Você está na página 1de 8

Meio Ambiente

As atividades da Rede Energia são voltadas preponderantemente para a distribuição e


geração de energia elétrica. O sistema de geração de energia elétrica é composto por UHEs,
PCHs e UTEs. As UTEs utilizam óleo diesel como combustível.

A Rede Energia estabelece diversas ações e programas de prevenção e controle de impactos


ambientais, com a finalidade de limitar os riscos das atividades de distribuição e geração.

As estratégias corporativas de meio ambiente são estabelecidas através da análise das ações
desenvolvidas e resultados de cada empresa da Rede Energia, bem como das melhores
práticas do setor elétrico.

O desempenho da Rede Energia na área ambiental deve-se à discussão dos principais


aspectos que possam interferir no setor e à análise de projetos de leis e instruções
normativas, bem como à manutenção de um relacionamento próximo com os ministérios de
Meio Ambiente e Minas e Energia, os Comitês de Meio Ambiente da Associação Brasileira
de Concessionárias de Energia Elétrica - ABCE, a Associação Brasileira das Indústrias de
Base - ABDIB, a Fundação Coge - Funcoge e o Instituto Acende Brasil, entre outros.

Desde 2004 as ações ambientais implantadas de forma individualizada pela Rede Energia,
são discutidas e definidas internamente pelo seu Comitê de Meio Ambiente, que é
coordenado pela sua Gerência de Meio Ambiente corporativa e conta com a participação
dos gerentes ambientais das empresas da Rede Energia.

As gerências locais têm um papel fundamental de gerir e controlar, na forma de apoio


técnico, os principais impactos ambientais provenientes das atividades da empresa,
potencializando os positivos e minimizando os negativos, e os processos de licenciamento
ambiental dos empreendimentos nas fases de planejamento, construção, operação e
desativação.

O ano de 2007 foi de mudanças e conquistas significativas para as empresas. Foi o ano que
a Rede Energia implantou o Comitê de Responsabilidade Sócio-ambiental Corporativo -
composto por profissionais de todas as empresas, construiu sua Política de
Sustentabilidade, definiu o foco dos investimentos sócio-ambientais e incluiu no
Planejamento Estratégico a Dimensão Sócio-ambiental.

As Gerências de Meio Ambiente, estão empenhadas neste momento em três grandes ações,
que deverão transformar a gestão ambiental nas empresas da Rede Energia, através da
implantação de novas práticas, melhoria e sistematização dos processos já existentes, tais
como.

• Implantação do Sistema de Gestão Ambiental, Saúde e Segurança do Trabalho –


SGASST compatível com as normas internacionais ISO 14.001 e OHSAS 18.001;
• Condução de estudo para avaliar, corrigir e/ou monitorar potenciais
responsabilidades sócio-ambientais associadas com as instalações e operações
existentes (levantamento de passivos ambientais); e

• Implantação de programas para garantir o controle adequado dos resíduos


sólidos gerados nas instalações das empresas.

O Sistema de Gestão Ambiental, Saúde e Segurança do Trabalho – SGASST está em fase


inicial de implantação e possui um escopo que abrange todas as atividades da Rede Energia
e em determinado momento esta gestão sistemática dos aspectos ambientais aproveitará os
programas e procedimentos ambientais já existentes, bem como as demais ações descritas
acima.

Além disso, diversas metas e indicadores com valores atualmente não disponíveis serão
mensurados com a implantação desse sistema, pois haverá um maior controle e
sistematização de práticas ambientalmente adequadas presentes na Rede Energia.

Foram desenvolvidas as avaliações preliminares a fim de identificar as potenciais áreas


contaminadas nos ambientes de solo e de água subterrânea e os potenciais passivos
ambientais, sociais, de saúde e segurança associados à emissão atmosférica, ao manuseio e
derramamento de óleos e materiais perigosos, aos projetos de engenharia impróprios e às
situações de operação e manutenção inadequadas.

Todos os passivos identificados estão sendo tratados através de projetos específicos como o
processo de saneamento ambiental. Este projeto tem como objetivo principal a recuperação
ambiental de áreas de UTEs à diesel desativadas e em operação, que necessitam de
saneamento ambiental. A Celpa e a Cemat contrataram empresa especializada em ações de
saneamento, para corrigir tecnicamente os problemas ambientais ocorridos ao longo dos
anos de operação destas instalações.

Todo o processo tem o acompanhamento dos órgãos ambientais dos estados.

Licenciamento Ambiental

No intuito de regularizar o processo de licenciamento de todos os empreendimentos da


Rede Energia, as suas Gerências de Meio Ambiente, por meio de consultas e reuniões,
formais e informais, com os órgãos estaduais competentes trata sobre a necessidade de
regularização das linhas de subtransmissão nas tensões de 69 e 138 kV já existentes. No
que se refere às redes de distribuição, são realizadas tratativas quando há a necessidade de
licenciamento de obras de redes de distribuição rural até 34,5 kV.

Impactos, Ciclo de Vida e Preservação Ambiental

A Rede Energia implementa programas de sua iniciativa em toda a extensão de suas


operações no intuito de controlar seus impactos ambientais, utilizar novas tecnologias e
materiais ambientalmente mais adequados, apoiar as iniciativas para a proteção da
biodiversidade e participar das discussões sobre políticas públicas de meio ambiente.

Por exemplo, desde 1997 a Rede Energia administra sua frota de veículos com sistema de
controle de velocidade e consumo de combustíveis (microcomputador de bordo), assim
proporcionando maior segurança aos seus motoristas e ganhos ambientais com a redução
dos impactos ambientais no consumo de recursos naturais e do volume anual de gases do
efeito estufa emitidos na atmosfera.

Há também utilização de cabos multiplexados nas redes de baixa tensão como opção
tecnológica nas redes de baixa tensão. Além de reduzir a quantidade de desligamentos,
obtêm-se ganhos em relação à menor interferência da arborização nas redes, menor risco de
acidentes da população e melhoria do micro clima na região urbana.

Adicionalmente, a partir de 2006, utilizamos a “cruzeta ecológica”, que é feita de


polietileno e bagaço de cana-de-açúcar. Além de ecologicamente correta é também mais
durável. Este novo material passa a ser utilizado, em substituição à cruzeta de madeira, por
ocasião de reparos e instalação de novos postes. Já foram adquiridas 108.485 unidades.

A Rede Energia também implementa medidas, instruções e recursos para realizar o controle
adequado dos resíduos sólidos gerados nas suas instalações. Em 2007 tais esforços foram
intensificados, com destaque para a incorporação destas medidas pelo Sistema de Gestão
Ambiental.

O departamento da Rede Energia de Meio Ambiente elabora e divulga instruções para o


controle e armazenamento de resíduos perigosos provenientes das atividades da empresa.
Este departamento, junto com o Almoxarifado e Departamento de Manutenção do Sistema,
vêm gerindo estes materiais para o correto acondicionamento e destino final.

Como é de ser notar, os indicadores da Rede Energia relacionados à violação de normas


ambientais, autuações e/ou multas demonstram que estas ocorrências não são expressivas
dentro da sua área total de atuação, que consiste na distribuição por toda extensão dos
Estados do Tocantins, Mato Grosso e Pará e alguns municípios de São Paulo e Minas
Gerais.

Projetos e investimentos em áreas de biodiversidade:

Abaixo se encontram listados os nossos projetos e investimentos em áreas de


biodiversidade:

• Apoio à publicação do Relatório de Atividades do I Encontro de ASM – Áreas de


Soltura e Monitoramento de Animais Silvestres, organizado pelo IBAMA em outubro
de 2006, sendo distribuído pela Celtins para entidades do Tocantins em 2007;

• Convênio para a produção de 5.000 mudas/ano de espécies nativas do cerrado,


firmado com a Associação de Conversação do Meio Ambiente e Produção Integrada de
Alimentos da Amazônia, ONG denominada Gaia, a serem utilizadas pela Celtins para
fins de recuperação de áreas degradadas e promoção da biodiversidade regional;

• Adoção de procedimentos pela área de construção de linhas de distribuição para


redução da faixa de servidão a fim de diminuir o impacto ambiental do traçado da linha;

• Apoio aos órgãos ambientais federais, tal como o IBAMA – Projeto Prevfogo, e aos
órgão ambientais estaduais, tais como, Corpo de Bombeiros, Companhia Independente
da Polícia Militar Ambiental e a Coordenadoria de Defesa Civil, nas campanhas de
prevenção de queimadas, no período da seca, através da divulgação de mensagens na
fatura de energia, folders, cartilhas e cartazes;

• Reflorestamento das áreas de preservação permanente dos reservatórios de algumas


geradoras da Rede Energia. Nestas áreas, espécies de vegetação que crescem
naturalmente ao longo das margens do rio e correspondem aos ambientes encontrados
antes da formação do reservatório. As espécies usadas para o processo de revegetação
são selecionadas nos ambientes de origem e em remanescentes da região. Assim, as
espécies nativas são utilizadas de acordo com o ambiente original de ocorrência; e

• A Pesquisa de Ictiofauna permite acompanhar as alterações na composição


ictiofaunística e na quantidade dos estoques de peixes que nascerão com a formação de
reservatórios. Além disso, estes estudos fornecem informações necessárias para
subsidiar as medidas de mitigação de impactos ambientais e conservação dos estoques
pesqueiros.

Educação Ambiental

As atividades de Educação Ambiental desenvolvidas pela Rede Energia são implantados


nas próprias subsidiárias operacionais, com colaboradores e terceirizados, objetivando a
conscientização e adoção de cuidados e procedimentos de proteção ambiental na rotina
profissional, apoio a projetos de preservação e recuperação do meio ambiente local e
regional e na comunidade.

Ainda não existe um programa formalizado de educação ambiental. Nos últimos anos,
devido ao considerável aumento de ações ambientais, o número de colaboradores
envolvidos em atividades de educação e conscientização ambiental teve um aumento
significativo.

Os principais temas trabalhados foram descarte de resíduos perigosos, sistema de gestão


ambiental, cuidados ambientais no traçado de linhas de distribuição na área rural e energia
e meio ambiente.

Invasão de Faixa de Transmissão


A ocupação das faixas de servidão é uma preocupação permanente da Gerência de Meio
Ambiente que desde 2007 intensificou as ações de correção do problema promotor de
riscos ao sistema elétrico e também à segurança das pessoas residentes nessas áreas.

Para evitar novas invasões e monitorar as ocupações existentes, a Rede Energia deu início à
elaboração de um diagnóstico patrimonial e socioeconômico da população moradora nas
áreas localizadas embaixo das linhas de transmissão das empresas operacionais, o que
embasou a proposição de ações corretivas e preventivas como a contratação de empresa
especializada, para formulação de um procedimento adequado, para tratar do assunto.

Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico e Científico - P&D

A Rede Energia investe em projetos de P&D voltados ao meio ambiente. Alguns se


encontram em fase de aprovação na ANEEL e outros estão em desenvolvimento. Abaixo
citamos alguns de nossos projetos:

• Macrófitas aquáticas do reservatório da UHE Lajeado: dinâmica de incidência e


interferências nos usos múltiplos;

• Identificação de larvas e delimitação de áreas críticas para a desova e


desenvolvimento inicial de peixes migradores no reservatório da UHE Luís Eduardo
Magalhães;

• Estudo da dinâmica da superfície da água de reservatórios visando o aprimoramento


da operação hidráulica;

• Gestão compartilhada do Lago do Lajeado e seu entorno através de um repositório


de dados e um museu interativo da água sobre pesquisas ambientais; e

• Arborização urbana.

Remanejamento da população rural e urbana

Um dos mais importantes programas das nossas atividades de geração é a realocação da


população moradora das áreas rurais e urbanas que serão necessárias às obras de construção
de usinas, bem como outras que serão inundadas para formação dos reservatórios.

As nossas distribuidoras e geradoras estão regulares com relação ao licenciamento


ambiental de seus empreendimentos ou estão em fase de regularização, com o que não se
esperam gastos significativos.

Apoio a Projetos Ambientais

Abaixo seguem outros projetos ambientais que a Rede Energia apóia:

Projeto Nego D’Água – Construção do Barco Escola


O Projeto Nego D’Água tem como objetivo contribuir para o manejo sustentável dos
recursos naturais do Lago da UHE Luis Eduardo Magalhães, localizado na região central do
Tocantins, visando a vida útil do reservatório e garantir a qualidade de vida dos habitantes
da região.

A parceria compreende a sensibilização e orientação para o uso sustentável do lago e seu


entorno, com a formação de jovens, estudantes e população em geral para participar
ativamente na gestão do lago. O forte desse componente é a utilização do barco escola, que
serve como base para as capacitações e ponto de apoio para a implantação de atividades
produtivas sustentáveis, realização de controle ambiental e instrumento para a coleta de
material para a realização de pesquisas ligadas a ictiofauna, liminilogia, dentre outras.

Trata-se de uma iniciativa da The Nature Conservancy (TNC), Associação de Conservação


do Meio Ambiente e Produção Integrada de Alimentos da Amazônia (GAIA-TO), da
Faculdade Católica do Tocantins (FACTO) em parceria com o Ministério Público Estadual
(MPE-TO).

A Celtins e Invéstco são patrocinadoras da construção do Barco Escola.

1º Seminário de Energia e Meio Ambiente

Seminário realizado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Paraná (SEMA) com o
objetivo de promover o debate sobre o aproveitamento racional dos potenciais hidráulicos
na geração de energia, levando em consideração a variável econômica, a inclusão social e
as questões ambientais;

Abraço ao Rio Cuiabá – Um Grito de Alerta

Abraço simbólico ao Rio Cuiabá, que separa Cuiabá e Várzea Grande, em comemoração ao
dia mundial de meio ambiente. O evento é organizado pela Comissão de Meio Ambiente e
Recursos Hídricos da Assembléia Legislativa de Mato Grosso e reúne milhares de pessoas,
autoridades políticas, civis e militares.

Reciclagem “Um Bom Negócio”

Patrocínio ao projeto “Reciclagem – Um bom Negócio”, da Federação das Indústrias de


Mato Grosso – FIEMT.

Programas Sociais
Além de distribuir e produzir energia elétrica de forma segura, confiável e responsável em
termos ambientais, investimos nas comunidades onde operamos. Estamos comprometidos
com o desenvolvimento de projetos sociais que levam melhorias significativas às vidas dos
membros dessas comunidades, tais como centros voltados à criação artística, incentivo
cultural e desenvolvimento social.
Durante o exercício encerrado em 31 de dezembro de 2007, investimos um valor total de
aproximadamente R$550,3 milhões, sendo R$527,9 milhões no Programa Luz para Todos e
R$22,4 milhões no desenvolvimento de programas sociais, como os elencados abaixo:

• Fundação Aquarela. Criamos a Fundação Aquarela em 2001. Esta fundação


disponibiliza educação integral, fonoaudiologia e assistência psicológica, assistência
dentária e uma dieta balanceada para 350 crianças, entre 4 e 10 anos, em Terra Firme,
uma das mais pobres e mais populosa área de Belém, no Pará. A Fundação Aquarela
implementou o Projeto Cidadania no Campo que beneficia 115 meninos e meninas da
área rural da cidade de Bragança Paulista.

• Energia APAE. A CELPA firmou parceria com o Estado do Pará e com a


Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais - APAE do Estado do Pará a fim de
aumentar as contribuições a crianças portadoras de deficiência física no Estado, por
meio de campanhas incentivando os consumidores da CELPA a fazerem doações
mensais à APAE através das suas contas de energia elétrica.

• Projeto Criança Luz. Implantado em janeiro de 2003, o Projeto Criança Luz beneficia
2.115 crianças carentes de 13 escolas na periferia de Belém, através de trabalho voluntário
nas áreas médica e odontológica, bem como palestras sobre higiene pessoal e educação
ambiental.

• Projeto Transparência. O Projeto Transparência foi criado em julho de 2002 com o


objetivo de fornecer a consumidores de baixa renda instruções e informações gerais
sobre os serviços elétricos prestados pela CELPA.

• Projeto De Mãos Dadas. O Projeto De Mãos Dadas foi criado em 2002 e reúne
profissionais de vários departamentos e áreas da CEMAT para desenvolver atividades
voluntárias que ajudam a promover a igualdade social no Estado do Mato Grosso.

• Projeto Bilhete de Luz. O Projeto Bilhete de Luz consiste na troca de latas de


alumínio e garrafas plásticas por bônus para serem descontadas da conta de energia.
Esta é uma parceria entre o governo do Estado do Mato Grosso, Aleris Latasa e a cadeia
de supermercado Modelo. Este projeto disponibiliza e incentiva a reciclagem dos
materiais e resultados e um aumento de receita para as famílias envolvidas.

• Projeto Oficina de Costura. Nós mantemos uma oficina de costura na prisão


feminina de Ana Maria do Couto “May”. Desde janeiro de 2005, os uniformes usados
pelos eletricistas da CEMAT são feitos na prisão. Por meio do trabalho, as presas
adquirem valores tais como auto-estima, responsabilidade e o sentimento de serem úteis
para a sociedade. Em função da nova exigência de tecido ante chamas não sei se as
maquinas já foram adequados e o projeto retomado

• Projeto Apae Energia CELTINS. Por meio das faturas de energia, a CELTINS
recolhe doações de consumidores e transfere os recursos para o único centro de
reabilitação existente no Estado de Tocantins.
• Projeto Nego D’água. O objetivo deste projeto é consolidar e promover para
integrar a administração dos recursos naturais do Lago Palmas, com a ênfase na
educação ambiental, como uma tentativa de aumentar a vida útil do lago e garantir uma
melhor qualidade de vida para os habitantes das regiões servidas pela CELTINS.

• Projeto Águas Abertas. Este projeto inclui competições de natação e estimula a


atividade econômica atraindo atletas nacionais e internacionais. Durante os eventos nós
promovemos campanhas educacionais sobre o uso sustentável do lago de Palmas e
Porto Nacional e Lago Araguaína e estimular a participação em outros esportes
aquáticos tais como remo, canoagem e vela, desta forma contribuindo para melhoria da
qualidade de vida da população vizinha.

• Projeto Rede Luz. O Projeto Rede Luz é um programa de saúde que oferece assistência
médica, odontológica e psicológica a 60 crianças da Associação Filantrópica São Judas
Tadeu, em Cuiabá.

• Projeto Educação nas Escolas. Este projeto provém um curso para aproximadamente
47.000 educadores sobre o uso correto e seguro da energia. Crianças do ensino
fundamental na área de concessão de cada uma de nossas distribuidoras na unidade
operacional REDESUL/SUDESTE participam de leituras, e recebem pastas e jogos
sobre o uso consciente de energia.

• Projeto É Assim Que Se Faz. Em 2005, o Projeto É Assim Que Se Faz, distribuiu
mais de 13 mil jogos educativos sobre consumo sustentável, além de 20.000 folders
sobre uso seguro de nosso produto, atingindo 50 mil pessoas;

• Projeto Compromisso Todos Pela Educação. Em 2006, nós aderimos o Programa


Compromisso Todos Pela Educação, um programa de consciência nacional para a
inclusão das crianças em escolas públicas de qualidade.

• Projeto Horta na Escola. O Projeto Horta na Escola atende crianças inscritas no


Projeto Criança Luz que vivem em comunidades de baixa renda nas cidades de Belém e
Mosqueiro, ensinando sobre a importância das técnicas de cultivo de vegetais. As hortas
também são uma fonte de renda para os membros dessas comunidades.

• Projeto Transparência. O Projeto Transparência foi criado em julho de 2002 com o


objetivo de fornecer a consumidores de baixa renda instruções e informações gerais
sobre os serviços elétricos prestados pela CELPA.