Você está na página 1de 2

Questões Folclore Musical - 2º bimestre

Ananda de Paula Paganucci - 2º ano de Licenciatura em Música na EMBAP

1. Desde o surgimento das primeiras Escolas de Samba, as transformações foram muitas.


Comente as mais importantes, do seu ponto de vista.

Desde o surgimento das Escolas de Samba, o Carnaval sofreu várias mudanças


sucessivamente até chegar no que conhecemos hoje. As próprias Escolas já foram uma mudança
significativa; antes delas, o Carnaval era comemorado de três maneiras diferentes. Uma delas era
com as Grandes Sociedades, que tinham enredos de crítica social e política, apresentados em
árias de óperas, com fantasias luxuosas e carros alegóricos. Era, notadamente, organizada pela
camada mais rica da sociedade. Outra forma de comemorar era com os Ranchos, que tinham
mais ou menos a mesma estrutura porém utilizavam marchas características e não tinham tanto
luxo quanto a primeira; eram organizados pela pequena burguesia urbana. Já a terceira, os
Blocos, eram menos estruturados, e abrangiam as camadas mais pobres da população. Com o
surgimento das Escolas esses três setores se misturam. Embora as Escolas tenham surgido a
partir dos Blocos e fossem inicialmente organizadas pelas mesmas pessoas que participavam dos
mesmos, elas abrigam algumas características em comum com as duas outras estruturas.
A partir daí temos mudanças significativas praticamente todas as décadas:
● Na década de 1950 tem início uma maior participação da classe média nas Escolas,
com a participação de cenógrafos e artistas plásticos na produção dos desfiles.

● Em 1962 se inicia a venda de ingressos para o desfile, o que faz com que o carnaval
caminhe inevitavelmente para a comercialização, e gera também a
necessidade de um espaço físico adequado, que abrigue confortavelmente o evento.

● Em 1975 a Associação das Escolas de Samba (criada em 1952 a partir da fusão de
3 organizações carnavalescas) assina um contrato de prestação de serviço com a
Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro S.A.

● Na década de 1980 a Associação também se inicia a transmissão televisiva do
desfile e começa a se perceber uma nítida diferenciação entre as escolas, o que culmina
na criação da Liga Independente das Escolas de Samba por um grupo de 10 escolas
consideradas destaques.
Temos também mudanças pequenas nas regras de acordo com as inovações trazidas
pelas escolas - como a permissão de coreografia na comissão de frente a partir de 1991, e a
construção da Cidade do Samba, um marco organizativo.

2. Qual a importância da competição no desenvolvimento do Carnaval carioca? Comente.

A competição exerce um papel fundamental visto que ela permite que escolas recentes possam
ascender rapidamente para o grupo das grandes. Isso garante que o evento venha a tantos sendo
um sucesso, pois para utilizar o mesmo formato de festa por anos a fio é preciso trazer pequenas
inovações sempre, e essas inovações são proveniente do desejo de cada Escola de crescer e
chegar ao primeiro lugar.

3. Comente as considerações da autora sobre o​ ano carnavalesco.

Maria Laura Viveiros de Castro Cavalcanti elabora o conceito de “ano carnavalesco”, que é
praticamente um espaço de tempo paralelo ao cronológico, pois o planejamento do desfile do
próximo ano se inicia imediatamente após o término do desfile do ano atual. Ou seja, o “ano
carnavalesco” está sempre um ano a frente do ano histórico. Afinal, pelo Carnaval ser
comemorado no início do ano, todo o planejamento de um ano só se concretizará no ano
seguinte. As pessoas trabalham com uma projeção do futuro - estão em 2011, mas vivem em
função do desfile de 2012.

4​. ​Que influências estrangeiras o autor enumera como importantes para a constituição do
Carnaval carioca? Explique.

O comportamento francês num geral influenciou muito o Brasil após a independência. E


consequentemente o Carnaval carioca foi fortemente influenciado pelo parisiense. Após a
independência, o Brasil começou a abandonar o entrudo, associado ao passado colonial e
português, para aderir ao Carnaval francês, com bailes de máscaras e passeios por avenidas.

5. Qual a relação entre o Carnaval e o entrudo, e por que este último foi deliberadamente
eliminado?

O entrudo é o antecedente do Carnaval no Brasil. Era comemorado de maneiras diferentes em


cada região, pois reunia as brincadeiras do lugar. A elite da época desprezava as manifestações
populares, e após a independência, em 1822, a busca por um comportamento mais “civilizado” e
sem relações com o período colonial fez com que as críticas ao entrudo aumentassem, chegando
ao ponto de haver leis contra a sua realização. Com a enorme publicização que a proibição trouxe
para o entrudo, ele foi aos poucos se tornando não mais brincadeiras desregradas e diferentes em
cada região mas um jogo com regras e formatos específicos. O problema é que esses jogos eram
por muitas vezes agressivas e acabaram sendo extintos para serem substituídos pelo civilizado
carnaval parisiense.

6. Que relações podemos estabelecer entre o Carnaval carioca e o Festival de Parintins?


Explique.
Ambos são eventos culturais, folclóricos, que com o tempo se tornaram mega eventos comerciais.