1

ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL
ANTONIO MINELLA







PLANTAS MEDICINAIS



O uso de plantas como medicamentos
antecede a história humana da escrita.
Muitas das ervas e temperos usados por
seres humanos para temperar comida
também produzirem compostos medicinais
úteis.








PROJEO COM-VIDA
Farroupilha, 10 de maio de 2014.

2

AGRIÃO
Nome científico:
1
Nasturtium officinalis
Partes utilizadas: folhas e talos.
Fatos interessantes: há registros do consumo de agrião no Egito Antigo, para
incrementar a produtividade dos escravos. Na Roma Antiga, o agrião era usado como
medicamento. Seu plantio como cultura começou na Alemanha no século XVI. O
agrião é uma fonte rica de vitamina A e C e sais minerais como o iodo, enxofre,
fósforo. Essa hortaliça possui mais ferro que a couve e o espinafre.
Indicações do agrião:
 reumatismo, gota, artrite,
 tosse,
 gripe, bronquite,
 asma,
 anemia,
 falta de apetite.
Formas de uso: num recipiente com água a ferver
adicione as folhas e talos de agrião, e deixe a repousar
durante uns minutos até ficar morno. De seguida coe a
solução para remover as folhas e os talos de agrião e
adicione a colher de mel. Mexa muito bem para dissolver o mel na água.
Efeitos secundários: irritações no estômago e nas vias urinárias; aborto.
Contraindicações: mulheres no inicio da gestação.




1
Maikeli, Rafaela, Nadine
3

ALECRIM

Nome científico:
2
Rosmarinus officinalis
Partes utilizadas: folha
Fatos interessantes: arbusto muito ramificado, sempre verde, com hastes lenhosas,
folhas pequenas e finas, opostas, lanceoladas. A parte inferior das folhas é de cor
verde-acinzentada, enquanto a superior é verde brilhante. Floresce quase todo o ano.
Indicações do alecrim:
 lesões de pele e queimaduras;
 anemia, menstruação insuficiente;
 cansaço mental;
 contra caspa;
 resfriado e bronquite.
Formas de uso: utilização culinária: Fresco ou seco é usado
para temperar aves, carne de porco, batata assada, etc...
Costuma ser preparado por infusão (ferve-se a água, desliga-se o fogo e coloca o chá
dentro, deixando abafado por alguns minutos).
Utilização medicinal: na medicina é usado para combater as febres e tosses.
Efeitos secundários: a essência de alecrim pode ser irritante para pele.
Contraindicações: não é indicado em altas doses por via oral, pois é abortivo.



2
Gabriel
4

ALECRIM




Nome científico:
3
Rosmarinus officinalis
Partes Utilizadas: folhas e flores.
Fatos interessantes: é um arbusto comum na região do Mediterrâneo ocorrendo dos
0 a 1500 m de altitude, preferencialmente em solos de origem calcária. Devido ao
seu aroma característico, os romanos designavam-no como rosmarinus, que
em latim significa orvalho do mar.
Indicações do alecrim:
 combate a asma, tosse;
 equilibra a pressão arterial;
 é diurrético e digestivo;
 combate o estresse.
Formas de uso: chá de alecrim- utilizar uma colher (de chá )
de folhas verdes ou secas de alecrim para cada 250 ml de água
fervente. Juntar os ingredientes numa panela e deixar descansar
por 10 minutos. Em seguida coar e beber ainda morno. O chá de alecrim deve ser
tomado 2 a 4 vezes.
Contraindicações: o chá ou tintura deve ser evitado na gravidez ou lactação,
menores de 12 anos, prostáticos e pessoas com diarreia. A ingestão de doses elevadas
provoca irritações gastrointestinais e nefrite.




3
Vinícius, Nelson, Thiago
5

ALFACE











Nome científico:
4
Lactuca sativa
Partes utilizadas: folhas, leite extraído da planta florescente.
Fatos interessantes: a história da humanidade lhe faz referência desde os antigos
persas. Hipocrates e Dioscarides falam em seu uso na antiga Grécia. Na mitologia
grega, a alface é citada quando a deusa Vênus esconde o belo e jovem Adônis, filho
de Mirra, num pé de alface.
Indicações da alface:
 insônia;
 nervosismo;
 agitação;
 conjuntivite;
 reumatismo;
 problemas gastrointestinais;
 gases.
Formas de uso: a mais popular é a salada para o consumo humano, também em
chás. Para quem sofre de insônia: Coloque uma folha de alface fresca e
algumas cascas de maçã em uma xícara de água (fervente) e deixe por alguns
minutos, até que amorne. Adoce a gosto e beba uma xícara antes de deitar
para dormir
Efeitos secundários: calmante, sedativa, antiácida, antirreumática, calmante do
estômago, diurética, digestiva, laxante.
Contraindicações: a alface tem sedativos medicinais, é porque ele tem uma
substância chamada lactucarium, porque esta propriedade não é recomendável o
consumo de alface.

4
Jonathan, Matheus
6

ALHO









Nome científico:
5
Allium sativum
Partes utilizadas: bulbo ou casca
Fatos interessantes : existem mais de 300 variedades de alho cultivados em todo o
mundo. Na Primeira Guerra Mundial o alho foi usado externamente para tratar
feridas da guerra. Antisséptico, anti-inflamatório, anticolesterol, antioxidante,
antialérgico e até mesmo afrodisíaco. Ele surgiu há mais de 5000 anos nos estepes da
Ásia Central e era utilizado como antiveneno na Roma Antiga.
Indicações do alho:
 verminoses,
 feridas,
 hipertensão, colesterol, prevenção de problemas cardíacos,
 problemas gastrointestinais,
 picadas de insetos (prevenção através do efeito repelente de
alho),
 bronquite, tosse, dor de garganta, cálculos urinários.
Formas de uso: através de chá (infusão), utilizando as folhas. Para fazer o chá do
alho de maneira comum basta colocar numa xícara um dente de alho amassado e
despejar água muito quente, na xícara, que deve ser abafada por dez minutos.
Efeitos secundários: em alta dosagem, foram relatados efeitos como depressão ou
alucinação, no entanto isso é muito raro e não há outro efeito relatado em dosagem
regular.
Contraindicações: problemas graves na região hepática (fígado), não recomendado
para grávidas.


5
Daniel, João Paulo, Gabriel
7

AMEIXA













Nome científico:
6
Prunus salicina
Partes utilizadas: frutos frescos ou secos
Fatos interessantes: origem no extremo Oriente muito conhecida dos brasileiros, a
ameixa, originaria das regiões frias da Europa e da China, deu–se bem no sul do país,
em especial nas regiões montanhosas, de clima ameno. A Ameixa é tão variada, que
em 1864, eram já conhecidas e cultivadas mais de cento e cinqüenta espécies
diferentes. A variedade japonesa, de nome científico (Prunus serrulata), apesar do
seu nome, teve a sua origem mais provável na China. A ameixa da baía é, contudo,
do género ‘Ximenia’ e não ‘Prunus’, pelo que não é uma ‘verdadeira’ ameixa, mas
uma espécie muito semelhante.
Indicações da ameixa:
 serve como laxante caseiro;
 prisão de ventre dos bebês;
 estimulante intestinal;
 a fruta desidrata também auxilia no tratamento de alguns tipos
de anemia;
 reduz os riscos de desenvolver osteoporose.
Formas de uso: para preparar o chá caseiro são necessários os seguintes
ingredientes: 3 ameixas pretas e 1 xícara de água.
Contraindicações: não há.




6
Diego, Jéferson
8

ANIS-ESTRELADO












Nome científico:
7
Illiciumverum.
Partes utilizadas: sementes, frutos.
Fatos interessantes: Esta árvore parece com o pé de eucalipto, e pode produzir até
4.000 frutos por colheita. Possui coloração marrom e forte aroma característico,
sendo muito mais forte que a erva-doce ou o funcho. A árvore do anis-estrelado faz
lembrar o loureiro pelo seu belo porte e a magnólia por suas flores decorativas. Toda
a planta exala um agradável aroma semelhante ao anis, ainda que mais intenso.
Indicações do anis-estrelado:
 dor de barriga, gases e azia,
 aumenta o leite da mãe,
 provoca o sono,
 mata piolhos,
 acalma as cólicas,
 expectorante,
 tosse, catarro e asma,
 na sensação de enjôo e nos vômitos nas grávidas.
Formas de uso: utilizado em bebidas, alimentos e para produzir remédios. Pode-se
ferver leite com alguns frutos do anis. Chá: Coloque em infusão, em um litro de água
fervente, 1 colher de chá de anis estrelado, e deixe levantar fervura. Desligue o fogo
e abafe por dez minutos.
Efeitos secundários: Bebês e mulheres grávidas devem consumir com cautela.
Contraindicações: se empregadas doses indicadas pelo especialista não há
contraindicações. Em excesso provoca embriaguez, confusão mental e tremores -
efeitos tóxicos. Pessoas com pressão baixa não devem utilizar-se desta erva.


7
Milena, Morgana
9

BABOSA

Nome científico:
8
Aloe arborescens ou Aloe vera
Partes utilizadas: folhas e seiva
Fatos interessantes: No egito em 1550 a.C., o papyrus ebers detalhava
minuciosamente o valor medicinal da Aloe Vera. Tribos africanas, em epidemia de
gripe, banhavam-se em infusão de babosa para eliminar os germes. Por isso a babosa
é considerada um fitoterápico com muitos benefícios. Há muitos séculos que
civilizações do mundo inteiro consomem a babosa. A babosa é uma planta rica em
minerais e vitaminas antioxidantes que evitam o envelhecimento das células.
Indicações da babosa:
 age como analgésico e anti-inflamatório,
 no tratamento da acne,
 queda de cabelo,
 anemia, aterosclerose,
 hidratar a pele,
 inflamações.
Formas de uso:
Gel de babosa: abre-se a folha, retira-se o gel e misture no liquidificador na
proporção de 1 colher de gel para 1 copo de água. Aplique na região a ser tratada.
Suco de babosa: abra duas folhas da babosa do gênero Barbadensis miller e retire
sua polpa e misture no liquidificador adoçado com mel e 1 maçã, na proporção de
100g da polpa para 1 litro de água. Beba várias vezes durante o dia.
Contraindicações: não recomendado para mulheres grávidas.



8
Felipe, Jaison, Luan
10

BOLDO-DO-CHILE













Nome científico:
9
Pneumus boldus
Partes utilizadas: folhas
Fatos interessantes: O boldo-do-chile (Peumus boldus) é uma árvore que atinge de
12 a 15 metros de altura e pertence à família das Monimiaceae. É comumente
confundido com o Boldo da Terra ou Boldo-da-Terra (Coleus barbatus ou
Plectranthus barbatus), arbusto de propriedades medicinais semelhantes, mas com
contra-indicações diferentes. As propriedades fitoterápicas de suas folhas eram
conhecidas das comunidades indígenas sul-americanas que habitavam os Andes
chilenos, tornando-se conhecidas mundialmente a partir da colonização européia da
América.
Indicações do boldo-do-Chile:
 distúrbios da digestão;
 dor de barriga, principalmente se acompanhada de espasmos;
 úlcera;
 má digestão;
 gases estomacais.
Formas de uso: através de chá (infusão), utilizando as folhas.
Efeitos secundários: em alta dosagem, foram relatados efeitos como depressão ou
alucinação, no entanto isso é muito raro e não há outro efeito relatado em dosagem
regular.
Contraindicações: problemas graves na região hepática(fígado), não recomendado
para grávidas.

9
Davi, Danis, Pedro
11

CALÊNDULA



Nome científico:
10
Calendula officinalis
Partes utilizadas: flores e folhas
Fatos interessantes: O nome Calendula officinalis vem de "Kalendae", palavra
latina que é o primeiro dia do calendário romano. A flor desta planta é conhecida
como a "flor das chuvas". Diz-se que, se a flor se abre de manhã, então vai chover.
Nos tempos antigos, esta flor foi usada para simbolizar amor eterno. Esta planta
também é popular como uma planta ornamental entre jardineiros, pois combina bem
com outras plantas populares
Indicações da calêndula:
 acne; dermatite, psoríase, alergias, feridas;
 varizes;
 rachaduras na mama;
 clarear manchas de pele, brotoejas.

Formas de uso: chá - 2 colheres de sopa das flores da
calêndula em 1 xícara de chá de água fervente e deixar descansar por 5 minutos.
Tomar 1/2 xícara de manhã e meia xícara à noite. Na pele - Socar folhas e flores da
calêndula num pano limpo (gaze) e pôr em cima da ferida, ou acne e deixar atuar
durante 30 minutos.
Contraindicações: Grávidas.


10
Fernando, João Vítor, Ruan
12

CAMOMILA


Nome científico:
11
Matricaria recutita/ Camomilla
Partes Utilizadas: flores e óleo essencial
Fatos interessantes: os antigos egípcios usavam o chá feito com as flores da
camomila, para tratar uma doença semelhante à malária. Na Espanha, um vinho
aromatizado com as suas flores, era usado como digestivo. Antigamente, por
acreditarem que a camomila ajudava a atrair dinheiro, antes de jogos importantes, os
jogadores costumavam lavar suas mãos com chá de camomila.
Finalidades da camomila:
 diminui a ansiedade;
 suaviza a pele e embeleza os cabelos;
 combatem os vermes, alivia cólicas de bebês;
 é adstringente, analgésica, antisséptica, antialérgica,
anti-inflamatória, calmante, carminativa, cicatrizante,
desinfetante, emoliente, refrescante, tônica e vulnerária.
Formas de uso: os chás feitos com as suas flores são muito
usados na medicina alternativa: acrescente 2 a 3 colheres de chá de flores secas de
camomila em uma xícara e adicione água fervente. Espere por alguns minutos e tome
em seguida.
Contraindicações: a única contraindicação da camomila é para pessoas com alergias
a ela. Não recomendado a gestantes.



11
Bruna, Laura, Luiza
13

CANELA











Nome científico:
12
Cinnamomum zeylanicum
Partes utilizadas: casca desidratada
Fatos interessantes: para seu desenvolvimento ela exige aproximadamente
1.300mm de água pluvial, anualmente, e um clima bem quente.Suas folhas
apresentam um aspecto ovalado e são longas,com um tamanho que atinge 7-18
centímetros de comprimento. A canela é uma árvore originária do Ceilão, da
Birmânia e da Índia e conhecida há mais de 2500 anos a.C. pelos chineses. Seu nome
científico, "cinnamomum", segundo referências, é derivado da palavra indonésia
"kayu manis", que significa "madeira doce". Mais tarde, recebeu o nome hebreu
"quinnamon", que evoluiu para o grego "kinnamon".
Indicações da canela:
 é um antioxidante;
 diminui o colesterol;
 impulsiona as atividades do cérebro;
 diminui as infecções.
Formas de uso: estudos da associação de medicamentos dos
Estados Unidos (USDA) indicam que o uso de canela na
quantidade de uma colher de chá diariamente reduz significativamente o açúcar no
sangue e melhora a taxa do colesterol (LDL e triglicerídeos). * Acrescentar um pau
de canela à água fervida. Deixar em ebulição por 2 minutos. Tirar o pau de canela.
Utilizar a água da canela para qualquer chá de ervas, tal como chá verde.
Efeitos secundários: em excesso a canela pode causar irritação da mucosa,
dermatite e inflamação bucal em casos de consumo excessivo.
Contraindicações : contra gases intestinais e vômito.



12
Bruno, Marcos, Moacir
14

CAPIM-CIDREIRA


Nome científico:
13
Ccymbopogon citratus
Partes utilizadas: folhas.
Fatos interessantes: capim-cidreira ou capim-limão, também conhecido por capim
santo ou capim cidreira, é uma planta nativa das regiões tropicais da Ásia,
especialmente da Índia. É usada em medicina popular. Além de ser bactericida é
antiespasmódica (uma substancia que suprime a contração do tecido muscular liso).
A altura pode chegar de 0.6 a 0.9 metros até 0.9 a 1.2 metros. Forma uma touceira
densa, suas folhas são longas, com bordas cortantes e de coloração verde clara.
Devido ao aroma, é muito confundido com a erva-cidreira (Melissa officinalis),
embora em nada mais se pareça com esta planta.
Indicações do Capim-Cidreira:
 tem ação calmante;
 trata dores de indigestão;
 trata insônia;
 trata dores de cabeça;
 antibacteriano;
 anti-reumático.
Formas de uso: através de chá (infusão), utilizando as folhas:
para fazê-lo você vai precisar de uma a três colheres das folhas do capim cidreira e
150 ml (uma xícara de água) de água.
Efeitos secundários: doses concentradas podem provocar aborto, podem baixar a
pressão e causar desmaios.
Contraindicações: pode aumentar o efeito de medicamentos sedativos ou calmantes
e ser abortivo em doses concentradas.

13
Eduardo, Andressa, Gabriel
15

CARQUEJA
Nome científico:
14
Baccharis trimera
Partes utilizadas: hastes e folhas
Fatos interessantes: A carqueja (Baccharis trimera (Less) DC; Asteraceae) é uma
planta ideal para canteiros de jardins, pois cresce formando tufos espessos. Pelo
seu gosto amargo, a medicina popular recomenda-a para combater problemas
digestivos e hepáticos. Esta é uma planta da qual realmente dá gosto de falar, pois
possui inúmeras qualidades terapêuticas. A carqueja é uma planta nativa da América
do Sul, encontrada desde o norte, na Amazônia, até nos pampas argentinos. No Rio
Grande do Sul ela chega a ocupar todas as regiões de banhados, ou sejam, as regiões
baixas como as várzeas.
Indicações da carqueja:
 doenças da bexiga e rins;
 auxiliares no emagrecimento;
 queimados de gorduras;
 termogênico;
 aceleradores de metabolismo.
Formas de uso: preparado adicionando-se água fervente a uma
xícara (de chá) contendo 1 colher (de sopa) de suas hastes e folhas picadas, na dose
de 1 xícara (chá) 3 vezes ao dia, 30 minutos antes das refeições.
Efeitos secundários: quando consumida em excesso pode baixar os glóbulos
brancos e com isso a imunidade, deixando o indivíduo susceptível à doenças.



14
Luan, Wini, Mariana
16

CÁSCARA-SAGRADA
Nome científico:
15
Rhamnus Purshiana.
Partes utilizadas: as partes utilizadas são as folhas que devem ser bem lavadas.
Fatos interessantes: é a única planta a ajudar a emagrecer, pois desintoxica o
estomago. Planta conhecia também com o nome de cáscara-santa. É originária das
montanhas rochosas do Oregon, sendo também encontrada até as montanhas da
Colômbia. Já era muito utilizada pelos índios americanos com finalidades
terapêuticas, sendo levada para a Europa já no final de século XIX.
Indicações da cáscara-sagrada:
 doenças inflamatórias do intestino,
 obstrução intestinal,
 náusea,
 dor abdominal,
 cólicas,
 vômito.
Formas de uso: planta pode ser tomada como chá ou
ingerida em cápsulas. Usar 25 g de cascas para 1 litro de
água e deixar em infusão.
Efeitos secundários: cansaço, cólica abdominal, diminuição de potássio no sangue.
Contraindicações: a cáscara-sagrada é uma planta medicinal com efeito laxante, que
provoca uma irritação no intestino.



15
Isabella, Taís
17

CAVALINHA


Nome científico:
16
Equisetum giganteum L.
Partes utilizadas: as hastes
Fatos interessantes: trata-se de uma planta perene, cujos caules desfolhados
lembram aspargos e, quando morrem, dão origem a caules ocos, ásperos e fortes,
onde crescem folhas duras semelhantes ao junco e à cauda de um cavalo. O nome
latino desta planta é derivado de "equi" (= cavalo) e "setum" (= cauda).
Indicações do chá de cavalinha:
 osteoporose,
 acido úrico,
 anemia,
 cálculos renais,
 menstruações excessivas,
 pedra na vesícula e rins; além de como
diurético e desintoxicante.
Formas de uso: sua utilização é de 2 colheres de
sopa da erva para 500ml de água, sob forma de chá, feita com infusão.
Efeitos secundários: esta planta também pode causar dores de cabeça, perda de
apetite, fraqueza muscular, arritmias, hipotensão.



16
Andriele, João Gabriel, Kewen
18


CHÁ-PRETO











Nome científico:
17
Camellia sinensis
Partes utilizadas: chás em folhas inteiras e moídas.
Fatos interessantes: ainda há dúvidas sobre sua ação emagrecedora, como muitos
crêem, mas está comprovado que a bebida é anticolesterol, anticancerígenas e
rejuvenescedoras, além de combater a diabetes. O chá preto pode sim atenuar os
efeitos nocivos dos alimentos gordurosos, mantendo o fluxo sanguíneo saudável e
protege os vasos, prevenindo problemas cardíacos.
Indicações do chá-preto:
 hipertensão;
 antiinflamatório;
 colesterol;
 arteriosclerose;
 antioxidante;
 aumenta a atividade da vitamina C;
 antiflatulento.
Formas de uso: através de chá, utilizando as folhas secas.
Efeitos secundários: insônia, reduzir os níveis de sódio e de potássio no sangue,
constipação, aumento da freqüência cardíaca, aumento da pressão arterial e dor de
cabeça.
Contraindicações: pode causar problemas na absorção do ferro que provém das
comidas; não é recomendado para hipertensos, pessoas sensíveis a esta substância,
mulheres grávidas e pessoas com problemas cardíacos (devido ao teor de cafeína).



17
Marcelly, Carla
19

CHÁ-VERDE











Nome científico:
18
Cammelia sinensis
Partes utilizadas: folhas novas.
Fatos interessantes: arbusto perene grande ou arvoreta, de 3 a 4 metros de altura. É
muito produzido comercialmente para a produção industrial de chás. O chá-verde e o
chá-preto são da mesma espécie, sendo que o chá-verde não é fermentado antes da
secagem ao contrário do chá-preto. As folhas devem ser colhidas ainda jovens, pois
são mais tenras nesse estádio. Seu consumo têm se expandido no Brasil, com o
surgimento de inúmeras bebidas industrializadas à base do chá-verde.
Indicações do chá-verde:
 antioxidante,
 doença cardiovascular (enfarte, derrame, pressão alta e
ajuda na gripe).
 ajuda no funcionamento dos rins, olhos,
 menos chance de câncer de pulmão.
Formas de uso: o chá verde pode ser encontrado em pó,
saquinhos e até mesmo cápsulas. Use sempre água filtrada.
Acrescente a erva do chá verde e abafe com uma tampa por 5
minutos.
Efeitos secundários: quando consumido em altas doses, o chá verde pode sim fazer
mal. A grande quantidade de cafeína pode causar insônia, apesar dos efeitos
calmantes do chá, e também levar à gastrite, por aumentar a secreção gástrica.




18
Vitória O, Vitória M, Jéssica
20

CRAVO -DA –ÍNDIA










Nome científico:
19
Syzygium aromaticum
Partes utilizadas: são os botões florais
Fatos interessantes: o cravo–da–índia é uma planta medicinal, também conhecido
como cravo girofleiro ou craveiro-da-índia ,muito utilizado devido as suas
propriedades anti-inflamatória ,antissépticas ,cicatrizantes e analgésicas.
Indicações do cravo-da-índia:
 antibacteriana,
 antifúngica,
 anti- inflamatória,
 antisséptica,
 cicatrizante,
 analgésica,
 antiviral,
 estimulante das secreções gástricas.
Formas de uso: o chá pode ser feito com uma colher de sopa de Cravos da Índia e
um litro de água. Apenas ferva a água junto com os Cravos da Índia. Deixe amornar
e coe o chá.
Efeitos secundários: não estão descritos os efeitos colaterais do cravo-da-índia.
Contraindicações: remédios a base de cravo nunca devem ser usados por mulheres
grávidas, pois provocam contrações uterinas .também deve ser evitado seu uso
exagerado, e a sua aplicação em zonas mucosas irritadas.




19
Jussara, Patrícia
21

DENTE-DE-LEÃO




Nome científico:
20
Taraxacu
Partes utilizadas: folhas e flores.
Fatos interessantes: a Bridgestone, maior empresa de pneus do Japão, pretende
fabricá-los utilizando uma planta russa, o dente-de-leão. A corporação japonesa
planeja extrair látex do vegetal e consequentemente fabricar a borracha dos seus
produtos. Esta espécie de flor amarela, abundante na Rússia, é considerada pelos
botânicos como a melhor para a produção da borracha industrial.
Indicações:
 cálculo biliar,
 tratamento da hepatite e problemas do fígado,
 inapetência,
 urticárias.
Formas de uso: usado como chá - 150 ml (uma xícara de chá)
de água. Modo de Preparo: Coloque para ferver a água já com as partes do dente-de-
leão. Após levantar fervura, aguarde alguns minutos e desligue o fogo.
Contraindicações: não deve ser utilizado por pessoas portadoras de obstrução dos
dutos biliares e do trato intestinal.





20
Laura, Matheus, Camila
22

ERVA-MATE



Nome científico:
21
Ilex paraguariensis
Partes utilizadas: folhas
Fatos interessantes: a erva-mate é o produto constituído exclusivamente pelas
folhas e ramos das variedades de Ilex Paraguariensis, na forma inteira ou moída,
obtida através de tecnologia apropriada. É hoje tradicionalmente empregada na
medicina popular para diferentes funções na saúde e por ser uma planta de
composição química complexa.
Indicações da erva-mate:
 estimulante para o sistema nervoso central,
 diurético,
 emagrecedor
 antioxidante,
 anticelulite,
 antirreumático,
 contra o envelhecimento celular.
Formas de uso: através de chá (infusão), utilizando as folhas ou
em forma de chimarrão.
Efeitos secundários: por conter cafeína, pode em alguns casos, levar a insônia.
Contraindicações: a erva-mate é bem tolerada e não tem contraindicações.





21
Brenda, Maiara, Flávia
23

ERVA - DOCE


Nome científico:
22
Pimpinella anisum
Partes utilizadas: frutos
Fatos interessantes: a erva-doce é uma planta medicinal, também conhecida como
Anis ou Funcho, muito utilizada no combate de doenças como dispepsia, dor de
barriga ou artrite. A erva-doce foi introduzida no Brasil pelos primeiros colonos
portugueses, que lhe atribuíam extraordinárias propriedades medicinais.
Indicações da erva-doce:
 dor de barriga, inchaço, acidez estomacal;
 asma, bronquite;
 inchaço;
 espasmos;
 cólicas;
 dor de cabeça;
 inflamações.
Formas de uso: a parte utilizada da erva-doce e seu fruto seco.
Colocar 1 colher de erva-doce numa xícara e cobrir com água fervente. Deixar
esfriar, coar e beber a seguir. De 2 a 3 vezes ao dia após as refeições.
Efeitos secundários: não existe
Contraindicações: pode causar convulsão.




22
Gustavo, Medson
24

ESPINHEIRA-SANTA


Nome científico:
23
Maytenus ilicifolia
Partes utilizadas: folhas.
Fatos interessantes: planta medicinal conhecida há muito tempo pelos Índios da
América do Sul. Tem este nome devido à aparência de suas folhas e por ser
considerado um “santo remédio” em linguagem popular. Cientificamente, está
comprovada sua eficácia no combate a problemas gastrintestinais como a gastrite,
úlcera e gases. Geralmente utilizada na forma de infusão ou cápsulas.
Indicações da espinheira-santa:
 acidez do estômago, azia, gastrite, úlcera
gástrica,
 mau hálito,
 flatulência.
Formas de uso: chá de espinhira-santa: colocar uma
colher (sopa) das folhas secas de espinheira-santa em uma xícara e cobrir com água
fervendo. Deixar descansar por 10min, coar e beber a seguir. Tomar 3 vezes ao dia.
Efeitos secundários: pode notar-se boca seca e náusea que desaparecem depois de
um tempo de uso.
Contraindicações: gestação e tratamento de infertilidade feminina, lactação,
pessoas sensíveis ao álcool, pacientes com câncer estrógeno-dependente,
hipersensibilidade a este fitoterápico.



23
Marina, Vitória B, Gabriella
25

EUCALIPTO

Nome científico:
24
Eucaliptus globus
Partes utilizadas: folhas
Fatos interessantes: boa adaptação em regiões com solos pobres e estação seca
prolongada; moderada resistência a geadas e a inundações periódicas; as árvores
tendem a bifurcações e são, em geral, tortuosas; a madeira é, em geral, pesada e
densa, com cerne diferenciado e colorido; a regeneração, através da brotação de
cepas, é considerada boa; o ritmo de crescimento e o rendimento volumétrico são,
geralmente, inferiores, quando comparados a outras espécies convencionais.
Indicações da folha de eucalipto:
 tosse e resfriado.
Formas de uso: apresentada em forma de infusão, pastilhas,
inalações ou cápsulas. 2g (duas colheres de sobremesa) de folhas
de eucalipto e 150 mL (uma xícara de chá) de água. Inale o
vapor de duas a três vezes por dia. Para inalar, coloque a infusão
de eucalipto em recipiente aberto e cubra a cabeça com um pano
junto ao recipiente.
Efeitos secundários: em alta dosagem, foram relatados efeitos como depressão ou
alucinação.
Contraindicações: quando utilizado por via interna, o seu uso correto é desprovido
de qualquer tipo de sequelas negativas. Contudo, o uso excessivo pode causar
gastroenterite ou sangue na urina.


24
Andriele S, Nicole, Fernanda
26

FUNCHO



Nome científico:
25
Foeniculum vulgare
Partes utilizadas: sementes e o caule
Fatos interessantes: sabor e o odor característico da planta vêm de um óleo essencial
chamado anetol, conforme a nutricionista. Outro componente da erva doce é o ácido
málico. “Superinteressante para diminuir a vontade de comer doce”. De acordo com
Karin, o ácido cafeico e os flavonóides também estão na composição da planta. A
nutricionista destaca que a erva-doce tem propriedade antioxidante, que protege a ação de
radicais livres.
Indicações do funcho:
 cólica;
 má digestão;
 flatulência;
 secreção das vias respiratórias superiores.

Formas de uso: para fins medicinais são utilizadas as sementes do
funcho ou o caule da planta.
Efeitos secundários: quando são respeitadas suas contraindicações não há efeitos
colaterais relacionados ao funcho
Contraindicações: em caso de hipertireoidismo e durante a gravidez.





25
Eduardo F, Andriel, Mateus
27

GENGIBRE






Nome científico:
26
Zingiber.
Partes utilizadas: raiz.
Fatos interessantes: o Gengibre é desde à longos séculos reconhecido pelas suas
propriedades, mas no seu passado mais distante e ao longo de muitas gerações, foi
sempre uma planta extremamente cara, difícil de adquirir e
muito restrita, na grande maioria das vezes, apenas aos
estratos mais altos das sociedades.
Indicações do Gengibre:
 anti-inflamatório;
 relaxante muscular;
 emagrecedor;
 reduz a dor de garganta e feridas que a na garganta.
Formas de uso: através de chás, e a raiz é comestível. Chá de gengibre para gripe: 4
xícaras de água. Cerca de 3 cm de gengibre fresco 1 limão de casca fina. Mel para
adoçar
Efeitos secundários: mesmo que o gengibre sendo uma erva natural que é
geralmente segura, algumas pessoas podem apresentar efeitos colaterais quando se
toma grandes quantidades. Estes podem incluir sintomas gastrointestinais, como azia,
diarréia, dor de estômago, irritação da boca, ou arrotos. Tomar o gengibre em forma
de cápsula pode ajudar a aliviar alguns destes efeitos secundários.


26
Carlos, Cleiton, Gian
28

GUACO











Nome científico:
27
Mikania glomerata spreng.
Partes utilizadas: folha ou planta florida.
Fatos interessantes: a planta também conhecida como erva-de-serpentes, cipó-
catinga ou erva-de-cobra, pertence à família das Compostas. O guaco (Mikania
glomerata) é originário do Brasil e sempre foi muito conhecido pelos índios
brasileiros, que usavam a planta para combater o veneno das serpentes (daí vêm
alguns dos seus nomes populares). Ainda hoje, em algumas regiões do Brasil, o
macerado das folhas é aplicado em forma de cataplasma sobre picadas de cobras e
outros animais peçonhentos.
Indicações do Guaco:
 tosse,
 asma,
 bronquite,
 picadas de cobra.
Formas de uso: chá de infusão (basta adicionar as folhas
de guaco em um recipiente com a água fervente, tampar e
deixar o chá descansar por aproximadamente 15 minutos.
Efeitos secundários: diarréia.
Contra-indicações : se você tomar muito chá vai dar diarréia, grávidas e crianças
com menos de um ano não podem tomar o chá.




27
Julia, Stefani, Natália
29

HORTELÃ




Nome científico:
28
Mentha spicata
Partes utilizadas: folhas.
Fatos interessantes: É também utilizada como planta medicinal, estando inscrita
nas farmacopéias de muitos países da Europa.
Indicações da hortelã:
 auxilio no emagrecimento;
 auxilio no tratamento de tosses e resfriados;
 possui propriedades que ajudam a combater
vírus e bactérias;
 alívio de dores musculares;
 ajuda na digestão;
 auxilia no tratamento de diarreias, cólicas e
dores estomacais;
 melhora o hálito;
 combate dores de garganta.
Formas de uso: 1 colher de sopa de folhas de hortelã, 1 xícara de água; coloque a
hortelã em um recipiente e deite sobre ela a água a ferver. Tampe e, deixe em infusão
durante 5 a 10 minutos. Coe o chá e adoce, se necessário, e tome ainda quente.
Efeitos secundários: Contrações no útero, diminuição da sensibilidade, insônias,
dispneia e em casos muito raros pode causar asfixia em crianças e lactantes.
Contraindicações : Gravidez; amamentação; crianças menores de seis anos; doentes
com dispepsias hipersecretoras; doenças intestinais graves e doenças neurológicas.

28
Carlos, Felipe
30

LARANJEIRA












Nome científico:
29
Citrus sinensis
Partes utilizadas: fruto e folha.
Fatos interessantes: conta uma lenda que Hércules, o herói grego, filho de Zeus e
Alcmena, precisou realizar doze trabalhos por ordem da deusa Hera. Dentre esses
trabalhos, justamente o décimo primeiro consistia em pegar os frutos (pomos) de
ouro do Jardim das Hespérides – Neste jardim, ninfas cultivavam árvores que
tornavam imortais aqueles que provassem seus pomos de ouro, por essa razão, era
guardado por um dragão de cem cabeças. Hércules lutou bravamente, conseguiu
matar o dragão e pegar os frutos que, segundo algumas fontes, eram exatamente
douradas e exuberantes laranjas!
Indicações da laranjeira:
 auxilia na digestão;
 reduzir colesterol;
 diminui a acidez do sangue;
 as folhas também são calmantes e combatem a
insônia, febres, gripes e resfriados.
Formas de uso: rasgar as folhas em pequenos pedaços.
Colocar uma ou duas colheres das de sopa de folhas picadas dentro de uma xícara
das de chá. Adicionar água fervente. Cobrir. Esperar amornar até chegar à
temperatura apropriada para beber. Coar. Adicionar mel a gosto.



29
Ágata, Joana, Leonardo
31

LIMÃO



Nome científico:
30
Citrus limon
Partes utilizadas: folhas e fruto.
Fatos interessantes: Provavelmente, o limão é a fruta mais conhecida e usada do
mundo. São tantas suas aplicações na vida doméstica que fica difícil enumerá-las.
Tudo nele é aproveitável. Com seu suco preparam-se refrigerantes, sorvetes, molhos
e aperitivos, bem como remédios, xaropes e produtos de limpeza. Da casca retira-se
uma essência aromática usada em perfumaria e no preparo de licores e sabões.
Indicações do limão:
 excelente cicatrizante para feridas;
 benéfico para tratar gastrite, ácido úrico;
 resfriados – gripe e constipações;
 digestivo;
 ajuda no trabalho dos rins;
 excelente para remover toxinas no sangue.
Formas de uso: compressas, sumos, chás, produtos de
beleza e de limpeza. Chá de limão - 1 limão com casca
cortado em 4 gomos
1 xícara de água Mel, açúcar ou adoçante a vontade (opcional)
Efeitos secundários: quando ajuda na salivação e prepara o organismo para uma
eficiência digestão.
Contraindicações: o limão cura e previne muitas doenças, não tem contra indicação
, é usado de diversas maneiras : compressas , sucos , sumos , chás , produtos de
beleza e de limpezas transformando em um fruto versátil e numa panaceia universal.

30
Marina, Ionara, Luciele
32

MACELA












Nome científico:
31
Achyroctne satureioides
Partes utilizadas: flores.
Fatos interessantes: na região sul do Brasil as flores da macela costumam ser usadas
pela população como estofo de travesseiros para os bebês, por se acreditar que tenha
efeitos calmantes.
Indicaçoes da macela:
 azia, cálculo biliar;
 dor de cabeça, cólicas intestinais;
 cãibras, contusões;
 desordens menstruais;
 diarreias, disenteria, disfunções gástricas e digestivas,
dor de estômago;
 estimulante da circulação, febre;
 lavar feridas e úlceras.
Forma de uso: chá de suas flores e ramos secos na proporção
de 5 gramas por litro de água fervente, é usado no Brasil no tratamento de problemas
gástricos, epilepsia e cólicas de origem nervosa. Também é empregada como anti-
inflamatório antiespasmódico (reduz contrações musculares involuntárias) e
analgésico, para diarreia e disenteria, como sedativa.
Contraindicações: há estudos sobre o efeito hipoglicemiante da Macela. Por isso
aconselha-se cuidado no uso em diabéticos e em pacientes que usem sedativos,
analgésicos e barbitúricos. Pessoas com hipoglicemia.


31
Alan, Luan
33

MALVA












Nome científico:
32
Malva sylvestris L.
Partes utilizadas: folhas.
Fatos interessantes: a malva é utilizada, por algumas pessoas, como verdura,
fazendo parte da salada. Suas propriedades terapêuticas
são inúmeras. É um excelente laxante e também muito eficiente no combate às dores
de dente, prisão de ventre e inflamações dos rins, bexiga e intestino. A malva é uma
planta herbácea (erva), pertencente à família das Malváceas. Seu caule mede
aproximadamente 20 cm de altura, algumas vezes rastejante, outras não.
Indicações da malva:
 prisão de ventre crônica;
 afecções respiratórias, dor de garganta;
 das mucosas e da pele;
 usada em casos de inflamações;
 bronquite crônica;
 constipação intestinal, colites;
 ansiedade, insônia, coqueluche;
 afecções das vias aéreas superiores.
Formas de uso: através de chá (infusão), utilizando as folhas. Solução para
gargarejo à base de malva.
Efeitos secundários: pode causar intoxicação quando utilizada em grandes doses.



32
Bruna, Júlia
34

MANJERICÃO












Nome científico:
33
Ocimum basilicum
Partes utilizadas: folhas
Fatos interessantes: além de servir como medicamento também é usado para óleos
essenciais. Devido à forma de suas folhas, (coração), era considerado símbolo do
amor, na Itália, e do luto, na Grécia. Há 4 mil anos, os hindus, percussores na cultura
do manjericão, a exportaram para o Egito. No século passado, o manjericão era
usado pelos sapateiros para atenuar o cheiro do couro.
Indicações do Manjericão:
 tosse;
 dor de garganta, aftas;
 catarro;
 feridas;
 problemas de estômago;
 feridas.
Formas de uso: Para fazer o chá, coloque numa panela 1 litro de água a ferver
e depois adicione 1 colher de sopa de manjericão, em infusão durante 15 minutos.
Para quem está doente, o sumo de Manjericão é poderoso. Bata a erva no
liquidificador com pouca água. Coe o sumo e sirva com mel.
Efeitos secundários: por ter ação calmante pode aumentar o risco da depressão.
Contraindicações: deve ser evitado o uso de óleo essencial do manjericão durante a
gravidez.



33
Brenda, Franciele, Gabriela
35

MANJERONA




Nome científico:
34
Origanum majorana
Partes utilizadas: folhas
Fatos interessantes: da família do orégano, a manjerona era uma das ervas favoritas
de Afrodite (deusa do amor) e simbolizava a felicidade. Até hoje, é tida como a erva
do amor eterno, usada em enfeites por noivos e amantes. Foi introduzida na Europa
na Idade Média, sendo muito apreciada pelas damas sob a forma de sachês.
Indicações da Manjerona:
 diarréia,
 má digestão,
 tosse com catarro,
 asma,
 bronquite,
 cólica menstrual ou cólica intestinal,
 falta de apetite,
Formas de uso: chá: usar 20 a 40g da manjerona por litro de água. in natura: como
condimento ou em sucos batidos no liquidificador.
Efeitos secundários: altas doses por longos períodos de tempo apresentam
hipertensão arterial.
Contraindicações: gravidez.


34
Camila, Gabriela, Kauane
36

MARACUJÁ












Nome científico:
35
Passiflora adulis sims
Partes utilizadas: folha, fruto, semente.
Fatos interessantes: o suco de maracujá, muito consumido no Brasil, apresenta
características funcionais, pois possui fitoquímicos, que são capazes de inibir o
crescimento de células cancerosas. Também apresenta flavonoides e ácidos
fenólicos, que são compostos antioxidantes, ajudando no combate aos radicais livres.
Indicações do Maracujá:
 tonturas;
 inflamação dos vasos sanguíneo;
 a folha pode combater a depressão, ansiedade e
estresse;
 o fruto, reforça os ossos e diminui a tremedeira em
idosos;
 consciência alterada;
 é calmante.
Formas de uso: uso de suas folhas, na forma de chá, como calmante e suave indutor do
sono. Chá de maracujá - 1 l de água, 10 colheres de açúcar, 5 cravos da Índia, 2 paus de
canela, semente e polpa de um maracujá,1 maçã cortada em pedaços.
Efeitos secundários: sonolência, tontura, confusão mental, alteração na coordenação
motora e queda de pressão. Potencializa os efeitos do álcool, sedativos e anestésicos
utilizados em cirurgia.



35
Andressa, Letícia, Érica
37

MEL
Nome científico:
36
Apis malifera
Partes utilizadas: líquido.
Fatos interessantes: o único alimento que não estraga é o mel das abelhas, apesar do
mel ser doce, não faz mal aos diabéticos, o mel junto com a canela pode curar várias
doenças. O mel é produzido através do néctar das flores, ele é feito dentro do corpo
das abelhas. Se for clara o gosto e o cheiro são mais suaves, se for mais escuro.
Indicações do mel:
 reduz o risco de alguns tipos de câncer;
 protege o coração;
 melhora o desempenho físico;
 reduz a irritação da garganta;
 reduz a tosse.
Formas de uso: Este é um chá recomendado para gripes e
resfriados que visa a fornecer ao corpo o que ele precisa para
ficar saudável.Ingredientes- 1 copo d’água bem cheio- 1 ½
limão- mel a gosto- 2 dentes de alho- um pedaço de gengibre- 5 cravos- 2 pedaços de
canela. Modo de fazer: deixar ferver a água com meio limão picado (com casca), o
gengibre, os cravos, a canela e o alho durante três minutos. Desligar o fogo, deixando
a panela tampada de 15 a 20 minutos. Coar, colocar em uma xícara e espremer um
limão inteiro (o sumo, coado) e acrescentar o mel.
Efeitos secundários: para crianças menores de 3 anos, o organismo não está
totalmente desenvolvido e maduro, e isso pode causar “danos” a criança.
Contraindicações: para crianças menores de 3 anos, diabéticos e alérgicos.



36
Júlio, Maicon, Lucas
38

MELISSA
Nome científico:
37
Melissa offcinalis.
Partes utilizadas: folhas
Fatos interessantes: conhecida desde a antiguidade por seu valor medicinal,
ungüentos com extrato de melissa ainda hoje são muito vendido na Europa para o
tratamento do herpes oral e genital. Na Grécia antiga era usada para cuidar do
coração e do cérebro. O chá de melissa é um excelente remédio caseiro para insônia,
uma vez que age como um calmante suave, deixando o indivíduo mais relaxado e
proporcionando um sono mais tranquilo.
Indicações da melissa:
 tem uso clínico comprovado no tratamento sintomático
do herpes labial,
 é indicada para cólicas abdominais,
 é usada como sedativo,
 calmante.
Formas de uso: chá de infusão (uma colher de folhas secas e
uma xícara de água fervente), bochechos, tintura, xaropes e
fitoterápicos como água de melissa.
Contra indicações: não deve ser utilizado por pessoas
hipotireoidismo (diminuição de funcionamento da tireóide). Pacientes com pressão
baixa devem usar a erva com cuidado.





37
Eduarda R, Eduarda, Jéferson
39

MENTA

Nome científico:
38
Mentha piperita
Partes utilizadas: folhas
Fatos interessantes: segundo a mitologia grega, Plutão – Deus dos Infernos –
apaixonou-se pela a ninfa Menthe, filha de Cocyte (Deus do rio). Esta atitude
enfureceu a sua esposa Perséfone que, por vingança, transformou a adorável Menthe,
numa planta – hortelã pimenta, condenando-a a crescer à entrada das grutas (portas
de acesso ao Inferno). É ótimo para o cansaço mental, aumentando a concentração,
apatia, estresse. Seu frescor inspira e eleva a capacidade receptiva e de insights
(mental e espiritual). Ajuda também a “digerir” emocionalmente os
problemas, auxiliando no desenvolvimento da tolerância.
Indicações da menta:
 ajuda o fígado;
 mau hálito;
 calmante;
 tratamento da asma e alergias;
 verminoses.
Formas de uso: a infusão pode ser preparada adicionando-se
uma colher de sobremesa (1,5g) de folhas por xícara de água
fervente
Efeitos secundários: ainda desconhecidos.





38
Karine, Josielen, Fernando
40

ORÉGANO











Nome científico:
39
Origanum vulgare
Partes utilizadas: folhas.
Fatos interessantes: o orégão ou Orégano foi ‘trazido’ ao conhecimento
internacional pela cozinha italiana, mas há milênios é utilizado mundialmente. Os
gregos já reverenciavam esta planta como erva aromática com um importante relevo,
na preparação de molhos, como tempero, como aromatizante e na elaboração de um
vinho aromático que foi batizado de como “alegria da montanha”, em homenagem ao
seu parentesco com a manjerona (também conhecida por Manjericão ou brasílico).
Indicações do orégano:
 combate a tosse;
 doenças do pulmão;
 dores musculares;
 afecções estomacais: indigestão, gases, cólicas, enjoo;
 queixas nervosas;
 dor de dente;
 repelente de formigas, fungicida;
 antibacteriana.
Formas de uso: como tempero para cozinhas, perfumes e aromatizantes de
alimentos.
Efeitos secundários: o orégano é reconhecido com seguro para o consumo humano.
Sensibilidade alérgica é rara, mas já foi relatada.
Contraindicações: nenhuma contraindicação foi identificada.


39
Janaína, Taísa, Bianca
41

POEJO











Nome científico:
40
Mentha pulegium
Partes utilizadas: folhas frescas ou secas.
Fatos interessantes: O poejo ganhou o nome científico de Mentha pulegium por
causa de seu efeito repelente de insetos. No latim, “pulex” significa pulga. Para se
livrar das pequenas indesejáveis, costumava-se esfregar as folhas da erva nas roupas
e na pele. Queimar a planta no ambiente infestado também era comum. “Queimando
a erva, você espanta as pulgas. Na cozinha, suas folhas são usadas frescas no
cozimento de carnes de sabor forte, como de ovelha, de carneiro, de cabrito e de
bode, ou ainda para finalizar e decorar pratos. “É uma erva bastante difundida na
Itália.
Indicações do poejo:
 bronquite, gripe, tosse;
 cólica estomacal e intestinal;
 dor;
 feridas;
 aftas.

Formas de uso: chá de poejo: Colocar 10 gramas de folhas numa panela e cobrir
com 200 ml de água fervente. Abafar até amornar, coar e beber a seguir. Tomar de 2
a 3 xícaras por dia.
Efeitos secundários: os efeitos colaterais do poejo incluem aborto e parada
respiratória, quando consumida em excesso.
Contraindicações: pode provocar o aborto. Não deve ser aplicado em peles muito
sensíveis.

40
Ana Paula, Ana Paula M
42

PRÓPOLIS

Nome científico:
41
Nihil
Partes utilizadas: própolis in natura.
Fatos interessantes: Própolis é uma substância resinosa obtida pelas abelhas através
da colheita de resinas da flora (pasto apícola) da região, e alteradas pela ação das
enzimas contidas em sua saliva. A cor, sabor e o aroma da própolis variam de acordo
com sua origem botânica e vem do mel. A palavra "propolis" vem do grego:
["pro"=em favor de] + ["polis"=cidade], isto é, para o bem, em defesa da cidade, no
caso, a colmeia. Escreve-se O ou A Própole. Os gregos chamavam própolis às portas
de uma cidade, voz tomada pelo prefixo ‘pro-‘ e ‘polis’ (cidade). Tempo
depois, Plínio empregou esta palavra em latim para dar nome à cera – extraída da
polpa das árvores – com a qual as abelhas recobrem a entrada de suas colméias a fim
de protegê-las contra fungos e bactérias.

Indicações da própolis:
 em afecções inflamatórias superficiais, como estomatite,
amigdalite, gengivite, piorréia alveolar, hemorróidas;
 aliviar a fadiga;
 fortalecimento da ação imunológica;
 prevenção e tratamento de pneumonia crônica e
bronquite infantil;
 é um antibiótico natural.

Formas de uso:
Extrato alcoólico: 1 gota por kg de peso ao dia., dividindo em duas tomadas.
Extrato aquoso: 1 gota por kg de peso ao dia, dividindo em duas tomadas.
Extrato glicólico: Usado de 3 a 5% em formulações.
Extrato seco: Usado de 100 a 300 miligramas ao dia (como preventivo 1 cápsulas de
100 miligramas 1x ao dia, e como tratamento até 3 cápsulas de 100 miligramas 3x ao
dia)
Contraindicações: não há registros.

41
Eduardo, Fábio, Ronaldo, Mateus
43


ROMÃ












Nome científico:
42
Punica granatum.
Partes utilizadas: frutos, casca, folhas e flores.
Fatos interessantes: a importância da romã é milenar, aparece nos textos bíblicos,
está associada às paixões e à fecundidade. Os gregos a consideravam como símbolo
do amor e da fecundidade. A árvore da romã foi consagrada à deusa Afrodite, pois se
acreditava em seus poderes afrodisíacos. Para os judeus, a romã é um símbolo
religioso com profundo significado no ritual do ano novo quando sempre acreditam
que o ano que chega sempre será melhor do que aquele que vai embora.
Indicações da romã:
 o suco de romã é bom para diminuir os sintomas de angina e as dores de
garganta.
 o chá feito com as suas folhas e flores é muito
usado pelos seus benefícios em problemas de
estômago e infecções urinárias.
 infusões da sua casca ajudam a melhorar os
sintomas de diarreia.
Formas de uso: Infusão de romã: colocar 10 gramas de casca em meia xícara de
água fervente, deixando esfriar e beber quatro a cinco vezes por dia; ou colocar 10
gramas de folhas e flores de romã numa xícara de água fervente. Suco de romã:
Bater no liquidificador 1 romã com 1 copo de água, adoçar à gosto e beber a seguir.

42
Jardel, Claiton, Vítor
44

SALSA












Nome científico:
43
Petroselinum crispum
Partes utilizadas: Para fazer o chá deve se usar somente a raiz.
Fatos interessantes: O cultivo da salsa faz-se há mais de trezentos anos, sendo uma
das ervas aromáticas mais populares da gastronomia mundial. A salsa atrai alguns
animais. Algumas espécies de borboletas põem seus ovos na planta: as lagartas são
pretas com listras verdes e pontos amarelos, alimentando-se de salsa por duas
semanas, até formarem a pupa.
Indicações da salsa:
 hemorragia nasal
 dor de estômago
 rins,dor de bexiga
 dor no fígado
 alivia a menstruação
Formas de uso: É usado com efeito medicinal e como tempero. Chá; 20g de salsa
fresca picada (Petroselinum Crispum) e 2,5 litros de água
Contraindicações: Gastrite, inflamação nos rins, hipersensibilidade a apiol, pode
causar abortos espontâneos devido a apiol substância que contenha, efeitos
neurotóxicos, a dermatite de contato.


43
Iago, Arthur








45

SÁLVIA











Nome científico:
44
Salvia officinalis
Partes utilizadas: folhas
Fatos interessantes: é uma planta pequena, um arbusto que chega, no máximo, a
meio metro de altura. Suas propriedades medicinais, no entanto, residem nas suas
folhas, que contém um óleo aromático, além de resinas e bálsamos. O poder da sálvia
no combate à doenças é grandioso, considerando as inúmeras condições de saúde
abrangidas para o tratamento com esta erva. O uso da sálvia para combater o ácido
úrico, cálculo renal e reumatismo, mostra apenas algumas das condições que podem
ser tratadas. A verdade é que a sálvia é uma das grandes maravilhas da medicina
caseira.
Indicações da sálvia:
 dor de barriga;
 dor de cabeça;
 má digestão;
 infecção urinaria;
 alergias.
Formas de uso: através de chá (infusão), utilizando as
folhas.
Efeitos secundários: não deve ter efeitos secundários, se consumido em seu estado
natural, em baixas doses e por um período de tempo sábio. Em pessoas
hipersensíveis aos componentes dos óleos essenciais da planta pode causar dor de
estômago, diarréia com presença.
Contraindicações: também foi relatado que o consumo.


44
Samantha, Juliana
46

TANSAGEM (tanchagem)











Nome científico:
45
Plantago major
Partes utilizadas: folhas e flores.
Fatos interessantes: faz alusão às cinco nervuras que se estendem como os cinco
dedos de uma mão humana semiaberta, juntando-se na base do caule como as
ramificações nervosas no punho, onde se tornam mais resistentes. Na Primavera
irrompe do centro um eixo, que se reveste de inflorescências brancas e a seguir de
sementes de cor castanho-dourada.
Indicações da tansagem:
 diurética, anti-diarréica,
 expectorante, dor de garganta,
 cicatrizante, contra infecções,
 bronquite crônica, problemas menstruais,
 tratamento de úlceras pépticas
Formas de uso: Chá: Usar 20 g de folhas de tanchagem para cada 1 litro de água
fervente. Coloque a água esquentar e adicione as folhas, assim que iniciar a fervura
conte 3 minutos e desligue o fogo. Deixe descansar até amornar durante 15 minutos e
filtre. Tome durante o dia
Efeitos secundários: pode causar sonolência, cólica intestinal, desidratação.
Contraindicações: durante a gravidez, lactação, indivíduos com doenças do coração.

45
Pedro, Gustavo, Maurício

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful