Você está na página 1de 27

Um poço de petróleo está produzindo 8.

500 STBO/D com uma razão gás/óleo de


1.100 scf/STBO ou uma taxa-produção de gás de 8x10 6 scf/D. Em um local no
interior do poço onde a temperatura e a pressão são 150ºF e 1500 psia. Calcule
as vazões ‘“in-situ” volumétricas de gás e líquido, velocidades superficiais e o
Holdup de líquido de não deslizamento.
Bo = 1, 4 bbl STBO Bg = 0, 007 ft 3 scf RS = 290 scf STBO

d = 6 in
Método de Hagedorn e Brown (1967)

 Esta correlação foi desenvolvida a partir de dados obtidos de um poço


experimental. O “Holdup” de líquido não foi medido, mas sim calculado.

 Escoamento Vertical;
Método de Hagedorn e Brown (1967)

Desenvolveram a seguinte equação para o gradiente de pressão total


para fluxo multifásico vertical.

�dp � f rTP vm rslip g sin q rslip D ( v m )


2 2 r2ns
rTP =
� �= + + rslip
�dL � 2g c d gc 2g cdL

Um valor do Holdup de líquido deve ser determinado para calcular o


componente do gradiente de pressão devido a elevação, fricção e
aceleração.

Para isso Hangedorn e Brown usou quatro grupos adimensionais


propostos por Duns e Ros:
Método de Duns e Ros (1963)
SI Número de velocidade de gás Unidades de Campo

N GV = vSG 4 rL gs L N GV = 1,938vSG 4 rL s L

Número de velocidade de líquido

N LV = vSL 4 rL gs L N LV = 1,938vSL 4 rL s L

Número de viscosidade de líquido

N L = m L g ( rL s L )
4
3
N L = 0,15726m L 4 1 ( rL s3L )

Número de diâmetro de tubulação

N d = d rLg s N d = 120,872d rL s
Fig 1 mostra a correlação de Holdup de líquido dividido por um fator de
correção, . A abscissa requer um valor de NCL, que está correlacionada com
NL na Figura 2.

0,10
�N LV N LC ��p �
a = � 0,575 �
� �
N
� GV N �psc �
d �

Figura 1 -
Figura 2 -
Na Fig. 3 mostra a correlação para o fator de correção secundária. Uma vez que
um valor para o Holdup de líquido foi determinado a partir das Figs. 1 a 3. A
densidade de deslizamento pode ser calculada a partir da Equação:
rslip = rL H L + rg (1 - H L )
Com os dados obtidos
anteriormente, tem-se:
HL
HL = 

a = ( N GV N 0,380
L ) N 2,14
d Checar a validade de HL

Porque:
Se H L < l L , usar H L = l L
Figura 3 -
Predição do fator de fricção.

Hagedorn e Brown assumiu que o fator de fricção de duas fases poderia


ser previsto da mesma forma como fatores de fricção monofásicos.

Assim, f é obtido a partir do diagrama de fase única de Moody para


uma dada rugosidade relativa e um número de Reynolds de duas fases
como definidos:
r NS v m d
N Re = 1488
m slip

Onde µslip é calculado por:

m slip = ( m HL ) x �
L
m
�g �
(1- H )
L


Gradiente de pressão devido a aceleração.

�dp � r D ( v m) �
2
dp �
� �=
slip
� �
dL
� � acc 2g c
dp �dL �
Onde
D ( v m ) = v m1 - v m 2
2 2 2

e 1, 2, designam as extremidades a montante e a jusante de um


incremento de cálculo (dois pontos de um escoamento),
respectivamente.
rslip D ( v 2m )
Ek =
2g c dp
O gradiente de pressão total pode ser determinado por:

�dp � �dp �
� �+ � �
�dp � �dL � �dL �
� � = g f

�dL �
t 1 - Ek
 O método de Hagedorn & Brown tem sido muito útil na indústria do petróleo e
por isso tem sido objeto de revisão ao longo do tempo que resultaram em
mudanças que melhoram as previsões.
 Uma alteração, que foi proposta por Orkiszewski aos autores, é que, fosse
aplicado do método Griffith & Wallis para identificar um padrão de fluxo tipo
bolha e em seguida utilizada a metodologia sugerida por Griffith & Wallis para
prever o gradiente de pressão .

O critério de Griffith & Wallis para prever se há o fluxo de bolha é o seguinte.

0, 2218 ( vSL + vSg )


2
Onde
LB = 1,071 -
d
Caso LB seja inferior a 0,13, atribuir esse valor a L B, LB = 0,13.

 Limite Bolha/Golfadas
lg = LB
BS
vSg
lg =
vSL + vSg
Escoamento Bolha. Escoamento bolha existe se l g = 1 - l L �l g BS

Caso exista o fluxo tipo Bolha, o método de Griffith e Wallis para estimar o
gradiente de pressão se baseia na velocidade do líquido e despreza o gradiente de
pressão devido a aceleração. A correlação do gradiente de pressão se torna:

vSL
�dp � 2 f r L vL r L g sin q vL =
2

� �= + HL
�dL �
t dg c gc

rL v L d
N Re = Calculado em relação ao líquido
mL
f
e
d
O Holdup de líquido para o escoamento bolha é determinado por:

� �
2
� �
1 � vm vm v Sg �
HL = 1 - 1 + - �
1+ � - 4
2 � vslip � v � v �
� � slip � slip

Método de Orkiszewski (1967)
 Testou diversas correlações publicadas com dados de campo e
concluiu que nenhum era suficientemente precisa para todos os
padrões de fluxo. Ele, então, selecionou o que ele considerava ser as
correlações mais precisas para fluxo bolha e névoa e propôs uma
nova correlação para o fluxo tipo golfadas.

 A correlação de golfadas (Slug) foi desenvolvida com os dados


Hagedorn e Brow.

 Orkiszewski selecionou o método Griffith e Wallis para o fluxo de


bolha e o método Duns e Ros para o fluxo de névoa.
Método de Orkiszewski (1967)
 Orkiszewski usou o padrão de fluxo de transição de Duns e Ros para os
limites entre golfadas e fluxo névoa, incluindo a região de transição entre
eles.

 Limite Golfadas/Transição

N GV = 50 + 36N LV
S Tr
(1)

 Limite Transição/Névoa

N GV = 75 + 84N 0,75
Tr M LV (2)
Método de Orkiszewski (1967)
 Para o limite entre o fluxo de bolhas e de golfadas, os critérios utilizados
foram estabelecidos pelo Griffith e Wallis.

 Limite Bolha/Golfadas

lg = LB
BS
(3)

Onde
v 2m
L B = 1,071 - 0, 2218 (4)
d
e vm = ft/s, vSg = ft/s, d = ft e LB está restrita a ser algebricamente ≥ 0,13.
Método de Orkiszewski (1967)

Escoamento Bolha. Escoamento bolha existe se l g = 1 - l L �l g BS

O Holdup de líquido para o escoamento bolha é determinado por:


� �
2
� �
1 � vm vm v Sg �
HL = 1 - 1 + - �
1+ � - 4 (5)
2 � vslip � v � v �
� � slip � slip

Que equivalente a Eq. (***) para a correlação Duns e Ros.

(v - vslip ) + 4vslip vSL


2
v slip - v m + m
HL =
2vslip
Método de Orkiszewski (1967)
O Holdup de líquido é determinado a partir de Eq. (5), em
seguida, é usado para calcular a densidade de deslizamento.
rslip = rL H L + rg (1 - H L ) (6)
Que por sua vez é usado para calcular a componente de elevação
do gradiente de pressão.
rslip g (7)
O componente do gradiente de pressão devido a fricção para o
escoamento é dado por:
�dp � f r L ( vSL H L )
2
(8)
� �=
�dL �
f 2d
O componente do gradiente de pressão devido a aceleração é desprezado.
Método de Orkiszewski (1967)

Escoamento Golfadas. O escoamento golfadas existe se

l g > l g e N GV �N GV
BS S Tr
(9)

A densidade de deslizamento pode ser calculada por:

rL ( vSL + v b ) + rg vSg (10)


rslip = + rL G
vm + vb

Orkiszewski desenvolveu a Eq. (10) através da realização de


balanços de massa e de volume em uma unidade de slug típico
que consiste de uma bolha de Taylor e uma Golfada de líquido.
Método de Orkiszewski (1967)
Orkiszewski propôs o último termo na Eq. (10) para explicar a
distribuição de líquido nestas regiões.

Griffith e Wallis correlaciona a velocidade de ascensão bolha, v b,


pela relação:

vb = C1C2 gd (11)
Método de Orkiszewski (1967)

onde C1 e C2 são expressados nas Figuras 1 e 2 como função de NRe


b
e NReL
r L vb d
N Re = (12)
b
mL r L vm d
N Re = (13)
L
mL

Figura 2 -
Figura 1 -
Quando C2 não pode ser lido a partir da Fig. 2, vb pode ser
calculada a partir deste conjunto de equações:
Quando NReb ≤ 3000

vb = ( 0,546 + 8,74 x10-6 N Re L


) gd (14)
Quando NRe ≥ 8000
b

vb = ( 0,35 + 8,74 x10-6 N Re L


) gd (15)

Quando 3000 <NRe < 8000


b

1� 13,59m L �
vb = �
vbs + vbs +
2
� vbs = ( 0, 251 + 8,74 x10-6 N Re ) gd

2� rL d � L


(16) (17)
Porque vb e NReb estão inter-relacionados, a determinação de vb requer um
processo iterativo usando as Figs. 1 e 2 ou Eqs. 14 a 17. O procedimento
seguinte.

1.Estimar um valor de vb, um primeiro bom palpite é


vb = 0,5 gd
r L vb d
2. Calcular NReb usando o valor de vb a partir do Passo 1. N Re =
b
mL
3. Calcular vb usando Eq. 11 ou Eqs. 14 a 16.

4. Compare os valores de vb obtidos no Passo 1 e 3. Se eles não forem


suficientemente próximos, usar o valor do passo 3 como o próximo palpite no
Passo 1. Continue até atingir a convergência. Este procedimento irá convergir em
uma única etapa, se o novo valor de N Reb não resultar em uma mudança entre as
Eqs. 14 a 16.
Orkiszewski utilizou os dados de
Hangedorn e Brown para calcular e
correlacionar o coeficiente de
distribuição de líquido, G.
Orkiszewski não definiu critérios
para estabelecer qual fase líquida é a
fase contínua quando ambos óleo e
água estão presentes. Figura 3.3
pode ser utilizado para este fim.
Tabela 4.1 identifica equações
coeficiente de distribuição de
líquidos.

18
19
20
21
Dependendo da fase líquida contínua e o valor da velocidade de
mistura, o valor de G é calculado a partir de uma destas
expressões.
0,013log m L
G= - 0,681 + 0, 232log vm - 0, 428log d (18)
d 1,38

0,045log m L
G= - 0,709 - 0,162log vm - 0,888log d (19)
d 0,799

0,0127log ( m L + 1)
G= - 0, 284 + 0,167log vm - 0,113log d (20)
d 1,415

0,0274log ( m L + 1)
G= + 0,161 + 0,569log d + X (21)
d 1,371
0,01log ( m L + 1) �

X = - log vm � �+ 0,397 + 0,63log d (22)
� d 1,571

e µL está em cp, d está em ft, e vm é em ft/s. O valor de G é


restringido por estes limites.
Se vm < 10 Elevação
rslip g
G �-0,065vm
e, gc
Se vm > 10

vb � r slip � rL ( vSL + v b ) + rg vSg


G �- 1-
� � rslip = + rL G
vm + vb � r L � vm + vb
O gradiente de pressão por fricção para o escoamento Golfadas
(Slug) é:
dp
� � f r v 2
�vSL + vb �
� �= + G�
L m

�dL �
f 2d �vm + vb �
Onde f é obtido pelo gráfico de Moody usando o número de
Reynolds e a rugosidade relativa (e/d).
r L vm d
N Re =
L
mL
O componente do gradiente de pressão devido a aceleração é
desprezado para o fluxo de golfadas.