Você está na página 1de 29
Eletrotécnica
 

Eletrotécnica

UEM | CTC

7257 | 7772

Rafael Germano Dal Molin Filho João Batista Sarmento dos Santos Neto

Módulo 9

Correção do fator de potência

Curso de Engenharia de Produção Curso de Engenharia Mecânica

Curso de Engenharia de Produção

Curso de Engenharia de Produção Curso de Engenharia Mecânica

Curso de Engenharia Mecânica

Disciplina: 7257 | ELETROTÉCNICA

Disciplina: 7772 | ELETROTÉCNICA

 

Abordagem da aula:

 

1.

Correção do fp

Potência elétrica
Potência elétrica
Potência elétrica Potência Instantânea ; Potência Ativa; Potência Reativa; Potência Aparente; 3
  • Potência Instantânea;

  • Potência Ativa;

  • Potência Reativa;

  • Potência Aparente;

Fator de Potência elétrica
Fator de Potência elétrica
Fator de Potência elétrica COS   fp   P kW   kVA 

COS fp

P kW

S kVA

Potência ativa Potência aparente

S ø P
S
ø
P

Q

Avaliações sobre o baixo fp
Avaliações sobre o baixo fp
Avaliações sobre o baixo fp O excesso de energia reativa é sistema elétrico; prejudicial ao Assim,

O excesso

de

energia reativa é

sistema elétrico;

prejudicial ao

Assim, resulta um controle de energia reativa tal

que o fator de potência da unidade consumidora permaneça dentro de uma faixa de fator de

potência.

Avaliações sobre o baixo fp
Avaliações sobre o baixo fp
Avaliações sobre o baixo fp Uma vez que é limitado o valor de potência aparente nas

Uma vez

que

é

limitado o

valor de

potência

aparente nas linhas de transmissão, nos

transformadores

e

nos

geradores,

faz-se

necessário controlar ou reduzir a energia reativa.

1 Correção do fp pelo uso de Capacitores Capacitores tem a função de equilibrar a corrente
1 Correção do fp pelo uso de Capacitores
1
Correção do fp pelo uso de Capacitores
1 Correção do fp pelo uso de Capacitores Capacitores tem a função de equilibrar a corrente

Capacitores tem a função de equilibrar a corrente magnetizante do sistema.

Quando colocado o capacitor em paralelo a bobina ele acaba diminuindo a potencia reativa da bobina e

preservando a ativa.

Os capacitores devem ser instalados o mais perto

possível das cargas.

1 Correção do fp pelo uso de Capacitores Na configuração por esta solução temos uma situação
1 Correção do fp pelo uso de Capacitores
1
Correção do fp pelo uso de Capacitores
1 Correção do fp pelo uso de Capacitores Na configuração por esta solução temos uma situação

Na configuração por esta solução temos uma situação que apresenta uma alta potência reativa indutiva (Q A ).

  • A

S A ø P A
S A
ø
P A

Q A

Triângulo de potência antes da correção.

Correção do fp pelo uso de Capacitores
Correção do fp pelo uso de Capacitores
Correção do fp pelo uso de Capacitores Após a correção termos um triângulo de potências formado

Após a correção termos um triângulo de potências formado

pela

mesma

corrigida

e,

corrigida.

B
B

potência

ativa, por uma potência reativa

consequentemente,

uma potência aparente

Q A S A S B Q B P A P = A P B
Q A
S A
S B
Q B
P A
P = A
P B

Q C

Triângulo Triângulo de de potência potência antes após da correção. correção.

Q Q Q

C

A

B

Correção do fp pelo uso de Capacitores O Valor do CAPACITOR (C) necessário para corrigir a
Correção do fp pelo uso de Capacitores
O
Valor
do
CAPACITOR
(C)
necessário
para
corrigir
a

potência reativa de Q A para Q B é calculado:

C

Q

C

2 fV

2

ou

C

Q

C

V

2

Correção do fp pelo uso de Capacitores
Correção do fp pelo uso de Capacitores
Correção do fp pelo uso de Capacitores • Os capacitores podem ser instalados em paralelo com

Os capacitores podem ser instalados em paralelo com qualquer carga a fim de alterar a característica da carga,

que pode ser um simples motor ou uma grande

indústria.

Correção do fp pelo uso de Capacitores • Os capacitores podem ser instalados em paralelo com
11
11
1
1
1

Considere a carga total da instalação de 200kW. O

fp é de 69%.

Calcule a potência reativa fornecida pelo capacitor (C kVAr ) para melhorar o fp para 92%, considerando uma alimentação de 220V e frequencia ângular (velocidade ângular) de ω 500 rad/s.

2 Correção do fp pelo aumento de P Neste processo, faz-se necessário uma análise prévia da
2 Correção do fp pelo aumento de P
2
Correção do fp pelo aumento de P
2 Correção do fp pelo aumento de P Neste processo, faz-se necessário uma análise prévia da

Neste processo, faz-se necessário uma análise prévia da curva de carga da instalação.

Com essas informações, podemos propor o aumento do consumo de energia ativa por meio da adição de novas cargas com fp praticamente igual a 1, ou, pelo aumento do período de utilização de cargas já existentes que possuem fp praticamente igual a 1.

Correção do fp pelo aumento de P
Correção do fp pelo aumento de P
Correção do fp pelo aumento de P Desta forma, conseguimos um aumento do fp médio mensal.

Desta forma, conseguimos um aumento do fp médio mensal.

A energia

ativa

será

suficiente

para

atender às

necessidades da indústria, no entanto, devemos tomar

cuidado com esta medida para não aumentar

demasiadamente a demanda e, consequentemente, a conta de energia elétrica.

Correção do fp pelo aumento de P
Correção do fp pelo aumento de P
Correção do fp pelo aumento de P Atualmente, devido a questões relacionadas ao consumo racional de

Atualmente, devido a questões relacionadas ao consumo racional de energia, esta medida tem sido descartada.

O aumento do consumo de energia ativa para elevar o fp médio mensal é recomendável apenas quando o consumidor opera fora do período de “ponta” de carga da concessionária local.

Correção do fp pela utilização de Motores Síncronos
Correção do fp pela utilização de Motores Síncronos

A ideia é que os motores síncronos forneçam potência reativa capacitiva à instalação e, portanto, podem ser utilizados para compensação do baixo fp.

3
3
3 Fator de Potência em Projetos de Instalações Industriais Para a determinação do fp durante a

Fator de Potência em Projetos de Instalações Industriais

3 Fator de Potência em Projetos de Instalações Industriais Para a determinação do fp durante a

Para a determinação do fp durante a fase de projeto de instalações elétricas industriais, podemos adotar as seguintes recomendações:

Realizar um levantamento da carga, inclusive ciclos de operação diário, semanal, mensal e anual;

Determinar as demandas previstas, ativa e reativa, para cada setor de produção,considerando o período provável

para a ocorrência dessa demanda; Organizar os valores das potências em tabelas; Traçar curvas de cargas previstas, considerando as cargas (ativa e reativa).

17

Fator de Potência em Projetos de Instalações Industriais Determinar através das curvas de cargas os consumos

Fator de Potência em Projetos de Instalações Industriais

Fator de Potência em Projetos de Instalações Industriais Determinar através das curvas de cargas os consumos

Determinar através das curvas de cargas os consumos médios mensais em kWh para P e kVArh para Q, multiplicando as demandas ativa e reativa pelo tempo considerado de operação diária e pelo número de dias de funcionamento previsto;

fp

  • C kWh

2 2 C  C kWh kVAh
2
2
C
C
kWh
kVAh

Onde:

C kWh é consumo de energia ativa previsto no mês, em kW e, C kVArh é o consumo de energia reativa previsto no mês,em kVAr

Determinação do Fator de Potência em Instalações em Operação A determinação precisa do fp somente é

Determinação do Fator de Potência em Instalações em Operação

Determinação do Fator de Potência em Instalações em Operação A determinação precisa do fp somente é

A determinação precisa do fp somente é possível quando a instalação está operando em plena carga.

Um dos métodos mais simples, que é empregado com freqüência pelas concessionárias, é denominado método

dos consumos médios mensais.

Tal método consiste em tabular os consumos de energia ativa e reativa fornecidos na conta emitida pela concessionária. É conveniente que sejam computadas as contas de energia correspondentes a um período igual ou superior a seis meses.

Determinação do Fator de Potência em Instalações em Operação Caso a indústria apresente sazonalidade de produção,

Determinação do Fator de Potência em Instalações em Operação

Determinação do Fator de Potência em Instalações em Operação Caso a indústria apresente sazonalidade de produção,

Caso a indústria apresente sazonalidade de produção, é

necessário considerar este fato, aumentando-se o

período de estudo, para doze meses.

Com os valores obtidos pela média aritmética dos

valores tabulados, emprega-se:

fp

  • C kWh

2 2 C  C kWh kVAh
2
2
C
C
kWh
kVAh
Determinação do Fator de Potência em Instalações em Operação A medição das potências ativa e reativa

Determinação do Fator de Potência em Instalações em Operação

Determinação do Fator de Potência em Instalações em Operação A medição das potências ativa e reativa

A medição das potências ativa e reativa é um outro método eficaz para a determinação do fp.

Atualmente,

existem

muitos

aparelhos

eletrônicos que fornecem os vários parâmetros de um circuito elétricos, dentre eles o fp.

Alguns medidores de potência e energia 22

Alguns medidores de potência e energia

Alguns medidores de potência e energia 22
Alguns medidores de potência e energia 22
Alguns medidores de potência e energia 22
22
22
2
2
2

Os consumos

mensais

de

potência

ativa

(P)

e

reativa (Q) para uma determinada indústria são

dados

na

tabela

a

seguir.

A

partir dessas

informações, calcule o consumo médio mensal e,

com isso, determinar o fp.

MÊS

consumo

kW

kVAr

julho

 
  • 17580 17900

agosto

 
  • 19410 18720

setembro

 
  • 20070 19400

outubro

 
  • 18480 17560

novembro

 
  • 15320 13200

dezembro

 
  • 17560 17600

3
3
3

Corrija o fp para 0,92 para a adequação da Portaria

n°1569/DNAEE de 23/12/93, para o exercício

anterior, respondendo:

a) Qual a potência reativa a ser implantada para o

ajuste do fator de potência.

b) Se fosse utilizar capacitores qual seria o valor de

sua capacitância total? Considere V = 380V e ω = 375 rad/s.

4
4
4

Considere um projeto em desenvolvimento de uma

indústria, cujas cargas são conhecidas, segundo um

ciclo de operação diário típico: funcionamento de segunda a sexta-feira, no período de 6 às 24 horas,

22 dias por mês. As tabelas demonstram,

respectivamente, as demandas ativa e reativas por período. Pede-se, calcule o fp médio mensal.

4
4
4
   

Demanda ativa por período (kW)

 

setor

0

às

2

2

às

4

às

6

às

8

  • 4 10

8

às

  • 6 12

10

às

às

  • 12 20

às

  • 14 22

  • 14 22

16

às

  • 16 24

18

18

às

20

às

às

A

     

147

 
  • 147 147

147

147

147

147

   

B

     

552

  • 552 552

 

552

552

552

552

552

 

C

     

276

 
  • 276 276

276

 

276

276

276

276

D

       
  • 662 662

 

662

662

662

     

E

         
  • 165 165

165

165

165

165

   

F

     

182

 
  • 182 182

182

182

182

182

   

G

     

82

82

82

82

82

82

82

82

82

4
4
4
   

Demanda reativa por período (kVAr)

 

setor

0

às

2

às

4

às

6

6

às

8

  • 2 10

8

às

  • 4 12

10

às

às

  • 12 20

às

  • 14 22

  • 14 22

às

  • 16 24

  • 16 18 às

  • 18 20

às

às

A

     

91

91

91

91

91

91

91

   

B

     

399

399

399

399

399

399

399

399

 

C

     

243

243

243

243

 

243

243

243

243

D

       

416

416

416

416

416

     

E

       

155

155

155

155

155

155

   

F

     

155

155

155

155

155

155

155

   

G

     

17

17

17

17

17

17

17

17

17

5
5
5

Corrija o fp para 0,92 para a adequação da Portaria

n°1569/DNAEE de 23/12/93, para o exercício

anterior, respondendo:

  • a) Qual a potência reativa a ser implantada para o

ajuste do fator de potência.

  • b) Se fosse utilizar capacitores qual seria o valor de

sua capacitância total? Considere V = 380V e ω = 375 rad/s.

Referências

Referências Samed, M. M. A. Apostila de Eletrotécnica e Automação Industrial . Vol 1. Curso de

Samed, M. M. A. Apostila de Eletrotécnica e Automação Industrial. Vol

1. Curso de Engenharia de Produção. Universidade Estadual de Maringá,

2006.

CREDER, H. Instalações Elétricas. 15ª Edição. Editora LTC, 2008.

Edminister, J. A., Circuitos Elétricos: Relançamento da Edição Clássica, São Paulo:

Makron, McGraw-Hill (Coleção Schaum), 1991.

Gray, A., Eletrotécnica: princípios e aplicações. 7a Edição. Rio de Janeiro.

Livros Técnicos e Científicos S. A., 1977.