A idade dos pais variou de um mÌnimo de 27 a 53 anos, sendo a mÈdia de idade das m„es 38,91 anos ± 6,7 e dos pais 40,41 anos ±5,4. A mÈdia de idade das crianÁas foi de 11,23 anos ±1,1 (Figura 1), sendo 9 do sexo feminino e 13 do sexo masculino (Figura 2).

sendo 9 do sexo feminino e 13 do sexo masculino (Figura 2). feminino 40,9% masculino 59,1%
feminino 40,9% masculino 59,1% Figura 1: Distribuição do sexo das crianças inseridas no estudo
feminino
40,9%
masculino
59,1%
Figura 1: Distribuição do sexo das
crianças inseridas no estudo

Percentual

40 30 20 10 0 9 10 11 12 13
40
30
20
10
0
9
10
11
12
13

Idade das crianças

Figura 2: Distribuição da idade das crianças inseridas no estudo

Tabela 1 ñ CorrelaÁ„o entre Dados SÛcio-Demogr·ficos e AlteraÁıes Psicomotoras dos Escolares, segundo Teste Qui Quadrado (N=22)

Dados SÛcio- Demogr·ficos

 

AlteraÁ„o Psicomotora

Valor de P

Vari·veis

N„o

Sim

(χ )

 

Feminino

N

3

6

 

Sexo dos sujeitos

%

13,6%

27,3%

0,19

Masculino

N

8

5

(1,692)

 

%

36,4%

22,7%

 

N„o

N

11

7

 

Pais s„o separados?

 

%

50,0%

31,8%

0,02

Sim

N

0

4

(4,889)

 

%

0%

18,2%

 

N„o

N

1

0

 

A m„e mora com a crianÁa?

%

4,5%

0%

0,30

 

(1,048)

Sim

N

10

11

 

%

45,5%

50,0%

 

N„o

N

1

4

 

O pai mora com a crianÁa?

%

4,5%

18,2%

0,12

 

(2,329)

Sim

N

10

7

 

%

45,5%

31,8%

 

Privada

N

6

7

 

DescriÁ„o da escola

%

27,3%

31,8%

0,66

P˙blica

N

5

4

(0,188)

%

22,7%

18,2%

Na Tabela 1, indicada abaixo, apresentam-se os dados sÛcio- demogr·ficos em relaÁ„o ‡ presenÁa e ausÍncia de alteraÁ„o psicomotora das crianÁas estudadas. Foi encontrada associaÁ„o entre a presenÁa de alteraÁ„o psicomotora e o fato das crianÁas terem pais separados (p=0,02).

Tabela 2 ñ Teste Qui-Quadrado entre as Vari·veis do PerÌodo Gestacional e do Desenvolvimento Motor Prim·rio e AlteraÁıes Psicomotoras dos Escolares (N=22).

 

AlteraÁ„o Psicomotora

Valor de P

 

Vari·veis

N„o

Sim

( χ )

 

N„o

N

10

9

 

%

90,9%

81,8%

0,001

 

Tabagismo

Sim

N

1

2

(11,000)

 

%

9,1%

18,2%

 

N„o

N

10

1

 

%

90,9%

9,1%

0,001

Prematuridade

Sim

N

6

5

(11,000)

 

%

54,5%

45,5%

 

N„o

N

10

7

 

Incubadora

%

90,9%

63,6%

0,001

 

Sim

N

1

4

(11,000)

 

%

9,1%

36,4%

 

Entre 0 a 5 meses

N

11

5

 

Equilibrar a

%

50%

22,7%

0,016

cabeÁa

 

Acima de 5 meses

N

0

6

(8,256)

 

%

0%

27,2%

 

Entre 0 e 6 meses

N

3

0

 

%

13,6%

0%

0,016

 

Sentar

Acima de 6 meses

N

8

11

(8,318)

 

%

36,3%

50%

A separaÁ„o dos pais tambÈm apresentou associaÁ„o significativa relacionada a alteraÁıes negativas do desenvolvimento motor pÛs-parto, evidenciada pelo fato de

que todas as crianÁas cujos pais eram separados apresentaram algum tipo de alteraÁ„o comportamental, problemas psicossom·ticos e doenÁas virais e/ou crÙnicas (p=0,00).

Na Tabela 2, indicada abaixo, s„o apresentados os dados

referentes ao perÌodo gestacional e desenvolvimento motor

prim·rio em relaÁ„o ‡ presenÁa e ausÍncia de alteraÁ„o psicomotora, encontrada nos escolares desse estudo.

Em relaÁ„o a alteraÁıes encontradas na histÛria da gestaÁ„o

das crianÁas analisadas, foi encontrada associaÁ„o

estatisticamente significante entre o consumo de cigarro e a presenÁa de alteraÁ„o psicomotora (p=0,001). J· em relaÁ„o ‡

histÛria do parto/nascimento dos escolares houve signific‚ncia em dois aspectos: as crianÁas que haviam tido o tempo de

gestaÁ„o alterado (prematuridade) e haviam permanecido por

algum perÌodo na incubadora apresentaram alteraÁıes

psicomotoras, sendo p<0,05.

Quanto ‡ ligaÁ„o entre a presenÁa de alteraÁ„o psicomotora e atrasos no desenvolvimento, foi encontrada relaÁ„o,

significativa estatisticamente, para as seguintes fases: equilibrar a cabeÁa (p=0,01); segurar a mamadeira (p=0,00); rolar (p=0,01); segurar objetos (p=0,00) e sentar (p=0,01).

AtravÈs de relato dos pais, sobre suas opiniıes pessoais, foram obtidas informaÁıes relacionadas a personalidade/ comportamento das crianÁas avaliadas (aspectos como timidez, agressividade, sonolÍncia, hiperatividade, simpatia, dentre outras, que poderiam estar presentes em seus filhos). Foi observada correlaÁ„o estatisticamente significativa (p<0,05) entre as respostas dos pais referentes ‡ personalidade de seus filhos e ‡ histÛria do desenvolvimento motor das crianÁas. A maioria das crianÁas com alteraÁıes psicomotoras (atrasos nas fases de sentar, segurar mamadeira/objetos diversos e ficar em pÈ) apresentavam caracterÌsticas, segundo relato dos pais, como sonolÍncia, agressividade e timidez; j· aquelas apontadas pelos pais como ativas/curiosas sentaram, seguraram a mamadeira e objetos diversos mais r·pido do que a idade normal (p<0,05).

autor, dados do SAEB (Sistema de AvaliaÁ„o da EducaÁ„o B·sica) demonstram haver eq¸idade entre os alunos da rede de ensino p˙blica e privada, possivelmente devido ao mesmo

ìinstrucionismo escolarî, cuja metodologia È baseada em apenas dar aulas e aplicar provas; tal ciclo vicioso n„o levaria em consideraÁ„o necessidades especÌficas dos alunos, necess·rias para seu adequado desenvolvimento.

O uso de cigarro durante a gestaÁ„o, conforme observado na

presente pesquisa, pode interferir no desenvolvimento dos escolares, gerando perturbaÁıes e desajustes motores significativos. As crianÁas, cujas m„es fumaram durante a gravidez, poder„o apresentar dÈficit no desenvolvimento das vias aÈreas e na funÁ„o pulmonar, retardo no crescimento intra- uterino, peso e estatura menores ao nascimento, malformaÁıes,

morte s˙bita e pneumonias 13 . De acordo com dados da literatura,

Discussão e Conclusão

existÍncia de uma associaÁ„o entre dificuldades e problemas de

os

filhos de mulheres fumantes exibem pesos significativamente

Na amostra avaliada houve predomÌnio de alteraÁıes psico- motoras no sexo feminino (27,3%), o que confirma dados de outros estudos que verificam a incidÍncia de alteraÁıes em

menores que os filhos de n„o-fumantes, correm maiores riscos de desenvolver doenÁas e apresentar alteraÁıes no sistema nervoso central 14 .

vari·veis psicomotoras nas meninas discretamente superior

A

associaÁ„o entre prematuridade, permanÍncia na incubadora

‡quela apresentada nos meninos 8,9 . Existem fortes evidÍncias dos prejuÌzos causados pela disfuncionalidade familiar no desenvolvimento dos filhos e da

comportamento da crianÁa e os dist˙rbios na relaÁ„o conjugal.

dist˙rbios psicomotores ratificou, neste estudo, outras

avaliaÁıes que constatam elevado risco de atraso no desenvolvimento para prematuros de muito baixo peso, o que determina acompanhamento evolutivo e assistÍncia

multiprofissional 15,16 . … clinicamente importante dar atenÁ„o ao

e

O

divÛrcio È considerado um evento estressor, pois modifica a

ambiente social e sensorial do bebÍ de baixo peso, fazendo uma

estrutura familiar, alterando a din‚mica das relaÁıes familiares

revis„o periÛdica do nÌvel de ruÌdo, eliminando o barulho

e,

conseq¸entemente, o ajustamento das crianÁas 10 . Neste

perturbador, tentando envolver mais os pais no cuidado dos

estudo, todas as crianÁas cujos pais eram separados

apresentaram algum tipo de alteraÁ„o psicomotora e o divÛrcio

seus bebÍs e, sobretudo, pensando que a incubadora È um contexto social onde o desenvolvimento est· a ocorrer 17 .

mostrou-se atrelado a problemas relacionados ‡ somatizaÁ„o

A

idade prÈ-escolar È uma fase de aquisiÁ„o e aperfeiÁoamento

de doenÁas e alteraÁıes de comportamento das crianÁas, o que sugere ser este um fator implicado no desenvolvimento motor prim·rio dos escolares. Malone e colaboradores 11 realizaram um estudo para verificar

das habilidades motoras, formas de movimento e primeiras combinaÁıes de movimento, que possibilitam a crianÁa dominar seu corpo em diferentes posturas (est·ticas e din‚micas) e locomover- se pelo meio ambiente de variadas formas (como

os

efeitos do divÛrcio de genitores no ajustamento de crianÁas

andar, correr e saltar). A base para habilidades motoras globais

com problemas de comportamento exteriorizado que

ensino n„o seria fator determinante para atraso no

e

finas È estabelecida neste perÌodo, sendo que as crianÁas

freq¸entavam da 1™ ‡ 8™ sÈries quando seus pais se divorciaram. Eles concluÌram que os meninos que freq¸entavam da 6™ ‡ 8™ sÈries apresentaram um aumento de problemas de comportamento exteriorizado no ano anterior ao divÛrcio, mas um decrÈscimo no ano do divÛrcio, que persistiu nos anos seguintes. Portanto, as relaÁıes maritais infelizes e o divÛrcio ou a separaÁ„o dos cÙnjuges aumentam o risco do surgimento de psicopatologias ou problemas de ajustamento. Quanto ao predomÌnio de crianÁas com e sem alteraÁıes psicomotoras em relaÁ„o ‡ rede p˙blica e privada foi encontrada distribuiÁ„o uniforme, apontando que a tipologia da rede de

desenvolvimento. Conforme Demo 12 , tanto a escola p˙blica quanto a particular perfazem, em grande medida, o mesmo imbrÛglio educacional, talvez para surpresa de muitos. O

aumentam consideravelmente seu repertÛrio motor e adquirem os modelos de coordenaÁ„o do movimento essenciais para posteriores performances habilidosas 18 . Dist˙rbios nas fases do desenvolvimento, como os encontrados no presente estudo relacionados a controle cef·lico, rolar, sentar e segurar objetos, podem contribuir para alteraÁıes em v·rios aspectos psicomotores como lateralidade, equilÌbrio, organizaÁ„o espaÁo- temporal e habilidades cognitivas. Desvios em fatores psicomotores tambÈm est„o relacionados ‡ aprendizagem. Segundo Fonseca 19 , a lateralidade, a organizaÁ„o espaÁo temporal, o conhecimento e domÌnio do prÛprio corpo constituem a formaÁ„o psicomotora. AlteraÁıes nesses fatores podem evidenciar importante relaÁ„o com dificuldades de aprendizagem. Klintsova e Greenough 20 realizaram em seu estudo avaliaÁıes

desempenho da escola particular era h· alguns anos, como regra, sensivelmente superior ao da escola p˙blica, para cujo Íxito concorrem v·rios fatores, como gest„o privada orientada para

de algumas funÁıes cognitivas em 44 escolares que apresentavam dificuldades de aprendizagem. As alteraÁıes cognitivas diagnosticadas neste grupo de crianÁas

o

mercado e professores n„o est·veis. Contudo, segundo o

demonstraram que em apenas 20% havia desempenho

intelectual insatisfatÛrio. Entretanto, em 48% delas foram constatadas dificuldades em funÁıes psicomotoras especÌficas, como na percepÁ„o viso-motora, no esquema corporal, na percepÁ„o da forma e na presenÁa de perseveraÁ„o. O transtorno do dÈficit de atenÁ„o foi identificado em 2%, e a

Referências Bibliográficas 1.Halpern R, Figueiras A. InfluÍncias ambientais na sa˙de mental da crianÁa. J Pediatr. 2004;80(2):104-10. 2.Carvalho AEV, Linhares NBM, Martinez FE. HistÛria de desenvolvimento e comportamento de crianÁas nascidas prÈ-

dificuldade especÌfica para o aprendizado da leitura (dislexia) em 5%. O resultado dos testes foi normal em 20%. Os autores sugerem que a aprendizagem, o treinamento e a estimulaÁ„o comportamental atuam na plasticidade cortical, modificando a sinaptogÍnese, durante o desenvolvimento e tambÈm no cÈrebro do adulto. O exame das funÁıes cognitivas salientou a import‚ncia dessas alteraÁıes especÌficas, mesmo em crianÁas com nÌveis intelectuais normais ou superiores.

termo e baixo peso. Psicol Reflex CrÌt. 2001;14(1):1-33. 3.Bretas JRS, Pereira SR, Cintra CC, Amirati KM. AvaliaÁ„o de funÁıes psicomotoras de crianÁas entre 6 e 10 anos de idade. Acta Paul Enferm. 2005;18(4): 403-12. 4.Barros KMFT, Fragoso AGC, Oliveira ALB, Cabral Filho JE, Castro RM. Do environmental influences alter motor abilities acquisition? A comparison among children from day-care centers and private schools. Arq Neuropsiquiatr. 2003;61(2-

A

correlaÁ„o observada neste estudo entre o comportamento

A):170-5.

das crianÁas, sob a Ûptica dos pais, e um maior ou menor atraso nas fases de desenvolvimento possivelmente n„o se baseia apenas em fatores fÌsicos, do desenvolvimento motor propriamente dito, mas sim se encontra atrelada tambÈm a

5.Formiga C, Pedrazzani E, Tudella E. Desenvolvimento motor de lactentes prÈ-termo. Rev Bras Fisiot. 2004;8(3):239-45. 6.Mancini MC, Megale L, Brand„o MB, Melo APP, Sampaio RF. Efeito moderador do risco social na relaÁ„o entre risco

aspectos psicossociais, uma vez que est„o implicados nesta an·lise diversos fatores: a interpretaÁ„o subjetiva dos pais em relaÁ„o ‡ personalidade de seus filhos; as relaÁıes desenvolvidas dentro da famÌlia que poderiam influenciar o

biolÛgico e desempenho institucional infantil. Rev Bras Sa˙de Matern Infantil. 2004;4(1):25-34. 7.Picq L, Vayer P. EducaÁ„o psicomotora e retardo mental. 5 a ed. S„o Paulo: Manole; 1988.

julgamento dos pais; laÁos familiares como modelos explicativos

8.Bessa M, Pereira J. EquilÌbrio e coordenaÁ„o motora em prÈ-

de

suporte para os laÁos sociais e as experiÍncias vivenciadas

escolares: um estudo comparativo. Rev Bras CiÍnc Mov.

pelas crianÁas, desde o nascimento atÈ a sua idade atual, onde

2002;10(4):57-62.

o

ambiente e as pessoas que as cercam poderiam interferir,

9.Sabates A, Mendes L. Perfil do crescimento e

applying latent change score models to life event dat. Struct

URL: http://www.duke.edu

positiva ou negativamente, em seu desenvolvimento 21 . Esta interligaÁ„o entre aspectos psicossociais, relaÁıes familiares, comportamento infantil e desenvolvimento foi

desenvolvimento de crianÁas entre 12 e 36 meses de idade que freq¸entam uma creche municipal da cidade de Guarulhos. CiÍnc Cuid Sa˙de. 2007;6(2):164-70.

tambÈm observada por Pacheco 22 , ao analisar o comportamento

10.Szelbracikowski A, Dessen M. Problemas de

de

escolares em relaÁ„o a aspectos acadÍmicos e psicossociais

comportamento exteriorizado e as relaÁıes familiares: revis„o

na

sala de aula. O autor observou em seu estudo que aspectos

da literatura. Psicol Estudo. 2007;12(1):33-40.

relacionados ao ajustamento social (envolvendo adaptaÁ„o familiar, escolar e pessoal) e caracterÌsticas concernentes ‡ personalidade (traÁos como extrovers„o, neuroticismo,

psicoticismo, sinceridade/dissimulaÁ„o social) s„o par‚metros para caracterizar e diferenciar crianÁas com dist˙rbios no desenvolvimento, mais especificamente neste caso, com dist˙rbios de aprendizagem. Desse modo, pode-se inferir que

11.Malone P, Lansford JE, Castellino DR, Berlin LJ, Dodge KA, Bates JE et al. Divorce and child behavior problems:

Equat Model. 2004;11(3). [cited 2008 Ago 27]. Available from:

12.Demo P. Escola p˙blica e escola particular: semelhanÁas de dois imbrÛglios educacionais. Ensaio: Aval Pol P˙bl Educ.

os

componentes da motricidade apresentam relaÁ„o n„o sÛ com

2007;15(55):181-206.

aspectos fÌsicos, mas tambÈm com aspectos psicolÛgicos e

sociais, sendo a famÌlia e a escola sujeitos ativos e participantes do processo de desenvolvimento das crianÁas. Os dados obtidos na presente pesquisa apontam que perturbaÁıes nos perÌodos gestacional, pÛs-parto e durante os primeiros anos de desenvolvimento das crianÁas est„o atrelados ‡ presenÁa de alteraÁıes psicomotoras. CrianÁas com tais deficiÍncias n„o exploram seu corpo, nem o ambiente de maneira equilibrada, apresentando tambÈm comportamentos menos ativos e/ou atitudes introspectivas, o que poder· implicar n„o

sÛ na relaÁ„o que o indivÌduo estabelece consigo mesmo, como

tambÈm nas suas relaÁıes sociais. Assim, sugere-se que novos estudos nesta ·rea sejam conduzidos, de forma que os profissionais envolvidos com a educaÁ„o infantil consigam avaliar e intervir, por meio da adequaÁ„o das necessidades de cada crianÁa, respeitando suas limitaÁıes e o contexto no qual

ela est· inserida.

13.Rozov T, Fiss E, Catherino P, Perestrelo MI, Nomura M. H·bito de fumar das gestantes e parturientes de um hospital universit·rio e seus conhecimentos sobre os efeitos do fumo em fetos e lactentes. Arq Med ABC. 2004;29(1):28-36. 14.Leopercio W, Gligiotti A. Tabagismo e suas peculiaridades durante a gestaÁ„o: uma revis„o crÌtica. J Bras Pneumol.

2004;30(2):176-85.

15.Halpern R, Giugliani E, Victora C, Barros F, Horta BL. Fatores de risco para suspeita de atraso no desenvolvimento neuropsicomotor aos 12 meses de vida. Rev Chil Pediatr.

2002;73(5):529-39.

16.Kreling KCA, Brito ASJ, Matsuo T. Fatores perinatais associados ao desenvolvimento neuropsicomotor de recÈm- nascidos de muito baixo peso. Pediatria. 2006;28(2):98-108. 17.Campos R. Processo gravÌdico, parto e prematuridade: uma discuss„o teÛrica do ponto de vista do psicÛlogo. An·l

PsicolÛgica. 2000;1(XVIII):15-35. 18.Caetano M, Silveira C, Gobbi L. Desenvolvimento motor de prÈ-escolares num intervalo de 13 meses. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2005;l7(2):5-13. 19.Fonseca V. Manual de observaÁ„o psicomotora:

significaÁ„o psiconeurolÛgica dos fatores psicomotores. Porto Alegre: Artmed; 1995. 20.Klintsova A, Greenough W. Synaptic plasticity in cortical systems. Curr Opin Neurobiol. 1999;9(2):203-8. 21.Pfeiffer L, Cardon L. VinculaÁ„o paÌs e filhos: um investimento para todos os dias. CrianÁas Seguras, SBP. S„o Paulo: Publifolha; 2005. 22.Pacheco L. Comportamento de escolares: aspectos acadÍmicos e psicossociais na sala de aula [tese]. S„o Paulo:

Universidade Estadual de Campinas; 2003.

Correspondência Neide Maria Gomes de Lucena Rua Miguel S·tiro, EdifÌcio Acapulco, 150, Apt. 303 58045-110 - Jo„o Pessoa ñ PB Tel.: (83)3226-1132 e-mail: suellenandrade@gmail.com