Acção: Práticas e Modelos de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares

REFLEXÃO Da leitura que fiz aos vários trabalhos, verifico, que todos eles abordam de certa forma as mesmas temáticas, dado que se parte da leitura dos mesmos textos. Faço o comentário ao trabalho da colega Jaquelina Almeida, pois parece-me que a colega parte de um pressuposto bastante importante, verificando bastante empenho na revisão da literatura. Todos nós, professores, sabemos como a colega refere, que a avaliação por vezes não é uma tarefa fácil, mas também todos sabemos que esta é necessária e importante pois é ela que nos permite avaliar a importância e necessidade de qualquer serviço. Neste caso o Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar representa um importante instrumento pedagógico, que vai permitir às bibliotecas e às escolas identificar as áreas de maior ou menor sucesso e neste sentido delinear um plano que permita corrigir o que está menos bem e melhorar sempre o que já vai bem, para que se verifique a melhoria contínua, promovendo qualidade e eficácia da Biblioteca Escolar, para um melhor cumprimento dos objectivos, acrescentando-lhes sempre valor. A colega refere e eu também concordo, que as bibliotecas escolares, são capazes de se tornar organizações aprendentes e capazes de crescer através da recolha sistemática de evidências de uma auto-avaliação sistemática, e que esta já é pertinente para a implementação do Modelo. Falou da forma de organização do Modelo, refere os domínios e subdomínios que norteiam todo o trabalho da Biblioteca Escolar. Também aborda alguns dos constrangimentos à implementação do Modelo e que poderão surgir. Eu penso que irão surgir algumas dificuldades à implementação do mesmo, no entanto reconheço-lhe valor e a necessidade deste para um melhor desempenho da Biblioteca Escolar, da actividade do Professor Bibliotecário e de toda a equipa. Reconheço, que o trabalho de recolha de evidências também não é tarefa fácil e nós não temos essa cultura.

Acção: Práticas e Modelos de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares

Os questionários são extensos e os dados recolhidos têm de ser analisados. O tratamento dos dados e a apresentação dos resultados a toda a comunidade, é que vai permitir à biblioteca um melhor desempenho. O trabalho termina fazendo referência à integração/aplicação do modelo à realidade da escola e apresenta de forma sintética as competências do professor bibliotecário. Este modelo implica que a biblioteca se dê a conhecer, expondo os seus pontos fontes e fracos. A comunidade tem a oportunidade de reflectir sobre o presente da biblioteca escolar, desenhando colaborativamente as linhas de acção para o futuro.

Maria Teresa André

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful