Você está na página 1de 7

1

O câncer

Câncer ou cancro, conhecido por neoplasia maligna é o nome que designa um grupo
com mais de cem doenças conhecidas que atacam diferentes tecidos de diferentes áreas do
corpo, gerando uma anormalidade. O corpo é constituído de incontáveis células, que são as mais
minúsculas unidades de vida independente, que por sua vez se auto multiplicam com fim de
criar um tecido que pertence um órgão, que pertence ao um sistema, que pertence ao um
organismo que pertence a um indivíduo.

Quando a célula já realizou seu objetivo e o organismo já não necessita mais delas, elas
simplesmente morrem e a doença surge justamente neste período de decaimento da célula,
ocorre uma espécie de mutação genética em seu processo de reprodução, o que ocasiona um
crescimento celular exponencial e descontrolado, que ao invés de morrer continua formando
mais células anormais, gerando um tumor.

Os tumores podem em suma,


serem malignos ou benignos, sendo os
malignos os tumores que tem celular
com a capacidade facilitada de se
espalhar nos tecidos próximos,
podendo se transportar dentro do
corpo do indivíduo afetado se
realocando em outro tecido diferente
daquele em que se iniciou o câncer. Os
tumores benignos são aqueles que não
se espalham e ou atacam tecidos, simplesmente se desenvolvem de forma estática, crescendo
e podendo ser retirado, mas provavelmente seu desenvolvimento é reincidente.

Tipos de câncer;

Geralmente são nomeados pelo órgão aos quais afetam;

• Carcinoma: Tumor maligno nas células epitelial, que


recobrem as partes internas e externas da célula,
estão entre eles os de mama, bexiga, pulmão,
próstata, estômago, ovário, pele, etc.
• Sarcoma: Tumor maligno nos tecidos “moles”;
Cartilagens, músculos, vasos e estoques de gordura.
• Leucemia: Tumor maligno, se inicia a partir do
acúmulo de células anormais na medula óssea, que
vão para sangue prejudicando as hemácias,
plaquetas e leucócitos.
• Linfoma: Acúmulo de leucócitos em vasos e outros órgãos, gerando um tumor benigno.
• Tumor no sistema nervoso: Iniciam-se nos tecidos cerebrais.
2

Os locais mais comuns são; Bexiga, próstata, cérebro, estomago, fígado, garganta ou laringe
(cordas vocais) ovário, pâncreas, rim, colo do útero, tireoide, cólon, mama, pulmão e pele.

Principais Causas;

Cada individuo tem combinação genética exclusiva assim como suas devidas alterações,
o câncer atua manipulando essas mutações genéticas, sendo elas 90% a partir de estímulos
ambientais à carga genética como estilo de vida (alimentação, vícios, estresse e sedentarismo)
e 10% de mutações hereditárias. É muito complexo de se determinar a causa certa de um câncer
em certa pessoa, pois há N fatores para que se possa vier a desenvolver um câncer, entre eles:

Produtos Químicos;

A exposição de produtos químicos está


diretamente relacionada ao câncer, e o maior
exemplo disto é o tabagismo, responsável por
cerca de 90% dos casos de câncer no pulmão,
podendo dar origem também a canceres na
laringe, no pescoço, bexiga, esôfago, rins e
pâncreas. O tabaco tem mais de cinquenta
agentes cancerígenos, sendo responsável por um
me cada três mortes por câncer desenvolvido e
uma em cada cinco mortes no mundo, o tabaco apresenta taxa exponencial e gradativa de
aumento junto ao número de caso de câncer.

Outro fator de suma importância é a ingestão de álcool, e o câncer de fígado, muito


incidente na Europa. Casos de insalubridade como exposição ao amianto que causa câncer de
pulmão quando ingerido e ao benzeno que causa a leucemia (câncer no sangue).

Dieta e Sedentarismo;

Os maus hábitos alimentares estão entre 30% das principais causas de mortes por
câncer, sendo que as pessoas que tem o IMC acima do necessário estão diretamente ligadas a
mais de dez tipos de câncer, assim como o sedentarismo está diretamente ligado á efeitos
negativos sobre o sistema endócrino e imunológico, sendo por supernutrição a maioria dos
casos. Alguns alimentos específicos estão ligados ao câncer, como o sal e o câncer gástrico, a
aflatixila B1 e o câncer de fígado a noz de areca e o câncer oral entre outros.
3

Infecção;

18% dos casos de câncer estão diretamente ligados á infecção por agentes externos,
principalmente em locais de vulnerabilidade social e estrutural, como a África, os mais comuns
são causados por vírus, bactérias e parasitas. Entre eles os Oncovírus, o papiloma vírus
humano, o vírus de Epstein-Barr, o herpesvírus, a hepatite B e a hepatite C e o vírus
linfotrópico da célula T humana, além de vermos no fígado e no intestino.

Radiação;

10% dos casos de câncer estão ligados á exposição


dos raios ultravioleta e a radiação não ionizante, como a
luz solar, imagens médicas a e gás radônio. A radiação
ionizante não é um fator tão mutagênico, a exposição
residencial a este gás por exemplo tem efeitos
semelhantes ao tabagismo passivo, mas a radiação se
torna uma forma potente de contágio quando em contato
com outros agentes causadores como o radônio. A
exposição a radiação pode se alojar em qualquer parte do
corpo, sendo crianças duas vezes mais passiveis da
doença. A exposição prolongada aos raios UV, podem se conduzir á um melanoma, que é
também forma de câncer, a radiofrequência tem sido descrita como possível causadora de
câncer, porém não se há uma prova concreta.

Hereditariedade;
São causados por um defeito genético, atingem uma parcela muito pequena de 3% de
câncer no mundo, os genes BRCA1 e BRCA2 são exemplos dos quais se pode desenvolver um
câncer de ovário.

O câncer ainda pode ter como causa Agente físicos como minerais, Hormônios que acentuam a
proliferação de células e o defeito de comunicação das células, que ocorre por um erro no
momento da divisão celular.,

Sintomas:

Entre os sintomas pomos citar:

• Exaustão acessiva
• Tosse continua
• Alteração na tonalidade e protuberância da pele
• Desconforto pós alimentação
• Dor nas articulações
• Febre prolongada
4

• Urina com sangue


• Sangramento sem ferimento
• Mudança na aparência, como pintas pelo corpo.

Tratamento:

O câncer é uma doença que não tem cura, somente um tratamento para cuidar dos sintomas e
combater os tumores. O tratamento depende de tipo do tumor, local, tipo das células, idade,
hábitos etc.

1. Cirurgia- Consiste na retirada do tumor ainda em seus estágios iniciais, normalmente


todos os portadores da doença tem de se submeter a cirurgia com fim de prevenir que
o câncer continue se alastrando.

2. Quimioterapia- Utiliza medicamento e drogas,


aplicados na veia ou nos músculos na tentativa de
destruir as células cancerígenas, impedindo que essas
se espalhem pelo corpo.

3. Radioterapia- Tratamento em que as ondas de rádio


são utilizadas de modo a destruir as células
cancerosas ou impedir seu alastramento.

4. Terapia- alvo- É um tratamento em que se usa


determinadas substância em zonas localizadas com o
fim de prevenir os tumores.

5. Imunoterapia- É um tratamento feito a


partir de estimulantes para que o corpo ajude
a combater o câncer.

6. Hipertermia- É uma técnica auxiliar,


consiste no aumento da temperatura do
corpo, o que favorece a ação dos químicos no
corpo.

7. Transplante de medula- Feito em caso de leucemia.

8. Terapia fotodinâmica- Terapia que usa agentes fotossensibilizantes em conjunto com


a luz para matar células cancerígenas.

9. Terapia a laser- usa os lasers para cortar áreas reduzidas e remover células
cancerígenas sem danificar os tecidos.
5

A maioria dos diagnósticos são feitos a partir dos seus sintomas, que o encaminha a um
médico patologista, que investiga a suspeita de câncer com exames do tipo de sangue,
radiografia, tomografia computadorizada e até endoscopia

Prevenção

Em suma o câncer é causado por agente ambientais, sendo então estilo de vida e
controláveis, sendo evitável na maioria dos casos, mudando os fatores ambientais envolvidos.

A alimentação; seguir uma dieta recomendada,


fugindo da obesidade mórbida com o consumo de frutas
e legumes, grãos, peixes e evitar o consumo de carnes
vermelhas e processados, já que são expostos a agente
cancerígenos em seu processo de cozimento.

A medicação; Em geral, ante- inflamatórios


reduzem o risco de câncer colorretal, mas podem agravar
o intestinal. A aspirina pode reduzir em até 7% a
formação de pólipos, porém hão de haver seus contras e
a tamoxifeno tem se mostrada eficaz na redução do risco de desenvolver câncer de
mama. As vitaminas não foram provadas como eficazes na prevenção, mas a sua falta
mostra maior tendência em adição dos cânceres.

Vacinação; Vacinas que previnem a infecção por vírus cancerígenos como a


vacina da hepatite B e o risco de câncer no fígado.

Câncer em números:
6

O Câncer nos animais:

A neoplastia por ser uma doença ligada diretamente com todo e qualquer tipo de
células pode ocorrer em qualquer tipo de ser vivo, inclusivo nos animais, tanto domésticos,
quanto selvagens, porém é mais comum de se observar em animais domésticos, visto que sua
expectativa de vida é bem maior do que quando comparada a de um animal selvagem exposto
a todos os tipos de problemas na vida cotidiana. A acomodação dos animais doméstico e seu
prolongamento de sua vida é dado equivalente ao observar-se o fato de quanto mais velho,
mais vezes os tecidos tem de se reconstruir, ou seja, a célula se reproduzir e morrer, o que por
sua vez abre espaço para a maior incidência de câncer.

Os tipos mais incidentes de câncer nos animais, são entre outros:

O de mama é o mais comum entre cães e gatos, é caracterizado por uma espécie de
nódulos (caroço) nas mamas, principalmente após os 6 anos. Este câncer está diretamente
ligado ao fato dos donos, principalmente no Brasil, não realizarem a castração precoce de seus
animais, visto que os hormônios como estrogênio e progesterona são secretados pelos ovários
durante os ciclos reprodutivos, hormônios esses que podem criar uma alteração no tecido
mamário.

O segundo é o câncer de pele, mais


comum em cães de mais de 8 anos e gatos de
pelagem branca, o câncer inicia-se com a
proliferação de mastócitos, uma célula
responsável pela resposta alérgica e que pode vir
a alterar o código genético das células epiteliais.
(Recomenda-se a utilização de protetor solar para
pets).

O último é o linfoma, problema


desenvolvido nos gânglios de cães e principalmente gatos, sua incidência e maior em áreas
urbanas e sua identificação é feita a partir de inchaço na garganta dos animais.

O tratamento animal se assemelha com o humano, a depender do caso específico do


câncer pode ser diagnosticado sessões de quimioterapia, radioterapia, de medicamentos,
cirurgia e até crioterapia, que é o congelamento de células neoplásticas superficiais.
7

Referências Bibliográficas;

• https://biosom.com.br/blog/saude/cancer/

• http://www.oncoguia.org.br/conteudo/causas-do-cancer/80/1/

• http://www.accamargo.org.br/tudo-sobre-o-cancer/colo-do-utero/11/

• http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/02/160204_gch_graficos_cancer_fn

• http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/agencianoticias/site/home/noticias/2016
/observatorio-digital-estatisticas-globais-cancer

• https://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A2ncer

• http://gco.iarc.fr/

• http://idmedpet.com.br/saude-de-a-z-caes-e-gatos/cancer-um-mal-que-tambem-
assola-os-animais-domesticos.html

Todos acessados ao dia 18 de abril de 2018.