Você está na página 1de 21
Crescimento de Cristais - Diagrama de Fases
Crescimento de Cristais - Diagrama de Fases
Recapitulando a aula 2: NUCLEAÇÃO E CRESCIMENTO DE FASES
Recapitulando a aula 2:
NUCLEAÇÃO E CRESCIMENTO DE FASES
Nucleação
Nucleação
Redução da Temperatura Líquido - Desorganização Cristalina Formação de clusters ou embriões
Redução da Temperatura
Redução da
Temperatura
Redução da Temperatura Líquido - Desorganização Cristalina Formação de clusters ou embriões

Líquido - Desorganização

Cristalina

Formação de clusters

ou embriões

Nucleação na Solidificação:
Nucleação na Solidificação:

Formação de um núcleo sólido ordenado no meio do líquido

Inicia-se a partir da formação de um Embrião

Os embriões podem aparecer e dissolver Os embriões podem aparecer e crescer

Núcleos que passam a crescer espontaneamente de forma organizada são chamados de Cristais

Nucleação é um fenômeno de transformação de fase S/L

Pode ser dividida em:

Heterogênea

de Cristais Nucleação é um fenômeno de transformação de fase S/L Pode ser dividida em: Heterogênea

Homogênea

Crescimento das fases
Crescimento das fases
Crescimento das fases

Exemplo:Nucleação e crescimento de uma liga Al-3,5%Ni em Forno Bridgman (controlado)

de uma liga Al-3,5%Ni em Forno Bridgman (controlado) Raios x L S V G Absorção Onda
Raios x L S V
Raios x
L
S
V

G

Absorção

de uma liga Al-3,5%Ni em Forno Bridgman (controlado) Raios x L S V G Absorção Onda
de uma liga Al-3,5%Ni em Forno Bridgman (controlado) Raios x L S V G Absorção Onda

Onda

monocromática

Amostra fina

Refino de Grão (aumentar a quantidade e dimnuir o tamanho):
Refino de Grão (aumentar a quantidade e dimnuir o tamanho):

Intensidade de nucleação controla a estrutura final

Cada grão cristalino cresce a partir de um único núcleo

Duas técnicas para refino de estrutura a partir do líquido:

Resfriamento brusco e controlado Adição de agentes nucleantes

Bom refinador será aquele

que produz:

- menores ângulos de contato

- elevada energia superficial partícula/L

- baixa energia superficial partícula/S

- estável, insolúvel no líquido

- alta rugosidade

- similaridade com a rede cristalina sólido

Principais Agentes Nucleantes:

Ligas Al: Titânio e Boro Ligas Mg: Carbono e Zircônio Ligas Cu: Ferro ou Zircônio Ligas Pb: Arsênio e Telúrio Ligas Zn: Titânio Ligas Fe-C: Nióbio e Vanádio

Nucleação Dinâmica:
Nucleação Dinâmica:

Estímulo dinâmico: vibração mecânica e/ou eletromagnética

Adição de inoculantes
Adição de inoculantes
Adição de inoculantes Solidificação normal Com refinador Aço com 18%Cr /12%Ni
Solidificação normal
Solidificação normal
Adição de inoculantes Solidificação normal Com refinador Aço com 18%Cr /12%Ni
Com refinador
Com refinador
Aço com 18%Cr /12%Ni
Aço com 18%Cr /12%Ni
Estrutura de solidificação normal Refino de grão por adição de boro-titânio Lingotes de Alumínio solidificados

Estrutura de solidificação normal

Refino de grão por adição de boro-titânio

normal Refino de grão por adição de boro-titânio Lingotes de Alumínio solidificados em coquilha de aço

Lingotes de Alumínio solidificados em coquilha de aço

Nucleação dinâmica
Nucleação dinâmica
(A) Sem agitação mecânica (B) Com agitação mecânica
(A) Sem agitação mecânica
(B) Com agitação mecânica
Macroestruturas da liga Al 4%Cu
Macroestruturas da liga Al 4%Cu
Diagrama de Fases
Diagrama de Fases
 Metal Puro
 Metal Puro

Para o exemplo do metal puro, pode-se representar as condições de equilíbrio conforme se segue:

Tf
Tf

Líquido

(1 fase)

Sólido

(1 fase)

Acima da temperatura de fusão o material se encontrará na condição de líquido e abaixo dessa temperatura na condição de sólido. O ponto Tf corresponde então ao ponto de transformação.

 Ligas Binárias
 Ligas Binárias

Admitindo um metal puro (componente A) no qual será inserida uma certa quantidade de um elemento de liga (componente B), a curva de resfriamento partindo de uma temperatura Tv, será dada por:

Resfriamento do líquido Tv Transformação de fase (sólido + líquido) TL Resfriamento do sólido Ts
Resfriamento do líquido
Tv
Transformação de fase
(sólido + líquido)
TL
Resfriamento
do sólido
Ts
Liga binária:
Metal base (solvente) -A
Metal de liga (soluto) - B

Tempo

Diagrama de fases
Diagrama de fases
TL Ts
TL
Ts

Líquido

(1 fase)

Sólido +

Líquido

Sólido (1 ou + fases)

TL - Temperatura liquidus Ts - Temperatura solidus
TL - Temperatura liquidus
Ts - Temperatura solidus
Intervalo de Solidificação
Intervalo de Solidificação

T T T

SL

L

S

T T F T L T s Liquidus Solidus % C o
T
T F
T L
T s
Liquidus
Solidus
%
C o
T T V T L T s t
T
T
V
T L
T s
t

O calor latente é liberado em um intervalo de temperaturas:

H

H H .f

S

S

H .f

S

S

H .f

L

L

H

L

.(1

f

S

)

H H

L

L.f

S

H

H

Metal Puro T T f
Metal Puro
T
T
f
Al - Cu T E T l T
Al - Cu
T E
T l
T

H

H

Aço
Aço
T s T T l Pb - Sn T E T l T
T s
T
T
l
Pb - Sn
T E
T l
T
 Componente:
 Componente:

define um elemento puro, e/ou os componentes individuais formadores de ligas

 Sistema:
 Sistema:
 Fase:
 Fase:

Caracteriza o espectro de composições e fases existentes entre os elementos individuais

Esse termo define uma porção homogênea de um sistema

SOLIDIFICAÇÃO ComponenteA Componente B Sólido - Condição 1 Estrutura cristalina organizada apresentando duas
SOLIDIFICAÇÃO
SOLIDIFICAÇÃO

ComponenteA Componente B
Componente BComponenteA

SOLIDIFICAÇÃO ComponenteA Componente B Sólido - Condição 1 Estrutura cristalina organizada apresentando duas
SOLIDIFICAÇÃO ComponenteA Componente B Sólido - Condição 1 Estrutura cristalina organizada apresentando duas
SOLIDIFICAÇÃO ComponenteA Componente B Sólido - Condição 1 Estrutura cristalina organizada apresentando duas

Sólido - Condição 1 Estrutura cristalina organizada apresentando duas fases com componentes insolúveis

apresentando duas fases com componentes insolúveis Líquido Estrutura cristalina desorganizada apresentando um
apresentando duas fases com componentes insolúveis Líquido Estrutura cristalina desorganizada apresentando um
apresentando duas fases com componentes insolúveis Líquido Estrutura cristalina desorganizada apresentando um

Líquido Estrutura cristalina desorganizada apresentando um única fase

cristalina desorganizada apresentando um única fase Sólido - Condição 2 Estrutura cristalina organizada

Sólido - Condição 2 Estrutura cristalina organizada apresentando uma fase formada por diferentes componentes

fase Sólido - Condição 2 Estrutura cristalina organizada apresentando uma fase formada por diferentes componentes
 Limite de solubilidade:
 Limite de solubilidade:

Componente B (soluto) adicionado ao

componenteA (solvente), para formar uma

solução líquida. Sabe-se que para uma

dada temperatura, deverá existir um limite

da quantidade do componente B que o

componenteA é capaz de absorver. Após

esse limite, os átomos do soluto não serão

mais agregados à rede do solvente,

ocorrendo a partir daí a precipitação de uma nova fase.

Esse limite da quantidade do componente

B que o componenteA pode receber é chamado de Limite de Solubilidade.

nova fase. Esse limite da quantidade do componente B que o componenteA pode receber é chamado
 Solução sólida:
 Solução sólida:
 Solução sólida: O termo Solução Sólida , tem a mesma idéia, entretanto refere-se a materiais

O termo Solução Sólida, tem a mesma idéia, entretanto refere-se a materiais no

estado sólido. Um componente B pode formar uma solução sólida com um

componente A, se o componente B se misturar a estrutura do componente A (de modo intersticial ou substitucional) de tal forma a manter uma condição de fase

única.

Componente solvente

Componente soluto
Componente soluto

Solução sólida Substitucional

FASE ÚNICA
FASE
ÚNICA

Componente solvente

Solução sólida Intersticial

Componente soluto
Componente soluto

Diagrama de fases de uma Liga Binária Eutética

T T fA L linha L solidus T L linha liquidus T S ponto eutético
T
T fA
L
linha
L
solidus
T L
linha liquidus
T S
ponto eutético
+L
L+
T E
T 1
linha
solvus
+
x E
A x 1
B

Fração de B

T fB

e = fases sólidas

= fase primária (rica em A)

= segunda fase (rica

em B)

Diagrama de fases de uma Liga Binária Eutética

T T fA L linha L solidus linha liquidus T L ponto eutético +L 
T
T fA
L
linha
L
solidus
linha liquidus
T L
ponto eutético
+L
L+
L
T E
+
T 1
linha
solvus
E
x E
A
x 2
B

Fração de B

T fB

e = fases sólidas

= fase primária (rica em A)

= segunda fase (rica

em B)