Você está na página 1de 4

Domínio D.

Gestão da BE

Subdomínio D1 – Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE - Acções Futuras

Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Gomes Eanes de Azurara 2009/2010

O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

Metodologias de Operacionalização (parte II)

Domínio D - Gestão da BE
Subdomínio D1 – Articulação da BE com a Escola /
Agrupamento.
Acesso e serviços prestados pela BE

ACÇÕES FUTURAS

Práticas e modelos na Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares - DREC – T 5

Formanda: Maria Lúcia Morgado dos Santos 1


Domínio D. Gestão da BE

Subdomínio D1 – Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE - Acções Futuras

ACÇÕES FUTURAS
Duas coisas que a BE deve Duas coisas que a BE deve Duas coisas que a BE deve
deixar de fazer continuar a fazer começar a fazer

1. Catalogação e indexação de documentos 1. Reforçar a articulação de objectivos e de 1. O PB deve participar, efectivamente,


trabalho com a Direcção, os diferentes na selecção dos membros da
Considero que este aspecto deve ser encarado de
Departamentos/Docentes e a Associação de equipa/colaboradores e na elaboração
outra forma, sobretudo quando a BE não tem ao
Pais. dos seus horários.
seu serviço auxiliares especificamente afectos a
esta estrutura e muito menos com formação Tenho consciência que neste campo há alguns
Esta atitude parece-me crucial, permitindo
especializada nesta área. Talvez aqui haja entraves que é preciso que a Direcção esteja
rentabilizar esforços e trabalhar em verdadeira
necessidade de uma maior parceria com as sensibilizada para poder ultrapassar, pois
parceria em prol do que todos pretendemos: o penso que este aspecto é de extrema
Bibliotecas Municipais que têm técnicos
sucesso educativo e o desenvolvimento importância, uma vez que é o PB que melhor
especializados, permitindo de imediato a
integral dos alunos, sendo o CP um meio conhece as necessidades da BE, permitindo-
disponibilização do catálogo on-line, efectivando-
privilegiado para a apresentação de propostas se, desta forma, um maior enriquecimento
se desta forma, uma realidade há muito prometida
conjuntas, as quais, carecem depois de um (membros de diferentes áreas e diferentes
e realmente desejada e eficaz para todos os
trabalho mais pormenorizado a realizar em competências) e uma melhor gestão dos
utilizadores. Na verdade o tempo dispendido com
pequenos grupos (reuniões de departamento recursos humanos e, sobretudo, a criação de
a catalogação/indexação é um desperdício
ou outras estruturas). uma equipa coesa e motivada para o
evitável dada a morosidade do processo, o
desempenho de funções numa estrutura tão
escasso número de horas dos membros da equipa
determinante para a Escola como se pretende
e a falta de formação dos docentes nesta área.
Práticas e modelos na Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares - DREC – T 5

Formanda: Maria Lúcia Morgado dos Santos 2


Domínio D. Gestão da BE

Subdomínio D1 – Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE - Acções Futuras

que seja a BE.


ACÇÕES FUTURAS

Duas coisas que a BE deve Duas coisas que a BE deve Duas coisas que a BE deve
deixar de fazer continuar a fazer começar a fazer

2. Requisições manuais dos recursos, em 2. Sensibilizar a Direcção para a 2. Recurso de forma mais sistemática a
especial de livros para empréstimo disponibilização de uma verba própria para meios e ambientes digitais incluindo
domiciliário. a BE. aqueles que a WEB 2.0 faculta.

Esta alteração, embora parecendo de pormenor, Considero a que a aposta neste campo será
A falta da implementação efectiva de um
viria facilitar em muito o trabalho do PB, dando- uma grande mais valia, até porque além de
sistema informático, nomeadamente o
lhe autonomia para gerir a verba atribuída de promover os recursos da BE e as actividades
Bibliobase (uma vez que o programa já
acordo com as necessidades e interesses dos que realiza (fóruns de discussão, newsletter,
existe na BE mas, por motivos técnicos e de
utilizadores, em tempo útil, pois muitas vezes o blogues, wiKi colaborativo…), será uma
compatibilidade informática, ainda não está que acontece é que, mesmo quando os recursos
forma de motivar os utilizadores para a
instalado, não permitindo, por isso, a sua são adquiridos, devido à burocracia exigida,
utilização eficaz da BE, valorizando-se esta
utilização e rentabilização) acarreta um chegam tardiamente, não respondendo de forma
estrutura crucial e demonstrando-se, mais
desgaste de tempo de forma desnecessária, eficaz. Além disso, essa autonomia permitia que
uma vez, o seu valor no contexto de
o qual poderia e deveria ser utilizado de as decisões nessa matéria fossem tomadas em
ensino/aprendizagem. No fundo, é também a
forma mais adequada e rentável, função das prioridades que o PB realmente
promoção de um plano de marketing que
nomeadamente no apoio efectivo aos considera pertinentes, pois ele conhece-as
acentue e reforce o valor da BE e as
utilizadores. melhor que ninguém.

Práticas e modelos na Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares - DREC – T 5

Formanda: Maria Lúcia Morgado dos Santos 3


Domínio D. Gestão da BE

Subdomínio D1 – Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE - Acções Futuras

possibilidades e as mais-valias que faculta.

Práticas e modelos na Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares - DREC – T 5

Formanda: Maria Lúcia Morgado dos Santos 4