Você está na página 1de 2

SINTESE “TRABALHO, NÃO-TRABALHO, APOSENTADORIA E

TRANSIÇÕES”

PONTOS

Introdução
 Centralidade social do trabalho
o Trabalho abstrato central na sociedade capitalista
o É a partir do trabalho que se extrai o mais valor
o Formação humana restrita a formação para o trabalho
o Construção de uma subjetividade de trabalhador
o Trabalho abstrato como organizador das relações sociais e das esferas de
vida
o Não-trabalho em espaço para os trabalhadores
o Três instâncias específicas: busca pelo primeiro emprego, desemprego e
aposentadoria

 Primeiro emprego
o Trabalho como elemento de transição social para a vida adulta ou juvenil
o Maior dificuldade de se inserir em um emprego formal
o Histórico de inserções informais ao longo da vida estudantil
o Destina-se à juventude os trabalhos mais precários
 Com a reforma trabalhista isso é piorado
o Formação do precariado:
 Péssimas condições de trabalho
 Revolta social
 Sentimento de falta de representatividade
 Concorrência com trabalhadores mais velhos
o Redução da centralidade psicológica do trabalho
 Significação instrumental

 Desemprego
o Rompimento identitário pela centralidade da identidade profissional
o Efeitos materiais, sociais e psicológicos
o Quadro de sofrimento psíquico
o Vivência de desemprego diferente para grupos específicos
 Homem: destruição da masculinidade
 Mulher: naturalização do abandono do emprego
 Negros: herança da escravidão
o Rede familiar responsável por absorver os impactos
o Tendência atual de reinserção via autoemprego e emprego informal

 Aposentadoria
o Momento de rompimento identitário (organização exige identificação,
mas nas rupturas o trabalhador é abandonado)
o Aceitação condicionada a avaliação da sua trajetória laboral
o Influência de renda, apoio social, saúde e estado civil
o Busca pelo ócio ativo
 Proporção de desenvolvimento e satisfação (propósito de vida)
 Prevenção ou manutenção da saúde (ócio preventivo)
 Permite a socialização e a superação da solidão
o 54% na Espanha tem como atividade a compra diária de produtos
o Contextualização brasileira
 68% salário mínimo
 Responsável pela renda familiar
 Associação com bico
 Impedimento para trabalhadores informais
 Reforma da previdência

 Aspectos em comum
o Organização seduz para a construção da identificação, mas abandona nas
desvinculações
o Trabalhador não sabe ser e se comportar em outras esferas
o Não há lugar para o não-trabalho e repulsa ao ócio
o Impactos sobre a função psicológica do trabalho
 Impossibilidade de manutenção do papel de utilidade social
 Exclusão dos coletivos e do gênero profissional

 Atuação da Psicologia
o Princípios gerais
 Conscientização (Monteiro e Martin-Baró)
 Articulação de políticas públicas
 Busca por saídas coletivas
o Primeiro emprego
 Orientação de profissional e de carreira
 Preparação para a busca e emprego
 Reflexão crítica sobre o mundo do trabalho
 Resgate de outros significados do trabalho
 Aproximação com as lutas coletivas por direitos
o Desempregados
 Apoio psicossocial ao sofrimento
 Projeto de futuro laboral (enfrentamento e superação do
desemprego)
 Apresentação de alternativas críticas
 Atuação nas políticas de emprego, trabalho e renda
o Aposentadoria
 Programas de orientação para aposentadoria
 Desenvolvimento de competências, melhoria da saúde ou
realização de atividades satisfatórias
 Mudança de concepção sobre a aposentadoria como o fim da vida
 Desenvolvimento da capacidade de ser pessoa para além de
trabalhador