Você está na página 1de 5

Cultura – Conjunto de símbolos, representações, crenças e valores que se reflectem nos

comportamentos, acções e hábitos, que definem um grupo de indivíduos, normalmente com


escala significativa. -Suprimir comportamentos -Normalizar comportamentos -prever
comportamentos

 Processo contínuo e cumulativo


 Presente em todas as sociedades
 Aprendido e partilhado
 Dinâmico

Representado simbolicamente pela linguagem e interacções e guia os indivíduos no processo


de acção continua

Acultura – processo de mudança cultural normalmente realizado através da interacção com


outra cultura resultante de um contacto permanente que estimula a hibridização

Existem 3 tipos de mecanismos de socialização: Aprendizagem; Imitação;


Identificação

Agentes de socialização: escolas, família, empresa, Mídias, entretenimento p/ex

Valores – ideias que atribuem significado e orientam o individuo e o comportamento


perante a sociedade em que este inserido, estabelecem os extremos daquilo que é
aceitável ou condenável. Transversais a todas as situações.

Normas – regras estabelecidas que reflectem os valores

Atitude – comportamento positivo ou negativo de um individuo perante outro, ou sobre


algum aspecto do meio envolvente, estabelecido através de um conjunto de sentimentos
e crenças. Não pode ser observado directamente, apenas através do comportamento.

Etnocentrismo – Não se restringe as formas históricas nem aos aspectos políticas, mas
também abrange na sua maioria grupos diferentes da mesma sociedade.
Sobrevalorização de uma cultura e desvalorização de outra com ideias diferentes.
Universalizando os valores da própria cultura e descredibilizando os outros,
generalizando-os. EU VS o outro

Pode ser uma forma de legitimar o domínio e estruturar a relação de poder. Na sua
forma mais extrema conduz a xenofobia e racismo.

A atitude que se opõem ao etnocentrismo é o relativizacão.

Diferenças culturais mais comuns:

 Percepção do tempo – MonocroNico – Interacção com o tempo de uma forma


continua, organizando as acções executando-as uma de cada vez; PolicroNico –
varias coisas simultaneamente.
 Percepção do espaço – INTIMA – Pessoal – social - publica
 Destino e responsabilidade social
 Comunicação não-verbal

Percepção
O conhecimento vem dos sentidos, pela experiencia e pela aprendizagem.

Sensação- detecção dos estímulos próximos.

Percepção – dar sentido aos estímulos, categorização e identificação. Processo pela


qual o individuo recebe, avalia e utiliza os estímulos que lhe são chegados apartir de um
factor ou factores externos, que permitem agrupar de uma forma individual essa
“knowladge”, num espectro coerente e significativo, que posteriormente fazem parte da
construção unipessoal. - Factores internos e externos

Estrutura Cognitiva – A percepções são compostas por esquemas que envolvem


processos de aprendizagem continua e são constituídas por 4 etapas de processo de
informação:

1. Atenção selectiva
2. Compreensão
3. Codificação e simplificação
4. Armazenamento e retenção

Informação mínima – formar impressões faz parte da natureza humana, fazemo-lo


sem muitas vezes nos apercebermos, rapidamente e instintivamente.

Categorização – avaliação de uma situação com informação que já nos é conhecida.


Processo de comparação. Quando categorizamos somos sensíveis à semelhança das
características. Funções :  Simplificação  Conservação do que é aprendido 
Direcção de acção  Ordem  Significado; Riscos :  Desprezar algumas
características  Confirmar a categorização e não reformular  Categorizar
incorrectamente  Generalizar

Saliencia – o todo é maior do que a soma das partes!

Social

1. As primeiras impressões são uma organização de os índices disponíveis sobre o


individuo. Selecção –> organização –> inferência = interpretar ou prever o
comportamento do outro.

Factores que afectam a exactidão da impressão – Efeito DE PRIMAZIA/PRECENDECIA

Influência que as informações recebidas em primeiro lugar têm no significado que


é atribuído às informações recebidas posteriormente.

2.Esteriotipos - Crenças partilhadas que dão uma imagem simplificada das


características, atributos e comportamentos de um grupo ou dos membros deste.
• Aprendidos no processo de socialização.

• Formas rígidas e esquemáticas de pensar que correspondem a um processo de


categorização social, têm a função de simplificar a interpretação que fazemos do real.

3.Efeito Halo - Tendência para, de acordo com a impressão positiva ou negativa acerca
de uma pessoa, percepcionarmos caraterísticas consistentes com essa impressão.

4.Efeita Pigmaleão - Tendência para tratar as pessoas de acordo com as expectativas


sobre as suas capacidades, o que poderá influenciar o seu comportamento e
desempenho, servindo assim para transformar as expectativas em realidade. - 3 passos

Comunicação
Tornar algo comum entrando em relação com alguém. Emissor-mensagem-receptor (ruido,
canal, feedback)

Informar, emitir, responder, compreender-se.

Estudar comunicação é importante para controlo e influencia; assegurar compreensão


dos significados; Fomentar a aceitação desses significados.

Não chega reconhecer o significado linguístico de uma frase, é necessário inferir o


significado que o emissor lhe atribuiu. Neste processo de significação intervêm, para o
receptor: Pistas linguísticas e metalinguísticas; Expectativas; Hipóteses; Dados do
ambiente; Informação de diálogos anteriores

As competências de comunicação são determinadas por: Habilidades de


comunicação e traços; Factores situacionais; Indivíduos envolvidos

Axiomas da comunicação: 1“É impossível não comunicar”; 2.Toda a comunicação


implica e define uma relação; 3. ordem e sequencia dos factos; 4. Comunicação verbal e
não verbal; 5. interacções simétricas

Comunicação não verbal (gestos com a cabeça, mãos, postura corporal, contacto
visual): 1- A comunicação não verbal está menos sujeita à regulação consciente ou à
censura consciente do que a comunicação verbal, deixando passar mais facilmente
conteúdos profundos da experiência do indivíduo.

Comunicação paradoxal: a comunicação verbal é contrariada e desmentida pelos


sinais não verbais que a acompanham.

4 tipos de distancias ( proxémica ) : intimo, interpessoal, social, publico

Paralinguisticas: O tom, a intensidade vocal, o sotaque, a velocidade, a entoação, a


cadência, o silêncio, etc., indicam o estado emocional, a personalidade, o estatuto social
do orador, a forma como ele percepciona o ouvinte.
Escuta activa: Escutar é adquirir, processar e reter informação no contexto interpessoal.
Saber escutar é uma das competências determinantes de uma boa inserção na vida
profissional. Escuta activa ≠ Escuta Passiva

"QUEM CONTROLA UMA COMUNICAÇÃO NÃO É AQUELE QUE MAIS FALA,


MAS SIM O QUE MAIS E MELHOR ESCUTA".

Escutar envolve, acima de tudo, a intenção de atribuir sentido ao que ouvimos, tendo em
conta o quadro de referência do outro. O que implica adoptar uma orientação empática e
ser capaz de reformular. A finalidade da escuta activa é favorecer a satisfação de cada
um dos interlocutores relativamente a três aspectos:  Expressar-se  Ser e sentir-se
ouvido  Ser e sentir-se compreendido

Habitos inadequados de escuta: Pseudo-escuta; escuta selectiva; escuta avaliativa,


escuta defensiva

Escuta efectiva: A comunicação efectiva acontece quando escutamos compreendendo o


ponto de vista do emissor. Não traduzir o que está a ser dito naquilo que se quer ouvir
(self fulfilling prophecy). Prestar atenção aos sinais não verbais. Em caso de dúvida é
preferível confiar na linguagem não verbal.

Feedback (Reforçar/Corrigir/Informar): É um elemento chave que deve obedecer a


critérios. •Ser específico e não geral •Ser descritivo e não avaliativo •Ser dado no
momento oportuno •Ser solicitado e não imposto •Ter em atenção tanto a necessidade
de quem dá como de quem recebe Reformular: Técnica poderosa de escuta activa.
Consiste em parafrasear a mensagem do outro de forma exacta ou resumida sem
acrescentar qualquer interpretação. Aceitação e neutralidade são critérios fundamentais.
Serve para: Assegurar ao outro que o ouvimos e respeitamos. Nos assegurarmos de
que compreendemos o que ele disse. Tornar o ritmo da comunicação mais lento para ter
tempo de reflectir.

Atitudes de comunicação: 1. Atitude de avaliação (• Aumenta a tensão e a


agressividade. • Activa os mecanismos de defesa do receptor; • Reduz a capacidade de
comunicação, • Ineficácia.) 2. Atitude de orientação (Reduz a capacidade de comunicar,
gera a sensação de autoridade, aumenta a tensão. 3. Atitude de apoio ( Manifesta
concordância com o interlocutor) 4.Atitude de exploração ( Manifesta interesse em
recolher informação junto de interlucutor; O interlocutor sente-se escutado, respeitado e
apoiado; Aumenta a comunicação e a capacidade de análise.) 5. Atitude de
reformulação (Centra-se no interlocutor, mas sem manifestar os nossos sentimentos.
Benevolente mas neutra.; Reduz a tensão; Centra-se no momento presente. É uma
atitude positiva que aprofunda a relação e comunicação)

Estilos comunicacionais: ASSERTIVO (capacidade de agir de acordo com os próprios


interesses, necessidades e direitos, sem violar os direitos dos outros. /PASSIVO: atitude
de evitamento face às pessoas e aos acontecimentos; dificuldade (ou incapacidade) de
agir, por medo de decepcionar ou não ser aceite. /AGRESSIVO: atitudes de desprezo
pelos direitos dos outros; sobreposição dos próprios desejos, necessidades e direitos
relativamente aos outros. Dificuldade em relacionar-se (desiguais) /MANIPULADOR:
desprezo e desvalorização dos direitos dos outros recorrendo, por exemplo, à chantagem
emocional, manobras de distracção ou manipulação dos seus sentimentos.…
.