Você está na página 1de 24

Como acelerar a sua memória RAM

Este tutorial de 8 páginas aborda todas as informações sobre memória RAM e


como otimizá-las para que você obtenha o melhor desempenho possível do seu
computador ...
30/10/03h

Este tutorial aborda de maneira didática overclock e mudança da


configuração original da BIOS. Estas modificações não são aprovadas
pelos fabricantes - portanto o risco em aplicá-las é seu.

Introdução

Hoje em dia usamos basicamente dois tipos de memórias: as antigas SDRAM


(Syncronous Dynamic RAM), presentes ainda em muitos PCs (PC-100 e PC-133)
e os módulos DDR SDRAM, que trabalham com freqüências muito mais altas e
têm a capacidade de duplicar o volume de dados por ciclo de clock
(DDR=Double Data Rate), operando com bus de 64 bits.

Existem ainda os módulos com tecnologia RAMBUS mas além de muito caros
(pois exigem tecnologia especifica além de um chipset northbridge muito
maduro, sendo que os northbridge que suportam RAMBUS são complicados para
fabricação e desenvolvimento - tanto que pouquíssimos fabricantes os
desenvolvem), atualmente estão ultrapassados pois as DDR hoje são mais
rápida, e mais baratas, tornando a memória RAMBUS comercialmente
desinteressantes e pouco competitivas.

Padrões de memórias DDR-SDRAM:

Hoje existem memórias DDR que operam em 266 MHz (PC2100), 333 MHz
(PC2700) e as “mal-faladas” DDR 400 (PC3200), que recentemente foram
padronizadas pelo comitê da Jedec.

Agora as memórias DDR 400 são padronizadas: depois que o comitê do JEDEC
fez sua decisão, fabricantes de memórias RAM e de placas-mãe finalmente têm
guias para se basearem e darem um melhor suporte para as DDR 400. Também
chamada de PC3200, as DDR 400 foram sempre olhadas com certa desconfiança
pois sempre módulos antigos bem trabalhados têm geralmente melhor
desempenho do que padrões novos (cheios de incompatibilidade, com chipsets
ainda imaturos e com baixa performance), mesmo estes oferecendo mais
tecnologia.

Entusiastas e amantes de Overclock geralmente têm mais ganhos com estes


tipos de novidade pois possibilitam grandes aumentos de clock e largura de
banda no sistema. Esperamos agora a decisão da padronização de memórias
DDR ainda mais rápidas (DDR 433 ou mais).

Vamos admitir: rodar memórias DDR 400 rápidas ainda não é um procedimento
100% garantido! As DDR estão rodando bem no limite, já atingindo mais de
250Mhz (DDR500) e esperando a chegada de módulos e chipsets que suportem
a tecnologia DDR-2. Quando forem lançadas, as DDR-2 proverão uma nova era
de regras e padrões para as memórias, mudanças no layout das mobos, nos
chips, e claro, baixa tensão - e claro, clocks que possam ultrapassar 1 Ghz ! Até
esta tecnologia chegar, você pode otimizar a sua memória RAM através da BIOS
da sua placa-mãe. As mudanças podem trazer um pouco de perigo mas com
cuidado, melhoram muito a performance sem comprometer a integridade dos
módulos de memória.

Sistemas mais antigos podem ganhar com os novos módulos: mesmo não
funcionando a pleno vapor das DDR 400, você pode otimizar os parâmetros da
memória para maximizar a performance em baixos clocks. Acredite: uma DDR
266 otimizada é mais rápida que uma DDR 333 configurada com opções
padronizadas.

Memórias rápidas são ideais para isto: abaixando o clock você pode abaixar
também a latência CAS ou o “atraso” RAS-to-CAS. Este tutorial explica os
conceitos e tecnologias dos “tempos” da memória (memory timings) e provê
alguns ajustes e dicas de como melhorá-los. As informações aqui também se
aplicam a módulos DDR 333 e DDR 266, permitindo otimizar qualquer sistema
com estas memórias. Pode-se fazer isto com qualquer memória DDR, desde que
a mesma suporte.

As memórias DDR 333 pra cima, quando otimizadas para alto desempenho, vêm
de fábrica com dissipadores de calor de alumínio ou cobre: estes pentes de
memória esquentam bastante e o dissipador ajuda a diminuir a temperatura e a
aumentar a vida útil. Você pode comprar dissipadores separadamente e instalar
no seu pente de memória

Hora Crítica: Qual RAM Comprar?


São vários os fatores que temos que levar em conta na hora de comprar as
Memórias:

Freqüência de uso
Pois o desempenho nos módulos DDR estão diretamente ligados ao FSB

Desempenho que deseja,


Futuros upgrades, qualidade, compatibilidade com placa-mãe, aparência (no
caso de quem gosta de case-mod) são aspectos importantes

Preço
O famoso custo x beneficio, pois nem sempre vale a pena pagar mais por
pequenas diferenças no desempenho.

A diversidade é muito grande e por este motivo é bom pesquisar muito antes de
comprar.

Como não podemos levar vários pentes de memória para testá-los em casa,
temos que reduzir ao máximo o dinheiro gasto e o aborrecimento. Primeiro vá
ao site do fabricante de sua placa mãe e veja se ele mantém uma lista dos
pentes de memória RAM que sua placa-mãe suporta. Mas não se desespere:
nem sempre uma memória compatível pode estar na lista. Outra dica é pedir
opinião de alguém tem o mesmo tipo de memória RAM que você quer. Em
algumas situações você pode levar os pentes de memória RAM para casa e se
não funcionarem, trocar por outros - embora usualmente as lojas não gostam
nem permitem isso. Além disso, peça para o vendedor testar os pentes de
memória na hora da compra - afinal você não quer levar um pente estragado
né ? :) ...

Um dos modelos de maior desempenho/compatibilidade é reconhecido sobre a


marca Corsair. Mas isto não quer dizer que ela funcione em todas as placas-
mãe: ser compatível com muitas placas-mãe não indoca que ela seja a melhor
de todas. Procurar em vários locais e com pessoas conhecidas é recomendável
pois como não é fácil conhecer os códigos dos chips dos pentes de memória
RAM, é muito fácil o vendedor "passar a perna" em você. Neste caso é
aconselhável instalar um programa de identificação (como o HWINFO32) para
assegurar a veracidade das informações da compra. Lembre-se que neste caso
a BIOS deve estar configurado para BYSpeed ou Default para que ela informe
corretamente o modelo dos pentes de memória instaladdos no computador.
Raros são os modelos com chips BGA (mais avançados mas nem sempre bem
aproveitados).

Lembre-se que se você quiser desempenho, além de ter uma placa-mãe com
chipset que consiga ótimo desempenho, você terá que (infelizmente) gastar
dinheiro em bons módulos de memória - afinal fabricantes como Corsair,
Kingston, Geil, OCZ e outros cobram caro por pentes de memória que tem
desempenho muito, muito bom mesmo.

Como acelerar a sua memória RAM


30/10/03h

“Ajustando” os módulos

Clock e timings da memória RAM podem ser mais eficientes em módulos


overclocáveis, como esta Kingston Hyper X, que atinge DDR 433Mhz
(PC3500). Rebaixar o clock aumenta muito as chances de abaixar os timings
sem acarretar problemas futuros...

Você pode começar com módulos especiais, como os que têm valor acima dos
DDR 400: estes módulos são feitos pela Corsair, Geil, Kingston, Mushkin e vários
outros fabricantes. Com módulos como o PC3500 ou o PC3700, o trabalho de
ajustar a sua memória RAM para obter o máximo de desempenho é facilitado.

Como estes módulos não são padronizados, fazer um downgrade na velocidade


deles é muito bom, já que a redução dos timings vai afetar a velocidade
positivamente. Vale lembrar que estes módulos são mais caros que os normais -
e claro - foram feitos pra overclockers, já que não são nem padronizados nem
suportados oficialmente por quase nenhuma mobo (placa-mãe).

Mesmo se sua placa-mãe não aceitar módulos como os DDR400, é possível usar
um pequeno overclock junto com o FSB da CPU ou otimizar o módulo de
memória em baixo clock. Mesmo sem ter suporte oficial, algumas placas-mãe
bem otimizadas podem suportar módulos DDR 400 sem problemas.

Dual Channel

As memórias DDR só "abrem as asas" quando estão em uma boa placa mãe
com bom chipset e - claro - um Dual Channel DDR de primeira, que aumenta e
muito a performance do sistema. Algum dos chipsets que tem esta vantagem do
Dual Channel é o Nforce 2 da Nvidia (até o momento, único chipset comercial
para Athlon/Duron com Dual Channel), Intel E7205, 865 e 875, SiS 655 entre
vários outros.

Como funciona? Normalmente a placa-mãe tem uma controladora de memória


(normalmente integrada no chipset northbridge) de 64bits. Dependendo da
controladora, ela pode suportar várias velocidades de DDR. No Dual Channel,
uma segunda controladora é adicionada, fazendo com que a placa-mãe fique
com duas controladoras de memória de 64bits independentes, o que resulta em
128 bits. Com isso, a velocidade de ambas controladoras é somada: se por
exemplo ambas controladoras tiverem DDR 400, seria como se a sua placa-mãe
tivesse uma única controladora DDR 800 !

Veja na ilustração abaixo um diagrama de um sistema Intel 875P/ICH5(R). O


quadrado azul indica uma controladora de memória (nas placas com dual
channel o segundo quadrado azul resulta em Dual Channel). É possível usar
Single Channel (apenas um canal) em placas com Dual Channel: em CPUs mais
novos como o Athlon 64, a controladora de memória RAM está embutida na
própria CPU, fazendo com que esta comunique-se diretamente aos slots da
memória RAM sem passar pelo Northbridge.
Mas no Dual Channel há uma "pegadinha": a exigência de haver no mínimo dois
pentes de memória RAM. Outro problema é que para o Dual Channel funcionar,
o mesmo deve receber dois módulos de memória RAM idênticos ! Neste caso os
fabricantes vendem módulos idênticos mas o seu preço é caro pois estes
módulos são especiais - e não genéricos. Outro problema é que o BIOS da placa
mãe deve suportar DD e suportar baixos timings da memória que você vai usar.

Os fabricantes atualmente colocam em suas páginas na Internet uma lista de


módulos de memória (normalmente com velocidade acima de DDR400) para
que o usuário compre a memória certa e não tenha problemas. Atualizar o BIOS
é importante pois o fabricante das mobos sempre coloca melhoras ou um
melhor suporte às diversas memórias RAM existentes no mercado.

Fabricantes como Corsair vendem pares de módulos idênticos preparados para uso em Dual Channel.

Como acelerar a sua memória RAM


30/10/03h

Ao usar pentes de memórias diferentes fabricante ou velocidade, poderá


haver incompatibilidade, instabilidade ou até o sistema deixar de funcionar.
Além disso o sistema usará as configurações do módulo de memória mais lento,
ou seja, não adianta colocar uma memória DDR 266 ao lado de uma DDR 400: o
computador rodará no limite da DDR 266, deixando a DDR400 "bem folgada"
pois esta estará funcionando à mesma velocidade/timings da DDR 266.

Outro problema do Dual Channel: nem sempre há vantagens em usá-lo ! Em


uma plataforma AMD Athlon XP, como o FSB é baixo (entre 266Mhz, no Athlon
XP 2000+ e 400Mhz no Athlon XP 3200+), um simples módulo de memória em
uma controladora simples dá conta do recado. Mas a vantagem do Dual Channel
prevalece no custo: para preencher um processador Athlon de 400Mhz no FSB,
ao invés de usar caros módulos de 400Mhz DDR, pode-se usar em Dual Channel
dois módulo de 200Mhz DDR (que resultará em um Dual Channel de 400Mhz):
com isso o custo da memória cai - mas a sua performance também. O Dual
Channel não somente duplica a largura de banda para a CPU, mas pode também
diminuir latências do sistema, deixando uma controladora de memória
atendendo o HD, AGP e PCI enquanto a outra controladora atende somente a
CPU. Neste caso o desempenho aumenta bastante ...

Mas é claro que os sistemas normalmente funcionam melhor quando estão em


Sincronia. Assíncrono é quando o FSB da memória e o FSB da CPU têm valores
diferentes: neste caso são raros os modos Assíncronos que têm melhor
desempenho do que em modo Síncrono.

No caso dos novos Pentium 4 de 800Mhz no FSB, Dual Channel é uma


necessidade - e tem que ser um dual channel de 400Mhz pra conseguir
satisfazer os 800 MHz da CPU. Neste caso o Dual Channel é uma necessidade
mais para "satisfazer" a CPU do que para diminuir a latência (claro, pode
acontecer, mas em menor chance que numa plataforma Athlon). Mesmo com
FSB de 533Mhz, os P4 "sentem falta" de um Dual Channel - afinal não temos
placas-mãe pra Athlon que aceitem módulos de memória DDR 533 Mhz e sim
somente um Dual Channel 333Mhz, o que no caso vai gerar uma sobra de
largura de banda da memória (mas isto é bom: "é melhor sobrar que faltar").

Uma das grandes vantagens do Dual Channel é que só é necessário instalar os


módulos nos slots corretos: não é preciso configurar nada para ativá-lo. E como
saber se o Dual está mesmo ativado? Um dos pouquíssimos programas que faz
isso é o CPU-Z (no final do tutorial há um link para fazer download dele).

Um dos detalhes importantes é que alguns fabricantes aconselham usar o Dual


Channel em determinados slot e nem sempre em todos. Estranho? Sim, mas por
incrível que pareça a sugestão é válida pois pode-se atingir um maior overclock
ou obter maior estabilidade do conjunto de memórias (principalmente em alto
FSB).

Os slots de memória das Dual Channel normalmente vêm separados. Veja que
no caso acima, aonde cada controladora de memória tem três slots. A cor
laranja mostra onde os dois primeiros módulos de memória devem ser
instalados para que o Dual Channel funcione. Veja que a placa-mãe em questão
utiliza o chipset Intel 875 que permite apenas 4 slots - mas porquê a Gigabyte
(fabricante desta placa-mãe) colocou 6 ? Pois a Gigabyte definiu o limite de
memória RAM e tipo de módulo de memória em cada slot ...
Na placa-mãe acima (uma Asus P4P800 com chipset Intel 875) cada
controladora de memória do Dual Channel tem apenas dois slots. As cores são
para mostrar aonde os dois módulos de memória devem ser instalados (a cor
azul indica onde os dois primeiros módulos de memória devem ir na ordem para
que o Dual Channel funcione).

Há placas-mãe ainda mais bizarras como esta MSI SiS 655 que utiliza os slots
em posições diferentes: neste caso, os dois slots verdes têm uma controladora e
os azuis têm outra. Sempre leia o manual da placa-mãe para lera as instruções
do fabricante.
Atualmente o único representante do Dual Channel pra Athlon XP/Duron é o
NForce 2 - e seus slots têm uma arrumação diferente pois só utilizam três slots.
Neste caso um slot é servido por uma controladora e os outros dois são servidos
por outra. Há placas-mãe com NForce 2 e quatro slots ? Sim, mas há restrição
no uso de alguns módulos de memória RAM.

CPU-Z

Aqui farei uma breve introdução na aba MEMORY do programa CPU-Z:

Quadrado preto: Mostra a quantidade de RAM instalada no computador. A guia


Channels # mostra se o sistema está com o Dual Channel ativado (no caso, está
ativado). O item PERFORMANCE MODE é uma opção que permite modificar
alguns parâmetros que algumas BIOS permitem além dos timings, visando obter
uma maior performance.

Quadrado verde: Você pode escolher qual slot (usualmente DIMM0 a DIMM 6)
e ver informações do módulo que esta em determinado DIMM. No caso, ambos
slots têm uma Corsair TwinX DDR 400Mhz, 2x256 Mb.

Quadrado vermelho: Mostra as informações dos timings e FSB da memória,


além do RATIO. Veja que alguns parâmetros estão ocultos pois a placa-mãe não
disponibiliza estes parâmetros na BIOS.
Como acelerar a sua memória RAM
30/10/03h

Timings maiores que o Clock

Os Timings têm um impacto tão forte nas memórias quanto o FSB delas, afinal
os dados só podem trafegar pela largura máxima da banda se forem liberados
rapidamente pela memória RAM. Além disso, como os dados podem estar
disponível em diferentes zonas, existem vários processos intermediários que
podem limitar o FSB da memória RAM. Os timings da memória RAM definem o
quão rápido cada processo individual é feito e é recomendável gastar um certo
tempo ajustando os timings ou parâmetros individuais da memória pois
memórias DDR 333 otimizadas são mais rápidas do que memórias DDR 400
básicas (genéricas).

A primeira coisa a fazer é desabilitar a configuração automática da RAM na


BIOS. Quando está em automático, a placa-mãe lê o SPD (Serial Presence
Detect) no módulo de memória RAM para obter informações e por este motivo
na BIOS a opção é geralmente definida como BySPD. Normalmente as
memórias têm um chip que libera informações à BIOS, que reconhece-a e
configura automaticamente os timings. Isso normalmente fica em um chip
EEPROM e mesmo mudando manualmente as configurações, as memórias
funcionam normalmente (a não ser que você ultrapasse o limite dela).

Mas cuidado se os pentes de memória não forem de boa marca (GEIL, Samsung,
Corsair...) ou especiais, pois pentes “genéricos” não agüentam muita otimização
pois na sua fabricação utilizou-se componentes de baixa qualidade em
comparação com as marcas boas - e isso pode impedir qualquer mudança de
configuração. Além disso eles podem vir com valores de SPD errado ou muito
alto: neste caso haverá baixa performance ou instabilidade geral.

Mais do que CL

Os timings mais importantes são CAS latency (CL), RAS-to-CAS delay (tRCD)
e RAS precharge time (tRP). Muitas memórias têm especificações como
PC2700-2.0-2-2.0 ou PC3200-3.0-3-3.0. O primeiro valor demonstra o tipo da
memória e os próximos indicam os timings. Outros fabricantes colocam somente
o CL (ou nem isso). Memórias que não têm valores têm desempenho inferior
pois normalmente serão usadas com valores errados.

Abaixo você verá alguns benchmarks (testes de performance) e a diferença


obtida apenas com uma simples regulagem no timing. Você entenderá melhor o
timings e como otimizá-los.

Geralmente um processo de leitura é iniciado pela controladora de memória no


chipset da placa-mãe, que seleciona o módulo que contém o dado. A
controladora endereça corretamente o chip no módulo de memória e o dado que
o mesmo contém. As células do chip estão arranjadas em uma matriz e são
endereçadas usando o row e o column addresses sendo que cada interseção
representa um bit de memória.

Benchmarks

Veja acima como os timings agressivos (com valores baixos, quase no limite da
memória/placa-mãe) o computador tem um desempenho maior: somente a
redução do CAS (acima) de 2.5 pra 1.5 já faz a média de desempenho subir.

Entre na Matriz, baby…

A controladora de memória primeiramente envia o row address para a célula


que deseja endereçar ao módulo lógico. Após um certo período de tempo, tRCD
(RAS-to-CAS delay), o modulo disponibiliza o conteúdo do row. Em chips
modernos, este processo leva de 2 a 3 ciclos de clock. Você pode também ter
frações como 2.5 ciclos de clock (CL 2.5), já que a DDR pode enviar controle e
sinais dados em ambas descida e subida do sinal de clock e com isso duplica-se
a transmissão de dados gerando o nome DDR (Double Data Rate).

Uma vez que o conteúdo da row tenha sido enviado ao interim storage, a
controladora vai enviar o sinal CAS (column address strobe) que transmite a
column address para a célula da memória. Isto demora um tempo igual ao tCL
(CAS latency) antes que o conteúdo da célula selecionada seja enviada para o
registro de saída do chip da memória.

Na BIOS você pode escolher dentre os valores disponíveis, o número de ciclos


por clock para os timings tRCD e tCL. Quanto mais baixos forem estes valores,
melhor a performance e um parâmetro CL de 2.0 ou até 1.5 é somente apenas
possível com módulos de memória muito rápida (e caros).

Se você estiver lendo dados de saída adjacentes de uma mesma linha da


memória, o único fator que determina a velocidade de acesso é o CL, uma vez
que a controladora já sabe o row address e não necessita do mesmo
novamente. Quando a controladora tem que endereçar diferentes linhas no
mesmo chip da memórua RAM, o tempo tRAS (row active time) vai passar
antes que possa se mover uma linha pra próxima. O tempo tRAS é aumentado
pelo tempo tRP (RAS precharge time), que é necessário para carregar os
circuitos para uma nível de tensão maior. Em outras palavras, mesmo memórias
rápidas precisam de pelo menos 7 ciclos de clock para o processo inteiro.

Chips de DDR RAM modernas são subdivididos mais uma vez em 4 segmentos
(bancos ou banks) aonde cada um representa uma zona de memória diferente.
Bank Interleaving permite que zonas em diferentes bancos (banks) sejam
endereçadas simultaneamente, aumentando a velocidade dos dados. Quando as
informações lidas forem do banco de dados (data bank), uma nova zona de
dados pode ser endereçada em outro banco. Você pode especificar quantos
bancos do chip da RAM podem ser endereçados ao mesmo tempo, sendo que o
mais rápido é 4.

Como acelerar a sua memória RAM


30/10/03h

Gás na Performance com 1 GB de RAM ou mais


Outro critério importante é a quantidade de RAM instalada no sistema.
Processamento de imagem ou vídeo ganham um ótimo desempenho com
aumento de memória. Testes feitos com o Content Creation Winstone provaram
que em determinadas tarefas que exigem bastante processamento o Windows
2000/XP "decolam" com mais 1 Gb de memória RAM. Atualmente 512 Mb de
memória RAM é considerado o mínimo para quem quer obter ótimas
performances no Windows XP.

O máximo de memória depende da placa-mãe e do chipset desta. Veja na tabela


mais abaixo como cada chipset se relaciona com as RAM. Em sistemas x86 (32-
bits), entretanto, o máximo de memória permitida é 3.5 GB, não importando o
quanto se tem a mais no sistema pois a CPU simplesmente não consegue
endereçar memória além desde este limite. A capacidade remanescente é
reservada pra controlar os circuitos PCI.
Você deve instalar o mínimo de módulos de memória possível: reduzindo o
número de chips no módulo vai aumentar a performance e a estabilidade. Os
módulos geralmente consistem em 8 ou 16 chips.

O número de módulos de memória que você usar vai ter impacto direto no seu
command rate. O command rate especifica o número de ciclos de clock que a
controladora de memória precisa pra ativar os módulos e chips. Se você
preencher todos os slots de memória, você terá que incrementar a taxa de 1 a 2
ciclos por clock para manter o sistema estável mas isso vai diminuir a
performance em até 3%. Muita gente acha que é pouco mas é "nestes poucos"
que cada timings ajuda, conseguindo aumentar até 40% o desempenho de uma
máquina somente regulando a memória RAM.

Acima você vê a demonstração de como uma maior quantidade de memória


RAM pode ajudar em determinadas aplicações (embora nem sempre ter mais de
1 Gb compensará).

Fabricantes de memória RAM


Timings da Memória

Otimizar os parâmetros dos “Timings” vai acelerar os processos envolvidos ao


acessar a RAM. A controladora de memória primeiramente determina o row
address que a célula de armazenamento deseja endereçar. A column address é
comunicada quando o timing tRCD ocorreu. O timing tCL então passa enquanto o
dado é transferido ao registro de saída e o processo pode começar novamente
depois de ter esperado pelo tempo tRAS + tRP.
Suporte de Memória por Chipsets

Padrão RAM mais rápida suportada; DDR266 = PC2100; DDR333 = PC2700; DDR400 = PC3200

Uma ótima tabela INTEL com diferenças entre os vários chipset 845 até 875 em:
http://developer.intel.com/design/chipsets/linecard.htm

Como acelerar a sua memória RAM


30/10/03h

Como Otimizar sua RAM na BIOS

Este TM foi feito para quem usa memória DDR pois normalmente as
PC133/100/66 têm parâmetros diferentes na BIOS para a otimização da
memória. Mas nada impede que, se houver um mesmo parâmetro relatado
neste tutorial, você tente otimizá-la - mas cuidado: as memórias PC133
normalmente são bem menos otimizáveis em comparação às memórias DDR.

Se você não sabe os timings recomendados pelo fabricante, veja no site dele ou
envie um e-mail para eles pedindo informações para sua memória. Lembre-se
que nem todas placas mãe dispõem das configurações aqui listadas e nem
sempre dispõe de todos valores em cada configuração/parâmetro.

A BIOS das placas-mãe oferecem numerosos parâmetros para se otimizar a


memória. Como a variedade de comandos diferentes em cada bios é grande,
vamos mostrar os mais comuns encontrados. Os valores usuais disponíveis
estão entre parênteses, e o valor ideal está em negrito.

Automatic Configuration (On/Off):


(DRAM Auto, Timing Selectable, Timing Configuring) Configuração automática.
Também pode ser descrita como BySPD, onde a mobo (placa-mãe) lê um chip
na memória e define automaticamente os timings. Ao deixar a configuração em
manual, você pode alterar a vontade os parâmetros - mas lembre-se que nem
todos funcionam. Quando houverem opções SLOW, NORMAL e FAST, configure
para FAST e verifique os resultados

Bank Interleaving (Off/2/4):


(Bank Interleave) Chips de memórias DDR RAM são feitos de 4 bancos (4 banks).
Endereçar todos eles através de inserção conjunta ao mesmo tempo vai
maximizar a performance.

Burst Length (4/8):


O burst length especifica quantos blocos de dados são enviados em um ciclo de
transmissão. Ideal é uma transmissão preencher uma linha de memória no
cache L2 encontrado em modernos processadores como P4 e Athlon XP. Isso é
equivalente a 64 bytes (8 pacotes de dados).

CAS Latency tCL (2.5T, 2T, 1.5T):


(CAS Latency Time, CAS Timing Delay) O número de ciclos de clock que passam
do início de endereçamento da column até a chegada do dado no registro de
saída. O fabricante determina o melhor possível valor para este parâmetro.

Command Rate CMD (1/2):


(Command Rate, MA 1T/2T Select) Número de ciclos de clock necessário para
endereçar o modulo de memória e o chip com um endereço de zona de dados
específico. Se os bancos da memória estiverem lotados, você deve aumentar o
valor pra 2, o que resultará em perda de performance (por isso é importante
manter um número maior de memória virtual e usar um número de memória
RAM compatível com o sistema operacional e uso de programas).

RAS Precharge Time tRP (2T/3T/4T):


(RAS Precharge, Precharge to active) Número de ciclos de clock necessários
para pré-carregar os circuitos para que o row address possa ser determinado.

RAS-to-CAS Delay tRCD (2T/3T/4T/5T):


(RAS to CAS Delay, Active to CMD) Número de ciclos de clock que passam entre
o início da determinação do row address e da saída do column address. Setar
este valor pra 2 pode maximizar a performance até em 4%.

Row Active Time tRAS (4T/5T/6T/7T):


(Active to Precharge Delay, Precharge Wait State, Row Active Delay, Row
Precharge Delay) Atraso que resulta quando duas linhas diferentes em um chip
da memória são endereçados um após o outro.

Memory Clock (100/133/166/200 MHz):


(DRAM Clock) Especifica o clock (velocidade em MHz) do bus da memória. Esta
taxa normalmente é especificada junto ao FSB da CPU. A tecnologia DDR dobra
o a taxa de dados transmitida.

CPU:DRAM Ratio ou também FSB:DRAM Ratio (1:1, 2:3, 2:4, 3:5, 4:5, 5:4,
BySPD):
Existem vários valores mas vamos explicar o que eles significam: O primeiro
número (antes do sinal de :) mostra a taxa da CPU e o segundo valor mostra a
taxa da memória. Se a CPU estiver com 133 MHz no FSB e o CPU: DRAM Ratio
estiver 1:1, a memória também terá 133 MHz no FSB também - o que neste caso
dará uma DDR266 ou um SDRAM 133MHz.

Vamos dar um exemplo mais claro com o valor 2:3 e FSB em 133 MHz
da CPU.
Pegue o valor 133 e divida-o pelo primeiro número (2) e o resultado será
66,5MHz. Agora pegue o resultado e multiplique pelo segundo número (3). Neste
caso teremos 66,5MHz x 3 = 199,5MHz, o que dará uma memória com FSB em
200MHz, que é o valor de FSB da DDR400.

O valor BySPD determina automaticamente (via chip na memória) qual valor


mais estável/recomendado/cauteloso. Se o valor for 1:1, a CPU e memória estão
em sincronia. Se o valor for 2:3, a CPU (que é o primeiro valor) terá um FSB
menor do que a memória pois o primeiro número é menor do que o segundo - e
neste caso a memória terá um FSB mais rápido do que o FSB da CPU (tradução:
memória e CPU não estão em sincronia).

Se o valor for 5:4, por exemlpo, a CPU estará com FSB mais rápido que o FSB da
memória e eles não estarão em sincronia.

MEMORY FREQUENCY (100%, 125%, 200%, BySPD):


Algumas BIOS usam porcentagem, ou seja, pegam o valor da FSB da CPU e
multiplicam: se a memória estiver a 125%, então a memória terá um FSB 25%
maior que o FSB da CPU. Se a memória estiver a 150%, significa um valor 50% a
mais em 133MHz. Neste caso, 133MHz + 50% = 133MHz + 66MHz = 199MHz
(200MHz), indicando que memória estará funcionando a 200MHz (DDR400)
Veja que os valores em 100% mostram que a memória está com FSB igual à da
CPU. Valor abaixo de 100% mostra uma memória com FSB mais lento que o FSB
da CPU e memória acima de 100% tem FSB mais rápido (elevado) que o FSB da
CPU. Em vermelho estão os valores críticos e em amarelo, os valores
"overclocáveis".

Neste caso:

· 100MHz = DDR 200 (certas placas-mãe nem oferecem suporte oficial a esta
velocidade)
· 133MHz = DDR 266 ou PC2100
· 166MHz = DDR 333 ou PC2700
· 200MHz = DDR 400 ou PC3200
· 216MHz = DDR 433 ou PC3500 (também 217MHz = DDR 434 ou PC3500)
· 233MHz = DDR 466 ou PC3700
· 250MHz = DDR 500 ou PC4000

Existem várias variações dentre as acima: o valor PCxxxx se refere à largura de


banda de dados máximo (teórico) que a memória pode atingir. Uma DDR 400,
por exemplo, tem FSB de 200MHz e pode atingir no máximo uma largura de
banda (transferência de dados) de 3.200MB/s.

Raras são as placas mãe que permitem escolher livremente o valor do FSB da
memória ou que permitem ao usuário digitar o valor desejado ...

Como acelerar a sua memória RAM


30/10/03h

TESTES
Para demonstrar os potenciais de uma otimização na memória, foi usado o Sisoft
Sandra 2002 e o Quake 3 como benchmarks (a performance do ultimo, Quake 3,
depende bastante da largura de banda). Visando facilitar a compreensão dos
testes, mostraremos as mudanças nos timings e os scores produzidos.

As configurações iniciais são:

· CAS Latency = 2.5T


· Bank Interleave = Disable
· DRAM Command Rate = 2T
· Trp = 3T
· Tras = 6T
· Trcd = 3T
· FSB\Memory clock speed = 133MHz\133MHz

Teste Score
Sandra (Int) 1907
Sandra (Float) 1776
Quake3 (Fastest) 218,1 fps
Bank Interleave - 2 Bank
Mudamos o parâmetro 'Bank Interleave' para '2 Bank'. Este parâmetro é para
controlar acesso a bancos de memória abertos. Os valores admitidos são
Nenhum, 2 Bank ou 4 Bank (algumas mobos tem 2-Way/4-Way). 4 Bank é o mais
eficiente. (Veja como o score já aumentou em relação ao score base)

Teste Score
Sandra (Int) 1911
Sandra (Float) 1791
Quake3 (Fastest) 222.9 fps

Bank Interleave -4 Bank


Agora, 'Bank Interleave' mudado pra '4 Bank'. A performance só aumenta...

Teste Score
Sandra (Int) 1925
Sandra (Float) 1806
Quake3 (Fastest) 227.3 fps

DRAM Command Rate - 1T


Mudamos agora o 'DRAM Command Rate'. Mudamos pra 1T e deixamos o 'Bank
Interleave' em 4 Bank. O parâmetro 'DRAM Command Rate' está nas BIOS desde
o chipset KT266: com ele pode-se definir manualmente os valores de latência
entre chipset e memória. Os valores aceitáveis são 2T,1T (1T é o mais rápido).
Este é um parâmetro crítico que afeta muito a performance do subsistema de
memória.

Teste Score
Sandra (Int) 1965
Sandra (Float) 1864
Quake3 (Fastest) 235.0 fps

CAS Latency - 2T
Agora, foi o 'CAS Latency': mudamos o valor pra 2T enquanto deixamos o resto
intacto ( Bank Interleave=4 Bank, DRAM Command Rate=1T). Quanto menor,
melhor Este é o parâmetro mais importante em termos de performance de
memória RAM.

Teste Score
Sandra (Int) 2024
Sandra (Float) 1901
Quake3 (Fastest) 239.7 fps

Trp =2T, Tras=5T and Trcd=2T


O modulo 256 MB PC2100 DDR SDRAM feito pela Samsung provou o ótimo
desempenho nos testes. Então, foi colocado o valor: Trp =2T, Tras=5T e
Trcd=2T (originais são 3T, 6T e 3T, respectivamente).

Teste Score
Sandra (Int) 2039
Sandra (Float) 1906
Quake3 (Fastest) 245.0 fps

Depois das otimizações, a melhora na performance foi de 7.5% no Sandra e


mais de 12% no Quake3!

DDR333 (PC2700)
Agora veja uma DDR333. A tal velocidade, a memória operou com os timings
abaixo:

· CAS Latency - 2T
· Bank Interleave = 4 Bank
· DRAM Command Rate = 1T
· Trp = 3T
· Tras = 6T
· Trcd = 3T
· FSB\Memory clock speed = 133MHz\166MHz

Teste Score
Sandra (Int) 2052
Sandra (Float) 1932
Quake3 (Fastest) 255.1 fps

Processor
Clock
Ganho
FSB \ Quake3
No Timings Sandra no Q3 clock
MEM (fps)
(%) speed
(MHz)
(rating)
Dis, 2T, 2.5T- 1907 /
1 133\133 218,1 - XP 1600+
3T-6T-3T 1776
2 Bank, 2T, 1911 /
2 133\133 222,9 2,2 XP 1600+
2.5T-3T-6T-3T 1791
4 Bank, 2T, 1925 /
3 133\133 227,3 4,2 XP 1600+
2.5T-3T-6T-3T 1806
4 Bank, 2T, 1965 /
4 133\133 235,0 7,7 XP 1600+
2.5T-3T-6T-3T 1864
4 Bank, 1T, 2T- 2024 /
5 133\133 239,7 9,9 XP 1600+
3T-6T-3T 1901
4 Bank, 1T, 2T- 2039 /
6 133\133 245,0 12,3 XP 1600+
2T-5T-2T 1906
4 Bank, 1T, 2T- 2052 /
7 133\166 255,1 16,9 XP 1600+
3T-6T-3T 1932
4 Bank, 1T, 2T- 2426 /
8 166\166 307,2 40,8 XP 2100+
3T-6T-3T 2272

Como acelerar a sua memória RAM


30/10/03h

Conclusões
Como se pode ver, as configurações 1 a 4 são interessantes apenas na teoria.
De fato, alguns "técnicos" inexperientes e montadores de PC falham ao definir
os parâmetros corretos e uma grande porção do desempenho da máquina vai
por água abaixo. Também, salvar dinheiro para comprar memória
genérica/baixa qualidade pode diminuir o desempenho entre 5 e 10%.

Muitos acham pouco mas a diferença de 5-10fps no Quake 3 é similar à


diferença entre um 1600+ e um 1700+.

Note a diferença entre as configurações 5 e 7 (cerca de 6.5%): é a melhora na


performance que se alcança ao trocar para DDR 333 (por exemplo, uma KT266A
pra uma KT333).

Agora veja melhor a última linha: observe a vantagem quando, em relação à


linha 7, a CPU e memória RAM estão em sincronia (166 e 166 MHz): o score do
Quake 3 aqui não conta pois o processador foi overclocado de 1400 pra
1750Mhz.

Vale lembrar que é possível forçar um timings agressivo em um módulo de


memória mas neste caso a elevação da tensão (base de 2.5v ou 2.6v para as
DDR 400) pode causar danos ou até a paralisação do sistema. Além disso a
placa-mãe também deve suportar a elevação de tensão.

Pode-se elevar timing, elevar clock ou ambos com aumento da


tensão, mas existe limite para isso e pode danificar seriamente o
módulo de memória.
Obviamente muitos não verão vantagens em fazer isso: só os mais "fominhas"
vão querer mesmo, já que cada ganho já é lucro. Muitos ficam satisfeitos com os
timings originais. Vale lembrar que com o aumento do clock da CPU, a largura
de banda pode ser um pouco maior com a mesma memória.

Uma das placas mãe que tem o maior número de parâmetros disponíveis é a
Abit KX7-333 (até mais que as Epox). Por ultimo, vale lembrar que para atingir
estabilidade com timings agressivos é necessário aumentar a tensão da DDR - e
isto é bem perigoso se não for feito com cuidado ou se for feito com módulos
genéricos.

Quando se overcloca uma memória, é necessário aumentar a tensão ou elevar


os timings (ou ambos) para atingir velocidades na memória superiores à original
e estabilidade.

Peculiaridades de módulos e placas mãe.


Na guerra da memória, vale tudo. E por incrível que pareça, algumas “coisinhas”
são bem interessantes: veja o caso de memórias como as Corsair TwinX. No
chipset 875 da Intel, há regulagens de timings diferentes dos chipset NForce 2
da Nvidia e isto se deve a otimizações no hardware da placa-mãe, chipset e até
na BIOS.

Alguns módulos como os Golden Dragon da Geil, tem um PCB de 6 camadas


(reduz ruídos eletromagnéticos e com 6 camadas de metal, tendo um alto custo
de produção). Além disso tem chips "selecionados à mão" e esses pentes de
memória não são para qualquer um ... Além disso, memórias deste nível
aceitam regulagem de tensão de até 3.1v, muito acima dos 2.6v das DDR 400
padrão - e é raro achar uma placa-mãe que disponibilize este nível de tensão
pra memória sem perder a garantia.

Outro detalhe importante é que até o tipo de construção da memória (chips,


PCB, outros) influi no desempenho: o mais incrível é que mesmo sem
padronização pelo JEDEC, existem até hoje, módulos de DDR 500 ou até DDR
533. Alguns fabricantes de placa-mãe já adotam alguns destes módulos - o que
não deixa de ser uma ótima propaganda para eles ;) ....

Alguns fabricantes chegam a lançar até três ou mais revisões da mesma


memória somente com otimizações pra conseguir espremer mais performance
que o concorrente !

Veja um outro exemplo: a Corsair Pro. Ela tem quase o dobro do tamanho
(altura) das DDR convencionais, mas traz um sistema de leds pra indicar o uso
da memória: isso é muito interessante. Módulos como este são caros, mas
compensam pelo seu desempenho.

Com relação às placas-mãe, uma delas é a ABIT: desde o lançamento dos


chipsets 875 e 865, foi divulgada uma tecnologia chamada PAT somente
disponível no chipset 875. Esta tecnologia melhorava o desempenho da
memória RAM mas passou pouco tempo até que os próprios fabricantes de placa
mãe copiassem a idéia e implementassem na BIOS alguns ajustes para otimizar
o desempenho da memória RAM.

Habilitaram nos chipsets 865 e até no 875. Estes ajustes vão além dos timings e
só são aconselhados serem ativados em memórias RAM de marca, ou rápidas,
como DDR 333 ou maior como as da GEIL, Corsair... Isso devido ao stress que a
memória sofrerá caso defina-se novos ajustes.

A ABIT chama o seu de Game Accelerator - e por incrível que pareça ele
aumenta a performance em até 30% ! Algumas opções são as AUTO, TURBO,
Street Racer e F1. Se sua memória for genérica, não pense em acionar o sistema
- ou pelo menos acione o Auto (mas isto não está na garantia e o risco é seu) .
Vários outros fabricantes implementam esta tecnologia ...

Fontes para consulta:

www.tomshardware.com
www.digital-daily.com
www.sis.com
www.viatech.com
www.intel.com
www.3dgameman.com
www.abit-usa.com

Programas úteis:
MemTurbo II
Alto Memory Booster 5.5.1
Memtest86
CPU-Z
Sisoft Sandra 3
AIDA32 - Enterprise Edition 3.80
EVEREST Version 1.10 (substitudo do AIDA32)

Autores originais: Ipatinga, Ivens, Soyti, 3MK, Endeavour


(participantes com selo de Hardware do Fórum do BABOO)

Direitos Autorais: Ipatinga, Ivens, Soyti, 3MK, Endeavour