DOI: 10.

1590/S1413-41522015020000113620

Artigo Técnico

Comportamento e avaliação de metais
potencialmente tóxicos (Cu (II), Cr (III), Pb(II)
e Fe(III)) em águas superficiais dos Riachos
Capivara e Bacuri Imperatriz-MA, Brasil
Behavior and evaluation of potentially toxic metals (Cu(II), Cr(III), Pb(II) and Fe(III))
in surface waters of streams Capivara and streams Bacuri Imperatriz-MA, Brazil
Bruno Lucio Meneses Nascimento1, Dianna Rayla Carneiro de Souza Gomes2, Gleison Pereira Costa2,
Suely Silva Araújo2, Luiz Carlos Araújo dos Santos3, Jorge Diniz de Oliveira4

RESUMO ABSTRACT
Esta pesquisa avaliou a dinâmica e a distribuição dos metais Cu (II), Cr (III), Pb This research evaluated the dynamics and distribution of Cu (II), Cr (III),
(II) e Fe (III), em amostras de água superficiais no Riacho Capivara e Riacho Pb (II) and Fe (III) in samples of surface water in the streams Capivara
Bacuri na cidade de Imperatriz, Maranhão. As amostras de água foram and streams Bacuri in Imperatriz city, Maranhão state, Brazil. There
coletadas em 2 pontos de amostragem à montante e jusante da cidade were two water sampling points upstream and downstream of the city
de Imperatriz para avaliar a influência da urbanização. Foram analisados os of Imperatriz to evaluate the influence of urbanization. Were analyzed
metais potencialmente tóxicos Cu (II), Cr (III), Pb (II) e Fe (III) e os seguintes the potentially toxic metals (Cu (II), Cr (III), Pb(II) and Fe(III)) and the
parâmetros físicos e químicos: pH, sólidos totais dissolvidos, turbidez, e following physical and chemical parameters: pH, total dissolved solids,
condutividade elétrica. As determinações dos metais foram feitas por meio turbidity and electrical conductivity. Measurements of Cu(II), Pb(II) and
de espectrometria de absorção atômica em chama (FAAS). As variações Fe(III) were made by means of atomic absorption spectrometry in the
observadas para os parâmetros físico-químicos (pH, Condutividade Sólidos flame (FAAS). The variations observed for the physical and chemical
Totais Dissolvidos e Turbidez) indicam alterações na qualidade da água em parameters (pH, Conductivity and Total Dissolved Solids Turbidity)
virtude de ações antrópicas. Foi observada a presença sistemática de todos indicate changes in water quality due to human actions. We observed
os metais investigados durante todo o período amostrado. Os resultados the systematic presence of all metals investigated over the sampling
obtidos demostraram que Cu (II), Cr (III), Pb (II) e Fe (III) encontram-se points. The results showed that Cu (II), Cr (III), Pb (II) and Fe (III) are
preferencialmente associados a material particulado em suspensão preferentially associated with suspended particulate matter (SPM).
(MPS). As variações observadas para os parâmetros físico-químicos e nas The variations observed for the physical and chemical parameters
concentrações dos metais investigados indicam haver contribuição de and concentrations of the metals investigated indicate a contribution
caráter antropogênico associada à litologia da região, o que juntamente com of anthropogenic character associated with the lithology region, which
a sazonalidade e fontes difusas e pontuais, contribuem, para a deterioração along with the seasonality and diffuse and point source contribute to
das águas superficiais desses corpos hídricos. the deterioration of surface water body of water

Palavras-chave: águas superficiais; metais totais; metais dissolvidos. Keyword: surface water; total metals; dissolved metals.

Trabalho realizado na Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) – Imperatriz (MA), Brasil.
1
Doutorando em Engenharia Civil: Saneamento Ambiental da Universidade Federal do Ceará (UFC) – Fortaleza (CE), Brasil.
2
Graduados em Química pela UEMA – Imperatriz (MA), Brasil.
3
Doutor em Geografia. Professor Adjunto do Departamento de História e Geografia da UEMA – Imperatriz (MA), Brasil.
4
Doutor em Química. Professor Adjunto do Departamento de Química e Biologia da UEMA – Imperatriz (MA), Brasil.
Endereço para correspondência: Bruno Lucio Meneses Nascimento – Rua Godofredo Viana, 1300 – 65900-000 – Imperatriz (MA), Brasil – E-mail: brunoimpma@hotmail.com.
Recebido: 17/01/13 – Aceito: 27/06/14 – Reg. ABES: 113620

Eng Sanit Ambient | v.20 n.3 | jul/set 2015 | 369-378 369

resíduos de combustíveis.. latitude 05° 32´419´´ S e longitude et al. geralmente.. Ponto 2. MIRANDA tude 47° 27’ 002’’ W Gr. como postos de gasolina. POLETO & MARTINEZ. alta carga de resíduos líquidos domésticos e industriais sem tratamento cies associadas às partículas sólidas (MIRANDA et al. observam-se atividades econômicas irregulares na medida de que se Algumas espécies metálicas são essenciais à vida em pequenas consideram suas respectivas localizações. PEREIRA prévio e pontos de rede de drenagem pluviais. riachos pelas aplicações de agroquímicos e adubações nitrogenadas dade de entrar e permanecer nas cadeias tróficas por longos períodos.480 km2 estão em zona urbana segundo dados estatísticos do IBGE gicos.. em uma alti- graxas deixados por veículos. dentre as quais destacam-se metro urbano da cidade. O riacho biodegradáveis e tendem a se acumular nos organismos vivos. criação de porcos. 2005. ZARAZUA et al. o pontuais associadas ao tipo de uso e ocupação do solo nesses corpos deflúvio superficial urbano. Capivara corta a cidade na região norte–leste. deposição atmosférica. localizada na mesorregião oeste maranhense. resíduos orgânicos de animais. enquanto o frequentemente utilizados para caracterizar e avaliar problemas de ponto 2 tem latitude 05° 30’ 419’’ S e a longitude 47° 27’ 002’’ W Gr. menos impactada pelo ticos urbanos tem despertado interesse sob vários aspectos. tude de 95 metros. As coor- ciclagem biogeoquímica e seus comportamento e/ou distribuição na denadas dos pontos de coleta no Riacho Capivara. O pre- das ao tipo de uso e ocupação do solo.553 habitantes. Cr (III) e Fe (III)) nas frações dissolvidas e totais em urbana. 2007. é realizada sem acompanhamento técnico. ZIMMERMANN como o Cu (II). partículas resultantes de desgaste de A cidade de Imperatriz. na superfície do solo urbano. 2012. OLIVEIRA & SILVA. o ponto 1 possui cadeia alimentar.80%) residem na zona urbana e área 1. 2006.291´ S e longitude 47°29´230´´ W Gr. podendo contaminar os mos. influenciando direta ou (2010).. 2009). reforça a importância de estudos que determinem suas concentrações Foram escolhidos dois pontos de amostragem.M. contaminação em águas superficiais em área urbanizadas (GUEDES No Riacho Bacuri. se estende pela margem direita do rio Tocantins e é duos sanitários na rede de drenagem pluvial. erosão de solos na área de influência desse ambiente aquático. et al. quantidades. 2011). Os metais tóxicos são transportados principalmente Ambos os corpos hídrico ao longo do perímetro urbano recebem pelas águas. 2009).901 km2.. BELLUTA et al. Nascimento. JORDÃO et al. o deflúvio superficial agrícola (SABIN et al.367.671 habitantes cesso de urbanização desordenado na maioria das cidades brasileiras (98.20 n.. pode-se admitir que as fontes pontuais e não os resíduos líquidos urbanos e industriais. e poluente do ar (JESUS atravessada pela Rodovia Belém-Brasília. 2009.08 km e se junta com o Riacho Santa Tereza. empresas de produ- qualidade do curso hídrico e ocasionar danos à saúde (BARROS et al. 15. ção de concreto e existência de atividade de hortifruticultura. desordenadas. 15. óleos e a 5º31’33” de latitude sul e 27º28’33” longitude oeste. Cr e Fe.. possui a maior parte çados no ambiente. No perímetro estudado. ção de controle do background natural. sendo que vem ocasionando alterações no ambiente. seguida da possibilidade de eutrofizar corpos hídricos.2009. 2006. Espécies metálicas como Cu. pneus.. 2013) 47º29´230´´ W Gr.. e têm sido sistematicamente lan. A origem desses poluentes é bastante diversificada.. Pb. de lonas de freio e de asfalto. provo. afetando a qualidade de solos e águas (OLIVEIRA do seu percurso dentro do perimetro urbano. SANTOS et al. Tocantins-Araguaia. foi localizado na entrada do perímetro urbano considerado como esta- A presença de metais potencialmente tóxicos em ecossistemas aquá. o primeiro ponto em ambientes aquáticos (BARROS et al. hídricos podem estar contribuindo com o aporte de espécies metálicas 2005. POLETO & MARTEN. todos os poluentes que se depositam águas superficiais do Riacho Capivara e Riacho Bacuri. B. & SILVA. associados a sua relativa facili. dos quais 234. Ambos nascem Os metais potencialmente tóxicos são contaminantes químicos não próximo ao perimetro urbano da cidade de Imperatriz (MA).L. mesmo em baixas concentrações. alterando processos bioló. 2008. no entanto. O pro. sobretudo aporte de resíduos líquidos urbanos e industriais. Os Riachos Capivara e Bacuri.. depois de percorrer o perí- como pontuais e não pontuais ou difusas. sob duas formas físicas: as espécies dissolvidas e as espé.. Os altos índices de toxicidade de alguns metais para os organis. o ponto 1 possui latitude 05° 29’ 494’’ S e a longi- et al. que contêm. Essas fontes estão associa. grandes quantidades podem comprometer a postos de lavagem de veículos. 2008). como por exem- plo: lixo acumulado nas ruas. 370 Eng Sanit Ambient | v. físicos e químicos dos sistemas naturais. Cr (III) e Fe (III) além do intemperismo e da et al. 2013). dados disponíveis) 247. são representados na Figura 1. INTRODUÇÃO Considerando que o Riacho Capivara e Riacho Bacuri nascem nas As principais fontes de metais potencialmente tóxicos são classificadas proximidades da cidade de Imperatriz-MA. possui (segundo os últimos et al.3 | jul/set 2015 | 369-378 . Os metais podem também ser sente estudo teve como objetivo determinar as concentrações de metais incorporados em sistemas aquáticos a partir das águas de drenagem (Cu (II). ligações incorretas ou clandestinas de resí. BELLUTA et al.. ou seja. têm sido latitude de 05°29. 2008. Pb (II). segue um percurso de cando distúrbios e doenças variadas. e o segundo ponto em relação ao destino e os possíveis efeitos desses contaminantes sua na saída do perímetro urbano para ambos os rios (Figura 1). 2004. resíduos METODOLOGIA provenientes de construção civil. Pb (II). & EBECKEN. a qual 2009). que pertencem a sub-bacia 23 indiretamente na qualidade de vida da população.

litros em duas porções.HS Base de Dados: Imagem Alos W E Org: Luiz Carlos A. zadas de acordo com fluxograma da Figura 2. Comportamento de Metais Potencialmente Tóxicos em Riachos Toda a água utilizada no estudo foi previamente destilada e puri. A preparação das amostras para as determinações dos condições. Maranhão. dos Santos Jorge Diniz de Oliveira S Localização dos Pontos de Coleta de Água no Riacho Bacuri e Capivara 47°33’0”W 47°31’30”W 47°30’0”W 47°28’30”W 47°27’0”W Figura 1 – Mapa de localização dos pontos de amostragem dos riachos Capivara e Bacuri no perímetro urbano de Imperatriz. As amostras foram transportadas para e por cinco vezes com água destilada. metais dissolvidos e totais foram reali- água destilada e enxaguado com água desionizada. Eng Sanit Ambient | v. condutividade.20 n. não acidificada. e na análise dos elementos químicos foram tratados u ­ tilizando-se As amostras de água foram coletadas em frasco de polietileno de 2 estatística descritiva como ferramenta auxiliar e os programas 47°33’0”W 47°31’30”W 47°30’0”W 47°28’30”W 47°27’0”W 60°0’0”W 40°0’0”W 10°0’0”N América do Sul Brasil Região Nordeste 5°28’30”S Maranhão ra p iva Ca ho ri 10°0’0”S c cu P1 Ria a h oB c Ria P1 30°0’0”S 5°30’0”S 5°15’0”S P2 50°0’0”S 5°30’0”S 5°31’30”S 47°45’0”W 47°30’0”W Tocantins Maranhão Rio Toc P2 ant Pontos de Coleta ins Riacho Capivara Riacho Bacuri 5°33’0”S MA-122 BR-010 Perímetro Urbano Rio Tocantins 0 0.5 1 2 3 km 5°34’30”S Projeção: UTM N Datum: Sad 69 . água de torneira dissolvidos (STD) e turbidez. e a outra porção. uma das porções foi acidificada para deter- ficada em sistema deionizador de água Milli-Q® Gradiente A 10® minar metais totais e dissolvidos. Millipore® (resistividade 18. Em seguida. sólidos totais do material de coleta foi feita com detergente neutro. o material foi lavado com parâmetros físico-químicos.2 MW. A limpeza de toda vidraria e foi utilizada na determinação de pH.3 | jul/set 2015 | 369-378 371 . retirado do banho. sendo três no período chuvoso três no período não chuvoso.cm-1). Todas as amostras foram coletadas em solução de ácido nítrico a 10% (v/v) e mantida por 24 horas nessas em triplicata. sendo posteriormente submersa o laboratório sob resfriamento. Foram realizadas 6 coletas entre outubro de 2011 a novembro de Os resultados obtidos na avaliação dos parâmetros f­ ísico-químicos 2012.

Microsoft Office Excel 2007 e ASSISTAT. taxa minado por diferença de peso. Md = metais dissolvidos nação de sólidos totais dissolvidos utilizou-se o método proposto por Silva (1997).20 n. lâmpada de deutério para correção de background (fundo). et al.1 e 0.0 NTU.45 µm 217. Todas as determinações foram (PARKS et al.8 a %Mad = Mt – Md x 100(1) 545.5 mols. a amos.3 nm para o Fe. A condutividade foi determinada % Mad = percentagem de metais adsorvidos utilizando-se um condutivímetro de bancada modelo Q-405-M Mt = metais totais da Quimis calibrado com soluções 0.L. Nascimento.0.0 mL. 2011).. leno. Estão mostrados juntamente com os valo- armazenado sob refrigeração até a ocasião das análises.. em bloco digestor até o volume 50 mL O volume restante foi digerido com uma mistura de 3:1 de HNO3 RESULTADOS E DISCUSSÃO concentrado e H2O2 até o volume de 25 mL. 2004) para a separação da fração dissolvida do material feitas em triplicatas (n=3) e acompanhadas de um branco analítico particulado. Pb (II). Amostra de Água Água não acidificada Água acidificada Parâmetros Físico-químicos Filtração (0.45 µm) Pré-concentração 120°C Filtrado pH Metais Dissolvidos Digestão (60°C) HNO3 : H2O2 Condutividade 3:1 Turbidez Sólidos Totais Dissolvidos Metais Totais Determinação do teor de metais FAAS Figura 2 – Fluxograma das etapas de preparação da amostra de água para determinação dos parâmetros físico-químicos e metais.3 | jul/set 2015 | 369-378 .9 nm para o Cr. As condições instrumentais foram: chama do tipo ar/aceti- até peso constante. A determinação da gado a Equação 1 desenvolvida por Oliveira (2006): turbidez foi realizada utilizando-se um turbidímetro plus micro- processador da Alfakit calibrado com padrões variando de 50.0 nm para o Pb e 248. para as determinações dos parâmetros instrumentais porado até a secura em banho-maria. Cr (III) e Fe (III) foram feitas para uma cápsula de porcelana limpa e seca a 105°C na estufa por por espectrometria de absorção atômica em chama (FAAS) da VARIAN 24 horas e esfriada em dessecador e pesada. percentagem de metal adsorvido no material particulado foi empre- forme demonstram Silva e Azevedo (2002).M. O pH da água foi medido utilizando um pHmetro de Mt bancada digital modelo pH 300M da Analyser. Após a evaporação a cáp. B. Na determi. previamente cali. Os resultados obtidos para os parâmetros físico-químicos estão tra foi transferida para balão volumétrico de 25 mL (metais totais).L-1.6 Beta con. onde: brado com padrões 4. e representados na Tabela 1. O restante da amostra foi pré-concentrada uma tempe- ratura de 120ºC±1 (REIS et al. versão 7. foram feitas curvas no intervalo de concentração recomendada pelo sula com os resíduos foram submetidos a aquecimento a 105°C fabricante. utilizando-se membranas de acetato de celulose com porosidade 0. Para estimar res estabelecidos para alguns parâmetros pela resolução 357/05 do 372 Eng Sanit Ambient | v. uma alíquota de 50 mL da amostra foi transferida A quantificação de Cu (II). O teor de sólidos totais dissolvidos foi deter. modelo AA240. O material foi eva. 357.7 nm para o Cu.min-1 lâmpada de catodo oco monoelementar Uma alíquota de 1 litro da amostra acidificada foi filtrada a vácuo com comprimento de onda 324. de aspiração de 2.7 e 9. Após a digestão.

8 70.0 25. Ambos os corpos hídricos ção presente no corpo hídrico.7 101. Sd: Desvio padrão Média. interferindo na velocidade Capivara não diferiram muito em sua amplitude nas seis coletas reali.. Rodrigues et al. Max: Maximo. Riacho Capivara Riacho Bacuri P.5 123.4 138. quanto pela classificação da CESTEB (2010).5 NTU. (2000) em ambientes lóticos não contaminados a CE Esta variabilidade pode ser atribuída tanto a processos naturais.7 C. 2012). Eng Sanit Ambient | v.5 121.2 49.8 238. devido à presença dissolvidos. cativo de ambiente impactado níveis de condutividade superiores a palmente.1 a 36. resíduos domésticos que são despejados in natura ao longo 100 µS.4 1 Médias 7.3 33.cm-1.4 395.3 NTU.8 64. Uma elevação nessa variável pode causar pos hídricos são considerados contaminados em relação à presença Tabela 1 – Estatística descritiva dos parâmetros físico-químicos para as amostras de água dos Riachos Capivara e Bacuri. O Riacho Capivara apresentou Resolução CONAMA 357/05 (pH 6. argila).9 Sd 0.5 56. STD: sólidos totais dissolvidos. tais como partículas inorgânicas (areia.3 28.0 µmS.20 n. O Riacho Bacuri exibiu valores de 70. tanto pela classificação de Paláez-Rodrigues et al. detritos orgânicos.9 NTU (Tabela 1) Bacuri os valores tiverem entre 7. NETA PINTO et al.0 7.9 6. Durante o período estudado os valores do pH no Riacho modificações nos ciclos biodinâmicos. como varia entre 6 a 30 µmS.0 4.1 86..3 273.2.9 0.0 25. bidez no Riacho Capivara estiveram entre de 8. valores bem próximos no preservado riacho Guabiroba.9 NTU no ximo da neutralidade e com tendência ligeiramente básica.1 50. 2009. A condutividade elétrica (CE) depende do número de íons em solu- ALBERTO & RIBEIRO FILHO. Para o Riacho Capivara e Riacho Bacuri ticos apresentaram caráter ligeiramente alcalino.9 420.6 155.0 7.0 16.9 10.5 27.0 µmS.1 a 8.A: Ponto de amostragem.0). plânctons em classificação de Paláez-Rodrigues. estando.1 341.cm-1 a fontes de lançamento de resíduos líquidos domésticos. Córrego do Cintra 8.3 178.V: Coeficiente de variação.7 27.0 – 9. ou seja.0 mg. pró. (2008) que apresentou valores médios de 36.0 mg.8 a 7. os resultados estão apresentados dentro do limite estabelecido pelo mento provavelmente pela a presença de materiais orgânicos presen.5 2 Médias 7.3 7.2 268.7 224.0 8.L -1 e 86.9 12.8 293.7 2.9 NTU e relativamente alto quando de esgoto na água. podem ser considerados contaminado em relação à presença de sais sidade que um feixe de luz sofre ao atravessá-la. comparado com o valor médio obtido por Belluta et.9 23. e intensidade da ação fotossintética.7 74.0 13. dessa forma pode-se inferir que o Riacho Capivara em dos Riachos Capivara e Bacuri.1 238.4 161.9 76.cm-1. No Riacho Riacho Bacuri apresentaram valores de 4.0 a 520.3 278.2 568.6 7.0 18. maior será a condutividade.3 7.9 377. pode-se inferir que ambos os cor- geral (CETESB. Turb: Tubidez. Cond: Condutividade. que não guardavam relação com a presença apresentou valor médio de 18. (2000) de sólidos em suspensão. o pH com valores dentro dos limites estabelecidos pela de íons.0 Min 6.6 82. 2008). Os valores obtidos para a tur- zadas apresentando uma variação de 6. O teor de sólidos totais no Riacho Capivara e Riacho Bacuri variaram indicando um alto teor de sais dissolvidos. sendo esse comporta.9 520. todo o período amostrado e o Riacho Bacuri na maioria das coletas A turbidez de uma água indica o grau de atenuação de inten.9 16.0 36. localizado na região Centro-sul dos encontrados por Cruz (2002) no Riacho Água da Cachoeira que do Estado do Paraná.0 19.8 a 293. Os mesmo valores de com os resultados obtidos por Falqueto (2008) no rio Corumbataí pH do Riacho Bacuri foram encontrados por Krupeck et al.0 8.cm-1.4 a 377.0 Min 7.1 0.0 44.3 7.1 210.4 9.1 148. bactérias e. portanto. CONAMA (BRASIL 2005). Min.0 166.0 182.6 Max 7. quanto maior a concentração apresentaram. Mínino.al (2008) no Por outro lado. 2009. (Tabela 1). A CETESB (2010) considera como indi- também a erosão causada pelo desmatamento das margens e princi.0 a 568. C. algas.6 96. mesmo estando associado uma variação na condutividade elétrica de 182. Comportamento de Metais Potencialmente Tóxicos em Riachos CONAMA.8 a 44.A Medidas pH STD Turbidez Cond pH STD Turbidez Cond Max 7.9.0 11.9 273.3 | jul/set 2015 | 369-378 373 . apresentando predominância e podem ser considerados relativamente baixo quando comparados de neutralidade com tendência a alcalinidade. tes nos mesmos (MIRANDA et al. corpos hídricos sobre influência de despejos domés.6 CV 6.6 196.L-1 respectivamente (Tabela 1).7 410.V 9.9 CONAMA357/05 6a9 <100 6a9 < 100 P. De acordo com Paláez- de 76.2 Sd 0.0 13.9 9. Ao considerarmos a silte.

3 64. et al. Totais Max 8.0 13.5 23.0 135.6 9.2 5.3 40. Totais Dissol. pluviais que arrastam resíduos sólidos presente nas vias públicas Para um melhor entendimento dos resultados obtidos.0 Min 0. Min: Mínimo. turbidez e con.1 CV 136.1 155.6 22.0 250.3 85. Aumento de Cu e Pb após o coeficiente de variação no Riacho Capivara foram os sólidos um corpo hídrico atravessar uma área urbana também foi obser- totais dissolvidos e turbidez. Esses dados revelaram para o pH baixa flu.3 98. Nascimento.0 12.0 99. agrícolas de atividade de hortifruticultura no perímetro pelos despejos de resíduos líquidos domésticos.2 4.0 789.0 Sd 9. Totais Dissol.0 1200 25800 Min 0.0 3410.1 172.0 100. zou-se a estatística descritiva para compreensão da variabilidade As Tabelas 2 e 3 apresentam os valores médios.5 90.5 554.0 140.A Medidas Dissol. Sd: Desvio padrão.7 4.4 16.2 58. CV: Coeficiente de variação.2 22. de sais dissolvidos provavelmente devido ao descarte de resíduos estejam sendo fortemente influenciados pelo processo erosivo e domésticos.0 630 15500 Sd 5. Ao comparar as entre os pontos amostrados sugere que os corpos hídricos possuem concentrações médias do Cu (II). desvio padrão e coeficiente de mínimos obtidos das concentrações. de variação das espécies metálicas dissolvidas e totais nas águas tuação nos valores entre os pontos amostrados.0 15.0 8.7 326.6 56.7 130.4 66.0 4885. e Pb (II) dissolvidos no ponto 1 um sistema eficiente de tamponamento ou acelerada dinâmica de e no ponto 2 no Riacho Capivara (Tabela 2) observa-se que a con- metabolismo.6 109.5 0.4 91.5 0.0 1.5 902. valores foram para os sólidos totais dissolvidos.3 30.5 361.6 549.8 149 79. para esses corpos hídricos. Max: Máximo.0 199.8 116 392.2 8.3 | jul/set 2015 | 369-378 .6 50.0 CV 136.5 16.7 Max 74.0 184.4 180.0 0.6 24.L.7 37. Os parâmetros que apresentaram maior valor para centração desses metais aumentaram. Totais Dissol.1 43.L-1) P.9 87.2 3360.3 60.2 77.4 43. Sd: Desvio padrão.3 28.5 100.4 18.7 167.3 36.3 CV 121.4 24.5 870.0 5130.5 57.0 1400. Para o Riacho Bacuri.4 0.0 1. Esse comportamento indica que houve um enriquecimento de dutividade.0 3670 18200 Sd 5.9 98.3 57.0 150. utili.L-1) Fe (μg.L-1) Cr (μg.7 6.9 292.9 59.7 368. Totais Dissol.M.L-1) P.2 Dissol: Dissolvidos.0 1 Médias 6.0 4.2 88. pode se admitir que esses parâmetros Cobre e Chumbo na carga dissolvida.7 Dissol: Dissolvidos. Tabela 3 – Concentração de metais dissolvidos e totais em amostras de água superficiais no Riacho Bacuri (n=6).5 1100.5 34. CV: Coeficiente de variação.0 10. Totais Max 13.0 120.0 9.6 27.0 Min 0.6 80.0 2000 8700 2 Medidas 4.20 n. os maiores vado por Gomes et al.5 80.0 2 Médias 37. Max: Máximo.5 98.0 130.5 0. Totais Dissol.0 5000.2 44.8 151.4 95. desvio padrão e o coeficiente variação (Tabela 1).0 173.1 169.1 150.7 17.L-1) Pb (μg. A baixa flutuação superficiais do Riacho Capivara e Riacho Bacuri.1 121.L-1) Cr (μg.6 152.7 Max 8.L-1) Fe (μg. Totais Dissol.0 86.0 171. Cu (μg.8 51.0 1700.0 0.9 CV 128.7 54.7 110.9 153.0 100 7700 1 Medidas 4.(2013). industriais e águas periurbano e área erodidas ao longo de todo percurso amostrado.A Medidas Dissol.0 346. que pode está relacionado ao Tabela 2 – Concentração de metais dissolvido e totais em amostra de águas superficiais no Riacho Capivara (n=6). Min: Mínimo.0 Sd 9.0 1008.0 160. B.0 58. 374 Eng Sanit Ambient | v.5 55.6 58.0 880.6 27.5 498.7 1000.8 38.0 6. Cu (μg.6 609. Desse modo.L-1) Pb (μg.7 121.0 54.0 8720 36600 Min 0. máximos e dos mesmos em torno da média.5 50.0 54.

6 3. sido observadas diferenças significativas na concentração média Corpo d’água Cu Cr Pb Fe Referência nos pontos 1 e 2. Eng Sanit Ambient | v. condições climá- estabelecidos na Resolução CONAMA n. em todas as épocas. Pb e Fe dissolvidas As concentrações espécies metálicas cromo e ferro dissolvidos a encontradas no presente trabalho com outros estudos desenvolvi- presentaram comportamento similares no Riacho Capivara redução dos no Brasil. As análises das correlações mostraram que no Riacho A concentração média de cromo total foi superiores aos valores Capivara o Cu (0. verificou-se que os valores mais expressi- ciais. 9. 2 e 3. **Londrina/ Paraná.9 50 neste estudo centração das espécies metálicas após o Riacho Capivara atravessar *Rios da Republica Theca.º 357 (BRASIL.. ***Botucatu/SP.6 N. Comportamento de Metais Potencialmente Tóxicos em Riachos processo de ressuspensão de sedimentos de fundo que se acumulam na carga de metais totais que pode estar associada a descarga ina- no período de menor corrente. ****Chainia/Grecia. permitindo deduzir que o chumbo está Ribeirão Campé** 13. comercias e deflúvios fície d’água ou provavelmente das atividades antrópicas. apenas o cobre apresentou aumento na picas devido a urbanização nesta área. A Tabela 4 apresenta uma aná- águas de classe 1.D: o perímetro urbano sugere enriquecimento das espécies metálicas não detectado. ção do CONAMA n° 375 (BRASIL 2005). como exemplo: Ribeirão Lavapés*** 1 3 4 140 Oliveira (2006) sedimentos ressuspendido para coluna d’água. p<0. diminuindo a concentração dos metais no Riacho Bacuri.20 n. permanecendo maior tempo na super. N.º 357 (BRASIL. superaram os valores fluviais. que correlação forte entre suas concentrações. Assim como no Riacho Capivara.L-1 para águas de classes 1.7 271.95. respectivamente. (2001) Tcheca* nas realizações da coletas.01). A comparação entre sistemas aquáticos é importante pelo fato 2005) nessa legislação para águas de classe 3 (33 μg. p<0. dequada de resíduos líquidos domésticos. 2005). que o valor estabelecido na Resolução CONAMA n. tais como os superficiais urbanos. tamanho e forma das bacias de drenagem. pode ser explicada lixiviação as espécies metálicas investigadas natural do solo. justifica-se a redução da carga de metais dissolvida para Cr observada para o Cr e Fe para ambos corpos hídricos no ponto 1. 2005) para ticas e prováveis ações antrópicas. e Fe no ponto 2 (Tabela 2) e redução dos metais totais para todas definido como área de referência. 2005). permitindo inferir que haja uma recarga Embora não tenham sido registrados os índices pluviométricos eficiente de cobre gerada por resíduos líquidos domésticos e comer. A maior concentração Assim.2 86. entre as espécies metálicas dissolvidas e as espécies metá- 1. deflúvio superficiais urbanos ao longo do perímetro urbano vos na concentração dos metais estiveram associados ao período fazendo com que essa espécie metálica permanece mais tempo na não chuvoso. deflúvio superficial Córrego do Cintra*** 162.8 531.º 357 para águas de classe Pearson. Rio Keritis**** 6.5 20. cromo total.6 753 Yabe e Oliveira (1998) sendo originado de diversas fontes de dispersão.L (BRASIL.D Papafilippaki (2008) Para os metais totais todas as espécies metálicas tiveram aumento Riacho Capivara 22. 2 e 3. por intermédio de deposição e transporte.4 0. ou com provável procedência de atividades antró- Para os metais totais. lise comparativa das concentrações de Cu. No Riacho Bacuri o Cr é de 50 μg. O aumento na con- Riacho Bacuri 4.01) apresentaram uma estabelecidos na Resolução CONAMA n.5 neste estudo de suas concentrações no ponto 2 (Tabela 2). e uma grande quantidade de sedimentos urbanos que são arras- Devemos considerar que teores de pH alcalinos ou ligeiramente tados no período chuvoso.º 357 (BRASIL. A cidade de Imperatriz ainda possui acu- resíduos líquidos domésticos e comerciais. A concentra- ção média do Cobre dissolvidos nos pontos 1 e 2 não apresentaram Tabela 4 – Concentração média de metais dissolvidos (μg.L-1 ).5 54. de que a concentração de metais em corpos hídricos é fortemente Os valores das concentrações de ferro dissolvidos encontrados influenciada pela litologia da região.90. no período das coletas. não houve regularidade na suas concentrações Rios da República 1.7 0. Cr.4 N.25 2.01) e Cr (0.5 7. p<0.L-1) nos variação significativa no período amostrado.D Veselý et al.L-1). deflúvio superficial urbano mulo de resíduos sólidos urbanos ao longo do percurso do rio lixiviado para esse corpo hídrico. 2 e 3 (300 μg. lixiviação natural de sistemas nos pontos avaliados.3 ND 1640 3512 Belluta et al. -1 licas totais. chumbo total e Ferro dissolvidos hidróxido para o sedimento. na Grécia e Republica Tcheca. concentração no ponto 2. O aumento verificado pode ser atribuído à diminui- coluna d’água ção do volume de água nesse período e com isso há um aumento Os valores das concentrações de cobre totais encontrados nas na concentração dessas espécies metálicas águas coletadas nos pontos avaliados foram maiores que os valores Fez-se um tratamento estatístico por meio da correlação de estabelecidos na Resolução CONAMA n. 9 e 13 μg. estiveram em desconformidade com a resolu- em águas superficiais. (2008) urbano ou de resíduos líquidos domésticos. Embora não tenham Riachos Capivara e Bacuri entre outros rios. as alcalinos favorecem a precipitação de íons metálicos sob a forma de espécies cobre total.3 | jul/set 2015 | 369-378 375 . que são.4 13. apresentou uma correlação forte (0. o Cu e Fe exibiram Verifica-se que as concentrações de chumbo totais foram maiores uma correlação moderada. da carga na espécie dissolvida no ponto 2 (Tabela 3).99.

v. sendo carreados para o rio Tocantins na forma de MPS. aproximadamente 2. proporcionando adsorção ou dessorção de metais no corpo hídrico As concentrações de todas as espécies metálicas estudadas em devido as interação que ocorrem com os componentes dissolvidos e todos os pontos no período estudado ficaram acima dos valores particulados. são superiores àquelas encontradas nos Rios da República Techa. & RIBEIRO FILHO. F. do rio de áreas erodidas. O Cobre presente nas Capivara de 70. mas é altamente complexa. Ribeirão Lavapés. pode-se notar que as concentrações ligados a material particulado. De acordo com a Tabela 4. 2 e 3.0% e para o Riacho Bacuri de 95. et al. 34.20 n.0. Pb (II) e a redução das concentrações das espécies dissolvidas na coluna Fe (III) no MPS podem estar relacionada com a faixa de pH encon- d’água pode estar relacionada à deposição e transporte de MPS para trada e.4. 376 Eng Sanit Ambient | v. recobrem o material particulado em suspensão ou com a presença cos comprova que a distribuição dos metais e ecossistema em uma de partículas finas (siltre e argila) em carbonatos e oxihidroxi de mesma região é fortemente influenciada por atividades antrópicas Mn e Fe. Biological Sciences. colocando em riscos as populações O valor calculado para a percentagem de Mad indica que Cobre.T.7% nos períodos amostrados. 76. Chumbo e Ferro tendem a encontrar-se mais fortemente com o rio Tocantins. com a presença de substâncias húmicas que o rio Tocantins. v. e erosão do solo. o despejo de resíduos domésticos líquidos. Brasil. devido as interação que ocorrem com O elevado grau de variabilidade nas concentrações das espécies os componentes dissolvidos e particulados. Ainda de acordo com a Tabela 4. assoreamento.1. disposição inadequada de resíduos sólidos regiões comprova que a distribuição dos metais nesses ecossiste. tais como: aos observados no Córrego do Cintra estudado por Belluta et al. As variações dos parâmetros físico-químicos (pH. do que aquele encontrado em Rios da República Theca. aproximadamente 1. águas dos Riachos Capivara e Bacuri apresentaram valores 15 vezes 84. Quando comparamos os valo. D.An Interdisciplinary Journal of Applied Science. Riacho Capivara e Riacho Bacuri. A comparação entre esses dois ecossistemas aquáti.6 vezes mais dos sedimentos e não das partículas que são carreadas para o leito Crômio.6 vezes mais Chumbo e aproximada. (2012) Influência do despejo BARROS. 4. MOREIRA. p. Estado de São diferentes níveis de vazão no rio Turvo Sujo. A. respectivamente do que o CONCLUSÕES encontrado no Ribeirão Campé.3 | jul/set 2015 | 369-378 . bacia hidrográfica do rio Piracicaba. A. B. cies metálicas dissolvidas no Riacho Capivara estão acima dos valo. pode–se inferir que estes elementos estão e processo erosivo que intensifica a carga de MPS no leito do rio.M.. 2.5 e 99.0 e 99. B.. MG.R. pos hídricos demonstra a possível contribuição de ação antrópica. 82. MARTINEZ. MATOS.. mente 5 vezes mais Ferro que no Riacho Bacuri.A. que o mesmo é de origem litogênica ou está sendo ressuspendido ximadamente 5 vezes mais Cobre. uma poluição desses elementos nos fortemente ligados a material particulado. Cr. Cr (III). provavelmente.. 2.. deflúvio superficial (2008). n. ciona alteração na dinâmica da distribuição dos metais.1. de esgoto doméstico nas características limnológicas do rio ROSA. As percentagens calculadas para os metais Cu. res obtidos para o Cobre.L. Com base nas concentrações apresentadas nas Tabelas 2 estabelecido pela Resolução Conama nº 375 para águas de classes e 3. No Riacho Bacuri. Acta Scientiarum. CECON. n. 94-105.A. pode-se verificar que os teores STD e turbidez) indicam haver alteração na qualidade da água e médios observados nos Riachos Capivara e Bacuri foram inferiores essas variações ocorrem em virtude de ações antrópicas. REFERÊNCIAS ALBERTO. respectivamente. Rio Keritis. condutividade. vezes menor. Revista Ambiente Paulo. A comparação entre ecossistemas aquáticos de diferentes urbano. 173-179. Nascimento. Dessa forma. (2009) Elementos químicos potencialmente tóxicos em Camandocaia.G. M. Chumbo e Ferro nos Riachos Capivara e A pequena variação observada para o Cr na coluna d’água indica Bacuri. Pb e Fe apresentaram valor médio respectivamente no Riacho Ribeirão Campé. dessa forma. D. & Água .Q.M. indicando. e 3 vezes maiores. do que na fase dissolvida. 94. do que na fase dissolvida em ambos médias da espécie metálica Cr (III) nos Riachos Capivara e Bacuri os corpos hídricos. Os processos de adsorção dos metais Cu (II). O Chumbo nos Riacho Capivara e Bacuri exibiram cerca de 25 e 67. pode-se observar que o Riacho Capivara apresentou apro. metálicas (Dissolvidos e Totais) encontradas nas águas dos dois cor- Observa-se que os valores das concentrações médias das espé. p. lixiviação e hidrodinâmica do fluxo da coluna d’água a qual propor- res encontrados no Riacho Bacuri. ribeirinhas que sobrevivem da pesca na foz desses corpos hídrica Crômio. observa-se que os metais analisados tendem a encontrar-se mais 1.R. P.

Revista de Geologia. p.R.3. São Paulo: CETESB. (2004) Determination of total chromium in environmental water samples. São Paulo: Applied Science.A. (2004) SABIN. C. OLIVEIRA-NETO.131-142.. MCNEILL... v. v. T.br/agua/aguas-superficiais/109-variaveis-de. 1. LIMA. Mn e Cr em amostras de água e sedimentos. C. S.. L. Journal of the Brazilian Society of Ecotoxicology. n.cidades.G. Botucatu-SP: estudos envolvendo a distribuição de Cu. 2.C. 4. TOFOLI.D. Paulo. 1. de 17 de março de 2005..L. p.D.E. p. 2006.gov. Ecotoxicologia – Perspectivas para o Século XXI. p. Revista Ambiente & Água . G. ROCHA. 1-9. (2011) Avaliação de Quatro Tipos de Aberturas de Amostras na bacia de drenagem na região centro-sul do Estado do Paraná. & MARTINEZ.R. n. v.R. p. parâmetros qualitativos e quantitativos da água da microbacia Água da Cochoeira em Paraguaçu. L. EDWARDS.A. Salusvita.O.. E. O.. República Federativa do Brasil...F.M.22.. FALQUETO. v.R. stormwater runoff in a small impervious urban catchment. 12. n. (2005) Distribuição de metais pesados em sedimentos do sistema estuarino Contribution of trace metals from atmospheric deposition to da Ilha de Vitória-ES. SANTOS.F.. J. 116 p.M. 27. 166 f.2. J.D. GUEDES. C. 3929-3937. (2008) Avaliação do índice de qualidade da água (IQA) Global NEST Journal. M. MATSUMURA-TUNDISI.. p.F.M... N. (2006) Espécies metálicas no Ribeirão Lavapés.. Holos Environment. v.S. R. SILVA.C. 225p. Biological Sciences. EATON. L. MIRANDA.D. (2013) Determinação da concentração de Resolução n.B. 2005.M. (RJ).F. O. 10. CARVALHO. Cobre e Zinco em Águas Residuárias. L. n. 18. M. 95-114. BRANCO.. M.3 | jul/set 2015 | 369-378 377 . 431-438.gov. Dissertação (Mestrado em Ecologia Aplicada).ibge.F. São CRUZ. COSTA SANTOS.1. Tese (Doutorado em Química) – Universidade Estadual Paulista. OLIVEIRA.sp. 100-118. (2012) Brazil..F. n. G. 320-325. coastal waters classification.. 1. 8604-8609..C.V. n. v. & SILVA. C. MA.. D. MIRANDA. J. (2008) Variação sazonal de REIS. A..C. 16.M. 99–118. 4. (2008) Seasonal variations in dissolved heavy metals in the keritis river. L.Macaíba/RN. STOLZENBACH.V.A. n. Water Research.R.. Expert Systems with Applications.S. SOUZA. PERET. Estado do Amazonas. CETESB (2008) Qualidade das águas interiores no Estado de São Araraquara. PEREIRA.B. 11. SILVA-FILHO. M. C.S.O.. (1997) Análises físico-químicas para Controle químicos. p.M. p. A. Cuiabá – MT.116-125.D. RAMIREZ. 10. 2.O.L. Dados da população do município de Imperatriz.H. Engenharia Agrícola.A. JESUS.. Resolução CONAMA. COMPANHIA DE TECNOLOGIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL – ROCHA. OLIVEIRA. FARIAS.. C. O.Chania.C. (2008) Impactos provocados por metais potencialmente tóxicos (2009) Efeito da contribuição antrópica sobre as águas do Rio Negro. Journal Brazilian Chemistry Society. BRASIL.G..D.. L. A. LUCAS. SOUZA.G. 3. (2008) Elementos-traços em sedimentos www. S. J..378-385. n.G. p. (2013) Influência antrópica nas águas superficiais da cidade de Três Rios.. M. v..D. 2. 29.H. p. PAPAFILIPPAKI.P. (2009) Knowledge discovering for Geochimica Brasiliensis. E. POLETO. (2002) Caracterização de Carlos: Editora Rima. (2011) Sedimentos urbanos: Ambiente e Água. 2827-2838. 8. L. earch=%7C%7Cinfogr%E1ficos:-dados-gerais-do-munic%EDpio> p. (Eds). SCHIFF.L. 41 p.º 357.. 4. A. v. Holos Environment. SILVA.. J. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. 1. bacia hidrográfica do Rio Jacaré-Guaçu. n. (2000) Análise da qualidade da água e aplicação do CETESB (2010) Variáveis da qualidade da água.P. Sul do Determinação de Cromo. G. MENDONÇA. COSTA. RIBEIRO. PASCOLATO. ALVES. 8.. 77-86. SOUZA.G.V. Revista de Gestão classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu & Sustentabilidade Ambiental. W. E.br/painel/painel. e dá outras providências.An Interdisciplinary Journal of das Estações de Tratamento de Esgotos. p.R. Qualidade dos recursos hídricos da Amazônia . v. 26-32. WTTHIER. Eng Sanit Ambient | v. 38. Brasília: MMA. 30. S. Brasil. A. v. E.A. COMPANHIA DE TECNOLOGIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL ..C. Disponível em: <http:// POLETO. Piracicaba.258-269. BOHRER. n. D. Zn.L.cetesb. 2.php?lang=&codmun=210530&s urbanos e sua avaliação por guidelines.S. R.. n. A. p. PALÁEZ.T. K. M. n. R. FREY. S. Greece. M. Engenharia Ambiental.-RODRIGUEZ.R. SILVA. v.. p.20 n. n. A. Caminho da Geografia. 36. (2007) Aquatic Contamination of the Turvo Limpo River Basin at the Minas Gerais State. na cidade de Manaus. e dos elementos químicos do rio Corumbataí-SP.R. dissolvidos em água e me sedimentos no córrego do cintra-Bocutu-SP. 2008. D. Comportamento de Metais Potencialmente Tóxicos em Riachos BELLUTA.P.. bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes. 47. JORDÃO.. STAVROULAKIS. T. 2. de Queiroz. alguns parâmetros físicos e químicos em três rios pertencentes a uma E. CETESB. n.. L. KRUPEK.. In: ESPÍNDOLA. COELHO. n. J.. Fe.. H. PERES.. M. GALBIATTI. G. p.H.27. A. Diário Oficial da OLIVEIRA. HAGHANI. 2.M. p.. Pb. BASTOS. 17-25. 1a Edição.Z. NETA PINTO. ZANONADE. Estudos de elementos-traço na cidade de Porto Velho/Rondônia. (2009) v.B. R. v. v. p. 27.. PEREIRA. Química Nova.A. A. 18.C. qualidade-das-aguas> PASCHOAL. A. N.. v. Disponível em: índice de proteção de vida aquática (IVA) em duas sub-bacias da <http://www. PEGORA. p. M.. Dispõe sobre a metais em águas do córrego Barbado. Amazônia Ocidental..F. SP. Escola Superior de Agricultura Luíz PARKS. E.C. GOMES. v. I.Rio Tapajós: avaliação de caso em relação aos elementos químicos e parâmetros físico. n.K. FERNADES. MATOS.7. & MERTEN. n. Conselho Nacional de Meio Ambiente. 39. KOTTI. (2005) Metais pesados em água do rio Jundiaí .A.F. v.63 enquadramento. Water Research. H. H.. 1-15. p. K..T. C. CORRÊA. v. n. P. 75-92. MARQUES. & EBECKEN.S. Acta Scientiarum. Ni. LIM. M.K.

surface water of a Mexican polluted river by Total Reflection X-ray Fluorescence Spectrometry. n..S..M. ÁVILA-PÉREZ P. 1180-1184. 16.V. M. E. SILVA. p. 21. v. 4. O. & AZEVEDO.A. of elements in Czech freshwaters. 31. F. 437-450. 5. Applied geochemistry.. 71-78. p. v. GUIMARÃES. V..G. et al. J. PERALTA-ZAMORA. C.. (2002) Versão do programa ZARAZUA G.20 n.S. HAVRÁNEK. YABE. Revista MARTÍNEZ T. B. 378 Eng Sanit Ambient | v. p.J. (2006) Analysis of total and dissolved heavy metals in Brasileira de Produtos Agroindustriais. P.3 | jul/set 2015 | 369-378 . Spectrochimica Acta Part B: Atomic VESELÝ.. (2001) Solid-water partitioning Spectroscopy. C. MAJER. p. Química de Ponta Grossa utilizando análise de componentes principais (PCA). (1998) Metais pesados em águas superficiais (2006) Avaliação da qualidade do corpo hídrico do rio Tibagi na região como estratégia de caracterização de bacias hidrográficas.M. 7. n. computacional Assistat para o sistema operacional Windows. v.L. V. J. 1. 551-556.M.. 61. v. 1727-1732. n. p. Nascimento.. Química Nova. Nova. 4. TEJEDA S. ZIMMERMANN.A. & OLIVEIRA. v. BARCELO-QUINTAL I. n.. KUCERA.