Você está na página 1de 13

Nº:

MEMORIAL DESCRITIVO MD-P143-0000-940-EKS-001


Título:
MEMORIAL DESCRITIVO MECÂNICO
Usuário: Folha:
CBL – COMPANHIA BRASILEIRA DE LOGISTICA 1 de 13
Empreendimento:
TERMINAL DE GRANEIS LÍQUIDOS
Unidade:
PARANAGUÁ – PR
Contrato: Responsável:
P-143/13 Nelson C. de Moura
CREA: Rubrica:
78-1-02935-0
ÍNDICE DE REVISÕES
REV. DESCRIÇÃO
0 EMISSÃO PRELIMINAR

ORIG. REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H


DATA 10/10/13
EXECUÇÃO MNS
VERIFICAÇÃO NCM
APROVAÇÃO NCM

1
MEMORIAL DESCRITIVO MECÂNICO

TERMINAL DE GRANEIS LÍQUIDOS – CBL – COMPANHIA BRASILEIRA DE LOGISTICA

1. Apresentação Geral:

Este memorial descreve as premissas e especificações técnicas para a implantação do Terminal de


Combustíveis da CBL em Paranaguá – PR.

As informações e premissas para o desenvolvimento deste projeto levaram em conta às necessidades


próprias da CBL e o rigoroso atendimento as normas e legislação pertinentes.

2. Local de implantação:

O Terminal será implantado em uma área de 31.926,77 m², localizada a rua Rua José Cadilhe s/n°,
município de Paranaguá - PR.

3. Finalidade do Terminal:

O Terminal terá por finalidade a estocagem e movimentação, (exportação e importação), de combustíveis


através da utilização do Píer Público de Inflamáveis do Porto de Paranaguá. O Terminal será interligado
ao Píer por meio de dutos. Está também prevista a utilização de movimentação, recebimento e expedição
através do modal rodoviário e ferroviário.

As instalações estão projetadas de forma a permitir alinhamento de qualquer produto para qualquer um
dos Tanques, viabilizando volumes estratégicos em função das demandas sazonais. A possibilidade da
utilização de qualquer um dos Tanques para qualquer produto autorizado, é viabilizada através de
Manifold’s estrategicamente projetados que permite inclusive proteção contra possibilidade de
contaminações através de utilização de válvulas e figura “8” (oito).

4. Produtos manipulados:

O Terminal irá operar com Combustíveis, de forma a atender o mercado.

5. Exigências operacionais:

O sistema de expedição de produtos teve sua concepção baseada na premissa de carregar um navio
com capacidade de 35.000,00 m³ no tempo mínimo de 35 hrs. de trabalho, considerando 02 (dois) dutos
com Ø12” operando simultaneamente com vazão media de 500,00 m³/h em cada duto.
O sistema será também capaz de receber simultaneamente o fluxo de caminhões e vagões-tanque
durante o carregamento do navio.

Foi ainda prevista na Casa de Bombas de expedição de produtos uma linha de interligação entre a
descarga da bomba B-13 e a sucção da bomba B-11, o que viabiliza a transferência de produtos entre
quaisquer tanques.

6. Recepção:

O sistema de recebimento leva em conta a possibilidade de recebimento de produtos através do


descarregamento diário de ate 72 vagões (3x 24 vagões), o que projeta um volume diário de 60 x 72
vagões, iguais a 4.320 m³/dia.
O terminal estará também equipado com sistema de recebimento rodoviário o que permitirá o
descarregamento de produtos através de caminhões tanque, comportando até 8 caminhões
simultaneamente. Cerca de 100 caminhões por dia com capacidade de 45,00 m³ cada, em média,
poderão ser considerados no descarregamento, o que perfaz total de 4.500,00 m³/dia.

7. Fluxo de Expedição:

Considerando-se a carga do navio em 02 dias de 17,5 horas utilizando-se 2 linhas de 12'' para a carga,
obtêm-se a vazão de carga de 1.000,00 m³/h.

2
O terminal possui uma capacidade de expedição de 1000,00 m³/h que permite um carregamento de navio
de ate 48.000,00 m³ em cerca de 48 horas trabalhadas, considerando a expedição com utilização de 02
(dois) dutos de diâmetro 12”.

A expedição de 1.000,00 m³/h será feita por 02 (duas) bombas com capacidade nominal de até 600,00 m³
cada.

8. Descrição das instalações do Terminal:

8.1. Capacidade de Armazenamento / Tanques:

O Terminal terá capacidade total de armazenamento de 93.715,00 m³.

Serão construídos / instalados 18 (dezoito) tanques de produto, sendo 11 (onze) com diâmetro de
21,00m e altura 19,80m, 01 (um) com diâmetro de 19,10m e altura de 19,80, 03 (tres) com diâmetro de
13,37m e altura de 19,80m e 03 (três) com diâmetro de 9,55m e altura de 19,80m. Os tanques serão
construídos conforme Norma NBR 7821, tendo teto fixo cônico com solda de baixa resistência, na
periferia.

Os tanques serão também dotados de películas flutuantes e de sistema de combate a incêndio através
de câmaras de espuma e anéis com aspersores para resfriamento automático dos costados.

O teto dos tanques serão do tipo cônico, fixo com solda de baixa resistência, dotados dos equipamentos
de segurança e operação previstos nas normas NBR 17505 e código do Corpo de Bombeiros de Curitiba.
Toda a solda utilizada na construção dos tanques será controlada e com testes em raio "X" ou ultra som,
e todos os tanques serão equipados com escadas, portas de inspeção, válvulas de alívio e demais
componentes mecânicos.

Será construído um tanque reservatório de água contra incêndio com capacidade mínima de 4.410,00 m³

Todos os tanques serão de formato cilíndrico vertical, com fundo plano, construído com chapa de aço
estrutural ASTM A-36, conforme a norma NBR 7821.

8.2. Identificação e características dos Tanques:

TQ 01
Volume = 1.415,00 m³
Altura = 19,80 m
Diâmetro= 9,55 m

TQ 02
Volume = 2.780,00 m³
Altura = 19,80 m
Diâmetro = 13,37m

TQ 03
Volume = 6.860,00 m³
Altura = 19,80m
Diâmetro = 21,00m

TQ 04
Volume = 6.860,00 m³
Altura = 19,80m
Diâmetro = 21,00m

TQ 05
Volume = 6.860,00 m³
Altura = 19,80m
Diâmetro = 21,00m

3
TQ 06
Volume = 6.860,00 m³
Altura = 19,80m
Diâmetro = 21,00m

TQ 07
Volume = 6.860,00 m³
Altura = 19,80m
Diâmetro = 21,00m

TQ 08
Volume = 1.415,00 m³
Altura = 19,80 m
Diâmetro= 9,55 m

TQ 09
Volume = 2.780,00 m³
Altura = 19,80 m
Diâmetro = 13,37m

TQ 10
Volume = 6.860,00 m³
Altura = 19,80m
Diâmetro = 21,00m

TQ 11
Volume = 6.860,00 m³
Altura = 19,80m
Diâmetro = 21,00m

TQ 12
Volume = 6.860,00 m³
Altura = 19,80m
Diâmetro = 21,00m

TQ 13
Volume = 6.860,00 m³
Altura = 19,80m
Diâmetro = 21,00m

TQ 14
Volume = 6.860,00 m³
Altura = 19,80m
Diâmetro = 21,00m

TQ 15
Volume = 2.780,00 m³
Altura = 19,80 m
Diâmetro = 13,37m

TQ 16
Volume = 1.415,00 m³
Altura = 19,80 m
Diâmetro= 9,55 m

TQ 17
Volume = 6.860,00 m³
Altura = 19,80m
Diâmetro = 21,00m

4
TQ 18
Volume = 5.670,00 m³
Altura = 19,80 m
Diâmetro = 19,10m

TQ 19 (TANQUE DE ÁGUA CONTRA INCÊNDIO)


Volume = 4.410,00 m³
Altura = 19,00 m
Diâmetro = 17,20m

8.3. Movimentação:

8.3.1. Para as operações de recebimento e expedição de produtos através do modal rodoviário estão
previstas as seguintes instalações:

 Casa de bombas com capacidade de até 2.150,00 m³/h para recepção, e capacidade de até
1.200 m³/h para a expedição;

 06 Pontos de descarga rodoviária;

8.3.2. Para as operações de recebimento e expedição de produtos através do modal ferroviário estão
previstas as seguintes instalações:

8.3.3. Para as operações de expedição/ exportação e importação de produtos através dos dutos
interligados ao Porto estão previstas as seguintes instalações:

8.4. Estrutura de Apoio e controle:

Para dar suporte e condições operacionais ao terminal foram previsto:

 Portaria com controle de acesso;

 Laboratório de análise;

 Escritório de apoio, com acesso restrito ao Terminal;

 Almoxarifado;

 Vestiário.

 Subestação transformadora;

 Sistema de Tratamento de Efluente; (SAO)

 Plataformas de movimentação rodoviária;

 Plataformas de movimentação ferroviárias;

 Casas de Bombas;

 Estacionamento para automóveis;

 02 balanças rodoviárias;

 Desvio ferroviário;

 Vias de acesso e contorno a toda a área de manutenção e armazenagem, dimensionada para a


utilização de até duas pistas em toda sua extensão.

5
8.5. Obras Civis – Tanques (bases):

Para os 19 tanques, serão adotadas bases tipo “bolacha” de concreto armado, totalmente estaqueadas.
As fundações serão dimensionadas de acordo com as cargas provenientes dos referidos tanques, com
estaqueamento profundo, de acordo com a carga atuante e dados de sondagem geológica.

Os blocos de coroamento das estacas serão executados em concreto armado, "in loco", com formas de
compensado ou de chapas de aço carbono. As bitolas, quantidades e dimensões do aço das armaduras
serão apresentadas no projeto estrutural específico.
O concreto estrutural a ser aplicado será usinado, dosado em balanças eletrônicas e com o Fck
determinando conforme especificações do projeto executivo.

8.6. Bacia de Contenção:

Está prevista bacia de contenção a ser limitada por muro de concreto com 1,20 metros de altura. A bacia
será formada por uma cortina de concreto armado, com fundação através de sapata corrida.

Para a transposição do muro da bacia de contenção serão instaladas escadas metálicas com degraus,
conforme o dimensionamento do muro. Serão previstas juntas de dilatação para evitar fissuras e
conseqüentes vazamentos.

A bacia de contenção será executada em concreto armado, com aditivo impermeabilizante, garantindo
permeabilidade inferior a 10-6 cm/s (referenciado à água a 20ºC), dotada de tubulação de drenagem
capaz de esgotar as águas de chuva, eventuais vazamentos e resíduos de limpeza dos tanques,
conectando ao sistema de tratamento de efluentes, composto por caixas separadoras de água e óleo.

Serão bacias individuais internas, circundando cada tanque. Estas bacias terão altura de 0,45m.

8.6.1 Cálculo do Volume da Bacia

A bacia de contenção tem uma área aproximada de 12.886,00m2, interna ao dique de contenção.
De acordo com o item “b” do 5.3.3.2 da NBR 17505-2, a capacidade volumétrica da bacia de
contenção deve ser no mínimo igual ao volume do maior tanque, mais volume de deslocamento da base
deste tanque, mais os volumes equivalentes aos deslocamentos dos demais tanques, suas bases e dos
diques intermediários.

Os tanques e correspondentes volumes deslocados com suas bases, para uma lamina estimada de
0,90m de altura são:

Volume Deslocado (m³)


Tanque Volume (m³) Ø(m)
Base Tanque
1 1415 9,55 37,30 28,65
2 2780 13,37 72,30 56,15
3 6860 21,00 176,50 138,55
4 6860 21,00 176,50 135,55
5 6860 21,00 176,50 138,55
6 6860 21,00 176,50 138,55
7 6860 21,00 176,50 138,55
8 1415 9,55 37,30 28,65
9 2780 13,37 72,30 56,15
10 6860 21,00 176,50 138,55
11 6860 21,00 176,50 138,55
12 6860 21,00 176,50 138,55
13 6860 21,00 176,50 138,55
14 6860 21,00 176,50 138,55
15 2780 13,37 72,30 56,15
16 1415 9,55 37,30 28,65
17 6860 21,00 176,50 138,55
18 5670 19,10 146,30 114,60

6
Temos assim que:

a) O maior tanque possui o volume de 6860m³.


b) O volume de deslocamento da base do maior tanque é de 176,5m³.
c) O volume de deslocamento dos demais tanques com suas bases é de 10 (176,5 + 138,55) + 1
(146,3 + 114,6) + 3 (72,3 + 56,15) + 3 (37,3 + 28,65) = 3.994,60 m³.
d) O volume de deslocamento dos diques intermediários é de 0,2 x 0,45 x 1010 = 91 m³.

O volume mínimo da bacia deverá ser de:

VMIN = 6860 + 176,5 + 3994,60 + 91 = 11.122,10 m³

VBACIA MIN = 11.122,10 m³

8.6.2 Cálculo da Altura do Dique

Conforme item “g” do 5.3.3.2 da NBR 17505-2 a altura do dique deve ser aquela que atende a
capacidade volumétrica da bacia de contenção, mais 0,2 m para conter as movimentações do líquido.

a) Altura que atende a capacidade volumétrica da bacia de contenção:

V 11.122,10
H= = = 0,87 m
Área 12.886

b) Altura do dique:

Hd = 0,87 + 0,2 =1,07

A altura adotada de 1,20 m atende ao disposto na norma.

8.6.3 Serão construídas divisões / bacias internas em concreto, com 0,45m de altura. Assim, serão
formadas 18 (dezoito) bacias individuais, 12 (doze) com volume médio de 168 m3, 03 (três) com
volume médio de 144 m³ e 03 (três) com volume de 65 m³.

8.6.4 Cada bacia possuirá inclinação dirigida a uma caixa interna, cuja finalidade é drenagem de água
de chuva e de eventuais derrames.

Cada uma destas caixas será interligada através de tubulação a outra caixa externa a bacia de
contenção onde serão instaladas válvulas de bloqueio cuja descarga será dirigida a uma tubulação de
coleta geral cujo destino será a caixa retentora de produtos que terá conotação de um S.A.O (separador
de água e óleo). Estas válvulas deverão permanecer fechadas e operadas somente para esgotamento
controlado de água de chuva retida ou de eventuais vazamentos.

8.7 Sistema de drenagem de produtos

A drenagem da bacia dos tanques será dirigida à uma caixa coletora, com capacidade mínima de 50
m³. A drenagem da casa de bombas, estação de descarregamento rodoviário e ferroviário será dirigida
para outra uma caixa coletora com capacidade mínima de 30m3. O produto retido, será succionado por
caminhões e transferido para destino programado.

8.8 Plataforma de Descarregamento/ Carregamento Rodoviário 01:

Características técnicas:

Área coberta estimada em 166 m² – 2 baias

A plataforma será construída em estruturas metálicas.

7
As estruturas metálicas da cobertura serão apoiadas em estacas profundas sendo que o tipo, a seção, o
comprimento e a carga atuante serão dimensionados com base na sondagem do solo e nas cargas
previstas de acordo com o projeto estrutural.

A estrutura da cobertura será totalmente metálica, utilizando-se laminados de aço soldado com controle e
inspeção das soldas. Seu sistema deverá ser o de treliças.
Todos os demais componentes, como as terças de ligação da estrutura, serão construídas com perfilados
de chapa dobrada, que serão fixadas nas estruturas através de parafusos e arruelas próprias para esta
finalidade.
A cobertura será executada com telhas trapezoidais metálica com espessura de 0,7 mm, com fixação
através de parafusos duralumínio, arruelas e porcas sextavadas galvanizadas ou inoxidáveis.

O local de todas as obras civis será inicialmente limpo para, em seguida, haver a remoção da camada
vegetal superficial e de toda a matéria orgânica existente no local.

Todas as escavações serão controladas por gabaritos de madeira instalados em pontos seguros.

No piso da plataforma, na área definida pela projeção do telhado será construída laje do concreto armado
circundada por canaleta de drenagem para coleta de eventuais vazamentos na operação de recebimento
de produtos por caminhões – tanques.

8.9 Plataforma de Descarregamento/ Carregamento Rodoviário 02

Características técnicas:

Área coberta estimada em 166 m² – 2 baias

A plataforma será construída em estruturas metálicas.

A cobertura, as obras civis e as escavações serão realizadas conforme iten 8.8.

8.10 Plataforma de Descarregamento/ Carregamento Rodoviário 03

Características técnicas:

Área coberta estimada em 166 m² – 2 baias

A plataforma será construída em estruturas metálicas.

A cobertura, as obras civis e as escavações serão realizadas conforme iten 8.8.

8.11 Plataforma de Descarregamento/ Carregamento Ferroviário:

Características técnicas:

Área coberta estimada em 1760 m²

A plataforma será construída em estruturas metálicas.

A cobertura, as obras civis e as escavações serão realizadas conforme iten 8.8.

Nos pontos de conexão para recebimento de vagões serão construídos lajes com bacias de contenção
de concreto armado circundadas por mureta de 150 mm de altura com sistema de coleta de eventuais
vazamentos dirigidos ao S.A.O (separador de água e óleo).

Para locação, marcação e movimentação de terra serão utilizados os mesmos procedimentos já citados
para a plataforma de descarregamento/ carregamento rodoviário.

8
8.12 Guaritas de entrada e saída da base:

Características técnicas:

Serão construídas 02 (duas) guaritas:

Guarita 01 - entrada de caminhões: 6,0 m²


Guarita 02 - saída de caminhões: 6,0 m²

Estas construções serão apoiados diretamente em estacas de concreto armado, moldado "in loco", e
vigas baldrame que suportarão as paredes de alvenaria.
Serão utilizados tijolos cerâmicos para todas as paredes, com face externa à vista e interna revestida
com chapisco, emboço e reboco fino, com aplicação de massa corrida e pintura acrílica. As paredes do
sanitário irão receber azulejos padrão extra.

Toda a área interna será revestida com piso cerâmico, padrão extra e, em todo o contorno do prédio,
calçada em concreto simples, com acabamento alisado.

A rede de água e esgoto será especificada em projeto próprio da instalação, sendo, entretanto,
embutidas nas paredes e pisos e a rede de esgoto encaminhada para rede pública de coleta de esgotos
ou, na falta dessa, a uma fossa de tratamento com sumidouro.

As válvulas de descarga e os demais metais, como torneiras e registros, serão cromados.

As paredes internas e a laje do forro serão pintadas com tinta acrílica após o emprego de massa acrílica;
as portas de madeira com fundo fungicida e acabamento em esmalte sintético.

8.13 Prédio para Laboratório e Vestiário

Características técnicas:

Área: 60,0 m²

Este prédio será apoiado em estacas de concreto armado pré-moldado contendo ainda vigas de
baldrame para o apoio das paredes de alvenaria.
Os blocos das estacas e as vigas de baldrame serão armados em aço CA 50 e executados em concreto
armado, com Fck maior do que 20 Mpa.

A proteção das armaduras será feita através de um lastro de concreto "magro", com espessura
determinada no projeto e todas as armaduras serão executadas com aço CA 50, nas bitolas e dimensões
fornecidas também pelo projeto estrutural executivo.
A estrutura principal do laboratório será possuir pilar, vigas e laje em concreto armado aparente fundido
"in loco" lançado. Todas as armaduras serão construídas com distanciadores que permitam determinado
recobrimento para a sua proteção.

As paredes serão executadas com tijolos cerâmicos. Nas paredes externas o acabamento será com tijolo
à vista e nas paredes internas o acabamento será com revestimento de reboco.

O revestimento interno será composto de chapisco, emboço e reboco fino, para aplicação de massa
corrida e pintura acrílica. Nos sanitários as paredes serão revestidas com azulejos padrão extra,
assentados com emboço de cimento colante e rejuntados.

Para o prédio do laboratório será prevista redes de água e esgoto em tubos de PVC rígido, embutidos
nas paredes e pisos, sendo que a rede de esgoto deverá ser encaminhada à rede pública de esgoto ou,
na falta dessa, à fossa de tratamento e sumidouro conforme norma.

A alimentação de água será por meio de caixa d'água elevada e instalada sob o telhado.

As paredes internas e a laje irão receber uma pintura com tinta à base acrílica e as portas de madeira
com fundo fungicida e acabamento em esmalte sintético.

9
8.14 Arruamento e Pavimentação:

Características técnicas:

Área Estimada: 6.300,00 m²

Com base na sondagem do terreno será desenvolvido projeto específico de pavimentação,


dimensionando o pavimento para o trânsito de caminhões-tanque, de bombeiros e de materiais para a
manutenção do Terminal.

Os acessos e vias internas do Terminal serão aterrados com saibro compactado, com uma camada
superior de brita grossa, na espessura definida em projeto, acabamento final com areia média e
assentamento de blocos sextavados de concreto de alta resistência, com 10 cm de espessura.

O pátio de estacionamento, próximo ao escritório, será nivelado e pavimentado com os blocos de


concreto, acima citados.

8.15 Casas de Bombas:

Características técnicas:

Serão construídas 04 áreas destinadas às casas de bombas, sendo uma para operações com o Píer;
outra para operações rodoviárias e para operações ferroviárias e uma outra para combate a incêndio.
As dimensões serão capazes de permitir a montagem, operação e manutenção das bombas de processo
e de incêndio, garantindo a ventilação permanente do ambiente.

9 Mecânica:

9.1 Características do produto: granéis líquidos:

Pesos específicos: variando entre 0,72 t/m³ até 0,9 t/m³

Tipo: combustíveis, com especificações diversificadas

9.2 Relação dos principais componentes, mecânicos:

O terminal será caracterizado basicamente pelos seguintes principais equipamentos:

 Tanques de armazenagem de produtos


 Tanque de água
 Tanque de LGE
 Moto-bombas elétricas
 Moto-bomba a combustão
 Compressores
 Balanças
 Tubulações de movimentações de produto
 Lançadores / Recebedores de “Pig”
 Dutos de interligação com o Porto

9.3 Bombas de recebimento de produtos por caminhão – tanque:

Bombas Nº Vazão (m³/h) Potencia estimada (cv)


B – 01 180 30
B – 02 180 30
B – 03 180 30
B – 04 180 30
B – 05 180 30

10
9.4 Bombas de recebimento de produtos por vagões ferroviário:

Bombas Nº Vazão (m³/h) Potencia estimada (cv)


B – 06 250 40
B – 07 250 40
B – 08 250 40
B – 09 250 40
B – 10 250 40

9.5 Bombas de expedição de produtos:

Bombas Nº Vazão (m³/h) Potencia estimada (cv)


B – 11 600 200
B – 12 600 200
B – 13 600 200

9.6 Bombas de carregamento de produtos para vagões tanque:

Bombas Nº Vazão (m³/h) Potencia estimada (cv)


B – 14 270 45
B – 15 270 45
B – 16 270 45
B – 17 270 45

9.7 Bombas de carregamento de produtos para caminhões tanque:

Bombas Nº Vazão (m³/h) Potencia estimada (cv)


B – 18 270 45
B – 19 270 45
B – 20 270 45
B – 21 270 45

9.8 Lançadores / Recebedores de “Pig”

Serão construídos 02 (dois) lançadores de “Pig” um para cada linha de interligação com o Porto, todos
com diâmetro de 16”, com redução para 12” na origem dos dutos.

9.9 Compressor

Será instalado um sistema de geração de ar comprimido para injeção de ar no corpo dos “Pig’s”. Este
sistema tem a função de deslocar os “Pig’s” cuja finalidade é arrastar o produto que permanece nos dutos
após o desligamento das bombas de transferência.

Compressor Nº Pressão (Kgf/cm²) Potencia estimada (cv)


CP – 01 7,5 50

9.10 Tubulações e acessórios:

 Todas as tubulações de produtos serão em aço carbono API 5L GrB;


 Todas as conexões, filtros, acessórios e demais componentes serão em aço carbono classe 150
libras;
 Todas as tubulações do sistema de água contra incêndio serão em aço carbono ASTM – A53.

10. Prevenção e combate a incêndio:

10.1 Bombas:

O sistema de combate a incêndio será composto das seguintes bombas:.

11
 Bomba centrifuga com acionamento através de motor elétrico - vazão 700,00 m³/h;

 Bomba centrifuga com acionamento através de motor diesel - vazão 700,00 m³/h;

 Bomba centrifuga “Jockey” com acionamento através de motor elétrico - vazão 20,00 m³/h;

Para a prevenção e combate a incêndios estão previstos:

10.2 Tanque de água contra incêndio:

Tanque cilíndrico vertical com capacidade 4.410,00 m³

10.3 Demais componentes:

 Tanque de armazenamento de Líquido Gerador de Espuma (LGE);

 Hidrantes com canhão monitor, para combate a incêndio por espuma e resfriamento dos
costados dos tanques por aspersores;

 Baterias de extintores;

 Anéis de resfriamento com aspersores;

 Câmaras de espuma

 Alarme de incêndio.

 Outros

11 Sistema elétrico

O projeto do sistema será composto de:

 Definição de áreas classificadas;


 Sistema de aterramento de tanques e outros componentes;
 Sistema de proteção atmosférica;
 Dimensionamento de demanda elétrica levando em conta critérios de simultaneidade;
 Dimensionamento e especificação de quadros em geral:
 Especificações e quantificações de cabos e demais componentes;
 Especificações e quantificações para o sistema de força;
 Especificações e quantificações para o sistema de iluminação.

12 Interligação do Terminal com o Píer Público de Inflamáveis do Porto de Paranaguá:

A interligação do Terminal com o Píer Público de Infamáveis do Porto de Paranaguá será feita
através de 02 (dois) tubulações de diâmetro 12 (doze) polegadas.

13 Normas Técnicas e Exigências Legais a Serem Aplicadas:

 NBR 17505 Parte 01 / 2013 — Armazenamento de líquidos inflamáveis e Combustíveis.


Disposições Gerais.
 NBR 17505 Parte 02 / 2013 — Armazenamento de líquidos inflamáveis e Combustíveis.
Armazenamento em tanques e em vasos.
 NBR 17505 Parte 03 / 2013 — Armazenamento de líquidos inflamáveis e Combustíveis. Sistemas
de tubulações.
 NBR 17505 Parte 04 / 2013 — Armazenamento de líquidos inflamáveis e Combustíveis.
Armazenamento em recipientes e tanques portáteis.
 NBR 17505 Parte 05 / 2013 — Armazenamento de líquidos inflamáveis e Combustíveis.
Operações.

12
 NBR 17505 Parte 06 / 2013 — Armazenamento de líquidos inflamáveis e Combustíveis.
Instalações de equipamentos elétricos.
 NBR 17505 Parte 07 / 2013 — Armazenamento de líquidos inflamáveis e Combustíveis. Proteção
contra incêndio para parques de armazenamento com tanques estacionários.
 CCB PR – Código de Prevenção de Incêndios - 3ª edição, 2001
 NBR 9077/93 - Saídas de emergência em edifícios.
 NBR 9441/98- Execução de Sistemas de detecção de incêndios.
 NBR 12615/92 - Sistema de combate a incêndio por espuma .
 NBR 12693/93 – Sistema de proteção por extintores de incêndio.
 NBR 13714/2000 - Sistemas de hidrantes e mangotes para combate a incêndio.
 NBR 14870/2002 – Esguichos de jato regulável para combate a incêndio.
 NBR 5418/95 – Instalações elétricas em atmosferas explosivas.
 NBR 7821/83 - Tanques soldados para armazenamento de petróleo e derivados.
 NBR 7824/83 — Sistemas de revestimentos protetores com finalidade anticorrosiva.
 NBR 5418/95 - Instalações elétricas em ambiente com líquidos, gases e vapores inflamáveis.
 API STD 520 - Design and Installation of Pressure-Relieving Systems in Refineries;
 API STD 550 - Manual on Installation of Refinery Instruments and Control Systems;
 API STD 610 - Centrifugal Pumps for General Refinery Services;
 ANSl B 31 — American National Standard code for pressure piping.
 ANSI B 31.1 - Power Piping.
 ANSI/ASME B 31.3 - American National Standard Code for Pressure Piping;
 ANSI/ASME B 31.4 - Liquid Transportation Systems for Hydrocarbons, Liquid Petroleum Gas,
Anhydrous Ammonia and Alcohols;
 ANSI/ASME B 36.10 - Welded and Seamless Wrought Steel Pipe;
 NFPA 15 - Standard for water spray fixed systems for fire protection.
 NFPA 20 - .Standard for Installation of centrifugal pumps.
 NFPA 30 - Flammable on combustible liquids code.
 NFPA 69 — Standard on explosion prevention systems.
 Associação Brasileira de Normas Técnicas - (ABNT)
 American Society for Testing and Materials - (ASTM)
 American Welding Society - (A WS)
 Society of Automotive Engineers - (SAE)
 Steel Structures Painting Council - (SSPC)
 National Eletrical Manufactures Association - (NEMA)
 International Eletrothechnical Comission - (IEC)
 Eletronic Industries Association - (EIA)
 Instituto Brasileiro de Petróleo - (IBP)

13