Você está na página 1de 5
Instituto Politécnico de Viseu Escola Superior De Tecnologia e Gestão de Lamego Engenharia Informática e Telecomunicações Análise de Circuitos Guião nº1: Medições com Multímetro Voltímetro Implemente o circuito registando as medidas no quadro anexo: Campo de Medida V1 V2 V3 Voltagem corrente continua 5v 10v 15v Medição 5,055v 9,99v 14,95v Amperímetro: Analise o circuito: 1. Determine o valor máximo da intensidade da corrente que, eventualmente, poderá percorrer o circuito. R:A intensidade máxima é de 5mA (Nota: U=5v/R=1ῼ/ (I=U/R)). 2. Faça a montagem do circuito correspondente ao esquema verificando a corrente admissível pelo amperímetro. 3. Registe os resultados usando dois campos de medida diferentes Campo de Medida I1 I2 I3 Medição 0.34 mA 1.27 mA 3.45 mA Lei de Ohm Designam-se por “Resistências passivas”, óhmicas ou puras, os receptores em que há a proporcionalidade entre a tensão aplicada aos seu terminais e a corrente que neles passa. O efeito que se verifica é unicamente calorífico. Podemos assim enunciar a lei de Ohm (U = RI): a diferença de potencial aos terminais de um receptor puramente resistivo é directamente proporcional à resistência do receptor (R) e à intensidade da corrente (I) que o percorre, desde que a sua temperatura se mantenha constante. Assim o quociente entre a tensão e a intensidade de corrente dar-nos-á o valor da resistência: R= U/I. Ao efectuarmos vários conjuntos de leituras de tensão e intensidade de corrente, obteremos um valor para R que deveria ser constante. Assim não acontece devido a erros diversos (dos aparelhos, da leitura, de cálculo, etc.). Um processo de aproximação em relação ao valor real de resistência R consiste em calcular, no final, a média aritmética dos valores obtidos: R = (R1+R2+ …. + Rn) / n Monte o circuito conforme a figura e coloque o potenciómetro na posição de maior resistência diminuindo sucessivamente o seu valor. Registe as leituras no quadro anexo Amperímetro Voltímetro R=U/I (Ω) 5,07mA 5,054v 996.94 Ω 2,5mA 2,041v 964 Ω 0,49mA 0,49v 1kΩ Trace a curva de variação da tensão aos terminais do receptor em função da intensidade de corrente que o percorre U(v) 5,054 2,041 0,49 0,49 2,5 5,07 I(A) Associação de Resistências O valor de uma resistência pode ser obtido, conforme vimos anteriormente, pelo método volt amperimétrico, aplicando a lei de Ohm. Numa associação de resistências o valor da resistência total equivalente pode ser obtido experimentalmente por duas vias: uma mais directa (Rt= Ut / It) e outra mais indirecta (portanto com maior erro), obtendo parcelarmente o valor de cada uma das resistências pelo método volt amperimétrico e aplicando a fórmula estudada na teoria para o cálculo da resistência total equivalente. Podemos assim comparar os valores obtidos por duas vias, em cada um dos três tipos de associação (série, paralelo e mista), comprovando a validade das fórmulas teóricas. Dimensione para cada tipo de associação, os valores da intensidade prevista, em função das características do material. Série: R1:1kΩ R2:10kΩ Rt:11kΩ V:5v I:0,45mA Paralelo: R1:1kΩ R2:10kΩ Rt:909,1Ω V:5v I:5,5mA Mista: R1:1kΩ R2:10kΩ R3:15kΩ Rt:7kΩ V:5v I:1,47mA Monte os circuitos registando os valores nos quadros respectivos: Série R1 R2 Rt U (V) 454,5mV 4,545V 5V I (A) 454,6µA 454,6µA 454,6µA R (Ω) 1 kΩ 10 kΩ 11 kΩ R1+R2=Rt 11 kΩ Paralelo R1 R2 Rt U (V) 5V 5V 5V I (A) 5mA 500,1µA 5,5mA R (Ω) 1k Ω 10 k Ω 909,1Ω R1//R2=Rt 909,1Ω Mista R1 R2 R3 Rt U (V) 714,3mV 4,286V 4,286V 5v I (A) 714,3µA 428,6 µA 285,8 µA 1,47 mA R (Ω) 1 kΩ 10 kΩ 15 kΩ 7 kΩ R1+R2//R3=Rt 7 kΩ Trabalho elaborado por: -Diogo Pinto 1421 -João Rodrigues 1419 -Nuno Pereira 1430 -Pedro Carvalho 1427 -Rui Gomes 1431