Você está na página 1de 2

No topico 3.

2; os autores focam em destacar o nível de conhecimento sobre os materias


que é descartado na instituição e que pode ser reaproveitado. No entanto, foi observado
a discrepância entre professores e alunos, obtendo resultados divergentes. Mais da
metade dos alunos acredita na possibilidade de reaproveitamento abaixo de 50%, em
quando os professores chegaram mais proxima da realidade, acima de 50%, como
mostra na pesquisa realizada na escola no mesmo ano, que apontava a taxa de
reaproveitamento em 73%.

Posteriormente é realizado uma análise voltada as ações consideradas sustentáveis em


um projeto de engenharia. Nesta análise o intuito dos autores é de observar o
conhecimento acerca das ações de sustentabilidade: ambiental, econômica e social. Os
resultados apresentados demonstram que os pesquisados, professores e alunos,
conhecem as ações ambiental e econômica, porém, apresentam dificuldades nas ações
sociais. No entanto, quando é analisado apenas os professores, o conhecimento atinge a
todas as dimensões.

É notório que os docentes possui uma visão ampliada em relação aos discentes, por esse
motivo, é investigado através de questionários aplicados aos mesmo sobre as rações
sustentáveis que devem ser praticadas nas escolas e em empresas. Dos 12 professores,
todos afirmam a coleta seletiva e a redução do cunsumo de energia como ações
necessárias, e acreditam que estas contribuem na aprendizagem dos conceitos
sustentáveis. Por outro lado, a maioria dos alunos evidenciam a coleta seletiva e a
instalação de ponto de coleta de eletrônicos e óleo de cozinha como as principais
práticas.

Por fim, os autores averigua o perfil dos engenheiros formados pela IES para atuação
no mercado voltado para a sustentabilidade. Professores e alunos, apresentam uma visão
próxima, onde a maioria afirmam que a instituição forma engenheiros parcialmente
preparado, sendo que 42% e 65% dos professores e alunos, respectivamente, acreditam
que os profissionais formado pela IES estão despreparados para desenvolver projetos,
esses dados se torna preocupante no ramo da engenharia civil por ser considerada a
maior produtora de resíduos que gira em torno de 35% a 40% de todas as atividades
humanas. Daí, surge a necessidade de preparar esses profissionais a tomarem decisões
corretas, respeitando os princípios éticos e morais de uma sociedade.
O estudo de caso realizada na IES de Pernambuco demonstra a situação do ensino da
Engenharia Civil local, dando ênfase aos conceitos da sustentabilidade e sua
aplicabilidade. Por tanto, é visto que o ensino da sustentabilidade na IES apresenta
grandes problemas no que tange a formação de engenheiros civis. As dimissões
sustentaveis: ambiental, economica e social, apresentam bons resultados com excessão
a social. Por fim, os autores reforçam a necessidade de melhorias nas matrizes
curricular, dando enfoque as disciplinas de sustentabilidade assim como melhoras nos
cursos de modo geral para que os alunos sintam-se preparado para atuar como
profissionais.