Você está na página 1de 1317

LIVRO DE

MÓRMON
DOUTRINA E
CONVÊNIOS
PÉROLA DE
GRANDE VALOR
O
LIVRO DE
MÓRMON
Outro Testamento de
Jesus Cristo

DOUTRINA E
CONVÊNIOS
DE A IGREJA DE JESUS CRISTO
DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS

A
PÉROLA DE
GRANDE VALOR

Publicado por
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Salt Lake City, Utah, EUA
© 2015 by Intellectual Reserve, Inc.
All rights reserved
Printed in the United States of America 10/2015
English approval: 3/15
Translation approval: 3/15
Translation of the Book of Mormon, Doctrine and Covenants,
and Pearl of Great Price
Portuguese
ÍNDICE

Livro de Mórmon
Introdução. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . vii
Depoimento de Três Testemunhas   . . . . . . . . . . . . . . . . ix
Depoimento de Oito Testemunhas  . . . . . . . . . . . . . . . . ix
Testemunho do Profeta Joseph Smith . . . . . . . . . . . . . . . x
Breve Explicação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  xiv
1 Néfi. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  1
2 Néfi. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60
Jacó . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  133
Enos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  154
Jarom . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  157
Ômni . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  159
Palavras de Mórmon . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  162
Mosias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  164
Alma. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  236
Helamã. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  430
3 Néfi. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  475
4 Néfi. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  542
Mórmon   . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  547
Éter   . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  569
Morôni. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  605
Doutrina e Convênios
Introdução   . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . v
Ordem Cronológica. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ix
Seções   . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .   1
Declarações Oficiais   . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  335
Pérola de Grande Valor
Introdução   . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  v
Moisés . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  1
Abraão. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
Joseph Smith—Mateus     . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
Joseph Smith—História . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
Regras de Fé . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 70
Apêndice
Guia para Estudo das Escrituras . . . . . . . . . . . . . . . . .  1
Mapas da História da Igreja . . . . . . . . . . . . . . . . . .  217
Fotografias da História da Igreja . . . . . . . . . . . . . . . .  227
ABREVIAÇÕES

Velho Testamento Naum Naum Livro de Mórmon


Gên. Gênesis Hab. Habacuque 1 Né. 1 Néfi
Êx. Êxodo Sof. Sofonias 2 Né. 2 Néfi
Lev. Levítico Ageu Ageu Jacó Jacó
Núm. Números Zac. Zacarias En. Enos
Deut. Deuteronômio Mal. Malaquias Jar. Jarom
Jos. Josué Ômni Ômni
Juí. Juízes Novo Testamento Pal. Mórm. Palavras de
Rut. Rute Mt. Mateus Mórmon
1 Sam. 1 Samuel Mc. Marcos Mos. Mosias
2 Sam. 2 Samuel Lc. Lucas Al. Alma
1 Re. 1 Reis Jo. João Hel. Helamã
2 Re. 2 Reis At. Atos 3 Né. 3 Néfi
1 Crôn. 1 Crônicas Rom. Romanos 4 Né. 4 Néfi
2 Crôn. 2 Crônicas 1 Cor. 1 Coríntios Mórm. Mórmon
Esd. Esdras 2 Cor. 2 Coríntios Ét. Éter
Ne. Neemias Gál. Gálatas Morô. Morôni
Est. Ester Ef. Efésios
Jó Jó Filip. Filipenses Doutrina e Convênios
Salm. Salmos Col. Colossenses D&C
Doutrina e
Prov. Provérbios 1 Tess. 1 Tessalonicenses Convênios
Ecles. Eclesiastes 2 Tess. 2 Tessalonicenses DO Declaração
Cant. Cantares de 1 Tim. 1 Timóteo Oficial
Salomão 2 Tim. 2 Timóteo
Isa. Isaías Tit. Tito Pérola de Grande Valor
Jer. Jeremias Fil. Filemom Mois. Moisés
Lam. Lamentações Heb. Hebreus Abr. Abraão
Eze. Ezequiel Tg. Tiago JS—M Joseph Smith—
Dan. Daniel 1 Ped. 1 Pedro Mateus
Ose. Oseias 2 Ped. 2 Pedro JS—H Joseph Smith—
Joel Joel 1 Jo. 1 João História
Amós Amós 2 Jo. 2 João RF Regras de Fé
Oba. Obadias 3 Jo. 3 João
Jon. Jonas Jud. Judas
Miq. Miqueias Apoc. Apocalipse

Outras Abreviações e Explicações


tjs Tradução de Joseph Smith
gee Guia para Estudo das Escrituras
heb Tradução alternativa do hebraico
gr Tradução alternativa do grego
ie Explicação de expressões idiomáticas e fraseado difícil de entender
ou Palavras alternativas que esclarecem o significado de uma expressão arcaica
Itálicos no texto bíblico. De acordo com o formato tradicional, os itálicos nos versículos da
Bíblia indicam palavras que não são encontradas no texto original (hebraico, aramaico ou
grego), mas que foram acrescentadas para esclarecimento na tradução.
O
LIVRO DE MÓRMON
Outro Testamento de
Jesus Cristo

Publicado por
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Salt Lake City, Utah, EUA
Primeira edição em inglês publicada em
Palmyra, Nova York, EUA, em 1830

© 1997, 2015 by Intellectual Reserve, Inc.


All rights reserved
Printed in the United States of America 10/2015
English approval: 3/15
Translation approval: 3/15
Translation of the Book of Mormon
Portuguese
O
LIVRO DE MÓRMON
RELATO ESCRITO PELA

MÃO DE MÓRMON
EM PLACAS
EXTRAÍDO DAS PLACAS DE NÉFI

É, portanto, um resumo do registro do povo de Néfi e também dos la-


manitas — Escrito aos lamanitas, que são um remanescente da casa de
Israel; e também aos judeus e aos gentios — Escrito por mandamento
e também pelo espírito de profecia e de revelação — Escrito e selado
e escondido para o Senhor, a fim de que não fosse destruído — Para
ser revelado pelo dom e poder de Deus, a fim de ser interpretado —
Selado pela mão de Morôni e escondido para o Senhor a fim de ser
apresentado, no devido tempo, por intermédio dos gentios — Para ser
interpretado pelo dom de Deus.
Contém ainda um resumo extraído do Livro de Éter, que é um
registro do povo de Jarede, disperso na ocasião em que o Senhor con-
fundiu a língua do povo, quando este construía uma torre para chegar
ao céu — Destina-se a mostrar aos remanescentes da casa de Israel as
grandes coisas que o Senhor fez por seus antepassados; e para que
possam conhecer os convênios do Senhor e saibam que não foram rejei-
tados para sempre — E também para convencer os judeus e os gentios
de que Jesus é o Cristo, o Deus Eterno, que se manifesta a todas as
nações — E agora, se há falhas, são erros dos homens; não condeneis,
portanto, as coisas de Deus, para que sejais declarados sem mancha
no tribunal de Cristo.

TRADUÇÃO ORIGINAL DAS PLACAS, PARA O INGLÊS, FEITA


POR JOSEPH SMITH, JR.
ÍNDICE

Introdução .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .   vii
Depoimento de Três Testemunhas .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . ix
Depoimento de Oito Testemunhas  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  ix
Testemunho do Profeta Joseph Smith  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .   x
Breve Explicação .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .   xiv
Ilustrações .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  xvii
1 Néfi  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .   1
2 Néfi  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 60
Jacó  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  133
Enos .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  154
Jarom  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .157
Ômni  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .159
Palavras de Mórmon .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .162
Mosias  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  164
Alma .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  236
Helamã .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  430
3 Néfi  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .475
4 Néfi  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .542
Mórmon  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .547
Éter  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  569
Morôni .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  605
Guia para Estudo das Escrituras .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .   1
Cronologia .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  217
Concordância dos Evangelhos .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  222
INTRODUÇÃO

O Livro de Mórmon é um volume de escrituras sagradas compará-


vel à Bíblia. É um registro da comunicação de Deus com antigos
habitantes das Américas e contém a plenitude do evangelho eterno.
O livro foi escrito por muitos profetas antigos, pelo espírito de profe-
cia e revelação. Suas palavras, escritas em placas de ouro, foram citadas
e resumidas por um profeta-historiador chamado Mórmon. O registro
contém um relato de duas grandes civilizações. Uma veio de Jerusalém
no ano 600 a.C. e posteriormente se dividiu em duas nações, conhecidas
como nefitas e lamanitas. A outra veio muito antes, quando o Senhor
confundiu as línguas na Torre de Babel. Esse grupo é conhecido como
jareditas. Milhares de anos depois, foram todos destruídos, exceto os
lamanitas, que estão entre os antepassados dos índios americanos.
O acontecimento de maior relevância registrado no Livro de Mórmon
é o ministério pessoal do Senhor Jesus Cristo entre os nefitas, logo após
a Sua ressurreição. O livro expõe as doutrinas do evangelho, delineia o
plano de salvação e explica aos homens o que devem fazer para ganhar
paz nesta vida e salvação eterna no mundo vindouro.
Depois de terminar os seus escritos, Mórmon entregou o relato a
seu filho Morôni, que acrescentou algumas palavras suas e ocultou as
placas no Monte Cumora. Em 21 de setembro de 1823, o mesmo Mo-
rôni, então um ser ressurreto e glorificado, apareceu ao Profeta Joseph
Smith e instruiu-o a respeito do antigo registro e da tradução que seria
feita para o inglês.
No devido tempo as placas foram entregues a Joseph Smith, que as
traduziu pelo dom e poder de Deus. Hoje o registro se acha publicado
em diversas línguas, como testemunho novo e adicional de que Jesus
Cristo é o Filho do Deus vivo e de que todos os que se achegarem a Ele
e obedecerem às leis e ordenanças do Seu evangelho poderão ser salvos.
Com respeito a esse registro o Profeta Joseph Smith declarou: “Eu
disse aos irmãos que o Livro de Mórmon era o mais correto de todos
os livros da Terra e a pedra fundamental de nossa religião; e que se-
guindo seus preceitos o homem se aproximaria mais de Deus do que
seguindo os de qualquer outro livro.”
O Senhor providenciou para que, além de Joseph Smith, mais onze
pessoas vissem as placas de ouro e fossem testemunhas especiais da
veracidade e divindade do Livro de Mórmon. Seus testemunhos es-
critos estão aqui incluídos como “Depoimento de Três Testemunhas”
e “Depoimento de Oito Testemunhas.”
Convidamos todos os homens de toda parte a lerem o Livro de
INTRODUÇÃO viii
Mórmon, ponderarem no coração a mensagem que ele contém e de-
pois perguntarem a Deus, o Pai Eterno, em nome de Cristo, se o livro é
verdadeiro. Os que assim fizerem e perguntarem com fé obterão, pelo
poder do Espírito Santo, um testemunho de sua veracidade e divin-
dade. (Ver Morôni 10:3–5.)
Os que obtiverem do Santo Espírito esse divino testemunho sabe-
rão, pelo mesmo poder, que Jesus Cristo é o Salvador do mundo, que
Joseph Smith é o Seu revelador e profeta nestes últimos dias e que A
Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é o reino do Senhor
restabelecido na Terra, em preparação para a Segunda Vinda do Messias.
DEPOIMENTO DE TRÊS TESTEMUNHAS

S aibam todas as nações, tribos, línguas e povos a quem esta obra che-
gar, que nós, pela graça de Deus, o Pai, e de nosso Senhor Jesus Cristo,
vimos as placas que contêm este registro, que é um registro do povo de
Néfi e também dos lamanitas, seus irmãos, e também do povo de Jarede,
que veio da torre da qual se tem falado. E sabemos também que foram
traduzidas pelo dom e poder de Deus, porque assim nos foi declarado
por sua voz; sabemos, portanto, com certeza, que a obra é verdadeira.
E também testificamos que vimos as gravações feitas nas placas; e que
elas nos foram mostradas pelo poder de Deus e não do homem. E de-
claramos solenemente que um anjo de Deus desceu dos céus, trouxe-as
e colocou-as diante dos nossos olhos, de maneira que vimos as placas e
as gravações nelas feitas e sabemos que é pela graça de Deus, o Pai, e de
nosso Senhor Jesus Cristo que vimos e testificamos que estas coisas são
verdadeiras. E isto é maravilhoso aos nossos olhos. E a voz do Senhor
ordenou-nos que prestássemos testemunho disso; portanto, para obede-
cer aos mandamentos de Deus, prestamos testemunho dessas coisas. E
sabemos que, se formos fiéis a Cristo, livraremos nossas vestes do san-
gue de todos os homens, e seremos declarados sem mancha diante do
tribunal de Cristo, e habitaremos eternamente com ele nos céus. E hon-
ra seja ao Pai, e ao Filho, e ao Espírito Santo, que são um Deus. Amém.
Oliver Cowdery
David Whitmer
Martin Harris

DEPOIMENTO DE OITO TESTEMUNHAS

S aibam todas as nações, tribos, línguas e povos a quem esta obra


chegar, que Joseph Smith, Jr., o tradutor desta obra, mostrou-nos as
placas mencionadas, que têm a aparência de ouro; e que manuseamos
tantas páginas quantas o dito Smith traduziu; e que também vimos as
gravações que elas contêm, as quais nos parecem ser uma obra anti-
ga e de execução esmerada. E isto testemunhamos solenemente: que
o dito Smith nos mostrou as placas, pois nós as vimos e seguramos; e
sabemos com certeza que o dito Smith possui as placas de que falamos.
E damos nossos nomes ao mundo para testificarmos ao mundo o que
vimos. E não mentimos, Deus sendo testemunha disso.
Christian Whitmer Hiram Page
Jacob Whitmer Joseph Smith, Sênior
Peter Whitmer, Jr. Hyrum Smith
John Whitmer Samuel H. Smith
TESTEMUNHO DO PROFETA JOSEPH SMITH

A s palavras do próprio Profeta Joseph Smith sobre o aparecimento


do Livro de Mórmon são:
“Na noite de (. . .) vinte e um de setembro (. . .) (1823) (. . .) recorri à
oração e à súplica ao Deus Todo-Poderoso. (. . .)
Enquanto estava assim suplicando a Deus, descobri uma luz sur-
gindo no meu quarto, a qual continuou a aumentar até o aposento
ficar mais iluminado do que ao meio-dia; imediatamente apareceu ao
lado de minha cama um personagem em pé, no ar, pois seus pés não
tocavam o solo.
Ele vestia uma túnica solta, da mais rara brancura. Era uma brancura
que excedia a qualquer coisa terrena que eu já vira; nem acredito que
qualquer coisa terrena possa parecer tão extraordinariamente branca e
brilhante. Tinha as mãos desnudas e os braços também, um pouco aci-
ma do pulso; os pés também estavam desnudos, bem como as pernas,
um pouco acima dos tornozelos. A cabeça e o pescoço também estavam
nus. Verifiquei que ele não usava outra roupa além dessa túnica, pois
estava aberta, de modo que eu lhe podia ver o peito.
Não somente a sua túnica era muito branca, mas toda a sua pessoa
era indescritivelmente gloriosa e o seu semblante era verdadeiramente
como o relâmpago. O quarto estava muito claro, mas não tão lumino-
so como ao redor de sua pessoa. No momento em que o vi, tive medo;
mas o medo logo desapareceu.
Ele chamou-me pelo nome, e disse-me que era um mensageiro en-
viado a mim da presença de Deus, e que seu nome era Morôni; que
Deus tinha uma obra a ser executada por mim; e que o meu nome seria
considerado bom e mau entre todas as nações, tribos e línguas, ou que
entre todos os povos se falaria bem e mal de meu nome.
Disse-me ele que havia um livro escondido, escrito em placas de
ouro, que continha um relato dos antigos habitantes deste continente,
assim como de sua origem e procedência. Disse também que o livro
continha a plenitude do evangelho eterno, tal como fora entregue pelo
Salvador aos antigos habitantes.
Disse também ele que havia duas pedras em aros de prata — e es-
sas pedras, presas a um peitoral, constituíam o que é chamado Urim
e Tumim — depositadas com as placas; e que a posse e o uso dessas
pedras era o que constituía os ‘videntes’ nos tempos antigos; e que
Deus as tinha preparado para serem usadas na tradução do livro. (. . .)
Disse-me ainda ele que quando eu recebesse as placas sobre as quais
xi TESTEMUNHO DO PROFETA JOSEPH SMITH
ele havia falado — porquanto o tempo em que elas deveriam ser ob-
tidas ainda não se cumprira — a ninguém deveria mostrá-las; nem o
peitoral com o Urim e Tumim, salvo àqueles a quem me fosse ordenado
mostrá-los; e se eu o fizesse, seria destruído. Enquanto falava comigo a
respeito das placas, minha mente abriu-se de tal modo que visualizei o
lugar em que estavam depositadas, e isto tão clara e nitidamente que
reconheci o local quando o visitei.
Após essa comunicação vi a luz do quarto começar a concentrar-se
imediatamente ao redor do personagem que estivera falando comigo,
e assim continuou até o quarto voltar à escuridão, exceto ao redor dele;
e imediatamente vi como se fora um conduto, que levava até o céu, e
ele ascendeu até desaparecer completamente, e o quarto voltou ao es-
tado em que estava antes de essa luz celestial aparecer.
Fiquei meditando sobre a singularidade da cena, grandemente ma-
ravilhado com o que me dissera o extraordinário mensageiro, quando,
em meio à minha meditação, descobri subitamente que meu quarto
começava novamente a ser iluminado e imediatamente vi o mesmo
mensageiro celestial outra vez ao lado da minha cama.
Relatou-me novamente, sem a mínima alteração, as mesmas coisas
que me dissera na primeira visita; a seguir me informou de grandes
julgamentos que recairiam sobre a Terra, com grandes desolações
causadas pela fome, espada e pestilência; e que esses dolorosos julga-
mentos recairiam sobre a Terra nesta geração. Tendo-me comunicado
estas coisas, novamente ascendeu, como fizera antes.
Naquele momento, tão profundas eram as impressões causadas
em minha mente, que perdi o sono por completo, atônito com o que
havia visto e ouvido. Mas qual não foi a minha surpresa quando vi
novamente o mesmo mensageiro ao lado da minha cama, e ouvi-o re-
petir as mesmas coisas que me dissera antes; e também advertiu-me,
informando-me que Satanás procuraria tentar-me (em consequência
da pobreza da família de meu pai) a obter as placas com o fim de enri-
quecer-me. Proibiu-me isso, dizendo que eu não deveria ter qualquer
outro objetivo em vista, ao receber as placas, a não ser o de glorificar a
Deus; e que eu não deveria ser influenciado por qualquer outro moti-
vo, senão o de edificar o seu reino; caso contrário, não as poderia obter.
Após essa terceira visita ele ascendeu ao céu, como antes; e outra
vez fiquei meditando sobre a estranheza do que acabara de acontecer;
quase imediatamente após o mensageiro celestial ter ascendido pela
terceira vez, o galo cantou e vi que o dia se aproximava, de modo que
as entrevistas deviam ter durado toda aquela noite.
TESTEMUNHO DO PROFETA JOSEPH SMITH xii
Pouco depois me levantei e, como de costume, fui cuidar dos afaze-
res do dia; mas ao tentar trabalhar como normalmente fazia, senti-me
tão exausto que não consegui. Meu pai, que trabalhava perto de mim,
percebeu que eu não estava bem, e disse-me que fosse para casa. Saí
com essa intenção, mas ao tentar atravessar a cerca do campo onde
estávamos, faltaram-me as forças por completo, e caí inerte ao solo,
ficando completamente inconsciente durante algum tempo.
A primeira coisa de que me lembro é uma voz chamando-me pelo
nome. Olhei para cima e vi o mesmo mensageiro acima de minha ca-
beça, cercado de luz como antes. Repetiu-me tudo o que havia relatado
na noite anterior e ordenou-me que fosse contar ao meu pai a visão e
os mandamentos que havia recebido.
Obedeci, voltando para onde estava meu pai, no campo, e relatei-lhe
todo o ocorrido. Ele respondeu-me que aquilo era obra de Deus e dis-
se-me que fizesse o que o mensageiro ordenara. Deixei o campo, e fui
até o local onde o mensageiro dissera estarem depositadas as placas;
e devido à nitidez da visão que tivera, referente ao local, reconheci-o
no instante em que lá cheguei.
Próximo à vila de Manchester, no Condado de Ontário, Estado de
Nova York, existe uma colina de considerável tamanho, sendo a mais
alta da redondeza. No lado oeste dessa colina, não muito distante do
cume, sob uma pedra de considerável tamanho, estavam as placas,
depositadas em uma caixa de pedra. No meio, na parte superior, essa
pedra era grossa e arredondada; era, porém, mais fina na direção das
extremidades, de modo que a parte central ficava visível acima do solo,
mas as bordas em toda a volta estavam cobertas de terra.
Tendo removido a terra, arranjei uma alavanca, introduzi-a sob a
borda da pedra e consegui levantá-la com um pequeno esforço. Olhei
e lá realmente vi as placas, o Urim e Tumim, e o peitoral, como afir-
mara o mensageiro. A caixa na qual se encontravam era formada de
pedras unidas por uma espécie de cimento. No fundo da caixa havia
duas pedras colocadas transversalmente, e sobre estas estavam as pla-
cas e as outras coisas.
Fiz uma tentativa de retirá-las, mas fui proibido pelo mensageiro, que
outra vez me informou ainda não ter chegado o momento de retirá-las,
dizendo que esse momento não chegaria a não ser quatro anos após
aquela data. Disse-me que eu deveria voltar àquele local precisamente
um ano mais tarde, e que lá ele se encontraria comigo, devendo eu con-
tinuar a assim proceder até que chegasse o tempo de receber as placas.
De acordo com o que me fora ordenado, voltei lá ao fim de cada ano
xiii TESTEMUNHO DO PROFETA JOSEPH SMITH
e todas as vezes encontrei o mesmo mensageiro. Em cada uma das en-
trevistas recebi dele instruções e conhecimento com respeito ao que o
Senhor ia fazer, e à maneira pela qual o seu reino deveria ser conduzi-
do nos últimos dias. (. . .)
Finalmente chegou a época de receber as placas, o Urim e Tumim,
e o peitoral. No dia vinte e dois de setembro de mil oitocentos e vinte
e sete, tendo ido, como de costume, ao fim de mais um ano, ao local
onde estavam depositados, o mesmo mensageiro celestial entregou-
os a mim, com a advertência de que eu seria responsável por eles; que
se eu os deixasse extraviar por algum descuido ou negligência, seria
cortado; mas que se eu empregasse todos os esforços para preservá-
los até que ele, o mensageiro, os reclamasse, eles seriam protegidos.
Logo verifiquei a razão de tão severas recomendações para que os
guardasse em segurança, e por que o mensageiro dissera que quando
eu tivesse realizado o que me fora ordenado, ele viria buscá-los. Pois
tão logo se soube que estavam em meu poder, foram empregados os
mais tenazes esforços para tirá-los de mim. Todos os estratagemas pos-
síveis foram usados com esse propósito. A perseguição tornou-se mais
amarga e severa que antes, e multidões mantinham-se continuamente
alertas para tirá-los de mim, se possível. Mas pela sabedoria de Deus,
eles continuaram seguros nas minhas mãos até que cumpri, por meio
deles, o que me fora requerido. Quando o mensageiro os reclamou, de
acordo com o combinado, entreguei-os a ele, que os tem sob sua guarda
até esta data, dois de maio de mil oitocentos e trinta e oito.”
Para a história completa, ver Joseph Smith—História, na Pérola de
Grande Valor.
O registro antigo, assim retirado da terra como a voz de um povo
falando do pó, e traduzido para a linguagem moderna pelo dom e po-
der de Deus, conforme atestado por afirmação Divina, foi publicado
pela primeira vez ao mundo, em inglês, no ano de 1830, como The
Book of Mormon.
BREVE EXPLICAÇÃO SOBRE O LIVRO DE MÓRMON

O Livro de Mórmon é um registro sagrado de povos da América


antiga e foi gravado em placas de metal. As fontes das quais este
registro foi compilado incluem o seguinte:
1. As Placas de Néfi, que eram de dois tipos: as placas menores e as
placas maiores. As primeiras eram mais particularmente dedi-
cadas a assuntos espirituais e ao ministério e aos ensinamentos
dos profetas, enquanto que as últimas continham, em sua maior
parte, a história secular dos povos em questão (1 Néfi 9:2–4). Des-
de o tempo de Mosias, entretanto, as placas maiores passaram
também a incluir assuntos de grande importância espiritual.
2. As Placas de Mórmon, que contêm um resumo das placas maiores
de Néfi, feito por Mórmon, com diversos comentários. Estas pla-
cas também contêm a continuação da história escrita por Mórmon
e adições feitas por seu filho Morôni.
3. As Placas de Éter, que contêm a história dos jareditas. Este regis-
tro foi resumido por Morôni, que inseriu comentários próprios
e incorporou o registro à história geral, sob o título de “Livro de
Éter.”
4. As Placas de Latão, trazidas de Jerusalém pelo povo de Leí em
600 a.C. Estas placas continham “os cinco livros de Moisés (. . .)
e também o registro dos judeus, desde o princípio até o começo
do reinado de Zedequias, rei de Judá; e também as profecias dos
santos profetas” (1 Néfi 5:11–13). Muitas citações de Isaías e de
outros profetas bíblicos e não-bíblicos, que se encontram nestas
placas, aparecem no Livro de Mórmon.
O Livro de Mórmon contém quinze partes ou divisões principais
que, com exceção de uma, são chamadas livros, usualmente designa-
dos pelo nome de seu autor principal. A primeira parte (os primeiros
seis livros, terminando em Ômni) é uma tradução das placas menores
de Néfi. Entre os livros de Ômni e Mosias há uma inserção chamada
Palavras de Mórmon. Essa inserção liga o registro gravado nas placas
menores ao resumo das placas maiores, feito por Mórmon.
A parte mais longa, de Mosias até o fim do capítulo 7 de Mórmon, é
a tradução do resumo das placas maiores de Néfi, feito por Mórmon.
A parte final, do capítulo 8 de Mórmon ao fim do volume, foi gravada
por Morôni, filho de Mórmon, o qual, após terminar o registro da vida
de seu pai, fez um resumo do registro jaredita (chamado livro de Éter) e
posteriormente adicionou as partes conhecidas como livro de Morôni.
Por volta do ano 421 d.C., Morôni, o último dos profetas-historiadores
xv BREVE EXPLICAÇÃO SOBRE O LIVRO DE MÓRMON
nefitas, selou o registro sagrado e ocultou-o para o Senhor, para ser
trazido à luz nos últimos dias, como foi predito pela voz de Deus por
meio dos Seus profetas antigos. Em 1823 d.C., esse mesmo Morôni,
então um personagem ressurreto, visitou o Profeta Joseph Smith e
subsequentemente lhe entregou as placas gravadas.
Com respeito a esta edição: A página de título original, que está imedia-
tamente antes da página do índice, foi extraída das placas e faz parte
do texto sagrado. Introduções escritas com fonte não-grifada, como as
que estão em 1 Néfi e logo antes do capítulo 9 de Mosias, também são
parte do texto sagrado. Introduções em itálico, como as que ocorrem
nos cabeçalhos dos capítulos, não são originais do texto, mas sim au-
xílios de estudo acrescentados para a conveniência do leitor.
Nas edições anteriores do Livro de Mórmon publicadas em inglês,
perpetuaram-se alguns pequenos erros. Esta edição contém as correções
consideradas apropriadas para que o material esteja em concordância
com os manuscritos originais, assim como com as primeiras edições
publicadas pelo Profeta Joseph Smith.
ILUSTRAÇÕES
O Senhor Jesus Cristo
Pintura de Heinrich Hofmann
O Profeta Joseph Smith
Pintura de Alvin Gittins
Ver “Testemunho do Profeta Joseph Smith,” páginas x–xiii
Leí encontra a Liahona
Pintura de Arnold Friberg
Ver 1 Néfi 16, páginas 37–40
Leí e seu povo chegam à terra da promissão
Pintura de Arnold Friberg
Ver 1 Néfi 18, páginas 46–49
Alma batiza nas Águas de Mórmon
Pintura de Arnold Friberg
Ver Mosias 18, páginas 205–208
Samuel, o lamanita, profetiza
Pintura de Arnold Friberg
Ver Helamã 16, páginas 473–475
Jesus Cristo visita as Américas
Pintura de John Scott
Ver 3 Néfi 11, páginas 500–503
Morôni enterra os registros nefitas
Pintura de Tom Lovell
Ver Mórmon 8, páginas 561–565
PRIMEIRO LIVRO DE NÉFI
SEU GOVERNO E MINISTÉRIO

Relato sobre Leí, sua mulher Saria e seus quatro filhos, que se chamavam
(a começar pelo mais velho) Lamã, Lemuel, Sam e Néfi. O Senhor avisa
Leí que saia da terra de Jerusalém, porque ele profetiza ao povo acerca
de sua iniquidade e eles procuram tirar-lhe a vida. Ele viaja durante três
dias através do deserto, com a sua família. Néfi toma os seus irmãos e
volta à terra de Jerusalém, em busca do registro dos judeus. O relato dos
seus sofrimentos. Tomam as filhas de Ismael para esposas. Tomam as
suas famílias e vão para o deserto. Seus sofrimentos e aflições no deserto.
Rota das suas viagens. Chegam às grandes águas. Rebelião dos irmãos
contra Néfi. Ele confunde-os e constrói um barco. Dão ao lugar o nome
de Abundância. Atravessam as grandes águas, indo para a terra da pro-
missão, e assim por diante. Isto, segundo o relato de Néfi; ou, em outras
palavras, eu, Néfi, escrevi este registro.
CAPÍTULO 1 grande conhecimento da bondade
e dos f mistérios de Deus, faço, por
Néfi inicia o registro de seu povo —
isso, um g registro de meus feitos
Em visão, Leí vê uma coluna de fogo
durante minha vida.
e lê um livro de profecias — Louva
2 Sim, faço um registro na a lín-
a Deus, prediz a vinda do Messias e
gua de meu pai, que consiste no
profetiza a destruição de Jerusalém —
conhecimento dos judeus e na
É perseguido pelos judeus. Aproxima-
língua dos egípcios.
damente 600 a.C.
3 E sei que o registro que faço é

E U, a Néfi, tendo nascido de verdadeiro; e faço-o com minhas


a 

b 
bons c pais, recebi, portanto, próprias mãos e faço-o de acordo
alguma d instrução em todo o co- com o meu conhecimento.
nhecimento de meu pai; e ten- 4 Pois aconteceu no começo do
do passado muitas e aflições no a 
primeiro ano do reinado de b Ze-
decurso de meus dias, fui, não dequias, rei de Judá (tendo meu
obstante, altamente favorecido pai, Leí, morado todos os seus
pelo Senhor em todos os meus dias em c Jerusalém); e apareceram
dias; sim, havendo adquirido um muitos d profetas, nesse mesmo
1 1 a GEE Néfi, Filho de Leí. g GEE Escrituras. apêndice.
b Prov. 22:1. 2 a Mos. 1:2–4; b 2 Crôn. 36:10;
c D&C 68:25, 28. Mórm. 9:32–33. Jer. 52:3–5;
GEE Pais. 3 a 1 Né. 14:30; Ômni 1:15.
d En. 1:1; Mos. 1:6; c 1 Crôn. 9:3.
Mos. 1:2–3. Ét. 5:1–3; d 2 Re. 17:13–15;
GEE Ensinar, Mestre. D&C 17:6. 2 Crôn. 36:15–16;
e GEE Adversidade. 4 a 598 a.C.; Jer. 7:25–26.
f GEE Mistérios de Deus. ver Cronologia no GEE Profeta.
1 NÉFI 1:5–15 2
ano, profetizando ao povo que 10 E viu também doze outros
a 

todos deveriam arrepender-se ou que o seguiam; e seu brilho exce-


a grande cidade de e Jerusalém dia ao das estrelas no firmamento.
precisaria ser destruída. 11 E eles desceram e andaram
5 Portanto, aconteceu que meu pela face da Terra; e o primeiro
pai, a Leí, enquanto seguia seu ca- veio e colocou-se diante de meu
minho, orou ao Senhor, sim, de pai; e deu-lhe um a livro e orde-
todo o b coração, em favor de seu nou-lhe que o lesse.
povo. 12 E aconteceu que, enquanto
6 E aconteceu que enquanto ele lia, ele ficou cheio do a Espírito
orava ao Senhor, apareceu uma do Senhor.
a 
coluna de fogo que permaneceu 13 E ele leu, dizendo: Ai, ai de
sobre uma rocha, diante dele; e Jerusalém, pois vi tuas a abomi-
foi muito o que ele viu e ouviu; nações! Sim, e meu pai leu mui-
e tremeu e estremeceu intensa- tas coisas concernentes a b Jeru-
mente por causa das coisas que salém — que ela seria destruída,
viu e ouviu. assim como seus habitantes; mui-
7 E aconteceu que ele retornou tos morreriam pela espada e mui-
para sua casa em Jerusalém e jo- tos seriam c levados cativos para a
gou-se sobre a cama, a dominado Babilônia.
pelo Espírito e pelas coisas que 14 E aconteceu que depois de ter
vira. lido e visto muitas coisas grandes
8 E estando desta maneira do- e maravilhosas, meu pai prorrom-
minado pelo Espírito, foi arreba- peu em exclamações ao Senhor,
tado em uma a visão e viu os b céus tais como: Grandes e maravilho-
abertos e pensou ter visto Deus sas são as tuas obras, ó Senhor
sentado em seu trono, rodeado Deus Todo-Poderoso! Alto nos
por inumeráveis multidões de an- céus está o teu trono; e teu poder e
jos, na atitude de cantar e louvar bondade e misericórdia estendem-
a seu Deus. se sobre todos os habitantes da
9 E aconteceu que ele viu Um Terra; e porque és misericordio-
que descia do meio do céu; e viu so, não permitirás que pereçam
que o seu a resplendor era maior aqueles que a vierem a ti.
que o do sol ao meio-dia. 15 E era desta maneira que meu
4 e Jer. 26:18; 2 Né. 1:4; JS—H 1:20. 12 a D&C 6:15.
Hel. 8:20. 8 a 1 Né. 5:4. 13 a 2 Re. 24:18–20;
5 a GEE Leí, Pai de Néfi. GEE Visão. 2 Crôn. 36:14.
b Tg. 5:16. b Eze. 1:1; At. 7:55–56; b 2 Re. 23:27; 24:2;
6 a Êx. 13:21; 1 Né. 11:14; Jer. 13:13–14;
Hel. 5:24, 43; Hel. 5:45–49; 2 Né. 1:4.
D&C 29:12; D&C 137:1. c 2 Re. 20:17–18;
JS—H 1:16. 9 a JS—H 1:16–17. 2 Né. 25:10;
7 a Dan. 10:8; 1 Né. 17:47; 10 a GEE Apóstolo. Ômni 1:15.
Mois. 1:9–10; 11 a Eze. 2:9. 14 a Al. 5:33–36; 3 Né. 9:14.
3 1 NÉFI 1:16–2:2
pai falava, ao louvar ao seu Deus; as coisas que havia lido no livro
pois sua alma regozijava-se e todo manifestavam claramente a vin-
o seu coração estava cheio por da de um b Messias, e também a
causa das coisas que vira, sim, redenção do mundo.
que o Senhor lhe havia mostrado. 20 E quando ouviram estas coi-
16 E agora eu, Néfi, não faço um sas, os judeus iraram-se contra ele;
relato completo das coisas que sim, como haviam feito com os
meu pai escreveu, pois ele escre- profetas antigos, a quem tinham
veu muitas coisas que viu em vi- a 
expulsado e apedrejado e mata-
sões e em sonhos; e também escre- do; e procuraram também tirar-
veu muitas coisas que a profetizou lhe a vida. E eis, porém, que eu,
e disse a seus filhos, das quais não Néfi, vos mostrarei que as ternas
farei um relato completo. b 
misericórdias do Senhor estão so-
17 Farei, porém, um relato dos bre todos aqueles que ele escolheu
meus feitos em meus dias. Eis que por causa de sua fé, para torná-los
escrevo um a resumo do registro fortes com o poder de libertação.
de meu pai nas placas que fiz com
minhas próprias mãos; então, de- CAPÍTULO 2
pois de haver resumido o b regis-
Leí leva a família para o deserto jun-
tro de meu pai, farei um relato de
to ao Mar Vermelho — Abandonam
minha própria vida.
seus bens — Leí oferece um sacrifício
18 Portanto, quero que saibais
ao Senhor e ensina os filhos a guarda-
que, depois de o Senhor ter mos-
rem os mandamentos — Lamã e Le-
trado a meu pai, Leí, tantas coisas
muel murmuram contra o pai — Néfi
maravilhosas, sim, referentes à
é obediente e ora com fé; o Senhor fala
a 
destruição de Jerusalém, eis que
com ele e escolhe-o para governar os
este se dirigiu ao povo e começou
irmãos. Aproximadamente 600 a.C.
a b profetizar e a declarar as coisas
que vira e ouvira. Pois eis que aconteceu ter o Se-
19 E aconteceu que os judeus nhor falado a meu pai, sim, num
a 
escarneceram dele pelas coisas sonho, dizendo: Bendito és tu, Leí,
que testificava a respeito deles; pelas coisas que fizeste; e porque
pois verdadeiramente testificava foste fiel e declaraste a este povo
a respeito de suas iniquidades e as coisas que te ordenei, eis que
abominações; e testificava que as procuram a tirar-te a vida.
coisas que vira e ouvira, e também 2  E aconteceu que o Senhor
16 a 1 Né. 7:1. D&C 5:20. 20 a Hel. 13:24–26.
17 a 1 Né. 9:2–5. b GEE Profecia, Profetizar. b Al. 34:38;
b 1 Né. 6:1–3; 19:1–6; 19 a 2 Crôn. 36:15–16; D&C 46:15.
2 Né. 5:29–33; Jer. 25:4; GEE Misericórdia,
D&C 10:38–46. 1 Né. 2:13; 7:14. Misericordioso.
18 a 2 Né. 25:9–10; b GEE Messias. 2 1 a 1 Né. 7:14.
1 NÉFI 2:3–13 4
a 
ordenou a meu pai, num sonho, b 
9 E quando meu pai viu que
que c partisse com a família para as águas do rio desaguavam na
o deserto. fonte do Mar Vermelho, falou a
3 E aconteceu que ele foi a obe- Lamã, dizendo: Oh! Tu poderias
diente à palavra do Senhor; fez, ser como este rio, continuamen-
portanto, o que o Senhor lhe te correndo para a fonte de toda
ordenara. retidão!
4 E aconteceu que ele partiu para 10 E também disse a Lemuel:
o deserto. E deixou sua casa e a Oh! Tu poderias ser como este
terra de sua herança e seu ouro e vale, firme, constante e imutável
sua prata e suas coisas preciosas; em guardar os mandamentos do
e nada levou consigo, a não ser Senhor!
sua família e provisões e tendas; 11 Ora, isto ele disse por causa
e a partiu para o deserto. da obstinação de Lamã e Lemuel;
5 E desceu pelos limites perto da porque eis que a murmuravam a
costa do a Mar Vermelho; e viajou respeito de muitas coisas contra
pelo deserto, do lado mais pró- seu b pai, que ele era um c visioná-
ximo do Mar Vermelho; e viajou rio e os havia tirado da terra de
pelo deserto com sua família, que Jerusalém, fazendo-os deixar a
consistia em minha mãe, Saria, e terra de sua herança e seu ouro e
meus irmãos mais velhos, b Lamã, sua prata e suas coisas preciosas,
Lemuel e Sam. para morrerem no deserto. E di-
6 E aconteceu que depois de ha- ziam que ele havia feito isso por
ver viajado três dias pelo deserto, causa das loucas fantasias de seu
ele armou sua tenda num a vale, à coração.
margem de um rio de águas. 12 E assim Lamã e Lemuel, sen-
7 E aconteceu que construiu um do os mais velhos, murmuravam
a 
altar de b pedras e fez uma ofer- contra o seu pai. E murmuravam
ta ao Senhor e rendeu c graças ao por a desconhecerem a maneira
Senhor nosso Deus. de proceder daquele Deus que os
8 E aconteceu que deu ao rio, havia criado.
que desaguava no Mar Vermelho, 13  Nem acreditavam que Je-
o nome de Lamã; e o vale ficava rusalém, aquela grande cidade,
nas margens, perto de sua desem- pudesse ser a destruída confor-
bocadura. me as palavras dos profetas. E
2 a 1 Né. 5:8; 17:44. D&C 17:1. Graças, Agradecido,
b GEE Sonho. b GEE Lamã. Agradecimento.
c Gên. 12:1; 6 a 1 Né. 9:1. 11 a 1 Né. 17:17.
2 Né. 10:20; 7 a Gên. 12:7–8; GEE Murmurar.
Ét. 1:42; Abr. 2:3. Êx. 24:4; b Prov. 20:20.
3 a GEE Obedecer, Abr. 2:17. c 1 Né. 5:2–4.
Obediência, Obediente. b Êx. 20:25; 12 a Mois. 4:6.
4 a 1 Né. 10:4; 19:8. Deut. 27:5–6. 13 a Jer. 13:14;
5 a 1 Né. 16:14; c GEE Ação de 1 Né. 1:13.
5 1 NÉFI 2:14–24
assemelhavam-se aos judeus que me falou, dizendo: Bendito és tu,
estavam em Jerusalém, que pro- Néfi, por causa de tua a fé, porque
curavam tirar a vida de meu pai. me procuraste diligentemente,
14 E aconteceu que meu pai lhes com humildade de coração.
falou no vale de Lemuel, com a po- 20 E se guardares meus manda-
der, estando cheio do Espírito, até mentos, a prosperarás e serás con-
b 
tremerem diante dele; e confun- duzido a uma b terra de promissão;
diu-os, de modo que não ousaram sim, uma terra que preparei para
falar contra ele; portanto, fizeram ti; sim, uma terra escolhida acima
o que ele lhes ordenou. de todas as outras terras.
15  E habitou meu pai numa 21 E se teus irmãos se rebelarem
tenda. contra ti, serão a afastados da pre-
16 E aconteceu que eu, Néfi, sença do Senhor.
sendo muito jovem, embora de 22 E se guardares meus manda-
grande estatura, e tendo também mentos, serás feito a governante e
grande desejo de saber dos a misté- mestre de teus irmãos.
rios de Deus, clamei, portanto, ao 23 Pois eis que no dia em que
Senhor; e eis que ele me b visitou e se rebelarem contra mim, eu os
c 
enterneceu meu coração, de ma- a 
amaldiçoarei com dolorosa mal-
neira que d acreditei em todas as dição e não terão poder sobre a
palavras que meu e pai dissera; por tua semente, a menos que ela tam-
esta razão não me revoltei contra bém se rebele contra mim.
ele, como meus irmãos. 24 E se acontecer que ela se re-
17 E falei a Sam, contando-lhe as bele contra mim, eles serão um
coisas que o Senhor me havia ma- a 
flagelo para teus descendentes,
nifestado por meio de seu Santo a fim de b levá-los aos caminhos
Espírito. E aconteceu que ele acre- da lembrança.
ditou em minhas palavras.
18 Mas eis que Lamã e Lemuel
CAPÍTULO 3
não quiseram dar ouvidos às mi-
nhas palavras; e a aflito pela du- Os filhos de Leí retornam a Jerusa-
reza de seu coração, roguei ao lém para obter as placas de latão —
Senhor por eles. Labão recusa-se a entregar as pla-
19 E aconteceu que o Senhor cas — Néfi exorta e encoraja seus
14 a GEE Poder. Profeta. Promissão.
b 1 Né. 17:45. 18 a Al. 31:24; 21 a 2 Né. 5:20–24;
16 a GEE Mistérios de Deus. 3 Né. 7:16. Al. 9:13–15; 38:1.
b Salm. 8:4; 19 a 1 Né. 7:12; 15:11. 22 a Gên. 37:8–11;
Al. 17:10; 20 a Jos. 1:7; 1 Né. 3:29.
D&C 5:16. 1 Né. 4:14; 23 a Deut. 11:28;
GEE Revelação. Mos. 1:7. 1 Né. 12:22–23;
c 1 Re. 18:37; b Deut. 33:13–16; D&C 41:1.
Al. 5:7. 1 Né. 5:5; 7:13; 24 a Jos. 23:13;
d 1 Né. 11:5. Mois. 7:17–18. Juí. 2:22–23.
e GEE Pai Terreno; GEE Terra da b 2 Né. 5:25.
1 NÉFI 3:1–15 6
irmãos — Labão rouba-lhes os bens preparar um caminho pelo qual
c 

e tenta matá-los — Lamã e Lemuel suas ordens possam ser cumpri-


agridem Néfi e Sam e são reprova- das.
dos por um anjo. Aproximadamente 8 E aconteceu que quando meu
600–592 a.C. pai ouviu estas palavras, rejubi-
lou-se, porque compreendeu que
E aconteceu que eu, Néfi, depois o Senhor me havia abençoado.
de haver falado com o Senhor, vol- 9 E eu, Néfi, e meus irmãos em-
tei à tenda de meu pai. preendemos a viagem pelo deser-
2 E aconteceu que ele me falou, to com nossas tendas, para subir-
dizendo: Eis que sonhei um a so- mos à terra de Jerusalém.
nho, no qual o Senhor me ordenou 10 E aconteceu que, tendo subi-
que tu e teus irmãos voltásseis a do à terra de Jerusalém, eu e meus
Jerusalém. irmãos pusemo-nos a deliberar.
3 Pois eis que Labão possui o re- 11 E a lançamos sortes, para ver
gistro dos judeus e também uma qual de nós iria à casa de Labão.
a 
genealogia de meus antepassa- E aconteceu que a sorte caiu sobre
dos; e eles estão gravados em pla- Lamã; e Lamã foi à casa de Labão
cas de latão. e falou com ele, enquanto estava
4 Ordenou-me o Senhor, portan- sentado em sua casa.
to, que tu e teus irmãos fôsseis à 12 E pediu a Labão os registros
casa de Labão buscar os regis- que estavam gravados nas placas
tros e os trouxésseis aqui para o de latão, que continham a a genea-
deserto. logia de meu pai.
5 E agora, eis que teus irmãos 13 E eis que Labão se irou e ex-
murmuram, dizendo que lhes pulsou-o de sua presença; e re-
pedi uma coisa difícil; eis, porém, cusou-se a dar-lhe os registros.
que não sou eu quem o pede, mas Portanto, disse-lhe: Eis que tu és
é uma ordem do Senhor. um ladrão e vou matar-te.
6 Vai, portanto, meu filho, e serás 14 Lamã, porém, fugiu de sua
favorecido pelo Senhor, porque presença e contou-nos o que La-
a 
não murmuraste. bão havia feito. E começamos a
7 E aconteceu que eu, Néfi, dis- afligir-nos grandemente e meus
se a meu pai: Eu a irei e cumprirei irmãos estavam prestes a voltar
as ordens do Senhor, porque sei para junto de meu pai no deserto.
que o Senhor nunca dá b ordens 15 Mas eis que eu lhes disse: As-
aos filhos dos homens sem antes sim como vive o Senhor e vivemos
3 2 a GEE Sonho. GEE Fé; Filip. 4:13;
3 a 1 Né. 5:14. Obedecer, Obediência, 1 Né. 17:3, 50;
6 a GEE Apoio aos Líderes Obediente. D&C 5:34.
da Igreja. b GEE Mandamentos de 11 a Ne. 10:34;
7 a 1 Sam. 17:32; Deus. At. 1:26.
1 Re. 17:11–15. c Gên. 18:14; 12 a 1 Né. 3:3; 5:14.
7 1 NÉFI 3:16–29
nós, não desceremos para o de- terra de nossa herança e recolhe-
serto onde está nosso pai até ha- mos nosso a ouro e nossa prata e
vermos cumprido o que o Senhor nossas coisas preciosas.
nos ordenou. 23 E depois de havermos reu-
16 Sejamos, portanto, fiéis aos nido essas coisas, subimos nova-
mandamentos do Senhor; desça- mente à casa de Labão.
mos, pois, à terra da a herança de 24 E aconteceu que entramos na
nosso pai, porque ele deixou ouro casa de Labão e pedimos-lhe que
e prata e toda espécie de riquezas. nos entregasse os registros que
E tudo isso ele fez por causa dos estavam gravados nas a placas de
b 
mandamentos do Senhor. latão, pelos quais lhe daríamos
17 Porque ele sabia que Jerusa- nosso ouro e nossa prata e todas
lém deveria ser a destruída por as nossas coisas preciosas.
causa da iniquidade do povo. 25 E aconteceu que quando La-
18 Pois eis que a rejeitaram as bão viu que nossos bens eram
palavras dos profetas. Portanto, muitos, a cobiçou-os, de modo que
se meu pai permanecesse na terra nos pôs para fora e enviou seus
depois de haver recebido b ordem servos para nos matarem, a fim
de fugir, eis que pereceria tam- de apoderar-se de nossos bens.
bém. Assim, foi necessário que 26 E aconteceu que fugimos dos
fugisse da terra. servos de Labão e fomos obriga-
19 E eis que é sábio para Deus dos a abandonar nossos bens; e
que obtenhamos esses a registros, eles caíram nas mãos de Labão.
para que preservemos para nos- 27 E aconteceu que fugimos para
sos filhos o idioma de nossos pais. o deserto e os servos de Labão não
20 E também para que lhes a pre- nos alcançaram; e escondemo-nos
servemos as palavras que foram na cavidade de uma rocha.
proferidas pela boca de todos os 28 E aconteceu que Lamã se en-
santos profetas, as quais lhes fo- fureceu comigo e também com
ram dadas pelo Espírito e poder meu pai; e também Lemuel, por-
de Deus desde o começo do mun- que deu ouvidos às palavras de
do, até o tempo presente. Lamã. Lamã e Lemuel usaram,
21 E aconteceu que, com essas portanto, de a expressões rudes
palavras, persuadi meus irmãos para conosco, seus irmãos mais
a permanecerem fiéis aos man- jovens; e açoitaram-nos com uma
damentos de Deus. vara.
22 E aconteceu que descemos à 29 E aconteceu que enquanto nos
16 a 1 Né. 2:4. b 1 Né. 16:8. 22 a 1 Né. 2:4.
b 1 Né. 2:2; 4:34. 19 a Ômni 1:17; 24 a 1 Né. 3:3.
17 a 2 Crôn. 36:16–20; Mos. 1:2–6. 25 a GEE Cobiçar.
Jer. 39:1–9; 20 a GEE Escrituras — As 28 a 1 Né. 17:17–18.
1 Né. 1:13. escrituras devem ser
18 a GEE Rebeldia, Rebelião. preservadas.
1 NÉFI 3:30–4:7 8
açoitavam com uma vara, apare- e seus cinquenta, sim, ou mesmo
ceu um a anjo do Senhor que, pon- suas dezenas de milhares?
do-se à frente deles, lhes disse: 2 Subamos, portanto; sejamos
Por que açoitais vosso irmão mais a 
fortes como b Moisés; porque ele
jovem com uma vara? Não sabeis por certo falou às águas do c Mar
que o Senhor o escolheu para ser Vermelho e elas dividiram-se para
vosso b governante, devido a vos- um e outro lado; e nossos pais
sa iniquidade? Eis que tornareis saíram do cativeiro passando
a subir a Jerusalém e o Senhor sobre terra seca; e foram segui-
entregará Labão em vossas mãos. dos pelos exércitos de Faraó, que
30 E depois de nos haver falado, se afogaram nas águas do Mar
o a anjo partiu. Vermelho.
31 E depois que o anjo partiu, 3 Agora, eis que sabeis que isso é
Lamã e Lemuel começaram no- verdade; e sabeis também que um
vamente a a murmurar, dizendo: a 
anjo vos falou; como, pois, podeis
Como é possível que o Senhor duvidar? Subamos; o Senhor tem
entregue Labão em nossas mãos? poder para livrar-nos, como livrou
Eis que ele é um homem poderoso nossos pais; e para destruir Labão,
e pode comandar cinquenta, sim, como destruiu os egípcios.
ele pode mesmo matar cinquenta; 4 Ora, depois de haver eu dito
por que não a nós? estas palavras, ainda estavam ir-
ritados e continuaram a murmu-
CAPÍTULO 4 rar; não obstante, seguiram-me
até chegarmos às muralhas de
Néfi mata Labão por ordem do Se-
Jerusalém.
nhor e depois se apodera das placas
5 E era noite; e eu fiz com que se
de latão por meio de um estratage-
escondessem fora das muralhas. E
ma — Zorã decide unir-se à família
depois de se haverem eles escon-
de Leí no deserto. Aproximadamente
dido, eu, Néfi, penetrei sorratei-
600–592 a.C.
ramente na cidade e dirigi-me à
E aconteceu que falei a meus casa de Labão.
irmãos, dizendo: Subamos nova- 6 E fui a conduzido pelo Espírito,
mente a Jerusalém e sejamos a fiéis não b sabendo de antemão o que
aos mandamentos do Senhor; pois deveria fazer.
eis que ele é mais poderoso que 7 Não obstante, segui em fren-
toda a terra. Então, por que não há te e, chegando perto da casa de
de ser b mais poderoso que Labão Labão, vi um homem que havia
29 a 1 Né. 4:3; 7:10. Corajoso; 1 Né. 17:26;
GEE Anjos. Fé. Mos. 7:19.
b 1 Né. 2:22. b 1 Né. 7:11–12. 3 a 1 Né. 3:29–31; 7:10.
30 a 1 Né. 16:38. 2 a Deut. 11:8. 6 a GEE Espírito Santo;
31 a GEE Murmurar. b GEE Moisés. Inspiração, Inspirar.
4 1 a GEE Coragem, c Êx. 14:21; b Heb. 11:8.
9 1 NÉFI 4:8–21
caído no chão, diante de mim, os meus mandamentos, c prospe-
b 

porque estava bêbado de vinho. rará na d terra da promissão.


8 E aproximando-me dele, vi que 15 Sim, e pensei também que eles
era Labão. não poderiam guardar os man-
9 E vi a sua a espada e tirei-a da damentos do Senhor, segundo a
bainha; e o punho era de ouro lei de Moisés, a menos que tives-
puro, trabalhado de modo admi- sem a lei.
rável; e vi que sua lâmina era do 16 Sabia também que a a lei es-
mais precioso aço. tava gravada nas placas de latão.
10 E aconteceu que fui a compe- 17 E também sabia que o Senhor
lido pelo Espírito a matar Labão; havia entregado Labão em minhas
mas disse em meu coração: Nun- mãos por este motivo — para que
ca fiz correr sangue humano. E eu pudesse obter os registros, de
contive-me; e desejei não ter de acordo com os seus mandamentos.
matá-lo. 18 Obedeci, portanto, à voz do
11 E o Espírito disse-me outra Espírito e peguei Labão pelos ca-
vez: Eis que o a Senhor o entre- belos e cortei-lhe a cabeça com sua
gou em tuas mãos. Sim, e eu sa- própria a espada.
bia também que ele procurara 19 E depois de ter-lhe cortado a
tirar-me a vida e que não daria cabeça com sua própria espada,
ouvidos aos mandamentos do tirei-lhe as vestimentas e coloquei-
Senhor; e também se b apoderara as sobre o meu próprio corpo; sim,
de nossos bens. cada uma delas; e cingi meus lom-
12 E aconteceu que o Espírito bos com a sua armadura.
me disse outra vez: Mata-o, pois o 20 E depois de haver feito isso,
Senhor entregou-o em tuas mãos. dirigi-me ao tesouro de Labão. E
13 Eis que o Senhor a mata os b iní- quando me dirigia ao tesouro de
quos, para que sejam cumpridos Labão, eis que vi o a servo de La-
seus justos desígnios. c Melhor é bão que guardava as chaves do
que pereça um homem do que tesouro. E, com a voz de Labão,
uma nação degenere e pereça na ordenei-lhe que me seguisse ao
incredulidade. tesouro.
14 E então quando eu, Néfi, ouvi 21 E ele supôs que eu fosse seu
estas palavras, lembrei-me das pa- amo Labão, porque viu as vesti-
lavras que o Senhor me dissera no mentas e também a espada que
deserto: a Se a tua semente guardar eu levava à cintura.
9 a 2 Né. 5:14; b GEE Iniquidade, Iníquo. c 1 Né. 2:20.
D&C 17:1. c Al. 30:47. d 1 Né. 17:13–14;
10 a Al. 14:11. 14 a Ômni 1:6; Jacó 2:12.
11 a 1 Sam. 17:41–49. Mos. 2:22; 16 a GEE Lei de Moisés.
b 1 Né. 3:26. Ét. 2:7–12. 18 a 1 Sam. 17:51.
13 a 1 Né. 17:33–38; b GEE Mandamentos de 20 a 2 Né. 1:30.
D&C 98:31–32. Deus.
1 NÉFI 4:22–38 10
22 E falou-me a respeito dos an- havendo também recebido muita
ciãos dos judeus, pois sabia que a 
força do Senhor, lancei-me sobre
seu amo, Labão, havia estado com o servo de Labão e segurei-o, para
eles durante a noite. que não fugisse.
23 E eu falei-lhe como se fora 32 E aconteceu que eu lhe disse
Labão. que, se ouvisse minhas palavras,
24 E disse-lhe também que eu assim como o Senhor vive e vivo
levaria as gravações que estavam eu, se ouvisse minhas palavras,
nas a placas de latão a meus irmãos poupar-lhe-íamos a vida.
mais velhos, que estavam fora das 33 E disse-lhe, sob a juramento,
muralhas. que não precisava temer; que se-
25 E também ordenei-lhe que ria um homem livre como nós, se
me seguisse. descesse conosco ao deserto.
26 E supondo ele que eu me re- 34 E também lhe disse: Certa-
ferisse aos irmãos da igreja e que mente o Senhor nos a ordenou que
eu verdadeiramente fosse Labão, procedêssemos assim; e não se-
a quem eu havia matado, seguiu- remos diligentes em guardar os
me. mandamentos do Senhor? Se qui-
27 E falou-me muitas vezes sobre seres, portanto, descer ao deser-
os anciãos dos judeus, enquanto to, ao encontro de meu pai, terás
eu me dirigia para meus irmãos lugar conosco.
que estavam fora das muralhas. 35 E aconteceu que a Zorã criou
28 E aconteceu que quando me coragem com minhas palavras.
viu, Lamã ficou com muito medo Ora, Zorã era o nome do servo;
e também Lemuel e Sam. E fugi- e ele prometeu que desceria para
ram de mim, porque pensaram o deserto até o lugar onde estava
que eu fosse Labão e que ele me nosso pai. Sim, e jurou também
houvesse matado; e que procuras- que permaneceria conosco daque-
se também tirar-lhes a vida. le momento em diante.
29 E aconteceu que os chamei e 36 Ora, desejávamos que ele per-
eles me ouviram; portanto, para- manecesse conosco para que os
ram de fugir de mim. judeus não soubessem de nossa
30 E aconteceu que quando o fuga para o deserto, com receio
servo de Labão viu meus irmãos, de que nos perseguissem para
pôs-se a tremer e estava para fu- destruir-nos.
gir de mim e voltar para a cidade 37 E aconteceu que quando Zorã
de Jerusalém. nos fez o a juramento, nossos te-
31 E agora eu, Néfi, sendo um mores cessaram a seu respeito.
homem de grande estatura e 38 E aconteceu que tomamos as
24 a 1 Né. 3:12, 19–24; 33 a GEE Juramento. GEE Zorã, Zoramitas.
5:10–22. 34 a 1 Né. 2:2; 3:16. 37 a Jos. 9:1–21;
31 a Mos. 9:17; 35 a 1 Né. 16:7; Ecles. 5:4.
Al. 56:56. 2 Né. 5:5–6. GEE Juramento.
11 1 NÉFI 5:1–10
placas de latão e o servo de La- permanecido em Jerusalém e pe-
bão e partimos para o deserto; e recido com meus irmãos.
viajamos até a tenda de nosso pai. 5 Eis que obtive, porém, uma
a 
terra de promissão, pelo que me
CAPÍTULO 5 regozijo; sim, e b sei que o Senhor
livrará meus filhos das mãos de
Saria queixa-se de Leí — Ambos se
Labão e no-los devolverá no de-
regozijam com o retorno de seus fi-
serto.
lhos — Eles oferecem sacrifícios —
6 E com essas palavras meu pai,
As placas de latão contêm escritos
Leí, confortava minha mãe, Saria,
de Moisés e dos profetas — As placas
a nosso respeito, enquanto viajá-
identificam Leí como descendente de
vamos pelo deserto para a terra
José — Leí profetiza a respeito de sua
de Jerusalém a fim de obtermos
semente e da preservação das placas.
o registro dos judeus.
Aproximadamente 600–592 a.C.
7 E quando voltamos à tenda
E aconteceu que depois de ha- de meu pai, eis que sua alegria
vermos descido para o deserto até foi completa e minha mãe ficou
nosso pai, eis que ele se encheu confortada.
de alegria; e minha mãe, a Saria, 8 E ela falou, dizendo: Agora
também se alegrou muito, pois sei com certeza que o Senhor a or-
verdadeiramente havia pranteado denou a meu marido que fugis-
por nossa causa. se para o deserto; sim, e tenho
2 Pois ela pensara que havíamos também certeza de que o Senhor
perecido no deserto e queixara-se protegeu meus filhos e livrou-os
também de meu pai, acusando-o das mãos de Labão; e deu-lhes o
de visionário, dizendo: Eis que tu poder de b executarem o que o Se-
nos tiraste da terra de nossa he- nhor lhes havia ordenado. E desse
rança e meus filhos já não existem; modo ela falou.
e nós pereceremos no deserto. 9 E aconteceu que se regozijaram
3 E era desse modo que minha muito e ofereceram a sacrifícios e
mãe se queixava de meu pai. holocaustos ao Senhor; e rende-
4 E aconteceu que meu pai lhe ram b graças ao Deus de Israel.
respondeu, dizendo: Sei que sou 10 E depois de haverem rendido
um a visionário, pois se não hou- graças ao Deus de Israel, meu pai,
vesse visto as coisas de Deus Leí, tomou os registros que esta-
numa b visão não teria conheci- vam gravados nas a placas de latão
do a bondade de Deus, mas teria e examinou-os desde o princípio.
5 1 a GEE Saria. Promissão. GEE Lei de Moisés.
4 a 1 Né. 2:11. b GEE Fé. b GEE Ação de
b 1 Né. 1:8–13. 8 a 1 Né. 2:2. Graças, Agradecido,
GEE Visão. b 1 Né. 3:7. Agradecimento.
5 a 1 Né. 2:20; 18:8, 22–23. 9 a Mos. 2:3; 10 a 1 Né. 4:24, 38; 13:23.
GEE Terra da 3 Né. 9:19–20. GEE Placas de Latão.
1 NÉFI 5:11–22 12
11 E viu que continham os cinco antepassados haviam mantido os
a 
livros de Moisés, que faziam um registros.
relato da criação do mundo e tam- 17 E então, quando meu pai viu
bém de Adão e Eva, que foram os todas essas coisas, encheu-se do
nossos primeiros pais. Espírito e começou a profetizar
12 E também um a registro dos sobre seus descendentes —
judeus, desde o princípio até o 18  Que essas placas de latão
começo do reinado de Zedequias, iriam a todas as nações, tribos,
rei de Judá. línguas e povos que fossem de
13 E também as profecias dos sua descendência.
santos profetas, desde o princípio 19 Disse também que as placas
até o começo do reinado de a Zede- de latão a jamais seriam destruí-
quias; e também muitas profecias das ou escurecidas pelo tempo.
que foram proferidas pela boca de E profetizou muitas coisas sobre
b 
Jeremias. sua semente.
14 E aconteceu que meu pai, Leí, 20 E aconteceu que até então
também descobriu nas a placas de meu pai e eu havíamos guardado
latão uma genealogia de seus pais; os mandamentos que o Senhor
soube, portanto, que ele descendia nos dera.
de b José, sim, aquele mesmo José 21 E havíamos obtido os regis-
que era filho de c Jacó e que fora tros que o Senhor nos ordenara e
d 
vendido no Egito e que fora e pre- os havíamos examinado e visto
servado pela mão do Senhor para que eram de grande valor; sim, de
que pudesse preservar seu pai, tão grande a valor que poderíamos
Jacó, e toda a sua casa, evitando b 
preservar os mandamentos do
que morressem de fome. Senhor para nossos filhos.
15 E foram também a tirados do 22 Era, pois, sábio para o Senhor
cativeiro e da terra do Egito pelo que os levássemos conosco en-
mesmo Deus que os havia pre- quanto viajávamos pelo deserto
servado. rumo à terra da promissão.
16 E assim meu pai, Leí, desco-
briu a genealogia de seus pais.
CAPÍTULO 6
Labão também era descendente
de a José, razão por que ele e seus Néfi escreve sobre as coisas de
11 a 1 Né. 19:23. 14 a 1 Né. 3:3, 12. Amós 3:1–2;
GEE Pentateuco. GEE Placas de Latão. 1 Né. 17:23–31;
12 a 1 Crôn. 9:1. b 2 Né. 3:4; D&C 103:16–18; 136:22.
GEE Escrituras. Al. 10:3. 16 a 1 Né. 6:2.
13 a 2 Re. 24:18; GEE José, Filho de Jacó. 19 a Al. 37:4–5.
Jer. 37:1. c GEE Jacó, Filho de 21 a GEE Escrituras — Valor
b Esd. 1:1; Isaque. das escrituras.
Jer. 36:17–32; d Gên. 37:29–36. b 2 Né. 25:26.
1 Né. 7:14; e Gên. 45:4–5.
Hel. 8:20. 15 a Êx. 13:17–18;
13 1 NÉFI 6:1–7:4
Deus — O propósito de Néfi é per- CAPÍTULO 7
suadir os homens a virem ao Deus de
Os filhos de Leí retornam a Jerusalém
Abraão e serem salvos. Aproximada-
e pedem a Ismael e sua família que
mente 600–592 a.C.
os acompanhem em sua viagem —
Lamã e outros rebelam-se — Néfi
E agora eu, Néfi, não menciono
exorta seus irmãos a terem fé no Se-
a genealogia de meus pais a nes-
nhor — Eles amarram-no com cor-
ta parte de meu registro; nem a
das e planejam sua destruição — Ele
mencionarei uma vez sequer nas
é libertado pelo poder da fé — Seus
b 
placas que estou escrevendo, por-
irmãos pedem perdão — Leí e seu
que está no registro que foi feito
grupo oferecem sacrifício e holocaus-
por meu c pai; não a escreverei,
tos. Aproximadamente 600–592 a.C.
portanto, nesta obra.
2 Basta-me dizer que somos des- E agora quisera que soubésseis
cendentes de a José. que depois de meu pai, Leí, haver
3 E não é importante que eu seja terminado de a profetizar acerca
meticuloso, fazendo um relato de seus descendentes, aconteceu
completo de todas as coisas de que o Senhor lhe falou outra vez,
meu pai, pois elas não podem ser dizendo que ele, Leí, não deveria
escritas a nestas placas, porque ne- levar sua família sozinha para o
cessito do espaço para escrever as deserto; mas que seus filhos de-
coisas de Deus. veriam tomar b filhas para c espo-
4 Pois tudo o que desejo é a per- sas, a fim de suscitarem descen-
suadir os homens a b virem ao dência para o Senhor na terra da
Deus de Abraão, e o Deus de Isa- promissão.
que, e o Deus de Jacó, e serem 2 E aconteceu que o Senhor lhe
salvos. a 
ordenou que eu, Néfi, e meus
5 Não escrevo, portanto, as coi- irmãos retornássemos à terra de
sas que a agradam ao mundo, mas Jerusalém e trouxéssemos Ismael
as que agradam a Deus e aos que e sua família para o deserto.
não são do mundo. 3 E aconteceu que eu, Néfi, via-
6 Ordenarei, portanto, a meus jei a novamente com meus irmãos
descendentes que não ocupem pelo deserto, para subirmos a
estas placas com as coisas que Jerusalém.
não são de valor para os filhos 4 E aconteceu que subimos à
dos homens. casa de Ismael e obtivemos favor
aos olhos de Ismael, de maneira
6 1 a 2 Né. 4:14–15. Ômni 1:30. Pal. Mórm. 1:4.
b 1 Né. 9:2. 4 a Jo. 20:30–31. Ver 7 1 a 1 Né. 5:17–19.
c 1 Né. 1:16–17; 19:1–6. página de rosto do b 1 Né. 16:7.
2 a 1 Né. 5:14–16. Livro de Mórmon. c GEE Casamento, Casar.
3 a Jacó 7:27; b 2 Né. 9:41, 45, 51. 2 a 1 Né. 16:7–8.
Jar. 1:2, 14; 5 a 1 Tess. 2:4; 3 a 1 Né. 3:2–3.
1 NÉFI 7:5–16 14
que lhe transmitimos as palavras também que obtivéssemos o
do Senhor. registro?
5 E aconteceu que o Senhor en- 12 Sim, e como é que vos ha-
terneceu o coração de Ismael e veis esquecido de que o Senhor
também de sua casa de tal ma- é capaz de fazer todas as a coisas
neira que eles desceram conosco segundo a sua vontade, para os
ao deserto, à tenda de nosso pai. filhos dos homens, se nele exer-
6 E aconteceu que durante a via- cerem b fé? Sejamos-lhe, portan-
gem pelo deserto, eis que Lamã to, fiéis.
e Lemuel e duas das filhas de Is- 13 E se a ele formos fiéis, obte-
mael e os dois a filhos de Ismael e remos a a terra da promissão; e sa-
suas famílias se revoltaram contra bereis, em alguma época futura,
nós; sim, contra mim, Néfi, e Sam; que a palavra do Senhor quanto
e contra o pai deles, Ismael, e sua à b destruição de Jerusalém será
mulher e suas três outras filhas. cumprida; porque todas as coi-
7 E aconteceu que durante essa sas que o Senhor disse, quanto à
revolta, quiseram eles voltar para destruição de Jerusalém, devem
a terra de Jerusalém. ser cumpridas.
8 E agora eu, Néfi, a aflito com 14 Pois eis que o Espírito do Se-
a dureza de seu coração, falei, nhor logo cessará de lutar com
portanto, a Lamã e Lemuel, di- eles; pois eis que eles a rejeitaram
zendo: Eis que sois meus irmãos os profetas e lançaram b Jeremias
mais velhos; e como é que sois na prisão. E procuraram tirar a
tão duros de coração e tão cegos c 
vida de meu pai, a ponto de fa-
de entendimento que necessitais zerem-no sair da terra.
que eu, vosso irmão mais novo, 15 Agora, eis que vos digo que,
vos fale, sim, e seja um exemplo se voltardes a Jerusalém, tam-
para vós? bém perecereis com eles. E agora,
9 Como é que não haveis dado se for vossa escolha, subi à terra
ouvidos à palavra do Senhor? e lembrai-vos das palavras que
10 Como é que a esquecestes que vos digo: Se fordes, também pe-
vistes um anjo do Senhor? recereis; pois assim o Espírito do
11 Sim, e como é que haveis es- Senhor me compele a falar-vos.
quecido as grandes coisas que o 16 E aconteceu que quando eu,
Senhor fez por nós, a livrando-nos Néfi, disse essas palavras a meus
das mãos de Labão e permitindo irmãos, eles se zangaram comigo.
6 a 2 Né. 4:10. Al. 26:12. Ômni 1:15;
8 a Al. 31:2; b 1 Né. 3:7; 15:11. Hel. 8:20–21.
Mois. 7:41. 13 a 1 Né. 2:20. 14 a Eze. 5:6;
10 a Deut. 4:9; GEE Terra da 1 Né. 1:18–20; 2:13.
1 Né. 3:29; 4:3. Promissão. GEE Rebeldia, Rebelião.
11 a 1 Né. 4. b 2 Re. 25:1–21; b Jer. 37:15–21.
12 a 1 Né. 17:50; 2 Né. 6:8; 25:10; c 1 Né. 2:1.
15 1 NÉFI 7:17–8:3
E aconteceu que eles me agarra- ao Senhor seu Deus que os per-
ram, pois eis que estavam muito doasse. E aconteceu que eles as-
irados, e a ataram-me com cordas, sim o fizeram. E depois de have-
pois pretendiam tirar-me a vida, rem orado ao Senhor, reiniciamos
deixando-me no deserto para que a viagem para a tenda de nosso
eu fosse devorado por animais pai.
selvagens. 22 E aconteceu que chegamos à
17 Mas aconteceu que eu orei tenda de nosso pai. E quando eu
ao Senhor, dizendo: Ó Senhor, de e meus irmãos e toda a casa de
acordo com minha fé em ti, livra- Ismael chegamos à tenda de meu
me das mãos de meus irmãos; pai, eles renderam a graças ao Se-
sim, dá-me forças para a romper nhor seu Deus; e ofereceram-lhe
estas cordas com que estou amar- b 
sacrifícios e holocaustos.
rado.
18 E aconteceu que quando eu CAPÍTULO 8
disse estas palavras, eis que as
Leí tem uma visão da árvore da
cordas se soltaram de minhas
vida — Come de seu fruto e deseja
mãos e pés; e pus-me de pé dian-
que sua família faça o mesmo — Vê
te de meus irmãos e tornei a fa-
uma barra de ferro, um caminho es-
lar-lhes.
treito e apertado e a névoa de escuri-
19 E aconteceu que eles se zan-
dão que encobre os homens — Saria,
garam comigo novamente e pro-
Néfi e Sam comem do fruto, porém
curaram agarrar-me; mas eis que
Lamã e Lemuel recusam-no. Apro-
uma das a filhas de Ismael, sim, e
ximadamente 600–592 a.C.
também sua mãe e um dos filhos
de Ismael imploraram a meus ir- E aconteceu que havíamos jun-
mãos de tal modo que lhes abran- tado todo tipo de sementes de
daram o coração; e eles não mais toda espécie, tanto de grãos de
tentaram tirar-me a vida. toda espécie quanto de sementes
20 E aconteceu que ficaram tão de frutas de toda espécie.
pesarosos por causa de sua mal- 2 E aconteceu que durante a per-
dade que se curvaram diante de manência de meu pai no deserto,
mim e suplicaram que eu lhes ele nos falou, dizendo: Eis que
perdoasse o que haviam feito con- a 
sonhei um sonho ou, em outras
tra mim. palavras, tive uma b visão.
21 E aconteceu que eu lhes a per- 3 E eis que, pelas coisas que vi,
doei sinceramente tudo o que ha- tenho motivo para alegrar-me
viam feito e exortei-os a pedirem no Senhor por causa de a Néfi e
16 a 1 Né. 18:11–15. Graças, Agradecido, b 1 Né. 10:17.
17 a Al. 14:26–28. Agradecimento. GEE Visão.
19 a 1 Né. 16:7. b 1 Né. 5:9. 3 a 1 Né. 8:14–18.
21 a GEE Perdoar. 8 2 a GEE Revelação;
22 a GEE Ação de Sonho.
1 NÉFI 8:4–19 16
também de Sam, pois tenho moti- ele encheu-me a alma de imensa
vos para acreditar que eles e tam- a 
alegria; portanto, comecei a b de-
bém muitos de seus descendentes sejar que dele também comesse
serão salvos. minha família; porque sabia que
4 Mas eis, a Lamã e Lemuel, que era mais c desejável que qualquer
eu temo excessivamente por vós; outro fruto.
pois eis que em meu sonho julguei 13 E ao olhar em redor para ver
ver um deserto escuro e triste. se acaso descobriria também mi-
5 E aconteceu que vi um homem nha família, vi um a rio de água; e
e ele estava vestido com um a man- ele passava perto da árvore cujo
to branco; e ele pôs-se na minha fruto eu estava comendo.
frente. 14 E olhei para ver de onde vi-
6 E aconteceu que me falou e or- nha; e vi que sua nascente estava
denou-me que o seguisse. próxima; e junto a ela estavam
7 E aconteceu que enquanto o vossa mãe, Saria, Sam e Néfi; eles
seguia, vi que eu estava num es- permaneciam ali, como se não
curo e triste deserto. soubessem para onde ir.
8 E depois de haver caminhado 15 E aconteceu que eu lhes ace-
pelo espaço de muitas horas na es- nei e também lhes disse, em alta
curidão, comecei a orar ao Senhor voz, que fossem ter comigo e co-
para que tivesse a compaixão de messem do fruto, que era mais de-
mim segundo sua terna e infinita sejável que qualquer outro fruto.
misericórdia. 16 E aconteceu que indo eles
9 E aconteceu que depois de orar ter comigo, comeram também do
ao Senhor, vi um a campo largo e fruto.
espaçoso. 17 E aconteceu que eu desejava
10 E aconteceu que vi uma a ár- que Lamã e Lemuel também co-
vore cujo b fruto era desejável para messem do fruto; portanto, olhei
fazer uma pessoa feliz. em direção à nascente do rio, a
11 E aconteceu que me aproxi- fim de ver se acaso os encontraria.
mei e comi de seu a fruto; e vi que 18 E aconteceu que eu os vi, mas
era o mais doce de todos os que eles a não quiseram ir ter comigo
já havia provado. Sim, e vi que o e comer do fruto.
fruto era branco, excedendo toda 19 E vi uma a barra de ferro que
b 
brancura que eu já vira. se estendia pela barranca do rio
12 E enquanto eu comia do fruto, e ia até a árvore onde eu estava.
4 a 1 Né. 8:35–36. GEE Árvore da Vida. 15:26–29.
5 a JS—H 1:30–32. b Al. 32:41–43. 18 a 2 Né. 5:20–25.
8 a GEE Misericórdia, 11 a Al. 5:34. 19 a Salm. 2:9;
Misericordioso. b 1 Né. 11:8. Apoc. 12:5;
9 a Mt. 13:38. 12 a GEE Alegria. TJS Apoc. 19:15
10 a Gên. 2:9; b Al. 36:24. (Apêndice da Bíblia);
Apoc. 2:7; 22:2; c 1 Né. 15:36. 1 Né. 8:30; 11:25;
1 Né. 11:4, 8–25. 13 a 1 Né. 12:16–18; 15:23–24.
17 1 NÉFI 8:20–33
20 E vi também um caminho edifício; e ele parecia estar no ar,
estreito e apertado, que acompa-
a 
bem acima da terra.
nhava a barra de ferro até a árvore 27 E estava cheio de gente, tanto
onde eu estava; e passava também velhos como jovens, tanto homens
pela nascente do rio, indo até um como mulheres; e suas vestimen-
b 
campo grande e espaçoso que tas eram muito finas; e sua a atitu-
parecia um mundo. de era de escárnio e apontavam
21 E vi inumeráveis multidões o dedo para aqueles que haviam
de pessoas, muitas delas se em- chegado e comiam do fruto.
purrando para alcançar o a cami- 28 E os que haviam a experimen-
nho que conduzia à árvore junto tado do fruto ficaram b envergo-
à qual eu me achava. nhados, por causa dos que zom-
22 E aconteceu que elas come- bavam deles, e c desviaram-se por
çaram a andar pelo caminho que caminhos proibidos e perderam-
conduzia à árvore. se.
23 E aconteceu que se levantou 29 E agora eu, Néfi, não mencio-
uma a névoa de escuridão, sim, no a todas as palavras de meu pai.
uma névoa de escuridão tão den- 30 Para escrever sucintamen-
sa que os que haviam iniciado o te, porém, eis que viu ele outras
caminho se extraviaram dele e, multidões que avançavam com
sem rumo, perderam-se. esforço; e chegavam e agarravam-
24 E aconteceu que vi outros se à extremidade da a barra de fer-
avançando com esforço; e che- ro; e avançavam, continuamente
garam e conseguiram segurar a agarradas à barra de ferro, até
extremidade da barra de ferro; e que chegaram; e prostraram-se e
empurraram-se através da névoa comeram do fruto da árvore.
de escuridão, apegados à barra de 31 E também viu outras a multi-
ferro, até que chegaram e come- dões tateando em direção àquele
ram do a fruto da árvore. grande e espaçoso edifício.
25 E depois de haverem comido 32 E aconteceu que muitos se
do fruto da árvore, olharam em afogaram nas profundezas do a rio;
redor como se estivessem a enver- e muitos outros desapareceram de
gonhados. sua vista, vagando por caminhos
26 E eu também olhei em re- desconhecidos.
dor e vi, na outra margem do rio 33 E grande era a multidão que
de água, um grande e a espaçoso entrou naquele estranho edifício.
20 a Mt. 7:14; 2 Tim. 1:8; Lc. 8:11–15;
2 Né. 31:17–20. Al. 46:21; Jo. 12:42–43.
b Mt. 13:38. Mórm. 8:38. c GEE Apostasia.
21 a GEE Caminho. 26 a 1 Né. 11:35–36; 12:18. 29 a 1 Né. 1:16–17.
23 a 1 Né. 12:17; 15:24. 27 a GEE Orgulho. 30 a 1 Né. 15:23–24.
24 a 1 Né. 8:10–12. 28 a 2 Ped. 2:19–22. 31 a Mt. 7:13.
25 a Rom. 1:16; b Mc. 4:14–20; 8:38; 32 a 1 Né. 15:26–29.
1 NÉFI 8:34–9:5 18
E depois de haverem entrado no menores tratam principalmente de
edifício, apontavam-me com o coisas sagradas. Aproximadamente
dedo, a zombando de mim e dos 600–592 a.C.
que também comiam do fruto;
nós, porém, não lhes demos aten- E todas estas coisas meu pai viu
ção. e ouviu e disse enquanto vivia
34 Estas são as palavras de meu numa tenda, no a vale de Lemuel;
pai: Todos os que deram a atenção e também muitas outras mais que
a eles se haviam perdido. não podem ser escritas nestas pla-
35 E a Lamã e Lemuel não come- cas.
ram do fruto, disse meu pai. 2 E agora, conforme falei sobre
36 E aconteceu que depois de estas placas, eis que elas não são
haver proferido todas as palavras as placas nas quais faço um rela-
de seu sonho ou visão, que foram to completo da história de meu
muitas, ele nos disse que, por cau- povo; pois dei o nome de Néfi às
sa dessas coisas que vira numa a 
placas nas quais faço um relato
visão, temia muito por Lamã e completo de meu povo; elas são,
Lemuel; sim, temia que fossem portanto, chamadas de placas de
expulsos da presença do Senhor. Néfi, segundo meu próprio nome;
37 E exortou-os então, com todo e estas placas também são chama-
o sentimento de um terno a pai, a das de placas de Néfi.
darem ouvidos às suas palavras, 3 Não obstante, recebi um man-
para que talvez o Senhor tivesse damento do Senhor para fazer
misericórdia deles e não os expul- estas placas, com o a fim especial
sasse; sim, meu pai pregou a eles. de deixar gravado um relato do
38 E depois de haver-lhes pre- b 
ministério de meu povo.
gado e profetizado muitas coisas, 4 Nas outras placas deve ser gra-
ordenou-lhes que seguissem os vado um relato do governo dos
mandamentos do Senhor; e ces- reis e das guerras e contendas de
sou de falar-lhes. meu povo; estas placas tratam,
portanto, na sua maior parte, do
ministério, enquanto as a outras
CAPÍTULO 9
placas tratam principalmente do
Néfi faz dois conjuntos de regis- governo dos reis e das guerras e
tros  — Cada um é chamado de contendas de meu povo.
placas de Néfi — As placas maio- 5 Ordenou-me, portanto, o Se-
res contêm uma história secular; as nhor que fizesse estas placas para
33 a GEE Perseguição, Pais. D&C 10:38–40.
Perseguir. 9 1 a 1 Né. 2:4–6, 8, 14–15; GEE Placas.
34 a Êx. 23:2. 16:6. 3 a D&C 3:19.
35 a 1 Né. 8:17–18; 2 a 1 Né. 19:2, 4; b 1 Né. 6:3.
2 Né. 5:19–24. Jacó 3:13–14; 4 a Jacó 1:2–4;
37 a GEE Família; Pal. Mórm. 1:2–11; Pal. Mórm. 1:10.
19 1 NÉFI 9:6–10:7
um sábio propósito seu, o qual
a 
tendo meu pai terminado de re-
me é desconhecido. latar o seu a sonho e também de
6 Mas o Senhor a conhece todas exortá-los a toda diligência, falou-
as coisas, desde o começo; portan- lhes sobre os judeus —
to, ele prepara um caminho para 3 Que depois que eles houves-
realizar todas as suas obras entre sem sido destruídos, sim, aquela
os filhos dos homens; pois eis que grande cidade de a Jerusalém, e
ele tem todo o b poder para fazer muitos b levados cativos para a
cumprir todas as suas palavras. E c 
Babilônia, na época fixada pelo
assim é. Amém. Senhor eles d retornariam, sim, e
seriam até tirados do cativeiro; e
CAPÍTULO 10 que depois que houvessem vol-
tado do cativeiro, ocupariam no-
Leí prediz o cativeiro na Babilônia —
vamente a terra de sua herança.
Fala da vinda, entre os judeus, de um
4 Sim, a seiscentos anos depois de
Messias, um Salvador, um Reden-
meu pai ter deixado Jerusalém, o
tor — Fala também da vinda daquele
Senhor Deus levantaria um b pro-
que batizaria o Cordeiro de Deus —
feta entre os judeus — um c Mes-
Leí fala da morte e ressurreição do
sias, ou, em outras palavras, um
Messias — Compara a dispersão e
Salvador do mundo.
a coligação de Israel a uma olivei-
5 E ele também falou, referindo-
ra — Néfi fala do Filho de Deus, do
se aos profetas, do grande núme-
dom do Espírito Santo e da necessi-
ro que havia a testemunhado estas
dade de retidão. Aproximadamente
coisas concernentes a esse Messias
600–592 a.C.
de que ele havia falado, ou seja,
E agora eu, Néfi, continuo a fazer esse Redentor do mundo.
nestas placas um relato de meus
a 
6 Portanto, toda a humanidade
feitos, de meu governo e minis- se encontrava num estado de per-
tério; portanto, para continuar o dição e a queda; e assim continua-
relato, necessito dizer algo sobre ria, a não ser que confiasse nesse
as coisas de meu pai e também de Redentor.
meus irmãos. 7 E falou também sobre um a pro-
2 Pois eis que aconteceu que, feta que viria antes do Messias,
5 a 1 Né. 19:3; 3 a Est. 2:6; 2 Né. 6:8; 2 Né. 25:19; 3 Né. 1:1.
Pal. Mórm. 1:7; Hel. 8:20–21. b 1 Né. 22:20–21.
Al. 37:2, 12, 14. b 587 a.C.; ver c GEE Messias.
6 a 2 Né. 9:20; Cronologia no 5 a Jacó 7:11;
D&C 38:2; apêndice. Mos. 13:33;
Mois. 1:6, 35. 2 Né. 25:10. Hel. 8:19–24;
GEE Onisciente. c Eze. 24:2; 1 Né. 1:13; 3 Né. 20:23–24.
b Mt. 28:18. Ômni 1:15. 6 a GEE Queda de Adão
10 1 a 1 Né. 9:1–5; 19:1–6; d Jer. 29:10; e Eva.
Jacó 1:1–4. 2 Né. 6:8–9. 7 a 1 Né. 11:27;
2 a 1 Né. 8. 4 a 1 Né. 19:8; 2 Né. 31:4.
1 NÉFI 10:8–17 20
a fim de preparar o caminho do comparados à oliveira cujos ra-
a 

Senhor — mos seriam arrancados e b espa-


8 Sim, ele iria clamar no deserto: lhados pela face da Terra.
a 
Preparai o caminho do Senhor e 13 Disse, portanto, que era ne-
endireitai as suas veredas, pois há cessário que fôssemos conduzidos
entre vós um que não conheceis e todos juntos à a terra da promis-
ele é mais poderoso do que eu, a são, para que se cumprisse a pa-
quem não sou digno de desatar a lavra do Senhor de que seríamos
correia das alparcas. E muito falou dispersos por toda a face da Terra.
meu pai a respeito disto. 14 E depois que a casa de Israel
9 E disse meu pai que ele batiza- houvesse sido dispersa, ela se-
ria em a Betabara, além do Jordão; ria novamente a reunida; ou, em
e também disse que ele b batizaria suma, depois que os b gentios ti-
com água; que ele batizaria o Mes- vessem recebido a plenitude do
sias com água. evangelho, os ramos naturais da
10 E depois de haver batizado o c 
oliveira, ou melhor, os remanes-
Messias com água, ele reconhece- centes da casa de Israel, seriam
ria e testificaria haver batizado o enxertados, ou seja, viriam a co-
a 
Cordeiro de Deus que iria tirar nhecer o verdadeiro Messias, seu
os pecados do mundo. Senhor e seu Redentor.
11 E aconteceu que após ter dito 15 E com essas palavras meu
essas palavras, meu pai falou a pai profetizou e falou a meus ir-
meus irmãos sobre o evangelho mãos; e também muitas coisas
que seria pregado aos judeus e mais, as quais não escrevo neste
também sobre a a queda dos ju- livro, pois escrevi em meu a outro
deus na b incredulidade. E depois livro todas as coisas que julguei
de haverem matado o Messias que convenientes.
haveria de vir e depois de haver 16 E todas essas coisas das quais
sido c morto, ele d ressuscitaria den- falei aconteceram enquanto meu
tre os mortos e manifestar-se-ia pai vivia em uma tenda, no vale
aos gentios pelo e Espírito Santo. de Lemuel.
12 Sim, e meu pai falou muito 17 E aconteceu que eu, Néfi, de-
sobre os gentios e também sobre pois de ouvir todas as a palavras
a casa de Israel, que eles seriam de meu pai referentes às coisas
8 a Isa. 40:3; e GEE Espírito Santo. 13 a 1 Né. 2:20.
Mt. 3:1–3. 12 a Gên. 49:22–26; GEE Terra da
9 a Jo. 1:28. 1 Né. 15:12; Promissão.
b GEE João Batista. 2 Né. 3:4–5; 14 a GEE Israel — Coligação
10 a GEE Cordeiro de Deus. Jacó 5; 6:1–7. de Israel.
11 a Jacó 4:14–18. GEE Oliveira; b 1 Né. 13:42;
b Mórm. 5:14. Vinha do Senhor. D&C 14:10.
c GEE Crucificação; b 1 Né. 22:3–8. c Jacó 5:8, 52, 54, 60, 68.
Jesus Cristo. GEE Israel — Dispersão 15 a 1 Né. 1:16–17.
d GEE Ressurreição. de Israel. 17 a En. 1:3; Al. 36:17.
21 1 NÉFI 10:18–11:3
que ele vira numa visão, como
b 
diante do tribunal de Deus; e nada
também as coisas que dissera com que é impuro pode habitar com
o poder do Espírito Santo, poder Deus; sereis, portanto, afastados
que ele recebeu pela fé no Filho para sempre.
de Deus — e o Filho de Deus era 22 E o Espírito Santo dá-me au-
o c Messias que deveria vir — eu, toridade para proclamar estas coi-
Néfi, também desejei ver e ouvir sas e não as reter.
e conhecer essas coisas pelo poder
do d Espírito Santo, que é o dom CAPÍTULO 11
concedido por Deus a todos os
Néfi vê o Espírito do Senhor e a ár-
que o procuram e diligentemente,
vore da vida é-lhe mostrada em vi-
tanto em tempos f passados como
são — Ele vê a mãe do Filho de Deus
no tempo em que se manifestará
e aprende sobre a condescendência de
aos filhos dos homens.
Deus — Vê o batismo, ministério e
18 Pois ele é o a mesmo ontem,
crucificação do Cordeiro de Deus —
hoje e para sempre; e o caminho
Vê também o chamado e ministé-
está preparado para todos os ho-
rio dos Doze Apóstolos do Cordeiro.
mens desde a fundação do mun-
Aproximadamente 600–592 a.C.
do, caso se arrependam e venham
a ele. Pois aconteceu que depois de ha-
19 Pois aquele que procurar di- ver eu desejado saber as coisas
ligentemente, achará; e os a misté- que meu pai tinha visto e acredi-
rios de Deus ser-lhe-ão desvenda- tando que o Senhor teria poder
dos pelo poder do b Espírito Santo, de torná-las conhecidas a mim,
tanto agora como no passado e enquanto estava eu sentado, a pon-
tanto no passado como no futuro; derando em meu coração, fui b ar-
portanto, o c curso do Senhor é um rebatado pelo Espírito do Senhor,
círculo eterno. sim, a uma c montanha muito alta
20 Lembra-te, portanto, ó ho- que eu nunca vira e sobre a qual
mem, de que por todas as tuas nunca havia posto os pés.
obras serás levado a a julgamento. 2 E o Espírito perguntou-me:
21 Portanto, se haveis procurado Que desejas tu?
fazer o mal nos dias de vossa a pro- 3 E eu respondi: Desejo ver as
vação, sereis declarados b impuros coisas que meu pai a viu.
17 b 1 Né. 8:2. b GEE Espírito Santo. Mois. 6:57.
c GEE Messias. c Al. 7:20; 11 1 a D&C 76:19.
d GEE Espírito Santo. D&C 3:2; 35:1. GEE Ponderar.
e Morô. 10:4–5, 7, 19. 20 a Ecles. 12:14; b 2 Cor. 12:1–4;
f D&C 20:26. 2 Né. 9:46. Apoc. 21:10;
18 a Heb. 13:8; GEE Juízo Final. 2 Né. 4:25;
Mórm. 9:9; 21 a Al. 34:32–35. Mois. 1:1.
D&C 20:12. b 1 Cor. 6:9–10; c Deut. 10:1;
GEE Trindade. 3 Né. 27:19; Ét. 3:1.
19 a GEE Mistérios de Deus. D&C 76:50–62; 3 a 1 Né. 8:2–34.
1 NÉFI 11:4–19 22
4 E o Espírito disse-me: Acredi- 11 E disse-lhe eu: Saber a inter-
a 

tas que teu pai tenha visto a a ár- pretação do que vi — pois falei-
vore da qual falou? lhe como fala um homem, por-
5 E respondi: Sim, tu sabes que que vi que tinha a b forma de um
a 
acredito em todas as palavras de homem; sabia, não obstante, que
meu pai. era o Espírito do Senhor; e ele fa-
6 E quando eu disse essas pala- lou-me como um homem fala a
vras, o Espírito bradou em alta outro homem.
voz, dizendo: Hosana ao Senhor, 12 E aconteceu que ele me disse:
o Deus Altíssimo, pois ele é Deus Olha! E olhei, para vê-lo, e não o
sobre toda a a Terra, sim, sobre vi, porque se havia retirado de
todas as coisas. E bendito és tu, minha presença.
Néfi, porque b acreditas no Filho 13 E aconteceu que olhei e vi
do Deus Altíssimo; verás, por- a grande cidade de Jerusalém e
tanto, as coisas que tens desejado. também outras cidades. E vi a
7 E eis que isto te será dado por cidade de Nazaré; e na cidade de
a 
sinal: depois de haveres contem- a 
Nazaré vi uma b virgem que era
plado a árvore que produziu o extremamente formosa e branca.
fruto do qual teu pai provou, con- 14 E aconteceu que vi os a céus
templarás também um homem se abrirem; e um anjo desceu e,
descendo do céu e tu o verás: e pondo-se na minha frente, disse:
depois de o haveres visto, b testi- Néfi, que vês tu?
ficarás que ele é o Filho de Deus. 15 E eu respondi: Uma virgem
8 E aconteceu que o Espírito me mais bela e formosa que todas as
disse: Olha! E eu olhei e vi uma outras virgens.
árvore; e era semelhante à a árvo- 16 E disse-me ele: Conheces tu a
re que meu pai tinha visto; e sua condescendência de Deus?
beleza era tão grande, sim, que 17 E disse-lhe eu: Sei que ele ama
excedia toda beleza, e sua b bran- seus filhos; não conheço, no en-
cura excedia a brancura da neve. tanto, o significado de todas as
9 E aconteceu que, tendo visto a coisas.
árvore, eu disse ao Espírito: Vejo 18 E disse-me ele: Eis que a a vir-
que me tens mostrado a árvore gem que vês é a b mãe do Filho de
que é mais a preciosa do que tudo. Deus, segundo a carne.
10 E perguntou-me ele: Que de- 19 E aconteceu que eu a vi ser
sejas tu? arrebatada no Espírito. E depois
4 a 1 Né. 8:10–12; 15:21–22. b GEE Testemunho. b Lc. 1:26–27; Al. 7:10.
5 a 1 Né. 2:16. 8 a 1 Né. 8:10. GEE Maria, Mãe de
6 a Êx. 9:29; 2 Né. 29:7; b 1 Né. 8:11. Jesus.
3 Né. 11:14; 9 a 1 Né. 11:22–25. 14 a Eze. 1:1; 1 Né. 1:8.
Mois. 6:44. 11 a Gên. 40:8. 18 a Isa. 7:14;
b GEE Crença, Crer. b Ét. 3:15–16. Lc. 1:34–35.
7 a GEE Sinal. 13 a Mt. 2:23. b Mos. 3:8.
23 1 NÉFI 11:20–31
de haver sido ela arrebatada no Olha e vê a condescendência de
a 

a 
Espírito por um certo espaço de Deus!
tempo, o anjo falou-me, dizen- 27 E eu olhei e a vi o Redentor do
do: Olha! mundo, de quem meu pai falara;
20 E eu olhei e tornei a ver a vir- e vi também o b profeta que prepa-
gem carregando uma a criança nos raria o caminho diante dele. E o
braços. Cordeiro de Deus aproximou-se e
21 E disse-me o anjo: Eis o a Cor- foi c batizado por ele; e depois que
deiro de Deus, sim, o b Filho do ele foi batizado, vi os céus se abri-
c 
Pai Eterno! Sabes tu o significado rem e o Espírito Santo descer do
da d árvore que teu pai viu? céu e repousar sobre ele na forma
22 E respondi-lhe, dizendo: Sim, de uma d pomba.
é o a amor de Deus, que se derra- 28 E vi que ele saía ministrando
ma no coração dos filhos dos ho- entre o povo, em a poder e grande
mens; é, portanto, a mais desejá- glória; e as multidões reuniam-se
vel de todas as coisas. para ouvi-lo; e vi que o expulsa-
23 E falou-me, dizendo: Sim, e a vam do meio delas.
maior a alegria para a alma. 29 E também vi a doze outros se-
24 E depois destas palavras, dis- guindo-o. E aconteceu que foram
se-me: Olha! E olhando, vi o Filho arrebatados de minha presença,
de Deus a caminhando entre os no Espírito, e não os vi.
filhos dos homens; e vi muitos 30 E aconteceu que o anjo me
se prostrarem a seus pés e ado- falou novamente, dizendo: Olha!
rarem-no. E olhei e tornei a ver os céus se
25 E aconteceu que vi que a a bar- abrirem e a anjos descendo entre
ra de ferro que meu pai tinha visto os filhos dos homens; e ministra-
era a palavra de Deus, que con- ram entre eles.
duzia à fonte de b águas vivas, ou 31 E falou-me novamente, dizen-
seja, à c árvore da vida; águas essas do: Olha! E olhei, e vi o Cordeiro
que eram um símbolo do amor de de Deus caminhando entre os fi-
Deus; e também vi que a árvore lhos dos homens. E vi multidões
da vida era um símbolo do amor de pessoas doentes e afligidas com
de Deus. toda espécie de moléstias, e com
26 E o anjo disse-me outra vez: a 
demônios e b espíritos imundos;
19 a Mt. 1:20. 24 a Lc. 4:14–21. c GEE Batismo, Batizar.
20 a Lc. 2:16. 25 a 1 Né. 8:19. d GEE Pomba, Sinal da.
21 a GEE Cordeiro de Deus. b GEE Águas Vivas. 28 a D&C 138:25–26.
b GEE Jesus Cristo. c Gên. 2:9; 29 a GEE Apóstolo.
c GEE Trindade — Deus, Al. 32:40–41; 30 a GEE Anjos.
o Pai. Mois. 4:28, 31. 31 a Mc. 5:15–20;
d 1 Né. 8:10; 26 a 1 Né. 11:16–33. Mos. 3:5–7.
Al. 5:62. 27 a 2 Né. 25:13. GEE Diabo.
GEE Árvore da Vida. b Mt. 11:10; b GEE Espírito —
22 a GEE Amor. 1 Né. 10:7–10; Espíritos maus.
23 a GEE Alegria. 2 Né. 31:4.
1 NÉFI 11:32–12:4 24
e o anjo falou e mostrou-me to- CAPÍTULO 12
das essas coisas. E foram c curadas
Néfi vê em visão a terra prometida;
pelo poder do Cordeiro de Deus; e
a retidão, iniquidade e queda de seus
os demônios e espíritos imundos
habitantes; a vinda do Cordeiro de
foram expulsos.
Deus no meio deles; como os Doze
32 E aconteceu que o anjo me
Discípulos e os Doze Apóstolos jul-
falou novamente, dizendo: Olha!
garão Israel; o estado repugnante e
E olhei e vi o Cordeiro de Deus
imundo daqueles que degeneram,
ser levado pelo povo; sim, o Filho
caindo na incredulidade. Aproxima-
do Deus Eterno foi a julgado pelo
damente 600–592 a.C.
mundo; e vi e testifico.
33 E eu, Néfi, vi que ele foi le- E aconteceu que o anjo me dis-
vantado na a cruz e b morto pelos se: Olha e vê tua semente e tam-
pecados do mundo. bém a semente de teus irmãos. E
34 E depois que ele foi morto, olhei e vi a a terra da promissão;
vi as multidões da Terra reunidas e vi multidões de pessoas, sim, e
para combater os apóstolos do pareciam tão numerosas quanto
Cordeiro, pois assim eram chama- as areias do mar.
dos os doze pelo anjo do Senhor. 2 E aconteceu que vi multidões
35 E a multidão da Terra estava reunidas para batalhar umas con-
reunida; e vi que todos estavam tra as outras; e vi a guerras e ru-
num grande e espaçoso a edifício, mores de guerras e grandes ma-
parecido com o edifício visto por tanças pela espada entre meu
meu pai. E o anjo do Senhor fa- povo.
lou-me novamente, dizendo: Eis 3 E aconteceu que vi muitas ge-
o mundo e sua sabedoria; sim, eis rações morrerem em guerras e
a casa de Israel, que se congregou contendas na terra; e vi muitas
para combater os doze apóstolos cidades, sim, tantas que não as
do Cordeiro. contei.
36 E aconteceu que vi e testifico 4 E aconteceu que vi uma a né-
que o grande e espaçoso edifício voa de b trevas sobre a face da
era o a orgulho do mundo; e ele terra da promissão; e vi relâm-
caiu e sua queda foi muito grande. pagos e ouvi trovões e terremo-
E o anjo do Senhor falou-me nova- tos e toda espécie de ruídos tu-
mente, dizendo: Assim será a des- multuosos; e vi que a terra e as
truição de todas as nações, tribos, rochas se fenderam; e vi mon-
línguas e povos que combaterem tanhas desmoronando; e vi que
os doze apóstolos do Cordeiro. as planícies da terra estavam
31 c GEE Curar, Curas. GEE Cruz. Promissão.
32 a Mc. 15:17–20. b GEE Expiação, Expiar. 2 a En. 1:24; Mórm. 8:7–8.
33 a Jo. 19:16–19; 35 a 1 Né. 8:26; 12:18. GEE Guerra.
Mos. 3:9–10; 36 a GEE Orgulho. 4 a Hel. 14:20–28.
3 Né. 27:14. 12 1 a GEE Terra da b 1 Né. 19:10.
25 1 NÉFI 12:5–17
rachadas e vi que muitas cidades suas vestimentas são branquea-
b 

c 
afundaram; e vi que muitas fo- das em seu sangue.
ram queimadas pelo fogo e vi 11 E disse-me o anjo: Olha! E
muitas que desmoronaram devi- olhei e vi a três gerações morrerem
do a terremotos. em retidão; e suas vestimentas
5 E aconteceu que depois de ver eram brancas como o Cordeiro
essas coisas, notei que o a vapor de de Deus. E disse-me o anjo: Estes
escuridão desaparecia da face da são os que foram branqueados no
terra; e eis que vi multidões que sangue do Cordeiro, por causa de
não haviam caído por causa dos sua fé nele.
grandes e terríveis julgamentos 12 E eu, Néfi, vi também muitos
do Senhor. da a quarta geração que morreram
6 E vi os céus abrirem-se e o em retidão.
a 
Cordeiro de Deus descendo do 13 E aconteceu que vi as multi-
céu; e desceu e mostrou-se a eles. dões da Terra reunidas.
7 E também vi e testifico que o 14 E disse-me o anjo: Eis a tua
Espírito Santo desceu sobre a doze semente e também a semente de
outros e eles foram ordenados por teus irmãos.
Deus e escolhidos. 15 E aconteceu que olhei e vi o
8 E o anjo falou-me, dizendo: Eis povo de minha semente reunido
os doze discípulos do Cordeiro, em multidões a contra a semente
que foram escolhidos para minis- de meus irmãos; e estavam reuni-
trar entre tua semente. dos para batalhar.
9 E disse-me: Recordas-te dos 16 E o anjo falou-me, dizendo:
a 
doze apóstolos do Cordeiro? Eis Eis a fonte de água a suja que teu
que eles são os que b julgarão as pai viu; sim, o b rio do qual ele
doze tribos de Israel; portanto, falou; e suas profundezas são as
os doze ministros de tua semente profundezas do c inferno.
serão julgados por eles, pois sois 17 E as a névoas de escuridão são
da casa de Israel. as tentações do diabo que b cegam
10 E estes a doze ministros que tu os olhos e endurecem o coração
vês julgarão a tua semente. E eis dos filhos dos homens, conduzin-
que são justos para sempre, pois do-os a c caminhos espaçosos para
por sua fé no Cordeiro de Deus que pereçam e se percam.
4 c 3 Né. 8:14. Mórm. 3:18–19. 15 a Mórm. 6.
5 a 3 Né. 8:20; 10:9. b Apoc. 7:14; 16 a GEE Imundície,
6 a 2 Né. 26:1, 9; Al. 5:21–27; 13:11–13; Imundo.
3 Né. 11:3–17. 3 Né. 27:19–20. b 1 Né. 8:13; 15:26–29.
7 a 3 Né. 12:1; 19:12–13. 11 a 2 Né. 26:9–10; c GEE Inferno.
9 a Lc. 6:13. 3 Né. 27:30–32. 17 a 1 Né. 8:23; 15:24;
b Mt. 19:28; 12 a Al. 45:10–12; D&C 10:20–32.
D&C 29:12. Hel. 13:5, 9–10; b GEE Apostasia.
GEE Juízo Final. 3 Né. 27:32; c Mt. 7:13–14.
10 a 3 Né. 27:27; 4 Né. 1:14–27.
1 NÉFI 12:18–13:5 26
18 E o grande e espaçoso edi- a 
na incredulidade, tornaram-se um
fício que teu pai viu são as b fan- povo a escuro, b sujo e repulsivo,
tasias vãs e o c orgulho dos filhos cheio de c preguiça e todo tipo de
dos homens. E um grande e ter- abominações.
rível d abismo separa-os; sim, a
palavra da e justiça do Deus Eter- CAPÍTULO 13
no e do Messias, que é o Cordei-
Néfi vê em visão: A igreja do diabo
ro de Deus, de quem o Espírito
estabelecida entre os gentios, a des-
Santo testifica desde o princípio
coberta e colonização da América, a
do mundo até agora, e de agora
perda de muitas partes claras e pre-
para sempre.
ciosas da Bíblia, o estado resultante
19 E enquanto o anjo dizia estas
da apostasia dos gentios, a restaura-
palavras, olhei e vi que a semente
ção do evangelho, o aparecimento de
de meus irmãos combatia a minha
escrituras dos últimos dias e a edi-
semente, de acordo com a palavra
ficação de Sião. Aproximadamente
do anjo; e devido ao orgulho de
600–592 a.C.
minha semente e às a tentações do
diabo, vi que a semente de meus E aconteceu que o anjo me falou,
irmãos b venceu o povo da minha dizendo: Olha! E olhei e vi muitas
semente. nações e reinos.
20 E aconteceu que olhei e vi que 2 E disse-me o anjo: Que vês tu?
a semente de meus irmãos havia E eu respondi: Vejo muitas nações
vencido a minha semente; e es- e reinos.
palharam-se em multidões pela 3 E disse-me o anjo: Estas são
face da terra. as nações e os reinos dos gentios.
21 E vi-os reunidos em multi- 4 E aconteceu que vi entre as
dões; e vi a guerras e rumores de nações dos a gentios a formação
guerras entre eles; e em guerras de uma b grande igreja.
e rumores de guerras, vi muitas 5 E disse-me o anjo: Vê a forma-
gerações morrerem. ção de uma igreja que é a mais
22 E disse-me o anjo: Eis que abominável de todas as igrejas,
estes a degenerarão, caindo na in- que a mata os santos de Deus, sim,
credulidade. tortura-os e oprime-os e subjuga-
23 E aconteceu que vi que depois os com um b jugo de ferro e leva-os
de haverem degenerado, caindo ao cativeiro.
18 a 1 Né. 8:26; 11:35–36. Pal. Mórm. 1:1–2. c GEE Ociosidade,
b Jer. 7:24. 21 a Mórm. 8:8; Ocioso.
c GEE Orgulho. Morô. 1:2. 13 4 a GEE Gentios.
d Lc. 16:26; GEE Guerra. b 1 Né. 13:26, 34;
1 Né. 15:28–30. 22 a 1 Né. 15:13; 14:3, 9–17.
e GEE Justiça. 2 Né. 26:15. 5 a Apoc. 17:3–6;
19 a GEE Tentação, Tentar. 23 a 2 Né. 26:33. 1 Né. 14:13.
b Jar. 1:10; b 2 Né. 5:20–25. b Jer. 28:10–14.
27 1 NÉFI 13:6–20
6 E aconteceu que vi essa gran- a 
eles saíram do cativeiro, atraves-
de e abominável igreja; e vi que o sando as muitas águas.
b 
diabo era o seu fundador. 14 E aconteceu que vi muitas
7 E vi também a ouro e prata e a 
multidões de gentios na b terra da
sedas e escarlatas e linho fina- promissão e vi que a ira de Deus
mente tecido e toda espécie de estava sobre a semente de meus
vestimentas preciosas; e vi muitas irmãos; e eles foram c dispersos
meretrizes. pelos gentios e foram feridos.
8 E falou-me o anjo, dizendo: Eis 15 E vi que o Espírito do Senhor
que o ouro e a prata e as sedas e estava sobre os gentios e eles pros-
as escarlatas e o linho finamente peraram e receberam a a terra por
tecido e as vestimentas preciosas herança; e vi que eram brancos,
e as meretrizes são os a desejos muito b belos e formosos, como
dessa grande e abominável igreja. era meu povo antes de ser c exter-
9  E também, pelo louvor do minado.
mundo, a destroem os santos de 16 E aconteceu que eu, Néfi, vi
Deus e também os escravizam. que os gentios que haviam saído
10 E aconteceu que olhei e vi do cativeiro humilharam-se dian-
muitas águas; e elas separavam te do Senhor; e o poder do Senhor
os gentios da semente de meus estava com a eles.
irmãos. 17 E eu vi que as pátrias-mães
11 E aconteceu que o anjo me dos gentios estavam reunidas so-
disse: Eis que a ira de Deus está bre as águas e também sobre a
sobre a semente de teus irmãos. terra, para batalhar contra eles.
12 E olhei e vi entre os gentios 18 E vi que o poder de Deus esta-
um homem que estava separado va com eles, e também que a ira de
da semente de meus irmãos pelas Deus estava sobre todos os que se
muitas águas; e vi que o a Espírito achavam reunidos para batalhar
de Deus desceu e inspirou o ho- contra eles.
mem; e indo esse homem pelas 19 E eu, Néfi, vi que os gentios
muitas águas, chegou até a semen- que haviam saído do cativeiro
te de meus irmãos que estava na foram a libertados das mãos de
terra da promissão. todas as outras nações, pelo po-
13 E aconteceu que vi o Espírito der de Deus.
de Deus inspirar outros gentios; e 20 E aconteceu que eu, Néfi, vi
6 a D&C 88:94. 12 a GEE Inspiração, de Israel.
GEE Diabo — Igreja do Inspirar. 15 a 2 Né. 10:19.
diabo. 14 a 2 Né. 1:11; b 2 Né. 5:21.
b 1 Né. 22:22–23. Mórm. 5:19–20. c Mórm. 6:17–22.
7 a Mórm. 8:36–38. b GEE Terra da 16 a D&C 101:80.
8 a Apoc. 18:10–24; Promissão. 19 a 2 Né. 10:10–14;
Mórm. 8:35–38. c 1 Né. 22:7–8. 3 Né. 21:4;
9 a Apoc. 13:4–7. GEE Israel — Dispersão Ét. 2:12.
1 NÉFI 13:21–29 28
que eles prosperaram na terra; e doze apóstolos do Cordeiro, vês a
vi um a livro que era levado en- formação daquela b grande e abo-
tre eles. minável c igreja que é mais abomi-
21 E perguntou-me o anjo: Sabes nável que todas as outras igrejas;
o significado do livro? pois eis que d tiraram do evange-
22 E eu respondi: Não sei. lho do Cordeiro muitas partes que
23 E ele disse: Eis que provém são e claras e sumamente preciosas;
da boca de um judeu. E eu, Néfi, e também muitos convênios do
vi o livro. E disse-me o anjo: O Senhor foram tirados.
a 
livro que vês é um b registro dos 27 E fizeram tudo isso a fim de
c 
judeus, que contém os convênios perverterem os caminhos retos
feitos pelo Senhor com a casa de do Senhor, a fim de cegarem os
Israel; e contém também muitas olhos e endurecerem o coração
das profecias dos santos profetas; dos filhos dos homens.
e é um registro semelhante às gra- 28 Vês, portanto, que depois de
vações encontradas nas d placas de haver o livro passado pelas mãos
latão, só que em menor número; da grande e abominável igreja,
não obstante, contém os convê- foram suprimidas muitas coisas
nios do Senhor com a casa de Is- claras e preciosas do livro, que é
rael, sendo, portanto, de grande o livro do Cordeiro de Deus.
valor para os gentios. 29 E depois que essas coisas cla-
24 E disse-me o anjo do Senhor: ras e preciosas foram suprimidas,
Viste que o livro procedeu da boca ele propagou-se por todas as na-
de um judeu; e ao proceder da ções dos gentios; e depois de ter-
boca de um judeu, continha a ple- se propagado por todas as nações
nitude do evangelho do Senhor, dos gentios, sim, mesmo do outro
de quem os doze apóstolos testi- lado das muitas águas que viste
ficam; e eles testificam de acordo com os gentios que saíram do ca-
com a verdade que está no Cor- tiveiro, vês que — por causa das
deiro de Deus. muitas coisas claras e preciosas
25 Estas coisas, portanto, são que foram suprimidas do livro,
transmitidas dos a judeus aos b gen- que eram claras ao entendimento
tios, em pureza, segundo a verda- dos filhos dos homens segundo
de que está em Deus. a clareza que existe no Cordei-
26 E depois de transmitidas dos ro de Deus — por causa dessas
judeus a aos gentios pela mão dos coisas que foram suprimidas do
20 a 1 Né. 14:23. D&C 3:16. cristã primitiva.
23 a 1 Né. 13:38; GEE Judeus. d Mórm. 8:33;
2 Né. 29:4–12. b GEE Gentios. Mois. 1:41.
b GEE Escrituras. 26 a Mt. 21:43. e 1 Né. 14:20–26;
c 2 Né. 3:12. b 1 Né. 13:4–6; 14:3, 9–17. RF 1:8.
d 1 Né. 5:10–13. c GEE Apostasia —
25 a 2 Né. 29:4–6; Apostasia da igreja
29 1 NÉFI 13:30–37
evangelho do Cordeiro, um gran- 34 E aconteceu que o anjo do Se-
de número tropeça, sim, de tal nhor me falou, dizendo: Eis que,
maneira que Satanás tem grande diz o Cordeiro de Deus, depois de
poder sobre eles. visitar os a remanescentes da casa
30 Vês, não obstante, os gentios de Israel — e esses remanescen-
que saíram do cativeiro e que fo- tes de quem falo são a semente
ram elevados pelo poder de Deus de teu pai — portanto, depois de
acima de todas as outras nações, visitá-los com julgamento e feri-
na face da terra, que é uma ter- los pela mão dos gentios; e depois
ra escolhida acima de todas as que os gentios b tropeçarem muito
outras terras, que é a terra que o por causa das partes claras e pre-
Senhor Deus prometeu a teu pai, ciosas do c evangelho do Cordeiro,
por convênio, que seria a a terra as quais foram retidas por aquela
de herança de seus descendentes; igreja abominável que é a mãe das
vês, portanto, que o Senhor Deus meretrizes, diz o Cordeiro — serei
não permitirá que os gentios des- misericordioso para com os gen-
truam completamente a b mescla tios, naquele dia, tanto que lhes
de tua semente que está entre os d 
trarei pelo meu próprio poder
teus irmãos. muito do meu evangelho, que será
31 Nem permitirá ele que os gen- claro e precioso, diz o Cordeiro.
tios a destruam a semente de teus 35 Pois eis que, diz o Cordeiro:
irmãos. Eu me manifestarei a tua semente,
32 Tampouco permitirá o Senhor de modo que ela escreverá muitas
Deus que os gentios permaneçam coisas que lhe ensinarei, as quais
para sempre naquele horrível es- serão claras e preciosas; e depois
tado de cegueira, no qual tu vês que tua semente for destruída e
que estão, devido às passagens degenerar, caindo na incredulida-
claras e preciosas do evangelho de, assim como a semente de teus
do Cordeiro que foram suprimi- irmãos, eis que a estas coisas serão
das por aquela a igreja abominável, escondidas, para serem reveladas
cuja formação tu viste. aos gentios pelo dom e poder do
33 Diz, portanto, o Cordeiro de Cordeiro.
Deus: Serei misericordioso para 36 E nelas será escrito o meu
com os gentios, visitando os re- a 
evangelho, diz o Cordeiro, e mi-
manescentes da casa de Israel com nha b rocha e minha salvação.
grande julgamento. 37  E a abençoados os que
30 a GEE Terra da 32 a GEE Diabo — Igreja do Evangelho.
Promissão. diabo. 35 a 2 Né. 27:6; 29:1–2.
b Al. 45:10–14. 34 a GEE José, Filho de Jacó. GEE Livro de Mórmon.
31 a 2 Né. 4:7; 10:18–19; b 1 Né. 14:1–3; 36 a 3 Né. 27:13–21.
Jacó 3:5–9; 2 Né. 26:20. b Hel. 5:12;
Hel. 15:12; c GEE Evangelho. 3 Né. 11:38–39.
3 Né. 16:8–9; d D&C 10:62. GEE Rocha.
Mórm. 5:20–21. GEE Restauração do 37 a D&C 21:9.
1 NÉFI 13:38–42 30
procurarem estabelecer a minha e preciosas que deles foram su-
b 
Sião naquele dia, pois terão o primidas; e mostrarão a todas as
c 
dom e o poder do Espírito Santo; tribos, línguas e povos que o Cor-
e se d perseverarem até o fim, serão deiro de Deus é o Filho do Pai
levantados no último dia e serão Eterno e o d Salvador do mundo;
salvos no e reino eterno do Cordei- e que todos os homens devem vir
ro; e aqueles que f proclamarem a a ele, pois do contrário não pode-
paz, sim, novas de grande alegria, rão ser salvos.
quão belos serão sobre os montes! 41 E devem vir de acordo com
38 E aconteceu que vi o remanes- as palavras proferidas pela boca
cente da semente de meus irmãos; do Cordeiro; e as palavras do Cor-
e também o a livro do Cordeiro deiro tornar-se-ão conhecidas nos
de Deus que procedera da boca registros de tua semente, assim
do judeu e que veio dos gentios como nos registros dos doze após-
b 
para o remanescente da semente tolos do Cordeiro; portanto, am-
de meus irmãos. bos serão reunidos a num só; por-
39 E depois de haver chegado que há b um Deus e um c Pastor
a eles, vi outros a livros surgirem sobre toda a Terra.
pelo poder do Cordeiro, trazidos 42 E chegará o tempo em que ele
a eles pelos gentios, para b conven- se manifestará a todas as nações,
cer os gentios e os remanescen- tanto aos a judeus como aos gen-
tes da semente de meus irmãos tios; e depois de haver-se mani-
e também os judeus que estavam festado aos judeus e também aos
dispersos por toda a face da Terra, gentios, ele manifestar-se-á aos
de que os registros dos profetas e gentios e também aos judeus; e
dos doze apóstolos do Cordeiro os b últimos serão os primeiros e
são c verdadeiros. os c primeiros serão os últimos.
40 E falou-me o anjo, dizendo:
Estes a últimos registros que viste
CAPÍTULO 14
entre os gentios b confirmarão a
verdade dos c primeiros, que são Um anjo fala a Néfi das bênçãos e
dos doze apóstolos do Cordei- maldições que cairão sobre os gen-
ro, e divulgarão as coisas claras tios — Existem apenas duas igrejas:
37 b GEE Sião. 39 a GEE Escrituras — Mois. 1:6.
c GEE Dom do Espírito Profecias a respeito de 41 a Eze. 37:17.
Santo. escrituras futuras. b Deut. 6:4;
d 3 Né. 27:16. b Eze. 37:15–20; Jo. 17:21–23;
GEE Perseverar. 2 Né. 3:11–12. 2 Né. 31:21.
e GEE Glória Celestial. c 1 Né. 14:30. c GEE Bom Pastor.
f Isa. 52:7; 40 a 2 Né. 26:16–17; 29:12. 42 a D&C 90:8–9; 107:33;
Mos. 15:14–18; GEE Livro de Mórmon. 112:4.
3 Né. 20:40. b Mórm. 7:8–9. b Jacó 5:63.
38 a 1 Né. 13:23; c GEE Bíblia. c Lc. 13:30;
2 Né. 29:4–6. d Ver página de rosto do 1 Né. 15:13–20.
b Mórm. 5:15. Livro de Mórmon.
31 1 NÉFI 14:1–7
a Igreja do Cordeiro de Deus e a igre- completa destruição, diz o Cordei-
ja do diabo — Os santos de Deus ro de Deus; não a destruição da
em todas as nações são perseguidos alma, a menos que isso signifique
pela grande e abominável igreja — ser lançada naquele b inferno que
O Apóstolo João escreverá sobre o não tem fim.
fim do mundo. Aproximadamente 4 Pois eis que isto é segundo
600–592 a.C. o cativeiro do diabo e também
segundo a justiça de Deus para
E acontecerá que se os a gentios com todos os que cometerem
derem ouvidos ao Cordeiro de iniquidades e abominações pe-
Deus no dia em que ele se mani- rante ele.
festar a eles em palavras e tam- 5 E aconteceu que o anjo falou a
bém em b poder, verdadeiramente, mim, Néfi, dizendo: Viste que, se
para remover-lhes as c pedras de os gentios se arrependerem, será
tropeço — bom para eles; e conheces tam-
2 E não endurecerem o coração bém os convênios do Senhor com
contra o Cordeiro de Deus, serão a casa de Israel; e ouviste também
a 
contados com a semente de teu que aquele que não se a arrepen-
pai; sim, serão contados com a der perecerá.
casa de Israel; e serão um povo 6 Portanto, a ai dos gentios, se
b 
abençoado para sempre na terra endurecerem o coração contra o
da promissão; não mais serão es- Cordeiro de Deus!
cravizados. E a casa de Israel não 7 Pois vem o tempo, diz o Cor-
será mais confundida. deiro de Deus, em que farei uma
3 E aquele grande a abismo que a 
obra grande e maravilhosa entre
foi cavado para eles por aque- os filhos dos homens, uma obra
la grande e abominável igreja, que será eterna, seja para um fim
fundada pelo diabo e seus filhos ou para outro — seja para con-
a fim de que ele pudesse levar vertê-los à paz e à b vida eterna,
para o inferno as almas dos ho- ou para entregá-los à dureza de
mens — sim, o grande abismo seu coração e à cegueira de sua
que foi cavado para a destrui- mente, até serem levados ao cati-
ção dos homens encher-se-á com veiro e também à destruição, tanto
aqueles que o cavaram, para sua física como espiritual, segundo o
14 1 a 3 Né. 16:6–13. 3 Né. 16:13; 21:6, 22; Arrependimento.
GEE Gentios. Abr. 2:9–11. 6 a 2 Né. 28:32.
b 1 Tess. 1:5; b 2 Né. 6:12; 10:8–14; 7 a Isa. 29:14;
1 Né. 14:14; 3 Né. 16:6–7; 20:27. 1 Né. 22:8;
Jacó 6:2–3. 3 a 1 Né. 22:14; 2 Né. 27:26; 29:1–2;
c Isa. 57:14; D&C 109:25. D&C 4:1.
1 Né. 13:29, 34; b GEE Condenação, GEE Restauração do
2 Né. 26:20. Condenar; Evangelho.
2 a Gál. 3:7, 29; Inferno. b GEE Vida eterna.
2 Né. 10:18–19; 5 a GEE Arrepender-se,
1 NÉFI 14:8–17 32
cativeiro do diabo, do qual tenho
c 
domínio sobre a face da Terra era
falado. pequeno, devido à iniquidade da
8 E aconteceu que após ter dito grande prostituta que eu vi.
estas coisas, o anjo disse-me: Lem- 13 E aconteceu ter eu visto que a
bras-te dos a convênios do Pai com grande mãe de abominações con-
a casa de Israel? Respondi: Sim. gregou multidões na face de toda
9 E aconteceu que me disse: Olha a Terra, entre todas as nações dos
e vê aquela grande e abominável gentios, para a guerrear o Cordeiro
igreja, que é a mãe de abomina- de Deus.
ções, cujo fundador é o a diabo. 14 E aconteceu que eu, Néfi, vi
10 E disse-me ele: Eis que não há o poder do Cordeiro de Deus que
mais do que a duas igrejas; uma é descia sobre os santos da igreja do
a igreja do Cordeiro de Deus e a Cordeiro e sobre o povo do con-
b 
outra, a igreja do diabo; portan- vênio do Senhor, que estava dis-
to, quem não pertence à igreja do perso sobre toda a face da Terra;
Cordeiro de Deus faz parte daque- e estavam armados com retidão e
la grande igreja, que é a mãe de com o a poder de Deus, em gran-
abominações; e ela é a c prostituta de glória.
de toda a Terra. 15 E aconteceu ter eu visto que a
11 E aconteceu que olhei e vi a ira de Deus se havia a derramado
prostituta de toda a Terra, que se sobre aquela grande e abominável
assentava sobre muitas a águas; e igreja, de modo que havia guerras
b 
tinha domínio sobre toda a Ter- e rumores de guerras entre todas
ra, entre todas as nações, tribos, as b nações e tribos da Terra.
línguas e povos. 16 E quando começaram as guer-
12 E aconteceu que vi a igreja ras e rumores de a guerras em to-
do Cordeiro de Deus e seu nú- das as nações que pertenciam à
mero era a pequeno, por causa das mãe de abominações, o anjo falou-
iniquidades e abominações da me, dizendo: Eis que a ira de Deus
prostituta que se assentava sobre está sobre a mãe de meretrizes; e
muitas águas; não obstante, vi que eis que vês todas estas coisas —
a igreja do Cordeiro, que eram os 17 E quando chegar o a dia em
santos de Deus, estava também que a b ira de Deus for derramada
sobre b toda a face da Terra; e seu sobre a mãe de meretrizes, que é
7 c 2 Né. 2:26–29; 2 Né. 10:16. D&C 123:7–8.
Al. 12:9–11. 11 a Jer. 51:13; 14 a Jacó 6:2;
8 a GEE Convênio Apoc. 17:15. D&C 38:32–38.
Abraâmico. b D&C 35:11. 15 a D&C 1:13–14.
9 a 1 Né. 15:35; 12 a Mt. 7:14; b Mc. 13:8;
D&C 1:35. 3 Né. 14:14; D&C 87:6.
GEE Diabo. D&C 138:26. 16 a 1 Né. 22:13–14;
10 a 1 Né. 22:23. b D&C 90:11. Mórm. 8:30.
b 1 Né. 13:4–6, 26. 13 a Apoc. 17:1–6; 18:24; 17 a GEE Últimos Dias.
c Apoc. 17:5, 15; 1 Né. 13:5; b 1 Né. 22:15–16.
33 1 NÉFI 14:18–30
a grande e abominável igreja de apóstolo do Cordeiro de Deus que
toda a Terra, cujo fundador é o as a escrevesse.
diabo, então, naquele dia, a c obra 26 E tem havido também outros
do Pai começará, preparando o a quem o Senhor mostrou todas
caminho para o cumprimento dos as coisas e eles escreveram-nas;
d 
convênios feitos com seu povo, e elas estão a seladas para serem
que é da casa de Israel. reveladas em sua pureza à casa
18 E aconteceu que o anjo me de Israel, no devido tempo do
falou, dizendo: Olha! Senhor, de acordo com a verdade
19 E olhei e vi um homem que que está no Cordeiro.
estava vestido com um manto 27 E eu, Néfi, ouvi e testifico que
branco. o nome do apóstolo do Cordeiro
20 E disse-me o anjo: Eis a um era a João, segundo a palavra do
dos doze apóstolos do Cordeiro. anjo.
21 Eis que ele verá e escreverá o 28 E eis que eu, Néfi, fui proibido
restante destas coisas; sim, e tam- de escrever o restante das coisas
bém muitas coisas já passadas. que vi e ouvi; por conseguinte, o
22 E ele escreverá também sobre que escrevi me é suficiente; e eu
o fim do mundo. escrevi apenas uma pequena parte
23 Portanto, as coisas que ele es- das coisas que vi.
crever são justas e verdadeiras; e 29 E testifico que vi as coisas que
eis que estão escritas no a livro que meu a pai viu; e o anjo do Senhor
viste saindo da boca do judeu; e deu-mas a conhecer.
quando saíram da boca do judeu, 30 E agora termino de falar sobre
ou quando o livro saiu da boca do as coisas que vi enquanto estava
judeu, as coisas nele escritas eram arrebatado no Espírito; e se todas
claras e puras e muito b preciosas e as coisas que vi não estão escritas,
de fácil compreensão para todos as que escrevi são a verdadeiras. E
os homens. assim é. Amém.
24 E eis que as coisas que esse
a 
apóstolo do Cordeiro escreverá
CAPÍTULO 15
são muitas coisas que viste; e eis
que verás as restantes. A semente de Leí receberá dos gen-
25 Mas as coisas que vires de tios o evangelho nos últimos dias —
agora em diante, não escreverás; A coligação de Israel é comparada a
pois o Senhor Deus ordenou ao uma oliveira cujos ramos naturais
17 c 3 Né. 21:7, 20–29. 1 Né. 14:27. 26 a 2 Né. 27:6–23;
GEE Restauração do 23 a 1 Né. 13:20–24; Ét. 3:21–27; 4:4–7;
Evangelho. Mórm. 8:33. D&C 35:18;
d Mórm. 8:21, 41. b 1 Né. 13:28–32. JS—H 1:65.
GEE Convênio 24 a Ét. 4:16. 27 a Apoc. 1:1–3.
Abraâmico. 25 a Jo. 20:30–31; 29 a 1 Né. 8.
20 a Apoc. 1:1–3; Apoc. 1:19. 30 a 2 Né. 33:10–14.
1 NÉFI 15:1–13 34
serão enxertados novamente — Néfi meus irmãos, perguntando-lhes
interpreta a visão da árvore da vida e o motivo das discussões.
fala da justiça de Deus em separar os 7 E eles responderam: Eis que
iníquos dos justos. Aproximadamente não podemos compreender as pa-
600–592 a.C. lavras de nosso pai concernentes
aos ramos naturais da oliveira e
E aconteceu que depois de ha- também aos gentios.
ver sido arrebatado no Espírito e 8 E disse-lhes eu: Haveis a per-
visto todas essas coisas, eu, Néfi, guntado ao Senhor?
voltei à tenda de meu pai. 9 E eles responderam: Não per-
2 E aconteceu que vi meus ir- guntamos, porque o Senhor não
mãos e eles discutiam entre si nos dá a conhecer essas coisas.
quanto às coisas que meu pai lhes 10 Eis que eu lhes disse: Por que
dissera. não guardais os mandamentos do
3 Pois ele verdadeiramente lhes Senhor? Quereis perecer por cau-
dissera muitas coisas grandiosas sa da a dureza de vosso coração?
que eram de difícil a compreensão, 11 Não vos lembrais das coisas
a menos que se perguntasse ao que o Senhor disse? — Se não en-
Senhor; e como eram duros de co- durecerdes vosso coração e me
ração, não procuravam o Senhor a 
pedirdes com fé, acreditando que
como deviam. recebereis, guardando diligente-
4 E então eu, Néfi, fiquei pesaro- mente os meus mandamentos,
so com a dureza de seu coração e certamente estas coisas vos serão
também por causa das coisas que dadas a conhecer.
tinha visto e sabia que haviam de 12 Eis que vos digo que a casa
acontecer inevitavelmente, por de Israel foi comparada a uma
causa da grande iniquidade dos oliveira pelo Espírito do Senhor
filhos dos homens. que estava em nosso pai; e eis que
5 E aconteceu que fiquei abati- não fomos nós desmembrados da
do por causa de minhas a aflições, casa de Israel e não somos nós um
pois considerava-as maiores que a 
ramo da casa de Israel?
quaisquer outras, por causa da 13 E agora, o que nosso pai quer
b 
destruição de meu povo; pois eu dizer sobre o enxerto dos ramos
vira a sua queda. naturais por meio da plenitude
6 E aconteceu que depois de ha- dos gentios é que, nos últimos
ver recuperado as a forças, falei a dias, quando nossos descendentes
15 3 a 1 Cor. 2:10–12; 8 a Mos. 26:13; D&C 18:18.
Al. 12:9–11. Al. 40:3. GEE Pedir.
5 a GEE Adversidade. GEE Oração. 12 a Gên. 49:22–26;
b En. 1:13; 10 a GEE Apostasia. 1 Né. 10:12–14; 19:24.
Mórm. 6:1. 11 a Tg. 1:5–6; GEE Leí, Pai de Néfi.
6 a Mois. 1:10; En. 1:15;
JS—H 1:20, 48. Morô. 7:26;
35 1 NÉFI 15:14–20
tiverem degenerado, caindo na
a 
de Israel; serão enxertados, sendo
a 

incredulidade, sim, pelo espaço um ramo natural da oliveira, na


de muitos anos e por muitas ge- oliveira verdadeira.
rações depois que o b Messias se 17 E isto é o que nosso pai quer
manifestar em pessoa aos filhos dizer; e ele quer dizer que isto não
dos homens, então a plenitude acontecerá senão depois de have-
do c evangelho do Messias chega- rem sido dispersos pelos gentios;
rá aos d gentios; e dos gentios, aos e ele quer dizer que isto se dará
remanescentes de nossos descen- por meio dos gentios, para que o
dentes — Senhor mostre aos gentios o seu
14 E naquele dia os remanes- poder; porquanto será a rejeitado
centes da nossa a semente virão a pelos judeus, ou seja, pela casa
saber que são da casa de Israel e de Israel.
que são o povo do b convênio do 18 Nosso pai não falou, portanto,
Senhor; e então saberão e chega- apenas de nossos descendentes,
rão ao c conhecimento dos seus mas também de toda a casa de Is-
antepassados, e também ao conhe- rael, indicando o convênio que ha-
cimento do Redentor e do evan- veria de ser cumprido nos últimos
gelho que foi por ele ministrado dias, convênio esse que o Senhor
a seus pais. Portanto, virão a co- fez com nosso pai Abraão, dizen-
nhecer seu Redentor e os pontos do: Em tua a semente serão ben-
essenciais de sua doutrina, para ditas todas as famílias da Terra.
que saibam como chegar a ele e 19 E aconteceu que eu, Néfi, fa-
ser salvos. lei-lhes muito sobre estas coisas;
15 E então, naquele dia, não se sim, falei-lhes sobre a a restauração
regozijarão e não darão graças dos judeus nos últimos dias.
ao seu eterno Deus, sua a rocha e 20 E repeti-lhes as palavras de
sua salvação? Sim, naquele dia a 
Isaías, que falou sobre a res-
não receberão vigor e alimento tauração dos judeus, ou seja, da
da verdadeira b videira? Sim, não casa de Israel; e depois de sua
virão eles para o verdadeiro reba- restauração, não serão mais con-
nho de Deus? fundidos nem dispersos. E acon-
16 Eis que vos digo: Sim; eles se- teceu que disse muitas palavras
rão lembrados outra vez pela casa a meus irmãos, de modo que se
13 a 1 Né. 12:22–23; Abraâmico. 16 a Jacó 5:60–68.
2 Né. 26:15. c 2 Né. 3:12; 30:5; 17 a GEE Crucificação.
b GEE Messias. Mórm. 7:1, 9–10; 18 a Gên. 12:1–3;
c GEE Evangelho. D&C 3:16–20. Ver Abr. 2:6–11.
d 1 Né. 13:42; 22:5–10; também 19 a 1 Né. 19:15.
D&C 14:10. página de rosto do GEE Israel — Coligação
GEE Gentios. Livro de Mórmon. de Israel.
14 a 2 Né. 10:2; 15 a GEE Rocha. 20 a 1 Né. 19:23.
3 Né. 5:21–26; 21:4–7. b Gên. 49:11;
b GEE Convênio Jo. 15:1.
1 NÉFI 15:21–33 36
tranquilizaram e humilharam-se
b 
e sua mente estava tão absorvida
perante o Senhor. com outras coisas, que não obser-
21 E aconteceu que me falaram vou a imundície da água.
novamente, dizendo: O que sig- 28 E disse-lhes que era um hor-
nifica isso que nosso pai viu num rível a abismo que separava os iní-
sonho? O que significa a a árvore quos da árvore da vida e também
que ele viu? dos santos de Deus.
22 E disse-lhes: Era uma repre- 29 E disse-lhes que era uma re-
sentação da a árvore da vida. presentação daquele horrível a in-
23 E disseram-me: O que signifi- ferno que o anjo me dissera estar
ca a a barra de ferro que nosso pai preparado para os iníquos.
viu, que levava à árvore? 30 E disse-lhes que nosso pai
24 E eu disse-lhes que era a a pa- também viu que a a justiça de Deus
lavra de Deus; e todos os que des- separava os iníquos dos justos; e
sem ouvidos à palavra de Deus e que seu resplendor era como uma
a ela se b apegassem, jamais pere- chama de fogo que sobe eterna-
ceriam; nem as c tentações nem os mente para Deus e não tem fim.
d 
dardos inflamados do e adversário 31 E disseram-me: Significa isso
poderiam dominá-los até a ce- o tormento do corpo nos dias de
gueira, para levá-los à destruição. a 
provação, ou significa o estado
25 Portanto, eu, Néfi, exortei-os final da alma depois da b morte do
a a darem ouvidos à palavra do corpo físico, ou refere-se às coisas
Senhor; sim, exortei-os com toda que são terrenas?
a energia de minha alma e com 32 E aconteceu que eu lhes disse
todas as faculdades que possuía, a que era uma representação tan-
darem ouvidos à palavra de Deus to de coisas físicas como espiri-
e a lembrarem-se de guardar seus tuais; pois chegaria o dia em que
mandamentos, sempre, em todas seriam julgados por suas a obras,
as coisas. sim, mesmo as obras feitas pelo
26 E disseram-me: O que sig- corpo físico nos seus dias de pro-
nifica o a rio de água que nosso vação.
pai viu? 33 Se a morrerem, portanto, em
27 E respondi-lhes que a a água iniquidade, serão também b rejei-
que meu pai viu era b imundície; tados quanto às coisas espirituais
20 b 1 Né. 16:5, 24, 39. d Ef. 6:16; 2 Né. 1:13.
21 a 1 Né. 8:10–12. D&C 3:8; 27:17. 29 a GEE Inferno.
22 a 1 Né. 11:4, 25; e GEE Diabo. 30 a GEE Justiça.
Mois. 3:9. 25 a D&C 11:2; 32:4; 31 a Al. 12:24; 42:10;
23 a 1 Né. 8:19–24. 84:43–44. Hel. 13:38.
24 a GEE Palavra de Deus. 26 a 1 Né. 8:13. b Al. 40:6, 11–14.
b 1 Né. 8:30; 27 a 1 Né. 12:16. 32 a GEE Obras.
2 Né. 31:20. b GEE Imundície, 33 a Mos. 15:26;
c 1 Né. 8:23. Imundo. Morô. 10:26.
GEE Tentação, Tentar. 28 a Lc. 16:26; 1 Né. 12:18; b Al. 12:12–16; 40:26.
37 1 NÉFI 15:34–16:3
que se referem à retidão; portan- CAPÍTULO 16
to, deverão ser levados perante
Os iníquos consideram a verdade
Deus para serem c julgados por
dura — Os filhos de Leí casam-se
suas d obras; e se suas obras ti-
com as filhas de Ismael — A Liaho-
verem sido imundas, eles serão
na guia-lhes o curso no deserto —
e 
imundos; e se forem imundos,
Mensagens do Senhor são escritas
não poderão f habitar o reino de
na Liahona de tempos em tempos —
Deus; se o habitassem, o reino de
Ismael morre; sua família murmura
Deus seria também imundo.
por causa das aflições. Aproximada-
34 Mas eis que eu vos digo que
mente 600–592 a.C.
o reino de Deus não é a imundo e
que nenhuma coisa impura pode E aconteceu que após ter eu,
entrar no reino de Deus; é, portan- Néfi, acabado de falar a meus ir-
to, necessário que haja um lugar mãos, eis que eles me disseram:
de imundície preparado para o Tu nos tens declarado coisas du-
que é imundo. ras, mais do que somos capazes
35 E há um lugar preparado, de suportar.
sim, aquele horrível a inferno 2 E aconteceu que eu lhes disse
do qual falei, cujo fundador é o que sabia haver falado coisas du-
b 
diabo. Portanto, o estado final ras contra os iníquos, de acordo
da alma dos homens é habitar com a verdade; e justifiquei os
o reino de Deus ou ser lançada justos e testifiquei que eles se-
fora por causa da c justiça da qual riam exaltados no último dia; e os
falei. a 
culpados consideram, portanto,
36 Os iníquos, portanto, serão a b verdade dura, porque c penetra-
apartados dos justos e também lhes até o âmago.
daquela a árvore da vida, cujo fru- 3 E agora, meus irmãos, se fôs-
to é mais precioso e mais b dese- seis justos e estivésseis dispostos
jável que todos os frutos; sim, é a ouvir a verdade e a segui-la, a
a c maior de todas as d dádivas de fim de a andar retamente dian-
Deus. E assim falei a meus irmãos. te de Deus, não iríeis murmurar
Amém. por causa da verdade e afirmar:
Tu dizes coisas duras contra nós.
33 c GEE Juízo Final. GEE Inferno. 2 Né. 33:5;
d 3 Né. 27:23–27. b 1 Né. 14:9; En. 1:23;
e 2 Né. 9:16; D&C 1:35. Hel. 14:10.
D&C 88:35. c GEE Justiça. GEE Culpa.
f Salm. 15; 24:3–4; 36 a Gên. 2:9; b Prov. 15:10;
Al. 11:37; 2 Né. 2:15. 2 Né. 1:26; 9:40;
D&C 76:50–70; b 1 Né. 8:10–12; Hel. 13:24–26.
Mois. 6:57. Al. 32:42. c At. 5:33;
34 a GEE Imundície, c D&C 6:13. Mos. 13:7.
Imundo. d D&C 14:7. 3 a D&C 5:21.
35 a 2 Né. 9:19; GEE Vida eterna. GEE Andar, Andar com
Mos. 26:27. 16 2 a Jo. 3:20; Deus.
1 NÉFI 16:4–17 38
4 E aconteceu que eu, Néfi, com 11 E aconteceu que reunimos
toda a diligência exortei meus todas as coisas que deveríamos
irmãos a guardarem os manda- levar para o deserto e todo o res-
mentos do Senhor. tante das provisões que o Senhor
5 E aconteceu que eles se a humi- nos dera; e juntamos sementes de
lharam diante do Senhor, de modo toda espécie a fim de levarmos
que me alegrei e tive grande es- para o deserto.
perança de que viessem a seguir 12 E aconteceu que tomamos
os caminhos da retidão. nossas tendas e partimos para o
6 Ora, todas essas coisas foram deserto, atravessando o rio Lamã.
ditas e feitas enquanto meu pai 13 E aconteceu que viajamos
vivia numa tenda, no vale que ele pelo espaço de quatro dias, na
chamara Lemuel. direção aproximada sul-sudes-
7 E aconteceu que eu, Néfi, to- te; e novamente armamos nossas
mei para a esposa uma das b filhas tendas e demos ao lugar o nome
de Ismael; e meus irmãos também de Sazer.
tomaram para esposas as filhas 14 E aconteceu que tomamos
de Ismael; e c Zorã também tomou nossos arcos e nossas flechas e
para esposa a filha mais velha de saímos pelo deserto, à procura de
Ismael. caça para nossas famílias; e de-
8 E assim cumpriu meu pai to- pois de havermos obtido a caça,
dos os mandamentos que o Se- voltamos outra vez para junto de
nhor lhe dera. E eu, Néfi, também nossas famílias no deserto, no lu-
fui extremamente abençoado pelo gar chamado Sazer. E saímos no-
Senhor. vamente pelo deserto, seguindo
9 E aconteceu que durante a noi- na mesma direção, mantendo-nos
te a voz do Senhor falou a meu nas partes mais férteis do deser-
pai e ordenou-lhe que, no dia se- to, que acompanhavam os limites
guinte, prosseguisse viagem pelo próximos ao a Mar Vermelho.
deserto. 15 E aconteceu que viajamos
10 E aconteceu que meu pai se pelo espaço de muitos dias, ca-
levantou pela manhã e, saindo à çando pelo caminho com nossos
porta da tenda, notou, com gran- arcos e nossas flechas, nossas pe-
de espanto, que havia no chão dras e nossas fundas.
uma a esfera esmeradamente tra- 16 E seguimos a a direção indica-
balhada; e era feita de latão puro. da pela esfera, que nos levou aos
E no seu interior havia duas agu- lugares mais férteis do deserto.
lhas; e uma delas indicava-nos o 17 E depois de havermos viaja-
caminho a seguir no deserto. do pelo espaço de muitos dias,
5 a 1 Né. 16:24, 39; 18:4. 2 Né. 5:5–6. 16 a 1 Né. 16:10, 16, 26;
7 a GEE Casamento, Casar. 10 a Al. 37:38–46. 18:12;
b 1 Né. 7:1. GEE Liahona. Al. 37:38–46.
c 1 Né. 4:35; 14 a D&C 17:1.
39 1 NÉFI 16:18–29
armamos nossas tendas por al- 23 E aconteceu que eu, Néfi, fiz
gum tempo, a fim de novamente um arco de madeira e, de uma
descansar e obter alimento para vara reta, fiz uma flecha; portan-
nossas famílias. to, me armei de um arco e flecha,
18 E aconteceu que quando eu, uma funda e pedras. E perguntei
Néfi, saí para caçar, eis que que- a meu a pai: Aonde deverei ir para
brei meu arco, que era feito de obter alimento?
a 
aço puro; e tendo quebrado meu 24 E aconteceu que ele a pergun-
arco, eis que meus irmãos se zan- tou ao Senhor, porque eles se ha-
garam comigo por causa da perda viam humilhado por causa das
de meu arco, porque não conse- minhas palavras; porque eu lhes
guimos alimento. dissera muitas coisas com toda a
19 E aconteceu que voltamos energia de minha alma.
sem alimento para junto de nos- 25 E aconteceu que meu pai ou-
sas famílias; e estando todos eles viu a voz do Senhor; e ele foi real-
bastante fatigados por causa da mente a repreendido por ter mur-
viagem, sofreram muito com a murado contra o Senhor, de tal
falta de alimento. forma que mergulhou em pro-
20 E aconteceu que Lamã e Le- fundo pesar.
muel e os filhos de Ismael começa- 26 E aconteceu que a voz do Se-
ram a murmurar muito por causa nhor lhe disse: Olha a esfera e vê
de seus sofrimentos e aflições no as coisas que estão escritas.
deserto; e meu pai também come- 27 E aconteceu que quando meu
çou a murmurar contra o Senhor pai viu as coisas que estavam es-
seu Deus; sim, e estavam todos critas na esfera, temeu e tremeu
extremamente aflitos, a ponto de muito; e também meus irmãos e
murmurarem contra o Senhor. os filhos de Ismael e nossas mu-
21 Ora, aconteceu que eu, Néfi, lheres.
fiquei aflito, juntamente com meus 28 E aconteceu que eu, Néfi, vi
irmãos, pela perda de meu arco; os ponteiros que estavam na es-
e tendo os seus arcos perdido a fera e eles moviam-se conforme a
elasticidade, as coisas tornaram- a 
fé e a diligência e a atenção que
se muito difíceis, sim, tanto que lhes dávamos.
não podíamos conseguir alimento. 29 E havia também sobre eles
22 E aconteceu que eu, Néfi, fa- uma escrita nova que era simples
lei muito a meus irmãos, porque de ser lida e dava-nos a entendi-
tornaram a endurecer o coração, mento sobre os caminhos do Se-
a ponto de a queixarem-se do nhor; e era escrita e mudada de
Senhor seu Deus. tempos em tempos, de acordo
18 a 2 Sam. 22:35. 24 a GEE Oração. 28 a Al. 37:40.
22 a Êx. 16:8; Núm. 11:1. 25 a Ét. 2:14. GEE Fé.
23 a Êx. 20:12; GEE Castigar, Castigo, 29 a GEE Compreensão,
Mos. 13:20. Corrigir, Repreender. Entendimento.
1 NÉFI 16:30–39 40
com nossa fé e a atenção que lhe sofrido muitas aflições, fome, sede
dávamos. E assim vemos que, por e cansaço; e depois de todos estes
meio de b pequenos recursos, pode sofrimentos, vamos certamente
o Senhor realizar grandes coisas. perecer de fome no deserto.
30 E aconteceu que eu, Néfi, me 36 E assim murmuravam contra
dirigi ao cume da montanha, de meu pai e também contra mim; e
acordo com as direções dadas na desejavam voltar para Jerusalém.
esfera. 37 E Lamã disse a Lemuel e tam-
31 E aconteceu que matei ani- bém aos filhos de Ismael: a Mate-
mais selvagens e, desse modo, ob- mos nosso pai e também nosso
tive alimento para nossas famílias. irmão Néfi, que se arvorou em
32 E aconteceu que voltei para nosso b chefe e mestre, apesar de
nossas tendas, levando os animais sermos seus irmãos mais velhos.
que havia matado; e então, quan- 38 Agora, diz que o Senhor con-
do viram que eu havia obtido ali- versou com ele e também que a an-
mento, grande foi sua alegria. E jos o instruíram. Eis, porém, que
aconteceu que se humilharam pe- sabemos que ele mente para nós; e
rante o Senhor e renderam-lhe conta-nos essas coisas e faz muitas
graças. coisas com astúcia, a fim de en-
33 E aconteceu que reiniciamos ganar-nos, pensando que talvez
nossa viagem, tomando aproxi- consiga levar-nos para algum es-
madamente o mesmo rumo do tranho deserto; e depois de levar-
princípio; e depois de havermos nos, pensa fazer-se rei e governar-
viajado pelo espaço de muitos nos, fazendo conosco o que lhe
dias, armamos novamente nos- aprouver. E desta maneira meu
sas tendas a fim de pararmos por irmão Lamã incitava à ira.
algum tempo. 39 E aconteceu que o Senhor
34 E aconteceu que a Ismael mor- estava conosco, sim, a voz do
reu e foi enterrado no lugar cha- Senhor disse-lhes muitas pala-
mado Naom. vras, a repreendendo-os muito; e
35 E aconteceu que as filhas de depois de haverem sido repreen-
Ismael choraram muito a perda didos pela voz do Senhor, abran-
de seu pai e suas a aflições no de- daram a sua ira e arrependeram-
serto; e murmuraram contra meu se de seus pecados, de modo que
pai por havê-las tirado da ter- o Senhor tornou a abençoar-
ra de Jerusalém, dizendo: Nosso nos com alimento, para que não
pai está morto; sim, e temos va- morrêssemos.
gado muito pelo deserto e temos
29 b 2 Re. 5:13; Tg. 3:4; 35 a GEE Adversidade. 1 Né. 2:22; 18:10.
Al. 37:6–7, 41; 37 a 1 Né. 17:44. 38 a 1 Né. 3:30–31; 4:3.
D&C 123:16. GEE Homicídio. 39 a GEE Castigar, Castigo,
34 a 1 Né. 7:2–6. b Gên. 37:9–11; Corrigir, Repreender.
41 1 NÉFI 17:1–10
CAPÍTULO 17 5 E chegamos à terra a que de-
mos o nome de Abundância, por
Néfi é instruído a construir um na-
causa das muitas frutas e também
vio — Seus irmãos opõem-se a ele —
do mel silvestre; e todas essas coi-
Ele exorta-os, recontando a história
sas foram preparadas pelo Senhor,
dos procedimentos de Deus para com
a fim de que não perecêssemos.
Israel — Néfi enche-se do poder de
E vimos o mar, ao qual demos o
Deus — Seus irmãos são proibidos
nome de Irreântum, que significa
de tocá-lo, para não definharem como
muitas águas.
uma cana seca. Aproximadamente
6 E aconteceu que armamos nos-
592–591 a.C.
sas tendas perto da costa e, ape-
E aconteceu que reiniciamos a sar de havermos sofrido muitas
jornada pelo deserto e, dali em a 
aflições e dificuldades, sim, tan-
diante, viajamos na direção apro- tas que não podemos escrevê-
ximada do leste. E viajamos e pas- las todas, ficamos imensamente
samos por muitas aflições no de- contentes quando chegamos à
serto; e nossas mulheres tiveram costa; e demos ao lugar o nome
filhos no deserto. de Abundância, devido às suas
2 E tão grandes foram as bênçãos muitas frutas.
do Senhor que, enquanto vivemos 7 E aconteceu que depois de es-
de carne a crua no deserto, nossas tar eu, Néfi, pelo espaço de mui-
mulheres tiveram bastante leite tos dias na terra de Abundância,
para seus filhos e eram fortes, sim, ouvi a voz do Senhor, dizendo:
tanto quanto os homens; e come- Levanta-te e vai à montanha. E
çaram a suportar as viagens sem aconteceu que me levantei e subi
murmurar. à montanha e clamei ao Senhor.
3 E assim vemos que os manda- 8 E aconteceu que o Senhor me
mentos de Deus devem ser cum- falou, dizendo: Tu construirás um
pridos. E se os filhos dos homens navio da a maneira que eu te mos-
a 
guardam os mandamentos de trarei, a fim de que eu leve o teu
Deus, ele alimenta-os e fortalece- povo através destas águas.
os e dá-lhes meios pelos quais po- 9 E eu disse: Senhor, aonde irei
derão cumprir as coisas que lhes a fim de encontrar minério para
ordenou; portanto, ele nos b deu os fundir e fazer ferramentas, com o
meios de sobrevivermos enquanto fito de construir o navio do modo
permanecíamos no deserto. que tu me mostraste?
4 E permanecemos no deserto 10 E aconteceu que o Senhor me
pelo espaço de muitos anos, sim, disse onde eu encontraria minério
oito anos no deserto. para fazer ferramentas.
17 2 a 1 Né. 17:12. GEE Obedecer, 6 a 2 Né. 4:20.
3 a Mos. 2:41; Obediência, Obediente. 8 a 1 Né. 18:2.
Al. 26:12. b 1 Né. 3:7.
1 NÉFI 17:11–21 42
11 E aconteceu que eu, Néfi, fiz irmão é um tolo, pois pensa que
um fole de peles de animais para poderá construir um navio; sim,
avivar o fogo; e depois de haver e pensa também que poderá atra-
feito o fole para avivar o fogo, bati vessar estas grandes águas.
duas pedras, uma contra a outra, 18 E assim meus irmãos se quei-
para fazer fogo. xavam de mim e não tinham von-
12 Pois até então o Senhor não tade de trabalhar, pois não acredi-
nos havia permitido fazer muito tavam que eu pudesse construir
fogo, enquanto viajávamos pelo um navio nem acreditavam que
deserto, pois disse: Farei com que eu havia sido instruído pelo Se-
vossos alimentos se tornem sabo- nhor.
rosos, para que não vos seja pre- 19 E aconteceu que eu, Néfi, fi-
ciso a cozinhá-los. quei muito pesaroso por causa da
13 E serei também vossa luz no dureza de seu coração; e então,
deserto; e a prepararei o caminho a quando viram que eu começava
vossa frente, se guardardes meus a ficar pesaroso, alegraram-se em
mandamentos; portanto, se guar- seu coração, de maneira que se
dardes meus mandamentos, sereis a 
rejubilaram, dizendo: Sabíamos
conduzidos à terra da b promissão; que não poderias construir um
e c sabereis que sois conduzidos navio, pois sabíamos que não ti-
por mim. nhas juízo; não podes, portanto,
14 Sim, e disse também o Senhor: realizar uma obra tão grandiosa.
Depois de haverdes chegado à ter- 20 E tu és como nosso pai, que
ra da promissão, a sabereis que eu, é levado pelas tolas a fantasias de
o Senhor, sou b Deus; e que eu, o seu coração; sim, ele tirou-nos da
Senhor, vos salvei da destruição; terra de Jerusalém e temos vagado
sim, que vos tirei da terra de Je- no deserto por todos esses anos;
rusalém. e nossas mulheres têm trabalha-
15 Portanto, eu, Néfi, esforcei- do, ainda que grávidas; e tiveram
me em guardar os mandamentos filhos no deserto e suportaram
do Senhor e exortei meus irmãos todas as coisas, exceto a morte.
a serem fiéis e diligentes. E teria sido melhor que tivessem
16 E aconteceu que fiz ferra- morrido antes de deixar Jerusa-
mentas com o metal que fundi da lém, do que suportar todas essas
rocha. aflições.
17 E quando meus irmãos viram 21 Eis que temos padecido du-
que eu estava prestes a a construir rante todos estes anos no deserto,
um navio, começaram a murmu- quando poderíamos ter usufruí-
rar contra mim, dizendo: Nosso do nossos bens e a terra de nossa
12 a 1 Né. 17:2. c Êx. 6:7. 17 a 1 Né. 18:1–6.
13 a Al. 37:38–39. 14 a 2 Né. 1:4. 19 a GEE Perseguição,
b 1 Né. 2:20; GEE Testemunho. Perseguir.
Jacó 2:12. b D&C 5:2. 20 a 1 Né. 2:11.
43 1 NÉFI 17:22–31
herança; sim, e poderíamos ter Senhor ordenou a a Moisés que
sido felizes. fizesse esse grande trabalho; e
22 E sabemos que o povo que sabeis que, por sua b palavra, as
estava na terra de Jerusalém era águas do Mar Vermelho dividi-
um povo a justo, porque guardava ram-se para um e para outro lado;
os estatutos e os juízos do Senhor e passaram em terra seca.
e todos os seus mandamentos, de 27 Sabeis, porém, que os egípcios
acordo com a lei de Moisés; sabe- que formavam os exércitos do Fa-
mos, portanto, que eles são um raó afogaram-se no Mar Vermelho.
povo justo e nosso pai julgou-os 28 E sabeis também que eles fo-
e tirou-nos de lá, porque demos ram alimentados com a maná no
ouvidos às palavras dele; sim, e deserto.
nosso irmão é semelhante a ele. E 29 Sim, e também sabeis que
dessa maneira meus irmãos mur- Moisés, por sua palavra, de acor-
muravam e queixavam-se de nós. do com o poder de Deus que es-
23 E aconteceu que eu, Néfi, lhes tava nele, a feriu a rocha da qual
falei, dizendo: Credes vós que jorrou água, para que os filhos de
nossos pais, que eram os filhos Israel matassem a sede.
de Israel, teriam sido tirados das 30 E, não obstante serem eles
mãos dos egípcios se não tives- guiados, indo o Senhor seu Deus,
sem dado ouvidos às palavras seu Redentor, diante deles, condu-
do Senhor? zindo-os durante o dia e dando-
24 Sim, e supondes vós que eles lhes luz durante a noite e fazendo
poderiam ter saído do cativeiro, por eles tudo o que era a necessário
se o Senhor não houvesse orde- a um homem receber, endurece-
nado a Moisés que os a tirasse do ram o coração e cegaram a mente
cativeiro? e b ultrajaram Moisés e o Deus vivo
25 Ora, sabeis que os filhos de e verdadeiro.
Israel estavam no a cativeiro e sa- 31 E aconteceu que, de acordo
beis que eram oprimidos com b ta- com sua palavra, ele os a destruiu
refas difíceis de suportar; sabeis, e, de acordo com sua palavra,
portanto, que deve ter sido uma b 
guiou-os; e, de acordo com sua
coisa boa para eles haverem sido palavra, fez tudo por eles; e nada
libertados do cativeiro. foi feito que não fosse por meio
26 Ora, sabeis também que o de sua palavra.
22 a 1 Né. 1:13. Hel. 8:11; D&C 8:3; 1 Né. 20:21.
24 a Êx. 3:2–10; Mois. 1:25. 30 a D&C 18:18; 88:64–65.
1 Né. 19:10; 28 a Êx. 16:4, 14–15, 35; b Êx. 32:8;
2 Né. 3:9; 25:20. Núm. 11:7–8; Núm. 14:2–3;
25 a Gên. 15:13–14. Deut. 8:3; Eze. 20:13–16;
b Êx. 1:11; 2:11. Mos. 7:19. D&C 84:23–25.
26 a At. 7:22–39. 29 a Êx. 17:6; 31 a Núm. 26:65.
b Êx. 14:21–31; Núm. 20:11; b 1 Né. 5:15;
1 Né. 4:2; Mos. 7:19; Deut. 8:15; D&C 103:16–18.
1 NÉFI 17:32–42 44
32 E depois de haverem atraves- e criou seus filhos para que a ha-
sado o rio Jordão, ele tornou-os bitassem.
poderosos, para que a expulsassem 37 E ele a levanta uma nação justa
os filhos da terra, sim, para que e destrói as nações dos iníquos.
os dispersassem até a destruição. 38 E conduz os justos a a terras
33 E agora supondes que os fi- ricas e b destrói os iníquos e amal-
lhos desta terra, que estavam na diçoa a terra por causa deles.
terra da promissão, que foram ex- 39 Ele governa nas alturas dos
pulsos por nossos pais, supondes céus, porque é seu trono; e esta
vós que eram justos? Eis que vos Terra é o a escabelo de seus pés.
digo: Não. 40 E ele ama os que o tomam por
34 Pensais que nossos pais te- seu Deus. Eis que amou nossos
riam sido mais favorecidos do que pais e fez a convênios com eles,
eles, se eles tivessem sido justos? sim, com Abraão, b Isaque e c Jacó;
Eu vos digo: Não. e lembrou-se dos convênios que
35 Eis que o Senhor considera fez; portanto, tirou-os da terra
toda a carne igualmente; aque- do d Egito.
le que é b justo é c favorecido por 41 E afligiu-os no deserto com
Deus. Eis, porém, que esse povo sua vara, porque a endureceram o
havia rejeitado toda palavra de coração do mesmo modo que vós;
Deus e amadurecido em iniqui- e o Senhor afligiu-os por causa
dade; e a plenitude da ira de de sua iniquidade. Enviou-lhes
Deus estava sobre eles. E o Se- b 
serpentes voadoras ardentes e,
nhor amaldiçoou a terra para eles depois de mordidos, preparou um
e abençoou-a para nossos pais; meio para que fossem c curados; e
sim, amaldiçoou-a para a des- o que tinham a fazer era olhar; e
truição deles e abençoou-a para por causa da d simplicidade do mé-
que nossos pais obtivessem poder todo, ou seja, da facilidade dele,
sobre ela. houve muitos que pereceram.
36  Eis que o Senhor a criou a 42 E endureceram o coração de
b 
Terra para que fosse c habitada; tempos em tempos e a ultrajaram
32 a Núm. 33:52–53; Abr. 3:24–25. D&C 27:10.
Jos. 24:8. 37 a Prov. 14:34; c Gên. 28:1–5.
35 a At. 10:15, 34; 1 Né. 4:13; d Deut. 4:37.
Rom. 2:11; Ét. 2:10; 41 a 2 Re. 17:7–23.
2 Né. 26:23–33. D&C 117:6. b Núm. 21:4–9;
b Salm. 55:22; 38 a GEE Terra da Deut. 8:15;
1 Né. 22:17. Promissão. Al. 33:18–22.
c 1 Sam. 2:30; b Lev. 20:22. c Jo. 3:13–15;
Salm. 97:10; 145:20; 39 a Isa. 66:1; 2 Né. 25:20.
Al. 13:4; D&C 38:17; d Al. 37:44–47;
D&C 82:10. Abr. 2:7. Hel. 8:15.
36 a GEE Criação, Criar. 40 a GEE Convênio 42 a Núm. 14:1–12.
b GEE Terra. Abraâmico. GEE Rebeldia, Rebelião.
c Isa. 45:18; b Gên. 21:12;
45 1 NÉFI 17:43–50
b 
Moisés e também Deus; não obs- que, por sua palavra, pode fa-
tante, sabeis que foram conduzi- zer com que os lugares acidenta-
dos à terra da promissão por seu dos sejam aplainados e os lugares
incomparável poder. planos sejam fragmentados. Oh!
43 E então, depois de todas estas então, como podeis ter o coração
coisas, chegou o tempo em que tão duro?
se tornaram iníquos, sim, quase 47 Eis que minha alma está des-
totalmente; e não sei se neste dia pedaçada por vossa causa e meu
não estão para serem destruídos; coração sofre; temo que sejais re-
pois sei que certamente virá o dia jeitados para sempre. Eis que es-
em que serão destruídos, exce- tou a cheio do Espírito de Deus,
to poucos que serão levados em de modo que meu corpo b não tem
cativeiro. forças.
44 Assim, a ordenou o Senhor a 48 E então aconteceu que, depois
meu pai que partisse para o de- de eu ter dito estas palavras, ira-
serto; e os judeus também pro- ram-se contra mim e tiveram de-
curaram tirar-lhe a vida; sim, e sejo de lançar-me nas profundezas
b 
vós também procurastes tirar-lhe do mar; e quando se aproximaram
a vida. Sois, portanto, assassinos para deitar-me as mãos, falei-lhes,
em vosso coração e sois como eles. dizendo: Em nome do Deus Todo-
45  Sois a rápidos em cometer Poderoso, ordeno-vos que não
iniquidades, porém vagarosos me a toqueis, porque estou cheio
em lembrar-vos do Senhor vos- do b poder de Deus a ponto de
so Deus. Haveis visto um b anjo consumir-me a carne; e quem me
que vos falou; sim, haveis ouvido deitar as mãos c definhará como
sua voz de tempos em tempos; e uma cana seca e será como nada
ele vos falou numa voz mansa e diante do poder de Deus, porque
delicada, mas havíeis c perdido a Deus o ferirá.
sensibilidade, de modo que não 49 E aconteceu que eu, Néfi, lhes
pudestes perceber suas palavras; disse que não mais deveriam mur-
portanto, falou-vos ele com voz murar contra seu pai nem deve-
de trovão, o que fez tremer a ter- riam recusar-me o seu trabalho,
ra como se fosse partir-se em pe- pois Deus havia ordenado que eu
daços. construísse um navio.
46 E sabeis também que, pelo 50 E disse-lhes: a Se Deus me ti-
a 
poder de sua palavra todo-po- vesse ordenado que fizesse todas
derosa, ele pode fazer com que a as coisas, poderia fazê-las. Se ele
Terra deixe de existir; sim, e sabeis me ordenasse que dissesse a esta
42 b D&C 84:23–24. c Ef. 4:19. b 2 Né. 1:26–27.
44 a 1 Né. 2:1–2. 46 a Hel. 12:6–18. GEE Poder.
b 1 Né. 16:37. 47 a Miq. 3:8. c 1 Re. 13:4–7.
45 a Mos. 13:29. b 1 Né. 19:20. 50 a Filip. 4:13;
b 1 Né. 4:3. 48 a Mos. 13:3. 1 Né. 3:7.
1 NÉFI 17:51–18:3 46
água: Converte-te em terra, ela irmão mais jovem; adorai, pois,
se converteria; e se eu o dissesse, ao Senhor vosso Deus e honrai
assim seria feito. vosso pai e vossa mãe, para que
51 Ora, se o Senhor possui tão os vossos b dias sejam prolongados
grande poder e fez tantos mila- na terra que o Senhor vosso Deus
gres entre os filhos dos homens, vos dará.
por que não pode a ensinar-me a
construir um navio? CAPÍTULO 18
52 E aconteceu que eu, Néfi, dis-
O navio é terminado — Mencionado
se muitas coisas a meus irmãos, de
o nascimento de Jacó e o de José — O
modo que ficaram confundidos e
grupo embarca para a terra da pro-
não puderam contender comigo;
missão — Os filhos de Ismael e suas
nem se atreveram a deitar-me as
esposas unem-se em leviandades e
mãos nem a tocar-me com os de-
rebelião — Néfi é amarrado e o na-
dos por muitos dias. Ora, não se
vio retrocede, devido a uma terrível
atreveram a fazer isso para não
tempestade — Néfi é libertado e, por
definharem diante de mim, tão
causa de sua oração, a tempestade ces-
poderoso era o a Espírito de Deus;
sa — O povo chega à terra da promis-
e assim agiu sobre eles.
são. Aproximadamente 591–589 a.C.
53 E aconteceu que o Senhor me
disse: Estende outra vez a mão E aconteceu que adoraram ao
para teus irmãos e eles não de- Senhor e acompanharam-me; e
finharão diante de ti, mas eu os lavramos madeiras de modo es-
sacudirei, diz o Senhor, e isto farei merado. E o Senhor mostrou-me,
para que saibam que sou o Senhor de tempos em tempos, de que
seu Deus. maneira eu deveria trabalhar as
54 E aconteceu que eu estendi a madeiras do navio.
mão para meus irmãos e eles não 2 Ora, eu, Néfi, não trabalhei a
definharam diante de mim; mas madeira pelo método que os ho-
o Senhor sacudiu-os, de acordo mens conheciam nem construí o
com o que dissera. navio pelo método dos homens;
55 E então eles disseram: Temos mas construí-o pelo método que
certeza de que o Senhor está con- o Senhor me havia mostrado;
tigo, pois sabemos que foi o po- não foi, portanto, igual ao dos
der do Senhor que nos sacudiu. homens.
E prostraram-se diante de mim 3 E eu, Néfi, ia frequentemente à
e estavam prestes a a adorar-me, montanha e a orava frequentemen-
mas eu não o permiti, dizendo: te ao Senhor; por isso o Senhor me
Eu sou vosso irmão, sim, vosso b 
mostrou grandes coisas.
51 a Gên. 6:14–16; 55 a At. 14:11–15. 18 3 a GEE Oração.
1 Né. 18:1. b Êx. 20:12; b GEE Revelação.
52 a GEE Espírito Santo. Mos. 13:20.
47 1 NÉFI 18:4–13
4 E aconteceu que depois de ha- muitos dias, eis que meus irmãos,
ver terminado o navio de acordo os filhos de Ismael e também suas
com a palavra do Senhor, meus esposas começaram a ficar alegres
irmãos viram que estava bom e a tal ponto que começaram a dan-
que o trabalho fora muito bem çar e a cantar e a falar com muita
executado; tornaram a a humilhar- vulgaridade, sim, esquecendo-se
se, portanto, diante do Senhor. mesmo do poder que os havia
5 E aconteceu que meu pai ouviu conduzido até ali; sim, tornaram-
a voz do Senhor, ordenando que se muito vulgares.
nos levantássemos e entrássemos 10 E eu, Néfi, comecei a temer
no navio. muito que o Senhor se irasse con-
6 E aconteceu que, no dia seguin- tra nós e ferisse-nos por causa
te, depois de havermos prepara- de nossa iniquidade e fôssemos
do todas as coisas, muitas fru- tragados pelas profundezas do
tas e a carne do deserto e mel em mar; portanto, eu, Néfi, comecei a
abundância e provisões de acordo falar-lhes com muita sobriedade;
com o que nos havia ordenado o mas eis que eles se a zangaram co-
Senhor, fomos para o navio com migo, dizendo: Não admitiremos
todas as nossas cargas e nossas que nosso irmão mais jovem nos
sementes e com tudo o que ha- b 
governe.
víamos trazido conosco, cada um 11 E aconteceu que Lamã e Le-
de acordo com sua idade; portan- muel me seguraram e ataram-me
to, entramos todos no navio com com cordas e trataram-me rude-
nossas mulheres e nossos filhos. mente; não obstante, o Senhor
7 Ora, meu pai havia gerado dois a 
permitiu-o a fim de mostrar seu
filhos no deserto; o mais velho poder, até que se cumprissem as
chamava-se a Jacó e o mais novo, palavras que dissera sobre os iní-
b 
José. quos.
8 E aconteceu que depois de ha- 12 E aconteceu que depois de me
vermos todos entrado no navio haverem amarrado de tal modo
com as provisões e as coisas que que não podia mexer-me, a a bús-
tínhamos ordem de levar, puse- sola que fora preparada pelo
mo-nos ao a mar e fomos levados Senhor parou de funcionar.
pelo vento rumo à b terra da pro- 13 Não sabiam, portanto, para
missão. onde deveriam dirigir o navio,
9 E depois de havermos sido le- pois levantou-se uma grande
vados pelo vento pelo espaço de tempestade, sim, uma grande e
4 a 1 Né. 16:5. GEE Terra da 11 a Al. 14:11.
6 a 1 Né. 17:2. Promissão. 12 a 1 Né. 16:10, 16, 26;
7 a 2 Né. 2:1. 10 a 1 Né. 17:17–55. 2 Né. 5:12;
b 2 Né. 3:1. b Gên. 37:9–11; Al. 37:38–47;
8 a 2 Né. 10:20. 1 Né. 16:37–38; D&C 17:1.
b 1 Né. 2:20. 2 Né. 1:25–27.
1 NÉFI 18:14–23 48
terrível tormenta que nos fez re- a 
quase ao ponto de serem levados
troceder sobre as águas pelo es- desta vida para se encontrarem
paço de três dias; e eles começa- com seu Deus; sim, seus cabelos
ram a ter muito medo de que nos brancos estavam prestes a descer
afogássemos; não obstante, não ao pó; sim, estavam prestes a ser
me soltaram. lançados na sepultura das águas,
14 E no quarto dia depois que por causa de seu pesar.
começamos a retroceder, a tem- 19 E Jacó e também José, sendo
pestade piorou muito. jovens e tendo necessidade de
15 E aconteceu que estávamos muito alimento, sofreram por cau-
para ser tragados pelas profunde- sa das aflições de sua mãe; nem
zas do mar. E depois de havermos a 
minha mulher, com suas lágri-
retrocedido pelo espaço de quatro mas e súplicas, nem meus filhos
dias, meus irmãos começaram a haviam conseguido abrandar o
a 
ver que os juízos de Deus esta- coração de meus irmãos, para que
vam sobre eles e que morreriam, me soltassem.
caso não se arrependessem de 20 E nada, a não ser o poder de
suas iniquidades; foram, portanto, Deus que ameaçava destruí-los,
ter comigo e soltaram-me as cor- conseguiu abrandar-lhes o cora-
das dos pulsos e eis que estavam ção; portanto, quando viram que
muito inchados; e também meus estavam para ser tragados pelas
tornozelos estavam muito incha- profundezas do mar, arrepende-
dos e doloridos. ram-se do que haviam feito e sol-
16 Não obstante, voltei-me para taram-me.
Deus e a louvei-o todo o dia; e não 21 E aconteceu que depois de me
murmurei contra o Senhor por haverem soltado, eis que tomei a
causa de minhas aflições. bússola e ela funcionou como eu
17 Ora, meu pai, Leí, dissera- queria. E aconteceu que orei ao
lhes muitas coisas, bem como aos Senhor; e depois de haver orado,
filhos de a Ismael; mas eis que eles os ventos cessaram, a tempestade
proferiam ameaças contra quem parou e houve grande calmaria.
me defendesse; e meus pais, sen- 22 E aconteceu que eu, Néfi, di-
do muito idosos e tendo sofrido rigi o navio e navegamos nova-
muito por causa de seus filhos, mente rumo à terra da promissão.
adoeceram, sim, a ponto de terem 23 E aconteceu que depois de
que ficar de cama. havermos navegado pelo espaço
18 Por causa de sua dor e do de muitos dias, chegamos à a terra
seu grande pesar e das iniquida- da promissão; e descemos à ter-
des de meus irmãos, chegaram ra e assentamos nossas tendas;
13 a Mos. 1:17. 17 a 1 Né. 7:4–20. Promissão.
15 a Hel. 12:3. 19 a 1 Né. 7:19; 16:7.
16 a Al. 36:28. 23 a GEE Terra da
49 1 NÉFI 18:24–19:5
e chamamo-la de terra da pro- pelo deserto e as profecias de meu
missão. pai; e gravei também muitas de
24 E aconteceu que começamos minhas próprias profecias.
a cultivar a terra e a plantar se- 2 E eu não sabia, quando as fiz,
mentes; sim, semeamos na terra que o Senhor me mandaria fazer
todas as sementes que havíamos a 
estas placas; portanto, o registro
trazido da terra de Jerusalém. E de meu pai e a genealogia de seus
aconteceu que elas cresceram ex- pais e a maior parte dos aconteci-
traordinariamente; fomos, portan- mentos no deserto estão gravados
to, abençoados com abundância. nas primeiras placas de que falei;
25 E aconteceu que enquanto portanto, as coisas que acontece-
viajávamos pelo deserto da terra ram antes de eu fazer b estas pla-
da promissão, descobrimos que cas são, na verdade, mencionadas
havia animais de toda espécie nas mais detalhadamente nas primei-
florestas: vacas e bois e jumentos ras placas.
e cavalos e cabras e cabras-mon- 3 E depois de haver feito estas
tesas; e toda espécie de animais placas conforme me fora ordena-
selvagens úteis ao homem. En- do, eu, Néfi, recebi ordem de que
contramos também toda espécie a 
nestas placas fossem escritas as
de minérios, tanto de ouro quanto partes mais claras e preciosas do
de prata e de cobre. ministério e das profecias; e de
que as coisas escritas fossem guar-
CAPÍTULO 19 dadas para instrução de meu povo
que iria ocupar a terra e também
Néfi faz placas de metal e registra a
para outros b sábios propósitos co-
história de seu povo — O Deus de
nhecidos do Senhor.
Israel virá seiscentos anos depois de
4 Portanto, eu, Néfi, fiz nas ou-
Leí haver saído de Jerusalém — Néfi
tras placas um registro que relata,
fala dos sofrimentos e da crucificação
ou melhor, faz um relato maior
de Cristo — Os judeus serão despre-
das guerras e contendas e des-
zados e dispersos até os últimos dias,
truições de meu povo. E fiz isso e
quando retornarão ao Senhor. Apro-
ordenei a meu povo o que deve-
ximadamente 588–570 a.C.
ria fazer depois de minha morte;
E aconteceu que recebi ordem e que essas placas deveriam ser
do Senhor, portanto, fiz placas de transmitidas de uma geração a
metal para nelas gravar o registro outra ou de um profeta a outro,
de meu povo. E nas a placas que até novas ordens do Senhor.
fiz gravei o registro de meu b pai, 5 E mais adiante descreverei
assim como de nossas jornadas como a fiz estas placas; e, por ora,
19 1 a GEE Placas. 3 a Jacó 1:1–4; 3:13–14; D&C 3:19–20; 10:1–51.
b 1 Né. 1:16–17; 6:1–3. 4:1–4. 5 a 2 Né. 5:28–33.
2 a 2 Né. 5:30. b 1 Né. 9:4–5;
b 1 Né. 9:1–5. Pal. Mórm. 1:7;
1 NÉFI 19:6–11 50
eis que prossigo conforme o que sem valor; portanto, o açoitam,
disse; e faço isto a fim de que se- e ele suporta-o; e ferem-no, e ele
jam b preservadas as coisas mais suporta-o. Sim, a cospem nele, e ele
sagradas, para conhecimento de suporta-o, por causa de sua amo-
meu povo. rosa bondade e longanimidade
6 Não obstante, nada escrevo nas para com os filhos dos homens.
placas, salvo o que considero a sa- 10 E o a Deus de nossos pais que
grado. E agora, se erro, também os foram b tirados do cativeiro no
antigos erraram; não que outros Egito e que também foram pre-
homens me sirvam de desculpa, servados por ele no deserto, sim,
mas por causa da b fraqueza que o c Deus de Abraão e de Isaque
há em mim, segundo a carne, que- e o Deus de Jacó, como homem,
ro desculpar-me. d 
entregar-se-á, de acordo com as
7 Pois as coisas que uns con- palavras do anjo, nas mãos de iní-
sideram de grande valor, tanto quos para ser e levantado, de acor-
para o corpo como para a alma, do com as palavras de f Zenoque;
outros a não lhes dão valor e pi- e para ser g crucificado, de acordo
soteiam-nas; sim, até mesmo o com as palavras de Neum; e para
próprio Deus de Israel é b pisotea- ser enterrado num h sepulcro, de
do pelos homens; digo pisoteado, acordo com as palavras de i Ze-
mas deveria usar outros termos — nos sobre os três dias de j trevas
não lhe dão valor algum e não que seriam um sinal de sua morte
escutam a voz de seus conselhos. aos que habitam as ilhas do mar,
8 E eis que ele a vem, segundo as mais especialmente aos da l casa
palavras do anjo, b seiscentos anos de Israel.
depois de meu pai haver saído de 11 Porque assim falou o profeta:
Jerusalém. O Senhor Deus certamente a visi-
9 E o mundo, devido à iniqui- tará toda a casa de Israel naquele
dade, julgá-lo-á como uma coisa dia, uns com sua voz, por causa
5 b GEE Escrituras — As 9 a Isa. 50:5–6; GEE Escrituras —
escrituras devem ser Mt. 27:30. Escrituras perdidas;
preservadas. 10 a 2 Né. 26:12; Zenoque.
6 a Ver página de rosto do Mos. 7:27; 27:30–31; g 2 Né. 6:9;
Livro de Mórmon. Al. 11:38–39; Mos. 3:9.
GEE Santo (adjetivo). 3 Né. 11:14–15. GEE Crucificação.
b Mórm. 8:13–17; b Êx. 3:2–10; 6:6; h Mt. 27:60;
Ét. 12:23–28. 1 Né. 5:15; Lc. 23:53;
7 a 2 Né. 33:2; D&C 136:22. 2 Né. 25:13.
Jacó 4:14. c Gên. 32:9; Mos. 7:19; i Jacó 6:1; Hel. 15:11.
b GEE Rebeldia, Rebelião. D&C 136:21. GEE Zenos.
8 a GEE Jesus Cristo — GEE Jeová. j 1 Né. 12:4–5;
Profecias acerca do d GEE Expiação, Expiar. Hel. 14:20, 27;
nascimento e da morte e 3 Né. 27:14. 3 Né. 8:3, 19–23; 10:9.
de Jesus Cristo. f Al. 33:15; 34:7; l 3 Né. 16:1–4.
b 1 Né. 10:4; Hel. 8:19–20; 11 a 3 Né. 9;
2 Né. 25:19. 3 Né. 10:15–16. D&C 5:16.
51 1 NÉFI 19:12–21
de sua retidão, para sua gran- recordará dos convênios feitos
b 

de alegria e salvação; e outros com seus pais.


com os b trovões e os relâmpagos 16 Sim, então se lembrará das
de seu poder, com tempestades, a 
ilhas do mar; sim, e b reunirei todo
com fogo, com fumaça e vapor o povo que é da casa de Israel, diz
de c trevas, com o abrir-se da d ter- o Senhor, segundo as palavras do
ra e com e montanhas que serão profeta Zenos, dos quatro cantos
elevadas. da Terra.
12 E a todas estas coisas certa- 17 Sim, e toda a Terra a verá a
mente se darão, diz o profeta b Ze- salvação do Senhor, diz o profeta;
nos. E partir-se-ão as c rochas da todas as nações, tribos, línguas e
Terra e, por causa dos gemidos da povos serão abençoados.
Terra, muitos dos reis das ilhas do 18 E eu, Néfi, escrevi estas coisas
mar serão inspirados pelo Espíri- a meu povo para ver se conseguia
to de Deus a exclamar: O Deus da persuadi-lo a lembrar-se do Se-
natureza sofre! nhor seu Redentor.
13 E quanto àqueles que estão 19 E falo, portanto, a toda a casa
em Jerusalém, diz o profeta, se- de Israel, se acontecer que ela re-
rão a açoitados por todos os povos, ceba a estas coisas.
porque b crucificam o Deus de Is- 20 Pois eis que se comove o meu
rael e desviam o coração, rejeitan- espírito pelos que ficaram em Je-
do sinais e maravilhas e o poder e rusalém, o que me aflige tanto que
glória do Deus de Israel. se me debilitam todas as juntas;
14 E por terem desviado o cora- pois se o Senhor não houvesse
ção, diz o profeta, e a desprezado o sido misericordioso, mostrando-
Santo de Israel, vagarão na carne me o que lhes iria acontecer, como
e perecerão; e tornar-se-ão objeto fez com os antigos profetas, eu
de b escárnio e c opróbrio e serão também teria perecido.
odiados por todas as nações. 21 E ele certamente mostrou aos
15 Não obstante, quando chegar antigos a profetas todas as coi-
o dia, diz o profeta, em que eles sas a eles b concernentes; e tam-
a 
não mais voltarem o coração con- bém mostrou a muitos as coisas
tra o Santo de Israel, então ele se concernentes a nós; precisamos,
11 b Hel. 14:20–27; 14 a Isa. 53:3–6; b Isa. 49:20–22.
3 Né. 8:5–23. Mos. 14:3–6. GEE Israel — Coligação
c Lc. 23:44–45; b GEE Judeus. de Israel.
3 Né. 8:19–20. c Deut. 28:37; 17 a Isa. 40:4–5.
d 2 Né. 26:5. 1 Re. 9:7; 19 a En. 1:16;
e 3 Né. 8:10. 3 Né. 16:9. Mórm. 5:12; 7:9–10.
12 a Hel. 14:20–28. 15 a 1 Né. 22:11–12. 21 a 2 Re. 17:13;
b Jacó 5:1. b GEE Convênio Amós 3:7.
c Mt. 27:51. Abraâmico. GEE Profeta.
13 a Lc. 23:27–30. 16 a 1 Né. 22:4; b 3 Né. 10:16–17.
b 2 Né. 10:3. 2 Né. 10:21.
1 NÉFI 19:22–20:6 52
portanto, conhecer as coisas a eles Babilônia — Comparar com Isaías
concernentes, pois estão escritas 48. Aproximadamente 588–570 a.C.
nas placas de latão.
22 Ora, aconteceu que eu, Néfi, Escuta e ouve isto, ó casa de Jacó,
ensinei estas coisas a meus ir- que é chamada pelo nome de Is-
mãos; e aconteceu que li para eles rael, que saiu das águas de Judá,
muitas coisas que estavam grava- ou seja, das águas do a batismo,
das nas a placas de latão, para que que jura pelo nome do Senhor e
soubessem o que o Senhor havia que faz menção do Deus de Israel;
feito em outras terras entre os po- contudo, não jura nem em verda-
vos antigos. de nem em retidão.
23 E li-lhes muitas coisas que 2 Não obstante, toma o nome da
estavam escritas nos a livros de a 
cidade santa, mas não se b apoia
Moisés; mas, para melhor persua- no Deus de Israel, que é o Senhor
di-los a acreditar no Senhor, seu dos Exércitos; sim, o Senhor dos
Redentor, eu li o que foi escrito Exércitos é o seu nome.
pelo profeta b Isaías, pois c apliquei 3 Eis que anunciei as a primeiras
todas as escrituras a nós, para nos- coisas desde o princípio; e elas
so d proveito e instrução. saíram de minha boca e mostrei-
24 Falei-lhes, portanto, dizendo: as. Mostrei-as apressuradamente.
Escutai as palavras do profeta, 4 E assim o fiz por saber que a és
vós, que sois um remanescente da obstinado, que a tua cerviz é um
casa de Israel, um a ramo que foi nervo de ferro, e a tua testa, de
arrancado; escutai as palavras do bronze;
profeta, que foram escritas para 5 E desde o início tenho-te de-
toda a casa de Israel, e aplicai-as clarado; antes que acontecessem,
a vós mesmos, para que tenhais eu tas mostrei; e mostrei-as por
esperança, assim como vossos ir- temor de que viesses a dizer: Meu
mãos, de quem fostes separados; a 
ídolo fez estas coisas e a minha
e assim escreveu o profeta. imagem de escultura e a minha
imagem de fundição ordenou-as.
6 Viste e ouviste tudo isto; e não
CAPÍTULO 20
o anunciarás? E que desde ago-
O Senhor revela Seus propósitos ra te tenho mostrado coisas no-
a Israel — Israel foi escolhida na vas, sim, coisas ocultas; e não as
fornalha da aflição e deve sair da sabias.
22 a 1 Né. 22:1. c GEE Escrituras — 2 a Isa. 52:1.
23 a Êx. 17:14; Valor das escrituras. GEE Jerusalém.
1 Né. 5:11; d 2 Né. 4:15. b IE confia.
Mois. 1:40–41. 24 a Gên. 49:22–26; 3 a Isa. 46:9–10.
b 1 Né. 15:20; 1 Né. 15:12; 4 a IE Israel.
2 Né. 25:4–6; 2 Né. 3:4–5. 5 a GEE Idolatria.
3 Né. 23:1. 20 1 a GEE Batismo, Batizar.
53 1 NÉFI 20:7–20
7 Elas são criadas agora e não qual declarou por meio deles; e
desde o princípio; nem antes do executará a sua vontade em b Ba-
dia em que as ouviste te foram de- bilônia, e o seu braço cairá sobre
claradas, para que não dissesses: os caldeus.
Eis que eu as sabia. 15 Diz também o Senhor: Eu,
8 Sim, e não ouviste; sim, não o Senhor, sim, eu falei; sim, eu o
conheceste; sim, tampouco desde chamei para anunciar, eu o trouxe,
aquela época foi aberto o teu ou- e ele fará próspero o seu caminho.
vido; porque eu sabia que agirias 16 Achegai-vos a mim; não falei
muito perfidamente e que foste em a segredo; desde o princípio,
chamado de a transgressor desde desde o tempo em que foi anun-
o ventre. ciado, eu falei; e o Senhor Deus e
9 Não obstante, por causa do o seu Espírito enviaram-me.
meu a nome retardarei a minha 17 E assim diz o Senhor, o teu
ira e, por causa do meu louvor, a 
Redentor, o Santo de Israel: Eu
conter-me-ei, para não te destruir. o enviei; o Senhor teu Deus, que
10 Pois eis que te purifiquei e te ensina o que é útil, que te b guia
te escolhi na fornalha da a aflição. pelo caminho que deves seguir,
11 Por minha causa, sim, por mi- fez essas coisas.
nha própria causa farei isso, pois 18 Oh! se tivesses dado ouvidos
não permitirei que o meu a nome aos meus a mandamentos — então
seja profanado e b não darei a mi- a tua paz teria sido como um rio
nha glória a outrem. e a tua retidão, como as ondas
12 Dá-me ouvidos, ó Jacó, e Is- do mar.
rael, a quem chamei; pois eu sou 19 A tua a semente também teria
ele; eu sou o a primeiro e eu sou sido como a areia; os frutos das
também o último. tuas entranhas, como o seu cas-
13 A minha mão a fundou tam- calho; o seu nome não teria sido
bém a Terra e a minha mão direita apagado nem eliminado da minha
mediu os céus. Chamo-os, e jun- presença.
tamente aparecem. 20  a Deixai Babilônia, fugi dos
14 Reuni-vos todos e escutai: caldeus e anunciai com voz de
Quem, dentre eles, declarou-lhes júbilo, proclamai isto, falai até os
essas coisas? O Senhor o amou; confins da Terra; dizei: O Senhor
sim, e a cumprirá a sua palavra, a redimiu Jacó, seu b servo.
8 a Salm. 58:3. GEE Alfa e Ômega; b GEE Inspiração,
9 a 1 Sam. 12:22; Primogênito. Inspirar;
Salm. 23:3; 13 a Salm. 102:25. Revelação.
1 Jo. 2:12. GEE Criação, Criar. 18 a Ecles. 8:5.
10 a GEE Adversidade. 14 a 1 Re. 8:56; 19 a Gên. 22:15–19;
11 a Jer. 44:26. D&C 64:31; 76:3. Ose. 1:10.
b Isa. 42:8; b GEE Babel, Babilônia. 20 a Jer. 51:6;
Mois. 4:1–4. 16 a Isa. 45:19. D&C 133:5–14.
12 a Apoc. 1:17; 22:13. 17 a GEE Redentor. b Isa. 44:1–2, 21.
1 NÉFI 20:21–21:8 54
21 E eles não tiveram sede; ele
a 
3 E disse-me: Tu és meu servo, ó
a 

os conduziu através dos desertos; Israel, em quem serei glorificado.


fez-lhes jorrar água da b rocha; fen- 4 Eu disse: Trabalhei em vão;
deu também a rocha, e as águas despendi a minha força em vão e
jorraram. sem proveito; certamente o meu
22 E apesar de haver feito tudo julgamento está com o Senhor, e
isso e ainda mais, não há a paz o meu trabalho, com o meu Deus.
para os iníquos, diz o Senhor. 5 E agora, diz o Senhor — que
me a formou desde o ventre para
CAPÍTULO 21 ser seu servo, para trazer-lhe no-
vamente Jacó — mesmo que Israel
O Messias será uma luz para os
não esteja reunido, serei glorifica-
gentios e libertará os prisionei-
do perante os olhos do Senhor, e
ros — Israel será reunida com po-
o meu Deus será a minha força.
der nos últimos dias — Reis serão
6 E ele disse: Pouco é que se-
seus aios — Comparar com Isaías
jas o meu servo, para levantar
49. Aproximadamente 588–570 a.C.
as a tribos de Jacó e restaurar os
E outra vez: Escutai, ó vós, casa preservados de Israel. E dar-te-
de Israel, todos vós que fostes se- ei também por b luz aos c gentios,
parados e expulsos por causa da para seres a minha salvação até
iniquidade dos pastores de meu os confins da Terra.
povo; sim, todos vós que estais 7 Assim diz o Senhor, o Reden-
separados, que estais dispersos tor de Israel, o seu Santo, àquele
no estrangeiro, que sois de meu a quem os homens desprezam,
povo, ó casa de Israel. Escutai-me, a quem as nações abominam, ao
ó a ilhas, e dai ouvidos, ó povos servo de governantes: Por causa
b 
longínquos; o Senhor chamou- do Senhor, que é fiel, reis verão e
me desde o ventre; desde as en- levantar-se-ão, príncipes também
tranhas de minha mãe fez menção adorarão.
ao meu nome. 8 Assim diz o Senhor: Na ocasião
2 E ele fez a minha boca como propícia vos ouvi, ó ilhas do mar,
uma espada afiada; escondeu-me e no dia da salvação vos ajudei;
na sombra da sua mão e fez-me e eu vos preservarei e dar-vos-
como uma flecha polida; escon- ei a meu servo por convênio do
deu-me na sua aljava; povo, para estabelecer a terra e
21 a Isa. 41:17–20. 2 Né. 10:20–22. tribos de Israel.
b Êx. 17:6; b D&C 1:1. b D&C 103:8–10;
Núm. 20:11; 3 a Lev. 25:55; Abr. 2:10–11.
1 Né. 17:29; Isa. 41:8; c 3 Né. 21:11.
2 Né. 25:20. D&C 93:45–46. 8 a 2 Né. 3:6–15;
22 a GEE Paz. 5 a Isa. 44:24. 3 Né. 21:8–11;
21 1 a 1 Né. 22:4; 6 a GEE Israel — Doze Mórm. 8:16, 25.
55 1 NÉFI 21:9–22
para fazer herdar as desoladas 16 Eis que te tenho gravada nas
herdades. palmas de minhas mãos; os teus
a 

9 Para dizeres aos a presos: Saí! E muros estão continuamente dian-


aos que estão na b escuridão: Mos- te de mim.
trai-vos! Eles serão alimentados 17 Teus filhos precipitar-se-ão
nos caminhos, e os seus c pastos contra os teus destruidores, e os
serão em todos os lugares altos. que te a assolaram fugirão de ti.
10 Não terão fome nem sede, 18 Alça os teus olhos ao redor
nem o calor nem o sol os afligirão; e olha; todos estes se a ajuntam
pois aquele que tem misericórdia e virão a ti. E como vivo, diz o
deles os conduzirá, sim, junto aos Senhor, de todos eles te vestirás,
mananciais das águas guiá-los-á. como com um adorno; e te cingi-
11 E farei de todas as minhas rás deles como uma noiva.
montanhas um caminho, e as mi- 19 Porque os teus desertos e os
nhas a veredas serão exaltadas. teus lugares solitários e a terra da
12 E então, ó casa de Israel, eis tua destruição serão ainda ago-
que a estes virão de longe; e eis ra bem pequenos por causa dos
que estes, do norte e do ocidente; habitantes; e os que te tragaram
e estes, da terra de Sinim. estarão longe.
13  a Cantai, ó céus; e alegra-te, 20 Os filhos que tiveres, depois
ó Terra, pois estabelecer-se-ão os de haveres perdido o primeiro, di-
pés dos que estão no oriente; can- rão novamente aos teus ouvidos:
tai, ó montanhas, pois eles não O lugar é muito estreito para mim;
mais serão feridos; porque o Se- dá-me lugar para habitar.
nhor consolou o seu povo e dos 21  a Dirás, pois, no teu coração:
seus aflitos compadecer-se-á. Quem me concebeu estes, saben-
14 Mas eis que Sião disse: O Se- do que eu havia perdido os meus
nhor abandonou-me e o meu Se- filhos e que estou b solitária, cativa
nhor esqueceu-se de mim — ele, e errante de um para outro lado?
porém, mostrará que não é assim. E quem criou estes? Eis que fui
15 Pois pode uma a mulher se deixada sozinha; e estes, onde
esquecer tanto do seu filho que estavam?
está amamentando, que não sinta 22 Assim diz o Senhor Deus: Eis
compaixão do filho do seu ventre? que levantarei a minha mão para
Sim, pode b esquecer; eu, porém, os a gentios e levantarei o meu b es-
não te esquecerei, ó casa de Israel. tandarte para o povo; e eles trarão
9 a GEE Salvação para os 13 a Isa. 44:23. 18 a Miq. 4:11–13.
Mortos. 15 a GEE Mulher, Mulheres. 21 a IE Sião.
b 2 Né. 3:5. b Isa. 41:17; b Isa. 54:1;
c Eze. 34:14. Al. 46:8; Gál. 4:27.
11 a Isa. 62:10; D&C 61:36. 22 a Isa. 66:18–20.
D&C 133:23–32. 16 a Zac. 13:6. b Isa. 11:12; 18:3.
12 a Isa. 43:5–6. 17 a 3 Né. 21:12–20.
1 NÉFI 21:23–22:4 56
os teus filhos nos seus braços e as
c 
será destruído e Satanás será amarra-
tuas filhas serão carregadas nos do. Aproximadamente 588–570 a.C.
seus ombros.
23 E a reis serão os teus b aios, e as E então aconteceu que depois de
suas rainhas serão as tuas amas; e haver eu, Néfi, lido estas coisas
inclinar-se-ão diante de ti, com o que estavam gravadas nas a pla-
rosto para o solo, e lamberão o pó cas de latão, meus irmãos vieram
dos teus pés, e saberás que eu sou a mim e perguntaram-me: O que
o Senhor; pois não serão envergo- significam estas coisas que haveis
nhados os que c confiam em mim. lido? Deverão ser compreendidas
24 Tirar-se-á, pois, a presa dos conforme as coisas espirituais,
fortes ou libertar-se-ão os a cativos que acontecem segundo o espírito
legítimos? e não a carne?
25 Assim, porém, diz o Senhor: 2 E eu, Néfi, disse-lhes: Eis que
Até os cativos serão tirados dos elas foram a manifestadas ao pro-
fortes e a presa do terrível será feta pela voz do Espírito; porque
liberta; porque contenderei com pelo b Espírito são reveladas aos
os que contenderem contigo e sal- c 
profetas todas as coisas que acon-
varei os teus filhos. tecerão aos filhos dos homens se-
26 a Alimentarei os teus opresso- gundo a carne.
res com a sua própria carne; serão 3 Portanto, as coisas que li são
embriagados com o seu próprio relativas tanto às coisas a terrenas
sangue, como se fosse vinho doce; como às espirituais. Pois parece
e toda carne b saberá que eu, o Se- que a casa de Israel, mais cedo
nhor, sou o teu Salvador e o teu ou mais tarde, será b dispersa so-
Redentor, o c Poderoso de Jacó. bre toda a face da Terra e também
entre todas as nações.
4 E eis que existem muitos que já
CAPÍTULO 22
são desconhecidos daqueles que
Israel será disperso sobre toda a face estão em Jerusalém. Sim, a maior
da Terra — Os gentios cuidarão de parte de todas as a tribos foi b le-
Israel e alimentá-lo-ão com o evan- vada embora; e estão dispersas
gelho nos últimos dias — Israel será aqui e ali, pelas c ilhas do mar; e
coligado e salvo e os iníquos queima- nenhum de nós sabe onde estão,
rão como restolho — O reino do diabo salvo que foram levadas.
22 c 1 Né. 22:8; b Mos. 11:22. b 1 Né. 10:12–14;
2 Né. 10:8–9. c GEE Jeová. 2 Né. 25:14–16.
23 a Isa. 60:16. 22 1 a 1 Né. 19:22; GEE Israel —
b 1 Né. 22:6. 2 Né. 4:2. Dispersão de Israel.
c 2 Né. 6:13; 2 a 2 Ped. 1:19–21. 4 a GEE Israel — Dez tribos
D&C 98:2; b GEE Espírito Santo. perdidas.
133:10–11, 45. c GEE Profecia, b 2 Né. 10:22.
24 a 1 Né. 21:25. Profetizar. c 1 Né. 21:1;
26 a 1 Né. 22:13–14. 3 a D&C 29:31–34. 2 Né. 10:8, 20.
57 1 NÉFI 22:5–13
5 E desde que foram levadas, dentes haverem sido dispersos, o
estas coisas foram profetizadas Senhor Deus fará uma a obra ma-
a respeito delas e também a res- ravilhosa entre os b gentios, que
peito de todos os que, de ago- será de grande c valor para nossos
ra em diante, forem dispersos e descendentes; é como se fossem,
confundidos por causa do Santo portanto, alimentados pelos gen-
de Israel; porque endurecerão o tios e carregados em seus braços
coração contra ele; serão, portan- e sobre seus ombros.
to, dispersos por todas as nações 9 E será também de a valor para
e a odiados por todos os homens. os gentios; e não somente para os
6 Não obstante, depois de ha- gentios, mas b para toda a c casa de
verem sido a alimentados pelos Israel, porque dará a conhecer os
b 
gentios e de o Senhor ter esten- d 
convênios do Pai dos céus com
dido a mão sobre os gentios, pon- Abraão, quando disse: Em tua
do-os como estandarte; e de seus e 
semente serão f benditas todas as
c 
filhos terem sido carregados em famílias da Terra.
seus braços e suas filhas terem 10 E agora, meus irmãos, quero
sido carregadas sobre seus om- que saibais que todas as famílias
bros, eis que estas coisas de que da Terra não poderão ser abençoa-
se fala são literais; pois assim são das, a menos que ele a desnude o
os convênios do Senhor com os braço aos olhos das nações.
nossos pais; e isto se refere a nós, 11 O Senhor Deus, portanto, des-
nos dias vindouros, e também a nudará o braço aos olhos de todas
todos os nossos irmãos que são as nações ao fazer chegar seus
da casa de Israel. convênios e seu evangelho aos
7 E significa que tempo virá em que são da casa de Israel.
que, depois de toda a casa de Is- 12 Ele, portanto, tornará a tirá-
rael haver sido dispersa e con- los do cativeiro e serão a reunidos
fundida, o Senhor Deus levantará nas terras de sua herança; e serão
entre os a gentios uma nação pode- tirados da b obscuridade e das tre-
rosa, sim, sobre a face desta terra; vas e saberão que o c Senhor é seu
e nossos descendentes serão por d 
Salvador e seu Redentor, o e Po-
eles b dispersos. deroso de Israel.
8 E depois de nossos descen- 13 E o sangue daquela grande e
5 a 1 Né. 19:14. Evangelho. Abraâmico.
6 a 1 Né. 21:23. b 2 Né. 10:10–11; f Gên. 12:2–3;
b GEE Gentios. 3 Né. 16:4–7; 3 Né. 20:27;
c 1 Né. 15:13. Mórm. 5:19. Abr. 2:9–11.
7 a 3 Né. 20:27. c 1 Né. 15:13–18; 10 a Isa. 52:10.
b 1 Né. 13:12–14; 3 Né. 5:21–26; 21:7. 12 a GEE Israel — Coligação
2 Né. 1:11. 9 a 1 Né. 14:1–5. de Israel.
8 a Isa. 29:14; b 2 Né. 30:1–7. b GEE Trevas Espirituais.
1 Né. 14:7; c 2 Né. 29:13–14. c 2 Né. 6:10–11.
2 Né. 27:26. d Deut. 4:31. d GEE Salvador.
GEE Restauração do e GEE Convênio e GEE Jeová.
1 NÉFI 22:14–21 58
a 
abominável igreja, que é a prosti- 17 Portanto, ele preservará os
a 

tuta de toda a Terra, entornar-se-á justos pelo seu poder, mesmo que
b 

sobre as suas cabeças, porque b lu- venha a plenitude de sua ira e os


tarão entre si; e a espada de c suas justos tenham de ser preservados
mãos cairá sobre as suas cabeças com a destruição dos seus inimi-
e embriagar-se-ão com o próprio gos pelo fogo. Os justos, portanto,
sangue. não precisam temer, porque assim
14 E todas as a nações que te fi- diz o profeta: Eles serão salvos,
zerem guerra, ó casa de Israel, ainda que seja por fogo.
voltar-se-ão umas contra as ou- 18 Eis que vos digo, meus ir-
tras e b cairão no abismo que abri- mãos, que estas coisas acontecerão
ram para apanhar na armadilha brevemente; sim, haverá sangue e
o povo do Senhor. E todos os que fogo e vapores de fumaça; e é pre-
c 
lutarem contra Sião serão destruí- ciso que seja na face desta Terra;
dos; e aquela grande prostituta e isto acontecerá aos homens de
que perverteu os caminhos retos acordo com a carne, se eles endu-
do Senhor, sim, aquela grande e recerem o coração contra o Santo
abominável igreja cairá por d terra de Israel.
e grande será a sua queda. 19 Porque eis que os justos não
15 Pois eis que, diz o profeta, perecerão; pois certamente tempo
aproxima-se rapidamente o tempo virá em que hão de ser afastados
em que Satanás não terá mais po- todos os que lutarem contra Sião.
der sobre o coração dos filhos dos 20 E o Senhor certamente pre-
homens; pois logo virá o dia em parará um caminho para o seu
que todos os orgulhosos e aque- povo, em cumprimento das pala-
les que praticam iniquidade serão vras de Moisés, quando disse: O
como a restolho; e dia virá em que Senhor vosso Deus levantar-vos-á
serão b queimados. um a profeta semelhante a mim;
16 Pois aproxima-se o dia em e ouvi-lo-eis em tudo o que ele
que a plenitude da a ira de Deus vos disser. E acontecerá que to-
será derramada sobre todos os dos aqueles que não escutarem o
filhos dos homens; porque ele profeta serão b afastados do povo.
não permitirá que os iníquos des- 21 E agora eu, Néfi, declaro-vos
truam os justos. que esse a profeta de quem Moisés
13 a GEE Diabo — Igreja do 15 a Isa. 5:23–24; 16 a 1 Né. 14:17.
diabo. Naum 1:10; 17 a 2 Né. 30:10;
b 1 Né. 14:3, 15–17. Mal. 4:1; Mois. 7:61.
c 1 Né. 21:26. 2 Né. 15:24; 26:4–6; b 1 Né. 17:33–40.
14 a Lc. 21:10. D&C 64:23–24; 133:64. 20 a Jo. 4:19; 7:40.
b Isa. 60:12; b Salm. 21:9; b D&C 133:63.
1 Né. 14:3; 3 Né. 25:1; 21 a Deut. 18:15, 18;
D&C 109:25. D&C 29:9. At. 3:20–23;
c 2 Né. 10:13; 27:3. GEE Terra — 1 Né. 10:4;
d Isa. 25:12. Purificação da Terra. 3 Né. 20:23.
59 1 NÉFI 22:22–31
falou era o Santo de Israel; ele, quatro cantos da Terra; e ele conta
portanto, b julgará com retidão. suas ovelhas e elas conhecem-no e
22 E os justos não devem temer, haverá um rebanho e um b pastor;
pois são os que não serão confun- e alimentará suas ovelhas e nele
didos. É o reino do diabo, porém, serão c apascentadas.
que será estabelecido entre os fi- 26 E por causa da retidão de
lhos dos homens, reino esse que seu povo, a Satanás não tem po-
é estabelecido entre os que estão der; portanto, não pode ser solto
na carne — pelo espaço de b muitos anos; pois
23 Pois rapidamente chegará o não tem poder sobre o coração do
tempo em que todas as a igrejas povo, porque vivem em retidão e
que foram estabelecidas para ob- o Santo de Israel c reina.
ter riquezas; e todas aquelas que 27 E eis que agora eu, Néfi, digo-
foram estabelecidas para obter po- vos que todas estas coisas aconte-
der sobre a carne; e as que foram cerão de acordo com a carne.
estabelecidas para se tornarem 28 Mas eis que todas as nações,
b 
populares aos olhos do mundo; tribos, línguas e povos habitarão
e aquelas que procuram a con- em segurança no Santo de Israel,
cupiscência da carne e as coisas caso se a arrependam.
do mundo e praticam toda sorte 29 E agora eu, Néfi, termino,
de iniquidade; sim, enfim todas porque não me atrevo a falar mais
aquelas que pertencem ao reino sobre estas coisas por enquanto.
do diabo são as que devem temer 30 Portanto, meus irmãos, quise-
e c tremer e estremecer; estas são ra que considerásseis verdadeiras
as que serão abatidas até o pó; es- as coisas que foram escritas nas
tas são as que serão d consumidas a 
placas de latão; e elas testificam
como restolho; e isto de acordo que o homem deve ser obediente
com a palavra do profeta. aos mandamentos de Deus.
24 E rapidamente se aproxima 31 Não deveis, portanto, supor
o tempo em que os justos serão que eu e meu pai fomos os únicos
levados como a bezerros do ceva- a testificá-las e a ensiná-las. Por-
douro; e o Santo de Israel reina- tanto, se fordes obedientes aos
rá em domínio e força e poder e a 
mandamentos e perseverardes
grande glória. até o fim, sereis salvos no último
25 E ele a reúne seus filhos dos dia. E assim é. Amém.
21 b Salm. 98:9; Mois. 6:57. 3 Né. 25:2. b Jacó 5:76.
23 a 1 Né. 14:10; 25 a GEE Israel — Coligação c GEE Milênio.
2 Né. 26:20. de Israel. 28 a GEE Arrepender-se,
GEE Artimanhas b GEE Bom Pastor. Arrependimento;
Sacerdotais. c Salm. 23. Perdoar.
b Lc. 6:26; Al. 1:3. 26 a Apoc. 20:2; Al. 48:17; 30 a 2 Né. 4:2.
c 2 Né. 28:19. D&C 43:31; 45:55; 31 a Mt. 19:17.
d 2 Né. 26:6. 88:110; 101:28. GEE Mandamentos de
24 a Amós 6:4; Mal. 4:2; GEE Diabo. Deus.
SEGUNDO LIVRO DE NÉFI
Um relato da morte de Leí. Os irmãos de Néfi rebelam-se contra ele. O
Senhor adverte a Néfi que parta para o deserto. Suas viagens no deserto
e outros relatos.
CAPÍTULO 1 5 Mas, disse ele, não obstante
nossas aflições, recebemos uma
Leí profetiza acerca de uma terra de a 
terra de promissão, uma terra
liberdade — Sua semente será dis- b 
escolhida acima de todas as ou-
persa e ferida se rejeitar o Santo de
tras; uma terra que, segundo o
Israel — Ele exorta os filhos a vesti-
convênio que o Senhor fez comi-
rem a armadura da retidão. Aproxi-
go, será uma terra para a heran-
madamente 588–570 a.C.
ça de minha posteridade. Sim, o

E ENTÃO aconteceu que depois


de eu, Néfi, haver acabado de
ensinar meus irmãos, nosso a pai,
Senhor concedeu esta terra por
c 
convênio a mim e a meus filhos
para sempre; e também a todos os
Leí, também lhes disse muitas que forem tirados de outros países
coisas e narrou-lhes as grandiosas pela mão do Senhor.
coisas que o Senhor fizera por eles 6 Portanto, eu, Leí, profetizo, de
ao tirá-los da terra de Jerusalém. acordo com o Espírito que opera
2 E falou-lhes de suas a rebeliões em mim, que a ninguém virá a esta
quando estavam sobre as águas e terra a menos que seja trazido
da misericórdia de Deus, salvan- pela mão do Senhor.
do-lhes a vida para que não fos- 7 Portanto, esta a terra é consa-
sem tragados pelo mar. grada àqueles que ele trouxer. E
3 E falou-lhes também sobre a se acontecer que o sirvam de acor-
terra da promissão que haviam do com os mandamentos que ele
alcançado — quão misericordio- deu, será uma terra de b liberdade
so o Senhor havia sido, avisan- para eles; portanto, jamais serão
do-nos para fugirmos da terra de reduzidos à escravidão; se o fo-
Jerusalém. rem, será por causa de iniquidade;
4 Pois eis que, disse ele, tive uma porque se houver muita iniquida-
a 
visão, pela qual sei que b Jerusa- de, a terra será c amaldiçoada por
lém foi destruída; e se houvésse- causa deles; mas para os justos
mos permanecido em Jerusalém será abençoada para sempre.
teríamos também c perecido. 8 E eis que é prudente que esta
1 1 a GEE Patriarca, Hel. 8:20. 7 a Mos. 29:32;
Patriarcal. c Al. 9:22. Al. 46:10, 20.
2 a 1 Né. 18:9–20. 5 a GEE Terra da b 2 Né. 10:11.
4 a GEE Visão. Promissão. GEE Liberdade, Livre.
b 2 Re. 24:14–15; b Ét. 2:9–10. c Al. 45:10–14, 16;
Jer. 44:2; c GEE Convênio. Mórm. 1:17;
1 Né. 1:4; 6 a 2 Né. 10:22. Ét. 2:8–12.
61 2 NÉFI 1:9–15
terra não chegue ainda ao conhe- rejeitarem o Santo de Israel, o ver-
cimento de outras nações; pois eis dadeiro a Messias, seu Redentor e
que muitas nações ocupariam to- seu Deus, eis que sobre eles re-
talmente a terra, de modo que não cairão os julgamentos daquele
haveria lugar para uma herança. que é justo.
9 Portanto, eu, Leí, obtive uma 11 Sim, ele trará a outras nações
promessa de que a se aqueles que até eles e dar-lhes-á poder; e ti-
o Senhor tirar de Jerusalém guar- rar-lhes-á as terras de sua posse e
darem seus mandamentos, b pros- fará com que sejam b dispersados
perarão na face desta terra; e per- e feridos.
manecerão ignorados de todas 12 Sim, de geração em geração
as outras nações, a fim de que haverá a derramamento de sangue
ocupem esta terra para si pró- e grandes calamidades entre eles;
prios. E se c guardarem seus man- portanto, meus filhos, quisera que
damentos, serão abençoados na vos lembrásseis, sim, quisera que
face desta terra e não haverá nin- désseis ouvidos às minhas pala-
guém para molestá-los nem para vras.
tirar a terra de sua herança; e habi- 13 Oh! Quisera que acordásseis;
tarão em segurança para sempre. que acordásseis de um profundo
10 Mas eis que quando chegar sono, sim, do sono do a inferno, e
o tempo em que degenerarem, sacudísseis as pavorosas b corren-
caindo na incredulidade, depois tes que vos prendem, que são as
de haverem recebido tão grandes correntes que prendem os filhos
bênçãos das mãos do Senhor — dos homens, de modo que são le-
tendo conhecimento da criação vados cativos ao eterno c abismo
da Terra e de todos os homens, da miséria e da dor.
conhecendo as grandes e mara- 14 Despertai! e levantai-vos do
vilhosas obras do Senhor desde pó e ouvi as palavras de um a pai
a criação do mundo; tendo re- trêmulo, cujos membros logo po-
cebido o poder de fazer todas as reis na fria e silenciosa b sepultu-
coisas pela fé; possuindo todos ra da qual nenhum viajante pode
os mandamentos desde o prin- retornar; uns dias mais e irei pelo
cípio e tendo sido trazidos para c 
caminho de toda a Terra.
esta preciosa terra de promissão 15 Mas eis que o Senhor a redi-
pela sua infinita bondade — eis miu a minha alma do inferno; eu
que digo: se chegar o dia em que contemplei a sua glória e estarei
9 a 2 Né. 4:4; Mórm. 5:19–20. 14 a GEE Pais.
Al. 9:13. b 1 Né. 22:7. b GEE Morte Física.
b Deut. 29:9. 12 a Mórm. 1:11–19; 4:11. c Jos. 23:14.
c GEE Obedecer, 13 a GEE Inferno. 15 a Al. 36:28.
Obediência, Obediente. b Al. 12:9–11. GEE Expiação, Expiar.
10 a GEE Messias. c 1 Né. 15:28–30;
11 a 1 Né. 13:12–20; Hel. 3:29–30.
2 NÉFI 1:16–25 62
eternamente envolvido pelos bra-
b 
coração possa deixar este mundo
ços de seu c amor. com alegria por vossa causa, para
16 E desejo que vos lembreis de que eu não vá para a sepultura
observar os a estatutos e os juízos com pesar e dor, levantai-vos do
do Senhor; eis que isto tem sido a pó, meus filhos, e sede a homens e
preocupação de minha alma des- determinados em b um só pensa-
de o princípio. mento e um só coração, unidos em
17 Meu coração tem-se enchido todas as coisas, para não cairdes
de pesar, de tempos em tempos, em cativeiro;
pois tenho temido que, pela du- 22 Para que não sejais amaldi-
reza de vosso coração, o Senhor çoados com uma terrível maldi-
vosso Deus vos visite na pleni- ção; e também para não incor-
tude de sua a ira, de modo que rerdes no desagrado de um Deus
sejais b condenados e destruídos a 
justo, trazendo sobre vós a des-
para sempre; truição, sim, a eterna destruição,
18 Ou que vos advenha uma tanto da alma como do corpo.
maldição pelo espaço de a muitas 23 Despertai, meus filhos, cingi
gerações; e sejais visitados pela a a armadura da retidão. Sacudi as
espada e pela fome e sejais odia- correntes com que estais amarra-
dos e conduzidos de acordo com dos e saí da obscuridade e levan-
a vontade e cativeiro do b diabo. tai-vos do pó.
19 Oh! meus filhos, que estas 24 Não vos rebeleis mais contra
coisas não vos sucedam, mas que vosso irmão, cujas visões têm sido
sejais um povo escolhido e a favo- gloriosas e que tem guardado os
recido pelo Senhor. Porém seja fei- mandamentos desde quando dei-
ta a vontade dele, porque seus b ca- xamos Jerusalém; e que foi um
minhos são retidão para sempre. instrumento nas mãos de Deus,
20 E ele disse: a Se guardardes ao trazer-nos para a terra da pro-
meus b mandamentos, c prospera- missão; porque, se não fosse por
reis na terra; mas se não guardar- ele, teríamos perecido de a fome
des meus mandamentos, sereis no deserto; não obstante, tentastes
afastados de minha presença. b 
tirar-lhe a vida, sim, e ele pade-
21  E agora, para que minha ceu muito por vossa causa.
alma se regozije convosco e meu 25 E eu tremo e temo excessiva-
15 b Jacó 6:5; 18 a 1 Né. 12:20–23. Joel 2:23–26.
Al. 5:33; b GEE Diabo. c Salm. 67:6;
3 Né. 9:14. 19 a GEE Escolher, Escolhido Mos. 2:21–25.
c Rom. 8:39. (verbo); 21 a 1 Sam. 4:9;
GEE Amor. Escolhido (adjetivo ou 1 Re. 2:2.
16 a Deut. 4:5–8; substantivo). b Mois. 7:18.
2 Né. 5:10–11. b Ose. 14:9. 22 a D&C 3:4.
17 a 2 Né. 5:21–24; 20 a Jar. 1:9; Mos. 1:6–7; 23 a Ef. 6:11–17.
Al. 3:6–19. Al. 9:13–14. 24 a 1 Né. 16:32.
b Mos. 12:8. b Lev. 26:3–14; b 1 Né. 16:37.
63 2 NÉFI 1:26–2:2
mente que, por vossa causa, ele sim, a minha bênção, e ela recairá
venha a sofrer de novo; pois eis sobre ele.
que o haveis acusado de tentar 30 E agora, Zorã, falo a ti: Eis
exercer a autoridade e poder so- que tu és o a servo de Labão; não
bre vós; eu sei, porém, que ele obstante, foste trazido da terra
não procurou poder nem auto- de Jerusalém e sei que és um ver-
ridade sobre vós, mas procurou dadeiro amigo de meu filho Néfi
a glória de Deus e o vosso bem- para sempre.
estar eterno. 31 Como tens, portanto, sido fiel,
26 E por ele ter-vos falado cla- teus descendentes serão aben-
ramente, haveis murmurado. çoados a com os dele, para que
Dizeis que ele foi a severo; dizeis prosperem por muito tempo na
que se enfureceu convosco. Eis, face desta terra; e nada, a não ser
porém, que sua severidade era a sua iniquidade, prejudicará ou
a severidade do poder da pala- perturbará sua prosperidade para
vra de Deus que estava nele; e sempre na face desta terra.
o que chamais ira era a verdade 32 Portanto, o Senhor consagrou
segundo se acha em Deus, a qual esta terra para a segurança de tua
ele não pôde refrear, tendo-vos descendência com a descendência
mostrado corajosamente vossas de meu filho, se guardardes os
iniquidades. seus mandamentos.
27 E é necessário que o a poder
de Deus esteja com ele para que CAPÍTULO 2
obedeçais ao seu comando. Eis,
A redenção vem-nos por intermédio
porém, que não foi ele, mas sim
do Santo Messias — A liberdade de
o b Espírito do Senhor que estava
escolha (livre-arbítrio) é essencial
nele que lhe c abriu a boca para
para a existência e para o progres-
falar, de maneira que não podia
so — Adão caiu para que os homens
fechá-la.
existissem — Os homens são livres
28 E agora, meu filho Lamã e
para escolher a liberdade e a vida eter-
também Lemuel e Sam; e tam-
na. Aproximadamente 588–570 a.C.
bém vós, meus filhos, que sois fi-
lhos de Ismael, eis que se derdes E agora, Jacó, falo a ti: Tu és meu
ouvidos à voz de Néfi, não pere- primogênito nos dias de minha
a 

cereis. E se o escutardes, eu vos tribulação no deserto. E eis que


deixo uma a bênção, sim, minha na tua infância sofreste aflições e
primeira bênção. muito pesar por causa da rudeza
29 Mas se não o escutardes, re- de teus irmãos.
tirarei minha a primeira bênção, 2  Não obstante, Jacó, meu
25 a Gên. 37:9–11. 27 a 1 Né. 17:48. 29 a Abr. 1:3.
26 a Prov. 15:10; b D&C 121:43. 30 a 1 Né. 4:20, 35.
1 Né. 16:2; Morô. 9:4; c D&C 33:8. 31 a 2 Né. 5:6.
D&C 121:41–43. 28 a GEE Primogenitura. 2 1 a 1 Né. 18:7.
2 NÉFI 2:3–10 64
primogênito no deserto, conhe- por intermédio do Santo Mes- b 

ces a grandeza de Deus; e ele con- sias; porque ele é cheio de c graça
sagrará tuas aflições para teu be- e verdade.
nefício. 7 Eis que ele se oferece em a sacri-
3 Tua alma será, portanto, aben- fício pelo pecado, cumprindo, as-
çoada e viverás em segurança com sim, todos os requisitos da lei para
teu irmão Néfi; e teus dias serão todos os quebrantados de cora-
empregados no serviço de teu ção e contritos de espírito; e para
Deus. Sei, portanto, que foste re- ninguém mais podem todos os
dimido por causa da retidão do b 
requisitos da lei ser cumpridos.
teu Redentor, pois viste que ele 8 Portanto, quão importante é
virá na plenitude dos tempos para tornar estas coisas conhecidas dos
trazer salvação aos homens. habitantes da Terra, para que sai-
4 E a contemplaste a sua glória bam que nenhuma carne pode
em tua mocidade; és, portanto, tão habitar na presença de Deus a a
abençoado quanto o serão aqueles menos que seja por meio dos mé-
justos entre quem ele ministrará ritos e misericórdia e graça do
na carne; porque o Espírito é o Santo Messias, que dá a sua vida,
mesmo ontem, hoje e para sem- segundo a carne, e toma-a nova-
pre. E o caminho está preparado mente pelo poder do Espírito,
desde a queda do homem; e a sal- para poder efetuar a b ressurreição
vação é b gratuita. dos mortos, sendo ele o primeiro
5 E os homens são ensinados a ressuscitar.
suficientemente para a distingui- 9 Ele é, portanto, as primícias
rem o bem do mal. E a lei é dada para Deus, visto que a intercederá
aos homens. E pela lei nenhuma por todos os filhos dos homens; e
carne é b justificada; ou seja, pela os que nele crerem serão salvos.
lei os homens são c rejeitados. Sim, 10 E por causa da a intercessão
pela lei natural foram rejeitados feita por todos, todos os homens
e também pela lei espiritual são vão a Deus; portanto, se acharão
privados daquilo que é bom; e tor- em sua presença para serem b jul-
nam-se miseráveis para sempre. gados por ele, de acordo com a
6 Portanto, a a redenção nos vem verdade e c santidade que estão
4 a 2 Né. 11:3; 42:6–11; 8 a 2 Né. 25:20; 31:21;
Jacó 7:5. Hel. 14:15–18. Mos. 4:8; 5:8;
b GEE Graça. 6 a 1 Né. 10:6; Al. 38:9.
5 a Morô. 7:16. 2 Né. 25:20; b 1 Cor. 15:20;
b Rom. 3:20; Al. 12:22–25. Al. 7:12; 12:24–25;
2 Né. 25:23; GEE Plano de 42:23.
Al. 42:12–16. Redenção. GEE Ressurreição.
GEE Justificação, b GEE Messias. 9 a Isa. 53;
Justificar. c Jo. 1:14, 17; Mos. 14:12; 15:8–9.
c 1 Né. 10:6; Mois. 1:6. 10 a GEE Redentor.
2 Né. 9:6–38; 7 a GEE Expiação, Expiar. b GEE Juízo Final.
Al. 11:40–45; 12:16, 24; b Rom. 10:4. c GEE Santidade.
65 2 NÉFI 2:11–17
nele. Por conseguinte, todos os haverá castigo nem miséria. E se
requisitos da lei dada pelo Santo estas coisas não existem, não exis-
para a aplicação do castigo es- te Deus. E se b não existe Deus,
tipulado na lei, castigo esse que nós também não existimos nem a
está em oposição à lei estipulada Terra; pois não poderia ter havido
para a felicidade, para cumprir os criação nem para agir nem para
propósitos da d expiação — receber a ação; portanto, todas
11 Porque é necessário que haja as coisas inevitavelmente teriam
uma a oposição em todas as coisas. desaparecido.
Se assim não fosse, meu primogê- 14 E agora, meus filhos, digo-vos
nito no deserto, não haveria reti- estas coisas para vosso proveito
dão nem iniquidade, nem santi- e instrução; pois existe um Deus
dade nem miséria, nem bem nem e ele a criou todas as coisas, tanto
mal. Portanto, é preciso que to- os céus como a Terra e tudo o que
das as coisas sejam compostas em neles há, tanto as coisas que agem
uma; pois se fossem um só corpo, como as que b recebem a ação.
deveriam permanecer como mor- 15 E para conseguir seus eter-
tas, não tendo vida nem morte, nos a propósitos com relação ao
nem corrupção nem incorrupção, homem, depois de haver criado
nem felicidade nem miséria, nem nossos primeiros pais e os animais
sensibilidade nem insensibilidade. do campo e as aves do ar, enfim,
12 Portanto, teriam sido criadas todas as coisas criadas, era neces-
em vão; portanto, não haveria sária uma oposição; até mesmo
a 
propósito na sua criação. Portan- o b fruto c proibido em oposição à
to, isso destruiria a sabedoria de d 
árvore da vida, sendo um doce e
Deus e seus eternos propósitos, outro amargo.
assim como o poder e a miseri- 16 O Senhor Deus concedeu,
córdia e a b justiça de Deus. portanto, que o homem a agisse
13 E se disserdes que a não há lei, por si mesmo; e o homem não
direis também que não há peca- poderia agir por si mesmo a me-
do. E se disserdes que não há pe- nos que fosse b atraído por um ou
cado, direis também que não há por outro.
retidão. E não havendo retidão, 17 E eu, Leí, devo supor, pelo
não há felicidade. E não haven- que tenho lido, que um a anjo de
do retidão nem felicidade, não Deus, de acordo com o que está
10 d 2 Né. 9:7, 21–22, 26; b Al. 42:13. Mois. 3:17.
Al. 22:14; 33:22; 34:9. 14 a GEE Criação, Criar. d Gên. 2:9;
11 a D&C 29:39; 122:5–9. b D&C 93:30. 1 Né. 15:22, 36;
GEE Adversidade. 15 a Isa. 45:18; Al. 32:40.
12 a D&C 88:25–26. Al. 42:26; 16 a 2 Né. 10:23;
GEE Terra — Criada Mois. 1:31, 39. Al. 12:31.
para o homem. b Gên. 3:6; GEE Arbítrio.
b GEE Justiça. Al. 12:21–23. b D&C 29:39–40.
13 a 2 Né. 9:25. c Gên. 2:16–17; 17 a GEE Diabo.
2 NÉFI 2:18–26 66
escrito, caiu do céu; tornou-se,
b 
a todos que estavam perdidos
d 

portanto, um diabo, tendo pro- por causa da transgressão de seus


curado o que era mau perante pais.
Deus. 22 E então, eis que se Adão não
18 E por haver caído do céu, houvesse transgredido, não teria
tendo-se tornado miserável para caído, mas permanecido no jardim
sempre, a procurou também a mi- do Éden. E todas as coisas que fo-
séria de toda a humanidade. Por- ram criadas deveriam ter perma-
tanto, aquela velha serpente, que necido no mesmo estado em que
é o diabo, o pai de todas as b men- estavam depois de haverem sido
tiras, disse a c Eva: Come do fru- criadas; e deveriam permanecer
to proibido e não morrerás, mas para sempre e não ter fim.
serás como Deus, d conhecendo o 23 E não teriam tido a filhos; por-
bem e o mal. tanto, teriam permanecido num
19 E depois de Adão e Eva have- estado de inocência, não sentindo
rem a comido do fruto proibido, fo- alegria por não conhecerem a mi-
ram expulsos do jardim do b Éden séria; não fazendo o bem por não
para cultivar a terra. conhecerem o pecado.
20 E tiveram filhos, sim, a a famí- 24 Mas eis que todas as coisas
lia de toda a Terra. foram feitas segundo a sabedoria
21 E os dias dos filhos dos a ho- daquele que tudo a conhece.
mens foram prolongados de acor- 25  a Adão b caiu para que os ho-
do com a vontade de Deus, para mens c existissem; e os homens
que se b arrependessem enquanto existem para que tenham d alegria.
estivessem na carne; portanto, o 26 E o a Messias vem na plenitu-
seu estado se tornou um estado de dos tempos para b redimir da
de c provação e o seu tempo foi queda os filhos dos homens. E
prolongado, de acordo com os porque são redimidos da queda
mandamentos dados pelo Senhor tornaram-se c livres para sempre,
Deus aos filhos dos homens. Pois distinguindo o bem do mal; para
ele ordenou que todos os homens agirem por si mesmos e não para
se arrependessem; pois mostrou receberem a ação, salvo se for pelo
17 b Isa. 14:12; 2 Né. 9:8; b GEE Éden. b Mois. 6:48.
Mois. 4:3–4; 20 a D&C 138:38–39. GEE Queda de Adão
Abr. 3:27–28. 21 a Al. 12:24; e Eva.
18 a 2 Né. 28:19–23; Mois. 4:23–25. c GEE Mortal,
3 Né. 18:18; b Al. 34:32. Mortalidade.
D&C 10:22–27. GEE Arrepender-se, d Mois. 5:10.
b 2 Né. 28:8; Mois. 4:4. Arrependimento. GEE Alegria;
c GEE Eva. c GEE Mortal, Homem, Homens.
d Gên. 3:5; Al. 29:5; Mortalidade. 26 a GEE Messias.
Morô. 7:15–19. d Jacó 7:12. b GEE Plano de
19 a Al. 12:31. 23 a Mois. 5:11. Redenção.
GEE Queda de Adão 24 a GEE Trindade. c Al. 42:27;
e Eva. 25 a GEE Adão. Hel. 14:30.
67 2 NÉFI 2:27–3:5
castigo da lei no grande e último
d 
CAPÍTULO 3
dia, segundo os mandamentos
José, no Egito, viu os nefitas em vi-
dados por Deus.
são — Ele profetizou sobre Joseph
27 Portanto, os homens são a li-
Smith, o vidente dos últimos dias;
vres segundo a carne; e todas as
sobre Moisés, que libertaria Israel;
coisas de que necessitam lhes são
e sobre o aparecimento do Livro de
dadas. E são livres para b esco-
Mórmon. Aproximadamente 588–
lher a liberdade e a c vida eterna
570 a.C.
por meio do grande Mediador de
todos os homens, ou para esco- E agora falo a ti, José, meu filho
lherem o cativeiro e a morte, de a 
mais jovem. Nasceste no deserto
acordo com o cativeiro e o poder de minhas aflições; sim, nos dias
do diabo; pois ele procura tornar de minhas maiores angústias tua
todos os homens tão miseráveis mãe deu-te à luz.
como ele próprio. 2 Se guardares os mandamentos
28 E agora, meus filhos, gostaria do Santo de Israel, possa o Senhor
que confiásseis no grande a Me- também te consagrar esta a terra,
diador e désseis ouvidos aos seus que é uma terra muito preciosa,
grandes mandamentos; e que fôs- para tua herança e herança de teus
seis fiéis às suas palavras e esco- descendentes, juntamente com
lhêsseis a vida eterna, conforme teus irmãos e para a tua segurança
a vontade do seu Santo Espírito; para sempre.
29 E que não escolhêsseis a mor- 3 E agora, meu filho mais jovem,
te eterna, conforme a vontade da José, a quem eu trouxe do deserto
carne e o mal que nela há, que dá de minhas aflições, que o Senhor
ao espírito do diabo poder para te abençoe para sempre, pois teus
a 
escravizar, para levar-vos ao b in- descendentes não serão comple-
ferno, a fim de reinar sobre vós em tamente a destruídos.
seu próprio reino. 4 Pois eis que tu és o fruto de
30 Disse-vos estas poucas pala- meus lombos; e eu sou um des-
vras, meus filhos, nos últimos dias cendente de a José, que foi levado
de minha provação; e eu escolhi a b 
cativo para o Egito. E grandes
boa parte, de acordo com as pala- foram os convênios que o Senhor
vras do profeta. E não tenho ou- fez com José.
tro objetivo que não seja o eterno 5 Portanto, José verdadeiramen-
bem-estar de vossa alma. Amém. te a viu nossos dias. E obteve a
26 d GEE Lei. Al. 12:11. 4 a Gên. 39:1–2; 45:4;
27 a Gál. 5:1; b GEE Inferno. 49:22–26;
Mois. 6:56. 3 1 a 1 Né. 18:7. 1 Né. 5:14–16.
b GEE Arbítrio. 2 a 1 Né. 2:20. b Gên. 37:29–36.
c GEE Vida eterna. GEE Terra da 5 a TJS Gên. 50:24–38
28 a GEE Mediador. Promissão. (Apêndice da Bíblia);
29 a Rom. 6:16–18; 3 a 2 Né. 9:53. 2 Né. 4:1–2.
2 NÉFI 3:6–14 68
promessa do Senhor de que do Moisés, o qual eu disse que sus-
a 

fruto de seus lombos o Senhor citaria para vós a fim de b libertar


Deus levantaria um b ramo c justo meu povo, ó casa de Israel.
para a casa de Israel; não o Mes- 10 E suscitarei Moisés para tirar
sias, mas um ramo que seria ar- teu povo da terra do Egito.
rancado e, não obstante, seria lem- 11 Suscitarei, porém, um viden-
brado nos convênios do Senhor te do fruto de teus lombos e a ele
de que o d Messias lhes seria ma- darei a poder para revelar minha
nifestado nos últimos dias, com o palavra à semente de teus lom-
espírito de poder, a fim de tirá-los bos — não somente para revelar
das trevas para a luz — sim, das a minha palavra, diz o Senhor,
e 
trevas ocultas e do cativeiro para mas para convencê-los da minha
a liberdade. palavra, que já lhes terá sido de-
6 Porque José verdadeiramente clarada.
testificou, dizendo: O Senhor meu 12 Portanto, o fruto de teus lom-
Deus levantará um a vidente, que bos a escreverá; e o fruto dos lom-
será um vidente escolhido para o bos de b Judá c escreverá; e aquilo
fruto de meus b lombos. que for escrito pelo fruto de teus
7 Sim, José verdadeiramente dis- lombos e também o que for escri-
se: Assim me diz o Senhor: Um to pelo fruto dos lombos de Judá
a 
vidente escolhido levantarei eu serão unidos, d confundindo falsas
do fruto de teus lombos. E goza- doutrinas e apaziguando conten-
rá de grande estima entre o fruto das e estabelecendo paz entre o
de teus lombos. A ele ordenarei fruto de teus lombos; e e levando-
que faça um trabalho para seus os nos últimos dias a f conhecerem
irmãos, o fruto de teus lombos, seus pais e também meus convê-
que lhes será de grande benefício, nios, diz o Senhor.
levando-os a conhecer os convê- 13 E da fraqueza será tornado
nios que fiz com teus pais. forte, no dia em que minha obra
8 E dar-lhe-ei o mandamento de começar entre todo o meu povo
não fazer a qualquer outro traba- para restaurar-te, ó Casa de Israel,
lho, exceto o que eu lhe ordenar. diz o Senhor.
E fá-lo-ei grande a meus olhos, 14 E assim profetizou José, di-
porque fará o meu trabalho. zendo: Eis que o Senhor aben-
9  E ele será grande como çoará esse vidente; e aqueles que
5 b Gên. 49:22–26; GEE Vidente. b 1 Né. 13:23–29.
1 Né. 15:12; 19:24. b D&C 132:30. c GEE Bíblia.
GEE Vinha do Senhor. 7 a GEE Smith, Joseph, Jr. d Eze. 37:15–20;
c Jacó 2:25. 8 a D&C 24:7, 9. 1 Né. 13:38–41;
d 2 Né. 6:14; 9 a Mois. 1:41. 2 Né. 29:8; 33:10–11.
D&C 3:16–20. b Êx. 3:7–10; e Morô. 1:4.
e Isa. 42:16. 1 Né. 17:24. f 1 Né. 15:14;
6 a 3 Né. 21:8–11; 11 a D&C 5:3–4. 2 Né. 30:5;
Mórm. 8:16. 12 a GEE Livro de Mórmon. Mórm. 7:1, 5, 9–10.
69 2 NÉFI 3:15–24
procurarem destruí-lo serão con- em minha sabedoria, julgar con-
fundidos, porque esta promessa veniente que cheguem ao fruto
que obtive do Senhor para o fruto de teus lombos. E será como se
de meus lombos será cumprida. o a fruto de teus lombos lhes cla-
Eis que estou certo do cumpri- masse b desde o pó; porque lhes
mento desta promessa. conheço a fé.
15 E seu a nome será igual ao meu 20 E a clamarão desde o pó; sim,
e será chamado pelo b nome de seu clamarão arrependimento a seus
pai. E ele será semelhante a mim; irmãos, até mesmo depois de mui-
porque aquilo que o Senhor fizer tas gerações se haverem passado.
através de sua mão, pelo poder E acontecerá que seu clamor será
do Senhor, levará meu povo à ouvido, sim, de acordo com a sim-
salvação. plicidade de suas palavras.
16 Sim, desse modo profetizou 21 Por causa de sua fé, suas a pa-
José: Certo estou disto, como es- lavras sairão de minha boca para
tou certo da promessa de Moisés; os seus irmãos, que são o fruto de
porque o Senhor me disse: a Pre- teus lombos; e à fraqueza de suas
servarei tua semente para sempre. palavras eu darei força, em sua
17 E o Senhor disse: Suscitarei fé, para que sejam lembrados os
um Moisés; e dar-lhe-ei poder convênios que fiz com teus pais.
numa vara; e dar-lhe-ei habilida- 22 E agora eis que, meu filho
de para escrever. Contudo, não José, desse modo a profetizou meu
lhe soltarei a língua para que fale pai de antigamente.
muito, porque não o farei pode- 23  Portanto, por causa deste
roso no falar. a Escrever-lhe-ei, po- convênio és abençoado; porque
rém, a minha lei pelo dedo de mi- tua semente não será destruída,
nha própria mão; e preparar-lhe-ei pois darão ouvidos às palavras
um b porta-voz. do livro.
18 E o Senhor também me disse: 24 E levantar-se-á entre eles um
Eu suscitarei um para o fruto de poderoso que praticará o bem,
teus lombos e para ele prepararei tanto em palavras como em obras,
um porta-voz. E eis que eu o fa- sendo um instrumento nas mãos
rei escrever o relato do fruto dos de Deus, com fé extraordinária
teus lombos para o fruto de teus para operar grandes maravilhas e
lombos; e o porta-voz dos teus fazer o que é grandioso aos olhos
lombos anunciá-lo-á. de Deus, a fim de levar muita res-
19 E as palavras que ele irá es- tauração à casa de Israel e à se-
crever serão as palavras que eu, mente de teus irmãos.
15 a D&C 18:8. b Êx. 4:16. Morô. 10:27.
b JS—H 1:3. 19 a D&C 28:8. 20 a 2 Né. 26:16;
16 a Gên. 45:1–8. b Isa. 29:4; Mórm. 8:23.
17 a Deut. 10:2, 4; 2 Né. 27:13; 33:13; 21 a 2 Né. 29:2.
Mois. 2:1. Mórm. 9:30; 22 a 2 Né. 3:5.
2 NÉFI 3:25–4:10 70
25 E agora, bendito és tu, José. prosperareis na terra; e se não
Eis que tu és pequeno; ouve, pois, guardardes meus mandamentos,
as palavras de teu irmão Néfi e sereis afastados de minha pre-
ser-te-á feito de acordo com as sença.
palavras que proferi. Lembra-te 5 Mas eis que eu, meus filhos e
das palavras de teu pai moribun- minhas filhas, não posso descer
do. Amém. à sepultura sem vos deixar uma
a 
bênção; pois eu sei que se fordes
CAPÍTULO 4 criados no b caminho que deveis
seguir, não vos afastareis dele.
Leí aconselha e abençoa sua posteri-
6 Portanto, se fordes amaldiçoa-
dade — Morre e é sepultado — Néfi
dos, eis que eu vos deixo a minha
gloria-se na bondade de Deus — Néfi
bênção, para que a maldição vos
deposita sua confiança no Senhor
seja tirada e recaia sobre a a cabeça
para sempre. Aproximadamente 588–
de vossos pais.
570 a.C.
7 Portanto, devido a minha bên-
E agora eu, Néfi, falo sobre as ção, o Senhor Deus a não permitirá
profecias mencionadas por meu que pereçais; e será eternamente
pai, referentes a a José que foi le- b 
misericordioso para convosco e
vado para o Egito. vossos descendentes.
2 Pois eis que ele realmente pro- 8 E aconteceu que depois de meu
fetizou sobre todos os seus des- pai ter acabado de falar aos filhos
cendentes. E não há muitas a pro- e filhas de Lamã, fez com que os
fecias maiores do que as que ele filhos e filhas de Lemuel fossem
escreveu. E ele profetizou sobre levados a sua presença.
nós e nossas futuras gerações; e 9  E falou-lhes, dizendo: Eis,
elas estão escritas nas placas de meus filhos e minhas filhas, que
latão. sois os filhos e as filhas de meu
3 Então, depois de meu pai ter segundo filho; eis que vos deixo
acabado de falar sobre as profe- a mesma bênção que deixei aos
cias de José, chamou os filhos e filhos e filhas de Lamã; portanto,
filhas de Lamã e disse-lhes: Eis, não sereis completamente destruí-
meus filhos e minhas filhas que dos, mas no fim vossa posteridade
sois filhos e filhas de meu a primo- será abençoada.
gênito, quisera que désseis ouvi- 10 E aconteceu que depois de
dos às minhas palavras. meu pai lhes haver falado, diri-
4 Pois o Senhor Deus disse: a Se giu-se aos filhos de a Ismael, sim,
guardardes meus mandamentos, a todos os de sua casa.
4 1 a Gên. 39:1–2. Patriarcais. b 1 Né. 13:31;
2 a 2 Né. 3:5. b Prov. 22:6. 2 Né. 10:18–19;
3 a GEE Primogênito. 6 a D&C 68:25–29. Jacó 3:5–9;
4 a 2 Né. 1:9. 7 a 2 Né. 30:3–6; Hel. 15:12–13.
5 a GEE Bênçãos D&C 3:17–18. 10 a 1 Né. 7:6.
71 2 NÉFI 4:11–24
11 E depois de lhes falar, dirigiu- para instrução e proveito de
c 

se a Sam, dizendo: Bendito és tu e meus filhos.


tua posteridade, pois herdarás a 16 Eis que minha a alma se deleita
terra como teu irmão Néfi. E tua nas coisas do Senhor; e meu b co-
semente será contada com a se- ração medita continuamente nas
mente dele; e tu serás como teu ir- coisas que vi e ouvi.
mão e teus descendentes como os 17 Não obstante, apesar da gran-
descendentes dele; e serás aben- de a bondade do Senhor, mostran-
çoado durante todos os teus dias. do-me suas grandes e maravilho-
12 E aconteceu que depois de sas obras, meu coração exclama:
meu pai, Leí, ter falado a toda a Oh! Que homem b miserável sou!
sua casa, segundo os sentimentos Sim, meu coração se entristece por
de seu coração e o Espírito do Se- causa de minha carne; minha alma
nhor que estava nele, envelheceu. se angustia por causa de minhas
E aconteceu que morreu e foi se- iniquidades.
pultado. 18 Estou cercado por causa das
13 E aconteceu que poucos dias tentações e pecados que tão facil-
depois de sua morte, Lamã e Le- mente me a envolvem!
muel e os filhos de Ismael enfu- 19 E quando desejo alegrar-me,
receram-se comigo, por causa das meu coração geme por causa de
admoestações do Senhor. meus pecados; não obstante, sei
14 Porque eu, Néfi, fui compe- em quem confiei.
lido a falar-lhes de acordo com 20  Meu Deus tem sido meu
sua palavra; porque eu lhes dis- apoio; guiou-me através de mi-
sera muitas coisas e também meu nhas aflições no deserto e salvou-
pai, antes de sua morte; e muitas me das águas do grande abismo.
dessas palavras estão escritas nas 21 Encheu-me com seu a amor até
minhas a outras placas; porque consumir-me a carne.
uma parte com mais história está 22 Confundiu meus a inimigos,
escrita nas minhas outras placas. fazendo-os tremer diante de mim.
15 E a nestas escrevo as coisas de 23 Eis que ele ouviu meu clamor
minha alma e muitas das escritu- durante o dia e deu-me conheci-
ras que estão gravadas nas placas mento por meio de a visões duran-
de latão. Porque minha alma se te a noite.
deleita nas escrituras e meu co- 24 Durante o dia eu ousadamen-
ração nelas b medita e escreve-as te lhe dirigi fervorosa a oração;
14 a 1 Né. 1:16–17; 9:4. Agradecimento. Al. 7:15.
15 a 1 Né. 6:4–6. b GEE Coração. 21 a GEE Amor.
b GEE Escrituras; 17 a 2 Né. 9:10; 22 a 1 Né. 17:52.
Ponderar. D&C 86:11. 23 a GEE Visão.
c 1 Né. 19:23. b Rom. 7:24. 24 a Tg. 5:16;
16 a GEE Ação de 18 a Rom. 7:21–23; 1 Né. 2:16.
Graças, Agradecido, Heb. 12:1;
2 NÉFI 4:25–34 72
sim, elevei a minha voz; e anjos 30 Regozija-te, ó meu coração; e
desceram e serviram-me. clama ao Senhor, dizendo: Ó Se-
25 E sobre as asas de seu Espíri- nhor, eu te louvarei para sempre!
to meu corpo foi a arrebatado até Sim, minha alma regozijar-se-á
montanhas muito altas. E meus em ti, meu Deus e a rocha de mi-
olhos contemplaram grandes coi- nha salvação.
sas, sim, demasiadamente gran- 31 Ó Senhor, redimirás minha
des para o homem; fui, portanto, alma? Livrar-me-ás das mãos de
proibido de escrevê-las. meus inimigos? Far-me-ás tremer
26 Oh! Então se vi coisas tão à vista do a pecado?
grandes e se o Senhor, em sua con- 32 Que as portas do inferno es-
descendência para com os filhos tejam constantemente fechadas
dos homens, visitou os homens diante de mim, porque meu a co-
com tanta misericórdia, a por que, ração está quebrantado e contrito
pois, deveria meu coração chorar o meu espírito. Ó Senhor, não me
e minha alma padecer no vale da feches as portas da tua retidão,
tristeza e minha carne definhar para que eu b ande na senda do
e minhas forças diminuírem por vale baixo, para que eu seja firme
causa de minhas aflições? no caminho plano.
27 E por que eu a cederia ao pe- 33 Ó Senhor, rodeia-me com o
cado por causa de minha carne? manto da tua retidão! Ó Senhor,
Sim, por que sucumbiria a b tenta- prepara um caminho para a mi-
ções, para que o maligno tivesse nha fuga diante de meus inimi-
lugar em meu coração a fim de gos! Endireita a minha vereda
destruir minha c paz e afligir mi- diante de mim. Não ponhas em
nha alma? Por que estou irado por meu caminho uma pedra de tro-
causa de meu inimigo? peço, mas limpa-o e não obstruas
28 Desperta, minha alma! Não te o meu caminho, mas sim os cami-
deixes abater pelo pecado. Rego- nhos de meus inimigos.
zija-te, ó meu coração, e não dês 34 Ó Senhor, confiei em ti e em ti
mais lugar ao a inimigo de minha a 
confiarei sempre. Não porei minha
alma. b 
confiança no braço de carne, pois
29 Não te ires outra vez por cau- sei que aquele que c confia no braço
sa de meus inimigos. Não enfra- de carne é maldito. Sim, maldito é
queças minhas forças por causa aquele que confia no homem, ou
de minhas aflições. seja, que faz da carne o seu braço.
25 a 1 Né. 11:1; 30 a 1 Cor. 3:11. Deus.
Mois. 1:1–2. GEE Rocha. 34 a GEE Confiança, Confiar.
26 a Salm. 43:5. 31 a Rom. 12:9; b Salm. 44:6–8.
27 a Rom. 6:13. Al. 13:12. c Jer. 17:5;
b GEE Tentação, Tentar. 32 a GEE Coração Mórm. 3:9; 4:8.
c GEE Paz. Quebrantado.
28 a GEE Diabo. b GEE Andar, Andar com
73 2 NÉFI 4:35–5:10
35 Sim, sei que Deus dará com 4 Ora, não escrevo nestas placas
liberalidade ao que pedir. Sim,
a 
tudo quanto murmuraram contra
meu Deus dar-me-á se eu não b pe- mim. Basta-me dizer que procura-
dir c impropriamente; portanto, ram tirar-me a vida.
levantarei a minha voz a ti; sim, 5 E aconteceu que o Senhor me
clamarei a ti, meu Deus, d rocha a 
advertiu para que eu, b Néfi, me
de minha retidão. Eis que a mi- afastasse deles e fugisse para o
nha voz eternamente ascenderá deserto, com todos os que quises-
a ti, minha rocha e meu Eterno sem seguir-me.
Deus. Amém. 6 Portanto, aconteceu que eu,
Néfi, levei comigo minha família,
CAPÍTULO 5 assim como a Zorã e sua família; e
Sam, meu irmão mais velho, e sua
Os nefitas separam-se dos lamanitas,
família; e Jacó e José, meus irmãos
guardam a lei de Moisés e constroem
mais jovens, e também minhas ir-
um templo — Por causa de sua incre-
mãs e todos os que me quiseram
dulidade, os lamanitas são afastados
acompanhar. E todos os que me
da presença do Senhor e tornam-se
quiseram acompanhar foram os
um flagelo para os nefitas. Aproxi-
que acreditavam nas b advertên-
madamente 588–559 a.C.
cias e revelações de Deus; por-
Eis que aconteceu que eu, Néfi, tanto, deram ouvidos às minhas
muito clamei ao Senhor meu Deus palavras.
por causa da a ira de meus irmãos. 7 E tomamos nossas tendas e
2 Mas eis que a sua ira contra tudo o que nos foi possível e via-
mim aumentou a tal ponto que jamos no deserto pelo espaço de
procuraram tirar-me a vida. muitos dias. E depois de termos
3  Sim, murmuravam contra viajado pelo espaço de muitos
mim, dizendo: Nosso irmão mais dias, armamos nossas tendas.
jovem pensa em a exercer domí- 8 E meu povo quis dar ao lugar
nio sobre nós; e tivemos muitas o nome de a Néfi; portanto, nós o
aflições por sua causa; portanto, chamamos Néfi.
matemo-lo agora, para que não 9 E todos os que estavam comigo
nos aflija mais com suas palavras. decidiram chamar-se a si mesmos
Pois eis que não permitiremos que o a povo de Néfi.
ele seja nosso chefe; pois compete 10 E esforçamo-nos por guardar
a nós, que somos os irmãos mais os juízos e os estatutos e os man-
velhos, governar este povo. damentos do Senhor em todas as
35 a Tg. 1:5. Mos. 10:14–15. b GEE Advertência,
b GEE Oração. 5 a GEE Inspiração, Advertir, Prevenir.
c Hel. 10:5. Inspirar. 8 a Ômni 1:12, 27;
d Deut. 32:4. b Mos. 10:13. Mos. 9:1–4; 28:1.
5 1 a 2 Né. 4:13–14. 6 a 1 Né. 4:35; 16:7; 9 a Jacó 1:13–14.
3 a 1 Né. 16:37–38; 2 Né. 1:30–32.
2 NÉFI 5:11–20 74
coisas, de acordo com a lei de a 
16 E eu, Néfi, construí um tem- a 

Moisés. plo; e construí-o conforme o mo-


11 E o Senhor estava conosco; e delo do b templo de Salomão, só
prosperamos muito, porque plan- não tendo sido construído com
tamos sementes e nossas colheitas tantas coisas c preciosas, porque
foram novamente abundantes. elas não existiam naquela terra;
E começamos a criar rebanhos portanto, não podia ele ser cons-
e manadas e animais de toda truído como o templo de Salomão.
espécie. O tipo de sua construção, porém,
12 E eu, Néfi, também havia tra- era igual ao do templo de Salo-
zido os registros que estavam gra- mão; e sua execução era conside-
vados nas a placas de latão; e tam- ravelmente esmerada.
bém a b esfera, ou seja, a c bússola 17 E aconteceu que eu, Néfi, fiz
que fora preparada para meu pai com que meu povo fosse a indus-
pela mão do Senhor, segundo o trioso e trabalhasse com as mãos.
que está escrito. 18 E aconteceu que eles dese-
13 E aconteceu que começamos javam que eu fosse seu a rei. Eu,
a prosperar muito e a multiplicar- Néfi, não desejava, porém, que
nos na terra. eles tivessem um rei; não obstan-
14 E eu, Néfi, tomei a a espada de te, fiz por eles tudo quanto estava
Labão; e com esse modelo fiz mui- em meu poder.
tas espadas, a fim de que o povo 19 E eis que as palavras do Se-
que agora se denominava b lama- nhor com referência a meus ir-
nita não caísse sobre nós para nos mãos foram cumpridas, quando
destruir; porque eu conhecia seu lhes disse que eu seria seu a chefe
ódio para comigo e meus filhos e seu b mestre. Portanto, eu havia
e os que eram chamados o meu sido seu chefe e mestre, de acordo
povo. com os mandamentos do Senhor,
15 E ensinei meu povo a cons- até o momento em que procura-
truir edifícios e a trabalhar em ram tirar-me a vida.
toda espécie de madeira e de a fer- 20 A palavra do Senhor, portan-
ro e de cobre e de latão e de aço e to, foi cumprida quando me fa-
de ouro e de prata e de minerais lou, dizendo: Se a deixarem de dar
preciosos, que existiam em grande ouvidos às tuas palavras, serão
abundância. afastados da presença do Senhor.
10 a 2 Né. 11:4. 14 a 1 Né. 4:9; c D&C 124:26–27.
GEE Lei de Moisés. Jacó 1:10; 17 a Gên. 3:19;
12 a Mos. 1:3–4. Pal. Mórm. 1:13. D&C 42:42.
GEE Placas. b GEE Lamanitas. 18 a Jacó 1:9, 11.
b Mos. 1:16. 15 a Ét. 10:23. 19 a 1 Né. 2:22.
c 1 Né. 16:10, 16, 26; 16 a GEE Templo, A Casa do b GEE Ensinar, Mestre.
18:12, 21; Senhor. 20 a 2 Né. 2:21.
Al. 37:38–47; b 1 Re. 6;
D&C 17:1. 2 Crôn. 3.
75 2 NÉFI 5:21–34
E eis que foram afastados de sua
b 
sacerdotes e mestres na terra de
presença. meu povo.
21 E ele fez cair a a maldição so- 27 E aconteceu que vivemos se-
bre eles, sim, uma dolorosa maldi- gundo o padrão da felicidade.
ção, por causa de sua iniquidade. 28 E haviam-se passado trinta
Pois eis que haviam endurecido anos desde que deixáramos Je-
o coração contra ele de tal modo rusalém.
que se tornaram como uma pedra; 29 E eu, Néfi, havia feito os re-
e como eram brancos, notavel- gistros de meu povo, até então,
mente formosos e b agradáveis, a nas minhas placas.
fim de que não fossem atraentes 30 E aconteceu que o Senhor
para meu povo o Senhor Deus Deus me disse: Faze a outras pla-
fez com que sua c pele se tornasse cas; e gravarás nelas muitas coisas
escura. que são boas a meus olhos, para
22 E assim diz o Senhor Deus: proveito de teu povo.
Eu farei com que sejam a repug- 31 Portanto, eu, Néfi, para ser
nantes a teu povo, a menos que se obediente aos mandamentos do
arrependam de suas iniquidades. Senhor, fiz a estas placas nas quais
23 E amaldiçoada será a semente gravei estas coisas.
daquele que se a misturar com a 32 E gravei as coisas que são
semente deles; porque será amal- agradáveis a Deus. E se meu povo
diçoada com igual maldição. E o estiver satisfeito com as coisas de
Senhor assim disse, e assim foi. Deus, estará satisfeito com o que
24 E por causa da maldição que gravei nestas placas.
caiu sobre eles, tornaram-se um 33 E se meu povo desejar conhe-
povo a preguiçoso, cheio de mal- cer a parte mais específica da his-
dade e astúcia e procuravam ani- tória de meu povo, deverá exami-
mais de caça no deserto. nar minhas outras placas.
25 E o Senhor Deus disse-me: Eles 34 E basta-me dizer que se ha-
serão um castigo para teus des- viam passado quarenta anos e já
cendentes, a fim de fazer com que havíamos tido guerras e conten-
se lembrem de mim; e se não se das com nossos irmãos.
lembrarem de mim e não derem
ouvidos às minhas palavras, casti-
CAPÍTULO 6
gá-los-ão até que sejam destruídos.
26 E aconteceu que eu, Néfi, Jacó relata novamente a história
a 
consagrei Jacó e José como judaica: O cativeiro babilônico e o
20 b Al. 9:14. 22 a 1 Né. 12:23. Ocioso.
21 a GEE Amaldiçoar, 23 a GEE Casamento, 26 a Jacó 1:18–19;
Maldições. Casar — Casamento Mos. 23:17.
b 4 Né. 1:10. entre pessoas de 30 a 1 Né. 19:1–6.
c 2 Né. 26:33; religiões diferentes. 31 a GEE Placas.
3 Né. 2:14–16. 24 a GEE Ociosidade,
2 NÉFI 6:1–10 76
retorno; o ministério e a crucificação ler são as que Isaías disse a respei-
do Santo de Israel; a ajuda recebida to de toda a casa de Israel; portan-
dos gentios e a restauração dos judeus to, elas se aplicam a vós, pois sois
nos últimos dias, quando acredita- da casa de Israel. E há muitas coi-
rem no Messias. Aproximadamente sas que foram ditas por Isaías que
559–545 a.C. vos podem ser aplicadas, porque
sois da casa de Israel.
As palavras de Jacó, irmão de 6 E agora, estas são as palavras:
Néfi, dirigidas ao povo de Néfi: a 
Assim diz o Senhor Deus: Eis que
2 Eis que, meus queridos irmãos, levantarei a mão para os gentios
eu, Jacó, tendo sido chamado por e erguerei meu b estandarte para o
Deus e ordenado conforme sua povo; e eles trarão teus filhos em
santa ordem; e tendo sido con- seus braços e tuas filhas serão car-
sagrado por meu irmão Néfi, a regadas em seus ombros.
quem tendes por a rei ou protetor 7 E reis serão teus aios e suas rai-
e de quem dependeis para vossa nhas serão tuas amas; inclinar-se-
segurança, eis que sabeis que vos ão diante de ti com o rosto para a
disse muitas coisas. terra e lamberão o pó de teus pés;
3 Não obstante, falo-vos nova- e tu saberás que eu sou o Senhor;
mente, pois desejo o bem-estar de pois não se envergonharão os que
vossa alma. Sim, minha ansiedade me a aguardarem.
por vós é grande e vós sabeis que 8 E agora eu, Jacó, quero falar
sempre tem sido. Porque vos tenho acerca destas palavras. Pois eis
exortado com toda a diligência e te- que o Senhor me fez ver que aque-
nho-vos transmitido as palavras de les que estavam em a Jerusalém,
meu pai; e tenho-vos falado sobre de onde viemos, foram mortos ou
todas as coisas que foram escritas b 
levados para o cativeiro.
desde a criação do mundo. 9 Não obstante, o Senhor fez-me
4 E agora, eis que quero falar-vos ver que eles a tornarão a voltar. E
sobre as coisas presentes e futuras; também me fez ver que o Senhor
ler-vos-ei, portanto, as palavras Deus, o Santo de Israel, manifes-
de a Isaías. E estas são as palavras tar-se-á a eles na carne; e depois
que meu irmão desejou que eu de ter-se manifestado, eles o açoi-
vos dissesse. E falo-vos para vosso tarão e b crucificarão, segundo as
bem, a fim de que aprendais e glo- palavras que o anjo me disse.
rifiqueis o nome de vosso Deus. 10 E depois que tiverem endure-
5 E agora, as palavras que vou cido o coração e a cerviz contra o
6 2 a Jacó 1:9, 11. 8 a Est. 2:6; 1 Né. 7:13; de Israel.
4 a 3 Né. 23:1. 2 Né. 25:10; 9 a 1 Né. 10:3.
6 a Isa. 49:22–23. Ômni 1:15; b 1 Né. 19:10, 13;
b GEE Estandarte. Hel. 8:20–21. Mos. 3:9;
7 a D&C 133:45; b 2 Re. 24:10–16; 25:1–12. 3 Né. 11:14–15.
Mois. 1:6. GEE Israel — Dispersão GEE Crucificação.
77 2 NÉFI 6:11–18
Santo de Israel, eis que os julga-a 
o aguardam, pois ainda esperam
b 

mentos do Santo de Israel recairão a vinda do Messias.


sobre eles. E dia virá em que serão 14 E eis que, de acordo com as
feridos e afligidos. palavras do profeta, o Messias co-
11 Portanto, depois de haverem meçará a resgatá-los pela a segun-
sido levados de um lado para ou- da vez; portanto, se b manifestará
tro, pois assim diz o anjo, muitos a eles com poder e grande glória,
serão afligidos na carne e não lhes para a c destruição de seus inimi-
será permitido perecer, por causa gos, no dia em que acreditarem
das orações dos fiéis; serão disper- nele; e não destruirá nenhum dos
sos e feridos e odiados; não obs- que nele crerem.
tante, o Senhor terá misericórdia 15 E os que nele não acredita-
deles, para que a quando tiverem rem serão a destruídos, tanto por
b 
conhecimento do seu Redentor, b 
fogo como por tempestade; e por
sejam novamente c coligados nas tremores de terra e por derrama-
terras de sua herança. mento de sangue e por c pestes e
12 E abençoados são os a gentios por fome. E saberão que o Senhor
sobre quem o profeta escreveu; é Deus, o Santo de Israel.
pois eis que caso se arrependam 16 a Será, pois, tirada a presa aos
e não lutem contra Sião e não se fortes, ou serão libertos os b cativos
unam àquela grande e b abomi- legítimos?
nável igreja, serão salvos; pois o 17 Mas assim diz o Senhor: Até
Senhor Deus cumprirá os c convê- os a cativos serão tirados dos fortes
nios que fez com seus filhos; e por e a presa do terrível será libertada;
esse motivo escreveu o profeta pois o b Deus Poderoso c libertará o
estas coisas. povo do convênio. Pois assim diz
13  Portanto, os que lutarem o Senhor: Eu lutarei contra os que
contra Sião e contra o povo do lutarem contra ti —
convênio do Senhor lamberão o 18 E com sua própria carne ali-
pó de seus pés; e o povo do Se- mentarei os que te oprimem e se-
nhor não se a envergonhará, pois rão embebedados com o próprio
o povo do Senhor são aqueles que sangue, como sendo vinho doce;
10 a Mt. 27:24–25. Abraâmico. GEE Últimos Dias.
11 a 1 Né. 22:11–12; 13 a 3 Né. 22:4. b Jacó 6:3.
2 Né. 9:2. b Isa. 40:31; c D&C 97:22–26.
b Ose. 3:5. 1 Né. 21:23; 16 a Isa. 49:24–26.
c GEE Israel — Coligação D&C 133:45. b IE povo do convênio
de Israel. 14 a Isa. 11:11; do Senhor, como
12 a 1 Né. 14:1–2; 2 Né. 25:17; 29:1. mencionado no
2 Né. 10:9–10. b 2 Né. 3:5. versículo 17.
b GEE Diabo — Igreja do c 1 Né. 22:13–14. 17 a 1 Né. 21:25.
diabo. 15 a 2 Né. 10:16; 28:15; b GEE Jeová.
c GEE Convênio 3 Né. 16:8. c 2 Re. 17:39.
2 NÉFI 7:1–10 78
e toda a carne saberá que eu, o e ponho-lhes um saco por co-
b 

Senhor, sou teu Salvador e teu bertura.


a 
Redentor, o b Poderoso de Jacó. 4 O Senhor Deus concedeu-me
a a língua dos instruídos, para que
CAPÍTULO 7 eu soubesse dizer no seu tempo
uma palavra a ti, ó casa de Israel.
Jacó continua a ler em Isaías: Isaías
Quando estais cansados, ele des-
fala em linguagem messiânica — O
perta todas as manhãs. Ele des-
Messias terá a língua dos instruí-
perta-me o ouvido, para que ouça
dos — Ele oferecerá as Suas costas
como o instruído.
aos açoitadores — Não será confundi-
5 O Senhor Deus abriu-me os
do — Comparar com Isaías 50. Apro- a 
ouvidos, e não fui rebelde nem
ximadamente 559–545 a.C.
retrocedi.
Sim, pois assim diz o Senhor: Re- 6 Ofereci as costas aos a açoita-
pudiei-te eu ou expulsei-te para dores e as faces aos que me arran-
sempre? Pois assim diz o Senhor: cavam os cabelos. Não escondi a
Onde está o libelo do divórcio de face da humilhação nem dos que
tua mãe? Para quem te apartei ou me cuspiam.
a qual de meus credores te vendi? 7 Pois o Senhor Deus me aju-
Sim, a quem te vendi eu? Eis que dará; portanto, não serei confun-
por vossas iniquidades vos a ven- dido. Por isso, coloquei o rosto
destes e por vossas transgressões como uma pedra, e sei que não
é a vossa mãe repudiada. serei envergonhado.
2 Porque quando vim, não ha- 8 E o Senhor está perto e justi-
via ninguém; quando a chamei, fica-me. Quem contenderá comi-
ninguém respondeu. Ó casa de go? Compareçamos juntamente.
Israel, tanto se encolheu a minha Quem é o meu adversário? Que
mão que já não possa remir ou já ele se chegue a mim, e eu o ferirei
não há em mim força para livrar? com a força da minha boca.
Eis que com a minha repreensão 9 Pois o Senhor Deus me aju-
faço secar o b mar, torno os seus dará; e todos os que me a conde-
c 
rios em desertos e faço com que narem, eis que todos, como ves-
cheirem mal os seus d peixes, por- tidos, envelhecerão e a traça os
que secaram as águas e morrem comerá.
de sede. 10 Quem há entre vós que tema
3 Eu visto os céus de a negridão ao Senhor, que obedeça à a voz de
18 a GEE Redentor. b Êx. 14:21; 4 a Lc. 2:46–47.
b Gên. 49:24; Salm. 106:9; 5 a D&C 58:1.
Isa. 60:16. D&C 133:68–69. 6 a Mt. 27:26;
7 1 a GEE Apostasia. c Jos. 3:15–16. 2 Né. 9:5.
2 a Prov. 1:24–25; d Êx. 7:21. 9 a Rom. 8:31.
Isa. 65:12; 3 a Êx. 10:21. 10 a D&C 1:38.
Al. 5:37. b Apoc. 6:12.
79 2 NÉFI 7:11–8:11
seu servo, que ande em trevas e 5 Perto está a minha retidão, foi
não tenha luz? enviada a minha a salvação, e o
11 Eis que todos vós, que acen- meu braço julgará os povos; as
deis fogo e vos cingis com faís- b 
ilhas hão de aguardar-me e no
cas, andais na luz do a vosso fogo meu braço confiarão.
e entre as faíscas que acendestes. 6 Levantai os olhos para os céus
Isto tereis de minha mão — em e olhai para a Terra embaixo, por-
tormento jazereis. que os a céus b desaparecerão como
a fumaça, e a Terra c envelhecerá
CAPÍTULO 8 como um vestido, e os seus mora-
dores morrerão semelhantemen-
Jacó continua a ler em Isaías: Nos
te; mas a minha salvação durará
últimos dias o Senhor consolará Sião
para sempre, e a minha retidão
e coligará Israel — Os remidos virão
não será abolida.
a Sião, em meio a grande alegria —
7 Ouvi-me, vós que conheceis a
Comparar com Isaías 51 e 52:1–2.
retidão, povo em cujo coração eu
Aproximadamente 559–545 a.C.
escrevi a minha lei; não a temais
Ouvi-me, vós que seguis a retidão; as censuras dos homens nem vos
olhai para a a rocha de onde fostes atemorizeis pelas suas injúrias.
talhados e para o buraco do poço 8 Porque a traça os roerá como a
de onde fostes cavados. um vestido, e o verme comê-los-á
2 Olhai para Abraão, vosso a pai, como à lã. Minha retidão, porém,
e para b Sara, que vos deu à luz; durará para sempre e a minha
porque sendo ele só, chamei-o e salvação, de geração em geração.
abençoei-o. 9 Desperta, desperta! Veste-te de
3 Porque o Senhor consolará a 
força, ó braço do Senhor! Desper-
a 
Sião; consolará todos os seus lu- ta, como nos dias passados. Não
gares assolados e fará o seu b de- és tu aquele que cortou a Raabe e
serto como Éden e o seu ermo feriu o dragão?
como jardim do Senhor; regozijo 10 Não és tu aquele que secou o
e contentamento achar-se-ão nele, mar, as águas do grande abismo?
ação de graças e voz de melodia. Que fez, do fundo do mar, um
4 Atendei-me, povo meu, e dai- a 
caminho para que passassem os
me ouvidos, nação minha, porque remidos?
de mim sairá uma a lei, e farei do 11 Assim voltarão os a resgata-
meu juízo uma b luz para o povo. dos do Senhor e virão a Sião com
11 a Juí. 17:6. doutrina. Isa. 2:3. c HEB deteriorar.
8 1 a GEE Rocha. GEE Evangelho. 7 a Salm. 56:4, 11;
2 a Gên. 17:1–8; b GEE Luz, Luz de Cristo. D&C 122:9.
D&C 132:49. 5 a GEE Salvação. 9 a D&C 113:7–8.
b Gên. 24:36. b 2 Né. 10:20. 10 a Isa. 35:8.
3 a GEE Sião. 6 a 2 Ped. 3:10. 11 a GEE Redenção,
b Isa. 35:1–2, 6–7. b HEB ser disperso. Redimido, Redimir.
4 a OU ensinamentos, Salm. 102:25–27.
2 NÉFI 8:12–25 80
cânticos; e perpétua alegria e san-
b 
nenhum há que a guie; e de todos
tidade haverá sobre sua cabeça; os filhos que criou, nenhum que
e alcançarão regozijo e alegria; a a tome pela mão.
tristeza e o c pranto fugirão. 19 Estes dois a filhos que vieram
12  a Eu sou ele; sim, sou aquele a ti terão compaixão de ti — tua
que vos consola; quem, pois, és tu, desolação e destruição e a fome e
para que b temas o homem, que é a espada — e com quem te con-
mortal, ou o filho do homem, que solarei?
se tornará em c erva? 20 Teus filhos desmaiaram, exce-
13 E a esqueces-te do Senhor, teu to esses dois; jazem nas entradas
criador, que estendeu os céus e de todas as ruas; como boi selva-
estabeleceu os alicerces da Terra; gem numa rede, cheios estão da
e temes continuamente, todos os cólera do Senhor, da repreensão
dias, por causa da fúria do opres- do teu Deus.
sor, como se ele estivesse pronto 21 Portanto, agora, ó aflita e a em-
para destruir? E onde está a fúria briagada, mas não de vinho, ouve
do opressor? isto:
14 O exilado cativo apressa-se 22 Assim diz o teu Senhor: o Se-
para ser libertado, a fim de não nhor e teu Deus a pleiteia a causa
morrer no poço e para que não de seu povo; eis que eu tomo das
lhe falte o pão. tuas mãos o cálice da vacilação,
15  Mas eu sou o Senhor teu a borra do cálice do meu furor;
Deus, cujas a ondas rugiram. Se- nunca mais dele beberás.
nhor dos Exércitos é o meu nome. 23 Mas a pô-lo-ei nas mãos dos
16 E coloquei as minhas pala- que te entristecem, que dizem à
vras na tua boca e te cobri com a tua alma: Abaixa-te, para que pas-
sombra da minha mão, a fim de semos por cima — e tu colocaste o
plantar os céus, estabelecer os ali- teu corpo como chão e como rua
cerces da Terra e dizer a Sião: Eis aos que passaram por cima.
que tu és o meu a povo. 24 a Desperta, desperta, veste-te
17 Desperta! Desperta! Levan- da tua b fortaleza, ó c Sião! Veste-
ta-te, ó Jerusalém, que bebeste da te dos teus vestidos formosos, ó
mão do Senhor o a cálice da sua Jerusalém, cidade santa! Porque
b 
cólera; tu bebeste até a borra o d 
nunca mais entrará em ti nem
cálice da vacilação. incircunciso nem impuro.
18 De todos os filhos que teve, 25 Sacode o pó, a levanta-te e
11 b Isa. 35:10. 16 a 2 Né. 3:9; 29:14. 24 a Isa. 52:1–2.
c Apoc. 21:4. 17 a Isa. 29:9; b D&C 113:7–8.
12 a D&C 133:47; 136:22. Jer. 25:15. c GEE Sião.
b Jer. 1:8. b Lc. 21:24. d Joel 3:17.
c Isa. 40:6–8; 19 a Apoc. 11:3. 25 a IE Levantar-se do
1 Ped. 1:24. 21 a 2 Né. 27:4. pó e sentar-se com
13 a Jer. 23:27. 22 a Jer. 50:34. dignidade, sendo
15 a 1 Né. 4:2. 23 a Zac. 12:9. redimida no final.
81 2 NÉFI 9:1–7
toma assento, ó Jerusalém! Solta- eu vos digo estas coisas a fim de
te das b cadeias de teu pescoço, ó alegrar-vos e para que a levanteis
cativa filha de Sião! a cabeça para sempre, por causa
das bênçãos que o Senhor Deus
CAPÍTULO 9 conferirá a vossos filhos.
4 Pois sei que muitos de vós ha-
Jacó explica que os judeus serão co-
veis investigado muito para co-
ligados em todas as suas terras de
nhecer as coisas que estão para
promissão — A expiação resgata o
vir; e sei, portanto, que não ig-
homem da queda — Os corpos dos
norais que nossa carne deverá
mortos sairão da sepultura e seus es-
definhar e morrer; não obstante,
píritos, do inferno e do paraíso — Eles
veremos a Deus em nosso a corpo.
serão julgados — A expiação salva da
5 Sim, eu sei que sabeis que ele
morte, do inferno, do diabo e do tor-
se manifestará na carne aos que
mento eterno — Os justos serão sal-
habitam Jerusalém, de onde vie-
vos no reino de Deus — Declaradas
mos; porque é necessário que seja
as penalidades para os pecados — O
entre eles; porque é requerido do
Santo de Israel é o guardião da por-
grande a Criador que se sujeite ao
ta. Aproximadamente 559–545 a.C.
homem na carne e morra por b to-
E agora, meus amados irmãos, eu dos os homens, para que todos
vos li estas coisas para que tenhais possam tornar-se-lhe sujeitos.
conhecimento dos a convênios que 6 Pois assim como a morte tem
o Senhor fez com toda a casa de efeito sobre todos os homens, para
Israel — que seja cumprido o a plano mi-
2 Que ele tem falado aos judeus sericordioso do grande Criador,
pela boca de seus santos profetas, deve existir um poder de b ressur-
desde o começo, de geração em reição e a ressurreição deve vir ao
geração, até que chegue o tem- homem em razão da c queda; e a
po em que serão a restituídos à queda veio em razão da transgres-
verdadeira igreja e rebanho de são; e porque os homens se torna-
Deus, quando serão b coligados ram decaídos, foram d afastados da
nas c terras de sua herança e esta- presença do Senhor.
belecidos em todas as suas terras 7 Portanto, é necessário que haja
de promissão. uma a expiação b infinita — porque
3 Eis que, meus amados irmãos, se a expiação não fosse infinita,
25 b D&C 113:9–10. GEE Terra da Promissão. 2 Né. 26:24;
9 1 a GEE Convênio 3 a TJS Salm. 24:7–10 3 Né. 27:14–15.
Abraâmico. (Apêndice da Bíblia). 6 a GEE Plano de Redenção.
2 a 2 Né. 6:11. 4 a Jó 19:26; b GEE Ressurreição.
GEE Restauração do Al. 11:41–45; 42:23; c GEE Queda de Adão
Evangelho. Hel. 14:15; e Eva.
b GEE Israel — Coligação Mórm. 9:13. d 2 Né. 2:5.
de Israel. 5 a GEE Criação, Criar. 7 a GEE Expiação, Expiar.
c 2 Né. 10:7–8. b Jo. 12:32; b Al. 34:10.
2 NÉFI 9:8–13 82
esta corrupção não poderia reves- um caminho para nossa fuga das
tir-se de incorrupção. Portanto, o garras desse terrível monstro, sim,
c 
primeiro julgamento que recaiu aquele monstro, a morte e b inferno,
sobre o homem deveria ter d dura- que eu chamo morte do corpo e
do eternamente. E se assim fosse, também morte do espírito.
esta carne teria que apodrecer 11 E por causa do caminho de
e desfazer-se em sua mãe-terra, a 
libertação de nosso Deus, o San-
para não mais se levantar. to de Israel, essa b morte da qual
8 Oh! A a sabedoria de Deus, sua falei, que é a física, libertará seus
b 
misericórdia e c graça! Pois eis que mortos; essa morte é a sepultura.
se a d carne não mais se levantasse, 12 E essa a morte da qual falei,
nossos espíritos estariam à mercê que é a morte espiritual, libertará
daquele anjo que e caiu da presen- seus mortos; e essa morte espiri-
ça do Eterno Deus e tornou-se o tual é o b inferno; portanto, morte
f 
diabo, para não mais se levantar. e inferno deverão libertar seus
9 E nosso espírito deveria tornar- mortos; e o inferno deverá libertar
se como ele e nós nos tornaríamos seus espíritos cativos e a sepultu-
diabos, a anjos de um diabo, a fim ra deverá libertar seus corpos ca-
de sermos b afastados da presença tivos; e o corpo e o c espírito dos
de nosso Deus e permanecermos homens serão d restituídos um ao
com o pai das c mentiras, em mi- outro; e é pelo poder da ressurrei-
séria, como ele mesmo; sim, como ção do Santo de Israel.
aquele ser que d enganou nossos 13 Oh! Quão grande é o a plano
primeiros pais, que se e transfor- de nosso Deus! Porque, por outro
mou quase em um f anjo de luz lado, o b paraíso de Deus deverá
e incita os filhos dos homens a libertar os espíritos dos justos, e
g 
combinações secretas de crimes a sepultura, libertar os corpos dos
e de toda sorte de obras secretas justos; e o espírito e o corpo serão
das trevas. c 
reunidos novamente e todos os
10 Oh! Quão grande é a bonda- homens tornar-se-ão incorrup-
de de nosso Deus, que prepara tíveis e d imortais e serão almas
7 c Mos. 16:4–5; f GEE Diabo. Al. 42:6–15.
Al. 42:6, 9, 14. 9 a Jacó 3:11; b GEE Inferno.
d Mos. 15:19. Al. 5:25, 39. 11 a GEE Libertador.
8 a Jó 12:13; b Apoc. 12:7–9. b GEE Morte Física.
Abr. 3:21. c GEE Mentir, Mentiroso. 12 a GEE Morte Espiritual.
GEE Sabedoria. d Gên. 3:1–13; b D&C 76:81–85.
b GEE Misericórdia, Mos. 16:3; c GEE Espírito.
Misericordioso. Mois. 4:5–19. d GEE Ressurreição.
c GEE Graça. e 2 Cor. 11:14; 13 a GEE Plano de Redenção.
d D&C 93:33–34. Al. 30:53. b D&C 138:14–19.
e Isa. 14:12; f D&C 129:8. GEE Paraíso.
2 Né. 2:17–18; g GEE Combinações c Al. 11:43.
Mois. 4:3–4; Secretas. d GEE Imortal,
Abr. 3:27–28. 10 a Mos. 16:7–8; Imortalidade.
83 2 NÉFI 9:14–21
viventes, tendo um perfeito co-e  f 
chama ascende para todo o sem-
nhecimento, como nós na carne, pre e não tem fim.
com a diferença de que o nosso 17 Oh! A grandiosidade e a a jus-
conhecimento será perfeito. tiça de nosso Deus! Porque ele
14 Teremos, portanto, um a co- executa todas as suas palavras, e
nhecimento perfeito de todas as elas saíram-lhe da boca; e a sua
nossas b culpas, e nossa impureza, lei deve ser cumprida.
e nossa c nudez; e os justos terão 18 Mas eis que os justos, os a san-
um conhecimento perfeito de sua tos do Santo de Israel, os que ti-
alegria, e sua d retidão, estando verem acreditado no Santo de Is-
e 
vestidos com f pureza, sim, com rael, os que tiverem suportado as
o g manto da retidão. b 
cruzes do mundo e desprezado a
15 E acontecerá que quando to- sua vergonha, c herdarão o d reino
dos os homens tiverem passa- de Deus, que foi preparado para
do desta primeira morte para a eles e desde a fundação do mundo;
vida, tornando-se imortais, deve- e sua alegria será completa para
rão comparecer ante o a tribunal f 
sempre.
do Santo de Israel; e virá então o 19 Oh! Quão grande é a miseri-
b 
julgamento e serão julgados de córdia de nosso Deus, o Santo de
acordo com o santo julgamento Israel! Porque a liberta seus santos
de Deus. daquele b horrível monstro, o dia-
16 E certamente, como vive o Se- bo, e da morte e do c inferno e da-
nhor, pois o Senhor Deus disse-o quele lago de fogo e enxofre que
e é sua eterna a palavra, a qual não é tormento sem fim.
pode b passar, os justos ainda serão 20 Oh! Quão grande é a a san-
justos e os c imundos ainda serão tidade de nosso Deus! Pois ele
d 
imundos; portanto, os imundos b 
conhece todas as coisas e não há
são o e diabo e seus anjos; e irão nada que não conheça.
para o f fogo eterno para eles pre- 21 E ele vem ao mundo para a sal-
parado; e seu tormento é como var todos os homens, se eles de-
um g lago de fogo e enxofre, cuja rem ouvidos à sua voz; pois eis
13 e GEE Perfeito. Mois. 1:4. 18 a GEE Santo
f D&C 130:18–19. b D&C 56:11. (substantivo).
14 a Mos. 3:25; c GEE Imundície, b Lc. 14:27.
Al. 5:18. Imundo. c D&C 45:58; 84:38.
b GEE Culpa. d 1 Né. 15:33–35; d GEE Exaltação.
c Mórm. 9:5. Al. 7:21; e Al. 13:3.
d GEE Retidão. Mórm. 9:14; f GEE Vida eterna.
e Prov. 31:25. D&C 88:35. 19 a D&C 108:8.
f GEE Pureza, Puro. e GEE Diabo. b 1 Né. 15:35.
g D&C 109:76. f Mos. 27:28. c GEE Inferno.
15 a GEE Juízo Final. g Apoc. 21:8; 20 a GEE Santidade.
b Salm. 19:9; 2 Né. 28:23; b Al. 26:35;
2 Né. 30:9. D&C 63:17. D&C 38:2.
16 a 1 Re. 8:56; D&C 1:38; 17 a GEE Justiça. 21 a GEE Salvação.
2 NÉFI 9:22–30 84
que ele sofre as dores dos ho-
b 
26 Pois a expiação satisfaz as
a 

mens, sim, as dores de toda cria- exigências de sua b justiça sobre


tura vivente, tanto homens como todos a quem c não foi dada a d lei,
mulheres e crianças, que perten- sendo assim libertados daquele
cem à família de c Adão. horrível monstro, morte e infer-
22 E ele sofre isto para que todos no, e do diabo e do lago de fogo
os homens ressuscitem, para que e enxofre que é tormento sem fim;
todos compareçam diante dele no e são restituídos àquele Deus que
grande dia do julgamento. lhes deu e alento, que é o Santo de
23 E ordena a todos os homens Israel.
que se a arrependam e sejam b ba- 27 Mas ai daquele a quem foi
tizados em seu nome, tendo per- dada a a lei, sim, que tem todos os
feita fé no Santo de Israel, pois do mandamentos de Deus, como nós,
contrário não poderão ser salvos e que os transgride e desperdiça
no reino de Deus. os dias de sua provação; porque
24 E se não se arrependerem, o seu estado é terrível.
não acreditarem em seu a nome, 28 Oh! Quão astuto é o a plano do
não forem batizados em seu nome maligno! Oh! A b vaidade e a fra-
nem b perseverarem até o fim, se- queza e a insensatez dos homens!
rão c condenados, pois o Senhor Quando são c instruídos pensam
Deus, o Santo de Israel, disse-o. que são d sábios e não dão ouvidos
25 Ele deu, portanto, uma a lei; aos e conselhos de Deus, pondo-os
e onde b nenhuma lei é dada não de lado, supondo que sabem por
há castigo; e onde não há castigo si mesmos; portanto, a sua sabe-
não há condenação; e onde não doria é insensatez e não lhes traz
há condenação as misericórdias proveito. E eles perecerão.
do Santo de Israel têm poder so- 29  Mas é bom ser instruído,
bre eles, por causa da expiação; quando se a dá ouvidos aos b con-
porque são libertados pelo po- selhos de Deus.
der dele. 30 Ai, porém, dos a ricos que são
21 b D&C 18:11; 19:18. GEE Prestar Contas, c Lc. 16:15;
c GEE Adão. Responsabilidade, 2 Né. 26:20; 28:4, 15.
23 a GEE Arrepender-se, Responsável. d Prov. 14:6;
Arrependimento. 26 a 2 Né. 2:10; Jer. 8:8–9;
b GEE Batismo, Batizar. Al. 34:15–16. Rom. 1:22.
24 a GEE Jesus Cristo — GEE Expiação, Expiar. GEE Orgulho;
Tomar sobre nós o b GEE Justiça. Sabedoria.
nome de Jesus Cristo. c Mos. 3:11. e Al. 37:12.
b GEE Perseverar. d Mos. 15:24; GEE Aconselhar,
c GEE Condenação, D&C 137:7. Conselho.
Condenar. e Gên. 2:7; 29 a 2 Né. 28:26.
25 a Tg. 4:17. D&C 93:33; b Jacó 4:10.
GEE Lei. Abr. 5:7. 30 a Lc. 12:34;
b Rom. 4:15; 27 a Lc. 12:47–48. 1 Tim. 6:10;
2 Né. 2:13; 28 a Al. 28:13. D&C 56:16.
Al. 42:12–24. b GEE Vaidade, Vão.
85 2 NÉFI 9:31–41
ricos das coisas do mundo! Por- lembrai-vos de quão terrível é pe-
que, sendo ricos, desprezam os car contra o Santo Deus e também
b 
pobres e perseguem os mansos; quão terrível é sucumbir às ten-
e seu coração está em seus tesou- tações daquele ser a astuto. Lem-
ros; portanto, os seus tesouros são brai-vos de que ter b mente carnal
seu deus. E eis que seus tesouros é c morte e ter mente espiritual é
também perecerão com eles. d 
vida e eterna.
31 E ai dos surdos, que não que- 40 Ó, meus amados irmãos, ouvi
rem a ouvir; porque perecerão! minhas palavras. Lembrai-vos
32 Ai dos cegos, que não querem da grandeza do Santo de Israel.
ver, porque também perecerão. Não digais que falei coisas du-
33 Ai dos incircuncisos de co- ras contra vós, porque, se assim
ração, porque o conhecimento o fizerdes, ultrajareis a a verdade;
de suas iniquidades feri-los-á no porque disse as palavras de vos-
último dia. so Criador. Sei que as palavras da
34 Ai do a mentiroso, porque será verdade são b duras contra toda
lançado no b inferno. impureza, mas os justos não as
35 Ai do homicida, que a mata temem, porque amam a verdade
deliberadamente, porque b mor- e não se abalam.
rerá. 41 Ó, meus amados irmãos, a vin-
36 Ai dos que praticam a prosti- de, pois, ao Senhor, o Santo. Lem-
tuição, porque serão lançados no brai-vos de que seus caminhos são
inferno. justos. Eis que o b caminho para o
37 Sim, ai dos que a adoram ído- homem é c estreito, mas segue em
los, porque o diabo de todos os linha reta adiante dele; e o guar-
diabos neles se deleita. dião da d porta é o Santo de Israel;
38 E enfim, ai de todos os que e ele ali não usa servo algum, e
morrem em seus pecados; porque não há qualquer outra passagem a
a 
voltarão a Deus e verão sua face não ser pela porta; porque ele não
e permanecerão em seus pecados. pode ser enganado, pois Senhor
39  Ó, meus amados irmãos, Deus é o seu nome.
30 b GEE Pobres. 36 a 3 Né. 12:27–29. 2 Né. 28:28; 33:5.
31 a Eze. 33:30–33; GEE Castidade. 41 a 1 Né. 6:4;
Mt. 11:15; 37 a GEE Idolatria. Jacó 1:7;
Mos. 26:28; 38 a Al. 40:11, 13. Ômni 1:26;
D&C 1:2, 11, 14; 39 a 2 Né. 28:20–22; 32:8; Morô. 10:30–32.
Mois. 6:27. Mos. 2:32; 4:14; b 2 Né. 31:17–21;
34 a Prov. 19:9. Al. 30:53. Al. 37:46;
GEE Honestidade, b Rom. 8:6. D&C 132:22, 25.
Honesto; GEE Carnal. c Lc. 13:24;
Mentir, Mentiroso. c GEE Morte Espiritual. 2 Né. 33:9;
b GEE Inferno. d Prov. 11:19. Hel. 3:29–30.
35 a Êx. 20:13; e GEE Vida eterna. d 2 Né. 31:9, 17–18;
Mos. 13:21. 40 a GEE Verdade. 3 Né. 14:13–14;
b GEE Pena de Morte. b 1 Né. 16:2; D&C 43:7; 137:2.
2 NÉFI 9:42–50 86
42 E a quem quer que bata, ele 46 Preparai a vossa alma para
abrirá; e os a sábios e os instruídos aquele glorioso dia, quando a a jus-
e os ricos que são b orgulhosos de tiça será administrada aos justos,
seu conhecimento e de sua sabe- sim, o dia do b julgamento, a fim
doria e de suas riquezas — sim, de que não vos encolhais com ter-
estes são os que ele despreza; e a rível medo; para que não vos lem-
menos que se despojem de todas breis claramente de vossa horrível
estas coisas e considerem-se c in- c 
culpa, e não sejais compelidos a
sensatos diante de Deus e d humi- exclamar: Santos, santos são os
lhem-se profundamente, ele não teus julgamentos, ó Senhor Deus
lhes abrirá. d 
Todo-Poderoso — mas conheço a
43 As coisas dos sábios e dos minha culpa; transgredi a tua lei,
prudentes, porém, ser-lhes-ão e as minhas transgressões são mi-
a 
ocultas para sempre — sim, aque- nhas; e o diabo dominou-me, de
la felicidade que está preparada modo que sou uma presa de sua
para os santos. terrível miséria.
44 Ó, meus amados irmãos, lem- 47 Mas eis, meus irmãos, con-
brai-vos de minhas palavras. Eis vém que eu vos acorde para a
que tiro minhas vestimentas e terrível realidade destas coisas?
sacudo-as diante de vós; rogo ao Atormentaria eu a vossa alma, se
Deus de minha salvação que me vossa mente fosse pura? Seria eu
olhe com seus olhos que a tudo claro para convosco, com a clareza
veem; e sabereis portanto, no últi- da verdade, se estivésseis livres
mo dia, quando todos os homens do pecado?
serão julgados por suas obras, 48 Eis que, se fôsseis santos,
que o Deus de Israel testemunhou eu vos falaria de santidade; mas
que b sacudi vossas iniquidades de como não sois santos e me consi-
minha alma e que me apresento derais um mestre, é preciso que
limpo ante ele e estou c livre de eu vos a ensine as consequências
vosso sangue. do b pecado.
45 Ó, meus amados irmãos, afas- 49 Eis que minha alma tem aver-
tai-vos de vossos pecados; sacudi são ao pecado e meu coração se
as a correntes daquele que vos quer deleita na retidão; e a louvarei o
amarrar firmemente; vinde ao santo nome de meu Deus.
Deus que é a b rocha de vossa sal- 50 Vinde, meus irmãos, todos os
vação. que tendes sede, vinde às a águas;
42 a Mt. 11:25. c Jacó 2:2; d 1 Né. 1:14;
b GEE Orgulho. Mos. 2:28. Mois. 2:1.
c 1 Cor. 3:18–21. 45 a 2 Né. 28:22; 48 a Al. 37:32.
d GEE Humildade, Al. 36:18. b GEE Pecado.
Humilde, Humilhar. b GEE Rocha. 49 a 1 Né. 18:16.
43 a 1 Cor. 2:9–16. 46 a GEE Justiça. 50 a GEE Águas Vivas.
44 a Jacó 2:10. b GEE Juízo Final.
b Jacó 1:19. c Mos. 3:25.
87 2 NÉFI 9:51–10:3
e aquele que não tem dinheiro ve- dir-vos-ei o restante de minhas
nha comprar e comer; sim, vinde palavras. Amém.
comprar vinho e leite, sem b di-
nheiro e sem preço. CAPÍTULO 10
51 Portanto, não despendais di-
Jacó explica que os judeus crucificarão
nheiro naquilo que não tem va-
o seu Deus — Eles serão dispersos
lor, nem vosso a trabalho naquilo
até começarem a acreditar Nele — A
que não pode satisfazer. Ouvi-me
América será uma terra de liberdade,
atentamente e lembrai-vos das pa-
onde nenhum rei governará — Re-
lavras que disse; e vinde ao Santo
conciliai-vos com Deus e alcançai sal-
de Israel e b fartai-vos daquilo que
vação por meio de Sua graça. Apro-
não perece nem pode ser corrom-
ximadamente 559–545 a.C.
pido; e deixai que vossa alma se
deleite na abundância. E agora, meus amados irmãos,
52 Portanto, meus amados ir- eu, Jacó, torno a falar-vos sobre
mãos, lembrai-vos das palavras esse a ramo justo que já citei.
de vosso Deus; orai a ele continua- 2 Pois eis que as a promessas que
mente durante o dia e dai a gra- obtivemos são promessas segun-
ças ao seu santo nome durante a do a carne; portanto, como me foi
noite. Deixai que vosso coração mostrado, muitos de nossos filhos
se regozije. perecerão na carne por causa da
53  E vede quão grandes são incredulidade; não obstante, Deus
os a convênios do Senhor e quão terá misericórdia de muitos; e nos-
grande é a sua condescendência sos filhos serão resgatados, para
para com os filhos dos homens; que obtenham aquilo que lhes
e por causa de sua grandeza e dará o verdadeiro conhecimento
de sua graça e b misericórdia, ele de seu Redentor.
prometeu-nos que nossa semen- 3 Portanto, como vos disse, é
te não seria totalmente destruída, necessário que Cristo — pois na
segundo a carne, mas que a pre- noite passada o a anjo informou-
servaria; e em futuras gerações me que esse seria o seu nome —
tornar-se-ia um c ramo justo para b 
venha aos judeus, aos que são a
a casa de Israel. parte mais iníqua do mundo, e
54 E agora, meus irmãos, quisera eles o c crucificarão — pois assim
falar-vos mais; amanhã, porém, deseja nosso Deus; e nenhuma
50 b Al. 42:27. Misericordioso. Morô. 7:22.
51 a Isa. 55:1–2. c GEE Vinha do Senhor. b GEE Jesus Cristo —
b 2 Né. 31:20; 32:3; 10 1 a 1 Né. 15:12–16; Profecias acerca do
3 Né. 12:6. 2 Né. 3:5; nascimento e da morte
52 a GEE Ação de Jacó 5:43–45. de Jesus Cristo.
Graças, Agradecido, 2 a 1 Né. 22:8; c 1 Né. 11:33;
Agradecimento. 3 Né. 5:21–26; 21:4–7. Mos. 3:9;
53 a GEE Convênio. 3 a 2 Né. 25:19; D&C 45:52–53.
b GEE Misericórdia, Jacó 7:5;
2 NÉFI 10:4–16 88
outra nação na Terra crucificaria
d 
seus aios e suas rainhas tornar-se-
seu e Deus. ão amas; portanto, grandes são as
4 Porque caso seus grandes a mi- b 
promessas do Senhor aos gentios,
lagres se dessem em outras na- pois ele assim o disse, e quem po-
ções, elas se arrependeriam e sa- derá contestar?
beriam ser ele o seu Deus. 10 Mas eis que esta terra, disse
5 Mas por causa de a artimanhas Deus, será uma terra de tua he-
sacerdotais e de iniquidades, os rança e os a gentios serão aben-
de Jerusalém endurecerão a cer- çoados nela.
viz contra ele, para que seja cru- 11 E esta terra será uma terra
cificado. de a liberdade para os gentios e
6 Portanto, devido às iniquida- não haverá b reis nesta terra que
des deles, recairão sobre eles des- tenham poder sobre os gentios.
truições, fome, pestes e derrama- 12 E eu fortificarei esta terra con-
mento de sangue; e os que não tra todas as outras nações.
forem destruídos serão a dispersos 13 E quem a lutar contra Sião b pe-
por todas as nações. recerá, diz Deus.
7 Mas eis que assim diz o a Se- 14 Pois quem levantar um rei
nhor Deus: b Quando chegar o dia contra mim perecerá, porque eu,
em que acreditarem em mim, que o Senhor, o a rei dos céus, serei seu
eu sou Cristo, fiz eu convênio com rei e serei para sempre uma b luz
seus pais de que, na Terra, serão para aqueles que ouvem minhas
restituídos na carne às terras de palavras.
sua herança. 15 Portanto, por este motivo,
8 E acontecerá que serão a coliga- a fim de que sejam cumpridos
dos de sua longa dispersão, desde os a convênios que fiz com os fi-
as b ilhas do mar e dos quatro can- lhos dos homens, que cumpri-
tos da Terra; e as nações dos gen- rei enquanto estiverem na carne,
tios serão grandes a meus olhos, devo destruir as b obras secretas
diz Deus, por c levá-los às terras das c trevas e os assassinatos e as
de sua herança. abominações.
9 a Sim, os reis dos gentios serão 16 Portanto, quem lutar contra
3 d Lc. 23:20–24. de Israel. b Isa. 60:12.
e 1 Né. 19:10. b 1 Né. 22:4; 14 a Al. 5:50;
4 a GEE Milagre. 2 Né. 10:20–22; D&C 38:21–22;
5 a Lc. 22:2. D&C 133:8. 128:22–23;
GEE Artimanhas c 1 Né. 22:8. Mois. 7:53.
Sacerdotais. 9 a Isa. 49:22–23. b GEE Luz, Luz de Cristo.
6 a 1 Né. 19:13–14. b 1 Né. 22:8–9; 15 a GEE Convênio.
GEE Israel — Dispersão D&C 3:19–20. b Hel. 3:23.
de Israel. 10 a 2 Né. 6:12. GEE Combinações
7 a GEE Senhor. 11 a GEE Liberdade, Livre. Secretas.
b 2 Né. 25:16–17. b Mos. 29:31–32. c GEE Trevas Espirituais.
8 a GEE Israel — Coligação 13 a 1 Né. 22:14, 19.
89 2 NÉFI 10:17–24
Sião, seja judeu ou gentio, escra-
a 
lado o pecado e não inclinemos a
vo ou livre, homem ou mulher, cabeça, pois não fomos rejeitados;
perecerá; pois b estes são os que não obstante, fomos a expulsos da
constituem a prostituta de toda a terra de nossa herança; fomos,
Terra; porque c os que d não estão porém, conduzidos a uma b terra
comigo estão e contra mim, diz melhor, pois o Senhor fez do mar
nosso Deus. nosso c caminho e estamos em uma
17 Pois a cumprirei as promessas d 
ilha do mar.
que fiz aos filhos dos homens, as 21 Mas grandes são as promes-
quais cumprirei enquanto estive- sas do Senhor aos que estão nas
rem na carne. a 
ilhas do mar; portanto, como é
18 Portanto, meus amados ir- dito ilhas, deve haver outras além
mãos, assim diz nosso Deus: Afli- desta e elas são também habitadas
girei a vossa posteridade pela mão por nossos irmãos.
dos gentios; não obstante, abran- 22 Porque eis que de tempos em
darei o coração dos a gentios, para tempos o Senhor Deus a levou al-
que sejam como um pai para eles; guns da casa de Israel, segundo a
portanto, os gentios serão b aben- sua vontade e prazer. E agora, eis
çoados e c contados com os da casa que o Senhor se recorda de todos
de Israel. os que foram separados; portanto,
19 a Consagrarei, pois, esta terra recorda-se de nós também.
para sempre a vossa semente e aos 23 Animai-vos, portanto, e lem-
que forem contados com a vossa brai-vos de que sois a livres para
semente, para que seja a terra de b 
agir por vós mesmos — para c es-
sua herança; porque é uma terra colher o caminho da morte eterna
escolhida, diz-me Deus, acima ou o caminho da vida eterna.
de todas as outras terras; desejo, 24  Portanto, reconciliai-vos,
portanto, que todos os que nela meus amados irmãos, com a von-
habitarem me adorem, diz Deus. tade de Deus e não com a vontade
20 E agora, meus amados ir- do diabo e da carne; e lembrai-
mãos, vendo que nosso miseri- vos, depois de vos reconciliardes
cordioso Deus nos deu tão grande com Deus, de que é somente na
conhecimento sobre estas coisas, graça e pela a graça de Deus que
lembremo-nos dele e deixemos de sois b salvos.
16 a GEE Sião. b Ef. 3:6. Promissão.
b 1 Né. 13:4–5. c Gál. 3:7, 29; c 1 Né. 18:5–23.
c 1 Né. 14:10. 1 Né. 14:1–2; d Isa. 11:10–12.
d 1 Né. 22:13–23; 3 Né. 16:13; 21:6, 22; 21 a 1 Né. 19:15–16; 22:4.
2 Né. 28:15–32; 30:2; 22 a 1 Né. 22:4.
3 Né. 16:8–15; Ét. 2:9. Abr. 2:9–11. 23 a GEE Arbítrio.
e Mt. 12:30. 19 a 2 Né. 3:2. b 2 Né. 2:16.
17 a D&C 1:38. 20 a 1 Né. 2:1–4. c Deut. 30:19.
18 a Lc. 13:28–30; b 1 Né. 2:20. 24 a GEE Graça.
D&C 45:7–30. GEE Terra da b GEE Salvação.
2 NÉFI 10:25–11:8 90
25 Possa Deus, portanto, levan- mais testemunhas e ele comprova
tar-vos da morte pelo poder da todas as suas palavras.
ressurreição e também da morte 4 Eis que minha alma se regozija
eterna, pelo poder da a expiação, em a provar ao meu povo a vera-
a fim de que sejais recebidos no cidade da b vinda de Cristo; pois
eterno reino de Deus para louvá- para esse fim foi dada a c lei de
lo pela graça divina. Amém. Moisés; e todas as coisas que fo-
ram dadas por Deus aos homens,
CAPÍTULO 11 desde o começo do mundo, são
símbolos dele.
Jacó viu seu Redentor — A lei de
5 E minha alma também se de-
Moisés simboliza Cristo e confirma
leita nos a convênios que o Senhor
que Ele virá. Aproximadamente 559–
fez com nossos pais; sim, minha
545 a.C.
alma deleita-se na sua graça e na
E então a Jacó disse muitas coisas sua justiça e poder e misericórdia
mais ao meu povo naquela oca- no grande e eterno plano de liber-
sião; não obstante, somente estas tação da morte.
coisas fiz com que fossem b escri- 6 E minha alma deleita-se em
tas, pois o que escrevi me basta. comprovar a meu povo que, a sem
2 E agora eu, Néfi, escrevo mais a vinda de Cristo, todos os ho-
das palavras de a Isaías, porque mens pereceriam.
minha alma se deleita em suas 7 Porque se a não há Cristo, não
palavras. Pois aplicarei suas pa- há Deus; e se não há Deus, não
lavras a meu povo e enviá-las-ei a existimos, porque não poderia
todos os meus filhos, pois ele ver- ter havido b criação. Há entretanto
dadeiramente viu meu b Redentor, um Deus e ele é Cristo; e virá na
assim como eu o vi. plenitude de seu próprio tempo.
3 E meu irmão Jacó também o 8 E agora escrevo algumas das
a 
viu como eu o vi; portanto, en- palavras de Isaías, para que aque-
viarei as suas palavras aos meus les de meu povo que virem essas
filhos, para provar-lhes que as palavras alegrem o coração e re-
minhas palavras são verdadeiras. gozijem-se por todos os homens.
Portanto, pelas palavras de b três, Ora, estas são as palavras e po-
disse Deus, estabelecerei a minha deis aplicá-las a vós e a todos os
palavra. Não obstante, Deus envia homens.
25 a GEE Expiação, Expiar. b 2 Né. 27:12; Ét. 12:19.
11 1 a 2 Né. 6:1–10. Ét. 5:2–4; c 2 Né. 5:10.
b 2 Né. 31:1. D&C 5:11. 5 a GEE Convênio
2 a 3 Né. 23:1. 4 a 2 Né. 31:2. Abraâmico.
b GEE Redentor. b Jacó 4:5; 6 a Mos. 3:15.
3 a 2 Né. 2:3; Jar. 1:11; 7 a 2 Né. 2:13.
Jacó 7:5. Al. 25:15–16; b GEE Criação, Criar.
91 2 NÉFI 12:1–12
CAPÍTULO 12 pois vós todos vos a desviastes,
cada um para seus caminhos iní-
Isaías vê o templo dos últimos dias,
quos.
a coligação de Israel e o julgamento e
6 Portanto, tu, ó Senhor, desam-
a paz do milênio — Os orgulhosos e
paraste o teu povo, a casa de Jacó;
iníquos serão humilhados na segun-
porque a estão cheios de costu-
da vinda — Comparar com Isaías 2.
mes do oriente e dão ouvidos aos
Aproximadamente 559–545 a.C.
adivinhos como os b filisteus; e
A a visão de b Isaías, filho de Amós, c 
associam-se com os filhos de es-
a respeito de Judá e de Jerusalém: tranhos.
2 E acontecerá nos últimos dias, 7 Sua terra também está cheia de
quando o a monte da b casa do Se- prata e ouro, não têm fim os seus
nhor for estabelecido no cume tesouros; também está cheia a sua
dos c montes e se exalçar acima terra de cavalos e os seus carros
dos outeiros e concorrerem a ele não têm fim.
todas as nações. 8 Também está cheia a sua ter-
3 E irão muitos povos e dirão: ra de a ídolos; adoram a obra das
Vinde, subamos ao monte do Se- suas mãos, aquilo que fabricaram
nhor, à casa do Deus de Jacó; e ele os seus dedos.
nos ensinará os seus caminhos, 9 E o malvado não se a inclina e o
e a andaremos nas suas veredas; grande não se humilha; portanto,
porque de Sião sairá a b lei, e de não o perdoes.
Jerusalém, a palavra do Senhor. 10 Ó iníquos, entrai na rocha e
4 E ele a julgará as nações e re- a 
escondei-vos no pó, porque o te-
preenderá muitos povos; e con- mor do Senhor e a glória da sua
verterão as suas espadas em majestade vos ferirão.
enxadas e as suas lanças em foi- 11 E acontecerá que os olhares
ces — não levantará espada na- altivos dos homens serão humi-
ção contra nação nem aprenderão lhados e a altivez dos varões será
mais a guerrear. abatida; e só o Senhor será exalta-
5 Vinde, ó casa de Jacó, e ande- do naquele dia.
mos na luz do Senhor; sim, vinde, 12 Pois o a dia do Senhor dos
12 1 a HEB khazah significa 2 a Joel 3:17. 6 a IE estão cheios de
“prever.” Isto quer di- GEE Sião. ensinamentos e crenças
zer que Isaías recebeu b GEE Templo, A Casa do estrangeiras.
sua mensagem por Senhor. Salm. 106:35.
meio de uma visão c D&C 49:25. b GEE Filisteus.
dada pelo Senhor. 3 a GEE Andar, Andar com c HEB dão-se as mãos ou
b Isaías capítulos 2–14 Deus. fazem convênios com.
são citados das placas b HEB ensinamentos 8 a GEE Idolatria.
de latão de Néfi em ou doutrina. 9 a IE perante Deus; ao
2 Néfi 12–24; há GEE Evangelho. contrário, adora ídolos.
algumas diferenças no 4 a 2 Né. 21:2–9. 10 a Al. 12:14.
texto, que devem ser 5 a 2 Né. 28:14; 12 a GEE Segunda Vinda de
observadas. Mos. 14:6; Al. 5:37. Jesus Cristo.
2 NÉFI 12:13–13:5 92
Exércitos logo virá a todas as na- rochas e pelos cumes dos penhas-
ções; sim, a todas; sim, ao b sober- cos, porque o temor do Senhor
bo e altivo e a todo o que se exalta; virá sobre eles; e a majestade da
e ele será humilhado. sua glória feri-los-á quando ele
13 Sim, e o dia do Senhor virá a se levantar para sacudir terrivel-
todos os cedros do Líbano, porque mente a terra.
são altos e imponentes; e a todos 22  a Afastai-vos do homem cujo
os carvalhos de Basã. fôlego está no seu nariz; pois em
14 E a todos os montes altos e que deve ele ser estimado?
a todos os outeiros; e a todas as
nações que se exaltam e a todos CAPÍTULO 13
os povos.
Judá e Jerusalém serão punidas por
15 E a toda torre alta e a todo
sua desobediência — O Senhor plei-
muro reforçado.
teia por Seu povo e julga-o — As
16 E a todos os navios do a mar
filhas de Sião são amaldiçoadas e
e a todos os navios de Társis e a
atormentadas por seu mundanis-
todos os cenários agradáveis.
mo — Comparar com Isaías 3. Apro-
17 E a altivez do homem será
ximadamente 559–545 a.C.
abatida, humilhada será a sua so-
berba; e só o Senhor será exaltado Pois eis que o Senhor, o Senhor
a 
naquele dia. dos Exércitos, tira de Jerusalém
18 E os ídolos ele totalmente e de Judá o suporte e o sustento,
abolirá. todo o sustento de pão e todo o
19 E meter-se-ão nos buracos das suporte de água —
rochas e nas cavernas da terra, 2 O valente e o guerreiro, o juiz e
porque o temor do Senhor virá o profeta e o prudente e o ancião;
sobre eles; e a glória da sua ma- 3 O capitão de cinquenta e o ho-
jestade feri-los-á quando ele se le- mem respeitável; e o conselheiro
vantar para sacudir terrivelmente e o artífice astuto e o orador elo-
a terra. quente.
20 Naquele dia um homem a lan- 4 E dar-lhes-ei meninos por prín-
çará às toupeiras e aos morcegos cipes, e crianças dominarão sobre
os seus ídolos de prata e os seus eles.
ídolos de ouro, que fez para ele 5 E o povo será oprimido, uns
próprio adorar; pelos outros e cada um pelo seu
21 Para entrar pelas fendas das próximo; a criança comportar-se-á
12 b Mal. 4:1; tem uma frase que a Senhor em glória.
2 Né. 23:11; grega não tem; 2 Né. 20 a HEB expulsar.
D&C 64:24. 12:16, porém, contém 22 a IE cessai de depender
16 a A versão grega ambas. do homem mortal;
(Septuaginta) tem uma Salm. 48:7; ele tem pouco poder,
frase que a hebraica Eze. 27:25. comparado com Deus.
não tem, e a hebraica 17 a IE dia da vinda do Mois. 1:10.
93 2 NÉFI 13:6–20
altivamente com o ancião; e o vil, são crianças; e mulheres os go-
com o honrado. vernam. Ó povo meu, os que te
6 Quando alguém for ter com a 
guiam te enganam e destroem o
seu irmão, da casa de seu pai, curso das tuas veredas.
dizendo: Tu tens roupa, sê nos- 13  O Senhor levanta-se para
so governante e não deixes a 
pleitear e sai a julgar os povos.
que esta a ruína venha sob a tua 14 O Senhor entrará em juízo
mão — com os anciãos do seu povo e com
7 Naquele dia jurará, dizendo: os seus a príncipes; pois b devoras-
Eu não serei um a curador, pois tes a c vinha e o d despojo do e pobre
em minha casa não há pão nem em vossas casas.
roupa; não me coloqueis como 15 Que pretendeis? Afligis o meu
governante do povo. povo e moeis as faces do pobre,
8 Pois Jerusalém foi a destruída diz o Senhor Deus dos Exércitos.
e Judá b caiu; porque a sua língua 16 Diz ainda mais o Senhor: Por-
e as suas obras foram contrárias que as filhas de Sião são altivas e
ao Senhor, para provocar os olhos andam com o pescoço erguido e
da sua glória. têm olhares impudentes, cami-
9 A aparência do seu rosto tes- nham com a passos afetados e ti-
tifica contra eles e declara que o lintando com os pés —
seu pecado é como a Sodoma, e 17 Portanto, o Senhor ferirá com
eles não podem escondê-lo. Ai da sarna o alto da cabeça das filhas
sua alma, porque deram o mal em de Sião e o Senhor porá a a desco-
recompensa a si próprios! berto as suas partes secretas.
10 Dizei aos justos que tudo lhes 18 Naquele dia tirará o Senhor
vai a bem; porque comerão do fru- a ostentação dos seus tilintantes
to das suas obras. ornamentos e as a coifas e os b ador-
11 Ai dos ímpios, porque perece- nos redondos como a lua;
rão; porque de suas próprias mãos 19 As correntes, os braceletes e
receberão a recompensa! os a xales;
12 Os opressores do meu povo 20 Os toucados e os enfeites das
13 6 a Isa. 3:6. D&C 45:3–5. que significa
7 a HEB uma pessoa que 14 a HEB governantes ou “envergonhá-las.”
faz curativos; i.e., não chefes. 18 a Possivelmente
posso resolver vossos b HEB consumir ou redes de cabelo.
problemas. queimar. Os estudiosos nem
8 a Jer. 9:11. c Isa. 5:7. sempre concordam
b Lam. 1:3. d IE ganho ilícito. sobre a natureza dos
9 a Gên. 19:1, 4–7, 24–25. e 2 Né. 28:12–13. adornos femininos
GEE Comportamento 16 a IE caminhar com mencionados nos vers.
Homossexual. passos rápidos e 18–23.
10 a Deut. 12:28. curtos, de modo b IE adornos com
12 a Isa. 9:16. afetado. o formato de lua
13 a HEB contender. 17 a HEB expor; crescente.
Miq. 6:2; expressão idiomática 19 a HEB véus.
2 NÉFI 13:21–14:6 94
pernas e os diademas e as caixi- será belo e glorioso; o fruto da ter-
nhas de perfume e os brincos; ra será excelente e formoso para
21 Os anéis e as joias do nariz; os que escaparem de Israel.
22 Os vestidos de festa e os man- 3 E acontecerá que aqueles que
tos e as toucas e os grampos de ficarem em Sião e os que perma-
encrespar; necerem em Jerusalém serão cha-
23 Os a espelhos e o linho fino e mados santos. Todos os que esti-
os capuzes e os véus. verem inscritos entre os vivos em
24 E acontecerá que em lugar de Jerusalém —
perfume haverá mau cheiro; e em 4  a Quando o Senhor tiver b la-
lugar de cinto, uma a rotura; e em vado a imundície das filhas de
lugar de cabelos bem penteados, Sião e limpado o sangue de Jeru-
calvície; e em lugar de b corpete, salém do meio dela, com o espí-
um envoltório de saco; c queima- rito de justiça e com o espírito de
dura em lugar de formosura. c 
ardor.
25 Teus varões cairão sob a es- 5 E criará o Senhor, sobre toda a
pada e teus valentes na guerra. habitação do monte Sião e sobre
26 E as suas portas lamentarão e as suas congregações, uma a nu-
prantearão; e ela se assentará no vem e uma fumaça de dia e o res-
chão, desolada. plendor de um fogo chamejante à
noite; porque sobre toda a glória
CAPÍTULO 14 de Sião haverá uma defesa.
6 E haverá um tabernáculo por
Sião e suas filhas serão redimidas e
sombra contra o calor do dia e
purificadas no dia do milênio — Com-
por a refúgio e esconderijo contra
parar com Isaías 4. Aproximadamente
a tempestade e a chuva.
559–545 a.C.
E naquele dia sete mulheres lan-
CAPÍTULO 15
çarão mão de um homem, dizen-
do: Nós comeremos nosso próprio A vinha do Senhor (Israel) tornar-
pão e vestir-nos-emos com nos- se-á desolada e Seu povo será disper-
sos próprios vestidos; tão somen- so — Aflições virão sobre eles em sua
te queremos ser chamadas pelo apostasia e dispersão — O Senhor
teu nome, para desfazer o nosso levantará um estandarte e coligará
a 
opróbrio. Israel — Comparar com Isaías 5.
2 Naquele dia o a ramo do Senhor Aproximadamente 559–545 a.C.
23 a OU vestimentas 14 1 a IE o estigma de não ter Terra.
transparentes. casado e não ter filhos. b GEE Lavado,
24 a HEB andrajos. 2 a Isa. 60:21; Lavamento, Lavar.
b OU manto. 2 Né. 3:5; c Mal. 3:2–3; 4:1.
c OU marcar com ferro Jacó 2:25. 5 a Êx. 13:21.
em brasa (marca da 4 a IE Quando o Senhor 6 a Isa. 25:4;
escravidão). tiver purificado a D&C 115:6.
95 2 NÉFI 15:1–15
E então cantarei ao meu bem- eis aqui opressão; retidão, mas eis
amado o a cântico do meu amado aqui um clamor.
a respeito da sua vinha. O meu 8 Ai dos que ajuntam a casa a casa
bem-amado tem uma vinha num até que não possa haver nenhum
outeiro muito fértil. lugar, para b ficarem sozinhos no
2 E cercou-a e limpou-a das pe- meio da terra!
dras e nela plantou excelente a vi- 9 Aos meus ouvidos disse o Se-
deira; e edificou no meio dela uma nhor dos Exércitos: Em verda-
torre e também construiu nela um de, muitas casas ficarão desertas;
lagar; e esperava que desse uvas, e grandes e belas cidades, sem
mas deu uvas bravas. moradores.
3 E agora, ó habitantes de Jeru- 10 Sim, dez acres de vinha darão
salém e homens de Judá, julgai, um a bato; e um ômer de semente
eu vos peço, entre mim e a mi- dará um efa.
nha vinha. 11 Ai dos que se levantam pela
4 Que mais poderia ser feito à manhã para a procurar bebida for-
minha vinha, que eu não lhe te- te; e continuam até à noite e o b vi-
nha feito? Entretanto quando es- nho os inflama!
perei que desse uvas, produziu 12 E a harpa, e o alaúde, o tam-
uvas bravas. boril, e pífaro, e vinho há nos seus
5 Agora, pois, eu vos farei saber banquetes; mas eles não a olham
o que hei de fazer à minha vi- para o trabalho do Senhor, nem
nha — a Tirarei a sua sebe e servirá consideram as obras das suas
de pasto; derribarei a sua parede mãos.
e será pisada; 13 Portanto, o meu povo foi le-
6 E torná-la-ei em deserto; não vado para o cativeiro por falta de
será podada nem cavada, mas a 
conhecimento; e os seus nobres
crescerão nela a sarças e espinhei- estão famintos, e a sua multidão
ros; e às nuvens darei ordem para está com sede.
que b não derramem chuva sobre 14 Por isso o inferno alargou-se e
ela. abriu a boca desmesuradamente;
7 Porque a a vinha do Senhor dos e a glória deles e a sua multidão e
Exércitos é a casa de Israel e os a sua pompa e os que se deleitam
homens de Judá são a planta dos a ele baixarão.
seus deleites; e esperou b juízo, e 15 Então o plebeu será abatido;
15 1 a IE O profeta compõe 6 a Isa. 7:23; 32:13. dos pobres.
uma canção ou b Jer. 3:3. 10 a Eze. 45:10–11.
parábola poética sobre 7 a GEE Vinha do Senhor. 11 a Prov. 23:30–32.
uma vinha, mostrando b OU justiça. b GEE Palavra de
a misericórdia de 8 a Miq. 2:1–2. Sabedoria.
Deus e a indiferença b IE deixados sozinhos. 12 a Salm. 28:5.
de Israel. Os ricos proprietários 13 a Ose. 4:6.
2 a Jer. 2:21. de terra absorvem as GEE Conhecimento.
5 a Salm. 80:12. pequenas propriedades
2 NÉFI 15:16–29 96
e o poderoso será humilhado, e 24 Portanto, assim como o fogo a 

os olhos dos altivos serão humi- devora o b restolho, e a chama


lhados. consome a c palha, será a sua raiz
16 Mas o Senhor dos Exércitos podridão, e as suas flores se es-
será exaltado em a juízo e Deus, vaecerão como pó; porquanto re-
que é Santo, será santificado em jeitaram a lei do Senhor dos Exér-
retidão. citos, e d desprezaram a palavra do
17 Então os cordeiros pastarão Santo de Israel.
segundo o seu costume; e os luga- 25 Por isso acendeu-se a a ira do
res desolados dos gordos, comê- Senhor contra o seu povo e esten-
los-ão os estranhos. deu contra ele a sua mão e feriu-o;
18 Ai dos que puxam pela ini- e as montanhas tremeram e os
quidade com cordas de a vaidade seus cadáveres foram despedaça-
e pelo pecado, b como se fosse com dos no meio das ruas. Com tudo
uma corda de carro! isso não voltou atrás a sua ira,
19  Que dizem: Avie-se ele e mas ainda está alçada a sua mão.
a 
apresse a sua obra, para que a 26 E ele arvorará um a estandarte
b 
vejamos; e aproxime-se e venha o ante as nações longínquas e b as-
conselho do Santo de Israel, para sobiar-lhes-á desde os confins da
que o conheçamos. Terra; e eis que c virão apressada-
20 Ai dos que ao mal a chamam mente; não haverá entre eles can-
bem, e ao bem, mal; que fazem da sados nem claudicantes.
b 
escuridão luz, e da luz, escuri- 27 Ninguém toscanejará nem
dão; e fazem do amargo doce, e dormirá; não se lhe desatará o
do doce, amargo! cinto dos seus lombos, nem se
21 Ai dos que são a sábios aos lhe quebrará a correia dos seus
seus próprios olhos, e prudentes sapatos.
à sua própria vista! 28 As suas flechas serão agudas,
22 Ai dos que são poderosos e todos os seus arcos, retesados; e
para beber vinho e valentes para os cascos dos seus cavalos serão
misturar bebida forte; contados como pederneira, e as
23 Que justificam o ímpio por suas rodas, como um redemoinho.
recompensa e a tiram ao justo a O seu rugido será como o do leão.
sua retidão! 29 Rugirão como filhos de a leão;
16 a GEE Jesus Cristo — Juiz. b 1 Jo. 1:6. c Lc. 3:17; Mos. 7:29–31.
18 a GEE Vaidade, Vão. 21 a Prov. 3:5–7; d 2 Sam. 12:7–9.
b IE Estão atados a seus 2 Né. 28:15. 25 a D&C 63:32;
pecados como animais 23 a IE privam-no de seus Mois. 6:27.
a suas cargas. direitos legais. 26 a GEE Estandarte.
19 a Jer. 17:15. 24 a Oba. 1:18; Mal. 4:1–2; b IE, sinal para a
b IE Eles não acreditarão 2 Né. 20:17. coligação.
no Messias até que O b Joel 2:5; Isa. 7:18; 2 Né. 29:2.
vejam. 1 Né. 22:15, 23; c GEE Israel — Coligação
20 a Morô. 7:14, 18; 2 Né. 26:4, 6; de Israel.
D&C 64:16; 121:16. D&C 64:23–24; 133:64. 29 a 3 Né. 21:12–13.
97 2 NÉFI 15:30–16:12
sim, rugirão e arrebatarão a presa homem de lábios impuros e habi-
e levá-la-ão em segurança; e não to no meio de um povo de impu-
haverá quem a livre. ros lábios; pois os meus olhos vi-
30 E bramarão contra eles na- ram o Rei, o Senhor dos Exércitos.
quele dia, como o bramido do 6 Então um dos serafins voou
mar; e se olharem para a terra, eis para mim, trazendo na mão uma
trevas e pesar; e a luz escurecer- a 
brasa viva que tirara do altar com
se-á nos céus. uma tenaz;
7 E com ela tocou-me a boca e
CAPÍTULO 16 disse: Eis que isto tocou os teus lá-
bios; e a tua a iniquidade foi tirada
Isaías vê o Senhor — Os pecados de
e purgado o teu pecado.
Isaías são perdoados — Ele é cha-
8 E também ouvi a voz do Se-
mado para profetizar — Profetiza a
nhor, que dizia: A quem enviarei
rejeição dos ensinamentos de Cristo
e quem há de ir por nós? Então
pelos judeus — Um remanescente
disse eu: Eis-me aqui, envia-me
retornará — Comparar com Isaías
a mim.
6. Aproximadamente 559–545 a.C.
9 E disse ele: Vai e dize a este
No a ano em que morreu o rei povo — Ouvi bem, mas não en-
Uzias, eu vi também o Senhor tenderam; e vede bem, mas não
assentado sobre um alto e subli- perceberam.
me trono; e a cauda do seu manto 10  Engorda o coração deste
enchia o templo. povo, endurece-lhe os ouvidos e
2 Os a serafins estavam acima do fecha-lhe os olhos — não venha
trono; cada um tinha seis asas; ele a ver com os seus olhos e a ou-
com duas cobriam o rosto, com vir com os seus ouvidos e enten-
duas cobriam os pés e com duas der com o seu coração e conver-
voavam. ter-se e ser curado.
3 E clamavam uns aos outros, 11 Então disse eu: Senhor, até
dizendo: Santo, santo, santo é o quando? E ele disse: Até que se
Senhor dos Exércitos; toda a Terra assolem as cidades e fiquem sem
está cheia da sua glória. habitantes; e nas casas não fique
4 E os a umbrais da porta move- morador, e a terra seja totalmente
ram-se com a voz daquele que desolada.
clamava, e a casa encheu-se de 12 E o Senhor tenha a afastado
fumaça. para longe os homens, porque
5 Então disse eu: Ai de mim, pois haverá grande desolação no meio
estou a perdido! Porque sou um da terra.
16 1 a IE cerca de 750 a.C. estava oprimido pela purificação.
2 a GEE Querubins. consciência de seus 7 a GEE Remissão de
4 a HEB tremeram os pecados e dos de seu Pecados.
alicerces das soleiras. povo. 10 a Mt. 13:14–15.
5 a HEB afastado; i.e., 6 a IE símbolo de 12 a 2 Re. 17:18, 20.
2 NÉFI 16:13–17:14 98
13 Mas haverá ainda uma déci- pedaços de tição fumegantes, por
ma parte, e eles voltarão e serão causa do ardor da ira de Rezim
devorados, como uma azinheira e com a Síria e do filho de Remalias.
como um carvalho que, depois de 5 Porquanto a Síria, Efraim e o
desfolharem, ainda conservam em filho de Remalias tiveram contra
si a sua substância; assim, a santa ti maligno conselho, dizendo:
semente será a a substância deles. 6 Subamos contra Judá e ator-
mentemo-la; a repartamo-la entre
CAPÍTULO 17 nós e ponhamos um rei no meio
dela, o filho de Tabeal.
Efraim e a Síria fazem guerra contra
7 Assim diz o Senhor Deus: Isso
Judá — Cristo nascerá de uma vir-
não subsistirá nem tampouco
gem — Comparar com Isaías 7. Apro-
acontecerá.
ximadamente 559–545 a.C.
8 Pois a cabeça da Síria é Damas-
E aconteceu nos dias de Acaz, co e a cabeça de Damasco, Rezim;
filho de Jotão, filho de Uzias, rei e dentro de sessenta e cinco anos
de Judá, que Rezim, rei da Síria, Efraim será quebrantado e deixará
e Peca, filho de Remalias, rei de de ser um povo.
Israel, subiram a Jerusalém para 9 E a cabeça de Efraim é Samaria
pelejar contra ela, mas não pude- e a cabeça de Samaria é o filho de
ram prevalecer contra ela. Remalias. Se a não crerdes, certa-
2 E deram aviso à casa de Davi, mente não ficareis firmes.
dizendo: A Síria fez aliança com 10 E o Senhor falou novamente
a 
Efraim. E moveu-se-lhe o coração a Acaz, dizendo:
e o coração do seu povo, como 11 Pede ao Senhor teu Deus um
se movem as árvores do bosque a 
sinal; pede-o embaixo nas pro-
com o vento. fundezas ou em cima nas alturas.
3 Então disse o Senhor a Isaías: 12 Acaz, porém, disse: Não o
Ide agora, tu e teu filho, a Sear- pedirei nem a tentarei o Senhor.
Jasube, ao encontro de Acaz, ao 13 E ele disse: Ouvi agora, ó casa
fim do canal do tanque superior, de Davi: É pouco para vós afadi-
na estrada do campo do pisoeiro. gardes os homens; ainda afadiga-
4 E dize-lhe: Acautela-te e aquie- reis também o meu Deus?
ta-te; a não temas nem se desani- 14 Portanto, o próprio Senhor
me o teu coração por esses dois vos dará um sinal: Eis que uma
13 a IE Como uma árvore norte foi chamada poder de fogo àqueles
que, embora suas pelo nome de Efraim, dois reis.
folhas estejam a principal tribo do 6 a HEB dividamo-la.
espalhadas, ainda norte. 9 a 2 Crôn. 20:20.
possui vida e o 3 a HEB O remanescente 11 a GEE Sinal.
potencial de produzir retornará. 12 a IE testar, experimentar
sementes. 4 a IE Não te alarmes com ou provar.
17 2 a IE Toda a Israel do o ataque; resta pouco
99 2 NÉFI 17:15–18:3
virgem conceberá e dará à luz um
a 
comerá todo aquele que restar na
filho; e b Emanuel será o seu nome. terra.
15 Manteiga e mel comerá, para 23 E acontecerá naquele dia que
que saiba rejeitar o mal e escolher todo lugar em que havia mil vides
o bem. do valor de mil moedas de prata
16  Pois antes que o a menino será para sarças e espinheiros.
saiba rejeitar o mal e escolher o 24 Com arcos e flechas entrar-
bem, a terra de que te enfadas será se-á ali, porque as sarças e os es-
abandonada por seus b dois reis. pinheiros cobrirão toda a terra.
17 O Senhor fará a vir sobre ti e 25 E em todos os montes que
sobre o teu povo e sobre a casa de forem cavados com enxadas não
teu pai, pelo rei da Assíria, dias entrará o temor das sarças e dos
que nunca vieram, desde o dia em espinheiros; mas servirão para
que b Efraim se separou de Judá. pasto de bois e para serem pisa-
18 E acontecerá que naquele dia dos pelo a gado miúdo.
a 
assobiará o Senhor para a mos-
ca que está nas extremidades do CAPÍTULO 18
Egito e para a abelha que está na
Cristo será como uma pedra de trope-
terra da Assíria;
ço e uma rocha de escândalo — Con-
19 E virão e pousarão todas nos
sultai o Senhor, não adivinhos — Vol-
vales desertos e nas fendas das
tai-vos para a lei e o testemunho, para
rochas e sobre todos os espinhos
orientação — Comparar com Isaías
e sobre todos os arbustos.
8. Aproximadamente 559–545 a.C.
20 No mesmo dia a rapará o Se-
nhor com uma navalha alugada Disse-me também o Senhor: Toma
por aqueles que estão além do um grande rolo e escreve nele com
rio, pelo b rei da Assíria, a cabeça uma pena, concernente a a Maer-
e o pelo dos pés; e também rapa- Salal-Hás-Baz.
rá a barba. 2 E tomei comigo fiéis a teste-
21 E acontecerá naquele dia que munhas para escrever ao sacer-
um homem a alimentará uma no- dote Urias e a Zacarias, filho de
vilha e duas ovelhas. Jeberequias.
22 E acontecerá que, por causa 3 E fui ter com a a profetisa e ela
da abundância do leite que elas concebeu e deu à luz um filho; e o
hão de dar, ele comerá mantei- Senhor disse-me: Põe-lhe o nome
ga; porquanto manteiga e mel de Maer-Salal-Hás-Baz.
14 a GEE Virgem. Isa. 5:26. restarão.
b HEB Deus está conosco. 20 a IE A terra será 25 a HEB ovelhas ou bodes.
GEE Emanuel. despovoada por um 18 1 a HEB Para ir rápido ao
16 a 2 Né. 18:4. invasor estrangeiro. despojo, ele apressa a
b 2 Re. 15:30; 16:9. b 2 Re. 16:5–9. presa.
17 a 2 Crôn. 28:19–21. 21 a IE Apenas alguns 2 a GEE Testemunha.
b 1 Re. 12:16–19. sobreviventes 3 a IE sua esposa.
18 a IE dar sinal, convocar. auto-suficientes
2 NÉFI 18:4–18 100
4 Pois eis que antes que o meni- a 
e ela não subsistirá, porque Deus
a 

no b saiba dizer meu pai e minha está conosco.


mãe, serão levadas as riquezas de 11 Porque assim o Senhor me
Damasco e os c despojos de Sama- falou com mão forte e instruiu-
ria ao rei da Assíria. me a não andar no caminho deste
5 E o Senhor falou novamente povo, dizendo:
comigo, dizendo: 12 Não chameis a conspiração
6 Porquanto este povo despre- a tudo quanto este povo chama
za as águas de a Siloé, que correm conspiração; e não participeis de
brandamente; e alegra-se com b Re- seu temor nem tenhais medo.
zim e com o filho de Remalias. 13 Santificai o Senhor dos Exér-
7 Então, eis que o Senhor fará vir citos; e a seja ele o vosso temor e
a 
sobre eles as águas do rio, fortes seja ele o vosso assombro.
e caudalosas, isto é, sobre o rei 14 E ele será por a santuário; mas
da Assíria com toda a sua glória; servirá de b pedra de tropeço e de
e subirá acima de todos os seus rocha de escândalo às duas casas
leitos e transbordará por todas as de Israel; de laço e rede aos mo-
suas ribanceiras. radores de Jerusalém.
8 E a passará por Judá; ele trans- 15 E muitos dentre eles a tropeça-
bordará e inundará e chegará até rão e cairão; e serão quebrantados
o pescoço; e a extensão das suas e enlaçados e presos.
asas encherá a largura da tua ter- 16 Ligai o testemunho, selai a a lei
ra, ó b Emanuel. entre os meus discípulos.
9 a Uni-vos, ó povos, e sereis fei- 17 E esperarei o Senhor, que a es-
tos em pedaços; e dai ouvidos, conde o rosto da casa de Jacó; e a
todos vós, de países distantes; ele aguardarei.
cingi-vos e sereis feitos em peda- 18 Eis que eu e os filhos que me
ços; cingi-vos e sereis feitos em deu o Senhor aqui estamos como
pedaços. a 
sinais e maravilhas, em Israel, da
10 Tomai juntamente conselho, e parte do Senhor dos Exércitos que
ele será dissipado; dizei a palavra, habita no monte Sião.
4 a 2 Né. 17:16. Emanuel) será 16 a HEB ensinamentos,
b Isa. 8:4. poupada. doutrina.
c 2 Re. 15:29. Salm. 46:7. GEE Evangelho.
6 a Gên. 49:10; 12 a IE Judá não dependerá 17 a Isa. 54:8.
TJS Gên. 50:24 de combinações 18 a IE Os nomes de
(Apêndice da Bíblia). secretas com outros Isaías e de seus
b Isa. 7:1. para sua segurança. filhos significam:
7 a IE primeiramente sobre 13 a IE Sede reverentes “Jeová salva”;
a Israel do norte. e humildes perante “O remanescente
8 a IE Assíria também Deus. retornará”; e “Para ir
penetrará em Judá. 14 a Eze. 11:15–21. rápido ao despojo, ele
b GEE Emanuel. b 1 Ped. 2:4–8; apressa a presa.”
9 a IE Fazer alianças. Jacó 4:14–15. 2 Né. 17:3; 18:3.
10 a IE Judá (terra de 15 a Mt. 21:42–44.
101 2 NÉFI 18:19–19:7
19 E quando vos disserem: Con- depois afligiu mais severamente,
sultai os a adivinhos e os b encan- pelo caminho do Mar Vermelho,
tadores que chilreiam e murmu- além do Jordão, na Galileia das
ram entre dentes — c não deve nações.
um povo consultar o seu Deus, 2 O povo que andava nas a trevas
para que os vivos ouçam d os viu uma grande luz; sobre os que
mortos? habitavam na região da sombra da
20 À lei e ao testemunho; e se morte a luz resplandeceu.
a 
eles não falarem segundo esta pa- 3 Tu multiplicaste a nação e a au-
lavra, é porque não há neles luz. mentaste a alegria — eles se ale-
21 E a passarão por ela duramen- gram perante ti como se alegram
te oprimidos e famintos; e acon- na ceifa e como os homens exul-
tecerá que, tendo fome, se enfu- tam quando repartem os despojos.
recerão e amaldiçoarão a seu rei 4 Porque tu quebraste o jugo que
e a seu Deus e olharão para cima. pesava sobre ele e a vara de seu
22 E olharão para a Terra e con- ombro, o bastão do seu opressor.
templarão tribulações e trevas, 5 Pois toda peleja dos guerrei-
obscuridade de angústia; e serão ros se faz com ruídos confusos e
arrastados às trevas. vestimentas roladas em sangue,
mas esta será com queimadura e
CAPÍTULO 19 combustível de fogo.
6 Pois um a menino nos nasceu,
Isaías fala messianicamente — O
um filho se nos deu; e o b gover-
povo que andava em trevas verá uma
no estará sobre os seus ombros;
grande luz — Um menino nos nas-
e o seu nome será: Maravilhoso,
ceu — Ele será o Príncipe da Paz e
Conselheiro, c Poderoso Deus, d Pai
reinará no trono de Davi — Compa-
Eterno, Príncipe da e Paz.
rar com Isaías 9. Aproximadamente
7 O aumento de a governo e de
559–545 a.C.
paz b não terá fim sobre o trono
Não obstante, o entenebrecimen- de Davi, e sobre o seu reino para
to não será tal como o foi em sua organizá-lo, e estabelecê-lo com
aflição, quando no princípio ele juízo e com justiça desde agora,
afligiu ligeiramente a a terra de e para sempre. O zelo do Senhor
Zebulom e a terra de Naftali, e dos Exércitos fará isso.
19 a Lev. 20:6. cativeiro porque não 6 a Isa. 7:14;
b IE feiticeiros, adivinhos. daria ouvidos. Lc. 2:11.
c 1 Sam. 28:6–20. 19 1 a Mt. 4:12–16. b Mt. 28:18.
d OU em nome dos. 2 a A “obscuridade” e as c Tit. 2:13–14.
20 a IE os médiuns “trevas” eram apos- d Al. 11:38–39, 44.
espíritas (também nos tasia e cativeiro; “a e Jo. 14:27.
vers. 21–22). grande luz” é Cristo. 7 a GEE Governo.
21 a IE Israel seria levada ao 3 a Isa. 9:3. b Dan. 2:44.
2 NÉFI 19:8–20:2 102
8 O Senhor enviou a sua palavra aplacou a sua ira, mas ainda está
a Jacó, e ela caiu sobre a Israel. estendida a sua c mão.
9 E todo o povo o saberá, até 18  Pois a iniquidade queima
mesmo Efraim e os habitantes de como fogo; devorará as sarças e
Samaria, que dizem com soberba os espinheiros e atear-se-á nos
e altivez de coração: emaranhados das florestas; e eles
10 Os tijolos caíram, mas com ascenderão como a subida da fu-
pedras lavradas edificaremos; cor- maça.
taram-se os sicômoros, mas por 19 Pela ira do Senhor dos Exér-
cedros substituí-los-emos. citos a terra será escurecida e o
11 Portanto, o Senhor levantará povo será como combustível de
contra ele os adversários de a Re- fogo; a nenhum homem poupará
zim e reunirá os seus inimigos. seu irmão.
12 Pela frente, os sírios, e por 20 Arrebatará à sua direita e terá
trás, os filisteus; e a devorarão Is- fome; a comerá à sua esquerda e
rael com a boca escancarada. Com não se fartará; cada um comerá a
tudo isso não se aplacou a sua carne do próprio braço —
b 
ira, mas ainda está estendida a 21 a Manassés, b Efraim; e Efraim,
sua mão. Manassés; eles juntos serão con-
13 Porque o povo a não se volta tra c Judá. Com tudo isto não se
para quem o fere nem busca o Se- lhe aplacou a ira, mas ainda está
nhor dos Exércitos. estendida a sua mão.
14 Portanto, o Senhor cortará de
Israel a cabeça e a cauda, o ramo CAPÍTULO 20
e o junco, num dia.
A destruição da Assíria é um sím-
15 O ancião é a cabeça, e o profe-
bolo da destruição dos iníquos na
ta que ensina falsidades é a cauda.
Segunda Vinda — Poucas pessoas
16 Pois os guias deste povo fa-
restarão após o retorno do Senhor —
zem-no errar, e os que por eles são
Os remanescentes de Jacó retornarão
guiados são destruídos.
naquele dia — Comparar com Isaías
17 Pelo que o Senhor não se re-
10. Aproximadamente 559–545 a.C.
gozijará com os seus jovens e não
se a compadecerá de seus órfãos e Ai dos que decretam leis injustas
viúvas; porque são todos hipócri- e que escrevem perversidades por
tas e malfazejos e toda boca pro- eles prescritas;
fere b tolices. Com tudo isto não se 2  Para apartar do a juízo os
8 a IE A mensagem 12 a 2 Re. 17:6, 18. 19 a Miq. 7:2–6.
profética que segue b Isa. 5:25; 10:4. 20 a Deut. 28:53–57.
(vers. 8–21) foi 13 a Amós 4:6–12. 21 a GEE Manassés.
uma advertência às 17 a GEE Misericórdia, b GEE Efraim.
dez tribos do norte Misericordioso. c GEE Judá.
chamadas Israel. b 2 Né. 9:28–29. 20 2 a OU justiça.
11 a 2 Re. 16:5–9. c Jacó 5:47; 6:4.
103 2 NÉFI 20:3–16
necessitados e tirar o direito aos melhores do que as de Jerusalém
pobres de meu povo; para que as e de Samaria;
b 
viúvas sejam sua presa e para 11 Como fiz a Samaria e aos seus
roubarem os órfãos! ídolos, não o farei igualmente a
3 E o que fareis vós no dia da a vi- Jerusalém e aos seus ídolos?
sitação e na desolação que há de 12 Portanto, há de acontecer que,
vir de longe? A quem recorrereis havendo o Senhor terminado toda
para obter socorro e onde deixa- a sua obra no monte Sião e em Je-
reis a vossa glória? rusalém, castigarei o a fruto do ar-
4 Sem mim, eles se abaterão en- rogante coração do rei da b Assíria
tre os presos e cairão entre os mor- e a glória da sua altivez.
tos. Com tudo isto a sua ira não se 13  Pois a ele diz: Com a for-
aplacou, mas ainda está estendida ça da minha mão e com a mi-
a sua mão. nha sabedoria fiz essas coisas;
5 Ó assírio, vara da minha ira, porque sou prudente; e removi
e a a sua indignação é o cajado na as fronteiras dos povos e rou-
sua mão. bei os seus tesouros e, como ho-
6 Enviá-lo-ei a contra uma nação mem valente, derrubei os seus
hipócrita e contra o povo do meu habitantes.
furor dar-lhe-ei ordem para que 14 E a minha mão achou as ri-
lhe tome os despojos e roube-lhe quezas dos povos como a um ni-
a presa e ponha-o para ser pisado, nho; e como se ajuntam os ovos
como a lama das ruas. abandonados, assim ajuntei eu
7 Não obstante, tal não é o seu toda a Terra; e não houve quem
desígnio nem o seu coração assim movesse a asa ou abrisse a boca
o imagina; mas em seu coração ou piasse.
pensa destruir e desarraigar não 15 a Gloriar-se-á o b machado con-
poucas nações. tra quem corta com ele? Engran-
8 Pois diz: Não são reis todos os decer-se-á a serra contra quem
meus príncipes? puxa por ela? Como se a vara se
9 Não é Calno como Carquêmis? movesse contra os que a levantam
Não é Hamate como Arpade? Não ou o bordão se levantasse como se
é Samaria como Damasco? não fora lenho!
10 Assim como a a minha mão 16 Portanto, o Senhor, o Senhor
fundou os reinos dos ídolos, dos Exércitos, enviará magreza
cujas imagens de escultura eram entre os seus gordos; e debaixo
2 b GEE Viúva. b Sof. 2:13. (por exemplo, o rei
3 a IE castigo. 13 a IE o rei da Assíria da Assíria) prosperar
5 a Isa. 10:5. (vers. 13–14). contra Deus?
6 a IE contra Israel. 15 a Todas as metáforas b IE Pode o rei prosperar
10 a IE a mão do rei da destes versículos fazem contra Deus?
Assíria (vers. 10–11). a mesma pergunta:
12 a IE jactância orgulhosa. Pode um homem
2 NÉFI 20:17–32 104
da sua glória ele acenderá uma
a 
Deus dos Exércitos: Ó povo meu,
chama, como chama de fogo. que habitas em Sião, não temas o
17 E a luz de Israel virá a ser assírio; ele te ferirá com uma vara
como fogo e o seu Santo como e contra ti levantará o seu bordão
labareda; e abrasarão e consumi- a 
à maneira do Egito;
rão os seus espinheiros e as suas 25 Pois daqui a bem pouco a in-
sarças num dia. dignação cessará; e a minha ira,
18 E a consumirá a glória da sua na sua destruição.
floresta e do seu campo fértil, tan- 26 E o Senhor dos Exércitos le-
to alma como corpo; e será como vantará contra ele um flagelo,
quando desmaia um porta-es- como a matança de a Midiã junto
tandarte. à rocha de Orebe; e como a sua
19 E o a resto das árvores da sua vara estava sobre o mar, assim
floresta será tão pouco que um também a levantará à maneira
menino as poderá contar. do Egito.
20 E acontecerá a naquele dia que 27 E acontecerá naquele dia que
os remanescentes de Israel e os a sua a carga será tirada do teu om-
da b casa de Jacó que escaparem bro, e do teu pescoço, o seu jugo;
nunca mais se c apoiarão no que os e o jugo será despedaçado por
feriu, mas apoiar-se-ão, em verda- causa da b unção.
de, no Senhor, o Santo de Israel. 28 a Ele chegou a Aiate, já passou
21 Os a remanescentes retorna- para Migrom; em Micmás deixou
rão, sim, os remanescentes de as suas carruagens.
Jacó, ao Deus forte. 29 Ultrapassaram o caminho;
22 Porque embora o teu povo, alojaram-se em Geba; Ramá teme;
Israel, seja como a areia do mar, Gibeá de Saul fugiu.
ainda assim um remanescente 30 Alça a voz, ó filha de Galim!
dele retornará; a a destruição de- Faze-a ouvir até Laís, ó pobre
cretada b transbordará de retidão. Anatote!
23 Pois o Senhor Deus dos Exér- 31 Madmena foi removida; os
citos a fará uma destruição, deter- habitantes de Gebim unem-se
minada em toda a terra. para fugir.
24 Portanto, assim diz o Senhor 32 Ainda permanecerá ele nesse
16 a IE o rei da Assíria GEE Mundo — Fim do Juí. 7:25.
(também vers. 17–19). mundo. 27 a Isa. 14:25.
18 a IE Assíria desaparecerá b IE Mesmo quando b GEE Ungido, O.
completamente. há castigo, existe 28 a IE Descrito o progresso
19 a IE os remanescentes do misericórdia. dos exércitos
exército da Assíria. 23 a IE levará a efeito a Assírios em direção
20 a IE últimos dias. destruição decretada. a Jerusalém; depois
b Amós 9:8–9. 24 a IE como fizeram os (vers. 33–34) é descrita
c IE dependerão de. Egípcios em tempos figurativamente a ação
21 a Isa. 11:11–12. passados. Êx. 1:13–14. do Senhor contra eles.
22 a D&C 63:34. 26 a Gên. 25:1–2;
105 2 NÉFI 20:33–21:11
dia em Nobe; levantará a mão 4 Julgará, porém, com a retidão os
contra o monte da filha de Sião, pobres e b repreenderá com equi-
o outeiro de Jerusalém. dade em favor dos c mansos da
33 Eis que o Senhor, o Senhor Terra; e ferirá a Terra com a vara
dos Exércitos, decepará o galho da sua boca, e com o sopro dos
com violência; e os de a alta esta- seus lábios matará o iníquo.
tura serão cortados e os altivos 5 E a retidão será o cinto dos
serão humilhados. seus lombos; e a fidelidade, o cin-
34 E cortará com ferro os emara- to dos seus a rins.
nhados das florestas, e o Líbano 6 Também morará o lobo com o
cairá pela mão de um poderoso. cordeiro; e o leopardo deitar-se-á
com o cabrito; e o bezerro e o filho
CAPÍTULO 21 do leão e a ovelha andarão juntos;
e um menino pequeno guiá-los-á.
O Tronco de Jessé (Cristo) julgará
7 E a vaca e a ursa pastarão, e
com retidão — O conhecimento de
seus filhos juntos se deitarão; e
Deus cobrirá a Terra no milênio — O
o leão comerá palha como o boi.
Senhor levantará um estandarte e co-
8 E brincará a criança de peito
ligará Israel — Comparar com Isaías
na toca da a áspide, e o desma-
11. Aproximadamente 559–545 a.C.
mado meterá a mão na cova do
E sairá uma a vara do b tronco de b 
basilisco.
Jessé e das suas raízes um ramo
c 
9  a Não ferirão nem destruirão
crescerá. em todo o meu santo monte, por-
2 E repousará sobre ele o a Espí- que a Terra estará cheia de b conhe-
rito do Senhor, o espírito de sabe- cimento do Senhor, como as águas
doria e entendimento, o espírito cobrem o mar.
de conselho e de fortaleza, o espí- 10 E a naquele dia haverá uma
rito de conhecimento e de temor b 
raiz de Jessé, que estará posta
ao Senhor; por estandarte do povo; os c gen-
3 E fá-lo-á rápido de entendi- tios d buscá-la-ão, e o seu repouso
mento no temor do Senhor; e não será glorioso.
a 
julgará segundo a vista dos seus 11  E acontecerá naquele dia
olhos, nem repreenderá segundo que o Senhor tornará a estender
o ouvir dos seus ouvidos. pela a segunda vez a mão para
33 a Hel. 4:12–13. 2 a Isa. 61:1–3. venenosa.
21 1 a D&C 113:3–4. 3 a Jo. 7:24. 9 a Isa. 2:4.
b D&C 113:1–2. 4 a Salm. 72:2–4; GEE Milênio.
c Jessé é o pai de Davi; Mos. 29:12. b D&C 101:32–33; 130:9.
faz-se ainda referência b HEB decidir. 10 a IE os últimos dias.
à linha genealógica c GEE Mansidão, Manso, JS—H 1:40.
real na qual nasceria Mansuetude. b Rom. 15:12;
Jesus. 5 a OU cintura. D&C 113:5–6.
Miq. 5:2; 8 a pequena cobra c D&C 45:9–10.
Heb. 7:14. venenosa do Egito. d OU a ele.
GEE Jessé. b uma outra serpente 11 a 2 Né. 6:14; 25:17; 29:1.
2 NÉFI 21:12–22:6 106
recuperar os remanescentes do CAPÍTULO 22
seu povo que restarem da Assíria
Nos dias do milênio todos os homens
e do Egito e de Patros e de Cuse;
louvarão ao Senhor — Ele habitará
e de Elão e de Sinar e de Hamate
entre eles — Comparar com Isaías
e das ilhas do mar.
12. Aproximadamente 559–545 a.C.
12 E levantará um a estandarte
para as nações e ajuntará os b des- E dirás naquele dia: Ó Senhor, eu
terrados de Israel; e os dispersos te louvarei; porque, ainda que te
de Judá c coligará desde os quatro iraste contra mim, a tua ira reti-
cantos da Terra. rou-se, e tu me consolaste.
13 Cessará também a a inveja de 2 Eis que Deus é a minha salva-
Efraim, e os adversários de Judá ção; eu a confiarei e não temerei;
serão desarraigados; b Efraim não porque o Senhor b Jeová é a minha
invejará a c Judá, e Judá não afligi- força e o meu cântico; tornou-se
rá a Efraim. também a minha salvação.
14 a Voarão, porém, sobre os om- 3 Portanto, com alegria tirareis
bros dos filisteus em direção ao a 
águas das fontes da salvação.
ocidente; juntos despojarão os do 4 E direis naquele dia: a Louvai
oriente; sobre Edom e Moabe po- ao Senhor, invocai o seu nome,
rão as mãos, e os filhos de Amom tornai manifestos os seus feitos
obedecer-lhes-ão. entre os povos, dizei quão excelso
15 E o Senhor a destruirá total- é o seu nome.
mente o braço de mar do Egito 5 a Cantai ao Senhor, porque fez
e, com seu vento forte, move- coisas grandiosas; isto é conheci-
rá a mão sobre o rio e feri-lo-á do em toda a Terra.
nas sete correntes e fará com 6 a Clama e brada, ó habitante de
que os homens o atravessem Sião, porque grande é o Santo de
a seco. Israel no meio de ti.
16 E haverá uma a estrada para
os remanescentes do seu povo que
CAPÍTULO 23
restarem da Assíria, como suce-
deu a Israel no dia em que subiu A destruição de Babilônia é um
da terra do Egito. símbolo da destruição na Segunda
12 a GEE Estandarte. os eventos de 1 Re. D&C 133:27.
b 3 Né. 15:15; 16:1–4. 12:16–20). Nos últimos 22 2 a Mos. 4:6; Hel. 12:1.
c Ne. 1:9; dias essa inimizade b Êx. 15:2;
1 Né. 22:10–12; desaparecerá. Salm. 83:18.
D&C 45:24–25. Eze. 37:16–22. GEE Jeová.
GEE Israel — Coligação GEE Inveja. 3 a GEE Águas Vivas.
de Israel. c GEE Judá. 4 a GEE Ação de
13 a Jer. 3:18. 14 a IE atacar as encostas Graças, Agradecido,
b As tribos lideradas ocidentais que eram Agradecimento.
por Judá e Efraim território filisteu. 5 a D&C 136:28.
eram historicamente 15 a Zac. 10:11. 6 a Isa. 54:1;
adversárias (após 16 a Isa. 35:8; Sof. 3:14.
107 2 NÉFI 23:1–15
Vinda — Será um dia de ira e vin- deles dores e angústias; cada um
gança — Babilônia (o mundo) cairá se espantará com o outro; os seus
para sempre — Comparar com Isaías rostos serão como chamas.
13. Aproximadamente 559–545 a.C. 9 Eis que o dia aflitivo do Senhor
vem, tanto com furor como com
O a peso de b Babilônia que Isaías, ira ardente, para pôr a Terra em
filho de Amós, viu. desolação; e a destruirá os seus
2 Alçai uma a bandeira sobre o pecadores.
monte alto; levantai a voz para 10 Porque as estrelas dos céus e
eles, b acenai-lhes com a mão a as suas constelações não darão a
fim de que entrem pelas portas sua luz; o a sol escurecer-se-á ao
dos nobres. nascer, e a lua não fará resplan-
3 Eu dei ordem aos meus a santi- decer a sua luz.
ficados e também chamei os meus 11 E a castigarei o mundo por
valentes, pois minha ira não está causa do mal; e os ímpios, pela
sobre os que exultam com a mi- sua iniquidade; farei cessar a ar-
nha majestade. rogância do b orgulhoso e abaterei
4 O estrondo da multidão nas a soberba do terrível.
montanhas é como o de um gran- 12 Farei com que um a homem
de povo, um tumultuoso ruído seja mais precioso que o ouro puro
dos a reinos de nações b congrega- e mais que o lingote de ouro de
das. O Senhor dos Exércitos passa Ofir.
em revista o exército de guerra. 13 Portanto, farei estremecer os
5 Vêm de uma terra distante, céus; e a Terra a mover-se-á do
desde a extremidade do céu, sim, seu lugar, na fúria do Senhor dos
o Senhor e as armas de sua indig- Exércitos e no dia da sua arden-
nação, para destruir toda a terra. te ira.
6 Uivai, porque o dia do Senhor 14 E será como a a corça que foge
está perto; virá como uma destrui- e como a ovelha que ninguém re-
ção do Todo-Poderoso. colhe; e cada um voltará para o
7 Portanto, todas as mãos se de- seu próprio povo e cada um fugirá
bilitarão e o coração de todos os para a sua própria terra.
homens se desanimará. 15 Todo o que for orgulhoso será
8 E terão medo; apoderar-se-ão traspassado; sim, e todo o que
23 1 a IE uma mensagem de GEE Babel, Babilônia. 10 a GEE Mundo — Fim do
condenação. 2 a OU Estandarte. mundo.
b A histórica destruição GEE Estandarte. 11 a Mal. 4:1.
da íniqua Babilônia, b IE acenai com a mão, b D&C 64:24.
profetizada em Isa. dai um sinal. 12 a Isa. 4:1–4.
13 e 14, é apresentada 3 a IE Santos. 13 a GEE Terra — Estado
como símbolo da 4 a Zac. 14:2–3. final da Terra.
destruição final de b Zac. 12:3. 14 a IE cervo perseguido.
todo o mundo iníquo. 9 a GEE Terra —
D&C 133:5, 7, 14. Purificação da Terra.
2 NÉFI 23:16–24:4 108
se juntar aos iníquos cairá pela misericordioso com meu povo,
espada. mas os iníquos perecerão.
16 Suas crianças também serão
despedaçadas perante os seus CAPÍTULO 24
olhos; as suas casas serão saquea-
Israel será coligada e desfrutará o
das, e as suas mulheres, violadas.
descanso do milênio — Lúcifer foi
17 Eis que incitarei contra eles
expulso do céu por rebelião — Israel
os medos, que não farão caso de
triunfará sobre Babilônia (o mun-
prata e ouro nem se deleitarão
do)  — Comparar com Isaías 14.
neles.
Aproximadamente 559–545 a.C.
18 Seus arcos também despeda-
çarão os jovens; e eles não se com- Porque o Senhor se compadece-
padecerão do fruto do ventre; seus rá de Jacó e, ainda assim, a elegerá
olhos não pouparão as crianças. Israel e pô-los-á na sua própria
19 E Babilônia, a glória dos rei- terra; e ajuntar-se-ão com eles os
nos, a a beleza da magnificência b 
estranhos e apegar-se-ão à casa
dos caldeus, será como quan- de Jacó.
do Deus destruiu b Sodoma e 2  a E o povo tomá-los-á e levá-
Gomorra. los-á ao seu lugar; sim, desde os
20 Nunca será a habitada nem confins da Terra; e voltarão para
servirá de moradia, de geração as suas b terras de promissão. E
em geração; nem o árabe armará a casa de Israel possuí-las-á, e a
ali a sua tenda nem os pastores terra do Senhor será para c servos
terão ali os seus apriscos. e servas; e cativarão aqueles que
21 As a feras do deserto, porém, os cativaram, e dominarão os seus
repousarão ali; e as suas casas en- opressores.
cher-se-ão de lúgubres animais; e 3 E acontecerá que naquele dia
ali habitarão as corujas e os b sáti- o Senhor te dará a descanso da
ros ali dançarão. tua tristeza e do teu temor e da
22 E os animais selvagens das dura servidão pela qual te fize-
ilhas gritarão nas suas a casas ram servir.
desoladas; e b dragões, nos seus 4 E acontecerá naquele dia que
palácios deleitosos; e perto está proferirás este dito contra o rei
o seu tempo, e os seus dias não de a Babilônia e dirás: Como ces-
se prolongarão. Pois destruí-la- sou o opressor, acabou a cidade
ei rapidamente; sim, pois serei dourada!
19 a IE vaidade. demônios. ajudarão Israel.
b Gên. 19:24–25; 22 a HEB palácios. b GEE Terra da
Deut. 29:23; b HEB (talvez) chacais Promissão.
2 Né. 13:9. ou cães selvagens. c Isa. 60:14.
20 a Jer. 50:3, 39–40. 24 1 a Zac. 1:17. 3 a Jos. 1:13;
21 a Isa. 34:14–15. b Isa. 60:3–5, 10. D&C 84:24.
b HEB bodes ou 2 a IE outras nações 4 a GEE Babel, Babilônia.
109 2 NÉFI 24:5–21
5 O Senhor quebrou o bastão Eu subirei ao céu, acima das es-
a 

dos iníquos, os cetros dos gover- trelas de Deus exaltarei o meu


nantes. trono; no monte da congregação
6 Aquele que feriu o povo com também me assentarei, nos lados
furor, com um golpe incessante, do b norte.
aquele que com ira dominou as 14 Subirei acima das alturas das
nações é perseguido, e ninguém nuvens; serei semelhante ao Al-
impede. tíssimo.
7 A Terra toda repousa e está 15 Contudo, serás precipitado no
quieta; eles rompem em a cânticos. inferno, para os lados do a abismo.
8 Sim, as a faias se alegram em 16 Os que te virem te a contem-
ti e também os cedros do Líbano, plarão e considerar-te-ão e dirão:
dizendo: Desde que tu b caíste, ne- É este o homem que fez estre-
nhum lenhador subiu contra nós. mecer a Terra e que fez tremer
9 O a inferno desde a sua profun- reinos?
didade turba-se por ti, para sair 17 E que fez do mundo um de-
ao teu encontro na tua vinda; ele serto, e destruiu as suas cidades, e
desperta por ti os b mortos, sim, não abriu a casa dos seus cativos?
todos os príncipes da Terra, e fez 18 Todos os reis das nações, sim,
levantar dos seus tronos todos os todos eles, repousam em glória,
reis das nações. cada um deles na a sua própria
10  Todos falarão e dir-te-ão: casa.
Também ficaste fraco como nós? 19 Tu, porém, és lançado da tua
Também te tornaste semelhante sepultura como um a ramo abomi-
a nós? nável e como o remanescente dos
11 A tua pompa é baixada à se- que são mortos, atravessados à
pultura; o som dos teus alaúdes espada, que descem às b pedras do
não é ouvido; os vermes espa- abismo como uma carcaça pisada.
lham-se debaixo de ti e cobrem-te. 20 Com eles não te reunirás na
12 a Como caíste do céu, ó b Lúci- sepultura, porque destruíste a tua
fer, filho da manhã! Foste lança- terra e mataste o teu povo; a a des-
do por terra, tu, que debilitavas cendência dos b malfeitores nunca
as nações! será reconhecida.
13 Pois disseste em teu coração: 21 Preparai a matança para os
7 a Isa. 55:12. mencionado como 16 a HEB olharão para
8 a HEB cipreste. Lúcifer, senhor de ti com os olhos
b IE na morte. toda a iniquidade. semicerrados.
9 a GEE Inferno. GEE Diabo; 18 a IE o túmulo de sua
b IE espíritos que Lúcifer. família.
deixaram o corpo. 13 a Mois. 4:1–4. 19 a IE um ramo rejeitado,
12 a D&C 76:26. b IE a morada dos deuses cortado e lançado fora.
b HEB estrela da manhã, segundo a crença b IE fundo.
filho da Alva. O babilônica. 20 a Salm. 21:10–11; 37:28.
soberano do mundo Salm. 48:2. b GEE Iniquidade, Iníquo.
iníquo (Babilônia) é 15 a 1 Né. 14:3.
2 NÉFI 24:22–25:1 110
seus filhos, por causa da iniqui- a 
toda, porque está quebrada a vara
dade de seus pais, para que não que te feria; pois da raiz da cobra
se levantem, nem possuam a ter- sairá um basilisco, e o seu fruto
ra nem encham a face do mundo será uma serpente voadora fla-
de cidades. mejante.
22 Pois levantar-me-ei contra 30 E os primogênitos dos pobres
eles, diz o Senhor dos Exércitos, comerão, e os necessitados repou-
e desarraigarei de Babilônia o sarão seguros; e matarei de fome
a 
nome e os remanescentes e o fi- a tua raiz, e ele destruirá os teus
lho e o b neto, diz o Senhor. remanescentes.
23 E também a reduzirei a a pos- 31 Uiva, ó porta! Grita, ó cida-
sessão de garças e a lagoas de de! Tu, Palestina toda, estás dis-
água; e varrê-la-ei com a vassou- solvida! Pois do norte vem uma
ra da destruição, diz o Senhor dos fumaça, e ninguém ficará solitário
Exércitos. no tempo que lhe foi designado.
24 O Senhor dos Exércitos jurou, 32 Que responderão, pois, os
dizendo: Como pensei, assim há mensageiros das nações? Que o
de suceder; como determinei, as- Senhor fundou a Sião, e que os b po-
sim será — bres do seu povo c confiarão nela.
25 Que o a assírio trarei à minha
terra, e nas b minhas montanhas o CAPÍTULO 25
pisarei; então o seu c jugo se apar-
Néfi deleita-se na clareza — As pro-
tará deles, e a sua carga apartar-
fecias de Isaías serão entendidas nos
se-á dos seus ombros.
últimos dias — Os judeus retornarão
26  a Este é o propósito que foi
de Babilônia, crucificarão o Messias
determinado sobre toda a Terra;
e serão dispersos e afligidos — Eles
e esta é a mão que está estendida
serão resgatados quando acreditarem
sobre todas as nações.
no Messias — Ele, primeiramente,
27 Pois o Senhor dos Exércitos
virá 600 anos após Leí haver saído de
determinou; e quem invalidará? E
Jerusalém — Os nefitas guardam a
a sua mão está estendida; e quem
lei de Moisés e creem em Cristo, que
a fará voltar atrás?
é o Santo de Israel. Aproximadamente
28 No a ano em que morreu o rei
559–545 a.C.
b 
Acaz, foi dada a sentença.
29 Não te alegres tu, Palestina Agora eu, Néfi, digo algo sobre
21 a Êx. 20:5. Isa. 37:33–38. essa mensagem de
22 a Prov. 10:7. b IE as montanhas de condenação a respeito
b Jó 18:19. Judá e Israel. dos filisteus, enquanto
23 a Isa. 34:11–15. c Isa. 10:27. Judá estaria segura.
25 a O assunto muda para 26 a IE Todas as nações b 2 Re. 16:20.
o ataque e derrota do mundo serão 32 a GEE Sião.
da Assíria em Judá, destruídas. b Sof. 3:12.
701 a.C. (vers. 24–27). 28 a IE Cerca de 720 a.C. c OU buscar refúgio nela.
2 Re. 19:32–37; foi profetizada
111 2 NÉFI 25:2–8
as palavras que escrevi, que foram vim de Jerusalém e meus olhos
proferidas pela boca de Isaías. viram as coisas dos b judeus, e sei
Pois eis que Isaías disse mui- que os judeus compreendem as
tas coisas que, para muitos de coisas dos profetas, e não há outro
meu povo, eram de a difícil com- povo que, como eles, compreen-
preensão; porque não conhecem da as coisas que foram ditas aos
o modo de profetizar dos judeus. judeus, a não ser que sejam ensi-
2 Porque eu, Néfi, não lhes en- nados à maneira das coisas dos
sinei muitas coisas sobre os cos- judeus.
tumes dos judeus; porque suas 6 Mas eis que eu, Néfi, não en-
a 
obras eram obras de trevas e seus sinei meus filhos à maneira dos
feitos eram abominações. judeus; mas eis que eu próprio
3 Portanto, escrevo a meu povo, residi em Jerusalém; conheço, por-
a todos os que no futuro rece- tanto, as regiões circunvizinhas; e
berem estas coisas que escrevo, fiz menção a meus filhos dos juí-
para que conheçam os juízos de zos de Deus que se a deram entre
Deus, que eles caem sobre todas os judeus, de acordo com tudo o
as nações segundo a palavra que que disse Isaías; e eu não os es-
ele proferiu. crevo.
4 Portanto, ouvi, ó povo meu, 7 Mas eis que continuo com a
que sois da casa de Israel, e es- minha própria profecia, de acordo
cutai minhas palavras; pois ainda com a minha a clareza, na qual sei
que as palavras de Isaías não vos que nenhum homem pode errar;
sejam claras, são, não obstante, não obstante, nos dias em que se
claras a todos os que estão cheios cumprirem as profecias de Isaías,
do a espírito de b profecia. Faço-vos, os homens certamente saberão,
porém, uma profecia, segundo o quando elas se realizarem.
espírito que está em mim; portan- 8 Elas são, portanto, de a valor
to, profetizarei de acordo com a para os filhos dos homens; e aos
c 
clareza que está em mim desde que supõem que elas não o sejam,
o tempo em que deixei Jerusalém falarei particularmente e limitarei
com meu pai; porque eis que mi- as palavras a b meu povo; pois sei
nha alma se deleita em esclarecer que lhes serão de grande valor nos
o meu povo, para que aprenda. c 
últimos dias; porque naquele dia
5 Sim, e minha alma deleita-se as entenderão; portanto, as escrevi
nas palavras de a Isaías, porque para o seu bem.
25 1 a 2 Né. 25:5–6. 5 a 1 Né. 19:23; 8 a GEE Escrituras — Valor
2 a 2 Re. 17:13–20. 3 Né. 23:1. das escrituras.
4 a GEE Espírito Santo. b GEE Judeus. b En. 1:13–16;
b GEE Profecia, 6 a 2 Né. 6:8; Mórm. 5:12–15;
Profetizar. Hel. 8:20–21. D&C 3:16–20.
c 2 Né. 31:3; 33:5–6; 7 a 2 Né. 32:7; c GEE Últimos Dias.
Jacó 4:13. Al. 13:23.
2 NÉFI 25:9–16 112
9 E do mesmo modo que uma b 
sepultura pelo espaço de três c 

geração foi a destruída entre os dias, d levantar-se-á dentre os mor-


judeus por causa de iniquidade, tos, com poder de cura em suas
foram eles destruídos de geração asas; e todos os que crerem em
em geração, de acordo com suas seu nome serão salvos no reino
iniquidades; e nunca qualquer de Deus. Minha alma deleita-se,
deles foi destruído sem que isso portanto, em profetizar sobre ele,
lhe fosse b predito pelos profetas pois e vi os seus dias e meu coração
do Senhor. magnifica seu santo nome.
10 Portanto, foram avisados da 14 E eis que acontecerá que, de-
destruição que cairia sobre eles, pois de haver o a Messias ressus-
imediatamente depois de meu citado dos mortos e haver-se ma-
pai deixar Jerusalém; não obs- nifestado a seu povo, a todos os
tante, endureceram o coração e, que acreditarem em seu nome,
de acordo com a minha profecia, eis que Jerusalém será b destruí-
foram a destruídos, salvo aqueles da novamente; pois ai dos que
b 
levados cativos para a Babilônia. lutarem contra Deus e o povo de
11 E agora isto digo eu, por cau- sua igreja!
sa do espírito que está em mim. E 15 Portanto, os a judeus serão
não obstante terem sido eles leva- b 
dispersos por todas as nações;
dos, retornarão e ocuparão a ter- sim, e também c Babilônia será
ra de Jerusalém; serão, portanto, destruída; portanto, outras nações
a 
restituídos à terra de sua herança. dispersarão os judeus.
12 Mas eis que terão guerras e 16 E depois de haverem sido
rumores de guerras; e quando dispersos e de o Senhor Deus os
chegar o dia em que o a Unigêni- ter castigado pela mão de outros
to do Pai, sim, o Pai dos céus e da povos pelo espaço de muitas gera-
Terra manifestar-se a eles na car- ções, sim, de geração em geração,
ne, eis que o rejeitarão por causa até serem persuadidos a a acreditar
de suas iniquidades e da dureza em Cristo, o Filho de Deus, e na
de seu coração e da dureza de expiação, que é infinita para toda
sua cerviz. a humanidade — e quando che-
13 Eis que eles o a crucificarão; gar o dia em que eles acreditarem
e depois de permanecer numa em Cristo, adorarem o Pai em seu
9 a Jer. 39:4–10; 11 a Esd. 1:1–4; 14 a GEE Messias.
Mt. 23:37–38. Jer. 24:5–7. b Lc. 21:24;
b Amós 3:7; 12 a GEE Unigênito. JS—M 1:1–18.
1 Né. 1:13. 13 a Lc. 23:33. 15 a GEE Judeus.
10 a 1 Né. 7:13; b Jo. 19:41–42; b Ne. 1:8–9;
2 Né. 6:8; 1 Né. 19:10. 2 Né. 10:6.
Ômni 1:15; c Lc. 24:6–7; c GEE Babel, Babilônia.
Hel. 8:20–21. Mos. 3:10. 16 a 2 Né. 10:6–9; 30:7;
b 2 Re. 24:14; d GEE Ressurreição. Mórm. 5:14.
Jer. 52:3–16. e 1 Né. 11:13–34.
113 2 NÉFI 25:17–22
nome, com o coração puro e mãos profetas e também com a palavra
limpas; e não mais esperarem por do c anjo de Deus, seu nome será
outro Messias, então virá o dia em Jesus Cristo, o Filho de Deus.
que será essencial que eles acredi- 20 E agora, meus irmãos, falei
tem nestas coisas. com clareza, de modo que não po-
17 E o Senhor estenderá a mão deis errar. E como vive o Senhor
pela segunda vez, a fim de a res- Deus que a tirou Israel da terra do
gatar seu povo de seu estado de- Egito e deu a Moisés poder para
caído e de perdição. Portanto, fará b 
curar as nações depois de have-
uma b obra maravilhosa e um as- rem sido mordidas por serpentes
sombro no meio dos filhos dos venenosas, se olhassem para uma
homens. c 
serpente que ele levantou dian-
18 Portanto, ele irá revelar-lhes te delas; e também lhe deu poder
suas a palavras, pelas quais serão para golpear a d rocha, a fim de
b 
julgados no último dia, porque que jorrasse água; sim, eis que vos
elas serão dadas com o propó- digo que, assim como estas coisas
sito de c convencê-los do verda- são verdadeiras e como o Senhor
deiro Messias que foi rejeitado Deus vive, não há outro e nome
por eles; e para convencê-los de dado debaixo do céu mediante
que não precisam mais esperar o qual o homem possa ser salvo,
que venha um Messias, porque a não ser o deste Jesus Cristo do
outro não virá, a menos que seja qual falei.
um d falso Messias que engane o 21 Portanto, por causa disto pro-
povo; porque só há um Messias meteu-me o Senhor Deus que es-
mencionado pelos profetas e esse tas coisas que a escrevo serão guar-
Messias é aquele que será rejeita- dadas e preservadas e passadas
do pelos judeus. a meus descendentes, de geração
19 Pois de acordo com as pala- em geração, para que seja cumpri-
vras dos profetas, o a Messias virá da a promessa feita a José de que
b 
seiscentos anos depois da época seus descendentes jamais b pere-
em que meu pai deixou Jerusalém; ceriam enquanto a Terra durasse.
e de acordo com as palavras dos 22  Portanto, estas coisas
17 a 2 Né. 21:11–12; 29:1. nascimento e da morte Núm. 20:11;
GEE Restauração do de Jesus Cristo. 1 Né. 17:29; 20:21.
Evangelho. b 1 Né. 10:4; e Ose. 13:4;
b Isa. 29:14; 3 Né. 1:1, 13. At. 4:10–12;
2 Né. 27:26; c 2 Né. 10:3. Mos. 5:8;
3 Né. 28:31–33. 20 a Êx. 3:7–10; Mois. 6:52.
18 a 2 Né. 29:11–12; 1 Né. 17:24, 31; 19:10. GEE Salvador.
33:11, 14–15. b Jo. 3:14; 21 a 2 Né. 27:6–14.
b GEE Juízo Final. 1 Né. 17:41. b Amós 5:15;
c 2 Né. 26:12–13. c Núm. 21:8–9; 2 Né. 3:16;
d GEE Anticristo. Al. 33:19; Al. 46:24–27.
19 a GEE Jesus Cristo — Hel. 8:14–15.
Profecias acerca do d Êx. 17:6;
2 NÉFI 25:23–30 114
passarão de geração a geração, para que nossos filhos saibam que
enquanto durar a Terra; e isto de a lei é morta; e sabendo que ela é
acordo com a vontade e prazer de morta, esperem por aquela vida
Deus; e as nações que as tiverem que está em Cristo, e saibam para
em seu poder serão a julgadas por que fim foi dada a lei. E para que,
elas, segundo as palavras que es- depois de ser cumprida a lei em
tão escritas. Cristo, não endureçam o coração
23 Pois trabalhamos diligente- contra ele quando a lei tiver de
mente para escrever, a fim de a per- ser abolida.
suadir nossos filhos e também 28 E agora, meu povo, eis que
nossos irmãos a acreditarem em sois um povo de a dura cerviz; por
Cristo e a reconciliarem-se com isso falei-vos claramente, para que
Deus; pois sabemos que é pela não vos equivoqueis. E as pala-
b 
graça que somos salvos, depois vras que falei servirão de b teste-
de tudo o que pudermos c fazer. munho contra vós; porque são su-
24 E não obstante acreditarmos ficientes para c ensinar a qualquer
em Cristo, a guardamos a lei de homem o caminho reto; porque o
Moisés e esperamos firmemente caminho reto é acreditar em Cris-
em Cristo, até que a lei seja cum- to e não o negar, porque, negan-
prida. do-o, negais também os profetas e
25 Pois com esta finalidade a a lei a lei.
foi dada; portanto, a lei tornou-se 29 E agora, eis que vos digo que
b 
morta para nós, e somos vivifica- o caminho reto é acreditar em
dos em Cristo por causa de nossa Cristo e não o negar; e Cristo é o
fé; contudo, guardamos a lei por Santo de Israel; deveis, portanto,
causa dos mandamentos. inclinar-vos diante dele e adorá-lo
26 E a falamos de Cristo, regozi- com todo o vosso a poder, mente e
jamo-nos em Cristo, pregamos a força e com toda a vossa alma; e se
Cristo, b profetizamos de Cristo e assim o fizerdes, de modo algum
escrevemos de acordo com nossas sereis rejeitados.
profecias, para que nossos c filhos 30 E enquanto for necessário,
saibam em que fonte procurar a deveis cumprir os ritos e a orde-
d 
remissão de seus pecados. nanças de Deus, até que a lei que
27 Portanto, falamos sobre a lei, foi dada a Moisés seja cumprida.
22 a 2 Né. 29:11; 33:10–15; c Tg. 2:14–26. Filho(s).
3 Né. 27:23–27. GEE Obras. d GEE Remissão de
23 a GEE Criança(s). 24 a Jacó 4:4–5. Pecados.
b Rom. 3:23–24; 25 a GEE Lei de Moisés. 28 a Mos. 3:14.
2 Né. 2:4–10; b Rom. 7:4–6. b GEE Testemunho.
Mos. 13:32; 26 a Jacó 4:12; Jar. 1:11; c 2 Né. 33:10.
Al. 42:12–16; Mos. 3:13. 29 a Deut. 6:5;
D&C 138:4. b Lc. 10:23–24. Mc. 12:29–31.
GEE Graça. c GEE Criança(s); 30 a GEE Ordenanças.
115 2 NÉFI 26:1–9
CAPÍTULO 26 o Senhor dos Exércitos, porque
serão como restolho.
Cristo exercerá seu ministério entre
5 E os que matam os profetas e
os nefitas — Néfi prevê a destruição
os santos serão a tragados pelas
de seu povo — Eles falarão desde o
profundezas da terra, diz o Se-
pó — Os gentios edificarão falsas
nhor dos Exércitos; e b montanhas
igrejas e farão combinações secre-
cobri-los-ão e redemoinhos hão de
tas — O Senhor proíbe aos homens o
carregá-los e edifícios cairão sobre
uso de artimanhas sacerdotais. Apro-
eles, despedaçando-os e reduzin-
ximadamente 559–545 a.C.
do-os a pó.
E depois de haver Cristo a ressus- 6 E serão visitados por trovões
citado dentre os mortos, b apare- e relâmpagos e terremotos e toda
cerá a vós, meus filhos e meus espécie de destruição, porque o
amados irmãos; e as palavras que fogo da ira do Senhor estará aceso
ele vos disser serão a c lei que de- contra eles e serão como restolho;
vereis cumprir. e o dia que há de vir os consumi-
2 Pois eis que em verdade vos rá, diz o Senhor dos Exércitos.
digo: Vi que muitas gerações se 7 Oh! A dor e a angústia de mi-
hão de passar e haverá grandes nha alma pela perda daqueles de
guerras e contendas entre meu meu povo que serão mortos! Pois
povo. eu, Néfi, vi essa perda e ela quase
3 E depois que o Messias vier, me consome na presença do Se-
meu povo receberá a sinais de nhor; devo, porém, clamar ao meu
seu b nascimento e também de Deus: Teus caminhos são a justos.
sua morte e ressurreição; e aque- 8 Mas eis que os justos, que dão
le dia será grande e terrível para ouvidos às palavras dos profetas
os iníquos, porque perecerão; e e não os matam, mas que esperam
perecem porque expulsam os pro- em Cristo com firmeza os sinais
fetas e os santos e apedrejam-nos que serão dados, apesar de toda
e matam; portanto, o clamor do a 
perseguição — eis que esses são
c 
sangue dos santos subirá da terra os que b não perecerão.
a Deus, contra eles. 9 Mas o Filho da Retidão a apa-
4 Portanto, todos os orgulhosos recer-lhes-á e b curá-los-á; e eles
e os que praticam iniquidade se- terão c paz com ele, até que d três
rão a queimados naquele dia, diz gerações se tenham passado e
26 1 a 3 Né. 11:1–12. c Gên. 4:10; Perseguir.
b 1 Né. 11:7; 12:6. 2 Né. 28:10; b 3 Né. 10:12–13.
c 3 Né. 15:2–10. Mórm. 8:27. 9 a 3 Né. 11:8–15.
3 a 1 Né. 12:4–6. 4 a 3 Né. 8:14–24; 9:3, 9. b 3 Né. 17:7–9.
GEE Sinal. 5 a 1 Né. 19:11; c 4 Né. 1:1–4.
b GEE Jesus Cristo — 3 Né. 10:14. d 1 Né. 12:11–12;
Profecias acerca do b 3 Né. 8:10; 9:5–8. 3 Né. 27:30–32.
nascimento e da morte 7 a GEE Justiça.
de Jesus Cristo. 8 a GEE Perseguição,
2 NÉFI 26:10–18 116
muitos da quarta geração hajam
e 
os dias em que o Senhor Deus re- b 

terminado seus dias em retidão. velar estas coisas aos filhos dos
10 E depois que estas coisas ti- homens.
verem acontecido, uma rápida 15 Depois que os meus descen-
a 
destruição advirá a meu povo; dentes e os descendentes de meus
pois apesar dos sofrimentos de irmãos houverem degenerado,
minha alma, eu a vi; sei, portanto, caindo na incredulidade, e sido
que acontecerá; e eles vendem-se afligidos pelos gentios, sim, de-
por nada; pois como recompensa pois que o Senhor Deus os hou-
de seu orgulho e de sua insen- ver cercado com o seu arraial, e
satez, hão de colher destruição; sitiado com baluartes, e levantado
pois já que cedem ao diabo e es- fortalezas contra eles; e depois de
colhem obras de trevas em lugar haverem sido lançados no pó até
de luz, devem, portanto, ir para deixarem de existir, as palavras
o b inferno. dos justos ainda serão escritas e as
11 Pois o Espírito do Senhor não orações dos fiéis, ouvidas; e todos
a 
contenderá para sempre com o os que caíram na incredulidade
homem. E quando o Espírito ces- não serão esquecidos.
sa de contender com o homem, 16 Pois os que forem destruídos
advém rápida destruição; e isto a 
falar-lhes-ão da terra e sua fala
me aflige a alma. será fraca desde o pó e a sua voz
12 E como falei a respeito de os será como a de um que tem um
a 
judeus serem b convencidos de espírito familiar; pois o Senhor
que Jesus é o c verdadeiro Cristo, é Deus dar-lhe-á poder para sus-
necessário que os gentios também surrar a respeito deles, como se
sejam convencidos de que Jesus é fosse da terra; e sua fala sussur-
o Cristo, o Eterno Deus; rará desde o pó.
13 E de que se manifesta a todos 17 Pois assim diz o Senhor Deus:
os que nele creem, pelo poder do a 
Escreverão as coisas que serão
a 
Espírito Santo; sim, a toda na- feitas no meio deles e serão escri-
ção, tribo, língua e povo, fazendo tas e seladas num livro; e os que
grandes milagres, sinais e mara- tiverem degenerado, caindo na
vilhas no meio dos filhos dos ho- incredulidade, não as terão, por-
mens, de acordo com sua fé. que b procuram destruir as coisas
14 Mas eis que eu vos profetizo de Deus.
a respeito dos a últimos dias; sobre 18 Portanto, como os que foram
9 e Al. 45:10–12; Mórm. 5:14. Evangelho.
Hel. 13:9–10. GEE Judeus. 16 a Isa. 29:4;
10 a Al. 45:9–14; b 2 Né. 25:18. Morô. 10:27;
Mórm. 8:1–9. c Mórm. 3:21. Mois. 7:62.
b GEE Inferno. 13 a GEE Espírito Santo. GEE Livro de Mórmon.
11 a Ét. 2:15. 14 a GEE Últimos Dias. 17 a 2 Né. 29:12.
12 a 2 Né. 30:7; b GEE Restauração do b En. 1:14.
117 2 NÉFI 26:19–29
destruídos, foram destruídos ra- irmãos, eu vos digo que o Senhor
pidamente; e a multidão de seus Deus não trabalha em trevas.
terríveis será como o a restolho que 24 Ele nada faz que não seja em
desaparece — assim, pois, diz o benefício do mundo; porque a ama
Senhor Deus: Será num instante, o mundo a ponto de entregar sua
repentinamente. própria vida para atrair a si b todos
19 E acontecerá que os que de- os homens. Portanto, a ninguém
generarem, caindo na increduli- ordena que não participe de sua
dade, serão a afligidos pela mão salvação.
dos gentios. 25 Eis que clama ele a alguém,
20 E os gentios ensoberbecem-se dizendo: Afasta-te de mim? Eis
no a orgulho de seus olhos e b tro- que vos digo: Não; mas ele diz:
peçam por causa da sua grande a 
Vinde a mim todos vós, extremos
c 
pedra de tropeço, de modo que da Terra, b comprai leite e mel sem
constroem muitas d igrejas; não dinheiro e sem preço.
obstante, menosprezam o poder 26 Eis que mandou ele que al-
e os milagres de Deus e pregam guém saísse das sinagogas, ou
a si mesmos sua própria sabedo- melhor, das casas de adoração?
ria e seu próprio e conhecimento, Eis que vos digo: Não.
a fim de obter lucro e f oprimir os 27 Ordenou ele a alguém que
pobres. não participasse de sua a salva-
21 E há muitas igrejas edificadas ção? Eis que vos digo: Não; mas
que provocam a inveja e contendas b 
deu-a gratuitamente a todos os
e malevolência. homens e ordenou a seu povo que
22 E há também a combinações persuadisse todos os homens a se
secretas, como nos tempos pas- c 
arrependerem.
sados, segundo as combinações 28 Eis que ordenou o Senhor a
do diabo, pois ele é o fundador alguém que não participasse de
de todas estas coisas; sim, o fun- sua bondade? Eis que vos digo:
dador do homicídio e das obras Não; mas a todo homem tem tanto
de trevas; sim, e guia-os pelo pes- privilégio quanto qualquer outro
coço com um cordel de linho, até e nenhum é excluído.
amarrá-los para sempre com suas 29 Ele ordena que não haja a arti-
cordas fortes. manhas sacerdotais; pois eis que
23 Pois eis que, meus amados artimanha sacerdotal é o homem
18 a Mórm. 5:16–18. Mórm. 9:7–8. b Isa. 55:1–2.
19 a 3 Né. 16:8–9; 20:27–28. f Isa. 3:15; 2 Né. 13:15. 27 a GEE Salvação.
20 a GEE Orgulho. 21 a GEE Inveja. b Ef. 2:8; 2 Né. 25:23.
b 1 Né. 13:29, 34. 22 a GEE Combinações c GEE Arrepender-se,
GEE Apostasia. Secretas. Arrependimento.
c Eze. 14:4. 24 a Jo. 3:16. 28 a Rom. 2:11;
d 1 Né. 14:10; 22:23; b 3 Né. 27:14–15. 1 Né. 17:33–35.
Mórm. 8:28. 25 a Al. 5:33–35; 29 a GEE Artimanhas
e 2 Né. 9:28; 3 Né. 9:13–14. Sacerdotais.
2 NÉFI 26:30–27:3 118
pregar e estabelecer-se como uma quem quer que o procure, negro
luz para o mundo, a fim de obter e branco, escravo e livre, homem e
lucros e b louvor do mundo; não mulher; e lembra-se dos b pagãos;
procura, porém, o bem-estar de e c todos são iguais perante Deus,
Sião. tanto judeus como gentios.
30 Eis que o Senhor proibiu isto;
portanto, deu o Senhor Deus um CAPÍTULO 27
mandamento de que todos os
Trevas e apostasia cobrirão a Terra
homens tenham a caridade; e a
nos últimos dias — O Livro de Mór-
caridade é b amor. E se não têm
mon será revelado — Três testemu-
caridade, nada são. Portanto, se
nhas testificarão do livro — O ho-
tivessem caridade, não permiti-
mem instruído dirá que não pode ler
riam que o trabalhador de Sião
o livro selado — O Senhor fará uma
perecesse.
obra maravilhosa e um assombro —
31 Mas o trabalhador de a Sião
Comparar com Isaías 29. Aproxima-
trabalhará por Sião; porque, se
damente 559–545 a.C.
trabalhar por b dinheiro, perecerá.
32 E novamente o Senhor Deus Eis, porém, que nos a últimos dias,
a 
ordenou que os homens não co- ou seja, nos dias dos gentios —
metam assassínio; que não min- sim, eis que todas as nações dos
tam; que não roubem; que não to- gentios e também dos judeus, tan-
mem o nome do Senhor seu Deus to os que vierem a esta terra como
em b vão; que não sintam inveja; os que estiverem em outras terras,
que não tenham malícia; que não sim, em todas as terras do mun-
disputem uns com os outros; que do, eis que estarão embriagados
não cometam libertinagem; e que de iniquidade e de toda espécie
não façam qualquer destas coisas, de abominações —
porque quem as fizer perecerá. 2 E quando esse dia chegar, serão
33 Pois nenhuma destas iniqui- visitados pelo Senhor dos Exérci-
dades vem do Senhor, porque ele tos com trovões e com terremo-
faz o que é bom para os filhos tos e com um grande estrondo
dos homens; e não faz coisa al- e com borrascas e com tempes-
guma que não seja clara para os tades e com a a chama de fogo
filhos dos homens; e convida to- devorador.
dos a virem a ele e a participarem 3 E todas as a nações que b lutarem
de sua bondade; e não a repudia contra Sião e que a mortificarem
29 b D&C 121:34–37. 32 a GEE Mandamentos de 27 1 a GEE Últimos Dias.
30 a Morô. 7:47–48. Deus. 2 a Isa. 24:6; 66:15–16;
GEE Caridade. b GEE Profanidade. Jacó 6:3;
b GEE Amor. 33 a At. 10:9–35, 44–45. 3 Né. 25:1.
31 a GEE Sião. b Al. 26:37. 3 a Isa. 29:7–8.
b Jacó 2:17–19; c Rom. 2:11; b 1 Né. 22:14.
D&C 11:7; 38:39. 1 Né. 17:35.
119 2 NÉFI 27:4–13
serão como o sonho de uma vi- abominações do povo. Portanto, o
são noturna; sim, acontecer-lhes-á livro não lhes será revelado.
como ao esfomeado que sonha e 9 O livro, porém, será entregue
eis que come, mas acorda e sua a um a homem, e ele entregará as
alma está vazia; ou como ao se- palavras do livro, que são as pa-
dento que sonha e eis que bebe, lavras dos que adormeceram no
mas acorda e eis que está fraco e pó; e ele entregá-las-á a um b outro;
sua alma tem apetite; sim, será 10 Mas não entregará as palavras
assim com a multidão de todas que estão seladas, nem entregará
as nações que lutarem contra o o livro. Porque o livro será selado
Monte Sião. pelo poder de Deus, e a revelação
4 Pois eis que todos vós, que pra- que foi selada será guardada no li-
ticais iniquidades, detende-vos e vro até o devido tempo do Senhor,
assombrai-vos, porque gritareis quando virão à luz; pois eis que
e clamareis; sim, estareis ébrios, revelam todas as coisas, desde a
mas não de vinho, e cambaleareis, fundação do mundo até o seu fim.
mas não com bebida forte. 11 E dia virá em que as palavras
5 Pois eis que o Senhor derra- do livro, que estavam seladas, se-
mou sobre vós um espírito de pro- rão lidas nos telhados das casas; e
fundo sono. Porque eis que haveis serão lidas pelo poder de Cristo;
fechado os vossos olhos, e haveis e serão a reveladas aos filhos dos
rejeitado os profetas; e ele vendou homens todas as coisas que ocor-
os vossos chefes e os videntes, por reram aos filhos dos homens e
causa da vossa iniquidade. que ocorrerão até o fim da Terra.
6  E acontecerá que o Senhor 12 Portanto, no dia em que o
Deus a vos revelará as palavras livro for entregue ao homem de
de um b livro e serão as palavras quem falei, o livro será escondi-
dos que adormeceram. do dos olhos do mundo para que
7 E eis que o livro estará a selado; ninguém o veja, exceto a três b tes-
e no livro haverá uma b revelação temunhas, além daquele a quem
de Deus, desde o princípio até o o livro será entregue; e vê-lo-ão
c 
fim do mundo. pelo poder de Deus; e eles testifi-
8 Portanto, por causa das coisas carão a veracidade do livro e das
que estão a seladas, as coisas que coisas que ele contém.
estão seladas b não serão entre- 13 E ninguém mais o verá, se-
gues no dia da iniquidade e das não uns poucos, de acordo com
6 a Jar. 1:2; c Ét. 13:1–12. Mórm. 5:8;
Mórm. 5:12–13. 8 a Ét. 5:1. D&C 121:26–31.
b 2 Né. 26:16–17; 29:12. b 3 Né. 26:9–12; 12 a 2 Né. 11:3;
GEE Livro de Mórmon. Ét. 4:5–6. Ét. 5:2–4;
7 a Isa. 29:11–12; 9 a D&C 17:5–6. D&C 5:11, 15; 17:1.
Ét. 3:25–27; 4:4–7. b JS—H 1:64–65. b Deut. 19:15.
b Mos. 8:19. 11 a Lc. 12:3;
2 NÉFI 27:14–26 120
a vontade de Deus, para dar tes- minha própria obra; lerás, portan-
temunho de suas palavras aos to, as palavras que te darei.
filhos dos homens, pois o Senhor 21 Não a toques nas coisas que
Deus disse que as palavras dos estão seladas, pois manifestá-las-
fiéis falariam como se viessem ei no meu devido tempo; pois
a 
dos mortos. mostrarei aos filhos dos homens
14 Portanto, o Senhor Deus re- que posso executar a minha pró-
velará as palavras do livro e, pela pria obra.
boca de tantas testemunhas quan- 22 Portanto, quando tiveres lido
tas achar necessário, estabelecerá as palavras que te ordenei e ob-
a sua palavra; e ai do que a rejeitar tido as a testemunhas que te pro-
a palavra de Deus! meti, selarás novamente o livro e
15 Mas eis que acontecerá que o escondê-lo-ás para mim, a fim de
Senhor Deus dirá àquele a quem que eu preserve as palavras que
entregar o livro: Toma estas pa- não leste, até que, em minha pró-
lavras que não estão seladas e pria sabedoria, julgue oportuno
entrega-as a um outro, para que revelar todas as coisas aos filhos
ele as possa mostrar ao instruído, dos homens.
dizendo: a Lê isto, suplico-te. E o 23 Porque eis que eu sou Deus;
instruído dirá: Traze-me o livro e sou um Deus de a milagres; e
para que eu o leia. mostrarei ao mundo que sou o
16 E dirão isto por causa da gló- b 
mesmo ontem, hoje e para sem-
ria do mundo e para obter a lucro, pre; e não trabalho com os filhos
e não para a glória de Deus. dos homens a não ser de c acordo
17 E o homem dirá: Não posso com sua fé.
trazer o livro, porque está selado. 24 E acontecerá outra vez que
18 O instruído então dirá: Não o Senhor dirá àquele que há de
o posso ler. ler as palavras que lhe serão en-
19 Acontecerá, portanto, que o tregues:
Senhor Deus tornará a entregar o 25  a Pois que este povo se apro-
livro e as suas palavras ao que não xima de mim com a boca e com
é instruído; e o homem que não é os lábios me b honra, mas afastou
instruído dirá: Não sou instruído. de mim o coração, e o seu temor a
20 Então lhe dirá o Senhor Deus: mim é ensinado segundo os c pre-
Os instruídos não as lerão, porque ceitos dos homens —
as rejeitaram, e eu posso fazer a 26  Portanto, farei uma a obra
13 a 2 Né. 3:19–20; 33:13–15; Sacerdotais. 25 a Isa. 29:13.
Morô. 10:27. 21 a Ét. 5:1. b Mt. 15:8.
14 a 2 Né. 28:29–30; 22 a GEE Testemunhas do c 2 Né. 28:31.
Ét. 4:8. Livro de Mórmon. 26 a 1 Né. 22:8;
15 a Isa. 29:11–12; 23 a GEE Milagre. 2 Né. 29:1–2.
JS—H 1:65. b Heb. 13:8. GEE Restauração do
16 a GEE Artimanhas c Heb. 11; Ét. 12:7–22. Evangelho.
121 2 NÉFI 27:27–28:1
maravilhosa no meio deste povo, Senhor vive, eles verão que o a te-
sim, uma b obra maravilhosa e um mível será reduzido a nada e o es-
assombro, pois a sabedoria dos carnecedor, consumido; e todos os
seus sábios e instruídos perecerá, que procuram a iniquidade serão
e o entendimento dos seus pru- desarraigados;
dentes será escondido. 32 E os que tornam um homem
27 E a ai dos que procuram es- a 
ofensor por causa de uma pala-
conder profundamente do Se- vra; e preparam uma armadilha
nhor os seus desígnios! E as suas ao que repreende à b porta e c põem
obras são feitas às escuras; e di- de lado o justo, sem motivo.
zem: Quem nos vê, e quem nos 33 Portanto, assim diz o Senhor
conhece? E também dizem: Cer- que redimiu Abraão, a respeito da
tamente a inversão que fazeis das casa de Jacó: Jacó não será enver-
coisas será considerada como a gonhado agora, nem o seu rosto
argila do b oleiro. Mas eis que eu empalidecerá.
lhes mostrarei, diz o Senhor dos 34 Mas quando ele a vir seus fi-
Exércitos, que conheço todas as lhos, obra das minhas mãos, no
suas obras. Pois a obra dirá do meio dele, eles santificarão o meu
artífice: Não foi ele que me fez? nome, e santificarão o Santo de
Ou seja, a coisa moldada dirá da- Jacó, e temerão o Deus de Israel.
quele que a moldou: Não tinha ele 35 Também os que a erraram em
entendimento? espírito virão a compreender; e
28 Mas eis que diz o Senhor dos os que murmuraram b aprenderão
Exércitos: Eu mostrarei aos filhos doutrina.
dos homens que dentro em breve
o Líbano se converterá em um CAPÍTULO 28
campo fértil; e o campo fértil será
Muitas falsas igrejas serão estabele-
apreciado como uma floresta.
cidas nos últimos dias — Ensinarão
29 a E naquele dia o surdo ouvirá
doutrinas falsas, vãs e tolas — Have-
as palavras do livro; e de dentro
rá grande apostasia por causa de fal-
da escuridão e das trevas verão
sos mestres — O diabo enfurecer-se-á
os olhos dos cegos.
no coração dos homens — Ensinará
30 E os a mansos também flores-
todo tipo de doutrinas falsas. Apro-
cerão, e o seu b regozijo estará no
ximadamente 559–545 a.C.
Senhor; e os pobres regozijar-se-
ão no Santo de Israel. E agora eis que, meus irmãos, eu
31  Porque tão certo como o vos falei conforme o Espírito me
26 b Isa. 29:14; Mansuetude. 34 a Isa. 29:23–24.
2 Né. 25:17. b D&C 101:36. 35 a 2 Né. 28:14;
27 a Isa. 29:15. 31 a Isa. 29:20. D&C 33:4.
b Jer. 18:6. 32 a Lc. 11:54. b Dan. 12:4.
29 a Isa. 29:18. b Amós 5:10.
30 a GEE Mansidão, Manso, c 2 Né. 28:16.
2 NÉFI 28:2–12 122
compeliu; sei, portanto, que isso um Deus de milagres; ele termi-
a 

certamente acontecerá. nou a sua obra.


2 E as coisas que forem escritas, 7 Sim, e haverá muitos que di-
procedentes do a livro, serão de rão: a Comei, bebei e alegrai-vos,
grande b valor para os filhos dos porque amanhã morreremos; e
homens e principalmente para tudo nos irá bem.
nossa posteridade, que é um re- 8 E muitos também dirão: Co-
manescente da casa de Israel. mei, bebei e diverti-vos; não obs-
3 Pois acontecerá nesse dia que tante, temei a Deus — ele a jus-
as a igrejas que forem estabeleci- tificará a prática de pequenos
das, mas não para o Senhor, di- pecados; sim, b menti um pouco,
rão umas às outras: Eis que eu, aproveitai-vos de alguém por
eu sou a do Senhor! E as outras causa de suas palavras, abri uma
dirão: Eu, eu sou a do Senhor! E c 
cova para o vosso vizinho; não há
assim dirão todos os que estabe- mal nisso. E fazei todas estas coi-
lecerem igrejas, mas não para o sas, porque amanhã morreremos;
Senhor — e se acontecer de sermos culpa-
4 E contenderão umas com as dos, Deus nos castigará com uns
outras; e seus sacerdotes conten- poucos açoites e, ao fim, seremos
derão uns com os outros e ensi- salvos no reino de Deus.
narão com o seu a saber e negarão 9 Sim, e haverá muitos que en-
o Espírito Santo, o qual inspira o sinarão desta maneira a doutrinas
que dizer. falsas, vãs e b tolas; e encherão o
5 E a negam o b poder de Deus, o coração de orgulho e procurarão
Santo de Israel, e dizem ao povo: esconder profundamente do Se-
Escutai-nos e ouvi os nossos pre- nhor os seus desígnios secretos;
ceitos, pois eis que hoje c não há e farão as suas obras às escuras.
Deus, porque o Senhor e Reden- 10 E o a sangue dos santos clama-
tor acabou a sua obra e deu o seu rá contra eles, desde a terra.
poder aos homens; 11 Sim, todos saíram do a cami-
6 Escutai, pois, os meus precei- nho; eles b corromperam-se.
tos; se disserem que há um mila- 12  Por causa do a orgulho e
gre feito pela mão do Senhor, não por causa de falsos mestres e
acrediteis, porque hoje não é ele falsas doutrinas, suas igrejas
28 2 a GEE Livro de Mórmon. 6 a Mórm. 8:26; 9:15–26. Hel. 13:29.
b 1 Né. 13:34–42; 22:9; 7 a 1 Cor. 15:32; 10 a Apoc. 6:9–11;
3 Né. 21:6. Al. 30:17–18. 2 Né. 26:3;
3 a 1 Cor. 1:10–13; 8 a Mórm. 8:31. Mórm. 8:27;
1 Né. 22:23; b D&C 10:25; Ét. 8:22–24;
4 Né. 1:25–29; Mois. 4:4. D&C 87:7.
Mórm. 8:28, 32–38. GEE Mentir, Mentiroso. 11 a Hel. 6:31.
4 a 2 Né. 9:28. c Prov. 26:27; b Mórm. 8:28–41;
5 a 2 Né. 26:20. 1 Né. 14:3. D&C 33:4.
b 2 Tim. 3:5. 9 a Mt. 15:9. 12 a Prov. 28:25.
c Al. 30:28. b Eze. 13:3;
123 2 NÉFI 28:13–22
corromperam-se e suas igrejas completamente amadurecidos na
b 

exaltaram-se; porque estão incha- iniquidade perecerão.


dos de orgulho. 17 Mas eis que se os habitantes
13 a Roubam os b pobres por causa da Terra se arrependerem de suas
de seus belos santuários; roubam iniquidades e abominações, não
os pobres por causa de suas ricas serão destruídos, diz o Senhor
vestimentas; e perseguem os man- dos Exércitos.
sos e os de coração contrito, por- 18 Mas eis que aquela grande e
que estão inchados de c orgulho. abominável igreja, a a prostituta
14 Têm a a cerviz dura e a cabe- de toda a Terra, por terra deverá
ça levantada; sim, e por causa de b 
cair e grande será a sua queda.
seu orgulho e iniquidades e abo- 19  Porque o reino do diabo
minações e libertinagens, b des- deve a estremecer e os que a ele
viaram-se todos, exceto alguns pertencem devem ser movidos
poucos, que são os humildes se- ao arrependimento, ou o b diabo
guidores de Cristo; não obstante, agarrá-los-á com suas eternas c cor-
são guiados de tal maneira que rentes e serão incitados à cólera e
erram em muitas coisas, porque perecerão;
são ensinados pelos preceitos dos 20 Pois eis que nesse dia ele se
homens. a 
enfurecerá no coração dos filhos
15 Oh! Os a sábios e os instruí- dos homens e incitá-los-á a ira-
dos e os ricos, que se incham de rem-se contra o que é bom.
b 
orgulho; e todos os que pregam 21 E a outros a pacificará e aca-
falsas doutrinas e todos os que co- lentará com segurança carnal, de
metem libertinagens e pervertem modo que dirão: Tudo vai bem em
o caminho reto do Senhor! c Ai, ai, Sião; sim, Sião prospera. Tudo vai
ai deles, diz o Senhor Deus Todo- bem — e assim o b diabo engana
Poderoso, porque serão lançados suas almas e os conduz cuidado-
no inferno! samente ao inferno.
16 Ai dos que a afastam de si os 22 E eis que a outros ele lisonjeia,
justos, sem motivo; e injuriam o dizendo-lhes que não há a inferno;
que é bom, dizendo que não tem e diz: Eu não sou o diabo, porque
valor! Porque chegará o dia em ele não existe — e assim lhes sus-
que o Senhor Deus visitará ra- surra aos ouvidos até agarrá-los
pidamente os habitantes da Ter- com suas terríveis b correntes, das
ra; e nesse dia, os que estiverem quais não há libertação.
13 a Eze. 34:8. c 3 Né. 29:5. c Al. 12:11.
b Hel. 4:12. 16 a Isa. 29:21. 20 a D&C 10:20–27.
c Al. 5:53. b Ét. 2:9–10. 21 a Mórm. 8:31.
14 a Prov. 21:4. 18 a Apoc. 19:2. b 2 Né. 9:39.
b Isa. 53:6. b 1 Né. 14:3, 17. 22 a GEE Inferno.
15 a Prov. 3:5–7. 19 a 1 Né. 22:23. b Al. 36:18.
b GEE Orgulho. b Al. 34:35.
2 NÉFI 28:23–29:1 124
23 Sim, são agarrados pela mor- que dão ouvidos aos meus precei-
te e pelo inferno; e a morte e o tos e escutam os meus conselhos,
inferno e o diabo e todos os que porque obterão b sabedoria; pois
assim foram dominados deverão a quem c recebe darei d mais; e dos
apresentar-se diante do trono de que disserem: Temos o suficien-
Deus e ser a julgados de acordo te, destes será tirado até mesmo
com suas obras; daí deverão ir o que tiverem.
para o lugar preparado para eles, 31 Maldito é aquele que a confia
um b lago de fogo e enxofre que é no homem ou faz da carne o seu
tormento sem fim. braço ou dá ouvidos aos precei-
24 Portanto, ai do que está sos- tos dos homens, a menos que seus
segado em Sião! preceitos sejam dados pelo poder
25 Ai do que clama: Tudo vai do Espírito Santo.
bem! 32 a Ai dos gentios, diz o Senhor
26 Sim, ai do que a dá ouvidos Deus dos Exércitos! Pois apesar
aos preceitos dos homens e nega de eu estender o braço sobre eles,
o poder de Deus e o dom do Es- dia após dia, eles me negarão;
pírito Santo! não obstante, serei misericordioso
27 Sim, ai do que diz: Recebemos para com eles, diz o Senhor Deus,
e a não necessitamos mais! caso se arrependam e venham a
28 E por fim, ai de todos os que mim; pois o meu b braço está es-
tremem e estão a irados por causa tendido o dia todo, diz o Senhor
da verdade de Deus! Pois eis que Deus dos Exércitos.
o que está edificado sobre a b rocha
recebe-a com júbilo; e o que está CAPÍTULO 29
edificado sobre um fundamento
Muitos gentios rejeitarão o Livro de
de areia treme de medo de cair.
Mórmon — Eles dirão: Não necessi-
29 Ai do que disser: Recebemos
tamos de outra Bíblia — O Senhor
a palavra de Deus e a não b necessi-
fala a muitas nações — Ele julgará o
tamos de mais palavras de Deus,
mundo pelos livros que serão escri-
porque temos o bastante!
tos. Aproximadamente 559–545 a.C.
30 Pois eis que assim diz o Se-
nhor Deus: Darei aos filhos dos Eis, porém, que haverá muitos —
homens linha sobre linha, a precei- no dia em que eu começar a fa-
to sobre preceito, um pouco aqui zer uma a obra maravilhosa no
e um pouco ali; e abençoados os meio deles, a fim de recordar os
23 a GEE Jesus Cristo — Juiz; GEE Rocha. d Al. 12:10;
Juízo Final. 29 a 2 Né. 27:14; D&C 50:24.
b 2 Né. 9:16, 19, 26. Ét. 4:8. 31 a D&C 1:19–20.
26 a 2 Né. 9:29. b 2 Né. 29:3–10. 32 a 1 Né. 14:6.
27 a Al. 12:10–11. 30 a Isa. 28:9–13; b Jacó 5:47; 6:4.
28 a 2 Né. 9:40; 33:5. D&C 98:12. 29 1 a 2 Né. 27:26.
GEE Rebeldia, Rebelião. b GEE Sabedoria. GEE Restauração do
b Mt. 7:24–27. c Lc. 8:18. Evangelho.
125 2 NÉFI 29:2–9
convênios que fiz com os filhos
b 
povo do convênio? Não, mas os
dos homens; e para que eu esten- amaldiçoastes e a odiastes e não
da a mão pela c segunda vez a fim haveis procurado recuperá-los.
de recuperar o meu povo, que é Eis, porém, que farei voltar todas
da casa de Israel; estas coisas sobre vossa cabeça;
2 E também para que eu me lem- porque eu, o Senhor, não me es-
bre das promessas que fiz a ti, queci do meu povo.
Néfi, e também a teu pai, de que 6 Tu, néscio, que dirás: Uma a Bí-
me lembraria da tua semente; e de blia, temos uma Bíblia e não ne-
que as a palavras da tua semente cessitamos de mais Bíblia! Teríeis
sairiam de minha boca para a tua obtido uma Bíblia, se não fosse
semente; e minhas palavras b silva- pelos judeus?
rão até os confins da Terra como 7 Não sabeis que há mais de uma
um c estandarte para o meu povo, nação? Não sabeis que eu, o Se-
que é da casa de Israel; nhor vosso Deus, a criei todos os
3 E porque minhas palavras hão homens e que me lembro dos que
de silvar — muitos dos gentios estão nas b ilhas do mar? E que
clamarão: Uma a Bíblia, uma Bí- governo nas alturas dos céus e
blia! Temos uma Bíblia e não pode embaixo, na Terra; e revelo minha
haver qualquer outra Bíblia. palavra aos filhos dos homens,
4 Mas assim diz o Senhor Deus: sim, a todas as nações da Terra?
Ó tolos! Eles terão uma Bíblia e 8 Por que murmurais por re-
virá dos a judeus, meu antigo povo ceberdes mais palavras minhas?
do convênio. E que agradecimen- Não sabeis que o depoimento de
to dão aos judeus pela b Bíblia que a 
duas nações é um b testemunho
recebem deles? Sim, que preten- a vós de que eu sou Deus, de que
dem dizer com isto os gentios? me recordo tanto de uma como
Lembram-se eles dos sofrimentos de outra nação? Portanto, digo
e dos labores e das aflições dos as mesmas palavras, tanto a uma
judeus e de sua diligência para nação como a outra. E quando as
comigo em levar a salvação aos duas c nações caminharem juntas,
gentios? os testemunhos das duas nações
5 Ó vós, gentios, vós vos lem- também caminharão juntos.
brastes dos judeus, meu antigo 9 E isso eu faço para provar a
1 b GEE Convênio c 1 Né. 21:22. 6 a 1 Né. 13:38.
Abraâmico. GEE Estandarte. 7 a GEE Criação, Criar.
c 2 Né. 6:14; 21:11–12; 3 a 1 Né. 13:23–25. b 1 Né. 22:4.
25:17. GEE Bíblia; 8 a Eze. 37:15–20;
GEE Israel — Coligação Livro de Mórmon. 1 Né. 13:38–41;
de Israel. 4 a D&C 3:16. 2 Né. 3:12.
2 a 2 Né. 3:18–21. GEE Judeus. b Mt. 18:16.
b Isa. 5:26; b GEE Judá — Vara de GEE Testemunha.
2 Né. 15:26; Judá. c Ose. 1:11.
Morô. 10:28. 5 a 3 Né. 29:8.
2 NÉFI 29:10–30:1 126
muitos que sou o mesmo ontem,
a 
terão as palavras dos nefitas e os
hoje, e para sempre; e que pronun- nefitas terão as palavras dos ju-
cio as minhas palavras segundo a deus; e os nefitas e os judeus terão
minha própria vontade. E porque as palavras das b tribos perdidas
eu disse uma b palavra não deveis de Israel; e as tribos perdidas de
supor que não possa dizer outras; Israel terão as palavras dos nefitas
pois o meu trabalho ainda não e dos judeus.
está terminado, nem estará até o 14 E acontecerá que o meu povo,
fim do homem, nem depois disso que é da a casa de Israel, será reu-
para sempre. nido nas terras de suas posses-
10 Portanto, porque tendes uma sões; e minha palavra também
Bíblia não deveis supor que ela será reunida em b uma. E mostrarei
contenha todas as a palavras mi- aos que combatem a minha pala-
nhas; nem deveis supor que eu vra e o meu povo, que é da c casa
não fiz com que se escrevesse de Israel, que eu sou Deus e que
mais. fiz d convênio com Abraão de que
11 Pois eu ordeno a a todos os me lembraria e para sempre de sua
homens, tanto no leste como no f 
semente.
oeste, tanto no norte como no sul e
nas ilhas do mar, que b escrevam as CAPÍTULO 30
palavras que lhes digo; pois pelos
Os gentios convertidos serão contados
c 
livros que forem escritos d julgarei
com o povo do convênio — Muitos
o mundo, cada homem de acordo
lamanitas e judeus acreditarão na
com as suas obras, conforme o que
palavra e tornar-se-ão agradáveis —
está escrito.
Israel será restaurada e os iníquos,
12 Pois eis que falarei aos a ju-
destruídos. Aproximadamente 559–
deus e eles escreverão; e também
545 a.C.
falarei aos nefitas e eles b escreve-
rão; e falarei também às outras E eis que agora, meus amados
tribos da casa de Israel, que levei irmãos, desejo falar-vos; pois eu,
para longe, e elas escreverão; e Néfi, não vos permitirei supor que
também falarei a c todas as nações sois mais justos do que o serão os
da Terra e elas escreverão. gentios. Porque eis que, a não ser
13 E acontecerá que os a judeus que guardeis os mandamentos de
9 a Heb. 13:8. GEE Juízo Final. c 1 Né. 22:8–9.
b GEE Revelação. 12 a 1 Né. 13:23–29. d Gên. 12:1–3;
10 a GEE Escrituras — b 1 Né. 13:38–42; 1 Né. 17:40;
Profecias a respeito de 2 Né. 26:17. 3 Né. 20:27;
escrituras futuras. c 2 Né. 26:33. Abr. 2:9.
11 a Al. 29:8. 13 a Mórm. 5:12–14. GEE Convênio
b 2 Tim. 3:16. b GEE Israel — Dez tribos Abraâmico.
c GEE Livro da Vida. perdidas. e Gên. 17:7.
d 2 Né. 25:22; 14 a Jer. 3:17–18. f D&C 132:30.
33:11, 14–15. b Eze. 37:16–17.
127 2 NÉFI 30:2–12
Deus, vós todos perecereis igual- saberão que é uma bênção que
mente; e por causa das palavras lhes vem da mão de Deus; e de
que foram ditas, não deveis supor seus olhos começarão a cair as es-
que os gentios serão totalmente camas da escuridão; e antes que se
destruídos. passem muitas gerações, tornar-
2 Pois eis que vos digo que to- se-ão um povo puro e a agradável.
dos os gentios que se arrepende- 7 E acontecerá que os a judeus
rem serão o povo do a convênio que estiverem dispersos também
do Senhor; e todos os b judeus que b 
começarão a acreditar em Cristo;
não se arrependerem serão lança- e começarão a coligar-se na face
dos fora, porque o Senhor não faz da terra; e todos os que acredita-
convênios a não ser com os que rem em Cristo também se torna-
se c arrependem e acreditam em rão um povo agradável.
seu Filho, que é o Santo de Israel. 8  E acontecerá que o Senhor
3 E agora desejo profetizar algu- Deus começará a sua obra entre
ma coisa mais sobre os judeus e todas as nações, tribos, línguas e
os gentios. Porque depois que o povos, para efetuar a restauração
livro do qual falei for revelado e de seu povo na Terra.
for escrito para os gentios e selado 9 E com retidão a julgará o b Se-
novamente para o Senhor, muitos nhor Deus os pobres e reprovará
a 
acreditarão nas palavras que es- com equidade pelos c mansos da
tão escritas; e b eles levá-las-ão aos Terra. E ferirá a Terra com a vara
remanescentes de nossa semente. de sua boca; e com o sopro de seus
4 E então os remanescentes de lábios matará os ímpios.
nossa semente terão conhecimen- 10 Pois rapidamente chegará o
to de nós, de como saímos de Je- a 
tempo em que o Senhor Deus fará
rusalém; e de que eles são descen- uma grande b divisão entre o povo
dentes dos judeus. e destruirá os iníquos; e c poupará
5 E o evangelho de Jesus Cristo seu povo, sim, ainda que tenha
será proclamado a a eles; portanto, que d destruir os iníquos com fogo.
o b conhecimento sobre seus pais 11 E a a retidão será o cinto de
lhes c será restituído, como tam- seus lombos e a fidelidade, o cinto
bém o conhecimento sobre Jesus de seus rins.
Cristo, que seus pais possuíam. 12 a E então o lobo morará com o
6 E então se regozijarão; porque cordeiro; e o leopardo deitar-se-á
30 2 a Gál. 3:26–29. Mórm. 7:1, 9–10. 10 a GEE Últimos Dias.
b Mt. 8:10–13. c D&C 3:20. b D&C 63:53–54.
GEE Judeus. 6 a D&C 49:24; 109:65. c Mois. 7:61.
c GEE Arrepender-se, 7 a 2 Né. 29:13–14. d 1 Né. 22:15–17, 23.
Arrependimento. b 2 Né. 25:16–17. GEE Terra —
3 a 3 Né. 16:6–7. 9 a 2 Né. 9:15. Purificação da Terra.
b 1 Né. 22:8–9. b Isa. 11:4–9. 11 a Isa. 11:5–9.
5 a 3 Né. 21:3–7, 24–26. c GEE Mansidão, Manso, 12 a Isa. 65:25.
b 1 Né. 15:14; 2 Né. 3:12; Mansuetude. GEE Milênio.
2 NÉFI 30:13–31:5 128
com o cabrito; e o bezerro e o filho salvos — Arrependimento e batismo
do leão e o cevado, juntos; e uma são a porta para o caminho estreito e
criancinha guiá-los-á. apertado — A vida eterna é concedida
13 E a vaca e a ursa pastarão; àqueles que guardam os mandamen-
suas crias juntas se deitarão; e o tos após o batismo. Aproximadamente
leão comerá palha como o boi. 559–545 a.C.
14 E a criança de peito brincará
no covil da áspide e o desmamado E agora, meus amados irmãos,
meterá a mão na cova do basilisco. eu, Néfi, cesso de a profetizar-vos.
15 Não ferirão nem destruirão E não posso escrever senão umas
em todo o meu santo monte, por- poucas coisas que sei com certeza
que a Terra se encherá do conhe- que acontecerão nem posso escre-
cimento do Senhor como as águas ver senão algumas das palavras
cobrem o mar. de meu irmão Jacó.
16 Portanto, as coisas de a todas 2 Portanto, as coisas que escrevi
as nações se tornarão conhecidas; me bastam, exceto algumas pou-
sim, todas as coisas serão dadas a cas palavras que devo dizer sobre
b 
conhecer aos filhos dos homens. a a doutrina de Cristo; portanto,
17 Nada haverá secreto que não vos falarei claramente, de acordo
seja a revelado; não haverá obra te- com a clareza de meu profetizar.
nebrosa que não venha à luz; nada 3 Porque minha alma se deleita
haverá selado na face da Terra que na clareza, pois é desta maneira
não seja descerrado. que o Senhor Deus faz suas obras
18 Portanto, todas as coisas que entre os filhos dos homens. Pois
foram reveladas aos filhos dos ho- o Senhor Deus dá a luz ao enten-
mens serão reveladas naquele dia; dimento; porque fala aos homens
e Satanás já a não terá poder sobre de acordo com sua b língua, para
o coração dos filhos dos homens, que compreendam.
por um longo tempo. E agora, 4 Portanto, quisera que vos lem-
meus amados irmãos, ponho fim brásseis do que vos falei sobre
às minhas palavras. aquele a profeta que o Senhor me
mostrou, o qual batizará o b Cor-
deiro de Deus que tirará os peca-
CAPÍTULO 31
dos do mundo.
Néfi diz por que Cristo foi batizado — 5 E agora, se o Cordeiro de Deus,
Os homens devem seguir a Cristo, sendo santo, terá necessidade de
ser batizados, receber o Espírito San- ser a batizado com água para cum-
to e perseverar até o fim para serem prir toda a retidão, quanto mais
16 a D&C 101:32–35; 31 1 a 2 Né. 25:1–4. 4 a 1 Né. 10:7; 11:27.
121:28–29. 2 a 2 Né. 11:6–7. GEE João Batista.
b Ét. 4:6–7. 3 a GEE Luz, Luz de b GEE Cordeiro de Deus.
17 a D&C 1:2–3. Cristo. 5 a Mt. 3:11–17.
18 a Apoc. 20:1–3; Ét. 8:26. b D&C 1:24. GEE Batismo, Batizar.
129 2 NÉFI 31:6–14
necessidade não teremos nós, sen- do Filho, dizendo: Àquele que
do impuros, de sermos batizados, for batizado em meu nome o Pai
sim, com água! a 
dará o Espírito Santo, como a
6 E agora vos pergunto, meus mim; b segui-me, pois; e fazei as
amados irmãos, como foi que o coisas que me vistes fazer.
Cordeiro de Deus cumpriu toda 13 Portanto, meus amados ir-
a retidão, sendo batizado com mãos, sei que, se seguirdes o Fi-
água? lho com todo o coração, agindo
7 Não sabeis que ele era santo? sem hipocrisia e sem dolo dian-
Mas, embora sendo santo, mos- te de Deus, mas com verdadeira
tra aos filhos dos homens que, intenção, arrependendo-vos de
segundo a carne, se humilha ante vossos pecados, testemunhando
o Pai e testifica-lhe que lhe será ao Pai que estais dispostos a to-
a 
obediente na observância de seus mar sobre vós o nome de Cristo
mandamentos. pelo a batismo — sim, seguindo
8 Portanto, depois de ter sido ba- vosso Senhor e vosso Salvador à
tizado com água, o Espírito San- água, segundo a sua palavra, eis
to desceu sobre ele na a forma de que então recebereis o Espírito
uma b pomba. Santo; sim, então vem o b batismo
9 E novamente isto mostra aos de fogo e do Espírito Santo; e en-
filhos dos homens quão estreito tão podereis falar na c língua de
é o caminho e quão apertada é a anjos e render louvores ao Santo
a 
porta pela qual deverão entrar, de Israel.
tendo-lhes ele dado o exemplo. 14 Eis, porém, meus amados ir-
10 E disse aos filhos dos homens: mãos, que assim veio a mim a voz
a 
Segui-me. Portanto, meus ama- do Filho, dizendo: Depois de vos
dos irmãos, poderemos nós b se- arrependerdes de vossos pecados
guir a Jesus se não estivermos e de testificardes ao Pai que estais
dispostos a guardar os manda- dispostos a guardar meus man-
mentos do Pai? damentos pelo batismo de água;
11 E disse o Pai: Arrependei- e de haverdes recebido o batismo
vos, arrependei-vos e sede ba- de fogo e do Espírito Santo e de
tizados em nome do meu Filho poderdes falar em uma língua
Amado. nova, sim, na língua de anjos; se
12 E também veio a mim a voz depois disso me a negardes, teria
7 a Jo. 5:30. b Morô. 7:11; Fogo.
GEE Obedecer, D&C 56:2. c 2 Né. 32:2–3.
Obediência, Obediente. 12 a GEE Dom do Espírito 14 a Mt. 10:32–33;
8 a 1 Né. 11:27. Santo. Al. 24:30;
b GEE Pomba, Sinal da. b Lc. 9:57–62; D&C 101:1–5.
9 a 2 Né. 9:41; Jo. 12:26. GEE Pecado
3 Né. 14:13–14; 13 a Gál. 3:26–27. Imperdoável.
D&C 22:4. b GEE Dom do Espírito
10 a Mt. 4:19; 8:22; 9:9. Santo;
2 NÉFI 31:15–21 130
sido melhor para vós que não me
b 
que, se entrásseis pelo caminho,
houvésseis conhecido. receberíeis.
15 E ouvi a voz do Pai, dizendo: 19 E agora, meus amados ir-
Sim, as palavras do meu Ama- mãos, depois de haverdes entra-
do são verdadeiras e fiéis. Quem do neste caminho estreito e aper-
perseverar até o fim, esse será tado, eu perguntaria se tudo terá
salvo. sido a feito. Eis que vos digo: Não;
16 E agora, meus amados ir- porque não haveríeis chegado até
mãos, sei por isso que, a menos esse ponto se não fosse pela pala-
que o homem a persevere até o vra de Cristo, com b fé inabalável
fim, seguindo o b exemplo do Fi- nele, c confiando plenamente nos
lho do Deus vivo, não poderá méritos daquele que é poderoso
ser salvo. para salvar.
17 Portanto, fazei as coisas que 20 Deveis, pois, a prosseguir com
eu vos disse ter visto vosso Senhor firmeza em Cristo, tendo um per-
e Redentor fazer; porque por esta feito esplendor de b esperança e
razão me foram mostradas, para c 
amor a Deus e a todos os homens.
que possais conhecer a porta pela Portanto, se assim prosseguirdes,
qual deveis entrar. Porque a por- banqueteando-vos com a palavra
ta pela qual deveis entrar é o ar- de Cristo, e d perseverardes até o
rependimento e o a batismo com fim, eis que assim diz o Pai: Tereis
água; e vem, então, a b remissão de vida eterna.
vossos pecados pelo fogo e pelo 21 E agora, meus amados ir-
Espírito Santo. mãos, eis que este é o a caminho;
18 E estareis então no a caminho e b não há qualquer outro caminho
b 
estreito e apertado que conduz à ou c nome debaixo do céu pelo
vida eterna; sim, havereis entra- qual o homem possa ser salvo no
do pela porta; havereis procedido reino de Deus. E agora, eis que
segundo os mandamentos do Pai esta é a d doutrina de Cristo e a
e do Filho; e havereis recebido o única e verdadeira doutrina do
Espírito Santo, que dá c testemu- e 
Pai e do Filho e do Espírito San-
nho do Pai e do Filho em cumpri- to, que são f um Deus, sem fim.
mento da promessa que vos fez de Amém.
14 b 2 Ped. 2:21. b 1 Né. 8:20. Al. 37:46;
16 a Al. 5:13; 38:2; c At. 5:29–32. D&C 132:22, 25.
D&C 20:29. 19 a Mos. 4:10. b Mos. 3:17.
b GEE Jesus Cristo — b GEE Fé. c GEE Jesus Cristo —
Exemplo de Jesus c D&C 3:20. Tomar sobre nós o
Cristo. 20 a GEE Andar, Andar com nome de Jesus Cristo.
17 a Mos. 18:10. Deus. d Mt. 7:28;
GEE Batismo, Batizar. b GEE Esperança. Jo. 7:16–17.
b GEE Remissão de c GEE Amor. e GEE Trindade.
Pecados. d GEE Perseverar. f 3 Né. 11:27, 35–36.
18 a Prov. 4:18. 21 a At. 4:10–12; GEE Unidade.
GEE Caminho. 2 Né. 9:41;
131 2 NÉFI 32:1–9
CAPÍTULO 32 vos mostrará todas as coisas que
deveis fazer.
Anjos falam pelo poder do Espírito
6 Eis que esta é a doutrina de
Santo — Os homens devem orar e
Cristo e nenhuma doutrina mais
obter do Espírito Santo conhecimento
será dada até depois de ele se a ma-
para si mesmos. Aproximadamente
nifestar a vós na carne. E quando
559–545 a.C.
ele se manifestar na carne, deve-
E agora eis que, meus amados reis fazer as coisas que ele vos
irmãos, suponho que meditais em disser.
vosso coração sobre o que deveis 7 E agora eu, Néfi, não posso
fazer, depois de haverdes entra- dizer mais; o Espírito encerra a
do pelo caminho. Mas por que minha fala e só me resta lamentar
ponderais sobre estas coisas em a a incredulidade e a iniquidade e
vosso coração? a ignorância e a obstinação dos
2 Não vos lembrais de que eu homens; porque não procuram
vos disse que depois de haver- conhecimento nem compreendem
des a recebido o Espírito Santo po- grande conhecimento, quando
deríeis falar a b língua de anjos? lhe é dado com b clareza, sim, tão
E então, como poderíeis falar a claramente quanto o podem ser
língua de anjos se não fosse pelo as palavras.
Espírito Santo? 8 E agora, meus amados irmãos,
3 Os a anjos falam pelo poder do percebo que ainda meditais em
Espírito Santo; falam, portanto, vosso coração; e é-me doloroso
as palavras de Cristo. Por isto eu falar-vos sobre isso. Porque, se
vos disse: b Banqueteai-vos com as désseis ouvidos ao Espírito que
palavras de Cristo; pois eis que as ensina o homem a a orar, saberíeis
palavras de Cristo vos dirão todas que deveis orar; porque o b espírito
as coisas que deveis fazer. mau não ensina o homem a orar,
4 Portanto, agora que vos disse mas ensina-lhe que não deve orar.
estas palavras, se não as puder- 9 Mas eis que vos digo que de-
des compreender será porque não veis a orar sempre e não desfalecer;
a 
pedis nem bateis; de modo que e nada deveis fazer para o Senhor
não sereis levados para a luz, mas sem antes orar ao Pai, em b nome
perecereis na escuridão. de Cristo, para que ele consagre
5 Pois eis que vos digo novamen- para vós a vossa ação, a fim de
te que, se entrardes pelo caminho que a vossa ação seja para o c bem-
e receberdes o Espírito Santo, ele estar de vossa alma.
32 2 a 3 Né. 9:20. 7 a GEE Incredulidade. 9 a 3 Né. 20:1;
b 2 Né. 31:13. b 2 Né. 31:2–3; D&C 75:11.
3 a GEE Anjos. Jacó 4:13. b Mois. 5:8.
b Jer. 15:16. 8 a GEE Oração. c Al. 34:27.
4 a GEE Pedir. b Mos. 4:14.
6 a 3 Né. 11:8. GEE Diabo.
2 NÉFI 33:1–9 132
CAPÍTULO 33 consagrará minhas orações para
o bem de meu povo. E as palavras
As palavras de Néfi são verdadei-
que escrevi em fraqueza tornar-
ras — Elas testificam de Cristo —
se-ão a fortes para eles; porque os
Aqueles que creem em Cristo cre- b 
persuadem a fazer o bem; fazem
rão nas palavras de Néfi, as quais
com que saibam a respeito de seus
serão como uma testemunha dian-
pais; e falam de Jesus, persuadin-
te do tribunal. Aproximadamente
do-os a acreditar nele e a perseve-
559–545 a.C.
rar até o fim, que é vida c eterna.
E agora eu, Néfi, não posso es- 5 E falam a asperamente contra
crever todas as coisas que foram o pecado, segundo a b clareza da
ensinadas a meu povo; nem sou verdade; portanto, nenhum ho-
a 
poderoso no escrever como o sou mem se zangará com as palavras
no falar; porque quando um ho- que escrevi, a não ser que ele seja
mem b fala pelo poder do Espírito do espírito do diabo.
Santo, o poder do Espírito Santo 6 Glorio-me na clareza; glorio-
leva as suas palavras ao coração me na verdade; glorio-me em meu
dos filhos dos homens. Jesus, pois a redimiu minha alma
2 Mas eis que muitos há que a en- do inferno.
durecem o coração contra o Santo 7 Tenho a caridade para com meu
Espírito, de modo que neles não povo e grande fé em Cristo de
encontra espaço; portanto, lan- que encontrarei muitas almas sem
çam fora muitas coisas que estão mancha no seu tribunal.
escritas e consideram-nas sem 8 Tenho caridade para com os
importância. a 
judeus — digo judeus, porque
3 Mas eu, Néfi, escrevi o que me refiro àqueles de onde vim.
escrevi e considero-o de grande 9 Tenho também caridade para
a 
valor, especialmente para o meu com os a gentios; mas eis que não
povo. Porque b oro por eles conti- posso ter esperança por nenhum
nuamente durante o dia e meus deles, a não ser que se b reconci-
olhos molham meu travesseiro liem com Cristo e entrem pela
durante a noite por causa deles; porta c apertada e d andem no ca-
e clamo a meu Deus com fé e sei minho e estreito, que leva à vida, e
que ele ouvirá o meu clamor. continuem no caminho até o fim
4  E sei que o Senhor Deus do dia de provação.
33 1 a Ét. 12:23–24. c GEE Vida eterna. 9 a GEE Gentios.
b D&C 100:7–8. 5 a 1 Né. 16:1–3; b GEE Expiação, Expiar.
2 a Hel. 6:35–36. 2 Né. 9:40. c 2 Né. 9:41.
3 a GEE Escrituras — b 2 Né. 31:3; d GEE Andar, Andar com
Valor das escrituras. Jacó 4:13. Deus.
b En. 1:9–12; 6 a GEE Redenção, e Hel. 3:29–30;
Pal. Mórm. 1:8. Redimido, Redimir. D&C 132:22.
4 a Ét. 12:26–27. 7 a GEE Caridade.
b Morô. 7:13. 8 a GEE Judeus.
133 2 NÉFI 33:10–JACÓ 1:1
10 E agora, meus amados ir- senão todos, sejamos salvos no
mãos, e também judeus e todos seu a reino no grande e último dia.
vós, confins da Terra, dai ouvidos 13 E agora, meus amados ir-
a estas palavras e a acreditai em mãos, todos os que são da casa
Cristo; e se não acreditardes nes- de Israel e todos vós, confins da
tas palavras, acreditai em Cristo. E Terra, falo-vos com a voz de quem
se acreditardes em Cristo, acredi- a 
clama do pó: Adeus, até que che-
tareis nestas b palavras, porque são gue aquele grande dia.
as c palavras de Cristo e ele deu-as 14 E vós outros, que não quereis
a mim; e elas d ensinam a todos os participar da bondade de Deus
homens que devem fazer o bem. nem respeitar as a palavras dos
11 E se elas não são as palavras judeus nem tampouco minhas
de Cristo, julgai vós — porque no b 
palavras nem as que sairão da
último dia Cristo vos mostrará, boca do Cordeiro de Deus, eis que
com a poder e grande glória, que vos dou um eterno adeus, porque
são suas palavras; e vós e eu esta- estas palavras vos c condenarão no
remos face a face ante o seu b tribu- último dia.
nal e sabereis que ele me mandou 15 Porque o que eu selo na Ter-
escrever estas coisas, apesar de ra será apresentado contra vós
minha fraqueza. no a tribunal; porque assim me
12 E oro ao Pai, em nome de ordenou o Senhor e devo obede-
Cristo, para que muitos de nós, cer. Amém.

LIVRO DE JACÓ
IRMÃO DE NÉFI

As palavras de sua pregação a seus irmãos. Ele confunde um homem que


procura destruir a doutrina de Cristo. Algumas palavras sobre a história
do povo de Néfi.
CAPÍTULO 1 entre os nefitas. Aproximadamente
544–421 a.C.
Jacó e José procuram persuadir os
homens a crerem em Cristo e a guar-
darem Seus mandamentos — Néfi
morre  — A iniquidade prevalece
P OIS eis que aconteceu que cin-
quenta e cinco anos se passa-
ram desde a época em que Leí
10 a GEE Crença, Crer. b Apoc. 20:12; b GEE Livro de Mórmon.
b GEE Livro de Mórmon. Morô. 10:34. c 2 Né. 29:11;
c Morô. 10:27–29. 12 a GEE Glória Celestial. Ét. 4:8–10.
d 2 Né. 25:28. 13 a Isa. 29:4; 15 a Pal. Mórm. 1:11.
11 a Ét. 5:4; 2 Né. 26:16.
Morô. 7:35. 14 a GEE Bíblia.
JACÓ 1:2–10 134
deixara Jerusalém; e Néfi deu a a 
Cristo e de seu reino que have-
mim, a Jacó, um b mandamento ria de vir.
concernente às c placas menores, 7 Portanto, trabalhamos diligen-
nas quais estão gravadas estas temente entre os de nosso povo,
coisas. a fim de persuadi-los a a virem a
2 E ele ordenou a mim, Jacó, que Cristo e participarem da bondade
escrevesse nestas placas algumas de Deus, para entrarem em seu
das coisas que eu considerasse b 
descanso, a fim de que, de ne-
muito preciosas; que eu não tra- nhum modo, ele jurasse em sua
tasse, a não ser ligeiramente, da ira que não c entrariam, como na
história deste povo, que é chama- d 
provocação, nos dias de tentação,
do povo de Néfi. enquanto os filhos de Israel esta-
3 Porque ele disse que a história vam no e deserto.
de seu povo deveria ser gravada 8 Portanto, prouvera a Deus que
nas suas outras placas e que eu pudéssemos persuadir todos os
deveria guardar estas placas e homens a não se a rebelarem con-
transmiti-las a meus descenden- tra Deus, a não o b provocarem
tes, de geração em geração. à ira, mas que todos os homens
4 E se houvesse prédicas sagra- acreditassem em Cristo e conside-
das ou grandes revelações ou rassem sua morte e carregassem
profecias, deveria eu gravar seus sua c cruz e suportassem a ver-
pontos principais nestas placas e gonha do mundo; portanto, eu,
escrever sobre elas tanto quanto Jacó, tomo a meu cargo cumprir o
fosse possível, por amor a Cristo mandamento de meu irmão Néfi.
e para o bem de nosso povo. 9 Ora, Néfi começou a envelhe-
5 Pois em virtude de nossa fé e cer e viu que logo a morreria; por-
grande ansiedade, verdadeira- tanto, b ungiu um homem para ser
mente nos haviam sido revela- rei e governador de seu povo, de
das as coisas que a aconteceriam acordo com os governos dos c reis.
a nosso povo. 10 O povo amava Néfi profun-
6 E tivemos também muitas re- damente, por ter sido seu grande
velações e o espírito de muita protetor, ter empunhado a a es-
profecia; sabíamos, portanto, de pada de Labão em sua defesa e
1 1 a GEE Jacó, Filho de Leí. c Núm. 14:23; Lc. 14:27.
b Jacó 7:27. Deut. 1:35–37; 9 a 2 Né. 1:14.
c 2 Né. 5:28–33; D&C 84:23–25. b GEE Unção, Ungir.
Jacó 3:13–14. d Heb. 3:8. c 2 Né. 6:2;
GEE Placas. e Núm. 26:65; Jar. 1:7.
5 a 1 Né. 12. 1 Né. 17:23–31. 10 a 1 Né. 4:9;
6 a 1 Né. 10:4–11; 19:8–14. 8 a GEE Rebeldia, Rebelião. 2 Né. 5:14;
7 a 2 Né. 9:41; b 1 Né. 17:30; Pal. Mórm. 1:13;
Ômni 1:26; Al. 12:36–37; Mos. 1:16;
Morô. 10:32. Hel. 7:18. D&C 17:1.
b GEE Descansar, c TJS Mt. 16:25–26
Descanso. (Apêndice da Bíblia);
135 JACÓ 1:11–19
trabalhado todos os seus dias por prata e começaram a ser um tanto
seu bem-estar — orgulhosos.
11 Portanto, o povo queria que a 17 Portanto, eu, Jacó, disse-lhes
memória de seu nome fosse con- estas palavras enquanto os ensi-
servada e que todos os que go- nava no a templo, tendo primei-
vernassem em seu lugar fossem ramente recebido essa b missão
chamados, pelo povo, de Néfi se- do Senhor.
gundo, Néfi terceiro e assim por 18 Porque eu, Jacó, e meu irmão
diante, de acordo com os gover- José havíamos sido a consagrados
nos dos reis; e assim foram cha- sacerdotes e mestres deste povo
mados pelo povo, fosse qual fosse pela mão de Néfi.
seu nome. 19 E nós magnificamos o nosso
12 E aconteceu que Néfi morreu. a 
ofício para o Senhor, tomando
13 Ora, aqueles que não eram sobre nós a b responsabilidade de
a 
lamanitas eram b nefitas; não obs- responder pelos pecados do povo
tante, eram chamados de nefitas, se não lhes ensinássemos com di-
jacobitas, josefitas, c zoramitas, la- ligência a palavra de Deus; assim,
manitas, lemuelitas e ismaelitas. trabalhando com toda a nossa
14 Mas eu, Jacó, daqui por diante força, seu c sangue não mancha-
não os mencionarei por esses no- ria nossas vestimentas; caso con-
mes, mas a chamarei de lamanitas trário, o seu sangue cairia sobre
aos que procuram destruir o povo nossas vestimentas e não sería-
de Néfi; e aos que são amigos de mos declarados sem mancha no
Néfi eu chamarei de b nefitas, ou último dia.
seja, o c povo de Néfi, segundo os
governos dos reis.
CAPÍTULO 2
15 E então aconteceu que o povo
de Néfi, sob o governo do segun- Jacó denuncia o amor às riquezas, o
do rei, começou a endurecer o co- orgulho e a falta de castidade — Os
ração, permitindo-se, de certa for- homens podem procurar obter rique-
ma, práticas iníquas, assim como zas para ajudar seus semelhantes —
Davi, na antiguidade, que deseja- O Senhor ordena que nenhum homem
ra ter muitas a esposas e concubi- entre os nefitas tenha mais do que
nas; e também Salomão, seu filho. uma esposa — O Senhor deleita-se
16 Sim, e eles também come- na castidade das mulheres. Aproxi-
çaram a procurar muito ouro e madamente 544–421 a.C.
13 a En. 1:13; c 2 Né. 5:9. Chamar.
D&C 3:18. 15 a D&C 132:38–39. 18 a 2 Né. 5:26.
b GEE Nefitas. 17 a 2 Né. 5:16. 19 a GEE Oficial, Ofício.
c 1 Né. 4:35; GEE Templo, A Casa do b D&C 107:99–100.
4 Né. 1:36–37. Senhor. GEE Mordomia,
14 a Mos. 25:12; Al. 2:11. b GEE Chamado, Mordomo.
b 2 Né. 4:11. Chamado por Deus, c 2 Né. 9:44.
JACÓ 2:1–12 136
As palavras que Jacó, irmão de muitos têm sentimentos suma-
Néfi, dirigiu ao povo de Néfi de- mente ternos e b castos e delicados
pois da morte de Néfi: perante Deus, o que é agradável
2 Agora, meus amados irmãos, a Deus;
eu, Jacó, de acordo com a respon- 8 E suponho que eles tenham
sabilidade que tenho para com vindo aqui para ouvir a agradável
Deus de magnificar meu ofício a 
palavra de Deus, sim, a palavra
com sobriedade e para livrar mi- que cura a alma ferida.
nhas vestimentas de vossos peca- 9 Portanto, pesa-me a alma por
dos, venho hoje ao templo para ser compelido, por causa do es-
declarar-vos a palavra de Deus. trito mandamento que recebi de
3 E vós mesmos sabeis que, até Deus, a admoestar-vos segundo
aqui, eu tenho sido diligente no vossos crimes, a aumentar as fe-
exercício de meu chamado; hoje, ridas dos que já estão feridos, em
porém, sinto-me curvado sob o vez de consolá-los e curar-lhes as
peso de um desejo e ansiedade feridas; e os que não foram feri-
muito maiores pelo bem-estar de dos, em vez de se banquetearem
vossa alma do que senti até agora. com a palavra agradável de Deus,
4 Pois eis que até agora tendes têm a alma traspassada e a deli-
sido obedientes à palavra do Se- cada mente ferida por punhais.
nhor, a qual eu vos tenho dado. 10 Mas, não obstante a magnitu-
5 Ouvi-me, porém, e sabei que, de da tarefa, devo agir segundo os
com o auxílio do onipotente Cria- a 
mandamentos estritos de Deus
dor dos céus e da Terra, posso e falar-vos de vossas maldades e
falar-vos a respeito de vossos abominações na presença dos pu-
a 
pensamentos, de como estais ros de coração e daqueles de cora-
começando a cometer pecado, ção quebrantado, sob o olhar b pe-
pecado esse que me parece mui- netrante do Deus Todo-Poderoso.
to abominável, sim, e abominável 11 Portanto, devo dizer-vos a
a Deus. verdade, de acordo com a a clareza
6 Sim, entristece-me a alma e da palavra de Deus. Pois eis que,
faz-me encolher de vergonha ante tendo eu inquirido o Senhor, as-
meu Criador ter que vos testemu- sim me veio a palavra, dizendo:
nhar sobre a maldade de vosso Jacó, vai ao templo amanhã e de-
coração. clara a esse povo a palavra que
7 E também me entristece ter que te darei.
usar uma linguagem a tão forte 12  E agora eis que, meus ir-
a vosso respeito perante vossas mãos, esta é a palavra que vos
mulheres e vossos filhos, quando declaro: que muitos de vós haveis
2 5 a Al. 12:3; D&C 6:16. b GEE Virtude. Deus.
GEE Trindade. 8 a Al. 31:5. b 2 Né. 9:44.
7 a D&C 121:43. 10 a GEE Mandamentos de 11 a 2 Né. 25:4; 31:2–3.
137 JACÓ 2:13–23
começado a procurar ouro e prata com vossos bens, para que b vos-
a 

e toda espécie de a minerais precio- sos irmãos sejam ricos como vós.
sos que se encontram em abun- 18 Mas antes de buscardes a ri-
dância nesta terra, que é uma b ter- quezas, buscai o b reino de Deus.
ra de promissão para vós e para 19 E depois de haverdes obtido
vossos descendentes. uma esperança em Cristo, conse-
13 E a mão da providência favo- guireis riquezas, se as procurar-
receu-vos mui agradavelmente, des; e procurá-las-eis com o fito
de modo que obtivestes muitas de a praticar o bem — de vestir
riquezas; e porque alguns de vós os nus e alimentar os famintos e
obtivestes mais abundantemente libertar os cativos e confortar os
do que vossos irmãos, enchestes doentes e aflitos.
o coração de a orgulho e andais 20 E agora, meus irmãos, falei-
com dura cerviz e cabeça levan- vos sobre o orgulho; e aqueles de
tada devido aos vossos custosos vós que afligistes o próximo e o
trajes; e perseguis vossos irmãos, perseguistes devido ao orgulho
porque supondes que sois melho- de vosso coração, por causa das
res do que eles. coisas que Deus vos deu, que di-
14 E agora, meus irmãos, supon- zeis disto?
des que Deus vos justifica nisto? 21 Não supondes que tais coisas
Eis que vos digo: Não. Ele, porém, são abomináveis àquele que criou
condena-vos; e se persistirdes nes- toda a carne? E para ele uma cria-
tas coisas, seus julgamentos cairão tura é tão preciosa como a outra. E
rapidamente sobre vós. toda a carne vem do pó; e a todos
15 Oh! Se ele vos mostrasse que criou para o mesmo fim, para que
vos pode traspassar e que, com guardassem seus a mandamentos
um relance de seu olhar, pode e glorificassem-no para sempre.
lançar-vos ao pó! 22 E agora cesso de falar-vos so-
16 Oh! Se ele vos livrasse desta bre esse orgulho. E se não tivesse
iniquidade e abominação! E oh! que vos falar sobre um crime ain-
Se escutásseis a palavra de seus da maior, meu coração regozijar-
mandamentos e não permitísseis se-ia imensamente por vós.
que o a orgulho de vosso coração 23 Mas a palavra de Deus me
vos destruísse a alma! oprime por causa de vossos cri-
17  Pensai em vossos irmãos mes maiores. Pois eis que assim
como em vós mesmos; e sede diz o Senhor: Este povo come-
amáveis para com todos e liberais ça a tornar-se iníquo; eles não
12 a 1 Né. 18:25; 16 a GEE Orgulho. 2 Né. 26:31; D&C 6:7.
Hel. 6:9–11; Ét. 10:23. 17 a GEE Bem-Estar; GEE Riquezas.
b 1 Né. 2:20. Esmolas. b Lc. 12:22–31.
GEE Terra da b 4 Né. 1:3. 19 a Mos. 4:26.
Promissão. 18 a 1 Re. 3:11–13; 21 a D&C 11:20;
13 a Mórm. 8:35–39. Mc. 10:17–27; Abr. 3:25–26.
JACÓ 2:24–35 138
entendem as escrituras, pois pro- circunstâncias meu povo dará ou-
curam desculpar-se por cometer vidos a estas coisas.
libertinagens, por causa das coisas 31 Porque eis que eu, o Senhor,
que foram escritas com referência vi a dor e ouvi o lamento das fi-
a Davi e seu filho Salomão. lhas de meu povo na terra de Je-
24 Eis que Davi e a Salomão real- rusalém; sim, e em todas as terras
mente tiveram muitas b esposas e de meu povo, por causa das ini-
concubinas, o que foi abominável quidades e abominações de seus
diante de mim, diz o Senhor. maridos.
25 Portanto, assim diz o Senhor: 32 E não permitirei, diz o Senhor
Tirei este povo da terra de Jeru- dos Exércitos, que o lamento das
salém pelo poder de meu braço, belas filhas deste povo que tirei
a fim de suscitar para mim um da terra de Jerusalém suba a mim
a 
ramo justo do fruto dos lombos contra os homens de meu povo,
de José. diz o Senhor dos Exércitos.
26 Portanto, eu, o Senhor Deus, 33 Porque não levarão em cati-
não permitirei que este povo pro- veiro as filhas de meu povo, por
ceda como os antigos. causa de sua ternura, sem que eu
27 Portanto, meus irmãos, ouvi- os visite com uma terrível maldi-
me e atentai para a palavra do Se- ção, até mesmo destruição; por-
nhor: Pois nenhum homem dentre que eles não cometerão a liber-
vós terá mais que a uma esposa; e tinagens como os antigos, diz o
não terá concubina alguma. Senhor dos Exércitos.
28 Porque eu, o Senhor Deus, 34 E agora eis que, meus irmãos,
deleito-me na a castidade das mu- sabeis que estes mandamentos fo-
lheres. E as libertinagens são para ram dados a nosso pai, Leí; por-
mim abominação; assim diz o Se- tanto, já os conhecíeis; e caístes
nhor dos Exércitos. em grande condenação, porque
29 Portanto, este povo guarda- haveis feito estas coisas que não
rá os meus mandamentos, diz o devíeis ter feito.
Senhor dos Exércitos, ou a terra 35  Eis que haveis praticado
será a amaldiçoada por sua causa. a 
maiores iniquidades que os la-
30 Porque se eu quiser susci- manitas, nossos irmãos. Haveis
tar a posteridade para mim, diz quebrantado o coração de vossas
o Senhor dos Exércitos, ordena- ternas esposas e perdido a con-
rei isso a meu povo; em outras fiança de vossos filhos, por causa
24 a 1 Re. 11:1; 2 Né. 3:5; 30 a Mal. 2:15;
Ne. 13:25–27. Al. 26:36. D&C 132:61–66.
b 1 Re. 11:1–3; GEE Leí, Pai de Néfi. 33 a GEE Imoralidade
Esd. 9:1–2; 27 a D&C 42:22; 49:16. Sexual;
D&C 132:38–39. GEE Casamento, Casar. Sensual, Sensualidade.
25 a Gên. 49:22–26; 28 a GEE Castidade. 35 a Jacó 3:5–7.
Amós 5:15; 29 a Ét. 2:8–12.
139 JACÓ 3:1–8
de vossos maus exemplos diante maldição, afligir-vos-ão até vos
deles; e os soluços do coração de- destruir.
les sobem a Deus contra vós. E por 4 E vem rapidamente o tempo
causa da severidade da palavra em que, a menos que vos arre-
de Deus, que desce contra vós, pendais, eles ocuparão a terra de
muitos corações pereceram, tras- vossa herança e o Senhor Deus
passados por profundas feridas. a 
retirará os justos dentre vós.
5 Eis que os lamanitas, vossos ir-
CAPÍTULO 3 mãos, a quem odiais por causa de
sua imundície e da maldição que
Os puros de coração recebem a agra-
lhes caiu sobre a pele, são mais
dável palavra de Deus — A retidão
justos que vós; porque eles não
dos lamanitas excede a dos nefitas —
se a esqueceram do mandamento
Jacó adverte contra fornicação, lascí-
do Senhor, dado a nosso pai — de
via e todo pecado. Aproximadamente
que não deveriam ter mais que
544–421 a.C.
uma esposa nem concubina algu-
Mas eis que eu, Jacó, desejo falar ma; e que não deveriam cometer
a vós, que sois puros de coração. libertinagem.
Confiai em Deus com a mente 6 E agora eles se esforçam por
firme e orai a ele com grande fé; guardar este mandamento; por-
e ele consolar-vos-á nas aflições e tanto, por causa desse esforço em
defenderá vossa causa e enviará guardar este mandamento, o Se-
justiça sobre os que procuram a nhor Deus não os destruirá, mas
vossa destruição. será a misericordioso para com
2 Ó todos vós, que sois puros de eles; e um dia tornar-se-ão um
coração, levantai a cabeça e rece- povo abençoado.
bei a agradável palavra de Deus 7 Eis que os maridos a amam as
e banqueteai-vos com seu amor; esposas e as esposas amam os ma-
porque podereis fazê-lo para sem- ridos; e os maridos e as esposas
pre, se vossa mente for a firme. amam seus filhos; e sua incredu-
3 Mas ai, ai de vós, que não sois lidade e seu ódio para convosco
puros de coração, que estais hoje são consequência da iniquidade
a 
imundos diante de Deus; porque, de seus pais; portanto, em que
a não ser que vos arrependais, a sois vós melhores do que eles aos
terra será amaldiçoada por vossa olhos de vosso grande Criador?
causa; e os lamanitas, que não são 8 Ó meus irmãos, temo que, a
imundos como vós, não obstante menos que vos arrependais de
b 
amaldiçoados com uma dolorosa vossos pecados, a pele deles será
3 2 a Al. 57:26–27. 4 a Ômni 1:5–7, 12–13. 7 a GEE Amor;
3 a GEE Imundície, 5 a Jacó 2:35. Família.
Imundo. 6 a 2 Né. 4:3, 6–7;
b 1 Né. 12:23. Hel. 15:10–13.
JACÓ 3:9–4:3 140
mais branca do que a vossa, quan- escrita nestas placas; mas muitos
a 

do fordes levados com eles peran- dos seus feitos estão registrados
te o trono de Deus. nas placas maiores e suas guerras
9  Portanto, eu vos dou um e suas contendas e os reinados de
mandamento, que é a palavra de seus reis.
Deus: que não mais os injurieis 14 Estas placas são chamadas
por sua pele escura nem os inju- placas de Jacó e foram feitas pela
rieis por causa de sua imundície; mão de Néfi. E termino estas pa-
mas deveis recordar vossa própria lavras.
imundície e lembrar-vos de que a
imundície deles lhes adveio por CAPÍTULO 4
causa de seus pais.
Todos os profetas adoravam o Pai
10 Portanto, vos lembrareis de
em nome de Cristo — A oferta que
vossos a filhos, de como lhes afli-
Abraão fez de Isaque foi à semelhança
gistes o coração por causa do
de Deus e Seu Unigênito — Os ho-
exemplo que lhes haveis dado; e
mens devem reconciliar-se com Deus
lembrai-vos também de que po-
por meio da expiação — Os judeus
deis, pela vossa imundície, levar
rejeitarão a pedra de fundamento.
vossos filhos à destruição; e seus
Aproximadamente 544–421 a.C.
pecados serão amontoados sobre
a vossa cabeça no último dia. Ora, então aconteceu que eu,
11 Ó meus irmãos, dai ouvidos Jacó, tendo ensinado muito meu
às minhas palavras; despertai a povo com palavras (e não posso
sensibilidade de vossa alma; sa- escrever senão poucas de minhas
cudi-vos, a fim de a acordardes do palavras, devido à dificuldade de
sono da morte; e livrai-vos das gravá-las em placas) e sabemos
penas do b inferno, para não vos que as coisas que escrevemos em
tornardes c anjos do diabo e serdes placas perdurarão;
jogados no lago de fogo e enxofre, 2 Tudo o que escrevermos, po-
que é a segunda d morte. rém, que não seja em placas, pe-
12 E então eu, Jacó, disse mui- recerá e desaparecerá; mas pode-
tas outras coisas ao povo de Néfi, mos escrever algumas palavras
admoestando-os contra a a forni- em placas, que darão a nossos
cação e a b lascívia e toda espécie filhos e também a nossos ama-
de pecado, mostrando-lhes suas dos irmãos um pequeno grau de
terríveis consequências. conhecimento sobre nós, ou seja,
13 E nem a centésima parte dos sobre seus pais —
feitos deste povo, que agora co- 3 Ora, nisto nos regozijamos; e
meça a ser numeroso, pode ser trabalhamos diligentemente para
10 a GEE Criança(s); c 2 Né. 9:8–9. Iniquidade, Iníquo.
Filho(s). d GEE Morte Espiritual. 13 a 1 Né. 19:1–4;
11 a Al. 5:6–9. 12 a GEE Fornicação. Jacó 1:1–4.
b GEE Inferno. b GEE Concupiscência;
141 JACÓ 4:4–9
gravar estas palavras em placas, uma esperança e nossa fé torna-
na esperança de que nossos ama- se inabalável, de sorte que pode-
dos irmãos e nossos filhos as rece- mos verdadeiramente c ordenar
bam com o coração agradecido e em d nome de Jesus e as próprias
as examinem, para que aprendam árvores ou as montanhas ou as
com alegria, e não com tristeza ondas do mar nos obedecem.
nem com desdém, o que se refere 7 Não obstante, o Senhor Deus
a seus antepassados. mostra-nos as nossas a fraquezas
4 Porque para este fim escreve- a fim de que saibamos que é por
mos estas coisas: para que tenham sua graça e sua grande condes-
conhecimento de que a sabíamos cendência para com os filhos dos
de Cristo e tínhamos esperança homens que temos poder para
em sua glória muitos séculos an- fazer estas coisas.
tes de sua vinda; e não somente 8 Eis que grandes e maravilho-
nós tínhamos esperança em sua sas são as obras do Senhor. Quão
glória, mas também todos os san- a 
insondáveis são as profundezas
tos b profetas que viveram antes de seus b mistérios! E é impossível
de nós. ao homem descobrir todos os seus
5 Eis que eles acreditavam em caminhos. E nenhum homem c co-
Cristo e a adoravam o Pai em seu nhece seus d caminhos, a não ser
nome; e também nós adoramos o que lhe sejam revelados; portanto,
Pai em seu nome. E com este pro- irmãos, não desprezeis as revela-
pósito guardamos a b lei de Moi- ções de Deus.
sés, que a ele c guia nossa alma; e 9 Pois eis que foi pelo poder de
isso nos é atribuído como retidão, sua a palavra que o b homem apa-
assim como a Abraão no deserto, receu na face da Terra, Terra essa
a obediência às ordens de Deus de que foi criada pelo poder de sua
oferecer seu filho Isaque, o que é à palavra. Portanto, se pôde Deus
semelhança de Deus e seu d Filho falar e o mundo existir; e falar
Unigênito. e o homem ser criado, por que,
6 Portanto, estudamos os pro- pois, não há de poder comandar
fetas e temos muitas revelações e a c Terra ou a obra de suas mãos
o espírito de a profecia; e com to- na face da Terra, de acordo com
dos estes b testemunhos obtemos a sua vontade e prazer?
4 4 a GEE Jesus Cristo. d Gên. 22:1–14; GEE Mistérios de Deus.
b Lc. 24:25–27; Jacó 7:11; Jo. 3:16–18. c 1 Cor. 2:9–16;
Mos. 13:33–35; GEE Unigênito. Al. 26:21–22.
D&C 20:26. 6 a GEE Profecia, Profetizar. GEE Conhecimento.
5 a Mois. 5:8. b GEE Testemunha. d Isa. 55:8–9.
b 2 Né. 25:24; Jar. 1:11; c GEE Poder. 9 a Mórm. 9:17;
Mos. 13:27, 30; d At. 3:6–16; 3 Né. 8:1. Mois. 1:32.
Al. 25:15–16. 7 a Ét. 12:27. b GEE Criação, Criar;
GEE Lei de Moisés. 8 a Rom. 11:33–36. Homem, Homens.
c Gál. 3:24. b D&C 19:10; 76:114. c Hel. 12:8–17.
JACÓ 4:10–17 142
10 Portanto, irmãos, não tenteis claramente para a salvação de
c 

dar a conselhos ao Senhor, mas, nossa alma. Mas eis que não so-
sim, recebei conselhos de sua mos as únicas testemunhas destas
mão. Pois eis que vós mesmos coisas, porque Deus também as
sabeis que ele aconselha com b sa- disse aos profetas da antiguidade.
bedoria e justiça e grande mise- 14 Mas eis que os judeus eram
ricórdia em todas as suas obras. um povo a obstinado e b despreza-
11  Portanto, amados irmãos, ram as palavras claras e mataram
reconciliai-vos com ele pela os profetas e procuraram coisas
a 
expiação de Cristo, seu b Filho que não podiam compreender.
Unigênito; e podereis obter a c res- Portanto, devido a sua c cegueira,
surreição, de acordo com o poder cegueira que lhes adveio por olha-
da ressurreição que está em Cris- rem para além do marco, terão
to, e serdes apresentados como as que cair, pois Deus tirou-lhes a
d 
primícias de Cristo a Deus, tendo sua clareza e entregou-lhes muitas
fé e havendo obtido esperança de coisas que d não podem entender,
glória nele, antes que se manifeste pois assim o desejaram. E porque
na carne. o desejaram, Deus o fez, para que
12 E agora, amados, não vos ad- tropecem.
mireis de que eu vos diga estas 15 E agora eu, Jacó, sou guiado
coisas; por que não a falar, pois, pelo Espírito a profetizar, pois
da expiação de Cristo e conseguir percebo, pela orientação do Es-
um perfeito conhecimento dele, pírito que está em mim, que, por
assim como um conhecimento da causa dos a tropeços dos judeus,
ressurreição e do mundo futuro? eles b rejeitarão a c pedra sobre a
13 Portanto, meus irmãos, quem qual poderiam edificar e ter fun-
quer que profetize, que o faça ao damento seguro.
alcance do entendimento humano, 16 Mas eis que, de acordo com
pois o a Espírito fala a verdade e as escrituras, essa a pedra virá a
não mente. Portanto, fala de coi- ser o grande e o último e o único
sas como realmente b são e de coi- b 
fundamento seguro sobre o qual
sas como realmente serão; assim, os judeus poderão edificar.
estas coisas nos são manifestadas 17 E agora, meus amados, como
10 a 2 Né. 9:28–29; 13 a GEE Espírito Santo; d 2 Né. 25:1–2.
Al. 37:12, 37; Verdade. 15 a Isa. 8:13–15;
D&C 3:4, 13. b D&C 93:24. 1 Cor. 1:23;
b GEE Onisciente; c Al. 13:23. 2 Né. 18:13–15.
Sabedoria. 14 a Mt. 23:37–38; b 1 Né. 10:11.
11 a GEE Expiação, Expiar. 2 Né. 25:2. c GEE Pedra de Esquina;
b Heb. 5:9. b 2 Cor. 11:3; Rocha.
c GEE Ressurreição. 1 Né. 19:7; 16 a Salm. 118:22–23.
d Mos. 15:21–23; 18:9; 2 Né. 33:2. b Isa. 28:16;
Al. 40:16–21. c Isa. 44:18; Hel. 5:12.
12 a 2 Né. 25:26. Rom. 11:25.
143 JACÓ 4:18–5:10
é possível que eles, depois de ha- começava a definhar; e ele disse:
verem rejeitado o fundamento Podá-la-ei e cavarei ao seu redor
seguro, a construam sobre ele para e cuidarei dela, para que talvez
que venha a ser sua pedra de es- brotem novos e tenros ramos e
quina? ela não morra.
18 Eis que, meus amados irmãos, 5 E aconteceu que a podou e ca-
vos desvendarei este mistério, se vou ao seu redor e cuidou dela, de
a minha firmeza no Espírito não acordo com sua palavra.
for abalada de alguma forma e eu 6  E aconteceu que, passados
não tropeçar por causa de minha muitos dias, começaram a brotar
excessiva ansiedade por vós. ramos pequenos, novos e tenros;
mas eis que sua copa começou a
CAPÍTULO 5 morrer.
7 E aconteceu que o dono da vi-
Jacó cita Zenos com referência à ale-
nha viu isto e disse a seu servo:
goria das oliveiras boas e das oliveiras
Sentiria perder esta árvore; por-
bravas — Elas simbolizam Israel e os
tanto, arranca os ramos de uma
gentios — A dispersão e a coligação a 
oliveira brava e traze-mos aqui;
de Israel são prefiguradas — Alusões
e arrancaremos os ramos princi-
feitas aos nefitas e lamanitas e a toda
pais, que estão começando a secar,
a casa de Israel — Os gentios serão
e lançá-los-emos no fogo para que
enxertados em Israel — No final, a
sejam queimados.
vinha será queimada. Aproximada-
8 E eis que, diz o Senhor da vi-
mente 544–421 a.C.
nha, tirarei muitos destes ramos
Eis que, meus irmãos, não vos novos e tenros e enxertá-los-ei
lembrais de haverdes lido as pa- onde me agradar; e mesmo que a
lavras do profeta a Zenos à casa de raiz desta árvore morra, poderei
Israel, quando disse: conservar o seu fruto para mim;
2 Ouve, ó casa de Israel, e escuta portanto, tomarei estes ramos no-
as minhas palavras, palavras de vos e tenros e enxertá-los-ei onde
um profeta do Senhor. me agradar.
3 Pois eis que assim diz o Se- 9 Tira os ramos da oliveira brava
nhor: Comparar-te-ei, ó casa de e enxerta-os no a lugar deles; e os
a 
Israel, a uma boa b oliveira que que eu arranquei, lançarei no fogo
um homem cultivou em sua c vi- e queimarei, para que não obs-
nha; e ela cresceu e envelheceu e truam o terreno de minha vinha.
começou a d definhar. 10 E aconteceu que o servo do
4 E aconteceu que o dono da Senhor da vinha agiu de acordo
vinha viu que a sua oliveira com a palavra do Senhor da vinha
17 a Mt. 19:30; GEE Israel. GEE Vinha do Senhor.
D&C 29:30. b Rom. 11:17–24. d GEE Apostasia.
5 1 a GEE Zenos. GEE Oliveira. 7 a Rom. 11:17, 24.
3 a Eze. 36:8. c D&C 101:44. 9 a Rom. 1:13.
JACÓ 5:11–21 144
e enxertou os ramos da oliveira
a 
haviam sido enxertados os ramos
brava. da oliveira brava; e ela havia bro-
11 E o Senhor da vinha fez com tado e começara a dar a frutos. E
que se cavasse ao redor dela e que ele viu que eram bons; e seus fru-
fosse podada e cuidada, dizendo tos eram semelhantes aos frutos
a seu servo: Sentiria perder esta naturais.
árvore; portanto, fiz isto para ver 18 E ele disse ao servo: Eis que
se posso conservar as suas raízes, os ramos da árvore brava absor-
a fim de que não morram e eu as veram a umidade da sua raiz, de
conserve para mim. modo que a sua raiz produziu
12 Portanto, vai; vigia a árvo- muita força; e por causa da gran-
re e cuida dela, segundo minhas de força da raiz, os ramos bravos
palavras. produziram frutos bons. Ora, se
13 E estes ramos a colocarei na não tivéssemos enxertado estes
parte mais baixa de minha vinha, ramos, a árvore teria morrido. E
onde me agradar; a ti não importa; agora, eis que conservarei muitos
e assim faço para poder conservar frutos dos que a árvore produziu;
para mim os ramos naturais da ár- e guardarei os seus frutos para
vore; e também a fim de guardar mim, para a estação.
os frutos para mim, para a esta- 19 E aconteceu que o Senhor da
ção; porque sentiria perder esta vinha disse ao servo: Vem, vamos
árvore e seus frutos. à parte mais baixa da vinha para
14 E aconteceu que o Senhor da ver se os ramos naturais também
vinha foi esconder os ramos na- deram muitos frutos, a fim de que
turais da boa oliveira nas par- eu possa guardá-los para mim,
tes mais baixas da vinha, alguns para a estação.
numa parte, outros noutra, de 20 E aconteceu que foram ao lu-
acordo com o seu prazer e von- gar onde o amo havia escondido
tade. os ramos naturais da árvore e ele
15 E aconteceu que se passou disse ao servo: Vê estes; e ele viu
muito tempo e o Senhor da vinha que o a primeiro dera muitos fru-
disse a seu servo: Vem, vamos à tos e viu também que eram bons.
vinha para trabalhar nela. E disse ao servo: Tira os frutos e
16 E aconteceu que o Senhor da guarda-os para a estação, a fim
vinha e também o servo desceram de que eu os preserve para mim;
à vinha para trabalhar. E aconte- pois eis que, disse ele, eu tenho
ceu que o servo disse a seu amo: cuidado dela todo este tempo e
Olha aqui; vê a árvore. ela produziu muitos frutos.
17 E aconteceu que o Senhor da 21 E aconteceu que o servo disse
vinha olhou e viu a árvore na qual a seu amo: Como vieste plantar
10 a GEE Gentios. 17 a Jo. 15:16.
13 a 1 Né. 10:12. 20 a Jacó 5:39.
145 JACÓ 5:22–32
aqui esta árvore ou este ramo da ramos que não produziram bons
árvore? Pois eis que este era o pe- a 
frutos e lança-os no fogo.
daço mais improdutivo de toda a 27 Mas eis que o servo lhe disse:
terra de tua vinha. Podemo-la e cavemos ao redor
22 E o Senhor da vinha disse-lhe: dela e cuidemos dela um pouco
Não me dês conselhos. Eu sabia mais, para que talvez produza
que era um pedaço de terra im- bons frutos para ti, a fim de que
produtivo; por isso disse-te que possas guardá-los para a estação.
tratei da árvore todo este tempo; 28 E aconteceu que o Senhor da
e vês que produziu muitos frutos. vinha e o servo do Senhor da vi-
23 E aconteceu que o Senhor nha cuidaram de todos os frutos
da vinha disse a seu servo: Olha da vinha.
aqui; vê que também plantei ou- 29 E aconteceu que se passou
tro ramo da árvore; e tu sabes que muito tempo e o Senhor da vi-
este pedaço de terra era mais im- nha disse a seu a servo: Vem, des-
produtivo que o primeiro. Mas çamos à vinha para tornarmos a
olha a árvore. Tratei dela todo este trabalhar na vinha. Pois eis que o
tempo e ela produziu muitos fru- b 
tempo se aproxima e o c fim logo
tos; ajunta-os, portanto, e guarda- virá; portanto, devo guardar fru-
os para a estação, a fim de que eu tos para mim, para a estação.
os preserve para mim. 30 E aconteceu que o Senhor da
24 E aconteceu que o Senhor da vinha e o servo desceram à vinha;
vinha tornou a dizer a seu ser- e foram até a árvore da qual ha-
vo: Olha aqui e vê também um viam tirado os ramos naturais e
outro a ramo que plantei; eis que onde haviam enxertado os ramos
também tratei dele e produziu bravos; e eis que toda a espécie de
frutos. frutos sobrecarregavam a árvore.
25 E disse ao servo: Olha aqui e 31 E aconteceu que o Senhor da
vê o último. Eis que este eu plan- vinha provou dos frutos, cada tipo
tei num pedaço de a terra fértil; e segundo seu número. E o Senhor
cuidei dele durante todo este tem- da vinha disse: Eis que durante
po e somente uma parte da árvore todo este tempo cuidamos desta
produziu frutos bons; e a b outra árvore e guardei para mim muitos
parte da árvore produziu frutos frutos, para a estação.
bravos; eis que eu tratei desta ár- 32 Mas eis que, desta vez, produ-
vore como das outras. ziu muitos frutos e a nenhum deles
26 E aconteceu que o Senhor da é bom. E eis que há toda espé-
vinha disse ao servo: Arranca os cie de frutos maus; e de nada me
24 a Eze. 17:22–24; 26 a Mt. 7:15–20; c 2 Né. 30:10;
Al. 16:17; Al. 5:36; Jacó 6:2.
3 Né. 15:21–24. D&C 97:7. 30 a GEE Apostasia.
25 a 1 Né. 2:20. 29 a D&C 101:55; 103:21. 32 a JS—H 1:19.
b 3 Né. 10:12–13. b GEE Últimos Dias.
JACÓ 5:33–45 146
servem, apesar de todo o nosso às partes mais baixas da vinha. E
trabalho; e agora sentiria perder aconteceu que viram que os frutos
esta árvore. dos ramos naturais também se ha-
33 E o Senhor da vinha disse ao viam corrompido; sim, o a primei-
servo: Que faremos por esta árvo- ro e o segundo e também o último;
re, a fim de novamente guardar e todos se haviam corrompido.
seus frutos bons para mim? 40 E os a frutos bravos do último
34 E o servo disse a seu amo: haviam sobrepujado a parte da
Olha, por teres enxertado ramos árvore que produzira frutos bons,
da oliveira brava, eles nutriram as tanto assim que o ramo havia se-
raízes, de modo que estão vivas e cado e morrido.
não morreram; vês, portanto, que 41 E aconteceu que o Senhor da
ainda estão boas. vinha chorou e disse ao servo:
35 E aconteceu que o Senhor da a 
Que mais poderia ter eu feito
vinha disse a seu servo: De nada pela minha vinha?
me serve a árvore e suas raízes de 42 Eis que eu sabia que todos os
nada me servem enquanto produ- frutos da vinha, exceto estes, se
zir frutos maus. haviam corrompido. E agora estes,
36 Não obstante, sei que suas que produziam bons frutos, tam-
raízes estão boas e, para um pro- bém se corromperam; e agora to-
pósito meu, preservei-as; e por das as árvores de minha vinha não
causa de sua grande força, elas servem para nada, a não ser para
produziram até aqui, dos ramos serem cortadas e lançadas no fogo.
bravos, bons frutos. 43 E eis que esta última, cujo
37 Mas eis que os ramos bravos ramo secou, foi por mim plantada
cresceram e a superaram as raízes num pedaço de a terra fértil; sim,
da árvore; e por haverem os ramos aquele que para mim era melhor
bravos sobrepujado as raízes, ela do que todas as outras partes do
produziu muitos frutos maus; e terreno de minha vinha.
porque produziu muitos frutos 44 E tu viste que também cortei
maus, vês que começou a morrer; o que a obstruía este pedaço de
e logo estará madura, podendo terra, a fim de plantar esta árvore
ser lançada no fogo, a menos que em seu lugar.
façamos algo para preservá-la. 45 E tu viste que uma parte dela
38 E aconteceu que o Senhor da produziu bons frutos e uma parte
vinha disse a seu servo: Desça- dela produziu frutos bravos; e por
mos às partes mais baixas da vi- não ter eu arrancado seus ramos
nha, para ver se os ramos naturais e não os ter lançado no fogo, eis
também produziram frutos maus. que superaram o ramo bom, de
39 E aconteceu que desceram modo que ele secou.
37 a D&C 45:28–30. 40 a Mórm. 6:6–18. 43 a 2 Né. 1:5.
39 a Jacó 5:20, 23, 25. 41 a 2 Né. 26:24. 44 a Ét. 13:20–21.
147 JACÓ 5:46–55
46 E agora eis que, apesar de obstruam o terreno de minha vi-
todo o cuidado que tivemos com nha, porque fiz o que pude. Que
a minha vinha, as suas árvores mais poderia eu ter feito pela mi-
corromperam-se, de modo que nha vinha?
não produzem bons frutos; e estas 50 Mas eis que o servo disse ao
eu tinha esperança de conservar, Senhor da vinha: Poupa-a um
a fim de guardar seus frutos para pouco a mais.
mim, para a estação. Mas eis que 51 E o Senhor disse: Sim, pou-
elas se tornaram como a oliveira pá-la-ei um pouco mais, porque
brava e não servem para coisa al- sentiria perder as árvores de mi-
guma, a não ser para serem a cor- nha vinha.
tadas e lançadas no fogo; e sinto 52 Portanto, tomemos os a ramos
perdê-las. destas que plantei nas partes mais
47 O que mais, porém, pode- baixas da minha vinha e enxerte-
ria eu ter feito na minha vinha? mo-los na árvore da qual proce-
Por acaso deixou minha mão de deram; e arranquemos da árvore
cuidar dela? Não, eu cuidei dela os ramos que dão os frutos mais
e cavei ao seu redor e podei-a e amargos e enxertemos em seu lu-
adubei-a; e a estendi a mão quase gar os ramos naturais da árvore.
todo o dia e o b fim se aproxima. 53 E isso eu farei para que a ár-
E sinto cortar todas as árvores de vore não morra, a fim de, talvez,
minha vinha e lançá-las no fogo, preservar para mim suas raízes,
para que sejam queimadas. Quem para um propósito meu.
é que corrompeu a minha vinha? 54 E eis que as raízes dos ramos
48 E aconteceu que o servo disse naturais da árvore, que plantei
a seu amo: Não será a altura da onde me agradou, ainda estão
tua vinha? Não terão os ramos vivas; portanto, para que eu as
superado as raízes que são boas? preserve também para um pro-
E porque os ramos superaram as pósito meu, tomarei ramos desta
raízes, eis que eles cresceram mais árvore e enxertá-los-ei nelas. Sim,
depressa do que a força das raízes, a 
enxertarei nelas os ramos da ár-
tomando força para si mesmos. vore original, para que também
Eis que, digo eu, não será esta a eu preserve as raízes para mim,
causa de se haverem corrompido a fim de que, quando estiverem
as árvores de tua vinha? bastante fortes, produzam talvez
49 E aconteceu que o Senhor da bons frutos para mim e eu ainda
vinha disse ao servo: Vamos, cor- tenha glória no fruto de minha
temos as árvores da vinha e lan- vinha.
cemo-las no fogo, para que não 55 E aconteceu que eles tiraram
46 a 3 Né. 27:11. b GEE Mundo — Fim do 52 a GEE Israel — Coligação
47 a 2 Né. 28:32; mundo. de Israel.
Jacó 6:4. 50 a Jacó 5:27. 54 a 1 Né. 15:12–16.
JACÓ 5:56–66 148
da árvore natural, que se tornara vinha, a fim de prepararmos o
brava, e enxertaram nas árvores meio pelo qual eu volte a obter o
naturais, que também se haviam fruto natural, fruto natural que é
tornado bravas. bom e mais precioso do que qual-
56 E eles também tiraram das quer outro fruto.
árvores naturais, que se haviam 62 Portanto, vamos trabalhar
tornado bravas, e enxertaram na esta última vez, com todo o afinco,
sua árvore original. pois eis que se aproxima o fim; e
57 E o Senhor da vinha disse ao será esta a última vez que podarei
servo: Não arranques os ramos minha vinha.
bravos das árvores, a não ser os 63 Enxertai os ramos; começai
que são muito amargos; e nelas pelos a últimos, para que sejam os
enxertarás conforme eu disse. primeiros e para que os primeiros
58 E cuidaremos novamente das sejam os últimos; e cavai ao redor
árvores da vinha e podaremos das árvores, tanto velhas como
seus ramos; e arrancaremos das novas, as primeiras e as últimas;
árvores os ramos amadurecidos e as últimas e as primeiras, para
e que devem morrer e lançá-los- que todas voltem a ser tratadas
emos no fogo. pela última vez.
59 E assim faço para que as raí- 64 Portanto, cavai ao redor delas
zes talvez se fortaleçam por causa e podai-as e adubai-as novamen-
de sua boa qualidade e para que, te, pela última vez, porque o fim
trocando os ramos, os bons pos- se aproxima. E se estes últimos
sam sobrepujar os maus. enxertos se desenvolverem e pro-
60 E porque conservei os ramos duzirem o fruto natural, então
naturais e suas raízes e voltei a preparareis o caminho para eles,
enxertar os ramos naturais em a fim de que cresçam.
sua árvore original; e conservei 65 E à medida que começarem a
as raízes da árvore original, para crescer, tirareis os ramos que pro-
que as árvores de minha vinha duzirem frutos amargos, segun-
talvez tornassem a produzir bons do a força e o tamanho dos bons;
a 
frutos; e para que eu voltasse a e não a tirareis os maus todos de
regozijar-me com o fruto de mi- uma vez, para que as raízes não
nha vinha e talvez regozijar-me se tornem fortes demais para o
muito por ter preservado as raízes enxerto e o seu enxerto morra e eu
e os ramos do primeiro fruto — perca as árvores de minha vinha.
61 Vai, pois, e chama a servos, 66 Porque sentiria perder as ár-
para que b trabalhemos diligen- vores de minha vinha; portanto,
temente, com todo o afinco, na tirareis os maus, à medida que os
60 a Isa. 27:6. b D&C 39:11, 13, 17. 65 a D&C 86:6–7.
61 a Jacó 6:2; 63 a 1 Né. 13:42;
D&C 24:19. Ét. 13:10–12.
149 JACÓ 5:67–75
bons forem crescendo, para que obedeceram aos mandamentos
a raiz e a copa tenham a mesma do Senhor da vinha em todas as
força, até que os bons sobrepujem coisas.
os maus e os maus sejam cortados 73 E a vinha voltou a produzir o
e lançados no fogo, para que não fruto natural; e os ramos naturais
obstruam o terreno de minha vi- começaram a crescer e a desen-
nha; e assim varrerei os maus de volver-se muito; e os ramos bra-
minha vinha. vos começaram a ser arrancados
67 E os ramos da árvore natu- e lançados fora; e conservaram
ral tornarei a enxertar na árvore igualdade de força entre a raiz e
natural. a copa das árvores.
68 E os ramos da árvore natural 74 E assim trabalharam com toda
enxertarei nos ramos naturais da a diligência, segundo os manda-
árvore; e assim tornarei a juntá- mentos do Senhor da vinha, até os
los, para que produzam o fruto maus serem lançados para fora da
natural; e eles serão um. vinha e o Senhor ter preservado
69 E os maus serão a atirados para si as árvores que se haviam
fora, sim, fora de toda a terra de tornado novamente fruto natural;
minha vinha; pois eis que somente e tornaram-se como a um corpo e
esta vez podarei a minha vinha. os frutos eram iguais; e o Senhor
70 E aconteceu que o Senhor da da vinha conservara para si o fru-
vinha enviou seu a servo; e o servo to natural, que lhe fora muito pre-
fez como lhe ordenara o Senhor cioso desde o começo.
e trouxe outros servos; e eram 75 E aconteceu que quando o
b 
poucos. Senhor da vinha viu que seu fru-
71 E o Senhor da vinha disse- to era bom e que sua vinha não
lhes: Ide a trabalhar na vinha com estava mais corrompida, chamou
todo o afinco, pois eis que esta é seus servos e disse-lhes: Eis que
a b última vez que trato de minha pela última vez cuidamos de mi-
vinha; porque o fim está próximo nha vinha e vedes que procedi
e o tempo rapidamente se aproxi- de acordo com a minha vontade;
ma; e se trabalhardes comigo, com e conservei o fruto natural, que é
afinco, tereis c alegria no fruto que bom, assim como o era no prin-
guardarei para mim, para o tempo cípio. E a benditos sois vós; pois
que logo virá. por terdes sido diligentes ao tra-
72 E aconteceu que os servos balhar comigo na minha vinha
foram e trabalharam com todo e por terdes guardado os meus
o afinco; e o Senhor da vinha mandamentos e tornado a trazer-
também trabalhou com eles; e me o b fruto natural, de modo que
69 a 1 Né. 22:15–17, 23; 71 a Mt. 21:28; c D&C 18:10–16.
2 Né. 30:9–10. Jacó 6:2–3; 74 a D&C 38:27.
70 a D&C 101:55; 103:21. D&C 33:3–4. 75 a 1 Né. 13:37.
b 1 Né. 14:12. b D&C 39:17; 43:28–30. b GEE Israel.
JACÓ 5:76–6:5 150
não está mais corrompida a minha profecia — que as coisas que esse
vinha e o mau foi lançado fora, eis profeta a Zenos disse referentes à
que vos regozijareis comigo por casa de Israel, comparando-a a
causa do fruto de minha vinha. uma oliveira boa, seguramente
76 Pois eis que por um a longo acontecerão.
tempo guardarei para mim o fru- 2 E o dia em que o Senhor tor-
to de minha vinha, para a estação nar a estender a mão pela segun-
que se aproxima rapidamente; e da vez para a recuperar seu povo,
pela última vez cuidei de minha será o dia, sim, a última vez em
vinha e podei-a e cavei ao redor que os b servos do Senhor irão,
dela e adubei-a; portanto, guar- com o seu c poder, d cuidar de sua
darei de seu fruto para mim por e 
vinha e podá-la; e, depois disso,
muito tempo, de acordo com o logo virá o f fim.
que eu disse. 3 E quão abençoados são os que
77 E quando chegar o tempo em trabalharam diligentemente na
que frutos maus tornarem a apa- sua vinha! E quão amaldiçoados
recer em minha vinha, então fa- os que forem lançados fora, para
rei reunir os bons e os maus; e o seu próprio lugar! E o mundo
os bons guardarei para mim e os será a queimado com fogo.
maus lançarei no seu próprio lu- 4 E quão misericordioso é nos-
gar. E então virá o a tempo e o fim; so Deus para conosco, porque se
e farei com que minha vinha seja lembra da casa de a Israel, tanto
b 
queimada com fogo. das raízes como dos ramos; e es-
tende-lhes as b mãos o dia inteiro;
CAPÍTULO 6 e eles são um povo c obstinado e
contestador; mas todos os que não
O Senhor recuperará Israel nos últi-
endurecerem o coração serão sal-
mos dias — O mundo será queima-
vos no reino de Deus.
do com fogo — Os homens devem
5  Portanto, meus amados ir-
seguir a Cristo para evitar o lago de
mãos, eu vos suplico, com pala-
fogo e enxofre. Aproximadamente
vras solenes, que vos arrependais
544–421 a.C.
e que vos a apegueis a Deus de
E agora eis que, meus ir- todo o coração, como ele se ape-
mãos, como vos disse que pro- ga a vós. E enquanto seu b braço
fetizaria, eis que esta é a minha de misericórdia estiver estendido
76 a 1 Né. 22:24–26. D&C 110:11. Jacó 5:77;
GEE Milênio. GEE Restauração do 3 Né. 25:1.
77 a Apoc. 20:2–10; Evangelho. 4 a 2 Sam. 7:24.
D&C 29:22–24; 43:29– b Jacó 5:61. b Jacó 5:47.
33; 88:110–116. c 1 Né. 14:14. c Mos. 13:29.
b GEE Mundo — Fim do d Jacó 5:71. 5 a GEE Unidade.
mundo. e GEE Vinha do Senhor. b Al. 5:33–34;
6 1 a Jacó 5:1. f 2 Né. 30:10. 3 Né. 9:14.
2 a 1 Né. 22:10–12; 3 a 2 Né. 27:2;
151 JACÓ 6:6–7:3
para vós, à luz do dia, não endu- estreita; e continuai no caminho
reçais o coração. apertado até obterdes a vida eter-
6 Sim, hoje, se quiserdes ouvir a na.
sua voz, não endureçais o coração; 12 Oh! Sede a sábios! Que mais
pois, por que desejais a morrer? poderei dizer?
7 Pois eis que após haverdes sido 13 Por fim, despeço-me de vós
nutridos pela boa palavra de Deus até encontrar-me convosco dian-
o dia inteiro, produzireis maus te do agradável tribunal de Deus,
frutos para serdes a cortados e lan- tribunal que causa aos iníquos
çados no fogo? a 
terrível espanto e medo. Amém.
8 Eis que rejeitareis estas pala-
vras? Rejeitareis as palavras dos CAPÍTULO 7
profetas? E rejeitareis todas as
Serém nega a Cristo, contende com
palavras que foram ditas sobre
Jacó, exige um sinal e é ferido por
Cristo, depois de tantos haverem
Deus — Todos os profetas falaram
falado sobre ele? E negareis a boa
sobre Cristo e Sua Expiação — Os
palavra de Cristo e o poder de
nefitas viveram seus dias como erran-
Deus e o a dom do Espírito San-
tes, nascidos em meio a tribulações e
to? E sufocareis o Santo Espírito
odiados pelos lamanitas. Aproxima-
e desdenhareis o grande plano
damente 544–421 a.C.
de redenção que foi preparado
para vós? E então aconteceu que, passa-
9 Não sabeis que, se fizerdes es- dos alguns anos, apareceu entre
tas coisas, o poder da redenção e o povo de Néfi um homem cujo
da ressurreição, que está em Cris- nome era Serém.
to, vos levará, com vergonha e ter- 2 E aconteceu que ele começou
rível a culpa, ao b tribunal de Deus? a pregar ao povo e a declarar-lhes
10 E segundo o poder da a jus- que não haveria Cristo algum. E
tiça, pois a justiça não pode ser pregou muitas coisas que eram
negada, tereis que ir para o b lago lisonjeiras para o povo; e isto fez
de fogo e enxofre, cujas chamas a fim de destruir a doutrina de
são inextinguíveis e cuja fumaça Cristo.
ascende para todo o sempre; e o 3 E trabalhou diligentemente
lago de fogo e enxofre é c tormen- para desviar o coração do povo,
to sem d fim. tanto que conseguiu desviar
11 Ó, meus amados irmãos, ar- muitos corações; e sabendo que
rependei-vos e entrai pela a porta eu, Jacó, tinha fé no Cristo que
6 a Eze. 18:21–23. GEE Culpa. Condenar.
7 a Al. 5:51–52; b GEE Juízo Final. d D&C 19:10–12.
3 Né. 27:11–12. 10 a GEE Justiça. 11 a 2 Né. 9:41.
8 a GEE Dom do Espírito b 2 Né. 28:23. 12 a Mórm. 9:28.
Santo. GEE Inferno. 13 a Al. 40:14.
9 a Mos. 15:26. c GEE Condenação,
JACÓ 7:4–14 152
haveria de vir, procurou muito blasfêmia; pois nenhum homem
uma oportunidade para encon- sabe de tais coisas, porque b não
trar-se comigo. pode falar de coisas futuras. E
4 E ele era instruído, de modo desta maneira Serém contendia
que tinha perfeito conhecimento comigo.
da língua do povo; podia, portan- 8 Mas eis que o Senhor Deus me
to, usar de muita lisonja e muita derramou na alma o seu a Espírito,
eloquência, de acordo com o po- de maneira que eu o confundi em
der do diabo. todas as suas palavras.
5 E tinha esperança de afastar- 9 E disse-lhe: Negas o Cristo que
me da fé, não obstante as muitas virá? E ele disse: Se houvesse um
a 
revelações e o muito que eu vira Cristo, eu não o negaria; sei, po-
com referência a estas coisas; por- rém, que não existe Cristo algum,
que eu verdadeiramente vira an- nem existiu, nem existirá.
jos e recebera o seu ministério. E 10 E disse-lhe eu: Crês nas escri-
também ouvira a voz do Senhor, turas? E ele disse: Sim.
verdadeiramente me falando de 11 E eu disse: Então não as en-
tempos em tempos; portanto, eu tendes, porque elas verdadeira-
não podia ser abalado. mente testificam de Cristo. Eis que
6 E aconteceu que ele veio a mim te digo que nenhum dos profetas
e desta maneira falou-me, dizen- escreveu nem a profetizou sem ter
do: Irmão Jacó, procurei muito falado sobre esse Cristo.
esta oportunidade de falar-te, por- 12 E isto não é tudo — foi-me
que ouvi e também sei que tens manifestado, porque eu vi e ouvi;
andado muito, pregando o que e foi-me também manifestado
chamas de evangelho, ou seja, a pelo a poder do Espírito Santo;
doutrina de Cristo. sei, portanto, que, se não houver
7 E tu tens desviado muitos des- expiação, toda a humanidade cer-
te povo, de maneira que perver- tamente se b perderá.
tem o caminho correto de Deus e 13 E aconteceu que ele me dis-
a 
não guardam a lei de Moisés, que se: Mostra-me um a sinal, por esse
é o caminho correto; e convertes poder do Espírito Santo mediante
a lei de Moisés na adoração de o qual sabes tanto.
um ser que dizes que virá daqui 14 E eu disse-lhe: Quem sou eu
a muitos séculos. E agora eis que para tentar a Deus, a fim de mos-
eu, Serém, declaro-te que isso é trar-te um sinal do que tu sabes
7 5 a 2 Né. 11:3; 1 Né. 10:5; Espírito Santo.
Jacó 2:11. Jacó 4:4; b 2 Né. 2:21.
7 a Jacó 4:5. Mos. 13:33–35; 13 a Mt. 16:1–4;
b Al. 30:13. D&C 20:26. Al. 30:43–60.
8 a GEE Inspiração, GEE Jesus Cristo. GEE Sinal.
Inspirar. 12 a GEE Espírito Santo;
11 a Apoc. 19:10; Trindade — Deus, o
153 JACÓ 7:15–25
ser verdade? Não obstante, tu
a 
muito medo de que a minha si-
negá-lo-ás, porque és do b diabo. tuação seja b terrível; mas a Deus
Contudo, não seja feita a minha confesso-me.
vontade; mas se Deus te ferir, que 20 E aconteceu que após ter dito
seja esse um sinal para ti de que estas palavras, nada mais pôde
ele tem poder tanto nos céus como dizer e a entregou o espírito.
na Terra; e também de que Cristo 21 E a multidão, tendo testemu-
virá. E seja feita a tua vontade, ó nhado que ele dissera estas coisas
Senhor, e não a minha. quando estava prestes a entregar o
15 E aconteceu que quando eu, espírito, ficou muito assombrada;
Jacó, disse estas palavras, o po- tanto que o poder de Deus desceu
der do Senhor desceu sobre ele, sobre eles e foram a dominados, de
de modo que ele caiu por terra. E modo que caíram por terra.
aconteceu que foi alimentado pelo 22  Ora, isso agradou a mim,
espaço de muitos dias. Jacó, pois havia-o pedido a meu
16 E aconteceu que ele disse ao Pai, que estava no céu; ele ouvira,
povo: Reuni-vos amanhã, porque pois, o meu clamor e respondera
vou morrer; portanto, desejo falar a minha oração.
ao povo antes de morrer. 23 E aconteceu que a paz e o
17 E aconteceu que no dia se- amor de Deus foram mais uma
guinte a multidão se reuniu; e vez restaurados entre o povo; e
ele falou-lhes claramente, negou eles a examinaram as escrituras e
as coisas que havia ensinado e não mais deram ouvidos às pala-
confessou o Cristo e o poder do vras desse homem iníquo.
Espírito Santo e o ministério de 24 E aconteceu que muitos meios
anjos. foram imaginados para a regenerar
18 E disse-lhes claramente que os lamanitas e reconduzi-los ao
havia sido a enganado pelo poder conhecimento da verdade; mas
do b diabo. E falou do inferno e da tudo foi em b vão, pois eles de-
eternidade e do castigo eterno. leitavam-se em c guerras e d der-
19 E disse: Temo haver cometi- ramamento de sangue e tinham
do o a pecado imperdoável, por- um e ódio eterno contra nós, seus
que menti a Deus; pois neguei irmãos. E procuravam continua-
o Cristo e disse que acreditava mente destruir-nos com o poder
nas escrituras; e elas verdadeira- de suas armas.
mente testificam dele. E por ha- 25 Portanto, o povo de Néfi se
ver assim mentido a Deus, tenho fortaleceu contra eles, com suas
14 a Al. 30:41–42. 19 a GEE Pecado 24 a En. 1:20.
b Al. 30:53. Imperdoável. b En. 1:14.
18 a Al. 30:53. b Mos. 15:26. c Mos. 10:11–18.
GEE Enganar, Engano, 20 a Jer. 28:15–17. d Jar. 1:6; Al. 26:23–25.
Fraude. 21 a Al. 19:6. e 2 Né. 5:1–3;
b GEE Diabo. 23 a Al. 17:2. Mos. 28:2.
JACÓ 7:26–ENOS 1:4 154
armas e com todo o seu poder, nascido em meio a tribulações
confiando no Deus e a rocha de sua num deserto e odiado por nossos
salvação; portanto, se tornaram, irmãos, o que causou guerras e
até aquele momento, vencedores contendas; assim, lamentamo-nos
de seus inimigos. até o fim de nossos dias.
26 E aconteceu que eu, Jacó, co- 27 E eu, Jacó, vi que logo deveria
mecei a envelhecer; e como o re- baixar à sepultura; portanto, dis-
gistro deste povo está sendo es- se ao meu filho a Enos: Toma estas
crito nas a outras placas de Néfi, placas. E transmiti-lhe as coisas
termino, portanto, este registro, que meu irmão Néfi me b ordena-
declarando que escrevi segundo ra; e Enos prometeu obediência
o melhor do meu conhecimento, às ordens. E termino meu registro
dizendo que o tempo passou para nestas placas, tendo escrito pouco;
nós e nossa b vida também passou e despeço-me do leitor, esperan-
como se fosse um sonho, sendo do que muitos de meus irmãos
nós um povo solitário e solene, possam ler as minhas palavras.
errante, expulso de Jerusalém, Irmãos, adeus.

LIVRO DE ENOS
Enos ora fervorosamente e obtém a preceitos e na admoestação do
d 

remissão de seus pecados — A voz do Senhor — e bendito seja o nome


Senhor vem-lhe à mente, prometendo de meu Deus por isso —
salvação para os lamanitas num dia 2 E relatar-vos-ei a a luta que tra-
futuro — Os nefitas procuram regene- vei perante Deus antes de receber
rar os lamanitas — Enos regozija-se a b remissão de meus pecados.
em seu Redentor. Aproximadamente 3 Eis que saí para caçar animais
420 a.C. nas florestas; e as palavras que
frequentemente ouvira de meu

E IS que aconteceu que eu, a Enos,


sabia que meu b pai era um
homem justo — pois c instruiu-
pai sobre a vida eterna e a a ale-
gria dos santos b penetraram-me
profundamente o coração.
me em seu idioma e também nos 4 E minha alma ficou a faminta; e
25 a GEE Rocha. [Enos] GEE Arrepender-se,
26 a 1 Né. 19:1–6; 1 1 a GEE Enos, Filho de Arrependimento.
Jar. 1:14–15. Jacó. b GEE Remissão de
GEE Placas. b 2 Né. 2:2–4. Pecados.
b Tg. 4:14. c 1 Né. 1:1–2. 3 a GEE Alegria.
27 a En. 1:1. d Ef. 6:4. b 1 Né. 10:17–19;
b Jacó 1:1–4. 2 a Gên. 32:24–32; Al. 36:17–21.
Al. 8:10. 4 a 2 Né. 9:51; 3 Né. 12:6.
155 ENOS 1:5–14
ajoelhei-me ante o meu Criador e
b 
senão por causa de iniquidade;
clamei-lhe, em fervorosa c oração e portanto, visitarei teus irmãos,
súplica, por minha própria alma; conforme disse; e suas transgres-
e clamei o dia inteiro; sim, e de- sões, com pesar, farei recair sobre
pois de ter anoitecido, continuei suas cabeças.
a elevar a minha voz até que ela 11 E depois que eu, Enos, ouvi
chegou aos céus. estas palavras, minha fé no Se-
5  E ouvi uma a voz, dizendo: nhor começou a tornar-se ina-
Enos, perdoados são os teus pe- balável; e roguei-lhe com muito
cados e tu serás abençoado. empenho por meus irmãos, os
6 E eu, Enos, sabia que Deus não lamanitas.
podia mentir; portanto, a minha 12 E aconteceu que após ter a ora-
culpa foi apagada. do e me empenhado com toda a
7 E eu disse: Senhor, como isso diligência, o Senhor disse-me: Por
aconteceu? causa de tua fé conceder-te-ei de
8 E ele respondeu-me: Por cau- acordo com teus b desejos.
sa da tua a fé em Cristo, a quem 13 E então, eis que isto era o que
nunca ouviste nem viste antes. E eu desejava dele — que se acaso
muitos anos hão de passar antes o meu povo, o povo nefita, caís-
que ele se manifeste na carne; por- se em transgressão e de algum
tanto, vai, tua fé te b salvou. modo fosse a destruído e os lama-
9 Ora, aconteceu que após ter nitas não fossem destruídos, que
ouvido estas palavras, comecei o Senhor Deus b preservasse um
a a desejar o bem-estar de meus registro de meu povo, os nefi-
irmãos, os nefitas; portanto, b im- tas; mesmo que fosse pelo poder
plorei a Deus por eles com toda de seu santo braço, que ele pu-
a minha alma. desse ser c revelado aos lamanitas
10 E enquanto estava assim lu- em alguma época futura, para
tando no espírito, eis que a voz que talvez fossem d conduzidos à
do Senhor me veio outra vez à salvação —
a 
mente, dizendo: Visitarei teus 14 Pois até agora nossos esforços
irmãos segundo a sua diligência para levá-los de volta à verdadei-
em guardar meus mandamen- ra fé têm sido a vãos. E juraram
tos. b Dei-lhes esta terra e é uma em sua ira que, se fosse possí-
terra santa; e c não a amaldiçoarei vel, b destruiriam nossos registros
4 b GEE Reverência. Pal. Mórm. 1:8; 1 Né. 7:12; Hel. 10:5.
c GEE Oração. Al. 34:26–27. 13 a Mórm. 6:1, 6.
5 a GEE Revelação. 10 a GEE Inspiração, b Pal. Mórm. 1:6–11;
8 a Ét. 3:12–13. Inspirar; Al. 37:2.
GEE Fé. Mente. c Al. 37:19; Ét. 12:22;
b Mt. 9:22. b 1 Né. 2:20. D&C 3:18.
9 a 1 Né. 8:12; c Ét. 2:7–12. d Al. 9:17.
Al. 36:24. 12 a Mórm. 5:21; 9:36. 14 a Jacó 7:24.
b 2 Né. 33:3; b Salm. 37:4; b Mórm. 6:6.
ENOS 1:15–23 156
juntamente conosco; e também um povo sanguinário, cheio de
b 

todas as tradições de nossos pais. c 


idolatria e imundície, alimen-
15 Portanto, sabendo eu que o tando-se de animais predadores,
Senhor Deus podia a conservar habitando em tendas e vagando
nossos registros, a ele clamei con- pelo deserto, com uma curta fai-
tinuamente, porque me dissera: xa de pele ao redor dos lombos
Tudo quanto pedires com fé, acre- e a cabeça rapada; sua habilida-
ditando que receberás em nome de consistia no manejo do d arco
de Cristo, tu receberás. e da cimitarra e do machado. E
16 E eu tinha fé e roguei ao Se- muitos deles não comiam senão
nhor que a preservasse os b regis- carne crua; e procuravam conti-
tros; e ele fez convênio comigo nuamente destruir-nos.
de que os c revelaria aos lamanitas 21 E aconteceu que o povo de
em seu próprio e devido tempo. Néfi cultivou a terra e a produziu
17 E eu, Enos, estava certo de toda espécie de grãos e de frutas;
que aconteceria de acordo com criou rebanhos de reses e reba-
o convênio que ele fizera; minha nhos de todo tipo de gado de toda
alma, portanto, ficou tranquila. espécie; e cabras e cabras monte-
18 E disse-me o Senhor: Teus ses e também muitos cavalos.
pais também me fizeram o mes- 22 E houve muitíssimos a profe-
mo pedido; e ser-lhes-á feito de tas entre nós e o povo era b obsti-
acordo com sua fé, pois sua fé era nado e duro de compreensão.
igual a tua. 23 E nada havia, exceto muitos
19 E aconteceu que eu, Enos, an- a 
dissabores, b pregações e profecias
dei no meio do povo de Néfi, pro- de guerras; e contendas e des-
fetizando as coisas que estavam truições que continuamente os
por acontecer e testemunhando c 
faziam lembrar da morte e da
as coisas que havia ouvido e visto. duração da eternidade e dos jul-
20 E testifico que o povo de Néfi gamentos e poder de Deus e todas
procurou diligentemente recon- estas coisas — levando-os a man-
duzir os lamanitas à verdadeira terem-se d continuamente no temor
fé em Deus. Nossos a esforços, po- do Senhor. E digo que nada, salvo
rém, foram vãos; seu ódio era im- estas coisas e grande franqueza no
placável e eles eram guiados por falar, evitaria que se precipitas-
sua natureza iníqua, de modo que sem rapidamente na destruição.
se tornaram selvagens e ferozes e E assim escrevo a respeito deles.
15 a GEE Escrituras — As 20 a Morô. 9:6. b Jar. 1:3.
escrituras devem ser b Jar. 1:6. 23 a 1 Né. 16:2;
preservadas. c Mos. 9:12. 2 Né. 33:5.
16 a 3 Né. 5:13–15; GEE Idolatria. b GEE Pregar.
D&C 3:19–20; 10:46–50. d Mos. 10:8. c Hel. 12:3.
b GEE Livro de Mórmon. 21 a Mos. 9:9. d Jar. 1:12;
c 2 Né. 27:6. 22 a Pal. Mórm. 1:16–18. Al. 31:5.
157 ENOS 1:24–JAROM 1:3
24 E presenciei guerras entre os durante todos os meus dias e nis-
nefitas e lamanitas no curso de so me tenho regozijado mais do
meus dias. que nas coisas do mundo.
25 E aconteceu que comecei a 27 E logo irei para o lugar de
envelhecer; e haviam decorrido meu a descanso, que é com meu
cento e setenta e nove anos da Redentor, pois sei que nele des-
época em que nosso pai, Leí, a dei- cansarei. E regozijo-me no dia em
xara Jerusalém. que meu b corpo mortal revestir-se
26 E vi que logo deveria descer de c imortalidade e apresentar-se
à sepultura, tendo sido inspira- diante dele; então verei a sua face
do pelo poder de Deus a pregar com prazer e ele me dirá: Vem a
e profetizar a este povo e decla- mim, ó bendito; há um lugar pre-
rar a palavra segundo a verdade parado para ti nas d mansões de
que está em Cristo. E declarei-a meu Pai. Amém.

LIVRO DE JAROM
Os nefitas cumprem a lei de Moisés, pouco; não escreverei, porém, a
aguardam a vinda de Cristo e pros- respeito de minhas profecias nem
peram na terra — Muitos profetas de minhas revelações. Pois, o que
esforçam-se por manter o povo no mais poderia eu escrever, além do
caminho da verdade. Aproximada- que meus pais escreveram? Não
mente 399–361 a.C. revelaram eles o plano de salva-
ção? Eu digo-vos que sim; e isto

A GORA eis que eu, Jarom,


 escrevo algumas palavras se-
gundo o mandamento de meu pai,
me basta.
3 Eis que é necessário que muito
se faça entre os deste povo, por
Enos, para que nossa a genealogia causa da dureza de seu coração
seja conservada. e da surdez de seus ouvidos e da
2 E como a estas placas são b pe- cegueira de sua mente e de sua
quenas e estas coisas são c escritas a 
obstinação; não obstante, Deus
com o fim de beneficiar nossos é sumamente misericordioso para
irmãos, os d lamanitas, necessário com eles e ainda não os b varreu da
é, portanto, que eu escreva um face da terra.
25 a 1 Né. 2:2–4. d Jo. 14:2–3; b 1 Né. 6.
27 a GEE Descansar, Ét. 12:32–34; c GEE Escrituras — Valor
Descanso. D&C 72:4; 98:18. das escrituras.
b GEE Mortal, d 2 Né. 27:6;
Mortalidade. [Jarom] Mórm. 5:12.
c GEE Imortal, 1 1 a 1 Né. 3:12; 5:14. 3 a En. 1:22–23.
Imortalidade. 2 a Jacó 3:14; Ômni 1:1. b Ét. 2:8–10.
JAROM 1:4–11 158
4 E há muitos de nós que rece- face da terra e tornamo-nos imen-
bem muitas a revelações, porque samente ricos em ouro e em prata
nem todos são obstinados. E todos e em coisas preciosas; e em exce-
os que não são obstinados e têm lentes trabalhos de madeira, em
fé b comungam com o Santo Espí- edifícios e em maquinaria; e tam-
rito, que se manifesta aos filhos bém em ferro e cobre e bronze e
dos homens de acordo com sua fé. aço, fazendo todo tipo de ferra-
5 E então, eis que duzentos anos mentas de toda espécie para cul-
se haviam passado e o povo de tivar o solo; e a armas de guerra —
Néfi tornara-se forte na terra. Es- sim, a flecha pontiaguda e a aljava
forçavam-se por a guardar a lei e o dardo e a lança e todos os pre-
de Moisés e santificar o b sábado parativos para a guerra.
do Senhor. E não eram c profanos 9 E estando assim preparados
nem d blasfemavam. E as leis da para enfrentar os lamanitas, eles
terra eram extremamente severas. não prevaleceram contra nós.
6 E estavam espalhados sobre Confirmou-se, porém, a palavra
grande parte da face da terra, do Senhor, dita aos nossos pais: Se
assim como os lamanitas. Estes guardardes meus mandamentos,
eram muito mais numerosos que prosperareis na terra.
os nefitas; e deleitavam-se em a ho- 10 E aconteceu que os profetas
micídios e bebiam o sangue de do Senhor advertiram o povo
animais. de Néfi, conforme a palavra de
7 E aconteceu que eles vieram Deus, de que, se não guardassem
muitas vezes contra nós, os ne- os mandamentos, mas caíssem em
fitas, para combater-nos. Nossos transgressão, seriam a eliminados
a 
reis e nossos chefes, porém, eram da face da terra.
homens poderosos na fé do Se- 11 Portanto, os profetas e os sa-
nhor; e ensinavam ao povo os ca- cerdotes e os mestres trabalharam
minhos do Senhor; portanto, resis- com afã, exortando pacientemen-
timos aos lamanitas e varremo-los te o povo à diligência; ensinando
de b nossas terras; e começamos a a a lei de Moisés e o motivo pelo
fortificar nossas cidades ou quais- qual foi dada; persuadindo o povo
quer que fossem os lugares de a b esperar pelo Messias e a crer na
nossa herança. sua vinda, c como se ele já tivesse
8 E multiplicamo-nos considera- vindo. E desta maneira ensinaram
velmente e espalhamo-nos sobre a o povo.
4 a Al. 26:22; Hel. 11:23; (Dia de Descanso). 10 a 1 Né. 12:19–20;
D&C 107:18–19. c GEE Profanidade. Ômni 1:5.
GEE Revelação. d GEE Blasfemar, 11 a Jacó 4:5;
b GEE Espírito Santo. Blasfêmia. Al. 25:15–16.
5 a 2 Né. 25:24; 6 a Jacó 7:24; En. 1:20. b 2 Né. 11:4;
Al. 34:13–14. 7 a Jacó 1:9, 11, 15. Ét. 12:18–19.
b Êx. 35:2. b Pal. Mórm. 1:14. c 2 Né. 25:24–27;
GEE Dia do Sábado 8 a Mos. 10:8. Mos. 3:13; 16:6.
159 JAROM 1:12–ÔMNI 1:3
12 E aconteceu que, procedendo Eis, porém, meus irmãos, que po-
assim, evitaram que fossem a eli- deis recorrer às a outras placas de
minados da face da terra; porque Néfi; porque eis que nelas estão
lhes b tocaram o coração com a gravados os registros de nossas
palavra, exortando-os continua- guerras, segundo os escritos dos
mente ao arrependimento. reis, ou os que eles fizeram com
13 E aconteceu que se haviam que se escrevesse.
passado duzentos e trinta e oito 15 E entrego estas placas nas
anos — com guerras e contendas mãos de meu filho Ômni, para
e dissensões durante grande parte que se encarregue delas confor-
do tempo. me os a mandamentos de meus
14 E eu, Jarom, não escrevo mais, pais.
porque as placas são pequenas.

LIVRO DE ÔMNI
Ômni, Amaron, Quêmis, Abinadom vida lutei muito com a espada
e Amaléqui, cada um, por sua vez, para impedir que meu povo, o
escreve os registros — Mosias desco- povo nefita, caísse nas mãos de
bre o povo de Zaraenla, que viera de seus inimigos, os lamanitas. Mas
Jerusalém nos dias de Zedequias — eis que eu próprio sou um homem
Mosias é proclamado rei — Os mu- iníquo e não guardei os estatutos e
lequitas haviam descoberto Coriân- os mandamentos do Senhor, como
tumr, o último dos jareditas — O rei deveria ter feito.
Benjamim sucede a Mosias — Os ho- 3 E aconteceu que se haviam
mens devem oferecer sua alma como passado duzentos e setenta e seis
dádiva a Cristo. Aproximadamente anos e tivemos muitas épocas de
323–130 a.C. paz; e tivemos muitas épocas de
guerras sérias e derramamento de

E IS que aconteceu que eu,


Ômni, sendo ordenado por
meu pai, Jarom, a escrever algo
sangue. Sim, em resumo, haviam-
se passado duzentos e oitenta e
dois anos; e eu havia guardado
nestas placas, a fim de conservar estas placas segundo os a manda-
a nossa genealogia — mentos de meus pais; e confiei-
2 Desejei, portanto, que soubés- as a meu filho Amaron. E aqui
seis que durante o curso de minha termino.
12 a Ét. 2:10. 15 a Jacó 1:1–4. 1 3 a Jacó 1:1–4;
b Al. 31:5. Jar. 1:15.
14 a 1 Né. 9:2–4. [Ômni]
ÔMNI 1:4–14 160
4 E agora eu, Amaron, as poucas minha própria espada, tirei a vida
coisas que escrevo, faço-o no livro de muitos dos lamanitas, em de-
de meu pai. fesa de meus irmãos.
5 E aconteceu que trezentos e 11 E eis que o registro deste povo
vinte anos se haviam passado e a está gravado em placas, guarda-
parte mais iníqua dos nefitas ha- das pelos reis de geração em ge-
via sido a destruída. ração; e não conheço revelação
6 Porque o Senhor não permiti- alguma ou profecia que não tenha
ria, depois de havê-los tirado da sido escrita; portanto, aquilo que
terra de Jerusalém e de havê-los é requerido está escrito. E com
guardado e impedido que caíssem isto, concluo.
nas mãos de seus inimigos, sim, 12 Eis que eu sou Amaléqui, filho
não permitiria que deixassem de de Abinadom. Eis que vos direi
ser confirmadas as palavras que algo sobre Mosias, que foi pro-
falara a nossos pais, quando dis- clamado rei da terra de Zaraenla;
se: Se não guardardes os meus pois eis que, tendo ele sido avi-
mandamentos, não prosperareis sado pelo Senhor de que deve-
na terra. ria fugir da terra de a Néfi para o
7 Portanto, o Senhor visitou-os deserto, b levando consigo todos
com grande julgamento; não obs- os que quisessem ouvir a voz do
tante, preservou os justos e livrou- Senhor —
os das mãos de seus inimigos, 13 Aconteceu que ele fez como
para que não perecessem. o Senhor lhe havia ordenado. E
8 E aconteceu que entreguei as todos os que deram ouvidos à
placas a meu irmão Quêmis. voz do Senhor partiram da terra
9 Agora eu, Quêmis, o pouco que para o deserto; e foram guiados
escrevo faço-o no mesmo livro que por muitas prédicas e profecias.
meu irmão; pois eis que vi as últi- E foram continuamente admoes-
mas coisas que ele escreveu, o que tados pela palavra de Deus; e fo-
fez de seu próprio punho; e ele ram conduzidos pelo poder de
escreveu-as no dia em que me en- seu braço através do deserto, até
tregou as placas. E desta maneira descerem à terra que é chamada
escrevemos os registros, conforme terra de Zaraenla.
nos foi ordenado por nossos pais. 14 E eles descobriram um povo
E assim termino. que era chamado povo de Zaraen-
10 Eis que eu, Abinadom, sou la. E o povo de a Zaraenla regozi-
filho de Quêmis. E aconteceu que jou-se grandemente; e também Za-
eu presenciei muitas guerras e raenla se regozijou grandemente,
contendas entre meu povo, os ne- porque o Senhor enviara o povo
fitas, e os lamanitas; e eu, com de Mosias com as b placas de latão
5 a Jar. 1:9–10. b Jacó 3:4. b 1 Né. 3:3, 19–20;
12 a 2 Né. 5:6–9. 14 a GEE Zaraenla. 5:10–22.
161 ÔMNI 1:15–25
que continham os registros dos grande pedra com gravações; e
judeus. ele a interpretou as gravações pelo
15 E aconteceu que Mosias des- dom e poder de Deus.
cobriu que o a povo de Zaraenla 21 E relatavam a história de um
saíra de Jerusalém na época em certo a Coriântumr e a matança de
que b Zedequias, rei de Judá, fora seu povo. E Coriântumr fora des-
levado cativo para a Babilônia. coberto pelo povo de Zaraenla; e
16 E eles viajaram pelo deserto habitara com eles pelo espaço de
e foram guiados pela mão do Se- nove luas.
nhor, através das grandes águas, 22 Continham também algumas
à terra onde Mosias os encontrou; palavras a respeito de seus pais.
e ali viveram desde aquele tempo. E seus primeiros pais tinham vin-
17 E na ocasião em que Mosias do da a torre, na ocasião em que o
os encontrou, haviam-se tornado Senhor b confundira a língua do
numerosos em extremo. Não obs- povo; e a severidade do Senhor
tante, haviam tido muitas guerras caíra sobre eles, de acordo com
e sérias contendas e, de tempos seus juízos, que são justos; e seus
em tempos, haviam caído pela c 
ossos estão espalhados na terra
espada. E seu idioma corrompe- do norte.
ra-se; e nenhum a registro tinham 23 Eis que eu, Amaléqui, nasci
trazido consigo; e negavam a exis- nos dias de Mosias; e vivi para
tência de seu Criador; e nem Mo- ver a sua morte; e a Benjamim, seu
sias nem seu povo podiam enten- filho, reina em seu lugar.
dê-los. 24 E eis que presenciei, nos dias
18 Mas aconteceu que Mosias do rei Benjamim, uma séria guer-
fez com que seu idioma lhes fosse ra e muito derramamento de san-
ensinado. E aconteceu que depois gue entre nefitas e lamanitas. Mas
de haverem aprendido o idioma eis que os nefitas obtiveram uma
de Mosias, Zaraenla apresentou a grande vantagem sobre os lama-
genealogia de seus pais segundo nitas; sim, de sorte que o rei Ben-
sua memória; e ela foi escrita, mas jamim os expulsou da terra de
não nestas placas. Zaraenla.
19 E aconteceu que o povo de 25 E aconteceu que comecei a
Zaraenla e o de Mosias se a uniram envelhecer; e não tendo descen-
e b Mosias foi proclamado seu rei. dentes e sabendo ser o rei a Benja-
20 E aconteceu que, durante os mim um homem justo diante do
dias de Mosias, levaram-lhe uma Senhor, b entregar-lhe-ei, portanto,
15 a Mos. 25:2. 20 a Mos. 8:13–19. Mos. 28:17; Ét. 1:33.
b Jer. 39:1–10; GEE Vidente. c Mos. 8:8.
Hel. 8:21. 21 a Ét. 12:1. 23 a Pal. Mórm. 1:3.
17 a Mos. 1:2–6. GEE Coriântumr. 25 a Pal. Mórm. 1:17–18;
19 a Mos. 25:13. 22 a Ét. 1:1–5. Mos. 29:13.
b Ômni 1:12. b Gên. 11:6–9; b Pal. Mórm. 1:10.
ÔMNI 1:26–PALAVRAS DE MÓRMON 1:2 162
estas placas, exortando todos os deserto para voltar à terra de Néfi;
homens a virem a Deus, o Santo pois muitos havia que desejavam
de Israel, e a acreditarem em pro- possuir a terra de sua herança.
fecias e em revelações e no minis- 28 Portanto, subiram para o de-
tério de anjos; e no dom de lín- serto. E seu chefe, sendo um ho-
guas e no dom de interpretação de mem forte e poderoso e obstinado,
línguas e em todas as coisas que provocou uma desavença entre
são c boas; pois nada há, que seja eles; e foram todos a mortos no
bom, que não venha do Senhor; e deserto, exceto cinquenta, que
o que é mau vem do diabo. voltaram para a terra de Zaraenla.
26 E agora, meus queridos ir- 29 E aconteceu que eles também
mãos, quisera que a viésseis a Cris- levaram outros consigo, em nú-
to, que é o Santo de Israel, e par- mero considerável, e tornaram
ticipásseis de sua salvação e do a empreender uma viagem pelo
poder de sua redenção. Sim, vinde deserto.
a ele e b ofertai-lhe toda a vossa 30 E eu, Amaléqui, tinha um ir-
alma, como c dádiva; e continuai mão que também foi com eles; e
em d jejum e oração, perseveran- deles não mais ouvi falar. E estou
do até o fim; e assim como vive o prestes a descer à sepultura e a es-
Senhor, sereis salvos. tas placas estão repletas. E aqui
27 E agora quisera dizer algo so- ponho fim a minha narração.
bre um certo grupo que subiu ao

PALAVRAS DE MÓRMON
Mórmon resume as placas maiores de testemunhei quase toda a des-
Néfi — Ele põe as placas menores com truição de meu povo, os nefitas.
as outras placas — O rei Benjamim 2 E entrego estes registros nas
estabelece paz na terra. Aproximada- mãos de meu filho, a muitos sé-
mente 385 d.C. culos depois da vinda de Cris-
to; e suponho que ele testemu-

E AGORA eu, a Mórmon, estan-


do para entregar nas mãos
de meu filho Morôni o regis-
nhará a destruição total de meu
povo. Queira Deus, porém, que
ele sobreviva, para que possa es-
tro que estive fazendo, eis que crever algo concernente a eles e
25 c Al. 5:40; b GEE Sacrifício. [Palavras de Mórmon]
Ét. 4:12; c 3 Né. 9:20. 1 1 a 3 Né. 5:9–12;
Morô. 7:15–17. d GEE Jejuar, Jejum. Mórm. 1:1–4; 8:1, 4–5.
26 a Jacó 1:7; 28 a Mos. 9:1–4. GEE Mórmon, Profeta
Al. 29:2; 30 a 1 Né. 6. Nefita.
Morô. 10:32. 2 a Mórm. 6:5–6.
163 PALAVRAS DE MÓRMON 1:3–11
algo concernente a Cristo, para são preciosas; e sei que serão pre-
que algum dia talvez lhes seja de ciosas para meus irmãos.
b 
proveito. 7 E faço isto com um a sábio pro-
3  E agora digo alguma coisa pósito; pois assim me é sussurra-
acerca do que escrevi; porque, do, segundo o Espírito do Senhor
depois de haver feito um a resumo que está em mim. E agora, eu não
das b placas de Néfi até o gover- sei todas as coisas, mas o Senhor
no deste rei Benjamim de quem b 
sabe todas as coisas que hão de
Amaléqui falou, examinei os c re- acontecer; portanto, ele atua em
gistros que haviam sido entregues mim, para que eu faça segundo a
em minhas mãos e encontrei estas sua vontade.
placas, que continham este peque- 8 E minha a oração a Deus é refe-
no relato dos profetas, de Jacó até rente a meus irmãos, para que vol-
o governo deste rei d Benjamim, tem a ter conhecimento de Deus,
e também muitas das palavras sim, da redenção de Cristo; para
de Néfi. que tornem a ser um povo b agra-
4 E as coisas que estão nestas dável.
placas me são a agradáveis, por 9 E agora eu, Mórmon, procedo
causa das profecias sobre a vinda à conclusão de meu registro, que
de Cristo; e meus pais sabem que tiro das placas de Néfi; e faço-o
muitas delas se cumpriram; sim, e segundo o conhecimento e a com-
eu também sei que todas as coisas preensão que Deus me deu.
que foram profetizadas sobre nós, 10 Então aconteceu que depois
até este dia, se cumpriram; e que de Amaléqui haver a entregado
todas as que vão além deste dia estas placas nas mãos do rei Ben-
certamente se cumprirão — jamim, este tomou-as e pôs jun-
5 Escolhi, portanto, a estas coisas tamente com as b outras placas
para terminar meu registro sobre que continham registros que os
elas e este restante de meu registro c 
reis haviam transmitido, de ge-
tirarei das b placas de Néfi; e não ração em geração, até os dias do
posso escrever nem a c centésima rei Benjamim.
parte das coisas de meu povo. 11 E foram passadas, desde o
6 Mas eis que tomarei estas pla- rei Benjamim, de geração em ge-
cas que contêm estas profecias e ração, até chegarem às a minhas
revelações e pô-las-ei com o res- mãos. E eu, Mórmon, rogo a Deus
tante de meu registro, porque me que sejam preservadas de agora
2 b D&C 3:16–20. mencionadas no 8 a 2 Né. 33:3–4;
3 a D&C 10:44. versículo 4. En. 1:11–12.
b D&C 10:38–40. b 1 Né. 9:2. b 2 Né. 30:6.
c Mos. 1:6; Hel. 3:13–15; c 3 Né. 5:8–11; 26:6–12. 10 a Ômni 1:25, 30.
Mórm. 4:23. 7 a 1 Né. 9:5; 19:3; b 1 Né. 9:4.
d Ômni 1:23. D&C 3:12–20; c Jar. 1:14.
4 a 1 Né. 6:5. 10:1–19, 30–47. 11 a 3 Né. 5:8–12;
5 a IE coisas do seu agrado, b GEE Onisciente. Mórm. 1:1–5.
PALAVRAS DE MÓRMON 1:12–18 164
em diante. E sei que serão pre- terem sido castigados de acordo
servadas, porque grandes coisas com seus crimes;
estão escritas nelas, pelas quais 16 E depois de ter havido fal-
meu povo e seus irmãos serão sos profetas e falsos pregadores e
b 
julgados no grande e último dia, mestres entre o povo e todos estes
segundo a palavra de Deus que terem sido castigados de acordo
está escrita. com seus crimes; e depois de ter
12 E agora, a respeito deste rei havido muitas contendas e muitos
Benjamim — houve algumas con- terem passado para o lado dos la-
tendas entre seu próprio povo. manitas, eis que aconteceu que o
13 E aconteceu também que os rei Benjamim, com o auxílio dos
exércitos dos lamanitas desceram santos a profetas que havia entre
da a terra de Néfi para guerrear seu povo —
seu povo. Eis, porém, que o rei 17 Pois eis que o rei Benjamim
Benjamim reuniu seus exércitos e era um a santo homem e governou
fez-lhes frente; e combateu com a seu povo com retidão; e havia
força de seu próprio braço, com a muitos homens santos na terra e
b 
espada de Labão. eles pregavam a palavra de Deus
14 E com a força do Senhor lu- com b poder e com autoridade; e
taram contra seus inimigos, até eram muito c severos, por causa da
matarem muitos milhares de la- obstinação do povo —
manitas. E aconteceu que luta- 18 Portanto, com o auxílio deles
ram contra os lamanitas até os e também dos profetas, o rei Ben-
expulsarem de todas as terras de jamim, trabalhando com todas as
sua herança. forças de seu corpo e a faculdade
15 E aconteceu que depois de de toda a sua alma, mais uma vez
ter havido falsos a Cristos e suas estabeleceu a paz naquela terra.
bocas terem sido caladas e eles

LIVRO DE MOSIAS
CAPÍTULO 1 preservadas por causa dos registros
gravados nas várias placas — Mosias
O rei Benjamim ensina a seus filhos o é escolhido rei e recebe a custódia dos
idioma e as profecias de seus pais — registros e de outras coisas. Aproxi-
Sua religião e civilização foram madamente 130–124 a.C.
11 b 2 Né. 25:18; 29:11; 2 Né. 5:14; 16 a En. 1:22.
33:11–15; Jacó 1:10; 17 a Al. 13:26.
3 Né. 27:23–27. Mos. 1:16; b Al. 17:2–3.
13 a Ômni 1:12. D&C 17:1. c Morô. 9:4;
b 1 Né. 4:9; 15 a GEE Anticristo. D&C 121:41–43.
165 MOSIAS 1:1–7

E ENTÃO não houve mais con-


tendas em toda a a terra de Za-
raenla, entre todo o povo que per-
seus filhos, para que assim eles
pudessem ensiná-las a seus filhos,
cumprindo desta forma os man-
tencia ao rei Benjamim, de modo damentos de Deus até o presente.
que o rei Benjamim gozou de paz 5 Digo-vos, meus filhos, que se
contínua todo o restante de seus não fosse por estas coisas que fo-
dias. ram guardadas e a preservadas
2 E aconteceu que ele tinha três pela mão de Deus para que pu-
filhos; e dera-lhes os nomes de déssemos b ler e compreender os
Mosias e Helorum e Helamã. E fez seus c mistérios e ter seus manda-
com que fossem a instruídos em mentos sempre diante dos olhos,
todo o b idioma de seus pais, para até mesmo nossos pais teriam de-
que assim se tornassem homens generado, caindo na incredulida-
de entendimento; e para que sou- de; e teríamos sido como nossos
bessem das profecias que haviam irmãos, os lamanitas, que nada
sido feitas pela boca de seus pais sabem a respeito destas coisas ou
e que lhes foram entregues pela nem sequer nelas creem quando
mão do Senhor. lhes são ensinadas, por causa das
3 E ele também os ensinou sobre d 
tradições de seus pais, que não
os registros que estavam grava- são corretas.
dos nas placas de latão, dizen- 6 Ó meus filhos, quisera que vos
do: Meus filhos, quisera que vos lembrásseis de que estas palavras
lembrásseis de que, se não fosse são verdadeiras e também de que
por estas a placas que contêm estes estes registros são a verdadeiros. E
registros e estes mandamentos, te- eis que também as placas de Néfi,
ríamos permanecido em b ignorân- que contêm os registros e as pala-
cia até o presente, não conhecendo vras de nossos pais desde o tempo
os mistérios de Deus. em que deixaram Jerusalém até
4 Porque não teria sido possí- agora, são verdadeiras; e podemos
vel a nosso pai, Leí, lembrar-se saber da veracidade delas porque
de todas estas coisas para ensi- as temos diante dos olhos.
ná-las a seus filhos, se não fosse 7 E agora, meus filhos, quisera
pelo auxílio destas placas; pois que vos lembrásseis de a examiná-
tendo ele sido instruído no a idio- las diligentemente, para que de-
ma dos egípcios podia, portanto, las vos beneficieis; e quisera que
ler estas gravações e ensiná-las a b 
guardásseis os mandamentos de
1 1 a Ômni 1:13. 5 a GEE Escrituras — As 2 Né. 33:10–11;
2 a Mos. 4:14–15; escrituras devem ser Morô. 10:27.
D&C 68:25, 28. preservadas. 7 a GEE Escrituras.
b Mórm. 9:32. b Deut. 6:6–8. b Mos. 2:22;
3 a GEE Placas. c GEE Mistérios de Deus. Al. 50:20–22.
b Al. 37:8–9. d Mos. 10:11–17.
4 a JS—H 1:64. 6 a 1 Né. 1:3;
MOSIAS 1:8–17 166
Deus para que prospereis na ter-
c 
se este povo altamente favorecido
ra, segundo as d promessas que o pelo Senhor cair em a transgres-
Senhor fez a nossos pais. são e tornar-se um povo iníquo e
8 E muitas coisas mais o rei Ben- adúltero, o Senhor os abandonará,
jamim ensinou a seus filhos, as para que assim se tornem b fracos
quais não estão escritas neste livro. como seus irmãos; e ele não mais
9 E aconteceu que depois de ha- os c preservará com seu incompa-
ver ensinado seus filhos, o rei Ben- rável e maravilhoso poder, como
jamim envelheceu e viu que muito até agora preservou nossos pais.
em breve seguiria pelo caminho 14 Porque te digo que se ele não
de toda a Terra; portanto, julgou houvesse estendido o braço para
ser oportuno conferir o reino a um preservar nossos pais, eles teriam
de seus filhos. caído nas mãos dos lamanitas,
10 Portanto, ele fez com que Mo- tornando-se vítimas de seu ódio.
sias fosse levado a sua presença; 15 E aconteceu que depois de
e estas são as palavras que ele lhe haver o rei Benjamim terminado
falou, dizendo: Meu filho, quise- de dizer estas palavras a seu filho,
ra que fizesses uma proclamação encarregou-o de todos os assun-
por toda esta terra, entre todo este tos do reino.
povo, ou melhor, o a povo de Za- 16 Além disso, também o encar-
raenla e o povo de Mosias que regou dos registros que estavam
habita esta terra, para que se reú- gravados nas a placas de latão;
nam; porque amanhã proclamarei e também das placas de Néfi; e
a este meu povo, de viva voz, que também da b espada de Labão e
tu és b rei e governante deste povo da c esfera ou guia que conduziu
que o Senhor nosso Deus nos deu. nossos pais pelo deserto, que fora
11 E ademais, darei a este povo preparada pela mão do Senhor
um a nome, para que assim sejam para que assim fossem dirigidos,
distinguidos de todos os povos cada um segundo o cuidado e
que o Senhor Deus trouxe da ter- atenção que lhe davam.
ra de Jerusalém; e isto faço por- 17 Portanto, como foram infiéis,
que tem sido um povo diligente não prosperaram nem progredi-
na obediência aos mandamentos ram em sua jornada, mas foram
do Senhor. a 
impelidos para trás e incorreram
12 E dou-lhes um nome que ja- no desagrado de Deus; e foram,
mais será apagado, salvo em caso portanto, atingidos pela fome e
de a transgressão. duras aflições, para que se lem-
13 Sim, e ainda mais, digo-te que brassem de seus deveres.
7 c Salm. 122:6; 1 Né. 2:20. 12 a GEE Pecado. b 1 Né. 4:8–19;
d Al. 9:12–14. 13 a Heb. 6:4–6. Pal. Mórm. 1:13;
10 a Ômni 1:14. b Hel. 4:24–26. D&C 17:1.
b Mos. 2:30. c D&C 103:8–10. c 1 Né. 16:10.
11 a Mos. 5:8–12. 16 a Mos. 1:3. 17 a 1 Né. 18:12–13.
167 MOSIAS 1:18–2:8
18 E então aconteceu que Mosias para serem seus b mestres e tam-
foi e fez como seu pai lhe orde- bém um homem justo para ser
nara; e conclamou todo o povo seu rei, o qual estabelecera a paz
que estava na terra de Zaraenla a na c terra de Zaraenla e ensinara-
reunir-se para ir ao templo ouvir lhes a d guardar os mandamen-
as palavras que seu pai lhes diria. tos de Deus, a fim de que se re-
gozijassem e se enchessem de
CAPÍTULO 2 e 
amor para com Deus e todos os
homens.
O rei Benjamim fala a seu povo —
5 E aconteceu que quando su-
Relata a equidade, justiça e espiritua-
biram ao templo armaram suas
lidade de seu reinado — Aconselha o
tendas nos arredores, cada ho-
povo a servir a seu Rei Celestial —
mem conforme sua a família, que
Aqueles que se rebelarem contra Deus
consistia na esposa e nos filhos e
sofrerão angústia semelhante a um
nas filhas; e nos filhos e nas filhas
fogo inextinguível. Aproximadamen-
destes, do mais velho ao mais jo-
te 124 a.C.
vem, cada família separada uma
E aconteceu que após Mosias da outra.
haver feito o que seu pai lhe or- 6 E armaram suas tendas ao re-
denara e haver feito uma procla- dor do templo, cada homem com
mação por toda a terra, o povo a porta de sua a tenda voltada para
congregou-se por toda a terra, a o templo, a fim de que pudessem
fim de subir ao templo para ouvir permanecer nas suas tendas e ou-
as palavras que o rei Benjamim vir as palavras que o rei Benjamim
lhes diria. lhes diria;
2 E eram tantos, que não foram 7 Por ser a multidão tão grande
contados; porque eles se haviam que o rei Benjamim não poderia
multiplicado muito, tornando-se ensinar a todos dentro dos muros
numerosos na terra. do templo, ele fez construir uma
3 E também tomaram das a pri- torre, para que assim seu povo
mícias de seus rebanhos, para ofe- pudesse ouvir as palavras que
recerem b sacrifícios e c holocaustos lhes diria.
d 
segundo a lei de Moisés. 8 E aconteceu que, da torre, ele
4 E também, para poderem dar começou a falar a seu povo; e nem
graças ao Senhor seu Deus, que todos podiam ouvir-lhe as pala-
os tirara da terra de Jerusalém e vras, por causa do tamanho da
livrara-os das mãos de seus ini- multidão; portanto, fez com que
migos; e a nomeara homens justos suas palavras fossem escritas e
2 3 a Gên. 4:4. 4 a GEE Chamado, c Ômni 1:12–15.
b GEE Sacrifício. Chamado por Deus, d Jo. 15:10.
c 1 Né. 5:9. Chamar. e GEE Amor.
d 2 Né. 25:24; b Mos. 18:18–22. 5 a GEE Família.
Al. 30:3; 34:13–14. GEE Ensinar, Mestre. 6 a Êx. 33:8–10.
MOSIAS 2:9–17 168
enviadas àqueles que se achavam nem prata nem qualquer tipo de
fora do alcance de sua voz, para riqueza;
que também recebessem suas pa- 13 Nem permiti que fôsseis con-
lavras. finados em calabouços nem que
9 E estas são as palavras que ele escravizásseis uns aos outros nem
a 
disse e fez com que fossem escri- que assassinásseis nem pilhásseis
tas, dizendo: Meus irmãos, todos nem roubásseis nem cometêsseis
que vos haveis reunido, vós que adultério; nem permiti que come-
podeis ouvir as palavras que hoje têsseis qualquer tipo de iniquida-
vos direi; pois não ordenei que de, mas ensinei-vos que devíeis
viésseis aqui para b ouvir leviana- guardar os mandamentos do Se-
mente as palavras que direi, mas nhor em todas as coisas que ele
para que me c escuteis e abrais os vos ordenou —
ouvidos para ouvir e o d coração 14 E eu mesmo tenho a trabalha-
para entender e vossa e mente para do com minhas próprias mãos, a
que os f mistérios de Deus vos se- fim de vos servir; e para que não
jam revelados. sejais sobrecarregados com im-
10 Não ordenei que subísseis postos e não recaiam sobre vós
aqui para que me a temêsseis ou coisas difíceis de suportar — e vós
para que pensásseis que eu, por mesmos sois testemunhas, neste
mim mesmo, seja mais que um dia, de todas estas coisas que falei.
homem mortal. 15 Contudo, meus irmãos, não
11 Mas sou como vós mesmos, fiz estas coisas todas para van-
sujeito a toda sorte de enfermida- gloriar-me nem conto estas coisas
des do corpo e da mente; contu- para assim poder acusar-vos; mas
do, fui escolhido por este povo e digo-vos estas coisas para que
consagrado por meu pai; e a mão saibais que hoje posso responder
do Senhor permitiu que eu fosse ante Deus com uma a consciência
governante e rei deste povo; e fui limpa.
guardado e preservado por seu in- 16 Eis que vos digo, ao afirmar-
comparável poder para servir-vos vos haver empregado meus dias
com todo o poder, mente e força a vosso serviço, que não é meu
que o Senhor me concedeu. desejo vangloriar-me, porque só
12 E digo-vos que como me foi estive a serviço de Deus.
permitido empregar meus dias a 17 E eis que vos digo estas coi-
vosso serviço até este momento e sas para que aprendais a sabedo-
não tentei obter de vós nem a ouro ria; para que saibais que, quando
9 a Mos. 8:3. 3 Né. 19:33. 14 a 1 Cor. 9:18.
b D&C 6:12. e GEE Mente. 15 a GEE Consciência.
c GEE Atender, Dar f GEE Mistérios de Deus. 17 a GEE Sabedoria.
ouvidos. 10 a GEE Temor.
d Mos. 12:27; 12 a At. 20:33–34.
169 MOSIAS 2:18–27
estais a serviço de vosso próxi-
b  c 
mandamentos; e ele prometeu-vos
mo, estais somente a serviço de que, se a guardásseis seus b manda-
vosso Deus. mentos, prosperaríeis na terra; e
18 Eis que me haveis chamado ele nunca se c desvia do que dis-
vosso rei; e se eu, a quem chamais se; portanto, se d guardardes seus
vosso rei, trabalho para vos a ser- mandamentos, ele vos abençoará
vir, não deveis vós trabalhar para e far-vos-á prosperar.
vos servirdes uns aos outros? 23 Ora! em primeiro lugar ele
19 E eis também que se eu, a vos criou e concedeu-vos a vida,
quem chamais vosso rei, que pas- pelo que lhe sois devedores.
sou os seus dias a vosso serviço e, 24 E, em segundo lugar, ele re-
contudo, esteve a serviço de Deus, quer que façais conforme vos or-
mereço algum agradecimento de denou; e se o fizerdes, ele ime-
vós, oh! quanto deveis a agradecer diatamente vos a abençoará; e,
a vosso Rei celestial! portanto, ter-vos-á pago. E vós
20 Digo-vos, meus irmãos, que ainda lhe sereis devedores e o sois
se renderdes todas as graças e e sê-lo-eis para sempre; portanto,
a 
louvores, com todo o poder de de que vos podeis vangloriar?
vossa alma, àquele b Deus que vos 25 E agora vos pergunto: Po-
criou e guardou e preservou e fez deis dizer algo de vós mesmos?
com que vos regozijásseis e vos Respondo-vos: Não. Não podeis
concedeu viverdes em paz uns dizer que sois nem mesmo como
com os outros — o pó da Terra; no entanto, fostes
21 Digo-vos que se servirdes ao a 
criados do b pó da Terra; mas eis
que vos criou desde o princípio que o pó pertence àquele que vos
e vos está preservando dia a dia, criou.
dando-vos alento para que pos- 26 E eu, mesmo eu, a quem cha-
sais viver, mover-vos e agir se- mais vosso rei, não sou melhor do
gundo vossa própria a vontade; que vós, porque eu também sou
e até vos apoiando de momento do pó. E vedes que estou velho e
a momento — digo-vos que se o prestes a entregar este corpo mor-
servirdes com toda a alma, ainda tal a sua mãe terra.
assim sereis b servos inúteis. 27 Portanto, como disse que vos
22 E eis que tudo que ele re- havia servido, a andando com a
quer de vós é que guardeis seus consciência limpa diante de Deus,
17 b Mt. 25:40; 20 a 1 Né. 18:16. d D&C 14:7; 58:2–3.
Tg. 1:27; b GEE Trindade. 24 a GEE Abençoado,
D&C 42:29–31. 21 a GEE Arbítrio. Abençoar, Bênção.
GEE Serviço. b Lc. 17:7–10. 25 a GEE Criação, Criar.
c GEE Irmã(s), Irmão(s). 22 a Lev. 25:18–19; b Gên. 3:19;
18 a Mt. 20:26–27. 2 Né. 1:9. Jacó 2:21.
19 a GEE Ação de b GEE Mandamentos de 27 a GEE Andar, Andar com
Graças, Agradecido, Deus. Deus.
Agradecimento. c D&C 3:1–2.
MOSIAS 2:28–36 170
assim vos fiz reunir nesta ocasião, na terra e vossos inimigos não
para que eu possa ser declarado terão poder sobre vós.
inocente e para que vosso b sangue 32 Cuidado, porém, ó meu povo,
não recaia sobre mim quando me para que não surjam a contendas
apresentar para ser julgado por entre vós nem vos inclineis a obe-
Deus pelas coisas que ele me or- decer ao espírito maligno, do qual
denou, concernentes a vós. meu pai, Mosias, falou.
28 E digo que vos fiz reunir para 33 Mas eis que há uma conde-
poder a livrar minhas vestimentas nação decretada para o que se
de vosso sangue, nesta ocasião em inclina a obedecer a esse espírito;
que estou para descer a minha se- porque o que se inclina a obede-
pultura, a fim de que eu desça em cer-lhe e permanece e morre em
paz e meu b espírito imortal possa seus pecados, bebe a condenação
juntar-se aos c coros excelsos, can- para a própria alma; porque re-
tando louvores a um justo Deus. cebe por salário um castigo b eter-
29 E ademais, digo-vos que vos no, havendo transgredido a lei de
fiz reunir para declarar-vos que Deus contra seu próprio conheci-
não posso mais ser vosso mestre mento.
nem vosso rei; 34 Digo-vos que ninguém há en-
30 Porque, mesmo agora, todo o tre vós, à exceção de vossas crian-
meu corpo treme muito enquan- cinhas, que não foram ensinadas
to me esforço para vos falar; mas sobre estas coisas, que não saiba
o Senhor Deus me sustém e per- que sois eternamente devedores
mitiu-me que vos falasse; e orde- a vosso Pai Celestial e que deveis
nou-me que vos declarasse hoje entregar-lhe tudo o que tendes e
que meu filho Mosias é vosso rei sois; e que não haja sido instruí-
e governante. do concernente aos registros que
31 E agora, meus irmãos, quisera contêm as profecias pronunciadas
que agísseis como tendes feito até pelos santos profetas até a época
aqui. Assim como tendes guar- em que nosso pai, Leí, deixou Je-
dado os meus mandamentos e rusalém;
também os mandamentos de meu 35 E também, tudo o que tem
pai e tendes prosperado e fostes sido dito por nossos pais até ago-
livrados de cair nas mãos de vos- ra. E eis que também eles disse-
sos inimigos, de igual maneira, ram o que lhes foi ordenado pelo
se guardardes os mandamentos Senhor; portanto, são justos e ver-
de meu filho, ou seja, os manda- dadeiros.
mentos de Deus que por ele vos 36 E agora eu vos digo, meus
serão transmitidos, prosperareis irmãos, que depois de haverdes
27 b Jacó 1:19. c Mórm. 7:7. Condenar.
28 a Jacó 2:2. 32 a 3 Né. 11:29–30. b D&C 19:6, 10–12.
b GEE Espírito. 33 a GEE Condenação,
171 MOSIAS 2:37–3:1
conhecido todas estas coisas e palavras, pois falei-vos claramen-
elas vos haverem sido ensinadas, te para que pudésseis compreen-
se transgredirdes e fordes contra der, oro para que vos a lembreis
aquilo que tem sido falado, de da terrível situação daqueles que
modo que vos afasteis do Espírito caíram em transgressão.
do Senhor e não tenha ele lugar 41 E ainda mais, quisera que
em vós para guiar-vos pelas ve- considerásseis o estado abençoa-
redas da sabedoria, a fim de que do e a feliz daqueles que guardam
sejais abençoados, favorecidos e os mandamentos de Deus. Pois eis
preservados — que são b abençoados em todas as
37 Digo-vos que o homem que coisas, tanto materiais como espi-
faz isto se a rebela abertamente rituais; e se eles se conservarem
contra Deus; portanto, se inclina c 
fiéis até o fim, serão recebidos
a obedecer ao espírito maligno e no d céu, para que assim possam
torna-se inimigo de toda retidão; habitar com Deus em um estado
por isso o Senhor não tem lugar de felicidade sem fim. Oh! Lem-
nele, pois ele não habita em b tem- brai-vos, lembrai-vos de que estas
plos impuros. coisas são verdadeiras, porque o
38 Portanto, se tal homem não se Senhor Deus as disse.
a 
arrepende e permanece e morre
inimigo de Deus, as exigências da CAPÍTULO 3
divina b justiça despertam-lhe a
O rei Benjamim continua seu discur-
alma imortal para um vivo senti-
so — O Senhor Onipotente ministra-
mento de sua própria c culpa, que
rá entre os homens num tabernáculo
o leva a recuar diante da presença
de barro — De todos os seus poros
do Senhor e enche-lhe o peito de
sairá sangue quando Ele expiar os
culpa e dor e angústia, como um
pecados do mundo — Seu nome é o
fogo inextinguível cuja chama se
único pelo qual se alcança a salva-
eleva para todo o sempre.
ção — Os homens podem despojar-se
39 E digo-vos que a a misericór-
do homem natural e tornar-se santos,
dia não tem direitos sobre esse
por meio da Expiação — O tormento
homem; portanto, sua condena-
dos iníquos será como um lago de fogo
ção final é padecer um tormento
e enxofre. Aproximadamente 124 a.C.
sem fim.
40 Oh! todos vós, anciãos, e tam- E quero chamar a vossa atenção
bém vós, jovens, e vós, crianci- mais uma vez, meus irmãos, por-
nhas, que podeis entender minhas que ainda tenho algo mais para
37 a Mos. 3:12; b GEE Justiça. 41 a 4 Né. 1:15–18.
Hel. 8:24–25. c GEE Culpa. GEE Alegria.
GEE Rebeldia, Rebelião. 39 a Al. 34:8–9, 15–16. b GEE Abençoado,
b Al. 7:21. GEE Misericórdia, Abençoar, Bênção.
38 a GEE Arrepender-se, Misericordioso. c D&C 6:13.
Arrependimento. 40 a Al. 5:18. d GEE Céu.
MOSIAS 3:2–11 172
vos dizer; pois eis que tenho coi- 6 E expulsará demônios, ou seja,
a 

sas para vos dizer sobre o que os espíritos malignos que habitam
deverá acontecer. no coração dos filhos dos homens.
2 E as coisas que vos direi foram- 7 E eis que sofrerá a tentações
me dadas a conhecer por um a anjo e dores corporais, b fome, sede e
de Deus. E ele disse-me: Desperta; cansaço maiores do que o homem
e eu despertei e eis que ele estava pode c suportar sem morrer; eis
diante de mim. que sairá d sangue de cada um de
3 E ele disse-me: Desperta e ouve seus poros, tão grande será a sua
as palavras que te direi; pois eis e 
angústia pelas iniquidades e abo-
que vim para anunciar-te as a boas minações de seu povo.
novas de grande alegria. 8 E ele chamar-se-á a Jesus Cristo,
4 Pois o Senhor ouviu tuas ora- o b Filho de Deus, o c Pai dos céus
ções e julgou tua retidão; e en- e da Terra, o Criador de todas as
viou-me para anunciar-te que coisas desde o princípio; e sua
podes regozijar-te e que podes d 
mãe chamar-se-á e Maria.
anunciá-las a teu povo, a fim de 9 E eis que vem aos seus para
que eles também se encham de que a a salvação seja concedida aos
alegria. filhos dos homens pela b fé em seu
5 Pois eis que o tempo se apro- nome; e mesmo depois de tudo
xima e não está muito longe, em isso, considerá-lo-ão um homem
que, com poder, o a Senhor Onipo- e dirão que está c endemoninhado;
tente que reina, que era e é de toda e d açoitá-lo-ão e e crucificá-lo-ão.
a eternidade para toda a eternida- 10 E no a terceiro dia b ressuscita-
de, descerá dos céus no meio dos rá dentre os mortos; e eis que ele
filhos dos homens e habitará num c 
julga o mundo; e eis que todas
b 
tabernáculo de barro; e fará gran- estas coisas são feitas para que
des c milagres entre os homens, recaia um julgamento justo sobre
como curar os enfermos, levantar os filhos dos homens.
os mortos, fazer andar os coxos, 11  Pois eis também que seu
dar vista aos cegos, fazer ouvir a 
sangue b expia os pecados dos
os surdos e curar toda espécie de que c caíram pela transgressão
enfermidades. de Adão, que morreram sem
3 2 a GEE Anjos. e Isa. 53:4–5. d Mc. 15:15.
3 a Lc. 2:10–11. 8 a GEE Trindade — Deus, e Lc. 18:33; 1 Né. 19:10;
5 a GEE Jeová. o Filho. 2 Né. 10:3.
b Mos. 7:27; Al. 7:9–13. b Al. 7:10. GEE Crucificação.
c Mt. 4:23–24; c Hel. 14:12; 3 Né. 9:15. 10 a Mt. 16:21; 2 Né. 25:13;
At. 2:22; 1 Né. 11:31. d Mt. 1:16; Hel. 14:20–27.
GEE Milagre. 1 Né. 11:14–21. b GEE Ressurreição.
6 a Mc. 1:32–34. e GEE Maria, Mãe de c GEE Julgar.
7 a GEE Tentação, Tentar. Jesus. 11 a GEE Sangue.
b Mt. 4:1–2. 9 a GEE Salvação. b GEE Expiação, Expiar.
c D&C 19:15–18. b GEE Fé. c GEE Queda de Adão
d Lc. 22:44. c Jo. 8:48. e Eva.
173 MOSIAS 3:12–19
conhecer a vontade de Deus acer- poderiam ser salvas; mas digo-vos
ca de si mesmos ou que pecaram que elas são b abençoadas; pois eis
por d ignorância. que como em Adão, ou seja, pela
12 Mas ai daquele que sabe que natureza, elas caem, assim tam-
se a rebela contra Deus! Porque bém o sangue de Cristo expia os
a nenhum desses será concedi- seus pecados.
da salvação, a não ser pelo arre- 17 E digo-vos ainda mais, que
pendimento e fé no b Senhor Jesus a 
nenhum outro nome se dará, ne-
Cristo. nhum outro caminho ou meio
13 E o Senhor Deus enviou seus pelo qual a b salvação seja con-
santos profetas a todos os filhos cedida aos filhos dos homens, a
dos homens para declararem es- não ser em nome e pelo nome de
tas coisas a toda tribo, nação e lín- c 
Cristo, o Senhor Onipotente.
gua, para que, assim, todo aquele 18 Pois eis que ele julga e seu jul-
que acreditar na vinda de Cristo gamento é justo; e a criança que
receba a a remissão de seus pe- morre ainda na infância não pe-
cados e regozije-se com grande rece; mas os homens bebem con-
alegria, b como se ele já tivesse denação para sua própria alma, a
vindo a eles. não ser que se humilhem e a tor-
14 Contudo, o Senhor Deus viu nem-se como criancinhas; e acre-
que seu povo era obstinado e deu- ditem que a salvação veio e vem
lhe uma lei, sim, a a lei de Moisés. e virá no sangue e pelo sangue
15 E mostrou a eles muitos si- b 
expiatório de Cristo, o Senhor
nais e maravilhas e a símbolos e Onipotente.
figuras concernentes a sua vinda; 19 Porque o a homem natural é
e também os santos profetas lhes inimigo de Deus e tem-no sido
falaram sobre sua vinda; e, ape- desde a b queda de Adão e sê-lo-á
sar disso, endureceram o coração para sempre; a não ser que c ceda
e não compreenderam que a b lei ao influxo do d Santo Espírito e
de Moisés de nada serviria se não despoje-se do homem natural e
fosse pela expiação de seu sangue. torne-se e santo pela expiação de
16 E mesmo se fosse possível Cristo, o Senhor; e torne-se como
que as a criancinhas pecassem, não uma f criança, submisso, manso,
11 d 2 Né. 9:25–26. símbolos de Cristo. b Mos. 4:2; Hel. 5:9.
12 a Mos. 2:36–38; b Mos. 13:27–32. 19 a 1 Cor. 2:11–14;
Hel. 8:25. 16 a GEE Criança(s); Mos. 16:2–3.
GEE Rebeldia, Rebelião. Filho(s). GEE Homem Natural.
b GEE Senhor. b Morô. 8:8–9. b GEE Queda de Adão
13 a GEE Remissão de 17 a At. 4:10–12; e Eva.
Pecados. 2 Né. 31:21. c 2 Crôn. 30:8.
b 2 Né. 25:24–27; b GEE Salvação. d Morô. 10:4–5.
Jar. 1:11. c GEE Jesus Cristo — GEE Espírito Santo.
14 a GEE Lei de Moisés. Tomar sobre nós o e GEE Santo
15 a GEE Jesus Cristo — nome de Jesus Cristo. (substantivo).
Simbolismos ou 18 a Mt. 18:3. f 3 Né. 9:22.
MOSIAS 3:20–4:1 174
humilde, paciente, cheio de amor, presença do Senhor para um
disposto a submeter-se a tudo estado de b miséria e tormento
quanto o Senhor achar que lhe sem fim, de onde não poderão
deva infligir, assim como uma mais voltar; portanto, beberam
criança se submete a seu pai. condenação para suas próprias
20 E além disso, digo-vos que almas.
chegará o tempo em que o a co- 26 Beberam, portanto, do cálice
nhecimento de um Salvador se da ira de Deus, o qual a justiça
espalhará por b toda nação, tribo, não lhes poderia negar, como não
língua e povo. poderia negar que a Adão caísse
21 E eis que, quando chegar esse por haver participado do b fruto
tempo, ninguém será declarado proibido; portanto, a c misericórdia
a 
inocente diante de Deus, salvo as nunca mais poderia reclamá-los.
criancinhas, a não ser por meio de 27 E o seu a tormento é como um
arrependimento e fé no nome do b 
lago de fogo e enxofre, cujas cha-
Senhor Deus Onipotente. mas são inextinguíveis e cuja fu-
22 E mesmo nestes dias, depois maça ascende para sempre e sem-
de haveres ensinado aos de teu pre. Assim me ordenou o Senhor.
povo as coisas que o Senhor teu Amém.
Deus te ordenou, eles não mais
são considerados sem culpa à vis- CAPÍTULO 4
ta de Deus, a não ser que ajam
O rei Benjamim continua seu dis-
de acordo com as palavras que
curso — A salvação é concedida por
te disse.
causa da Expiação — Crede em Deus
23 E agora eu disse as palavras
para serdes salvos — Continuai fiéis
que o Senhor Deus me ordenou.
para conservardes a remissão de vos-
24 E assim diz o Senhor: Elas
sos pecados — Reparti vosso sustento
serão como resplandecente teste-
com os pobres — Fazei todas as coisas
munho contra os deste povo no
com sabedoria e ordem. Aproximada-
dia do julgamento; por elas serão
mente 124 a.C.
julgados, cada homem segundo
suas obras, sejam elas boas ou E então aconteceu que após ter
sejam más. dito as palavras que lhe haviam
25 E se forem más, eles serão sido transmitidas pelo anjo do Se-
condenados a uma a visão terrí- nhor, o rei Benjamim olhou para
vel de sua própria culpa e abo- a multidão ao redor e eis que ha-
minações, que os fará recuar da viam caído por terra, porque o
20 a D&C 3:16. b Mórm. 8:38. Misericordioso.
b GEE Obra Missionária. 26 a Mórm. 9:12. 27 a GEE Culpa.
21 a GEE Prestar Contas, b Gên. 3:1–12; b 2 Né. 9:16;
Responsabilidade, 2 Né. 2:15–19; Jacó 6:10;
Responsável. Al. 12:21–23. D&C 76:36.
25 a Al. 5:18; 12:14–15. c GEE Misericórdia,
175 MOSIAS 4:2–9
temor do Senhor se havia apo-
a 
agora em vós a consciência de
derado deles. vossa nulidade, e de vosso estado
2 E haviam visto a si mesmos indigno e decaído —
em seu estado a carnal, b menos 6 Digo-vos que se haveis adqui-
ainda que o pó da Terra. E todos rido a conhecimento da bondade
clamaram a uma só voz, dizendo: de Deus e de seu incomparável
Oh! Tende misericórdia e aplicai poder e de sua sabedoria e de sua
o sangue c expiatório de Cristo, paciência e de sua longanimidade
para que recebamos o perdão de para com os filhos dos homens;
nossos pecados e nosso coração e também da b expiação que foi
seja purificado; porque cremos preparada desde a c fundação do
em Jesus Cristo, o Filho de Deus, mundo, a fim de que, por ela, a
que d criou o céu e a Terra e todas salvação possa vir para aquele
as coisas; que descerá entre os fi- que puser sua d confiança no Se-
lhos dos homens. nhor e guardar diligentemente
3 E aconteceu que depois de ha- seus mandamentos e perseverar
verem pronunciado essas pala- na fé até o fim da vida, quero di-
vras, o Espírito do Senhor des- zer, a vida do corpo mortal —
ceu sobre eles e encheram-se de 7 Eu digo que esse é o homem
alegria, havendo recebido a a re- que recebe a salvação, por meio da
missão de seus pecados e tendo expiação que foi preparada desde
paz de b consciência, por causa a fundação do mundo para toda a
da profunda c fé que tinham em humanidade que existiu, desde a
Jesus Cristo que haveria de vir, a 
queda de Adão, ou que existe ou
de acordo com as palavras que o que existirá até o fim do mundo.
rei Benjamim lhes dissera. 8 E esse é o meio pelo qual é
4 E o rei Benjamim tornou a abrir concedida a salvação. E a não há
a boca e falou-lhes, dizendo: Meus qualquer outra salvação, a não ser
amigos e meus irmãos, minha esta que foi mencionada; tampou-
família e povo meu, quero nova- co há outras condições pelas quais
mente chamar a vossa atenção, o homem possa ser salvo, exceto
para que possais ouvir e enten- aquelas de que vos falei.
der o restante das palavras que 9 Acreditai em Deus; acreditai
vos direi. que ele existe e que criou todas
5 Pois eis que se o conhecimento as coisas, tanto no céu como na
da bondade de a Deus despertou Terra; acreditai que ele tem toda
4 1 a GEE Temor. b GEE Consciência. Hel. 12:1.
2 a GEE Carnal. c GEE Fé. GEE Confiança, Confiar.
b Hel. 12:7–8. 5 a Mois. 1:10. 7 a GEE Queda de Adão e
c Mos. 3:18; 6 a GEE Trindade. Eva.
Hel. 5:9. b GEE Expiação, Expiar. 8 a At. 4:12;
d GEE Criação, Criar. c Mos. 15:19. 2 Né. 31:21;
3 a GEE Remissão de d Salm. 36:7; Mos. 3:17.
Pecados. 2 Né. 22:2;
MOSIAS 4:10–16 176
a sabedoria e todo o poder, tanto
a 
12 E eis que vos digo que, se
no céu como na Terra; acreditai fizerdes isso, sempre vos regozi-
que o homem não b compreende jareis e estareis cheios do a amor
todas as coisas que o Senhor pode de Deus e b conservareis sempre
compreender. a remissão de vossos pecados;
10 E novamente, acreditai que e crescereis no conhecimento da
vos deveis a arrepender de vossos glória daquele que vos criou, ou
pecados e abandoná-los e humi- seja, no conhecimento daquilo que
lhar-vos diante de Deus; e pedir é justo e verdadeiro.
com sinceridade de coração que 13 E não tereis desejo de ferir-
ele vos b perdoe; e agora, se c acre- vos uns aos outros, mas, sim, de
ditais em todas estas coisas, vede viver em a paz e dar a cada um de
que as d façais. acordo com o que lhe é devido.
11 E digo-vos novamente, como 14 E não permitireis que vossos
disse antes, que, como haveis ad- a 
filhos andem famintos ou desnu-
quirido conhecimento da glória de dos; nem permitireis que transgri-
Deus, ou seja, se haveis conheci- dam as leis de Deus e b briguem
do sua bondade, a experimentado e disputem entre si e sirvam ao
seu amor e recebido a b remissão diabo, que é o mestre do pecado,
de vossos pecados, o que causa ou seja, que é o espírito mau de
tão grande alegria a vossa alma, quem nossos pais falaram, sendo
ainda assim quisera que vos lem- ele inimigo de toda retidão.
brásseis e sempre guardásseis na 15 a Ensiná-los-eis, porém, a b an-
memória a grandeza de Deus e darem nos caminhos da verdade
vossa própria c nulidade; e sua e da sobriedade; ensiná-los-eis a
d 
bondade e longanimidade para c 
amarem-se uns aos outros e a ser-
convosco, indignas criaturas; e virem-se uns aos outros.
que vos humilhásseis com a mais 16 E também, vós mesmos a so-
profunda e humildade, f invocando correreis os que necessitarem de
diariamente o nome do Senhor e vosso socorro; dareis de vossos
permanecendo firmes na fé na- bens aos necessitados e não permi-
quilo que está para vir e que foi tireis que o b mendigo vos peça em
anunciado pela boca do anjo. vão, afastando-o para que pereça.
9 a Rom. 11:33–34; d Êx. 34:6; Morô. 8:3. Contenda.
Jacó 4:8–13. e GEE Humildade, 15 a D&C 68:25–28;
b Isa. 55:9. Humilde, Humilhar. Mois. 6:58.
10 a GEE Arrepender-se, f GEE Oração. GEE Ensinar, Mestre.
Arrependimento. 12 a GEE Amor. b GEE Andar, Andar com
b D&C 61:2. b Mos. 4:26; Deus.
c Mt. 7:24–27. Al. 4:13–14; 5:26–35; c Mos. 18:21.
d 2 Né. 31:19–21. D&C 20:31–34. 16 a GEE Caridade;
11 a Al. 36:24–26. 13 a GEE Pacificador. Serviço.
b GEE Remissão de 14 a 1 Tim. 5:8; b Deut. 15:7–11;
Pecados. D&C 83:4. Prov. 21:13;
c Mois. 1:10. b GEE Contenção, Isa. 10:1–2.
177 MOSIAS 4:17–26
17  Talvez digais: O homem
a 
não deveríeis repartir os vossos
a 

trouxe sobre si sua miséria; por- bens uns com os outros!


tanto, deterei minha mão e não lhe 22 E se a julgais o homem que
darei do meu sustento nem repar- pede de vossos bens para não pe-
tirei com ele meus bens a fim de recer e o condenais, quanto mais
que ele não padeça, porque seus justa será a vossa condenação por
castigos são justos. b 
reterdes vossos bens, que não per-
18 Digo, porém, ó homem, que tencem a vós, mas a Deus, a quem
quem faz isto tem grande necessi- também vossa vida pertence; e,
dade de arrepender-se; e a menos contudo, nada pedis nem vos ar-
que se arrependa do que fez, pe- rependeis daquilo que haveis feito.
rece para sempre e não tem lugar 23 Digo-vos: Ai de tal homem,
no reino de Deus. porque os seus bens perecerão
19 Pois eis que não somos todos com ele! E agora digo estas coisas
mendigos? Não dependemos to- aos que são a ricos no que toca às
dos do mesmo Ser, sim, de Deus, coisas deste mundo.
para obter todos os bens que te- 24 E novamente digo aos pobres,
mos, tanto alimentos como ves- vós que não tendes e, ainda assim,
timentas e ouro e prata e todas tendes o suficiente para passar
as riquezas de toda espécie que de um dia para outro; refiro-me
possuímos? a todos vós, que negais ao men-
20 E eis que, mesmo agora, ha- digo porque não tendes; quisera
veis invocado seu nome e suplica- que dissésseis em vosso coração:
do a remissão de vossos pecados. Não dou porque não tenho, mas
E permitiu ele que pedísseis em se tivesse, a daria.
vão? Não; ele derramou sobre vós 25 E agora, se dizeis isto em vos-
o seu Espírito e fez com que se en- so coração, não sois culpados; do
chesse de a alegria o vosso coração contrário, sois a condenados e vos-
e fez com que se fechasse a vossa sa condenação será justa, porque
boca para que não vos pudésseis cobiçais aquilo que não haveis
exprimir, tão grande era a vossa recebido.
alegria. 26 E agora, por causa das coi-
21 Ora, se Deus, que vos criou, sas que vos disse — isto é, para
de quem depende vossa vida e conservardes a remissão de vos-
tudo o que tendes e sois, conce- sos pecados, dia a dia, a fim de
de-vos todas as coisas justas que que a andeis sem culpa diante de
pedis com fé, acreditando que re- Deus — quisera que b repartísseis
cebereis, oh! então, quanto mais vossos bens com os c pobres, cada
17 a Prov. 17:5. b 1 Jo. 3:17. Deus.
20 a GEE Alegria. 23 a D&C 56:16. b Jacó 2:17–19.
21 a GEE Bem-Estar; 24 a Mc. 12:44. c Zac. 7:10;
Serviço. 25 a D&C 56:17. Al. 1:27.
22 a Mt. 7:1–2; Jo. 7:24. 26 a GEE Andar, Andar com GEE Esmolas.
MOSIAS 4:27–5:4 178
um de acordo com o que possui, o fim de vossa vida, perecereis. E
d 
alimentando os famintos, vestin- agora, ó homem, lembra-te e não
do os nus, visitando os doentes e pereças.
aliviando-lhes os sofrimentos, tan-
to espiritual como materialmente, CAPÍTULO 5
conforme as carências deles.
Os santos tornam-se filhos e filhas de
27 E vede que todas estas coisas
Cristo por meio da fé — Passam a ser
sejam feitas com sabedoria e or-
chamados pelo nome de Cristo — O
dem; porque não se exige que o
rei Benjamim exorta-os a serem firmes
homem corra a mais rapidamente
e imutáveis nas boas obras. Aproxi-
do que suas forças o permitam.
madamente 124 a.C.
E, novamente, é necessário que
ele seja diligente, para que assim E então aconteceu que, tendo o
possa ganhar o galardão; portan- rei Benjamim assim falado a seu
to, todas as coisas devem ser feitas povo, mandou investigar se seu
em ordem. povo acreditara nas palavras que
28 E quisera que vos lembrásseis lhe dissera.
de que qualquer de vós que pedir 2 E todos clamaram a uma só
emprestado a seu vizinho deverá voz, dizendo: Sim, acreditamos
devolver aquilo que tomou em- em todas as palavras que nos dis-
prestado, de acordo com o que seste e também sabemos que são
combinou; pois do contrário co- certas e verdadeiras, por causa
meterá pecado e fará, talvez, com do Espírito do Senhor Onipotente
que seu vizinho também cometa que efetuou em nós, ou melhor,
pecado. em nosso coração, uma vigorosa
29 E finalmente, não vos posso a 
mudança, de modo que não te-
dizer todas as coisas pelas quais mos mais disposição para praticar
podeis cometer pecado; porque há o b mal, mas, sim, de fazer o bem
vários modos e meios, tantos que continuamente.
não os posso enumerar. 3 E também nós mesmos, pela
30 Isto, porém, posso dizer-vos: infinita bondade de Deus e ma-
se não a tomardes cuidado com vós nifestações de seu Espírito, temos
mesmos e vossos b pensamentos e grandes visões do que está por
vossas c palavras e vossas obras; e acontecer e, se fosse convenien-
se não observardes os mandamen- te, poderíamos profetizar sobre
tos de Deus nem continuardes todas as coisas.
tendo fé no que ouvistes concer- 4 E foi a fé que tivemos nas coi-
nente à vinda de nosso Senhor, até sas que nosso rei nos disse que
26 d Isa. 58:10–11; Vigiar. 5 2 a Al. 5:14.
D&C 104:17–18. b Mc. 7:18–23. GEE Nascer de Deus,
27 a D&C 10:4. GEE Pensamentos. Nascer de Novo.
30 a Al. 12:14. c Mt. 15:18–20. b Al. 19:33.
GEE Atalaia, Sentinela, GEE Profanidade.
179 MOSIAS 5:5–13
nos levou a este grande conheci- tomásseis sobre vós o nome de
d 

mento, pelo que nos regozijamos Cristo, todos vós que haveis feito
com tão grande alegria. convênio com Deus de serdes obe-
5 E estamos dispostos a fazer dientes até o fim de vossa vida.
um a convênio com nosso Deus, de 9 E acontecerá que aquele que fi-
cumprir a sua vontade e obedecer zer isto se encontrará à mão direi-
a seus mandamentos em todas as ta de Deus, porque saberá o nome
coisas que ele nos ordenar, para o pelo qual é chamado; porque será
resto de nossos dias, a fim de que chamado pelo nome de Cristo.
não recaia sobre nós um tormento 10 E então acontecerá que aque-
b 
sem fim, como foi anunciado pelo le que não tomar sobre si o nome
c 
anjo, e não bebamos do cálice da de Cristo deverá ser chamado por
ira de Deus. algum a outro nome; portanto, se
6 Ora, estas eram as palavras que encontrará à b mão esquerda de
o rei Benjamim esperava deles; Deus.
e, portanto, lhes disse: Dissestes 11 E quisera que também vos
as palavras que eu desejava; e o lembrásseis de que esse é o a nome
convênio que fizestes é um con- que eu disse que vos daria e que
vênio justo. nunca seria apagado, a menos
7 E agora, por causa do convê- que o fosse devido a transgres-
nio que fizestes, sereis chamados são; portanto, tomai cuidado para
a 
progênie de Cristo, filhos e filhas não transgredirdes, a fim de que
dele, porque eis que neste dia ele o nome não seja apagado de vos-
vos b gerou espiritualmente; pois so coração.
dizeis que vosso c coração se trans- 12 Digo-vos: Quisera que vos
formou pela fé em seu nome; por- lembrásseis de a conservar sempre
tanto, d nascestes dele e vos tornas- o nome escrito em vosso cora-
tes seus e filhos e suas filhas. ção, para que não vos encontreis à
8 E sob esse nome vós sois a li- mão esquerda de Deus, mas para
bertados e não há b qualquer outro que ouçais e conheçais a voz pela
nome por meio do qual podeis ser qual sereis chamados e também o
libertados. Não há qualquer outro nome pelo qual ele vos chamará.
c 
nome pelo qual seja concedida a 13 Pois como a conhece um ho-
salvação; quisera, portanto, que mem o mestre a quem não serviu
5 a Mos. 18:10. GEE Nascer de Deus, Al. 46:15.
b Mos. 3:25–27. Nascer de Novo. 10 a Al. 5:38–39.
c Mos. 3:2. e D&C 11:30. b Mt. 25:33.
7 a Mos. 27:24–26; 8 a Rom. 6:18; 11 a Mos. 1:11–12.
Mois. 6:64–68. Gál. 5:1; GEE Jesus Cristo —
GEE Filhos e Filhas de Hel. 14:30. Tomar sobre nós o
Deus. b At. 4:10, 12; nome de Jesus Cristo.
b GEE Gerar. Al. 21:9. 12 a D&C 18:23–25.
c GEE Coração. c Mos. 26:18. 13 a Mos. 26:24–27.
d Mos. 15:10–11. d At. 11:26;
MOSIAS 5:14–6:7 180
e que lhe é estranho e que está 2 E aconteceu que não houve
longe dos pensamentos e desíg- uma só alma, exceto as crianci-
nios de seu coração? nhas, que não tivesse feito con-
14 E ainda, toma alguém um ju- vênio e tomado sobre si o nome
mento que pertence a seu vizinho de Cristo.
e guarda-o? Digo-vos que não; 3 E novamente aconteceu que,
nem mesmo permitirá que paste havendo o rei Benjamim dado
com os seus rebanhos, mas ele irá por terminadas todas estas coisas
afugentá-lo e expulsá-lo. Digo-vos e consagrado seu filho a Mosias
que o mesmo acontecerá convos- como chefe e rei de seu povo e
co, se não souberdes o nome pelo passado a ele todas as funções do
qual sois chamados. reino e também b designado sacer-
15 Portanto, quisera que fôsseis dotes para c ensinar o povo, para
firmes e inamovíveis, sobejando que assim todos pudessem ouvir
sempre em boas obras, para que e conhecer os mandamentos de
Cristo, o Senhor Deus Onipoten- Deus e para fazê-los lembrar-se
te, possa a selar-vos como seus, a do d juramento que haviam feito,
fim de que sejais levados ao céu despediu a multidão; e voltaram,
e tenhais salvação sem fim e vida cada um com sua família, para
eterna por meio da sabedoria e suas próprias casas.
poder e justiça e misericórdia da- 4 E a Mosias começou a reinar em
quele que b criou todas as coisas no lugar de seu pai. E começou a rei-
céu e na Terra, que é Deus acima nar no seu trigésimo ano de vida,
de tudo. Amém. havendo transcorrido, ao todo,
cerca de quatrocentos e setenta e
CAPÍTULO 6 seis anos desde o b tempo em que
Leí deixara Jerusalém.
O rei Benjamim registra os nomes
5 E o rei Benjamim viveu três
das pessoas e designa sacerdotes para
anos e morreu.
ensiná-las — Mosias reina como um
6 E aconteceu que o rei Mosias
rei justo. Aproximadamente 124–
andou nos caminhos do Senhor, e
121 a.C.
observou os seus juízos e os seus
E então o rei Benjamim achou estatutos; e guardou os seus man-
que seria conveniente, depois damentos em todas as coisas que
de ter acabado de falar ao povo, ele lhe ordenou.
a 
anotar o nome de todos os que 7 E o rei Mosias fez com que
haviam feito convênio com Deus seu povo cultivasse a terra. E ele
de guardar seus mandamentos. próprio também cultivou a terra
15 a
GEE Chamado Al. 11:39. c Al. 4:7.
(Vocação) e Eleição; 6 1 a D&C 128:8. d Mos. 5:5–7.
Santificação. 3 a Mos. 1:10; 2:30. 4 a GEE Mosias, Filho do
b Col. 1:16; b GEE Ordenação, rei Benjamim.
Mos. 4:2; Ordenar. b 1 Né. 1:4.
181 MOSIAS 7:1–10
para que, assim, não se tornasse
a 
Zaraenla; e ele era também o seu
uma carga para seu povo, a fim chefe;
de agir em todas as coisas como 4 E não sabiam que rumo tomar
seu pai havia feito. E não houve no deserto para subir à terra de
contendas entre seu povo pelo Leí-Néfi; portanto, vagaram pelo
espaço de três anos. deserto por muitos dias, sim, por
quarenta dias eles vagaram.
CAPÍTULO 7 5 E depois de terem vagado du-
rante quarenta dias, chegaram
Amon descobre a terra de Leí-Néfi,
a uma colina que fica ao norte
onde Lími é rei — O povo de Lími
da terra de a Silom e ali armaram
está sob o jugo dos lamanitas —
suas tendas.
Lími relata a história deles — Um
6 E Amon tomou três de seus ir-
profeta (Abinádi) testificara que
mãos — e seus nomes eram Ama-
Cristo é o Deus e Pai de todas as coi-
léqui, Helém e Hem — e desceram
sas — Aqueles que semeiam imun-
para a terra de a Néfi.
dície colhem vendaval; e aqueles
7 E eis que encontraram o rei do
que põem sua confiança no Senhor
povo que vivia na terra de Néfi e
serão libertados. Aproximadamente
na terra de Silom; e foram cerca-
121 a.C.
dos pela guarda do rei e foram
Ora, aconteceu que depois de ha- presos e amarrados e foram pos-
ver o rei Mosias tido paz contínua tos na prisão.
pelo espaço de três anos, desejou 8 E aconteceu que depois de ha-
saber sobre o povo que a subira verem permanecido dois dias na
para habitar na terra de Leí-Né- prisão, foram novamente levados
fi, ou seja, na cidade de Leí-Néfi; à presença do rei e desamarrados.
porque seu povo nada soubera E ficaram diante do rei e foi-lhes
deles desde a época em que ha- permitido, ou melhor, ordenado
viam deixado a terra de b Zaraenla; que respondessem às perguntas
portanto, importunavam-no com que ele lhes faria.
sua insistência. 9 E ele disse-lhes: Eis que sou
2 E aconteceu que o rei Mosias a 
Lími, filho de Noé, que era filho
permitiu que dezesseis de seus de Zênife, que veio da terra de Za-
homens fortes subissem à terra de raenla para herdar esta terra, que
Leí-Néfi para inquirirem acerca de era a terra de seus pais; e que foi
seus irmãos. feito rei pela voz do povo.
3 E aconteceu que no dia seguin- 10 E agora desejo saber o moti-
te iniciaram a subir, tendo com vo pelo qual fostes tão corajosos
eles um certo Amon, homem for- a ponto de terdes chegado perto
te e poderoso, descendente de das muralhas da cidade, quando
7 a 2 Cor. 11:9. b Ômni 1:13. 6 a 2 Né. 5:8.
7 1 a Ômni 1:27–30. 5 a Mos. 9:6, 8, 14. 9 a Mos. 11:1.
MOSIAS 7:11–19 182
eu próprio me achava, com meus seremos seus escravos; porque é
guardas, fora da porta? melhor sermos escravos dos ne-
11 E então, por este motivo per- fitas do que pagarmos tributo ao
miti que fôsseis poupados, para rei dos lamanitas.
que eu vos pudesse interrogar, 16 E então o rei Lími ordenou a
pois do contrário eu teria feito seus guardas que não mais amar-
com que meus guardas vos matas- rassem Amon e seus irmãos, mas
sem. Tendes permissão para falar. fez com que fossem à colina que
12 E então, quando Amon viu se achava ao norte de Silom e
que tinha permissão para falar, trouxessem seus irmãos para a
adiantou-se e inclinou-se diante cidade, a fim de comerem e bebe-
do rei; e levantando-se novamen- rem e descansarem dos labores de
te, disse: Ó rei, sou muito grato a sua jornada; porque haviam sofri-
Deus, neste dia, por ainda estar do muitas coisas; haviam sofrido
vivo e ter permissão para falar; fome, sede e cansaço.
e procurarei expressar-me sem 17 E aconteceu que no dia se-
temor; guinte o rei Lími enviou uma pro-
13 Porque tenho certeza de que, clamação a todo o povo, para que
se soubésseis quem eu sou, não te- todos se reunissem no a templo e
ríeis permitido que eu fosse amar- ouvissem as palavras que lhes
rado. Porque eu sou Amon e sou iria dizer.
descendente de a Zaraenla; e vim 18 E aconteceu que quando es-
da terra de Zaraenla para inquirir tavam reunidos, falou-lhes desta
sobre nossos irmãos, a quem Zê- maneira, dizendo: Ó vós, povo
nife trouxe daquela terra. meu, levantai a cabeça e sede con-
14 E então aconteceu que após fortados; porque eis que o tempo
ter ouvido as palavras de Amon, está próximo, ou melhor, não mui-
Lími alegrou-se grandemente to distante, em que não estaremos
e disse: Agora tenho certeza de mais sujeitos a nossos inimigos,
que meus irmãos que se achavam apesar de nossas muitas lutas,
na terra de Zaraenla ainda estão que têm sido em vão; contudo,
vivos. E agora me regozijarei; e acredito que resta uma luta eficaz
amanhã farei com que meu povo a ser travada.
também se regozije. 19 Portanto, levantai a cabeça e
15 Pois eis que estamos sob o regozijai-vos e ponde vossa con-
jugo dos lamanitas e foi-nos a im- fiança em a Deus, naquele Deus
posto um tributo difícil de ser su- que foi o Deus de Abraão e Isa-
portado. E agora, eis que nossos que e Jacó; e também naquele
irmãos nos livrarão do cativeiro, Deus que b tirou os filhos de Israel
isto é, das mãos dos lamanitas, e da terra do Egito e fez com que
13 a Ômni 1:12–15. 17 a 2 Né. 5:16. b Êx. 12:40–41;
15 a Mos. 19:15. 19 a Êx. 3:6; 1 Né. 19:10. Al. 36:28.
183 MOSIAS 7:20–28
atravessassem o Mar Vermelho esta nossa aflição? Ora, eis que
em terra seca e alimentou-os com grande é a razão que temos para
c 
maná para que não perecessem lamentar-nos.
no deserto; e muitas outras coisas 24 Sim, digo-vos que grandes
fez por eles. são as razões que temos para la-
20 E ainda mais, esse mesmo mentar-nos; pois eis que quantos
Deus a tirou nossos pais da terra de de nossos irmãos foram mortos e
Jerusalém e guardou e preservou seu sangue derramado em vão;
seu povo até agora; e eis que foi e tudo por causa de iniquidade.
por causa de nossas iniquidades 25 Porque se este povo não hou-
e abominações que ele nos levou vesse caído em transgressão, o
à escravidão. Senhor não teria permitido que
21 E vós todos sois testemunhas, esse grande mal lhes sobrevies-
neste dia, de que Zênife, que foi se. Eis, porém, que não quiseram
feito rei deste povo, estando a ex- dar ouvidos às suas palavras; mas
tremamente ansioso para herdar surgiram contendas entre eles, a
a terra de seus pais, foi então en- tal ponto que derramaram sangue
ganado pela astúcia e estratagema entre eles.
do rei Lamã, que fez um tratado 26 E eles mataram um a profeta
com o rei Zênife e deixou em suas do Senhor; sim, um homem es-
mãos a posse de uma parte da ter- colhido de Deus, que lhes havia
ra, ou seja, a cidade de Leí-Néfi falado de suas iniquidades e abo-
e a cidade de Silom e a terra dos minações e profetizado muitas
arredores — coisas que hão de acontecer, sim,
22 E tudo isto ele fez com o úni- até mesmo a vinda de Cristo.
co fim de a subjugar, ou seja, de 27 E porque ele lhes disse que
escravizar este povo. E eis que, Cristo era o a Deus, o Pai de todas
presentemente, pagamos ao rei as coisas; e que tomaria sobre si
dos lamanitas tributo equivalente a imagem de homem, que seria
à metade de nosso milho e nos- a b imagem segundo a qual o ho-
sa cevada e mesmo de todos os mem fora criado no princípio; ou,
nossos grãos de toda espécie; e a em outras palavras, ele disse que
metade do acréscimo de nossos o homem fora criado à imagem de
rebanhos e manadas; e mesmo a c 
Deus e que Deus desceria entre
metade de tudo que temos ou que os filhos dos homens e tomaria
possuímos, o rei dos lamanitas sobre si carne e sangue e andaria
exige de nós, ou nossa vida. sobre a face da Terra —
23 E agora, não é doloroso ter 28 E então, por ter dito isso, ma-
de suportar isto? Não é grande taram-no; e muitas outras coisas
19 c Êx. 16:15, 35; 21 a Mos. 9:1–3. b Gên. 1:26–28;
Núm. 11:7–8; 22 a Mos. 10:18. Ét. 3:14–17;
Jos. 5:12. 26 a Mos. 17:12–20. D&C 20:17–18.
20 a 1 Né. 2:1–4. 27 a GEE Trindade. c Mos. 13:33–34; 15:1–4.
MOSIAS 7:29–8:7 184
fizeram que atraíram sobre si a ira E aconteceu que o rei Lími, de-
de Deus. Portanto, quem se admi- pois de haver acabado de falar a
ra de que estejam em cativeiro e seu povo, pois disse-lhes muitas
que sofram aflições? coisas, mas poucas são as que es-
29 Porque eis que o Senhor dis- crevi neste livro, tudo lhes contou
se: Não a socorrerei meu povo no sobre seus irmãos que estavam na
dia de sua transgressão, mas obs- terra de Zaraenla.
truirei seus caminhos para que 2 E fez com que Amon se apre-
não prosperem; e suas obras se- sentasse diante da multidão e con-
rão como pedra de tropeço dian- tasse tudo que havia acontecido a
te deles. seus irmãos, desde a ocasião em
30 E novamente ele diz: Se meu que Zênife deixara aquela terra
povo semear a imundície, b colherá até a época em que ele próprio
a palha no vendaval; e o seu efeito saíra de lá.
é veneno. 3 E ele também repetiu as últi-
31 E novamente ele diz: Se meu mas palavras que o rei Benjamim
povo semear imundície, colherá o lhes dirigira e explicou-as ao povo
a 
vento oriental, que traz destrui- do rei Lími, para que entendessem
ção imediata. todas as palavras que ele dissera.
32 E agora eis que a promessa 4 E aconteceu que depois de ha-
do Senhor foi cumprida e fostes ver feito tudo isto, o rei Lími des-
feridos e afligidos. pediu a multidão e fez com que
33 Se vos a voltardes para o Se- cada um voltasse para sua pró-
nhor com todo o coração e colo- pria casa.
cardes vossa confiança nele e o 5 E aconteceu que fez com que as
servirdes com toda diligência de placas que continham o a registro
vossa mente, se assim fizerdes ele de seu povo, desde o tempo em
vos livrará do cativeiro, de acor- que haviam deixado a terra de
do com a sua própria vontade e Zaraenla, fossem levadas a Amon
prazer. para que ele as lesse.
6 Ora, assim que Amon leu o
registro, perguntou-lhe o rei se
CAPÍTULO 8
podia interpretar línguas; e Amon
Amon ensina o povo de Lími — Toma disse-lhe que não.
conhecimento das vinte e quatro pla- 7 E disse-lhe o rei: Estando pesa-
cas jareditas — Registros antigos roso com as aflições de meu povo,
podem ser traduzidos por videntes — fiz com que quarenta e três ho-
Nenhum dom é maior do que a vi- mens de meu povo saíssem pelo
dência. Aproximadamente 121 a.C. deserto para procurar a terra de
29 a 1 Sam. 12:15; Imundo. 31 a Jer. 18:17; Mos. 12:6.
2 Crôn. 24:20. b Gál. 6:7–8; D&C 6:33. 33 a Mórm. 9:6.
30 a GEE Imundície, GEE Ceifa, Colheita. 8 5 a Mos. 9–22.
185 MOSIAS 8:8–17
Zaraenla, a fim de rogar a nossos remanescentes do povo que foi
irmãos que nos livrassem do ca- destruído, do qual vieram estes
tiveiro. registros; ou talvez nos deem in-
8 E ficaram perdidos no deser- formações sobre o próprio povo
to pelo espaço de muitos dias; que foi destruído; e desejo saber
e apesar de sua diligência não a causa de sua destruição.
encontraram a terra de Zaraen- 13 Ora, Amon disse-lhe: Posso
la, mas voltaram para cá depois indicar-te com segurança, ó rei,
de terem viajado por uma região um homem capaz de a traduzir
entre muitas águas e descober- os registros; porque possui algo
to uma terra coberta de ossos de com que pode olhar e traduzir
homens e de animais e também todos os registros da antiguida-
coberta de ruínas de edifícios de de; e é um dom de Deus. E esses
todo tipo, tendo descoberto uma objetos são chamados b intérpretes
terra que havia sido habitada por e nenhum homem os pode olhar,
um povo tão numeroso quanto as a menos que lhe seja ordenado,
hostes de Israel. para que não procure o que não
9 E como testemunho de que as deve e pereça. E quem quer que
coisas que disseram são verda- receba ordem para olhá-los é cha-
deiras, trouxeram a vinte e quatro mado c vidente.
placas cobertas de gravações; e 14 E eis que o rei do povo que
elas são de ouro puro. está na terra de Zaraenla é o ho-
10 E eis que também trouxeram mem que recebeu ordem para fa-
a 
couraças de grande tamanho; são zer estas coisas e que possui esse
de b latão e cobre e encontram-se grande dom de Deus.
em perfeito estado. 15 E o rei disse que um vidente
11 E ainda trouxeram espadas, é maior que um profeta.
cujos punhos se haviam estraga- 16 E Amon disse que um viden-
do e cujas lâminas estavam cor- te é também revelador e profeta;
roídas de ferrugem; e não há na e que não há dom maior que um
terra alguém capaz de interpretar homem possa ter, a não ser que
a língua, isto é, as gravações que possuísse o poder de Deus, que
estão nas placas. Foi por isso que ninguém pode possuir; contudo,
te perguntei: Podes traduzir? o homem pode receber grande
12 E torno a perguntar-te: Sa- poder de Deus.
bes de alguém que possa tra- 17 Um vidente, porém, pode sa-
duzir? Porque desejo que estes ber tanto de coisas passadas como
registros sejam traduzidos para de coisas futuras; e por meio de-
a nossa língua; pois talvez nos les todas as coisas serão revela-
possam dar informações sobre os das, ou seja, coisas secretas serão
9 a Ét. 1:1–2. b Ét. 10:23. b GEE Urim e Tumim.
10 a Ét. 15:15. 13 a Mos. 28:10–17. c GEE Vidente.
MOSIAS 8:18–9:2 186
manifestadas e coisas ocultas vi- libertados das mãos dos lama-
rão à luz; e darão a conhecer coi- nitas.
sas que não são conhecidas; e tam-
Abrange os capítulos 9 a 22.
bém manifestarão coisas que, de
outra maneira, não poderiam ser
conhecidas.
CAPÍTULO 9
18 Assim, Deus providenciou
um meio para que o homem, pela Zênife conduz um grupo de Zaraenla
fé, pudesse operar grandes mi- para ocupar a terra de Leí-Néfi — O
lagres; portanto, ele se torna um rei lamanita permite-lhes tomar posse
grande benefício para seus seme- da terra — Há guerra entre os lama-
lhantes. nitas e o povo de Zênife. Aproxima-
19 E então, quando Amon ter- damente 200–187 a.C.
minou de dizer essas palavras,
Eu, Zênife, havendo sido ensi-
o rei alegrou-se imensamente e
nado em todo o idioma dos nefi-
rendeu graças a Deus, dizendo:
tas e tendo tido conhecimento da
Sem dúvida estas placas contêm a 
terra de Néfi, ou seja, da terra da
um a grande mistério e estes intér-
primeira herança de nossos pais;
pretes foram, sem dúvida, prepa-
e havendo sido enviado como
rados com o fim de revelar todos
espião entre os lamanitas, a fim
esses mistérios aos filhos dos ho-
de espionar suas forças para que
mens.
nosso exército pudesse cair so-
20 Oh! Quão maravilhosas são
bre eles e destruí-los — quando
as obras do Senhor e por quan-
vi, porém, o que havia de bom
to tempo ele é tolerante com seu
entre eles, não mais desejei a sua
povo! Sim, e quão cego e impe-
destruição.
netrável é o entendimento dos
2 Portanto, discuti com meus ir-
filhos dos homens, porque não
mãos no deserto, porque desejava
procuram sabedoria nem desejam
que nosso chefe fizesse um trata-
que a ela os governe!
do com eles; sendo ele, porém,
21 Sim, eles são como um reba-
um homem rigoroso e sanguiná-
nho selvagem que foge do pastor
rio, ordenou que eu fosse morto;
e se dispersa; e é perseguido e
mas fui salvo com derramamen-
devorado pelas feras da floresta.
to de muito sangue; porque pai
lutou contra pai, e irmão contra
Registro de Zênife — Um relato irmão, até que a maior parte de
sobre seu povo, desde a ocasião nosso exército foi destruída no
em que deixaram a terra de Za- deserto; e nós, os que escapamos,
raenla até a época em que foram voltamos à terra de Zaraenla para
19 a Ét. 3:21–28; 4:4–5. no hebraico e no grego. 9 1 a 2 Né. 5:5–8;
20 a IE Sabedoria, Prov. 9:1; Ômni 1:12.
substantivo feminino Mt. 11:19.
187 MOSIAS 9:3–15
contar às suas esposas e filhos o espécie de frutas; e começamos
que sucedera. a multiplicar-nos e a prosperar
3 Contudo, estando eu extrema- na terra.
mente zeloso em herdar a terra de 10 Ora, foi por astúcia e malícia,
nossos pais, reuni todos os que a fim de a levar meu povo ao cati-
desejavam subir para ocupar a veiro, que o rei Lamã cedeu a terra
terra e reiniciamos nossa jornada para que a ocupássemos.
pelo deserto, para subirmos à ter- 11 Portanto, aconteceu que de-
ra; mas fomos atingidos pela fome pois de havermos habitado a ter-
e por duras aflições, porque éra- ra pelo espaço de doze anos, o rei
mos vagarosos para lembrar-nos Lamã começou a ficar inquieto,
do Senhor nosso Deus. temendo que meu povo de algum
4 Não obstante, depois de haver- modo se tornasse forte na terra,
mos vagado por muitos dias no não podendo mais ser dominado
deserto, armamos nossas tendas nem escravizado.
no lugar em que nossos irmãos 12 Ora, eles eram um povo pre-
haviam sido mortos, que ficava guiçoso e a idólatra; portanto, de-
perto da terra de nossos pais. sejavam escravizar-nos, para po-
5 E aconteceu que retornei à ci- derem fartar-se com o trabalho de
dade com quatro de meus homens nossas mãos; sim, para poderem
para ver o rei, a fim de conhecer a banquetear-se com os rebanhos
disposição do rei e saber se pode- de nossos campos.
ria ir com meu povo tomar posse 13 Portanto, aconteceu que o rei
da terra em paz. Lamã começou a instigar o seu
6 E fui ver o rei e ele fez um acor- povo a lutar contra o meu povo;
do comigo para que eu ocupasse portanto, começou a haver guer-
a terra de Leí-Néfi e a terra de ras e contendas naquela terra.
Silom. 14 Pois no décimo terceiro ano
7 E também ordenou que seu de meu reinado na terra de Néfi,
povo saísse da terra; e eu e meu ao sul da terra de Silom, estando
povo nela entramos para ocupá- os de meu povo a dar de beber
la. e a apascentar seus rebanhos e a
8 E começamos a construir edi- cultivar suas terras, uma nume-
fícios e a reparar os muros da ci- rosa hoste de lamanitas caiu so-
dade, sim, os muros da cidade bre eles e começou a matá-los e a
de Leí-Néfi e da cidade de Silom. levar seus rebanhos e o milho de
9 E começamos a cultivar o solo, seus campos.
sim, com toda espécie de semen- 15 Sim, e aconteceu que todos
tes: com sementes de milho e de os que não foram apanhados fu-
trigo e de cevada e com neas e giram para a cidade de Néfi e pe-
com seum e com sementes de toda diram minha proteção.
10 a Mos. 7:21–22. 12 a En. 1:20. GEE Idolatria.
MOSIAS 9:16–10:7 188
16 E aconteceu que eu os armei se fabricassem armas de guerra de
com arcos e com flechas, com es- toda espécie, para que assim eu
padas e com cimitarras e com cla- tivesse armas para o meu povo
vas e com fundas e com toda espé- quando os lamanitas subissem no-
cie de armas que nos foi possível vamente para guerrear meu povo.
inventar; e eu e meu povo saímos 2 E coloquei guardas em vários
para batalhar contra os lamanitas. pontos da região, para que os
17 Sim, com a força do Senhor lamanitas não voltassem a nos
saímos para batalhar contra os surpreender e destruíssem-nos; e
lamanitas; porque eu e meu povo assim protegi meu povo e meus
clamamos fervorosamente ao Se- rebanhos e evitei que caíssem nas
nhor para que nos livrasse das mãos de nossos inimigos.
mãos de nossos inimigos, porque 3 E aconteceu que habitamos a
nos veio à lembrança a libertação terra de nossos pais por muitos
de nossos pais. anos, sim, pelo espaço de vinte e
18 E Deus a ouviu nossos clamo- dois anos.
res e respondeu a nossas orações; 4 E fiz com que os homens culti-
e avançamos com a sua força; sim, vassem o solo e plantassem toda
avançamos contra os lamanitas e, espécie de a grãos e frutas de todo
em um dia e uma noite, matamos tipo.
três mil e quarenta e três; matamo- 5 E fiz com que as mulheres
los até expulsá-los de nossa terra. fiassem e labutassem e traba-
19 E eu mesmo, com minhas lhassem e tecessem toda espécie
próprias mãos, ajudei a enterrar de linho fino; sim, e a tecidos de
seus mortos. E eis que, para nossa toda espécie para cobrir nossa
grande tristeza e lamentação, du- nudez; e assim prosperamos na
zentos e setenta e nove de nossos terra — assim tivemos paz contí-
irmãos foram mortos. nua na terra pelo espaço de vinte
e dois anos.
CAPÍTULO 10 6 E aconteceu que morreu o rei
a 
Lamã e seu filho começou a rei-
Morre o rei Lamã — Seu povo é sel-
nar em seu lugar. E ele começou a
vagem e feroz e crê em falsas tradi-
incitar seu povo a rebelar-se con-
ções — Zênife e seu povo prevale-
tra meu povo; portanto, começa-
cem contra eles. Aproximadamente
ram a se preparar para a guerra e
187–160 a.C.
para lutar contra meu povo.
E aconteceu que novamente co- 7 Mas eu enviara meus espias a
meçamos a organizar o reino e vários lugares da terra de a Senlon,
novamente começamos a habitar para descobrir seus preparativos e
aquela terra em paz. E fiz com que assim poder proteger-me deles, a
18 a Mos. 29:20. 5 a Al. 1:29. 7 a Mos. 11:12.
10 4 a Mos. 9:9. 6 a Mos. 9:10–11; 24:3.
189 MOSIAS 10:8–16
fim de que não caíssem sobre meu na tradição de seus pais, que é
b 

povo e destruíssem-no. esta — Acreditavam que haviam


8 E aconteceu que eles vieram sido expulsos da terra de Jeru-
pelo norte da terra de Silom com salém por causa da iniquidade
suas numerosas hostes, homens de seus pais e que haviam sido
a 
armados com b arcos e com fle- injustiçados por seus irmãos no
chas e com espadas e com cimitar- deserto; e que também haviam
ras e com pedras e com fundas; e sido injustiçados enquanto atra-
tinham a cabeça rapada, de modo vessavam o mar;
que se mostravam desnudas; e es- 13 E também que haviam sido
tavam cingidos com um cinturão injustiçados na terra de sua a pri-
de couro ao redor dos lombos. meira herança, depois de have-
9 E aconteceu que fiz com que as rem atravessado o mar; e tudo
mulheres e crianças de meu povo isto porque Néfi havia sido mais
se escondessem no deserto; e fiz fiel na obediência aos mandamen-
também com que todos os meus tos do Senhor — Portanto, ele foi
homens idosos que pudessem pe- b 
favorecido pelo Senhor, pois o
gar em armas e também todos os Senhor ouviu suas orações e aten-
meus jovens que pudessem pe- deu-as; e ele tomou o comando da
gar em armas se reunissem para jornada no deserto.
batalhar contra os lamanitas; e 14 E seus irmãos enfureceram-se
coloquei-os em suas fileiras, cada com ele porque a não compreen-
homem segundo sua idade. diam a maneira de proceder do
10 E aconteceu que subimos para Senhor; também se b enfureceram
batalhar contra os lamanitas; e eu, com ele sobre as águas, porque
até eu, apesar da minha avança- endureceram o coração contra o
da idade, fui batalhar contra os Senhor.
lamanitas. E aconteceu que, com 15 E também se enfureceram
a a força do Senhor, subimos para com ele quando chegaram à ter-
batalhar. ra da promissão, porque diziam
11 Ora, os lamanitas nada sa- que ele tirara de suas mãos o
biam a respeito do Senhor nem a 
governo do povo; e procuraram
da força do Senhor; confiavam, matá-lo.
portanto, em sua própria força. 16 E também se enfureceram
Contudo, eram um povo forte com ele porque partiu para o de-
quanto à força dos homens. serto, como o Senhor lhe orde-
12 Eram um povo a selvagem, nara, e levou os a registros que
feroz e sanguinário, acreditando estavam gravados nas placas de
8 a Jar. 1:8. 12 a Al. 17:14. 14 a 1 Né. 15:7–11.
b Al. 3:4–5. b 2 Né. 5:1–3. b 1 Né. 18:10–11.
10 a GEE Confiança, 13 a 1 Né. 18:23. 15 a 2 Né. 5:3.
Confiar. b 1 Né. 17:35. 16 a 2 Né. 5:12.
MOSIAS 10:17–11:5 190
latão; porque diziam que ele os CAPÍTULO 11
havia b roubado.
O rei Noé governa iniquamente —
17 E assim ensinaram a seus fi-
Deleita-se numa vida devassa com
lhos que deveriam odiá-los e que
suas esposas e concubinas — Abi-
deveriam assassiná-los e que de-
nádi profetiza que o povo cairá em
veriam roubá-los e saqueá-los,
cativeiro — O rei Noé procura ti-
fazendo todo o possível para des-
rar-lhe a vida. Aproximadamente
truí-los; eles têm, portanto, um
160–150 a.C.
ódio eterno contra os filhos de
Néfi. E então aconteceu que Zênife
18 Por este motivo o rei Lamã, conferiu o reino a Noé, um de seus
com sua astúcia e malícia enga- filhos; portanto, Noé começou a
nadora e suas belas promessas, reinar em seu lugar; e ele não se-
enganou-me para que eu subisse guiu os caminhos de seu pai.
com meu povo a esta terra, a fim 2 Pois eis que não guardou os
de que eles o destruíssem; sim, mandamentos de Deus, mas se-
e temos sofrido todos estes anos guiu os desejos de seu próprio
na terra. coração. E teve muitas esposas e
19 E agora eu, Zênife, depois de a 
concubinas. E b levou o seu povo
dizer aos de meu povo todas estas a cometer pecados e a fazer o que
coisas a respeito dos lamanitas, es- era abominável aos olhos do Se-
timulei-os a batalhar com todas as nhor. Sim, e cometeram c liberti-
suas forças, confiando no Senhor; nagens e todo tipo de iniquidade.
portanto, lutamos com eles corpo 3 E estabeleceu um imposto de
a corpo. um quinto de tudo quanto pos-
20 E aconteceu que tornamos a suíam; a quinta parte de seu ouro
expulsá-los de nossa terra e mata- e de sua prata e a quinta parte de
mo-los numa grande carnificina, seu a zife e de seu cobre e de seu
tantos que não os contamos. latão e de seu ferro; e a quinta
21 E aconteceu que voltamos parte de seus rebanhos; e tam-
para nossa própria terra e meu bém a quinta parte de todos os
povo começou novamente a cui- seus grãos.
dar de seus rebanhos e a cultivar 4 E tomava tudo isto para sus-
suas terras. tentar a si mesmo e às suas espo-
22 E agora eu, estando velho, sas e suas concubinas; e também
conferi o reino a um de meus fi- seus sacerdotes, as esposas e as
lhos; portanto, nada mais digo. concubinas deles; assim, havia
E que o Senhor abençoe o meu modificado os negócios do reino.
povo. Amém. 5  Pois destituiu todos os
16 b Al. 20:10, 13. c 2 Né. 28:15. verbo — “revestir” ou
11 2 a Jacó 3:5. 3 a HEB palavras “laminar com metal.”
b 1 Re. 14:15–16; relacionadas:
Mos. 29:31. adjetivo — “brilhante”;
191 MOSIAS 11:6–17
sacerdotes que haviam sido consa- braços enquanto falavam a seu
grados por seu pai e em seu lugar povo palavras falsas e vãs.
consagrou novos, os quais tinham 12 E aconteceu que ele construiu
o coração cheio de orgulho. uma a torre perto do templo; sim,
6 Sim, e desta maneira eram sus- uma torre muito alta, tão alta que
tentados, em sua indolência e em ele, do seu topo, podia ver a ter-
sua idolatria e em suas libertina- ra de Silom e também a terra de
gens, pelos tributos que o rei Noé Senlon, que estava em poder dos
impusera a seu povo; assim, o lamanitas; e podia ver até mesmo
povo trabalhava muito para sus- toda a região circunvizinha.
tentar a iniquidade. 13  E aconteceu que mandou
7 Sim, e eles também se torna- construir muitos edifícios na ter-
ram idólatras, porque foram en- ra de Silom; e fez com que se cons-
ganados pelas palavras vãs e li- truísse uma grande torre na colina
sonjeiras do rei e dos sacerdotes; que ficava ao norte da terra de
pois diziam-lhes coisas lisonjeiras. Silom, onde os filhos de Néfi se
8 E aconteceu que o rei Noé cons- haviam refugiado na ocasião em
truiu muitos edifícios elegantes e que fugiram da terra; e isso fez
espaçosos; e ornamentou-os com com as riquezas que obteve com
belos trabalhos de madeira e com os impostos de seu povo.
toda espécie de coisas preciosas 14 E aconteceu que entregou o
de ouro e de prata e de ferro e de coração às suas riquezas, e pas-
latão e de zife e de cobre; sava o tempo numa vida de-
9 E também construiu para si vassa com suas esposas e suas
mesmo um espaçoso palácio com concubinas; e também seus sacer-
um trono no centro, tudo feito dotes passavam seu tempo com
de madeira nobre e ornamen- meretrizes.
tado com ouro e prata e coisas 15 E aconteceu que plantou vi-
preciosas. nhas pela terra; e construiu laga-
10 E também fez com que seus res e fez vinho em abundância; e
artífices executassem toda espécie tornou-se, portanto, um a bebedor
de obras finas, de madeira fina e de vinho, assim como seu povo.
de cobre e de latão, dentro das 16 E aconteceu que os lamani-
paredes do templo. tas começaram a investir contra
11 E os assentos reservados aos o seu povo, atacando pequenos
sumos sacerdotes, que ficavam grupos, e a matá-los em seus cam-
acima de todos os outros assen- pos e enquanto cuidavam de seus
tos, ele ornamentou com ouro rebanhos.
puro; e fez construir um para- 17 E o rei Noé espalhou guar-
peito a sua frente, para que pu- das pela terra, para contê-los;
dessem descansar o corpo e os não enviou, porém, um número
12 a Mos. 19:5–6. 15 a GEE Palavra de Sabedoria.
MOSIAS 11:18–28 192
suficiente, e os lamanitas caíram nas mãos de seus inimigos; sim, e
sobre eles e mataram-nos e leva- cairão em a cativeiro; e serão afli-
ram muitos de seus rebanhos para gidos pela mão de seus inimigos.
fora da terra; assim os lamanitas 22 E acontecerá que saberão que
começaram a destruí-los e a exer- eu sou o Senhor seu Deus e sou
cer seu ódio contra eles. um Deus a zeloso, castigando as
18 E aconteceu que o rei Noé iniquidades de meu povo.
enviou seus exércitos contra eles 23 E acontecerá que se este povo
e eles foram rechaçados, ou me- não se arrepender e não se voltar
lhor, fizeram com que retrocedes- para o Senhor seu Deus, cairá em
sem por algum tempo; voltaram, cativeiro; e ninguém os livrará, a
portanto, regozijando-se por seus não ser o Senhor, o Deus Todo-
despojos. Poderoso.
19 E então, por causa desta gran- 24 Sim, e acontecerá que quando
de vitória, encheram o coração de clamarem a mim, serei a vagaroso
orgulho; vangloriaram-se da pró- em ouvir seus clamores; sim, e
pria força, dizendo que cinquenta permitirei que sejam feridos por
dos seus podiam com milhares de seus inimigos.
lamanitas; e assim se a vangloria- 25 E a menos que se arrependam
vam e deleitavam-se com sangue com saco e cinzas e clamem vee-
e com o derramamento do sangue mentemente ao Senhor seu Deus,
de seus irmãos; e isto por causa não a ouvirei suas orações nem os
da iniquidade de seu rei e de seus livrarei de suas aflições; e assim
sacerdotes. diz o Senhor e assim me ordenou.
20 E aconteceu que existia entre 26 Ora, aconteceu que quando
eles um homem cujo nome era Abinádi lhes disse estas palavras,
a 
Abinádi; e ele começou a profe- enfureceram-se com ele e procura-
tizar no meio deles, dizendo: Eis ram tirar-lhe a vida; mas o Senhor
que assim diz o Senhor e assim livrou-o das mãos deles.
me ordenou, dizendo: Vai e dize a 27 Ora, quando o rei Noé soube
este povo: Assim diz o Senhor — das palavras que Abinádi dissera
Ai deste povo! Porque vi suas ao povo, também ficou irado; e
abominações e sua iniquidade e disse: Quem é Abinádi, para que
suas fornicações; e a não ser que eu e meu povo sejamos julgados
se arrependam, visitá-los-ei com por ele, ou a quem é o Senhor, para
minha ira. trazer sobre o meu povo tão gran-
21 E a menos que se arrepen- de aflição?
dam e voltem-se para o Senhor 28 Ordeno-vos trazer-me Abi-
seu Deus, eis que eu os entregarei nádi para que eu o mate, porque
19 a D&C 3:4. 21:13–15; 23:21–23. 24 a Miq. 3:4;
GEE Orgulho. 22 a Êx. 20:5; Mos. 21:15.
20 a GEE Abinádi. Deut. 6:15; 25 a Isa. 1:15; 59:2.
21 a Mos. 12:2; 20:21; Mos. 13:13. 27 a Êx. 5:2; Mos. 12:13.
193 MOSIAS 11:29–12:8
disse estas coisas para incitar meu Senhor disse-me: Estende a mão
povo à ira, uns contra os outros, e e profetiza, dizendo: Assim diz o
para causar contendas entre meu Senhor: Acontecerá que esta ge-
povo; portanto, eu o matarei. ração, por causa de suas iniqui-
29 Ora, os olhos do povo esta- dades, cairá em a cativeiro e será
vam a cegos; portanto, b endurece- ferida na b face; sim, e será recha-
ram o coração contra as palavras çada pelos homens e será morta;
de Abinádi e, a partir daquele e os abutres do ar e os cães, sim,
momento, procuraram prendê-lo. e os animais selvagens devorar-
E o rei Noé endureceu o coração lhe-ão a carne.
contra a palavra do Senhor e não 3 E acontecerá que a a vida do
se arrependeu de suas más obras. rei Noé valerá tanto quanto uma
vestimenta numa b fornalha quen-
CAPÍTULO 12 te; pois ele saberá que eu sou o
Senhor.
Abinádi é aprisionado por profetizar
4 E acontecerá que ferirei este
a destruição do povo e a morte do rei
meu povo com grandes aflições,
Noé — Os falsos sacerdotes citam as
sim, com fome e com a peste; e
escrituras e alegam guardar a lei de
farei com que b uive o dia inteiro.
Moisés — Abinádi começa a ensinar-
5 Sim, e farei com que a cargas pe-
lhes os Dez Mandamentos. Aproxi-
sadas sejam amarradas sobre seus
madamente 148 a.C.
lombos; e eles serão conduzidos
E aconteceu que, passados dois como um jumento mudo.
anos, Abinádi voltou para o meio 6 E acontecerá que enviarei gra-
deles disfarçado, de modo que nizo entre eles, que os ferirá; e
não o reconheceram, e começou a também serão feridos com o a ven-
profetizar entre eles, dizendo: As- to oriental; e b insetos também in-
sim me ordenou o Senhor, dizen- festarão suas terras e devorarão
do: Abinádi, vai e profetiza a este seus grãos.
meu povo, porque endureceram 7 E serão feridos com uma gran-
o coração contra as minhas pala- de peste — e tudo isto farei por
vras; eles não se arrependeram de causa de suas a iniquidades e abo-
suas más obras; portanto, a visitá- minações.
los-ei com minha ira, sim, com 8 E acontecerá que, a menos que
minha furiosa ira visitá-los-ei em se arrependam, eu os a destruirei
suas iniquidades e abominações. completamente da face da Terra;
2  Sim, ai desta geração! E o contudo, deixarão um b registro
29 a Mois. 4:4. b Mos. 21:3–4. 6 a Jer. 18:17;
b Al. 33:20; 3 a Mos. 12:10. Mos. 7:31.
Ét. 11:13. b Mos. 19:20. b Êx. 10:1–12.
12 1 a Isa. 65:6. 4 a D&C 97:26. 7 a D&C 3:18.
2 a Mos. 11:21; 20:21; b Mos. 21:9–10. 8 a Al. 45:9–14.
21:13–15; 23:21–23. 5 a Mos. 21:3. b Mórm. 8:14–16.
MOSIAS 12:9–21 194
atrás de si, o qual preservarei mentiu a teu respeito e profetizou
para outras nações que vierem a em vão.
ocupar a terra; sim, e até isto eu 15 E eis que somos fortes e não
farei para mostrar a outras na- seremos escravizados nem sere-
ções as iniquidades deste povo. E mos aprisionados por nossos ini-
muitas coisas profetizou Abinádi migos; sim, e prosperaste nesta
contra esse povo. terra e continuarás a prosperar.
9 E aconteceu que se zangaram 16 Eis que aqui está o homem;
com ele; e prenderam-no e leva- nós o entregamos em tuas mãos;
ram-no amarrado perante o rei e podes fazer com ele o que bem
disseram ao rei: Eis que te trouxe- entenderes.
mos um homem que profetizou 17 E aconteceu que o rei Noé
infortúnios concernentes a teu mandou que pusessem Abiná-
povo e disse que Deus o destruirá. di na prisão; e ordenou aos a sa-
10 E ele também profetiza infor- cerdotes que se reunissem para
túnios concernentes a tua vida e formarem com ele um conse-
diz que tua vida será semelhante lho e resolverem o que fazer
a uma vestimenta numa fornalha com ele.
de fogo. 18 E aconteceu que disseram ao
11 E diz ainda que serás como rei: Traze-o aqui, para que o inter-
um talo, como um talo seco do roguemos; e o rei ordenou que o
campo, que é pisado pelos ani- levassem à presença deles.
mais e calcado com os pés. 19 E começaram a interrogá-lo,
12 E acrescentou que tu serás com o fim de fazê-lo cair em con-
como a flor do cardo que, quando tradição, para assim terem de que
está plenamente desabrochada, se acusá-lo; ele, porém, respondeu-
o vento sopra, é levada pela face lhes arrojadamente e fez frente a
da terra. E alega que o Senhor o todas as suas perguntas, sim para
disse. E afirma que tudo isso re- espanto deles; pois a fez frente a
cairá sobre ti, a menos que te ar- eles em todas as suas perguntas
rependas; e isto por causa de tua e confundiu-os em todas as suas
iniquidade. palavras.
13 E agora, ó rei, que grande mal 20 E aconteceu que um deles lhe
fizeste ou que grandes pecados disse: Que significam as palavras
cometeu o teu povo, para que se- que foram escritas e ensinadas por
jamos condenados por Deus ou nossos pais e que dizem:
julgados por este homem? 21 a Quão belos são sobre os mon-
14 E agora, ó rei, eis que so- tes os pés do que anuncia boas
mos inocentes e tu, ó rei, não novas, que proclama a paz, que
pecaste; portanto, este homem anuncia o bem, que proclama a
17 a Mos. 11:11. 21 a Isa. 52:7–10;
19 a D&C 100:5–6. Naum 1:15.
195 MOSIAS 12:22–37
salvação; que diz a Sião: O teu gastais vossa energia com mere-
Deus reina! trizes, sim, e fazeis com que este
22 Tuas sentinelas levantarão a povo cometa pecados, dando mo-
voz; em uníssono cantarão; por- tivo ao Senhor para enviar-me,
que verão olho a olho quando o a fim de profetizar contra este
Senhor trouxer novamente Sião; povo, sim, um grande mal contra
23 Exultai de alegria! Cantai em este povo?
coro, ó lugares desolados de Jeru- 30 Não sabeis que digo a verda-
salém! Pois o Senhor confortou de? Sim, sabeis que digo a ver-
seu povo, ele redimiu Jerusalém; dade e deveríeis tremer diante
24 O Senhor desnudou seu santo de Deus.
a 
braço aos olhos de todas as na- 31 E acontecerá que sereis feri-
ções e todos os confins da Terra dos por vossas iniquidades, pois
verão a salvação de nosso Deus? haveis dito que ensinais a lei de
25 Disse-lhes então Abinádi: Sois Moisés. E que sabeis vós sobre a
vós a sacerdotes e alegais ensinar lei de Moisés? a Traz a lei de Moi-
este povo e entender o espírito de sés a salvação? Que dizeis vós?
profecia e, não obstante, desejais 32 E responderam-lhe, dizendo
que eu vos explique o que signi- que a salvação era obtida pela lei
ficam estas coisas? de Moisés.
26 Digo-vos: Ai de vós por per- 33 Abinádi, porém, disse-lhes:
verterdes os caminhos do Senhor! Sei que, se guardardes os man-
Pois, se entendeis estas coisas, não damentos de Deus, sereis salvos;
as haveis ensinado; portanto, ha- sim, se guardardes os mandamen-
veis pervertido os caminhos do tos que o Senhor entregou a Moi-
Senhor. sés no monte a Sinai, dizendo:
27 Não haveis aplicado vosso 34  a Eu sou o Senhor teu Deus
coração para a compreender; por- que te b tirei da terra do Egito, da
tanto, não haveis sido sábios. O casa da servidão.
que, pois, ensinais a este povo? 35 Não terás a outro Deus diante
28 E eles disseram: Ensinamos a de mim.
lei de Moisés. 36 Não farás para ti imagem de
29 E ele tornou a dizer-lhes: Se escultura, nem alguma semelhan-
ensinais a a lei de Moisés, por que ça do que há em cima nos céus
não a guardais? Por que pondes nem embaixo na Terra.
vosso coração nas riquezas? Por 37 E disse-lhes Abinádi: Haveis
que cometeis b libertinagens e vós feito tudo isto? Digo-vos que
24 a 1 Né. 22:11. 31 a Mos. 3:15; 13:27–32; 1 Né. 17:40;
25 a Mos. 11:5. Al. 25:16. Mos. 7:19.
27 a GEE Compreensão, 33 a Êx. 19:9, 16–20; 35 a Ose. 13:4.
Entendimento. Mos. 13:5. GEE Idolatria.
29 a GEE Lei de Moisés. 34 a Êx. 20:2–4.
b GEE Adultério. b Êx. 12:51;
MOSIAS 13:1–12 196
não, não haveis. E haveis ensi-
a 
se atreveu a deitar-lhe as mãos,
nado a este povo que deve fazer porque o Espírito do Senhor esta-
todas estas coisas? Digo-vos que va sobre ele; e seu rosto a resplan-
não, não haveis. decia com extraordinário brilho,
como o de Moisés no monte Sinai
CAPÍTULO 13 enquanto falava com o Senhor.
6 E falou com o a poder e a auto-
Abinádi é protegido pelo poder divi-
ridade de Deus; e continuou suas
no — Ele ensina os Dez Mandamen-
palavras, dizendo:
tos — Não se alcança a salvação ape-
7 Vedes que não tendes poder
nas pela lei de Moisés — O próprio
para matar-me, portanto, termino
Deus fará uma expiação e redimirá o
a minha mensagem. Sim, e perce-
Seu povo. Aproximadamente 148 a.C.
bo que ela vos a atinge profunda-
E então, quando o rei ouviu estas mente, porque vos digo a verdade
palavras, disse a seus sacerdotes: sobre vossas iniquidades.
Tirai este homem daqui e matai-o, 8 Sim, e minhas palavras en-
pois o que temos nós a ver com chem-vos de admiração e de es-
ele? Ele é louco! panto e de ira.
2 E eles avançaram e procura- 9 Termino, porém, a minha men-
ram deitar-lhe as mãos; mas ele sagem; e agora não importa aonde
resistiu, dizendo: eu vá, contanto que eu seja salvo.
3 Não me toqueis, pois Deus fe- 10 Mas isto vos digo: O que fi-
rir-vos-á se deitardes as mãos em zerdes comigo, depois disto, será
mim, porque ainda não transmi- como um a símbolo e uma repre-
ti a mensagem que o Senhor me sentação de coisas que estão para
ordenou que transmitisse; nem vir.
tampouco vos disse aquilo que 11 E agora vos lerei o restante
a 
pedistes que vos dissesse; por- dos a mandamentos de Deus, pois
tanto, Deus não permitirá que eu percebo que não estão escritos
seja destruído neste momento. em vosso coração; percebo que
4 Devo, porém, cumprir os man- haveis estudado e ensinado ini-
damentos que Deus me deu; e por quidade durante a maior parte
eu ter dito a verdade, estais irados de vossa vida.
contra mim. E também, por ter 12 E agora, lembrai-vos de que
transmitido a palavra de Deus, eu vos disse: Não farás para ti
julgais que sou louco. imagem de escultura nem alguma
5 Ora, aconteceu que depois de semelhança do que há em cima
Abinádi haver pronunciado estas nos céus nem embaixo na Terra
palavras, o povo do rei Noé não nem nas águas debaixo da terra.
37 a Mos. 13:25–26. 6 a GEE Poder. Al. 25:10.
13 3 a Mos. 12:20–24. 7 a 1 Né. 16:2. 11 a Êx. 20:1–17.
5 a Êx. 34:29–35. 10 a Mos. 17:13–19;
197 MOSIAS 13:13–29
13 E também: Não te encurvarás 23 Não dirás falso testemunho
a 

a elas nem as servirás; porque eu, o contra o teu próximo.


Senhor teu Deus, sou um Deus ze- 24 Não a cobiçarás a casa do teu
loso, que visito a maldade dos pais próximo, não cobiçarás a mulher
nos filhos até a terceira e quarta do teu próximo nem o seu servo
geração daqueles que me odeiam; nem a sua serva nem o seu boi
14 E faço misericórdia a milhares nem o seu jumento nem coisa al-
dos que me amam e guardam os guma do teu próximo.
meus mandamentos. 25 E aconteceu que depois de
15  Não tomarás o nome do Abinádi dizer estas coisas, per-
Senhor teu Deus em vão; porque guntou-lhes: Haveis ensinado a
o Senhor não terá por inocente o este povo que deve procurar fazer
que tomar o seu nome em vão. todas estas coisas, a fim de guar-
16 Lembra-te do dia do a sábado, dar estes mandamentos?
para o santificar. 26 Digo-vos que não, pois, se
17 Seis dias trabalharás e farás o houvésseis feito, o Senhor não
toda a tua obra; me haveria enviado para profe-
18 Mas o sétimo dia é o sábado tizar infortúnios concernentes a
do Senhor teu Deus; não farás ne- este povo.
nhuma obra, nem tu nem teu filho 27 E agora, dissestes que a sal-
nem tua filha nem o teu servo nem vação se alcança pela lei de Moi-
a tua serva nem o teu animal nem sés. Digo-vos que ainda é preciso
o teu estrangeiro que está dentro que guardeis a a lei de Moisés; mas
das tuas portas; digo-vos que chegará o tempo
19 Porque em a seis dias fez o em que b não mais será necessário
Senhor os céus e a Terra e o mar guardar a lei de Moisés.
e tudo o que neles há; portanto, 28 E digo-vos mais ainda, que a
abençoou o Senhor o dia do sá- a 
salvação não se alcança somente
bado e santificou-o. pela b lei; e se não fosse pela c expia-
20 a Honra a teu pai e a tua mãe, ção que o próprio Deus fará pelos
para que se prolonguem os teus pecados e iniquidades dos de seu
dias na terra que o Senhor teu povo, eles inevitavelmente pere-
Deus te dá. ceriam, apesar da lei de Moisés.
21 Não a matarás. 29 E agora vos digo que foi ne-
22 Não cometerás a adultério. cessário dar uma lei aos filhos de
Não b furtarás. Israel, sim, uma lei muito a severa;
16 a GEE Dia do Sábado b GEE Roubar, Roubo. Redimido, Redimir;
(Dia de Descanso). 23 a Prov. 24:28. Salvação.
19 a Gên. 1:31. GEE Mentir, Mentiroso. b Gál. 2:21;
20 a Mc. 7:10. 24 a GEE Cobiçar. Mos. 3:14–15;
21 a Mt. 5:21–22; 27 a GEE Lei de Moisés. Al. 25:15–16.
D&C 42:18. b 3 Né. 9:19–20; 15:4–5. c GEE Expiação, Expiar.
GEE Homicídio. 28 a Gál. 2:16. 29 a Jos. 1:7–8.
22 a GEE Adultério. GEE Redenção,
MOSIAS 13:30–14:5 198
porque eram um povo obstinado, ele próprio seria oprimido e
b 
rápido para cometer iniquidade afligido?
e vagaroso para lembrar-se do
Senhor seu Deus. CAPÍTULO 14
30 Portanto, uma a lei lhes foi
Isaías fala sobre o Messias — Mencio-
dada, sim, uma lei de ritos e de
na-se a humilhação e os sofrimentos
b 
ordenanças, uma lei que deve-
do Messias — Ele faz de Sua alma
riam c observar rigorosamente,
uma oferta pelo pecado e intercede pe-
dia a dia, para conservarem viva
los transgressores — Comparar com
a lembrança de Deus e de seu de-
Isaías 53. Aproximadamente 148 a.C.
ver para com ele.
31 Mas eis que vos digo que to- Sim, e não diz Isaías: Quem acre-
das essas coisas eram a símbolos ditou em nossas palavras e a
de coisas futuras. quem se manifestou o braço do
32 Ora, entendiam eles a lei? Di- Senhor?
go-vos que não; nem todos en- 2 Porque crescerá diante dele
tendiam a lei; e isso por causa da como uma planta tenra e como
dureza de seu coração; porque uma raiz de terra seca; não há nele
não compreendiam que ninguém forma nem formosura; e quando o
poderia ser salvo, a a não ser pela virmos, não acharemos nele bele-
redenção de Deus. za para que o desejemos.
33 Pois eis que não lhes profe- 3 Ele é desprezado e rejeitado
tizou Moisés acerca da vinda do pelos homens; homem de dores e
Messias e que Deus redimiria o experimentado em padecimentos;
seu povo? Sim, e mesmo a todos os e foi como se escondêssemos dele
profetas que profetizaram desde o nosso rosto; foi desprezado e não
princípio do mundo — não fala- fizemos caso dele.
ram eles mais ou menos a respeito 4 Certamente ele a tomou sobre
destas coisas? si nossas b dores e carregou nos-
34 Não disseram eles que o pró- sos pesares; no entanto, reputa-
prio a Deus desceria entre os filhos mo-lo por aflito, ferido por Deus
dos homens e tomaria a forma de e oprimido.
homem e andaria com grande po- 5 Mas foi ferido pelas nossas
der sobre a face da Terra? a 
transgressões, moído pelas nos-
35  Sim, e não disseram tam- sas iniquidades; o castigo de nossa
bém que ele proporcionaria a paz estava sobre ele e pelas suas
a 
ressurreição aos mortos e que feridas somos b curados.
29 b Al. 46:8. GEE Simbolismo. 35 a Isa. 26:19;
30 a Êx. 20. 32 a 2 Né. 25:23–25. 2 Né. 2:8.
b GEE Ordenanças. 33 a 1 Né. 10:5; 14 4 a Al. 7:11–12.
c Jacó 4:5. Jacó 4:4; 7:11. b Mt. 8:17.
31 a Mos. 16:14; 34 a Mos. 7:27; 15:1–3. 5 a Mos. 15:9; Al. 11:40.
Al. 25:15. GEE Trindade. b 1 Ped. 2:24–25.
199 MOSIAS 14:6–15:4
6 Todos nós andamos desgarra- poderosos ele repartirá os despo-
dos como a ovelhas; cada um se jos; porquanto derramou sua alma
desviou por seu próprio caminho; até a morte e foi contado com os
e o Senhor pôs sobre ele as iniqui- transgressores; tomou sobre si os
dades de todos nós. pecados de muitos e a intercedeu
7 Ele foi oprimido e a ele foi afli- pelos transgressores.
gido, mas não abriu a boca; como
um b cordeiro foi levado ao mata- CAPÍTULO 15
douro e, como a ovelha permane-
Como Cristo é tanto o Pai como o Fi-
ce muda perante seus tosquiado-
lho — Ele intercederá por Seu povo e
res, também ele não abriu a boca.
tomará sobre Si as transgressões de-
8 Da prisão e do julgamento foi
les — Eles e todos os santos profetas
tirado; e quem declarará sua gera-
são Sua semente — Ele efetua a Res-
ção? Porque foi arrancado da terra
surreição — As criancinhas têm vida
dos viventes; pelas transgressões
eterna. Aproximadamente 148 a.C.
de meu povo foi ferido.
9 E ele fez a sua sepultura com o E então Abinádi lhes disse: Qui-
ímpio e com o a rico na sua morte; sera que compreendêsseis que o
porquanto nunca fez b mal nem próprio a Deus descerá entre os fi-
houve engano na sua boca. lhos dos homens e b redimirá seu
10 Todavia ao Senhor agradou povo.
feri-lo; fê-lo sofrer; quando tu fi- 2 E porque ele a habita na carne,
zeres de sua alma uma oferta pelo será chamado o Filho de Deus; e
pecado ele verá sua a semente, ele havendo sujeitado a carne à von-
prolongará seus dias e o prazer do tade do Pai, sendo o b Pai e o Fi-
Senhor prosperará em sua mão. lho —
11 Verá a agonia de sua alma e 3 O Pai, a porque foi b concebido
ficará satisfeito; pelo seu conheci- pelo poder de Deus; e o Filho, por
mento o meu servo justo a muitos causa da carne; tornando-se assim
justificará, porque a tomará sobre o Pai e o Filho —
si as iniquidades deles. 4 E eles são a um Deus, sim, o
12  Portanto, dar-lhe-ei uma próprio b Pai c Eterno do céu e da
porção com os grandes e com os Terra.
6 a Mt. 9:36; 2 Né. 28:14; 1 Ped. 3:18; Jo. 10:30; 14:8–10;
Al. 5:37. D&C 19:16–19. Mos. 5:7; Al. 11:38–39;
7 a Mc. 15:3. 12 a 2 Né. 2:9; Mos. 15:8; Ét. 3:14.
GEE Jesus Cristo. Morô. 7:27–28. 3 a D&C 93:4.
b GEE Cordeiro de Deus; 15 1 a 1 Tim. 3:16; b Lc. 1:31–33;
Páscoa. Mos. 13:33–34. Mos. 3:8–9; Al. 7:10;
9 a Mt. 27:57–60; GEE Jesus Cristo. 3 Né. 1:14.
Mc. 15:27, 43–46. b GEE Redenção, 4 a Deut. 6:4; Jo. 17:20–23.
GEE José de Arimateia. Redimido, Redimir. GEE Trindade.
b Jo. 19:4. 2 a Mos. 3:5; 7:27; b Mos. 3:8; Hel. 14:12;
10 a Mos. 15:10–13. Al. 7:9–13. 3 Né. 9:15; Ét. 4:7.
11 a Lev. 16:21–22; b Isa. 64:8; c Al. 11:39.
MOSIAS 15:5–14 200
5 E assim a carne, tornando-se 10 E agora vos pergunto: Quem
sujeita ao Espírito, ou o Filho ao declarará sua geração? Eis que vos
Pai, sendo um Deus, a sofre tenta- digo que quando sua alma servir
ções e não cede a elas, mas sujeita- de oferta pelo pecado, ele verá a
se a ser b escarnecido e açoitado e sua a semente. E que dizeis agora?
expulso e c rejeitado por seu povo. E quem será a sua semente?
6 E depois de tudo isso, após 11 Eis que vos digo que quem
haver realizado grandes milagres tenha ouvido as palavras dos
entre os filhos dos homens, será a 
profetas, sim, de todos os santos
conduzido, sim, a segundo disse profetas que profetizaram sobre a
Isaías: Como a ovelha permanece vinda do Senhor, digo-vos que to-
muda perante seus tosquiadores, dos aqueles que tenham escutado
também ele não b abriu a boca. suas palavras e acreditado que o
7 Sim, desse modo será conduzi- Senhor redimiria seu povo e ha-
do, a crucificado e morto, a carne jam esperado ansiosamente pelo
sujeitando-se à morte, a b vontade dia da remissão de seus pecados,
do Filho sendo absorvida pela eu vos digo que estes são a sua
vontade do Pai. semente, ou seja, os herdeiros do
8 E assim rompe Deus as a liga- b 
reino de Deus.
duras da morte, havendo con- 12 Porque estes são aqueles cujos
quistado a b vitória sobre a morte; pecados a ele tomou sobre si; estes
dando ao Filho o poder de c inter- são aqueles por quem ele morreu,
ceder pelos filhos dos homens — para redimi-los de suas transgres-
9 Havendo ascendido ao céu, sões. E agora, não são eles sua
tendo as entranhas cheias de mi- semente?
sericórdia; estando cheio de com- 13  Sim, e não o são também
paixão pelos filhos dos homens; os profetas, cada um que abriu
interpondo-se entre eles e a justi- a boca para profetizar, que não
ça; havendo rompido as ligadu- caiu em transgressão, quero dizer,
ras da morte, tomado sobre a si as todos os santos profetas desde o
iniquidades e transgressões deles, começo do mundo? Digo-vos que
havendo-os redimido e b satisfeito eles são sua semente.
as exigências da justiça. 14 Estes são os que a proclamaram
5 a Lc. 4:2; 3 Né. 11:11. 11 a D&C 84:36–38.
Heb. 4:14–15. 8 a Mos. 16:7; b GEE Reino de Deus ou
b Jo. 19:1. Al. 22:14. Reino dos Céus;
c Mc. 8:31; b Ose. 13:14; Salvação.
Lc. 17:25. 1 Cor. 15:55–57. 12 a Mos. 14:12;
6 a Isa. 53:7. c 2 Né. 2:9. Al. 7:13; 11:40–41.
b Lc. 23:9; 9 a Isa. 53; 14 a Isa. 52:7;
Jo. 19:9; Mos. 14:5–12. Rom. 10:15;
Mos. 14:7. b GEE Expiação, Expiar. 1 Né. 13:37;
7 a GEE Crucificação. 10 a Isa. 53:10; Mos. 12:21–24.
b Lc. 22:42; Mos. 5:7; 27:25; GEE Obra Missionária.
Jo. 6:38; Morô. 7:19.
201 MOSIAS 15:15–26
a paz, que anunciaram o bem, que que existirão até a ressurreição
proclamaram a salvação e que dis- de Cristo — porque assim será
seram a Sião: O teu Deus reina! ele chamado.
15 E oh! quão belos foram os 22 Ora, a r