Você está na página 1de 22

ANO 4 ● Nº 3 ● MARÇO 2008

Sir William Crookes
Nesta Edição
Spiritist Society
http://www.sirwilliam.org
Reg Charity No. 1104534 Editorial
02 Luís del Nero
Boletim Informativo Poema
Ano 4 ● n° 3 ● Mar 2008 03 Retrato de Mae
Redação
Coordenação 06 Família: Mecanismo de Evolução do Espírito
Ivonete Jessamy 08 Los Prejuicios a La Luz de La Doctrina Espirita
coord_sirwilliam@yahoo.co.uk (em Espanhol)
Vice-coordenação
10 The Lord´s Servant
Maria José Barbosa
mj.barbosa@btinternet.com Auto-Ajuda
12 Afetividade
Equipe de edição
Conhecendo os trabalhadores da casa
Hagatha Zuccolotto
13 Luís del Nero
Luís del Nero
Ivonete Jessamy 15 Palestras de Março
Davian Jessamy
16 Evangelização
Fernanda Trebien
boletim_sirwilliam@yahoo.co.uk Outras casas
18 Palestras e Cursos
Reuniões aos domingos
Oxford House,
Derbyshire Street Evangelização aos
Bethnal Green domingos
London E2 6HG
(Metrô - Bethnal Green) 14:30 às 16:45
Infanto – Juvenil
14:30 às 16:30
Estudos Espíritas e Palestra
em português
16:30 às 17:30
Passe ● Confraternização
Livraria ● Biblioteca
MAR/08
Dia da Maternidade

O Dia das Mães, comemorado no Reino Unido em março e no
Brasil e outros países em maio, é uma convenção de que o
comércio tenta tirar proveito, vendendo entusiasticamente
suas mercadorias banhadas em tons rosados. Mas acima das
superficialidades, permanece a sublime missão da
Maternidade entre nós, que cada um experimentou e
experimenta ao seu redor, constantemente.
O princípio gerador em nosso mundo não cessa de produzir
novas oportunidades em todas as áreas, a mais bela de todas
para nós sendo a dádiva sem preço da reencarnação. Através
da abnegação de nossos pais e principalmente de nossa mãe,
que nos carrega em seu ventre e sofre as dores do nosso
parto, é que vimos aprender neste mundo.
Oremos portanto por nossa mãe, que continua sempre a sê-lo
onde quer que esteja. E perguntemo-nos também como anda a
maternidade dentro de nós mesmos, já que ao longo das vidas
sucessivas experimentamos os dois gêneros indistintamente,
e que os laços de amor jamais se desfazem, por toda a
eternidade. Na verdade, sob o ponto de vista da Família
Universal, somos todos filhos uns dos outros, e, por que não,
mães e pais uns dos outros. Resta-nos assumirmos essas
responsabilidades e cuidarmos de nossas obrigações uns
para com os outros.
A mãe cheia de amor segurando o seu bebê, no entanto,
incorpora essa verdade divina da maneira mais singela e mais
palpável diante dos nossos olhos: é o retrato vivo da
dedicação, da alegria de sacrificar-se para promover a vida
que brota de si mesma e a ultrapassa em frutificação luminosa
– a luz divina da oportunidade de aprender com a vida, que
nunca se acaba.
Lembremo-nos finalmente de que o Pai é também Mãe
Universal, gerando incessantemente e nos convidando a fazer
o mesmo.

Luís del Nero

MAR/08
Retrato de Mãe

Depois de muito tempo,
Sobre os quadros sombrios do calvário,
Judas, cego no Além, errava. solitário...

Era triste a paisagem
O céu era nevoento..

Cansado de remorso e sofrimento,
sentara-se a chorar...
Nisso, nobre mulher de planos superiores,
Nimbada de celestes esplendores,
Que ele não conseguia divisar,
Chega e afaga a cabeça do infeliz.
Em seguida, num tom de carinho profundo,
Quase que, em oração, ela lhe diz:
- Meu filho, por que choras?

Acaso, não sabeis? - replica o interpelado,
Claramente agressivo,
Sou um morto e estou vivo.
Matei-me e novamente estou de pé,
Sem consolo, sem lar,sem amor e sem fé...
Não ouviste falar em Judas, o traidor?
Sou eu que aniquilei a vida do senhor...
A principio, julguei
Poder fazê-lo rei,
Mas apenas lhe impus
Sacrifício, martírio, sangue e cruz,
E em flagelo e aflição
Eis que a minha vida agora se reduz...
Afastai-vos de mim,
Deixai-me padecer neste inferno sem fim...
Nada me pergunteis, retirai-vos senhora,
Nada sabeis da mágoa que me agita,
Nunca penetrareis minha dor infinita...
O assunto que lastimo é unicamente meu...

MAR/08 (continuado na pág 4)
(continuação da pág 3)

No entanto, a dama calma respondeu:
- Meu filho, sei que sofres, sei que lutas,
Sei a dor que te causa o remorso que escutas,
Venho apenas falar-te
Que Deus é sempre amor em toda parte...
E acrescentou serena:
- A Bondade do Céu jamais condena;
Venho por mãe a ti, buscando um filho amado
Sofre com paciência a dor e a prova;
Terás em breve, uma existência nova...
Não te sintas sozinho ou desprezado.

Judas interrompeu-a e bradou rude e pasmo:
- Mãe ? Não me venhais aqui com mentira e sarcasmo.
Depois de me enforcar num galho de figueira,
Para acordar na dor,
Sem mais poder fugir à vida verdadeira,
Fui procurar consolo e força de viver
Ao pé da pobre mãe que me forjara o ser !...
Ela me viu chorando e escutou meus lamentos,
Mas teve medo de meus sofrimentos.
Expulsou-me a esconjuros,
Chamou-me monstro, por sinal,
Disse que eu era
Unicamente o espírito do mal;
Intimou-me a terrível retrocesso,
Mandando que apressasse o meu regresso
Para a zona infernal, de onde, por certo, eu vinha...
Ah! detesto lembrar a horrível mãe que eu tinha...
Não me faleis de mães, não me faleis de amor...
Sou apenas um monstro sofredor..

MAR/08 (continuado na pág 5)
(continuação da pág 4)

- Inda assim- disse a dama docemente-
Por mais que me recuses, não me altero;
Amo-te, filho meu, amo-te e quero
Ver-te de novo, a vida
Maravilhosamente revestida
De paz e luz, de fé e elevação...
Virás comigo `a Terra,
Perderás, pouco a pouco, o ânimo violento,
Terás o coração
Nas águas de bendito esquecimento.
Numa nova existência de esperança.
Levar-te-ei comigo
A remansoso abrigo,
Dar-te-ei outra mãe! Pensa e descansa!...
E Judas, nesse instante,
Como quem olvidasse a própria dor gigante
Ou como quem se desagarra
De pesadelo atroz,
Perguntou ;- quem sois vós?
Que me falais assim, sabendo-me traidor?
Sois divina Mulher, irradiando amor
Ou anjo celestial de quem pressinto a luz?!...
No entanto, ela a fitá-lo, frente a frente,
Respondeu simplesmente:
- Meu filho, eu sou Maria, sou a mãe de Jesus.

Maria Dolores

Bibliografia: Livro Momentos de Ouro
Francisco Cândido Xavier – Espíritos Diversos

Contribuíção: Cláudia e Humberto Werdine

claudiwerdine@hotmail.com
humberto.werdine@gmail.com

MAR/08
FAMÍLIA: MECANISMO DE EVOLUÇÃO DO ESPÍRITO
Ivone Molinaro Ghiggino

“Todo lar que se levanta / como for, seja onde for,
é sempre uma sementeira / para a colheita do amor.”
(José Nava, psicografia de Francisco C. Xavier –
“Na era do Espírito”, pág. 35)

Alertados pela Doutrina Espírita, compreendemos que a família é o
instituto primário da caridade, como nos repetem insistentemente os
amigos espirituais.

Sabemos que a sociedade humana é composta como uma “colméia” de
núcleos dos quais participamos: o prédio em que vivemos, o bairro, a
cidade, os locais de trabalho, clubes, colégios, etc; essas muitas
organizações estabelecem a “métrica” social.

Mas, seu núcleo mais importante, sua “viga mestre”, é, sem dúvida, a
família, tão comumente chamada de “célula mater” da sociedade. É através
dela e sobre ela que o mundo se estrutura: quando a família se
desorganiza, a sociedade gradativamente é infectada, e vai se
consumindo, se deteriorando, decaindo... Isso fica bastante claro quando
Kardec indaga dos espíritos “Qual seria, para a sociedade, o resultado do
relaxamento dos laços de família?”, e os benfeitores categoricamente
respondem: “Uma recrudescência do egoísmo.”(L. dos Espíritos, perg.
775)

Porém, quando a célula familiar é saudável, mais se vê como ela é
essencial para o ajustamento dos indivíduos, além de incrementar as
relações entre eles. Portanto, ela é “cadinho” inestimável e desvalorizá-la é
prescrever a morte da sociedade.

A família tem duas funções primordiais, que se entrelaçam e interagem:
educativa e regenerativa.

Sua função educativa é verificada, inclusive, entre os animais irracionais,
como, por exemplo, no jornal “O Globo”, de 3 de agosto de 1996, numa
seção dedicada à ciência, onde encontramos a seguinte notícia: “Elefantes
órfãos matam turistas e espalham violência na África”; trata-se de
elefantes nascidos no Parque Nacional Kruger (África do Sul), mas que
foram separados de seu rebanho ainda pequenos, enviados para

MAR/08 (continuado na pág 7)
(continuação da pág 6)

Pilanesburg (no mesmo país), como parte de um programa para conter a
explosão populacional desses animais. Elefantes são animais gregários,
em que os mais jovens assimilam o comportamento dos machos mais
velhos, que controlam o rebanho; assim, estes outros, crescidos longe do
exemplo familiar, adotaram comportamento aberrante e agressivo,
tornando-se incontroláveis e anti-sociais, atacando e matando a esmo...

Todos os pais aqui na Terra deveriam ler e meditar sobre essa reportagem,
porque muito os ajudaria a despertar para sua imensa responsabilidade na
missão que aceitaram, ou até mesmo escolheram, antes de reencarnar.
Compreenderiam, os desavisados, seu compromisso perante Deus, de
amparar, esclarecer e educar – em seu sentido real e integral (ver L.dos
Espíritos”, comentário de Kardec após questão 685 a) – pela palavra e pelo
exemplo, os filhos que o Pai temporariamente lhes confia.

Com relação à sua função regenerativa, a família é instrumento de
recuperação do indivíduo, mecanismo de reestruturação do espírito que
retorna à vida física para resgatar erros pretéritos e progredir mediante a
prática do bem. É no núcleo familiar em que, não raro, antigos desafetos
se reencontram, para anular as arestas de ódio enquistadas em outras
existências e tecer a rede imorredoura do amor, todos juntos, enfrentando
as dificuldades da Terra – mundo ainda de provas e expiações –
trabalhando em prol de seu progresso individual, e desse modo
colaborando com o progresso geral, cumprindo a “...parte que lhe toca na
obra da Criação”.(L. dos Espíritos, perg. 132)

“Família e reencarnação, / Deus as fez buscando a paz: / não levam
mágoas à frente, / nem deixam contas atrás.” (Roberto de Alencar,
psicografia de Francisco C. Xavier – “Na era do Espírito”, pág. 33)

A família é, pois, magnífico “talento” que recebemos do Senhor da Vida!
Que saibamos valorizar devidamente esse “talento” e fazê-lo multiplicar
em bênçãos de luz e paz!

MAR/08
LOS PREJUICIOS A LA LUZ DE LA DOCTRINA ESPÍRITA
Ivone Molinaro Ghiggino

En un viaje aéreo, una señora blanca, de cerca de 50 años, al ocupar
su plaza en la clase económica, se dio cuenta que el pasajero a su
lado era negro. Visiblemente perturbada, llamó a la azafata, diciéndole
ser un absurdo estar ubicada al lado de un negro. Por lo tanto, exigía
que la cambiasen de silla... La azafata buscó calmarla, y afirmó que
iba a chequear la disponibilidad de lugares en el avión. Retornó, en un
rato, confirmando que la clase económica y la ejecutiva estaban
llenas; sin embargo, había un asiento libre en la 1ª clase. Explicó que
ese cambio de lugares no era permitido, pero que, debido a las
circunstancias, el comandante consideró que sería inadmisible forzar
un pasajero a viajar al lado de una persona desagradable. Entonces,
ante el espanto de la mujer blanca, cortésmente se volvió al señor
negro, invitándolo a ocupar la butaca de la 1ª clase... Y fue aplaudida
por los otros pasajeros...
Aunque con elogiable final, ahí está un terrible ejemplo de prejuicio,
que es “cualquier opinión o sentimiento, favorable o desfavorable,
concebido sin examen crítico, conocimiento o razón, es decir,
formado anticipadamente, sin mayor ponderación o conocimiento de
los hechos”; es una “idea preconcebida”, que lleva a la aversión y a la
intolerancia a otras razas, creencias, religiones, etc, conduciendo
hasta entrañadas supersticiones.
Infelizmente, la hay también entre niños: en una guardería infantil en
la ciudad de Salvador (Bahía), la maestra trajo a clase muñecos con
varios tonos de piel y fotos de personas de características físicas
distintas. Una de las niñas, Brenda, de 3 años y medio, apuntó la
fotografía de una chiquita negra, y dijo que era “fea’; cuando la
maestra le preguntó “¿porque era fea?”, ella le contesto “¡porque ella
es igual a mí!...”
Absurdamente, varios de esos conceptos que mucha gente asume
como suyo, le han sido pasados de generación a generación,
habitualmente sin justificación plausible que los ampare como
legítimos: “todo gitano es ladrón”, “todo judío es avaro”, “los indios
son improductivos y perezosos” (prejuicios étnicos); “mujer al
volante es un peligro”; “los ancianos están ultrapasados”, etc...
Los psicólogos dicen que los prejuicios, en general, están
vinculados a tres causas, que claramente se interconectan: la
ignorancia (falta de conocimiento sobre determinado tema),
invariablemente acompañada de terquedad, que es su “esclava fiel”;
el miedo (el milenar de la lepra, o de la sida, o de todo lo que es
distinto o desconocido, etc); y, finalmente, el orgullo. Como vemos, la
base común es siempre la ignorancia.
(continuado na pág 9)
(continuação da pág 8)

Y las consecuencias son terribles, llevando a la discriminación, a la
marginalización, a la violencia, a antagonismos que conducen a
débitos dolorosos... (ejemplo: el 11 de mayo de este año, la Internet
transmitió una noticia del Estado indiano de Gujarat, donde un
hombre, tornándose padre de mellizas, consideró que, por ser niñas,
eran señal de mala suerte; ¡así que las mató enterrándolas vivas!...)
El Espiritismo aniquila cualquier forma de preconcepto, a través de
seguros y comprobados esclarecimientos: Dios es “Inteligencia
suprema, causa primaria de todas las cosas” (L. Espíritus, # 1); los
espíritus (nosotros) fuimos todos creados “sencillos e ignorantes, es
decir, sin saber” (ídem, # 115); todos tenemos el mismo destino: la
felicidad absoluta, mediante la conquista de la perfección relativa
(jamás seremos iguales a nuestro Creador), lograda paulatinamente
en las diversas encarnaciones; todos con las mismas oportunidades
de aprendizaje y progreso; reencarnaremos siguiendo planificación
previa visando rescatar errores pretéritos, ultrapasar pruebas pedidas
y realizar las misiones - pequeñas aún - que nos tocan (ídem, # 132:
objetivo de la encarnación); de ese modo, en cada encarnación
vivenciamos determinadas situaciones (financiera, social, física,
familiar, etc), exactamente las que nos son necesarias al aprendizaje y
a la evolución; Dios ama a todos sus hijos igualmente, sin
“proteccionismo” (nada de “ángeles”, “demonios”, etc).
Por consiguiente, somos todos iguales, hermanos (L. Espíritus: “De
la Ley de Igualdad”); y sólo las situaciones se invierten en las
distintas encarnaciones, para nuestro crecimiento espiritual. ¡El
prejuicio es anti-evangélico, irracional, absurdo! ¡La convicción lógica
en la reencarnación y la certidumbre de la justicia y del amor divino lo
destruyen!...
El Espiritismo, “Cristianismo Redivivo”, nos enseña que el valor real
de cada uno de nosotros no está en la apariencia, sino en lo que
pensamos, sentimos y hacemos de acuerdo con las leyes divinas,
siguiendo las enseñanzas del Cristo, que es para nosotros “el
Camino, la Verdad y la Vida”. En una quermese en una pequeña
ciudad de la Amazonía (región norte del Brasil), un señor vendía
globos de varios colores; buen vendedor, para llamar la atención de
los niños, dejó que un globo rojo se soltase y se elevase en el aire,
después uno azul y uno blanco. Un indiecito a todo asistía fascinado,
fijándose que el globo castaño, del color de su piel, no lo soltaba. Fue
hasta el vendedor e indagó: “¿Si usted soltase el castaño, él subiría
también?” El vendedor sonrió, y soltando el referido globo, contestó:
“No es el color, hijo, es lo que está dentro de él que lo hace subir.”
¡Eso es! ¡Busquemos la verdad, que anulará el miedo y destruirá el
orgullo, puesto que somos todos “globos-hermanos” elevándonos
hacia el Padre, nuestro Creador!
MAR/08
The Lord's Servant
Leonardo G Novellino

A mulher que recebe a bênção da maternidade, torna-se a artesã do amor, a
serviço divino.

Das entranhas do seu ser co-criador, brota a vida, formando-se um
compromisso material e espiritual com o espírito reencarnante que o Pai lhe
confiou.

A esta missionária existencial cabe, qual artista caprichoso, criar e trabalhar a
jóia tosca que somos todos nós e que aumentará em beleza e valor após o
aprimoramento espiritual.

A gema preciosa e reluzente, passa por longo processo de lapidação e
burilamento, tornando-se difícil reconhecer o seu passado como ordinária pedra
opaca e bruta.

O espírito de Emmanuel, em vários momentos, cita o lar, como o “cadinho
purificador das almas”, numa bela analogia ao trabalho do ourives que utilizando
instrumentos, alta temperatura e ácidos corrosivos, separa pacientemente os
detritos e minérios indesejados para obter o reluzente ouro, rei de todos os
metais.

A missão maternal, segundo Pestalozzi, além de dar vida e alento, é a de
desenvolver de forma natural e progressiva todos os poderes e faculdades da
prole.

A criança que renasce, traz consigo um salvo-conduto divino, não importando o
seu proceder escabroso ou não, de outras vidas, que a ninguém cabe julgar.
Tal concessão e bênção é acréscimo da misericórdia de Deus, que possibilita a
todos um recomeço, uma nova oportunidade evolutiva, tão bem exposto por
Kardec ao tratar deste princípio básico doutrinário espirita, a Pluralidade das
Existências, em o Livro dos Espíritos.

Ser mãe é um compromisso que está intimamente ligado a uma teia espetacular
da Lei de Solidariedade Universal que promulga: “Ajuda-me! Recebe-me em teu
seio hoje e aprimora-me, para que eu, amanhã, possa ajudar-te e bendizer-te!”

MAR/08
(continuado na pág 11)
(continuação da pág 10)
A Evolução é determinista, porém, bem conduzida por mãos hábeis ou ao
menos cheias de boa-vontade, a guiar o timão do barco da vida, torna o
percurso a ser seguido mais curto, a viagem mais rápida, e os incidentes do
caminho menos dramáticos e dolorosos pois, todos os seres almejam um porto
seguro, a paz de espírito.

São cheias da Graça de Deus todas as mães, pois como Maria…aquela de
Nazareth…optaram pelo ”Sim”. “Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim,
um instrumento de vossa Paz”.

O LAR

“O Lar divino tesouro
E o amor de Deus no caminho
E o céu em forma de ninho
Aberto a renovação
Seja de pedra ou de ouro
E sempre a santa oficina
Que nos ampara e ilumina
No rumo da perfeição”

(Música/poesia da Escola de Evangelização)

MAR/08
Afetividade

Livro: Os prazeres da alma
do Francisco do Espírito Santo Neto
pelo espírito Hammed

Disponível em nossa livraria

MAR/08
Conhecendo os trabalhadores do SWCSS
Short Profile

Name: Luís del Nero
I live in: Balham – South-London
Age: Espírito milenar
Profession: Professor de línguas (português e inglês)
Contact: luis@delnero.co.uk

Oi Lu! Quando, onde e como conheceu a Doutrina de Kardec?
Venho de família católica e procurava respostas...Com apenas treze anos, no
Brasil, ingressei numa escola de estudos teosóficos e passei minha
adolescência assim. Não satisfeito ainda, e já com 22 anos, conheci o
pensamento de GURDJIEFF aqui mesmo em Londres, e ingressei num grupo
filosófico do qual fui membro por dez anos. Apesar de serem instituições com
pensamentos bem diferentes do Kardecismo, acho que foram degraus que me
ajudaram na minha formação e me prepararam para o Espiritismo.
Em 1996, aqui em Londres, um amigo, hoje desencarnado, me levou a conhecer
a Doutrina dos Espíritos. Há onze anos, portanto, adentrava as portas do
Fraternity Spiritist Group, onde tornei-me espírita.

Você foi presidente da Sir William Crookes Spiritist Society por quanto
tempo? Por que resolveu passar o cargo adiante?
Em fevereiro de 2000, por iniciativa do companheiro Kleber Celadon, nascia a
Sir William. Na carta de fundação da Sociedade, constam os nomes da Ana
Sinclair e do Raul Teixeira, além do Kleber. Estávamos ali e nos predispusemos
a ajudar a grupo. Aconteceu que quatro meses depois, o Kleber teve que deixar
Londres por motivos profissionais e acabei assumindo a presidência, o que
durou sete anos e meio.

Acho importante que os cargos da casa espírita se renovem, temos que
promover mudanças sempre positivas e fugir dos personalismos. As pessoas
têm de freqüentar a “Casa Espirita” e não o centro do Luís, ou o do fulano ou o
do sicrano. Acho que foi uma decisão acertada e digo sem receio e com certeza
de que o grupo está melhor hoje do que antes. Fui substituído pela Ivonete
Jessamy e ela está fazendo um trabalho lindo.

Na sua opinião, qual é o perfil de um líder espírita?
Olha, Leo, o líder espírita é uma pessoa que conhece e entende a importância
da Doutrina Espírita. É uma pessoa que se predispõe a trabalhar.
Tem que ter muita tolerância sempre, sem esperar reconhecimento nenhum,
sem esperar compensações. Olha! A recompensa é toda a nível espiritual.
Conhece a história do Pequeno Príncipe? Pois é, a recompensa é invisível aos
olhos.
MAR/08
(continuado na pág 14)
(continuação da pág 13)
humm…(pensando) Outra coisa, é que é preciso ter decisão para aceitar
desafios e aproveitar oportunidades, sem essa história de achar que ainda não
está pronto. Se você me perguntar se eu estava pronto pra assumir a
presidência do grupo há sete anos atrás, eu vou lhe responder que não. Na
minha cabeça eu não estava pronto, mas assumi e o grupo continua aí…

Qual a sua função atual no William Crookes?
Atualmente sou o tesoureiro do grupo. (risos) Um tesoureiro meio sem
experiência.
Também colaboro com este boletim informativo e a partir deste mês de março,
passo a colaborar com o estudo do livro “Estudos Espiritas”, de Joanna de
Ângelis e Divaldo Franco, atuando também, portanto, na área pedagógico-
doutrinária da casa.

Na sua gestão como presidente, o grupo recebeu uma doação financeira
significativa. Quanto foi e como você acha que deve ser investido este
capital?
De fato, recebemos uma doação importante, na época, no valor de £78.000,00.
Porém, é importante que se diga que essa doação foi condicionada à compra de
uma sede para o grupo. Os doadores expressaram o desejo de que outros
grupos se beneficiassem com essa doação, todavia, o uso deste dinheiro não
pode ser para outra coisa. Não podemos por exemplo, pagar o aluguel da nossa
sala ou comprar livros com este dinheiro.
É claro que ainda estamos muito longe de comprar um imóvel próprio, pode ser
até que nem vejamos a realização deste sonho com os olhos da carne, mas
certamente isso acontecerá no futuro. Acho sinceramente, que isso foi um
presente da espiritualidade, um incentivo, para que o movimento espírita aqui
avance.

Falando em avanço, como você acha que o Espiritismo pode chegar mais
facilmente entre os nossos irmãos britânicos?
Penso que devemos considerar a cultura do país. No Brasil existe uma
divulgação doutrinária com uma abordagem mais emocional, o que aqui não me
parece seja muito eficaz. Precisaríamos ter uma abordagem mais racional para
interessarmos mais as pessoas e conquistarmos o pensamento Europeu.
Devemos também, dominar melhor a língua e o jeito deles fazerem as coisas
aqui. Agora…será que estamos preparados para isso???
Também aposto na Evangelização. Uma vez que formarmos um ambiente
evangelizador, o Espiritismo na Inglaterra criará raízes e ao longo do tempo
veremos os frutos chegarem. Tenho certeza disso. Tudo depende de nós: o
futuro começa hoje.

MAR/08
Palestras
Março
Dia 02 - "Estudos Espíritas e Livro dos Esp." - Ivonete Jessamy
das 14,30hs às 15,30hs
- "A Bíblia" - Manuel Portásio
das 15,30hs às 16,30hs
Dia 09 - "Estudos Espíritas e Livro dos Esp." - Luís del Nero
das 14,30hs às 15,30hs
- "Trabalho, Fraternidade, e Solidariedade"
- Leo Novellino
das 15,30hs às 16,30hs
Dia 16 - "Estudos Espíritas e Livro dos Esp." - Luís del Nero
das 14,30hs às 15,30hs
- "A Teia do Amor" - Luís del Nero
das 15,30hs às 16,30hs
Dia 23 - "Estudos Espíritas e Livro dos Esp." - Luís del Nero
das 14,30hs às 15,30hs
- "A Páscoa na Visão da Doutrina Espírita"
- Robério Fernandes
das 15,30hs às 16,30hs
Dia 30 - "25 anos de espiritismo no Reino Unido"
- José Raul Teixeira
das 14,30hs às 17,30hs

MAR/08
Evangelização
O Mês de Fevereiro foi um
mês bem produtivo para nós
na evangelização.
Terminamos o Módulo
Cristianismo e começamos o
Espiritismo.

Dentro das muitas
atividades que desenvol-
vemos ao longo do mês,
uma teve maior destaque.
Os evangelizandos usaram sua criatividade fazendo belís-
simos desenhos em aquarela, e através dos quais,
expressaram seus sentimentos em relação às criações.
Todos os trabalhos estão expostos na Sala do Grupo na Oxford
Outra atividade em destaque
foi quando assistimos um
filme infantil, o qual mostrou
a importância da prática da
caridade durante o ano
inteiro e não somente no
Natal.
Evangelização

WELCOME, LITTLE BIANCA
Hurrah!!! Nasceu para a alegria dos pais Edivania e John Claydon (Vivi
e Johnny) e amigos, a pequena Bianca.

Nos trinta dias do janeiro último, às 23:49 horas, pesando
2.770gramas, Bianca, tão ansiosamente esperada, veio ter conosco,
aumentando o número da nova geração da grande família espírita.
Parabéns papai e mamãe e seja bem-vinda entre nós, pequena
Bianca!

“Deus abençoou-os dizendo: Crescei e multiplicai-vos” (Genesis 1, 28)

“A Reencarnação é uma realidade inconteste”
(Pinga-Fogo - Chico Xavier)

Obs.: A companheira Edivania foi quem iniciou a evangelização no
MAR/08
grupo SWCSS.
MAR/08
SEMINÁRIO

25 anos
de espiritismo
no Reino Unido
Professor José Raul Teixeira
Domingo * 30 Mar 2008 * 14,30h – 17,30h
Licenciado em Física pela Universidade
Federal Fluminense e Doutor em Educação
pela Universidade Estadual Paulista
(UNESP).
Professor na Universidade Federal
Fluminense.
Psicografou e publicou 23 livros.
Levou a mensagem espírita a mais de 35
países.
Diretor da SEF - Sociedade Espírita
Fraternidade, que propicia assistência a
crianças carentes e a seus familiares.

With English Translation

Sir William Crookes Spiritist Society
Oxford House - Theatre
Derbyshire Street
Bethnal Green
Londres E2 6HG
Metrô: Bethnal Green (linha vermelha)
MAR/08
MAR/08
MAR/08
Crit
iqu
e

õ es
ug est
ês
s

D
õe
in i
op
ita
Em

Participe! Escreva para nós!

boletim_sirwilliam@yahoo.co.uk

MAR/08

Interesses relacionados