Você está na página 1de 21
Capítulo 1: Tensão Adaptado pela prof. Dra. Danielle Bond
Capítulo 1:
Tensão
Adaptado pela prof. Dra. Danielle Bond

Introdução

A resistência dos materiais é um ramo da mecânica que estuda as relações entre as cargas externas aplicadas a um corpo deformável e a intensidade das cargas internas que agem no interior do corpo.

Esse

assunto

também

envolve

o

cálculo

das

deformações do corpo e proporciona o estudo de sua

estabilidade quando sujeito a forças externas.

slide 2

Introdução

No

projeto

de

qualquer

estrutura

ou

máquina, é

necessário usar os princípios da estática para

determinar

as

forças

que

agem

sobre

os

vários

elementos, bem como no seu interior.

 

O tamanho dos elementos, sua deflexão e estabilidade dependem não só das cargas internas, mas também do tipo de material de que são feitos.

slide 3

Introdução

• Muitas fórmulas e regras de projeto definidas em

códigos de engenharia e utilizadas na prática são

baseadas nos fundamentos da resistência dos

materiais, e por essa razão, é muito importante entender

os princípios dessa matéria.

slide 4

Equilíbrio de um corpo deformável

Cargas externas

1. Forças de superfície:

deformável Cargas externas 1. Forças de superfície : causadas pelo contato direto de um corpo com

causadas pelo contato direto de um corpo com a superfície de outro.

2. Força de corpo:

Desenvolvida quando um corpo exerce uma força sobre outro, sem contato físico direto entre eles.

slide 5

Reações

• São as forças de superfície desenvolvidas nos apoios ou pontos de contato entre corpos.

• Se o apoio impedir a translação em uma determinada direção, então uma força deve ser desenvolvida no elemento naquela direção.

• Da mesma forma, se o apoio impedir a rotação, um momento deve ser exercido no elemento.

slide 6

Reações

• Forças de superfície desenvolvidas nos apoios ou pontos de contato entre corpos.

Reações • Forças de superfície desenvolvidas nos apoios ou pontos de contato entre corpos. slide 7

slide 7

Equações de equilíbrio • equilíbrio de um corpo exige um equilíbrio de forças O e
Equações de equilíbrio
• equilíbrio de um corpo exige um equilíbrio de forças
O
e
um equilíbrio de momentos.
F  0
M
O  0
• Se estipularmos um sistema de coordenadas x, y, z com
origem no ponto O,
 x
F
0 ,
F
0 ,
F
0
y
z
 
M
0 ,
M
0 ,
M
0
x
y
z
• A melhor maneira de levar em conta essas forças é
desenhar o diagrama de corpo livre do corpo.
slide 8

Cargas resultantes internas

• O objetivo do diagrama de corpo livre é determinar a força e o momento resultantes que agem no interior de um corpo

• Em geral, há quatro tipos diferentes de cargas resultantes:

Em geral, há quatro tipos diferentes de cargas resultantes: a) Força normal, N b) Força de

a) Força normal, N

b) Força de cisalhamento, V

c) Momento de torção ou torque, T

d) Momento fletor, M

slide 9

Exemplo 1.1

Determine as cargas internas resultantes que agem na seção transversal em C.

Exemplo 1.1 Determine as cargas internas resultantes que agem na seção transversal em C . slide

slide 10

Exemplo 1.1

Exemplo 1.1 slide 11

slide 11

Exemplo 1.1 slide 11

Exemplo 1.2

Determine as cargas internas resultantes que agem na seção transversal em C do eixo de máquina mostrado na Fig. O eixo está apoiado em mancais em A e B, que exercem somente forças verticais no eixo.

mostrado na Fig. O eixo está apoiado em mancais em A e B, que exercem somente

slide 12

Exemplo 1.2

Exemplo 1.2 slide 13

slide 13

Exemplo 1.2 1Reações de Apoio Ray: Momento em B = 0
Exemplo 1.2
1Reações de Apoio Ray: Momento em B = 0

slide 14

Exemplo 1.2

Exemplo 1.2 slide 15

slide 15

Exemplo 1.3

O guindaste na Fig. é composto pela viga AB e roldanas, além do cabo e do motor. Determine as cargas internas resultantes que agem na seção transversal em C se o motor estiver levantando a carga W de 2000 N (~200kg) com velocidade constante. Despreze o peso das roldanas e da viga.

estiver levantando a carga W de 2000 N (~200kg) com velocidade constante. Despreze o peso das

slide 16

Exemplo 1.3 slide 17
Exemplo 1.3
slide 17

Exemplo 1.4

Determine as cargas internas resultantes que agem na seção transversal em G da viga de madeira mostrada na Fig. Considere que as articulações em A, B, C, D e E estejam acopladas por pinos.

viga de madeira mostrada na Fig. Considere que as articulações em A, B, C, D e

slide 18

Exemplo 1.4 EE E
Exemplo 1.4
EE
E

slide 19

Exemplo 1.4 EE E
Exemplo 1.4
EE
E

slide 20

Exemplo 1.4

slide 21

E
E

Exemplo 1.4

slide 22

E
E
Exemplo 1.4 E slide 23
Exemplo 1.4
E
slide 23
Exemplo 1.4 slide 24
Exemplo 1.4
slide 24

Tensão

• Anteriormente dissemos que a força e o momento que

agem em um ponto específico da área secionada de um

corpo representam os efeitos resultantes da distribuição

de forças que agem sobre a área secionada.

• A distribuição de carga interna é importante na

resistência dos materiais, para resolver este problema é

necessário estabelecer o conceito de tensão.

slide 25

Tensão

• slide 26
slide 26

A tensão descreve a

intensidade da força

interna sobre um plano

específico (área) que

passa por um ponto.

Tensão normal, σ • Intensidade da força que age perpendicularmente à ΔA  F 
Tensão normal, σ
• Intensidade da força que age perpendicularmente à ΔA
F
z
lim
z
 0
A
A
Pode ser de TRAÇÃO
ou COMPRESSÃO
slide 27
 F Tensão de cisalhamento, τ x  lim  zx  A  0
F
Tensão de cisalhamento, τ
x
 lim
zx
 A
 0
 A
• Intensidade da força que age tangente à ΔA
F
y
 lim
O
eixo
z
especifica a
zy
 A
 0
 A
orientação da área e x e y
referem-se às retas que
indicam a direção das
tensões de cisalhamento
slide 28

Estado Geral de Tensão

Se

o corpo for ainda mais secionado por planos paralelos ao plano

x-z

e pelo plano y-z, então podemos cortar elemento cúbico de

volume de material que representa o estado de tensão que age em

cúbico de volume de material que representa o estado de tensão que age em torno do

torno do ponto escolhido no corpo.

slide 29

Estado Geral de Tensão

O Estado de Tensão é caracterizado por 3 componentes que agem

em cada face do elemento.

Estado Geral de Tensão O Estado de Tensão é caracterizado por 3 componentes que agem em

slide 30

Tensão normal e cisalhamento

• Unidades:

No Sistema Internacional de Medidas (SI):

Tensão [N/m²] = 1 Pa

K (10³); M (10 6 ); G (10 9 )

1N/mm² = 1MN/m² = 1MPa

slide 31

Tensão normal média em uma barra com carga axial

• Geralmente os elementos estruturais ou mecânicos são compridos e delgados; e estão sujeitos a cargas axiais aplicadas às extremidades do elemento.

• Nesta seção determinaremos a distribuição de tensão média que age na seção transversal de uma barra com carga axial.

slide 32

a distribuição de tensão média que age na seção transversal de uma barra com carga axial.

Tensão normal média em uma barra com carga axial

A força resultante interna que age na área da S.T. deve ter valor igual, direção oposta à força externa que age na parte inferior da barra.

slide 33

na área da S.T. deve ter valor igual, direção oposta à força externa que age na
na área da S.T. deve ter valor igual, direção oposta à força externa que age na

Distribuição da tensão normal média

• Quando a barra é submetida a uma deformação uniforme, essa deformação é o resultado
• Quando a barra é submetida a uma
deformação uniforme, essa
deformação é o resultado de uma
tensão normal cte ;
• Cada área é submetida a uma força, e
a sua somatória é equivalente à força
resultante interna P:
dF
dA
A
P
A
P
A

slide 34

Distribuição da tensão normal média P   A
Distribuição da tensão
normal média
P
 
A

σ = tensão normal média P = força normal interna resultante A = área da seção transversal da barra

resultante A = área da seção transversal da barra Equilíbrio • As duas componentes da tensão

Equilíbrio

• As duas componentes da tensão normal no elemento têm valores iguais mas direções opostas.

slide 35

Exemplo 1.6

A barra tem largura constante de 35 mm e espessura de 10 mm.

Determine a tensão normal média máxima na barra quando ela é

submetida à carga mostrada.

espessura de 10 mm. Determine a tensão normal média máxima na barra quando ela é submetida

slide 36

Solução:

Por inspeção, as forças internas axiais são constantes, mas têm valores diferentes.

Solução: Por inspeção , as forças internas axiais são constantes, mas têm valores diferentes. slide 37
Solução: Por inspeção , as forças internas axiais são constantes, mas têm valores diferentes. slide 37

slide 37

Solução:

Solução: slide 38
Solução: slide 38

slide 38

Exemplo 1.7

A luminária de 80kg é sustentada por duas hastes, AB e BC, como mostra a Figura. Se AB tiver diâmetro de 10mm e BC tiver diâmetro de 8mm, determine a tensão normal média em cada haste.

slide 39

Se AB tiver diâmetro de 10mm e BC tiver diâmetro de 8mm, determine a tensão normal
 BC = 7,86MPa  BA = 8,05MPa
 BC = 7,86MPa
BA = 8,05MPa

slide 40

Exemplo 1.8

A peça fundida mostrada é feita de aço, cujo peso específico é

Determine a tensão de compressão média que age nos pontos A e B.

aço

3

80 kN/m

.

slide 41

específico é Determine a tensão de compressão média que age nos pontos A e B. 

Exemplo 1.8

slide 42
slide 42
Exemplo 1.8 slide 42
Exemplo 1.8 slide 42

Exemplo 1.9

O elemento AC mostrado na Fig. Está submetido a uma força vertical de 3kN. Determine a posição x dessa força de modo que a tensão de compressão média no apoio liso C seja igual à tensão de tração média na barra AB. A área da seção transversal da barra é 400mm² e a área em C é de 650mm².

média na barra AB. A área da seção transversal da barra é 400mm² e a área

X = 124mm

slide 43

Tensão normal, σ

• Intensidade da força que age perpendicularmente à ΔA

 F z  A
 F
z
 A

lim

z

 0

A

Pode ser de TRAÇÃO ou COMPRESSÃO

slide 44

Tensão de cisalhamento, τ  F x  lim  zx  A  0
Tensão de cisalhamento, τ
F
x
 lim
zx
 A
 0
 A
• Intensidade da força que age tangente à ΔA
F
y
 lim
O
eixo
z
especifica a
zy
 A
 0
 A
orientação da área e x e y
referem-se às retas que
indicam a direção das
tensões de cisalhamento
slide 45

Tensão de cisalhamento média

• A tensão de cisalhamento foi definida como a componente da tensão que age no plano da área secionada.

• Se F for suficientemente grande, o material da barra irá deformar-se e falhar ao longo dos planos AB e CD.

• A força de cisalhamento V=F/2 deve ser aplicada a cada

seção para manter o segmento em equilíbrio.

CD. • A força de cisalhamento V=F/2 deve ser aplicada a cada seção para manter o

slide 46

CD. • A força de cisalhamento V=F/2 deve ser aplicada a cada seção para manter o

Tensão de cisalhamento média

• A tensão de cisalhamento média distribuída sobre cada área secionada que desenvolve essa força de cisalhamento é definida por:

V   méd A
V
 méd
A

τ méd = tensão de cisalhamento média

V = força de cisalhamento interna resultante

A = área na seção

slide 47
slide 47
Tensão de cisalhamento média Dois tipos diferentes de cisalhamento que ocorrem frequentemente na prática a)
Tensão de cisalhamento média
Dois tipos diferentes de cisalhamento que ocorrem frequentemente na prática
a) Cisalhamento simples
b) Cisalhamento duplo
slide 48

Tensão de cisalhamento média

Equilíbrio:

Todas as quatro tensões de cisalhamento devem ter valores iguais e serem direcionadas no mesmo sentido ou em sentido oposto uma das outras nas bordas opostas do elemento:

iguais e serem direcionadas no mesmo sentido ou em sentido oposto uma das outras nas bordas

slide 49

Exemplo 1.10a

A barra mostrada na Figura tem área de seção transversal quadrada com 40mm de profundidade e largura. Se uma força axial de 800N for aplicada ao longo do eixo que passa pelo centróide da área da seção transversal da barra, determine a tensão normal média e a tensão de cisalhamento média que agem no material ao longo do plano de seção a-a.

a tensão normal média e a tensão de cisalhamento média que agem no material ao longo

slide 50

Exemplo 1.10

Exemplo 1.10 slide 51
Exemplo 1.10 slide 51

slide 51

Exemplo 1.12

O elemento inclinado está submetido a uma força de compressão de 3.000 N.

Determine a tensão de compressão média ao longo das áreas de contato lisas

definidas por AB e BC e a tensão de cisalhamento média ao longo do plano

horizontal definido por EDB.

definidas por AB e BC e a tensão de cisalhamento média ao longo do plano horizontal

slide 52

Solução: As forças de compressão agindo nas áreas de contato são: A força de cisalhamento

Solução:

As forças de compressão agindo nas áreas de contato são:

A força de cisalhamento agindo no plano horizontal secionado EDB é:

slide 53

v
v
Fx
Fx

As tensões de compressão médias ao longo dos planos horizontal e vertical do elemento inclinado são

As tensões de compressão médias ao longo dos planos horizontal e vertical do elemento inclinado são
As tensões de compressão médias ao longo dos planos horizontal e vertical do elemento inclinado são
As tensões de compressão médias ao longo dos planos horizontal e vertical do elemento inclinado são

slide 54

Tensão admissível

• Há muitos fatores desconhecidos que influenciam na tensão real de um elemento.

• O fator de segurança é um método para especificação da carga admissível para o projeto ou análise de um elemento.

• O fator de segurança (FS) é a razão entre a carga de ruptura e a carga admissível.

slide 55

FS

F rup

F adm

Tensão admissível

• Os fatores de segurança e, portanto, as cargas ou tensões admissíveis para elementos estruturais e mecânicos estão bem padronizados, já que as incertezas envolvidas em seu projeto foram razoavelmente avaliadas.

• Seus valores podem ser encontrados em normas de projeto e manuais de engenharia`(sempre maior que 1).

slide 56

Exemplo 1.14

O braço de controle está submetido ao carregamento mostrado na figura abaixo. Determine, com aproximação de 5 mm, o diâmetro exigido para o pino de aço

em C se a tensão de cisalhamento admissível para o aço for Note na figura que o pino está sujeito a cisalhamento duplo.

adm

55 MPa

.

slide 57

admissível para o aço for Note na figura que o pino está sujeito a cisalhamento duplo.
Diagrama de corpo livre: slide 58

Diagrama de

corpo livre:

Diagrama de corpo livre: slide 58

slide 58

O pino em C resiste à força resultante em C. Portanto,

2 2 F C  5 30   30,41 kN
2
2
F C 
5 30
30,41 kN
O pino em C resiste à força resultante em C . Portanto, 2 2 F C

slide 59

Exemplo 1.17 A barra rígida AB é sustentada por uma haste de aço AC com
Exemplo 1.17
A barra rígida AB é sustentada por uma haste de aço AC com 20 mm de
diâmetro e um bloco de alumínio com área de seção transversal de 1.800 mm 2 .
Os pinos de 18 mm de diâmetro em A e C estão submetidos a cisalhamento
 
simples. Se a tensão de ruptura do aço e do alumínio forem
680 MPa
e
aço
rup
 
70 MPa
, respectivamente, e a tensão falha para cada pino for de
al
rup
900 MPa
, determine a maior carga P que pode ser aplicada à barra. Aplique
rup
um fator de segurança FS = 2.
slide 60

Solução:

Diagrama de corpo livre:

Solução: Diagrama de corpo livre: slide 61 Resposta: P=168kN

slide 61

Resposta:

P=168kN

Solução: Diagrama de corpo livre: slide 61 Resposta: P=168kN

Exemplo 1.10b

A barra mostrada na Figura tem área de seção transversal quadrada com 40mm

de profundidade e largura. Se uma força axial de 800N for aplicada ao longo do

eixo que passa pelo centróide da área da seção transversal da barra, determine

a tensão normal média e a tensão de cisalhamento média que agem no material

ao longo do plano de seção b-b.

a tensão normal média e a tensão de cisalhamento média que agem no material ao longo

slide 62

Exemplo 1.10b

slide 63

Exemplo 1.10b slide 63