Você está na página 1de 2

Buscar

SÍGUENOS:

Pesquisa personalizada do Google


Pesquisar

HOMEPAGE TÓPICOS ESPECIAIS BUSCAS PUBLICAÇÕES ALAI SERVICIOS

Brasil

Lideranças regionais criam Articulação dos Povos Indígenas

Paulino Montejo
Like 0

21/11/2005

Opinión

Preocupados com a falta de uma instância de articulação nacional do movimento indígena para se contrapor de forma
organizada e com maior força política à crescente avalanche de ameaças e agressões contra os direitos indígenas, mais de 40
lideranças de povos e organizações indígenas das diferentes regiões do país, reunidos em Brasília, no período de 9 a 11 de
novembro de 2005, decidiram criar a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib). Articulado pela Representação da
Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) em Brasília e outras organizações regionais, o
encontro das lideranças teve o apoio do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) e da Oxfam. Estudos A criação da Apib é
na verdade a efetivação de uma das principais deliberações do Acampamento Terra Livre, do Abril Indígena - 2005, que
reivindicou a criação de uma instância de referência nacional do movimento indígena, visando, entre outros objetivos, o
fortalecimento da união dos povos indígenas, a articulação entre as diferentes regiões, a discussão e socialização da política do
movimento indígena e sobretudo a mobilização de todos os povos e organizações indígenas do país, para impedir o retrocesso
atual nos direitos indígenas. A Apib que foi pensada não como uma nova organização indígena, com estrutura organizacional
clássica, vertical e hierarquizada, mas sim como um mecanismo de articulação interna do movimento indígena, funcionará
através de uma comissão nacional –um colegiado constituído por mais de 40 lideranças de povos e organizações das diferentes
regiões do país-; um núcleo de articulação permanente, composto por cinco lideranças representando essas regiões; e uma
secretaria operacional, para viabilizar os encaminhamentos. A instância maior da Apib será a mobilização ou Encontro anual dos 1 2 3 4 5 6 7 8
povos e organizações indígenas do Brasil, que deverá acontecer possivelmente no marco do Abril Indígena de cada ano. Para a
Apib funcionar efetivamente esta deverá ter, segundo as lideranças, um Plano de Trabalho, que entre outras ações deve
priorizar: 1) um Programa de formação política, técnica e ideológica de suas bases (lideranças, dirigentes e comunidades); 2)
assessoria às diferentes instâncias do movimento indígena (líderes organizações e povos), visando qualificar a intervenção nos
espaços de decisão das políticas públicas voltadas aos povos indígenas;3) monitoramento das políticas públicas e do tratamento
da questão indígena nos diferentes poderes do Estado; 4) desenvolvimento de um sistema de intercâmbio e difusão de
informações sobre a realidade, os direitos e a política do movimento indígena; 5) articulação do movimento indígena em todos os
níveis (local, regional, nacional e internacional); e 6) construção do processo de criação do Parlamento Indígena, uma instância
propriamente indígena, autônoma, de referência nacional, de interlocução com o Estado e a sociedade brasileira, com
representação de todos povos indígenas do país. A Apib funcionará com o apoio técnico do também recém criado Centro Clasificado en:
Indígena de Estudos e Pesquisas (Cinep), entidade composta por dirigentes de povos e organizações indígenas e por líderes
indígenas vinculados ao mundo acadêmico. O Cinep tem como objetivo ser um espaço plural de referência para o debate, apoio Social
e assessoramento ao movimento indígena feito pelos próprios índios, contribuindo no fortalecimento das articulações e da
organização interna, no aprimoramento do controle social e da incidência nas políticas voltadas aos povos indígenas, na
valorização e promoção dos saberes e das culturas indígenas e na qualificação do debate e do diálogo intercultural entre Novidades
saberes indígenas e acadêmicos. A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), emerge como um espaço que busca
aglutinar todos os povos e organizações indígenas do Brasil, no intuito de acumular forças políticas para se contrapor à
avalanche de ameaças e agressões que setores antiindígenas promovem atualmente contra os direitos indígenas. Por essas
mesmas razões, a Apib funcionará com o apoio de todas as instituições que compõem o Fórum em Defesa dos Direitos
Indígenas (FDDI). Brasília, 21 de novembro de 2005. - Paulino Montejo. Assessor de comunicação da Coiab e do Fórum em
Defesa dos Direitos Indígenas (FDDI)

https://www.alainet.org/de/node/113592
Like 0

Del mismo autor

Nace la Articulación de los Pueblos Indígenas 29/11/2005


Lideranças regionais criam Articulação dos Povos Indígenas 21/11/2005 Triunfo
Só sobrou
do chavismo
o tapetão para
abre direita
novo ciclo de vitória da
Emir Saderno continente, diz Maduro
esquerda
Amazônia, Povos Indígenas e Projeto Nacional Popular 12/05/2002
Fania Rodrigues
Da Conquista à ALCA 10/05/2002
¿Elecciones con cartas marcadas? 16/07/1998
Patina reelección de FHC 10/06/1998
Se arma escenario electoral 15/04/1998
El Quilombo de los Palmares 01/10/1995

Más...
UberCapitalismo: a Esta foi a semana
contrarrevolução do gorda da impunidade
século 21 Tereza Cruvinel
Ricardo Abramovay
Um ano de denúncias O fascismo vem aí?
contra violacões à Gustavo Noronha
liberdade de
expressão no Brasil
FNDC

Instrumento de Em um ano, Brasil


guerra, mídia sustenta registra 70 casos de
o golpe e agrava crise violações de liberdade
política de expressão
Felipe Bianchi Bia Barbosa, Ramênia
Vieira

Mais Novidades...

Temas

Comunicación

Cultura

Economía

Internacional

Política

Social

ALAI PUBLICACIONES ALAI LIBROS SERVICIOS

Este sitio Libros Libros digitales Boletin Alai-AmLatina


Quienes somos Revista RSS
Código de Ética Adquisiciones
Rendición de cuentas 2016
2015
2014
Política de Reproducción
Contribuciones voluntarias
Contáctenos

Interesses relacionados