Você está na página 1de 4

TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA

No início do século XX surgiu a Escola da Administração Científica que se baseia na ênfase
das tarefas, que teve como principal fundador o engenheiro americano Frederick W. Taylor,
que ocasionou através das suas ideias uma evolução na área administrativa e industrial. Seu
objetivo foi utilizar métodos científicos aos problemas da Administração, a fim de aumentar a
eficiência industrial, tendo como principais mecanismos a observação e a mensuração, sendo
uma forma de eliminar o desperdício e elevar os níveis de produtividade por meio de métodos
e técnicas da engenharia industrial. Na época Taylor observou que havia falhas na área
administrativa, então resolveu procurar por meios de estudos, formas para solucionar estes
problemas que comprometia o resultado da produtividade. Seus estudos foram divididos em
dois períodos.
O primeiro período corresponde à época do lançamento do livro Shop Management (1903),
que aborda a ideia de técnicas de racionalização do trabalho do operário, através do estudo de
tempos e movimentos. Taylor começou a abordagem do seu estudo de baixo para cima em
relação à empresa, ou seja, começou abordando o trabalho dos operários. Analisou
detalhadamente a realização da tarefa de cada um dos operários, a decomposição dos seus
movimentos e processos de trabalho para aperfeiçoá-los e racionalizá-los. Neste processo ele
observou que um operário produzia muito menos do que era capaz e que se, o operário que
era mais produtivo percebesse que recebia a mesma remuneração salarial de um operário que
era menos produtivo, este perderia o interesse de trabalhar e não produziria de acordo com sua
capacidade. A partir desta observação surgiu a necessidade de criar condições de remunerar
mais a quem produzia mais, cujo objetivo era aumentar a motivação dos operários, visando o
aumento da produtividade.
A racionalização do trabalho o levou a criar os princípios da Administração, para que fossem
aplicadas em diversas situações da empresa industrial, sendo eles: pagar melhores salários e
reduzir os custos de produção; aplicar métodos científicos a fim de estabelecer processos
padronizados que permitam o controle das operações fabris; os empregados devem ser
cientificamente selecionados e colocados em seus postos com condições de trabalho
adequadas para que possam seguir normas; devem ser treinados para aperfeiçoar suas aptidões
e executarem suas tarefas para que a produção normal seja cumprida; e a administração
precisa criar um ambiente agradável e civilizado, e os empregados devem colaborar e dar
assistência aos companheiros de trabalho.
O segundo período corresponde à publicação do livro The Simples of Scientific Management
(1911), foi quando percebeu que a racionalização do trabalho operário deveria acontecer com

a improvisação deve ceder lugar ao planejamento e o empirismo a ciência. as indústrias da época passavam por três dificuldades: a vadiagem dos operários que reduziam intencionalmente a produção para evitar a redução das tarifas de salários pela gerência. Enfim a falta de padronização das técnicas e dos métodos de trabalho. sendo que estes movimentos são cronometrados para determinar o tempo médio que um operário gastaria para cumprir sua tarefa. econômicas e materiais. as recompensas influenciam nos esforços individuais do trabalho e produz muito mais do que é verdadeiramente capaz. tendo como resultado a padronização do método de trabalho e tempo utilizado para a execução da tarefa. divisão do trabalho e especialização do operário: com a finalidade de aumentar a produtividade e com a ideia que a eficiência aumenta com a especialização. Para Taylor. Outra dificuldade era a falta de conhecimento da gerência em relação à rotina de trabalho e tempo necessário para realização das tarefas.uma composição geral da empresa para tornar adequado com a aplicação de seus princípios. evitar movimentos que são desnecessários na execução das tarefas. incentivos salariais e prêmios de produção: a remuneração baseada na produção de cada operário. na qual diminui os movimentos inúteis enquanto os movimentos úteis são simplificados para reduzir o tempo gasto e o esforço feito. cada operário tornou-se especializado em uma única tarefa para ajustar-se aos padrões descritos e as normas de desempenho definidas pelo método. executar poucos movimentos úteis do ponto de vista fisiológico e com uma sequência apropriada dos movimentos. os métodos de execução e as relações com os demais cargos. sendo o homem motivado a trabalhar pela necessidade de dinheiro para viver. condições ambientais de trabalho: conjunto de condições de trabalho que garantam o bemestar físico do trabalhador e diminui o esgotamento do operário. a decomposição de tarefas em uma sequência ordenada de movimentos. o empregado era estimulado a produzir mais e ganhar na proporção de sua produção. padronização de métodos e máquinas: com o intuito de reduzir a desigualdade no processo produtivo e como . que se fundamenta nos seguintes aspectos: análise do trabalho e do estudo dos tempos e movimentos: é observada a execução dos movimentos de cada operário. tempos de saída dos operários para necessidades pessoais. estudo da fadiga humana: redutor da eficiência analisa os movimentos humano e possui tripla finalidade. entre outras) para resultar o tempo padrão. nesse tempo era adicionado o tempo elementar (esperas. Para ele. desenho de cargos e tarefas: especificar a tarefa. A tentativa de substituir métodos de trabalhos empíricos em métodos científicos recebeu o nome de Organização Racional do Trabalho. a organização e a Administração devem ser estudadas e tratadas cientificamente e não empiricamente. conceito de homo economicus: toda pessoa é influenciada por recompensas salariais.

encontrou empresas industriais com muitas falhas no seu sistema e através de seus estudos conseguiu realizar uma evolução na Administração. logístico. como financeiro. com o objetivo de convencer a comunidade científica da verdade dos fatos apresentados. foi pioneiro no estudo da Administração Científica e obteve bons resultados na racionalização das empresas da época. a superespecialização que levou a robotização dos operários. não visando outros ambientes em que esta se encontra. a visão microscópica na qual o homem é visualizado individualmente e como sendo parte do maquinário industrial ignorando o fato de ser um ser humano. abordagem de sistema fechado que visualiza e analisa internamente a empresa industrial. cada qual especializado em determinada área e que tem autoridade funcional sobre os mesmos subordinados. se restringiu aos problemas de produção na fábrica.consequência eliminar o desperdício e aumentar a eficiência. sem personalidade. Taylor foi o percussor da moderna organização do trabalho. a ausência de comprovação científica pelo fundador da teoria. ou seja. sem identidade. transformação do ser humano em robô. Porém várias críticas podem ser feitas a este estudo como o mecanismo de sua abordagem onde o homem possuía pouca importância no ambiente empresarial e era considerado como uma máquina. comercial. fenômeno ou alegação. que baseou seus estudos na observação e não apresentou as provas científicas que são todos os meios legítimos capazes de demonstrar a veracidade de um fato. a teoria possui seu ponto positivo. um ser esquematizado. a abordagem incompleta da organização que limita os aspectos formais e omite o restante da vida da empresa como os aspectos humanos da organização. E partir deste estudo foi possível fazer outras observações e melhorias na administração através de outros pensadores. . Contudo. supervisão funcional: existência de diversos supervisores. não considerando os demais aspectos da vida da organização.

Introdução à teoria geral da administração. Ed. 7. . Idalberto.REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA CHIAVENATO. 2003. Rio de Janeiro: Elsevier.