Você está na página 1de 63

0

FACULDADE DE INFORMÁTICA DE OURO PRETO DO OESTE – FIOURO

SIDNEY LIMA LOPES JUNIOR

SISTEMAS DE GERENCIAMENTO WORKFLOW: DESENVOLVIMENTO DE


SOLUÇÕES PARA AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS PRODUTIVOS DE UMA
GRÁFICA RÁPIDA

Ouro Preto do Oeste


2015
1

SIDNEY LIMA LOPES JUNIOR

SISTEMAS DE GERENCIAMENTO WORKFLOW: DESENVOLVIMENTO DE


SOLUÇÕES PARA AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS PRODUTIVOS DE UMA
GRÁFICA RÁPIDA

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado a


Faculdade de Informática de Ouro Preto do Oeste –
FIOURO, para obtenção de grau acadêmico de
Bacharel em Sistemas de Informação, sob orientação
do Professor Reinaldo Lima Pereira.

Ouro Preto do Oeste


2015
2

SIDNEY LIMA LOPES JUNIOR

SISTEMAS DE GERENCIAMENTO WORKFLOW: DESENVOLVIMENTO


DE SOLUÇÕES PARA AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS PRODUTIVOS DE
UMA GRÁFICA RÁPIDA

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado a Faculdade de Informática de Ouro


Preto do Oeste – FIOURO, em 14/11/2015, para obtenção de grau acadêmico de Bacharel em
Sistemas de Informação, sob orientação do Professor Reinaldo Lima Pereira.

9.1
________________________________________ - _____________
Alois Andrade de Oliveira – Presidente da Banca Nota

9.1
________________________________________ - _____________
Wilian Alves Nota

9.1
________________________________________ - _____________
Reinaldo Lima Pereira Nota

Ouro preto do Oeste


2015
3

RESUMO

Este projeto foi desenvolvido, tendo como objeto de estudo o fluxo de trabalho uma empresa
voltada para prestação de serviços na área de comunicação visual, trata-se de uma empresa
pequena, com pequeno volume de informação, em razão dos tipos distintos de dados, hora
arquivos vetoriais, hora blocos de ordem de serviço, há dificuldade em ter acesso a informações
importantes, causando lentidão no atendimento e desorganização interna. Com o objetivo de
minimizar este tipo de problema, o Sistema de gerenciamento de workflow (SGW) foi
projetado, visando otimizar parcialmente o processo de negócio, em que documentos,
informações e atividades são passadas de um participante para o outro.

O SGW possibilitará a empresa o controle de todas as informações que envolvem a linha de


produção, com a utilização deste tipo de sistema, a coordenação entre as tarefas poderá ser
administrada automaticamente, permitindo que o processo possa fluir mais rapidamente,
minimizando ao máximo a intervenção do usuário em atividades improdutivas. Sendo assim, o
tempo de espera entre as atividades em processos não controlados por SGW será reduzido, as
informações serão centralizadas, afim de eliminar redundâncias nas rotinas, tornar eficiente a
comunicação entre os colaboradores e possibilitar a estes o acompanhamento em tempo real do
fluxo de trabalho e possibilitar com segurança a definição de datas para entrega, tornando a
fabricação dos personalizados eficaz, ágil e organizada, independente do volume de trabalho.

Para Cruz (2011, p. 146-147) “Qualquer processo de negócio pode ser automatizado por uma
ferramenta de Workflow. Isso significa dizer, por exemplo, que, quando um cliente solicitar um
pedido de compra em uma empresa que tenha Workflow, será atendido com rapidez e
qualidade.”

Palavras-chave: Colaboração, Otimização, Controle, Fluxo.


4

ABSTRATC

This project was developed, with the object of study the workflow a company dedicated to
providing services in visual communication area, it is a small company with a small amount of
information, because of different data types, time vector files, time blocks work order, it is
difficult to have access to important information, causing delays in service and internal
organization. In order to minimize this type of problem, the workflow management system
(SGW) was designed, aiming to partially optimize the business process where documents,
information and activities are passed from one participant to another.

The SGW will enable the company to control all information involving the production line,
using this type of system, coordination between the tasks can be run automatically, allowing
the process to flow more quickly, minimizing the maximum intervention User in unproductive
activities. Thus, the waiting time between the activities in processes not controlled by SGW
will be reduced, the information will be centralized in order to eliminate redundancies in
routines, make efficient communication between employees and enable these tracking real time
flow work safely and enable the setting of dates for delivery, making the manufacture of
effective, responsive and organized custom, regardless of workload.

For Cruz (2011, p. 146-147) "Any business process can be automated by a workflow tool. This
means, for example, that when a client requests an order in a company that has Workflow, will
be met with speed and quality. "

Keywords: Collaboration, optimization, control, Flow.


5

LISTA DE TABELAS

Tabela 01 – Demonstração de acabamentos


Tabela 02 – Ordem de Serviço
Tabela 03 – Cadastrar Cliente
Tabela 04 - Cadastrar Funcionário
Tabela 05 - Cadastrar Materiais
Tabela 06 - Cadastrar Máquinas e Computadores
Tabela 07 - Cadastrar Setor
Tabela 08 - Agendar Serviços
Tabela 09 - Acompanhar Fluxo de Trabalho
Tabela 10 - Cadastrar Serviços
Tabela 11 - Requisitos suplementares
Tabela 12 - Requisitos suplementares
Tabela 13 – Listagem de Conceito
Tabela 14 - Listagem de Consultas
Tabela 15 - Emitir ordem de serviço
Tabela 16 - Aprovar serviço
Tabela 17 - Produzir material
Tabela 18 - Finalizar material
Tabela 19 - Entregar/instalar material
Tabela 19 - Agendar serviços
Tabela 20 – Bairros
Tabela 21 – Fones
Tabela 22 – Email
Tabela 23 – Cidades_cep
Tabela 24 – Cidades
Tabela 25 – Endereços
Tabela 26 – Contatos
Tabela 27 – Ruas
Tabela 28 – Pessoas
Tabela 29 – Clientes
Tabela 30 – Agenda_serviços
6

Tabela 31 – Ordem
Tabela 32 – Funcionários
Tabela 33 – Ordem_serviços
Tabela 34 – Serviços
Tabela 35 – Setor
Tabela 36 – Funcionários_funções
Tabela 37 – Funções
Tabela 38 – Materiais
Tabela 39 – Trabalho_setor
Tabela 40 – Maquinas
Tabela 41 – Agenda
Tabela 42 – Tipo_materiais
Tabela 43 – Trabalho
Tabela 44 – Status_máquina
7

SIGLAS DE TABELAS

A – Alterar
C – Cancelar
CDR - Corel Draw
CNPJ – Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica
CPF – Cadastro de Pessoa Física
E – Excluir
EV – Evento do Sistema
F – Funcionais
FK – Foreign Key
I – Inserir
JPG - Joint Photographics Experts Group
NF – Não Funcionais
NULL – Not Null
OS – Ordem de Serviço
PDF - Portable Document Format
PF – Pessoa Física
PJ – Pessoa Jurídica
PK – Primary Key
PSD - PhotoShop Document
RS – Resposta do Sistema
S – Suplementares
8

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS

B2B - Business-to-Business
CDR - Corel Draw
CSCW - Computer Supported Collaborative Work
DXF - Drawing Exchange Format
IEEE - Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos
JPG - Joint Photographics Experts Group
OMT – Object Modeling Technique
OOSE - Object –Orienteded Sofware Engoneering
OS – Ordem de Serviço
PDF - Portable Document Format
PLT – Plotter
RO – Rondônia
SGBD – Sistema de Gestão de Bases de Dados
SGW – Sistema de Gerenciamento Workflow
SGWs - Sistemas de Gerenciamento Workflow
SQL - Structured Query Language
TIF - Tagged Image File Format
UML – Unified Modeling Language
WfMC - Workflow Management Coalition
WWW – World Wide Web
XYZ – Nome de empresa fictício
9

LISTA DE APENDICES

APENDICE A – Agendar Serviços


APENDICE B – Aprovar prospecto de serviços
APENDICE C – Emitir ordem de serviço
APENDICE D – Entregar e instalar o material
APENDICE E – Finalizar o material
APENDICE F – Produzir o Material
APENDICE G – Diagrama de classe
APENDICE H –Emitir ordem de serviço
APENDICE I – Banco de dados ER
10

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO ................................................................................................................... 11
1 WORKFLOW ................................................................................................................... 12
1.1 Definições do Workflow ............................................................................................. 12
1.2 Sistemas de gerenciamento workflow ......................................................................... 13
1.2.1 Vantagens ............................................................................................................ 14
1.2.2 Componetes ......................................................................................................... 15
1.2.3 Atividades ............................................................................................................ 16
1.2.4 Indivíduo, papéis, autores e grupos ....................................................................... 16
1.2.5 Rotas .................................................................................................................... 16
1.2.6 Regras .................................................................................................................. 17
1.2.7 Categorias SGW................................................................................................... 17
2 METODOLOGIA ............................................................................................................. 18
3 DESENVOLVIMENTO DO SOFTWARE ....................................................................... 19
3.1 Análise ....................................................................................................................... 19
3.1.1 Visão geral ........................................................................................................... 19
3.1.1.1 Atendimento .................................................................................................. 20
3.1.1.2 Criação .......................................................................................................... 20
3.1.1.3 Produção........................................................................................................ 21
3.1.1.4 Acabamento ................................................................................................... 21
3.1.2 Levantamento de requisitos .................................................................................. 22
3.1.3 Casos de uso, conceito e consulta ......................................................................... 30
3.1.4 Expansão de caso de uso ...................................................................................... 31
3.1.5 UML .................................................................................................................... 38
3.1.5.1 Diagramas UML ............................................................................................ 39
3.1.6 Dicionário de dados .............................................................................................. 39
3.2 Implementação ........................................................................................................... 47
3.2.1 Linguagem e ferramenta de programação ............................................................. 47
3.2.2 Banco de dados .................................................................................................... 47
CONCLUSÃO ..................................................................................................................... 49
REFERÊNCIAS .................................................................................................................. 50
APÊNDICE ......................................................................................................................... 52
11

INTRODUÇÃO

Atualmente o trabalho em equipe tem se tornado fundamental para as empresas que


procuram qualidade e rapidez em seus processos produtivos, entretanto, inúmeras vezes, o
desempenho de uma equipe é prejudicado por interferência na comunicação entre os
funcionários dos diferentes setores envolvidos, causando erros, perda de tempo, desperdício de
insumos, entre outros. Segundo Martins (2004, p. 32) “[...] realmente, a todo instante, o homem
sofre o impacto desse processo. A vida e o comportamento humano são regidos pela informação
[...]”. Diante deste cenário, observa-se a importância do fluxo de informações para obtenção de
bons resultados, fazendo com que a informação, deixe de ser uma fraqueza e se torne uma força
empresarial.
Este trabalho tem como objeto de estudo o fluxo de trabalho de uma gráfica localizada
em Ouro Preto do Oeste - RO, com a finalidade de apresentar soluções para o desenvolvimento
de um sistema informatizado workflow atuante no ramo de comunicação visual há dezesseis
anos, que comercializa produtos como: banners, fachadas, adesivos, carimbos e impressos em
geral. Todo o trabalho é ofertado no mercado de forma personalizada, este perfil de negócio é
popularmente conhecido como gráfica rápida. Nesta empresa, a solução para a distribuição de
informações baseia-se na circulação de papeis, geralmente transportados de mesa em mesa,
inconvenientes como informações inconsistentes, má circulação das informações e excesso de
papel são frequentes.
Um sistema informatizado de gerenciamento workflow é apresentado como possível
solução, com o intuito de promover melhorias no fluxo de informações da empresa, visando a
otimização dos processos operacionais para o perfil de gráfica rápida, desde o atendimento até
a finalização do produto, tornando a linha de produção sistemática e organizada.
12

1 WORKFLOW

Nas décadas de 70 e 80 a tecnologia de informação era considerada por muitos


executivos como um mal necessário, em razão do alto custo sem, no entanto, adquirir um
retorno imediato, e os investimentos nessa área tornaram-se questionáveis. Entretanto, no final
do século XX a tecnologia da informação se tornou fundamental para qualquer organização,
pois com o uso das tecnologias disponíveis os processos eram facilmente observados e
gerenciados. Ao passo que as organizações buscavam uma maior competitividade, as fases de
desenvolvimento dos produtos e serviços foram sendo reduzidos. Para alcançar esses
resultados, o fator determinante foi a busca pela qualidade e a reengenharia dos processos. (E-
COMBR, 2014)
A utilização dos sistemas de informações nas organizações, tornou possível o
gerenciamento das informações em grandes escalas, com segurança, velocidade, facilidade de
acesso, redução de custos operacionais e administrativos e ganho de produtividade, Assim
tecnologia da informação passa a ser determinante para a sobrevivência das empresas no
mercado.
Um sistema de informação pode ser definido como um conjunto de componentes inter
relacionados trabalhando juntos para coletar, recuperar, processar, armazenar e distribuir
informações, com a finalidade de facilitar o planejamento, o controle, a coordenação, a análise
e o processo decisório em organizações. (LAUDON, 2007, p. 9)

1.1 Definições do Workflow

O Workflow tem várias definições nas literaturas. De acordo com o modelo de


referência Workflow Management Coalition1, trata-se da automação completa ou parcial de um
processo de negócio, em que documentos, informações e atividades são passadas
compartilhadas entre os participantes, para que estes executem as tarefas considerando um
conjunto de regras procedimentais. Também pode-se definir como Workflow, ou fluxo de
trabalho, todo conjunto de atividades desenvolvidas de maneira coordenada, em série ou em

1Workflow Management Coalition (WfMC): Aliança Internacional de fornecedores, usuários, analistas e grupos
de pesquisa relacionados ao gerenciamento de fluxos de trabalho.
13

paralelo, por dois ou mais integrantes de um grupo de trabalho, com um objetivo comum.
(WORKFLOW MANAGEMENT COALITION apud PEREIRA; CASANOVA, 2003, p.2).
Embora a prática de um workflow possa ser implementada manualmente, na maioria
das vezes, o desenvolvimento ocorre dentro do contexto de sistema de tecnologia de informação
(TI), para que os processos procedimentais das automações sejam suportados pelo computador.
As tarefas podem ser desempenhadas simultaneamente, ou seja, se apenas um indivíduo
executar todas as tarefas, isso não caracteriza um workflow, pois, como o próprio nome sugere,
o processo apenas é workflow se os artefatos fluem de um integrante para outro, que envia a
informação, processa e da sequência ao fluxo de trabalho até que a tarefa seja concluída.
(OLIVEIRA e MORO, 2014, p. 1)
A tecnologia de workflow fornece os meios de se atingir a transformação nos
processos e na cultura organizacional através das potencialidades hoje oferecidas pelas bases
de dados corporativas, controle, acompanhamento e monitoramento de resultados, além de
prever a métrica dos processos e promover o acompanhamento em tempo real do fluxo de
trabalho. Os objetivos de workflow são simplificar, agilizar, dar maior segurança às
comunicações, melhorar a criação cooperativa de produtos de trabalho, realizar uma divisão
mais eficaz do trabalho e uma contribuição mais oportuna ao seu processo, alertar membros do
grupo quanto à ocorrência de importantes eventos ou mudanças e melhorar o processo de
tomada de decisão. (AMARAL,1997, p. 52).

1.2 Sistemas de gerenciamento workflow

Através de pesquisas em automação de escritórios em meados dos anos 70, com o


propósito de oferecer soluções sobre como gerar, armazenar, compartilhar e rotear documentos
em organizações, tem origem os sistemas de workflow. (ARAUJO e BORGES apud PEREIRA;
CASANOVA, 2003, p.4).
Sistema de Workflow consiste na combinação das regras de trabalho de um ambiente
colaborativo com um sistema de informação, unindo os processos, otimizando as tarefas e
tornando a comunicação entre os colaboradores eficiente.
A tecnologia de workflow suportada hoje, traz bem mais do que a diminuição do uso
de documentos em papel nas empresas. De acordo com Pereira e Casanova,
14

Os conceitos e paradigmas de trabalho em grupo, preconizados pelas pesquisas em


CSCW (Computer Supported Collaborative Work - Trabalho Colaborativo Suportado
por Computador) e groupware (agendamento de conferências, correio eletrônico,
vídeo conferência, por exemplo) influenciaram a definição destes sistemas como
ferramentas para a coordenação do trabalho de equipes, impulsionando seu
desenvolvimento. Além disso, as necessidades de interação intraorganizacionais
estenderam-se para níveis inter-organizacionais (Business-to-Business ou B2B),
agora contando com o potencial da WWW. Esse fato levou as pesquisas em workflow
a um novo patamar voltado para a definição de arquiteturas distribuídas de execução
de processos.

Desta forma, o trabalho colaborativo é descentralizado, permitindo que:


 Cada fragmento do processo de workflow seja desenvolvido no ambiente
adequado, bem como a utilização dos recursos desse local;
 Os setores de trabalho ou fragmentos dos processos deem sequência no fluxo,
relativamente independente dos outros processos com os quais é coordenado;
 Informações sobre o estado de execução, as ferramentas e os processos de
workflow possam ser acessados remotamente, mediante predefinição de
segurança.

1.2.1 Vantagens

Para Oliveira e Moro, (2014, p. 3), Os sistemas de workflow disponíveis no mercado


possuem algumas funcionalidades em comum. São benefícios obtidos através da utilização do
Sistema de workflow:
 Redução do lixo produzido pelos documentos de papel;
 Segurança e praticidade no armazenamento de informações;
 Descentralização das informações dos colaboradores, uma vez que a informação
é inserida no sistema a partir da rotina natural de funcionamento e enviada aos
demais colaboradores automaticamente.
 Eficiência melhorada, quanto maior o número de automação dos processos de
negócio, maior a eliminação atividades improdutivas;
15

 Melhor atendimento ao cliente, devido a consistência dos processos e maior


previsibilidade nos níveis de resposta;
 Flexibilidade em razão da possibilidade de re-projetar em linha com as
mudanças necessárias para garantir um bom resultado;
 Acesso simplificado as informações e atividades de recuperação.
 Distribuição de trabalho - Prevê a ordem em que as tarefas serão desenvolvidas,
a partir de regras;
 Invocação de aplicativos – com base na regra, o aplicativo adequado para
determinada atividade é acionado automaticamente, podendo ser pré-
configurado para a função específica solicitada, eliminando a necessidade
configurações redundantes.
 Roteamento dinâmico de tarefas – define qual colaborador irá executar a tarefa;
 Status do trabalho – acompanhar uma determinada instância de workflow e
descobrir no mesmo instante seu status atual de processamento, o encarregado
da função no ato da consulta e a quanto tempo a tarefa está em processamento;
 Dados estratégicos – armazena dados relacionados ao desenvolvimento das
atividades em uma base de dados, podendo demonstrar a eficiência e a eficácia
dos processos organizacionais.

1.2.2 Componetes Commented [R1]: Não pode ser caixa alta. Somente os títulos
dos capítulos. Aqui deve ser minúsculo e negrito. Verifique as
ocorrências deste erro.

Com base nas literaturas estudadas, os principais componentes de um processo de fluxo


de trabalho são atividades, e para que haja atividade, é necessário que existam autores que as
executam de acordo com seu papel.
16

1.2.3 Atividades

Trata-se de uma fase a ser desenvolvida dentro de um processo. Sendo assim, é


necessário que o SGW ofereça meios como, o nome da tarefa, os objetivos, instruções ou regras
a serem observadas no ato da execução e dados para sua conclusão;

1.2.4 Indivíduo, papéis, autores e grupos

É preciso que haja ao menos um executor responsável por suas atribuições e


devidamente cadastrado como usuário do SGW. Uma vez que uma atividade tem origem, o
SGW deve desempenhar a função de associar esta atividade ao executor automaticamente,
executores são indivíduos, usuários do SGW, referenciados por nome ou, preferencialmente,
em razão da rotatividade de pessoal nas organizações, devem ser referenciados por seus papéis,
representado por um ator (classe de indivíduos), caracteriza um conjunto de atributos (perfil) e
um conjunto de responsabilidades que os indivíduos que os desempenham devem possuir.
Indivíduos devem ser associados a papéis e estes, então, devem ser associados às atividades.
(PEREIRA; CASANOVA, 2003, p. 5-6).

1.2.5 Rotas

Define-se a partir do encadeamento de atividades do processo (roteamento). Ocorre


segundo um grafo, onde tarefas (representadas pelos nós do grafo) são desenvolvidas em
paralelo, de forma parcial ou sequencial.
17

1.2.6 Regras

A execução de atividades em um ambiente organizado necessita da aceitação e


obediência a regras pré-estabelecidas. Quando a execução de atividades coordenadas
envolvendo mais de um indivíduo, as regras têm vital importância para que se alcance o objetivo
pré-estabelecido.
Regras dizem respeito a restrições e normas impostas por um negócio e/ou pela cultura
de uma organização. A partir das regras, é possível compreender quais informações irão
transitar pelo fluxo e sob quais condições, ou seja, são atributos que definem de que forma os
dados que trafegam no fluxo de trabalho devem ser processados, roteados e controlados pelo
sistema de workflow. Regras devem ser informadas ao SGW durante a modelagem do processo.
(CRUZ apud PEREIRA; CASANOVA, 2003, p.7)

1.2.7 Categorias SGW

São categorias de SGW:


 Administrativo ou de roteamento de documentos: Similar a um sistema de e-mail.
Esse tipo de workflow trata tarefas administrativas de rotina e, em geral, estabelece
apenas fluxos de informação e faz o roteamento de documentos. Exemplos de
workflows administrativos são aprovação de despesas de marketing e aprovação de
material de publicidade;
 Ad-hoc2: Existem muitas tarefas e atividades nas corporações que são mais
orientadas a projeto, envolvendo objetivos e produtos cujos passos e dinâmica entre
usuários são muito difíceis de serem definidos em detalhes e com algum grau de
previsibilidade. Usam processos e procedimentos onde se enquadram as
ferramentas de groupware e onde não existe uma estrutura pré-definida para o
processo, ou esta estrutura pode ser modificada em tempo de execução. Embora,
também nesse caso, existam prazos e objetivos (produtos) bem definidos, as
responsabilidades individuais podem ser alteradas. Workflows ad-hoc tendem a

2 Ad-hoc. Vem do Latim e significa " Para esse caso", "criado para este propósito especifico".
18

envolver executores mais criativos e de mais alto grau de conhecimento. As


atividades, vez por outra, prescindem do uso dos SGWs. Um elemento tipicamente
importante na execução desse tipo de workflow é o mecanismo de comunicação
entre executores. Exemplos de aplicações: criação de documentos,
desenvolvimento de software e campanha de marketing para lançamento de
produto.

As categorias de SGW administrativo e ad-hoc, podem variar ainda em:

 Workflows orientados para pessoas, que envolve pessoas na realização das tarefas.
O suporte do sistema é fornecido para facilitar a colaboração e a coordenação entre
as pessoas, mas são elas próprias que têm, em última análise, a responsabilidade
pela coerência das ações.
 Workflows orientados para sistemas são aqueles que consistem em tarefas com uso
intenso de computação e tarefas especializadas que podem ser executadas por um
computador. Nesse caso, o suporte do sistema é substancial e envolve controle da
concorrência e recuperação, execução automática de tarefas, notificação etc.
As categorias de SGW são classificadas pelo grau de estruturação de acordo com os
processos envolvidos na execução das atividades.

2 METODOLOGIA

O trabalho, para melhor organização e desenvolvimento divide-se em etapas:


 Leitura revisória de toda literatura a respeitos de SGW em uma organização e as
características deste segmento;
 Levantamento de requisitos e escolhas das ferramentas tecnológicas apropriadas
para solução dos problemas eliciados;
19

3 DESENVOLVIMENTO DO SOFTWARE

O método utilizado para desenvolvimento compreende quatro fases: Análise, projeto.


Efetivamente, a elaboração de software de computador é um processo de aprendizado,
e o resultado, é a incorporação de conhecimentos coletados, destilados e organizados à medida
que o processo é conduzido. Processo é o alicerce da engenharia de software. É ele que permite
o desenvolvimento racional e oportuno de softwares de computador (PRESSMAN, 2006, p.
16). Para o Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE) um processo é uma
sequência de passos executada com um determinado objetivo (IEEE, 2003). Desta forma, um
processo de software define a abordagem que é adotada quando o software é elaborado
(PRESSMAN, 2006, p. 16).
Processos de software formam a base para o controle gerencial de projetos de software
e define o conteúdo no qual os métodos são aplicados, os produtos de trabalho (modelos,
documentos, dados, relatórios, formulários, etc.) são produzidos, os marcos são estabelecidos,
a qualidade é assegurada e as modificações são adequadamente geridas (PRESSMAN, 2006,
p.17).

3.1 Análise

Trata-se da investigação do problema, segundo Wazlawick, (2004, p.20), “Essa etapa


é essencial por que ninguém é capaz de entender com perfeição um problema usual de sistemas
de informação na primeira vez que olha. [...]”

3.1.1 Visão geral

A Empresa XYZ atua no ramo de comunicação visual com o perfil de gráfica rápida,
está no mercado a aproximadamente 15 anos, dentre suas reestruturações organizacionais
atualmente utiliza os seguintes fluxos de processos:
20

3.1.1.1 Atendimento

Realizado manualmente através de blocos de papel, o funcionário irá preencher os


seguintes campos:
 Dados pessoais:
- Nome;
- Fone;
- Data;
- Entre outros;
 Dados do Produto:
- Descrição;
- Quantidade;
- Acabamento;
- Preço;
Com os dados relacionados acima, o funcionário determina um valor do serviço e
estabelece diretrizes de fabricação.
Para que se estabeleça um orçamento conciso, o funcionário consulta informações de
outros setores para fechar um orçamento com ao cliente com os dados estabelecidos e
informações confirmadas, o pedido é finalizado, sendo disponibilizado em uma via que conta
no bloco de pedido ao cliente e outra via sendo destinado ao setor responsável para a produção
do serviço

3.1.1.2 Criação

O Arte finalista desenvolve a arte de acordo com as orientações dispostas no pedido


que lhe é entregue, assim que concluído informa ao cliente via telefone ou aguarda sua chegada,
contudo o armazenamento inadequado põe em risco do desaparecimento de informações ou
falhas na comunicação da empresa prejudicando a sequência de atividades, havendo
necessidade de contatar o cliente novamente.
A arte é finalizada quando o cliente aprova por e-mail ou pessoalmente para que não
seja surpreendido na entrega do trabalho por alguma informação desagradável e para que a
21

empresa não corra riscos na produção, desta forma o cliente se responsabiliza atestando que
concorda com o protótipo da arte.

3.1.1.3 Produção

A arte é enviada para a impressão através de uma rede local nas extensões:
.plt, para a máquina de corte a laser;
.tif, para a impressora plotter impressão;
.pdf e .cdr - para impressora a laser, plotter recorte e crachá;
.dfx e .jpg – para corte no papel.
Cada máquina tem uma pasta de acordo com sua classificação:
Impressão a laser pode ter vários tipos de papéis, sendo assim no computador onde
está instalada a impressora, há uma pasta chamada laser que recebe todos os arquivos que serão
impressos e dentro desta pasta várias outras nomeadas pelo nome do papel que será impresso,
adesivo de papel, couchê 150g/m², couchê 230g/m² entre outros, as artes são enviadas para estas
pastas, assim o impressor consulta a pasta e compreende a quantidade de páginas que está
disposta no nome do arquivo e o tipo de papel que deve ser usado através do nome da pasta,
após impresso o arquivo é movido para uma pasta chamada concluídos, significa que foi
impresso, (surpresas como papel insuficiente para conclusão do serviço são frequentes) usados
para consulta do andamento do trabalho.

3.1.1.4 Acabamento

O impressor conclui a fase de produção e entrega o serviço ao responsável pelo


acabamento que e finaliza de acordo com a informação obtida pelos colegas de trabalho, que
pode ser:
22

Tabela 01 – Demonstração de acabamentos


MATERIAL ACABAMENTO
LONA ILHOS MADEIRA ARREBITE CORT
BANNER ILHOS MADEIRA CORT
ADESIVO PLOTER CORT DEPILAÇÃO COLAGEM
PAPEL CORT DOBRADURA PERFURAÇÃO PLASTIFICAÇÃO LAMINAÇÃO

PVC CORTLASER COLAGEM


MDF CORTLASER COLAGEM ENGRAVE
ACRÍLICO CORTLASER COLAGEM ARGOLA ENGRAVE
Fonte: Autoria própria.

Concluído o acabamento o funcionário guarda e/ ou embala o trabalho, o cliente é


informado via telefone que a encomenda está pronta, ao comparecer na empresa para retirada,
apresenta a via que foi entregue a ele no ato do pedido, o atendente localiza o pedido da gráfica,
caso não o encontre, procura o pedido que fica no bloco, caso não encontre, recalcula o preço
do material recebe e concluí o trabalho.

3.1.2 Levantamento de requisitos

Tabela 02 – Ordem de Serviço


F1 Ordem de Serviço Oculto ( )
Descrição: A ordem de serviço deve conter o nome e código do funcionário, todas as
informações necessárias para que a ordem seja executada, em alguns casos o cliente
trará arquivos em dispositivos ou impresso, estas informações dever ser digitalizadas
para que conste nos arquivos do cliente anexos a ordem de serviço.
Requisitos Não Funcionais
Nome Restrição Categoria Desejável Permanente
NF .1.1 Somente o usuário com perfil Segurança ( ) (x)
Controle de atendente ou administrador terão
acesso acesso a funcionalidade
NF.1.2 O Sistema deve gerar um código Performance ( ) (x)
Gerar para cada ordem de serviço
código
NF.1.3 O funcionário será identificado Performance ( ) (x)
Identificaçã pelo por um código gerado pelo
o do sistema, vinculado a ordem de
funcionário serviço
NF.1.4 O Cliente será identificado pelo Performance ( ) (x)
Identificaçã nome
o do cliente
23

NF.1.5 Deve ter a opção ordem de Interface ( ) (x)


Alteração serviço ou orçamento
de
funcionalida
de
NF.1.6 A ordem de Serviço deve conter Performance ( ) (x)
Status o status.
nome_do_setor/status. Ex:
criação a fazer
NF.1.7 Os anexos da ordem de serviço Performance ( ) (x)
Inserir (JPG, CDR, PSD, PDF, ...)
anexos devem ter apenas as referências
armazenadas na base de dados,
ex:
/nome_do_cliente/banner_01020
5/imagens
NF.1.8 Os arquivos gerados a partir da Performance ( ) (x)
Organizaçã ordem de serviço, anexos e
o ordem de imagens ou vetores extraídos da
serviço internet ou aprovações de layout
devem ser organizados em
diretórios específicos
relacionados ao serviço
centralizados em um único
computador
Ex:
Pasta do cliente
/nome_do_cliente

Pasta de 1 item da ordem de


serviço do cliente
/nome_do_cliente
/banner_010205

Pasta de imagens de 1 item da


ordem de serviço do cliente
/ nome_do_cliente
/banner_010205/imagens

NF.1.9 O sistema deve suportar a Performance ( ) (x)


Suporte a combinações distintas de
Personaliza materiais para criação de novos
ção produtos, em algumas ocasiões o
cliente precisa acrescentar um
detalhe a mais, para melhor
instalação do produto.

Ex: Faixa 5m x 1m, cliente


necessita de um ilhós em cada
ponta.
24

NF.1.10 A ordem de Serviço deve conter Interface ( ) (x)


Data de o campo data de solicitação,
solicitação, aprovação, entrega/instalação e
aprovação e o campo tempo de duração da
entrega instalação
NF.1.11 As datas da OS devem ser Performance (x) (x)
Agenda sincronizadas com a agenda de
automática serviço, dessa forma os serviços
serão sempre agendados
respeitando a data e duração de
cada um.
NF.1.12 Deve constar na OS, uma visão Performance (x) (x)
Agenda da agenda de serviço com um
resumida resumo do dia da
entrega/aprovação/instalação
para facilitar a definição de cada
data.
NF.1.13 A Sistema deve sugerir uma data Performance (x) (x)
Sugerir data com base no tempo de
fabricação cadastrado em cada
serviço e disponibilidade da
agenda, apenas sugerir, o
atendente terá que verificar se
realmente é possível cumprir o
cronograma podendo alterar as
datas se preciso for.
NF.1.14 Cada Serviço vinculado a OS Interface ( ) (x)
Observação deve ter o campo observação
Fonte: Autoria própria.

Tabela 03 – Cadastrar Cliente


F2 Cadastrar Cliente Oculto ( )
Descrição: O sistema devera armazenar informações pessoais necessárias para
cadastrar o cliente e identifica-lo.
Requisitos Não Funcionais
Nome Restrição Categoria Desejável Permanente
NF .2.1 Janela Todas as informações Interface ( ) (x)
Única necessárias para o cadastro do
cliente devem ser efetuadas em
janela única
NF.2.2 Somente o usuário com Segurança ( ) (x)
Controle de autorização do administrador
acesso terá acesso a funcionalidade
NF.2.3 Gerar Será gerado um código para Performance ( ) (x)
Código cada cliente no ato do cadastro
25

NF.2.4 O cliente será identificado pelo Performance ( ) (x)


Identificação nome e/ou telefone
do cliente
Fonte: Autoria própria.

Tabela 04 - Cadastrar Funcionário


F3 Cadastrar Funcionário Oculto ( )
Descrição: O sistema deve armazenar as informações pessoais e outras necessárias para
a identificação do funcionário e vinculação do mesmo na linha de produção.
Requisitos Não Funcionais
Nome Restrição Categoria Desejável Permanente
NF .3.1 Janela Todas as informações Interface (x) (x)
Única necessárias para o cadastro
do funcionário devem ser
efetuadas em janela única
NF.3.2 Somente o usuário com perfil Segurança ( ) (x)
Controle de de administrador terá acesso
acesso a funcionalidade
NF.3.3 Gerar Será gerado um código para Performance ( ) (x)
Código cada funcionário no ato do
cadastro
NF.3.4 Status O funcionário deve ter um Performance ( ) (x)
status que muda de acordo
com a atividade
Ex: ativo/inativo
NF.3.5 O cadastro do funcionário Performance ( ) (x)
Habilidades deve registrar informações
sobre as habilidades do
funcionário

Fonte: Autoria própria.

Tabela 05 - Cadastrar Materiais


F4 Cadastrar Materiais Oculto ( )
Descrição: O sistema deve armazenar as informações básicas para vinculação dos
materiais na linha de produção.
Requisitos Não Funcionais
Nome Restrição Categoria Desejável Permanente
NF .4.1 Janela Todas as informações Interface ( ) (x)
Única necessárias para o cadastro de
materiais devem ser efetuadas
em janela única
NF.4.2 Somente o usuário com perfil Segurança ( ) ( )
Controle de liberado pelo administrador terá
acesso acesso a funcionalidade
26

NF.4.3 Gerar Será gerado um código para Performance ( ) (x)


Código cada material no ato do
cadastro
NF.4.4 Tipos e Cada material tem Performance (x) (x)
Dimensões de características distintas
materiais (bobinas, folhas, unidades)
O cadastro destes deve suportar
todas as dimensões e tipos de
materiais existentes na linha de
produção
Fonte: Autoria própria.

Tabela 06 - Cadastrar Máquinas e Computadores


F5 Cadastrar Máquinas e Oculto ( )
Computadores
Descrição: O sistema deve armazenar as informações básicas para vinculação das
máquinas e computadores na linha de produção.
Requisitos Não Funcionais
Nome Restrição Categoria Desejável Permanente
NF .5.1 Janela Todas as informações Interface ( ) (x)
Única necessárias para o cadastro de
máquinas e computadores
devem ser efetuadas em janela
única
NF.5.2 Somente o usuário com perfil Segurança ( ) (x)
Controle de liberado pelo administrador terá
acesso acesso a funcionalidade
NF.5.3 Status Cada máquina ou computador Performance ( ) (x)
deve ter status (ex: disponível,
em manutenção)
NF.5.4 Cada máquina ou computador Performance ( ) (x)
Operador deve ter um ou mais operadores
responsável
NF.5.5 Setor de Cada máquina ou computador Performance ( ) (x)
atuação deve pertencer a um ou mais
setores
Fonte: Autoria própria.
27

Tabela 07 - Cadastrar Setor


F6 Cadastrar Setor Oculto ( )
Descrição: O sistema deve armazenar as informações básicas de cada setor para
compor a linha de produção.
Requisitos Não Funcionais
Nome Restrição Categoria Desejável Permanente
NF.6.1 Janela Todas as informações Interface ( ) (x)
Única necessárias para o cadastro do
setor devem ser efetuadas em
janela única
NF.6.2 Somente o usuário com perfil Segurança ( ) (x)
Controle de liberado pelo administrador terá
acesso acesso a funcionalidade
NF.6.3 Cada setor deve ter as Performance ( ) (x)
Controle de atividades listadas com seus
Tarefas autores e status (ex: em edição,
a fazer)
Fonte: Autoria própria.

Tabela 08 - Agendar Serviços


F7 Agendar Serviços Oculto ( )
Descrição: O operador do sistema fará o agendamento contendo dia, hora, funcionário
e outras informações necessárias.
Requisitos Não Funcionais
Nome Restrição Categoria Desejável Permanente
NF.7.1 Somente o usuário com perfil Segurança ( ) (x)
Controle de liberado pelo administrador terá
acesso acesso a funcionalidade
NF.7.2 O Cliente será identificado pelo Performance ( ) (x)
Identificação nome, telefone ou e-mail
do cliente
NF.7.3 O funcionário será identificado Performance ( ) (x)
Identificação pelo por um código
do funcionário
Fonte: Autoria própria.
28

Tabela 09 - Acompanhar Fluxo de Trabalho


F8 Acompanhar Fluxo de Oculto ( )
Trabalho
Descrição: O operador do sistema fará o acompanhamento de todas as atividades em
tempo real
Requisitos Não Funcionais
Nome Restrição Categoria Desejável Permanente
NF.8.1 Somente o usuário com perfil Segurança ( ) (x)
Controle de liberado pelo administrador terá
acesso acesso a funcionalidade
NF.8.2 O Cliente será identificado pelo Performance ( ) (x)
Identificação nome, telefone ou e-mail
do cliente
NF.8.3 O serviço será identificado por Performance ( ) (x)
Identificação um código gerado pelo sistema,
de Serviço nome do cliente e nome do
serviço
Fonte: Autoria própria.

Tabela 10 - Cadastrar Serviços


F9 Cadastrar Serviços Oculto ( )
Descrição: O sistema deve armazenar todos os serviços suportados pela linha de
produção, sendo considerado serviço, um conjunto de materiais sistematicamente
organizados com os setores necessários para a fabricação.
Requisitos Não Funcionais
Nome Restrição Categoria Desejável Permanente
NF .9.1 Janela Todas as informações Interface ( ) (x)
Única necessárias para o cadastro de
materiais devem ser efetuadas
em janela única
NF.9.2 Somente o usuário com perfil Segurança ( ) ( )
Controle de liberado pelo administrador terá
acesso acesso a funcionalidade
NF.9.3 Gerar Será gerado um código para Performance ( ) (x)
Código cada serviço no ato do cadastro
NF.9.4 No ato do cadastro deve ser Performance (x) (x)
Características projetado o valor e quantidade.
dos serviços Ex.:
Cartão de visita 4x0 – 1000 und
– R$ 100,00
Cartão de visita 4x0 – 2000 und
– R$ 155,00

Fonte: Autoria própria.


29

Tabela 11 - Requisitos suplementares


Requisitos suplementares
Nome Restrição Categoria Desejável Permanente
S1 Tipo de As interfaces do sistema devem Interface ( ) (x)
interface ser implementadas como
formulários compatíveis com a
plataforma Windows®
S2 perfis de Os perfis de usuário para Segurança ( ) (x)
Usuário acesso do sistema são:
2. Administrador - pode efetuar
todas as operações;
1. Operador – pode efetuar as
operações concedidas pelo
administrador
S3 Alternância Os Serviços ou produtos tem Performance ( ) (x)
de prioridade possibilidade de passar na
frente de outros em casos de
emergência
S4 Colaboração Ao Fim de cada tarefa o Performance ( ) (x)
operador, informa o sistema, o
sistema envia a tarefa seguinte
ao próximo operador
S5 Tempo de O sistema deve registrar o Performance (x) (x)
fabricação tempo gasto para a fabricação
dos produtos, a começar pela
entrada na produção e
conclusão com o acabamento
S6 Notificações O sistema deve notificar o Performance (x) (x)
operador a cada tarefa pendente
na lista de tarefas
S7 A cada instante, qualquer Performance ( ) (x)
Cancelamento transação em andamento pode
ser cancelada pelo
administrador ou perfil de
usuário autorizado.
S8 Status O status será atribuído a cada Performance ( ) (x)
serviço, sendo alterado
automaticamente a medida que
as etapas do processo são
concluídas.
Fonte: Autoria própria.
30

3.1.3 Casos de uso, conceito e consulta

Tabela 12 – Listagem de caso de uso


Listagem de caso de uso
Nome Atores Descrição Ref.
Cruzadas
Emitir O Cliente se identifica e descreve o F1, F2, F7,
ordem de Atendente, serviço que deseja obter, o atendente F8
serviço Cliente emite a ordem de serviço, envia a OS
(OS) para o setor de criação.
Arte O arte finalista, Cria o layout, o cliente F1, F8
Aprovar
Finalista, aprova layout, o arte finalista envia o
Serviço
Cliente Layout e a OS para o setor de produção.
O impressor recebe o arquivo e imprime F1, F8
Produzir o material de acordo com as
Impressor
material especificações da OS e envia o material
para o setor de acabamento
Finalizar O finalizador recebe o material e aplica o F1
Finalizador
material acabamento descrito na OS
Entregar/ Atendente, O cliente se identifica, recebe o material, F1, F8,
instalar Cliente, o atendente registra a entrega e o cliente
material Instalador efetua o pagamento devido
Agendar Cliente, O cliente se identifica e descreve o F1, F2, F7,
Serviços Atendente, serviço. F8
Funcionário O funcionário agenda o serviço e entrega
um comprovante ao cliente.
Fonte: Autoria própria.

Tabela 13 – Listagem de Conceito


Ref.
Conceito I A E C Observação
Cruzadas
Cliente Só é possível excluir se não houver Ordens F1, F2
X X X X
de Serviço a fazer
Ordem Só pode ser excluído no caso de F1, F2, F3,
de X X X X cancelamento F4, F7
Serviço
Agendar Só pode ser excluído no caso de F1, F2, F3,
X X X X
serviços cancelamento F8
Serviços As alterações não devem refletir nas F1, F4, F5,
X X X
Ordens de serviço emitidas anteriormente F6
Fonte: Autoria própria.
31

Tabela 14 - Listagem de Consultas


Listagem de Consultas
Nome Referências Cruzadas
Fluxo de trabalho F8
Agenda de serviços F7
Status funcionário F3
Status maquinas F5
Status setor F6
Fonte: Autoria própria.

3.1.4 Expansão de caso de uso

Tabela 15 - Emitir ordem de serviço


Caso de uso: Emitir ordem de serviço (OS)
Atores: Atendente e Cliente
Interessados: Administrador, Funcionários
Precondições: Data disponível na agenda de serviço, os serviços solicitados devem
ser prestados pela empresa, os serviços devem estar cadastrados, as informações do
cliente devem estar vinculadas a OS.
Pós-condições: OS foi registrada na agenda de serviços, O cliente ficou de posse de
uma via da OS, o registro da OS foi salvo no sistema, enviado para o setor de criação,
o status foi alterado para “criação”, o cliente foi informado do valor, prazo do serviço
e data para aprovação do serviço.
Requisitos correlacionados: F1, F2, F7, F8
Variações tecnológicas: A emissão da OS poderá ser enviada ao cliente via e-mail
ou impressa, poderá ser enviada ao setor de criação via software ou impressa.
Questões em aberto:
Fluxo principal:
1. O cliente chega ao balcão e informa os serviços que precisa;
2. O cliente se identifica.
3. [EV] O atendente registra o cliente e inicia uma nova OS.
4. [EV] O atendente registra cada um dos serviços.
5. [EV] O atendente verifica e registra material de apoio do serviço (imagens,
vídeos, objetos)
6. [EV] O atendente registra forma de aprovação, entrega/instalação do serviço e
data de aprovação, entrega/instalação do serviço.
7. [RS] O atendente finaliza a OS, informa o valor, data para aprovação do
serviço, data de entrega/instalação, duração da instalação e imprime uma via da
OS para o cliente.
8. O cliente vai embora com a via da OS.
Tratamento de exceções:
3a. O cliente não possui cadastro.
3a.1 O cliente deve informar seus dados para cadastro.
32

3a.2 [EV] O atendente registra o cadastro.


3a.3 Retorna ao fluxo principal no passo 3.
4a. Os serviços cadastrados não contemplam as necessidades do cliente
(quantidade, tamanho, material) e não podem ser cadastrados.
4a.1 [RS] O atendente informa ao cliente que o serviço não é ofertado pela
empresa com as especificações solicitadas.
4a. 2 Atendente sugere outros serviços semelhantes e prossegue com o registro
no passo 4.
4b. Os serviços cadastrados não contemplam as necessidades do cliente
(quantidade, tamanho, material) e podem ser cadastrados.
4b.1 [RS] O atendente informa ao cliente que o serviço não é ofertado pela
empresa com as especificações solicitadas.
4b.2 [EV] O atendente cadastra do serviço solicitado.
4b.3 Retorna ao fluxo principal no passo 4.
5a. O cliente não está com o material de apoio na emissão da OS.
5a.1 O atendente informa ao cliente que este serviço só terá início quando o
material de apoio for vinculado a OS.
5a.2 [EV] O atendente registra falta de dados para este serviço.
5a.3 Retorna ao fluxo principal no passo 5.
5b. Material de apoio com incompatibilidade/corrompido
5b.1 O atendente informa ao cliente que material de apoio está inadequado.
5b.2 O atendente informa ao cliente formatos suportados pelos padrões de
trabalho da empresa e que este serviço só terá início quando o material de apoio
correto for vinculado a OS.
5b.3 [EV] O atendente registra falta de dados para este serviço.
5b.4 Retorna ao fluxo principal no passo 5.

6a. O cliente não pode aprovar o prospecto do serviço.


6a.1 [RS] O atendente informa o cliente que a não aprovação do prospecto do
serviço implica na eliminação de qualquer responsabilidade da empresa com o
resultado final do serviço.
6a.2 [EV] O atendente registra que o cliente consente em não aprovar o
prospecto do serviço e assume os riscos. Commented [R2]: Esta aprovação implica em aceitação? Isto
tem que ficar claro.
6a.3 Retorna ao fluxo principal no passo 6.
6b. O cliente não pode aprovar/receber/instalar o serviço na data prevista. Commented [JL3R2]: Pode ser assim?

6b.1 [EV] O atendente consulta uma nova data de acordo com a disponibilidade o cliente consente em não aprovar
do cliente e da empresa.
6b.2 [EV] O Atendente registra a nova data para
aprovação/recebimento/instalação do serviço.
6b.3 Retorna ao fluxo principal no passo 6.

Fonte: Autoria própria.


33

Tabela 16 - Aprovar serviço


Caso de uso: Aprovar serviço
Atores: Arte finalista e Cliente
Interessados: Administrador, Funcionários
Precondições: Layout desenvolvido de acordo com as orientações e informações de
cada serviço.
Pós-condições: A aprovação do cliente foi registrada, armazenada em um
subdiretório para possíveis conferencias, o arquivo para impressão foi enviado para o
setor de produção e o status do serviço foi mudado para “produção”.
Requisitos correlacionados: F1, F2, F7, F8
Variações tecnológicas: A prospecção do serviço poderá ser enviada ao cliente via e-
mail, impressa ou em tela, poderá ser enviada ao setor de produção via software.
Questões em aberto:
Será cobrada uma taxa para correções feitas junto ao arte finalista?
Haverá um número máximo de correções?
O retrabalho será cobrado?
Fluxo principal:
1. [EV] O arte finalista conclui a criação do layout dentro do prazo e registra no
sistema.
2. [RS] O arte finalista prepara o prospecto e armazena no diretório indicado pelo
Sistema, envia a prospecção via e-mail ao cliente, o status do serviço é alterado
para “aprovação” e o atendente é notificado.
3. O cliente chega ao balcão de atendimento e entrega a OS.
4. [EV] O atendente consulta as informações da OS.
5. [RS] O atendente informa o cliente dos serviços que estão com status
“aprovação”, exibe em tela ou imprime a prospecção.
6. O cliente aprova a prospecção.
7. [EV] O atendente registra a aprovação do cliente.
8. O cliente vai embora
9. [RS] O arte finalista é notificado pelo sistema para enviar o arquivo para
produção.
10. [EV] O arte finalista registra envio do arquivo.
11. [RS] O status do serviço é alterado para “produção”

Tratamento de exceções:
1a. O arte finalista não conclui a criação do layout dentro do prazo.
1a.1 O arte finalista informa ao atendente que não foi possível cumprir com o
prazo estabelecido e informa nova previsão da conclusão do layout.
1a.2 O atendente entra em contato com o cliente, informa o não comprimento do
prazo estabelecido na OS e define nova data para aprovação do layout.
1a.3 [EV] O cliente confirma nova data e o atendente registra na agenda
1a.4 Retorna ao fluxo principal passo 1.
2a. O atendente encontra inconformidades com o serviço solicitado.
2a.1 Ao ser notificado, o atendente avalia a prospecção e encontra
inconformidades
2a.2 [EV] O atendente registra alterações a serem feitas.
2a.3 [RS] O arte finalista é notificado, o status do serviço é alterado para
“correção”.
2a.4 Retorna ao passo 1.
34

3a. O cliente chega ao balcão de atendimento sem OS.


3a.1 O cliente seus dados cadastrais.
3a.2 [EV] O atendente consulta OS em aberto deste cliente.
3a.3 [RS] O atendente imprime 2ª via da OS.
3a.4 Retorna ao passo 5.
3b. O cliente não aprova o Layout no prazo preestabelecido
3b.1 [RS] O atendente é notificado da não aprovação do layout prazo
preestabelecido.
3b.2 O atendente entra em contato com o cliente e informa-o da aprovação do
serviço.
3b.3 O cliente informa nova data para aprovação.
3b.4 [EV] O atendente atualiza e registra novas datas de aprovação, entrega e/ou
instalação de acordo com a disponibilidade da empresa e do cliente.
3b.5 [RS] O atendente informa datas atualizadas de aprovação, entrega e/ou
instalação.
3b.6 Retorna no passo 3.
5a. Os serviços solicitados não ficaram prontos para a aprovação na data
prevista.
5a.1 [RS] O atendente informa o não comprimento do prazo estabelecido na OS
e define nova data para aprovação do layout.
5a.2 [EV] O cliente confirma nova data e o atendente registra na agenda.
5a.3 Retorna ao passo 5.
5b. Os serviços solicitados não ficaram prontos para a aprovação na data
prevista e cliente cancela OS.
5b.1 [RS] O atendente informa o não comprimento do prazo estabelecido na OS
e define nova data para aprovação do layout.
5b.2 O cliente solicita cancelamento da OS.
5b.3 [EV] Atendente verifica valor a ser pago proporcionalmente aos serviços
prestados.
5b.4 [RS] Atendente informa valor a ser pago
5b.5 O Cliente efetua o pagamento
5b.6 [EV] O atendente registra o pagamento, finaliza a OS e status é alterado
para “cancelado”.
6a. O cliente precisa alterar informações.
6a.1 O cliente informa alterações a serem feitas
6a.2 [EV] O atendente registra as alterações a serem feitas.
6a.3 [RS] O arte finalista é notificado, o status do serviço é alterado para
“correção”.
6a.4 Retorna ao passo 6.
6b. O cliente deseja fazer as alterações junto ao arte finalista.
6b.1 [EV] Verifica a disponibilidade do arte finalista e agenda a aprovação do
layout.
6b.2 Retorna ao passo 6.
6c. O cliente deseja mudar o tipo de serviço.
6c.1 O cliente mudança de serviço.
6c.2 [EV] Atendente verifica valor a ser pago pelo novo serviço e
proporcionalmente aos serviços prestados.
6c.3 [RS]O atendente informa o valor do novo serviço e valor a ser pago
proporcionalmente pelo serviço anterior.
35

6c.4 [RS] O atendente informa datas atualizadas de aprovação, entrega e/ou


instalação.
6c.5 O cliente aprova datas e orçamento.
6c.6 [EV] Atendente registra alteração na OS, o serviço anterior é cancelado, e
novo serviço recebe o status “criação”.
6c.7 Retorna ao passo 1.
6d. O cliente solicita um novo layout.
6d.1 O cliente novo layout.
6d.2 [EV] O atendente verifica valor a ser pago proporcionalmente aos serviços
prestados.
6d.3 [RS] O atendente informa o valor a ser acrescido pela solicitação de um
novo layout
6d.4 O cliente confirma valor
6d.5 [EV] O atendente registra alteração na OS, status do serviço é alterado para
“criação”
6d.6 Retorna ao passo 1.
Fonte: Autoria própria.

Tabela 17 - Produzir material


Caso de uso: Produzir material
Atores: Impressor, administrador
Interessados: Administrador, Funcionários
Precondições: Status do serviço “produção”, OS contendo todas as informações
necessárias para a produção do material.
Pós-condições: Status do serviço “acabamento”, o material está de acordo com os
padrões de qualidade da empresa, foi identificado e armazenado no local adequado.
Requisitos correlacionados: F1, F8
Variações tecnológicas: A OS da produção será vinculada ao funcionário via
software, onde constará a relação dos serviços a serem feitos
Questões em aberto:
Fluxo principal:
1. [RS] O impressor é notificado pelo sistema de serviço com o status
“produção”.
2. [EV] O impressor registra início de produção e o status do serviço é alterado
para “produzindo”.
3. [RS] O impressor recebe notificação com o caminho do arquivo de impressão
(url).
4. O impressor executa o processamento do material.
5. [EV] O impressor concluí e registra o processamento do material, identifica e
armazena o material no local adequado.
6. [RS] O status do serviço é alterado para “acabamento”

Tratamento de exceções:
4a. A impressora não está funcionando.
4a.1 [EV] O impressor altera o status da máquina para “manutenção”
4a.2 [RS] O administrador é notificado via software do status manutenção.
36

4a.3 [EV] O impressor altera o status do serviço para “produção”


4a.4 [EV] Se a impressora não voltar a funcionar em 3 horas, notificar atendente
4a.4 Retorna ao passo 1.
4b. O suprimento de impressão acabou antes do processamento.
4b.1 [EV] O impressor registra e notifica administrador.
4b.2 [EV] O impressor altera o status do serviço para “produção”.
4b.3 Retorna ao passo 1.
4c. O suprimento de impressão acabou durante o processamento.
4b.1 [EV] O impressor registra e notifica administrador.
4b.2 [EV] O impressor altera o status do serviço para “produção”.
4b.3 Retorna ao passo 1.
Fonte: Autoria própria.

Tabela 18 - Finalizar material


Caso de uso: Finalizar material
Atores: Finalizador
Interessados: Administrador, Funcionários
Precondições: Status do serviço “acabamento”, OS contendo todas as informações
necessárias para a finalização do material.
Pós-condições: Status do serviço “entrega”, o material está de acordo com os padrões
de qualidade da empresa, foi identificado e armazenado no local adequado.
Requisitos correlacionados: F1
Variações tecnológicas: A OS da finalização será vinculada ao funcionário via
software, onde constará a relação dos serviços a serem feitos
Questões em aberto:
Fluxo principal:
1. [RS] O finalizador é notificado pelo sistema de serviço com o status
“acabamento”.
2. [EV] O finalizador registra início de finalização/acabamento e o status do
serviço é alterado para “finalizando”.
3. [RS] O finalizador recebe notificação com as orientações de acabamento via
software
4. O finalizador executa o acabamento do material.
5. [EV] O finalizador concluí e registra o processamento do material, identifica e
armazena o material no local adequado.
6. [RS] O status do serviço é alterado para “entrega”, atendente é notificado para
informar cliente.
Tratamento de exceções:
4a. O suprimento de acabamento acabou
4a.1 [EV] O finalizador registra e notifica administrador.
4a.2 [EV] O finalizador altera o status do serviço para “acabamento”.
4a.3 Retorna ao passo 1.

Fonte: Autoria própria.


37

Tabela 19 - Entregar/instalar material


Caso de uso: Entregar/instalar material
Atores: Atendente, Cliente, Instalador
Interessados: Administrador, Funcionários
Precondições: Status do serviço “entrega”, OS contendo todas as informações
necessárias para a entrega do material.
Pós-condições: Status do serviço “concluído”.
Requisitos correlacionados: F1, F8
Variações tecnológicas:
Questões em aberto:
Fluxo principal:
1. O cliente chega ao balcão de atendimento e entrega a OS.
2. [EV] O atendente consulta as informações da OS.
3. [RS] O atendente informa o cliente dos serviços que estão prontos e o valor a
ser pago
4. O cliente efetua o pagamento
5. [EV] O atendente registra o pagamento, entrega o serviço ao cliente.
6. [RS] Status do serviço é alterado para “concluído”.
7. O cliente vai embora com o serviço.

Tratamento de exceções:
1a. O cliente chega ao balcão de atendimento sem OS.
1a.1 O cliente seus dados cadastrais.
1a.2 [EV] O atendente consulta OS em aberto deste cliente.
1a.3 Retorna ao passo 2.
5a. Cliente fica insatisfeito com o resultado do serviço
5a.1 O cliente informa o motivo da insatisfação
5a.2 [EV] O atendente a avalia o serviço, se poder ser reparado o atendente
registra o erro e envia para a produção, senão, solicita reprodução.
5b. Serviço precisa ser instalado
5b.1 O instalador vai até o endereço na data marcada e executa a instalação
5b.2 O instalador registra a instalação
5b.3 Retorna no passo 6.

Fonte: Autoria própria.

Tabela 19 - Agendar serviços


Caso de uso: Agendar serviços
Atores: Cliente, Atendente, Funcionário
Interessados: Administrador, Funcionários
Precondições: Cliente cadastrado
Pós-condições: Concluir tarefa agendada
Requisitos correlacionados: F1, F2, F7, F8
Variações tecnológicas:
Questões em aberto:
38

Fluxo principal:
1. O cliente chega ao balcão de atendimento e solicita tipo de serviço que
necessita de análise do local ou objeto (ex: painel, carro)
2. [EV] O atendente registra o cliente e inicia OS tipo orçamento.
3. [EV] O atendente registra data e horário de acordo com disponibilidade do
cliente e da empresa e vincula funcionário para executar a tarefa.
4. [RS] O atendente informa horário e data do agendamento, funcionário recebe a
notificação e cliente recebe uma via da OS.
6. [RS] Status do serviço é alterado para “atendimento”.
7. O cliente vai embora com a via cliente da OS.

Tratamento de exceções:

Fonte: Autoria própria.

3.1.5 UML

A UML surgiu da união de métodos de modelagem: Booch, OMT (Object Modeling


Technique) de Jacobson, e o método OOSE (Object –Orienteded Sofware Engoneering) de
Rumbaugh. Estes eram até 1990 os métodos de modelagem orientada a objetos mais bem
conceituados entre os profissionais. (GUEDES, 2011, pag. 19)

Trata-se de uma linguagem de modelagem, cujo objetivo é ajudar os engenheiros de


software a expressar as características do sistema, como seus requisitos, comportamento,
estrutura lógica, dinâmica de processos e necessidades físicas em relação ao equipamento sobre
o qual o software será implantado. (GUEDES, 2011, pag. 19)

Existem hoje, diversas ferramentas CASE baseadas na linguagem UML no mercado,


para a modelagem do sistema em questão foi utilizada a Astah Professional, pois apresenta um
ambiente amigável e de fácil compreensão.

Para elaboração do modelo físico do banco de dados, será utilizada a ferramenta


IBExpert.
39

3.1.5.1 Diagramas UML

A utilização dos diagramas no processo de análise contribui para que a compreensão


do projeto seja ampliada, evitando riscos de má interpretação.
Devido a dimensão dos diagramas, estes estão vinculados no apêndice:
 Apêndice A: Diagrama de atividade - Agendar serviços;
 Apêndice B: Diagrama de atividade - Aprovar prospecto de serviço;
 Apêndice C: Diagrama de atividade - Emitir ordem de serviço;
 Apêndice D: Diagrama de atividade - Entregar e instalar material;
 Apêndice E: Diagrama de atividade - Finalizar o material;
 Apêndice F: Diagrama de atividade - Produzir material;
 Apêndice G: Diagrama de classe;
 Apêndice H: Diagrama de sequência - Emitir ordem de serviço;
 Apêndice I: Diagrama de entidade e relacionamento;

3.1.6 Dicionário de dados

O dicionário de dados tem a finalidade de demonstrar as características das tabelas


que formam a base de dados, sendo estas, as entidades, atributos e os tipos de informações
inseridas.

Tabela 20 – Bairros
ENTIDADE: Bairros
DESCRIÇÃO: Armazena dados do Bairro
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codbairro Integer Armazena código de bairro S S
Bairro Varchar Armazena bairro S
Fonte: Autoria própria.
40

Tabela 21 – Fones
ENTIDADE: Fones
DESCRIÇÃO: Armazena dados do número de telefone
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codfone Integer Armazena código de número de S S
telefone
Fone Varchar Armazena número de telefone S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 22 – Email
ENTIDADE: Emails
DESCRIÇÃO: Armazena dados do e-mail
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codemail Integer Armazena código de e-mail S S
Email Varchar Armazena e-mail S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 23 – Cidades_cep
ENTIDADE: Cidades_cep
DESCRIÇÃO: Armazena dados do cep
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codcidade Integer Armazena código de cidade S S S
Cep Varchar Armazena cep S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 24 – Cidades
ENTIDADE: Cidades
DESCRIÇÃO: Armazena dados da cidade
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codcidade Integer Armazena código de cidade S S
Cidade Varchar Armazena cidade S
Uf Char Armazena estado federal S
Fonte: Autoria própria.
41

Tabela 25 – Endereços
ENTIDADE: Enderecos
DESCRIÇÃO: Armazena dados do endereço
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codendereco Integer Armazena código do endereço S S
Codpessoa Integer Armazena código de pessoa S S S
Codrua Integer Armazena código de rua S S S
Codcidade Integer Armazena código de cidade S S S
Codbairro Integer Armazena código de bairro S S S
Numero Integer Armazena número S
Status Char Armazena status (A ou I)
Fonte: Autoria própria.

Tabela 26 – Contatos
ENTIDADE: Contatos
DESCRIÇÃO: Armazena dados de contatos
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codcontato Integer Armazena código de contato S S
Cidade Varchar Armazena cidade S
Status Char Armazena status (A ou I)
Codfone Integer Armazena código de número de S S S
telefone
Codemail Integer Armazena código de e-mail S S S
Codpessoa Integer Armazena código de pessoa S S S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 27 – Ruas
ENTIDADE: Ruas
DESCRIÇÃO: Armazena dados de ruas
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codrua Integer Armazena código de rua S S
Rua Varchar Armazena rua S
Fonte: Autoria própria.
42

Tabela 28 – Pessoas
ENTIDADE: Pessoas
DESCRIÇÃO: Armazena dados de pessoas
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codpessoa Integer Armazena código de pessoa S S
Nome Varchar Armazena nome S
Sexo Char Armazena sexo (M ou F)
Nascimento Date Armazena data de nascimento
Status Char Armazena status (A ou I)
Rg Varchar Armazena RG
Cpf_cnpj Varchar Armazena CPF ou CNPJ
Apelido Varchar Armazenar apelido
Obs Varchar Armazenar observação
Fonte: Autoria própria.

Tabela 29 – Clientes
ENTIDADE: Clientes
DESCRIÇÃO: Armazena dados de clientes
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codcliente Integer Armazena código de cliente S S
Obs Varchar Armazenar observação
Tipo Char Armazenar tipo de cliente (PF ou PJ) S
Codpessoa Integer Armazena código de pessoa S S S
Pasta Varchar Armazenar endereço do diretório do S
cliente
Fonte: Autoria própria.

Tabela 30 – Agenda_serviços
ENTIDADE: Agenda_servicos
DESCRIÇÃO: Armazena dados de agendamentos de serviços
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codagenda Integer Armazena código de agenda S S
Atividade Varchar Armazenar observação S
Data Date Armazenar data
Obs Varchar Armazenar observação
Fonte: Autoria própria.
43

Tabela 31 – Ordem
ENTIDADE: Ordem
DESCRIÇÃO: Armazena dados de ordem de serviço
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codordem Integer Armazena código de ordem S S
Ordem Varchar Armazena nome de Ordem S
Emissao Date Armazena data de emissão S
Entrega Date Armazena data de entrega
Instalacao Date Armazena data de instalação
Total Float Armazena o total da OS S
Tipo Vachar Armazena tipo de ordem S
Status Varchar Armazena status (ex: produção)
Obs Varchar Armazenar observação
Codcliente Integer Armazena código de cliente S S S
Codagenda Integer Armazena código de agenda S S S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 32 – Funcionários
ENTIDADE: Funcionarios
DESCRIÇÃO: Armazena dados de funcionarios
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codfuncionario Integer Armazena código de funcionario S S
Status Varchar Armazena status (ex: produção) S
Salario Float Armazena data de emissão S
Dataentrada Date Armazena date de admissão S
Obs Varchar Armazenar observação
Pasta Varchar Armazenar endereço do diretório do S
funcionario
Codsetor Integer Armazena código de setor S S S
Codpessoa Integer Armazena código de pessoa S S S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 33 – Ordem_serviços
ENTIDADE: Ordem_servicos
DESCRIÇÃO: Armazena dados de ordem de serviço
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codordem Integer Armazena código de ordem S S S
Codservico Integer Armazena código de serviço S S S
Total Float Armazena o total da OS S
Fonte: Autoria própria.
44

Tabela 34 – Serviços
ENTIDADE: Servicos
DESCRIÇÃO: Armazena dados de serviço
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codservico Integer Armazena código de serviço S S
Servico Varchar Armazena nome de serviço S
Largura Float Armazena medida de serviço
Altura Float Armazena medida de serviço
Unidade Integer Armazena o número de cópias de S
um serviço
Preco Float Armazena preço do serviço S
Qnt Integer Armazena número de montantes S
Status Varchar Armazena status (ex: produção)
Pasta Varchar Armazenar endereço do diretório do S
cliente
Codmaterial Integer Armazena código de material S S S
Codtrabalho Integer Armazena código de trabalho S S S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 35 – Setor
ENTIDADE: Setor
DESCRIÇÃO: Armazena dados do setor
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codsetor Integer Armazena código de setor S S
Setor Varchar Armazena nome do setor S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 36 – Funcionários_funções
ENTIDADE: Funcionarios_funcoes
DESCRIÇÃO: Armazena dados de funcionários e funcões
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codfuncionario Integer Armazena código de funcionário S S S
Codfuncao Integer Armazena código de função S S S
Obs Varchar Armazenar observação
Status Char Armazena status (A ou I)
Fonte: Autoria própria.
45

Tabela 37 – Funções
ENTIDADE: Funcoes
DESCRIÇÃO: Armazena dados de funções
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codfuncao Integer Armazena código de função S S
Funcao Varchar Armazena função S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 38 – Materiais
ENTIDADE: Materiais
DESCRIÇÃO: Armazena dados de materiais
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codmaterial Integer Armazena código de material S S
Material Varchar Armazena nome do material S
Preco Float Armazena preço S
Status Char Armazena status (A ou I)
Obs Varchar Armazenar observação
Codtipo Integer Armazenar código de tipo de material S S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 39 – Trabalho_setor
ENTIDADE: Trabalho_setor
DESCRIÇÃO: Armazena dados do trabalho e setor
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codtrabalho Integer Armazena código de trabalho S S S
Codsetor Integer Armazena código de setor S S S
Codmaquina Integer Armazena código de máquina S S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 40 – Maquinas
ENTIDADE: Maquinas
DESCRIÇÃO: Armazena dados do máquinas
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codmaquina Integer Armazena código de máquina S S
Pasta Varchar Armazenar endereço da máquina S
Codstatus Integer Armazena código de status S S
Codsetor Integer Armazena código de setor S S
Fonte: Autoria própria.
46

Tabela 41 – Agenda
ENTIDADE: Agenda
DESCRIÇÃO: Armazena dados de agenda
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codagenda Integer Armazena código de agenda S S
Codmaquina Integer Armazena código de máquina S S S
Atividade Varchar Armazena atividade S
Data Date Armazena data S
Fonte: Autoria própria.

Tabela 42 – Tipo_materiais
ENTIDADE: Tipo_materiais
DESCRIÇÃO: Armazena dados de tipos de materiais
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codtipo_material Integer Armazena código de tipo de S S
material
Tipo Varchar Armazena código de material
Fonte: Autoria própria.

Tabela 43 – Trabalho
ENTIDADE: Trabalho
DESCRIÇÃO: Armazena dados de trabalho
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codtrabalho Integer Armazena código de trabalho S S
Trabalho Varchar Armazena trabalho
Fonte: Autoria própria.

Tabela 44 – Status_maquina
ENTIDADE: Status_maquina
DESCRIÇÃO: Armazena dados de status de maquina
ATRIBUTOS TIPO DESCRIÇÃO PK FK NULL
Codstatus Integer Armazena código de status de S S
maquina
Status Varchar Armazena status (ex: manutenção)
Obs Varchar Armazenar observação
Fonte: Autoria própria.
47

3.2 Implementação

A fase de implementação tem por finalidade executar o projeto de software obedecendo


as especificações da análise.

3.2.1 Linguagem e ferramenta de programação

O desenvolvimento de software, de modo geral, necessita de ferramentas de apoio


adequadas, que possibilitem um projeto de software de qualidade e satisfaça o que foi pré-
estabelecido na análise, com isto tem-se que a programação orientada a objeto contemplará as
necessidades citadas.

Tempo de desenvolvimento e qualidade do produto de software são preocupações dos


desenvolvedores. O Reuso de código e a generalização são técnicas que possibilitam aos
desenvolvedores oferecerem aos usuários sistemas customizáveis e principalmente, diminuir o
tempo de desenvolvimento. Em função da gama de componentes, e maior domínio da equipe,
a linguagem será Delphi object pascal.

3.2.2 Banco de dados

Um banco de dados pode ser definido como um conjunto de dados corretamente


relacionados, São dados os objetos que podem ser armazenados e que possuem um significado
implícito, são propriedades de banco de dados:

 Coleção lógica de dados com algum significado inerente;

 Projetado, construído e preenchido com valores de dados para uma razão


específica;
48

 Representa algum aspecto do mundo real, minimundo. (MACHADO, 2008,


pag. 20)

Praticidade, eficiência, rapidez na consulta e confiabilidade das informações são


atributos fundamentais para o banco de dados de um SGW, de acordo com esta premissa, o
sistema será desenvolvido na base de dados PostgresSQL.

“O PostgreSQL é um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) Relacional,


utilizado para armazenar informações de soluções de informática em todas as áreas de negócios
existentes, bem como administrar o acesso a estas informações”; “[...] Suas capacidades são
para suprir as necessidades de pequenas, médias e grandes aplicações”. (MILANI, 2014, pag.
25; 27)

“A utilização do banco de dados PostgreSQL é cada vez mais ampla nas empresas que
buscam um servidor de banco de dados altamente sofisticado, com alta performance, estável e
capacitado para lidar com grandes volumes de dados.” (DOSSO, 2003)

O PostgreSQL suporta grande parte do SQL ANSI, além de oferecer licença BSD
(Berkeley Software Distribution), ou seja, é livre. Commented [R4]: Organize este espaço.
49

CONCLUSÃO

O processo de desenvolvimento, tornou possível compreender as necessidades reais


do sistema, nesta fase o trabalho obteve como resultado o projeto de um sistema informatizado
de gerenciamento workflow, promovendo melhorias no fluxo de informações da empresa,
otimizando processos operacionais para o perfil de gráfica rápida, desde o atendimento até a
finalização do produto, tornando a linha de produção sistemática e organizada.

Foi identificada a partir das revisões bibliográficas, diversas teorias ligadas as ciências
da administração que fundamentaram a utilização de recursos tecnológicos para solução de
problemas de cunho administrativo e operacional.

De acordo com o desenvolvimento obtido é possível afirmar que, a utilização de SGW


é a capaz de solucionar os problemas observados no objeto de pesquisa de forma satisfatória,
tornando viável a utilização desta tecnologia.
50

REFERÊNCIAS

AMARAL, Vinícios Leopoldino do. Técnicas de Modelagem de Workflow. Porto Alegre:


Instituto de Informática da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1997. 52p.
Monografia (Mestrado em Ciência da Computação).

ARAUJO, R. M.; Borges, M. R. S., Sistemas de Workflow, XX Jornada de Atualização em


Informática, Congresso da SBC - 2001.

CRUZ, Tadeu; Sistemas de informações gerenciais: tecnologia da informação e a


empresa do século XXI/ Tadeu Cruz. – 3. ed. – 7 São Paulo: Atlas, 2011.

DOSSO, Luis; Aplicações corporativas de alto volume: uma solução com o PostgreSQL;
in; LINUXCORP, 2003. Disponível
em:<http://www.dib.com.br/dib%20cd/LC2003/P%C3%A1ginas/LC2003_Conf.html#TEMÁ
RIO>. Acesso 26 de nov. 2014.

E-COMBR - Soluções em Tecnologia; A evolução dos sistemas de informação / José


Alexandre Toni. Disponível em:< http://www.e-combr.com.br/artigos/19-a-evolucao-dos-
sistemas-de-informacao.html>. Acesso em: 04 de nov. 2014.

GUEDES, Gilleanes T.A.; UML 2 : Uma abordagem prática / Gilleanes T. A. Guedes. – 2.


Ed. – São Paulo : Novatec Editora, 2011.

IEEE Software Engeneering Collection on CD-ROM. IEEE, New York, 2003.

LAUDON, Kenneth C.; 1994. Sistemas de Informações Gerenciais / Kenneth C. Laudon e


Jane P. Laudon; tradução Thelma Guimarães; revisão técnica Belmiro N. João. – 7. ed. São
Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

MACHADO, Felipe Nery Rodrigues; Projeto e implementação de banco de dados/ Felipe


Nery Rodrigues Machado. – 2. Ed. – São Paulo: Érica 2008.

MARTINS, Dileta Silveira; Português instrumental: de acordo com as atuais normas da


ABNT/ Dileta Silveira Martins, Lúbia Scliar Zilberknop. – 25. Ed. São Paulo: Atlas, 2004.
51

MILANI, André; PostgreSQL: Guia do programador. Disponível


em:<https://www.novatec.com.br/livros/postgre/capitulo9788575221570.pdf>. Acesso 26 de
nov. 2014.

OLIVEIRA, José Palazzo Moreira; MORO, Mirella Moura. Workflow. Disponível


em:<http://www.angelicatoffano.pro.br/upload_arquivos/pt/wf.pdf>. Acesso em: 05 de jun.
2014.

PEREIRA, Luiz Antônio; CASANOVA, Marco Antonio. Sistemas de gerência de


Workflows: Características, distribuição e Exceções, workflows e sistemas de workflow:
fundamentos, PUC-RioInf.MCC11/03 Março, 2003, Disponível em: ftp://ftp.inf.puc-
rio.br/pub/docs/techreports/03_11_pereira.pdf. Acesso em: 18 de maio 2014.

PRESSMAN, Roger S.; Engenharia de software / Roger S. Pressman; tradução Rosângela


Delloso Penteado, revisão técnica Fernão Stella R. Germano, José Carlos Maldonato, Paulo
Cesar Masiero. – 6. Ed. – São Paulo: McGraw-Hill, 2006.

REVISTA TECNOLOGIA GRÁFICA; Entenda as funções de um fluxo de trabalho


digital/ Luca Cialone. – ed. – 61, 01 de maio de 2008. Disponível
em:<http://www.revistatecnologiagrafica.com.br/index.php?option=com_content&view=artic
le&id=125:entenda-as-funcoes-de-um-fluxo-de-trabalho-digital&catid=97:pre-
impressao&Itemid=179>. Acesso em: 25 de out. 2014.

Workflow Management Coalition. The Workflow Reference Model, document number


TC00-1003, 1995. http://www.wfmc.org/.

WAZLAWICK, Raul Sidnei; Análise e projeto de Sistemas de informação orientados a


objetos / Raul Sidnei Wazlawick. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.
52

APÊNDICE

APENDICE A – Agendar Serviços


53

APENDICE B – Aprovar prospecto de serviços


54

APENDICE C – Emitir ordem de serviço


55

APENDICE D – Entregar e instalar o material


56

APENDICE E – Finalizar o material


57

APENDICE F – Produzir o Material


58

APENDICE G – Diagrama de classe


59

APENDICE G – Diagrama de classe


60

APENDICE H – Emitir ordem de serviço


61

APENDICE I – Banco de dados ER


62

APENDICE I – Banco de dados ER