Você está na página 1de 74

UNIVERSIDADE ANHANGUERA - UNIDERP

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (CEAD)


POLO: TAGUATINGA-DF

CURSO SUPERIOR: GESTÃO COMERCIAL

Página 1 de 74
DISCIPLINAS NORTEADORAS: Matemática, Processos Gerenciais, Direito Empresariais,
Tecnologias de Gestão, Responsabilidade Social e Meio Ambiente.

DESAFIO PROFISSIONAL
Página 2 de 74
Página 3 de 74
Página 4 de 74
Taguatinga/DF
2016

Página 5 de 74
DESAFIO PROFISSIONAL

Página 6 de 74
DISCIPLINAS NORTEADORAS: Matemática, Processos Gerenciais, Direito Empresariais,
Tecnologias de Gestão, Responsabilidade Social e Meio Ambiente.

Desafio Profissional apresentado com a finalidade de avaliação parcial nas


disciplinas de Matemática, Processos Gerenciais, Direito Empresariais,
Tecnologias de Gestão, Responsabilidade Social e Meio Ambiente.
UNIVERSIDADE ANHANGUERA UNIDERP-CEAD sob a orientação do
Prof. EAD Deisy Franciellen Martins.
Página 7 de 74
Página 8 de 74
Página 9 de 74
Taguatinga/DF
2016

Página 10 de 74
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO.........................................................................................04

2. RELACOES HUMANAS CONCEITO E CARACTERISTICAS.....05


2.1 TEORIAS DAS RELAÇÕES HUMANAS.......................................05
3. CÁLCULOS ............................................................................................07
Página 11 de 74
4. CONTRATO DE TERCEIRIZAÇÃO..................................................08
5. ERP..........................................................................................................10
6. DESTINAÇÃO CORRETA DE RESIDUOS...................................... 13
7. CONCLUSÃO...........................................................................................15
8 . REFERÊNCIAS.....................................................................................16

Página 12 de 74
Página 13 de 74
Página 14 de 74
1. INTRODUÇÃO
Fundada em 1964, Energy Baterias Automotivas tem passado por maus momentos. A Energy
Página 15 de 74
é uma empresa que produz em massa baterias para todos os tipos de veículos, atuação no
mercado há 52 anos, A empresa Energy tem como característica a ênfase nas tarefas e a
padronização do trabalho e sempre primou pelo constante planejamento das tarefas, a
especialização dos funcionários.
Uma vez que produz em massa baterias para todos os tipos de veículos. A centralização
também se faz presente na forma de administrar a empresa. Neste sentido devem democratizar
e humanizar a organização por entenderem que os colaboradores já não trabalham mais

Página 16 de 74
somente por conta do fator financeiro, mas trabalham também em virtude de reconhecimento,
estabilidade e satisfação pessoal. Faz-se necessário rever e formalizar os contratos entre a
empresa e os prestadores desserviço, tanto colaboradores quanto terceirizados dentro dos
parâmetros que a legalidade impõe dentro dos padrões exigidos no que diz respeito ao meio
ambiente. Nesse sentido, pretende firmar parcerias que possam dar a devida destinação aos
resíduos e rejeitos produzidos pelo setor produtivo da empresa.
Para conseguir êxito nas buscas, é necessário preparar-se com mais afinco, e diante das

Página 17 de 74
informações capitadas, identificações que a implantação de algumas ações faz-se necessária
para o cumprimento das metas. Ao contrário do que se imaginam, pequenas modificações
podem trazer excelentes resultados, basta adotar as medidas corretas.

Página 18 de 74
Página 19 de 74
2. Relações Humanas Conceito e Características

2.1 Teorias das Relações Humanas


Um dos eventos mais importantes na historia do enfoque comportamental na administração
chamado experimento de Hawthornere revelou que o grupo tem um melhor desempenho dos
indivíduos e deu a partida para os estudos sistemáticos sobre a organização informal. Esse
experimento fez nascer à escola de relações humanas porque demonstrou que entre os fatores
Página 20 de 74
mais importantes para o desempenho individual estão às relações com os colegas e os
administradores. Dos diversos antecedentes históricos estudados ate esse ponto nasceram os
dois eixos principais do moderno estudo de comportamento organizacional: o estudo das
características individuais e o estudo do comportamento coletivo.

Ciências do Comportamento

Página 21 de 74
Para compreender o comportamento organizacional, a teoria comportamental se baseia no
comportamento individual das pessoas, para compreender como as pessoas se comportam é
necessário o estudo da motivação humana
Os autores behavioristas acreditavam que o administrador precisa conhecer as necessidades
humanas para melhor compreender o comportamento humano. A motivação humana deve ser
usada para melhorar a qualidade devida dentro das organizações. Abraham H. Maslow,
psicólogo americano, acreditava que só uma necessidade não satisfeita podia motivar o ser

Página 22 de 74
humano a agir de certa maneira. Ele desenvolveu uma teoria da motivação, segundo a qual as
necessidades humanas estão organizadas e dispostas em níveis, numa hierarquia de
importância. Para Maslow, uma pessoa só se preocupa com o atendimento de uma
necessidade, caso as necessidades mais básicas ou mais importantes para sua sobrevivência,
tiverem sido atendidas.

Teoria da Hierarquia das Necessidades de Maslow


Necessidades fisiológicas:
Página 23 de 74
Constituem o nível mais baixo das necessidades humanas, mas de vital importância. Incluem
aí as necessidades de alimentação, de sono, de repouso, de abrigo, ou desejo sexual.
Necessidades de Segurança:
Constitui o segundo nível de necessidades humanas. É as necessidades de segurança ou de
estabilidade, a busca de proteção contra a ameaça ou privação, a fuga ao perigo.
Necessidades Sociais:

Página 24 de 74
Surgem quando as necessidades mais baixas (fisiológicas e de segurança) foram relativamente
satisfeitas. São as necessidades de associação, de participação, de aceitação por parte dos
companheiros, de troca de amizade, de afeto e amor.
Necessidades de Estima:
São relacionadas com a maneira pela qual o indivíduo se vê e se avalia. Envolve a auto
apreciação, autoconfiança, a necessidade de aprovação social e de respeito, de status e de
prestígio, e de consideração.

Página 25 de 74
Necessidade de Auto-realizarão:
São as necessidades humanas mais elevadas e que estão no topo da hierarquia. São as
necessidades de cada pessoa realizar o seu próprio potencial e de continuamente auto
desenvolver-se. Essa tendência geralmente se expressa através do impulso de a pessoa
tornarem-se sempre mais do que é e de vir a ser tudo o que pode ser.

Teoria dos Dois Fatores

Página 26 de 74
A Teoria dos dois fatores foi desenvolvida pelo americano de Massachussetts, Frederick
Herzberg, a partir de entrevistas feitas com 200 engenheiros e contadores da indústria de
Pittsburgh. Herzberg procurou identificar as consequências de alguns acontecimentos na vida
profissional dos entrevistados com o objetivo de determinar os fatores que os faziam se
sentirem felizes e aqueles que os faziam sentir-se infelizes na situação de trabalho. Herzberg
constatou que dois fatores influenciam na satisfação do cargo: os
Fatores Higiênicos e os Fatores Motivacionais.

Página 27 de 74
Fatores Higiênicos
Esses fatores se referem às condições que rodeiam o funcionário no trabalho, como condições
físicas e ambientais de trabalho, salário, benefícios sociais, políticas da empresa, tipo de
supervisão recebido, clima de relações entre a direção e os funcionários, regulamentos,
oportunidades etc. Como Herzberg acreditava que esses fatores eram limitados na sua
capacidade de influenciar o comportamento dos empregados, ele os denominou de
“higiênicos” para refletir seu caráter preventivo e profilático, indicando assim que, quando

Página 28 de 74
esses fatores são atendidos, eles apenas evitam fontes de insatisfação do meio ambiente ou
ameaças ao seu equilíbrio. Sua influência sobre o comportamento, não consegue elevar
substancial e duradouramente a satisfação. Porém, quando são precários, provocam
insatisfação.

Fatores Motivacionais

Página 29 de 74
Esses fatores se referem ao conteúdo, tarefas e deveres relacionados com o cargo em si. São
esses fatores que produzem efeito duradouro de satisfação e de aumento de produtividade
acima dos níveis normais. Herzberg os denominou de “motivacionais”, pois a motivação
envolve sentimentos de realização, de crescimento e de reconhecimento profissional, através
das tarefas e atividades que oferecem um suficiente desafio e significado para o trabalhador.
Quando os fatores motivacionais são ótimos, elevam muito a satisfação; quando são precários,
provocam ausência de satisfação

Página 30 de 74
3. CALCULOS
Custo unitario atual R$ 208,50.
Custo total atual R$ 41.700,00
Custo unitario com as novas maquina R$ 205,40
Custo total com as novas maquinas R$ 82.160,00

Página 31 de 74
Custo total atual:
C(x) = x² + 8x + 100
C(200) = (200)² + 8(200) + 100
C(200) = 40000 + 1600 + 100
C(200) = 41.700

Custo unitário atual:

Página 32 de 74
C(x) = [x² + 8x + 100] ÷ 200
C(200) = [(200)² + 8(200) + 100] ÷ 200
C(200) = [40000 + 1600 + 100] ÷ 200
C(200) = 208,50

Custo total dobrado:


C(x) = 2(x² + 5x + 80)

Página 33 de 74
C(200) = 2[(200)² + 5(200) + 80]
C(200) = 2[40000 + 1000 + 80]
C(200) = 2 *41080
C(200) = 82.160
Custo unitário dobrado:
C(x) = 2(x² + 5x + 80) ÷ 400
C(200) = 2[(200)² + 5(200) + 80] ÷ 400

Página 34 de 74
C(200) = [2* 41080] ÷ 400
C(200) = 205,40
O custo unitário tem redução de 1,5% de um período para o outro. Considerando esse fator
isoladamente, sem outros dados de suporte, é vantajoso para a companhia adquirir essas
máquinas. (208,50).

4. CONTRATO DE TERCEIRIZAÇÃO
Página 35 de 74
A terceirização é cada vez mais utilizada. Para que essa forma de contratação de serviços
tenha êxito, é necessário o cumprimento de alguns procedimentos e regras básicas. Os
contratantes de serviços terceirizados são co-responsáveis pela mão-de-obra terceirizada em
suas dependências perante reclamações trabalhistas. Isto significa que poderão responder por
dívidas trabalhistas e previdenciárias de empregados que trabalhem em suas instalações,
embora vinculados a empresas de prestação de serviços.

Página 36 de 74
Retenções
Atualmente, outro fator que merece destaque na contratação de terceiros é a retenção
tributária, ou seja, retenção de INSS, PIS, COFINS, CSLL, ISS e IRRF. A contratante não
efetuando as respectivas retenções, em procedimento de fiscalização tributária, deverá
recolher os tributos, mesmo que não os reteve.

Página 37 de 74
Legalidade
A terceirização pode ser aplicada em todas as áreas da empresa definida como atividade-
meio. Para identificar as áreas que podem ser terceirizadas deve-se analisar criteriosamente o
contrato social das empresas e definir acertadamente a atividade-fim. A CLT, no art. 581, § 2º
dispõe que se entende por atividade-fim a que caracterizar a unidade do produto, operação ou
objetivo final, para cuja obtenção todas as demais atividades convirjam exclusivamente em
regime de conexão funcional.

Página 38 de 74
É ilegal a terceirização ligada diretamente ao produto final, ou seja, a atividade-fim. Isolando
a atividade-fim, todas as demais podem ser legalmente terceirizadas. A atividade-fim é a
constante no contrato social da empresa, pela qual foi organizada. As demais funções que
nada têm em comum com a atividade-fim são caracterizadas como acessórias, ou de suporte à
atividade principal, as quais podem ser terceirizadas.
Terceirização Ilícita e Ilegal – Vínculo Trabalhista e Co- Responsabilidade
Trabalhista
Página 39 de 74
Conforme decisões do TST - Tribunal Superior do Trabalho, existindo a terceirização ilícita
ou ilegal é configurado o vínculo trabalhista, sendo a Tomadora responsável solidária, sendo
que é a Justiça do Trabalho que determina o vínculo empregatício. Ocorrendo a determinação
do vínculo trabalhista pelo juiz, a Tomadora é responsável imediatamente pelo pagamento de
todas as verbas trabalhistas a que o funcionário tem direito. Também, a Justiça do Trabalho
vem decidindo que, se a empresa terceirizada não tiver recursos suficientes para os
pagamentos das verbas relativas a reclamatórias trabalhistas, caberá à empresa Contratante o

Página 40 de 74
pagamento das verbas trabalhistas reclamadas. Isso significa, mesmo não sendo considerado o
vínculo trabalhista, que a Tomadora pagará os direitos trabalhistas, nos casos em que a
terceirizada não honre seus compromissos com os funcionários. Por isso, a escolha do
terceirizado é de fundamental importância para que a tomadora não tenha contratempos
trabalhistas, os quais não são totalmente inevitáveis, mas podem ser reduzidos ao contratar
uma empresa idônea. Como verificamos, em qualquer caso, se o funcionário não receber as
verbas trabalhistas, a tomadora é responsável, configurando ou não o vínculo. Dessa forma, é

Página 41 de 74
muito importante, ao selecionar a terceirizada averiguar sua capacidade financeira, sua
idoneidade e exigir garantias.
Como Evitar Riscos na Terceirização
A terceirização legal é aquela que segue os preceitos jurídicos e da legislação, respeitando as
normas regulamentares, tais como a Súmula 331 – TST, este abaixo mencionado:
Nº 331
CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. LEGALIDADE (mantida) - Res. 121/2003, DJ
19, 20 e 21.11.2003
Página 42 de 74
I - A contratação de trabalhadores por empresa interposta é ilegal, formando-se o vínculo
diretamente com o tomador dos serviços, salvo no caso de trabalho temporário (Lei nº 6.019, de
03.01.1974).
II - A contratação irregular de trabalhador, mediante empresa interposta, não gera vínculo de
emprego com os órgãos da administração pública direta, indireta ou fundacional (art. 37, II, da
CF/1988).
III - Não forma vínculo de emprego com o tomador a contratação de serviços de vigilância (Lei nº
7.102, de 20.06.1983) e de conservação e limpeza, bem como a de serviços especializados ligados
a atividade-meio do tomador, desde que inexistente a pessoalidade e a subordinação direta.
Página 43 de 74
IV - O inadimplemento das obrigações trabalhistas, por parte do empregador, implica a
responsabilidade subsidiária do tomador dos serviços, quanto àquelas obrigações, inclusive quanto
aos órgãos da administração direta, das autarquias, das fundações públicas, das empresas públicas
e das sociedades de economia mista, desde que hajam participado da relação processual e constem
também do título executivo judicial (art. 71 da Lei nº 8.666, de 21.06.1993).
Histórico: Súmula alterada (Inciso IV) - Res. 96/2000, DJ 18, 19 e 20.09.2000 Redação original
(revisão da Súmula nº 256) - Res. 23/1993, DJ 21, 28.12.1993 e 04.01.1994
Nº 331 (...)

Página 44 de 74
II - A contratação irregular de trabalhador, através de empresa interposta, não gera vínculo de
emprego com os órgãos da administração pública direta, indireta ou fundacional (art. 37, II, da
Constituição da República).
IV - O inadimplemento das obrigações trabalhistas, por parte do empregador, implica na
responsabilidade subsidiária do tomador dos serviços, quanto àquelas obrigações, inclusive quanto
aos órgãos da administração direta, das autarquias, das fundações públicas, das empresas públicas
e das sociedades de economia mista, desde que hajam participado da relação processual e constem
também do título executivo judicial (artigo 71 da Lei nº 8.666/93).

Página 45 de 74
Vale lembrar que é permitido apenas locar mão-de-obra na forma de empresa de Trabalho
Temporário, disciplinado pela Lei nº 6.019/74, previamente autorizadas pelo Ministério do
Trabalho e nos casos de Trabalho Avulso Sindicalizado amparado pelo artigo 513, § único do
CLT.

5. ERP- Vantagens e desvantagens com o uso do ERP

Página 46 de 74
A seguir veremos quais as vantagens e também as desvantagens na implementação ou adoção
do sistema ERP, veremos também quais as dificuldades e as barreiras enfrentadas na
implementação deste sistema dentro das empresas. Vantagens dos sistemas ERP integram
diversos setores da organização, bem como agregam diversas funcionalidades que auxiliam
no processo administrativo,destacamos algumas vantagens de acordo com MESQUITA
(2000):

Página 47 de 74
 Atomicidade dos Dados: O sistema ERP não permite que um mesmo registro seja
gravado em diferentes partes do sistema, por se tratar de um sistema integrado o ERP
permite (através dos processos), que um módulo “visualize” informações geradas por
outros módulos.

 Reorganização dos Processos da Organização: Para a implementação do sistema ERP


geralmente se faz necessário uma reengenharia dos negócios, com isto consegue-se
Página 48 de 74
uma grande diminuição na redundância de dados dentro do sistema. Está comprovado
de forma estatística que em sistema não integrados a mesma informação pode estar
armazenada em até seis lugares diferentes dentro de um mesmo sistema.

 Maior Controle de Custos: Um sistema ERP permite saber o quanto é gasto e o tempo
gasto em cada processo produtivo, e evita uma conciliação manual das informações
obtidas entre as interfaces dos diferentes aplicativos. - Unificação dos Sistemas de
Todas as Filiais.
Página 49 de 74
Quando uma empresa adquire o sistema ERP, geralmente, este é implementado em todas as
filiais da empresa, gerando assim uma diminuição no tempo do fluxo de informação dentro da
própria empresa, isto sem contar que todos os processos são padronizados. Controle de Todo o
ciclo Produtivo. Com a implementação de um sistema ERP as empresas conseguem um
maior controle do ciclo produtivo, e estes auxiliam a empresa a administrar todas as etapas de
produção de um serviço ou produto.

Página 50 de 74
A priori as ferramenta de planejamento dos sistemas ERP´s possuem poderosas ferramentas d
incorporadas, que auxiliam no planejamento organizacional e estratégico das empresas,
acarretando assim em uma otimização dos processo de tomada de decisão, eliminando o uso
de interfaces manuais. Os processo de ordem de serviços e serviços internos passam a ser
realizados de modo digital, sem a necessidade do uso de papéis. Reduz o tempo de lead
timese tempos de resposta ao mercado. Com a padronização dos processos pelo sistema ERP,
e por esta uniformização da informação tornar-se digital, as empresas conseguem repassar

Página 51 de 74
suas requisições aos fornecedores de matéria prima, de modo mais eficiente e consegue
reduzir o tempo de atendimento de seus clientes.
MESQUITA (2000) descreve que pelo sistema ERP, suas desvantagens se tratar de uma
solução de grandes dimensões, que mexe com toda a estrutura da organização que são os
 Custos Elevados: Os sistemas ERP são sistemas caros, sua implementação geralmente
ultrapassa a casa dos milhões de dólares, destacamos Hardware, infraestrutura
computacional e a aquisição da licença de uso.
 Lead times: Tempo de resposta do fornecedor as requisições feitas pelo comprador.
Página 52 de 74
Alem destes ainda pode-se destacar: treinamento dos funcionários e a consultoria. Estes dois
se destacam como sendo os principais absorvedores de recursos do projeto, estima-se que para
cada dólar gasto com a aquisição da licença dois ou três são gastos para treinamento e
consultoria.
 Implementação Complexa: Para uma implementação confiável de um sistema ERP é
preciso construir uma base de bons profissionais, dentre eles se destacam:
profissionais com habilidades técnicas na área computacionais e profissionais que

Página 53 de 74
entendam de administração de negócios. Uma das dificuldades encontradas para a
implementação do sistema é obter as especificações necessárias das mais diversas
áreas administrativas da empresa.

Para se ter uma ideia desta dificuldade uma pesquisa realizada nos Estados Unidos Standish
Group comprova que apenas 10% dos projetos são terminados no prazo e orçamento
estipulado, 55% dos projetos estouram os prazos e orçamentos e 35% dos projetos são
cancelados antes da sua implementação, o ainda outro dado relevante que afirma que o
Página 54 de 74
estouro médio de orçamento fica em torno de 178% e o estouro médio no prazo de entrega em
torno de 230%
 Complexidade de Customização: Os sistemas ERP´s geralmente são criados de forma
genérica não sendo então específico aos negócios de um a determinada empresa, com
isto ao adquirir um sistema de ERP é necessário que a empresa realize uma
customização neste sistema, que nada mais é do que adequar o sistema às necessidades
de negócios da empresa.

Página 55 de 74
Esta customização pode ser tornar complexa dependendo da quantidade de módulos a serem
implementados, geralmente estes módulos são implementados na empresa que comprou o
sistema, acarretando alguns problemas já que nem sempre os funcionários responsáveis pela
customização têm acesso ao código fonte 24 do sistema ERP. Com isto há um atraso para que
o sistema torne-se funcional para a empresa, elevando também os custos de sua
implementação.

Página 56 de 74
Resultados esperados com a adoção do ERP Segundo DAVENPORT (2000) citado por
PLATT (2004), empresas que adotaram o sistema ERP, esperam que este retorne alguns
resultados, entre eles destacam-se: acesso à informação em tempo real, redução das estruturas
gerenciais, centralização do controle sobre a informação e padronização de processos,
incluindo a padronização da prática administrativa para empresas distantes geograficamente,
unificando a cultura e o comando da empresa. Mais recentemente a introdução da computação
móvel trouxe para as empresas a necessidade de descentralização da informação, a partir daí

Página 57 de 74
os sistemas ERP tentam criar uma alternativa para a integração externa da cadeia de negócios.
Outros resultados esperados com a implementação do sistema ERP são:
 Redução dos custos operacionais, melhoria na produtividade, melhor qualidade de
atendimento ao cliente e baixo índice na devolução de mercadorias e reclamações.
 Evitar o deslocamento de pessoal: com a implementação do sistema ERP, a empresa
evita o deslocamento desnecessário de seus funcionários.
 Reposição automática de produtos em estoque e redução dos erros no preenchimento
de formulários manuais.
Página 58 de 74
 Maior vantagem competitiva, as empresas podem proporcionar serviços adicionais que
não são oferecidos por seus concorrentes e por consequencia o aumento nas vendas.

6. Destinação de Rejeitos e Resíduos Resultantes da Produção de Baterias


Automotivas

A Lei nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) é bastante
atual e contém instrumentos importantes para permitir o avanço necessário ao País no

Página 59 de 74
enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do
manejo inadequado dos resíduos sólidos. Prevê a prevenção e a redução na geração de
resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de
instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos
(aquilo que tem valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado) e a destinação
ambientalmente adequada dos rejeitos (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado).

Página 60 de 74
Institui a responsabilidade compartilhada dos geradores de resíduos: dos fabricantes,
importadores, distribuidores, comerciantes, o cidadão e titulares de serviços de manejo dos
resíduos sólidos urbanos na Logística Reversa dos resíduos e embalagens pós-consumo e pós-
consumo. A reciclagem industrial como recuperação de matérias primas para sua reintrodução
no ciclo produtivo possui requisitos e limites técnicos, mas será sempre uma atividade
econômica com fins lucrativos. Otimizando o uso de recursos naturais e reduzindo o volume

Página 61 de 74
total de lixo a ser lançado na natureza. É certo também que os processos de reciclagem
necessitam de constantes desenvolvimentos, no sentido da busca de menor impacto ambiental.

Como toda reciclagem tem um papel muito importante para o meio ambiente, a de baterias
automotivas não é diferente, sendo de grande importância para a não extração de matéria
prima que causam problemas ambientais com alto grau de poluição, tornando a reciclagem
importante por reduzir a quantidade de baterias descartadas e evitar a extração de matéria
prima. As técnicas para o bom funcionamento destas atividades necessitam de monitoramento
Página 62 de 74
e controle do sistema produtivo, os tratamentos dos resíduos devem ser mais eficientes e com
medidas contra acidentes, de forma a não correr riscos de impactos ambientais e problemas
com a vizinhança devida emissões e descarte dos resíduos. Quanto à questão de saúde dos
operários, devem ser realizados exames periódicos para controle de possíveis contaminações,
procedimentos de segurança do trabalho não podem ficar em segundo plano. É muito
importante que a vizinhança conheça os procedimentos da indústria e participe do controle e
prevenção de toda empresa.

Página 63 de 74
Quanto ao bom desempenho ambiental, o processo produtivo deve seguir as
normas e legislações, além de promover pesquisas para o melhor reaproveitamento dos
resíduos gerados podendo manter estes em um ciclo produtivo, como sugestão a reintrodução
de escória nos fornos como parte do carvão e ferro utilizado para remoção de impurezas.
Outra sugestão seria a implantação de sistema de gestão ambiental (SGA), que proporciona
maior aceitação dos produtos nos mercados exigentes, com isso a própria empresa terá uma

Página 64 de 74
maior preocupação nas questões ambientais devido o controle de qualidade e a garantia dos
certificados.

Página 65 de 74
7. CONCLUSÃO

Página 66 de 74
Nossos horizontes foram totalmente ampliados, é preciso ter visão como um todo, isso
engloba o planejamento como já foi dito e vai além enxerga-se, coloca-se no lugar daquele
que irá trabalhar dentro de sua empresa, motivando-o ao trabalho, mostrando que aquela
empresa é formada de parceiros, isso se torna combustível para o trabalhador dedicar-se mais
a empresa, pois assim ele passa, a saber, que é um elo de toda uma corrente. Eis o confronto
de um bom administrador do século XXI, pois o mundo mudou, vive-se voltado para o

Página 67 de 74
nascimento de novas idéias, ou melhor,enxergando-as antes mesmo de nos depararmos com o
problema, temos a solução. Em nosso curso á uma direção como devemos e podemos planejar
o nascimento de uma empresa para que seja bem sucedida e possibilita ao verdadeiro
empreendedor, nos artigos pesquisados ousar, criar, acreditar que estar atento para as
mudanças, planejando sempre, ou saber que o presente será o futuro da sua empresa.
É preciso bom planejamento, organização e investimento em capital humano, cursos e
tecnologias conseguirão ótimos resultados. Não basta apenas aumentar fisicamente a empresa,

Página 68 de 74
para que se tenha sucesso no empreendimento é necessário o investimento no capital humano,
nos talentos internos e na busca de novos talentos. A empresa deve estar sempre aberta a
novos ideias, sempre acompanhando o crescimento do mercado, buscando novas propostas,
mudando de acordo com o que pede o mercado, procurando sempre inovar. Por isso, não
bastava investir na capacitação dos líderes, mas de todos os colaboradores, pois todos formam
uma equipe que deve estar sincronizada, trabalhando em prol dos mesmos objetivos.

Página 69 de 74
Página 70 de 74
8. REFERÊNCIAS

http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/perigosdeterceirizar.htm

Página 71 de 74
MENDES, J. V.; ESCRIVÃO FILHO, E. O sistema integrado de gestão é fator de
competitividade para as pequenas e médias empresas? Revista Uniara, n. 8, Data de
publicação: 21/12/ 2000.
MESQUITA, Robson Antonio Catunda, Sistemas ERP (Enterprise Resource Planning),
Centro Universitário de Brasília – UNIC

Página 72 de 74
http://www.cotemar.com.br/biblioteca/administracao/teoriageral-da-administracao.pdf. Acesse
também o link: http://www.portaladministracao.com/2015/03/teoria-das-relacoes-humanas-
conceito.html.
http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/perigosdeterceirizar.htm >e leia o texto Cuidados
na Hora de Contratar Serviços Terceirizados disponível em
<http://www.mysquare.com.br/editorial/fica-a-dica/cuidados-na-hora-de-contratarservicos-
terceirizados- >.

Página 73 de 74
SOUZA, Edmarcos Carrara de. Desafio Profissional Tecnologia em Logística.

[Online]. Londrina, 2016, p. 01-11. Disponível em: <www.anhanguera.edu.br/cead>.


Acesso em: Abr. 2016.

Página 74 de 74