Você está na página 1de 4

13/10/2015

ContribuiçãodoseguradoespecialruralparaaposentadoriaporidadeapósaLeinº11.718/2008­JusNavigandi

Esportes Vídeos RedeRecord R7Play Serviços  (http://r7.com/) (http://tv.r7.com /) (http://noticias.r

Acontribuiçãodoseguradoespecialruralparafinsde

aposentadoriaporidadeapósaLeinº11.718/2008

Acontribuiçãodoseguradoespecialruralparafinsdeaposentadoriaporidadeapósa

Leinº11.718/2008

Leinº11.718/2008

Publicadoem05/2014.Elaboradoem08/2013.

4

AexigênciadecontribuiçãodosseguradosespeciaisruraisparaaPrevidênciainexistiaaté31dedezembrode2010,prazoqueaLei11.718/2008determinou

comofinalparaesseregime.OPoderJudiciário,entretanto,tempassadoaolargodessaexigência

INTRODUÇÃO

AmaiorpartedasquestõesenvolvendoosseguradosespeciaisruraisdaPrevidênciatocaabenesseconstitucionaldacontagemdetempoparaaposentadoria

semacorrespondentecontribuição.Esseregimecaiurecentemente,atravésdosilênciodaLei11.718/2008sobresuaprorrogaçãoapós31dedezembrode2010.

OJudiciário,entretanto,temignoradoessanovaexigênciaedeterminaacontinuidadedoregimeanterior,notoriamentemaisbenéficoaosegurado.

Essetipodeentendimento,soboprismaconstitucional,oscilaentreumproblemadeviolaçãoàseparaçãodePodereseareafirmaçãodafunçãoínsita

jurisdicional,altamentemodificadanosúltimosanos.Opontocentralaquiécompreenderseécabívele,emcasopositivo,atéondeojuizpoderecortarexigências

técnicaselegaisemproldosupostodireitofundamentaldoparticularfrenteàcomunidadedeseguradosdaPrevidência.

OtemamostrarelevânciaparaoDireitoConstitucionaleoPrevidenciárionamedidaemquecolocadireitosfundamentaisdiretamenteemchoqueeredesenha,

conformesejaasoluçãoadotada,afunçãojurisdicionalnoBrasil.Éfundamentalarevisãodosconceitosdoutrináriosassentadosemambososramosdodireito,

alémdaanálisejurisprudencialsobreotema.

1.OREGIMEJURÍDICOPREVIDENCIÁRIODOTRABALHADORRURALEDO

SEGURADOESPECIAL

Oproblemaoratratadotemraízeshistóricasprofundas.ComeçanogravepanoramadotrabalhoagrícolanoBrasil,primeiramenteexercidoporescravos,edepois parcialmentedesenvolvidoporcolonosnointerior.Dafiguraclássicacolonialdonegroedoíndiosurgeotrabalhadorrural,quefoidefinidojánaRepúblicapelaLei

nº4.214/63(EstatutodoTrabalhadorRural).Esseéapessoafísicaqueprestaserviçosaoempregadorrural,“emprédiorústico,medianteremuneraçãoem

dinheiro,innaturaoumista”.Oempregadorruraléquemexploraaatividadeagrícola.

Ofundamentalaquiéotrabalhosubordinado,quenãoexisteparaoseguradoespecial .Esteéoantigocolono,opequenoproprietárioquedesenvolve,juntocom

seugrupofamiliarousozinho,aatividaderurícolaedeladepende.Éproprietárioouarrendatáriodaterraemqueresideedaqualtiraseusustento,sejaporvia

agropecuária,extrativistaouatravésdapescaartesanal.

[1]

Dentrodafigurajurídicadeseguradoespecialestáoindivíduoquelaboraefetivamentenalavouraeseucônjuge,alémdosfilhosmenores.Aprincípio,omembro

[2]

dogrupofamiliarquepossuioutrafontederendimento,qualquerquesejaasuanatureza,nãopoderáserenquadradocomoseguradoespecial .

Dequalquerforma,parafinsprevidenciários,‘trabalhadorrural’égênerodoqualsãoespéciesoseguradoempregado,oindividual,oavulsoeoespecial.Oart.

201,§7º,IIdaCF/88ditaquetodosostrabalhadoresruraistemdireitoaprazoreduzidoparafinsdeconcessãodeaposentadoriaporidade.Oespecial,no

entanto,gozavadeumregimejurídicopeculiar.Suacontribuiçãopodiasercomputadaapenascomaprovadolaborrealizado,nãocomorecolhimentodovalor

correspondenteacadamêsdetrabalho.

1.1ACARÊNCIAPARAAPOSENTADORIADOSEGURADOESPECIAL

Operíododecarênciacorrespondeaonúmeromínimodecontribuiçõesmensaisqueoseguradodeverealizarparaterdireitoaseubenefício.Paraosegurado

especialquenãooptapelorecolhimentocomocontribuinteindividual,quesãoagrandemaioria,operíododecarênciaécontadoapartirdoefetivoexercícioda

atividaderural.Assim,operíododecarênciacorrespondeaoperíodolaborado,enãocontribuídofinanceiramenteaoscofresdaPrevidência.

Essacomprovaçãodoexercíciodeatividaderuraléfeitaemrelaçãoaosmesesimediatamenteanterioresaorequerimentodobenefício,duranteoperíodoigualao

13/10/2015

ContribuiçãodoseguradoespecialruralparaaposentadoriaporidadeapósaLeinº11.718/2008­JusNavigandi

dacarênciaexigidaparasuaconcessão,nomodelovigenteaté31dedezembrode2010(artigo11,incisoVII,§1º,eartigo39,incisoI,ambosdaLeinº8.213/91).

Exige­sequeefaçaprovadocumentalcontemporâneaaosperíodosaseremcomputados,mencionandotambémasdatasdeinícioetérminodasatividades(art.

55,§2º,daLein.º8.213/91).Aprovapodeserfeitaparaperíodosdescontinuados,sendoentendimentojurisprudencialquehouvesseaomenosumdocumentopor

anoasercomprovado,oquetambémeraflexibilizadoemrelaçãoaoschamadosboia­frias.

1.2NOVAEXIGÊNCIANOSILÊNCIODALEI11.718/2008

Até31dedezembrode2010,oregimemencionadogeravacontrovérsiadefatoepoucadiscussãojurídicapropriamente,jáqueoJudiciáriosecontinhaaanalisar

avalidadedecadadocumentoparafinsdeconcessãodobenefícioprevidenciáriopretendido,mormenteaaposentadoriaporidade.

ComaLei11.718/2008,emseuart.2º,prorrogou­se,paraotrabalhadorruralempregado,oprazoprevistonoart.143daLeino8.213,de24dejulhode1991,atéo

dia31dedezembrode2010.Ouseja,apósessadataserianecessárianovaprorrogaçãoporleiouosseguradosespeciaisruraisdeveriamcomeçararecolher

contribuiçõesnosmoldesdosseguradosordinários.

Aopçãolegislativarealizadaatravésdosilêncioqueseoperouapósotérminodoperíodosemnovaprorrogaçãosinalizouqueafacilidadeantesconcedidaaos

[3]

trabalhadoresruraisnãomaisprecisavasermantida,valendohojearegraigualitáriadecontribuiçãofinanceiraparatodos .

2.APOSIÇÃOJURISPRUDENCIALEOPAPELATUALDOJUDICIÁRIO

Osjulgadosrecentessobreotematemignoradoaexigênciaatualdaleiecontinuadootratamentodiferenciadoaosseguradosespeciais .Essaposturanão

apenasrelevaumapontualdesconsideraçãodonovonormativo,mastambémumaposiçãoinovadoradoJudiciáriodentrodasquestõesprevidenciárias.

[4]

Se,deumlado,aplicaranovaformadecálculodocumprimentodecarênciaséseguiràriscaalei,perpetuandoopapelclássicodafunçãojudicante,poroutroa

manutençãodoentendimentoanteriorpodeserasoluçãomaisdemocrática,pensadaaponderaçãodeinteressesdentrodarazoabilidadeconstitucional.

Necessita­se,portanto,entenderaquemcabedecidirsobreregrasdaPrevidênciaSocial.Deumlado,oParlamentoéoambienteemqueapolíticatemlugar.

Valoreseinteressessociaissãopostosemdiscussãopelosdiversosrepresentantesdopovo.Ali,cabemosargumentosdepolíticaouosdiscursosde

justificação.Osargumentosdepolítica,segundoDworkin,sãoaquelesexercidosnumespaçoemquehálivreescolhasobreointeresseaserprotegidopelo

Estado,eaformacomqueissosedará.Todososvaloresemconflitoeinteressesantagônicossociaissãopostosàmesaparavotaçãododiscursomais

[5]

convincente.SegundoHabermas ,osdiscursosdejustificaçãosópossuemparticipantespolíticos,aparcialidadedodiscursoésuamarcadeidentidade.

Deoutrasorte,aoJudiciáriocabeafunçãodeponderarprincípiosjurídicosdefinidospelolegislador,parafazeraplicaraleidemodoimparcial.Essediscursode

aplicaçãodasnormasjurídicas,segundoHabermas,édefinidopelaexistênciadeumjulgadorequidistantedaspartesequedeveaplicaraocasoconcretouma

normajáeditadadeformageralpeloParlamento.AsponderaçõeseescolhassobreosvaloresmaisimportantesparaseremprotegidospeloDireitojáforam

realizadosnummomentoanterior;aoJudiciáriorestaatarefadeaplica­loaocasoqueseapresentadiantedele.ParaDworkin,osjulgadoresutilizam­sede

argumentosdeprincípio,ouseja,devemlastrar­senacoerênciadoordenamentojurídicopré­existenteparaformularumasoluçãoaumlitígio.

Noproblemaemanálise,aprimeiraquestãoquevemàtonacircundaocarátercontributivodaPrevidênciaSocialbrasileira.Seentendermosqueosmoldes

fundamentaisdosistemaprevidenciáriosãotécnicosedevemserdeterminadosdemaneiragenéricapeloLegislativo,qualquerdecisãoqueprovoquedesviode

[6]

cálculoatuarialpeloJudiciárioéinconstitucional.Noentanto,seaPrevidênciaécontributiva,mastambémsolidária ,nosentidoderespeitaracapacidadede contribuiçãodecadasegurado,algumasdistorçõespodemedevemsercorrigidascasoacasopeloofíciojudicante.

Emsegundolugar,deve­seposicionaroproblemadosinteressesoudireitosenvolvidos.SeaPrevidênciapúblicaématériapolítica,sefalamosdeseucontorno

fundamental,tratamosdeinteressesdegrupossociaisquedevemsercolocadosàdiscussãonaocasiãodadefiniçãogenéricaeabstratadosistemaescolhido,ou

seja,deveserarquitetadapeloLegislativo.Setratamosdeapenasprincípiosouregrasdosistemaprevidenciáriodeterminadopelosparlamentares,cabeao

Judiciáriotecnicamenteexercerseupapeldeaplicaralei,ponderandoprincípioseestabelecendoainterpretaçãodasregrasestabelecidas.

Emrelaçãoàquestãodacomprovaçãodacarênciadoseguradoespecialparafinsdeaposentadoria,ouaexigênciaatualdesuacontribuiçãofinanceiraaoscofres

públicos,tem­se,naverdade,umadimensãomaisgenéricadasnormasprevidenciárias.Olegisladordeterminou,gradativamente,oaumentodacarênciaedas

exigênciasparaqueoseguradoespecialpudessecomprovarseulaborrurícola,chegandoaumdeterminadoperíodoemquefossetratadoempédeigualdadecom

[7]

osdemaissegurados .

AescolhasobreomomentoemqueacontribuiçãodosseguradosespeciaisruraispassasseavalerdeveserfeitapeloLegislador,atravésdeinúmerosdados

atuariaisqueafetamtodoosistemaeinduzemaescolhadosparlamentaresporumaPrevidênciamenosdeficitária.

Aindicaçãodedeterminadosindivíduosnoscasosconcretoslevadosaostribunaisparaquesejamaposentadosdeformadiferenciadasemamparolegalé

extrapolarafunçãojurisdicional,defendendointeressesdedeterminadosgruposqueaindanãoforamtransformadosemdireitos.

Nocasoemanálise,oproblematorna­semaisgravepoisaexigênciaatualdacontribuiçãodoseguradoespecialfoiumadecisãojátomadapeloLegislador,sem

qualquerdeclaraçãodeinconstitucionalidadepeloSupremoTribunalFederal,masquevemsendoignoradapeloJudiciáriocomoumtodoadespeitodo

desequilíbriodecontasquepodegerarnofuturo.

CONCLUSÃO

APrevidênciaSocial,atravésdacontribuiçãodetodos,reconheciaeconcediabenefíciosaosseguradosespeciaissemqueelescontribuamcompagamentoem

dinheiro,bastandocomprovaraatividaderuralemregimedeeconomiafamiliarporumcertoperíododetempo,chamadodeperíododecarência.

Nessecaminho,olegisladorconstituintepreveniuinúmerasadversidadesdavidaqueafligiamessacamadamaisfragilizadadapopulação.Atualmente,porém,o

legisladoroptouporequipararoseguradoespecialaosdemaisseguradosqueprecisamcontribuirfinanceiramenteparagozardeumeventualbenefício

previdenciário.

EssadeterminaçãovemsendodeixadadeladopeloPoderJudiciário,aoestenderaregraanterioraoregimeatual.TalmedidaoneraoscofresdaPrevidênciae

geraumaproteçãodeinteressesinexistentenoordenamento.Conclui­se,portanto,queparaqueoacontinuidadedoregimeanterioreranecessárianovamedida

legislativa,sendoprópriodoJudiciárioaanálisededireitoseprincípiosjáestabelecidosnopanoramageralprevidenciárioadotadoemnossopaís.

BIBLIOGRAFIA

BALERA,Wagner,Sistemadeseguridadesocial,SãoPaulo:LTr,2000.

DUARTE,MarinaVasques,Direitoprevidenciário,3aed.PortoAlegre:VerboJurídico,2004.

HABERMAS,Jürgen.FATICIDADEEVALIDADE:UmaintroduçãoàteoriadiscursivadoDireitoedoEstadoDemocráticodeDireito.TextoComplementar:

Cap.4­DF:CEAD/UnB,2012.(Pós­graduaçãolatosensuemDireitoPúblico).Disponívelem:<http://moodle.cead.unb.br/agu/mod/resource/view.php?id=88>.

Acessoem:15jun.2013

IBRAHIM,FábioZambite,Cursodedireitoprevidenciário,3ed.,RiodeJaneiro:EditoraImpetus,2003.

LEITE,CelsoBarroso,Ofuturodaprevidência,Revistadeprevidênciasocial,SãoPaulo:LTr,nov.2002.

13/10/2015

ContribuiçãodoseguradoespecialruralparaaposentadoriaporidadeapósaLeinº11.718/2008­JusNavigandi

MARTINS,SergioPinto,Direitodaseguridadesocial,13ªed.SãoPaulo:EditoraAtlas,2000.

[1]

[2]

[3]

[4]

BALERA,Wagner,Sistemadeseguridadesocial,SãoPaulo:LTr,2000,p.37

DUARTE,MarinaVasques,Direitoprevidenciário,3aed.PortoAlegre:VerboJurídico,2004,p.115.

IBRAHIM,FábioZambite,Cursodedireitoprevidenciário,3ed.,RiodeJaneiro:EditoraImpetus,2003,p.65.

Atítulodeexemplo,julgadodoTRFda4ªRegião,doRelatorDes.FederalJoãoBatistaPintoSilveira:PREVIDENCIÁRIO.ATIVIDADERURAL.INÍCIODE

PROVAMATERIALINSUFICIENTECORROBORADOEMPARTEPORTESTEMUNHAS.TRABALHADORARURALEMREGIMEDEECONOMIAFAMILIAR. QUALIDADEDESEGURADAESPECIALNÃOCOMPROVADA.DESCUMPRIMENTODOSREQUISITOSIMPOSSIBILIDADEDECONCESSÃODO

BENEFÍCIO.AVERBAÇÃODOTEMPORURAL.1.Otempodeserviçoruralparafinsprevidenciáriospodeserdemonstradoatravésdeiníciodeprovamaterial,

desdequecomplementadoporprovatestemunhalidônea.PrecedentesdaTerceiraSeçãodestaCorteedoegrégioSTJ.2.Tendoaprópriaautorareconhecidoque

deixoudetrabalharnaagriculturacercadedezanosantesdecompletarorequisitoetário,passandoamantervínculoempregatícionoregimeurbano,nãoestá

demonstradoolaborruralemgrandepartedoperíododecarência,nãoseaplicando,dessaforma,oconceitodedescontinuidadeprevistonoartigo143daLein.º

8.213/91,tornando­se,pois,inviávelaoutorgadobenefício.3.Nãoépossível,emcasodeAposentadoriaporIdadeRural­ressalvadasashipótesesde

empregadoruralquetenhaexercidoaatividadeapósavigênciadaLein.º8.213/91,ou,antesdisso,desdequetrabalhadordeempresaagroindustrialou

agrocomercial(art.6º,§4º,daCLPS/84)­,dispensaranecessidadedeimplementaçãosimultâneadosrequisitosdeidadeetrabalhoduranteointerregno

correspondenteàcarência,umavezqueobenefício,nocaso,nãotemcaráteratuarial,equenãosepodecriarregimehíbridoquecomporteaausênciade contribuiçõeseadispensadopreenchimentoconcomitantedasexigênciaslegais(quesóéautorizadaparaasaposentadoriasporidadeembasadasemaporte

contributivo­benefíciosdetrabalhadoresurbanos,empregadosruraisapós1991eempregadosruraisdeestabelecimentosagroindustriaiseagrocomerciaisantes

oudepoisde1991)­.(PrecedentesdoSTJedesteTribunal).4.Nãorestandocomprovadonosautosoexercíciodaatividadelaborativaruralnoperíodode

carência,nãohácomoserconcedidaaaposentadoriaporidaderural(AC0007526­25.2012.404.9999,Publicadono deD.E.14/06/2013).

[5]

HABERMAS,Jürgen.FATICIDADEEVALIDADE:UmaintroduçãoàteoriadiscursivadoDireitoedoEstadoDemocráticodeDireito.TextoComplementar:

Cap.4­DF:CEAD/UnB,2012.25/26p.(Pós­graduaçãolatosensuemDireitoPúblico).Disponívelem:<http://moodle.cead.unb.br/agu/mod/resource/view.php?

id=88>.Acessoem:15jun.2013

[6]

[7]

MARTINS,SergioPinto,Direitodaseguridadesocial,13ªed.SãoPaulo:EditoraAtlas,2000,p.105.

LEITE,CelsoBarroso,Ofuturodaprevidência,Revistadeprevidênciasocial,SãoPaulo:LTr,nov.2002,p.985/992.

Autor

(http://jus.com.br/artigos/direito­previdenciario) Autor

ProcuradorFederal,graduadoemDireitopelaUERJeespecialistaemDireitoPúblicopelaUNB.

Informaçõessobreotexto

Comocitarestetexto(NBR6023:2002ABNT)

maio(http://jus.com.br/revista/edicoes/2014/5)2014(http://jus.com.br/revista/edicoes/2014).Disponívelem:<http://jus.com.br/artigos/28370>.Acessoem:13out.

2015.

Comentários

1

13/10/2015



0

13/10/2015  0  ContribuiçãodoseguradoespecialruralparaaposentadoriaporidadeapósaLeinº11.718/2008­JusNavigandi

ContribuiçãodoseguradoespecialruralparaaposentadoriaporidadeapósaLeinº11.718/2008­JusNavigandi

antoniowellinghton(http://jus.com.br/1149288­antonio­wellinghton/perfil)25/02/201511:10(/artigos/28370/a­contribuicao­do­

segurado­especial­rural­para­fins­de­aposentadoria­por­idade­apos­a­lei­n­11­718­2008#comment­12746)

posicionamentodesprovidoderealidadesocial,política.Osseguradosespeciaissãopessoasdesassistidaspeloestadoomisso,têmremuneraçãobaixa,

exercematividadesdifíceis.Aprevidênciaémantidapelasociedade,pelasempresas,peloestado,quetambémémantidocomosimpostospagospor

essaspessoas.Otratamentodifenciadoécoroláriodaisonomiamaterial,constitucionalmentegarantida.

PetiçõesForensesAnotadas10ªedição ProcessodeLicitação­ContratoAdministrativoeSançõesPenais Comprar Comprar
PetiçõesForensesAnotadas10ªedição
ProcessodeLicitação­ContratoAdministrativoeSançõesPenais
Comprar
Comprar
R$256,00
(http://jus.com.br/livraria/peticoes­forenses­anotadas­10a­edicao)
R$135,00
(http://jus.com.br/livraria/processo­de­licitacao­contrato­administrativo­e­sancoes­penais)
InventáriosePartilhas­ArrolamentoseTestamentos
Comprar
R$149,00
(http://jus.com.br/livraria/inventarios­e­partilhas­arrolamentos­e­testamentos)
AgendaDiáriodoJurista2016
Comprar
R$62,00
(http://jus.com.br/livraria/agenda­diario­do­jurista­2015_)

JusNavigandi. Todososdireitosreservados.Proibidaareproduçãototalouparcialsemautorização.