Você está na página 1de 21

BALANÇO INTEGRAL

DE ENERGIA

INTRODUÇÃO
As leis básicas que se aplicam no estudo envolvendo o escoamento de fluidos incluem
os princípios de conservação de massa, de quantidade de movimento,de energia, etc.
Balanço de Energia
Na análise do escoamento de fluido vamos aplicar a primeira lei da termodinâmica:
“Se um sistema é transportado através de um ciclo, o calor total adicionado ao sistema
a partir de suas vizinhanças é proporcional ao trabalho realizado pelo sistema nas
referidas vizinhanças.”
Diferente do balanço de momento, a eq. de energia resultante estará na forma escalar:

∫ δQ = ∫ δW
onde δQ e δW são diferenciais de calor e trabalho. O operador δ é usado uma vez que
tanto Q quanto W são funções do “caminho” escolhido (não são funções de estado) ⇒
diferenciais inexatas. (obs.: no caso de funções de estado (como T, P e V), estas
dependem apenas dos estados inicial e final).
y

Considerando um ciclo termodinâmico (a):
2

a
b
1

2

1

2

1

∫ δQ + ∫ δQ = ∫ δW + ∫ δW

1a

2b

1a

2b

(1)

Essa propriedade será designada como dE e representa a quantidade total de energia do sistema. . dE = δQ − δW A variação de energia de um sistema é igual à soma de calor e trabalho trocados com o meio. → Expressão alternativa para a primeira lei da termodinâmica: Obs: Para um sistema que está submetido a um processo que ocorre em um intervalo de tempo dt: dE δQ δW = − dt dt dt função de estado → δQ é positivo quando calor é adicionado ao sistema → δW é positivo quando o trabalho é feito pelo sistema. o valor obtido não depende deste.Considerando um novo ciclo termodinâmico ida por a e volta por c: y 2 1 2 1 ∫ δQ + ∫ δQ = ∫ δW + ∫ δW (2) 1a 2c 1a 2c 2 a Subtraindo (1) de (2): 1 1 b 1 1 c ∫ δQ − ∫ δQ = ∫ δW − ∫ δW 2b 2c 2b Que pode ser escrito como: 1 2c 1 1 ∫ (δQ − δW ) = ∫ (δQ − δW ) 2b 2c Como cada lado da equação acima se refere ao valor da integral de uma função realizada por caminhos diferentes.

como a pressão. a cada instante. • Para a descrição dinâmica deste movimento. as grandezas características da partícula que passa por esse ponto. .MÉTODOS DE EULER E LAGRANGE MÉTODO DE EULER Neste estudo do escoamento dos fluidos será utilizado o método de Euler. a velocidade e massa específica. • considera um ponto fixo no espaço e exprime. é necessário o conhecimento de certas características.

.MÉTODO DE LAGRANGE  Descreve o movimento de cada partícula acompanhando-a em sua trajetória real.  Apresenta grande dificuldade em aplicações práticas.  Para a engenharia normalmente não há interesse pelo comportamento individual da partícula e sim pelo comportamento do conjunto de partículas durante o escoamento.

n )dA A → No balanço de energia: rr e ρ ( v ∫∫ .n )dA A .→ Escrevendo a equação de balanço de energia: θ n v dA taxa de energia taxa de calor  taxa de trabalho  taxa de energia taxa de acú .n )dA A → No balanço de momento: A r rr v ∫∫ ρ (v.           que entra pelo  + das vizinhanças − feita pelo VC  = que sai pelo  + mulo de ener - escoamento  para o VC  nas vizinhanças  escoamento  gia no VC            (1) e aplicando ao volume de controle: Fluxo líquido (saída – entrada): rr → No balanço de massa: ∫∫ ρvn dA = ∫∫ ρ (v.

Se negativo. se positivo.n )dA + ∫∫∫ eρdV dt dt ∂t VC A OBSERVAÇÃO: → Temos 3 tipos de trabalho: • Trabalho de eixo (Ws): realizado pelo sistema sobre a vizinhança ocasionando a rotação de um eixo. Acúmulo: taxa de energia   taxa de energia  rr     que entra pelo que sai pelo = e ρ ( v . a vizinhança promove a rotação do eixo.n )dA −    ∫∫  escoamento  escoamento  A     ∂ ∫∫∫ eρdV ∂t VC Substituindo na equação de balanço (1) os termos obtidos: δQ δW rr ∂ − = ∫∫ eρ (v .Ou seja. • Trabalho devido ao escoamento (Wσ): realizado nas vizinhanças para vencer as tensões normais na superfície do VC. • Trabalho cisalhante (Wττ): realizado para vencer as forças cisalhantes (tangenciais) na superfície do VC. .

Ela engloba efeitos de pressão e efeitos viscosos.SdA δQ δWs rr rr ∂ − + ∫∫ v .dA e a taxa de trabalho v S (comp.n )dA + ∫∫∫ eρdV dt dt ∂t VC A A A força resultante tem uma forma mais usual de se apresentar. Assim: → atribuindo toda a contribuição viscosa a um trabalho Wµ: δWµ rr rr ∂ − − ∫∫ P(v . σii e τij) Assim: rr realizada é v . da mesma forma que o Wτ. envolvidas em um dA θ escoamento.→ S é o vetor resultante das tensões normais (σ) e de cisalhamento (τ).n )dA + ∫∫∫ eρdV dt dt dt ∂t VC A A δQ δWs .n )dA − = ∫∫ eρ (v .SdA = ∫∫ eρ (v . a força atuando em um n elemento de área dA é S. Assim.

Reagrupando os termos: δWµ rr ∂ − = ∫∫ (e + ) ρ (v . . ou seja: v2 e = gy + + u 2 (3) SIMPLIFICAÇÕES: Considere um escoamento no volume de controle estabelecido abaixo. na situação de regime permanente e desprezando as perdas por atrito.n )dA + ∫∫∫ eρdV + ρ dt dt ∂t VC dt A δQ δWs P (2) Obs. energia potencial e energia interna.: a energia total específica. pode ser expressa para incluir as contribuições de energia cinética. Determine a equação que rege esse sistema. e.

a equação de energia (eq.Para essas condições. o termo (e+P/ρ) pode ser escrito como: v2 P e + = gy + + u + ρ 2 ρ P mas Assim. (2)) fica: (4) Superfície de controle Com base na equação (3). a equação (4) fica: Pelo balanço de massa: & = ρ1v1A1 = ρ 2 v 2 A 2 m q − W& S  v22 P2   v12 P =  + gy2 + u2 +  −  + gy1 + u1 + 1  m& ρ2   2 ρ1  2 .

M ) ∂t .n )dA + ∫∫∫ eρdV + dt dt ∂t VC dt ρ A δQ δWs q − ws = ( e2 + q − ws = ( e2 + P P2 )ρ 2 v2 A2 − ( e1 + P2 )w2 − ( e1 + ρ2 ρ2 P1 ρ1 P1 ρ1 )ρ1v1 A1 + )w1 + ∂( e. outra forma de se expressar a equação (5) é: v12 q v22 W& s + gy1 + h1 + = + gy2 + h2 + 2 m& 2 m& →Na situação de regime transiente e desprezando as perdas por atrito: Retomando a equação global de energia: δWµ rr ∂ − = ∫∫ ( e + )ρ ( v .Ou.M ) ∂t ∂( e. por definição. entalpia é a soma da energia interna e da energia atrelada ao sistema por meio de relações entre este e sua vizinhança. na forma mais familiar: v12 P1 q v22 P2 W& s u1 + + gy1 + + = u2 + + gy2 + + 2 ρ1 m& 2 ρ 2 m& (5) Mas. ou seja: H = U + PV → h = u + P ρ quantidade de energia associada ao conjunto sistema-vizinhança pelo fato do sistema ocupar um volume V quando submetido à pressão P (máximo trabalho realizado pela vizinhança sobre o sistema) Com isso.

conhecida como equação de Bernoulli.M ) q − w s = ( + gy 2 + u 2 + ) w 2 − ( + gy1 + u1 + 1 ) w1 + 2 ρ2 2 ρ1 ∂t ou v 22 v12 ∂ (e. conforme abaixo esquematizado: . isotérmico. Tomemos um volume de controle. ocorrendo em estado estacionário. Consideremos o escoamento de um fluido incompressível.M) q − w s = ( + gy 2 + h 2 ) w 2 − ( + gy1 + h1 ) w1 + 2 2 ∂t EQUAÇÃO DE BERNOULLI Sob determinadas condições de escoamento a expressão da primeira lei da termodinâmica aplicada a um volume de controle se reduz a uma equação muito útil.v 22 P2 v12 P ∂ (e. invíscido (viscosidade nula: não há trabalho viscoso).

Nessas condições: .não há trabalho de eixo .escoamento estacionário. incompressível e invíscido .não há transferência de calor ou mudança na energia interna. então: δQ dt =0 e δWs dt =0 ∂ eρdV = 0 ∫∫∫ ∂t VC  v 22  v12 P2  P   + gy 2 +  w 2 −  + gy1 + 1  w1 = 0 ρ2  ρ1   2  2 Com essas simplificações a equação da 1ª Lei fica:  v 22  v12 P2  P   + gy 2 + (ρ2 v 2 A 2 ) −  + gy1 + 1 (ρ1v1A1 ) = 0 ρ2  ρ1   2  2 .

Como ρ1v1A1 = ρ2 v 2 A 2 v12 P1 v 22 P + gy1 + = + gy2 + 2 2 ρ1 2 ρ2 Dividindo pela aceleração da gravidade: v12 P1 v 22 P2 y1 + + = y2 + + 2g ρ1g 2g ρ 2 g .

DEFINIÇÃO DE PRESSÃO A pressão de estagnação e a pressão dinâmica podem ser associadas à equação de Bernoulli: v12 P1 v 22 P + gy1 + = + gy 2 + 2 2 ρ1 2 ρ2 •Pressão estática: P é a pressão termodinâmica no fluido que escoa. onde γ=ρg. de modo estático em relação ao fluido). Um outro modo de se medir é usando um tubo piezométrico: P1 = γ(h4-3 + h3-1) = γh. conforme Figura: .MEDIDORES DE VAZÃO 1. Para medi-la precisamos nos mover com a velocidade do fluido (ou seja.

ou seja: Pressão de estagnação = Pressão estática + Pressão dinâmica Pressão hidrostática: o termo gy é denominado pressão hidrostática pois. é possível obter: P2 = P1 +ρv2/2. pode representar uma possível mudança na pressão devido a variação da energia potencial do fluido.Pressão dinâmica: o termo ρv2/2 é denominado pressão dinâmica e surge quando a velocidade é nula e ele é transformado em energia de pressão. Assim. após o líquido preencher o tubo até a altura H. . Pressão de estagnação: aplicando a equação de Bernoulli nos pontos 1 e 2 do gráfico. a pressão de estagnação é maior que a pressão estática P1 de ρv12/2. apesar de não ser uma pressão. onde 2 é o ponto de estagnação onde a velocidade do fluido é zero.

ou seja. Pressão total: a equação de Bernoulli estabelece que a pressão total permanece constante ao longo da linha de corrente (LC). a pressão de estagnação: P2 = P1 +ρv2/2 é a maior pressão que uma linha de corrente pode apresentar. TUBO DE PITOT Consiste de um tubo com uma abertura perpendicular à direção do escoamento e um segundo tubo cuja abertura é paralela ao escoamento .Observação: Se efeitos de elevação (variação de altura) na linha podem ser desprezados. P +ρv2/2+γy = PT = constante ao longo da LC Observação: lembre-se de verificar se as hipóteses usadas na dedução da equação de Bernoulli se aplicam no escoamento em análise. toda a energia cinética do fluido é convertida num aumento de pressão. ou seja.

chamada de pressão de estagnação. e a pressão no tubo de impacto. P2 (pressão de estagnação) = P1 (pressão estática) +ρv12/2 P2 – P1 = ρv12/2 ⇒ v1 = (2 ∆P/ρ)1/2 (*) A pressão de trabalho para o tubo de Pitot é normalmente: v1 = C (2 ∆P/ρ)1/2 = C [2 (ρm-ρ)g∆h/ρ]1/2 onde ρm é a massa específica do fluido manométrico. ρ é a massa específica do fluido que escoa e ∆h é o desnível no manômetro. . chamada de pressão estática.A velocidade de escoamento é calculada a partir da diferença entre a pressão na abertura paralela ao escoamento. A constante C foi inserida para corrigir desvios em relação à equação (*).

. onde a variação de pressão é inferior a 15%.: esse sistema se aplica a fluidos incompressíveis e aos gases em velocidades moderadas. mas medindo a velocidade em várias posições radiais. Outras formas do tubo de Pitot: MEDIDORES POR RESTRIÇÃO Um modo eficiente de medir a vazão volumétrica em tubos é instalar algum tipo de restrição no tubo e medir a diferença entre as pressões na região de baixa velocidade e alta pressão (ponto 1) e de alta velocidade e baixa pressão (ponto 2). pode-se estimar a velocidade média do escoamento. para um mesmo comprimento de tubo.O tubo de Pitot mede a velocidade local. Obs.

precisão e como sua condição ideal de funcionamento (efeitos viscosos e de compressibilidade não são levados em conta) se aproxima da condição real.Placa (ou medidor) de orifício Medidor de bocal Medidor de Venturi Todos apresentam o mesmo princípio de funcionamento: um aumento na velocidade provoca uma diminuição na pressão. . A diferença entre eles é uma questão de custo.

Substituindo v1 e v2 por Q/ A1 e Q/A2. podemos isolar Q e determiná-lo em função da diferença de pressão. respectivamente. então a equação de Bernoulli fica: P1 +ρv12/2 = P2 +ρv22/2 Pelo balanço de massa: Q = A1v1 = A2v2 onde A1 e A2 são as áreas das seções transversais 1 e 2. invíscido e horizontal (y1 = y2) e que estamos trabalhando em regime permanente.Admitindo que o escoamento entre os pontos 1 e 2 é incompressível. .