Você está na página 1de 29

MICROGERAÇÃO

2013/2014
Novas
formas
de
energia
Limitações às
emissões
GEE
Escassez dos
recursos
fosseis
Aumento do
preço dos
combustíveis
Aumento
da
população
Forte
dependência
energética
Microgeração
 É uma forma de gerar energia através das
energias renováveis, para utilização, em pequena
escala, nas habitações;

 Origina a microprodução;

Microgeração
 Deixa de existir uma geração bem estipulada e os
consumidores deixam de ser apenas consumidores,
passam a ser produtores de energia elétrica.

 Dentro dos sistemas de microgeração, começam a
surgir tecnologias que tiram proveito do homem
como fonte para gerar energia.


Tipos de Microgeração
Painéis solares fotovoltaicos
Painéis solares térmicos
Aerogeradores
Sistemas geotérmicos
Micro-cogeração
Biomassa
Microgeração – Vantagens
 Menos poluente;
 Produz energia a partir de fonte de energia
renovável;
 Reduz a dependência energética do exterior;
 Reduz a aquisição de direitos de emissão de CO
2
,
pelo Protocolo de Quioto;
 É uma fonte de energia mais económica.


Painéis Solares Fotovoltaicos
 É um sistema de energia converte a energia
luminosa em energia elétrica.


Painéis Solares Fotovoltaicos – Considerações
 Vantagens:
 É uma fonte de energia livre, limpa e sem fontes de
poluição;
 Baixo custo de manutenção.

 Desvantagens:
 Custo de instalação elevado;
 Não há conversão de energia durante a noite;
 Apresentam um rendimento de 25%.
Painéis Solares Térmicos
 Este sistema absorve a radiação solar, converte em
calor e transfere este calor para o fluído.


Painéis Solares Térmicos – Considerações
 Vantagens:
 É uma fonte de energia livre, limpa e sem fontes de
poluição;
 Baixo custo de manutenção.

 Desvantagens:
 Custo de instalação elevado;
 Não há conversão de energia durante a noite;
 Apresentam um rendimento de 25%.

Energia Eólica
 Este sistema de energia transforma a energia
cinética do vento em energia mecânica que por sua
vez é transformada em energia elétrica.

Energia Eólica – Considerações
 Vantagens:
 É inesgotável;
 Não emite gases poluentes nem gera resíduos.

 Desvantagens:
 Existe descontinuidade do vento;
 Provoca um impacto visual considerável;
 Provoca impacto sonoro.
Micro-Cogeração
 Este sistema produz energia elétrica, aproveitando o calor
residual originado nos processos termodinâmicos de
geração de energia elétrica, que de outra forma seria
desperdiçado.

 Gás natural
 Cogeração e biomassa
 Micro e pequena cogeração
 Turbina orc e caldeira de biomassa
 Cogeracao de gaseificacao
 Cogeração de óleo vegetal
 Biogás de cogeração

Micro-Cogeração – Considerações
 Vantagens:
 Baixo custo de aquisição;
 Menor risco ambiental;
 Recurso renovável;
 Emissões não contribuem para o efeito estufa.
 Desvantagens:
 Menor poder calorífico;
Sistemas Geotérmicos
 Consiste no aproveitamento da temperatura do
interior da Terra, transformando a energia térmica
em energia mecânica e esta será transformada em
energia elétrica.
Sistemas Geotérmicos – Considerações
 Vantagens
 Limpa;
 Não prejudica o ambiente;
 Fiável e flexível.

 Desvantagens
 Perfuração dos solos para a introdução dos tubos é
dispendiosa;
 Os anti-gelificantes usados nas zonas mais frias são
poluentes;
 Este sistema tem um custo inicial e manutenção dos tubos
elevado.


Biomassa
 Consiste em aproveitar o calor e através de uma
turbina transformar energia mecânica em energia
elétrica.
Biomassa – Considerações
 Vantagens:
 Baixo custo de aquisição;
 Menor risco ambiental;
 Recurso renovável;
 Emissões não contribuem para o efeito estufa.
 Desvantagens:
 Menor poder calorífico;
 Elevado grua de emissões de CO
2
.
 Transformar a Biomassa em Energia

 Existe quatro formas de transformar a biomassa em energia:
 1. Pirólise: através dessa técnica, a biomassa é exposta a supremas temperaturas sem a
presença de oxigénio, mirando o acelerar da decomposição da mesma. O que sobra da
decomposição é uma mistura de gases , líquidos (óleos vegetais) e sólidos (carvão vegetal);
 2. Gasificação: assim como na pirólise, aqui a biomassa também é acalorada na ausência
do oxigénio, originando como produto final um gás inflamável. Esse gás ainda pode ser
filtrado, visando à remoção de alguns componentes químicos residuais. A diferença básica em
relação à pirólise é o fato de a gaseificação exigir menor temperatura e resultar apenas em
gás;
 3. Combustão: aqui a queima da biomassa é realizada a altas temperaturas na presença
abundante de oxigénio, produzindo vapor a alta pressão. Esse vapor geralmente é usado em
caldeiras ou para mover turbinas. É uma das formas mais comuns hoje em dia e sua eficiência
energética situa-se na faixa de 20 a 25%;
 4. Co-combustão: essa prática propõe a substituição de parte do carvão mineral utilizado
em urnas termoeléctricas por biomassa. Dessa forma, reduz-se significativamente a emissão
de poluentes. A faixa de desempenho da biomassa encontra-se entre 30 e 37%, sendo por
isso uma escolha bem atractiva e económica actualmente.

Microgeração Humana
 Calor do corpo: processo emitido pelo corpo e de
modo a que este seja aproveitado energeticamente é
necessário o desenvolvimento de algo que envolvesse o
ser humano, semelhante a um fato de mergulho.
 Respiração (expiração): aproveitamento via máscara
ou uma banda apertada à volta do peito do utilizador
onde a oscilação corporal iria excitar um gerador
dielétrico elástico.
 Pressão sanguínea: um estudo foi efetuado de modo a
que pressão sanguínea consiga conduzir um
microgerador piezoelétrico.

Microgeração Humana
 O conceito da lei da Física:

 O trabalho mecânico é a energia transferida para
um sistema pela aplicação de uma força ou
momento de força sobre o sistema ao longo de
determinado percurso ou movimento de rotação.

Microgeração Humana
 Começam a emergir sistemas que tiram proveito do
homem e do seu potencial energético.;

 Recuperam a energia que o corpo humano gera nos
diferentes movimentos.
Microgeração Humana – Aplicações
 Estações de metro – Tóquio

 A energia gerada é
suficiente para alimentar os
portões dos bilhetes e painéis
informativos.

Microgeração Humana – Aplicações
 Club4Climate – Londres




 1 - A pista é composta por um material leve, flexível e dotada de
molas com uma série de pequenos blocos geradores de energia;
 2. Os blocos são feitos de cristal e produzem uma pequena corrente
elétrica quando pressionado, chamada “piezoeletricidade”;
 3. À medida que os dançarinos se movimentam, os blocos são
pressionados e a eletricidade gerada carrega baterias especiais;
 4. As baterias são permanentemente recarregadas pelo movimento
do piso, estas fornecem parte da energia necessária ao clube.
Microgeração Humana – Aplicações
 Toulouse – França

 Rua com um
pavimento especial,
que aproveita a
passagem dos
cidadãos na rua
para gerar energia
que alimenta os
candeeiros da rua.
Microgeração Humana – Aplicações
 Ginásio – Hong Kong

 Aproveita a energia
gerada pelas máquinas
de exercícios que os
clientes usam e carrega
uma bateria. A energia
acumulada é utilizada
para alimentar o sistema
luminoso do ginásio.
Piso sustentável
 Consiste numa placa cerâmica que responde a
impulsos mecânicos transformando a energia
cinética do veículo, transmitida pelas rodas, em
energia elétrica captada pelo material no piso.








Conclusões
 A energia é um elemento imprescindível no dia a
dia do ser humano, assim a microgeração
apresenta-se como um caminho economicamente
viável a todos os níveis demonstrando desempenhos
ambientais eficientes e possuindo baixas emissões
GEE.

 http://www.tetaproject.it/pt/cogeracao-e-
biomassa/turbina-orc-e-caldeira-de-biomassa.html