Você está na página 1de 39

HISTOLOGIA

TECIDO EPITELIAL
HISTOLOGIA

- Conceito: é o estudo dos tecidos.

- Tecido: conjunto de células semelhantes na forma e na função.

- Número de tecidos: 4

 Tecido epitelial

 Tecido conjuntivo (vários tipos)

 Tecido muscular (3)

 Tecido nervoso (sem variação)


Tecido epitelial

Funções:

- Revestem a superfície externa e as cavidades do corpo 


epitélios de revestimento.

- Produzir secreções  epitélio glandular.

- Captar estímulos provenientes do ambiente (função sensorial) 


neuroepitélios.
Tecido epitelial

Características gerais:

- Células justapostas

- Escassa substância intercelular

- Glicocálice: membrana glicoprotéica externa à membrana


plasmática. Funções: adesão entre as células, pinocitose
(partículas submicroscópicas), reações imunológicas.

- Lâmina basal (presente em todo epitélio): membrana constituída


por colágeno tipo 4, laminina e outras proteínas.
Tecido epitelial

- Membrana basal (lâmina mais espessa): além dos constituintes


acima, tem fibras reticulares e proteínas. Todos os epitélios têm
lâmina basal, alguns têm membrana basal. Geralmente formada
pela fusão de duas lâminas basais ou de uma lâmina basal e
uma lâmina reticular.

- Polaridade celular: pólo basal e pólo apical.

- Complexos unitivos. Ex.: junção GAP que permite a


comunicação entre os citoplasmas das células.
- Membranas basais
presentes em um
glomérulo renal.
- Polaridade celular e
complexos unitivos.
Tecido epitelial

Variedades:

- Tecido epitelial de revestimento

- Tecido epitelial glandular


Tecido epitelial de revestimento

1) Conceitos:

- Mucosa: é o epitélio de revestimento mais o conjuntivo que


revestem os órgãos úmidos.

- Modificações apicais das células epiteliais:

• cílios

• flagelos

• estereocílios

• microvilosidades
Flagelo e cílio diferem apenas em número e tamanho. A estrutura
de ambos é idêntica.

Flagelo: menor número, maior tamanho.

Cílio: maior número, menor tamanho.

Estereocílios: microvilosidades muito grande. Aumentam a


superfície de absorção. Presentes no epidídimo.

Microvilosidades: evaginações da membrana para aumentar a


superfície de absorção.

- Vascularização e inervação: o epitélio não tem vasos sangüíneos


e possui várias terminações nervosas.
- Glicocálice e microvilosidades
2) Tipos especiais de células epiteliais de revestimento:

- Células que transportam ativamente íons. Ex: células dos rins.

- Células que produzem proteínas (células serosas).

- Células que produzem esteróides (hormônios sexuais). Ex:


células das gônadas.
- Célula de um túbulo
contorcido proximal
do rim.
- Célula serosa de um
ácino pancreático.
- Célula secretora de
esteróides.
3) Variedades de tecido epitelial de revestimento:

3.1- Quanto ao número de camada de células:

- Simples: uma única camada

- Pseudo-estratificado

- Estratificado: mais de uma camada

3.2- Quanto à forma da célula:

- Pavimentoso: célula achatada

- Cúbico

- Prismático
Exemplos:

a) endotélio e mesotélio: epitélio simples pavimentoso


Exemplos:

b) revestimento do ovário e túbulos coletores do rim: epitélio


simples cúbico
Exemplos:

c) estômago e intestino: epitélio simples prismático


Exemplos:

d) revestimento do esôfago: epitélio estratificado pavimentoso


Exemplos:

e) bexiga e uretra: tecido epitelial estratificado de revestimento de


transição
Exemplos:

f) traquéia e epidídimo: epitélio pseudo-estratificado

g) conjuntiva do olho: tecido epitelial estratificado prismático


Tecido epitelial glandular

1) Origem das glândulas:

- Todas as glândulas originam-se do epitélio de revestimento.

Glândula exócrina: permanece ligada ao epitélio de revestimento.

Glândula endócrina: desligam-se do epitélio de revestimento e


ficam isoladas no tecido conjuntivo. Envolvidas por capilares
sangüíneos, dentro dos quais elas lançam as suas secreções.
2) Tipos de glândulas:

2.1- Glândulas exócrinas

- São aquelas cuja secreção é lançada diretamente para fora do


corpo ou para suas cavidades.

- Possuem uma parte secretora (adenômero) e uma condutora


(ducto).
2.1.1- Classificação das glândulas exócrinas

A- Segundo o adenômero:

- Tubulosa: o adenômero é um tubo (tubuloso). Ex: sudoríparas.

- Acinosa: o adenômero é arredondado. Ex: sebáceas e parótida.

- Tubuloacinosa. Ex: submandibular ou sublingual.

B- Segundo o ducto:

- Simples: o ducto não se ramifica.

- Composta: o ducto se ramifica.


- Principais tipos de glândulas exócrinas.
2.1.1- Classificação das glândulas exócrinas

C- De acordo com o modo pelo qual os produtos de secreção


deixam a célula:

- Merócrinas: secreção liberada por exocitose, sem perda de outro


material celular. Ex: pâncreas.

- Holócrinas: o produto de secreção é eliminado juntamente com


toda a célula. Ex: glândula sebácea.

- Apócrinas: o produto de secreção é descarregado junto com


porções do citoplasma apical. Ex: glândulas mamárias.
- Porção secretora de
uma glândula mamária.
2) Tipos de glândulas:

2.2- Glândulas endócrinas

- São aquelas cuja secreção é lançada diretamente ao sangue.

- Não possuem adenômero e ducto.


2.1.1- Classificação das glândulas endócrinas

A- Glândulas endócrinas cordonais (ou em massa)

- São constituídas por capilares sangüíneos envolvidos por células


secretoras.

- A maioria das glândulas endócrinas é desse tipo.

- Ex: supra-renal, paratireóide, hípófise.


2.1.1- Classificação das glândulas endócrinas

B- Glândulas endócrinas foliculares (ou vesiculares)

- As células se dispõem ao redor de canais chamados folículos ou


vesículas.

- Absorvem iodeto do sangue, retirando o iodo e lança-o para


dentro do folículo.

- As células produzem a proteína tireoglobulina que também é


lançada dentro do folículo.

- O iodo reage com a tireoglobulina formando monoiodotironina,


diiodotironina, triiodotironina ou tetraiodotironina.
- Dentro do folículo há uma mistura de substâncias chamada
colóide.

- As célula do folículo fagocitam gotas do colóide e retiram da


gotícula triiodotironina e tetraiodotironina que são os hormônios
lançados ao sangue.

- A carência de iodo causa o bócio.

- O T3 e T4, hormônios da tireóide, controlam o metabolismo geral


do corpo.
2) Tipos de glândulas:

2.2- Glândulas anfícrinas

- São aquelas que possuem uma parte endócrina e uma parte


exócrina.

- Ex1: pâncreas:

Parte endócrina: produção de insulina, glucagon e somatostatina.

Parte exócrina: produção do suco pancreático que é lançado no


duodeno pelo canal colédoco.

- Ex2: fígado:

Parte endócrina: produção de proteínas plasmáticas (fibrinogênio,


protrombina).

Parte exócrina: produção de enzimas digestivas.


3) Glândulas unicelulares:

- As células caliciformes são


consideradas glândulas
unicelulares.

- As células parietais do
estômago que produzem
HCl.

- Células zimogênicas do
estômago que produzem
pepsina.
4) Glândulas intra e extraparietais:

- Intraparietais são aquelas que estão na parede de outro órgão.


Ex: glândulas do esôfago, do estômago, do útero.

- Extraparietais são as glândulas isoladas, que não estão na


parede de outro órgão. Ex: glândulas salivares.
5) Secreção endócrina, parácrina e exócrina:

- Endócrina: vai para o sangue.

- Exócrina: vai para fora do corpo ou para o tubo digestivo.

- Parácrina: geralmente feita por glândulas unicelulares, é a


secreção que age sobre as proximidades dessas glândulas (ou
células).

- Células do sistema neuroendócrino difuso (DNES) são células de


secreção parácrina.