Você está na página 1de 7

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA Y TECNOLOGIA

Curso de Engenharia da Producção Industrial

Química Geral

Primeiro Semestre, Primeiro Ano

Professora: Martha Molina

PROTOCOLO AULA PRÁTICA No. 1

Destilação

Luanda, 17-21/04/2017
1
I. INTRODUÇÃO

A destilação é o processo de separação das diferentes substâncias que


formam uma mistura líquida por vaporização e condensação selectiva.
Essas substâncias, que podem ser componentes líquidos, sólidos
dissolvidos em líquidos ou gases liquefeitos, são separados aproveitando
os diferentes pontos de ebulição de cada um, uma vez que o ponto de
ebulição é uma propriedade intensiva de cada uma das substâncias,
isto é, não varia dependendo da massa ou volume, embora,
dependendo da pressão.

Por tanto, a técnica de Destilação é muito usada no laboratório para


remover um solvente, purificar um líquido ou para separar os
componentes de uma mistura de líquidos, ou ainda separar líquidos de
sólidos.

Na destilação, a mistura a ser destilada é colocada no balão de


destilação (balão de fundo redondo) e aquecida , fazendo com que o
líquido de menor ponto de ebulição seja vaporizado e então
condensado, retornando à líquido (chamado de destilado ou
condensado) e coletado em um frasco separado. Numa situação ideal,
o componente de menor ponto de ebulição é coletado em um
recipiente, e outros componentes de pontos de ebulição maiores
permanecem no balão original de destilação como resíduo.

O ponto de ebulição de um líquido pode ser definido como a


temperatura na qual sua pressão de vapor é igual à pressão externa,
exercida em qualquer ponto, sobre sua superfície. O líquido entra em
ebulição e “ferve”, ou seja, é vaporizado por bolhas formadas no seio
do líquido.

Com líquidos de pontos de ebulição muito próximos, o destilado será


uma mistura destes líquidos com composição e ponto de ebulição

2
variável, contendo um excesso do componente mais volátil (menor
ponto de ebulição) no final da separação.

Para evitar a ebulição tumultuosa de um líquido durante a destilação


sob pressão atmosférica, adiciona-se alguns fragmentos de “porcelana
porosa”. Estes liberam pequenas quantidades de ar e promovem uma
ebulição mais regular. Os tipos mais comuns de destilação são:
destilação simples, destilação fracionada, destilação à vácuo e
destilação a vapor.

De acordo com as acaracterísticas da mistura que vai ser separada nos


seus compoêntes, usa se diferfentes tipos de destilação e diferentesn
arranjos experiemtais; as mais Utilizadas sáo a Destilação simple e a
destilação fraccionada.

Destilação fraccionada.

Esquema de um equipamento para destilação fracionada

A destilação fracionada é usada para a separação de dois ou mais


líquidos de diferentes pontos de ebulição. A Figura 2 mostra o esquema
para uma destilação fracionada, o qual contém uma coluna de
fracionamento, que consiste essencialmente de um longo tubo vertical

3
através do qual o vapor sobe e é parcialmente condensado. O
condensado escoa pela coluna e retorna ao balão. Dentro da coluna,
o líquido, que volta, entra em contato direto com o vapor ascendente e
ocorre um intercâmbio de calor, pelo qual o vapor é enriquecido com o
componente mais volátil. Então, na prática, é comum empregar uma
coluna de fracionamento para reduzir o número de destilações
necessárias para uma separação razoavelmente completa dos dois
líquidos. Uma coluna de fracionamento é projetada para fornecer uma
série contínua de condensações parciais de vapor e vaporizações
parciais do condensado e seu efeito é realmente similar a um certo
número de destilações separadas.

As mais Nesta Aula sera realizada uma destilação simple, isto é, uma
destilaçáo para separar dois líquidos que tem valores dos seus pontos
de ebulição suficientemente diferentesn para poder conseguir a obter o
condensado com uma pureza aceitavel.

Destilação simple

Esquema do equipamento para destilação simple:

Termómetro
Condensador

Cabeça de
destilação Alonga

Balão de
destilação Balão de
recolha

Manta de
aquecimento Tripé

4
Uma boa separação dos componentes de uma mistura através da
destilação fracionada requer uma baixa velocidade de destilação,
mantendo-se assim uma alta razão de refluxo.

O tratamento teórico da destilação fracionada requer um


conhecimento da relação entre os pontos de ebulição das misturas das
substâncias e sua composição. Se estas curvas forem conhecidas, será
possível prever se a separação será difícil ou não, ou mesmo se será

OBJECTIVOS:

 Separar o álcool de uma amostra de vinho e de maruvo pela


técnica de destilação simple.

MATERIAL E REAGENTES

MATERIAIS REAGENTES

Manta de aquecimento Vinho tinto

Balão de destilação Maruvo

Termómetro

Cabeça de destilação

Condensador

Alonga

Balão de recolha

Tripé

Elevador

5
Experimento No. 1: Destilação simples de uma amostra de vinho e de
maruvo

1. Prenda o balão de destilação com a garra e coloque-o na manta


de aquecimento (fria! Verifique!)
2. Usar um elevador sob a manta de aquecimento por questões de
segurança.
3. Coloque o líquido a ser destilado no balão (nunca encha um
balão de destilação mais de ¾ de seu volume).
4. Coloque as esferas de vidro no balão de destilação enquanto o
líquido estiver frio.
5. Montar o esquema de destilação conforme mostra a figura nº1.
6. Para usar o esquema montado, comece por fazer circular água
no condensador.
7. Ligue a manta de aquecimento no sistema eléctrico adequado.
8. Procure sentir com as mãos se o balão está mesmo sendo
aquecido. Conforme for chegando próximo do ponto de
ebulição, vá ajustando o regulador de aquecimento para obter
uma ebulição suave.

TRATAMENTO DOS DADOS:

1. Qual a função das esferas de vidro?

2. Qual a importância da circulação da água no condensador? Por


que razão a entrada de água no condensador é feita pela parte
inferior?

3. O destilado é álcool puro?

4. Qual a temperatura de ebulição no início da destilação do vinho?


E no final?

5. O vinho é uma substância pura ou uma mistura? Por quê?


6
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Katia Gabriel e Domingos Santana. Protocolo de Aulas Prácticas de


Química Geral. Determinação da Densidade de Sólidos e Líquidos