Você está na página 1de 2

25/5/2014

Caule - Partes das Plantas - Botânica e Biologia - InfoEscola

Caule

O caule é uma estrutura importante para o vegetal, já que além de conduzir as seivas

bruta e elaborada, num vai-e-vem entre a raiz e a copa das árvores ou arbustos, ou até as folhas no caso de vegetais mais simples. Também é responsável pela sustentação do corpo da planta.

Na figura abaixo, pode-se perceber as partes em que se divide um caule: gema terminal (no ápice, é responsável pelo crescimento do vegetal), nó (de onde saem as

folhas, ou flores, ou uma ramificação do caule), entrenó (região que fica entre dois nós)

e gema axilar (produz folhas ou ramo folioso e geralmente não se desenvolve como a gema terminal).

e geralmente não se desenvolve como a gema terminal). Nesta outra figura é possível observar as

Nesta outra figura é possível observar as camadas de um caule, após anos de crescimento: córtex, súber (presente nas plantas com crescimento secundário), câmbio cortical, floema, xilema e a medula (bem ao centro, em algumas situações quando há o crescimento secundário esta medula parenquimatosa desaparece).

secundário esta medula parenquimatosa desaparece). Camadas do Caule As plantas apresentam células

Camadas do Caule

As plantas apresentam células meristemáticas que são responsáveis pelo crescimento das estruturas vegetais. Existem dois tipos de meristemas: meristema apical e meristema lateral. O crescimento dos vegetais acontece de duas formas:

- Crescimento primário: dado a partir do meristema apical, desenvolve o corpo primário (sentido vertical) da planta. Formando gomos que darão origem a ramos e folhas.

- Crescimento secundário: é quando há adição de tecidos vasculares ao corpo primário

do vegetal, graças à atividade do câmbio vascular e do felogênio (meristemas laterais).

Esse crescimento se dá lateralmente (ou na horizontal), “encorpando” a planta.

Levando em consideração o quesito “desenvolvimento caulinar”, podemos classificar o caule em:

- Erva: pouco desenvolvida, pequena consistência em razão da pouca ou nenhuma lenhificação.

- Subarbusto: pequeno porte, maior que a erva, atingindo aproximadamente 1m de altura, com base lenhosa e o restante do caule é de consistência herbácea.

- Arbusto: Acima do subarbusto, atingindo mais ou menos 5m de altura, resistente e lenhoso, ramificado a partir da base.

25/5/2014

Caule - Partes das Plantas - Botânica e Biologia - InfoEscola

- Arvoreta: possui a mesma estrutura arquitetônica de uma árvore, sendo que atinge no máximo 5m de altura.

- Árvore: Normalmente maior que 5m de altura, tronco bem definido, sem ramos na parte inferior e a parte ramificada do vegetal constitui a copa.

- Liana: cipó trepador que atinge muitos metros de comprimento.

Quanto à consistência do caule é possível classificar em:

- Herbácea: caules de consistência herbácea tem aspecto de ervas, não-lenhificado, delicado. Podendo ser rompido num apertar de unhas, ou seja, facilmente.

- Sublenhosa: resistente (duro) na base que é toda lenhificada, mas tem o ápice não- lenhificado.

- Lenhosa: consistente e resistente como um todo, lenhificado, é possível perceber um crescimento secundário significativo.

E ainda se considerar o habitat do vegetal, podemos classificar o caule em:

- Aéreo: todo caule que estiver acima do solo. Ex.: bambu, palmeiras, veideiras.

- Subterrâneo: todo caule que estiver abaixo (dentro) do solo. Ex.: cebola, alho lírio.

- Aquático: todo caule que estiver na água. Ex.: elódea, aguapé.

Bibliografia:

VIDAL, Waldomiro Nunes & VIDAL, Maria Rosária Rodrigues (1990). Botânica organografica: quadros sinóticos ilustrados de fanerógamos. (3 ed.). Viçosa: