Você está na página 1de 45

ADENSAMENTO EM SOLOS

Adensamento de Solos

Adensamento é um processo lento e gradual de redução do índice de vazios de um solo por expulsão do fluido intersticial e transferência da pressão do fluido (água) para o esqueleto sólido, devido a cargas aplicadas ou ao peso próprio das camadas sobrejacentes.

A variação de volume dos solos por efeito de compressão é

influenciada pela: granulometria, densidade, grau de saturação, permeabilidade e tempo de ação da carga de

compressão.

Recalque

É a deformação vertical da superfície do terreno,

proveniente da aplicação de cargas ou devido ao

peso próprio das camadas.

Tipos:

Imediatos: por deformação elástica (solos arenosos ou

solos argilosos não saturados);

Por adensamento: devido à saída de água do solo (solos argilosos).

Recalque

Causas:

Cargas estáticas (pressão transmitida pelas estruturas, peso

próprio do solo, etc.);

Cargas dinâmicas (cravação de estacas, terremotos, etc.);

Erosão do subsolo;

– Variações do nível d’água (rebaixamento).

Efeitos: Danos à estrutura (Aparência; Funcionalidade; Estabilidade).

Deformações no Solo

Todos os materiais sofrem deformação quando sujeitos a uma mudança de esforço;

A deformação dos solos, principalmente os solos finos, não é instantânea, isto é, não ocorre imediatamente após a aplicação

da solicitação, mas sim com o tempo;

As deformações do solo, geralmente não uniformes, podem

não ser prejudiciais ao solo, mas comprometer as estruturas

que assentam sobre ele.

Determinação do Recalque

Para estimativa da ordem de grandeza dos recalques

por adensamento, além do reconhecimento do

subsolo (espessura, posição, natureza das camadas, nível da água), devemos conhecer ainda a

distribuição das pressões produzidas em cada um dos

pontos do terreno, pela carga da obra, e as propriedades dos solos.

Determinação do Recalque Total

Quando uma camada de solo sofre o efeito de uma

sobrecarga ela se deforma, em consequência da

diminuição do valor de seu índice de vazios inicial

(e 0 ) para um valor final e f , motivada pela sua compressibilidade.

Sua espessura passa, portanto, de um valor inicial H 0 para um valor final H f , cuja diferença (∆H = H 0 - H f ) corresponde ao recalque total sofrido.

Determinação do Recalque Total

Determinação do Recalque Total

3 Adensamento

O arcabouço sólido de um solo/rocha se deforma por adensamento quando submetido ao aumento das tensões efetivas (Terzaghi, 1925):

s = se + u

onde :

s = tensão total se = tensão efetiva u = poro-pressão (pressão total)

Quando a poro-pressão se reduz, a pressão efetiva nos

contatos dos grãos aumenta, provocando adensamento.

Material

Compressibilidade (Pa -1 )

Argila

10 6 a 10 -8

Areia

10 7 a 10 -9

Rocha sã

10 9 a 10 -11

Água

10 10

Quando os aqüíferos são explorados, pode haver drenança ( leakage) dos aquitardos encaixantes, pois a compressibilidade destes é, muitas vezes, de 1 a 2 ordens de magnitude maior que dos aquíferos.

Como os aquitardos são menos permeáveis, o

excesso de pressão é dissipado mais lentamente.

Um aquitardo sob drenança mostrará variação da carga hidráulica (Dh).

A somatória das quedas de carga e o aumento concomitante das pressões efetivas pela compressibilidade de cada camada de espessura b

total Db

(Terzaghi, 1925):

do

aqüitardo

fornece

o

adensamento

Db t1-t2 = b S r g a Dh i

onde a é a compressibilidade vertical do aquitardo

Exemplo de adensamento devido a explotação excessiva de água subterrânea, na Cidade do México.

Exemplo de adensamento devido a explotação excessiva de água subterrânea, na Cidade do México.
Exemplo de adensamento devido a explotação excessiva de água subterrânea, na Cidade do México.

Recalques Diferenciais

Recalques diferenciais provocam nas estruturas esforços adicionais que comprometem à sua própria

estabilidade.

Quando projetamos uma construção deve-se prever

os recalques a que esta estará sujeita, para daí decidir

sobre o tipo de fundação, e até mesmo, sobre o sistema estrutural a ser adotado.

Recalques Diferenciais

O recalque diferencial impõe distorções aos elementos estruturais

das edificações de tal forma que, dependo de sua magnitude, poderão gerar fissuras e trincas nas mesmas.

estruturais das edificações de tal forma que, dependo de sua magnitude, poderão gerar fissuras e trincas

Exemplos

EDIFÍCIOS EM SANTOS/SP

EDIFÍCIOS EM SANTOS/SP

EDIFÍCIOS EM SANTOS/SP

ETAPAS PARA A SOLUÇÃO DO PROBLEMA

ETAPAS PARA A SOLUÇÃO DO PROBLEMA

Como evitar?

Métodos de identificação prévia, como mapeamentos geológicos- geotécnicos, mapeamentos geoestatísticos de variáveis geotécnicas

associadas aos fenômenos de colapso e subsidência;

Elaboração de cartas de risco de colapso de solos e cartas do

potencial de colapso de solos;

Métodos de prevenção de recalques diferenciais, como

compactação/ adensamento prévio da camada de solo compressível

e adoção de fundações profundas.

Como evitar recalques

diferenciais?

Compactação prévia da camada de solo ou, no caso de camada de solo compressível, a partir do adensamento prévio das camadas de baixa

resistência;

Adotar fundações profundas em ambos os casos;

Ressalta-se que tais métodos preventivos não dispensam a etapa de investigações detalhadas do maciço de solos, sendo imprescindível a realização de sondagens de simples reconhecimento SPT para o

dimensionamento adequado dos elementos de fundação e para garantir um

desempenho satisfatório dos mesmos.