Você está na página 1de 6

O BDE (Borland Database Engine) é um software que acompanha os aplicativos do CORPORE RM e é responsável pela comunicação entre estes aplicativos e o banco de dados.

As aplicações utilizam o Alias "CORPORE RM" no BDE para conectar a base de dados compartilhada.

O BDE deve ser instalado antes de qualquer aplicativo do CORPORE RM. Se o BDE já estiver instalado, verifique se a versão que acompanha o aplicativo a ser instalado é a mais recente.

  • 1. Instalando o BDE:

Baixe o instalador do BDE no Portal de Downloads:

O programa de instalação iniciará, automaticamente, a cópia dos arquivos do BDE para o disco rígido da estação de trabalho, no caminho <Drive>:\Program Files\Borland\Common Files\BDE (ou <Drive>:\Arquivos de Programa\Borland\Arquivos Comuns\BDE, para versão do Windows em português).

No final da Instalação, clique no botão [FINISH] para concluir. Esta instalação criará o ícone do BDE (BDE Administrator) no grupo de programas RM Sistemas.

Depois de instalado o BDE, é preciso configurá-lo para que o mesmo possa prover o acesso ao banco de dados desejado. Sendo assim, execute o programaBDE Administrator, no grupo de programas Iniciar | Programas | RM Sistemas ou dentro do Painel de Controles.

Observação: A versão mais recente do Instalador do BDE, distribuída pela TOTVS, possui as respectivas configurações para o Windows Vista.

  • 3. Criando um novo DataBase Alias:

No menu Object, selecione a opção New;

Depois de instalado o BDE, é preciso configurá-lo para que o mesmo possa prover o acesso

No diálogo New Database Alias, selecione o banco (Oracle) para o qual será criado o Database Alias;

Depois de instalado o BDE, é preciso configurá-lo para que o mesmo possa prover o acesso

Informe os parâmetros de configuração do novo Database Alias. Estas configurações podem ser diferentes para cada cliente. O ideal é começar com uma configuração um pouco mais moderada e aumentar gradativamente caso se faça necessário. Deixar os valores no limite superior dos mesmos pode evitar alguns erros, porém em contrapartida pode prejudicar o desempenho.

Agora informaremos um nome para nosso alias. Por padrão, bases que serão utilizadas por sistemas do CorporeRM devem ser iniciados com o nome “CorporeRM”. Depois de nomeado, passaremos a configurar o alias criado:

Altere o campo “Server Name” para o nome da maquina onde se encontra o banco de dados restaurado;

 Altere o campo “Server Name” para o nome da maquina onde se encontra o banco

Altere o campo “Database Name” para o nome do banco de dados em questão criado no SGDB do SQL Server já restaurado;

 Altere o campo “Server Name” para o nome da maquina onde se encontra o banco

Preencha o campo “User Name” com o nome de um usuário com acesso para este banco de dados. (Por padrão usamos o nome “rm” ou “sysdba”).

Informe os parâmetros de configuração do novo Database Alias. Estas configurações podem ser diferentes para cada

Após estes preenchimentos, vamos testar a conexão com o banco: Primeiramente, salve estas alterações pelo ícone localizado na parte superior do BDE Administrator:

Informe os parâmetros de configuração do novo Database Alias. Estas configurações podem ser diferentes para cada

Clicando em OK em seguida:

Após os procedimentos acima serem efetuados, clique duas vezes sobre o alias criado, o BDE solicitaráSQL Server - Acerta Usuário Caso a conexão seja bem sucedida, após digitar a senha e clicar em “OK” o sistema apresentará o alias com um quadrado verde conforme imagem abaixo: Deve-se verificar os parâmetros abaixo para uma boa performance do sistema e prevenir alguns erros: Na guia Database, ainda no alias CorporeRM: Type – selecionando o banco de dados (MSSQL) " id="pdf-obj-3-2" src="pdf-obj-3-2.jpg">

Após os procedimentos acima serem efetuados, clique duas vezes sobre o alias criado, o BDE solicitará uma senha para executar tal conexão, por padrões, para o usuário “rm” deve-se usar a senha “rm” e para o usuário “sysdba” deve-se usar a senha “masterkey”.

Não esqueça que você terá que ter rodado os scripts de usuário para que a conexão funcione perfeitamente: SQL Server - Acerta Usuário

Caso a conexão seja bem sucedida, após digitar a senha e clicar em “OK” o sistema apresentará o alias com um quadrado verde conforme imagem abaixo:

Após os procedimentos acima serem efetuados, clique duas vezes sobre o alias criado, o BDE solicitaráSQL Server - Acerta Usuário Caso a conexão seja bem sucedida, após digitar a senha e clicar em “OK” o sistema apresentará o alias com um quadrado verde conforme imagem abaixo: Deve-se verificar os parâmetros abaixo para uma boa performance do sistema e prevenir alguns erros: Na guia Database, ainda no alias CorporeRM: Type – selecionando o banco de dados (MSSQL) " id="pdf-obj-3-11" src="pdf-obj-3-11.jpg">

Deve-se verificar os parâmetros abaixo para uma boa performance do sistema e prevenir alguns erros:

Na guia Database, ainda no alias CorporeRM:

Type – selecionando o banco de dados (MSSQL)

"BLOB" (Binary Large OBject), recipiente para campos de origem diversas, podendo ser até mesmo objetos definidos pelo próprio usuário. Num BLOB pode-se guardar imagem, som, textos longos, textos longos formatados. Este parâmetro pode comprometer a performance do sistema, por isso sugerimos que seja aumentado gradativamente.

O Blob Size – Limita o tamanho que a área temporária utilizada na memória (buffer) pode chegar. Setando este parâmetro para 64, significa que sua aplicação pode chegar a um blob de 64 K. >32 e <1000. Sugerido inicialmente: 64

O Blob Cache – Determina a quantidade de Blobs que poderá armazenar na estação. Setando este parâmetro para 128, significa que a aplicação poderá trabalhar com o máximo de 128 blobs armazenados, caso ultrapasse, o sistema irá emitir a seguinte mensagem: "Invalid Blob handle in record buffer", neste caso é só aumentar. >64 e < 65536. Sugerido inicialmente: 128

Caso os valores destes parâmetros sejam alterados, os valores dos parâmetros na tela Drivers/Native/MSSQL deverão ser alterados também com os mesmos valores. Na guia Configuration:

Drivers/Native/MSSQL

Time out – O máximo do tempo que a estação aguarda para o resultado de retorno do servidor. Valor em segundos. Aumente este valor gradativamente pois o mesmo pode degradar a performance. Sugerido inicialmente: 7200

Connect Time out – O tempo que a estação vai aguardar uma resposta de conexão com o servidor. Valor em segundos. Sugerido inicialmente: 120

Max Dbprocesses: Quantidade máxima de processos concorrentes no SQL - Sugerido inicialmente: 90

System/Init

Langdriver – Driver da linguagem do sistema apropriado para a versão do Windows do seu país: 'ascii' ANSI

Memsize – Máximo de memória que o BDE poderá utilizar. Mínimo 16 MB, máximo 205 MB. Sugerimos que coloque o valor da memória da estação, desde que seja menor que 205.

Maxfilehandles – Máximo de arquivos concorrentes que o BDE poderá suportar, o valor alto dará impacto a uma boa performance no sistema, porém utilizará mais recurso do sistema operacional. Dever ser usado somente valor inteiro de 5 a 4096.

MaxBufSize – Indica os recursos alocados para o buffer, e bufsize indica os recursos necessários para armazenar o buffer. Dever ser usado somente valor inteiro de 5 a 4096.

O print abaixo demonstra um exemplo de configuração. Estas configurações podem ser diferentes para cada cliente. O ideal é começar com uma configuração um pouco mais moderada e aumentar gradativamente caso se faça necessário. Deixar os valores no limite superior dos mesmos pode evitar alguns erros, porém em contrapartida pode prejudicar o desempenho.

O print abaixo demonstra um exemplo de configuração. Estas configurações podem ser diferentes para cada cliente.

Após realizar qualquer alteração na aba Configuration, salve-a clicando na seta conforme print abaixo:

O print abaixo demonstra um exemplo de configuração. Estas configurações podem ser diferentes para cada cliente.

Após isto, será preciso reiniciar o BDE.

As configurações do BDE podem afetar diretamente as rotinas ainda em Delphi, rotinas migradas não terão relação com estes procedimentos e no modelo três camadas estarão sendo processados nos servidores de aplicação e JOB.